Page 1

Paracatu e Unaí, sexta-feira, 26 de abril de 2013

Edição 156

Semanal N° páginas: 16 R$ 1,00 MARCOS ANTONIO/JD

25 anos ajudando o próximo

Páginas 5 a 13


2 | PUBLICIDADE

Sexta-feira |26 de abril de 2013


Sexta-feira |26 de abril de 2013

POLÍTICA | 3

Nutricionistas podem compor o quadro de funcionários de postos de saúde para atender pacientes – Foi apresentado à Câmara Municipal, no início do mês, pelo vereador Hamilton Bastista (PSDB), um requerimento que solicita junto ao Poder Executivo a visita de nutricionistas nos postos de saúde, realidade que, segundo o vereador, não existe. De acordo com Hamilton, a necessidade da presença desse profissional auxiliaria, por meio de acompanhamento, pacientes como gestantes, obesos, diabéticos e que possua doenças cardiovasculares, entre outras. “Uma vez que a população fica carente nesses serviços, o meu

entendimento é que, um nutricionista ou o nutricionista da prefeitura, pode acompanhar esses serviços e se deslocar de um posto de saúde para outro, até mesmo para orientar a população desfavorecida nessa informação”, defende. Hamilton diz que a secretaria de Educação já conta com um profissional voltado para esse segmento e, por isso, ele acredita que ainda neste semestre poderá haver a implantação do nutricionista para dar suporte aos usuários dos postos de saúde municipal. “O prefeito está bem in-

tencionado nessas questões da melhoria da saúde e ele quer trabalhar em prol dessa melhoria”, garante o vereador.

O VEREADOR Hamilton Basta solicitou a presença de um nutricionista para atender pacientes como gestantes, obesos, diabécos e que possua doenças cardiovasculares, entre outras.

Câmara Municipal destaca sua participação na devolução dos dinheiros dos servidores

Errata

- Na sessão ordinária da Câmara Municipal de Paracatu desta segundafeira, os vereadores deixaram claro a participação efetiva da legislatura anterior (20082012) na tentativa de agilizar a devolução do dinheiro aos servidores municipais que entraram em greve. Aconteceram sessões extraordinárias e os Vereadores

de Governo Francy Helle Remígio Condé. Erramos também ao dizer que a

não mediram esforços para conceder ao servidor seus direitos. Ainda neste ano, foi requerido novamente, no dia 14 de janeiro, o pagamento destas devoluções dos valores descontados dos vencimentos dos servidores públicos municipais quando participaram da paralisação em apoio à greve promovida pelo Sindspar. Recentemente, foi anunciado que

os trabalhadores receberão os valores que haviam sido descontados em seis parcelas, esclarecendo assim que os esforços e pedidos da Câmara foram atendidos pelo prefeito Olavo Condé, que contou com a participação mútua tanto do executivo, quanto do legislativo. Texto: Assessoria de comunicação da Câmara Municipal de Paracatu

Erramos na edição passada, n° 155, ao dizermos que a secretária municipal de Educação, Maria de Fátima Ulhoa Almeida, participou de reunião junto ao vereador Hamilton Batista (PSDB) para tratar de assuntos relacionados ao reajuste salarial que busca igualar os salários dos Diretores de Departamento e dos Diretores Escolares. De fato que participou da reunião foi a secretária reunião aconteceu no domingo, sendo que a mesma aconteceu no último dia 12, sexta-feira.

EDITAL DE PROCLAMAS Wilma Melo Franco Dias, Oficial do Registro Civil das Pessoas Naturais da Comarca de Paracatu/MG. FAZ SABER que pretendem casar-se e apresentaram os documentos exigidos pelo artigo 1.525 do Código Civil Brasileiro: RICARDO XAVIER DA SILVA E LILIANE RODRIGUES GUIMARÃES. Ele filho de: MARIA AUGUSTA XAVIER DA SILVA. Ela filha de: ÂNGELO RODRIGUES GUIMARÃES E LUCIMAR VIEIRA PINTO GUIMARÃES. CASAMENTO A SER REALIZADO EM 03/05/2013. EDUARDO MELQUIZEDEK SALATIEL PACHECO PEREIRA E ISABELA DE OLIVEIRA GOMES. Ele filho de: RICARDO ALEXANDRE PEREIRA E ROSA MARIA PACHECO PEREIRA. Ela filha de: JERRY GOMES DA CRUZ E MARGARETE RODRIGUES DE OLIVEIRA GOMES. CASAMENTO A SER REALIZADO EM 03/05/2013. SEBASTIÃO MARTINS DE MELO E IRONDINA PEREIRA DOS SANTOS. Ele filho de: JOANA MARTINS DE MELO. Ela filha de: DELCÍLIO PEREIRA DA COSTA E MARIA LÁZARA DOS SANTOS. CASAMENTO A SER REALIZADO EM 03/05/2013. ERNANE TADEU FERREIRA DA SILVA E DAISA MENDES DE JESUS Ele filho de: ANTONIO FERREIRA DA SILVA E MARLENE FARIA DA SILVA. Ela filha de: JOÃO FRANCISCO DE JESUS E EDIR MENDES DE JESUS. CASAMENTO A SER REALIZADO EM 03/05/2013. HENRIQUE ALVES LANGE E LÍSLEY PINHEIRO SANTANA Ele filho de: CLÓVIS LUIZ LANGE E HELENA MARIA ALVES LANGE. Ela filha de: DOMINGOS SANTANA GUIMARÃES E DIVINA MARTA PINHEIRO SANTANA. CASAMENTO A SER REALIZADO EM 10/05/2013. JÚNIO ROQUETE SOUSA E THALITA GOMES DA SILVA Ele filho de: GERSON ROQUETE FRANCO E GENI SOUSA BRITO. Ela filha de: SILVIA GOMES DA SILVA. CASAMENTO A SER REALIZADO EM 10/05/2013. EVERTON GANDRA DOS SANTOS E PATRÍCIA PEREIRA DINIZ. Ele filho de: JUAREZ GANDRA DOS SANTOS E RITA DAS DORES NUNES. Ela filha de: JOSÉ PAULO RODRIGUES DINIZ E MARIA DO CARMO PEREIRA DA SILVA. CASAMENTO A SER REALIZADO EM 10/05/2013. NILSON COELHO GUIMARÃES E CÍCERA GUIMARÃES COSTA. Ele filho de: JONAS COELHO GUIMARÃES E CARMELITA PEREIRA GUIMARÃES. Ela filha de: VALDEMIR GOMES DA COSTA E CELMIR COELHO GUIMARÃES COSTA. CASAMENTO A SER REALIZADO EM 10/05/2013. LEONARDO FERREIRA DA SILVA E LÊDA DIAS DE OLIVEIRA. Ele filho de: MARCOS EURÍPEDESDA SILVA COUTO E MARIA DE FÁTIMA FERREIRA DA CRUZ. Ela filha de: MANOEL DIAS DE OLIVEIRA E MARIA ELI DIAS DE OLIVEIRA. CASAMENTO A SER REALIZADO EM 10/05/2013.


4 | POLÍTICA

Sexta-feira |26 de abril de 2013

Vereador pede transferência da biblioteca municipal visando melhores condições para os leitores e usuários Texto e foto : Marcos Antônio/JD

– As pessoas que vivem no município já devem ter passado pela rua Goiás e pela rua Américo Macedo e ter visto um imóvel abandonado. Esse imóvel, que é conhecido por todos como Automóvel Clube, está desativado há anos segundo pesquisa feita pela equipe de reportagem do Jornal Dinâmico (JD). Utilizado por anos por uma associação, o imóvel deixou de ter utilidade e atualmente se encontra em péssimo estado de conservação.

Em consonância com essa realidade, o vereador Oswaldinho da Capoeira (PMDB) apresentou requerimento à mesa diretora da Câmara Municipal, solicitando do Poder Executivo a desapropriação do imóvel do Automóvel Clube para que seja implantado no local a biblioteca municipal, que hoje está instalada no mesmo prédio do Sindicato dos Produtores Rurais, na rua Rio Grande do Sul. De acordo com o vere-

ador, pelo fato do imóvel, do Automóvel Clube, ser de arquitetura antiga e também estar localizado na região central da cidade, a mudança da biblioteca para o local seria propícia. “O local está abandonado há décadas, servindo de esconderijo para usuários de drogas e outras práticas ilegais, como já foi constatado no ano de 2012, quando policiais prenderam um traficante de drogas que utilizava o local para esconder os

IMÓVEL do Automóvel Clube, local onde Oswaldinho sugere que a sede da biblioteca municipal seja implantada

produtos ilícitos”, informou o vereador em sua justificativa. O vereador acredita que com a mudança, a biblioteca terá mais espaço não só para

guardar seus acervos, mas também exercer outras atividades que estejam relacionadas com seu funcionamento cotidiano.

Vereador mostra serviço e recebe reconhecimento da população - Eleito pela primeira vez como vereador de Paracatu, o vereador Juscelino Carteiro (PHS) se mostra um incansável defensor das causas sociais. Entrando para o quarto mês de seu primeiro mandato, o vereador Juscelino Carteiro já mostrou pra que veio, pois atuou em praticamente todas as áreas da política pública buscando melhorias para a população paracatuense. No campo da saúde, pediu mais atenção ao atendimento ao hospital municipal solicitando da administração a criação de um programa de humanização. Para o vereador, as pessoas têm que ser bem recebidas e amparadas ao buscarem serviço hospitalar e quer que a recepção dos pacientes e de seus familiares seja feita por uma equipe de profissionais capacitados para tal. Música na escola, essa bandeira é defendida pelo vereador mesmo antes da legislatura. Juscelino Carteiro acredita que as notas musicais podem trazer vários benefícios aos estudantes, tanto pedagógicos como psicológicos. Para isso, fez um projeto de lei que obriga todas as escolas municipais a terem na grade de ensino matéria sobre música, começando pelo ensino fundamental. O legislador também conseguiu várias lousas interativas, o que pode, sem sobra de dúvidas, ser um diferencial para a educação no município. Sossego para as

mães do bairro Amoreiras II, já que as crianças de até cinco anos não precisam mais atravessar a rodovia para estudar. O apelo dos moradores do bairro foi levado pelo vereador Juscelino Carteiro à administração pública para que providências fossem tomadas no sentido de impedir que os pequenos corressem tanto risco para ir à escola Lucia Cruz, no bairro Bela Vista. A grande preocupação de Juscelino com a segurança dessas crianças sensibilizou o prefeito que ordenou abertura de uma sala na escola Coraci Meireles para atender essa faixa etária. Para a diretora Maria Inês Lopes Cruz, a atitude do vereador beneficiou inúmeras famílias que há tempos esperavam por essa medida. Na área da segurança, Juscelino também vem tendo uma forte atuação. Preocupado com o crescimento constante da violência na cidade, convocou os colegas vereadores para juntos pedirem explicações e mais ação das polícias militar e civil. O Vereador contou também com seu bom relacionamento com governo do estado e, através do Secretário Eros Biondini, pediu intervenção do Governo Mineiro e da Polícia Federal. Juscelino participou também de manifestações, passeata e reuniões em prol da paz na nossa cidade. Carteiro tem sido também um grande incentivador de práticas desportivas. Requereu – e foi

aprovado por unanimidade - que sejam construídas quadras poliesportivas em bairros da periferia como o Alto da Colina. Segundo Juscelino, além de proporcionar lazer e esporte aos jovens e adolescentes, sua outra preocupação é com a segurança, já que muitos se aventuram na rodovia para praticar futebol de salão em outros bairros. Além disso, o vereador conseguiu que seja instalada também em um desses bairros uma “academia de praça”. Ele enfatizou que quer ver a população se exercitando e cuidando da saúde. Nas áreas de saneamento básico e urbanismo Juscelino também tem feito a sua parte, pediu que a prefeitura olhe com atenção o problema dos inúmeros bueiros abertos e entupidos espalhados pela cidade. Além de causarem danos como alagamentos, estrago a massa asfáltica, acidentes com automóveis e esconderijo de animais e insetos, dentre outros, bocas de lobo nessa situação são uma ameaça a motoristas e pedestres que precisam redobrar os cuidados até que providências sejam tomadas. Juscelino pediu ao prefeito que seja feita uma verdadeira operação por toda cidade: “Grande parte destes bueiros se encontram em condições precárias, pois não escoam as águas das chuvas por estarem entupidos e ainda são um risco de danos aos automóveis e à integridade física

dos pedestres, já que, sem a devida proteção, podem causar acidentes”, justificou. Quer ainda que sejam reformadas e revitalizadas duas importantes praças: Cândido Ulhôa e Cristo Rei. Essa é só uma pequena parte do que o Vereador Juscelino Carteiro tem feito nesse início de mandato. Ele perdeu até o significado da palavra descanso, pois quando não está em seu trabalho nos Correios, atende pessoas no seu gabinete na Câmara Municipal ou está nos bairros ouvindo as necessidades e os clamores populares. Diante de sua instigante atuação, vem recebendo reconhecimento dos eleitores externados por cartas, e-mails, telefonemas e batepapos e tantas outras formas de

manifestação que a comunidade usa para agradecer. “Essa consideração é meu maior pagamento. Foi pra trabalhar que o povo me elegeu e é isso que vou fazer incansavelmente.”, disse Juscelino Carteiro.

foto: Thiago Keller/JD


Sexta-feira |26 de abril de 2013

1987 fundava-se o Rotary Club de Paracatu (reconhecido pelo Rotary International em 1988); segundo um dos fundadores, com a missão “dar de si antes de pensar em si” O padrinho do Rotary Club de Paracatu é o Rotary de Unaí. Fundado em 1988, o clube registrou sua ata de fundação no dia 18 de novembro de 1987, conforme ressalta um dos fundadores do clube, o empresário José Carlos André. Na época, segundo José, a fundação do clube se deu pelo fato de que José Gomes Branquinho, rotariano unaiense, que recentemente foi vice-prefeito de Unaí por dois mandatos, foi um dos principais motivadores para a construção do clube em Paracatu. “Ele nos deu toda força e nos ajudou com a papelada”, lembra José. Nesta época, o clube tinha apenas 25 sócios e sua sede, ainda bastante humilde, ficava localizada no bairro Cidade Nova. “Era uma casinha para nós nos reunirmos e programarmos nossas ações. Foi um tempo muito bom, muito proveitoso. E digo sempre, se não tivéssemos aquele início, nunca teríamos chegado aonde chegamos”, afirma o fundador. A segunda e atual sede, cuja infraestrutura tem capacidade de ofertar vários recursos aos seus associados, só foi construída em 1997 e inaugurada em 1999. De lá prá cá, muitas coisas aconteceram no Rotary Club de Paracatu. Segundo José, o Rotary sempre esteve preocupado com o próximo. É sua função ajudar a quem necessita, por isso, ele afirma que o lema central dos rotarianos é “dar de si, sem pensar em si”. Com trabalhos sociais voltados à comunidade, principalmente, a comunidade mais carente da socie-

dade, o clube vem nos últimos anos ganhando espaço diante até mesmo do poder público, já que ações voltadas à educação e saúde – áreas de atuação das políticas governamentais – são executadas por eles. “Nossa função não é competir e nem ganhar prestígio diante da sociedade. Nossa principal função é de trazer paz para o mundo”, analisa José. O início Como fez questão de destacar José, o início das atividades do clube no município não foi fácil. Com poucos recursos e também pouco conhecimento sobre a filosofia rotariana, os companheiros iniciais começaram suas atividades fazendo o que podiam com as ferramentas/ recursos que tinham. “Primeiro buscamos conhecer o que era o Rotary, depois buscamos saber quais eram os perfis dos rotarianos para somar aos nossos trabalhos”, diz. José afirma que o Rotary é um clube de “muito trabalho e de companheirismo”. Segundo ele, uma das características básicas dos rotarianos é a “ligação” que um rotariano tem com o outro. “Isto é o que nos faz fortes e conscientes de nossos deveres”, destaca. Entre os serviços sociais prestados pelo clube, José destaca o Banco de Cadeira de Rodas – que atende toda a população com aparelhos voltados à recuperação de deficientes físicos – e o Mutirão da Saúde do Homem, que este ano está na 6ª edição.

JOSÉ Carlos André foi um dos 25 rotarianos que fundou o clube em Paracatu

EXPEDIENTE

ESPECIAL 25 ANOS ROTARY CLUB PARACATU

“Uma verdade eu afirmo sobre nossos trabalhos: somos respeitados na sociedade pelo trabalho que fazemos; pois é um trabalho sério e comprometido com a vida das pessoas, sejam elas quem forem”, confirma José, que também ressaltou que nesta edição serão atendidos 1.500 homens. Mas os trabalhos não param por aí. José também destaca que outras interferências já foram feitas na cidade, algumas nem não tão aparentes assim, como é o caso da finalização da BR-040, mais precisamente na “curva da morte”. Também fizeram os mutirões de limpeza nos bairros, como foi a campanha feita em 1999, com o nome “Casa limpa, fora dengue”, aplicada no bairro JK, na qual surtiu em “grande efeito entre a população, motivando assim, a Prefeitura a continuar nos anos seguintes com a atividade”, conta José. Já no ano de 1993, o clube não mediu esforços e com parcerias conseguiu construir cerca de 100 casas populares que foram doadas a famílias carentes, no bairro Chapadinha II.“Com já disse, nosso intuito é ajudar a sociedade crescer de forma igual e justa. Com certeza, penso eu, que quem ganha é a própria sociedade de Paracatu porque nossos trabalhos são todos voltados para o bem estar das pessoas, e nunca para seu individualismo”, ressalta. Continuação da caminhada Um velho ditado popular diz

JOSE Gomes Branquinho (governador assistente e sócio do RC Unaí, clube padrinho do RC Paracatu) e Paulo Laboissiere (fundados e um dos primeiros idealizadores da fundação (pessoa muito importante na criação do RC Paracatu)

que a “música não pode parar” e assim como a música que tanto faz bem aos diversos tipos de sociedade, as ações do Rotary Club de Paracatu também não podem findar-se. Assim, explica José, os jovens que possuem perfis para serem rotarianos, podem se encontrar dentro de dois segmentos o Interact Clubs, que são grupos de adolescentes de 12 a 18 anos, patrocinados por um Rotary Club de Paracatu, em que o principal objetivo é tentar ajudar a sociedade de uma forma simples, com campanhas, doações, visitas a creches e hospitais, entre outras coisas para melhorar do meio-ambiente à saúde da população carente; e o Rotaract Club, que é um programa de Rotary Internacional que visa o desenvolvimento de lideranças jovens, cuja criação se deu pelo Rotary International em 1968, nos Estados Unidos, e formada por clubes de jovens

com idade entre 18 e 30 anos. O Rotaract promove a prestação de serviços à comunidade, desenvolvimento a liderança e a melhoria do bem-estar da comunidade – atualmente o Rotaract Club soma em torno de 220.639 jovens universitários e profissionais iniciantes num movimento que é o segundo maior do mundo no seu perfil de atuação, ficando atrás apenas do escotismo. “O grande objetivo dos clubes voltados aos jovens é para que eles possam trazer consigo ideias novas para nós, rotarianos mais velhos”, observa José Carlos. Também, dentro da expectativa de expansão, mais dois clubes do Rotary foram criados em Paracatu, estendendo ainda mais ações de filantropia no município. Um foi o Rotary Club Paracatu 200 e o outro foi o Rotary Club Paracatu Universitário.

JOSÉ, em frente à casa no bairro Cidade Nova onde funcionou a primeira sede do clube TEXTO: Tiago Manique/JD Marcos Antônio/JD Marcelo Corrêa de Araujo

CRÉDITOS DAS FOTOS: Tiago Manique/JD, Thiago Keller/JD, Marcos Antônio/JD, Paracatunoar.com e Marcelo Corrêa de Araujo REVISÃO E PESQUISA: Marcelo Corrêa de Araujo


Sexta-feira |26 de abril de 2013

O primeiro Rotary Club foi fundado no Brasil em 1923, na cidade do Rio de Janeiro Fundado nos Estados Unidos, em 1905, pelo advogado Paul Percy Harris e mais três homens de negócios; o alfaiate HiranShorey; o engenheiro de minas, Gustav Loehr e o comerciante de carvão, Silvestre Schiele, o Rotary Club, segundo informações da wikipedia. org, é o maior clube de serviço do mundo. No ano de 1910 foi fundada a Associação Nacional de Rotary, que mais tarde, em 1912, passou a se chamar Rotary Internacional pelo fato de ter sido implantado também sedes do Rotary no Canadá, na cidade de Winnipeg. Atualmente, segundo o site, existem 1,2 milhões de rotarianos associados e mais de 32.400 Rotary Clubs por todo o planeta, em 215 países. Conforme os objetivos centrais do Rotary, pode-se perceber que sua principal função é servir. A ajuda ao próximo é seu centro, sua mola propulsora, e sua característica básica é a luta pela paz e a boa vontade no mundo. De acordo com dados publicados no site www.brasilrotario. com.br, são quatro os propósitos que dirigem as ações do Rotary: o desenvolvimento do companheirismo como elemento capaz de proporcionar oportunidades de servir; o reconhecimento do mérito de toda ocupação útil e a difusão das normas de ética profissional; a melhoria da comunidade pela conduta exemplar de cada um na vida pública e privada; e a aproximação dos profissionais de todo mundo, visando à consolidação das boas relações, da cooperação e da paz entre as nações.

Os Rotary Clubs são financiados basicamente por doações dos próprios rotarianos e outros que comungam da mesma proposta do clube. Sua fundação tinha como contexto a reunião de um grupo de homens de negócios de diferentes profissões para que fosse desenvolvida uma relação pela busca do companheirismo, e que promovessem a ética para ajudar com relação à garantia da qualidade de vida de todas as pessoas da comunidade, colocando seus serviços à disposição da sociedade. “Sua missão é: ajudar os rotarianos e os Rotary Clubs a alcançar o Objetivo do Rotary e, neste estágio atual de desenvolvimento da organização, apoiar as atividades de indivíduos e grupos prestadores de serviços que melhorem a qualidade de vida, mantendo a dignidade humana e promovendo a compreensão e paz mundial”, descreve o Wikipédia. Rotary no Brasil Segundo reportagem publicada na revista Brasil Rotário – revista regional do Rotary no Brasil – de fevereiro deste ano, n° 1088, o primeiro clube do Rotary fundado no país ocorreu na cidade de Rio de Janeiro, no dia 28 de fevereiro de 1923. De acordo com a reportagem, Paul Harris conheceu o clube no ano de 1936, quando veio ao Brasil para conhecer o país, e segundo a revista, é “um dos maiores países rotários”. Ainda segundo a reportagem, hoje em dia, no Brasil, existem cerca de 2.400

PRIMEIRO Rotary Club do brasil

Rotary Clubs por todo o país, que juntos somam mais de 57 mil associados. Entre as conquistas sociais obtidas pelos rotarianos no Brasil destacam-se, a extinção, praticamente, da poliomielite; a criação e manutenção de escolas, creches e bibliotecas; participou diretamente pela oficialização da merenda escolar, ou seja, para que ela passasse a ser obrigatórias nas escolas públicas; entre outras ações. Em Paracatu, o Rotary Club, há anos, vem fazendo um trabalho, até então, inédito, que é o de conscientizar a população masculina sobre o câncer de próstata, entre outras doenças do gênero. Com isso, o clube está conseguindo, segundo informações dos rotarianos, combater uma cultura, que antes impedia de fazer com que muitos homens procurassem recursos médicos. “Por ver-

gonha, muitos deixam de consultar. Hoje estamos tendo que limitar as vagas, pois não temos condições de atender a todos”, destacou o ex-presidente do Rotary Club de Paracatu, José Carlos André, que é um dos coordenadores do Mutirão da Saúde dos Homens. Saber mais Um clube de serviço é uma organização sem fins lucrativos, de trabalho voluntário, onde os membros se encontram regularmente para discutir a realização de obras de caridade, seja através do esforço próprio, seja levantando dinheiro em outras organizações. Um clube de serviço é definido por sua prestação de serviço à comunidade. Benefícios secundários de seus

membros, tais como eventos sociais, redes de relacionamento e oportunidades de crescimento pessoal, encorajam o envolvimento. Um clube de serviço não é constituído necessariamente por motivos ideológicos, embora organizações com tais motivos definidos provavelmente identifiquem-se mais através de sua associação. Da mesma forma que as organizações religiosas históricas formaram a base de muitas instituições sociais, tais como hospitais, os clubes de serviço realizam inúmeras tarefas essenciais para a sociedade e outras causas notáveis (como o combate à pobreza). Normalmente, por seu caráter benemerente, essas instituições estão isentas do recolhimento de vários impostos.


Sexta-feira |26 de abril de 2013

Primeiro presidente do Rotary Club Paracatu fala sobre os primeiros trabalhos no município Exatamente no dia 20 de abril de 1988, fundava-se em Paracatu o clube de serviço Rotary Club de Paracatu. Com apenas 25 sócios, o clube iniciou seus trabalhos dentro de uma perspectiva de luta e dedicação com os serviços sociais. Nessa época, tanto o município de Paracatu, quanto os próprios rotarianos, estavam se acostumando com a ideia de se ter serviços prestados por uma associação de pessoas cujo único fim era fazer o bem não importando a quem. E foi isto que o Rotary de Paracatu fez, conforme ressaltou em entrevista exclusiva ao Jornal Dinâmico, o primeiro presidente do clube em Paracatu, José Henrique Cunha Barros. Segundo o ex-presidente, o surgimento do clube no município pode ser comparado com o plantio de uma “pequena semente”. Conforme ele ressalta, as consequências desse plantio podem ser percebidas até hoje, no dia a dia dos paracatuenses, que constantemente convivem e se beneficiam das ações promovidas pelo clube. “Na época (da fundação), uma pequena semente foi plantada e gerou uma frondosa árvore cujos frutos são até hoje colhidos pela comunidade Paracatuense”, registra.

Quando houve a fundação, segundo José, não passava por sua cabeça que o clube pudesse atingir o grau de desenvolvimento em que se encontra. Segundo ele, o fato que levou o Rotary Club de Paracatu ser um dos maiores clubes de serviços da cidade foi a “competência e o profissionalismo dos companheiros do clube”. Hoje, instalado em sede própria, as atividades exercidas pelo clube são extensas, mas no início as coisas não foram tão fáceis, conforme explica o próprio José. “Eu não tinha conhecimentos profundos sobre a estrutura e o funcionamento do Rotary Club, quando fui convidado pelo companheiro José Gomes Branquinho do RC de Unaí – que era representante do governador do então distrito 476 , que, na ocasião, recebera do Governador a incumbência de fundar o RC de Paracatu. Tive que ler bastante para me inteirar do assunto e depois reunir um grupo de homens de negócios da cidade e convencer um a um para que participassem desta feliz empreitada”, relembra. Trabalhos iniciais A característica central do Rotary Club de Paracatu e de

todos os rotarys existentes no Brasil e no mundo é de prestar serviços, servir ao próximo, difundir a integridade e promover boa vontade, paz e compreensão mundial por meio da consolidação de boas relações entre líderes profissionais, empresariais e comunitários. Sendo assim, desde o surgimento do clube em Paracatu, os serviços voltados a este viés não deixaram de acontecer. O ex-presidente José Henrique relembra que entre as atividades exercidas pelos companheiros rotarianos da época eram: “o Rota Rural – que através da colaboração de profissionais da área de saúde e outras áreas, fazíamos atendimento médico e odontológico nas comunidades rurais do Município; as damas (da Casa da Amizade) realizavam bazares, almoços e jantares cujas rendas eram usadas para doações a creches, asilos etc.; idealizamos e realizamos também o Baile da Colheita visando homenagear os agricultores e fazendeiros que se destacaram naquele ano – baile este que se tornou tradição e é sucesso até hoje; colaboramos e coordenamos também a fundação de um segundo RC na cidade, o Rotary Club Paracatu 200; construímos a primeira sede do clube

que era situada no bairro Cidade Nova; desenvolvemos um trabalho em parceria com a prefeitura para efetuar a retirada de lixo e entulho de casas situadas em alguns bairros, numa ação pioneira de combate à dengue”, destacou José. O que ficou? José Henrique, hoje, mora em Lavras, cidade localizada no Sul do Estado. Há 12 anos ele mora no município, mas ainda se diz filho de Paracatu. Como ele deixou muitos amigos na cidade, José analisa sua trajetória como rotariano de forma bastante tranquila e consciente. Segundo ele, mesmo longe de Paracatu e, consequentemente, do clube no qual ele foi um dos fundadores, sempre busca notícias para saber a real situação dos companheiros

Lista de presidentes do Rotary Club de Paracatu José

José

Henrique

Humberto

Adrianus

Eurípedes

Nelson

rotarianos que aqui ficaram. “Embora esteja longe, sempre tenho notícias que o clube vai muito bem, cumprindo a missão de participar ativamente do desenvolvimento da cidade.”, comentou. E foi justamente por sempre estar em contato com seu passado, em Paracatu, que o ex-presidente fez questão de parabenizar o clube e os sócios pelos seus 25 anos de existência. Aproveito a oportunidade para enviar os parabéns e muitos votos de felicidade e sucesso para os companheiros do clube e dizer que me sinto extremamente honrado e orgulhoso por ter participado da fundação e de ter feito parte desta entidade tão importante. Envio o meu abraço fraterno a todos os companheiros que hoje compõem o Rotary Club de Paracatu.

José

Fonseca Cunha

Cunha

Barros

Barros

Tobias

José

Lima Azevedo

Leite

Jr.

Oswaldo Absai (1993/94)

(1994/95)

(1994/95)

(1995/96)

(2000/01)

João Marcos Cunha (2001/02)

José Carlos André (2002/03)

Francisco Andrade Porto (2003/04)

Guilherme Silva Neiva (2004/05)

Mário Cruz Barbosa (2009/10)

Amilton Soares França (2010/11)

Ignácio Antonio Garcia (2011/12)

Maurílio Miranda (2012/13)

(1987/89)

Massanobu Shimada (1989/90)

(1990/91)

(1991/92)

(1992/93)

Robertus Van Doornik (1996/97)

Gilberto A. Appelt (1997/98)

João Basta Carvalho (1998/99)

Antonio Celso Ivo da Silva (1999/2000)

Rolf

Nelson Costa Filho (2005/06)

Evanir Soares da Fonseca (2006/07)

Sebasão Monteiro da Silva (2007/08)

Erasmo Neiva (2008/09)


Sexta-feira |26 de abril de 2013

Uma nova sede: uma nova casa Presidente na gestão 1999/2000, o rotariano Antonio Celso Ivo da Silva participou ativamente da construção da nova sede do clube, que como ele mesmo disse, durante sua entrevista ao Jornal Dinâmico (JD), “foi um divisor de águas”. Antônio Celso que é dentista e foi o primeiro presidente após a inauguração da nova sede, ocorrida no mandato do então presidente João Batista Carvalho Faria (1998/1999), vê que existe um antes e um depois da construção da sede, que para ele, serviu tanto “para seu crescimento quanto para as ações dos Clubes de Paracatu”. Hoje como ele explica, a sede não fica restrita somente ao Rotary Club Paracatu, mas também ao Rotary Club Paracatu 200 e o Rotary Club Paracatu Universitário. “Hoje nos temos o prazer em afirmar que conseguimos uma grande Sede de Rotary, que contempla reuniões dos 03 Clubes de Paracatu, atende os mais variados eventos e, sobre tudo, esta à disposição da comunidade (que deve ser um dos principais objetivos dela)”, confirma. A antiga sede que ficava localizada no bairro Cidade Nova, já não comportava, isto na década de 90, as atividades e aos intuitos do clube. Com isto, foi necessário aquisição de outro terreno, com espaço mais amplo e propício às atividades recreativas. “A Sede anterior era no Bairro Cidade Nova, e não estava comportando o crescimento do Clube. Foi um esforço muito grande pra adquirir o terreno da sede atual e com o empenho incondicional de todos os companheiros construímos a nova sede, que sem a menor dúvida foi um divisor de águas pro crescimento e para as ações

dos Clubes de Paracatu.”, explicou o ex-presidente que também fez questão de destacar as vantagens obtidas com a nova construção. “A começar pela realização da maioria dos eventos dos Clubes na própria sede; o uso da mesma para projetos em prol da comunidade (realização de cursos); as reuniões dos três Clubes de Rotary; e a utilização da sede para eventos da comunidade e etc” ressaltou. Dificuldades Se tem alguma palavra que não se enquadra na filosofia rotariana é a palavra “desistência”. Persistir, investir e tentar, são verbos que diariamente convivem com os rotarianos seja eles de onde for. No caso dos rotarianos de Paracatu, essa realidade faz sentido quando o próprio Antonio Celso destaca os entraves que impediam a construção da nova sede, mas que com perseverança e muita dedicação, foram transpostos. Com exemplo ele cita, principalmente a falta de recurso além de destacar também o alto custo da obra, que se não fosse pela obstinação dos rotarianos, poderiam ter impedido que o desenvolvimento acontecesse. Segundo ele, também houve a falta de “tempo”, por isto mesmo ele destacou que o projeto da nova sede ainda não foi concluído. “Entretanto, a participação eficaz de todos os companheiros, o apoio de toda a Sociedade paracatuense nos nossos eventos, e a seriedade dos Conselhos Diretores ao longo do tempo, possibilitaram tão importante conquista”, garante Antonio Celso. Casa Um dos eventos que mar-

caram a gestão de Antonio Celso foi a realização do Fórum Rotário, que segundo ele, contou com a participação de dez clubes de serviços da região do Noroeste e do Alto Paranaíba. Ainda dentro da visão de Antonio Celso sobre a nova sede, fica claro a importância de se ter um espaço próprio para a realização e idealização de atividades sociais. Fazendo uma analogia à casa onde cada um de nós seres humanos vivemos, ele explica que a nova sede também é um espaço voltado para atender os mais particulares anseios da sociedade e do Rotary. “Esta casa (a nova sede), tem algumas peculiaridades, como o grande e principal objetivo de servir à comunidade, e só se justifica a existência dela se este pré-requisito for totalmente atendido. Também procuramos seguir este meta e aproximar cada vez mais os Clubes de Rotary, da sua comunidade, com ações abrangentes e eficazes.Gerando assim exemplos de comportamento, e, principalmente, cumprindo com o grande papel que é destinado ao Rotary International”, diz. O ex-presidente também afirmou que ser rotariano é um “privilégio” que não deve ficar restrito a um determinado número de pessoas. “Quan-

to mais Rotarianos existir, teremos,mais força de trabalho, seriedade, comprometi-

mento, e ações que sem dúvida visam minorar as dificuldades humanas”, defendeu.

ESPAÇO da nova sede do Rotary Club de Paracatu


Sexta-feira |26 de abril de 2013

Casa da Amizade de Paracatu, há 25 anos na luta por melhores condições de vida para as mulheres paracatuenses “A nossa vida é um dom maravilhoso, concedido independentemente da nossa vontade, porém, podemos transformar em dias melhores quando nos comprometemos com o irmão”, afirma a atual secretária da Casa da Amizade de Paracatu, ligada ao Rotary Club de Paracatu, Dirce Ribeiro da Silva, em entrevista exclusiva ao Jornal Dinâmico (JD), na última quinta-feira (18). Dirce, que acaba de ser eleita secretária da Casa, destaca que os objetivos da mesma é promover uma interação entre os cônjuges e a família rotariana, além de contribuir com sociedades filantrópicas e obras assistenciais e culturais, e incentivar a todos a viver o ideal de servir ao outro. Ainda segundo a secretária, participar da Casa da Amizade é ter a possibilidade de contribuir diretamente para

a melhoria da sociedade. “A mudança do mundo passa por cada um de nós, pois se temos boas atitudes, com certeza vamos melhorar o ambiente em que vivemos”, explica. A casa Segundo explica Dirce, a Casa da Amizade de Paracatu é uma instituição feminina onde participam apenas mulheres, sendo que a maioria são esposas dos rotarianos. Por isso, ela diz que o trabalho da casa está basicamente direcionado ao atendimento de mulheres carentes. Atualmente, participam ativamente das ações realizadas pela casa, 20 mulheres que, conforme ela descreveu, prestam vários serviços sociais. “Oferecemos cursos profissionalizantes de artesanato, pintura, cabeleireiro, mani-

MULHERES durante curso realizado pela Casa da Amizade de Paracatu

cure e pedicure. Enfim, são cursos que visam dar dignidade a pessoas em situação de risco na sociedade”, comenta.

Eventos futuros Entre os eventos que serão ainda ofertados pela Casa este ano, Dirce destaca o Arraiá da Amizade que, segundo ela, terá sua renda revertida para a manutenção dos cursos que serão realizados pela instituição no próximo semestre. Cursos como estes são para sanar algumas dificuldades enfrentadas pelas mulheres da Casa da Amizade como ela mesma fez questão de ressaltar. “A grande dificuldade é a manutenção dos cursos oferecidos às pessoas, pois necessitamos fornecer material, equipamentos e outras necessidades. São custos altos, porém, com a colaboração de todos, vamos conseguir levar em frente este ideal de servir o irmão”, explicou. Fundação

PARA a secretária Dirce Ribeiro da Silva, a filosofia da Casa da Amizade é “ensinar a pescar e não entregar o peixe pronto”

A Casa foi fundada em 1988 junto com o Rotary. Desde então, a sua principal função é servir, sem distinção ou preconceito. De acordo com a secretária, o resultado das ações realizadas por elas pode ser visto na prática quando acontece aprendizagem de um ofício até então distante da vida da maioria das pessoas

que vivem em situação de risco. “A possibilidade de resgatar pessoas da situação de risco e torná-las responsáveis por suas vidas é uma realidade atual, pois possibilitamos uma transformação em suas famílias quando aprendem um ofício e podem com seus esforços transformar o meio em sua volta”, diz. Por este fator e tantos outros que norteiam a missão de justiça e paz social delimitada pela ideologia empregada pela Casa, Dirce defende que o melhor ensino, ou seja, a melhor didática é aquela que ensina a pescar ao invés de dar o peixe morto. Sendo assim, ela defende que a busca por um “futuro melhor” depende não somente dos cidadãos – que muitas vezes estão no mundo jogados, mas sim, da compaixão das outras pessoas. “Desejo ardentemente que a semente que ajudei plantar, de servir ao irmão, germine, floresça e possa dar muitos frutos de amor e paz, pois somente com a ajuda de todos podemos fazer um mundo melhor, que valorize a família e todos os seres humanos sem distinção, para que todos possam ter dignidade e condições de viver melhor”, salientou a secretária.


Sexta-feira |26 de abril de 2013

Campanhas e eventos idealizados e realizados pelo Rotary Club de Paracatu Em 18 de novembro de 1987, um grupo de senhores, representantes de diversas áreas profissionais de Paracatu, fundava o Rotary Club Paracatu, apoiados e apadrinhados pelo Rotary Club Unaí. Iniciava-se então o processo para que esse clube fosse reconhecido pela organização Rotary International. O tão esperado documento de reconhecimento finalmente foi oficializado e aos olhos do mundo rotário nascia então o Rotary Club Paracatu, em 20 de abril de 1988. Desde então, o grupo de rotarianos cresceu, diversificou e os projetos não tardaram a aparecer. Hoje, o Rotary Club Paracatu é símbolo da prestação de serviços e projetos sociais na nossa cidade. Relatamos alguns dos principais projetos que levam a assinatura deste clube: • Mutirões de cidadania na zona rural de Paracatu, intitulado ROTA RURAL. Uma ação voltada à prestação de serviços sociais e orientação às pessoas que residem no campo e têm dificuldade de se deslocarem para a cidade em busca desses serviços. • Como o maior projeto de Rotary Internacional é o combate à pólio, nosso clube se fez presente nas campanhas de vacinação. • No ano de 1993/94 o clube foi parceiro da Prefeitura Municipal de Paracatu na construção de 102 casas populares para famílias de baixa renda do município de Paracatu, assentados no bairro

da Chapadinha. • Em projeto desenvolvido para melhorar a condição de vida e saúde de famílias carentes, o Rotary Paracatu entregou algumas dezenas de padrões de energia, banheiros e caixas d’água. • A Sala de Fisioterapia atualmente existente no Asilo São Vicente de Paulo foi equipada com recursos do Baile da Colheita, de ajuda humanitária da rotariana Sandra Cristherson Clinton, pertencente ao Rotary Club de Dakota do Sul, Estados Unidos da América, e de recursos da RPM, através do Seminário de Parcerias. • 12 Mutirões de Saúde do Homem e da Mulher, visando à prevenção do câncer de próstata e de mama, respectivamente, foram realizados e milhares de atendimentos propiciaram qualidade de vida e saúde à população de Paracatu. O evento sempre foi apoiado pelo Seminário de Parcerias da RPM, outras iniciativas privadas e Prefeitura Municipal. • Destacamos também o Banco de Cadeiras de Rodas que hoje está constituído perfil jurídico pela APAD – Associação de Proteção e Assistência às Pessoas com Deficiência, cujo objetivo é atender pessoas carentes que tenham dificuldade de locomoção. Desde sua criação, foram centenas de atendidos com o empréstimo e doação de cadeiras de rodas, cadeiras de banho, muletas e andadores. A manutenção do projeto só é possível pela

doação de leite de pecuaristas cooperados da Coopervap. A cooperativa, por sua parte, ajuda na mobilização e faz o repasse integral da doação em dinheiro para compra dos equipamentos. • Desenvolvida já há alguns anos, a Campanha do Cobertor “Aqueça uma Criança” é realizada com o apoio de agricultores e distribui anualmente cerca de 1000 cobertores a famílias carentes, prioritariamente, aquelas com crianças. • Entre parcerias de apoio a entidades, o Rotary Club Paracatu se aliou a APAE para organizar almoço para o Leilão Beneficente da APAE. As entidades dividem a renda, que é utilizada em seus projetos e constantemente apoia a Sociedade São Vicente de Paulo. • Outras participações esporádicas em projetos já propiciaram ajuda a entidades como APAC, Casa do Peregrino, Orfanato Angélica Lepesqueur, CAIC, associações comunitárias, escolas, projetos esportivos, educacionais, ambientais e de saúde. • Nossa principal parceria e braço direito deste clube, a Casa da Amizade, desenvolve o projeto “A Arte de aprender a ter renda” com cursos de capacitação e geração de renda que atende mulheres de comunidades menos favorecidas. Temos a honra de apoiar essa iniciativa. • O Rotary Paracatu participa ainda de diversos Conselhos Municipais, projetos comunitários, Agência de

CAMPANHA feita pela Casa da Amizade, na década de 80 para combater a fome no Brasil

Desenvolvimento e se coloca sempre disponível, quando solicitado, a participar de qualquer iniciativa que possa beneficiar a sociedade. • Não podemos deixar passar em branco o fato de o Rotary Club de Paracatu ter sido o defensor, no Seminário de Parcerias de 2001, do Projeto de Aquisição dos primeiros livros para a formação da Biblioteca da Unimontes, hoje uma realidade em nossa cidade. • Um dos mais importantes programas do Rotary Internacional é o Intercâmbio de Jovens e Intercâmbio de Grupos de Estudo, que consiste em enviar e receber jovens e profissionais de todos os países do mundo com o objetivo de aprender a cultura de outros povos, trazendo experiências bem sucedidas para a nossa gente. O clube já enviou e recebeu jovens de todos os continentes. • A sede do clube, construída através de doações, parcerias, eventos e contribuição dos rotarianos, é constantemente cedida gratuitamente para realização de

eventos e projetos realizados por outras entidades, sempre com caráter social. • Assim como na nossa criação, fomos apadrinhados pelo Rotary Club Unaí e procuramos também dar nossa parcela de colaboração para o crescimento da organização apoiando a criação de outro clube, o Rotary Paracatu 200 e mais recentemente o Rotaract, grupo de jovens profissionais que formam a base para perpetuação de Rotary. Nessa ordem, o Rotary Paracatu 200 apoiou a criação do Rotary Universitário, que apoia neste momento a criação do Interact, grupo de jovens adolescentes. E assim a comunidade rotária estará sempre mais e mais a serviço da nossa sociedade. Aos companheiros destes clubes, desejamos sempre sorte e sucesso. • Para ajudar na viabilização de tantas ações, o clube promove eventos sociais para arrecadação de renda. Hoje, podemos destacar a já consagrada Noite Mineira, a Cavalgada e o maior evento do gênero na cidade, o Baile da Colheita.

Maurílio Miranda, fala sobre o clube no momento em que comemora 25 anos Em entrevista exclusiva ao Jornal Dinâmico, o atual presidente do Rotary Club Paracatu, Maurílio Miranda, fala sobre o trabalho do clube e destaca que seu principal objetivo ainda continua sendo o de construir “projetos sociais de grande valia em nossa cidade, trabalhando sempre com companheirismo e responsabilidade, apoiando as pessoas mais carentes e trabalhando também na conscientização da sociedade paracatuense em busca de uma cidade melhor”. Confira a entrevista: Jornal Dinâmico – Como o senhor se sente em ser presidente do Rotary Club Paracatu? Maurílio Miranda – Ser presidente do Rotary Club Paracatu é uma

honra, em qualquer dia, mas especialmente no ano da comemoração dos seus 25 anos. É algo muito especial e de uma alegria muito grande, pois não se trata de um só presidente, mas de todos os companheiros do Clube. J.D. – Fale um pouco do trabalho de presidente. M.M. – Um presidente de um clube rotariano como o nosso é muito simples, pois conta com o apoio de todos os companheiros na condução do dia a dia do clube. J.D. – Quais são as principais atividades do Rotary atualmente? M.M. – O Rotary Club Paracatu tem diversas atividades no decorrer do ano, em que todos os companheiros atuam, sendo: a Noite Mineira; a campanha Aqueça uma criança, com distribuição de cobertores para crianças carentes; o Banco de cadeiras de rodas, em parceria com a Coopervap e seus cooperados; o

Mutirão da saúde do homem, com prevenção do Câncer de Próstata; o Mutirão da saúde da mulher, com prevenção do Câncer de Mama; o Baile da Colheita; a Cavalgada e o almoço no Leilão da Apae. J.D. – Como o senhor vê a atuação do Rotary em Paracatu? M.M. – Nesses 25 anos de existência o Rotary Club Paracatu, nós nos orgulhamos de ter participado ao longo dos anos de muitos projetos sociais de grande valia em nossa cidade, trabalhando sempre com companheirismo e responsabilidade, apoiando as pessoas mais carentes e trabalhando também na conscientização da sociedade paracatuense em busca de uma cidade melhor. Podemos citar, por exemplo, a construção de casas na Chapadinha, onde o Clube teve uma participação muito intensa. J.D. – Basicamente, como o senhor resume os trabalhos do Rotary no município?

M.M. – O que nos fazemos e fazemos bem, é trabalharmos em parcerias com empresas, entidades e mesmo com o poder público municipal. Por exemplo, o mutirão de saúde do homem, realizado dia 21 de Abril, teve a participação de vários segmentos e conseguimos realizar um grande trabalho de prevenção com um total de 2.415 atendimentos aos homens de nosso município. Eu acho também que, com a interação dos clubes de serviços, sociedade, empresas e poder público têm um maior e melhor potencial para se procurar soluções para diversos problemas de nossa entidade. J.D. – Fica aberto para o senhor deixar suas considerações finais. M.M. – Gostaria de agradecer, em nome dos companheiros do Rotary Club Paracatu, a toda imprensa de nossa cidade, a todas as empresas que sempre apoiam nossas

promoções, aos poderes públicos que acatam os nossos pedidos de ajuda e a toda a sociedade paracatuense que nos acolhe, nos ajuda e nos incentiva na caminhada do nosso dia a dia. Muito obrigado a todos.

MAURILIO Miranda, atual presidente fala sobre o clube no momento em que comemora 25 anos de existência


Sexta-feira |26 de abril de 2013

Festiva comemora 25 anos de Rotary Paracatu com a posse de novos rotarianos e damas da Casa da Amizade – Do dia 20 de abril de 1988, até hoje, a sociedade paracatuense foi transformada pelo carinho, amizade e solidariedade que o Rotary Paracatu vem proporcionando o longo dos 25 anos de existência de um dos mais importantes clubes sociais do mundo. Como parte destas comemorações, rotarianos, comunidade e representações políticas e civis, estiveram integrados na noite de sexta-feira (19), para uma ocasião especial que foi o aniversário de 25 anos do Rotary Club Paracatu comemorado com um jantar. Um vídeo institucional foi apresentado, e para abrilhantar ainda mais a Festiva, que reuniu também integrantes dos Rotary

200 e Universitário, foi à posse de cinco novos rotarianos e duas novas damas da Casa da Amizade. O vice-prefeito José Altino, representando o chefe do executivo Olavo Condé, destacou o bem social que os rotarianos desenvolvem para o bem da comunidade paracatuense. Maurílio Miranda, presidente do Rotary Paracatu, anfitrião da festa, visivelmente emocionado, falou em “família”, o sentimento que tem entre os rotarianos de todos os clubes. O sócio fundador José Carlos André foi homenageado pela grande importância na história do Rotary, Casa da Amizade, imprensa local e regional e os voluntários que auxiliam o Rotary nas campanhas e eventos.

MARCELO Araujo (padrinho), Daniel Marnez (novo sócio), Maurílio Miranda (presidente) e Gilberto Appelt (rotariano)

MARCOS Souto (novo sócio), Maurilio (presidente) e José Carlos André (padrinho)

HELENA Appelt (madrinha), Sandra Mara (nova sócia Casa da Amizade) e Dirce Ribeiro (presidente Casa da Amizade)

GERUSA Conero (nova sócia Casa da Amizade) e Querô Pádua (madrinha)

WANDIR Silveira (padrinho) , Udelton da Paixão (novo sócio) e Maurilio Miranda (presidente)

JOSÉ Francisco Lopes (padrinho), Rafaela Xavier (nova sócia) e Maurilio Miranda (presidente)

GILBERTO Appelt (padrinho) , Nelson Biulchi (novo sócio) e Maurilio Miranda (presidente)


Sexta-feira |26 de abril de 2013

Mutirão pela saúde do homem Texto e Fotos: Tiago Manique/JD

– No feriado de Tiradentes, domingo (21), a melhor forma de comemorar esta data tão importante para o país e principalmente em Minas Gerais, foi a conscientização e o empenho do trabalho de voluntários para o patrimônio mais valioso

que alguém pode ter, que é a saúde. Uma grande estrutura foi montada pelos rotarianos do Rotary Club Paracatu desde o início da manhã, para o grande Mutirão da Saúde do Homem realizado na Clínica da Mulher, área central do município. Em sua sexta

HOMENS aguardando o momento da realização dos exames

EQUIPE da Faculdade Tecsoma parcipou do evento

edição, o Mutirão foi uma iniciativa considerada positiva que no decorrer dos anos, a conscientização foi dando resultados positivos devido às palestras realizadas nos bairros e zona rural, onde foi

MILHARES fizeram filas, que davam volta na quadra da Clínica da Mulher

ROTARIANOS fazendo os atendimentos

ROTARY Club Paracatu contou com o trabalho voluntário de seus integrantes

enfatizado o quanto é importante o homem cuidar da saúde. Uma verdadeira multidão de homens fizeram uma enorme fila que dava volta na quadra, na Clínica da Mulher, para fazer os exames de PSA, verificação da pressão arteri-

al e glicemia. Mais de 1.500 pessoas compareceram nesta ação social do Rotary Paracatu, que contou com o apoio da Prefeitura, Faculdades Tecsoma e Atenas, Kinross, Café Catu, Casa da Amizade, além do trabalho dos voluntários.


14 | ESPORTE

Sexta-feira |26 de abril de 2013


Sexta-feira |26 de abril de 2013

POLÍCIA | 15

Dois homens são presos, na região de Unaí, com armas de fogo sem registro - De acordo com informações da assessoria de comunicação da 16ª Companhia PM Independente de Meio Ambiente e Trânsito, dois homens foram presos, no último dia 15, por portarem três espingardas, dois arpões, duas fisgas e mais munições. A prisão, que aconteceu em uma fazenda na região do Almesca, a 53 km do perímetro urbano, se deu após o gerente da fazenda, V.L.F., de 40 anos, afirmar aos policias que possui uma espingarda cal. 20 e um porta cartuchos, contendo nove cartuchos do mesmo calibre. Também foram encontrados com o suspeito duas tarrafas e um arpão. “O gerente não possuía registro/licença da arma de fogo e cartuchos, bem como dos apetrechos de pesca de uso proibido”, destacou a assessoria. Ainda, segundo os policiais, na mesma região, na fazenda de propriedade de J.P.P., de 33 anos, foi

encontrado com o proprietário uma espingarda carabina cal. 38 e uma cartucheira de dois canos cal. 20. Com o suspeito também foram encontrados duas fisgas, um arpão, um óculos para mergulho e uma rede. Ele confirmou que não

tinha o registro/licença das armas de fogo e apetrechos de pesca de uso proibido, por este motivo foi preso e conduzido à Delegacia de Polícia Civil, juntamente com as espingardas apreendidas. Informou a assessoria.

NÓS INFORMAMOS, VOCÊ JULGA

T.D.A Vendo prazo de resgate 10 anos, origem desapropriação Tratar rua Adelina silva, 42, Santana com Plinio Godoy

Aviso Seleção Pública O SESC Minas - Serviço Social do Comércio - ARMG, por meio da Comissão Permanente de Licitação, comunica aos interessados que promoverá Seleção Pública SESC Minas n° 0005/2013, cujo objeto é a cessão onerosa de uso das seguintes dependências do SESC Paracatu: A - Restaurante com área aproximadamente de 240,40m² (sendo 20,40m² de cozinha, 200m² de salão, 20m² de área de serviço e gás), B – Lanchonete com área aproximadamente de 60,80m² (sendo 31,55m² de cozinha/ casa de gás e 29,25m² de cantina) e C - Lanchonete Piscina com área aproximadamente de 33,53m² (sendo 26,57m² de área de bar e 6,96m² de cozinha). Os espaços de alimentação possuem equipamentos que os guarnecem, para exploração dos serviços, com fornecimento de refeições tipo lanches, lanches de funcionários café da manhã, almoço, jantar, dentre outros, podendo ser self service ou a la carte, por empresa de direito privado especializada no ramo, pelo prazo de 12 (doze) meses, conforme o constante no Edital e em seus Anexos. O prazo para a entrega da proposta e da documentação é, impreterivelmente, até às 16h00 do dia 28/05/2013, no SESC Paracatu, localizado na Rua Euridamas Avelino Barros, n° 347, sala 57, Lavrado - Paracatu/MG. Os interessados em participar dessa licitação poderão obter o edital completo e seus anexos, gratuitamente, no horário das 08h00 às 17h00, de segunda a sexta-feira, exceto feriados, na Comissão Permanente de Licitação do SESC Minas, Rua dos Tupinambás, nº 956, 13º andar, sala 1314 – Centro – Belo Horizonte/MG – Telefone: (31) 3279 1520 ou pelo site www.sescmg.com.br – Victor Hugo Martins Madeira - Presidente da Comissão Permanente de Licitação do SESC Minas. Victor Hugo Martins Madeira Presidente da Comissão Permanente de Licitação do SESC Minas


Lígia Barbosa Oliveira 19 anos 2° Periodo: Açucar e Alcool na UNITEC Trabalho: Secretária (Consultório odontológico Frase: Você tem o direito de falar o que pensa. Mas não tem o direito de julgar quem não conhece. Liberdade de expressão é um direito de todos. Mas em vez de falar então faça algo que preste. “Charlie Brown Jr”.

Edição 156  

Edição 156