Page 1

DIÁRIOPOPULAR JORNAL DE VERDADE

Região Metropolitana do Vale do Aço - Ano Vl - Número 1.599 - Domingo, 06/01/2013 - R$ 0,70

CRÉDITO

A S S A LT O

Caixa eletrônico é detonado, mas ladrões não levam nada

A explosão de um caixa eletrônico destruiu um terminal instalado do lado de fora do Supermercado Consul, no bairro Ideal. Por volta de 3h30 da madrugada de ontem (5), populares escutaram uma grande explosão, e ao verificarem o ocorrido, avistaram quatro indivíduos fugindo em duas motocicletas e um Gol. Embora o estrago tenha sido grande, os criminosos não conseguiram acessar as gavetas onde estava o dinheiro – uma quantia aproximada de Página 5 R$ 150 mil.

CINEMA

Gizelle Ferreira

Consumidores no centro comercial de Ipatinga: inadimplência cai

Número de devedores no comércio diminui

A explosão destruiu o caixa eletrônico na Consul do Ideal, impedindo o acesso a R$150 mil em dinheiro

H A B I TAÇ ÃO

Um relatório do Sistema de Proteção ao Crédito (SPC), divulgado na última sexta-feira (5), mostrou que os ipatinguenses ficaram mais adimplentes em 2012. A quantidade de pessoas da cidade incluídas na lista de devedores caiu cerca de 6% em relação ao ano passado. Ainda assim, o número é alto: mais de

32 mil pessoas foram registradas no SPC ao longo do ano que passou. No entanto, desse total, quase 22 mil pessoas já efetuaram a regularização de sua situação junto ao órgão. Os números são referentes às dividas relacionadas a cheque, crediário próprio e carnês, e não contemplam os registros Página 8 no Serasa.

Ocupação do Limoeiro vira bairro sem infraestrutura Aciapi alerta para a P I C A R E TAG E M

Maria Lúcia (Ísis Valverde) em cena de Faroeste Caboblo

Há 14 anos várias famílias que moravam de aluguel nos bairros Alegre, Limoeiro e imediações ingressaram ao Movimento Nacional de Luta pela Moradia (MNLMO), em busca do sonho da casa própria. Atu-

almente há mais de 220 famílias residindo no local. As casas de tábuas e lonas foram substituídas por moradias de tijolo e concreto. As famílias que iniciaram a ocupação fincaram raízes

no local e têm muita história para contar, como a viúva Maria Ângela da Silva, 53 anos, que prefere morar em seu velho barraco de tábuas em vez da casa de alvenaria construída pelos filhos. Página 4 Nadieli Sathler

Filme recria Brasília da década de 80 O filme “Faroeste Caboclo”, de René Sampaio, que tem coprodução da Globo Filmes e estreia prevista para maio, inspirado na música homônima de Renato Russo, exigiu uma intenso trabalho de reconstituição de Brasília, Ceilândia e outras cidades satélites dos anos 80. “Brasília e seus entornos é uma região muito nova, o que torna o trabalho de reconstrução um pouco mais difícil”, conta o diretor de arte Tiago Marques. Página 10

temporada de golpes

A Associação Comercial de Ipatinga alerta aos empresários para a temporada de golpes aberta regularmente no início do ano. Em meio às faturas que chegam para as empresas, não faltam cobranças indevidas. Quem se dispõe a abrir um estabelecimento comercial ou de prestação de serviços, precisa fica atento à ação de estelionatários. Além de vencer a burocra-

cia e disputar o mercado, o empreendedor precisa ter atenção para não pagar o que não deve. Há quatro modalidades de cobranças indevidas, que atormentam os comerciantes: a lista telefônica digital, o registro de marcas e patentes, a cobrança de uma associação comercial do Brasil e a venda do código de defesa do consumidor e cartazes. Página 8 Gizelle Ferreira

Dona Maria no barraco de tábuas onde mora, na ocupação do Limoeiro

EDUCAÇÃO

ADIN PODE PROVOCAR DEMISSÃO DE MAIS DE MIL PROFESSORES Página 3

ABUSO DE PODER - A Polícia Militar abriu inquérito para apurar denúncia de agressão envolvendo policiais militares contra um jovem de 18 anos. Familiares do rapaz procuraram a reportagem do DIÁRIO POPULAR para mostrar as feridas supostamente provocadas por truculências por parte dos PMs durante uma abordagem policial. Os parentes pretendem entrar com ação na justiça e processar os policiais por abuso de autoridade. Dois militares estão envolvidos. Página 5


2

Diário Popular

OPINIÃO

Domingo, 6 de janeiro de 2013

FRASES “As gestões petistas têm a tradição de pagarem em dia sua folha. Estamos buscando meios legais para garantir que os atrasados sejam quitados”. Do prefeito de Timóteo Keisson Drumond.

“Dá nojo de político, dá nojo desta gente bandida” Do cantor Zeca Pagodinho, sobre o acúmulo de lixo nas ruas de Xerém, onde mora, depois das enchentes.

“Não tem nada de constrangedor ou de constrangimento na bancada. A bancada vive o auge do Estado Democrático de Direito. Vamos aguardar o trânsito em julgado. Não vivemos em estado de exceção”. Do novo líder do PT na Câmara, deputado José Guimarães (PTCE), irmão de José Genoino (PT-SP), que também tomou posse como deputado federal.

www.diariopopularmg.com.br DIRETOR RESPONSÁVEL Fernando Benedito Jr. EDITORA RESPONSÁVEL Anna Sylvia Rodrigues e Silva (MG 12319 JP) O DIÁRIO POPULAR é uma publicação da A Gazeta Metropolitana Editora e Gráfica LTDA. CNPJ 07.366.171/0001-88 FALE CONOSCO Telefone: 3827-0369. diariopopular.redacao@gmail.com ou diariopopular.comercial@gmail.com ADMINISTRAÇÃO E REDAÇÃO Avenida JK, 1290, bairro Jardim Panorama, CEP 35.164-245. OFICINA Rua Anápolis, 55, Veneza II, Ipatinga.

ESPAÇO PÚBLICO

ARTIGO

Governo disponibiliza mais de R$ 44,7 milhões para apoio a pesquisadores Em 2013, oito editais foram lançados de uma só vez pelo Governo de Minas por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig). Eles já estão disponíveis para consulta na página da Fundação e somam mais de R$ 44,7 milhões que serão investidos em projetos de pesquisa científica relacionados a diversas áreas do conhecimento. A novidade deste ano é que todos os projetos serão inscritos via Everest, sistema eletrônico desenvolvido pela Fapemig, com o apoio de pesquisadores do Departamento de Ciência da Computação da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). O Everest foi projetado a partir do AgilFAP, mas ganhou novas funções e aplicativos.

ARTIGO

Os “milagres econômicos” da Guerra Fria (*) José Luis Fiori

Salvo engano, foi o jornal The Times que falou pela primeira vez - em 1950 - de “milagres econômicos”, referindo-se à países com prolongados períodos de altas taxas de crescimento econômico sustentado. Depois, esta expressão foi utilizada para caracterizar o crescimento da Alemanha, Itália, Japão, Coréia e Brasil, entre as décadas de 50 e 80, período áureo da Guerra Fria. Entre 1950 e 1973, o produto nacional da Republica Federal Alemã, cresceu à uma taxa média anual de 5,05%; no mesmo período, a Itália cresceu 5,68%; o Japão, 9,29%; e a Coréia do Sul, 9.85%. No Brasil, as taxas foram mais altas e descontínuas, com uma média de 8%, entre 1955 e 1960, 11%, entre 67 e 73, e 6,4% entre 74 e 80, mas com uma queda significativa no período 61/67. Assim mesmo, depois de 1980, a taxa de crescimento de todos estes países caiu de forma desigual mas permanente. Agora bem, a despeito de suas grandes diferenças históricas e políticas, Alemanha, Japão, Itália e Coréia foram derrotados e destruídos - na II Guerra Mundial ou na Guerra da Coréia - e depois foram ocupados e transformados em “protetorados militares” dos EUA. Logo depois da guerra, a ideia americana era desmontar as antigas estruturas econômicas destes países. Mas depois do começo da Guerra Fria e do fim da Guerra da Coréia, este projeto inicial foi substituído por uma política diametralmente oposta de estimulo ao crescimento econômico, com forte dos governos locais, e dos próprios agentes econômicos e instituições privadas do pré-guerra. Por isto, se pode dizer com toda certeza que a lógica da Guerra Fria pesou decisivamente na origem dos “milagres econômicos”, e na transformação posterior daqueles países, em peças centrais da engrenagem econômica do poder global dos Estados Unidos, pelo menos até a década de 70. No caso do Brasil - que foi aliado dos EUA na II Guerra - o caminho foi diferente, mas também se pode falar de um “convite” que foi aceito - depois do Acordo Militar Brasil-EUA, de 1952 - e que transformou o Brasil no pivot central da estratégia desenvolvimentista norte- americana, para a América Sul. A nova política foi experimentada primeiro com o governo JK - inteiramente alinhado com os EUA e com o colonialismo europeu - e só depois, a partir de 1964, sob comando direto do regime militar. Depois de quase três décadas de “milagre econômico”, entretanto, este processo foi interrompido pela “crise americana” da década de 70, e pela nova mudança da política internacional dos EUA. Tudo começou com a reaproximação da China, no início da década de 70, que levou à derrota/saída

americana do Vietnã, e ao redesenho do equilíbrio do poder, no sudeste asiático. Foi neste mesmo contexto que os EUA decidiram abandonar Bretton Woods, liberando sua moeda e iniciando a desregulação do seu mercado financeiro, com a lenta construção de um novo sistema monetário internacional, baseado no dólar, mas sem base metálica. A nova estratégia permitiu o cerco e desconstrução final da URSS e o fim da Guerra Fria, mas ao mesmo tempo, ela desativou ou esvaziou o papel econômico que fora ocupado pela Alemanha e pelo Japão, e secundariamente, pelo Brasil, durante as primeiras décadas da Guerra Fria. O crescimento econômico médio anual da Alemanha caiu para 2,10%, entre 1973 e 1990; o do Japão, caiu para 2,97%; o da Itália, para 1,76; o da Coréia, para 6,77; enquanto o Brasil entrava num longo período de estagnação. No mesmo tempo em que a China se transformou no novo milagre econômico” do sistema capitalista mundial, enquanto a Alemanha e o Japão seguiam na sua condição de gigantes industriais e tecnológicos, mas com “pés de barro”, ainda na condição de protetorados militares dos EUA e sem dispor de recursos naturais essenciais, além de serem igualmente dependentes do ponto de vista alimentar e energético. Assim mesmo, no início da segunda década do século XXI, pode ser que o Japão e a Alemanha venham a ser resgatados, uma vez mais, como caminho de saída da crise, para os EUA, e como instrumentos da nova doutrina Obama, que se propõe fazer - desta vez - o cerco econômico e militar da China. O Japão e a Coréia estão sendo pressionados para participar da Trans-Pacific Partenership - TPP, que é hoje a pedra angular da política comercial de Obama, e que se propõe reunir dos dois lados do Pacífico, numa grande zona de livre comércio. Ao mesmo tempo em que a Alemanha vem sendo estimulada a liderar um grande pacto comercial transatlântico, entre a UE e os EUA, e há quem proponha que o Brasil se junte à “aliança do pacífico”. Neste novo xadrez, entretanto, o Brasil é muito menos desenvolvido que a Alemanha e o Japão, mas dispõe de recursos naturais e é auto-suficiente, do ponto de vista alimentar e energético. Por isto, talvez, só o Brasil tenha hoje condições reais de escolher um caminho que lhe dê maior grau de autonomia estratégica, e maior capacidade de projetar seus interesses e sua influencia, numa escala global. (*) José Luis Fiori é professor titular de Economia Política Internacional da UFRJ e coordenador do Grupo de Pesquisa do CNPQ/UFRJ “O Poder Global e a Geopolítica do Capitalismo”. (www. poderglobal.net)

Há mais o que fazer

(*) Mauro Santayana

Nada contra os gramáticos e seu ofício. Mas esse Acordo Ortográfico com os portugueses sempre pareceu forçado e inútil. Não é a ortografia que separa as duas línguas, o português brasileiro e o português de Portugal. É a própria visão de mundo, que se reflete na língua culta (escrita), e na conversação coloquial. Durante muito tempo, a comunicação cotidiana no Brasil se fazia com a língua geral, que desapareceu, pouco a pouco, enquanto o português brasileiro se afirmava nos púlpitos, na poesia, nos documentos oficiais. Enriquecida dos vocábulos ameríndios e das línguas africanas, a língua brasileira começou a distinguir-se da que se falava em Portugal, contaminada, com o tempo, de francesismos e anglicismos. Entre os grandes escritores portugueses do século 20, destacam-se alguns que viveram no Brasil, e se deixaram influenciar pela nossa linguagem própria, como foram, entre outros, Miguel Torga e Ferreira de Castro. Torga passou a adolescência em Leopoldina, Minas, e Ferreira de Castro viveu dos 12 anos até a idade adulta nos seringais e rios amazônicos. Os dois se encontram entre os maiores escritores portugueses do século 20. E um dos melhores livros sobre a vida amazônica da primeira metade do século 20 é o de Ferreira de Castro, A selva. É na leitura de Saramago e Aquilino Ribeiro, pelos brasileiros, e de Jorge Amado e Guimarães Rosa, pelos portugueses, que os dois universos intelectuais se encontram. O Acordo pode ter agradado aos que o sugeriram e trabalharam na simplificação ortográfica, mas desagradou a grandes escritores de um e do outro lado do Atlântico. Os jornais portugueses, e seus melhores escritores, o rejeitam. Muitos acusam o Brasil de exercer imperialismo cultural e econômico nas negociações do Tratado. Em nosso país, fora alguns gramáticos (nem todos) e alguns jornalistas, o desagrado é geral. Com o abastardamento da linguagem, na redução do vocabulário e na particular ortografia das redes virtuais, uma linguagem escrita que assegure a reprodução exata dos fonemas é necessária, a fim de que se preserve a linguagem e se mantenha a mesma forma culta em todo o território brasileiro. Sinais gráficos como o trema e o acento circunflexo são indispensáveis para manter a identidade entre as letras e os sons. A presidente Dilma Rousseff agiu com prudência ao prorrogar por mais três anos a obrigatoriedade do cumprimento do Acordo. Ela atendeu à pressão dos portugueses e dos países da CPLP, mas prestou grande serviço aos brasileiros. Seria o caso de os nossos jornais, que entraram no jogo dos gramáticos, voltarem à ortografia em uso. É de se esperar que esses três anos devolvam o bom-senso aos legisladores daqui e “d’além-mar”, para deixar as coisas tal como elas se encontram. Temos mais o que fazer, no Brasil e em Portugal, do que banir o trema, o acento circunflexo e o hífen. E, sem tais recursos, fica mais difícil aprender a falar bem, e a pensar com clareza. (*) Mauro Santayana é jornalista e colunista do “Jornal do Brasil”, onde este artigo foi originalmente publicado


CIDADES

Diário Popular

Domingo, 6 de janeiro de 2013

3

EDUCAÇÃO

DESEMPREGO AMEAÇA MAIS DE MIL PROFESSORES NA REGIÃO Arquivo DP

Lei que efetivou sem concurso público quase 100 mil no Estado pode ser revogada; processo tramita no STF IPATINGA – Mais de 1.100 servidores da educação estadual na região podem perder o emprego caso seja derrubada a Lei Complementar (LC) número 100, aprovada em 2007 pelo Governo de Minas Gerais e que previa a efetivação de profissionais que, na época, trabalhavam como designados (termo utilizado no serviço público para especificar os contratados sem concurso público) das instituições estaduais de ensino. Desde novembro do ano passado, tramita no Supremo Tribunal Federal (STF) uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin), proposta pela Procuradoria Geral da República, que questiona o artigo da lei que efetivou servidores. ADIN A ação foi proposta com base no parecer do procurador regional Álvaro Ricardo de Souza, que entendeu que a efetivação dos servidores caracteriza a violação de princípios republicanos da isonomia, da impessoalidade, da moralidade administrativa e da obrigatoriedade de con-

curso para ocupação de cargos públicos, de acordo com o artigo 37 da Constituição Federal de 1988. A ação da Procuradoria incluiu ainda um pedido de medida cautelar com o objetivo de suspender a LC 100 até o julgamento final da ação. No entanto, esse pedido não foi acatado pelo relator do processo, ministro Dias Toffoli, e a lei complementar permanece em vigor. PREJUÍZOS Em todo o Estado, cerca de 100 mil profissionais da educação foram beneficiados pela lei e correm o risco de perderem seus cargos. Nas 11 cidades do Vale do Aço abrangidas pela Superintendência Regional de Ensino, são 1.163 professores ativos efetivados pela LC 100 em 2007. O número foi fornecido pela Secretaria Estadual de Educação (SEE) e não contempla outros profissionais da educação, podendo, então, o número de dispensados ser bem maior. A diretora estadual do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação

Em 2013, professores terão direito a jornada extra-classe

Feliciana Saldanha, diretora estadual do Sind-UTE, afirma que entidade irá defender os profissionais da educação

(Sind-UTE), entidade que representa a classe no Estado, Feliciana Saldanha, explicou que a Lei Complementar pode trazer grandes prejuízos a longo prazo para os profissionais. Ela cita como exemplo a aposentadoria proporcional à carga horária prevista no texto: “Se um professor foi efetivado com 10 aulas semanais, ele irá se aposentar recebendo o equivalente a essas 10 aulas, mesmo tendo aumentado a sua carga de trabalho ao longo dos anos”, explicou. O Sindicato se manteve contrário à LC 100 por acreditar que a matéria fosse inconstitucional. A entidade, inclusive, orientou que todos os servidores efetivados pela lei prestassem o concurso público realizado no início do ano passado pelo Estado, que começa neste mês

a chamar os aprovados. ROMBO Mesmo com a realização do concurso, o rombo pode ser grande para a educação estadual, caso a LC 100 venha a ser revogada. O concurso de 2012 abriu 21 mil vagas para Minas Gerais, o que significa que, caso STF julgue a matéria inconstitucional, as instituições do Estado poderão ter um déficit de cerca de 70 mil profissionais. O Sind-UTE pretende discutir amplamente essa questão com os trabalhadores em educação. O tema estará presente até mesmo na pauta de reivindicações da campanha salarial da entidade, a ser iniciada no próximo mês. Mesmo sendo contrário à forma como foi aprovada

IPATINGA – Os professores do Estado de Minas Gerais conquistaram um grande benefício a partir deste ano: a promulgação da lei que regulamenta a jornada extraclasse para a categoria. A lei estabelece que os professores poderão cumprir 1/3 de sua carga de trabalho com as chamadas hora/atividades, tempo dedicado às atividades como preparação de aulas, ações de docências e cursos de formação. Na prática, isso significa que das 24 horas semanais trabalhadas, os professores terão direito a oito para se dedicarem a outras atividades. Dessas oito, os educadores devem cumprir quatro na escola e as outras quatro fora do local de ensino. Este direito tem como base o texto da Lei Federal 11.738, de 2008. Desde que foi promulgada, a chamada Lei do Piso vem sendo discutida entre os profissionais, especialmente em Minas Gerais. A matéria valerá para todos os docentes da educação básica do Estado. So-

a lei complementar, o SindUTE afirma que sairá na defesa dos profissionais da educação. A entidade pretende ainda participar do processo no STF entrando como “amicus curae”, verbete usado para descrever uma intervenção assistencial por parte de entidades que tenham re-

mente na região de abrangência da Superintendência Regional de Ensino do Vale do Aço, cerca de 2.200 professores serão beneficiados. Feliciana Saldanha explicou que o Sindicato contribui com elaboração de emendas complementares à lei e realizou uma audiência pública na Assembleia Legislativa, em Belo Horizonte, com o intuito de levar a discussão para a comunidade. A lei traz consigo outros benefícios importantes para os professores como a extensão do 1/3 da jornada para os profissionais de bibliotecas, professores da educação semi-presencial e também os efetivados pela LC 100, não sendo aplicada apenas aos docentes concursados. A organização do quadro de aulas para o período letivo, que se inicia em fevereiro, já obedece aos critérios da lei, que também impede que os professores em hora/ atividade atuem como eventuais substitutos de professores em sala de aula.

presentatividade em processos de controle de constitucionalidade. Ainda não há data para o julgamento da Adin contra a LC 100 em Brasília. Os ministros do STF estão de recesso desde o último dia 20 de dezembro e só retornam às atividades no mês que vem.

Projeto “Porta a Porta” chegará a 200 mil casas Sedese/Divulgação

Técnicos do Porta a Porta visitam todas as famílias pobres dos municípios contemplados pelo programa

BELO HORIZONTE Ações desenvolvidas nos últimos anos pelo Governo de Minas na área social tem ajudado a mudar a realidade de famílias pobres em todo o Estado. Entre 2011 e 2012, o Projeto Porta a Porta foi executado em 130 municípios, tendo visitado mais de 320 mil domicílios. O diagnóstico do Porta a Porta serve de subsídio às ações do Programa Travessia. Até abril de 2012, o planejamento da coordenação do programa, executado pela Secretaria de Estado de De-

senvolvimento Social (Sedese) é percorrer 70 novos municípios, com visitas a cerca de 200 mil domicílios. ÍNDICE DE POBREZA O Porta a Porta elabora um mapeamento das privações sociais a serem consideradas para o desenvolvimento das ações. Utiliza o Índice de Pobreza Multidimensional, desenvolvido pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), em parceria com a Universidade de Oxford. Através do índice, a po-

breza é mensurada em três dimensões: saúde, educação e padrão de vida. A metodologia prevê a visita de técnicos em todos os domicílios dos municípios beneficiários. TRAVESSIA O Porta a Porta é o primeiro passo para o município receber as ações do Programa Travessia. Para 2013, estão previstos o repasse de mais R$ 36 milhões para os municípios beneficiários. Em 2012, o Travessia Social, por exemplo, foi expandido

para 82 novos municípios, com investimento de R$ 27 milhões. Os municípios podem investir o recurso na construção de módulos sanitários e poços artesianos, ampliação do acesso à água, melhorias habitacionais e aquisição de bens domésticos. Além de atuar na área de desenvolvimento social, o Travessia desenvolve ações nas áreas de educação, saúde e renda. Desde a implantação do programa, em 2008, o Governo de Minas já investiu mais de R$ 1 bilhão.


4

CIDADES

Diário Popular

Domingo, 6 de janeiro de 2013

H A B I TAÇ ÃO

FAMÍLIAS AINDA BUSCAM O SONHO DA CASA PRÓPRIA O que deveria ser uma moradia provisória acabou se tornando o local definitivo para criar os filhos: foi assim que o casal José Anacleto e Marlene Aparecida e a viúva dona Maria resolveram morar na ocupação do Limoeiro TIMÓTEO – Há 14 anos várias famílias que moravam de aluguel nos bairros Alegre, Limoeiro e imediações ingressaram ao Movimento Nacional de Luta pela Moradia (MNLMO), em busca do sonho da casa própria. Foi assim que o casal José Anacleto de Freitas, 61 anos, e Marlene Aparecida da Cruz, 42 anos, foram morar no terreno de uma tradicional família de Coronel Fabriciano que possui terras em toda a região. “Morávamos de aluguel e optamos por ingressar no movimento, que com o tempo se perdeu. Mas resistimos em nosso objetivo de fazer dessa terra o nosso lar. Hoje não temos mais a ameaça de ter que sair daqui porque a Prefeitura comprou o terreno da família Maia. Agora esperamos a regularização”, relatou Anacleto. HISTÓRIA O movimento citado pelo motorista foi articulado por um casal identificado apenas como moradores de Rio Piracicaba. O MNLM era uma mobilização que estimulava famílias a ocuparem terrenos ociosos em áreas urbanas. Por isso, os moradores deram ao local o nome de Invasão do Limoeiro. José Anacleto e Marlene, juntamente com os dois filhos, que na época tinham nove e sete anos, ingressaram no movimento em julho de 1998. Assim que chegaram ao terreno ocuparam uma moradia de lona. A casa deles é uma das primeiras na entrada da Invasão do Limoeiro. Atualmente há mais de 220 famílias residindo no local. As casas de tábuas e lonas foram substituídas por moradias de tijolo e concreto.

Fotos: Nadieli Sathler

“Não quero sair daqui de jeito nenhum. Esse é o meu lar. Gosto dos vizinhos e o ambiente é tão agradável que não me imagino residindo em outro local. O que buscamos são melhorias como água encanada e o fornecimento de energia”, explicou. ‘GATOS’ A luz que abastece as residências da ocupação são de ligações irregulares feitas nos postes de iluminação pública da avenida dos Rodoviários. Os moradores sabem do risco da ligação clandestina e já se articularam junto a Cemig para regularizar a situação. “Passamos por vários problemas em função da falta de energia. Os eletrodomésticos queimam por conta das descargas. A fiação vive descascando e temos de trocar. Na loja, se falamos que moramos na Invasão os vendedores não dão garantia nos eletroeletrônicos. Mas nem por isso quero deixar de morar aqui”, afirmou Marlene. A dona-de-casa revelou que para a instalação de padrões individuais basta apenas que a Prefeitura regularize as ruas que já existem no local, que é considerado um bairro. As residências têm numeração individual, o que facilitaria a identificação pela concessionária para fazer a medição do consumo e emitir a fatura. “Não nos recusamos a pagar pela energia que consumimos, apenas não temos um padrão para que isso aconteça. Esperamos em breve resolver essa situação para termos melhores condições. Mas, ainda assim, morar aqui é muito gratificante para minha família”, declarou a mulher.

A viúva Maria Ângela vai se mudar na próxima semana para a casa de tijolo construída por seus filhos, mas ela não esconde a preferência pelo seu barraco de tábuas

SEGURANÇA Outro fato motivador para os moradores é a segurança de saber que suas casas não serão alvo de furtos ou roubos. Marlene revelou que quando sai de casa nem se dá ao trabalho de trancar a porta. Na varanda da casa dela ficam a geladeira e vários eletroeletrônicos que nunca foram mexidos. “Os vizinhos compreendem uns aos outros, nunca houve um caso de furto ou roubo nas casas. A Polícia Militar também dá uma assistência diária, a viatura passa pelas ruas do bairro”, lembrou. ENDEREÇO Marlene contou que as correspondências em seu nome são direcionadas para o endereço de um amigo que reside no bairro Alegre. Além de não ter o fornecimento de energia, as famílias também dependem de água do caminhão pipa para encher a caixa d’água. Duas vezes por semana, às quartas e sextas-feiras, o caminhão pipa faz uma série de viagens para garantir o abastecimento de água tratada para os moradores da Invasão do Limoeiro. “Hoje temos uma casa confortável, coisa que não tínhamos antes. Quere-

O casal José Anacleto e Marlene Aparecida vai esperar o tempo necessário para que sejam ligadas a luz e a água na sua residência construída na Invasão do Limoeiro

A ocupação do Limoeiro foi iniciada em 1988 pelo Movimento Nacional de Luta pela Moradia

mos pagar até mesmo o IPTU se isso nos garantir mais qualidade de vida. Gosto dos meus vizinhos, é todo mundo solidário. Não temo mais casas de alvenaria ou lona, o lugar ganhou característica de bairro; de um ano para cá até mesmo o caminhão de lixo passa na porta de casa para recolher os resíduos”, contou. Antes, como não havia a coleta regular, os moradores tinham que botar fogo nos restos de comida e demais matérias para evitar o acúmulo de lixo e possível bichos como ratos, baratas e animais peçonhentos. O vai e vem de pessoas pela área é constante. No começo do movimento 400 famílias residiam no terreno. Só que muitos acabaram se mudando para outros bairros. Em al-

guns casos os moradores acabaram voltando para a Invasão. “Não queremos mais sair daqui, tanto que nunca me mudei desde que vim para cá. A proposta dos governantes é de regularizar a nossa situação, e para isso vamos esperar o tempo que for necessário. Essa é minha casa e o meu lar”, concluiu José Anacleto. CASA DE TÁBUA Se por um lado muitos sonham com a casa própria feita de tijolos e cimento, a viúva Maria Ângela da Silva, 53 anos, resiste em ter que deixar sua casa de tábua construída há 14 anos quando, ela veio com a família para a Invasão. “Estamos terminando de construir a minha casa. Lá tem uma sala, cozinha,

dois quartos e banheiro. Só que gosto demais dessa casa de madeira. Foi aqui que meu marido me ajudou a criar meus filhos e também faleceu depois que adoeceu do coração. São muitas lembranças”, confessou a viúva. Assim que desocupar a casa de madeira, a filha de dona Maria, Liliane dos Santos, 24 anos, pretende construir no mesmo local uma casa para ela morar. Mas a mãe está relutante em ter que deixar a casa de alvenaria. “Pelo meu gosto só trocava as madeiras por outras novas e continuava na minha casinha. Tenho vontade de escrever para o Silvio Santos e contar minha história, para quem sabe ele reformar minha casa de tábua”, confidenciou Dona Maria. Outro desejo da viúva é ver asfaltada a porta da sua casa, assim como colocar água encanada e energia elétrica regular para que seus netos e filhas possam ter melhores condições de vida. “Gosto muito de morar aqui e não pretendo nunca sair. Como o meu marido, quero passar meus últimos dias nessa casa, ao lado dos meus netos e netas. Não preciso de mais nada para ser feliz”, disse.


CIDADES

Diário Popular

5

Domingo, 6 de janeiro de 2013

TRUCULÊNCIA

DETONAÇÃO

Um Inquérito Policial Militar foi instaurado para esclarecer os fatos; ocorrência da PM aponta que jovem era forte e agressivo, mas não esclarece técnica utilizada para dominá-lo

Apesar da destruição ladrões não conseguiram acessar as gavetas com o dinheiro

Militares são acusados de agressão contra rapaz IPATINGA - A Polícia Militar abriu inquérito para apurar denúncia de agressão envolvendo policiais militares contra um jovem de 18 anos. Familiares do rapaz procuraram a reportagem do DIÁRIO POPULAR para mostrar as feridas supostamente provocadas por truculências por parte dos PMs durante uma abordagem policial. Os parentes pretendem entrar com ação na justiça e processar os policiais por abuso de autoridade. Dois militares estão envolvidos. O caso ocorreu no início da madrugada do dia 27 de dezembro. A vítima, L.J.S., foi abordada pelos policiais por volta de 00h30 na rua Profetas, no bairro Canaã. O rapaz contou que estava em um carro com mais três colegas e, ao receber voz de prisão, correu, sendo alcançado na rua Judite. “Eles me jogaram no chão e me espancaram covardemente com socos na cabeça, na boca”, relata. Por causa dos ferimentos o rapaz teve complicações na audição do ouvido esquerdo e mal consegue escutar.

Gizelle Ferreira

O rapaz exibe na cabeça as marcas da agressão feita durante a abordagem

QUEDA A tia do rapaz, Eva Charão, acompanhou de perto todo o drama vivido pelo sobrinho. Segundo relatou, no dia da abordagem ela foi chamada pelo jovem para buscar o veículo em que ele e os colegas estavam, pois o condutor estava sem habilitação. A mulher disse que, ao descer de moto para a rua Ester, avistou uma viatura e uma pessoa sendo espancada, mas que nunca poderia imaginar que a vítima era seu sobrinho. “Não passou pela minha cabeça que estavam espancando meu sobrinho, e fui direto para onde estava o carro deles. Chegando lá, passados uns 10 minutos, a viatura chegou.

Um soldado abriu o portamalas, onde L. se encontrava desacordado e sangrando muito pela boca. Perguntei o que havia acontecido e o PM me disse que meu sobrinho havia caído”, relata a mulher. Eva contou ainda que diante do desespero de ver o sobrinho todo machucado, ela e a mãe do rapaz começaram a bater na viatura e gritar pedindo que o levassem ao Pronto Socorro, porque o rapaz sofre de epilepsia. “Se a gente não tivesse feito nada, eles não teriam levado meu sobrinho ao hospital. Mesmo assim, depois de ter saído de lá, ele foi levado à delegacia - onde passou a noite”, diz.

MANDADO As supostas agressões teriam começado depois que os militares descobriram, durante a abordagem, que havia um mandado de busca e apreensão em aberto contra o rapaz de 18 anos. Ele deveria ter se apresentado ao juiz por conta de um ato infracional que havia cometido quando ainda era menor de idade. Porém, a tia do rapaz explica que no dia que o sobrinho deveria ter comparecido ao juiz, não havia nenhum magistrado de plantão na comarca de Ipatinga e que no outro dia seguiriam para outra cidade onde havia um disponível. “Tanto que no dia em que ele saiu da delegacia, fomos direto a Tarumirim, onde tinha um juiz lá que poderia atendê-lo. Mas nada disso justifica as agressões. Ele correu dos policiais é porque estava com medo”, justificou. Segundo os familiares, o jovem já foi submetido a dois exames de tomografia, não se alimenta, mas seu estado de saúde está bem melhor. “Vamos lutar por nossos direitos. Isso não pode ficar assim”, enfatiza Eva.

“Rapaz era forte e agressivo”, constata relatório da Polícia O Boletim de Ocorrência relatado pela Polícia Militar não contradiz em sua totalidade a versão contada pelos familiares. Conforme o documento, no dia 27 do mês passado, L.J.S., foi abordado por policiais militares em um veículo com mais três ocupantes. Os jovens foram parados porque, segundo a polícia, o veículo não estava em perfeitas condições de uso e o condutor era inabilitado. Ainda consta no Boletim de Ocorrência que ao consultar os nomes dos envolvidos, a PM descobriu que havia um mandado de bus-

ca e apreensão em aberto contra L., que ao ser informado que seria algemado e conduzido, correu, passando por várias ruas do bairro Canaã, sendo capturado na rua Judite.

FORÇA

Porém, o documento da PM informa que o policial acusado de agressão pelos familiares do jovem ficou distante do rapaz, enquanto apenas um outro militar correu atrás do fugitivo e sozinho conseguiu dominálo e prendê-lo. “Foi necessário o uso da força física e compleição ao solo, frente à

força física de L., e sua agressividade, o que resultou em escoriações no braço direito e hematomas no rosto e lábio superior, sendo este levado ao Pronto Socorro Municipal, atendido e liberado”, diz trecho do Boletim de Ocorrência. No entanto, o relatório na PM não esclarece como o jovem teve a boca cortada e a cabeça completamente machucada (conforme mostra a foto) e também não especificou quais as técnicas para dominar e algemar o rapaz, que havia desobedecido à ordem de prisão e fugido.

IPM

O tenente-coronel Wanderson Stenner Alves, que responde temporariamente pelo 14º BPM, explicou em nota que o coordenador do policiamento fez um relatório ao comando da PM que, de imediato, abriu um Inquérito Policial Militar (IPM) para esclarecer os fatos, verificando como se deu as lesões no rapaz que foi preso. Ainda conforme o tenente-coronel, o IPM é que subsidiará a decisão do comando que considera haver versões diferentes sobre o ocorrido.

Gizelle Ferreira

Assaltantes explodem caixa eletrônico, mas não levam nada IPATINGA – A explosão de um caixa eletrônico destruiu um terminal instalado do lado de fora do Supermercado Consul, no bairro Ideal. Por volta de 3h30 da madrugada de ontem (5), populares escutaram uma grande explosão, e ao verificarem o ocorrido, avistaram quatro indivíduos fugindo em duas motocicletas e um Gol. Embora o estrago tenha sido grande, os criminosos não conseguiram acessar as gavetas onde estava o dinheiro – uma quantia apro-

AZARADO

ximada de R$ 150 mil. Com a detonação, os escombros caíram em cima do caixa eletrônico, não permitindo o acesso dos bandidos ao terminal. Na manhã de ontem, a cena ainda chamava a atenção de curiosos. A gerente do Banco do Brasil foi acionada e acompanhou toda a ocorrência registrada pela Polícia Militar e constatou que nenhum valor foi retirado do caixa. O montante foi levado para a Delegacia de Ipatinga e devolvido à instituição. Divulgação PC

Ladrão levou um tiro na nádega depois de furtar casa da ex-sogra

Furta casa da ex-sogra, leva tiro na bunda e acaba preso TIMÓTE0 – Um homem foi baleado nas nádegas na tarde anteontem (4) depois de furtar a casa da ex-sogra no bairro Ana Moura, em Timóteo. Wanderson Fernandes Nascimento foi pego de surpresa pelo ex-cunhado quando saía da casa com vários objetos na mão. Armado, G.V.M, efe-

tuou dois tiros contra o acusado, que foi atingido uma vez na nádega esquerda. Depois de ser atendido no hospital, o ladrão ainda foi para a Delegacia, onde de lá foi conduzido para a cadeia pública de Timóteo. Wanderson é conhecido no meio policial por se envolver em brigas e ameaças.


6

CIDADES

Diário Popular

Domingo, 6 de janeiro de 2013

SAÚDE

Marcella Marques/SES-MG

O Centro Viva Vida de Santo Antônio do Monte foi um dos beneficiados com os investimentos

Governo investiu 119 milhões no Viva Vida BH - Em 2012, a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) investiu R$ 119,4 milhões – R$ 60 milhões em projetos e R$ 59,4 milhões em processos – no Programa Viva Vida. Criado em 2003, o programa tem o objetivo de reduzir a mortalidade infantil e materna, além de prezar por um desenvolvimento saudável da mulher e da criança. “Investimos em maternidades, Unidades de Terapia Intensiva neonatal e leitos de retaguarda. A saúde da mãe e do bebê é prioridade do Governo de Minas”, ressalta o subsecretário de Políticas e Ações em Saúde, Maurício Botelho. Atualmente, o Estado dispõe de 28 Centros Viva Vida de Referência Secundária (CVVRs). Destes, três deles foram inaugurados em 2012 em Patos de Minas, Ribeirão das Neves e Muriaé. Ao todo, os centros assistem 7,5 milhões de mineiros em 480 municípios. MÃES DE MINAS Em 2012, o Viva Vida consolidou o Mães de Minas, que alcançou 98% de adesão. Por meio do telefone 155, o programa cadastrou, somente no ano passado, 38.658 mil gestantes e bebês em 712 municípios mineiros. Somados aos números de 2011, o programa contabiliza 39.191 mil cadastros de gestante e bebês em 755 cidades. No Estado, a taxa de mortalidade infantil atual é de 12,53% para cada mil nascidos vivos, a menor da história. UTI NEONATAL No ano passado, a SES-MG investiu R$ 23 milhões para a construção, reforma e ou equipagem de 155 leitos de UTI neonatal e pediátrico em todo o Estado. Os recursos já es-

tão sendo repassados e as novas unidades ficam prontas em 2013. Os municípios de Brasília de Minas, Timóteo, Curvelo, Itabira, Taiobeiras, Manhuaçu, Pirapora, Araxá, Contagem, Pouso Alegre, São Lourenço, Poços de Caldas e Formiga vão receber 10 leitos cada. Teófilo Otoni receberá dois e Viçosa mais 13 unidades. APOIO À GESTANTE A Casa de Apoio à Gestante e a Puérpera também deram um salto significativo em 2012. Das 14 casas que tem por finalidade abrigar e oferecer hospedagem, alimentação a atendimento especializado à gestante de alto risco, seis foram inauguradas este ano. A mais recente casa, inaugurada em novembro de 2012, fica em Teófilo Otoni, no Hospital Santa Rosália, e contempla a região composta por 63 municípios e uma população estimada em 811.856 mil habitantes. Também há casas em Barbacena, Belo Horizonte, Juiz de Fora, Patos de Minas, Varginha, Montes Claros, Itabira, Passos, Ponte Nova, São Lourenço, São Sebastião do Paraíso. CÂNCER DE MAMA Em 2012, a SES-MG também reformulou a faixa etária de recomendação para a realização de mamografias, uma vez que estudos apontam que o diagnóstico precoce aumenta as chances de cura em até 90%. O Programa Estadual de Controle do Câncer de Mama agora tem como público-alvo as mulheres de 45 a 69 anos, incentivando-as a fazer o exame de dois em dois anos. Tratase de mais um avanço, pois no Brasil a faixa prioritária são mulheres de 50 a 69 anos.

2013

Setor de infraestrutura prevê conclusão de obras e leilões BRASÍLIA - No setor de infraestrutura, o ano de 2013 será marcado pela concessão à iniciativa privada de rodovias, ferrovias e aeroportos, além do início do funcionamento de importantes empreendimentos. Na área de geração de energia, deve entrar em operação, no primeiro trimestre, a primeira das 50 turbinas da Usina Hidrelétrica Jirau, no Rio Madeira (RO), com capacidade de 75 megawatts (MW). A conclusão das obras da usina, que terá capacidade instalada total de 3,75 mil MW, está prevista para 2016. A Usina Hidrelétrica Santo Antônio, também no Rio Madeira, iniciou a geração comercial de energia no final de março do ano passado. Ao todo, nove turbinas já estão em funcionamento. Segundo o último balanço do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2), divulgado no dia 19 de novembro, 38,5% das ações previstas para o período 2011-2014 já foram concluídas. TRANSPORTES No setor de transportes, está prevista para janeiro a realização dos leilões de concessão das rodovias BR-040, entre Brasília e Juiz de Fora (MG), e BR-116, em Minas Gerais. O pedágio nas duas rodovias só poderá ser cobrado depois que forem duplicados pelo menos 10% dos trechos concedidos, além da realização de melhoria das condições de segurança e trafegabilidade das pistas. A licitação de outros sete trechos rodoviários que serão concedidos à iniciativa privada deve ser feita em abril. Em todos os casos, os vencedores dos leilões serão os consórcios que oferecerem a menor tarifa de pedágio a ser cobrada dos usuários. O governo também quer licitar, entre abril e junho de 2013, 10 mil quilômetros de ferrovias, com o modelo de parceria público-privada. TGV Para setembro, está marcado o leilão que irá definir a empresa que vai fornecer a tecnologia e será a operadora do trem de alta velocidade, que ligará as cidades de Rio de Janeiro, São Paulo e Campinas (SP). O trembala só deve começar a operar comercialmente em 2020. AEROPORTOS Também deve ser em setembro a licitação para a concessão à iniciativa privada dos aeroportos de Confins (MG) e do Galeão (RJ). Para participar do processo, as empresas precisam ter experiência em aeroportos com capacidade de circulação anual de pelo menos 35 milhões de passageiros. De acordo com o acompanhamento das obras do PAC, entre os empreendimentos que devem ser concluídos em 2013 também estão plataformas de exploração e petróleo, a reforma de terminais de passageiros dos aeroportos de Manaus (AM) e Confins (MG) e parte da linha de transmissão que levará a energia produzida nas usinas do Rio Madeira até as regiões Sudeste e Centro-Oeste.

Agência Minas

Governo de Minas investe na estruturação de ampla rede de urgência e emergência em todo o Estado

Minas consolida rede de urgência e emergência Em 2012, mais de 1,8 milhão de pessoas das regiões Nordeste, Central e Sul foram beneficiadas com a implantação de novas redes de urgência e emergência BH - A rede de Atenção às Urgências e Emergências, adotada desde 2008 pela Secretaria de Estado de Saúde (SES), alcançou um salto em qualidade e eficiência nos últimos anos, principalmente em 2012. Somente no ano passado o Governo de Minas entregou duas novas redes de Urgência e Emergência (UeE), uma na macrorregião CentroSul, com sede em Barbacena, e outra na macrorregião Nordeste, com sede em Teófilo Otoni. Juntas, elas receberam o investimento de aproximadamente R$ 14 milhões, com mais de 1,8 milhão de pessoas beneficiadas em cerca de 140 municípios. Atualmente, existem três redes de UeE no Estado. Com a implantação pioneira na macrorregião Norte, 86 municípios já foram beneficiados e mais de 1,5 milhão de pessoas foram atendidas. Em 2009, após um ano de existência da rede macro Norte, houve uma redução de quase duas mil mortes na região. URGÊNCIA E EMERGÊNCIA A Rede de Urgência é um projeto prioritário do Governo de Minas, que busca qualificar e humanizar a assistência à saúde e proporcionar à população atendimento hospitalar de qualidade. A base do projeto está na modelagem

da rede ideal para atenção às urgências, seguindo a lógica da regionalização e adotando uma linguagem única nos pontos de atenção. A proposta de organização tem alguns pressupostos fundamentais: numa região, 90% da população deve ter acesso a um dos pontos de atenção da rede com o tempo máximo de uma hora, seja esse ponto de atenção fixo ou móvel. SAMU Junto a implantação do Complexo Regulador da Rede Urgência e Emergência na macrorregião Centro-Sul, os 730 mil habitantes dos 50 municípios da região foram beneficiados ainda com 22 ambulâncias do Serviço Móvel de Urgência (Samu), sendo 18 unidades de suporte básico e quatro de suporte avançado. Ao todo 12 hospitais participam da rede de resposta às urgências e emergências. A expansão das redes leva em consideração também o indicador mundial YLL (Years of Life Lost) – sigla em inglês que significa anos de vida perdidos por morte prematura. Assim, elas são implantadas em ordem decrescente deste indicador, ou seja, a região que apresentar os piores índices terá a rede implantada primeiro.


CULTURA

Diário Popular

Domingo, 6 de janeiro de 2013

L I T E R AT U R A

Alfaguara reedita “Vila Real”, de João Ubaldo ainda que a vitória lhes pareça cada vez mais incerta. Entre fugir e morrer, os sem-terra decidem resistir, mesmo que a vitória lhes pareça impossível. Mesmo diante da dureza do sertão nordestino, implacável por sua natureza agreste e suas injustiças sociais, Argemiro e a população de Vila Real resistem e fazem o máximo para saírem vitoriosos do trágico embate. Através das próprias reflexões dos personagens, vida, morte e a condição humana são abordadas com um olhar profundo.

Vila Real é um romance dotado de tensão e violência. Publicado originalmente em 1979, este livro de João Ubaldo Ribeiro é uma complexa metáfora dos conflitos rurais que respingam de sangue a história do Brasil. Ambientada nas imediações de uma pequena cidade fictícia do sertão nordestino, a narrativa descreve a luta de camponeses contra a “Caravana Misteriosa”, como apelidam uma empresa mineradora que lhes tomara as terras. GRILAGEM Argemiro é o líder dos posseiros expulsos da pequena Vila Real por uma companhia mineradora estrangeira. Ele enfrenta os homens chefiados por Genebaldo, defensor dos interesses da empresa e da ordem que está sendo ameaçada pelos camponeses. Sem as terras que lhes dão sustento para a vida e leito para a morte, os habitantes da cidade lutam para reconquistar o pouco que têm. Aliando-se ao temido Filho de Lourival, ao feroz Alarico e aos in-

Em Vila Real, João Ubaldo faz uma complexa metáfora dos conflitos rurais que respingam de sangue a história do Brasil

cendiários padres Bartolomeu e Benedito, Argemiro trava um sangrento embate no acampamento atacado pelo inimigo. Apesar das perdas, eles vencem a batalha – mas não a guerra. Argemiro acaba por se refugiar com seu povo junto ao rio Japiau. Lá, reúnem forças para seguir com a luta,

OPRESSÃO João Ubaldo Ribeiro faz em Vila Real um retrato da rústica imposição dos poderosos sobre os despossuídos, questão tão presente nos conflitos rurais. Ao mesmo tempo em que representa uma denúncia da perpétua injustiça social no campo e no sertão, o romance vai além. O autor mostra um olhar agudo sobre a miséria humana – e a esperança de superá-la.

JAMIE – 30 MINUTOS E PRONTO

Chef britânico já vendeu 2 milhões de exemplares Sucesso absoluto, com mais de 2 milhões de exemplares vendidos no mundo, a Globo Estilo lança no Brasil “Jamie - 30 Minutos e Pronto”, do chef britânico Jamie Oliver. Conhecido por seus mais de 10 livros escritos e programas de TV que ensinam as pessoas a sentir prazer pela cozinha e pelo ato de cozinhar, Jamie desafia os leitores a criar refeições completas em 30 minutos. Além dos 50 diferentes cardápios, o chef dá dicas de como ter e manter uma cozinha organizada, e incentiva o consumo de alimentos naturais e orgânicos: cada uma das refeições foi preparada com alimentos que combinam uns com os outros e testadas por ele e por sua equipe. “Os leitores vão se apaixonar pelo novo método e nunca mais lembrarão como cozinhavam antes”, garante Jamie. Entre as opções, estão pratos com carne, opções vegetarianas, massas e doces, sempre compondo uma refeição completa com prato principal, acompanhamentos e sobremesa, tudo feito em apenas meia hora.

tos: travessas, tigelas, tábuas, esteiras, xícaras de chá estão entre as peças que podem compor lindamente uma mesa, dependendo da refeição que escolher. O livro apresenta ainda receitas em que os leitores podem conferir seu passo a passo no site www.jamieoliver.com/30MM. Lá é possível também conhecer diferentes pratos e saber mais sobre o chef britânico que é sucesso no mundo todo.

Em “Jamie - 30 Minutos e Pronto”, o leitor é desafiado a criar refeições completas em 30 minutos

VALORES Os pratos sugeridos em Jamie 30 Minutos e Pronto tiveram seus valores calculados e ficam mais em conta do que se consumidos em restaurantes ou comprados em rotisserias, e conforme o autor, prontos no mesmo tempo usado ao se aquecer um congelado ou ao se pedir uma comida por telefone. O chef não esquece também da importância dos elementos onde servir os alimen-

O AUTOR Além de chef de cozinha e apresentador de TV, Jamie Oliver também é empreendedor. Ele cuida de três restaurantes, uma escola de culinária e uma empresa de serviços de buffet. Uma de suas maiores características é defender a alimentação saudável. Oliver já participou de mais de 10 séries de televisão, sempre ensinando as pessoas a cozinhar. Seus programas já foram transmitidos para mais de 100 países, inclusive o Brasil. Este é o seu oitavo livro publicado no Brasil pela Globo Estilo, selo da Globo Livros.

7

33 PORQUINHOS

Roberto Torero e Aurelius fazem releitura de os “Três Porquinhos” Os três porquinhos é um conto popular muito antigo, que há séculos fascina e diverte crianças e adultos. Foram inúmeras as suas versões e interpretações, mas nesse livro a história ganha contornos inusitados. A dupla de escritores José Roberto Torero e Marcus Aurelius Pimenta não se contentou com os três personagens principais e resolveu criar novos porquinhos. Agora, os personagens da clássica história infantil se multiplicaram e estão dando um trabalho danado para o Lobo Mau. A família cresceu e cada porquinho construiu uma casa que combinava com seu jeito de ser. O porquinho Apolo, por exemplo, alugou uma estação espacial, Porcoátl fez sua casa em forma de pirâmide asteca, Lorde Bacon tinha tanto dinheiro que morava numa mansão e Granulfo levou um tempão para levantar seu castelo de areia. Mas os autores não pararam por aí: o livro permite que o leitor cruze as tirinhas em que foram divididas as páginas para descobrir uma história diferente. É possível até criar o próprio porquinho e misturar a história de todos eles. São incontáveis combinações e, em cada uma delas, um novo enredo. O livro conta com ilustrações de Edu Oliveira, responsável pelas imagens da adaptação de Jor-

O livro permite que o leitor cruze as tirinhas em que foram divididas as páginas para descobrir uma história diferente

ge Furtado e Liziane Kugland para Alice através do espelho, de Lewis Carroll. O ilustrador de livros, revistas e jornais, como a portoalegrense Zero Hora, dá um tom bem humorado à história. As imagens dele, junto ao texto dos autores, mostram que o Lobo não tem vez contra os porquinhos, no final das contas. Também da coleção Fábrica de Fábulas, os autores publicaram outros livros que dão nova roupagem a histórias infantis clássicas. Os títulos que foram lançados antes de Os 33 porquinhos são Chapeuzinhos coloridos, O Patinho Feio que não era patinho nem feio, Branca de Neve e as sete versões e Os oito pares de sapatos de Cinderela.

GASTRONOMIA

Livro conta a história do restaurante “Las Chicas” O oitavo livro da chef Carla Pernambuco, quinto em parceria com sua sócia, a chef Carolina Brandão, traz aos leitores a história do Las Chicas, um novo conceito de restaurante em São Paulo, conhecido como gourmet garage. Um lugar descontraído, confortável e elegante, que serve comida simples e saudável a qualquer hora do dia. O livro traz 60 receitas deliciosas, divididas em 4 tipos de refeições: desjejum, almoço, café da tarde e jantar. Um apanhado de receitas nutritivas e inteligentes, que ajudarão o leitor a combinar pratos e formular cardápios deliciosos e descomplicados. Carla Pernambuco, gaúcha de Porto Alegre, foi aprendiz de diversas atividades nas áreas de comunicação, publicidade e relações públicas. Exausta de tanta competência, fez as malas com o marido, o fotógrafo Nando Pernambuco, e zar-

Capa de “Las Chicas”, da chef Carla Pernambuco e sua sócia Carolina Brandão

pou para uma temporada de três anos em Nova York. Lá certamente está a gênese (ou depuração) de seu trabalho de chef. De volta ao Brasil, em 1995, abriu o restaurante Carlota, com todos os seus deliciosos pratos multiculturais. Desde então, Carla tornou-se referência da gastronomia brasileira.


8

CIDADES

Diário Popular

Domingo, 6 de janeiro de 2013

COMÉRCIO

CMCF

de vereadores Cai número de ipatinguenses Aumento amplia assessoria registrados no SPC em 2012 Arquivo DP

IPATINGA – Um relatório do Sistema de Proteção ao Crédito (SPC), divulgado na última sexta-feira (4), mostrou que os ipatinguenses ficaram mais adimplentes em 2012. A quantidade de pessoas da cidade incluídas na lista de devedores caiu cerca de 6% em relação ao ano passado. Ainda assim, o número é alto: mais de 32 mil pessoas foram registradas no SPC ao longo do ano que passou. No entanto, desse total, quase 22 mil pessoas já efetuaram a regularização de sua situação junto ao órgão. Os números são referentes às dividas relacionadas a cheque, crediário próprio e carnês, e não contemplam os registros no Serasa. Maio, segundo mês mais

Consumidores na avenida 28 de Abril, em Ipatinga: apesar da queda na inadimplência o número de devedores ainda é alto

lucrativo para o comércio brasileiro, foi também o mês que em que mais registros ocorreram no SPC. Além disso, nesse mês houve o maior número de consultas feitas no balcão da Associação Comercial de Ipatinga (Aciapi), situado no Centro da cidade.

DEFESA Já em dezembro, tradicional pelas vendas do natal, foram registradas mais de 36 mil consultas gerais ao Sistema feitas por comerciantes, o maior número de 2012. Conforme explicou Márcio Penna, presidente da Câmara de

Dirigentes Lojistas (CDL) de Ipatinga, as consultas são o mecanismo utilizado pelo comerciante para se defender de possíveis prejuízos. Para Márcio, o alto número de consultas representa uma forte movimentação no comércio, o que, para ele, é positivo. As pesquisas também aumentaram em relação ao ano anterior. Em 2012, foram 375 mil consultas, já em 2011 o número ficou na casa dos 353 mil. Márcio Penna cita o aumento de associados à CDL como uma dos motivos para o resultado positivo em 2012. Hoje, a Câmara de Dirigentes Lojistas possui em seu quadro 1313 associados que têm acesso a ferramentas de consulta ao órgãos de proteção de forma facilitada.

ENGANAÇÃO

Aciapi alerta para início da temporada de golpes IPATINGA - Todo começo de ano é a mesma coisa. Em meio às faturas que chegam para as empresas, não faltam cobranças indevidas. Quem se dispõe a abrir um estabelecimento comercial ou de prestação de serviços precisa ficar atento à ação de estelionatários. Além de vencer a burocracia e disputar o mercado, o empreendedor precisa ter atenção para não pagar o que não deve. Há quatro modalidades de cobranças indevidas que atormentam os comerciantes: a lista telefônica digital, o registro de marcas e patentes, a cobrança de uma associação comercial do Brasil e a venda do código de defesa do consumidor e cartazes. A mais presente das ações é de uma empresa com sede em São Paulo, que comercializa um suposto catálogo telefônico digital. Os vendedores telefonam para o administrativo, pegam dados cadastradas e depois enviam um fax, a título de “apenas confirmar dados” e pedem para o atendente assinar e devolver. Ao fazer isto, a empresa assume o compromisso de pagar por uma tal “figuração em catálogo”, que pode chegar a incríveis R$ 25 mil/ ano. Livrar-se deste contrato e de outros desta natureza pode

Boleto da Associação Comercial Empresarial do Brasil: pura picaretagem

demandar, inclusive, gastos com advogados. A recomendação da Aciapi e CDL de Ipatinga é que os empreendedores orientem seus atendentes a jamais assinar qualquer papel e devolver por fax. MARCAS Em outra ação, uma empresa que supostamente trabalha com registro de marcas e patentes junto ao Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (Inpi), oferece serviços informando aos empreendedores sobre a necessidade do registro do nome comercial junto ao órgão, sob pena da perda do direito de uso do nome empresarial. Em Belo Horizonte, a Assessoria Jurídica da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas, entretanto, esclarece que não há essa obrigatoriedade. O registro da marca ou nome pode

ser feito quando houver interesse em garantir seu uso de forma exclusiva em território nacional. O registro é facultativo. FACULTATIVO Outra ação que, se não configura um golpe, pelo menos caracteriza má-fé, é a cobrança da Associação Comercial Empresarial do Brasil (Aceb). O boleto bancário chega às empresas e a adesão à entidade é facultativa. Somente uma leitura atenta levará o empresário à conclusão da não obrigatoriedade do pagamento. A Aciapi e a CDL de Ipatinga orientam aos empreendedores a não pagar pelos serviços da entidade, que não tem qualquer ligação com a região. “A entidade existe de fato. Ela está respaldada pela legislação. O que questionamos é a forma como age, ao

enviar esse boleto, no valor de R$ 298,50. Como nem todos leem o aviso informando que é uma associação facultativa, muitos empreendedores procuram a Aciapi e a CDL para reclamar depois que pagam e percebem que fizeram um pagamento indevido”, alerta o presidente da CDL, Márcio Penna. KIT Por fim, há um golpe aplicado com material grosseiro e recibo de papelaria preenchido à mão, normalmente vendido por um falso fiscal da Receita Federal a lojistas iniciantes. Ele aproveita o momento de inexperiência de muitos comerciantes e empurra o “Kit Loja” por R$ 150, composto um exemplar do Código de Defesa do Consumidor e dois cartazes de afixação obrigatória nos estabelecimentos de atendimento ao público: “Optante pelo Simples”; “Este estabelecimento dispõe de um exemplar do Código de Defesa do Consumidor”; e até “É proibido fumar neste estabelecimento”. Este material é fornecido por contadores, gratuitamente, ou pode ser comprado em papelarias por no máximo R$ 50.

FABRICIANO - Em Reunião Extraordinária realizada na sexta-feira (4), a Câmara Municipal de Coronel Fabriciano (CMCF), por meio de sua Mesa Diretora, deu início às atividades da nova Legislatura, que agora conta com 17 vereadores. A Mesa Diretora é composta pelo presidente Marcos da Luz (PT), a 1ª vice-presidente, Andréia Botelho (PSL), o 1º secretário, Xingozinho (PP), o 2º vice-presidente, Ronílson Burrinho (PSB), e o 2º secretário, professor Edem (PT). Durante a sessão os parlamentares aprovaram os dois projetos de lei inseridos na pauta de votação. Ambos promovem adequações na estrutura organizacional da CMCF. ASSESSORES “Nessa Reunião Extraordinária acertamos a questão envolvendo o nosso quadro de pessoal. Ocorre que, cada vereador, segundo a Lei 3486/2009, tem direito a dois assessores parlamentares, no entanto, a Lei fixou o limite quantitativo em 22 assessores. Se cada vereador tem direito a

dois assessores, e como tivemos um aumento no número de vereadores, de 11 para 17 parlamentares, então precisaríamos adequar essa Lei, criando mais 12 assessores, num total de 34, para que cada um dos 17 vereadores tenha os seus dois assessores parlamentares, por questão de legalidade e justiça. Vale ressaltar que já havia previsão orçamentária para essa medida, ou seja, não se trata de uma despesa nova”, explicou Marcos da Luz. O projeto foi aprovado por unanimidade. VEREADORES Além dos vereadores integrantes da Mesa Diretora, a atual Legislatura da CMFC ainda conta com os parlamentares Canídia (PT), Luciano Lugão (PSD), Adriano do Conselho Tutelar (DEM), Beto Cavaleiro (PPL), Serjão do Casib (PT), Edílson do Sinttrocel (PCdoB), Eugênio Pascelli (DEM), Zé Carlos do Posto de Saúde (PTN), Eusiméria (PCdoB), Enéias Reis (PTdoB), Querubim (PDT) e Carmem do Sinttrocel (PCdoB).


BRASIL

Diário Popular

Domingo, 6 de janeiro de 2013

9

SEM EXCEÇÃO

LÍDER DO PT DIZ QUE POSSE DE GENOINO NÃO CONSTRANGE BRASÍLIA - O novo líder do PT na Câmara, deputado José Guimarães (PT-CE), negou que a posse de José Genoino (PTSP) como deputado federal cause constrangimentos à bancada. Guimarães é irmão de Genoino, que foi condenado pelo Supremo Tribunal Federal no processo de mensalão por formação de quadrilha e corrupção ativa. “Não tem nada de constrangedor ou de constrangimento na bancada. A bancada vive o auge do Estado Democrático de Direito. Vamos aguardar o trânsito em julgado. Não vivemos em estado de exceção, vivemos em estado de direito”, disse Guimarães à imprensa no momento em que Genoino assumia o cargo. O líder petista se referiu à necessidade de que se esgotem todas as possibilidades de recursos antes que a Ação Penal 470 seja concluída e que ocorra o trânsito em julgado. O trâmite pode levar tanto tempo que é possível que Genoino exerça seu mandato como suplente até o fim, em 2014. OUTRO CASO Em caso semelhante, o deputado Natan Donadon (PMDBRO) foi condenado pelo Supremo a 13 anos de prisão por peculato e formação de quadrilha. A condenação ocorreu em outubro de 2010, mas os recursos atrasaram tanto o trânsito em julgado que o deputado, mesmo

Valter Campanato/ABr

Honduras vive um momento de impasse devido aos conflitos entre os Poderes Judiciário e Legislativo. O prédio principal da Suprema Corte está cercado por policiais. Os magistrados foram convocados pelo presidente da Corte, Jorge Rivera Avilés, para definir medidas que impeçam o agravamento da crise institucional, deflagrada em dezembro com a destituição de quatro dos cinco magistrados. A destituição foi aprovada pelo Parlamento de Honduras, que também indicou o nome dos substitutos. Para os magistrados, o Legislativo tenta interferir nas ações do Judiciário. Judiciário e Legislativo divergem sobre o processo de depuração da polícia de Honduras.

Carne brasileira é boicotada

Onze suplentes de deputados federais, entre eles José Genoino, e três novos deputados assumem o cargo

condenado, atua até hoje na Câmara e ainda não teve o mandato cassado. Além disso, a divergência entre o Legislativo e o Judiciário pode provocar demora na cassação do mandato de Genoino e de mais três deputados condenados no processo do mensalão – Valdemar Costa Neto (PR-SP), Pedro Henry (PP-MT) e João Paulo Cunha (PT-SP). O presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia (PT-RS), entende que a prerrogativa de cassar os mandatos é da Casa, em processo interno no qual os quatro terão direito à defesa.

DISCÓRDIA Os artigos que provocam discórdia entre os dois Poderes são o 15 e o 55 da Constituição. O primeiro prevê a perda de direitos políticos em caso de condenação criminal enquanto durarem seus efeitos. O segundo, determina a perda de mandato no mesmo caso. Ocorre que o Artigo 55 estabelece ainda que em caso de condenação criminal a cassação ocorrerá após processo aberto na respectiva Casa e mediante votação secreta dos deputados ou senadores. Mas prevê também que, no caso do parlamentar que teve os di-

reitos políticos suspensos ou cassados, “a perda será declarada pela Mesa Diretora [da respectiva Casa Legislativa], de ofício ou mediante provocação de qualquer de seus membros ou de partido político representado no Congresso Nacional, assegurada a ampla defesa”. Com isso, fica a dúvida sobre se o mandato dos condenados deve ser cassado “de ofício” ou se é necessária a abertura de processo e votação secreta no plenário da Câmara. A decisão do Supremo, no entanto, deverá prevalecer e ser obedecida pelo Poder Legislativo.

DESCANSO

PAÍS TERÁ 9 FERIADOS EM 2013 BRASÍLIA - O Ministério do Planejamento divulgou o calendário de feriados e pontos facultativos de 2013 para os servidores públicos federais. A portaria, publicada no Diário Oficial da União, define que nestas datas deve ser preservado o funcionamento dos serviços essenciais ao cidadão. No total, são nove feriados nacionais – quatro deles em final de semana – e sete pontos facultativos. A texto informa ainda que os dias de guarda dos credos e das religiões que não estão relacionados na portaria podem ser respeitados e posteriormente compensados, desde que autorizado pelo responsável da unidade de exercício do servidor. Veja ao laod a lista de feriados e pontos facultativos:

Honduras vive crise institucional

DATA

COMEMORAÇÃO

CLASSIFICAÇÃO

1º de janeiro - terça-feira

Confraternização Universal

Feriado Nacional

11 de fevereiro - segunda-feira

Carnaval

Ponto Facultativo

12 de fevereiro - terça-feira

Carnaval

Ponto Facultativo

13 de fevereiro - quarta-feira

Carnaval

Ponto Facultativo (até as 14 horas)

29 de março - sexta-feira

Paixão de Cristo

Feriado Nacional

21 de abril – domingo

Tiradentes

Feriado Nacional

1º de maio - quarta-feira

Dia Mundial do Trabalho

Feriado Nacional

30 de maio - quinta-feira

Corpus Christi

Ponto Facultativo

7 de setembro – sábado

Independência do Brasil

Feriado Nacional

12 de outubro – sábado

Nossa Senhora Aparecida

Feriado Nacional

28 de outubro - segunda-feira

Dia do Servidor Público

Ponto Facultativo

2 de novembro – sábado

Finados

Feriado Nacional

15 de novembro - sexta-feira

Proclamação da República

Feriado Nacional

24 de dezembro - terça-feira

Véspera de Natal

Ponto Facultativo (após as 14 horas)

25 de dezembro - quarta-feira

Natal

Feriado Nacional

31 de dezembro - terça-feira

Véspera de Ano-Novo

Ponto Facultativo (após as 14 horas)

O Peru e o Líbano suspenderam a compra de carne bovina do Brasil. O Ministério da Agricultura confirmou que o país latino publicou em seu Diário Oficial a decisão de suspender as importações por 90 dias. A Embaixada do Líbano no Brasil informou sobre a suspensão de compras da carne do Paraná, por tempo indeterminado. O governo brasileiro não recebeu comunicado formal de nenhum dos dois países. Até agora nove países impuseram restrição às compras da carne brasileira. Além de Peru e Líbano, Coréia do Sul, Arábia Saudita, Japão, África do Sul, Taiwan, Jordânia e Chile. A Jordânia suspendeu as compras do gado exportado pelo estado do Paraná, e o Chile de farinha de carne e ossos do rebanho bovino brasileiro.

Vice vê golpe na Venezuela Em meio aos rumores sobre o agravamento do estado de saúde do presidente da Venezuela, Hugo Chávez, o presidente interino do país, Nicolás Maduro, acusou a oposição de liderar um movimento nacional de “intrigas” e uma “ofensiva”. Para Maduro, a oposição planeja um “golpe de Estado” na Venezuela. Nos últimos dias, a oposição cobrou mais detalhes sobre o tratamento de Chávez, levantando suspeitas sobre as informações divulgadas. Maduro, apontado como o substituto natural de Chávez, disse que jamais pensou em ocupar a Presidência da Venezuela.

Diplomata busca estudante no Peru

O diplomata brasileiro Carlos Garcede foi deslocado para o Peru para acompanhar as buscas pelo universitário brasiliense Arthur Paschoali, de 19 anos, que desapareceu na região de Machu Picchu. Garcede permanecerá no país até o desfecho do caso. Ele deve chegar ainda esta noite e logo em seguida terá reunião com o chefe de polícia que está à frente das investigações. A Polícia Nacional Peruana se reuniu hoje em Lima com o adido policial da Embaixada do Brasil no Peru e garantiu que vai dar prioridade às buscas pelo estudante, que foi visto pela última vez no dia 21 de dezembro, quando saiu para tirar fotografias na região. Uma equipe multitécnica, especializada em buscas em locais íngremes e de difícil acesso, foi acionada. Cães farejadores ajudarão no trabalho.


10

CULTURA

Diário Popular

Domingo, 6 de janeiro de 2013

CINEMA

FILME “FAROESTE CABOCLO” RECRIA BRASÍLIA DOS ANOS 80 “Cortar madeira, aprendiz de carpinteiro/Ganhava cem mil por mês em Taguatinga (...) Amanhã às 2h na Ceilândia/Em frente ao lote 14, é pra lá que eu vou”. Para quem não conhece o Distrito Federal, trechos como estes da letra da música “Faroeste Caboclo” sempre povoaram o imaginário. Agora, os cenários cantados por Renato Russo ganham forma com o longa homônimo de René Sampaio, que Faroeste Caboclo”, filme que tem estreia prevista para maio e coprodução da Globo Filmes. Recriar lugares como a Ceilândia do começo da década de 1980 não é tarefa fácil. Ainda mais quando se leva em conta o pouco tempo que o Distrito Federal possuía à época (cerca de 20 anos), como conta o diretor de arte Tiago Marques. “Brasília e seus entornos é uma região muito nova, o que torna o trabalho de reconstrução um pouco mais difícil. Por isso, tivemos que trazer a maioria dos objetos do Rio de Janeiro e de São Paulo.” CEILÂNDIA No caso da Ceilândia, o cenário escolhido para recriála foi o Jardim ABC, que por situar-se mais distante de Bra-

Maria Lúcia (Ísis Valverde) em cena do filme inspirado na música de Renato Russo

sília ainda conserva um clima inóspito, com ruas de terra vermelha e casas de alvenaria. Segundo Marques, fazer a cenografia nessa locação exigiu um trabalho de envelhecimento, para dar a impressão de que os objetos foram desgastados com a passagem de tempo e condições ambientais. “Quando o lugar é muito simples, a maioria das coisas é produzida por pessoas, sem passar por industrialização. É preciso então recriar as marcas para que tudo não pareça manufaturado.” BRASÍLIA Já no caso de Brasília, a direção de arte penou mais para encontrar objetos de época, que tiveram que ser trazidos de fora. “Brasília não tem muitas coisas de acervo,

de vivência. Tivemos que buscar muita coisa em lojas de antiguidade, principalmente no Rio”, diz o decorador de set Odair Zani. Além da distância, outro empecilho para montar os cenários foi a proximidade de época. “As pessoas ainda não se desfizeram de muitas coisas que usavam nos anos 80 e as mantêm em casa. Por isso muita coisa só encontramos em feiras de troca.” Pessoalmente, Odair diz que o objeto de maior valor sentimental que conseguiu encontrar foi um Aquaplay, brinquedo famoso naquela década. “Foi muito difícil achar um que funcionasse direitinho”, lembra. MÓVEIS Outra questão foi resga-

tar móveis e objetos de decoração, assim como pequenos detalhes como fechaduras e tomadas de dois pinos. “Aqui em Brasília quase não se encontram luminárias de teto, porque os prédios costumam ter o pé direito baixo e, portanto, não precisam desse tipo de iluminação. Já os móveis que eram usados nos prédios públicos, produzidos pela fábrica L’Atelier, viraram objeto de desejo atualmente, então as pessoas têm receio de emprestar”, conta. E quando não se encontram as referências necessárias para a filmagem? “Aí temos que recriar o objeto e envelhecê-lo artificialmente”, revela Zani. Só assim para decorar uma típica delegacia de época como a que aparece em uma cena do longa. “Envelhecemos uma pasta de cartolina com graxa para limpar sapatos, por exemplo.” Todo esse apuro, segundo Zani, se paga quando o filme fica pronto. “Tem uma cena em que a Maria Lúcia (Ísis Valverde) pega um cubo mágico e começa a brincar com ele. Naquele momento, o objeto se torna parte da história, e isso é uma recompensa muito grande do nosso trabalho”, diz.

FLOR DO CARIBE

Grazi Massafera vive guia turística na nova novela das 6 Uma história de aventura, cores, sons, paisagens e amores entre dunas, salinas, belas praias do Rio Grande do Norte e florestas, vulcões e lugares exóticos da América Central. Esse é o cenário de Flor do Caribe, próxima novela das seis da Rede Globo, escrita por Walther Negrão. A trama conta a história de amor entre Cassiano (Henri Castelli) e Ester (Grazi Massafera), dois jovens que se conheceram na infância e que, na adolescência, descobriram o amor verdadeiro. Das brincadeiras infantis na fictícia Vila dos Ventos às juras de amor na fase adulta foi um pulo. Ela, guia turística que faz passeios de bugre pelas praias deste paraíso, não vê a hora de se casar com seu amor da juventude, hoje,

Guia turística, Ester (Grazi Massafera) mostrará as belezas naturais do nordeste brasileiro em Flor do Caribe

um piloto de caça da Aeronáutica. Tudo seria perfeito, não fosse por Alberto (Igor Rickli), amigo do casal, que, para conquistar Ester, será capaz de tudo. É neste momento que a vida colocará no caminho de Cassiano uma série de desafios, que o obrigará a provar se pode superá-los para ficar com seu grande amor.

GRAVAÇÕES Conhecido pelas belezas naturais das dunas de Genipabu e das praias de Pipa, o Rio Grande do Norte também esconde segredos bem guardados como a Baía Formosa, Barra do Cunhaú, Ponta do Mel, Dunas do Rosado, as minas de Currais Novos e Malembar. É nesse cenário deslumbrante que vivem os moradores da fictícia

Vila dos Ventos. Durante 40 dias, o estado recebeu as gravações da novela. Graças ao trabalho de aproximadamente 100 profissionais, das equipes de produção, cenografia, figurino, caracterização, arte, direção, técnica e elenco, foi possível fazer um retrato apurado das belezas locais que poderão ser vistas a partir de março. - Uma das características dessa novela é que ela se passa toda no Rio Grande do Norte. Concentramos em volta da fictícia Vila dos Ventos as belezas naturais do estado. Assim, criamos uma geografia única utilizando o que há de mais bonito na região - explica Jayme Monjardim, diretor de núcleo que dirigiu as cenas ao lado de Leonardo Nogueira, diretorgeral da trama.

REVOLUTION Saudações beatlemaníacas!

(*) Ronildo Bacardy

Na semana passada comecei a contar sobre os primórdios dos Beatles. A bandinha da escola que animava as festinhas de quermesse, o início da amizade entre John, Paul e George, e etc, etc. Hoje, vamos contar mais um pouco desta história mágica... Boa leitura!

Pete Forever, Ringo Never Ainda abalados com a morte de Stuart e sem perspectivas de progresso profissional, os Beatles continuaram a fazer shows em Hamburgo e Liverpool, mas visivelmente desanimados. Em 1957, Ringo começou sua própria banda skiffle com Eddie Miles, chamada The Eddie Clayton Skiffle Group. No ano de 1959, ele juntou-se ao grupo Raving Texans, que tinha como cantor Rory Storm. Posteriormente a banda mudou de nome para Rory Storm and the Hurricanes. Foi nesta época que ele passou a adotar o nome artístico Ringo (derivado de “ring”, anel Reprodução do jornal Mersey Beat que dá em inglês) por causa dos detalhes da saída de Pete dos Beatles anéis que constantemente usava. Os Hurrigundo LP, With the Beatles, novo núcanes fizeram uma turnê em Ham- mero um. burgo em 1960, onde Ringo acabou A banda era um sucesso em conhecendo os integrantes de uma toda a Europa Ocidental. Faltavam certa banda de Liverpool, The Bea- os Estados Unidos. Brian tinha o platles. no de levar o grupo à América, mas Ringo só acabaria entrando o grupo decidira que não embarcapara os Beatles quando eles acerta- ria sem um single no topo da Billboram um contrato de gravação com ard. E não era apenas arrogância: a gravadora Parlophone. – Esta his- muitos nomes famosos na Inglatória vou contar depois – . Em 19 terra se aventuravam pelos Estade agosto, três dias após a demis- dos Unidos, esqueciam seu público são de Pete, Ringo, definitivamente local e não angariavam a simpatia como baterista, tocou com os Bea- ianque. Quando já estavam em pritles no Cavern; a apresentação ge- meiro lugar no Reino Unido, os Bearou confusão, pois o público repu- tles ainda eram ilustres desconhecidiou a nova formação, e chegaram dos no outro lado do Atlântico, mas, a gritar “Pete forever, Ringo never”, para todos os efeitos, nunca tinham ou seja: “Pete para sempre, Ringo tentado a sério. A verdade é que a nunca!”. própria EMI não se interessara em Rumo à América lançar a banda por lá. Os Beatles passaram a ser reGeorge Martin negociou os taquisitados para apresentações por pes pertencentes à Parlophone com todo o país, para entrevistas e para dois selos independentes, o Vee-Jay programas na BBC. Depois de um e o Swan, que lançaram alguns sinmês, estavam no ponto exato para gles e a coletânea Introducing the lançar seu primeiro LP. Beatles, sem repercussão. Em jaGravado em 12 horas, tam- neiro de 1964, após uma temporabém intitulado Please Please Me, o da de um mês no Finsbury Park de disco trazia 14 faixas, entre covers Londres, os Beatles embarcaram (coisas da soul music americana, para sua primeira turnê pela França. como Boys e Twist and Shout) e no- Após reportagens de revistas como vos hits em potencial, como I Saw Time e Newsweek, a Capitol (o selo Her Standing There. Com dois sin- jovem da EMI na Califórnia) despergles puxando as vendas, Please Ple- tou para a banda e lançou o single ase Me também chegou ao topo da I Wanna Hold Your Hand com toda parada. Até o fim do ano, a ban- promoção merecida. De longe, sem da tocaria por Escócia, Suíça, toda deixar o Velho Continente, eles cona Inglaterra, participaria do tradi- quistavam o Novo Mundo. Em Paris, cional programa Sunday Night at eles receberam o telegrama da EMI the London Paladium (esgotando inglesa: “Parabéns, vocês são númeos ingressos com meses de antece- ro um na América”. (continua...) dência), lançaria mais três singles (*) Ronildo Bacardy é jornalista e (From Me To You, She Loves You e beatlemaníaco (ronildobacardy@yahoo.com.br) I Wanna Hold Your Hand) e um se-


RESUMO DE NOVELAS MALHAÇÃO Segunda-feira Rômulo pede para Valentina se afastar de Dinho. Nando comenta sobre a beleza de Valentina e Lia fica intrigada por Dinho não ter comentado sobre a argentina antes. Bárbara aproveita a despedida de solteira de Isabela para anunciar a loja que vai abrir ao lado do Misturama. Britney chega para a despedida de solteiro de Leandro e Robson finge ser o noivo dela para que Clô não suspeite da moça. Rômulo alerta Dinho sobre a volta da Valentina e Tatá ouve. Fatinha ameaça Valentina ao perceber o interesse da argentina por Dinho. Isabela se diverte com as amigas. Terça-feira Fatinha distrai Lia e avisa a Dinho sobre a presença da namorada. Ju repreende Gil por se preocupar demais com Dinho. Isabela conta sobre sua despedida de solteira e Leandro evita falar sobre a sua festa com os amigos. Robson reclama com Cezar que Britney não para de procurá-lo sobre seu pagamento. Fatinha garante a Dinho que vai ajudálo com Valentina. Orelha e Morgana são escolhidos para representar o colégio nas Olimpíadas de Matemática. Cezar, Leandro e Robson despistam Isabela e Marcela sobre a despedida de solteiro. Morgana se força a falar com Orelha pelo bem das Olimpíadas de Matemática. Quarta-feira relha, Pilha e Fera saem com Dinho, Lia e Valentina e ficam encantados com a argentina. Morgana reclama de Orelha para Rita e Rafael. Isabela experimenta o vestido de noiva de Marcela e fica encantada com a roupa. Rita e Morgana repreendem Rafael por ser preconceituoso com Fera. Leandro deixa as alianças de casamento caírem no ralo, sem querer. Valentina observa Dinho. Enquanto os meninos ficam de olho em Valentina, Gil elogia Ju. Leandro não consegue contar para Isabela que perdeu as alianças. Valentina é agressiva com Lia e Ju percebe. Leandro pede ajuda a Mathias. Quinta-feira Lia estranha a agressividade de Dinho com Valentina. Ju pede para Gil ser mais romântico. Dinho deixa Lia sozinha e vai atrás de Valentina. Bruno afirma que, para namorar novamente, precisa resolver seu problema com Fatinha antes. Michel obriga Fatinha a se desculpar com Valentina. Rosa questiona Robson sobre Britney. Dinho reclama de Valentina para Orelha. Ju conversa com Lia sobre seu relacionamento com Gil. Sexta-feira Gil fica intrigado com a cena que testemunhou. Ju ajuda Lia a escolher sua roupa para o casamento de Isabela e Leandro. Valentina decide deixar o hostel. Gil fala para Ju que acredita que Dinho se envolveu com a argentina. Clô implica com a decoração do Misturama para o casamento. Cezar dispensa Britney e acredita ter resolvido seu problema com ela. Dinho encontra Lia e elogia o figurino da namorada. Ana pede para ir ao casamento com Bruno e Ju. Marcela tenta acalmar Isabela, que está ansiosa. LADO A LADO Segunda-feira Gilda desconfia das intenções de

Diário Popular

Domingo, 6 de janeiro de 2013

Albertinho. Bonifácio confidencia a Margarida que, se a carga de tecidos não for entregue, a fábrica pode falir. Laura aceita o convite de Celinha e Guerra para jantar. Isabel comunica a Neusinha que Diva continuará encenando A Dama das Camélias. Fernando avisa a Bonifácio e a Praxedes que o caminhão com a carga de tecidos foi roubado. Zé Maria chama Caniço para a roda de capoeira e o golpeia. Laura comenta com Isabel que a elite carioca se incomoda com seu estado civil. Constância avisa a Albertinho para ele nem pensar em fugir do compromisso com Esther. Terça-feira Laura revela a Sandra que Oswaldo é corrupto e trabalha no jornal que publicou a falsa matéria sobre ela. Laura diz a Isabel e a Sandra que vai descobrir se Catarina está envolvida com a publicação das matérias de Oswaldo. Isabel é convidada para fazer a apresentação de dança em um evento beneficente. Sandra conta para Laura que está apaixonada por Teodoro. Quarta-feira Constância demonstra interesse em descobrir como Gilda conseguiu as roupas de Laura. O time de Fernando perde o jogo. Diva acusa Isabel de se importar apenas com dinheiro. Elias diz para Madá que a mãe não gosta dele. Gisele insulta Laura. Celinha conta a Alice que Carlota quer que ela conquiste Gustavo, e sugere à sobrinha que faça tudo que a mãe quiser. Fernando encontra um bilhete anônimo na gaveta de Bonifácio. Quinta-feira Albertinho mente para Constância e a faz acreditar que deu as roupas de Laura aos pobres, a pedido da própria irmã. Albertinho conversa com Constância e deixa escapar que Fernando é bastardo. Mario e Diva se beijam. Gisele diz a Carlota que Laura é amante de seu marido. Luciano deixa claro para Neusinha que quer ser apenas seu amigo. Fernando diz a Catarina que descobriu que o pai tem um apartamento para se encontrar com outras mulheres. Sexta-feira Albertinho expulsa Elias e Olavo do campo de futebol. Diva desmaia durante a encenação da peça, e Luciano a ajuda. Edgar fica furioso ao saber que Laranjeiras atacou Laura. Celinha fica indignada com Alice ao perceber que a sobrinha gosta da ideia de ser cortejada por Gustavo. Edgar agride Laranjeiras. Sandra fica irritada com Praxedes, diante da recusa do pai de agir contra Laranjeiras. Edgar tenta convencer Bonifácio a abrir o capital da fábrica. Sábado Constância não acredita que Laura seja amante de Laranjeiras. Laura tenta se aproximar de Elias, que foge ao ver Isabel. Bonifácio decide abrir o capital da fábrica. Gisele insulta Laura, que revida, dizendo que Laranjeiras a atacou. Teodoro pede Sandra em casamento. Mario tenta convencer Diva a aceitar seu talento como comediante. GUERRA DOS SEXOS Segunda-feira Fábio tenta salvar a vida de Ciça. Felipe não acredita que Fábio goste de Juliana. Veruska con-

para Nieta que ficará no lugar de Juliana. Montanha insiste para Ulisses desistir de lutar. SALVE JORGE Segunda-feira Valeska e Rosângela temem que algo aconteça com Morena e Jéssica. Lívia manda Wanda não fazer nada contra Morena. Jéssica passa mal. Pescoço procura Vanúbia. Maitê fica surpresa ao saber que Bianca continuará na Capadócia. Stenio e Helô quase se beijam. Morena e Jéssica são revistadas no aeroporto. Isaurinha tenta convencer Antonia a desistir do divórcio. Celso combina de se encontrar com Amanda. Aída acredita que Nunes a pedirá em casamento.

Playboy libera nova imagem do ensaio de Catarina Migliorini A Playboy liberou nesta quinta-feira (3) mais uma foto oficial do ensaio de Catarina Migliorini, que estampa a edição de janeiro da publicação. Na imagem, a catarinense que ficou famosa após leiloar a virgindade na internet aparece sentada em uma cama, com as pernas cruzasegue enganar Roberta. Charlô manda Nando ficar com Roberta. Manoela e Ciça são levadas para o hospital. Juliana passa mal ao saber do acidente. A vida de Manoela corre risco, e Fábio se preocupa. Juliana pensa em ir para o hospital encontrar Fábio. Carolina tenta disfarçar a satisfação com o acidente de Manoela. Charlô pergunta a Fábio como Manoela descobriu sobre seu caso com Juliana. Felipe proíbe Juliana de ir até o hospital. Terça-feira Carolina se defende das acusações de Charlô e deixa a empresária mais intrigada. Felipe discute com Fábio, e Ciça ouve a briga. Juliana conversa com Analu. Roberta convence Nando a ir ao jantar com ela. Analú incentiva Juliana a visitar Ciça. Roberta explica como Nando deve se portar no jantar. Felipe expulsa Vânia de sua casa. Carolina destrata Frô e Zenon. Ciça se desespera quando Juliana entra em seu quarto no hospital. Charlô e Otávio se preocupam com Felipe. Nieta e Lucilene acreditam que o homem descrito por Nenê seja Otávio. Juliana suspeita que Nando tenha contado seu caso com Fábio para Manoela. Quarta-feira Fábio não aceita a decisão de Juliana, e os dois discutem. Felipe dá razão a Vânia e se entristece. Lucilene tenta expulsar Nenê da diretoria. Otávio se recusa a cancelar o contrato com a Positano e discute com Charlô. Lucilene fica surpresa com o comportamento de Carolina. Nando conversa animado com Adelino, e Roberta se encanta. Charlô consola Juliana. Quinta-feira Nenê ameaça Otávio. Carolina destrata Zenon. Nando se sente humilhado por Kiko. Lucilene se

das, e segurando um coelhinho de pelúcia. Na semana passada, a publicação publicou um laudo médico que atestou a virgindade de Ingrid (nome verdadeiro de Catarina). Antes de posar para seu ensaio nu, a catarinense fez fotos para divulgar o documentário Virgin’s Wanted. declara para Ulisses, e os dois se beijam. Carolina pensa em procurar Felipe. Otávio obriga Veruska a se insinuar para Nenê. Kiko ouve Charlô falar sobre sua aposta com Otávio. Carolina aparece no lago onde Felipe está. Juliana e Vânia se preocupam com Felipe. Manoela se despede de Fábio e Ciça. Carolina mente para conquistar a solidariedade de Felipe. Zenon pensa em chantagear Carolina. Felipe avisa que conversará com Juliana. Otávio escolhe o pior cavalo da cocheira. Sexta-feira Charlô não se conforma de ter perdido a corrida para Otávio. Analú ameaça contar para a avó sobre a armação de Kiko. Roberta aconselha Felipe a conversar com Juliana. Nando vai ao sítio levar mantimentos para Juliana. Isadora recebe suas malas de volta e é rude com Ulisses. Analú conta que Kiko dopou o cavalo de Otávio. Juliana acusa Nando de ter revelado seu caso com Fábio para Manoela. Otávio se vangloria por ter conseguido enganar Charlô. Nando se declara para Juliana e a beija. Charlô convence Roberta a conversar com Nando. Ronaldo tenta ser gentil com Isadora. Ulisses fala para Lucilene que não quer ficar com ela, e Frô a consola. Sábado Juliana pede para Felipe ouvir o que ela tem a dizer sobre Fábio. Otávio e Giocondo acertam os detalhes do plano contra Roberta. Dino flagra Nenê beijando Veruska, e acaba descobrindo que a secretária esconde um segredo. Nieta provoca Roberta. Giocondo teme ser reconhecido por Felipe. Juliana pensa em Nando. Zenon ameaça Carolina. Charlô comemora a harmonia entre Felipe e Juliana. Felipe resolve presentear Roberta. Carolina afirma

Terça-feira Morena e Jéssica veem dois homens suspeitos. Jéssica se sente mal e todos se preocupam. Lucimar estranha o comportamento da filha. Wanda leva Jéssica para o quarto de Lívia. Os moradores estranham que Morena não tenha voltado com Lucimar. Morena cuida de Jéssica. Pepeu não gosta quando Drika reserva o dinheiro para pagar Salete. Nunes vê Wanda com Morena e Jéssica. Théo e Érica se beijam. Sheila reclama do jeito como Morena a trata. Théo pede para reatar com Érica. Celso recebe o comunicado da ação de Antonia e fica furioso. Helô questiona Berna sobre a doação para Lívia. Farid não deixa Tamar dar comida para a nora. Quarta-feira Lucimar acha estranho o comportamento da filha. Morena chora ao saber do inquérito a que terá de responder. Helô comenta com Stenio sobre a doação que Mustafa fez a Lívia. Isaurinha avisa a Celso que Antonia foi embora de casa com Raíssa. Morena não reage às provocações de Vanúbia. Morena e Jéssica seguem Russo. Ayla fala para Sarila que um joalheiro do Grand Bazar está interessado nela. Bianca pede a Zyah para ir ao Brasil com ela. Morena acredita que Nunes faz parte da quadrilha de Wanda. Théo e Érica voltam a namorar.

11

Quinta-feira Jéssica esclarece o questionamento de Jô, que continua desconfiada. Morena pensa em contar para Helô que foi traficada. Antonia leva Raíssa para o quarto de Lívia. Morena presta depoimento a Helô. A delegada desconfia de Lívia no caso da câmera escondida. Celso briga com Carlos. Morena e Jéssica marcam um encontro na casa de Helô. Russo se insinua para Lucimar. Berna fica nervosa por Mustafa querer esclarecer a adoção de Aisha. Pescoço se desespera com a chegada de Jô à casa de Delzuite. Lucimar gosta das investidas de Russo. Lívia recebe uma intimação para comparecer à delegacia. Sexta-feira Russo acompanha Lucimar à casa de Helô e intimida Morena e Jéssica. Morena pensa em entregar o bilhete de Waleska. Lívia fala para Wanda que precisa tirar Helô de seu caminho. Arturo e Isaurinha imploram que Celso não faça escândalo com Antonia. Sidney filma a discussão entre o casal. Barros e Jô suspeitam que Pescoço esteja envolvido no sumiço da filha de Delzuite. Théo vê Morena entrar em uma boate e fica abalado. Rosângela grava uma conversa de Waleska sobre Morena e Jéssica. Deborah avisa a Celso sobre o vídeo divulgado na internet com a briga entre ele e Antonia. Morena pensa em contar tudo para Lucimar e afastála de Russo. Demir leva Zyah à loja do pretendente de Ayla. Sábado Morena enfrenta Russo na frente de Lucimar. Pescoço é chamado para ir à delegacia. Helô fica intrigada com Lívia. Nunes pede Wanda em casamento. Carlos confessa a Leonor sua paixão por Antonia. Farid implica com Bianca. Ayla pede para Sarila acompanhá-la quando for conhecer seu pretendente. Barros fala para Helô que viu Morena e Jéssica em uma boate. Théo comenta com Ciro que acredita ter visto Morena na rua. Áurea insiste que o filho fique noivo de Érica.

CINE DO VALE DO AÇO

DETONA RALPH (DUBLADO) (3D) Sala 2 - Diariamente: 14h20 - 16h40 - 19h00 - 21h20 DE PERNAS PRO AR 2 (NACIONAL) Sala 1 - Diariamente: 15h00 - 17h10 - 19h20 - 21h30 A SAGA CREPÚSCULO: AMANHECER - PARTE 2 (DUBLADO) Sala 3 - Diariamente: 19h10 - 21h40 O HOBBIT - UMA JORNADA INESPERADA (DUBLADO) Sala 3 - Diariamente: 15h50


12

ESPORTES

Diário Popular

Domingo, 6 de janeiro de 2013

RETOMADA

Cruzeiro inicia pré-temporada na 2ª Vipcomm

BH - O início da pré-temporada deste ano do Cruzeiro Esporte Clube acontece na manhã de segundafeira, na Toca da Raposa II. Os atletas se apresentam à nova comissão técnica, comandada pelo treinador Marcelo Oliveira, para o início das atividades, que, na segunda-feira, acontecerão em dois períodos. Pela manhã, a imprensa estará liberada para fazer seus trabalhos no centro de treinamentos do futebol profissional do Cruzeiro a partir de 10h. Na parte da tarde, o horário de entrada dos órgãos de imprensa será a partir de 16h30. SAÍDAS A diretoria do Cruzeiro Esporte Clube divulgou, no início da tarde deste sábado, as saídas do zagueiro Mateus e do volante colombiano Diego Arias do atual elenco do time cinco estrelas. A Raposa definiu todos os detalhes para a transferência de Mateus para o Sport. Já o colombiano Arias acertou, de maneira amigá-

LUTO

da Raposa acertou os empréstimos dos quatro atletas com o Criciúma, pelo período de um ano.

Com o time alterado por entradas e saídas de jogadores, o Cruzeiro inicia os treinamento a partir das 10:00h

vel, a rescisão contratual e não é mais jogador do Cruzeiro. “O Diego Arias nos procurou dizendo que tem proposta de um outro clube e, em comum acorArquivo CAM

do, liberamos o jogador. O Cruzeiro agradece os trabalhos prestados pelo atleta, que vai seguir o caminho dele”, afirmou o diretor de futebol celeste Alexandre Mattos.

O volante Amaral, os laterais Gilson e Diego Renan e o atacante Fabinho também não farão parte do time do Cruzeiro Esporte Clube na atual temporada. A diretoria

EMPRÉSTIMO A diretoria também acertou, neste sábado, o empréstimo do atacante Wellington Paulista ao West Ham United, da Inglaterra, uma das equipes mais tradicionais de Londres. De acordo com o diretor de futebol, Alexandre Mattos, está tudo acertado entre os dois clubes e o atleta embarca domingo à noite para a Inglaterra para realizar os exames médicos e assinar o contrato com a equipe londrina. “O Cruzeiro agradece muito ao Wellington, que é um grande profissional. Sempre honrou e gosta muito do Cruzeiro, como o Cruzeiro também gosta dele. Ele deixa as portas do Clube abertas”, comentou Mattos. Wellington Paulista disputou nada menos que 160 jogos pelo Cruzeiro e marcou 75 gols.

FÓRMULA 1

Ferrari prepara ajustes em carro para pôr fim ao domínio da RBR Reuters

Mazurkiewicz disputou as Copas do Mundo de 1966 e 1970 pela Seleção Uruguaia

Clube lamenta morte do ídolo Mazurkiewicz O Atlético lamenta o passamento de um dos grandes ídolos de sua história, o goleiro uruguaio Ladislao Mazurkiewicz Iglesias. O arqueiro vestiu a camisa alvinegra de 1972 a 1974. Mazurkiewicz nasceu em 14 de fevereiro de 1945, em Piriápolis, no Uruguai, e morreu na

madrugada desta quartafeira, em Montevidéu. Ele disputou as Copas do Mundo de 1966 e 1970 pela Seleção Uruguaia. Durante sua carreira, também defendeu Peñarol, do Uruguai, o Granada, da Espanha, o América de Cáli, da Colômbia, e o Cobreloa, do Chile.

As equipes que vão disputar o próximo campeonato de F-1 correm contra o tempo para concluir os novos carros. A Ferrari se concentra nos últimos ajustes do projeto conhecido pelo código 664, que será finalizado antes do início da maratona de testes da pré-temporada, a partir do dia 5 de fevereiro. Em Maranello, o sucessor do F2012 já entrou na reta final de desenvolvimento e passa por testes aerodinâmicos para encarar as primeiras voltas em Jerez de la Frontera. MISSÃO O modelo, que deverá se chamar F2013, foi projetado com a missão de encerrar o ciclo de hegemonia da RBR, detentora dos títulos de construtores e pilotos das últimas três temporadas. O principal objetivo é evitar os erros do ano passado, quando o carro não começou bem o campeonato e

Fernando Alonso enfrentou problemas com o F2012 na última temporada

tomava quase 1s5 de RBR e McLaren nas primeiras corridas. Apesar disso, o monoposto que será guiado por Fernando Alonso e Felipe Massa manterá a mecânica e o esquema básico de suspensão e chassi de seu antecessor. Aposta de risco do diretor técnico da escuderia, Pat Fry, a suspensão dianteira do tipo ‘pull rod’, que reduz o peso do veículo e garante menor arrasto aerodinâmico, continua presente na Ferrari. O sistema, bastante popular nos modelos dos

anos 1980, não era utilizado na categoria desde 2001, mas acabou caindo no gosto da equipe de Maranello. A precisão da direção em pista molhada ficou tão evidente no ano passado que há rumores de que McLaren e Mercedes também vão aderir ao conjunto. CÂMBIO Entre as novidades que estão sendo preparadas pelo time de projetistas da Ferrari, o destaque vai para a caixa de câmbio, mais compacta que a do F2012. Apesar

das dimensões reduzidas, a nova transmissão deve manter a eficiência do conjunto mecânico. A imprensa italiana também cogita uma nova versão do sistema de duplo DRS, que atua nos dois lados do aerofólio traseiro para proporcionar ganhos em termos de velocidade máxima. Enquanto o chefe da equipe, Stefano Domenicali, ressalta que o drama vivido no início da temporada passada não vai se repetir, a Ferrari poderá se beneficiar do desgaste da RBR na reta final da campanha. Para garantir o tricampeonato de Sebastian Vettel, a escuderia austríaca se concentrou nas melhorias do carro pilotado pelo alemão e atrasou consideravelmente o desenvolvimento de seu novo modelo. As dúvidas começam a ser respondidas no dia 17 de março, quando o GP da Austrália abrirá oficialmente a temporada 2013.

06/01/2013  

06/01/2013

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you