Page 1

Ano 3 - Número 12 R$ 29,90 - Dezembro/2018

VIAJAR

Qualidade de vida para idosos através das viagens

ECONOMIA

Como fugir das dívidas e organizar as finanças para 2019

SER DIFERENTE NORMAL

É

Histórias de superação de crianças diagnosticadas com autismo e síndrome de Down e a importância do tratamento adequado. Páginas 29 a 31.


Editorial

Da fragilidade de uma doença ao amor especial de uma vida inteira. O diagnóstico de que seu filho é uma criança especial vem carregado também de medos, incertezas. Mas também de muita garra e coragem para mudar o conceito de que eles serão dependentes. A Revista Tudo traz nessa edição a história de duas famílias que sabem com propriedade fazer dessa realidade uma bandeira de dedicação e mudança para outros pais. Nas páginas a seguir vamos contar a história de Miguel, que tem síndrome de Down, e dos trigêmeos Melina, Benjamim e Miguel, que foram diagnosticados com autismo. Os pais mostram como as doenças mudaram suas rotinas, os desafios e o mundo colorido que seus filhos especiais trouxeram para eles. Falam também dos pré-conceitos e do que pode ser feito para que eles tenham maior qualidade de vida. E chegada a época mais quente do ano, vamos destacar os cuidados com a pele para todas as idades. Ainda falando de saúde, é também destaque o cuidado com os dentes e as inovações do setor, indispensáveis para ter um sorrido bonito. Para quem está pensando em começar 2019 com o pé direito, a Revista Tudo traz uma reportagem que dá dicas para quem quer fugir das dívidas e como conseguir entrar no Ano Novo com o pé direito no que diz respeito às finanças. E por falar em finanças, nas páginas desta edição, contaremos cases de empreendedores que mudaram suas profissões e investiram como empresários. Você acredita que existe idade limite para se aventurar? Aventureiros das páginas da editoria Viajar, não! Eles contam como é ser mochileiro e seguir para destinos que jamais poderiam estar na terceira idade. Nas páginas a seguir, o retrato de pais que resolveram educar os filhos e resgatar as brincadeiras antigas de modo saudável. Ainda nessa edição, são destaques as dicas para quem mora sozinho e quer deixar seu lar mais aconchegante. Falando de construção civil e decoração, dois projetos de lar demonstram a sofisticação dos moradores do século 21. Na editoria de educação, o desafio de não deixar a tecnologia atrapalhar o processo de aprendizagem. Contamos também histórias de filhos que resolveram seguir a carreira dos pais no meio rural. Boa leitura!

Daiane Fernandes Editora

4


Expediente

Equipe de direção: Cristiano Carrador Lúcio Flávio de Oliveira Tomaz Viana de Albuquerque Editora-chefe: Daiane Fernandes Reportagem: Daiane Fernandes Micheline Zim Relacionamento com o cliente: Giovani Dal-Bó Daniel Pereira Revisão: Lúcio Flávio de Oliveira Foto de capa: Sabrina Corrêa Fotografias Diagramação: UAW! Comunicação & Design Impressão: Coan Gráfica

w w w. d i a r i o d o s u l . c o m . b r Avenida Marcolino Martins Cabral, 1315, 6º piso Praça Shopping - Centro - Tubarão/SC - 88701-105

comercial@diariodosul.com.br | 48. 3631-5024 revistas@diariodosul.com.br | 48. 3631-5011 redacaotudo@gmail.com | 48.3631-5000

6


Ă?ndice

12. Um pouco de tudo 14. Mercado 17. Economia 22. Especial Cidades

8


Índice

26. Entrevista 29. Especial 34. Educação 37. Saúde

9


Índice

42. Ambientes 57. Construção Civil 61. Moda 63. Beleza 66. Cultura 68. Sabores SC 71. Viajar 74. Universo PET

10


11


Um pouco de TUDO

Homenagem a Marielle Franco O Senado argentino realizou sessão especial em homenagem à vereadora carioca Marielle Franco, assassinada a tiros em 14 de março deste ano, junto com seu motorista, Anderson Gomes. O crime ainda não foi esclarecido. A homenagem póstuma foi proposta pelo senador Fernando Solanas, que convidou a viúva da vereadora, a arquiteta Mônica Benício, a participar do evento que também contou com a presença da psicóloga e cofundadora do movimento Mães da Praça de Maio, Nora Cortiñas, entre outras militantes pelos direitos das mulheres e de promoção dos direitos humanos.

Sarampo preocupa saúde Mais de 1,5 mil casos de sarampo foram confirmados no país, segundo dados do Ministério da Saúde. O levantamento, consolidado a partir de informações das secretarias estaduais, ainda apontou que 7.513 situações estão em investigação. O surto da doença afeta dois estados, o Amazonas, com 1.232 casos confirmados; e Roraima, com 301, sendo que 74 ainda estão sendo investigados.

Estado lidera Ideb Santa Catarina manteve a liderança de 2015 em dois dos seis indicadores analisados no Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) em 2017, que engloba rede púbica e privada de ensino. Estudantes catarinenses tiveram melhor desempenho em matemática e português no 9º ano. Porém, o Estado perdeu a liderança no aprendizado de português no 5º ano para São Paulo.

12

Cidades de SC se destacam por sustentabilidade Duas cidades catarinenses atingiram um nível considerado alto de sustentabilidade da limpeza urbana: Braço do Trombudo, no Vale do Itajaí, e Itapiranga, no Oeste, segundo o Sindicato Nacional das Empresas de Limpeza Urbana. O índice está relacionado à política nacional de resíduos sólidos. Desde 2010, todas as cidades do país são obrigadas a dar um destino adequado para o lixo que os moradores produzem. Porém, oito anos depois, poucas foram aquelas que conseguiram.


Um pouco de TUDO

Estudante desenvolve biscoitos de frango A estudante Maria Luiza Pires Dalsasso, do curso de Nutrição da Unisul, está em fase de elaboração do projeto “Desenvolvimento de biscoito à base de frango adicionado de chia e isento de gordura trans”, para o trabalho de conclusão de curso (TCC). O objetivo é desenvolver um biscoito com maior percentagem de proteína de alto valor biológico, fibras e isento de gordura trans.

Alerta para museus O incêndio que destruiu o Museu Nacional, no Rio de Janeiro, na noite de 2 de setembro, ativou o alerta sobre como vai a manutenção dos acervos culturais e históricos em todo o país. No Estado, a Fundação Catarinense de Cultura, responsável por cinco dos principais museus de Santa Catarina, garante que as edificações são seguras. Já o Corpo de Bombeiros alerta para possíveis riscos, principalmente nos prédios com estrutura mais antiga.

13

Alunos criam orquestra com recicláveis Se existe uma parceria que dá certo é a da música com transformação social. Esta íntima relação pode ser vista junto aos alunos da Escola de Ensino Fundamental Fábio Silva, em Tubarão, no Sul do Estado, que tem 180 alunos. Com o mesmo nome do bairro, um dos mais vulneráveis do município, o colégio é palco para a Orquestra Sons & Latas e permite aos estudantes encontrar a partir da música meios para expressar sentimentos capazes de mudar suas vidas. 13


Mercado

AGRONEGÓCIO: DE PAIS PARA FILHOS Jovens se espelham em pais, se profissionalizam e seguem carreira na área rural Carolina Rohling cresceu em meio aos animais da propriedade rural dos pais. Após concluir o ensino médio decidiu que ficaria auxiliando os pais na atividade agropecuária. “Comecei a ajudar bem nova no serviço do campo. Acho que eu tinha nove anos, por aí, e eu sempre gostei, sempre. Não tinha como escolher outra profissão. Talvez tivesse mas eu não iria gostar tanto”, revela Carolina, que hoje está formada técnica em Agronegócio. Ela conta que ouviu falar sobre o curso e se inscreveu para aprimorar os conhecimentos, principalmente na área de gestão de negócios. Para a jovem, as aulas, o contato com as pessoas e a troca de experiências foram ótimas. “Também aprendi muita coisa com os meus colegas que são produtores ou estão ligados ao meio rural. Isso não tem preço”, afirma a jovem do Sul de Santa Catarina. Com relação ao projeto de conclusão de curso, Carolina pretende implementar futuramente na propriedade da família, que é criadora de suínos. “Consiste em um plano de negócios para a comercialização de adubo orgânico, que é o resultado de um arranjo tecnológico no tratamento de dejetos suínos. A intenção é fazer desse plano uma segunda fonte de renda”, prevê a jovem.

Carolina Rohling concluiu o curso Técnico em Agronegócio e continua na propriedade dos pais

Carolina destaca que seguir a carreira dos pais foi uma escolha. “Meus pais sempre me incentivaram a permanecer com eles. Mas me deram espaço para tomar decisões, criar ideias e desenvolvê-las. E foi o que fiz e irei continuar fazendo. Gosto do meu trabalho no campo”, revela a jovem. 14


Mercado

Qualificação para se manter no campo Assim como Carolina, outros 26 jovens buscaram qualificação para se manter no campo. Tudo através do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar/ SC). Eles foram a primeira turma do Curso Técnico em Agronegócio da rede e-Tec em Braço do Norte. O curso, que teve 80% da carga horária a distância e 20% presencial, capacitou os profissionais para desenvolver atividades de gestão do agronegócio em diferentes funções em empresas comerciais, estabelecimentos agroindustriais, assistência técnica e também extensão rural e pesquisa. Diego Bianco Böger, de 28 anos, é um dos formandos. Filho de produtores rurais, encontrou no Curso Técnico o que procurava para aperfeiçoar seus conhecimentos. “Nas disciplinas práticas vivenciamos ainda mais a realidade do agronegócio, visualizando de perto como as coisas funcionam”, observa. O jovem relata que, a partir do curso, passou a visualizar o setor de forma diferente, enxergando novos horizontes e buscando cada vez melhorar mais na atividade. Em seu TCC, Diego teve como foco um protótipo de automação para melhoramento da produção de hidropônicos com arduino. O protótipo efetua a leitura de grandezas do

Diego também desejou ficar perto dos pais e seguir carreira

ambiente de produção de hidropônicos e as disponibiliza para visualização no smartphone. “Como sempre gostei de tecnologias busquei inserir elas no setor do agronegócio, pois os recursos são inúmeros”, realça. Com o término do curso, Diego pretende continuar atuando no agronegócio, empregando conhecimentos que adquiriu em busca de melhores resultados.

Futuro do agro é o foco O Sindicato Rural de Braço do Norte é parceiro na execução do curso. O presidente Edemar Della Giustina participou das bancas dos TCCs e ficou emocionado com o que presenciou. “Me sinto feliz em ver os resultados. O sistema luta pela nossa categoria e traz para Braço do Norte esse curso que é tudo que os produtores precisavam”, fala Edemar. “Com essa formação técnica os profissionais tornam-se aptos a identificar, analisar e buscar melhorias para as principais potencialidades, limitações

e desafios do setor”, diz osuperintendente do Senar/ SC, Gilmar Antônio. Para o presidente do Sistema Faesc/Senar-SC, José Zeferino Pedrozo, o curso também prepara os profissionais para identificar oportunidades e acompanhar planos e estratégias de marketing. “Temos uma agricultura rica e diversificada no território catarinense. Nosso clima é favorável para a produção, a sanidade animal é de excelência e serve de exemplo para o restante do país”, observa.


CDL

HOMENAGENS MARCAM ÚLTIMA ASSEMBLEIA DE 2018 DA CDL TUBARÃO Com entrega de prêmios aos participantes do Recicla CDL na Escola e homenagens aos eleitos pela Amurel na última eleição, a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) promoveu na noite de 26 de novembro a última assembleia de 2018. Com o desenvolvimento da campanha Vote pela Amurel, que envolveu várias entidades de Tubarão num esforço de levar o eleitorado a votar em candidatos da região, foi marcada na assembleia da CDL com homenagens aos eleitos e ao governador eleito, Carlos Moisés da Silva. O presidente da CDL, Harrison Marcon Cachoeira, pontuou a importância da campanha ressaltando que o resultado das urnas foi uma grande vitória do movimen-

Festival de Prêmios dará viagem a Cancún Depois de conhecidos os penúltimos ganhadores do Festival de Prêmios Tubarão, promovido pela CDL, agora é continuar comprando nas lojas participantes e torcer para ser um dos contemplados com o grande prêmio da viagem à Cancún, no México. Serão sorteadas duas viagens para casal, incluindo passagem aérea Porto Alegre/Cancún/ Porto Alegre, com seis noites de hospedagem no Grand Oasis Cancún. A cada R$ 100,00 em compras o consumidor tem direito e um cupom. O sorteio acontece no dia 8 de janeiro e poderá ser acompanhado ao vivo pelo facebook da CDL.

16

to. “Temos muito a comemorar com o êxito de dois eleitos à assembleia legislativa e ao governo do estado com o Carlos Moisés, que em Tubarão morou por muitos anos onde comandou o Corpo de Bombeiros”, disse. O governador eleito, representado no evento pelo presidente estadual do PSL, Lucas Esmeraldino, deixou uma homenagem em vídeo agradecendo o apoio recebido de Tubarão pela sua vitória. Volney Weber (MDB) e Felipe Estevão (PSL) receberam das entidades organizadoras do Vote pela Amurel, uma placa de homenagem. Os dois deputados eleitos reafirmaram seus compromissos em defesa da região e do seu desenvolvimento.


Economia

ESPECIALISTAS ENSINAM AS FORMAS DE FUGIR DAS DÍVIDAS ATÉ O FINAL DO ANO Dica é seguir um passo a passo para ficar tranquilo financeiramente O fim do ano chegou – o que inclui aí também as festas de Natal e Réveillon – e muitos consumidores estão com dívidas e precisam de uma ajuda para sair do vermelho para poder terminar 2018 e começar 2019 com mais sossego. Segundo o diretor-presidente da Fundação de Apoio à Educação, Pesquisa e Extensão da Unisul – Faepesul e contador da Inovatta Contabilidade, Tarcisio dos Santos Júnior, as pessoas devem priorizar o 13º salário para pagamento de dívidas e evitar essa gratificação para novas compras, principalmente de supérfluos e festas. É importante lembrar que a chegada do novo ano traz consigo dívidas como IPTU, material escolar, entre outros. É muito importante iniciar o ano sem dívidas e, na medida do possível, com alguma reserva. “Para quem está com problemas financeiros é interessante confeccionar uma planilha com suas rendas e suas despesas. Desta forma se evita a falsa sensação de sobras em determinado mês, quando na verdade vai faltar no mês seguinte. A planilha ainda pode mostrar se a pessoa não está com gastos maiores do que suas rendas suportam. Neste caso deve-se cortar os gastos, começando, logicamente, pelos supérfluos. Ainda é possível diminuir gastos

fazendo uma readequação nos pacotes de telefonia, internet e TV paga”, exemplifica. O cartão de crédito e o cheque especial são grandes vilões para quem é desorganizado financeiramente. Fugir dessas dívidas e usar o 13º para quita-las é uma ótima opção, sugere o contador. “Quem não conseguir optar por essa alternativa deve pensar em um empréstimo com juros mais baixos junto a um banco, como os empréstimos consignados ou empréstimos pessoais, onde é possível alongar o prazo com a taxa de juros menor”, pontua. Tarcisio ainda diz que quem está com as contas em dia pode contar com o 13º para algum gasto extra, para poupança ou para o lazer. Quem está nesta condição pode se dar como presente uma viagem sonhada, por exemplo. “Para quem quer usar o 13º para liquidar um financiamento ou antecipar parcelas, o site dos bancos ou das financeiras dispõe desta opção, o próprio cliente pode fazer a simulação e gerar o boleto. É possível antecipar parcelas com a redução de juros e em alguns casos, como o financiamento habitacional, da taxa de administração e seguro embutidos nas parcelas”, diz. 17


10

passos para sair das dívidas

Há diferenças entre os tipos de dívidas O Serasa Consumidor explica que como consumidores de crédito, as pessoas sempre terão dívidas. O que isso quer dizer? “Dívidas são prestações, parcelas do empréstimo ou financiamento, aquele carnê, tudo isso são dívidas. A questão é não estar em atraso e não chegar à negativação: essas sim, são dívidas ruins”. Para entender os tipos de dívidas o Serasa Consumidor pontua cada uma delas:

1 Anote tudo 2 Crie metas 3 Organize o orçamento

DÍVIDAS POR PRESTAÇÕES

4 Converse com a família

Está tudo bem, apenas quer dizer que você tem contas parceladas.

5 Corte gastos desnecessários

DÍVIDAS EM ATRASO

6 Busque uma renda extra

Sinal amarelo. Aqui é preciso cuidado, pois se você ficar em atraso por muito tempo acaba sendo negativado. Além de que dívidas em atraso são ruins para a sua relação com o mercado e cálculo da sua pontuação de crédito.

7 Negocie com os credores as dívidas 8 Priorize com maiores juros

DÍVIDAS NEGATIVADAS

9 Pesquise antes de comprar

Sinal vermelho! Você precisa se reorganizar e procurar formas de quitar essa pendência para regularizar seu nome.

10 Faça uma autoavaliação 18


Economia

A CORAJOSA ARTE DE EMPREENDER... E DAR CERTO Empresários se reinventam e mostram que o sucesso vem com o amor e a dedicação Empreendedorismo: capacidade de projetar novos negócios ou de idealizar transformações inovadoras ou arriscadas em companhias ou empresas. Vocação, aptidão ou habilidade de desconstruir, de gerenciar e de desenvolver projetos, atividades ou negócios. Reunião dos conhecimentos e das aptidões relacionadas com essa capacidade. A definição do dicionário encontra justamente empresários que decidiram não entrar na conhecida e tão famigerada zona de conforto e partiram para novos negócios em busca de realização pessoal e profissional. Claro que, para empreender, é preciso antes estudar o mercado, buscar alternativas, analisar prós e contras e, principalmente, encontrar algo que ame fazer e que o deixa feliz.

Segundo o Sebrae, a estruturação de um novo negócio deve compreender a montagem de um plano de negócios que permita o levantamento de gastos que compreendem o funcionamento do negócio, a elaboração de um plano de marketing e operacional consistente e a formação de um plano financeiro. Com pesquisas, estudos e identificação dos principais fatores que compreendem o negócio, será possível aumentar as chances reais de viabilidade do empreendimento. A execução de pesquisas junto a concorrentes, fornecedores e mercado local é um importante passo para o planejamento, que permitirá que sejam levantadas informações sobre onde se deseja atuar, quais as práticas dos concorrentes, os diferenciais entre as organizações e as características do fornecedor.

Da vivência ao desejo de fazer mais De família humilde, orgulhosamente filho de um torneiro mecânico e uma costureira, o empresário Edson Martins Antônio (presidente da Acit – Associação Empresarial de Tubarão) começou a trabalhar ainda adolescente – enquanto fazia o curso técnico em contabilidade -, como ajudante de construção civil. Em 1989, participou de um processo seletivo para a vaga de estagiário de contabilidade e foi escolhido para a vaga, ingressando no corpo da administração da Construtora Mabal, uma empresa da construção civil de Tubarão, no Sul do Estado. Tinha 17 anos de idade. Cursou Administração na Unisul, sendo formado na turma de 1995. No mesmo ano, tornou-se corretor de imóveis e foi convidado a fazer parte da gestão da PHL Administradora de Imóveis, também de Tubarão. Foi nestas duas empresas que despertou nele o espirito empreendedor. “Da experiência, da vivência e do desejo de fazer mais, iniciou-se uma vontade de alçar voos mais altos, de empreender por conta própria, num ramo

pelo qual me apaixonei há muito tempo”, lembra. Em janeiro de 2008, passou a se dedicar exclusivamente à materialização do sonho de empreender. A Athena Construções, empresa em sociedade com Rafael de Souza, seu sócio até hoje, passou a ser o foco das suas ações profissionais. “Com pouco capital, muita dedicação e disciplina, fomos construindo essa empresa. Tivemos apoio de pessoas importantes, que acreditaram no nosso projeto e nos ajudaram a impulsionar o negócio. Com as dificuldades e facilidades que o mercado apresenta, fomos nos adaptando dia a dia”, destaca. Atualmente são mais de 100 colaboradores diretos, com 923 apartamentos entregues, distribuídos em 15 empreendimentos em diversas cidades de Santa Catarina. “E deixo um conselho aos mais jovens: estudem muito, desenvolvam habilidades e trabalhem com responsabilidade”, ensina o empreendedor. EDSON MARTINS ANTÔNIO

Sócio-proprietário da Athena Construções e presidente da Acit - Associação Empresarial de Tubarão

19


Economia

Fazemos nossos próprios horários, o que me proporcionou a retomada de algumas antigas paixões, como surfar e fotografar. LAURA MACEDO

Sócia-proprietária da Pousada Recanto Zen

De professora de ballet a dona de pousada A trajetória profissional de Laura Macedo, sem que ela esperasse, começou a se desenhar aos cinco anos de idade, quando ela começou a estudar ballet clássico, em Porto Alegre (RS). Aos 15, já formada, começou a dar aulas. Quando saiu do Rio Grande do Sul, foi dando aulas de ballet por todas as cidades onde morou. “Cheguei a ter outros trabalhos paralelos, como professora de Inglês infantil, fotógrafa, redatora de jornal, cursei faculdade de Direito, mas o ballet sempre esteve em primeiro lugar”, lembra. Ao chegar em Tubarão, fundou a Cia. de Ballet Laura Macedo, no ano 2000. “Lá, durante 17 anos, formei diversos bailarinos, professores e até bailarinos conceituados em nível mundial. Ganhei vários prêmios e o reconhecimento do meu trabalho de uma vida inteira, porém depois de tantos anos à frente da escola senti que já não tinha mais nada a oferecer ao mundo da dança, e depois de 25 anos de profissão decidi que era chegado o momento de encerrar, de fechar este ciclo e seguir em frente”, conta. Foi quando o antigo sonho de morar na praia começou a tomar forma, tudo meio no impulso, como sempre foi norteada a vida de Laura. “Foi então que

eu e meu marido decidimos largar nossas carreiras na cidade (ele em um conceituado escritório de advocacia onde trabalhava) e fomos em busca de uma vida mais simples, junto à natureza e com o principal: paz e liberdade”, diz. Então surgiu a pousada Recanto Zen Praia do Rosa, um lugar que permite ao casal conciliar o trabalho com uma vida harmônica, menos consumista, mais simples, com hábitos mais saudáveis e até os permitiu integrar alguns hobbys ao trabalho, como a decoração, o paisagismo e até a gastronomia, “quando preparo e sirvo jantares sob encomenda para os hóspedes”, pontua. “Moramos no paraíso, em uma casa que construímos com nossas próprias mãos. O trabalho não é fácil, pois eu e o Thiago fazemos tudo sozinhos, não temos funcionários, mas fazemos com muito gosto, com o maior amor do mundo”, afirma. Agora, Laura ainda concluiu um curso de corretora e avaliadora de imóveis. “Não sei o que vem pela frente, mas acredito que todo mundo tem o poder de ser e viver como quiser. O importante é ser feliz e nunca passar por cima de ninguém, porque tudo nesta vida se resume a colher o que se planta!”, ensina. 20


Especial Cidades

NATAL DOS SONHOS BRINDA CIDADE COM MAGIA O Natal é uma das épocas do ano mais esperada, pelas crianças e pelos adultos. Cheia de encantos e histórias, Orleans brinda a cidade com a magia que rege a época. O Natal dos Sonhos é um dos presentes que a Cidade das Colinas ganha para celebrar o nascimento de Jesus. Com um grande desfile, contando com aproximadamente 300 personagens, todos moradores de Orleans, a festa chega na sua segunda edição ainda melhor e mais grandiosa. De acordo com a secretária de Cultura, Annye Bagio, o Natal dos Sonhos se assemelha ao que ocorre em Gramado. “Contratamos a mesma empresa que realiza o Natal de Gramado, para fazer a melhor decoração para encantar a todos, mas não deixamos de lado a valorização dos produtos locais”, destaca a secretária, reforçando que os materiais utilizados foram comprados no comércio local. “Neste ano, repetimos o sucesso, e ainda melhoramos. A cidade conta com a Vila de Natal, no jardim. Quem não foi em Gramado pode contar com o Natal dos Sonhos de Orleans. É um Natal que fizemos também para a nossa região. Queremos a cada ano melhorar ainda mais e mostrar que Orleans existe e ficou ainda mais linda”, explica o prefeito Jorge Koch, com a expectativa de atrair até o final do ano mais de 10 mil pessoas de fora da cidade por dia de desfile.

22


Eventos e o fomento da economia

Para o prefeito de Orleans, Jorge Koch, o Natal dos Sonhos é também uma maneira de fomentar a economia da cidade.

Na primeira edição, tivemos mais de 10 mil pessoas sem divulgar. Nossa meta é fomentar nossa economia e atrair cada vez mais pessoas de fora. Para que conheçam Orleans. Nossa cidade pode ser um Gramado.” JORGE KOCH

PREFEITO DE ORLEANS

Destaque para educação e avanço no Ideb O forte investimento na educação fez com que Orleans alcance números significativos. A rede de escolas públicas municipais de Orleans recebeu a nota de 6,3 no ensino fundamental pela avaliação do Índice de Desenvolvimento do Ensino Básico (Ideb) referente ao ano de 2017. O município teve destaque ao superar a meta proposta para o ano, que era de 6,1. Para o prefeito Jorge Koch, esse desempenho reflete o

resultado dos investimentos que a administração tem implementado na educação. A implantação do novo Sistema Positivo no município tem como objetivo atualizar a educação de Orleans. “Estamos implantando um sistema que moderniza o ensino, referência em todo o país, utilizado inclusive por escolas particulares. É através da educação que transformaremos nossa cidade”, diz o chefe do Poder Executivo.

23

Cidade em ritmo de obras Além dos eventos, a cidade busca cada vez mais qualidade de vida e infraestrutura para os moradores. Prova disso é o ritmo acelerado de melhorias que Orleans apresenta nos últimos anos. As obras na Secretaria de Infraestrutura seguem a todo vapor em Orleans. Obras aguardadas há muito tempo, como a drenagem no bairro São Jerônimo, prometem resolver de forma definitiva a triste realidade histórica de inundações, lamaçal e alagamentos vivenciados há anos por moradores da comunidade. Ali, grandes problemas se repetiam no período chuvoso de forma sistemática, e com a nova tubulação que está sendo instalada os problemas não serão mais registrados. Além da drenagem, o bairro recebeu a pavimentação da via, acabando com a poeira e o lamaçal. O prefeito Jorge Koch conta que a administração municipal está atuando fortemente para resolver problemas com várias frentes de trabalho. “Temos um planejamento sério para avançarmos ainda mais, para transformar Orleans em uma cidade a cada dia melhor para todos”, pontua o prefeito.


Especial Cidades

Resultado de trabalho Os números do Ideb vieram para animar Orleans, e trouxe forte motivação às pessoas ligadas à educação. O município conta com um dos melhores quadros de profissionais do magistério da região. Com o apoio da administração municipal, foram investidos em materiais e capacitações para os servidores, sempre com foco no aluno. Foi uma conquista para “nossos alunos e para a educação pública de Orleans”, destaca o prefeito Jorge Koch.

105 anos de história voltado para cultura Centenária, Orleans é conhecida por suas belezas e retrato da história. Com belezas exuberantes, como as esculturas do paredão do orleanense Zé Diabo, a Janela Furada, o museu, a universidade, dentre outras tantas atrações que a cidade conta. Exemplo disso, foi o documentário produzido pela Alesc sobre os 105 anos da cidade e apresentada em sessão solene. O prefeito Jorge Koch entende que é preciso levar o nome de Orleans para todo o estado. “Nos-

sas entidades são referência de trabalho voluntário, nossos museus são únicos no Brasil, nossa Academia de letras é das primeiras do estado, nossa serra impressiona, o paredão só existe aqui, nosso comércio é forte. Vamos viver bem esta terra de oportunidades”, diz o prefeito. E neste ano de comemorações, a cidade ainda viveu o Rock’n Camerata. O evento para celebrar os 105 anos levou música, gastronomia, alegria e momentos de emoção para os orleanenses.


Especial Cidades

Curiosidades Por ocasião do casamento de Suas Altezas Imperiais, a Princesa Isabel Cristina Leopoldina Augusta Micaela Gabriela Rafaela Gonzaga de Bragança e o Conde d´Eu, ocorrido em 15 de outubro de 1864, foi determinado pelo Imperador Dom Pedro II e pela Imperatriz Teresa Cristina um dote de terras cuja macro localização foi estabelecida por ato assinado em 17 de outubro de 1870, fixando em 98 léguas a serem escolhidas nos estados de Santa Catarina e Sergipe. Foi formada uma comissão para selecionar e demarcar uma gleba de terras destinada a implantar uma colônia que mais tarde denominou-se Grão-Pará. Essa equipe de engenheiros e agrimensores, após examinar as áreas alternativas na região do Vale do Rio Araranguá e no Vale do Rio Tubarão, opinou por esta última, tendo em vista a descoberta de carvão mineral nas imediações e já existir planos para a construção de uma estrada de ferro margeando o Rio Tubarão.

Aprovada pelos príncipes, a gleba sugerida, iniciaram em 1881 a medição de uma gleba de 12 léguas, que ocupava o espaço entre os rios Tubarão e Braço do Norte, onde hoje se situam os municípios de Orleans, parte de São Ludgero, Grão-Pará, Rio Fortuna, Santa Rosa de Lima, abrangendo ainda parte dos municípios de Anitápolis, Armazém, São Martinho e São Bonifácio. A Colônia Grão-Pará foi criada em 1882, para promover a ocupação das terras com colonos imigrantes e nacionais. Iniciada a distribuição das terras aos imigrantes italianos, alemães, letos e poloneses, desenvolveu-se paralelamente a construção da estrada de ferro para atender principalmente a região carbonífera. A escolha do local e do nome foi então por ocasião da visita de Sua Alteza o Conde d´Eu, numa viagem especial pela Estrada de Ferro, no dia 26 de dezembro 1884, que ele decidiu pela escolha dos engenheiros da empresa, apontando o local abaixo da ponte férrea sobre o Rio Tubarão. A escolha anterior apontava para um local entre os rios Oratório e Laranjeiras, o qual, segundo os engenheiros da empresa, estaria muito sujeito a enchentes. Ao visitar o local, canteiro de obras da estrada de ferro, declarou então o Conde d´Eu: “Aqui nascerá uma cidade com o nome de Orleans”. O nome foi uma homenagem a sua própria família, da nobreza da França. A escolha do nome e de sua localização determinou a tomada de grandes providências, já em 1885, com a abertura de ruas, venda dos primeiros lotes e construção da capela nas imediações da estrada de ferro.

Dados „„

Área: 550 km²

„„

População: 22.785 habitantes

„„

Eleitores: 18.910

„„

IDH-M: 0,755

„„

PIB per capita: R$ 36.777,50

„„

Fundação: 30 de agosto de 1913

*Fontes IBGE, PNUD e TRE/SC

25


Entrevista

FOTO: ASCOM FECOMÉRCIO/DIVULGAÇÃO/REVISTA TUDO

Com 70 anos de história, a Fecomércio SC busca seguir articulando forças. Pelo menos, esse é o propósito do presidente reeleito da entidade, Bruno Breithaupt, que estará no comando pelo terceiro mandato seguido. A entidade lançou recentemente a campanha “O Futuro é o Nosso Presente”, que contará com uma série de ações ao longo do ano. A Fecomércio SC reúne 72 sindicatos dos setores de serviços, habitação, varejo, atacado, turismo, supermercados e comércio farmacêutico em Santa Catarina, que respondem por 63,9% do emprego no Estado e englobam mais de 650 mil empresas. A entidade também é gestora do Sesc e Senac em Santa Catarina, que dispõe de uma rede de instalações e unidades móveis para promover o bem-estar social, desenvolvimento cultural, melhoria da qualidade de vida e qualificação profissional no Estado.

UNIÃO DE FORÇAS PARA SEGUIR CRESCIMENTO 26


Entrevista

Entrevista

TUDO - O sr. foi releeito para um novo mandato de quatro anos. Como o sr. vê esse novo desafio e a confiança depositada? BRUNO - A Federação sempre atuou de forma propositiva nas diferentes esferas do poder público e privado. Neste mandato continuará articulando forças com os setores representados e seus braços sociais (Sesc e Senac) para criar um ambiente de negócios propício à competitividade e eficiência - das empresas e do próprio Estado- e uma sociedade direcionada ao bem-estar social, desenvolvimento humano, qualidade de vida e qualificação profissional. Hoje a Fecomércio SC reúne 72 sindicatos dos setores de serviços, habitação, varejo, atacado, turismo, supermercados e comércio farmacêutico em Santa Catarina, que respondem por 63,9% do emprego no Estado e englobam mais de 650 mil empresas.

China, Taiwan, Coréia do Sul, Nova York e Panamá. Destaque ainda para a inovação no acompanhamento dos projetos de lei do setor, com o lançamento do aplicativo da Agenda Legislativa Fecomércio SC. O modelo de gestão implementado pelo Sistema Fecomércio SC Sesc/ Senac nas duas últimas gestões primou pela excelência, inovação, empreendedorismo e educação. O Sesc e o Senac têm um papel social fundamental na qualificação dos profissionais e na qualidade de vida dos trabalhadores do setor terciário em todo o país. O foco de 2010 a 2018 foi a capilarização dos serviços, de modo que os catarinenses pudessem ser atendidos de Norte a Sul. Atualmente, a infraestrutura de atendimento inclui 52 unidades fixas e móveis do Sesc e 29 unidades operativas do Senac. São 396.766 mil trabalhadores atendidos no Sesc, 7.320 matriculados na Educação Básica e de Jovens e Adultos e cerca de três toneladas de alimentos resgatados no programa Mesa Brasil. O Senac oferta mais de 400 cursos e somou 51 mil matrículas em educação profissional em 2017.

TUDO - Quais são os novos projetos para este mandato? BRUNO - A expectativa para os próximos anos é otimista, mas entendemos que os desafios são imensos. É necessário ajudar a reconstruir o Brasil para recolocá-lo na rota do crescimento. Para isso, o fundamental é implementar um novo projeto de desenvolvimento focado nos investimentos de maneira que a renda e o consumo possam crescer de maneira sustentada. Aqui em Santa Catarina temos um panorama diferente por conta da diversificação econômica e distribuição de renda mais equitativa, mas ainda precisamos melhorar o ambiente de negócio. A Fecomércio trabalha pelo fortalecimento e sustentabilidade financeira dos sindicatos patronais. Fazemos isso principalmente por meio do acompanhamento legislativo constante, no apoio às negociações salariais dos filiados, com posicionamentos em diversos temas econômicos e sociais, etc. O setor terciário responde por 52,9% da arrecadação do ICMS para o estado e emprega 1,4 milhão de trabalhadores formais. Então, a responsabilidade da entidade é imensa. Inicio esta nova gestão certo de que ainda temos muito a construir com os empresários, poder público e sociedade civil.

TUDO - A Fecomércio tem 70 anos de história consolidados. A que se atribui esse crescimento e força da entidade? BRUNO - Desde 1948 a Fecomércio SC tem sólida atuação com o setor terciário, estimulando direta ou indiretamente o desenvolvimento da economia catarinense. Com o Sesc e Senac contribuímos para que SC se consolidasse nos indicadores econômicos e sociais, destacando-se na educação, capacitação profissional, saúde, lazer, cultura e assistência em todos os recantos do Estado. TUDO - Sobre as bandeira levantadas pela entidade, quais o senhor destaca como mais importantes? BRUNO - A reforma tributária é uma das principais bandeiras da Federação. Precisamos de uma mudança que reduza e simplifique os impostos pagos no país. Não é mais possível pagar quase 40% do PIB só de carga tributária, enquanto nos demais países semelhantes ao Brasil a carga tributária não passa de 30% do PIB. O aumento de impostos vai na contramão da competitividade. A Reforma da Previdência também é essencial, pois a realidade demográfica do país, com a população cada vez mais envelhecida, não comporta um sistema sem idade mínima. A reforma contribuirá ainda para reduzir os juros altíssimos do Brasil, já que irá diminuir o déficit público, provocando uma maior elevação dos investimentos no país.

TUDO - Que iniciativas que mais mudaram Santa Catarina o sr. destaca nestes oito anos à frente da entidade? BRUNO - As duas primeiras gestões foram marcadas por articulação política e legislativa, avanços nas negociações coletivas e projetos de interesse do setor terciário. Também foram promovidas missões empresariais para 27


Entrevista

Educação

TUDO - Sobre a reforma trabalhista, como a entidade tem lidado com o assunto? BRUNO - O novo panorama sindical exige amadurecimento e reestruturação da atividade após a Reforma Trabalhista, demandando assim gestão transparente e profissional, com entidades sindicais cada vez mais alinhadas aos anseios da base representada. Se por um lado a reforma trabalhista pôs fim à contribuição sindical obrigatória, por outro também nos trouxe oportunidades: com a prevalência do negociado sobre o legislado, o sindicato patronal conquistou protagonismo na legítima defesa da categoria.

o mesmo período do ano anterior, além de manter o desemprego em níveis moderados e com a menor taxa do país (6,5%). A Fecomércio SC tem um papel importante em garantir esse status em Santa Catarina, já que sua atuação é sempre voltada para a melhora do ambiente de negócios do Estado, seja a partir da desburocratização dos procedimentos ou da redução dos custos das empresas, principalmente em matéria tributária, onde somos contrários a qualquer aumento de impostos. Sendo assim, o empresário se sente mais estimulado a buscar novos investimentos e a gerar empregos. TUDO - Em sua avaliação, o que Santa Catarina e os setores que alavancam o comércio e afins ainda precisam para deixar o Estado mais forte economicamente?

TUDO - Santa Catarina sofreu com a greve dos caminhoneiros, e o comércio foi um dos mais afetados. Como estão as estratégias para buscar ânimo para o setor novamente? BRUNO - A paralisação dos caminhoneiros teve impactos profundos no volume de vendas e na receita do comércio em Santa Catarina. De acordo com uma sondagem feita pela Fecomércio SC, ela afetou quase 80% dos empresários no Estado, com desabastecimento de mercadorias ou insumos ou pela falta de clientes. O impacto financeiro foi de cerca de R$ 350 milhões para o setor de comércio, serviços e turismo em Santa Catarina. Mas acreditamos que o DNA empreendedor do catarinense está sendo estratégico para o setor recuperar o fôlego. Os empresários precisaram restabelecer os estoques e manter preços atrativos para atrair novamente o consumidor para as lojas. Os dados de volume de vendas e de abertura de lojas do primeiro semestre de 2018, ambos com destaque nacional, dão sinais de que a retomada está em curso.

BRUNO - Precisamos aproximar nossa economia das mais recentes inovações tecnológicas que vêm ocorrendo no exterior. As economias só se manterão competitivas no futuro, e em consequência crescendo e gerando bem-estar a sua população, se atualizarem sua matriz tecnológica. Por isso, é muito importante que Santa Catarina desenvolva cada vez mais a vertente empreendedora e inovadora, alinhada aos novos paradigmas tecnológicos internacionais, como os conceitos de Cidades Inteligentes, internet das coisas, análise de big data e nanoprocessadores. TUDO - Nosso Estado é conhecido por suas belezas naturais. Como a entidade analisa o turismo no Estado e de que forma tem atuado para divulgar e apoiar este setor? BRUNO - Temos uma agenda clara para o desenvolvimento do turismo em Santa Catarina, que passa invariavelmente pela regionalização do setor para todo o estado e pela dessazonalização. Atualmente, o turismo se concentra muito no litoral e no verão. No futuro todo o estado deve receber visitantes. Para isso é importante divulgar e qualificar nossas regiões turísticas, de modo que elas sejam atrativas a novos investimentos e, assim, tornem-se aptas a receberem mais e mais visitantes. Para os destinos já consolidados, melhoria na infraestrutura, no planejamento turístico e na diversificação de atrações são necessárias. É nesse sentido que estamos trabalhando, sem esquecermos da qualificação de nossa mão de obra a partir de diversos cursos voltado para a área de turismo, ofertados pelo Senac.

TUDO - O Estado é um dos que mais emprega e busca sempre se reinventar em todos os setores. Qual o papel da entidade neste diferencial? BRUNO - As condições de empregabilidade no Estado são melhores porque a forte diversificação econômica permite mobilidade do emprego entre os setores e regiões. Santa Catarina criou mais de 32 mil vagas de emprego de janeiro a julho, 50% a mais que 28


Especial

SER DIFERENTE É NORMAL Mães mostram o dia a dia dos filhos especiais e profissionais falam dos desafios de buscar qualidade de vida para os pequenos Lenine, na letra da música “Ser diferente é normal”, destaca: “Todo mundo tem seu jeito singular. De ser feliz, de viver e enxergar. Se os olhos são maiores ou são orientais E daí, que diferença faz?”. E mais adiante o cantor ainda destaca: “Tá na hora de ir em frente: Ser diferente é normal!”. A canção se faz pertinente para o tema desta reportagem especial. Segundo o IBGE, 45,6 milhões de pessoas declararam ter pelo menos um tipo de deficiência, seja do tipo visual, auditiva, motora ou mental/intelectual. Entre os especiais que vamos destacar estão a história do pequeno Miguel, de dois anos. Quem narra sua trajetória de superação é sua mãe, Daniela Bez Pinter Fernandes, de 37 anos. encantada pelo filho, Daniela conta que engravidou com 34 anos. “Meu filho foi muito desejado.

Até que no nascimento do Miguel descobrimos que ele tinha Síndrome de Down”, revela a mãe. “Confesso que na hora que soube foi um susto e chorei, me vieram muitos medos na cabeça. Hoje ele é meu maior amor, independente do que ele tenha. Com o passar do tempo, fui pesquisando sobre o que fazer pra vida dele ser melhor”, fala Daniela e conta que atualmente tenta levar a vida o mais normal possível junto do filho. Os olhares curiosos para o menino de olhos puxados não incomodam a mãe. “Miguel e nós ainda não passamos por nenhum tipo de preconceito. Ele cativa as pessoas. Mas sei que uma hora ou outra vamos ter que lidar com situações preconceituosas, sim. Contudo, temos a cabeça bem aberta e espero que saibamos lidar com a situação”, diz a mãe.

29


Especial

Os desafios de ser mãe de um ‘especial’ SABRINA CORRÊA/DIVULGAÇÃO/REVISTA TUDO

Com os dois anos de vida do Miguel, Daniela conta que ainda não consegue mensurar que desafios terão ao longo da vida do filho. “O Miguel é novinho e ainda vai passar por muita coisa que as outras mamães contam, como escolas e atividades inclusivas. Por enquanto Miguel só frequenta as terapias da Apae, e lá nos tratam com muito carinho e atenção. Eu percebo o carinho que as professoras têm por ele, estão sempre interessadas em tudo e nos dão dicas do que melhorar e fazer em casa. Sobre ser mãe de uma criança especial, Daniela é enfática. “Não me considero uma pessoa mais especial que ninguém, jamais. Mas acredito que, de alguma forma, Deus acreditou em mim quando me mandou um anjo especial. Um ser tão iluminado pra que eu pudesse cuidar, amar e proteger. Ele confiou que sou capaz de lutar pra conseguir o que for necessário para a vida do meu filho junto do meu marido, que também tem um amor imenso por ele. O nosso Miguel tem um amor que faz jus ao cromossomo a mais que tem”, completa a mãe. “Para outras famílias eu digo que no início tudo parece ser muito maior do que realmente é. Achamos que não vamos dar conta. Mas já nascemos capacitados e tudo vai ficando bem mais leve depois que a gente aprende como realmente funciona”, diz Daniela. 30


Especial

Laudo de autismo de trigêmeos transforma família O casal Manoela Crescêncio Pereira e Tiago João Pereira é quem conta a próxima história de superação. Aos três meses de gestação, eles descobriram que seriam pais de trigêmeos. Melina, Miguel e Benjamim completaram em novembro três anos. E nesse ano eles descobriram que eram pais de ‘crianças mais que especiais’. Os irmãos foram diagnosticados com autismo. “Tudo para nós já costumava

ser diferente dos demais amigos que foram pais na mesma época, mas por volta de junho de 2016 reparamos que algumas diferenças se acentuavam quanto ao desenvolvimento deles”, conta Manoela. Mas foi na escola que o diagnóstico se confirmou. “Foi difícil aceitar no começo. Passei pela fase de negação, mas começamos a observar em casa o comportamento”, detalha a mãe.

Investigação e diagnóstico O caminho de investigação levou alguns meses. Uma avaliação de um pediatra renomado, duas avaliações de neuropediatras diferentes, avaliação de fonoaudióloga e da equipe multidisciplinar na Apae. “Mesmo antes de ter o diagnóstico iniciamos a intervenção com a fonoaudióloga duas vezes por semana antes de completarem dois anos, e em 2018 começamos a intervenção com a equipe multidisciplinar. Nossa rotina se altera constantemente em prol de oferecer o melhor pra eles”, explica a mãe.

As mudanças na rotina e o ‘nascimento de um sonho’ Manoela conta que 2018 foi um ano diferenciado. “Nesse ano tenho tido uma rotina intensiva de estudos com o objetivo de oferecer intervenções mais intensivas em Análise Aplicada do Comportamento. E junto com esse desejo veio o sonho de ajudar outras mães”, diz.

A mãe dos trigêmeos completa que autistas são afetuosos, diferente do que muitos pensam sobre eles. “Mas, demonstram seu amor de jeitos diferentes. Começo uma luta não só por eles, mas pelas outras famílias. Assim nasce a AMA-SUL, que será a Associação de amigos do autista”, conta a mãe. 31

Especialista destaca para tratamento adequado Para Ana Paula de Sousa Costa Duarte, que atua como professora na Fundação Catarinense de Educação Especial (FCEE) de Núcleo de Atividades de Altas Habilidades/Superdotação (NAAHS), muitas escolas com professores desqualificados na área ainda é um problema. A professora destaca que, desde que a criança apresente um diagnóstico que mostre que a mesma tenha uma limitação intelectual, física ou até mesmo altas habilidades, ela é público da Educação Especial. “Por isso, acho que os pais podem incentivar a inclusão”, orienta a professora.

Diagnóstico do autismo e síndrome de Down O autismo se instala nos três primeiros anos de vida, quando os neurônios que coordenam a comunicação e os relacionamentos sociais deixam de formar as conexões necessárias. Embora o transtorno seja incurável, quando demora para ser reconhecido, esses neurônios não são estimulados na hora certa e a criança perde a chance de aprender. Já a Síndrome de Down é descoberta ainda na gestação. As ultrassonografias realizadas durante o pré-natal podem apontar para a possibilidade de que o bebê nasça com síndrome de Down ou outras ocorrências genéticas.


Saneamento

OBRAS DE SANEAMENTO BÁSICO movimentam a economia em Tubarão e região

Coleta e tratamento de esgoto refletem em saúde e qualidade de vida, melhores condições de moradia, desenvolvimento para as cidades e cuidado com o meio ambiente. Um exemplo substancial inserido na realidade do tubaronense é o das obras executadas pela Tubarão Saneamento, para a implantação do sistema de coleta e tratamento de esgoto, com investimento de quase R$ 60 milhões. Este montante contempla a primeira etapa das obras, que serão entregues em maio de 2019, quando o sistema entrará em operação nos bairros Centro, Vila Moema e Recife, atendendo mais

Para facilitar o acesso à informação, a Tubarão Saneamento disponibiliza um canal de comunicação 24 horas, pelos telefones:

de 5 mil famílias com a prestação dos serviços. O investimento realizado pela Tubarão Saneamento tem movimentado a economia da Cidade e da região. Prova disso é a compra dos insumos como areia, brita, cimento, materiais hidráulicos, elétricos entre outros, que são adquiridos no comércio local, valorizando as empresas do município. O setor imobiliário, alimentício, vestuário e de entretenimento também tem sido beneficiado por conta da geração de empregos. Antes de anunciar essas obras, a Concessionária atuava com cerca de 70 colaboradores diretos. Hoje este número já ul-

0800 648 9596 (48) 3052-7400 (48) 99168-5827 WhatsApp (horário comercial)

32

trapassa 110. Considerando os colaboradores indiretos (serviços terceirizados), são mais de 350 cidadãos empregados. Alguns deles passaram a morar em Tubarão, com suas famílias. Conforme a diretoria da Concessionária, mesmo com tantos benefícios entende-se que esta é uma obra que tem provocado transtornos, mas que serão passageiros e necessários. “Sabemos que o saneamento traz qualidade de vida, um futuro melhor para o meio ambiente, assim como geração de trabalho, evolução do turismo, melhora na escolaridade e muito mais”, explica.

O andamento das obras também pode ser acompanhado pelo site: tubaraosaneamento.com.br/obras


Educação

A TECNOLOGIA NO PROCESSO DE APRENDIZAGEM DOS JOVENS Especialista explica como lidar com estas situações cada vez mais comuns

Atualmente se vive uma situação antagônica em relação às tecnologias. Se de um lado há essa ferramenta para pesquisas escolares, jogos pedagógicos e muito material para ampliação de conhecimentos, por outro existe a alienação social e um vasto conteúdo com informações muitas vezes duvidosas e sem critérios. A década de 90 foi a era dos games e da internet, que a princípio seriam tecnologias para multiplicar informações e ampliar o ciclo de amizades de crianças e adolescentes, mas acabou por deixá-los muitas vezes desconectados do mundo real. Hoje as brincadeiras tradicionais, como amarelinha, esconde-esconde, pega-pega, estão cada vez mais raras. A bola, a bicicleta, já não são os brinquedos favoritos da época atual, visto que a tecnologia é a referência do trabalho, lazer e conhecimento. “Nossas crianças nasceram num período em que a tecnologia é o alicerce que mantém as relações sociais. Por consequência torna-se uma tarefa impossível viver sem ela, pois as crianças antes mesmo de serem alfabetizadas aprendem a utilizar os aparelhos eletrônicos de forma aleatória, sem nenhum

objetivo pedagógico. Essa condição vai provocar futuramente na escola dificuldades no processo de aprendizagem”, avalia a psicopedagoga e orientadora educacional Adriana de Medeiros Fernandes. Nas brincadeiras tradicionais caracterizadas pela criatividade, a criança trabalharia coordenação motora e reflexos através do contato físico direto. Esse avanço tecnológico também dificulta o desenvolvimento das experiências sinestésicas (audição, visão, paladar, olfato, tato) decorrentes da relação da criança com o mundo real. “A dependência dos games online tornou-se tão preocupante que já é mencionado na quinta edição do Manual Estatístico e Diagnóstico dos Transtornos Mentais, espécie de cartilha da psiquiatria. A “dependência de internet” está a um passo de se tornar a mais nova classificação psiquiátrica do século 21. Muitos pais não têm noção de que a dependência virtual é um problema. Se a criança ou o jovem começa a ficar isolado ou apático, tem queda no rendimento escolar ou muda repentinamente de humor, é melhor ‘ligar o botão de alerta!”, recomenda Adriana. 34


Educação

O efeito ‘luz azul’ no cérebro dos mais jovens

A frustração

Conforme explicação dos cientistas das universidades de Harvard (EUA), Oxford, Cambridge e Manchester (Reino Unido), o efeito da luz azul (blue light), emitida de forma quase imperceptível pela maioria dos aparelhos de tela, impede o usuário de desligar os equipamentos, por consequência, as novas gerações estão dormindo duas horas a menos em média, comparado à década de 60. “O cérebro obedece a um ciclo de sono de três horas depois que escurece, por volta das 21h30, e se desliga mais profundamente depois da meia-noite. Quem dorme após as 23h está mais exposto ao vício, tem insônia e não dá tempo ao cérebro para se reciclar”, explica o psiquiatra José Belisário Filho, que tem vários pacientes adolescentes que conversam com os colegas pelo aplicativo WhatsApp até as 4h da madrugada. Crianças e adolescentes deveriam se deitar por volta das 21h30, três horas depois que escurece. Mas voltando à questão da aprendizagem, pode-se dizer que, sem sombra de dúvida, o uso indiscriminado das tecnologias está substituindo silenciosamente os hábitos tradicionais que envolvem a interação física com as pessoas e o meio ambiente. Segundo a psicopedagoga Adriana Medeiros Fernandes, “com isso o costume de abreviar termos específicos impedem as crianças de obedecerem às normas cultas da língua portuguesa, impossibilitando-as de escreverem corretamente”, pontua.

A dependência tecnológica também causa frustração entre as crianças, uma vez que a necessidade de adquirir múltiplas informações causa intolerância à ansiedade, já que esses dispositivos eletrônicos estão disponíveis 24 horas por dia. “Além disso temos cada vez mais uma geração apresentando déficit de atenção. Um dos motivos, é que estão adquirindo o costume de ler na tela dos tablets e smartphones. O problema é que o padrão de atenção exigido para decodificar e absorver as informações virtualmente é mais disperso, o que leva a sentirem maior dificuldade de ativar outras funções mentais”, explica a psicopedagoga. Frente a tantos argumentos diante do uso exagerado e indiscriminado das tecnologias digitais, poderíamos citar aqui, além da diminuição das horas de sono, a questão das doenças causadas pelo sedentarismo, como a obesidade. Também o isolamento social, que acaba provocando as doenças psicológicas. O jovem ou a criança acaba deixando de sair de casa e desenvolver relações reais.

Para se ter uma ideia, mesmo que ainda não comprovada, o contato excessivo com a tecnologia pode provocar depressão, transtorno obsessivo compulsivo (TOC), transtorno bipolar do humor, fobia social, além de déficit de atenção e hiperatividade.”

35

ADRIANA MEDEIROS FERNANDES Psicopedagoga


Educação

Sinais de alerta para os pais A criança ou o adolescente começa a apresentar sono irregular, principalmente insônia; Queda no rendimento escolar, que pode ser explicado pelo uso abusivo do computador ou por outros problemas de ordem comportamental; Alternância no humor: a criança ri ou chora sem motivo aparente; A criança começa a ficar isolada ou apática; A criança fecha rapidamente a tela do computador ou desliga a máquina quando um adulto se aproxima.

Fica aqui algumas dicas para uso com segurança Evitar jogos não adequados à faixa etária (os jogos trazem a classificação em seus respectivos invólucros);

Evitar jogar logo antes de dormir; Variar as categorias de jogos, testando os diferentes, pode levar o jogador a descobrir um mundo novo e assim desenvolver tipos variados de habilidades;

Pais devem procurar saber de quais jogos seus filhos gostam, para saber a quais conteúdos eles podem estar expostos;

Como alguns jogos demandam tempo superior ao recomendado (entre uma e duas horas diárias), é importante ter alguma flexibilidade quanto ao horário. Jogos que demandam mais tempo devem ser praticados nos fins de semana ou nos feriados;

Evitar jogar mais de 50 minutos seguidos sem fazer uma pausa para alongamento de pelo menos 10 minutos. Alongamentos ajudam a prevenir lesões musculoesqueléticas; Evitar o uso de headphone ao jogar, ou deixar o som baixo, pois a audição pode ser prejudicada caso o som esteja alto. O ideal é que a altura permita que se escute quem está ao lado;

Os filtros protetores de tela auxiliam muito, contribuindo para a diminuição dos espaços luminosos e aumentando o contraste entre as imagens

Procurar manter uma distância mínima de 60cm da tela do computador, para evitar problemas de visão;

Pessoas com histórico de epilepsia devem evitar jogar;

Recomendações dos especialistas Especialistas recomendam uso equilibrado para aproveitar as tecnologias sem exagero. “Podemos explorar diversos benefícios, porém os pais devem ficar atentos com excessos”, pondera a psicopedagoga. Quando as estratégias não trouxerem resultados favoráveis, deve-se procurar ajuda de um profissional. 36


Saúde

CUIDADOS COM A SAÚDE COMEÇAM PELA BOCA Especialistas em odontologia destacam a importância de cuidados específicos As doenças infeciosas mais comuns da boca que afetam a população são a cárie e a doença periodontal. “A cárie ataca mais especificamente o dente, provocando cavidades que, quando não tratadas, vão se aprofundando até que atingem a inervação do dente, provocando dor e posteriormente a perda”, explica o dr. Gustavo Otoboni Molina. Já a doença periodontal está mais relacionada, segundo dr. Gustavo, à perda do elemento dental por destruição do osso que segura o dente e da gengiva. “Geralmente este processo é indolor e, por isso, traiçoeiro. Quem tem a doença só vai perceber quando o dente começa a ficar amolecido e dificultando a mas-

tigação, mas infelizmente quando isso acontece pode ser tarde demais para reverter o processo”, avalia. Tanto a cárie como a doença periodontal são provocadas por bactérias, estando relacionadas com vários outros problemas de saúde que vão além da cavidade bucal. “Alguns trabalhos relatam que essas bactérias podem ser precursoras de doenças vasculares, como infarto, e pulmonares. Problemas estomacais também podem estar relacionados diretamente à perda de elemento dental ou o seu mau funcionamento”, explica o dentista. “Sendo assim é muito importante que se faça a prevenção destas doenças”, conclui.

Sendo assim é muito importante que se faça a prevenção destas doenças e quando for o caso a reabilitação mastigatória, seja com tratamentos protéticos ou reabilitação com implantes dentários” DR. GUSTAVO OTOBONI MOLINA Dentista

37


Saúde

Quando chega o momento de usar o aparelho ortodôntico A odontologia especializada permite que os problemas dentários sejam tratados de forma personalizada. É o caso dos aparelhos ortodônticos. A Associação Americana de Ortodontia recomenda que toda criança com sete anos deve passar por uma avaliação com um ortodontista, ou até mesmo antes, se houver necessidade. “Não quer dizer que o tratamento ortodôntico

?

deva ser feito só com essa idade, já que a idade ideal para começar depende de cada caso. Quanto mais cedo o diagnóstico e o tratamento, melhor o resultado”, pontuam os especialistas. “A orientação é que toda criança - mesmo que não apresente um problema evidente -, deve passar por uma avaliação com o ortodontista a partir dos sete anos de idade”, reforça a Dra. Sheila Soratto.

Perguntas frequentes

Existe um limite de idade para se colocar aparelho ortodôntico? Não existe uma idade limite para iniciar um tratamento ortodôntico. Porém, quanto mais velho o paciente for, mais cuidados se deve ter devido à perda óssea e possibilidade de mobilidade dentária nessa fase.

Como funcionam? O aparelho fixo funciona por meio de peças coladas nos dentes, os bráquetes, produzidos a partir de ligas de aço inoxidável e colados com resina. Os bráquetes recebem um arco de metal maleável, que é trocado pelo ortodontista com a evolução do tratamento, regulando a força e a tensão aplicada sobre os dentes. O aparelho fixo estético funciona da mesma maneira, só que com bráquetes de policarbonato, porcelana ou safira. O aparelho lingual é colocado na superfície de trás do dente e é indicado ao paciente que demanda tratamento com correção invisível. Os alinhadores funcionam como uma série de placas para alinhamento em sequência, transparentes e confeccionados com base na dentição. Por não ser fixado, pode ser retirado em determinadas ocasiões.

Quais os tipos de aparelhos ortodônticos? Há o aparelho fixo, o mais conhecido para a correção de dentes tortos ou de problemas de mordida errada; o aparelho fixo estético, que é uma versão mais discreta do aparelho metálico; aparelho fixo autoligado (metálicos e estéticos); aparelho lingual; e os alinhadores.

38


Saúde

E eles sabem demonstrar amor como ninguém e ficam esperando o dia para voltar novamente à consulta. Esta é a apaixonante odontopediatria”, DRA. JOZE MOLINA Odontopediatra

Odontopediatria: especialidade cheia de carinho Com as crianças os tratamentos costumam ser mais eficazes, desde que em casa os cuidados sejam constantes. “O nosso objetivo é educar os pais e filhos sobre a importância dos cuidados com os dentes “de leite”, para que sejam substituídos por dentes permanentes saudáveis. A maior dificuldade ainda é o uso do fio dental”, exemplifica a odontopediatra Joze Molina. Segundo ela, o atendimento à criança é uma diversão e um constante aprendizado.

Reabilitação e estética: cuidados que vão além dos dentes A parte de reabilitação do paciente sempre foi o que encantou a Dra. Eduarda Braz. “Quando me formei em 2016 sabia que seguiria por este caminho”, conta. Entre os tipos de prótese sobre implantes, existem as unitárias, indicada para reposição de um dente; prótese parcial fixa, para reposição de mais dentes; prótese tipo protocolo sobre implantes, indicada para pacientes que necessitam de reabilitação total; prótese overdenture sobre implantes, que é também uma prótese total sobre implante como a protocolo, mas é removível. Além de devolver função, com essas próteses é possível devolver a estética ao paciente, trazendo mais qualidade de vida.

Harmonização orofacial A área terapêutica estética funcional vem ganhando cada vez mais espaço na odontologia. Dentre os aliados estão a toxina botulínica, que tem sua ação por um período de quatro a seis meses, e tem várias indicações como o uso para protocolo de bruxismo, correção de sorriso gengival, minimiza rugas estéticas e dinâmicas, enxaqueca tensional, entre outros. “Também temos os preenchedores à base de ácido hialurônico, que ajudam a desenvolver os contornos faciais perdidos ou deficiências de algumas estruturas como os lábios, por exemplo”, pontua.

Av. Marcolino Martins Cabral, 1788 - Sala 1103, Tubarão/SC 39

(48) 3622-5588


Saúde

A LIBERDADE DE SE VER LIVRE DOS ÓCULOS Cirurgias corretivas resolvem problemas de visão Quem precisa usar óculos ou lentes de contato na maior parte do tempo sabe o quanto isto pode ser incômodo e até trazer limitações no dia a dia ou em atividades físicas. São os chamados vícios de refração. São condições oculares que fazem com que o paciente necessite de correção visual (óculos ou lentes de contato) para enxergar bem. Entre eles, há a miopia, astigmatismo, hipermetropia e presbiopia. De acordo com o oftalmologista Thiago Borges, da Oftalmoclínica, de Tubarão - pioneira na região Sul do Estado de Santa Catarina em correção refrativa a laser para miopia, hipermetropia, astigmatismo e presbiopia (vista cansada), há 10 anos o procedimento é realizado na própria clínica. “Realizamos aproximadamente 100 pacientes por mês de toda a região, até mesmo de outros estados. O procedimento é muito seguro e realizamos exames pré-operatórios dos mais avançados, como a Tomografia de Córnea com o equipamento PENTACAM HR, e somente indicamos o procedimento se o resultado es-

perado ao paciente for muito bom”, afirma. Dr. Thiago explica que o procedimento é realizado apenas com anestesia local (colírios) e dura em média menos de 10 minutos para realização dos dois olhos. “O paciente fica livre do uso de óculos e lentes de contato na grande maioria dos casos”, pontua. O oftalmologista conta que a pergunta mais frequente entre os pacientes é se após realizar a correção, “o grau volta”. “Na verdade, o que acontece é que o laser corrige o grau que você tem hoje, mas não há como prever se você desenvolverá grau no futuro. Se vier a voltar a utilizar óculos no futuro é por ter desenvolvido um novo grau refracional, mas não por ter “voltado” o que o paciente tinha antes. Além disso, a chance de desenvolver grau com o mesmo estabilizado após os 21 anos de idade é muito remota”, explica. A clínica realiza a correção refrativa a laser personalizada, sendo um grande diferencial no resultado final do paciente, dando uma qualidade visual superior à correção convencional.

Localização privilegiada A grande vantagem de fazer o procedimento na Oftalmoclínica, segundo dr. Thiago, é de o paciente estar em sua própria região, sendo que em caso de qualquer intercorrência, embora rara, o paciente pode ser prontamente atendido. “Ao contrário de se deslocar várias horas até outro centro, onde muitas vezes o profissional que irá realizar o procedimento nem conhece o histórico do paciente”, pontua. “Hoje em dia a grande maioria dos pacientes de nossa região já não se deslocam mais para outros centros, preferindo fazer o procedimento em nossa região”, acrescenta o oftalmologista.


Saúde

Equipamentos de ponta O LASER utilizado na Oftalmoclínica, o VISX STAR S4 IR, é o equipamento mais utilizado nos EUA para este tipo de procedimento, sendo o único aprovado para correção de astronautas da Nasa e da Força Aérea Americana.

Dr. Thiago após correção visual a Laser realizada com sucesso em sua esposa

Catarata: perda de visão progressiva e apenas reversível por cirurgia Com causas que variam desde o envelhecimento e oxidação natural do cristalino – por conta da idade avançada do paciente até diabetes, glaucoma e inflamações, não existe até o momento uma forma clínica de tratar a catarata. De acordo com o oftalmologista Thiago Borges, a única forma de correção é através de uma cirurgia, onde o cristalino é trocado por uma nova lente (artificial) que ficará no olho do paciente para sempre. “Realizamos em nossa clínica

a cirurgia com o equipamento Centurion Vision System, considerado o mais moderno do mundo para remoção da catarata. Fomos a primeira clínica oftalmológica do Estado a adquirir tal tecnologia”, pontua. “Nosso grande diferencial é utilizar apenas lentes intra oculares Premium, consideradas as melhores do mundo para correção de catarata. Isto é um grande diferencial na visão do paciente, deixando o mesmo também independente de óculos na maioria dos casos”, acrescenta dr. Celso Borges.

Centurion Vision System, equipamento para remoção de catarata

Ceratocone: fragilidade genética na estrutura da córnea

Normal

Ceratocone

Tratamento com anel corneano

Ceratocone é uma fragilidade genética na estrutura da córnea, que associada ao ato de coçar os olhos leva à deformidade progressiva da córnea e perda da visão. Muitos pacientes nem sabem que possuem Ceratocone. Os principais fatores envolvidos na doença são o fator genético e alergias (coçar os olhos). O tratamento para casos mais avançados é o implante de anel corneano intra-estro41

mal. Muitos pacientes não sabem que têm a doença por realizarem exames dos olhos com profissional não-médico oftalmologista. Desta forma, trocam os óculos e perdem a visão progressivamente. “Recentemente adquirimos o equipamento de Crosslinking Corneano de tecnologia suíça, dando um grande diferencial no tratamento do Ceratocone”, diz dr. Celso Borges.


Ambientes

FOTOS: MARIANA BORO/DIVULGAÇÃO/REVISTA TUDO

MINIMALISMO PARA BEM MORAR Casal buscou para casa estilo contemporâneo e industrial para compor peças do dia a dia A arquitetura minimalista é uma tendência artística que surgiu da oposição de alguns profissionais à variação formal e cromática dos movimentos anteriores. Ela muda o cotidiano das pessoas, como um modo de vida. Nas últimas décadas, ao se falar em contemporaneidade, logo vem em mente um tipo de arte mais “clean”, ou seja, mais limpa, clara, iluminada, básica. É porque, em meio à rotina, as pessoas querem mesmo dar adeus aos excessos e focar apenas no que é indispensável. E foi com este pensamento que a Delpizzo Arquitetura criou o espaço para a casa de um jovem casal. Situado em Florianópolis, o lar do casal teve

como principais pontos de inspiração a contemporaneidade, minimalismo, aconchego e sobriedade urbana. “Das características mais marcantes do projeto podemos citar a planta livre e integrada de todos os ambientes do térreo e utilização de materiais como aço, ferro, madeira, concreto e tijolos aparentes reforçando o estilo contemporâneo e industrial”, explica a arquiteta Cristiana Bez Delpizzo. O casal, segundo Cristiana, tinha como necessidade um espaço para receber e integrar com a área externa de piscina. “O local conta com espaços generosos, materiais práticos e de fácil manutenção”, explica a arquiteta. 42


Ambientes

Sala de jantar ao estilo industrial A ampla sala de jantar é um dos destaques da casa. De acordo com o designer de interiores Giovani Bez Delpizzo, o conceito da residência é trazer espaços que pudessem ter fácil acesso, assim como para seus convidados. “Por isso, optamos por peças grandes e sem muito volume na decoração. Para que se pudesse criar um ambiente que dá vazão ao espaço”, descreve Giovani.

Cores acolhedoras Ainda na casa, a arquiteta e o designer de interiores optaram por uma iluminação que privilegiou espaços cenicamente importantes para criar uma atmosfera sóbria, porém elegante e acolhedora.


Ambientes

FOTOS: MARIANA BORO/DIVULGAÇÃO/REVISTA TUDO

44


Ambientes

Peças para dar charme Nas peças usadas para compor a construção, a equipe da Delpizzo optou por usar porcelanato fosco; mármore travertino fosco; couro; sofá em lona; madeira natural e ferro na escada; cimento queimado para revestimento e ladrilhos cerâmicos polidos.

Decoração para eles

FOTOS: MARIANA BORO/DIVULGAÇÃO/REVISTA TUDO

Na decoração da casa, foram seguidos à risca o pedido dos clientes: que se mantivesse o bom gosto de forma sóbria. “E assim foi o que fizemos. Para trazer o máximo em aconchego utilizamos cobogó de madeira em formato de pétalas que se destacam no painel da TV, sem prejudicar o conceito sóbrio que os clientes gostariam de imprimir ao ambiente”, diz Cristiana.

Cores neutras e diferencial No quesito cores, o casal apostou na paleta neutra. “Usamos bege, marrom e caramelo, porém com pitadas de cores antagônicas como azul marinho, laranja e preto, conforme nos foi solicitado. É um casal que mostra requinte sem perder o bom gosto”, diz Giovani. 45


Ambientes

Ambientes

Ambientes integrados “A escada foi desenhada para ser fluída, pois havia a necessidade de máxima integração dos ambientes e ela estava localizada em um ponto importante de integração. Ela foi projetada com uma leve estrutura em ferro vazada e degraus em madeira maciça”, diz Cristiana.

FOTOS: MARIANA BORO/DIVULGAÇÃO/REVISTA TUDO

Detalhes que fazem a diferença Segundo Giovani, o espelho do designer Jader Almeida, junto com um aparador desenhado especialmente para o hall de entrada, dão todo destaque ao ambiente, trazendo o conceito industrial e “descolado” que o casal jovem solicitou para o projeto.

46


Ambientes

Colorido com estilo Ainda na casa do casal, a equipe buscou cores que dessem leveza e estilo. Além disso, o espaço para receber amigos ganhou uma decoração bastante intimista dos moradores, para que pudessem mostrar suas conquistas aos convidados.

FOTOS: MARIANA BORO/DIVULGAÇÃO/REVISTA TUDO

47


Ambientes

FOTOS: MARIANA BORO/DIVULGAÇÃO/REVISTA TUDO

Profissionais A Delpizzo Arquitetura é formada pelos irmãos Cristiana Bez Delpizzo, arquiteta, e Giovani Bez Delpizzo, designer de interiores. A arquiteta Cristiana Bez Delpizzo, com mais de 20 anos de experiência na área, supervisiona a equipe de criação e desenvolvimento dos projetos arquitetônicos e projeto de interiores. E o sócio Giovani Bez Delpizzo, administrador com especialização em gestão de obras e designer de interiores, é responsável pela administração dos projetos de interiores, especificação de materiais e coordenação da equipe de gestão de obra. O escritório está localizado em Florianópolis. O site da equipe é www.delpizzoarquitetura.com.br e o email contato@delpizzoarquitetura.com.br.

48


Ambientes

FOTOS: FERNANDO AGUIAR FOTOGRAFIA/DIVULGAÇÃO/REVISTA TUDO

MODERNIDADE COM JEITO EUROPEU Casal buscou referência na Europa para compor espaços sociais do novo lar adquirido Após encontrarem o apartamento dos sonhos, um casal tubaronense buscou compor espaços com ‘ a sua cara’. Assim, buscaram na arquitetura ambientes modernos ao estilo europeu. “Isso porque o casal aprecia muito a Europa e, assim, nos nortearam a elaborar os locais que precisavam de mudanças”, fala a arquiteta Heloisa Mendes Vicente, responsável pelo projeto. Heloisa destaca que o perfil dos clientes serviu como essência para serem elementos norteadores na concepção do projeto. “Buscamos um moderno bem marcante, com cores quentes. Para a decoração, como os clientes tinham algumas decor da Eu-

ropa, a intensão era valorizar algumas obras trazidas de lá, sendo emolduradas para fortalecer ainda mais o ambiente”, revela a arquiteta. Ainda segundo a arquiteta, foi um projeto de fácil execução, sem intervenções na planta. “É um casal despojado, com hábitos de elegância e descontração. Desejavam ambientes integrados e funcionais, principalmente os espaços sociais da casa, sala de estar e jantar. Solicitaram também um espaço onde a sala de jantar tivesse uma ligação com a cozinha. Deste modo, a cristaleira foi projetada para fazer essa junção, com portas de vidros reflecta float”, comenta a arquiteta. 50


Mesa imponente Entre os itens que chamam a atenção no apartamento, está a mesa com 10 cadeiras. Conforme Heloisa, quando começaram o trabalho, o apartamento já havia sido entregue pela construtora. As alterações feitas foram somente a retirada de algumas portas e o posicionamento da iluminação. “O restante foi surgindo, como essa mesa imponente que dá toda a sofisticação para o ambiente”, informa a arquiteta.

Ligação entre ambientes Uma cristaleira que servisse como ligação entres a cozinha e a sala de jantar também ganhou destaque. Ela, segundo a arquiteta, também serve como buffet. No espaço, ainda é possível observar meia parede em MDF, que traz um aconchego para o ambiente.

Ar sofisticado Além da cristaleira de vidro foi investido em papel de parede e algumas peças clássicas, como a moldura dos espelhos, para dar um ar sofisticado ao ambiente. “Dois lustres de cristal sobre a mesa de jantar e alguns pontos de spots para destacar alguns quadros deram charme ao ambiente”, fala a arquiteta.


Ambientes

Integração com a churrasqueira

FOTOS: FERNANDO AGUIAR FOTOGRAFIA/DIVULGAÇÃO/REVISTA TUDO

Como o marido tem uma pegada mais livre, o intuito de integrar a sala de estar e a churrasqueira foram propostos pelo mesmo, de modo que entre elas tivesse um espaço como adega, sendo um ambiente solto para a recepção das visitas.

52


Ambientes

Despojado e moderno Sobre a sala de estar, a arquiteta diz que o ambiente ficou despojado e moderno. “Demarcado com um aparador e um recorte a laser, a integração dos ambientes criou áreas sofisticadas e funcionais.

FOTOS: FERNANDO AGUIAR FOTOGRAFIA/DIVULGAÇÃO/REVISTA TUDO

53


Ambientes

Marcenaria com desenho próprio Estofado em suede e poltronas capitonê dão estilo ao ambiente. Iluminação de led e marcenaria desenhada pelo escritório Heloisa Vicente para o home dão ar despojado. O local conta ainda com painel da TV emoldurado por espelho bronze, telão embutido na marcenaria, cortina em linho com barras em seda escura e divisória entre sala e hall em painel em MDF perfurado (corte a laser dourado), fazendo com que o ambiente fique mais restrito.

FOTOS: FERNANDO AGUIAR FOTOGRAFIA/DIVULGAÇÃO/REVISTA TUDO

54


FOTOS: FERNANDO AGUIAR FOTOGRAFIA/DIVULGAÇÃO/REVISTA TUDO

Rústico para receber Na churrasqueira o ambiente finaliza a residência, e tem o intuito de integrar os espaços. “Isso para tornar o espaço diferenciado”, explica a arquiteta. O revestimento da churrasqueira foi feito com material que trouxesse a rusticidade para o local. Iluminações em spots para marcar as laterais foram dispostos no ambiente. Os nichos do espaço receberam uma pegada bem masculina, com a decor intimista que estimula a permanência. Como o formato da sacada é em curva, a opção por uma bancada em ângulo foi uma das diretrizes do projeto, para o melhor aproveitamento do espaço. 55


FOTOS: FERNANDO AGUIAR FOTOGRAFIA/DIVULGAÇÃO/REVISTA TUDO

Ambientes

Clássico e dourado O lavabo traz uma parede em espelho dourado com moldura clássica talhada à mão. Pendentes dourados e a parede vêm com aplicação de papel imitando linhas geométricas.

FERNANDO AGUIAR FOTOGRAFIA/DIVULGAÇÃO/REVISTA TUDO

A profissional Heloisa Mendes Vicente é arquiteta e urbanista formada pela Unisul em 2005. Trabalha com seu próprio escritório há cinco anos. Sua maior característica são projetos que buscam por soluções diferenciadas e atemporais. Com uma experiência adquirida ao longo dos anos, procura integrar o contemporâneo e a elegância. Busca sempre a sofisticação no planejamento de interiores com a união de móveis e peças de design modernos, criando ambientes com uma identidade do cliente e sempre prezando pela funcionalidade. Informações sobre a arquiteta através das redes sociais no Instagram: @arqheloisavicente e email: helovicente@hotmail.com

56


Construção Civil

ATMOSFERA PARA MORAR SÓ Projetado para um morador solteiro, apartamento valoriza área social para receber os amigos Criar uma atmosfera confortável, prática e descomplicada para um homem solteiro. Esse foi o conceito que norteou o projeto de interiores de um apartamento em Florianópolis, desenvolvido pelo Studio Araújo+Malinski, que tem à frente o designer Alex Araújo e o arquiteto Carlos Malinski. “Mesmo morando só, o cliente frequentemente recebe amigos em casa. Ele nos deu “carta branca” para criar, mas deixou claro desde o início o desejo de que a área social fosse totalmente integrada para poder reunir os amigos e a família”, destaca Carlos. Como o trabalho da dupla de profissionais começou ainda com o prédio em construção, a planta original foi alterada para melhor atender às necessidades do morador. “Começar o projeto com a obra do prédio ainda bem no início facilitou muito, pois conseguimos mudar

quase que totalmente o layout do apartamento”, explica Alex. Apenas as paredes estruturais foram mantidas, de acordo com o projeto original. Outra vantagem foi utilizar mão-de-obra da própria construtora para assentar os revestimentos e colocar gesso, louças e metais sanitários - todos substituídos pelo “padrão” da construção. “Isso agilizou a obra e reduziu os custos para o cliente,” salientam os profissionais. Originalmente com duas suítes, o apartamento passou a ter uma suíte, um home office e um amplo living, integrando sala de tv, cozinha, jantar e sacada. O segundo banheiro foi transformado em lavabo e o lavabo original foi integrado à lavanderia, aumentando a área de serviço e despensa do apartamento. O resultado deixou os ambientes com um mood contemporâneo, funcional, sem excessos, e que têm exatamente a personalidade e o lifestyle do morador. 57


Sacada integrada é eleita o local preferido de reunião com amigos Após ser fechada e integrada ao living, a sacada virou o point preferido do morador para reunir os amigos. É nela que acontecem os bate-papos mais animados quando a turma se encontra. Um grande banco, desenhado pelos profissionais, acomoda até quatro pessoas, e – dentro dele – ficam guardados jogos de tabuleiro, cartas, dados e outros objetos para a diversão dos convidados. Detalhe para

a iluminação, que cria diversos cenários nos ambientes. Com as alterações do projeto, a sacada – agora integrada à área social - fica ao lado da cozinha. Isso permitiu aos profissionais desativar o lavatório original ao lado da churrasqueira, e criar ali um bar para acomodar adega e cervejeira, garantindo os bons momentos vividos nesse ambiente. 58


Construção Civil

Cozinha estratégica Com as mudanças feitas ainda na planta, a cozinha foi posicionada de forma estratégica no centro do grande ambiente. Seu layout e design foram pensados para que o morador pudesse usá-la de forma descomplicada e prática. Além disso, ele tem uma visão simultânea da sala de TV, jantar, sacada e churrasqueira”, diz Carlos. Eletros que aliam estética, tecnologia e funcionalidade, sem sobrecarregar o ambiente, foram escolhidos criteriosamente para compor uma das áreas mais utilizadas no dia a dia de quem precisa de um ambiente organizado.

Suíte acolhedora, mas sem supérfluos Com linhas limpas, a suíte do morador foi pensada para garantir o descanso e relaxamento. Não há espaço para excessos, somente o básico, mas com personalidade. Na outra lateral da cama, uma mesa versátil de apoio, que pode ser deslocada para outro ambiente sempre que necessário.

59


Construção Civil

é fundamental para quem vai resi1 Odirdesapego numa residência pequena. Não acumule ob-

Morando sozinho, mas com organização

jetos desnecessários. Desfaça-se de brinquedos, roupas, cadernos e demais itens do passado.

Morar sozinho é maravilhoso, mas implica em uma série de cuidados para que a rotina seja algo prazeroso e não desanime dessa condição na qual se está vivenciando. Principalmente porque a maior dificuldade das pessoas ao lidarem com espaços pequenos com certeza é guardar tudo que elas têm. Ideias criativas de organização ajudam nesse processo e são muito bem-vindas. A personal organizer Clarissa Emerick Albino dá algumas dicas preciosas para quem vai ou está morando sozinho:

o que puder, pois você utilizará um 2 Pendure espaço normalmente ignorado em qualquer

imóvel: as paredes. Utilize ganchos, prateleiras e estantes, para conseguir colocar ali o máximo de coisas que você puder.

de pendurar, daquele que 3 Porta-sapatos você coloca atrás da porta do quarto, po-

dem ser utilizados para guardar produtos de limpeza na lavanderia, temperos na cozinha, itens eletrônicos no escritório; eles não ocupam espaço e são facilmente adaptáveis para vários cômodos da casa.

rouparia, três conjuntos de lençol e três 4 Para jogos de toalhas (um em uso, um na lavanderia e um no armário) são suficientes para atender suas necessidades.

cesto de roupas sujas no banheiro, de 5 Um preferência com tampa, para que a bagunça não fique aparente.

atrás da porta do banheiro são úteis 6 Ganchos para pendurar toalhas de banho ou aquela

roupa que você ainda vai usar mais uma vez antes de lavar.

com baú poderá ser uma grande alia7 Cama da, útil para guardar as roupas de cama, materiais, ou esconder a bagunça na hora da correria.

a maioria das cozinhas são pequenas te8 Como nha apenas uma aparelho de jantar completo,

incluindo xícaras e um faqueiro de boa qualidade, um jogo de panelas, e algumas travessas. Prefira tudo em forma retangular ou quadrada, pois otimizam espaço dentro do armário.

Se precisar de ajuda, um profissional de organização poderá prestar esse serviço, proporcionando conforto, bemestar, produtividade, praticidade e economia para o dia a dia, permitindo que se tenha tudo o que se precisa sempre à mão e não perca tempo ou espaço com a bagunça. A organização simplifica a vida.

rotina de horários específicos para fazer 9 Crie a arrumação. para lidar com cronogramas, ta10 Organize-se refas domésticas, trabalhos. Depois de um tempo vai se tornar um hábito instintivo.

60


Moda

TODO O ESTILO DA MODA TAMANHO

G

61

Mercado busca alternativas para atender demanda de um público exigente

O mercado de moda plus size está aquecido pela demanda trazida por clientes exigentes, que buscam sofisticação e qualidade e fogem do tradicional. Esse nicho, também chamado de tamanhos grandes ou especiais, atende um público que usa roupas acima do tamanho 44. O foco são pessoas que não querem apenas vestir uma roupa que atenda ao seu manequim, mas, sobretudo, ressaltar seu estilo e beleza por meio do uso de roupas e acessórios da moda. Segundo dados da Associação Brasileira do Vestuário (Abravest), o mercado plus size cresce 6% anualmente e movimenta cerca de R$ 5 bilhões. Esse percentual corresponde a cerca de 300 lojas físicas e aproximadamente 60 virtuais. A expectativa, segundo a associação, é de um crescimento de pelo menos 10% ao ano.


Cada pessoa tem seu biotipo e é preciso aceitar-se Cada um tem o seu biotipo e ninguém tem que ter vergonha do seu corpo, de ser magra ou de ser mais cheinha, segundo a consultora de moda Maíra Guedes. “Ninguém pode querer ser uma Gisele Bündchen porque temos que ser “nós mesmos”. É uma questão de aceitação e de autoestima”, ensina. “Todos sabemos que o termo padrão ideal não existe. A moda hoje em dia está superdemocrática e se pode encontrar roupas que se ajustem ao seu corpo, o valorizando, e que estejam de acordo com a imagem que você deseja passar

Quando é considerado plus size? O termo plus size está cada vez mais em alta, mas muita gente ainda não sabe o que significa de fato. Afinal, quando uma mulher é considerada plus size? O mercado da moda internacional em geral considera plus size quem não se encaixa nos ‘padrões de passarela’ e também as mais gordinhas. Isso generaliza. Tecnicamente, diz-se que o plus size começaria no tamanho 46. Porém, na prática, a mulher que usa 44 já é enquadrada no padrão,

pela dificuldade de encontrar roupas de alguma grifes tradicionais. Essas etiquetas costumam produzir somente até o 42, deixando a mulher 44 numa espécie de ‘limbo fashion’”, explica Adilton Amaral, que desde 2009 coordena o projeto Mulheres Reais. “Existe uma grande demanda por roupas de numeração maior. Toda mulher que busca um look ‘M’ ou ‘G’ já enfrentou o drama de não achar a peça no seu tamanho”, completa. 62

aos outros ou a si mesmo. É a sua verdadeira essência”, destaca Maíra. Cada pessoa tem seu tipo físico. A roupa precisa cair bem ao seu tipo de corpo para se transformar em sua grande aliada, contribuindo para a valorização da sua silhueta. Isto vale tanto para as chamadas modelos “plus size” como para qualquer pessoa. “Em primeiro lugar devemos nos aceitar como somos e usar as peças de roupas para valorizar o que temos de mais bonito em nosso corpo e dessa maneira contribuir para a nossa imagem”, pontua a consultora de moda.


Beleza

“A criança, geralmente, tem a pele normal. O cuidado maior é mantê-la hidratada e com fotoproteção adequada a partir dos seis meses.”

MARIA VIRGÍNIA DE MELO GUEDES Dermatologista

CUIDADOS COM A PELE COMEÇAM NA INFÂNCIA Especialista ensina como ter uma pele saudável durante toda a vida A pele é o maior órgão do corpo humano. E assim como outros órgãos do corpo, a pele sofre alterações com o passar dos anos e, desta forma, precisa de cuidados específicos conforme suas necessidades vão mudando. O envelhecimento natural é inevitável, no entanto, sua precocidade é influenciada por diversos fatores e alguns deles podem ser evitados e prevenidos, como o fumo e a exposição solar sem proteção. De acordo com a dermatologista Maria Virgínia de Melo Guedes, o principal vilão é a radiação ultravioleta (UV), que acelera a degradação do colágeno, bem como aparecimento de manchas, rugas e câncer de pele. Com o avanço da tecnologia, os dermocosméticos são cada vez mais eficazes em atender o que cada tipo de pele precisa em diferentes fases da vida. Cuidando bem da saúde, com uma alimentação saudável, exercícios físicos e uma boa rotina de cuidados com a pele, é possível chegar à terceira idade com a cútis cheia de beleza e saúde.

A pele jovem possui poucos sinais do envelhecimento, é firme e viçosa. Então, o ponto-chave nesta época da vida é ter uma rotina disciplinada de cuidados diários preventivos, evitando o aparecimento precoce de marcas de expressão, rugas e linhas finas. Além disso, eles também são capazes de prevenir as manchas e a acne, um problema bastante comum na adolescência devido às alterações hormonais que o corpo passa neste período. Antes que alguns destes sinais apareçam, cuide da sua pele durante a juventude. Para isso, faça consultas regularmente com seu dermatologista e escolha produtos específicos para o seu tipo de pele. Na sua rotina, não podem faltar: higienização, tonificação, hidratação e proteção solar. Além disso, aposte em tratamentos específicos para suas necessidades e em produtos com ação anti-idade e antioxidantes, que atuam prevenindo o envelhecimento precoce. Ela explica que os cuidados com a pele devem começar ainda na infância. 63


Beleza

Cuidados com a pele adulta Na pele adulta, os sinais da idade já são mais aparentes, por isso é preciso tratá-la, estimulando suas funções para desacelerar o envelhecimento. Nesta época, a pele começa a perder a elasticidade, a hidratação natural e o colágeno. É importante seguir sempre sua rotina diária de cuidados e adicionar alguns produtos especiais, que incentivam a produção de colágeno e têm ação anti-idade. Procure dermocosméticos que contenham antioxi-

dantes e ativos como Vitamina C e E, além de Ácido Hialurônico em sua composição. A pele pode apresentar algumas condições que precisam de cuidados específicos na fase adulta como a acne, que pode surgir nesta época devido a disfunções hormonais como a Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP). Aposte em dermocosméticos multifuncionais, capazes de tratar a cútis à medida que previnem o aparecimento de novos sinais.

Crianças Por ser uma pele sensível e fina, a dermatologista explica que se deve evitar o uso de dermocosméticos, como perfumes, maquiagens e creme, a fim de prevenir alergias e irritações (dermatites). “E quando usar qualquer produto, deve ser os destinados à pele infantil sempre”, acrescenta. Dra. Maria Virginia ainda explica que os fotoprotetores devem ser resistentes à água. “Além disso, os banhos devem ser mornos entre cinco e dez minutos. Os sabonetes devem ser liquidos com aditivos hidratantes e Ph próximo ao da pele - entre 5 e 6 são os mais indicados”, ensina.

Idosos Com o envelhecimento, a pele vai se tornando mais frágil. A capacidade de renovação celular, a produção de fibras elásticas e o colágeno reduzem bastante. “A hidratação, nesta fase, é essencial e os banhos devem ser mornos com sabonete neutro ou infantil”, ensina a dermatologista. A alimentação saudável e a ingestão de água também ajudam na hidratação. O uso do protetor solar é obrigatório, podendo optar pelos que contêm hidratante.

Homens Na pele masculina, por ser mais oleosa, o cuidado principal passa a ser limpeza, que deve ser feita com sabonete facial com o objetivo de diminuir o sebo. O ideal é lavar duas vezes por dia e uma ou duas vezes por semana pode ser feita uma esfoliação. “A hidratação deve ser feita com produtos com efeito mate (matificante), que ao longo do dia inibem o retorno da oleosidade e do aspecto de brilho”, ensina dra. Maria Virginia. O uso de creme para barbear deve ser adequado para peles oleosas (gel) ou mousse para peles normais ou seca. Não esquecer da loção pós-barba (sem álcool) e do protetor solar diário. 64


Cultura

NA ERA DO TABLET, BRINCADEIRAS ANTIGAS SÃO RESGATADAS Jogos e brinquedos retornam a cena nas brincadeiras de pais e filhos dela. Separei algumas caixas com materiais recicláveis e artísticos para explorarmos as infinitas possibilidades de brincadeiras e atividades. Na maioria das vezes, coloco um propósito por trás da atividade, como por exemplo: trabalhar as emoções, conhecer os sentidos ou simplesmente a ludicidade e o afeto”, conta Paula. Segundo a mãe, elas brincam muito de pintar rolos de papel higiênico e papel toalha que viram porta- lápis. “Ou palitos de picolé que viram um porta-caneca. Reutilizamos muitas embalagens. É muito legal vê-la recolhendo os rolos do banheiro e falando: ‘mamãe, tive uma ideia!’”, diz Paula.

Amarelinha, três marias, telefone sem fio, passa-anel. Se você tiver mais de 20 anos, provavelmente já foi apresentado a uma dessas brincadeiras ou até brincou de todas em um mundo onde a tecnologia não era a sensação no dia a dia da sua infância. Elas estão cada vez menos conhecidas entre a geração que adotou o computador e os games nos tablets como novos passatempos favoritos. E quem não lembra da cantiga “Ciranda, cirandinha, vamos todos cirandar. Vamos dar a meia-volta, volta e meia vamos dar…” E os pés descalços, o contato com a terra, com o lúdico e as brincadeiras hoje consideradas ‘antigas’. Pular corda, pintar desenhos e tudo mais que envolve a diversão fora das telas anda ultrapassada para muitos. Contudo, o resgate dessa diversão tem sido observada. Antonella Ferreira Nunes, de quatro anos, vive no mundo da fantasia das brincadeiras junto com a mãe, Paula. Através das redes sociais, Paula mostra o dia a dia com a filha e tudo que envolve o colorido da diversão através de brinquedos antigos, pinturas e outros. Paula conta que o que motivou a fazer o resgate foi estar presente para ela, desenvolver a inteligência emocional e explorar a criatividade da filha. “Geralmente, fazemos uma atividade juntas e outra livre. À escolha 66


Cultura

Seja leve Ainda de acordo com Paula, além das brincadeiras antigas, ela incentiva a filha a estar em contato com a natureza. “Sempre que o clima favorece nós vamos a algum lugar onde ela possa correr bastante e se conectar com a natureza. E aí, é claro que pique-esconde e pega-pega não podem faltar”, comenta a mãe. Na atividade livre, Paula diz que deixa Antonella escolher do que quer brincar. Paula destaca que escolheu ser uma mãe presente na educação e diversão da filha. “Isto, para mim, não significa estar presente 24h por dia. Mas sim me entregar a ela, dando atenção plena, quan-

do estamos juntas. Não tenho dúvidas que escola e família estão juntas nisso”, revela a mãe. Entre as brincadeiras preferidas estão pintura, desenho, e tudo que envolva arte. Com simplicidade e liberdade de escolha. “As pessoas consomem tanta informação e esquecem de adquirir conhecimento sobre formas saudáveis de educar, principalmente emocionalmente os filhos. Nós, pais, como maioria, viemos de uma geração de sentimentos invalidados, de: ‘fica quieto que quero assistir o jornal’, ou ‘engole este choro’, e definitivamente, não é isto que quero para a vida dela”, fala a mãe.

“Brincadeiras mais antigas geram mais protagonismo da criança”, diz psicóloga

De acordo com a psicóloga infantil Suelen Rodrigues, a criança precisa ter contato com os mais diversos tipos de brincadeiras e brinquedos. “O ato de brincar tem funções importantes no desenvolvimento infantil. É através disso que a criança aprende sobre o mundo e sobre si mesma, além de exercitar a linguagem, a comunicação, a criatividade”, fala a psicóloga. Suelen diz que o que se vê atualmente é que os brinquedos são tão tecnológicos que a criança, muitas vezes, é apenas espectadora. “Algo muito atual também são crianças excessivamente conectadas

aos eletrônicos e ao mundo virtual. O problema deste cenário atual é o excesso de tempo que a criança fica empenhada neste tipo de brinquedo”, explica. Para a psicóloga, as brincadeiras mais antigas geram mais protagonismo da criança. “Favorecem mais a interação social e as habilidades motoras. Não quero com isso dizer que sou contra radicalmente aos brinquedos atuais, apenas quero convidar a refletir sobre a importância da diversidade de brinquedos e brincadeiras para um desenvolvimento saudável”, fala Suelen. 67


Sabores

GASTRONOMIA: UMA ÁREA QUE ALIA TODOS OS SENTIDOS Pequenos empresários investem em gastronomia como fonte de renda Inaugurado em junho, no centrinho da Lagoa da Conceição, em Florianópolis, o restaurante Tomato Cucina & Vino vem conquistando paladares e já está sendo considerada uma das melhores casas de comida italiana da cidade - ajudando a qualificar o perfil gastronômico do bairro. Quem passa por ali é seduzido pelos melhores sabores e agraciado com o atendimento simpático do casal de empresários Luciana Melo e Joshua Stevens, que também comanda a rede de cafeteria Café Cultura. Segundo eles a ideia foi fazer com que o Tomato se tornasse uma opção diferenciada na cidade, satisfazendo todos os sentidos de quem busca experiências que vão muito além de uma simples refeição. “Fizemos tudo com muito carinho para que se tornasse um lugar gostoso, onde as pessoas se sintam bem e queiram voltar sempre”, explica Joshua. E a aposta vem dando tão certo que o restaurante já conquistou clientes fiéis, que fazem questão de retornar e indicam o local para parentes e amigos. Toda a personalidade da casa pode ser conferida em uma diversidade de antepastos, saladas, pastas e massas, até opções com peixes, frutos do mar, carnes e sobremesas. E se não bastasse tanto sabor, o cliente também é surpreendido pela apresentação dos pratos, que chegam à mesa em frigideiras, que além de ajudarem a manter o alimento aquecido, dão aquele ar de comidinha feita em casa. O cardápio do Tomato Cucina & Vino é bastan-

te democrático e traz opções até para quem gosta de frutos do mar. É o caso do irresistível Linguine di Mare, uma pasta negra preparada com molho do mar, camarões, lula, marisco e polvo. Já entre as entradas, a dica é provar a deliciosa Burrata e Pesce Crudo, que leva uma cremosa burrata à base de leite de búfala, acompanhada de peixe cru, pimenta, azeite, pesto, balsâmico e o toque especial: gomos de tangerina, que fornecem ao prato uma combinação de sabores única. Para completar, cesta de pães macios e quentes. Já quem prefere entradas à base de carne, a mais pedida é a Carne Cruda, que leva steak tartar da casa, além de pimenta biquinho, creme de mostarda em snackes de batata doce para acompanhar. Para finalizar a experiência gastronômica, as sobremesas são outra agradável surpresa, com destaque para o Canolli de Ricotta, acompanhado de sorvete da casa e castanhas. E para harmonizar com pratos tão incríveis, a adega disponibiliza mais de 50 rótulos brasileiros e importados da Itália, Portugal, Espanha e África do Sul. Tudo isto foi pensado a partir de memórias afetivas de infância de Joshua, que cresceu ao lado do avô italiano, tendo sempre a mesa farta, com a família reunida e suas tradições. Desta forma, o restaurante tem conseguido seguir a linha confort food, que busca despertar emoções através do paladar, com pratos que remetem a momentos especiais vividos pelas pessoas. 68


Gnocchis são os carros-chefe do restaurante Entre os carros-chefes da casa - e que vêm arrancando elogios - estão os Gnocchis, que literalmente desmancham na boca. A utilização de pouquíssima farinha é que confere à massa esta leveza incomparável. Há opções como o Gnocchi de Mandioquinha com Queijo Gorgonzola e Molho Funghi e o Gnocchi de Batata ao Molho de Tomate Artesanal e Camarões Salteados. Mas o campeão de pedidos é mesmo o Gnocchi di Formaggio e Entrecot, feito com batata e que leva Molho de Grana Padano, Entrecot Grelhado na Manteiga e Salsa da Carne. É possível também apreciar os pratos no dia 29 de cada mês, quando é promovido o tradicional Gnocchi da Fortuna, com direito a nota de dinheiro embaixo do prato.

Um café cheio de sabor e cultura O Café Cultura, de Florianópolis, já vem sendo considerada uma Starbuck brasileira. A rede de franquias tem uma impressionante história de sucesso e o arrojado plano de expansão para todo o país. A saga dos empresários radicados em Florianópolis, que são os responsáveis pela empresa, começou em 2004 e atualmente conta com 11 unidades em Santa Catarina, incluindo uma no Farol Shopping, em Tubarão. O grupo reúne os fundadores, a mineira Luciana Melo e o californiano Joshua Stevens; e três veteranos do mercado de franquias, Carlos Zilli, Nanina Rosa e Cecilia Rosa, ex-sócios da rede varejista Imaginarium. “Pensamos num negócio em que as pessoas venham e fiquem, se sintam em casa”, explica Zilli, de

olho na explosão dos coworkings no Brasil. “Queremos aproveitar esse Brasil mais conectado com o mundo, e que ainda não tem uma rede de cafés nacional”, diz Zilli. Em março, a empresa inaugurou o que considera um marco de sua expansão, uma loja âncora de 700 metros. E o plano é ambicioso: 200 lojas em cinco anos (a Starbucks opera hoje com 112 unidades). “Nosso desafio é levar essa atmosfera descontraída para lojas de vários tamanhos, em várias cidades”, diz Zilli. Se o plano sair como o planejado, ele prevê a abertura de um centro de distribuição e de uma indústria de torrefação. Está nos planos também a venda de seus cafés em supermercados e empórios especializados.

69


Sabores

A doçura de tortas feitas com amor A história de Alda de Souza Willemann Medeiros com bolos vem desde quando ela começou a entender que farinha, ovos, leite e fermento misturados resultavam delícias, “e isto eu deveria ter mais ou menos uns 10 anos. Adorava colocar o bolo no forno e ficar observando através do vidro. Sempre copiava receitas de livros e revistas, e testava todas, muitas vezes escondida de minha mãe, porque ela tinha medo que eu acabasse me queimando”, conta. O tempo foi passando, Alda estudava e trabalhava, mas sempre que sobrava um tempinho testava algumas receitas. A cada aniversário da família, Alda fazia o bolo e dava de presente. “Começaram a surgir as encomendas e resolvi me dedicar de corpo e alma aos meus bolos, com o apoio de meu marido e meus filhos”, lembra. Hoje, as tortas da Alda são reconhecidas e cobiçadas e as encomendas não param. “Não consigo atender tantos clientes por ser um produto praticamente artesanal. Não abro mão de usar produtos de qualidade e o menos industrializado possível, nenhuma fruta enlatada, nenhum recheio que já venha pronto”, afirma. “E tudo isso só faz reafirmar algo que descobri com meus 10 anos de idade: eu amo fazer bolos”, conclui Alda. 70


Viajar

IDOSOS BUSCAM AVENTURAS FORA DO PAÍS Cresce o número de pessoas acima dos 60 anos que buscam qualidade de vida através das viagens Viajar sem preocupação e sem prazo para voltar para casa é um sonho que pelo menos uma vez na vida embalará o seu sono. E se você faz parte dos 12% da população mundial que, segundo a pesquisa Fundo de Populações da Organização das Nações Unidas (ONU), representa o número de idosos, esse sonho pode estar prestes a se tronar realidade se depender do mercado turístico. A descoberta desse nicho, cuja perspectiva é de crescimento — estima-se que a população idosa chegue a 22% em 2050, um número próximo a 2 bilhões de pessoas —, tem provocado uma revolução nos fornecedores de serviços. O setor de turismo para a terceira idade tem aprimorado as ofertas, criado incentivos e se profissionalizado para atender às necessidades e cuidados que os mais experientes necessitam.

Por outro lado, as facilidades digitais proporcionaram a abertura de um novo mundo para essa população específica. Já não é raro encontrar senhores e senhoras digitando em seus smartphones, com contas em redes sociais e enviando mensagens em aplicativos de comunicação. A troca de informações, por exemplo, é um dos maiores estímulos às viagens. Além dos roteiros, que precisam ser bem definidos, viajar na terceira idade requer preparativos que fazem a viagem começar muito tempo antes da partida. É preciso levar em conta as condições de saúde e a disposição dos viajantes, o tempo do percurso e o tempo de estadia. A opção de viajar com a família ou sozinho dá mais liberdade, mas há os que preferem se aventurar sozinhos ou na companhia de um grupo de amigos em excursões organizadas por agências de viagem.

71


Viajar

Do sonho à realidade Sempre em busca de evolução, a professora aposentada Maria Salete Grasso Comeli, 59 anos, nunca imaginou seguir para tão longe. Ela, que tinha viajado apenas pelo Brasil, em 2017 deu seu primeiro voo longe. E a primeira viagem foi para Portugal, incentivada pela filha Bruna Comeli. Contudo seu maior sonho, como professora de geografia e história, era ir até a Terra Santa, Egito, e conhecer as pirâmides. Foi assim que, no segundo semestre deste ano, acompanhada do irmão José Grasso, rumou para a grande aventura. Bruna conta que a mãe até então era medrosa para viajar. Mas agora já planeja outras viagens. “Ela fica extremamente emocionada e realizada quando conta suas aventuras. Dá um grande orgulho”, fala a filha. Para Salete, valeu todo dinheiro investido nas viagens. “Foi uma experiência maravilhosa conhecer alguns lugares na Terra Santa. A gente chora de tanta emoção e com as explicações. Ver com seus olhos e pisar em lugares sagrados é gratificante”, comenta Salete. A gravatelense conta que subir nas pirâmides foi o ápice da viagem. “Valeu o dinheiro empregado”, afirma Salete.

72


Viajar

Os idosos e o ‘pé na estrada’ Segundo relatório do Banco Mundial, em 2050 a estimativa é que 65 milhões de brasileiros tenham mais de 60 anos. Cada vez mais ativa, essa população tem apresentado melhoras na qualidade de vida e, consequentemente, impulsionado a economia. Um exemplo de que a terceira idade tem se renovado está no fato de as pessoas que estão nessa faixa etária quererem sair de casa e conhecer os destinos turísticos brasileiros. Segundo o estudo Sondagem do Consumidor – Intenção de Viagem, do Ministério do Turismo, 25,4% dos brasileiros na faixa etária acima de 60 anos pretendem viajar. Na hora de fazer turismo, os viajantes com mais de 60 anos têm optado por fazer o passeio acompanhados (84%) e apenas 15% disseram que deverão fazer a próxima viagem sozinhos. Ainda de acordo com o levantamento da pasta, o avião continua sendo o principal meio de locomoção (76,3%) e hotéis e pousadas (64,8%) são os meios de hospedagem favoritos.

Guia Para dar mais conforto aos idosos que viajam e frequentam ambientes de lazer, o Ministério do Turismo lançou a cartilha “Dicas para atender bem turistas idosos” . A publicação feita em parceria com o Ministério da Justiça e Cidadania e o Conselho Nacional dos Direitos do Idoso teve a impressão de 19 mil exemplares que serão encaminhados para as secretarias estaduais de Turismo. De acordo com o guia, o tratamento oferecido pelos prestadores de serviço deve ser amável, respeitoso e compreensivo para que esses viajantes sintam-se confortáveis durante a experiência turística. Além disso, os profissionais também devem estar atentos às necessidades especiais de cada viajante para oferecer o auxílio adequado ACESSE durante as atividades turísticas.

73


Universo PET

EQUOTERAPIA: A TERAPIA COM CAVALOS Animais são disponibilizados para tratamento terapêuticos com acompanhamento de equipe interdisciplinar Os cavalos são inteligentes, sensíveis e possuem andaduras naturais: o passo, o trote e o galope. O tamanho do animal favorece a equitação e permite que ele seja montado. Além das coincidências na conformação que favorecem o ajuste com a morfologia humana, há também coincidências psicológicas que fazem da equitação um aliado da saúde. Os benefícios de andar a cavalo são conhecidos de longa data e desde 777 a.C. já se aconselhava andar a cavalo para regenerar a saúde e preservar o corpo humano de muitas doenças, além de auxiliar no tratamento da insônia. Estudos revelam que o cavalo é um excelente terapeuta. Crianças e adultos, com as mais diversas patologias, têm se beneficiado da terapia com cavalos: a equoterapia. A palavra “equoterapia” foi criada pela ANDE-Brasil, para “caracterizar todas as práticas que utilizem o cavalo com técnicas de equitação e atividades equestres, objetivando a reabilitação e/ ou educação de pessoas com deficiência ou com necessidades especiais”. Juntamente com uma equipe interdisciplinar, formada por profissionais das áreas de saúde e educação, o cavalo é o principal agente terapêutico na equotereapia. Em Santa Catarina, o Centro de Equo-

terapia Santa Maria disponibiliza o trabalho e ajuda jovens e crianças na melhoria da parte física e motora. “O cavalo, ao mover-se, força o cavaleiro a realizar ajustes tônicos, equilibrando-se a cada passo que o cavalo executa. Em um trabalho padrão de equoterapia, que dura cerca de trinta minutos, o cavaleiro terá executado de 1800 a 2250 ajustes tônicos posturais”, fala Juliana Gelbcke de Oliveira, educadora física no Centro de Equoterapia Santa Maria.

Reabilitação e estimulação Conforme a pedagoga do Centro de Equoterapia Santa Maria, Monique Gelbcke, confirma-se através de estudos que o deambular do cavalo é o mais próximo do caminhar humano, tendo somente 5% de diferença. “Imagine isso, na reabilitação de uma pessoa com algum tipo de paralisia ou paresia que o impeça de caminhar, ou para o fortalecimento muscular de pessoas hipotônicas através de um exercício que mais parece uma brincadeira”, fala a pedagoga. O cavalo tem características que permitem tê-lo como diversas possibilidades de prática. As diferentes texturas do seu pelo, a crina, o focinho, são usados como estimuladores do tato e sensibilidade.

74


Crianças e cavalos: a relação dá certo! De acordo com Monique, foi através das filhas que o cavalo entrou em sua vida. “Comecei a trabalhar com equoterapia e a estudar a relação das crianças com os equinos. Afirmo categoricamente: toda criança deve aprender três coisas: nadar (por uma questão de sobrevivência); praticar um esporte de equipe (para socializar, aprender a ceder, organizar-se em grupo, entre tantos outros…), e andar a cavalo: para aprender todo o resto!”, fala a pedagoga. Monique opinia ainda que o cavalo dá sinais para a criança, se ela está ou não agindo corretamente. “O cavalo a corrige assim que percebe o erro, ensinando e impondo limites, reagindo positivamente quando o erro é corrigido. A criança vai percebendo estes sinais e a sintonia sendo estabelecida. Imagine toda essa ação sobre o desenvolvimento emocional! A criança desenvolve autocontrole, autonomia e uma visão positiva de si mesma. Aprende que tão importante como ser respeitada, é respeitar!”, diz a pedagoga.

A equoterapia A equoterapia trabalha aspectos afetivos, cognitivos, motores, sensoriais e sociais, contribuindo, desta forma, para a inclusão social e educacional de pessoas com deficiência, dificuldades educacionais e sociais; É uma terapia diferenciada e particular; As sessões acontecem ao ar livre; É feita através de mediador terapêutico; E o melhor: com um cavalo! Esse animal, com uma sensibilidade tão grande quanto o tamanho do seu corpo, aceita o paciente da maneira que é. E podemos garantir: ele consegue!

75


Revista Tudo - 12ª Edição  
Revista Tudo - 12ª Edição  
Advertisement