Issuu on Google+

ARQUITETURA E NATUREZA

Na Praia do Rosa, projetos aproveitam beleza do local em pousadas e restaurantes

CONTA CERTA Como fazer os cálculos com precisão na hora de comprar um imóvel

FUNCIONAL E

ARROJADO Projeto prima pela praticidade, garantindo diferenciação com a criatividade da arquiteta em elementos que o tornam único

Setembro / Outubro / 2013 - R$ 10,00 / diariodosul.com.br

7


Produzindo móveis de alto padrão, com uma equipe especializada, utilizando matéria-prima de alta qualidade e moderno processo produtivo. Possui um dos maiores parques fabris da região. Para a Volg, o cliente tem que estar satisfeito. Esse processo vai desde o atendimento até a finalização do projeto.

(48)

3628.1725

Rodovia SC 438, 600 - Km 213 São Martinho - Tubarão/SC projetos@volgmoveis.com.br www.volgmoveis.com.br


EDITORIAL

ILUMINAÇÃO ESPECIAL

A sétima edição da revista Construir & Decorar é um momento especial para toda a equipe que, com muita dedicação, vem trabalhando na publicação. Isso porque neste mês de setembro a Construir & Decorar completa um ano de existência. E como isso só é possível graças aos leitores, queremos que todos participem dessa comemoração. Preparamos uma edição ainda mais especial, com projetos escolhidos para levar muitas ideias e informações para quem está decorando ou construindo seu imóvel. A primavera vem aí, e nada mais alegre do que ter plantas saudáveis, seja num jardim externo ou mesmo dentro de casa. A questão é o cuidado que se deve ter com cada tipo de jardim, e isso a revista traz em uma matéria especial sobre o tema. Cada vez mais em alta na decoração, os móveis feitos com madeira de demolição viraram febre entre e muitos prossinas do setor. A matéria sobre o tema mostra como é possível guardar lembranças e dar um toque especial na casa com esses móveis. Ainda dentro da decoração, um elemento que não pode faltar em uma casa: os tapetes. Uma matéria feita especialmente para esta edição de aniversário mostra a beleza da decoração das pousadas da Praia do Rosa, em Imbituba. Para quem está pensando em construir, r dicas importantes do que é e de como deve ser feita a terraplenagem, elemento fundamental para a qualidade nal da construção. Já para quem quer comprar pronto, a revista traz reportagem sobre como avaliar os custos de um nanciamento.

Quem está procurando um produto diferenciado para a iluminação pode achar o que quer na Florenzze Iluminação Contemporânea, em Tubarão. A loja trabalha com cúpulas, abajures e pendentes, feitos com materiais como tecidos, acetato e cristais. As bases são feitas com madeira torneada, cerâmica e cristal. A nova coleção que está sendo preparada foi desenvolvida pela designer Patrícia Moraes, conferindo exclusividade aos produtos. Segundo o proprietário, Zani Moraes, a empresa está investindo em um showroom, que deve ser concluído ainda neste mês. “Trabalhamos muito com vendas para lojistas, mas queremos focar mais fortemente no público nal, por isso este investimento”, frisa. Para quem quer conferir mais detalhes sobre os produtos e a loja, o site é orenzze.com.br.

Aposta no Móveiscard A Lar Doce Lar, loja localizada em Tubarão e que atua no mercado com diversos produtos como estantes, estofados, poltronas, sofás, móveis para quarto e sala, cortinas, papéis de parede e muitos outros, é uma das credenciadas para quem tem o Móveiscard. O cartão é um produto lançado recentemente pela Caixa e permite nanciar a compra de móveis, eletrônicos e eletrodomésticos, em até 100%, com prazo de até 60 meses para pagar. As taxas de juros cam entre 0,90% e 1,80% ao mês. O valor a ser nanciado também varia, podendo chegar a R$ 20 mil por cartão. A aquisição do Móveiscard é preferencial para os participantes do Minha Casa Minha Vida, e a faixa de juros é decidida com base na categoria do programa.

Problemas em casa? Quem nunca teve uma dor de cabeça com algum reparo em casa? Pois a Doutor Resolve, presente agora em Tubarão, promete solucionar qualquer problema com praticidade e qualidade garantida. O princípio da loja é concentrar em um único local serviços de reparos e reformas, proporcionando aos clientes que possam encontrar com facilidade prossionais para resolver problemas em áreas como elétrica, alvenaria, hidráulica, jardinagem, marcenaria e pintura.

Litiane Klein | Editoraa SETEMBRO/OUTUBRO - 2013

diariodosul.com.br

5


13

PRATICIDADE COM ESTILO PROJETO PRIMA PELA FUNCIONALIDADE

09

17

SOFISTICADO E INTEGRADO GRANDES ESPAÇOS, COM BOA INTEGRAÇÃO E ELEGÂNCIA GARANTIDA

22

OUSADIA ROMÂNTICA PROJETO É BASEADO NO ESTILO ARROJADO DOS MORADORES

COLUNA MERCADO SETOR MOVIMENTADO

10 UM ANO DE SUCESSO ANIVERSÁRIO

25 LEMBRANÇAS COM ESTILO

MADEIRA DE DEMOLIÇÃO

28 ESCOLHA FUNDAMENTAL TAPETES

DO ROSA ARQUITETURA ESPECIAL 33 PRAIA

VOCÊ MESMO 31 FAÇA COLEÇÕES EM EVIDÊNCIA

45

IMOBILIÁRIO CALCULAR PARA COMPRAR

DAS FLORES 42 TERRAPLANAGEM BASE ESSENCIAL NA OBRA MANTENDO O JARDIM 37 HORA

Diretores: Alessandra Loli Zanini de Oliveira, Lúcio Flávio de Oliveira e Tomaz Viana Albuquerque Edição e textos: Litiane Klein Comercial: Evanir Ramos, Flávia Coelho e Giovani Dal-Bó Fotos: Lougans Duarte e assessorias de imprensa. Projeto gráco e diagramação: UAW! Comunicação & Design comercial@diariodosul.com.br | 48. 3631-5024 revista@diariodosul.com.br | 48. 3631-5012


Mercado

CONSTRUIR & DECORAR LITIANE KLEIN

EM GRANDE ESTILO A Eraldo Construções, de Tubarão, realizou um evento cheio de atrações para lançar o Seven, novo empreendimento da construtora. A festa ocorreu na boate Be Liv, foi apresentada pelo jornalista Mário Motta e contou com shows, entre eles do ex-The Voice Dudu. Para encantar os convidados, muita sosticação e alegria foi garantida pela performance de atores vestidos com máscaras e fantasias, lembrando o carnaval de Veneza. No evento, o empreendedor Eraldo Tadeu da Rosa (foto), proprietário da construtora, falou sobre o Seven, cujas vendas já estão a todo vapor. Uma das imobiliárias credenciadas é a Radar. Também marcaram presença o deputado estadual Joares Ponticelli e o prefeito de Tubarão, Olavio Falchetti.

Organização da Construfair comemora sucesso Mais de 38 mil visitantes e cerca de 400 marcas apresentadas em 133 estandes são o saldo do 20º Salão do Imóvel, Construfair/SC, Expo Condomínio e Expo Decor Móveis, eventos sucessivos que ocorreram em agosto, em Florianópolis. A feira superou as expectativas dos próprios expositores, muitos dos quais, segundo a organização, já conrmaram presença para a próxima edição. O presidente do Sinduscon, Helio Bairros, enfatizou que deu para perceber a satisfação de todos. “A feira foi boa tanto em prospecção como em relacionamento e negócios. Superou nossas expectativas.”

OSCAR DA DECORAÇÃO Os 22 prossionais que mais se destacaram no ano no programa de delização do Núcleo Catarinense de Decoração (NCD) foram conhecidos e homenageados em agosto, em um evento considerado o Oscar da Decoração. A premiação da associação foi realizada na praia mexicana de Cancún, com a participação de 150 pessoas, entre eles os principais nomes da arquitetura e decoração catarinense, designers, empresários do setor, convidados e imprensa. Alguns dos prossionais da região da Amurel que foram premiados na categoria Top Year são os engenheiros civis Silvana Caporal, de Tubarão, e Elcio Bianchini, de Braço do Norte, e a arquiteta Anelise Medeiros, também da Cidade Azul.

Ampliação A Imobiliária Vendelar está apostando alto nas vendas de empreendimentos no Parque das Palmeiras, em Tubarão. Prova disso é que, como conta o proprietário da empresa, Fernando Mattos, em 2014 a imobiliária vai montar um escritório especíco para atender o público que tem interesse nos imóveis do loteamento, que cará localizado na rua principal do Parque das Palmeiras. “Acreditando no mercado voltado para os empreendimentos que estão sendo feitos no local”, revela Fernando. SETEMBRO/OUTUBRO - 2013

diariodosul.com.br

9


UM ANO CONSTRUINDO UMA HISTÓRIA DE

SUCESSO

Neste mês de setembro, a revista Construir & Decorar, editada pelo Diário do Sul, está completando seu primeiro aniversário. A publicação nasceu como um suplemento especial, circulando juntamente com o jornal, para já na segunda edição se tranformar numa revista. “Lançamos a revista pensando em levar informação de qualidade e credibilidade tanto para quem quer comprar um imóvel quanto para quem quer reformá-lo e decorá-lo, ou mesmo fazer pequenos ajustes para deixá-lo mais confortável e aconchegante”, frisa o diretor de redação, Lúcio Flávio de Oliveira.

Em setembro de 2012, é veiculada a primeira edição de Construir & Decorar, que é então um suplemento especial, circulando juntamente com o DS. O objetivo é atender a demanda dos leitores em relação ao segmento de imóveis, decoração e construção.

10

SETEMBRO/OUTUBRO - 2013

diariodosul.com.br

Revista Construir & Decorar chega a sua sétima edição, completando um ano de circulação, sempre inovando para garantir as melhores informações para os leitores.

O diretor comercial, Tomaz Viana de Albuquerque, salienta que o mercado da construção civil e, por conseqüência, o da decoração, teve uma expansão considerável nos últimos anos. “Entendemos que o jornal poderia lançar um produto que zesse a ponte entre os consumidores e os anunciantes”, pontua. Para Tomaz, a rede de distribuição do jornal e a credibilidade alcançada pelas duas décadas nas quais o Diário do Sul marca presença no mercado ajudaram na rápida consolidação da revista Construir & Decorar, que, além da mudança de formato, teve também sua distribuição ampliada.

Em sua segunda edição, é feita a opção pelo formato de revista, mais prático, que propicia mais facilidade para ler e também para guardar como material de consulta. O sucesso da primeira edição fez com que o número de páginas fosse duplicado.

Na terceira edição, mais novidades: a revista estreia novas seções, como a Faça Você Mesmo e a Meu Projeto, levando mais informações para o leitor. Também é nesta edição que estreia a Coluna Mercado, assinada pela jornalista Litiane Klein.


7ª Edição Sempre evoluindo, a Construir & Decorar já passou pela mudança de formato para tornar a publicação mais prática e moderna. A revista também passou a ser vendida nas bancas, além de distribuída para os assinantes do DS e hoje chega à sua sétima edição com um projeto editorial que prima por levar informações detalhadas e ao mesmo tempo práticas para os leitores, destacando temas e empresas locais, que estão ao alcance do público. Nesta edição, o conteúdo vem ainda mais especial, em comemoração ao aniversário da revista, com muitas dicas e projetos escolhidos com todo carinho para mostrar as tendências em arquitetura e decoração.

A última edição da revista em 2012 fecha com chave de ouro o primeiro ciclo de um produto de sucesso. As matérias destacam os produtos mais arrojados do mercado, como as novidades em revestimentos cerâmicos e também temas práticos.

A revista começa o ano com muitos motivos para comemorar. Com o sucesso em 2012, a primeira edição de 2013 chega ao leitor toda reformulada, com mais projetos destacados. Com a conrmação de um produto que deu certo, o alcance da revista é ampliado.

Já sendo distribuída em 50 cidades e com o público ampliado para 25 mil leitores, a Construir & Decorar tem pela segunda vez sua edição vendida nas bancas. Em sintônia com o frio, um projeto muito aconchegante é destacado na capa. SETEMBRO/OUTUBRO - 2013

diariodosul.com.br

11


PROJETO

MEU PROJETO

PRÁTICO E MODERNO Um projeto de uma residência de aproximadamente 150m², para um jovem casal, com peças funcionais e, acima de tudo, prático para os proprietários. Esta foi a base inicial para a arquiteta e urbanista Paula Corrêa Pereira desenvolver o projeto desta casa. Segundo ela, as exigências foram poucas, entre elas a laje inclinada e a área social integrada.

Como pontos marcantes, a arquiteta destaca as lajes inclinadas, o pé direito alto e uma porta janela de cinco metros de largura com abertura para nordeste na área social, que deixou a casa bem arejada. “A entrada eu também acho um ponto bem marcante, o pergolado marcou bem a entrada principal da casa”, sublinha Paula.

SETEMBRO/OUTUBRO - 2013

diariodosul.com.br

13


Na cozinha, tons neutros e madeirado, com destaque para o detalhe em pastilha na parede acima da pia e para a mesa da copa, com pintura laca alto brilho bordô, conferindo sosticação ao ambiente.

A arquiteta também fez o projeto de interiores, que, conforme ela, já foi pensado junto com o projeto arquitetônico. “Denimos o layout de acordo com o mobiliário que realmente seria utilizado”, pontua. Foram utilizados móveis sob medida em MDF, alguns com MDF e fórmica e outros com pintura laca.

Em toda a área íntima da residência foi feito o forro de gesso, o que permitiu a instalação de mais de um circuito de iluminação e diferentes opções de ambientação. “Geralmente as pessoas preferem usar cores mais neutras nesses ambientes para não enjoar, então usamos cores fortes e marcantes somente em detalhes e objetos que podem ser trocados com mais facilidade ou em ambientes de pouca permanência”, sublinha a arquiteta.

14

Um exemplo de ambiente de pouca permanência é o banheiro social (à direita), onde foi usado um madeirado mais escuro, com pastilha bordô. “Nos banheiros usamos bancada em quartzo branco, espelhos grandes e pelo menos três circuitos diferentes de iluminação, dando um toque a mais de charme para esses ambientes”, detalha Paula.


Sob outro ângulo da copa, pode-se perdeber a integração dos ambientes, que conta com um detalhe que faz a diferença - , a estante da sala, que divide os ambientes sem fechar totalmente. O painel central é todo revestido em espelho cristal, onde foi colocada a televisão, o que permite virar a TV para os outros locais, como a copa.

Paula destaca como ponto alto da decoração a estante da sala. “Desde quando eu z o projeto arquitetônico eu já tinha pensado em fazer algo que fosse até a laje, mas que não fechasse totalmente a sala. Nela trabalhamos com as laterais vazadas, é um detalhe que eu acho bem legal”, aponta. Faz parte do móvel ainda nicho para os equipamentos, e o painel central revestido em espelho cristal, que permite a mobilidade da TV. Há ainda as prateleiras de vidro na parte mais alta. “Repetimos o painel vazado bem na entrada, para não revelar toda a área social de uma só vez”, completa a arquiteta.

Fornecedores: Revestimentos: Lessa Distribuidora Móveis: Perl Móveis Cadeiras e Sofá: Suely Bianco Home Art Pedras: Marmoraria Ornamento Decorações: Originale Decorações Tapetes, Roupas de Cama e Toalhas: Léia Enxovais Luminárias: Celesp e Florenzze Luminárias Rua Jaime Aguiar de Souza, 631 - Humaitá de Cima | Tubarão SC Fones: 48 8449-5005 / 3628-2527 contato@paulapereiraarquitetura.com.br www.paulapereiraarquitetura.com.br

15


AMPLO, INTEGRADO E

MEU PROJETO

ELEGANTE

As arquitetas Andréa Guglielmi Piazza e Fabiany Meneghel desenvolveram o projeto desta casa localizada no Centro de Tubarão, trabalhando tanto no projeto arquitetônico quanto no interior (design). Os proprietários, um casal com três lhos, tinham como prioridade espaços integrados e ligação do social com o lazer.

A integração é uma das bases do projeto, como ca claro no living, jantar e cozinha. O terreno em um grande aclive permitiu que os pisos cassem em desníveis, proporcionando na área social um pé direito duplo.

SETEMBRO/OUTUBRO - 2013

diariodosul.com.br

17


A marcenaria foi toda personalizada, trabalhada com muitos relevos e tons pasteis. A cozinha gourmet ca integrada ao espaço de lazer, que pode ser visto ao fundo.

A cozinha foi toda feita em tons nude. Para completar a decoração, foi realizada a composição com espelho bronze e com a bancada. Mais uma vez se destaca a iluminação, feita com diversos elementos e criando diferencial.

ESTILO

CONTEM 18

O projeto do imóvel prioriza traços contemporâneos em sua concepção, utilizados para compor ambientes com um toque de sosticação. Foram escolhidos ainda materiais de baixa manutenção, mantendo a praticidade.


O living jantar e cozinha estão integrados e em sequência abrindose para a cozinha gourmet e a piscina ao fundo. O estilo é contemporâneo e foi dada uma atenção toda especial para o projeto luminotécnico, para deixar o espaço cênico e criar várias possibilidades, já que o grande living também funciona como home theater.

PORÂNEO Sob outro ângulo, destaque para a bancada em Silestone Tigres Sand, compondo com o ambiente, que tem a leveza assegurada pelos tons claros utilizados nos móveis e elementos de decoração.

19


Na parte superior do imóvel, a área íntima da casa, marcada por uma grande suíte master integrada ao banheiro e ao grande closet. Tudo em tons nude.

No banheiro da lha (acima), a pastilha segue a mesma cor dos detalhes do quarto.

Na suíte do caçula o futebol, uma paixão dos dois lhos do casal, impera. Para destacar o gosto do menino pelo esporte foi introduzido nos materiais metálicos círculos lembrando bolas de futebol e tecidos em tons de azul zeram todo a composição.

Mais três suítes completam a área íntima, cada uma com suas características próprias. Na suíte da lha, os móveis em tom off white com composição de texturas e tecidos na cor berinjela.

Andréa Guglielmi Piazza e Fabiany Meneghel

20

SETEMBRO/OUTUBRO - 2013

diariodosul.com.br

Andréa Projetos e Arquitetura Rua Argentina, nº 21 – Vila Moema – Tubarão Fones: 48 3626-2546 ou 48 8845-4588/9630-0006 andrea_projetos@brturbo.com.br www.gugliemimeneghel.com.br


21


MEU PROJETO Na sala do imóvel, foi utilizada iluminação atrás da televisão, para dar um diferencial e criar outras possibilidades para o ambiente.

OUSADIA

É REFERÊNCIA EM PROJETO

Ainda na sala, foi usado o sofá retrátil e reclinável, peça que garante, além da beleza, muito conforto em um ambiente que tem que ser acolhedor. Os quadros em moldura preta e as poltronas também tornam o ambiente aconchegante. Todos os detalhes foram criados pela Zanelatto Design, dos móveis sob medida aos estofados, iluminação e decoração.

22

SETEMBRO/OUTUBRO - 2013

diariodosul.com.br

O perl do casal que contratou a Zanelatto Design para executar este projeto, localizado em Imbituba, anunciava que o local teria que ser moderno, ousado, sem perder de vista o romantismo. Todo projeto, segundo a designer de interiores Silvia Zanelatto, partiu de um ponto: a cama japonesa. “Ela não poderia faltar. No restante, ganhei total conança para criar algo diante das necessidades e personalidade dos clientes”, conta Silvia.


FOTOS: PAULO ARMANDO/DIVULGAÇÃO/CED

A cama japonesa foi a referência do quarto. Foi usado papel de parede preto e branco na cabeceira e no fundo da estante para livros, com desenho e cores que dão um clima oriental. As fotos do casal tornam o ambiente mais romântico. O espelho com a arandela aumentam o local e fazem toda a diferença. Além disso, a cadeira giratória e as almofadas do recamier compõem com o restante.

Na banheiro, mais uma vez é utilizado o preto e branco, na medida certa para não tornar o local escuro. O quarto do casal conta com o armário projetado especialmente para ofertar bastante espaço e praticidade.

Silvia Zanelatto

Na entrada do imóvel, o ambiente ganha charme que ca por conta do papel de parede com ores e o aparador com pés de vidro.

designer de interiores Zanelatto Design - Fone: 48 3255-6023 contato@zanelattodesign.com.br www.zanelattodesign.com.br SETEMBRO/OUTUBRO - 2013

diariodosul.com.br

23


Um estilo mais rústico, evidenciado na escolha dos materiais.

PARA DECORAR E AMAR

ESTILO CHEIO DE

HISTÓRIA

O pufe é feito com pneu. Opção de reaproveitamento ecologicamente aprovada.

Seja pela tendência de buscar alternativas me-

nos danosas ao meio ambiente, por um desejo de guardar lembranças, ou apenas por uma questão de estilo, a madeira de demolição está cada vez mais em alta na decoração. De acordo com o artesão Paulo Ivair Silvano Pereira, que trabalha com peças feitas com materiais de reuso, muitas pessoas têm procurado a opção do reaproveitamento, algumas pelo estilo rústico ou para trazer algo mais natural para dentro de casa, outras para reaproveitar algum móvel ou objeto que tenha herdado. “Temos um cliente que construiu uma casa nova e aproveitou toda a madeira e os móveis da casa antiga. Está cando bem legal o resultado”, conta. Reaproveitar o material de antigas moradias é também uma forma de manter vivas histórias e lembranças de família. “As peças que contam história são pontos bem marcantes dentro da decoração da casa, acho que deixa a decoração com mais vida e signicado”, opina Paulo. Todas as peças produzidas pelo artesão têm pelo menos algum detalhe em madeira. “Este é o principal material que trabalhamos e que é de reuso. Mas há algumas outras opções de reaproveitamento, como o pufe, feito de pneu”, salienta.

A durabilidade e resistência da madeira combinam bem com a mesa, com a leveza garantida pelo estofamento em tom claro das cadeiras e pelo detalhe em vidro. SETEMBRO/OUTUBRO - 2013

diariodosul.com.br

25


As peças foram feitas sob medida, para uma casa que segue um estilo rústico, misturado ao contemporâneo. A madeira aparece em sintonia com o espelho e outros materiais.

Mais uma vez a madeira de demolição aparece integrada ao ambiente moderno e funcional.

Reaproveitando a madeira Paulo trabalha com móveis rústicos e o principal

madeiras que estão com condições de serem utiliza-

material utilizado é a madeira de demolição. A maio-

das. Geralmente encontramos madeiras nobres, como

ria das peças são feitas com os materiais em estoque,

peroba, canela, sucupira, sobragi, araucária, cedro e

já que a empresa busca sempre elementos como ma-

pindavuna”, detalha.

deira, bambu, eucalipto, pneus, ferro e sucata.

Os móveis são feitos com muita criatividade e con-

“As casas que desmanchamos são casas simples e

siderando o gosto do cliente, utilizando a mistura com

não tão antigas, mas já velhas e que, no lugar delas,

outros materiais, como MDF, pintura, vidros, espelhos,

será construída outra, por exemplo. Selecionamos as

tecido e iluminação.

A mescla do uso da madeira no painel com o vidro da bancada e cores mais claras nas cadeiras e no armário de apoio do fogão mostra que o material pode se casar com diversos outros, formando um conjunto harmônico.

Serviço

Pau Pereira Ocina de Arte Rua Manoel Miguel Bittencourt, 360, Humaitá de Cima - Tubarão Fone: 48 8449 5005 ou 9129 2159

26


BELEZA

E ACONCHEGO MARCAM TAPETES

Aconchegantes, divertidos, sosticados, discretos ou marcantes. Existem tapetes para todos os gostos, mas o fato é que eles não podem faltar na decoração de um ambiente. Até porque uma das funções desse elemento é delimitar o espaço. O tapete também deve ser adequado ao lugar. Em ambientes pequenos, por exemplo, deve-se preferir um tapete grande, porque se ele for pequeno passa a impressão de que o local é ainda menor. Hoje existem modelos, cores e materiais para todos os tipos de situação e gostos. Além disso, os produtos evoluem em materiais. Quem tem alergia, por exemplo, e sempre fugiu dos tapetes, pode optar por aqueles feitos de bras sintéticas, que podem ser limpos até mesmo com um pano, evitando o acúmulo de poeira. Conheça alguns modelos de tapetes que estão em alta no mercado.

Tapete Agra Capuccino, da Corttex. Feito com felpas 100% poliéster, com 6 cm de altura. Um dos destaques nas vendas pela beleza e praticidade. As cores neutras, como o marrom, são muitas vezes preferidas para os tapetes, para que se possa manter a base neutra e ousar na decoração.

28

SETEMBRO/OUTUBRO - 2013

diariodosul.com.br

PARA DECORAR E AMAR


Estilo

O tapete segue o estilo dos moradores da casa. Os mais procurados são os de tons neutros, mas também há espaço para cores marcantes e estampas, como no caso dos tapetes persas, que sempre estão em alta. Há casos nos quais o tapete é a própria decoração do ambiente, fazendo o papel de levar cor ao local. Dessa forma, além das cores mais marcantes também podem ser utilizadas as listras e estampas. Ao lado, um exemplo de ambiente no qual o tapete leva cor, com móveis em tons de bege. O produto é o Tapete Bucana Roxo, da Corttex, felpa 100% poliéster, com 4 cm de altura. A base é 66% poliéster, 26% algodão e 8% viscose. Disponível em diversas cores e tamanhos.

Os materiais têm sido cada vez mais diversicados nos tapetes. Ao lado, dois modelos da Artape - o feito em lycra e o de ta de cetim, ambos na cor bege. A ta de cetim, o o de seda, a lycra e a pele, além dos os sintéticos, são produtos que têm aparecido na decoração com frequência. Os modelos com listras também estão em alta e são muito utilizados em ambientes mais descontraídos e divertidos.

Na sala, uma mistura de tons claros e escuros, que resulta em um ambiente sosticado sem perder a leveza. O tapete de ta de cetim, preto, da Artepe, delimita o espaço.

SETEMBRO/OUTUBRO - 2013

diariodosul.com.br

29


FAÇA

VOCÊ MESMO

COLEÇÕES QUE DÃO ESTILO

Miniaturas, lápis, cartões postais, livros, discos, potinhos, caixinhas ou até objetos de arte de alto valor. Todas essas peças e muitas outras são colecionadas por diversas pessoas, que nutrem um carinho especial por elas, por motivos diversos. Em vez de carem guardadas, porém, as coleções podem ser integradas à decoração de um ambiente, trazendo mais vida, cor, alegria e estilo, além, claro, de um toque pessoal muito especial.

A primeira dica é buscar agrupar as peças similares

ou da mesma família em um só lugar, e não espalhá-las por diferentes locais. Com isso, você valoriza a coleção e mostra o conjunto, que, na maior parte das vezes, é o que dá sentido à coleção, especialmente se forem objetos menores;

Em casos de peças para as quais se pretende dar um destaque maior, como objetos de arte, porém, as peças podem car

isoladas, e uma possibilidade para valorizar é utilizar uma iluminação focada, especial para dar destaque, tomando o cuidado de escolher algo que não prejudique a peça com o calor. Uma opção é a iluminação de LED;

Para expor a coleção mantendo os objetos protegidos,

pode ser utilizado um armário de vidro, formando uma vitrine. Nesse caso, a iluminação também pode ajudar a destacar a coleção;

Os objetos podem ser suspensos em prateleiras, nichos, ou com a utilização de molduras. No caso de fotos e gravuras, as molduras são ideais para a preservação, assim como porta-retratos; Algumas coleções podem ser diretamente penduradas

na parede. É o caso de chaves, espelhos e até pratos e discos;

Uma coleção de objetos pequenos, como conchas ou pedras, pode ser colocada em um pote de vidro com a tampa decorada, e ser utilizada com os outros objetos de decoração, sobre um aparador, por exemplo; A escolha do local ou móvel que abrigará a coleção

é fundamental e deve ser feita de acordo com os objetos que são colecionados. Uma dica importante, porém, é não esquecer de prever espaço para uma futura ampliação, já que a coleção deve aumentar com o tempo. SETEMBRO/OUTUBRO - 2013

diariodosul.com.br

31


LUXO E NATUREZA NA

PRAIA DO ROSA

SOFISTICAÇÃO ALIADA E EM SINTONIA COM AS BELEZAS NATURAIS MARCAM PROJETOS DE POUSADAS E RESTAURANTES

Projetos arquitetônicos integrados ao ambiente, respeitando e preservando a natureza. Essa é a marca de diversas pousadas e restaurantes da Praia do Rosa, pertencente ao município de Imbituba. Locais sosticados, sem perder o charme rústico da praia também são bastante característicos no local. A beleza natural compõe com os ambientes, como no caso da Pousada Solar Mirador, que tem como uma das marcas o uso de grandes decks em balanço para proporcionar espaços horizontais ao hóspede e grandes áreas transparentes permitindo uma boa visibilidade do mar e da linda paisagem. A aposta dos empresários no incremento do turismo de inverno faz com que elementos que proporcionam conforto nos dias de frio sejam cada vez mais parte dos ambientes.

33


Projetada pelo Escritório de Criação Mário Quintana, em Porto Alegre, a Solar Mirador tem um elemento destaque na decoração, que é a lareira da sala de estar. Ela nasce junto de uma grande pedra existente neste ambiente, onde a forma da lareira respeita o seu perl. A parede lateral foi pintada num tom de vermelho agudo, de maneira a destacar o espelhamento do perl da pedra.

CHARME LOCAL

PROJETOS PRIMAM PELO USO DE MATERIAIS E ELEMENTOS PRODUZIDOS NA REGIÃO

A pousada Morada dos Bougainvilles, com projeto inicial da Tasca Arquitetura, é uma das mais antigas e conta a história de uma época em que os primeiros empresários começaram a transformar suas casas em pousadas, como foi o caso da Morada. O projeto foi iniciado com a ampliação da casa original da dona, Bebela Baldino. Muitas intervenções futuras resultaram em um local que prima pela associação com a paisagem e a natureza, com muito conforto.

Dentro da Morada dos Bougainvilles está localizado o restaurante Sapore di Pasta. As técnicas construtivas da mão de obra local e os materiais que se destacam pelo aspecto regional, como a pedra e a madeira, marcam o local com muito estilo e leveza.

34

SETEMBRO/OUTUBRO - 2013

diariodosul.com.br


Na Hospedaria das Brisas, projetada pela arquiteta Andréa Neves, o clima aconchegante direciona as ambientações em todas as áreas da pousada. Nas cabanas, elementos rústicos feitos de materiais como a palha e a madeira se integram a outras decorações. No desenvolvimento e implantação do projeto, integrar as espécies e pedras do terreno e valorizar a visibilidade, iluminação e ventilação natural foram prioridade.

Os projetos não estão inseridos apenas na natureza, mas também no contexto local. O uso de materiais e artigos de decoração produzidos na própria praia também marcam grande parte dos projetos. Na Solar Mirador, segundo o designer Mario Quintana, os móveis, produzidos por artesãos da região, buscam manter as características regionais. O luxo ca por conta de elementos como a iluminação, as diversas opções de lazer oferecidas e pela elegância dos detalhes.

SETEMBRO/OUTUBRO - 2013

diariodosul.com.br

35


PARA DECORAR E AMAR

PRIMAVERA COM MUITA ALEGRIA

Cuidar bem do jardim é popularmente sinônimo de atrair coisas boas para a vida. Para ter as plantas saudáveis e garantir uma primavera orida dentro de casa, porém, é preciso ter cuidados especiais com o jardim e as plantas, que devem também ser escolhidas conforme o ambiente no qual vão car. SETEMBRO/OUTUBRO - 2013

diariodosul.com.br

37


JARDIM PRECISA SER SAUDÁVEL Para manter as plantas com saúde, elementos como hidratação, adubação e poda são fundamentais, mas também é preciso orientação na hora de escolher a planta certa para cada local.

Nada combina melhor com a primavera do que um jardim lindo e cheio de vida, mas para isso é preciso ter cuidados especícos com as plantas o ano todo. Além disso, para um bom e saudável jardim é preciso ter uma orientação especial na escolha das plantas corretas para cada local – seja um jardim externo, de inverno, vertical ou de interior. A proprietária da Floricultura Natureza e Vida, Maria de Fátima Farias Paes, lembra que mesmo quem mora em um pequeno apartamento pode ter um jardim. “Hoje, a maioria das pessoas moram em apartamentos. Exatamente por isso o jardim está cada vez mais adaptado para esses imóveis”, frisa. O jardim vertical é um exemplo. Sem ocupar espaço e trazendo muita alegria para casa, existem vasos adaptados que já vêm com adubação e são também muito práticos para os moradores. “Um jardim, seja como for, sempre exige cuidados, mas hoje existem opções mais práticas para quem não tem muito tempo”, observa Maria de Fátima.

38

SETEMBRO/OUTUBRO - 2013

diariodosul.com.br

Escolher a planta certa para cada local é fundamental para quem quer ter um jardim, seja ele em casa ou apartamento. O ideal é buscar orientação especializada para eleger as espécies mais adequadas.


Cuidados com as plantas Cuidados que não podem ser deixados de lado para quem quer ter um jardim são elementos como poda, hidratação e adubação, que devem ser adaptadas sempre ao tipo de planta. Uma dica da proprietária da Natureza e Vida é não adubar durante o inverno. “Na estação mais fria, as plantas entram no que chamamos de dormência, por isso adubar pode até mesmo matar a planta”, sublinha. Fora isso, o cuidado é escolher a planta certa. “Não adianta a pessoa achar bonita e comprar sem saber se ela se adapta ao ambiente em que será colocada. Pode-se ter todo cuidado, mas algumas espécies são específicas para certas condições”, salienta Maria de Fátima. Para quem pensa que a primavera é a época certa para plantar, ela arma que o plantio pode ser feito em qualquer estação. “O que é necessário é apenas adaptar os cuidados ao clima. No verão, por exemplo, a pessoa vai ter que regar muito o jardim”, pontua.

As plantas completam a decoração e levam vida ao ambiente. Para quem, porém, não tem muito tempo para cuidar do jardim, existem opções práticas que podem ser preferidas.

SETEMBRO/OUTUBRO - 2013

diariodosul.com.br

39


DICAS PARA CUIDADOS ESPECÍFICOS Observar as características e necessidades de cada espécie de planta é fundamental para mantê-las saudáveis e garantir o desenvolvimento.

Existem elementos que devem ser observados para qualquer tipo de planta, como poda, adubação, hidratação, correção do solo e controle de pragas. Cada espécie, porém, tem características especícas e, por isso, os cuidados devem ser adequados. Quando uma planta não se desenvolve da forma esperada, certamente algum aspecto não está sendo observado em relação aos elementos especícos que devem ser adotados para cada tipo de planta. O ideal é sempre buscar orientações especializadas sobre como cuidar de cada jardim, mas algumas dicas em relação a espécies mais comuns podem ajudar.

O segredo da grama

Cultivando violetas

Horta em casa

Para quem opta pela grama, Maria de Fátima destaca que, no geral, é preciso primeiro adaptar o solo para o plantio. “Fazemos o controle do PH da terra, da hidratação do solo e a adubação. No caso da grama, esta última deve ser feita uma vez por ano. Além disso, é importante ter atenção especial com o corte”, arma. Segundo ela, a grama deve ser cortada sempre e no mesmo grau. “Tem gente que pensa que pode deixar a grama crescer um pouco mais, para depois cortar. Isso é um erro. O tamanho máximo deve ser de 10 centímetros, mas a grama deve ser cortada sempre na mesma altura. No verão, isso signica que o corte será mais ou menos de 10 a 15 dias”, aponta.

A violeta é uma das plantas mais procuradas. Ela pode ser cultivada dentro de casa, então é boa opção para quem mora em apartamento. No entanto, também é uma planta que exige certos cuidados. “A violeta deve car em um lugar com bastante luz indireta. O ideal é que a luz venha através de um vidro, no qual o sol não bata diretamente”, destaca Maria de Fátima. Além disso, é uma planta que não pode ser encharcada, deve car apenas úmida. “Nós colocamos um pouco de água na terra e o restante no prato. Assim, ela vai sugar o que precisa”, ensina. Molhar as folhas pode fazer com que elas apodreçam. A adubação deve ser feita a cada 15 dias, com adubo próprio para violetas.

Para quem gosta de cultivar temperos e verduras, essas plantas podem ser cultivadas em solo ou em vasos, desde que o local pegue bastante sol. “Ervas e verduras precisam de muito sol para se desenvolver. Para quem quer cultivar estas plantas em apartamento, por exemplo, pode ser feita uma treliça em uma parede que pegue bastante sol e usar vasinhos”, destaca Maria de Fátima. Outro cuidado que se deve ter com as plantas em geral é em relação às pragas. “Deve-se ter cuidado com o inseticida, por exemplo, pois ele pode matar a planta. O fumo de corda é um inseticida natural. O veneno para pragas sempre deve ser usado até que ela seja eliminada.

40

SETEMBRO/OUTUBRO - 2013

diariodosul.com.br


TERRENO APTO PARA A OBRA

TERRAPLENAGEM É UM PROCESSO FUNDAMENTAL NA CONSTRUÇÃO, QUE DEVE SER FEITO DE FORMA ADEQUADA PARA EVITAR PROBLEMAS COMO INFILTRAÇÕES, RACHADURAS E RECALQUE. A terraplenagem é uma técnica construtiva que

terson de Oliveira, engenheiro civil e proprietário da

visa aplainar e aterrar um terreno. Geralmente, esta

SF Terraplanagem. “Existem projetos que terão uma

movimentação de solo tem o objetivo de atender a um

garagem subterrânea, por exemplo, outros, nos quais

projeto topográco, como barragens, edifícios, aero-

é fundamental que o imóvel que em um nível mais

portos, açudes, entre outros projetos. Terraplenagem

alto. Em cada caso, a terraplenagem deve ser feita de

é, portanto, qualquer trabalho que tenha por m mo-

forma adaptada ao projeto”, destaca.

dicar o relevo natural de um terreno por meio de aterros.

A terraplenagem feita de forma inadequada pode resultar em uma série de problemas futuros ou até

Quando se pensa em construir um imóvel, o pri-

mesmo já durante a obra, como ressalta o também en-

meiro processo que deve ser pensado e que vai de-

genheiro civil da SF Terraplanagem, Lucas de Oliveira.

terminar todo o restante da obra é a terraplenagem,

“Se esta etapa não for feita de forma adequada, podem

que nada mais é do que tornar o terreno apto a ser

ocorrer inltrações, rachaduras, recalque, até mesmo

edicado.

inviabilizando a continuidade da obra. Uma terraple-

O procedimento deve ser feito de acordo com o projeto do imóvel que será construído, como destaca Pe-

42

SETEMBRO/OUTUBRO - 2013

diariodosul.com.br

nagem bem planejada signica economia de tempo e dinheiro na obra”, pontua.


Escolha delicada Os problemas que podem ocorrer posteriormente ou durante os trabalhos tornam fundamental a escolha de prossionais que façam o serviço de forma adequada e que já tenham referência no mercado. “Para cada trabalho de terraplenagem existe um processo, e, para cada processo, um equipamento especíco. A utilização das máquinas corretas deve ser observada”, sublinha Peterson. Investir em um procedimento bem feito, lembra Lucas, pode representar um custo pontual maior, mas a economia ocorre com a minimização de problemas que podem decorrer de um processo feito de forma incorreta. “O uso de máquinas adequadas e tecnologia também gera uma economia de tempo, o que se traduz em redução de custo. É preciso sempre avaliar o custo/benefício e fazer uma boa avaliação antes da contratação da empresa para realizar a terraplenagem”, conclui.

“Existem projetos que terão uma garagem subterrânea, por exemplo, outros, nos quais é fundamental que o imóvel que em um nível mais alto. Em cada caso, a terraplenagem deve ser feita de forma adaptada ao projeto.” Peterson de Oliveira, Engenheiro civil

SETEMBRO/OUTUBRO - 2013

diariodosul.com.br

43


CALCULAR ANTES DE

COMPRAR Ter um imóvel para morar ou mesmo como investimento é o sonho da maior parte das pessoas. Um sonho que, nos últimos anos, com as facilidades para nanciamento e programas de incentivo como o Minha Casa, Minha Vida (MCMV), cou muito mais viável e acessível para grande parte da população. No entanto, quem está planejando comprar um imóvel deve avaliar diversos aspectos antes de fechar negócio, especialmente para assumir um nanciamento, que é um compromisso nanceiro de longa nga duração. aixa, Robert KeO superintendente regional da Caixa, nnedy Lara da Costa, destaca que o primeiro cuidado que o comprador deve ter é com o comprometimento da renda.

“Ele não pode ser superior ao que se tem no orçamento para gastar com moradia, sob pena de o sonho virar pesadelo por ter assumido um compromisso nanceiro além de sua capacidade”, ressalta.

Conforme Robert, uma análise e bem m simplista para vericar se o nanciamento nciamento é viáv viável ell é a relação do que a pessoa está pagando para morar (aluguel) e o que vai assumir de compromisso com a prestação. “Como a prestação é decrescente, pelo mo-

ENTRE PAGAR UM FINANCIAMENTO E ARCAR COM CUSTOS DE ALUGUEL, A PRIMEIRA OPÇÃO É QUASE SEMPRE MAIS VANTAJOSA. NO ENTANTO, ANTES DE COMPRAR UM IMÓVEL, É PRECISO SABER BEM QUAL O VALOR QUE SE PODE PAGAR

delo de amortização utilizada, diria que quem tiver um acréscimo no seu custo para moradia de até 20% e isto caiba no seu orçamento, deve nanciar seu imóvel. Num período de três anos a relação já será vantajosa da prestação em relação ao aluguel”, ensina. Robert destaca também que um aspecto importante é a qualicação da construtora, para não correr risco com a qualidade dos materiais utilizados. Fernando Mattos, diretor proprietário da Imobiliária Vendelar, aponta a necessidade de pesquiVen sar o histórico da empresa ou prossional responsável pela venda, para evitar prores blemas bl e ter a garantia de que o negócio está e sendo feito com toda a segurança.

“É importante saber se há o registro de incorporação, e, claro, avaliar a construtora que está produzindo. Ofertas muito baixas devem ser vistas com cuidado redobrado”, salienta.

Robert R frisa que, quando se tratar de compra co de imóvel em produção, este cuidado deve ser ainda maior, para não ter a dor de cabeça de atraso de entrega e até o risco de não receber o imóvel por problemas com a construtora. SETEMBRO/OUTUBRO - 2013

diariodosul.com.br

45


Despesas extras devem ser consideradas Não é apenas o valor da entrada e da parcela do nanciamento que deve ser considerado na hora da compra de um imóvel. Anal, o comprador terá despesas com a transferência do imóvel, registro e outras taxas. “Para a transferência é cobrado o ITBI de 2% (reduzido para 0,5% quando for o primeiro imóvel nanciado), além das despesas de registro no Cartório de Registro de Imóveis, FRJ 0,2% e taxa de contrato entre R$ 250,00 e R$ 500,00. Este contrato tem valor de escritura, portanto não haverá a despesa no cartório de títulos e documentos com a escritura pública”, detalha Robert. Ele ressalta que os percentuais citados são sobre o valor da transação imobiliária e não sobre o nanciamento.

46

SETEMBRO/ OUTUBRO - 2013

Financiamento possui requisitos É verdade que nanciar um imóvel cou bem mais fácil nos últimos tempos, mas existem requisitos que devem ser preenchidos. O superintendente da Caixa ressalta que, na maior parte dos casos, o comprador terá que dar um valor de entrada. “Para nanciamentos dentro do programa MCMV e com prazo até 240 meses a quota de nanciamento pode ser de até 100%. Se o prazo for de até 300 meses a quota é de 90% e 360 meses a quota de até 80%. No SBPE (Sistema Brasileiro de Poupança eEmpréstimo), a quota máxima é de 90%”, pontua. A documentação necessária é identidade, CPF, comprovante de residência, comprovante de renda e comprovante de estado civil. No caso de casal a documentação é de ambos. Aliás, quem é casado não pode comprar um imóvel pelo programa MCMV somente no seu nome – será sempre considerando a renda do casal, como comenta Fernando, da Vendelar. “Em outros programas de nanciamento, se o casamento for com separação total de bens, é possível nanciar somente para um dos cônjuges, mas em outros regimes é sempre no nome do casal”, sublinha. O comprometimento máximo de renda com a prestação habitacional, é de 30%, ou seja, o valor da parcela não pode ultrapassar este percentual, como explica Robert. “Baseados no valor que o cliente pode assumir de prestação é que podemos calcular qual o valor que ele consegue levantar a titulo de nanciamento imobiliário”, salienta.



Construir & Decorar - Setembro/Outubro 2013