Page 1

Ano 4 - Número 14 R$ 29,90 - Agosto/2019

ENTREVISTA

Governador destaca primeiros meses de gestão

BELEZA

Joias personalizadas conquistam espaço

SUL EXIGE

MAIS ATENÇÃO Entidades de classe, associações, órgãos públicos e privados reivindicam ações para o desenvolvimento da região. Páginas 26 a 30.


Editorial

Santa Catarina é berço de grandes riquezas. O Sul não fica fora. Dezenas de obras seguem em andamento. Outras ainda precisam ser acabadas e algumas são anseios dos sulistas para sair do papel. Todas, em conjunto, têm a missão de melhorar a infraestrutura deste Estado tão grandioso. Assim, esta edição da Revista Tudo traz uma reportagem especial sobre os desafios do Sul do Estado para que a região siga em crescimento. Entidades comentam quais são as principais reivindicações e mobilização junto ao governo de Santa Catarina para que se continue em desenvolvimento. O tema é capa desta edição. Ampliando o assunto, o governador Carlos Moisés, em entrevista exclusiva à Tudo, fala sobre seus primeiros meses de gestão; projetos e como analisa o pleito do Estado e, em especial, do Sul. E se vamos falar em desenvolvimento, por que não abordar a busca pela estabilidade financeira e pessoal? Concurseiros contam na matéria de Educação como se preparam para os testes e dão dicas para “se dar bem” nas provas. As tendências estão em constante mutação. Para tratar do assunto, a reportagem de Beleza traz a trajetória de uma empreendedora que resolveu investir em acessórios, utilizando peças da natureza e produtos que iriam ser descartados. E, aproveitando o assunto, a Revista Tudo mostra como é a vida de um digital influencer e como eles ‘ditam’ moda aos seus seguidores. Vai um chimarrão aí, tchê? Quem são os moradores de Santa Catarina que mantêm o estilo gaúcho de saborear um mate? É o que mostra a matéria de Cultura desta edição. No Especial Cidades, Armazém e Treze de Maio mostram seus projetos e conquistas. Enfim, mais uma edição com TUDO para quem deseja estar bem informado. Boa leitura!

Daiane Fernandes Editora

6


Expediente

Equipe de direção: Cristiano Carrador Lúcio Flávio de Oliveira Tomaz Viana de Albuquerque Editora-chefe: Daiane Fernandes Reportagem: Daiane Fernandes Tatiana Dornelles Relacionamento com o cliente: Giovani Dal-Bó Daniel Pereira Revisão: Tatiana Dornelles Diagramação: UAW! Comunicação & Design Impressão: Coan Gráfica

w w w. d i a r i o d o s u l . c o m . b r

Avenida Marcolino Martins Cabral, 1315, 6º piso Praça Shopping - Centro - Tubarão/SC - 88701-105

comercial@diariodosul.com.br | 48. 3631-5024 revistas@diariodosul.com.br | 48. 3631-5011 redacaotudo@gmail.com | 48.3631-5000

8


9


Índice

12. Um pouco de tudo 14. Mercado 17. Especial Cidades 26. Especial 33. Entrevista 39. Educação 42. Saúde 46. Construção Civil

10


Ă?ndice

49. Ambientes 65. Beleza 69. Moda 71. Cultura 74. Sabores 78. Viajar 81. Roteiro 84. Universo Pet 86. Mundo Novo

11


Um pouco de TUDO

Enem terá aplicação digital em 2020

Jato do governo é vendido A Secretaria de Estado da Casa Civil de Santa Catarina vendeu a aeronave Cessna Citation, prefixo PP-ESC, pertencente ao governo catarinense, para o estado do Mato Grosso do Sul. O valor do jato ficou em US$ 861.821. A avaliação do avião foi feita via laudo por uma empresa escolhida por licitação. Houve dispensa de licitação na venda da aeronave por se tratar de negociação entre os governos de dois estados. O valor equivale a cerca de R$ 3,2 milhões.

Nada muda para os participantes inscritos em 2019. O Ministério da Educação anunciou que o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) vai se tornar digital. A proposta é de uma implementação progressiva. Em 2020, a versão digital será aplicada em fase piloto. A previsão do governo é abandonar as versões impressas em 2026. Nada irá mudar para os participantes inscritos em 2019.

Modelo catarinense é capa de revista australiana Aos 15 anos, a modelo catarinense Georgia Furlan foi a estrela da edição de junho da revista australiana Katwalk Kids Fashion Magazine. Ela foi capa da publicação, cuja chamada destaca a inclusão e diversidade na indústria da moda infantil. Com mais de 130 mil seguidores no Instagram, a catarinense foi finalista do prêmio Global Social Awards, que reuniu influencers de todo o mundo em Praga, na República Tcheca, em maio deste ano. A modelo já foi notícia no exterior e concedeu entrevistas para tabloides britânicos como The Sun e Daily Mail.

Juros superam 300% ao ano As taxas de juros médias cobradas pelas instituições financeiras no cartão de crédito rotativo e no cheque especial subiram e ultrapassaram a barreira dos 300% ao ano, de acordo com informações divulgadas pelo Banco Central (BC). Com o aumento dos juros médios de todas as operações das instituições financeiras, o chamado spread bancário (diferença entre o que os bancos pagam pelos recursos e o que cobram de seus clientes) também apresentou aumento. 12


Um pouco de TUDO

Brasil é exemplo no combate ao tabagismo Brasil e Turquia são os dois únicos países dentre as 171 nações que aderiram às medidas globais da Organização Mundial da Saúde (OMS), que implementaram ações governamentais de sucesso para a redução do consumo de tabaco. O resultado está no

7º Relatório da OMS sobre a Epidemia Mundial do Tabaco. O relatório tem foco nos progressos feitos pelos países para ajudarem as pessoas a deixar de fumar. Na avaliação do órgão, o Brasil, na segunda posição, é exemplo para o mundo no combate ao tabagismo.

FGTS poderá ser sacado Anunciada como possibilidade de dar mais liberdade para o trabalhador, a medida provisória que libera os saques de parte da conta do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e das cotas do Fundo do Programa de Integração Social (PIS) e do Programa

de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep) pretende injetar até R$ 42 bilhões na economia até o fim de 2020. Desse total, R$ 28 bilhões do FGTS e R$ 2 bilhões do PIS/Pasep serão liberados este ano. Os R$ 12 bilhões restantes, ano que vem.

Não Me Perturbe passa de 1,5 milhão de inscritos O site Não me Perturbe já tem cerca de 1,5 milhão de pedidos de bloqueio de ligações indesejadas de serviços de telecomunicações. A iniciativa é das operadoras de telecomunicações e atende a uma determinação da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). O site é um canal no qual podem se cadastrar pessoas que não desejam mais receber chamadas de telemarketing dos serviços de telefonia, de dados e de TV paga. Para deixar de receber essas chamadas, o consumidor deve preencher o formulário de inscrição na plataforma. 13


Mercado

SEGURANÇA PARA TER MAIS TRANQUILIDADE Diante do crescente número de furtos e assaltos, bem como invasão em residências e empresas, investir em segurança, hoje em dia, é investir em proteção do patrimônio e das pessoas e uma forma de poder ter uma rotina mais tranquila na cidade. De acordo com o empresário e sócio-diretor das Empresas Prolincon, Sandro Maurício, hoje as famílias devem ter pelo menos um sistema monitorado. “A proteção do patrimônio e segurança das pessoas é fundamental para uma rotina mais tranquila. Hoje todos devem ter, para sua tranquilidade, um sistema monitorado para evitar situações desagradáveis e garantir maior segurança aos familiares”, pontua. Por isso, as Empresas Prolincon investem em equipamentos e tecnologias que ajudam o cliente a garantir um pouco mais de segurança no dia a dia. “Os avanços tecnológicos são bastante importantes na área de segurança. Hoje, a tecnologia nos permite

sistema de monitoramento de alarmes, câmeras de vigilância, rastreamento e diversos outros serviços, de forma online, contribuindo em muito com a qualidade de nossos serviços”, explica. Segundo Sandro, a Prolincon mantém disponível aos clientes um aplicativo para celulares, onde é possível acompanhar toda a movimentação de seus sistemas, online, 24h. “Além disso, a Prolincon participa de feiras nacionais e internacionais, sempre em busca de novos equipamentos e tecnologias, nos mantendo em sintonia com o mercado mundial”.

O mais procurado As Empresas Prolincon atuam nas áreas de segurança privada, construção civil e locação de mão de obra. Entre os serviços mais procurados na questão de segurança, destaca Sandro, estão os de monitoramento de alarmes e CFTV. “Nesse setor, além do monitoramento, também oferecemos equipamentos que podem ser adquiridos pelos clientes ou usados sob o sistema de comodato”. No que se refere ao monitoramento eletrônico,

que são os serviços onde os profissionais mantêm monitorados os sistemas de alarmes ou de vídeo, a central trabalha com equipamentos de última geração. “Em caso de alguma invasão, tem a imediata ação dos nossos vigilantes. Nossa central tem equipamentos de última geração e contamos com diversos vigilantes treinados e com registro da Polícia Federal, aptos a atuarem em qualquer ocorrência”, explica Sandro. 14


Mercado

Outros serviços da Prolincon Vigilância É realizada por vigilantes altamente treinados e em constante processo de reciclagem e apripatrimonial moramento profissional, conforme determina a legislação. Todos os vigilantes que atuam neste orgânica: setor são devidamente registrados no departamento de Polícia Federal, atendendo todos os requisitos legais para o exercício da função, inclusive com armas de fogo, em casos necessários. Escolta A Prolincon dispõe também de serviços de escolta armada para acompanhamento de transarmada: porte e/ou deslocamento de cargas, dentro de modernos padrões de segurança. Rastreamento É o que existe de mais moderno no controle e segurança de frota, em tempo real. Utilizando veicular: equipamentos modernos, compatíveis com veículos leves e pesados, este sistema de monitoramento permite conhecer as rotas percorridas pelo veículo rastreado em toda a malha viária nacional. O sistema permite bloqueio do veículo, cerca eletrônica personalizada, escuta, disparo de alarme e monitoramento 24 horas. Gera relatórios de eventos, como por exemplo, excesso de velocidade, rota percorrida, paradas etc, dando condição de controle e administração da frota gerando segurança e redução de custos. Portaria É um dos serviços mais novos que a Prolincon oferece e que garante a empresas e condomínios virtual: total controle de acesso aos ambientes, com monitoramento da central.

Portaria virtual é o novo serviço que a Prolincon está implantando Um novo serviço está sendo implantado e é oferecido pela Prolincon: a portaria virtual. De acordo com Sandro, em empresas, principalmente as com bastante movimentação de pessoas ou veículos, o serviço é bastante eficiente na liberação de acessos para carga e descarga, ou mesmo funcionários e visitantes. Nos condomínios, o serviço também começa a ser implantado, o que facilita bastante a identifica-

ção e controle de acesso, tanto de moradores quanto de visitantes”, explica o empresário. Com esse serviço, todos os áudios e imagens são gravados, podendo ser acessados por pessoas autorizadas. “A portaria virtual aumenta e muito a segurança e chega a reduzir em mais de 50% dos custos. Esse serviço, inclusive, pode ser conferido no showroom, na sede da empresa, em Tubarão”.

Como a empresa começou A Prolincon abriu as portas em 1988, quando Sandro foi convidado pelo senhor Norberto Pacheco dos Reis para se associar a ele numa pequena empresa de prestação de serviços, “Projetos, Limpeza e Conservação”, a Prolincon. “Trabalhávamos no início em um escritório nos fundos da casa dele. Eu tinha um emprego na Legname, onde era contador e, fora do horário de trabalho lá, organizava a parte contábil e administrativa da Prolincon. Começamos gerando oito empregos na área de limpeza e conservação, atuando na Companhia de Cigarros Souza Cruz, nosso primeiro cliente”, lembra Sandro. Em 1992, prestando serviços na indústria da construção civil em diversas frentes, a Prolincon precisou de mais espaço físico para continuar crescendo. Foi então que, em 27 de outubro daquele ano, a empresa mudou de endereço e passou a atuar na rua Vereador

Adolfo Machado, num terreno com uma residência de alvenaria de 220 metros quadrados, onde passavam a funcionar escritório e depósito da empresa. “Em 2003, infelizmente o senhor Norberto faleceu e, junto com seus familiares, continuamos tocando a empresa, que já era bem mais robusta. Em 2006, o grupo mudou novamente o endereço de sua sede, passando a funcionar aqui na rua Tereza Martins de Brito, no bairro Revoredo, onde estão os escritórios administrativos e de RH, centrais de vigilância, showroom de serviços e galpões que servem à área de engenharia”, conta. Além da evolução na estrutura da sede, o grupo Prolincon multiplicou seus serviços, atuando hoje nas áreas de segurança, mão de obra e construção civil. “Aumentamos também nossa área de atuação, com filiais em Braço do Norte, Laguna, Garopaba, Jaguaruna e Araranguá”, revela Sandro. 15


16


Especial Cidades

TREZE DE MAIO: GESTÃO TEM APROVAÇÃO DE 90% Treze de Maio, no Sul de Santa Catarina, é uma cidade de pequeno porte e com vocação agrícola, onde os habitantes têm experimentado tempos de desenvolvimento e de melhora na sua qualidade de vida, convivendo com índices altamente positivos nas áreas de saúde, promoção social, educação e desenvolvimento urbano e rural. Com uma população estimada em 7.070 habitantes, onde um pouco mais da metade destes vive na área rural, o município tem se destacado com a agricultura familiar, sendo que os agricultores estão buscando diversificar sua fonte de renda através do turismo rural, além de novas melhorias para serem implantadas em suas propriedades, destacando-se neste caso a produção de gado bovino de leite e de corte, além das culturas de batata, arroz, milho, feijão e hortaliças.

Já na área urbana, a atual gestão está focada em trazer novas indústrias, gerando emprego, fonte de renda e o crescimento da economia. E é por isso, e muitos outros investimentos feitos pela municipalidade, que a aprovação da administração tem obtido altos índices em todas as áreas, chegando a 90%. Para o prefeito Clesio Bardini de Biasi, esta boa avaliação se deve ao executivo em dar respostas rápidas e de qualidade aos principais pleitos da população. “Assim, a prefeitura empenha-se permanentemente em transformar a realidade de quem utiliza os serviços públicos, seja inaugurando obras, facilitando o acesso à moradia, apoiando os empresários na geração de empregos, incentivando a economia local e oferecendo opções aos produtores desta terra”, pontua o prefeito.

17


Especial Cidades

Educação de qualidade A rede municipal de ensino de Treze de Maio tem reconhecido a função pedagógica a partir da educação infantil, reforçando a importância desta etapa da educação básica. Com isso, as crianças têm o direito de se desenvolver integralmente, com oportunidades apropriadas à sua faixa etária, assegurando espaços de ações pedagógicas intencionais e sistemáticas. Com este objetivo, a educação no município oferece atendimento a 300 crianças, na faixa etária de zero a seis anos na educação infantil e 535 alunos no ensino fundamental, do 1º ao 5º ano. Além disso, todas as crianças são contempladas com uniformes e kits escolares. A prefeitura também

realizou a reforma e ampliações em todas as unidades de educação, destacando-se a nova estrutura de R$ 2 milhões do CEI Gente Miúda e do Centro de Educação Municipal Professora Nair Formentin Silva. Soma-se a isso, a bolsa universitária oferecida aos alunos da Unisul, Unesc, Fucap, Unibave e Esucri e o transporte gratuito para os universitários destas instituições. “Nosso incentivo é preparar nossos alunos desde a educação infantil para que alcancem o ensino superior, qualificando nossa mão de obra e formando cidadãos de caráter, respeito e dignidade, pois são estes jovens que tem a responsabilidade de serem agentes de transformação social de nosso município”, definiu o prefeito Clesio.

Novo CEI em Rio Vargedo Na comunidade de Rio Vargedo já se iniciou a construção do novo Centro de Educação Infantil, que contribuirá para atender as famílias daquela região, onde terão um local seguro para deixarem seus filhos. A equipe de governo vem trabalhando para que o município possa oferecer toda estrutura necessária para a população, e um exemplo é esta nova escola com mais de 261 m² e que terá um investimento de cerca de R$ 400 mil com recursos próprios.

18


Especial Cidades

Investimento em pavimentações: cidade transformada em canteiro de obras Treze de Maio foi transformado em um canteiro de obras. São diversas ações no Centro e em todas as comunidades que melhoram a vida dos trezemaienses. É só olhar para qualquer direção e constatar uma benfeitoria realizada pela atual administração, principalmente em ruas e avenidas, que em dois anos já somam um investimento de mais de R$ 3,2 milhões só em pavimentações, sendo que há projetos para a pavimentação de mais 17 ruas ainda este ano. Estes investimentos que estão acontecendo são frutos de um trabalho sério e responsável com o dinheiro público.

Futuras obras A construção de novas 32 casas populares no loteamento municipal terá toda estrutura necessária para receber as famílias. “Sabemos da necessidade de muitos trezemaienes em ter sua moradia digna para abrigar sua família, por isso, nosso empenho na construção destas casas, que serão feitas com recursos próprios do município em parceria com a

Câmara de Vereadores e oportunizará a realização do sonho da casa própria a estas pessoas de baixa renda, que serão beneficiadas no projeto”, enfatizou Clesio. Ainda segundo o prefeito, esse é o maior programa habitacional da história de Treze de Maio com recursos próprios, onde serão investidos mais de R$ 2 milhões na construção das casas.

19


Especial Cidades

Treze de Maio: mais saúde à população É sempre nas horas mais difíceis que ela é testada e, em Treze de Maio, a saúde está recebendo cuidados muito especiais. Uma série de medidas que influenciam diretamente as áreas técnicas, de infraestrutura e atendimento, está revolucionando os índices de saúde no

município. A prefeitura, através da secretaria de Saúde, tem investido intensamente na construção e reforma das unidades de saúde do município, sendo que nos dois últimos anos foram aplicados mais de R$ 1,3 milhão nestas melhorias e adequações dos prédios públicos.

Incentivo ao esporte começa cedo Não é novidade para ninguém que o esporte é uma das receitas mais eficientes para formação de caráter positivo nas crianças e jovens. Em Treze de Maio, o incentivo ao esporte para crianças e jovens é constante. Prova disso é a escolinha de futebol 13 Bol, de onde já saíram jogadores que hoje despon-

tam no cenário nacional como profissionais, como os irmãos Ezequiel e Eduardo de Biasi, que jogam nos times da Bahia e Criciúma, respectivamente, além de apoiar os corredores de rua, trilheiros e organizar um dos maiores campeonatos de futebol da região.

Curiosidades do município A flor símbolo do município é a Quaresmeira, que simboliza o turismo religioso.

O aniversário de emancipação política de Treze de Maio é dia 20 de dezembro, e não no dia 13 de maio.

Na comunidade de São João de Urussanga Baixa, encontra-se uma das maiores imagens de Nossa Senhora Aparecida do Brasil, com 13 metros de altura.

20


21


Especial Cidades

ARMAZÉM: UM POVO ORDEIRO E TRABALHADOR A Cidade Amiga, como é conhecida, se desenvolve fortalecida por uma economia centrada na agropecuária, seguida pelo setor de facções de jeans e empreendimentos comerciais. Sendo forte produtora de suínos e embutidos, produção leiteira, cultivo de fumo, milho, a cidade ainda desponta na produção de piscicultura. Em janeiro desde ano, recebeu o título de “Ca-

pital Catarinense da Tilápia”, que foi concedido ao município de Armazém pelo governador do Estado, Carlos Moisés da Silva, através da lei nº 17.673, de 8 de janeiro de 2019. Segundo dados da Associação de Aquicultores de Armazém (Aaquiar), a cidade produziu, em 2018, 1.605.560 quilos de tilápia. Tem atualmente 22 produtores, 77 viveiros em 47,3 hectares de água.

Projeto “Meu pet sob minha proteção” é realidade Ciente da responsabilidade social, pensando em promover o bem-estar de todos, Armazém volta-se para um problema social, de saúde pública e de direito à vida: o aumento desordenado de cães e gatos. Por isso, criou o projeto “Meu pet sob minha proteção”, que está fundamentado na lei nº 13.426, de 30 de março de 2017, que dispõe sobre a política de controle da natalidade de cães e gatos e dá outras providências. O projeto prevê procedimentos cirúrgicos de castração, a implantação de microchip e ações de recolhimento de animais em maus tratos.

22


Especial Cidades

Trabalhando por uma educação de qualidade

2ª FEIRA ARTÍSTICA E CULTURAL, PROMOVIDA PELA SECRETARIA DE EDUCAÇÃO

A Cidade Amiga atende a quase 1.000 crianças, entre zero e 15 anos, em dez unidades escolares. Algumas ofertando desde a educação infantil até o 9º ano do ensino fundamental. Todas as unidades passaram por reformas e melhorias, destacando a construção de uma nova sala de aula no Núcleo Luiz Peron. Ofertando desde de 2017, o ensino da Língua Inglesa desde o 1º ano com práticas pedagógicas amparadas pela nova BNCC. E, em 2019, iniciou-se o curso de multimídia

com aulas gratuitas de informática para todas as idades. Além disso, o município oferta o transporte gratuito aos estudantes universitários para instituições da região. Durante o ano letivo, são realizados inúmeros eventos para promover a aprendizagem e o crescimento, tanto dos alunos quanto dos profissionais de educação. Bons exemplos são: a Feira Cultural e Artística, a Praça Encanta e práticas pedagógicas das unidades com a participação ativa das famílias.

Incentivo cultural e preservação histórica O município investe na formação cultural e artística da população ofertando gratuitamente, através do Projeto Som do Coração, aulas de violão, gaita, violino, bateria, sopro, teclado e técnica vocal. Pensando na preservação histórica, a Casa da Cultura possui acervo fotográfico de eventos, pessoas e momentos vividos em Armazém ao longo dos anos. Como forma de resgate cultural, a Casa da Cultura oferta gratuitamente diversos cursos, como: pintura e renda de bilro.

O incentivo ao esporte A Comissão Municipal de Esporte – CME incentiva a prática esportiva em diversas idades e modalidades. Destaque para a organização do Campeonato Municipal de Campo, Campeonato Inter-empresas

de Futsal, participação em competições estaduais como o Jesc e na Adesc com SUB-9, 11, 13 e 15. Além disso, a cidade implantou aulas semanais de vôlei feminino com campeonato anual. 23


Especial Cidades

O acolhimento das famílias, crianças e adolescentes O Centro de Referência da Assistência Social (CRAS) prevê ações de fortalecimentos de vínculos familiares e a promoção do bem-estar de crianças e adolescentes. O fluxo de trabalhos com oficinas, palestras, campanhas e mobilizações sociais promovidos pela equipe do Cras é bastante significativo. Desde 2017 as ações têm sido efetivas, com planejamento anu-

al, reuniões semanais e apresentação dos resultados constantemente à gestão da secretaria de Assistência Social, além de campanhas e rodas de conversas. Para bem atender a demanda de visitas domiciliares, a assistência social adquiriu recentemente um Ford KA e um Sandero. Entregou inúmeras escrituras do Programa Lar Legal.

A promoção social da melhor idade A participação social dos idosos é uma constante em Armazém. Projetos como: o “Cantoria”, que busca a saúde mental e das articulações faciais; o “Viva mais – Melhor idade” , com aulas diversificadas de práticas de exercícios físicos que visam melhorar as funções do corpo e a socialização dos participantes; as aulas de informática e as participações em competições esportivas, como exemplo o Jasti. Hoje mais de 200 idosos costumam se encontrar quinzenalmente no salão paroquial para participarem de encontros festivos como: Dia das Mães, Dia dos Idosos, Dia dos Pais, festa julina, dentre outros.

Armazém busca qualidade total na saúde Para bem atender a população, o município investe na saúde parater excelentes profissionais de clínica geral e especialistas. Além disso, capacita regularmente os funcionários e se mantém atualizado com relação a campanhas e políticas nacionais e estaduais da saúde pública. Atua em rede com a assistência social e com a educação em busca da qualidade total em seus aten-

dimentos com a intencionalidade de resolutividade e satisfação da população. Recentemente concluiu a renovação total da frota de veículos através de diversas emendas parlamentares. Com isso, pode ofertar serviços de qualidade e segurança tanto à população quanto aos funcionários, que diariamente trafegam pelas estradas dentro e fora do Estado. 24


Especial Cidades

O desenvolvimento Rural

Cuidados com a cidade

O município busca apoiar as atividades da agricultura e pecuária. Para tanto, adquiriu duas ensiladeiras e um caminhão para distribuição de dejetos de suínos e também, faz a distribuição de adubos.

A equipe de limpeza trabalha diariamente para manter a cidade bem cuidada para bem estar de todos. Além disso, recuperaram e cuidam da manutenção do Cpo. Paulo Wensing. E, também, promoveram melhorias no gin. Nelson das Neves.

Obras e ações significativas para o município

Quadra poliesportiva na comunidade de Santa Terezinha

Pavimentação de mais uma etapa da rua Oscar Francelino Mendes, no bairro Vila Nova

Recuperação constante das estradas municipais

Construção do Centro de Referência da Assistência Social (CRAS)

 Rede de esgoto na comunidade de São Francisco;  Conclusão das obras da quadra de coberta do bairro São Francisco;  Recuperação das pontes: em Areão, em Sertão dos Corrêas e em São José;  Assinatura do termo de adesão do Programa Gesac – Internet para todos.

25

Reestruturação do pilar da ponte sobre o Rio Capivari (2018)


Especial

OS DESAFIOS PARA A REGIÃO SUL Entidades de classe, associações, órgãos públicos e privados lutam para o desenvolvimento A busca pelo desenvolvimento e por obras para o Sul de Santa Catarina é uma batalha permanente. Entidades de classe, instituições de ensino, órgãos públicos e privados atuam, incansavelmente, na luta para o crescimento da região. Segundo o governador de Santa Catarina, Carlos Moisés da Silva, há por todo o Estado uma série de obras não concluídas e outras nunca atendidas pelo poder público. “Diariamente, recebo o apelo das pessoas por obras não concluídas e ao mesmo tempo novas demandas. Posso garantir que nenhuma região foi ou será esquecida. Estamos trabalhando com foco em todas as regiões de Santa Catarina”, explica. “A marca que pretendo deixar para a Amurel é a mesma que pretendemos deixar para as demais regiões, como Amrec e Amesc, que é do respeito e da responsabilidade com a coisa pública, da total transparência nas ações, da promoção do desenvolvimento e da oferta de serviços eficientes para todas as regiões”, pontua o governador. Já o presidente da Federação Catarinense dos Municípios (Fecam), Joares Ponticelli, diz que a Fecam quer intermediar com o Estado as reivindica-

ções dos municípios em relação ao novo governo. “Pensamos em fortalecer as associações de municípios, que já conhecem as pautas de cada região, para facilitar essa relação e buscar ainda mais o desenvolvimento”, explica Joares. Para o reitor da Unisul, Mauri Luiz Heerdt, muitos são os desafios para o Sul, principalmente no que se refere a um projeto apropriado para que gere o desenvolvimento da região. “Nas últimas décadas está ocorrendo um grande debate sobre o desenvolvimento de regiões, sendo este tema de conferências, produções científicas e reflexões por diversos órgãos em todas as partes do mundo”, diz. Para Mauri, as concepções mais atuais sobre isso avaliam que as regiões com melhor potencialidade de desenvolvimento são aquelas que conseguem conectar os seus diferentes protagonistas num projeto ou planejamento de desenvolvimento. “Portanto, decorre daí o primeiro desafio para o Sul do Estado: apesar de inúmeras tentativas e ações da região Sul, ainda não se vislumbra um projeto concatenado e apropriado pelos diversos atores geradores de desenvolvimento e inovação”, explica.

A região Sul tem sofrido com vários acontecimentos econômicos, entraves políticos e eventos climáticos, negativos para o seu desenvolvimento, em detrimento às demais regiões do Estado EDSON MARTINS ANTÔNIO Presidente da Acit

26


Especial

Pensando no macrorregional O presidente da Amurel, Roberto Kuerten Marcelino, avalia que o Sul de Santa Catarina, por sua importância no desenvolvimento e economia do Estado, tem diversas demandas a serem atendidas. Para ele, muito já foi feito, houve um avanço nos últimos anos, mas é preciso ir além. “Para isso, pensando no macro, temos o contorno viário de Florianópolis, a recuperação da pavimentação da Serra do Rio do Rastro, melhoria das rodovias estaduais, tudo isso para que o trânsito flua e o que é produzido nas nossas cidades tenha escoamento”, reflete.

Segundo ele, no que se refere aos municípios da Amurel, as prioridades são oito: a imediata revitalização da SC-108 entre Braço do Norte e Rio Fortuna, a pavimentação da SC108 que liga Santa Rosa de Lima a Anitápolis, a pavimentação da SC-435 entre São Martinho e São Bonifácio, a ampliação da pista, para carga e descarga, do Aeroporto Regional Humberto Ghizzo Bortoluzzi, a conclusão das obras do hospital regional de Braço do Norte, o anel viário de Braço do Norte, a pavimentação da estrada que liga São Martinho a Imaruí (SC436) e a pavimentação de Imaruí até Pescaria Brava (SC-437).

“Estamos trabalhando para que as demandas da nossa região sejam atendidas e que isso ofereça ainda mais qualidade de vida à população”, ROBERTO KUERTEN MARCELINO

Presidente da Amurel

FOTOS: ARTERIS - AUTOPISTA LITORAL SUL/ WWW.CONTORNODEFLORIANOPOLIS.COM.BR/DIVULGAÇÃO/REVISTA TUDO

Contorno viário de Florianópolis - março de 2019

Outro desafio Para o reitor Mauri, outro desafio, este conceitual, decorre da abordagem que se faz sobre desenvolvimento regional, pois os conceitos centrados nas pessoas tradicionalmente não fazem parte do portfólio das iniciativas e políticas regio-

nais. Nessa perspectiva, conceitos como cidades inteligentes ainda são escassos entre os vértices e atores do sistema que alimenta a organicidade do desenvolvimento de uma região. Nesse campo, os conceitos são, ainda, puramente acadêmicos. 27


Especial

Fortes ações são necessárias Para o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas, Harrison Marcon Cachoeira, a região obteve muitos avanços nos últimos anos, mas ainda são necessárias fortes ações para que a economia seja fortalecida e isso, segundo ele, passa por obras de infraestrutura. A CDL está sempre engajada em campanhas que possam desencadear ações coletivas em favor da região. Harrison frisa que a região ganhou com a duplicação da BR-101 e com o Aeroporto Humberto Bortoluzzi, mas que é preciso avançar ainda mais em outras obras. “Em relação ao aeroporto, segue a luta pela instalação do terminal de cargas que dará um novo impulso na economia da região. Pelo potencial marítimo, pela posição geográfica e facilidade de acesso, os portos de Imbituba e Laguna precisam ser fortalecidos e reconhecidos como importantes para a importação e exportação e também para o setor pesqueiro”, avalia.

Como parceiro importante neste processo econômico, entra a necessidade de interligação da malha ferroviária que, segundo Harrison, irá impulsionar consideravelmente toda a cadeia produtiva e econômica da região Sul, podendo mesmo gerar um porto seco. Mas, segundo ele, não há como esquecer a qualidade das rodovias. A rodovia Ivane Fretta é um passo de integração, mas a região precisa de outras obras de infraestrutura neste setor, como a ligação asfáltica da rodovia Ageu Medeiros pela margem do rio Tubarão ou mesmo a de Congonhas até Jaguaruna. Alerta também para a necessidade de término da estrada do Corvo Branco que, concluída, será um elo importante de ligação do litoral com a serra. Estas obras, se executadas, irão fortalecer a atividade turística que é outro fator apontado por ele, como essencial para impulsionar a economia.

“O desenvolvimento tem que vir integrado com todos os municípios porque é só desta forma que todos sairão ganhando economicamente e em qualidade de vida. Tudo passa por uma economia forte, emprego e renda”, acentua. HARRISON MARCON CACHOEIRA

Presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Tubarão

28


Especial

Números de Santa Catarina

86%

De acordo com o reitor da Unisul, Mauri Luiz Heerdt, se for pontuar o que falta de infraestrutura para o Sul do Estado, a lista será extensa. Dados da Fiesc demonstram que cerca de 86% das obras estão com o prazo expirado ou a conclusão comprometida. “Ainda assim, acredito que a infraestrutura que temos é pujante o suficiente para que o Estado tenha condições de desenvolver bem suas atividades, inclusive quanto à inserção no mercado internacional”. “Veja que a duplicação do trecho Sul da BR-101, finalmente concluída, tornou-se, conforme o esperado, a principal via do Corredor Mercosul, proporcionando um melhoramento considerável na conexão multimodal dos pontos produtivos, o que trouxe mais agilidade ao escoamento da produção tanto agropecuária quanto industrial”. “Isso sem contarmos com a possível implantação da ferrovia translitorânea, interligando os nossos principais portos, além de uma ferrovia no sentido Oeste-Leste, para levar a produção da agroindústria aos portos. Vale sublinhar, ainda, que apenas no que se refere aos portos catarinenses, juntos eles movimentam por ano algo em torno de 18 milhões de toneladas e representam quase 20% da movimentação de contêineres em todo o Brasil”, ressalta Mauri.

Das obras estão com o prazo expirado ou a conclusão comprometida

3.584 km 7.194 km Rodovias estaduais Rodovias federais 1.205 km 18t mi Ferrovias Recebidos nos portos 6

Portos comerciais

29

1

3

11

Porto Aeroportos Aeroportos pesqueiro internacionais administrados regionalmente

PORTO DE IMBITUBA - FOTOS: SCPAR PORTO DE IMBITUBA/DIVULGAÇÃO/REVISTA TUDO

Dados da Fiesc


Especial

Entraves políticos, eventos climáticos e reivindicações Para o presidente da Associação Empresarial de Tubarão (Acit), Edson Martins Antônio, nos últimos 30 anos a região Sul tem sofrido com vários acontecimentos econômicos, entraves políticos e eventos climáticos, negativos para o seu desenvolvimento, em detrimento às demais regiões do Estado. “Diante disso, elencamos reivindicações que, uma vez efetivadas, impulsionarão esta região tão pujante. São elas: a conclusão da rodovia Ivane Fretta Moreira, que ligará duas regiões de Tubarão criando um corredor de escoamento de cargas para as regiões mais ao Vale de Braço do Norte, além de potencializar o desenvolvimento da área no entorno desta rodovia, incluindo a implantação de um parque industrial; o Aeroporto Regional Humberto Bortoluzzi, concebido inicialmente para ser um aeroporto regional de cargas e passageiros, faltando hoje a conclusão da obra de alargamento da pista de pousos e decolagem, além da construção do terminal de cargas; Centro de Inovação de Tubarão, um dos 13 centros de inovação do Estado, com o objetivo de fomentar o desenvolvimento de vários setores,

FOTOS: ADRIANO - WWW.UAW.COM.BR/DIVULGAÇÃO/REVISTA TUDO

atuando como impulsionador de pesquisa, inovação e alavancagem de novos e inovadores negócios para a Amurel”, diz o presidente da Acit. Além disso, ainda tem o Projeto Interpraias, com o objetivo de ter um corredor interligando tanto a Serra do Corvo Branco, quanto a Serra do Rio do Rastro às praias do litoral, sem que se tenha que utilizar a rodovia BR-101, criando a oportunidade de um roteiro turístico na região; a Ferrovia Litorânea e de Integração Leste Oeste, ampliando e desenvolvendo este modal tão importante no desenvolvimento logístico de todo o Estado. “E, por fim, o Estudo de Desenvolvimento do Sul, dedicando os olhares e esforços para traçar um plano que preveja ações e projetos concretos para o desenvolvimento da região, potencialidade de recursos naturais, potencialidade de mão de obra e identificação de fontes de fomento, além da conclusão da rodovia 285, que ligará o Norte do Estado gaúcho ao litoral catarinense, possibilitando novo roteiro de escoamento produtivo daquela região e novos negócios a partir das opções de distribuição (porto, aeroporto e ferrovia)”, ressalta.

“Apesar de inúmeras tentativas e ações da região Sul, ainda não se vislumbra um projeto concatenado e apropriado pelos diversos atores geradores de desenvolvimento e inovação”, MAURI LUIZ HEERDT

Reitor da Unisul

30


32


Entrevista

DESAFIOS DE GOVERNAR SANTA CATARINA Tatiana Dornelles

Natural de Florianópolis, Carlos Moisés da Silva nasceu em 17 de agosto de 1967. Entrou no serviço público pela formação da Polícia Militar em 1987. Concluiu o Curso de Formação de Oficiais da Academia da Polícia Militar de SC em 1990. Na época, a PM e o Corpo de Bombeiros faziam parte da mesma corporação e Moisés decidiu ser bombeiro. Foi para Tubarão, no Sul do Estado, e casou com Késia, tendo duas filhas: Sarah e Raissa. Além de ser coronel da reserva, dedicou-se à vida acadêmica. É bacharel em Direito e mestre em Direito Constitucional pela Unisul, onde foi professor de direito administrativo e constitucional. Moisés nunca tinha ocupado cargos eletivos antes de ser governador, disputando as eleições pelo PSL.

Oficial bombeiro em Florianópolis (1990) Subcomandante do Corpo de Bombeiros Militar em Criciúma (1991-1992) Comandante do Corpo de Bombeiros Militar em Tubarão (1994-2012) Professor da Universidade do Sul de Santa Catarina – Unisul (2000-2004) Coordenador regional de Defesa Civil – SDC (2012-2014) Corregedor-adjunto do Corpo de Bombeiros Militar de SC (2013-2014) Assessor bombeiro militar na secretaria de Justiça e Cidadania (2014-2016) Advogado inscrito na OAB/SC Instrutor de Cursos de Formação de Bombeiros, no Corpo de Bombeiros de Santa Catarina

33


Entrevista

TUDO - Como o senhor avalia os primeiros meses de governo? GOVERNADOR MOISÉS - Eliminamos estruturas e cargos desnecessários, promovemos a Reforma Administrativa e, com ela, vamos economizar cerca de R$ 450 milhões até o fim do mandato. Contratos com fornecedores foram revisados, aprimoramos nossas compras com pregão eletrônico e economizamos mais alguns milhões, como ocorreu na saúde. Eliminamos quase 800 mil processos físicos ao transferirmos as rotinas de governo para o ambiente digital. Com o governo eletrônico projetamos uma economia de R$ 29 milhões ao ano com papel e selos. Também ampliamos os serviços digitais, para melhor atender o cidadão. Desenvolvemos dois projetos voltados à conclusão de obras, manutenção e recuperação de nossas rodovias, o Recuperar e o Novos Rumos. Colocamos o helicóptero que fica à disposição do governador para atuar na captação e transporte de órgãos e nos tornamos recordistas nacionais em transplantes. Garantimos milhões em repasse aos hospitais filantrópicos, reduzimos os índices de violência e criminalidade, mês a mês, desde que assumimos o governo. Foram seis meses de muito trabalho, aprendizado e avanços importantes. TUDO - Novo na política, qual foi a maior dificuldade encontrada ao administrar o Estado? GOVERNADOR MOISÉS - Os eleitores nos escolheram como a renovação na política catarinense e isso exigiu muito preparo e planejamento da equipe. Principalmente, diante da delicada situação financeira que estamos enfrentando desde o primeiro dia de gestão. Portanto, organizar as finanças e resgatar a capacidade de investimentos do governo foram e ainda são nossos principais desafios. Com as ações desenvolvidas até agora, já conseguimos avançar muito em relação à redução das despesas e no combate ao desperdício de dinheiro público. Estamos aprimorando a gestão e articulando parcerias para fortalecer nossa cadeia produtiva e melhorar a qualidade dos serviços. Com responsabilidade e, sobretudo, transparência, vamos reverter esse quadro e dar início a um novo ciclo de desenvolvimento em Santa Catarina. TUDO - Qual a realidade econômica do governo do Estado?

34 34

GOVERNADOR MOISÉS - A situação do governo estadual é complexa, com um déficit financeiro projetado de R$ 2,5 bilhões e um déficit previdenciário de R$ 3,8 bilhões. Já conseguimos reduzir um pouco esse quadro, como é o caso da própria folha de pagamento. Nesse primeiro semestre conseguimos reduzir a despesa com pessoal para 47,71% da receita corrente líquida, sendo que o teto de gastos é de 49%. No ano passado a despesa ficou nesse limite e, em 2017, o governo chegou a ultrapassar o teto de gastos permitido pela Lei de Responsabilidade Fiscal. Entretanto, isso não livra o poder Executivo das dívidas que já nos aguardavam. São valores vultosos que tiram nosso poder de investimentos em áreas essenciais. Não podemos contrair novos financiamentos por conta dessa condição que assumimos desde o início. Por isso, nossas ações focam na economia e em parcerias que nos permitam empregar melhor os recursos disponíveis, resguardando ao máximo os já exauridos cofres públicos. Não pretendemos deixar a mesma herança que recebemos. TUDO - O que é necessário ser feito para voltarmos a crescer economicamente? GOVERNADOR MOISÉS - Santa Catarina tem uma economia forte e uma cadeia produtiva que consegue se superar mesmo diante das piores crises. Cabe ao governo estadual o papel de fomentar, facilitar e dar suporte aos mais diversos segmentos produtivos. Estimular o crescimento econômico é fundamental para que o governo também volte a crescer. Trabalhamos em diversas frentes nesse sentido, defendendo uma política fiscal mais justa e igualitária e organizando a concessão de incentivos. Isso também envolve a execução de obras estruturantes, o suporte de pesquisa e extensão aos nossos produtores, o estímulo ao empreendedorismo e a redução das despesas com a máquina pública. TUDO - Como avalia hoje a relação do governo com a Alesc?

GOVERNADOR MOISÉS - Trabalhamos pelos mesmos propósitos, buscando o melhor para SC. Temos nosso jeito de trabalhar, buscamos o diálogo com parlamentares, portanto, a relação é de respeito entre os poderes. Conseguimos aprovações, a exemplo da Reforma Administrativa e da lei dos incentivos fiscais, e fomos derrotados no projeto de redução do duodécimo. Seguimos construindo parcerias e focados no melhor para os catarinenses.


Entrevista

TUDO - O PSL já está trabalhando pensando nas eleições do próximo ano. Como o senhor está participando deste momento do partido?

GOVERNADOR MOISÉS - É comum definirem o resultado das eleições do ano passado como uma “onda”, que vem e passa. Não podemos esquecer que foram mudanças legítimas e tiveram origem na insatisfação e repulsa da sociedade em relação à classe política e suas práticas. Esse descontentamento não se vai como a tal onda de que falam. As pessoas não aguentam mais o velho modelo de político, muitos corruptos e alheios aos anseios populares. Isso vai pesar novamente nas eleições do ano que vem. TUDO - O senhor tem relação bem próxima com Tubarão e a região. Qual a marca que pretende deixar para a Amurel durante o seu governo?

GOVERNADOR MOISÉS - Realmente tenho uma relação muito especial com Tubarão e região, os motivos vocês já conhecem. A marca que pretendo deixar para a Amurel é a mesma que pretendemos deixar para as demais regiões, que é do respeito e da responsabilidade com a coisa pública, da total transparência nas ações, da promoção do desenvolvimento e da oferta de serviços eficientes para todas as regiões. Gosto de ouvir as pessoas, mantenho interação permanente em minhas redes sociais, por isso, sei do quanto os catarinenses precisam da atenção e da ação efetiva do governo. Lutamos por isso e vamos fazer todo o possível para atendê-los. TUDO - Como o senhor observa e almeja o seu futuro político? Pretende buscar a reeleição?

GOVERNADOR MOISÉS - É difícil pensar em reeleição diante de tantos desafios e compromissos a serem cumpridos. Temos que fazer jus à confiança que nos foi depositada pelos catarinenses, por isso, vou trabalhar com foco na entrega das demandas prioritárias. Se no fim deste mandato alcançarmos um desempenho relevante em relação aos objetivos traçados, aí sim poderei dizer que a reeleição será uma opção. TUDO - Um dos problemas recorrentes do governo do Estado é o atraso em obras. Na região, são exemplo a rodovia Ivane Fretta e o Centro de Inovação. No seu governo haverá uma mudança no planejamento de obras?

GOVERNADOR MOISÉS - Quando ando pelas regiões catarinenses vejo uma série de obras não concluídas e muitas outras nunca atendidas pelo poder público. Recebo diariamente o apelo das pessoas, que clamam por atenção às estradas precárias e perigosas para aqueles que trafegam. Ao mesmo tempo, as novas demandas não param de chegar. Diante dessa situação, a primeira coisa a se eliminar são as falsas promessas. Tem que ter seriedade e respeito aos cidadãos, não vamos anunciar novidades sem concluirmos obras importantes que estão paradas. O projeto Novos Rumos foi criado exatamente para retomar grandes obras esquecidas, que são fundamentais para as regiões onde se localizam. Sobre o Centro de Inovação de Tubarão, a obra está com um bom andamento, com cerca de 85% executado. A parte externa está preparada para receber a pavimentação e a grande área de estacionamento está pronta com brita. Na parte interna, a infraestrutura já está praticamente concluída e inicia a instalação de ar condicionado. A conclusão está prevista para dezembro desse ano. A obra da rodovia Ivane Fretta Moreira recebeu um aditivo de prazo e a nova data para entrega é 30 de outubro desse ano. Com investimento de R$ 77.178.349,66, a obra está 92% executada. O processo licitatório da intersecção que fará ligação com o bairro São Martinho já foi finalizado e aguarda assinatura de contrato para liberar a ordem de serviço. O projeto da intersecção com a BR-101 está no Dnit para aprovação. TUDO - Desde que o senhor assumiu nenhuma obra nova foi prometida para a região. Há alguma novidade?

GOVERNADOR MOISÉS - Posso garantir que nenhuma região foi ou será esquecida. Estamos trabalhando com foco em todas as regiões de Santa Catarina. De fato, nesse primeiro semestre iniciamos o processo de “arrumar a casa” e já avançamos muito, embora tenhamos muitos desafios pela frente. Estamos no caminho certo, resgatando o equilíbrio das contas públicas e recuperando a capacidade de investimento do governo. Por enquanto, buscamos economizar e priorizar os investimentos em áreas essenciais. Em breve teremos mais notícias.

35 35


ETAPA RESIDENCIAL DE ESGOTO JÁ PODE SER EXECUTADA nos bairros Centro, Recife e Vila Moema O município de Tubarão dá um salto no que se refere a saúde e qualidade de vida, saindo do zero no quesito coleta e tratamento de esgoto. Segundo o Instituto Trata Brasil, pouco mais da metade da população brasileira tem seu esgoto coletado, e apenas 45% de tudo o que é gerado é devidamente tratado, isso prejudica o meio ambiente, a saúde das pessoas e o desenvolvimento dos municípios. Na cidade Azul, este cenário começou a mudar em março de 2018, com as obras de implantação do Sistema de Coleta e Tratamento de Esgoto, executadas pela Tubarão Saneamento, que devem beneficiar inicialmente 5 mil famílias dos bairros Centro, Recife e Vila Moema. Para quem mora nessas localidades, chegou a hora de antecipar a etapa residencial e contribuir para a implantação do sistema de coleta e tratamento de esgoto, que deve entrar em operação ainda no segundo semestre de 2019. Para adiantar a etapa residencial, é importante estar atento às orientações da Concessionária dos Serviços Públicos de Água e Esgoto, Tubarão Saneamento. “Para cada imóvel é instalada uma saída individual da rede coletora, disponível próximo ao passeio, que é onde a ligação deve ser realizada. O primeiro passo é identificar o local exato. Se precisar, entre em contato com a Tubarão Saneamento”, destacou o diretor da Concessionária, Marcelo Matos.

Depois, é necessário providenciar as adaptações nas tubulações do imóvel para ligar o despejo de esgoto à rede coletora. Procure um pedreiro ou um encanador de confiança para a realização da obra. “A execução da etapa residencial é de responsabilidade do usuário”, ressaltou Marcelo. Ao realizar essa etapa de adiantamento, saiba que a tubulação que direciona os resíduos à tubulação de coleta, deve ser mantida capeada (fechada). A Concessionária alerta que, se o usuário fizer o contrário ao orientado, o esgoto pode obstruir a tubulação, provocar um extravasamento e até retornar para a residência pelo vaso sanitário, pias ou ralos, ou, também nas ruas, pelas tampas de Poços de Visitas (PV). Essa atitude ainda incide em crime ambiental, conforme o artigo 54 da lei Nº 9.605 de 12 de fevereiro de 1998. Quando chegar a hora de liberar a passagem dos resíduos da residência para a rede coletora de esgoto, o usuário receberá uma notificação na fatura mensal da Tubarão Saneamento. O novo serviço só será cobrado quando o sistema entrar em operação, àqueles usuários dos bairros contemplados nesta etapa (Recife, Centro e Vila Moema). A tarifa de esgoto será integrada a fatura mensal, onde hoje consta a tarifa de água e, apesar de aparecerem juntas, na mesma fatura, e com valores iguais, os serviços prestados não se misturam.

Fortes ações são necessárias Para orientar e tirar todas as dúvidas de como realizar a obra interna, a Tubarão Saneamento ministrou uma capacitação para pedreiros e encanadores, que também contou com a participação de engenheiros e arquitetos. Ao todo, 120 profissionais da região já conhecem o procedimento e estão aptos para executar a manobra. Àqueles que não participaram, a Tubarão Saneamento organizará novas edições, basta contactar a Central de Atendimento da Concessionária e informar o interesse. Dúvidas pelos telefones 0800 648 9596 ou 48 3052-7400, via WhatsApp (48) 99168-5827 ou ainda no site www.tubaraosaneamento.com.br. 36


37


Educação

À PROCURA DE ESTABILIDADE Em busca de uma vida profissional estável e com boas perspectivas para o futuro, muitas pessoas encaram os livros e dedicam parte do tempo aos estudos para fazer concursos públicos. A jornalista e professora de História Amanda Menger é uma dessas pessoas, chamadas de concurseiras. Ela começou a prestar os primeiros concursos em 2005, logo depois da formatura de jornalismo. “Na época, não levei a sério. Em 2015, efetivamente comecei a prestar concursos e estudar para isso. Naquele ano, fiz cinco concursos e passei em dois. Três eram de nível federal para institutos federais, dois para professor e um para jornalista. No de docente, para o IFPR, fui para a segunda etapa. Dos que passei, um era estadual, para jornalista, e outro municipal para professor. Foi este que assumi em 2016”, conta a jornalista e professora. Mas, mesmo assumindo o cargo no concurso

municipal, ela ainda não parou. Este ano, Amanda passou para mais dois. “Fiz dois concursos municipais e passei nos dois, ambos para professor. Em um deles, fui primeira colocada. No outro, fiquei em quarto lugar. Para futuro, não tenho nenhum outro em vista, mas sempre observo editais. O meu foco, agora, é terminar a faculdade de Letras e fazer doutorado na sequência”, diz Amanda. Para se preparar, Amanda conta que lê muito, assiste a vídeos e ouve podcast, principalmente para a área em que atua. “Nas provas para professor, ter domínio da lei pertinente, da língua portuguesa e do conteúdo pedagógico geral e específica da área de conhecimento que você se formou é fundamental. A leitura, de forma geral, auxilia em relação ao domínio das regras de português e sobre a legislação, é leitura de leis mesmo para entender o contexto e as aplicações”, pontua. 39


Educação

Dicas para concursos Amanda diz que um primeiro ponto é entender o que se quer, qual carreira seguir. “Durante um tempo, fiz para jornalista e para professor, mas você perde o foco. Hoje prefiro os de educação, pois estou mais acostumada com o conteúdo. O segundo ponto é acompanhar os editais e entender quais conteúdos são recorrentes e o perfil de cada banca. Depois disso é organizar cronogramas de estudo e de revisão, além de fazer muitos simulados de provas da mesma banca e cargo”. Além disso, acrescenta Amanda, quando o edital é lançado, é hora de conferir os conteúdos, pesos de cada prova e fazer um cronograma de estudos. “Como dificilmente tem algum conteúdo novo, o que faço são revisões, releituras de textos de lei, de anotações de outras provas e parto para questões de concursos daquela banca”.

Ajudando os concurseiros A policial militar Débora Romero Schulz Konig tem muitos seguidores no perfil do Instagram - @mamaepolicial – e, com a abertura do edital da Polícia Militar de Santa Catarina, começou a receber pedidos de dicas e orientações em como passar no concurso. Com isso, por ser profissional de educação física, surgiu a ideia de promover um aulão aos concurseiros. “Foi uma tarde explicando o edital, tirando dúvidas, executando os exercícios e corrigindo os erros dos candidatos no teste físico. Também contamos a nossa experiência”. Para Débora, o ideal é estudar muito e, se tiver teste físico, treinar é essencial. 40


EM TUBARÃO

GRADUAÇÃO EAD ESUCRI / UNIASSELVI Semipresencial de verdade.

MATERIAL IMPRESSO

GRATUITO

NOVOS CURSOS RADIOLOGIA

BIOMEDICINA

PRODUÇÃO CULTURAL

FISIOTERAPIA

BIG DATA E INTELIGÊNCIA ANALÍTICA

Conheça nossos polos e escolha o mais próximo de você. ARARANGUÁ

BRAÇO DO NORTE

(48) 3524.3543

(48) 3658.7049

CRICIÚMA

(48) 3431.3745

LAURO MÜLLER

(48) 3464.5516

NUTRIÇÃO

EM TUBARÃO Na Escola Técnica do Comércio de Tubarão

IÇARA

Rua Padre Bernardo Freuser, 97. Centro.

(48) 3055.4003

SOMBRIO

48 3626-6708

(48) 3533.3954

Inscreva-se em:

esucri.com.br 41

Consulte demais cursos, duração e valores em nosso site.


Saúde

SAÚDE DOS OLHOS:

entenda como doenças “silenciosas” podem levar à perda gradual da visão Associação Catarinense de Oftalmologia promove campanha de conscientização sobre a importância de fazer exames regularmente. Muitas vezes, vamos a uma consulta oftalmológica para verificar se o grau do óculos mudou ou em casos mais específicos de problemas na visão. O que muitas pessoas desconhecem é o fato de que os exames feitos pelos médicos oftalmologistas podem identificar muitas outras possíveis doenças que, se não forem diagnosticadas e tratadas adequadamente, podem evoluir para uma perda progressiva - ou às vezes até total - da visão. De acordo com o médico e presidente da Associação Catarinense de Oftalmologia, João Artur Etz Júnior, a saúde dos olhos não se restringe ao uso de óculos e lentes corretivas. “Por meio do exame oftalmológico completo podemos diagnosticar doenças graves que são causa de cegueira irreversível, mas que podem ser controladas, como glaucoma, retinopatia diabética, catarata, tumores oculares, entre outras”, diz o médico. A importância do trabalho de um médico oftalmologista está na série de exames feitos em uma consulta, como: medir a pressão intraocular, fazer exame de biomicroscopia completo, dilatar a pupila e realizar exame de fundo de olho. “E, se achar necessário, ele deverá solicitar outros exames para complementar

diagnóstico, e não apenas receitar uma troca de óculos”, explica o médico. No ano passado, a Associação Catarinense de Oftalmologia desenvolveu uma iniciativa pioneira no Brasil, o Programa Saúde dos Olhos, que inclui uma série de ações de conscientização sobre a importância do médico oftalmologista no tratamento a doenças e problemas de visão. Além de identificar os problemas mais comuns de visão, há diversas doenças que podem ser diagnosticadas por meio de exames oftalmológicos. O crescimento de consultas e receitas realizadas por profissionais não médicos em todo o Estado tem causado preocupação por parte da associação - apenas o médico oftalmologista pode fazer consultas de saúde e prescrição de receitas à população. “Dentro do programa Saúde dos Olhos, implantamos uma assessoria jurídica em macrorregiões do Estado e uma central de monitoramento, responsável pelo registro de profissionais e o acompanhamento de todas as ações e denúncias de irregularidades na prestação de serviços à população”, comenta o médico Ayrton Ramos, ex-presidente (e atualmente vice) da Associação Catarinense de Oftalmologia.

Conscientização contra a cegueira A gravidade de algumas dessas doenças “silenciosas”, que demoram para se manifestar, levou entidades médicas a criarem campanhas periódicas para alertar a população sobre o risco da falta de cuidados com a visão, um dos sentidos mais importantes. É o caso do Abril Marrom, dedicado ao combate à cegueira, um problema que atinge 1,2 milhão de brasileiros e que, na maior parte destes casos, poderia ter sido evitado.

42


Saúde

Doenças mais comuns Três doenças são as causas mais comuns da cegueira: a catarata (ocorrência principal da perda de visão, segundo a Organização Mundial de Saúde); o glaucoma, doença que acomete principalmente pessoas acima dos 40 anos; e a retinopatia diabética, que ocorre em pacientes com diabetes mal controlada e que também pode levar à perda de visão de maneira irreversível. Em 2018 foi criada a campanha “Junho Violeta”, com objetivo de conscientizar e esclarecer a população sobre o Ceratocone, uma doença que afeta a córnea, deixando-a mais fina e menos resistente, conhecida também como distrofia contínua e progressiva e que não tem cura. De acordo com o Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO), a cada 100.000 pessoas no

mundo, de quatro a 600 delas desenvolvem a doença. A maior incidência ocorre na adolescência, entre os 13 e 18 anos e, em geral, afeta em 90% dos casos ambos os olhos, tanto em homens como mulheres. Entre os sintomas estão: fotofobia, irritações, ofuscamento, embaçamento e distorções moderadas. Apesar de não ter cura, há vários tratamentos disponíveis para melhorar a visão do portador da doença, estabilizando o problema e reduzindo as deformidades da córnea. “O tratamento adotado depende da evolução do caso. Na maioria das situações, o problema é solucionado por meio da adoção de óculos, lentes de contato ou cirurgia. Segundo estatísticas, apenas 10% dos casos evoluem para transplante de córnea”, destaca o médico.


Saúde

PRECISAMOS FALAR SOBRE A DOENÇA DE ALZHEIMER: Começa mais ou menos assim: a mesma pergunta é feita várias vezes; há também uma dificuldade em acompanhar conversas e articular; sair de carro se transforma em pesadelo porque achar o caminho não é natural. Esses sinais evidenciam o primeiro e mais característico sintoma da Doença de Alzheimer, a perda de memória recente. O Alzheimer é uma doença neurodegenerativa que provoca a diminuição das funções cognitivas. Em poucas palavras, as células cerebrais morrem, prejudicando a função mental. A progressão da doença acarreta em problemas mais graves, como o esquecimento de fatos mais antigos, a desorientação no espaço e irritabilidade. Falar sobre a Doença de Alzheimer (DA) é uma questão de saúde pública. No mundo, estima-se que 50 milhões de pessoas sofram de demência – grupo de distúrbios cerebrais que causam a perda de habilidades intelectuais e sociais. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a DA é responsável por até 70% dos casos de demência. Aqui no Brasil, o cenário é particularmente desafiador. O número de indivíduos vivendo com demência deve triplicar até 2050, segundo relatório da Organização Mundial da Saúde. E o número de pacientes diagnosticados com Alzheimer deve crescer em proporção semelhante. Ainda não há cura para a Doença de Alzheimer, o objetivo do tratamento se limita a frear os sintomas. E, com a iminência do cenário descrito anteriormente, autoridades de saúde se veem diante de uma empreitada. Trata-se de uma enfermidade de evolução progressiva e inexorável. Viabilizar soluções que melhorem a qualidade de vida de pacientes e cuidadores é essencial.

Nesse sentido, alguns passos já foram dados. Por exemplo, a ampliação do acesso aos tratamentos via sistema público de saúde, contribuindo para minimizar a progressão da doença e melhorando a qualidade de vida dos pacientes. Há exatamente um ano, o Ministério da Saúde disponibiliza o medicamento Rivastigmina adesivo transdérmico para tratamento da Doença de Alzheimer, previsto no Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas (PCDT). O medicamento age inibindo uma enzima responsável por degradar a acetilcolina, um neurotransmissor essencial nos processos cognitivos, principalmente a memória. Ao administrá-lo, temos uma oferta maior de acetilcolina no organismo. A versão oral da Rivastigmina já era oferecida no SUS, mas sua ingestão pode causar alguns desconfortos gastrointestinais, como náusea, vômito e diarreia. A vantagem do adesivo é que a medicação é liberada gradualmente através da pele, reduzindo a possibilidade de efeitos colaterais por não passar diretamente pelo trato digestivo. Existem outras frentes que ainda precisam ser trabalhadas em termos de políticas públicas. A complexidade da Doença de Alzheimer demanda a atuação de equipes de diversas áreas e uma abordagem integral que facilite a interação médico-cuidador-paciente. O médico atuando sozinho, aliás, é incapaz de resolver muitas das questões relacionadas à enfermidade. As ações multidisciplinares podem interferir positivamente no tratamento, com melhoras significativas de problemas comuns como a depressão. O avanço da ciência abre um caminho promissor e traz esperança para toda sociedade.

A Doença de Alzheimer pode não ter cura, mas, se diagnosticada no início, o tratamento adequado ajuda a impedir a progressão e amenizar os sintomas, proporcionando melhor qualidade de vida ao paciente e reduzindo o sofrimento dos cuidadores e da família. RODRIGO RIZEK SCHULTZ

Neurologista e presidente da Associação Brasileira de Alzheimer (Abraz)

44


45


Construção Civil

AS CORES E SUAS SENSAÇÕES NA DECORAÇÃO Especialista ensina que escolher cores para espaços vai além da razão e que emoção faz parte do “conjunto”

Não existe certo ou errado quando o assunto é cor. Tudo é permitido, isso porque a cor traz sensações e o seu uso é carregado de significados, inclusive na ambientação dos espaços. Para Ana Kreutzer, pesquisadora, consultora e educadora, as tendências existem, mas não convém usar uma cor na decoração de interiores apenas por ela estar na moda. “Copiar e colar uma tendência apenas pelo visual estético perde todo o sentido”, ressalta. Segundo a especialista, estudos constantes são realizados para entender as razões que levam as pessoas a terem preferência, optarem por algumas composições cromáticas em relação a outras. “Elas transmitem de forma subjetiva mensagens e conectam as pessoas com os sentimentos”, pontua a pesquisadora, que recentemente esteve em Florianópolis a convite da Associação Brasileira

de Designers de Interiores - Regional Santa Catarina (ABD SC), para falar justamente sobre a influência das cores na vida das pessoas. É notável. A sociedade está despertando para algo novo e que está cada vez mais relacionado à inteligência emocional e à estética sensorial. E aí surge a relação de cada indivíduo com a cor, que vai muito além do apelo visual, da aparência estética das cores. Ou seja: as pessoas passam a escolher uma tonalidade ou outra a partir daquilo que sentem, a partir da emoção que determinada cor transmite. Como isso é observado na prática? Em projetos, em espaços de casas reais.

46


Construção Civil

Tons para mostrar personalidade Violetas, lilases, azuis e rosas mais claros, suaves, por exemplo, são tons certeiros para quem busca criar ambientes confortáveis e convidativos ao relaxamento e harmonia. Como explicou Ana, “o essencial é invisível aos olhos e este sentimento as cores também são capazes de transmitir. São tons com expressividade, mas sem cansar.” E mais: existe uma imersão no uso da cor com a interferência de projetos luminotécnicos - onde a luz cria efeitos e potencializa o sensorial da cor - ou envelopando ambientes, para que os usuários entrem ainda mais na atmosfera da tonalidade. Por outro lado, há quem prefira paletas vibrantes, escuras, contrastantes. Geralmente são pessoas de personalidade forte, empoderadas, contestadoras e costumam quebrar paradigmas. “A intensidade dos vermelhos e azuis representam bem esta característica. Vale ainda destacar que os brasileiros, que têm uma cultura diferente de cores - muito focada no branco -, vêm ousando ao usar cores escuras na decoração de interiores, vestindo muitas vezes paredes inteiras de verdes intensos, cinzas escuros”, diz a pesquisadora. Outro grupo segue a linha mais natural, de reconexão com as origens. Tem a ver com as escolhas atuais, mais conscientes de consumo, alimentação, e que vão ao encontro de uma vida mais sustentável. Aqui entram os tons de acolhimento, que puxam para os terrosos, como os marrons, amarelos, laranjas, palha natural. No leque de opções, aparecem ainda os verdes “da floresta”, que remetem e trazem a natureza para dentro de casa.

47


48


Ambientes

SONHO DE UM LAR MODERNO Família conquista espaço com apartamento funcional e sem “firulas”. O resultado é um projeto na medida, confortável e harmonioso Uma casa com personalidade, sem abrir mão do charme e do conforto. Não há forma melhor de definir este apartamento de 180 metros quadrados. Tudo foi pensado pela designer de interiores Adriana Tiezzi, que transformou os desejos dos proprietários em um projeto funcional e moderno. Aliás, uma coisa que eles não queriam em hipótese alguma era ter ambientes com detalhes em excesso. Por isso, a profissional criou composições equilibradas. A começar pela área social. Cozinha, estar e sala de jantar ocupam o mesmo ambiente. As áreas são delimitadas apenas por elementos pontuais, como os painéis espelhados ao lado da mesa de refeições.

FOTOS: FERNANDO WILLADINO/DIVULGAÇÃO/REVISTA TUDO


Ambientes

l itadas esse pape m li re e p d m u s c a e u Áre ento q sação á uma sen r T V, o elem

para ve aterial d No espaço do de madeira. O m er o cômodo. ripa uec é o painel ajuda a aq a d in a e o eg de aconch

50


Ambientes

Cores que aquecem Inclusive, essa foi uma das premissas da designer para a escolha da paleta cromática do projeto. Cores que aquecem, sempre em harmonia, ditam as regras por aqui. Alguns elementos deixam essa estratégia bem clara, como o sofá, a mesa e as banquetas do balcão de refeições. “Dei preferência à escolha de materiais naturais, como aço corten, madeira e tijolo. Aliás, eles foram os responsáveis pelo start do projeto”, diz a profissional. As banquetas estão entre os destaques da área social, pois misturam dois materiais tão diferentes de maneira harmoniosa (ferro e madeira).

FOTOS: FERNANDO WILLADINO/DIVULGAÇÃO/REVISTA TUDO

51


Ambientes

FOTOS: FERNANDO WILLADINO/DIVULGAÇÃO/REVISTA TUDO

Prioridades do projeto Receber pessoas estava entre as preocupações dos moradores, que adoram ter a casa sempre cheia. Por isso, a churrasqueira recebeu uma atenção especial (o ambiente está integrado à área social). Aqui, predomina uma combinação clássica, que não tem erro: preto e branco. Repare que a mesa de refeições tem um gaveteiro na base, o que ajuda a organizar os utensílios.

52


Ambientes

Boas-vindas com aconchego Perto da porta de entrada, um tom reforça a preocupação com a leveza da ambientação: o azul, que dá as boas-vindas aos visitantes.

53


FOTOS: FERNANDO WILLADINO/DIVULGAÇÃO/REVISTA TUDO

Ambientes

Os espaços íntimos A ala íntima, por sua vez, é dividida em três suítes. O objetivo da designer para os cômodos era reforçar o conforto, sem a tal das “firulas”. Os três ambientes ganharam camas amplas e escrivaninhas embutidas na parede para facilitar o dia a dia. Em todos os espaços, o projeto de iluminação se destaca. Isso porque a Adriana apostou em pontos diretos e indiretos, criando assim um equilíbrio que se multiplica por todo o apartamento.

A profissional A designer de interiores Adriana Tiezzi sempre foi apaixonada pelas áreas de interiores e moda, inclinação que a fez ingressar no curso de Design de Interiores. O que era uma formação por hobby, acabou virando profissão. Há 12 anos ela atua na área e, há oito, toca o seu próprio escritório.

54


55


Tubarรฃo / Braรงo do Norte / Laguna Garopaba / Jaguaruna / Araranguรก


Ambientes

CONTEMPORANEIDADE PARA BEM MORAR Família aposta em apartamento aconchegante sem perder a modernidade dos ambientes

FOTOS: DAVI NASCIMENTO/DIVULGAÇÃO/REVISTA TUDO

Estamos no século 21. O moderno está por todo parte, e o contemporâneo não fica fora na hora de escolher o local e objetos para compor o lar. Foi inspirada nisso que a arquiteta Isabela Faraco teve total liberdade dos clientes para elaborar o apartamento de uma família de Tubarão, no Sul de Santa Catarina. “O conceito tem como base um apartamento bem contemporâneo, com cor, alegre e acon-

57

chegante ao mesmo tempo”, fala a arquiteta. Isabela conta que o objetivo desse projeto era algo que “impactasse e que fosse atemporal”. “Trabalhamos o moderno nas salas, cozinha e quarto infantil. Já nos ambientes como lavabo e suíte master/closet, a proposta foi mais clássica. Mas sempre com a preocupação em mantermos uma proposta atual e leve”, analisa a arquiteta.


Ambientes FOTOS: DAVI NASCIMENTO/DIVULGAÇÃO/REVISTA TUDO

Sofisticação e simplicidade Dos materiais usados por Isabela no apartamento da família, estão os destaques para: laca, madeira peroba, neolith, metais linha Gold e Red Gold, piso porcelanato e vinílico, papeis de parede, vidros refletivos, veludo, couro e linho.

58


Ambientes

Decoração encaixada no contexto “Para decoração, investimos em vários móveis e peças assinadas por Jader Almeida. Entre elas, banquetas e mesas bistrô, bandeja em metal e mármore na bancada do buffet. Além disso, contamos com sofá em couro natural e outros”, diz Isabela.

Iluminação clean Para deixar o ambiente mais clean, a equipe investiu numa iluminação toda em LED, embutida, para uma melhor distribuição da luz. “Utilizamos um conceito mais clean e colocamos lustres pontuais na mesa de jantar, bar, mesa, cozinha e cama casal”, revela.

59


Ambientes

Modernidade Das características que descrevem bem o apartamento, Isabela destaca o moderno e aconchegante. “Engana-se, quem acha que o moderno é frio, sem vida. Acho que esse apartamento retrata bem isso”, diz a profissional. Segundo a arquiteta, os clientes aprovaram prontamente as propostas dadas pela equipe. 6060 60


Ambientes

FOTOS: DAVI NASCIMENTO/DIVULGAÇÃO/REVISTA TUDO

Integração de ambientes Das necessidades apontadas pelos clientes, Isabela informa que foram colocadas em evidência a integração dos ambientes, conceito moderno na área social e mais clássico na área íntima.

61


Ambientes

FOTOS: DAVI NASCIMENTO/DIVULGAÇÃO/REVISTA TUDO

Cores para alegrar Nos ambientes do apartamento, Isabela apostou em cores alegres e modernas. “Abusamos do ocre, cinza e azul nas salas. O cinza predominou em toda área social do apto. Na área íntima, os tons de bege, caqui e off tomaram conta”, fala a arquiteta.

A profissional Arquiteta há mais de 15 anos, com ampla experiência nas áreas de arquitetura residencial, comercial e interiores, Isabela Faraco hoje conta uma equipe formada por mais três arquitetas, uma estagiária e um financeiro. Atua também em projetos de interiores à distância. Outras informações no site www.isabelafaraco.com e email isabela@isabelafaraco.com.

62


Moda

64


Beleza

“SLOW” GANHA ESPAÇO EM JOIAS PERSONALIZADAS Peças feitas com elementos da natureza mostram que estar na moda pode ser feito de maneira sustentável

Conquistando cada vez mais espaço, os produtos conhecidos como “slow fashion” têm se tornado os queridinhos quando se fala em beleza. E as joias estão neste pacote. Itens com uma “pegada” mais durável e sustentável deixaram de ser associados a peças simples. Pelo contrário, ganharam credibilidade. Nos tempos do ecologicamente correto e com o discurso da sustentabilidade, brincos, colares e pulseiras de pedras preciosas são substituídos por uma biojoia, como são conhecidos os colares, anéis e outros itens produzidos com materiais como flores, folhas, por exemplo. Para a designer de joias sustentáveis, Graciele Sehnem, de 29 anos, as biojoias começaram a surgir em sua rotina em 2013. “Sempre tive essa visão mais ‘slow’

do consumo de moda, criando e recriando as roupas e acessórios que gostava de usar. Então, comecei a produzir para vender. Mas tudo de forma artesanal. Ainda sem a parte ecológica e sustentável”, conta Graciele. Três anos depois, mais aperfeiçoada na técnica, Graciele criou as primeiras peças de resina com elementos da natureza preservados. “Vi uma postagem de uma marca estrangeira e pensei: ‘preciso aprender a fazer isso’. Me apaixonei na hora pela ideia de levar um pedacinho da natureza nos meus acessórios”, conta Graciele. Após muita pesquisa, testes, a jovem conseguiu desenvolver sua própria técnica para usar flores e folhas para fazer as joias da empresa que nascia: a GraciOsa EcoDesign.

65


Os detalhes que encantam Após todo o processo de produção, a peça vira um colar, uma pulseira, um par de brincos, um anel. “Meus produtos são destinados a todos que gostam de itens diferenciados, artesanais, e que se importam com a natureza. Trabalho com todo o tipo de público e envio para o Brasil todo e até para o exterior. Já criei peças para uma jovem que estava se casando e queria preservar as flores do buquê. Ela me enviou as flores pelos Correios de

Belo Horizonte, criei os pingentes e enviei de volta. Deveriam ser três pingentes, ela acabou ficando com oito”, relembra Graciele. A designer diz que tudo pode ser transformado para beleza de forma sustentável. “Uma pulseira e um colar com a folha e a flor de uma mesma planta, podem se transformar numa peça linda e uma recordação, por exemplo. São peças que contam histórias e marcam datas especiais, é isso que eu faço”, complementa.

Representatividade Segundo Graciele, a GraciOsa representa uma nova forma de ver a beleza. “Uma moda mais consciente com peças para usar por um longo período, não apenas durante uma estação. E, mais do que isso, acessórios que tenham um significado maior. Acessórios que contêm a história da pessoa que usa, suas paixões, seus interesses, seus ideais. É assim que vejo a moda, como uma representação do que nós somos, e é isso que tento passar adiante com a GraciOsa”, revela.

66


67


68


Moda

INFLUENCER DIGITAL ESTÁ NA MODA Nunca esteve tão em alta a função de influencer digital. Com a personagem de Paolla Oliveira, a Vivi, de “A Dona do Pedaço”, novela da Rede Globo, as blogueiras e/ou influencers de moda têm ganhado ainda mais destaque nas redes sociais. Caso da professora e designer de moda Sarah Bitencourt, de 27 anos. Moradora de Jaguaruna, no Sul de Santa Catarina, ela começou como influencer de moda de maneira leve, porém, ganhando aos poucos maiores proporções.

Sarah começou a trabalhar com moda ainda na primeira graduação, de design de moda, quando tinha 17 anos em diversas funções em confecções da região. “Nesta época, criei o blog ‘Só Sapatilhas’, onde já falava de moda sem salto. Fiquei um tempo distante da área, pois estava insatisfeita com as possibilidades que a profissão estava me proporcionando, mas após alguns anos resolvi voltar a dar espaço à moda na minha vida. Encontrei na rede social uma maneira leve e simples de falar desse assunto, que vem sendo importante para mim”, conta.

A escolha do look ideal para postar Ser influencer digital de moda não é tarefa fácil ou para qualquer uma. Diariamente, é preciso fazer postagens de looks, tendências, dicas, entre outros. Segundo Sarah, as suas postagens são de looks reais. “Quando saio ou monto um look com uma inspiração que tenha encontrado, costumo postar no Instagram. Já fui em loja montar looks para fotos de campanhas e de divulgação também. Sempre penso no que posso ser útil nesse meio social, qual informação será enriquecedora para minhas seguidoras, etc. Então, posto ideias e inspirações de looks e dou esclarecimentos quanto à ideia de alongamento e achatamento de acordo com a peça e a cor”, pontua.

69


Moda

E o resultado? Sarah diz que tudo começou de forma despretensiosa. “Simplesmente a vontade de compartilhar minhas ideias e propostas de looks que eu montava aconteceu”. Para a influencer, o resultado tem sido muito melhor do que esperava. “Minhas seguidoras engajam constantemente e venho aumentando a quantidade de seguidores de forma totalmente orgânica. Iniciei os posts no dia 26 de junho deste ano; 80% dos seguidores são mulheres e, na região, tenho mais seguidores em Jaguaruna e Tubarão. Além disso, meu

80%

primeiro vídeo de assessoria de moda, por exemplo, ultrapassou 600 visualizações”, ressalta. Segundo Sarah, o crescimento tem acontecido. “Elas costumam me enviar mensagens pedindo para eu falar sobre algum assunto específico e também sobre moda sem salto, estilo de tênis, peças atemporais. Isso é gratificante”. “Meu intuito é ser uma pessoa acessível, onde as seguidoras possam me procurar para tirar dúvidas, pedir ideias de peças que não conseguem usar e se sentirem inspiradas a tentar algo novo”, acrescenta.

+1k

seguidores são mulheres

+600

seguidores orgânicos

visualizações em lives

Rotina de posts A professora e designer de moda diz que tem uma rotina de postagem. “Coloco foto no feed de uma a duas vezes por semana. Os vídeos de assessoria e dicas também são uma vez por semana e, nos stories, em torno de cinco vezes na semana, com dicas diversas ou assuntos do dia a dia”.

Influencers que inspiram “Há diversas influencers que me servem de inspiração, mas sou mais assídua nas que focam no fashionstyle”.

@thassianaves Thássia Naves

@lalanoleto

@lalarudge

Lalá Noleto

Lala Trussardi Rudge

70

@bisbilhoteiras Mana Naspolini


Cultura

TRADIÇÃO GAÚCHA EM SOLO CATARINENSE “Eu sou um peão de estância, nascido lá no galpão. E aprendi desde criança a honrar a tradição. Meu pai era um gaúcho que nunca conheceu luxo, mas viveu folgado, enfim, e quando alguém perguntava do que ele mais gostava, o velho dizia assim: churrasco e bom chimarrão, fandango, trago e mulher”. A letra da canção “É disse que o velho gosta”, do Gaúcho da Fronteira, reflete muito bem histórias de pessoas que, apesar de terem saído do Rio Grande do Sul para viver em Santa Catarina, ainda mantêm a tradição. É o caso do comerciário Mateus Peres, de 37 anos. Ele nasceu em Bento Gonçalves, no Rio Grande do Sul, estado em que morou por 25 anos. Há 11 anos, foi morar em Tubarão e, apesar de estar longe da terra natal, mantém o hábito do “mate” diário, ou seja, o chimarrão. Segundo ele, os amigos do Oeste catarinense cultuam a tradição gaúcha. “Muitas vezes, até mais que os próprios gaúchos. Isso mostra que a cultura e as tradições podem ser apreciadas por todos, sempre”.

“Tomo chimarrão diariamente e já é fundamental para o fim do dia. Além do mate, sempre faço carreteiro e churrasco, para manter o costume. Aliás, manter a tradição é cultuar suas origens, sempre respeitando a do próximo, pois como diz o hino rio-grandense: ‘povo que não tem virtudes acaba por ser escravo’”, explica Mateus. 71


Cultura

Em todos os lugares A professora Tania Mara Soares é gaúcha, mas há cerca de 38 anos mora em Tubarão. Diariamente, ela e o marido, Rogério, preparam o chimarrão para tomar antes de sair para trabalhar. A bebida ainda é apreciada no fim do dia, quando ambos retornam para casa. “Posso dizer que, praticamente, tomar mate é nosso café da manhã. Não consigo fazer nada sem antes tomar algumas cuias. Sempre preparamos antes de tra-

balhar e, inclusive, tenho um kit no meu local de trabalho, para continuar tomando durante o dia”, explica ela. A continuidade da tradição, ressalta ela, começou ainda com os pais, já falecidos, Ary e Terezinha, que todos os dias tomavam chimarrão. “Inclusive, as filhas e filho, genros e netos sempre se reuniam na casa deles para a roda de chimarrão. Das quatro irmãs, apenas eu e uma outra têm o costume de preparar o mate diariamente”.

Chimarrão ou mate O chimarrão, ou mate, é uma bebida característica da cultura do Sul da América do Sul, legada pelas culturas indígenas caingangue, guarani, aimará e quíchua. É composto por uma cuia, uma bomba, erva-mate moída e água quente.

Dez benefícios do chimarrão Feito a partir de erva-mate moída e água morna, o chimarrão traz muitos benefícios para a saúde quando tomado regularmente. Aqui, dez benefícios do chimarrão:

1 - Elimina a fadiga e o cansaço

6 - Auxilia na regeneração celular

2 - Ajuda na digestão

7 - Estimula atividade física

3 - Diurético

8 - Diminui o colesterol ruim

4 - Fonte de vitaminas e sais minerais

9 - Ajuda no emagrecimento

5 - Fonte de antioxidantes

10 - Benefício para o coração

72


73


Sabores SC

NÃO COMER CARNE:

ENTENDA ESTE ESTILO DE VIDA Vegetariano, ovolactovegetariano e vegano: entenda as diferenças de cada um

O número de brasileiros que deixam de comer alimentos de origem animal cresce a cada ano. Os últimos dados divulgados sobre a população vegetariana no Brasil, de 2012, mostram que a porcentagem de homens e de mulheres nessa situação no Brasil é a mesma: 8%. O índice se altera conforme a idade, aumentando entre as pessoas de 65 a 75 anos. Nesse grupo, o percentual chega a 10%. Já entre os jovens de 20 a 24 anos, o percentual é ligeiramente menor (7%), assim como entre homens e mulheres de 35 a 44 anos. A dieta vegetariana ganha espaço, seja por opção nutricional ou por adoção ao estilo de vida. Há quem

seja contrário ao sofrimento dos animais, quem queira adotar uma dieta mais leve, quem seja alérgico à proteína da carne ou faça a opção por motivos religiosos. Por fim, a dieta se tornou um estilo de vida. A dieta vegetariana difere da dieta onívora, em que a base da alimentação são os vegetais e animais, em vários aspectos. De acordo com a Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB), o vegetariano pode ou não ingerir alimentos derivados de animais. Na dieta vegetariana, encontramos subdivisões, como a vegana, a lactovegetariana, a ovolactovegetariana, a ovovegetariana, a crudívora e a frugívora.

74


Sabores SC

Entenda quem são os:

Ovolactovegetarianos

Lactovegetarianos

NÃO CONSOMEM CARNE

NEM PEIXE, FRANGO, CRUSTÁCEOS, ETC.

NÃO CONSOMEM OVOS

NEM PRODUTOS COM OVOS E DERIVADOS.

NÃO CONSOMEM LATICÍNIOS

LEITE, QUEIJOS, IOGURTES, ETC.

NÃO CONSOMEM NADA DE ORIGEM ANIMAL NA ALIMENTAÇÃO NÃO CONSOMEM NADA DE ORIGEM ANIMAL

ALIMENTAÇÃO, VESTUÁRIO, BELEZA, ENTRETENIMENTO, ETC.

Amor aos animais e a transformação O amor pelos animais foi uma dos pontos que culminou na mudança de vida da vestibulanda Érica Meurer, de 17 anos. Atualmente ela é ovolactovegetariano. “Há três anos, fui desenvolvendo afeto muito grande pelos bichos. Passei por momentos árduos na minha vida, que o amor dos cachorros me ajudou a vencer. Não somos superiores a eles. Mas eles não devem sofrer”, fala a jovem. Érica conta que dentre as mudanças na rotina, alguns alimentos precisam ser pedidos separadamente quando sai, por exemplo. “Quando saio com amigos e todos pedem pizza. Às vezes, tenho que pedir algo só pra mim. Mas não vejo isso como um problema. No mais, apenas excluo a carne, sem dificuldades”, fala a jovem. Ainda sobre as mudanças, Érica diz que sofre certa resistência à sua escolha. “Alguns familiares ainda não se acostumaram. Porém, recebo mais elogios do que críticas. Uma vez, ao perguntar se havia algum alimento sem carne numa lanchonete, algumas pessoas me elogiaram e comentaram sobre meu interesse no vegetarianismo. Esses pequenos momentos me fazem muito feliz!”, revela. Para Érica, se tornar ovolactovegetariana foi um processo de aprendizagem. “Fui percebendo diversos fatos horrendos sobre a indústria da carne, leite e outros. Tudo isso foi me fazendo perceber que os animais não são menos dignos nem menos importantes que nós, humanos. Além disso, não faz sentido nos alimentarmos deles. Meu próximo passo será parar com os ovos e leite, que infelizmente estão presentes na maioria das receitas populares”, revela.

Vegetariano

Veganos


Sabores SC

Exemplo passado de geração Vegana desde 2015, Bruna Ferreira é uma ativista quando o assunto é alimento de origem animal. Para ela, a escolha para viver “diferente” veio quando tinha 12 anos. A mãe, na época, decidiu não mais comer carne. “Decidi, então que eu não queria mais comer nenhum animal e nada que precisasse matar um animal. Foi um processo gradual. Mas estava certa da minha decisão”, diz Bruna.

Com o passar dos anos, Bruna conta que as mudanças se concretizaram. “Para mim foi uma libertação. Hoje eu digo, com toda a certeza, que foi a melhor decisão da minha vida. Mas também foi um processo muito doloroso e até hoje, em alguns momentos, ainda é. Sigo tentando conscientizar as pessoas a todo momento do sofrimento dos animais”, descreve a jovem.

Ativismo unido à mudança de vida Diante de toda mudança de vida, Bruna se tornou uma ativista da causa. “Abracei a causa por completo. Sempre que posso, gosto de participar de ações, feiras, eventos, congressos relacionado ao tema. Também gosto de manter contato com empresas, proponho mudanças, questiono, acredito muito na força do diálogo e já consegui algumas transformações positivas com algumas marcas e também com pessoas”, diz Bruna. Para a jovem, o veganismo é um aprendizado constante. “Mudei totalmente minha forma de consumo. Há menos de um ano, lancei uma loja virtual onde trago essa proposta de produtos veganos e ecológicos, incentivando sempre o consumo consciente”, comenta Bruna. “Permita-se conhecer essa nova visão, desprenda-se de antigos conceitos. Dê seu primeiro passo”, aconselha Bruna para quem desejar seguir nessa mudança de vida. 76


77


Viajar

COLECIONADOR DE VIAGENS E FOTOGRAFIAS Apaixonado por viagens, o professor aposentado Wilson Schuelter, de 72 anos, tem na bagagem memórias, histórias e fotografias. Ele, que atualmente faz traduções para o inglês de artigos acadêmicos e se dedica à fotografia, esteve em 23 países e conta que gosta muito de viajar. “Viajo sempre que posso. Aprende-se muito com as viagens, quer praticando a comunicação em outros idiomas, quer conhecendo outros povos, com sua cultura, seus usos e costumes. Aprende-se história, geografia e valores culturais e de folclore dos povos visitados. Wilson já esteve em 23 países: Uruguai, Argentina, Paraguai, Jamaica, Porto Rico, Ilhas Virgens,

Haiti, Canadá e Estados Unidos, nas Américas; Ingraterra, França, Dinamarca, Suécia, Áustria, Alemanha, Suíça, Itália, Espanha, Portugal, Hungria, Eslováquia e República Checa, ambos na Europa; e Marrocos, na África. ”Ainda pretendo visitar algumas partes da Ásia, se possível, pois não conheço. Japão, Austrália e novas visitas à Europa também constam na lista de desejos. Além do México, que dizem ser muito bonito. Isso se as condições financeiras e de saúde permitirem. Procuramos sempre acumular pontos e viajar por milhas, mas ainda restam as despesas locais de hospedagem e alimentação”, explica.

78


Viajar

E a região? “Aliás, daí surgiu uma ideia que coloquei como meta e desafio: descobrir e registrar em fotos os lugares marcantes, bonitos e atraentes de Tubarão e região. Geralmente, se valoriza mais o que é visto em outros países e deixamos de perceber o quanto de beleza existe ao nosso redor. Tubarão e região têm muitos encantos que merecem ser registrados, apreciados e divulgados”, acrescenta.

Por onde esteve... Nas Américas Visitou Uruguai, Argentina, Paraguai, Jamaica, Porto Rico, Ilhas Virgens, Haiti, Canadá (Montreal, Toronto, Ottawa, Quebec) e Estados Unidos (San Francisco, Los Ângeles, Las Vegas, Las Cruces, no Novo México; Dallas e El Paso, no Texas; Phoenix no Arizona; Milwakee em Wisconsin; Chicago em Illinois; Boston em Massachussets; Nova York, Washington, além de Richmond, Norfolk, Virginia Beach, Roanoke e Balcksburg, na Virginia; Miami, Fort Lauderdale e Boca Raton, na Flórida). Na Europa Esteve em Londres, na Inglaterra; Paris, Nancy e Strasbourg, na França; Copenhagen, Helsingor, Hillerod e Roskilde, na Dinamarca; Malmö, na Suécia; Viena e Salzburg, na Áustria; Berlim, Dresden, Munique e Füssen, na Alemanha; Zurique na Suíça; Roma, Florença, Veneza e Údine, na Itália; Madri, Zaragoza, Montserrat, Barcelona, Valência, Granada, Sevilha e Córdob, na Espanha; Lisboa, Cascais e Estoril, em Portugal; Budapest na Hungria; Bratislava na Eslováquia; Praga, na República Checa. Na África Conheceu o Deserto do Saara. visitou o Marrocos, incluindo as seguintes cidades: Rabat (capital), Casablanca, Marrakech, Ait Ben Haddou, Ourzazate, Boulmane, Todra, Erfoud, Fez e Tânger.

79


Viajar

Curiosidades pelo mundo Muitos são os fatos curiosos que Wilson viu e vivenciou mundo afora. No Marrocos e deserto do Saara, as pessoas rezam cinco vezes por dia. “São chamados à oração dos minaretes (que são as torres das mesquitas). Quando não estão perto de uma, rezam onde estiverem, sempre voltados para Meca, ajoelhando-se e curvando a cabeça até o chão. Recitam versos do Alcorão em voz alta. Vi seis motoristas fazendo isso nas areias do deserto enquanto nós jantávamos”, conta. Para ele, o passeio pelas imensas dunas, montado em dromedários é uma experiência imperdível e que atrai turistas do mundo todo. “As dunas podem chegar a até 150 metros de altura e os oásis não são pequenos como mostrados nas propagandas. Um dos mais famosos tem nove quilômetros de extensão, coberto por milhares de palmeiras”. Wilson ainda conta que existe uma região conhecida como a Hollywood de Marrocos, que abrange Ait Be Haddou e Ouarzazate. Lá, foram rodados filmes famo-

sos, como “O Homem que Sabia Demais” (1956); “Édipo Rei” (1967); “Patton” (1970); “A Joia do Nilo” (1985); “007 Marcado para Morrer” (1987), “A Múmia” (1999), “Gladiador” (2000), “Príncipe da Pérsia: As Areias do Tempo” (2010), entre outros. “Além disso, parte da novela ‘O Clone’ foi rodada em cinco cidades do Marrocos, incluindo a Medina de Fez, que serviu de modelo para criar o cenário no Projac”, ressalta. Para Wilson, também existem marcos que chocam de alguma forma, pela sua forte história. “O Museu do Muro de Berlim, igrejas e outros monumentos semidestruídos pela guerra, o Memorial aos Judeus mortos na Europa chocam os visitantes. Mas o mais impactante é, sem dúvida, o campo de concentração de Dachau, em Munique, na Alemanha”, revela. Na Dinamarca, aponta Wilson, chamam a atenção a educação, segurança, liberdade, respeito e o transporte público. “As pessoas usam intensamente a bicicleta como meio de transporte”. E Paris? “Ah, Paris e seu glamour, incluindo o famoso Museu do Louvre”.

Quem é Wilson? O professor aposentado é formado em Letras, com mestrado em Linguística e doutorado em Educação. Trabalhou em Florianópolis alguns anos, vindo para Tubarão como professor visitante em 1971 e se transferindo definitivamente em 1972.

E assim nasceu a outra paixão: fotografia Com as viagens, surgem os registros fotográficos. Assim, nasceu a outra paixão de Wilson, a de eternizar momentos. “Gosto de registrar em fotos os lugares visitados, pois ajudam a refrescar a memória e reviver a viagem”, considera. Assim, em todas as viagens, ele carrega uma câmera profissional, full frame, na bagagem. “Dedico-me à arte fotográfica que procuro aperfeiçoar sempre mais. Fotografar é perpetuar a imagem na memória, podendo ser compartilhada mesmo com que não viajou, dando uma ideia mais concreta dos lugares visitados”, explica. 80


Roteiro

TURISMO RURAL

CONQUISTA ESPAÇO NOS ROTEIROS

Passear a cavalo, pescar, fazer trilhas até cachoeiras, saborear a deliciosa culinária campeira, acompanhar a ordenha da vaca e a colheita de produtos agrícolas são algumas das atividades oferecidas pelos hotéis fazenda e pousadas rurais catarinenses. Santa Catarina foi o precursor do turismo rural no Brasil, quando no início da década de 1980 os fazendeiros da região de Lages começaram a abrir as portas de suas propriedades para visitação. Atualmente, esses locais possuem infraestrutura de lazer completa e muito conforto com atrações para todas as idades. Mais modestas, as propriedades rurais cadastradas no projeto Acolhida na Colônia também oferecem uma ótima experiência de contato com a vida no campo, onde os alimentos são colhidos na própria horta e preparados em fogão a lenha.

Conheça o projeto Acolhida na Colônia 81


Roteiro

FOTOS: DESTINO MUNDOAFORA/DIVULGAÇÃO/REVISTA TUDO

O charme em colônias europeias do Sul do Brasil Localizada nas Encostas da Serra Geral de Santa Catarina, no entorno de Florianópolis, região colonizada por imigrantes italianos e alemães, famílias de agricultores que trabalham de maneira cooperada na produção de alimentos orgânicos abriram suas propriedades para mostrar aos visitantes sua maneira de viver integrada à natureza. Assim surgiu a Associação de Agroturismo Acolhida na Colônia. Nas propriedades que participam da Acolhida, os visitantes são recebidos por famílias rurais que ainda vivem de maneira semelhante aos colonos europeus e aprendem com as experiências contemporâneas de agricultura agroecológica. Essas experiências tornaram a região referência em turismo rural.

O destino já é visitado por escolas, universidades, famílias e casais, sendo a maioria proveniente de Florianópolis e de outras cidades de Santa Catarina. Há demanda também de visitantes das capitais vizinhas, como Curitiba e Porto Alegre, de São Paulo e outros estados mais distantes, que vêm em busca de viver a experiência de ser acolhido por uma família que vive no meio rural. Em geral, as visitas de famílias e casais ocorrem nos fins de semana e feriados, e duram em média de dois a três dias. Os turistas que procuram a região buscam saber como vivem, como trabalham e o que fazem os agricultores ecológicos, além de conhecer os processos de plantio, transformação e consumo dos alimentos orgânicos. 82


Roteiro

Ecoturismo gera renda no campo Em Joinville, Norte catarinense, uma família de agricultores tornou-se conhecida por trabalhar com turismo rural. Além da bela propriedade, das atividades no campo e da gastronomia, eles destacam-se por serem pioneiros na região. Das quatro gerações que se criaram na propriedade, já são duas que fazem do turismo rural marca registrada da família. O museu e o acervo familiar contam a história dos Kersten. Ainda na década de 80, eles apostaram no segmento como atividade profissional e principal fonte de renda da propriedade. Pais e filhos atuam juntos, cada um oferecendo um serviço. Enquanto Ango Kersten conduz a visita guiada pela fazenda a bordo de um trator adaptado, a filha Juliana

prepara o café colonial, com tudo que se espera da típica comida do campo. Hoje o empreendimento está numa das rotas mais valorizadas de turismo catarinense. Em Joinville, às margens da BR-101, um recanto de belezas e com várias opções de atividades, faz do local destino certo de turistas que vêm principalmente de Curitiba e São Paulo. Por meio dos programas de incentivo ao turismo rural, cursos e projetos na área, a Epagri é mais uma vez decisiva na geração de renda e qualidade de vida no campo. Capacitar esses agricultores foi o primeiro passo para ganhar o mercado e ter sucesso no negócio. A assistência técnica e extensão rural mostraram que atuar com turismo rural exige planejamento, gestão e informação.

83


Universo PET

ADESTRAMENTO DE CÃES: QUANDO É NECESSÁRIO? Os animais de estimação estão presentes em grande parte das famílias brasileiras, sejam cachorros ou gatos, ou ainda algum outro bichinho. No caso dos cães, em particular, é necessário ensiná-los. Instruções de onde podem se alimentar, brincar e até mesmo fazer as necessidades são repassadas pelos donos. E, em muitos casos, é necessário procurar ajuda profissional, como um adestrador. De acordo com o proprietário da Martins Educação Canina, Otavio Manoel Martins, o adestramento de um cão é feito através da aplicação de técnicas seguindo princípios básicos de abordagem comportamentalista. “Em resumo, são refor-

çadores positivos e negativos para que o cão entenda o que é um comportamento desejado e um indesejado. Dentro da abordagem, existem muitos pontos primordiais para o resultado, tais como janela de aprendizado, enriquecimento ambiental e manejo alimentar”, explica. Para uma melhor assimilação do cachorro quanto às “regras”, o recomendável é que sejam adestrados assim que entram na chamada janela do aprendizado, entre 55 dias e seis meses. “É o ideal, mas não quer dizer que, após essa idade, eles não sejam adestráveis. Apenas terão mais dificuldade no aprendizado”, pontua Otavio.

Raças que mais precisam Cães com temperamentos mais territorialistas e os de “batalha”, que possuem pré-disposição à mordida, devem receber atenção extra pelo grau de periculosidade. Entre eles, o adestrador Otavio destaca o Rottweiler, Pit Bull e o Fila Brasileiro. “Contudo, os cães com temperamento ansioso e ativo também devem receber atenção especial, como por exemplo o Pastor Malinois, o Labrador e o Golden Retriever”, exemplifica. Otavio ainda diz que o Border Collie, por exemplo, é uma raça muito inteligente e tem resultado rápido. Já para os mais difíceis, “podemos citar cães orientais, como o Chow-Chow”. Sem raça definida (SRD) ou os chamados “vira-latas”, para Otavio, são quase que na sua totalidade grandes companheiros e possuem inteligência mediana. “Sempre pense na possibilidade de adotar”, indica.

84


Universo PET

Tempo de treinamento No que se refere ao tempo de adestramento, ele explica que não tem como precisar. Segundo Otavio, existem muitas variáveis em um treinamento. “Por isso, é difícil precisar o resultado generalizado. Por exemplo, um Pastor Alemão, com média de idade de cinco meses, leva cerca de três meses para finalizar o processo de obediência básica”. De acordo com Otavio, a maior procura por adestramento é quando o caso já está grave, ou seja, quando os cães já apresentam problemas, como posse por recursos, agressividade, reatividade, ansiedade extrema. “Infelizmente, não há um conhecimento necessário da população para evitar problemas graves e garantir o bem-estar dos cães. Por isso, quando eles vêm, já são casos graves. Problemas esses que poderiam ser evitados se tratados na raiz, ou seja, dentro da curva do desenvolvimento”.

Dica importante Quem ainda não adestrou o pet, mas tem vontade de fazê-lo, deve procurar um profissional para receber as instruções sobre como lidar com o animal. “Com isso, evita que problemas comuns surjam. É importante ressaltarmos três pontos: 1- pesquise sobre o adestrador; 2- desconfie de técnicas violentas e 3- não acredite em tudo o que lê na internet”, pontua.

Etapas de adestramento Conexão com o treinador Manejo alimentar Enriquecimento ambiental Centralização Aprendizado de comandos Correção de maus hábitos Generalização

85


Mundo Novo

Inovações Tecnologia Facilidades

Google Maps lança serviço O Google Maps começou a oferecer informações em tempo real do compartilhamento de bicicletas em 24 cidades de todo o mundo, entre elas São Paulo e Rio de Janeiro. Com o sistema, o usuário pode localizar as estações de bicicletas e identificar quantas estão disponíveis próximo a ele. Também é possível descobrir se há um espaço vazio em uma estação perto do destino onde a bicicleta será deixada, informa o Google.

>> Metade do planeta está nas redes sociais É difícil conhecer alguém que não esteja em rede social alguma. Agora, o relatório Global Digital Statshot 2019, feito pelas empresas americanas de dados Hootsuite e We Are Social, confirma que é difícil mesmo: 3,5 bilhões de pessoas possuem cadastros em alguma rede social. Dá quase metade

das 7,7 bilhões de pessoas do planeta. O relatório analisa o uso da internet entre abril e junho de 2019. Ele destaca que a grande maioria dos usuários de redes sociais (3,4 bilhões) acessa esses sites usando celulares. Pessoas entre 16 e 34 anos representam a maior parte dos usuários.

>> Número de assinantes cai A Netflix encerrou o 2º trimestre deste ano com 126 mil clientes a menos nos Estados Unidos e um volume de novos assinantes no resto do mundo abaixo do que o mercado esperava, apontou o balanço. Foi a primeira vez que a líder mundial no streaming de vídeos reportou queda no número de usuários no mercado americano desde 2011, quando separou esta atividade do serviço de DVDs por assinatura. Em todo o mundo, a Netflix atraiu 2,83 milhões de novos assinantes, mas o montante ficou abaixo dos 4,8 milhões projetados por investidores para o período. 86


Mundo Novo

>> Wi-fi gratuito é testado em táxis autônomos A Waymo, empresa que também pertence à dona do Google, está testando liberar wi-fi gratuito em seus táxis autônomos que rodam desde dezembro passado em Phoenix, nos Estados Unidos. No fim de abril, ela também lançou streaming de música sem anúncios para passageiros, por meio do Google Play.

>> Cientistas criam óculos que ajustam foco automaticamente

>> 5G não prejudica saúde das pessoas

Pesquisadores da Universidade Stanford desenvolveram um par de óculos inteligentes que adapta o foco de acordo com aquilo que o usuário está tentando enxergar, da mesma maneira que os nossos olhos fazem. As lentes são recheadas de fluidos que se mexem quando o campo de visão do usuário muda. Elas usam sensores para detectar se você está fitando um objeto próximo ou distante – e aí as lentes se curvam para otimizar o foco.

O 5G não é prejudicial à saúde, explica o jornal New York Times. A constatação chega após críticas de que a implementação das redes de quinta geração viriam a impactar a disposição de usuários de smartphones, por conta das frequências utilizadas pela tecnologia. Mas, ao contrário do que é dito, o corpo humano possui mecanismos para impedir que as ondas eletromagnéticas atinjam órgãos vitais, o que evita casos de câncer por conta da exposição.

>> BMW Série 3 ganha versão de entrada 320i A BMW anunciou uma configuração mais em conta para o novo Série 3, a 320i. O modelo está em pré-venda com preços promocionais que partem de R$ 187.950 e pode ser encomendado através de um aplicativo. Em relação às versões 330i, únicas vendidas até então a partir de R$ 229.950, a principal diferença está na motorização. Nas 320i, o 2.0 turbo entrega 184 cavalos de potência e 30,6 kgfm de torque, sempre com tração traseira e câmbio automático de 8 marchas.

Custa aproximadamente

R$ 187.950,00

87


88


89


90


91


Profile for Jornal Diário do Sul

Revista Tudo - 14ª Edição  

Revista Tudo - 14ª Edição  

Advertisement