Issuu on Google+

PUBLICAÇÕES PERÍÓDICAS

AUTORIZADO A CIRCULAR EM INVÓLUCRO FECHADO DE PLÁSTICO OU PAPEL PODE ABRIR-SE PARA VERIFICAÇÃO POSTAL

1

10/11/2011

DE02852011SNC/GSCCN

Na Internet

ESCOLA DE CONDUÇÃO TONDELENSE

www.jornaldetondela.com.sapo.pt

ESCOLA DE CONDUÇÃO SRA. CALVÁRIO

PREÇO AVULSO C/ IVA 5% INCLUIDO

N.º 1073 * 10 de Novembro de 2011

Tondela

*

II Série

*

Ano XXII

Director: Manuel Ventura da Costa

ESCOLA PROFISSIONAL DE TONDELA Tondela

pag. 3

Festa na Quinta do Vale Minhoto

pag. 5

Tondela

Apresentação do livro “Sedução e Utopia” de Filipa Duarte

Seniores do Concelho juntaram-se em convívio

Rua Dr. Marques da Costa Apartado 47 - 3460 Tondela Tel.: 232 822 420 * Tlm: 912 244 750 TONDELA

PESSOAS ANDAM PREOCUPADAS COM OS ASSALTOS

pag. 16

4.º MAGUSTO / LANCHE PARTILHADO

PASSEIO DE CLÁSSICOS VISEU - TONDELA

pag. 3

XIII TORNEIO RELÂMPAGO DE SUECA CASA DO BENFICA DO CONCELHO DE TONDELA

pag. 3

VALVERDE

MOTARDS COMEMORARAM O 10.º ANIVERSÁRIO DO MOTOCLUBE DE TONDELA

pag. 7

MOLELOS

MAGUSTO CONVÍVIO

pag. 4

pag. 10

E.B. 2,3 de Campo de Besteiros

pag. 16

DESPORTO Campeonato Nacional da 2ª Divisão – Zona Centro

Tondela, 2 – Paredes, 0 A SOLUÇÃO SAIU DO BANCO QUANDO TODOS ACREDITAVAM NO EMPATE

25 Anos depois pág. 13

pag. 12

1.ª Divisão Distrital - Zona Sul

LEÕES RUGIRAM MAIS ALTO Sp. Nandufe, 3 - C. S. MARIA, 1

pag. 11

Campeonato Nacional de Futebol Feminino

EF Setúbal, 2 – Escola FC, 3

pag. 12


2 OPINIÃO

10/11/2011

Crónicas de Londres

Reflexões de cidadania HÉLIO BERNARDO LOPES

GILBERTO FERRAZ (COMENDADOR)

MADAGÁSCAR – PARAÍSO EM VIAS DE EXTINÇÃO!

M

adagáscar, ou, para Camões (Lusíadas Canto X, 39 e 137), Ilha de São Lourenço, a mais antiga e quarta mais extensa ilha do mundo, com 587,051 km2 de superfície, situada no Estreito de Moçambique, e descoberta em 1500 pelo navegador Português Fernão Soares, como o Poeta cantava “Onde sai do cheiro mais perfeito /A massa, ao mundo oculta e preciosa”. Essa massa por muito tempo oculta e preciosa, é atualmente, um paraíso em vias de extinção devido a vários fatores – pressões populacionais (mais de 20 milhões com o aumento anual de 3%, uma das taxas de natalidade mais elevadas da África), pobreza, na média um euro e meio por dia, e turbulência política – mas sobretudo à pilhagem e rapina humanas. Riquíssima em recursos naturais e animais, uma vez que 90% das espécies de plantas e animais são únicos no mundo inteiro, devido ao isolamento e separação da ilha da África e da Índia, há 165 milhões de anos, criando várias áreas restritas de biodiversidade desprotegida. Se em termos de flora, como é o caso das multisseculares e altíssimas pau-rosa e das famosíssimas “baobabs”, além de preciosas plantas medicinais e odoríficas, como baunilha, fértil em regiões como Antalaha, no litoral nordeste, que foi uma das principais exportações e riqueza da ilha, mas que, devido ao aumento da produção mundial, os preços soçobraram; no domínio da fauna, além de ser local dos famosos lémures (cujo nome significa espírito de Deus), onde existem 20 espécies, nomeadamente a sitaka sedosa, em vias de extinção; em termos de répteis, numa população de 99%, 373 espécies são igualmente endémicas, particularmente a harlequin mantella, restrita aos planaltos centrais e, no domínio das aves, nas suas gradualmente extintas florestas, predominam 108 espécies igualmente endémicas, e únicas da Ilha, como o camaleão e o mais minúsculo dos mamíferos, o ratolémur. Mas não só! Com uma plataforma marítima supostamente rica em petróleo, solo riquíssimo em minerais, ouro, titânio, níquel e cobalto e pedras preciosas como safira, em que já foi 1/ 3 exportador mundial, para a sua extração, particularmente clandestina, destroem-se preciosas florestas. Se no abate clandestino, por gangues organizados das árvores pau-rosa, tipo de madeira considerada luxo na China, seu principal mercado, que só em 2009, com a derrocada do governo, importou clandestinamente mais de 300 milhões de euros deste tipo de madeira, nas florestas do nordeste onde foram abatidas diariamente preciosas e antiquíssimas

árvores, no valor de 700 mil euros, destruindo uma área de 61,750 hectares, principalmente no Parque Nacional de Masoala, no litoral nordeste da ilha, atividade só largamente possível a uma rede de corruptos guardas florestais. A extração de níquel e cobalto, quando desregrada, e sem possibilidades de vigilância estatal adequada, como acontece em Ambatovy, na zona central oriental, não só prejudica a destruição de preciosa floresta tropical como provoca a perniciosa erosão. E, se tudo isto não bastasse, uma população faminta, que além do abate clandestino das árvores pau-rosa, procura outros meios como a extração clandestina de minerais, especialmente pedras preciosas, tão procuradas por especuladores do mercado asiático, nomeadamente no Sri Lanka e na Tailândia, bem como o abate clandestino dos raros e cada vez mais extintos lémures, iguaria em guisados dos restaurantes tanto da capital, Antananarivo, como da China. De origens árabes e composta por vários reinados, segundo navegadores portugueses no seu litoral, principalmente na zona norte, proliferavam povoações dominadas por arquitetura semelhante à de Kiwa, atualmente na Tanzânia, antigo e importante entreposto comercial. Julga-se que faziam parte de uma rede de comércio árabe. Este, particularmente o caso de Vohemar, centro comercial da ilha, modelo original das tradições artesanais malgachi e afro-árabe. Compreende-se a cobiça dos navegadores portugueses que à costa abordaram e, até navegaram rio acima do Matitana, na costa ocidental do sudoeste, para, naturalmente, pilharem, obviamente contra a oposição da população, dentre ela descendentes de mouros de Malinde. (Melinde, onde Vasco da Gama se reabasteceu, e “reformou” a 15 de Abril de 1498 – Lusíadas Canto II, 57-58,70, 73,94 e X-39,96). De colónia francesa, Madagáscar adquiriu a independência em 26 de Junho de 1960 sob a presidência de Tsiranana que governou o país até a 1972. Sujeita a várias crises, com consequentes perdões de dívida e de investimento, procura aproximar-se da África do Sul em termos de desenvolvimento. Devido a dirigentes corruptos, como foi o caso do Presidente Marc Ravalomanana, que ganhando as eleições a pretexto de inúmeras e necessárias reformas, encheu o bolso e, perante uma população faminta e revoltada que assomou aos portões do palácio, em 7 de Fevereiro de 2009, foi recebida a tiro, fazendo 30 vítimas mortais. Este incidente culminou com a sua demissão pelos militares, refugiando-se na Suazilândia.

A TRISTE IDEIA DA UNIÃO EUROPEIA

Q

uando hoje olho o que se vai passando no seio da tristemente célebre União Europeia, com a sua não menos infeliz moeda, o euro, não deixo de dizer para comigo mesmo: que falta de jeito dos políticos europeus, dos mais antigos aos atuais, e quase desde a primeira hora desta triste ideia dos nossos dias, que é a objetiva ditadura da União Europeia. Hoje, só mesmo os interessados podem continuar a defender este corpo sem alma que é a União Europeia dos nossos dias e do futuro mais previsível. Uma estrutura que se atemoriza até à histeria quando um qualquer líder político de um dos seus Estados resolve auscultar o seu povo, que os cânones democráticos dizem ser o detentor primeiro da soberania de cada Estado… Pretendia-se com este corpo moribundo evitar o regresso da guerra e pensava-se, até, que o regresso dos golpes de Estado seria coisa do passado antidemocrático. Bom, como agora pôde ver-se com o caso grego, tudo é ao contrário, tendo estado bem à vista a possibilidade de um golpe militar na Grécia, mas tornandose evidente que os povos europeus dos nossos dias vivem, de facto, por sob de uma ditadura, embora em nome da paz e da democracia. Bastou que Papandreou tivesse tomado a iniciativa de anunciar um referendo ao pacote de medidas empobrecedoras do seu povo, e foi um dilúvio de medo por essa União Europeia fora. Uma realidade que tem como causa o facto dos líderes políticos europeus terem construído este Tytanic à revelia da vontade dos seus povos, lamentavelmente enganado pelos seus líderes, nomeadamente no caso do Tratado de Lisboa: eles sabiam que o mesmo seria reprovado por largas franjas de povos europeus, que hoje já não pretendem continuar nesta barco sem futuro, que se afunda a cada dia que passa. Se os meus leitores ti-

verem tido a oportunidade de assistir ao filme INSIDE JOB – A Verdade da Crise –, facilmente compreenderão o que está hoje a ter lugar no seio da famigerada União Europeia. O que esta acabou por trazer aos povos europeus foi o desemprego, a pobreza e a miséria, e ao ponto de um governante nosso já aconselhar a nossa juventude a imigrar e a procurar singrar na vida por outras paragens. Hoje, inquestionavelmente, e como tantas vezes tenho referido, nós já não vivemos numa democracia, mas numa ditadura onde os dirigentes políticos são escolhidos por via eleitoral. Simplesmente, basta olhar o que este Governo prometeu e disse, e ver o que agora faz, numa autêntica mudança ideológico-constitucional, para de imediato se perceber que as eleições, de facto, são um simples momento teatral, porque não vinculam o poder ao sentir geral dos cidadãos. Tal como eu escrevi pelo meio de Outubro e como Kissinger agora nos diz, no seu recente livro, DA CHINA, sobre os riscos de uma guerra mundial entre os Estados Unidos e a China, neste Século XXI, nós caminhamos a passos largos para essa mesma realidade. De resto, José Medeiros Ferreira, na passada terça-feira, salientou esta mesma possibilidade. E será no seu decurso que a guerra voltará ao espaço europeu. De resto, os tais pais fundadores desta lamentável ideia, nunca terão pretendido o que agora parece querer-se, mas que se não pode assumir, como é evidente. E por esta razão simples: a Europa é uma estrutura mui diversa e a todos os níveis, quase todos insuscetíveis de mistura e de coexistência para lá de certo limite. Já tenho dito muitas vezes, em conversa com amigos ou conhecidos, à laia de brincadeira intrigante, que já chegou a existir, durante o Século XX, uma outra União Europeia. Perante a dúvida dos meus interlocutores, lá esclareço a verdade a que me refiro: a antiga

Jugoslávia. Num certo sentido, também ela era uma outra União Europeia, construída a partir de nações com caraterísticas muito distintas entre si, mormente de natureza religiosa, e onde a memória da guerra era muito antiga e frequente. À generalidade das pessoas não ocorre este facto, só aparentemente sem grande significado: o líder histórico da Jugoslávia foi Tito, que era croata, ou seja, com raízes religiosas e culturais católicas. Com a sua morte, e graças à ação concertada da Alemanha e do Vaticano, a antiga Jugoslávia desmoronouse, acabando os seus povos por ser conduzidos às mil e uma guerras que todos pudemos ver. Ou seja, tudo voltou ao estado inicial, depois de nova guerra, mas com alguma predominância final e vitoriosa da Croácia católica. Por outras palavras: esta nova realidade é, afinal, a velha realidade… Os isomorfismos da História. Neste sentido, pois, nós já tivemos esta experiência, e que, vista de fora, parecia até funcionar, embora tudo não passasse de uma aparência, que só funcionava sob o pulso forte de um ditador e da criação de um singular caminho independente para o socialismo, mas fora da esfera de influência da antiga União Soviética. Morto o ditador, a realidade das culturais nacionais, religiosas e históricas voltou a impor-se. Um dado é certo: a União Europeia só sobrevive hoje porque é, de facto, uma ditadura, para mais assente numa fantástica e despesista teia burocrática de gente que vive, essa sim, acima do moralmente aceitável. Os cidadãos dos seus diversos Estados, ou nunca foram auscultados sobre a sua adesão a esta estrutura, ou se o foram foi à luz de outros pressupostos que hoje já não vigoram, nem deverão voltar a vigorar. E, tal como aconteceu com a antiga Jugoslávia, será também a guerra que virá a pôr-lhe um fim. A História é uma fantástica sucessão de isomorfismos.


CIDADE 3

10/11/2011

4.º MAGUSTO / LANCHE PARTILHADO

Passeio de Clássicos Viseu - Tondela Numa organização da Casa do Pessoal do Hospital de S. Teoitónio em, Viseu, vai-se realizar no dia 19 de Novembro de 2011 um Passeio de Clássicos com o seguinte programa: 10h00 - Concentração na Casa do Pessoal do HSTV; 10h30 - Entrega de Documentos, Exposição de Veículos, Almoço Livre; 13h45 - Concentração na Casa do Pessoal; 14h00 - Inicio do Passeio;14h40 - Chegada a Tondela; 14h45 - Exposição de Veículos junto ao Tribunal; 14h50 - Recepção de Boas Vindas no Salão Nobre do Município de Tondela, Entrega de troféus; 15h00 Visita ao Museu Terras de Besteiros; 17h30 - Lanche Magusto na Associação do Carvalhal; 19h00 - Regresso a Viseu. As inscrições estão abertas até ao dia 15 de Novembro pelos telemóveis: 962 999 262 / 966 074 410 ou na Casa do Pessoal.

XIII TORNEIO RELÂMPAGO DE SUECA CASA DO BENFICA DO CONCELHO DE TONDELA Realizou-se na passada sexta-feira dia 04 de Novembro, na sede da Casa do Benfica o 13º Torneio relâmpago de Sueca. O torneio contou com 12 equipas, dando-se inicio ao torneio pelas 21h15. No decorrer e no final do torneio, a Casa do Benfica ofereceu a todos os participantes um magnífico lanche, sendo este um convívio salutar onde todos os participantes não arredaram pé, tal era a boa disposição e convívio entre todos. Certamente uma aposta ganha, aliando o prazer de jogar com o convívio que é sempre uma mais valia neste tipo de eventos. Será certamente para repetir, desejando que no próximo se inscrevam ainda mais equipas. Finalistas: 1.º Lugar – Ilídio Lourinho / Elisabete Antunes 2.º Lugar – João Fernandes / Rui Alexandre O próximo evento da Casa do Benfica é a Caminhada Nocturna de S. Martinho, a realizar já na próxima 6.ª feira dia 11, pelas 20h30, com o preço simbólico de 1• em troca de uma rifa para 3 Cabazes de Natal. No final será oferecido a todos os participantes um magusto (castanhas assadas e vinho tinto), e abrilhantado com o musico tondelense Jorge Andrade. Mais um convívio a não perder. Está também já agendada a data da Ceia de Natal, para o próximo dia 10 de Dezembro. Mais informações na Sede da Casa do Benfica ou casabenficatondela@gmail.com, http:// www.casabenficatondela.blogspot.com/ CASA DO BENFICA DE TONDELA

S. O. S. – BOMBEIROS Ocorrências registadas pelos Bombeiros Voluntários de Tondela no período de tempo compreendido entre os dias 31 de Outubro a 06 de Novembro 2011. Foram 123 as chamadas que envolveram 213 Bombeiros, que efectuaram 130 saídas com viaturas, percorreram 7.023 quilómetros, perfazendo, em tempo, 259, 18m. O número de doentes transportados foi de 145.

ESCOLA PROFISSIONAL DE TONDELA Notícia Aula de Cozinha A equipa Metas, constituída pela Assistente Social Joana Mota, Educadora Social Daniela Leitão, Psicólogo Ricardo Brás e Ajudantes de Ação Direta Anabela Rodrigues, Sandra Matos e Sandra Santos, do Rendimento Social de Inserção de Tondela ao abrigo do protocolo celebrado entre o Centro Distrital da Segurança Social de Viseu e a Vários, Cooperativa de Solidariedade Social, CRL, realizou no dia 2 de Novembro, nas instalações da Escola Profissional de Tondela (cozinha adaptada para o Curso Técnico de Restauração, Cozinha e Pastelaria), uma aula prática de cozinha onde um grupo de 6 beneficiários do Rendimento Social de Inserção tiveram a oportunidade de confecionar uma refeição saudável e económica (sopa de alho francês, bolonhesa e fruta) sob a orientação do Professor Luís Almeida. Desta forma os participantes adquiriram técnicas para a melhor confeção dos alimentos partilhando um momento de convívio. No fim da confeção, os beneficiários tiveram direito a provar e a levar a refeição para casa. Para esse efeito, contámos com a colaboração da Pastelaria Joaninha, em Tondela, a qual agradecemos a cedência das caixas para a conservação dos alimentos. As boas vindas ficaram ao cargo do dr. Miguel Rodrigues, presidente da direção da Escola Profissional de Tondela e dire-

tor pedagógico, Eng.º Dias, da Prof.ª M.ª Nazaré Gouveia, presidente da direção da Vários, e da dr.ª Graça Matos, coordenadora do NLI (Núcleo Local

de Inserção) e equipa multidisciplinar de Tondela. A aula contou, ainda, com a presença da Nutricionista Inês Lacerda

e da representante de Saúde no Núcleo Local de Inserção, Isabel Sousa Mendes. A EQUIPA METAS DO RENDIMENTO SOCIAL DE INSERÇÃO DE TONDELA

Formação gratuita na área da Mecânica A EPT – Escola Profissional de Tondela tem abertas inscrições para uma acção de formação gratuita, na área da Metalurgia/Metalomecânica CAD 2D – peças e conjuntos com geometria simples. A formação, que terá início no próximo dia 21 de Novembro, decorrerá às segundas, quartas e sextas-feiras, entre as 19 e as

23 horas, e terá a duração de 25 horas. Os interessados em frequentar esta acção deverão inscrever-se nas instalações da Escola Profissional de Tondela ou então pelo telefone 232 819 410. A acção destina-se a activos empregados ou desempregados e pode ser uma oferta adequada no caso de quem preten-

da aumentar as suas qualificações escolares e/ou profissionais para efeitos de inserção ou progressão no mercado de trabalho. Podem ainda frequentar estas formações modulares de componente tecnológica adultos que, apesar de terem concluído o ensino secundário, pretendam aumentar as suas qualificações profissionais.

Os formandos seleccionados para a frequência de formações modulares certificadas na EPT poderão beneficiar, de acordo com a legislação em vigor, de subsídio de alimentação, subsídio de transporte (valor do transporte público) e seguro de acidentes pessoais.


4 REPORTAGEM

10/11/2011

Tondela

Apresentação do livro “Sedução e Utopia” de Filipa Duarte TEXTO E FOTOS: ARMÉNIO PEREIRA

F

ilipa Duarte lançou no sábado, dia 5 de Novembro, na Galeria do Mercado Velho em Tondela o seu 12.º livro de poesia, “Sedução e Utopia” depois do ano passado ter dado a conhecer “Sublimes & Únicos”. Na apresentação de mais uma obra poética a autora juntou, familiares, amigos e convidados que compareceram com o intuito de conhecer seu livro e de ao mesmo tempo a felicitar. Na mesa de honra sentaram-se para além de Filipa Duarte, o pintor natural de Santa Cruz da Trapa Carlos Almeida mas a residir em Viseu há muitos anos e que em conjunto constituíram uma simbiose perfeita entre poesia e pintura, na medida que também este apresentou a sua exposição de pintura. Este momento cultural contou também com a presença de José António de Jesus, vereador do Pelouro da Cultura do Município de Tondela que presidiu à cerimónia, o presi-

Mesa de honra na apresentação do livro “Sedução e Utopia” dente da Junta de Freguesia, José Manuel Mendes e vereadora Carla Pires. José António de Jesus acredita que com estas ações, “estamos a promover uma cidade com uma marca cultural, com um sentido muito vincado de como é a afirmação da nossa própria identidade”. Adelaide, aluna da Escola Profissional de Tondela leu um poema de Filipa Duarte, seguiu-se um momento musical protagonizado por elementos do grupo coral da Casa do Povo de Tondela. Na sua intervenção a poetisa recordou que passaram rápido os 23 anos posteriores ao lançamento do seu primeiro livro

“Quem tem filhos…”. A paixão por Tondela continua a ser imensa porque criou raízes nesta terra “que me recebeu de braços abertos e onde tenho bons amigos”. Filipa Duarte dirigiu uma palavra de agradecimento ao Município de Tondela pelo apoio que lhe tem dado ao longo destes anos, tal como os jornais e rádios locais pela divulgação do seu percurso poético e pela amizade que lhe dedicam. A poetisa tondelense salientou ainda a presença do Grupo de Intervenção Cultural e Artístico de Viseu (GICAV) nesta apresentação, através do pintor Carlos Almeida. Esta

satisfação de Filipa Duarte deve-se também ao facto da própria já ter recebido um prémio desta instituição cultural pelo seu trabalho de sensibilização e divulgação da poesia nas escolas. Por fim agradeceu ainda à Adelaide da Escola Profissional de Tondela que admira pela sensibilidade para a poesia, à Casa do Povo de Tondela, representada pelo presidente, Jorge Henriques e “pelos artistas que lhe vão enchendo a alma”, António Nunes, Jorge Santos e Paula Henriques. Por fim citou Mário Quintana que escreveu um dia “Se as coisas são inatingíveis, ora não é motivo

Momento musical

José António de Jesus com Filipa Duarte para não querê-las…”. No fundo Filipa Duarte considera que as coisas só serão inatingíveis se não as quisermos. Neste livro que tem também alguns comentários de amigos da poetisa conhecedores da sua obra poética que vale a pena ler, como uma das mais singelas, mas ao mesmo tempo também uma das mais significativas, com Aníbal José de Matos afir-

mar: “Filipa Duarte não faz poesia. Ela é a própria poesia”. Uma palavra ainda para o capa do livro que tem o arranjo gráfico do seu filho Renato Silva com a particularidade de ter sido trabalhada com base numa fotografia, (sua área de criação) tirada à lua numa noite de Junho deste ano. Quem tiver hipótese de ler este livro não deve perder essa possibilidade.

Os presentes na Galeria do Mercado Velho

TEM AUTOMÓVEL? O SEGURO É OBRIGA TÓRIO! OBRIGATÓRIO! Está consciente das coberturas contratadas? Tenha entre si e a companhia de seguros um especialista. Preços especiais. CONTACTE: Eduardo Marques - Mediador de Seguros Rua Dr. Marques da Costa (junto à Escola de Condução) Tondela - Telef. 232 813 026 ou 91 762 79 57


REPORTAGEM 5

10/11/2011

Entrega de prémios do Concurso Gastronómico TEXTO E FOTOS: ARMÉNIO PEREIRA

A

Quinta do Vale Minhoto juntou amigos, convidados e população em geral para um dia de grande animação, neste espaço de encantos naturais situado bem próximo da cidade de Tondela. Para a tarde de sábado, dia 5 de Novembro, estava reservado um conjunto de atividades enquadradas num magusto próprio desta altura do ano e ao qual compareceram

José Simões da Costa e Alcinda de Melo Simões fizeram 50 anos de casados

Tondela

Festa na Quinta do Vale Minhoto muitas pessoas que se quisessem associar. Desmistificar a ideia de que visitar a Quinta do Vale Minhoto é um privilégio de apenas de alguns é aliás uma preocupação dos atuais proprietários. A organização do evento não deixou escapar nenhum pormenor, José Rui da ACERT foi o apresentador, de dois dos momentos altos da festa, o primeiro coincidiu com a entrada em cena do Rancho da Escola Folclore Santa Marta de Portuzelo de Viana do Castelo.

Antes o conhecido ator e encenador fez uma apresentação muito interessante das qualidades da Quinta do Vale Minhoto, depois, num segundo momento, subiu ao palco de novo para chamar os vencedores do 1º Concurso Gastronómico – “À Volta da Castanha”. Esta ação desafiava os participantes a trazerem um prato original com castanha: entrada conduto ou sobremesa. A aderência foi interessante, a Escola Profissional de Tondela esteve pre-

Espectáculo de fogo de artificio

NEUR OL OGIA NEUROL OLOGIA DR. PETER GREBE

TRATAMENTO DE ENXAQUECAS/CEFALEIAS DOENÇAS DO SISTEMA NERVOSO

CONSULTAS E MARCAÇÕES Tondelmédica Telef.: 232 821 815 Rua Dr. Flausino Torres - Tondela

sente, mostrando o resultado do empenho dos seus alunos, tal como outros que quiserem participar. Quem acabou por vencer foi um a especialidade “Pastel à Rosicar” da Pastelaria com o mesmo nome, na segunda posição ficaram “Os Lombinhos de Porco com Romã e Anis Estrelado” de Cristina Freitas e por fim “Castanhas à LáLá” de Laura Simões. No espaço exterior da Quinta do Vale Minhoto os convidados podiam ir-se deliciando com o porco no

espeto e tradicional vinho do Dão para enganar o frio que se fazia sentir, mas que pela boa disposição que foi criada quase foi esquecido por completo. Depois de apurados os resultados do concurso gastronómico, José Rui, chamou ao palco o principal rosto da nova gerência da Quinta do Vale Minhoto, Cilia Simões acompanhada pelo seu marido para que estes entregassem os prémios aos participantes e fizessem os naturais agradecimentos a todos que se envol-

veram nesta organização. A festa terminou com um espetáculo de fogo-deartifício que prendeu os olhares dos presentes pela variedade de cor espalhada no céu escuro do último sábado, tornando verdadeiramente inesquecível este dia. Uma das razões pelas quais o dia 5 de Novembro tinha também de ser verdadeiramente especial no seio da família de José Simões da Costa e Alcinda de Melo Simões, proprietários da Quinta do Vale Minhoto tinha a ver, com o facto, destes terem comemorado com a sua família mais próxima 50 anos de casamento. Já agora muitos parabéns e felicidades para este casal.

Rancho da Escola de Folclore de Santa Marta de Portuzelo - Vina do Castelo

VENDE-SE

APARTAMENTOS T2, T3 e Duplex LOJAS, ARMAZÉNS E GARAGENS Rua Dr. Almiro Vale - TONDELA (Junto ao Campo de Futebol) Vende: Consurbanas, SA Av. Alberto Sampaio, 134 - Viseu Telf.: 232 429537

MIGUEL P P.. CARDOSO

MÉDICO DENTISTA Com: IMPLANTOLOGIA e ORTODONTIA

R. Comandante João Matos Ferreira, 88 (Junto às piscinas municipais) Telef.: 232821959-TONDELA * 917 373 426


6 REGIÃO

10/11/2011

VIVÊNCIAS

OLHA PARA O QUE DIGO, NÃO OLHES PARA QUE EU FAÇO

A tradição da olaria na família Maneira Tempos difíceis, Segunda Grande Guerra e, como tal, a ordem era de trabalhar em qualquer ofício que desse dinheiro imediatamente, em tempo de guerras a olaria não dá o sustento. Então, lá fui calcorreando o caminho traçado pelo velhote, mas o embrião do barro e do artesanato, embora latente, continuava vivo. Um dia mais tarde, ao voltar a página de uma Vida com alguns desencantos, e depois de um sonho encantado e profundo, depois de outras paragens e profissões, decido, aos 56 anos, regressar à aldeia natal para concretizar o sonho que em criança havia tido. Em princípios dos anos 90, dirigi-me ao emblemático bairro das Raposeiras, em Molelos, uma olaria em cada esquina, para encontrar uma oficina com acção pedagógica e processo de ensino. Estava mesmo decidido a fazer carreira. Ao entrar, desconhecido para toda aquela gente, por alguns fui olhado de soslaio, como que a dizerem: “Este tipo quer aprender olaria com esta idade?”. Depois de algumas recusas simpáticas e aceitáveis, como falta de espaço ou tempo para ensinar, etc. vou andando e entro na terceira olaria chamada “Barraca dos Oleiros”, que transpirava barro pelas costuras, e depois das palavras habituais e de cir-

cunstância, fui aceite. Um casal jovem, gente evoluída, artistas de primeira água - e que ainda não encontrei melhor! – onde um “limador” me “limou” lindamente e a quem fico eternamente grato…”Ó Xana nas alturas!” Este jovem casal (Carlos Lima e Xana Monteiro), pessoas cheias de psicologia e depois de me segredarem que não davam nada pela minha continuidade neste trabalho devido à idade em que

FICHATÉCNICA

Registo na DGCS nº 109 629 Depósito legal nº 54581/92 Semanário Regional Independente (Fundado em 10/08/1989) DIRECTOR: Manuel Ventura da Costa E-mail:mventuracosta@sapo.pt REDACÇÃO Arménio Pereira E-mail: armeniopereira@mail.telepac.pt PAGINAÇÃO E MONTAGEM Angelo M. S. Ferreira

principiava, aconselharam-me o afável monitor e artista João Pedro do Centro de Formação Cearte, em Coimbra. Além dele, lá encontrei a Santa Alzira e também o mestre Delfim Santos, que não era nenhum santo, segundo ele próprio. Aqui fiz a formação de olaria e ali, nas barbas do Mondego, me foi entregue o canudo que me abriu muitos caminhos, nomeadamente para eventos. Em paz mas entusiasma-

do, deixo as margens mondegueiras e rumo até Ílhavo onde encontrei outro grande poeta do barro, o Fernando José, que me insuflou a alma com o ar poético daquela orla marítima. Deu-me um sopro e caí na Bienal Internacional de Aveiro onde aconteceu o sonho mais inesperado da minha vida com os meu trabalhos expostos a obterem uma menção honrosa. CONTINUA...

Nos dias de hoje, mais do que nunca, as preocupações ambientais ocupam um lugar de destaque na sociedade, merecendo por isso uma maior atenção, quer por parte da população em geral, quer por parte das autoridades. São diversas as iniciativas levadas a cabo em torno deste tema, procurando por um lado sensibilizar as pessoas no sentido de se preocuparem e preservarem o meio ambiente, e por outro, de criar infra-estruturas e equipamentos com vista a possibilitar e melhorar as condições ambientais das populações. Não sou, de todo, um activista das causas ambientais, nem o quero ser, mas como em tudo, é preciso que haja bom senso. Há umas semanas atrás, a Junta de Freguesia de Molelos, lançou um repto aos seus habitantes para que colaborassem e fizessem um esforço para manter a freguesia limpa, tomando assim, sem sombra de qualquer dúvida, uma iniciativa louvável pois se todos remarem no mesmo sentido é mais fácil chegar onde se quer. Só que, como diz o povo, no melhor pano cai a nódoa. O passal, terreno bem conhecido por todos os habitantes da freguesia, outrora propriedade do Paço de Molelos e hoje nas mãos da Junta de Freguesia, tem servido de há uns tempos a esta parte, de vazadouro de variados entulhos, inclusive, mais recentemente, restos de flores, jarras, garrafões e sacos de plástico trazidos do cemitério a propósito das limpezas referentes ao Dia de Todos os Santos. Para além do mau aspecto que dá a quem por ali passa, uma vez que este terreno se encontra praticamente no centro da povoação, é também um problema de segurança, dado que ainda há dias andavam duas crianças a brincar nos montes de entulho. Há também a ressalvar que a escassos 50 a 70m destes entulhos passa um ribeiro. Curiosamente, ou não, a algumas dezenas de metros para jusante, o referido ribeiro tem como vizinho chegado um Ecoponto que de quando em vez se encontra a rebentar pelas costuras. Bem sei que o ribeiro onde nos tempos idos havia enguias, não é mais o mesmo mas tal facto não é justificativo para tais actos. Preservar aquilo que é nosso não será pedir demais, ou será? UM HABITANTE DE MOLELOS (IDENTFICADO)

COLABORADORES Eng.º Hélio Bernardo Lopes, Dr. Cílio Correia, Dr.ª Marta Catarina Rosa, Maria da Conceição Marques Correia, Prof. Sérgio Carvalho, Dr. Leonel Marcelino, João A. Ventura da Costa, Artur Jorge Amaral Leitão CORRESPONDENTES Dr. Elisio Gomes de Matos (Barreiro de Besteiros), Henrique Marques Gonçalves (Caparrosinha), Optacilio de Matos Fragoso (Cortiçada), Herminio Henriques (Corveira), António Lopes de Sousa (Ermida), António Pais Ferreira (Lobão da Beira), José da Cruz Mendes (Mosteiro de Fráguas), Rodrigo Marques Xavier (Parada de Gonta), Amadeu Dias dos Santos (Tonda), Antonino Coimbra dos Santos (Vila Nova da Rainha), Manuel Francisco de Figueiredo (Vilar de Besteiros), Paulo Manuel L. Pereira da Fonseca (C. de Besteiros), Ana Maria de Almeida Simões (Lajeosa do Dão), Joaquim VIegas Conceição (Freimoninho), José Manuel Gomes Ferreira (Coelhoso), Eduardo Pereira Marques (Mouraz), Fausto Varela Macedo (Alvarim), Graciete Gomes (Ferreirós do Dão), José Fernando (Nandufe) PROPRIEDADE / ADMINISTRAÇÃO COMPOSIÇÃO SEDITON - Soc. Editora Tondelense, Lda Registo na DGCS nº 215 348 - Nº Cont. 502468076 Detentores com mais de 10% do Capital da Empresa, Eduardo António Ferreira Marques Arménio Ferreira Marques R. Dr. Marques da Costa Apartado 97 - 3461-909 Tondela E-mail: jornaldetondela@mail.telepac.pt Site: jornaldetondela.com.sapo.pt

IMPRESSÃO CORAZE - Oliveira de Azeméis Telef.: 256 600 580 - Fax: 256 600 589 E-mail: grafica@coraze.com ASSINATURAS E PUBLICIDADE Eduardo A.F. Marques TELEFONE: 232 822 137 FAX: 232 821 118 ASSINATURAS ANUAL (52 nºs) - NACIONAL = 25,91 Euros (c/IVA) ANUAL (52 nºs) - ESTRANGEIRO(Europa) = 55,12 Euros (c/IVA) ANUAL (52 nºs) - ESTRANGEIRO(Resto Mundo) = 68,35 Euros (c/IVA)

Avulso = 0,60 Euros (c/IVA) Números atrasados = 2,00 Euros (c/IVA) Dia de Saida: Quinta-Feira TIRAGEM NESTA EDIÇÃO 3.000 Exemplares ASSOCIADO DA

Jornal de Tondela, como orgão de informação independente, apartidário e apolítico, está aberto à participação de todos os cidadãos, pelo que a sua colaboração reflecte apenas ideias pessoais que não vinculam o estatuto editorial do Jornal.


REPORTAGEM / CONCELHO 7

10/11/2011

Valverde

Motards comemoraram o 10.º Aniversário do Motoclube de Tondela

Lobão da Beira ANTÓNIO PAIS FERREIRA

JOSÉ GONÇALVES RODAS Foi assistido dia 05, cerca das 10,30, por ambulância após ter caído, bem perto da sua residência no lugar de Várzea o octogenário e Sr. José Gonçalves Rodas. Foi para o Hospital de Viseu mas nada de grave pelo que nos contaram. Ao amigo José se deseja saúde e força.

SEMANA DOS SEMINÁRIOS Decorre neste semana a semana dos seminários. Bons e capazes orientadores na fé dos povos precisam-se. Na família dão-se os primeiros passos no caminho para o bem das comunidades. Os seminários precisam do apoio geral e incondicional das populações. Um jantar simbólico que decorreu recentemente no restaurante “Paródia” em Valverde assinalou os 10 anos de existência do Motoclube de Tondela – “Uzibb´s”, coletividade fundada mais precisamente a 28 de Outubro de 2001. Os protagonistas desta fundação organizaram este convívio de aniversário entre amigos com o objetivo de recordar o momento em que um grupo de apaixonados por motos se juntou para constituir um clube que desde logo se afirmou com a realização de um conjunto de organizações de eventos de grande envergadura no concelho de Tondela. Neste jantar esteve praticamente a totalidade dos elementos que fundaram o Motoclube de Tondela, Paulo Fernandes, Carlos Paixão, Paulo Leão, Luís Lourosa, José Lourosa, Luís Cos-

ta, Luís Salgado, Rui Pedro Pacheco, Marco Brinca e Pedro Neves. Tanto quanto nos foi dado a conhecer neste convívio que juntou também amigos motards de outras localidades para além naturalmente dos de Tondela existe a vontade de querer dar vida nova ao Motoclube “Uzibb´s”, alegando Paulo Fernandes que desde 7 de Dezembro de 2006 não se conhecem iniciativas de vulto a não ser esporádicos passeios para França e Espanha. Neste momento ao que parece a maioria dos sócios fundadores pretende apresentar uma lista em AssembleiaGeral assim que essa reunião seja marcada, submetendo-se a votos para por em prática projetos que voltem a projetar o Motoclube de Tondela. ARMÉNIO PEREIRA

JORNAL DE TONDELA

VIMOS UM BICHO Vimos um bicho pavonear-se na Ribeira de Lobão. Tratava-se dum animal com rabo e cabeça compridos, não gordo. Deu entrada na água, nadava, escondia-se na folhagem, e por fim dirigiuse a um buraco da parede. Em conversa, foi-nos dito que se tratava duma lontra e que normalmente, matava aves, preferencialmente nos aviários. Há que prevenir, pois o animal ataca e deixa rasto.

HALLOWEEN FOI EM CHEIO NA VÁRIOS Naquele 31 de Outubro, um pouco à portuguesa, mas de sentido e “sabor” à boa maneira americana, foi comemorado pela “Vários” o dia das bruxas, ou halloween, com forme EUA/states. Para os seus utentes, muito bem apoiados e orientados pelos profissionais de serviço, foi espectacular como alguns nos comunicaram. Seus rostos mostravam alegria, bem trajados e pintados brincavam, dançavam, tudo fazendo dentro da sua humildade. Em cada sessão ou amostragem dos espaços lúdicos a visitar, tão só davam entrada cerca de meia dúzia de elementos com outros tantos acompanhantes consoante as necessidades. As palavras não chegam para transmitir o que ao vivo tem todo

o esplendor. Cenários com motivações ordenadas em salas escurecidas ao pormenor. Aquelas teias de aranha soltas, a luz, o som, a expectativa pelo que vinha a seguir, os tambores, transportavamnos para outras galáxias. Parabéns aos intervenientes.

FALECIMENTO DO SR. MANUEL MARTINS Manuel Fernandes Martins, morador na rua da Tojeira faleceu dia 05 do corrente e contava 84 anos. Deixa viúva Delmira Martins Fernandes, era pai de Mário, Lurdes, José Manuel, Adriana, António e Eulália Martins Fernandes, deixa netos: Sandra, Nelo, Carina, Pedro, Marina, Joana e um bisneto. O Sr. Manuel, enquanto vida activa foi operário da construção, passando os seus trajectos na arte de bemestar e servir. Pessoa res-

peitada e respeitadora foi a sepultar dia 6 domingo após santa missa pelas 16,15. Muitos familiares e amigos, locais e provenientes de outras paragens tomaram parte neste acto de dor e saudade. À família em sofrimento, nossos sentidos pêsames e que Deus o tenha no bom descanso.

LAJE DO VALE E ESPAÇO ADJACENTE Estão a ser executados trabalhos de arranjo com pavimento a betuminoso, na laje do vale/Várzea, e espaço adjacente em vista a um melhor funcionamento e fluxo de trânsito, naquela parte que levou obras em tempo. Máquinas ali se mantêm, até que sejam finalizados os trabalhos. É mais um lugar a ter em conta para estacionamento de veículos.


8 REPORTAGEM

10/11/2011

CABORA BASSA – TAMBÉM SOMOS A SUA HISTÓRIA Tinham acabado de fazer os 20 anos quando, entre 1970 e 1974, recaíram sobre os seus ombros as responsabilidades de também terem que garantir a construção da Barragem de Cabora Bassa, no Distrito de Tete, em Moçambique. Alguns não sonhavam nem sabiam onde tal sítio ficava, tendo dele apenas o saber do “ouvir falar”. Nem sequer lhes tinham dito do risco acrescido que iam correr, resultante da importância da obra, das ameaças que sobre ela pendiam para que não fosse feita, nem das consequências económicas que recaiam sobre o Pais, caso se verificasse a menor ocorrência de conflito armado, que pudesse ser evocada pelo construtor, como de risco de guerra. E para que isso não viesse a acontecer, os então jovens militares de 20 anos, constituídos por oficiais, sargentos, cabos e milícias, teriam que garantir a segurança dos 6 pontos críticos reconhecidos dentro do estaleiro, guarnecer os 11 postos de segurança que foram criados na sua periferia e cuja garantia de eficácia foi reforçada com 2 patrulhas diárias na área exterior ao perímetro de segurança de Cabora Bassa, e próxima do Songo, rigorosamente executadas, para não haver falhas. Além desta missão importante, os jovens militares dos então 20 anos, tiveram também que garantir a segurança aos trabalhos de destronca e da gradagem dos terrenos agrícolas que se destinavam às populações que iriam ser deslocadas pelo enchimento da albufeira da barragem. Em consequência disso, também lhes incumbia por missão, a protecção e segurança dos aldeamentos a ser construídos nas zonas do Mazoi, do Daque, da Cachomba, do Nhaluiro, da Chiboeia Mafigo, do Mucangadz, do Carinde, até ao Zumbo, frente a cidade Zambiana da Feira. Foram nomes, trabalhos, riscos e sacrifícios, cujo êxito do seu desempenho ainda hoje é reconhecido por todos os que se têm debruçado e estudado os seus esforços,

canseiras e adversidades vencidas. Por outro lado, reconheça-se, a responsabilidades que assumiram e os êxitos que conseguiram, contribuíram para a sua formação e o amadurecimento dos Homens que, hoje na volta dos 60 anos, tem jus a merecer o direito de dizer: Barragem de “Cabora Bassa” – também somos a sua História. Foi o companheirismo e as amizades desses tempos, criadas naqueles ambientes de muita responsabilidade, exigentes, difíceis e hostis, que têm fundamentado, unido e incentivado as reuniões e os convívios destes agora maduros “sexagenários”, que há vários anos se têm vindo a realizar. Este ano, por proposta de uns tantos, o Convívio de Confraternização do pessoal do DPS teve lugar em Viseu, com o local de encontro e de reunião, por outros sugerido, a ter lugar em Parada de Gonta. Foi neste sentido que, no passado dia 8 de Outubro, estiveram em Parada de Gonta os militares que, entre 1970 a 1974, prestaram o seu serviço militar em Cabora Bassa onde cumpriram a difícil missão de defender a construção da barragem, e de impedir qualquer acto de violência armado que a comprometesse. Foram então recebidos por dois jovens da Freguesia, que fizeram questão de lhes oferecerem uma rosa, (às senhoras) e, aos “históricos da Barragem de Cabora Bassa”, entregaram um singelo artigo de artesanato. Depois destas “Boas Vindas”, foram dadas as explicações convenientes sobre a origem e a história desta terra e das suas gentes, tendo sido abordados diversos temas, que englobaram: Os indícios da ocupação humana primitiva do “Castro dos 3 rios”, a que se deve ter seguido a ocupação da zona e as actividades moleiras nos “Moinhos dos Saguchos”. Na oportunidade, e por ser impossível a deslocação ao Castro, o grupo fez uma breve visita aos achados arqueológicos recolhidos na sede de “Os Amigos de Parada”.

Foram informados que só mais tarde é que surge o núcleo urbano da povoação de Parada de Gonta, com a casa solarenga de “O Castelo”, hoje designada de Solar de S. José, pertencente ao ramo familiar do irmão de Tomás Ribeiro (Henrique Ferreira). Foi nessa época de edificação de “O Castelo”, que a povoação deve ter assumido o nome de Parada de Gonta, designação toponímica essa, que assenta nas raízes históricas de ter sido a residência (paragem) de “John de Kaunt”, (Duque de Lencastre) e pai da Rainha Filipa de Lencastre, esposa de D. João I. E tanto assim deve ter sido, que “o Castelo” é a única edificação solarenga cuja construção ainda não foi possível datar, apenas se admitindo ter tido lugar na baixa Idade Média. As outras casas senhoriais têm datação mais recente, do século XVII (Visconde Britiande - Bandeiras) e do século XVIII (Fonte da Figueira). È pelo rei D. Manuel I que a Freguesia recebe o seu Foral. Este solar da Fonte da Figueira pertenceu e foi sempre a residência de Tomás Ribeiro na sua terra natal, onde se reunia com os intelectuais (Camilo Castelo Branco,

Silva Gaio, Cândido de Figueiredo, etc.) entidades oficiais e forças vivas da região. Neste particular, foi salientada a figura nacional do explorador Serpa Pinto, de quem era amigo e protector, que viu assegurado o financiamento das suas “Travessias de África” graças ao apoio e ao empenho de Tomás Ribeiro. E os Homens do DPS que estiveram presentes em Parada de Gonta tinham perfeita consciência do que teriam sido essas “Travessias de África”, pois também eles, quase 100 anos depois de Serpa Pinto, estiveram nas regiões do Zumbo, do Carinde, do Mucangadze, do Nhaluiro, da Cachomba, de Chiboeia Mafigo, do Daque, … por onde Serpa Pinto andou, a recitar poemas de Tomás Ribeiro. (Ver “Como eu atravessei a África”) Referiram-se algumas curiosidades da poesia de Tomás Ribeiro, e foi aproveitado o ensejo de recordar que o poeta do “Jardim da Europa à beira mar plantado” é o poeta maior conhecido da Freguesia. Acentuou-se que Tomás Ribeiro era o poeta maior conhecido de Parada de Gonta, porque se tem por entendimento haver outro poeta tão grande como o

maior, mas que teve o azar de ter nascido fora do seu tempo. Esse outro chamase “Rodrigo Emílio” que, para ser tão grande como o maior, apenas precisa que lhe ressuscitem a poesia que escreveu. Foram também evocadas as figuras da família Colaço, desde logo o azulegista Jorge Colaço, cujas obras se encontram disseminadas pelo Mundo, desde a Argentina, o Brasil, Espanha, Marrocos, até Goa e Macau, com a densidade o qualidade em Portugal, onde pontifica a Estação da CP de S. Bento, no Porto. Jorge Colaço, durante as permanências em Parada de Gonta tinha o seu atelier na “Casa das Matinas” onde, na década de 50 do século XX ainda existiam muitos esboços por eles elaborados, na mesma casa onde também veio a trabalhar a escultora Ana de Gonta Colaço, sua filha, que chegou a ganhar o prémio “Goncourt” das artes francesas. Foi igualmente referido que Amélia Rey Colaço, quando jovem, foi uma assídua frequentadora das férias em Parada, onde dava vazão ao seu espírito criador da moda de então, com as chitas que ia comprar à “loja do Megas”. Para além dessa aptidão nata

de criadora da moda, salientou-se também que foi em Parada de Gonta que Amélia Rey Colaço, sob a orientação do seu primo Tomás Ribeiro Colaço, e com a colaboração de uma pastora da terra, ensaiou a sua primeira grande interpretação teatral – Marianela – que a iria catapultar para a figura do teatro nacional que se lhe reconhece. Sobre a figura de Tomás Ribeiro Colaço referiu-se que também ele foi um intelectual do seu tempo, dramaturgo, romancista e critico literário, que foi o último proprietário Colaço do Solar da Fonte Figueira, que vendeu para se radicar, por razões políticas, em Maricá, no Brasil, onde ainda reside a sua filha Concessa Colaço, a maior tapetista brasileira da actualidade. É de Tomás Ribeiro Colaço que nos chegam algumas pistas para o entendimento de Alcácer Quibir e das suas consequências. Sabendose nascido em Tanger Marrocos-, de uma família portuguesa que ali surge depois da batalha, sendo muito parecido com D. Sebastião e sabendo-se o significado etimológico de “colaço”, é admissível que se tenham de reconhecer e dar razão a algumas previsões de “o Bandarra”. Depois da demorada visita ao Terreiro e das explicações das justificações e curiosidades de Parada de Gonta, ainda se aproveitou para fazer uma visita à Capela da Nª Sr. da Conceição (de 1738) agora restaurada e dignamente apresentada. Como a tempo ia escasseando, os antigos militares que estiveram a defender Cabora Bassa e garantiram a sua construção, despediram-se dos paradenses que os acompanharam e deslocaramse depois para Viseu onde almoçaram a continuaram o Convívio de Amizade a recordarem os tempos de Cabora Bassa, Tete – Moçambique, que nunca esquecerão. TEXTO RECEBIDO DO NOSSO CORRESPONDENTE EM PARADA DE

GONTA, RODRIGO XAVIER


CONCELHO 9

10/11/2011

DIA DOS FINADOS Foi no passado dia 1 de Novembro que se celebrou mais um dia conhecido por Dia de Todos os Santos em memória aos nossos entes queridos já falecidos. Essa mesma memória não foi esquecida nem desprezada pela autarquia e familiares que se preocuparam na limpeza do cemitério e nas ornamentações dos jazigos e campas onde repousam para a eternidade os nossos familiares e amigos já falecidos. Foi com muito orgulho e respeito por todos por vermos um cemitério de uma limpeza digna com que a nossa autarquia se esmerou em mandar limpar e preparar o local onde repousam os nossos falecidos mostrando assim o respeito que tem pelos falecidos. O mesmo mostraram os familiares nas limpezas e ornamentações dos locais onde repousam os seus familiares, com ramos e flores de todas as cores e qualidade, assim como velas acesas de várias qualidades. Foi também com ajuda de Deus que nos deu uma tarde sem chuva para assim nos juntarmos, Pároco João Dinis, acólito Hélio, Irmandade local, familiares e amigos formando assim uma multidão humana de grande respeito e amor saindo da Igreja pelas 16 horas, para nos

Parada de Gonta

Ermida (Tondela)

RODRIGO XAVIER

ANTÓNIO LOPES DE SOUSA

juntarmos com todos aqueles que nos esperavam no cemitério para assim em conjunto, que encheu por completo este local, tão lindo e apreciado neste dia, mostrarmos o amor, carinho e saudades com que vivemos por todos que repousam neste local sagrado. Que todos descansem em paz.

CLUBE DE CAÇA E PESCA DO RIO PAVIA 1.ª MONTARIA AO JAVALI Nesta montaria realizada no passado domingo onde mataram uma fêmea com uma média de 90 quilos. O sucesso teria sido outro não fosse a falta de pontaria de alguns caçadores que viram pela frente no mínimo mais dois ou três bichos de grande envergadura. Mas como a caça é isto mesmo, com caçadas que correm bem e outras que correm mal. Mais uma vez este Clube sente-se satisfeito e contente em termos recebido 84 caçadores vindos de vários locais do Concelho, Distrito e do País, os quais também saíram da nossa aldeia satisfeitos e alegres pelo sempre bom acolhimento e convívio com que são sempre bem recebidos pelos elementos que compõem esta Direcção do Clube de Caça e Pesca do Rio

Pavia, onde pela madrugada deste domingo prepararam o mata-bicho, sardinhas assadas, febras, tiras, presunto, queijo, acompanhados com vinho, águas, sumos e café para assim aguentarem a manhã até à hora de almoço que começou pelas 15h30, com entradas e uma maravilhosa chanfana acompanhada com batata, salada e o respectivo néctar da freguesia para assim recomporem os estômagos. No final foi servido sobremesa com frutas da época, tudo isto preparado, cozinhado e servido a 110 pessoas presentes neste almoço pelo já reputado cozinheiro Fernando Couto (Quitanga) e Ana Maria Marques e sua irmã Maria de Lurdes Marques. De realçar também a presença de quatro matilhas vindas, duas da Serra da Estrela, uma de Celorico da beira e outra de Nagozela, as quais apresentaram os seus excelentes cães. Para terminar o Presidente deste Clube, Sr. José Manuel da Silva, agradeceu a vinda de todos os presentes, dizendo-lhes que como sempre, numa montaria nem tudo corre como se quer, ou que haja sempre bichos para que toda a gente possa matar e que como todos viram, alguns apareceram, mas infelizmente nem todos foram mortos.

HELENA PAULA LOPES FERREIRA NOTÁRIA JUSTIFICAÇÃO Notária, Helena Paula Lopes Ferreira, com Cartório na Rua dos Bombeiros Voluntários, número 74, em Águeda. CERTIFICO, narrativamente para efeitos de publicação que, neste Cartório, de folhas 113 a folhas 114 verso, do Livro NOVENTA - A, se encontra exarada uma escritura de justificação, com data de 4 de Novembro de 2011, na qual FERNANDO FERREIRA MARQUES, divorciado, natural da freguesia de Mosteirinho, concelho de Tondela, residente na Rua Dr. António Breda, número 68, Sardão, freguesia e concelho de Águeda, por não possuir titulo, por o ter adquirido por doação verbal por doação dos pais, António Marques e mulher Custódia Ferreira, há mais de vinte anos, justificou a aquisição por usucapião, de um prédio rústico, sito em Encosta do Lameirão, freguesia de Mosteirinho, concelho de Tondela, composto de terreno a mato, com a área de nove mil e cem metros quadrados, a confrontar do norte com Girão do Vale Vermelho, do sul com Girão do Vale Frutuoso, do nascente com Abílio Pereira Simões e do poente com Mário Pereira, inscrito na matriz predial rústica em nome de Custódia Ferreira - cabeça de casal da herança de, sob o artigo 2399, omisso na Conservatória do Registo Predial de Tondela. Está conforme o original. Cartório Notarial em Águeda, em 4 de Novembro de 2011. A Notária, (assina) (JORNAL DE TONDELA, 10 DE NOVEMBRO DE 2011)

Terminou desejando boa viagem e bom regresso a todos que vieram de longe, esperando e desejando uma próxima presença para breve.

FUTEBOL Nesta 6.ª Jornada de futebol da 1.ª Divisão Distrital a equipa do A.D.R.C. de Parada de Gonta deslocou-se no passado domingo a Cabanas de Viriato onde o resultado final foi; C. Viriato – 1, P. de Gonta – 0. Na próxima 7.ª Jornada a disputar no próximo domingo, a equipa paradense receberá no seu Estádio Tomaz Ribeiro a equipa vinda de Santar.

ANIVERSÁRIO ASSOCIAÇÃO “OS AMIGOS DE PARADA DE GONTA” Como já vem sendo hábito ao longo dos anos, comemora-se já no próximo dia 11 de Novembro mais um aniversário da Associação “Os Amigos de Parada de Gonta”. Como parte da tradição, será levado a cabo o já tradicional magusto, acompanhado com o bolo de aniversário e muita animação e convívio. Às 19h00 será transmitido o jogo Bósnia vs Portugal, logo seguido por volta das 21h00 do magusto que finalizará com o bolo de comemoração do 33.º aniversário desta associação.

ASSEMBLEIA-GERAL O Presidente da Assembleia-geral da Associação de Cultura e Recreio Ermidense, o Sr. Nuno Gonçalo Albernaz, convoca uma Assembleia-geral Extraordinária para o dia 27 de Novembro, pelas 14h30, com um único ponto, que é a discussão de assuntos de interesse da Associação. Se às 14h30 não houver maioria de associados ela será realizada pelas 15 horas com qualquer número de sócios. O futuro da Associação depende muito desta assembleia, por conseguinte o nosso apelo a todos os sócios estarem presentes e discutir assuntos muito sérios para a vida da Associação.

MAGUSTO A Direcção da Associação convida todos os associados que queiram participar no já tradicional magusto, onde não faltarão castanhas estaladiças, no cilindro próprio para assar, e muita e boa pinga e jeropiga à descrição de todos os presentes, é só comparecer no Domingo, dia 20 de Novembro pelas 17 horas (5 horas da tarde) e é tudo gratuito.

15.º TORNEIO DE SUECA Chegou ao fim o 15.º Torneio de Sueca que a Associação de Cultura e Recreio Ermidense realizou. Embora no próximo sábado, dia 12 de Novembro, haverá o jantar de confraternização entre todas as equipas, onde vão estar presentes os patrocinadores que sem eles este Torneio não se podia realizar, e alguns membros da autarquia. O jantar será pelas 20 horas e serão entregues os troféus conquistados pelas equipas, pelos patrocinadores ou representantes. A classificação foi a seguinte: 1.º - Valdemar / Fernando Coimbra – 53 pontos; 2.º - Hélio Duarte / José Carlos – 47 pontos; 3.º - Augusto Lopes / Lidio Lopes – 47 pontos; 4.º - Victor Coimbra / António Conceição – 45 pontos; 5.º - Arménio Tavares / Luís Amaral – 45 pontos; 6.º - Mário Peixeiro / António Sousa – 41 pontos; 7.º - Aníbal Gomes / José Barros – 41 pontos; 8.º - José Coimbra / José Gomes – 41 pontos; 9.º João Dias / José Barros – 41 pontos; 10.º - António Joaquim / António Arede – 41 pontos; 11.º - Valter / Eusébio – 39 pontos; 12.º - Vicente / Sócios – 39 pontos; 13.º - Fernando Ferreira / Luís Silva – 37 pontos; 14.º - Zé Minhoto / Manuel Marques – 37 pontos; 15.º - João Costa / António Mesquita – 35 pontos; 16.º - João Carlos / João Coimbra – 35 pontos; 17.º - Vicente / Artur – 29 pontos.

O ESTADO DO TEMPO PARA OS PRÓXIMOS DIAS DIA 5.ª 6.ª Sáb. Dom. 2.ª 3.ª 4.ª

TEMPO Parcialmente nublado Índice UV: 2 Minimo

Aguaceiros Índice UV: 2 Minimo

Aguaceiros Índice UV: 2 Minimo

Trovoada Índice UV: 1 Minimo

Aguaceiros Índice UV: 2 Minimo

Aguaceiros Índice UV: 2 Minimo

Aguaceiros Índice UV: 2 Minimo

MÁX.

MIN.

14.ºC

9.ºC

13.ºC

11.ºC

13.ºC

9.ºC

13.ºC

9.ºC

11.ºC

8.ºC

12.ºC

8.ºC

12.ºC

8.ºC


10 CONCELHO

NOTICIAS DA ASSOCIAÇÃO NOVA DIRECÇÃO No passado dia 5 de Novembro realizou-se nova Assembleia-geral para eleição dos novos corpos gerentes. Felizmente apareceu uma lista que mantém assim, durante mais 1 ano, as portas da Associação aberta e seu pleno funcionamento. A estrutura dos corpos sociais ficou assim definido: Assembleia-geral: Presidente - Vera Lúcia Dias Machado; 1.º Secretário Maria da Graça Alves Correia; 2.º Secretário - Mário Eduardo Santos. DIRECÇÃO: Presidente - Victor Manuel Neves dos Santos; Vice-Presidente - Eduardo Nunes Brás; Tesoureiro - Ângelo Manuel da Silva Ferreira; 1.º Secretário - Vera Lúcia Ferreira Santos; 2.º Secretário - Lúcio dos Santos Almeida; 1.º Vogal - Ricardo Matos Oliveira

10/11/2011

Carvalhal (Tondela)

Tourigo

AF

MANUEL DA COSTA

Santos; 2.º Vogal - Eduardo Rogério Almeida Neves; 3.º Vogal - Carlos José Marques Pais; 4.º Vogal Luís Filipe Luciano Pinto; 1.º Suplente - Maria Helena Ferreira Matos Videira; 2.º Suplente - Andreia Sofia Correia dos Santos; 3.º Suplente - Isabel Maria Dias Neves Ferreira; 4.º Suplente - Sandra Isabel Chaves Martins Vilareto, 5.º - Suplente Eduardo Santos Vilareto. CONSELHO FISCAL: Presidente - Ramiro Vieira Gomes; Secretario – Eduardo Jorge Neves; Relator - Eduardo Dias Chaves. Só nos resta desejar votos de êxito a esta nova Direcção e que tudo lhe corra pelo melhor com benefícios para a nossa Colectividade.

ALTERAÇÃO DE HORÁRIO O C. S. C. D. R. do Carvalhal, com a entrada de nova Direcção, decidiu optar por um horário dife-

rente de abertura do bar do que estavamos habituados. Assim, a Associação fica a abrir todos os dias com o seguinte horário: De Segunda a Sexta-Feira das 20h00 às 23h00; Aos sábados das 13h00 às 14h30 e das 20h00 às 24h00; Domingos das 13h00 às 23h00; e aos Feriados das 13h00 às 14h30 e das 20h00 às 23h00. É de referir que este horário diz respeito ao Inverno, sendo o mesmo alterado aquando da mudança da hora para o horário de Verão.

Vai-se realizar no próximo Domingo, dia 13 de Novembro, pelas 16 horas, o tradicional Magusto-Convívio para todos os sócios desta Colectividade. Assim, haverá muita castanha, e bebidas à descrição para todos que queiram comparecer nesta festa convívio.

O CESTEIRO

Nos tempos que correm a vacinação continua a ser a melhor arma de prevenção contra a gripe. Como novidade este ano é que as recomendações se estendem às pessoas com 60-64 e obesas nos grupos prioritários. A vacinação contra a gripe sazonal é a principal forma de prevenir e reduzir o impacto de uma epidemia. Também é recomendada a pessoas com mais de 65 anos, doentes crónicos, grávidas e outros prestadores de cuidados como trabalhadores de lares da terceira idade. Assim a Direcção Geral de Saúde recomenda a vacinação pois é a melhor for-

ma de prevenção contra a gripe sazonal!

"CUIDADO COM AS BURLAS" Esta informação tem como objectivo dar a conhecer a todos os habitantes os métodos que os burlões utilizam, para que todos se possam precaver se forem abordados por estes indivíduos. Em geral estas pessoas andam sempre bem vestidos, dizem-se ou fazem-se passar por técnicos das televisões ( está na moda agora por causa do novo serviço e aparelhos novos), ou da Segurança Social, ou são familiares de outras pessoas que as conhecem, ou que trabalham para os bancos e di-

PAULA M. PENEDOS

MÉDICA DENTISTA CONSUL TAS TODOS OS DIAS ÚTEIS CONSULT ACORDO C/ SAMS ENFERMÉDICA-Tel.: 232 813 556 Largo Visconde de Tondela (Finanças) - TONDELA

Da Direcção e com o pedido de publicação recebemos a nota que abaixo transcrevemos: “Um grupo de emigrantes do Tourigo no Luxemburgo liderado pelo Senhor Filipe José Ferreira de Matos angariou naquele País a quantia de DOIS MIL EUROS que enviou para o Centro Social do Tourigo, IPSS, como donativo.

MAGUSTO CONVÍVIO

Nandufe "VACINAÇÃO CONTRA A GRIPE"

CENTRO SOCIAL DO TOURIGO, IPSS DONATIVO

zem que as notas são agora diferentes. Para não se deixarem enganar o melhor é nunca abrir a porta de casa, sem saberem de quem se trata e nunca queiram falar com desconhecidos. Se estiverem sozinhos, chamem de imediato o vizinho ou falem muito alto para que possam ser ouvidos e assim chamarem atenção outras pessoas. A GNR pede que mantenham portas e janelas sempre fechadas. Mesmo em dúvida, nunca deixe entrar ninguém nas vossas casas, nem quintais. Lembrem-se que todo o cuidado é pouco, devem ter o máximo de atenção para quem falam.

Esta importância ajudou a pagar as despesas com os trabalhos de pintura e restauração de algumas paredes interiores do edifício e outros melhoramentos levados a cabo no passado mês de Outubro. Esta ajuda reveste-se de um significado especial, pois demonstra que mesmo longe os filhos da terra reconhecem o que representa esta Instituição de Solidariedade Social, cuja missão é contribuir para o bem estar dos nos-

sos idosos, merecedores de todo o carinho e conforto depois de uma vida de trabalho e canseiras. A todos um sincero bem-haja e votos de muita saúde e felicidades ao longo da vida. O vosso generoso gesto exemplifica de maneira inequívoca um sentimento de gratidão à terra que vos viu nascer traduzido na ajuda a uma Instituição que só a engrandece e que é, afinal, uma Casa de todos nós – presentes e ausentes. Obrigado! “

Ferreirós do Dão GRACIETE GOMES

CAMINHADA TONDELA FERREIRÓS No passado dia 30 de Outubro realizou-se pelo segundo ano consecutivo a caminhada entre Tondela e Ferreirós e este ano como o tempo ajudou teve o seu terminal na praia fluvial do rio Dão, com um magnifico almoço convívio entre os participantes e foram bastantes e alguns que embora não tivessem participado na caminhada a ele se quiseram juntar. Tudo correu sem sobressaltos de maior, para tão grande esforço, já que como todos sabemos esta caminhada é das mais difíceis devido ao relevo sinuoso que o percurso tem, mas se fosse fácil não seria tão bonito. Da minha parte quero agradecer a todas as entidades que proporcionaram este evento, que mais uma vez veio dar alegria e reconhecimento a beleza natural que a nossa terra tem.

CASA DO POVO – BAILE DE HALLOWEEN A Casa do Povo de Ferreirós realizou no dia 31 de Outubro, o baile do Dia

ANTÓNIO FIGUEIREDO

ORTOPEDISTA CONSULTAS EM PARADA DE GONTA ÀS SEGUNDAS FEIRAS PELAS 15 HORAS Telem.: 967 851 889

das Bruxas, foi animado musicalmente, pelo artista Paulo Dias, e embora não tivesse tido a adesão esperada, foi bastante animado, por todos aqueles que se quiseram divertir e relembrar um dia que para alguns é uma novidade. A comemoração deste dia existe há mais de 2500 anos só que na nossa terra ainda não faz parte da tradição. Esperamos que para o ano se repita já que é uma festa engraçada em que é possível dar uso a nossa imaginação e mascaramo-nos de todos os demónios que nos atormentam durante o resto do ano e assim afugentálos pelo menos ate ao ano seguinte.

DIA DE TODOS OS SANTOS O nosso novo Padre, Sr. Padre José Fernando, celebrou pela primeira vez na nossa paróquia o Dia de Todos os Santos. Como é habitual, de manhã pelas 9.00 horas realizou a missa em honra de Todos os Santos. De tarde, pelas 14.00 horas, e por antecipação do dia dos Fieis Defuntos que é dia 2

de Novembro, realizou uma bonita liturgia da Palavra, no nosso cemitério em honra de todos os fieis defuntos da nossa freguesia. A cerimónia foi bastante participada por todos que vieram de fora da nossa terra e pelos que cá moram e vieram visitar os seus entes queridos que já partiram deste mundo.

ASSOCIAÇÃO VALE DO DÃO – MAGUSTO A Associação vai realizar no próximo fim de semana, mais concretamente no Domingo à tarde o tradicional Magusto para os sócios, a partir das 17 horas. Realizar-se-á um leilão com as ofertas que os sócios fizerem, seguindo-se o magusto propriamente dito, com castanhas assadas, e por fim animação musical par espantar o frio que parece que tardou em chegar mas que veio foi com força e para ficar. No sábado a associação vai realizar um jantar para entrega dos prémios do torneio de matraquilhos que realizou há já algumas semanas.


DESPORTO 11

10/11/2011

1.ª Divisão Distrital - Zona Sul

LEÕES RUGIRAM MAIS ALTO

Sp. Nandufe, 3 - C. S. MARIA, 1 No 2º dérbie em casa, o Sporting de Nandufe levou de vencida a boa equipa de Canas Stª Maria por 3-1. Num jogo emotivo pleno de emoções, o dérbie na primeira metade foi jogado mais numa base de fase de estudo, pois notava-se que ambas as equipas se respeitavam uma a outra, tendo o Canas St. Maria até um pouco mais ascendente em certas situações quando apanhava o Nandufe mais avançado no terreno. No entanto só de bola parada criava mais perigo. O Nandufe tardava em acordar, pois a equipa de Canas mais rápida sobre a bola conseguia ter algum ascendente. O Nandufe não conseguia ter grandes oportunidades de golo, e o Canas através da cobrança de um livre directo criou perigo tendo Godinho socado para canto em defesa apertada. No entanto, o Canas mesmo á beira do intervalo conseguiu chegar à vantagem, com um golo de livre, a que Toucha de cabeça cabeceou tendo

Godinho chegado atrasado para socar. Era um balde de água fria para as hostes dos leões de Nandufe. O Nandufe na 2ª parte veio com outra disposição atitude e alento, e mexeu quase de imediato na equipa, a dupla de treinadores, fez entrar o rápido Máquinas para dar mais velocidade à linha da frente. Passados 2 minutos da segunda metade, Araújo num livre superiormente marcado chegou ao empate, com belo remate descaído para o lado direito. Estava feito o empate. A partir daqui começava tudo do zero, e foi a partir daqui que o jogo ganhou emotividade e emoção, pois o central e pequeno grande jogador Galão foi expulso por acumulação de amarelos. Temeu-se o pior, mas foi reduzido a 10 unidades que o Nandufe acordou, galvanizou-se e uniu-se. Pedro Pomar treinador da equipa visitante, mexeu na equipa tentando tirar da vantagem numérica que tinha, aqui o

Nandufe voltou também mexer, fazendo entrar Liró para o meio campo dando outra agressividade. O Nandufe com 10 jogadores começou a criar oportunidades de golo, sendo mesmo Liró a desperdiçar à boca da baliza o 2-1que encostando apenas, saiu por cima da barra. Mas volvidos 5 minutos Josélito rasgou por ali fora e já em plena área sofreu entrada no pé de apoio tendo o árbitro da partida assinalado e bem grande penalidade. Liró sendo chamado a converter, fez com grande calma a cobrança do mesmo, colocando a sua equipa em vantagem pela primeira vez no marcador. As substituições a resultarem já que Máquinas era um quebra cabeças para defensiva forasteira, imperando com a sua velocidade numa fase de desgaste do Canas. Rui Roias que também tinha entrado,também ele esteve imparável, pois com todas estas substituições mesmo em inferioridade numérica, foram

Maria Manuela de Figueiredo Almeida NOTÁRIA NIF: 128 291 990 Av. Dr. António Manuel Tenreiro da Cruz, n.º 54

JUSTIFICAÇÃO NOTARIAL Certifico, narrativamente para efeitos de publicação que por escritura exarada de folhas 48 a folhas 49 do livro d enotas número 116-I, deste Cartório, Luís Filipe Furtado de Vilhena e mulher Jermínia da Costa Ferreira de Vilhena, casados sob o regime da comunhão de adquiridos, naturais, ele da freguesia de Sé, concelho de Portalegre e ela da freguesia de Dardavaz, concelho de Tondela, residentes na Avenida António Sardinha, Torre 1, 5.º A, freguesia de Assunção, concelho de Elvas, que se declaram com exclusão de outrem donos e legítimos possuidores do seguinte prédio: Rústico, sito em Barreirinha ou Barreirinhas, freguesia de Dardavaz, concelho de Tondela, composto de terra de cultura com videiras, oliveiras, vinha e laranjeiras, com a área de dois mil duzentos e oitenta metros quadrados, a confrontar do norte com Joaquim Marques Pais, do sul com Herculano Ferraz, de nascente com Virgílio Matos Viegas e José Augusto Ferreira e do poente com José Augusto Ferreira, omisso na Conservatória do Registo Predial de Tondela, inscrito na matriz, em nome da Herança de Maria Lisete varela Macedo Viegas, sob o artigo 953. Que adquiriram o mencionado imóvel, em mil novecentos e oitenta e oito, já então casados, por permuta que dele fizeram com António Matos Viegas e mulher Maria Lisete Varela Macedo Viegas, residente em Alvarim, sem que no entanto ficassem a dispor de qualquer título formal, que lhes permita efectuar o seu registo na Conservatória do Registo Predial, sendo certo porém, que sempre têm exercido os poderes de facto correspondente ao direito de propriedade, sem interrupção, fruindo como donos as utilidades possíveis, à vista de todos e sem discussão nem oposição de ninguém. Está conforme o original. Tondela, 2 de Novembro de 2011. A colaboradora da Notária, devidamente autorizada para a prática deste acto,m Carine Maria Martins Agostinho, inscrita na Ordem dos Notários sob o n.º 110/2. (assina) (JORNAL DE TONDELA, 10 DE NOVEMBRO DE 2011)

do meio campo para a frente ofensivas, resultando em cheio, pois o Canas foi traído por querer ganhar o jogo quando se viu em vantagem. Máquinas e Josélito podiam ter dado melhor seguimento a algumas jogadas de contra ataque, mas era também demasiado penalizador para o Canas, muito embora na 2ª metade o Canas não tivesse criado qualquer oportunidade de golo. Rui em jogada de Máquinas ganhou um ressalto e perante o guarda redes Luís Carlos, driblou-o e encostou para o golo,fixando o resultado em 3-1. Estava em delírio toda a assistência, pois os Leões Nandufenses conseguiram virar um resultado e marcar dois golos com um jogador a menos. Foi uma vitória sofrida e plena de garra, dedicação e de esforço dos Leões de Nandufe, que ao fim de uma 1ª parte bastante amena fizeram uma segunda parte de grande nível. Levar de vencida esta equipa do Canas não foi tarefa fácil ainda para mais num dérbie. Sobre a equipa de arbitragem, achamos que para este tipo de jogos, ainda para mais tratandose de um derby, Associação de Arbitragem não teve o cuidado de preservar a sua imagem, sinceramente as nomeações deviam ser bem ponderadas em todos os aspectos, de modo a salvaguardar a imagem da própria Associação. Atribuímos

CAMPO DE JOGOS : BAIRRO NOVO em NANDUFE. ÁRBITRO: André Correia Amaral. AUXILIARES : Pedro Renato Figueiredo Pinto e Fábio Manuel Almeida Pais. INTERVALO: 0-1

SP. NANDUFE: Godinho Cris Araújo Fernando Galão (Cap) Rodrigo Pedras Lameiras (Máquinas) João Chaves (Rui Roias) Manobras (Liró) Josélito

Disciplina: Amarelos a Godinho, Pedras, Manobras e Galão. Acumulação por Amarelos: Galão

Golos: Araújo aos 52 min.; Liró aos 73 min (GP) e Rui Roias 78 min;

SUPLENTES: Márcio Matateu Viegas Pinóquio

C. S. MARIA: Luís Carlos Toucha Rafael Julião (Cap) Rebelo Jaça Pedrito Xilão Fábio Miguel (Natividade) Pedro

SUPLENTES Tiago Jorge Xavier Gomes Júlio

DISCIPLINA: Cartão Amarelo a Rafael, Jaça, Toucha.

Golos: Rafael aos 38 min.

TREINADOR: Pedro Pomar

TREINADOR: Quinjó/ Zé Rui

nota negativa a esta equipa de arbitragem porque notou-se e muito, falta de pulso e de estudo. Ao contrário que no domingo passado mesmo perdendo em Cassurrães, a equipa de

arbitragem esteve altura dos seus pergaminhos. No próximo domingo o Sporting Clube de Nandufe viaja até ao Carregal do Sal, pelo que se espera um resultado positivo.


12 DESPORTO

10/11/2011

Campeonato Nacional de Futebol Feminino

Campeonato Nacional da 2ª Divisão – Zona Centro

EF Setúbal, 2 – Escola FC, 3 Era a 8.ª Jornada em casa de um clube que subiu á 1.ª Divisão. Todos os cuidados eram poucos e na primeira descida à área do Escola foi golo. Eram decorridos 2 minutos, uma jogada pela esquerda perto da linha de cabeceira com Rafaela e Catarina nada pode fazer. O Escola foi á procura do empate e até ao intervalo o resultado não se alterou. O segundo tempo começou com outro cariz de jogo porque logo na primeira jogada o Escola faz o empate. Pontapé de canto marcado do lado direito por Inês Cruz e perto do penaltie aparece Inês Aguiar que não perdoou. Talvez o treinador do Escola ao intervalo tenha tido uma conversa com as suas jogadoras porque as disposições foram diferentes. O Escola queria mais, eram outras. Aos 75 minutos Leila fora da área marca um golo muito lindo. O Setúbal não baixava

I DIVISÃO NACIONAL (FEMININO) Cadima ------------------- 0 Boavista ------------------ 3 Vilaverdense ------------- 4 Leixões ------------------- 0 1.º Dezembro ----------- 1 CP Martim --------------- 0 C. Albergaria ------------ 2 F. Benfica ---------------- 0 EF Setúbal -------------- 2 ESCOLA ----------------- 3 J

V E D

F

C

P

1.º Dezembro

8

7

1

0

22

5

22

C. Albergaria

8

5

1

2

16

11

16

Boavista

8

5

1

2

13

7

16

F. Benfica

8

4

2

2

9

6

14

Vilaverdense

8

3

2

3

16

11

11

Leixões

8

3

1

4

19

19

10

ESCOLA

8

3

1

4

9

14

10

CP Martim

8

2

1

5

9

15

7

Cadima

8

1

1

6

11

24

4

20

4

EF Setúbal

8

1

1

6

8

PRÓXIMA JORNADA ESCOLA - C. Albergaria Leixões - EF Setúbal Boavista - Vilaverdense CP Martim - Cadima F. Benfica - 1.º Dezembro

Tondela, 2 – Paredes, 0

Árbitra, Vanessa Gomes auxiliada por Leandro Fernandes e João Paiva da Associação de Lisboa.

EF SETÚBAL: Canina Prucila Sofia Ana Patrícia Ana Pisco Ana Rosa Marta Rafaela Filipa Ana Rita Nidia

ESCOLA FC: Catarina Sousa Carolina Sandrine Marta Inês Cruz Ana Figueiredo Bárbara Inês Aguiar Sueli (cap.) Leila Mikas

(AO INTERVALO 0-0) TEXTO: ARMÉNIO PEREIRA

Suplentes:

Patrícia Mafalda Nadine Catarina Ana Jóia Rute Inês Abreu

Ana Rodrigues Andreia Gabriela Elsa Santos Mariana Catarina Bernardes Catarina Ferreira

VÍTOR PANEIRA E GEORGE INVENTARAM A VITÓRIA

Treinador: Luís Carlos

II DIVISÃO NACIONAL ZONACENTRO

C. MANEIRA

CRISTIN A B APTIST A CRISTINA BAPTIST APTISTA

PEDIATRIA CONSULTAS E MARCAÇÕES

Tondelmédica Telef.: 232 821 815

Rua Dr. Flausino Torres - Tondela

Jogo no Estádio João Cardoso em Tondela Árbitro, Pedro Ferreira, auxiliares, Fernando Pereira, Eduardo Miranda (A.F. de Braga)

CD TONDELA:

Suplentes:

os braços e queria chegar ao empate. A Defesa do Escola estava segura sendo Bárbara a comandar atrás todas as operações, Sandrine e Sueli com marcações certas, mas este não era um resultado seguro e aos 87 minutos, um livre do lado direito das bancadas, fora da área, a quatro metros da linha de canto, Inês Cruz faz o 1 a 3. A árbitra dá de compensação 3 minutos e num contra golpe o Setúbal reduz para 2 a 3. Todas as jogadoras do Escola estiveram em bom plano. A equipa de arbitragem com muitos erros marca um penaltie contra o Setúbal, depois dá o dito por não dito, tira o cartão vermelho do bolso, exibelhe o amarelo, o treinador do Escola chama Mikas para o converter. Perante os olhares de toda a gente afinal não marca nada, nem livre. Árbitra sem qualidade.

A solução saiu do banco quando todos acreditavam no empate

A. Lordelo ---------------- 5 S. J. Ver ------------------ 0 TONDELA ---------------- 2 Paredes ------------------ 0 Gondomar ---------------- 1 Angrense ----------------- 0 Coimbrões --------------- 2 Anadia -------------------- 2 Sp. Espinho ------------- 2 Padroense --------------- 1 Boavista ------------------ 1 O. Bairro ----------------- 0 Operário ------------------ 0 Cinfães -------------------- 0 Madalena Amarante FC J

V E D

F

C

P

Sp. Espinho

8

7

1

0

15

4

22

TONDELA

8

7

0

1

16

6

21

Boavista

8

5

2

1

11

3

17

SJ Ver

8

5

1

2

11

12

16

Gondomar

8

4

1

3

9

10

13

Operário

8

3

2

3

5

8

11

Amarante FC

8

3

2

3

11

9

11

Angrense

8

3

2

3

14

12

11

Anadia

8

3

2

3

14

12

11

Padroense

8

3

2

3

15

15

11

A. Lordelo

8

2

3

3

16

13

9

Coimbrões

8

1

5

2

9

13

8

Cinfães

8

2

2

4

12

14

8

O. Bairro

8

1

1

6

7

14

4

Madalena

8

1

1

6

11

15

4

Paredes

8

0

1

7

3

19

1

PRÓXIMA JORNADA Cinfães - Madalena TONDELA - A. Lordelo S. J. Ver - Gondomar Anadia - Sp. Espinho Padroense - Operário Amarante FC - Boavista Paredes - O. Bairro Angrense - Coimbrões

Os dados lançados antes do inicio desta partida indicavam até pela diferença pontual das duas equipas que a vitória teria que ser obrigatoriamente do Tondela, mas no futebol como é sabido é preciso provar dentro do campo qualquer tipo de favoritismo. Talvez por isso, o subconsciente dos jogadores da equipa da casa tenham interiorizado que este seria um problema de fácil resolução ao ponto de darem e mão beijada os primeiros quarenta e cinco minutos de jogo ao seu adversário, tal foi a sua fraca prestação em campo de praticamente toda a equipa. O Paredes sem assustar verdadeiramente acabou por criar a jogada de maior perigo na primeira parte quando aos 32 minutos João esteve muito perto do golo, valendo ao Tondela Mangualde que conseguiu desviar um remate para o poste esquerdo à guarda da baliza de Cláudio. Os homens da casa feridos no seu orgulho responderam e Gomes isolado por Ronan, em cima do intervalo falhou a possibilidade de inaugurar o marcador e tranquilizar a sua equipa para a segunda parte. Na etapa complementar tudo se alterou com a entrada de Márcio Sousa que substituiu Gomes muito apagado, dando claramente outra intensidade ao jogo da equipa da casa, soltando ainda mais os homens da frente de ataque não precisando de vir tantas vezes atrás à procura do esférico. Nas bolas paradas o perigo também era maior para o Paredes, o próprio Márcio Sousa, logo os 57

Cláudio Mangualde Materazi Carlos André Hélder Lopes Fábio Pacheco Magano (George 75m) Pedrosa (Vieirinha 38m) Gomes (cap.) (Márcio Sousa 46m) Piojo Ronan

Suplentes: Bandeira Hugo Costa Ferreirinha Luís Aurélio Vieirinha Márcio Sousa George

Treinador: Vítor Paneira

Disciplina: Cartão amarelo a Pedrosa (12m) e Hélder Lopes (79m)

PAREDES: Moura Bruno (cap.) Rui Coelho Dany Carlão Piquet (George 75m) Madureira Cerqueira (Carlos 67m) Vítor Hugo João (Manuel Luís 79m) Jorginho

Suplentes: Jorge Tó Jorge Hélder Carlos Pedro Duarte Manuel Luís George

Treinador: Fernando Valente

Disciplina: Cartão amarelo Cerqueira (27m), Vítor Hugo (36m), Jorginho (56m), Carlão (66m) e Bruno (78m)

Golos: George (78m) e Ronan (87m)

minutos, de livre direto disparou uma bomba que passou ligeiramente por cima da barra da baliza de Moura. Mangualde ao minuto 63 cruzou com perigo para a bola embater na barra, o Paredes respondeu aos 74 minutos com Jorginho de cabeça a cabecear ao poste, mas o Tondela fez o mesmo pouco depois à barra com Piojo na jogada e na sequência do mesmo lance nem Ronan, nem George conseguiram em cima da linha de golo empurrar a bola para dentro da baliza. A equipa da casa apertava mais do que nunca e aos 78 minutos, o argentino Piojo marcou rapidamente uma falta, isolando o brasileiro George que tinha acabado de entrar que

com grande frieza faz a bola passar por baixo das pernas do guarda-redes, Moura, colocando o Tondela em vantagem no marcador. Assistiu-se a uma explosão de alegria no estádio João Cardoso, tendo o autor do golo pouco utilizado até agora ido abraçar de forma efusiva o seu treinador, para lhe agradecer o voto de confiança. A Partir daqui o Tondela mostrou-se tranquilo na gestão do resultado e Ronan ainda ampliou a contagem, acorrendo da melhor forma de cabeça a um pontapé de canto marcado na direita do ataque por Márcio Sousa. Na próxima jornada o C.D. Tondela volta a jogar em casa com o Aliados de Lordelo.


REPORTAGEM 13

10/11/2011

No dia 6 de Novembro de 2011, em Campo de Besteiros, comemoraramse os 25 anos de existência da Escola Básica 2,3 de Campo de Besteiros, (1986/2011). Com a devida antecipação, foi feita pela Direcção do Agrupamento, um convite a toda a comunidade Educativa, para participar no evento, com o objectivo de demonstrar a importância do Estabelecimento inserido neste imenso Vale de Besteiros, que abrange as freguesias de Campo de Besteiros, Barreiro de Besteiros, Tourigo, Santiago de Besteiros, Caparrosa, Castelões, Mosteiro de Fráguas, Vilar de Besteiros. 25 Anos de história que proporcionou aos jovens que por ali passaram um futuro promissor. Mas antes de passarmos às cerimónias, convém realçar um simples pormenor, reforçado durante as cerimónias pela maioria dos oradores; a atitude e a perseverança de um homem da terra de seu nome Dr. João Almiro Melo Menezes e Castro, pela causa que abraçou e nos habituou, para que a EB 2,3 fosse criada, para beneficio dos jovens da região, uma vez que as deslocações na altura, eram duras até então para quem queria estudar. Lutou e venceu. Infelizmente por motivos de saúde não pode estar presente. Por volta do meio-dia teve lugar o inicio das cerimónias oficiais, na Sede do Agrupamento de Escolas de Campo de Besteiros. A mesa de honra, como é hábito, faziam parte o Diretor do Agrupamento, um Representante da Direcção Regional, Dr. José Correia Lopes, Dra. Maria Judite da Silva Brás Fernandes e Dr. António Domingues Perei-

E.B. 2,3 de Campo de Besteiros

25 Anos depois ra, ex Diretores do Agrupamento, Engenheiro Alexandre Miguel Pereira Ribeiro Gomes, ex aluno da EB 2,3, e por fim o estimável Dr. Carlos Manuel Marta Gonçalves, Presidente do Município de Tondela. Registamos também a presença dos Directores da Secundária de Tondela, Lageosa e Caramulo, bem como do Presidente da Assembleia Municipal de Tondela, Joaquim Alberto Vieira Coimbra, entre outras individualidades presentes. Iniciou a cerimónia o Diretor do Agrupamento Dr. Dinis Augusto Saraiva, que explanou o trajecto da criação da Escola EB 2,3 até aos dias de hoje, que na altura abrangia nove freguesias. Cito alguns aspectos da sua intervenção para reforçar o papel da Escola ao longo destes 25 anos. O papel do Dr. João Almiro Melo Menezes e Castro, que na altura desempenhava o papel de Vereador no Município de Tondela, homem chave na construção da escola. A importância da escola que proporcionou às gentes de besteiros o acesso ao ensino básico. Reforçou a imagem de uma Escola de Qualidade para todos, através de uma liderança forte e coesa, que tem conseguido vencer alguns desafios face a exigências locais e Nacionais. Reforçou por outro lado que a sustentabilidade do progresso verificado na escola, foi igualmente, reconhecida pela avaliação externa, realizada em Janeiro de 2008, pela

Inspecção Geral de Educação. A obtenção destes resultados positivos só foi possível devido ao elevado profissionalismo e empenho dos docentes, ao sentido da responsabilidade e dedicação dos funcionários ao envolvimento dos pais, Encarregados de Educação e Comunidade em geral. Destacou por fim o 1.º Presidente, Dr. António Domingues Pereira e seus colaboradores. De seguida o 2.º Presidente Dra. Maria Judite da Silva Brás Fernandes, com os respectivos assessores, e por fim o próprio que desempenha as actuais funções do Diretor do Agrupamento. Deixou um espaço de recordação e estima, homenageando todos os docentes e funcionários que trabalharam nesta escola e que já se aposentaram. Deixou um alerta às autoridades competentes, para as obras que urge fazer, tais como: substituição total da cobertura de todos os pavilhões e dos telheiros de ligação, constituídas por placas de fibrocimento que contem na sua constituição amianto, que apresentam um desgaste elevado, substituição das canalizações, reconstrução das casas de banho, substituição das janelas e portas criando um espaço mais acolhedor na sua de aula, fator determinante na sua aprendizagem. Por outro regozijou-se com a construção do Novo Centro Escolar de Campo de Besteiros, cuja obra

prevê esteja concluída até final do ano lectivo, permitindo pelo facto também a reconstrução de um pavilhão. Por fim expressou o seu agradecimento a todos os docentes, não docentes e alunos que colaboraram na organização do evento, bem como ao Município de Tondela, Juntas de freguesia envolventes, entidades e individualidades chamadas para o efeito, com o intuito de proporcionar ao Agrupamento, vencer desafios proporcionar um motivo de orgulho para o Concelho e para toda esta região. De seguida interveio um antigo aluno, hoje engenheiro, que proporcionou aos presentes uma análise, sobre a importância que teve, ao estudar na EB 2,3 e as suas influências, que lhe projectaram um futuro promissor. Interveio de seguida a Dr. Judite Fernandes, que destacou a importância dos 25 anos de existên-

cia, na vida de muitos estudantes que por ali passaram, aos docentes, e funcionários, pilares essenciais deste tão difícil processo educativo, deixando um desafio a todos para os próximos 25 anos. De seguida, a intervenção do Representante da DREC, que registou com agrado a intervenção dos anteriores oradores, congratulando-se com os sucessos até agora vividos, bem como uma perspectiva de futuro. Por fim o Dr. Carlos Marta, actual Presidente do Município de Tondela, regressou ao passado, destacando, factos e realidades, quando fez parte da 1ª Comissão Instaladora da EB2,3 de Campo de Besteiros, ano de 1986, até aos dias de hoje. Intervenção segura de um político que conhece as realidades da sua região, onde se destaca o seu papel através do Município de Tondela, com a construção do imó-

vel que se encontra em construção, que vem reforçar a qualidade, já por si em evolução permanente no Concelho de Tondela. Não podia ficar indiferente à intervenção já no exterior das instalações do Agrupamento, do 1º Presidente da EB Dr. António Domingues Pereira, que fez uma análise do que era a escola há 25 anos e o que ela cresceu até aos dias de hoje, acabando no fim por descobrir a placa alusiva aos 25 anos de história. Seguiu-se por fim um almoço aos presentes, nas instalações do Agrupamento. Não podemos ficar indiferentes, mas registámos com agrado, a presença do “ staff “ do actual Presidente do Município, que revelou uma sensibilidade e uma responsabilidade acrescida do que o Agrupamento de Escolas de Campo de Besteiros, representa no Concelho de Tondela. Dever cumprido. Até ao ano de 2036! Basta haver vontade, saúde e gosto de defender algo que possa favorecer essencialmente os nossos jovens, como toda uma região, que se intitula: O Vale de Besteiros. PAULO FONSECA


14 DESPORTO

10/11/2011

LIGA ZON SAGRES

DIVISÃO DE HONRA

I DIVISÃO ZONA SUL

JUNIORES A - ZONA SUL

JUNIORES B - ZONA SUL

JUNIORES C - ZONA SUL

DISTRITAL - A.F.V.

DISTRITAL - A.F.V.

DISTRITAL - A.F.V.

DISTRITAL - A.F.V.

DISTRITAL - A.F.V.

P. Ferreira ---------------- 1 V. Guimarães ----------- 5

Paivense ------------------ 1 Mortágua ----------------- 1

V. C. Sá ------------------ 4 Nelas ---------------------- 1

C. Senhorim ------------- 3 TONDELA ---------------- 1

Ranhados --------------- 0 V. Benfica --------------- 2

Pinguinzinho ------------ 0 PESTINHAS ------------- 1

Marítimo ------------------ 3 Académica -------------- 2

Fornelos ------------------ 1 Alvite ---------------------- 1

Mangualde --------------- 3 C. Sal --------------------- 0

Mortágua ----------------- 3 P. castelo ---------------- 2

MOLELOS -------------- 0 Repsenses ------------- 2

Mangualde --------------- 5 Campia ------------------- 1

Olhanense --------------- 0 FC Porto ------------------ 0

C. Daire ------------------- 0 Silgueiros ---------------- 0

NANDUFE --------------- 3 C. S. MARIA ------------ 1

Santacomba ------------- 2 MOLELOS --------------- 1

C. Senhorim ------------ 1 Mangualde -------------- 0

Mortágua ----------------- 2 Crasto --------------------- 1

B. Mar -------------------- 2 Feirense ------------------ 1

Arguedeira --------------- 2 MOLELOS --------------- 0

Campia ------------------- 4 Cassurrães -------------- 1

Lusitano ------------------ 1 Repesenses ------------- 3

Nelas --------------------- 2 Mortágua ---------------- 3

V. Benfica ---------------- 2 Ac. Viseu ---------------- 0

R. Ave --------------------- 2 Nacional ------------------ 1

Sátão ---------------------- 0 Tarouquense ------------- 1

C. Viriato ----------------- 1 P. GONTA ---------------- 0

V. Benfica ---------------- 6 Campia ------------------- 0

TONDELA --------------- 3 Santacomba ------------ 2

MOLELOS --------------- 1 P. Castelo ---------------- 0

J

V E D

F

C

P

V. Setúbal ---------------- 0 G. Vicente --------------- 0

Parada -------------------- 1 Lamelas ------------------ 0

Santar --------------------- 2 M. Dão -------------------- 1

Repesenses

3

3

0

0

15

2

9

V. Benfica

4

3

0

1

11

2

9

P. Castelo --------------- 0 Ac. Viseu --------------- 3

C. Senhorim ------------- 2 Repesenses ------------- 1

Sp. Braga ---------------- 1 Benfica -------------------- 1 Sporting ------------------- 3 U. Leiria ------------------ 1

V. Açores ---------------- 1 V. Benfica ---------------- 0 LAG. DÃO ---------------- 2 Lusitano ------------------ 1

C. Senhorim

4

2

1

1

6

3

7

J

V E D

F

C

P

Lusitano

4

2

0

2

8

7

6

V E D

F

C

P

J

V E D

F

C

P

6

5

1

0

24

1

16

P. Castelo

J

Mangualde

3

2

0

1

5

4

6

6

6

0

0

23

1

18

MOLELOS

6

5

1

0

13

5

16

Campia

5

5

0

0

18

4

15

Santacomba

Ac. Viseu

3

2

0

1

5

5

6

Repesenses

5

0

0

45

0

15

Lusitano

5

5

0

0

28

2

15

6

4

0

2

17

9

12

Mortágua

5

NANDUFE

4

1

2

1

5

6

5

Mortágua

4

0

2

26

7

12

Pinguinzinho

6

4

1

1

13

2

13

Farminhão

5

4

0

1

10

3

12

MOLELOS

6

4

1

0

3

4

11

3

Mangualde

3

1

2

18

7

10

C. Senhorim

5

4

1

0

7

3

13

C. Viriato

5

3

0

2

9

7

9

TONDELA

6

3

0

1

2

3

6

1

MOLELOS

6

3

1

2

8

9

10

V. Benfica

5

3

1

1

11

5

10

Campia

4

0

0

4

3

19

0

C. Senhorim

5

3

1

1

6

3

10

Mangualde

6

2

2

2

13

7

8

PRÓXIMA JORNADA

V. Benfica

5

2

1

2

19

6

7

PESTINHAS

5

2

1

2

11

8

7

Santacomba

6

2

1

3

12

9

7

Repesenses

6

2

1

3

8

8

7

MOLELOS - V. Benfica Campia - Mortágua P. Castelo - C. Senhorim Repesenses - Santacomba TONDELA - Lusitano

P. Castelo

5

1

3

1

6

8

6

Mortágua

5

2

0

3

5

12

6

TONDELA

4

1

1

2

7

11

4

P. Castelo

5

1

2

2

6

5

5

Nelas

5

0

1

4

4

13

1

Crasto

6

0

1

5

5

25

1

Vouzela

4

0

0

4

2

53

0

Ac. Viseu

6

0

1

5

3

12

1

Ranhados

6

0

0

6

0

36

0

Campia

6

0

0

6

2

31

0

Cassurrães

6

2

1

3

10

10

7

Nelas

5

2

1

2

9

12

7

J

V E D

F

C

P

C. S. MARIA

6

2

1

3

8

12

7

C. Daire

7

5

1

1

14

6

16

M. Dão

6

2

0

4

8

19

6

24

Sátão

7

4

2

1

14

7

14

C. Sal

5

2

0

3

7

7

6

10

23

Silgueiros

7

4

2

1

13

8

14

V. C. Sá

6

1

0

5

7

12

3

16

11

21

Mortágua

7

4

1

2

19

11

13

Santar

5

1

0

4

5

23

3

1

13

4

19

V. Açores

7

4

1

2

11

9

13

P. GONTA

6

1

0

5

3

16

3

4

3

10

10

13

Lusitano

7

3

2

2

12

9

11

4

1

5

14

15

13

MOLELOS

7

3

2

2

11

10

11

3

2

5

7

14

11

Tarouca

7

3

0

4

10

12

9

10

2

5

3

10

16

11

Paivense

7

2

3

2

9

11

9

10

2

4

4

6

6

10

Parada

7

2

2

3

11

12

8

Nacional

10

3

1

6

6

20

10

LAG. DÃO

7

2

2

3

8

13

8

V. Guimarães

10

3

1

6

14

14

10

V. Benfica

7

2

1

4

9

9

7

U. Leiria

10

3

0

7

11

19

9

Arguedeira

7

2

0

5

7

15

6

Rio Ave

10

2

2

6

9

12

8

Alvite

7

1

3

3

5

8

6

Feirense

10

1

4

5

6

17

7

Fornelos

7

1

2

4

7

15

5

P. Ferreira

10

2

1

7

10

21

7

Lamelas

7

1

2

4

5

10

5

J

V E D

F

C

P

Benfica

10

7

3

0

23

10

24

FC Porto

10

7

3

0

25

5

Sporting

10

7

2

1

24

Marítimo

10

6

3

1

SP. Braga

10

5

4

Olhanense

10

3

Académica

10

V. Setúbal

10

Gil Vicente Beira Mar

PRÓXIMA JORNADA

PRÓXIMA JORNADA

Académica - B. Mar Nacional - Marítimo Benfica - Sporting Feirense - R. Ave G. Vicente - U. Leiria FC Porto - Sp. Braga P. Ferreira - Olhanense V. Guimarães - V. Setúbal

Mortágua - LAG. DÃO Alvite - Paivense Silgueiros - Fornelos MOLELOS - C. Daire Tarouquense - Arguedeira Lamelas - Sátão V. Benfica - Parada Lusitano - V. Açores

FUTSAL FEMININO DISTRITAL - A.F.V.

N. Viseu ----------------- 4 Lusitano ----------------- 1 Carbelrio ----------------- 4 U. Estação ------------- 6 Penedono --------------- 1 O. Frades --------------- 2 CB Mortágua ----------- 5 V. BESTEIROS -------- 3 Crasto -------------------- 2 IF Tarouca --------------- 0

J

V E D

F

C

P

U. Estação

6

6

0

0

49

10

18

Carbelrio

5

4

0

1

29

10

12

Penedono

6

3

1

2

21

15

10

O. Frades

5

3

1

1

14

16

10

CB Mortágua

6

3

0

3

17

15

9

Crasto

5

2

1

2

11

21

7

Mangualde

5

2

1

2

10

24

7

N. Viseu

5

2

0

3

16

19

6

I. Tarouca

6

1

1

4

8

19

4

Lusitano

6

0

2

4

6

19

2

V. BESTEIROS 5

0

1

4

8

21

1

PRÓXIMA JORNADA IF Tarouca - N. Viseu U. Estação - Crasto O. Frades - Carbelrio V. BESTEIROS - Penedono Mangualde - CB Mortágua

de: António Luís Simões Dias - CANALIZAÇÕES - MONT AGENS MONTA

Energia Solar Ar Condicionado Aquecim. Central

- ELECTRICID ADE ELECTRICIDADE Telem.: 966 083 869

R. Principal, N.º 538 * Eiras * Castelões * 3465-126 Campo de Besteiros

PRÓXIMA JORNADA Farminhão - V. C. Sá Nelas - Mangualde C. Sal - NANDUFE C. S. MARIA - Campia Cassurrães - C. Viriato P. GONTA - Santar

JUNIORES D - ZONA SUL

ESCOLAS SUB10 - S.A

DISTRITAL - A.F.V.

DISTRITAL - A.F.V.

Ac. Viseu --------------- 1 Crasto -------------------- 4 S. André ----------------- 1 V. 2001 ------------------ 1

Ac. Viseu --------------- 3 Crasto -------------------- 2 V. C. Sá ----------------- 2 D. Estação ------------- 2

Repesenses ------------ 2 Pinguinzinho ----------- 0

C. Sal -------------------- 3 Lsuitano ----------------- 3

O. Frades --------------- 0 PESTINHAS ------------ 5

S. André ----------------- 1 V. 2001 ------------------ 8

P. Castelo --------------- 0 Lusitano ----------------- 0

Repesenses ------------ 3 Pinguinzinho ----------- 2

V. Benfica --------------- 12 Nelas --------------------- 1

O. frades ---------------- 0 PESTINHAS ------------ 3

Viriatos ------------------ 3 D. Estação ------------- 4

V. Benfica --------------- 1 Nelas --------------------- 5

J

V E D

F

C

P

Crasto Pinguinzinho PESTINHAS

4

3

1

0

12

1

10

4

3

0

1

21

3

9

3

3

0

0

20

1

9

P. Castelo Viseu 2001 Lusitano Repesenses

4

2

2

0

12

5

8

4

2

2

0

10

7

8

4

2

1

1

7

3

7

4

2

1

1

4

4

7

V. Benfica S. André Ac. Viseu D. Estação

4

2

0

2

19

9

6

3

1

1

1

5

9

4

4

1

0

3

7

13

3

4

1

0

3

6

15

3

Nelas Viriatos

4

1

0

3

6

22

3

4

0

0

4

3

25

0

O. Frades

4

0

0

4

1

16

0

J

V E D

F

C

P

Viseu 2001 Pinguinzinho Lusitano

4

3

1

0

28

7

10

5

3

1

1

18

4

10

4

3

1

0

18

12

10

Ac. Viseu Repesenses C. Sal D. Estação

4

3

0

1

22

10

9

4

3

0

1

17

8

9

4

2

1

1

21

8

7

4

1

2

1

17

8

5

V. C. Sá PESTINHAS O. Frades Nelas

4

0

4

0

12

12

4

3

1

1

1

10

12

4

5

1

1

3

8

13

4

4

1

0

3

7

10

3

Crasto V. Benfica

4

0

2

2

8

13

2

4

0

0

4

2

43

0

S. André

3

0

0

3

1

29

0

PRÓXIMA JORNADA

PRÓXIMA JORNADA

S. Andre - Viriatos PESTINHAS - Ac. Viseu Crasto - P. Castelo Pinguinzinho - O. Frades V. 2001 - Nelas D. Estação - Repesenses Lusitano - V. Benfica

Lusitano - V. Benfica S. André - V. C. Sá PESTINHAS - Ac. Viseu Crasto - C. Sal V. 2001 - Nelas D. Estação - Repesenses

PRÓXIMA JORNADA

PRÓXIMA JORNADA

Vouzela - Ranhados V. Benfica - MOLELOS Repesenses - Nelas Mortágua - C. Senhorim Mangualde - TONDELA Santacomba - P. Castelo

Lusitano - MOLELOS P. Castelo - Pinguinzinho PESTINHAS - Mangualde Campia - Mortágua Crasto - C. Senhorim Repesenses - V. Benfica

JUNIORES D - SÉRIE F1 DISTRITAL - A.F.V.

Pinguinzinho ----------- 2 PESTINHAS ------------ 1

J

V E D

F

C

P

Pinguinzinho PESTINHAS C. Sal

3

3

0

0

12

3

9

3

2

0

1

23

4

6

3

2

0

1

10

10

6

MOLELOS V. Açores Mortágua

3

1

0

2

13

14

3

3

1

0

2

6

17

3

3

0

0

3

4

20

0

V. Açores --------------- 0 MOLELOS -------------- 9

PRÓXIMA JORNADA

Mortágua ---------------- 2 C. Sal -------------------- 4

MOLELOS - C. Sal PESTINHAS - V. Açores Pinguinzinho - Mortágua

ACTUALIZE A SUA ASSINATURA CONTACTE-NOS PELO TELEFONE: 232 822 137


DESPORTO 15

10/11/2011

Sudoku

Momentos de Poesia MARIA DA CONCEIÇÃO

SOLUÇÃO DO NÚMERO ANTERIOR.

Talvez que seja filha da amargura… E quem lhe deu o nome de tristeza? Ter que carregá-la é penitência dura E bem o sente a alma portuguesa. Jamais alguém lhe cava a sepultura, Pra ser eterna, temos a certeza: Fonte de vida, tem, na desventura Que sempre agiu com a maior frieza. Deste País, tristeza faz morada, Onde se canta, com voz magoada, O Fado que é canção nacional. Saudade, a outra filha, tão querida, No coração do povo tem guarida, De norte a sul do nosso Portugal.

De Tudo um Pouco MVC

ONDE ESTÁ O DINHEIRO?

Palavras cruzadas MANUEL DA COSTA HORIZONTAIS: 1- Nome de uma lei promulgada em 1375, cujo objectivo era ajudar no avanço da agricultura que se encontrava abandonada. 2-Inabitável. Membro inferior do homem. 3-Habitat natural da baleia. Gostaste muito. 4-Vazia. 5-Movel caseiro no qual se registam mais mortes. Bobo. 6-Dá como pretexto. Campo, brejo. 7-Colocara. Nome de homem. 8-Nome de letra do alfabeto. 9-Interjeição: alto, basta! Excesso de autoridade (fig.). 10-Feriu com as unhas. Masculino de uma. 11-Nome do 2.º maior rio de África. Tareia. VERTICAIS: 1- Designativo de afirmação. Chefe de um grupo de trabalhadores. 2-Interj. Eia! Tomara de aluguer. 3-Redução de senhor. Móvel sobre o qual se come ou escreve. Sorri. 4-Mas, sem vogal. Forma do verbo agir. Oferecer. 5-Bolo de farinha de arroz e azeite de coco. Assembleia da República. (inic.). Instituto Nacional de Estatística (inic.) 6-Órgão do corpo humano que filtra os produtos residuais existentes no sangue. TH. 7-Relativo à Itália. Toa (inv.). 8. Toa (inv.). Fluido aeriforme. São dois. 9-Raizes de urze de que se faz o carvão. 10-Transgredira preceitos religiosos. Via. 11Acusada. Fileira (pl.). Antes do meio-dia (abrev.).

Imaginem que um casal chega a um hotel da vossa terra e pergunta quanto custa um quarto para o fim-de-semana. O recepcionista responde: 100 euros pelos dois dias. - Muito bem. Responde o cavalheiro. Mas gostaríamos de conhecer as vossas instalações antes de reservarmos. Gostaríamos de ver os quartos, a piscina, o restaurante… - Não há problema, responde o recepcionista. Os senhores deixam uma caução de 100 euros e podem visitar as nossas instalações à vontade. Se não gostarem nós devolvemos o dinheiro. - Combinado, disse o casal. Deixaram os 100 euros e foram visitar o hotel. Acontece que o recepcionista devia 100 euros à mercearia do lado e foi a correr pagar a dívida; o merceeiro que devia 100 euros na sapataria e foi a correr pagar a dívida. O sapateiro devia 100 euros no talho e foi também a correr pagar a dívida. O talhante, por sua vez devia 100 euros na agência de viagens e apressou-se a ir pagá-los. O dono da agência devia 100 euros ao hotel e foi a correr pagar a dívida… Entretanto o casal terminou a visita ao hotel e informou o recepcionista que, afinal, não ia ficar no hotel. - Não há problema, diz-lhe o recepcionista. Tal como lhe disse, aqui tem o seu dinheiro. Conclusão: Toda a gente pagou a quem devia…sem dinheiro nenhum. O casal levou os 100 euros que pagaram todas as 5 dívidas no valor total de 500 euros. Ponham aqui os olhos e percebam que todo o sistema financeiro, desde que inventaram os números negativos, se tornou uma fraude. Zero euros pagaram 500 em dívida. E podíamos continuar indefinidamente… Como dizia Milton Friedman: “ Não perguntem onde está o dinheiro, porque ele não está em lado nenhum!”

SABIA QUE... O primeiro país a conceder o direito de vota às mulheres foi a Nova Zelândia em 1893? E que em Portugal esse direito só foi concedido em 1976? E sabia que os índios americanos, apesar de terem participado na primeira grande guerra mundial, só em 1924 puderam votar? Sabia que, para evitar os problemas linguísticos na Legião Estrangeira, é distribuído a cada legionário um “amigo” que fala francês? Sabia que foi no século I, a.C. que a seda foi trazida da China para o Ocidente? E que o seu uso se tornou tão popular que o imperador romano Augusto mandou promulgar uma lei que proibia o seu uso na confecção do vestuário dos homens, por ser considerada efeminada?

Pensamento da Semana Solução do n.º 1072 Horizontais: Patrimónios, aletria, Rui, o, roa, sim, s, içara, vadio, sanar, acima, rãs, g, comemorar, oral, si, Aladino, maresia, cá, casara, muar.

Ponto Final

TRISTEZA E SAUDADE

Escolhe cedo um ideal que possa perdurar por toda a tua vida.” DIDEROT, ESCRITOR FRANCÊS, 1713-1784)

MANUEL VENTURA DA COSTA

Há que ter fé

A

pesar de arrastar comigo um pesado saco de Invernos, de ter vivido épocas conturbadas, nunca me senti tão descrente quanto à capacidade dos nossos políticos em resolver esta situação desesperada e desesperante a que chegámos. Na minha modesta opinião a causa de todo este descalabro fica a dever-se à falta de bom senso e à avaliação exacta do que somos e do que podemos. As megalomanias de grandeza conduziram-nos a este estado de dependência de que vai ser difícil sair. Deitámos borda fora em obediência ao progresso muito do que hoje nos falta. O País está em efervescência e por toda a parte se vêem reivindicações irrealistas e impossíveis, desobediência generalizada, indisciplina e criminalidade. Todos os dias cresce o número de pessoas que se sentem desiludidas, aflitas, desesperadas, pedindo um auxílio que não pode ser dado por falta de posses. Aumentaram as despesas sem que as receitas estabelecessem o equilíbrio necessário para haver sustentabilidade. Na fúria de igualarmos os nossos parceiros europeus, substituíram-se antigas Instituições e Valores por meros valores de mercado que nos desviaram da nossa rota tradicional e da nossa dignidade quase milenária. Os partidos políticos transformaram-se numa espécie de “Novas Oportunidades” em que o facilitismo e a ânsia de “parecer” criaram um espaço fértil, onde qualquer bicho-careta podia ascender a especialista da governação. Um espaço onde a promoção social se podia atingir, independentemente da qualidade da matéria-prima. Enfim, um espaço privilegiado de manobra, onde se podia passear impunemente mesmo cometendo os mais estranhos abusos e que encheu os bolsos de muita gente… Enfim, como disse Stevenson: “A política é talvez a única profissão para a qual se pensa que não é precisa nenhuma preparação…” Mas há que ter fé, porque: “ Em cada pedra de muralha, em cada crista de fraguedo, em cada laje de túmulo, há uma voz que brada, há um coração que sangra, há uma memória que ruge! Farrapos luminosos do passado tremem em cada arco de ogiva, em cada padrão de armas, em cada baluarte de fortaleza, em cada botaréu de catedral. E desses gritos de Pátria, desses farrapos de grandeza, dessas memórias de séculos, dessa poeira para sempre morta, quanta bravura, quanta energia, quanta fé reflorirá, eternamente viva! No retorno universal dos tempos e das almas, os mortos ressurgirão dentro de nós; a alma da Raça, purificada e liberta, renascerá, estuará em torrentes de poder e de força – e Portugal, que ainda ontem suplicava uma cruz para morrer, gritará por umas asas – para voar!”


16

Tondela

Pessoas andam preocupadas com os assaltos

Tondela

Seniores do concelho juntaram-se em convívio 10/11/2011

TEXTO E FOTOS: ARMÉNIO PEREIRA Os ladrões parecem não dar tréguas no Concelho de Tondela, em menos de duas semanas foram assaltados, as bombas de gasolina de Molelos, o mini-mercado Estrela e a próprio Junta de Freguesia, tendo sido roubadas nos dois primeiros casos botijas de gás dos expositores. Quatro dias depois foi a vez de um estabelecimento comercial da Rua Lannemezan em Tondela ser saqueado, causando um prejuízo considerado avultado. Recentemente na noite do feriado de 1 para o dia 2 de Novembro foi roubada uma “pick-up” Toyota do estacionamento junto às piscinas propriedade do conhecido produtor e engarrafador dos “Vinhos Casa de Mouraz”. Já no decorrer da semana passada na madrugada de 4 de Novembro a Igreja Evangélica Baptista de Tondela foi visitada por assaltantes que levaram uma quantia considerada insignificante, um microfone de lapela e a chave da carrinha da Associação Baptista Ebenezer. Três dias depois na madrugada do dia 7 do mesmo mês os assaltantes voltaram à referida igreja, não levaram nada, apenas deixando uma mensagem no mínimo bizarra, no banco da frente, “Nós voltamos”. Em 97 anos de história nunca nenhuma Igreja Evangélica Baptista tinha sido assaltada. O problema da segurança começa a ser sério na cidade e concelho de Tondela. ARMÉNIO PEREIRA

Molelos

Magusto convívio O Rancho “As Cantarinhas de Molelos” promove no próximo domingo, dia 13 de Novembro, pelas 15 horas, na sede da antiga escola da Vela um magusto de confraternização. Numa altura do ano em que é tão propícia as pessoas apreciarem as castanhas e jeropiga como manda a tradição, neste caso o interesse é redobrado porque certamente será incluída animação musical para alegrar os presentes. A direção do Rancho Folclórico “As Cantarinhas de Molelos” convida a população em geral a aparecer neste magusto.

O

Pavilhão Municipal de Tondela voltou a encher para o XII Encontro Sénior do Concelho de Tondela que decorreu no passado domingo, dia 6 de Novembro, com a presença de cerca de 1650 idosos vindos de todas as freguesias do concelho de Tondela. O primeiro ato solene decorreu com a celebração da santa missa pelo padre António Lopes da Silva, acompanhada pelo Coro Polifónico da Casa do Povo de Tondela conduzida pelo maestro Cristóvão Ramalho e as prestações musicais de Lydia Pinho no violoncelo e no órgão Mário Cruz. Em termos de presenças seniores foram contabilizados em números oficiais cerca de 1650, para além naturalmente, de todas as pessoas que prestaram assistência necessária para a realização do evento. O presidente do Município esteve presente, acompanhado do seu vice, José António de Jesus e restantes vereadores, o presidente da Junta de Freguesia de Tondela, José Manuel Mendes, para além da grande maioria das restantes do concelho que se sentaram junto dos seus conterrâneos. Carlos Marta depois do almoço cumprimentou todos os presentes neste

convívio, salientando que apesar da crise em que todos vivemos há coisas que não podem deixar de ser feitas, sendo o encontro sénior que se realiza todos os anos um bom exemplo disso. O autarca lançou o de-

safiou para que nos próximos anos se arranjem formas de continuar com esta iniciativa porque é bom que se continue a reconhecer quem no passado ajudou o concelho de Tondela a crescer, preparando-o para as novas ge-

rações. Este XII Encontro Sénior teve como animação musical depois do almoço a conceituada jovem fadista Mara Pedro e o grupo de música tradicional “Quinta do Paço” de Molelos.


JT 1073