Issuu on Google+

PUBLICAÇÕES PERÍÓDICAS AUTORIZADO A CIRCULAR EM INVÓLUCRO FECHADO DE PLÁSTICO OU PAPEL PODE ABRIR-SE PARA VERIFICAÇÃO POSTAL

1

18/10/2012

DE02852011SNC/GSCCN

ESCOLA DE CONDUÇÃO TONDELENSE

Na Internet

ESCOLA DE CONDUÇÃO SRA. CALVÁRIO

www.jornaldetondela.com.sapo.pt PREÇO AVULSO C/ IVA 5% INCLUIDO

N.º 1122 * 18 de Outubro de 2012

*

II Série

*

Director: Manuel Ventura da Costa

Ano XXII

Rua Dr. Marques da Costa Apartado 47 - 3460 Tondela Tel.: 232 822 420 * Tlm: 912 244 750 TONDELA

LIGA PORTUGUESA CONTRA O CANCRO pág. 7

JOVENS ARTISTAS EM “MUNDOS À PARTE” pág. 4

CAMPANHA DAS TAMPINHAS DE PLÁSTICO pág. 7

Rugby

CLAQUE “FEBRE AMARELA” ANGARIA BENS ALIMENTARES NUMA FESTA DE ANIVERSÁRIO pág. 4

Uma escola de Vida

TOURIGO

SEMINÁRIO VIVER ENTRE GERAÇÕES: O DESAFIO DO NOSSO TEMPO 20 de Outubro 2012 (Centro Social do Tourigo) DESPORTO

págs. 8, 9

Tondela

Tribunal julga suspeita de homicídio pág. 7

Escola Profissional de Tondela Conquista primeiro lugar Distinguida no projecto em torneio de futebol Eco-Escolas pág. 6

LOBÃO DA BEIRA

pág. 7

CD Tondela NUNCA PERDIDO DE VISTA ATÉ À ASSINATURA FINAL pág. 14

TONDELA COM RAZÕES DE QUEIXA DA ARBITRAGEM Feirense, 2 - Tondela, 1 pág. 14


2 OPINIÃO

18/10/2012

Notas Semanais

Reflexões de cidadania

CÍLIO CORREIA

HÉLIO BERNARDO LOPES

TERRAPLANAGEM FISCAL!..

ERROS ESTRATÉGICOS, DECADÊNCIA, ATREVIMENTO

A

D

indignação social não para decrescer. A TSU já lá vai. As manifestações sucedem-se. As grades de proteção da Assembleia da República já não são desmontadas. Os sinais de rutura social avolumam-se. Deitar água fria na fervura já não basta, como fez o FMI com a sua “mea culpa”!… Já tínhamos percebido, sem sermos economistas, que a austeridade pela austeridade não é uma política. Co’s diabos, inédito!.. A proposta de Orçamento de Estado para 2013 é uma metáfora, embora envolta num banco de nevoeiro e muitas incertezas. Através dela não se consegue prever, imaginar ou descrever o desemprego nem o dia-a-dia dos cidadãos. A suprema metáfora é o alargamento do restrito clube dos mais ricos aos rendimentos superiores a 80.000 mil euros brutos/anuais. Uau!... pobre do país que se dá ao luxo de albergar tantos ricos!.. Calam-se alguns dos mais acérrimos “defensores dos contribuintes”, na última campanha eleitoral, presos no seu próprio labirinto. Inverteram o raciocínio. Ao aceitarem permanecer escravos dos preconceitos mostram não saber usar a inteligência. Nada de surpreendente demais. Memórias das coisas óbvias!... O que não há memória é dum Orçamento de Estado ser feito às apalpadelas. Hoje, anuncia-se. Amanhã, desmente-se. Depois, mitiga-se. A seguir, adocica-se… para o óleo de fígado de bacalhau parecer mais fácil de engolir. O travo amargo permanece. Há sabores que não se diluem, por mais açúcar que se misture. São sempre azedos. Escusado franzir a testa!... Os avanços e recuos são constantes, diários. Dizem-nos que o esforço em 2012 resultou em algo, mas algo que ninguém vê, imagina ou consegue descrever. Se a vida já foi difícil, vai tornar-se insuportável em 2013. A única narrativa socialmente aceitável é insistir na denúncia, permanecer de

cabeça erguida, numa palavra, resistir. Oh, céus!... Adiante. Já tínhamos a “medalha de prata” no ranking mundial dos impostos. Repito, mundial. Com o anunciado “enorme aumento de impostos” atingimos o topo, a “medalha de ouro”. E pelo pódio vamos ficar. Se no futebol não somos os melhores, pelo menos que a cobrar impostos sejamos os maiores do mundo civilizado. Cheguem-lhes que a coisa está a dar!... Uma recessão de 3% em 2012 e de 1% em 2013 significa cair 4%, em dois anos. Menos com menos não dá mais, exceto na “gramática fiscal” governamental. Façam as contas. Daí que a opção para 2013 tenha sido sacar de um sítio já espremido. Os rendimentos inferiores a sete mil euros/ ano também tinham que sofrer um agravamento não fossem ter a veleidade de se aproximar, a passos largos, dos (ricos) contribuintes. Pelo andar da carruagem ainda lá vamos chegar, nem que seja ao pé-coxinho ou descalços. Hum!... No preliminar OE/2013 quem ganha acima ou mesmo, mesmo muito acima dos 80.000 euros brutos anuais, chame-se Belmiro Azevedo, Soares dos Santos, Américo Amorim, Espírito Santo, Joe Berardo, etc ou Zé dos Anzóis, paga pela mesma bitola: 48%, mais as sobretaxas. Não há Tribunal Constitucional que chumbe tamanha equidade fiscal. Afinal entre os 48% e os 45% do escalão inferior do IRS a diferença são apenas 3%. Aos100%, atingimos a equidade fiscal absoluta. Minudências. Oh, touché!... Empobrecemos, sim, mas com salvaguardas no Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI). De fora, as mais de 300 mil pessoas para quem não vai sobrar qualquer rendimento social. Contundente. Bem dizia o escritor Mark Twain que “a notícia da minha morte era manifestamente um exagero”… Estamos quase lá, já falta pouco. Terraplanagem fiscal!...

ANTÓNIO FIGUEIREDO

ORTOPEDISTA CONSULTAS EM PARADA DE GONTA ÀS SEGUNDAS FEIRAS PELAS 15 HORAS Telem.: 962 403 564

e há muito a esta parte, e com toda a razão, tem sido reiteradamente escutado a Adriano Moreira a afirmação de que Portugal precisou sempre de ajuda ao longo da sua História. E nem vale a pena ilustrar aqui esta realidade com exemplos os mais diversos, porque nós temos, acima de tudo, este tempo vivido por quase todos os portugueses ao longo destes trinto e nove anos da III República. Na manhã de 25 de Abril, Portugal dispunha das antigas províncias ultramarinas, todas diferentes entre si, mas que sustentavam a realidade da nossa vida social, por cá e por todas elas. Ao concedermos independências a essas terras, criando assim novos Estados independentes, a verdade é que Portugal perdeu esses seus suportes de ajuda. Por via de uma miragem, Portugal praticou dois erros cujas consequências estratégicas se estão hoje a ver à saciedade e cujo devir facilmente se consegue vislumbrar: ligou-se à Europa pelo errado medo de poder aqui surgir um regime de tipo terceiromundista e aderiu ao euro, deitando pela porta fora a sua moeda, com toda a capacidade de comando e controlo que a mesma propiciava. Como hoje se pode já perceber de um modo indubitável, a União Europeia nada tem, natu-

ralmente, de unificador, porque ela constitui-se numa manta de Estados que são realidades completamente distintas. Nem o facto de se criar a tão antinatural federação resolveria o que quer que fosse, para o que basta olhar o caso norte-americano, ou o espanhol, ou o italiano, ou o britânico, ou o belga, entre outras realidades. A União Europeia, porém, é hoje um espaço em acelerada decadência, sendo quase certo que esta atribuição do Nobel da Paz se destinou a darlhe, digamos assim, um balão de oxigénio, perante a evidente e imparável decadência que está em marcha. Uma decadência que foi também tendo lugar em Portugal, por via de uma prática democrática meramente formal, deixando campear a corrupção, hoje espalhada endemicamente por todo o tecido social português. Tornou-se mesmo difícil entrar num qualquer espaço público semiaberto, porque é quase certo o incómodo causado junto de um qualquer grupo que por ali tenta realizar as tarefas destinadas a conseguir sobreviver. É o Portugal dos nossos dias. É, quase com toda a certeza, o Portugal das próximas décadas. É, por isso mesmo, o Portugal de que raríssimos falam. E por isso tenho escrito, até com frequência razoável, que os portugueses, se o tráfico de estupefacientes estivesse au-

sente do País, viveriam ainda muitíssimo pior. A este propósito, foi com graça que ouvi de Jaime Nogueira Pinto, no recente debate com Medeiros Ferreira, Paz Ferreira e João Duque, questionar-se deste modo: porque se não for assim, o que é que se vai fazer, emigrar, viver da droga?... E tinha toda a razão, porque este último fenómeno tornou-se verdadeiramente gigantesco, sobretudo, por via do modo próprio dos portugueses estarem na vida, pela localização geográfica de Portugal e pelas muito vastas ligações a partes do Mundo as mais diversas. Toda esta decadência acabou por determinar um grau de atrevimento da cada dia mais ditatorial da União Europeia, com os ataques de Bruxelas ao nosso Tribunal Constitucional. Espero, pois, que este nosso órgão de soberania mostre o mesmo grau de independência e de determinação que mostrou o Tribunal da Relação de Lisboa perante as ilegítimas exigências sobre o pedido de extradição do nosso concidadão, Jorge Santos, para os Estados Unidos. Portugal e os portugueses estão hoje a ser vítimas de erros estratégicos graves, da decadência que consentiram e do atrevimento dos que se determinaram a considerar como iguais no seio da grande mentira que é a União Europeia.

VENDE-SE

PAULA M. PENEDOS

APARTAMENTOS T2, T3 e Duplex LOJAS, ARMAZÉNS E GARAGENS

MÉDICA DENTISTA

Rua Dr. Almiro Vale - TONDELA (Junto ao Campo de Futebol) Vende: Consurbanas, SA Av. Alberto Sampaio, 134 - Viseu Telf.: 232 429537

CONSUL TAS TODOS OS DIAS ÚTEIS CONSULT ACORDO C/ SAMS ENFERMÉDICA-Tel.: 232 813 556 Largo Visconde de Tondela (Finanças) - TONDELA


OPINIÃO 3

18/10/2012

COMISÃO DIOCESANA “JUSTIÇA E PAZ” Notas & Comentários

O Outono da vida

I

mparável no seu ciclo anual, chegou o Outono com o equinócio de Setembro. Marcando o ritmo da vida, a natureza nos diz que é tempo de colheita que, naturalmente, haverá de ser conforme à sementeira na Primavera e ao cultivo no Verão. E ao oferecer-nos os frutos de um ano de trabalho, a natureza como que se despede da vida para, a seguir, mergulhar no Inverno, o período de recolhimento e preparação de um novo ciclo de vida que explodirá na Primavera seguinte. Esta é a grande lição que a natureza nos dá: quem não semeou nem cultivou antes, não colherá no Outono e não terá com que enfrentar os rigores do Inverno que se lhe segue. Este é o ciclo da natureza e este é também o ciclo da nossa vida: preparamo-nos na juventude (Primavera da vida), para a vida activa; trabalhamos na idade adulta (Verão); na reforma (Outono da vida), colhemos o resultado de uma vida de trabalho e, na velhice (Inverno), entramos no recolhimento e reflexão para uma nova e definitiva fase de vida que, com a passagem a que chamamos morte, explodirá na plenitude da vida

eterna. Assegurar uma vida com qualidade na velhice, quando as forças já não permitem a autosubsistência pelo trabalho, sempre foi uma das grandes preocupações do ser humano e a melhor garantia que para tanto sempre teve, assenta, segundo a própria natureza, na família, de modo particular nos filhos. Mas, porque nem sempre ocorre ou porque seja insuficiente esta garantia, houve necessidade de lançar mão de outros meios, entre eles, a Segurança Social, instituição que hoje, felizmente abrange praticamente toda a população. Com maior ou menor eficiência, a Segurança Social sempre será, porém, uma solução subsidiária, na medida em que reforça a garantia primária ou natural, que assenta no próprio e/ou na família, mas não a elemina ou a dispensa. Sucede porém que, o que deveria ser um recurso subsidiário, passou a ser recurso primário, quando não, muitas vezes, recurso único, nela se depositando toda a responsabilidade de assegurar uma velhice tranquila. Durante a vida activa, não poucos foram os que

enveredaram por um estilo de vida despreocupado, gozando a vida na pior das acepções, do tipo chapa ganha, chapa gasta, quando não mesmo pior, gastando o que não tinham e, pior ainda, descurando completamente a família, a melhor das garantias de uma velhice tranquila. Vítimas também de uma errada política familiar que, em vez de promover a estabilidade familiar e a natalidade, criminosamente fomentou a praga social do divórcio e a abominação do aborto, fizeram a errada opção de confiar exclusivamente ao Estado (Segurança Social) a tranquilidade da sua velhice e agora, com a crise generalizada em que nos encontramos, defrontam-se com a nua e crua realidade de se sentirem sós e sem garantia de que o Estado lhes assegure o que dele esperavam receber. Esta é a frequente situação na geração que ora está a chegar à fase da reforma. Mas, para a geração que lhe segue (os filhos desta geração), as coisas não virão a ser melhores, a menos que ocorra uma grande inflexão no rumo que está a ser seguido que, pelo que nos é dado constatar, está a

Tribunal Judicial de Tondela 1.º Juízo Largo Dr. Anselmo Ferraz de Carvalho - 3464-002 Tondela Telef. 232 814280 Fax 232 091519 Mail: tondela.tc@tribunais.org.pt

ANÚNCIO Processo: 511/12.5TBTND Interdição / Inabilitação N/Referência: 1475085 Data: 19-09-2012 Requerente: Ministério Público Requerido: Fernando Marques Francisco Faz-se saber que foi distribuida neste tribunal, a ação de Interdição/ Inabilitação em que é requerido Fernando Marques Francisco, com residência em domicílio: Rua Principal N.º 370, Souto Bom - Caparrosa, 3465101 Tondela, para efeito de ser decretada a sua interdição por anomalia psíquica. A Juiz de Direito, Dra. Olga Marçal O Oficial de Justiça, Narciso da Costa Félix (JORNAL DE TONDELA, 18 DE OUTUBRO DE 2012)

JOÃO VENTURA DA COSTA a g r a v a r exponencialmente os erros “dos pais”: já não está em causa apenas a estabilidade do casamento, pois que os divórcios continuam a aumentar, como ainda se questiona a própria instituição do casamento com a normalização das uniões de facto e se ridiculariza o casamento com a aberração jurídica dos chamados “casamentos homossexuais”, enquanto a redução (rejeição) da natalidade está a atingir níveis deveras preocupantes, não apenas por compreensíveis d i f i c u l d a d e s económicas, mas pelo que os filhos exigem de abnegação e privação de supostas comodidades, não só supérfluas mas, quantas vezes, prejudiciais que em nada contribuem para a verdadeira felicidade. Com este investimento na idade adulta, que colheita virão a fazer no Outono da vida, e como viverão o Inverno que se lhe seguirá? Face aos valores em causa e à ameaça que sobre eles pende, nunca será de mais alertar as novas gerações para o risco que correm, nem o apelo que se lhes faz à reflexão sobre estas questões, vitais na medida em que se reportam à felicidade da pessoa humana. Ao menos, que amanhã não nos atirem à cara a acusação de que “ninguém nos avisou”! Como também não será em vão a acção – acção política nas instâncias próprias, acção na sociedade eclesial e civil pelo testemunho de vida e pela palavra – na defesa dos direitos e deveres naturais da família, em que assenta o principal esteio da felicidade do ser humano, como bem relembra a Gaudium et Spes no n.º 47: “O bem-estar da pessoa e da sociedade humana e cristã está intimamente ligado com uma favorável situação da comunidade conjugal e familiar”. COMISSÃO DIOCESANA “JUSTIÇA E PAZ”

IMPOSTAR

P

resumo que não seja preciso perguntar como é que cada um dos que perdem alguns minutos a ler estas linhas está, depois do enorme assalto, à traição, levado a cabo pelos tipos que têm as rédeas do poder e que, por isso, mandam em nós como se fossemos uns míseros escravos. Estão como eu estou: furibundo! Como já várias vezes escrevi, a minha maior frustração é olhar à volta e não encontrar gente com outras ideias, ideias diferentes daquelas que, passadas três décadas, nos levaram, por duas vezes, à bancarrota. Há dez anos, no ano da graça de dois mil e dois, alguém, que tinha acabado de ganhar as eleições legislativas, fazia o discurso da tanga para justificar a necessidade de aumentar o peso da carga fiscal; na altura, a taxa do IVA era de 16%. Hoje é de 23%! Por essa altura, comentadores prestigiados diziam, como hoje continuam a dizer, que “há um limite para o aumento de impostos”; políticos prestigiados, políticos que, na altura, estavam na oposição depois de terem estado sete anos a governar, diziam, com ar sério e pungido, que o caminho não era aquele, o caminho não era o aumento de impostos, o caminho era o crescimento. Tal como hoje. Ficou célebre a afirmação do então chefe supremo da nação de que havia vida para além do défice. A frase foi muita acarinhada pela imprensa e ainda hoje goza de enorme “prestígio”. Quem a proferiu, esteve dez anos na presidência: desde mil novecentos e noventa e seis até dois mil e seis. Dez anos! Oito dos quais com governos da responsabilidade de gente do seu partido, gente com quem partilhava as mesmas ideias. Oito anos com os défices sempre a aumentarem… O senhor da frase, disse há dias umas banalidades que poderiam ter sido proferidas por alguém vindo de Marte numa primeira visita ao planeta Terra. Dois comentadores com muita audiência, Marcelo e Marques Mendes, foram aos Açores dar o apoio a um programa político que prometia dinheiro, empregos e subsídios enquanto que, por cá…bom, por cá o discurso é o que se sabe. O jogo é comprar os votos. Custe o que custar! Mentindo antes! Depois, logo se vê. Beijando criancinhas, dançando com as velhinhas nos lares, enfim, o cardápio completo que, eleição após eleição, já enjoa de tão repetitivo. Já repararam na quantidade de gente importante, gente que sempre andou por aí, que sabe – agora! – o que deveria ter sido feito no passado e o que se deverá fazer no futuro? É só luminárias! E nós devemos dar graças por tê-los por cá, sempre prontos a dar-nos conselhos! Quando estão no governo só fazem asneiras (tradução: distribuem o dinheiro que não é deles, pelos “amigos”) e, quando vão para a oposição, têm as boas respostas e as boas soluções para tudo. O desafio de todos, mas mesmo todos os que nos governaram nos últimos trinta anos, os comunistas no tempo do PREC, socialistas, sociais-democratas (ou pêesse-dês) e democratas-cristãos (ou cê-dê-esses) foi o mesmo: roubar o produto do esforço do contribuinte português! Ao menos isso, ninguém o pode negar, conseguiram! Ouviram o que os chefes da confederação dos patrões portugueses “sugeriram” ao governo a propósito do aumento dos impostos sobre o tabaco? “Psst, é preciso aumentar, brutalmente, os impostos sobre o tabaco de enrolar porque há por aí uns meninos que não estão a pagar tanto como deviam!” Se até os “nossos” capitalistas têm esta mentalidade de “impostar” tudo o que mexe e respira, estamos bem tramados!


4 REPORTAGEM

18/10/2012

Lobão da Beira

Tondela

Claque “Febre Amarela” angaria bens alimentares numa festa de aniversário

Jovens artistas em “Mundos à Parte”

Esta geração de jovens é melhor do que a classificação que por vezes merece. No último sábado, em Lobão da Beira, Tiago Viana, fez 18 anos e teve direito a uma festa surpresa, onde estiveram presentes os pais, familiares e amigos muitos deles ligados ao futebol. O próprio é atleta da equipa de futebol do Clube Desportivo de Tondela, em idade de júnior, mas fez a pré-época, desportiva integrado na equipa sénior. Esta até poderia ter sido uma festa normal, diferente apenas, na alegria contagiante de jovens

desta idade, mas a mãe do aniversariante, Gina Viana e uma amiga, Mila Martins quiseram aproveitar a ocasião para apelar ao espirito solidário dos jovens, desafiando-os a trazer consigo um género alimentício. O objetivo passava por sensibilizar os cerca de 150 convidados a participarem nesta ação particular de angariação de alimentos com destino a uma das casas de solidariedade social fundada pelo Dr. João Almiro, “Os Andorinhas” em Campo de Besteiros. O bom exemplo dado pelos jovens à sociedade

não podia ter sido melhor, ficando registado um ato de grande nobreza da parte de todos eles. O material angariado foi entregue na segundafeira seguinte nas instalações do referido espaço, por duas jovens em representação da claque “Febre Amarela”. Como sempre o Dr. João Almiro registou na ocasião o gesto solidário dos jovens, agradecendo de forma penhorada a entrega dos bens alimentares, salientando que este é um bom exemplo do bem que pode ser feito em beneficio de quem mais precisa. A. P.

A galeria de exposições do Mercado Velho em Tondela recebeu no final da tarde de sexta-feira, dia 12, a inauguração de uma exposição de pintura e desenho de três jovens artistas, Nuno Loureiro, Sandra Rocha e Diogo Rocha. Os dois primeiros estudam no 3º ano do Curso Artes Plásticas e Multimédia na Escola Superior de Educação de Viseu, o último completou este ano o curso de Artes Visuais no ensino secundário. Estiveram presentes nesta inauguração, muitos familiares, amigos e convidados dos jovens, bem como o vice-presidente do Município de Tondela, José António de Jesus. Este teve a oportunidade de usar da palavra para elogiar o arrojo dos protagonistas, na vontade de querer mostrar a arte que projetam das mais variadas formas. Esta coletânea estará patente ao público até ao dia 4 de novembro sendo o reflexo do estilo de cada um, com formas distintas de trabalhar, mas sobretudo com as abordagens próprias de encarar o mundo à sua volta. Esta exposição de acordo com o prospeto alusivo à sua descrição pretende mostrar como pessoas tão próximas que partilham tantos momentos em comum podem ainda sim ter conceções completamen-

te distintas de tudo quanto as rodeia, numa demonstração evidente da marca pessoal de cada individuo. Nuno Loureiro apresenta trabalhos multifacetados dotados de várias técnicas, estilos e materiais. Aglomera cada espaço de tudo o que existe no seu mundo, encaixando e criando composições de vária natureza. Identifica-se com a racionalidade e precisão, ao invés da emoção e abstracionismo. Neste momento, junta aos trabalhos plásticos, os primeiros passos em fotografia HDR, um novo mundo que anda a descobrir. Sandra Rocha é a que se dedica mais ao fantástico, a paixão por este género vem de trás, captada através dos livros que lia, até conseguir definir o seu próprio trajeto artístico, representando não apenas o fantástico, mas o seu traço pessoal que agora começa a ganhar forma. Nesta exposição a artista mostra trabalhos em pintura, fotografia e ilustração. Por fim, Diogo Rocha,

o mais novo, tal como, a irmã também tem um certo fascínio pelo fantástico, inerente a uma espécie de busca pela representação dos sonhos. Os trabalhos mais sombrios não são o espelho da perversidade da mente, mas o que de melhor pode ser retido das emoções do dia a dia, pessoais e coletivas, tudo visto em desenhos, pinturas e ilustrações. Em nome do Município de Tondela de uma forma muito vincada, seu vice-presidente e também vereador, do Pelouro da Cultura, José António de Jesus, testemunhou a consideração para acolher o trabalho destes jovens artistas. Ao mesmo tempo desejou que esta seja a primeira de muitas exposições, fazendo votos para que o Nuno, Sandra e Diogo se possam sentir realizados e felizes naquilo que fazem, fator determinante para a nossa vida e futuro de todos. Na próxima edição publicaremos uma entrevista com estes três jovens artistas A.P.

ANDRÉ MARTINS LEITÃO

NEUROLOGIA CENTROVIDA, Unipessoal, Lda. Av.ª Dr. Adriano Lopes Figueiredo, 158 Telef.: 232 812 379 * MOLELOS


OPINIÃO / GERAL 5

18/10/2012

Postal de Lisboa LEONEL MARCELINO

IR À LUTA

A

chave do futuro pode estar na mudança para o regresso à capacidade de sonho. Depois da derrocada da ditadura política russa, com a queda do muro de Berlim, seguiu-se a supremacia do totalitarismo do capital. Tem de apostar-se no regresso ao sonho de se construir um futuro respeitador da liberdade individual, a que não pode ser alheia a luta por uma justiça eficaz. Temos de criar factores que ajudem as pessoas a acreditar que a mudança para um mundo melhor do que aquele que conhecemos é possível. Só a restauração da credibilidade mobilizará os cidadãos. Li isto num jornal qualquer. Concordo. Acho que sim, que é preciso acreditar, mas, sobretudo em nós. Os políticos já pouco po-

dem fazer. Torna-se difícil acreditar neles. Têm mentido tanto, metem-se em tantos esquemas de corrupção, actuam tão longe das pessoas… Tens solução? Alguém terá? Cada um de nós tem de intervir mais junto da sua comunidade. Temos de pôr as pessoas a funcionar, acreditar que cada um de nós tem coisas para dar. A mudança tem de começar em nós. Acreditarmos na nossa força e não ficar parado, à espera que as coisas aconteçam. Nunca vão acontecer, se nós não quisermos. Não suporto isso de ficarmos parados. Depois de ver tanta miséria, tanta dor, tanto abuso, começo a pensar que tudo é possível, se não adiarmos mais. Temos terra, temos água, temos sementes.

Que precisamos mais? Vontade. Pois, vontade de fazer as coisas, de ir à luta. São muitos séculos de fingimentos, de máscaras, de medos que é preciso vencer, parecendo vencido. É a pura arte da diplomacia. Só a educação (cá volto eu) poderá ensinar a cidadania, dizer às pessoas que, além das responsabilidades pessoais e familiares, há compromissos para com o país, para com os outros. Não basta dizer que se é patriota e se tem orgulho em. É preciso também compreender o que temos de dar. É preciso descobrir como ajudar a criar felicidade. Como se faz isso? Que caminhos percorrer? Alguém conhece a resposta? As pessoas, na sua essência humana, não

são muito diferentes umas das outras, seja qual for a sua cor ou a sua origem. Debaixo das camadas que se vão acumulando, sobretudo nas primeiras duas décadas da vida, há um coração que sente como pessoa, há valores universais que partilha, há uma alma universal. A solo, quase sempre se escutam esses apelos, mas, em grupo, sobretudo quando a intoxicação tem carácter colectivo, age-se em manada. É incontrolável. Manobrado, deixa-se de ser pessoa. Passa-se a número. É mais um. A Vishwa Hindu Parishad induisou largas franjas da população com o seu militantismo religioso e social e assim preparou o caminho para o triunfo político do Baharatiya Janata Party (BJP) que governou nos

anos 1990. Os evangélicos abriram o caminho aos republicanos, nos Estados Unidos da América. Organizações similares, como Os Irmãos Muçulmanos, no Egipto e na Jordânia, o Hamas nos territórios palestinos, o Hezbollah, no Líbano, e o Nahdlatul Ulama, na Indonésia, os Pentecostistas no Brasil, usam os sentimentos religiosos para tomarem o poder. Muitas vezes, são apenas a face visível de forças mais poderosas, dotadas de fortes meios de acção transnacionais suficientemente poderosas para influenciarem Estados e organizações internacionais a seu favor. Muitas das forças de oposição ao colonialismo se apoiaram em estruturas religiosas. Temos de conhecer a

nossa identidade, a nossa cultura, a história de, pelo menos, o nosso país. Aprender a ser cidadão deveria acompanhar-nos, desde o ensino primário até à universidade, com uma disciplina obrigatória sujeita a exame sério. Não se pode esperar que a cidadania nos entre pelos poros. Temos de a aprender na escola, mas numa escola a sério. Infelizmente, aprende-se nas jotas dos partidos, esses clubes de tontos convencidos de onde saem hordas de imbecis que acabam a governarnos. Acabe-se com os jotinhas, aposte-se nas escolas. Talvez seja um bom primeiro passo para a mudança certa.

Livro de Reclamações – Exercício legítimo do direito de queixa! IN CASU A Sra. D. Marília contactou a nossa delegação, questionando-nos da conduta a adoptar perante uma defeituosa prestação de serviços, concretamente uma lavagem incorrecta de uma gabardine de valor elevado. Como o fazer? Por escrito ou presencialmente? Em que termos? Na sociedade actual, caracterizada pelo consumo acérrimo, tornou-se necessário criar um instrumento uniforme (livro de reclamações) que permitisse o exercício do direito de queixa face ao atro-

pelamento constante dos direitos dos consumidores. Assim, no ano de 2005, foi criada legislação, Decreto – Lei nº 156/ 2005, de 15 de Setembro, que estabeleceu a obrigatoriedade de disponibilização do livro de reclamações a todos os fornecedores de bens ou prestadores de serviços, tendo estes ainda que ter, no seu estabelecimento comercial, em local visível, um letreiro informativo da existência do mesmo. Tal letreiro deverá conter a indicação da entidade reguladora do sector em causa, assim como, a identificação do estabelecimento.

Conceição Calheiros MEDICINA GERAL E FAMILIAR Consultas 3.ª e 5.ª de Manhã na TONDELMÉDICA Rua Dr. Flausino Torres - Telef. 232 821 815 - Tondela Consultas 2.ª e 6.ª da Manhã na MEDICENTRO Quinta d´El Rei - Lt. 254 - Telef. 232 424 898 - Viseu

Perante um conflito de consumo, o consumidor deverá solicitar o livro à entidade, sem que seja necessário a apresentação de qualquer elemento identificativo. Por sua vez, a entidade reclamada deverá, imediata e gratuitamente, facultá-lo ao consumidor. Quando o livro não for imediatamente disponibilizado ao cliente, este poderá solicitar a presença da autoridade policial a fim de remover a recusa ou tomar nota da ocorrência, fazendo-a chegar à entidade fiscalizadora do sector em causa. A reclamação é formulada através do preenchi-

mento da folha de reclamação, nomeadamente dos campos relativos à identificação e endereço do reclamante, à identificação e local do fornecedor de bens ou prestador de serviços e do campo relativo à descrição dos factos reclamados. Depois de preenchida a reclamação o responsável pelo estabelecimento deve destacar o original e o duplicado da folha de reclamação, sendo este entregue ao consumidor. O original deve ser remetido no prazo de 10 dias úteis à entidade fiscalizadora pelo reclamado, não obstante de o reclamante também o poder fazer. O triplicado fica no livro.

MIGUEL P. CARDOSO

MÉDICO DENTISTA Com: IMPLANTOLOGIA e ORTODONTIA

R. Comandante João Matos Ferreira, 88 (Junto às piscinas municipais) Telef.: 232821959-TONDELA * 917 373 426

Sublinhe-se que é muito importante guardar toda a documentação que comprove o objecto de queixa, bem como o duplicado desta. Por sua vez, cabe à entidade fiscalizadora instaurar o procedimento adequado a fim de verificar se os factos reclamados são passíveis de indiciarem a prática de contra-ordenação. Ressalve-se que não só através do livro de reclamações o cidadão pode manifestar o seu desagrado. Rege o supra referido diploma, no seu artigo 13º, que a formulação da reclamação através do livro de reclamações não exclui a possibilidade de o utente apresentar reclamações por quaisquer outros meios e não limita o exercício de quaisquer direitos constitucional ou legalmente consagrados. Na verdade, os consumidores podem apresentar a sua reclamação verbalmente ou por escrito

através de carta, fax, telefone ou email. Contudo, a forma escrita assume um papel predominante nas relações jurídicas, visando uma melhor certeza e segurança. Assim, e porque já diz o ditado popular “...palavras levam-nas o vento...”, a forma mais segura a nível probatório de reclamar será sempre através de carta registada com aviso de recepção. TÂNIA SANTANA JURISTA DECO COIMBRA Os leitores interessados em obter esclarecimentos relacionados com o Direito do Consumo, bem como apresentar eventuais problemas ou situações, podem recorrer ao Gabinete de Apoio ao Consumidor, bastando, para isso, escreverem para a DECO – Rua Padre Estêvão Cabral, 79-5º, Sala 504-3000-317 Coimbra.


6 GERAL

18/10/2012

NOTA Á COMUNICAÇÃO SOCIAL

« INFORMAÇÃO SOBRE CUSTOS DOS CUIDADOS DE SAÚDE As unidades de Urgência do Centro Hospitalar Tondela - Viseu, EPE, passam, a partir do próximo dia 17 de Outubro, a disponibilizar aos utentes que acorram aos seus serviços a informação escrita sobre os custos dos atos praticados. Esta é uma iniciativa que tem como objetivo dar a conhecer aos cidadãos, de modo transparente, os valores inerentes à prestação de serviços e cuidados de saúde disponibilizados pelo SNS. A informação prestada pretende aumentar a participação dos utentes e a sua consciencialização para a utilização racional e adequada deste Serviço Público. Os cuidados prestados pelo SNS representam um esforço económico nacional, dado que resultam dos impostos pagos pelos contribuintes. A informação sobre os valores inerentes à prestação dos cuidados de saúde disponibilizada aos utentes será idêntica em todas as Instituições do SNS. A informação de Custos dos Cuidados de Saúde não implica qualquer pagamento pelo utente do Serviço Nacional de Saúde (SNS).» Encontramo-nos à disposição dos órgãos de comunicação social, que entendam estar presentes, para acompanharem o funcionamento das urgências da Unidade de Viseu, pelas 11,00 horas do dia 17 de Outubro ou pelas 15,00 horas na urgência da Unidade de Tondela, e assim aquilatarem da aceitação da medida pelos utentes do SNS. LUÍS VIEGAS EM VISEU ASTRÓLOGO MESTRE DANFA AFRICANO, GRANDE CIENTISTA ESPIRITUALISTA, COM SUPER MAGIA NEGRA E BRANCA MAIS FORTE, TRATA E AJUDA A RESOLVER QUALQUER QUE SEJA O SEU CASO MESMO QUE SEJA GRAVE OU DE DIFICIL SOLUÇÃO. EXEMPLO: UNIÃO FAMILIAR, AMOR, SAÚDE, NEGÓCIOS, PRENDER E DESVIAR, AFASTAR E APROXIMAR PESSOAS AMADAS. LÊ A SORTE, DÁ PREVISÃO DE VIDA E FUTURO PELO BOM ESPÍRITO E FORTE TALISMÃ. FAZ TRABALHO À DISTÂNCIA, CONTACTE O GRANDE MESTRE. Atendimento de 2.ª a Sábado, das 8h às 21 horas Telef. 232 101 829 - Tlm: 964 525 278 Rua D. José da Cruz Moreira Pinto, Lote 9 - 3.º Esq. 3500 Viseu

EPT conquista primeiro lugar em torneio de futebol A EPT é definitivamente uma escola diferente. Uma equipa de futebol de 5, da Escola Profissional de Tondela, composta por professores e alunos, todos eles amadores, ficou em primeiro lugar no torneio daquela modalidade, organizado pelo café Rainha, em Vila Nova da Rainha, Tondela, em colaboração com a Junta de Freguesia local, que decorreu nos dias 6 e 7 de Outubro. Foi com um enorme entusiasmo que, mais uma vez, a EPT esteve presente num evento desportivo, que decorreu no parque Rainha Dona Teresa, em Vila Nova da Rainha, onde se destacou a persistência e o desportivismo dos atletas Luís Coimbra, do 3º ano do Curso de Técnico de Informática de Gestão, Kenny Pereira, do 2º ano do Curso de Técnico de Electrónica, Automação e Comando, Kelvin Cruz, do 3º ano do Curso de Técnico de Manutenção Industrial/Electromecânica e Ilton Cabral e Antony Paula, ambos do 3º ano do Curso Técnico de Electrónica Automação e Comando, orientados pelos professores Carlos Cunha e Nuno Oliveira e pelo Sr. Director Financeiro da Escola, Abílio Rodrigues. Estão de parabéns os jovens e os professores

participantes, não só por terem conquistado o primeiro lugar no torneio, mas sobretudo pela coragem, pela excelente exibição e pela persistência

demonstradas. Neste acontecimento, que começou por ser “uma brincadeira” e um encontro de colegas, ficou lançada a semente para a

criação oficial de um grupo de futebol da EPT. MARTA ROSA ESCOLA PROFISSIONAL DE TONDELA

OLHE PELA SUA SAÚDE, NÃO FUME E PRATIQUE DESPORTO FICHATÉCNICA COLABORADORES: Hélio Bernardo Lopes, Cílio Correia, Maria da Conceição Marques Correia, João A. Ventura da Costa, Comendador Gilberto Ferraz (Londres), Rui Vale, Artur Jorge Amaral Leitão.

Registo na DGCS nº 109 629 Depósito legal nº 54581/92 Semanário Regional Independente (Fundado em 10/08/1989) DIRECTOR: Manuel Ventura da Costa E-mail:mventuracosta@sapo.pt REDACÇÃO Arménio Pereira E-mail: armeniopereira@mail.telepac.pt PAGINAÇÃO E MONTAGEM Angelo M. S. Ferreira

CORRESPONDENTES: Elísio Gomes de Matos (Barreiro de Besteiros), Optacílio de Matos Fragoso (Cortiçada), Hermínio Henriques (Corveira), António Lopes da Silva (Ermida), António Pais Ferreira (Lobão da Beira), José da Cruz Mendes ( Mosteiro de Fráguas), Rodrigo Marques Xavier ( Parada de Gonta), Amadeu Dias dos Santos ( Tonda), Antonino Coimbra dos Santos (Vila Nova da Rainha), Paulo Manuel L. pereira da Fonseca (Campo de Besteiros), Eduardo Pereira Marques (Mouraz), Fausto Varela Macedo ( Alvarim) Graciete Gomes ( Ferreiros do Dão), José Fernando (Nandufe) Manuel da Costa (Tourigo) PROPRIEDADE / ADMINISTRAÇÃO COMPOSIÇÃO SEDITON - Soc. Editora Tondelense, Lda Registo na DGCS nº 215 348 - Nº Cont. 502468076 Detentores com mais de 10% do Capital da Empresa, Eduardo António Ferreira Marques Arménio Ferreira Marques R. Dr. Marques da Costa Apartado 97 - 3461-909 Tondela E-mail: jornaldetondela@mail.telepac.pt Site: jornaldetondela.com.sapo.pt

IMPRESSÃO CORAZE - Oliveira de Azeméis Telf.: 910252676 / 910253116 / 914602969 E-mail: geral@coraze.com ASSINATURAS E PUBLICIDADE Eduardo A.F. Marques TELEFONE: 232 822 137 FAX: 232 821 118 ASSINATURAS ANUAL (52 nºs) - NACIONAL = 25,91 Euros (c/IVA) ANUAL (52 nºs) - ESTRANGEIRO(Europa) = 55,12 Euros (c/IVA) ANUAL (52 nºs) - ESTRANGEIRO(Resto Mundo) = 68,35 Euros (c/IVA)

Avulso = 0,60 Euros (c/IVA) Números atrasados = 2,00 Euros (c/IVA) Dia de Saida: Quinta-Feira TIRAGEM NESTA EDIÇÃO 3.000 Exemplares ASSOCIADO DA

Jornal de Tondela, como orgão de informação independente, apartidário e apolítico, está aberto à participação de todos os cidadãos, pelo que a sua colaboração reflecte apenas ideias pessoais que não vinculam o estatuto editorial do Jornal.


GERAL 7

18/10/2012

EPT distinguida no projecto CAMPANHA DAS TAMPINHAS DE PLÁSTICO Eco-Escolas O Eco-Escolas é um Programa Internacional que pretende encorajar ações e reconhecer o trabalho de qualidade desenvolvido pela escola, no âmbito da Educação Ambiental, fornecendo fundamentalmente metodologia, formação, materiais pedagógicos, apoio e enquadramento ao trabalho desenvolvido pelas escolas. Foi neste âmbito que se realizou no Município de Gondomar o Dia das Bandeiras Verdes, onde estiveram presentes mais de 3.000 pessoas, entre alunos, professores, municípios e outros convidados. Esta iniciativa teve como objetivo reconhecer e premiar o excelente trabalho desenvolvido pelas escolas na melhoria do seu desempenho ambiental. Das inúmeras escolas que participaram no programa Eco-Escolas em 2011/2012, muitas demonstraram ser merecedoras da Bandeira Verde Eco-Escolas, incluindo a Escola Profissional de Tondela, que foi representada pelo coordenador Nuno Alexandre e pela Formadora Lisete Matos, que estiveram presente durante toda a cerimónia. Neste dia, foram premiadas as escolas com trabalhos que se distinguiram no âmbito dos diversos desafios/projetos Eco-Escolas que decorreram no ano letivo 2011/2012 (Eco-repórter da Energia, Geração Depositrão, Poster Eco-Código, Escolas em Movimento, Hino Eco-Escolas), assim como distinguidas - como Eco-Escolas - as que durante o ano, comprovaram ter em curso um programa coerente e de qualidade que segue a metodologia adaptada à escola. Decorreu ainda uma Eco-Mostra na qual estiveram representadas diversas entidades relacionadas com o Ambiente através de exposições, jogos, ateliês, dramatizações entre outras atividades. Por fim, foi feito o balanço do ano letivo anterior e anunciados os novos projetos em curso para 2012/ 2013 e ainda entregues os galardões aos municípios parceiros e os prémios às escolas. Durante a tarde, iniciou-se a Gala Eco-Escolas durante a qual as Bandeiras Verdes foram entregues às crianças e jovens representantes de cada escola, culminando esta excelente jornada com diversas atuações surpresa das quais destacamos os Clã - cujo tema “Asas Delta”, foi coreografado por todos os presentes no pavilhão – e a presença do grupo de Patinagem da Escola Musical e Dramática Valboense de Gondomar e de diversas escolas. MARTA ROSA ESCOLA PROFISSIONAL DE TONDELA

SOS – BOMBEIROS No período de 08 a 014 de Outubro de 2012 os Bombeiros Voluntários de Tondela tiveram 114 alertas, sendo 131 referentes a transporte de doentes e as restantes a outros acontecimentos do dia-a-dia. Nestas operações tomaram parte 201 bombeiros que participaram em 122 saídas de viaturas, percorrendo 6.450 quilómetros em 264h38 minutos.

EXPLICAÇÕES A TODOS OS NÍVEIS CONTACTAR: 965 115 078

A Campanha de recolha de tampinhas plásticas promovida pelo Clube Rotário de Tondela, na FICTON, rendeu 112,850 Kg, tendo a Freguesia de Tondela ocupado o 1º lugar, com a entrega de 34,850 Kg, cabendo à Freguesia de S. João do Monte o 2º lugar, com 33,500 Kg. O 3º lugar foi ocupado pelo Freguesia de Lobão da Beira, que entregou 27,750 Kg. A iniciativa pretendeu sensibilizar a população para uma atitude ecológica, de protecção do ambiente, ao entregar materiais recicláveis em locais de recolha adequados. Por outro lado, essa ati-

tude pode resultar em benefício para aqueles que necessitem de cadeiras de rodas, pois o produto da recolha será transformado na aquisição de cadeiras de rodas, que o

Clube Rotário de Tondela já disponibiliza e disponibilizará, ainda mais, com novas aquisições. Colaboraram onze das vinte e seis freguesias,

mas acredita-se que, a partir de agora, a adesão será universal. A campanha de recolha continuará, pois o Clube está a contactar os Agrupamentos de Escolas do Concelho, no sentido de poderem ser motivados os alunos para a campanha e aí poderem ser colocados pontos de recolha das tampinhas que eles queiram trazer, aderindo a esta iniciativa. Todos podemos contribuir para um ambiente melhor, protegendo o nosso planeta da poluição com materiais que degradam a qualidade de vida das pessoas e o ambiente onde vivem. F.M.

LIGA PORTUGUESA CONTRA O CANCRO O “Trigo Limpo Teatro ACERT vai realizar no dia 19 de Outubro de 2012, às 21h45, uma peça de teatro (estreia) com o título “20 DIZER” cuja receita reverte totalmente a favor da Liga Portuguesa Contra o Cancro. O preço do bilhete é de 5,00 euros e pode ser reservado através do telemóvel 963849852 – Virgílio ou

comprado na bilheteira da ACERT. Não perca este espectáculo e ajude a Instituição de tão elevado prestígio na prevenção e tratamento do cancro. VIRGÍLIO AUGUSTO SANTOS

Tondela

Tribunal julga suspeita de homicídio Os acontecimentos remontam a 15 de julho de 2009 em Campo de Besteiros. Numa manhã rotineira, Cidália Calheiros, parou o carro, em frente da casa de uma tia do marido, Maria Cília de Sousa e dirigiu-se ao seu interior, num procedimento normal que durava há alguns anos a essa parte. No entanto, nesse dia, o barulho de uma discussão, vinda da habitação despertou atenção de pelo menos uma testemunha, afirmando em tribunal desde esse momento que tinha ficado convencido que algo deveria ter acontecido. Passado algum tempo Cidália Calheiros abandonou o local com aparente normalidade, mas a pro-

prietária dessa habitação com quem tinha estado nunca mais seria vista com vida. Acabaram por ser vizinhos que trabalhavam perto a dar o alerta, fazendo com que o marido da florista fosse, abrir a porta, acabando por dar com o corpo prostrado, ao fundo de uma escada no interior da casa. As análises feitas conforme constam no relatório da autópsia revelaram indícios da prática de agressão de que porventura a mulher poderá ter sido vítima. Estes factos levaram a um processo de investigação de apuramento da verdade por parte do Ministério Público, tendo decorrido a primeira sessão do julgamento, no dia 12 de

outubro no Tribunal de Tondela. Foram ouvidas várias testemunhas, tendo o juiz, se debruçado com especial atenção, no depoimento da médica legista, sobre o relatório da autópsia. O magistrado estabeleceu uma tríade entre enforcamento, estrangulamento e esganadura, recaindo a sua tese preliminar de que a última hipótese surge mais enquadrada com os factos presentes a tribunal. Para o juiz o depoimento da médica em tribunal conduz dentro do que é “a etimologia da morte médico-legal”, a uma compatibilidade neste caso concreto com a prática de um homicídio. Mas uma boa parte da

manhã do dia do julgamento foi ocupada com a audição de uma das testemunhas chave do processo. O funcionário das bombas de gasolina do outro lado da casa, onde tudo se terá precipitado descreveu de forma detalhada o desenrolar dos factos no dia dos acontecimentos. O seu depoimento acabou por ser o mais explorado, tanto pela acusação como pela defesa, tendo em conta que este seria o principal confidente da falecida Maria Cília de Sousa. Este julgamento prossegue com nova sessão no próximo dia 29 de outubro. A. P.


8 ENTREVISTA CONTACTAR 919 318 355 ARRENDA-SE

T1 ARRENDA-SE

T2 ARRENDA-SE

T2 MOBILADO

ARRENDA-SE

T3 C/GARAGEM

ARRENDA-SE LOJAS COMERCIAIS EM TONDELA

ARRENDA-SE

GARAGENS ARRENDA-SE

VENDE-SE

T2 MOBILADO

VENDE-SE 919 318 355

18/10/2012

No próximo mês de novembro assinala-se um ano de trabalho na secção de Rugby do Clube Desportivo de Tondela. Alguns antigos praticantes do Rugby Clube de Tondela e do próprio clube lançaram as bases de um projeto, que hoje comporta mais de uma centena de jovens em oito escalões diferentes. O entusiasmo estendeu-se aos pais dos atletas que praticam a modalidade de Rugby. Juntos aceitaram o desafio de se envolverem neste projeto, numa demonstração de alegria que é difícil ver em qualquer outra atividade desportiva. O rugby é um desporto singular na aproximação que estabelece entre pais e filhos ao ponto de terem praticado juntos a modalidade nos últimos Jogos Desportivos do Concelho de Tondela. Durante três fins de semana, para além do convívio, todos os pais se equiparam e jogaram com os filhos. Esta singularidade acentuou-se este ano com a introdução do escalão feminino. Uma das preocupações é formar pedagogicamente também os pais para que possam acompanhar convenientemente a evolução dos seus filhos. O ano passado foi distribuído um cartão pedagógico a todos os pais onde eram dadas sugestões do que deles se espera. A máxima é incentivar sempre os seus filhos no sentido positivo, mantendo uma filosofia muito própria, fiel a “uma escola de vida”. Os responsáveis pela secção de rugby agradecem a receptividade com que o Clube Desportivo de Tondela os acolheu, na pessoa, do seu presidente, Gilberto Coimbra.

ENTREVISTA Em novembro do ano passado formaram a secção de rugby do Clube Desportivo de Tondela. Como é que surgiu esse impulso? Secção de Rugby (SR) - Tudo aconteceu num jogo de veteranos que fizemos por essa altura. O Miguel começou por dizer que gostava de ressuscitar a modalidade, começando por reunir ideias, para porem em marcha o projeto.

Rugby

Para além disso, quase todas as pessoas envolvidas têm filhos pequenos. No fundo, havia o gosto implícito deles poderem vir a praticar rugby dentro daquilo que pretendíamos. Digamos que esse foi também um fator que ajudou a despoletar a modalidade. Posteriormente, numa reunião onde estavam três dos antigos jogadores aproveitou-se para se fazer o primeiro recrutamento de atletas na Escola Secundária de Tondela; surgiram 11 miúdos dispostos a dar os primeiros passos, quase todos filhos de ex-jogadores. O processo de crescimento foi gradual até que se chegou a junho de 2012 no final da época e a secção já tinha 48 jovens a praticar rugby. Como é que se integraram no Clube Desportivo de Tondela (CDT)? SR - No final da primeira semana quando tivemos que resolver a questão do campo falámos com o presidente do clube que mostrou desde logo toda a disponibilidade para que a modalidade pudesse ser integrada dentro do CDT. Sendo o rugby uma modalidade com características especiais, o

que é que ela oferece que os outros desportos não oferecem? SR - Há uma frase que aprendemos quando jogamos que diz que o rugby é uma escola para a vida, refletindo maior importância aos valores do ser humano do que aos resultados que são obtidos dentro de campo. O espirito de união que é cimentando nos convívios que organizamos é algo que nenhum de nós abdica. Existem cinco princípios basilares que são ensinados em qualquer curso de formação feito por treinadores e diretores de equipa. A superação, respeito, solidariedade, transparência e rigor são os valores do rugby, bem como do nosso projeto. Por exemplo, quando os miúdos vão para uma escola de futebol, vão com a expetativa de seguir uma carreira e quem sabe mesmo pelo profissionalismo. No rugby isso não acontece, pelo menos em Portugal, não há profissionais poderá haver um ou outro com mais projeção, mas quando vêm é para divertiremse e criarem camaradagem entre eles. Os valores e os laços de amizade perduram para toda a vida. Então os valores que

são impulsionados pelo rugby são fundamentais para o sucesso da construção de uma equipa ou de um clube? SR - Normalmente aos pais transmitimos, uma ideia básica que se reveste de grande importância e que reflete o pensamento da modalidade, ou seja, podemos não formar grandes jogadores ou jogadoras mas vamos formar grandes homens ou mulheres. Até onde pretendem chegar com o incremento do rugby no concelho? SR – No fundo pretendemos que a modalidade se implante em Tondela. Gostávamos de criar alicerces sólidos para que, aquando da nossa saída, quem venha não tenha as dificuldades que agora estamos a sentir. Era bom que quando passássemos a pasta a outros conseguissem fazer perdurar a modalidade entre nós por muitos mais anos. Começámos no ano menos um (2012), agora estamos no ano zero (2013) e tencionamos em 2014/2015 poder começar a ter o reflexo do nosso trabalho, pois o nosso projeto ainda está numa fase embrionária. Em relação aos pais

das crianças como é que eles olham para a secção de rugby do CDT? SR – Temos notado uma grande recetividade perante todas as situações que se lhes coloca. O seu apoio é total, quer na logística, na preparação de refeições, no transporte das crianças aos jogos, é notório o seu interesse e envolvimento em todas as nossas iniciativas. A secção é constituída por 15 pessoas, 14 dos quais são pais de jogadores. Integrado nos Jogos Desportivos, fizemos um convívio final de época em que toda a organização foi da responsabilidade dos pais. Em termos organizativos dentro da vossa estrutura qual é o contributo que cada pai pode dar? SR – Alguns pais pertencem à Direção da Secção, sendo que alguns têm funções mais no terreno, como por exemplo os Diretores de equipa ou de Treinador. É de salientar que os Diretores de equipa e Treinadores frequentam cursos de formação para estarem devidamente preparados, pois a Federação Portuguesa de Rugby assim o exige. Tanto os Diretores, os Técnicos e


ENTREVISTA 9

18/10/2012

Uma escola de Vida Diretores de equipa estão d e v i d a m e n t e credenciados. Qual é diferença entre Diretor de equipa e um Treinador? SR – O primeiro é o responsável pela gestão de assuntos burocráticos e da organização logística da equipa. Aos treinadores é confiada a parte técnica. Neste momento temos cinco diretores de equipa e sete treinadores. Este ano aumentaram os escalões de formação? SR – Mantemos os sub-8, sub-10, sub-12, sub-14 da época passada e introduzimos este ano os sub-16, sub-18, seniores e o rugby feminino. Todos estes escalões a partir dos sub-12 estão inseridos em quadros competitivos, nos escalões inferiores atuamos à base de convívios e como escola de formação. No presente ano teremos oito equipas e pensamos que este crescimento não vai parar por aqui. Uma das nossas apostas é o desporto escolar, tendo já um protocolo assinado com um dos agrupamentos de Tondela. Este crescimento crianos dificuldades a nível da logística, o número de deslocações aumenta, pois os nossos campeonatos são inter-regionais (centro/norte) ou nacionais. Os organismos que controlam a modalidade já conhecem o vosso trabalho? SR – Nós não gostamos de pedir nada a ninguém sem primeiro mostrarmos aquilo que somos, o que valemos e o que queremos ser. Felizmente temos sido reconhecidos fora de Tondela de uma forma muito positiva e bastante válida. A Federação Portuguesa de Rugby apoia

o nosso trabalho; iremos ter a presença na próxima semana de um dos treinadores da seleção feminina e brevemente a presença do diretor técnico nacional Tomás Morais. Passo a passo temos conseguido criar e consolidar as melhores expetativas, junto dos responsáveis da modalidade. Como é que Tomás Morais se mostrou disponível para vir a Tondela? SR – Estivemos em Lisboa no circuito Nacional de “Seven’s”, no escalão de Sub 14, onde ficámos em segundo lugar. Os organizadores ficaram admirados connosco, como em tão pouco tempo foi possível crescer tanto. Nessa ocasião o próprio Tomás Morais informou-nos que o nome de Tondela já se fala dentro da própria federação e, nesse momento, mostrou disponibilidade em vir conhecer o nosso trabalho. Quem pratica rugby está mais preparado para alcançar níveis de superação? SR – Infelizmente em muitos desportos dá-se mais valor ao desempenho individual, nós gostamos de encarar o desporto e o rugby como um todo, como uma equipa. No fundo o que pretendemos é fomentar o espírito de equipa e trabalho em grupo. Em tempos de tantas dificuldades financeiras como é possível fazer face às despesas? SR - Com muita imaginação. Tentamos apelar a todas as pessoas que conhecemos, das mais diversas maneiras, nomeadamente com patrocínios, com rifas e atividades pontuais para angariar fundos. Têm tido alguma recetividade da parte das entidades ou das empresas? SR – Por parte das

PRATIQUE DESPORTO, DESPORTO FAZ BEM À SAÚDE

empresas, apesar da crise, temos sido bem recebidos e ajudados, no que respeita à Câmara Municipal de Tondela compreendemos que não tem grandes disponibilidades, mas acreditamos que esse apoio poderá acontecer futuramente. Nós pretendemos que a autarquia olhe para nós, mas também queremos ser nós primeiro a mostrar o nosso trabalho. Queremos que nos considerem merecedores de um eventual apoio. Quantas vezes treinam por semana? SR – Os Sub 8, Sub 10, Sub 12 e Sub 14 treinam às Segunda e Sextas, das 18:00 horas às 19:30 horas. Os Sub 16, Sub 18, Seniores e Rugby Feminino treinam às Terças e Quintas, das 19:30 horas às 21:0 horas no campo sintético do Clube Desportivo de Tondela. Em apenas um ano de trabalho existe também alguns atletas referenciados pela seleção? Tivemos o ano passado três jogadores que participaram nos trabalhos da seleção centro, dois dos quais continuam a trabalhar. Este ano foi criada da Academia de Rugby da zona Centro e pensamos que poderá haver mais jovens referenciados. Re-

centemente esteve em Tondela o diretor técnico do centro, tendo referenciou mais dois atletas, um do escalão sub14 (Masculinos.) e outra do Rugby feminino. A Gabriela é uma das diretoras de equipa e mãe de uma atleta de rugby foi fácil ser convencida pela sua filha para que a deixasse praticar a modalidade? SR - A minha filha não pediu, foi observando alguns treinos e gostou, após os quais começou a treinar regularmente. Eu, aos poucos também fui gostando, depois convenceram-me a fazer parte da secção na qualidade de diretora de equipa. O Eduardo Pires, pai de um atleta e também ficou atraído pela modalidade? SR – Fiquei bem impressionado da maneira como tratam as crianças e da forma como é feito o seu acompanhamento. Acho que o rugby é uma modalidade completamente diferente que vale a pena tentar descobrir, envolve contato é verdade, mas devidamente protegido e leal. O Carlos Simões é um dos antigos jogadores de rugby do Clube Desportivo de Tondela e atualmente diretor como é que compara a

prática da modalidade do seu tempo para o projeto que agora está a ser desenvolvido? Posso dizer que num ano os nossos jovens atletas já aprenderam mais do que eu em oito anos, enquanto atleta da modalidade. Esta é a prova da qualidade do trabalho que os técnicos envolvidos neste projeto desenvolvem. Estamos empenhados em que eles cresçam, numa realidade completamente diferente, mas que está a ser bem aproveitada por todos os jovens e a prova disso é os resultados que temos alcançado em tão curto espaço de tempo. Sendo um apaixonado pelo rugby e um sonhador, o mais importante é que no dia em que não puder dar mais o meu contributo, daqui a 10, 15 ou 20 anos, este projeto possa continuar. Penso que podemos chegar muito longe desde que consigamos contornar todos os obstáculos que surjam e aqueles que tem a responsabilidade de nos ajudar o possam fazer. Consideram um desafio incrementar o Rugby em Tondela? SR - Podemos dizer que isto é um desafio gigantesco no interior do país, mais concretamen-

te em Tondela, mesmo já tendo tradição no rugby. Mas são os nossos Jovens que nos motivam para continuar a desenvolver a modalidade. É aliciante ver os mais jovens a participarem em convívios onde o mais importante não é o resultado, mas sim o intercâmbio entre as diferentes equipas e um espírito de entreajuda que supera qualquer outro desporto. Qual é a expetativa que existe relativamente ao escalão sénior? Não é fácil termos uma grande equipa de seniores, a tendência é os jovens quando chegam aos 17 anos seguirem para o ensino superior, onde são absorvidos por outras equipas e dificilmente regressarão. O nosso objetivo passa por formar jogadores. Qual é mensagem que querem deixar? Para finalizar queremos reforçar os nossos objetivos nomeadamente formar grandes Homens / Mulheres que ponham em primeiro lugar os interesses coletivos (equipa) em prol dos interesses individuais. Aproveitamos a oportunidade para agradecer ao Sr. Gilberto Coimbra todo o apoio dado, bem como afirmar a honra e orgulho em pertencer ao Clube Desportivo de Tondela.


10 CONCELHO

“INFORMAÇÃO DA JUNTA DE FREGUESIA” A Junta de Freguesia de Nandufe informa a População em geral que por motivo dos poços se encontrarem sem água, principalmente a conduta que abastece o cemitério, devem todos os interessados que necessitem de água dirigirem-se há Sede da Junta de Freguesia, pois existe lá uma torneira da qual se podem servir. Espera-se que esta seca extrema que tem estado a afectar o nosso País, se encontre no fim, dado que segundo as previsões metrológicas apontam para esta semana e a próxima com dias de chuva por vezes intensa.

”OS NOSSOS DOENTES” No hospital de Sto. Teotónio em Viseu encontra-se o nosso conterrâneo senhor Gil Dinis Ribeiro Marques, a quem desejamos boas melhoras. Também a senhora D. Emília Viegas Monteiro, a D. Fernanda Viegas, senhor Manuel Gonçalves, necessitaram de internamento hospitalar encontrando-se já, nas suas residências. O nosso amigo e conterrâneo senhor Arménio de Sousa também foi submetido a uma delicada intervenção cirúrgica, já se encontra na sua residência no Bairro Novo. Também o casal amigo e conterrâneo senhor Júlio da Silva Pais e Maria Célia de Figueiredo Nascimento quando na passada Segunda feira dia 15 se dirigiam para Tondela sofreram um acidente de viação na rotunda junto ao DeBorla. Neste acidente os nossos conterrâneos foram socorridos pelos Bombeiros Voluntários de Tondela que prontamente prestaram os primeiros socorros, seguindo depois para o hospital. Mais tarde regressaram à sua residência. Para todos, deseja-

18/10/2012

Nandufe

Canas de Santa Maria

O CESTEIRO

M.M.

mos boas melhoras e um rápido restabelecimento.

“SPORTING CLUBE DE NANDUFE” Domingo dia 21, jogase a 1ª Eliminatória da Taça Sócios Benemérito da Associação Futebol de Viseu no campo de jogos do Bairro Novo em Nandufe. Assim, Domingo pelas 15 horas o Sporting Clube de Nandufe defronta o Roriz de Penalva do Castelo, espera-se casa cheia para vermos a actuação da renovada equipa do Sporting Clube de Nandufe, que está prestes a começar o seu Campeonato. Desejo-lhes as maiores felicidades.

“ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE FREGUESIAS ANAFRE” Decorreu no passado dia 15 de Setembro o 2º Encontro Nacional de Freguesias na cidade de Matosinhos. A Freguesia de Nandufe deste prestigiado Concelho de Tondela também marcou presença através do seu Presidente da Assembleia de Freguesia, José Fernando Salvador. O Centro de Congressos de Matosinhos encheu-se rapidamente, pois muitas centenas de Freguesias quiseram marcar presença, e mostrar como tem vindo acontecer Solidariedade para com as restantes Freguesias do País! Todos os presentes tiveram oportunidade de livre e responsavelmente, manifestarem as suas opiniões, o seu inconformismo e sempre atentos e muito preocupados em suster todos aqueles que desejam acabar com os destinos das Freguesias. Relembrando os últimos acontecimentos como o XIII Congresso Nacional da Anafre que se realizou em Dezembro úl-

timo na cidade de Portimão e que claramente foi de “Rejeitar a Reforma da Administração Local, proposta no Documento Verde”, depois seguiu-se o Encontro Nacional de Freguesias que se realizou a 10 de Março em Lisboa, e que também aqui foi rejeitado “Liminarmente a proposta de Lei nº 44/XII”. Em seguida , e no final deste mesmo mês decorreu a maior “Manifestação das Freguesias” na capital do País dizendo “Basta” a tanta hipocrisia que alguns Governantes teimam em querer acabar com as Freguesias , querendo retirar a sua Identidade, a Proximidade e a vivência Democrática de um Povo que foi sempre soberano! Assim, neste 2º Encontro Nacional de Freguesias que Anafre proporcionou, foram debatidas dez Moções que foram amplamente discutidas e votadas e todas Aprovadas por expressiva maioria, em que no final foram lavradas as seguintes Conclusões: Os Autarcas de Freguesias continuam a rejeitar, liminarmente, o modelo de Reforma Administrativa conforme diz a Lei nº 22/2012, exigindo a sua Revogação ! Os Autarcas de Freguesia repudiam, vivamente, todo o processo da Reorganização Administrativa Territorial Autárquica, centrada na decisão de Assembleias Municipais, Órgãos exógenos às Freguesias ! Os Autarcas de Freguesia presentes estão convictos de que a Extinção/Agregação de Freguesias nada contribuirá para a redução da despesa pública, mas no entanto vai despertar novos gastos para um pior serviço público às populações. Os Autarcas de Freguesia participantes neste 2º Encontro, recomen-

1.º TORNEIO DA SUECA Já é no próximo dia 20 de Outubro que a ACR de Santa Ovaia de Baixo realiza o 1.º Torneio da Sueca, na sua sede, na qual em tempos era uma das actividades responsáveis por levar sócios e simpatizantes até às sedes das associações. Ainda poderá inscreverse até ao dia 19 de Outubro através dos números 934251745, 964133672, 961741299, 965011826 ou na sede da ACR todas as sexta, sábados e Domingos. As inscrições terão um custo de 7.50 euros para não- Sócios e de 6 euros para sócios. O jantar já está incluído no ato da inscrição.

II CAPITULO DA CONFRARIA DOS CAROLOS E PAPAS DE MILHO No passado dia 13 de Outubro (Sábado), a Confraria dos Carolos e Papas de Milho realizou o II Capitulo, tendo começado com a recepção das Confrarias convidadas à frente da

dam a todos os Presidentes de Junta, representantes das respectivas Assembleias Municipais no Congresso Nacional dos Municípios Portugueses, que exortem os Autarcas de Município a exigirem, perante a Unidade Técnica, o carácter vinculativo dos seus pareceres. Os Autarcas de Freguesia entenderam, ainda deliberar: Que não vão baixar os braços, perante a Lei publicada e as Leis futuras, mas irão mobilizar-se, numa atitude de justa resistência; Vão fazer valer as suas

NEUROLOGIA

PAULO MONTEIRO

DR. PETER GREBE

MÉDICO ESPECIALISTA EM REUMATOLOGIA

TRATAMENTO DE ENXAQUECAS/CEFALEIAS DOENÇAS DO SISTEMA NERVOSO

CONSULTAS E MARCAÇÕES Tondelmédica Telef.: 232821 815 Rua Dr. Flausino Torres - Tondela

DOENÇAS REUMÁTICAS E OSTEOARTICULARES

Tondelmédica - Telef.: 232 821 815 Rua Dr. Flausino Torres - Tondela

Camara Municipal de Tondela. Neste dia festivo para a Confraria e para a vila, a Confraria retractou cenas agrícolas mais tradicionais da nossa região, como a desfolhada do milho no Parque Urbano de Tondela, incluindo as danças tradicionais portuguesas com a participação do Rancho Folclórico Boa União da Naia e da Associação Cultural e Recreativa de Santa Ovaia de Baixo. Na Cerimonia de Entronização contará com a presença de cinco Confrades de Honra, que serão Dr. Carlos Marta, Presidente da Câmara Municipal de Tondela; Dr. Alberto Correia, Historiador e Ex-diretor do Museu Grão Vasco; Sérgio Costa & Sousa, Empresário; ACERT e Regina Pinto Lopes, Coordenadora da ADICES e sete Confrades Efectivos. Depois de um dia repleto de actividades e de grande convívio, houve ainda a entrega de lembranças a todos os convidados.

razões junto da Presidência da República, do Governo e das instâncias Judiciais Nacionais; Que a Assembleia da República seja consciencializada do dever de atender a vontade das Populações, respeitando os seus pareceres porque, uma Reforma Administrativa Local que se pretenda coerente e inteligente, deve respeitar o principio da adesão voluntária, auscultando as populações, envolvendo Autarcas, defendendo a autonomia e identidades locais; Os Autarcas presentes incentivam a Anafre a continuar na linha de rumo até agora prosseguida, rejeitando que alguma reforma avance, nos termos propostos. Os Autarcas presentes neste 2ª Encontro Nacional, recomendam à Anafre que sensibilizasse a Administração Central e os Partidos Políticos para

a complexidade das repercussões de uma Reorganização Territorial feita sem prudência: No âmbito da nova geometria Autárquica, Na alteração e domínio dos novos sistemas informáticos, Na Notificação das novas condições aos cidadãos eleitores, Na elaboração das listas concorrentes, Nos seus reflexos sobre o Recenseamento Eleitoral, Na organização dos cadernos Eleitorais, Na nova logística própria dos Actos Eleitorais, Na orgânica de todo o Processo Administrativo. A finalizar, os Autarcas de Freguesia exortaram a Anafre a alertar o Poder central e Partidário para a instalação de turbulência e do caos, prejudicando o exercício da Democracia e a Paz social. Pelas Freguesias, Sempre!


SEMINÁRIO NO CENTRO SOCIAL IPSS Conforme anunciámos na passada semana e para relembrar os menos atentos, realiza-se no próximo sábado, dia 20 do corrente, a partir das 14 horas o Seminário subordinado ao tema: “Viver entre Gerações: o Desafio do Nosso Tempo.” Tendo em conta a actualidade e pertinência do assunto e a presença de abalizados intervenientes que discorrerão sobre tão candente tema, esperamos a presença do maior número possível de pessoas. Na comemoração do Ano Europeu do Envelhecimento, o Centro Social

18/10/2012

CONCELHO 11

Tourigo

Freimoninho (Mosteirinho)

MANUEL DA COSTA

JOAQUIM VIEGAS DA CONCEIÇÃO

do Tourigo junta-se às demais Instituições no sentido de avivar e alertar a sociedade para a atenção que deve ser prestada, não só pelo Poder estabelecido como por todos nós, àqueles que no final de uma vida de luta sem tréguas têm direito, na recta final, a viver com dignidade e a serem tratados com todo o carinho e dedicação.

NOTÍCIAS AFERT MARATONA BTTOURIGO 2012 Realiza-se no próximo fim de semana a tão aguardada Maratona BTTourigo 2012. O evento que está a ser preparado há já vários meses irá avançar agora para os últimos preparativos. Entre

as mais de duas centenas de atletas que durante o próximo domingo se deslocarão de todo o país à nossa região, salientamos a presença de atletas profissionais, alguns mesmo habituados a lides internacionais. De Barcelos virá uma comitiva de 4 atletas onde se incluirá o atleta Nelson Sousa (equipa AMontanha/ Bikespace), uma referência nacional ao nível do Cross Country que na Maratona do Tourigo vai correr com o dorsal número 005. Teremos ainda atletas de renome da Volta a Portugal 2012, nomeadamente Bruno Sancho (dorsal 052) e Hugo Sancho (dorsal 025), ambos da conhecida equipa LA ANTARTE. Não faltam

também atletas da zona de Setúbal, Alentejo e mesmo Algarve. A Maratona BTTourigo 2012 tornou-se, assim, num marco de grande referência a nível desportivo, nomeadamente do BTT, para o concelho de Tondela. As inscrições continuam abertas e a decorrer através do site do evento WWW.BTT.TOURIGO.COM Relativamente aos horários, na próxima sextafeira e sábado o secretariado estará aberto para levantamento dos dorsais e respetivas lembranças, entre as 21h e as 22h30, na sede da AFERT. Já no domingo o secretariado abrirá portas no campo de futebol do Tourigo, entre as 7h30 e as 8h45. A prova tem início marcado para as 9h. Recordamos que este ano teremos três provas distintas: Um Passeio de 15 km com dificuldade baixa; uma MeiaMaratona de 35km com dificuldade média e uma Maratona de 60km com dificuldade média/alta.

D. ILÍDIO PINTO VISITA AFERT Na próxima sexta-feira, pelas 18h, o Bispo de Viseu D. Ilídio Pinto Leandro fará uma visita à Associação Folclórica e Recreativa do Tourigo. Será, certamente, um momento de elevada importância para todos os associados desta casa e por isso a direção deixa aqui um convite a todos os que queiram estar presentes neste momento solene.

A VISITA DO SENHOR BISPO DA DIOCESE DE VISEU A vinda do nosso Bispo a esta freguesia do Mosteirinho não posso deixar de a noticiar, um acontecimento que ocorreu entre o dia 8 e dia 14 com a presença entre nós do Sr. Bispo D. Ilídio Leandro. No dia 10 de outubro celebrou missa na igreja paroquial onde foi recebido pelas autoridades da freguesia, depois foi à povoação da Frágua onde visitou os doentes, onde lhe foi oferecido à tardinha um lanche, sempre acompanhado como é óbvio pelo Sr. Padre António como não podia deixar de ser. Depois ainda neste dia foi a Malhapão onde rezou missa na capela da Senhora dos Milagres. No dia 11 também ao fim da tarde veio ao Freimoninho rezou missa na capela da Rainha Santa Isabel e daqui seguiu rumo à povoação da Corte e celebrou missa na Capela da Senhora dos Remédios. No domingo, dia 14, esteve na igreja paroquial a fazer o Crisma a cinco adolescentes que foram o Nuno, da povoação do Freimoninho, o Filipe da povoação da Corte, a Ana, o Fábio e a Ângela da povoação de Malhapão. Apesar do dia estar bastante chuvoso, a nossa igreja encheu-se de fiéis, todos quiseram assistir a estas tão raras cerimónias na nossa igreja paroquial, ainda, por cima, com uma rara visita do Senhor Bispo. Podemos dizer que já é muito fácil visitar esta freguesia em comparação com há cinquenta anos atrás. O Sr. Padre António pode dizê-lo pois quando veio para esta freguesia o transporte dele era uma simples motorizada e havia pouco ou nenhum alcatrão. Para além disso não havia nenhuma luz elétrica, nesse tempo é que era de crise, mas já recebíamos de vez em quando a visita do Senhor Bispo de Viseu. Entendo que o Senhor Bispo Ilídio devia ter ido com boas impressões daqui da freguesia porque as pessoas são hospitaleiras e também já há pessoas com alguma cultura. Noto também a falta de algumas pessoas de irem à missa, estou-me a referir especialmente a malta nova que depois de fazerem o Crisma, principalmente, os rapazes não frequentam mais a igreja ou muita rara vez. No meu entender também vai muito dos pais, mas quem sou eu para me estar a meter nisso. Ainda haverá quem me chame de “velho tolo” que já não sabe o que diz. Tenho ouvido dizer que me meto em coisas que não devia, mas as bocas do povo, ninguém as pode tapar a essas pessoas se quiserem ter uma conversa comigo só através do jornal.

O ESTADO DO TEMPO PARA OS PRÓXIMOS DIAS DIA 5.ª 6.ª Sáb. Dom.

ASSINE O JORNAL DE TONDELA - LIGUE 232 822 137

2.ª 3.ª 4.ª

TEMPO

MÁX.

MIN.

Chuva

12.ºC

8.ºC

13.ºC

8.ºC

14.ºC

8.ºC

15.ºC

11.ºC

16.ºC

12.ºC

17.ºC

12.ºC

16.ºC

12.ºC

Índice UV: 3 Baixo

Aguaceiros Índice UV: 4 Baixo

Aguaceiros Índice UV: 3 Baixo

Chuva Índice UV: 3 Baixo

Aguaceiros Índice UV: 3 Baixo

Aguaceiros Índice UV: 2 Minimo

Chuva Índice UV: 2 Minimo


12 CONCELHO

ESTRADAS DA FREGUESIA EM MAU ESTADO DE CONSERVAÇÃO Encontram-se mal tratadas as estradas da rede viária da freguesia. Umas mais que outras, obviamente, consoante o trânsito de pesados que por elas passam. Há outros fatores a contribuir para o seu estrangulamento: como por exemplo as condutas da água pública, as quais abrem fissuras a cada passo. Para as reparar é preciso abrir outro buraco. Esta situação é continuada. Os cantoneiros vão fazendo o que podem: atirando para lá um pouco de terra que as viaturas depressa limpam. Há também desnivelamentos com vários metros onde foram abertas as valas para o saneamento. Lombos provocados pelas raízes das árvores. Como não podia faltar,

18/10/2012

Vila Nova da Rainha

Carvalhal (Tondela)

ANTONINO DOS SANTOS

AF

as tampas do saneamento vão saltando aqui ou ali. Repostas, voltam a sair pela má aplicação e também pelo fraco material usado. Enfim, criou-se um círculo vicioso imparável. Parece eu não ter vivido em tempos sem estradas, obviamente sem alcatrão. Apenas existia a estrada da Admiguel (sopé do monte de Nossa Senhora da Esperança) até á Portela, asfaltada. Só depois da mudança política é que o país começou a crescer. Depressa chegou às cidades e um pouco às aldeias. Hoje toda a gente tem alcatrão à sua porta. Agora custe o que custar é preciso conservar.

ARTISTAS NORTE AMERICANOS EM VILA NOVA DA RAINHA A equipa de artistas MARKSARCH (Sue Mark e Bruce Douglas), na pas-

sada quarta-feira à tarde, dia 10, vieram a minha casa fazer o que sabem fazer. Na bagagem traziam o diálogo; como não sabem falar português e eu não sei falar inglês, serviu de intérprete a simpática atriz Micaela Ferreira da ARTerra onde o casal americano está hospedado, a qual estabeleceu ponte entre nós, tornando-se possível contar muitas histórias. A sua visita terminou com as minhas mãos envolvidas em gesso, cujo trabalho pode ver-se exposto no Mercado Velho (sala de vidro para exposições de eventos ao lado de mais 25 aderentes do conselho de Tondela de 9 a uma 22 de Novembro próximo. Trata-se de uma curiosidade única que vale a pena ver. Tudo foi gravado e filmado.

Ermida (Tondela) ANTÓNIO LOPES DE SOUSA

BENFEITORES A Capela de S. Silvestre ficou mais rica. No passado domingo, um grupo de emigrantes ermidenses radicados no Canadá, ofereceram uma linda e vistosa imagem de Nossa Senhora de Fátima que o nosso pároco, sr. Padre Rocha escolheu a gosto e sem dúvida que é muito linda, praticamente uma réplica da original. Também um casal ermidense, em ação de graças, ofereceu uma linda toalha do altar e do ambão, também a gosto do sr. Padre Rocha, que é muito bonita. A comissão de culto e

ermidenses em geral, estão gratos por estas dádivas que muito enriquecem o seu património da sua Capela de S. Silvestre. Parabéns a todos e o nosso obrigado.

JÁ CHEGA DE ESPERA Há mas de dois meses andou uma brigada do alcatrão da Câmara Municipal de Tondela a tapar buracos no alcatrão da povoação de Saldonas e todas as ruas de alcatrão da povoação da Ermida, que bem precisava muito especial junto da Associação, mas deixaram para trás a Rua da Capela. Já

de: António Luís Simões Dias - CANALIZAÇÕES - MONT AGENS MONTA

Energia Solar Ar Condicionado Aquecim. Central

- ELECTRICID ADE ELECTRICIDADE Telem.: 966 083 869 R. Principal, N.º 538 * Eiras * Castelões * 3465-126 Campo de Besteiros

fizemos o possível para reclamar o porquê deste esquecimento, ou não querem ver os buracos que lá estão que até dá a sensação que é por represálias que estes buracos não são tapados.

TORNEIO DE SUECA A todos os amantes da Sueca, não esqueçam de fazer a inscrição no 16.º Torneio de Sueca da Associação de Cultura e Recreio Ermidense. As inscrições estão abertas até ao dia 21 de Outubro para ter o seu início no dia 27 de Outubro, pelas 20 horas. Participe porque não se arrependerá.

ASSEMBLEIAGERAL DA ASSOCIAÇÃO Como estava marcado, realizou-se no passado dia 12 de Outubro, a Assembleia-geral do Centro Social Cultural Desportivo e Recreativo do Carvalhal. Os pontos da

convocatória foram discutidos, apresentação e aprovação do relatório de contas, assuntos de interesse para a Associação e eleição de novos corpos sociais. Como não houve apresentação de nenhuma lista para ser eleita, foi marcada uma nova assembleia para o dia 27

de Outubro, sábado, pelas 21 horas, com um único ponto em agenda, eleição de novos corpos sociais. Esperemos que seja apresentada uma lista para ocupar o lugar de Direção e evitar assim que a Associação encerre as suas portas.

Parada de Gonta RODRIGO XAVIER

VINGANÇA, FALTA DE CIVISMO OU COBARDIA? Caros amigos de Parada de Gonta, custa-me muito por vezes escrever ou dizer mal da nossa aldeia, mas porque de vez em quando acontecem casos de vandalismo que me obriga e me compete escrever para vos informar o que muitos paradenses não sabem. No princípio da passada semana a proprietária de um veículo fez o que diariamente costuma fazer no final de mais um dia de trabalho, estaciona o seu automóvel na Avenida Tomaz Ribeiro em frente à casa da sra. Maria Cristina. Qual não foi a sua tristeza e mágoa quando no dia seguinte encontrou o mesmo danificado nos dois lados com riscos bem fundos os quais vão obrigar quando houver dinheiro a pintar aquilo que é a sua enxada de trabalho. Pergunto eu, que mal fazia aquela viatura assim como outras que já apareceram na mesma? O que seria e o que poderia acontecer se os companheiros, maridos ou familiares aparecessem nos momentos destes vandalismos?

CRISTINA BAPTISTA

PEDIATRIA CONSULTAS E MARCAÇÕES

Tondelmédica Telef.: 232 821 815

Rua Dr. Flausino Torres - Tondela

A resposta fica com certeza por ser dada por essas pessoas que sem respeito, sem coragem e sem civismo fogem e continuarão a fazer mal a pessoas que trabalham e que lutam pela vida e nada têm a ver com essas vinganças e ódios que existem nesta sociedade em que vivemos.

AS MINHAS OPINIÕES Somos o melhor povo do Mundo O sr. Ministro das Finanças, sr. Victor Gaspar, ao elogiar desta maneira o povo português, não estará de forma ardilosa a chamar-nos de estúpidos pela forma submissa como temos suportado os sacrifícios a que o Governo nos tem obrigado. Mas cuidado sr. Gaspar, não se iluda, porque pode vir a ter uma surpresa muito desagradável do melhor povo do Mundo.

Acabar de vez com a classe média Ao apostar em liquidar o que resta da classe média, o Governo de coligação está a fazer a vontade à ala mais à esquerda do bloco representado pelo Dr. Luís Fazenda. É o que a UDP pretendia.

Governo e Dengue são mortíferos Mosquito do dengue ou Governo? Qual deles é o mais mortífero? Ambos impõem um ferrão que não sendo tratado a tempo pode tornar-se mortal. Se para evitar um deles basta um anti-repelen-

te ou vacina, para o outro não há anti-repelentes.

Portugueses conquistam ouro e prata Os alunos David Martins, Miguel Moreira, Miguel Santos e Luís Duarte conquistaram uma medalha de ouro e três de prata na 27.ª edição das Olimpíadas Ibero-americanas de Matemática em Cochabamba na Bolívia que este ano decorreu entre 29 de Setembro e 6 de Outubro. Na viagem de regresso a Portugal estes estudante trouxeram ainda o segundo lugar na classificação por países de um total de dezoito nações em competição. Graças ao empenho e conhecimento que demonstraram possuir, garantiram a Portugal a melhor pontuação de sempre, com 136 pontos, contra o recorde nacional anterior, de 108 pontos. Como reconhecimento foilhes atribuído a Copa Puerto Rico, troféu concedido ao País com a melhor evolução na classificação nos últimos três anos. Como se pode ler ficamos a saber mais uma vez que em Portugal existe juventude com grande valor em todas as áreas, mas que infelizmente o futuro da nossa grande juventude que temos os nossos governantes pouco ou nada estão a fazer por eles.


CONCELHO 13

18/10/2012

Lobão da Beira ANTÓNIO PAIS FERREIRA Cada um se espalhou, Em varias ocasiões. E cada qual se formou Em diversas formações.

NASCIDOS EM 1945 RESCALDO DO EVENTO Os nascidos e/ou ligados a Lobão da Beira, em 14 de Outubro festejaram os seus 67 anos de vida. Tudo o que estava previsto resultou em pleno, ficando o desejo, veemente, de repetir-se no próximo ano, e se possível nos mesmos moldes, já que o agrado geral foi ponto relevante. Tiradas fotos pelo António Coimbra/Foto Coimbra de Tondela, edifício Arlema, que na sua loja as tem para consulta e venda. Lembranças do acontecido foram entregues aos aniversariantes, gentilmente oferecidas pelo também conviva e irmão de ano o Francisco Figueiredo Almeida, mestre em artefatos de madeira. Foi distribuída um pagela com curiosidades de 1945 do teor: No dia 27 de janeiro, soldados soviéticos entram no campo de concentração de Auschwitz, cidade industrial da Polônia, e libertam os cinco mil prisioneiros, a maioria judeus Em 27 de março, 237 bonecas, devidamente vestidas pelos maiores nomes da moda parisiense, são apresentadas no Museu de Artes Decorativas, em Paris. O espetáculo reafirmava a existência da beleza da alta-costura francesa Morre, no dia 12 de abril, o presidente dos Estados Unidos, Franklin Roosevelt. O vice Harry Truman assume a presidência Benito Mussolini, é assassinado por membros da Resistência italiana em 28 de Abril Adolf Hitler, o dirigente máximo da Alemanha, suicida-se no dia 30 de Abril. No dia 7 de maio, a Alemanha rende-se incon-

Alguns, saíram de terra Grandes saudades levaram Para o ultramar, na guerra Marcados, para sempre ficaram Tantas vezes, eu caí Enganado, numa rede Tantas vezes, eu bebi Embriagado, sem sede. Tantas vezes trabalhei Com fome e sem saber Tantas outras, eu gastei O dinheiro, sem saber. dicionalmente Em 26 de junho, representantes de 50 países assinam a Carta das Nações Unidas, formalizando a criação de um órgão internacional para garantir a paz mundial e incentivar a cooperação entre os países-membros Em junho e julho acontecem os ataques suicidas (Kamikazes) no Oceano Pacifico, perto da ilha de Okinawa, com a tentativa dos japoneses de afundar as embarcações dos navios americanos. ENIAC, o primeiro computador digital eletrónico produzido em grande escala (Foto pertencente ao exército dos Estados Unidos).Em agosto, aviões norte-americanos lançam duas bombas atómicas nas cidades japonesas de Hiroshima e Nagasaki, que ficaram arrasadas. No dia 2 de setembro, a guerra do pacífico termina oficialmente com a rendição incondicional do Japão O presidente do Brasil, Getúlio Vargas, é deposto por tropas do Exército, em 30 de outubro e, em dezembro, o general Eurico Gaspar Dutra assume seu lugar Rossellini filma “Roma, Cidade Aberta” e dá início ao neo-rea-

lismo italiano Famosos nascidos em 1945 Nós e tantos outros, como: Franz Beckenbauer (Ex jogador e treinador de futebol), Bob Marley (Músico), Kim Carnes (Cantora), Eric Clapton (Músico), Duarte Pio de Bragança (Duque de Bragança), Bryan Ferry (Cantor), Filipe La Féria (Encenador), Gal Costa (Cantora), João de Deus Pinheiro (Politico), Luiz Inácio Lula da Silva (ex presidente), Marco Paulo (Cantor), Steve Martin (Ator), Rod Stewart (Cantor) Agradecimentos: Pde. JOÃO PEDRO FERREIRA CARDOSO esteve connosco desde a primeira hora. CASA DO POVO DE LOBÃO DA BEIRA direcão e associados que desde o inicio nos deram apoio GRUPO DE CANTARES DE LOBÃO DA BEIRA que através do seu programa e das gentes que dele fazem parte, nos trazem um pouco mais de alegria. A outras pessoas amigas, que, a seu modo ajudaram. oferecendo iguarias diversas e confecionadas a propósito.

Não podemos deixar de o afirmar que, para se ter a nossa festa nos moldes do acontecido hoje, houve necessidade de se adquirirem variadas coisas, que tiveram os seus custos. Na eventualidade de haver valor excedente nos valores relativos à pessoa e seus acompanhantes, a organização propõe que essa importância possa reverta a favor da Casa do Povo, a quem mais uma vez mais agradecemos na pessoa do seu director Cláudio André. Estamos gratos a todos os demais que nos ajudaram ao longo da caminhada da nossa vida e que nos permitiram celebrar neste 14 de Outubro. Cá esperamos pelo próximo convívio. Bemhaja por tudo. Também se associou o HSA As poesias do Horácio Santos Antunes que durante o convívio dos nascidos em 45 apareceram, alias, sem que houvesse conhecimento dos festejados, a todos foram lidas e muito calorosamente aplaudidas. O seu teor, falava um pouco de sendas trilhadas de cada um dos presentes. Deixamos para os nossos leitores, com, um bem-haja Horácio. São 67 anos que fizemos E neste planeta estamos. Coisas boas, nós tivemos Sessenta e sete comemoramos. Tanta coisa se passou, Algo da História aconteceu. No ano em que a guerra acabou esta gente, mesmo nasceu. Todos os que estamos Nesta festa de alegria do passado, recordamos a tristeza e euforia.

Sem saber com verdade Na experiência da vida, É que, a felicidade Andava sempre perdida. Hoje com sessenta e sete anos Com o cabelo a branquear Já não vou nestes enganos Não me deixo embalar. E o que Deus nos criou Qualquer dia nos espera. É, por isso que eu vou Deixar de ser quem era Vamos por melhores caminhos Esquecendo os piores… Procurando novos destinos Que sejam p’ra nós melhores Estamos também contigo E aos que foram nossa gente é nosso desejo, amigo Que, no céu, estejam contentes. Assim, resumimos, do que se passou.

SOBRE FICTON UMA RECTIFICAÇÃO Quando da realização da ficton Feira Industrial e Comercial de Tondela, referimos a presença de instituições da nossa terra presentes no evento. Por lapso, informamos que o Cruzmaltina Lobanense esteve por lá, o que não é verídico. Quem, esteve realmente com um espaço, entre outras referidas na ocasião, foi a ARSCL Associação Cultural Social Recreativa Lusitana de Várzea. Reposta a verdade do nosso erro, desculpamo-nos perante os lesados. Obrigado pelo pedido de retificação.

DA ASSOCIAÇÃO VÁRZEA Rebuscamos do site da ASRCL o que passamos a noticiar “Olá! Como já devem saber o S. Simão está à

porta... e com isso a festa de Outono da A.R.S.C.L. também.... Este ano estamos a vender umas rifas para ajudar a colectividade já que os tempos são difíceis... Há 3 prémios: 1º uma bicicleta; 2º uma garrafa de whisky e 3º uma garrafa de jeropiga.... Quem puder e quiser ajudar a associação, por um euro, habilita-se a ganhar um destes prémios!!!” Como se depreende, Estão a ser vendidas rifas para angariação de fundos a reverter para a mesma associação. As reparações no seu aspeto geral (interior e exterior) tem os seus custo e como tal há que juntar todas as boas vontades para suprir despesas. Para a rifa entre outros prémios, tem uma bicicleta. Os seus directores empenham-se na venda de senhas, esperando o apoio dos sócios e simpatizantes. No local, podem observar-se as obras recentes para melhor juízo, da parte material necessária para pagar contas.

FESTIVIDADES DE S. SIMÃO Sendo certo que a festa religiosa tem o seu lugar assegurado, na procissão, podemos dizer, a presença, da Banda da Sociedade filarmónica Tondelense é uma certeza. Trata-se de ser 28 num domingo, dia feira anual e com forasteiros na sua maior afluência a visitar-nos. Por isso mesmo, houve que delinear a acção no interesse de todos. Daremos novas complementares na próxima semana.

ANA SOFIA ESTAMOS CONTIGO Vimos-te terça-feira de tarde na TVI. É nosso desejo ardente, que tudo o que pretendes e o demonstraste querer atingir, o recuperes. És capaz. Tens uma vida a cumprir, com os teus pais, irmã amigos/as. Força muita força, acredita que vale a pena viver. Todos precisamos de todos. Por vezes, andamos desatentos, o que não quer significar falta de amor. Conta com a nossa palavra amiga e certa.


14 DESPORTO

18/10/2012

CD Tondela

Nunca perdido de vista até à assinatura final

O presidente, Gilberto Coimbra e o treinador Vítor Paneira concretizaram um desejo antigo chamado Boubacar que já perdurava desde o início da pré-época 2011/2012. O possante trinco da Guiné-Conacri deu nas vistas no Gondomar, quando este era treinado precisamente pelo atual treinador do Tondela, tendo posteriormente a sua carreira passado por um período atribulado com uma passagem fugaz pelo Karlsruhe da Alemanha. Ambos apreciadores das qualidades de Boubacar nunca perderam de vista a carreira do jo-

gador. De tal modo que há sensivelmente um mês abriu-se uma janela de oportunidade no sentido de poder concretizar a pretensão de poder contar com o atleta. Boubacar estava livre de assinar por quem entendesse, tendo o Tondela, desde logo, colocado em marcha as diligências necessárias para que guineense pudesse vestir de verde amarelo. Tudo foi feito no segredo dos deuses para que não despertasse a cobiça de outros potenciais interessados, permitindo que no último sábado, o pre-

sidente pudesse ir à sala de imprensa com o jogador e rubricar à vista de toda a gente o novo vinculo com o atleta para a presente época desportiva com mais duas de opção. No momento da apresentação, Gilberto Coimbra teve oportunidade de dizer que existe uma grande expetativa em redor do jogador: “O Boubacar vem de um período sem treinar, estava sem clube, precisa de se adaptar à nossa realidade. Estamos certos que será uma mais-valia para a nossa equipa, mas para tal terá de o demonstrar primeiro ao treinador…”. ARMÉNIO PEREIRA

Tondela com razões de queixa da arbitragem

Feirense, 2 - Tondela, 1 Numa primeira parte apática, o Feirense foi quem tomou as rédeas do jogo, mas demonstrou algum nervosismo no último passe, enquanto o Tondela assumiu uma atitude passiva a meio-campo. O único lance digno de registo foi um livre indireto na grande área para o Tondela, com Diogo Fonseca a estar perto do golo num cabeceamento por cima da barra, aos 40 minutos. Depois do intervalo, o Feirense entrou mais agressivo sobre a bola, chegando ao golo por intermédio de Diogo Cunha, num remate traiçoeiro, em que o guarda-redes Bruno Sousa não fica isento de culpas. O Feirense ainda esteve perto de ampliar a vantagem com um remate de Pires a sair perto da barra, aos 65 minutos, mas acabou por ser o Tondela a restabelecer a igualdade com um golo de Luís Aurélio, que respondeu da melhor maneira a uma excelente jogada de Bacar. A reação do Feirense foi imediata voltou à carga mantendo a pressão demonstrada no início da etapa complementar. Diogo Cunha quase desfez o empate aos 79 minutos, com uma bola na barra após desvio do defesa Fábio Pacheco, mas seria Pires a oferecer o triunfo aos homens da casa, depois de uma boa jogada de entendimento na esquerda entre Diogo Cunha e Ludovic. Com o Feirense já reduzido a dez unidades, por expulsão de Marcão,

FEIRENSE: TONDELA: Marcos André Santos Rogério Luciano Marcelo Marcão Rafa (Ludovic, 75) Clayton Diogo Cunha (Jorge Gonçalves, 89) Fonseca (Jorge Gonçalves, 87) Pires

Suplentes: Suplentes: Marcos Oliveira Ludovic Tiago Miguel Jorge Gonçalves Carvalho e Platiny

Treinador: Quim Machado

Rua Dr. Marques da Costa (junto à Escola de Condução) Tondela - Telef. 232 813 026 ou 91 762 79 57

Cláudio Pedrosa William Ericsson Backar Benvindo Cândido Costa

Treinador: Vítor Paneira

Jogo no Estádio Marcolino de Castro, em Santa Maria da Feira. Ao intervalo: 0-0 Marcadores: 1-0, Diogo Cunha, aos 50 minutos. 11, Luís Aurélio, 74. 2-1, Pires, 85. Árbitro: Vasco Santos (Porto) Ação disciplinar: cartão amarelo a Dyego Sousa (27), Fonseca (37), Clayton (62), Carlos André (68), Marcão (73 e 88), Pires (83) e Carvalho (90). Cartão vermelho por acumulação de amarelos a Marcão (88) Assistência: cerca de 800 espectadores o Tondela acabou o jogo a bombear bolas para a área do Feirense e, num desses lances, ficou a reclamar grande penalidade por pretensa falta sobre Diogo Fonseca (90+5). E na verdade, basta ver as imagens para ver que o avançado do Tondela é abalroado no momento em que se preparava para

TEM AUTOMÓVEL? O SEGURO É OBRIGATÓRIO! Está consciente das coberturas contratadas? Tenha entre si e a companhia de seguros um especialista. Preços especiais. CONTACTE: Eduardo Marques - Mediador de Seguros

Bruno Sousa Pica Carlos André Fábio Pacheco Tiago Barros (Backar, 63) Márcio Sousa (Ericsson, 80) Dyego Sousa Edson Luís Aurélio Fonseca Pedro Araújo

rematar para o fundo da baliza de Marcos, ficando o castigo máximo por marcar. O jogo fica mesmo marcado pela má arbitragem de Vasco Santos que antes já tinha perdoado uma mão intencional de um jogador do Feirense dentro da área, prejudicando claramente a equipa do Tondela.


PENÚLTIMA PÁGINA 15

18/10/2012

Sudoku

Momentos de Poesia MARIA DA CONCEIÇÃO

SOLUÇÃO DO NÚMERO ANTERIOR.

Doutor Mário Soares disse em T.V. Que o doutor Passos se deve ir embora E logo acrescentou:«Mas não, agora», Seguiu caminho sem dizer porquê… Nas entrelinhas, mesmo mal, se lê… Se todos acham já grande a demora, Como é possível querê-lo dentro e fora? Conveniência que é, pra alguns, mercê… Não vai ganhar, por certo, as eleições, Quem decretar as duras soluções Pra consertar, de todos, as asneiras. O Povo, porque anseia melhorar, De cada vez que vota quer mudar, Mas iguais ou piores põe nas cadeiras.

De Tudo Um Pouco MVC

TRANSCRIÇÕES

Palavras cruzadas MANUEL DA COSTA Horizontais: Nome da pessoa que conduzia o carro de bois. Poeira. 2-Originário. Lavra. 3-Toam. Fazer referência. 4-Actuei. 5- Término. Medida antiga para cereais. Carta de jogar. 6-A unidade. Verifiquei. Manta sem o final. 7-Nome de um dos Continentes. Homem pequeno. 8-Inato incompleto. 9-Orar. Que acontece casualmente. 10-Que tem arrogância. 11-Filtrara. Elogio. Verticais: 1-Cintura. Pau com que segurava a carga nos carros de bois. 2-Anel. Livre. 3-Pequeno rio. Compreensão. 4-aguardente de melaço de cana de açúcar. Dera o seu voto. 5-Estrada nacional (inic.). Descansa em paz em latim. Três consoantes iguais. 6-Antónimo de volta. Duas vogais. 7-Toros. Prata s.q. 8-Aia. Óxido de cálcio. 9-Nome de letra do alfabeto. Metade de anal. 365 dias. 10-Aresta da espiga dos cereais. Seta sem uma das vogais. 11-Conversa entre marido e mulher. Orçamento do Estado (inic.).

« A Europa! No que deu a mais bela e prendada das eleitas de Zeus! Sem arrebatamentos, sem esperança, ocupada económica, ideológica e militarmente, submetida, resignada à perdição! Mesmo os que lutam, lutam vencidos. É já só por brio que resistem. Depois de uma longa e dolorosa experiência em que as ilusões e as desilusões se sucederam, todos sabemos agora, à nossa própria custa, que não é impunemente que se sacrifica aos deuses espúrios da hora, quaisquer que sejam os seus poderes de sedução ou de opressão. Um génio com brasão de três mil anos abriu mão perdulária das razões da sua legitimidade, como se lhe bastassem o usufruto do mito e os pergaminhos do seu cansaço. Delegou a voz activa. Consentiu em ser apenas o eco precioso de expressões alheias, esquecida de que não é possível manter uma identidade singular por procuração.» MIGUEL TORGA – DIÁRIO, JULHO DE 1980

PALAVRAS SÁBIAS ** A calúnia é como a vespa que voa à nossa volta e contra a qual não se deve fazer qualquer movimento, a não ser que se tenha a certeza de a matar. Se assim não for, ela voltará à carga e cada vez mais furiosa. ** Os novos amigos que fazemos, depois de uma certa idade, e por intermédio dos quais nós tentamos substituir os que perdemos, são, em relação a eles, o que os olhos de vidro, os dentes postiços e as pernas de pau, são aos verdadeiros olhos, aos dentes naturais e às pernas de carne e osso. ** A educação deve assentar sobre duas bases, a moral e a prudência: a moral para apoiar a virtude; a prudência para nos defender contra os vícios dos outros. ** Destruí as minhas paixões, da mesma maneira que um homem violento mata o seu cavalo por não conseguir dominá-lo. CHAMFORT-MAXIME ET PENSÉES (TRAD.)

A DÚVIDA DO BÊBADO Um bêbado estava sentado no jardim quando de repente vê um funeral lá ao fundo da rua e pensou “já agora vou ver o que é aquilo”! Quando chegou ao pé do funeral gritava a viúva: - Ai mê crido, vais para onde não há televisão, vais para onde não há camas, vais para onde não há luz, vais para onde não há feijão nem arroz, vais para onde não há vinho que gostavas tanto! Vais para onde não há nada… Então o bêbado pensativo. -Querem ver que o levam para minha casa?!...

Reflexão da Semana Solução do número 1121 Horizontais: Piroga, teta, arara, rasas, oásis, Ur, L, manhã, caçar, odiar, opaco, aura, Rá, lias, a, trio, ias, via, mas, ç, clientela, aroma, a, lá.

Ponto Final

SEM ESCOLHA

Devíamos estar sempre ocupados, porque quando nada fazemos, só pensamos em nós e a maior parte da vezes inventamos doenças que não temos.

MANUEL VENTURA DA COSTA

«Façam o favor de ser os vários que são»

C

omo já muitas vezes aqui tenho escrito, somos um povo com uma mentalidade ímpar e com uma filosofia de vida, que, quanto a mim, nenhum outro possui. Manhosos, choramingas, trapaceiros, invejosos, fingidos, bazófias, hipócritas, incompetentes, sabichões, analfabetos, toda essa amálgama de gente coabita pacificamente cá no rectângulo. Dizem que somos um povo mandrião, mas isso não é verdade. Se mais não trabalhamos é porque o subsídio de desemprego e outros que tais, asseguram uma vida repimpada, sem que andemos a dar o corpo ao manifesto. Agora, que é moda vir para a rua com cartazes e aos gritos insultando os senhores que nos desgovernam e se governam, a malta não quer outra coisa. Sobretudo nos fins-de-semana. Bandeirinhas em punho, enchendo autocarros, é vê-los prontos a desfilar em qualquer rua mais emblemática da cidade, cantando ou proferindo os mais variados estribilhos. Por vezes, os ânimos exaltam-se e porque “o povo é sereno”, depois de uns confrontos com os agentes da ordem, tudo volta a ser como dantes e a malta regressa a casa satisfeita por ter cumprido mais um dia de “trabalho”. Os tais senhores que nos desgovernam e se governam, de vez em quando até brincam connosco. Chamam-nos cigarras, medíocres, ignorantes, mas ao mesmo tempo dizem que não há Povo igual no Mundo. Uns brincalhões estes nossos mandantes. E nós também. Somos, de facto, únicos e vários! “…O Português precisa tomar consciência de que é vário. Porque se ele percorrer os seus grandes homens, todos eles se apresentam como uma variedade enorme. É o Camões, é o António Vieira, e é aquele que vem dar a chave mais cómoda das coisas e que se chamou Fernando Pessoa. O Fernando Pessoa ousou ser vários; e para pôr isso bem claro aos olhos dos Portugueses é que ele usou vários nomes. Ele não precisava de ter assinado Álvaro Campos ou Ricardo Reis; podia ter continuado a assinar Fernando Pessoa, como o Camões que assinou Camões n’Os Lusíadas, Camões na poesia lírica, Camões na poesia dramática, Camões nas sátiras que mandava às pessoas de quem não gostava, Camões quando era bêbado, Camões quando tinha juízo, Camões quando andava pelos portos. Nunca mudou de nome. Não inventou, não se lembrou dessa história dos heterónimos. Mas o Fernando Pessoa, esse, lembrouse, e deu com isso uma lição aos Portugueses. «Façam o favor de ser os vários que são…» São palavras de Agostinho da Silva, um dos maiores filósofos de sempre e um dos principais intelectuais do século XX. Os Portugueses foram e continuarão a ser sempre vários…


16

18/10/2012


JT 1122