Page 1

1

24/03/2011 Na Internet

www.jornaldetondela.com.sapo.pt PREÇO AVULSO C/ IVA 5% INCLUIDO

N.º 1040

* 24 de Março de 2011

*

II Série

*

Ano XXI

Director: Manuel Ventura da Costa

MUDANÇA DA HORA Em conformidade com a legislação, a hora legal em Portugal continental será adiantada de 60 minutos à 1 hora de tempo legal (1 hora UTC) do dia 27 de Março, passando a vigorar a chamada Hora de Verão.

Tondela

Alunos da Secundária aprenderam sobre VII igualdade de género ANIVERSÁRIO pag. 10

Tondela

Antigos combatentes evocaram 50.º aniversário do inicio da Guerra Colonial últ. pág. Molelinhos ESCOLA FUTEBOL CLUBE PRECISA DE AJUDA PARA A COMPRA DE UMA CARRINHA

pag. 16

NOTÍCIAS DE SANTA COMBA DÃO

CINETEATRO DA CASA DA CULTURA RECEBE COLÓQUIO RESISTÊNCIAS PROMOVIDO PELA REDE DE BIBLIOTECAS CONCELHIA SUPER-ESPECIAL DO RALLY MUSEU VINHO BAIRRADA EM SANTA COMBA DÃO FESTIVAL DE POESIA NA BIBLIOTECA MUNICIPAL ALVES MATEUS

pag. 5

DESPORTO

pág. 11

Tondela

Município estabeleceu protocolos com Juntas de Freguesia

pág. 6

Campeonato da 2ª Divisão Nacional – Zona Centro OS ADEPTOS NÃO MERECIAM TREMENDA LIÇÃO TÁCTICA

CD Tondela, 0- Padroense, 1 pag. 17

Campeonato Nacional de F. Feminino – 2.ª Fase

1.º Dezembro, 2 – Molelinhos, 1 pag. 16

Futebol de Veteranos C. D. Tondela, 5 – Gondar, 1

pag. 16


2 OPINIÃO / GERAL Postal de Lisboa

24/03/2011

COMISÃO DIOCESANA “JUSTIÇA E PAZ”

Geração “À Rasca”

LEONEL MARCELINO

A GERAÇÃO DO SHOP

A

ndam muitos jornalistas, sociólogos, argumentadores e quejandos ve-r gados ao peso desta canção do desgraçadinho, que transcrevo do «Expresso» do dia 05 de Fevereiro para vos oferecer: «Sou da geração sem remuneração E não me incomoda esta condição Que parva que eu sou Porque isto está mau e vai continuar Já é uma sorte eu poder estagiar E fico a pensar que mundo tão parvo onde para ser escravo é preciso estudar Sou da geração casinha dos pais Se já tenho tudo p’ra quê querer mais? (...) Filhos, marido estou sempre a adiar E ainda me falta o carro pagar (...) Sou da geração queixar-me p’ra quê? Há alguém bem pior que eu na tv (...) Sou da geração eu já não posso mais (...)» Ana Bacalhau e Deolinda, “Que Parva que Sou” Não sei que mais lamentar, se a pobreza da letra, das rimas, do ritmo, se a atitude choramingas de gente que nunca será adulta. Já chamam a esta geração a «geração à rasca». Não sei porquê. Não é diferente das antepassadas. Sempre os portugueses andaram «à rasca», sem ambições, sem sonhos, sem planos, sem vontade, de cócoras perante um chefe, de mão estendida, à espera de um benfeitor. Tanto que ainda hoje nos sentimos órfãos de D. Sebastião, aquele valentaço que nunca fez nada pelo povo, mas que este mitificou como o futuro salvador da pátria. E logo ele, que ajudou a afundá-la. Ritualizada em rotinas de vida fácil e de discoteca, queimada pelos “shops” do fim de semana, embriagada de prazeres imediatos, esta geração «à rasca» frequenta cursos universitários onde se aprende a enfiar agulhas, obtendo elevadas notas pelo trabalho de investigação e de decalque de textos do Google, tem carro, casa, fatos de marca, dinheiro para gastar. Não tem juízo, nem vontade, nem sonhos, nem inteligência, nem vergonha. Chateia-se e chateia, vergada ao peso da sua própria inutilidade. Não lhe confiaria nem o meu cão para passear, quanto mais um emprego, ou os destinos de um país, como tantos acabam por alcançar, para o afundar, como está à vista. À sua beira, vivem jovens que queimam as pestanas, que trabalham, que têm vontade, que sonham, que têm iniciativa, que emigram, se necessário for, que triunfam, em contramão com o fatalismo do fado português. Mas, sempre assim foi, digo eu. Qual é o espanto? Sempre houve os lamentosos, os pedintes, os que não contam, os que cumprem ordens. E sempre houve, a seu lado, os nautas, os descobridores, os conquistadores, os aventureiros, os empreendedores, os que sonharam, os que ajudaram a empurrar os povos para a frente. Sempre houve os escravos e os outros: os inconformados, os que movidos pela esperança e pela vontade, alcançaram [a] «árvore, a praia, a flor, a ave, a fonte/-Os beijos merecidos da Verdade»1. (1) Pessoa, Fernando, Mensagem (poema Horizonte)

A

maciça adesão à manifestação convocada pela auto-denominada “Geração à Rasca”, no passado dia 12, não pode deixar a sociedade indiferente ao sentido e motivação que lhe deu origem: as novas gerações, após porfiados esforços para obterem uma habilitação profissional, não conseguem trabalho nem tão pouco lhes é concedido vislumbrarem uma luz ao fundo do túnel. Em coerência com o que proclama na Gaudium et Spes, n.º 1, não pode a Igreja igualmente ficar indiferente a este fenómeno social, no que ele em si contém de “tristezas e angústias dos homens de hoje”, porquanto “não há realidade alguma verdadeiramente humana que não encontre eco no seu coração”. Estamos perante uma verdadeira “Questão Social”: é “questão” – situação problemática que exige uma solução – e é “social” – tem a ver com a condição societária do ser humano, decorre da condição de homo socialis, o ser humano inserido na sociedade. O trabalho é uma das componentes estruturais do ser humano. Logo nas primeiras páginas do livro do Génesis, Deus Criador apresenta-se como “Deus Trabalhador” que cria o ser humano à sua imagem e semelhança, a quem dá a dignidade do trabalho ao cometer-lhe a missão de explorar e cuidar da Terra, com o que provê ao seu sustento e dos seus e simultaneamente dá expressão ao potencial de criatividade que o Criador lhe infundiu no acto da criação. Sem trabalho, o ser humano torna-se, pois, um fracassado, na medida em que não se realiza numa das suas dimensões essenciais, como tal reconhecida pela sociedade humana que, na ONU, proclamou o “Direito ao Trabalho” como “Direito Fundamental” da pessoa humana (art.º 23, DUDH). Compreensível é, pois, o sentimento de “tristeza e angústia”, se não mes-

mo de desespero, desta geração que não se sente realizada por falta de oportunidade de trabalhar, sentimento que ela expressa na auto adjectivação de “Geração à Rasca”. Como se chegou a esta situação e como sair dela? Não compete à Igreja substituir-se aos políticos e responsáveis da sociedade na implementação das soluções para as questões sociais, mas já é do seu múnus denunciar os erros que provocam as situações de conflito e indicar os princípios a que devem obedecer as soluções para as reparar, missão profética que vem cumprindo com a publicação de documentos vários, designadamente as Encíclicas Sociais que, no seu conjunto, dão corpo ao se convencionou designar por Doutrina Social da Igreja (DSI). A repercussão da actual crise social nas novas gerações não se dissociará do mau uso que está a ser feito da “Revolução Tecnológica” dos tempos modernos. Antes, nunca havia braços a mais, os insuficientes meios técnicos obrigavam a que se trabalhasse de “sol a sol” para que o homem obtivesse o necessário à satisfação das suas necessidades. À medida, porém, que a técnica evoluiu, o homem produz cada vez mais em menos tempo. A consequência normal e lógica desta evolução, seria a redução do tempo de trabalho em benefício do tempo livre do trabalhador. Mas não é isso o que ocorre, o que se traduz em maior produção por trabalhador. Deste modo, cada vez mais são necessários menos trabalhadores para garantir o nível da produção e as consequências estão à vista: não há trabalho para todos. A produção, que deveria ser distribuída por todos, está concentrada em alguns e, ironia das ironias, os que trabalham têm de trabalhar cada vez mais para suprir e sustentar os que, por isso mesmo, ficam impedidos de trabalhar. Na perspectiva bíblica,

o trabalho é para o homem e não o homem para o trabalho. Trabalho para o homem, como dignidade, como realização pessoal, como meio de angariar o que lhe é necessário para viver, e jamais como factor de lucro pelo lucro ou como meio de satisfação de necessidades supérfluas, que o levam até ao esgotamento das suas próprias forças e dos recursos da natureza, pondo em causa a sobrevivência e o bem-estar das gerações vindouras. A finalidade da economia é satisfazer as necessidades humanas – e uma dessas necessidades é que todos tenham a possibilidade de trabalhar – e não a arte de enriquecer e produzir lucros excessivos ou a forma de satisfazer necessidades supérfluas de alguns, em prejuízo das necessidades básicas de muitos. Sendo uma das suas grandes vítimas, não foi a actual geração jovem que imprimiu à economia o actual rumo. Vislumbrase, porém, uma luz ao fundo do túnel: esta geração, ao assumir-se como “Geração à Rasca”, ter-se-á dado conta do sentido errado em que vai este tipo de economia, o que é meio caminho andado para a correcção do seu trajecto. Com os avanços da ciência e da técnica, a geração precedente convenceu-se de que o progresso material daria resposta aos profundos anseios do homem, e deixou-se embriagar no hedonismo consumista que a superabundância de bens materiais lhe proporcionou. Porém, a actual geração jovem, ao sentir na pele as consequências desse erro, vai tomando consciência da necessidade de lhe mudar o rumo e, porque é nas suas mãos que está o futuro da sociedade, temos boas razões para esperar uma sociedade em que, quer os bens produzidos, quer o trabalho para os produzir, sejam equitativamente distribuídos por todos. COMISSÃO DIOCESANA “JUSTIÇA E PAZ”


CIDADE 3

24/03/2011

CATEQUESE QUARESMAL

O Senhor Bispo de Viseu, D. Ilídio Leandro estará em Tondela no próximo dia 24 de Março, pelas 21H00, na Igreja Paroquial de Tondela para uma Catequese Quaresmal dedicada ao tema “Igreja e Reino de Deus”. Esta Catequese integra-se num conjunto de catequeses que o Senhor Bispo irá realizar nas diferentes zonas pastorais da Diocese, que, como sabemos, se encontra a viver um tempo pré-sinodal. Teremos a colaborar nesta Catequese o Coro Polifónico da Casa do Povo de Tondela que apresentará no inicio e no final algumas peças musicais.

CASA DO POVO TONDELA No dia 26 de Março, no Mercado Velho, pelas 21:30H, os nossos alunos de guitarra, piano, violino e violoncelo darão mostra do seu trabalho. Como sempre estes eventos têm entrada gratuita.

S. O. S. – BOMBEIROS Ocorrências registadas pelos Bombeiros Voluntários de Tondela no período de tempo compreendido entre os dias 14 e 20 de Março de 2011. Foram 134 as chamadas, que envolveram 226 Bombeiros, que efectuaram 143 saídas com viaturas, percorreram 7.664 quilómetros, perfazendo, em tempo, 285h45m. O número de doentes transportados foi de 154.

Biblioteca Municipal

Exposição Amadis de Gaula, cavaleiro medieval Está patente na Biblioteca Municipal Tomaz Ribeiro uma exposição documental e iconográfica intitulada Amadis de Gaula – cavaleiro medieval. É uma obra marcante do ciclo de novelas de cavalaria da Península Ibérica datada do século XVI. A versão definitiva mais antiga e conhecida é a de Garci Rodríguez de Montalvo, impressa em castelhano em 1508. Contudo a versão original era portuguesa. A maioria dos especialistas atribui-a ao portuense Vasco de Lobeira, que tê-la-ia escrito no século XIV. Esta exposição é centrada na evocação da vida de um cavaleiro medieval em vários dos seus

aspectos e funciona como suporte didáctico da época, numa transversalidade que contempla a Literatura, a História e a Música, assinalando-se aqui, que compositores como Lully, Haendel, Bach, Massenet e o português Ivo Cruz, dedicaram obras à figura do celebrado cavaleiro. Ainda de assinalar, a pintora Leonor Sousa Pereira, que concebeu e realizou uma recriação iconográfica do herói e da sua época expressamente para esta exposição. A exposição, organizada pela Sociedade Histórica da Independência de Portugal, sendo comissário o nosso conterrâneo, o Dr. José Valle de Figueiredo, tem o apoio do Município de Tondela e do

Centro de Estudos Tomaz Ribeiro. No átrio da biblioteca municipal, a exposição está patente ao público

até ao dia 2 de Abril, sábado. BIBLIOTECA MUNICIPAL SERVIÇOS EDUCATIVOS

ESCOLA SECUNDÁRIA DE TONDELA

Programa “Faça-se Justiça”

O programa Faça-se Justiça, inclui um conjunto de actividades que estimula os alunos a desenvolver a sua sensibilidade para a Justiça e para o Direito, ajudando-os a compreender o sistema jurídico português, enquadrando-se num espírito de Educação para a Cidadania, numa nova vertente – a Educação para a Justiça e foi criado por uma equipa da revista Fórum Estudante, onde se inclui, entre outros, o Dr. Rui Marques e Dr. ª Vera Sampaio. Uma das actividades principais do programa é o jogo da simulação do julgamento de um caso, em que as equipas participantes – de defesa e de acusação – estudarão um caso e argumentarão em sua defesa / ataque, sendo um dos principais objectivos, dar a conhecer fundamentos essenciais da Lei e da Justiça e como estes reflectem os valores e as convicções colectivas. Para além destes, há ainda a apontar os seguintes objectivos: Formar uma consciência cívica de respeito pela Lei e de confiança na Justiça; iniciar os estudantes na complexidade da Justiça e na ponderação de todos os interesses; - permitir introduzir no conjunto das aprendizagens básicas, a educação para o

Direito e para a Justiça; motivar o seu empenho na consolidação da Democracia; - promover a participação activa, informada e responsável na vida cívica reforçar o respeito pela dignidade humana e pelos direitos humanos fundamentais, bem como pela resolução legítima de conflitos sociais perceber como a lei pode promover a coesão social e como provoca mudança social. Com estes objectivos, o Programa apresenta condições de proporcionar aos alunos, algumas das competências e saberes, que a seguir se indicam: Apurar o sentido da Justiça. - Valorização da Lei e do Direito e o seu papel nas sociedades democráticas. - Compreensão do processo legislativo e do papel dos Tribunais como órgãos de soberania Compreensão dos dilemas da justiça, do risco de erro e da procura da verdade. - Capacidade de comunicar as suas ideias, convicções e opiniões sobre a Lei e o Direitos Desenvolver a capacidade de entendimento de quando e como a lei se aplica a factos específicos.Desenvolver capacidade de análise de um problema, argumentação e defesa do ponto de vista. Construir consenso sobre deliberação, negociação, compromisso e re-

solução de conflitos. A importância do projecto é imensa, atendendo, para além de objectivos, competências e saberes que proporciona aos nossos alunos, as parcerias que foram realizadas: Alto Patrocínio da Presidência da República; Tribunal da Comarca de Tondela; Tribunal do Julgado de Paz do Carregal do Sal; 3.Ministério da Educação-DGIDC; Fundação Luso-americana para o desenvolvimento (FLAD); 5.Fac Direito Universidade Católica de Lisboa; Abreu Advogados; Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV) Escola Superior de Educação Paula Frassinetti Organizações de Juízes e Magistrados do Ministério Público 10.Organizações Profissionais de Advogados; Advogados de Tondela (Dr.ª Andreia Coimbra e Dr. Celso) O projecto vai ter o seu apogeu com a “Semana Faça-se Justiça”, que decorrerá nas cerca de 90 escolas, em simultâneo, de 21 a 25 de Março de 2011, já na próxima semana. A Escola Secundária de Tondela tem projectado o seguinte programa: 1 – Dia 21 de Março: Conversa sobre “O que é um Julgado de Paz” com

a Meritíssima Juiz do Julgado de Paz do Carregal do Sal, Dr.ª Elisa Flores. Esta Conversa decorrerá na Escola Secundária de Tondela, na sala C 7, pelas 10h15m. De 21 a 25 de Março: – Exposição permanente no átrio da Biblioteca da Escola intitulada “25 Perguntas Fundamentais sobre o Direito e a Justiça”, respondidas por: - Dr. Laborinho Lúcio: - Dr. Souto Moura; - Dr. Carlos Pinto Abreu; - Dr.ª Rita Maltez; - Dr. ª Joana Vidal; - Exposição permanente sobre “Os Símbolos da Justiça”, desenhados pelo aluno Diogo Rocha do 11º F, da Turma de Artes. Dia 23 de Março – 14h30m – Simulação de um julgamento sobre o caso “Nacionalidade”, em que todos os intervenientes serão alunos, excepto a Meritíssima Juiz do Tribunal da Comarca de Tondela que concedeu, no seu ofício nº 9 de 1/3/2011, autorização e cedência do Tribunal para acolher o projecto e decidirá, de sua Justiça e segundo a Lei, o referido caso. O programa está desenhado para todos os alunos dos ensinos básico e secundário, e aberto a toda a comunidade educativa. CIDÁLIA BOTELHO


4 REGIÃO

24/03/2011

Tondela

Madrigal Sport loja para desportistas

TEXTO E FOTOS: ARMÉNIO PEREIRA

A

partilha de uma paixão comum pelo desporto de três amigos, Mário Arêde (mais conhecido por Marinho), Vítor Ribafeita e Vasco Carreira originou um projecto materializado na abertura, na tarde do dia 14 de Março, de uma loja de artigos desportivos nas galerias Europa na cidade de Tondela. Na inauguração deste espaço compareceram muitos amigos dos proprietários com as respectivas esposas, restantes familiares e muitos convidados. Antes do corte do bolo quem se dirigiu aos presentes em nome dos sócios foi Marinho de Molelos para explicar o sentido do nome Madrigal. Uma denominação que vem desde alguns anos atrás fez parte de uma equipa que participou num torneio de futebol de sa-

lão com o mesmo nome. Em relação ao projecto “Madrigal Sport” este responsável salientou que a loja está preparada para colocar à disposição dos seus clientes um conjunto variado de artigos desportivos, podendo ser uma alternativa séria a todos aqueles que gostam deste tipo de vestuário. Joga a favor de Marinho, Vítor e Vasco o facto de serem pessoas ligadas ao futebol do concelho de Tondela, tendo excelentes contactos a este nível que podem ajudar a fazer alguma diferença na hora dos clientes aparecerem para fazer as suas compras. O Município de Tondela

FICHATÉCNICA

Registo na DGCS nº 109 629 Depósito legal nº 54581/92 Semanário Regional Independente (Fundado em 10/08/1989) DIRECTOR: Manuel Ventura da Costa E-mail:mventuracosta@sapo.pt REDACÇÃO Arménio Pereira E-mail: armeniopereira@mail.telepac.pt PAGINAÇÃO E MONTAGEM Angelo M. S. Ferreira

esteve representado pelo vereador Pedro Adão. O próprio na ocasião elogiou a iniciativa dos três empresários, lembrando que o nosso concelho apesar dos tempos difíceis se apresenta como um território atractivo em termos de investimento, sendo este mais um exemplo de que pode servir não apenas as pessoas do concelho de Tondela mas também de outros limítrofes. As palavras finais foram para desejar as maiores felicidades aos proprietários do “Madrigal Sport” que é um sentimento partilhado também pelo nosso jornal.

Molelos

Centro Vida a pensar em melhor saúde

TEXTO E FOTO: ARMÉNIO PEREIRA

A

berto há pouco mais de uma semana o Centro Vida – Centro de Consultórios Médicos situado junto à Farmácia Molelos, à clínica de medicina dentária e aos Laboratórios Santo Estêvão apresenta-se como um espaço destinado a ser uma alternativa credível ao, por vezes complicado Serviço Nacional de Saúde. As consultas médicas estão relacionadas com as mais diversas especialidades e são ministradas por alguns dos melhores especialistas da região centro do país, com experiência reconhecida na cidade de Viseu e Coimbra. Este investimento tem como responsável Jorge Manuel Lopes Soares e segundo o próprio a ideia fundamental é de disponibilizar um serviço privado mas de grande exigência, possibilitando que as pessoas recorram às consultas médicas de uma forma simples, mais célere, evitando transportes e desta forma pensando também nas dificuldades de mobilidade que muitas pessoas apresentam. Cátia Monteiro é a recepcionista deste espaço que tem um horário de

COLABORADORES Eng.º Hélio Bernardo Lopes, Dr. Cílio Correia, Dr.ª Marta Catarina Rosa, Maria da Conceição Marques Correia, Prof. Sérgio Carvalho, Dr. Leonel Marcelino, João A. Ventura da Costa, Artur Jorge Amaral Leitão CORRESPONDENTES Dr. Elisio Gomes de Matos (Barreiro de Besteiros), Henrique Marques Gonçalves (Caparrosinha), Optacilio de Matos Fragoso (Cortiçada), Herminio Henriques (Corveira), António Lopes de Sousa (Ermida), António Pais Ferreira (Lobão da Beira), José da Cruz Mendes (Mosteiro de Fráguas), Rodrigo Marques Xavier (Parada de Gonta), Amadeu Dias dos Santos (Tonda), Antonino Coimbra dos Santos (Vila Nova da Rainha), Manuel Francisco de Figueiredo (Vilar de Besteiros), Paulo Manuel L. Pereira da Fonseca (C. de Besteiros), Ana Maria de Almeida Simões (Lajeosa do Dão), Joaquim VIegas Conceição (Freimoninho), José Manuel Gomes Ferreira (Coelhoso), Eduardo Pereira Marques (Mouraz), Fausto Varela Macedo (Alvarim) PROPRIEDADE / ADMINISTRAÇÃO COMPOSIÇÃO SEDITON - Soc. Editora Tondelense, Lda Registo na DGCS nº 215 348 - Nº Cont. 502468076 Detentores com mais de 10% do Capital da Empresa, Eduardo António Ferreira Marques Arménio Ferreira Marques R. Dr. Marques da Costa Apartado 97 - 3461-909 Tondela E-mail: jornaldetondela@mail.telepac.pt Site: jornaldetondela.com.sapo.pt

funcionamento de segunda a sábado das 9:30 às 12:30 e das 15:00 às 19:00, podendo as marcações das consultas ser feitas a qualquer hora do dia ou da noite. As boas condições existentes nos gabinetes médicos são visíveis, beneficiando os profissionais de saúde e os utentes, o que faz do Centro Vida um espaço com as potencialidades apropriadas ao exercício de uma clínica de qualidade nas suas variadas especialidades. Jorge Soares afirma ainda que os serviços médicos apresentados pressupõem diferentes apostas, podendo haver uma complementaridade entre as diferentes áreas, dando como exemplo, a Psicologia Infantil, Pediatria, Terapia da Fala e a Terapia Ocupacional. O projecto Centro Vida não é estanque mas para já as consultas de Cardiologia serão dadas pelo médico Dr. Pedro Ferreira, Clínica Geral – Dr. António Nunes, Ginecologia/Obstetrícia – Dr. Damasceno Costa, Medicina Interna – Dr. Amparo Castellano, Ortopedia – Dr. José António Gomes, Otorrinolaringologia – Dr. Jorge Sobral, Pediatria – Dra. Graça Carvalho, Psiquiatria – Dr. Artur Pinhão, Urologia – Dr. Edson Retroz, Psicologia – Dra. Carla Nunes, Terapia Ocupacional – Dra. Célia Soares, Terapia da Fala – Dra. Tânia Matos, Nutrição – Dra. Ana Oliveira, Podologia – Dra. Cátia Ramos e Oftalmologia – Dr. Salvador Lopes. IMPRESSÃO CORAZE - Oliveira de Azeméis Telef.: 256 600 580 - Fax: 256 600 589 E-mail: grafica@coraze.com ASSINATURAS E PUBLICIDADE Eduardo A.F. Marques TELEFONE: 232 822 137 FAX: 232 821 118 ASSINATURAS ANUAL (52 nºs) - NACIONAL = 25,91 Euros (c/IVA) ANUAL (52 nºs) - ESTRANGEIRO(Europa) = 55,12 Euros (c/IVA) ANUAL (52 nºs) - ESTRANGEIRO(Resto Mundo) = 68,35 Euros (c/IVA)

Avulso = 0,60 Euros (c/IVA) Números atrasados = 2,00 Euros (c/IVA) Dia de Saida: Quinta-Feira TIRAGEM NESTA EDIÇÃO 3.000 Exemplares ASSOCIADO DA

Jornal de Tondela, como orgão de informação independente, apartidário e apolítico, está aberto à participação de todos os cidadãos, pelo que a sua colaboração reflecte apenas ideias pessoais que não vinculam o estatuto editorial do Jornal.


REGIÃO 5

24/03/2011

NOTÍCIAS DE SANTA COMBA DÃO

POR R.B.

CINETEATRO DA CASA DA CULTURA RECEBE COLÓQUIO RESISTÊNCIAS PROMOVIDO PELA REDE DE BIBLIOTECAS CONCELHIA

No passado Sábado, 12 de Março, Santa Comba Dão recebeu a super-especial do Rally Museu Vinho Bairrada. A prova, a pontuar para o Troféu Nacional de Ralis de Regularidade, decorreu na zona desportiva junto ao Estádio Municipal Dr. Orlando Mendes durante a manhã e contou com cerca de 45 participantes que disputaram provas de perícia automobilística. Pelas 14:30 horas os participantes rumaram a Sever do Vouga para concluírem a segunda secção da etapa deste dia. A partida teve lugar junto às Piscinas Municipais de Santa Comba Dão.

FESTIVAL DE POESIA NA BIBLIOTECA MUNICIPAL ALVES MATEUS

A Semana do Livro, promovida pela Rede de Bibliotecas Concelhia (RBSCD) e organizada pelo Agrupamento de Escolas de Santa Comba Dão encerrou, no passado dia 11 de Março. O Colóquio Resistências promovido e organizado pelo Agrupamento de Escolas decorreu durante a noite de sexta-feira na Casa da Cultura e contou com a presença de João Lourenço, Presidente da Câmara Municipal, António Venâncio, Presidente da Comissão Administrativa Provisória do Agrupamento de Escolas, António José Correia, Vice-presidente da Câmara e Vereador do Pelouro da Educação e do Vereador Fernando Cruz. Na assistência estava, igualmente, Ana Craveiro Professora Bibliotecária e Coordenadora das Bibliotecas Escolares de Santa Comba Dão, a docente Manuela Marques da Comissão Organizadora do evento, a Dra. Helena Duque, Coordenadora Interconcelhia da Rede de Bibliotecas Escolares, Rosa Carvalho, directora do Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão e Mário Cruz, maestro do Conservatório de Música e Artes do Dão. Neste colóquio foram abordados cinco temas defendidos pelos oradores galegos Rosa Aneiros, escritora e jornalista, Gonçalo Navaza, escritor e filósofo e Imna Lopéz Silva, escritora e dramaturga e por João Costa, professor de Português da Escola Secundária de Santa Comba Dão e Fernando Pinto do Amaral, Comissário do Plano Nacional de Leitura. Pelas 23 horas, os alunos do 10º ano, animaram um debate subordinado aos temas apresentados pelos convidados: Resistência; A Palavra: Sublimação ou Verdade; A Literatura e a Construção da Identidade; Linhas de Ruptura e Resistência na Construção do Cânone Literário Escolar e Formas de Resistência na Sociedade e na Cultura Contemporâneas. O Colóquio Resistências contou, ainda, com dois períodos de animação musical interpretados pelos alunos do Conservatório de Música e Artes do Dão. Organizado pelo Agrupamento de Escolas de Santa Comba Dão, o evento contou com a parceria da Câmara Municipal, do Centro de Formação de Associação de Escolas do Planalto Beirão, do Conservatório de Música e Artes do Dão e, ainda, do Plano Nacional de Leitura e da Rede de Bibliotecas Escolares. A Comissão Organizadora do Colóquio Resistências agradece o apoio dos patrocinadores que se associaram ao evento: AXA, DIN, Tondelar, HUF e Várius.

SUPER-ESPECIAL DO RALLY MUSEU VINHO BAIRRADA EM SANTA COMBA DÃO

A Biblioteca Alves Mateus encontra-se a promover um Festival de Poesia com o apoio da Câmara Municipal de Santa Comba Dão. O objectivo do festival é comemorar o Dia Mundial da Poesia e da Floresta que se assinalam a 21 de Março através da recolha de poemas de autor ou originais que façam referência à temática da natureza e da floresta. O Dia Mundial da Poesia comemora-se desde 16 Dezembro de 1999 e foi criado na XXX Conferência Geral da Unesco com o intuito de promover a leitura, a escrita, a publicação e o ensino da poesia. Já o Dia Mundial da Floresta se assinala desde 1972 e foi estabelecido em 1971 na sequência de uma proposta da Confederação Europeia de Agricultores, que mereceu o melhor acolhimento da FAO (Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura), com o objectivo de sensibilizar as populações para a importância da floresta na manutenção da vida na Terra. Este Festival da Poesia está aberto a todos aqueles que queiram participar bastando, para isso, que cada participante entregue os seus poemas na Biblioteca Municipal de segunda a sexta-feira, entre as 9 e as 18 horas ou através do endereço de e-mail: biblioteca.alvesmateus@cm-santacombadao.pt. O Festival decorre até ao final do mês de Março, altura em que todos os poemas recolhidos serão publicados no sítio da Câmara Municipal. De modo a assinalar este dia Mundial da Poesia, a Biblioteca Municipal Alves Mateus, apresenta sugestões de leitura em poesia que abrangem diversos estilos dirigidos ao público infanto-juvenil e a adultos. As obras sugeridas encontram-se expostas no átrio da Biblioteca Municipal até ao próximo dia 25 de Março e podem ser requisitadas para leitura domiciliária ou na própria biblioteca. Até fins de Março serão oferecidos poemas aos visitantes e utentes deste espaço.

1.º CONCURSO DE LEITURA CONCELHIO Encontra-se a decorrer o 1º Concurso de Leitura Concelhio de Santa Comba Dão destinado à comunidade escolar do concelho. O concurso, dinamizado pela Rede de Bibliotecas Concelhia (RBSCD), conta com o apoio da Câmara Municipal de Santa Comba Dão, do Agrupamento de Escolas, do Plano Nacional de Leitura, da Rede de Bibliotecas Escolares e da Biblioteca Municipal Alves Mateus e dividese em três fases. A primeira fase, destinada aos alunos do 4º ao 9º ano de escolaridade terminou a 11 de Março. A segunda fase decorrerá durante a Semana das Leituras. A terceira e última fase deste 1º Concurso de Leitura Concelhio está agendada para a Feira do Livro Concelhia a acontecer durante o mês de Junho.

SEMANA DAS LEITURAS DE 04 A 08 DE ABRIL A Semana das Leituras 2011 vai decorrer entre os dias 04 e 08 de Abril nas Bibliotecas Escolares da Escola Secundária de Santa Comba Dão, da Escola Básica 2/3 e dos Centros Escolares do concelho. Organizada pela Rede de Bibliotecas de Santa Comba Dão, esta Semana das Leituras tem como objectivo promover a leitura e combater a literacia abrangendo diversas temáticas como: informática, pintura, ciência, teatro, cinema, poesia, música e astronomia. As actividades planeadas no âmbito da Semana das Leituras destinam-se à Comunidade Escolar e à Comunidade Local e contam com o apoio da Câmara Municipal de Santa Comba Dão, do Agrupamento de Escolas, da Rede de Bibliotecas Escolares, do Plano Nacional de Leitura, da Biblioteca Municipal Alves Mateus e com a colaboração da Universidade Sénior de Santa Comba Dão.


6 REPORTAGEM

24/03/2011

Tondela

Município estabeleceu protocolos com Juntas de Freguesia

TEXTO E FOTO: ARMÉNIO PEREIRA

O

s presidentes das juntas ou os seus representantes assinaram na última sexta-feira, dia 18, ao fim da tarde no mercado velho, o protocolo de colaboração financeira com o município para trabalhos a realizar nas 26 freguesias do concelho de Tondela. O montante global anunciado foi de 487.233,90 euros a distribuir de uma forma equitativa e justa por todas para que possam proceder a trabalhos que as autarquias têm de cumprir para conservação de pequenos espaços e manutenção de equipamentos. O presidente do Município de Tondela presidiu à cerimónia e esteve acompanhado por Sérgio Rodrigues representante do presidente da Assembleia Municipal, o presidente da Junta de Freguesia de Tondela, José Manuel Mendes e restantes vereadores da edilidade tondelense. Este último na condição de representante das juntas de freguesia dirigiuse aos presentes para elogiar o magnífico trabalho que tem sido realizado por todas as freguesias, apesar dos enormes entraves que têm sido criados pela Governo. Na mesma proporção em que criticou a acção

governativa do engenheiro Sócrates elogiou o mérito de Carlos Marta em apoiar sempre de forma incondicional todas as juntas de freguesia tanto nos bons como nos maus momentos. O presidente da Junta de Freguesia de Tondela incentivou todos a olharem em frente e a não desanimarem mesmo com todas as dificuldades que se avizinham. Já Carlos Marta na sua intervenção revelou que os protocolos estabelecidos com as juntas não sofreram qualquer redução financeira em relação a 2010, comparativamente com o corte de 8,9% que o Governo aplicou nas verbas que disponibiliza para as autarquias, limitando desta forma a capacidade destas fazerem face às suas competências. O presidente do Município de Tondela congratulou-se com algumas iniciativas do seu elenco camarário: “Reduzimos a máquina pesada da câmara, falámos sempre verdade às populações, redefinimos a nossa estratégia de investimentos com candidaturas bem sucedidas ao QREN, aproveitando assim a oportunidade de investimentos mais ajustados e muito mais vantajosas para o município”. O equilíbrio nas contas da autarquia foi outra das metas atingidas com o pagamento atempado e acordado com os funcionários, empresas, fornecedores, juntas de freguesia e movimento associativo. Por último, o presiden-

te diz que sempre alertou para as dificuldades que se avizinhavam, contra a corrente desceu taxas e impostos municipais e foram sempre estabelecidas pontes de diálogo com os diferentes deputados da Assembleia Municipal para alcançar as melhores politicas. Carlos Marta interrogou ainda o poder central para que servem determinados organismos como “os governos civis, as administrações regionais de saúde, educação e tantas outras. Para para que servem tantos secretários de Estado e Ministros, adjuntos, avençados e contratados dependentes da mesma máquina. Mas foi mais longe, “para que servem tantos institutos públicos, tantas universidades e politécnicos a formarem jovens que têm como destino as máquinas registadoras dos supermercados”. E até tendo em conta a possibilidade de ter-se que reduzir câmaras municipais e juntas de freguesia questionou também para que serve o Secretário de Estado da Administração Local. Carlos Marta deixou ainda um repto importante de que todos devemos nos unir no essencial para enfrentarmos com êxito as dificuldades com que estamos todos irremediavelmente confrontados, “sinto-me triste porque alguns por apenas interesse pessoal e de sobrevivência colocaram em causa o interesse nacional e aquilo que nos custou a todos conquistar, ou seja a democracia política…”.

CARAMULO COLOCA AO DISPOR ÁREA DE SERVIÇO PARA AUTO-CARAVANAS E RECEBE 27.ª ACAMPADA DO C.C.C.A.B.

O tempo primaveril que se fez sentir no fim-de-semana, proporcionou uma agradável estadia a cerca de 40 auto-caravanistas que efectuaram a 27.ª acampada promovida pelo C.C.C.A.B. – Clube de Campismo e Caravanismo de Aguada de Baixo, no campo de futebol dos Viveiros, no Caramulo. Chegados ao local na manhã de Sábado, 19, as 38 auto-caravanas provenientes de vários locais do país formaram um círculo interior, onde se instalaram para aí permanecerem para o dia seguinte. A convite da organização esteve presente no almoço o Sr. Vereador Pedro Adão, em representação do Sr. Presidente da Câmara Municipal de Tondela, juntamente com os elementos da Junta de Freguesia do Guardão. Seguidamente foi feito o transporte para o Caramulo, no mini

autocarro gentilmente cedido pela vizinha Freguesia de Castelões, a quem desde já agradecemos, na pessoa do Sr. Presidente da Junta – Diamantino Costa – onde se visitou a área de serviço para autocaravanas em fase de acabamento, junto ao Pavilhão Municipal do Caramulo. Os auto-caravanistas seguiram para fazer a visita ao Museu e à Casa do Mel, da Associação de Apicultores da Serra do Caramulo, passando pela Casa dos Saberes e Sabores onde tomaram conhecimento dos produtos locais da região. Outros seguiram em visita ao Cabeço-da-Neve e Caramulinho. Já à noite, após o jantar houve “fogo de campo” e muita animação, numa noite especialmente iluminada pela proximidade da Lua que naquela noite esteve mais perto da Terra.

No Domingo após o almoço, houve entrega de lembranças e assinatura de actas protocolares neste tipo de encontros, tendo no final cada um, seguido o seu rumo, após um fim-de-semana bem passado na companhia de amigos. Este é um outro tipo de turismo que se pretende cativar para a região e neste sentido, a construção da área de serviço para auto-caravanas junto ao Pavilhão Municipal do Caramulo, servirá para que o Concelho de Tondela e a Serra do Caramulo em particular, sejam procurados por muitos que assim vêm suprimida esta falta que existia até ao momento. Deixam-se aqui as coordenadas GPS de localização da área de serviço: N40º 34.176 W8º 10.401. A. FERREIRA

Maria Manuela de Figueiredo Almeida NOTÁRIA NIF: 128 291 990 Av. Dr. António Manuel Tenreiro da Cruz, n.º 54

JUSTIFICAÇÃO NOTARIAL Certifico, narrativamente para efeitos de publicação que por escritura exarada de folhas 113 a folhas 144 do livro de notas número 111-I, deste Cartório José da Silva Ribeiro Marques e mulher Margarida Rodrigues Marques, casados sob o regime da comunhão geral, naturais, ela da freguesia e concelho de Mangualde e ele da freguesia de Nandufe, concelho de Tondela, onde residem na Av. do Dinha, N.º 80, que se declaram com exclusão de outrem donos e legítimos possuidores do seguinte prédio: Rústico, sito no Chão da Macieira ou Várzea, freguesia de Nandufe, concelho de Tondela, composto por terra de semeadura, com a área de cento e quarenta metros quadrados, que confronta do norte com Ermelinda de Almeida, do sul com José da Silva Ribeiro Marques, do nascente com herdeiros de José Henriques e do poente com António Marques de São João, inscrito na matriz, em nome da herança por óbito de Delfim Ferreira Marques, sob o artigo 1117, omisso na Conservatória do Registo Predial de Tondela. Que adquiriram a totalidade do mencionado prédio em mil novecentos e oitenta e três, por compra que dele fizeram ao referido Delfim Ferreira Marques e mulher Maria do Carmo Antunes dos Santos, residentes que foram em Nandufe, sem que no entanto ficassem a dispor de qualquer título formal, que lhes permita efectuar o seu registo na Conservatória do Registo Predial, sendo certo porém, que sempre têm exercido os poderes de facto correspondente ao direito de propriedade, sem interrupção, fruindo como donos as utilidades possíveis, à vista de todos e sem discussão nem oposição de ninguém. Está conforme o original. Tondela, 17 de Março de 2011. A Notária, (assina) (JORNAL DE TONDELA, 24 DE MARÇO DE 2011)


REPORTAGEM / OPINIÃO 7

24/03/2011

Canas de Santa Maria

Centro Paroquial No próximo dia 27 de Março, Domingo, o Centro Paroquial de Canas de Santa Maria como já vem sendo habito vai realizar mais um almoço convívio. Este almoço convívio tem como objectivo angariar receitas para a construção do novo centro, estando agora a decorrer as obras para a valência do Lar, mas também com o objectivo de proporcionar momentos de convívio e lazer a todos os participantes. A ementa será entradas variadas, sopa, carolos, sobremesas diversas, acompanhada por bom vinho da região. O preço é de 10 carolos para adultos e 5 para crianças. A animação musical é realizada pelo “Duo Musical C&L”constituído por um casal nosso conterrâneo de Valverde. Para participar basta inscrever-se no próprio Centro, ligar para o 232 848148 ou então na Drogaria “Girassol de Papel” no centro da vila, até ao dia 26 de Março. CENTRO PAROQUIAL DE CANAS DE SANTA MARIA A DIRECÇÃO

São João do Monte

SÓ P’RA PENSAR!

D

iz-se que para se tocar viola é necessário ter unhas (para além do instrumento, claro), muito embora nestes tempos modernos até se possam comprar umas unhas postiças, resolvendo o caso com certa facilidade. Existem entretanto outras brincadeiras que podem sair caras e de resolução mais difícil, provenientes muitas vezes do facilitismo como se fazem e encaram, não se medindo atempadamente as consequências daí decorrentes. No Festival da Canção, que a RTP costuma organizar para escolha da canção que irá representar Portugal no Festival da Eurovisão, este ano a levar a efeito na Alemanha, o Júri, que são elementos tecnicamente mais bem preparados e com mais conhecimentos para ava-

liar a canção que entenderem ser a melhor e com mais nível artístico para representar Portugal no evento em questão, fizeram a sua escolha. No entanto, (e falta agora saber o porquê), na votação feita telefonicamente pelo “povo”, foi eleita uma outra canção, a “A Luta da Alegria”, com actuação a cargo do Grupo “Homens da Luta”. Ora, com todo o respeito pelos intérpretes como Pessoas, nada tenho a opinar. Agora, como canção para representar Portugal num Euro festival, pelo amor de Deus! É que aquilo não tem nada por onde se lhe pegue. É mau de mais para ser verdade, e ainda por cima para uma actuação na Alemanha, País que ultimamente tem estado na ribalta relativamente a Portugal pelos aspectos políticos, pelos PEC, s, ou pela divida soberana! É que,

paralelamente à letra da canção e ao “desfile” da exibição, vem à tona uma outra linguagem que vão interpretando, como se tudo isto fosse uma brincadeira: “A Revolução fazse nas ruas”, ou “ É na Rua que se mudam as coisas”, etc. etc. A representação de uma País com oito Séculos de História, como Portugal, que “fez” Navegadores, Marinheiros, Cientistas, que deu Novos Mundos ao Mundo, não pode ser assim tão levianamente entregue a este nível. Seja uma representação Desportiva, Diplomática, Politica, Empresarial ou para qualquer outro fim, tem que ter um mínimo de organização e representatividade, para não ficarmos embaraçados “lá fora”, e tão à rasca cá dentro, com a situação criada. E agora? Pois, e agora! A canção em causa foi a eleita, e será ela

que vai representar o País. É um fenómeno, é certo, porque a canção não tem nível, mas é um caso que teremos de viver com ele. Foi uma votação! O “povo” por vezes perde o “norte”, se calhar pelas dificuldades porque vai passando, e como não dá para pensar melhor, vota-se e elege-se de qualquer maneira, votando com alguma “raiva” para mudar. Depois, pagam-se caro estas situações, porque o País sai desprestigiado e a sua imagem mais desfocada, porque Portugal precisa de quem o represente dignamente e seja representado à altura dos seus feitos de outrora, que ficaram na História e que ainda hoje dá gosto reler. Sim, porque os feitos de hoje, dão só para fazer histórias muito tristes!

D

Na educação, que é a base de sustentação do progresso de qualquer país, comece por varrer certos resquícios de ideologias ultrapassadas que ainda devem pairar pelos corredores do Ministério. Dignifique a Escola, no seu todo, valorizando e estimulando o trabalho dos Professores, mas exigindo-lhes a sua importante contribuição na construção de uma Escola nova. Não permita a indisciplina, a falta de respeito, o desinteresse, a intolerância, a indiferença, venham essas “ameaças” de onde vierem. Estabeleça metas e envolva nelas os Professores, porque principais obreiros dessa Escola nova. Não “trabalhe” para as estatísticas e para o economicismo, que muitas vezes se traduz em despesa. Antes de fechar uma escola, uma só que seja, não deixe de pesar com todo o sentimento os pós

e os contras da decisão e como vai afectar a população. Passando para a saúde, acabe com a baralhada do abre, fecha, transforma. Oiça em primeiro lugar o Povo, depois os técnicos. Devolva os Centros de Saúde aos Centros de Saúde e acabe com os Agrupamentos, Unidades e afins, de que não se vêem resultados práticos nem certamente economia de meios e de gastos. Na justiça, onde certamente encontrará grandes magistrados e funcionários, reforce a independência mas exija que, tal como noutros países, os processos demorem apenas meses e não anos. E promova as reformas nunca feitas e que continuam na gaveta. Justiça tardia, é má justiça. Na segurança, não deixe que o país continue entregue a gangs, corruptos e marginais. Que sejam seguros, a casa, a

rua, os dias e as noites. Escolha os seus Ministros pela competência, não pelo cartão do Partido. Não substitua os gestores da administração, empresas e institutos públicos só para dar lugar aos”laranjinhas” que andam por aí sequiosos de “tacho”. Varra os incompetentes e coloque no seu lugar os mais capazes, mesmo sem cartão. Não tema as greves e as manifs. Se promover a justiça social e os trabalhadores viverem satisfeitos, os efeitos da corporação sindical deixam de ter peso. Comece por ver Portugal, as suas Gentes, os seus anseios, e só depois o Partido. É que, como afirmava Napoleão, “Do sublime ao ridículo não há mais que um passo.”

Solidariedade com o trabalho humanitário VENTOS E MARÉS dos Bombeiros CARTA ABERTA AO DR. PASSOS COELHO

No passado dia 5 de Março esta Secção de Bombeiros recebeu um monitor multi-parâmetros e um desfibrilhador automático externo, oferecidos pelo empresário Aguedense Paulo Coelho. Os Bombeiros de Vale de Besteiros – Secção de São João do Monte e todo o povo serrano agradecem a generosidade demonstrada por este empresário. Estes equipamentos são fundamentais para os bombeiros prestarem socorro às populações. ARMÉNIO PEREIRA

Dr.ª Hermínia Rios Médica Dentista Licenciada na Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra

ODONTOPEDIATRIA, ORTODONTIA, PRÓTESES IMPLANTES, ESTÉTICA E URGÊNCIAS - CHEQUES DENTISTA Rua Eduardo A. Coimbra, 55 TONDELA (junto à ACERT) Tel: 232 812 438 | Tlm: 964 513 042

esculpe a ousadia desta carta aberta, logo pública, mas gostaria de lhe dar algumas dicas embora não seja analista político, politico profissional ou expert. E faço-o antes que se sente na cadeira do Poder, o que certamente já não faltará muito tempo, esperando que isso seja para bem e não para desilusão. Ao instalar-se em S. Bento, recomendo-lhe: A primeira coisa a fazer é mudar a mesa de trabalho, pois a actual está defeituosa. E não usar gaveta para as promessas não cumpridas, embora a actual deva estar a abarrotar. Mas não deve existir. Depois, em cima da mesa coloque como direcção do caminho a pequena frase de espírito Rotário: “Dar de si, antes de pensar em si”. A seguir, compre uma vassoura e comece com ela o seu trabalho.

VENDE-SE

APARTAMENTOS T2, T3 e Duplex LOJAS, ARMAZÉNS E GARAGENS Rua Dr. Almiro Vale - TONDELA (Junto ao Campo de Futebol) Vende: Consurbanas, SA Av. Alberto Sampaio, 134 - Viseu Telf.: 232 429537

CELSO MATOS

JOÃO DE BESTEIROS

PAULA M. PENEDOS

MÉDICA DENTISTA CONSUL TAS TODOS OS DIAS ÚTEIS CONSULT ACORDO C/ SAMS ENFERMÉDICA-Tel.: 232 813 556 Largo Visconde de Tondela (Finanças) - TONDELA


8 OPINIÃO

24/03/2011

Crónicas de Londres

Estou zangado

GILBERTO FERRAZ (COMENDADOR)

UM GRANDE PRODUTO NACIONAL!

O

vinho, esse grande produto nacional e preciosa fonte de receita para a cada vez mais necessitada economia do nosso país, está de parabéns. Ou melhor, os seus produtores, que em Londres, recentemente, manifestaram, com justificado orgulho, a sua pujança, na Exposição Anual da Vini Portugal, organização promotora, que, nos últimos anos, tem vindo a desempenhar notável esforço na divulgação e promoção enológica nacional. Para o apreciador ou reputado comentador de vinhos, especialmente num grande e, por isso mesmo, altamente disputado mercado como o britânico, largamente controlado pelas grandes cadeias de supermercados, como Tesco, Waitrose, Sainsbury e Morrisons, em prejuízo para as tradicionais e conceituadas lojas de vinhos como a clássica Odd Bins, que há duas semanas encerrou as suas portas, a qualidade dos vinhos nacionais em nada fica a dever aos mais reputados e principais países produtores, como a França, Itália, ou aos novos e agressivos, como o Chile, Austrália e África do Sul, só para mencionar os principais. Que o digam os prémios que anualmente são atribuídos a conhecidas e melhores marcas, como recentemente ficou provado, a nível nacional, pela Revista de Vinhos, realizada na Alfândega do Porto, ou pela revista britânica, Wine Decanter, no ano passado, em Londres. Esta, a conclusão de reputáveis escritores da especialidade como o britânico Charles Metcalfe, a quem se deve uma excelente recente obra sobre os vinhos e culinária Portugueses, ou ainda, o australiano, Oz Clark, este também autor de várias obras, sobre este importante tema, ou ainda o também britânico, mas luso de nascimento e coração, e amigo de longa data, o ainda jovem, Richard Mayson, qualquer

deles reputadas figuras do setor e bons conhecedores do mercado vinhateiro mundial. Segundo dados oficiais, através da delegação do AICEP em Londres, no ano passado, o mercado mundial importador de vinhos portugueses atingiu 604,215,678 milhões de euros, com o volume total de 242,792,629 litros, ou seja um aumento de 4,8% em relação ao período homólogo de 2009. O Reino Unido, um dos seus principais mercados, depois de Angola, França e Alemanha, importou 18.054.207 milhões de litros, no valor total de 65,975,427 milhões de euros, registando o aumento de 0.6% em relação ao ano anterior. Na exposição anual, realizada no início do mês em Londres, a dificuldade foi a escolha, devido à vasta presença – 133 – de produtores nacionais representando várias e principais regiões do nosso país. Uns já consagrados e bem representados no disputado mercado britânico, outros com a indispensável presença a tentar representação. Por isso, e sem desprimor para muitos outros, limito-me a mencionar aqueles que tive tempo de contatar e provar e, por isso mesmo, mais representativos. Dentre os primeiros destaco o consagrado e eterno jovem-mestre Luís Pato, Cristiano Vanzeller, da lendária família a quem se deve a memorável Quinta do Noval, por mim visitada e admirada quando ainda se encontrava nas mãos da família fundadora; Alves de Sousa, desta vez não o pai, Domingos, mas o seu fiel discípulo, o filho, Tiago, a sempre presente Aveleda, representada por Manuel Oliveira, o eterno, mas sempre jovem João Evangelista (Portugalia Wines), tanto este, como o verdadeiro “embaixador” dos vinhos portugueses no Reino Unido, Fausto Ferraz (DFJ Vinhos), claro, o já citado Richard Mayson, com a sua nova empresa (Sonho Lusitano). Da nossa região –

Dão – e com presença inaugural, foi igualmente um prazer provar os vinhos da Sociedade Agrícola Castro de Pena Alba, S.A, de Penalva do Castelo (FTP Vinhos), representada por Namércio Cunha. A longa prova começou por Luís Pato, mestre enólogo por excelência, a quem a Bairrada muito deve, também bem sucedido e seguido pela filha, Filipa, representada com bancada independente. Esse audaz e velho, mas sempre jovem produtor-inovador, fez questão de me introduzir ao seu novo Pato Rebel tinto, verdadeiro rebelde de vinho, correspondido por sugestivo rótulo! Embora me tenha confiado dedicar-se mais a espumantes, o seu Espumante DUET Baga Touriga Nacional 2010 é digno dos seus esforços! E, ao brindarnos com reveladora palestra, em que nos confidenciou alguns dos seus truques de produção, ao saborear o extraordinário Frei João 1990 Reserva, a admiração que por ele tínhamos, mais refrescada ficou! Cristiano Vanzeller é outro dos muito admirados “embaixadores” dos nossos vinhos. Agora à frente da mui sua Van Zeller & Co, que além dos vários portos se destaca o seu excelente Quinta Vale D. Maria 2008 tinto. A finalizar, é imprescindível salientar o nobre esforço de Richard Mayson que juntamente ao enólogo Rui Reguinga, surpreendeu com o seu magnífico Pedra Basta, tinto regional alentejano. Quanto aos douros da adega Alves de Sousa, o seu magnífico e sempre jovem Quinta da Gavota tinto, seguido pelos dãos da FTP Vinhos, os seus Quinta do Serrado Touriga Nacional 2007 e o Reserva 2007, têm representação garantida no vasto e rico mercado do Reino Unido. Como habitualmente, este texto é redigido ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

A

ndo, deveras, muito zangado. Comigo próprio, porque não consigo acertar no euromilhões. Com os meus concidadãos, porque nunca mais cuidam de construir o país que “eu mereço” (estou dispensado dessa obrigação e faço o que me “compete”: dedico-me à lamúria). Com a classe política, por atenderem mais aos seus calculismos partidários do que aos interesses do país. Com todo o tipo de clientelas que enxameiam os organismos públicos, e as que estão na lista de espera a afiar a faca para o bolo que já está a cozinhar (a propósito: nunca mais vem o meu tachito?). Com as diferentes corporações de interesses que querem mudanças e sacrifícios… mas só para os outros. Com o discurso do presidente da República, na sua tomada de posse, que remeteu os jovens para um certo passado onde por vezes parece ainda navegar: «Importa que os jovens deste tempo se empenhem em missões e causas essenciais ao futuro do país com a mesma coragem, o mesmo desprendimento e a mesma determinação com que os jovens de há 50 anos assumiram a sua participação na guerra do Ultramar». Com as religiões que vendem a fé a retalho, oferecendo-nos conceitos enfermiços de divindades que não passam de ídolos a aplacar com cultos, devoções, abstinências… e donativos, e que vamos passando de geração em geração sem medirmos os seus efeitos desastrosos. Com a pobreza (não com os pobres), que me faz envergonhar da minha mesa (ainda) farta. Com o meu Sporting, que está como o país: falido, a produzir pouco, os “partidos” à bulha, e a malta a manifestar-se. Com… De tão zangado (não se preocupem que já marquei consulta… ou devo ir ao “professor” Karamba… ou à astróloga Maya?), estou até a pensar fundar o clube de «Os mal-humorados da vida», para o qual tenciono convidar o autor de um texto do qual respiguei algumas passagens: «É assim, todos os anos. Quando quem ainda trabalha já está a ver em que dias do calendário poderão vir a cair as suas férias, a Justiça está ainda a abrir o seu Ano Judicial. Até nisto de abrir o Ano Judicial, a Justiça em Portugal é lenta. Preguiçosa. Arbitrária. Muito acima do Comum Quotidiano. Muito acima do Tempo. Muito fora do Tempo. Divinal. Intocável. A funcionar em Tribunais que agora se dizem Palácios da Justiça. Mas que parecem Catedrais. Basílicas. Espaços Sagrados. Onde o Senhor Doutor Juiz é Soberano. Infalível. Acima de tudo o que

é Mesquinho. Nas suas vestes talares que transfiguram o ser humano em Divindade. Intocável. Inacessível. “Vem aí o Juiz”, cicia-se, a medo. Voz baixinha. Ou, então, “Levantem-se!”, grita o Oficial de diligências. O tom é de general. O Oficial que profere a ordem é um peão, mais, da Justiça. Como o Árbitro num jogo de Futebol dos Milhões. Ai de quem ousar falar mais alto do que ele. Ou pôr em dúvida a sua soberana e infalível decisão. Uma vez tomada, é irreversível. Nem que as gravações televisivas do Jogo venham a provar que a sua decisão é errada, a deliberação mantém-se. O mesmo nos Tribunais. Pode-se recorrer para uma instância superior. Mas Tribunal, sempre. E, quando chega ao Supremo, a decisão é divina. Infalível. Absoluta. Os mais graúdos agentes da Justiça botam discurso. Um rol de Acusações. Nem parecem Juízes. Mais parecem Advogados do Diabo. Contra a Justiça, da qual eles são os rostos principais. São Juízes, mas parecem Réus-a-queixar-se de tudo e de todos. Menos deles. Falam, falam, falam. O que dizem é muito, mas o Resultado do que dizem é zero! É assim todos os anos. E cada novo ano, pior. Têm os seus segundos de televisão. E que bem eles acham que ficam nas TVs, sob aqueles colares, aquelas parolas condecorações e aquelas indecorosas vestes talares, todas pretas. A cor da Divindade. Da Solenidade. Do Poder! Medonhos, por vezes. Mas sempre belos. Medonhamente belos! Discursam por discursar. Como quem discursa sozinho. Porque os Juízes são eles. Só eles. Os Réus são sempre os outros. Particularmente, as Populações menos escolarizadas e sem grandes contas bancárias! Talvez por o universo da Justiça ser assim, tão fora do quotidiano das populações, e tão perto do céu e da eternidade, é que o Ano Judicial abre sempre com a presença e a bênção do Cardeal Patriarca de Lisboa. Que até preside a uma missa ritual, um número imprescindível em toda esta Bobagem Institucional. E bota faladura [para dizer, entre outras “coisas importantes”]: “A todos os obreiros da justiça, no nosso País, eu digo: se estiverdes entre esses que sofrem, tende coragem, não desanimeis, porque está-vos destinado o Reino dos Céus.” Depois da Morte! Obviamente. Não aqui e agora! Palavra de Cardeal! Choremos!» Maldita cebola, que também me fez vir as lágrimas aos olhos! RUI VALE

JORNAL DE TONDELA


OPINIÃO 9

24/03/2011

CONTACTAR 919 318 355

Notas Semanais

Notas & Comentários

CÍLIO CORREIA

JOÃO VENTURA DA COSTA

ARRENDA-SE

T1

ARRENDA-SE

T2

ARRENDA-SE

T2 MOBILADO

ARRENDA-SE

T3

C/GARAGEM

ARRENDA-SE LOJAS COMERCIAIS EM TONDELA APARTIRDE200EUROS/MÊS

ARRENDA-SE

GARAGENS ARRENDA-SE

VENDE-SE

T2 MOBILADO CENTRO DE TONDELA

VENDE-SE 919 318 355

“O CONTO DA ILHA DESCONHECIDA”

A

descoberta do “caminho marítimo para a Índia” foi um sinal de esperança. Colocou-nos na rota da globalização, conferindo ao capitalismo da época o seu carácter expansionista. Entre os navegadores predominava o espírito de aventura, descoberta e conquista. Os abismos mais profundos e os monstros marinhos foram caindo, à medida que se atravessavam na Expansão Marítima Portuguesa. A grandeza da “alma portuguesa”, aventureira e destemida, foi sendo relatada, ao longo dos séculos. “O Conto da Ilha Desconhecida”, escrito por José Saramago, a propósito da Expo 98, é um texto audacioso. Faz-nos regressar ao porto de partida. Uma dedada antropológica. Aproxima-nos da vida e dos locais do nosso imaginário: as descobertas… da “ilha desconhecida”. É um encontro connosco, um mergulho na nossa história. O conto é, além do mais, um drama existencial, uma voz que nos fala à noite, retirada do mais profundo dos sonhos. Uma alegoria. O hiper-realismo das personagens e o seu enredo demonstram-no. O título podia ter sido outro: uma história de amor entre “um homem que queria um barco” e a “mulher da limpeza” do palácio. Apaixonaram-se e partiram em busca da “ilha desconhecida” que não passava, afinal, da descoberta deles próprios, tendo até perdido a noção de bombordo ou estibordo ao acordarem nos braços um do outro. Narra a história de um popular que foi bater à porta do rei para lhe pedir um barco – não um barco qualquer. O castelo possuía três portas principais: a das petições, a dos obséquios e das decisões. Na primeira, acumulava-se uma imensa fila de gente que pouca atenção recebia do rei; na dos

obséquios, a multidão apinhava-se mantendo-se aí o rei sempre ocupado; a porta das decisões era pouco usada. Após três dias de longa e paciente espera junto à das petições, e quando o clima já tumultuava, o rei, lá acabou por aceitar falar com o plebeu que obteve dele um barco para partir em busca da “ilha desconhecida”… Pela sua atitude de homem determinado, acabou por levar também consigo a “mulher da limpeza” que atendia por uma nesga na porta das petições. Ele fizera-a passar, enfim, pela porta das decisões, “que é raro ser usada, mas quando o é, é”… O problema é que o popular não sabia sequer navegar e tampouco onde procurar a tal “ilha desconhecida”. Pensara o rei, então, tratar-se de um “louco varrido, dos que têm a mania das navegações, a quem não seria bom contrariar logo de entrada”. O seu propósito era o de buscar sentido para a sua própria existência. Apesar de não saber navegar, tinha alma de navegador e falava como experiente marinheiro: - “é estranho que tu (dirigindo-se ao comandante dum barco), sendo homem do mar, me digas isso, que já não há ilhas desconhecidas, homem da terra sou eu, e não ignoro que todas as ilhas, mesmo as conhecidas, são desconhecidas enquanto não desembarcamos nelas”. Os portugueses de quinhentos, postados ante os vários impasses, cansaram-se de contemplar o mar e avançaram por ele dentro, na esperança de encontrar novos lugares e novas gentes. O mundo estava a passar por mudanças tremendas. Havia coisas que estavam a aparecer, sem que ninguém soubesse a direção a tomar. Era mais uma época de confusão. Hoje, também nos encontramos sitiados e à mercê dos agi-

Os Incompetentes otas: quanto mais os denunciamos, mais ripostam. Será que não há mais “ilhas desconhecidas” por descobrir?!... Convinha começar por (re)descobrir os mares, as terras e as margens que banham o Oceano Atlântico… No seu conto, Saramago, faz uma abordagem elíptica desta realidade, convidando-nos a retomar, entre o fascínio e o susto, o espírito da epopeia dos Descobrimentos. Os leitores mais atentos vão descobrir nele dedadas vermelhas: preocupações sociais e isolamento do poder. Não era escritor de bater no peito. As coisas novas sempre suscitaram contestação e abuso: quando apareceu a anestesia, a contestação era o ser humano “perder a compaixão”… os americanos abusaram da descoberta da electricidade, quando a fizeram (fazem) passar pelas cadeiras dos condenados à morte… Estamos, pois, perante a necessidade de encontrar a “ilha desconhecida”, explicou ele, não para a escravizar ou dela ficar escravos, mas para nos redescobrimos no contexto da Europa e do Mundo. A diferença está entre falar dos Descobrimentos, como se fossem mais um livro de aventuras aos quadradinhos ou compreendê-los á luz do século XXI. O que fica das pessoas é terem sido capazes, em dado momento, de marcar a vida dos outros, de os contagiar. O desafio é, pois, partir à descoberta da “Ilha Desconhecida” que há em cada um de nós, a que se refere Saramago… ainda que tenhamos de a procurar em “jangada de pedra”. No final disto tudo, o que quero deixar mesmo é um convite à leitura de “O Conto da Ilha Desconhecida” de José Saramago que talvez ajude a fazer alguma luz nos espíritos mais conturbados …

H

á uma série de televisão americana, baseada num filme dos anos setenta, que se chama “Os Incorruptíveis contra a droga” e que retrata a luta das autoridades de Nova Iorque contra a corrupção e o crime do narcotráfico no início do século passado. Lembrei-me disto por causa da série que é, actualmente, o grande sucesso nas televisões portuguesas e que se chama “Os Incompetentes contra os Tugas, especialmente os não socialistas” É a história dum bando autoritário grupelho formado por conceituados dirigentes do partido socialista (o tal partido que está no governo do país há catorze dos últimos dezasseis anos) que, tendo escaqueirado o país, se esforça, como o catano, por virar o bico ao prego, sacudir a água do capote, assobiar para o lado e atirar as suas enormes e exclusivas culpas para o vizinho do lado, seja ele quem for. Um marciano que aqui esteja a passar férias e perca algum do seu tempo a acompanhar os sucessivos episódios desta série, há-de, sem dúvida, derramar uma lagrimazinha de cada vez que o calimero que chefia o bando se queixa: coitadinho, ele que é tão bom e tão competente, ele que fez tudo bem e tem, afinal de contas, tanta gente a dizer mal dele só porque resolveu hipotecar as jóias da avó à socapa, sem dar cavaco a ninguém que não pertencesse à sua pandilha. O Incompetente mor, sabendo que por detrás das câmaras está um povo apalermado e arruinado, que ele e a sua gente manipulam e esmifram há seis anos, pretende, com esta actuação, arrasar a concorrência e limpar o máximo de votos prémios possível, desde o do “melhor actor dramático” ao Óscar da mais “desavergonhada prova de falta de vergonha”. Há dias revi um episodio, duma hora e dez minutos, que passou em Setembro de dois mil e nove, um debate entre o chefe do bando, o Incompetente mor, e uma velha senhora que dirigia um partido opositor e cujo nome agora não me lembro. A velha devia ser bruxa porque o que está hoje a acontecer é, quase tintim por tintim, aquilo que ela anteviu que aconteceria se o seu opositor, o Incompetente mor, ganhasse as eleições. À época, as críticas ao debate deram, na sua esmagadora maioria, nota alta e uma brilhante e espectacular vitória da propaganda do mentiroso do excelente Incompetente mor; quanto à velha, vidente ou não, foi arrasada, tratada abaixo de cão, demasiado pessimista e acusada de não dizer mentiras dar sinais de esperança ao povo. O Incompetente mor e o seu grupelho, se bem se lembram, tinha diminuído o IVA e aumentado os salários da função pública, prometia viagens de comboio em alta velocidade, aviões a aterrar e a levantar voo em aeroportos novos, uma vida cor-de-rosa a quem continuasse a acreditar nele. Em vez dessa vida cor-de-rosa, deu-nos, em menos dum ano, um novo e brutal aumento de impostos; de cada vez que apresentou um PEC, jurou, com cara de pau, que dessa vez é que a despesa do Estado seria mesmo controlada e reduzida a sério e que aqueles aumentos eram mais do que suficientes. Já vamos em quatro e, como previa a velha, se o Incompetente mor ganhasse, a procissão ainda vai no adro. Pobre de quem não é socialista neste país! Porque, para quem ainda o é e o pretende continuar a ser, a vida só pode estar a correr muito bem! E um conselho a quem puder: reveja o debate de que falei lá atrás!


10 REPORTAGEM

24/03/2011

VII ANIVERSÁRIO DO ROTARY CLUBE DE TONDELA Embora a data de aniversário seja o dia 16 de Março, por motivos de agenda, o Rotary Clube de Tondela comemorou no passado dia 18, o seu sétimo aniversário. Para assinalar a efeméride teve lugar às 16 horas no Auditório Municipal, gentilmente cedido pela Autarquia, uma conferência sobre Fernando Pessoa. Diamantino Matos, médico e membro do Rotary Clube de Estarreja deu a conhecer todas as facetas da vida e obra daquele que foi considerado um dos maiores poetas da Língua Portuguesa e da Literatura Universal, muitas vezes comparado com Luís de Camões. A dissertação do orador sobre a vida e obra de Pessoa foi complementada com a projecção de diapositivos, o que contribuiu para uma melhor compreensão tanto do Homem como da sua Obra. Nenhuma faceta do poeta foi esquecida, muito embora Diamantino Matos tenha insistido na criação estética de Pessoa com a invenção heteronímica que atravessa toda a sua obra. Embora Álvaro de Campos, Ricardo Reis e Alberto Caeiro, sejam os três heterónimos mais conhecidos, o conferencista não esqueceu também Bernardo Soares, autor do Livro do Desassossego, essa importante obra literária do século XX. Alguns Companheiros do Rotary Clube de

Estarreja declamaram alguns poemas de Fernando Pessoa. Foi uma explanação recheada de ensinamentos tirados da obra de uma dos maiores poetas portugueses e que foi considerada pelo critico literário Harold Bloom como um “legado da língua portuguesa ao mundo”. Na assistência, além dos membros do Rotary Clube de Tondela e de Estarreja, esteve o Director da Escola Profissional de Tondela e alunos e Professores da Escola Secundária de Molelos.

JANTAR CONVÍVIO Para encerrar a comemoração do aniversário teve lugar pelas 20 horas, no Hotel S. José um jantar convívio que reuniu cerca de três centenas de

pessoas. A Câmara Municipal esteve representada pela vereadora, Cecília Fragoso e a Escola Profissional por um dos seus Professores que, voluntariamente, ministra aulas na Universidade Sénior do Rotary Clube. Em representação do Governador do Distrito Rotário 1970, esteve o Companheiro José Augusto Ferreira do Rotary Clube de Viseu, Clube Padrinho. Deste Clube estiveram presente o Presidente e outros membros. Registamos também a participação no evento de Companheiros dos Clubes Rotários de Estarreja, da Murtosa e de Mangualde. Nas intervenções, cujo conteúdo se circunscreveu ao simbolismos do acontecimento, usaram da palavra o Presidente do

Rotary Clube de Viseu, a vereadora da Câmara Municipal, o Companheiro Diamantino de Matos do Rotary de Estarreja, o representante do Governador de Distrito, José

Augusto e, por fim a Presidente do Clube anfitrião, Maria Clara Marques que dirigiu a todos palavras de circunstância e agradecimento. Assim se terminou a

comemoração de mais um ano de vida do Rotary Clube de Tondela que continuará fiel ao seu lema, “Dar de Si Antes de Pensar em Si”. V.C.


CIDADE 11

24/03/2011

Tondela

Alunos da Secundária aprenderam sobre igualdade de género

A Professora falou sobre igualdade de género TEXTO E FOTOS: ARMÉNIO PEREIRA

D

ecorreu recentemente na sala C7 da Escola Secundária de Tondela uma aula dedicada a uma temática que tem estado muito em voga nos últimos anos e que se relaciona com a igualdade de género. Os destinatários desta acção foram os alunos do 10º ano de Filosofia do conhecido professor Alfredo Cabral e a responsável pela mesma foi a professora Helena Figueiredo.

Nesta palestra foram dados conceitos sobre este tema que apesar de agora ser mais abordado os problemas inerentes vêm de há séculos. Por isso não é a mesma coisa falar de sexo e género e a distinção que temos de fazer mesmo ao nível do senso comum pode levar-nos a concluir que mesmo alguém sendo de um determinado sexo pode ser de um género diferente. Está neste momento consagrada na Constituição Portuguesa é um dos deveres fundamentais do Estado português e toda a comunidade europeia fomentar a igualdade de direitos entre homens e mulheres.

Alunos do 10.º Ano

Ao longo dos séculos constatou-se que esta desigualdade para além de ilegítima confere que deve ser consultada a Constituição da República Portuguesa e a Comissão para a Igualdade no Trabalho e Emprego (CITE). O código de trabalho e a própria segurança social são também organismos aos quais se pode recorrer sempre que se sinta que não estão a ser tratados com igualdade, para além do QREN, administração pública em geral e legislação antiga. Existe a diferença biológica entre sexo masculino e feminino, depois temos diferenças de género que corresponde a uma construção sociológica,

Helena Figueiredo e Alfredo Cabral cultural e não é biológica, “o género foi motivo de sofrimento de muitas pessoas durante muito tempo, quando por exemplo se diz que determinada rapariga é uma Maria rapaz, só gosta de trepar às árvores e jogar futebol e isso leva a que este tipo de pessoas sejam olhadas de maneira diferente e por conseguinte como um desvio à norma….”.

A IGUALDADE DE GÉNERO DEVE SER RESPONSABILIDADE DAS NOVAS GERAÇÕES Helena Figueiredo questionou os alunos se achavam horrível se fossemos todos formatados com um chip, todos iguais e gostássemos das mesmas coisas, “já viram se todos os rapazes da turma gostassem da mesma namorada?”. Para a docente o sexo e o género não são coisas sequer parecidas, mas apenas relacionadas uma com a outra. Uma realidade constatada na conferência de Viena sobre Direitos Humanos e Pequim sobre as Mulheres em 1993 e 1995, respectivamente. A nossa sociedade está muito dividida entre homens e mulheres, “eles complementam-se e nenhum tem direito a

inferiorizar o outro porque são duas metades da mesma coisa”. Mas dentro desta ideia ainda se foi mais longe afirmando que “não podemos continuar aceitar que diferenças de sexo que são ilógicas sejam confundidas com diferenças de género que são culturais, sociológicas e construídas”. Helena Figueiredo esclareceu que a diferença de género começa a ser construída quando um casal vai ter um bebé, a mãe está grávida o filho vai nascer e há que fazer os preparativos para esse dia e as coisas que vamos comprando já estão rotuladas com essa diferença. As diferenças biológicas de sexo são decorrentes da natureza, por isso naturais, em princípio imutáveis e insusceptível de originar qualquer discriminação enquanto as igualdades de género são socialmente construídas e por vezes originadoras de comportamentos discriminatórios. A professora Helena Figueiredo falou também das mulheres árabes que têm de andar de cabeça tapada, “mas a partir de um momento que uma tradição vá colidir com os direitos básicos das pessoas não há relativismo cultural nenhum que o justifique…”. A desigualdade de género está intimamente

relacionada com a violência doméstica porque esta ideia pressupõe que alguém é superior e outro inferior. O par deve estar ao mesmo nível e não deve algum deles exercer o poder físico sobre o outro ou em situações mais graves que é exercido psicologicamente. Esta descriminação de género leva a muitas outras no emprego, tráfico de seres humanos, violência doméstica, psicológica e muitos outros tipos de desigualdades que não se pretendem para o ser humano e muito menos no século XXI onde temos nós vindo a evoluir. Foi apresentado um filme onde foram evidenciadas as desigualdades que são praticadas em relação ao homem e à mulher na hora de admitir alguém no mercado de trabalho, sendo recorrente o primeiro sair a ganhar em igualdade de circunstâncias. No seio das famílias também há desigualdades de género porque no âmbito do agregado familiar há esta necessidade que é mais típica dos povos do sul da Europa. No final, Alfredo Cabral agradeceu a partilha dos conhecimentos de Helena Figueiredo com os seus alunos, oferecendo-lhe uma lembrança pela acção desenvolvida neste dia na Escola Secundária de Tondela.


12 CONCELHO

24/03/2011

Parada de Gonta

Campo de Besteiros

RODRIGO XAVIER

PAULO FONSECA

DIA 19 DE MARÇO, DIA DE S. JOSÉ, DIA DO PAI Com organização da ASSODREC (Associação de apoio domiciliário aos idosos) realizou-se no salão da Junta de Freguesia um jantar convívio em homenagem aos pais desta Freguesia e a outros que se quiseram associar a este dia, os quais estiveram presentes juntamente com esposas, filhos e netos, num total de 150 pessoas. Pelas 19h30 as pessoas começaram a entrar para o salão para assim se acomodarem nas mesas expostas para este jantar convívio. Foi então que o novo Presidente da ASSODREC, sr. Fernando da Silva Maia, fez um breve discurso no qual agradeceu à multidão presente que encheu por completo o salão, a todos os elementos da sua Direcção, Assembleia-geral, Conselho Fiscal, órgãos sociais e colaboradores, onde todos proporcionaram em beleza uma noite de homenagem a todos os Pais presentes e aqueles já falecidos. Como não podia deixar, explicou a todos as dificuldades que vão encontrar para assim levarem a obra do lar de idosos em bom ritmo. No futuro pediu a todos para nos unirmos para ajudar esta Colectividade, monetariamente ou com outros produtos, porque em vários géneros também se faz dinheiro, como por exemplo produtos agrícolas, pinheiros, etc. Noutras coisas se fa-

“MÓRBIDO “ VANDALISMO

lou as quais ficarão para mais tarde serem esclarecidas. Findo o breve discurso, o pessoal de serviço começou a servir o esmerado, requintado e abundante jantar composto por várias entradas, sopa, arroz com feijão acompanhado de várias qualidades de carnes, tudo grelhado, pão, vinho, águas, sumos e salada de fruta. No final houve bolo regado com champanhe, tudo isto preparado e cozinhado pelo excelente e reputado cozinheiro sr. Fernando (Quitanga) auxiliado por todo o pessoal de serviço estando todos de parabéns, assim como a Associação ASSODREC que com esta nova gerência tudo fizeram de bom nesta homenagem a todos os Pais desta Freguesia.

PROTECÇÃO DE SEGURANÇA NA ESCADARIA DA IGREJA

A Comissão da Igreja comprou e aplicou nas duas escadarias de acesso ao adro da nossa Igreja Matriz, dois corrimões para assim os idosos e todos aqueles que precisam, se protegerem ao subir ou descer os degraus. Há muito que já se esperava por esta protecção que agora foi instalada. Bem-haja à Comissão da Igreja! “É verdade que quanto mais se faz, mais se pede”. Nós, os portugueses, quando nos dão alguma coisa habituamo-nos logo a pedir outras. É o caso de quando for possível e esta Comissão tenha posses financeiras, ou que se a Irmandade tem verbas, que não são deles mas sim de todos nós, e havendo acordo mutuo entre todos, se faça a mesma segurança de protecção nos muros do adro onde em casamentos, baptizados e mesmo

em funerais se juntam muitas pessoas e principalmente crianças, as quais por qualquer problema de saúde ou descuido possam vir a cair, onde infelizmente se acontecer só por milagre ficarão bem.

CHEGOU A PRIMAVERA Depois do passado domingo, dia 23, que vivemos a Estação da Primavera que irá durar até ao dia 2 de Junho passandose então para a Estação do verão que começará no dia 21 de Junho às 17h16. O tempo e temperatura que irão surgir na Primavera nenhum de nós temos o poder de adivinhar porque quem manda, pode e quer.

ASSEMBLEIA NO ADRC Na próxima sexta-feira, dia 1 de Abril, pelas 20h30 na sede do Clube no Estádio Tomaz Ribeiro, haverá uma Assembleia para informação da Direcção aos sócios de vários pontos de interesse para o Clube. Pede-se a vossa comparência porque é nestes lugares que se devem resolver os interesses deste Clube.

MUDANÇA DA HORA No próximo domingo, dia 27 de Março, à 1 hora da manhã os nossos relógios devem avançar 1 hora passando assim ao horário de Verão. Se quer cumprir os seus horários a partir de Domingo, não se esqueça de avançar os relógios.

A freguesia de Campo de Besteiros, tem sido assolada nestes últimos tempos, de vários roubos, assaltos a casa de habitações em plena luz do dia, até à própria caixa de esmolas da Capela da Senhora do Campo, não escapou à tentação na visita de pessoas com segundas intenções. Para reforçar esta onda de criminalidade, na passada semana, tivemos conhecimento que a Igreja Paroquial de Santa Eulália, foi alvo de uma tentativa de assalto, cujo objectivo seria o roubo, ou então foi uma acção de puro vandalismo, que deveria ser vista e analisada com alguma atenção e preocupação: A porta da sacristia da referida igreja foi incendiada. Quando se fala em poupar, em cortes na despesa de uma determinada rubrica, neste caso nas forças de segurança, quem define estes cortes deveria acautelar a segurança dos seus próprios habitantes e tentar conhecer a realidade da sua região. Poderemos nós, interligar este aumento da criminalidade, com a diminuição das forças de segurança, neste caso da Vila de Campo de Besteiros? Responda quem de direito. Hoje, queremos fazer mais um alerta às autoridades competentes, para que em uníssono, possamos pedir que em Campo de Besteiros e seus arredores, o Posto da GNR, possa ser reforçado com mais meios humanos, para bem da comunidade envolvente. Argumentos válidos e mais que suficientes, para dinamizar uma acção mais concertada. Pormenorizando, hoje, reforçamos e direccionamos as expectativas das autoridades da freguesia e do Município, para que intercedam junto do Sr. Ministro da Administração Interna, que o Vale de Besteiros, não é só aqui. É um pouco “ mais além”. As pessoas necessitam de paz, confiança, saúde e acima de tudo de segurança, devido aos tempos de crise que o país e as suas regiões atravessam. “ Pela sua segurança e da sua “casa”, mantenha sempre a porta fechada.” Está dado o mote. Quem é o Senhor que se segue!


CONCELHO 13

24/03/2011

Nandufe

Alvarim (Dardavaz)

O CESTEIRO

FAUSTO V. MACEDO

“OS CAVAQUINHOS”

CARNAVAL

O Grupo Cavaquinhos fez no passado dia 6 de Março uma festa surpresa ao Lar de Idosos da Fundação Marcos e de Ana Gonçalves na Coelheira na cidade de Tondela onde proporcionou uma agradável tarde ao som das suas melodias. Naturalmente que todas as pessoas que lá se encontram , assim como os seus funcionários ficaram maravilhados com uma tarde inesquecivel, pois ficaram deliciados e radiantes ao som das músicas e melodias interpretadas por este Grupo de Cavaquinhos de Nandufe. Será assim que nos apraz registar com muito agrado este tipo de Solidadriedade pois é para com estas pessoas e com todos aqueles que ao longo de uma Vida deram tudo para terem um futuro um pouco mais risonho.

Como já vem sendo hábito, as instalações da ARCA servem também para as festas carnavalescas. A surpresa começou no Domingo com uma equipa de senhoras e jovens que vestidos a rigor deram a volta à povoação com o toque de bombos assumindo assim o começo do Carnaval. Na terçafeira, nas instalações da ARCA, devidamente ornamentada para o efeito, tivemos baile de máscaras e desfile das mesmas

“PROJECTO LIMPAR PORTUGAL” 1 - Os resíduos recolhidos no âmbito de acções de voluntariado inseridas na iniciativa «Limpar Portugal» e que tenham como destino final os aterros ou instalações de incineração de resíduos urbanos não são contabilizados para efeitos da Portaria n.º 72/2010, de 4 de Fevereiro. 2 - Para efeitos de aplicação do número anterior, apenas são considerados os resíduos entregues no âmbito de acções de voluntariado inseridas na iniciativa «Limpar Portugal» que tenham sido previamente comunicadas à comissão de coordenação e desenvolvimento regional competente.O regime excepcional estabelecido no artigo 2.º da presente portaria apenas produz efeitos no período compreendido entre 19 e 25 de Março de 2011. Assim é importante que no próximo dia 20 todos participem em mais uma “Jornada de Limpar um pouco este País”. Naturalmente que muitos gostariam de limpar o “País” de outra maneira, mas, existem boas perspectivas e já não deve tardar muito para que a “Limpeza “ seja uma realidade para os lados do Rio Tejo!

“DIA DA MULHER E O BAILE DE CARNAVAL” As mulheres desta Freguesia também quiseram comemorar o Dia da Mulher no passado dia 9 de Março. Realizaram um mega jantar no pavilhão Multiusos/Cantina com um lauto banquete que só “elas” sabem fazer. Diz quem viu, que foi um serão muito bem passado, e que foram premiadas com um espectáculo musical em que participaram as “Doces”. Também na véspera de Carnaval, e tal como se tinha noticiado anteriormente, o pavilhão Multiusos/Cantina quase encheu por completo apresentando uma boa casa, com muita gente vestida a rigor para esta quadra carnavalesca. Esperamos que futuramente existam mais eventos deste e de outro género para que a participação seja ainda maior.

Agradecimento Maria Ofélia Fernandes Duarte Ribeiro Molelos A família, na impossibilidade de o fazer pessoalmente como era seu desejo, vem por este meio agradecer a todas as pessoas que se dignaram acompanhar a sua ente querida à sua última morada e bem assim a quantas que de qualquer outra maneira lhe manifestaram o seu pesar. Serviço a cargo da Agência Funerária do DÃO, LDA.

onde se encontravam bastantes mascarados desde os 17 meses de idade aos 50 anos, cada um à sua maneira mas alguns com bastante imaginação, e reza a tradição que os foliões da vizinha povoação de S. Joaninho marcaram presença tendo na parte de adultos arrebatado o 1.º lugar. Às crianças foram distribuídas guloseimas devidamente preparadas. Quanto aos mascarados adultos para além dos foliões de S. Joaninho, tivemos a presença de dois

mascarados vindos de Tondela, neste caso eram duas senhoras que muito nos honraram com a sua presença. O público também marcou a sua presença passando uma tarde de riso acompanhado do bater de palmas consoante o desfile ia decorrendo. E assim a ARCA e seus dirigentes estão de parabéns por mais um ano o Carnaval não ficar esquecido.

UMA JÁ FOI ABAIXO Depois de se ter

alertado neste Jornal a antiga casa do José Lopes foi demolida proporcionando agora um belo espaço público, esperando que o seu solo seja devidamente preparado. Já as outras duas habitações do falecido José Colores e Teodoro Braz, esta última propriedade da Igreja, é aquela que maior perigo pode causar ao público que ali passa diariamente. Esperamos que os próprios donos ou autoridades competentes façam algo para que nenhuma tragédia venha a acontecer.

Tourigo MANUEL DA COSTA Da Assistente Social do Centro Social do Tourigo, IPSS, recebemos o texto que abaixo publicamos:

“DISCOTECA PARA IDOSOS” No dia 10 de Março de 2011, foi proporcionada aos idosos de três instituições um dia diferente com muita animação. Nesta actividade estiveram envolvidos o Centro Social do Tourigo – IPSS, o Lar das Pedras Soltas do Caramulo e o Lar da Santa Cruz de Santa Comba Dão. O convívio teve lugar na discoteca “Swell Club” do Caramulo, espaço gentilmente cedido pelo Senhor António Júnior, na qualidade de Director do Hotel do Caramulo, ao qual desde já as instituições envolvidas agradecem pela sua compreensão e boa vontade. Um agradecimento especial também ao “DJ Manu” que proporcionou uma boa tarde de música aos idosos, funcionários e a todos os que quiseram participar. A actividade surge no âmbito de estágios curriculares a decorrerem nas instituições acima

indicadas. Os estagiários são alunos da Escola Profissional de Tondela a frequentarem o curso de Técnico de Animador Sociocultural. A tarde esteve sempre muito animada o que contribuiu para um agradável ambiente. Durante o convívio foi serviço um lanche a todos os presentes. São iniciativas destas que permitem aos nossos idosos sentirem emoções novas, conhecerem pessoas diferentes e permitem também uma proximi-

de: António Luís Simões Dias - CANALIZAÇÕES - MONT AGENS MONTA

Energia Solar Ar Condicionado Aquecim. Central

- ELECTRICID ADE ELECTRICIDADE Telem.: 966 083 869

R. Principal, N.º 538 * Eiras * Castelões * 3465-126 Campo de Besteiros

dade maior com os seus cuidadores. Fica a vontade de repetir a experiência. RITA CARDOSO

ALMOÇO DE PRIMAVERA E DE SOLIDARIEDADE – 10 DE ABRIL DE 2011 No próximo dia 10 de Abril, o Centro Social do Tourigo – IPSS, promove o Almoço de Primavera, para angariação de fundos para as actividades que realiza, à semelhança de anos anteriores. Convidamos a partilharem connosco, um almoço confeccionado na nossa cozinha e servido na nossa sede na Rua do Calvário, nº 119, no Tourigo (edifício onde funciona o Centro de Dia). A Ementa, que vamos oferecer, será constituída por:

Creme de Legumes; Lombo de Porco assado, acompanhado de arroz, batata assada e feijão verde; - Sobremesas: fruta, pudim e bolo; - Águas, Sumos, vinho; - Café. As inscrições estão abertas até ao dia 7 de Abril e podem ser efectuadas nos locais habituais: na sede do Centro Social do Tourigo, na Associação das Pousadas, na Associação Folclórica e Recreativa do Tourigo, no Centro Cultural e Desportivo do Tourigo, no Comércio Fernando Ventura e, no Comércio Armando Costa Almeida. Também o pode fazer directamente para a Sede do Centro Social, pelo telefone 232 871 573. Contamos com a vossa participação! Venha! Vai ver como é bom, solidariamente, festejar a Primavera.


14 CONCELHO

24/03/2011

Mosteiro de Fráguas JOSÉ DA CRUZ MENDES

ACERCA DE RIOS Aproveitando a apresentação do projecto que a Câmara Municipal de Tondela promoveu acerca de alguns rios do nosso Concelho, entendemos que se a ideia for concretizada é utilíssima e é de extrema necessidade o aproveitamento das vias fluviais actualmente abandonadas. Bom seria que todo o País assumisse este ideal até porque não estamos em tempos de desperdiçar energias. Dizia a experiência dos que já passaram; “quem não poupa água e lenha, não poupa nada que tenha”. Esperamos que a nossa Freguesia esteja integrada no respectivo projecto, pois além da beleza paisagística há outros sectores beneficiados, até criados alguns postos de trabalho.

RESPEITANTE AOS RIOS Uma nossa conterrânea a viver algures cá no rectângulo e ao que parece assinante do nosso Jornal, aproveitando os parabéns de aniversário da sra. D. Cacilda Cardoso de Figueiredo, enviou um

poema ao nosso Dinha: Meu querido Rio Dinha Tu que corres tão perfeito Ai nesse doce leito Sempre lento desse jeito Pareces uma caminha Transparente, cristalina Em meus sonhos de menina Tu transpões todos os vales E saras todos os males Aos peixes tu alimentas E as secas afugentas E quando galgas as margens Haverá novas pastagens Eles parecem pajens Esses amieiros em fila E eu fico tranquila Eles querem-te proteger Não te vão deixar morrer Com esse teu borbulhar Tu consegues embalar Nossos sonhos, frustrações Como cantaria Camões És um rio de emoções. Parabéns Celeste

NOTICIAS DA ASSOCIAÇÃO Realizou-se no último sábado e primeiro de Março o Torneio de Copas da colectividade em que os três primeiros lugares foram os seguintes: 1.º Luís Ramalho (O Espanhol); 2.º - Luís Marques (O Desgraçado); 3.º Anselmo (O Mito).

A cerimónia de encerramento será no dia 19 de Março e desta farão parte um jantar assim como a entrega de troféus aos três primeiros classificados e lembranças alusivas a todos os participantes. Ainda não tinha terminado o segundo Torneio de Copas e já a Direcção da ADCR estava a arregaçar as mangas para levar a cabo novas actividades para os seus associados assim como para todos os que gostam da Associação. Como já vai sendo hábito há alguns anos a esta parte, realizou-se no dia 7 de Março o tradicional baile de máscaras com respectivo concurso. Este ano superaram-se todas as expectativas pois apareceram imensas o que quer dizer que esta brincadeira está cada vez mais concorrida na nossa terra. A noite foi abrilhantada pelo som do nosso já conhecido DJ NF e a festa rija durou até altas horas da matina. E como não há duas sem três, logo pela manhã do dia 8 já estava a Direcção da ADCR em conjunto com a Junta de

Freguesia a prepara o jantar do Dia Internacional da Mulher. Este jantar foi totalmente confeccionado por elementos da Associação e respectiva Junta local. Após ultrapassar as peripécias os ilustres cozinheiros lá conseguiram terminar o repasto. Este foi servido a mais de meia centena de senhoras, pelas 20 horas, e para alegria dos presentes

esteve de serviço o teclista Jorge. É de realçar que todas as participantes tiveram direito a uma lembrança alusiva ao dia assim como algumas surpresas durante o jantar. Segundo nos pareceu a ementa agradou e a festa continuou animada até bem perto da meia-noite, pois o dia que se seguia era de trabalho para a grande maioria das parti-

cipantes. Após estas festas a Direcção da Colectividade agradece a todos os que colaboraram e participaram. É de lembrar que para o dia 20 de Março a Associação vai levar a cabo a celebração do sétimo aniversário do Grupo de BTT e simultaneamente realizar o habitual convívio do Grupo, para pessoas dos 6 aos 80 anos.

ASSOCIAÇÃO DOS BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS DE TONDELA ASSEMBLEIA GERAL CONVOCATÓRIA

AVISO Concurso Público para a concessão de exploração do quiosque do Emigrante sito na Rua Pedro de Figueiredo em Tondela Concurso promovido pela Câmara Municipal de Tondela – Largo da República, 16 3464 – 001 Tondela, telefone 232 811110, telefax 232 811120. O processo de concurso encontra-se patente na Secretaria de Obras Públicas da Câmara Municipal de Tondela, onde poderá ser consultado ou adquirido, nos dias úteis, das 9,00 às 17,00 horas. O prazo de entrega das propostas será até às 15,00 horas do dia 31 de Março de 2011. A abertura de propostas realizar - se – à no dia 01 de Abril de 2011, pelas 11:00 horas no Salão Nobre da Câmara Municipal de Tondela. Prazo de exploração: 2 anos. Valor base da renda mensal: 75,00 • Data do envio para publicação em Diário da República em 10 de Março de 2011. Paços do Município de Tondela, 16 de Março de 2011 O Presidente da Câmara Municipal Dr. Carlos Marta. (JORNAL DE TONDELA, 24 DE MARÇO DE 2011)

MA URÍCIO CALÇAD A MAURÍCIO CALÇADA

FISIO TERAPEUT A FISIOTERAPEUT TERAPEUTA Fisioterapia no Domicílio Neurológica - Traumatológica Ortopédica - Reumatológica CONTACTOS: 232851150 - 961666226

Nos termos do N.º 2, do Art.º 44 dos Estatutos da Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Tondela e para efeitos do N.º 2, alínea c) do Artigo 43.º dos mesmo Estatutos, convoco a Assembleia Geral Ordinária, para reunir na sua sede, sita na Rua dos Bombeiros Voluntários, n.º 12, em Tondela, no dia 31 de Março de 2011, pelas 20H30, com a seguinte

ORDEM DE TRABALHOS 1. Discussão e Votação do Relatório, Contas e Parecer do Conselho Fiscal, relativos ao anod e 2010; 2. Informações Se à hora marcada não comparecer o número legal de associados (50%) a Assembleia reunirá meia hora mais tarde (21H00) no mesmo local e com a mesma Ordem de trabalhos, funcionando então com qualquer número, nos termos do N.º 1 do Art.º 49º dos citados Estatutos. Tondela, 12 de Março de 2011 O Presidente da Mesa da Assembleia Geral Dr. António Henriques Pinho Marques (JORNAL DE TONDELA, 24 DE MARÇO DE 2011)

PAUL O MONTEIR O ULO MONTEIRO MÉDICO ESPECIALISTA EM REUMATOLOGIA DOENÇAS REUMÁTICAS E OSTEOARTICULARES

Tondelmédica - Telef.: 232 821 815 Rua Dr. Flausino Torres - Tondela

NEUR OL OGIA NEUROL OLOGIA DR. PETER GREBE

TRATAMENTO DE ENXAQUECAS/CEFALEIAS DOENÇAS DO SISTEMA NERVOSO

CONSULTAS E MARCAÇÕES Tondelmédica Telef.: 232 821 815 Rua Dr. Flausino Torres - Tondela


CONCELHO 15

24/03/2011

INICIO DA PRIMAVERA Foi no dia 21 de Março que começou a Primavera e terminou o Inverno. Este foi bastante frio, mas a chuva, nem por isso, pois ainda terá que vir muita, se não as nascentes ficam fracas para poderem enfrentar o Verão que vai começar daqui a três meses, ou seja a 21 de Junho. Os lavradores precisam de chuva, mas que o frio não nos aperte mais que já veio bastante. O frio na Primavera estraga os cultivos com as geadas a queimar batatais e videiras, mas isso só o Deus o sabe. Também já lá vão duas semanas da Quaresma e estamos quase na Páscoa. Já só faltam cinco semanas, por isso, vou descrever o que era este período no meu tempo de novato. A carne que sobrava do dia de Carnaval, já cozida, só era permitido comer no domingo. Os outros dias

Freimoninho (Mosteirinho)

Lobão da Beira

JOAQUIM VIEGAS DA CONCEIÇÃO

ANTÓNIO PAIS FERREIRA

eram dias de abstinência e só se podia comer carne segundo, terça quarta e quinta porque na sexta não era permitido. E mesmo assim para se comer tinha que se pagar uma importância consoante a posse de cada família. Pagava-se por meio daquilo a que se chamava “bula” que era uma quantia em dinheiro que revertia a favor da Igreja. Também durante a Quaresma a malta nova ou seja rapazes e raparigas eram obrigados ir à desobriga para saber se as pessoas sabiam a doutrina. Na igreja o senhor padre perguntava a um por um o Pai Nosso e outras orações. As orações eram muitas e dizia-se que quem não as soubesse viria da Igreja com uma “raposa” às costas como castigo. Era uma maneira de amedrontar os mais ingénuos. Ainda durante a Quaresma, mas isso era para toda a gente, era quase obrigatório ir à confissão. No fim tinham de passar pela sacristia para dar bai-

xa no livro que existia com os nomes de todos os paroquianos. Hoje isso está fora de questão só vai à confissão quem quer. Cabe em primeiro lugar aos pais dar a educação aos filhos e para aprender a tal doutrina, as catequistas ensinam-na voluntariamente.

O TEMPO Aqui na aba poente da serra do Caramulo após quase uma semana de tempo bastante nublado e com pouca chuva, mas frio, eis que temos dias com lindo sol mesmo já a lembrar a Primavera para bem de todos nós e também para os agricultores para plantar os seus batatais. Com este dia de sol já apetece mexer na terra. Hoje está o céu limpo com uma aragem de vento leste brando a prometer temperaturas acima dos 25 graus. Porém, as noites ainda não dispensam as mantinhas.

Maria Manuela de Figueiredo Almeida NOTÁRIA NIF: 128 291 990 Av. Dr. António Manuel Tenreiro da Cruz, n.º 54

PRIMAVERA CHEGOU Entrou o período da estação da Primavera. A temperatura subiu e fazse sentir. Os agricultores preparam-se para organizar, com tempo, os seus terrenos, porque as sementeiras estão à vista. A subsistência de muito boa gente tem como “fonte” a agricultura tradicional.

MUDANÇA DE HORA A partir do próximo domingo os ponteiros do relógio devem ser aumentados de uma hora. É a entrada da hora de Verão. Aumentam os dias diminuem as noites como se depreende.

SEMANA DA CARITAS No fim de semana decorre o peditório para a Caritas. Um acção que

AGRICULTURA BIOLÓGICA “A agricultura biológica ainda está no começo em Portugal mas o consumo já é maior que a produção. Quem tenta aproveitar esta oportunidade de negócio fala das dificuldades e das expectativas”. Assim inicia uma demonstração que é fornecida pelo Jornal de Negócios, de 24 Fevereiro 2011 intitulada de “Regresso aos sabores da terra”, focando, a área de cultura biológica da responsabilidade de Nuno Lobão /família Pinto, que, com o devido respeito copiámos e retiramos do facebook. Lobão da Beira

WEB. Aconselhamos a sua leitura, pelo muito que ela encerra a respeito do tema.

PAINTBALL ACONTECEU Um evento levado a cabo sábado dia 19/03/11 pela empresa U N S T R E S S , WWW.UNSTRESS.PT, sedeada na cidade da Maia, decorreu na zona da tapada, Monte Meão/ Várzea. Cerca de duas dezenas de participantes a praticar este desporto, vindo de longe, nomeadamente Porto e Lisboa. No final deslocaram-se ao nosso café para um lanche, rumando aos seus locais de destino, convictos, de que, pode ser efectuada num futuro próximo nova vinda a terras beirãs de Viriato.

O ESTADO DO TEMPO PARA OS PRÓXIMOS DIAS TEMPO

DIA 5.ª

Chuva e trovoada

6.ª

Parcialmente nublado

Índice UV: 4 Baixo Índice UV: 6 Moderado

JUSTIFICAÇÃO NOTARIAL Certifico, narrativamente para efeitos de publicação que por escritura exarada de folhas 111 a folhas 112 do livro de notas número 111-I, deste Cartório José Rodrigues da Silva Marques e mulher Anabela Figueira Loureiro Marques, casados sob o regime da comunhão de adquiridos, naturais, ela da freguesia e concelho de Tondela e ele da freguesia de Nandufe, deste concelho, onde residem na Av. do Dinha, N.º 48, que se declaram com exclusão de outrem donos e legítimos possuidores do seguinte prédio: Rústico, sito no Chão da Macieira ou Várzea, freguesia de Nandufe, concelho de Tondela, composto por terra de semeadura, com a área de setenta metros quadrados, que confronta do norte com Ermelinda de Almeida, do sul com Adelaide da Silva, do nascente com António Marques de São João e do poente com quelha, inscrito na matriz, em nome das heranças de Armindo Marques de São João e de Maria da Glória Marques de São João, sob o artigo 1119, omisso na Conservatória do Registo Predial de Tondela. Que adquiriram a totalidade do mencionado prédio em mil novecentos e noventa, já então casados, por compra que dele fizeram aos referidos Armindo, solteiro, maior e Maria da Glória, viúva, que foram residentes em leiria e em Mem Martins, Sintra, sem que no entanto ficassem a dispor de qualquer titulo formal que lhes permita efectuar o seu registo na Conservatória do Registo Predial, sendo certo porém, que sempre têm exercido os poderes de facto correspondente ao direito de propriedade, sem interrupção, fruindo como donos as utilidades possíveis, à vista de todos e sem discussão nem oposição de ninguém. Está conforme o original. Tondela, 17 de Março de 2011. A Notária, (assina) (JORNAL DE TONDELA, 24 DE MARÇO DE 2011)

tem lugar nos lugares públicos habituais. O fim é a recolha de fundos para melhor poder partilhar com os que mais precisam. É bom ter-se isso em atenção.

Chuva fraca

Sáb.

Índice UV: 4 Baixo

Chuva

Dom.

Índice UV: 5 Moderado

Parcialmente nublado

2.ª

Índice UV: 6 Moderado

Aguaceiros

3.ª

Índice UV: 6 Moderado

Predominância de sol

4.ª

Índice UV: 6 Moderado

MÁX.

MIN.

11.ºC

6.ºC

11.ºC

6.ºC

11.ºC

6.ºC

11.ºC

6.ºC

11.ºC

6.ºC

12.ºC

6.ºC

13.ºC

6.ºC

Necrologia Fernando Rodrigues de Oliveira faleceu no dia 3 de Março de 2011 pelas 22 horas em Tondela, de onde era natural e residente. Era filho de José de Oliveira Júnior e Virginia Rodrigues de Oliveira. Foi a sepultar no dia 4 de Março de 2011 pelas 15h30 para o cemitério de Tondela. Mécia da Conceição de Matos faleceu no dia 6 de Março de 2011 pelas 16h30 em Castelões, de onde era natural e residente. Era filha de Mariano de Matos e Conceição da Glória Matos. Foi a sepultar no dia 7 de Março de 2011 pelas 17 horas para o cemitério de Castelões. Serviço a cargo da Agencia Funerária do TONDELFÚNEBRE, Lda.

MIGUEL P P.. CARDOSO

CRISTIN A B APTIST A CRISTINA BAPTIST APTISTA

Com: IMPLANTOLOGIA e ORTODONTIA

CONSULTAS E MARCAÇÕES

MÉDICO DENTISTA Praça do Comércio, nº 3 - 1º (Por cima da Rosicar) Telef.: 232821959-TONDELA * 917 373 426

PEDIATRIA Tondelmédica Telef.: 232 821 815

Rua Dr. Flausino Torres - Tondela


16 DESPORTO

24/03/2011

Campeonato Nacional de F. Feminino – 2.ª Fase

Futebol de Veteranos

1.º Dezembro, 2 – EFC Molelinhos, 1 EFC MOLELINHOS: Neide Mikas Sandrine Chica (cap.) Inês Cruz Catarina Bernardes Bárbara Marta Sueli Catarina Almeida Leila

Suplentes: Andreia Carolina Gabriela Catarina Ferreira Elsa Santos Inês Aguiar

Treinador: Luís Carlos

Quando na 1.ª fase aqui viemos empatar 2 a 2, ontem podíamos levar os 3 pontos, mas o futebol tem destas coisas. As duas equipas respeitaram-se mutuamente e passados 25 minutos, Catarina Almeida dentro da área, quando ia para rematar, foi travada no pé de remate. É penaltie, mas a senhora árbitra manda seguir o jogo. Aos 35 minutos, canto contra o Escola e surge o golo. O Clube de Molelinhos tudo fez para chegar à igualdade, teve algumas oportunidades mas a sorte não ajudava. Foi ainda aos 45 minutos que a turma da casa faz o seu segundo golo, de canto novamente. Na segunda parte o

Árbitra: Sílvia Domingues auxiliada por José Rodrigues e Luís Reis da Associação do Algarve.

treinador do Escola deixa no balneário Marta e entra Catarina que veio dar mais capacidade à equipa. O Escola não baixava os braços e aos 25 minutos, numa combinação entre várias jogadoras, porque o 1.º Dezembro cedo começou a jogar mais no seu meio campo, Inês Aguiar centra e Mikas aparece a fazer um lindo golo de cabeça. Ainda entrou para o lugar de Catarina Almeida, Inês Aguiar, e para o lugar de Leila, Elsa Santos. O Escola queria chegar ao empate, mas a partir do golo sofrido a equipa da casa jamais desguarneceu o seu meio campo, enviando as bolas para longe e a queimarem tempo. O Escola merecia o empate. Parabéns às jogadoras que se bateram de igual com as jogadoras da

casa. Domingo o Escola joga em Repeses com esta mesma equipa mas para as ½ finais da Taça de Portugal. Vão apoiar estas jogadoras que bem o merecem. C. MANEIRA

CAMPEONATO NACIONAL DE FUTEBOL FEMININO 2.ª FASE APUR. CAMPEÃO Cadima ------------------- 5 Leixões ------------------- 1 1.º Dezembro ----------- 2 ESCOLA ----------------- 1 J

V E D

F

C

P

Cadima

1

1

0

0

5

1

3

1.º Dezembro

1

1

0

0

2

1

3

ESCOLA

1

0

0

1

1

2

0

Leixões

1

0

0

1

1

5

0

PRÓXIMA JORNADA Leixões - 1.º Dezembro; ESCOLA - Cadima

Molelinhos

Escola Futebol Clube precisa de ajuda para a compra de uma carrinha A vida de uma equipa de futebol não se faz apenas dentro das quatro linhas, não se constrói apenas com vitórias, empates, derrotas, golos e pontos. Os intervenientes no

jogo antes de entrarem em campo por vezes fazem tanto sacrifício ou mais do que o esforço dispendido durante os noventa minutos que dura uma partida de futebol. Esse exemplo aplica-

se a cem por cento à enorme dedicação que as atletas do Escola Futebol Clube de Molelinhos dispensam à causa desportiva e futebolística em particular. Mas tal como as coisas por vezes dentro do campo não correm da melhor maneira, a situação ganha contornos idênticos fora dele. No dia 12 de Março, pelas 10 horas da manhã, uma das carrinhas do clube que transportava jogadoras para participarem no penúltimo encontro de futebol de sub-18 que se disputou no Vale da Pata em Molelos foi vítima de um aparatoso acidente. A ocorrência teve lugar no IP3 no troço que liga Mortágua a Santa Comba Dão e felizmente, não resultou em qualquer tipo de consequência física para

quem se fazia transportar. O mesmo já não se pode dizer em relação ao prejuízo causado no veículo de nove lugares, havendo neste momento a convicção de que a sua reparação poderá custar alguns milhares de euros, sendo colocada outra alternativa. O Escola Futebol Clube de Molelinhos tinha duas carrinhas destinadas ao transporte das jogadoras para os três treinos semanais, sendo também utilizadas em alguns jogos que a equipa tem de efectuar fora de casa. Com este acidente o clube passa a ter apenas uma o que vem dificultar e de que maneira o mobilidade das jogadoras com prejuízos sérios para a operacionalidade tanto nos jogos como nos trei-

C. D. Tondela, 5 – Gondar, 1 Realizou-se no passado dia 19 de Março, no Estádio João Cardoso, o jogo entre o Tondela e o Gondar. As equipas alinharam: C. D. Tondela: José Luís, Pedrosa, Sá, Luís Freixo, Élio, Zé Luís, Zé Alberto, Paulito, Viteta, João Fernandes, Jorge Manuel, Milhães, Júlio, Pinheiro, Luís Filipe e Stromberg. Treinador: Luís Carlos. Director: Boby Charton. Gondar: Victor Monteiro, António Santos, João Lucas, Jorge Oliveira, António Ribeiro, Zé Manuel, António Costa, Manuel Vieira, António Antunes, António Silva, José Rocha, Joaquim Queirós, Fernando Guedes e Adolfo Flores. Equipa de arbitragem: Luís Pinto, Alfredo Cocó e Ricardo Pereira. Tarde maravilhosa para a prática de futebol a convidar os intervenientes a proporcionar uma partida com bom futebol, e na realidade foi o que aconteceu. Os homens da casa, com o jovem e muito irrequieto Viteta, a inaugurarem o marcador logo aos 5 minutos, para 2 minutos depois, outro menos jovem mas muito trabalhador, João Fernandes, a por o resultado em 2 a 0. Assistia-se a um jogo muito bem jogado por uma e outra equipa, até que outro dos menos jovens, Zé Alberto, fixa o resultado do primeiro tempo em 3 a 0. A segunda parte ia decorrendo da mesma maneira mas com os homens de Gondar à procura do golo, mas os da casa estavam realmente muito fortes e neste jogo notava-se que nada iria tirar a vitória e foi com alguma naturalidade que Viteta faz mais um golo, muito bonito, aos 55 minutos para 5 minutos depois Stromberg, que anda de pé quente nestes últimos jogos, fazer um belo golo e assim com estes 2 golos pôs o resultado em 5 a 0. Viria o Gondar com alguma justeza fazer o seu tento de honra aos 75 minutos por Fernando Guedes. Diga-se também que a equipa de arbitragem esteve muito bem acompanhando as jogadas e deixando-as fluir muito bem. A terceira parte mais uma vez decorreu no Restaurante Novo Ciclo – Acert e o convívio entre todos foi excelente. A. ALEXANDRE nos. Perante o inesperado da situação, a direcção deste clube não pode deixar de apelar a todos os amigos para que possam na medida das suas possibilidades contribuir com a sua ajuda na compra de uma carrinha em segunda mão, estimando desde já a direcção que esta poderá custar cerca de 8 mil euros. É um esforço financeiro elevado para um clube que tem prestigiado em todo o país, tanto o con-

TEM AUTOMÓVEL? O SEGURO É OBRIGA TÓRIO! OBRIGATÓRIO! Está consciente das coberturas contratadas? Tenha entre si e a companhia de seguros um especialista. Preços especiais. CONTACTE: Eduardo Marques - Mediador de Seguros Rua Dr. Marques da Costa (junto à Escola de Condução) Tondela - Telef. 232 813 026 ou 91 762 79 57

celho de Tondela, como o distrito de Viseu. Apesar disso a direcção do Escola Futebol Clube está confiante que este apelo sensibilizará um amplo leque de destinatários, desde organismos oficiais, a empresas ou simples cidadãos. A receptividade deste apelo sentido certamente dignificará quem a ele aderir e assim possa demonstrar total generosidade com uma causa justa. C. MANEIRA


DESPORTO 17

24/03/2011

Campeonato da 2ª Divisão Nacional – Zona Centro

Os adeptos não mereciam tremenda lição táctica CD Tondela, 0- Padroense, 1 (0-0 AO INTERVALO)

Equipa titular no Domingo LIGA ZON SAGRES

II DIVISÃO NACIONAL ZONA CENTRO

Sp. Braga ---------------- 1 Rio Ave -------------------- 0

Cesarense --------------- 2 Pampilhosa -------------- 0

V. Setúbal ---------------- 2 Nacional ------------------ 1

Sp. Espinho ------------- 2 Esmoriz ------------------ 0

Portimonense ----------- 2 V. Guimarães ----------- 1

A. Lordelo ---------------- 1 Eléctrico ------------------ 0

Sporting ------------------- 0 U. Leiria ------------------ 0

TONDELA ---------------- 0 Padroense --------------- 1

FC Porto ------------------ 3 Académica -------------- 1

Tourizense --------------- 3 Gondomar ---------------- 0

Naval ---------------------- 2 B. Mar -------------------- 2

Anadia -------------------- 3 Coimbrões --------------- 2

Marítimo ------------------ 4 Olhanense --------------- 0

Boavista ------------------ 3 Sertanense -------------- 0

P. Ferreira ---------------- 1 Benfica -------------------- 5

Sp. Pombal -------------- 1 U. Serra ------------------ 1

J

V E D

F

C

P

F

C

P

Padroense

24 12

J

V E D 7

5

34

24

43

TONDELA

24 12

6

6

35

21

42

Boavista

24 11

7

6

36

25

40

FC Porto

24 22

2

0

56

8

68

Benfica

24 18

1

5

51

21

55

Sporting

24 10

8

6

33

25

38

Sp. Braga

Coimbrões

6

7

34

26

4

9

37

29

34

24 11

23 10

39

V. Guimarães

Sertanense

5

8

20

20

9

6

9

27

31

33

24 11

24

38

P. Ferreira

7

25

19

9

7

24

30

Sp. Espinho

7

8

33

24 10

24

37

Nacional

24

9

10

5

27

22

37

24

8

7

9

21

27

31

Gondomar

U. Leiria

24 10

4

10 32

24

34

24

8

6

10 19

27

30

Tourizense

Beira Mar

24

9

5

10 22

27

32

6

11

7

28

28

29

A. Lordelo

24

Marítimo

24

8

7

9

25

28

31

7

7

10 28

25

28

Anadia

24

Olhanense

24

7

10

7

27

31

31

6

10

7

19

25

28

Esmoriz

23

Rio Ave

24

8

5

11 29

39

29

7

6

11 22

27

27

Sp. Pombal

24

Académica

Pampilhosa

8

4

12 21

29

24

6

7

11 29

39

25

24

28

V. Setúbal

6

8

10 27

30

5

9

10 20

33

24

24

24

UD Serra

26

Portimonense

24

5

8

11 23

31

23

4

7

13 23

40

19

Cesarense

24

Naval

24

2

7

15 18

39

13

3

8

13 20

42

17

Eléctrico

24

PRÓXIMA JORNADA U. Serra - Cesarense; Pampilhosa - Sp. Espinho; Esmoriz - A. Lordelo; Eléctrico - TONDELA; Padroense - Tourizense; Gondomar - Anadia; Coimbrões - Boavista; Sertanense - Sp. Pombal

TEXTO: ARMÉNIO PEREIRA FOTOS: RENATO SILVA

TARDE DESASTRADA DO TONDELA PARA UM PADROENSE IRREPREENSÍVEL Na semana que antecedeu o jogo, o treinador Filipe Moreira tinha pedido casa cheia e os adeptos fizeram-lhe a vontade, comparecendo uma assistência no estádio João Cardoso que deve ter rondado as 1500 pessoas para ver a lição táctica de Augusto Mata. O CD Tondela a jogar em casa queria ganhar o jogo até entrou melhor mas o fulgor só durou os 10 minutos iniciais, altura em que o Padroense ganhou um livre perigoso à entrada da área e Paulinho na conversão rematou com muito perigo ao lado da baliza de Nuno Ricardo. A partir deste lance o Tondela nunca mais se encontrou, bloqueando de uma forma gritante no plano de passe, no desacerto a meio campo porque os seus adversários che-

gavam primeiro à bola e na supremacia nos duelos individuais. O único lance de perigo relativo da parte do CDT na primeira parte aconteceu aos 28 minutos com Tomé que foi um equívoco táctico durante toda a partida (muito mais habituado a ser lateral do que extremo improvisado), a provar que não sabe decidir no último passe, isolado na direita desperdiçou boa oportunidade com Piojo e Paulo Ferreira à espera da bola dentro da área. Do lado do Padroense, na resposta três minutos depois Mário Costa atirou de cabeça à barra a cruzamento de Silva. Um remate muito por cima de Tomé em cima do intervalo foi o melhor que o Tondela conseguiu fazer na primeira parte. Na segunda foi mais do mesmo com o CD Tondela a jogar sempre sobre brasas, a não conseguir ganhar um lance ao meio campo e a não criar uma única oportunidade de golo, ao passo que o Padroense limitava-se a gerir a partida e o resultado. Se dúvidas havia, o maior esclarecimento dos visitantes ficou evidenciado aos 51m, quando Bruninho rasgou a defesa do Tondela pelo lado direito, o cruzamento levou a bola a bater no poste e na linha de golo esta tabela em Jorge Rodrigues que faz auto-golo. Este lance ajudou ainda mais a clarificar a partida com o Padroense a continuar durante o resto do tempo a praticar o mesmo futebol apoiado e sobretudo assente num rigor táctico notável. A equipa de Filipe Moreira completamente desorientada nem sequer esboçou qualquer tentativa digna desse nome para almejar o empate. O melhor que conseguiu fazer foi rematar ao lado a um quarto de hora do fim por Gomes depois de uma tabela com Piojo dentro da área.

Jogo no Estádio João Cardoso Árbitro, José Gomes, auxiliares, Hugo Ribeiro e Rogério Correia (A.F. Lisboa)

CD TONDELA: Nuno Ricardo Bruno Parente Diego Jorge Rodrigues Luís Carvalho (Gomes 55m) Emiliano Tê Márcio Sousa (Zongo 70m) Diogo Torres (Leonel aos 61m) Tomé Piojo (cap.) Paulo Ferreira

PADROENSE: Marco Paulinho (cap.) Armando Vila Lobo Daniel (Bosingwa 82m) André Simões Mariano Mário Costa (Marcão 66m) Silva Bruninho (Alcino 78m)

Suplentes:

Suplentes:

Bandeira Alain Gomes Zongo Leonel Luís Miguel Paulo Vaz

Freitas Bosingwa Sérgio Miguel Orriça Marcão Alcino

Treinador:

Treinador:

Filipe Moreira

Disciplina: Amarelo Jorge Rodrigues (84m)

Augusto Mata

Disciplina: Amarelos, Vila (20m), Daniel (79m) e Armando (89m).

Golo: Jorge Rodrigues (própria baliza) O Padroense tentou sempre matar o jogo mas também era injusto que fizesse o 0-2. A equipa da arbitragem nem esteve bem, nem esteve mal, pelo menos não

influenciou o desfecho do encontro o que já não é mau. O Padroense que era segundo classificado passou a ser primeiro por troca com o Tondela.

Houve sempre Padroense a mais para Tondela a menos


18 DESPORTO

VEJA A SUA SORTE! TOTOBOLA 1XX 11X 21X 122 1 1:1 PRÉMIOS Super 14 1.º 2.º 3.º

0 0 23 475

X X X X

0.00 € JACKPOT 0.00 € 1.531.70 € 74.16 €

JOKER 3 024 541 PRÉMIOS 1.º 2.º 3.º 4.º 5.º 6.º

0 0 14 178 1733 15929

X X X X X X

0.00 € JACKPOT 50.000.00 € 5.000.00 € 500.00 € 50.00 € 5.00 €

TOTOLOTO C. 12 19 34 38 45 46 +6 PRÉMIOS 1.º 2.º 3.º 4.º 5.º 6.º

0 0 182 9253 125932 160665

X 0.00 € JACKPOT X 0.00 € X 419.19 € X 4.58 € X 2.01 € X REEMBOLSO AP.

TOTOLOTO C. 13 06 12 21 27 41 +8 PRÉMIOS 1.º 2.º 3.º 4.º 5.º 6.º

1 2 479 19784 246653 289667

X 1.550.351.76 € X 27.204.73 € X 141.98 € X 3.43 € X 1.65 € X REEMBOLSO AP.

EUROMILHÕES 01 13 20 26 50 06 07

24/03/2011 CAMPEONATO DISTRITAL DIVISÃO DE HONRA

CAMPEONATO DISTRITAL 1.ª DIVISÃO - SUL

Silgueiros ---------------- 2 Alvite ---------------------- 0

Mortágua ----------------- 3 C. Sal --------------------- 1

V. Madeiros ------------ 0 Ranhados -------------- 7

O. Frades -------------- 0 PESTINHAS ----------- 4

Santacomba ------------- 3 V. Benfica ---------------- 0

C. S. MARIA ------------ 0 V. Açores ---------------- 5

Pinguinzinho ---------- 2 V. Benfica -------------- 2

P. Castelo -------------- 0 Crasto ------------------- 0

Nelas ---------------------- 0 Paivense ------------------ 4

Farminhão --------------- 3 Cassurrães -------------- 2

C. Senhorim ----------- 1 Mortágua --------------- 0

Repesenses ----------- 2 Nespereira ------------- 0 J

V E D

F

C

P

Sp. Lamego -------------- 0 C. Senhorim ------------- 0

V. Madeiros -------------- 2 C. Viriato ----------------- 1

C. Sal ------------------- 0 MOLELOS ------------- 5

O Crasto

5

2

3

0

7

2

9

Repesenses

5

2

3

0

5

2

9

P. Castelo

5

2

2

1

7

6

8

PESTINHAS

5

1

2

2

9

8

5

Carvalhais ---------------- 4 MOLELOS --------------- 1

V. C. Sá ------------------ 1 LAJ. DÃO ---------------- 1

Vildemoinhos ---------- 2 Repesenses ----------- 1

Nespereira

5

1

2

2

6

7

5

O. Frades

5

0

2

3

4

13

2

Sátão ---------------------- 1 Vildemoinhos ------------ 3

M. Dão -------------------- 3 BESTEIROS ------------ 1

PESTINHAS ----------- 1 Penalva ----------------- 0

X X X X X X X X X X X X

0.00 € JACKPOT 357.011.54 € 55.897.42 € 6.158.91 € 217.31 € 100.19 € 85.42 € 26.47 € 26.30 € 16.25 € 1.90 € 8.96 €

F

C

P

F

C

P

Parada -------------------- 0 Tarouquense ------------- 1

Mortágua

19 16

3

0

58

10

51

V. Benfica

20 15

3

2

83

20

48

V. Açores

19 14

4

1

61

13

46

C. Senhorim

19 14

4

1

68

15

46

LAJ. DÃO

19 11

5

3

34

19

38

Vildemoinhos

20 13

3

4

87

19

42

Farminhão

19

9

4

6

33

27

31

MOLELOS

19 12

4

3

48

18

40

C. Sal

19

9

3

7

26

21

30

PESTINHAS

20 13

0

7

64

27

39

V. Madeiros

19

6

8

5

37

38

26

Pinguinzinho

19 10

2

7

62

39

32

BESTEIROS

19

4

7

8

18

35

19

Mortágua

20

9

0

11 42

34

27

J

Abraveses ---------------- 2 Lamelas ------------------ 1 J

V E D

V E D

P

Cassurrães

19

4

6

9

30

46

18

Repesenses

19

8

3

8

30

23

27

Sp. Lamego

23 13

8

2

40

18

47

M. Dão

19

3

7

9

22

38

16

Penalva

19

6

1

12 45

36

19

C. Senhorim

23 12

8

3

42

21

44

V. C. Sá

19

3

5

11 26

44

14

C. Sal

19

5

0

14 40

63

15

Sátão

23 11

7

5

36

21

40

C. Viriato

19

3

3

13 15

43

12

Ranhados

21

2

0

19 21

90

6

Vildemoinhos

23 11

7

5

39

25

40

C. S. MARIA

19

1

7

11 17

43

10

V. Madeiros

19

0

0

19

211

0

Santacomba

23 11

6

6

32

21

39

V. Benfica

23 11

6

6

28

23

39

Paivense

23 11

5

7

37

23

38

Parada

22

9

8

5

40

35

35

Silgueiros

23

7

8

8

40

32

29

Lamelas

23

7

6

10 38

34

27

Tarouca

23

7

6

10 26

27

27

MOLELOS

23

7

6

10 30

32

27

Alvite

22

6

5

11 24

35

23

Carvalhais

23

6

5

12 28

40

23

Abraveses

23

3

6

14 22

50

15

Nelas

23

1

3

19 16

81

6

PRÓXIMA JORNADA V. Benfica - Alvite; Paivense - Santacomba; C. Senhorim - Nelas; MOLELOS - Sp. Lamego; Vildemoinhos Carvalhais; Tarouquense Sátão; Lamelas - Parada; Abraveses - Silgueiros

PRATIQUE DESPORTO, DESPORTO À SAÚDE

PRÓXIMA JORNADA

V. Açores - C. Sal; Cassurrães - C. S. MARIA; C. Viriato Farminhão; LAJ. DÃO - V. Madeiros; BESTEIROS V. C. Sá; M. Dão Mortágua

V. Benfica - V. Madeiros; Mortágua - Pinguinzinho; MOLELOS - C. Senhorim; Repesenses - C. Sal; Penalva - Vildemoinhos

CAMPEONATO DISTRITAL JUNIORES “A”

AGÊNCIA N.º 20-01010 Rua Tenente Valadim (Carril) * 3460-615TONDELA A CONSULTA DESTE CARTAZ NÃO DISPENSA A CONSULTA DO CARTAZ OFÍCIAL.

CAMPEONATO DISTRITAL INFANTIS SUB 12

TONDELA -------------- 0 Repesenses ----------- 6

PESTINHAS ----------- 2 V. Benfica -------------- 1

MOLELOS ------------- 0 Ac. Viseu -------------- 3

Vildemoinhos ---------- 1 Repesenses ----------- 4

Mangualde ------------- 0 Mortágua --------------- 1

S. Andre ---------------- 2 Crasto ------------------- 6

Campia ----------------- 1 Vildemoinhos ---------- 0 F

C

P

Ac. Viseu

15 14

V E D 0

1

54

10

42

Repesenses

16 13

1

2

66

14

40

V. Benfica

15

7

7

1

35

12

28

Vildemoinhos

15

9

1

5

35

19

28

Mangualde

16

4

4

8

20

29

16

MOLELOS

15

4

4

7

19

34

16

Santacomba

16

5

1

10 17

34

16

TONDELA

15

3

4

8

16

42

13

Mortágua

15

3

2

10 18

39

11

Campia

16

2

2

12 11

58

8

PRÓXIMA JORNADA Repesenses - V. Benfica; Ac. Viseu - TONDELA; Mortágua - MOLELOS; Vildemoinhos - Mangualde

1.º PRÉMIO 05490 2.º PRÉMIO 48831 3.º PRÉMIO 49735 4.º PRÉMIO 03659

CASA TAPADA, LDA.

5

PRÓXIMA JORNADA

J

1.º PRÉMIO 26546 2.º PRÉMIO 45945 3.º PRÉMIO 16769

INFORMAÇÃO:

V E D

C

FAZ BEM

SÉRIE SORTEADA: 04

J

F

LOTARIA CLÁSSICA

LOTARIA POPULAR

CAMPEONATO DISTRITAL JUNIORES “E” - S.A2

PRÓXIMA JORNADA

PRÉMIOS 1.º 0 2.º 2 3.º 4 4.º 32 5,º 567 6.º 853 7.º 174 8.º 22796 9.º 17345 10.º 34539 11.º 83913 12.º 302381

CAMPEONATO DISTRITAL JUNIORES “C”

ANTÓNIO FIGUEIREDO

ORTOPEDISTA CONSULTAS EM PARADA DE GONTA ÀS SEGUNDAS FEIRAS PELAS 15 HORAS Telem.: 967 851 889

PESTINHAS - Crasto; P. Castelo - Nespereira; O. Frades - Repesenses

CAMPEONATO DISTRITAL JUNIORES “D” - 2.ª FASE Vildemoinhos ---------- 2 PESTINHAS ----------- 2 Leomil ------------------- 2 P. Castelo -------------- 1 Repesenses ----------- 9 O. Frades -------------- 0 J

V E D

F

C

P

Repesenses

3

3

0

0

27

3

9

PESTINHAS

3

2

1

0

12

5

7

O. Frades

3

2

0

1

7

14

6

Leomil

3

1

0

2

9

11

3

Vildemoinhos

3

0

1

2

6

10

1

P. Castelo

3

0

0

3

1

19

0

PRÓXIMA JORNADA PESTINHAS - O. Frades; P. Castelo Vildemoinhos; Leomil Repesenses

CAMPEONATO DISTRITAL FUTSAL FEMININO

J

V E D

F

C

P

Vildemoinhos

12

9

1

2

63

26

28

Pinguinzinho

12

7

4

1

38

10

25

Repesenses

12

6

3

3

42

23

21

V. Benfica

12

6

1

5

55

16

19

PESTINHAS

12

6

1

5

50

32

19

Crasto

12

2

2

8

34

62

8

S. Andre

12

0

0

12

7

120

0

CAMPEONATO DISTRITAL INFANTIS SUB 13 Ac. Viseu -------------- 5 Campia ----------------- 8

Penedono -------------- 4 Lusitano ---------------- 2

CB Mortágua ---------- 2 O. Frades -------------- 0 N. Viseu ---------------- 5 IF Tarouca -------------- 5

V. BESTEIROS ------- 0 U. Estação ------------ 9

Crasto ------------------- 2 CB Viseu --------------- 3

J

J

V E D

F

C

P

C. Benfica V.

3

3

0

0

9

5

9

MOLELOS

3

2

0

1

9

3

6

Campia

3

2

0

1

17

13

6

Crasto

3

1

0

2

8

7

3

Ac. Viseu

3

1

0

2

16

18

3

E. Mondego

3

0

0

3

9

22

0

PRÓXIMA JORNADA E. Mondego - CB Viseu; Campia - MOLELOS; Ac. Viseu - Crasto

V E D

F

C

P

U. Estação

20 20

0

0

184 22

60

Penedono

20 18

0

2

115 40

54

N. Viseu

20 14

1

5

114 55

43

Carbelrio

20 13

2

5

124 62

41

O Crasto

20 11

1

8

73

66

34

O. Frades

20

8

3

9

85

66

27

Vildemoinhos

20

7

3

10 65

73

24

IF Tarouca

20

7

2

11 66

91

23

CB Mortágua

20

5

2

13 41

85

17

Mangualde

20

5

2

13 39 105 17

CM Jovem

20

4

0

16 30

V. BESTEIROS 20

0

0

20 23 197

97

ÚTEIS

B.de Tondela ----------- 232 814 110 ----------------- 232 814 111 ----------------- 232 814 112 B. C. de Besteiros --- 232 851 115 ----------------- 232 857 000 Bombeiros de S. João do Monte (Secção) --- 232 866 166 Bombeiros de Lajeosa do Dão (Secção) ------ 232 957 366 Hospital Distrital de Tondela ------ 232 819 060 Centro de Saúde Tondela ------ 232 814 040 EXTENSÕES DE SAÚDE Barreiro de Besteiros 232 871 209 Campo de Besteiros - 232 851 497 Canas de S. Maria --- 232 841 172 Caparrosa --------------- 232 856 290 Caramulo ---------------- 232 861 499 Lajeosa do Dão -------- 232 958 347 Lobão da Beira --------- 232 822 434 Molelos ----------------- 232 822 638 Santiago de Besteiros 232 851 112 São João do Monte -- 232 866 137 Tonda ----------------- 232 816 373 Vilar de Besteiros ----- 232 841 319 FARMÁCIAS Horta - Tondela -------- 232 822 304 Matos - Tondela ------- 232 822 227 Moura - Tondela ------- 232 822 237 Gama Vieira - Tondela 232 841 259 Molelos ----------------- 232 813 957 Canas de S. Maria --- 232 841 323 Campo de Besteiros - 232 851 290 Lajeosa do Dão -------- 232 957 477 Caramulo ---------------- 232 861 257 Sabugosa ---------------- 232 841 259 MÉDICOS Dr. Samuel Bernardes 232 813 943 Dr. Zé Ni Abreu ------- 232 822 833 Dr. Mário João Rodrigues -- 232 821 959 Dr. Jorge Brás --------- 232 822 254 Dr.ª Cristina Cordeiro 232 812 872 Dr. Abilio Oliveira (Dentista) ---- 232 813 158 Dr. Malva Correia ---- 232 821 965 Dr. Elísio de Matos --- 232 822 569 Dr.ª Aurora T. C. Carnevale -- 232 822 176 Dr. Gil Morgado ------- 232 813 619 Dr.ª Florbela Melo C. Besteiros ----- 232 852 728 Dr.ª Basseliça ---------- 232 812 018 Dr.ª Paula Matos (Dentista) ---- 232 813 556 Dr.ª Isabel Mimoso --- 232 812 923 GNR Tondela ----------GNR C.de Besteiros GNR Caramulo -------Guarda Florestal ------

232 819 370 232 851 387 232 861 326 232 813 775

CORREIOS Campo de Besteiros - 232 857 010 Caramulo ---------------- 232 868 024 Centro Dist. Postal --- 232 814 120 Parada de Gonta ------ 232 951 444 Sabugosa ---------------- 232 841 638 Tondela ----------------- 232 819 080

Mangualde ------------- 3 Crasto ------------------- 5

CM Jovem -------------- 2 Carbelrio ---------------- 9

MOLELOS ------------- 6 E. Mondego ----------- 2

TELEFONES

12 0

PRÓXIMA JORNADA Penedono - U. Estação; Lusitano - Mangualde; Crasto - CB Mortágua; O. Frades - N. Viseu; IF Tarouca - CM Jovem; Carbelrio - V. BESTEIROS

DIVERSOS Inf. Pop. de Tondela - 232 822 157 Novo Ciclo ACERT - 232 814 400 Praça de Táxis -------- 232 822 067 Soc.T. Caramulo ----- 232 822 235 Águas do Planalto ---- 232 819 240 CENEL ----------------- 232 813 670 Aterro Sanitário do Planalto Beirão B. Besteiros 232 870 020 Turismo ----------------- 232 811 110 Câmara M. Tondela - 232 811 110 Tribunal Judicial ------- 232 814 280 Rep.de Finanças ----- 232 822 259 Centro de Emprego -- 232 819 320 Bib.Tomás Ribeiro --- 232 811 110 Cons.R. Predial ------- 232 814 160 Registo Civil ------------ 232 819 310 Secretaria Notarial ---- 232 814 180 Soc.Filarmónica Tondelense - 232 822 414 Piscinas Municipais - 232 813 757 Serviços Municipais de Metrologia ----------- 917 503 254 Estaleiros Municipais 232 811 110 Rigorauto - Centro de Inspecções --------- 232 813 827 Esc.Cond.Tondelense 232 822 420 Esc.Cond.Sr.Calvário 232 851 510 Adega C. de Tondela 232 819 030 Jornal “Folha de Tondela” 232 812 074 Emissora das Beiras 232 861 333 Zona Agrária ------------ 232 813 775


PENÚLTIMA PÁGINA 19

24/03/2011

Sudoku

Momentos de Poesia MARIA DA CONCEIÇÃO

SOLUÇÃO DO NÚMERO ANTERIOR.

Está à rasca a Jovem Geração, No desemprego, sem querer, se atasca, Ao ser corrida, sem contemplação, Ressentimento pode dar borrasca… Quem lhes criou tão má situação? Não terá sido uma geração rasca Que, dos limites, perdeu a noção E, em dinheiro e poder se atasca?... A frustração invade a mocidade, Desiludida, fica sem vontade, Pra ir mais longe, muito, muito mais! É justo que se dê lugar aos jovens, Se, no futuro, forem grandes Homens São, do País, pilares fundamentais!

De Tudo um Pouco MVC

CURIOSIDADES O fabrico do sabão já se fazia no Egipto dos faraós. Igualmente se encontram oficinas de saboaria em Pompeia. A produção conservou-se muito tempo como um artesanato e a primeira saboaria industrial, realizada em grande escala pelo americano Colgate, data apenas de 1806. O seu nome tornou-se tão conhecido que muitas pessoas chegaram a pensar que «colgate» era um produto que entrava na composição dos vários sabões.

***

Palavras cruzadas MANUEL DA COSTA Horizontais: 1-Agosto é o mês em que eles vêm passar férias. 2-Locais onde se vende peixe. Andar. Rádio s.q. 3-Aneis. Fruto tropical. 4-Faz confiança. 5Unir-se. Antes de Cristo. Além. 6-Borra de vinho. Gostar muito. 7-Dirigir-se. Parecença. O m. q. moura. 8Atmosfera. 9-Que tira ou puxa. Tonalidade. 10-Aquela. Filho do mesmo pai. 11-Letra do alfabeto grego. Lubrificaras. Verticais: 1-Flexão feminina de ele. Injecção de líquido nos intestinos. 2-Maior. “Ar” em francês. Nome de um rio do Egipto sem a primeira letra. 3-Mito sem uma consoante. Nome de homem. Lavra. 4-Corpo aeriforme. Pedra de altar onde se faziam sacrifícios. 5Rosa sem vogais. Imensidão. Anil sem uma das vogais.6-Metade de trepar. 7-Deus dos rios e dos bosques na Mitologia. Ave pernalta e corredora. 8-Infidelidade. Amar só metade. 9-Sódio s.q. Nota musical. Corda de reboque. 10-Abreviatura de senhora. Casa (fig.). 11Cozera no forno. Pedra de moinho.

Walt Disney, o famoso autor de tantos e tão belos desenhos animados, não é americano como muita gente julga? Ele nasceu na velha Europa, em Espanha, e o seu nome de nascimento era José Luiz Zamora. Emigrou para Chicago com seus pais, mas teve a infelicidade de ficar órfão, sendo então adoptado por um americano que lhe deu o nome.

*** O primeiro utensílio empregado pelo homem para escrever foi o cálamo, caniço do Egipto, aguçado na ponta. Os Chineses escreviam com uma haste de bambu e só mais tarde começaram a pintar as letras a pincel. Os Romanos utilizaram também um caniço vulgar, que se encontrava nas margens do Tibre, e que se chamava arundo. Foram também os Romanos quem começou a usar a pena de ganso que se usou quase vinte séculos, pois só no século XIX se vulgarizou o uso do aparo metálico.

VEJA SE SABE… 1- Qual o rei português que escreveu o “Livro da Montaria”? 2- Como se chamava o grande naturalista e médico português que escreveu os «Colóquios dos simples, drogas e cousas medicinais da Índia?» 3- Como se chamava o mestre que traçou e começou o Mosteiro da Batalha? 4- Falando de astronomia, a que rei se deve a fundação do Observatório Astronómico de Lisboa (Tapada da Ajuda)? 5- Uma polegada equivale a quantos centímetros? 6- Quais as dimensões, em centímetros, de uma folha de papel que designamos por A4? 7- Sabe em que época e contra quem a Académica de Coimbra ganhou a Taça de Portugal? 8- Que nome se dá à parte da medicina que trata das doenças dos velhos?

Respostas: D.João I; Garcia de Orta; Afonso Domingues; D.Pedro V (1860); 2,54 cm. 21x29,7 cm. 1938/39-Académica-Benfica 4-3; Geriatria.

Pensamento da Semana Solução do n.º 1039 Horizontais: Carrancudas, arearas, ora, lesmas, aa, c, ardor, ala, caipora, búzio, ares, apa, meloas, lara, anabolismos, raras, miolo, aras, comias.

Ponto Final

GERAÇÃO À RASCA

Tente mover o mundo – o primeiro passo será mover a si mesmo. PLATÃO

MANUEL VENTURA DA COSTA

A outra geração

E

mbora com tristezas e alegrias à mistura, a minha vida foi e continua a ser – e afirmo-o com muito orgulho! – uma vida de trabalho. Como tal, aquilo que escrevo circunscreve-se a um espaço próprio e limitado. A uma espécie de círculo em que a minha maneira de ver, a minha forma de interpretar e julgar, me são ditadas pela experiência que tenho dela. Posto isto, e sabendo que ninguém é dono da verdade e da razão, consciente de que não devemos assumirmo-nos como juízes dos erros do próximo, nada me impede, no entanto, de acusar ou criticar atitudes que julgo irresponsáveis e demagógicas. Vem esta reflexão a propósito do que se tem dito, escrito e falado sobre a recente manifestação da chamada ou autoproclamada “Geração rasca”. Não posso deixar de tecer algumas considerações acerca do assunto, começando por lembrar que em todos os tempos houve sempre “gerações à rasca”. A minha, por exemplo, foi uma delas, cujo lema era o esforço próprio e só não veio para a rua porque sabia de antemão que não podia contar com o apoio alheio, mas apenas e só com o seu próprio empenho e determinação. Nesse tempo, como é sabido, os jovens amadureciam mais cedo, não por qualquer poção mágica que ingerissem, mas porque, salvo raras excepções, não podiam contar com a ajuda dos pais, eles também sem outra alternativa que não fosse o trabalho. No meu caso pessoal, findo o curso geral dos liceus, sem dinheiro para continuar os estudos, vi-me obrigado a emigrar. Com vinte e três anos eis-me a caminho de um país do qual nem sequer conhecia a língua, mas decidido a fazer qualquer trabalho. E como foram variadas as “profissões” que exerci ou que fui obrigado a exercer! Escrevia há dias Paulo Baldaia no JN “ (…) que esta geração na casa dos 20/30 anos, se queixa de barriga cheia. Fez o curso que os pais e os avós não sonharam fazer, foi para a universidade de automóvel, recebeu durante a fase de aprendizagem tudo com o que sonhou.” “ (…) É a mais bem preparada de todas as gerações, estudou, sonhou com um mundo melhor e ele não se concretiza, mas os seus pais e os seus avós, que tudo fizeram para que a vida deles fosse melhor, chegaram a um beco sem saída (…)” E chegaram de verdade! E é a muitos desses homens, que abdicaram de quase tudo, que trabalharam uma vida inteira, alguns albergando ainda filhos e netos, é a esses velhos, dizia, que querem mexer na mísera reforma que recebem! Creio que ninguém estará contra a iniciativa dessa geração que veio para a rua protestar. Mas também creio que é desumano ignorar essa outra geração silenciosa que, em casa, e à rasca, continua a pagar com sacrifícios os juros de um sonho que julgou transformar-se em realidade!


Tondela

24/03/2011 20 Antigos combatentes evocaram 50.º aniversário do inicio da Guerra Colonial

TEXTO E FOTOS: ARMÉNIO PEREIRA

N

a terça-feira, dia 15 de Março, comemorou-se junto ao monumento que homenageia os filhos do concelho que tombaram na antiga guerra colonial, o dia em que teve inicio este confronto da nossa pátria em território de Angola, Moçambique e Guiné. Esta iniciativa foi promovida pela Associação Nacional dos Combaten-

tes do Ultramar (ANCU), assinalando desta forma os 50 anos de uma guerra que teve início a 15 de Março de 1961. Esta homenagem começou com uma oração proferida pelo padre António Lopes da Silva, missionário da Comunidade dos Padres Claretianos de Tondela, seguindo-se a deposição de um ramo de flores na base do monumento, pelos antigos combatentes, António Salomão Sobral e António Tenreiro da Cruz. Na mesma ocasião, este último na qualidade de vice-presidente da

Assembleia-Geral da ANCU proferiu algumas palavras para fazer uma retrospectiva do que tem sido a história através dos séculos da nossa portugalidade. O objectivo das palavras do antigo presidente da Câmara Municipal de Tondela tinha como ponto central manifestar a situação complicada em que o nosso país se encontra, dando a entender que quem tem de tirar sempre a nação do buraco onde os nossos governantes a metem é o povo heróico português. No seu discurso,

António Tenreiro da Cruz, colocou vários pontos de interrogação para por toda a gente pensar sobre as causas que nos conduziram ao actual estado de coisas. O ex-autarca não teve qualquer tipo de problema de dizer que o nosso povo não se revê nos nossos governantes, “mas aceita-o porque não aceita o cavar cada vez mais fundo entre os ricos e os pobres, não têm ideais e o povo é que tem de ajudar a levantar de novo esses mesmos ideais…”. António Tenreiro da Cruz contou uma pequena história transcrita num

livro de Alexandre Herculano que evoca o acto heróico de um povo que juntamente com rei conseguiu criar uma pátria, “os reis foram governando Portugal e à medida que a abastança crescia modificou-se outra vez, o regente era cada vez mais rico e o povo cada vez mais pobre sentiu todo aquele transtorno pelos maus governantes que tinha…”. Em 1385 de novo há uma revolta e o povo coloca no trono um homem que vai buscar o Mestre de Avis, altura em que Portugal atingiu prosperidade e riqueza com os descobri-

mentos. Mas depois estragámos tudo “como já estávamos bem instalados era preciso descansar, levando a mais uma crise, a de 1580, fazendo com que os espanhóis viessem tomar conta deste país, mas o povo revoltou-se de novo e foi buscar D. João IV e coloca-o novamente a governar”. António Tenreiro da Cruz diz que a nossa história foi sempre assim, “tudo isto se repetiu sempre na nossa história até aos nossos dias o povo levanta e os governantes deitam a baixo…”.


JT 1040  

Jornal de Tondela

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you