Page 39

Foto: Zeto Teloken

Como surgiu a ideia de trabalhar como cerimonialista? Sempre gostei e me envolvi na organização de festas e casamentos de família. Ajudava porque gostava de estar envolvida na função, e minhas sugestões eram sempre bem-vindas. Aí, quando decidi casar, organizei tudo com a ajuda de uma profissional, pois eu não tinha tempo só para isto. Deu tudo certo e depois do casamento, meu interesse só aumentou. Recebi vários incentivos de amigos, familiares, profissionais da área e principalmente do meu marido. Hoje, este é um trabalho que faço com muito amor e dedicação. Além disto, antes de entrar de cabeça no negócio fiz uma pesquisa de mercado e identifiquei este mercado extremamente aquecido. O segmento de casamentos é um dos que mais cresce no Brasil, chegando a movimentar quase 4 bilhões de reais por ano, sendo que somente no Rio de Janeiro representa 12% das atividades de serviços.

estilo

O que é mais difícil para uma cerimonialista? A maior dificuldade é, sem dúvida, resolver problemas de última hora. É sempre um desafio trabalhar os imprevistos no grande dia, e fazer com que isso não atrapalhe este dia tão especial. Neste momento, o profissional deve usar a autonomia lhe dada com segurança e ser capaz de resolver qualquer situação da melhor forma possível. Que mensagem você deixa para as noivas que estão com o planejamento em andamento ou simplesmente motivaram-se após esta leitura? Curtir intensamente todos os preparativos com tranquilidade e equilíbrio. No desenrolar da organização, é natural que a noiva fique ansiosa. Porém, ela deve confiar no profissional que escolheu e não perder a alegria. Ela precisa lembrar que está organizando a festa que será, provavelmente, a mais marcante de sua vida. No dia, deve preocupar-se em aproveitar cada momento, pois o tempo passa muito rápido.

Gabriela Maçaira

Cerimonialista festivite@festivite.net.br www.festivite.net.br

Jornal Design | Serra 39

Edição 14  

Especial noivas

Advertisement