Page 1

Vindima

O Vale dos Vinhedos se prepara para a colheita da uva. É tempo de aromas, cores e sabores

Ano VIII - Edição 77 - Janeiro/2018

Líderes que Inspiram

Eles são exemplo de determinação, são reconhecidos, têm uma carreira de sucesso


Foto Fabiano Mazzotti

CONCEITO CAPA Aline Hertz Participação especial página 2: Luiz Costa Cabelo e make: Iva Espaço da Beleza e Lá Faccion Barbearia Cabelo: Daiane Salini Make: Andreia Giovanella Hair stylist masculino: Wander Machado Look feminino: Dani Holzbach Cenário: Hotel Villa Michelon, Vale dos Vinhedos Foto: Fabiano Mazzotti

A primeira edição do ano traz inspiração! Somos movidos a exemplos. Então, apresentamos a você, leitor, a história de Camila Figueredo, que eliminou, em quatro meses, 18,8 quilogramas e voltou a sorrir frente ao espelho. Reunimos a história de sete líderes que são exemplo de determinação, são reconhecidos, têm uma carreira de sucesso, são Líderes que Inspiram. O ano começa com os encantos da Vindima. Bento se prepara para receber turistas nos charmosos vinhedos. É tempo de conferir o produto de um ano inteiro de trabalho no cultivo da uva. Seja bem-vindo 2018!


VIDA

06

CASA

09

EXPEDIENTE Realização: S&S Editora Ltda Coordenação: Silvia Perusso Administrativo: Rosângela Masutti Diagramação: Veronice Ferrari Comercial: Abigail Fernandes e Nelci Ogrodoski Jornalista Responsável: Jussara Konrad | REG. 0017733 | RS Revisão: Dalmara Fabro de Oliveira Abrangência: Bento Gonçalves | Carlos Barbosa | Garibaldi Circulação Dirigida: Vida | Casa | Estilo Contato: 54 | 2621 3134 contato@jornaldesign.com.br www.jornaldesign.com.br O Jornal Design | Serra não se responsabiliza por artigos assinados.

ESTILO 34


Grupo de emagrecimento cognitivo Pensando Bem foca na saúde dos integrantes Por Fernanda Kruger | Psicóloga Com a correria do dia a dia, é difícil mudar de hábitos e manter o foco, mas em grupo, e com auxílio, fica muito mais fácil. O Pensando Bem chega a Bento Gonçalves com uma proposta inovadora para alcançar objetivos. Com uma equipe de profissionais qualificados nas áreas de Psicologia, Educação física e Nutrição, auxilia nas mais diversas funções e atividades. Assim, é possível entender a importância da relação destas três áreas para a obtenção do emagrecimento duradouro. O melhor de tudo é que, mesmo sendo um grupo, o Pensando Bem dá suporte personalizado aos seus participantes, trabalhando com grupos pequenos, dando a importância necessária para cada um e prezando pela individualidade. O Grupo Cognitivo de Emagrecimento Pensando Bem, foca em passar informações, sobre o emagrecimento, que as pessoas ainda não sabem. Além do exercício físico e da boa alimentação, o grupo apresenta as funções cognitivas (parte da subjetividade) que dificultam os hábitos e, consequentemente, sabotam a perda de peso. A rotina diária e as atitudes afetam diretamente o funcionamento do organismo, impactando nos resultados. Um destes exemplos é o “efeito sanfona” – que a maioria das pessoas já ouviu falar ou sentiu em seu corpo – que geralmente

ocorre quando há mudança de comportamento, porém não de hábitos. Não é preciso realizar as mudanças de vida sozinho, o Pensando Bem ajuda nessa caminhada! Como o Pensando Bem surgiu? Ouvindo os pacientes relatarem as dificuldades vivenciadas quanto a obtenção do emagrecimento, decidiu-se analisar as ofertas e opções que trabalham com este intuito e existem hoje no mercado. Na região de Bento Gonçalves, por exemplo, existem diversas propostas de trabalhos e tratamentos vinculados ao emagrecimento, porém, pelos feedbacks de pacientes, mesmo os processos trazendo resultados ótimos, na maioria das vezes se tornam momentâneos. Ou seja, após o término do período de tratamento as pessoas tendem a voltar às suas rotinas, ocasionando o retrocesso dos ganhos. A partir deste entendimento, percebeu-se a lacuna existente, que ocasionava esta retomada de comportamentos disfuncionais, analisou-se de que forma estes resultados poderiam ser mais eficazes e criou-se, assim, o Pensado Bem, com uma proposta de trabalho especial e diversificada. Quem está pensando em emagrecer sauda-

velmente, através da mudança de hábitos, não pode perder a chance de participar de um grupo que trabalhará juntamente com os integrantes, modificações no cotidiano, pensamentos e outros comportamentos disfuncionais que possam prejudicar os objetivos e, consequentemente, a saúde. O grupo também conta com parceiros em várias áreas para melhorar ainda mais os resultados. O Pensando Bem é a equipe certa para mudar a vida para um estilo mais saudável e prazeroso! Para mais informações basta entrar em contato pelo (54) 99995 1066.

Rua José Mario Mônaco | 227 |Centro Profissional Serrano | sala 607 (54) 9 99951066 fernandakruger.psi@gmail.com

Foto Divulgação

- Terapia Individual - Terapia de Casal - Consultoria - Grupo Cognitivo de Emagrecimento

4 Jornal Design


Jornal Design 5


usava jeans, somente legging. Hoje, meu marido brinca dizendo que eu não saio da frente do espelho. Me sinto muito melhor”, emociona-se. Seu maior desejo é usar biquíni neste veraneio. “Foi tudo muito rápido. Quem me viu até a metade do ano passado, não me reconhece mais. Eu indico a todas as pessoas que não se sentem bem, que estão com a saúde afetada devido ao peso, que não conseguem usar as roupas que desejam: procurem a Magrass”.

Ano novo, medidas novas! Camila de Figueredo, 40 anos, casada com Lauri Marczewski, 43 anos, pais de Arthur, 13, Augusto, 7, e Lucca, 2 anos e meio. Ela caxiense, ele de Guarani das Missões. Os filhos, bento-gonçalvenses. Após 43 anos, juntos há 18 anos. Camila recorda que, após a terceira gestação, estava pesando 99 quilogramas. Foram três partos cesarianas de risco. Ela não poderia engordar mais, para não prejudicar o bebê. Chegou aos 103 quilos. Lucca, nasceu com mais de

4 kg. Camila fazia zumba há dois anos, três vezes por semana. E mesmo assim, não emagrecia. “Mantinha hábitos errados”, garante. O marido queria vê-la feliz. “Eu sonhava em vê-la realizada na praia, de biquíni”, revela. Estava incrédula Foi então, que, através das redes sociais, Camila conheceu a Magrass. “Eu via aqueles resultados magníficos e ficava incrédula”, afirma. Mesmo assim, resolveu participar de uma promoção, via Facebook, que sortearia um tratamento de 40 dias. O sorteio ocorreu no dia 10 de setembro de 2017. No dia 19, Camila iniciou o tratamento. Em 40 dias, eliminou 9,6kg. “O grande diferencial da Magrass é a equipe, o atendimento é magnífico. Elas me explicaram coisas que eu nunca tinha ouvido, sobre o nosso organismo”, destaca.

Camila passou por uma avaliação que indicou que o ideal para ela seria um tratamento de 18 semanas. Acompanhada por uma nutricionista, com

uma mudança completa nos hábitos alimentares, somadas a meia hora de caminhadas diárias, ela eliminou 18,8 kg. “Nos primeiros 40 dias há muita restrição. Não podia comer aipim, massa, arroz ou batata. Mas, elas nos dão várias opções de cardápios para substituirmos nossos velhos hábitos”, revela. Vestindo jeans e com sorriso no rosto ela relata a alegria em começar 2018 com medidas novas. “Meu filho não conseguia entrelaçar os braços ao redor de mim para me abraçar. Eu não

Depois

Foto Jornal Design

Fotos Arquivo Pessoal

6 Jornal Design

O tratamento

Antes


(54) 3452-6512 /magrassbentogoncalves Bento Gonรงalves - Ano Novo.indd 1

(54) 99922-6512 /magrass.bentogoncalves R. Treze de Maio, 675 - Sala 101, Sรฃo Bento - Bento Gonรงalves Jornal Design 7

12/12/2017 09:08:03


Cuidados antes e depois de sua cirurgia plástica Por Dr. Felipe de David | Cirurgião Plástico O sucesso de uma cirurgia plástica não depende apenas do procedimento cirúrgico. Existem cuidados que podem aumentar a chance de êxito no resultado. Isso vale para os cuidados pré e pós operatórios. No período pré-operatório é importante evitarmos situações que aumentem o risco da cirurgia: Boa alimentação É fundamental o paciente estar bem nutrido, pois a anemia e a falta de vitaminas e oligoelementos, como vit A, B, C, zinco, cobre, ferro, vit K, etc. podem prejudicar a cicatrização ou até facilitar sangramentos. Uma alimentação balanceada e rica em vegetais é o ideal para uma boa nutrição.

O cigarro atrapalha em quase tudo. A nicotina é vasoconstritora e prejudica a circulação. As mais de 4.000 toxinas do cigarro prejudicam a oxigenação do sangue. Somadas, má oxigenação e circulação aumentam sobremaneira o risco de necroses (morte de tecidos por falta de oxigênio) e prejudicam a cicatrização. O tabagismo aumenta também o risco de trombose e embolia pulmonar. Não usar anticoagulantes Medicamentos derivados do ácido acetil salicílico, como aspirina e todos os contraindicados em casos de suspeita de dengue, prejudicam a coagulação, aumentando o risco de sangramentos e hematomas. outros medicamentos a base de vasodilatadores (gincobiloba, etc.), assim como anti-inflamatórios também devem ser evitados por aumentarem o risco de sangramento. Parar o uso de anticoncepcionais hormonais (pílulas, injeções, adesivos) Em cirurgias com anestesia peridural, raqui ou geral. O anticoncepcional hormonal aumenta o risco de trombose (coagulação do sangue dentro das veias) e embolia pulmonar (quando o coágulo vai para o pulmão). Hidratar bem a pele De preferência, duas vezes por dia na área a ser

8 Jornal Design

Foto Divulgação

Parar de fumar 30 dias antes

operada, para a pele ficar mais preparada e minimizar o risco de estrias (vale principalmente para próteses de silicone). Pós operatório No pós operatório é importante evitar fatores que propiciem uma complicação. • Evitar fumar por pelo menos 30 dias após a cirurgia. O risco de necrose e trombose são maiores nos primeiros 14 dias, mas a cicatrização precisa de oxigênio principalmente nas fases iniciais; • Evitar anticoagulantes até pelo menos 21 dias da cirurgia. O risco de sangramento existe até os pequenos vasos cicatrizarem. • Não usar anticoncepcional até 14 dias depois da cirurgia, pelo risco de trombose; • Evitar ambientes quentes. Até pelo menos 21 dias após a cirurgia, há risco de algum novo sangramento e o calor pode ser vasodilatador, aumentando o risco de sangramento. Por isso, os banhos não devem ser muito quentes e devem ser rápidos. • Evitar o sol por pelo menos 45 dias (variável de acordo com o procedimento realizado). O sol pode aumentar o inchaço, facilitar sangramentos e manchar a pele, nos casos em que houver alguma mancha roxa

ou amarelada; • Fazer drenagem linfática e ultrassom, quando indicados. Muitas cirurgias, como lipoaspiração, abdominoplastia, lifting facial, onde há um grande descolamento da pele, geram inchaço maior. O inchaço deve ser combatido, pois a manutenção dele pode levar a fibrose, nodulações e irregularidades; • Usar malhas compressivas. Nas cirurgias com descolamentos, a malha compressiva, além de minimizar o inchaço, ajuda a pele a “grudar” mais rapidamente; • Evitar exercícios e movimentações que forcem a cicatriz. Uma cicatriz leva pelo menos 45 dias para ficar mais forte. Toda a cicatriz recente pode alargar se submetida a tensão. • Cumprir todas as orientações do seu cirurgião. Parece óbvio, mas infelizmente nem sempre as orientações são seguidas. A certeza de estar bem e o pensamento de “a minha cicatrização é boa” podem ser armadilhas. A cicatriz demora para ganhar força, os vasos sanguineos demoram para cicatrizar e um pequeno deslize pode prejudicar o resultado da cirurgia. Esses são alguns cuidados pré e pós operatórios que todos os pacientes submetidos a cirurgias plásticas devem seguir. Tire todas as suas dúvidas antes de sua cirurgia e siga todas as recomendações. O seu corpo agradece.


Pasin

Pasin

Pasin

Pasin

Pasin

Pasin

Pasin

Algumas características são essenciais para empreendedores que desejam engajar, que desejam deixar um legado: credibilidade, respeito, humildade, saber ouvir, otimismo, determinação, imparcialidade... Ser reconhecido no mercado, ter uma carreira de sucesso, ser idealizador de produtos que revolucionaram o mercado, estas e outras ações fazem com que uma pessoa se torne um exemplo. Para iniciar o ano com entusiasmo, convidamos você a apreciar a história desses 7 Líderes que Inspiram. Guilherme Rech Pasin, Moisés Scussel Neto, Edson Pelicioli, Elton Gialdi, Juarez Valduga, Paulo Geremia, e Volnei Benini contam suas histórias, nos emocionam, nos inspiram!

Jornal Design 9


Prefeitura Municipal

O menino que sonhava em ser Prefeito

Guilherme Rech Pasin, 34 anos, casado com Cynthia Beatriz Gomes Costa Pasin e pai da pequena Ana Beatriz. Eleito no primeiro mandato o Prefeito mais jovem de Bento Gonçalves, com 29 anos, foi reeleito em 2016, com 65% dos votos. Bacharel em Direito, também graduado em Gestão Pública, atuou na Câmara dos Deputados, na Assembleia Legislativa e na Secretaria de Ciência e Tecnologia do Estado do Rio Grande do Sul. Com a palavra, Guilherme Pasin:

Sua maneira de governar, focada na qualificação da rede pública de saúde, na educação em tempo integral e no fortalecimento da economia, renderam a Bento Gonçalves a liderança, por dois anos seguidos, no Índice de Desenvolvimento Econômico da Fundação de Economia e Estatística (FEE), para Municípios acima de 100 mil habitantes. Durante seu governo, Bento Gonçalves também recebeu destaque como destino indutor do turismo, estando entre as 65 principais cidades do País, cidade mais limpa do Brasil entre as que têm mais de 100 mil habitantes e, nos últimos quatro anos, como Prefeito, recebeu distinções do Prêmio Gestor Público. Bento Gonçalves também está entre os quatro melhores municípios do País em qualidade de gestão.

Um sonho realizado Na infância, os meninos costumam sonhar em ser super-herói, policial, bombeiro, piloto, jogador de futebol. Eu quis ser Prefeito da minha cidade, da cidade onde nasci. E foi nos corredores da Universidade de Caxias do Sul que comecei a perceber um caminho para a idealização do meu sonho. Cursei Direito e o Curso Superior em Gestão Pública. Nesse meio tempo, comecei a me envolver com as causas estudantis e presidi o Diretório Acadêmico da Região dos Vinhedos (Darvin), no Campus da UCS em Bento Gonçalves. Com a vontade e a formação, a entrada na vida pública foi uma questão de tempo.

Desafios A história com a política Em 2008 concorri a vereador. Conquistei 1.733 votos, ficando na primeira suplência do Partido Progressista (PP). Foi minha primeira experiência eleitoral e, apesar de não ter conseguido assumir a cadeira de vereador, passei a acreditar que tudo tem seu tempo, sua hora para acontecer. Surgiram então outras grandes oportunidades. Trabalhei na Assembleia Legislativa e na Câmara dos Deputados. Além disso, fui assessor técnico, de planejamento e também chefe de gabinete da Secretaria de Ciência e Tecnologia do Estado do Rio Grande do Sul, durante o governo de Yeda Crusius. Foram grandiosas experiências que me mostraram que era esse mesmo o caminho que eu devia seguir, o da boa política. Darcy Pozza e o suéter amarelo Lembro como se fosse hoje, numa reunião do Partido Progressista o Darcy (Pozza), meu padrinho político, disse que eu teria que colocar o meu nome à disposição para concorrer à Prefeitura de Bento Gonçalves. Como eu, um jovem, de vinte e poucos anos, iria assumir a responsabilidade de substituir um grande nome da política local? Mas ele

10 Jornal Design

me convenceu. Acreditei e abracei a oportunidade. No dia do lançamento da campanha em 2012, segundos antes de entrar no palco para ser apresentado como candidato a Prefeito, ele me parou e me entregou um suéter amarelo. Para quem conhece a história do ex-Prefeito, sempre Prefeito, deve lembrar que ele tinha uma verdadeira adoração pela cor, e a peça acabou se tornando sua marca e o meu amuleto. Aquilo para mim foi incrível. Foi como se eu tivesse empoderado com a sua confiança. Eu me senti com condições de encarar esse grande desafio. Vencemos a eleição muito difícil e concorrida, com apenas 383 votos de diferença. O suéter amarelo nos trouxe muita sorte durante a campanha.

Em 2013, um cenário de dificuldades econômicas no estado e no país se apresentava. Aqui, em Bento Gonçalves, herdamos uma situação muito complicada da gestão anterior. Foi preciso colocar a casa em dia para, aos poucos, voltar ao caminho do desenvolvimento. Um dos grandes aprendizados da primeira gestão foi que, entre o ideal e o possível, precisamos priorizar o que realmente é mais importante para população: a saúde, a educação e a segurança de nossa gente. Em 2016, ao lado do ex-prefeito Aido José Bertuol – que havia sido Prefeito de 1986 a 1988 e de 1983 a 1986 – o resultado do trabalho realizado no primeiro mandato veio com a reeleição, mas não só isso. Mais de 44 mil agradecimentos e 65,62% dos votos válidos. Liderança regional Exerci a presidência do Consórcio Intermunicipal de Desenvolvimento Sustentável da Serra Gaúcha, o CISGA, e a vice-presidência da Associação dos Municípios da Encosta Superior do Nordeste, a AMESNE, atuando em ações que contribuíram para o fortalecimento de vários setores, como o vitivinícola, o turístico e a infraestrutura, com a federalização da

Foto Franciele Gonçalves

Guilherme Rech Pasin – Prefeito de Bento Gonçalves


BR-470 e a conclusão das obras da ERS-431. Acredito que trabalhar em conjunto, em parceria entre os prefeitos, seja uma das maneiras de trazer mais resultados para a coletividade. Além disso, atualmente presido a Fundação de Estudos Políticos Tarso Dutra. O Prefeito Faixa Preta Levo muito do que aprendi nas artes marciais para o dia a dia. Comecei praticando o jiu-jitsu muito jovem, após o falecimento do meu pai. Eu precisava ser a força da minha casa e precisava estar com equilíbrio e foco para isso. E foi lutando, praticando e aprendendo a disciplina que me encontrei. Muita gente se assusta em ter um Prefeito faixa preta. Eu me orgulho muito disso. E por isso, luto tanto para que os projetos de contraturno escolar perpetuem. Nestes anos, 15 mil crianças e adolescentes já passaram pelas atividades oferecidas no turno contrário à escola e, se pudermos ajudar, uma criança que seja, a realizar seus sonhos, a ter um futuro diferente, já está valendo. Mas o foco e a disciplina, o ato de perseverar é o maior legado da luta. A busca pelo Estado necessário Acredito no conceito de Estado Necessário. Não é mínimo, nem totalitário. É o Estado que atua com ênfase nessas questões essenciais, e todo o resto é trabalhado em parcerias e outras formas de cooperação. Em Bento Gonçalves, por exemplo, os investimentos que fizemos nestes cinco anos à frente da Prefeitura mostram onde está nosso foco. Abrimos a Unidade de Pronto Atendimento 24 horas Zona Norte (UPA) e diversas novas Unidades Básicas de Saúde (UBS). Não deixamos faltar medicamentos para a população. Construímos novas escolas, sendo que duas iremos inaugurar neste ano e, também, inauguramos na gestão passada a primeira escola de tempo integral do município. Neste ano recebemos o prêmio “Boas praticas de agricultura familiar para alimentação escolar”, promovido pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), em virtude do alto investimento que fazemos na merenda escolar. Hoje, 95% dos recursos, são investidos em produtos da Agricultura Familiar, o que, além de valorizar o nosso homem do interior, mantém o nosso jovem na área rural, interessado nestas novas oportunidades. Criamos também uma lei pioneira para o incentivo ao Desenvolvimento Econômico e atração de novas empresas, tornando Bento Gonçalves a Capital do Empreendedorismo. Estamos num constante crescimento. Na área da segurança, embora seja de responsabilidade do Governo do Estado, não cru-

zamos os braços e estamos trabalhando para nossa população com investimentos gigantescos, em parceria com a sociedade civil. Criamos a Secretaria de Segurança, estamos investindo no cercamento eletrônico, no Gabinete de Gestão Integrada. E muito ainda vamos fazer pela nossa gente, pela saúde, pela educação e pela segurança do cidadão de Bento Gonçalves. Parcerias público-privadas Nosso Município caminha para um marco na Gestão Pública. Uma fase de resultados para a população, com planejamento, eficiência, transparência e responsabilidade. A iniciativa privada tem condições operacionais de ser parceira do setor público, oportunizando investimentos concretos, com qualidade e agilidade. É o caso das Parcerias Público-Privadas (PPPs), uma das bandeiras dessa gestão e que está nos transformando em modelo para o Brasil. O essencial é estabelece-las com o máximo de transparência, segurança jurídica e objetivando o bem coletivo. Estamos trabalhando na construção de alternativas eficientes, através das PPPs, que vão transformar a realidade dos serviços públicos. Elas englobam iluminação pública, gestão dos cemitérios municipais, destinação dos resíduos sólidos com tecnologias limpas, conservação de praças e parques e construção de espaços públicos, modernização do mobiliário urbano. Tudo isso para termos um município ainda melhor e, principalmente, para oferecermos mais qualidade de vida para o nosso cidadão, para aquele que vive aqui, que contribui, que cumpre com suas obrigações, e que merece. Bento Gonçalves merece. Não podemos deixar uma cidade refém de conceitos pré-estabelecidos ou discursos ideologizados. Nossa população precisa de serviços públicos com melhor qualidade e de forma ágil. Quem irá executar, isso é irrelevante.

Premiações: 2014 Troféu “Prêmio Gestor Público” “Olhar atento - Ciências Para Vida - Alimentação Saudável”, executado pela Secretaria Municipal de Educação (SMED) com apoio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento da Agricultura (SMDA) Certificado de Reconhecimento Público “Aplicativo para Mobile Turismo Bento”, implantado pela Secretaria Municipal de Turismo (SEMTUR) 2015 Troféu na categoria Tecnologia da Informação “Bento Gonçalves Conectada: Tecnologia de informação integrada à Gestão pública” 2016 Menção honrosa “Bento Gonçalves Conectada: Tecnologia de informação integrada à Gestão pública” Certificado de Reconhecimento “Bento Interativa”

Foto Jiu-Jitsu Na Estrada

“...entre o ideal e o possível, precisamos priorizar o que realmente é mais importante para a população: a saúde, a educação e a segurança de nossa gente”

“Eu precisava ser a força da minha casa e precisava estar com equilíbrio e foco para isso.”

Jornal Design 11


Câmara de Vereadores

O maior legado que queremos deixar, é mostrar que a política é importante à sociedade Foto Divulgação

Moises Scussel Neto – presidente da Câmara de Vereadores de Bento Gonçalves

Nascido em Dois Lajeados, com poucos dias de vida, veio com a família residir em Bento Gonçalves. Filho de Mauri Alcides Scussel e Anair Nuncio Scussel, Moises, 39 anos, é casado com Marcela Bonetti, e pai de Miguel Ângelo, 9 anos, e Maria Regina, 5 anos. Presidente da Câmara de Vereadores de Bento Gonçalves, sonha representar o município perante o Estado ou País. Atualmente colocou-se à disposição como pré-candidato a deputado Estadual. Com a palavra, Moisés Scussel Neto:

Política estudantil Desde pequeno gostava de política, me envolvia muito com o assunto na vida estudantil. Fui presidente do Grêmio da escola municipal de Ensino Fundamental Professora Vania Medeiros Mincarone e na escola estadual Mestre Santa Bárbara, além de presidir na faculdade o Diretório Acadêmico do curso de Direito da Universidade de Caxias do Sul (UCS Carvi). Em 1999, quando fazia parte do DA fui convidado a me filiar em um partido político. Logo após a filiação, assumi o cargo de coordenador do Sistema Nacional de Emprego (SINE) de Bento Gonçalves. Nesta época eu tinha uma empresa, trabalhava com design gráfico e foi então que comecei a pensar em trabalhar como vereador. Aos poucos fui deixando a empresa e me voltando mais para a questão política.

Prefeito Mirim Como presidente do Grêmio estudantil participei de um programa que chamava “Prefeito Mirim” e fui eleito. Após, fui secretário Mirim da Fazenda. Acredito que nesses momentos que comecei a despertar o gosto pela política. Quando me convidaram para integrar uma agremiação partidária, não imaginava que ia concorrer a vereador. Acho que não nasci com a política no sangue, com o tempo isso foi despertando. Primeira eleição Em 2004, concorri pela primeira vez para vereador, fiz 851 votos naquela eleição, ficando na suplência do partido. Foi aí que, o então prefeito Alcindo Gabrieli me convidou para ser Secretário Municipal de Governo. Fiquei no cargo até 2008. Em 2008 concorri novamente a vereador e recebi 1554 votos. Este, talvez tenha sido o período de mais aprendizado, pois eu me considerava eleito. Mas, apesar do número expressivo de votos e de ser o quarto candidato mais votado do partido, entraram somente três vereadores. Eu fiquei fora. Quando decidi abandonar a política Com isso, tomei a decisão de abandonar a política e voltei a procurar emprego na iniciativa privada. Eu já estava formado em Direito e em Gestão Pública, mas quando tu sais da área pública e vai para a iniciativa privada, num primeiro momento, as pessoas te olham de uma maneira diferente. E, ainda, muitas pessoas diziam: teu currículo é muito bom, nós queremos alguém com menos experiência para moldarmos da nossa maneira. Então, de outubro de 2008 até meados de julho de 2009 fiquei parado. Sem emprego. Tentando organizar minha vida. Assessor parlamentar Foi quando recebi um convite do deputado Estadual Alexandre Postal para assessorá-lo em Porto Alegre. Realizei essa atividade de 2009 a 2012. Talvez, esse tenha sido um dos períodos de maior aprendizado na

12 Jornal Design

área política. Primeiro, porque saí do comodismo. Eu tinha família, esposa, filho, a minha casa, e tive que sair do conforto para buscar uma nova situação. Além, de começar a ter uma outra visão de mundo. Tem muita gente que tem medo e acaba não mudando, ficando no que é cômodo. E, é por isso que os empresários de Bento, alcançam tanto sucesso. Eles procuram uma visão macro, procuram conhecer as novas tecnologias e como funciona no exterior. Copa do Mundo 2014 na África A Assembleia Legislativa me trouxe inúmeros aprendizados. Em 2014, coordenei a Comissão Especial da Copa do Mundo, essa oportunidade me levou a passar um período de 15 dias na África para conhecer de perto o legado deixado para aquele país e os pontos positivos que deveriam ser levados em conta para obter bons resultados. Tudo isso me possibilitou a participar da construção de toda Copa do Brasil e de como se dá a escolha de uma cidade para sediar uma seleção. Futuro político Em seguida o deputado Postal assumiu como presidente da Assembleia Legislativa, no ano de 2012. Eu estava como diretor da Assembleia na época, um dos maiores cargos dentro da Casa. No momento eu havia assumido um compromisso com o presidente, que ficaria naquele ano como diretor. Era ano eleitoral. Mas, um irmão do Postal, que hoje é diretor do Banrisul me disse: tu tens um futuro brilhante na política, tu não podes largar isso. Tu tens que voltar para Bento e concorrer. E a partir disso, convenceu o deputado que eu deveria voltar para o município. No mesmo dia, Postal me chamou e disse: volta para Bento Gonçalves e te elege vereador! Saindo do comodismo Em 2012 concorri a vereador e me elegi, depois de ter praticamente desistido da política. Após um ano na vereança, fui indicado para assumir como líder do governo da administração Pasin. Todos os grandes projetos do primeiro mandato do prefeito passaram pelas minhas mãos. O que me fez, mais uma vez, sair do co-


“Dá para fazer mais, mesmo economizando. Este é um legado que queremos deixar.” modismo. Foi um aprendizado único. Presidente da Câmara de Vereadores No final de 2016, concorri novamente a vereador e fui reeleito com 1.450 votos. Foi aí que comecei a ir em busca de realizar um sonho que era poder assumir a presidência da Câmara Municipal de Bento Gonçalves. Meu mandato como presidente do Legislativo é de dois anos, se encerra no final de 2018. Junto com os colegas da Mesa Diretora, pretendo deixar um legado, mostrar que é possível sim fazer mais, com austeridade, mesmo que no meio do caminho, tenha obstáculos que precisam ser superados. Por exemplo, em 2016, o orçamento da Câmara era de R$ 13,5 milhões. Assumi a presidência em janeiro de 2017, com um milhão a menos. Pensando nisso, estabelecemos oito medidas com a intenção de reduzir os custos e mostrar que a Câmara poderia melhorar. Queríamos reduzir números de diárias dos vereadores, racionalizar o uso dos veículos da casa, suprimir funções gratificadas dos servidores, suspendemos um contrato de locação de uma sala anexa à Câmara, que representava um custo bastante elevado. Uma série de medidas que fez com que chegássemos no final do ano repassando ao executivo aproximadamente R$ 1,6 milhões, que poderão ser aplicados em áreas prioritárias como saúde, educação e segurança. E, já solicitei ao Prefeito, para reduzir o orçamento a R$ 12 milhões em 2018. E, ainda assim, pretendemos chegar ao final do novo ano com resultados positivos.

parente a legislação. Bento Gonçalves tem, aproximadamente, 6.300 leis. Se formos pegar decretos, normas, leis, portarias, passamos de 14.600 normas para reger a vida da população bento-gonçalvense. Esse processo de compilação fez com que fossemos convidados pela Interlegis, para palestrarmos no 9º Engitec, sobre a maneira que a Câmara instituiu este processo. Estiveram presentes no evento em torno de 60 Câmaras de todo país. O Interlegis é uma escola dentro do Senado Federal que fornece de forma gratuita um sistema de modernização que promove a maior transparência e interação do Poder Legislativo com a sociedade. A Câmara de Bento é referência em todo o Brasil, no que diz respeito ao sistema de apoio ao processo legislativo e o Portal da Transparência, é considerado uma das plataformas com as melhores práticas em termos de informação. Em 2016 figuramos como a segunda Câmara mais transparente do Estado. Esse ano recebemos novamente a prévia do Tribunal de Contas do Estado dizendo que nós atendemos todos os requisitos relativos ao nosso portal, ou seja, devemos novamente ter este reconhecimento. Além disso, a Câmara aprovou e instituiu o ParlaBento, que é uma sessão extraordinária itinerante que leva as reuniões plenárias da Câmara de Vereadores para os bairros, aproximando a comunidade. No ano de 2017 realizamos duas, uma no bairro Vila Nova e outra no Borgo, com participação de muitas pessoas, foi maravilhoso, reuniões magníficas. Apostamos nos programas educacionais e realizamos em parceria com a Secretaria Municipal de Educação, o Vereador Mirim. A proposta teve por objetivo despertar nos jovens o interesse pelo envolvimento em questões políticas. Tivemos a participação de nove escolas municipais e o envolvimento de mais de dois mil alunos nas etapas de seleção de 17 vereadores mirins e 17 suplentes, para uma sessão ordinária simulada no plenário Fernando Ferrari. Em 2018, queremos dar continuidade e através desses vereadores mirins, desenvolver ações de cidadania em suas escolas. Além disso no segundo semestre de 2017, retomamos o programa Visite à Câmara. Em quatro meses, foram mais de 300 alunos que vivenciaram essa experiência. Este programa educacional permite que alunos acompanhados de seus professores ou responsáveis, façam uma visita guiada e conheçam o funcionamento do Poder Legislativo. Para os estudantes, o fato de conhecerem a estrutura do Parlamento e seu funcionamento, bem como as funções e responsabilidade de um vereador, condiz com uma das principais funções da escola, que é educar para a vida no contexto social. Foi com esse intuito e também com a finalidade de incentivar o exercício da cidadania que o Poder Legislativo Bento-gonçalvense realizou estes programas.

“Tenho vários sonhos, entre eles o de representar e seguir fazendo o melhor pela minha cidade na construção de uma política que atenda aos anseios da população”

Legislativo Bento-gonçalvense integra o Parlamento Regional O Parlamento Regional é formado por presidentes das Câmaras municipais da região. Como presidente, representei a Câmara Municipal de Bento Gonçalves na função de primeiro-secretário dessa comissão, que tem o objetivo de debater assuntos comuns aos municípios, trocar ideias, encontrando soluções para problemas que sejam semelhantes ou muito parecidos entre eles, como as questões envolvendo saúde, infraestrutura, educação ou leis que atendam às necessidades da população. A busca por essa integração entre os vereadores é uma oportunidade de trocar experiências e a união é uma maneira de trazer força para buscar resolver essas questões de interesse do Nordeste Gaúcho.

Processo de modernização e programas educacionais Implementamos uma série de programas inéditos na Câmara de Bento, como o processo de digitalização de todo arquivo histórico que nós temos desde o ano de 1954. Está tudo em nosso sistema, quem quiser pode pesquisar e encontrar o que busca. O programa de compilação de Leis, fazendo com que a população possa acessar de maneira mais trans-

Ouvindo a comunidade Vemos resultados significativos com o expressivo número de pessoas que passaram pela sede do Poder Legislativo, bem como os encaminhamentos que este poder tem efetuado junto ao Executivo. Em 2017, foram realizadas 26 audiências públicas, um número recorde. A comunidade lotou as galerias e contribuiu com suas sugestões. Abordamos assuntos como saúde, reforma trabalhista e previdenciária, comércio informal, segurança alimentar, plano diretor, causa animal, esporte entre outros. Outra novidade, foi a realização de cursos

de qualificação dentro da Câmara, possibilitando um maior número de participação dos servidores. E, ainda, um curso de Gestão pública, realizado pela Universidade de Caxias, de maneira inédita, in company. Sonhos de liderança O ser humano quer progredir. Estamos sempre em movimento na busca da evolução. Tenho vários sonhos, entre eles o de representar e seguir fazendo o melhor pela minha cidade na construção de uma política que atenda aos anseios da população. Atualmente, coloquei meu nome à disposição e sou pré-candidato a deputado estadual. Diante de um cenário atual em que a política e políticos estão em descrédito, o maior desafio e legado que aqueles que estão inseridos e ocupando funções importantes devem deixar, é muito trabalho, união e ações, mostrando a importância da política e o quanto ela precisa ser bem conduzida. Outro compromisso importante, é manter a boa conduta e a sinceridade com a população. É através da política que podemos mudar a vida em sociedade. A vida em sociedade se rege pela política. E todo cidadão, quer seja ele um homem que milita na iniciativa pública ou privada, deve estar inserido politicamente na sociedade. Quero cumprir minha missão como presidente da Câmara conscientizando a população o quanto o Poder Legislativo é importante para a sociedade. Diria que é um dos lugares mais importantes para a construção e decisão dos rumos do nosso município. Os 17 vereadores que compõe o Poder Legislativo de Bento Gonçalves, representam 100% da população. Cada um representa uma parcela da comunidade, e é na Câmara que as decisões de transformação e progresso para o município acontecem. Por isso, como gestor da Casa, junto com os demais colegas, trabalhamos muito para uma aproximação com a comunidade.

“Quero cumprir minha missão como presidente da Câmara conscientizando a população do quanto o Poder Legislativo é importante para a sociedade”” Jornal Design 13


Sindmóveis

Edson Pelicioli – presidente do Sindmóveis Bento Gonçalves

Continuar empreendendo é o que move o empresário e presidente do Sindmóveis Bento Gonçalves, Edson Pelicioli. Com uma liderança técnica e trajetória industrial de quase 30 anos, assume o risco e o desafio de uma Movelsul Brasil que precisa impulsionar o setor moveleiro nacional em 2018. Com a palavra, Edson Pelicioli:

É difícil e nada usual esse exercício de falar de mim mesmo, mas, tendo que revisitar minha trajetória hoje, posso me considerar uma pessoa cautelosa, avessa a qualquer manifestação de soberba e que conseguiu se cercar de grandes amigos nesses 30 anos de carreira no setor moveleiro. Certamente foi a confiança das pessoas que me trouxe de volta à presidente da Movelsul Brasil e o meu intuito aqui é sempre colaborar com o desenvolvimento do setor assim como colaboro com o crescimento das empresas a quem presto consultoria e com a minha própria empresa. Dividir o conhecimento é a minha maneira de ajudar esse segmento que emprega tantas pessoas na nossa cidade e responde por quase metade da indústria local.

14 Jornal Design

O começo com o pai As empresas familiares têm grande importância na trajetória do nosso polo moveleiro e o começo da minha trajetória profissional foi junto de meu pai, na fábrica de esquadrias em madeira. Foi onde tive meu primeiro contato com a estrutura fabril e o beneficiamento da madeira maciça. Aos 13 anos, mudei meus estudos para a noite e passei a trabalhar integralmente na empresa da família. Depois, iniciei a formação em desenho técnico que me levou a uma oportunidade na Móveis Carraro, aos 17 anos. Foram quase 20 anos – primeiro como desenhista; depois na área da engenharia e, finalmente, como gerente industrial em uma das unidades da empresa. Essa foi uma oportunidade ímpar de lidar diariamente com a gestão industrial. Tempo de transformar É um orgulho ter feito parte dos processos de gestão da Carraro naquele período de grande consolidação e liderança de mercado. Apesar disso, em determinado momento, senti o impulso de mudar. Foi uma decisão de transformação que me levou à ideia de abrir minha própria empresa e, curiosamente, várias portas se abriram, tornando esse projeto possível. Depois de tantos anos envolvido com a mesma empresa, eu não conhecia o setor do

lado de fora. Mas, curiosamente, as pessoas me conheciam. E foi assim que eu passei de gestor em uma empresa líder de mercado para dono de uma pequena empresa e consultor de outras indústrias moveleiras. O poder da gestão A partir de 2003, com a saída da Carraro, percorri um longo caminho ajudando outras empresas a profissionalizarem sua gestão e buscar um modelo de excelência. Eu realmente acredito em modelo de gestão estratégica combinando a área industrial – que é de onde venho – com o comercial, o financeiro, a organização das equipes. Tive uma passagem muito importante em minha carreira que foi no grupo Todeschini, onde fui chamado a desenvolver a Todeschini Export e, depois, apoiar a unidade de madeiras em Cachoeira. Junto a isso, pude contribuir com o desenvolvimento da linha de tubulares na Italínea, um conhecimento que eu tinha da minha época na Carraro e que foi de grande valia naquele momento. Foi um período espetacular. Para mim, uma gestão de sucesso é aquela que consegue colocar as pessoas certas no lugar certo. Ideias & Conceitos Já são 15 anos de mercado e estamos muito bem posicionados no segmento de móveis exclusivos sob medida, graças ao trabalho operacional de minha sócia e cunhada Adriana Loer Pelicioli, que toca as rotinas da empresa de comercial e produção. É um mercado onde se consegue grande variação dos projetos, com todos os tipos de materiais, principalmente atendendo a especificadores. O atendimento é muito direcionado, com um comercial muito próximo do cliente, atendendo todas as necessidades dele. Meu papel na fábrica é o de pensar a estratégia e contribuir com aspectos da gestão e, dessa forma, temos uma atuação complementar,

Foto Emerson Ribeiro / Sindmóveis

Um líder inspirado pela colaboração


“Para mim, uma gestão de sucesso é aquela que consegue colocar as pessoas certas no lugar certo.” já que não estou presente diariamente na fábrica. Apesar da grande retração do mercado nesse período, o nosso trabalho vem tendo bons resultados e, mais uma vez, a gestão entra como resposta. O suporte da família A família é um ponto de apoio muito importante. Desde o começo, com meus pais e irmãos. Dos 13 aos 18 anos, foi a fase em que trabalhei para contribuir com a casa da família e isso teve importância fundamental na minha história até hoje. A relação com minha esposa Débora, com quase 20 anos de convivência, é um reflexo disso. É uma vida construída juntos, em que cada um entra com o melhor de si. Ela é muito mais emoção; eu, a razão. Juntos, somos equilíbrio. Esse ano foi um momento muito especial, com a chegada do Artur para fazer companhia à nossa primogênita, Amanda. É uma fase de redescobertas com mais um filho e, mais do que nunca, posso afirmar que o suporte da família é o que possibilita que eu possa me dedicar à empresa e ao Sindmóveis. Ao mesmo tempo, minha esposa também é muito bem-sucedida no seu trabalho, o que torna essa troca mútua. É uma vida compartilhada. Trajetória no Sindmóveis

cado, mas temos toda uma equipe e diretoria trabalhando com vigor para que a Movelsul Brasil 2018 seja um grande evento para a indústria moveleira, abrindo caminho para a recuperação do desempenho do setor. O nosso setor moveleiro, aliás, é um grande exemplo para o país de concorrentes que conseguem sentar à mesma mesa e projetar iniciativas para o crescimento conjunto e mútuo. Nem todos conseguem efetivar essa colaboração que existe conosco. Isso, a meu ver, faz toda a diferença num projeto de liderança. Contagem regressiva O Sindmóveis entra no ano novo em contagem regressiva para a Movelsul Brasil. Esperamos receber no Parque de Eventos os principais lojistas de móveis do Brasil e importadores de 50 nacionalidades. Essa que é a principal feira de móveis da América Latina para o público profissional e consideramos, mais do que nunca, uma estratégia importante de posicionamento e vendas para o setor moveleiro. Os lançamentos que a indústria moveleira apresentará vão pautar o varejo no segundo semestre do próximo ano, com expectativa de reaquecimento do mercado. São 40 anos de Movelsul Brasil, mas cada nova edição traz novos desafios e, em 2018, queremos uma feira pautada por lançamentos para o varejo de móveis e pela geração de conhecimento, graças

a inúmeras ações paralelas que a feira terá. Além do tradicional Projeto Comprador com rodadas de negócios voltadas às exportações e do Prêmio Salão Design, que comemora seus 30 anos em 2018, teremos a estreia de outras ações: o Projeto Varejo, uma iniciativa inédita voltada ao mercado interno com lançamento de produtos assinados por designers para o varejo nacional; e o Fórum Movelsul, com três dias de palestras com o tema “A reinvenção do varejo – Consumo all line”.

“O nosso setor moveleiro é um grande exemplo para o país de concorrentes que conseguem sentar à mesma mesa e projetar iniciativas para o crescimento conjunto e mútuo.”

Foto Jeferson Soldi

Antes de entrar pela primeira vez na diretoria da Movelsul Brasil, em 2006, fui convidado a ser Diretor Industrial na primeira edição da Fiema, a Feira de negócios e tecnologia em resíduos, águas, efluentes e energia. Considero o momento da criação dessa feira como um marco e que está ligado, inclusive, a uma etapa importante da produção moveleira, que são as questões ambientais. A Fiema abriu portas para que eu fosse convidado ao mesmo cargo na diretoria da Movelsul e, em 2008, assumisse a presidência da feira. Aquele era um período propício para a indústria moveleira, sobretudo no mercado interno com o consumo ligado ao que chamava-se, à época, de nova classe média brasileira. Foi uma excelente edição e, depois disso, passei os anos seguintes novamente dedicados a meu trabalho de consultoria e minha empresa. Ser novamente convidado a presidir a feira e a entidade agora foi até uma surpresa. O ambiente do Sindmóveis é de grande aprendizado e ótimo relacionamento entre os pares. Apesar da minha personalidade introvertida até certo ponto, eu reconheço e agradeço pela confiança que meus colegas de setor depositam em mim pra tocar a entidade e os seus projetos nesse momento tão desafiador. O desafio da Movelsul Brasil 2018 Esse é um momento econômico e político deliJornal Design 15


CIC-BG

Efetividade: agindo juntos podemos transformar a sociedade

Aos 50 anos, ele desfruta de uma condição diferenciada: é proprietário de uma empresa saudável, que emprega mais de 150 funcionários, transformando, por meio do trabalho, a vida de cada colaborador; é chefe de uma família harmoniosa, constituída com a esposa Alexandra e os filhos Enzo e Angelo; é uma das novas promessas no cenário de lideranças locais, aptas a transformar positivamente a realidade da sociedade onde está inserido. Com a palavra, Elton Gialdi:

Faça seu melhor em todas as oportunidades – esse é o lema que norteia os dias do hoje empresário e presidente do CIC-BG para a gestão 2018/2019, Elton Gialdi. Esse legado impressionante, no entanto, não surgiu por acaso. Ele é o resultado do comportamento – e, principalmente, das atitudes – de um homem determinado, esforçado e, sobretudo, persistente. Natural de Anta Gorda, foi criado por pai agricultor e mãe cozinheira na cidade de Triunfo. De lá, saiu antes dos 30 anos – para conhecer o país e, então, depois de rodar por muitas estradas à trabalho, dirigindo um Voyage, escolheu a cidade de Bento Gonçalves para se estabelecer. “Até então, eu levava a vida na esportiva, sem grandes pretensões. Foi quando cheguei a essa cidade, conheci minha futura esposa, e comecei a pensar na constituição de uma família que tudo co-

meçou a acontecer. Ou melhor – que comecei a fazer as coisas acontecerem”, relembra. Chegada a Bento Gonçalves No município, começou a trabalhar com o irmão – aqui já estabelecido –, em sua empresa, no segmento de transportes e logística. Ali, passou por todas as funções – desde o carregamento de cargas até o complexo processo de elaboração e acompanhamento de rotas e funções administrativas. Tempos depois, foi convidado a participar de uma sociedade em outra companhia, do mesmo ramo de atuação. Por longos anos dedicou seus melhores esforços ao negócio. Aprendeu muito – tanto sobre os modelos de gestão a seguir como acerca daqueles que precisa evitar. “Sou muito grato por todas as experiências que tive na vida – as boas e as ruins. Elas me ensinaram lições valiosas e, por incontáveis vezes, a necessidade de enfrentar situações adversas foi o que me impulsionou a evoluir”. Espírito empreendedor Foi então que a vocação empreendedora acabou se revelando – e falando mais alto. Em 2007, aos 40 anos, Gialdi tomou uma das decisões mais ousadas de sua trajetória – abrir a própria empresa, seguindo seus valores, seus princípios e sua filosofia. “Eu acredito que as oportunidades não surgem por acaso.

“As oportunidades não surgem por acaso. Nós somos os responsáveis por criá-las e aproveitá-las.” Nós somos os responsáveis por criá-las e aproveitá-las”, diz com a humildade de quem tem a vida como grande mestre. Munido de experiência, de conhecimento e de coragem, traçou uma estratégia inteligente e se apresentou ao mercado logo de forma diferenciada – focando nos diferenciais da ética, da credibilidade e da confiança para conquistar seu espaço no segmento. A aposta deu certo. A Mérica Transportes e Logística, que quando abriu suas portas mal tinha o capital necessário para sustentar sua operação, hoje é uma companhia sólida, há dez anos atuando com liderança de segmento, sediada em Bento Gonçalves e com filiais no Rio de Janeiro e Niterói. “No meu negócio, as pessoas têm autonomia para desenvolverem e demonstrarem seu potencial. Mas também a responsabilidade por gerar resultados. Sou muito exigente e não abro mão de uma condição em qualquer tarefa: é preciso fazer bem feito”, revela. Efetividade Esse é, inclusive, o lema que procura compartilhar

16 Jornal Design

Foto Jeferson Soldi

Elton Gialdi– presidente do CIC Bento Gonçalves


com todos aqueles que estão seu redor: é preciso fazer o melhor, sempre, em cada situação, em todas as oportunidades – porque quando a excelência é a meta, logo acaba se transformando naturalmente em padrão. “Gosto muito de trabalhar ao lado da equipe, mostrando aos colegas como agir, como resolver as situações do dia a dia da melhor forma. Acredito que as pessoas são, sem dúvida, o diferencial de uma empresa, de uma organização e de uma sociedade. Na Mérica, tenho como princípio a valorização do colaborador – ele precisa receber o melhor da empresa para fazer o melhor por ela. O empregado tem que saber que pode contar com a empresa para que ela também possa contar com ele. Prezo muito pela reciprocidade nessa relação de confiança, compromisso e comprometimento – um equilíbrio entre concessão de liberdade com a responsabilidade pela geração de resultados. Isso significa que prezamos, sem dúvida, pelo profissionalismo nas relações, mas sem abrir mão de um tratamento humanizado ao colaborador”, conta.

de, pela sociedade. Eu sabia que Bento Gonçalves era uma cidade acolhedora quando cheguei aqui, há mais de 25 anos. Mas é impressionante como ela continua a me surpreender. É por isso que quero, agora como presidente do secular Centro da Indústria, Comércio e Serviços, retribuir todo carinho que recebi e continuo a receber desta comunidade, pois sinto- -me na obrigação de recompensar todas as oportunidades que esta cidade me apresentou – e com as quais construí minha carreira e minha família”, diz. Sua condução frente à entidade deve ser norteada por uma palavra: efetividade. “Quando me dedico a um projeto, não consigo ficar no meio termo, tenho dificuldade de dizer ‘não’ para alguma ideia proposta e que precise de mim para ajudar em sua viabilização. Acredito que a ação é o grande gatilho para a transformação social. O caminho para mudarmos, para termos uma sociedade da forma que idealizamos, é simples, basta que cada um faça a sua parte, por menor que ela possa parecer”, diz. Se todos contribuírem um pouco, logo o resultado transforma-se em muito, na opinião dele. “É muito melhor poder ajudar do que ser ajudado. A prática da filantropia em nosso município e mesmo no país ainda não está bem desperta. Muitos homens e mulheres de bem estão por descobrir o quanto gratificante e recompensador é fazer o bem a uma sociedade, uma causa ou mesmo uma família ou indivíduo que precisa. Na minha empresa, por exemplo, procuro dar oportunidades às pessoas que estão em situação menos favorecida. Já abri vaga para apenados do Semiaberto e para pessoas em condição de mendicância – sem qualquer arrependimento, muito pelo contrário. Se cada empresa assumir para si essa tarefa, sem dar continuidade àquele jogo de empurra-empurra, que coloca a responsabilidade pela resolução dos problemas ora nas mãos do governo, ora nas costas dos outros, logo sanaríamos muitas das mazelas que nos acometem. E todos sairemos ganhadores e beneficiados por esse esforço”, exemplifica. Essa proposta altruísta, de entrega coletiva em prol de uma causa, é o grande desafio que tem a compartilhar com os diretores que o acompanham na gestão 2018/2019. “A participação que tive na diretoria do CIC me mostrou que quando um grupo de pessoas

“Sou muito grato por todas as experiências que tive na vida. Elas me ensinaram lições valiosas.”

Mais pela sociedade Uma vez estabilizado profissionalmente e com a família solidamente harmonizada, Gialdi procurou atender a outro desafio que se propôs a realizar: o exercício da responsabilidade social. Dois anos atrás, aceitou o convite do amigo Laudir Miguel Piccoli para compor a diretoria do Centro da Indústria, Comércio e Serviços de Bento Gonçalves. Um ano depois, assumiu a presidência do Consepro. Em agosto do mesmo ano, foi convidado e aceitou o cargo de vice-presidente do CICS Serra, associação que engloba 14 entidades na região da Serra gaúcha. Em dezembro de 2017, foi eleito para, então, presidir a entidade de classe mais representativa do município – o CIC-BG. “Nunca tive essa pretensão e tampouco imaginei que pudesse chegar a essa condição. Mas fico muito feliz e motivado pela oportunidade de fazer mais pela comunida-

Na Mérica Transportes e Logísticas, capital humano é diferencial

do bem se reúne para criar e construir algo positivo, surge dali uma irmandade. Os laços de amizade ficam extremamente fortalecidos porque se está trabalhando para o bem coletivo, pensando e defendendo os interesses de uma sociedade e não de indivíduos. É assim que visualizo minha gestão. Nosso compromisso é com o trabalho em prol do coletivo. Foi assim que construímos a Bento Gonçalves de hoje através dos anos, com foco no associativismo para vencer nossos desafios, e certamente esse é o caminho para um futuro de oportunidades e prosperidade”, diz.

“O caminho para termos a sociedade da forma que idealizamos, é simples, basta que cada um faça a sua parte.” Foto Jeferson Soldi

Com um nome que presta homenagem ao imigrante italiano que aportou no Brasil a partir do quarto final do século 19, a Mérica Transportes e Logística é uma empresa que tem no capital humano um de seus alicerces – porque acredita que são as pessoas que fazem diferença numa corporação. Surgida em Bento Gonçalves – e hoje com unidades também no Rio de Janeiro e em Niterói –, a empresa presta serviços em transportes dos mais variados produtos, desde cargas frágeis a equipamentos grandiosos. A empresa consegue cumprir o vasto território nacional a partir de suas bases estrategicamente posicionadas, no transporte de cargas completas, e atende a todas cidades do Rio de Janeiro e do Rio Grande do Sul para cargas fracionadas. A frota da Mérica é composta por caminhões modernos de grande, médio e pequeno porte, sendo todos equipados com rastreamento via satélite, o que permite a localização imediata dos veículos, bem como o detalhamento de rotas. A empresa ainda possui plano de seguro para todas suas cargas transportadas, garantindo tranquilidade aos clientes.

Jornal Design 17


FamígliaValduga

Foto Divulgação Casa Valduga

140 anos de história Juarez Valduga - Presidente do Grupo Famíglia Valduga

Há 45 anos no comando, o presidente do Grupo Famíglia Valduga, Juarez Valduga pertence a segunda geração da família frente à marca. O legado de um dos grupos mais renomados do setor vitivinícola brasileiro, é composto atualmente por seis grandes empresas: Casa Valduga, vinícola que está entre as dez maiores elaboradoras de espumante e vinhos do País; Domno, importadora de vinhos finos; Casa Madeira, produtora de sucos, geleias, antepastos; Ponto Nero, que elabora espumantes jovens e modernos; Cervejaria Leopoldina, produtora de cervejas especiais com base nas principais escolas cervejeiras e Vinotage Vinoterapia, que apresenta cosméticos elaborados à base de uvas finas com ativos sustentáveis. Com a palavra Juarez Valduga:

Não tinha aptidão para ser padre... Por sofrer de enxaqueca crônica desde criança, eu não tinha muita expectativa de futuro e sucesso. Na agricultura, fui dispensado com apenas 10 anos. Assim, me dediquei aos estudos no seminário, para me tornar padre. Ao vestir a batina, os próprios padres perceberam que eu não tinha aptidão para o desafio. Nesses dois episódios eu pensei muito na minha vida. Foram experiências que me marcaram. Em seguida entrei para o exército. Eu estava muito bem lá, até porque a disciplina no Seminário era mais rígida que no exército. Servi por três anos. Nesse período perdi dois irmãos e com isso, a minha mãe pediu para que retornasse para casa, para ajudar e estar mais próximo à família. Um quase padre, um quase militar, um quase engenheiro...

18 Jornal Design

Cursei Engenharia Civil na Universidade do Vale do Rio dos Sinos - Unisinos. Não concluí, faltou o último semestre. Na verdade, eu fui um quase padre, um quase militar e um quase engenheiro. Já com 21 anos de idade, eu tinha que assumir a minha identidade. No primeiro contato com a cidade de Bento Gonçalves, assumi efetivamente a empresa, que era composta por meu pai e meus irmãos. Não tinha mais ninguém! Uma empresa familiar. Colono Minha mãe me deu um chapéu de palha, pois eu teria que enfrentar seis quilômetros a pé, e me fez um pedido especial: que eu pegasse dinheiro no banco, para comprar um quilo de café, um quilo de açúcar e um quilo de sal. Chegando ao banco, eu fui barrado pelo chapéu que usava. Eu nunca tinha percebido esse tal de bullying. O guarda me chamou de colono, questionou o que eu estava fazendo no banco. Me apresentei a ele, que prontamente comunicou que eu poderia acessar o estabelecimento, desde que deixasse o chapéu na entrada. Chegando ao gerente, me identifiquei como filho de Luis Valduga, estava ali para trocar a titularidade pois havia assumido a empresa. E ele me pediu: quem é Luis Valduga? Mais conhecido como “Didio”, respondi. Ah, você é filho do Didio, então senta aí piá. Piá colono. Se você tiver a mesma dignidade, a mesma palavra do teu pai, tu tens tudo do banco. Você ouviu bem coloninho? Poxa vida, pela primeira vez eu achava que estava flutuando. Foi o primeiro e único momento em que me senti literalmente rico, porque eu tinha um Banco por trás de mim.

Peguei o dinheiro e fui ao mercado. Solicitei a quantia de dinheiro que precisava para fazer a compra para minha mãe, pois eu não sabia quanto era dinheiro, porque até então, mesmo como militar, eu dava todo meu dinheiro para a minha família que estava necessitada. Chegando ao supermercado, novamente fui surpreendido. Exigiram que eu apresentasse o dinheiro para poder entrar e que deixasse o chapéu na entrada, chamando-me novamente de colono. Comprei o que precisava. Na volta para casa eu chorei o caminho todo. Foi o meu calvário. Nessa caminhada eu percebi quem eu era, eu tinha que me identificar com alguém. E eu usei essa identidade que me deram, que hoje me orgulho demais, de ser colono. Meu primeiro funcionário Chegando próximo à vinícola, encontrei um mendigo, chorando na vala, praticamente morrendo. O fato me fez refletir o porquê de minha lamentação ao longo do caminho. Eu estava bem vestido, estava com meu chapéu, eu tinha um quilo de açúcar, um quilo de café e um quilo de sal. Resumindo a história, este é o meu primeiro funcionário e até hoje está comigo! Eu tinha que dar sentido à vida, eu tinha que dar sentido aos meus sonhos, eu tinha que buscar pessoas e apoiar para que eles pudessem sonhar comigo. Neste momento, inicia o meu projeto de vida. Persistir, insistir e não desistir Eu tinha que mudar a cultura de uma família centenária. As barreiras eram grandes. Meus pais foram os que mais me incentivaram. Meu pai era um grande


trabalhador. Eu precisava trocar uma viticultura de 100 anos. Não foi fácil. Para trocar os vinhedos eu e meus irmãos convencemos o pai a ir para o Nordeste, de ônibus, para que pudéssemos ter tempo hábil para desfazer os vinhedos dele. Só tínhamos a propriedade do meu pai. Eu só deixei o vinhedo na entrada para que ele não pudesse ter o impacto de morte já na chegada. Derrubei todos os vinhedos cultivados em sistema de condução latada e substituí por vinhedos em espaldeira. Na chegada meu pai lamentou tanto, me chamou de lado e perguntou: “Juarez, eu entendo que você queira mudar, mas porque você não foi fazer geleia, já que essa uva não é boa para o vinho?”. Confesso que naquela noite eu não dormi. Meu pai tinha razão. Eu estava destruindo uma identidade, estava destruindo uma história de família, mas aconteceu. Eu adotei uma filosofia de vida: ser persistente, insistente e não desistir jamais. A Casa Madeira Logo em seguida eu comprei uma pequena propriedade, iniciamos então a produção de geleias. A geleia tem histórias diversas. Fui para Pelotas, onde também “fui bem recebido”. Ninguém abriu as portas para mim. Eu chegava e falava franco: eu gostaria de aprender com vocês porque eu vou querer montar uma pequena fabriqueta de geleia, como se faz isso? E eles me diziam: isso é muito grande para você aprender. E fechavam as portas. Mas, eu não desisti do meu lema. Fui até a Embrapa de Pelotas, que me abriu o caminho, me incentivou, motivou. Iniciei o projeto com a geleia da forma que a minha mãe fazia. O suco da uva desidratava a fruta e com 20% de açúcar, duas horas e meia mexendo. Por seis anos eu continuei esse projeto. Percebendo que não dava tão certo, porque o Brasil não come geleia, o Brasil come doce de fruta. Foi quando nasceu a Casa Madeira. No ano seguinte criamos o suco, quebramos o paradigma mundial do suco e nos tornamos um case mundial de sucesso. Recentemente lançamos uma linha de chás e molhos de pimenta. A Casa Valduga é meu coração, minha alma

pneus, de tão boa que era. Eu consertava e pagava na volta, porque não tinha dinheiro na ida. Eu fui crescendo, comprei uma 4000. Que sonho! O trator foi outro grande sonho conquistado. Chegando no início dos anos 80, compramos um caminhãozinho Mercedez 1113, que maravilha. Foi aí que começamos a distribuir vinho no mercado. Eu ia para Porto Alegre onde ninguém ia. Não é aqui a fila para vocês Passados seis anos, eu tinha um amigo, que eu resgatei da rua: o Valdir. Propus a ele que, se um dia conseguíssemos vender mil garrafões de vinho, iríamos jantar no melhor restaurante de Porto Alegre na época, que se chamava Nova Bréscia. E conseguimos! Um restaurante famoso, formava filas. Nós não estávamos bem vestidos. Então o dono chegou até mim e disse: moço, não é aqui a fila para vocês. A fila para vocês é lá atrás. E eu fui lá atrás. Isso aconteceu por seis anos. Eu percebia que era comida de sobra, mas nunca, na minha vida, eu tinha comido tão bem assim. Feira com figuração Em toda minha caminhada de vendas, eu buscava ver os horizontes. Tentava buscar o que era possível em tecnologia, inovação e melhorias. Sem conhecer nenhuma língua, eu viajei. Fui para os Estados Unidos, há 30 anos atrás, querendo exportar, sem saber nenhuma palavra. O que mais me chamou atenção foi uma feira em Belo Horizonte chamada Unilar, que reunia todo o setor vinícola do Brasil. Eu tinha contratado um espaço de seis metros quadrados, depois passamos para nove metros quadrados e em seguida para 10 metros quadrados. Percebi que o mineiro comprava novidade. No ano seguinte, com 12 metros quadrados, eu contratei três casais de mendigos, coloquei uma roupa chique e 14 garotos de rua. Levei eles nessas lojas de roupas usadas e vesti eles bem bacana. Montei quatro mesas, três eram ocupadas por esses figurantes. Quando passava um casal que me interessava eu os chamava e dizia que estava apresentando uma novidade do Rio Grande do Sul, de uma vinícola familiar, de um excelente vinho com premiações internacionais. O casal sentava e meus atores começavam a falar alto: nossa que vinho bom! Fiquei exclusivo da feira, cheguei a vender duas carretas por ano. Você tem que acreditar no seu projeto e no seu produto!

“Eu adotei uma filosofia de vida: ser persistente, insistente e não desistir.”

A Casa Valduga é meu coração, minha alma. Essas mudanças que eu tinha que fazer nos vinhedos, tínhamos que lançar vinhos, lá no início dos anos 80, eu reclamava tanto e hoje vocês não imaginam o quanto eu agradeço a Deus por ter tido tantas pedras no meu caminho. Por ser tão pobre, nós não tínhamos nem açúcar para fazer o café, imagina colocar no vinho. Então nós fazíamos vinho seco. Nós lançamos o primeiro vinho rosé seco do Brasil, só para ter uma ideia, em 1982. Talvez foi um dos anos mais felizes da Casa, porque tivemos que tomar todo ele. Mas, eu fui persistente. Cheguei a trabalhar mais de 12 anos, como cigano, de porta em porta. Era como na história do vendedor de Bíblia: eu dizia, ou compra uma garrafa de vinho, ou leio a Bíblia inteira para você. Assim eu comecei, de porta em porta. A primeira Kombi Para abrir o mercado de Porto Alegre, foi meu auge. A primeira Kombi que eu tinha, já na ida furava dois

Santo Casamenteiro Certa vez encontrei um padre que eu conhecia. Disse a ele que, por tudo que eu rezei, ele precisava me ajudar. Pedi a ele que toda vez que fosse celebrar um casamento, ele oferecesse um vinho Valduga. Assim, me tornei Santo Casamenteiro. Exportação no Mercosul E o vinho está na alma. O vinho está no coração. Eu não vou esquecer ele. Eu vou seguir em frente. E para ter um bom vinho tem que plantar um bom vinhedo. Tem que plantar vinhedos praticamente todo ano. Você precisa se envolver, criar, buscar. Eu estou

criando a primeira vinícola no Chile, estou analisando Argentina e Portugal também. Fazendo o Mercosul, eu percebi o quanto vou poder crescer com meu projeto Casa Valduga. Poder exportar para o Chile, poder importar do Chile, para Argentina e Portugal. Eu criei a primeira importadora de vinhos do setor vinícola, hoje somos parceiros de mais de 10 vinícolas internacionais. Eu só não importo. Eu faço a parceria com eles. Isso me deu mercado lá fora. Sempre olhando qual a identidade principal que você tem, qual a tua vocação. Hoje eu tenho pressa. Até porque, como meu filho diz: eu tenho mais passado do que futuro. Então eu tenho que estar um pouco atento nisso. Mas acho que ainda tenho muito por fazer. Nunca perdendo o foco. Nós somos bons e vamos ser os melhores espumantes do mundo. Valorização à equipe O empreendedor tem que se preocupar com sua equipe. Eu estou dedicado à sucessão familiar. Eu e meus irmãos estamos analisando se cada membro tem essa vocação para dar continuidade. Temos que dar oportunidades para os funcionários, profissionalizar a empresa. Tem que compartilhar o teu sonho com eles. Dar condições de trabalho, condições de emprego, um salário para que eles possam sonhar contigo e ter uma boa renda para cuidar da família e do lazer. Eu transformei o trabalho em lazer. E lá no princípio, eu aprendi a consolidar os meus sonhos com os demais, com a equipe. Eu, Juarez, só tenho duas mãos. Mas juntando com meus 350 funcionários, são 700 mãos. É um ano de crise, mova-te, crie, tire a bunda da cadeira. É o que eu e minha equipe fazemos. O segredo do sucesso é trabalhar, trabalhar, trabalhar A história não para por aqui. Eu também não vou parar por aqui. Eu vejo oportunidades no Brasil. Por sorte eu desliguei a televisão nestes últimos meses. Eu não estou acompanhando politicamente. Isso fez o sucesso do Vale dos Vinhedos. Há 20 anos atrás, quando compartilhei com meus colegas, para formar a primeira Denominação de Origem Controlada, nós fizemos um pacto: vamos esquecer o governo. E deu certo! Nós trabalhamos. O sucesso é trabalhar, trabalhar e trabalhar. O pessoal me pergunta qual é o segredo do meu sucesso? Eu respondo: nenhum. Você tem que trabalhar, trabalhar, trabalhar e trabalhar, esse é o sucesso. O sucesso é compartilhar com a tua equipe. E ela vai junto contigo.

Jornal Design 19


Casa Di Paolo

Originalidade, qualidade e alegria à vontade O bento-gonçalvense Paulo Geremia é fundador do grupo Casa Di Paolo. O grupo Casa Di Paolo abrange 12 casas: no Rio Grande do Sul são quatro restaurantes em Caxias do Sul, duas casas em Bento Gonçalves, duas em Porto Alegre, uma em Gramado e uma na Quarta Colônia, ainda, uma casa em Itapema (SC) e, recentemente, um restaurante em São Paulo (SP). Além da Di Paolo Alimentos, que comercializa os produtos da marca congelados, nas Casas Di Paolo, delicatessen e supermercados. Com a palavra, Paulo Geremia:

Todo mundo pode vencer na vida Nasci no interior. Trabalhávamos na roça. Somos em 15 irmãos. Era bem normal na época estudar e trabalhar. Meio dia trabalhávamos na roça e meio dia íamos estudar. Isso seguiu até os 18 anos. Nesta época aprendíamos em casa, com os pais. Aprendíamos a fazer o cabo da enxada. Tínhamos muito pouco dinheiro na infância. Para ganhar um dinheiro extra, juntávamos pinhão e vendíamos na vila. Fazíamos brinquedos e vendíamos para os colegas na sala de aula. Isso ajudava muito. Chegando aos 18 anos fui servir o quartel em Bagé. O bom do quartel é que, além da disciplina, aprendi a trabalhar de garçom. Me ajudou muito e foi um belo sinal do que eu iria fazer na vida. Ao retornar, indo para uma excursão a Torres,

nos anos 80, consegui um emprego de garçom num restaurante. Na época o garçom não ganhava uniforme, nós tínhamos que comprar. Eu não tinha dinheiro naquele dia. Um amigo me emprestou R$ 312,00 para que eu pudesse começar a trabalhar. Todo mundo pode vencer na vida. Foi aí que começou a minha história. Garçom Ao retornar do período de praia, aqui em Bento Gonçalves, no Restaurante Pão e Vinho, eu temperava galeto, assava galeto, servia nas mesas, atuava como garçom também. Era uma casa pequena. Eu morava na casa. Foi um período de muito aprendizado. Seguindo, tive vários empregos como garçom. Passando esses anos eu tive sociedade em lanchonetes e uma churrascaria. Esse período me proporcionou fazer algumas viagens a Buenos Aires, Foz do Iguaçu, Gramado e em feiras em São Paulo, além de Miami e Orlando, nos Estados Unidos. Ao retornar destas viagens percebemos que os restaurantes da época eram grandes, com capacidade para 300 pessoas. Com horário do meio dia às 13h para servir. Às 13h30min os garçons já estavam almoçando. Nessas viagens conheci restaurantes temáticos, que atendiam o dia todo, com espaços alegres e padronizados. Foi então que, em 1994, resolvemos abrir o restaurante Giuseppe. Eu e meu irmão Roberto, que hoje está em Itapema e mais seis funcionários, quando iniciamos nosso primeiro empreendimento entre Bento e Garibaldi, no Castelo Benvenutti. Cardápio tradicional Nossa ideia, desde o início, foi manter um cardápio tradicional aqui da região, incluindo sopa de capeletti, massas caseiras, galeto al primo canto, salada de radicci e polenta brustolada. Foi ali que começamos a entender que o que sabíamos fazer era atender, formar pessoas. Para criar o ambiente contratamos uma arquiteta e um de-

20 Jornal Design

corador, para fazer com o que o ambiente ficasse temático e focasse o cliente que queríamos buscar. Também foi importante desenvolver prato a prato. Na época a sopa de capeletti estava pronta em um panelão na cozinha e era servida ali. Mas, nós queríamos fazer melhor, queríamos a sopa no ponto a cada sopeira que fosse servida, com a massa sempre al dente e servida de maneira especial para cada cliente. Da mesma forma com a massa, na época a tradição eram as grandes panelas, a massa e o molho juntos. Com equipamentos nós criamos uma forma de que cada porção fosse servida no ponto e com o molho que o cliente escolhesse. Na época, nós contratamos a cozinheira do Senac, a Dalva, para dar estética aos pratos. Eram pratos tradicionais da região. Nós queríamos um prato com apresentação e com aquele sabor original, da “nonna”. Então, ampliamos os horários, já de início, para atender os turistas. As Casas Eu acredito muito que esta casa, no Castelo Benvenutti, criou um modelo. Já no segundo para terceiro ano recebemos o convite do Shopping Iguatemi, de Caxias do Sul, onde abrimos nossa segunda casa. Já com experiência, vimos que ali o público não comeria o rodízio, então criamos o prato, que é o grande diferencial da casa. Nossa terceira casa foi instalada ao lado da Pipa Pórtico, em Bento Gonçalves, antigo Pão e Vinho, agora Casa Di Paolo, onde, além do rodízio, criamos os grelhados. Contratamos uma cozinheira que havia estagiado na Itália, que trouxe muitas novidades, como salada, massas e sobremesas, para incrementar o cardápio. Em Gramado, também foi uma experiência muito boa, pois espalhou nossa marca para o país todo, pois o turismo lá é muito forte. Nossa Casa em Gramado é uma referência. Em Caxias do Sul, no bairro de Lourdes, temos uma casa que nasceu da união de todo conheci-

Foto Divulgação

Paulo Geremia – Sócio-fundador da Casa Di Paolo


mento e experiências que tivemos no Brasil e na Espanha, de respeitar todas as normativas, desde segurança, de ambientes, de tratamento acústico. É uma das mais completas casas do grupo. No Shopping Iguatemi instalamos mais uma casa, criamos uma estrutura só para servir pratos, porque sentimos que cresceu muito a necessidade de refeição fora do lar, surgindo uma demanda de comida mais rápida, mas com o mesmo padrão e qualidade Di Paolo. Criamos então os pratos expressos. A Casa Di Paolo do Shopping São Pelegrino tem a mesma característica, abrimos um espaço na praça de alimentação. Em Porto Alegre, há três anos, no Boulevard Laçador, em um belíssimo espaço, ao lado do aeroporto, é o local onde mais conseguimos usufruir a imagem da marca. O Recanto Maestro, na Quarta Colônia, é uma oportunidade que tivemos em uma casa ao lado de um hotel e próximo a faculdade, um local muito frequentado pelo pessoal de Santa Maria. Em Itapema, Santa Catarina, meu irmão gerencia a primeira unidade Di Paolo fora do Rio Grande do Sul. E, ainda, em Porto Alegre, no Bourbon Wallig, foi uma oportunidade de nos expandir na capital. E agora, a grande novidade, nosso primeiro restaurante em São Paulo. Acreditamos muito que estamos preparados com questões como logística e pessoas, para manter o mesmo padrão de qualidade, e identidade da Casa Di Paolo.

me ensinam muito. Sempre tive coragem para empreender. Se eu tivesse somente uma casa, eu teria dinheiro guardado. Mas, são escolhas que precisamos fazer. Tem pessoas que podem não crescer e se realizar, e outros têm a necessidade de ampliar. É um desafio e é uma escolha. Eu sou muito realizado por ter várias casas. A pouco fiz 50 anos e tomei uma decisão: decidi recomeçar. Uma casa nova em Porto Alegre, a Escola Di Paolo... eu assumi de frente, e quis mesmo refazer o que eu queria ter feito já no início.

“Acredito que a principal realização de uma pessoa é acertar a sua estrada, acertar o seu core business.”

O amor pelo que faz Acredito que a principal realização de uma pessoa é acertar a sua estrada, acertar o seu core business. Daí vem a confiança em fazer e, por consequência, a felicidade. O cliente percebe se tem alma no produto que ele consome. Acredito que até os 27, 30 anos, o jovem deve experimentar várias funções, várias experiências, para escolher o que quer fazer. Quem acerta o que quer fazer, tem o sucesso garantido. Inovação Nós fomos o primeiro restaurante a servir galeto e todos os seus acompanhamentos. Depois, seguimos com a inovação de servir galeto e grelhados. Em seguida, passamos a servir pratos expressos. Há dois anos criamos o Di Paolo Alimentos, onde tudo que nós servimos nas casas, é preparado em um local específico, embalado e congelado para a venda em todas as Casas Di Paolo e também em supermercados. Criamos também o Belgaleto, em Porto Alegre, com a proposta de franquia, que vende somente prato expresso. E, a grande novidade, a Escola Di Paolo, que fez com que todo o conhecimento fosse documentado, registrado em imagens e escrito, o que permitiu que passássemos muito mais rápido esse conhecimento para as equipes e aos funcionários novos. Esse capital da escola é muito importante para o nosso crescimento. Estamos sempre preocupados em renovar os ambientes. A pouco tempo fizemos uma revitalização de espaços, e vimos o quanto é importante receber os clientes com um local que tem um bom banheiro, um bom ambiente. Cidadão de Bento Gonçalves Tive várias experiências importantes como cidadão de Bento Gonçalves. Fui presidente da ExpoBento, da Fenavinho, vice-presidente do CIC, tive cadeira na Federasul. São experiências que

Missão Nossa Missão: nós existimos para proporcionar uma experiência memorável ao servir, com o mesmo padrão e a mesma qualidade Di Paolo, do primeiro ao último cliente, para que as pessoas saiam mais felizes de nossas casas do que quando elas entraram. A imagem do negócio é o que tem de mais importante e sublime, porque as pessoas guardam essa imagem. Porque as pessoas precisam sair mais felizes de uma Casa Di Paolo? Porque esse cliente fez um investimento, saiu de sua empresa ou de sua casa, o mínimo é que ele saia realizado. É um compromisso, nos propomos a entregar isso, atender bem, garantir um bom ambiente, com produtos de qualidade. Visão A nossa Visão é onde nós queremos chegar. Queremos ser uma marca líder nacional, reconhecida pela qualidade da autêntica culinária típica italiana da Serra Gaúcha e principalmente do galeto al primo canto, com um projeto humanista que estimula o crescimento das pessoas pelo mérito. O galeto e seus acompanhamentos surgiram aqui na nossa região, típico da imigração italia-

“Quando o teu país entra em crise, nunca pode deixar a crise entrar na mente do líder, porque ele se enfraquece. As oportunidades que surgem durante uma crise podem ser muito boas.”

na, é uma bandeira, chegamos com o original, o autêntico. Fazer o galeto al primo canto ser conhecido e difundido a nível nacional, com padrão. Esse é o nosso objetivo, de todos nós da equipe Di Paolo. Nossa essência O que nos mantém e nos sustenta é ser simples e eficaz. Saber fazer e querer fazer. As pessoas têm que ter a motivação de querer fazer. Hoje tem muita informação e pouca ação. Nós queremos buscar nas pessoas a vontade, a vontade de fazer. Acredito muito na soma da teoria e a prática. Garantir a qualidade em tudo que fizemos. Isso é capricho. Melhorar sempre. Isso é humano, é bom, é belo. Ser verdadeiro e transparente. Valorizar o bem-estar e a evolução do ser humano. Clientes Nós valorizamos nossos clientes. Gostamos de estar junto dos clientes. Cada cliente nos traz um novo cliente. Guia 4 Rodas Ao longo dos anos recebemos premiações e reconhecimentos. O primeiro, em 1994 e, depois, em 2006, ganhamos a primeira estrela do Guia 4 Rodas. Esse era um grande sonho, ter a nossa cozinha reconhecida logo no início. Foi importantíssimo pois nos provou que estávamos no caminho certo, que fazíamos comida de qualidade e estávamos agradando o turista, principalmente. Por 11 anos fomos eleitos o melhor galeto do Brasil, pelo Guia 4 Rodas. Em 2011, o Guia 4 Rodas nos premiou também com o título de Restaurante do Ano. Foi a primeira vez que o prêmio foi para uma empresa Gaúcha. O reconhecimento é importante pois incentiva as equipes. Alegria à vontade Nosso slogan, alegria à vontade, abrange desde o recebimento, ao atendimento do garçom, o servir com qualidade e alegria, que o ambiente esteja limpo. Isso garante que o cliente vai voltar, e garante que ele nos indique aos seus amigos. Sair da crise com resultado Dentro desses mais de 20 anos de experiência em restaurante, eu cresci junto com o negócio. Eu acredito que crises vêm e vão, o importante é que, quando o teu país entra em crise, nunca pode deixar a crise entrar na mente do líder, porque ele se enfraquece. As oportunidades que surgem durante uma crise podem ser muito boas. A crise diminui o valor dos aluguéis, qualifica a mão de obra. Se tu estás profissionalizado no teu negócio, se está bem claro para a tua equipe, para os teus clientes, para o teu negócio, você pode sair da crise com um resultado melhor. Jornal Design 21


Movergs

Unir para Fortalecer, Renovar para Crescer

Casado com Jaqueline Pereira Benini, pai dos trigêmeos Bruno, Vinicius e Rodrigo, 30 anos, e de Guilherme, 9 anos, Volnei Benini é proprietário da BRV Móveis, e é presidente da Associação das Indústrias de Móveis do Estado do Rio Grande do Sul - Movergs. Formado em Ciências Econômicas pela Fundação Educacional da Região dos Vinhedos (Fervi), com MBA em Gestão pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), tem passagem como executivo em importantes indústrias moveleiras gaúchas.Com a palavra Volnei Benini:

Justiça, honestidade e trabalho Nasci em Garibaldi. Meus pais sempre foram fonte de inspiração para mim, meus ídolos. Principalmente no que se refere a justiça, honestidade e trabalho. Minha mãe, depois que nasceram os filhos, sempre foi do lar. E meu pai trabalhava no comércio. Somos em três filhos, eu sou o irmão do meio. Sempre procurei ser uma pessoa transparente, correta, justa com quem trabalha comigo. Comecei como garçom Ingressei no mercado de trabalho aos 13 anos,

como garçom, na estação rodoviária de Garibaldi. Um fato que me marcou muito, é que durante as festividades do padroeiro do município, o pessoal do interior vinha todo para a cidade para participar das celebrações e eu me recordo que deixávamos preparada uma pilha de sanduíches. Com este primeiro emprego eu comecei a dar valor ao meu dinheiro. Lembro que o meu primeiro salário, eu gastei quase todo em jogo de Fla-Flu. Cheguei em casa, meu pai me chamou e mostrou que fiz um péssimo investimento. O fato me marcou tanto que eu nunca mais me envolvi com jogos. Depois trabalhei na Farmácia do Hospital São Pedro. Eu era desde atendente até motorista de ambulância. Foi uma grande experiência. Fundamental para desenvolver minha rede de relacionamento, fundamental para meu crescimento. A vida em Goiânia Mais tarde fui morar em Goiânia, para ser representante comercial da Tramontina. Haviam duas vagas na área de vendas da Tramontina, uma para Goiânia e outra para Maceió. Pedi para o Clóvis Tramontina onde eu ganharia mais dinheiro e ele disse: Benini, vai para Goiânia por-

que Maceió é praia e lá tu vais gastar todo teu dinheiro. Quando me despedi do meu pai, ao partir para Goiânia, as lágrimas correram. Mas, eu queria muito esta experiência de desbravar o mundo e ter novas experiências. Eu trabalhava no interior de Goiânia. Depois de um tempo percebi que a vida lá não era fácil, haviam muitas distrações, e como já estava noivo da Jaque, resolvemos antecipar o casamento. Então, a Jaque preparou todo o casamento. Ela foi atrás de tudo. Cheguei, casei e voltamos para Goiânia. Ela trabalhava no escritório da Tramontina e o salário dava para pagar o condomínio e o gás. Um começo muito difícil para nós dois. Agradeço muito a minha esposa, pois ela largou um emprego estável em um banco para se aventurar comigo. Trigêmeos Depois de dez meses de casados, ficamos sabendo que a Jaque estava grávida. Em seguida descobrimos que eram gêmeos. E mais tarde, trigêmeos. Foi uma grande surpresa! Eu lembro que o ano era 1987, o meu carro era ano 1976, ou seja, eu tinha um carro defasado de 11 anos, sem dinheiro, pagando aluguel. Foi uma época difícil. Mas, a Jaque esteve sempre comigo. O Volnei é quem é hoje, porquê tem a esposa que tem. Ponto. Os meninos recém haviam nascido quando ocorreu o desastre do Césio-137* e a pressão dos nossos familiares nos fez voltar para Bento. E, além disso, não tínhamos quem nos ajudasse a cuidar de três crianças. Então, tomamos a decisão de voltar. * Césio-137 - Um desastre radioativo que aconteceu em Goiânia, em 1987. Ocorreu após dois

22 Jornal Design

Foto Carlos Ferrari

Volnei Benini, presidente da Movergs


catadores de lixo entrarem em contato com uma porção de cloreto de césio. O componente químico ficava dentro de um aparelho de tratamento de câncer, que estava em uma clínica abandonada na capital de Goiás. Foram necessários apenas 16 dias para que o “brilho da morte”, como a substância ficou popularmente conhecida, matasse quatro pessoas e contaminasse centenas.

proprietário do terreno, queria locar a área. E, por uma questão de mercado, não se efetivou aquilo que nós havíamos planejado. Então, em uma reunião com o senhor Grapíglia, acionista da Carraro, e o senhor Ademar, eu disse a eles que eu gostaria de sair da empresa e montar meu próprio negócio. Eles aceitaram na hora. Aí realizei meu sonho de ter um negócio só meu.

“O Volnei é quem é hoje, por que tem a esposa que tem.”

Gratidão à Tramontina Tenho uma gratidão enorme à Tramontina. Muito do que sou hoje devo ao Clóvis. Temos que nos cercar de gente assim. A minha passagem pela Tramontina me mostrou que era um grupo muito humano. Tratavam todos com muito carinho e atenção. Ditália Móveis, o ingresso no ramo moveleiro Sempre fui muito focado no que eu quero. Eu sempre quis vencer. Eu sempre quis ser um grande empresário. Eu me imaginava empresário. Foi então que a minha esposa e a esposa do Capoani nos apresentaram. Nos tornamos sócios e criamos a Ditália Móveis. E assim eu ingressei no ramo moveleiro. Na época o Capoani havia visitado Manaus e viu que fabricar estofados era uma boa alternativa. Então, no bairro São Roque, em um porão, nós começamos a nossa empresa. Depois fomos para o Maria Goretti, após para a Estofados Marcelo, depois para a frente da Móveis Carraro, e, por fim, praticamente na minha saída, onde era a Pozza, no Maria Goretti. Em seguida, resolvemos separar a sociedade.

Surge a BRV Móveis Em 2004 surge a BRV Móveis, como uma empresa exclusivamente exportadora. Então, quando em 2007 passamos por problemas sérios devido à queda do Dólar, tive que usar meu patrimônio para aplicar na empresa e reerguer ela. Esse patrimônio quem me deu foi o setor moveleiro. Nós nos reunimos, com as pessoas que me apoiaram, chamamos todos os fornecedores, para um acerto com todos. Todos trabalharam juntos. Então, em 2010, nós começamos a nos recuperar, a respirar. Chamei todos, a Paula, o Leandro, o Marciano, meus filhos Vinicius e Rodrigo e dei 2% da sociedade para cada um deles. Pela minha gratidão por eles terem ficado comigo naquele momento. Hoje, quem faz tudo acontecer são eles. Nos reunimos todas as segundas-feiras, cada um me mostra o que vai fazer na semana, e cada um vai para o seu trabalho. Eu tenho uma boa estrutura em casa e uma boa estrutura na empresa, o que me dá suporte e segurança, para eu poder pensar, decidir qual o melhor caminho a tomar. Isso fez com que a BRV, nos últimos sete anos, se destacasse no mercado. Hoje, trabalhamos com mercado interno, externo e E-commerce.

Móveis Carraro Entidades e a rede de relacionamento Quando saí da Ditália fui convidado pelo Ademar para fazer um trabalho na Móveis Carraro, como diretor de exportação e na Criare. Fiz um trabalho muito forte na empresa e foi onde conheci o mercado externo. Nesses dois anos viajei muito. Eu estava completando dois anos de Carraro. E num determinado momento fomos procurar um local para instalar a Criare. O senhor Dorvalino,

“Eu tenho uma boa estrutura em casa e uma boa estrutura na empresa, o que me dá suporte e segurança, para eu poder pensar, decidir qual o melhor caminho a tomar. “

Em 2003 eu fui convidado a ser diretor Comercial da Fimma, foi meu ingresso em entidades. E, em 2005, fui convidado a ser presidente da feira. É muito importante o empresário participar de uma entidade do setor moveleiro. Primeiro pela rede de relacionamentos, você convive com outras empresas do mesmo setor, que trocam experiências contigo, e, ali, não te veem como concorrente, te veem como colega. Juntos, buscando alternativas para o setor. O futuro das entidades será cada vez mais importante. Penso que muitas entidades terão que se unir para fortalecer. Os empresários têm que se doar, pois o setor também se doa. Nós temos uma coisa que ninguém tem, que são as nossas feiras. Tanto o Sindmóveis quanto a Movergs não seriam o que são hoje se não fossem as feiras. Nós temos uma estrutura completa para receber feiras na Fundaparque, e quem ganha com isso é o município, é a população, traz renda, traz turismo. Bento me deu tudo que tenho Bento me deu tudo que eu tenho, e eu devolvo com geração de empregos, com geração de recursos para as pessoas poderem trabalhar. A minha participação frente às entidades é uma maneira de agradecer tudo que a cidade me deu e ainda vai me dar. Temos que nos orgulhar do nosso Centro Empresarial. Em um dado momento as três entida-

“A minha participação frente às entidades é uma maneira de agradecer tudo que Bento me deu e ainda vai me dar.” des – CIC, Movergs e Sindmóveis - se uniram e resolveram fazer acontecer. Nós temos o privilégio de estar à frente. A Jaqueline Eu sou o que sou porque tenho uma bela estrutura familiar. Eu sempre viajei muito. Eu não vi os meus filhos trigêmeos crescerem. Mas a Jaque foi fundamental. Ela sempre cuidou dos nossos filhos. A condição era que eu trabalhasse bastante, mas que ela não trabalhasse para garantir um bom zelo para eles. Eu ficava tranquilo sabendo que minha família estava muito bem. Meu trabalho rendia muito mais. Lembro que construímos nossa casa, e se tu me perguntasse onde ficava o registro, eu não sabia, mas a Jaque sabia. Ela conduziu toda a construção e me deu tranquilidade para fazer meu trabalho. Eu dizia para ela que ia ficar tantos dias fora, eu chegava e minha mala estava pronta, meias, cuecas e uma camisa para cada dia. Incrível! Nasce o Guilherme Em 2007 descobrimos que a Jaque estava grávida aos 47 anos. Foi uma surpresa que nos deixou em estado de graça. Os manos então, ficaram radiantes com a chegada de mais um irmão. Ainda me lembro da cara de felicidade deles. Depois do nascimento do Gui a BRV conseguiu refinanciar suas dívidas, e acertou as contas com o Banco. Ele é a minha referência. Comecei a ter a oportunidade de fazer tudo aquilo que não fiz com meus outros três filhos quando crianças. O Gui para nós foi aquele segundo salto da nossa vida. Ele é tudo de bom. Hoje sou muito grato! E tudo graças a Deus e ao nosso trabalho. Jornal Design 23


Novo ano, novas expectativas Por Margit Arnold Fensterseifer | Arquiteta reunir amigos, uma das ações mais desejadas para um ano próspero e descontraído. Para tornar possível estes encontros, o interessante é ter um espaço aconchegante na sua própria casa. Um estar e jantar conjugados ou até mesmo um quiosque que possa estar diretamente ligado à natureza, podendo conciliar um pequeno campo para esportes e até uma piscina. Uma boa pedida para o espaço interno é um mobiliário adequado, como mesa elástica que possibilita acomodar mais pessoas, cadeiras e sofás confortáveis, uma boa churrasqueira, uma lareira ou fogão campeiro e TV. Nos edifícios condominiais o salão de festas faz às vezes de um quiosque. Por isso é interessante que todos os moradores possam investir em mobiliário adequado e uma ambientação que proporcione momentos agradáveis em um local neutro. Se não houver possibilidade de alcançar um espaço tão amplo, transforme seu próprio espaço para acolher. Atualmente há possibilidade de mesas retráteis, mesas auxiliares que se encaixam, puffs embutidos em mesas de centro, bancos (podem ser de design assinado, tornando-se esculturas no ambiente) e apoios para copos em braços dos sofás. Muito se pode fazer para reunir os amigos em sua casa e poder fazer de 2018 um ano de muita leveza, convívio e cumplicidade.

24 Jornal Design

os dias de calor como para os dias rigorosos de inverno. Consideramos também melhorar nosso espaço de trabalho, onde passamos boa parte de nossas horas e consequentemente de nossas vidas. Isso requer planejamento e troca de alguns materiais, revestimentos e até de mobiliário e equipamentos adequados. Atualmente há uma preocupação com a manutenção e limpeza dos ambientes. O ano promete revestimentos cada vez mais fáceis de limpar e sem a necessidade de manutenção frequente. Entre os espaços de bem morar estão os locais para

Fotos Gilmar Gomes

Adentramos 2018 com novas ideias para renovar e reinventar nossa vida. Cada vez mais, prospectamos o bem-estar pessoal, visando ter uma rotina mais saudável nessa vida agitada, tanto no quesito de exercitar o corpo, como em uma alimentação natural. Neste intuito estão os espaços gourmet, onde as pessoas estão se aprimorando na arte de cozinhar, e para tanto, equipando e aperfeiçoando suas cozinhas. Quando se fala em morar melhor, pensamos no conforto dos espaços de nossa residência, tanto para


Perspectivas na economia para 2018 e os próximos anos Por Valdecir Ferrari | Economista Para podermos visualizar o futuro econômico do país, precisamos entender o momento econômico atual e as respectivas causas. Estamos vivenciando a maior crise econômica dos últimos 100 anos. Na década de 30 tínhamos tido a única crise com dois anos seguidos de PIB negativo, que, somados, ficaram próximo a 6%. Esta crise foi causada pela famosa crise de 29, que foi uma crise internacional, precursora da Segunda Guerra Mundial. A atual crise já ultrapassou, somando o PIB de 2015 e 2016 os 7% de retração e não tivemos influências externas e sim problemas meramente internos. Desde 2014, a economia vem sofrendo com a crise, piorando no ano de 2015 e 2016 quando tivemos uma retração somada superior a 7%, e 2017 fechamos o ano com menos de 1% de crescimento (dados a serem confirmados oficialmente). As causas técnicas principais da situação do país são simples: a) Com a Constituição de 1988 o Brasil passou a privilegiar os direitos individuais em detrimento dos coletivos. Esta Constituição abriu a porta para os futuros gastos, mas não o equilíbrio com as receitas; b) O sistema previdenciário posterior ao ano de 1988, passou a ser benevolente, aposentando-se precocemente e sem critérios de arrecadação. No Brasil, tem muitos que são aposentados com menos de 40 anos de idade, sendo que a perspectiva de vida de um brasileiro está próxima dos 80 anos. Além disso, há uma diferença entre o trabalhador privado e o público, sendo que um tem teto e o outro não, tem casos de salários exorbitantes;

c) Obrigatoriedade nos orçamentos públicos de gastos mínimos na saúde e educação. Isso não privilegia a eficiência, assim como não possibilita a liberdade de gestão ao administrador público; d) E, por fim, o setor público com a estabilidade de emprego, não tem e não busca produtividade e burocratiza as atividades produtivas e criadoras de riqueza. Além desses problemas citados, os últimos governos deste século, ampliaram os serviços públicos sem critérios de gestão financeira e receita apropriada, sem mencionar a existência da corrupção, que é um dos grandes males da nossa nação. Diante destes problemas, o Brasil, que já não era eficiente, passou a piorar sua eficiência nos gastos públicos e a aumentar a carga tributária. Deixou de investir em infraestrutura, que, na década de 60 e 70, investia 6% do PIB, e cresceu próximo a isso. Atualmente, investe menos de 2%. A carga tributária alta aumenta a informalidade, o baixo investimento em infraestrutura não cria condições de crescimento para o país ou limita o mesmo, e o déficit do governo suga o dinheiro que deveria estar na economia. Se não bastasse, o povo brasileiro não percebe a situação, não aprova reformas profundas necessárias e com isso torna-se politicamente sem solução os problemas visíveis de serem solucionados. Projeções Diante disso, acredito que teremos algumas refor-

mas durante o ano de 2018 e consequentemente nos anos seguintes, porém, não vejo mudanças no campo democrático com a profundidade necessária. A falta de reformas mais profundas vai limitar as possibilidades de investimento público em infraestrutura, devendo o país, nos próximos anos, crescer em média anualmente abaixo de 2%, podendo ter, eventualmente, um crescimento maior ou menor. Neste ano, se não tivermos contratempos políticos, já que é um ano de eleição, podemos ter um crescimento entre 2 a 3%. Se pensarmos na retração dos últimos anos, tal crescimento é baixo, mas, é o possível diante da realidade. Este crescimento projetado não fará grandes mudanças na prática, porém iniciará uma redução gradual e lenta na taxa de desemprego, não melhorará ainda o poder aquisitivo do povo, esmagado pelos impostos, aumento dos combustíveis, gás e energia. Os custos de logística, tributos e trabalhistas, farão muitos negócios formais desaparecerem, principalmente os que não têm valor agregado e baixo índice de inovação. Surgirão mais e mais atividades informais, mesmo com toda a necessidade de notas eletrônicas e outros meios fiscais, que infelizmente só pegam quem é formal, mas não o informal. Quanto a nossa região, há possibilidade de o crescimento ser maior em comparação com o estado e país, pois nossa diversidade de negócios, trabalho e empreendedorismo fazem a diferença.

Jornal Design 25


AEARV elege Diego Panazzolo para presidente

Fotos Exata Comunicação

Engenheiro comanda a entidade na gestão de 2018

26 Jornal Design

O engenheiro civil Diego Panazzolo levará seu know-how como gestor para a Associação dos Engenheiros e Arquitetos da Região dos Vinhedos (AEARV). A partir de 2018, ele assumirá o comando da entidade na vaga da colega de profissão Daniele Artini Gujel Capellari, procedendo aos resultados da eleição realizada na noite de 08 de dezembro, durante assembleia geral. Sua chapa foi eleita com 100% de aprovação dos votos válidos registrados. “Sou movido a desafios”, diz o novo presidente, que decidiu encarar a presidência como uma forma de agradecimento pelo convite. “Em função da representatividade que a AEARV tem na região e da necessidade de levar adiante o belo trabalho que vem sendo feito, não poderia deixar de aceitar o convite”, comenta o engenheiro, que já foi presidente da ASCON Vinhedos, entidade representativa do segmento da construção civil. Inicialmente, Panazzolo dará sequência ao trabalho que vem sendo desenvolvido, mas já sabe os conceitos que pretende desempenhar durante sua gestão. “Quero conduzir a AEARV com responsabilidade, ética e transparência, buscando ainda mais a inovação, a sustentabilidade e o sucesso desta entidade”, adianta o dirigente. Diante desse propósito, estar à frente de uma entidade mista aparece como diferencial positivo. “Este é um dos principais fatores que conferem à entidade a capacidade de superar divergências em prol do crescimento do setor como um todo, o que traz benefícios a todos os associados”, avalia o novo presidente, formado pela Unisinos e com MBA em Gestão de Negócios da Construção Civil pela FGV.


Novo estatuto da entidade Por aclamação, durante assembleia realizada no dia 08 de dezembro, a AEARV atualizou seu Estatuto, o conjunto de normas que rege a entidade. As alterações visaram atualizar o documento, tanto na esfera administrativa quanto à nova realidade dos Conselhos representativos de classe, após a criação do CAU. Uma das principais mudanças diz respeito à duração da gestão – passando de um para dois anos. A regra começa a valer para o biênio 2019/2020, com as eleições ocorrendo sempre no último trimestre dos anos pares. Outra alteração envolve os universitários. A partir de 2018, eles precisarão comprovar sua condição de acadêmico anualmente. Além disso, a isenção da anuidade não será mais uma regra, podendo existir a cobrança de até 50% da anuidade do profissional, a critério da diretoria. Também foram alterados artigos relacionados ao Conselho Fiscal, que passa a ser composto por três membros titulares e três suplentes eleitos, e não mais cinco indicados em cada categoria. Entre as incumbên-

cias do colegiado estão fiscalizar os atos da Diretoria Executiva, especialmente quanto à gestão econômica e financeira, e decidir, por maioria de seus integrantes, sobre a aprovação das contas. Houve alterações, ainda, na inscrição das chapas para eleição de presidente, aumentando os prazos para que a entidade se organize e respeite as normas, assim como uma readequação dos cargos no caso de vacância por força maior. Cabe destacar a mudança da redação de alguns itens, como a necessidade de estar filiada ou registrada em conselhos das categorias profissionais, não se limitando apenas ao Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (CREA-RS). Dessa forma, abre-se espaço também para outros convênios. A última adequação do estatuto havia sido realizada em dezembro de 2009. A atualização de agora atende à solicitação dos Conselhos, a fim de que esteja de acordo com a legislação federal. Tão logo o novo Estatuto esteja registrado, será encaminhado ao conhecimento de todos os associados.

Conheça a diretoria AEARV 2018 Presidente: Engenheiro Civil Diego Felipe Panazzolo Vice-presidente: Arquiteto e Urbanista Bernardo Henrique Gehlen 1º tesoureiro: Engenheiro Civil Rogerio Spiller 2º tesoureiro: Engenheiro Civil Moises Dalla Costa 1º secretário: Arquiteto e Urbanista Roberson da Fré 2ª secretária: Arquiteta e Urbanista Patricia Cassol Pereira 1º suplente: Engenheiro Civil Rodrigo Cervieri 2º suplente: Arquiteta e Urbanista Sandra Andreia Benvenutti 3º suplente: Arquiteta e Urbanista Eliane Bigolin 4º suplente: Engenheiro Civil Mateus Rachele Garbini Comissão de Eventos: Arquiteta e Urbanista Gicele Netto da Silveira Comissão de Eventos: Engenheira Civil Regina Basso

Jornal Design 27


iGUi Piscinas: Produtos exclusivos e inovadores Atuando em Bento Gonçalves, Garibaldi e Carlos Barbosa, com piscinas feitas sob medida As Empresas iGUi iniciaram suas atividades na cidade de Gravataí, no interior do Estado do Rio Grande do Sul, a partir da Indústria da Piscina, fundada em Junho de 1995. A marca iGUi foi incorporada ao Grupo Empresarial a partir de 2002 tornando-se um dos mais importantes Grupos Empresariais do País. A participação da iGUi no mercado interno e externo cresce constantemente. O Grupo iGUi tem uma das

melhores e mais lucrativas rede de revendedores de piscinas do mundo . O conjunto de fábricas conta com excelente infra-estrutura instalada em cerca de 30.000 m2 de área construída em cerca de 1.000.000 m2 de área útil, estrategicamente localizado para permitir o desenvolvimento de uma logística de excelência.

• Qualidade comprovada e assegurada com 15 anos de garantia • Liderança no segmento de piscinas de fibra de vidro • Infraestrutura para atender mercados e centros de distribuição com pronta entrega • Empresa ecologicamente correta • 16 Fábricas de Piscinas no Brasil • 01 Fábrica de Piscinas em Portugal • 02 Fábricas de Piscinas na Argentina • 01 Fábrica de Piscina no México • 01 Centro de Distribuição iGUi em Cartagena - Colômbia • 04 Fábricas de Filtros para Piscina • 01 Fábrica de Rotomoldados • 01 Fábrica de Matrizes • 01 Fábrica de Cobertura para Piscinas • 01 Fábrica de Moldes de Piscinas • 01 Fábrica de Materiais Injetados • 01 Fábrica de Produtos Químicos para Piscinas • 01 Fábrica de Gel Colt • 350 Lojas no Brasil • 100 Lojas na América do Sul • 30 Lojas na Europa • 40 Lojas na América do Norte • 10 Lojas no Caribe • Mais de 160.000 Clientes atendidos • Cerca de 5.000 colaboradores atuando diretamente • Cerca de 3.000 colaboradores atuando indiretamente Especializações Piscinas, acessórios para piscinas, SPA’s, saunas, iluminação, produtos de tratamento de piscinas e filtros

Fotos Divulgação

Prêmios

28 Jornal Design

* Eleita a Melhor Franqueadora do Brasil em 2016 pela ABF * Prêmio de Excelência em Franchising da ABF nos anos de 2013, 2014, 2015 e 2016 * Prêmio da PEGN nos anos de 2011, 2012, 2013 ,2014, 2015 e 2016 * Destaque Sustentabilidade da ABF em 2015 * Top Of Mind 2015 * Premiada pela ABF em 2015 nas categorias Design Consciente e Produto Inovador * Melhor Franquia do Brasil eleita PEGN no ano de 2014


Tendências Tecnológicas para 2018

VEJA O MUNDO DE UMA FORMA TÃO ORIGINAL QUANTO OS ARTISTAS.

Por Eliane Zanluchi | Professora e Consultora de Estratégia e Inovação inteligentes e responsivas entre qualquer coisa: desde um computador, um carro, até a sua geladeira. 3 - Inteligência Artificial

1 - Drones Nos Estados Unidos eles já são mais de 3 milhões, que entregam produtos, fazem mapeamento e imagens. No Brasil ainda temos muito a evoluir na sua legislação. Mas esta “maquininha” veio para ficar! 2 - A internet das coisas Cerca de 29% das empresas do mundo já fazem uso da internet das coisas. Em nosso país, ela ganha a cada dia mais espaço devido às vantagens que pode trazer às empresas: além da inovação, ela traz uma redução de custos, vantagem competitiva e ganhos imediatos. A avançar, temos a otimização da conectividade, da qual a internet das coisas vira refém no Brasil. Lembrando que a Internet das Coisas se utiliza de sensores inteligentes e softwares que transmitem dados para uma rede e assim, tornando-se o modo como as coisas estão conectadas e se comunicam entre si e com o usuário. Assim, podemos ter conexões mais

Persiana Country Woods

Fotos Divulgação

O que nos espera em 2018? Mais desafios, especialmente na economia do Brasil, claro! Mas também temos a afirmação de que a tecnologia, realmente, vai dominar nossa vidas. Que seja sempre para o bem! Seguem 4 tendências que quero compartilhar com vocês.

Tão fascinante, quanto assustador, a inteligência artificial desenvolve através de símbolos computacionais, mecanismos e dispositivos que simulem a capacidade do ser humano de pensar. Mesmo tendo iniciado na Segunda Guerra, é agora que esta ciência ganha holofotes, considerando que seu desenvolvimento ganhou muito espaço com a multiplicação do acesso à internet. Você, mesmo sem perceber, já utiliza muito a inteligência artificial: - O reconhecimento de imagem utilizado pelo Facebook para recomendar marcações em fotos; - A recomendação personalizada de produtos utilizando algoritmos de aprendizado de máquina, utilizado pela Amazon; - O Waze prevê as melhores rotas a partir da sua localização com apenas um clique, enquanto carros com piloto automático usam as técnicas de IA para evitar engarrafamentos e colisões; - O Google consegue preencher automaticamente as buscas utilizando recursos de inteligência artificial e também prever o que você quer pesquisar com grande precisão. 4 - Realidade aumentada e realidade virtual Realmente não podemos ignorar este mercado que até 2021 vai movimentar mais de 100 bilhões de dólares. A RA e RV são representações virtuais que permitem a imersão em filmes e games, simulação de treinamentos e hologramas. Um exemplo? O game de Realidade Aumentada da Nintendo, foi um dos apps mais baixados em 2016, o Pokémon GO, lembra?

Para pessoas originais, só a original. A persiana Luxaflex® que fez tanto sucesso a ponto de virar sinônimo de categoria, foi criada pela Hunter Douglas® no final dos anos 40. De lá pra cá, foi inovação atrás de inovação, ampliando a linha de produtos e surpreendendo a cada lançamento. Tanta coisa mudou que até a marca Luxaflex® recebeu o nome da sua criadora Hunter Douglas®. Com certeza, as inovações vão continuar, mas uma coisa não vai mudar nunca. As mais modernas, tecnológicas e desejadas persianas - únicas e originais - vão continuar tendo a mesma marca, mas agora um só nome: Hunter Douglas®.

Revendas Centurion ARTELANA - Tel.: 54 3055.2417 Travessa Maranhão, 55 - Bento Gonçalves - RS www.artelana.com.br

Jornal Design 29


Mobiliário jovem e descolado A coleção Soul explora textura, contornos, formas facetadas e cortes angulares - influências naturais que criam sensação de proteção e contato com o meio ambiente, através do padrão madeirado das caixas. São módulos compactos e com uma vasta possibilidade de composição, transferindo e representando a essência de cada um na montagem e organização das peças. As facetas revelam inusitadas formas no empilhamento vertical ou em composições horizontais. A modalidade de fácil montagem e combinação, fazem do móvel multifuncional e adaptável, trazendo uma pegada industrial através da utilização de tubos em sua estrutura suspensa na parede. A identidade da forma e dos materiais agregam jovialidade aos módulos que combinam com diversos ambientes, como salas, cozinhas, banheiros ou garagens.

Be Mobiliário Inteligente

Por Marta Manente | Designer

Condomínio fechado localizado no coração do Vale dos Vinhedos, onde a tranquilidade e a natureza exuberante criam

Aqui seu único

um novo conceito em qualidade de vida.

compromisso é viver.

Quer conhecer este paraíso? Agende conosco o seu melhor horário. | Plantão permanente: 54 98117-1818. 30 Jornal Design


Nossa história envolve sonhos, do início ao fim

fb.com/cosigelato @cosigelato Rua Herny Hugo Dreher, 197 Galeria do Hotel Dall’Onder (54) 9 9105 5067

no período em que se dedicaram à Talian, marca do fino produto na época. E, como o espírito empreendedor é uma questão de família, o irmão da Rosana, Vinícius, juntamente com a prima, Patrícia, uniram forças e decidiram levar a felicidade em formato de copinhos e cones mais adiante.

Fotos Jornal Design

A paixão pela produção da arte do gelato começou com a união da Rosana e do Mattia. Ela, uma brasileira descendente de italianos, e ele, um italiano nato com o dom de fazer gelato! Juntos, eles desvendaram os segredos da produção artesanal do gelato italiano e encantaram os clientes da região

Surge, assim, a Così Gelato Artigianale e Dolci, que representa o verdadeiro gelato italiano preparado com matérias-primas selecionadas, de forma artesanal e com sabor marcante. É um produto fresco, saboroso e cremoso, impossível resistir! Inspirada no modelo europeu de gelaterias, a Così dispõe de um ambiente descontraído e acolhedor, onde saborear um bom gelato é uma experiência ímpar. Para os amantes do gelato. No local, é possível encontrar camisetas, quadros, canecas e outros souvenirs inspirados e personalizados na arte dessa perdição! A Così também firmou parceria com a Karla Fachinelli Doçaria Boutique, que nasceu do desejo de transformar doçuras em presentes. Vencedora do Programa Que Seja Doce, do canal GNT, Karla

é formada em confeitaria, especializando-se em pâtisserie francesa em Paris, além ter realizado cursos em chocolateria. Mas, a inspiração dela não para nos doces franceses. Seu cardápio passeia por vários lugares do mundo, trazendo experiências e sabores irresistíveis. O cuidado na escolha dos melhores ingredientes é fundamental para o resultado de um produto de alta qualidade, como bombons e barras de chocolate belga, macarons, sablés, fudge de chocolate, palha italiana, trufas, suspiros, financier, nougat, pão de mel, que você também encontra na Così. Nossos produtos são puro afeto. Saboreie e encante-se! Venha conhecer!

Jornal Design 31


A arte de contar histórias através de imagens Fotos Zéto Telöken Fotografia

A Zéto Telöken Fotografia é uma empresa apaixonada por “fotografar pessoas e suas histórias”. É o que revela Zéto Telöken, um incansável na arte de registrar momentos de emoção através da fotografia, não deixando de lado a diversão e o carinho, que, quem já teve a alegria de ser retratado por ele, sabe como é... “Amo minha família! Me considero um fotógrafo de família. Divido minha vida profissional com minha esposa Débora fotografando casamentos e é do meu cotidiano que vem a inspiração para fazer meu trabalho de forma natural e criativa, procuro expressar meu jeito de ser e penso que é por isso que meus amigos clientes costumam se sentir à vontade durante as fotos. Isso me deixa realizado de verdade”, finaliza o profissional.

Tassi Cavalet e Henrique Cavalleri, durante o “sim” na praia de Mariscal em Bombinhas/SC

Todo o carinho dos pais Silvia Menegat e Fábio Presotto, com o pequeno Caetano, na Cantina Strapazzon

眀眀眀⸀搀甀漀洀漀戀椀氀攀⸀挀漀洀⸀戀爀

匀䠀伀圀刀伀伀䴀 䐀䔀 䘀섀䈀刀䤀䌀䄀

刀甀愀 伀氀愀瘀漀 䈀椀氀愀挀 ㈀㠀㐀  匀愀氀愀 ㄀ 䤀 䌀椀搀愀搀攀 䄀氀琀愀 䤀 ㌀㐀㔀㈀  㠀  㠀 32 Jornal Design

zetoteloken 9 8143 1443


Jornal Design 33


É tempo de cores, aromas e sabores

No período de janeiro a março Bento se prepara para a Vindima, com atrações que valorizam a cultura, a tradição e celebram a colheita da uva, o fruto que dá origem ao principal produto turístico do município, o vinho. As atrações que integram a programação do Bento em Vindima são variadas: colheita e pisa das uvas; cursos de degustação de vinhos, espumantes, geleias e sucos; corrida e passeios ciclísticos em meio aos parreirais; jantares harmonizados; festas típicas nas comunidades; piqueniques e almoços ao ar livre, entre outros. As atividades ocorrem em vinícolas, restaurantes, hotéis e outros empreendimentos do setor turístico. Durante o período, a rede hoteleira oferece pacotes e promoções especiais, enquanto as vinícolas oferecem atrações e descontos diferenciados. Durante o ano, produtores rurais, enólogos e suas equipes esforçam-se incansavelmente para que as videiras cumpram seus ciclos em cada estação. Outono, inverno e primavera têm papel fundamental no desenvolvimento das videiras e frutos. Neste processo evolutivo, a natureza e o homem se aliam para originar aquelas que são o motivo do Vale dos Vinhedos existir: as uvas. O ponto alto de todo este esforço acontece no verão, quando as diversas variedades que originam vinhos de características únicas, são colhidas pela comunidade e pelos viticultores do Vale. No Vale dos Vinhedos, não apenas um ano novo se

34 Jornal Design

inicia: é uma nova safra, com novos e únicos vinhos e espumantes. A Vindima tem clima de comemoração e de recomeço, já que representa a esperança de um novo ciclo em que são colhidos os frutos de muito trabalho. Visitar o Vale dos Vinhedos é garantia de um passeio de encher os olhos e o paladar durante todo o ano. A Vindima, que ocorre entre os meses de janeiro a março, povoa o imaginário do turista, com os parreirais carregados à espera da experiência única da colheita da uva. Atraindo visitantes de todo o Brasil e também do exterior, o roteiro ganha ainda mais atrativos com a colheita e pisa das uvas, bênção dos vinhedos e um autêntico filó italiano com jogos típicos, produtos coloniais e cantoria. Quem passear pelo Vale dos Vinhedos nesse primeiro

trimestre pode conferir de perto parreirais carregados de saborosas uvas que serão as responsáveis pela cor, aroma e sabor dos vinhos e espumantes da Safra. Um clima de otmismo se mistura com o romantismo das pequenas estradas do Vale, movimentadas pelos caminhões que carregam o fruto precioso rumo às vinícolas. É apostando nesse clima de renovação de safra, colheita e no espetáculo de aromas e sabores que os empreendimentos do Vale dos Vinhedos lançam atrativos diferenciados que permitem ao turista viver experiências diversas em torno da cultura do vinho. Durante a Vindima, o que já é atrativo por si só ganha um colorido diferente com o clima de alegria e festa que toma conta do Vale dos Vinhedos.


Foto Merlo Fotografia

Foto Eduardo Benini

Foto Giovani Nunesni

Foto Eduardo Benini

Jornal Design 35


La Bella Vendemmia tornou o principal roteiro enoturístico do Brasil, através de uma programação pensada para transmitir a cultura e o legado da imigração italiana. Ao chegar, cada visitante recebe como brindes um chapéu de palha – que ajudará na ‘árdua’ colheita – e uma taça personalizada para degustar os vinhos brancos e tintos e o suco de uva, servidos à vontade durante o Filó. A programação segue com uma conversa de fim de tarde com a proprietária e

Fotos Giovani Nunes

Em 2018, o Villa Michelon repete o sucesso da La Bella Vendemmia, e de 12 de janeiro a 18 de março, convida os hóspedes a desfrutarem da deliciosa temporada, carregada de experiências. A partir do dia 12 de janeiro, durante todas as sextasfeiras, às 17h, o Villa Michelon se transforma em um palco onde a Colheita da Uva é a protagonista. O turista poderá conhecer um pouco da história da região que se

diretora geral do Villa Michelon, Elaine Michelon, anfitriã da festa em 2018. Em seguida, é a vez do primeiro momento mais esperado: a visita guiada ao Parreiral Modelo, onde serão contadas curiosidades sobre o cultivo da uva. Logo, chega a vez da esperada colheita. Sob orientação, os hóspedes estão livres para encher seus cestos de uvas comuns e de mesa, que serão destinadas à pisa, fazendo uma referência ao método de obtenção do sumo da fruta nos primeiros tempos. Tanto a visita ao Parreiral Modelo quanto a colheita e a pisa são embaladas pela alegria do Coral Vicentino, que com músicas italianas resgatam a herança cultural do Vale dos Vinhedos e animam os visitantes. Para recuperar as energias, o farto Filó Italiano oferece um cardápio com os pratos quentes polenta brustolada, risoto italiano e xixo; pratos frios compostos por tábua de copa, queijo e salame e mini hambúrguer; Pão e cuca coloniais; suco de uva, vinho tinto e branco e água à vontade e, é claro, uvas. A cultura gaúcha é lembrada com a música de Natália e Emanuel. Ao final da festa, o hóspede recebe as recordações da experiência vivida em um pendrive com fotos do evento.

Brinde

DAS

Estrelas

EXPERIÊNCIA ENOGASTRONÔMICA COM JANTAR HARMONIZADO E MÚSICA AO VIVO DURANTE TODA A VINDIMA. Sextas e sábados, de 12 de janeiro a 13 de março, 19:30.

Programação

Cardápio

Valores e Reservas

· Recepção com Sabragem e brinde de boas-vindas. Conheça um pouco da nossa história e fundação;

· Entrada Polenta na cumbuca com molho ragu

Adulto: R$ 80,00 por pessoa Crianças de 09 a 12 anos: R$ 40,00 Crianças menores de 08 anos: Grátis

· Conheça o processo de elaboração dos

vinhos em uma visita à casinha de pedra, vinícola e varejo;

· Salada

Mix de folhas verdes com queijo e frutas

· Prato principal

· Jantar feito em casa harmonizado com

vinhos e espumantes Lovara inclusos;

Gnocchi a moda Lovara Sobre-coxa assada recheada com bacon e molho de queijos

· Música ao vivo em meio ao vinhedo

· Sobremesa

juntamente com espumante e delícias italianas. 36 Jornal Design

Reservas pelo Facebook, eventos@lovara.com.br ou pelo (54) 2102.9005

Pêra ao vinho com sorvete

Vinícola Lovara · Enogastronomia e eventos Rua José Benedetti, 222 · Bairro Salgado Bento Gonçalves · Serra Gaúcha


Jornal Design 37


Monte Belo do Sul

Programação artística da Festa de Abertura da Vindima

38 Jornal Design

a partir de 20h com shows da Companhia de Artes Caripaiguarás e o gauchinho THOMAS MACHADO – Campeão do The Voice Kids 2017 da Rede Globo de Televisão. Já no sábado (27) a tarde será da criançada a partir de 14h30 com show da Cia Garagem de Teatro e Brinquedos infláveis, a noite Coral San Pietro e o Sertanejo Universitário com Rodrigo Ferrari seguido por DJ Carioca. O encerramento da programação se dará no domingo (28): a partir de 13h show com a Orquestra Bersaglieri seguido do tão esperado Desfile de Carros Alegóricos as 14h30. As 16h show com Girotondo e Ballo D’Italia encerrando com a Banda Magia do Amor. Ainda, um espetáculo pirotécnico está programado para coroar o evento logo após o show do último artista. Conforme afirma o Secretário de Cultura e Turismo e Presidente do evento Alvaro Manzoni, a programação ainda poderá sofrer incrementos já que existe espaço para tal, caso verbas que estão sendo esperadas, sejam aprovadas, mas o que há de positivo é que a programação foi adequada justamente para agradar, se não toda, mas a grande maioria dos que se farão presentes ao evento.

Fotos Giovani Nunes

Deste 2011 que a Festa de Abertura da Vindima não se realiza em Monte Belo do Sul e este fato fez com que a Administração Municipal, através da Secretaria de Cultura e Turismo, com envolvimento das demais secretarias e Comunidade, se mobilizasse para o evento que não é apenas uma festa, e sim a valorização do trabalho do viticultor, bem como um dos meios de divulgação da cultura local e promoção do turismo. A programação do evento, desde a realização da EXPOMONTE que é o local onde o empreendedor coloca seu produto para comercialização, a exposição e distribuição de uvas, a gastronomia, o curso de degustação de vinhos, torneio de bochas e recreação infantil, conta também com shows variados que iniciam na quarta feira (24), dia da abertura do evento com as oficinas culturais locais que ganharam o Prêmio Gestor Público 2017 e a Orquestra de Nova Prata, seguem na quinta (25) com atrações artísticas locais com o Grupo Vicentino e exibição do “Filme da Minha Vida” de Selton Melo onde Monte Belo do Sul foi cenário, na sexta feira (26) com a tarde da Melhor Idade a partir de 14h com baile e a noite

Moysés Michelon deixa um legado

As festividades dão continuidade ao legado do fundador do Hotel Villa Michelon, Moysés Luiz Michelon, que conduziu os onze finais de semana dedicados à vindima em 2017 com disposição e bom humor. “Vamos continuar a transmitir toda a alegria e satisfação que meu pai tinha em festejar

a colheita da uva. Durante três meses ele encantou os hóspedes com suas histórias e sua vitalidade nesse período. Esperamos repetir essa comemoração honrando sua constante presença”, pontua Elaine Michelon, referindo-se à memória de Moysés Luiz Michelon, falecido em outubro de 2017.


Foto Arquivo Pessoal

Elaine Michelon assume direção do Complexo Villa Michelon

Empresária dará continuidade ao trabalho do pai, Moysés Luiz Michelon

A empresária Elaine Michelon assume a diretoria do Complexo Turístico Vale dos Vinhedos, fundado em março de 2001 pelo seu pai, Moysés Luiz Michelon. A transição ocorreu em virtude do falecimento do empresário, hoteleiro e líder comunitário, ocorrido em 31 de outubro de 2017. Com a despedida de Moysés Michelon, Elaine toma a frente do hotel, que conta com cerca de 50 funcionários e a missão de proporcionar

experiências memoráveis aos hóspedes. Desafios da transição “Os 16 anos de Villa Michelon são somente parte da minha trajetória ao lado do meu pai. Eu tinha somente nove anos quando comecei a acompanhar os passos do grande empresário Moysés Luiz Michelon. As lições

eram diárias, até os seus últimos momentos de vida. Nessas décadas de convivência, fomos conhecendo o jeito um do outro, e também nossas particularidades. Ele dizia que eu era a “Relações Públicas da família”: eu gostava de receber, de ficar nos bastidores. Já meu pai não tinha problema algum com o fato de sua imagem e seu discurso serem tão fortes e solicitados. Ele era um líder-nato, que cuidava de cada detalhe do Villa Michelon, falando em um passado mais recente. Esse pioneirismo, sem dúvidas, fez do meu pai um líder comunitário, e esse título eu jamais me atreveria a retirar dele. No entanto, faz parte do processo de preservação do legado continuar trabalhando junto à comunidade, tanto do Vale dos Vinhedos quanto de Bento Gonçalves. Por isso, nossa programação continuará valorizando a identidade dos primeiros imigrantes italianos através de festividades que celebrem essa cultura. Nossas principais atrações são sempre artistas locais da região. Nossos vinhos na carta do Restaurante Bela Vista são todos do Vale dos Vinhedos. É em cada detalhe que podemos buscar essa valorização da gente daqui. Com o tempo, algumas coisas vão se tornando ainda mais claras. A ausência do meu pai fez com que eu assumisse responsabilidades que eram unicamente dele e de seu caráter visionário. E com isso, durante vários momentos, me vi incrivelmente igual ao Moysés Michelon. Eu nunca tive dúvidas de que continuaria o trabalho dele. Mas o dia a dia no Villa Michelon me fez enxergar isso com ainda mais clareza. Finalizando, posso afirmar que jamais pensei que perderia meu pai antes dele completar 100 anos de vida. Ele era um homem que cumpria suas metas, e essa era uma das inúmeras dele. Mesmo assim, nesse momento de SAUDADE ainda latente, descobrimos em nós uma incrível capacidade de nos adaptarmos e uma força tremenda, que parte do estímulo de seguir adiante. Vida longa ao Villa Michelon!”, Elaine Michelon.

Jornal Design 39


Fotos Ana Carolina Azevedo

Canta Maria ainda mais gastronômico A linda casa do Canta Maria Gastronomia no circuito gastronômico da Planalto agora tem um charme a mais com o novo menu a La carte. O sucesso da tradicional sequência italiana da casa é incontestável e sempre vai ter um lugar de honra nos nossos corações. Mas os novos pratos são uma opção linda e diferente para aqueles dias em que não se pode abusar, pra quem ama risoto, pra quem prefere um peixinho ou só pra dar uma variada. O novo menu traz pratos para duas pessoas, com preço entre 80 e 90 reais e responde a um novo comportamento alimentar das pessoas contra os excessos e o desperdício. Pra estruturar esse cardápio e adaptar as quantidades servidas na sequência italiana, o Canta Maria contou, inclusive, com a assessoria de uma engenheira alimentar, que cuidou de perto as diferentes fases do preparo, desde o estoque até o serviço, para minimizar o desperdício. Essa coisa das quantidades absurdas de comida já não combina com a boa gastronomia. Comida que sobra na mesa é comida que vira lixo. E o meu projeto para o futuro desse blog é fortalecer e apoiar ainda mais aqueles restaurantes que, além do cliente, respeitam o produtor e o produto. A fome no mundo e as questões climáticas são dois problemas cuja solução pode partir do mesmo lugar: nossas escolhas diárias sobre alimentação.

40 Jornal Design


Todos os anos, um terço do alimento produzido no mundo vai para o lixo em suas diferentes fases, desde o cultivo até a mesa do restaurante, passando pelo armazenamento e preparo. Isso não apenas dificulta o acesso global à alimentação, mas também encarece a comida e reforça a degradação do planeta. Ainda bem que temos restaurantes pensando nessa realidade. O

Fotos fmcriação

menu novo do Canta Maria é farto em sabor e, até mesmo, muito bem servido e feito com ingredientes de nobre qualidade. É para comer até o fim mesmo. Opções com peixe ganharam mais espaço no menu, mas a dica do Culinarismo é o excelente carré de cordeiro servido com geleia de manga e purê de mandioquinha. Um prato de lindas cores e sabor marcante, com destaque para o corte belamente preparado. Outra opção incrível é o risoto de limão siciliano, com seu perfume proeminente e uma acidez deliciosa. Enquanto a cozinha prepara seu pedido, o melhor jeito de esperar é escolhendo um bom vinho na adega vertical do restaurante, que é simplesmente encantadora e rende boas fotos. Um capítulo à parte é a seção de sobremesas, da qual provei a tortinha de maçã com amêndoas e sorvete e o entremet de avelã. Ainda tem cheese cake de damasco e um imbatível brownie com sorvete, que sempre cai bem. Esse é um bom jeito de começar com o pé direito o ano gastronômico do Culinarismo. Que venham mui-

www.culinarismo.com.br /culinarismo @blogculinarismo

tos restaurantes e muitas novas experiências gastronômicas. Comer bem faz parte da construção de um lugar melhor pra todos nós!

Jornal Design 41


Refinaria Deli Gourmet: prazer pelo sabor

Fotos Eduardo Benini

A Refinaria Deli Gourmet tem como essência prezar pelo sabor, pela atenção ao detalhe, por aquilo que torna cada aroma e gosto único e refinado. “Nos dedicamos ao verdadeiro valor dos diversos sabores que compõem a nossa vida. Acreditamos que ela pode ser sentida e contada pelo seu sabor e aroma e é isso que torna cada momento memorável e especial”, destaca a gerente Gisele Valduga. Engajados na arte de refinar o paladar dos clientes, a Refinaria Deli Gourmet promove encontros regados a vinhos e espumantes durante o ano. Exemplo disso é o Master Class. “Uma vez por mês o sommelier e a enóloga da Refinaria definem um tema e na noite do encontro ocorre uma pequena explanação do assunto, e após, degustação às cegas de vinhos e espumantes”, explica Gisele. Jantares harmonizados também são carinhosamente

42 Jornal Design

elaborados. “O último foi japonês, harmonizamos sushis com vinhos. Todos adoraram e querem mais”, garante a gerente da casa. Gisele revela que o primeiro curso de degustação de vinhos para iniciantes foi provido pela Refinaria Deli Gourmet. Um curso para quem está entrando no mundo do vinho, que ainda tem dificuldades em descobrir paladares e aromas. O Tasting é um encontro onde pessoas degustam vinhos com valores mais acessíveis. Para quem quer se introduzir no mundo do vinho. Na loja Na loja o cliente encontra acessórios Le Creuset, temperos, chás, biscoitos doces e salgados, congelados, cafés, geleias, balas, chocolates, arroz, massas, molhos, azeites, conservas, patês, bruschettas, vinhos, espumantes e destilados, como whiskys, vodcas, gins, tequilas, cachaças e runs, além de saquês, licores e cervejas nacionais e importados. São mais de 1500 rótulos e 30 nacionalidades na adega. “Praticamente toda semana chega novidade”, garante Gisele. O sommelier Rafael Alcantara Ribeiro e a enóloga Tainá Plautz estão sempre criando novidades. “Os clientes confiam em nossa indicação de bebida para harmonizar um jantar”, destaca Gisele. No espaço Open Wine, anexo a loja, é possível reunir os amigos para um delicioso Happy Hour. “Temos sempre as bebidas geladas. Caso o cliente optar por algo específico, nós providenciamos”, finaliza Gisele.

fb.com/refinariadeligourmet 54 9 9133.8511 54 3454.3116 Rua José Martelli, 58, Bento Gonçalves


Seu filho com estilo desde a maternidade estampas de coração, simbolizando todo o amor e carinho na chegada delas. E, para eles a Tigor escolheu o navy como tema, e elementos como boias, âncoras e barquinhos aparecem com o tigrinho marinheiro. O verde água foi a cor escolhida para predominar as peças. As roupinhas dos dois kits são confeccionadas em 100% algodão para garantir o conforto dos recémnascidos.

Fotos Jornal Design

Quando a hora mais esperada da gestação está chegando, o que as mamães mais precisam é de praticidade. Pensando nisso a Lilica Ripilica e a Tigor T. Tigre criaram um kit completo para a maternidade. Os kits são personalizados, podem ser de 4 peças: 2 bodys e 2 calças ou 6 peças: 2 bodys, 2 calças, macacão e babador. Para elas, a Lilica traz o rosa tão amado pelas meninas. A cor aparece em vários tons diferentes, junto com

Maria Luíza Bergamini, vinte dias, filha de Débora dos Reis e Juliano Bergamini

Pietro Cagol, um mês e meio, filho de Cheila Focchi e Filippe Cagol com a mana canina Lincy

Bento Gonçalves Rua 13 de Maio, 977, Bairro São Bento (54) 99698.0461 Caxias do Sul Shopping Iguatemi Caxias (54) 99123.2205 ou (54) 3066.7780

Jornal Design 43


QPalato Gourmet e Pizzaria Restaurante e pizzaria com sistema à la carte. Ingredientes de qualidade para garantir uma excelente harmonização tanto nas pizzas quanto nos pratos. Pizza servida na pedra sabão, o que garante a temperatura do início ao fim do jantar. Ambientes aconchegantes e climatizados, com decoração diferenciada e poucas mesas. Várias opções de cervejas artesanais, vinhos e espumantes de qualidade. Adega climatizada para vinhos e espumantes, garantindo a melhor harmonização e apreciação da bebida. Atende todas as noites.

Um grupo que valoriza a gastronomia, se destaca pelo atendimento personalizado e pela excelência dos pratos

Avenida Planalto, 1075 @qpalato.gourmet 54 3454.3382 99121.5684

Restaurante Videiras 1535 No cenário encantador do Vale dos Vinhedos, entre colinas, montanhas, vinhedos e vinícolas, está localizado o Videiras, fica nas caves da Vinícola Dom Cândido, servindo comida italiana e carnes, no almoço de quarta a segunda. Estrada Via Trento, 2169 - Vale dos Vinhedos @videiras1535 54 3055.4424

Casa Ângelo Restaurante Localizado no histórico Caminhos de Pedra, a casa construída em 1889, destaca-se pela construção em pedras e pelo sótão, que servia para armazenagem de grãos e forragens, e também como isolante térmico no inverno. A casa serve deliciosa sequência de massas, risotos e grelhados, no almoço, de terça a domingo. Estrada para São Pedro, 26 Caminhos de Pedra @casaangelorestaurante 54 3455.0175

La Máfia Tele Pizza Aberto diariamente a pizzeria trabalha somente com tele pizza com cardápio com mais de 60 sabores e xis. O diferencial da La Máfia é o preparo com todo o cuidado, rapidez e qualidade que você merece. Pizzas com toque de Chef! Rua Treze de Maio, 1201 @lamafiateleentrega 54 3451.4040 99642.8239

Colônia Dona Isabel Pizzeria E nosso grupo tem novidade, a Colônia Dona Isabel Pizzeria, localizada no corredor gastronômico da cidade, na Planalto, servirá rodízio de pizzas especiais, sabores selecionados para desafiar os paladares mais exigentes, tudo harmonizado com os melhores vinhos da região. O atendimento iniciará na segunda quinzena de janeiro.

44 Jornal Design


Cores vibrantes É verdade que nas últimas temporadas os rótulos de “verão colorido” e “inverno cinzento” tenham se perdido um pouco na moda, tornando a decisão muito mais pessoal e adaptada ao estilo do que uma regra fashion. Ainda assim, no verão as marcas trazem mais misturas de cores e estampas vibrantes, refletindo um estado de espírito mais alegre. Neste verão não foi diferente! Marcas como a Dani. Holzbach, trouxeram para suas coleções um mix de cores para todos os gostos. As estampas tropicais estão muito presentes, com contrastes de cores e opções de peças com estampas diferentes que combinam entre si, fazendo o famoso “mix de estampas”. Para o próximo ano, a cor que vai conquistar o coração e o closet das mais antenadas é o Ultra Violet, segundo a Pantone Color Institute, que divulgou a informação há poucos dias. A cor remete a tons de roxo, uva e violeta e já vem conquistando espaço nas últimas estações.

Foto Divulgação

Fotos Fabiano Mazzotti

CAMPANHA VERÃO | 18

Rua Treze de Maio, 979 - Sala 104 54 3702.3605 | 9 8120.8100 dani.holzbach_bento Dani.Holzbach (Bento Gonçalves) Jornal Design 45


O jornalista e fotógrafo cultural

46 Jornal Design

Segundo o jovem jornalista e fotógrafo, seu gosto pelo registro de elementos do cenário bento-gonçalvense deu-se a partir da carência de livros que perpetuem a beleza e história local. Com essa percepção, ao invés de apenas fotografar, ele também agrega texto aos seus trabalhos. “Temos uma origem. Muito dessa informação ainda é, apenas, memória oral. Isso precisa ser transportado para um suporte que eternize a história e sirva de fonte de pesquisa para as gerações futuras”, explica Mazzotti, que também é pós-graduado em produção cultural. Com muitas ideias na cabeça, seus passos são conduzidos pela emoção. Demonstra ter consciência do desafio pessoal na produção de trabalhos que são verdadeiras obras de arte na preservação do patrimônio material e imaterial de um lugar onde raros são os que dão atenção à ação cultural. Em silêncio, transita por esta terra tentando despertar o olhar das pessoas para a riqueza que existe aqui. De forma suave, corajosa e serena, Mazzotti é o verdadeiro reflexo de alguém que não se contenta com as coisas como elas são, mas como podem ser.

Foto Cristiano Mazzotti

Ele nunca esteve em Paris. Se quer pisou em Roma e tampouco andou por Nova Iorque. No entanto, conhece o território da antiga Colônia Dona Isabel como a palma da sua mão. Aos 39 anos de idade, Fabiano Mazzotti transformou-se em sinônimo de cultura com ênfase na produção de livros que enaltecem o modo de vida da população de Bento Gonçalves. Graduado em jornalismo desde 2007 e profissional de fotografia há 18 anos, trilha um caminho de registrar a singularidade desta terra configurada pela imigração italiana. Estreante no cenário de livros em 2010, já possui em seu currículo a publicação de cinco obras e se prepara para lançar mais um trabalho em 2018. Depois de ter fotografado de tudo um pouco, distanciou-se da fotografia social para concentrar atenção e energia na captação de imagens com significado coletivo e ausente de interesse individual e tão somente econômico. Sob esta ótica, ele explica que um projeto precisa ser atraente para muitos, não somente para quem faz o clique ou para os envolvidos com o que aparece na foto.


Filó, nome carregado de bons sentimentos, com significado: encontro feliz! Uma das tradições italianas, o filó, era o ato de enrolar fio enquanto se aproveitava a atividade para também realizar encontros, rezar o terço, comer, beber e descontrair-se. Com essas referências, surge o Filó Café que chega resgatando sabores especiais, oferecendo delícias típicas italianas, com gostinho de família. Quem não lembra de delícias de Vó, pizza, sonhos, grostoli, omeletes, sopa de capeletti. No cardápio, tudo isso e mais sanduíches, bolos, sobremesas, acompanhados de cafés, chás, sucos ou apreciados espumantes e vinhos. Visite e entre nesse clima gostoso!

Fotos Jornal Design

Jornal Design 47


Sofisticação é na HOPE

exclusivas assinadas por renomados estilistas como Alexandre Herchcovitch e Letícia Bronstein, além é claro, das coleções básicas que são as mais vendidas e conhecidas da marca como por exemplo o sutiã universal que é conhecido como o Sutiã Perfeito! Vá até a Hope Bento Gonçalves e saiba qual é o seu sutiã perfeito, pois as consultoras medem o seu corpo para encontrar o seu modelo e tamanho ideal.

CALCINHAS A PARTIR DE

R$

SUTIÃS

PIJAMAS

21 49 69 A PARTIR DE

R$

A PARTIR DE

R$

H O PE B E N T O G ON Ç A LVES T R E Z E D E M A IO , 4 6 1 T E L: 5 4 3 0 5 2 - 0 7 6 3 5 4 9 1 2 1 -6 6 6 3

Ação válida de 08 a 31/01/2017 ou enquanto durarem os estoques. Consulte na loja as referências participantes. 48 Jornal Design

1431_SALE_Anuncio_60x325mm_Bento_Goncalves.indd 1

12/19/2017 3:33:33 PM

Há 50 anos no mercado, a HOPE é uma marca de underwear 100% nacional, que entende o corpo da mulher brasileira como ninguém. Sempre investindo em materiais e tecnologia de ponta, a HOPE oferece às suas clientes produtos com qualidade, informação de moda e que podem ser usados em todas as ocasiões do dia a dia. Em Bento Gonçalves, a Hope completou seu segundo ano de funcionamento no final de 2017 e continua encantando suas clientes com coleções sofisticadas e que são tendência no mundo da moda! A Hope Bento Gonçalves trabalha com lingeries, pijamas, modeladores e biquínis que são peças de desejo para todas as mulheres, desde as básicas até as mais ousadas. Além disso, oferece às suas clientes o Chá de Lingerie que tem como objetivo reunir amigas e familiares da noiva para um encontro divertido e informal. Nessa ocasião, os presentes dados pelas convidadas são peças íntimas que ajudam a noiva a montar o seu belo enxoval, com uma variedade de calcinhas, sutiãs e aromatizadores, além de peças de dormir como pijamas, short dolls e camisolas – para a noiva renovar tudo mesmo! Para 2018 a Hope Bento Gonçalves promete muitas novidades e coleções

Treze de Maio 461, centro @hope.bentogoncalves 54 99121 6663 54 3052 0763 Estacionamento exclusivo


Glamour e ousadia nos looks da Couros do Valleh As peças da Couros do Valleh garantem modernidade e glamour para os seus looks. Toques românticos, peças bicolores, clássicas e esporte chique vão transformar o seu guarda roupa. Trabalhando com uma palheta de cores que vão dos nudes, roses, tons terrosos, ao preto nada básico. A aposta do Verão é a cor Hot Pink ou Pink Yarrow e também o Flame, um laranja incrível que tem como objetivo tornar os looks mais alegres e cheios de atitude. As peças em couro são as grandes protagonistas deste Verão 2018. A coleção traz vestidos midi que dão um ar romântico às peças. Além de vestidos e saias com cortes geométricos e combinações de cores modernas e elegantes. Os shorts vêm com cortes diferenciados, cores suaves pastéis que combinam com tecidos leves, camisas de seda, estampas delicadas criando uma harmonia visual e própria para estação. As calças em couro, itens conhecidos da moda inverno, vêm com cortes modernos e coloridos para compor looks mais alegres, mas com a elegância que só o couro permite. A Couros do Valleh também traz a T-Shirt e regata toda em couro com uma estampa linda e exclusiva que pode ser usada em todos os tipos de estilo, dando personalidade ao look.

Modelo: Patrícia Fleck Fotos: Silvia Tonon Cenário: Couros do Valleh, Vale dos Vinhos

Jornal Design 49


Elton Gialdi assume CIC-BG com desafio de criar oportunidades Fotos Jeferson Soldi

Diretoria Executiva do CIC-BG 2018-2019

Em seu primeiro pronunciamento na condição de presidente do Centro da Indústria, Comércio e Serviços de Bento Gonçalves, Elton Gialdi foi categórico em afirmar: sua diretoria vai trabalhar pela criação de oportunidades de negócios, de parcerias, de relacionamento e de qualificação. “Assumo com o desafio de tornar a entidade ainda mais forte e atrativa, capaz de agregar novos associados. Para tanto, temos o compromisso de fazer um exercício intenso de gestão, inovação e criatividade, encontrando formas de efetivamente contribuir para o desenvolvimento das indústrias, do comércio e dos prestadores de serviço de Bento Gonçalves. Acredito que as oportunidades não surgem ao acaso. Somos nós quem as criamos”, disse. A solenidade de posse da diretoria executiva do CIC-BG,

gestão 2018/2019, ocorreu na noite de 14 de dezembro, na nova sede da entidade, prestigiada por mais de 250 pessoas. Comprometido em dar continuidade e avançar no trabalho de união e integração que o CIC-BG vem protagonizando com as demais entidades, aposta no associativismo para viabilizar importantes conquistas. “Precisamos de parceiros, seja no poder Público, na iniciativa privada ou no meio institucional. As alianças construtivas são as melhores estratégias para consolidarmos nossos objetivos. Isso porque jamais os interesses individuais podem se sobrepor aos coletivos, especialmente quando assumimos o compromisso público de representar com ética, honestidade e transparência aqueles que nos honraram com sua confiança”, declarou. Proprietário da Mérica Transportes e Logística, empresa com dez anos de tradição no setor de transportes, Gialdi acumula vivências institucionais a partir de experiências como diretor de Comunicação e Marketing do CIC gestão (2016/2017), Presidente da Fundação Consepro desde janeiro de 2017 e vicepresidente da CICS Serra. Sua eleição ocorreu em assembleia realizada no dia 1º de dezembro.

Laudir Piccoli deixa consagrado como liderança

cargo

Elton Paulo Gialdi sucede Laudir Miguel Piccoli na presidência do CICBG, que deixa o cargo para assumir a condição de presidente do Conselho Superior da entidade pelos próximos dois anos. Publicamente chancelado como líder nato e gestor, ele encerrou seu ciclo de comando deixando um legado de união, integração e diálogo. “Coloco-me diante da comunidade com a sensação de dever cumprido. Trabalhamos duro e podemos olhar para trás com orgulho daquilo que fizemos e ajudamos a construir. Nós cumprimos nossa missão. Tenho certeza que minha diretoria ajudou a construir uma sociedade melhor para nós e um futuro melhor para as próximas gerações”, avaliou. Tomado por uma forma de atuação pró-ativa, Piccoli propôs uma gestão colaborativa, buscando a aproximação da entidade com os poderes executivo, legislativo e judiciário, além de fortalecer os elos com a iniciativa privada e, também, outras entidades representativas. “Finalizo minha gestão com um dos maiores aprendizados que tive nessa jornada: quando agimos

o futuro começa a ser vivido agora,

ao seu lado. Neste final de ano, que nos sobre coragem para arriscar e investir em projetos. E que o futuro, seja como for, o guie sempre para a felicidade.

Em 2018, faça a sua vida ser inesquecível! BENTO GONÇALVES: Rua José Mário Mônaco, 321 | (54) 3451.5255 | GARIBALDI: Av. Júlio de Castilhos, 205 - Sala 301 - Centro Comercial Santa Fé | (54) 3462.3881 | www.unicredintegracao.com.br 50 Jornal Design


juntos temos o poder de transformar a realidade”, disse. Aposta no diálogo e nas parcerias é o grande legado Comprometido com a defesa de causas que vão além dos interesses setoriais, o trabalho do CIC-BG, especialmente durante a gestão de Laudir Miguel Piccoli, muito contribuiu para o desenvolvimento de Bento Gonçalves, na avaliação do Prefeito de Bento Gonçalves, Guilherme Pasin. “A entidade mostrou claramente querer o melhor de sua sociedade, entregando, por meio do associativismo, resultados a comunidade. Muito foi feito nesses últimos dois anos, superando fronteiras em busca de conquistas coletivas. Esse propósito colaborativo precisa ter continuidade, e certamente terá durante a gestão de Gialdi, em benefício de todos nós”, avaliou. A aproximação que Laudir Miguel Piccoli promoveu entre a entidade e o poder Legislativo é um dos mais relevantes legados de sua gestão – e que precisa ter continuidade, na opinião do presidente da Câmara de Vereadores, Moisés Scussel Neto. “Tivemos a oportunidade de estreitar uma convivência positiva, que muitos avanços gerou em favor da comunidade. Essa construção constante, baseada no diálogo e no entendimento, foi um dos pontos fortes da gestão de Laudir Miguel Piccoli e, esperamos que certamente tenha continuidade com o comando de Elton Gialdi”, disse. Essa modalidade de trabalho, que prioriza a formação de alianças entre

entidades, poderes públicos e iniciativa privada é, hoje, a única forma de promover o desenvolvimento do Estado, conforme o Deputado Estadual Ronaldo Santini, representando a Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul na solenidade. “Somente por meio de parcerias é que poderemos mudar o futuro do RS. Temos desafios gigantes pela frente (entre os quais citou a necessidade de combate ao comércio informal, responsável por um prejuízo de R$ 51 bi aos cofres públicos do Estado) e diversas provas de que esse formato funciona (destacando conquistas como a obra de intersecção da BR-470 com a RSC-453, entre Bento Gonçalves e Garibaldi, fruto das intervenções das entidades representativas junto ao Governo Estadual). Na atual situação que o Estado está, não podemos desperdiçar aliados, é preciso valorizar e apostar na mobilização das instituições em prol da sociedade gaúcha”, disse.

Diretoria da ExpoBento 2018

ExpoBento 2018 anuncia Leocir Glowacki como diretor geral A noite de 14 de dezembro marcou, também, o início oficial da contagem regressiva para a 28ª edição daquele que é um dos mais emblemáticos projetos encampados pelo CIC-BG: a ExpoBento, maior feira multissetorial do país, agendada para ocorrer de 07 a 17 de junho de 2018, nos pavilhões do Parque de Eventos de Bento Gonçalves. Comandando os trabalhos desta edição, a entidade anunciou Leocir Glowacki como diretor geral da ExpoBento 2018. “Temos

vestibular.cnec.br CnecBento

Agraciados com o Mérito Empresarial 2017

cursos presenciais

cursos a distância

Administração Biologia Biomedicina Ciências Contábeis Enfermagem Fisioterapia Nutrição Psicologia Publicidade e Propaganda Tecnólogo em Gastronomia

Administração Ciências Contábeis Gestão Ambiental Gestão de RH

cursos técnicos

Logística Pedagogia Pedagogia 2ª Lic. Processos Gerenciais Teologia

novos Análise e desenv. de Sistemas Educação Física Gestão Comercial Marketing Sistemas de Informação

Gestão Financeira Gestão Pública Letras Matemática

enfermagem radiologia

PARCELAS ACESSÍVEIS a PARTIR DE

R$

141,50*

* Consulte tempo de integralização do curso nessa oferta.

INSCRIÇÕES ABERTAS

de verão no que você acredita?

(54) 3452-4422 Rua Arlindo Franklin Barbosa, 460 São Roque - Bento Gonçalves-rs

2018

VESTIBULAR

Graduação a distância CNEC Acredite! você pode.

cnec.br/ead

0800 707 1011 Jornal Design 51


Homenageados

Familia Machado foi atração musical da solenidade

52 Jornal Design

17 de junho, no Parque de Eventos de Bento Gonçalves. Mérito Empresarial empreendedorismo

valoriza

Os empresários que foram expoente de empreendedorismo, destacandose em seus segmentos de atuação nos últimos dois anos, receberam o merecido reconhecimento durante a entrega do Mérito Empresarial de Bento Gonçalves 2017. A premiação revela os nomes mais lembrados pelos associados do CIC-BG, que, por meio do voto, elegem os contemplados. Nesta edição, o troféu Mérito Empresarial – categoria Indústria, foi conferido ao empresário Carlos Bertuol, diretor da Meber Metais. Já no segmento Comércio, a outorga coube a Daniel Ferrari, da BG Ferramentas. Na categoria Serviços, o agraciado foi Valdomiro Cruzeta, da empresa Bento Refeições.

Carlos Bertuol, diretor da Meber Metais, recebendo Mérito Empresarial categoria Indústria

Fotos Jeferson Soldi

aproximadamente seis meses de muito trabalho para dar conta de um enorme desafio: apresentar uma ExpoBento surpreendente, capaz de superar o sucesso absoluto desse ano. A inspiração para enfrentar essa missão é muito clara para todos nós: a ExpoBento é uma feira que faz a diferença para Bento Gonçalves, contribuindo para o desenvolvimento econômico da cidade e região por meio da geração de empregos, renda e, principalmente, criação de oportunidades para as famílias fortalecerem seus negócios, para as empresas ampliarem seus contatos, conquistarem novos mercados”, disse. Continuando os preparativos e trabalhos de organização, a diretoria está focada em duas frentes prioritárias de ação: comercialização de espaços de exposição e captação de recursos junto a patrocinadores e apoiadores. A ExpoBento 2018 ocorrerá de 07 a

Daniel Ferrari da BG Ferramentas reconhecido com o troféu Mérito Empresarial categoria Comércio

Valdomiro Cruzeta da Bento Refeições, agraciado com o prêmio Mérito Empresarial categoria Serviços


Sul-Americano de Padel Amador reúne mais de 300 padelistas No dia 13 de Janeiro o Clube Padel Pro comemora 5 anos e preparou diversas atrações para comemorar a data, incluindo clínicas e desafios com padelistas profissionais. Será um dia repleto de atrações, onde os participantes poderão aprender com jogadores do World Padel Tour. O sócio STAR MEMBER possui privilégios neste evento,

Entradas para os desafios: Sócio STAR MEMBER: R$ 20 Não-sócios: R$ 60 16h30min Início dos Desafios Primeiro Desafio: Ely Amatriain e Patty Llaguno x Fer Abarzúa e Rafa Laviaguerre. Segundo desafio: Lucas Bergamini e Lucas Campagnolo x Aris Patiniotis e Juliano Bergamini

lembrando que para se associar é só ir com os seus documentos no Clube. O valor da mensalidade é R$ 100,00 e os benefícios são vários, como: desconto no valor da hora-quadra individual, prioridades em eventos, acesso ao clube de vantagens e mais. Confira o cronograma do evento e demais informações abaixo:

Clínica e jogos com jogadores profissionais: R$ 50 para sócios, R$ 100 para não sócios (incluso entradas para os desafios) Opções de turno: 9h às 12h ou 13h às 16h, conforme disponibilidade Dose dupla de chopp para os sócios STAR MEMBER nos toques do sinal. Festa após os desafios. Ingressos disponíveis no Clube.

O Sul-Americano de Padel Amador Brasil 2017 sediado pelo Clube Padel Pro ocorreu nos dias 1 a 3 de dezembro e foi mais um grande evento de sucesso. Reuniu mais de 300 padelistas amadores representando as seleções do Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai. As disputas foram intensas e ao final a Argentina acabou sagrando-se campeã nas categorias por idade e na soma de todas as disputas. O Brasil venceu as categorias livres e o Uruguai completou o pódio ficando em terceiro lugar na classificação geral. As torcidas compareceram para torcer pelos seus países e o clima de confraternização perdurou pelo fim de semana. Confira algumas fotos do evento:

#somosloucosporpadel R. Julieta Sassi Dreher, 524 Bairro São João, Bento Gonçalves (54) 3453-6669 clubepadelpro@gmail.com facebook.com/padelprobento

/cna.bentogoncalves 54 3452.1123

/moveisbentec.ltda 54 2102.9000

/projetarium.moveis 54 3055.3054

/heliopneus 54 3452.1598

/NatalFitnessBG

/pizzaemcasadesde2008 54 99985.0582 Jornal Design 53


Sociais Rose Munari Fochi comemorando sua data querida com os familiares e amigos

Murilo de Moraes, Fernando Brito e Marcos Vitor Prado com Eunice Pigozzo, na Dom Quixote

Foto André Pellizzari Fotografia

Aline Gregio degustando os maravilhosos gelattos da Così Gelato Artigianale e Dolci

Toda a elegância de Rose Munari Fochi da Sorrivida

Marina Selli e Gisele Vignatti na Così Gelato Artigianale e Dolci

Helenir Bedin, Jucieli Piccin e Igor Masutti, na inauguração da Plus.com

Bruna com suas princesas Bia Carolina e Nicole, para o orgulho do papai Cristiano Marcon

54 Jornal Design

Iva Vivan e Giovano Buckel, do Iva Espaço da Beleza, comemorando o excelente 2017


Giovani de Carli e Rodrigo Monteiro da Caixa Econômica Federal

Volnei e Jaqueline Benini com o caçula Guilherme na inauguração do Centro Empresarial

Lisabete Basso e Janete Casagrande Sebben, prestigiando as festividades do Centro Empresarial de Bento Gonçalves

A diretora da Habvita Saúde e Lazer, Eugênia Ligoski, enfermeira pós-graduada em Envelhecimento e Saúde do Idoso

Na transmissão de cargo, Laudir Piccoli e o presidente do CIC-BG, Elton Gialdi

Denise Somensi e Aline Monteiro Carraro

José Carlos Zortéa, Rogerio Capoani, Gabriel e Norma Luchese

Presidente da CDL, Marcos Carbone, com o ganhador do automóvel sorteado na campanha Bento Natal Premiado, Francisco dos Santos, e o diretor Gustavo Cecon

Leticia Zanesco, Moema Saldanha, Gabriel Poletto Luchese e Leocir Glowacki

Gilberto Durante, Silvio Sandrin, Henrique Tecchio e Sérgio Dalla Costa

Foto Jeferson Soldi

Fotos Jornal Design

Emiliano Castaman, Soraia Lima da Veiga, Andreia Zucchi e Marcia Ferronatto

Jornal Design 55


Jornal Design | Edição 77  
Jornal Design | Edição 77  
Advertisement