Page 1

Jornal de Lousada.com

Propriedade: Pedestal d’Ideias, Lda | Diretor José Ferreira

15 de Março 2013 |

Edição n.º 65

Em Destaque: Agitarte “...o mais importante é que os miúdos tenham acesso à arte e cultura, que em condições normais dificilmente têm” Págs. 14 a 17

Grande Entrevista

Pedro Mendes Presidente da Juventude Popular

“...agora se abre uma porta para a mudança dos títulos e para se fazerem 12 anos de Câmara PSD/CDS, ou quem sabe mais. ” Págs. 6 a 9

Afonso Dias condenado pelo rapto de Rui Pedro

Aprender Multimédia com...

Miss Sénior e Mister Sénior de Lousada

Pág. 10/11

Pág. 12/13

Pág. 4

CRIVO d’ideias, lda

Engenharia Construção

Lousada em destaque na Bolsa de Turismo de Lisboa

Confidências pela manhã “Todo o Terreno com...”

Págs. 18/19

Pág. 24 e 25

Telemóvel: 911 921 025 www.crivodideias.com geral@crivodideias.com


Sexta Feira, 15 de Março de 2013 | Edição n.º 65

Jornal de Lousada.com

2

Opinião

valências e os valores As

Recentemente em discussão com um amigo meu, chegamos a uma dúvida que aparentemente não teria fácil resolução. Como implementar de uma forma rápida e eficaz os valores mais importantes num grande aglomerado de jovens e fazer com que esse aglomerado fosse capaz de criar uma onda que os espalhasse pela restante comunidade? Começamos então pela raiz, as famílias, mas para isso teríamos que formar o dobro de indivíduos (tendo em conta uma família padrão, Pai e Mãe) o que automaticamente resulta no dobro do tempo. Pensamos então nas escolas, mas rapidamente nos apercebemos de que implementar alguma medida no nosso sistema de ensino é quase um ato bíblico, teríamos que ultrapassar processos burocráticos infindáveis e convencer uma data de técnicos que apenas veriam ali mais um custo, mais uma disciplina, mais uma sala, mais uma data de problemas que para eles se tornariam numa firme certeza de que a medida não lhes interessava. Pensamos então de um prisma mais alargado, e se usarmos os veículos sociais mais eficientes

que temos à nossa disposição? Algo mais sério que uma rede social, mais estruturado, mais enraizado na nossa cultura, e que provavelmente faria surtir mais rapidamente os efeitos que nós pretendíamos, algo como as juventudes partidárias. Como é do conhecimento geral, hoje, estas entidades formam todos os que se interessam pela política partidária, facultando-lhes todas as ferramentas para que os seus jovens militantes tenham um conhecimento completo de uma estrutura política e dos sistemas em que esta se movimenta. Portanto, estamos perante um grupo consideravelmente grande de jovens que podem ser aproveitados para formar toda a nossa sociedade, como? Fácil, ensinando a arte de debater corretamente. Pensem bem, alguém que saiba debater corretamente tem sempre presente consigo noções como: estruturar, avaliar e formar um argumento sólido, procurando toda a informação sobre ele, identificando as suas falhas e os seus pontos fortes, mas mais importante ainda, tem sempre presente a noção de que deve ouvir, entender, compreender, desconstruir e voltar a reconstruir, e per-

ceber o argumento daquele com que se debate. Quando todos os jovens militantes souberem debater, usaram esse ‘poder’ para divulgar a mensagem, ensinando os seus pares não partidários a debater, criando uma rotina em casa onde se abandonam as discussões e prolifera o debate e uma nova dinâmica nas escolas onde as divergências serão melhor resolvidas e a diferença será melhor entendida.

J. Artur Coelho JS Lousada

Cupão de Assinatura do Jornal de lousada Receba em sua casa o Quinzenário do concelho de Lousada

Valor da assinatura: EUR 40 (IVA incluído) por 48 edições EUR 20 (IVA incluído) por 24 edições

Nome: Morada:

C.P.

____ - ___

Email: Telemóvel:

___ ___ ___

Contribuinte:

___ ___ ___

0

Forma de Pagamento:

Pedestal d’Idéias, Criações, Lda

Trav. João Evangelista, N.º1 Casa 12 r/c 4620-113 Covas - Lousada Tel./Fax 255 005 190 • Telem. 915 067 989 • jl@jornaldelousada.com www.jornaldelousada.com

nib.: 0038 0000 40030938771 83 Banif

O jornal também é impresso a 100% cores, sendo o seu valor de 2,5€ unid.. Encomende pelo email: jl@jornaldelousada.com ou pelo número 915 067 989


Sexta Feira, 15 de Março de 2013 | Edição n.º 65

Jornal de Lousada.com 3

Opinião

O novo papa poderia ser diferente? Ontem ouvi alguém congratularse com a eleição do novo papa, dizendo que é “uma pessoa séria, simples e solidária”. Como católica dever-me-ia sentir feliz. No entanto, aquelas palavras preocuparam-me. Dirão muitos que sou ingénua, mas não me passava pela cabeça que o mais alto membro da hierarquia da Igreja Católica não tivesse essas características. Aliás, qualquer membro da Igreja deveria reunir essas qualidades! E por isso não entendo a razão dessas palavras se terem tornado notícia. Perscrutando as causas de tão insólito comentário, encontrei duas explicações plausíveis: a necessidade de dizer algo, quando não se tem nada para dizer ou noticiar, ou a vontade de vincar que no seio da Igreja Católica ainda há homens de bem. A comprovarse a primeira, nada de espantar, é o “pão nosso de cada dia”. Já a segunda desconfiança deixa-me apreensiva. De facto, aquilo que pretendia ser um elogio ao novo papa, ao destacar as suas qualidades, pode ser lido como uma afirmação de que muitos outros não

possuem essas qualidades, pois ninguém, em horário nobre, à hora dos noticiários vem fazer esta revelação, de que o novo papa é um homem sério! Poderia ser o contrário? Se calhar podia.

“ovelhas tresmalhadas” ou afastá-las do rebanho. Que Deus o ilumine. Aos outros, perdoai-lhe, Senhor, porque eles sabem o que fazem!

Cidália Neto

cidalianeto@gmail.com

Na verdade, estes discursos são o reconhecimento de uma verdade polémica, que a sociedade de informação não tem deixado esconder e que tem abalado a Igreja nos últimos anos: a existência de muitas “ovelhas negras” no rebanho do Senhor. Mas os seus representantes inicialmente tentaram não a revelar… Depois, como há homens sérios na Igreja, tiveram que a admitir, mas baixinho… E agora, que não a podem ignorar, têm de marcar a viragem de uma época. E aquilo de que todos ouvimos falar, que muitas vezes é grave e hediondo, passa a ser desculpável, sob o chapéu da tolerância e do perdão - palavras que não conhecia no passado, quando acendia as fogueiras -,servindo os seus próprios interesses. Mas eu quero acreditar que há muitos homens sérios na Igreja e que o novo papa pode salvar as

Arrendamento nos dias de hoje… bilidade de horários, exigida na maioria das profissões, leva a que as pessoas não se fixem num local comprando casa e optem por arrendar imóveis por períodos que entendam c o nve n ie nte s , em locais mais próximos dos empregos.

Clara Trigo

vice-presidente da JSD LOUSADA.

Volvidos são os tempos em que os projectos de vida da maioria das pessoas passavam por arranjar um emprego para a vida, casar, ter filhos e construir uma casa. A vida “obrigava-os” a trabalhar cedo. Assumir responsabilidades. E, acima de tudo, a ter consciência dos direitos e deveres ainda com tenra idade. Mas como diria Luís Vaz de Camões: “Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades”. A realidade que vivemos actualmente é muito diferente. A mobilidade e flexi-

Neste sentido, as novas regras do Arrendamento Urbano trouxeram significativas alterações, quer para os senhorios quer para os arrendatários e que importa conhecer. Desde logo, a duração dos contratos passou a ser mais flexível, podendo as partes acordar entre si o período que entenderem, retirando a obrigatoriedade de um período mínimo como até então. Deixam também de existir contratos por tempo indeterminado. Nos contratos anteriores a 1990, as rendas passam a ser actualizadas por negociação entre as partes.

Mas as alterações não se prendem apenas nas formalidades contratuais, como a duração dos contratos e actualização de rendas. O incumprimento dos contratos de arrendamento foi, certamente, o ponto mais importante desta alteração. Agora, o incumprimento por parte do arrendatário de duas rendas permite ao senhorio proceder ao despejo através do Procedimento Especial de Despejo no Balcão Nacional de Arrendamento (BNA), que por ser um processo mais simples torna mais célere a sua resolução. Após o início deste procedimento, é concedido mais um mês para que o arrendatário proceda à desocupação do imóvel. Na prática, há uma redução de seis para três meses no processo de despejo – 2 meses de incumprimento + 1 mês para desocupação. Prevê-se assim, além da tributação mais favorável em sede de IRS, que a convivência entre senhorio e arrendatário seja mais afável e que se evitem os morosos e desgastantes processos de despejo.


4

Jornal de Lousada.com

Sexta Feira, 15 de Março de 2013 | Edição n.º 65

Sociedade

Afonso Dias condenado pelo rapto de Rui Pedro A condenação representa assim uma reviravolta no processo, depois de há pouco mais de um ano o Tribunal de Lousada ter absolvido Afonso Dias do crime de rapto, por falta de provas. No entanto, o Tribunal da Relação diz agora que houve “erros ostensivos” na apreciação da prova, anulando a sentença anterior. Elementar para este resultado foi o facto de os juízes-desembargadores terem valorizado o depoimento de uma prostituta, Alcina Dias, cuja credibilidade fora posta em causa no julgamento. Tribunal da relação do Porto condenou, na passada segunda-feira, dia 4 de março, o arguido do caso Rui Pedro, Afonso Dias, a três anos e seis meses de prisão efetiva. No

mesmo dia, curiosamente, completavam-se 15 anos desde o desaparecimento do menino de Lousada, na altura com 11 anos.

Apesar de tudo, logo à saída do Tribunal da Relação do Porto, Paulo Gomes, advogado do arguido Afonso Dias, anunciou que vai recorrer desta sentença para o Supremo Tribunal de Justiça, ale-

gando que “a decisão de primeira instância era a decisão correta”. “Vamos continuar a bater-nos por ela”, para tentar “provar que Afonso Dias não tem nada a ver com isto”, acrescentou o advogado. Já a família da criança, desaparecida no dia 4 de março de 1998, considera que se fez justiça. Ricardo Sá Fernandes, advogado dos pais de Rui Pedro, que disse estar “feliz”, considera que o acórdão desta segunda-feira é “finalmente uma boa notícia” para Filomena Teixeira e Manuel Mendonça. Afonso Dias ficou «em choque» com a nova decisão, segundo disse o seu advogado, Paulo Gomes.

André Moreira / Lusa

andremoreira@jornaldelousada.com

Ricardo Marques: “Só Leonel Vieira tem um projeto para a juventude lousadense” A JSD realizou no passado dia 2 de março a tomada de posse do núcleo de freguesia da da Ordem. Ricardo Bessa Marques é o líder do grupo de jovens militantes da freguesia. O jovem acredita que só Leonel Vieira é que tem um projeto para a juventude lousadense. Para Ricardo Marques, representar a JSD é motivo de orgulho, “é a melhor, a mais ativa, a mais competente e verdadeira estrutura política juvenil do concelho de Lousada”, afirmou, acrescentando que será ela a garantir a vitória nas eleições para a CM de Lousada. Joaquim Bessa, líder da JSD, reforçou a ideia de que Leonel Vieira será o candidato de toda a juventude lousadense, agradecendo a disponibilidade e o empenho de Ricardo Marques na criação da estrutura local da JSD. Moisés Ribeiro, atual presidente da junta da freguesia, recebeu elogios por parte de Leonel Vieira, que enalteceu todo o seu trabalho em prol da freguesia da Ordem, considerando mesmo ter sido vítima de uma perseguição pelo executivo camarário socialista: “Os dirigentes socialistas não gostaram de ter perdido muitos votos na freguesia da Ordem , e por isso é que Moisés Ribeiro não tem sido apoiado”, disse. Para o candidato da Coligação,

este executivo não apoia as freguesias, sendo “exemplos graves a falta de saneamento e as más condições das escolas”.

Leonel vieira: “Temos o melhor leque de candidatos de todos os tempos às juntas de freguesia”

Sobre o projeto autárquico, Leonel Vieira coloca a educação e a formação como um dos grandes objetivos da sua candidatura: “70 a 80% da população apenas tem o 9º ano de escolaridade ou menos, sendo que 16 % não sabe ler nem escrever, e apenas 8% é que é licenciada, por isso apostaremos no ensino e na formação para que os nossos jovens consigam ter um emprego condigno”, garantiu. Além disso, o candidato considera que a Câmara

Municipal de Lousada “deve estar na linha da frente no combate à pobreza no Concelho”. Aos jovens garantiu que nenhum “lousadense deixará de terminar os seus estudos”. Sobre o tecido empresarial, “ vamos criar uma incubadora de empresas para que os jovens tenham a oportunidade de criar a sua empresa e muitas vezes criar emprego ou o seu próprio emprego”, assegurou.


Sexta Feira, 15 de Março de 2013 | Edição n.º 65

Jornal de Lousada.com 5

Dia Internacional da Mulher volta a juntar mais de uma centena de mulheres em Boim

N

o dia 2 de março, pelo sexto ano consecutivo, mais de uma centena de mulheres do concelho de Lousada voltou a juntarse num jantar-convívio em Boim, para assinalar o Dia Internacional da Mulher. A boa disposição foi o tom dominante de um encontro que começa a ganhar estatuto de ritual em Boim. Foram muitas as mulheres que não quiseram perder a oportunidade de quebrar a rotina quotidiana e viver alguns momentos de alegria e descontração. Para a maioria das presentes, a mulher conseguiu já um papel importante na sociedade, que vai muito além do de mãe e esposa que tinha há algumas décadas. No entanto, muitas são também as que consideram que ainda há muito a fazer. Sanda Silva, médica-dentista, considera a data importante enquanto lembrança dos vários papéis das mulheres, “que são mães, profissionais e esposas e que se podem divertir, num ambiente de alegria e solidariedade”, mas não deixa de lembrar que, apesar do papel muito importante na sociedade, ainda há conquistas a fazer em termos de cargos profissionais.

mais ousada, mostrou que “as tristezas não pagam dívidas” e contagiou as companheiras com a sua espontaneidade e irreverência. Mas a animação não se ficou por aqui. O momento alto da noite chegou com a conhecida atriz Patrícia Queirós e Miguel Magalhães, que surpreenderam as presentes com uma curta peça teatral, que mostrou as querelas entre uma sogra e uma nora por causa… de um homem! A festa continuou com os ritmos animados da música, que arrastou as mulheres para a pista improvisada.

Paula Ferreira não deixa esquecer a data

Paula ferreira, dinamizadora do evento, mostrou-se satisfeita com a adesão. “Esperava uma redução significativa do número de mulheres, devido à crise, mas tal não aconteceu, o que demonstra a importância deste momento para as mulheres se libertarem e divertirem”, disse. Mas os objetivos deste jantar vão muito além da diversão. Para Paula Ferreira, “este é também um momento de reflexão e de reforço do papel da mulher na sociedade”. Questionada sobre as conquistas das mulheres, considera que a mulher conquistou já, com o seu talento, um papel fulcral na sociedade, mas admite que “ainda há um longo caminho a percorrer para alcançar a igualdade”, apesar de “termos ministras, presidentes de junta e mulheres em cargos de relevo em áreas como o emprego, a saúde…”

A provar a versatilidade das mulheres, Lúcia Rocha encarnou, ao longo da noite, vários papéis e arrancou sonoras gargalhadas da assistência. De ciclista, a cigana, passando por uma representação Paula Ferreira com a sua mãe

COMEMORAÇÃO DO DIA INTERNACIONAL DA MULHER O Dia Internacional da Mulher foi também assinalado em Lousada com algumas iniciativas. Assim, no Espaço AJE a tarde foi de confraternização tendo sido o mote o “Tratamento da imagem”, com workshop, oferta de manicure e arranjo de cabelo. No final da tarde as mulheres presentes tiveram ainda uma flor de oferta para simbolizar a data. Cerca de 100 mulheres passaram pelo Espaço AJE.

A noite contou com um espetáculo do projeto AgitArte que teve lugar no Auditório Municipal. Este foi um evento que contou com muitas variedades tendo lotação esgotada.

Em Breve na


6

Jornal de Lousada.com

Sexta Feira, 15 de Março de 2013 | Edição n.º 65

Grande Entrevista

Em Breve na

Pedro Mendes Presidente da Juventude Popular do concelho de Lousada

“O Dr. Leonel Vieira tem um projeto mais interessante, mais capaz e que defende melhor os lousadenses”

Pedro Mendes, tem 18 anos e é natural de Penafiel, estudante de economia reside em Lousada e é o líder da Juventude Popular de Lousada. Jornal de Lousada (JL) - A juventude popular é uma organização muito recente aqui em Lousada. Pedro Mendes (PM): Sim, em Lousada, a estrutura existe desde 1998 e teve sempre um número de militantes à volta dos 10/12. Essencialmente nos últimos 3/4 anos, quando eu entrei e em parceria com a dona Emília Chamusca, é que tentamos mexer o partido, mexer a Juventude e tentar conseguir algumas pessoas. Tivemos um crescimento relativo, temos à volta das 40 pessoas. É algo que eu considero ter ficado um bocadinho aquém das minhas expectativas quando entrei, mas atendendo ao quadro em que temos uma JSD que ocupa o espaço da direita, que fez um trabalho de casa excelente e aproveitou bem a ausência do C.D.S. ...

JL- ... que são também vossos parceiros aqui em Lousada...

PM: Exactamente, mas como dizia, aproveitou a ausência do CDS durante anos e anos de vida ativa, contrastando com uma JP muito recente, e com vida ativa também relativamente recente. Começou em 2005 com a Marisa e depois é que se desenvolveu, mas penso que estamos a fazer progressos, e pode ser que na nova geração consigamos entrar com mais força.

entrar é que comecei a ver quais eram as ideologias de base dos dois partidos, e a que mais me agradava era a do CDS. Procurei na altura em que ainda vivia em Penafiel entrar na estrutura da Juventude Popular em Penafiel, depois quando mudei para Lousada ingressei na JP Lousada.

JL- És novo… Como é que te iniciaste na política?Fala um bocadinho de ti a esse nível.

JL - Como é que tem sido o vosso trabalho? O que é que os vossos jovens têm desenvolvido para este concelho? Como analisas o concelho?

PM: Sim, eu sempre me interessei pela política, apesar de só estar na juventude popular há cinco anos, mais ou menos 4/5 anos. Mas sempre, desde miúdo, gostei de ver os debates das legislativas e ver a Assembleia da República. Inicialmente identificava-me como sendo de direita, mas não conhecia bem a noção PSD/CDS. Quando quis

PM: O concelho de Lousada é um concelho que tem evoluído bastante nos últimos anos, em parte devido aos subsídios comunitários que a câmara recebeu. Mas é um concelho que tem problemas que eu considero enormíssimos. Por exemplo, saiu um estudo recentemente da Universidade da Beira Interior que nos diz que estamos nos piores

30 concelhos no que diz respeito ao nível de vida. Em Lousada isto é preocupante. Ou seja, a nossa região já é uma região socioeconomicamente debilitada, uma região com bastante desemprego, das regiões mais iliteradas do país e da Europa. Ainda por cima, ver este estudo é preocupante para o futuro dos jovens. O fator da iliteracia e do desemprego é um fator que me preocupa. Ver que em Lousada os jovens poderão ter de emigrar, mudar de região, ir para Lisboa onde estão grande parte de novas oportunidades é um fator que me preocupa.

JL - A autarquia e alguns concelhos do Vale do Sousa colocaram em causa este estudo… PM: Vi na altura que o estudo foi publicitado, penso eu, pelo jornal O Público. Podem pôr em causa. Pelo que vi na ficha técnica é um


Sexta Feira, 15 de Março de 2013 | Edição n.º 65

fator preocupante. Um estudo pode ser sempre posto em causa, mas é um dado. A Universidade da Beira Interior foi das poucas faculdades que fez este estudo. Logicamente, se fosse a Universidade do Porto, teria outro impacto, mas na ausência de provas é um fator alarmante. Ainda por cima estando uma região inteira e Lousada nos últimos concelhos da nossa região é preocupante. Tem a validade que tem, mas é um indicador de que alguma coisa não está bem.

JL - Poderá ser o ponto de partida para quem possa também tomar conta do concelho nas próximas autárquicas? PM: Sim. Eu espero que sim, espero que o Dr. Leonel Vieira, que considero que vai ser o próximo presidente da Câmara, possa pegar nesse ponto e dizer que a Coligação vai mudá-lo, vai promover o desenvolvimento dos jovens, promover o futuro da população em geral… Ou seja, há condições. Nós estamos a 33 km do Porto e não temos uma rede de saneamento completa, não temos uma rede de abastecimento de água completa, temos os jovens que não têm nas freguesias, nas camadas socioeconomicamente mais desfavorecidas, condições para praticar uma atividade desportiva em condições relativamente agradáveis, ou seja, jogam em campos de terra. São fatores que o Dr. Leonel Vieira já mostrou nos últimos quatro anos que é capaz de mudar, e que conhece a realidade do concelho melhor que o candidato do partido socialista.

JL - Nestes quatro anos o que analisas a nível do concelho? Quais são os setores que estão com problemas? PM: O Dr. Jorge Magalhães, essencialmente, dedicou-se em grande parte à obra de betão, renovar o centro da vila, fazer o complexo desportivo, o novo parque da vila… Se formos a analisar aquilo é mais betão do que área verde, é uma coisa curiosa, deve ser um dos poucos parque s em Portugal e m que te-

mos em zonas semiurbanas ou urbanas mais betão do que área verde. Por exemplo, temos a área do auditório, a parte cultural, que teve um desenvolvimento e acho que isso foi um fator positivo, mas como eu digo, está tudo no centro da vila. O Dr. Jorge Magalhães fez coisas positivas e não nego, mas há muito que pode ser feito. Deixar de apostar tanto no centro da Vila, promover condições para os jovens nas freguesias, porque não são todos os jovens de Lousada que os pais conseguem pagar para os colocar, por exemplo, no complexo desportivo. Se formos a ver os idosos, temos a Santa Casa da Misericórdia, que é iniciativa privada, mas se formos a ver os outros idosos mais desfavorecidos, cujos filhos não têm possibilidades devido às reformas para os porem num lar da Santa Casa… Onde é que estão? Estão em centros de dia com a ajuda de algumas juntas de freguesia, outros de associações culturais e recreativas que a Câmara não quer financiar. Em termos de empresas não vi grandes apoios, nomeadamente nos últimos anos, para a s

empresas se sediarem em

Jornal de Lousada.com 7 Lousada, não vejo grandes iniciativas. Temos uma questão que é bastante falada, a do parque industrial de Caíde à beira da autoestrada, que está congelado porque a câmara se recusa a disponibilizar verbas. Existe um conjunto de fatores de que a Câmara faz muita propaganda, mas que depois morre tudo na praia, porque a Câmara não quer gastar dinheiro e opta por um sectarismo político-partidário. Em algumas juntas nota-se que houve um abandono quando as juntas mudaram para a cor oposta à que está na Câmara.

JL - Sente que estas eleições poderão ser um fim de um ciclo político? Acha que o PSD, neste caso a Coligação, estará preparada para mudar algumas coisas? PM: Sim, considero que sim. O Dr. Leonel Vieira já foi candidato há quatro anos, já tinha uma boa ideia e nos últimos 4 anos fez o seu trabalho de casa. A Coligação foi acompanhando, foi às freguesias… Eu acompanhei muitas destas visitas inicialmente, depois, e devido à vida académica, não consegui acompanhar mas vi as queixas dos dirigentes associativos, as queixas dos presidentes de junta, os problemas que existiam junto das populações. Penso que o Dr. Leonel Vieira teve essa preocupação, ir às 25 freguesias do concelho ver os problemas, porque os problemas de Meinedo são diferentes dos problemas de Cristelos, são diferentes dos problemas de Lodares e de Lustosa, ou seja, somos um concelho não muito grande, mas somos um concelho com bastante diversidade. A Coligação obviamente que se conseguiu preparar por-

que é claro que agora se abre uma porta para a mudança dos títulos e para se fazerem 12 anos de Câmara PSD/CDS, ou quem sabe mais.

JL - Como analisa as pesssoas, a população? Denota que realmente as pessoas pretendem essa mudança? PM: Penso que sim, o sentimento que venho a acompanhar é que nas últimas eleições votaram no Dr. Jorge Magalhães porque era o último mandato, havia aquela ideia “pronto o senhor fez um bom trabalho, acho que não vale a pena mudar, agora vamos-lhe dar mais quatro anos. As pessoas também ganharam algum afeto pelo Dr. Jorge Magalhães. Agora penso que o partido socialista naturalmente vai tentar ligar o candidato ao nome de Jorge Magalhães. Mas penso que a população quer mudança, neste momento, há muita população que não está satisfeita nas freguesias com aquilo que tem sido o trabalho do Partido Socialista.

JL - Como caracteriza Pedro Machado? PM: O Dr. Pedro Machado, para mim, é uma pessoa que na Câmara sempre pareceu relativamente competente no trabalho que fez. Obviamente que está na Câmara, mas para mim não fez o trabalho de base que fez o Dr. Leonel Vieira, não tem o conhecimento que tem da população, daí achar que o Dr. Leonel é melhor candidato. Pareceme que o Dr. Pedro Machado e a restante equipa que acompanha a Câmara são pessoas competentes, profissionais, dentro das possibilidades deles. Comigo, por exemplo, sempre foram bastante educados e temos uma relação excecional. Numa atividade que eu realizei na minha Escola Secundária, eu precisava de um elemento da Juventude Socialista e a Dra. Cristina arranjou-me. Bastante disponível, não tenho razão de queixa. Agora, considero que o Dr. Pedro Machado tem um projeto no qual eu não me revejo, é um projeto pior para Lousada. O Dr. Leonel Vieira tem um projeto mais interessante, mais capaz e que defende melhor os lousadenses.

JL - E a juventude, como é que é a Juventude Popular vai ajudar? De que forma podemos contar com a juventude neste combate político? PM: A juventude


8

Sexta Feira, 15 de Março de 2013 | Edição n.º 65

Jornal de Lousada.com

pode sempre ajudar, ajuda sempre a animar a campanha, é sempre um fator de divulgação, para chegar aos mais jovens, aos novos eleitores, provavelmente é um factor de mais proximidade. Um candidato como o Dr. Leonel Vieira é um candidato que conhece a juventude, um candidato mais próximo da juventude, mas existe sempre aquela distância… E a juventude aí tem um papel importante obviamente. A JSD terá um papel mais visível porque são muitos mais, mas a Juventude Popular também estará lá e estará disponível para trabalhar juntamente com a JSD políticas para a juventude. Eu tenho, quando posso, escrito para alguns jornais daqui da região, tentando partilhar a minha visão. Como temos alguma visibilidade, não tanta como têm os nossos parceiros, tentaremos sempre fazer isso. Na campanha vamos falar com os jovens, começar por colocar cartazes, obviamente que os colaremos, mas se nos convidarem para tentar intervir publicamente também o faremos e não temos problemas com isso. Faremos todo o trabalho em parceria com os nossos colegas mas sempre de forma a tentar mudar a Câmara.

JL - O CDS subiu a nível de eleições nacionais. Sente que essa subida na votação também engrandece a responsabilidade? Tendo em conta que o partido tem uma Coligação de que forma estará o CDS nesta Coligação? PM: Comprometido a cem por cento. Obviamente que nós a nível nacional temos aumentado a nossa prestação, o que é interessante e nos dá ânimo e força para nestas eleições conseguirmos mudar a Câmara, por exemplo. Se o CDS subiu significa que a Coligação também está mais forte e como tal o CDS tem que mostrar isso na campanha aos nossos eleitores, tentar que os nossos eleitores votem no candidato da Coligação, fazer com que a Câmara mude. Não vamos relaxarnos à custa desses resultados, pelo contrário, vamos trabalhar ainda mais para que os resultados das eleições legislativas se reflitam nas eleições autárquicas.

JL - Gostava de ver algum lugar de relevo ocupado por um responsável do CDS aqui em Lousada? PM: Obviamente que gostaria, isso seria…

J.L Acha possível? PM: É assim, não posso, neste momento… Não foi divulgado qual será o lugar ocupado pelo candidato do CDS na lista, como tal não me posso pronunciar sobre esse assunto pois já estaria a deixar indicações. Penso que um dia poderá ser possível, num futuro próximo, poderá ser possível, não digo que será já nestas eleições ou nas próximas, mas penso que será possível um dia o CDS voltar a ter um vereador na

Câmara Municipal de Lousada.

JL - Uma das medidas que vai afetar de alguma forma as próximas eleições autárquicas tem a ver com a reforma administrativa. O seu partido, juntamente com o PSD, acabou por aprovar a mesma com uma não resposta aqui em Lousada. Como caracteriza esta opção? PM: Bem, a reforma administrativa de Lousada, obviamente que não será das melhores, porque as unidades nacionais não conheciam o terreno como conhecem os Lousadenses . Foi um bocadinho à régua e esquadro e menos à sensibilidade. Não os posso culpar, eles estão em Lisboa. Na Assembleia Municipal eu poderia ter feito isso. Na Assembleia Municipal não houve interesse do partido socialista para o diálogo, pelo menos aquilo que foi manifestado pela opinião pública é que não houve interesse, o Partido Socialista era contra, não quis propor uma alternativa, sujeitou-se à alternativa nacional.

JL - E de parte da direita? A Coligação não devia ter feito uma opção? Mesmo que a mesma não fosse aprovada em assembleia… PM: Penso que não… Poderia ter feito, não sei, não conheço quais seriam as vantagens, poderia ter apresentado uma proposta mas a proposta obviamente que seria rejeitada.

JL - Mas pelo menos politicamente, teria efeito, ter sido efetuada uma proposta.

PM: Sim, poderia ter.

JL - Foi um erro político? PM: Não. Considero que havia coisas mais importantes para discutir no âmbito de uma Assembleia Municipal. Em questão de prioridades mais vale discutirmos questões como um orçamento, que são mais importantes, e questões políticas de apoio à juventude, do que estarmos a discutir um projeto que à partida sabíamos que não iria passar, devido ao desinteresse do partido socialista por esta questão.

JL - Mas se é dessa forma poderiam ter-se abstido. Porque é que aprovaram em conjunto com os elementos do partido socialista? PM: Sim, era uma possibilidade.

JL - E está de acordo com esta reforma a nível local? PM: A nível local, reconheço, há pontos que eu alteraria. Eu vi o mapa, vi a reforma e acho que conhecendo Lousada poderia haver uma melhor solução.

JL - Ficamos todos a perder, então? PM: Sim.

JL - Refere que o perfil de Leonel Vieira se adequa à mudança. Porquê? Como o caracteriza? PM: Sim, o Dr. Leonel Vieira, obviamente, também é um candidato honesto, competente e acho que é uma questão fora de discussão. Mas parece-me ser uma pessoa que fez o trabalho de casa, uma pessoa

que trabalhou durante quatro anos, que não ficou a dormir à sombra de um resultado eleitoral que foi considerado positivo. A Coligação conseguiu retirar um vereador ao Partido Socialista, deu início ao que pode ser uma mudança ao longo de quatro anos, fez o trabalho, esteve nas 25 freguesias, esteve próximo da população. Isto, sim, é um perfil de um candidato, um candidato trabalhador, um candidato que conhece a realidade, um candidato que não fica fechado em gabinetes, de um candidato que não é apoiante de uma política de subsidiência dos presidentes de junta das cores opostas, um candidato que quer um compromisso com todos, com toda a população, independentemente da cor política.

JL: Uma das coisas que o candidato também tem é ânsia de poder… PM: A ânsia de poder depende da forma como se define ânsia de poder. Geralmente é considerada uma coisa negativa. Não considero que seja ânsia do poder, acho que é a vontade de implementar as suas ideias, a vontade de mudar Lousada e a vontade de contribuir com o melhor para os lousadenses. Se isto for ânsia de poder, sim, agora a ânsia de poder como a definimos tradicionalmente considero que não.

JL – Está aberto a pertencer pelo menos à Assembleia. Será uma forma de vermos o Pedro realmente a fazer aquilo de que mais gosta? PM: Sim, é uma possibilidade. Os lugares, quando houve acordo, já foram divididos. Agora é uma


Sexta Feira, 15 de Março de 2013 | Edição n.º 65

questão de o Partido Social Democrata escolher os seus candidatos e o CDS escolher os seus candidatos internamente. Estamos a discutir isso, a Juventude Popular com o presidente do Partido. Quando o senhor presidente do Partido decidir que é altura de divulgar, quando decidir comunicar ao Dr. Leonel Vieira e ao Dr. Agostinho Gaspar e a Coligação disser quais são os candidatos, saberão a resposta. Mas sim, se houver essa proposta, estarei disponível para contribuir para o futuro de Lousada.

JL - Referiu que o CDS aqui também ganhou a nível de votação nas últimas votações. É mérito da atual líder? PM: Sem dúvida é mérito. Em termos de intervenções nacionais, temos que atribuir o mérito ao Dr. Paulo Portas, uma figura carismática, que obviamente consegue convencer bastante população, mas também se reflete no aumento da dimensão que o CDS tem tido. Relembremos que, quando a Dona Emília Chamusca entrou em 2009, tivemos cá o Dr. Nuno Melo em eleições europeias, passado um ano, na minha tomada de posse, tivemos cá o Dr. Paulo Portas, ou seja, a Dona Emília tem conseguido contactar com as figuras do Partido, que estão sempre nos nossos eventos. Depois temos todo o trabalho de base, indo falar com os militantes que têm moradas desatualizadas, tentar passar a

palavra, arranjar novos militantes, tem sido feito um trabalho de base que o professor Porfírio, devido a questões de saúde, não conseguiu realizar, e que a Dona Emília Chamusca tem conseguido realizar e bem, com o apoio da Juventude Popular. Eu tenho participado neste trabalho e alguns colegas meus também, e depois temos toda a questão da dimensão da participação na Coligação. Se se lembrarem, anteriormente, até 2009, o CDS em termos de Coligação estava relativamente mais ausente, agora estamos mais presentes. Este ano vamos estar mais presentes do que estavamos há quatro anos atrás e assim sucessivamente. E o mérito do aumento da dimensão do CDS em grande parte deve-se à Dona Emília Chamusca.

JL - O nível de popularidade do governo neste momento não é dos melhores. Os resultados eleitorais nas autárquicas poderão ser prejudicados por causa disso? PM: Obviamente que eu não vou negar que o fator nacional tem importância, tem muita importância. Naturalmente a população que não conheça o perfil dos candidatos e não conheça as ideias, obviamente, vai associar o nome aos partidos que estão no governo, que têm de tomar decisões difíceis, têm executado políticas de um memorando assinado pelo PS, PSD e CDS. Obviamente que, neste aspecto, o partido socialista neste momento

Jornal de Lousada.com 9

tem uma vantagem, mas se formos analisar o historial, o Partido Socialista passou por pontos baixos de popularidade, e a Câmara manteve-se sempre no Partido Socialista. Penso que as pessoas aqui em Lousada são capazes de distinguir o PSD em termos nacionais do candidato do PSD/CDS, que é o Dr. Leonel Vieira.

JL - O PSD acusa o excesso de dívida por parte da autarquia lousadense. Pelo contrário, a autarquia lousadense refere que apenas existe uma dívida líquida de 7 milhões de euros. Sendo um aluno de economia, como é que se consegue perceber estas diferenças? PM: Não. É muito simples. A questão referida pela Coligação é que, olhando para o orçamento a Câmara em termos de receitas, esta tem perdido, como têm perdido bastantes Câmaras. E depois temos um aumento das despesas, o que faz com que não haja manobra para obras futuras. E temos as dívidas que têm acumulado. As diferenças, isso aí depende se considerarmos dívidas de curta duração, longa duração… O que eu considero neste momento importante referir é que a nossa Câmara vai entrar numa situação financeira grave no futuro se continuar esta tendência do aumento da despesa, de obras megalómanas, como o Complexo Desportivo, que neste momento a manutenção daquilo é algo praticamente insustentável. Com a que-

da das receitas para realizar obra futura, a Câmara vai ficar sem dinheiro disponível, vai ter que entrar num ciclo vicioso do aumento de dívida, isso é preocupante. Nesse aspeto a Coligação tem referido que a Câmara no futuro poderá entrar numa situação de completa insustentabilidade financeira. O Partido Socialista diz que são só 7 milhões de dívida em termos líquidos. No meu ponto de vista pessoal, acho que as câmaras deviam ter dívidas sim, mas nunca deveria ser uma dívida dessa dimensão. As Câmaras deveriam tentar usar os seus recursos, tentar capitalizar as suas receitas com uma gestão eficiente. Dou um exemplo, que é as Câmaras em coligação, como é a Câmara do Porto, ou como as câmaras do CDS, como a Câmara de Ponte de Lima, que têm uma gestão financeira interessante. A Câmara de Ponte de Lima, neste momento, tem dinheiro de reserva colocado em bancos, superior ao passivo que a própria câmara tem. Na Câmara de Lousada, neste momento, segundo o que a Coligação afirma e aquilo que nos é apresentado, isso não acontece. É uma situação preocupante.

Elisabete Leal / André Moreira

elisabeteleal@jornaldelousada.com andremoreira@jornaldelousada.com


10

Sexta Feira, 15 de Março de 2013 | Edição n.º 65

Jornal de Lousada.com

Alunos dos cursos de Multimédia são professores por um dia

André Moreira

andremoreira@jornaldelousada.com

O

s alunos do 10º e 11º MM da Escola Secundária de Lousada tiveram, no passado dia 28 de fevereiro, um papel um pouco diferente daquele a que estão habituados enquanto estudantes. As duas turmas do curso profissional de Multimédia da escola sede do Agrupamento de Escolas de Lousada organizaram pela primeira vez as Jornadas de Multimédia. A iniciativa incluiu, ao longo do dia, a realização de palestras com ex-alunos da Escola Secundária de Lousada já inseridos no mercado de trabalho, ou que de alguma forma estão envolvidos com a área do design e da multimédia, e ainda Workshops de Photoshop e Flash e demonstrações de fotografia, vídeo e som, completamente administrados pelos alunos do 11º ano do Curso Profissional Técnico de Multimédia. Nas paredes da Escola, podiam também ser vistas algumas exposições com trabalhos dos próprios. O alvo foram os alunos do 9º ano da própria escola e ainda da E.B. 2/3 de Lousada. Segundo o coordenador dos cursos profissionais da escola, o professor Paulo Monteiro, que com o seu colega Sérgio Fernandes impulsio-

nou estas jornadas, a ideia surgiu essencialmente da vontade em divulgar o curso, daí os convidados serem os alunos do 9º ano. Como referiu também um dos alunos do 11º MM, Luís Santos, “no final do ano letivo os alunos do 9º ano terão de escolher uma área ou um curso para seguir no ensino secundário, então propusemo-nos mostrar o nosso curso a ver se alguns deles o escolhem”. “Esperemos para o ano ter já três turmas no curso profissional de multimédia”, disse o professor Paulo Monteiro, em jeito de desejo. Com a certeza de que irão existir as turmas do 11º e 12º ano, falta apenas a do 10º, o que não será difícil. Segundo o professor, os cursos profissionais têm ganhado cada vez mais “adeptos” e já existe uma grande parte de alunos a inscreverem-se por vontade própria, dissipando-se aquela ideia de que estas turmas são aquelas com alunos com problemas sociais ou financeiros e que são “mandados” para lá. Quanto aos atuais alunos do curso profissional de multimédia, o professor Paulo Monteiro considera que eles “retiraram destas jornadas uma grande aprendizagem, porque

estiveram muitos dias envolvidos na sua organização e toda a dinâmica que lhes foi exigida é muito importante”. Ao longo dos vários espaços onde decorreram estas jornadas, nomeadamente o Auditório, com as palestras, as salas de aula, com os Workshops e as demonstrações, e até os corredores, com as exposições, pudemos ver o entusiasmo e a dinâmica com que estes alunos do curso profissional trabalhavam. Os mais velhos, do 11º ano, foram os

responsáveis por ensinar os convidados a fazerem algumas habilidades no Photoshop, no Flash, vídeo, som e fotografia. Já os mais novos, os do 10º ano, trataram da logística. Em todos os lugares, podíamos ver alunos rigorosamente equipados, a tirar fotografias, a filmar as palestras, a controlar o som dos microfones dos oradores, a acompanhar as trocas de sala pelos alunos do 9º ano, entre muitas outras coisas. De facto, algo bem diferente de estar atrás numa secretária a ouvir o professor.

Sérgio Fernandes e Paulo Monteiro


Sexta Feira, 15 de Março de 2013 | Edição n.º 65

Jornal de Lousada.com 11

Mas afinal o que estavam os alunos a ensinar?

Para ens ina aprende r, tiveram de r, e dem conversa , confi ons aprendiz agem fo trar essa “Este curso valeaante, dizendo o seguin te: i pr pena”. mente o utro dos ecisaV íd e o objetivo destas J s ornadas .

Photosh

op

Num dos Workshop s apaixona do pela m estava Luís Santo s, úsica des anos, de de os 13 tal cia à part modo que a sua preferênida para este curso era o som. A té q conheceu a imagem ue… . “Quando vim curso com para este ecei a ap erfeiçoar o meu trab alho em imag em a fazer ca e comecei rtazes, lo gótipos, etc . Daí, gan hei o vício”, diss precisam e. E foi ente mos trar como faz e r cartaze logótipos, flyers e o s, utros tratamen tos de im agem um dos o bjetivos d o evento .

Flash

Numa sa la de aula a a fazer a lgumas co o lado, aprendia-s e isas em F software lash grá para faze fico serve essenc . Este ialmente r an Ricardo F imações 2D, diss e-nos onseca, u m dos “té responsá cnicos” veis pelo Workshop . Aqui, os alunos fiz eram alg uns bonecos só com “ tracinhos” e co locaram dançar. R icardo de -nos a ixou aind a dica: “N a o Youtub e, por exemplo, podemos e muitas a nimações ncontrar em Flash Um jogo . mu feito com ito conhecido, o recurso ao Flash, por exem é plo o Cou nter Strik e”. F

Finalmen te, de som já e porque as dem onstraçõe ti s ao vídeo. nham terminado, chegamo Esta terá s sido com sala de a certeza a ula mais animada Primeiro, das jorna foram m das. ostr e depois houve até ados alguns víde os re mente co alização, m a grav ação de u nomeadam vídeo a dança v com iral do m omento, o

Harlem S hak de uma v e; e depois com as iagem de montanh imulação Como se a russa. fez isso? O aluno M responde iguel Neto u-n Chroma K os que é através do efeito ey, que co nsiste na de algo co gravação m um fu ndo verde po r

otografia

Bruna Ma rques era n sora” de fotografia este dia a “profes. “O obje estes alu tivo é faz nos (9º a er no) assunto” disse a ta entenderem este mbém alu lha. E o a na ssu o que é a nto qual é? “Prim mais veeiro, sabe fotografia r , balhar co m uma m saber mexer e tra áquina fo explicou-n tog os a Brun a, que te ráfica”, rminou e sta

exemplo no progra e, substituiç ão desse ma de edição, a verde pe da monta la im nh Maria Re a russa em movim agem is, uma d ento. as a jornadas essenciais lunas, achou esta s para a so e para ap cialização render a trabalhar pessoas. com outr Já o Luís as Xav e assegu rou que o ier viu o outro la do s alunos gostaram do 9 imenso d e lá estar. º ano

Em Breve na


12

Sexta Feira, 15 de Março de 2013 | Edição n.º 65

Jornal de Lousada.com

Em Breve na

Miss Sénior de Lousada é uma jovem de 80 anos

M

aria da Graça Cunha é a Miss Sénior de Lousada 2013. A senhora de 80 anos, a representar a Universidade Sénior de Lousada – USALOU, venceu a segunda edição do desfile de pessoas com mais de 60 anos, realizado pela segunda vez no Concelho. O concurso deste ano contou com uma novidade, que foi a eleição do também Mister Sénior. João Teixeira, 67 anos, de Cristelos, foi o vencedor. No desfile foram eleitas também, como é habitual, a Miss Fotogenia e a Miss Simpatia, respetivamente, Celeste Pereira, de Lustosa, de 62 anos, e Rosa Pereira, de Silvares, com 82 anos. Este concurso, que muito sucesso

obteve em 2012, foi mais uma vez mais organizado pelas criadoras do conceito, Adelina Vieira e Sílvia Meireles, em colaboração com a Câmara Municipal de Lousada e a empresa Pedestal d’Ideias. Segundo as organizadoras, a boa experiência da primeira edição fez a vontade de realizar este segundo desfile, que foi de todo idêntico ao do ano anterior, com a exceção da introdução da eleição do Mister Sénior. A novidade surgiu pelo facto de “no ano anterior os homens dos Movimentos Sénior se terem sentido colocados de parte”, revelou Adelina Vieira. Diferente foi também o grupo, que por apresentar uma média de idades superior à do ano transato, lhes criou algumas dificuldades devido às condicio-

nantes físicas. Ainda assim, para as duas organizadoras de eventos, o problema maior continua a ser a resistência por parte dos responsáveis pelos Movimentos e alguns familiares dos idosos, em deixar que estes fiquem expostos desta maneira. “Houve inclusive um casting no Espaço AJE para recebermos participantes de freguesias sem Movimento Sénior ou outro espaço para idosos e ninguém apareceu, talvez pela falta de divulgação também”, confessou Sílvia Meireles. Apesar de tudo, para as jovens, o resultado foi bastante positivo. Também os concorrentes adoram participar na iniciativa. Maria da Graça Cunha estava radiante no final do concurso. “Estou muito contente, não estava à espera de ven-

cer. Entrei nisto pela brincadeira, se calhar escolheram-me pela minha idade”, disse a senhora, que conta 80 anos. Celeste Pereira, a Miss Fotogenia, acredita que conquistou o galardão por ter demonstrado muita simpatia. Também ela estava muito contente no final, revelando que gostou muito da brincadeira, “com muitos amigos e muita cultura”. Para a Miss Simpatia, Rosa Pereira, esta foi a primeira vez que pisou um palco e, por isso, a felicidade era muita. A representante da freguesia de Silvares considera que estes eventos são muito bons “para que as pessoas se divirtam um bocadinho e não estejam sempre em casa”.


Sexta Feira, 15 de Março de 2013 | Edição n.º 65

Jornal de Lousada.com 13

A Prova de Roupa... O Passeio... Concurso conquista também os homens Muito animado estava também o senhor João, que se revelou muito feliz por ter conquistado o título, mas acima de tudo por ter participado e por ter passado a mensagem de que a vida continua, mesmo depois da idade da reforma. O participante de Cristelos é, aliás, o melhor exemplo disso mesmo. Aos 67 anos, João Teixeira faz parte da Tuna da USALOU, canta e toca em três grupos corais, acompanha fadistas com a sua guitarra e pertence ainda ao Movimento Sénior e ao Movimento Vicentino de Cristelos. Também a Vereadora da Acção Social da Câmara Municipal de Lousada destacou a importância da iniciativa dizendo que esta “tem um significado de extrema importância para estas pessoas que concorrem. Quem acompanhou estas pessoas entende que a diversão, o convívio e a autoestima são fundamentais para que os seniores sejam felizes”. Para além dos vencedores deste desfile, participaram também Elvira Cunha Reis, de Cristelos, 93 anos; Maria Couto Reis, Meinedo, 94 anos; Vitorino Moreira, Meinedo, 89 anos; Maria do Céu Moreira, Vilar do Torno e Alentém, 75 anos; Laura Siva, Nespereira, 63 anos; Martinho Moreira, Nespereira, 79 anos; Emília Fonseca, Boim, 72 anos; Jacinto Coelho, Lustosa, 71 anos; Maria Rosa Costa, Macieira, 63 anos; Albino Ferreira, Macieira, 72 ano e Maria da Conceição Lanhoso, de Nogueira, da qual não temos conhecimento da idade. O objetivo deste concurso, nos próximos anos, passa por ter um representante da cada uma das 25 freguesias do concelho de Lousada no desfile. A apresentação do evento esteve a cargo de Ana Emme e a animação foi garantida pela Fanfarra de Boim, pela Tuna da USALOU e pelo Grupo popular SAL, de Meinedo.

André Moreira

andremoreira@jornaldelousada.com

PUB.

AGÊNCIA DE SEGUROS LOUSADA Seguros - Créditos

Hélder Magalhães tlm: 916 878 076

Promotor cgd

Seguros ( Automovéis, Multirriscos, Habitações) Multirriscos Negócios ( Indústria, Comércio, etc) Acidentes de trabalho Acidentes Pessoais Responsabilidade Civil ( Familiar, Indústria, Comércio) Seguros de Saúde Seguros de Vida Seguros Capitalização Créditos ( Pessoais, habitações)

Av. Combatentes da Grande Guerra, N.º 372 • Cristelos - 4620-141 LOUSADA Tel./Fax: 255 821 316 • E-mail: heldermagalhaes@iol.pt


14

Jornal de Lousada.com

Sexta Feira, 15 de Março de 2013 | Edição n.º 65

Agitarte

leva a arte aos jovens

Em Des


Sexta Feira, 15 de Março de 2013 | Edição n.º 65

staque

Jornal de Lousada.com 15

Em Breve na

No passado dia 8 de março, realizou-se, pelo segundo ano consecutivo, o espectáculo Agitarte. Foi com o Auditório Municipal lotado que se assistiu a um espectáculo de apoio a este projeto inovador e que esta semana tem lugar de destaque no Jornal de Lousada.


16

Sexta Feira, 15 de Março de 2013 | Edição n.º 65

Jornal de Lousada.com

O que é o AGITARTE? A ideia do Agitarte nasceu no âmbito profissional, dado que a maior parte dos seus elementos já trabalhava na intervenção social, especialmente com jovens no período de férias . E foi neste contexto que, de forma espontânea, surgiram projetos artísticos. “Por isso, decidimos que seria muito interessante criar um projeto que envolvesse o máximo de jovens possível que trabalhassem a intervenção social junto com a arte, no sentido que a arte altere a intervenção social e a intervenção social se altere com a arte, e o mais importante é que os miúdos tenham acesso à arte e cultura, que em condições normais dificilmente têm”, disse Anabela Peixoto, responsável pelo projeto. E foi assim que os técnicos de intervenção social, em colaboração com os jovens que já trabalhavam com eles, fizeram nascer este projeto, associando-se também a alguns artistas. Assim nasceu um grupo de cidadãos que, para além do horário de trabalho, se propõe trabalhar as dimensões da arte e da juventude, tendo como base a intervenção social.

Projecto pertence à associação Ao Encontro das Raízes Para Anabela Peixoto, o projeto é importante para a Associação mas também para a comunidade em geral: “Estamos a trabalhar em prol da comunidade, com os jovens aqui do bairro mas não só , também de outras freguesias”. O projeto Agitarte tem várias dimensões, sendo uma delas no âmbito do Conservatório,como é exemplo a atividade que os meninos apresentaram no dia 8 de março. Nesta vertente, participam 10 jovens. Já no workshop de teatro são aproximadamente 12, “ mas poderão não ser necessariamente os mesmos”, esclarece Anabela. Outras atividades mais lúdicas conseguem abranger mais jovens, mas “não temos, um número certo, depende da disponibilidade de cada um e dos recursos”, rematou. O grande problema é o transporte: “Por exemplo, no conservatório, ainda conseguimos que venham mais jovens da vila porque a ACIP, que também trabalha com estes jovens, faz o transporte. Mas esse é o nosso grande problema, precisamos desse recurso”, lamentou Anabela Peixoto. Sobre as formalidades que envolveram a gestação do projeto, Anabela Peixoto esclareceu que “numa fase inicial este grupo - AGITARTE - era para ser uma associação devidamente formalizada, mas, sem dinheiro nenhum, achamos que seria

Ana Gonçalves, Maria João, Anabela Peixoto

demasiado ambicioso começar enquanto associação, por isso consideramos mais legítimo encontrar uma entidade que desse suporte legal a este projeto (Associação Ao Encontro das Raízes), dado que, por coincidência, alguns dos convidados para fazerem parte deste grupo também foram convidados para fazer parte da direção da Associação e por isso seria lógico que estivéssemos juntos. Também era muito difícil darem contributo nos dois lados e conjugou-se assim estas duas questões, por um lado as questões logísticas e financeiras e por outro lado esta questão de disponibilidade, dado que pelo menos 3 elementos do grupo da AGITARTE faziam parte dos órgãos de gestão da associação Ao Encontro das Raízes”. Para Anabela Peixoto, Ao Encontro das Raízes “é uma associação que tem toda a legitimidade, por quem nós temos muito respeito. Aliás eu tenho um respeito muito especial por esta associação porque eu comecei a minha vida profissional aqui, foi aqui que dei os meus primeiros passos, por isso eu tenho aqui uma perninha muito grande e algumas das colegas também já trabalharam aqui. A associação tem-nos dado a nós AGITARTE apoios, como transporte e cedência das instalações, porque é preciso trabalhar mas precisávamos de um espaço para isso”, disse.

AGITARTE pode chegar a todo o Concelho Dependendo dos recursos e da disponibilidade, para Ana Magalhães, técnica de intervenção social, desempregada, mas a colaborar no

projeto, o objetivo é englobar todo o concelho. “As crianças podem vir de qualquer lado, se tivermos forma de os fazer chegar onde nós estivermos nós também as aceitamos”, garantiu. Como tem sido trabalhar com estes jovens? Como são são estes meninos?, foram as perguntas que dirigimos a Ana Magalhães. A profissional foi perentória: “É espetacular trabalhar com eles, porque são crianças que muitas das vezes têm capacidades e se calhar não são aproveitadas da melhor maneira. No dia a dia, não se sabe ver essas capacidades que eles têm e durante este projeto nós temos possibilidade de trabalhar com eles no conservatório, no workshop de teatro, entre outras atividades…”. Acrescentou que as crianças a surpreendem todos os dias, “ a mim e a toda a gente, pois muitas pessoas que não os conhecem a trabalhar desta maneira e que os viram na sexta a fazer a tal peça ficaram maravilhados”, disse. A sexta-feira foi, aliás, dia de muitas alegrias para quem trabalha com estas crianças. Anabela Peixoto falounos das suas emoções: “Eu babei-me toda com os meninos, acho que foram excelentes. Sinto muito orgulho de nós e dos nossos meninos, sinto que toda a comunidade se veio envolver com o projeto, e sinto que estamos a crescer com a comunidade, não é um projeto autista”, disse, visivelmente satisfeita. Em relação ao ano passado, verificou-se um crescimento no número de pessoas e instituições que se juntaram ao projeto. “Vieram muito mais pessoas ao espetáculo e

quando vêm estão a ajudar-nos porque é um espetáculo de beneficência. Por outro lado, temos a vossa colaboração, Pedestal d’Ideias, que foram um parceiro excepcional, entre outros, como a ROX, a Padaria de Macieira, até uma pessoa individual, a costureira, a dona Lúcia Marques, que fez a roupa para os miúdos... “, afirmou, concluindo que estes parceiros vão continuar a caminhar com a Agitarte. Lembrou ainda todos aqueles que atuaram: “Por exemplo, a animadora responsável pelo grupo de dança As Nogueirenses veio-nos dizer que quando precisássemos dela estava disponível, até para trabalhar com os miúdos… É um sinal de que estamos a crescer e estamos a crescer acompanhados, faz-nos acreditar que estamos no caminho certo”, concluiu. Também para Maria João, da direção da associação Ao Encontro das Raízes, o caminho trilhado é o correto. “A Associação, ao abraçar este projeto sabe que não só é bom para a associação, é-o muito mais para os jovens, pois muitos deles também não teriam a oportunidade por exemplo de trabalhar estas questões, nome-


Sexta Feira, 15 de Março de 2013 | Edição n.º 65

adamente as aulas no conservatório ou o workshop de teatro”, afirmou.

Projetos a curto prazo Questionada sobre os projetos futuros, Anabela Peixoto esclareceu que existem duas dimensões: “Nós temos duas dimensões, uma de trabalhar com os jovens e outra de arranjar financiamento. Nós também queremos que as fontes de financiamento sejam ligadas à cultura e queremos também trazer mais cultura para o concelho, o que significa trazer mais cultura para estes jovens”, esclareceu. Assim, revelou-nos os grandes eventos a realizar proximamente, com destaque para o Festival Internacional de Jazz, nos dias de 4 a 7 de julho, em parceria com o conservatório do Vale do Sousa e a CM de Lousada.

Apoios precisam-se Para conseguir continuar o trabalho nesta área, Anabela Peixoto assegurou que estão a tentar encontrar patrocínios e a vender espetáculos. “Nós temos estas duas vertentes e as dificuldades serão muitas, vamos começar na próxima segunda-feira a angariar patrocinadores que nos financiem”, revelou. Os dinamizadores contam também com a colaboração da Autarquia, “mesmo não tendo nada garantido. É assim pelo menos queremos este ano não ter prejuízo, porque não temos dinheiro para pagar. Temos é que angariar dinheiro, por isso a venda de bilhetes para o espectáculo que vamos realizar será uma ajuda”, revelou. Mesmo em tempo de crise, Anabela Peixoto acredita que as pessoas querem continuar a ter vida cultural, mas “claro que tem de ser acessível, portanto queremos encontrar espetáculos que tenham qualidade mas que também sejam acessíveis para o grande público, para que toda a gente tenha acesso, e essa é a nossa grande estratégia”. A Autarquia tem dado apoio logístico no que diz respeito às instalações:” Nós vamos trazer cá os jovens da Escola Profissional da Branca, vamos trazer a orquestra deles e isso significa ter de arranjar alojamento e transporte para eles e aí teremos o apoio

Jornal de Lousada.com 17

da Autarquia”, contou-nos, acrescentando que “também é possível ter algum financiamento em dinheiro , mas ainda não esta nada prometido”.

JL (Jornal de Lousada): Daqui por um ano, o que é que vocês gostavam que fosse a Agitarte? Ana Magalhães (AM): Gostar , gostar... eu gostava de estar aqui a trabalhar e, claro, já ter bastantes atividades realizadas e para realizar e ter bastantes jovens a trabalhar connosco. Maria João (MJ): No fundo, também é isso, é aumentar o nosso número de jovens, trabalhar para eles e ter mais jovens connosco. Anabela Peixoto (AP): É isso também, é que a Dra. Ana trabalhe connosco, é bom para ela porque tem emprego e é bom para nós porque temos sustentabilidade financeira. Para nós é muito importante porque para conseguirmos continuar este projeto é importante termos sustentabilidade financeira e aqui apelo a toda a gente que colabore connosco. No próximo ano, temos o Festival da Juventude, temos o Festival de Bandas Pop, que continuam e que garantem esta sustentabilidade. Que com este espetáculo e outros consigamos abranger o mais número de jovens e que isto seja a mudança para cada um deles, porque se for para cada um deles será para muitas pessoas, para os filhos deles e vai ser para muita gente.

JL: Como é possível outras crianças aderirem? AP: Se calhar, neste momento a melhor forma é contatar a Associação Ao Encontro de Raízes na pessoa da Dra. Ana Magalhães.

JL: E serão logo aceites? AP: À priori, sim, só temos de ver as condições logísticas, não recusamos ninguém. O projeto tem como grande objetivo trabalhar a questão da inclusão social pela arte, mas também o contacto com outra pessoas. Ter experiências e vivências diferentes, romper determinadas situações... só acontece quando as pessoas conhecem outros universos. Se nós não lhes dermos essa oportunidade, ninguém pode alterar o seu percurso de vida, aquele que já está “pré destinado”, nada está per destinado como é logico mas as pessoas so podem mudar uma caminho quando conhecerem outros caminhos e isso é o que nos queremos fazer. E achamos que a arte é a forma mais interessante e mais envolvente de fazer este caminho e pronto foi por isso que nos escolhemos este projeto, a AGITARTE.

Carla e Ricardo

Ricardo é um dos jovens a frequentar as atividades proporcionadas pelo Agitarte. JL: Ricardo, o que achas do Agitarte? Ricardo (R): É fixe. JL: O que fazes aqui? Ao final do dia, quais são as tuas atividades?

que já aprendeste. C: O grupo Agitarte trouxe-me várias alegrias, aprendizagens, notícias sobre a música, sobre o teatro. JL: Antes de conheceres este projeto, tinhas acesso a essas coisas? C: Não.

R: Ainda vou começar amanhã.

JL: E pensavas algum dia vir a aprender isto?

JL: E o que esperas fazer amanhã?

C: Nunca

R: Eu penso que vamos trabalhar em peças de teatro, música…

JL: Então, é bom estar no Agitarte?

JL: Estás com curiosidade? R: Muita. JL: O que gostas mais? Música, cinema… R: Cinema. JL: Gostavas de ser um ator, do tipo dos «Morangos com Açúcar»? R: Sim. Nós estamos a ter um workshop de teatro aos sábados. JL: O que aprendeste lá? R: Exercícios de aquecimento. Carla é também uma jovem que integra o projeto. Para além da mensagem na leu no espetáculo, uma das atividades que desenvolve é na Feira de Velharias, onde tenta vender os seus produtos e divulgar o Agitarte. JL: Olá, Carla, como te saíste no discurso? Carla (C): Assim assim, foi fixe. JL: Estavas nervosa? Não houve nenhum problema? C: Não houve nenhum problema. JL: Gostas de frequentar as atividades do Agitarte? C: Gosto. JL: Explica-me por palavras tuas o

C: É... JL: Tu queres ser o quê? C: Sei lá... JL: Mas vês-te mais como cantora, actriz, música… O que gostaste mais destes workshops? C: Foi de falar bastante. JL: Então, queres mesmo ser política… C: Não, quero representar sempre bem o grupo para toda a gente nos conhecer melhor, para juntar mais gente e para nos ajudarem. JL: Já agora, os teus amigos... C: São porreiros e ajudam-se uns aos outros, estamos sempre a brincar. Às vezes há uma confusão ou outra mas sempre amigos. JL: Como é que tu fazes para vender todas na Feira das velharias? C: Faço assim: vou falar com a pessoa com uma atitude boa, cumprimentá-la, falar um bocadinho do grupo, mostrar os preços e fazer como se fosse a minha mãe, ou seja, começo “a chorar” e a dizer “dá-me aquilo”... Peço também para as pessoas passarem pela feira para conhecerem o grupo ou para passarem pelo Facebook, colocarem lá Agitarte e fazerem um pedido de amizade, que depois nós aceitamos.


18

Sexta Feira, 15 de Março de 2013 | Edição n.º 65

Jornal de Lousada.com

Sociedade

O melhor café nacional, gastronomia e a oferta cultural de Lousada em destaque na Bolsa de Turismo de Lisboa

O

Concelho de Lousada esteve mais uma vez representado a nível cultural e económico na Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL). Esta deslocação à FIL (Feira Internacional de Lisboa) contou com a presença do Jornal de Lousada e da Lousada TV, que acompanharam passo a passo esta viagem do passado dia 1 de março. Num espaço criado com o intuito de fazer todos os convidados pro-

No espaço reservado à entidade Turismo Porto e Norte, Lousada, juntamente com os outros 82 concelhos que integram esta região, conseguiu desta forma uma visibilidade que atingiu repercussões de nível nacional, aspeto relevado pela vereadora da Câmara Municipal de Lousada Cristina Moreira, que referiu que “Lousada está presente desde 2006 na BTL, mas desta forma consegue uma visibilidade maior, porque é um palco maior.

A Fadista Melanie dos Santos

varem e viajarem por Portugal inteiro, Lousada não perdeu a oportunidade de dinamizar o concelho e dar a conhecer algumas das suas muitas riquezas. O Vinho Verde, os produtos gastronómicos e até a oferta cultural do concelho, com uma atuação da fadista Melanie, estiveram em destaque naquela que é a maior feira do turismo nacional. No mesmo dia, houve também tempo para estreias, como é o caso do lançamento do café de cravo e camélia. Uma criação que surgiu das mãos do lousadense José Cardoso, vencedor do primeiro Campeonato de Baristas, realizado em Portugal no ano 2009.

Temos muitas ajudas, pessoas profissionais, mesmo em questões de marketing e comunicação, que permitem que estes produtos possam estar em todas as televisões, rádios e jornais do nosso país.” Júlio Meirinhos, vice-presidente da entidade Porto e Norte, também esteve presente e não deixou de provar algumas das iguarias apresentadas, destacando a novidade do café, produto do qual teve conhecimento através da Vereadora e que, tal como outros apresentados noutras alturas, o surpreendeu pela positiva. “Esta terra impressiona-me cada

vez mais, é estupendo. Lousada é um bom concelho para se visitar, é um local onde há sempre novidades de qualquer espécie, não só por iniciativas ao nível da juventude, mas também o dinamismo, a simpatia, a gastronomia, os vinhos produzidos fazem uma imagem de marca de Lousada”, confessou Júlio Meirinhos. A inclusão dos produtos lousadenses no stand da entidade Por-

Fotografia de grupo com os Vereadores da Câmara


Sexta Feira, 15 de Março de 2013 | Edição n.º 65

Jornal de Lousada.com 19

Barista José Cardoso

Café de Cravo e Camélia

to e Norte foi uma mais-valia para o Concelho, “num palco onde se contaram mais de 200 atividades, onde há sempre uma animação constante”, referiu o vice-presidente, que acrescentou ainda: “As iniciativas feitas em Lousada são tão bem embaladas que as vendemos no mundo com toda a facilidade”. Meta de um milhão de visitantes da BTL ultrapassada A 25ª edição da BTL contou, segundo a sua diretora, Fátima Vila Maior, com a presença de 950 empresas, entre elas, 140 novas e a estreia de mercados como o dos Estados Municipal de Lousada, juntamente com Júlio Meirinho, vice-presidente da entidade Porto e Norte

Unidos e da ilha Espanhola de Formentera. Tudo isto, apesar da redução do espaço da feira de quatro para três pavilhões. Com 65.000 visitantes, a edição de 2013 representou ainda o alcance da meta a que a organização se tinha proposto este ano, atingir o milhão de visitantes desde o primeiro ano em que se realizou a Bolsa de Turismo de Lisboa.

André Moreira

andremoreira@jornaldelousada.com


20

Sexta Feira, 15 de Março de 2013 | Edição n.º 65

Jornal de Lousada.com

Vale do Sousa

Dia Municipal do Bombeiro assinalado em Penafiel O Dia Municipal do Bombeiro, em Penafiel, foi instituído pela Câmara Municipal, em Março de 2002, com o objetivo de prestar homenagem a todos os Bombeiros e Corporações do Concelho de Penafiel, tendo para o efeito sido escolhido o dia 10 de Março. Assim, celebrou Penafiel no passado Domingo, o Dia Municipal do Bombeiro, com um desfile apeado e motorizado, entre o Campo de Torres Novas e a Praça Municipal, com a participação dos Bombeiros de Penafiel, Entre-os-Rios e Paço de Sousa, numa iniciativa integrada na programação das comemorações do 3 de Março. Para Antonino de Sousa, Vice-pre-

sidente da Câmara Municipal de Penafiel, “Neste dia dedicado aos nossos Bombeiros, foi com muito orgulho que assistimos ao desfile apeado e motorizado dos Bombeiros do Concelho de Penafiel, um exercício que demonstrou e reforçou a prontidão dos nossos Bombeiros, a forma generosa com que se entregam ao voluntariado e a sua grande qualidade técnica. Ao instituir este dia, quisemos prestar a devida homenagem a todos os Penafidelenses que se dedicam a esta causa nobre e voluntária. A Câmara Municipal de Penafiel vai continuar a apoiar as nossas corporações de Bombeiros e os nossos Bombeiros e Bombeiras, de forma a reforçar e manter a qualidade do apoio ao socorro, no Concelho de Penafiel.”

Diego Maradona Aceitou Convite De Paredes Para Integrar A 2ª Edição Do Duets | Art On Chairs Depois de Cristiano Ronaldo e José Mourinho, segunda edição do projeto promovido pelo Município de Paredes para promover a indústria de mobiliário local vai contar com uma cadeira inspirada no antigo internacional argentino O resultado deste encontro materializou-se em 11 cadeiras únicas e surpreendentes, todas elas produzidas por empresas de mobiliário de Paredes, que traduzem o património cultural e a experiência de vida, quer da personalidade convidada, quer do designer que a interpretou. Além do próprio presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, participaram na primeira edição do Duets personalidades de quadrantes tão diversos como José Ramos -Horta, Luciano Benetton, Eduardo Souto Moura,Manoel de Oliveira, Mariza,Mia Couto, Maria Bethânia, além de José Mourinho e Cristiano Ronaldo.

Considerado um dos melhores futebolistas de todos os tempos, Diego Maradona é a primeira personalidade confirmada para a segunda edição do Duets, iniciativa promovida pelo Município de Paredes no âmbito da exposição internacional Art on Chairs, cuja primeira edição decorreu entre os dias 14 de setembro a 18 de novembro de 2012.

Com o objetivo de promover e valorizar a indústria de mobiliário local, o projeto Duets superou todas as expetativas logo no seu ano de estreia, juntando 11 personalidades representativas da sociedade contemporânea a 11 prestigiados designers, nacionais e internacionais.

Preparando já uma segunda edição desta original iniciativa, o Município de Paredes renova desde já a ambição de tornar o Duets ainda mais internacional em 2014, como aliás fica vincado com o convite formulado à primeira personalidade, precisamente Diego Maradona. “É uma personalidade incontornável do desporto mundial, sendo para muitos o maior futebolista de

todos os tempos. Foi o meu ídolo de juventude e só posso estar orgulhoso de o trazer a Paredes para promover a nossa indústria de mobiliário que tanto precisa de apoios para a sua internacionalização”, explica Celso Ferreira, presidente do Município de Paredes, que esta segunda-feira jantou em Paredes com o internacional argentino, num encontro mediado pelo empresário português Jorge Mendes. “Apresentei-lhe o projeto, a nossa metodologia de trabalho e os seus objetivos humanitários, já que cada cadeira do Duets voltará a ser leiloada a favor do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR). Ficou de tal forma surpreendido com o âmbito e o alcance desta iniciativa que aceitou logo integrar esta segunda edição. Juntamente com a ESAD, que voltará a ser nossa parceira em 2014, vamos agora escolher o designer que melhor poderá homenagear o génio e a personalidade de Maradona”, completou Celso Ferreira, renovando a ambição de revitalizar e modernizar a indústria de mobiliário local através do design e da criatividade.


Sexta Feira, 15 de Março de 2013 | Edição n.º 65

Desporto

Jornal de Lousada.com 21

Desporto assegura coesão social André Moreira

andremoreira@jornaldelousada.com

O segundo encontro do projeto “M.A.T.C.H. – Migration and Sports”, organizado pela União Europeia no âmbito do Programa “Aprendizagem ao Longo da Vida”, realizouse em Lousada nos dias 12 e 13 de Março, onde a Associação de Futebol Amador de Lousada (AFAL) foi anfitriã e organizadora. Este projeto, como o próprio nome indica, percorre cinco países, onde são debatidas questões que se relacionam com a utilização do desporto para a melhor integração de imigrantes. Em Lousada, para além da AFAL, a representar Portugal, estiveram representantes de instituições austríacas, inglesas, italianas e croatas, que relataram os seus projetos locais, em que a integração de imigrantes e o cariz social do seu trabalho são uma constante. Tivemos o exemplo de um treinador da Federação Austríaca de Ténis, onde nos escalões sub-12 e sub-14, os melhores jogadores, por exemplo, são oriundos de países estrangeiros. Segundo a explicação dada por Walter Grobbauer, a razão para este fenómeno prende-se com a vontade que os imigrantes têm em singrar no novo país de residência, por exemplo. Thomas Hirschbóck, o responsável por esta iniciativa, refere que o objetivo da mesma é divulgar este tipo de projetos às pessoas e organizações espalhadas pela Europa, para que todas as pessoas pelo mundo fora se unam. “Juntar as pessoas e o seu conhecimento por um mundo melhor”, resumiu Thomas em poucas palavras. Neste

PUB.

caso, com a ajuda do desporto. Para Bruno Silva, presidente da AFAL, este projeto ao qual concorreu já há cerca de ano e meio em colaboração com o gabinete de desporto da Câmara Municipal de Lousada, está a ultrapassar as expetativas criadas, pela experiência que está a representar, tanto ao nível do conhecimento de outras culturas e do trabalho feito por outras instituições, como pela experiência em organizar este tipo de eventos. Também a hipótese, ganha através do programa, de premiar todos os clubes do campeonato da AFAL com uma viagem ao estrangeiro para um dos seus elementos, é um fator que torna este projeto bastante positivo, uma motivação

para que os clubes façam um bom trabalho. Inovar continua a ser uma das maiores premissas da AFAL, que,

segundo o seu presidente, retira daqui mais uma enorme aprendizagem para chegar ao nível das melhores associações.


22

Sexta Feira, 15 de Março de 2013 | Edição n.º 65

Jornal de Lousada.com

Desporto

Futebol

Inexperiência é fatal no resultado final.

A.D. Oliveirense 3 – 1 Lousada A Associação Desportiva de Lousada deslocou-se a Vila Nova de Famalicão para defron-

tar a Associação Desportiva Oliveirense e saiu de lá derrotada por 3 – 1. Os Rubro-negros até entraram melhor na partida, com Bragança a abrir o marcador para o Lousada logo aos 20 minutos através de livre direto. Perdendo a oportunidade de aumentar a vantagem através de Nélson, o Lousada acabaria por ver a Oliveirense chegar ao empate através de Correia, aos 27 minutos. O mesmo acabaria por levar a equipa da casa á vantagem depois de finalizar da melhor forma um lance de bola parada aos 44 minutos.

a vantagem já perto do final da partida através de Zé Tiago. Na última jornada da época regular, o Lousada conseguiu assim a quinta posição da tabela enquanto a Oliveirense se classificou em primeiro lugar. Ambas as equi1 AD Oliveirense pas irão jogar 2 FC Felgueiras 1932 agora a fase de 3 Paredes promoção á di4 FC Pedras Rubras visão superior. 5 6 7 8 9 10 11 12

No segundo tempo o Lousada criou oportunidades para empatar a partida mas acabou por ser a Oliveirense a dilatar

Lousada Santa Eulália Serzedelo Aliados Lordelo Vila Real Vila Meã Rebordosa Leça

P

J

49 48 38 35 34 32 27 25 24 22 13 13

22 22 22 22 22 22 22 22 22 22 22 22

V E D GM GS DG 14 15 10 10 9 9 7 6 7 5 2 2

7 3 8 5 7 5 6 7 3 7 7 7

1 4 4 7 6 8 9 9 12 10 13 13

30 41 36 33 28 32 21 22 27 30 19 16

10 19 17 31 25 31 20 30 32 47 32 41

20 22 19 2 3 1 1 -8 -5 -17 -13 -25

Futebol Amador (Cristelos 2-2 Aveleda)

Jogo épico entre 2 grandes equipas esbarra no empate No domingo passado, o líder Cristelos recebeu o campeão em título, o Aveleda, e empatou a 2 bolas, num jogo verdadeiramente frenético entre duas equipas que lutam pelo título e que por sua vez, proporcionaram um grande espetáculo aos adeptos que se dirigiram ao complexo desportivo de Lousada. O Aveleda encontrou-se a ganhar por duas bolas a zero, com os golos concretizados por André Moreira e Fernando Barros, mostrando argumentos válidos para ombrearem com qualquer equipa, com uma qualidade futebolística e leitura de jogo muito plausível, segurando a vantagem de dois golos até ao intervalo. O Cristelos, após dois golos sofridos, mostrou na segunda parte o porquê de ser o líder do campeonato, acreditando nas suas capacidades coletivas e uma enorme vontade de mudar o rumo do jogo, numa tarefa muito árdua, conseguindo recuperar a desvantagem de dois golos sofridos diante do campeão em título, através dos golos concretizados por Tiago Soares. Nos 90 minutos decorridos, fica na memória um jogo muito intenso entre as duas equipas, sabendo que um deslize neste jogo poderia mudar o rumo de cada equipa, oportunidades de golo para os dois lados, após jogadas de ataque muito rápidas de grande qualidade e muita emoção para os adeptos que assistiram ao jogo, devendo estes, orgulharem-se das suas equipas, que provaram que ainda resta muito campeonato para disputar apresentando bons indicadores para as jornadas que se avizinham. Um grande jogo de futebol, que no final cedeu para o empate para Cristelos e Aveleda que somam mais um ponto nas suas caminhadas pelo título, não sofrendo qualquer

alteração na tabela classificativa. Na próxima jornada a equipa do Cristelos vai jogar em Casais contra o Valmesio e o Aveleda recebe o Cabo. O Cristelos continua no primeiro lugar com 34 pontos, enquanto o Aveleda ocupa a 4ª posição com 28 pontos.

(Figueiras 0-0 Nevogilde)

A qualidade evidenciou-se, faltaram os golos Neste domingo, no campo de jogos de Figueiras, a equipa da casa, recebeu a formação do Nevogilde, num jogo bastante aguardado para esta jornada, que acabou empatado a zero. Neste dérbi, as equipas entraram com respeito mútuo pelo potencial de cada uma, sabendo das dificuldades que aguardavam para o jogo. Um jogo bastante disputado tacticamente com boas jogadas de ataque, aproveitadas num deslize do adversário que apenas não foram concretizadas pelos jogadores, custando caro uma vitória que poderia ser determinante para os seus objectivos no campeonato. No final dos 90 minutos e sem golos marcados, a repartição de um ponto para cada equipa, faz com que o sentimento de dar a volta por cima seja ainda maior na próxima jornada, aguardando cada equipa, o deslize do seu respectivo rival na tabela classificativa. Na próxima jornada a equipa do Nevogilde recebe a equipa do Covas, enquanto a equipa do Figueiras visita a equipa do Santa Margarida. O Nevogilde mantém o 2º lugar com 31 pontos, seguindo-se o Figueiras com 28 pontos.

Próximos jogos ASS Nevogilde ADC Santa Margarida ADR Aveleda ADRC Valmesio GRDC Santo Estevão AR Nogueira

Posição 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13

Equipas Cristelos SC ASS Nevogilde CCRD Águias de Figueiras ADR Aveleda ADC Lodares AR Nogueira ADC Santa Margarida Os Pienses ACR CRAC Sousela ADRC Valmesio Esperanças Cabo FC GRDC Santo Estêvão CCR Covas

24-03-2013 10H CCR Covas 10H CCRD Águias de Figueiras 10H Esperanças Cabo FC 10H Cristelos SC 10H CRAC Sousela 15H Os Pienses ACR

Jogos Vitórias Empates Derrotas GM-GS Diferença Pontos 14 11 1 2 28 _ 8 20 34 14 9 4 1 30 - 13 17 31 14 8 4 2 24 _ 10 14 28 14 8 4 2 25 - 15 10 28 14 7 3 4 38 - 31 7 24 13 6 2 5 43 - 27 16 20 13 5 3 5 16 - 15 1 18 14 5 3 6 27 - 27 0 18 14 4 6 4 21 - 24 -3 18 14 3 4 7 15 - 17 -2 13 13 3 1 9 22 - 42 -20 10 14 1 3 10 19 - 39 -20 6 13 0 0 13 10 _ 50 -40 0


Sexta Feira, 15 de Março de 2013 | Edição n.º 65

Futsal (Miramar 4 – 1 MEINEDO) Derrota que atrasa Meinedo na luta pelo pódio O Meinedo deslocou-se ao terreno do Miramar e viu o sonho de uma histórica subida praticamente desvanecer-se. Num jogo frente a um adversário direto que normalmente em casa é muito forte, o Meinedo não conseguiu impor++ o seu jogo. O Meinedo entrou muito relaxado frente a uma equipa que saía para muito rápida para o ataque. A circulação de bola nem sempre foi bem-feita, com perdas sucessivas do esférico, o que possibilitava o Miramar de contra atacar com triangulações bem-sucedidas, mas pouco finalizadoras. O resultado ao intervalo de 2-0 mostrava a primeira metade do Meinedo. Na segunda metade o Meinedo entrou mais forte e teve a possibilidade de reduzir e abrir o jogo, mas era dia não. O Miramar explorou o contra golpe, uma lição bem estudada que deu frutos e o resultado de 4-0 até ao minuto final espelha a finalização dos atletas de Gaia. O Meinedo ainda reduziu na transformação de um livre para o 4-1 final. O Meinedo soma duas derrotas consecutivas numa fase crucial da época. A equipa tem-se a vindo a mostrar cansada e sem o controle do jogo é mais difícil não sofrer. O Meinedo leva 86 golos

Jornal de Lousada.com 23

Desporto

www.bancadalousadense.wordpress.com bancadalousadense@gmail.com

sofridos compensando com um ataque muito forte. Na próxima jornada recebe o vizinho Desportivo Ordem e terá de dar um sinal de vitalidade no dérbi lousadense, perante uma equipa muito madura e matreira, com um jogo muito técnico e agradável.

(Ordem 5 – 4 Vila Boa Do Bispo) Vencer sem sofrer, não torna a vitória tão saborosa O Desportivo da Ordem recebeu o Vila do Bispo sabendo que não podia perder para não comprometer o objetivo da subida. A equipa não vacilou e arrecadou os três importantes pontos que mantem vivo e bem vivo o sonho da subida, que cada vez está mais perto e jogo a jogo, este será recompensado com o título. O Ordem entrou no jogo tendo que ir para cima do adversário. E não vacilou conseguindo ter uma vantagem confortável e com finalização matadora. Houve ainda algum relaxamento pelo percurso que chegou até a pôr em causa os três pontos por um desnorte final, em que estando a vencer confortavelmente por 5-2 permitiu que o Vila Boa do Bispo ainda reduzisse para 5-4 e tivesse mesmo oportunidades para poder empatar. Mas o resultado não deixa de ser justo, apesar de uma pequena desconcentração. O Ordem com este resultado faz 47 pontos e está a 3 pontos do Cruzeiro

Santana que é o primeiro da classificação. Com uma estatística de apenas duas derrotas em dezoito jogos, o Ordem mostra assim a sua regularidade e as sete vitórias nos últimos oito jogos mostram a eficiência, maturidade e motivação que a equipa está a atravessar neste momento. Na próxima jornada o dérbi terá de ser encarado para vencer, para continuar na senda das vitórias. O Ordem procurara entrar rápido sobre o adversário fechando a transição mantendo firme a sua filosofia de jogo. Será certamente um jogo de pavilhão cheio a arrebentar pelas costuras, a puxar pelas equipas e o Or1 Cruzeiro Santana dem terá de se empenhar para 2 Desp. Ordem ultrapassar o 3 CSRDC Santiago irreverente Mei4 Caxinas nedo que tem 5 Carvalhido vindo a fazer 6 JD Meinedo uma época mui7 Miramar Valadares to positiva. 8 9 10 11 12 13 14 15 16

Praia Mar CP Vila Boa do Bispo AR Negrelos Gramidense Infante AD Polenenses ADC Morad. Urb. Areias Bom Pastor CD Boavista S. Sebastião

P 50 47 46 44 44 38 32 28 28 25 25 21 19 17 12 11

J 21 21 21 21 21 21 21 21 21 21 21 21 21 21 21 21

V 16 15 15 14 14 12 10 8 8 7 8 7 6 5 3 3

E 2 2 1 2 2 2 2 4 4 4 1 0 1 2 3 2

D GM GS DG 3 110 55 55 4 95 65 30 5 108 74 34 5 99 54 45 5 68 48 20 7 87 86 1 9 97 75 22 9 66 68 -2 9 67 84 -17 10 74 93 -19 12 70 71 -1 14 79 92 -13 14 68 101 -33 14 70 95 -25 15 68 133 -65 16 67 99 -32

Basquetebol Vitória segura dos Cadetes Femininos (Lousada A.C. 51 – U.A.A. Aroso 21) A equipa de Cadetes Femininos do Lousada A.C. recebeu e venceu, por uma margem confortável, a equipa do Aroso em mais um jogo do Campeonato Distrital da 2ª Divisão da A.B.P.

Vitória merecida dos Cadetes Masculinos (Fides B 34 - Lousada A.C. / ILMAR 87) Vitória merecida dos sub-16 do Lousada A.C. que controlaram por completo os ritmos do jogo. Temos que estar satisfeitos com a equipa, pois deram o seu melhor durante todo o desafio conseguindo mesmo cumprir com os objectivos propostos pelo treinador para esta partida.

Boa atitude vale triunfo aos Iniciados Masculinos (Maia B.C. B 44 - Lousada A.C. 52) Na deslocação à Maia, o Lousada obteve uma vitória por 44-52, num jogo sempre muito equilibrado. Após o intervalo e com alguns ajustes efectuados, realizamos uma boa 2ª parte e para isso muito contribuiu sermos mais agressivos a defender, obrigando o adversário a cometer erros, a jogarmos mais em equipa e sermos mais eficazes nos lançamentos de campo. Final do 3º período 12-16 e 4º período 10-16.

Juniores B Masculinos perto da

vitória (C.D. José Régio 57 - Lousada A.C. 49) Na 3ª jornada do campeonato distrital da 2ª divisão, serie b, o Lousada deslocou-se a Mindelo para defrontar a equipa do J. Régio. Este era um adversário nosso conhecido pois defrontamo-nos duas vezes para o campeonato distrital da 1ª divisão, saindo a nossa equipa derrotada nesses mesmos jogos por uma diferença pontual bastante grande.

Cadetes Femininos longe das reais capacidades neste jogo (Vasco Gama 41 - Lousada A.C. 29) A equipa de Cadetes Femininos do Lousada A.C., na deslocação ao recinto do Vasco da Gama, nunca se conseguiu exibir ao seu nível e saiu derrotada deste jogo. As atletas do L.A.C. sabiam que para alcançar a vitória teriam que se superar, de modo a ultrapassar as várias condicionantes com que se apresentavam neste jogo (atletas lesionadas, reduzido número de atletas disponíveis e inadaptação ao piso do recinto de jogo). Neste dia, só em superação constante poderíamos discutir a vitória, mas infelizmente nunca fomos capazes.

Iniciados femininos derrotados em Guimarães (Vitória Guimarães 47 Lousada A.C. 33) No último jogo do Torneio Inter-Associações, a equipa de iniciadas femini-

nas do Lousada AC, deslocou-se ao campo do Vitória de Guimarães, perdendo o jogo. Tivemos muitas dificuldades em controlar os ritmos do jogo, a equipa cometia muitos erros, não estava agressiva e a ter muitas dificuldades na recuperação defensiva. Sofremos demasiados pontos de contra ataque, baixamos a nossa prestação e fomos perdendo organização, por isso foi com toda a justiça que a equipa de Guimarães venceu o jogo.

MINI 10 – 5ª concentração oficial da época desportiva 2012/2013 Os Mini 10 do Lousada A.C. deslocaram-se à Póvoa de Varzim, no passado domingo (10 de Março), onde participaram na 5ª concentração oficial da época desportiva 2012/2013. No Pavilhão da Escola Básica 2,3 de Aver-o-Mar, a equipa disputou dois jogos, tendo defrontado primeiramente o S. C. Coimbrões e, logo de seguida, a equipa anfitriã, o C. D. Póvoa. Ambos os jogos foram muito bem disputados, tendo os Minis do Lousada A. C. conseguido alcançar a vi-

tória no segundo jogo. Mostraram mais uma vez ser uma equipa competitiva, aguerrida e determinada. A evolução nestes jovens tem sido evidente, aliada à enorme alegria que revelam em todos os jogos.

PRÓXIMA JORNADA

Seniores Femininos: A.D. Ovarense X Lousada A.C. – 16 Março às 16h00 Pav. Arena Dolce Vitta - Ovar; Juniores B Masculinos: Lousada A.C. X G.D. Bolacesto – 16 Março às 21h30 Pav. Municipal de Lousada; Iniciados Masculinos: Lousada A.C. X Dragon Force “B” – 17 Março às 9h00 Pav. Municipal de Lousada; Cadetes Masculinos: Lousada A.C. X A.D. Vigorosa – 17 Março às 11h00 Pav. Municipal de Lousada; Cadetes Femininos: Lousada A.C. X G.D.B. Leça – 17 Março às 15h30 Pav. Municipal de Lousada; Seniores Femininos: Lousada A.C. X C.A.B. Madeira – 17 Março às 17h30 Pav. Municipal de Lousada; Minis 10: Concentração S.C. Coimbrões – 17 Março às 16h00 Pav. Municipal Coimbrões.


24

Sexta Feira, 15 de Março de 2013 | Edição n.º 65

Jornal de Lousada.com

Juventude

André Moreira

andremoreira@jornaldelousada.com

Confidências pela manhã

Todo-o-terreno… com Marta Fernandes

Em Breve na

É uma apaixonada pelo desporto automóvel desde pequenina por ter estado sempre perto do Eurocircuito de Lousada e a ouvir o barulho dos motores. Também por estar ligada a uma família que desde há muito tempo faz dos veículos motorizados as sua principal fonte de rendimento, esta Lousadense não larga os carros, motas e tudo o que ande sobre rodas. Atualmente, os jipes são a sua principal paixão mas não a única. Podemos por isso dizer que Marta Fernandes é uma verdadeira mulher…todo-o-terreno. Jornal de Lousada: Olá Marta. Vamos começar desta forma: o que fazes? Marta Fernandes: Olá. Sou empregada de escritório no posto de gasolina Henr i qu e Fe r -

só?

nandes e Companhia, Lda…

MF: É, só trabalho nisso.

JL: … Atenção, publicidade … (risos) MF: Exatamente. Estou a aproveitar para fazer publicidade à minha empresa (risos), e é só.

JL: E ganha-se bem como empregada de escritório nessa empresa? Dá-te boas perspetivas de futuro? MF: Acho que sim.

JL: E o que ambicionas é seguir essa carreira? É do que gostas mais? MF: É, sem dúvida. Isto já é um negócio familiar, já desde a altura do meu avô…

JL: Ah! Então tu és da família, da família dos Fernandes. Neste caso vocês têm o petróleo de Lousada… MF: O petróleo!?

JL: Sim, o petróleo. MF: É, nós temos o petróleo de Lousada (risos)!

JL: Então por isso és um bom partido, certo? JL: E é

MF: Sim, provavelmente.

JL: É que, realmente, quem tem petróleo tem sempre muito dinheiro. MF: Ou não, ou não! (risos)

JL: Então, quase todos os países que têm petróleo não têm problemas financeiros, portanto, todas as famílias que têm petróleo e que vendem gasóleo, gasolina e derivados devem ser ricas… MF: Já lá vai o tempo. Agora há muita concorrência.

JL: Ai é? Como empregada de escritório e com certeza analista da conjuntura atual, qual é a maior dificuldade que existe nesse ramo? MF: Ora bem, há várias coisas. Mas essencial-

mente a concorrência.

JL: E o facto de o gasóleo e gasolina estarem cada vez mais caros? MF: Sim, também.

JL: Então, por tudo isto, é inteligente da tua parte estar na área do desporto automóvel, eles gastam muito combustível… é “dois em um”… MF: É verdade. (risos)

JL: É por isso que és amante do desporto automóvel? MF: Isto de ser amante do desporto automóvel já vem desde muito novinha. Sempre gostei muito de ralis, carros, motas, etc. Nos jipes inicieime há oito anos. Entretanto, tive a oportunidade de ser colaboradora no Clube Automóvel de Lousada (CAL), onde fui também empregada de escritório e onde tive um prazer enorme de trabalhar e há dois anos surgiu a oportunidade de integrar a direção do Campeonato Nacional de Trial.

JL: Na direção! Tu agora tens um posto muito importante, ou seja, no principal Campeonato de 4x4 do país, tens responsabilidades máximas. Quais são essas responsabilidades? Sem ti a “máquina” não anda, pois é? MF: Pois, provavelmente. Eu estou na parte do secretariado e da imprensa. E, pronto, está tudo nas minhas mãos.

JL: Por acaso tivemos há pouco tempo uma prova em Valongo, no último fim de semana precisamente. Em que é que te atrai o trial? MF: Para além de ter um gosto enorme em ver os carros a fazer os percursos, para mim também conta muito colaborar com as pessoas na organização, ajudar, o convívio com os pilotos, comissários e todos os outros envolvidos.

JL: Vamos falar agora um bocadinho do CAL, um clube com muita história no concelho. Quais são as provas que gostavas de voltar a ver na pista (Eurocircuito de Lousada – Pista da Costilha) onde está sediado esse clube? MF: Provavelmente o Europeu.


Sexta Feira, 15 de Março de 2013 | Edição n.º 65

Jornal de Lousada.com 25

Juventude e Saúde MF: Lembro. Não tive a oportunidade de estar na organização de alguma dessas provas, mas lembro-me.

JL: Ver os principais carros que correm a nível europeu tem realmente uma especial relevância para ti? MF: Sim.

JL: Vamos ter em breve o Rally de Portugal e o Fafe World Rally Sprint. Vais lá estar? MF: Espero que sim, espero ter oportunidade para isso.

JL: E vais levar um garrafãozinho e a merenda? MF: Provavelmente. E alguns suminhos também… (risos)

JL: Também és Relações Públicas (RP). O que é isso de ser uma RP? Que características são necessárias para ser uma boa RP? MF: Fui convidada pelo RP do In Plaza…

JL: Mais publicidade…

MF: Não sei. Se calhar sou um bocadinho orgulhosa.

JL: E as tuas principais virtudes? MF: Agora faço eu a questão. Quais achas serem as minhas virtudes?

JL: Pelo que conheço, posso dizer que és simpática e amável. Por exemplo, conto sempre com uma coisa positiva vinda de ti. MF: Bondosa… É verdade.

JL: E isso não pode ser também um defeito? Se fores demasiado bondosa? MF: Sim, se isso acontecer também pode ser um defeito contra mim própria.

JL: E o que é que gostas mais de fazer no teu tempo de lazer, para além de acompanhar o trial e as provas de desporto automóvel? MF: Adoro tirar fotografias, adoro caminhar, passar tempo com a família, convívios, amigos… tento sempre conciliar tudo.

JL: Bebes de ‘borla’…

JL: No tempo livre também se namora… De que tipo de homem gostas mais? Que características são precisas num homem tem de ter para teres um relacionamento por exemplo?

MF: Sim, temos direito a duas bebidas, mas uma garrafinha para partilhar com uns amigos que a gente convida para lá ir e é “porreirinho”.

MF: Essencialmente tem que gostar daquilo que eu gosto, tem que respeitar, confiar, tudo isso vale.

JL: E ganha-se dinheiro?

JL: Pode ser feio então…

MF: Não.

MF: Como se costuma dizer, “a beleza não se põe na mesa”, apesar de contar sempre. Mas para mim o essencial é mesmo a confiança. Mas não penso nisso, namorar está fora de questão.

MF: … fui convidada por ele duas vezes e pronto, aceitei. É fantástico.

JL: Ainda estás numa parte amadora, mas vais ter que começar a lucrar ou não? MF: Lucrar não.

JL: E quando as pessoas vêm as tuas fotografias no Facebook, fazem muitos likes? Dizem que querem namorar contigo? MF: Não, namorar não. Mas gostam, põem muitos likes e principalmente a minha mãe fica toda babada. (risos)

JL: Voltando ao teu trabalho. Tu chegaste a essa profissão principalmente pelo negócio do teu pai, mas era isso mesmo que querias fazer? Sempre sonhaste com isso ou tinhas ambição de ter outra profissão? MF: Não. Eu sempre gostei muito do trabalho de escritório, apesar de que o meu maior gosto era ser veterinária. Adoro animais, adoro ajudar, adoro tudo isso.

JL: Vais para freira… MF: Para freira não, mas para já estou muito bem assim.

JL: Para mal dos jovens que vão ler esta entrevista (risos). Obrigado, Marta.

Ú

A Gota é uma doença caracterizada pela elevação do ácido úrico no sangue, o que leva a um depósito de cristais de monourato de sódio nas articulações. É este depósito que gera dor e inflamação na ou nas articulações. Contudo, apenas cerca de 20% das pessoas com níveis altos de ácido úrico desenvolvem gota.

Causas - Problema congénito que leva à ausência de um mecanismo enzimático responsável pela excreção do ácido úrico pelos rins. Sem a eliminação adequada, os níveis no sangue mantêm-se elevados; - Produção excessiva de ácido úrico pelo organismo. Neste caso, a pessoa produz uma grande quantidade de ácido úrico e os rins não conseguem eliminá-la. Esta causa é menos comum. - Entres as causas também se encontram alguns medicamentos, como diuréticos e a “aspirina”, que podem levar à diminuição da excreção renal do ácido úrico.

Sintomas Geralmente as crises de artrite aparecem nos membros inferiores, especialmente no dedo grande do pé, mas pode haver comprometimento de qualquer articulação. Entre os sintomas incluem-se a dor forte, inchaço e vermelhidão e rigidez na articulação. A primeira crise pode durar de 3 a 10 dias, e após este período o paciente volta a levar uma vida normal. Uma nova crise pode surgir em meses ou anos e comprometer a mesma ou outras articulações. Sem tratamento, o intervalo entre as crises tende a diminuir e a intensidade a aumentar, potenciando a deformação das articulações.

Diagnóstico

Curtas: Idade: 25

Tratamento

Signo: Caranguejo Maior defeito: Orgulhosa Maior virtude: Simpatia Maior erro: Não sei

MF: Sim, ainda estou a tempo e estou a pensar em fazer uma formação de auxiliar de veterinária. Vamos ver como corre daqui para a frente, mas sempre gostei do trabalho de escritório e o meu objetivo é continuar com o negócio do meu pai.

Adoro: A minha Família Detesto: Pessoas Falsas Ídolo: Pai Cor: Dourado

JL: És de Lousada, como caracterizas o teu concelho? “Bate forte”?

Clube: Benfica

MF: Sim, bate. Não largo Lousada por nada.

Prato favorito: Sopa

JL: Que palavras colocarias, por exemplo, na foto de capa do Facebook relativamente ao teu concelho? Lousada é…

Carro: Peugeot

JL: E tu? Quais são os teus principais defeitos?

GOTA evite complicações, previna-se! SA

Só é possível fazer o diagnóstico de gota na primeira crise se forem encontrados cristais de ácido úrico no líquido aspirado da articulação. Se a taxa de ácido úrico estiver normal durante a crise, mas mesmo assim houver suspeita do desenvolvimento da doença, o médico deverá indicar uma nova dosagem dentro de 2 semanas. Uma radiografia pode ajudar a definir o quadro.

JL: Ainda estás a tempo…

MF: Maravilhosa. Uma vila linda.

Virgínia Neto

virginiajpn@gmail.com DE

JL: Lembras-te desses tempos?

Filme: Hachicko

Apaixonada por: Desporto Automóvel Sonho: Ir a Marrocos Estado civil: Solteira Partido Politico: Não ligo nada a politica

Não há cura definitiva para a gota. São prescritos medicamentos para diminuir a taxa de ácido úrico no sangue e a inflamação e, consequentemente, tratar e evitar as crises de gota. Quanto à alimentação, não coma frutos do mar, miúdos, excesso de carne vermelha e álcool, pois são alimentos que podem contribuir para o desencadear de uma crise.


26

Jornal de Lousada.com

Sexta Feira, 15 de Março de 2013 | Edição n.º 65

Cultura e Educação

“Aprendiz por um dia” mobiliza mais de 500 jovens Instituições locais aderem a esta iniciativa Pelo segundo ano consecutivo realizar-se a iniciativa “Aprendiz por um dia”, durante a primeira semana de interrupção letiva da Páscoa, de 18 a 22 de março. Este é um projeto no âmbito da orientação escolar ao 9.º ano de escolaridade do “Orienta-te e segue”, que está inserido no programa DICAS – Diversidade, Inclusão, Complexidade, Autonomia, Solidariedade. Encontram-se ainda neste grupo os alunos do 2.º ano dos Cursos de Educação e Formação. Com esta iniciativa pretende-se prevenir o abandono escolar precoce, bem como incentivar a progressão escolar, contribuir para a descoberta de vocações profissionais e fomentar a proximidade entre a escola e a realidade do mundo do trabalho.

O “Aprendiz por um dia” permite que os alunos tenham contacto com a profissão que pretendam seguir, experienciando a sua dinâmica durante um dia, de modo a que a escolha da área escolar a que estes estão obrigados no 10º ano seja a mais acertada. Na opinião da Vereadora da Ação

Social, Dra. Cristina Moreira, “os alunos vão ter a oportunidade de acompanhar os profissionais num dia das suas funções diárias e participar em tarefas quotidianas de um dia de trabalho, permitindo que contatem com o mercado de trabalho”. Nesta edição do “Aprendiz por um dia” estão inscritos cerca de 500 alunos que procuram de uma experiência profissional nas mais diversas áreas. As empresas parceiras ou “acolhedoras” são a Câmara Lousada e diversas empresas e instituições do concelho que se têm mostrado satisfeitas com o projeto e com o seu contributo para os futuros profissionais. Deste modo, as áreas profissionais mais pretendidas e que vão ser experienciadas pelos alunos passam pro áreas tão diversas como a advocacia, agricultura, anatomia patológica, armazenista, arquitetura, artes (música e representação), auxiliar de infantário e de lar, bancário, barman, biólogos e bombeiros. Mas também cabeleireiros, camionistas, lojistas, construção civil, contabilidade, coveiro, cozinheiro, designer de interiores e de moda, economista, educador social, educador de infância, eletricista, eletricista de automóveis, empregado de mesa e de café, empresário, enfermagem, engenharia civil, eletrotécnica. Também as áreas ligadas à informática, mecânica, florestal, agrónomo, esteticistas, farmacêuticos, fisioterapeutas, fotógrafos, futebolistas, GNR, guia turística, jornalista e juiz são as mais requisitadas pelos alunos. A estes juntam-se ainda os jovens estudantes que pretendem ser técnicos de laboratório química, mecânico, medicina, medicina dentária, motorista, nutricionista, pasteleiro, piloto, professor, programador, psicólogos, rececionista, secretariado, serralheiro, tenista, treinador de futebol e medicina veterinária.

Resultados do PréSEA apresentados pela autarquia Os resultados no âmbito do PréSEA (Sinalização, Encaminhamento, Acompanhamento) relativos ao ano 2012/2013 foram apresentados no passado dia 7, na EB 2,3 de Caíde de Rei. O Pré-SEA insere-se no programa DICAS (Diversidade, Inclusão, Complexidade, Autonomia, Solidariedade), surgindo da necessidade de uma intervenção de forma mais precoce no processo de escolarização, mas tem também uma abrangência generalizada a todos os estabelecimentos de ensino pré-escolar públicos os concelho. Os objetivos passam por sensibilizar para a importância de uma frequência precoce do ensino pré-escolar e para as vantagens de quem já o frequenta. O Pré-SEA efetua o rastreio das aptidões necessárias ao processo de aprendizagem em crianças com mais de quatro anos de idade, identificando áreas problemáticas específicas, bem como a sensibilização dos educadores de infância para a estimulação das áreas problemáticas identificadas. Segue-se um outro objetivo igualmente importante que passa pelo encaminhamento e acompanhamento dos alunos com lacunas desenvolvimentos, da forma mais precoce possível. São cinco as áreas de rastreio, que passam por identificar a figura humana, a perceção visuomotora/ motricidade fina, motricidade grossa, desenvolvimento da linguagem e fala.

os resultados são validados pelos psicólogos e pelas educadoras, que têm um papel importante em todo este processo. O estudo aponta ainda que as crianças intervencionadas registam falta de estimulação familiar, baixas experiências socioculturais e ingresso tardio no ensino pré-escolar. Relativamente às respostas que podem ser dadas às situações passam por efetuar um trabalho específico da área problemática, encaminhamentos e avaliação psicológica e desenvolvimental quando necessário. Por tudo isto há uma necessidade de sensibilizar para frequência precoce do ensino pré -escolar. Na opinião da Vereadora da Ação Social, Dra. Cristina Moreira, “este projeto faz todo o sentido em ser efetuado no início de cada ano letivo, junto dos mais novos, no sentido de aferir todos os pontos fortes e pontos fracos, de modo a que possam ser trabalhados junto das crianças e da comunidade escolar”. Ainda de acordo com a Vereadora da Ação Social esta é uma “excelente ação de prevenção, no que concerne ao despiste de algumas patologias ligadas à dificuldade de aprendizagem, ao insucesso escolar. Pretende-se assim terminar com o insucesso e as retenções no 1.º ciclo”. Deste modo, é também importante que exista uma sensibilização junto das famílias para que os mais novos frequentam o pré-escolar público, sendo uma mais-valia para alunos e famílias, permitindo uma integração mais fácil no 1.º ciclo.

Neste ano letivo cerca de 445 crianças estão a ser intervencionadas, um número muito próximo do ano anterior. O Pré-SEA é um projeto único no país quando se fala do pré-escolar no ensino público, sendo que durante estes últimos quatro anos letivos mais de 2100 crianças foram alvo do rastreio. O facto de o estudo ter como meses de aplicação outubro e novembro permite uma intervenção precoce nas áreas identificadas como problemáticas. De referenciar ainda que

Gabinete de Imprensa da Câmara Municipal de Lousada

O Jornal de Lousada convida o leitor a enviar para o nosso Jornal as notícias da sua freguesia. Para isso, basta enviar a notícia para o email jl@jornaldelousada.com ou via CTT para a morada: Trav. João Evangelista - Casa 12 r/c 4620-113 Covas Lousada


Sexta Feira, 15 de Março de 2013 | Edição n.º 65

Jornal de Lousada.com 27

Lazer

Sudoku Nível Fácil

Anedotas O capitão do navio encontra-se no seu camarote quando o imediato lhe vem dizer que avistaram um navio pirata que vem na sua direção. O capitão sobe até ao convés, observa o navio ao longe com um telescópio e diz: - Traz-me o meu casaco vermelho. O imediato pergunta: - Casaco vermelho? Mas... Para quê? - Vamos combater daqui a nada. Se eu for ferido, não quero que a minha tripulação veja o meu sangue e se amedronte. Quero que combatam até ao fim sabendo que vamos ganhar! O imediato vai buscar o casaco e a tripulação é vitoriosa na batalha. Passado uma semana o imediato torna a chamar o capitão por causa de outro navio pirata. O capitão torna a observar o navio, verifica que este é maior e diz: - Traz-me o meu casaco vermelho e as minhas calças vermelhas. O imediato assim faz, o capitão veste-se e travam nova batalha. Uma vez mais, são vitoriosos. Duas semanas depois o imediato torna a chamar o capitão para ver mais um navio pirata. O capitão observa o navio ao longe e repara que este é de um tamanho colossal. Diz o capitão: - Imediato... Traz-me as minhas calças castanhas...

Rubrica:

Programação •Entrevista Leonel Vieira - Cand. Coligação Lousada Viva à Câmara Municipal de Lousada •Concerto de Carnaval Conservatório Vale do Sousa •Almoço com empresários •Fábio da Casa dos Segredos no From Ibiza Club, em Lousada •Entrevista Pedro Machado - Cand. PS / Lousada à Câmara • O destaque da Semana Juv. Desportiva de Meinedo •Entrevista Agostinho Gaspar - Presid. PSD Lousada •Adersousa entrega contratos programa •Pontos de Vista: Convenção das freguesias Coligação Lousada Viva •Concerto de Reis pelo Conservatório Vale do Sousa •Vídeo dodias Natal em Lousada Todos os atualizamos o seu canal, não perca tudo o que se passa no seu concelho!

VENDE-SE

TERRENO EM LUSTOSA 1400 m2

Telef. 962 768 353

CINEMA Estreia dia 14 de Março Snitch - Infiltrado: Dwayne Johnson é um pai cujo filho adolescente foi injustamente acusado de um crime de tráfico de droga e arrisca-se a uma sentença mínima de 10 anos de cadeia. Desesperado e determinado a resgatar seu filho a todo custo, ele faz um acordo para trabalhar numa perigosa missão, como informador infiltrado junto de traficantes de drogas – arriscando tudo, incluindo a sua família e sua a própria vida. Vigarista à Vista: Fundos ilimitados permitiram a Diana viver nos subúrbios de Miami, onde a rainha do retalho compra tudo o que deseja. Há apenas uma falha: a identidade que utiliza para financiar a sua diversão diz “Sandy Bigelow Patterson”… e pertence a um contabilista que vive do outro lado dos Estados Unidos. Com apenas uma semana para apanhar a vigarista antes que o seu mundo imploda, o verdadeiro Sandy Bigelow Patterson faz-se à viagem para confrontar a mulher que tem um passe de acesso ilimitado à sua vida. As Fantásticas Aventuras de Tad: Tad é um jovem pedreiro que desde pequeno sonha ser arqueólogo. Devido a um fortuito engano, Tad é confundido com um famoso arqueólogo e enviado para uma emocionante expedição no Perú. Com a ajuda do seu fiel cão Jeff, da linda e destemida professora Sara, de Belzoni o papagaio mudo e de Freddy, o guia local e também vendedor-de-tralhas-a-toda-a-hora, Tad tenta salvar a mítica Cidade Perdida dos Incas antes que esta seja descoberta por empresa de malvados caçadores de tesouros. The Tall MAN Tempos negros abateram-se sobre a cidade de Cold Rock. Uma a uma, as crianças da cidade têm vindo a desaparecer sem deixar qualquer rasto ou o relato de uma testemunha credível, ficando apenas uma lenda envolta em sombras, que passa de vizinho para vizinho... E com isso, um crescente sentido de terror que ameaça destruir o que resta desta comunidade. Os locais falam de um “Homem das Sombras”, uma figura misteriosa que leva as crianças para nunca mais serem vistas. Quem é o “Homem das Sombras”? “O que aconteceu às crianças?”

Pontos de Venda do Jornal Puro Flow - Silvares Lousada Quiosque Impulso Rua Lúcia Lousada Tabacaria Quiosque - Pias

Tempo

Soluções do Sudoku


a c n u n r i m i r p Im ! o t a r a b foi tão

Design, Imprensa, Publicidade, Televisão Multimédia Web Design , Fotografia e Vídeo

o

ã ess

r

Imp

Papel

pes

Envelo

ita

de vis

Flyers A6

5

Flyers A

Ca rt

az

es

es Cartõ

rta

de Ca

E MUITO MAIS TEMOS PARA SI... 915 067 989 | 255 005190 geral@pedestaldideias.pt

Trav. João Evangelista, nº1 Casa 12 r/c 4620-113 Covas - Lousada

Edição n.º 65 do Jornal de Lousada  
Edição n.º 65 do Jornal de Lousada  

Nesta edição temos um destaque social o projeto AGITARTE; Grande entrevista Pedro Mendes; Afonso Dias condenado pelo rapto de Rui Pedro; Apr...

Advertisement