Issuu on Google+

Quarta-feira

Ano XV w NATAL-RN,

18 DE JULHO DE 2012 w Nº 4.393

> SEXTA PESQUISA CONSULT/SINDUSCON

Carlos Eduardo lidera com 57% das intenções. Mas a metade do eleitorado ainda não escolheu em quem votar SE ELEIÇÃO FOSSE HOJE, EX-PREFEITO DE NATAL VENCERIA NO 1

O

TURNO

R$1,00 w jornaldehoje.com.br

Saúde Pública no governo de Rosalba é condenada por 90% dos entrevistados Desaprovação de Micarla é maior na área de Limpeza Urbana, ultrapassando 90%

POLÍTICA 3 E 5 José Aldenir

> RECUPERAÇÃO DO CALÇADÃO

Defesa Civil ainda prepara relatório para solicitar liberação de verba federal CIDADE 6

> NA JUSTIÇA...

Prefeitura volta a negar pedido de reajuste nas passagens de ônibus CIDADE 6

> MOVIMENTO NACIONAL

Defensores públicos da União cobram melhores condições de trabalho CIDADE 9

Seturn discute a possibilidade de aumentar a tarifa do transporte público de Natal no próximo mês e recorre, pela terceira vez este ano, à Justiça Wellington Rocha

> O SEGREDO DO SUCESSO

Nando Parrado é enfático: “filosofar é perda de tempo” ECONOMIA 7

> INVESTIMENTO DE R$ 4 MILHÕES

Governo retomará obras do campus avançado da UERN Uruguaio, que hoje à noite ministrará palestra em Natal, acredita que pragmatismo é um dos principais segredos do sucesso

CIDADE 19

Túlio Lemos

Marcos A. de Sá

Daniela Freire

Vicente Serejo

Rubens Lemos F.

Página 3

Página 7

Página 12

Página 13

Página 16

w Um dado curioso chama a atenção na pesquisa Consult/ Sinduscon: a rejeição.

w Sem mudança na Constituição, RN não terá receita tributária sobre a produção energética.

w Rosalba Ciarlini reserva fim de semana para fazer campanha em Mossoró.

w Sítio histórico da Rampa w Hoje, Galvão Bueno não me mutilado retrata insensibili- incomoda nem me causa urtidade dos nossos governantes. cária ou provoca palavrões.

ESCREVEM ARTIGOS DA EDIÇÃO DE HOJE Juarez Chagas Flávio Rezende João da Mata Costa Francisco de Sales Felipe Lavoisier Nunes de Castro Elísio Augusto de M. e Silva OPINIÃO - Página 2

INDICADORES: Dólar comercial R$ 2,01 Dólar turismo Dólar/Real

R$ 2,07 R$ 2,01

Euro x real Poupança Taxa Selic

R$ 2,47 0,52% 8%

EMAIL REDAÇÃO:

jornalismo@jornaldehoje.com.br

ACESSE O SITE:

www.jornaldehoje.com.br

SIGA-NOS NO TWITTER:

@jornaldehoje

TOTAL DE PÁGINAS NESTA EDIÇÃO

20 CMYK


2 O Jornal de HOJE

Artigo

Opinião

Natal, 18 de julho de 2012

ELÍSIO AUGUSTO DE M. E SILVA, empresário, escritor e presidente da Fundação Amigos da Ribeira (elisio@mercomix.com.br)

Amancio

Quarta-feira

Artigo

amancionatal@gmail.com / www.chargistaamancio.blogspot.com

À procura de um carro antigo Recentemente, viajei de Natal até a capital paulista com intenção de adquirir um automóvel antigo, pequeno, que coubesse em um cantinho discreto da nossa garagem. Como a maioria dos antigomobilistas, eu também tenho problemas de vaga na garagem de casa. Um automóvel grande, tipo Dodge Dart ou Galaxie, com certeza não caberia na única vaga disponível. Além disso, eu queria que o carro ficasse em um lugar de destaque, para que pudesse apreciálo todos os dias. Quando adquirimos um automóvel antigo é uma espécie de adoção que fazemos - ele passa quase a ser parte de nossa família. Antes de embarcar fui advertido por alguns amigos do Clube de Carros Antigos do RN sobre o alto custo dessas aquisições, de forma que a primeira coisa que me livrei foi do bom senso econômico. Um detalhe muito importante: percebi que cada carro antigo tem características absolutamente individuais, várias, mesmo comparados a outros da mesma marca e ano de fabricação. Não há como escapar da supervalorização dos automóveis antigos, principalmente no caso dos clássicos. Porém, mais vale o prazer que o dinheiro investido! Ao entrar naquele imenso galpão de um bairro afastado da capital paulista, deparei-me com uns quarenta ou cinquenta veículos antigos de várias marcas e modelos – uns prontos, outros em processo de restauração. À esquerda do armazém havia um salão onde pude perceber vários veículos enfileirados – estes estavam perfeitamente restaurados. Pelas suas perfeitas linhas e pinturas reluzentes, percebi o esmero com que haviam sido recuperados – pareciam novos – e, mais uma vez, lamentei o fato de Natal não possuir uma restauradora capaz de cuidar de nossos antigos com o cuidado que eles exigem. Alguns veículos aguardavam os seus proprietários, enquanto outros estavam expostos à venda – foi para lá que me dirigi empolgado. A minha euforia inicial permanecia, mas, depois de anos frequentando as exposições de veículos antigos, havia desenvolvido um olhar crítico e me tornara muito exigente quanto a esses veículos. Ao perceber minha presença o titular da oficina me atendeu alegre, simpático e sorridente. Fui conduzido ao setor de desmontagem de veículos – as peças estavam cuidadosamente arrumadas em estantes individuais – uma ao lado de cada veículo – dava para perceber que desmontavam três veículos naquela ocasião. Um deles identifiquei prontamente: uma perua DKW 1960 - cujas peças de lataria estavam a seu lado; o segun-

Artigo

FLÁVIO REZENDE, escritor, jornalista e escritor (escritorflaviorezende@gmail.com)

do, não tinha dúvidas, era um Simca 1961; e o terceiro, que me chamou atenção era uma pequena Romi-Isetta, o primeiro veículo produzido no Brasil. Três mecânicos de macacões azuis se ocupavam do minucioso serviço – tudo organizado – nada de peças empilhadas pelo chão – tudo estava limpo e organizado. Pude notar que à medida que as peças eram retiradas dos veículos eram etiquetadas, antes de serem arrumadas nas longas prateleiras, o que iria no futuro permitir sua rápida identificação. No centro do galpão, um espaço livre com uma grande bancada, onde estava dispostos uma infinidade de ferramentas – chaves estrela, combinada e soquete, torqueses, alicates, punções... que, após serem utilizadas, voltavam aos seus respectivos lugares. Claro que a maioria daqueles carros existe para a satisfação dos seus proprietários, para as exposições de veículos antigos – nunca para uso diário. Mais à frente notei alguns automóveis antigos em fase final de restauração – de fabricação nacional, americana e europeia. Fiquei surpreso que os "pacientes", como os mecânicos chamavam os veículos, que aguardavam a sua vez de serem atendidos, estavam totalmente limpos, esperando por sua restauração nem parecia uma oficina. No finalzinho da ala de restauração um dos veículos que lá se encontrava me chamou atenção. O nome do modelo, escrito em metal cromado em alfabeto cirílico, permitiu-me identificar de imediato um clássico exemplar inglês da década de 1950. – Esse aqui é lindíssimo! Comentei com o encarregado. – Sim, é muito bonito! Disse-me, olhando para o carro com um misto de ternura e admiração. – Quanto valerá? Perguntei. – Não sei. O preço é um detalhe que não nos envolvemos, respondeu-me com um sorriso. Percebi naquele momento que, a exemplo dos colecionadores, eles também usam expressões evasivas para se referir ao fator preço. Dificilmente falam em valores. Afinal, não são comerciantes de veículos. Logo a seguir passei por uma grande e moderna estufa de pintura. Estava vazia e com as lâmpadas apagadas. Saí da restauradora de automóveis fascinado. Tive a sensação de estar diante do testemunho material da história do automóvel no período final do último século. Aquele local era mais interessante que um showroom de veículos novos, por mais beleza e novidades pudessem oferecer. Infelizmente, não adquiri nenhum veículo – e a busca vai continuar.

JOÃO DA MATA COSTA, professor do Depto de Física - UFRN (damata@dfte.ufrn.br)

Bandeira branca a favor do livro No último dezembro ele completou 85 anos de uma vida inteira trabalhando como gráfico. Antônio José Bandeira "Seu Bandeira" como é conhecido por todos os amantes de livros de Natal. Um homem simples morava numa casinha humilde no bairro das Rocas. Falei com ele há pouco tempo por telefone. Ele esperava uma visita presencial. Por trás daqueles óculos grossos uma vida de paixão pela gráfica. Na sua casa onde frequentei algumas vezes, as velhas máquinas alemãs. Uma guilhotina, uma prensa e uma máquina de gravar. Seu Bandeira encadernou boa parte dos livros de Natal. Muitas bibliotecas foram salvas das intempéries com o santo ofício de um gráfico amador. Um gráfico amante dos livros e de suas tipografias. Foi na tipografia Lira onde Bandeira aprendeu tudo sobre seu ofício. Ainda tenho dezenas de livros para encadernar. Como fazer, agora. Quem vai escrever com tipos móveis o titulo e autor do opus na lombada? Seu filho, também conhecido por Bandeira, levou quatro livros meus para encadernar. Serão os últimos tocados pelas mãos desse artesão maravilhoso. Antes do tipo móvel e o papel; os ladrilhos, as tabuinhas cobertas de cera, o papiro e o pergaminho. Depois do seu Bandeira não sei o que será de nossas bibliotecas. Lamentavelmente um homem como esse não foi convidado para o programa "Memória Viva" da UFRN. Que memória tem essa cidade dos seus grandes mestres e artistas? Seu Bandeira amava as velhas tipografias e conhecia os clientes pelas obras que encadernava. Na incipiente e nova história do livro entre nós não é possível esquecer o nome do artesão Bandeira. O livro também é forma, ilustração e encadernação. Bandeira era um digníssimo representante de uma linhagem nobre que começou com Gutenberg e seu minúsculo prelo. A encadernação preserva o livro e o salva para as gerações futuras. Seu Bandeira foi um grande protetor do livro e salvou muitos das intempéries e burrice do mundo. Bobagem achar que um

dia o livro vai acabar. Ainda mais com a proteção bandeiriana. Instrumento frágil, o livro é presa fácil do fogo, das intempéries, dos cupins e das viúvas. Bom lê-los com uma bela encadernação. Alfarrábios antigos eram transformados e perpetuados por Bandeira. Seu Bandeira assim como outros grandes encadernadores deixaram suas marcas. O livro fica conhecido pela encadernação. A encadernação mais que um simples costurar, colar, gravar e encapar é um artesanato podendo ser uma grande arte. No livro La Reliure Française de 1900 a 1925 (Dois Tomos) de Crauzat E., vejo as primorosas edições Michel, Kieffer, Mercier, Gruel e outras obras primas da encadernação. A encadernação de Bandeira é feita com um material mais simples e sem desenhos nas capas. Ele tem a sua marca e suas capas são feitas com cartolina marrom ou preta e a lombada em brim onde são impressos com tipos móveis o título e autor do livro. Ainda este ano encadernei as minhas teses de mestrado e doutorado e outras monografias. Seu Bandeira foi o maior encadernador de Natal. Boa parte de minha biblioteca foi encadernada por ele. Atualmente seu filho Bandeira segue o ofício do pai e deve se manter nesse nobre labor. Ele sempre aparece pra buscar os livros e entregar no meu local de trabalho. Diz gostar de trabalhar e procura trabalho. Recomendo sempre não aparar os livros e encadernar com as capas originais. Protejo-os como velhos amigos de todas as horas. A encadernação é como uma nova capa que protege os livros das intempéries e do manuseio. No dia da morte de Seu Bandeira gostaria de dizer que ele cumpriu bem o seu dever nessa rápida passagem entre nós. Seus filhos hão de tocar o barco naquilo que é possível remar nesse mar das tormentas. Que siga em paz com a benção de todos os bibliófilos e amantes desse incurável vício de manter e cultuar os livros. Salve São Jerônimo e todos aqueles que fizeram do livro um objeto de desejo e de eterno amor. Salve Seu Bandeira.

O perigoso mundo dos jornalistas genéricos

Artigo

FRANCISCO DE SALES FELIPE, advogado (salesfel@gmail.com)

Solo de juriti O ninho é a lembrança que vai com os pássaros no seu voo para, um dia, os trazer de volta. Talvez seja a dimensão de refúgio existente nos gravetos dispostos um a um, concebidos com a afeição de quem sabe que ali as plumas irão compor toda a meiguice de um abrigo, onde o amor pede ao tempo para não passar, e o campo roga às suas flores todo o perfume, que impulsione, pela saudade, as asas no seu retorno feliz. Todos nós carregamos nossos ninhos. Desfazê-los é negar a memória do passado. A saudade veio me buscar para ir a uma antiga catingueira encravada no que restou de caatinga no meu Desterro. Quis conferir se o ninho da juriti estava, ou não, vazio. Segui o curso de um riacho cujas areias falavam de uma orfandade de água. Aqui e acolá, meus pés no areal procuravam minha infância. E ela se foi nas queimadas de xiquexique. Ou, talvez, ainda, esteja à sombra de uma velha oiticica esperando a hora para seu último banho de açude. Mais ao longe, quando o riacho se arqueia num respeito à centenária catingueira, os meus olhos alcançam, sem

Artigo

qualquer esforço, aquele ninho no galho daquela árvore sem flor e de poucas folhas. Catingueira sem florada é sinal de seca malvada no meu sertão. Se a ausência da flor naquela árvore era prova concludente de que a chuva não viria, o querer ir além para conferir aquele ninho era mais um ato de um nostálgico compulsivo do que a conduta de um sertanejo assuntando o tempo antes de fazer o corte na terra onde o milho crescerá, ou ficará na desilusão da cova queimada pela seca. O ninho fora abandonado. E seus gravetos choravam a sua solidão e a nudez daqueles galhos. A juriti negou ao ninho o seu apego. E a chuva, à catingueira a certeza de flores. Agora, no caminho de volta, uma sombra me acompanha. A catingueira que tantas vezes vi florir - ressentia-se do açoite do tempo. E meus passos, num contratempo de quem não quer chegar ao destino, preludiam um tempo menos apressado. Ninguém pode ir ao passado sem que traga no bornal essas marcas do tempo. Comigo, um sentido de ausência.

Naquele galho, o ninho sequer guardara as penas do ano que passou quando as carícias anunciavam o amor daquele tempo. Era quase fim de tarde quando avistei os primeiros galhos da atalaia da casa grande do Desterro - uma oiticica de sombra farta. Tomei-me de emoção não só por ter chegado ao destino, trazendo comigo sobras de um tempo que passou, mas também por, novamente, poder descansar à sombra daquele templo onde deixara os gritos de alegria da minha infância. O silêncio tomava conta do fim do dia. O riacho se acalmava com seu destino de areia. O ninho - essa lembrança que acompanha o voo solitário - estava vazio. E a sombra - que arremessa as nossas divagações - se misturava ao ocaso. Subitamente, o silêncio é interrompido. É uma juriti desacompanhada que leva pra longe aquela sombra. Naquele ano, o meu sertão e o sertão dos sertanejos não viram a chuva. (Ao nonagenário do patriarca Vicente Severiano, antigo tropeiro do sertão do Seridó).

LAVOISIER NUNES DE CASTRO, advogado

José Lins do Rêgo O Governo da Paraíba prestou significativa homenagem ao escritor José Lins do Rêgo Cavalcanti. A festa durou uma semana, em junho transato, como acontece há 30 anos, em João Pessoa. Durante a Semana Cultural foram realizados diversos eventos artísticos, com debates, apresentações musicais, teatrais, exposições, exibição de filmes, oficinas e palestras, além da participação de atores e grupos de artes cênicas para lembrar o romancista de Fogo Morte e Menino de Engenho. A Fundação Espaço Cultural da Paraíba, obra de Tarcísio Burity, recebeu o batismo de Espaço Cultural José Lins do Rêgo, numa merecida homenagem ao escritor paraibano, um dos maiores autores regionalistas da literatura brasileira contemporânea. Diplomado pela Faculdade de Direito de Recife, em 1923, José Lins do Rêgo, nascido em Pilar, município da caatinga litorânea, às margens do Rio

Artigo

Paraíba, exerceu a função de Promotor Público em Manhuaçu, Minas Gerais (1925), tornando-se depois funcionário do Ministério da Fazenda. Membro da Academia Brasileira de Letras, cadeira n° 25, José Lins do Rego foi precursor do neo-realismo do romance pós-modernista. Desenvolveu toda a sua atividade literária no Rio de Janeiro, onde colaborou em diversos jornais e revistas. Guardava um amor telúrico e imorredouro pela querida Paraíba, com especial atenção para a sua pequena e bucólica cidade de Pilar. Daí porque as suas obras se constituem um libelo social sobre as grandezas e as misérias da caatinga litorânea e da várzea de Itabaiana, verdadeiro tombamento sociológico da região onde nasceu, com seus mitos, costumes e crendices. Os seus livros Menino de Engenho, Doidinho, Banguê, Usina e Fogo Morto retratam as cenas e episódios do cha-

mado "ciclo da cana de açúcar", histórias que remontam ao século XVII. O misticismo, a seca e o cangaço estão retratados em Pedra Bonita e Os Cangaceiros. O próprio escritor considerava como autônomas as suas obras Moleque Ricardo, Pureza, Riacho Doce, Água-mãe e Eurídice. Cronista de nomeada, nos deixou Gordos e Magros, Poesia e Vida, Bota de Sete Léguas, a Casa e o Homem, Gregos e Troianos, além de outras produções que fazem parte do seu acervo literário. Ensaísta, homenageou o consagrado pintor areiense Pedro Américo, publicando em seguida Homem, Seres e Coisas, Presença do Nordestino na Literatura Brasileira, Conferências no Prata e Roteiro de Israel. Em 1956, um ano antes de sua morte, publicou as suas memórias, Meus Verdes Anos.

JUAREZ CHAGAS, professor do Centro de Biociências da UFRN (Juarez@cb.ufrn.br)

Visão da morte perante o idoso II O tema sobre a Tanatologia, em qualquer que seja o nível e esfera, apesar de parecer hostil, velado ou incomum e agressivo, tem merecido, cada vez mais, a atenção da ciência, fato antes mais abraçado pela religião. Tenho abordado em artigos e palestras sobre o assunto a tônica em torno desta questão formativa que, o medo natural da morte (o que tornou óbvio o afastamento para o enfretamento do tema) foi, especialmente no Ocidente, a não aceitação de sua discussão nos três mais importantes meios indissociáveis à vida do ser humano: família, escola e sociedade. Isso faz com que a morte sendo não apenas o terror do indivíduo e da espécie, mas também o maior tabu da humanidade, o qual, apesar de se constituir num fenômeno diário de perda para a pessoa, indivíduo, ainda é o mais próximo do ser humano se encontra. Felizmente, têm aumentado os estudos e pesquisas sobre a questão do envelhecimento e do fenômeno da morte, especialmente na chamada terceira idade, uma vez que é neste período que o ser humano entende estar se aproximando de sua própria finitude. Evidentemente que, ainda falta muito para o entendimento que o indivíduo deveria ter sobre sua própria morte, pois por esta significar seu fim, nunca houve interesse ou melhor dizendo, coragem para que o indivíduo discutisse a inevitabilidade da sua extinção de sua vida através dos tempos. Nesse aspecto, antes da própria religião, a filosofia, partiu na

frente sobre essa importante discussão, mesmo focando seu pensamento de forma generalizada no que diz respeito à aceitação da morte como sendo algo providencial e necessário. Assim sendo, a abordagem filosófica do envelhecimento e da morte sempre foi importante premissa como fundamento do pensamento filosófico. Montaigne, por exemplo, afirmou que "Quem ensinasse os homens a morrer os ensinaria a viver". É, ainda hoje, uma interessante reflexão, uma vez que só entendemos bem uma questão, quando também desvendamos seu outro lado. É como se uma dualidade, mesmo parecendo paradoxal (o que é contraditório uma dualidade ser paradoxal), deva ser igualmente considerada e discutida amplamente, uma vez que estas fazem parte do mesmo contexto. É como se, por exemplo, só entendêssemos o valor de uma moeda, vendo suas duas faces. Ou também sabermos o verdadeiro valor do bem, ao contrapor o mesmo com seu antagônico, o mal. Ou ainda, agradecermos pela luz, porque sabemos de se outro lado, a escuridão. Portanto, podemos afirmar que a reflexão sobre a morte é reflexão sobre a vida, pois só vivemos plena e intensamente se nos conscientizarmos e aceitarmos que somos finitos, mortais e que cada momento deve ser vivido plenamente, principalmente quando se está chegando ao fim da vida pelo avançar da própria idade. Sempre digo que assim como nossa sociedade, que se diz moderna, nâo está

preparada para a morte (inclusive discuti-la), também não está a mesma preparada para a velhice. Começa pela idéia que os jovens têm de que são eternamente jovens ou por estarem tão envolvidos e absorvidos na juventude, nao se dignam a verem a velhice ao seu lado a qual, em poucos anos por eles esperam. Em consequência disso, especialmente no Ocidente, o idoso não tem o respeito, o cuidado e o amor que mecere de sua família, amigos e sociedade em geral. É claro que existem outros fatores que fazem o idoso pensar na morte e estabelecer uma visão específica sobre a mesma. Mas, esses três fatores acima citados (respeito, cuidado e amor), ou seja, a falta deles para com o idoso se constitui em fator preponderante para que o idoso se sinta abandonado e propício a aceitar a morte mais naturalmente, quando, por outro lado, inclusive a deseja antes do tempo. Cuidar de nossos idosos é cuidar da família e da dignidade que esta deve ter, porque, a família instituição não envelhece e nem morre, mas seus componentes sim. Viva, portanto, a China, onde há uma Lei através da qual os filhos são obrigados a cuidar dos pais em sua velhice, assim como estes cuidaram de seus filhos ao nascerem, até se tornarem adultos e escolherem sair de casa, mas não da família. É inegável que o Oriente tem muito a nos ensinar, nem tudo claro, mas tem. É só olhar para sua tradição e modernidade também (http://juarez_chagas.blogspot.com/).

A área jornalística sempre foi terreno propício à invasão de pessoas que se julgam aptas ao exercício da profissão e, agora, com o fim da obrigatoriedade do diploma, virou a casa de mãe Joana, com figuras que se julgam jornalistas, pelo simples fato de terem blogs dos mais diversos assuntos, portando carteiras próprias e comparecendo a tudo que é evento, seja ele social, esportivo, político ou até mesmo um batizado qualquer por aí. Está difícil para as assessorias de imprensa dos mais diversos campos lidar com tanta gente querendo credencial para adentrar nos eventos em geral. Se o assessor afirmar que só entra quem a empresa que ele representa tem interesse, vai ser um caos, cabendo até processo de bullying. Se credenciar todo mundo, corre o risco de passar vergonha com tanta gente falando errado e escrevendo menos ainda, interessada só e somente só em ser ele mesmo, a notícia. Sim, pois agora temos muitos que aparecem mais que as notícias. Em fotos que vemos em sites e blogues, os autores aparecem tanto que os aniversariantes, os noivos ou os políticos são meros detalhes. Além de estarmos presenciando um tempo onde os jornalistas aparecem mais que os entrevistados ou os fatos noticiados, tem um monte aí se arvorando a ser formador de opinião. Espalha pelos quatro cantos da cidade que seus textos influenciam as pessoas, induzem ao consumo disso e daquilo e levam multidões a restaurantes indicados. O caminho do jornalismo genérico está aberto e a fortuna acena para muitos devido a própria futilidade de toda a sociedade, louca para sair numa coluna. Os novos e os velhos ricos, precisando aparecer para os amigos e familiares como pessoas importantes, conduzem os genéricos jornalistas e/ou colunistas e/ou blogueiros e/ou seja lá que nome possamos dar, para um mundo de vinhos, degustações, viagens, hospedagens, tendo casos de apartamentos doados, carros transferidos, contas bancárias regadas mensalmente e, até a combinação ipsis litteris do que deve ser publicado. O bom jornalismo ensina em todo canto que o jornalista, o repórter, editor, apresentador, deve interferir o mínimo possível na informação, sendo por isso vedado o uso de paletó numa beira de praia, pois, sendo isso fora do comum, o telespectador ou leitor desviaria a atenção do que realmente importa, para o fato do jornalista estar vestido de maneira inadequada num calor danado. Isso se chama ruído na comunicação. Hoje em dia, o ruído virou regra e, o que vale, é o camarada aparecer a todo custo. Aparece em todas as fotos, aparece em todas as festas, prestigia Deus e o Diabo, acendendo uma vela para todos os santos católicos, divindades hindus, tudo com a ideia fixa de marcar presença, de fazer amigos, formar a rede de network. Muitas coisas seriam saudáveis e corretas, se a pessoa assumisse que seu trabalho é o de exaltação a si mesmo, o trabalho de tornar sua vida mais feliz, de ganhar dinheiro com isso e, deixar de lado essa fantasia, esse autoengano de que pratica jornalismo. Jornalismo é informação de interesse coletivo, são fatos reais que precisam ser compartilhados com a sociedade como uma forma sadia de sabermos o que acontece à nossa volta e no planeta que moramos. Sabemos que os veículos tem opinião, que existem interpretações dos fatos, que pessoas de acordo com sua formação educacional, social, familiar e até política, analisam os acontecimentos de maneira pessoal, por isso os cursos de jornalismo defendem o aprofundamento da leitura crítica da comunicação, para que possamos entender de maneira mais ampla todo esse jogo, mas o foco da coisa toda é a informação, não o informante. Com o fim do diploma e a ocupação do espaço da comunicação por genéricos e todos os babados mais, com muitos se achando o próprio pop star, a última Coca-Cola do deserto, aliado a falta de interesse da população em geral, em todo o planeta, por coisas mais profundas, só Herbert Marshall McLuhan sabe o que vai acontecer nesta aldeia global com tantos caciques e poucos índios na taba mundial e, se, MacLuhan afirmava que o meio era a mensagem, estamos caminhando para que a mensagem seja o meio mais fácil de aparecer, ganhar dinheiro, poder e, envergonhar de vez, quem continua tentando fazer da informação, um produto sério e necessário, sem embalagem e sem tanta frescuragem.

NOTÍCIAS QUE OS OUTROS PUBLICARÃO AMANHÃ

OJORNALD EHOJE DIRETOR-EDITOR Marcos Aurélio de Sá DIRETOR ADMINISTRATIVO Marcelo Sá DIRETORA DE REDAÇÃO Sylvia Sá

EDITORES Dessana Araújo Élida Mercês João Ricardo Correia EDITOR DE POLÍTICA Túlio Lemos EDITOR DE ESPORTES

w w w . j o r n a l d e h o j e . c o m . b r Gabriel Negreiros EDITORA DE CULTURA Daniela Pacheco EDITOR RESPONSÁVEL / PORTAL JH Wagner Guerra GERENTE COMERCIAL Karina Mandel

ASSINATURA ANUAL Capital: R$ 210,00 Interior (via ônibus): R$ 250,00 Interior e outros Estados (via correios): valor da assinatura + o custo da postagem EXEMPLAR AVULSO R$ 1,00

ASSINATURA SEMESTRAL Capital: R$ 130,00 Interior (via ônibus): R$ 150,00 Interior e outros Estados (via correios): valor da assinatura + o custo da postagem EDIÇÃO ATRASADA R$ 4,00

O JORNAL DE HOJE se reserva o direito de não aceitar informes e material publicitário que infrijam as leis do país e a ética jornalistica. Informações, comentários e opiniões contidos em artigos assinados não possuem, necessariamente, o endosso da Direção. Só é permitida a reprodução de matérias com prévia autorização escrita e com a citação da fonte em destaque

REDAÇÃO E OFICINAS: Rua Dr. José Gonçalves, 687 - Lagoa Nova | Natal - RN - CEP 59056-570 |Brasil - Telefax: (84) 3211-0070 ramal 214 - Assinaturas: (84) 3221-5058 | jornalismo@jornaldehoje.com.br - www.jornaldehoje.com.br Editado e publicado por RN Gráfica e Editora Ltda. http://www.jornaldehoje.com.br - jornaldehoje@digi.com.br - jornaldehoje@uol.com.br - artigos@jornaldehoje.com.br - administracao@jornaldehoje.com.br - jornalismo@jornaldehoje.com.br - assinaturas@jornaldehoje.com.br - comercial@jornaldehoje.com.br


Política

Quarta-feira

Natal, 18 de julho de 2012

O Jornal de HOJE 3

Carlos Eduardo confirma liderança com 57% mas metade do eleitorado não tem candidato DIRETOR DA CONSULT AFIRMA QUE ELEIÇÃO NÃO ESTÁ DEFINIDA; CAMPANHA E HORÁRIO POLÍTICO PODEM MUDAR O QUADRO Ataques à imprensa e aos vereadores, notificação na Justiça Eleitoral, condenação na Câmara Municipal de Natal, nome divulgado na lista de fichas sujas do Tribunal de Contas do Estado (TCE), pedido de impugnação da candidatura pela coligação adversária. Nada do que foi feito durante essa pré-campanha parece abalar a confiança do eleitor no nome de Carlos Eduardo Alves, do PDT. Na última pesquisa divulgada pela Consult, em parceria com o Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon), o ex-prefeito continua líder, com 57% das intenções de voto na pesquisa estimulada. Contudo, pelo menos na avaliação do diretor da Consult, a eleição ainda não está definida - faltando pouco mais de três meses para o pleito. "Se a eleição fosse em julho, diria que está decidida, mas não é. Os candidatos têm possibilidade de reverter a situação", avaliou Paulo de Tarso, se referindo principalmente ao fato de muitos ainda "não saberem em quem votar" (quase 50% na pesquisa não estimulada) e o que poderá ser feito durante o período de propaganda eleitoral - e horário político na televisão e no rádio. Na pesquisa não estimulada, o "vencedor" continua sendo "não sabe", com 44,4%. Somada aos que não votam em nenhum dos candidatos, que é 9,9%, esse número chegaria a quase 55% dos pesquisados. "Não é que eles não tenham nenhum candidato, mas estão em dúvida e ainda podem mudar de acordo com a campanha e as ações de marketing e de conduta que podem ser usados pelos candidatos", avaliou Paulo de Tarso. Ainda na espontânea, Carlos Eduardo tem 34% dos votos, dez

metade dos votos de Hermano: 3,4%. O candidato do PSOL, Robério Paulino, com 0,3%, e Roberto Lopes, do PCB, com 0,1%, fecham a lista da pesquisa estimulada da Consult. "Essa pesquisa pode ajudar, inclusive, os candidatos a prefeito na hora de elaboração das ações de marketing e da campanha. Afinal, mostram que, entre outras coisas, Carlos Eduardo é muito forte na zona Sul (61,4%), que nas zonas Norte e Oeste estão os maiores índices de indecisos (14,3% e 14,8%) e que um número considerável de mulheres ainda não sabem em quem votar (15,9%), sobretudo as mais jovens e as de meia idade. Elas são um público fiel que os candidatos poderiam investir", aconselhou Paulo de Tarso. Segundo a Consult, Carlos Eduardo também leva a melhor no índice de rejeição. Dos candidatos, o pedetista é menos rejeitado, com 9,7%. O petista Mineiro é o que terá que trabalhar mais na campanha para reverter a rejeição, visto que tem um número de 20,3%. "Essa pergunta foi de múltipla escolha. Cada pesquisado respondeu três nomes e, com a saída de Micarla da lista, agora que não é mais candidata, Mineiro ficou no topo", acrescentou Paulo de Tarso. Depois de Mineiro, o mais rejeitado é Roberto Lopes, do PCB, com 19,8%; Robério Paulino, com 17,7%; e Rogério Marinho, com 15,9%. Hermano Morais aumentou sua popularidade, mas também sua rejeição. Segundo a pesquisa, agora é rejeitado por 15,2%. "Avaliamos também a rejeição daqueles que já escolheram candidatos. Por exemplo, para o eleitor de Rogério Marinho e o de Mineiro, o nome mais rejei-

‘ ’ Se a eleição fosse em julho, eu diria que está decidida, mas não é. Os candidatos têm possibilidade de reverter a situação. PAULO DE TARSO DIRETOR DO INSTITUTO CONSULT

vezes mais que a segunda colocada, que é a vice da chapa encabeçada por ele: a ex-governadora e ex-prefeita Wilma de Faria, com 3,2%. O candidato do PMDB, Hermano Morais, aparece logo em seguida, com 2,5%, e a frente do nome do PSDB, Rogério Marinho. Fernando Mineiro, do PT, é o seguinte, com 1,4%. Fátima Bezerra, parceira petista de Mineiro e que não será candidata, tem 0,8%. Na avaliação estimulada, quando os nomes dos candidatos são apresentados para os pesquisados, os números de Carlos Eduardo Alves chegam aos 57,8%. Em segundo, Rogério Marinho ultrapassa Hermano Morais, com 8,3% das intenções de voto, contra 6,8% do peemedebista. Fernando Mineiro aparece na quarta posição, com metade quase

tado é Carlos Eduardo. Para o de Carlos Eduardo e Hermano, o pior é Mineiro", avaliou Paulo de Tarso.

CARLOS EDUARDO ALVES - PDT

ROG��RIO MARINHO - PSDB Heracles Dantas

Em janeiro, na primeira pesquisa feita pelo Sinduscon, o ex-prefeito de Natal tinha 42,8% das intenções de voto. Esse número aumentou para 44,2% em março (em fevereiro não houve pesquisa), mas chegou a casa dos 42,5% em abril. No mês seguinte, o candidato do PDT voltou a ter vantagem sobre os adversários, com 47,3% das intenções de voto. Contudo, foi em junho que ele bateu seu recorde pessoal de preferência, alcançando a marca dos 59%. Vale lembrar que foi justamente nesse mês que a ex-governadora Wilma de Faria anunciou a retirada oficial da candidatura e o apoio ao ex-prefeito, fato que acabou encobrindo a condenação na Câmara Municipal que tornou Carlos Eduardo um "ficha suja". Em julho, início da campanha eleitoral, novamente houve redução na intenção de votos: 57,8%.

SATISFAÇÃO

José Aldenir

Um número interessante que a pesquisa da Consult (protocolada com o número 33/2012 no Tribunal Superior Eleitoral) trouxe foi o grau de satisfação do povo natalense. Aproximadamente 45% dos moradores da capital acreditam que sua vida tenha melhorado no último ano, independentemente da política. "A melhora do poder aquisitivo é fundamental para isso", avaliou o diretor do Sinduscon, Francisco Lemos. O presidente do Sinduscon também comentou o número: "isso mostra que a população está vivendo melhor, mas também mais crítica com relação às gestões públicas".

José Aldenir

A segunda colocação de Rogério Marinho já foi mais tranquila. Ele começou a pré-campanha em janeiro com 5,2% das intenções de votos. Em março, o número subiu para os 6,8% e, em abril, foi ainda maior: 8,1%. Contudo, em maio, a superioridade contra o terceiro colocado, Hermano Morais, começou a reduzir. Nesse mês, o candidato do PSDB chegou apenas aos 6,7%. Em julho, voltou a subir, mas acompanhado por Hermano: 8,3%.

HERMANO MORAIS - PMDB José Aldenir

MINEIRO, DO PT

O deputado Fernando Mineiro está se configurando como a "quarta força" das eleições municipais deste ano. Começou o ano com 2,1%, subiu para 3,7%, em março, e chegou aos 4,1% em abril. Contudo, nas pesquisas de maio, junho e julho, voltou a reduzir: 3%, 3,2% e 3,4%, respectivamente, não conseguindo se aproximar de Hermano.

O candidato peemedebista foi um dos que mais cresceu no período de pré-campanha. Em janeiro, teve apenas 3,3% e, em março, só 3,6%, ficando atrás inclusive de Fernando Mineiro. Em abril, a situação melhorou: chegou aos 4,4%. Contudo, no mês seguinte, voltou a cair: 3,7%. A aproximação a Rogério Marinho se acentuou em junho, quando Hermano chegou aos 5%, apenas 1,7% atrás do tucano. Neste último mês, alcançou os 6,8%.

Túlio Lemos POLÍTICA - TÚLIO LEMOS -

ELEIÇÃO

A pesquisa Consult/Sinduscon confirma a superioridade numérica da candidatura do ex-prefeito Carlos Eduardo. Embora haja grande número de indecisos e a campanha ainda não começou de fato, caso não haja reação por parte dos adversários, o filho de Agnelo caminha para ser eleito prefeito novamente.

REJEIÇÃO

Um dado curioso chama a atenção na pesquisa: a rejeição. O deputado Fernando Mineiro, embora tenha baixa aceitação, é o mais rejeitado. Robério Paulinho e Roberto Lopes, que a população sequer conhece, são os dois mais rejeitados depois de Mineiro. Esquisito.

MUDANÇA

A pesquisa Consult/Sinduscon revela aprovação e desaprovação das gestões de forma individualizada por áreas; estranhamente, não

tuliolemosjh@gmail.com / www.tuliolemos.com.br / @tuliolemosrn

foi houve o quesito aprovação/desaprovação de forma geral, como vinha ocorrendo. Porém, se os números forem somados e divididos, a desaprovação às ações do Governo Rosalba chegam a 81%. Devastador crescimento negativo.

DESAPROVAÇÃO

A desaprovação de 90% da população para as ações na área de Saúde Pública do Governo do RN, é um tiro de canhão na arrogância oficial, que teima em não aceitar a realidade desastrosa da gestão de uma médica que não conseguiu sequer resolver os problemas de sua área de atuação profissional.

DECRETO

O detalhe que deveria preocupar ainda mais o Governo do Estado é que a desaprovação de mais de 90% na Saúde, foi depois da decretação de calamidade pública. Apenas 5% aprova o que a Rosa faz no setor.

CORRUPÇÃO

RACHA

A governadora Rosalba Ciarlini tentou colar o rótulo de corrupção e escândalos na gestão de sua antecessora, Wilma de Faria. Porém, para a população natalense, 80% desaprova suas ações de combate a corrupção. Ou seja: também nessa área, a gestão não tem uma resposta positiva. Se houver um escândalo consistente, o Governo cai.

A família Alves vai para a eleição municipal de Natal, mais uma vez, dividida. Não só no palanque, com Carlos Eduardo e Agnelo de um lado e Henrique e Garibaldi do outro. Cláudinho Emerenciano, primo de Carlos Eduardo, não poupa críticas ao período de gestão do primo-candidato e de sua vice Wilma de Faria.

BORBOLETA

Caso os promotores de Justiça no interior do RN resolvessem questionar os candidatos a prefeito e vereador sobre a origem do patrimônio apresentado, já teriam farto material para abrir inquérito que poderia resultar em ação para combater enriquecimento ilícito. O problema é que a turma mudou o foco e está mais preocupada com propaganda do que com o que realmente interessa.

A prefeita Micarla de Sousa também amarga pesados índices de desaprovação, mas já deve ter se acostumado aos números negativos. Como não é candidata e não terá tempo para resolver mais nada, os números pouco importam para a Borboleta. Aliás, se houver comparação entre as duas gestões e o tempo de cada uma, Rosalba superou muito Micarla.

BENS

REFLEXÃO

Márlio Forte flagra o momento reflexão do deputado Henrique Alves, depois que saiu o resultado da pesquisa Consult, em que Rosalba está com mais de 90% de desaprovação na saúde. De acordo com Sherloquinho, o namorado de Laurita disse: "Vou ter que sair de perto dessa mulher; não tem futuro. Vou comer o que der no Governo e depois tiro meu time de campo. Ela está pior que Micarla". A Rosa olha de lado e pressente o que o aliado está pensando: "Esse Henrique é muito esperto; quando eu tô por cima, ele fica bem bonzinho; quando sai uma pesquisa dessas, ele já pensa em pegar o beco; é conhecido já".


Natal, 18 de julho de 2012

4 O Jornal de HOJE

Walter Gomes DE BRASÍLIA - walgom@uol.com.br

É esperar para ver Guido Mantega é dedicado ao que faz e educado no trato. Embora tenha cisma com jornalistas, trata-os com atenção. É raro demonstrar que esteja irritado, mesmo sob pressão de cavilosas perguntas dos repórteres sobre a pauta do dia. Os empresários também não reclamam do relacionamento com o ítalobrasileiro nascido em Gênova e criado em São Paulo. t t t A teimosia tem sido a marca registrada de Mantega. Era assim quando ocupou a Pasta do Planejamento e, depois, na presidência do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social). Continua turrão. Com uma diferença, porém. O ministro da Fazenda está bem mais receptivo às sugestões dos empreendedores. Ele logo se interessa quando se tratam de propostas – algumas complicadas, conforme revelação dele – para preservar empregos. t t t Sim, Guido Mantega cultua o otimismo. Diante da desordem econômico-financeira na Europa, cujos efeitos – bem ou mais acentuados – atingem o Brasil, ele promete que o governo controla a situação local. Assegura a remoção de entraves ao investimento e promete, se necessárias forem, outras concessões “para proteger os brasileiros das ameaças externas”.

Foco nas urnas Tendência de intenção de voto para a prefeitura de seis capitais. Todas com menos de 600 mil pessoas aptas ao voto. Seguem na ordem decrescente do eleitorado: 1. Teresina (531 mil) – Firmino Filho (PSDB), 31,4%; Wellington Dias (PT), 22,8%. Pesquisa assinada pela agência DaAZ; 2. Maceió (502 mil) – Ronaldo Lessa (PDT), 24%; Rui Palmeira (PSDB), 22%. Sondagem realizada pelo Gape; 3. Aracaju (368 mi) – João Alves, filho (DEM), 53,4%; Rogério Carvalho (PT), 9,15%. Levantamento do instituto Única; 4. Florianópolis (323 mil) – Angela Albino (PCdoB), 26%; César Sousa Júnior (PSD), 21%. Trabalho do Ibope; 5. Porto Velho (276 mil) – Mauro Nazif (PSB), 22%; Lindomar Garçon (PV), 17%. Números da empresa Phoenix; 6. Vitória (256 mil) – Luiz Paulo Vellozo (PSDB), 30,5%; Luciano Rezende (PPS), 9,1%. Dados de responsabilidade da organização Única. t t t Pós-escrito: a Rede Globo mandou pesquisar quatro grandes centros: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Recife. Divulgação até o início da próxima semana.

Política

Quarta-feira

Prefeito do PMDB cobra ações prometidas pelo Governo do RN BENES LEOCÁDIO REFERE-SE À RETOMADA DAS OBRAS DE INFRAESTRUTURA INICIADAS NO GOVERNO ANTERIOR E PARALISADAS NA ATUAL ADMINISTRAÇÃO DO ESTADO DO RN Heraclis Dantas

JOAQUIM PINHEIRO REPÓRTER DE POLÍTICA

O prefeito de Lajes, Benes Leocádio, do PMDB, está cobrando do governo Rosalba Ciarlini a retomada das obras de infraestrutura e atendimento à população iniciadas em governos anteriores que foram paralisadas no início da atual administração sob o argumento de que o Estado precisava recuperar sua capacidade de investimentos, principalmente nos setores de saúde, educação, ampliação de hospitais, aquisição de equipamentos, reestruturação da rede pública de atendimento nas unidades hospitalares regionais e interiorização das Unidades de Pronto Atendimento, entre várias outras. "O governo tem que rever essa situação das obras paralisadas e intensificar o processo de interiorização das suas ações para chegar à base, evitando por exemplo, no caso da saúde, a superlotação do Hospital Walfredo Gurgel", disse o prefeito, lembrando que a execução de obras no interior proporciona também o oferecimento de emprego e renda no interior do Estado. Benes Leocádio, que é filiado ao PMDB e segue a orientação política do deputado Henrique Eduardo, líder nacional do partido, disse que a governadora Rosalba Ciarlini gerou a expectativa de ser eleita para melhorar os serviços oferecidos à população norte-rio-grandense e consequentemente, a qualidade de vida do povo, entretanto, segundo ele, "as ações não têm chegado na velocidade que se esperava e que foi anunciada durante a campanha eleitoral. "O Estado está engessado", disse o prefeito, para em seguida contestar declarações do secretário da Saúde, Isaú Gerino, que culpou os municípios afirmando que as prefeituras não esta-

Benes Leocádio é liderado politicamente do deputado Henrique Alves, mas está insatisfeito com inoperância do Governo Rosalba riam fazendo sua parte com relação aos graves problemas da saúde. "Isso não procede. Os municípios estão cumprindo suas obrigações dentro de suas limitações", afirma Benes Leocádio.

DIFICULDADES CONTINUAM

O prefeito de Lajes, Benes Leocádio, disse que a situação de dificuldade financeira dos municípios verificada durante o governo Lula da Silva continua no governo Dilma Rousseff, notadamente no que diz respeito à transferências constitucionais e ações dos governos, estadual e federal e estadual para combate à seca. "O Governo do Estado tomou algumas providências, mas nenhum município recebeu até agora os benefícios do Cartão da

> TCE DETERMINA

Paulo Emídio de Medeiros terá que devolver mais de R% 50 mil aos cofres públicos

tido Ecológico Nacional) propõe a Marina Silva filiar-se à legenda para concorrer à Presidência da República. Em 2010, pelo PV, a ex-senadora conquistou ao redor de 20 milhões de votos. t Começa a ser montado o processo de impeachment do governador de Goiás, Marconi Perillo. Em busca de reforço nas para a denúncia, representação da Assembleia Legislativa esteve ontem, na Câmara dos Deputados, com o relator da CPI do Cachoeira, Odair Cunha (PT-MG). t Anunciada para 2013 a edição brasileira de Staline, vie privée, livro da historiadora francesa Lilly Marcou.

Título previsto para a versão em português: A vida secreta de Stálin. t Mudança na estratégia da presidente da República. Dilma Rousseff já admite atuar na campanha eleitoral deste ano. Em verdade, ela teme, com razão, o resultado das urnas em São Paulo, Belo Horizonte, Salvador, Fortaleza e no Recife. t Leonardo Pereira é cotadíssimo para presidir a CVM (Comissão de Valores Mobiliários). O executivo tem passagem pelo Citibank, Gol e Net. t Para refletir: “Nada é tão admirável em política quanto uma memória curta” (John Galbraith, economista estadunidense).

Vereador Ney Jr. mostra bastidores da campanha O vereador e candidato à reeleição, Ney Lopes Jr. acaba de lançar um novo espaço de interação e conectividade com os seus eleitores: é o canal TV 25125 no Youtube disponível através do endereço www.youtube.com/tv25125. O parlamentar já postou alguns vídeos com atividades da campanha que tem o objetivo de demonstrar o dia a dia do processo eleitoral. Ney Lopes Jr. ressalta a im-

Boa notícia para Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) Na bancada do PSB ouve-se que a legenda não pretende abrir dissidência na base parlamentar do governo. Estaria arquivado, portanto, o projeto de apoiar candidatura independente à presidência da Câmara dos Deputados. t t t Aspirante à sucessão do petista gaúcho Marco Maia (foto), Henrique Eduardo caiu na real e foi à luta para administrar resistências ao cumprimento do acordo PMDB-PT, maiores bancadas da Casa. O Palácio do Planalto – sempre envolvido em assuntos do Legislativo – também fazia restrições a Alves. t t t Agora, mais ou menos tranquilo, Henrique Eduardo segue para a eleição na primeira semana de fevereiro do próximo ano. Mas, cauteloso, porque nas coisas da política um fato corriqueiro pode modificar o cenário.

t O recém-criado PEN (Par-

Ex-prefeito de São Fernando é condenado a devolver 56 mil A decisão é da Segunda Câmara do Tribunal de Contas. O ex-prefeito do município de São Fernando, Paulo Emídio de Medeiros, foi condenado a ressarcir ao erário R$ 56.591,00, "em fase da omissão ao dever constitucional de prestar contas", diz o parecer do conselheiro relator Paulo Roberto Chaves Alves. As contas são referentes ao 1º bimestre de 2006 e foram questionadas pelo corpo técnico do TCE, que apurou ainda irregularidades em licitação na modalidade Tomada de Preço e concessão irregular de diárias no valor de R$ 330,00. O ex-gestor também não comprovou os gastos referentes a despesas

te mais os chamados "pau de arara" para transportar alunos da rede pública municipal. "Adquirimos 9 ônibus e o transporte escolar é feito com dignidade", disse o prefeito, acrescentando que está pagando o piso salarial dos professores e climatizando as escolas do município. Concluindo, o prefeito anunciou que deverá deixar a vida pública no término do seu próximo mandato, caso seja reeleito prefeito de Lajes nas eleições deste ano. Disse que a decisão será tomada, principalmente porque continua decepcionado com a política partidária. Nesta eleição ele terá como adversários os candidatos Raimundo Nonato Cunha, do PT e Maria de Lourdes Arruda, do PSDB. (JP)

> CANAL INTERATIVO Divulgação

O novo impulso

LEITURA DINÂMICA

Defesa Civil. De concreto apenas a operação carro-pipa, também com algumas dificuldades", observa o prefeito, acrescentando que foi disponibilizado o seguro safra, mas também existem algumas dificuldades de ordem burocrática. Decepcionado, Benes anuncia que deixará vida pública "Formamos em Lajes uma aliança política com PP, PR, PRB, PSB, PDT, PHS e PC do B objetivando disputar a reeleição para dar continuidade ao trabalho baseado em ações direcionadas para o setor social como construção de moradias, melhoria dos serviços de saúde e educação", disse Benes Leocádio, candidato à reeleição no município de Lajes. Ele ressalta, entretanto, que Lajes é único município do Estado que não exis-

com os empenhos 739 e 1350, que totalizaram o montante de R$ 56.261,00, com a devida correção monetária. O relator ainda impôs ao exprefeito multa de 10% sobre o dano material mencionado e R$ 500,00 pela irregularidade com a licitação. Por decisão do colegiado, os autos serão encaminhados ao Ministério Público Estadual para apuração de responsabilidade. Na mesma sessão da Segunda Câmara de Contas, foram aprovadas as contas da Prefeitura de São Fernando do 1º bimestre do exercício financeiro de 2010. Ainda cabe recurso ao Tribunal Pleno.

portância do canal. “Muitos eleitores têm curiosidade em saber como funciona os bastidores de uma campanha eleitoral. O canal do Youtube mostrará estas particularidades vivenciadas no processo. Diariamente serão postados vídeos com a minha rotina como candidato, também estarei sempre expondo minhas opiniões sobre a cena política e sobre o desempenho do meu trabalho como parlamentar”, comentou.


Política

Quarta-feira

Natal, 18 de julho de 2012

O Jornal de HOJE 5

Saúde na gestão da médica-governadora Rosalba é desaprovada por 90% de Natal PESQUISA CONSULT//SINDUSCON REVELA DESAPROVAÇÃO DOS NATALENSES EM CINCO ÁREAS DE ATUAÇÃO DO GOVERNO DO RN Wellington Rocha

CIRO MARQUES REPÓRTER DE POLÍTICA

Qual a diferença entre a aprovação da governadora Rosalba Ciarlini, do DEM, para a prefeita Micarla de Sousa, do PV? Para o natalense, no que diz respeito à Saúde Pública, nada. Afinal, segundo a nova pesquisa da Consult, realizada em parceria com o Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon/RN), a atuação da médicagovernadora tem, exatamente, o mesmo índice de desaprovação da prefeita: mais de 90%. Os números foram divulgados na manhã desta quarta-feira, na sede do Sinduscon, e mostrou que a atuação da gestora estadual é muito mais criticada do que o governo dela em si. Se, conforme demonstrou a última pesquisa da Consult, divulgada em junho, a administração Rosalba Ciarlini tinha uma desaprovação de 75%, quando o natalense é colocado para avaliar, não o governo, mas sim a atuação dela em áreas diferentes da administração pública, a desaprovação só aumenta. Na segurança pública, por exemplo, a atuação de Rosalba Ciarlini é desaprovada por 84,3% dos natalenses. Na educação, a desaprovação chegou aos 80%. "Isso pode ser consequência dos problemas que vivemos há bem pouco tempo, com a segunda greve da Universidade Estadual do Rio Grande do Norte (UERN)", avaliou o diretor-presidente da Consult, Paulo de Tarso. No que diz respeito as "ações de desenvolvimento para o Estado", os números de avaliação dos natalenses ( 72% desaprovam a atuação da governadora nesse quesito) também mereceram comentário do diretor da Consult. "Isso mostra que talvez o Governo precise melhorar sua área de publicidade, porque a população não está acreditando nas ações".

de 44,8%.

EVOLUÇÃO

Governadora Rosalba Ciarlini chega aos 18 meses de administração com reprovação acentuada da população natalense Além disso, no último quesito avaliado pelos natalenses na pesquisa, o "combate a corrupção", a atuação de Rosalba é novamente "posta em xeque". Afinal, apesar de falar, nos vários pronunciamentos oficiais que fez ao longo dos 18 meses de gestão que, neste mandato, não há casos de corrupção como as operações Higia e Ouro Negro, por exemplo, a governadora é desaprovada por 79% nas ações de "combate a corrupção". É importante ressaltar que, apesar dos quesitos pesquisados pela Consult aparecerem apenas os aspectos negativos e dificuldades que toda administração pública precisa enfrentar, quando se passa para a avaliação da atuação da presidente da República, Dilma Rousseff, do PT, a situação é bem diferente. Na segurança pública, por

exemplo, a ação da presidente é desaprovada por um número bem menor: 44%. Na saúde pública, a desaprovação é de 56%; na educação por 44%; nas ações de desenvolvimento do governo, por apenas 29%; e no combate a corrupção por 38,7%. "Essa pesquisa ajudou a desmistificar, um pouco, a administração Dilma Rousseff, que é bem avaliada por muitos, mas quando se toca em certos aspectos, as consideradas 'feridas' da população, essa aprovação cai e a desaprovação aumenta", avaliou Paulo de Tarso.

DESCRENÇA

Além de desaprovar a atuação de Rosalba Ciarlini na saúde, educação e segurança públicas e não acreditar nas ações tomadas pelo Governo para o desenvolvimento

do Estado e no combate a corrupção, o natalense também não está muito confiante nas obras voltadas para a realização da Copa do Mundo em Natal. O estádio Arena das Dunas, que para muitos é a obra da Copa mais evoluída, é um dos principais alvos de desconfiança do natalense: 41,8% não acreditam que ele vai ficar pronto até 2014. O aeroporto de São Gonçalo do Amarante é outro alvo do descrédito: só 54% acham que ele vai estar concluído até o ano do mundial. No que diz respeito às obras de mobilidade urbana para a Copa, a desconfiança é ainda maior. Apenas 6,1% acreditam que todas as obras ficarão prontas. "Algumas obras", 41,5% dos natalenses acham que ela vai ficar concluída. E "nenhuma", o surpreendente número

Segundo a Consult, a desaprovação da gestão Rosalba Ciarlini tem crescido consideravelmente neste segundo ano de administração. Inclusive, é a única que parece mudar a cada nova avaliação dos natalenses - Micarla de Sousa tem uma desaprovação considerada "cristalizada" e Dilma Rousseff tem uma aprovação avaliada como "na média". Se comparar os números divulgados em dezembro, também pela Consult, Rosalba Ciarlini tinha 59% de desaprovação. Em junho, os números já chegaram aos 75%, um aumento de 15% em seis meses. Em julho, uma avaliação feita pela Consult em Mossoró mostrou que nem na cidade onde foi prefeita por duas vezes, Rosalba está sendo bem avaliada. Lá, 84% dos eleitores votaram na candidata do DEM para o Governo do Estado, contudo, agora, mais de 40% desaprovam a administração Rosalba Ciarlini em Mossoró. Em Natal, já neste mês, a pesquisa não trouxe a avaliação da gestão, mas mostrou que a atuação de Rosalba, em alguns aspectos, é ainda mais criticada.

MICARLA

Quanto à gestão da prefeita Micarla de Sousa, na saúde pública, os números de desaprovação foram iguais aos de Rosalba Ciarlini, ou seja, 90%. Na educação municipal, a administração é desaprovada por 88,4%; a limpeza urbana por 91,8%; e o transporte público por 80,3%. "É importante ressaltar que na pesquisa a população da zona Sul de Natal se mostrou a mais crítica com a gestão Micarla de Sousa", reforçou Paulo de Tarso. Isso, porque a pesquisa da Consult apontou que na zona Sul, a saúde pública, por exemplo, é desaprovada por 98% da população; a educação municipal por, também, 98%; e a limpeza urbana por 95,9%.

PESQUISA

A pesquisa da foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral com o protocolo número 33/2012. É a sexta e última da parceria entre Consult e Sinduscon. "Agora começa o período de campanha e não queremos nos envolver na guerra eleitoral e política que se sobrepõe a todos os outros. Nosso objetivo era trazer o mais cedo possível a população para o debate a acreditamos que conseguimos", avaliou o presidente do Sinduscon, Arnaldo Gaspar Júnior.

Herácles Dantas

Secretários de Saúde e Segurança justificam elevada desaprovação

Presidente do Sindicato dos Médicos, Geraldo Ferreira, faz duras críticas à gestão da governadora Rosalba Ciarlini

Geraldo: “Rosalba não chegou preparada para administrar” Na avaliação do presidente do Sindicado dos Médicos, Geraldo Ferreira, a governadora Rosalba Ciarlini assumiu o estado despreparada para gerir o setor de saúde pública. Ele analisa a desaprovação de 90% da saúde pública estadual sob dois aspectos: Além do desconhecimento da complexidade por parte da gestora, também a falta de prioridade dada à pasta. "Nos últimos 18 meses o governo adotou um tratamento com os trabalhadores da saúde de forma lastimável. Ela não ouve as entidades médicas e não tem procurado orientação de quem conhece o setor. Ela chegou ao governo, apesar de ser médica, com falta de visão dos problemas de saúde. Acredito que na administração de Mossoró ela entendeu o micro, mas não entendeu que existe o macro. A administração estadual envolve complexidade superior na área de saúde, na prefeitura vai de pediatria, obstetrícia, clínica geral, no estado a

complexidade é muito superior. Ela não chegou preparada para administrar a saúde", avaliou o presidente do Sinmed. Além disso, segundo Geraldo Ferreira, houve um aprofundamento da crise no setor porque não houve priorização. Segundo ele, a governadora está conduzindo a saúde para o projeto ideológico de terceirização, o que confronta com a ideia que a população faz sobre o serviço de saúde. "Não acredito nessa história de terceirização, de que a população está muito satisfeita. A população não é inocente e sabe que quando você está terceirizando, está entregando ao setor privado. Há gasto grande de recursos e passa uma imagem muito ruim do governo", observou. O decreto de calamidade pública, ainda conforme o presidente do Sinmed foi enxergado como oportunismo e como uma forma de o governo se livrar das amarras de licitação e do concurso público e

com isso terceirizar o setor, entregando a saúde a apadrinhados e contratando empresas sem licitação. "Tudo isso vai gerando na população um aspecto psicológico extremamente negativo em relação ao governo", observou. Ele destacou, por fim, que a população se depara diariamente nas unidades com a degradação do atendimento, cuja qualidade, segundo ele, tem descido ladeira abaixo. "No governo Rosalba descemos aos piores índices de abastecimento nas unidades hospitalares. Nos governos anteriores, o nível de abastecimento ficava em torno de 70% ou quando muito grave chegava a 50 % dos itens. Agora, a situação está muito mais grave. Há um mês e meio, a chefe da farmácia do Walfredo, em depoimento, revelou que só tinha 25%, estava faltando 75%. Então é claro que reflete no atendimento. Por isso é justo a reprovação, devido à falta de zelo com que o governo está tratando a saúde". (AV)

O secretário de Saúde Pública, Isaú Gerino, atribui ao elevado índice de desaprovação do setor - de 90% - a "um processo crônico que vem de longos tempos" no Estado. Ele aposta na efetivação do plano emergencial do governo, lançado recentemente, para modificar o quadro. "Como todos nós sabemos, a saúde pública atravessa situação agudizada, de um processo crônico que vem de longo tempo com relação a atendimentos, principalmente nos grandes hospitais da capital em virtude de uma falta de planejamento que existia e hoje nós estamos com esse plano de enfrentamento", afirmou Gerino. O secretário afirmou que Rosalba foi "heroica" ao aceitar reconhecer estado de calamidade na saúde, que possibilitará o recebimento de recursos emergenciais por parte do governo federal. "O plano está sendo executado. Estamos iniciando o processo, recebendo do Ministério para nos próximos dias consolidarmos esse apoio. E estamos tentando reforçando os hospitais regionais, hierarquizando o atendimento, criando uma central de regulação única, com cobertura total do SAMU", disse. Segundo o secretário, antigamente a alta complexidade cabia ao Estado, e a média complexidade às prefeituras e hoje com o plano tudo vai ser tudo englobado com a parte de internações e hierarquização do paciente que vem do interior para capital. "Isso vai ser regulado, o paciente vai vir regulado, vai saber que vai chegar do interior, caso haja necessidade, mas vamos reforçar as unidades regionais, e o SAMU é que vai dizer se há necessidade de vir para a capital. Com isso acreditamos que vamos fazer um plano estrutural, não chega a ser emergente, mas estrutural. Isso foi apresentado ao ministério que deu total apoio". Segundo Gerino, é primeira a vez que um plano de enfrentamento desse porte é feito no Rio Grande do Norte. "Já houve enfrenta-

Herácles Dantas

Isaú Gerino afirma que novas ações do Governo irão dar resultado positivo mento anterior, que não resolveu, não repercutiu em nível regional. Esse engloba a capital e o interior", disse.

SEGURANÇA

Para o secretário Aldair da Rocha, o governo Rosalba somente agora irá se dedicar com maior ênfase à segurança pública em Natal e na Região Metropolitana. Ele afirmou que nesses primeiros meses o governo se dedicou a combater os índices de violência no interior e no Oeste, especialmente em Mossoró, onde havia um elevado índice de homicídios. "No interior vamos continuar o trabalho, que considero que está sendo bem feito. Mas na Região Metropolitana, o planejamento está pronto para, até o final do ano, melhorar bastante. Acredito que na próxima avaliação a população vai se sentir mais segura e vai avaliar melhor a segurança no governo do Estado". "Independentemente desse número que foi apresentado, vimos desenvolvendo um trabalho de estrutura da área de segurança pública. A gente recebeu a pasta sem receber investimentos há muitos anos. Estamos trabalhando e reconstruindo", disse Rocha, em entrevista ao JH. No que diz respeito ao interior, o número de homicídios caiu em torno de 9%. "Além disso, tivemos

a Operação Sertão Seguro, do Batalhão de Operações Especiais no interior do Estado. Criamos o 12º batalhão na cidade de Mossoró. Interiorizamos a Policia Civil. Tínhamos 12 ou 13 comarcas que tinham Policia Civil, e hoje esse número chega a 40 cidades. 150 policiais novos formados foram para o interior. Ou seja, no interior conseguimos dar assistência. Agora a capital e a região metropolitana nos preocupa muito", declarou. Entre os municípios que mais preocupam, cita a São Gonçalo, Extremoz, Nísia Floresta e Parnamirim. E entre os bairros de Natal, a Zona Norte e a Zona Oeste. "Vamos intensificar o trabalho de presença nas ruas. A PM está fazendo barreiras. Nossa intenção é melhorar a presença da polícia na região metropolitana", destacou, informando que o governo está adquirindo 164 viaturas para a PM que vão ficar na região metropolitana. E mais 80 carros de Polícia Civil, para o estado todo. "Estamos em processo de contrato para a renovação da frota de carros alugados. Também estamos recebendo armamentos novos, coletes balísticos, 44 motocicletas estão sendo compradas e entregues junto com os carros. No segundo semestre a preocupação é investir na região metropolitana", finalizou. (AV).


6 O Jornal de HOJE

Natal, 18 de julho de 2012

Cidade

Quarta-feira

Empresários recorrem à Justiça para garantir reajuste da tarifa de ônibus ESTA É A TERCEIRA VEZ, NESTE ANO, QUE O SETURN PLEITEIA AUMENTO. PREFEITURA FOI INTIMADA À PRESTAR ESCLARECIMENTOS Mesmo em meio ao processo de licitação do transporte público de Natal, os empresários do transporte público entraram, pela terceira vez este ano, na Justiça solicitando o reajuste na tarifa de ônibus. O Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Natal (Seturn) solicitou às empresas a elaboração das planilhas de custos atuais e a avaliação do impacto causado pelo aumento no óleo diesel e reajuste no salário dos funcionários. Todavia, a Secretaria de Mobilidade Urbana descarta a possibilidade de reajuste na tarifa antes que seja finalizado o processo de licitação do transporte público em Natal, previsto para outubro ou novembro. Nas outras duas vezes, a Justiça indeferiu o pedido dos empresários em reajustar a tarifa. Diante do novo pedido, na Justiça, o juiz da 3ª Vara da Fazenda Pública de Natal, Geraldo Antônio da Mota, determinou a intimação do município de Natal para que se manifeste, em cinco dias, sobre novo pedido de reajuste feito pelas empresas representadas pelo Seturn. A decisão do magistrado foi publicada no Diário da Justiça desta segunda-feira (16). Geraldo Mota já havia indeferido requerimento anterior do Seturn, que pleiteava um aumento na tarifa dos atuais R$ 2,20 para R$ 2,36. Além da revisão da tarifa praticada no setor, foi requerida avaliação segundo os custos efetivos do

serviço e a observância da regra da anualidade do reajuste tarifário. O Seturn pediu ainda uma indenização no valor de R$ 389 milhões, sendo R$ 265,6 milhões advindos do pedido de indenização em razão de defasagem tarifária. Além disso, o Sindicato e as empresas visam discutir a necessidade de reajuste existente em outra ação, a de nº 0805551-10.2011.8.20.0001, também em trâmite na 3ª Vara da Fazenda Pública. Enquanto a decisão judicial não sai, o Seturn, que quer uma nova tarifa já a partir de agosto, terá uma reunião no próximo dia 31 de julho para definir a proposta para novo preço da tarifa nos ônibus em Natal. Os empresários querem elevar o preço da tarifa devido ao aumento dos custos do óleo diesel e também do reajuste aos funcionários. De acordo com o diretor de comunicação do sindicato, Augusto Maranhão, o pedido de reajuste na tarifa se deve pelo aumento médio de 4% no valor do preço do óleo diesel nas bombas. Além disso, o reajuste de 6,53% concedido aos motoristas e cobradores também será levado em consideração no debate acerca dos novos preços. "A situação não está nada fácil para os empresários. A tarifa não aumenta, mas os custos só crescem. Algo deve ser feito, pois do jeito que está, não podemos continuar. Com o aumento do diesel e o reajuste nos salários, ou aumenta a

passagem ou a Prefeitura concede a isenção dos impostos", pontuou. No entanto, Augusto disse que para evitar o reajuste nas passagens e que a conta seja paga pelo usuário do sistema, o Seturn vai apresentar também a alternativa de redução e isenção de impostos do sistema. Segundo Augusto Maranhão, as empresas estão no limite, porque o sistema de transporte em Natal só tem o usuário como financiador, ao contrário de outras capitais que têm isenção de impostos como ICMS e ISS. Mas, para ele, existem formas alternativas de buscar o equilíbrio das empresas sem penalizar o usuário. "Não tem sentido uma empresa de ônibus contribuir com 25% de ICMS sobre o preço do óleo diesel, enquanto o querosene de aviação e o óleo diesel dos barcos pesqueiros são isentos do imposto", disse. O secretário adjunto de Trânsito da Secretaria de Mobilidade Urbana de Natal (Semob), Haroldo Maia explicou que não há necessidade de conceder reajuste na tarifa de ônibus no momento, visto que o edital de licitação do transporte público, que deverá ser lançado na primeira quinzena de agosto, já fixa o valor da nova tarifa de ônibus. "Em função disso, não há necessidade de conceder aumento agora e depois o edital modificar essa tarifa. Mas esse é o entendimento da Semob, e quem concede o reajuste é a chefe do executivo municipal", disse. Haroldo explica que o

Herácles Dantas

Segundo Haroldo Maia, processo de licitação do transporte público prevê reajuste da tarifa para o final deste ano novo valor da tarifa previsto no edital deverá passará a vigorar a partir da assinatura do contrato da licitação, que deve acontecer entre outubro e novembro deste ano. Além disso, o diretor do Seturn também defende uma revisão na política de reintegração. Em Natal quase 2 milhões de passagens são abrangidas pelo sistema de isenção da 2ª tarifa. "Não somos

> PONTA NEGRA

contrários à integração, mas defendemos que seja subsidiada pelos gestores, que se tenha um delta que as empresas possam abater em suas cargas tributárias, porque quanto mais há integração mais alguém se beneficia e alguém tem que pagar por isso". O último reajuste na tarifa de ônibus foi concedido pela Prefeitura no dia 22 de janeiro de 2011. Na

ocasião, o então prefeito em exercício Paulinho Freire autorizou um aumento de 10%. A tarifa de R$ 2 passou para R$ 2,20. Para tanto, o Executivo fez duas exigência ao Seturn: instalação de GPS em toda a frota de ônibus - assim, percurso, horário e freqüência das linhas de poderão ser monitorados - e a inclusão de mais 24 ônibus para atender os usuários.

> JUSTIÇA DO TRABALHO

Sem plano, Prefeitura recorre aos sacos Carrefour é condenado de areia para conter a força da maré alta a pagar indenização Mesmo após ter decretado o estado de calamidade pública, na última sexta-feira (13), do calçadão de Ponta Negra, a Prefeitura de Natal ainda não conseguiu viabilizar recursos federais para a reconstrução do calçadão. Diante do fracasso, a prefeita Micarla de Sousa retornou a Natal para cumprir as exigências necessárias para pleitear os recursos federais. Enquanto isso, o trade turístico reclama da demora da Prefeitura em solucionar o problema e teme que as marés de agosto, tida como as mais altas, possam trazer mais prejuízos ao calçadão. No final da manhã desta quarta-feira (18), a chefe do executivo municipal se reuniu com os secretários de Turismo, Obras Públicas e Infraestrutura, Urbanismo e Meio Ambiente, Serviços Urbanos e Defesa Civil, na Secretaria de Turismo (Sectur). Durante a reunião, Micarla de Sousa apresentou aos secretários os resultados da sua ida a Brasília e traçou as diretrizes a serem seguidas a partir de agora para a liberação dos recursos para reconstrução do calçadão de Ponta Negra. Segundo o secretário Municipal de Segurança Pública e Defesa Social (Semdes), Carlos Paiva, os técnicos da Guarda Civil já estão trabalhando na elaboração do relatório que deverá ser enviado à Defesa Civil Nacional, que é a comprovação para o estado de calamidade pública, e a condicionante para liberação dos recursos. Carlos disse que a expectativa é que a próxima sexta-feira (20) o relatório já esteja concluído e que na segundafeira (22) deverá ser apresentado em Brasília. "Havendo o reconhecimento, estamos aptos a receber os recursos federais", explicou. Antes da reunião com a prefeita, Carlos Paiva se reuniu com os técnicos da Defesa Civil, da Semsur, Semurb, Urbana, Semopi, Sempla e da Caern para que cada um possa fazer sua parte no relatório final que será enviado à Brasília. "O relatório é muito complexo e bem detalhista e cada um tem que fazer sua parte, para, a partir daí, apontar os valores que serão necessários para recuperar o calçadão de Ponta Negra", explicou. Na manhã de hoje, apenas três agentes da Defesa Civil de Natal estavam no calçadão de Ponta Negra. Nenhum fiscal da Semsur

Desde março calçadão está sendo destruído pelo mar e Município não tem plano e da Semurb estava no local orientando os comerciantes, turistas e transeuntes. A situação continua a mesma, sem que nenhuma providência tenha sido tomada para resolver o problema. Os tapumes, que serviam para interditar as áreas de risco, e que foram retirados durante o fim de semana, ainda não foram repostos e a área está isolada apenas com telas de proteção, que é insuficiente para impedir o passeio dos pedestres pelo calçadão. A parte do calçadão que ainda não cedeu já apresenta rachaduras e desnivelamento, sinal de que pode desmoronar a qualquer momento. Um dos agentes, que não quis se identificar, disse que os três agentes são suficientes para fazer o serviço de orientação à população, no entanto, a única máquina que está no local é insuficiente para concluir a barreira de contenção de areia que está sendo feita para minimizar os efeitos das marés altas previstas para amanhã e sexta. "Será apenas um paliativo, para conter a água e impedir que a força da maré traga mais prejuízos. Sabemos que não vai resolver, vai apenas minimizar o impacto", disse

o agente da Defesa Civil. A turista pernambucana Adalgiza Farias conta que quando chegou a Natal ficou surpresa com a destruição do calçadão de Ponta Negra. Ela, que se aventura em caminhar pelo calçadão destruído, reconhece o risco, mas não dispensa aproveitar os últimos dias de férias. "Entendo os riscos, mas temos que aproveitar a praia. Se não fosse para caminhar, que tivessem interditado geral e não apenas parcialmente. Quem é de fora não sabe o que está acontecendo", disse a turista. TRADE TURÍSTICO QUESTIONA DEMORA NAS AÇÕES MUNICIPAIS Representantes do trade turístico expressaram, durante reunião na tarde desta terça-feira (17), insatisfação mediante a aparente inércia do Município em resolver a situação. O encontro promovido pela Associação Brasileira da Indústria de Hotéis no RN (ABIH-RN) reuniu empresários de hotéis e representantes da Prefeitura e do Governo do Estado. Diante da falta de um plano para solucionar o problema, os empresários sugeriram

que a Prefeitura de Natal colocasse sacos de areia para conter o avanço do mar e o impacto das marés de agosto. O vice-presidente da ABIHRN e coordenador da Câmara Empresarial do Turismo na Fecomércio, George Gosson, disse que o trade turístico está preocupado com o atraso, por parte da Prefeitura, em tomar providências para solucionar o problema de forma definitiva. "A situação é preocupante e muito grave e os empresários têm sentido diretamente o impacto na ocupação", conta George Gosson. O secretário de Serviços Urbanos de Natal, Luís Antônio Lopes acatou a proposta de empresários e do secretário estadual de Turismo, Renato Fernandes, para medidas de contenção por uso de sacos de areia. Os sacos usados serão os destinados à produção salineira de 1 mil quilos e o custeio terá participação, se necessários, dos empresários. O secretário disse que a ação paliativa deve começar ainda esta semana. "Sabemos que esta é uma medida provisória e, enquanto não tomam providências para solucionar o problema, tentamos minimizar os efeitos das marés altas e impedir mais prejuízos ao calçadão de Ponta Negra. Estamos dispostos a ajudar e a trabalhar em conjunto", disse. George Gosson disse que o trade foi surpreendido com a informação de que a Prefeitura de Natal havia pedido mais 20 dias para apresentar a equipe técnica que irá elaborar os laudos técnicos com soluções a curto, médio e longo prazo. "É um pouco contraditório, pois a Prefeitura decreta estado de emergência para agilizar na resolução do problema, mas ao mesmo tempo pede mais prazo para montar a equipe técnica, que será quem determinará o que fazer para resolver o problema. Como querem resolver o problema desse jeito?", questionou. A determinação judicial para a interdição, no último dia 7 de julho, previa a nomeação de perito técnico, a ser contratado pelo Município. A Prefeitura descumpriu ainda o prazo de cinco dias dado pela Justiça para apresentar equipe técnica assistente, que irá auxiliar na elaboração do laudo pericial. O prazo expirou na última segunda feira, 15. Na última sexta-feira, entretanto, a Prefeitura pediu reaprazo de 20 dias.

por dano moral coletivo

O Tribunal Regional do Trabalho no Rio Grande do Norte (TRT/RN) manteve condenação contra a empresa Carrefour Promotora de Vendas e Participações, consistente no pagamento de R$ 1 milhão por dano moral coletivo, além de multa no valor de R$ 450 mil pelo descumprimento de decisão judicial. O julgamento decorreu de recurso interposto pela empresa, no curso da Ação Civil Pública nº 0003900.71.2011.5.21.0009, ajuizada pelo Ministério Público do Trabalho. Na decisão, fundamentada no voto da desembargadora Maria do Perpétuo Socorro Wanderley, reconheceu-se a gravidade da conduta irregular da empresa, referente a não concessão do repouso semanal após o sexto dia de trabalho consecutivo, em prejuízo à saúde e à vida dos empregados. Inconformada com a sentença de primeira instância, proferida em fevereiro desse ano, a empresa recorreu ao TRT/RN na tentativa de modificar a condenação que lhe foi imposta. O recurso objetivou, inicialmente, a exclusão ou redução da multa de R$ 450 mil aplicada à empresa, referente ao descumprimento da ordem judicial decorrente da decisão liminar, que havia determinado a obrigação de conceder o repouso semanal remunerado após o sexto dia consecutivo de trabalho. A determinação fixou o dever da empresa de dar ciência aos empregados da referida liminar, com a respectiva comunicação à Justiça do Trabalho até o dia 30 de janeiro de 2012, sob pena de multa diária de R$ 50 mil. No entanto, por omissão da empresa, tal comprovação somente ocorreu em 9 de fevereiro de 2012, ensejando a aplicação da multa. Nas contrarrazões do Ministério Público do Trabalho, o procurador regional do Trabalho Xisto Tiago de Medeiros Neto destacou que "se nem mesmo o estabelecimento da multa no valor de R$ 50 mil por dia de descumprimento persuadiu ou sensibilizou o Carrefour a adimplir a ordem judicial, faz-se incongruente e absolutamente contraditória a pretensão da empresa de ser excluída a multa ou reduzido o seu valor". A decisão do TRT/RN, de acordo com o voto proferido pela desembargadora Maria do Perpétuo Socorro Wanderley seguido à unanimidade pelos demais magistrados da 2ª Turma, manteve a aplicação da multa, considerando que "a conduta da em-

presa somou ao já combatido desrespeito aos direitos de seus empregados, o desrespeito ao Poder Judiciário, e assim, a um só tempo, arrostando o ordenamento jurídico material e processual". Quanto à condenação pelo dano moral coletivo no valor de R$ 1 milhão, a Corte Regional enfatizou que as "condições de trabalho demonstradas nos autos, ao excluírem a pausa semanal, ofendem a dignidade dos trabalhadores, porque a ausência de repouso semanal gera desgastes físicos e psíquicos que comprometem sua integridade, o que está evidenciado em pesquisas acerca da saúde e segurança no cenário da relação de emprego". Dessa forma, concluiu que a conduta da empresa trouxe inequívocos riscos à saúde e segurança da coletividade dos empregados, configurando uma prática ilícita reprovável e devidamente comprovada, materializando o dano moral coletivo, a ensejar a sua reparação. BREVE HISTÓRICO Antes de propor a ação, o MPT/RN instaurou Inquérito Civil e realizou audiência, propondo ao Carrefour a assinatura de Termo de Ajustamento de Conduta para cessar a prática ilícita, comprovada por meio de Relatório de Fiscalização da Superintendência Regional do Trabalho, tendo havido, porém, recusa da empresa. Diante disso, foi proposta a ação civil pública, requerendo o cumprimento da obrigação de fazer correspondente à concessão do repouso semanal aos empregados, após o sexto dia de trabalho na semana, além do pagamento de indenização de R$ 1 milhão por dano moral coletivo, diante dos prejuízos gerados à coletividade de trabalhadores ao longo do tempo. Na petição inicial, o procurador regional do Trabalho Xisto Tiago de Medeiros Neto assinalou ser "intolerável o desrespeito a direito fundamental da coletividade dos trabalhadores, com inequívocos riscos à saúde e segurança, constituindo-se a conduta da empresa em padrão comportamental a atingir todo o universo de empregados". Os argumentos e pedidos do MPT/RN foram acolhidos na sentença proferida pelo juiz do trabalho substituto da 9ª Vara, Cácio Oliveira Manoel, que antes concedera a medida liminar, diante da comprovação da irregularidade praticada pela empresa e das consequências danosas.


Economia

Quarta-feira

HOJE na Economia MARCOS AURÉLIO DE SÁ

marcossa@jornaldehoje.com.br

A coluna cede hoje seu espaço à publicação de artigo - assinado em conjunto pelo advogado tributarista Rafael Coelho e pelo secretário-adjunto de Desenvolvimento Econômico do RN Américo Maia - que trata sobre o grande potencial gerador de energia elétrica por meio de fontes renováveis, que o Rio Grande do Norte e outros Estados nordestinos possuem, sem que isto represente para eles, hoje, sequer a perspectiva de um justo aumento de suas arrecadações tributárias. Infelizmente, a legislação tributária do país, fiel ao que preceitua a Constituição, nega aos Estados produtores o direito da cobrança do ICMS (Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços) sobre a produção energética, transferindo essa vantagem para os Estados consumidores. No texto, eles sugerem que se inicie uma luta política para mudar essa situação.

As fontes renováveis de energia e o desenvolvimento sustentável do NE: o problema das receitas públicas RAFAEL CÉSAR COELHO DOS SANTOS ADVOGADO, PROFESSOR DE DIREITO TRIBUTÁRIO E MEMBRO DA COMISSÃO DE ASSUNTOS ENERGÉTICOS DA OAB/RN (RAFAELCOELHO1982@YAHOO.COM.BR) AMÉRICO NOBRE DE MARIZ MAIA SECRETÁRIO-ADJUNTO DA SECRETARIA DE ESTADO DO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO DO RN E AUDITOR FISCAL DA SECRETARIA ESTADUAL DE TRIBUTAÇÃO (AMERICOMAIA@OI.COM.BR)

O Nordeste brasileiro possui um potencial imenso para a geração de energia elétrica a partir das fontes renováveis (sol, vento, biomassa, marés, energia geotérmica). Para comprovar essa afirmação, basta se pensar no sol e nos ventos presentes na região. Primeiramente, o sol inclemente e as poucas chuvas que predominam em todo o sertão nordestino - muitas vezes, considerados flagelos causadores da seca - colocam os Estados dessa região entre os melhores locais do mundo para a geração de energia solar, com "uma radiação solar comparável às melhores regiões do mundo, como a cidade de Dongola, no deserto do Sudão, e a região de Dagget, no deserto de Mojave, Califórnia" (Atlas de Energia Elétrica do Brasil da Agência Nacional de Energia Elétrica-ANEEL). Acerca desse imenso potencial solar do Nordeste, é importante destacar que o mesmo já começa a ser aproveitado economicamente. É no sertão do Ceará que se encontra a primeira geradora solar a produzir energia elétrica comercialmente na América Latina: a usina Solar Tauá, situada no município do mesmo nome e pertencente à empresa MPX. Além disso, a maior parte dos pedidos de autorização de usinas solares no site da ANEEL é de empreendimentos localizados na região - Rio Grande do Norte, Ceará, Paraíba e Bahia já contam com projetos de usinas solares. O vento é outro recurso natural abundante no Nordeste. Prova disso se encontra no grande número de parques eólicos já instalados ou em fase de construção em diversos Estados, que permitem afirmar que a geração eólica já é uma realidade na região nordestina e dentro da matriz energética brasileira. Diante do panorama traçado, é evidente que as suas características de sol e ventos colocam para o Nordeste a oportunidade de ser líder na produção de energia elétrica de forma limpa - substituindo a queima de combustíveis fósseis poluentes (petróleo, carvão, xisto) - e também de participar, assim, duma atividade econômica moderna e dinâmica. Porém, isso não é suficiente quando se trata de uma porção do país com concentração de indicadores de desenvolvimento econômico, social e ambiental desfavoráveis. A geração de energias renováveis não pode ser vista apenas como mais uma dentre tantas outras atividades econômicas passíveis de serem realizadas na região. De fato, com o aproveitamento das fontes energéticas renováveis, o Nordeste vê diante de si uma possibilidade real de melhoria dos seus índices de desenvolvimento, sobretudo para os municípios pobres. Em poucas palavras, a geração de energia elétrica a partir das modernas fontes renováveis consiste numa grande oportunidade - talvez, a única - de promover o desenvolvimento sustentável regional, tudo em conformidade com a Constituição Federal de 1988 (CF/88), a qual estabelece, como objetivo fundamental da República Brasileira, "erradicar a pobreza e reduzir as desigualdades sociais e regionais". Entretanto, para essa atividade econômica ser realmente promotora do desenvolvimento do Nordeste, existem certos problemas que precisam ser resolvidos. O problema abordado neste artigo decorre do sistema constitucional de repartição das receitas públicas oriundas da geração de energia elétrica. Pode-se afirmar sem medo que a forma de divisão das receitas públicas oriundas da atividade de produção de energia elétrica desenhada pela CF/88 não foi feita

para as modernas fontes renováveis como a solar, a eólica, a biomassa, a geotérmica; ela foi feita, isto sim, apenas para a fonte hidrelétrica. E as consequências dessa inadequação serão prejudiciais para o Nordeste e demais regiões produtoras de energia oriunda dessas novas fontes. Explicando para o leitor, o sistema constitucional de repartição das receitas públicas advindas da produção de energia elétrica transfere dos Estados produtores para os Estados consumidores dessa energia todo o ICMS incidente sobre ela, independentemente de qual seja o recurso natural utilizado para a sua produção (art. 155, § 2º, X, 'b', da CF/88). Em contrapartida, os Estados e os Municípios produtores da energia elétrica recebem uma compensação financeira, a qual, porém, somente é devida no caso de essa energia ser produzida pelo aproveitamento dos potenciais de energia hidráulica, visto que estes são bens públicos (art. 20, VIII, e parágrafo único da CF/88). Assim, para o caso da geração hidrelétrica - praticamente a única que existia no Brasil na época da elaboração da CF/88 - essa sistemática aparecia como adequada, visto que buscava conciliar, embora sob pesadas críticas, os interesses, de um lado, dos Estados e Municípios produtores e, do outro, dos Estados consumidores de energia elétrica - notadamente, as unidades da federação mais industrializadas do Sul e Sudeste do país. Uma vez analisada a sistemática de repartição das receitas públicas relativas à energia elétrica, fica fácil perceber que a mesma simplesmente desconsidera a geração com base nas modernas fontes renováveis e, assim, prejudica enormemente os detentores dessas fontes de energia limpa - destacadamente, os Estados e Municípios nordestinos. Isso porque nenhuma receita pública será auferida diretamente pelos entes produtores da energia limpa gerada a partir das novas fontes, já que, como visto acima: (a) o ICMS sobre essa energia é todo transferido para o Estado consumidor da mesma; e (b) não há previsão de nenhuma compensação financeira pelo uso dos potenciais solar, eólico, de biomassa, geotérmico etc., na medida em que estes não são considerados bens públicos. Obviamente, é impossível se esgotar toda a análise da problemática decorrente da inapropriada sistemática de repartição das receitas públicas advindas das modernas fontes renováveis de energia num espaço tão curto. Assim, este artigo buscou somente despertar a sociedade para o problema, com o propósito maior de estimular, sobretudo a classe política do Nordeste, a reivindicar sua solução junto ao Congresso Nacional e ao Governo Federal. Ressalte-se, por fim, que não se pretende aqui sugerir a instituição de nenhum novo tributo ou cobrança de outro tipo, mesmo porque há suficiente espaço para uma melhor redistribuição das receitas já previstas sem aumento da carga fiscal. Isso pode ser obtido, por exemplo, pela definição da produção de energia elétrica a partir das modernas fontes renováveis como critério para os Estados e Municípios produtores receberem recursos dos royalties da produção de petróleo e gás do pré-sal ou recursos do Fundo de Participação dos Estados e do Fundo de Participação dos Municípios - tudo em sintonia com o princípio do desenvolvimento sustentável. Outras soluções, por óbvio, são possíveis. O mais importante agora é aproveitar o momento - que é bastante propício, pois o Congresso está discutindo sobre o Pacto Federativo - para solucionar o problema. Em suma, é fundamental, portanto, a modificação do sistema constitucional de repartição das receitas públicas advindas da energia elétrica para que os Estados e Municípios do Nordeste e das demais regiões produtoras se beneficiem do aproveitamento dos seus potenciais de energias renováveis e caminhem, assim, para o alcance do desenvolvimento sustentável regional.

Natal, 18 de julho de 2012

O Jornal de HOJE 7

Prova viva de um milagre faz palestra hoje à noite em Natal NANDO PARRADO

SOBREVIVEU À QUEDA DE AERONAVE Wellington Rocha

DANIELE LISBOA REPÓRTER

O que não nos mata, nos fortalece. Se a frase eternizada pelo filósofo alemão Friedrich Nietzsche pudesse ser personificada num ser humano, ele certamente seria o uruguaio Nando Parrado. Por fora, um senhor bem apessoado, alto, de cabelos lisos e grisalhos, olhar sereno e sorriso largo e fácil. Por dentro, uma fortaleza - capaz de suplantar a própria morte. Aliás, não apenas superá-la, mas fazer tirar dela a força para não morrer. E ir além de sobreviver, cunhando uma nova definição para o que outrora seria tido como impossível: um milagre. Por debaixo da aura de celebridade, intelectual, poliglota (fala sete línguas), autor de bestseller, conferencista internacionalmente reconhecido e colecionador de premiações, se revela um homem, apenas. De uma singeleza simplesmente singular. Afável, bem humorado e com afiadíssimo senso de humor, o sorriso no rosto de Parrado permaneceu praticamente perene ao longo do bate papo exclusivo com O JORNAL DE HOJE, ocorrido na manhã também singular, paradoxalmente chuvosa e ensolarada desta quarta-feira, 18. Seja ao falar de temas afáveis, seja ao Nando: “Não há tempo para filosofia. Um copo d’água é só um copo d’água” lembrar os momentos mais árduos da sua vida. Montevidéu, capital uruguaia, ao morrer". O amor à vida, mesmo Antes da conversa, porém, invés de negar a idade, Nando perante as circunstâncias nefastas, mesmo ciente do tempo exíguo Parrado brinca ao dizer que na foi o que lhe deu forças para lutar que tinha para conceder uma série verdade tem 86 anos, haja vista por ela. de entrevistas, Parrado se deteve sua experiência de vida. Foi com esse pensamento que por alguns segundos diante do E ele tem toda a razão. Em quase dois meses depois da queda enorme mirante do Hotel Serhs. 13 de outubro de 1972, quando do avião, em 12 de dezembro de Maravilhado, num breve momen- tinha apenas 19 anos de idade, 1972, Parrado convenceu dois to de silêncio e contemplação, ao fazer uma viagem para o Chile, amigos a deixarem junto com ele ele admirou o mar verde azulado a trágica queda do seu avião no o local do acidente. O trio camida Via Costeira, absorto. meio das Cordilheira dos Andes nhou por 11 dias no terreno ásDespertado pelos assessores, - que ceifou a vida da sua mãe e pero e praticamente inóspito da ele acordou do espetáculo natu- irmã caçula - forçou que nele neve, obrigados a escalar monral que admirava, tanhas sem quale seguiu em pasquer equipamente, sos rápidos para e suportar o frio, o elevador, com fome e dores dos "Circunstâncias difíceis te elevam destino ao local ferimentos. Até entrevista. Olhar que encontraram para ser o pior que você pode ser sempre pacato, ajuda, em 23 de mãos repousadas dezembro do ou o melhor que você pode ser" nos bolsos da mesmo ano, perto calça, tudo em do natal. E dos 45 Nando Parrado tripulantes iniciais transmitia sossedo voo, 16 sobrego e bonança. abrolhasse a sua extraordinária viventes foram resgatados. Na sala Turquesa do Hotel capacidade de superação, que Daí, Nando Parrado fez do Serhs, surgiu o Nando Parrado pode certamente ser definida limão que a vida lhe deu, uma normal, como todo e qualquer ser como inacreditável e imbatível. bela limonada. Escreveu o besthumano. Com defeitos e virtudes; A consternação e desespero seller mundial "Alive", que duas vitórias e derrotas. E uma histó- com o terrível acidente, a conse- décadas depois virou filme, alria extraordinária para contar. qüente morte de dois dos seus çando-o ao reconhecimento munO bate-papo descontraído já entes mais amados e as condições dial. Começou uma carreira de começou para lá de animado. Ao aterrorizantes do local - onde todos sucesso como empresário, tendo ouvir o lamento da repórter acer- estavam feridos, a temperatura era fundado uma empresa especialica da sua infelicidade devido ao de 30 graus negativos e pratica- zada em ferramentas e duas de tempo insuficiente para entrevis- mente sem nenhum tipo de comi- produção de mídia e TV. tá-lo, respondeu - sempre com da, abrigo ou agasalho - não foi suApesar de todo o seu gabarium sorriso - que adora a palavra ficiente para fazê-lo esmorecer. to, Nando Parrado é modesto ao 'infelizmente'. "Se uma coisa é muito difícil, dizer que não era o melhor para "Ela não existe no espanhol. você tem que ir com ainda mais ser o herói do grupo. "Se eu olho Falamos 'lamentavelmente'. Já garra. Eu só tinha duas opções: la- para trás e estudo minha persona'infelizmente' faz com que todos mentar ou aprender e encontrar lidade, eu não era o mais indicaos problemas sejam minimizados. forças para lutar e sobreviver. Foi do. Mas as circunstâncias me fiAjuda a amenizar", justificou. o que fiz", sintetiza. "Pensava zeram diferente. É na situação que Nascido há 61 anos no seio de muito no meu pai, no imenso so- você vai se encontrar, vai descouma família classe média em frimento dele, e que não queria brir se você é diferente", ensina.

‘ ’

Pragmatismo é um dos segredos para vencer obstáculos da vida No seu prisma, a sua capacidade sobrehumana de superação adveio basicamente de dois fatores: genética e educação. E o pragmatismo, fortemente presente em ambos. "Filosofar é uma perda de tempo. O pragmatismo, a objetividade, é um dos principais segredos do sucesso. Na luta pela sobrevivência, não existe tempo para filosofia", alfineta. "A minha educação foi muito importante, tanto dos meus pais quanto do colégio. Estudei numa

escola muito rígida, muito espartana, de padres irlandeses. E meu pai sempre foi um homem que cursou apenas a educação básica, muito pragmático. Se um padre nos castigava, o meu pai respaldava. Hoje, a educação é muito permissiva", opina. Um dos únicos momentos da entrevista em que Parrado titubeia é ao ser questionado se considera a capacidade de superação um dom inato. "Se eu falar que sim, serei presunçoso. Se eu falar que não sei, parece que não sei. Acredito que

é uma combinação de fatores. A genética foi muito forte, venho de uma família russa, em que meus avós e meus pais passaram por uma guerra. A herança cultural e genética é parte da cultura humana", afirma. E conclui, sempre com um sincero sorriso nos lábios: "Circunstâncias difíceis te elevam para ser o pior que você pode ser ou o melhor que você pode ser". No seu caso, ele foi muito mais do que o melhor que poderia ser: foi insuperável. (DL)


8 O Jornal de HOJE

Natal, 18 de julho de 2012

Quarta-feira

CMYK


Cidade

Quarta-feira

Natal, 18 de julho de 2012

O Jornal de HOJE 9

Fotos: Wellington Rocha

De acordo com o Sinte/RN, esta não é a primeira vez que os professores da rede municipal têm problemas com repasse dos vales

Secretário de Educação explica que contrato entre o Seturn e a Prefeitura é de responsabilidade da Segelm, que está sem titular

Prefeitura desconta, mas não repassa auxílio-transporte para os professores DESCONTO

DE

6%

JULIANA MANZANO JULIANA.MANZANO@HOTMAIL.COM

O servidor público que necessita utilizar o transporte público para se deslocar tem descontado 6% de seu salário no contracheque mensal. Alguns optaram por receber o auxílio-transporte, no qual o servidor recebe o valor referente aos vales. Quem já fez esta opção não costuma ter problemas. No entanto, a dificuldade está para aqueles que têm o desconto debitado do contracheque para que este seja revertido em crédito no cartão de passagem. Isso não tem acontecido e os servidores estão sem acesso aos meios de locomoção. O Sindicato dos Trabalhadores em Educação do RN (Sinte/RN) informa que o valor tem sido debitado, mas o benefício não é dado aos professores. Segundo a representante do Sinte/RN, Vera Lúcia Messias, o débito em questão é referente ao mês de julho que deveria ter sido creditado nos cartões no final do

DO SALÁRIO DOS SERVIDORES MUNICIPAIS CONTINUA SENDO REGISTRADO NO CONTRACHEQUE mês de junho, junto com o pagamento dos servidores. De acordo com Vera Lúcia, o problema afeta aqueles que não alteraram a forma de recebimento. "Quem não optou por receber o auxílio-transporte está tendo prejuízo porque os créditos não estão entrando. O secretário municipal de Educação (SME), Walter Fonseca, disse que a Secretaria não está em débito e que o problema está acontecendo porque outras secretarias estão com pagamento atrasado e que o Seturn libera apenas para todas de uma única vez", diz a sindicalista. Segundo ela, além da questão do vale-transporte, os professores da rede municipal estão com outras pendências. "Temos promoções horizontais atrasadas há mais de um ano e verticais com processos atrasados desde 2010. A Lei diz que a dívida deve ser paga retroativa e, portanto, esta dívida só tem aumentado", explica Vera Lúcia Messias. A promoção horizontal do professor é concedida

após avaliação de desempenho anual, na qual o servidor é promovido a cada dois anos. Já a promoção vertical é destinada àqueles professores que fazem cursos superiores como especializações, mestrados e doutorados e têm direito à promoção após a conclusão dos mesmos. Em relação ao vale-transporte, Vera Lúcia garante que a direção jurídica do Sindicato está acompanhando a situação e deve tomar as providências, caso o repasse não seja regularizado. "A categoria está nos cobrando e nós estamos tentando resolver o problema com negociação política. Caso isso não seja possível, vamos fazer movimento ou até entrar com ação na Justiça", completa a representante do Sinte/RN. A reportagem de O Jornal de Hoje procurou o secretário de educação Walter Fonseca e este informou que a liberação dos créditos para os cartões de passagem só é feita quando todas as secretarias estão com os pagamentos regula-

rizados. "Cada secretaria faz o seu pagamento, mas o Seturn tem a Prefeitura do Natal como um contrato global. Então, o órgão não libera os créditos por secretaria. Faz isso apenas quando todas as pastas estão em dia, o que não é o caso", afirma o secretário, informando que a responsabilidade deste 'contrato global' seria da Secretaria Municipal de Gestão de Pessoas, Logística e Modernização Organizacional (Segelm). Questionado se existem débitos referentes à própria SME, o secretário informou que existe um atraso de um mês. "Por conta da suspensão de fornecimento houve um pequeno atraso sim. Não adianta a secretaria pagar e os professores não receberem. Mas quando esta questão for regularizada, nós pagaremos", completou Walter Fonseca. O secretário Sylvio Eugênio deverá passar a responder pela Segelm a partir da próxima semana e durante esta está tomando ciência das questões da Secretaria. No entanto, ao ser informado sobre o

Walter Fonseca garante que a Secretaria de Educação está devendo apenas um mês problema referente aos vales-transportes, Sylvio Eugênio garantiu que "a Prefeitura do Natal não me-

dirá esforços para resolver esta situação com a brevidade e a agilidade que a situação exige".

> OPERAÇÃO PADRÃO

Defensores Públicos Federais pleiteiam aumento de quadro Quem não pode pagar por uma assistência jurídica tem na Defensoria Pública da União (DPU) o seu maior aliado para resolução de problemas na área. Entretanto, a boa execução do serviço em todo o País está sendo penalizada pela falta de quadros, estrutura e autonomia. Para chamar a atenção do Governo Federal, desde a última segunda-feira (16), membros da Defensoria Pública da União e advogados públicos federais de mais da metade das unidades brasileiras deflagraram a chamada "Operação Padrão", que busca reivindicar melhores condições de trabalho e aumento do quadro funcional. No Rio Grande do Norte, na manhã de hoje os Defensores Públicos da União estiveram reunidos na sede da Advocacia Geral da União (AGU), no Barro Vermelho, para definir o ingresso ao movimento. "A abrangência do movimento é nacional e vamos definir os termos para a adesão, o que deverá ocorrer na próxima segundafeira. Queremos melhores condições de infraestrutura, quadro de apoio e autonomia financeira e orçamentária, como já existe na Defensoria Pública Estadual. Dentro da realidade brasileira, a assistência no Estado não deixa tão a desejar, pois tem o mínimo necessário, mas em todo o Brasil são apenas 470 defensores públicos federais para atender o País inteiro, quando o ideal seria no mínimo 800. No Rio Grande do Norte há oito defensores, um em Mossoró, que atende toda a parte cível e criminal, e sete em Natal. Para se ter uma ideia, em São Paulo o atendi-

Wellington Rocha

Defensor José Arruda de Miranda Pinheiro afirma que a adesão do RN ao movimento será definida na próxima semana mento foi suspenso, não há quadro de apoio e houve problemas com os terceirizados", afirmou José Arruda de Miranda Pinheiro, Defensor Público-Chefe Federal em Natal. Ainda de acordo com o Defensor Público- Chefe, existem dois projetos no Ministério do Planejamento que tratam do aumento de quantitativo para 800 defensores o que significaria um defensor em cada unidade jurisdicional da Justiça Federal - e da criação da carreira de apoio, além da votação da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 82, que concede autonomia financeira e orçamentária para a Defensoria Pública da União.

José Arruda de Miranda frisou que a adesão ao movimento deve ser iniciada na próxima semana, após reunião com a Associação Nacional dos Defensores Públicos (Anadef) e definição de termos para o ingresso na Operação Padrão. Por enquanto o atendimento ao público segue normalizado. "Nosso objetivo não é prejudicar a população pois sabemos que muitas vezes, eles vêm aqui como a última porta a bater". HISTÓRIA As defensorias públicas da União e dos Estados foram criadas pela Constituição de 1988. De acordo com o projeto de autonomia

, as DPUs poderão enviar suas propostas e projetos diretamente ao Congresso Nacional, sem passar pelo Executivo. O projeto foi aprovado na Comissão de Constituição e Justiça, na Câmara e no Senado, em 2011, mas ainda falta ser aprovado em plenário nas duas Casas. As defensorias estaduais ganharam essa autonomia em 2004, através da reforma do Judiciário. De acordo com a Anadef, as Defensorias Pública da União que já aderiram ao movimento deverão atender apenas situações de emergência, como ocorrências criminais e de risco de morte, entre eles pedidos de medicamentos e internações.

> ESTATÍSTICA

Acidentes de moto lideram atendimentos no Walfredo Gurgel Um levantamento feito pelo setor de Arquivo do Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel (HMWG), aponta número elevados de acidentes registrados neste primeiro semestre. No total, até o fim de junho, foram prestados mais de 11 mil atendimentos a vítimas de queimaduras, atropelamentos, agressão física, queda de moto, entre outras ocorrências. A média de atendimentos, a cada 24h, ficou em mais de 60 vítimas. Destas, 18 foram diariamente machucadas por acidentes com moto. Veículos sobre duas rodas, aliás, sempre demandaram altos índices de atendimento no Pronto Socorro Clóvis Sarinho (PSCS). Neste primeiro semestre, a situação não foi diferente. Das 13 categorias de acidentes listados no levantamento, a que envolve moto teve o maior índice de ocorrência: 3307 acidentes. Na maioria das vezes, embriaguez e imprudência dos pilotos são os responsáveis por gerar esse tipo de ocorrência.

Para a diretora geral, Maria de Fátima Pereira Pinheiro, grande parte dos acidentes de trânsito poderiam ser evitados caso houvesse um rigor maior tanto na fiscalização nas rodovias, quanto no acesso a habilitação de novos pilotos e motoristas. "O acesso à carteira nacional de habilitação deve ser mais rigoroso e as blitzes da polícia rodoviária federal mais constantes. Quanto mais o condutor sentir o peso e a responsabilidade de possuir esse documento, mais ele pensará antes de cometer alguma irresponsabilidade no trânsito", afirma. Abaixo, os cinco tipos de acidentes que mais estiveram em alta de janeiro a junho: Moto - 3.307 Queda da própria altura - 1.144 (geralmente pacientes idosos) Acidente de trabalho - 1.041 Queda de nível - 1.019 Passageiro acidentado - 1.007 José Aldenir

Em 6 meses, mais de 3mil vítimas de acidentes foram atendidades no HWG


10 O Jornal de HOJE

Natal, 18 de julho de 2012

Cidade

Quarta-feira

BPChoque prende 4 e apreende drogas DENÚNCIA

ANÔNIMA DO ABANDONO DE UM CARRO DEU INÍCIO AO TRABALHO QUE RESULTOU NAS QUATRO PRISÕES

ALESSANDRA BERNARDO REPÓRTER

Quatro pessoas foram presas em flagrante por formação de quadrilha, tráfico de drogas e porte ilegal de arma, nas cidades de Natal e João Câmara, ontem à noite. Com os acusados, os policiais do Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque) encontraram um quilo de maconha prensada, 18 pedaços grandes de maconha, uma pistola calibre 380, 12 munições intactas, duas fardas completas do Exército Brasileiro, um par de coturno, duas máscaras, seis celulares, balança de precisão e ferramentas. Segundo o sargento PM Eclésio Neres, a prisão do grupo criminoso aconteceu após moradores da comunidade dos Coqueiros, no bairro de Lagoa Nova, terem denunciado o abandono do veículo Fiat Palio, placas NNU8539/Natal, em via pública, por quatro homens. O fato, ocorrido durante o dia, chamou a atenção das pessoas, que desconfiaram do modo de agir dos suspeitos e acionaram o BPChoque. Ao chegarem ao local, os policiais militares prenderam Edson Pereira de Azevedo, 36 anos, conhecido pelo apelido de "Quinho", que os levou para uma casa na travessa Victor Diogo, onde estava Renato César Silva dos Santos, 28 anos. No momento da abordagem, César ainda tentou esconder a pistola calibre 380 e uma identidade falsa, em nome de José Edson de

Lima, que era usada por "Quinho", mas foi flagrado pelos policiais. "Quando ele viu os policiais, ainda tentou correr e esconder a arma em um depósito, mas foi alcançado e preso também em flagrante. Depois disso, acabou confessando que tinham alugado o veículo de um homem e que haviam deixado droga na cidade de João Câmara, no loteamento 21 de Abril, em uma residência usada pela quadrilha para a prática de venda de entorpecentes", explicou o sargento Eclésio. Os policiais do BPChoque foram a João Câmara, no endereço apontado pelos dois traficantes, onde prenderam Willame Albano da Silva, o "Bileco", que tinha acabado de chegar à residência e de Nathália Celestino de Alcântara, 20 anos, que estava no local com os pacotes de maconha e todo o material apreendido em poder da quadrilha. "Durante a revista do imóvel, o ‘Bileco’ chegou em uma motocicleta Pop de cor vermelha, que também foi apreendida. No local, encontramos uma grande quantidade de drogas, de ferramentas, relógios, celulares, equipamentos de som e imagem para veículos e eletroeletrônicos e outros. Com isso, conseguimos desmantelar a quadrilha que agia entre os municípios de Natal e João Câmara", explicou o sargento. Os quatro presos foram encaminhados para a Delegacia Regional de João Câmara, onde foram lavrados os flagrantes e todo o ma-

Wellington Rocha

terial apreendido em poder dos acusados foi levado. Eles ficarão à disposição da Justiça. INTEGRANTE DA GANGUE É FORAGIDO E HOMICIDA Willame Albano da Silva, o "Bileco", é foragido da Penitenciária Estadual de Alcaçuz e possui mandado de prisão por ter cometido um homicídio em Extremoz, além de várias prisões por tráfico de drogas no município e também em Parnamirim. Com 21 anos de idade, ele é bastante conhecido pela Polícia Militar por diversas práticas de atos infracionais, cometidos na adolescência e crimes,após completar a maioridade. Segundo o soldado do Choque, Thiago Moura, que também participou da prisão da quadrilha, "Bileco" chegou à residência em João Câmara bem vestido, usando terno e se dizendo empresário. Ele estava com a moto Pop, de placas NNK-6155/Extremoz e negou a participação nos crimes registrados, mas não adiantou, porque os próprios comparsas dele o entregaram", explicou. Já Renato César Silva dos Santos, o "César", foi condenado a oito anos de detenção por tráfico de drogas, a serem cumpridos na Penitenciária de Alcaçuz, e possui mandado de prisão em aberto desde o dia 20 de março passado. Natural de Pernambuco, o acusado morava na residência em que foi preso em Lagoa Nova, zona Sul de Natal.

Sargento Eclésio não tem dúvida que a quadrilha desarticulada ontem agia nos municípios de Natal e João Câmara

> ASSASSINATO À FACADAS

Mulher morre após discussão por causa de celular Divulgação

No Rio Grande do Norte, a morte de Josineide foi o segundo caso, na semana, em que o companheiro é o suspeito

Uma discussão por causa de um celular pode ter motivado o assassinato de uma dona-de-casa no Vale Dourado, zona Norte de Natal. Conforme relatos de testemunhas que presenciaram o início da desavença, um homem identificado apenas pelo apelido de "Edson", teria esfaqueado até a morte a companheira, porque ela não queria devolver o aparelho, que havia sido dado de presente semanas antes do crime. De acordo com informações do 4º Batalhão de Polícia Militar, Josineide do Nascimento, 41 anos, foi assassinada com mais de dez golpes de faca-peixeira no tórax e abdome, dentro de sua residência, localizada na 3ª Travessa Germínio Benigno. O principal suspeito do crime é o companheiro da vítima, que as testemunhas só conhecem o primeiro nome. Ele teria golpeado a mulher após tentar, sem sucesso, reaver um celular que havia dado de pre-

sente à Josineide há algumas semanas atrás. A vítima se negou a entregar o aparelho e isso teria motivado a discussão, que terminou com o assassinato cruel e sem chance de defesa para a mulher. Conforme relatos de testemunhas, a discussão ainda foi presenciada por alguns vizinhos da vítima, que tentaram separar a briga, mas teriam sido ameaçados de morte pelo acusado. Assustados com a violência do homem, as pessoas correram para a rua pedindo por socorro e chamando a Polícia Militar. Ao retornarem para a casa de Josineide, a encontraram caída, já sem vida, no chão de um dos cômodos. O acusado fugiu após o crime e, até o final da manhã de hoje, ainda não havia sido identificado e localizado pelos policiais militares do 4º Batalhão, que iniciaram as diligências em busca de "Edson" ainda ontem. Os vizinhos da vítima não souberam informar

detalhes sobre o acusado, tampouco se ele tinha outra residência na cidade. O corpo de Josineide foi removido por peritos do Instituto Técnico-Científico de Polícia do Rio Grande do Norte (Itep), que foram ao local após terem sido acionados pelos policiais militares que atenderam a ocorrência. O aparelho que teria motivado a discussão e consequente assassinato da mulher não foi localizado. Este é o segundo caso de homicídio contra mulher, em que o principal suspeito é o companheiro da vítima, registrado no Rio Grande do Norte esta semana. No último domingo, a dona-de-casa Francineide da Silva foi encontrada morta com vários golpes de faca-peixeira no abdome, rosto e pescoço, caída no chão da sala de casa, em Mossoró. Ela tinha 34 anos de idade e não tinha filhos. O suspeito, José Adriano da Silva, continua foragido.

> EM FELIPE CAMARÃO

Ex-presidiário é flagrado com crack e maconha Um ex-presidiário foi detido ontem após ser flagrado com 16 pedras de crack e 20 trouxinhas de maconha, prontas para o consumo, no bairro de Felipe Camarão, zona Oeste de Natal. A prisão aconteceu após moradores próximos à residência do acusado terem feito denúncias anônimas ao 9º Batalhão de Polícia Militar, informando o fato. O homem

possui mandado de prisão em aberto, por assalto a mão armada. De acordo com informações da Polícia Militar, Madson Ribeiro da Silva, 20 anos, estava escondido já há alguns dias em uma casa abandonada na rua José Vicente, o que teria chamado a atenção dos moradores e comerciantes próximos ao local. Com medo de que o imóvel

virasse ponto de compra, venda e consumo de drogas, eles resolveram denunciar o caso ao Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp), ontem à noite. Ao chegarem ao imóvel, os policiais militares encontraram o acusado, que é conhecido ainda pelo apelido de "Baba", consumindo droga. Ele ainda tentou esconder o

material, que estava dentro de uma bolsa, jogando-o por uma janela para um terreno ao lado, mas os agentes da lei conseguiram localizar o entorpecente, caracterizando o flagrante. O acusado não reagiu à prisão e foi encaminhado para a Delegacia de Plantão da zona Sul, no bairro da Candelária, onde foi autuado

em flagrante por tráfico de drogas. De lá, foi levado para o Núcleo de Custódia da Polícia Civil, na Cidade da Esperança, onde ficará à disposição da Justiça potigiuar. Conforme informações policiais, Madson Ribeiro da Silva já cumpriu pena por assalto à mão armada, crime cometido em 2010 contra uma mulher na Região

Metropolitana de Natal. Entretanto, em maio de 2011, ele conseguiu liberdade provisória após ter recebido um alvará da Justiça. Desde então, ele têm vivido no bairro de Felipe Camarão, onde foi preso ontem por tráfico de entorpecentes. Ainda pesa contra ele um mandado de prisão em aberto.


Cidade

Quarta-feira

Natal, 18 de julho de 2012

1 E1 den o O Ja H lrJ

O Jornal de HOJE 11

edadC i

Alex Medeiros alex.medeiros1959@uol.com.br

O futebol desmilinguindo E na lista dos 32 jogadores que disputam o prêmio de craque do futebol europeu não consta nenhum boleiro das terras de Pelé. Um dos maiores parceiros do rei, Tostão, diz hoje na Folha que só sentiu falta do zagueiro Thiago Silva, comprado pelo PSG. Anteontem, o IFFHS, instituto que presta assessoria à FIFA sobre história e estatística do futebol, divulgou um ranking dos últimos meses sobre os campeonatos nacionais, colocando o argentino e o brasileiro em segundo e terceiro lugares, depois do espanhol. Quando a notícia estampou no portal da Veja, o desembargador Marcelo Navarro, um refinado conhecedor do esporte bretão, postou no Twitter seu espanto com tal condição do campeonato que há anos seu amigo Juca Kfouri chama de "Brasileirinho". Instigado que fui por Navarro para ler a íntegra da notícia, estou até agora avaliando e buscando entender os critérios do IFFHS para eleger o futebol na Argentina e Brasil na cabeça dos melhores do planeta. Nos fatores público, renda e talento, acho impossível. Ora, há dois anos seguidos o Brasileirão está atrás em público e renda até da Major League Soccer, o campeonato de futebol dos EUA. A média de 2011 ficou abaixo dos 15 mil torcedores, o que poderá repetir-se em 2012 como indicam as tendências hoje. No quesito talento, se usarmos como referência o fato de que nossos melhores jogadores estão na Europa, dificilmente seria por aí que o nosso campeonato foi parar na terceira posição, entre o da Argentina (estranhamente em segundo) e o da Inglaterra (o quarto). Já vai ficando longe do alcance da memória o tempo em que os boleiros do Brasil encantavam plateias na Europa. Nosso último craque, Kaká,

virou moeda de troca no Real Madrid após perderse em contusões e bancos de reserva. Que triste entressafra. Ao lamentar a ausência dos brasileiros na lista da UEFA, o gênio Tostão emenda com seu veneno elegante: "Enquanto isso, os otimistas, a turma do oba-oba e os marqueteiros acham que está tudo uma maravilha". A Pachecolândia não se emenda. Na visão do maior jogador da história do Cruzeiro, o craque que garantiu com seus gols nas eliminatórias de 1969 a presença do Brasil no México 70, a falta de brasileiro na disputa de melhor europeu "é mais uma evidência do desprestígio do nosso futebol". Para o leitor ter noção (e os sem noção também), consta da lista craques da Argentina, como Messi e Aguero, de Portugal, da Costa do Marfim, da Colômbia, da Bélgica, da Suécia, da Croácia, da República Checa e até do Japão. Quem diria há alguns anos? Os caras responsáveis pelo ranking dos campeonatos internacionais deveriam ouvir ou ler Tostão para melhor entender a pobreza do futebol jogado por aqui. O colunista da Folha mostra que muito devagar o Brasil vai aprendendo a jogar como na Europa. De avanço, vê apenas o desaparecimento gradual dos volantes cabeças de bagre que tentavam ser zagueiros e acabam péssimos cabeças de área. Mas há ainda excesso de jogadas aéreas, trombadas, chutões e passes errados, distante zil anos da Espanha. Tostão encerra seu artigo de hoje, dia de Santos e Botafogo na Vila Belmiro, dizendo talvez uma indireta: "é preciso também acabar com gramados ruins e com jogadores cai-cai, que tentam enganar árbitros e o futebol". Enquanto isso, em Londres... (AM)

QUEM ENTENDE?

Mais um recorde de arrecadação no governo Rosalba Ciarlini e o caos continua na saúde, educação e segurança. Os problemas se arrastam, enquanto a propaganda oficial segue contando lorotas na TV sobre "avanços" exatamente nos três setores.

REPROVADO

A nova pesquisa Consult/Sinduscon parece comprovar que o povo de Natal não é bobo e não cai no conto do marketing. Apesar do bombardeio de mentiras na TV, 84,3% dos natalenses desaprovam o governo de Rosalba Ciarlini "made in Carlos Augusto".

CONCORRÊNCIA

Já vai para um mês desde que quatro agências de publicidade entraram com recursos administrativos questionando o resultado da licitação do governo RN e até agora não houve uma manifestação que aponte uma resposta. Vai acabar na justiça comum.

REJEIÇÃO

O candidato do PT, Fernando Mineiro, assumiu muito rápido o ranking da rejeição em Natal, com 20,3%, segundo apurou a Consult. Robério Paulino (PSOL) vem logo a seguir, com 19,8%. E Roberto Lopes, do PCB, tem rejeição de 17,7%.

Carrefour e o mal atendimento da loja aos clientes, o médico Breno Barth comprou gato por lebre na Insinuante (pagou por uma TV e levou outra).

BRASIL PETISTA

É inimaginável que em qualquer nação, dos EUA à Venezuela, da Rússia ao Congo, da Alemanha à Nicarágua, um carcereiro da PM receba salário maior do que um general do Exército. Mas é esta a realidade na política do PT em relação às Forças Armadas.

CRISE DE BOLA

É literal o refrão do hino do ABC FC (Salve o Mais Querido!) nesses tempos de fantasma da série C pairando sobre o Frasqueirão. E o jornalista Rubens Lemos canta sua saudade dos antigos conselheiros que atuavam por amor e abnegação ao clube.

TEMPO BOM

Segundo Rubinho, em sua página do Twitter, "o ABC está cheio de malandro, no pior sentido da palavra"; e ele sente saudade dos conselheiros que combatiam tais figuras: Bira Rocha, Aluísio Bezerra, Zeca Passos, Agnelo Alves, entre outros apaixonados.

REJEIÇÃO II

Na segunda fila dos rejeitados na corrida pela Prefeitura de Natal, os candidatos Rogério Marinho (PSDB) e Hermano Morais (PMDB) estão num empate técnico com respectivos 15,9% e 15,2%, quase o dobro de Carlos Eduardo (PDT) com 9,7%.

GASTOS

Começa assim o editorial de hoje do Estadão: "O governo federal gastou no primeiro semestre R$ 40,6 bilhões a mais que um ano antes, em valores correntes". Parece que a tia Dilma ainda não viu a marolinha crescendo a crista em terras brasileiras.

PREÇO AMARGO

Uma das bíblias da economia, o Wall Street Journal, diz hoje que os produtores de açúcar no Brasil estão enfrentando uma alta no preço do produto por causa de dois eventos: as chuvas e a festa do Ramadã, em que muçulmanos consomem doces.

ENROLAÇÃO

Duas semanas após o procurador François Silvestre denunciar publicamente a ação de ladrões no interior do

BLACK POWER No frisson das lutas políticas dos negros americanos nos anos 60, a indústria das HQ tratou de inserir dois super-heróis afros nas revistas, o Pantera Negra, da Marvel, em 1966, e o Falcão Negro, da DC, em 1969. Foi nesse período que o movimento feminista influenciou a troca do nome Miss América para Mulher Maravilha. Segundo a revista Hollywood Report, o Falcão vai aparecer no segundo filme do Capitão América, interpretado pelo ator Anthony Mackie (foto).

João Ricardo Correia jornalistajoaoricardocorreia@gmail.com / joaoricardocorreia@yahoo.com.br / Twitter: @joaoricardorn

MAGISTÉRIO 2 O plano, que será implantado na folha salarial deste mês com efeitos financeiros retroativos a 1º de junho/2012, representa um acréscimo de aproximadamente R$ 500 mil na folha salarial da Secretaria Muicipal de Educação. MAGISTÉRIO 3 "O Plano foi elaborado com muito cuidado e responsabilidade por uma equipe que trabalhou com transparência. É um passo importante para a valorização do magistério", disse Maurício. Ele informou que os profissionais da Saúde também terão as carreiras estruturadas. MAGISTÉRIO 4 O plano da Educação garante vencimentos ou salários iniciais nunca inferiores ao Piso Salarial Profissional Nacional; valoriza o desempenho, a qualidade e o conhecimento; assegura progressão através de mudança de nível de habilitação e de promoções periódicas; fixa o acesso à carreira por concurso público de provas e títulos; incentiva a dedicação exclusiva em uma única unidade escolar e oferece formação continuada com o objetivo de garantir a melhoria do desempenho profissional.

Daniele Lisboa

NÚMEROS A mais recente pesquisa de intenção de votos para prefeito de Natal, divulgada hoje pelo SInduscon/Consult, mostra Carlos Eduardo em primeiro lugar, com 57,8%, e Rogério Marinho com 8,3%. Hermano Hermano Morais tem a preferência de 6,8% dos entrevistados e Fernando Mineiro fica nos 3,4%. CAPACITAÇÃO Interessados em cursos de qualificação profissional para a Copa do Mundo de 2014, o Pronatec Copa, terão mais tempo para suas inscrições. O prazo, que havia sido encerrado na segunda-feira, 16, foi prorrogado para 31 de julho em 62 municípios, que tiveram baixa procura. São 29 cursos gratuitos nas áreas de turismo e serviços, incluindo línguas (inglês, espanhol e libras). Os municípios em que o prazo de inscrição foi prorrogado na região Nordeste são: Maceió (AL), Lençóis (BA), Aquiraz, Aracati, Beberibe, Caucaia, Fortaleza e Jijoca de Jericoacoara (CE), Barreirinhas e São Luiz do Maranhão (MA), Cabo de Santo Agostinho, Caruaru, Igarassu, Ilha de Itamaracá, Ipojuca, Olinda, Recife e Tamandaré (PE), Parnaíba (PI) e Parnamirim (RN). Mais informações no http://pronateccopa.turismo.gov.br/pronatec/hotsite/index.html. IMUNIZAÇÃO Meninas de nove a 13 anos poderão ser imunizadas contra o papilomavírus humano (HPV) pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Projeto de lei com esse objetivo, de autoria da senadora Vanessa Grazziotin (PCdoBAM), está pronto para ser votado na Comissão de Assuntos Sociais (CAS). A matéria já foi aprovada na Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) e receberá decisão terminativa da CAS. IMUNIZAÇÃO 2 Segundo a Agência Senado, o texto inicial do projeto de lei do Senado (PLS 238/2011) prevê imunização para as mulheres de 9 a 40 anos. Porém, substitutivo da relatora da matéria, senadora Marta Suplicy (PTSP), definiu a faixa etária de nove a 13 anos como grupo prioritário para vacinação contra o vírus HPV. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), argumentou a relatora, a vacinação em meninas nessa faixa etária é mais eficaz e representa maior economia para a saúde pública. TÁBUA DE PIRULITO Natal não deveria ser sede da Copa do Mundo de futebol, mas, sim, de uma disputa internacional de rally. É muito buraco e barro no meio das ruas. E os motoristas que, desculpem mas não tenho outro termo, se lasquem.

DeO homem virar a cabeça que comeu gente faz palestra hoje em Natal.

MAGISTÉRIO O prefeito Maurício Marques dos Santos sancionou no começo da semana a Lei Complementar 059, de 12 de julho, instituindo o Plano de Carreira e Remuneração dos Profissionais do Magistério da Educação Básica Pública de Parnamirim.

Cenário de belezas Num cenário como esse, o papo entre os dois Sabiás de Praia estava pra lá de agradável. A natureza, mais uma vez, pintou um belo quadro e a jornalista Daniele Lisboa estava lá para eternizá-lo com sua máquina fotográfica e sugeriu a seguinte frase, de autoria do filósofo alemão Friedrich Nietzsche, como legenda para a cena: "Não me roube a solidão sem antes me oferecer verdadeira companhia". Maravilha.


12 O Jornal de HOJE

Cidade

Natal, 18 de julho de 2012

Daniela Freire

Quarta-feira

I

I

I

POLÍTICA E SOCIAL - daniela.freirecosta@yahoo.com.br Márlio Forte

Cedida

wENCORPANDO ACAMPANHA MOSSOROENSE A governadora Rosalba Ciarlini vai dedicar o próximo fim de semana à programação política de sua candidata mais importante em todo o pleito no RN: Cláudia Regina, em Mossoró. >>> Uma agenda para o sábado, dia 21, vem sendo fechada. >>> Talvez, no domingo a Rosa também tenha a mesma agenda eleitoral. >>> Afinal de contas, fazer campanha em Mossoró, seu principal reduto eleitoral, é obrigação. w DE OLHO NOS MAIORES Falando na governadora em campanha... >>> ...os assessores políticos defendem que ela concentre-se nos 20 maiores colégios eleitorais do Estado. >>> O motivo seria a disputa em municípios com menos de 10 mil eleitores, que envolve aliados de 2010, ou onde o DEM disputa prefeituras com o PMDB, PR, PMN, PSDB... por exemplo. w CONVITE FEDERAL Enquanto isso... >>> ...o candidato líder nas pesquisas para a Prefeitura de Natal, Carlos Eduardo Alves, tem ido discretamente a Brasília. >>> Chamado por gente da presidenta Dilma Rousseff para conversas sobre "o futuro de Natal". >>> É o que conta o vereador Ranieri Barbosa. w PERIGO CONSTANTE Alguns palanques superlotados neste início de campanha tendem a se esvaziar no decorrer do pleito majoritário. >>> Explica-se: muitos partidos decidiram seus candidatos sem ouvir as bases, o que está provocando uma verdadeira debandada de candidatos a vereador para outras chapas. >>> Mas, respeitando a fidelidade partidária, os candidatos não poderão tomar estas atitudes publicamente. >>> E tudo acontecerá nos bastidores. >>> É aguardar! w JUSTIÇA DO RN CONDENA GLOBO O juiz titular da 1ª. Vara Cível da Comarca de Natal, José Conrado Filho, concedeu liminar na ação movida pela jovem potiguar Monalisa de Oliveira Pontes contra a Rede Globo de Televisão, mediante o que determinou que a empresa pague à autora – até o julgamento do mérito – uma pensão mensal no valor de R$ 2,5 mil e mais o custo de todas as despesas decorrentes de tratamento médico-hospitalar a que ela precisou se submeter após sofrer acidente quando participava, meses atrás, de um dos quadros do “Programa do Faustão”, denominado “Prova da Foice”. >>> Monalisa desde então se acha fisicamente incapacitada para o trabalho. >>> Quem defende a sua causa é o Escritório de Advocacia Diógenes da Cunha Lima.

O escritor baiano Antonio Nahud Júnior, autor do livro “Agnelo Alves – 8 Décadas”, posando ao lado da herdeira de Câmara Cascudo, Ana Maria

E o deputado-aniversariante Agelo Alves ao lado da esposa Celina Alves comemorando os 8.0 com grande festa no Palácio da Cultura DeSaboya.com

Assecam

Larissa Rosado com o amado Paulo Sidney curtindo a festa "Toda Felicidade do Mundo"

Edivan Martins entregando o livro sobre os 400 anos da CMN e aprendendo com o mestre Vicente Serejo w IMPORTÂNCIA "Adiretoria da Fiern preparou um documento para todos os partidos com as nossas pretensões do que os candidatos devem fazer. No dia 13 de agosto vamos fazer uma apresentação dos candidatos na federação. A preocupação de defender uma Prefeitura não só em Natal, mas em todo o RN, pensada, planejada para que a gente possa cobrar e ajudar a termos um RN melhor". >>> Do presidente da Fiern, Amaro Sales, sobre as eleições 2012, no Direto ao Ponto. w DUPLA-SUCESSO Dupla dinâmica nessas eleições em Natal, Haroldo Filho - candidato a vice-prefeito de Rogério Marinho - e Dickson Jr. - candidato a vereador e sucessor do pai Dickson Nasser - estão fazendo sucesso com as suas caminhadas pelos bairros da capital.

>>> Ontem mesmo, os dois promoviam concentração animada no Passo da Pátria. >>> Haroldo e Dickson estavam acompanhados de tanta gente que petistas que já organizavam caminhada de Fernando Mineiro, candidato a prefeito, desistiram do movimento no local... >>> ...segundo testemunha tucana. w GIRO PELO TWITTER... ...do médico e presidente da Amico José Mádson Vidal: "Eu testemunhei tudo que o site @UOLNoticias vem divulgando sobre o caos na saúde publica do RN e maltrato dos pacientes. É a pura verdade"; ...do vice-governador Robinson Faria: "E tem pesquisa Sinduscon/RN saindo agora. Apopulação segue avaliando negativamente o atual governo".

w POR FALAR EM MINEIRO... ...hoje pela manhã o secretário Municipal de Segurança Pública e Defesa Social de Natal, Carlos Paiva, fez um verdadeiro desabafo no Twitter ao responder a críticas do 'prefeitável' petista sobre a demora da prefeita Micarla de Sousa em conseguir ajuda federal para o conserto do calçadão de Ponta Negra. w O DESABAFO Respondendo a uma matéria publicada num jornal local sobre a volta da chefe verde de Brasília sem a verba liberada para as obras no local, cujo link foi disponibilizado no TT por Mineiro, Carlos Paiva afirmou: "Bom dia deputado, acabo de acessar o link da materia que o senhor usou para dizer que Prefeitura não consegue recursos. Sobre Ponta Negra, deixa eu dizer uma coisa, não existem projetos não apresentados, não existem valores. O que existe é o estado de calamidade decretado. Agora, a defesa civil, com as secretarias afins, estão elaborando o NOPRED e o AVADAN e a partir daí saberemos quanto preliminarmente será o valor da recuperação. Outra, estamos dentro do prazo exigido pela legislação de defesa. Agora, o senhor, que é candidato (a prefeito) dê uma sinalização de que gosta de Natal e fale com a nossa deputada Fatima Bezerra, que tem influência em Brasília, para que, dentro da legalidade, nos ajude a buscar esses recursos. Tenha um bom dia deputado, boa sorte na sua campanha. Eu não voto no senhor, mas, do fundo do coração, estou torcendo para que o senhor ganhe essa eleição, porque o meu maior sonho é ver o PT no poder nesse Estado, sendo vidraça e administrando uma Prefeitura grande, para que os senhores sintam na pele o que e administrar com a distribuição do bolo tributário nefasto, e com esse atual pacto federativo". >>> E concluiu assim: "Sim, me deixa fazer um pedido como cidadão: se o senhor não quer ajudar, pelo amor de Deus não atrapalhe".


Cidade

Quarta-feira

Natal, 18 de julho de 2012

O Jornal de HOJE 13

Cena Urbana VICENTE SEREJO - serejo@terra.com.br w CERTUS - I É um direito do candidato Rogério Marinho questionar os números da pesquisa Certus na justiça. Mas também é de uma bobagem mastodôntica. É não entender que pesquisas ninguém contesta. Contorna.

w RAMPA - I Perfeitíssima a declaração do arquiteto Carlos Ribeiro Dantas quando afirma que o sítio histórico da Rampa não existe mais. Foi partido ao meio para a construção da sede do III Distrito Naval. Absurdo.

w ALIÁS - II Nesse saber a grande lição foi de Geraldo Melo candidato a governador. A primeira pesquisa deu sua cotação em 3%. Ele não contestou. No dia da posse foi ele que assumiu o governo. Eis um bom estilo.

w LUTA - II Esta coluna gritou daqui, mas o Governo Wilma de Faria impôs à Fundação José Augusto, à época sob administração do PT. As entidades culturais calaram diante de um crime de lesa-patrimônio histórico.

w BURACOS Duas crateras na pista da Ponte Newton Navarro, sentido Natal-Redinha, de tão perigosas vão acabar exigindo da Prefeitura a decretação do estado de calamidade pública. Justificativa jurídica não vai faltar.

w CHAMA - III Quando da posse da governadora Rosalba Ciarlini esta coluna fez uma carta aberta pedindo seu apoio para recuperar a Rampa, mas nunca sequer recebeu resposta. Só se lá tivesse sido coisa de Lampião.

w PLACA O governo fez uma nova placa para a Unicat. Grande, luminosa, com a sua marca. Espera-se que agora não faltem mais os medicamentos para os pacientes crônicos. Nem que o MP precise de novo acionar. w PONTE Por falar em ponte e em placa: caiu a metade da placa que sinaliza para os navios o ponto mais alto do vão central da Ponte Newton Navarro do lado da embocadura do rio. A maresia não teme autoridades. w TAIPA O texto de Benedito Mendes na EcoNordeste de julho é sobre a casa de taipa. Com 'madeirame de aroeira e envaramento amarrado com tiras de couro cru'. Coisa que nunca foi tema de tese, pelo visto. w HUMOR De um médico bem humorado, via e-mail, sobre as super-bactérias no hospital Ruy Pereira: 'São de outro tipo, também ferozes, as 'marcas' das super-bactérias que infestaram o sistema estadual de saúde'.

Até quando? N

ão deixa de ser enigmática, Senhor Redator, a declaração do senador Garibaldi Filho quando afirma que a presença de Wilma de Faria na chapa do seu primo, Carlos Eduardo Alves, afasta os bacuraus. Talvez seja só um resto de rancor da derrota que sofreu da ex-governadora. Não é esta a sua tradição familiar no jogo político. Fez do seu filho deputado estadual e este ano lança o sobrinho para a Câmara de Vereadores. Em política o jogo de cena não esconde, como máscara o estilo de cada um. Esta coluna já fixou como referência de raciocínio muito mais o sangue com a força de relevar o passado, principalmente à soleira dos palácios, do que os encontros e desencontros das lutas políticas. Nenhum grupo familiar do Rio Grande do Norte – Mariz, Alves e Maia – pela ordem de hegemonia nos domínios de luta, deixou de fazer alianças com seus adversários. Se Dinarte e Aluízio não fizeram não foi esta a prática de seus descendentes, como não tem sido de Maia e Alves em função das conquistas. É pena que seja tão distante, e por isso pouco provável neste momento, um segundo turno nas eleições de Natal a partir do confronto Carlos Eduardo Alves versus Rogério Marinho. O bico do tucano anti-Dilma Rousseff seria o pretexto ideal para o apoio de Garibaldi Filho e Henrique Alves ao primo. Bacuraus e araras, para repetir a pobreza dessa tradição política, demonstram formar ao longo dos anos r uma fauna maleável bem domesticada, viciada no alpiste de um populismo que massifica os ímpetos.

É bem verdade que ao contrário da arara, grande, colorida e decorativa, o bacurau é uma ave de pequeno porte e hábitos noturnos. Sem nobreza, sem aquele colorido que enche os olhos, nem por isso é menos sagaz. Sabe se fazer de humilde, com a sua plumagem sem encanto algum, mas encanta todos insetos. E insetos não faltam no populismo de poucas exigências como virtudes. E assim vai dominando tudo como se mendigasse simpatias enquanto as araras soltam seus gritos vaidosos, mas inofensivos. Falo de aves, Senhor Redator, com suas almas de bichos. De políticos com almas de aves acho que nem Deus se meteria. Sei que o poder apascenta velhas rusgas e rugas como se fosse cataplasma a cicatrizar lembranças. Quando vem a luta, construindo novas conveniências, o político sabe subir aos sótãos da memória. E lá, na calada das almas simples, acendem os velhos candeeiros do radicalismo de faz de conta. E suas chamas reaparecem num passe de mágica até venha a hora de apagá-los de novo. A política nestes tabuleiros perto do mar é há muitos anos uma feira sem novidades E depois, é bom não duvidar, o ódio é sempre um amor enlouquecido pelas circunstâncias, às vezes interesseiras, que erra de veia e se perde. Mas um dia renasce das mesmas raízes e revive como se brotasse com o mesmo frescor da primeira florada. Só os tolos acreditam nos amores e nos ódios dos palanques nesses tempos de ambições medonhas. Quando eles inventam um jogo que não jogam. Só para enganar os ingênuos.

Prefácio CONRADO CARLOS - ccpsilva@gmail.com Supakorn Somprouks

Desordem e progresso Primeiro romance de John Cheever, "A Crônica dos Wapshot" é fragmento da perdição americana em meio ao progresso econômico na virada do século 19 para o 20 Na revista Piauí de fevereiro passado (edição 53), um fragmento do diário de John Cheever (19121982) revelou o universo obscuro do escritor, em seus últimos dias. Com o alcoolismo crescente, o casamento fracassado e o homossexualismo enrustido, um dos maiores retratistas da sociedade americana se sentia sozinho e deprimido mesmo vencendo o Pulitzer, três anos antes. Com grande senso de comunidade e respeito às tradições culturais, Cheever conseguiu captar os aspectos psicológicos mais profundos durante a transformação dos Estados Unidos em potência. Não a toa era chamado de o Tchekhov dos Subúrbios, devido a facilidade com que transcrevia tipos humanos periféricos em seus contos. Há poucos meses, li seus "28 Contos...", publicado pela mesma Cia das Letras que agora lança a versão de bolso de "A Crônica dos Wapshot" - primeiro romance do autor, de 1957. Em ambas as obras,

sobressai uma linguagem simples, sem, aparentemente, nada de essencial ou inovador. Famílias em atrito, traições conjugais, valorização do trabalho em tempos de progresso, disputas por heranças, etc. Mas é só concluir qualquer uma de suas narrativas que temos a impressão de que todas as prerrogativas minimalistas estão ali, prontas para nos dominar sem alarde. Na saga dos Wapshot não é diferente. O cenário escolhido é a Nova Inglaterra, berço da civilização ianque. O período, a virada do século 19 para o 20, quando a Revolução Americana assombrou a Europa. Leander Wapshot é administrador de um barco decadente, que pertence a sua prima, Honora. Outrora poderoso, o clã amarga uma vida insossa e conflitante em uma pequena cidade - sua esposa Sarah e os filhos Moses e Coverly completam a lista de personagens principais. Sarah, por sinal, é a mulher mais admirada de St.Botolphs - uma espécie de líder política e comunitária.

Mas as traições de Leander minaram a união, com respingos dos disparates recaindo sobre os dois jovens - também pressionados pela tradição familiar de fazer fortuna em lugares distantes. Logo, pai e mãe são abandonados por Moses e Coverly - este vai para Washington, aquele, para Nova York. Aprimeira parte da história é ambientada em St. Botolphs, cujo casarão deteriorado dos Wapshot é um antro de desconfianças e sofrimento. Já a segunda, tem o choque dos interioranos com o dinamismo das metrópoles, onde ornamentos emotivos guiam as ações dos mancebos, enebriados com mulheres, bebedeiras e empregos temporários - ao mesmo tempo em que surgem trechos de um romance de Leander, que finalizam algumas de nossas dúvidas. Em 1948, Cheever anotou em sigilo: "Penso em Leander e em todos os outros. Não é por serem histórias de fracasso; não é isso que assusta. É que esses registros são banais, eles não têm a menor impor-

tância; é porque Leander, caminhando no jardim ao entardecer, padecendo de uma paixão violenta, não interessa a ninguém. Não importa. Não importa".Como um teste a compreensão de sua obra, A Crônica dos Wapshot diz muito sobre a dor e a melancolia que estava por vir.

A Crônica dos Wapshot Autor: John Cheever Editora: Cia das Letras Preço médio: R$25,00

w PIOR - IV Empurrando ainda mais o patrimônio histórico para a destruição, a governadora Wilma de Faria deixou a Rampa nas mãos do trade turístico oficial que, como já se sabe, não resiste às doces verbas federais. w CULPA - V O erro tem origem: nasce da incompetência técnica e da incultura da representação local do patrimônio histórico que fez o tombamento do prédio da Rampa e não do sítio histórico da Rampa. É um absurdo. w CARTA - I Ninguém sabe o que é mais belo: se a carta de Paulo Mendes Campos a Otto Lara Resende, inédita desde 1945 – Um Coração em Agosto – edição do Instituto Moreira Sales ou posfácio de Elvia Bezerra. w CARTA - II A edição com 38 páginas de apenas 1.500 exemplares, lança o texto composto nas páginas pares e o fac-símile do original nas páginas ímpares. O poema inédito, as ilustrações e uma breve linha do tempo.


14 O Jornal de HOJE

Cidade

Natal, 18 de julho de 2012

Quarta-feira

Movimento dos Navios

Conscienciologia

APRONIANO CÉSAR

A agência marítima mais antiga do Rio Grande do Norte está se mudando para o bairro de Petrópolis

Por Clara Boeckmann - Voluntária do INTERCAMPI em Recife CONSCIENCIOLOGIA@INTERCAMPI.ORG Fone: 3211-3126

Quando calar? Quando não calar? Na segunda semana de fevereiro deste ano, recebi duas mensagens sobre "saber calar". A primeira na Tertúlia Conscienciológica (http://tertuliaconscienciologia.org/), em que Waldo Vieira aconselhou uma senhora a se conter, calar mais, quando as pessoas dissessem coisas com que não concordasse. Ele ressaltou a importância de, algumas vezes, termos que engolir sapos. A segunda foi um artigo de Betty Milan na Revista Veja, "Nem tudo se pode ver, ouvir, dizer", numa apologia ao ato da escuta, trazendo a simbologia da antiguidade, dos três macacos da sabedoria, originária da China - o cego, o surdo e o mudo - Mizaru, Kikazaru e Iwazaru. O ensinamento é resumido por Betty em "selecionar e conter-se", chamando a atenção para evitar a repressão e não valorizar a vaidade. Questionei-me quanto à relevância de mantermos a nossa coerência, de não ficarmos "em cima do muro", não sermos omissos. Mas, de fato, é preciso estarmos atentos a cada situação. Quando calar? Quando nos defender ou defender nossas idéias/opiniões? Por isso, evidencia-se como é difícil agirmos sempre com cosmoética (a ética ampliada ao cosmos e a todas as dimensões) e universalismo. É necessário muito discernimento e alta capacidade de autocrítica e heterocríticas lúcidas. Daí a importância do autoconhecimento, do desenvolvimento mentalsomático (relacionado ao corpo mental, à intelectualidade), da percepção multidimensional de cada situação e do trabalho com as bioenergias pessoais (não somos apenas matéria física), visando a ampliar os acertos nos processos de

interassistencialidade (ajudamosnos enquanto ajudamos a outrem). Vamos explicar um pouco mais estes aspectos conscienciais. A Conscienciologia vem ao encontro destas necessidades, apresentando técnicas para o alcance de resultados coerentes, considerando cada pessoa como consciência (eu, ego, alma) única, multidimensional, que se manifesta através de vários veículos além do corpo físico (soma), como o psicossoma (emocional), o energossoma (energético) e o mentalsoma (corpo

mental). Assim, cada consciência intrafísica, cada pessoa, atua nas multidimensões - física e extrafísicas, com seus diferentes veículos de manifestação. Além disso, o paradigma consciencial assume que a consciência está em constante evolução, através de várias vidas (multisserialidade). Este paradigma nos faz refletir mais sobre nossa vida, o que fazemos dela, e como conduzimos nossas relações, para que busquemos ampliar a interassistencialidade com maxifraternismo, para termos o discernimento de quando devemos nos conter, calar, ou

falar. Isso é feito a partir da autopesquisa, da identificação de traços fortes e fracos de nós mesmos, da ampliação do autodiscernimento e das autossuperações, utilizando as diversas técnicas conscienciológicas. Uma dica básica sobre calar ou não é aplicar a Técnica da Qualificação da Intenção. Consiste em, diante de determinada situação, questionar a verdadeira intenção de calar ou falar, responder às reflexões "por quê", "para quê", "para quem", refletir se vai ajudar ou se vai complicar a situação. Não é fácil saber quando e como calar. Vontade, perseverança, reflexões, estudo, constantes autoavaliações e a busca pelas autossuperações são essenciais para a conquista da pacificação íntima, com uma vida mais evolutiva. Cada um precisa desenvolver sua capacidade de discernir para, por si mesmo, saber quando calar ou não. Para mais informações sobre Conscienciologia, o INTERCAMPI - Associação Internacional dos Campi de Pesquisas da Conscienciologia promoverá a palestra gratuita com o tema Desafios da Evolução em Grupo. O evento, ministrado pela professora Iara Suassuna, tem entrada franca e vagas limitadas. Data: 19 de julho de 2012; Horário: 20:00; Local: Sala de Aula do INTERCAMPI - Av. Antônio Basílio, 3006 - Ed. Lagoa Center, 705 - Lagoa Nova, Natal/RN. Informações: 84-3211-3126; intercampi@intercampi.org; www.intercampi.org.

apronianocfs@hotmail.com

NATAL Navio H35-Amorim do Vale Lagoa Carioca Lagoa Paranaense Orwell Marlin Marfret Marajó CMA-CGM Herodote Asia Spirit CMA-CGM Platon Marfret Guyane

Bandeira Brasil Brasil Brasil Bélgica Libéria França United King Hong Kong United King França

Agência M. Brasil W. Sons W. Sons W. Sons Petrobras W. Sons CMA-CGM Superservice CMA-CGM W. Sons

Orient Scorpius

Singapura Petrobras

Chegada No Porto No Porto No Porto No Porto No Porto 21/07 28/04 30/07 04/08 11/08

Destino BN Natal ---Salvador(BA) Algecira/ESP Algeciras/ESP CHINA Algeciras/ESP Algeciras/ESP

Carga Descarga Hidrooceanográfico -Em Operação -Em Operação --Draga -Combustível Contêineres -Contêineres --Min. de ferro Contêineres -Contêineres --

TERMINAL OCEÂNICO DE UBARANA - GUAMARÉ - RN No Porto

Salvador(BA)

Óleo cru

--

TERMINAL SALINEIRO DE AREIA BRANCA - RN TBN TBN

Dia 18 19

Grécia Suiça

A. Marítima 18/07 A. Marítima 23/07

TÁBUA DE MARÉS Hora Altura (M) 16:13 2.1 21:56 0.4 04:26 2.3 10:23 0.3

Exportação Santos (SP)

A PROGRAMAÇÃO É CHECADA DIARIAMENTE, PODENDO HAVER ANTECIPAÇÃO OU ATRASO DE ALGUM NAVIO

Sal Sal

Cheia

---

FASES DA LUA (03/07 - 15:52h)

Minguante

(10/07 - 22:48h)

Nova

(19/07 - 01:24h)

Crescente

(26/07 - 05:56h)

Laboratório Digital RICCARDO CARVALHO - riccardocarvalho.rn@gmail.com

iPhone cinco será o mais vendido de todos tempos Quem diz isso é o analista de mercado Gene Munster, da empresa Piper Jaffray, num relatório citado pelo noticiário americano Business Insider. Munster entrevistou 400 consumidores (ele não diz de quais países, mas pode-se supor que sejam americanos) e descobriu que 65% deles pretendem comprar um iPhone. Entre eles, 51% dizem estar aguardando o iPhone 5. Além disso, 94% dos usuários de iPhone afirmam que seu próximo celular será outro iPhone. O analista combinou os resultados da pesquisa com dados do mercado de smartphones e da base instalada do iPhone. Sua conclusão é que a Apple já pode considerar garantida a venda de pelo menos 80 milhões de unidades do iPhone 5. Nova tecnologia - O lançamento do iPhone 5 deve acontecer até outubro, a tempo para a temporada de vendas aquecidas do final do ano. Para que isso seja possível, os componentes do novo smartphone da Apple já devem estar em produção. O Wall Street Journal noticiou, hoje, que o aparelho vai usar uma nova tecnologia de tela de cristal líquido conhecida como "in-cell" ou intracelular. Nas telas sensíveis ao toque atuais, os sensores de toque

ficam numa lâmina separada da tela de cristal líquido. Essas duas partes são fabricadas por empresas diferentes e sobrepostas durante a montagem do smartphone. Numa tela do tipo "in-cell" os sensores de toque são incorporados à mesma camada onde são produzidas as imagens. Isso deve resultar numa tela mais fina e mais leve que as convencionais. Esse é um avanço de que a Apple necessita para enfrentar sua rival Samsung. Embora o iPhone seja o smartphone mais vendido no mundo, a maior fabricante é a Samsung, que ganha a disputa quando se consideram todos os modelos que ela oferece. Estimativas indicam que, no último trimestre, a Samsung vendeu 50 milhões de smartphones, contra 30,5 milhões da Apple. A empresa coreana também registrou lucro recorde, o que significa que ela tem dinheiro em caixa para investir em novos produtos e na expansão dos seus canais de vendas. É uma ameaça real

para a Apple. Smar tphones como o Galaxy S III, da Samsung, usam telas orgânicas, do tipo conhecido como OLED. Nesse tipo de tela, os microdispositivos que produzem a imagem emitem sua própria luz, dispensando a retroiluminação encontrada em telas convencionais, como as usadas pela Apple. A diferença na tecnologia da tela contribui para que o iPhone 4S seja mais grosso e mais pesado que o Galaxy S III. O smartphone da Samsung pesa 133 gramas e sua espessura é de 8,6 milímetros. Já o da Apple pesa 140 gramas e tem 9,3 milímetros de espessura. Com uma tela convencional, o iPhone 5 ficaria ainda mais pesado que o iPhone 4S, já que ele provavelmente terá tela maior que a do seu antecessor. Para a Apple, usar a tecnoloiga OLED pode não ser uma boa opção, já que a principal fornecedora desse tipo de tela é justamente a Samsung. A escolha da tela com sensores intracelulares para o iPhone 5 seria, então, uma maneira de enfrentar a rival coreana. Segundo o Wall Street Journal, a tela do iPhone 5 já está sendo produzida por três empresas - Sharp, Japan Display e LG Display.

ANDROID

Instagram alcança o número de 1 bilhão de fotos O aplicativo Instagram,aplicativo gratuito que permite colocar filtros em fotos e compartilhá-las em sites, comemorou a publicação de 1 bilhão de imagens por meio do seu serviço. Para celebrar a ocasião, a empresa divulgou a primeira imagem publicada. A foto, segundo informações do blog do Instagram, foi publicada meses antes do lançamento oficial do serviço, em outubro de 2010. Em julho daquele ano, a imagem de um cachorro foi postada no aplicativo que ainda tinha nome de Codename e serviu para verificar se o serviço estava funcionando corretamente. Atualmente, o Instagram afirma que possui 50 milhões de usuários.

A nova versão do sistema móvel do Google, conhecida como Jelly Bean, foi considerada a mais segura dentre as edições do Android. Segundo um relatório da Accuvant, a plataforma Android 4.1 Jelly Bean foi desenvolvida para proteger os usuários de instalações maliciosas e foi fortalecido com a implementação de um padrão de defesa.O Jelly Bean é a primeira versão do Android a implementar a proteção ASLR, que cria locações aleatórias na memória para a biblioteca e outras estruturas do sistema. A ASLR, quando combinada com a prevenção de execução de dados, poderá proteger os usuários de ataques que exploram bugs que corrompem a memória do dispositivo.

Celular Uma pesquisa encomendada pelo Banco Mundial aponta que 75% da população mundial tem acesso ao celular. O número de linhas ativas cresceu rapidamente nos últimos 12 anos, passando de 1 bilhão no ano 2000 para 6 bilhões de linhas atualmente, segundo o estudo. Apenas em 2011, mais de 30 bilhões de aplicativos foram baixados em todo o globo.


Esporte

Quarta-feira

Natal, 18 de julho de 2012

O Jornal de HOJE 15

ABC empata e fica na zona de rebaixamento ATÉ OS 46 MINUTOS DO SEGUNDO TEMPO, O ABC VENCIA O LÍDER DA SÉRIE B POR 2 A 1. CRICIÚMA CHEGOU AO EMPATE COM UM GOL DE ZÉ CARLOS, ARTILHEIRO DA SÉRIE B. MINUTOS FINAIS FORAM CRUCIAIS PARA DETERMINAR O TROPEÇO ALVINEGRO Com um jogador a mais desde o primeiro tempo parecia que a primeira vitória do ABC sob o comando do técnico Ademir Fonseca surgiria. Só parecia. Nos minutos finais mais uma vez o castigo. No próprio Frasqueirão já tinha acontecido um episódio semelhante, quando diante do Vitória-BA foi derrotado nos instantes finais. Ontem, enfrentando o líder da Série B, o Criciúma, o ABC sentiu novamente a mesma dor. Começou o jogo atrás do placar, conquistou a virada com gols de Jerson e Adriano Pardal, mas permitiu que Zé Carlos arrancasse o sabor da vitória da torcida alvinegra. "É inexplicável. A gente procura respirar fundo para encontrar justificativa para o resultado não ter vindo em nosso favor. Em cima de tudo aquilo que tudo o que fizemos, é inexplicável. Alertei que o jogo não estava ganho e enfrentamos uma equipe difícil. Perdemos oportunidades para matar o jogo. Faltou também experiência, catimba. Não podemos ficar procurando desculpas nem culpados. Vamos continuar trabalhando", tentou explicar o técnico Ademir Fonseca. "Temos perdido muitos pontos no final das partidas. Jogamos bem, jogamos para frente e novamente por uma fatalidade desperdiçamos pontos. É lamentável, mas futebol é isso aí", lamentou o presidente do ABC, Rubens Guilherme. O que não faltará ao torcedor alvinegro são motivos para lamentar. O primeiro deles veste a camisa número nove. O atacante Washington mais uma

Fotos: Wellington Rocha

11ª RODADA - SÉRIE B 17/07 - 19h30

ASA-AL

2x3

Vitória-BA

17/07 - 19h30

Ceará-CE

2x2

São Caetano-SP

17/07 - 19h30

Joinville-SC

6x0

Ipatinga-MG

17/07 - 19h30

Guarani-SP

1x2

Goiás-GO

17/07 - 19h30

Boa Esporte-MG

0x0

CRB-AL

17/07 - 21h50

Paraná-PR

1x0

América-RN

17/07 - 21h50

ABC-RN

2x2

Criciúma-SC

1x2

17/07 - 21h50

Avaí-SC

17/07 - 21h50

Grêmio Barueri-SP 0 x 0

Bragantino-SP

17/07 - 21h50

América-MG

Guaratinguetá-SP

2x1

Atlético-PR

CLASSIFICAÇÃO - SÉRIE B

Árbitro assistente e atacante do ABC brigam pelo celular arremessado por torcedor. Pior para Leo Gamalho, expulso na confusão vez foi destaque, porém, negativo. Com menos de cinco minutos do primeiro tempo a primeira oportunidade para o ABC surgiu nos pés dele em cobrança de pênalti, desperdiçado pelo atacante. O castigo veio em seguinda, três minutos depois, com o gol de Fransérgio pelo Criciúma.

A UXILIAR

Desolado no gramado, o meia Raul chora após o apito final. O ABC deixa escapar a vitória diante do seu torcedor

X

J OELSON

A zona de rebaixamento é outro ponto para lamentações. A vitória tiraria o ABC da situação desconfortável. Além disso, vencer o líder daria moral ao grupo junto ao torcedor. O gol no final do jogo representa a manutenção da equipe na zona, em 17º lugar com 10 pontos. No apito final, vaias e muita confu-

são. Um torcedor mais exaltado jogou um objeto no assistente, o atacante do ABC, Joelson, tentou pegar o aparelho antes do árbitro. O jogador reclama que na discussão teria sido atingido pelo bandeira, o que causou revolta dos jogadores alvinegros e culminou com a expulsão do atacante Léo Gamalho. Além disso, a confusão após o apito final pode gerar punições ao clube, caso relatada pelo árbitro em súmula. Na próxima rodada o ABC tem confronto direto contra a zona de rebaixamento. Pega o Bragantino em São Paulo no sábado, 21h. Ambos somam 10 pontos e uma vitória é fundamental para largar a zona da degola.

Clube

PG

JG VI EM DE GP GC SG

1

Criciúma-SC

26

11 8

2

1

28

18 10

2

Vitória-BA

25

11 8

1

2

24

14 10

3

América-MG

25

11 8

1

2

20

11 9

4

América-RN

20

11 6

2

3

20

14 6

5

São Caetano-SP

19

11 5

4

2

14

10 4

6

Goiás-GO

19

11 5

4

2

19

18 1

7

Joinville-SC

18

11 5

3

3

17

9

8

Paraná-PR

18

11 5

3

3

18

15 3

9

Atlético-PR

17

11 5

2

4

15

11 4

10

Avaí-SC

14

11 4

2

5

12

13 -1

11

CRB-AL

14

11 4

2

5

15

18 -3

12

Ceará-CE

14

11 3

5

3

18

19 -1

13

Boa Esporte-MG

13

11 3

4

4

16

16 0

14

Guarani-SP

11

11 2

5

4

10

11 -1

15

Bragantino-SP

11

11 2

5

4

15

17 -2

16

ASA-AL

10

11 3

1

7

12

17 -5

17

ABC-RN

10

11 2

4

5

15

17 -2

18

Guaratinguetá-SP

8

11 2

2

7

11

20 -9

19

Grêmio Barueri-SP

6

11 1

3

7

8

21 -13

20

Ipatinga-MG

4

11 1

1

9

7

25 -18

8

> SÉRIE B

Mesmo com derrota, América se mantém no G4 A vantagem para os adversários que ocupavam as primeiras posições fora da zona de classificação para Série A se foi. Ontem, após ser derrotado por 1 a 0 pelo Paraná jogando no estádio Durival de Brito, o América se manteve entre os quatro primeiros colocados, mas viu sua posição se tornar ainda mais ameaçada. A diferença que já chegou a sete pontos termina a décima primeira rodada em apenas um. Apesar do resultado, o técnico Roberto Fernandes gostou da postura da equipe e credita à arbitragem o tropeço. "Não será essa derrota que vai abalar o grupo. Ainda temos um ponto de vantagem para o quinto colocado. Vamos nos manter forte. A tônica da competição não deve mudar. Vamos continuar buscando os pontos em casa e roubando fora. Hoje a gente poderia ter um resultado melhor. O árbitro foi covarde. Evito entrar nesse tipo de discussão, mas nos três últimos jogos fomos prejudicados. O que

o árbitro fez hoje é brincadeira. No lance do gol tivemos um pênalti não marcado por ele a nosso favor. No primeiro tempo amarelou nossa equipe inteira. Ameaçou meus jogadores. É vergonhoso", reclamou Roberto Fernandes, que chegou a ser expulso do banco de reservas. "Minha expulsão foi coisa do quarto árbitro. O negócio está ficando esquisito. Tem muito cachorro grande atrás do América na classificação e isso é preocupante. Começou cedo. Eu já previa que isso fosse acontecer, mas começou cedo demais", disse em tom de revolta. Entre os jogadores o clima de lamentação foi repercutido pelo volante Ricardo Baiano. "Viemos com um propósito de jogo. Tivemos um descuido e foi fatal. A arbitragem também foi fundamental, o juiz amarelou nosso time inteiro e na hora do gol deixou de marcar uma falta a nosso favor. Fica complicado assim", disse o volante Ricardo Baiano. Para o lateral Wanderson, que ontem esta-

va escalado na meia e com a camisa 10, as condições do campo também influiram no placar. "O time lutou. O campo pesado dificultou nosso trabalho. Foi um jogo decidido em detalhes", completou. Ainda em busca de um camisa 10, o América anunciou o meia Netinho, que já teve passagem pelo Atlético Paranaense e estava recentemente no Goiás. Antes do jogo começar, Roberto Fernandes falou a respeito da utilização de Wanderson na meia. Para o treinador, joga no setor quem se apresenta melhor momento. Após a partida, o treinador explicou algumas opções que tem escolhido para tentar encontrar o substituto de Junior Xuxa. "Joga como titular quem está em melhor fase e eu não considero Wanderson improvisação porque ele chegou ao América como um meia. Eu já falei também que a característica do Lúcio mudou. Aquela função que ele fazia antes ele não faz mais. A gente tem que respeitar isso. Ele não é meia, nem

centroavante. Ele sai pra buscar a bola. O importante é que fizemos um jogo de igual para igual. Nos mantemos no G4 e temos que diante do Ipatinga temos que fazer o mando de campo", completou. O América enfrenta o Ipatinga, lanterna do campeonato, na próxima sexta-feira, no estádio Nazarenão, em Goianinha.

NOVOS REFORÇOS

O presidente Alex Padang confirmou no final da manhã desta terça-feira (17) o nome do novo meia do América. Trata-se do meia Netinho, o jogador de 28 anos tem passagens por clubes como Atlético-PR, Goiás-GO e chega ao clube com o aval do técnico Roberto Fernandes que já trabalhou com o jogador. Quem também reforça o time é um velho conhecido da torcida, o zagueiro Rodrigão, que ano passado esteve no time que conquistou o acesso para a Série B. Treinador do América responsabilizou a arbitragem pelo tropeço na noite de ontem

Gabriel Negreiros GABRIEL NEGREIROS - gabrielnegreiros@gmail.com - twitter: @gabrielnegreiro

ERROS INDIVIDUAIS

Mais uma vez o ABC lamenta os erros individuais que levaram a equipe a mais um resultado ruim. O clube vencia o Criciúma até os instantes finais, quando mais uma vez sofreu o gol decisivo para o tropeço. Realmente os erros individuais tem afetado o coletivo, porém, o futebol é vencido por quem erra menos. Ontem o ABC cometeu falhas primárias. A começar por Washington, que antes dos cinco minutos iniciais teve a oportunidade de abrir o placar em cobrança de pênalti. Como é mesmo aquela frase folclórica? Uma que cita que pênalti importante o próprio presidente deveria cobrar. Onde estava Rubens Guilherme nessa hora que não calçou a chuteira? Tenho plena convicção que bateria o pênalti pelo menos com mais gana, vontade de decidir, de celebrar com o torcedor. Confes-

so que acreditava na recuperação de Washington. Depois de ontem, não mais. Depois de Washington foi a vez do goleiro Andrey, que na minha opinião falhou no primeiro gol do Criciúma. Ele vai certinho na bola e recolhe o braço. Acredito que pensou que a bola sairia. Talvez o pior e definitivo erro foi o do técnico Ademir Fonseca. O ânimo ele conseguiu dar ao time, mas ontem lhe faltou ousadia e até estrela. Vencendo o jogo, com um jogador a mais, ao tirar o meia Jerson não justificava recuar o time colocando mais um volante. No caso, Henik. O meio campo ficou com Bileu, Guto e Henik. E aí, quem fica com a bola? Ninguém. Aliás, o Criciúma. O gol de empate surge da necessidade de defender, de achar que o resultado já está no papo, da falta de vontade jogar de ganhar.

SEM O 10 E SEM APITO

O América perdeu mais uma partida fora de casa. Da mesma forma que o time é eficiente em seus domínios, é ineficiente longe do Nazarenão. Agora, dos cinco jogos que disputou fora do RN, o América perdeu três, empatou um e venceu outro. É pouco para brigar no G4. É clara a falta que Junior Xuxa faz. Admito isso mesmo não sendo nem um pouco fã do estilo do Xuxa jogar. Para mim, ele se importava mais com as reclamações do que com a bola. Apesar de que na Série B estava jogando muito bem. Roberto Fernandes tem razão em reclamar da arbitragem, porém não da pra ficar apenas batendo nesta tecla. O América chega ao terceiro jogo consecutivo sem vitórias. Quando eu cito isso para algum torcedor alvirrubro, a primeira coisa que ele me pergunta é: "e o

ABC?" Eu corto logo. Hora, o América briga pelo G4 ou contra o ABC? Se é pelo G4, tem muita coisa pra corrigir. Se é contra o ABC, pode colocar então o burro na sombra, que tudo está lindo. Teoricamente a contratação do meia Netinho pode ser a solução do problema. Depois de Washington no ABC eu criei sérias restrições em elogiar "pelo nome". Quero ver na bola!

MMA

A cidade de Mossoró será palco do Fort MMA 2 que será realizado no ginásio Pedro Ciarlini dia 27 de julho. O evento reunirá os atletas do UFC, Rogério Minotouro e o recém-contratado, Jussier Formiga, além dos participantes do TUF Brasil, Rony Jason e Anistavio Gasparzinho. A partir das 18h30, sobem ao ringue 14 lutadores em que estão despontando no MMA no país.

PisandonaBola AMÂNCIO

amancionatal@gmail.com / www.chargistaamancio.blogspot.com


16 O Jornal de HOJE

Natal, 18 de julho de 2012

Esporte

Clássico das multidões

APESAR DAS CAMPANHAS PÍFIAS NESTE INÍCIO DE BRASILEIRÃO, FLAMENGO E CORINTHIANS, RECÉM CAMPEÃO DA TAÇA LIBERTADORES, FAZEM HOJE UM DOS CLÁSSICOS MAIS TRADICIONAIS DO FUTEBOL BRASILEIRO O Flamengo é apenas o nono colocado no Campeonato Brasileiro com 15 pontos ganhos em nove jogos disputados. A campanha do Corinthians é ainda pior, são somente oito pontos no mesmo número de rodadas, o que lhe garante o 14º lugar. Para o Corinthians a conquista da Libertadores justifica o início irregular. Para o Flamengo, a pressão sobre Joel Santana é cada dia mais forte, porém, a vitória na última rodada diante do Bahia deu um alívio ao treinador. Hoje, a partir das 21h50, no Engenhão, as duas equipes medem forças. Duelo numeroso para a audiência e segundo o folclórico treinador rubro-negro, um evento para curtir em grande estilo. "Tem jogos e jogos. E esse jogo, por exemplo, é para você ir de smoking. São as duas maiores torcidas reunidas. Merece um champanhe de boa qualidade. Uma Chandon. Não é para tomar uma sidra", disse Joel Santana. Joel Santana terá reforços

Fotos:divulgação

Ainda pressionado, técnico Joel Santana destaca a importância do confronto de hoje contra o Corinthians. De uma só vez, retornam Léo Moura, Marcos González, Darío Bottinelli e Vagner Love. Na lateral esquerda, Ramon será desfalque. Em-

prestado ao Rubro-Negro pelo clube paulista, ele está fora por questões contratuais. Magal será escalado na posição. O time provável: Paulo Victor, Léo Moura,

Marcos González, Marllon e Magal; Airton, Ibson, Renato e Bottinelli; Hernane e Vagner Love. Tite contará com o retorno de Alessandro e a entrada de Douglas para a partida contra o Flamengo. O primeiro desfalcou o time na vitória por 2 a 1 diante do Náutico, no fim de semana. Já o meia herda a vaga deixada por Alex, negociado com o Al Gharafa, do Qatar. Sem a volta de Jorge Henrique, que deve ficar no banco de reservas por conta de uma forte gripe, Romarinho ganha mais uma chance no time titular. Com isso, o técnico deve mandar a campo uma equipe com Cássio, Alessandro, Paulo André, Chicão e Fábio Santos; Ralf, Paulinho, Danilo e Douglas; Emerson e Romarinho. "Vamos enfrentar um Flamengo que tem qualidade, tradição. Queremos recuperar a intensidade, o padrão. Fazer alguns reajustes no time", disse o técnico corintiano.

> SÃO PAULO X VASCO

Liderança e G4 em jogo

Sem Felipe, Juninho Pernambucano será responsável por tentar levar Vasco à liderança

São Paulo e Vasco ainda não ostentam campanhas firmes no Campeonato Brasileiro, mas contam com um desempenho que lhes permitem sonhar com a liderança. E o objetivo passa pelo confronto entre ambos às 21h50 de hoje, no Morumbi, quando os dois têm a chance de arrancar rumo à ponta. Quem está mais perto são os cariocas. Com 20 pontos, a equipe de São Januário inicia a rodada em segundo lugar e, se vencer, pode roubar a primeira colocação do Atlético-MG, que tem dois pontos a menos. O time paulista ainda precisa ir mais longe, já que não está nem na zona de classificação para a Libertadores: ocupa a quinta posição com os mesmos 16 pontos do Botafogo, atrás por ter saldo de gols menor. No Morumbi a chuva de terçafeira impediu o técnico Ney Franco de comandar o único treino tático que seria realizado antes da partida. Sem poder contar com De-

nilson, ele escalará o garoto Rodrigo Caio no meio-campo. A equipe deverá entrar em campo com: Denis, Douglas, Rafael Toloi, Rhodolfo e Cortez; Rodrigo Caio, Casemiro (Maicon), Cícero e Jadson; Osvaldo e Luis Fabiano. No vasco são seis desfalques confirmados. Além disso, Fagner e Nilton precisaram ser poupados do treino da última terça-feira para que estivessem em melhores condições físicas na partida. Cristóvão Borges preferiu não confirmar qual será a formação, mas a tendência é que o meio-campo Wendel faça sua estreia, sendo relacionado antes do inicialmente previsto. Carlos Alberto pode ser outro a ganhar uma oportunidade entre os titulares. O Vasco deve entrar em campo com: Fernando Prass, Fagner, Dedé, Douglas e Thiago Feltri; Nilton, Wendel e Juninho; Diego Souza, Carlos Alberto (Wiliam Barbio) e Alecsandro.

> OLIMPÍADAS ESCOLARES 2012

SEEL recebe documentação dos atletas Está aberto o prazo para entrega dos documentos dos atletas que irão participar das Olimpíadas Escolares Brasileiras 2012. Participarão das Olímpiadas Escolares Brasileiras os atletas vencedores, por modalidade, das competições da etapa final dos Jogos da Juventude Escolar do Rio Grande do Norte 2012. Os Jogos da Juventude Escolar do RN, promovidos pela Secretaria

de Estado do Esporte e da Juventude, aconteceu no período de 20 de junho a 07 de julho, com a participação de 3.000 atletas/alunos de 135 escolas de todas as regiões do Rio Grande do Norte. As Olimpíadas Escolares 2012 acontecem em Poços de Caldas, Minas Gerais, para a categoria de 12 a 14 anos de idade, no período de 6 a 15 de setembro.

Para os atletas da categoria de 15 a 17 anos de idade, as competições das Olimpíadas Escolares Brasileiras ocorrerão na cidade de Cuiabá, Mato Grosso, no período de 25 de novembro a 8 de dezembro. A documentação dos atletas que irão as Olimpíadas Escolares Brasileiras deve ser entregue na sede da Secretaria de Estado do Esporte e do Lazer (SEEL), localizada na Rua Mi-

litão Chaves, 2049, bairro de Candelária, Natal. CEP 590640440.

PRAZO PARA ENTREGA

Atletas de 12 a 14 anos - 10 à 27 de julho. Horário: 8h às 12h e 14h às 17h, de segunda a sexta-feira. Atletas de 15 a 17 anos - 06 à 24 de agosto. Horário: 8h às 12h e 14h às 17h, de segunda a sextafeira.

Oscar assina com o Chelsea

especulada nas últimas semanas, com alguns jornais ingleses inclusive cravando o negócio envolvendo libras. Mas o acerto com o Chelsea ocorreu somente nesta terça. Oscar deixa o Beira-Rio após dois anos. Durante este período, travou uma disputa judicial com o São Paulo por causa de sua rescisão unilateral, ocorrida em meados de 2009. Logo após o acordo do Inter com o Tricolor, pipocaram interessados na contratação.

Passe Livre RUBENS LEMOS FILHO - r.lemosfilho@uol.com.br

Galvão Bueno Galvão Bueno é importante para mim como o entrelaçamento quântico, fenômeno da mecânica. Nenhum interesse em me aprofundar sobre os dois temas. Nada me apetece ou entristece. Comove ou irrita. O narrador Galvão Bueno está sempre presente em Passe Livre como vilão, baba-ovo ufanista do esporte brasileiro. É um divertimento meu, confesso. Até certo ponto, sádico. Baseado no tempo em que ainda ouvia suas bobagens pela TV aberta. Hoje, Galvão Bueno não me incomoda nem me causa urticária, tampouco me provoca palavrões. É que disponho, como milhões de compatriotas, de um aparelho chamado controle remoto e a ele recorro para escolher minha programação televisiva. Nem de longe assisto a um jogo narrado por Galvão Bueno. Faz anos, tome tempo, que não escuto sua voz a trucidar a verdade, a mascarar o óbvio, a ludibriar a cabeça dos inocentes apaixonados. Galvão, você não aparece na minha televisão. Tai, um slogan que os gênios marqueteiros encheriam de defeitos. Verdade seja dita, outro clichê da falta de inspiração. Quando começou, ainda na TV Bandeirantes, Galvão Bueno um locutor. Falhou num jogo da Copa do Mundo de 1974, quando narrou Alemanha Oriental x Áustria ditando as escalações de Suécia x Bulgária. Erro crasso e possível, na profissão. Depois, Galvão Bueno foi ser o segundo da Rede Globo, após ter passado pela TV Gazeta de São Paulo. Galvão Bueno era o reserva de Luciano do Valle e depois de Osmar Santos, que narraram os jogos do Brasil nas Copas do Mundo de 1982 e 1986. Quando passou a titular e a transmitir do futebol à sinuca, tornou-se o chato-mor da pátria livre. Galvão Bueno, quando não tínhamos TV por assinatura, nos obrigava a ouvir que o vôlei de bom nível de Renan, Bernard, William e Montanaro, superava a máquina americana de Pat Powers, Steve Timmons e Karch Kirally. Foi 3x0 na final do vôlei em 1984. Na decisão, Brasil só fazia sacar e levar porrada. Galvão Bueno passou a ser ou Dom ou Ravel, os cancioneiros da Ditadura Militar em tempos de democracia e introdução da imprensa comercial. Nelson Piquet nunca lhe deu bola e ele colou em Ayrton Senna como um piloto auxiliar. Dizem os invejosos que além do patriotismo exacerbado havia uma "parceria", termo que picareta moderno adotou para achacar dinheiro público ou privado. Sei que Senna, até a Curva Tamburello, significou montaria de Galvão até a fama. >>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>> Com a chegada da Globosat e da TVA, passei a economizar dinheiro para pagar as mensalidades das duas operadoras. A Globosat é a Sky e a TVA, da Editora Abril, foi engolida, depois de transmitir durante anos bons jogos em imagens via satélite pelos canais ESPN Brasil e ESPN Internacional. Globo em futebol? Nunca mais. Em Copa do Mundo, o grupo(três, no máximo) que me acompanha nos jogos do Brasil nem sonha em pedir Galvão Bueno. Assistimos pelo Sportv ou ESPN e nem sabemos o que ele fala ou falou sobre Kaká, Robinho, Ronaldo(Fenômeno também pra ele), Adriano ou Felipe Melo. Portanto, Galvão Bueno está fora da minha lista de preocupações por ignorá-lo, até naquele programa de segunda-feira à noite na Sportv que é muito bom quando ele está em Mônaco e deixa outro apresentar e permitir que os convidados emitam algum ruído pela boca. Galvão Bueno é aquele cara insuportável que quando você vê, desvia para a outra calçada. Quando você encontra, dá vontade de esmurrá-lo ao ouvir tanta baboseira. É aquele cara que sorri como se dois pregos colassem as extremidades da boca, para institucionalizar o artificialismo. Conheço alguns em Natal que são a personificação do falso, do pegajoso. Dão aquele abraço apertado demais, rasgam elogios que você sabe, vêm do esgoto da mentira guardada na vigarice lá deles. Você vai embora, eles co-

meçam a rodar a catraca da calúnia. Galvão Bueno jogaria com a 10 no escrete dessa patota. Galvão Bueno teve negada a credencial para as Olimpíadas de Londres. Está proibido de narrar. É um mistério saber se o povão, a classe média e o Jet-set cheio de grana e sinceridade gostaram. Eles vivem de elogiar ou malhar o sujeito, de tanto acompanhá-lo. Galvão não vai poder dizer que Neymar é melhor que Messi. Dizem que ele diz isso. Eu mesmo não sei por não escutar. Alguns comemoram. Acho bom e educativo. Preventivo. Os telespectadores poderão se acostumar com a lógica no lugar da versão histérica maquiando a imagem nítida. Gostei também por imaginar a reação dele. Galvão Bueno é do tipo "Você sabe com quem está falando?" ou "Tenho amigos poderosos e isso não vai ficar assim". No mais, Galvão Bueno é verbete para indiferença. Olimpíadas não me atraem pela farsa boboca do Barão Pierre de Coubertin, para quem o "importante é competir". Uma ova. No esporte, o que vale é ganhar. Lembre aí o vice-campeão paulista de 1981, importância menos zero. Olimpíadas carregam a atmosfera de união dos povos, de congraçamento universal, da lorota esperançosa de americanos e russos se amando, judeus e palestinos se abraçando. É frescura demais. Vou assistir por obrigação, o timeco de futebol chamado de seleção. Já seria sem Galvão.

RODADA

ras do Bope são representados pelo seu maior exemplo: O Tenente-Coronel Marcos Vinicius, um dos mais brilhantes do país.

Nos costados do ABC, o encosto de incompetência e azar. Na derrota do América, o sinal de alerta. A curva é de descida.

> MERCADO

Depois de muita negociação o meia da seleção brasileira e do Internacional, Oscar, acertou os detalhes finais e assinou contratao com o atual campeão da Liga dos Campeões, o Chelsea. A negociação gira em torno de 25 milhões de libras (quase R$ 80 milhões), mas o Colorado tem direito a 50% deste valor pela divisão dos direitos do atleta. A venda será oficializada pelo clube gaúcho ainda nesta semana. A saída de Oscar já vem sendo

Quarta-feira

DE OLHO

Sem falar na incompetência. ABC e América sabem que são intrusos. Para a Série B há muitos de olho e bolsos gordos.

JL

A venda do Estádio Juvenal Lamartine volta a atiçar a turma. Quem defende outra destruição de patrimônio histórico talvez nunca tenha visto uma bola. De futebol. Talvez de gude. Só criança.

BOPE

Negociação de Oscar gira em torno de 25 milhões de libras, quase R$ 80 milhões

A tropa de elite da Polícia Militar completa seis anos. É a mais respeitada e competente. E temida pelos bandidos. Os cavei-

MEMÓRIA

Dia 18 de julho de 1976, ABC 1x0 Alecrim, Castelão(Machadão) com público pagante de 7.295 pessoas. Gol de Zé Carlos Olímpico aos 25 minutos do primeiro tempo. Jogo duro. O Verdão era forte.

TIMES

ABC: Hélio Show; Orlando, Pradera, Vágner e Vuca; Draílton, Danilo Menezes(Raimundinho) e Zé Carlos Olímpico; Noé Silva(Zé Carlos Henrique), Reinaldo e Noé Macunaíma. Alecrim: Batista; Sabará, Ticão, Válter Cardoso e Paulinho; Nilson Beckenbauer, Zé Augusto e Gonzaga; Jonas, Hilton e Jaime.


Cultura

Quarta-feira

Natal, 18 de julho de 2012

O Jornal de HOJE 17

Divulgação

"A Noite dos Palhaços Mudos" ADAPTADO DE HQ DO FAMOSO CARTUNISTA LAERTE, ESPETÁCULO DO GRUPO LA MÍNIMA (SP) ESTREIA TURNÊ EM NATAL AMANHÃ, DIA 19, ÀS 19H, NO TAM

"É uma história simples, que contesta a falta de flexibilidade daqueles que não entendem a relatividade das culturas, algo que ainda é muito comum nos dias de hoje", conta o famoso cartunista Laerte sobre a comédia teatral e tradição oral circense que se unem no espetáculo "A Noite dos Palhaços Mudos", que escolheu a capital potiguar para estrear sua turnê pelo Nordeste. Nesta quinta-feira, dia 19, às 19h, a obra premiada – baseada em HQ do famoso cartunista Laerte e encenada pelo grupo La Mínima (SP) – será apresentada no Teatro Alberto Maranhão, com direito a dose repetida nos dois dias seguintes (20 e 21). E, mais a entrada custa R$ 20 (inteira) e R$ 10 (estudante e pessoas acima de 60 anos). A mescla entre fantasia e realidade dá uma pitada de "policial noir" ou "clown noir" ao espetáculo, toque essencial para a atuação dos atores. "Nada mais instigante para o La Mínima do que montar um espetáculo que sempre pareceu sua própria sinopse", detalha o ator Domingos Montag-

ner, que teve recentemente uma experiência na novela "Cordel Encantado", da Rede Globo, ao interpretar o cangaceiro "Herculano". A partir da comicidade física, da lógica do absurdo e do humor sem palavras, a obra evidencia os conflitos entre as intolerâncias urbanas e o universo irreverente do palhaço, baseada na HQ original publicada em 1987 na Revista Circo. Para o cartunista, ao sofrerem uma perseguição implacável apenas pelo fato de existirem, os personagens remetem à própria natureza do palhaço, que precisa lidar com o rompimento dos tais valores absolutos para preservar sua própria essência. "A Noite dos Palhaços Mudos" teve sua qualidade reconhecida. Foram quatro indicações ao Prêmio Shell 2008, vencendo na categoria Melhor Ator – graças às brilhantes atuações de Domingos Montagner e Fernando Sampaio – e seis indicações ao Prêmio Coca-Cola FEMSA de Teatro 2008. E, mais foi eleito o "Melhor Espetáculo de 2008" pela Folha de São Paulo e pela revis-

ta Bravo!, ganhou o "Prêmio de Melhor Espetáculo de Sala Convencional e Melhor Elenco" por meio do Prêmio Cooperativa Paulista de Teatro 2008, além de muitas outras indicações. E, o próximo destino do espetáculo ainda é em solo potiguar: serão duas apresentações em Mossoró, dias 24 e 25 de julho, no Teatro Dix-huit Rosado. Depois, é hora de seguir viagem para Recife e para Caruaru. Confira a entrevista exclusiva para O JORNAL DE HOJE com um dos integrantes do grupo La Minima, ator Fernando Sampaio. O JORNAL DE HOJE - Por que adaptar uma HQ de Laerte? Fernando Sampaio – Porque nós amamos o Laerte. Ele é um grande artista e cartunista de São Paulo. Eu e o Domingos (Montagner) a lemos em meados dos anos 80, mas só nos conhecemos no começo dos anos 90. Eu dei aula de circo para a filha do Laerte, a Suriá, que, inclusive, virou personagem da história. Laerte

criou dois tios para ele, os palhaços Flip e Flop, e ele faz o "A Noite dos Palhaços Mudos" com esses dois tios. Independente disso, achamos a HQ de um bom gosto incrível, é muito pertinente. É uma história que fala sobre a intolerância de uma seita em relação aos palhaços. Eu e o Domingos escolhemos muito facilmente essa história para adaptar. O JORNAL DE HOJE – Embora e valha do humor e seja com palhaços, o espetáculo tem uma crítica no meio, não é verdade? Fernando Sampaio – Isso, tem uma crítica no meio. Aliás, essa foi a grande "paixão". Quando eu li a HQ, eu estava muito longe do circo, e resolvi voltar. Achei de um humor incrível. A irreverência dele falando sobre o tema da intolerância e do preconceito contra o palhaço. Essa seita que o Laerte cita foi inspirada numa organização de extrema direita de SP, que existia na época, meio fascista. É uma crítica ao preconceito e à intolerância

não só ao palhaço, mas às minorias em geral. O JORNAL DE HOJE – O La Mínima gosta de trabalhar a ausência de palavras. Fernando Sampaio –- Esse espetáculo preenche uma lacuna deixada pelo A La Carte, um outro que fizemos e que, inclusive, trouxemos para Natal já, no qual não havia diálogo. Queríamos fazer outra peça com muito pouco ou texto, e é o que acontece no "A Noite dos Palhaços Mudos". As únicas falas que existem são do Fernando Paz, que representa a seita, de modo fiel à HQ. O JORNAL DE HOJE – Por que escolheram Natal pra estrear a turnê Nordeste? Fernando Sampaio – Pela proximidade com o grupo Clows de Shakespeare e por ser uma das capitais do NE que nunca receberam o espetáculo. O JORNAL DE HOJE – Depois da turnê pelo NE, quais os planos?

Fernando Sampaio – Voltando pra SP, a agenda será dedicada a outro projeto chamado "Rádio Varieté", um espetáculo de rua. Também montamos há pouco e vamos continuar com o espetáculo "Mistero Buffo", baseado em adaptações de monólogos do autor italiano Dario Fo. O JORNAL DE HOJE – Por que os natalenses devem ver a peça? Fernando Sampaio – Com toda a modéstia, é um espetáculo que ganhou muitos prêmios em SP, onde há muita competitividade no mau sentido. Tivemos a felicidade de ganhar o prêmio Shell de Melhor Ator, eu e o Domingos, e de forma inusitada, porque premiaram a nós dois juntos. Isso para para dois atores que não falam nada durante a peça. É um espetáculo inteligente, faz você pensar, é muito bem dirigido por Álvaro Assad, um mímico que mora no RJ e tem uma Cia de teatro que também usa o humor físico.

Cultura HOJE "UM A PENSAR +" Com temáticas diversas, a Exposição Coletiva um a pensar + chega à Galeria de Arte do Campus Cidade Alta nesta quarta-feira, dia 18, a partir das 19h. Segue em cartaz até o dia 30, de segunda à sexta-feira, das 9h às 20h. Participam vários artistas potiguares e contará também com instalação em arame farpado do austríaco Reinhard Schell.

MPB A cantora Bruna Hetzel esbanja todo seu talento no projeto Genot Maior MPB nesta quintafeira, dia 19, a partir das 18h30, no Genot Cafés Especiais, da Livraria Saraiva (antiga Siciliano) do Midway Mall.

com Dani Pacheco

TALENTO POTIGUAR O atleta paralímpico Clodoaldo Silva comemora mais uma conquista, dessa vez fora das piscinas. O longa metragem, que contará sua trajetória de superação e sucesso, é um dos contemplados pelo Programa de Fomento ao Audiovisual Carioca (FAC), da RioFilme, e receberá investimento. "É mais uma grande realização para a minha carreira chegar às telonas", brinca Clodoaldo. "Ter a certeza de que muitas pessoas terão acesso a minha vida e que poderei servir de incentivo é muito bom. O objetivo desse filme é mostrar como minha carreira colaborou para colocar o Brasil em destaque quando se fala de atletas paralímpicos. Bem como, é uma forma também de conscientizar a sociedade de que tudo é possível", diz o atleta.

CINEMA GRANDES MUSICAIS O grupo de dança do SESC unidade Zona Norte, fará uma representação do Espetáculo de Ballet "Cinema Grandes Musicais". Na apresentação, 130 alunas irão dançar sucessos como: O Mágico de Oz, Sinfonia em Paris, Dançando na Chuva, Mary Poppins, Noviça rebelde, Cabaret, Grease, Chorus Line, Cats, Molin Rouge, entre outros. O espetáculo acontecerá na Praça de Eventos do Shopping com um auditório para 300 pessoas, dia 25 de julho às 19h a entrada é gratuita. Fotos: Divulgação

DANIELA PACHECO - danipacheco@hotmail.com

E, POR FALAR... O título do filme é "Clodoaldo Silva - O tubarão das piscinas" e será lançado em breve pela produtora Marca Filmes. O longa metragem busca promover reflexões para perguntas como: A sociedade brasileira está preparada para reconhecer "herois" com algum tipo de deficiência? Existe algum tipo de transformação na sociedade brasileira? Como ficará o esporte paralímpico depois de Clodoaldo? Estamos preparados para receber os Jogos Paralímpicos de 2016? SÓ PARA LEMBRAR... O atleta paralímpico Clodoaldo Silva, natural de Natal, no Rio Grande do Norte, conheceu a natação, em 1996, como processo de reabilitação. Dois anos depois, participou do primeiro campeonato brasileiro e ganhou três medalhas de ouro. Com uma trajetória esportiva marcada com muitas dificuldades, garra, abdicação, superação e muita persistência. O nadador é hoje o maior atleta da história do Brasil e um dos maiores do mundo. Por conta das paralimpíadas de Sydney 2000, Atenas 2004 e Pequim em 2008, que renderam seis medalhas de ouro, cinco de prata e duas de bronze, é o maior ganhador paralímpico do esporte brasileiro, tanto em quantidade quanto em qualidade. Em 2005, recebeu do Comitê Paraolímpico Internacional o título de melhor atleta do mundo e do COB recebeu o prêmio de hour concour. Esse último, só quem tem são os dois Ronaldinhos: o Gaúcho e o Fenômeno.

HOJE Acompanhada pelos músicos Zequinha Brasil (violão) e Jô Cabral (percussão), a cantora e atriz cearense Ivete Pereira faz show nesta quartafeira, dia 18, a partir das 20h30, Jobim Gastronomia & Música (Praça das Flores, em Petrópolis) onde interpreta as músicas mais românticas da Bossa Nova.


18 O Jornal de HOJE

Cultura

Natal, 18 de julho de 2012

Quarta-feira

Canal 1

BATE-REBATE w Um dos diferenciais do SporTV na cobertura da Olimpíada será a efetiva participação dos seus 11 correspondentes espalhados pelo mundo. w Conhecida nacionalmente pela bagunça que costuma fazer em sua programação, a TV Pampa, afiliada da Rede TV! no Rio Grande do Sul, também é outra que está reprisando o "Sábado Total" sem dó nem piedade. w Aliás, com o título modificado. Lá chama “Programa Gilberto Barros”. w Márcio Bernardes também está

POR FLÁVIO RICCO - Colaboração: José Carlos Nery /flavioricco@gmail.com.br / http://twitter.com/flavioricco Artur Igrecias – SBT

Olimpíada tira do ar programas da Record A transmissão dos Jogos Olímpicos, com início do futebol feminino e masculino nos dias 25 e 26, respectivamente, antes mesmo da festa de abertura, terá preferência absoluta na programação da Rede Record até 12 de agosto. Nem poderia ser diferente. Os olhos de todo mundo estarão voltados para Londres. Mesmo se dividindo ou alternando com a Record News a cobertura de determinadas competições, a grade da Record sofrerá mudanças bastante significativas durante o período. Algumas já estão decididas, outras serão realizadas no momento oportuno. De 30 de julho a 3 de agosto, não serão apresentados “Hoje em Dia”, “Record Notícias”, “Tudo a ver” e “Cidade Alerta”. “O Melhor do Brasil”, do Rodrigo Faro, por sua vez, terá edições mais curtas aos sábados e os programas “Tudo é possível” e “Gugu” não serão exibidos no domingo, 29 de julho, sendo que Ana Hickmann também não entrará no dia 8. É o que há, por enquanto.

embarcando hoje. Vai cobrir a Olimpíada para a Transamérica e seu próprio blog. w Juliana Franceschi é o novo lançamento da Rede TV! para a apresentação dos seus programas esportivos. w Depois da estreia com Pelé, o “Conversa de Gente Grande”, do Marcelo Tas, na Band, recebe no próximo domingo Sabrina Sato. w Sabrina que também passa a ser alvo das brincadeiras do “Pânico”. Estão tentando arrumar um novo namorado para ela.

C´EST FINI O pessoal da rádio Bandeirantes levantou uma bola interessante, até com base na final da “Libertadores”, em São Paulo. Foi marcante a presença de um monte de “repórteres-torcedores”, fazendo uso de credenciais para ter acesso a áreas especiais e atrapalhando quem estava ali para trabalhar. Essa Copa do Mundo promete. Ficamos assim. Mas amanhã tem mais. Tchau!

HUMOR

Alexandre Porpetone, como Cabrito Tevez, é uma das atrações de hoje do programa “Cante se puder”, no SBT. Comando de Patrícia Abravanel e Marcio Ballas.

>> TV - TUDO w BLOQUEIO – 1 Algumas emissoras de televisão, como Globo e SBT normalmente não colocam impedimentos quando recebem pedidos da Gazeta para gravar ou fazer programas ao vivo com seus artistas. No caso do SBT, inclusive, o “trânsito” é livre. Raul Gil esteve lá na semana passada, e em relação à Globo, a liberação sempre acontece especialmente no “Todo Seu”, do Ronnie Von.

BLOQUEIO – 2 Curiosamente, a Gazeta não encontra a mesma facilidade na Bandeirantes para levar seus apresentadores ao “Mulheres”, por exemplo. Existe o veto, mas ninguém sabe informar quais são as questões. Se é uma bronca de arquivo ou coisas particulares. w

w TRABALHO EXTRA O narrador da Record, Maurício Torres, transformado em número 1, embarca hoje, quarta-feira, para Londres. Mas antes do seu check-

in, ele foi obrigado a refazer algumas sonoras, antes na voz do Eder Luiz, que se demitiu na semana passada. w TERCEIRO EPISÓDIO O Rio Zambeze, no coração da África, é o próximo “Planeta Extremo”, domingo, no “Fantástico”. A equipe do Clayton Conservani desce 21 corredeiras com o americano Benjamim Stoksberry, que ali perdeu um amigo morto por um crocodilo. O corpo nunca foi encontrado. w VEM AÍ Mari Paraíba, capa da Playboy e ex-jogadora de vôlei, já foi sondada por três emissoras para trabalhar como apresentadora. Por causa disso, ela já frequenta um curso de preparação e está na espera da melhor proposta. O seu desejo é comandar um produto voltado para o meio esportivo.

w

QUESTÕES BÁSICAS

Sábado no “Jornal da Band”, exibiram matéria de uma feira japonesa, que se supõe num pavilhão em São Paulo. Mas em que lugar? No “Jornal Nacional”, na mesma noite, a mesma festa de crianças e “que depois vai para o Rio”. Mas onde em São Paulo e onde no Rio? O “quem, “quando”, “onde”, como” e “por quê” continuam imprescindíveis. w ELENCO - 1 Mais um ex-artista da Globo fecha contrato com a Record. Rafael Zulu, o Edvaldo em “Fina Estampa”, vai integrar o elenco da próxima novela de Gisele Joras, substituta de “Máscaras”, que terá direção-geral de Edson Spinello e estreia em outubro. A participação de Juliana Silveira também foi confirmada. As protagonistas serão vividas por Bárbara Borges e Roberta Gualda. w ELENCO - 2 A Record confirma, ainda para o elenco de sua próxima novela, as

presenças de Vitor Facchinetti, Rodrigo Phavanello e Rafael Calomeni. O título da história ainda não foi definido. Segundo a emissora, não será “Passado próximo”, considerado muito fraco. w PEREGRINAÇÃO Com a estreia no "Fantástico", domingo, Ana Paula Araújo está próxima de um recorde, o de assumir o papel de âncora de todos os telejornais e programas jornalísticos da Globo. Pelas contas feitas, agora só faltam o "Jornal da Globo", o "Globo Rural" e o "Globo Repórter". w RETORNO À BASE Amaury Junior está de volta a São Paulo, depois de um tempo gravando no Canadá. A ponte Capilano Suspension Bridge, em Vancouver, e a suíte real do Hotel Fairmont, em Toronto, estão nesta nova série, que vai ao ar, na Rede TV!, a partir de terça que vem.

HORÓSCOPO Áries 21/03 a 20/04 Emoções que se chocam com realidades, desacordo entre desejos e expectativas de parceiros - o astral de hoje exige de você mais brandura e paciência do que ímpeto e coragem. Dia de teste em que a humildade será necessária.

Leão 22/07 a 22/08 Marte e Júpiter ampliam sua área de influencia. O pano de fundo astral não é dos mais calmos, mas o transito da Lua por Câncer acentua emocionalismos e apegos, contribuindo para que tudo seja mais delicado no campo afetivo.

Sagitário 21/11 a 21/12 Hoje não é dia para revelações, antes para apostar em conhecimento certo e sabido, práticas testadas e experimentadas. Leve isso consigo para uma reunião de negócios importante. No plano íntimo, o dialogo aprofunda o amor.

Touro 21/04 a 20/05 Vênus e Júpiter mantem a boa vibração no campo material e financeiro, mas o contato tenso entre Lua e Saturno pede que você seja mais cuidadoso ao escolher as companhias e as palavras que irá empregar sobre si mesmo.

Virgem 23/08 a 22/09 Trate de organizar sua agenda da forma mais independente possível, assim não dependerá de pessoas que hoje estão um tanto fora de controle emocional. Alguém se precipita, outro cutuca, tente ser paciente e constante.

Capricórnio 22/12 a 21/01 Cenário astral ainda conturbado, é preciso olhar apenas para as boas realizações e os feitos dos quais se orgulha. Os erros, derrotas e maus passos dados no passado não devem assombrar seu presente. Não aja assim consigo.

Gêmeos 21/05 a 20/06 Alerta na área financeira, problemas a vista! Abordagens sonhadoras, emocionais ou subjetivas demais em relação a dinheiro, ganhos e posses irão lhe render desapontamento. Saturno pede mais dedicação e responsabilidade.

Libra 23/09 a 22/10 Subindo pelas paredes de tantas cobranças e demandas? Até amanhã a tendência continua, respire fundo. Todos sabem que você não tem poderes mágicos, trata-se apenas de provocação. Preserve sua paz mental.

Aquário 21/01 a 19/02 A ilusão de um afeto desejado pode ser como uma flor delicada, hoje deve ser abordada com cuidado e boa vontade para que não míngue diante de exigências mundanas. Guarde seus sonhos, até que encontre alguém receptivo.

Câncer 21/06 a 21/07 Com a Lua ainda em seu signo, dê um jeito de manter o mundo lá fora mais distante. Assim conseguirá cuidar mais de si mesmo. No entanto, as obrigações familiares se impõem e você terá de chegar a um acordo sobre elas.

Escorpião 23/10 a 21/11 Marte em Libra em ótimo aspecto a Júpiter favorece a leitura e o distanciamento do mundo e de suas mazelas, acontecimentos, baladas e reuniões. Através do estudo e da busca de informações, sua alma estará equilibrada.

Peixes 20/02 a 20/03 A ânsia se une com a esperança, mas lá no fundo seu instinto de sobrevivência já deu o alarme e você tem de segui-lo. A Lua em Câncer representa este alarme sensível, e é benéfica para todos os piscianos.. Adie esforços maiores.

Divulgação

CINEMA

Cena do filme “A Era do Gelo 4”

O ESPETACULAR HOMEM-ARANHA - (10 ANOS) PRAIA SHOPPING 1 – HORA: 14:10 / 16:55 / 19:40 PRAIA SHOPPING 4 - HORA:15:10 / 17:55 / 20:40; HORA:12:25 / 15:10 / 17:55 / 20:40 PRAIA SHOPPING 6 - HORA:16:40 / 21:40 CINEMARK 1 - HORA:14:40 / 17:50 / 21:00; HORA: 00:00 (SÁB) CINEMARK 2 - HORA:11:00 / 14:00 / 17:20 / 20:30; HORA: 23:30 (SÁB) CINEMARK 3 - HORA:12:00 / 15:10 / 18:20 / 21:40

MADAGASCAR 3 - (LIVRE) PRAIA SHOPPING 2 - HORA: 14:35 / 19:00 CINEMARK 1- HORA:12:20

E AÍ, COMEU? - (14 ANOS) PRAIA SHOPPING 3 - HORA: 14:50 / 19:25 CINEMARK 4 - HORA:12H:30 / 15:00 / 17:30 / 19:50 / 22:10

PROMETHEUS 3D - (14 ANOS) CINEMARK 6 - HORA: 23:40 (SÁB)

VALENTE - (LIVRE) PRAIA SHOPPING 2 – HORA:16:40 CINEMARK 5 - HORA:11:50 / 14:20 / 16:40

SOMBRAS DA NOITE - (14 ANOS) PRAIA SHOPPING 3 – HORA: 17:00 / 21:35 CINEMARK 7 - HORA: 22:00

OBS: A aprogramação pode ser alterada sem prévio aviso. Favor consultar o cinema para confirmar o filme do dia.

PARA ROMA COM AMOR - (12 ANOS) PRAIA SHOPPING 2 – HORA: 21:05 CINEMARK 5 - HORA:19:10 / 21:35; HORA: 00:15 (SÁB) CINEMARK 5 - HORA:11:50 / 14:20 / 16:40

A ERA DO GELO 4 - (LIVRE) PRAIA SHOPPING 5 - HORA: 14:00 / 16:10 / 18:20 / 20:30 PRAIA SHOPPING 6 – HORA: 14:30 / 19:30 PRAIA SHOPPING 7 - HORA: 15:00 / 17:10 / 19:20 / 21:30 CINEMARK 6 11H20 - HORA:13:50 / 16:20 / 19:00 / 21:20 CINEMARK 7 12H10 – HORA:14:30 / 17:10 / 19:30


Cidade

Quarta-feira

Natal, 18 de julho de 2012

O Jornal de HOJE 19

Governo promete retomar obras da UERN EM ATÉ 60 DIAS, TRABALHOS NO CAMPUS AVANÇADO DA UNIVERSIDADE DEVEM CONTINUAR, NUM INVESTIMENTO DE R$ 4 MILHÕES Paralisada há quase dois anos, a obra do campus avançado da Universidade Estadual do Rio Grande do Norte (UERN), na zona Norte de Natal, pode ser retomada em um prazo de até 60 dias. A informação é do reitor da Universidade, Milton Marques de Medeiros, que recebeu da governadora Rosalba Ciarlini a informação de que os recursos na ordem de R$ 4 milhões necessários para a retomada e conclusão dos serviços estão assegurados. O reitor Milton Marques de Medeiros lembra que a obra é feita de forma compartilhada, sendo executada pela Secretaria de Infraestrutura (Sin). De acordo com ele, a governadora se comprometeu a destinar os valores para que a obra seja concluída até o final do primeiro semestre de 2013. "Nós pedimos para que a governadora agilizasse a conclusão da obra, uma vez que temos grande necessidade de utilização deste campus. Rosalba Ciarlini afirmou que receberá recursos em breve e que parte desta verba será des-

Wellington Rocha

Reitor Milton Marques disse que a governadora Rosalba Ciarlini se comprometeu a destinar recursos para conclusão dos serviços tinada à obra. Com isso, irá autorizar a Sin para retomar a obra", explica o reitor.

O prazo, porém, não foi definido. "Estamos confiantes e entendemos que em um prazo

de 30 a 60 dias, a obra deve ser retomada", reforça Milton Marques de Medeiros. Segundo ele,

Projeto de lei será enviado à AL até sexta Em relação ao Projeto de Lei (PL) que concede reajuste aos professores e servidores da UERN, o reitor Milton Marques de Medeiros informou que também conversou com o secretário estadual de Administração e Recursos Humanos, Álber Nóbrega, e que este garantiu que o PL será enviado à Assembleia Legislativa ainda esta semana. "O secretário [Álber Nóbrega] informou que está aguardando o recebimento de outros

projetos de lei referentes a outras unidades e categorias para leválos sede do legislativo estadual. Segundo ele, os projetos devem ser enviados para a Casa Legislativa até esta sexta-feira", conclui o reitor, informando que a Casa está em recesso e deve ser convocada em caráter extraordinário para votar as matérias. Segundo informações da Associação dos Docentes da UERN (Aduern), a afirmação foi dada pelo

secretário, por telefone, durante reunião da diretoria da Aduern com a reitoria da Universidade sobre o andamento do projeto de lei que altera o salário dos servidores. O reitor também informou à Aduern que a folha de pagamento do mês de julho já foi encaminhada para o Governo com o reajuste da ordem de 3,5%, juntamente com uma folha suplementar que contempla o retroativo de junho, conforme acertado com os

servidores. "Não queremos colocar em dúvida o cumprimento do acordo por parte do Governo, mas os professores estavam preocupados com ausência de informações concretas sobre o Projeto de Lei. Esperamos realmente que, conforme garantiu o secretário, a proposta seja encaminhada à Assembleia Legislativa até sextafeira para ser votada na próxima semana", afirmou o professor Flaubert Torquato.

> ALÍVIO DA DOR

Setor de fisioterapia da Adote aposta no uso da bandagem elástica adesiva A técnica visa aliviar a dor, reduzir edemas, pelo fato de melhorar a circulação linfática, gerar maior estabilidade articular e melhorar a contração muscular. Imagine um esparadrapo terapêutico que tem de 130 a 140% de elasticidade, um tecido feito com 100% de algodão, que é ativado pelo calor e à prova d´água, não contém látex e permite que a pele respire sem obstrução, o que possibilita o movimento do corpo normalmente. A bandagem elástica adesiva ou Método Therapy Taping foi fesenvolvida no Japão há mais de 20 anos, se baseia no conceito de estimulação tegumentar e, de acordo com o modo de aplicação, é possível estimular ou inibir contrações musculares. Segundo a fisioterapeuta da Associação de Orientação aos Deficientes (Adote), Giordana Fontes, o tegumento ou pele, possui uma série de receptores sensíveis aos mais diversos estímulos, como calor, frio, pressão e sem dúvida este é um sistema que tem uma importância enorme no envio de informações ao sistema nervoso central. Este método vem sendo aplicado na Adote desde julho de 2011 em pacientes com sequelas neurológicas e ortopédicas com intuito inicial de dar continuidade ao tratamento fisioterapêutico e/ou terapêutico ocupacional. “Durante as primeiras aplicações, observou-se reações e respostas a curto prazo, o que facilitou o processo de alta e o prognóstico cinesiológico e cinesiofuncional”, revela a fisioterapeuta. As primeiras sessões, de acordo com Giordana Fontes, foram aplicadas em pacientes com diagnóstico clínico de distrofia muscular e síndrome de Down. “Na primeira aplicação houve uma resposta imediata do objetivo esperado que era de inibir o pé equino durante a marcha do primeiro e promover flexão de joelho e retroversão pélvica no segundo”, lembra. Ela acrescenta que hoje aplica a técnica em 10 pacientes com patologias diversas e que

divulgação

Método vem sendo aplicado desde julho de 2011, na Adote em Natal, em pacientes com sequelas neurológicas e ortopédicas houve uma diminuição da percepção da dor, diminuição de edemas, redução de espasmos musculares, um reequilíbrio muscular e

reeducação postural. A fisioterapeuta explica que a bandagem elástica permite uma liberdade de movimento sem preju-

dicar o desempenho funcional do paciente, o que melhora a função neurológica e a resposta motora e sensorial do paciente.

a obra está 60% concluída, sendo que para concluir os 40% restantes seria necessário um prazo médio de onze a doze meses. "Se a obra fosse reiniciada agora, seria concluída em junho de 2013. Então, estamos confiantes, até porque se tivermos os recursos assegurados temos a certeza de que ela terá continuidade e, assim, conseguimos aguardar o término", ressalta o reitor. A construção do campus foi iniciada no ano de 2009, ainda na gestão Wilma de Faria. No

entanto, várias paralisações aconteceram e a última foi no segundo semestre de 2010, já na atual administração. Deste então, a obra está totalmente abandonada. A governadora fez o anúncio dos recursos ao reitor Milton Marques na presença do ex-governador que estadualizou a universidade, ministro Garibaldi Filho. A UERN também pode ganhar outro campus em Caicó e uma sede nova da Faculdade de Ciências Exatas e Naturais (Fanat).


20 O Jornal de HOJE

Cidade

Natal, 18 de julho de 2012

Quarta-feira

Érika Nesi erikamnesi@hotmail.com

O homenageado hoje é JOSÉ DE SOUZADANTAS FILHO (ZÉDANTAS) ícone cultural pelas composições em parceria com Luiz Gonzaga do gênero musical do baião, eternizado nas festas juninas no nordeste brasileiro. Como admiradora de um forró de pé de serra, ainda curto nos dias de hoje uma das suas composições mais famosas - "O xote das meninas"- Mandacaru quando fulora na seca/É o sinal que a chuva chega no sertão/Toda menina que enjoa da boneca/É sinal que o amor já chegou no coração/Meia comprida/Não quer mais sapato baixo/Vestido bem cintado/Não quer mais vestir gibão/Ela só quer, só pensa em namorar/Ela só quer, só pensa em namorar/De manhã cedo já tá pintada/Só vive suspirando, sonhando acordada/O pai leva ao doutor a filha adoentada/Não come nem estuda/Não dorme e nem quer nada/Ela só quer, só pensa em namorar/Ela só quer, só pensa em namorar/Mas o doutor nem examina/Chamando o pai de lado/Lhe diz logo em surdina/Que o mal é da idade/E que pra tal menina/Não tem um só remédio/Em toda medicina/Ela só quer, só pensa em namorar/Ela só quer, só pensa em namorar". Entre as suas inúmeras composições podem ser destacadas: Vem morena e Forró do Mané Vito (1949); Adança da moda, Cintura fina, A volta da asa branca, Derramaro o gai, Adeus ao Rio de Janeiro, Rei Bantu, O torrado(1950); O machucado, Mariá, Sabiá (1951); Imbalança, Acauã, São João na Roça, Tudo é baião (1952),13 de dezembro, Vozes da seca, O casamento de Rosa, A letra I, Algodão, Vozes da seca, Meu papagaio, ABC do sertão (1953); Feira do gado, Olha a pisada, Vô casá já, Noites brasileiras, Lascando o cano, O baião do Verimundo, Pronde tu vai Luí?, Cartão de Natal, Minha fulô, Januário vai tocá (1954); Cabra da peste, Ai amor, Farinhada, Riacho do Navio (1955); Na beira do mar, Praia dengosa, Cangote cheiroso (1956); O passo da rancheira, São João antigo, O circo, Raque, O delegado do côco (1957); Mariquinha, O xen-nhennhen.(1958). ZÉDANTAS era casado com Iolanda Simões de Souza Dantas, pai de: SANDRA SIMÕES DE SOUZA DANTAS ELALI; MONICA DE SOUZA DANTAS LAPA; JOSÉ DE SOUZA DANTAS NETO. Avô de: ANDRÉ ELALI; MARINAELALI; CLARA DANTAS LAPA; NOEL DANTAS LAPA; FERNANDA DANTAS e bisavô de: THÉO e NICOLE. "Quando conheci o meu marido, o compositor ZÉDANTAS, ele já era amigo de Luiz Gonzaga e o baião começava a despontar, com sucesso, no país inteiro. Logo depois de se formar em Medicina, ZÉDANTAS viajou para o Rio de Janeiro, onde havia sido aprovado na Residência Médica do Hospital dos Servidores do Estado (HSE), o antigo IPASE, que era o maior hospital da América Latina. Sua chegada ao Rio foi aguardada com ansiedade por Luiz Gonzaga pois o Zé levava em sua bagagem vários baiões inéditos - e por toda a caravana do baião, integrada, dentre muitos, por Humberto Teixeira e Péricles, o famoso "Amigo da Onça" da Revista "O Cruzeiro". Foram todos diretamente para Mangaratiba, onde Humberto Teixeira tinha uma casa de praia. Programaram ficar ali um dia. Mas resolveram continuar em festa durante oito dias. Nessa época, o baião fazia sucesso no país inteiro e, no Rio de Janeiro, foi a "dança da moda" em todas as classes sociais. Muitos cantores encomendavam baiões aos compositores. Até o Carlos Galhardo gravou de ZÉDANTAS, "Ai Meu bem", baião. E segundo a RCA Victor, "A Dança da Moda", baião de ZÉDANTAS e Luiz Gonzaga, foi o disco mais vendido da época. Deixando fluir a sua inspiração, ZÉDANTAS contrariou

Ícone Fashion

José de Souza Dantas (Zé Dantas)

a vontade do seu pai, o Coronel ZÉDANTAS, austero e rico fazendeiro, que logo cedo havia proibido o filho de qualquer envolvimento com a vida artística, ameaçando, inclusive, suspender a sua mesada, em caso de desobediência. Queria vê-lo um grande médico, dedicado exclusivamente à medicina, desejo que era também de sua mãe. No entanto, como autêntico sertanejo, o poeta ZÉDANTAS começou a descobrir os encantos de sua terra Carnaíba - PE, aos dois anos de idade, quando passava horas ouvindo o canto dos pássaros, observando tudo em sua volta. Aos nove anos foi estudar no Recife - PE, como aluno interno. E começou a escrever crônicas e poesias que eram publicadas nos jornais dos colégios. Nas festas do Grêmio Estudantil costumava se apresentar abordando sempre o seu amado sertão. Nas férias, preferia curtir a Fazenda Brejinho, no "Riacho do Navio", seu refúgio, onde era recebido com muito carinho pelos vaqueiros e moradores. Depois de casado, morando no Rio de Janeiro e já era então médico efetivo do Hospital dos Servidores do Estado, onde foi aprovado em dificílimo concurso. ZÉDANTAS viajava para o seu sertão carregando um imenso gravador, no qual registrava todas aquelas histórias, contos, aboios, incelências etc. Na volta, muitas vezes ficava isolado. Ligava o gravador e, com o olhar distante, cantarolava baixinho, demonstrando saudades de sua terra. Nessas ocasiões, quase sempre surgia uma nova música.

Eram os seus dias de profunda inspiração. Homem maravilhoso, pai carinhoso e amigo dos seus amigos, frequentava as rodas sociais do Rio de Janeiro e do Recife. Foi aplaudido por Presidentes da República, como Getúlio Vargas e Juscelino Kubitschek o qual frequentemente o convidava para horas de lazer no seu apartamento, onde recebia os amigos. Médicos de renome o convidavam para suas festas, exigindo que mostrasse um pouco da sua obra. Durante essas apresentações, ZÉDANTAS, com o seu inseparável violão, cantava suas músicas, contava estórias e declamava suas poesias matutas, com destaque para "O Cangaceiro", sua poesia predileta. Até sua partida, em 1962, ZÉDANTAS sempre foi amigo do Luiz Gonzaga, que muitas vezes telefonava-lhe de longe, dizendo-lhe: - "Zé, estão me cobrando uma música sobre um determinado assunto". E esse foi o caso da música "Paulo Afonso". Quando Luiz Gonzaga voltava para o Rio de Janeiro, a música encomendada já estava pronta e logo era gravada pelo Rei do Baião. Muitas vezes meu marido me disse: - "O Luiz, com sua voz de tenor nasalado completa o que quero dizer ao meu povo nas minhas músicas". Mesmo indo cedo para o outro lado da vida, ZÉDANTAS está imortalizado pelas coisas bonitas que deixou. Todos sentem muito orgulho dele e hoje, sua neta Marina Elali revive sua obra, cantando os baiões do vovô ZÉDANTAS, que também não deixou de ser o Dr. José Dantas, obstetra competente do

HSE, médico conceituado até hoje, que se empenhava muito em sua profissão. (IOLANDA SIMÕES DE SOUZA DANTAS, viúva de JOSÉ DE SOUZA DANTAS FILHO, COMPOSITOR ZÉDANTAS). "O meu maior motivo de orgulho, em toda a minha vida, foi sempre o fato de ser filha de Zédantas. Desde muito pequena comecei a admirá-lo e a perceber que ele era uma pessoa muito especial. Nas minhas lembranças, vejo-o muito alegre, cercado de livros, escrevendo, cantando... Todos os dias ele lia belas estórias para mim, falava-me da vida, do mundo, de tudo que eu, ainda criança, podia entender... Permitia que eu participasse dos encontros musicais que ele tinha com os artistas, levavame a gravações de discos na RCA, mostrava-me versões diferentes da mesma música para que eu escolhesse a que eu mais gostava e até me pedia, de vez em quando, que "ensinasse" as novas músicas a Luiz Gonzaga, Ivon Curi, Marinês e Abdias, que frequentavam a nossa casa. Era um pai carinhoso e muito exigente, que passava o tempo todo me ensinando alguma coisa. Cobrava disciplina, modos, educação. E foi com ele que eu aprendi os valores que norteiam a minha vida. Vivíamos no Rio de Janeiro, onde eu nasci, e aqueles anos foram de imensa felicidade. Tempos depois da morte de papai fomos morar no Recife, onde passei a viver mais intensamente as alegrias e as emoções de ser filha de um pernambucano muito ilustre, que sempre foi muito homenageado, princi-

palmente em sua terra, Carnaíba, onde todos os anos realiza-se a "Festa de Zédantas", que consta do calendário oficial de eventos do Estado de Pernambuco e se constitui na maior festa do sertão pernambucano. Sobre o meu pai sempre ouvi belos depoimentos de pessoas que com ele conviveram e dele destacaram o caráter, a honestidade, a simpatia, o senso de humor, a generosidade, a cultura e a brilhante inteligência. E isso é tudo o que uma filha pode querer de um pai que, além do mais, deixou uma obra imortal para ser cantada por diversas gerações. (SANDRASIMÕES DE SOUZA DANTAS ELALI, filha). "Aos dois anos me despedi do meu pai, que me deixou meia dúzia de lembranças... jogando futebol na sala, tomando whisky, passeando na Lagoa Rodrigo de Freitas e, na cama, já enfermo. Pela idade que eu tinha não sei nem como me lembro dessas coisas. Como ele sempre foi o nosso ídolo, minha mãe me fez seguir os passos dele. Assim, estudei nos mesmos colégios em que ele estudou, cursei medicina na mesma faculdade em que ele se formou e fui também para o Rio de Janeiro para fazer Residência Médica no Hospital dos Servidores do Estado do Rio de Janeiro, onde ele tinha feito especialização e trabalhou, após ser aprovado em concurso público. Só não fiz ginecologia, já que me encantei pelos sentidos e fui cuidar da audição, do paladar e do olfato, tornando-me otorrinolaringologista. Depois que entrei naquele hospital, dei-

xei de ser órfão, pois tinha pai por tudo que era lado. Nem parecia que meu pai, Dr. Zédantas, tinha trabalhado lá há 22 anos. O diretor do hospital, Dr. Raimundo Carneiro, tinha sido colega de quarto do meu pai durante o tempo em que fizeram residência médica, e o meu padrinho de batismo, Dr. Saul, era o chefe da obstetrícia. O fato é que os amigos do meu pai eram chefes de tudo que era setor daquele hospital e eu nunca fui tão mimado. Até alguns pacientes quando liam o meu nome no jaleco e nas receitas médicas diziam que eu tinha o mesmo nome do médico que os tinha colocado no mundo. E eu então lhes dizia que estava continuando o trabalho do meu pai, cuidando do nariz deles". (JOSÉ DE SOUZA DANTAS NETO, filho). "Meu avô Zédantas, que infelizmente eu não conheci, sempre foi muito importante na minha vida. Quantas vezes, passeando com a minha avó em diversos lugares do Brasil, ouvíamos uma música de vovô tocando no rádio, em algum show, num shopping, num programa de TV. E vovó sempre dizia com muito orgulho: "Minha filha, essa música é do seu avô". Cresci ouvindo essa frase, ouvindo, cantando e dançando as músicas dele. Quando eu tinha sete anos comecei a cantar no coral do Colégio Marista de Natal, onde eu estudava, e me lembro de que a professora de canto montou um pot-pourri com sucessos de Luiz Gonzaga e Zédantas e eu fiquei muito orgulhosa. Ainda no colégio me lembro de ter dançado várias quadrilhas com os meus amigos ao som de músicas de vovô. Admiro a qualidade das músicas dele, os ritmos, as letras muito bem escritas, inteligentes, sobre assuntos diversos. E apesar do meu público conhecer o meu lado mais romântico, mais pop, as minhas composições e os temas de novelas, em todos os meus shows, desde o início da minha carreira, eu sempre fiz e faço até hoje uma homenagem ao meu avô, cantando várias músicas dele. É sempre um dos momentos mais legais do show. As pessoas cantam, dançam e eu fico feliz em ver que as músicas dele são queridas e conhecidas em todas as regiões do Brasil. Não existe idade, nem preconceito. Em qualquer lugar do país, basta eu começar a cantar "Ela só quer, só pensa em namorar..." e todo mundo canta junto. Tive também a honra de regravar "Sabiá", que foi tema da minissérie "Amazônia" e "O Xote das Meninas", que foi tema da novela "Duas Caras". E essas duas conquistas foram muito importantes para mim e para a minha família porque foi a primeira vez que músicas do meu avô foram temas de minissérie e de novela do horário nobre da Rede Globo. (MARINA ELALI, neta). "ZÉ DANTAS, ELEGANTE NA ESSÊNCIA. Era um homem de bom gosto. No vestir, no gestual, no falar. O médico e compositor José Dantas na lembrança de Luís da Câmara Cascudo. (Talvez aí resida a raiz da profunda afeição que nos liga à sua primogênita, Sandra Dantas Elali). Estiveram juntos vezes incontáveis, reunidos com Luiz Gonzaga ou outros amigos comuns. Falavam sobre cultura popular, ritmos, folguedos. Cascudo amava música e o reconhecia irmão. Na criação de melodias originais e poesias. Convidado a opinar pela sua preferência, solfejou: "Eu neste côco não vadeio mais, apagaram o candieiro, derramaram o gás." Obra prima popular, afirmava! Apauta da vida fica menos sonora com a nota da ausência física dos três. Mas as obras permanecerão. (ANNA MARIA CASCUDO BARRETO, escritora, membro da Academia Norte-riograndense de Letras e Presidente do Ludovicus Instituto Câmara Cascudo, amiga da família de Zédantas).


FLIP 18/07/2012