Issuu on Google+

Autorizado a Circular em envelope Plastificado

O JORNAL AMARANTE de

DIRECTORA: Mª JOSÉ CUNHA

PORTUGAL

J. P .P. AMARANTE TAXA PAGA

IRRESISTÍVEIS! EsPECIAL PásCOA 4 Capitais e lago balaton Partidas Garantidas - Partida do Porto a 31 Mar.’ 12 7 Noites | APA + 5 refeições Inclui: avião + transfers + Hotéis 5 estrelas | Visita de Budapeste, Viena e Praga com guia local + acompanhamento durante toda a viagem por um guia Agência Abreu + taxas de aeroporto, segurança e combustível (€ 142) + Supl. Estação Alta de € 80 + Seguro Multiviagens

CirCuito CroáCia Fabulosa Partida do Porto a 1 Abr.’ 12 7 noites | APA + 12 refeições Inclui: avião + transfers + hotéis de 3 e 4 estrelas + guia acompanhante em espanhol + taxas aeroporto, segurança e combustível (€ 177) + Seguro Multiviagens

desde:

desde:

1.252

por pessoa em duplo

1.325 por pessoa em duplo

Exclui: Despesa de reserva (€29 por processo e não por pessoa) + suplementos; lugares limitados; taxas sujeitas a alteração; sujeito às nossas condições gerais. CONSULTE-NOS.

ABERTO à hORA dE ALMOÇO

Quinta-feira, 02 de Fevereiro 2012 | Nº 1653| Ano 32 | euro 0.80

Novo Hospital de Amarante deverá funcionar já em Abril

Avança, em Abril, requalificação da estrada entre o Mosteiro de Gondar e a E. N. 15

RNAVT 1702

Rua Cândido dos Reis, 222 | 4600-055 AMARANTE Email: amarante@abreu.pt - Tel.: 255410100 - Fax: 255410109

Oitavo encontro de Cantadores de Janeiras reuniu 23 grupos Restaurante Largo do Paço venceu Concurso Vinhos Verdes & Gastronomia


2| O Jornal de Amarante

A uma Menina do meu coração Em Amarante vi uma menina Pequenina Chamava-se Lurdinhas Era de maravilhar! De bochechinha brunida Cor de maça camoesa, De rosto transluz Tinha sempre uma expressão Carinhosa Uma palavra sábia - amiga Que enchia a gente de alegria Mesmo quando contra o tempo descuidado Os sentimentos giravam ao contrário E o astrolábio desconexo Da perca da razão atribulada Resplandecia calorosamente Cheia de Sol, cheia de ternura Cheia de Ar, cheia de postura A pequena menina Lurdinhas! Dos velhos tempos da catequese Passando pelos ensinamentos De uma escola, que só se encontra Nos nossos velhos livros de história Ficaram desde muito cedo, gravados em mim As doutas palavras Da minha mestra “Olhai meninos! Na vida nós seremos o que quisermos E nunca aquilo que os outros querem de nós Nunca olheis para trás Não olheis aos tontos que nada dizem Não olheis aqueles que criticam sem razão Batei as asas e voai Mas ao voares, não apagueis a estrela

Do Bom Deus que existe em vós Do Bom Caminho da vida E então vereis que a todos chegará a ventura Toda a boca terá pão Toda a nudez cobertura Toda a dor, consolação … “ O sol abrasa os longes da paisagem, Que se espraia pelas cansadas linhas Dos frenéticos vai-e-vem dos comboios aflitos Que chegam e partem sem medo de ter culpa E, a sombra … a sombra que vai à sua frente, vai seguindo É a luz, abrir-se, para lhe dar passagem… Para o céu, que está aqui tão perto Dentro do nosso coração! Não era a minha vista cansada, ou Os meus ouvidos turbos Tocam os sinos, tocam as aves-marias Eram os da menina Lurdinhas – a minha mestra! Escrevo em breve despedida este poema Que se alinha no vesperal crepúsculo do verbo E sob o olhar único da vida, é que o componho – sentido Entrei com ar titubeante Numa igreja fria e triste Sossega agora, coração atribulado Queira Deus, que nesta hora de ansiedade Sejas só Tu conforme Fostes Sejas só Tu conforme És! … A Minha Mestra … a Menina do Meu Coração. Em memória de Lurdinhas Vinhós Luís Filipe Ribães Monteiro Amarante, 07 de Janeiro de 2012

EDITORIAL É assustadora a taxa de desemprego verificada actualmente em Portugal. A crise, as falências convenientes, o medo de arriscar, o afastamento dos investidores estrangeiros em consequência da carga fiscal que, à semelhança dos nacionais, lhe seria imposta, a falta de investimento público e o aumento de todos os serviços são, em parte, a justificação para toda esta situação. A classe média está a desaparecer, e parece que, a classe baixa, desaparecerá em pouco tempo. A vontade parece ser acabar com todo o necessitado, paulatinamente, através da privação dos cuidados básicos e essenciais de saúde, da privação do mínimo, o mínimo de uma refeição quente por dia para cada pessoa. A par dessa situação, temos

O JORNAL DE AMARANTE Propriedade Publitâmega - Publicações do Tâmega, Lda. Tiragem Média 3500 exemplares.

jornaldeamarante@iol.pt jornaldeamarante@gmail.com

em Portugal funcionários públicos de primeira e funcionários públicos de segunda. No primeiro caso temos os nomeados, que aos salários abastados, acumulam, contrariamente a todos os outros, os subsídios de férias e de natal e muitas outras regalias e compensações. Os funcionários dos gabinetes ministeriais, os funcionários de algumas entidades públicas, ditas independentes. No segundo caso, temos a grande maioria. Por exemplo, conforme publicado em Diário da República, a Ministra da Justiça nomeou mais um funcionário para o seu gabinete, tendo feito constar do despacho, publicado a 27 de Janeiro, o direito do mesmo aos subsídios de férias e de Natal, contratado para “realizar estudos, trabalhos e prestar conselho técnico”, a troco de uma re-

muneração mensal de 3892,82 euros. Nada de mais, não fosse a situação económica do país, o ataque aos advogados e às supostas contas com irregularidades por eles apresentadas (na maioria dos casos simples erros), a falta de condições dos órgãos de policia criminal, dos magistrados, funcionários judiciais, essencialmente, nas suas remunerações. Se se exige trabalho, deveriam igualmente auferir uma remuneração que lhes permita não entrar em estado de necessidade, para não serem facilmente corrompidos. No que diz respeito ao crime, não são necessárias mais leis. É necessário que os polícias não tenham medo de vigiar, investigar e prender, porque sabem que o juiz, por força da lei, não vai soltar. Se toda a gente

sabe quem roubou, quem trafica, quem distribui, quem recepta, quem recruta, quem agride, quem mata, prendam. O que se passou no Ministé-

rio da Justiça, passou-se igualmente no Ministério da Educação, onde uma funcionária foi nomeada com garantia de dois abonos suplementares no mesmo valor nos meses de Junho e Novembro. Um Ministério, à semelhança do da Justiça e MAI, apenas se fala em corte no número de professores, no aumento de alunos por turma, na diminuição do valor das bolsas escolares, no aumento dos limites mínimos e máximos para obtenção de escalão. Krugman, professor Universitário e prémio Nobel em 2008, já defendia a teoria de Samuelson que austeridade em cima de depressão é muito má ideia. Austeridade e cima de austeridade, realmente, não resulta. Prova disso é que o aumento da carga fiscal, já resultou em menos receita fiscal, ou seja, fuga aos impostos, menos receito que o Estado pensava obter e que não vai obter, o que vai alterar as suas contas. O ideal seria uma cultura de responsabilidade social e económica. Atrair as pessoas para um cenário em que nau fugir aos impostos, ou não fugir tanto, seja mais compensatório, colocar a economia paralela a pagar, ainda que apenas pequenos valores percentuais. É preferível um IRS baixo e um IRC mais diferenciador, mas toda a gente pagar, do que só pagar quem realmente não tem mesmo escapatória: os funcionários públicos e os titulares de órgãos políticos, fiscalizados, e bem, pelo Tribunal de Contas. |HM|

APROVEITE A CRISE E FAÇA UM EXCELENTE NEGÓCIO NÃO DEIXE FUGIR ESTA OPORTUNIDADE

Quinta casa nova, com 4 quartos, 2 casas de banho, sala, cozinha toda equipada, 12.000m2 de terreno, água de mina, bons acessos. Preço: 105.000€ Quinta – com casa pronta habitar mais adega, 5.000m2 de terreno, com produção de vinho, pomar, local sossegado, boa exposição solar. Preço: 105.000,00€ Sociedade de Mediação Imobiliária, Lda. Tel. 255 425 389 – 963320174 - 963320173 Lic. 3757 AMI www.milares.com

Directora: Mª José Cunha Colaboradores: A. Magalhães, António Patrício, Carlos Carvalho, Costa Neves, Gabriel Carvalho, Hermínia Mendes, Hernâni Carneiro, Maria Rosa Pinto da Cunha, Mário Fernandes, Paulo Teixeira.net, João Pereira da Silva, Simão Marinho, Sónia Bastos, Raquel Marinho, Telma Pinto Ferreira Design e Paginação: Maria José Cunha Secretariado: Maria José Cunha Administração/Redacção/Departamento Comercial: Largo de S.Pedro, 2ºC, Apartado 75 - 4600-036 Amarante, Tels.: 255 432 301/255 432 313/ 255 432914 Registos: Ministério da Justiça/Instituto de Comunicação Social - 106941| Depósito Legal: 135757/99 Pessoa Colectiva: 500 886 644 Depósito Legal: 135757/99 Pessoa Colectiva Nº 500 886 644 Gerência: Joaquim José F. Machado, Eduardo Oliveira Pinheiro (detentor de mais de 10% do Capital) Tels.: 255 432 301/255 432 313/ 255 432 914

Preço de Assinatura Continente 30,00 Euros | Estrangeiro 50,00 Euros

Porte Pago Avença – 4600 Amarante


O Jornal de Amarante Quinta-feira, 02 de Fevereiro 2012 | 3

ACTUALIDADE

Novo Hospital de Amarante deverá funcionar já em Abril

De acordo com o presidente do Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa (CHTS), José Luís Catarino, a obra do novo Hospital de Amarante estará concluída “no prazo de 60 dias”, faltando apenas, nesta altura, obter alguns equipamentos. Esta nova unidade, integrada no CHTS, cujo investimento foi de 27 milhões de euros, vai servir cerca de 180 mil habitantes e terá uma urgência básica, com internamento na especialidade de medicina interna,

estando, de acordo com o responsável, vocacionada “para o sistema ambulatório”, onde vão igualmente funcionar “consultas externas de especialidade”. Apesar deste aumento do número de consultas externas de especialidade, não se irá verificar um acréscimo de recursos humanos, uma vez que serão “deslocados médicos da unidade de Penafiel”. Com a actual conjuntura pouco favorável, o objectivo passa, assim, por evitar o aumento de custos, “trans-

ferindo os recursos do hospital antigo para o novo”. O novo Hospital de Amarante terá apenas uma urgência básica, à semelhança da Unidade de S. Gonçalo que funciona em instalações mais antigas. No entanto, e apesar deste facto, espera-se que, com esta melhoria de condições, acorram mais doentes a esta nova unidade, contribuindo, desta forma, para aliviar a urgência médico-cirúrgica do Hospital Padre Américo, em Penafiel.

Prisão preventiva para alegados traficantes No âmbito de diligências de inquérito em processo por suspeita de tráfico de estupefacientes, o Destacamento Territorial da Guarda Nacional Republicana de Amarante, através do seu Núcleo de Investigação Criminal, deteve, em Freixo de Cima e Figueiró, dois indivíduos do sexo masculino, com 31 e 36 anos de idade, no passado dia 24

de Janeiro. No âmbito do mesmo processo, foi realizada uma busca domiciliária, resultando a apreensão de 220 doses de heroína, 14 doses de cocaína, dois veículos ligeiros, três telemóveis e 200 euros. Presentes a Tribunal, para primeiro interrogatório, foi-lhes aplicada a medida de coação de prisão preventiva.

Senhor Assinante regularize por favor a sua assinatura

Restaurante Largo do Paço venceu Concurso Vinhos Verdes & Gastronomia O restaurante Largo do Paço, de Amarante venceu o quarto Concurso Vinhos Verdes & Gastronomia, juntamente com os restaurantes Tavares Rico, de Lisboa; Egoísta, da Póvoa de Varzim; Poivron Rouge e DOP, ambos do Porto, e A Escola, de Alcácer do Sal. Os cinco primeiros restaurantes triunfaram na categoria de Cozinha de Autor, e A Escola impôs-se na categoria de Cozinha Tradicional. Todos receberam, na passada segunda-feira, a medalha de ouro deste concurso organizado pela Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes (CVRVV), e entregue no Palácio do Freixo, no Porto. A cerimónia incluiu um jantar composto por cinco pratos confeccionados pelos restaurantes vencedores. Para a entidade organizadora este concurso “é, cada vez mais, uma aposta ganha”. Esta é já a quarta edição e tem contado sempre com os melhores restaurantes portugueses, de Norte a Sul de Portugal, alguns deles já classificados com uma estrela do conhecido Guia

Internacional Michelin. O Largo do Paço e o Tavares Rico estão entre os que possuem uma estrela Michelin. O objectivo do certame Vinhos Verdes & Gastronomia passa por incentivar os chefes a criar pratos adequados ao perfil único deste vinho. Decorreu de Maio a Novembro de 2011 e o júri foi constituído por João Geirinhas, da Revista de Vinhos; pelo chefe Marco Gomes, do Restaurante Foz Velha, no Porto; Agostinho Peixoto, da Associação Portuguesa de Turismo de Portugal, e Bruno Almeida, enólogo da CVRVV. Este concurso contou com a participação de “mais de 30 restaurantes”, de todo o país. Os premiados nesta quarta edição comprometeram-se a manter na carta as ementas vencedoras deste evento, durante pelo menos um mês, a partir da data da divulgação dos resultados. Quanto à CVRVV, irá incluir os restaurantes e ementas galardoados no Guia Gastronómico dos Vinhos Verdes deste ano de 2012.

APD Amarante A Comissão Dinamizadora da Delegação Local de Amarante da Associação Portuguesa de Deficientes e o D’ arcos Bar estão a organizar uma noite Solidária – KARAOKE SOLIDÁRIO - no dia 16 de Fevereiro, quinta-feira, às 22h00, no D’arcos Bar.

Para entrar no D’ arcos Bar nessa noite é necessário adquirir uma pulseira com o custo de ‘2 €uros’. O objectivo desta iniciativa é angariar fundos para apoiar a Associação Portuguesa de Deficientes de Amarante.

COMUNICADO A Gerência da Publitâmega – Publicações do Tâmega, Lda. Informa que, a partir desta data, as responsabilidades, quer pela parte editorial quer pela actividade comercial inerentes ao Jornal de Amarante, passam a ser da Coopertâmega. Amarante, 2 de Fevereiro de 2012 A Gerência da Publitâmega

MESTRE DU Resultados prováveis em 3 dias, + / - 100% sejam quais forem os seus problemas. Por favor contactar grande médium com 21 anos de experiência! Ajuda-o em todos os seus problemas de amor, dinheiro, trabalho, álcool, droga, cigarro, etc. Por correspondência, consultas: Rua João Pinto Ribeiro nº 50 - 2º Andar Frente - Fracção P - Edif. Santa Luzia - Amarante 220187389 | 968589269 | 917443987 | 939769654 Pagamento depois do resultado


4 | O Jornal de Amarante

CLASSIFICADOS Câmara Municipal de Amarante

Câmara Municipal de Amarante

S.Gonçalo - Amarante

ANÚNCIO DE CONCURSO

ANÚNCIO DE CONCURSO

1) DESIGNAÇÃO E ENDEREÇO OFICIAIS DA ENTIDADE ADJUDICANTE

1) DESIGNAÇÃO E ENDEREÇO OFICIAIS DA ENTIDADE ADJUDICANTE

D. Estela das Neves Torres

Organismo: Câmara Municipal de Amarante À atenção de: Divisão de Planeamento , Desenvolvimento e Projecto/Gabinete de Projectos Endereço: Alameda Teixeira de Pascoaes Código postal: 4600-011 Amarante Localidade/Cidade: Amarante País: Portugal Telefone: 255420258 Fax: 255420277 Correio electrónico: dpdp@cm-amarante.pt Endereço internet (URL)

Organismo: Câmara Municipal de Amarante À atenção de: Divisão de Planeamento , Desenvolvimento e Projecto/Gabinete de Projectos Endereço: Alameda Teixeira de Pascoaes Código postal: 4600-011 Amarante Localidade/Cidade: Amarante País: Portugal Telefone: 255420258 Fax: 255420277 Correio electrónico: dpdp@cm-amarante.pt Endereço internet (URL)

2) DESCRIÇÃO 2.1 Designação da empreitada Repavimentação da E.M. 757 desde o Mosteiro até à E.N. 15 - Gondar.

2) DESCRIÇÃO 2.1 Designação da empreitada Repavimentação da E.M. 757 desde a E.M 752 até ao Mosteiro de Gondar.

2.2 Local onde se realizará a obra Concelho de Amarante, freguesia de Gondar. 2.3) Prazo de execução 120 dias contados nos termos do disposto no nº 1 do artº 362º do CPP. 2.4) A empreitada refere-se à totalidade dos trabalhos postos a concurso O valor base é de 256.500,00 €. 3) CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO 3.1) O alvará de construção emitido pelo Instituto da Construção e do Imobiliário, I.P. deve conter: a1) A classificação como empreiteiro geral ou construtor geral de Obras rodoviárias, de acordo com o estabelecido na Portaria n.º 19/2004, de 10 de Janeiro, na 2ª categoria, em classe correspondente ao valor da proposta; ou a2) A 1ª subcategoria da 2ª categoria, a qual tem de ser de classe que cubra o valor global da proposta; e b) As 6ª e 8ª subcategorias da 2ª categoria na classe correspondente à parte dos trabalhos a que respeitem. 4) CRITÉRIOS DE ADJUDICAÇÃO Mais baixo preço. 5) INFORMAÇÕES DE CARÁCTER ADMINISTRATIVO 5.1) O processo do concurso e documentos complementares podem ser examinados durante as horas normais de expediente na Divisão de Planeamento, Desenvolvimeno e Projecto/Gabinete de Projectos da Câmara Municipal de Amarante, sita na Alameda Teixeira de Pascoaes, pedidos através da plataforma até 10 dias do términus do prazo de entrega das propostas. 5.2) Prazo para recepção de propostas O prazo limite para apresentação das propostas termina às 17:00 horas do dia 25 de Fevereiro do ano 2012. 5.3) Não é permitida a apresentação de propostas condicionadas nem com variantes ao projecto. Amarante, 26 de Janeiro de 2012 O Presidente da Câmara a) Dr. Armindo José da Cunha Abreu

Senhor Assinante regularize por favor a sua assinatura

2.2 Prorrogação de prazo Prorrogação do prazo do anúncio do procedimento n.º 6065/2011, publicado no Diário da República, II série n.º 240, de 16 de Dezembro de 2011, devido à suspensão decorrente do n.º 3, do artigo 61.º do CCP, informam-se todos os interessados que a nova data para a apresentação das propostas é o dia 30 de Janeiro de 2012, até às 17 horas. Amarante, 25 de Janeiro de 2012 O Presidente da Câmara a) Dr. Armindo José da Cunha Abreu

Câmara Municipal de Amarante EDITAL N.º 5/2012 DR. ARMINDO JOSÉ DA CUNHA ABREU, PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE AMARANTE: Faz saber, para efeitos do disposto no nº 3 do artigo 27º do Decreto-Lei nº 555/99 de 16/12, com as alterações introduzidas pela Decreto-Lei nº 26/2010 de 30/03, serve o presente para se dar conhecimento a todos os proprietários dos lotes, do loteamento titulado pelo alvará nº 22/81, sito no lugar de Murtas, freguesia da Madalena, que deu entrada nestes Serviços um pedido de alteração à licença do loteamento titulado pelo alvará acima referido, a requerimento de Maria Cristina Fernandes Coelho, NIF 204 147 670, residente na Travessa do Alto da Madalena, 63, freguesia da Madalena, na qualidade de proprietário do lote nº 35 do referido alvará, o qual consiste em: - Alteração da configuração do polígono de implantação; - Alteração da mancha/área de implantação passando de 85,50m2 para 227,00m2; - Alteração da área bruta de construção passando de 171 m2 para 454 m2 - Área de 113.50 m2, destinada a garagem situada do rés-do-chão; - Alteração do afastamento da moradia em relação aos muros vizinhos passando de 5 m para 3 m. Mais se informa, que o processo administrativo respetivo, com o nº 02/2012, pode ser consultado todos os dias úteis, dentro das horas normais de expediente, na Repartição Administrativa do Departamento de Urbanismo e Planeamento desta Autarquia. As sugestões, reclamações ou observações que, eventualmente, venham a ser apresentadas, devem ser formuladas no prazo de 10 dias, através de requerimento escrito, devendo no mesmo constar a identificação completa, o endereço dos seus autores e a qualidade em que as apresentam. Amarante e Departamento de Urbanismo, 25 de janeiro de 2012. O Presidente da Câmara, a) Dr. Armindo José da Cunha Abreu

AGRADECIMENTO Sua família v e m p o r e s t e meio, e muito recon h e cidamente agradecer a todas as pessoas que participaram no funeral da saudosa extinta ou que, de qualquer outro modo, lhes manifestaram o seu pesar. Agradecem também a todas as pessoas que se dignaram assistir à missa de 7º dia. Pedem desculpa por qualquer falta involuntariamente cometida. Funerárias do Tâmega, Lda: 255424422 | 917643062 919449561 | 917502997

Bustelo - Amarante

D. Ana Mendes Pereira AGRADECIMENTO S u a família vem por este meio, e muito recon h e cidamente agradecer a todas as pessoas que participaram no funeral da saudosa extinta ou que, de qualquer outro modo, lhes manifestaram o seu pesar. Agradecem também a todas as pessoas que se dignaram assistir à missa de 7º dia. Pedem desculpa por qualquer falta involuntariamente cometida. Funerárias do Tâmega, Lda: 255424422 | 917643062 919449561 | 917502997

Este espaço pode ser seu! Anuncie no Jornal de Amarante


O Jornal de Amarante Quinta-feira, 02 de Fevereiro 2012 | 5

ACTUALIDADE

Oitavo encontro de Cantadores de Janeiras reuniu 23 grupos

Foram 23 os grupos de Cantadores de Janeiras que marcaram presença no oitavo encontro, no Tâmega Park, na passada sexta-feira, 28 de Janeiro, provando que, em Amarante, a tradição ainda continua a ser o que era. Entre bandas musicais, tunas, ranchos folclóricos e alguns estabelecimentos de ensino, foram cerca de 800 os elementos que subiram ao palco e mostraram a sua arte a uma plateia com mais de um milhar de espectadores. Desde 2004 que o Município organiza encontros anuais de Cantadores de Reis, fazendo prevalecer músicas e cantares ligados à identidade cultural amarantina.

A 28 e 29 de Janeiro,

Piscina de Vila Meã acolheu 400 nadadores de 23 clubes O Torneio dos 200, nas categorias de Infantis e Juvenis, da Associação de Natação do Norte de Portugal, trouxe a competição 23 clubes, nos dias 28 e 29 de Janeiro, na Piscina Municipal de Vila Meã. No total,

foram 402 os atletas que participaram neste certame. Os clubes que se fizeram representar nesta competição foram o Aquabrito, Associação Desportiva de Fafe, Associação Desportiva de Penafiel, Celori-

co Basto Clube Natação, Clube Fluvial Portuense, Clube Fluvial Vilacondense, Clube Natação de Valongo, Clube Propaganda da Natação, Clube de Natação da Maia, Colégio Liceal de Santa Maria de Lamas, Foca - Clube de Natação de Felgueiras,

FC Porto, Gespaços, Ginásio Clube de Vila Real, Ginásio Clube de Santo Tirso, Famalicão, Leixões Sport Clube, Lousada Século XXI, Paredes/Rota dos Móveis, Sport Clube de Mirandela e Vitória de Guimarães. Inaugurada em Novembro de

2007, e fruto das excelentes condições que proporciona, a Piscina Municipal de Vila Meã tem recebido, desde então, provas oficiais de natação pura e jogos de pólo aquático, sendo cada vez mais requisitada por associações e clubes.

Senhor Assinante regularize por favor a sua assinatura


6 | O Jornal de Amarante

CLASSIFICADOS

Cartório Notarial de Amarante A cargo da Licenciada OLGA MARIA DE CARVALHO SAMÕES, Notária com o arquivo do extinto Cartório Público. Faço saber para efeitos de publicação na imprensa local, que neste Cartório, no livro 275 a folhas 81 e seguintes, se encontra uma escritura de JUSTIFICAÇÃO de trinta de janeiro de dois mil e onze, em que: ANTÓNIO DE MAGALHÃES, NIF.151.996.539, e esposa GRACINDA DA SILVA PEREIRA DE MATOS, NIF.151.996.520, casados sob o regime da comunhão geral de bens, ele natural da freguesia de Fervença, concelho de Celorico de Basto e ela natural da freguesia de Mancelos, residentes no Caminho de Infestas, nº 187, freguesia de Freixo de Baixo, ambas do concelho de Amarante. DECLARARAM: Que são donos e legítimos possuidores, com exclusão de outrem, dos seguintes imóveis: 1- Prédio urbano, destinado a arrecadação e arrumos, composto de edifício de três pisos e uma divisão, com a superfície coberta de setenta e um vírgula vinte metros quadrados e logradouro com a área de quatro mil, quinhentos e dezoito vírgula oitenta metros quadrados, sito no Caminho de Infestas, nº 187, freguesia de Freixo de Baixo, concelho de Amarante, omisso na Conservatória do Registo Predial de Amarante, inscrito na matriz em nome do justificante marido, sob o artigo 855, com o valor patrimonial de 6.720€. Que adquiriram, o terreno rústico com área total de quatro mil, quinhentos e noventa metros quadrados, onde edificaram o referi-do prédio urbano, por doação verbal de Olinda da Silva, viúva, residente no Caminho de Infestas, nº 187, freguesia de Freixo de Baixo, concelho de Amarante, no ano de mil novecentos cinquen-ta e dois, em dia e mês que não podem precisar, tendo, nessa data iniciado o seu cultivo, não tendo, porém, sido reduzido a escritura pública esse contrato de doação. 2- Prédio urbano, destinado habitação, composto de casa composta de dois pisos e quatro divisões, com a superfície cober-ta de cento e vinte e oito vírgula vinte e cinco metros quadrados e logradouro com a área de mil e setenta e nove vírgula setenta e cinco metros quadrados, sito no Caminho de Infestas, nº 187, fre-guesia de Freixo de Baixo, concelho de Amarante, omisso na Conservatória do Registo Predial de Amarante, inscrito na matriz em nome do justificante marido, sob o artigo 856, com o valor patrimonial de 19.320€. Que adquiriram, o terreno rústico com área total de mil, duzentos e oito metros quadrados, onde edificaram o referido pré-dio urbano, por doação verbal de Olinda da Silva, viúva, residente no Caminho de Infestas, nº 187, freguesia de Freixo de Baixo, concelho de Amarante, no ano de mil novecentos e cinquenta e dois, em dia e mês que não podem precisar, tendo, nessa data ini-ciado o seu cultivo, não tendo, porém, sido reduzido a escritura pública esse contrato de doação. Que a partir desse ano, em que se operou a tradição material dos bens, vêm exercendo em nome próprio uma posse pacífica, contínua e pública, sem interrupção e ostensivamente, com conhecimento de toda a gente, através do cultivo, limpando e desbastando o mato, tendo posteriormente construído os referidos edifícios, tendo feito obras de conservação e melhoramento, suportando os encargos de limpeza. Que assim, adquiriram o seu direito de propriedade plena por USUCAPIÃO. Está conforme. Cartório Notarial de Amarante, 30/01/2012 A Notária, a) Olga Maria de Carvalho Samões

Tribunal Judicial de Amarante 2º Juizo - Anúncio 2ª Publicação

Processo: 1426/11.0TBAMT Divórcio Sem Consentimento do Outro Conjugue Autor: Maria de Fátima Figueiredo Ribeiro Réu: Alfredo da Silva Ribeiro Nos autos acima identificados, correm éditos de 30 dias,

contados da data da segunda e última publicação do anúncio, citando o réu Alfredo da Silva Ribeiro, com última residência conhecida em domicílio: Lugar de Gião – Candemil, 4600 Amarante, para no prazo de 30 dias, decorrido que seja o dos éditos, contestar, querendo, a presente acção, com a indicação de

Cepelos-Amarante Dª Maria Antonieta Moreira Teixeira

AGRADECIMENTO Sua família vem por este meio, e muito reconhecidamente agradecer a todas as pessoas que participaram no funeral da saudosa extinta ou que, de qualquer outro modo, lhes manifestaram o seu pesar. Agradecem também a todas as pessoas que se dignaram assistir à missa de 7º dia. Pedem desculpa por qualquer falta involuntariamente cometida. Agência Funerária S. Pedro - 255432496 | 917534643 | 917578908

Madalena - Amarante Dª Maria da Graça Pereira de Sousa

AGRADECIMENTO Sua família vem por este meio, e muito reconhecidamente agradecer a todas as pessoas que participaram no funeral da saudosa extinta ou que, de qualquer outro modo, lhes manifestaram o seu pesar. Agradecem também a todas as pessoas que se dignaram assistir à missa de 7º dia. Pedem desculpa por qualquer falta involuntariamente cometida. Agência Funerária S. Pedro - 255432496 | 917534643 | 917578908

Casal -Ansiães-Amarante

Sr. Manuel Augusto Teixeira AGRADECIMENTO Sua família vem por este meio, e muito reconhecidamente agradecer a todas as pessoas que participaram no funeral do saudoso extinto ou que, de qualquer outro modo, lhes manifestaram o seu pesar. Agradecem também a todas as pessoas que se dignaram assistir à missa de 7º dia. Pedem desculpa por qualquer falta involuntariamente cometida.

que a falta de contestação não importa a confissão dos factos articulados pelo autor e que em substância o pedido consiste em ser decretado o divórcio entre a autora e o réu, tudo como melhor consta do duplicado da petição inicial que se encontra nesta secretaria, à disposição do citando. Fica advertido de que é obrigatória a constituição de mandatário judicial. Amarante, 13/01/2012 N/ Referência: 2759519 O Juiz de direito a) Dr. João Manuel Araújo O Oficial de Justiça a) Anabela Coelho Ferreira

Clube Amarantino CONVOCATÓRIA Nos termos do artº 21º dos Estatutos, convoco os Srs. associados para uma Assembleia Geral ordinária, a realizar no dia 10 de Fevereiro de 2012, pelas 21 horas, na sede social, sita na Rua 5 de Outubro desta cidade, com a seguinte ordem de trabalhos: 1. Apreciação e votação do relatório e contas relativos a 2011. 2. Eleição dos Corpos Sociais para o biénio 20122013. Se à hora marcada não estiver presente a maioria dos associados, a Assembleia reunirá, em 2ª convocatória, meia hora depois, com o número de associados presentes. As listas candidatas, deverão ser entregues até uma hora antes da 1.ª convocatória da Assembleia Geral. Amarante, 30 de Janeiro de 2012 A Presidente da mesa da Assembleia Geral a) Maria Julieta Coelho Pereira Freitas

Agência Funerária S. Pedro - 255432496 | 917534643 | 917578908

Facebook/ninajoias Rua 5 de Outubro, nº 74 Telef: 255 432315 – ninajoias@sapo.pt - AMARANTE


O Jornal de Amarante Quinta-feira, 02 de Fevereiro 2012 | 7

ACTUALIDADE

Avança em Abril,

PROJECTO “PROVE”,

Requalificação da estrada entre o Mosteiro de Gondar e a Estrada Nacional 15

Produtos locais vendidos directamente ao consumidor O projecto intitula-se “Prove”, tem por objectivo a venda de produtos locais da época, através de um comércio directo, e é promovido pela Cooperativa Dolmen e pela Associação Viver Canadelo e Serra do Marão. Criados pelos produtores, os cabazes contêm diversos alimentos próprios de cada estação do ano. A adesão à compra deste tipo de produtos tem superado as expectativas, estimulando, desta forma, o projecto “Prove”, e potenciando também o comér-

cio local. De acordo com alguns produtores, o sucesso que o projecto tem conquistado “serve de incentivo ao aperfeiçoamento e melhoria das técnicas de produção” destes produtos locais. Também os consumidores, que já se renderam a estes cabazes saudáveis, realçam a “qualidade dos produtos”. O cabaz pode ser encomendado através do site www.prove.com.pt, ou utilizando o email encomendas.amarante@ prove.com.pt.

Saúde,

Como melhorar a sua postura corporal no trabalho? Depois de repavimentada a estrada municipal 757, entre Moure, Lufrei e o Mosteiro de Gondar, o Município de Amarante decidiu avançar, em Abril deste ano, com a obra de requalificação da estrada entre o Mosteiro de Gondar e a Estrada Nacional 15, numa extensão de 1,3 quilómetros.

A intervenção incidirá nos domínios da terraplenagem, de infra-estruturação básica (redes de águas pluviais, residuais domésticas e abastecimento de água), de pavimentação e equipamentos de segurança. O preço-base da empreitada, que será executada por concurso público, é de 256.500,00

euros, IVA excluído, tendo sido fixado um prazo de execução de 120 dias. Em conformidade, prevê-se a consignação da obra no mês de Abril, pelo que a conclusão dos trabalhos deverá ocorrer em Agosto.

A diabetes não Dói mas Roi… Saiba mais em wwwchtamegasousa.pt

As doenças que afectam a coluna e as dores de costas são uma das principais causas de ausência no trabalho. De modo a evitar estas dores é importante haver um ajuste do ambiente de trabalho ao próprio bem-estar, com mobiliário adequado, e realizar exercícios simples durante a actividade laboral, alerta a campanha “Olhe pelas Suas Costas”. Se trabalha frente ao computador, deve colocar o monitor ao nível dos olhos. Os ombros devem estar descontraídos, as costas direitas, os cotovelos e joelhos dobrados em ângulos rectos. A altura da cadeira deve ser regulada para que os pés possam estar bem apoiados no chão. Lembre-se que é preciso levantar-se e dar alguns passos pelo menos de duas em duas horas. “Uma postura corporal correcta em frente ao computador é a melhor maneira de prevenir dores nas costas e eventuais problemas de coluna e lesões músculo-esqueléticas”, explica o neurocirurgião Paulo Pereira, coordenador nacional da campanha “Olhe pelas Suas Costas”. O pescoço, a parte inferior das costas e os punhos são as zonas do corpo mais afectadas pela utilização inadequada de computadores, especialmente se esta acção for repetida e continuada, por longos períodos. Por outro lado, os profissionais cuja actividade implica movimentos repetitivos, manuseamento de objectos pesados e/ou longas

permanências em pé, também devem ter atenção à postura. “Os operadores de máquinas, os trabalhadores da construção e profissionais das áreas dos serviços, como vendedores de loja, são dos mais afectados por estes riscos”, explica o neurocirurgião. E acrescenta: “Nestas profissões, a utilização de calçado adequado pode ajudar a atenuar as dores, pois permite uma postura mais correcta, mas o mais importante é mudar de posição com frequência e alternar os períodos de pé parado com curtas caminhadas para exercitar os músculos.” Deve evitar-se o manuseamento incorrecto de pesos e é importante a prática de exercício físico regular pelo menos duas a três vezes por semana, sendo preferencial a realização de actividades aeróbicas, tais como a marcha, corrida, bicicleta ou natação/hidroginástica. Além disso, o controlo do peso e uma alimentação equilibrada são fundamentais. As dores nas costas são a segunda causa mais frequente das visitas ao médico. As doenças que afectam a coluna representam mais de 50 por cento das causas de incapacidade física. Um estudo, realizado no âmbito desta campanha, indica que 28,4 por cento dos portugueses sentem que a sua actividade profissional já foi prejudicada ou comprometida de alguma forma pelo facto de terem dores nas costas.


8 | O Jornal de Amarante

Juventude Socialista de Amarante, por Sílvia Mariana Magalhães Guedes

Um olhar sobre o Rendimento Social de Inserção… Desmistificar o Rendimento Social de Inserção (RSI) é o que me traz aqui. O RSI, anteriormente designado Rendimento Mínimo Garantido, é, actualmente e desde a sua existência, um tema que coloca algumas questões e até mesmo suscita algum debate. Este constitui um mecanismo de luta contra a pobreza visando, de um modo geral, assegurar aos indivíduos e suas famílias recursos que cooperem para a satisfação das suas necessidades e apoiar a gradual inserção social, laboral e comunitária. Ao contrário de que muito se tem pensado, o RSI é um apoio para cidadãos ou famílias em situação de carência económica que pode ser constituído através

de uma prestação monetária e de um programa de inserção que passa por um conjunto de acções que visa incentivar a autonomia das famílias através do trabalho e de outras formas de inserção social. Assim sendo, realiza-se um acordo entre o cidadão e a Segurança Social onde ele se compromete a cumprir todo o Programa de Inserção, estando neste incluído, por exemplo, a obrigação dos filhos frequentarem a escola, sendo esta uma forma de quase garantir que irão fazer o percurso escolar com sucesso, adquirindo uma melhor educação e competências que levem a ter um futuro melhor. Caso o Programa de Inserção não seja cumprido o apoio monetário pode ou não

ser suspenso, dependendo do motivo do incumprimento. O RSI para muitos dos nossos cidadãos é um forte apoio para estes conseguirem sustentar as suas famílias e pagarem as despesas. Contudo, muitos portugueses “aproveitam-se” desta prestação social para não terem que trabalhar acomodando-se ao RSI, o que está totalmente errado. E para que tal situação de aproveitamento não se desenvolva, a fiscalização deve ser mais apertada e menos flexível para que não ocorram situações de fraude. Na minha opinião, deveria estar associado à medida de aplicação do RSI um trabalho cívico ou comunitário, tal como está escrito na lei, para que não só se quebre o mito de que os

beneficiários do RSI não querem trabalhar mas, sobretudo, para que estas pessoas tenham uma ocupação, não recebendo uma prestação social só porque precisa mas, também, porque a merece pelo seu contributo à comunidade, por exemplo. Acredito que muitos indivíduos beneficiários do RSI não conseguem arranjar emprego devido à situação de crise que o nosso país tem vindo a atravessar, e, por isso, julgo que aliar o trabalho cívico a esta prestação social seria uma mais-valia. Pois, estaria a promover o apoio para a autonomia destas pessoas, visto que o RSI é um instrumento de carácter temporário, pelo menos, assim, deveria sê-lo. Posto isto, há que (re)pensar e

tomar medidas para que num futuro próximo não tenhamos um país “subsídio-dependente”.

Reciclagem de Ide(i)a(i)s, por Carlos Carvalho, Presidente da JSD de Amarante

Correr atrás Sabemos todos que a situação da Linha do Tâmega é desfavorável. O encerramento da linha é mais uma das perdas que Amarante tem tido nas últimas duas décadas. Mas hoje, há quem tente fazer parecer que a «culpa» por esta perda é do atual Governo de Portugal, liderado por Passos Coelho. Não surpreende que os responsáveis pela gestão do concelho de Amarante tentem passar essa mensagem, até porque sabem quem são os autores das políticas responsáveis, tanto por esta, como por outras perdas que temos tido. Quando a anterior Secretária de Estado dos Transportes, Ana Paula Vitorino, foi recebida em Março de 2009, em Amarante,

pelos gestores do concelho, não veio fazer mais do que tentar atirar areia aos olhos de todos nós. Na altura afirmou que a Linha encerraria por dois anos, para sofrer obras de requalificação, facto que agradou ao partido que tem liderado Amarante, o Partido Socialista. Na altura, em diversos locais, foram muitas as pessoas que alertaram para o que aí vinha e que se tem verificado. A «desculpa» das obras de requalificação serviu para adiar no tempo o que se percebia ser inevitável: o encerramento da linha. Até aceito que se justifique a decisão com a não rentabilidade do percurso, com a insustentabilidade do serviço. Mas ao mesmo tempo,

julgo ser muito importante encontrar soluções que possam remediar, ou até curar, este mal. É sabido, até porque o Presidente do PSD Amarante, Dr. José Luís Gaspar, já o afirmou publicamente, que se estão a fazer esforços para encontrar uma solução alternativa que passe pela manutenção de um serviço de transportes que assegure o percurso da linha existente. Esse transporte poderá ser feito pelo mesmo traçado, mesmo que não recorra a carris e, porque não, utilizando veículos elétricos, melhorando assim a própria eficiência energética. É seguro que a Linha do Tâmega é importante, é seguro que a ligação que possibilita a Amarante deve ser potenciada e melhorada. Esta «pré-solução» lançada pelo PSD pode ser uma alternativa positiva. Claro que ainda

está em fase de estudo, pois é essencial perceber se é completamente viável, tanto no campo financeiro, como no campo técnico. Mas o caminho é mesmo este: procurar soluções alternativas. Apesar disso, julgo que não se deve nunca esquecer a “origem das coisas”. E aqui Amarante tem muito a lembrar. É muito, mesmo muito, mais difícil recuperar o que se deixou fugir, do que manter o que ainda se tem. Nas últimas duas décadas Amarante tem perdido uma quantidade imensa de serviços e, sobretudo, de oportunidades. Recuperar o que perdemos nunca será fácil, mas nunca devemos desistir de procurar alternativas àquilo que, por «camaradismo» partidário, ou inércia política, se deixou partir. Amarante terá de correr atrás

já não davam para andar como dantes, à procura de novos mercados mais em conta, que entretanto também fecharam ou faliram. Os pedregulhos eram muitos, mesmo os que removeram da estrada do patronato na concertação sócio-laboral, não resolveu nada. A sua senhoria, a dona merkelina, esteve aqui há pouco, acompanhada da dona cristina lagardére, a ver se vendia mais austeridade, e disse que ao ir embora haveria de passar por lá, bater-lhe à porta e verificar se haverá sinal de actividade e vida suficiente, que lhe dê garantia de que resgatará os empréstimos feitos através dos seus troykontabilistas, não vá o diabo tecê-las, e dar com ela jazendo morta de fome, de frio, de abandono e de isolamento,

como se tem constatado de norte a sul deste pomar murcho, outrora jardim viçoso, e desde que os discursos oficiais debitam preocupação por este estado social, sem qualquer efeito. Dona merkelina sabe que a demagogia abala e mata qualquer um, e a dona portugal não é excepção. Ameaça tornar-se cadáver, se já não é, e desde que entrou no mercado europeu que nunca evidenciou ter pedalada para coisas modernas. Desde que a retiraram do campo e do mar, da lavoura e da faina, com as fábricas fechadas, e lhe deixaram só o azeite, o vinho, e a cortiça, ela foi-se muito abaixo, e nem às consultas da caixa, ía. Era mais uma taxa especulativa em cima. As receitas aplicadas pelo dr. Bruxelas-FMI-BCE, As-

do prejuízo que lhe tem sido causado, atrás de novas soluções, atrás de um futuro mais enérgico e dinâmico.

OPINIÃO

Encontrada morta “Há já algum tempo que a idosa Portugal, que vive neste bairro de desalojados do progresso europeu, não é vista por aqui. Começamos a ficar preocupados. De acordo com a vizinhança, não tem aparecido, nem sequer para levar as migalhas do costume. O telefone vermelho toca mas ninguém atende. Há registo desde os últimos censos, que vivia cada vez mais isolada, sem rendimento nem produção que lhe permitiria ganhar para a sopa. Estava já referenciada pelas entidades internacionais da especulação financeira, que lhe faziam chegar um e outro emprestimozito em <tranches> paliativas, mas os juros eram

de tal modo elevados que ela desistiu de continuar nesse padrão de vida. Sabe como é. Já não é uma criança. Com oitocentos anos, está velha, desfez-se do que tinha e não tinha, para pagar os medicamentos acordados ou impostos. A caixa do correio tem estado vazia, e ao que parece, os familiares do sul também estão na penúria. Dona espanha e dona grécia, parentes velhos, também precisam de igual ajuda. Ainda há uns meses, ela frequentava os mercados, mas de nada lhe valeu pelos vistos - força de expressão - uma vez que não lhe temos posto olho em cima. Exigiam-lhe demais, e as pernas

soc. eram extensas, rigorosas, e de difícil cumprimento ou satisfação. O melhor mesmo, é mandar quanto antes a gnr ou os bombeiros, habituados a remover acidentados e escombros, lá a casa, e arrombar o que resta, porque aqui já chega o cheirete de quem se passou e que já não vai a lado nenhum. Sempre há-de haver um cangalheiro ou comissário inscrito no memorando de entendimento, que faça o enterro por conta, e quem vier que pague ou feche a porta, antes de se pôr a andar de novo daqui para fora, como manda o conselho governamental, brasil ou angola é já ali, e quem morrer por lá sempre morre longe”. Joaquim A. Moura - Penafiel


O Jornal de Amarante Quinta-feira, 02 de Fevereiro 2012 | 9

DESPORTO por Mário Fernandes

2ª DIVISÃO NACIONAL

Amarante, 1 – Tondela, 0

Amarante (B), 1 – M Sangemil, 0

Vitória importante

Jogo no Estádio Municipal de Amarante, com arbitragem de Pedro Ferreira, da Associação de Futebol de Braga, auxiliado por Fernando Pereira e Eduardo Miranda Amarante: Sérgio, Tiago Silva (Caetano, 80), César, Pedro Carneiro e Tiago Martins, André Pires, Bruno Alves (Carlos Castro, 93), Tiago Rodrigues, Bruno Teixeira (Nélson Campos, 70), Marcos e Digo Lamelas Treinador: Arlindo Gomes Tondela: Avelino, Tiago Lopes, Pica, Carlos André e Hélder Lopes, Fábio Pacheco, Pedrosa (Magano, 57), Márcio (Materazzi, 83), Moura Basto, Marcelo e Luís Aurélio (Gomes, 57) Treinador: Vítor Paneira Ao intervalo: 0 – 0 Golos: Nelson Campos (85) Amarelos: Carlos André (31 e 83), Bruno Teixeira (61), Avelino (62), Márcio (69), Marcelo (75), Tiago Rodrigues (78) e Fábio Pacheco (86) Vermelhos: Carlos André (83) Amarante e Tondela apresentaram-se nesta partida com ambições muito semelhantes, sabendo que o menor erro ditaria um destino menos favorável. Assistiu-se, por isso, a uma partida fechada a nível táctico, com

as equipas bem encaixadas, a privilegiarem a posse de bola para assim o adversário não ter hipóteses de contra atacar, e sempre com o sentido de fecharem bem os caminhos para sua baliza. Embora à formação do Tondela interessasse mais ter o controlo da partida, não deixando o Amarante explanar o seu futebol, e com o Amarante a ter dificuldades em fazer circular a bola com também o faz, a partida tornava-se pouco atractiva do ponto vista atacante, já que foram poucas as vezes que os avançados dispuseram de espaços para criarem perigo para as duas balizas. No entanto, os lances de maior frisson pertenceram ao Amarante, principalmente em remates de fora da área. Ao intervalo, o marcador mostrava uma igualdade a zero, o que demonstrava o respeito que as duas equipas demonstraram uma pela outra. A segunda parte trouxe um Amarante com uma atitude mais pró-activa, a tentar agarrar as rédeas do jogo, mas sem grande resultado, já que o Tondela fechava bem o caminho para a sua baliza, e com um futebol mais pousado tentava acalmar a partida, já que sabia

3ª DIVISÃO NACIONAL

Vila Meã, 2 – Lamego, 2 Jogo no Estádio Municipal de Vila Meã, com arbitragem de Renato Mendes da Associação de Futebol de Braga Vila Meã: Torcato, Magalhães (Mauro, 53), Miguel, Daniel e Pinheiro, André Santos (Lemos, 74), Mika, Calviño (Mesquita, 56), Artur, Mário Alves e Jonas Treinador: Paulo César

Lamego: Márcio, Pisco, Alfredo, Beande e Sarmento (Freitas, 84), Adriano, China, Binaia, Bábá, Basino e Ibrahima (Emanuel, 68) Treinador: Vítor Maçãs Ao intervalo: 0 – 0 Golos: Binaia (54), Jonas (77), Mika (80, gp) e Emanuel (88) Amarelos: André Santos (35),

Bês amarantinos competentes

que se cometesse um erro poderia ser mais complicado dar a volta ao resultado. Com uma partida que não evoluía, só os lances de bola parada poderiam fazer a diferença, mas nem nesse factor, algumas vezes decisivo nos jogos, não decidiam, já que ambas as defensivas se mostravam muito atentas, e não davam qualquer hipóteses aos avançados. Com o aproximar do final da partida, mercê do maior cansaço dos jogadores, os espaços iam aparecendo e o Amarante conseguia chegar com algum perigo junto da baliza dos beirões. A cinco minutos do tempo regulamentar, e no seguimento de uma bola parada, o Amarante acabaria por chegar ao golo por intermédio de Nelson Campos, que rapidamente conseguiu bater Avelino. O Tondela tinha pouco tempo para recuperar, e com menos um homem em campo, o Amarante soube tapar bem os caminhos para a sua baliza, acabando por conseguir os três pontos. Excelente partida a nível táctico, com ambas as equipas muito equivalentes, com uma arbitragem que se mostrou à altura do encontro.

Mário Alves (58), Mika (68), Bábá (76), Alfredo (78), Lemos (76), Emanuel (86), Márcio (90) e Adriano (93) O Vila Meã não conseguiu evitar que o Lamego, nos últimos minutos do tempo regulamentar, chegasse ao empate, numa partida em que os locais realizaram uma fraca exibição, ante uma formação do Lamego que trazia a lição bem estudada, e a conseguir manter a sua área livre de perigo, tendo saído algumas vezes, com relativo

Jogo no Estádio Municipal de arbitragem de Norberto Moura da AF do Porto, auxiliado por Filipe Ferreira e Pedro Castro Amarante: André, Diogo (Joãozinho, 64), Dani, Calisto e André Teixeira, João Alves, Cláudio (Pedro Miguel, 55), Cerqueira, Pedro Melo (Bruno, 45), Peixoto e Casinha Treinador: Carlos Gonçalves M Sangemil: Chibante, Nunes, Cafú, Ferraz e Isaac, Saloma, Álvaro (João, 63), Peixe, Macaco, Pedro Nuno ( Rola, 65) e Aranha (Manú, 75) Treinador: Jorge Chibante Ao intervalo: 0 – 0 Golos: João Alves (94, gp) Amarelos: Álvaro (26), Aranha (26), Pedro Melo (28), Nunes (37), Peixe (41), Isaac (42), Manú (77) e Cafú (84) Vermelhos: Macaco (93) A formação B do Amarante recebeu e venceu o líder invicto, por uma bola a zero, golo conseguido já em período de compensações por João Alves na marcação de uma grande penalidade. Pode-se dizer que de futebol teve pouco, com muitas faltas e muita contestação por parte dos jogadores visitantes, com o Amarante a tentar jogar, mas receosos do ímpeto do seu adversário, e alguma confusão por parte do banco de suplentes dos visitantes, que chegaram a arremessar alguns objectos para a bancada. E no meio disto tudo a equipa forasteira a dispor de uma boa ocasião para inaugurar o marcador, por intermédio de Aranha. O intervalo chegaria entretanto, e mais confusão por parte dos jogadores da Mocidade de Sangemil. A segunda parte foi mais calma, com o Amarante mais confiante a delinear boas jogadas, mas a falhar na parte final. Partida estava mais interessante, com menos confusão, e seria novamente o Sangemil a estar perto do golo, mas o guarda-redes amarantino a mostrar-se à altura. O futebol praticado era melhor, e o Amarante sempre que impunha velocidade levava perigo à baliza contrária, já que o cansaço começava a apoderar-se dos jogadores visitantes, que deixavam algum espaço para os jogadores amarantinos aproveitarem, mas falhava sempre o último passe. E no último minuto dos descontos mais confusão, quando o árbitro e bem assinala grande penalidade a favor do Amarante, com os jogadores do Sangemil a envolverem-se com o árbitro e a chegarem a agredi-lo, tendo Macaco recebido ordem de expulsão, sendo árbitro obrigado a ter que chamar as forças de segurança para que a partida se reatasse, com a marcação da grande penalidade, exemplarmente convertida por João Alves. Vitória justa do Amarante, já que na grande ocasião de golo, não perdoou, numa partida difícil de dirigir por parte da equipa de arbitragem, que acabou por fazer o trabalho possível.

perigo, para a área vilameanense. Dado o equilíbrio pelas duas formações, o nulo ao intervalo aceitava-se já que os atacantes não conseguiram ter bola para finalizarem. A segunda parte começou com o Lamego a conseguir libertar-se mais; a criar maiores dificuldades para a defensiva vilameanense, e a não dar espaços nas suas costas. Foi, por isso, com naturalidade que os visitantes conseguiram chegar à vantagem. O Vila Meã tentou responder, mas mais com o coração, e aproveitou algum retraimento dos visitantes, para estar mais perto da área lamecense.

Jonas deu esperanças aos vilameanenses ao fazer o empate e, volvidos três minutos, Mica colocou o Vila Meã em vantagem, ao converter uma grande penalidade. Pensou-se que o vencedor estava encontrado, mas o Lamego, num último assomo, chegou ainda ao empate, num lance infeliz de Torcato que viu a bola afastada pela barra, a remate de Emanuel, bater-lhe nas costas e a ressaltar para dentro da baliza. O resultado final ajusta-se ao que se passou no campo, com um trabalho positivo da equipa de arbitragem.


10 | O Jornal de Amarante

Cinema Teixeira de Pascoaes 6ªs feiras às 21:30 Telefone: 255 431 084 Programação de Fevereiro Cineclube de Amarante exibe, hoje, o filme “CISNE” O filme “Cisne”, de Teresa Vilaverde, é hoje exibido no Cineclube de Amarante, às 21h30. “Cisne” conta a história de Vera (Beatriz Batarda), uma jovem cantora com pouco mais de 30 anos, em tournée por Lisboa. Pablo (Miguel Nunes), um rapaz solitário e enigmático, acompanha-a nessa digressão como motorista. Certo dia, Vera conhece Alce, um miúdo pobre, protegido de Pablo e que irá mudar a sua vida. Cineclube de Amarante Às 21h30 em Santa Luzia (por baixo dos CTT) Cisne De: Teresa Vilaverde Com: Beatriz Batarda, Miguel Nunes, Israel Pimenta Género: Drama Classificação: M/12 Portugal, 2011, Cores, 102 min


JA nº.1654