Issuu on Google+

Autorizado a Circular em envelope Plastificado

O JORNAL AMARANTE de

DIRECTORA: Mª JOSÉ CUNHA

J. P .P. AMARANTE TAXA PAGA

PORTUGAL

FELiz 2012! IRRESISTÍVEIS! DISNEYLAND® PARIS

3 meses encantados, 3 ofertas irresistíveis

OFERTAS: ESTAdiA, AviãO* E TRAnSFERS GRÁTiS pARA mEnORES dE 12 AnOS.

desde:

Partidas de Lisboa ou Porto de 1 Jan. a 28 Mar. ’11 2 noites (sexta a domingo) | APA inclui: avião + transfers (VEA) + Hotel Santa Fé | 2 estrelas + entradas para a totalidade da estadia (nos 2 parques Disney) + taxas de aeroporto, segurança e combustível (€ 111) + Seguro Multiviagens

485

535

Por pessoa em duplo (ocupação 2 adultos)

*Pagam sempre apenas as taxas de aeroporto, segurança e combustível.

BAQUEIRA BERET

Entradas a 15 e 22 Jan. ‘12 5 noites | Meia Pensão

desde:

inclui: Hotel Montarto | 4 estrelas + 5 dias de forfait Baqueira-Beret + seguro de viagem neve/ski

por pessoa em duplo

Exclui: Despesa de reserva (€29 por processo e não por pessoa) + suplementos; lugares limitados; taxas sujeitas a alteração; sujeito às nossas condições gerais. CONSULTE-NOS.

RNAVT 1702

Rua Cândido dos Reis, 222 | 4600-055 AMARANTE Email: amarante@abreu.pt - Tel.: 255410100 - Fax: 255410109

ABERTO à hORA dE ALMOÇO

Quinta-feira, 05 de Janeiro 2012 | Nº 1650| Ano 32 | euro 0.80

Câmara lança concurso público para a construção do Centro Escolar de Travanca Utentes contra o

Com a recuperação do da Igreja de S. Domingos

encerramento da linha

Amarante vai ter operacionais

ferroviária do Tâmega

dois Órgãos de Tubos


2| O Jornal de Amarante

EDITORIAL

Ano Novo, Novos preços, Novas Forças O último dia do ano de 2011, foi um dia marcado pelo anúncio dos males que se aproximavam com a chegada do novo ano, tanto assim que, de uma maneira geral, não se assistiu com grande entusiasmo a chegada do novo ano. As festividades e as comemorações não foram tão exuberantes como costumam e os desejos foram bastante comedidos. De entre todas as adversidades que se anunciaram, e que sabemos serem bastante reais, a maior preocupação será, a acumular à perda de rendimento mensal disponível, o aumento dos preços em todos os bens essenciais de uma família e de uma casa portuguesa, por mais simples e humilde que seja, com receios de que a ginástica orçamental não seja suficiente. Aumenta a factura da electricidade, dos telefones, da água, do gás, do gasóleo, dos transportes públicos, dos bens alimentares, inclusive os de primeira necessidade; aumentam o valor das taxas moderadoras, diminui a acção social escolar em todos os níveis, diminui a comparticipação do Estado aos privados que prestam os serviços que o Estado devia prestar e não oferece; aumentam os impostos (IRS e IVA), diminui o investimento público em toda a sua extensão

… E esquece quem manda que quanto mais se atrofiar o investimento e quanto menos rendimento disponível couber a cada português, mais a economia estagna, provocando inexistência de crescimento económico e aumento de desemprego e, obviamente, aumento de exclusão social e pobreza. E o Grupo de Jerónimo Martins seguiu mesmo os concelhos do Governo e decidiu emigrar e, do ponto de vista empresarial, não há quem possa atentar contar a sua decisão, que é do ponto de vista de gestão o que melhor satisfaz os interesses da empresa, que protege o seu património e deixa de pagar impostos que julga exagerados ao Estado Português, garantindo assim mais-valias seguras e dividendos acrescidos para os accionistas. O Governo se quer criar crescimento económico, diminuir o desemprego, aumentar o poder de compra e de sobrevivência dos portugueses, deveria ter uma política de crescimento económico e de aumento das exportações delineada e já em execução, mas não tem isso nem tem nada e o senhor ministro da economia que erradamente albergou em si um dito super ministério, que o torna quase ingovernável, tal era a vontade de impressionar com

Casa nova em Amarante tipo T4, 3 casas de banho, cozinha despensa, garagem, 550m2 de jardim. Preço: 140.000€ Vila Garçia – Casinha para restauro, 300m2 de jardim. Preço: 32.500,00€ Fregim – Casa em pedra para restauro, excelentes acessos, 1.000m2 de terreno. Preço: 47.500,00€ Sociedade de Mediação Imobiliária, Lda. Tel. 255 425 389 – 963320174 - 963320173 Lic. 3757 AMI www.milares.com

O JORNAL DE AMARANTE Propriedade Publitâmega - Publicações do Tâmega, Lda. Tiragem Média 3500 exemplares.

jornaldeamarante@iol.pt jornaldeamarante@gmail.com

um governo reduzido, nada faz, apenas questionando um incentivo dado a trabalhador, em dias de férias, por nunca faltar. Trabalhadores motivados, produzem mais e melhor. Mas, apesar de tudo isso, o fim de um ano e chegada de um novo ano é sempre motivo para festejos, pois significa o passar de mais um não, com obstáculos ultrapassados, alegrias vividas, choros e sorrisos partilhados, mas também a vontade, resistência, coragem e integridade para enfrentar mais um ano e tentar superá-lo tão bem quanto o anterior, ou até melhor, pois, por vezes, as dificuldades acrescidas tornam-nos menos comodistas na procura de alcançar mais e melhor para as nossas vidas, de uma forma humilde e moral. E, por isso mesmo se pede aos portugueses que não desistam dos seus objectivos, não desistam dos seus sonhos, tenham coragem e paciência, ajudem a prevenir e combater todos os males que imanam de comportamentos antijurídicos, dando bons exemplos aos filhos, aos netos, aos sobrinhos, aos afilhados, aos amigos, aconselhando-os e possibilitando-os boa instrução escolar e formação pessoal; vizinhos valorizem a entreajuda; nas relações não sejam egoístas, mas sim tolerantes e compreensivos; procurem no vosso dia-a-dia fazer coisas positivas, uma acção positiva que pode sempre fazer a diferença. |HM|

Senhor Assinante regularize por favor a sua assinatura

É um acto suicidário!

“Dar-mos” o nosso dinheiro A quem não é solidário, E o leva p’ró estrangeiro, É um acto suicidário! À “tal” organização, A que Capucho aludia, Ontem, na televisão, Nada comprar se devia! 04/01/2012 Turdetano

A 28 de Janeiro, no Tâmega Park

Câmara organiza 8º Encontro de Cantadores de Janeiras Em Amarante, a tradição continua a ser o que era. Depois do êxito que constituíram os anteriores encontros de cantadores de janeiras, a Câmara Municipal de Amarante realiza, a 28 de Janeiro, no Tâmega Park, a oitava edição deste evento que tem como objectivo manter viva a tradição de cantar os Reis no Município e mostrar os grupos e associações que o fazem. A exemplo dos anos anterio-

res, a participação no 8º Encontro de Cantadores de Janeiras está aberta a ranchos folclóricos, bandas de música, tunas, grupos corais, associações culturais e recreativas e estabelecimentos de ensino, devendo as inscrições ser feitas nos serviços do Gabinete de Apoio à Presidência. O início das actuações está marcado para as 21:00, com entrada livre.

Directora: Mª José Cunha Colaboradores: A. Magalhães, António Patrício, Carlos Carvalho, Costa Neves, Gabriel Carvalho, Hermínia Mendes, Hernâni Carneiro, Maria Rosa Pinto da Cunha, Mário Fernandes, Paulo Teixeira.net, João Pereira da Silva, Simão Marinho, Sónia Bastos, Raquel Marinho, Telma Pinto Ferreira Design e Paginação: Maria José Cunha Secretariado: Maria José Cunha Administração/Redacção/Departamento Comercial: Largo de S.Pedro, 2ºC, Apartado 75 - 4600-036 Amarante, Tels.: 255 432 301/255 432 313/ 255 432914 Registos: Ministério da Justiça/Instituto de Comunicação Social - 106941| Depósito Legal: 135757/99 Pessoa Colectiva: 500 886 644 Depósito Legal: 135757/99 Pessoa Colectiva Nº 500 886 644 Gerência: Joaquim José F. Machado, Eduardo Oliveira Pinheiro (detentor de mais de 10% do Capital) Tels.: 255 432 301/255 432 313/ 255 432 914

Preço de Assinatura Continente 30,00 Euros | Estrangeiro 50,00 Euros

Porte Pago Avença – 4600 Amarante


O Jornal de Amarante Quinta-feira, 05 de Janeiro 2012 | 3

ACTUALIDADE Com a recuperação do da Igreja de S. Domingos

Abel Coelho entregou diplomas

Amarante vai ter operacionais Espaços Internet dois Órgãos de Tubos certificam formação

Já lá vai cerca de ano e meio. No âmbito do 1º Festival de Música Antiga, foram inauguradas, em de Julho de 2010, as obras de restauro do Órgão de Tubos da Igreja do Convento de São Gonçalo, cuja recuperação correspondeu a um investimento de 330 mil euros. Substancialmente menos ter-se-á gasto na recuperação do órgão de Tubos da Igreja de S. Domingos, de menor dimensão, mas os cuidados tidos na intervenção foram idênticos em ambos os casos: limpeza,

recuperação de foles e tubos, substituição de componentes não recuperáveis, pintura e douramento. E uma preocupação fundamental: “restaurar” o som original dos instrumentos, construídos o da Igreja de S. Gonçalo na segunda metade do século XVIII e o da Igreja de S. Domingos na década de 60 do século XIX. Com a recuperação do Órgão de Tubos da Igreja de S. Domingos (feita no âmbito das obras restauro do templo), Amarante passa a dispor de dois daque-

les instrumentos operacionais, facto não despiciendo numa cidade da sua dimensão, quer em termos patrimoniais, quer em termos de atractividade, já que acrescentam inegável valor à sua oferta turística no segmento cultural e religioso. Completamente montado e a tocar estará o órgão de Tubos da Igreja de S. Domingos, quando se fizer a inauguração das obras de restauro que ali decorrem desde há um ano.

Abel Coelho, vereador com o pelouro da Educação na Câmara de Amarante, entregou, a 28 de Dezembro, os diplomas correspondentes à formação ministrada nos últimos meses nos Espaços Internet (EI) de Amarante e Vila Meã. No EI de Amarante, os formandos foram, maioritariamente, seniores, tendo frequentado formação em TIC de níveis 1 e 2 e conseguido, posteriormente, através de um exame prático, a obtenção de Diplomas de Com-

petências Básicas (DCB) em Tecnologias da Informação. Em Vila Meã, os diplomas foram atribuídos a jovens que participaram no programa “NetFérias”, que ali decorreu durante o mês de Agosto. Nos dois EI, foram entregues 35 certificados e 35 diplomas. Entre Maio e Dezembro, o Município emitiu 91 DCB, um processo de certificação de competências básicas em TIC, reconhecido em todo o espaço europeu.

MESTRE DU Resultados prováveis em 3 dias, + / - 100% sejam quais forem os seus problemas. Por favor contactar grande médium com 21 anos de experiência! Ajuda-o em todos os seus problemas de amor, dinheiro, trabalho, álcool, droga, cigarro, etc. Por correspondência, consultas: Rua João Pinto Ribeiro nº 50 - 2º Andar Frente - Fracção P - Edif. Santa Luzia - Amarante 220187389 | 968589269 | 917443987 | 939769654 Pagamento depois do resultado

O “Restaurante Príncipe” convida todas as pessoas a visitar o nosso restaurante e a deliciar-se com os nossos pratos. Desfrute das nossas excelentes sugestões desde os Filetes de pescada dourados, o Bacalhau à Príncipe, a Posta à Maronesa, entre muitos outros pratos, sempre regados com os melhores vinhos e finalize

com uma das nossas deliciosas sobremesas caseiras. Temos ao seu dispor uma sala com ambiente acolhedor aliado a um serviço de excelência. Visite-nos e comprove! Venha conhecer as nossas propostas para o seu jantar de Natal. Boas festas! Restaurante Príncipe: Largo Conselheiro António Cândido; Cepelos; Contacto: 255431009/932818281 Site: www.restauranteprincipe.net | Email: geral@restauranteprincipe.net


4 | O Jornal de Amarante

CLASSIFICADOS Póvoa -Ansiães-Amarante

Sr. Abilio Teixeira Cândido Faria AGRADECIMENTO Sua família vem por este meio, e muito reconhecidamente agradecer a todas as pessoas que participaram no funeral do saudoso extinto ou que, de qualquer outro modo, lhes manifestaram o seu pesar. Agradecem também a todas as pessoas que se dignaram assistir à missa de 7º dia. Pedem desculpa por qualquer falta involuntariamente cometida. Agência Funerária S. Pedro - 255432496 | 917534643 | 917578908

Burgada-São Veríssimo - Amarante

Sr. Lucas Teixeira

AGRADECIMENTO Sua família vem por este meio, e muito reconhecidamente agradecer a todas as pessoas que participaram no funeral do saudoso extinto ou que, de qualquer outro modo, lhes manifestaram o seu pesar. Agradecem também a todas as pessoas que se dignaram assistir à missa de 7º dia. Pedem desculpa por qualquer falta involuntariamente cometida. Agência Funerária S. Pedro - 255432496 | 917534643 | 917578908

Outeiro-São Veríssimo -Amarante

Sr. Manuel Teixeira Ribeiro AGRADECIMENTO

Sua família vem por este meio, e muito reconhecidamente agradecer a todas as pessoas que participaram no funeral do saudoso extinto ou que, de qualquer outro modo, lhes manifestaram o seu pesar. Agradecem também a todas as pessoas que se dignaram assistir à missa de 7º dia. Pedem desculpa por qualquer falta involuntariamente cometida. Agência Funerária S. Pedro - 255432496 | 917534643 | 917578908

Sobreiro-São Gonçalo -Amarante

Dª. Emília Coelho dos Santos AGRADECIMENTO

Sua família vem por este meio, e muito reconhecidamente agradecer a todas as pessoas que participaram no funeral da saudosa extinta ou que, de qualquer outro modo, lhes manifestaram o seu pesar. Agradecem também a todas as pessoas que se dignaram assistir à missa de 7º dia. Pedem desculpa por qualquer falta involuntariamente cometida. Agência Funerária S. Pedro - 255432496 | 917534643 | 917578908

A diabetes não Dói mas Roi… Saiba mais em wwwchtamegasousa.pt

Câmara Municipal de Amarante EDITAL N.º 1/2012 DR. ARMINDO JOSÉ DA CUNHA ABREU, PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE AMARANTE: Faz saber, para efeitos do disposto no nº 3 do artigo 27º do Decreto-Lei nº 555/99 de 16/12, com as alterações introduzidas pela Decreto-Lei nº 26/2010 de 30/03, serve o presente para se dar conhecimento a todos os proprietários dos lotes, do loteamento titulado pelo alvará nº 65/76, sito no lugar de Senhora da Graça, freguesia de Vila Caíz, que deu entrada nestes Serviços um pedido de alteração à licença do loteamento titulado pelo alvará acima referido, a

requerimento de Marta Daniela Leite Pereira, NIF 207 497 397, residente no lugar e freguesia acima referidos, na qualidade de proprietário do lote nº 19 do referido alvará, o qual consiste em: -Construção de um anexo na parte posterior do lote, de rés do chão e área de implantação de 55.45 m2, destinado a garagem. Mais se informa, que o processo administrativo respetivo, com o nº 34/2011, pode ser consultado todos os dias úteis, dentro das horas normais de expediente, na Repartição Administrativa do Departamento de Urbanismo

e Planeamento desta Autarquia. As sugestões, reclamações ou observações que, eventualmente, venham a ser apresentadas, devem ser formuladas no prazo de 10 dias, através de requerimento escrito, devendo no mesmo constar a identificação completa, o endereço dos seus autores e a qualidade em que as apresentam. Amarante e Departamento de Urbanismo, 03 de janeiro de 2012. O Presidente da Câmara, a) Dr. Armindo José da Cunha Abreu

Câmara Municipal de Amarante EDITAL N.º 74/2011 DR. ARMINDO JOSÉ DA CUNHA ABREU, PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE AMARANTE: Faz saber, para efeitos do disposto no nº 3 do artigo 27º do Decreto-Lei nº 555/99 de 16/12, com as alterações introduzidas pela Decreto-Lei nº 26/2010 de 30/03, serve o presente para se dar conhecimento a todos os proprietários dos lotes, do loteamento titulado pelo alvará nº 26/86, sito no lugar de Serra de Água e Leite, freguesia de Mancelos, que deu entrada nestes Serviços um pedido de alteração à licença do loteamento titulado pelo alvará acima referido, a requerimento de Joaquim da Silva Azevedo, NIF 157 527 239, resi-

dente no lugar e freguesia acima referidos, na qualidade de proprietário do lote nº 2 do referido alvará, o qual consiste em: -Construir um anexo na parte posterior do lote; - Aumentar a área de implantação passando de 126 m2 para 194.70 m2; - Aumentar a área de construção passando de 126 para 231.70 m2; - Alterar a configuração da implantação do muro de vedação. Mais se informa, que o processo administrativo respectivo, com o nº 34/2011, pode ser consultado todos os dias úteis, dentro das horas normais de expediente, na Repartição Administrativa do Departamento

de Urbanismo e Planeamento desta Autarquia. As sugestões, reclamações ou observações que, eventualmente, venham a ser apresentadas, devem ser formuladas no prazo de 10 dias, através de requerimento escrito, devendo no mesmo constar a identificação completa, o endereço dos seus autores e a qualidade em que as apresentam. Amarante e Departamento de Urbanismo, 27 de Dezembro de 2011. O Presidente da Câmara, a) Dr. Armindo José da Cunha Abreu

Tribunal Judicial de Amarante 1º Juizo 2ª Publicação - Anúncio

Processo: 2934/05.7TBAMT-A Inventário / Partilha de Bens em Casos Especiais N/ Referência: 2734370 Data: 19/12/2011 Cabeça de Casal: Moisés Monteiro Cerqueira Requerido: Ana Valentina Teixeira Magalhães Cerqueira Nos autos acima identificados foi designado o dia 31/01/2012, pelas 14.00h, neste Tribunal, para a abertura de propostas, que sejam entregues até esse momento, na Secretaria deste Tribunal, pelos interessados na compra so seguinte bem: Imóvel: Metade do prédio urbano composto por parcela de terreno, para construção

urbana, com a área de cinco mil metros quadrados sito no lugar de Mosteira de Cima, freguesia de Fregim, concelho de Amarante, descrito na Conservatória do Registo Predial sob o nº 01095/001114 e inscrito na matriz sob o artigo 1.111 com o valor patrimonial de 11.222,96€ (metade de 22.445,91€). Neste prédio estão a ser construídas duas habitações geminadas, uma pertença do casal dissolvido e a outra pertence a Maria de Fátima Monteiro Cerqueira e marido José Osório Teixeira, donos da outra metade da referida parcela de terreno, sendo certo que é necessário proceder-se, logo que seja possível, à constituição da propriedade horizontal e a outra à referida Maria de Fátima e marido.

Os bens encontram-se na posse de Cabeça de casal: Moisés Monteiro Cerqueira, domicílio: Rua do Rio, 11453, Fregim, 4600 Amarante. Valor Base: 78.571,43€ Preço mínimo: 70% do valor base. Nota: No caso de venda mediante proposta em carta fechada, os proponentes devem juntar à sua proposta, como caução, um cheque visado, à ordem da secretaria, no montante correspondente a 5% do valor base dos bens ou garantia bancária no mesmo valor (nº 1 ao Artº 897º do CPC). O Juiz de Direito a) Dra. Manuela Lemos O Oficial de Justiça a) Maria Paula Moura da Fonseca


O Jornal de Amarante Quinta-feira, 05 de Janeiro 2012 | 5

ACTUALIDADE Domingo, 8 de Janeiro, é dia de festa em Aboadela

Relembrar tradições Junta de freguesia de Aboadela, em colaboração com a Associação Viver Canadelo e Serra do Marão, inicia mais um ano de actividades, no dia 8 de Janeiro, com uma feira de produtos locais e uma tradicional “matança do porco”. Iniciativa terá lugar no Centro interpretativo desta freguesia num dia cheio de eventos, e que começa logo pelas 10h da manhã com uma caminhada. O dia será ainda preenchido com muita animação e música tradicional. Programa para o dia O dia começa cedo com uma caminhada, num percurso de dificuldade média de cerca de 8 km, com uma duração de 2 horas. Ainda durante a manhã, e ao mesmo tempo que decorrerá a caminhada, realiza-se a tradicional “matança do porco”. Segue-se depois o aproveitamento das carnes que serão servidas ao almoço. A confecção estará a cargos das cozinheiras que prepararão para os visitantes e participantes o tradicional arroz com costelas, fêveras no tacho e o sarrabulho. Durante a tarde, o centro interpretativo será palco para a feira de produtos locais

com a presença de alguns artesãos amarantinos, e que será também uma oportunidade para os visitantes adquirirem produtos de qualidade da nossa região. Não faltará ainda muita animação com música tradicional com o Rancho Folclórico “Cantareu” , de Vila Real, e o Grupo Musical “Marão Tradicional” e jogos tradicionais. Um dia cheio que contribuirá para animar e dinamizar as gentes deste lado do concelho. A “matança do porco” é uma ainda uma prática comum nas nossas aldeias. Característica das práticas do meio rural, é também um momento de reunião da família e vizinhos. Um quase ritual que começa com a preparação do animal e acabando na preparação e confecção das carnes. Fonte de subsistência e de rendimento, quase todas as famílias do campo criam ainda hoje um porco, que permite não só o aproveitamento dos restos alimentícios e culturas do campo, contribuindo para a sua limpeza, bem como o aproveitamento dos dejectos do animal permite adubar as terras.

Câmara organizou atelier de Natal

Obras do CE de Telões consignadas a 2 de Janeiro

Câmara lança concurso público para a construção do Centro Escolar de Travanca A Câmara Municipal de Amarante vai proceder à abertura de concurso público para a construção do Centro Escolar de Travanca, tendo aprovado, na sua última reunião, os respectivos projectos e peças do procedimento. Aquele equipamento será dotado de três salas de aula para o ensino pré-primário e seis para o 1º ciclo do ensino básico, com o edifício a construir desenvolver-se por dois pisos. No piso superior situar-se-ão os espaços não lectivos, articulados com zonas de recreio, que poderão vir a ser utilizadas fora do horário normal de funcionamento; no piso inferior situar-se-ão duas áreas autónomas, com jardim-de-infância e espaço para o 1º ciclo, com acesso à zona

de recepção, arrecadação, vestiários e sanitários. O preço-base do concurso é de 2 milhões, 838 mil euros, tendo sido fixado um prazo de execução de 365 dias. A calendarização deste investimento aponta a conclusão das obras para o primeiro trimestre de 2013. O Município de Amarante, recordese, tem em curso a construção dos centros escolares de Lufrei-Madalena e Aboim, Chapa, Gatão e Vila Garcia e fará, a 2 de Janeiro próximo, a consignação das obras de construção do de Telões, que resultará da ampliação da actual EB, 2-3. Em funcionamento, estão já os centros escolares de Roçadas, Marão e Freixo de Cima.

Depois de aprovadas hortas comunitárias

Cortiça da Quinta das Fontainhas “transformada” em prendas de Natal A Junta de Freguesia de Fridão “transformou” a cortiça proveniente dos sobreiros da Quinta das Fontainhas em prendas de Natal para as crianças da freguesia que frequentam o ensino pré-escolar e o 1º ciclo do ensino básico. De facto, autorizada pelo Município, proprietário da quinta, aquela autarquia retirou a casca dos sobreiros e vendeu-a. Com a receita conseguida, comprou presentes para as crianças, tornando, assim, mais nítido o seu Natal.

Esta iniciativa segue-se à cedência da Quinta das Fontainhas, para hortas comunitárias, com a gestão da propriedade a ser feita pela junta local que, inicialmente, pretendia, ali, um espaço agrícola para cultivo de produtos hortícolas para consumo na cantina da escola. Por sugestão de Armindo Abreu, Presidente da Edilidade, decidiu-se proporcionar aos habitantes da freguesia que não têm terrenos agrícolas a possibilidade de fazerem agricultura para consumo próprio.

Senhor Assinante regularize por favor a sua assinatura Vinte e duas crianças, entre os seis e os catorze anos, frequentaram o atelier de Natal organizado pela Câmara Municipal de Amarante, designado Invent’Arte, que este ano decorreu no Museu Amadeo de Souza-Cardoso e na extensão de Vila Meã da Biblioteca Municipal Albano Sardoeira. Temático, o atelier consistiu na recolha de informação relativa a figuras amarantinas, sendo construída uma árvore de Natal com

bolas decoradas com motivos referentes a essas figuras: Amadeo, Agostina, António Cândido, Pascoaes… Com a realização do atelier pretendeuse, por um lado, proporcionar a ocupação dos tempos livres das crianças nas férias de Natal e, por outro, através de actividades lúdicas introduzi-las na cultura amarantina.

Senhor Assinante regularize por favor a sua assinatura


6 | O Jornal de Amarante

CLASSIFICADOS

Arrenda-se Apartamento T2 em Amarante • Edifício da Estação • Mobilado ou Não Mobilado • Com cozinha equipada •Contacto 962 038 178

Serviços ► Preparação do corpo com vista a umas exéquias dignas dentro de todos os requisitos exigidos por lei. ► Atendimento rápido e imediato, com resposta em tempo real, todos os dias e a qualquer hora, ao longo de todo o ano. ► Tratamos da transladação para qualquer parte do país e do estrangeiro. ►Tratamos dos serviços religiosos e cemitério. ► Tratamos de cremações. ► Tratamos de todo o tipo de documentação relacionada com segurança social, caixa nacional de aposentações, centro nacional de pensões e outra. ► Tratamos de todos os serviços relacionados com o arranjo de jazigos e sepulturas, lápides e todos os formatos e gravações manuais ou à máquina, de epitáfios. ►Veículos exclusivos para transporte de familiares e acompanhantes.

Funerárias do Tâmega, Lda: 255424422 | 917643062 | 919449561 | 917502997

Vila Chã do Marão - Amarante

D. Maria Adelaide de Macedo AGRADECIMENTO Sua família vem por este meio, e muito reconhecidamente agradecer a todas as pessoas que participaram no funeral da saudosa extinta ou que, de qualquer outro modo, lhes manifestaram o seu pesar. Agradecem também a todas as pessoas que se dignaram assistir à missa de 7º dia. Pedem desculpa por qualquer falta involuntariamente cometida. Funerárias do Tâmega, Lda: 255424422 | 917643062 | 919449561 | 917502997

Padronelo - Amarante

Sr. Adriano Teixeira AGRADECIMENTO Sua família vem por este meio, e muito reconhecidamente agradecer a todas as pessoas que participaram no funeral do saudoso extinto ou que, de qualquer outro modo, lhes manifestaram o seu pesar. Agradecem também a todas as pessoas que se dignaram assistir à missa de 7º dia. Pedem desculpa por qualquer falta involuntariamente cometida. Funerárias do Tâmega, Lda: 255424422 | 917643062 | 919449561 | 917502997

Gondar - Amarante

D. Emília de Jesus Ribeiro AGRADECIMENTO Sua família vem por este meio, e muito reconhecidamente agradecer a todas as pessoas que participaram no funeral da saudosa extinta ou que, de qualquer outro modo, lhes manifestaram o seu pesar. Agradecem também a todas as pessoas que se dignaram assistir à missa de 7º dia. Pedem desculpa por qualquer falta involuntariamente cometida.

Cartório Notarial de Amarante A cargo da Licenciada OLGA MARIA DE CARVALHO SAMÕES, Notária com o arquivo do extinto Cartório Público. Faço saber para efeitos de publicação na imprensa local, que neste Cartório, no livro 273 a folhas 74 e seguintes, se encontra uma escritura de JUSTIFICAÇÃO de trinta de Dezembro de dois mil e onze, em que: LUÍS MÁRIO RIBEIRO PEREIRA, NIF.223.771.171, e esposa SÓNIA MARISA COUTINHO DA FONTE PEREIRA, NIF.209.641.959, casados sob o regime da comunhão de adquiri-dos, ambos naturais da freguesia de Ansiães, concelho de Ama-rante, onde residem na Rua Penedo da Leira, nº 86. DECLARARAM: Que são donos e legítimos possuidores, com exclusão de outrem, do seguinte imóvel, no valor atribuído igual ao valor patrimonial de CENTO E

TRINTA EUROS: Prédio rústico, composto de cultura, pastagem e horta, com a área de seiscentos e oitenta metros quadrados, sito no lugar de Póvoa, freguesia de Ansiães, concelho de Amarante, a confrontar de Norte, com Armando Carvalho Ribeiro, de Sul, com José Luís Mendes Pinto, de Nascente, com caminho público e de Poente, com Maria Glória Ribeiro Pereira, omisso na Conservatória do Registo Predial de Amarante, inscrito na matriz em nome do justi-ficante marido sob o artigo 2110, com o valor patrimonial e igual atribuído de 130€. Que no ano de mil novecentos e noventa e um em dia e mês que não podem precisar, foi-lhes vendido verbalmente, pela Junta de Freguesia de Ansiães, com sede no lugar do Eido, freguesia de Ansiães, concelho de Amarante, o acima identificado prédio, compra e venda esta que nunca foi re-

duzida a escrito. Que, no entanto, e desde essa data, nele vêm praticando todos os actos conducentes ao aproveitamento de todas as suas utilida-des, ocupando-o segundos os seus destinos e fins, em proveito próprio, posse que se manteve sem qualquer oposição nem inter-rupção e com o conhecimento de toda a gente, comportando-se os primeiros outorgantes, como se fossem titulares do direito de pro-priedade plena sobre o referido prédio. Que nestes termos, detêm a posse em nome próprio, pacífica, contínua e pública por mais de vinte anos sobre o dito prédio, pelo que o adquiriram por USUCAPIÃO. Está conforme. Cartório Notarial de Amarante, 23/12/2011 A Notária, a) Olga Maria de Carvalho Samões

ANÚNCIO - 1ª Publicação

tas que sejam entregues até esse momento na secretaria do Tribunal pelos interessados na compra do seguinte bem: Verba única: Quinhão hereditário que a executada Márcia Cristina Duarte Ribeiro, detém na herança ilíquida e indivisa aberta por óbito de seus pais, no prédio rústico, denominado de “Cerrado da Fonte Barroca”, composto de cultura, videiras, pinhal, eucaliptal e pastagem, com a área total de 17100M2, sito em Fonte Borroca, freguesia de Várzea da Ovelha e Aliviada, concelho de Marco de Canavezes, inscrito na matriz sob o artigo 259 e descrito na Conservatória do Registo Predial pelo nº 555/19911105 – Várzea da Ovelha e Aliviada. Valor base: €75.000,00 Serão aceites as propostas

de valor igual ou superior a €52.500,00, correspondente a 70% do valor base. Só serão aceites as propostas que acompanhem cheque visado no valor de 5% do valor base à ordem da agente de execução, bem como, para o caso dos proponentes não se encontrarem presentes no dia da abertura, cópia do bilhete de identidade ou de cartão de identificação de pessoa colectiva. É fiel depositário que o deve mostrar a pedido, a executada Márcia Cristina Duarte Ribeiro, residente na Rua Fernando Pessoa, 173, Madalena, Amarante.

ANA PINHEIRO Agente de Execução Cédula 3495 Tribunal Judicial de Amarante Execução Comum - Pagamento de Quantia Certa Proc. N.º 1821/10.1TBAMT 2º Juízo Exequente: Petrofregim – Posto de Abastecimento de Combustíveis, Lda. Executado: Márcia Cristina Duarte Ribeiro Faz-se saber que, nos autos acima identificados, encontrase designado o próximo dia 31 de Janeiro de 2012, às 14h00, no Tribunal Judicial de Amarante, para a abertura de propos-

A Agente de Execução, a) Ana Pinheiro

Anuncie no Jornal de Amarante

Funerárias do Tâmega, Lda: 255424422 | 917643062 | 919449561 | 917502997

Facebook/ninajoias Rua 5 de Outubro, nº 74 Telef: 255 432315 – ninajoias@sapo.pt - AMARANTE


O Jornal de Amarante Quinta-feira, 05 de Janeiro 2012 | 7

ACTUALIDADE

Em paralelo à beneficiação das EM 706 e 713

Concluída requalificação da envolvente ao cemitério de Figueiró

Requalificada área adjacente ao adro da Igreja de Mancelos

Está concluída a requalificação da envolvente ao cemitério de Figueiró Santiago, numa área de cerca de nove mil metros quadrados, cujo projecto foi executado em observância com os preceitos definidos no Plano de Pormenor para a zona. Esta intervenção, para além do arranjo paisagístico de toda a área, teve preocupações relacionadas com a funcionalidade e mobilidade associadas à utilização do espaço público do cemitério e das vias que o circundam.

Inserida no projecto de beneficiação das estradas Municipais 706 e 713, duas vias estruturantes para a freguesia de Mancelos, foi também intervencionada a área adjacente ao adro da igreja (românica) local. A intervenção constou da modelação do terreno na zona de inserção com a estrada, rebaixada para compatibilização de cotas; foram criadas plataformas de transição e definição de percursos de circulação pedonal e automóvel e feita a deslocalização do cruzeiro existente. Toda a área intervencionada (900 metros quadrados) foi dotada com degraus, lancis, laje-

Houve, assim, a preocupação de estabelecer uma organização e simultânea diferenciação entre zonas pavimentadas para circulação de veículos, circulação pedonal, zonas de estacionamento e áreas verdes. Nestes pressupostos foram realizadas obras ao nível das infra-estruturas de abastecimento de água, rega de taludes e electricidade; melhoramento das acessibilidades directas ao cemitério, conferindo-lhe mais funcionalidade e dignidade; remate, pintura de muros e

portões; remodelação e reforço da iluminação pública; ajardinamento e arborização de taludes; construção de muros; definição de passeios e baias de estacionamento. Por fim, houve a preocupação de se utilizar acabamentos lisos para uma utilização mais cómoda dos passeios e materiais nobres (lancis e cubos de granito), como forma de dar qualidade a toda a área alvo de arranjo urbanístico.

ados e cubos de granito e feita a construção de um pequeno edifício de acesso e apoio a infra-estruturas urbanísticas existentes no local. A requalificação da área adjacente ao adro da Igreja de Mancelos insere-se na politica do Município de valorização de espaços públicos, enquanto centros cívicos, e sua “devolução” às comunidades, quer estes se situem em núcleos urbanos ou em áreas rurais. Nestas, as intervenções incidem, geralmente, nas sedes das freguesias, tendo como referência central as igrejas matrizes ou equipamentos de uso colectivo.

Utentes contra o encerramento da linha ferroviária do Tâmega

Após o encerramento da Linha do Tâmega a 25 de Março de 2009 e a promessa governamental da sua requalificação e abertura no prazo máximo de dois anos, um grupo de utentes,

farto de promessas vãs, iniciou em Outubro passado uma recolha de assinaturas, para, em forma de petição à Assembleia da República, exigir a reabertura da linha. Entretanto, no mês

seguinte foi publicado o infame “Plano Estratégico de Transportes” que defende o encerramento definitivo da Linha do Tâmega, não obstante esta ser uma infra-estrutura importante e que em muito contribui para a melhoria das condições de vida dos habitantes da região. A poucos dias do fim anunciado da Linha do Tâmega - e com ele do serviço de transporte rodoviário, feito em autocarros, assegurado pela CP -, este grupo de utentes da linha do Tâmega, honrando as cerca de 400 assinaturas que foram recolhidas em menos de 3 meses, afirma que mais do que nunca é necessário que esta petição seja atendida pela Assembleia da República e o encerramento da linha do Tâmega reconsiderado. A região de Amarante e Marco de Canaveses não pode ser esquecida, nem levada ao empobrecimento e carregada

com injustiças sociais devido as políticas do Governo. Apresentam-nos como único caminho a desertificação da região e a monopolização de determinados sectores essenciais para a população, como o é o dos Transportes. A requalificação da linha do Tâmega potenciará o desenvolvimento da região, que tem um dos piores índices de pobreza e de desemprego, assim como contribuirá para que as pessoas mantenham um nível de vida digno, apostando num transporte colectivo sustentável e ecológico. A falta do sector ferroviário levará a um aumento do custo de vida para as pessoas que dependem do caminho-deferro, para se deslocarem para as escolas, emprego e outras valias que na sua freguesia não existem. Quando o serviço rodoviário de substituição da linha do Tâ-

mega deixar de existir a partir de 1 de Janeiro, só duas opções restam às populações: ou deixam de ter mobilidade ou, mantendo-se no serviço rodoviário, suportam os “preços de mercado”, ou seja, preços muito mais elevados que os praticados actualmente pela CP. Posto isto, requeremos à Assembleia da República que, junto do Governo da República Portuguesa, solicite com carácter de urgência a requalificação da Linha do Tâmega, contribuindo, dessa forma, para o desenvolvimento regional e a melhoria das condições de vida da população em causa; e que o serviço rodoviário de substituição se mantenha em funcionamento até à reabertura da linha do Tâmega. 28 de Dezembro de 2011

|Utentes Linha-Tamega|


8 | O Jornal de Amarante

OPINIÃO

Toca a Banda lá no Coreto (Festival Canção 1979 – l. C.A.Valente / m. C.Alberto Moniz) Meu Caro Henrique Baptista

Não sei se este tempo de Natal é o certo para responder à interrogação/provocação que faz num dos seus últimos artigos no JA a este seu Amigo. A bonança do tempo e o frio que enrijece os ossos ajudam a esta destemperada resposta em jeito de Boas-Festas. Apesar de todos os cuidados que o tempo nos aconselha, não me tivesse eu vacinado aqui há tempos e seria apanhado pela sua “Corrente d’ ar”. A sua profunda reflexão sobre a sua qualidade de cidadão amarantino e militante do PSD, leva-me a contar-lhe o seguinte: Em 5 de Junho de 1949, Henrique Galvão então deputado à AN, publicava no JN, na sua coluna habitual na primeira página o artigo: - A propósito de uma filarmónica . 5 de Junho de 1949 foi domingo e Amarante festejava as Festas do Junho. A importância do artigo não tirava os amarantinos do largo de S. Gonçalo onde outras filarmónicas, a da PSP do Porto e BV da Lixa, passavam rua acima, rua abaixo, intervalando nos coretos passedobles, marchas ou luzidias peças avulsas de música clássica. O Cine-Teatro iria encher, à noite, com o filme Capas Negras. “ Contava Galvão, no seu artigo, a história de uma filarmónica em que alguns sócios não andavam contentes com a direção, porque : “ o Mestre da banda, elevado às culminâncias da regência da filarmónica, porque fora antes, no agrupamento, flautim muito afinado e assíduo aos ensaios, gozava fama de excelente pessoa e de bom chefe de família - mas

sabia pouco de música séria – além de que, dava satisfação à família o facto de ser ele, simples flautim sem probabilidades de trepar, o mestre da Banda. Gostava porém da batuta, do lugar proeminente que ocupava no coreto, de ler o seu nome citado na gazeta da terra. Para esconder as suas insuficiências recorreu ao tambor da charanga, que escrevia crónicas no jornal e lhe redigia os discursos quando havia festa grossa – mas valeu-se das manhas e esperteza de um primeiro clarinete que tocava de ouvido, mas parlapatão e bastante desacreditado na vila, por motivo das leviandades que haviam comprometido o cofre da sociedade... além deste apoiou-se também o mestre da Banda em alguns outros músicos já assobiados por desafinação crónica e fífias sistemáticas…” Não acredito que Henrique Galvão alguma vez tenha ido às festas de Amarante ou que em alguma outra ocasião tenha ouvido tocar a filarmónica e muito menos conhecido o seu maestro, tambor ou primeiro clarinete. Não o vou maçar mais com o artigo, que é longo e interessante, até porque as similitudes com a “Banda” que aí toca e as suas exibições nos diversos coretos, segundo o meu Amigo, são bastantes . Contudo deixo mais este bocadinho do texto de Galvão, para o provocar. Com tais peripécias dos “ filarmónicos”, era cada vez maior o descontentamento dos sócios, a tal ponto que”... Na farmácia, no café, no mercado, se dissesse de toda a Banda mais do que Mafoma dissera do toucinho”. Como normalmente acontece foi tudo explanado em Assembleia Geral da Filarmónica a pe-

dido de um sócio mais descontente e levado a votação. Para espanto de todos “Viuse então esta coisa, que nos tempos em que a Moral andava pelo mundo, seria espantosa: Quando o homem, perante a multidão dos sócios descontentes, disse em voz alta, o que todos indignamente diziam em voz baixa, na farmácia, no café, no mercado e pediu que se pusessem em ordem e decência as coisas da filarmónica - os sócios mais honorários e importantes levantaram –se a louvar o Mestre da banda e a declarar que o próprio primeiro clarinete, à parte aquela mania de se associar ao cofre da Sociedade, também era muito simpático. Os músicos mais desafinados protestaram e quase provaram que tocavam Wagner e Mozart desde crianças e que a 5ª sinfonia não tinha segredo para eles. O sócio interpelante ficou muito mal visto - e a banda continuou a tocar no coreto da vila, com o mesmo Mestre, com o mesmo clarinete, o mesmo tambor e o mesmo repertório.” Assim se estava na oposição em 1949. Desassombradamente e com verticalidade. Vivíamos em pleno apogeu da ditadura salazarista. Agora, sessenta e dois anos depois, os nossos políticos, não fazem política, tomam posições dúbias, mandam às malvas a verticalidade de modo a puderem fazer parte das Bandas. É tudo uma questão de ouvido... já que a música é tilintante. Voltando à sua “ Corrente D’ar “, não julgo estarem em perigo as tradições democráticas ou a falta de valores cívicos . Aquela Amarante cultural dos poetas e pintores , das paisagens e gastronomia, é agora obrigatório juntar a Amarante da música clássica e do bailado, ultimas

apostas para uma Amarante multicultural da qual a sua Banda é exemplo de pioneirismo. Vê-la-emos arruar na sua força máxima na nova avenida para Vila Meã , em sextetos de metais na inauguração de algum novo parque empresarial ou em quartetos de cordas, nas esplanadas da marginal entre o Mercado e a praia Aurora, levando na lapela a coroa entalada na aba do chapéu a fotografia, a preto e branco, de D.Joao III. Com certeza não faltarão no Largo de S.Gonçalo workshops, dados pelos filarmónicos mais “expert” ,na tentativa de trazer mais apoiantes para a música. E nesta aposta pela música e espaços culturais, vale a pena refletir no ditado que diz - Conforme se toca, assim se dança. O meu caro Amigo conhece as bandas e os coretos. As festas grossas são em 2013 e até lá muito se vai tocar....e dançar. Vamos esperar que tudo não acabe com o Presidente da Filarmónica, numa atitude humanitária que lhe vem do “mester” salvador, de que se ocupa na vida civil, querer ser o mestre da Banda e o agora mestre, aceite, voltar a ser flautim, ainda mais afinado, com grande desespero da família e músicos mais chegados. Recomendo-lhe , a este propósito, para estes dias mais frios o filme - Ensaio de orquestra, de Fellini, onde uma discussão entre um dos músicos e o maestro, severo e ditatorial, é o inicio para uma revolta incontrolável. O caos que se instala é quebrado pela impressionante cena final, uma inserção absurda e deliciosamente felliniana. Não queria acabar esta longa carta sem referir uma outra situação que nada tendo a ver com Filarmónicas me lembrei. Aquando da campanha para a presidência dos Estados Uni-

Inscrições abertas

Espaço Internet de Vila Meã promove formação para seniores A exemplo do que já acontece na cidade de Amarante, o Espaço Internet (EI) de Vila Meã inicia, na segunda semana de Janeiro, formação para seniores em Tecnologias da Informação e da Comunicação. As primeiras duas turmas fo-

ram formadas com munícipes já inseridos em programa da autarquia, como é o caso do “Amarante Vida Longa”, mas a formação está aberta a todos os interessados, devendo as inscrições ser feitas no EI de Vila Meã, a funcionar no edifício

dos antigos Paços do Concelho de Santa Cruz de Ribatâmega, onde estão também instalados a extensão da Biblioteca Municipal Albano Sardoeira e os serviços desconcentrados da Câmara. A formação que será ministra-

da, de níveis 1 e 2, inclui noções essenciais de processamento de texto (Word), Windows, navegação na Internet, correio electrónico e conversação em tempo real. Contactos: Telef. 355 735 558 | eivilamea@cm-amarante.pt.

dos em 1960 a campanha de Kennedy , referindo -se a Nixon, fez a seguinte pergunta aos cidadãos eleitores americanos: “Você compraria um carro em segunda mão a este homem?”. Nixon perdeu as eleições . Imagine o meu Amigo, a “ sua “ Banda a tocar no coreto e do coreto ao lado, o Maestro da outra Banda, de bigode bem composto e velho nas manhas da regência, puxar os óculos à testa e perguntar à assistência: Vocês acreditam que eles são capazes de tocar um “pasodoble”? Deixo à sua imaginação livre a resolução da charada porque, como diz o ditado “A galgo bom não lhe escapam lebres”. Quanto ao meu silêncio, meu caro Amigo, três razões o provocam : é que para lá do mau ouvido , a Banda toca muito mal e como diz o ditado, - Silêncio também é resposta. “ …E foi assim, no ambiente romântico de uma noite serena e quente, que terminou o grande dia das tradicionais e faladas Festas da Vila de Amarante. “, dizia o JN do dia 6 de Junho de1949, ao comentar as Festas de Amarante Aproveito, meu caro Amigo, para lhe desejar um 2012 ... com boas danças. Com um abraço, | João Sardoeira | NOTA : O texto de H Galvão foi publicado no JN de 5 de Junho de 1949, depois de o Presidente da Assembleia Nacional, Mário de Figueiredo, lhe ter cortado a palavra, declarando o assunto encerrado, na discussão do Aviso Prévio sobre a administração de Angola. H. Galvão era Inspector Superior da Administração Colonial

Este espaço pode ser seu! Anuncie no Jornal de Amarante


O Jornal de Amarante Quinta-feira, 05 de Janeiro 2012 | 9

Juventude Socialista de Amarante, por Hugo Carvalho

Futuro com erros Portugal atravessa uma situação económica bastante complexa e que exige que todos nós façamos uma reflexão clara daquilo que pretendemos para o futuro. Existe para todos os problemas diferentes caminhos para perspectivar uma solução. O desafio que se coloca hoje a todos os portugueses é o de projectar para o futuro um caminho que transforme o momento menos favorável do país numa oportunidade de desenvolvimento. É nesta óptica de pensamento apresento em seguida alguns argumentos para a não aceitação da receita recessiva proposta pela coligação PSD/CDSPP que em nada contribui para um futuro melhor do nosso país. 1. Proceder ao corte na despesa através do aumento dos impostos ao invés de medidas estruturantes que conduzam a um Estado mas eficaz. Este aspecto ganha contornos mais gravosos pela forma injusta com que os impostos são distribuídos pela população. 2. Falta de uma visão estratégica para o futuro do país patente na indefinição em torno da aposta nas energias renováveis como sector promotor de competitividade nacional. Acresce a este facto o incentivo à imigração da geração de jovens

mais qualificados de sempre. 3. Retrocesso inequívoco nas políticas educativas que põe em causa a igualdade de oportunidades de todos as pessoas se poderem qualificar. Um país que olha para a edução centrado na vertente económica será, certamente, um país que economiza o seu futuro. 4. Aniquilar o serviço nacional de saúde com o aumento das taxas moderadores e através de uma agenda camuflada de liberalização dos cuidados de saúde, conduz a um cenário claramente assimétrico no que diz respeito ao acesso a cuidados de saúde de todos os portugueses. 5. Falta de uma visão enquadrada para a promoção do emprego patente no reconhecimento do aumento da taxa de desemprego para o ano de 2012, ao mesmo tempo que não é apresentada medida alguma para promover a competitividade e o emprego. 6. Aumento do numero de horas de trabalho semanal completamente descontextualizado daquilo que são as necessidades do mercado de trabalho e conduzindo a um retrocesso nos direitos laborais conquistados. 7. Inexistência de um programa

de investimento público como forma de promover o emprego e dinamização de economias locais que concilie necessidades estruturante das regiões e a alocação de financiamento comunitário. Estes são alguns eixos estruturantes onde o reflexo das medidas propostas pelo Governo acentuarão as assimetrias entre os cidadãos portugueses. Trata-se de um caminho recessivo, desigual e claramente marcado por uma agenda ultra-liberal que procura, entre os argumentos de uma recessão internacional, justificar uma agenda que promove a privatização de serviços centrais para a promoção de uma sociedade mais justa e mais fraterna.

Reciclagem de Ide(i)a(i)s, por Carlos Carvalho, Presidente da JSD de Amarante

Fazer acontecer Tem sido já habitual nos últimos tempos, mesmo com o acentuar da crise, surgirem notícias e conclusões de estudos que apontam o Norte de Portugal como zona de grande atração turística. Em Setembro de 2011, conheceu-se o resultado de um estudo encomendado pelo Turismo de Portugal, que põe o Algarve em terceiro lugar e Lisboa em quinto, atrás do Porto. O Norte e depois o Douro são as duas regiões mais atrativas para os turistas portugueses que vão para fora, cá dentro. A paisagem natural do Douro em particular e do Norte no seu conjunto é imbatível quando comparada com as restantes regiões do turismo do continente. Mas não é só por isso que são consideradas as mais atrativas pelos turistas nacionais. Somam-se a gastronomia (onde o Alentejo também tem boa nota), o património histórico (em que Porto e Lisboa também estão bem colocadas) e a simpatia das pessoas. Tudo junto faz com que o Norte, o Douro, o Algarve e o Porto sejam as quatro regiões mais atrativas do continente. Lisboa surge em quinto lugar. Nos últimos dias do ano que terminou, surgiu também a notícia do «Passageiro 6 milhões». O aeroporto Francisco Sá Carneiro, aqui a cerca de trinta minutos de distância de nós, atingiu, em pleno ano de tão afamada crise, o seu melhor resultado de sempre. Tal resultado é resultado do crescimento qualitativo que esta infraestrutura teve nos últimos anos o que em muito tem contribuído para que o Norte de Portugal se assumo como destino turístico de excelência, não só para os portugueses, como comprova o estudo que referi inicialmente, como também para estran-

geiros. De notar que as operadoras low-cost que marcam presença no aeroporto Francisco Sá Carneiro são também, pelo tipo de passageiros que transportam, uma fonte de oportunidades. Como já referi em artigos anteriores, hoje é fácil reservar um voo online e, num par de horas, estar numa qualquer cidade europeia. A partir do Porto é fácil fazê-lo e, através destas operadoras, a custos reduzidos. Pode parecer estranho, mas custa menos dinheiro fazer a viagem para Madrid, ou Londres (por exemplo), do que para Lisboa. E tudo isto tem dois sentidos, o que faz com que «de lá para cá» também seja uma viagem atrativa. Juntando a tudo isto surge ainda a frase “O Porto está na moda.” Que tem sido repetida diversas vezes nos últimos tempos, principalmente quando se fala em turismo no Norte de Portugal. A promoção da cidade do Porto e da região Norte de Portugal tem dado frutos. Mais, este ano, 2012, é ano de Capital Europeia da Juventude, em Braga, e Capital Europeia da Cultura, em Guimarães, o que significa mais dois fortes motivos de atração no Norte. Amarante, pelo que tenho vindo aqui a explicar, está no meio duma região que se impõe turisticamente, quer pelos eventos que cria, quer pelas paisagens, gastronomia, património e história. Importa realçar que, por si só, Amarante é um concelho, a meu ver, com um potencial turístico enorme, graças a tudo que possui. A história, as figuras amarantinas, as paisagens, o património e as suas tradições deixam em aberto uma série de oportunidades que podem ser criadas e aproveitadas. Ao mesmo tempo, geograficamente, o concelho de Amarante

está inserido bem no meio da região Norte que, como já referi, tem vindo a afirmar-se como o melhor destino turístico português, um dos melhores na Europa. Está a menos de uma hora das cidades que durante 2012 serão Capital Europeia da Juventude e da Cultura, a menos de uma hora da cidade do Porto, a menos de uma hora da maior entrada na região, o aeroporto Francisco Sá Carneiro. Existem todas as condições para que se possa inserir Amarante nos programas turísticos, fazer com que conste dos roteiros passando a fazer parte dos pontos de interesse desta região Norte tão apetecível ao turista, nacional e estrangeiro. Não é por acaso que penso que este tema, o do Turismo em Amarante, merece ser claramente refletido, estudado e, sobretudo planeado. Temos todas as condições para que Amarante se afirme nesta matéria. Falta fazer acontecer, porque é seguro que vale a pena.

Cartório Notarial sito na Rua Rebelo de Carvalho, 728, r/c, Margaride, Felgueiras da Notária Maria Guadalupe Queirós Gonçalves da Cunha JUSTIFICAÇÃO Certifico para efeitos de publicação, que por escritura de vinte e um de Dezembro de dois mil e onze, exarada de folhas oitenta e nove a noventa e dois verso do livro de notas número um-A, deste Cartório Notarial, foi outorgada uma escritura em que António José de Almeida, NIF 161.268.927 e mulher Maria Alzira Ferraz da Silva, NIF 196.434.246, casados sob o regime da comunhão geral, naturais ele da freguesia de Aião, concelho de Felgueiras e ela de Mancelos, concelho de Amarante, onde são residentes na Rua das Searas, nº 500, freguesia de Travanca, declararam: Que, são donos e legítimos possuidores, com exclusão de outrem, dos seguintes prédios sitos na freguesia de Travanca, concelho de Amarante: Um – URBANO, composto por duas habitações de rés do chão e andar, dependências e terreno a logradouro, sito na Rua das Searas, nº 572, com a área coberta de duzentos e vinte e seis metros quadrados e a área descoberta de mil setecentos e catorze metros quadrados, inscrito na matriz respectiva em nome do justificante marido sob o artigo 1228, com o valor patrimonial e atribuído de setenta e quatro mil quinhentos e cinquenta euros, omisso na Conservatória do Registo Predial de Amarante; Dois – URBANO, composto por terreno para construção, sito na Rua das Searas, com a área de dois mil seiscentos e quarenta e sete metros quadrados, a confrontar do norte com Joaquim José da Silva Almeida, sul com Manuel da Silva Almeida, nascente com Paulo Alexandre Machado Correia e do poente com a Rua das Searas, inscrito na matriz respectiva em nome do justificante marido sob o artigo 1276, com o valor patrimonial e atribuído de vinte mil trezentos e setenta euros, omisso na Conservatória do Registo Predial de Amarante; Três – RÚSTICO, pinhal e mato, sito na Rua das Searas, com a área de mil duzentos e noventa metros quadrados, a confrontar do norte com Hernâni Pereira, sul com Joaquim José Silva Almeida, nascente com Paulo Alexandre Machado Correia e do poente com a Rua das Searas, inscrito na matriz respectiva em nome do justificante marido sob o artigo 1552, com o valor patrimonial de € 175,00 e atribuído de dois

mil e quinhentos euros, omisso na Conservatória do Registo Predial de Amarante; Que, o terreno onde foi edificada a construção do prédio urbano atrás identificado em primeiro, lhes foi vendido, por contrato verbal por João Vieira de Magalhães e mulher Alice Fernandes Ferreira de Magalhães, residentes que foram em Vila Meã, Amarante, em dia e mês que não podem precisar do ano de mil novecentos e setenta, não tendo sido outorgada a respectiva escritura de venda, não tendo assim qualquer título suficiente de aquisição que lhes permita efectuar o respectivo registo na Conservatória do Registo Predial. E que, os prédios atrás identificados em segundo e terceiro também lhes foram vendidos, por contrato verbal por João Vieira de Magalhães e mulher Alice Fernandes Ferreira de Magalhães, residentes que foram em Vila Meã, Amarante, em dia e mês que não podem precisar do ano de mil novecentos e setenta, não tendo sido outorgadas as respectivas escrituras de venda, não tendo assim qualquer título suficiente de aquisição que lhes permita efectuar o respectivo registo na Conservatória do Registo Predial. Que porém, desde aquela data de forma pública, pacifica e contínua, tudo sempre à vista e com conhecimento de toda a gente, sem violência nem oposição de ninguém, reiterada e ininterruptamente e ainda convencidos de serem titulares do respectivo direito de propriedade, têm possuído e fruído aqueles prédios, gozando de todas as utilidades por eles proporcionadas, procedendo a operações de limpeza no tocante ao corte de silvas e arbustos nos prédios identificados em primeiro e segundo e posteriormente, no prédio identificado em primeiro, construindo o edifício e habitandoo, efectuando no mesmo obras de conservação e operações de limpeza, plantando árvores e procedendo ao corte de mato quanto ao rústico, pagando os impostos ao Estado, praticando todos os actos correspondentes ao direito de propriedade plena, pelo que, tendo em consideração as referidas características de tal posse, os adquiriram por usucapião, que invocam, estando por isso, impossibilitados de comprovar a referida aquisição pelos meios normais. Felgueiras, vinte e um de Dezembro de dois mil e onze. A Notária, a) Maria Guadalupe Q.G.Cunha


10 | O Jornal de Amarante

Cartório Notarial de Amarante

Cartório Notarial de Amarante

A cargo da Licenciada OLGA MARIA DE CARVALHO SAMÕES, Notária com o arquivo do extinto Cartório Público. Faço saber para efeitos de publicação na imprensa local, que neste Cartório, no livro 273 a folhas 88 e seguintes, se encontra uma escritura de JUSTIFICAÇÃO de trinta de Dezembro de dois mil e onze, em que: ANTÓNIO DA SILVEIRA RIBEIRO, NIF.158.680.839, e esposa MARIA DA GLÓRIA TEIXEIRA, NIF.174.219.962, casados sob o regime da comunhão geral de bens, naturais, ele da freguesia de Fregim, concelho de Amarante, ela da freguesia do Torno, concelho de Lousada, residentes no lugar de São Jorge, freguesia de Fregim, conce-lho de Amarante. E DISSERAM OS PRIMEIROS OUTORGANTES: Que, são os mesmos outorgantes da escritura pública de “Justificação”, outorgada neste Cartório no dia vinte de Setembro de dois mil e sete, exarada a folhas 6 do respecti-vo livro de notas para escrituras número 123. Por esta escritura, rectificam a mesma no sentido de passar a constar que: Os primeiros outorgantes eram donos e legítimos pos-suidores, com exclusão de outrem, do prédio urbano, com-posto de prédio em ruínas, com a superfície coberta de cen-to e trinta e dois metros quadrados e logradouro com a área de cinco mil, cento e vinte e oito metros quadrados, a con-frontar de Norte, com Casa de Belmonte, de Sul, com Rua de S. Jorge, de nascente, com José Ernesto M. Sousa Cardo-so e de Poente, com Adelino Teixeira Ribeiro e Maria de Fátima Teixeira Ribeiro, sito na Rua de S. Jorge, freguesia de Fregim, concelho de Amarante, descrito da Conservatória do Registo Predial de Amarante sob o número mil trezentos e oitenta, inscrito na matriz sob o artigo 1391, conforme comprovativo da declaração para inscrição ou actualização de prédios urbanos na matriz (modelo 1), recebido no Servi-ço de Finanças de Amarante em vinte e nove de Dezembro de dois mil e onze, com o número de registo 2873161 e não como por lapso declararam na referida escritura, um terreno para construção, com a área de mil e novecentos metros quadrados, a confrontar de Norte e Sul, com caminho, de Nascente e Poente com José Ernesto Macedo Sousa Cardoso, lapso este que se deveu à densa vegetação existente no terreno que não permitiu a visualização correcta das con-frontações, área e ruínas lá existentes. Em tudo o mais mantêm o teor daquela referenciada escritura, designadamente o valor atribuído de DEZ MIL QUINHENTOS E QUARENTA EUROS. Está conforme. Cartório Notarial de Amarante, 30/12/2011 A Notária, a) Olga Maria de Carvalho Samões

A cargo da Licenciada Olga Maria de Carvalho Samões. Faço saber para efeitos de publicação na imprensa local, que neste Cartório e no livro 274 desde folhas 8 e seguintes, se encontra uma escritura de JUSTIFICAÇÃO, de quatro de janeiro de dois mil e doze, em que: MANUEL MARQUES CARVALHAIS, NIF.154.725.951, e esposa MARIA OLINDA GONÇALVES ALVES CARVALHAIS, NIF.154.725.960, casados sob o regime da comunhão de adquiridos, ambos naturais da freguesia de Rebordelo, concelho de Amarante, onde residem na Rua Doutor Ilídio Sardoeira, nº 89. E DECLARARAM OS OUTORGANTES: Que são donos e legítimos possuidores, com exclusão de outrem, do seguinte imóvel, no valor atribuído igual ao valor patrimonial de SETECENTOS E CINQUENTA E DOIS EUROS E NOVENTA CÊNTIMOS: Prédio urbano, composto de casa destinada habitação, de três pisos, cave com uma divisão, rés do chão com uma divisão e andar com duas divisões, com a superfície coberta de sessenta e cinco metros qua-drados e logradouro com a área de cinquenta metros quadrados, sito no lugar de Cortinhas, freguesia de Rebordelo, concelho de Amarante, a confrontar de norte, com José Ribeiro Peixoto, de sul, com caminho público, de nascente, com Carreiro da Fonte e de poente, com proprietá-rio, omisso na Conservatória do Registo Predial de Amarante, inscrito na matriz em nome do justificante marido sob o artigo 200, com o valor patrimonial e igual atribuído de 752,90€. Que no ano de mil novecentos e setenta e sete, em dia e mês que não podem precisar, compraram verbalmente, a Álvaro Marques de Andrade, casado no regime da separação de bens com Maria Gracinda da Conceição Monteiro, residente na Rua Eng. Ondinot, freguesia e concelho de Aveiro, o acima identificado prédio, compra e venda esta que nunca foi reduzida a escrito. Que, no entanto, e desde essa data, nele vêm praticando todos os atos conducentes ao aproveitamento de todas as suas utilidades, ocu-pando-o segundos os seus destinos e fins, em proveito próprio, posse que se manteve sem qualquer oposição nem interrupção e com o conhe-cimento de toda a gente, comportando-se os possuidores, como se fos-sem titulares do direito de propriedade plena sobre o referido prédio. Que nestes termos, detêm a posse em nome próprio, pacífica, contí-nua e pública por mais de vinte anos sobre o dito prédio, pelo que o adquiriram por USUCAPIÃO. Está conforme.Cartório Notarial de Amarante, quatro de janeiro de dois mil e doze. A Funcionária, por expressa delegação da Notária Olga Maria de Carvalho Samões, nos termos do artigo 8º n.º 1 do DL 26/2004 de 04/02,Carla Marisa Morais de Carvalho inscrita em 31/01/2011 na Ordem dos Notários sob o n.º 61/3

Cinema Teixeira de Pascoaes 6ªs feiras às 21:30 Telefone: 255 431 084 Programação de Janeiro Dia 6 Assim é o amor Título original: Beginners De:Mike Mills Com:Ewan McGregor, Christopher Plummer, Mélanie Laurent, Goran Visnjic Género:Drama Classificação:M/12 EUA, 2010, Cores, 105 min. Site oficial: http://focusfeatures.com/beginners Trailer: http://youtu.be/E6bxpPEDBiY Estreia nacional: 01 de Setembro de 2011

As vidas de Oliver (Ewan McGregor) e do seu pai Hal (Christopher Plummer) alteram-se radicalmente quando o segundo, seis meses depois de ter ficado viúvo, assume duas coisas totalmente inesperadas: que é homossexual e que se encontra num estado avançado de uma doença terminal. Com esta consciência de mortalidade, Hal começa a viver intensamente o tempo que lhe resta, encontrando disponibilidade para viver um grande amor com um homem mais novo, reformular a sua relação com o filho e, acima de tudo, encontrar a serenidade interior que

nunca havia antes encontrado. Algum tempo após a morte inevitável de Hal, Oliver conhece Anna (Mélanie Laurent), compreendendo, finalmente, o verdadeiro significado do amor. Assim, compreenderá todo o alcance dos ensinamentos que o pai lhe tentou transmitir naqueles últimos meses de vida. Realizado por Mike Mills, e inspirado na sua própria vida, uma comédia dramática que mostra como na vida e no amor nunca é tarde para um recomeço. PÚBLICO

Abertos há cerca de dois meses

Procura de serviços cresce em Vila Meã Cerca de dois meses depois da sua entrada em funcionamento (2 de Novembro), tem vindo a crescer, gradualmente, a procura dos Serviços Desconcentrados de Vila Meã, instalados no edifício dos antigos Paços do Concelho de Santa Cruz de Ribatâmega. Ali, a população da zona Oeste do Município pode aceder à generalidade dos serviços prestados pela Câmara de Amarante, com ganhos em rapidez, eficiência e comodidade para cidadãos e organizações, evitando-se deslocações à sede do Concelho. A título de exemplo, no mês de Dezembro (até ao dia 28) foram efectuadas 232 operações de tesouraria, contra as 116 registadas em Novembro, referentes à liquidação de consumos de água, taxas de saneamento e resíduos sólidos urbanos e receitas provenientes das Piscinas Municipais de Vila Meã, Biblioteca Municipal - Extensão de Vila Meã, PAC (Posto de Atendimento ao Cidadão) e Espaço Internet. Em Vila Meã, o atendimento é feito nas áreas de Tesouraria, Águas e Saneamento, Taxas e Licenças e assuntos relacionados com o Urbanismo.

Este espaço pode ser seu! Anuncie no Jornal de Amarante


JA nº.1650