Issuu on Google+

Autorizado a Circular em envelope Plastificado

O JORNAL AMARANTE de

DIRECTORA: Mª JOSÉ CUNHA

Amarante Futebol Clube entra no campeonato com o pé esquerdo

J. P .P. AMARANTE TAXA PAGA

JÁ FOI dE FÉRIAS? IRRESISTÍVEIS! PALMA DE MAIORCA | OpEraDO pOr IbErOjET partidas do porto a 12 e 19 Set. ’11 7 noites | Meia pensão

desde:

310*

por pessoa em duplo

Inclui: avião + Hotel alea | 3 estrelas + transfers + taxas de aeroporto (€ 40) + Seguro de Viagem

(*) preço valido para a partida do dia 19 de Setembro. Notas: preço desde é baseado na classe de reserva “p” (outras classes de reserva mediante pagamento de suplementos)

PORTO SANTO

partidas do porto a 8 Set.’11 7 noites | TUdO INCLUÍdO Inclui: avião + Hotel praia Dourada | 3 estrelas + transfers + taxas de aeroporto, segurança e combustível (€ 93) + Seguro de Viagem

desde:

487

por pessoa em duplo

Exclui: Despesa de reserva (€29 por processo e não por pessoa) + suplementos; lugares limitados; taxas sujeitas a alteração; sujeito às nossas condições gerais. CONSULTE-NOS.

RNAVT 1702

Rua Cândido dos Reis, 222 | 4600-055 AMARANTE Email: amarante@abreu.pt - Tel.: 255410100 - Fax: 255410109

ABERTO à hORA dE ALMOÇO

Quinta-feira, 08 de Setembro 2011 | Nº 1633| Ano 32 | euro 0.80

No âmbito da criação do núcleo de fotografia

Malhar em Ferro Frio

PORTUGAL

Museu Amadeo de Souza Cardoso mostra fotos de Eduardo Teixeira Pinto


2| O Jornal de Amarante

OPINIÃO

EDITORIAL

Caricaturas 1

De quem decorou, de fio a pavio,

É alto que baste mas não em demasia. Falas fluidas, rosto a condizer. Já é célebre pela sua fantasia De prometer, prometer, prometer. Transpira inocência, sobra-lhe cortesia. Às vezes tresmalha no dizer e não dizer. O que não convém diz que não sabia E o que sabe fica por dizer. E assim sagaz, viril e arteiro, Vai levando a água ao seu lameiro Qual lavrador que não dorme o serão. Pega no sacho e atalha o rego. E assim o sujeito, não o nego, Faz pela vidinha, o malandrão. 2 Tem lábios sumidos e não é velho, Olhar matreiro de destro felino. E é lustroso como médio coelho Que come do bom e bebe do fino. O discurso, esse, é velho e relho, Sofista hábil a fazer o pino. Quem o vê não se vê ao espelho Porque se se visse, adeus menino. Este meu lápis tem o bico rombo, Mas se o aparo fica fino de mais E o caricaturista dá grande tombo, E ao cair, com soturno baque, Dá berros, urros, e lamentos tais Que se esvai em estrondoso traque. 3 Espertinho da silva, rosto escaveirado, Resposta pronta em verbo finório. Embrulha muito bem em papel doirado O doce que não tem o seu relambório.

O que de mais caro e santo tinha o velho: As falinhas doces dum falso amavio E as célebres botas que lhe chegavam ao joelho. 4 Dos travões não tem medo. As trovoadas, Com raios e coriscos à mistura, Já as conhece há muito e às carradas Sem que raio algum lhe faça ranhura. Por dias cinzentos e frias madrugadas, Clandestino, oculto na noite escura, Bebia a luz branca das alvoradas Dos amanhãs que cantam uma vida dura. Não tem, nem quer ter, nada de santo. O milagre em que acredita está nas mãos De quem trabalha e luta tanto. Por isso os considera e tem por irmãos A quem é preciso enxugar o pranto Como um bom cristão entre cristãos. 5 Este berra, berra, faz barulho. É general do berro em acesa batalha. Quem o ouve diz; vamos ter sarrabulho, Ou fica tudo em fogueira de palha? É fogoso e bom rapaz. Quem o igualha? Talvez ninguem. Tudo é engulho. Mesmo gente que é honesta e trabalha E deixa coiro e cabelo esbulho, Não vai à dança onde ele toca. O seu verbo é matraca e é moca, Sempre de alto, sempre de alto ele berra.

Elmano Sabino Maio de 2011

Dizem que é parente dum velho tio Que usava botas que lhe cobriam o artelho

Senhor Assinante regularize por favor a sua assinatura

Propriedade Publitâmega - Publicações do Tâmega, Lda. Tiragem Média 3500 exemplares.

jornaldeamarante@iol.pt jornaldeamarante@gmail.com

aumento dos impostos e preços. Foi a electricidade, o gás, os transportes públicos, o IVA, o IRS, as taxas moderadoras, os cereais, a diminuição das compensações, dos salários, do apoio social (subsídio de desemprego, complemento solidário para idosos, reinserção social, acção escolar, etc), mas onde estão as medidas para a criação de emprego, da produtividade, das exportações, aumentos reais dos salários dos trabalhadores, para diminuição da criminalidade? Em nenhum lado se houve falar disso. O Governo teima em ir mais além do que o que era exigido pela Troika. Porquê? A retoma será mais rápida? Esclareça-se, já que tudo o que foi prometido, foi igualmente esquecido. 4 - Diz-se que o problema do país foi o crédito fácil às empresas e aos particulares, as insolvências fictícias, as aquisições simuladas, o BPN e o BPP, o buraco orçamental da Madeira, a falta de formação, mas os cortes aparecem do lado da educação, da saúde e da solidariedade social!!! Ou seja, precisamente onde o sector privado quer “entrar”. Os bancos receberam apoios, supostamente para poderem estabilizar e terem condições para estimular a economia, através da cooperação com as empresas e os particulares, mas o que se sabe é que nada disso é feito. Os projectos inovadores dos jovens, sem capacidade própria de financiamento, ficam na gaveta. À espera para ver no que isto dá. Somos um país que prima por ter na sua história uma revolução sem sangue e assim se deve manter, e longe da irresponsabilidade de discursos radicais e insensatos, daí que os eleitos pelo povo devem cumprir o seu mandata e não somente apontar de cruz, defendendo nos locais próprios os cidadãos e os seus direitos e interesses, fazendo cumprir o pacto social. | HM|

Arcanjo irado com espada de fogo, Quem o ouve al longe foge logo A esconder-se debaixo da terra

Finca os pés, traça o gesto, perentório Quer ser Primeiro e o poderá ser. Feiras e mercados são o seu auditório Onde vende a droga que quer vender.

O JORNAL DE AMARANTE

Breves Notas Soltas 1 - Ao ver na Universidade de Verão do PSD, a Juventude Social Democrata gritar “Soares é fixe”, não soubemos a reacção a ter, se de estupefacção perante o elogia do momento de uma jovem direita, que nasce na ilusão das teorias neo-liberais, que se vê na Europa, e recentemente em Portugal, os resultados que produz, antagónicas, por isso, ao elogiado ou se, ao invés, assertivos pelo facto de, muitas vezes, não interessar tanto a política, a ideologia, mas sim a pessoa, o seu carácter e o seu perfil. Existem tempos e fases em que certos comportamentos e atitudes são ou podem ser adoptados, por tendencialmente desculpáveis, porquanto, na maioria dos casos, os efeitos sofridos pelo próprio, e fazem parte do processo de crescimento e amadurecimento, quer enquanto pessoas, quer enquanto cidadãos do mundo e que sabem (ou deviam saber) viver em comunidade. Porem, chega uma certa altura em que as coisas mudam, que os passos que damos e acicatamos, que dizemos ou levamos a dizer, devem ser ponderados e repensados, dada a eventual transversalidade presente e futura das suas consequências e efeitos. 2 - Por todo o lado se fala de riscos de recessão na União Europeia. No entanto, a Senhora Merkel e o seu espelho francês, mais preocupados com o seu eleitorado do que propriamente com a União Europeia e seus cidadãos, não reagem aos sinais de um modelo político e económico que depois do lucro fácil e rápido, traz atrás de si desigualdades sociais difíceis de estancar, e os Estados, preocupados em concretizar teorias económicas e de finanças públicas que aprenderam nos livros da Universidade, cavam a própria sepultura, esquecendo que com isso levam consigo a população de um país. 3 - Em Portugal só se fala em

QUINTINHAS PREÇOS INCRIVEIS

Quintinha com casa em pedra pronta habitar, 5.000m2 de terreno. Preço: 105.000€ Quintinha com casa nova 12.000m2 de terreno, água de mina. Preço: 125.000€ Quintinha com dependência agrícola em pedra, água de mina, 8.000m2 de terreno. Preço: 40.000€ Sociedade de Mediação Imobiliária, Lda. Tel. 255 425 389 – 963320174 - 963320173 Lic. 3757 AMI www.milares.com

Directora: Mª José Cunha Colaboradores: A. Magalhães, António Patrício, Carlos Carvalho, Costa Neves, Gabriel Carvalho, Hermínia Mendes, Hernâni Carneiro, Maria Rosa Pinto da Cunha, Mário Fernandes, Paulo Teixeira.net, João Pereira da Silva, Simão Marinho, Sónia Bastos, Raquel Marinho, Telma Pinto Ferreira Design e Paginação: Maria José Cunha Secretariado: Maria José Cunha Administração/Redacção/Departamento Comercial: Largo de S.Pedro, 2ºC, Apartado 75 - 4600-036 Amarante, Tels.: 255 432 301/255 432 313/ 255 432914 Registos: Ministério da Justiça/Instituto de Comunicação Social - 106941| Depósito Legal: 135757/99 Pessoa Colectiva: 500 886 644 Depósito Legal: 135757/99 Pessoa Colectiva Nº 500 886 644 Gerência: Joaquim José F. Machado, Eduardo Oliveira Pinheiro (detentor de mais de 10% do Capital) Tels.: 255 432 301/255 432 313/ 255 432 914

Preço de Assinatura Continente 30,00 Euros | Estrangeiro 50,00 Euros

Porte Pago Avença – 4600 Amarante


O Jornal de Amarante Quinta-feira, 08 de Setembro 2011 | 3

ACTUALIDADE

No âmbito da criação do núcleo de fotografia “Filipe Patrício-Minutos Contados”,

Primeiro projeto a solo Museu Amadeo de Souza-Cardoso do músico amarantino mostra fotos de Eduardo Teixeira Pinto A família de Eduardo Teixeira Pinto ofereceu, recentemente, ao Museu Amadeo de Souza-Cardoso, 13 fotografias daquele profissional, as quais vão integrar a exposição permanente do núcleo de fotografia, a criar no primeiro piso daquele equipamento cultural. Dotado de espaços para pintura e escultura, o Museu Amadeo de SouzaCardoso oferecerá, em breve, mais uma área de expressão artística – a fotografia -, e cumprirá, também, um dos pressupostos da sua criação: o de relevar o trabalho de amarantinos cujo talento e curriculum na área da criação artística os distingue. Entre as imagens oferecidas ao Município contam-se “Os meninos do peão”, “Manhã de névoa” e “Pescador e lavadeiras”, de algum modo ilustrativas das temáticas por que se interessou o fotógrafo: o rio Tâmega, as gentes (onde predominam as crianças e os velhos), as paisagens e as festas.

Recentemente, com o patrocínio da empresa Mota Engil, foi editado um álbum ilustrativo do trabalho de Eduardo Teixeira Pinto, que contém também testemunhos de alguns dos seus amigos e admiradores, casos

de Eduardo Gageiro, Augusto Barros, Gracinda Castelo Branco e Eulália Macedo. Eduardo Teixeira Pinto faleceu em 2009, com 76 anos, e foi um dos mais premiados fotógrafos portugueses do século XX.

Senhor Assinante, aproveite a ocasião das férias e venha-nos visitar. Assim sendo, poderiam regularizar a sua assinatura, visto que temos bastantes encargos postais e queremos continuar a cumprir a nossa missão de vos informar.

É já no próximo dia 16 de setembro, pelas 21:30h, que se realiza o concerto de apresentação do single, ao vivo, no Centro Cultural de Amarante. Ao Jornal de Amarante, Filipe Patrício disse que conta “com a presença de todos que apreciam música portuguesa, esperando que seja uma noite agradável e divertida para toda a gente que vai assistir e para nos músicos em especial. Tudo farei para que isso aconteça. Quem não conhece o meu trabalho musical, aqui fica o convite pessoal para estarem presentes e desfrutarem da minha sonoridade”. E revelou-nos que para além da venda dos CD e da sessão de autógrafos, também poderemos contar com um projeto de outros músicos que farão a primeira parte do espetáculo, existindo também outras agradáveis surpresas. Filipe José da Silva Patrício, nasceu a 30 de Agosto de 1985 na cidade do Porto, viveu a infância e parte da juventude em Amarante. Licenciou-se recentemente em Engenharia civil, mas o gosto pela música nasceu

cedo e ameaça ficar. Começou a tocar guitarra aos 12 anos, o que o motivou a criar a banda “Burnout” durante o ano 2000, da qual foi guitarrista e vocalista. Continuando o seu percurso na música, evoluiu na composição de letras e instrumentais, aperfeiçoando a guitarra e o baixo. Em 2008 integrou a banda “Submundo” como baixista e um ano mais tarde como baterista. Participou, com as bandas a que pertenceu, em inúmeros concertos, festivais académicos e concursos de música, atuando no mesmo palco com bandas do panorama nacional. Em 2010, iniciou um projeto a solo com músicos amigos que até então o acompanharam no seu percurso musical, começando a compor músicas da sua autoria, onde destaca sempre as músicas em português. O lançamento do seu primeiro single foi em 2011, na vertente de pop/rock, intitulado Filipe Patrício – Minutos Contados, esperando ser este um ano de afirmação do seu trabalho musical.

VENDE-SE Lavandaria Golfinho no edifício golfinho na avª general vitorino laranjeira contacto: mªAmparo 255433397 ou 934257364


4 | O Jornal de Amarante

ACTUALIDADE

Rota do Românico em Congresso a 28, 29 e 30 de Setembro O Presidente da Câmara Municipal de Amarante considera que o I Congresso Internacional da Rota do Românico “será um momento muito forte de afirmação regional”. Definindo o evento como “histórico, que obriga à investigação”, Armindo Abreu salienta que ele “permitir-nos-á um regresso às origens, procurandose que sejamos pessoas mais cultas e, logo, mais livres”. “Por outro lado, refere, dar-nos-á a oportunidade de projectar no exterior a imagem da região, divulgando-a e atraindo públicos que possam ajudar ao crescimento económico”. O I Congresso Internacional da Rota do Românico terá lugar em Lousada nos dias 28, 29 e 30 de Setembro e terá como intervenientes especialistas nacionais e estrangeiros que abordarão temas como: “Românico e Território”; “Conservação e Salvaguarda do Património”; “Artes do Românico”; Touring Cultural – Boas Práticas; “Touring Cultural – Património” e “Património, Turismo e Economia”.

Entre os objectivos do evento contam-se os de “Promover o Património como um recurso insubstituível e propulsor de dinâmicas locais, regionais e nacionais; Proteger e valorizar o Património enquanto paradigma central da estratégia de desenvolvimento do território; Apresentar o Património de matriz românica como um exemplo magistral de identidade cultural e territorial; Fortalecer a atuação da Rota do Românico, constituindo-se como factor de coesão social e alavanca do desenvolvimento integrado do Tâmega e Sousa; Fomentar o desenvolvimento aliando-o ao reforço da atractividade turística da região, assente na dinamização de um produto, capaz de assumir um papel de excelência no âmbito do touring cultural e paisagístico; Incitar a uma de alargada discussão e reflexão, de carácter multidisciplinar, dedicadas ao Património e ao seu papel no desenvolvimento e promoção dos territórios”. Em texto contextualizador do

Congresso, escreve-se: “Um território materializa a lembrança de um acontecimento. As suas marcas identitárias, expressas em criações e formas de apropriação do espaço pelo Homem, são reveladoras dos valores, modos de vida e experiências das comunidades que o construíram, habitaram e vivenciaram. Vestígio de uma memória colectiva e de uma identidade, o Património afirma-se como um recurso insubstituível e propulsor de dinâmicas locais, regionais e nacionais. A sua protecção, valorização e uso, seja com objectivos sociais, científicos ou didácticos, perfilam-se como paradigma central das estratégias de desenvolvimento do território. O Património de matriz românica representa um exemplo magistral de identidade cultural e territorial. Modelo artístico associado à génese da Europa, o Românico assume significado maior no território do Tâmega e Sousa ao estar intimamente

ligado às gentes e famílias que protagonizaram a fundação da Nacionalidade portuguesa. A conservação e promoção deste importante legado patrimonial tem norteado a actuação da Rota do Românico, procurando esta, numa missão mais ampla, constituir-se como factor de coesão social e alavanca do desenvolvimento integrado do Tâmega e Sousa. Um desenvolvimento que não se pode dissociar do reforço da atractividade turística da região, assente na dinamização de um produto, a Rota do Românico, capaz de assumir um papel de excelência no âmbito do touring cultural e paisagístico. Ao considerar fundamental a investigação, o debate e a disseminação de conhecimento, a Rota do Românico pretende que este I Congresso Internacional do Românico constitua um momento de alargada discussão e reflexão, de caráter multidisciplinar, dedicado ao Património e ao seu papel no desenvolvimento e promoção dos territórios”.

Amarante na Rota do Românico O Município de Amarante integra a “Rota do Românico” desde 12 de Março de 2010, data em que formalizou a sua adesão, em cerimónia que decorreu no Mosteiro de Travanca. Para além daquele mosteiro, foram seleccionados para integrar a Rota mais nove exemplares: o Mosteiro de Freixo de Baixo, as Igrejas de Gatão, de Gondar, de Jazente, de Lufrei, de Mancelos e de Telões, o Paço de D. Loba e a Ponte e Cruzeiro de Fundo de Rua, em Aboadela. Alargada ao Baixo Tâmega, fazem também parte da Rota do Românico os concelhos de Baião, Celorico de Basto, Cinfães, Marco de Canaveses e Resende. Informações detalhadas sobre o Congresso podem ser obtidas em www.rotadoromanico.com.

Academia de Dança de Amarante

Ano de Ouro para abertura da Academia de Dança de Amarante

Apenas um resumo de tudo o que se passou em apenas um ano lectivo (2010/2011): De todas as modalidades leccionadas aos 164 alunos durante este mesmo ano, sendo estas, Ballet Clássico, Dança Contemporânea, Dança Jazz, Dança de Salão, Barra no Chão e Ginástica de Manutenção, algumas merecem maior destaque. Na modalidade de Ballet Clássico e no que concerne aos exames realizados pela RAD (Royal Academy of Dance), das 62 alunas (do Primary ao Advanced Foudation) que realizaram estes mesmos exames, 57 foram avaliadas com a nota máxima (Distinction), sendo que as notas de todas as alunas foram compreendidas entre 71% e 97%.

Tendo em conta que na academia são leccionados todos os graus da RAD (Pré-School 1 e 2, Pré-Primary, Primary, Grau 1, Grau 2, Grau 3, Grau 4, Grau 5, Grau 6, Grau 7, Grau 8 e Advanced Foundation). Na modalidade de Dança de Salão, tendo a equipa de competição apenas 4 pares, 2 destes foram distinguidos com a classificação de Top 1 de Portugal na modalidade de Ballroom, no Ranking da APPDSI (Associação de Professores Profissionais de Dança de Salão Internacional) nos escalões de Juvenil (sub12) e de Adultos (+de 16). De todos os campeonatos a nível nacional temos a apurar os seguintes resultados: 8 primeiros lugares, 8 segundos lugares, 8 terceiros lugares, 4 quartos lugares, 3 quintos

lugares e 2 sextos lugares (resultados afixados na página da dancesportinfo) De elevado destaque foi também o Espectáculo de Dança, danc&arte 5 realizado no Rivoli Teatro Municipal (Porto). Este foi o primeiro espectáculo de dança a ser realizado nesta nobre sala de espectáculos, após a saída deste mesmo espaço do produtor Filipe La Féria. Tendo a produtora do teatro elogiado o espectáculo, referindo estar ao nível de qualidade das produções deste mesmo senhor. Facto que se comprovou com a lotação esgotada, 777 de espectadores unânimes no que tocou a elogios ao produto final, “De nível profissional...”, “Duas horas fantásticas…” ou mesmo “Não sabia que em Amarante era possível fazer algo assim...”. O encerramento do ano foi feito não apenas com o espectáculo final de ano mas também com um inédito nesta cidade, o “1º Workshop da Academia de Dança de Amarante” cujo painel de docentes não poderia ter sido melhor: na vertente de Ballet Clássico, os Professores Roman Vassiliev e Sara Schürmann. Sendo os directores e professores da Professional Ballet School of Porto, Roman para além de bailarino nas melhores companhias de bailado do mundo, foi considerado um dos melhores bailarinos clássi-

cos da Europa. No workshop de Dança Contemporânea e Jazz a Academia contou com a presença do professor Mário Gonçalves que para além dos vários eventos de cobertura televisiva que realizou e do invejável currículo de formação, este professor fez parte parte do elenco da Companhia de Bailado do Norte realizando todas as peças de reportório entre 2000 e 2007. A grande novidade da academia foi a modalidade de Hip-Hop também ministrada neste workshop, presente na Academia esteve o professor Max Oliveira. Membro dos Momentum Crew (sendo este o melhor grupo de Hip-Hop a nível nacional) o professor Max Oliveira, já arrecadou vários títulos mundiais quer individuais, quer por equipa em competições em vários pontos do globo. A última das modalidades a marcar presença neste workshop foi o Tango Argentino. Para esta modalidade a Academia contou com o melhor par presente no país ou não fossem os professores Oscar & Gladys Argentinos de nacionalidade e de sangue, tendo feito várias incursões pela América do Sul a leccionar e a realizar espectáculos, este par estabeleceu-se em Portugal há já alguns anos construindo aquela que pode ser considerada a melhor escola de Tango Argentino do país.

A última das actividades realizada ainda neste ano lectivo na Academia de Dança de Amarante, foi um inédito para a cidade assim como para o país. Pela primeira vez em Portugal tivemos a presença do campeão do mundo de Dança de Salão na vertente de Modern Ballroom (Valsa, Tango, Slowfox, Quickstep e Valsa Vienense). Andrea Ghigiarelli de Itália esteve em Amarante durante 2 dias, a leccionar aos melhores pares de dança de salão do país, que rumaram até a Academia de Dança de Amarante, (alguns fazendo perto de 400km) para receberem a melhor formação que de outra forma só se encontra fora do território nacional. Fica prometida outra visita para breve, em data a anunciar. Em discurso directo: “Muito provavelmente, todas estas actividades passaram despercebidas à maior parte do povo amarantino, porque sem apoios de qualquer tipo (publicitário, subsídios, patrocínios, …) todo o esforço feito durante o ano lectivo foi canalizado directamente para os nossos alunos, quer ao nível de aulas quer ao nível de organização que requer um projecto desta envergadura. Aproveitamos a oportunidade para agradecer a todas as pessoas que de alguma forma nos ajudaram e confiaram no nosso trabalho.” | Rute Gomes & Nuno Paulo |


O Jornal de Amarante Quinta-feira, 08 de Setembro 2011 | 5

ACTUALIDADE

Malhar em Ferro Frio Eu até percebo que se torne enfadonho alguns tipos de considerações, eu diria preocupações, quanto às atitudes de alguns entusiastas das B.T.T., que a qualquer hora do dia, mais frequente nas manhãs de sábado e domingo, utilizam os passeios no sentido descendente nas Ruas Cândido dos Reis, 5 de Outubro e Largo de S. Gonçalo. Há ainda as habilidades daqueles automobilistas que “desconhecendo” o sinal de trânsito proibido, excepto para descargas no Largo de S. Gonçalo e Rua 5 de Outubro, para encurtar caminho, vai de utilizar esta via e é sempre a abrir. Estes comportamentos confrontam-nos com atitudes de quem parece que não há lugar para mais ninguém na Sociedade, e rompe com os limites da lei, da educação e da segurança dos peões, e das inúmeras crianças que normalmente brincam no Largo de S. Gonçalo, enquanto os Pais gozam o espaço da esplanada do Café S. Gonçalo, mas para os mais velhos será sempre o Café BAR. Um Sábado destes, em que se ouvia mais o “linguajar afrancesado”, subia eu a Rua Cândido dos Reis, e naquela curva no passeio, descendente do Largo S. Pedro, mesmo, mesmo na esquina do Santander Totta, só por instinto me colei à parede do edifício, pois um ciclista apressadíssimo passou-me uma tangente daquelas, que só por muita sorte fiquei inteiro. O atleta fez vista grossa, rosnou um palavrão, o passeio era todo seu, e pedalava furioso, estilo gincana, indiferente aos peões que descansadamente utilizavam o seu espaço, pensando muito justamente circular em segurança. A leitura critica destes procedimentos é sempre a mesma:

falta de autoridade, falta de autoridade, que repetiria até à exaustão. Esta questão de abuso frequente não é uma questão menor. Tem a ver também com a educação e o respeito, e aqui neste caso a educação não tem curso, e sem respeito a Sociedade não pode subsistir. Os exemplos mais significativos que toda a gente pode observar, bem sei quantas vezes reprovando tais procedimentos, merece afinal o silêncio e uma completa resignação, que parece que alivia, e sempre aquele queixume amargo, irritado, afinal um mal sem remédio. Têm todos os que utilizam os passeios da nossa cidade um novo desafio, e dentro daquela máxima: TODO O CUIDADO É POUCO. Todas as pessoas que o desejarem tem o direito a praticar desporto. Felizmente que em Amarante há locais que reúnem condições para tal e em segurança. Se no entanto se continuar em não dar solução a estes abusos, não me surpreenderá que as conveniências

se mantenham - atravessar S. Gonçalo para pseudo descargas e trânsito de bicicletas - e cada um opta como lhe dá mais jeito. Falava comigo há dias o Senhor Mário, da Confeitaria, a este propósito, quando chamando a atenção de um sujeito, acompanhado do filho, ambos pedalando na sua bicicleta, para o inconveniente da utilização do passeio, sendo este para os peões, o filho ainda novato olhou, ouvindo a advertência, mas logo o Pai, falando grosso, disse: -Ele não sabe o que diz. Vamos embora. Sinto por vezes estarmos numa encruzilhada: ou chamar a atenção e ouvir inconveniências, ou saltar para a rua e dar passagem aos ciclistas. E é para quem quer e esta a solução de recurso. Talvez a palavra encruzilhada se tenha instalado na nossa cidade, para quem sempre a quer diferente, melhor, funcional e culta. Sei que são muitos adjectivos, mas Amarante merece de todos nós um respeito muito particular, e especial. Enquanto as leis forem a vontade dos mais fortes, estas não asseguram a tranquilidade, e se nos mantivermos de bico calado, a realidade é para continuar a dar a mão a esta anarquia, para já sem fim à vista, e a patrocinar condutas ridículas, como se estas estivessem fora do alcance das leis. A verdade é que as leis inúteis enfraquecem as leis necessárias já que as leis absurdas a si mesmo se destroem. | Hernâni Carneiro |

Largo de S. Gonçalo, Sábado,organizado pela Associação Portuguesa de Deficientes

“Mini Percurso acessível / com barreiras” A APD (Associação Portuguesa de Deficientes) Amarante tem vindo a desenvolver um conjunto de eventos a nível do concelho no sentido de sensibilizar a população para as inúmeros obstáculos que obstam a uma participação civica plena do cidadão com deficiência. De entre esses impedimentos, os relacionados com a mobilidade, não se circunscrevem apenas ao universo dos deficientes motores e visuais, tornam-se infelizmente bastante mais abrangentes pelo envelhecimento demográfico com que nos confrontamos. Conscientes de que este é um problema que a todos diz respeito, entendeu a APD Amarante organizar um “Mini Percurso acessível / com barreiras”, de

forma a alertar e sensibilizar a população Amarantina, não portadora de deficiência, para questões relacionadas com a mobilidade em cadeira de rodas ou sem recurso à visão. Este evento irá decorrer no Largo de S. Gonçalo, em Amarante, Sábado, 10 de Setembro de 2011, pelas 15 horas. Dada a importância deste acontecimento, pela possibilidade de todos aqueles que o pretenderem poderem realizar o referido percurso, experienciando dessa forma as dificuldades sentidas no dia-a-dia pelas pessoas com necessidades especiais , não podia a APD Amarante deixar de lançar um apelo à população para que nos honre com a sua presença e participação.

APD Amarante inaugura as suas instalções A Associação Portuguesa de Deficientes encetou à cerca de dois anos o seu trabalho a nível do Concelho de Amarante no sentido de vir a atingir uma posição mais consolidada que lhe permita responder de forma mais adequada a um conjunto muito vasto de solicitações por parte de todos aqueles que, no seu dia-a-dia, vivenciam uma situação de deficiencia, bem como às respectivas familias. A Camara Municipal de Amarante, sensivel à necessidade de caminhar-mos para uma sociedade cada vez mais inclusiva e no sentido de proporcionar um local que servisse de sede à nossa organização, entendeu, ceder para esse efeito as instalações sitas no Edificio do Salto. Estas instalações, de relevância iniscutível, tem como principal propósito constituirem-se como um elemento

estruturante de todo o trabalho da Associação no levantamento de situações consideradas criticas, no atendimento e posterior encaminhamento de situações directamente colocadas por todos os utentes e na resposta a todas as situações relativas á defesa dos interesses gerais, individuais e colectivos das pessoas com deficiência. O funcionamento das referidas instalações está previsto para o final do mês de Setembro e será precedido da inauguração do referido local. Para esse acto inaugural, cuja realização irá ocorrer no proximo dia 17 de Setembro, no Centro Pastoral de São Gonçalo, estão convidados todos os municipes. A participação da população é, para nós, uma honra e um gesto de participação civica para uma sociedade cada vez melhor.


6 | O Jornal de Amarante

CLASSIFICADOS

Gatão - Amarante

Sr. Henrique Teixeira AGRADECIMENTO

Sua família vem por este meio, e muito reconhecidamente agradecer a todas as pessoas que participaram no funeral do saudoso extinto ou que, de qualquer outro modo, lhes manifestaram o seu pesar. Agradecem também a todas as pessoas que se dignaram assistir à missa de 7º dia. Pedem desculpa por qualquer falta involuntariamente cometida. Funerárias do Tâmega, Lda: 255424422 | 917643062 | 919449561 | 917502997

ALUGA-SE T1 PARA DUAS MENINAS (OS) NA AVª FERNÃO MAGALHÃES (JUNTO DA PRAÇA VLASQUES) TELM:966859686

Associação Desportiva de Amarante Convocatória Nos termos da alínea A) do Artigo 20º do Estatutos, convoco todos os Associados, no pleno uso dos seus direitos, para reunirem, em Assembleia Geral Ordinária, a realizar pelas 21h30 do dia 15 do mês de Julho, na Sede Social desta Colectividade, sita no antigo parque de campismo, com a seguinte Ordem de Trabalhos: 1. Eleição dos Corpos Gerentes para o Triénio 2011/2014;

2. Discussão de assuntos de interesse da Colectividade. Se à hora marcada não estiver reunido o número suficiente de Associados, esta Assembleia iniciar-se-á meia hora depois com o número de Associados presentes. Amarante, 27 de Junho de 2011 O Presidente da Assembleia Geral António Alcino Norte Simões

 

        ���

Figueiró Santa Cristina

Detidos dois homens na posse de mil doses de heroína A GNR de Amarante deteve em flagrante dois homens, com cerca de 30 anos, que escondiam numa mina abandonada em Figueiró Santa Cristina, mais de mil doses de heroína. Os suspeitos de tráfico de droga, que não ofereceram resistência no momento da detenção, tinham também em seu poder uma pequena quantidade de cocaína, segundo fonte da

GNR. Na mina, situada na freguesia de Santa Cristina Figueiró, em Amarante, foi encontrado material de corte e embalamento da droga e uma balança de precisão. Segundo a fonte policial, os dois homens estavam referenciados pelas autoridades há alguns meses, sendo suspeitos de tráfico de estupefacientes na

região do Vale do Sousa e do Baixo Tâmega. Os suspeitos foram presentes ao tribunal na passada terçafeira, tendo um indivíduo como medida de coação prisão preventiva e foi encaminhado para o estabelecimento prisional de Vila Real, e o outro teve como medida de coação, apresentações semanais no posto da GNR da área de residência.

“Conta-me histórias”. por Gabriel Edgar Gomes

Boas notícias Para quem leu a edição do Jornal de Notícias do dia 06 de Setembro de 2011, constatou que a notícia principal da primeira página era extremamente favorável para a nossa região, particularmente para o nosso concelho, ou, pelo menos, deveria ser. Segundo um estudo realizado, chegou-se à conclusão que os turistas nacionais preferem o Norte, destacando-se a gastronomia, património e simpatia das pessoas. É, sem qualquer tipo de dúvidas uma excelente notícia para o nosso concelho, visto que estamos inseridos numa região, onde o turismo tem sido aposta forte. A região do Douro aparece nos lugares cimeiros, sendo a cidade do Porto a quarta nas preferências, à frente de Lisboa. Tenho notado, é um facto, mais turistas nas ruas de Amarante, mas também constato que Amarante não tem melhorado a imagem para receber esses turistas. Os problemas continuam os mesmos, e não vou novamente proferi-los, visto já o ter feito em tantas outras vezes. Amarante, a reboque do dinamismo de concelhos e áreas limítrofes, vai usufruindo das visitas, aproveitando, o nosso pe-

queno comércio, para aumentar as vendas. Mas assim não o pode continuar a fazer. Urge uma mudança de estratégia, no sentido de criar autonomia empreendedora. O nosso concelho é, por excelência, o concelho mais rico e mais completo da região. A nível gastronómico tem uma riqueza imensa, destacando a doçaria conventual ligada, parte dela, às clarissas que por cá passaram, e que agora o que resta do seu convento, não passa de um amontoado de pedras. Quanto ao património, a riqueza é inigualável. Um vasto espólio românico, onde só doze anos depois entramos para a Rota do referido estilo arquitectónico, contrasta com um não menos importante legado barroco, que embeleza de forma única o centro da nossa bela cidade de Amarante. As serras do Marão e Aboboreira, os rios que nascem ou atravessam o concelho. Enfim, tantas, mas tantas razões para visitar Amarante, e para publicitar, da melhor forma, a nossa terra, com vista a aumentar o número de quem nos visita. O turismo tem sido a alavanca para muitos concelhos, e tem que ser, mais ainda, para o nosso. Amarante tem que se embelezar e engalanar para os

visitantes. Recuperar o nosso património, compor e renovar as nossas ruas e as fachadas, combater a poluição do rio, bem como o cheiro nauseabundo por ele, e pelos esgotos, libertado. Mais do que nunca, e em tempos de crise que assola o país, é importante catapultar Amarante. Aproveitar a proximidade do grande Porto, a proximidade do rio Douro, e preparar não só a cidade, mas também todo o concelho, criando estruturas, rotas e estratégias para bem receber as pessoas que visitam a nossa terra.. Este é o tempo de Amarante voltar a ser aquilo que foi noutras épocas. É tempo de reeditar a velha Princesa do Tâmega.

Facebook/ninajoias Rua 5 de Outubro, nº 74 Telef: 255 432315 – ninajoias@sapo.pt - AMARANTE


O Jornal de Amarante Quinta-feira, 08 de Setembro 2011 | 7

CLASSIFICADOS

Cartório Notarial de Amarante A cargo da Licenciada OLGA MARIA DE CARVALHO SAMÕES, Notária com o arquivo do extinto Cartório Público. Faço saber para efeitos de publicação na imprensa local, que neste Cartório, no livro 267 a folhas 7 e seguintes, se encontra uma escritura de JUSTIFICAÇÃO de vinte e nove de Agosto de dois mil e onze, em que: JOAQUIM DE OLIVEIRA RIBEIRO, NIF.166.803.464, e esposa MARIA MANUELA TEIXEIRA ALVES, NIF.165.161.248, casados sob o regime da comunhão geral de bens, ambos naturais da freguesia de Jazente, concelho de Ama-rante, onde residem no lugar da Ribeira. DECLARARAM: Que são donos e legítimos possuidores, com exclusão de outrem, do seguinte imóvel, no valor atribuído igual ao valor patrimonial de CINCO MIL, SETECENTOS E SETENTA E TRÊS EUROS E NOVENTA E SETE CÊNTIMOS: Prédio urbano, destinado a habitação composto de prédio de rés-do-chão e andar, com a superfície coberta de oitenta e quatro metros quadrados, sito em Taipa, freguesia de Jazente, concelho de Amarante, a confrontar de Norte com António de Oliveira de Sul, Nascente e Poente, com proprietário, omisso na Conservató-ria do Registo Predial de Amarante, inscrito na matriz em nome do justificante marido sob o artigo 209, com o valor patrimonial de 5.773,97€. Que no ano de mil novecentos e setenta e um, em dia e mês que não podem precisar, compraram verbalmente o citado prédio, a Maria dos Prazeres Carvalhal Lobo da Silveira, viúva, residente na Casa da Cerca em Amarante, compra e venda esta que nunca foi reduzida a escrito. Que, no entanto, e desde essa data, nele vêm praticando todos os actos conducentes ao aproveitamento de todas as suas utilida-des, ocupando-o segundos os seus destinos e fins, em proveito próprio, posse que se manteve sem qualquer oposição nem inter-rupção e com o conhecimento de toda a gente, comportando-se os primeiros outorgantes, como possuidores fossem do direito de propriedade plena sobre o referido prédio. Que nestes termos, detêm a posse em nome próprio, pacífica, contínua e pública por mais de vinte anos sobre o dito prédio, pelo que o adquiriram por USUCAPIÃO. Cartório Notarial de Amarante, 29/08/2011 A Notária, a) Olga Maria de Carvalho Samões

2ª Publicação ANÚNCIO ANA PINHEIRO Agente de Execução Cédula 3495 Tribunal Judicial de Amarante Execução Comum - Pagamento de Quantia Certa Proc. N.º 1878/08.5TBAMT 1º Juízo Exequente: Manuel Luís Teixeira Pinto e outros Executado: António Fernando Abreu Martinho e outros Faz-se saber que, nos autos acima identificados, encontrase designado o próximo dia 10 de Outubro de 2011, às 14h00, no Tribunal Judicial de Amarante, para a abertura de propostas que sejam entregues até esse momento na secretaria do Tribunal pelos interessados na compra dos seguintes imóveis: Verba um: Prédio urbano,

composto por fracção autónoma designada pela letra “H”, destinada a comércio, indústria ou serviços, com a área total de 126M2, sito na Av. 25 de Abril – Galerias Plus, freguesia da Madalena, concelho de Amarante, inscrito na matriz sob o artigo 681 fracção H e descrito na Conservatória do Registo Predial de Amarante pelo n.º 438/950102 – H - Madalena. Valor base: €225.000,00 Serão aceites as propostas de valor igual ou superior a €157.500,00, correspondente a 70% do valor base. Verba dois: Prédio urbano, composto por fracção autónoma designada pela letra “O”, destinada a habitação, tipo T3 com a área total de 240.50M2, sito na Av. 25 de Abril, freguesia da Madalena, concelho de Amarante, inscrito na matriz sob o artigo 334 fracção O e descrito na Conservatória do

Registo Predial de Amarante pelo n.º 187/19890406- O- Madalena. Valor base: €250.000,00 Serão aceites as propostas de valor igual ou superior a €175.000,00, correspondente a 70% do valor base. Só serão aceites as propostas que acompanhem cheque visado no valor de 20% do valor base à ordem da agente de execução, bem como, para o caso dos proponentes não se encontrarem presentes no dia da abertura, cópia do bilhete de identidade ou de cartão de identificação de pessoa colectiva. É fiel depositário que o deve mostrar a pedido, o executado António Fernando Abreu Martinho, residente na Av. 25 de Abril, n.º 71, 5º andar, Madalena, Amarante. A Agente de Execução, Ana Pinheiro

Com base em Regulamento Municipal

Apoio ao associativismo desportivo: candidaturas decorrem até 15 de Outubro

Iniciou-se em 1 de Setembro e decorre até 15 de Outubro o período para a apresentação de candidaturas a apoios ao associativismo desportivo por parte do Município de Amarante. As candidaturas devem ser apresentadas em ficha própria e de acordo com o previsto no “Regulamento de Apoio ao Associativismo Desportivo”, em vigor desde o passado mês de

Junho. Ambos os documentos podem ser consultados e descarregados no sítio do Município na Internet, em www.cm-amarante.pt, devendo as candidaturas ser entregues na Divisão de Juventude e Desporto, à Casa da Portela, ou enviadas para os contactos indicados no Regulamento.

Convocatória Plenário PSD Amarante Ao abrigo dos Estatutos Nacionais do PSD, convoca-se a Assembleia de Secção de Amarante, para reunir no próximo dia 16 de Setembro de 2011 (Sexta-feira), pelas 21h na sede do PSD Amarante, sita no Edifício do Salto, com a seguinte ordem de trabalhos: 1-Análise da situação política; 2-Outros assuntos.

Lomba – Amarante

Sr. António Saraiva Fonseca AGRADECIMENTO

Sua família vem por este meio, e muito reconhecidamente agradecer a todas as pessoas que participaram no funeral do saudoso extinto ou que, de qualquer outro modo, lhes manifestaram o seu pesar. Agradecem também a todas as pessoas que se dignaram assistir à missa de 7º dia. Pedem desculpa por qualquer falta involuntariamente cometida. Agência Funerária S. Pedro - 255432496 | 917534643 | 917578908

Este espaço pode ser seu! Anuncie no Jornal de Amarante


8 | O Jornal de Amarante

Cons(c)elhos saudáveis por Abel Afonso, Militante do PSD

Putativo Candidato Um putativo candidato é alguém predisposto a assumir uma qualquer candidatura supostamente pela sua mais-valia; ora, alguém, presidente de uma qualquer comissão Politica Concelhia que à distancia de dois anos e meio de eleições se auto elege como candidato, comete vários erros estratégicos e o principal é não abrir no partido o debate politico e muito menos à sociedade civil, ou seja, encerra-se o ciclo da discussão e da reflexão antes de o iniciar. Que belo exemplo de democracia! Em paralelo, há cerca de quinze dias, Narciso Miranda surgiu na imprensa a citar o Dr. Luís Filipe Menezes como o candidato natural do PSD ao Porto (o que eu também concordo) e teve como resposta que, dois anos, em política, são uma eternidade e na política como na vida as decisões são tomadas a seu tempo, após a devida ponderação, sempre fruto, da escolha

natural e não como imposição em consequência da ocupação de cargos efémeros. A democracia prescreve um ideal e exalta os valores intelectuais e morais, próprios da longa evolução do homem no seu todo e também como politico. Constrói-se em Amarante uma democracia com a cultura da indiferença e do silêncio. O caminho do silêncio porque quem cala consente! ? Ou o da indiferença porque quem de nós discorda não conta, não presta, passa a inimigo? Teremos, então, por esta via a chamada democracia fictícia. Em 2013, ano de eleições autárquicas, o mais provável é que o Governo esteja no auge da contestação social, fruto das muitas restrições em todas as áreas da sociedade que o governo está obrigado a impor, para dar cumprimento aos acordos feitos com a TROIKA (PS incluído), ora como a história se repete é bem provável que

essa contestação à semelhança do Governo do Engenheiro Guterres se reflicta nas eleições autárquicas, o que, sendo assim, se adivinham enormes dificuldades para as candidaturas PSD. A propósito do PSD local, por onde tem andado? Hibernou? Desapareceu na bruma? Que debates tem feito? Que propostas tem apresentado? Ou se as tem continuam em blackout pois eu, como cidadão informado e atento, não tenho conhecimento. Sussurra-se que há vários meses a Comissão Politica não reúne. Será? Esporadicamente vou às reuniões da Assembleia Municipal e confesso, talvez porque agora estou na condição de público, que é urgente melhorar as condições físicas para um melhor acondicionamento da plateia, particularmente, a assistência visto que não há espaço nem de pé nem sentado. Por que não começar por aqui para dig-

nificar um órgão tão importante para a Democracia, considerado o centro do debate e discussão política, órgão fiscalizador do poder executivo e autêntica escola nesta arte e ciência que é a politica. Reunir, a título de exemplo, no anfiteatro Teixeira de Pascoaes ou no auditório da Casa da Cultura, dignificando deste modo todos os constituintes da Assembleia Municipal. Tem-se debatido muito sobre a taxa social única (TSU), discussão iniciada no período préeleitoral, das recentes eleições legislativas e que se mantém. Não sou apoiante desta medida, dita estimulante da competitividade económica das empresas, particularmente das exportadoras; a sua aplicação levaria ao emagrecimento das receitas do serviço da segurança social (reformas, subsídio de desemprego, …), ora este prejuízo da Segurança Social seria compensado pelo aumento do

IVA, com reflexos directos nas classes mais desfavorecidas e beneficio das grandes empresas, as únicas visadas por esta medida; afinal que equidade é esta quando só poucos lucram e quase todos perdem. E, então, como apoiar as tão faladas (durante a campanha eleitoral) pequenas e médias empresas? Essas sim, pilares importantes, para o crescimento da débil economia portuguesa e para o emprego. Não estará a faltar objectividade e clareza na explicação destas e de outras medidas?

Juventude Socialista de Amarante, por Gabriel Carvalho

Escrutínio da actividade governativa

Nós, intervenientes políticos, recorremos insistentemente à necessidade de participação activa dos cidadãos na vida pública, já que a todos diz respeito e interessa, resultando numa gestão do bem comum melho-

rada e próxima. Mais uma vez o faço, acreditando verdadeiramente nos benefícios da cidadania activa, e nos ganhos que as comunidades de freguesia, de concelho, de região e nacional, a que todos pertencemos, teriam com essa mesma participação. Falando de cidadania, e de atenção às opções políticas nas diferentes esferas governativas importa, dada a relevância na actualidade das opções do Governo português, alertar para os erros que estão a ser cometidos diariamente por este e às acções diametralmente opostas ao anunciado em campanha eleitoral. Refiro-me às nomeações feitas na Administração da Caixa Geral de Depósitos, após a op-

ção política do Governo PSDCDS, aumentando o número de lugares nessa mesma Administração, liderada por Faria de Oliveira, recentemente renomeado por este mesmo Governo. O jogo de palavras pode por vezes alterar a percepção, no entanto não altera factos. Ainda relativamente ao prometido em campanha eleitoral, e à acção governativa posterior, oposta, não posso deixar de denunciar o brutal aumento de impostos, seja o imposto extraordinário no subsídio de Natal, no IVA de electricidade e gás, e até nos escalões de IRS dos rendimentos mais elevados - num exercício governativo de certa demagogia, uma vez que é pouco relevante, em termos líquidos, e não vai aos rendimen-

tos de capital, de bens móveis, ou de bens patrimoniais, se quisermos falar em justiça social. Do lado da despesa nada se vê. É portanto um enorme ataque às classes mais desfavorecidas, à classe média, e dentro destas aos trabalhadores. Depois de uma campanha eleitoral, e antes ainda, na justificação à rejeição do PEC IV, que levou a todos a eleições antecipadas, em que era pedido mais do lado da despesa, nomeadamente nos consumos intermédios (o que quer que isso seja), vislumbra-se um corte sem precedentes nas funções sociais de saúde, educação e solidariedade social do Estado, confundindo assim o que é despesa, com o dogmatismo ideológico, e quase experiencialista,

dos partidos que nos governam, sem qualquer sensibilidade ou adesão à realidade. Há ainda os fait-divers que fazem a espuma dos dias, invariavelmente lançados pelos mesmos, com funções mais próximas do entretenimento, como aquele que assistimos recentemente com história das 687 facturas por pagar do Instituto do Desporto de Portugal, que afinal são 40, e que ainda não foram pagas porque aguardam resultado de auditoria. São fait-divers e são também tempo e espaço consumido em televisões, rádios e jornais, que constituem matéria da mais baixa política, ocupando tempo e espaço para o escrutínio da acção governamental efectiva.

Este espaço pode ser seu! Anuncie no Jornal de Amarante


O Jornal de Amarante Quinta-feira, 08 de Setembro 2011 | 9

DESPORTO por Mário Fernandes

2ª DIVISÃO NACIONAL

Amarante, 0 – S. João Ver, 1

Amarantinos com entram com o pé esquerdo 3ª DIVISÃO NACIONAL

Vila Meã, 3 – Sousense, 4 Emoção até ao final da partida

Jogo no Estádio Municipal do Marco de Canavezes, com arbitragem de Hélder Lamas da AF do Porto Vila Meã: Torcato, Magalhães, Sidon (Mesquita, 31), Miguel e Pinheiro, Daniel, Lemos, Mauro, Márcio Alves (Nelson, 63), Faduley e Pedrinho (Nuno, 73) Treinador: Manuel Monteiro Sousense: Ricardo, Daniel, Bruno, Salvador e Pires, Paulo Freixo (Telmo, 89), Cláudio (Marcos, 58), Paulinho, Zé Augusto, Norinho e Chico (Filipe, 68) Treinador: Guilherme Baldaia

Jogo no Estádio Municipal de Amarante, com arbitragem de Sílvio Gouveia da AF de Bragança, auxiliado por Carlos Meco e Paulo Gonçalves Amarante: Celso, Tiago Silva, César, Rochinha e Bispo (Miguel, 62), André Pires (Diogo Peixoto, 74), Tiago Martins, Nelson Campos, Bruno Teixeira, Diogo Lamelas e Marcos Treinador: Arlindo Gomes S. J. Ver: Nuno, Márcio, Xavier, Cancela e Bino, Batista, Ruben Gomes (João Marques, 90), Machadinho (Zé Tó, 60), Fredy, Américo e Afonso (Chapinha, 45) Treinador: Francisco Batista Ao intervalo: 0 – 1 Golos: Ruben Gomes (5) Amarelos: Bino (28), Américo (33 e 57), Diogo Lamelas (48 e 77), Bispo (54), Zé Tó (66), Marcos (85), Nuno (91) e Márcio (94) Vermelhos: Bino (43), Américo (57) e Diogo Lamelas (77) O Amarante não começou da melhor maneira a sua participação no nacional da segunda divisão ao ter recebido e perdido a formação do S. João de Ver por uma bola a zero, apesar de ter começado bem a partida e ter criado algumas dificuldades para a formação visitante, só que aos cincos minutos Ruben Gomes aproveitou uma escorregadela de Tiago Silva, para aparecer diante de Celso, que hesitou na saída para inaugurar o marcador e conquistar os três pontos. O Amarante sen-

tiu o golo e demorou a reagir, denotando algum nervosismo no último passe. O Amarante criou algum perigo à passagem do minuto dezanove, quando Diogo Lamelas pela direita foi à linha de fundo e centrou para a área e Marcos em boa posição a não conseguir chegar em condições à bola e a não conseguir emendar para o fundo da baliza. 0 Amarante sempre que acelerava criava muito perigo para a baliza de Nuno que via a sua defensiva impotente para travar os avançados amarantinos. O S.J. de Ver poucas vezes importunava a defensiva amarantina, e Ruben Gomes em velocidade conseguiu ultrapassar a defensiva amarantina e cara a cara com Celso não foi capaz de fazer o segundo golo, já que Celso opôs de forma superior. Mesmo em cima do intervalo, Marcos foi travado na grande área dos visitantes, com o árbitro a assinalar grande penalidade e a mostrar o segundo amarelo ao defesa esquerdo Bino, tendo recebido a respectiva ordem de expulsão, e na transformação do castigo máximo, Bruno Teixeira viu o guarda-redes Nuno evitar o empate. O resultado ao intervalo era penalizador para a formação amarantina, que merecia pelo menos o empate. Na segunda parte a equipa do S.J. Ver abdicou do ataque, já que actuava com menos uma unidade, e viria a ficar reduzido a nove elementos com a

expulsão de Américo por acumulação de amarelos, abdicando praticamente de atacar, fechando-se bem na defesa, não dando espaços para que as avançados amarantinos pudessem criar jogadas de perigo para a sua baliza. O Amarante com mais homens no terreno não conseguiam entrar na defensiva contrária, e mesmo nos lances de bola parada não conseguiam chegar ao golo. Com o avançar do tempo de jogo, e com as alterações introduzidas pelo técnico amarantino, os amarantinos não conseguiam os seus intentos. O Amarante viria também Diogo Lamelas a ver o segundo amarelo numa disputa de bola na área contrária em que caiu, o que levou o árbitro a entender que o jogador amarantino simulou penalti. Os jogadores do Amarante viamse impotentes e começaram a jogar mais com o coração do que a cabeça, denotando enorme ansiedade pelo golo e algo trapalhões na finalização das jogadas, e na procura do colega melhor colocado para receber o passe, e só por uma vez estiveram mesmo perto do empate, mas a sorte, e a actuação de Nuno impediram que o Amarante chegasse ao empate. O resultado final penaliza a falta de pontaria dos avançados amarantinos e premeia a organização defensiva do S.J Ver, numa partida em que a equipa de arbitragem realizou um trabalho razoável.

Ao intervalo: 2 – 3 Golos: Zé Augusto (4), Mauro (7), Paulinho (14 e 64, gp), Chico (20), Pedrinho (33) e Lemos (91) Vila Meã e Sousense proporcionaram um bom espectáculo de futebol, com emoção e golos e incerteza no resultado final. Começou melhor o Sousense que inauguraria o marcador logo aos 4’ de jogo. Volvidos apenas três minutos o Vila Meã chegaria à igualdade. O Sou-

sense mais pressionante no meio campo dominava a partida e quase em cima do quarto de hora chegaria novamente à vantagem, e elevaria o marcador aos vinte minutos para 1 – 3. O Vila Meã reagiria e paulatinamente foi controlando o jogo, já que o Sousense descansou com a vantagem alcançada, e reduziria a desvantagem aos trinta e três minutos, fixando assim o resultado no final do primeiro tempo. A segunda parte trouxe um Vila Meã inconformado com o resultado, e a pressionar mais o último reduto visitante, só que num, lance de contra – ataque Torcato fez falta para grande penalidade, o que lhe valeu o vermelho directo, o Sousense fez o 2 – 4. Com menos um elemento em campo o Vila Meã não entregou o jogo, e lutou até ao final da partida, logrando chegar ao terceiro golo no primeiro minuto da compensação, só que já não foi a tempo de conseguir chegarão empate. Boa partida de futebol, com um vencedor justo, numa partida em que o trabalho do árbitro se pode considerar no global como positivo.


10 | O Jornal de Amarante

José Pedro Faria

Lesão limitou prestação na Taça Mojo José Pedro Faria participou no passado fim-de-semana, dias 3 e 4 de Setembro, no circuito minhoto de Viana do Castelo na Taça Mojo, competição esta que reúne os pilotos ibéricos cujos vencedores garantem a sua inscrição nas Finais Mundiais da Rotax, este ano a disputarem-se no Dubai, no fim do mês de Novembro, sendo que, o jovem piloto alcançou o 3º lugar na categoria Max, prestação esta limitada devido à sua lesão na zona das costelas. Durante os dias de sexta-feira e sábado que antecederam a prova, foi muito diminuta a sua participação nos treinos livres, de forma a não arriscar a um possível agravamento da sua lesão, uma vez que, a área do tórax é uma área muito sensível e exposta às forças necessárias a aplicar neste desporto. Domingo, dia reservado para o apuramento dos vencedores, no warm-up foi o piloto mais rápido na sua categoria. Nos treinos cronometrados obteve

o segundo melhor tempo, a escassas milésimas da pole-position. Na Manga de Qualificação obteve o terceiro lugar, na PréFinal foi segundo e na corrida Final do dia foi o terceiro a ver a bandeira axadrezada. José Pedro Faria não teve a “estrelinha” da sorte a seu lado, pois a lesão impediu-o de lutar pelas vitórias, embora ciente dos seus adversários se mostrarem muito fortes e competitivos. “Estou triste por não ter conseguido apresentar-me aqui em Viana do Castelo fisicamente em boa forma”, começou por comentar o jovem piloto. “Estive sempre limitado na minha prestação para evitar que a lesão piorasse. A minha subida ao pódio dedico-a à minha equipa QZ Racing Team e, em especial, ao meu mecânico José Santos, pelo enorme esforço que todos fizeram ao longo do fim-de-semana para me proporcionarem as melhores condições possíveis. Tenho pena de não poder

retribuir todo esse trabalho não tendo conseguido alcançar o meu objectivo: que era o de ganhar”. Devido à sua lesão, o piloto cancelou a sua participação na quarta e última prova do Cam-

Cinema Teixeira de Pascoaes 6ªs feiras às 21:30 Telefone: 255 431 084 Programação de Setembro Dia 16 O Castor Título original:The Beaver De:Jodie Foster Com:Mel Gibson, Jodie Foster, Anton Yelchin, Jennifer Lawrence Género:Drama, Comédia Classificação:M/12 EUA, 2010, Cores, 89 min Estreia nacional: 16 de Junho de 2011 Walter Black (Mel Gibson) é um homem cuja depressão tomou conta da sua vida. Sem saber mais o que fazer para o ajudar, e temendo que aquela prostração prejudique o crescimento dos filhos de ambos, Meredith (Jodie Foster), a sua mulher, decide optar pelo divórcio. É então que, quando está prestes a sucumbir, Walter encontra um castor-fantoche. A partir daquele dia, o boneco começa a fazer parte do seu dia-a-dia e Walter, usando-o como seu alter-ego, começa a comunicar de novo com o mundo, desta vez pela “boca” do seu amigo imaginário. No entanto, apesar desta estratégia o fazer sentir melhor e mais próximo daqueles que ama, parece que esta nova versão de si cria novos entraves às suas relações. Desta maneira, para recuperar totalmente a sua vida e a sua personalidade, ele terá de dar um novo passo em frente e abandonar o seu amigo. Mas isso parece deixá-lo de novo à deriva... Uma história dramática, realizada por Jodie Foster, vinte anos depois do sucesso

de “Mentes que Brilham”.

Dia 23 Gianni e as Mulheres Título original:Gianni e le Donne De:Gianni di Gregorio Com:Gianni di Gregorio, Valeria de Franciscis Bendoni, Alfonso Santagata Género:Comédia Classificação:M/12 Itália, 2011, Cores, 89 min. Estreia nacional: 14 de Julho de 2011

Gianni (Gianni di Gregorio) já passou dos sessenta e sente que, apesar de a sua vida de reformado girar à volta das mulheres, apenas existe para lhes satisfazer os pequenos caprichos. Um dia, em desabafo com Alfonso (Alfonso Santagata), o seu amigo mais chegado, confessa o quanto lhe custa a sensação de vazio romântico na sua existência. É então que Alfonso lhe lança o desafio: encontrar uma amante e acordar para a vida nos braços de uma bela mulher. Três anos depois do sucesso de “Almoço de 15 de Agosto”, o realizador e argumentista Gianni di Gregorio regressa com mais uma comédia mordaz sobre os homens, as mulheres e a sabedoria do envelhecimento. PÚBLICO

peonato Europeu da Rotax, a decorrer durante a presente semana em França, tendo já começado a fazer fisioterapia para que a sua recuperação seja a melhor possível e se possa apresentar, já recuperado, no

Campeonato Nacional no Bombarral, nos dias 24 e 25 de Setembro, onde irá lutar pelo título de Campeão Nacional, uma vez que se encontra em segundo lugar e a escassos pontos do actual líder.

Senhor Assinante regularize por favor a sua assinatura

Agenda de 23 de Julho até 11 de Setembro Museu Municipal Amadeo de Souza-Cardoso Salão de Jovem Criação Europeia Espaços de Exposições Temporárias do Museu de Amadeo de SouzaCardoso. Casa da Calçada Exposição itinerante de fotografia “OS ROSTOS DA VINHA” por Patrícia de Magalhães Patente ao público de 1 a 30 de Setembro de 2011. 17 de Setembro até 7 de Outubro Biblioteca Municipal Albano Sardoeira Exposição de Pintura de Helena de Medeiros «Dust»

“ Qualquer dia vou fazer-me Sócio do Amarante F.C. Será hoje? “ Ajude o AFC.”

a DIABETES é a principal causa de cegueira no Mundo. Saiba mais em www.chtamegasousa.pt


JA nº.1633