Issuu on Google+

Autorizado a Circular em envelope Plastificado

O JORNAL AMARANTE de

PORTUGAL

J. P .P. AMARANTE TAXA PAGA

ÉIRRESISTÍVEIS! TEMPO dE FÉRIAS Tenerife | OpEraDO pOr SOLTOUr partida do porto a 5 de Set. ’11 7 noites | Meia pensão

desde:

Inclui: avião + Hotel La Carabela |3 estrelas + transfers + taxas de aeroporto (€ 40) e suplemento de combustível (€ 25) + Seguro de Viagem.

POrTO SAnTO

desde:

partidas de Lisboa e porto a 25 ago. e a 8 Set.’11 7 noites | apa

Inclui: avião + transfers + Hotel praia Dourada + taxas de aeroporto, segurança e combustível (€ 93) + Seguro Multiviagens

DIRECTORA: Mª JOSÉ CUNHA

481,50

por pessoa em duplo

487

por pessoa em duplo

Exclui: Despesa de reserva (€29 por processo e não por pessoa) + suplementos; lugares limitados; taxas sujeitas a alteração; sujeito às nossas condições gerais. CONSULTE-NOS.

RNAVT 1702

Rua Cândido dos Reis, 222 | 4600-055 AMARANTE Email: amarante@abreu.pt - Tel.: 255410100 - Fax: 255410109

ABERTO à hORA dE ALMOÇO

Quinta-feira, 25 de Agosto 2011 | Nº 1631| Ano 32 | euro 0.80

Banda Musical de Amarante

Covelo do Monte - Aboadela Habitat recupera habitação

IV Estágio de Verão e Curso de Aperfeiçoamento de Sopros e Percussão


2| O Jornal de Amarante

Espelho de Água por A. Magalhães

O turbilhão Dos anos que tenho, nunca vi um turbilhão assim a encapelar as águas do mar capitalista. No momento em que escrevo estou a ouvir as notícias da sarabanda frenética em que andam os governantes dos quatro ou cinco paises mais importantes do sistema capitalista. Obama, Merkel, Sarkozy, Berlusconi, outros mais, regressam de férias apressadamente, marcam reuniões urgentes, convocam os sábios da economia, os peritos da bolsa, directores da banca, especialistas financeiros, aflitos, ansiosos, preocupados, com o rombo do barco em que navegam que os pode levar ao fundo. Sosseguem, senhores. O barco não é ainda desta vez que se vai escacar contra os recifes. De resto, tendes gageiros vigilantes no cesto da gávea, salva-vidas a bombordo e a estibordo, boias de salvação de emergência, uma equipa de expeditos ca-

lafates pronta a tapar as frinchas mais subtis, e à proa e à ré confiantes dispositivos de estabilidade. O tristemente célebre Titanic, concebido para navegar em segurança absoluta até ao fim dos seus dias, falhou porque um vagabundo e traiçoeiro icebergue, calado e mudo como são os icebergues, colidiu com o luxuoso paquete onde reinava a alegria, a festa, a música, a dança e o amor, e foi a tragédia. Em poucos minutos as frias águas do Mar do Norte engoliram aquela maravilha da técnica como se for a um simples comprimido que se toma para acalmar os nervos ou aliviar uma simples dor de cabeça. Todavia, o barco em que navega o sistema capitalista vai sofrendo solavancos bruscos, estremeções inesperados que fazem temer o pior. Deixaram de se ouvir os cânticos maviosos das sereias que embalavam as damas românticas, que os

trapinhos especiosos e os adereços luzentes faiscando ao lume dos lustres pendentes dos tectos dos salões transformavam em verdadeiras divas, só diferentes dos anjos porque estas tinham mais carne e menos alma. Porém, nos breves momentos em que a orquesta de bordo se calava para mudar as pautas, ouvia-se o soturno gargalhar das hárpias, que pressagiavam coisas ruins como tormentas e naufrágios. O barco em que navega o sistema capitalista, concebido para durar até à eternidade, invulnerável à ferrugem do tempo e à corrupção do salitre, terá, tarde ou cedo, mais cedo do que tarde, o mesmo fim que teve o Titanic de trágica memória. A história, que é feita de acção e objecto e não sujeito dos homens, continuará a fluir no tempo, e é impressão minha que se há-de escrever com tintas de autêntica liberda-

EDITORIAL Em tempos de apertar o cinto há quem fale do que costuma ser feito e agora já não é, do que é realizado e do que deveria ser, muitas vezes, ou até na maioria delas, quando no passado nenhum esforço empenharam para que os eventos fossem sucessos garantidos, não a título pessoal, mas para o concelho. Depois, torna-se simples e fácil lançar umas achas à fogueira, como Pilatos lavando as mãos. E numa altura em que tanto se fala da oposição entre investimento versus contenção, resolvemos procurar a opinião de especialistas na matéria, que obviamente não somos, para dar prova de que efectivamente não se pode agradar a gregos e a troianos, talvez possibilitem algum debate sobre o que pensamos e dizemos das situações com que somos confrontados no dia-a-dia e nos permitam

O JORNAL DE AMARANTE Propriedade Publitâmega - Publicações do Tâmega, Lda. Tiragem Média 3500 exemplares.

jornaldeamarante@iol.pt jornaldeamarante@gmail.com

crescer socialmente. Quanto à pertinência do investimento público nos cartazes de verão, encontramos por um lado, e no sentido concordante, o facto de o Verão e os programas de verão das autarquias locais serem em muitos locais a única oportunidade do ano para que comerciantes aumentem o volume de vendas, as pessoas conhecem o comércio tradicional, os restaurantes, os monumentos, o património natural, se tracem esboços de eventuais investimentos. Ou seja, são vistos como investimentos a médio e longo prazo. No entanto, que necessitam, em simultâneo, da modernização de produtos, montras e horários de todos esses serviços. Por outro lado, no sentido oposto, encontramos aqueles que defendem o fim do investimento público, em nome da contenção orçamental, deixan-

do tudo para os privados (empresas ou particulares), por entenderem que, apesar de não negarem a hipótese de retorno do investimento público no concelho, que as autarquias têm que dar o exemplo e cortar em tudo quanto forem eventos. Talvez esta seja uma questão que todos devessem ponderar para que não se profiram discursos de extremismo retórico, pois a retórica pode levar à violência, e como sabemos, a violência não é apenas a física, mas também a verbal e a dos meios que se utilizam para obter determinados fins, e quanto a esta última, efectivamente, há muito que pensar, pois os fins não justificam os meios, quando o fim é inócuo e os meios desprovidos de ética e de qualquer moral.

| HM|

de dando aos homens e aos seus actos a sua verdadeira dimensão. Porque a democracia que os senhores do sistema tipo Mário Soares e Marcelo Rebelo de Sousa representam, cada um a seu modo mas ambos servindo o mesmo deus, embora um se diga católico e o outro agnóstico, levam o óbolo ao mesmo santuário onde se adora a mesma divindade. A metáfora do barco chegou ao fim. E se não deu para rir também não deu para chorar. Lembrei-me do naufragado paquete de luxo, construido com todo o esmero e garantias de segurança, e logo na sua primeira viagem afundou-se. Morreram centenas de pessoas, gente endinheirada toda, pois pelintras não tinham posses para uma viagem daquelas. E entre o Titanic da história e o sistema económico que hoje governa o mundo, no espírito da sua concepção, meios e fins, há semelhanças

dramáticas. Os ricos, que se julgam seres superiores protegidos por todos os deuses do Olimpo, que viajam confiantes de que os ditos deuses nunca se esquecerão deles, neste momento em que a tempestade os acomete, já vão temendo que o barco dê em pantanas. Há, porém, uma diferença substancial: o verdadeiro Titanic afundouse em consequência dum embate com um icebergue, e o sistema capitalista afundar-se-á devido aos defeitos da sua própria natureza.

Senhor Assinante regularize por favor a sua assinatura

90.000€ APARTAMENTO COMO NOVO COM 140m2, 3 QUARTOS, UM DELES COM SUITE, 2 CASAS DE BANHO SERVIÇO, COZINHA MOBILADA, DESPENSA, SALA COM LAREIRA, LUGAR DE GARAGEM PARA 2 CARROS, ARRECADAÇÃO, BEM LOCALIZADO, CENTRO DA CIDADE. Sociedade de Mediação Imobiliária, Lda. Tel. 255 425 389 – 966353312 Lic. 3757 AMI www. Milares.com

Directora: Mª José Cunha Colaboradores: A. Magalhães, António Patrício, Carlos Carvalho, Costa Neves, Gabriel Carvalho, Hermínia Mendes, Hernâni Carneiro, Maria Rosa Pinto da Cunha, Mário Fernandes, Paulo Teixeira.net, João Pereira da Silva, Simão Marinho, Sónia Bastos, Raquel Marinho, Telma Pinto Ferreira Design e Paginação: Maria José Cunha Secretariado: Maria José Cunha Administração/Redacção/Departamento Comercial: Largo de S.Pedro, 2ºC, Apartado 75 - 4600-036 Amarante, Tels.: 255 432 301/255 432 313/ 255 432914 Registos: Ministério da Justiça/Instituto de Comunicação Social - 106941| Depósito Legal: 135757/99 Pessoa Colectiva: 500 886 644 Depósito Legal: 135757/99 Pessoa Colectiva Nº 500 886 644 Gerência: Joaquim José F. Machado, Eduardo Oliveira Pinheiro (detentor de mais de 10% do Capital) Tels.: 255 432 301/255 432 313/ 255 432 914

Preço de Assinatura Continente 30,00 Euros | Estrangeiro 50,00 Euros

Porte Pago Avença – 4600 Amarante


O Jornal de Amarante Quinta-feira, 25 de Agosto 2011 | 3

ACTUALIDADE

Covelo do Monte - Aboadela

Habitat recupera segunda habitação em Amarante

A Associação Humanitária Habitat, sedeada em Braga, está novamente em Amarante, a intervir na recuperação de uma habitação, no Lugar do Covelo do Monte, freguesia de Aboadela. A primeira intervenção desta Associação no nosso

concelho decorreu no ano passado, na freguesia de Telões, com uma construção de raiz. Para esta segunda intervenção, que se prevê venha a estar concluída em finais de Outubro, princípio do mês de Novembro, a Habitat estabeleceu parcerias com a Fundação Mota Engil e com a Junta de Freguesia de Aboadela, e conta com a colaboração de voluntários, na sua maioria provenientes dos Estados Unidos, que pagam as suas viagens e estadia, e contribuem ainda com um fundo financeiro. O beneficiário da obra é Adão Marinho, um idoso de Covelo do Monte, que vivia em condições desumanas, sendo que esta intervenção tem por objectivo principal colocar um telhado novo, instalar águas sanitárias, uma

casa-de-banho, um chão novo e soalho, uma fossa séptica e saneamento. José Cruz Pinto, o Presidente da Habitat, sublinha a importância das parcerias estabelecidas para que esta intervenção fosse possível e fala sobre o trabalho da Associação a que preside: “O trabalho é desenvolvido na construção de casas com condições condignas. Transformamos casas velhas e degradadas em casas dignas com condições de habitabilidade, onde as pessoas possam viver como nós vivemos.” Já o Administrador Executivo da Fundação Mota Engil, Rui Pedroto, adiantou que este segundo projecto em que a Fundação intervém – depois de uma primeira acção em Bustelo no ano

Senhor Assinante, aproveite a ocasião das férias e venha-nos visitar. Assim sendo, poderiam regularizar a sua assinatura, visto que temos bastantes encargos postais e queremos continuar a cumprir a nossa missão de vos informar.

passado – “pretende honrar a memória de um homem solidário e filantropo”, sendo aliás este o objectivo principal da Fundação, que também estimula o voluntariado; atribui bolsas de estudo aos filhos de colaboradores com menos recursos e potencia uma política de igualdade de oportunidades. Até ao final deste ano terá intervenção em mais dois ou três projectos, sendo que o valor total das intervenções ronda os 50.000 euros. Por sua vez, Adão Marinho, o feliz contemplado com esta intervenção não escondeu a felicidade que guarda no coração, sublinhando: “Eu não acreditava! Só quando vi os voluntários é que acreditei!” A Coordenadora do Projecto Habitat, a Assistente Social Fernanda Nogueira, diz

estar feliz com esta intervenção salientando que “não há maior recompensa do que o olhar de felicidade do Sr. Adão e ver que os voluntários vieram de tão longe para dar um bocadinho deles! É fantástico!”. Já António Gonçalves, o Presidente da Junta de Freguesia de Aboadela, sublinhou as condições desumanas em que Adão Marinho dormia “coberto com um plástico”, considerando ainda que com a colaboração da Habitat será possível desenvolver mais projectos como este adiantando ainda “Este voluntariado é uma lição para nós portugueses, com esta força, esta dignidade, esta vontade! É uma coisa fora de série!”. | Fotos: AmaranteTv; Texto: RH |

VENDE-SE Lavandaria Golfinho no edifício golfinho na avª general vitorino laranjeira contacto: mªAmparo 255433397 ou 934257364


4 | O Jornal de Amarante

CLASSIFICADOS

Cartório Notarial de Amarante A cargo da Licenciada Olga Maria de Carvalho Samões. Faço saber para efeitos de publicação na imprensa local, que neste Cartório e no livro 266 desde folhas 17 e seguintes, se encontra uma escritura de JUSTIFICAÇÃO, de dezoito de Agos-to de dois mil e onze, em que: MANUEL DA SILVA CARVALHO, NIF.148.458.483, e esposa ARMINDA DIAS DE MOURA, NIF.148.458.491 casa-dos sob o regime da comunhão geral de bens, ele natural da fre-guesia de Gatão e ela natural da freguesia de Aboim, residentes na Travessa de Salgueirinhos, nº 154, freguesia de Telões, todas do concelho de Amarante. E DECLARARAM OS OUTORGANTES: Que são donos e legítimos possuidores, com exclusão de outrem, do seguinte imóvel, no valor atribuído igual ao valor patrimonial de VINTE E QUATRO EUROS E TRINTA E SEIS CÊNTIMOS:

Prédio rústico, composto de cultura com ramada, com a área de trezentos e quarenta metros quadrados, sito no lugar do Salgueirinhos, freguesia de Telões, concelho de Amarante, a con-frontar de Norte com Manuel Carvalho Brites, de Sul, com Fer-nando Teixeira Files, de Nascente, com José Carvalho Teixeira Pereira e de Poente, com caminho público, omisso na Conserva-tória do Registo Predial de Amarante, inscrito na matriz em nome do justificante marido sob o artigo 402, com o valor patrimonial e igual atribuído de 24,36€. Que no dia trinta e um de Março de mil novecentos e oitenta e um, foi-lhes vendido verbalmente pela Casa de Freitas – Socie-dade Agrícola Limitada, com sede na Casa de Freitas, freguesia de Telões, concelho de Amarante, o referido prédio, compra e venda esta que nunca foi reduzida a escrito. Que, no entanto, e desde essa data, nele vêm praticando todos

os actos conducentes ao aproveitamento de todas as suas utilida-des, ocupando-o segundos os seus destinos e fins, em proveito próprio, posse que se manteve sem qualquer oposição nem inter-rupção e com o conhecimento de toda a gente, comportando-se os possuidores como se fossem titulares do direito de propriedade plena sobre o referido prédio. Que nestes termos, detêm a posse em nome próprio, pacífica, contínua e pública por mais de vinte anos sobre o dito prédio, pelo que o adquiriram por USUCAPIÃO. Está conforme. Cartório Notarial de Amarante, dezoito de Agosto de dois mil e onze. A Funcionária, por expressa delegação da Notária Olga Maria de Carvalho Samões, nos termos do artigo 8º n.º 1 do DL 26/2004 de 04/02, a) Rosa Maria Cerqueira Gomes

Cartório Notarial de Amarante A cargo da Licenciada OLGA MARIA DE CARVALHO SAMÕES, Notária com o arquivo do extinto Cartório Público. Faço saber para efeitos de publicação na imprensa local, que neste Cartório, no livro 266 a folhas 58 e seguintes, se encontra uma escritura de JUSTIFICAÇÃO de vinte e dois de Agosto de dois mil e onze, em que: MIGUEL AUGUSTO TEIXEIRA DOS SANTOS, NIF.160.964.954, divorciado, natural da freguesia de Travanca, concelho de Amarante, residente na Rua Conselheiro Luís de Magalhães, nº 927, Guardeiras, freguesia de Moreira, concelho da Maia. DECLAROU: Que é dono e legítimo possuidor, com exclusão de outrem, do seguinte imóvel, no valor atribuído igual ao valor patrimonial de VINTE E DOIS MIL, DUZENTOS E SESSENTA EUROS:

Prédio urbano, destinado habitação, composto de casa de résdo-chão e andar com a superfície coberta de cinquenta e nove metros quadrados e logradouro com a área de mil, cento e quaren-ta e um metros quadrados, sito no lugar de Queirão, freguesia de Travanca, concelho de Amarante, a confrontar de Norte e Nascente, com caminho público, de Sul, com António Fernando Teixeira dos Santos e de Poente, com Herdeiros de José Ribeiro, omisso na Conservatória do Registo Predial de Amarante, inscrito na matriz em nome do justificante sob o artigo 1287, com o valor patrimonial e igual atribuído de 22.260€. Que no ano de mil novecentos e oitenta e nove, em dia e mês que não pode precisar, já no estado de divorciado, foi-lhe doado verbalmente por Ana Pereira, viúva, com última residência habi-tual em Vila Meã, o referido prédio, do-

VENDE-SE terreno e monte com 7.000 m2, dá para construir, e localiza-se a 50 m da estrada, com água própria contacto: 916758505 Funerárias do Tâmega, Lda: 255424422 | 917643062 | 919449561 | 917502997

Serviços

► Preparação do corpo com vista a umas exéquias dignas dentro de todos os requisitos exigidos por lei. ► Atendimento rápido e imediato, com resposta em tempo real, todos os dias e a qualquer hora, ao longo de todo o ano. ► Tratamos da transladação para qualquer parte do país e do estrangeiro. ►Tratamos dos serviços religiosos e cemitério. ► Tratamos de cremações. ► Tratamos de todo o tipo de documentação relacionada com segurança social, caixa nacional de aposentações, centro nacional de pensões e outra. ► Tratamos de todos os serviços relacionados com o arranjo de jazigos e sepulturas, lápides e todos os formatos e gravações manuais ou à máquina, de epitáfios. ►Veículos exclusivos para transporte de familiares e acompanhantes.

ação esta que nunca foi reduzida a escrito. Que, no entanto, e desde essa data, nele vem praticando todos os actos conducentes ao aproveitamento de todas as suas utilida-des, ocupando-o segundos os seus destinos e fins, em proveito próprio, posse que se manteve sem qualquer oposição nem interrupção e com o conhecimento de toda a gente, comportando-se o possuidor como se fosse titular do direito de propriedade plena sobre o referido prédio. Que nestes termos, detém a posse em nome próprio, pacífica, contínua e pública por mais de vinte anos sobre o dito prédio, pelo que o adquiriu por USUCAPIÃO. Está conforme. Cartório Notarial de Amarante, 22/08/2011 A Notária, a) Olga Maria de Carvalho Samões

Bustelo - Amarante Sr. Aurélio Dinis da Silva

AGRADECIMENTO Sua família vem por este meio, e muito reconhecidamente agradecer a todas as pessoas que participaram no funeral do saudoso extinto ou que, de qualquer outro modo, lhes manifestaram o seu pesar. Agradecem também a todas as pessoas que se dignaram assistir à missa de 7º dia. Pedem desculpa por qualquer falta involuntariamente cometida. Funerárias do Tâmega, Lda: 255424422 | 917643062 | 919449561 | 917502997

Sanche - Amarante

D. Maria da Graça Alves Carvalho

AGRADECIMENTO Sua família vem por este meio, e muito reconhecidamente agradecer a todas as pessoas que participaram no funeral da saudosa extinta ou que, de qualquer outro modo, lhes manifestaram o seu pesar. Agradecem também a todas as pessoas que se dignaram assistir à missa de 7º dia. Pedem desculpa por qualquer falta involuntariamente cometida. Funerárias do Tâmega, Lda: 255424422 | 917643062 | 919449561 | 917502997

S.Gonçalo - Amarante

D. Maria Emília de Macedo Teixeira Torres

AGRADECIMENTO Sua família vem por este meio, e muito reconhecidamente agradecer a todas as pessoas que participaram no funeral da saudosa extinta ou que, de qualquer outro modo, lhes manifestaram o seu pesar. Agradecem também a todas as pessoas que se dignaram assistir à missa de 7º dia. Pedem desculpa por qualquer falta involuntariamente cometida. Funerárias do Tâmega, Lda: 255424422 | 917643062 | 919449561 | 917502997

Gondar - Amarante

D. Maria da Conceição Dias

AGRADECIMENTO Sua família vem por este meio, e muito reconhecidamente agradecer a todas as pessoas que participaram no funeral da saudosa extinta ou que, de qualquer outro modo, lhes manifestaram o seu pesar. Agradecem também a todas as pessoas que se dignaram assistir à missa de 7º dia. Pedem desculpa por qualquer falta involuntariamente cometida. Funerárias do Tâmega, Lda: 255424422 | 917643062 | 919449561 | 917502997

Chapa - Amarante

D. Leocádia da Silveira Torres

AGRADECIMENTO Sua família vem por este meio, e muito reconhecidamente agradecer a todas as pessoas que participaram no funeral da saudosa extinta ou que, de qualquer outro modo, lhes manifestaram o seu pesar. Agradecem também a todas as pessoas que se dignaram assistir à missa de 7º dia. Pedem desculpa por qualquer falta involuntariamente cometida. Funerárias do Tâmega, Lda: 255424422 | 917643062 | 919449561 | 917502997

Fridão - Amarante

Sr. Abílio de Oliveira Fonseca

AGRADECIMENTO Sua família vem por este meio, e muito reconhecidamente agradecer a todas as pessoas que participaram no funeral do saudoso extinto ou que, de qualquer outro modo, lhes manifestaram o seu pesar. Agradecem também a todas as pessoas que se dignaram assistir à missa de 7º dia. Pedem desculpa por qualquer falta involuntariamente cometida. Funerárias do Tâmega, Lda: 255424422 | 917643062 | 919449561 | 917502997

Espanha- Bustelo - Amarante

Sr. Fernando Guedes Ribeiro

AGRADECIMENTO Sua família vem por este meio, e muito reconhecidamente agradecer a todas as pessoas que participaram no funeral do saudoso extinto ou que, de qualquer outro modo, lhes manifestaram o seu pesar. Agradecem também a todas as pessoas que se dignaram assistir à missa de 7º dia. Pedem desculpa por qualquer falta involuntariamente cometida. Funerárias do Tâmega, Lda: 255424422 | 917643062 | 919449561 | 917502997


O Jornal de Amarante Quinta-feira, 25 de Agosto 2011 | 5

ACTUALIDADE Banda Musical de Amarante

IV Estágio de Verão e Curso de Aperfeiçoamento de Sopros e Percussão

O IV Estágio de Verão e Curso de Aperfeiçoamento de Sopros e Percussão organizado pela Banda Musical de Amarante terminou na passada sextafeira dia 19, com um concerto realizado nos Claustros da Câmara Municipal de Amarante, agraciado com a presença de um vasto público que encheu

por completo o recinto. “Uma História de Crianças” foi o tema escolhido para o evento. As crianças – elemento comum a todas as peças executadas – desfrutam a música, gostam dela; Emocionam-se a experimentar emoções e sentimentos, gozando com os sons

que ouvem e produzem. A música é uma linguagem que permite que as crianças comuniquem com o interior das suas sensações e entre elas. A finalidade do ensino da música é apoiar o processo educativo, por forma a alcançar o desenvolvimento integral do indivíduo. A música é fundamental na preparação da personalidade e na maneira de ser da pessoa; Implica certa bondade intelectual e sensibilidade, Esta última é elemento fundamental na personalidade de cada um. Os autores escolhidos para melhor passar esta mensagem de paz, harmonia e de uma cer-

ta espiritualidade foram: Percy Aldrige Granjer, com o tema Children´s March “Over the Hills and Faraway; Ximo Cano, com o tema “Hores dÉstiu”; André Waigneim, com o tema “A Children Suite” e Ferrer Ferran, o mais internacional dos compositores bandistas espanhóis, com o tema “Toyland Suite”; O programa oficial do concerto foi encerrado com o tema “Celtic Child”, de Bert Appermont, o qual, para surpresa do público, foi acompanhado pelo Grupo Coral Juvenil da Banda Musical de Amarante e pela sublime voz da soprano Amarantina, Elisabete Ribeiro. No final, visível no rosto dos

presentes, a emoção e alegria face à beleza das interpretações presenciadas. O concerto terminou, após um encore, com o pasodoble “Paquito Chocolatero”, símbolo da música espanhola no seu género mais típico – o pasodoble taurino. A direcção do concerto esteve a cargo do Maestro convidado Rafael Agullo Albors, nascido em Cocentaina ( Alicante – Espanha), possuidor de um vasto palmarés internacional, actualmente Maestro da Banda e Escola Municipal de Música de Silleda (Pontevedra). | Texto e Fotos: Mário Fernandes |

Cerca de 30 crianças “expressam a sua arte” no Museu Municipal Amadeo de Souza-Cardoso Com o objectivo de proporcionar às crianças, durante as férias de Verão, diferentes experiências e descobertas, o Museu Municipal Amadeo de Souza-Cardoso promoveu o atelier “Expressa a tua arte”, com início a 16 de Agosto. Inúmeras temáticas e actividades expressivas foram abordadas, nomeadamente desenho (através da exploração de determinados materiais cromáticos), pintura, recorte, colagem, escultura (recorrendo

à utilização de material reciclável) e técnica mista, dotando as crianças, dos 6 aos 12 anos, de instrumentos e meios de instrução que contribuem para o seu desenvolvimento. O encerramento desta iniciativa será assinalado, no próximo dia 27, sábado, no claustro do Museu Municipal, com uma sessão de capoeira, destinada às cerca de 30 crianças participantes no atelier.


6 | O Jornal de Amarante

CLASSIFICADOS

Câmara Municipal de Amarante EDITAL N.º 47/2011 DRª OCTÁVIA MANUEL DA ROCHA E FREITAS MORAIS CLEMENTE, VICE-PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE AMARANTE: Faz saber, para efeitos do disposto no nº 3 do artigo 27º do Decreto-Lei nº 555/99 de 16/12, com as alterações introduzidas pela Decreto-Lei nº 26/2010 de 30/03, serve o presente para se dar conhecimento a todos os proprietários dos lotes, do loteamento titulado pelo alvará nº 15/85, sito no lugar de Fontainhas, Coraceiro, freguesia de Cepelos, que deu entrada nestes Serviços um pedido de alteração à licença do loteamento titulado pelo alvará acima referido, a requerimento

de João Alves Martins, NIF 167 814 362, residente na Rua das Fontainhas, freguesia de Cepelos, na qualidade de proprietário do lote nº 6 do referido alvará, o qual consiste em: Aumento da área de construção passando de 279.50 m2 para 287 m2; Aumento da cércea passando de rés-do-chão e andar para cave, rés-do-chão e andar. Mais se informa, que o processo administrativo respectivo, com o nº 30/2010, pode ser consultado todos os dias úteis, dentro das horas normais de expediente, na Repartição Administrativa do Departamento de Urbanismo e Planeamento desta Autarquia. As sugestões, reclamações

São Gonçalo– Amarante

Sr. Valentim de Sousa Monteiro

AGRADECIMENTO Sua família vem por este meio, e muito reconhecidamente agradecer a todas as pessoas que participaram no funeral do saudoso extinto ou que, de qualquer outro modo, lhes manifestaram o seu pesar. Agradecem também a todas as pessoas que se dignaram assistir à missa de 7º dia. Pedem desculpa por qualquer falta involuntariamente cometida. Agência Funerária S. Pedro - 255432496 | 917534643 | 917578908

 

        

ou observações que, eventualmente, venham a ser apresentadas, devem ser formuladas no prazo de 10 dias, através de requerimento escrito, devendo no mesmo constar a identificação

A Vice-Presidente da Câmara, a) Drª Octávia Manuel da Rocha e Freitas Morais Clemente

completa, o endereço dos seus autores e a qualidade em que as apresentam. Amarante e Departamento de Urbanismo, 22 de Agosto de 2011.

Certificado Notária Maria Cristina Azevedo Pinho Sousa Isabel da Conceição da Silva Magalhães Matos, colaboradora autorizada, nº35/1, pela notária, Maria Cristina Azevedo Pinho Sousa, no seu cartório, na Urbanização Montenegro, 90 e 98, na cidade de Fafe, publicado no site da ordem dos notários em 31/01/2010, certifica que, para efeitos de publicação, que em dezanove de Agosto de dois mil e onze, foi lavrada a folhas 48, do livro 120-A, deste Cartório, uma escritura de Justificação Notarial, tendo nela outorgado como justificantes: Eduardo Rodrigues, C. F. 119 726 467 e mulher, Amélia Maria Bastos da Silveira , C. F. 184 665 370, casados sob regime da comunhão geral, residentes no Lugar de Rio Mau, freguesia de Telões, donde ela é natural, sendo ele da de Cepelos, ambas concelho de Amarante (bi 7341417, de 16/06/199 e 9689155, de 29/01/2007, dos SIC dos Porto); DECLARAM OS PRIMEIROS OUTORGANTES: Que, são donos e legítimos possuidores, com exclusão de outrem, do seguinte prédio:

Rústico - “Horta da Casa”, no lugar de Rio Mau, freguesia de Telões, concelho de Amarante, com a área de trezentos e sessenta e seis metros quadrados, a confrontar de norte com Manuel Carvalho, sul com caminho de servidão, nascente com Alberto Pinheiro Mendes e poente com Albino de Carvalho, inscrito na matriz sob o artigo 2.931, com o valor patrimonial e atribuído de CENTO E VINTE EUROS; Que o referido prédio está omisso no registo predial, e inscrito na matriz em nome do justificante que o adquiriu, já no estado de casado, por contrato de compra e venda verbal, estão à data, o mesmo, ainda omisso à matriz, em meados do ano de mil novecentos e sessenta e cinco, a António Ribeiro de Carvalho e mulher Olívia Moreira de Lemos, residentes que foram no Lugar de Laranjeiro, freguesia de Telões, concelho de Amarante, tendo entrado nessa data na posse do referido prédio; Que, apesar das várias diligências feitas, não foram encontados os vendedores, nem quem os substituísse ou lhe sucedesse, pelo que estão impossibilitados de, pelos meios

normais, registar no registo predial, em seu nome, o mesmo prédio; Que, esse contrato verbal não teve a virtualidade jurídica de transmitir de domínio de tal prédio, mas o certo é que por via deles os justificantes passaram a usufrui-lo, pagando os respectivos impostos, colhendo os correspondentes frutos, gozando todas as unidades por ele proporcionadas, com ânimo de quem exercita direito próprio, de boa fé, por ignorar lesar direito alheio, pacificamente porque sem violência, continua e publicamente, com conhecimento de toda a gente e sem oposição de ninguém e isto por lapso de tempo superior a vinte anos; Que, dadas as enunciadas características de tal posse, os primeiros outorgantes adquiriram aquele prédio por usucapião - título esse que, por natureza, não é susceptível de ser comprovado pelos meios normais. Fafe, dezanove de Agosto de dois mil e onze. Por delegação da Notária, a colaboradora, a) Isabel da Conceição da Silva Magalhães Matos

QUARTO PORTO Vais Estudar para o Porto? Alugo junto ao Pólo Universitário (ISEP, FEUP, ECONOMIA, etc), quarto simples, duplo e triplo. 10 minutos a pé, ou 5 minutos Metro Salgueiros. Todos a estrear e de alta qualidade. Rua Prof. Mendes Correia, 269. Telem: 913892869

Facebook/ninajoias Rua 5 de Outubro, nº 74 Telef: 255 432315 – ninajoias@sapo.pt - AMARANTE


O Jornal de Amarante Quinta-feira, 25 de Agosto 2011 | 7

ACTUALIDADE

Município reforça aposta no desporto de massas e no lazer

Circuito de Manutenção da Costa Grande recebe ginásio ao ar livre Situado na margem esquerda do Rio Tâmega, em terreno anexo ao Complexo Desportivo, o Circuito de Manutenção da Costa Grande acaba de ser dotado de um ginásio ao ar livre, do qual podem desfrutar todos os utilizadores. Os equipamentos instalados são o Walker, Pulldown, Remo, Stepper e Abdominal, que se juntam a outros já existentes. O circuito de manutenção oferece uma pista de 450 metros em terra batida e pode ser usado livremente por pessoas de todos os escalões etários, sem quaisquer condicionamentos de horários, sendo agora também possível utilizar-se o parque infantil fora dos horários do Com-

plexo Desportivo, através de uma entrada diferenciada. Com uma aposta forte no desporto de massas e no lazer, a Câmara Municipal oferece, para além destes equipamentos (circuito de manutenção e complexo desportivo), as piscinas de Amarante e Vila Meã, os pavilhões de S. Lázaro e de Vila Caíz, bem como a Ecopista da Linha do Tâmega, aberta a ciclistas e utilizadores pedestres. Entre os programas direccionados para a manutenção física, destacam-se o “Amarante Vida Longa”, destinado a públicos seniores, e a classe de ginástica aeróbica, com sessões aos domingos das 10:00 às 12:00.

Aventura Marão Clube

Intercâmbio de Jovens na Casa da Juventude de Amarante Este Intercâmbio de Jovens é organizado pelo AMC, sendo comparticipado pelo Programa Juventude em Acção da União Europeia. Aproveitando o Ano Europeu do Voluntariado os participantes, com idades compreendidas entre os 18 e os 25 anos, vão desenvolver actividades para sensibilizar os jovens para o tema do voluntariado e desafiar a comunidade para ser mais activa na ajuda a outras pessoas. Os objectivos principais desta Actividade são, portanto: envolver a comunidade local em pequenas acções de voluntariado; promover o espírito de cooperação entre os jovens e destes com a comunidade local; encorajar a criatividade através de desafios que apelam à iniciativa dos jovens em ambiente de competição saudável. Tal como nas edições anteriores os participantes terão de preparar e trazer informação sobre as suas tradições (sobretudo gastronómicas)

para partilhar com os restantes grupos durante este intercâmbio. No final (dia 30 de Agosto) será feito um convite (grátis) à comunidade para conhecer e provar as diversas propostas gastronómicas (Euromed Food Day) dos países envolvidos (Itália, Portugal, Egipto e Líbano), combinando a partilha das marcas culturais mediterrânicas com a proposta de alimentação saudável e biológica da Casa da Juventude de Amarante. O Aventura Marão Clube é uma associação local sem fins lucrativos, criada em 1993, que promove hábitos de vida saudáveis, em especial junto dos mais jovens. Desenvolve actividades ligadas ao BTT, Canoagem e Comércio Justo, sendo responsável pela abertura, em 1999, da 1ª Loja Portuguesa de Comércio Justo, em Amarante e, recentemente, pela gestão da Casa da Juventude de Amarante. (www.aventuramaraoclube.com)

A Tuna de São Faustino de Fridãovai levar a efeito o XVII Festival Infante /Juvenil e Sénior da Canção - Fridão 2011, a ter lugar no Largo da Igreja desta localidade, no dia 27 de Agosto de 2011, pelas 21 horas. Para além do Festival vai haver muita animação ao longo do evento que já é uma referência na região.


8 | O Jornal de Amarante

Juventude Socialista de Amarante, por Gabriel Carvalho

Olhar bem para as ruas do Reino Unido

«Algo vai mal no Reino da Dinamarca», escreveu William Shakespeare, em Hamlet, nesta que é uma das possíveis traduções da célebre expressão de escritor inglês. Já nos limites das nossas fronteiras, e por muito que sejam cada vez mais ténues, neste mundo globalizado e interdependente, o “Rei” há dois meses “coroado”, mostra dia após dia, o mau caminho

por onde nos leva. Seja nas confusões, no ir mais longe que o necessário na dureza das medidas de austeridade, nas promessas de transparência por cumprir, nos compromissos eleitorais absolutamente defraudados, nas manipulações comunicativas e de imagem, que afinal nada são – “desvio colossal” -, desde o Imposto Extraordinário que virá no Natal, à confusão que o Primeiro-Ministro faz entre conflitualidade social e contestação por parte dos sindicatos, de medidas por excesso de zelo e não justificadas, amedrontando a população com o que se passou recentemente nas ruas do Reino Unido, ou até ao recente caso Mário Crespo, jornalista de todos nós conhecido, que tenta pela segunda vez ser correspondente da RTP em Washington, EUA, e que levou ao envolvimento de Miguel Relvas, Ministro dos Assuntos Parlamentares, tornando-o um caso

de intromissão directa na esfera da liberdade de imprensa, a chamada “asfixia democrática” diria, não tenho dúvidas, um antigo candidato a líder do PSD, e que levanta questões do foro da informação livre e do serviço que actualmente é prestado pela grande maioria da comunicação social portuguesa, bem como dos critérios jornalísticos, permitindo a livre comparação com posturas num passado relativamente recente, dos mesmos actores, como é o caso de Mário Crespo, arauto da defesa do jornalismo livre, como certamente muitos se lembrarão. Tudo isto em dois meses. Apesar da ausência na conferência de imprensa com a Troika, deixando sozinho, em representação do Estado português, e informando os cidadãos portugueses, um Ministro das Finanças pouco experiente, o Primeiro-Ministro, não deixou de fazer a habitual intervenção no Pontal, Algarve, que desta-

co pelo seu contexto numa semana de forte agitação social no Reino Unido, referindo-se à previsível contestação das medidas excessivas e de carácter opcional, a que chamou de conflitualidade social, querendo fazer crer aos portugueses que se tratará do mesmo. Tremendo erro e dificuldade de visão, que a doutrina quase religiosa, não lhe permite ver. Os acontecimentos no Reino Unido, mais não são, que o resultado de desequilíbrios e disfunções sociais – noções básicas de qualquer manual de Sociologia -, de um Estado que exclui, e depois reprime, simplesmente por acreditar que a delinquência é um estado de consciência e voluntarismo, tal como acredita que, a condição de desemprego é muitas vezes voluntária e opção de vida, em vez de incluir, única forma de trazer os indivíduos às regras da comunidade. A geração que saiu desta forma violenta, e não

justificável, à rua, é uma geração de jovens que vivem excluídos, de uma sociedade que não pensa neles, e que evidentemente não terá futuro. No que diz respeito aos jovens portugueses, e às políticas de juventude, é de lamentar a intenção do Governo PSD – CDS-PP em passar o Instituto Português da Juventude (IPJ), para a tutela do Instituto do Desporto, que menoriza e subalterna uma área mais geral, a Juventude, para o campo do Desporto, mais específica. Além da visão curta e de desequilíbrio que tal medida encerra, é uma oportunidade perdida para tornar o IPJ uma entidade integrada que estuda e apresenta soluções para as questões que afligem os jovens, sejam sociais ou profissionais. Olhemos na sua plenitude a realidade das ruas do Reino Unido.

dito será terrível para a economia, obrigada a fazer um forte ajustamento para a falta de crédito disponível. 6 – É evidente que existem alternativas, essencialmente três, para os bancos ajustarem o seu rácio de transformação. Captar mais depósitos a prazo é um caminho óbvio para o conseguir. Vender activos em carteira, canalizando os rendimentos obtidos para o reforço de capitais, é outra das possibilidades. A última alternativa é reduzir a concessão de crédito novo e estabelecer planos de liquidação exigentes para clientes que já possuem crédito em curso, nomeadamente na área das empresas. 7 – Todas estas alternativas estão a ser conjugadas e postas em prática. Apesar da dureza dos números, o crédito concedido pela banca portuguesa é na sua grande maioria de boa qualidade, pelo que este

cenário de desalavancagem não coloca em causa o sistema bancário português. Pode colocar em causa os seus níveis de rentabilidade no curto ou médio prazo, mas não prejudica a sua estabilidade e fiabilidade. 8 – O que fica em causa é um corte brutal no financiamento, um corte silencioso e pouco mediático, mas com grande impacto. O aumento do desemprego, a retracção no consumo e a diminuição dos níveis de investimento são provocados em larga medida pelo corte no crédito, muito mais do que pela austeridade do Estado. Cabe agora ao Estado fazer o seu plano de emagrecimento, sem recuos nem medo, para que o esforço que famílias e empresas vão fazer não seja destruído a sustentar a pesada máquina pública que carregamos pelas costas.

IM_Pressões de Direita, por Pedro Simão Marinho*

Racio de transformação

1 – Segundo os últimos dados revelados pelo Banco de Portugal, os depósitos bancários em Portugal totalizam 125 mil milhões de euros e revelam uma tendência de crescimento ao longo dos últimos meses. Apesar da crise e apesar de todas as dificuldades, o volume dos depósitos tem vindo a subir gradualmente, quer porque os portugueses conseguem poupar algum dinheiro, quer porque a banca tem revelado maior poder de atracção em face das taxas

superiores que está a praticar para os depósitos a prazo. 2 – Por outro lado, o volume de crédito concedido é aproximadamente 250 mil milhões de euros, o que configura um dado absolutamente assustador nos tempos que correm, dado que o volume de crédito é o dobro dos depósitos. Este facto, revelador da absoluta alavancagem do sistema financeiro e da nossa economia, tornou-se agora um problema para os bancos portugueses, obrigados a reduzir drasticamente o rácio de transformação. 3 – Levando em conta todo o sistema financeiro, o rácio de transformação será de 200%. Se considerarmos apenas os bancos mais importantes do sistema, o rácio de transformação deverá rondar os 150%, isto é, por cada 100 euros em dinheiro depositado nesses bancos, existem 150 euros de crédito concedido.

4 – Segundo o acordo assinado com a troika, o rácio de transformação terá que ser reduzido até 2013 para o máximo de 120%. Fazendo um exercício simples, se considerarmos que os maiores bancos possuem neste momento uma carteira de depósitos de 100 mil milhões de euros e uma carteira de crédito de 150 mil milhões de euros, o corte no volume de crédito a efectuar poderá atingir o valor de 30 mil milhões de euros num período de pouco mais de um ano. 5 – Um valor desta natureza é absolutamente assustador e representa em si mesmo um plano de austeridade muito mais forte do que todas as medidas que o Governa possa tomar para emagrecer o Estado. Vai ser por intermédio dos bancos portugueses que vamos sofrer a maior austeridade ao longo dos próximos dois anos, dado que o corte no volume de cré-

| www.simaomarinho.blogspot.com |

Senhor Assinante regularize por favor a sua assinatura


O Jornal de Amarante Quinta-feira, 25 de Agosto 2011 | 9

“Conta-me histórias”. por Gabriel Edgar Gomes

Uma questão de cidadania Têm surgido nestes últimos tempos várias medidas e cortes por parte do nosso governo. Medidas corajosas, demonstrando carácter e sentido de orientação por parte do dr. Pedro Passos Coelho. Medidas nada populares, contrariando o populismo que governos anteriores habituaram os portugueses. Ora bem, como contribuinte, como consumidor, aliás como português, estes cortes vão ser muito custosos, até dolorosos, mas para o bem do país, e porque nesta conjuntura muito negativa são extremamente necessários, cabe-me cumprir, tendo fé e esperança que melhores dias virão para todos nós. Portugal, ao longo da história, sofreu já complicadas crises, perdendo por vezes a independência. Foi palco de guerras, evidenciando a batalha de Al-

jubarrota, em que, em considerável menor número, conseguimos vencer. Mesmo depois de 1910, no período republicano tivemos situações complicadas, quedas sucessivas de governos, guerras mundiais, mudanças de regime, e contudo, sempre soubemos dar a volta por cima, como povo e como nação. Neste momento de sufoco para todos nós é importante a serenidade e a participação. Volto a referir, como fiz no artigo anterior, a utilidade da participação de todos nós. Não quero nunca apelar à retaliação, como, aliás, tem acontecido em países cuja situação é idêntica à nossa, até porque, a meu ver, a violência não ajuda nada, apenas apela ao radicalismo. Refiro-me sim a uma participação responsável nas Assembleias de Junta, ou da Câmara, nos partidos polí-

ticos e demais instituições ou associações. Estarmos atentos ao que se passa na nossa freguesia ou concelho. Já que se fala tanto da gordura do Estado, ter conhecimento, também, da “gordura” das nossas câmaras, bem como das nomeações que elas fazem, apelando por vezes à competência ou, por tantas outras ao compadrio ou favorecimento. É primordial, portanto, estarmos informados. A ignorância é o cancro maior da nossa sociedade. A falta de informação ou conhecimento leva a que certas pessoas digam ou escrevam certas coisas sem qualquer fundamento de verdade. Vejamos o que disse um jovem socialista, num artigo de opinião neste mesmo jornal, representando a JS local, referindo-se aos boys e às tão contestadas nomeações da Caixa

Geral de Depósitos, ligando, de forma falaciosa, ao governo do PSD. Não saberá, esse mesmo jovem, que essas nomeações foram feitas por um administrador colocado pelo PS. Não saberá, também, que essas nomeações foram feitas entre Junho e Julho, portanto no período pós eleitoral? Desconhecerá que foram denunciadas pelo dr. Marques Mendes, ex. dirigente do PSD? Bom, ao que parece não conhecerá, ou apenas faz política de forma populista e falsa. Volto a referir, a cidadania plena só se atinge com participação activa. A participação activa, por sua vez, só deverá ser feita com informação, conhecimento e, acima de tudo, com responsabilidade e transparência. Isto para o bem do nosso concelho e do nosso país. Mais importante do que com-

a razão não nos serviu de guia, nem uniu vontades e forças contra a Barragem de Fridão.

Juntaste o clamor de vossas mágoas…. Pegos de drama e de dor, margens de idílio!

bater crises económicas, é lutar contra este défice de valores, défice de conhecimentos, contra esta ignorância, ou falta de saber, que atinge também, infelizmente, gerações mais novas

Tudo vem a propósito... de Hernâni Carneiro

Evocando Pascoaes Que diferença nos separa, que sentimentos diferem dos de Pascoaes, que á semelhança de outros grandes poetas que elegeram nas suas poesias os seus rios (Eduardo Lourenço: Teixeira de Pascoaes e a saudade), também cantou o seu Rio Tâmega, agora que por todo o lado anunciam a sua morte? Transcrevo apenas duas quadras da poesia “SOMBRAS” do livro com o mesmo nome com o desejo que os meus conterrâneos dissipem as sombras e até as trevas, e combatam os que só pretendem realizar os seus projectos e os seus grandes interesses, destruindo os nossos mais legítimos direitos patrimoniais, ambientais e até de segurança. Há comportamentos que neutralizam e até limitam a participação do cidadão, agora que já se distribuem por aí umas migalhitas, e a experiência da caritativa Fundação da EDP, intervindo na vida da comunidade através dos vários grupos beneficiados, e muito caladinhos, mas o resto da população fica á margem, discriminados, já não interessa reclamar, está tudo encaminhado e organizado para um só objectivo: Barragem

de Fridão a qualquer preço. Há alguns princípios que poderiam apontar para o sentido crítico dos Amarantinos e das suas responsabilidades na discussão de um problema que diz respeito a todos, mas porque delegam essa responsabilidade nos políticos, com os piores resultados, ou porque participar na coisa pública é uma espiga, remete-nos mais tarde para o fatalismo, ou aquele se eu sabia…. A progressiva intervenção da Fundação da EDP nas instituições de Amarante, ou o rebuçado da EDP barragens solidária (belo título), obedece a acções consertadas, muito bem planeadas, para adormecer o cidadão, naquele ritual de acordo com os seus interesses, que só limitam a consciencialização e a participação dos cidadãos entorpecidos, sem qualquer rumo e interesse. E lembrem-se também que as migalhitas não duram sempre. Não me resigno ao peso de futuras desgraças ou de um futuro sem remédio. A ignorância não duvida porque desconhece o que ignora. Oxalá que a próxima geração não nos rotule de ignorantes porque transigimos e

Ó Sena, Eurotas, Tibre! Grandes águas! Que a voz de Homero, de Hugo e de Virgílio

Ó meu Tâmega obscuro, água dormente…. Ó rio, á noite, a arder, todo

estrelado! Água meditativa, ao luar nascente, Água coberta de asas ao sol nado! (Sombras- Teixeira de Pascoaes)

Este espaço pode ser seu! Anuncie no Jornal de Amarante


10 | O Jornal de Amarante

Calendário dos jogos do Vila Meã

Amarante, 3 – Livração, 1

da / 1ª Jornada 12ª Jornada / 12ª Jornada 11 04/09/2011 18/12/2012 18/12/2012 Infesta - Mêda Infesta - Mêda Serzedelo - Grijó Serzedelo - Grijó amego - Vila Real Lamego - Vila Real eça - RebordosaLeça - Rebordosa a Meã - Sousense Vila Meã - Sousense rense - Alpendorada Cesarense - Alpendorada

6ª Jornada / 6ª Jornada 17ª Jornada / 17ª Jornada 23/10/2011 23/10/2011 05/02/2012 05/02/2012 Vila Real - Cesarense Vila Real - Cesarense Rebordosa - GrijóRebordosa - Grijó Sousense -Mêda Sousense -Mêda Alpendorada - Infesta Alpendorada - Infesta Vila Meã - Serzedelo Vila Meã - Serzedelo Leça - Lamego Leça - Lamego

da / 2ª Jornada 13ª Jornada / 13ª Jornada 11 18/09/2011 08/01/2012 08/01/2012 êda - CesarenseMêda - Cesarense Grijó - Infesta Grijó - Infesta a Real - Serzedelo Vila Real - Serzedelo bordosa - Lamego Rebordosa - Lamego Sousense - Leça Sousense - Leça ndorada - Vila Alpendorada Meã - Vila Meã

Jogo no Estádio Municipal de 7ª Jornada / 7ª Jornada 18ª Jornada / 18ª Jornada Amarante, 30/10/2011 30/10/2011 12/02/2012 12/02/2012 com arbitragem de José Cerqueira, auxiliado Treinador: por Vila Real - Rebordosa Vila Real - Rebordosa Manuel Rodrigo e Francisco SouGrijó - Sousense Grijó - Sousensesa. Mêda - Alpendorada Mêda - AlpendoradaAmarante: André (Vasco, 75), Tiago, Cláudio (Diogo Monteiro), João Infesta - Vila MeãInfesta - Vila MeãAlves e Calisto (João Carvalho, 85), Serzedelo - Leça Serzedelo - LeçaDiogo, Nuno (Luís Morais, 71), Bruno (Casinhas, 58), Pedro, João e Cesarense - Lamego Cesarense - Lamego

da / 3ª Jornada 14ª Jornada / 14ª Jornada 11 25/09/2011 15/01/2012 15/01/2012 Mêda - Grijó Mêda - Grijó nfesta - Vila RealInfesta - Vila Real zedelo - Rebordosa Serzedelo - Rebordosa mego - Sousense Lamego - Sousense eça - Alpendorada Leça - Alpendorada sarense - Vila Cesarense Meã - Vila Meã

da / 4ª Jornada 15ª Jornada / 15ª Jornada 11 02/10/2011 22/01/2012 22/01/2012 Grijó - Cesarense Grijó - Cesarense Vila Real - Mêda Vila Real - Mêda ebordosa - Infesta Rebordosa - Infesta usense - Serzedelo Sousense - Serzedelo endorada - Lamego Alpendorada - Lamego Vila Meã - Leça Vila Meã - Leça

da / 5ª Jornada 16ª Jornada / 16ª Jornada 11 09/10/2011 29/01/2012 29/01/2012 Grijó - Vila Real Grijó - Vila Real êda - RebordosaMêda - Rebordosa festa - SousenseInfesta - Sousense edelo - Alpendorada Serzedelo - Alpendorada mego - Vila Meã Lamego - Vila Meã Cesarense - LeçaCesarense - Leça

Nelson Francisco Gonçalves Livração: Filipe, André, Victor Mo8ª Jornada / 8ª Jornada 19ª Jornada / 19ª Jornada reira, João e Leandro, Carriço, Zé 06/11/2011 06/11/2011 19/02/2012 19/02/2012 Carlos, Vitinha, Rochinha, Victor Rebordosa - Cesarense Rebordosa - Cesarense Barbosa e Bruno Sousense - Vila Real Sousense - Vila RealTreinador: Rui Matos Alpendorada - Grijó Alpendorada - GrijóAo intervalo: 0 – 0 Golos: Victor Barbosa (58), Pedro (61 e 73) e Vila Meã - Mêda Vila Meã - MêdaDiogo (65) Leça - Infesta Leça - Infesta A equipa sub 23 do Amarante Futebol Clube apresentou-se no pasLamego - Serzedelo Lamego - Serzedelo sado sábado dia 20 aos sócios e simpatizantes amarantinos, tendo 9ª Jornada / 9ª 20ª Jornada Jornada / 20ª Jornada derrotado por três bolas a uma a formação vizinha do Grupo Despor13/11/2011 13/11/2011 26/02/2012 26/02/2012 tivo da Livração. Rebordosa - Sousense Rebordosa - Sousense Pode-se dizer que o tempo não foi Vila Real - Alpendorada Vila Real - Alpendorada mal empregue pelos poucos adepGrijó - Vila Meã Grijó - Vila Meã tos que se deslocaram ao municipal amarantino, numa noite quente

de verão, já que se assistiu a uma boa partida de futebol, com lances de bom recorte técnico, com lances de perigo junto das duas balizas, e onde a formação visitante a denotar maior traquejo nestas andanças, mas com uma excelente réplica por parte dos jovens amarantinos, que deram muita luta, criaram muitas dificuldades ao seu opositor mas com os avançados a não conseguirem sobreporem-se às defesas, por isso o nulo ao intervalo, espelhava a boa entrega das equipas ao jogo. A segunda parte trouxe o sal do futebol, que é o golo, e mostrou um Amarante que vai dar tudo em campo pelo melhor resultado, já que ao ver-se em desvantagem, soube reagir, e com lances bem gizados, conseguiu chegar ao empate, e depois partir para a vitória, já que entre o minuto 58 e 73 o resultado ficou feito. O resultado final do encontro ajusta-se ao que se passou em campo, onde o Amarante mostrou um querer grande na procura do melhor resultado, e com os jovens a quererem mostrar-se ao plantel principal.

Mêda - Leça Mêda - Leça Infesta - Lamego Infesta - Lamego Cesarense - Serzedelo Cesarense - Serzedelo

|Mário Fernandes|

Agenda

10ª Jornada /10ª Jornada 21ª Jornada / 21ª Jornada 27/11/2011 27/11/2011 04/03/2012 04/03/2012 Cesarense - Sousense Cesarense - Sousense de 23 de Julho até 11 de Setembro Alpendorada - Rebordosa Alpendorada - Rebordosa Museu Municipal Amadeo de Souza-Cardoso Vila Meã - Vila Real Vila Meã - Vila RealSalão de Jovem Criação Europeia Espaços de Exposições Temporárias do Museu de Amadeo de Souza-Cardoso. Leça - Grijó Leça - Grijó Lamego - Mêda Lamego - Mêda Exposição de pintura e escultura de Élio Oliveira «Galos e galinhas na horta da vizinha» Serzedelo - InfestaSerzedelo - InfestaMais informação Biblioteca Municipal Albano Sardoeira

Decorreu na passada segunda-feira dia 08 de Agosto os sorteios das diversas séries da terceira divisão nacional, em que participa a equipa amarantina do A. C. de Vila Meã, inserido na série B. esta série sofreu algumas alterações no que diz respeito às equipas que a compõem, já que abrange cinco distritos. Assim o Vila Meã terá como adversários o Mêda da A.F. da Guarda, o Cesarense, do concelho de Oliveira de Azeméis, da A.F. de Aveiro. De salientar os regressos ao nacional da terceira divisão do S.C. de Vila Real da A.F. de Vila Real e do S.C. de Lamego da A.F. de Viseu, após longa ausência das duas formações, e do F.C. Infesta, que só esteve um ano nos distritais. O G.D. Serzedelo da A.F. de Braga, contínua na série B, ao contrá-

11 de Setembro até 30 de Setembro Exposição de Pintura de Helena de Medeiros Mais informação Biblioteca Municipal Albano Sardoeira 19 de Setembro até 15 de Outubro

“ Qualquer dia vou fazer-me Sócio do Amarante F.C. rio do seu “vizinho” G.D. Joane que passa para a série B. Será este o último ano, em que o figurino do campeonato da 3ª divisão se mantém, já que a partir da próxima época como é do conhecimento geral a 3ª divisão acaba, passando a haver só uma única divisão nacional semiprofessional. |Mário Fernandes|

Será hoje? “ Ajude o AFC.”

a DIABETES é a principal causa de cegueira no Mundo. Saiba mais em www.chtamegasousa.pt


JA nº.1631