Page 1

Autorizado a Circular em envelope Plastificado

O JORNAL AMARANTE de

DIRECTORA: Mª JOSÉ CUNHA

Feira dos Doces Conventuais reúne número máximo de expositores da Doçaria Conventual do País

‘Evento foi “apadrinhado” por Paulo Pires e Astrid Werdnig’

PORTUGAL

J. P .P. AMARANTE TAXA PAGA

IRRESISTÍVEIS! JÁ MARCOU AS SUAS FÉRIAS? Operador - Iberojet PALMA DE MAIORCA Partidas de Lisboa e Porto – 6, 13 e 20 Jun.’11 7 noites | Só Alojamento Apartamentos Bellevue Club | 3 chaves Inclui: avião + transfers + taxas de aeroporto, segurança e combustível (€ 40) + seguro de viagem.

AGADIR – Voos especiais directos Partidas de Lisboa aos domingos de 10 Jul. a 10 Set. ’11 7 noites | Meia Pensão Hotel Tivoli Agadir | 4 estrelas Inclui: avião + transfers + taxas de aeroporto, segurança e combustível (€ 40) + Seguro Multiviagens.

Desde:

372

por pessoa em apartamento duplo

Desde:

498

por pessoa em duplo

Exclui: Despesa de reserva (€29 por processo e não por pessoa) + suplementos; lugares limitados; taxas sujeitas a alteração; sujeito às nossas condições gerais. CONSULTE-NOS.

Rua Cândido dos Reis, 222 | 4600-055 AMARANTE Email: amarante@abreu.pt - Tel.: 255410100 - Fax: 255410109

ABERTO À HORA DE ALMOÇO

Quinta-feira, 19 de Maio 2011 | Nº 1617| Ano 31 | euro 0.80

Amarante marca presença no VI Festival Internacional da Máscara Ibérica, em Lisboa

Amarante Futebol Clube a um passo da subida


2| O Jornal de Amarante

Espelho de Água por A. Magalhães

Dos progressistas e do seu avesso Aprendi, desde muito novo, que ser progressista era querer o progresso (passe a redundância) nas várias vertentes em que ele se processa: económico, cientifico, social, cultural, etc. Seria, pois, querer uma sociedade mais justa, mais igualitária, mais livre, mais humana. Seria a vitória da paz, da liberdade, da democracia, da civilização. Bebi este credo com o do catecismo, o que quer dizer que muito cedo me apercebi que algo estava errado no mundo, de cujo erro dimanava todo um torrencial de torpezas, injustiças, guerras, ofensas à razão e à dignidade humana. E se do catecismo católico não sobrou grande coisa que me sirva de referência para o resto da vida, pois a metafísica que o preceitua se desvaneceu levada pela realidade e alguma meditação filosófica, ficou-me o gosto pelo progresso em todo o sentido

que a palavra significa. Bem sei que isto é pouca coisa mas ajuda a dar algum sentido à vida. No entanto, hoje pelo que vejo e ouço, a palavra progressista já não significa o mesmo que significava há alguns anos. A modernidade que galopa por aí desviou-lhe o sentido para outros quadrantes. Agora é o avesso do que era. Ser progressista era também ter ideias de esquerda, pretender um mundo melhor, com mais justiça social, promover uma sociedade onde o colectivo se sobrepusesse ao individual. A palavra meu deveria ser substituída pela palavra nosso que sugere uma mais fraterna e ampla convivência. Hoje ser progressista é renegar todo um corpo de ideias que apontam para sociedade onde todos os seus membros sejam dignificados como pessoas, e não tidos como meros objectos de exploração e acumulação de fortunas imensas, como

acontece com uma boa parte dos seres humanos. Hoje ser progressista é alinhar com os senhores do dinheiro e submeter-se, calado e agradecido, às suas imposições arbitrárias. Ser progressista, hoje, é ser o que o que há anos era ser conservador e reaccionário. Ser progressista é ser contra as greves e as estruturas sindicais que as apoiam, é ser pela flexibilidade no emprego, isto é, o patrão poder despedir os seus empregados mais facilmente ao abrigo de leis do trabalho injustas. Ser

progressista, hoje é alinhar com as leis do todo o poderoso mercado, omnipotente e omnipresente, cujos centros de decisão nem sequer estão dentro do país, mas dimanam de Bruxelas conforme os tratados da CEE a que o povo português, sem que para isso fosse consultado, foi obrigado a submeter-se. Os bem falantes do sistema, que tão benquistos são dos audiovisuais públicos e privados, têm se fartado de proclamar que acabaram as ideologias, que isso fora coisa dos tempos da luta de classes, agora é a sociedade neoliberal que reina e é este o espírito que prevalece. A modernidade é isto mesmo: a lei da selva no seu máximo esplendor. Os partidos são desnecessários, os sindicatos são outra velharia que passou à história e só servem para empatar. As greves, as manifestações públicas são consequências da acção retrógrada duma certa

escumalha de esquerda que, no entender dos ideológicos da política do dinheiro, pertencem a um passado arcaico que já ninguém quer. Assim, perante o resultado do confronto critico que faço à situação presente e não só de Portugal, encontro razões mais que sobejas de que estou ultrapassado em muitas e muitas décadas. Os progressistas de hoje, quem o diria!, são aqueles que pretendem o regresso aos tempos maravilhosos da escravatura. Salários mais baixos, mais horas de trabalho, mais anos para a reforma, despedimentos mais facilitados e com poucos ou nenhuns custos para a entidade patronal, são na generalidade o quadro ideal que se anuncia. Enfim, uma bela republica das bananas.

EDITORIAL A educação e o conhecimento são dois factores essenciais para o desenvolvimento económico-social de um país e para a formação do carácter das massas, seja essa educação decorrente da transmissão de princípios, valores e referências familiares, seja o obtido nas escolas e que essencial, daí a importância vital da existência da escola pública, como garante da igualdade de oportunidades para todos os cidadãos, independentemente da sua condição social, o conhecimento seja ele científico seja o adquirido e comprovado pelo saber e experiência de uma vida, à partida de trabalho e responsabilidades. Nesse sentido, o investimento que é feito na educação e no conhecimento, dotando os portugueses de mais-valias necessárias à sua sobrevivência,

O JORNAL DE AMARANTE Propriedade Publitâmega - Publicações do Tâmega, Lda. Tiragem Média 3500 exemplares.

jornaldeamarante@iol.pt jornaldeamarante@gmail.com

numa sociedade que é cada vez mais competitiva e exigente, como também necessário para que possam competir em qualidade com a restante Europa e ainda com os mercados emergentes, nunca é um luxo. E esse investimento é feito não apenas com a requalificação do parque escolar, mas também com o estabelecer de novos paradigmas e métodos de avaliação e actuação, quer de programas, quer de professores e alunos em idade escolar, mas também daqueles a quem um passado de dificuldades impossibilitou maior instrução e qualificações, e que agora têm essa oportunidade, que terá o seu reflexo na produção nacional, no aumento das exportações e na diversificação do tipo de produção, isto é, optando pelos nichos de mercado

que a investigação científica e as novas tecnologias permitem conhecer e concretizar, por um lado, e por outro lado, absorver mão-de-obra qualificada. O saber nunca ocupa lugar, seja ele básico ou complexo, pelo que quando se fazem exigências aos alunos, aos professores, às famílias e a todos quanto compõem a comunidade escolar, pretende-se apenas que todos em conjunto e individualmente melhorem o seu desempenho e contribuam para a evolução do país e, paulatinamente, uma alteração de mentalidades, baseada nos valores do trabalho, do conhecimento, da humildade, honestidade, solidariedade e igualdade de oportunidades para a realizaçaõ individual.

| HM|

Senhor Assinante regularize por favor a sua assinatura

TERRENO - TELÕES Terreno plano, com a área de 5.700m2, dá para construção de 2 moradias geminadas ou uma bifamiliar, óptima localização e acessos. Preço: Só 42.500€ Sociedade de Mediação Imobiliária, Lda. Tel. 255 425 389 – 963320174 - 963320173 Lic. 3757 AMI www.milares.com

Directora: Mª José Cunha Colaboradores: A. Magalhães, António Patrício, Carlos Carvalho, Costa Neves, Gabriel Carvalho, Hermínia Mendes, Hernâni Carneiro, Maria Rosa Pinto da Cunha, Mário Fernandes, Paulo Teixeira.net, João Pereira da Silva, Simão Marinho, Sónia Bastos, Raquel Marinho, Telma Pinto Ferreira Design e Paginação: Maria José Cunha Secretariado: Maria José Cunha Administração/Redacção/Departamento Comercial: Largo de S.Pedro, 2ºC, Apartado 75 - 4600-036 Amarante, Tels.: 255 432 301/255 432 313/ 255 432914 Registos: Ministério da Justiça/Instituto de Comunicação Social - 106941| Depósito Legal: 135757/99 Pessoa Colectiva: 500 886 644 Depósito Legal: 135757/99 Pessoa Colectiva Nº 500 886 644 Gerência: Joaquim José F. Machado, Eduardo Oliveira Pinheiro (detentor de mais de 10% do Capital) Tels.: 255 432 301/255 432 313/ 255 432 914

Preço de Assinatura Continente 30,00 Euros | Estrangeiro 50,00 Euros

Porte Pago Avença – 4600 Amarante


O Jornal de Amarante Quinta-feira, 19 de Maio 2011 | 3

ACTUALIDADE Coopertâmega e Associação Empresarial de Amarante promoveram produtos tradicionais amarantinos, entre 28 de Abril e 1 de Maio.

Amarante marca presença no VI Festival Internacional da Máscara Ibérica, em Lisboa

| José Carvalho|

“Consideramos a participação da Coopertâmega e da Associação Empresarial de Amarante (AEA), no VI Festival Internacional da Máscara Ibérica (FIMI), muito positiva”. É este o balanço do presidente da Coopertâmega, Pedro Catão Santos, sobre a participação destas Instituições amarantinas, de 28 de Abril a 1 de Maio, naquele que é considerado o maior desfile da Europa dedicado à apresentação, na sua génese, das tradições pagãs das máscaras de origem ibérica, mas que desde as últimas edições traz também até à capital alfacinha as máscaras de outras regiões da Europa. De acordo com o presidente da Coopertâmega, o objectivo

de promover os produtos tradicionais de Amarante “foi claramente alcançado”, muito pelo facto de “o nome Amarante e os produtos produzidos na cidade serem sinónimo de qualidade”. Foi, precisamente, num dos espaços deste festival, destinado à “Mostra das Regiões”, que várias cidades de Portugal marcaram presença, regiões de Turismo e também uma forte representação espanhola. A convite da PROGESTUR e do EGEAC, para expor e promover o que de bom tem a região do baixo Tâmega e, neste caso, em particular Amarante, a Coopertâmega e a AEA participaram com dois stands: “Estavam muito completos de iguarias amarantinas como os famosos

doces regionais e conventuais, fumeiro, compotas, mel do Marão, tão bem acompanhados pelo vinho Verde de excelente qualidade. O artesanato completou esta mostra, e deu um colorido muito bonito aos stands”, evidenciou. Para ocupar os stands, foram convidados alguns empresários e artesãos, que responderam positivamente ao desafio. “Gente que em pouco tempo se conseguiu mobilizar, e onde notamos que existe uma grande vontade e energia em levar para fora o nome de Amarante”, frisou. Participaram, neste evento, as Confeitarias “da Ponte”; “Brisa Doce” e “Butterfly”; “Fumeiro S. Gonçalo”; “Rosa Rosé”; “Casa AssisRêgo”, “Trincamundo – Eventos e Formação”, e a “Quinta da Levada”. Quando questionado sobre a importância desta oportunidade de expor produtos característicos de Amarante, Pedro Catão Santos não tem dúvidas: “Entendemos que os recursos endógenos duma região, aliados a uma boa divulgação e valorização por parte de todas as entidades responsáveis, são hoje, mais do que nunca, de grande potencial e um factor de distinção da mesma. Parte dos produtos apresentados pertencem ao sector primário da economia Amarantina. Este sector, bem conjugado com o dos serviços,

como o Turismo, é sem dúvida o grande factor de distinção de Amarante, e reveste-se de uma extrema importância, pois só assim conseguiremos uma economia cada vez mais sustentável”. Como assegurou o presidente, “a agenda da Coopertâmega continuará a ser enriquecida com bons eventos e iniciativas como esta, a serem divulgados oportunamente, sempre na perspectiva da valorização de Amarante, do Baixo Tâmega e das suas gentes”. Roteiros Gastronómicos de Amarante distribuídos no FIMI Disponibilizados pela AEA, foram distribuídos milhares de roteiros gastronómicos de Amarante, numa “clara aposta na divulgação nacional e internacional” do que de melhor a cidade conhecida como a “Princesa do Tâmega” tem para oferecer, uma vez que o FIMI se realizou numa zona de inspiração pelo seu significado cultural, onde passam diariamente milhares de turistas. “Os dois stands de Amarante foram muito visitados e, com bastante empenho e simpatia por parte dos nossos expositores, conseguiu-se alcançar também o segundo objectivo que era a rentabilização do investimento feito por parte destes”, esclareceu o presidente da Coopertâmega. VI Edição do FIMI

O FIMI é um festival que se realiza já há seis anos, numa das grandes salas de visita da cidade de Lisboa, como é a ilustre Praça do Rossio. O momento alto deste Festival aconteceu a 30 de Abril, com o grande Desfile da Máscara Ibérica, que percorreu as principais artérias da cidade de Lisboa, partindo da praça do Comércio, subindo pela Rua Augusta e terminando no Rossio. Foram mais de 500 figurantes mascarados, representando 23 grupos de Portugal, Espanha, Irlanda, e Itália, que animaram a baixa da cidade. A importância da Coopertâmega vista pelo presidente da AEA, Luís Miguel Ribeiro “A Associação Empresarial de Amarante (AEA) promoveu um conjunto de reflexões com as Associações do Baixo Tâmega, tendo dai resultado uma estratégia para o desenvolvimento integrado da região. Estratégia essa que se destaca nas vertentes de promoção e valorização de Amarante e da Região, como factor decisivo para atracção de pessoas e dinamização do turismo cultural e de natureza. Neste contexto, entendeu a AEA constituir uma instituição designada Coopertâmega, que terá como objectivo a valorização do nosso património cultural, gastronómico, vitivinícola e religioso”.

Feira dos Doces Conventuais reúne número máximo de expositores da Doçaria Conventual do País Pelo sexto ano consecutivo, os claustros do Convento de S. Gonçalo acolheram a “Feira dos Doces Conventuais”, uma iniciativa organizada pela Associação Empresarial de Amarante (AEA) e que atraiu mais de 10 mil visitantes. De forma unânime, expositores e organização fazem um “balanço muito positivo” e garantem que as “vendas superaram as expectativas”. Pela primeira vez, o evento reuniu 37 expositores, um número que deixou a organização muito satisfeita: “Estamos muito satisfeitos porque temos o número máximo desde a primeira edição. Reunimos o que há de melhor, de Norte a Sul do país, no que há doçaria conventual diz respeito”, referiu o presidente da AEA, Luís Miguel Ribeiro. Este ano, e de forma ainda mais evidente, a decoração do espaço atraiu muitas atenções, já que os Claustros foram decorados com muitas flores naturais. Um gesto

que se tem tornado hábito em todas as actividades organizadas pela AEA, uma vez que se uniu a outras instituições amarantinas, a fim de tornar Amarante a cidade mais florida do país. Doçaria do Minho ao Algarve Durante três dias, os visitantes puderam degustar e comprar os doces regionais e conventuais de diversas localidades, do Minho ao Algarve, mas provar, igualmente, diversos licores e compotas. A par da degustação, o evento teve também alguns momentos de animação proporcionados pelo grupo de teatro T’Amarante. Amarante, cidade que acolheu este certame, tem grande tradição nos doces conventuais e esteve representada por confeitarias com grande tradição que herdaram, ao longo dos anos, o segredo da confecção de muitas e saborosas iguarias. Na “Feira dos Doces do Convento” marcaram também presen-

ça os membros da Confraria do Doce Conventual de Amarante, uma congregação que tem como objectivos a defesa, a promoção e a certificação do genuíno doce da cidade, de forma a preservar a tradição que estes bolos contêm. A mostra do Doce do Convento tem vindo a ganhar projecção nacional e, este ano, o número de interessados em estar presentes no certame preencheu os claustros do Convento de S. Gonçalo, o que prova o grande interesse da promoção dos saberes e sabores tradicionais. “É importante salientar que recusamos muitos expositores que também queriam estar presentes mas, devido à limitação de espaço, não foi possível participarem. Este é um claro sinal de que os doceiros promovem e vendem os seus produtos. E vendem porque a feira tem sido um sucesso em termos de visitas, pois continuamos a receber muita gente”, salientou o presidente da AEA.

Caras conhecidas visitaram Feira dos Doces Esta VI Edição da Feira dos Doces Conventuais contou com a presença de algumas caras conhecidas do panorama nacional. O actor e modelo Paulo Pires e a esposa Astrid Werdnig, mas também o director da Central Mo-

dels, Tó Romano, e a esposa Mi Romano, marcaram presença no certame e também se deliciaram com a doçaria conventual. Esta quinta edição da “Feira dos Doces do Convento” decorreu nos dias 13, 14 e 15 de Maio, em Amarante.

|Fotos: José Carvalho e Pedro Costa|


4 | O Jornal de Amarante

CLASSIFICADOS

Cartório Notarial de Amarante A cargo da Licenciada OLGA MARIA DE CARVALHO SAMÕES, Notária com o arquivo do extinto Cartório Público. Faço saber para efeitos de publicação na imprensa local, que neste Cartório, no livro 260 a folhas 7 e seguintes, se encontra uma escritura de JUSTIFICAÇÃO de dez de Maio de dois mil e onze, em que: Aurélio Baptista Teixeira, casado, natural da freguesia de Candemil, concelho de Amarante, residente na Rua Nau Vitória, nº 1062, 3º direito, freguesia de Campanhã, concelho do Porto, outorga na qualidade de procurador de: MANUEL TEIXEIRA NUNES, NIF.119.595.540, e esposa EMÍLIA PINHEIRO, NIF.154.258.784, casados sob o regime da comunhão geral de bens, ele natural da freguesia de Candemil e ela natural da freguesia de Ansiães, ambas do concelho de Ama-rante, residentes na primeira no lugar de Candemil DECLAROU: Que os seus representados são donos e legítimos possuidores, com exclusão de outrem, dos seguintes imóveis, no valor atribuí-do igual ao valor patrimonial global de QUARENTA E SETE EUROS E QUARENTA E OITO CÊNTIMOS: 1- Prédio rústico, denominado “Pombinhas”, composto de pinhal e mato, com a área de dois mil e cem metros quadrados, sito no lugar da Estrada, freguesia de Ansiães, concelho de Ama-rante, a confrontar de Norte, com António Alves Pereira, de Sul, com Joaquim de Carvalho, Herdeiros, de Nascente, com António Eduardo Pereira Teixeira Miranda e de Poente, com Estrada Nacional, omisso na Conservatória do Registo Predial de Ama-rante, inscrito na matriz em nome do justificante marido sob o artigo 965, com o valor patrimonial de 5,60€. 2- Prédio rústico, denominado “Pedreira”, composto de car-valhal e mato, com a área de dois mil e quatrocentos metros qua-drados, sito no lugar do Eido, freguesia de Ansiães, concelho de Amarante, a confrontar de Norte, com Maria Nair da Cunha Mota, de Sul, com Junta de Freguesia, de Nascente, com Estrada Nacio-nal e de Poente, com Álvaro Ribeiro da Cunha, omisso na Con-servatória do Registo Predial de Amarante, inscrito

na matriz em nome do justificante marido sob o artigo 1430, com o valor patri-monial de 2,30€. 3- Prédio rústico, denominado “Cepões”, composto de cultu-ra e videiras de enforcado, com a área de mil duzentos e oitenta metros quadrados, sito no lugar de Eido, freguesia de Ansiães, concelho de Amarante, a confrontar de Norte, com Nestor Gonçalves Custodio, de Sul, com Manuel Pereira, de Nascente, com caminho e de Poente, com Joaquim Nogueira, omisso na Conser-vatória do Registo Predial de Amarante, inscrito na matriz em nome do justificante marido sob o artigo 1563, com o valor patrimonial de 35,12€. 4- Prédio rústico, denominado “Lamaceiro”, composto de mato, com a área de quatro mil metros quadrados, sito no lugar e freguesia de Candemil, concelho de Amarante, a confrontar de Norte, com António Teixeira Marinho herdeiros, de Sul, com Alexandrino Pereira Marinho e outro, de Nascente e poente, com Junta de Freguesia, omisso na Conservatória do Registo Predial de Amarante, inscrito na matriz em nome do justificante marido sob o artigo 3373, com o valor patrimonial de 1,32€. 5- Prédio rústico, denominado “Empinadouro”, composto de mato e pastagem, com a área de quatro mil, trezentos e quarenta metros quadrados, sito no lugar e freguesia de Candemil, conce-lho de Amarante, a confrontar de Norte, com Joaquim Carvalho Brandão, de Sul, com Avelino Teixeira Nunes, de Nascente, com Joaquim Teixeira Nunes e de Poente, com Belarmino Cerqueira da Silva, herdeiros, omisso na Conservatória do Registo Predial de Amarante, inscrito na matriz em nome do justificante marido sob o artigo 3310, com o valor patrimonial de 1,43€. 6- Prédio rústico, denominado “Cerdeira Trigal”, composto de mato e pastagem, com a área de três mil e setecentos metros quadrados, sito no lugar e freguesia de Candemil, concelho de Amarante, a confrontar de Norte, com José Pereira Gulpilhares herdeiros, de Sul e Poente, com José Ribeiro Alves e de Nascente, com Maria Pereira Morais, omisso na Conservatória do Registo Predial de Amarante, inscrito na matriz em nome do justificante marido sob o artigo 3483, com o valor patrimo-

nial de 1,32€. 7- METADE do Prédio rústico, denominado “Bouça dos Enxertos”, composto de mato e pastagem, com a área de três mil e seiscentos metros quadrados, sito no lugar de Revilhães, freguesia de Candemil, concelho de Amarante, a confrontar de Norte, com caminho, de Sul, com Fernanda Lopes da Silva e outros, de nas-cente, com ribeiro e de Poente, com José Pereira da Silva, descrito na Conservatória do Registo Predial de Amarante sob o número dois mil, novecentos e noventa e três, sem inscrição em vigor quanto a metade, inscrito na matriz na referida proporção em nome do justificante marido sob o artigo 4108, com o valor patri-monial correspondente de 0,39€. Que no ano de mil novecentos e setenta, em dia e mês que os seus representados não podem precisar, foi-lhes doado verbalmente, por Manuel Joaquim Nogueira e mulher Ana Pinheiro, casados sob o regime da comunhão geral e bens, residentes que foram no lugar do Eido, freguesia de Ansiães, concelho de Ama-rante, os acima identificados prédios, doação esta que nunca foi reduzida a escrito. Que, no entanto, e desde essa data, os seus representados neles vêm praticando todos os actos conducentes ao aproveita-mento de todas as suas utilidades, ocupando-os segundos os seus destinos e fins, em proveito próprio, posse que se manteve sem qualquer oposição nem interrupção e com o conhecimento de toda a gente, comportando-se os representados do primeiro outorgante, como se fossem titulares do direito de propriedade plena sobre os referidos prédios. Que nestes termos, os seus representados detêm a posse em nome próprio, pacífica, contínua e pública por mais de vinte anos sobre os ditos prédios, pelo que os adquiriram por USUCAPIÃO. Está conforme. Cartório Notarial de Amarante, 10/05/2011 A Funcionária, por expressa delegação da Notária Olga Maria de Carvalho Samões, nos termos do artigo 8º n.º 1 do DL 26/2004 de 04/02, a) Rosa Maria Cerqueira Gomes

Pretende-se Companheira honesta, séria com idade superior a 65 anos, para fazer companhia a senhor de 78 anos, com casa independente para a companheira ou se preferir fazerem de casal Contacto: José Pinto - Novais Mancelos - Telem: 916961923

Cartório Notarial de Amarante NOTÁRIA ANA CATARINA DE CASTRO MARTINS Avenida 1º de Maio, Loja H, R/ C, Edifício Carvalhido – São Gonçalo, Amarante Certifico, para efeitos de publicação, que por escritura de Justificação lavrada neste Cartório em doze de Maio de dois mil e onze, a folhas 51 e seguintes do livro de notas número SETE-A, JOAQUIM INÁCIO RIBEIRO, NIF 134 169 417, e mulher MARIA DA GLÓRIA JESUS CERQUEIRA, NIF 134 170 369, casados sob o regime da comunhão geral de bens, ele natural da freguesia de Jazente, ela da freguesia de Fregim, ambas do concelho de Amarante, residentes na primeira na Rua de Enxertada e Lameiro Longo, nº 20, Souto. DECLARARAM: I) Prédio rústico, denominado de “Encertada”, composto de cultura, vinha de bardo e ramada, oliveiras, pinhal, eucaliptal e mato, com a área de doze mil quinhentos e quarenta metros quadrados, a confrontar de Norte com Aventino Pereira Dias, de Sul com Maria Prazeres C. Lobo, de Nascente com Carlos Soares Teixeira, de Poente com Manuel Ribeiro, sito no Lugar de Encertada, na freguesia de Jazente, concelho de Amarante, não descrito na Conservatória do Registo Predial de Amarante, mas inscrito na respectiva matriz, sob o artigo 230, com o valor patrimonial tributário e atribuído de MIL DUZENTOS E CINQUENTA EUROS; II) Prédio rústico, composto de pinhal, com a área de três mil duzentos metros quadrados, a confrontar de Norte com Alberto Morais, de Sul com Aventino Pereira Dias, de Nascente com Manuel Ribeiro, de Poente com António Guedes, sito no Lugar de Pica António, na freguesia de Jazente, concelho de Amarante, não des-

crito na Conservatória do Registo Predial de Amarante, mas inscrito na respectiva matriz, sob o artigo 226, com o valor patrimonial tributário e atribuído de VINTE E DOIS EUROS E NOVENTA E TRÊS CÊNTIMOS; Que, porém não são detentores de qualquer título formal que legitime a posse dos referidos prédios e que os adquiriram por compra, meramente verbal, efectuada a Joaquim de Sousa Monteiro, solteiro, maior, residente que foi na Avenida da Boavista, freguesia de Massarelos, concelho do Porto, em dia que não podem precisar mas sabem ter sido em mil novecentos e oitenta e quatro. Que, desde então, até à presente data, logo há mais de vinte anos, sem interrupção e oposição de quem quer que seja, possuem os aludidos prédios, gozando de todas as utilidades por eles proporcionadas, nomeadamente, limpando-os, desbastando-os, cultivando-os e colhendo os seus frutos, assim como pagando as respectivas contribuições e impostos, sempre com ânimo de quem exerce direito próprio, considerando-se e sendo considerados como seus únicos donos, na convicção de que não lesam direitos de outrém, POSSE esta que iniciaram e mantêm de boa fé, pacífica, porque sem violência, contínua e publicamente, à vista e com o conhecimento de toda a gente. Que, dadas as enunciadas características de tal posse, adquiriram os ditos prédios por USUCAPIÃO, título esse que, por sua natureza não é susceptível de ser comprovado pelos meios extrajudiciais normais. Está conforme Amarante, 12 de Maio de 2011. A Notária, a) Ana Catarina de Castro Martins

Cartório Notarial de Amarante A cargo da Licenciada OLGA MARIA DE CARVALHO SAMÕES, Notária com o arquivo do extinto Cartório Público. Faço saber para efeitos de publicação na imprensa local, que neste Cartório, no livro 260 a folhas 67 e seguintes, se encontra uma escritura de JUSTIFICAÇÃO de dezassete de Maio de dois mil e onze, em que: JORGE TEIXEIRA DA SILVA, NIF 149.591.667 e mulher MARIA DA GRAÇA RIBEIRO FERNANDES, NIF 149.591.675, casados sob o regime da comunhão de adquiridos, naturais da

freguesia de Lomba, concelho de Amarante, residentes na Escada do Areal, 22, freguesia de Padronelo, concelho de Amarante. DECLARARAM: Que são donos, com exclusão de outrem do seguinte imóvel: Prédio URBANO, composto de casa de rés-do-chão e andar com a superfície coberta de trinta e cinco metros quadrados e logradouro com a área de seiscentos e sete metros quadrados, sito no lugar de Trás do Outeiro, freguesia de Padronelo, concelho de Amarante, a confrontar de norte com o caminho de servidão, sul

com Elvira Fernandes, nascente com Monte da Quinta de Quartas e de poente com caminho público, descrito na Conservatória do Registo Predial de Amarante sob o número DUZENTOS E DEZOITO, inscrito na matriz sob o artigo 198, com o valor patrimonial e igual atribuído de 2.793,19€. Tal prédio encontra-se registado na referida Conservatória do Registo Predial de Amarante a favor da referida Elisa Teixeira conforme inscrição Ap 57 de 1993/07/02. No entanto, os justificantes adquiriram o referido prédio da

citada titular inscrita na Conservatória por escritura pública de compra e venda outorgada por volta do ano de mil novecentos e oitenta e seis. Mas, apesar das buscas efectuadas, não se conseguiu obter a escritura que titula esse contrato, ignorando-se também qual o cartório que a outorgou e assim, não obstante as árduas buscas efectuadas em todo o território nacional não foi possível obter o título em falta para o reatamento do trato sucessivo da titular inscrita na Conservatória para si, justificantes.

Em consequência da referida escritura de compra e venda, ficaram donos e legítimos possuidores da propriedade plena do citado imóvel. No entanto, não conseguem obter o título em falta para efeitos de registo predial, o qual só poderá ser obtido por meio da justifi-cação de direitos para reatamento de trato sucessivo, que aqui se outorga. Está conforme. Cartório Notarial de Amarante, 17/05/2011 A Notaria Olga Maria de Carvalho Samões


O Jornal de Amarante Quinta-feira, 19 de Maio 2011 | 5

ACTUALIDADE

Candidatos do PS pelo Distrito do Porto Visitaram as obras da Parque Escolar Como oportunamente foi anunciado, a Escola Secundária de Amarante foi incluída entre as escolas intervencionadas no programa de Requalificação das Escolas Secundárias (Programa Parque Escolar). É um programa que pretende modernizar as condições de funcionamento daquele nível de ensino garantindo melhor qualidade nos espaços dedicados ao ensino experimental e ao ensino oficinal, além do conforto que é introduzido para alunos e funcionários. Este programa foi criado pela Resolução do Conselho de Ministros nº 1/2007. A nível nacional, já foram con-

cluídas as intervenções em 90 escolas, estando previsto que até 2015 370 Escolas Secundárias constituam um espaço de estudo moderno e confortável, num valor total de investimento de 3,2 mil milhões de euros por forma a garantir a escolaridade obrigatória de 12 anos. As obras na Escola Secundária de Amarante, entre construção civil e equipamento, estão orçadas em 15,3 milhões de euros, entre os 608 milhões previstos para o Distrito. Foram estas obras que os candidatos do Partido Socialista pelo distrito do Porto, Francisco Assis, nº 1 da lista, como

é sabido, e ainda Glória Araújo, Manuel Seabra e João Paulo Correia vieram conhecer. O Jornal de Amarante pôde verificar a satisfação dos visitantes com o ritmo das obras. O Bloco C já está completamente pronto à reorganização dos espaços, as oficinas já estão demolidas e os caboucos abertos para as que vão crescer e o corpo onde irão ser colocados quase todos os serviços também já começa a ganhar dimensão. Ao que nos foi explicado, esta é a primeira fase que, segundo o cronograma, deverá estar pronta no início do próximo ano lectivo.

Aguiar Branco em Amarante, “José Sócrates enganou os portugueses com grande competência” O cabeça de lista do PSD pelo distrito do Porto participou numa arruada pelo Mercado Municipal de Amarante, no passado dia 14 de Maio, contando com o apoio de várias dezenas de apoiantes. Num ambiente de pré-campanha para as legislativas, ladeado por outros candidatos a deputados pelo distrito, destacando a candidata amarantina, Maria José Castelo Branco, José Pedro Aguiar Branco teceu algumas considerações, acusando José Sócrates de “enganar os portugueses com grande competência”, dizendo também que “é o preço a pagar por causa da incompetência do governo socialista”.

A visita começou em frente à Câmara Municipal de Amarante, estendendo-se até ao Mercado Municipal. Durante o acontecimento Aguiar Branco, seguido por dezenas de militantes e simpatizantes do PSD, cumprimentou e falou com os amarantinos, passando uma mensagem e um apelo à mudança de políticas, “Portugal não pode correr o risco de continuar com José Sócrates a primeiro-ministro, Portugal é o único país da Europa que ainda está em recessão”, afirmando que “enquanto os outros já estão a sair da recessão, os portugueses vão ter que continuar por mais tempo em recessão”.

III Festival da Canção do Centro Pastoral Os Amigos do Centro Pastoral vêm programando regularmente as suas actividades, algumas de cariz artístico de assinalável êxito, como aconteceu neste fim-de-semana, com o FESTIVAL DA CANÇÃO, na sua terceira edição. O contributo das várias actividades desempenha um papel importante, quer na possibilidade de estabelecer programas regulares com recursos por vezes limitados, mas que fixam o público em datas tradicionais, quer canalizando os rendimentos gerados com as diversas actividades ajudando ás despesas com o Centro Pastoral. No passado sábado, 14 de

Maio, o auditório do Centro Pastoral proporcionou as emoções próprias de um grande espectáculo, comunicativo e valorizado por uma juventude que conquistou o público, pela sua irreverência, sem limitações e sem receios. Sobrou o entusiasmo contagiante na escolha dos reportórios acessíveis a todo o público, as excelentes interpretações, o ritmo do espectáculo, os vestuários adequados, e aquela magia que só acaba com o bater forte dos aplausos. O Festival da Canção também proporcionou a todos os jovens, estamos em crer, momentos de forte alegria, uma experiência

positiva, e também eles contribuíram e participaram para um projecto que envolve as nossas comunidades de S. Gonçalo e S. Veríssimo. O grande entusiasmo que rodeou a interpretação das canções com muitos aplausos e ruidosos incentivos, e a abordagem de uma variado reportório, valorizou este III Festival da Canção, e que teve como justa vencedora Diana Dias, com a interpretação de Senhora do Mar, de Vânia Fernandes. Em 2º lugar ficou Nuno Martins, com Caminho do Luar, de Rui Andrade, e em 3º lugar José Lopes, com Movimento Perpétuo Associativo, dos Deolinda.

Participaram ainda Ana Rita Pereira, Ana Rita Ribeiro, Sara Alexandra Ferreira, Bianca Catarina Monteiro, Sílvia Costa, Rafaela Pinheiro, Ana Rita Silva, Ana Margarida Pinto, Joana Costa, Cristiana Verónica Teixeira, Catarina Rebelo, Bruno Pinto e Sara Pinheiro. Com este III Festival da Canção foi dado mais um passo que vai materializar um programa de animação privilegiado com referências precisas no aspecto lúdico e participativo, e com presença certa para o próximo ano.


6 | O Jornal de Amarante


O Jornal de Amarante Quinta-feira, 19 de Maio 2011 | 7

 

    

 





 

 











 

      

 


8 | O Jornal de Amarante

ACTUALIDADE

Círculo Lago Cerqueira apresentou nº 2 da revista cultural TESTEMUNHOS

ALMOÇO/COMÍCIO COM JOSÉ SOCRATES E FRANCISCO ASSIS SÁBADO, 28 DE MAIO, 12h30, NO EDIFÍCIO TOP RECTA DE RAMOS – TELÕES INSCRIÇÕES: 918250655; 967571372; 918292489 ou concelhia.ps.amarante@gmail.com

S. Gonçalo - Amarante O tempo passa, Mas a dor permanece Um vazio profundo Se forma na minha alma e parece, então que sempre irá faltar um pedaço de Mim... Tua esposa Glória

EDITAL DE VENDA 2ª Publicação Natália Teixeira Garcia Agente de Execução Processo: 1996/06.4TBAMT N/Referência: PE/17/2010 Data: 04/05/2011 Exequente: Caixa Geral de Depósitos, S.A. Executados: Nortenha – Minérios de Estanho, S.A. Processo n.º 1996/06.4TBAMT Tribunal Judicial de Amarante – 1º Juízo FAZ-SE SABER que nos autos acima identificados, encontra-se designado o dia 1 de Junho de 2011, pelas 14:00 horas no Tribunal Judicial de Amarante para a abertura de propostas, que sejam entregues até esse momento na secretaria, pelos interessados na compra do seguinte bem: Verbas Verba n.º 1 – Prédio rústico, constituído por eucaliptal, pinhal e mato, com 31500 m2, sito em Rebordelo, freguesia de Rebordelo, concelho de Amarante, inscrito na matriz sob o nº 253, e descrito na Conservatória do Registo Predial de Amarante sob o n.º 255/19901004. Valor Base: 5.000,00 euros. Verba n.º 2 – Prédio rústico, constituído por cultura, videiras de forcado e mato, com 3600 m2, sito em Fontão, freguesia de Rebordelo, concelho de Amarante, inscrito na matriz sob o nº 257, e descrito na Conservatória do Registo Predial de Amarante sob o n.º 256/19901004. Valor Base: 1.000,00 euros. Verba n.º 3 – Prédio rústico,

constituído por cultura, videiras de forcado, pastagem, pinhal, mato e sobreiros, com 11600 m2, sito em Fontão, freguesia de Rebordelo, concelho de Amarante, inscrito na matriz sob o nº 255, e descrito na Conservatória do Registo Predial de Amarante sob o n.º 257/19901004. Valor Base: 2.000,00 euros. Verba n.º 4 – Prédio rústico, constituído por videiras em cordão, fruteiras, pastagem, pinhal e mato, com 381675 m2, sito em Vieiros, freguesia de Rebordelo, concelho de Amarante, inscrito na matriz sob o nº 772, e descrito na Conservatória do Registo Predial de Amarante sob o n.º 259/19901011. Valor Base: 58.000,00 euros. Os bens pertencem à executada: Nortenha – Minérios de Estanho, S.A., com sede em Vieiros – Rebordelo 4600-000 Amarante. Serão aceites as propostas de melhor preço acima da quantia correspondente a 70% do valor base. Não de Encontra pendente oposição à execução. Foram reclamados créditos pela Fazenda Nacional no valor de 1420.63 euros. É fiel depositária, que os deve mostrar a pedido, Natália Teixeira Garcia, Agente de Execução, contribuinte n.º 197300251, com escritório na Rua da Azerveira n.º 2, r/c esq. – Alagoas, Albergaria-a-Velha. Contacto: 234522328 Albergaria-a-Velha, 4 de Maio de 2011 A Agente de Execução, a) Natália Teixeira Garcia

O Círculo Lago Cerqueira apresentou, sábado, na esplanada do restaurante L’ amore mio, mais uma edição da revista cultural TESTEMUNHOS. A segunda edição da revista, com periodicidade bianual, foi apresentada pelos responsáveis do Círculo como uma importante expressão cultural que se assume como mais um contributo para um aprofundado conhecimento da história ama-

rantina e da região. “Com a publicação de mais uma edição da revista TESTEMUNHOS continuamos a cumprir aquilo que consideramos ser a génese do Círculo Lago Cerqueira no aprofundamento, investigação e divulgação da história e património de Amarante”, disse Pedro Alves Pinto, presidente da associação. “É com grande satisfação que sai o número dois desta revista, sobretudo num momento económico difícil como o que atravessamos, mas que esta associação com o rumo que tem levado, marcado pelo bairrismo e humildade que lhe tem servido de suporte, tem a certeza que continuará a contribuir para o engrandecimento de Amarante na vertente cultural”, acrescentou, considerando que a concretização destas iniciativas só são possíveis graças ao rigor e objectividade dos projectos delineados ao longo dos últimos anos pela direcção do Círculo Lago Cerqueira. “Estamos certos que com as nossas diferentes actividades culturais continuaremos a con-

tribuir e a orgulhar Amarante no futuro que temos pela frente”, considerou Alves Pinto. A segunda edição da revista TESTEMUNHOS revela-nos monumentos, figuras e a crónica de acontecimentos que, pela sua relevância, passam a estar mais acessíveis aos amarantinos e a todos os cidadãos que apreciam a nossa história da sociedade medieval, moderna e contemporânea. A primeira parte da revista reproduz artigos relativos ao nosso concelho: os Anais do Município de Amarante de 1856 e 1857, o Convento de S. Gonçalo, o Centenário da Guerra Peninsular em 1909, e a alguma da Arte Românica em Portugal. Na segunda parte podemos ler artigos respeitantes a outros assuntos como: a chegada do primeiro automóvel a Amarante, os administradores do concelho de Amarante na I República, a Albergaria do Covelo do Tâmega, a Cidade e a Serra e por fim a génese do Clube de Pesca de Amarante.

Quanto vale 1 Km da sua solidariedade? No próximo dia 22 de Maio, o Partido Socialista de Amarante em parceria com Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) do concelho – ADESCO, Infantário Creche O Miúdo, Associação Bem Estar, Associação Humanitária de Santiago, Cercimarante, Centro Social Vale de Santa Natália, CLAP, Centro de Convívio de Vila Caiz, Centro Social de

Real – vai realizar a caminhada “Quanto vale 1 km da sua solidariedade?”. Esta iniciativa tem como objectivos promover a solidariedade e apoiar, com os donativos, as Instituições Particulares de Solidariedade Social de Amarante (parceiros). Cada participante irá atribuir um valor à sua caminhada que reverterá, de forma equitativa, para as instituições envolvidas. A cami-

Gatão - Amarante

Dna. Elvira de Barros

AGRADECIMENTO Sua família vem por este meio, e muito reconhecidamente agradecer a todas as pessoas que participaram no funeral da saudosa extinta ou que, de qualquer outro modo, lhes manifestaram o seu pesar. Agradecem também a todas as pessoas que se dignaram assistir à missa de 7º dia. Pedem desculpa por qualquer falta involuntariamente cometida. Funerárias do Tâmega, Lda: 255424422 | 917643062 | 919449561 | 917502997

França - Telões - Amarante

Sr. Albino Silveira Moura

AGRADECIMENTO Sua família vem por este meio, e muito reconhecidamente agradecer a todas as pessoas que participaram no funeral do saudoso extinto ou que, de qualquer outro modo, lhes manifestaram o seu pesar. Agradecem também a todas as pessoas que se dignaram assistir à missa de 7º dia. Pedem desculpa por qualquer falta involuntariamente cometida. Funerárias do Tâmega, Lda: 255424422 | 917643062 | 919449561 | 917502997

nhada realizar-se-á na Ecopista do Tâmega, com início marcado para as 9h30, em Santa Luzia. No final da caminhada, haverá um convívio no parque florestal onde todos partilharão o seu farnel. Espera-se uma grande participação dos Amarantinos. Não fiquem indiferentes, caminhem connosco.

Bustelo - Amarante

Sr. António Soares Barbosa AGRADECIMENTO Sua família vem por este meio, e muito reconhecidamente agradecer a todas as pessoas que participaram no funeral do saudoso extinto ou que, de qualquer outro modo, lhes manifestaram o seu pesar. Agradecem também a todas as pessoas que se dignaram assistir à missa de 7º dia. Pedem desculpa por qualquer falta involuntariamente cometida. Funerárias do Tâmega, Lda: 255424422 | 917643062 | 919449561 | 917502997


O Jornal de Amarante Quinta-feira, 19 de Maio 2011 | 9

Cons(c)elhos saudáveis por Abel Afonso, Militante do PSD

INCURSÕES, por Maria Hermengarda Afonso Militante do PSD

Recursos termais

Ser ou não ser...

A água tem um papel decisivo no equilíbrio biológico do homem e da natureza, ou, não representasse ela cerca de 57% do sistema corporal do ser adulto. O potencial terapêutico das águas remonta a vários séculos A. C., embora tenham sido os Romanos os principais precursores dos banhos públicos e experimentadores dos efeitos e acções das águas termais. Em Portugal é no séc. XV com a Rainha D. Leonor, fundadora das Caldas de Rainha, junto a Óbidos, que aparece o primeiro estudo feito pela Universidade de Coimbra de análise química destas águas. O termalismo foi-se aprimorando com o conhecimento das características físico-químicas e biológicas das diferentes águas e com a experiência clínica ao longo de muitos anos de uso. De acordo com os iões predominantes temos águas bicarbonatadas, sulfuradas, sulfúricas e cloretadas. A terapêutica termal implica o conhecimento das características da água e dos males que aflige o doente e é, cada vez mais, considerada um complemento no controlo de muitas doenças de diversos aparelhos e sistemas. Em Portugal, há diversas estâncias termais enriquecidas com ginásios de fisiatria, aproveitando a combinação do movimento dentro de água (hidrocinesioterapia) e do calor (com significativas melhorias a nível do aparelho locomotor e redução de medicação analgésica/anti-inflamatória). Muitas destas estâncias termais estão localizadas em ambientes paradisíacos, com vida ao ar livre, bem complementadas no as-

pecto hoteleiro, permitindo abolir a tensão psíquica, fruto também do contacto social e com benefícios claros no combate à doença física e psíquica. A maioria dos aquistas portugueses sofre de doença osteoarticular e de doenças de foro respiratório. Há um crescimento progressivo de rinosinusites e asma que afectam milhões de pessoas em todo o mundo, fruto crescente de noites ambientais e do aumento exponencial de poluição, essencialmente nos meios urbanos e em consequência do número crescente de automóveis em circulação assim como de algum tipo de indústria mais poluente, mal instalada; acresce que muitos dos espaços de trabalho e de habitação estão em espaços fechados sujeitos a ares condicionados, com instalação e manutenção duvidosas, não esquecendo os malefícios do tabagismo activo e passivo. As nossas crianças sofrem desde bebé da “socialização contagiosa”, da troca de vírus com incremento exponencial das rinites, otites, bronquíolites, de terapêutica antibiótica, muitas vezes, abusiva e diminuição das defesas naturais, a somar ainda a alta incidência, também crescente das doenças alérgicas, estando justificada a necessidade de procura de outras formas de medicação, como o termalismo, no combate à inflamação crónica da mucosa respiratória e respectiva melhoria na qualidade de vida. As autarquias, que têm o privilégio de usufruir de águas com características termais, devem de todo em todo incrementá-las porque são uma alavanca fundamental no desenvolvimento do turis-

mo qualificado, da economia, do emprego e do crescimento global desse município e dessa região. As termas são locais de estadia temporária obrigatória para muitos utentes com patologias das mais diversas e que lhe permitem desfrutar do benefício e do prazer das águas em cenários de beleza rara, reduzindo a medicação de doenças crónicas, aliviando o stress quotidiano e ganhando qualidade de vida. O exemplo de Amarante, considerada cidade de montanha e também de termas embora em nenhum destes campos tenha sabido lograr vantagens. As termas das Murtas na freguesia da Madalena de natureza sulfúrea sódica usada para doenças do foro osteo-articular, do foro respiratório e da área dermatológica, tal como as conhecidas termas de sulfúreo (Cabeço de Vide) com propriedades únicas, que lhe conferem um acréscimo terapêutico na cura clínica das referidas doenças, sendo a cura, apesar de tudo, sempre um fenómeno complexo e multifactorial. É caso para perguntar: que interessa ter as nozes se não há dentes para as mastigar.

Tudo vem a propósito... de Hernâni Carneiro

O cantinho da leitura na Cercimarante Há limitações impostas no relacionamento derivado da exclusão social, e por vezes na manifesta indisponibilidade em adoptar politicas assentes em relações comprometidas que expressem um sentido na melhoria da qualidade de vida daqueles que têm falta de autonomia, e por vezes pobreza extrema associada, e que coloca aquela centralidade inevitavelmente no isolamento e no aumento das desigualdades sociais. Bem podemos falar de cidadania, dos direitos á educação, á saúde, ao trabalho, anulando barreiras, mas os comportamentos da Sociedade no geral apontam para uma rejeição que continua a condicionar a vida familiar, que assusta sempre naquela indiferença de quem sabe e de quem não sabe. Com as modernas tecnologias temos o mundo ao nosso alcance sem sair de casa. E são novos desafios e oportunidades para uma sociedade cada vez mais informada, e quem não tiver acesso e ficar à margem ficará mais

longe e mais limitado. Faltam-nos por vezes os protagonistas que queiram investir numa cidadania por inteiro, partilhar experiências e culturas, quer na dimensão ética, da responsabilidade, e do respeito, e que ajudem a esbater as desigualdades que tantas vezes conduzem à pobreza e que impulsionem aqueles princípios da ética, da responsabilidade e do respeito, e que favoreçam alternativas para que a vida seja vivida com sentido. E a procura de novos caminhos que apontem a esperança e a tomada de consciência contra o enviesar das necessidades dos cidadãos que legitimamente têm os seus anseios e expectativas. Reflectimos sobre uma realidade que não dá muitas respostas a vivências e partilhas pelo respeito á diferença, e á contribuição necessária para um mundo capaz de evoluir e abarcar um sentido pedagógico, numa mudança positiva na melhoria da educação dos utentes da Cercimarante, e por arrasto da própria Instituição. A Cercimarante como lugar de

aprendizagem, várias vezes como ponto de intervenção social, quer através de iniciativas e de projectos, quer através da caracterização de outras necessidades e do seu sentido de proximidade, continua assim a valorizar e a partilhar referências da ética, da responsabilidade, do respeito e da cidadania no sentido humanista, num horizonte sempre apontado para uma melhoria da socialização dos seus utentes. É também o papel da Cooperativa fazer despertar e estimular a auto-estima que contribua para novos conhecimentos através das novas tecnologias, nesta sociedade globalizada, que representem uma janela de aprendizagem de novas culturas e saberes, e preparem os cidadãos com necessidades especiais anulando barreiras, e facilitando uma melhor qualidade de vida. A leitura, um estado misto entre a conversação e a reflexão que estimula com vantagens a capacidade intelectual e o acesso ao conhecimento e á aprendizagem, é mais uma forma de intervenção

A famosa frase “Ser ou não ser, eis a questão” (no original em inglês: To be or not to be, that’s the question), de William Shakespeare, é frequentemente usada como um fundo filosófico profundo. Parece-me que isto aconteceu na semana passada com um artigo publicado neste jornal e intitulado “ Ser PSD”. Ao aprendiz de filósofo (ao jovem aprendiz, pretendo eu dizer, e na minha humilde qualidade de aprendiz mais velha), peço-lhe que não se apresse a adoptar compreensões, que não leia obras de uma só aprendizagem ou tendência, que procure conhecer as argumentações todas, e que queira tomar como principal propósito a singela façanha de compreender os outros: de compreendê-los bem, de os compreender a fundo, habitue-se a ver e compreender a realidade que se depara nas coisas que se afiguram polémicas e á superficialidade do que se chama «senso comum». Ora, se o fundamental do seu artigo é de facto a critica aqueles que escrevem e dizem o que pensam, e se, pois, a critica deve ser estudada não pelo mérito das respostas precisas sobre um certo número de questões, senão que, pelo valor que em si mesma assume, para a cultura do espírito, segue-se que é ideia inteiramente absurda a de se dar a alguém uma iniciação politica pela pura transmissão de respostas precisas como pretendeu resolver es-

ses tais problemas o partido politico do qual fazemos militância. Deverá pois assumir um carácter essencialmente crítico que não seja dominado pelo intuito imperativo de cerrar portas às discussões (anteriores e posteriores); e como bom professor que é deve, por isso, proceder a esse juízo crítico e obrigar os outros a fazê-lo. Seja a serenidade para o aprendiz de filósofo não uma pilha de conclusões adoptadas, e sim uma actividade de elucidação de problemas; é isto o que realmente importa. O simples conhecimento dos Estatutos do Partido Politico em questão, e que tão bem enumerou, mas que eu já conhecia, e dos quais faço lema (ser solidária, ser tolerante, entre outros) levame a concluir dois erros opostos: o primeiro, o de me manter eternamente passiva, de tudo aceitar como se fossem dogmas; o segundo, o de criticar. É ,exactamente, este segundo que pretendo continuar a criar. Não sou de modo algum acaciana*, não digo só obviedades. * (Conselheiro Acácio - figura fictícia queirosiana, representando a convencionalidade e mediocridade politica, sendo até à actualidade utilizada para designar a pompa balofa da pseudo-intelectualidade de muitas figuras públicas portuguesas. Deu origem ao termo acaciano, designação utilizada para tais figuras ou para os seus ditos).

e de integração que a Cercimarante acaba de valorizar com a criação do “Cantinho da Leitura”. Assim, no dia 26 de Abril, no segundo centro, em Vinhais-Gatão, com a preocupação central em ajudar a criar um pólo de encontro e ao mesmo tempo dinamizar actividades culturais, foi inaugurado o ”Cantinho da Leitura”, que estou certo, irá proporcionar algumas estratégias no que concerne á animação, á partilha de saberes, actividades artísticas, e aqui refiro com ênfase o teatro, enfim, uma vontade de intervir e valorizar os utentes da Cercimarante naquele trabalho permanente e persistente, contra o alheamento dos que comodamente transferem para os outros um problema que é de todos, da Sociedade

em geral, estimulando sinais de mudança, no sentido de superar imensas dificuldades. Parece coisa de pouca importância este ”Cantinho da Leitura” agora posto á disposição dos mais curiosos, mas este pequeno espaço, vai de certeza contribuir para uma melhor formação e aquisição de conhecimentos, outros comportamentos e sentido critico perante os problemas e dificuldades do dia-a-dia. As estantes ainda têm espaço vago pelo que se aceitam contributos de alguns dos leitores destas crónicas e que queiram ajudar, especialmente com pequenas enciclopédias temáticas, livros de contos e de poesia em especial.


10 | O Jornal de Amarante

DESPORTO

Associação Desportiva de Amarante Secção de Atletismo

Secção de Andebol Os Iniciados Masculinos do Andebol da A.D.A foram a única equipa em competição no passado fim-de-semana, disputando a 1ª Jornada da Taça de Encerramento da Associação de Andebol do Porto. Numa deslocação que já se previa difícil a Leça da Palmeira, para defrontar uma das melhores equipas nacionais do escalão, vencedora recente da Taça Primavera, a equipa da A.D.A perdeu por 52 -20. Após uma 1ª parte em que a equipa amarantina ainda deu alguma réplica a mais-valia da equipa da casa ditou o resultado final na 2ª parte.

Os atletas da A.D.A participaram no dia 14 e 15 de Maio no Torneio Olímpico Jovem Regional 2011 que decorreu na cidade da Maia, organizado pela A.A.Porto e com a presença de um total de 260 atletas. O grande destaque da competição vai para o atleta amarantino Pedro Silva, vencedor dos 1000 Metros e dos 1500 Mt. Obstáculos na categoria de Iniciados. Tiago Ricardo, Bruno Varejão e Eusébio Oliveira conquistaram o bronze nas suas provas e Cláudio Lopes e Lara Carvalho ficaram em 4 e 5. De referir que Tiago Ricardo conseguiu atingir os mínimos para o Campeonato Nacional de Juvenis na modalidade de 2000 Mt. Obstáculos. Fruto do bom trabalho desenvolvido pelos atletas e pelo técnico da A.D.A a Associação de Atletismo do Porto convocou os atletas Pedro Silva, Tiago Ricardo e Estefânia Moura para a integrarem a Selecção do Porto no Km Jovem Nacional a realizar em Ponte de Sôr no 21 de Maio de 2011. A A.D.A deseja boa sorte aos seus atletas nesta importante competição.

Apoie a A.D.A…

Faça-se Sócio

Secção de Canoagem A secção de canoagem da A.D.A participou, nos dias 14 e 15 de Maio, na III Copa de Espanha em Slalom que se realizou na localidade de Padrón (Galiza). Numa prova marcada pelas dificuldades atmosféricas, nomeadamente o forte vento que se fazia sentir, a A.D.A levou a competições 8 atletas e conseguiu atingir excelentes resultados, trazendo de Espanha 3 medalhas. José Carvalho e Cristiano Duarte alcançaram um brilhante resultado em C2 Sénior, arrecadando o 1º lugar da competição, fruto do domínio que impuseram desde cedo na tabela classificativa. Sara Bastos e Patrícia Queirós estiveram também em

magnífico nível em K1 Sénior, mesmo competindo com atletas da Selecção Espanhola alcançaram o 3º e o 5º lugar. Na categoria C1 Sénior José Carvalho alcançou o 2º lugar, a 1 segundo do 1º classificado, e Luís Gonçalves ficou em 13º lugar. Em C1 Júnior Rui Ferreira atingiu o 4º lugar. Em K1 Sénior Tiago Mendes ficou em 7º lugar e Cristiano Duarte em 11º lugar. Em K1 Junior Nelson Guedes atingiu o 16º lugar. O balanço desta prova foi bastante positivo para a A.D.A pois o trabalho dos seus atletas permitiu atingir resultados muito satisfatórios numa competição muito exigentes, valorizada pela presença de muitos atletas da Equipa Nacional de Slalom Espanhola.

Pague as suas quotas…

A 21 e 22 de Maio, em Braga

Valter Cardoso e António Costa lutam pelo primeiro lugar na Rampa Internacional da Falperra A Rampa Internacional da Falperra é a próxima prova para os pilotos Valter Cardoso/António Costa da equipa BETA/ENI, que decorre a 21 e 22 de Maio, numa das mais emblemáticas rampas do panorama internacional e nacional, contando com a participação de dez equipas. Os jovens pilotos Amarantinos, que tiveram a sua estreia no Ford Transit Trophy 2011 no Circuito do Estoril a 2 e 3 de Abril, onde a prova correu de forma exemplar tendo a dupla obtido um espectacular primeiro lugar, partem agora para a Falperra (Braga) “confiantes e empenhados em defender o primeiro lugar do troféu, obtendo o mesmo resultado da primeira prova. Sa-

ABC em Espanha O ABC- Águas Bravas Clube vai participar na Copa de Espanha III no rio Ulla em Padron na Galiza nos dias 13/14 e 15 de Maio, nas várias categorias, seniores, juniores e cadetes respectivamente em K1 Homens, K1 Damas, C1 Homens e C2 Homens. - Ivan Silva – K1H/Sénior; - Tiago Teixeira – C1H/Sénior; - Lara Silva – K1D/Sénior; - Ivan Silva/Tiago Teixeira – C2H/Sénior; - Rodrigo Magalhães – K1H/Júnior; - Catarina Varejão – K1D/Júnior; - Pedro Seara – K1h/Cadetes; - Rui Costa - K1H/Cadetes Terminou a Copa Pirenéus II em

Pau, França, com muito calor e com um dia fantástico de slalom, com as equipas francesas no estádio de águas bravas de Pau/Pirenéus. Resultados - 7 de Maio K1 Homens 1º Michael Kurt (Siuça) - 92,14 2º Fabien Lefevre (França) – 93,25 3º Mateus Polaczik (Polónia) – 93,44 44º Ivan Silva (Portugal) – 104,11 67º Rodrigo Magalhães (Portugal) – 119,12 K1 Damas 1º Nouria Newman (França)

– 104,59 2º Mallian Chourrant (Espanha) – 104,77 3º Emiliefer (França) – 106,50 26º Lara Silva (Portugal) – 124,72 K1 Homens 8 de Maio 1º Fabien Lefevre (França) – 92,37 2º Nevem Boris (França) – 93,41 3º Etienne Daille (França) – 96,30 31º Ivan Silva (Portugal) – 102,56 42º Rodrigo Magalhães (Portugal) – 139,47

bemos que não irá ser uma tarefa fácil mas esperamos trazer um óptimo resultado de Braga”, disseram ao Jornal de Amarante. A prova em Braga estende-se por dois dias (sábado e domingo). Divididos estão também os treinos livres, com a primeira subida a ter lugar no sábado, 21 de Maio, a partir das 08:16 até às 10:20; e a segunda subida das 11:20 às 12:00. Tal como os treinos livres a corrida “oficial” também está dividida em duas: a primeira tem lugar ao início da tarde, entre as 14:25 e as 15:04, e a segunda entre 17:02 e às 17:41. No domingo, 22 de Maio, não haverá treinos livres, apenas duas corridas “oficiais” com a primeira a ter início às 09:42 e a terminar às

10:21 e a segunda a começar às 11:58 e a terminar 13:06. A competição na Rampa é diferente dos Circuitos, pois desta vez não se trata de andar em pista, competindo directamente com os adversários, mas sim lutar contra o cronómetro, à procura do melhor resultado. O Team BETA/ENI, nomeadamente os pilotos Amarantinos Valter Cardoso e António Costa, agradecem todo o apoio das pessoas que se queiram deslocar à mítica subida, uma vez que está prometido para os dias 21 e 22 de Maio na Rampa Internacional da Falperra, muita animação deste emocionante e competitivo troféu de velocidade.


O Jornal de Amarante Quinta-feira, 19 de Maio 2011 | 11

DESPORTO por Mário Fernandes

3ª DIVISÃO NACIONAL

Amarante, 1 – Paredes, 0 Amarantinos a um passo da subida

Jogo no Estádio Municipal de Amarante, com arbitragem de António Resende da AF de Aveiro, auxiliado por Pedro Gomes e Fernando Pinho Amarante: Cláudio, Pedro Carneiro, César, Carlos Castro e Tiago Martins, André Pires, Tiago Silva (Pedrinho, 68), Filipe (Miguel, 73), Bruno Teixeira, Diogo Lamelas e Marcos (Jussane, 71) Treinador: Prof. Arlindo Gomes Paredes: Tiago, Bruno, Dany, Rui Coelho e Carlão (Leandro, 13), Romeu, Pedro Duarte (Eurico, 82), Vítor Hugo, George, Carlos (Cerqueira, 74) e Jaime Treinador: Fernando Valente Ao intervalo: 1 – 0 Golos: Bruno Teixeira (47) Amarelos: Rui Coelho (12), Jaime (24), Diogo Lamelas (27), Leandro (39), Marcos (45) e Pedro Carneiro (93) O Amarante ao ter recebido e vencido a formação do Paredes por uma bola a zero, isolou-se no segundo lugar, mantendo intactas as suas esperanças de almejar a subida à segunda divisão nacional. Mas não foi um jogo fácil, para o Amarante, já que teve que sofrer muito para conquistar os três pontos em disputa. O Paredes com o seu futebol de toque curto, de pé para pé e sempre em progressão, na procura da baliza, respondeu o Amarante, com um bom povoamento do meio campo, a tapar todos os caminhos para a sua baliza, e sempre que ganhava a bola partia rápido para o con-

tra ataque, e com perigo. Apesar de ter muita posse de bola, o Paredes não conseguia criar para baliza do Cláudio, que se limitava a assistir ao jogo de uma posição privilegiada. Ao Amarante faltava alguma calma na decisão dos lances junto à área paredense, já que os seus avançados se mostravam algo precipitados, no último passe, e os lances de perigo iam-se perdendo na área dos visitantes. O Paredes dispôs da sua melhor ocasião de golo, quando Jaime apareceu em boa posição na área amarantina, e rematou ao lado da baliza amarantina. O jogo estava bonito, com uma partida onde o golo poderia surgir para uma das equipas, e seria O Amarante a chegar ao golo, já em períodos de descontos da primeira parte, a aproveitar uma desatenção de Tiago, que ao repor uma bola em jogo, não reparou que Dany, estava pressionado por Bruno Teixeira, que aproveitou da melhor forma a atrapalhação do central, para inaugurar o marcador. O resultado ao intervalo, aceitava-se, já que pertenceram ao Amarante as jogadas de maior perigo. A segunda parte não trouxe alterações na forma de jogar das duas equipas, com o Amarante em vantagem, a não se importar que o seu adversário tivesse mais bola, jogasse o seu futebol, já que teria que arriscar mais, e em consequência abria mais espaços na sua zona defensiva, que o Amarante aproveitava para criar mais

Vila Meã, 1 – Rebordosa, 2 Vila Meã complica as suas contas

Jogo no Estádio Municipal de Vila um futebol desgarrado, sem nexo, lances de perigo junto da baliza Meã, com arbitragem de Daniel Car- com muito pontapé para frente, que de Tiago. O Paredes poderia ter doso da AF de Aveiro facilitava a tarefa dos paredenses, empatado o jogo, na sequênVila Meã: Torcato, Mário Alves, que iam controlando a partida, sem cia de um livre, com Jaime em Daniel, Rui Ribeiro e Pinheiro, Maia grandes calafrios. O Vila Meã nos úlexcelente posição, fez o mais (Alex, 61), Lemos (China, 78), Couto, timos minutos da primeira parte condifícil, que foi atirar por cima Mário Simões, Igor e Filipe Cândido seguiu criar algum perigo, mas sem que o marcador sofresse qualquer 46) da barra da baliza de Cláudio. (Chico, alteração. Treinador: Manuel Monteiro O Paredes não entregava os A segunda parte trouxe um Vila Rebordosa: Adriano, Ricardo Gopontos, mas o Amarante sabia mes, Calica (Moreira, 82), Gustavo Meã com outra atitude, mas o Reque tinha a partida controlada, (Nini, 73) e Joel, Nani (João Alves, bordosa soube fechar bem os camimas continuava a ter alguma 62), Poeira, Manuel Luís, Ricardo, nhos para a sua baliza, inviabilizando as tentativas vilameanenses. Com o e Carlos precipitação no último passe, Sousa avançar da partida o Vila Meã procuTreinador: Carlos Barbosa para poder obter um resultado Ao intervalo: 1 – 2 Golos: Igor (8), rou mais com o coração do que com mais folgado. O Paredes com Nani (9) e Manuel Luís (10) na cabeça, o melhor caminho para Amarelos: Ricardo Gomes (32), chegar à baliza contrária, mas a falta o aproximar do final do encontro, pressionou mais a defensi- Maia (36), Adriano (65) e Lemos de inspiração dos seus avançados, e a boa actuação da defensiva do va amarantina, mas mais com (71) Pode-se dizer que os primeiros Rebordosa ia anulando as investidas o coração, mas nesta fase o dez minutos da partida, valeram pela dos visitados. O Rebordosa pouco guarda-redes amarantino mos- partida toda, já que foi nesse período importunou a baliza do Vila Meã, já trou-se sempre muito seguro, que o resultado final foi estabelecido, que estava mais preocupado em dedando segurança aos seus co- num espaço de apenas três minutos. fender o resultado que lhe garantia legas da defesa. A parte final O Vila Meã marcou aos oito por Igor, a permanência na terceira divisão mas no espaço de dois minutos Nani nacional. da partida mostrou um Amaran- e Manuel Luís deram a volta ao reO resultado penaliza a formação te unido, com um excelente es- sultado. O Vila Meã acusou o rude vilameanense, que assim deu um pírito de entreajuda, na procura golpe, e até ao intervalo já que foi passo atrás na luta pela manutende um objectivo comum, já que uma equipa animicamente incapaz ção, numa partida com um trabalho jogou praticamente com um jo- de inverter o resultado praticando aceitável da equipa de arbitragem. gador a menos, já que Carlos Castro se lesionou, jogando os S. Gonçalo - Amarante últimos minutos em inferioridade física e na frente de ataque, Sr. António Manuel Baptista o que obrigou Pedro Carneiro a ir para central, descendo Diogo Lamelas para lateral direito. O Paredes aproveitou essa vanSua família vem por este meio, e muito tagem, e Cláudio evitou que o reconhecidamente agradecer a todas as Paredes chegasse ao empate, pessoas que participaram no funeral do ao evitar que o remate de Vítor saudoso extinto ou que, de qualquer outro Hugo, dentro da área amarantimodo, lhes manifestaram o seu pesar. na fosse para a baliza. Agradecem também a todas as pessoas O Amarante é um justo vencedor, já que soube sofrer, que se dignaram assistir à missa de 7º dia. numa boa partida de futebol, Pedem desculpa por qualquer falta invocom uma excelente moldura luntariamente cometida. humana no apoio ao AmaranAgência Funerária S. Pedro - 255432496 | 917534643 | 917578908 te, que acredita na sua equipa, com uma arbitragem ao nível do jogo, com alguns erros, mas sem importância, já que os jogadores das duas equipas souberam respeitar-se. O Amarante desloca-se no Sábado a Famalicão, para defrontar a equipa famalicense, já que no domingo se disputará a Urb. Queimado - Madalena - Loja 15 - 4600-245 Amarante final da Taça de Tel e Fax: 255 433410 | Telm: 912435021 | Email: rogerpecas@gmail.com Portugal.

AGRADECIMENTO

Facebook/ninajoias Rua 5 de Outubro, nº 74 Telef: 255 432315 – ninajoias@sapo.pt - AMARANTE


12 | O Jornal de Amarante

Fernando Pessoa na “Nova Águia”

CINECLUBE DE AMARANTE EXIBE “Somewhere – Algures” – 20 DE MAIO Sinopse:”Johnny Marco é uma típica estrela de cinema de Hollywood: vive no Chateau Marmont, um luxuoso hotel em Los Angeles, tem um carro topo de gama, mulheres belíssimas à sua volta e uma vida cheia de glamour. Até a ex-mulher deixar ao seu cuidado, e por tempo indeterminado, Cleo, a sua filha de 11 anos. Este reencontro com a menina que, apesar da idade, demonstra uma grande maturidade, vai ser um momento de viragem para Johnny que sente necessidade de repensar a forma como tem vivido a sua vida.” Com argumento e realização de Sofia Coppola (“As Virgens Suicidas””Lost in Translation” “Marie Antoinette”), “Somewhere” foi o filme vencedor da 67ª edição do Festival de Veneza (na foto, Sofia Copolla exibe o Leão de Ouro). Somewhere – Algures De:Sofia Coppola Com:Stephen Dorff, Elle Fanning Género:Drama, Comédia Classificação:M/12 ITA/FRA/EUA/JAP, 2010, Cores, 95 min

Vai ter lugar no próximo dia 20 de Maio, pelas 21:00, na extensão de Vila Meã da Biblioteca Municipal Albano Sardoeira, a apresentação, por Adriano Basto, do número 7 da “Nova Águia: Revista de Cultura para o Século XXI”, cujo tema é “Fernando Pessoa – minha Pátria é a Língua Portuguesa: nos 15 anos da CPLP”. O evento inclui, ainda, a apresentação, por Abel Coelho, vereador com o pelouro da Educação na Câmara de Amarante, de “A Águia e a República: 100 anos depois.

Exposição de Pintura Exposição de Pintura de Fernando Barros, “A minha Aldeia”, no Museu Municipal Cármen Miranda, a partir do dia 24 de Março. Nesta exposição, o autor apresenta-nos um cortejo de gente e saberes, preservando, na memória e no tempo, actividades e profissões que caírem em desuso.

A

exposição estará patente

ao público até

9 de Junho.

20 de Maio às 21:00 Auditório da Biblioteca Municipal Sarau de Poesia Alunos da escola EB2,3 de Amarante, declamador Fernando Soares.

Grupo Desportivo e Cultural Campofeirense Assembleia-geral Extraordinária CONVOCATÓRIA Nos termos da Lei e dos Estatutos, convoco os Exmos. Associados do Grupo Desportivo e Cultural Campofeirense, para reunirem em Assembleia-geral Extraordinária, no próximo dia 27 de Maio de 2011, Sexta-feira, às 21:00h, na Sede do Clube, a fim de deliberarem sobre a seguinte ordem de trabalhos: 1. Apresentação de candidaturas e eleição do Conselho Fiscal, Direcção e Assembleia-Geral. Amarante, 17 de Maio de 2011. O Presidente da Mesa da Assembleia-geral a) Pedro André Gonçalves de Sousa Cerqueira


JA nº.1617  

19 de Maio de 2011

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you