Page 1

Autorizado a Circular em envelope Plastificado

O JORNAL AMARANTE de

DIRECTORA: Mª JOSÉ CUNHA

PORTUGAL

J. P .P. AMARANTE TAXA PAGA

IRRESISTÍVEIS! JÁ MARCOU AS SUAS FÉRIAS? SAÏDIA - Oferta Vendas Antecipadas Verão 2011 Partidas de Lisboa aos domingos de 26 Jun. a 18 Set. ’11 7 noites | TUDO INCLUÍDO Hotel Iberostar Saïdia | 5 estrelas Inclui: avião + transfers + taxas de aeroporto, segurança e combustível (€ 40) + Seguro Multiviagens.

PORTO SANTO Partidas de Lisboa e Porto às sextas-feiras de 15 Jul. a 9 Set. ’11 7 noites | TUDO INCLUÍDO Pestana Porto Santo | 5 estrelas Inclui: avião + transfers + taxas de aeroporto, segurança e combustível (€ 87) + Seguro Multiviagens.

Desde:

582

por pessoa em duplo

Desde:

984

por pessoa em duplo vista piscina

Exclui: Despesa de reserva (€29 por processo e não por pessoa) + suplementos; lugares limitados; taxas sujeitas a alteração; sujeito às nossas condições gerais. CONSULTE-NOS.

Rua Cândido dos Reis, 222 | 4600-055 AMARANTE Email: amarante@abreu.pt - Tel.: 255410100 - Fax: 255410109

ABERTO À HORA DE ALMOÇO

Quinta-feira, 12 de Maio 2011 | Nº 1616| Ano 31 | euro 0.80

TEIA organiza caminhada pela família na Ecopista da Linha do Tâmega PSD Amarante elege deputado para a Assembleia da República Casa Mortuária da Madalena inaugurada

Feira dos Doces Conventuais de Amarante contam com a maior representação de sempre da Doçaria Conventual do País


2| O Jornal de Amarante

Espelho de Água por A. Magalhães

E a isto chamam democracia Quem, como o autor destas crónicas, já tem muitos anos de vida, tantos que quase lhes perde a conta, viu muita coisa agradável e desagradável, chorou algumas vezes e sorriu outras, emocionou-se com coisas belas e indignou-se com coisas ignóbeis, enfim, foi vivendo a vida que lhe coube viver. E como aliás é lógico sempre foi aprendendo alguma coisa, quer através de leituras, quer através da observação e da experiência e chegou à conclusão decepcionante de que o ser humano, a despeito de tantos meios de comunicação, informação e pedagogia, tem crescido muito pouco na sua humanidade. E isto não é nada de entusiasmar. Todo o bem e todo o mal passa pelo comportamento humano. A razão, que tem na ética a sua bússola norteante, muitas e muitas vezes esquece-se do norte que ela indica e perde-se em profundidades abissais onde só há lodo e detritos apodrecidos. O absurdo que encontrei na organização social que tão bem Ferreira de Castro denunciou nos seus livros e eu experimentei na realidade, continua a existir malgrado tanta doutrinação a favor da solidariedade

humana. Enquanto o homem for lobo do homem, isto é, enquanto não houver equilíbrio na distribuição das riquezas produzidas e predominar livremente a exploração do homem pelo homem ninguém pense que vamos ter um mundo decente, pacífico e justo. Se na adolescência descobri que as riquezas iam parar, na sua maior parte, à mão dos senhores do dinheiro, que, na maioria dos casos, viviam à grande e à francesa sem levantarem uma palha, cheguei à velhice e encontrei o mesmo absurdo, agora mais ignominioso por mais obcecado e cínico. E por aqui se pode aferir que o ser humano não evoluiu nada ou evoluiu tão pouco que mal se nota. Com um avanço técnico-científico espantoso que propícia o aumento da produção dos bens de consumo incluindo alimentos em moldes colossais, como se pode admitir que todos os dias morram centenas de milhar de seres humanos à fome, sobretudo crianças? Nunca se falou tanto em liberdade, democracia, direitos humanos, solidariedade, valores cívicos, quando, a todo o momento, se violam e rasgam todos esses valores. Quem não

se espanta com o cinismo dos países ocidentais, os tais que se arrogam de terem uma civilização de raiz cristã, que na sua essência invoca a igualdade e a fraternidade, e invadem e bombardeiam países soberanos para lhes saquearem as matérias-primas ou terem o acesso fácil às suas riquezas naturais? Olhemos de frente esta realidade. Não nos deixemos enganar e iludir com propagandas oficiais que a todo o momento os média do sistema nos impingem e centremos a atenção nos factos ignominiosos que não podem ser vistos e analisados se não como crime contra a humanidade. Assim, o pano de fundo em que se move o mundo político e económico, seja o das sociedades, seja (o que é ainda mais grave) o das nações, é

EDITORIAL Aproxima-se mais um acto eleitoral de grande importância para o futuro do país e também com alguma influência no destino do projecto europeu. O Eng. José Sócrates nas declarações prestadas ao país, no dia em que foi obtido o acordo com a Troika, e que englobou todos os partidos políticos, não devia ter ficado apenas pelo anúncio do que não irá acontecer, devia igualmente ter divulgado algumas das severas exigências que nos foram impostas, ainda que em súmula. Tal comportamento darlhe-ia a hipótese de relembrar o Primeiro-Ministro frontal, humilde, que sabe ouvir e dialogar em quem os portugueses em dois actos eleitorais consecutivos confiaram., mas a sua tendência para mostrar aos mercados internacionais que podem apostar em Portugal, na sua mão-de-obra qualificada, nas empresas e no funcionalismo público, não lhe permitiram. Disse meia verdade. Pedro Passos Coelho tem defraudado todas as expectativas que lhe foram deposita-

O JORNAL DE AMARANTE Propriedade Publitâmega - Publicações do Tâmega, Lda. Tiragem Média 3500 exemplares.

jornaldeamarante@iol.pt jornaldeamarante@gmail.com

das, não só pelo anúncio de propostas desconexas, inconstitucionais (relembremos a proposta de colocar os juízes a decidir por minuta), mas também que contrariam o que acordou com a Troika para a caça do voto. Tem dado tiros no pé que não são admissíveis a quem se intitula de alternativa. O PSD, consciente realidade do líder, vê os seus homens e mulheres de “peso” (lembremos Rui Rio) afastarem-se de cenário, o que é de lamentar. Pois ainda que obrigados a cumprir o acordo, o que é um facto que em campanha deve ser tido em conta para não se enganem os portugueses, direita e esquerda não é a mesma coisa. Os restantes partidos que fazem o contrapeso, úteis à vivência democrática, podem apresentar as propostas que quiserem, dizer o que bem entenderem, pois não têm expectativas de vir a governar e, portanto, não lhes serão assacadas responsabilidades.

o da roubalheira, do saque, do infestado de assassinos, e de genocídio impunes, porque os cúmplices de assassinos, de lacriminosos vencedores nunca drões, de falsários, de crápulas, são julgados. Guerras e mais ao mais alto nível e ninguém os guerras imperialistas, milhões acusa e inculpa. Para estes não de mortos e países destruídos, há leis, nem tribunais, nem juíquem incrimina os governos zes. E o povo, o Zé-povinho, por responsáveis por tais chaci- esse mundo fora, até os elege e põe no poder. E isto chama-se nas? O homem continua a ser o democracia. lobo do homem. Hoje será duma forma mais sofisticada, mais consonante com o fluir dos tempos, mas talvez mais cínica. No momento em que escrevo esta crónica, a NATO bombardeia cidades líbias, mas as bombas não matam ninguém porque as armas imperialistas são inteligentes e civilizadas. Os mortos líbios, e já são muitos, são vítimas dos assassinos às A crise internacional ordens de Kadafi, (Não sou só eu que o digo) que agora pertenÉ o principal motivo ce ao número dos Do nosso evidente mal; inimigos do império, que urge abaAlgo se tem de imputar ter. O mundo está A quem nos tem governado, Mas aos que “no contra” têm estado, Muito há a debitar;

PARABÈNS No passado dia 6 de Maio, completou mais um aniversário o Sr. Joaquim Cardoso. Um grupo de amigos desejam-lhe muitos parabéns e com muita saúde.

Eles não serão solução, São parte do problema!

E, não sejamos totós, O gastar à tripa-forra, Por grande parte de nós, Também contribuiu, porra! P’ra sair da situação, Grave, em que o País está, Só c’uma grande união De esforços iremos lá! O simples cidadão Vê isso muito bem; Alguns políticos, porém, Pelos vistos, é que não; Votar, nesses, não vale a pena; Ao não quererem coligação, Eles não serão solução, São parte do problema! 09/Maio/2011 Turdetano

| HM|

Directora: Mª José Cunha Colaboradores: A. Magalhães, António Patrício, Carlos Carvalho, Costa Neves, Gabriel Carvalho, Hermínia Mendes, Hernâni Carneiro, Maria Rosa Pinto da Cunha, Mário Fernandes, Paulo Teixeira.net, João Pereira da Silva, Simão Marinho, Sónia Bastos, Raquel Marinho, Telma Pinto Ferreira Design e Paginação: Maria José Cunha Secretariado: Maria José Cunha Administração/Redacção/Departamento Comercial: Largo de S.Pedro, 2ºC, Apartado 75 - 4600-036 Amarante, Tels.: 255 432 301/255 432 313/ 255 432914 Registos: Ministério da Justiça/Instituto de Comunicação Social - 106941| Depósito Legal: 135757/99 Pessoa Colectiva: 500 886 644 Depósito Legal: 135757/99 Pessoa Colectiva Nº 500 886 644 Gerência: Joaquim José F. Machado, Eduardo Oliveira Pinheiro (detentor de mais de 10% do Capital) Tels.: 255 432 301/255 432 313/ 255 432 914

Preço de Assinatura Continente 30,00 Euros | Estrangeiro 50,00 Euros

Porte Pago Avença – 4600 Amarante


O Jornal de Amarante Quinta-feira, 12 de Maio 2011 | 3

ACTUALIDADE A 15 de Maio, com partida de Amarante

TEIA organiza caminhada pela família na Ecopista da Linha do Tâmega No âmbito da comemoração do Dia Internacional da Família, o Projecto TEIA promove, a 15 de Maio, em colaboração com a Junta de Freguesia de Gatão, a 1ª Caminhada Pela Família, na Ecopista da Linha do Tâmega. Tendo como o objectivo sensibilizar a comunidade amarantina para a importância de uma dinâmica familiar funcional e sem violência, esta iniciativa integra-se nas acções de combate à violência doméstica e aos maus-tratos

infantis, promovidas pelo projecto. A concentração para a caminhada far-se-á a partir das 9:30, junto à estação de Amarante, onde se iniciará o percurso que levará os participantes até Gatão (Campo de Futebol). Para o final do percurso está prevista a realização de um almoço-convívio entre os caminheiros, oferecido pela Junta de Freguesia de Gatão. Embora a participação na caminhada ser livre, é obrigatória a

inscrição para almoço, que deverá ser feita até dia 12 de Maio na Junta de Freguesia de Gatão (tel.255 422530; jfgatao@net. novis.pt) ou na Casa da Portela (tel.255 410320; geral@teia-clds.com). A organização assegurará ainda a animação para as crianças e respectivas famílias, através da disponibilização de um insuflável, de um palhaço modelador de balões e outras iniciativas.

Armindo Abreu inaugurou a Casa Mortuária da Madalena

Para os dias 17, 18 e 19 de Maio “Vamos ao Museu ouvir a história de Amadeo”

No âmbito da comemoração do Dia Internacional dos Museus, a Câmara Municipal de Amarante organiza, em parceria com o Grupo de Teatro Amador de Amarante – “T’Amaranto”, a iniciativa “Vamos ao Museu ouvir a história de Amadeo”. Ao longo de três dias (17, 18 e 19 de Maio), o Museu Municipal Amadeo de Souza-Cardoso irá receber os alunos dos 2º e 3º anos do 1º Ciclo do ensino básico do concelho, numa iniciativa

O Presidente da Câmara de Amarante disse, a 7 de Maio, que “enquanto tiver responsabilidades autárquicas manterei a política de solidariedade com as freguesias do Município, ajudando ao seu desenvolvimento”. Armindo Abreu discursava após a inauguração da Casa Mortuária da Madalena, acto a que se associou D. António Taipa, Bispo Auxiliar da Diocese do Porto, que o autarca saudou como um “amigo de Amarante”

e a quem agradeceu a “honra da sua presença”. Sobre a solidariedade com as freguesias, Armindo Abreu referiu os protocolos que o Município vem estabelecendo com aquelas autarquias e que visam a realização de pequenas obras, como é o caso da construção de casas mortuárias, um equipamento com que o Presidente da Câmara quer ver dotadas todas por, disse, “permitirem um último adeus dos familiares aos seus ente-queridos

num ambiente de dignidade e recolhimento”. Sobre a Casa Mortuária da Madalena, cuja construção custou 93 000 euros, arranjos exteriores incluídos, Armindo Abreu felicitou a autora do projecto, Raquel Marinho, pela solução arquitectónica encontrada, considerando que o edifício valoriza a encosta onde se situa e toda a sua envolvente.

pedagógica que procura motivar as crianças à descoberta Amadeo, levando-os a conhecer os passos mais significativos da sua vida e obra. Durante trinta minutos, em sessões a decorrer entre as 10:00 e as 12:00, e das 15:00 às 17:00, os actores do T’Amaranto irão contar a vida do pintor de Manhufe, através de pequenas performances e trechos musicais.

TERRENO - TELÕES Terreno plano, com a área de 5.700m2, dá para construção de 2 moradias geminadas ou uma bifamiliar, óptima localização e acessos. Preço: Só 42.500€ Sociedade de Mediação Imobiliária, Lda. Tel. 255 425 389 – 963320174 - 963320173 Lic. 3757 AMI www.milares.com


4 | O Jornal de Amarante

CLASSIFICADOS

Câmara Municipal de Amarante AVISO TORNA-SE PÚBLICO, para efeitos do disposto na alínea b) do n.º 2 do artigo 78.º do Decreto-Lei n.º 555/99, de 16/12, com as alterações introduzidas pelo Decreto-Lei nº 26/2010 de 30/03, que em 28/03/2011 foi emitido aditamento à licença de loteamento, titulada pelo alvará n.º 22/81 em nome e a requerimento de Belmiro Teixeira Mendes, NIF 168 615 070, re-

sidente no lugar de Borralheiro, freguesia de Vila Chã, através do qual é licenciado o aditamento ao alvará de loteamento acima referido, o qual incidiu sobre o prédio urbano, sito no lugar do Queimado, freguesia da Madalena, inscrito na respectiva matriz sob o artigo 317 e descrito na Conservatória do Registo Predial sob o número 52.011. A alteração ao alvará de loteamento supra, deferida por despacho de 25/03/2011 res-

peita o disposto no Regulamento do Plano Director Municipal, e consiste no seguinte: -Alteração das especificações do lote nº 16, nomeadamente: - Alteração do uso do aludido lote para creche e jardim-de-infância. Município de Amarante, 05 de Abril de 2011. O Presidente da Câmara, a) Dr. Armindo José da Cunha Abreu

EDITAL

A Autoridade Florestal Nacional faz público que, nos termos do artº 6º do Regulamento da Lei nº 2097, de 6 de Junho de 1959, aprovado pelo Decreto nº 44623, de 10 de Outubro de 1962, o Clube de Caça e Pesca de Aboadela requereu, pelo prazo de 10 anos, uma concessão de pesca no rio Ovelha numa extensão de 7,6km desde o lugar de Lameiro Longo, limite de montante, e o Lugar de Sedões, na freguesia de Sanche, limite de jusante abrangendo uma área aproximada de 13,1ha, localizada na freguesia de Aboadela e Sanche, concelho de Amarante. Todas as pessoas singulares ou colectivas que se julguem prejudicadas nos seus direitos devem apresentar a sua reclamação, por escrito e devidamente justificada na Direcção Regional das Florestas do Norte – Parque Florestal – 5000-567 Vila Real, no prazo de 30 dias a contar da data de divulgação deste Edital. Para consulta dos interessados encontra-se nos referidos serviços de Regulamento, proposto pela entidade requerente para vigorar na área a concessionar.

Câmara Municipal de Amarante AVISO TORNA-SE PÚBLICO, para efeitos do disposto na alínea b) do n.º 2 do artigo 78.º do Decreto-Lei n.º 555/99, de 16/12, com as alterações introduzidas pelo Decreto-Lei nº 26/2010 de 30/03, que em 07/04/2011 foi emitido aditamento à licença de loteamento, titulada pelo alvará n.º 78/77 em nome e a requerimento de Maria de Fátima Pinheiro Teixeira, NIF 164 435 344, residente no lugar de Gu-

nheiro, freguesia de Mancelos, através do qual é licenciado o aditamento ao alvará de loteamento acima referido, o qual incidiu sobre o prédio urbano, sito no lugar e freguesia acima referidos, inscrito na respectiva matriz sob o artigo 1593 e descrito na Conservatória do Registo Predial na ficha 949/19950322. A alteração ao alvará de loteamento supra, deferida por despacho de 04/03/2011 respeita o disposto no Regulamento do Plano Director Municipal,

e consiste no seguinte: - Alteração das especificações do lote nº 8, nomeadamente: - Fixação da área de implantação/área de construção de 75 m2 para anexo destinado a garagem, arrumos e áreas técnicas de apoio à habitação, com a cércea de rés-do-chão. Município de Amarante, 07 de Abril de 2011. O Presidente da Câmara, a) Dr. Armindo José da Cunha Abreu

Lisboa, 28 de Março de 2011 Fonte: CM nº 100,101,113,114 IGeoE O Presidente a) Amândio Torres

PRECISA-SE

Cabeleireira ou aprendiz para fim-de-semana Contacto: 255433679 ou 963881584

Gondar - Amarante

Álvaro Teixeira

AGRADECIMENTO

Câmara Municipal de Amarante

Telões - Amarante

AVISO

D. Elvira Pereira

TORNA-SE PÚBLICO, para efeitos do disposto na alínea b) do n.º 2 do artigo 78.º do Decreto-Lei n.º 555/99, de 16/12, com as alterações introduzidas pelo Decreto-Lei nº 26/2010 de 30/03, que em 12/04/2011 foi emitido aditamento à licença de loteamento, titulada pelo alvará n.º 44/78 em nome e a requerimento de José Augusto Teixeira da Silva, NIF 207 356 564, residente na Rua do Sapateiro, freguesia de Figueiró (Santiago), através do qual é licenciado o aditamento ao alvará de loteamento acima referido, o qual incidiu sobre o prédio urbano, sito no lugar de Arouca, freguesia de Figueiró (Santiago), inscrito na respectiva matriz sob o artigo 952 e descrito na Conservatória do Registo Predial na ficha 1518/20100503. A alteração ao alvará de loteamento supra, deferida por despacho de 15/02/2011 respeita o disposto no Regulamento do Plano Director Municipal, e consiste no seguinte: -Alteração das especificações do lote nº 19 nomeadamente: - Fixação da área de implantação/área de construção de 36 m2 para anexo; - Alteração da área de implantação da edificação passando de 96 m2 para 133 m2; - Alteração da área de construção da edificação principal passando de 192 m2 para 225 m2. Município de Amarante, 12 de Abril de 2011. O Presidente da Câmara, a)Dr. Armindo José da Cunha Abreu

Sua família vem por este meio, e muito reconhecidamente agradecer a todas as pessoas que participaram no funeral do saudoso extinto ou que, de qualquer outro modo, lhes manifestaram o seu pesar. Agradecem também a todas as pessoas que se dignaram assistir à missa de 7º dia. Pedem desculpa por qualquer falta involuntariamente cometida. Funerárias do Tâmega, Lda: 255424422 | 917643062 | 919449561 | 917502997

AGRADECIMENTO Sua família v e m p o r e s t e meio, e muito recon h e cidamente agradecer a todas as pessoas que participaram no funeral da saudosa extinta ou que, de qualquer outro modo, lhes manifestaram o seu pesar. Agradecem também a todas as pessoas que se dignaram assistir à missa de 7º dia. Pedem desculpa por qualquer falta involuntariamente cometida. Funerárias do Tâmega, Lda: 255424422 | 917643062 | 919449561 | 917502997

Padronelo - Amarante

D. Ana Amélia Ribeiro

AGRADECIMENTO Sua família vem por este meio, e muito reconhecidamente agradecer a todas as pessoas que participaram no funeral da saudosa extinta ou que, de qualquer outro modo, lhes manifestaram o seu pesar. Agradecem também a todas as pessoas que se dignaram assistir à missa de 7º dia. Pedem desculpa por qualquer falta involuntariamente cometida. Funerárias do Tâmega, Lda: 255424422 | 917643062 | 919449561 | 917502997

AGRADECIMENTO A Familia Coimbra vem por este meio agradecer todo o apoio que mereceu pela parte da Sta Casa da Misericórdia de Amarante, em especial queremos salientar o carinho, profissionalismo e atenção de todas as funcionárias do apoio domiciliário. Não podemos deixar de agradecer uma vez mais à D. Ana Maria Soares. A todos, sem excepção, o nosso muito obrigada. Funerárias do Tâmega, Lda: 255424422 | 917643062 | 919449561 | 917502997


O Jornal de Amarante Quinta-feira, 12 de Maio 2011 | 5

ACTUALIDADE

Numa organização da Associação Empresarial de Amarante

Feira dos Doces Conventuais de Amarante contam com a maior representação de sempre da Doçaria Conventual do País Pelo sexto ano consecutivo a Associação Empresarial de Amarante vai realizar a ‘Feira de Doçaria Conventual – Doces no Convento’, nos dias 13, 14 e 15 de Maio de 2011. A História de Amarante está, de uma forma indissociável, ligada à história da doçaria conventual do nosso país, sendo esta cidade reconhecida também além fronteiras pela sua doçaria única. Estas iguarias, com origem no Convento de Santa Clara, são uma das referências locais, onde a oferta é bastante variada. Ao longo dos anos, a feira tem crescido em número de expositores e de visitantes o que faz aumentar as expectativas para

a edição deste ano, que conta com a maior representação de sempre da Doçaria Conventual do País, sendo o certame reconhecido por muitos visitantes a nível nacional. A edição deste ano terá lugar, a exemplo dos anos anteriores, nos claustros do Convento de S. Gonçalo de Amarante, local por excelência para a realização deste tipo de eventos, uma vez que permite retratar todo o ambiente histórico associado à doçaria conventual. Com esta iniciativa pretendese reavivar a memória de outros tempos, criando o cenário adequado à promoção e venda da doçaria conventual, procurando-se valorizar o que de melhor se faz de Norte a Sul de

Portugal. Na sequência dos êxitos alcançados nas edições anteriores, estamos certos que a

Feira “Doces do Convento” tem vindo a assumir-se como um evento de inegável interesse e

qualidade, e que contribui, também, para reforçar a imagem de Amarante.

Agrupamento de Escolas AMADEO DE SOUZA-CARDOSO

Comemorações do 25 de Abril Como consta no Plano Anual de Actividades, o Departamento de Ciências Sociais e Humanas do Agrupamento Amadeo de Souza Cardoso, comemorou, no passado dia 3 de Maio, o 25 de Abril. No sentido de trazer, à Escola EB 2 3 de Telões, alguém que tivesse vivido este acontecimento, foi convidado um elemento pertencente à Associação 25 de Abril. Assim, esteve, entre nós,

Delfim dos Passos que foi Delegado do M. F. A. e comandante da 3.ª companhia do Regimento de Infantaria n.º 13, em Vila Real, desempenhando, actualmente, o cargo de Superintendente da Polícia de Segurança Pública. Participaram nestas celebrações, os alunos do 6.º e 9.º anos, a Direcção do estabelecimento, assim como os professores deste Departamento,

alunos e professores de outros anos do 2.º e 3.º ciclos, em articulação dos respectivos programas de aprendizagem, tendo proporcionado alguns momentos de grande interactividade, resultando num complemento e aprofundamento de alguns conteúdos, relacionados com a Revolução dos Cravos. Os Professores do Departamento de C. S. H.

PSD Amarante elege deputado para a Assembleia da República No passado dia 2 de Maio o PSD/Porto apresentou os candidatos a deputados para a Assembleia da República. Da lista realçamos a amarantina Maria José Quintela Castelo Branco, actual vereadora pelo PSD na Câmara Municipal de Amarante, estando em lugar perfeitamente elegível, dando ao nosso concelho uma representação que, nos tempos que correm, será muito importante. Maria José Quintela afirmou que “fruto do trabalho que temos vindo a realizar na Câmara Municipal, estou certa de que as dificuldades que o país enfrenta hoje são sentidas em Amarante de uma forma particularmente grave. Na Assembleia da Re-

pública farei tudo para ajudar Amarante a recuperar o tempo perdido”. “Ciente da responsabilidade, que todos temos, de lutar para melhorar a situação actual, aceitei o desafio que me foi colocado. Como deputada da Assembleia da República bater-me-ei, de forma intransigente, pela verdade e pela defesa da igualdade de oportunidades, para todos os portugueses que, com o seu empenho no trabalho, contribuem para a construção da nossa sociedade”,afirmou. A lista é encabeçada por José Pedro Aguiar Branco, que durante o discurso de apresentação da lista de candidatos do Porto do PSD às eleições de 05

de Junho, foi crítico salientando que “infelizmente Portugal tem hoje um primeiro-ministro que já não pode ajudar em coisa alguma. Todos nós já vimos o que acontece cada vez que José Sócrates ajuda. Cada vez que José Sócrates participa o país ilude-se e afunda-se”. Da lista do Porto do PSD, que Marco António Costa, líder da distrital, apelidou de “exército do bem”, fazem parte também Teresa Leal Coelho (2), Miguel Frasquilho (3), Virgílio Macedo (4), Maria José Castelo Branco (5), Adriano Rafael Moreira (6), Luís Menezes (7), Margarida Almeida (8), Miguel Santos (9) e Luís Campos Ferreira (10).


6 | O Jornal de Amarante

CLASSIFICADOS

EDITAL DE VENDA 1ª Publicação Natália Teixeira Garcia Agente de Execução Processo: 1996/06.4TBAMT N/Referência: PE/17/2010 Data: 04/05/2011 Exequente: Caixa Geral de Depósitos, S.A. Executados: Nortenha – Minérios de Estanho, S.A. Processo n.º 1996/06.4TBAMT Tribunal Judicial de Amarante – 1º Juízo FAZ-SE SABER que nos autos acima identificados, encontra-se designado o dia 1 de Junho de 2011, pelas 14:00 horas no Tribunal Judicial de Amarante para a abertura de propostas, que sejam entregues até esse momento na secretaria, pelos interessados na compra do seguinte bem: Verbas Verba n.º 1 – Prédio rústico, constituído por eucaliptal, pinhal e mato, com 31500 m2, sito em Rebordelo, freguesia de Rebordelo, concelho de Amarante, inscrito na matriz sob o nº 253, e descrito na Conservatória do Registo Predial de Amarante sob o n.º 255/19901004. Valor Base: 5.000,00 euros. Verba n.º 2 – Prédio rústico, constituído por cultura, videiras de forcado e mato, com 3600 m2, sito em Fontão, freguesia de Rebordelo, concelho de Amarante, inscrito na matriz sob o nº 257, e descrito na Conservatória do Registo Predial de Amarante sob o n.º 256/19901004. Valor Base: 1.000,00 euros. Verba n.º 3 – Prédio rústico,

constituído por cultura, videiras de forcado, pastagem, pinhal, mato e sobreiros, com 11600 m2, sito em Fontão, freguesia de Rebordelo, concelho de Amarante, inscrito na matriz sob o nº 255, e descrito na Conservatória do Registo Predial de Amarante sob o n.º 257/19901004. Valor Base: 2.000,00 euros. Verba n.º 4 – Prédio rústico, constituído por videiras em cordão, fruteiras, pastagem, pinhal e mato, com 381675 m2, sito em Vieiros, freguesia de Rebordelo, concelho de Amarante, inscrito na matriz sob o nº 772, e descrito na Conservatória do Registo Predial de Amarante sob o n.º 259/19901011. Valor Base: 58.000,00 euros. Os bens pertencem à executada: Nortenha – Minérios de Estanho, S.A., com sede em Vieiros – Rebordelo 4600-000 Amarante. Serão aceites as propostas de melhor preço acima da quantia correspondente a 70% do valor base. Não de Encontra pendente oposição à execução. Foram reclamados créditos pela Fazenda Nacional no valor de 1420.63 euros. É fiel depositária, que os deve mostrar a pedido, Natália Teixeira Garcia, Agente de Execução, contribuinte n.º 197300251, com escritório na Rua da Azerveira n.º 2, r/c esq. – Alagoas, Albergaria-a-Velha. Contacto: 234522328 Albergaria-a-Velha, 4 de Maio de 2011 A Agente de Execução, a) Natália Teixeira Garcia

Cooperativa Agrícola de Amarante CONVOCATÓRIA Nos termos do artigo 23, n.º 3 dos Estatutos da Cooperativa Agrícola de Amarante, convocam-se todos os associados para uma Assembleia Geral Ordinária, a realizar no dia 28 de Maio de 2011, pelas 8.30 horas, na respectiva sede, sita à Av. 1º de Maio, em Amarante, com a seguinte ordem de trabalhos:

Assembleia Geral e devem conter, também, a indicação de delegados à Ucanorte e à Agros. Na hora designada e na falta de número suficiente de associados para assegurar o seu funcionamento, a Assembleia terá lugar decorrida uma hora, com qualquer número de presenças. Amarante, 03 de Maio de 2011 Presidente da Assembleia-Geral a)Prof. Joaquim Arménio Cerqueira de Miranda

AMARANTE FUTEBOL CLUBE CONVOCATÓRIA Ao abrigo da alínea a) do art. 25º dos Estatutos do Amarante Futebol Clube, conjugado com os números 1 e 2 do Regulamento Eleitoral, convoco, ordinariamente, a Assembleia-Geral para a «eleição dos corpos diretivos, nos

termos do Regulamento Eleitoral», no próximo dia 30 de maio, segunda-feira, das 21h às 23h, na sede do Amarante F. C., sita no Estádio Municipal de Amarante. • O Regulamento Eleitoral pode ser consultado na secretaria do

Amarante F. C. e no site do Clube www.amarantefc.pt. Amarante, 09 de maio de 2011. O Presidente da AssembleiaGeral a) João Pedro Soares Pinheiro

ANUNCIO 2ª Publicação Ana Pinheiro Agente de Execução Cédula 3495 Tribunal Judicial de Amarante Execução Comum – Pagamento de Quantia Certa Proc. N. 3217/05.0TBAMT 1º Juízo Exequente: Bani – Banco Internacional do Funchal SA Executado: Maria Emília Pinto Teixeira e outros Faz-se saber que, nos autos acima identificados, encontrase designado o próximo dia 9 de Junho, pelas 14h00, no Tribunal Judicial de Amarante, para a abertura de propostas

Câmara Municipal de Amarante EDITAL N.º 30/2011 DR. ARMINDO JOSÉ DA CUNHA ABREU, PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE AMARANTE:-Faz saber, para efeitos do disposto no nº 3 do artigo 27º do Decreto-Lei nº 555/99 de 16/12, com as alterações introduzidas pela Decreto-Lei nº 26/2010 de 30/03, serve o presente para se dar conhecimento a todos os proprietários dos lotes, do loteamento titulado pelo alvará nº 3/1999, sito no lugar de Fermil ou Igreja, freguesia de Vila Garcia, que deu entrada nestes Serviços um pedido de alteração à licença do loteamento titulado pelo alvará acima referido, a requerimento de Nuno Miguel Faria Barbosa, NIF 212 721 852, residente na Rua de Sanguinhedo Nascente, nº 115, freguesia de Aboim, na qualidade de proprietário do lote nº 17 do referido alvará, o qual consiste em: - Alteração da área de implantação, passando de 150 m2 para 185 m2, de forma a criar um espaço de parqueamento automóvel. Mais se informa, que o processo administrativo respectivo, com o nº 10/2011, pode ser consultado todos os dias úteis, dentro das horas normais de expediente, na Repartição Administrativa do Departamento de Urbanismo e Planeamento desta Autarquia. As sugestões, reclamações ou observações que, eventualmente, venham a ser apresentadas, devem ser formuladas no prazo de 10 dias, através de requerimento escrito, devendo no mesmo constar a identificação completa, o endereço dos seus autores e a qualidade em que as apresentam. Amarante e Departamento de Urbanismo, 10 de Maio de 2011. O Presidente da Câmara, a) Dr. Armindo José da Cunha Abreu

ORDEM DE TRABALHOS 1 – Discussão e aprovação do Relatório e Contas e Parecer do Conselho Fiscal relativos ao exercício de 2010. 2 – Eleição dos Órgãos Sociais para o triénio de 2011/2013. a) As listas para eleição devem ser apresentadas ao Presidente da Mesa da Assembleia Geral com uma antecedência mínima de dez dias em relação à data designada para a realização da

que sejam entregues até esse momento na secretaria do Tribunal pelos interessados na compra do seguinte imóvel: Verba um: Prédio urbano em regime de propriedade horizontal, tipo T3, destinado a habitação, sito no lugar da Cancela, freguesia de Figueiró (Santa Cristina), inscrito na matriz sob o artigo 713 fracção E e descrito na Conservatória do Registo Predial de Amarante pelo nº 809/20071119-E- Figueiró (Santa Cristina). Valor base: €185.000,00 Serão aceites as propostas de valor igual ou superior a €129.00,00, correspondente a 70% do valor base.

Só serão aceites as propostas que acompanhem cheque visado no valor de 20% do valor base à ordem da agente de execução, bem como, para o caso dos proponentes não se encontrarem presentes no dia da abertura, cópia do bilhete de identidade ou de cartão de identificação de pessoa colectiva. É fiel depositária que o deve mostrar a pedido, a executada Maria Emília Pinto Teixeira, residente na Rua da Imaculada Conceição, Nº 1136, Figueiró (Santa Cristina) A Agente de Execução, Ana Pinheiro

ANUNCIO 2ª Publicação Ana Pinheiro Agente de Execução Cédula 3495 Tribunal Judicial de Amarante Execução Comum – Pagamento de Quantia Certa Proc. N1301/10.5TBAMT 2º Juízo Exequente: Paulo Valdemar Ferreira Lemos Executado: José Andrade David Pereira Limitada e outros Faz-se saber que, nos autos acima identificados, encontrase designado o próximo dia 9 de Junho, pelas 14h00, no Tribunal Judicial de Amarante, para a abertura de propostas que sejam entregues até esse

momento na secretaria do Tribunal pelos interessados na compra do seguinte imóvel: Verba única: Prédio rústico, denominado “Propriedade do Fontão de Cima”, sito no lugar de Fontão, freguesia de Lufrei, concelho de Amarante, com a seguinte composição: artigo 672, composto de pinhal e mato, com área total de 2.000m2 e artigo 673, composto por cultura, vinhas de enforcado, pastagem , pinhal, mato e oliveiras, com área total de 51.612m2, descrito na Conservatória do Registo Predial de Amarante pelo nº 163 – Lufrei. Valor base: €220.000,00 Serão aceites as propostas de valor igual ou superior a €154.000,00, correspondente

a 70% do valor base. Só serão aceites as propostas que acompanhem cheque visado no valor de 20% do valor base à ordem da agente de execução, bem como, para o caso dos proponentes não se encontrarem presentes no dia da abertura, cópia do bilhete de identidade ou de cartão de identificação de pessoa colectiva. É fiel depositário que o deve mostrar a pedido, o legal representante José Andrade David Pereira, com residência no lugar das Maias, Caramos, Felgueiras. A Agente de Execução Ana Pinheiro


O Jornal de Amarante Quinta-feira, 12 de Maio 2011 | 7

Cons(c)elhos saudáveis por Abel Afonso, Militante do PSD

PSD de Amarante, por Rui Canossa

Segurança

Ser do PSD

A segurança tem uma acção fundamental no comportamento das pessoas como condição promotora ou inibidora de determinados hábitos e costumes. A segurança é um bem individual, colectivo e que se transporta para um patamar extra da comunidade municipal, na qual estamos inseridos, funcionando como uma janela de confiança e atractividade. Em qualquer investimento é, muitas vezes, um factor decisivo a escolha deste ou daquele município para a instalação da actividade empresarial, comercial ou mesmo um factor decisivo para a habitabilidade familiar. Os níveis de segurança saem reforçados com o combate ao desemprego, com a escolaridade, com uma maior percepção dos deveres de cidadania, com uma participação nas decisões da colectividade (onde todos estamos incluídos), com um combate e apoio mais eficaz à toxicodependência e também com a reabilitação dos centros

urbanos, hoje muito degradados quer nas pequenas quer nas grandes cidades (reabilitação e realojamento das pessoas nesses mesmos centros urbanos, sem pessoas não há segurança!). Hoje, mesmo, as pequenas e médias cidades têm centros urbanos históricos praticamente desertificados ou, então, são zonas comerciais com aglomerados de ferro durante o dia e abandonados à noite, proporcionando a prática do crime. É urgente revitalizar estes espaços urbanos transformando-os conjuntamente em zonas de convívio, de passeio, de lazer com “spots” culturais, musica ao vivo, cafés “culturais” debatendo ideias, ou não fosse Amarante uma cidade de poetas, escritores, artistas e políticos. Os velhos centros urbanos estão abandonados e as construções novas foram surgindo como cogumelos dispersos, sem o devido planeamento, sem infra-estruturas adequa-

das, sem equipamentos sociais e também, obviamente, sem segurança, mas originando grandes corredores de trânsito no inicio e final do dia, contribuindo, ainda, para o aumento grave da poluição ambiental e na degradação da qualidade de vida. Há que repensar e reformular os critérios de planeamento e de construção das cidades para que, por esta via, possam igualmente ser mais tranquilas e oferecer maior comodidade e serenidade a quem lá vive.

Juventude Socialista de Amarante, por Hugo Carvalho

Políticas públicas e suas ideologias A realização de políticas públicas depende essencialmente de dois factores. Por um lado destaca-se fundamentalmente o cariz ideológico subjacente a essa mesma política e a forma como ela é encarada face ao meio onde se vai construir, e por outro, na conjuntura económica e social onde essa medida vai ser inserida. Relativamente a este segundo aspecto, sabemos que o país atravessa uma conjuntura bastante exigente. A crise financeira que assola toda a Europa promoveu uma forte descrença nos decisores políticos e a desconfiança face aos Partidos Políticos que põe em causa todo o estado democrático. Estamos a menos de um mês de um acto eleitoral decisivo para o futuro do nosso país, e consequentemente, de realizar uma escolha entre o tipo de política que queremos ver implementada. A construção de uma sociedade rica e prolífera depende das políticas que são tomadas, mas também da matriz ideológica que reveste essas mesmas medidas. Assim, é importante destacar as alternativas a que se propõem os partidos políticos. Os partidos mais à direita, nomea-

damente o PSD, apresenta uma agenda política assente nos fundamentos mais radicalizados à direita, com um leque de medidas que de forma camuflada lançam sérios avisos à continuidade de políticas públicas de qualidade em áreas tão centrais como a educação, a saúde e a segurança social. Privatizar sectores tão importantes e decisivos para a construção de uma sociedade mais justa é retroceder na defesa do Estado Social, é promover mais assimetrias sociais e menor igualdade de oportunidades. O CDS-PP por sua vez, apresenta um discurso essencialmente demagógico e que assenta numa lógica generalista de não perder votos. Num olhar mais atento, apercebemo-nos que o seu discurso em nada tem a ver com aquilo que são as políticas que procuram realizar. Por outro lado, à esquerda do Partido Socialista encontramos dois partidos políticos reféns de um calculismo ideológico que coloca em risco a existência de uma atitude consertada à esquerda. A sua irredutibilidade torna-os partidos amorfos de soluções para a resolução dos problemas do país, mas tam-

bém os responsabiliza face à situação actual. Acredito firmemente que no próximo dia 5 de Junho os Portugueses saberão fazer o seu juízo e avaliar de forma negativa aqueles que sem um projecto político capaz e recorrendo a um alarmismo de fundo, conduziram a uma crise política profunda e, consequentemente, à queda do Governo Socialista. Tal como no passado, os portugueses distinguirão aqueles que se apresentam determinados em defender Portugal, daqueles que por medo de uma disputa interna no seio do seu partido, arrastaram o país uma situação de governação insustentável que em nada beneficia na resolução dos problemas que atravessamos. Estou certo que o Partido Social Democrata perderá as próximas eleições por culpa própria. Perde pela falta de honestidade política demonstrada nas últimas semanas. Perde pelo falso alarmismo criado nos portugueses. Perde por colocar interesses partidários acima dos verdadeiros interesses do país. Em suma, perde por culpa própria.

O PSD - Partido Social Democrata foi fundado a 6 de Maio de 1974 por Francisco Sá Carneiro, Francisco Pinto Balsemão e Joaquim Magalhães Mota com a designação de PPD (Partido Popular Democrático) e foi legalizado em 25 de Janeiro de 1975 passando a designar-se a 3 de Outubro de 1976 de Partido Social Democrata. Ser do PSD significa pôr em destaque a pessoa humana, razão de ser de toda a actividade social, nomeadamente, da acção política. Ser do PSD é pôr a família como o primeiro e natural espaço de realização e desenvolvimento da pessoa, a sua primeira experiência de vida relacional e afectiva, de transmissão de valores éticos, sociais e culturais e como a primeira escola de solidariedade. Ser do PSD é trabalhar para a comunidade porque o Homem é um ser para si e para os outros, só em sociedade se realiza. Ser do PSD é defender de forma intransigente o interesse nacional, do património histórico e cultural, das comunidades portuguesas espalhadas pelo mundo e garantir a independência nacional num contexto de União Europeia. Ser do PSD é defender o Estado de Direito que significa o Estado ao serviço da pessoa, é defender os direitos, liberdades e garantias dos portugueses, é defender o pluralismo como um valor da comunidade política.

Quando Sá Carneiro morreu a 4 de Dezembro de 1980 vítima de um acidente aéreo algo mudava na mente de um menino de 9 anos que se lembra desse dia como se fosse hoje. Era o dia da chegada do nosso primeiro televisor a cores, os media não paravam de noticiar, à hora de jantar, a morte de um grande líder. A partir desse momento surgiu em mim um grande interesse pela vida e obra desse grande homem, que nos deixou um legado político, ser do PSD é ser de um partido interclassista de cidadãos livres e solidários. Onde cada pessoa deve ter a liberdade de realizar-se na igualdade, justiça, em solidariedade com todos os homens, participando democraticamente na vida política, económica e social. É por tudo isto que eu e os meus companheiros nos iremos bater nas próximas eleições, porque isto é SER DO PSD.

Tudo vem a propósito... de Hernâni Carneiro

Endereço perdido A importância da nossa rica e vastíssima história e o seu relevante contributo nas artes, nas letras, nas lutas, remete-nos para outra dimensão mais evoluída do que aquela que assisti no dia 19 de Abril, no noticiário da noite da R.T.P.1, falando de Amarante. Querer falar de Amarante com trivialidades e com textos tão ocos, reflecte muito do amadorismo e pouco ou nenhum conhecimento da nossa realidade, como foi patente naquele noticiário. A dimensão cultural da nossa cidade, a que tenho de dar ênfase, não pode ser condicionada por um discurso de quem parece ter perdido o endereço e veio “ cair aqui”, e nos desqualifica redutoramente com estatísticas pouco fiáveis, depois falando das cheias, parecendo trazer um recado, o Largo Conselheiro António Cândido e o seu atraso nas obras, como se fosse uma das maiores preocupações, ou desse alguma resposta a outras necessidades bem mais prementes noutros problemas, já que a valorização ou a desvalorização de uma região, de uma cidade ou de um concelho não pode ser feita como quem mal aqui entrou e já está de saída. Para quem como nós tem o desejo de encontrar uma tribuna a nível nacional, conhecedora das nossas realidades e do envolvimento da nossa comunidade no desenvolvimento como alavanca de uma melhor quali-

dade de vida para todos os Amarantinos, o programa Portugal e o Futuro remete-nos para o 3ºMundo. Portugal e o Futuro surge assim descontextualizado de uma região que também quer colaborar para ajudar a ultrapassar estes tempos bem incertos quanto ao futuro de todos os Portugueses, e dele queremos ser também protagonistas nos desafios, e nas políticas adequadas que visem um desenvolvimento sustentado, e potenciar os nossos recursos, por exemplo, quanto ao turismo, á gastronomia, á cultura, património arquitectónico, a paisagem, as romarias, os acontecimentos culturais - Prémios Amadeo de Souza-Cardoso e Teixeira de Pascoaes-, o Roteiro do Românico e a história. Estimular estes recursos são os desafios que insistentemente se mantêm inalteráveis, e são os Amarantinos que terão de lançar mãos ao trabalho, para, aproveitando aquelas potencialidades, e superarem estes tempos tão incertos que estamos vivendo. Bem sei que não estou a dar nenhuma novidade, mas sendo nossos aqueles recursos, só a capacidade e a dinâmica de todos estimulará o sucesso que ambicionámos. Amarante, tem pois inegáveis méritos, oportunidades e desafios que só esperam a mais valia de estratégias que potenciem todos os nossos recursos.


8 | O Jornal de Amarante

DESPORTO

Associação Desportiva de Amarante Secção de Voleibol A equipa das Juvenis Femininas do Voleibol da A.D.A deslocou-se a Vale de Cambra no dia 7 de Maio para disputar, contra a equipa local, mais um encontro do Campeonato Regional. O jogo foi desequilibrado, com um ascendente claro da equipa da A.D.A, que venceu por 3 sets a 0 (15-25; 22-25 e 11-25). Apesar de nunca ter estado em causa o resultado do jogo assistimos, no segundo set, a um maior equilíbrio devido a algum desacerto da equipa da amarantina. No entanto, na globalidade foi um jogo bem conseguido, com um resultado positivo da equipa da A.D.A, demonstrando uma maior maturidade e um nível de jogo superior, comparativamente à equipa adversária. O próximo jogo irá realizar-se no Municipal de Amarante, no sábado pelas 15horas, com a equipa do Gueifães.

Secção de Atletismo Os atletas da A.D.A estiveram em prova no Km Jovem do Norte que decorreu nos dias 7 e 8 de Maio em Guimarães, na Pista de Atletismo Gémeos Castro. Os corredores da A.D.A estiveram em evidência com destaque para Pedro Silva, que se sagrou campeão no escalão de Iniciados Masculinos. Diogo Mota também se apresentou a bom nível com um 3º lugar no escalão de Infantis Masculinos. Nas provas extra estiveram presentes na distância de 200 metros os atletas Cláudio Lopes, Ricardo Martins, Lara Carvalho, Tânia Dinis e Bruno Varejão, com excelentes marcas. Tiago Ricardo conseguiu nesta prova atingir os mínimos para o campeonato nacional de juvenis, modalidade de 800 metros. A atleta Benjamim da A.D.A Rita Magalhães esteve presente também neste fim-de-semana no Grande Prémio de Atletismo de Rebordosa onde venceu no seu escalão.

Apoie a A.D.A…

Secção de Canoagem Os atletas da canoagem da A.D.A, José Carvalho em C1 sénior e Rui Ferreira C1 júnior, foram convocados M ilitante P.S.D. pela Federação Portuguesa de Canoagem para integrar a Equipa Nacional na Copa dos Pirenéus. A competição foi composta por 2 provas, uma a 30 de Abril e 1 de Maio realizou-se na Pista Olímpica de La SEu D’Urgell (Espanha) e a outra prova realizou-se

em Pau (França) entre 7 e 8 de Maio. Nesta Copa estiveram presentes atletas de vários países da Europa. José Carvalho foi o único atleta da Equipa Nacional a alcançar uma Final na Copa dos Pirenéus. Em La seu D’Urgell, após qualificação e semi-final José Carvalho garantiu um lugar na Final, juntamente com os 10 melhores atletas em prova. Na Final arrecadou um excelente 9º lugar.

Faça-se Sócio

Na prova de Pau (França) José Carvalho esteve em evidência ao qualificar-se em 10º lugar para a semi-final, contudo devido a um erro na parte final da prova não conseguiu atingir novamente a Final. Rui Ferreira em C1 júnior, a participar numa prova de escalão único Sénior, esteve bem para um atleta de 16 anos, pois os seus adversários têm bastante mais experiência neste tipo de pistas internacionais. Este atleta ficou em 29º lugar (não passou à Final) mas mostrou com determinação e dedicação e que se encontra no bom caminho para alcançar melhores resultados. A A.D.A e os seus técnicos, Cristiano Duarte e Jorge Ribeiro, vão continuar com o seu trabalho junto destes atletas, promovendo o seu empenho e dedicação, para assim José Carvalho poder tentar no Campeonato do Mundo em Bratislava o apuramento para os Jogos Olímpicos de Londres 2012.

Pague as suas quotas…

Corrente D’ar por Henrique Baptista, Deputado Municipal e Militante P.S.D.

Por que falhamos 37 anos depois ? No momento em que preparei esta crónica, estávamos a poucas horas de fazer 37 anos sobre a passagem de uma efeméride que, genérica e globalmente, todos saudamos até aos festejos pelo que representa de alicerce programático orientador e da nossa sociedade para a modernidade e o desenvolvimento de Portugal. Deposto o velho regime do Estado Novo, as expectativas que se colocaram na ‘democracia’ e na ‘liberdade’, trouxeram um sangue novo ao modelo de organização do aparelho administrativo do Estado e ao País, que 37 anos depois, pela conjuntura de grande atribulação em que estamos desembocados, necessariamente, nos fazem repensar o regime pelo que nele tem falhado. Democracia?... Liberdade?... Responsabilidade?... Participação?... Deveres?... Cidadania?... Estado de Direito?... Naturalmente, não são os valores que estão ausentes do Estado e da sociedade portuguesa. E não foi o sistema ou as suas regras e os seus princípios que falharam, 37 anos depois. Então, se o sistema é o que vigora no mundo ocidental e conduz as sociedades ao desenvolvimento e o homem à sua realização, porquê o falhanço em Portugal? Se formos capazes de observar

criticamente o papel desempenhado pelas organizações partidárias na construção do nosso futuro colectivo, que já estamos a viver e já comporta o momento presente, tão pouco encontraremos nelas a causa dos males com que estamos confrontados, embora como ferramentas da nossa democracia não estejam isentas desse atributo de responsabilidade pela acção dos homens que nelas desenvolvem. Sobretudo por quanto na sombra desses valores pervertem o sistema e fazem desfalecer o Estado, sobrepondo interesses particulares ou de grupos aos verdadeiros desígnios do Estado, entidade que indiscutivelmente comporta o interesse colectivo, de todos, passo a redundância. Estamos a viver um tempo quase babilónico, de confusão, de perversão, de instabilidade em que, é o Homem o próprio actor da grande peça em cena. Em Lisboa, no Porto, em Coimbra, cidades universitárias por excelência ou em Amarante, Meca dos institutos que nunca chegaram a ser, os caminhos seguidos pelos dignatários e pelas elites, quando esquecem o interesse colectivo e o submetem à oportunidade do negócio, dão provas da sua débil preparação cívica para tão nobres e elevadas funções que a democracia lhes proporciona. Das finanças mundiais, à banca portuguesa, das empresas públicas

à administração do Estado, – em democracia – a coberto das grandes teias de interesse que tendem minar as máquinas partidárias, tem surgido uma classe de «barões» e «baronetes», (gente que se pautam por outros diapasões e por outros princípios, cujos interesses meramente pessoais se sobrepõem ao do nosso colectivo) que paulatinamente colocam cada vez mais, margens largas ao que reconhecemos em substância pela designação de interesse público, sem que no entanto alguém possa estar em condições de afirmar que algum dia o poder caiu na rua. Bem pelo contrário! Há no País e em Amarante, sinais de um cansaço que transborda na sociedade e que paralisam todas as dinâmicas do meio, naturais, sociais, culturais, económicas… Não basta, pois, a renovação de quadros. Não chega que mudem de posição as pessoas ou que persistam nos mesmos lugares por qualquer ordem de conveniência. O que se torna imperativo é que tragam ao colectivo e à representação dos diversos Órgãos, a dignidade e os valores que todos sublinhamos como matrizes do regime democrático, de forma activa e prospectiva. Saibamos pois os caminhos que seguimos e os roteiros que a eles nos conduzem, mas tenhamos para isso a lucidez necessária para perante o erro e o insucesso reconhecer onde falhou o nosso propósito.

Jamais seremos validados na representatividade programática quando continuamente persistimos no mesmo erro. Em Amarante, por parte do Presidente da Assembleia Municipal, Sr. Dr. Pedro Cunha, e do Presidente da Câmara Municipal, Sr. Dr. Armindo Abreu, (permitam-me o reparo) exige-se mais esclarecimento e rigor para que não haja lugar ao equívoco. Não é pois crível que o Partido Socialista, sozinho, continue a marcar o compasso e os tempos, enquanto o bafio e o mofo se instalam nas arcas encoradas da velha herança. Nos contextos global e local, nos planos pessoais e políticos, o futuro reserva-nos uma grande incógnita. Mas o que será certo e seguro é que Amarante só terá lugar a um futuro melhor, se todos formos capazes de corrigir os erros, e abrir caminhos ao tempo que se fará novo se assim for desejado e assim o quisermos. Muita reflexão há a fazer neste Município. Muito debate está por fazer na Assembleia Municipal, e na Câmara Municipal, onde a democracia e o interesse colectivo deve constituir o fundamento do contributo que de todos nós se espera. No palco de representação em que nos situamos, cada um de nós não é simplesmente o seu Eu, nem a sua sombra. Devemos e temos que perceber do carácter público do lugar e da função, para saber dar voz às preocupações locais que es-

tão patentes na nossa sociedade e no povo, que como seus representantes, nos elegeu. Neste 37 anos de caldeamento dos mais desbragados excessos ideológicos e de comportamentos a resvalar para a rusticidade e a má educação, é tempo de cada um de nós pensarmos activamente no papel que estamos chamados a desempenhar de modo a credibilizar as funções nos órgãos para que estamos investidos como seus legítimos membros, e a não continuarmos a defraudar AMARANTE enquanto cidade e enquanto concelho. Nota de roda pé: A tragicomédia do “Zé”, é um exemplo de queda de um anjo nas tentações afrodisíacas do poder.


O Jornal de Amarante Quinta-feira, 12 de Maio 2011 | 9

DESPORTO por Mário Fernandes

3ª DIVISÃO NACIONAL

Amarante, 2 – Sousense, 0 Amarantinos vencem em dois campos Jogo no Estádio Municipal de Amarante, com arbitragem de António Moreira da AF do Porto, auxiliado por Célio Eusébio e Adriano Silva Amarante: Celso, Pedro Carneiro, Carlos Castro, César e Tiago Martins, André Pires, Tiago Silva (Miguel, 53), Filipe, Jussane (Bruno Teixeira, 66) Marcos (Pedrinho, 75) e Diogo Lamelas Treinador: Prof. Arlindo Gomes Sousense: Ricardo, Pedro Santos, Fred, Bruno Cunha e Vítor Hugo, b(Elísio, 57) e João (Telmo, 70) Treinador: Sérgio Espírito Santo Ao intervalo: 1 – 0 Golos: Carlos Castro (33) e Bruno Teixeira (85, gp) Amarelos: Paulo Freixo (12), Zé Augusto (36), Filipe (38), Pedro Carneiro (42), Pedro Santos (46), Bruno Cunha (56), Fred (60), César (71) e Salvador (92) Vermelhos: Ricardo (85) O Amarante recebeu e venceu a equipa do Sousense, numa partida de extrema importância para as aspirações amarantinas, num jogo em que dominou desde o apito inicial. O Sousense nunca mostrou argumentos para conseguir contrariar suficientes para contrariar o domínio amarantino. Ao Amarante faltava o último toque, já que dispôs de algumas boas ocasiões para chegar ao golo. O Sousense beneficiou da sua melhor ocasião de golo de toda a primeira parte, quando Zé

Augusto, dentro da área rematou ao lado do poste direito de Celso, quando estavam decorridos 28 minutos de jogo. O Amarante respondeu por intermédio de Marcos, que dentro da área do Sousense, obriga Ricardo a uma boa defesa. O Amarante chegaria ao golo aos 33 minutos por intermédio de Carlos Castro, que de cabeça dá o melhor seguimento a um pontapé de canto do lado esquerdo do seu ataque. O Amarante ainda desperdiçou duas boas ocasiões para ampliar a vantagem, quando Jussane dentro da área remata contra um defensor contrário, e na recarga Filipe a não conseguir emendar para o fundo das redes de Ricardo. O resultado ao intervalo, era justo para a formação amarantina. Na segunda parte o Sousense subiu um pouco mais as suas linhas, e dava espaço nas suas costas, que o Amarante aproveitava, para em contra ataques rápidos levar muito perigo à baliza à guarda de Ricardo, e não fora mais uma vez Ricardo primeiro a suster o remate de Marcos, que apareceu na área descaído pela direita, a evitar o golo, para na recarga Diogo Lamelas a rematar, mas Bruno Cunha a evitar quase em cima da linha de golo o que seria o segundo golo amarantino. Adivinhava-se o segundo golo amarantino, que viria a acontecer por Jussane, mas com este a fazer falta sobre Ricardo na pequena área na sequência de um pontapé de canto, prontamente anulado pelo

árbitro da partida. O Amarante criava situações de golo, mas continuava a falhar de forma escandalosa, como aconteceu com Jussane, que passa por vários adversários e já dentro da área a rematar por cima da baliza de Ricardo. O Amarante voltaria a marcar, mas o árbitro auxiliar do lado do superior a assinalar fora de jogo a Marcos, num lance em que ficamos com muitas dúvidas. O Amarante, já justificava o segundo golo, que surgiria por Bruno Teixeira, na conversão de uma grande penalidade, que foi cometida sobre si, pelo guardaredes Ricardo, que viu o vermelho directo, já que impediu, que Bruno Teixeira, isolado fizesse o segundo golo do Amarante. Até ao final o Amarante poderia ter aumentado a vantagem, mas a falta de alguma serenidade, quer Diogo Lamelas, quer Tiago Martins em óptima posição, poderiam ter aumentado o score. Resultado positivo do Amarante, que assim vê as suas hipóteses se subidas aumentarem, já que o Famalicão empatou no seu terreno ante o Serzedelo, e com o Paredes a ganhar ao Joane, por duas bolas a uma, o que vai fazer com que na próxima semana o jogo entre o Amarante e Paredes vai ser extremamente decisivo para as aspirações de ambas as formações. Quanto ao trabalho da equipa de arbitragem, poderia ter sido positivo, já que cometeu alguns erros, e em prejuízo para o Amarante.

Candal, 2 – Vila Meã, 0

Vila Meã incapaz de segurar candaleneses Jogo no Estádio Rei Ramiro em Candal, com Arbitragem de Sérgio Soares da AF do Porto Candal: Dany, Passos, Sidon, Gil e Dani, João Reis, João Amaral (Bruno Costa, 81), Joni, Ansumané (Digas, 30), Zé Tiago e Alex Treinador: Israel Dionísio Vila Meã: Torcato, Mário Alves, Daniel, Miguel (China, 78) e Pinheiro, Maia, Lemos (Mica, 46), Couto, Mário Simões, Wigor e Filipe Cândido (Alex, 67) Treinador: Manuel Monteiro Ao intervalo: 1 – 0 Golos: Sidon, (43), Zé Tiago (50) e Couto (91) Amarelos: Ansumané (20), Miguel (49) e Bruno Costa (82) O Vila averbou a segunda derrota consecutiva, na sua deslocação ao terreno do Candal, que com esta vitória aproximou-se do Vila Meã na tabela classificativa, ficando a um escasso ponto. Começou melhor o Candal, com um futebol mais ofensivo, que o Vila Meã teve dificuldades em conseguir contrariar, já que a pressão dos homens da casa era mui-

to intensa. Com o decorrer dos minutos, o Vila Meã começou a equilibrar a partida, mas não conseguia entrar na defensiva candalense. Por sua vez o Candal criava algum perigo para a baliza de Torcato, que ia evitando o golo dos locais. Já muito perto do intervalo, o Candal chegaria ao golo, na sequência de uma pontapé de canto, com Sidon a saltar mais alto que a defesa do Vila Meã e a inaugurar o marcador. A segunda parte quase começou com o segundo golo dos visitados, com Zé Tiago na conversão de um livre a não dar hipóteses ao guarda-redes vilameanense de defesa. o Vila Meã procurou reagir e tentar chegar ao golo o mais cedo possível, mas os defensores candaleneses, iam conseguindo neutralizar as intenções dos visitantes. O melhor que o Vila Meã conseguiu, foi marcar o tento de honra, já em períodos de descontos, por intermédio de Couto.

Maria Luísa Machado Cunha Missa do 24º aniversário do seu falecimento Ocorrendo no próximo dia 14 de Maio o 24º aniversário do seu falecimento, sua família manda rezar missa pelo seu eterno descanso no dia 15 de Maio na Igreja de S. Gonçalo, pelas 19h00. Agradecendo desde já a comparência das pessoas amigas a este piedoso acto.

Os Amigos do Rio Assembleia Geral Anual Nos termos do Artº 12º da alínea b) dos estatutos da Associação Cívica e Ecológica “Os Amigos do Rio”, convoco todos os Associados para a Assembleia Geral Anual que se vai realizar no dia 28 de Maio de 2011, pelas 15,30 horas, na sede do Clube de Pesca de Amarante, sita na Rua Cândido dos Reis, nesta cidade de Amarante, (uma vez que as instalações da Sede da Associação não permitem a reunião em condições satisfatórias), com a seguinte Ordem de Trabalhos: 1 – Análise e discussão da inércia a que foi votada a Associação Cívica e Ecológica “Os Amigos do Rio”, sua dissolução. 2 – Tratar de quaisquer outros assuntos de interesse para a Associação. Amarante, 10 de Maio de 2011-05-11 O Presidente da Mesa da Assembleia-Geral a) Miguel Carlos Monteiro Pimenta

Urb. Queimado - Madalena - Loja 15 - 4600-245 Amarante Tel e Fax: 255 433410 | Telm: 912435021 | Email: rogerpecas@gmail.com

Facebook/ninajoias Rua 5 de Outubro, nº 74 Telef: 255 432315 – ninajoias@sapo.pt - AMARANTE


10 | O Jornal de Amarante

CINECLUBE DE AMARANTE EXIBE “DESPOJOS DE INVERNO” – 13 DE MAIO Adaptação do romance homónimo do escritor americano

Woodrell,

Daniel uma

das sensações do indepen-

cinema dente de tem

americano

2010, a

o filme

realização

Debra Gra(“Down to the Bone”) e foi nomeado para quatro Óscares 2011: melhores filme, actriz (Jennifer Lawrence), actor secundário (John Hawkes) e argumento adaptado (Debra Granik e Anne Rosellini) e foi vencedor do Grande Prémio do Júri e do Prémio de argumento no Festival de Cinema de Sundance 2010 Despojos de Inverno De:Debra Granik Com:Jennifer Lawrence, John Hawkes, Kevin Breznahan, Dale Dickey, Garret Dillahunt Género:Drama Classificação:M/12 EUA, 2010, Cores, 99 min. de

nik

JA nº.1616  

12 de Maio de 2011

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you