Page 1

Autorizado a Circular em envelope Plastificado

O JORNAL AMARANTE de

DIRECTORA: Mª JOSÉ CUNHA

PORTUGAL

J. P .P. AMARANTE TAXA PAGA

IRRESISTÍVEIS! OFERTAS ESPECIAIS FESTA MÁGICA DISNEYLAND® PARIS Partidas de Lisboa e Porto de 6 Abr. a 7 Nov. ’11 2 noites | APA Disney`s Hotel Santa Fé | 2 estrelas Inclui: avião + transfers + taxas de aeroporto, segurança e combustível (€ 102) + entradas para os 2 parques Disney + Seguro Multiviagens Estadia e voos GRÁTIS para menores de 7 anos* Válido para reservas efectuadas até 28 Fev.’11. * Ofertas sujeitas a condições e disponibilidade. Consulte-nos, por favor.

MARRAKECH ESPECIAL PÁSCOA Partida de Lisboa a13 e 17 Abr. ’11 4 noites | APA Hotel Tropicana | 4 estrelas Inclui: avião + transfers + taxas de aeroporto, segurança e combustível (€ 50) + Seguro Multiviagens

Desde:

534,15

por pessoa em ocupação dupla Inclui 15% DESCONTO*

Desde:

489

por pessoa em quarto duplo

Exclui: Despesa de reserva (€29 por processo e não por pessoa) + suplementos; lugares limitados; taxas sujeitas a alteração; sujeito às nossas condições gerais. CONSULTE-NOS.

Rua Cândido dos Reis, 222 | 4600-055 AMARANTE Email: amarante@abreu.pt - Tel.: 255410100 - Fax: 255410109

ABERTO À HORA DE ALMOÇO

Quinta-feira, 17 de Fevereiro 2011 | Nº 1604| Ano 31 | euro 0.80

Câmara Municipal e Secundária de Amarante apresentaram projecto de intervenção na escola Autarquia promove 8ª edição do Prémio Amadeo de Souza-Cardoso

Notícias da Cercimarante Escuteiros celebram 35 anos


2| O Jornal de Amarante

EDITORIAL Esta semana pensamos num editorial diferente. Não falaremos da Política local nem da política nacional, que aqui e ali se vai fazendo pelos vil descobridores momentâneos do estrelato com ambições maiores que a sua própria alma; dos suicídios calculados de líderes partidários, como é o caso de Louça, nem das obrigações partidárias de, como que em modo de pacto de cavalheiros, recuperarem este país, daquilo que foi o erro europeu, que cedeu aos mercados financeiros, sem antes estudar como se proteger, e caindo, como se levantar e que dessa perspectiva acordou tarde. Pelas notícias que vão surgindo nos meios de comunicação social sobre mortes de idosos que são descobertas só muito tempo depois, pensamos ser útil

apelar numa tentativa de que a reflexão leve a algum porto, sem julgamentos antecipados, que não é demagogia tentar justificar a solidão, a melancolia e o envelhecimento da população portuguesa meramente com razões de ordem económica, mas também no egoísmo e falta de solidariedade da juventude, dos laços familiares que se vão perdendo, dos valores e referências familiares que desaparecem, dos adultos que pensam que nunca irão precisar de ninguém, nem mesmo no fim. E, por isso, e como não temos legitimidade para julgar, deixamos os nossos leitores com um poema de Fernando Pessoa, na expectativa de suscitar entre vós, pelo menos a tentativa de perceber a intemporalidade de sentimentos destes sentimentos, hoje tão em voga nas con-

versas de cafés e nos bancos dos velhos da calçada e dos que, mesmo rodeados de gente, se sentem sós.

Ah quanta melancolia! Quanta, quanta solidão! Aquela alma, que vazia, Que sinto inútil e fria Dentro do meu coração! Que angústia desesperada! Que mágoa que sabe a fim! Se a nau foi abandonada, E o cego caiu na estrada – Deixai-os, que é tudo assim. Sem sossego, sem sossego, Nenhum momento de meu Onde for que a alma emprego – Na estrada morreu o cego A nau desapareceu. | HM|

II Encontro Vicarial de Famílias de Amarante “Um olhar com valor sobre a família” Realizou-se no passado dia 13 de Fevereiro, no Centro Pastoral de Amarante, o II Encontro Vicarial de Famílias de Amarante. Este encontro versou sobre a temática dos valores da família e teve a participação de mais de uma centena de casais das paróquias da Vigararia de Amarante. O encontro teve como oradores o Padre Joaquim Teixeira, Carmelita e o casal Dr. Serafim Correia Pinto Guimarães e Dra. Maria de Fátima de Sousa Pinto Guimarães, e foi moderado pelo Padre José Manuel. O Padre Joaquim Teixeira desenvolveu o tema “A família sob o olhar libertador de Deus”. O aprofundamento da identidade cristã e dos valores humanos experimentados como libertadores, a espiritualidade na família cultivada na oração e na eucaristia torna-nos “evangelhos vivos” no mundo de hoje. Sem espiritualidade não há sentido libertador, mas para isso há que mudar de perspectiva e olhar para a realidade da família com o olhar de Deus, ou seja, como Deus nos vê. Deus olha para nós e vê o nosso esforço nesta

Encontro de Cantadores de Janeiras continua a atrair multidões

caminhada e percebemos que não estamos sós. Devemos ser pessoas genuínas e relegar as aparências para tornar claras as coordenadas da nossa identidade cristã. Ser sacramento é muito importante como sinal para o mundo, numa afirmação pública da nossa fé. O casal Pinto Guimarães partilhou a sua experiência de vida destacando os valores da família como virtudes que devem ser reconquistadas a partir fundamentalmente do seio familiar num processo proactivo, agindo por antecipação e de dentro para fora contrariamente ao que acontece actualmente. É em casa que temos de dar conta daquilo que é necessário corrigir. Foi abordado também o problema da educação dos filhos nos valores cristãos. Os filhos devem aprender a orar com os pais, pois a oração é um aspecto muito importante. Foi dada à audiência a possibilidade de colocar questões abrindo a partilha do tema aos casais presentes e no final do encontro, como é tradição, fez-se um lanche convívio onde se pôde confraternizar num ambiente de festa e partilha. | Manuel Silva |

UM CAMPEÃO NA CAMPEÃ! De Amarante a pedalar (Mais numeroso pelotão, Atravessando o Marão -Que paisagem espectacular! Em cima da bicicleta) Num largo da Campeã, O “campeão” corta a meta Da etapa da manhã! Está um “pisco”; mesmo assim, Ele não para de correr: -Sinto um enorme prazer Em cima deste selim! Durante a semana (o quê?...) …é um trabalhador denodado!... Mas ao domingo… é sagrado: A missão é… BTT!

Apesar da noite fria, o Tâmega Park encheu-se de espectadores, no passado dia 29 de Janeiro, para assistir ao VII Encontro de Cantadores de Janeiras, organizado pela Câmara Municipal de Amarante. Foram vinte e cinco os grupos que, seguindo a tradição

O JORNAL DE AMARANTE Propriedade Publitâmega - Publicações do Tâmega, Lda. Tiragem Média 3500 exemplares.

jornaldeamarante@iol.pt jornaldeamarante@gmail.com

de cantar os Reis, uma das manifestações mais genuínas da cultura popular do Município, proporcionaram espectáculo e animaram a noite. A iniciativa contou com a participação de ranchos folclóricos, bandas de música, tunas, grupos corais, associações culturais e recre-

ativas e estabelecimentos de ensino. Finda a festa, a Câmara Municipal de Amarante proporcionou aos participantes no Encontro de Cantadores de Janeiras um lanche, prolongando-se, pela noite dentro, o convívio entre cantadores e tocadores.

No tradicional feijão, A que aderi, desafiado, Com gosto tive a meu lado, “Quicas”, esse…campeão! 06/02/2011 |Turdetano |

Directora: Mª José Cunha Colaboradores: A. Magalhães, António Patrício, Carlos Carvalho, Costa Neves, Gabriel Carvalho, Hermínia Mendes, Hernâni Carneiro, Maria Rosa Pinto da Cunha, Mário Fernandes, Paulo Teixeira.net, João Pereira da Silva, Simão Marinho, Sónia Bastos, Raquel Marinho Design e Paginação: Maria José Cunha Secretariado: Maria José Cunha Administração/Redacção/Departamento Comercial: Largo de S.Pedro, 2ºC, Apartado 75 - 4600-036 Amarante, Tels.: 255 432 301/255 432 313/ 255 432914 Registos: Ministério da Justiça/Instituto de Comunicação Social - 106941| Depósito Legal: 135757/99 Pessoa Colectiva: 500 886 644 Depósito Legal: 135757/99 Pessoa Colectiva Nº 500 886 644 Gerência: Joaquim José F. Machado, Eduardo Oliveira Pinheiro (detentor de mais de 10% do Capital) Tels.: 255 432 301/255 432 313/ 255 432 914

Preço de Assinatura Continente 30,00 Euros | Estrangeiro 50,00 Euros

Porte Pago Avença – 4600 Amarante


O Jornal de Amarante Quinta-feira, 17 de Fevereiro 2011 | 3

ACTUALIDADE Entre 22 de Outubro e 30 de Dezembro

Câmara de Amarante promove 8ª edição do Prémio Amadeo de Souza-Cardoso A Câmara Municipal de Amarante promove, entre 22 de Outubro e 30 de Dezembro, a 8ª edição do Prémio Amadeo de Souza-Cardoso, sendo seu comissário António Cardoso, Director do Museu Municipal Amadeo de Souza-Cardoso. A edição 2011 do Prémio Amadeo tem como Júri de Selecção António Cardoso, Professor Jubilado de História da Arte da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, Director do Museu Municipal Amadeo de Souza-Cardoso, Comissário do Prémio e representante da Câmara Municipal de Amarante; Prof. Dr. Rui Mário Gonçalves como Presidente do Júri e três elementos ligados à Associação

Internacional de Críticos de Arte (A.I.C.A.) / secção portuguesa, ou à História da Arte. Tal como nas edições anteriores, será consagrada, extraconcurso, a carreira de um artista português, escolhido pelo mesmo Júri, que será convidado a realizar uma exposição de obras suas em espaço nobilitador do Museu, com catálogo apropriado, ao qual será atribuído o Grande Prémio Amadeo de Souza-Cardoso, através da aquisição de uma ou mais obras para as colecções do Museu, até ao montante máximo de 25.000,00 euros. Será ainda atribuído o Prémio Amadeo de Souza-Cardoso a um artista seleccionado para a

fase da exposição, no valor de 7.500,00 euros, ficando a obra premiada a pertencer ao Museu Municipal Amadeo de SouzaCardoso, no pressuposto da sua oportuna musealização. A entrega dos trabalhos concorrentes será feita entre 20 de Junho e 22 de Agosto. De periodicidade bienal, o Prémio Amadeo foi reinstituído pela Câmara de Amarante em 1997, no âmbito das comemorações do cinquentenário da fundação do Museu Amadeo de Souza-Cardoso, e havia sido atribuído pela última vez em 1987, pela Casa de Serralves. Na última edição do Prémio, realizada em 2009, foi premiada a artista plástica Ana Luísa

A 5 e 6 de Março

Freguesia de Ôlo realiza a 5ª Feira das Papas A freguesia de Ôlo vai ter, no fim-de-semana de 5 e 6 de Março, a sua 5ª Feira das Papas, que decorrerá no espaço polivalente do edifício da Junta de Freguesia. Serão dois dias de degustação de um menú tradicional daquela aldeia do Marão, que inclui papas de sarrabulho, de nabiças e couve. A Feira das Papas de Ôlo assenta nas tradições locais, marcadas por uma grande ruralidade e por actividades associadas aos trabalhos do campo e da floresta, a exigirem mão-de-obra bem alimentada e possante. O evento acontece no fim-de-semana imediatamente antes do Carnaval, marcado, também, por particularidades gastronómicas, baseadas na matança do porco e no aproveitamento das suas

carnes. Paralelamente à Feira das Papas, decorrerá uma exposição/venda de produtos locais, que incluem enchidos e fumeiros, mel, compotas e artesanato. Esquecida não foi a animação, assente na música popular, de que sobressaem cantigas ao desafio acompanhadas por acordeões. A exemplo de anos anteriores, são esperados em Ôlo muitos forasteiros e filhos da terra

emigrados, tomados por reminiscências do passado. Eis o Programa. Dia 5, sábado: 9:30 - IV Marcha das Papas; 12:00 - Abertura da Feira e degustação; 16:00 - Animação com os Gaiteiros de Baião; domingo, 6: 12:00 - Abertura da Feira, com degustação; 16:00 - Cantares ao Desafio; 24:00 Encerramento.

Ana Luisa Ribeiro foi a vencedora da 7ª edição do Prémio Amadeo de Souza-Cardoso

Ribeiro, com a obra “Sem título (Subject matter)”, sendo o Grande Prémio (consagração

de carreira) atribuído ao pintor João Vieira.

Notícias da Cercimarante

Nos dias 27 e 28 de Janeiro, realizou-se no CAO da Cercimarante uma actividade de confecção e decoração de sobremesas que contou com presença do chefe Hugo Fernandes, especialista em pastelaria suíça. Este pasteleiro veio transmitir alguns dos seus conhecimentos

e confeccionar algumas sobremesas com a ajuda de alguns clientes da instituição. No final da actividade era notória a satisfação dos clientes por prepararem as sobremesas que mais tarde foram saboreadas por todos os clientes e funcionários do CAO.

A diabetes não Dói mas Roi… Saiba mais em wwwchtamegasousa.pt


4 | O Jornal de Amarante

CLASSIFICADOS

Cartório Notarial de Amarante A cargo da Licenciada OLGA MARIA DE CARVALHO SAMÕES, Notária com o arquivo do extinto Cartório Público. Faço saber para efeitos de publicação na imprensa local, que neste Cartório, no livro 252 a folhas 84 e seguintes, se encontra uma escritura de JUSTIFICAÇÃO de sete de Fevereiro de dois mil e onze, em que: MANUEL RIBEIRO, NIF.151.996.296, e esposa ANA DE FREITAS TEIXEIRA, NIF.152.954.511, casados sob o regime da comunhão geral de bens, ele natural da freguesia de Gatão e ela natural da freguesia de Salvador do Monte, ambas do conce-lho de Amarante, residentes na primeira na Rua Vale de Infante, nº 67. DECLARARAM: Que são donos e legítimos possuidores, com exclusão de outrem, dos seguintes imóveis: 1- Prédio rústico, denominado “Campo da Lameira”, composto de cultura e videiras em cordão, com a área de dois mil e cem metros quadrados, sito no lugar de Miradouro, freguesia de Gatão, concelho de Amarante, omisso na Conservatória do Regis-to Predial de Amarante, a confrontar de Norte e Poente, com Ribeiro, de Sul, com caminho público e de Nascente, com Albino Oliveira Monteiro, inscrito na matriz em nome do justificante marido

sob o artigo 232, com o valor patrimonial e igual atribuído de 405€. 2- Prédio rústico, denominado “Leira da Casa”, composto de cultura e ramada, com a área de quinhentos metros quadrados, sito no lugar de Vale de Infante, freguesia de Gatão, concelho de Amarante, omisso na Conservatória do Registo Predial de Ama-rante, a confrontar de Norte, com Rua de Vale de Infante, de Sul e Poente, com Maria Emília Taveira de Vasconcelos e de Nascente, com António Ribeiro, inscrito na matriz em nome do justificante marido sob o artigo 248, com o valor patrimonial e igual atribuído de 25,13€. 3- Prédio rústico, denominado “Leira”, composto de cultura e videiras em ramada, com a área de mil quatrocentos e trinta e um metros quadrados, sito no lugar de Vale de Infante, freguesia de Gatão, concelho de Amarante, omisso na Conservatória do Registo Predial de Amarante, a confrontar de Norte com Maria Emília Freitas Ribeiro e Rua de Vale de Infante, de Sul, com Joa-quim Vieira Ribeiro, de Nascente, com Rosa de Jesus Ribeiro e de Poente, com Adriparte, Imobiliária II, S.A, inscrito na matriz em nome do justificante marido sob o artigo 596, com o valor patrimonial e igual atribuído de

S.Gonçalo - Amarante

Sr. António Ribeiro Teixeira

AGRADECIMENTO Sua família vem por este meio, e muito reconhecidamente agradecer a todas as pessoas que participaram no funeral do saudoso extinto ou que, de qualquer outro modo, lhes manifestaram o seu pesar. Agradecem também a todas as pessoas que se dignaram assistir à missa de 7º dia. Pedem desculpa por qualquer falta involuntariamente cometida. Funerárias do Tâmega, Lda: 255424422 | 917643062 | 919449561 | 917502997

Aboadela - Amarante D. Maria da Graça Gonçalves Ribeiro

AGRADECIMENTO Sua família vem por este meio, e muito reconhecidamente agradecer a todas as pessoas que participaram no funeral da saudosa extinta ou que, de qualquer outro modo, lhes manifestaram o seu pesar. Agradecem também a todas as pessoas que se dignaram assistir à missa de 7º dia. Pedem desculpa por qualquer falta involuntariamente cometida. Funerárias do Tâmega, Lda: 255424422 | 917643062 | 919449561 | 917502997

VENDE-SE Quinta do Vale Grande Frariz - Lufrei com 72.910 m2 com casa de caseiro, leiras e Pinhal a 3 Km do centro da cidade. Contacto: 935831804

Câmara Municipal de Amarante

9,57€. Que no ano de mil novecentos e sessenta e sete, em dia e mês que não podem precisar, foi-lhes doado verbalmente por Agosti-nho Ribeiro e esposa Emília de Jesus, casados na comunhão geral de bens, residente que foram no lugar de Vale de Infante, fregue-sia de Gatão, concelho de Amarante, os referidos prédios, doação esta que nunca foi reduzida a escrito. Que, no entanto, e desde essa data, neles vêm praticando todos os actos conducentes ao aproveitamento de todas as suas utilidades, ocupando-os segundo os seus destinos e fins, em pro-veito próprio, posse que se manteve sem qualquer oposição nem interrupção e com o conhecimento de toda a gente, comportando-se os possuidores como se fossem titulares do direito de propriedade plena sobre os referidos prédios.Que nestes termos, detêm a posse em nome próprio, pacífica, contínua e pública por mais de vinte anos sobre os ditos prédios, pelo que os adquiriram por USUCAPIÃO. Está conforme. Cartório Notarial de Amarante, 07/02/201

“O Bem-Estar” – Associação de Solidariedade Social de Gondar, localizada no Concelho de Amarante, tem a si associado, desde Janeiro de 2011, um número de Solidariedade Social 760 45 10 97 o qual lhe permite angariar fundos. Assim, apela-se a todas as Pessoas para que efectuem uma simples chamada. Do custo total, (0.60 cêntimos + I.V.A., de qualquer rede fixa ou móvel), 0.46 cêntimos revertem para a Instituição. Obrigada pela colaboração. Eu faço a minha parte, e Você?

A Notária, Olga Maria de Carvalho Samões

LIGA DOS AMIGOS DO HOSPITAL DE AMARANTE

AVISO TORNA-SE PÚBLICO, para efeitos do disposto na alínea b) do n.º 2 do artigo 78.º do Decreto-Lei n.º 555/99, de 16/12, com as alterações introduzidas pelo Decreto-Lei nº 26/2010 de 30/03, que em 07/02/2011 foi emitido aditamento à licença de loteamento, titulada pelo alvará n.º 16/1988 em nome e a requerimento de Augusto Castro Teixeira, residente na Rua Vale da Loira nº 217, freguesia de Vila Caíz, NIF 148 477 534, através do qual é licenciado o aditamento ao alvará de loteamento acima referido, o qual incidiu sobre o prédio sito no lugar de Belmonte, freguesia de Vila Caíz, inscrito na respectiva matriz sob o artigo 725 e descrito na Conservatória do Registo Predial na ficha 330/19880609. A alteração ao alvará de loteamento supra, deferida por despacho de 12/01/2011 respeita o disposto no Regulamento do Plano Director Municipal, e consiste no seguinte: - Alteração das especificações do lote nº 3 nomeadamente: - Legalização de um anexo para arrumos com 47.60 m2; - Ampliação da mancha de implantação de 110 m2 para 157.60 m2. Município de Amarante, 07 de Fevereiro de 2011. O Presidente da Câmara, a) Dr. Armindo José da Cunha Abreu

CONVOCATÓRIA Núcleo Sportinguista de Amarante CONVOCATÓRIA Nos termos do artigo 19º dos Estatutos do Núcleo Sportinguista de Amarante, convoco todos os associados a reunir em Assembleia Geral, na sua Sede, Situada na Rua de Guimarães, no dia 18 de Fevereiro de 2011, pelas 20,30horas , com a seguinte ordem de trabalhos: 1. Leitura e aprovação da acta da ultima Assembleia; 2. Apreciar e votar o Relatório e Contas da Direcção cessante; 3. Eleição dos Corpos Gerentes para o Ano 2011; 4. Trinta minutos para discussão de assuntos de interesse para a colectividade. Se à hora marcada não estiver presente a maioria dos associados, a Assembleia funcionará uma hora depois com qualquer numero de associados. Amarante, 11 de Janeiro de 2011 O Presidente da Assembleia Geral a) Artur Pereira

Nos termos do artº. 27, nº. 2, alínea a) dos Estatutos desta Liga, convoco os associados a reunir em Assembleia Geral no dia 26 de Fevereiro de 2011, às 15H00 na sede social, sita no Edifício do Tapado, S. Gonçalo, nesta cidade, com a seguinte ORDEM DE TRABALHOS: -Eleição dos corpos gerentes para o triénio 2011/2013 Amarante, 27 de Janeiro de 2011 A Presidente da Mesa da Assembleia a) Drª. Maria Teresa V. Mota Neves da Costa

LIGA DOS AMIGOS DO HOSPITAL DE AMARANTE CONVOCATÓRIA Nos termos do disposto no artº. 27º. dos Estatutos, convoco os associados para uma Reunião em Assembleia Geral Ordinária, a realizar no dia 26 de Fevereiro de 2011, às 14h30, na sua sede social, sita no Edifício do Tapado, S. Gonçalo, nesta cidade, com a seguinte ORDEM DE TRABALHOS: 1. Aprovação da acta da reunião anterior; 2. Apreciação e votação do Relatório e Contas e Parecer do Conselho Fiscal referentes ao ano de 2010; 3. Discussão e aprovação do Plano de Actividades; 4. Outros assuntos de interesse para a instituição. NOTA: Se à hora acima indicada não se encontrar presente metade dos associados, a Reunião terá início às 15h30, com qualquer nº. de presenças. Amarante, 27 de Janeiro de 2011 A Presidente da Mesa da Assembleia a) Drª. Maria Teresa V. Mota Neves da Costa


O Jornal de Amarante Quinta-feira, 17 de Fevereiro 2011 | 5

ACTUALIDADE A exemplo de anos anteriores

Espaço de Internet de Amarante e de Vila Meã comemoram Dia da Internet Segura Os Espaços Internet de Amarante e Vila Meã comemoram, numa iniciativa alargada até 18 de Fevereiro, o Dia da Internet Segura. Este evento, com o slogan “É mais que um jogo, é a tua vida”, é organizado a nível europeu pela Insafe, rede de co-

operação dos projectos que promovem a sensibilização e a consciencialização para uma utilização segura da Internet pelos cidadãos. Neste sentido, e em cooperação com a Rede de Espaços de Internet, o Espaço Internet de Amarante realizará formações

com cidadãos empregados/desempregados e seniores, com idades compreendidas entre os 35 e os 80 anos, com o intuito de contribuir para uma maior consciencialização dos pais e avós para uma utilização mais segura da Internet, por parte das crianças e jovens. Por sua

vez, o Espaço de Internet de Vila Meã levará a cabo formações cujo público-alvo são os jovens com idades compreendidas entre os 10 e os 18 anos. Será também entregue, a todos os utilizadores, durante o mês de Fevereiro, um desdobrável com informações sobre

os cuidados a ter no uso da internet. Aos participantes das acções de formação, levadas a cabo pelos monitores dos Espaços de Internet, ser-lhes-á entregue um certificado de participação.

Valor total ascende a mais de 98 mil euros

Câmara atribui subsídios a colectividades do concelho A Câmara Municipal de Amarante vai atribuir, às colectividades concelhias, subsídios no valor global de 98,250 euros. A proposta foi elaborada pelos vereadores Abel Coelho, Hélder Ferreira e Carlos Pereira que optaram por manter o critério de atribuição dos subsídios,

que distingue positivamente os ranchos folclóricos federados e as associações desportivas que privilegiam a formação, bem como as que suportam custos diferenciados de manutenção das suas actividades e dos proveitos que podem gerar, tendo em conta a relevância social e o

interesse público em causa. O número de colectividades beneficiadas com a atribuição de subsídios é de 68, destacando-se, de entre estas, os grupos desportivos e de carácter cultural. Não foram, porém, consideradas as colectividades que prosseguem actividades

em benefício exclusivo dos seus associados. O objectivo da proposta é tornar cada associação capaz do desenvolvimento de gestão financeira interna, na expectativa de continuar a manter a instituição em funcionamento,sem que a programação das suas

actividades esteja permanentemente dependente da decisão da Autarquia. Os valores propostos tiveram como referência genérica os valores atribuídos em 2009.

Investimento global ascende a 15,5 milhões de euros

Câmara Municipal e Secundária de Amarante apresentaram projecto de intervenção na escola A Câmara Municipal e a Escola Secundária de Amarante (ESA) fizeram, no auditório da Casa da Portela, a apresentação pública do projecto de intervenção a que será sujeito aquele estabelecimento de ensino. Segundo o responsável da empresa Parque Escolar, Luís Martins, o projecto, de grande dimensão, terá um investimento total de cerca de 15,5 milhões de euros e pretende dotar a escola de todos os meios que uma escola do século XXI necessita, tendo em atenção as formas actuais de aprendizagem e a sua adaptação aos objectivos e expectativas das comunidades educativas. O projecto visa também a criação de espaços flexíveis que possam ser disponibilizados para uso da comunidade

depois do horário escolar. Tudo vai ser tido em conta, garantiu, desde elevadores, climatização, oficinas, espaços de lazer, entre outros, a fim de se optimizar o funcionamento da escola. O director da Escola Secundária, Fernando Sampaio, referiu estar muito entusiasmado com o projecto, pois tem a certeza que contribuíra para um bom funcionamento da mesma, tornando-a mais atractiva. Por seu lado, Abel Coelho, Vereador com o pelouro da Educação na Câmara de Amarante, destaca a importância desta obra não só para a própria escola, como para Amarante, uma vez que contribuirá para melhorar a imagem arquitectónica da cidade. Para a escola, Abel Coelho

não tem dúvidas das enormes vantagens da realização das obras, pois passa a disponibilizar muito melhores condições, além da maior oferta em termos profissionais e valorização do

ensino experimental. Outro aspecto muito importante é a reorientação da escola para o seu lado natural, ou seja o Marão. Salientou, ainda, que esta intervenção proporcionará uma

ideia de união e integração, promovendo uma escola mais aprazível, moderna e com mais espaço, podendo contribuir para a diminuição da taxa de abandono escolar.

PSD Amarante promove “Formação para Autarcas” Resultante da percepção da necessidade de um maior apoio aos seus representantes, o PSD de Amarante promoveu, no passado Sábado, dia 5, uma acção de formação para os eleitos pelo Partido nas últimas eleições autárquicas.

Sendo uma organização conjunta com a estrutura distrital do Partido, esta iniciativa, intitulada “Formação para Autarcas”, visou, essencialmente, uma melhor preparação de todos os autarcas eleitos pelo PSD para o desempenho das respectivas

funções. O sucesso da iniciativa ficou demonstrado, desde logo, pelo grande número de autarcas presentes. De resto, foi já com a sala cheia que o Eng. José Manuel Soares, coordenador do Gabinete Autárquico Distrital,

e o Dr. Elísio Pinto, Presidente da Junta de Freguesia de Vilar do Paraíso, deram início à sessão com as duas intervenções iniciais. Muito centrado na partilha de experiências e nos esclarecimentos de ordem legal, este

foi um evento muito participado, com um grande número de questões colocadas e esclarecidas, reforçando, deste modo, a ideia que esteve na origem desta acção, como realçou o Dr. José Luís Gaspar durante a sua intervenção.


6 | O Jornal de Amarante

OPINIÃO

“Construir castelos em Espanha”

Bâtir des châteaux en Espagne (construir castelos em Espanha) é uma expressão muito comum em França e utiliza-se como metáfora de sonhos impossíveis de realizar. Na sua origem estará o facto de, no século XVI, Etienne Pasquier, nos tempos que passou nos campos espanhóis não ter visto nenhum castelo. Ora, ao longo da história, foram construídos cerca de 10.000 castelos em Espanha, contrariando a ideia errada de Pasquier, mas mantendo-se a máxima, até aos dias de hoje. Acrescentaria à metáfora a imagem de quem não quer ver e de quem só olha para o lado. Serve esta minha introdução para caracterizar o PSD de Amarante, retratado nas crónicas que os militantes vão escrevendo, neste jornal, e na entrevista do Presidente da Comissão Política, no final de 2010, ao Amarante TV. Num

constante e monótono discurso, desde que o partido Socialista é poder em Amarante, parecem ter permanecido na escuridão motivada pelo “apagão” de há mais de 20 anos, continuando a “construir castelos em Espanha”, num verdadeiro ensaio sobre a cegueira, que querem seja colectiva, e cuja visão tarda em surgir, de novo. Marasmo local e paragem no tempo são as expressões que mais têm utilizado, desprezando tudo o que se tem feito em prol de Amarante, desprestigiando, mesmo, o Sr. Presidente da Câmara. Veja-se a forma como, na entrevista, o primeiro responsável do PSD, Dr. José Luís Gaspar, se refere ao Sr. Presidente da Câmara Municipal “o Armindo”. Num aspecto concordo com o Dr. José Luís Gaspar, é de que «as palavras ficam para quem as diz» e elas foram ditas e escritas.

Com toda a ligeireza, comparam Amarante com outros concelhos da NUT Tâmega e colocam-nos sempre na cauda, independentemente dos dados estatísticos oficiais. Ainda há bem pouco tempo, um militante do PSD o afirmou, na sua crónica “Conta-me histórias”, destacando Amarante como um dos concelhos com menos qualidade de vida. Pois, eu não vou contar uma história, as histórias deixo-as para o PSD, vou falarvos da realidade. Amarante, como é sabido, é o maior concelho do distrito do Porto, em área geográfica, o que, logo à partida, nos poderia colocar em desvantagem em relação aos restantes concelhos da NUT Tâmega, o que não se verifica pelos dados apresentados no Anuário Estatístico da Região Norte 2009, do INE. A NUT Tâmega integra Amarante, Baião, Cabeceiras de Basto, Castelo de Paiva, Celorico de Basto, Cinfães, Felgueiras, Lousada, Marco de Canaveses, Mondim de Basto, Paços de Ferreira, Paredes, Penafiel, Resende e Ribeira de Pena. A título de exemplo: sistemas públicos de abastecimento de água – 90% (apenas ultrapassados em 8%, por Penafiel, e 10%, por Ribeira de Pena, mas 61% acima do Marco de Canaveses); sistemas de drenagem de tratamento de águas residuais – 54% (mais 12% que Penafiel e 33% que o Marco e menos 1% que Paredes); taxa de pré-escolarização – 79,9% (mais 11,6% que Paredes e menos 1% que Penafiel); taxa de escolarização: ensino básico 143% (mais 19,2% que Paredes e 11,3% que Penafiel); taxa de escolarização: ensino secundário 148,9% (mais 58,1% que Paredes e 37,3% que Penafiel); Número médio de alunos por computador: 2,6 (à frente de todos os concelhos do Tâmega); ganho médio mensal dos trabalhadores por conta de outrem 753,9€ (apenas Penafiel está à nossa frente, com uma diferença de 5,5€). Estes são apenas alguns exemplos do panorama de Amarante, num conjunto de 15 concelhos. Por isso, as histórias que são contadas não integram o rol das histórias reais mais ficcionadas. Temos consciência que ainda temos muito trabalho pela frente, que há indicadores que temos que melhorar; se assim não fosse não seríamos necessários, mas também temos consciência que Roma e Pavia não se fizeram num dia. Ignorar, intencionalmente, os factos

e colocar Amarante sempre na cauda é desonestidade política. O PSD de Amarante continua a construir castelos em Espanha. O problema reside no facto de andar, estes anos todos, à procura da «obra emblemática», aquela com que possamos “encher a boca”, «aquela obra que um Presidente de Câmara, que está lá há tantos anos, diz: isto fui eu que fiz». Esta afirmação é o retrato de puro narcisismo e egolatria, na qual não nos enquadramos, porque quem trabalha em equipa fala sempre no plural e reconhece que o mérito é de todos. Este tipo de afirmações é ainda associado a líderes autoritários, arrogantes e prepotentes. O que pensar de um líder partidário que considera que o resultado das últimas eleições autárquicas não foi justo, porque não venceu? O que pensar de um líder partidário que considera que se o PSD não ganhar as próximas eleições autárquicas é porque «Amarantinos gostam de se vitimizar até às últimas»? Desafiada, como amarantina, pelo Dr. José Luís Gaspar, a responder à sua interrogação, «qual é a obra emblemática” da governação PS, em Amarante, respondo que são todas elas: abastecimento de água, saneamento, pavimentações, bibliotecas, Casa de Cultura e Juventude, piscinas, estádios municipais, Casa das Artes, Centro Escolar do Marão, Escola do 1.º ciclo da Sede, jardinsde-infância, parque desportivo da Costa Grande, Praça da República, praça do Ribeirinho, terminal rodoviário, pavilhões gimnodesportivos, Prémios Amadeo de Souza Cardoso e Teixeira de Pascoaes, subsídio ao arrendamento, bolsa Voluntariado Jovem, ecopista, requalificação urbana e, também, a Rotunda La Grâce du Tombeur e muito, muito mais. À semelhança de António Lobo Antunes, não me agrada que me roubem o passado, que mo queiram apagar. Lembram-se da publicidade de um carro cujo slogan era “grandes para quê?”. Pois, a nossa forma de gerir o erário público, com rigor e seriedade, sempre foi no sentido de dar qualidade de vida aos Amarantinos. Associada às infra-estruturas está a sua sustentabilidade, não basta criá-las, é preciso mantê-las, ao longo dos anos. Toda a acção política deve assentar em diversas variáveis, nomeadamente as variáveis demográficas. Vejam o que acon-

tece com alguns dos estádios construídos para o Euro 2004. Não basta construir castelos no ar, é preciso dar-lhes alicerces e alicerces suficientemente resistentes para que a construção não se desmorone. Para quem afirma que «ninguém é dono da verdade, eu não sou dono da verdade» (Dr. José Luís Gaspar, na entrevista) é, no mínimo, caricata a forma como analisam as opções dos outros. Em conclusão, «O mal de muita gente não é a falta de ideias, mas um excesso de confiança nas poucas que tem» (Noél Clarasó). | Ercília Costa | (Presidente da Comissão Política do PS)

Educação Inclusiva Utopia ou Realidade? Num momento em que se discute o papel e relevância da escola pública na sociedade portuguesa actual, realizou-se no passado dia 10 de Fevereiro, no auditório da Escola E. B. 2,3 de Telões, uma palestra subordinada ao tema “Educação Inclusiva – Utopia ou Realidade”, promovida pelo Grupo de Educação Especial e pelo Projecto Escola Mundo do Agrupamento. O prelector, o professor especializado em educação especial e mestre em Ciências da Educação pela UTAD, Eduardo Ribeiro Alves, abordou os temas “Escola Inclusiva” versus “Escola para Todos”, a problemática da inclusão dos alunos com Necessidades Educativas Especiais (NEE) nas salas regulares, o Novo Paradigma da Intervenção face à CIF (Classificação Internacional da Funcionalidade, Incapacidade e Saúde), e respostas educativas as alunos com NEE de carácter permanente no âmbito do Decreto-Lei n.º 3/2008, de 7 de Janeiro, perante um auditório repleto de docentes e psicólogos dos diversos agrupamentos do concelho. O debate promovido lançou linhas de reflexão sobre estas temáticas num caminho que se faz caminhando, na prática docente quotidiana, numa procura de tornar real esta utopia.


O Jornal de Amarante Quinta-feira, 17 de Fevereiro 2011 | 7

ACTUALIDADE

Encontro de escuteiros de Amarante

Agrupamento 448 celebra 35 anos Realiza-se, no próximo dia 26 de Fevereiro, mais um “Jamboree 448”, a reunião anual dos actuais e antigos escuteiros de Amarante. Nesta edição comemora-se ainda o 35.º aniversário do Agrupamento 448. Para além do convívio entre escutas, com o objectivo de manter o contacto entre gerações, este encontro será, como vem sendo hábito, uma oportunidade para recordar os irmãos escutas já partidos, em particu-

lar o Chefe José Carlos Braga, através de uma eucaristia. De acordo com os organizadores da iniciativa, “é um dia em que há uma troca de experiências entre os antigos elementos deste Agrupamento e os elementos actuais. Os antigos escuteiros têm a oportunidade de reviver e contar as suas peripécias, do tempo em que tinham um lenço ao pescoço e gostavam de passar a sua juventude a explorar a Natureza, e voltam a encontrar-

se com os seus antigos guias e chefes de equipa”. O Programa do dia reparte-se entre uma caminhada na Serra do Marão, o referido tributo e ainda um jantar convívio. Para consultar o Programa, numa versão mais detalhada ou efectuar inscrições tem as seguintes opções: Telemóvel: 934229329 (Paulo Esteves)

Igualdade de Género na EB1/JI de Amarante S. Gonçalo

Na passada sexta-feira, 11 de Fevereiro, discutiu-se a igualdade de género, com alunos do 3º ano de escolaridade, na EB1/JI de Amarante S. Gonçalo. O tema prometia. E o interesse demonstrado foi bem visível nas reacções dos alunos ao longo de conversas partilhadas com alguns professores que, a convite do professor Luciano Ferreira, se disponibilizaram para o tema. Além dos professores das respectivas turmas, Arminda Jerónimo, Antónia Silva e Olímpia Melo e da Coordenadora de Estabelecimento, Fátima Carvalho, também estiveram presentes o professor Joaquim Campos, titular da turma do 1º C, deste estabelecimento; a Drª Rosália Amador, professora na EB.23 de Amarante, responsável pela Educação para os Afectos e Sexualidade, e a Directora Adjunta do Agrupamento de Escolas de Amarante, Adosinda Ribeiro.

Foi apresentado um PowerPoint onde as crianças puderam observar e compreender a igualdade entre todos. De seguida, em conjunto, deram o seu contributo, partilhando experiências, numa tentativa de demonstrar que os pensamentos e comportamentos se modificaram ao longo dos tempos e que as desigualdades entre homens mulheres já se encontram mais esbatidas do que há uns anos (não muitos), atrás. Alguns dos exemplos dados, dignos de referência, foram as antigas escolas masculinas e as femininas; o facto das mulheres não puderem usar calças compridas, como os homens; que a maioria das profissões – motoristas, médicos, juízes, ministros, presidentes… eram quase todas desempenhadas por homens. De surpresa em surpresa, os alunos puderam constatar que, hoje, as mulheres têm profissões como os ho-

mens e que, no fundo, todos se sentem iguais. Claro que, como referiu o professor Luciano Ferreira, ainda há muito para fazer em certos países árabes, pois a muitas mulheres ainda não lhes é permitido trazer a cara descoberta na rua, dar a sua opinião ou vestir calças. Deve também ser referido que foi realizada uma amostra (111 alunos) onde se pedia aos alunos, desde os 3 anos (jardim de infância) aos do 4º ano, que escolhessem, num leque de brinquedos apresentados, a quem pertenciam e quem os jogava. Foi interessante analisar os resultados. As bolas, os carros e as fisgas são jogos essencialmente dos rapazes; as bonecas e os trens de cozinha das raparigas; os berlindes e os piões os rapazes acham que é um jogo deles mas as raparigas não se excluem dos mesmos; as bicicletas, os legos, os jogos electrónicos, os computadores e os puzzles são assumidos por ambos; as casinhas e os arcos estão mal definidos principalmente no pré-escolar. À medida que a idade vai aumentando podemos verificar que a maioria dos jogos que, inicialmente eram jogados por ambos, passaram a ficar mais definidos em relação ao género. O grande objectivo desta actividade foi tentar mudar mentalidades, para que todos sejam tratados e olhados como iguais, apesar das suas diferenças. A Coordenadora de Estabelecimento | Maria de Fátima Carvalho Ribeiro |

Senhor Assinante regularize por favor a sua assinatura Gatão - Amarante Sr. José Pinheiro Pinheiro

AGRADECIMENTO Sua família vem por este meio, e muito reconhecidamente agradecer a todas as pessoas que participaram no funeral do saudoso extinto ou que, de qualquer outro modo, lhes manifestaram o seu pesar. Agradecem também a todas as pessoas que se dignaram assistir à missa de 7º dia. Pedem desculpa por qualquer falta involuntariamente cometida. Agência Funerária S. Pedro - 255432496 | 917534643 | 917578908

Cepelos - Amarante Sr. António Ribeiro Pinto

AGRADECIMENTO Sua família vem por este meio, e muito reconhecidamente agradecer a todas as pessoas que participaram no funeral do saudoso extinto ou que, de qualquer outro modo, lhes manifestaram o seu pesar. Agradecem também a todas as pessoas que se dignaram assistir à missa de 7º dia. Pedem desculpa por qualquer falta involuntariamente cometida. Agência Funerária S. Pedro - 255432496 | 917534643 | 917578908

Freixo de Baixo - Amarante Sr. Joaquim de Carvalho Pinto

AGRADECIMENTO Sua família vem por este meio, e muito reconhecidamente agradecer a todas as pessoas que participaram no funeral daosaudoso extinto ou que, de qualquer outro modo, lhes manifestaram o seu pesar. Agradecem também a todas as pessoas que se dignaram assistir à missa de 7º dia. Pedem desculpa por qualquer falta involuntariamente cometida. Agência Funerária S. Pedro - 255432496 | 917534643 | 917578908

Póvoa - Ansiães - Amarante D. Palmira Mendes da Silva

AGRADECIMENTO Sua família vem por este meio, e muito reconhecidamente agradecer a todas as pessoas que participaram no funeral da saudosa extinta ou que, de qualquer outro modo, lhes manifestaram o seu pesar. Agradecem também a todas as pessoas que se dignaram assistir à missa de 7º dia. Pedem desculpa por qualquer falta involuntariamente cometida. Agência Funerária S. Pedro - 255432496 | 917534643 | 917578908


8 | O Jornal de Amarante

“Conta-me histórias”. por Gabriel Edgar Gomes, militante PSD Amarante

Juventude Socialista de Amarante, por Jaime Archer Cardoso

Turismo, sinónimo de fomento

O populismo do costume…

Portugal é, por si só, um país com um enorme potencial turístico. Com quase novecentos anos de história, muitos povos, ao longo do tempo, tentaram conquistar este cantinho à beira mar plantado. Tudo começou com D. Afonso Henriques, e a partir daí a maior parte dos reis preocuparam-se em manter o nosso território, ou mesmo, em expandi-lo aquém e além-mar. Fomos precursores no descobrimento de novas terras, dando um novo mundo ao mundo. Conhecemos novos povos, novas rotas, novos produtos. Cruzamos culturas, influenciámos e impulsionámos o comércio. Propiciámos, até, o início da globalização Amarante também faz parte dessa história. Já em 1250 há registo de um conjunto de habitações, a que chamavam Amarante, por ser ante-Marão, situadas na actual paróquia de São Veríssimo, devido à fertilidade dos solos e abundância de água. Com a chegada de São Gonçalo, um sacerdote peregrino, com fama de milagroso, Amarante ganha mais importância religiosa. Ao longo dos séculos, a nossa terra vai ganhando forma. Com a fama do nosso São Gonçalo, torna-se local de culto, de passagem e também de fixação. Aqui nascem grandes monumentos arquitectónicos. O ano de 1809 traz a Amarante os franceses, que, vindos do Porto, transportam destruição, devastando e aniquilando tudo o que podiam. Mas dessas invasões destaco, acima de tudo, a força e a coragem dos amarantinos, que, a todo o custo, combateram e atrasaram a passagem da ponte. Destes séculos de história,

herdámos um legado monumental de várias correntes e estilos arquitectónicos. Com toda esta riqueza, Amarante torna-se, e falo já num passado próximo, na referência da região. Todos os serviços, ou os mais relevantes, fixam-se na nossa terra, fazendo dela a mais importante, e onde as pessoas dos concelhos vizinhos tinham de recorrer. Actualmente, e com tristeza escrevo, não é isso que acontece. Amarante foi regredindo, perdendo muitos serviços, deixando-se ultrapassar por concelhos que antes estavam bem atrás. Amarante parou no tempo. Que soluções haverá? Qual a forma de dar a volta a esta amarga situação? No meu entender, Amarante tem que aproveitar, da melhor forma, todos os recursos endógenos que possui. Deveremos retratar-nos, reflectir e analisar que este caminho trilhado não é o mais correcto. É no fomento do turismo que Amarante pode, e deve, apostar. O nosso rico e vasto património tem que vender, e tornar rentável o comércio. A serra do Marão e da Aboboreira, o rio Tâmega, a proximidade do rio Douro, entre outros recursos naturais, aliados aos bons acessos comunicacionais, serão, também, a solução para este concelho, bem como para a região. Amarante tem que olhar para o lado e aproveitar os bons exemplos. Não deve copiar, mas adoptá-los e adaptá-los à nossa realidade, inovando e criando estratégias, tornando o património aprazível, com vista a trazer visitantes. Vou-vos falar de uma situação insignificante para alguns, mas que pequenos pormenores

(desculpem o pleonasmo), por vezes, fazem a diferença. Em todos, ou quase todos, os finsde-semana somos visitados por dezenas, por vezes centenas, de excursionistas. Vêm com a expectativa de conhecer uma belíssima terra, mas vão com a imagem dos pilares da ponte “Nova”, ou, com sorte, da estação dos autocarros do Queimado. Este é um pequeno exemplo, mas que reflecte a situação e o empenho, ou falta dele, quanto à promoção de Amarante. Saliento a importância de tratar da melhor forma todos aqueles que nos visitam, atraindo-os a novas presenças, publicitando a nossa terra. Incrementar o turismo, prolongando a todo o concelho através de rotas turísticas temáticas, criando novos postos de emprego qualificado, será o desenvolvimento lógico dos nossos serviços e do nosso comércio. Assim responderemos às exigências, ajudando à fixação dos nossos jovens, bem como de outros que se sintam atraídos a assentar em Amarante.

O PS Amarante está bem e recomenda-se, ao contrário de certas forças partidárias que cansadas de viverem na sombra, preferem camuflar o seu desalinhamento e falta de ideias com resultados presidenciais que mais não reflectem do que uma nota dominante e preocupante: uma elevada taxa de abstenção por todo o país. No entanto, é bom lembrar que os amarantinos, em Outubro de 2009, votaram em massa e reelegeram o Partido Socialista para governar por mais quatro anos os destinos do concelho. E fizeram-no porquê? Inequivocamente porque a gestão socialista foi até à data aquela que mais prestigiou o nosso concelho. Uma gestão orientada pela eficiência e sustentabilidade governativa. A aplicação de dinheiros públicos é, ao contrário do que muitos possam pensar, um acto de visão e de enorme responsabilidade. Primeiramente, porque é necessário saber elaborar um diagnóstico da situação actual, e em seguida, é fundamental saber definir prioridades e desenvolver o respectivo plano de acções. A gestão socialista em Amarante teve, tem e terá ao longo dos anos uma linha de orientação muito bem definida: fazer melhor por todo o concelho, salvaguardando sempre o bemestar das gerações actuais e futuras. Estar entre as mais bem posicionadas autarquias do país em rankings de viabilidade económica é motivo de orgulho. O poder negocial que a Câmara Municipal possui junto de diversos parceiros não é para todos. Ouvir visitantes e turistas exultarem a beleza que conserva a nossa terra é algo que enche de orgulho qualquer amarantino. Infelizmente, diversos concelhos vizinhos, que muito estimamos, vivem hoje uma situação

extremamente complicada e que lhes custará anos de atraso na execução de diversas infraestruturas públicas. As suas empresas municipais encontram-se completamente insustentáveis, há quilómetros e quilómetros de estradas que não são reparadas, concursos que não são adjudicados por falta de crédito bancário, resultado… câmaras completamente estranguladas e endividadas e com um futuro a curto/ médio prazo hipotecado. A gestão eficiente e sustentável deveria ser apanágio de todos. No entanto, não é, pois exige mais dinâmica governativa, ou seja, é necessário analisar e ponderar antes de dar ordem de execução. Obriga os executivos a mais rigor, transparência e seriedade. Contudo, nos tempos que correm ainda há quem continue a querer enveredar pelo discurso fácil e da ilusão. O actual executivo da Câmara Municipal de Amarante prefere continuar a fazer melhor e a garantir a evolução gradual de um concelho que executa à medida das principais necessidades dos munícipes. Actualmente, vivemos uma era em que a boa gestão será ainda mais valorizada em detrimento da má gestão ou da “gestão de show off”, em que o “dar nas vistas” ou o supérfluo continuará a desmoronar-se qual baralho de cartas. As cartas do PS Amarante à muito que foram lançadas e continuarão em cima da mesa. Neste desafio, não houve, não há, nem haverá lugar para batota. Joga-se limpo e de forma transparente como a maioria dos munícipes reconhece e aplaude hà 21 anos, ou se preferirem, há 21 anos, de 4 em quatro anos. Bem-haja quem por bem sabe governar!

lizar como sombras surgindo de todos os lados, com uma conversa monótona, clamando auxilio para tudo, passeiam impunes por tudo quanto é canto, ás vezes até é difícil desembaraçarmo-nos deles, e quem deveria acabar com estas originalidades, fazendo uso da sua autoridade, não aparece, ou “ esquece-se” da existência de quem faz deste tipo de mendicidade um expediente e um

modo de vida, e quantas vezes, por não ser atendido ou questionado, sai o insulto rápido, barato, inútil, e quantas vezes injurioso. Fazer respeitar a pobreza, não oprimindo ou ultrajando o pobre é uma coisa. Alimentar o fardo da preguiça e do vício, só conduz a funestos resultados.

Tudo vem a propósito... de Hernâni Carneiro

Dissimular a habilidade Não me vou referir ao aspecto físico dos personagens, para além da informação ao leitor, que a barriguinha anafada e face corada, denunciam aquilo a que chamámos “ boa vida”. E também aqui o trabalho não funciona como contraveneno do vício, mas a habilidade de artista em pintar a desgraça, como se tivesse fermento, aumentando-a sem termos ideia da deformidade do vício da pedinchice,

e lá vem a fita, cuja comparticipação é para ajudar crianças, outros trazem impressa uma foto impessoal, de alguém que tem leucemia, e por aí adiante, e esta habilidade já feita de imensa prática, é patente e recorrente nas ruas da nossa cidade, em pontos estratégicos, até nos semáforos enquanto se aguarda pelo sinal de avançar, e aquilo que parece ser uma necessidade para algumas pes-

soas que logo contribuem, sem sequer de darem ao trabalho de saber onde se situam as instituições, ou de onde vêm tais personagens. Quando se pede uma contribuição para uma instituição local, tudo em ordem e identificados os colaboradores, não se merece a confiança dos outros, e é tudo inclinado á desconfiança e ao engano. E aqueles que parecem des-


O Jornal de Amarante Quinta-feira, 17 de Fevereiro 2011 | 9

DESPORTO por Mário Fernandes

3ª DIVISÃO NACIONAL

Candal, 1 – Amarante, 2 Amarante mostrou carácter Jogo no Estádio Rei Ramiro, em Gaia, com arbitragem de Carlos Dias da AF do Porto, auxiliado por Bruno Soares e Pedro Martins Candal: Dany, Passo, Sidon, Ferraz e Daniel (Gil, 85), Reis (Paiva, 83), Jony (Diogo, 76), Zé Tiago, Anssumane, Alex e Amaral Treinador: António Pedro Amarante: Celso, Pedro Carneiro, Carlos Castro, César e Bispo, Tiago Silva (Rochinha, 88), Tiago Martins, Filipe, Jussane (Faísca, 75), Marcos (Pedrinho, 84) e Bruno Teixeira Treinador: Prof. Arlindo Gomes Ao Intervalo: 0 – 1 Golos: Marcos (16), Alex (57) e César (78) Amarelos: Tiago Silva (38), Jussane (75), Ferraz (80), Reis (83) e Pedro Carneiro (92) O Amarante levou de vencida a formação do Candal, por duas bolas a uma, um concorrente directo na luta pelos primeiros lugares. Apresentando um futebol bem estruturado, com uma clara intenção atacante, de modo a trazer na sua bagagem os três pontos em disputa. O Candal não previa a entrada dos amarantinos e denotaram muitas dificuldades para conseguir contrariar as intenções contrárias. O Amarante controlava o jogo na meio campo adversário, longe da sua baliza, e com isso a impedir qualquer veleidade ao seu adversário para ser surpreendido. Como corolário desse domínio o Amarante chegaria ao golo numa boa jogada de ataque, com uma excelente conclusão de Marcos, que na cara do guarda-redes, não

tremeu e abriu o marcador. O Candal tentou responder, mas não conseguia entrar na bem escalonada defensiva amarantina, apesar de um certo abrandamento da equipa amarantina, que mesmo não jogando com a velocidade, o Amarante criou sempre mais perigo junto da baliza contrária, e com mais alguma calma poderia ter aumentado a vantagem no marcador. O intervalo chegaria entretanto com o Amarante a merecer a vitória, já que foi a melhor equipa em campo. Na segunda parte o Candal entrou mais forte, criou mais dificuldades ao Amarante, e foi aí que entrou na partida Celso, que com duas excelentes defesas impediu que os locais conseguissem obter a igualdade. O Candal viria a chegar ao empate na transformação de uma grande penalidade cometida por Celso, que derrubou Anssumane, quando este se isolou, e Alex não perdoou. O Candal cresceu mais com o empate, e dispôs de mais uma boa ocasião para dar a volta no marcador, quando Amaral, em boa posição atirou ao lado. O Amarante soube suster o ímpeto dos locais a meio da segunda parte, e voltou a ficar por cima, a obrigar o seu adversário a recuar no terreno, e Bruno Teixeira isolado a perder muito tempo e quando rematou, não o fez nas melhores condições. O Amarante era mais equipa, obrigava o seu adversário a correr a trás da bola, que voltava novamente a sentir dificuldades, para conseguir criar perigo junto da baliza amarantina. À entrada

Vila Meã, 1 – Serzedelo, 3 dos últimos dez minutos jogo o Amarante chegaria ao segundo golo, com César mais alto ao primeiro poste a desviar de cabeça a bola para o fundo da baliza de Dany, na sequência de um pontapé de canto do lado esquerdo do ataque amarantino. Os jogadores amarantinos sentiram que muito dificilmente a vitória lhes escaparia, apesar da tímida reacção dos gaienses, na tentativa de chegar ao empate, mas era com mais coração, e isso facilitava a actuação defensiva amarantina. O Amarante teve mais uma boa ocasião para aumentar o resultado, mas o remate de Bruno Teixeira saiu fraco e para as mãos do guarda-redes Dany. Resultado justo, este da equipa amarantina, já que foi superior ao seu adversário na primeira parte, e na segunda tirando os primeiros quinze minutos, em que os locais foram mais pressionantes, numa boa partida de futebol, com uma arbitragem que esteve ao nível do jogo. “O Amarante F. C. contratou até ao final da época o atleta “ ANDRÉ PIRES”. É um jovem de 22 anos que jogou as últimas épocas no Turizense e no Montalegre. Fez a sua formação desportiva no Sporting C. P., e jogou a sua primeira época de sénior no Real, na 2ª Divisão Nacional, cedido pelo Sporting. Joga no meio campo. O atleta já está inscrito, ficando, assim, disponível para integrar o plantel do AFC, até ao final da época.”

Clube de Pesca de Amarante Época Desportiva 2011 O Clube de Pesca de Amarante prepara a época desportiva de 2011, cujo mapa anual de actividades engloba a realização de provas no concelho e muitas outras fora deste, reflexo das muitas provas em que o clube estará envolvido, quer a nível individual quer a nível do campeonato de clubes, e nos diferentes escalões, desde as camadas Jovens aos Veteranos. Destaca-se, a nível de organização de provas do campeonato nacional, particularmente, a organização do Concurso Nacional denominado TAÇA CIDADE DE AMARANTE, a qual atrai inúmeros visitantes à nossa cidade. A nível interno, o CPA dará ini-

cio ao campeonato de Inter-sócios. Este campeonato decorrerá nas margens do rio Tâmega, na cidade de Amarante, a partir do dia 26 de Fevereiro, data para a qual está agendada a primeira prova, sendo a segunda prova no dia 12 de Março. As restantes etapas serão realizadas por altura de Verão, mais propriamente, nos dias 2 de Julho, 6 de Agosto e 10 de Setembro. A direcção aproveita para relembrar que as inscrições para o campeonato Inter-sócios estão abertas a todos aqueles que queiram participar, até ao dia 25 de Fevereiro, na sede social do clube. O clube organizará ainda o

concurso “Inter-Freguesias”, no dia 16 de Julho, prova que de ano para ano tem ganho mais participantes, oriundos das diferentes freguesias do concelho de Amarante, assumindo-se assim como uma prova com grande impacto na população amarantina. Em nome do Clube de Pesca de Amarante, a direcção aproveita mais uma vez para solicitar o apoio e a colaboração de todos quantos possam ajudar esta Associação, que é uma das mais antigas do concelho e com resultados desportivos que a todos os Amarantinos orgulha.

Segunda parte fatal para o Vila Meã Jogo no Estádio Municipal de Vila Meã, com arbitragem de Carlos Taveira da A.F. de Aveiro Vila Meã: Torcato, Chico, Filipe, Daniel e Pinheiro, Lemos, Maia, Tamsir, Mário Alves (China, 88), Igor (Mika, 83) e Filipe Cândido (Simões, 61) Treinador: Carlos Monteiro Serzedelo: Miguel, Carlos, Filipe, Carlos Martins e Bruno Sousa, Miguel Mota (Xavi, 86), Ricardinho (Pedro Fidalgo, 75), André, Maurício, Vitinha (José Pedro, 65) e Fábio Treinador: Marco Alves Ao intervalo: 1 – 0 Golos: Mário Alves (27), Fábio (57, 81) e André (70) Amarelos: Filipe Cândido (31), Filipe (53) e Maia (63) Vermelhos: Tamsir (71) O Vila Meã deu um passo atrás neste jogo com o Serzedelo, na procura dos lugares que garantem a manutenção, apesar de ter realizado uma primeira parte em bom nível, em que se mostrou organizado, com uma clara intenção de conseguir os três pontos, tendo mostrado bom futebol. O Serzedelo mostrou-se bem orgaCLASSIFICAÇÃO Pos 1 Famalicão

PT

J

V

E

34 18 10 4

2 Amarante

32 18 9

5

3 Serzedelo

30’ 18 8

6

4 Joane

30 18 8

6

5 Sousense

28 18 8

4

6 Candal

28 18 7

7

7 Paredes

25 18 7

4

8 Rebordosa

25 18 6

7

9 Leça

22 18 4 10

10 Vila Meã

19 18 5

4

11 Mondinense

16 18 3

7

12 Ol Douro

2

2

18 0

nizado defensivamente, mas com pouca acutilância ofensiva, estando mais preocupado em conseguir que o Vila Meã não chegasse com perigo à sua baliza. O Vila Meã continuou a pressionar o seu adversário e chegaria ao golo quase em cima da meia hora de jogo, dando assim expressão à sua atitude mais ofensiva. O Serzedelo, após o golo sofrido, não mostrou argumentos na fase final da primeira parte, para dar a volta ao resultado. A segunda parte trouxe um Serzedelo mais activo no ataque na procura do empate, com outra dinâmica e o Vila Meã a ter dificuldades para conseguir contrariar o seu adversário. Corolário desse ascendente os visitantes chegariam ao golo do empate, à passagem do minuto 57. Os vilameanenses sentiram o golo e intranquilizaram-se, não conseguiram reagir à adversidade, mostraram-se nervosos, o que era aproveitado pelos visitantes, para imporem o ritmo que mais lhe convinha na procura do segundo golo. O Vila Meã via as coisas a andarem para trás com a expulsão de Tamsir e no minuto seguinte o Serzedelo dava a cambalhota no D GM GS resultado. O Serzedelo 4 22 16 acabaria por chegar ao 4 19 12 terceiro golo, à entrada 4 32 28 dos últimos dez minutos 4 28 18 da partida, sentenciando o jogo. 6 26 20 O resultado aceita-se, 4 26 21 numa partida de futebol 7 20 20 com duas partes distin5 34 24 tas, na primeira com o 4 17 14 Vila Meã por cima, e a 9 18 30 segunda a ser do Ser8 25 33 zedelo, com uma arbitra16 10 42 gem regular.

Urb. Queimado - Madalena - Loja 15 - 4600-245 Amarante Tel e Fax: 255 433410 | Telm: 912435021 | Email: rogerpecas@gmail.com

P`la Direcção,Artur Pereira

OURO PRATA E JÓIAS A Ourivesaria Nina Jóias, Lda,

de Maria de Fátima Gonçalves de Moura Monteiro e Tito Teixeira Monteiro com sede na Rua 5 de Outubro, 68-72 Telef: 255 432315 – AMARANTE


10 | O Jornal de Amarante

Associação Desportiva de Amarante Secção de Andebol Boavista FC 36 – 22 ADA A equipa de andebol sénior da A.D.A deslocou-se ao Pavilhão da Escola Fontes Pereira de Melo, no Porto, para defrontar a equipa do Boavista FC, 1º classificado da fase de apuramento, em jogo que já se previa difícil para as cores amarantinas. O jogo não decorreu da melhor forma para a A.D.A, entrando algo apática no jogo e permitindo à equipa da casa criar desde cedo uma vantagem significativa no resultado. A espaços foi possível equilibrar os acontecimentos mas sem por em causa o rumo do marcador. Este jogo permitiu também a utilização de forma satisfatória dos nossos atletas ainda juniores, que assim ganharam experiência perante uma equipa forte. No próximo sábado, dia 19, a A.D.A recebe a equipa do C.P.N no pavilhão municipal pelas 21h00. O jogo adivinha-se equilibrado após derrota tangencial da A.D.A na primeira volta na condição de forasteiro. Apareça e apoie a A.D.A.

Secção de Voleibol ADA 3 – 0 ACR Vale de Cambra No Sábado, dia 12 de Fevereiro, a equipa de voleibol juvenis femininos da A.D.A cumpriu mais uma jornada que decorreu no Pavilhão Municipal de Amarante, pelas 15horas. O jogo re-

alizou-se com a equipa do A. C. R. Vale de Cambra, terminado com o resultado de 3 - 0 a favor da A.D.A. Um jogo que não se adivinhava muito difícil para a ADA, uma

vez que a equipa adversária vinha de uma série de derrotas consecutivas neste campeonato regional, e pelo historial dos jogos entre as duas equipas, em que a nossa tem levado sempre vantagem. Mais uma vez, foi demonstrado que temos uma melhor equipa, nunca estando em

causa o resultado final do jogo, nem a disputa de qualquer set. Mesmo com a equipa da ADA a não fazer um jogo ao seu melhor nível, foi possível assistir a uma melhoria na qualidade da recepção da bola ao serviço e da distribuição. Neste jogo, de salientar ainda

o regresso da nossa capitã de equipa, que se encontrava lesionada. O próximo jogo será realizado no próximo Sábado pelas 18horas com a equipa do GDC Gueifães, no pavilhão Municipal de Gueifães.

a DIABETES é a principal causa de cegueira no Mundo. Saiba mais em www.chtamegasousa.pt

Agenda

18 de Fevereiro às 21:30 Cinema Teixeira de Pascoaes Cineclube apresenta o filme: “Entre Irmãos” Entre Irmãos Título original: Brothers

De: Jim Sheridan Argumento: David Benioff Com: Jake Gyllenhaal, Natalie Portman, Tobey Maguire, Sam Shepard Género: Drama Classificacao: M/16 EUA, 2009, Cores, 104 min. 25 de Fevereiro às 21:30 Cinema Teixeira de Pascoaes

Cineclube apresenta o filme: “A rede social” A rede social Título original: The social network De: David Fincher Argumento: xxxxx Com: Andrew Garfield, Jesse Eisenberg, Rashida Jones, Justin Timberlake Género: Drama Classificacao: M/12 EUA, Cores, 121 min.

JA nº.1604  

17 de Fevereiro de 2011

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you