Page 1

Alagoas, 1º de agosto | Ano 1 | Nº 081 | 2019

R$ 1,00

www.jornaldasalagoas.com.br

Imagem: iStock

Lava Jato: PF apura pagamento de propina pelo grupo petrópolis

Hacker rouba dados de milhões de clientes de banco nos EUA

Princesa foge de dubai para evitar que o filho seja casado à força

Página 5

Página 6

Página 6

Contra o Vasco, CSA está nas mãos de josé carlos Página 9

IRREGULARIDADE

MP INVESTIGA PAGAMENTO DE “FALSOS MÉDICOS” PELA PREFEITURA DE ATALAIA Denúncias dão conta de que pessoas estariam recebendo salários como médicos, mas não exercem a função

O promotor Bruno de Souza está investigando a existência de “falsos médicos” na folha de pagamento da prefeitura de Atalaia. Não se trata de exercício ilegal da profissão, mas de

pessoas que recebem salários como médicos, mas que não exercem efetivamente a função na rede pública de saúde municipal para a qual são remuneradas. Página 4

Para Sales, atraso no Plano Diretor é improbidade O vereador Francisco Sales (PPL) está inconformado com o atraso da prefeitura no envio do novo Plano Diretor da capital para apreciação da Câmara de Maceió, que deveria ter sido atualizado em 2015. Para ele, o prefeito Rui Palmeira (PSDB) está incorrendo em crime de improbilidade administrativa e diz que situação é insustentável. Página 12

Índice de Incerteza cai 12,7% em julho

Rodrigo Cunha garante que não tem compromisso político com JHC e está focado em seu mandato o senador Rodrigo Cunha assumiu o comando do PSDB em Alagoas e afirma que trabalhará

para que a legenda cresça em Alagoas, não somente na capital, mas também no interior.Ele des-

taca que seu compromisso agora é com o mandato no Senado e que, diferente do pleito passado,

não tem acordo eleitoral com o parlamentar para as eleições de 2020. Página 3

O Indicador de Incerteza da Economia teve queda de 12,7% de junho para julho, segundo a Fudanção Getúlio Vargas. Este é o menor patamar desde fevereiro de 2018. Para este cálculo são levados em conta a frequência de notícias com menção à incerteza econômica nas mídias e as previsões dos analistas ouvidas pela pesquisa Focus. Página 7


1º de agosto

2

2019

EDITORIAL

CENA URBANA

PSDB: como sair da cova... O PSDB de Alagoas terá um grande desafio em 2020: sair da cova onde se enfiou por não ter tido a coragem de ser líder no

EXPEDIENTE Jorge Luiz Borges Tinoco Diretor-Executivo Luis Vilar Editor-Geral Benedito Lima Diagramação

Para anunciar (82) 3028.2050

tornou o comandante da legenda. Agora, o senador terá uma tarefa difícil: fazer do PSDB protagonista. O detalhe é que Rui

processo eleitoral passado. Um dos culpados:

Palmeira não disputará eleição, já que é seu

o prefeito de Maceió, Rui Palmeira (PSDB).

segundo mandato. O ninho tucano não tem li-

Essa não é uma avaliação de sua gestão, que

derança política em Maceió com peso suficien-

tem acertos e erros como qualquer gestão.

te para a disputa e – no segundo maior colégio

O tucano – por exemplo – encerrará o

eleitoral – Rogério Teófilo (PSDB) vem tendo

mandato sem escândalos de corrupção, com

dificuldades com a opinião pública. Em entre-

algumas ações administrativas que permi-

vista, Cunha fala um pouco sobre essa situação

tiram o governo municipal superar crises

que impõe ao PSDB a busca por alianças para

financeiras, dentre outros pontos positivos.

tentar fazer prefeitos e vereadores.

É algo bom, sobretudo quando se pensa no histórico da política alagoana.

Se a estratégia não for bem montada, os tucanos correm o risco de sofrerem derrotas en-

Porém, politicamente, Rui Palmeira – nas

surdecedoras e amargar o ostracismo mesmo

eleições passadas – se mostrou inábil. Não

depois de terem comandado o Executivo esta-

por não ter sido candidato ao governo do

dual – com Teotonio Vilela Filho. Eis o tamanho

Estado, pois era uma possibilidade. Mas por

do desafio no colo de Rodrigo Cunha, que não

ter anunciado que não estaria no pleito tarde

tem um perfil de correligionário orgânico, haja

demais. Isso desmobilizou toda a oposição

vista que nas eleições passadas se afastou de

ao MDB e jogou o PSDB ao papel de mero

seu próprio grupo em função da aliança com

coadjuvante no processo. Quem com isso

o PP do senador Benedito de Lira. Todavia, o

alcançou a posição de maior estrela do parti-

senador alagoano diz estar confiante na missão

do foi o senador Rodrigo Cunha, que logo se

de reacender o tucanato em Alagoas.

Após ter sido “depenado” por vândalos, o antigo prédio do INSS, na praça Palmares, começou a receber alvenaria. Segundo a assessoria, a medida visa evitar que o imóvel continue sendo destruído e que moradores de rua usem o local como abrigo.

CNPJ 33.009.776/0001-21 Endereço Rua Barão de Penedo, 36 Edifício Delmiro Gouveia, Sala 205 - Centro CEP 57.020-340 Maceió - Alagoas E-mails redacao@jornaldasalagoas.com.br comercial@jornaldasalagoas.com.br

Site www.jornaldasalagoas.com.br

Os artigos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores.

ARTIGO | Davi Maia*

83% dos alagoanos não tem coleta de esgoto Em Alagoas, pagamos a 4ª maior tarifa de água e esgoto do país, sabia? E esse ano tivemos mais um aumento. Na última semana, o Instituto Trata Brasil divulgou o relatório 2019 com o ranking de saneamento básico no Brasil. Os números não são nada animadores. Maceió ficou na posição 73, entre as 100 cidades analisadas. Os anos passam e continuamos em péssimas colocações. Para não restar dúvidas, vou fazer uma comparação. Na cidade de Santos, em São Paulo, o cida-

dão ganha mais de R$ 3 mil reais de salário e paga uma tarifa de 3,63; quase 2 reais a menos que a gente aqui. Eles ficaram em 2º lugar no ranking. Em Niterói, no Rio de Janeiro, o cidadão tem uma renda média de quase R$ 3 mil e paga 4,75 na tarifa. Lá, o serviço foi privatizado e estão em 10º lugar. Já aqui, em Maceió, a renda média é de R$ 2,5 mil e temos uma tarifa média de 5,76. Com um serviço estatal de péssima qualidade.

Ou seja, é possível pagar menos e ter um serviço melhor. E os números não acabam por aqui: 83% dos alagoanos não têm coleta de esgoto e só 20% do que é coletado é tratado. Além disso, perdemos 45% da nossa água tratada com vazamentos e ligações clandestinas. Isso prejudica a qualidade de vida e a saúde. Maceió tem uma taxa de 0,7 internações por mil habitantes por causa de diarreia (dados do IBGE). Tanto em Santos como em Niterói,

* É deputado estadual

a taxa é de 0,1 internações. Prejudicando também o turismo, que é a segunda atividade econômica mais importante do estado. Não podemos permitir que esses números se repitam ano após ano. Por isso, defendo a privatização da Casal e continuarei trabalhando para garantir serviços de qualidade ao povo alagoano. E você, caro leitor, o que acha do saneamento básico em AL e dos serviços oferecidos pela Casal?

Fabrício Melo

OPINIÃO


1º de agosto

2019

3

MACEIÓ ELEIÇÕES | De acordo com o senador, a sucessão municipal passa pelo diálogo com o prefeito Rui Palmeira

Rodrigo Cunha visa fortalecer PSDB e diz que não assumiu acordo eleitoral com JHC Luis Vilar Editor-geral

Em entrevista no dia de ontem, o senador alagoano Rodrigo Cunha (PSDB) falou sobre seu envolvimento – enquanto líder partidário do ninho tucano - na futura eleição municipal de 2020. Cunha assumiu o comando da legenda em Alagoas e afirma que trabalhará para o partido crescer em Alagoas, tanto na capital quanto no interior do Estado. Todavia, frisa que seu compromisso agora é com o mandato, apesar de já ter segundo ele mesmo - iniciado conversas na busca por lideranças que possam disputar prefeituras e os cargos de vereadores.

É

preciso também formar essas lideranças. Muita gente busca o meu apoio e eu sempre indago o porquê daquela pessoa querer ser vereador, por exemplo. O PSDB precisa formar novos líderes e esse tem sido um compromisso meu na legenda”. Questionado sobre a possível parceria entre ele e o deputado federal João Henrique Caldas, o JHC (PSB). Ambos foram parceiros na eleição passada, quando JHC se reelegeu deputado federal e Cunha chegou – pela primeira vez – ao Senado Federal. A suplente de Cunha, por exemplo, é a mãe de JHC: Eudócia Caldas. BASTIDORES Nos bastidores, se comenta que a aliança reflete um compromisso mais amplo. Estaria em jogo o apoio de Cunha a JHC nas eleições de 2020, pois o deputado federal é cotado como possível candidato à Prefeitura de Maceió. Isso seria retribuído em 2022, com uma possível candidatura de Rodrigo Cunha ao governo do Estado de Alagoas. O tucano, entretanto, nega tais informações. De acordo com ele, a parceria com JHC é boa, mas não contempla

Para o senador, agora é o momento de focar em seu mandato

compromissos futuros. “O momento agora é de focar no mandato. O JHC me ajudou muito nas eleições passadas, me ajudando na caminhada em alguns locais. A votação que ele teve em Maceió, evidentemente, o credencia a disputar a Prefeitura. Dizem que houve um acordo com JHC visando eleições futuras. Eu não assumi compromisso com JHC para eleição municipal. O PSDB tem hoje a Prefeitura de Maceió e o prefeito Rui Palmeira tem que ser ouvido nesse sentido. Eu não tratei desse assunto com o Rui para saber o que ele pensa”, coloca. Cunha cita Palmeira por saber que o prefeito e JHC

possuem suas divergências desde o final do primeiro mandato da gestão municipal. O deputado federal e Rui Palmeira já se enfrentaram nas urnas. “Queremos que o PSDB tenha capacidade de eleger prefeitos e vereadores. O objetivo é fortalecer os prefeitos do partido. O Rui não vai mais para a reeleição. Então, há uma discussão sobre a sucessão a ser feita”, frisou. O senador também comentou o futuro processo eleitoral em Arapiraca. Ele reconheceu que a gestão de Rogério Teófilo (PSDB)vemenfrentandoproblemas. “Rogério tem uma corrida contra o tempo para melhorar os indicadores de Arapiraca. A população está esperando isso.

Naturalmente, ele deve ir para a reeleição. Eu espero que, nessa corrida contra o tempo, o que ele planeja dê certo”, frisou. Cunha tem ainda uma boa relação com o deputado federal Severino Pessoa (PRB), que hoje está afastado de Rogério Teófilo. Mas, para o senador é preciso abrir frente para o diálogo para buscar o que une os políticos que podem estar no mesmo bloco. É a mesma situação – por exemplo – com outra liderança do município: Aurélia Fernandes. Os desafios de construir alianças que privilegiem os tucanos em Alagoas está nas mãos do senador, mas – ao menos quanto em Arapiraca – o tucano não foi enfático ao avaliar as condições de Teófilo. Quanto à Maceió, brigar pelo nome de JHC no pleito pode ser – e deve ser! - uma das opções de Rodrigo Cunha, mas também há o desafio de estreitar os laços. É que dentro da gestão municipal há outros nomes que também esperam o apoio dos tucanos, como o vice-prefeito Marcelo Palmeira (PP), que pensa em uma possível candidatura. Daí, Cunha adotar o discurso da cautela quando fala como dirigente partidário.

Agentes de trânsito de Maceió pedem mais segurança em reunião Carol Amorim Estagiária

O

s diretores do Sindicato dos Agentes Municipais de Trânsito do Estado de Alagoas (Sindatran/AL) se reunirão, nesta manhã, com a diretoria da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT) para solicitar mais segurança aos agentes e na sede da SMTT. A reunião acontecerá na própria sede da superintendência, em Maceió. De acordo com José Glauco,

presidente do Sindatran/AL, os agentes de trânsito em Maceió trabalham “em perigo constante” e sob “a proteção divina”, já que não há segurança para que eles exerçam suas atividades. Ele afirma que agentes já sofreram agressões verbais e físicas no trânsito da capital e que houve casos, até, de ameaça de morte. O sindicato aponta que representa, atualmente, cerca de 200 agentes de trânsito. “Mais segurança existiria se usássemos colete a prova de bala, spray de pimenta e

se o órgão tivesse controle de acesso. Na sede do Detran, por exemplo, não é permitida a entrada de pessoas sem identificação”, explica. O presidente do Sindatran/ AL reconhece que outros municípios passam por perigos semelhantes e avalia que um modelo de segurança executado no país, que é exemplo para o sindicato, é o do Distrito Federal. Uma das motivações para a solicitação da reunião, afirma José Glauco, foi a ocorrência da viatura da SMTT incendiada, no

próprio pátio do órgão, na tarde na última terça-feira, por um condutor que foi constatado com irregularidade por agentes de trânsito. O autor, identificado como Genilson Santos, entrou na sede da superintendência, praticou o crime e em seguida foi flagrado e levado do pátio pela Polícia Civil para a Divisão Especial de Investigação e Capturas (Deic). Q uando interrogado, o suspeito revelou ao delegado Fábio Costa que teve o veículo apreendido por agentes

enquanto atuava como transporte clandestino de passageiros. Por causa disso, ele teria ido a sede da SMTT para incendiar a viatura utilizada pelos agentes no dia em que seu veículo foi apreendido. Como ele não encontrou a mesma viatura, ateou fogo em outro transporte que estava estacionado na superintendência. Ainda segundo o delegado, Genilson responderá pelos crimes de atentado ao serviço de utilidade pública e dano qualificado.


4

1º de agosto

2019

ALAGOAS ATALAIA | Assessoria da gestão municipal disse que gestor “desconhece” tanto a existência da denúncia quanto de irregularidade

MPE investiga “falsos médicos” em folha de pagamento de prefeitura Gabriela Flores Repórter

A existência de “falsos médicos” na folha de pagamento da prefeitura de Atalaia vai ser apurada pelo Ministério Público Estadual (MPE/AL). Conforme publicação no Diário Oficial do Estado (DOE) de ontem, após oitivas com testemunhas, o órgão decidiu converter o procedimento preparatório em inquérito civil público.

“D

urante a instrução do presente Procedimento Preparatório foram enviados documentos indicando o recebimento de pagamentos, a título de plantão médico a pessoas que não exercem tal função”, esclareceu o MPE na publicação. Entre as medidas adotadas pelo promotor de Justiça, Bruno

de Souza Martins Baptista está a notificação dos investigados para apresentação de informações que considerem adequadas, além de facultar o acompanhamento por um defensor. A assessoria de Comunicação do município de Atalaia informou que “até o presente momento o município não tem

conhecimento da denúncia do Ministério Público”. Sobre a existência de pessoas na folha de pagamento que estariam recebendo salários como médicos, porém sem exercer a função, a Assessoria de Imprensa da Prefeitura Municipal informou que a municipalidade “desconhece” o fato.

Atalaia está sob investigação de ter na folha de pagamento servidores que recebem como médicos, mas não exercem função

Pilar: prefeito tem 15 dias para acabar com nepotismo O prefeito da cidade de Pilar, Renato Filho, tem um prazo de 15 dias para exonerar todos os servidores que ocupem cargos de confiança ou comissionados que configurem nepotismo. A recomendação do Ministério Público Estadual (MPE/AL) foi publicada no Diário Oficial do Estado (DOE) de ontem. A medida foi tomada após MPE tomar “conhecimento da suposta prática de nepotismo, em especial o nepotismo cruzado pela Prefeitura Municipal de Pilar, a partir da oitiva de Adriana Palmeira, que relatou que é esposa do

atual presidente da Câmara de Vereadores de Pilar, Joceli Bruno Berta, o qual era Secretário Municipal de Urbanismo e trabalhava com a esposa”. Diante do exposto a Prefeitura Municipal de Pilar deve também abster-se de contratar diretamente, ou mediante dispensa ou inexigibilidade de licitação, pessoa física ou jurídica cujos sócios ou empregados enquadrem-se nas relações de parentesco que configure o nepotismo. Na publicação o MPE reforça que “o vínculo familiar entre agentes políticos e

ocupantes de cargos comissionados e exercentes de função gratificada é incompatível com o conjunto de normas éticas abraçadas pela sociedade brasileira, as quais estão albergadas pelo princípio constitucional da moralidade administrativa”. “A prática do nepotismo e favorecimento no provimento de cargos em comissão no âmbito dos poderes municipais, Executivo e Legislativo, agride e viola de forma frontal e direta os princípios que norteiam o regime jurídico-administrativo, notadamente os comandos abstratos da

moralidade, da impessoalidade e da isonomia, tal como inscrito no artigo 37 da Carta da República, além de caracterizar desvio de finalidade dissociado da pauta ética de conduta do administrador público”, destacou o promotor de Justiça, Silvio Azevedo Sampaio. A assessoria de Comunicação do prefeito Renato Filho informou que após a recomendação do Ministério Público vai avaliar se existe algum caso dessa natureza dentro da Prefeitura Municipal e que deve tomar as providências. G. F.

Causa animal é tema de sessão especial na ALE

C

om o tema “A Luta em Defesa da Proteção Animal em Alagoas”, a solenidade acontecerá amanhã, às 9h, no plenário da ALE, terá a presença de juristas, servidores da segurança pública, ONGs, médicos veterinários e a sociedade civil. “O recente caso da ONG Pata Voluntária chocou a todos. Com isso, percebemos a necessidade de debater com a população e com o poder público um modo de dar ainda mais confiabilidade a essas instituições”, explica o presidente da Comissão do Meio Ambiente, deputado estadual Davi Maia (DEM). Na ocasião, Maia apresentará projeto para conceder o “Selo Entidade Protetora dos Animais” para as entidades não governamentais, sem fins lucrativos, que atuem com transparência na defesa, saúde, proteção e melhoria da qualidade de vida dos animais em Alagoas. PATA VOLUNTÁRIA Em julho, as proprietárias da ONG Pata Voluntária foram presas suspeitas de fraude para conseguir dinheiro de internautas. Em uma publicação numa rede social, elas teriam simulado um assalto utilizando fotos e vídeos para relatar o suposto crime, além de assédio e agressão às proprietárias. As investigações realizadas pela polícia apontam que o crime nunca aconteceu. Na ação, elas teriam arrecadado mais de R$ 70 mil.


1º de agosto

2019

5

BRASIL INVESTIGAÇÃO | Operação Rock City é realizada em 15 municípios de São Paulo, Mato Grosso, Rio de Janeiro e Minas Gerais

Lava Jato: PF apura pagamento de propina disfarçada de doação pelo Grupo Petrópolis Luiz Carlos Murauskas/Folhapress

Andreia Verdélio Agência Brasil

A Polícia Federal (PF) investiga o pagamento de propinas disfarçadas de doações eleitorais pelo Grupo Petrópolis, na 62ª fase da Operação Lava Jato, deflagrada ontem. De acordo com a PF, o grupo também teria auxiliado a empreiteira Odebrecht a pagar valores ilícitos, por meio da troca de reais no Brasil por dólares em contas no exterior.

A

operação denominada Rock City é realizada em cooperação com o Ministério Público Federal e a Receita Federal. A 13ª Vara Federal de Curitiba, no Paraná, responsável pela força-tarefa, expediu um mandado de prisão preventiva, cinco mandados de prisão temporária e 33 mandados de busca e apreensão. Eles estão sendo cumpridos em 15 municípios nos estados de São Paulo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro e Minas Gerais. Também foi determinado o bloqueio de ativos financeiros dos investigados. O presidente do Grupo Petrópolis, Walter Faria, é o alvo do mandado de prisão preventiva e, até o fechamento desta edição, ainda não havia sido localizado pela PF. Três executivos ligados ao grupo já haviam sido presos temporariamente até esse horário. Todos serão levados para a Superintendência da Polícia Federal no Paraná, onde serão interrogados.

PF diz que Walter Faria estava envolvido em outras investigações da Lava Jato

De acordo com a PF, Faria já estava envolvido em outras investigações da Lava Jato, como o envolvimento com o ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, mas que movimentações recentes de recursos de offshore indicariam tentativa de dissipação de patrimônio adquirido de maneira ilícita. Isso motivou o pedido de prisão e a deflagração da operação. No total, Walter Faria e outros executivos do Grupo

Petrópolis teriam atuado na lavagem de cerca de R$ 329 milhões de reais em contas fora do Brasil e movimentado US$ 106 milhões em operações no exterior, segundo o Ministério Público Federal. Um dos executivos da Odebrecht, em colaboração premiada, afirmou que utilizou o Grupo Petrópolis para realizar doações de campanha eleitoral para políticos de outubro de 2008 a junho de 2014, o que resultou em dívida não contabi-

lizada pela empreiteira com o grupo investigado, no valor de R$ 120 milhões. Em contrapartida, a Odebrecht investia em negócios do grupo. A suspeita da força-tarefa da Lava Jato é que offshores relacionadas à empreiteira realizavam – no exterior – transferências de valores para offshores do Grupo Petrópolis, o qual disponibilizava dinheiro em espécie no Brasil para realização de doações eleitorais. Também foi apurado que WalterFariautilizouoprograma de repatriação de recursos do exterior de 2017 para trazer R$ 1,3 bilhão ao Brasil. Contudo, de acordo com a PF, há indícios de que essa movimentação tenha sido irregular e que os recursos seriam provenientes da prática de “caixa dois” na empresa. O nome da operação traduzido para o português é “Cidade de Pedra”, significado que remete ao nome do grupo investigado. O Grupo Petrópolis é dono de marcas de cerveja e vodkas e bebidas não alcoólicas.

Sobe para 62 número de mortos em briga de facções no PA Karine Melo Agência Brasil

M

ais quatro presos participantes da briga entre facções no presídio em Altamira (PA) foram mortos durante o traslado de Novo Repartimento a Marabá. Ao chegarem ao destino, os agentes encontraram os detentos mortos por sufocamento em duas celas. As informações foram divulgadas ontem pela Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup) do Pará. A ação ocorreu entre 19h de terça e 1h da madrugada de ontem, e as razões das novas

mortes estão sendo investigadas. Todos os 26 presos remanescentes serão colocados em isolamento. Os detentos eram da mesma facção e viviam juntos nas mesmas celas e foram comparsas no confronto entre facções, no presídio em Altamira, que deixou 58 mortos na última segunda-feira. Durante o transporte, eles estavam algemados, divididos em quatro celas que, juntas, tinham capacidade para até 40 presos e 30 eram transportados. O estado não tem caminhão com celas individuais. Na tarde de terça-feira, chegaram a Belém 10 homens

da Força-Tarefa de Intervenção Penitenciária. A ida do grupo foi autorizada pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, a pedido do governador do Pará, Helder Barbalho. A força-tarefa atuará em atividades de guarda, vigilância e custódia de presos, com apoio dos sistemas Penitenciário e de Segurança Pública do estado. Até a noite da terça-feira, 15 corpos de vítimas do confronto ocorrido na última segunda-feira entre o Comando Classe A (CCA) e o Comando Vermelho (CV), no presídio de Altamira, no oeste paraense, haviam sido

identificados. Para agilizar o trabalho, que está sendo feito por meio de exames de DNA, desde terça-feira reforçam a equipe em Altamira peritos odontologistas forenses, além de peritos criminais do Laboratório de Genética Forense do Instituto de Criminalística de Belém. Ontem, os trabalhos foram retomados às 7h. Até a terça-feira, 16 líderes do confronto já haviam sido identificados e transferidos de forma imediata para a capital paraense, dez deles irão, posteriormente, para o regime federal e os demais serão redistribuídos nas penitenciárias estaduais.

Como parte de ações estratégicas para evitar novos confrontos entre facções criminosas em presídios estaduais, a Superintendência do Sistema Penitenciário do Pará (Susipe) anunciou que, até o fim do ano, mais cinco unidades prisionais serão entregues nos municípios de Altamira, Parauapebas, Redenção, Abaetetuba e Vitória do Xingu. “Serão mais de 2 mil vagas abertas. E neste sábado, quase 500 agentes concursados tomam posse, algo que não existia. Com essas medidas, conseguimos melhorar o quadro e o sistema”, disse o titular da pasta, Ualame Machado.


6

1º de agosto

2019

INTERNACIONAL AÇÃO EXCUSA | também atingiu cerca de 6 milhões de clientes no Canadá, que adquiriram produtos do Capital One Bank

Hacker rouba os dados de milhões de clientes de banco nos Estados Unidos Deutsche Welle Agência

O banco americano Capital One reconheceu ter sido vítima do roubo de dados de mais de 100 milhões de clientes. No mesmo dia, o Departamento de Justiça dos Estados Unidos comunicou que o FBI (Federal Bureau of Investigation) prendeu o suspeito de cometer o crime.

A

suposta hacker, Paige A. Thompson, é uma especialista em Tecnologia da Informação, tem 33 anos e foi presa em Seattle, no estado de Washington. Ela pode ser condenada a até cinco anos de prisão. De acordo com o FBI, foi a própria Thompson que divulgou o roubo através da plataforma de desenvolvimento colaborativo GitHub, de propriedade da Microsoft. O banco afirmou acreditar ser improvável que a informação vazada tenha sido usada para fraudes, mas que continuará a investigar. Um usuário do GitHub alertou a Capital One do vazamento, e o banco comunicou o caso ao FBI no último dia 19.

Capital One é o sétimo maior banco privado dos EUA

ATIVOS DE 373,6 BILHÕES DE DÓLARES O banco é a 10ª maior instituição financeira dos EUA e o sétimo maior banco privado do país, com ativos de 373,6 bilhões de dólares. “Ainda que seja grato que o autor tenha sido preso, lamento profundamente o

que aconteceu”, disse em nota um dos diretores do banco, Richard D. Fairbank. “Eu sinceramente peço desculpas pela compreensível preocupação que este incidente deve estar causando aos afetados e eu me comprometo a consertá-lo.” De acordo com o banco,

com sede em McLean, no estado da Virgínia, Thompson acessou os dados de cerca de 100 milhões de pessoas nos Estados Unidos e outras 6 milhões no Canadá que adquiriram produtos associados a cartão de crédito ou solicitaram cartão bancário do Capital One entre 2005 e 2019. Na grande maioria dos casos, foram afetados dados pessoais, como nomes, endereços, números de telefone, datas de nascimento ou renda, além de histórico de crédito. Mas Thompson também obteve os números da Previdência Social de 140 mil pessoas nos EUA e 1 milhão no Canadá. Também teve acesso a números de conta bancária de 80 mil pessoas, conforme reconhecido pela entidade.

Dubai: princesa que fugiu quer evitar casamento forçado do filho Reuters Agência

A princesa Haya Bint al-Hussein, a sexta mulher do emir de Dubai, xeque Mohammed Al Maktoum, solicitou na Suprema Corte da Inglaterra uma ordem para proteger uma de suas crianças de um casamento forçado. Na lei inglesa, uma ordem de proteção contra casamento forçado se destina a proteger uma pessoa de se casar contra a sua vontade ou a ajudar alguém que já foi forçado a se casar. Haya tem uma filha de 11 anos e um filho de 7. A princesa, de 45 anos, também fez um pedido de medida protetiva contra assédio e ameaças. Não está claro

com quem esse pedido está relacionado. Haya também solicitou que a Justiça britânica assuma a custódia do filho. Caso a demanda seja aceita, o tribunal fica responsável por decisões importantes relacionadas ao futuro da criança. A princesa requereu a custódia das crianças perante a Justiça. A informação foi atribuída à Associação Britânica de Imprensa. De acordo com o jornal, uma pessoa próxima à família real dos Emirados Árabes Unidos afirmou que ela fugiu do país há alguns meses e busca asilo político no Reino Unido, além de um divórcio do xeque. A embaixada dos Emirados Árabes em Londres afirmou

que o governo do seu país não pretende fazer comentários com relação à vida privada dos envolvidos no caso. Representantes do xeque Mohammed Al Maktoum foram procurados, mas ainda não se manifestaram. QUEM É HAYA E POR QUE FUGIU Filha do falecido rei Hussein, da Jordânia, Haya é meia-irmã do rei Abdullah II, que governa o país atualmente. Nascida na Jordânia, ela foi educada no Reino Unido – onde frequentou a Bryanston School, em Dorset, e estudou filosofia, política e economia na Universidade de Oxford. Haya competiu em provas de hipismo nas Olimpíadas de

2000, em Sidney (Austrália), e se casou com o xeque em 2004. Na época, ela integrava o comitê Olímpico Internacional. Ainda não está claro o motivo da fuga, mas ela disse que “temeu por sua vida”. Fontes próximas a Haya afirmam que ela teria descoberto recentemente informações preocupantes sobre o retorno a Dubai, em 2018, da princesa Latifa, uma das filhas de Mohammed. Ela fugiu dos Emirados Árabes Unidos pelo mar com a ajuda de um francês, mas foi interceptada por homens armados na costa da Índia e retornou a Dubai. Na ocasião, Haya, junto com a ex-presidente irlandesa Mary Robinson, defendeu a

postura de Dubai em relação ao incidente. As autoridades do país afirmaram que Latifa estava “vulnerável à exploração” e que “agora estava em segurança em Dubai”. Mas ativistas de direitos humanos alegam que ela foi levada de volta à força, contra sua vontade. Desde então, dizem que a princesa Haya teria descoberto novos fatos sobre o caso e sofrido, consequentemente, uma crescente hostilidade e pressão por parte de integrantes da extensa família do marido até que não se sentiu mais segura no país. Uma fonte próxima à princesa conta que ela teme ser sequestrada e levada de volta a Dubai.


1º de agosto

2019

7

ECONOMIA TRABALHO | De acordo com dados divulgados ontem, também houve queda na subutilização de mão de obra no país

Desemprego no Brasil recua 0,7 ponto percentual no 2º trimestre, diz IBGE Akemi Nitahara Agência Brasil

A taxa de desocupação no Brasil, no trimestre encerrado em junho de 2019, ficou em 12%, o que significa uma redução de 0,7 ponto percentual em relação ao trimestre anterior. No período anterior (janeiro, fevereiro e março), a taxa tinha ficado em 12,7%.

T

ambém houve queda na subutilização de mão de obra. No período encerrado em junho, a taxa de subutilização foi 24,8%. No trimestre anterior, essa taxa chegou a 25%. No ano passado, no trimestre finalizado em junho, as taxas de desocupação e subutilização foram respectivamente 12,4% e 25,5%. Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio - Contínua (Pnad Contínua), divulgada ontem, no Rio de Janeiro, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Há 12,8 milhões de pessoas sem trabalho no país e 28,4 milhões que trabalham menos horas do que poderiam. O rendimento real habi-

Trabalhadores aos poucos começam a encontrar oportunidades no mercado

tual apresentou queda de 1,3%, caindo de R$ 2.321 no primeiro trimestre do ano para R$ 2.290 na última

medição. O número de desalentados - pessoas que desistiram de procurar trabalho - se

manteve recorde no percentual da força de trabalho, com 4,4%, o que soma 4,9 milhões.

Indicador de incerteza cai ao menor patamar desde 2018 Vinícius Lisboa Agência Brasil

O

Indicador de Incerteza da Economia teve queda de 10,7 pontos de junho para julho, divulgou ontem a Fundação Getulio Vargas (FGV). Com o resultado, o índice chegou a 108,4 pontos, atingindo o menor patamar de incerteza desde fevereiro de 2018. O indicador é composto por dois itens principais. O primeiro mede a frequência de notícias com menção à incerteza econômica nas mídias imprensa e online. O outro leva em consideração as previsões dos analistas econômicos ouvidos na pesquisa Focus, do Banco Central, que traça projeções para o câmbio, a taxa básica de

juros e a inflação. O componente de mídia teve uma queda de 9,2 pontos, enquanto o da expectativa dos analistas caiu 12,1 pontos. O superintendente de Estatísticas Públicas do Instituto Brasileiro de Economia da FGV, Aloisio Campelo Jr, avalia que a redução de incerteza “parece estar relacionada” aos avanços na tramitação da reforma da Previdência, à divulgação de novos itens da agenda econômica do governo e ao aumento da probabilidade de uma redução de juros nos Estados Unidos. EMPRESÁRIOS Já o Índice de Confiança Empresarial (ICE) subiu 0,9 ponto em julho, na comparação com o mês anterior. O indicador é calculado

Aloisio Campelo Jr. acredita que redução pode estar relacionada à Previdência

pelo Instituto Brasileiro de Economia, da Fundação Getúlio Vargas (Ibre/FGV) e também foi divulgado ontem. O índice consolida os indicadores de confiança de quatro setores: indústria, serviços, comércio e cons-

trução. Entre eles, apenas a confiança da indústria recuou, com uma queda de 0,9 ponto. A alta mensal de julho é a segunda consecutiva no ICE, e os economistas do Ibre/FGV apontam que a melhora das expectativas para o futuro explica esse

movimento. O Índice de Expectativas avançou 0,9 ponto, chegando ao melhor resultado desde setembro de 2013, enquanto o Índice de Situação Atual teve uma oscilação menor, com um acréscimo de 0,1 ponto. A FGV também aponta que a alta na confiança foi mais disseminada entre os 49 segmentos pesquisados nos quatro setores da economia que compõem o ICE. Em junho, havia sido registrado aumento da confiança em 65% dos segmentos, enquanto em julho a alta se deu em 67%. No comércio, todos os segmentos registraram ganho de confiança dos empresários, enquanto na construção, o mesmo ocorreu com 91% dos segmentos analisados.


8

1º de agosto

2019

GERAL COLUNA DO VILAR - por Luís Vilar

Transparência

Por um melhor entendimento

Rodrigo Cunha e a bancada De acordo com o senador alagoano Rodrigo Cunha (PSDB), a bancada federal alagoana só se reuniu duas vezes no primeiro semestre. O coordenador da bancada é o deputado federal Marx Beltrão (PSD). Ainda assim, nas duas reuniões compareceram apenas deputados federais e não todos. Parece ficar claro que falta sintonia nos deputados federais, ainda que isso não tenha sido dito pelo tucano. Ele foi o único senador presente nos encontros. Cunha defende que a bancada – em que pese as divergências naturais da democracia – poderia se unir em torno de, pelo menos, cinco temas centrais para atração de recursos para áreas vitais do Estado. O senador do PSDB cita – por exemplo – com uma das questões poderia unir os parlamentares na briga por recursos para tocar as obras de creches que estão paralisadas em Alagoas. Rodrigo Cunha avalia que é fundamental essa união para traçar projetos para as emendas impositivas que vão entrar no próximo orçamento,

que será elaborado já pelo atual governo federal do presidente Jair Messias Bolsonaro (PSL). O senador destaca que essa aproximação não significa necessariamente compromissos políticos ou unidade de pensamento, mas direcionamento de recursos para áreas necessárias. Que se frise: Cunha não atacou os colegas muito menos a coordenação que é desenvolvida por Marx Beltrão. Porém, em sua fala é perceptível uma cobrança para maiores entendimentos suprapartidários ou que não envolvam interesses ideológicos ou de linhas de

atuação, já que é natural que cada parlamentar possua a sua própria linha e queira deixar – em seu mandato – a sua própria marca. Tal união sequer coloca em jogo se o deputado seria situação ou oposição, seja em referência ao governo estadual ou ao federal. É uma questão mesmo de discussões técnicas em relação ao direcionamento das futuras emendas. Que o segundo semestre possa trazer um melhor diálogo entre os membros da bancada federal alagoana, que é composta por nove deputados federais e três senadores.

RODRIGO CUNHA E OS SENADORES Em relação aos senadores, Cunha também comentou sobre seu relacionamento com eles – em um café da manhã com a imprensa, ocorrido no dia de ontem – e frisou que “nunca teve compromissos com eles”. Um é o senador Renan Calheiros (MDB) e o outro é Fernando Collor de Mello (PROS), que se encontra afastado. Em relação ao primeiro, Cunha é opositor. Quanto ao segundo, pelo que se percebe, sempre quis um distanciamento político. A frase do senador alagoano é a seguinte: “não tenho compromisso com eles”. O tucano diz que o diálogo deve existir em relação aos projetos que envolvam Alagoas e que forem bons para o Estado

e só. O senador ainda falou sobre sua posição em relação ao governo do presidente Jair Messias Bolsonaro (PSL). Lamentou que as falas polêmicas do presidente desviem a atenção para o que de bom o governo fez, mas também avalia que há erros na gestão. “Eu não sou direita nem esquerda, eu quero é ser para frente”, diz Cunha, criticando o atual cenário de polarização do país. O problema – entretanto – não é a polarização, que é natural da democracia, mas as radicalidades e as posturas mais inflamadas. Algo que o senador deveria diferenciar, pois quando se fala de “direita” e “esquerda”, não são meros rótulos, já que de um lado está a visão

que combate o estatismo e do outro a que enxerga o Estado como paternalista. Claro que há gradações entre os extremos e ninguém se resume a uma caixinha ideológica, mas – em alguns momentos – as falas do senador Rodrigo Cunha apontam para uma posição confortável previamente assumida de quem não quer estar em lugar algum. Isso é diferente de querer – e creio que é o que o senador busca – ter um senso crítico apurado para avaliar as pautas por suas consequências e, a partir daí, desenvolver algo que vem rareando no país: o debate no campo das ideias e longe das tretas superficiais que tomam conta das redes sociais.

De acordo com informações de bastidores do governo federal, a gestão do presidente Jair Bolsonaro (PSL) quer deixar claro – nas nomeações do terceiro escalão – quem são os políticos que indicam nomes para esses cargos, bem como quem são os indicados. É que o Brasil é grande e as regionalidades implicam em indicações sobre as quais o governo pode não ter o total controle ao fechar as alianças com os partidos políticos. O governo federal quer que o deputado ou senador que se alinhe ao governo seja explícito em sua concordância com as pautas e que indique nomes sobre os quais não pesem escândalos ou históricos de associações às esquerdas. Na avaliação do governo, a total transparência ajudará à administração em possíveis correções sem perder as alianças. É, por exemplo, o que ocorreu com a indicação de Adalberon Sá para o INCRA de Alagoas. Ele chegou a ser nomeado, mas rapidamente a Casa Civil – por meio de informações oriundas dos movimentos de direita que apoiam o governo do presidente – mostrou a aliança de Sá com a ex-candidata à Presidência, Marina Silva (Rede). Isso pesou para que ele fosse exonerado antes mesmo de assumir. O governo federal não questiona a capacidade técnica de Adalberon Sá, mas age de forma preventiva para que pessoas com ideias de esquerda não venham a ser um entrave dentro de casa para futuros projetos. Em razão disso, muitos nomes indicados estão enfrentando um “travamento” na Casa Civil. Em Alagoas, três deputados federais já indicaram nomes: Arthur Lira (PP), Marx Beltrão (PSD) e Nivaldo Albuquerque (PTB). Todavia, há um outro lado nessa questão, muitos cargos estão sem gente alinhada ao governo e órgãos ainda funcionam com nomeações do governo passado. Isso tem atrasado alguns projetos do governo e pode fazer com que Bolsonaro encerre seu primeiro ano de mandato sem conseguir ocupar todos os espaços. O PSL de Alagoas – que também reclamou da nomeação de Adalberon de Sá – ainda está fora das nomeações de órgãos. Concorde-se ou não com seus dirigentes (isso é outra história), esse é um ponto que o governo federal precisa pensar, pois ocupar espaços é uma forma de fortalecer os nomes aliados em regiões do país para que possam disputar eleições em 2020. É algo legítimo da política, cabendo apenas ficar de olho para se o nomeado está fazendo um bom trabalho ou não. Se não fizer, troca, ora bolas!


1º de agosto

2019

9

ESPORTES AGORA É RECUPERAÇÃO | Com o imprevisto empate no Rei Pelé, o CRB perdeu o embalo e parou na 7ª colocação

Lembrar de fazer a lição de casa Ailton Cruz

Marcelo Alves

É

Repórter

O CRB vai para a recuperação. O time regatiano não fez a lição de casa, na terçafeira passada, e ficou apenas no empate com o Oeste-SP por 2 a 2. Com isso, o Galo ganhou somente um ponto e ficou com 20. Parou na sétima colocação da primeira página da Série B do Campeonato Brasileiro. Agora, é momento de voltar a embalar, uma vez que volta a jogar no Estádio Rei Pelé no próximo sábado contra o Cuiabá.

Torcida regatiana surpreendeu com 6.121 pessoas no Rei Pelé, mas o time decepcionou

O

técnico Marcelo Chamusca explicou que – apesar do empate com o Oeste-SP –, o CRB já havia compensado estes dois pontos perdidos quando derrotou o Botafogo-SP (2 a 0) fora de casa na semana passada. O treinador regatiano chegou a citar que não há “garantia de se vencer em casa”. Até os dois jogos anteriores,

o CRB estava embalado com duas vitórias conquistadas de forma equilibrada até o final das partidas. Mas no duelo contra o Oeste-SP, o Galo voltou a cometer erros como tomar gol nos minutos finais do segundo tempo (43’) e a sofrer com cansaço dos jogadores. Marcelo Chamusca entendeu que faltou “malandragem” aos seus comandados e não

Agora está nas mãos de João Carlos

poupou críticas ao seu quarteto de jogadores ofensivos: Léo Ceará, Felipe Ferreira, Willian e Alisson Farias. Quanto ao meia-atacante Élton Arábia, o treinador do CRB disse que o jogador precisa de ritmo de jogo. E apesar de já estar atuando pelo time do CRB, o goleiro Fernando Henrique só foi apresentado oficialmente na tarde de ontem.

notório que no futebol já não se vê mais a ginga. É raro encontrar o jogador driblador para se desvencilhar dos marcadores com apenas o requebro do corpo. Percebe-se que o jogo está muito “duro”, isto é, sem muitos lances de molejo e até de malabarismo. Se faltarem fórmulas para recuperar o gingado dos atletas que correm somente em linha reta sem ziguezaguear, que se observem as ruas do calçadão do centro de Maceió. Quem transita por lá, ganha molejo. A cada dois e até mesmo um passo, tem que gingar para desviar de algum ambulante. O atleta que for ao local e repetir o passeio várias vezes, ganha agilidade e habilidade para quebrar qualquer “linha de marcação”, como chamam os treinadores modernos quando se referem às fortes marcações.

SEM ARRODEIO | Cesar Delong/Redbull

O

goleiro João Carlos tem a chance de voltar a atuar na vaga de Jordi que terá que cumprir suspensão. Na era Marcelo Cabo, o herói do título do CSA de bicampeão do Campeonato Alagoano foi expulso na derrota por 4 a 0 para o Ceará, na partida de estreia no Campeonato Brasileiro da Série A. A partir daí, ele não mais retornou à titularidade. Nem mesmo após cumprir a automática pelo cartão vermelho. Três meses depois do duelo contra o time cearense, o arqueiro retoma o lugar. Até mesmo se não tivesse que cumprir suspensão automática, o goleiro Jordi

Calçadão: área para o atleta ganhar ginga

ficaria fora do duelo contra o Vasco, uma vez que o arqueiro pertence ao clube da Colina e está emprestado ao time azulino. Nesta negociação há uma cláusula contratual que impede que ele atue contra o clube carioca.

Enquanto Jordi está fora, o CSA ganha o retorno de Apodi que cumpriu suspensão no empate contra o Grêmio. Apesar do retorno, o lateral-direito terá que lutar pela vaga. O técnico Argel Fucks teceu elogios ao desempenho do volante Dahwan que jogou improvisado na lateral-direita contra o time gaúcho. O treinador chegou a afirmar que Apodi teria que brigar pela posição. Já o lateral-esquerdo Euller pode não estrear ainda contra o Vasco. Apesar de já estar regularizado, Argel Fucks contou que o atleta está treinando para obter ritmo de jogo.

Governo Estadual apoia o Ironman Prova movimentará o turismo em Alagoas. Mais de 1,5 mil atletas de vários países estarão em Maceió. Divulgação

Tite está entre os 10 melhores da Fifa Treinador brasileiro concorre ao Prêmio The Best 2019 na categoria e concorre com Guardiola e Klopp. Reprodução

Neymar ficou de fora novamente A entidade que administra o futebol não indicou o craque à premiação dos melhores do mundo.


10

1º de agosto

2019

CULTURA FOGUEIRA EM ALTO MAR | perspassa alguns temas mais sensíveis para a cantora, famosa por imprimir doses maçicas de poesia em seu trabalho

A nova viagem de Ana Carolina Parece que foi ontem, mas já faz 20 anos que Ana Carolina deu o pontapé inicial na carreira que inscreveu seu nome, irrevogavelmente, na história da MPB. Sua voz é hoje uma marca registrada, reconhecida em todos os cantos do país, presente nas playlists mais sofisticadas e sempre em boa companhia.

á para dizer que “Fogueira em Alto Mar”, título do álbum que agora está completo, com suas 11 músicas liberadas - 9 delas foram lançadas anteriormente, em formato de dois EPs -, é uma boa metáfora para a posição ocupada por Ana Carolina no panteão da nossa música. Uma chama que pode ser vista ao longe. As canções que completam o álbum “Fogueira em Alto Mar” perpassam alguns dos temas mais sensíveis para a cantora, famosa por imprimir doses maciças de sensibilidade e poesia em seu trabalho. E esta

D

Vila Vintém ao Fim do Mundo”, numa verdadeira celebração à vida, nos lembrando da urgência de brindá-la a cada dia. Ana Carolina trafega com conforto por vários estilos musicais, e o samba tem seu lugar garantido. “1296 Mulheres” é a faixa que representa o gênero, escrita pelas penas luxuosas de Moreira da Silva e Zé Trindade e, pode-se dizer, totalmente ressignificada na voz de Ana Carolina. Antonio Villeroy adiciona a faixa “Canção Antiga” à longa lista de parcerias com Ana Carolina, construindo humores à medida que os instrumentos

nova jornada de Ana Carolina conta com alguns destaques, como a faixa “Não Tem no Mapa”, cujo videoclipe ganhou o perfume sensual e romântico, na calibragem precisa dos termômetros da compositora e intérprete, que divide a autoria da canção com Bruno Caliman. E é “sustentando o decote” que Ana Carolina convida a diva máxima Elza Soares para dividir com ela os vocais de “Da

vão surgindo na cama musical a culminar com a voz do próprio artista declamando frases de seu poema em francês intitulado “La Solitude”. O compositor também marca presença ao lado de Ana Carolina em “Dias Roubados”, igualmente coassinada por Jonas Myrin. A garganta de Ana Carolina também ecoa sentimentos rasgados, expostos, e neste álbum a atitude encontra ressonância em “Tudo e Mais um Pouco”, cuja letra é uma declaração de amor que exige tudo e mais um pouco do objeto de desejo, sintetizado em frases como “me beije embaixo de um milhão de estrelas / você é tanto para mim”. Com Dudu Falcão,

Ana Carolina compõe “Outra Vez Você”, uma canção suave em que o tom é a “saudade que te traz para mim” já que é “tarde demais para esquecer”. A levada animada também ganha força em ”Com Vista para Amar” e o ouvinte deverá apreciar com especial carinho a versão de Ana Carolina para “O que é que há?”, hit de Fábio Jr. (composto em parceria com Sergio Sá), que chega de roupa nova para completar o álbum. E quem há de saber o que os próximos 20 anos na carreira de Ana Carolina? Só o tempo dirá. Por enquanto, é hora de ver a fogueira queimar. Turnê “Fogueira em Alto Mar” - desde junho, Ana Carolina percorre as principais cidades do país com a turnê que leva o mesmo nome do álbum, com um show repleto de grandes surpresas, e um repertório mesclando suas novas músicas e os grandes sucessos que embalaram seus 20 anos de carreira. Sobre o novo show, a cantora adianta: “A turnê ‘Fogueira em Alto Mar’ terá as seis canções do primeiro EP, incluindo os sambas e pops. E, com uma banda poderosa, também cantarei algumas músicas do repertório de 20 anos, é claro! Mas o momento mais esperado do show será a ‘pandeirada’ e uma ou outra releitura que, por enquanto, é surpresa”, afirma. Ainda não há previsão de show em Alagoas na agenda oficial da cantora para este ano, mas quem quiser conferir, dia 6 de setembro ela se apresenta no Teatro Guararapes, em Recife (PE). S obre A n a C a rol i n a - Cantora, compositora, arranjadora, produtora, instrumentista, musicista e artista plástica, Ana Carolina lançou seu primeiro disco em 1999; hoje, sua carreira, que completa 20 anos, já inclui 12 álbuns, seis

DVDs e mais de cinco milhões de discos vendidos. Entre outros, ganhou sete vezes o Prêmio Multishow de Música Brasileira, três vezes o Troféu Imprensa e uma vez o Prêmio TIM de Música. O primeiro grande sucesso, “Garganta”, viria já no primeiro álbum. Depois dele, emplacou cerca de 30 singles nas paradas brasileiras. As composições da artista já foram gravadas por nomes importantes como Maria Bethânia, Gal Costa, John Legend, Esperanza Spalding, Chiara Civello, Jorge Vercillo, Mart’nália, Zizi e Luiza Possi, Pedro Camargo Mariano, Preta Gil, entre outros. Em suas composições, fez parcerias com Seu Jorge, Luiz Melodia, Gilberto Gil e Guinga, entre muitos outros. Em 2009, quando completou 10 anos de carreira, lançou o álbum “N9ve”, no qual destaca-se a canção “Entreolhares (The Way You’re Looking at Me)”, em um dueto com o cantor, compositor e pianista americano John Legend. A canção alcançou o topo da Billboard Hot Songs (Rio de Janeiro) e o 34° na Billboard Hot 100 Airplay. No mesmo ano, lançou a coletânea de canção, “Ana Carolina + Um”, com duas canções inéditas e participação de vários cantores, entre eles, Maria Gadú, Maria Bethânia, Roberta Sá, Totonho Villeroy, entre outros. Em 2012, gravou duetos com astros da música internacional, como Tony Bennett e Alejandro Sanz, e seu CD #AC trouxe a cantora dividindo os microfones com Chico Buarque. Atualmente, Ana Carolina contabiliza mais de cinco milhões de seguidores em suas r e d e s sociais.


1º de agosto

2019

11

SOCIEDADE ESPALHAÍ - por Elzlane Santos elzlane@espalhai.com

Panificadores Solidários

Café da manhã do bem Missão China Retornando da Missão China onde apresentou as potencialidades do Parque Tecnológico de Alagoas, a secretária Cecília Rocha recebeu empreendedores alagoanos para um bate-papo sobre os avanços conquistados. O evento aconteceu na sede da SECTI, na manhã de ontem. Wesley Barbosa, alagoano que morou durante três anos no maior país da Ásia Oriental, também contou um pouco da sua experiência, servindo como inspiração para as possíveis parcerias que estão por vir.

Everton Ferreti tomou um café da manhã diferente na última terça. É que ele fez questão de participar, como doador, da ação promovida pelo Grupo Ferreti e a Associação dos Panificadores, em prol do banco de sangue da Santa Casa de Misericórdia de Maceió. Os doadores receberam como incentivo um belo café da manhã, com direito às tortas deliciosas que são marca do Grupo Ferreti. A doação de sangue é um gesto de solidariedade dos mais importantes. Cada doação pode salvar até três vidas. No Brasil, a doação de sangue é feita nos serviços de hemoterapia públicos e privados. Os serviços de hemoterapia públicos são responsáveis por 64% da coleta de sangue, seguidos dos serviços credenciados ao Sistema Único de Saúde (SUS) que respondem por

29% e dos serviços privados que contribuem com 7%. Para ser doador a pessoa precisa ter entre 16 e 69 anos, desde que a primeira

doação tenha sido feita até 60 anos e fazer os testes preliminares, que são gratuitos para quem se candidata a ser doador.

VAI VIRAR GIBI? l Rick Chesther, o vendedor de água mineral que se transformou num dos palestrantes mais inspiradores da atualidade, pode virar GIBI. É que desde criança Rick gosta de ler, mas sempre teve dificuldade em encontrar livros ou gibis que direcionassem as crianças a um olhar mais apurado sobre presente e futuro. “Hoje vejo pais conduzem os filhos para o mundo virtual. O que eleis não enxergam é que podem estar exterminando a ‘era do livro’”.

Em alta

Zizi Possi em Maceió Zizi Possi volta a Maceió no próximo dia 30 de agosto. Desta vez, ela revisita suas origens de atriz, lá nos anos 70, e apresenta o espetáculo “À Flor da Pele”, produzido em forma de teatro musical no qual intercala belas canções com os poemas de Eduardo Ruiz, sempre com a força e a sensibilidade que Zizi derrama em cada interpretação. Com produção de Sue Chamusca, o show acontece no Teatro Gustavo Leite, em sessão única.

FESTA SURPRESA Aline Rijo mais uma vez se superou na criatividade e na arte de guardar segredo. Ela conseguiu produziu uma festa surpresa para comemorar o aniversário de Jocélia Rocha, dentro da BonTon Decor, sem que ela percebesse. Claro que foi preciso uma operação de guerra para retirá-la da loja e montar tudo em tempo recorde.

LIA NASCEU Fernando Peron faltou a vários compromissos na última terça, mas foi por um excelente motivo. Lia chegou! Apesar da chegada antes do previsto, Lia está bem e com muita saúde. E é linda! Como disse o pai “Ou seja, a cara da mãe Lara”. Agora Joaquim assume o posto de irmão mais velho e a família fica maior, mais completa e feliz.

CONTAGEM REGRESSIVA Aninha Monteiro está em contagem regressiva para a mega festa da III Edição do Prêmio Ana Monteiro, que acontece em Maceió na próxima terça-feira. Empresários, autoridades políticas e personalidades nacionais fazem parte da lista de convidados e homenageados.

HOMENAGEM l A renomada psiquiatra alagoana, Nise da Silveira, foi homenageada com uma escultura onde se encontra sentada, olhando para o mar de Jatiúca, com um gato no colo. O monumento, no Corredor Vera Arruda, foi feito pelo escultor e artista plástico mineiro Léo Santana. Nise também foi pioneira na pesquisa das relações emocionais entre pacientes e seus animais de estimação - por isso o gatinho.


12

1º de agosto

2019

ÚLTIMAS PLANO DIRETOR | Atraso no envio do documento que normatiza o planejamento urbano é classificado por Francisco Sales como 'insustentável'

Vereador ameaça acusar Rui Palmeira por improbidade administrativa O atraso no envio do projeto de atualização do Plano Diretor da capital, por parte do prefeito Rui Palmeira (PSDB), pode lhe render dor de cabeça. O vereador Francisco Sales (PPL) disse que tem ciência do fato, está reunindo documentos e via questionar o chefe do Executivo a esse respeito. Sales adiantou que pretende alegar improbidade administrativa do prefeito.

Delane Barros Repórter

O

Plano Diretor deveria ter sido atualizado no ano de 2015, mas a Prefeitura não enviou a matéria para apreciação dos vereadores. “Estou me preparando com minha equipe para oficializar à Prefeitura ainda essa semana. Estou me inteirando e analisando todos os aspectos, mas essa situação do município é fora do normal e insustentável”, afirmou. O assunto não deverá ser levado a plenário hoje à tarde, quando recomeçam as atividades da Casa. “Pretendo recorrer ao Ministério Público, sem dúvida. Entretanto, a Câmara Municipal tem o poder fiscalizador do Executivo e precisa exercê-lo. O descumprimento enseja crime de improbidade administrativa e, por isso, pretendo entrar nessa questão para cobrar da Prefeitura”, afirma.

O líder do governo e da bancada governista na Câmara Municipal, vereador Samyr Malta (PTC) admite ter conhecimento do descumprimento do prazo, mas explica que há uma justificativa do município para isso. “Estou me inteirando a respeito”, disse. Malta disse que estava em viagem, tratando de assuntos particulares, retornou a Maceió no início da semana, mas ontem estava em Recife, motivo pelo qual não teria informações mais consistentes a respeito. Mas garantiu que ainda hoje cedo irá à Prefeitura para colher informações sobre os motivos que levaram ao não envio da matéria. “Pelo que sei, houve algumas questões técnicas na elaboração do projeto, por isso o atraso”, argumentou Samyr Malta. Ele também não soube confirmar se o prefeito Rui Palmeira irá participar da sessão ordinária desta tarde da Câmara, a qual marca o retorno dos trabalhos legislativos. De

acordo com informações do presidente da Casa, vereador Kelmann Vieira (PSDB), a pauta de hoje deverá conter apenas requerimentos apresentados pelos vereadores, apesar das matérias que tramitam nas comissões permanentes da Câmara. Até o começo da noite, a Secretaria de Comunicação (Secom) do município não respondeu sobre qual encaminhamento será adotado para a questão. O secretário municipal de Governo, que poderia dar uma resposta em relação ao problema, Eduardo Canuto, estava com os telefones desligados durante toda a tarde. De acordo com a Constituição Federal, o Plano Diretor é o documento que normatiza o planejamento urbano, leva em questão aspectos como a arquitetura e urbanismo da cidade e os serviços e políticas públicas. O Plano Diretor deve ser aplicado nas cidades com população superior a 20 mil habitantes.

TJ suspende o concurso de Rio Largo Winícius Correia Dicom TJAL

A

juíza Marclí Guimarães de Aguiar, da 1ª Vara de Rio Largo, determinou a suspensão do concurso público iniciado pelo município, cujas provas objetivas estavam marcadas para o próximo domingo. A decisão foi proferida ontem. Uma ação popular questionou pontos do edital, como a exigência de teste de aptidão física para o cargo de agente de trânsito e critérios de desempenho nos testes físicos idênticos para ambos os sexos. Para a magistrada, as exigências do edital, publicado em 3 de junho deste ano, ferem a moralidade e a eficiência. A juíza determinou que o município promova a adequação das regras referentes ao cargo de agente de trânsito. Em caso de descumprimento, foi fixada multa de R$ 10.000,00. Arte: Dicom

Decisão que suspendeu o concurso foi proferida ontem Francisco Sales vai cobrar da prefeitura a apresentação do Plano Diretor e não descarta recorrer ao MP

Profile for Jornal das Alagoas

Jornal das Alagoas - Edição Número 81  

Edição publicada no dia 1º de Agosto de 2019. Jornal das Alagoas é um veículo de comunicação com circulação diária

Jornal das Alagoas - Edição Número 81  

Edição publicada no dia 1º de Agosto de 2019. Jornal das Alagoas é um veículo de comunicação com circulação diária

Advertisement