Page 1

Ano 12 . Nº 93 . Fevereiro| Agosto| 2014 2015 . R$ . R$ 8,00 8,00

Felicidade em PARIS! A médica ijuiense Shana Segatto Vendruscolo aceitou o pedido de casamento de Gabriel Machado na cidade mais romântica do mundo

Partiu FÉRIAS! Ijuienses pelo Brasil e pelo mundo curtindo as férias ESPORTE Os talentos que o vôlei ijuiense está exportando ENTREVISTA - Kiss 2 anos A luta pela superação e pela justiça de um pai órfão


índice ESpORTE

Conheça os talentos que o projeto Pró-Vôlei de Ijuí está exportando para o País

8

pRODUÇÃO

Em uma propriedade da Linha 4 Leste são produzidas uvas orgãnicas certificadas

12 ENTREVISTA

Jorge Malheiros, o pai órfão da Kiss, comenta sua luta por superação e justiça

VESTIBULAR

Eduardo Amorim, o ijuiense que conquistou o 1º lugar em Medicina na UFRGS

VOLUNTARIADO

Um grupo de mulheres que dedica tempo e habilidades para ajudar a escola da Apae

15 18 22

F

érias... que bom! Pois esta é uma edição em que elegemos o tempo de folga dos nossos leitores e amigos como assunto principal, para prolongar o deleite deles e também o seu, ao conferir belas imagens e relatos bem interessantes. Sim, porque cada viajante vê, sente e aproveita os lugares por onde anda de forma única. E é por isso que sempre serão interessantes conversas sobre viagens. Em cinco páginas, estão as experiências de ijuienses em férias, por perto ou bem longe, pela primeira vez ou retornando a lugares preferidos. Entre todas, a experiência da médica Shana Segatto Vendruscolo foi superespecial, e por isso stampa nossa capa. Confira tudo a partir da página 39. É verão e férias, mas janeiro também tem a marca da tragédia que causou comoção mundial. Um pai ijuiense, órfão da filha, tem tido forças para superar a dor e agir para transformar a noite da Kiss em um marco por avanços concretos, de mais responsabilidade do poder público e da sociedade. Jorge Malheiros está na Entrevista. Entre os exemplos de sucesso, que a Stampa sempre tem, estão Eduardo Amorim, o ijuinse que classificouse em 1º lugar no mais concorrido vestibular do Estado, o bailarino formado pelo Bolshoi Douglas Dal Ross, santoangelense com atuação regional, inclusive em Ijuí, que trocou os palcos das capitais parta ensinar e promover a dança no interior, e os atletas que o projeto Pró-Vôlei de Ijuí está exportando para times do Estado e do País. Em outro caso de atuação de destaque, mostramos a professora universitária e produtora rural que conquistou certificado do Ministério da Agricultura para seus parreirais orgânicos. É sempre muito bom reencontrar você aqui. Até março! Abraço, Iara Soares

stampa@jornaldamanhaijui.com Ano 12 - Nº 9 | fevereiro | 2015 Ano 11 PublicAção - Nº 12 | Maio | 2014 GráficA e editorA JorNAlísticA seNtiNelA ltdA cNPJ: 87.657.854/0001-23 ruA AlbiNo breNdler, 122 - foNe: (55) 3331-0300 98.700-000 iJuí/rs

GENTE

Douglas, o bailarino que trocou os palcos das capitais para viver, ensinar e promover a dança no interior

Ah... férias!

diretor edMuNdo HeNrique PocHMANN

23

edição iArA soAres iara@jornaldamanhaijui.com colAborAdores: cArlos Alberto PAdilHA deise MorAis, clAudiA de AlMeidA JocelAiNe siMão, ceciliA MAtHioNi serGio correA (revisão) iMPressão ciA de Arte (55 3331-0319)

ESpEcIAL FÉRIAS

Cinco páginas registram belas imagens de ijuienses em férias pelo Brasil e mundo

44| |STAMPA STAMPA

39

Assinatura semestral: r$ 45,00 - ligue 3331-0300 Informações contidas em matérias comercializadas são responsabilidade integral das empresas e/ou dos profissionais.


Inspirado na sofisticação dos vinhos. Mas para homens que evitam rótulos. confrariamalbec.com.br

encontre.boticario.com.br


Doutor, eu não respiro pelo nariz! A obstrução nasal é um sintoma e não um diagnóstico. Respirar é uma função fisiológica tão importante que o mínimo obstáculo que dificulte o fluxo do ar pelas vias aéreas superiores provoca enorme desconforto. A obstrução nasal pode ser provocada por doenças virais, como a gripe, os resfriados e a sinusite, ou por distúrbios estruturais, por exemplo, o desvio do septo ou a presença de pólipos no nariz. Em geral, quando a causa é uma infecção por vírus, o incômodo é passageiro, mas pode ser persistente e progressivo nas rinites alérgicas e se houver uma barreira anatômica que impeça a passagem do ar. Além do incômodo sintoma da obstrução nasal, o paciente geralmente apresenta um ou mais sintomas associados, como coriza, alteração do olfato (cheiro), crises de espirros, coceira nasal, sangramento nasal, inchaço na face ou nariz, dor na face ou no nariz, o que agrava ainda mais a saúde e a qualidade de vida do paciente. O paciente com obstrução nasal compensa a deficiência com a respiração bucal. Portanto, é comum este paciente apresentar boca seca, ardor, língua saburrosa, gengivites, mau hálito, faringites, rouquidão e tosse. Ainda podem ocorrer transtornos nos ouvidos, pois há um canal que comunica nossos ouvidos ao nosso sistema respiratório, que podem gerar algum grau de perda auditiva, zumbidos e otites. A obstrução nasal pode acometer tanto as crianças quanto os adultos. Na infância, as causas mais frequentes são as rinites crônicas (a mais comum é a rinite alérgica) e a hipertrofia das adenoides. Causas menos comuns são as deformidades congênitas, como a atresia e os desvios de septo. Adultos com obstrução nasal provocada pelas rinites, alérgicas ou não, correm o risco de fazer uso abusivo de descongestionantes nasais, muito utilizados pelos adultos, e criar dependência que envolve implicações perigosas, por causa da vasoconstrição que esses medicamentos provocam em todo o organismo. Por isso, se a pessoa apresenta obstrução nasal com frequência, deve ser avaliada por um médico otorrinolaringologista para diagnóstico e tratamento específico.

Dr. Marcos Soares CREMERS 33991 > Graduação em Medicina pela Universidade Federal de Santa Catarina. > Residência Médica em Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial – Hospital de Clínicas de Porto Alegre/UFRGS – MEC. > Título de Especialista em Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial pela ABORLCCF. > Fellowship em Otologia e Implante Coclear pelo Hospital de Clínicas de Porto Alegre.

Dra. Gabriela Gomes Mânica CREMERS 33020 > Graduação em Medicina pela Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre. > Residência Médica em Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial – Hospital de Clínicas de Porto Alegre/UFRGS – MEC. > Título de Especialista em Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial pela ABORLCCF. > Fellowship em Rinologia pelo Hospital de Clínicas de Porto Alegre.


C

Novidade deliciosa!

remmilk é uma indústria do ramo alimentício que está há 45 anos levando alegria para os apaixonados por sorvetes e picolés. Pensando nos paladares mais exigentes e acreditando que o constante investimento em qualidade e inovação faz a diferença, a Cremmilk lança a Linha Gourmet. A linha Gourmet vem em uma apresentação muito clássica e requintada, e conta um pouquinho sobre o paladar europeu, e está representada por três sabores: Pavê Italiano, Amarena e Torta Belga . São sorvetes deliciosos e com texturas muito cremosas, produzidas com matérias-primas importadas, garantindo aos consumidores uma experiência única. Além do sabor e qualidade dos produtos, uma particularidade que já é tradição dos sorvetes Cremmilk sempre foi zelar pela saúde, por isso a quantidade de calorias contidas por porção (60gr) é de apenas 120 kcal e não contém glúten, ou seja, você pode trocar aquela barrinha de cereal de 25 gr com aproximadamente 110 kcal, por um delicioso sorvete da Linha Gourmet. Os sorvetes e picolés da Cremmilk fazem parte da tradição de Ijuí, e a Cremmilk está cada vez mais investindo no controle da qualidade e inovando, a fim de proporcionar deliciosos sabores para agradáveis momentos.


Trocando experiências no futebol americano

O Victor Santos foi campeão brasileiro de futebol americano de 2014 jogando pelo Vasco Patriotas

Incentivo: atleta passou orientações, trocou experiências e treinou com Ijuí Drones

jogador Victor Santos, do Vasco Patriotas, do Rio de Janeiro, campeão de 2014 do Brasileiro de Futebol Americano (Torneio Touchdow), esteve em Ijuí no mês de janeiro visitando familiares de sua esposa, a família Kinetz. Ele esteve no Complexo Esportivo duas vezes com os atletas do Ijuí Drones, que se preparam para jogar o Campeonato Gaúcho da modalidade neste ano. Passou orientações e experiências sobre o esporte, trocou ideias com os atletas e treinou com o time ijuiense. O jogador disse à Stampa que o futebol americano cresceu muito nos últimos quatro anos e hoje existem dois torneios nacionais de Full Pads. “No início foi muito difícil, porque não tinha apoio, não existia patrocínio e os jogadores arcavam muito por conta própria. Aqui em Ijuí, vejo os garotos arcando muito com isso. No Vasco, a gente consegue ter alguns patrocinadores, alguns apoios que fazem com que diminuam muito os nossos custos de viagens, por exemplo. Isso é muito bom”. Segundo Victor, existem outros times que conseguem patrocínios bem maiores, principalmente em cidade pequena, que quando o esporte cresce, dá uma visibilidade maior à cidade. Victor começou no futebol americano em 2006, no Carioca Bowl. Ele não sabia nada do esporte. “Tive uma bola, mas não conhecia nada do esporte, jogava vôlei e pegava onda, bem diferente. Com uma lesão no ombro, eu parti para o futebol americano. Eu jogo de Tight End (função ofensiva) desde quando iniciei, mas de vez em quando atuo na posição de Wide-Receiver (executa rotas infiltrando-se na defesa para receber passes e conquistar jardas para sua equipe, pode bloquear em casos de corrida). Victor disse que não é difícil jogar futebol americano, mas conhecer todas as regras não é tão simples assim. Salientou que o melhor jogador é aquele que conhece todas a regras. “Às vezes, se espelhando no futebol, por uma simples infração, o atleta acaba caindo, o juiz marca. Já no futebol americano, não tem isso, mas tem uma falta muito boba que é a segurada de camisa, pela defesa, quando o jogador está sem a bola.” Sobre o Ijuí Drones, Victor frisou que tem muita gente nova na cidade querendo aprender o futebol americano, e isso facilita bastante. Salientou que não queria só influenciar os jogadores, e também pessoas de fora para ajudar o esporte crescer em Ijuí, que não devem esperar só para o time ganhar, conquistar títulos. Victor lembrou que no futebol americano tem várias posições e não importa o porte físico do atleta. Tem vaga para o magro, o gordo, o baixo, o alto. Citou um jogador, o Rudá. “Você olha para ele e não dá nada. Tem 1,73m, 70 kg, e foi considerado o melhor jogador da final do Brasileiro do ano passado. Dá para a gente ver que o porte não influencia tanto, basta a dedicação”. O Ijuí Drones começou os treinos no Complexo Poliesportivo para disputar o Campeonato Gaúcho de Futebol Americano. A estreia será no dia primeiro de março contra o Porto Alegre Pumpkis, na capital do Estado. Em Ijuí, o primeiro jogo ocorre diante do Santa Maria Soldiers, dia 17 de março.

O futebol americano tem três modalidades populares no Brasil. Na Full Pads, os jogadores usam os equipamentos de segurança, como capacete e ombreira. No Pads os times jogam sem os equipamentos, mas o contato normal da modalidade é permitido. Na modalidade flag football, comum nos Estados Unidos para crianças na iniciação ao esporte, os atletas usam uma bandeira presa ao calção. O fim das jogadas acontece no momento em que o adversário retira a bandeira do jogador de ataque em vez da necessidade de derrubá-lo. O Rio Grande do Sul tem estes times equipados: Ijuí Drones, Santa Maria Soldiers, Santa Cruz Chacais, Juventude FA, Porto Alegre Pumpkis, Porto Alegre Bulls, São Leopoldo Mustangs, e Restinga Redskulls. 8 | STAMPA


Vôlei de Ijuí exportando talentos Cinco atletas vêm conquistando espaço no cenário nacional após participarem do Projeto Ijuí Pró-Vôlei. Eles receberam propostas de clubes para jogar e estudar em outras cidades do Rio Grande do Sul e do Brasil

C

Mateus Härtge Müller

urtindo férias na cidade, eles conversaram com a Stampa. Mateus Härtge Müller, com atuações na Seleção Brasileira Sub-18 defende o Minas Tênis Clube de Belo Horizonte. Em 2013, o jovem já havia sido convocado para o Campeonato Sul-Americano Infantil Sub-16, após sua participação na principal competição nacional de clubes, disputada em Curitiba. A partir daí, Müller atraiu a atenção do treinador Percy Oncken. O jogador disse que está bem adaptado no clube mineiro. “Tivemos uma excelente temporada em 2014, disputando os Campeonatos Estadual e Metropolitano, Copa Minas e Taça Paraná. Teremos várias competições neste ano com alto grau de exigência”, disse. Mais quatro gaúchos atuam nas categorias de base do Minas Tênis Clube. Mateus afirmou que aprendeu muito em Ijuí e o seu objetivo é seguir neste esporte e construir uma carreira de atleta profissional. O jogador, que esteve no Centro de Desenvolvimento e Excelência do Voleibol Brasileiro em Saquarema treinando com as seleções de base, elogiou o local que serve para o surgimento de novos talentos. Mateus tem consciência de que muitas vezes o atleta precisa abdicar de festas ou outras atividades para treinar, mas quem sonha em vencer deve se dedicar muito. A atleta Kauana Pinno Correa, joga atualmente na equipe do Colégio Notre Dame de Passo Fundo. Ela quando atuava na categoria infantil do Ijuí Pró-Vôlei, tornou-se a primeira menina ijuiense da história a ser convocada para uma Seleção Brasileira de voleibol. Estudava na época no 1°ano do Ensino Médio da Escola Estadual Antônio Padilha. Kauana passou por treinamentos e avaliações em Saquarema, complexo onde treinam todas as seleções brasileiras desde a Infantil,até as grandes feras campeãs olímpicas e mundiais da categoria Adulta. Ela chamou a atenção da comissão técnica brasileira nos torneios que disputou durante o ano de 2013 e no campeonato estadual da categoria infantil organizado pela Federação Gaúcha. Atleta destaque nas categorias de base do projeto Ijuí Pró-Vôlei feminino, também foi convocada para avaliação na Seleção Gaúcha em 2013. Rafaela Hahn Schneider é natural de São Mateus (PR) e também joga no time do Colégio Notre Dame de Passo Fundo com Kauana. Ela começou no voleibol após uma peneira do Pró-Vôlei. Disse que não gostava de esportes, mas foi aprovada, passou a gostar da modalidade

Kauana Pinno Correa

Rafaela Guilherme Hahn Schein Schneider

Fábio Estevo Carpes

e se adaptou rapidamente. Rafaela, como não poderia ser diferente, a exemplo das demais colegas sonha em seu uma atleta profissional. Disse que o apoio da família é fundamental e ajuda a conciliar os treinos com os estudos e as viagens para os jogos da equipe infanto-juvenil. Ela reside em um pensionato de Passo Fundo com outras atletas, inclusive Kauana. “O Notre Dame tem um projeto adulto muito importante, respeitado no Estado”, lembrou. Rafaela começou a jogar vôlei quando veio morar em Ijuí e não parou mais. A atleta pretende seguir uma carreira profissional no vôlei, mas não larga mão dos estudos. Afirmou que o Pró-Vôlei teve papel fundamental. “Além de formar atletas na base, possui projetos nos núcleos, propiciando que as crianças pratiquem esporte”, finalizou. Guilherme Schein, que joga no Telêmaco Borba (PR) iniciou no PróVôlei através de um peneira. Ele não tinha na época uma boa estatura para jogar a modalidade e acabou sendo reprovado. Não desistiu, começou a treinar e logo em seguida surgiu a oportunidade. “Sempre gostei de voleibol e quero ser um atleta profissional. Me espelho em grandes nomes do esporte. Sei que somente alcançarei o objetivo se continuar trabalhando com determinação, treinando muito, se esforçando, afirmou Guilherme”. O jogador ijuiense salienta que o atleta precisa estar sempre treinando no seu limite, pois a concorrência é muito grande. Fábio Estevo Carpes, atleta do Telâmaco Borba (PR) também começou em uma peneira em Ijuí, incentivado pela mãe Fátima Estevo. Ele gostava mais de futebol, mas aos poucos tomou gosto pela modalidade. Sonha em brilhar nas quadras. Jogando no Telâmaco Borba (PR), disse que procura assistir na TV para aprender com grandes jogadores. “É muito importante que as cidades do interior tenham projetos de voleibol, que não fique apenas restrito aos grandes centros. Estamos buscando um novo sonho, mas tudo começou através do Pró-Vôlei, que apresentou este esporte para a cidade”, disse. Fábio lembrou que o atleta tem regras para cumprir, a disciplina, o comprometimento e o respeito com os demais colegas. Todos estes atletas ijuienses que estão se destacando no voleibol sonham em jogar na Seleção Brasileira e não descartam um dia atuar no exterior. Nas férias em Ijuí, não ficaram longe das quadras e disputaram alguns jogos com amigos.

STAMPA | 9


Oncoplastia e Câncer de Mama

O

tratamento cirúrgico do câncer de mama mudou, e atualmente não se restringe mais às técnicas consagradas de mastectomia (retirada de toda a mama) e quadrantectomia (retirada de uma parte da mama). Algumas circunstâncias sobre o diagnóstico e tratamento do câncer também mudaram. Há alguns anos, o tratamento do câncer estava restrito ao papel do cirurgião, com cirurgias, Dr. Gerson Delazeri muitas vezes, mutiladoras. Mastologista Atualmente, com a colaboração da oncologia e da radioterapia, foi possível reduzir a agressividade cirúrgica para garantir o controle loco-regional da doença e, ao mesmo tempo, melhorar a expectativa de vida das pacientes. O uso de exames de imagem, especialmente a mamografia, que é recomendada a partir dos 40 anos, permitiu diagnósticos mais precoces. As pacientes apresentam-se com tumores menores e podem ser submetidas a cirurgias menos agressivas. A mulher atual é protagonista, e devemos considerar e respeitar sua autonomia para tomar decisões sobre o tratamento e sua imagem corporal. Sabemos da importância da mama para a sexualidade e para a autoestima da mulher. O aprimoramento cirúrgico, com busca de melhores resultados estéticos ganhou importância. Neste cenário, as técnicas de cirurgia oncoplástica, que representam o aprimoramento das técnicas de cirurgia oncológica associadas a técnicas para melhorar o resultado estético, passaram a ter um papel importante no tratamento atual. Como exemplo, podemos citar as adenectomias (retirada da glândula com a preservação da pele da mama e mamilo) e reconstrução imediata com próteses, bem como as cirurgias de simetrização da mama contralateral e as mamoplastias oncológicas (técnicas de redução da mama com a respectiva retirada do tumor). Devemos enfatizar que a prioridade é a segurança oncológica do tratamento. Estes procedimentos contribuíram para melhorar a qualidade de vida e autoestima das pacientes com câncer de mama.

Vacinação contra HPV Dra. Vanessa Jung Ferreira

A

Ginecologista - Obstetra

infecção pelo HPV (Papilomavírus Humano) é a doença sexualmente transmissível viral mais frequente no mundo e afeta pessoas com vida sexual ativa. Atualmente, são reconhecidos cerca de 120 tipos diferentes deste vírus e grande parte destes infectam o trato genital. Este vírus pode manifestar-se de diversas formas, dentre as quais através do aparecimento de condilomas (verrugas genitais) vistos a olho nu, de forma subclínica diagnosticada apenas por exame colposcópico ou microscópico (lesões precursoras de câncer) e através do câncer de colo uterino. O HPV ocorre precocemente no início da atividade sexual, sendo que é eliminado pelo organismo em 90% dos casos no prazo de até 2 anos. O câncer do colo do útero se coloca como problema relevante sendo considerado o segundo câncer mais prevalente entre as mulheres e a infecção pelo HPV apresenta papel fundamental como fator causal do câncer genital. Dentre os diversos tipos deste vírus, os tipos 16 e 18 são os mais associados a esta comorbidade. Estudos realizados descobriram que em mais de 97% dos casos de câncer de colo do útero existe a associação com o HPV. A vacina nada mais é do que partículas que, ao serem injetadas no ser humano, propiciam a formação de anticorpos para a proteção contra o vírus. Existem 2 vacinas aprovadas pela Anvisa. A vacina bivalente contra os tipos 16 e 18, administrada em 3 doses no esquema de 0, 1 e 6 meses e a vacina quadrivalente contra os tipos 6, 11, 16 e 18 de HPV, também administrada em 3 doses, porém em esquema de 0, 2 e 6 meses. Atualmente, está disponível nos postos de saúde a vacina gratuita contra o HPV para meninas de 11 a 13 anos. As vacinas, embora sejam muito eficazes, nelas não estão incluídos todos os tipos de vírus associados com o câncer de colo uterino. Desta forma, elas oferecem apenas proteção parcial. É necessária a manutenção do exame Papanicolaou periodicamente, mesmo em mulheres vacinadas. As vacinas são exclusivamente profiláticas e não apresentam indicação para tratamento de infecção pelo HPV. Não há indicação de realização de nenhum exame antes da vacinação. O recomendado é que o início da vacinação ocorra de preferência antes do início da atividade sexual, porém não é contraindicado em mulheres que já iniciaram a vida sexual. A única contraindicação é o uso na gestação. Em caso de dúvidas sobre a vacinação, converse com seu ginecologista, o qual poderá fornecer todas as orientações necessárias.


Boa Forma Academia: 13 anos fazendo sucesso E

m dia 12 de janeiro, a Boa Forma Academia celebrou seu 13º aniversário recebendo seus clientes e amigos com coquetel de frutas e bebidas, degustação de suplementos, decoração temática, DJ, sorteio de diversos brindes e aulas de todas as modalidades disponíveis na academia liberadas para a participação de todos. De acordo com o proprietário da academia, Maicon Rodrigues, ao longo de seus 13 anos de sucesso, a Boa Forma Academia sempre buscou por inovação e desenvolvimento aliado ao atendimento diferenciado. “Primamos pela qualidade do serviço prestado a seus clientes que confiaram sua saúde em nossas mãos, deixando a cargo dos profissionais altamente qualificados um excelente trabalho. Por isso, agora é chegado o momento de agradecer a todos que ajudaram a construir essa história de sucesso. O nosso muito obrigado vai para clientes, amigos, profissionais e parceiros que sempre acreditaram em nosso trabalho sério e comprometido”, destaca Maicon. A Boa Forma Academia, alia a conveniência da academia, com toda a energia de um ambiente amplo e funcional, contando com uma estrutura de mais de 700m² climatizado, salas de aulas, equipamentos novos, profissionais altamente capacitados, acompanhamento nutricional e personal trainer e as diferentes modalidades disponíveis como: Musculação: Além de proporcionar o aumento de massa muscular, os exercícios com peso estimulam a redução de

gordura e o aumento de massa óssea, levando a mudanças extremamente favoráveis na composição corporal. Os exercícios com pesos constituem uma das mais importantes e completas formas de preparação física. Uma das características mais marcantes é a facilidade de adaptação às condições físicas de cada pessoa. Spinning: é uma atividade aeróbia, praticada sob uma bicicleta estacionaria, que auxilia no emagrecimento e no ganho de condicionamento físico. É excelente para quem quer diminuir seu percentual de gordura e melhorar sua qualidade de vida. Modalidade animada, sempre com a motivação e desafios desenvolvidos pelos professores, que elaboram um planejamento dos treinos. Zumba: Tornou-se a última moda na dança e fitness, é um programa para fitness inspirado principalmente pela Dança Latina, além de movimentar o esqueleto inteiro, queimar calorias e aumentar o condicionamento físico, bailar fortalece ossos e músculos, melhora o equilíbrio e o humor. Também reduz as dores, potencializa o aprendizado, a memória e atenção e retarda o processo de envelhecimento. Isso sem falar no convívio coletivo, que pode garantir novas amizades e boas risadas. Conheça com mais detalhes as modalidades ou tire suas dúvidas através do nosso site: www.academiaboaformaijui.com. Telefone 3333-2654. Encontre a Boa Forma no Facebook BoaFormaIjuí, ou em nosso endereço na Rua Emilio Glitz, nº140.


Uva pura

Numa propriedade no interior de Ijuí, tudo é orgânico e voltado para a sustentabilidade, mas é nas uvas que está o grande feito. Em meio aos parreirais, a professora universitária e produtora rural Mágida de Almeida conta porquê começou a se preocupar com uma alimentação saudável e livre de agrotóxicos

P

roduzir uvas no sistema convencional está se tornando cada vez mais inseguro e perigoso, tanto para o produtor como para o consumidor. Ocorre que, principalmente em anos chuvosos e de temperaturas altas, há grande incidência de doenças típicas das plantas de parreiras, que são controladas com aplicação de vários tipos de agrotóxicos, todos perigosos ao meio ambiente e à saúde. Em um ciclo produtivo da uva, que dura apenas quatro meses entre o início da brotação e a maturação, dependendo das condições climáticas, são feitas mais de duas dezenas de pulverizações com fungicidas e outros venenos, sendo que vários tipos desses agrotóxicos permanecem na fruta mesmo depois de colhida e colocada no mercado. Nos últimos anos, todas as pesquisas feitas pela Anvisa constataram que a uva brasileira está sempre entre os 10 alimentos mais inseguros para o consumidor em termos de resíduos de agrotóxicos. Por ser apreciadora de uvas e vinhos, depois de conhecer essa realidade, a professora universitária e produtora rural Mágida Cristiane Kasctin de Almeida decidiu, com a família, implantar um projeto de produção orgânica de uvas. Na Linha 4 Oeste, a 4 km de Ijuí, está o vinhedo orgânico com mais de 20 tipos de uva, cercado por mata nativa e muita vida. Nesse verdadeiro paraíso ecológico, toda forma de vida é rigorosamente respeitada, não havendo utilização de agrotóxicos, adubos químicos ou qualquer outro insumo que possa danificar a saúde ou o meio ambiente. Orgulhosa da beleza e do sabor incomparável das uvas que produz, Mágida relata que o projeto “representa a realização de um sonho”. Ela tem planos de expandir o vinhedo nos próximos anos. Por enquanto, a produção gira em torno de cinco toneladas/ano, entre uvas finas e comuns de mesa, além de cabernet sauvignon para produção do vinho da família. “Nada melhor para o sono, do que tomar um cálice de vinho e comer um cacho de uva após o almoço”, aconselha. Segundo Édio Korb, técnico da Emater que auxiliou no processo de obtenção do certificado de produção orgânica, “trata-se do primeiro empreendimento da região de Ijuí licenciado oficialmente para produzir e comercializar uvas orgânicas”. Foram cerca de dois anos de tramitação do projeto até a obtenção do selo de certificação pelo Ministério da Agricultura e entidades legalmente autorizadas a emitir o certificado de produção orgânica. Conforme Korb, o consumidor precisa estar atento, pois não basta o produtor dizer que a uva é produzida sem agrotóxico. É preciso um selo de certificação, exatamente como o que obteve a produtora Mágida. “Só quem pode atestar que o produto é orgânico é um órgão público ou uma empresa autorizada pelo Ministério da Agricultura”, acrescenta. Na propriedade de Mágida, as espécies variam. A Morena Sem Semente, de cor preta, é uma variedade recomendada para crianças e idosos. Entre um parreiral e outro, depara-se com um cacho curioso, a Uva Bananinha, que tem esse nome por causa do formato semelhante a pequenas bananas. Ao lado dos parreirais, devidamente protegidas com telas e irrigadas de maneira que as folhas não molhem evitando doenças, pés de figos foram plantados, especialmente para o alimento dos passarinhos, deixando claro que a sustentabilidade é pensada em todos os detalhes.

12 | STAMPA

Mágida: orgulhosa da beleza e do sabor incomparável das uvas que produz

Na propriedade na Linha 4 Oeste, são produzidas diferentes variedades (acima, a Bananinha), com selo de certificação do Ministério da Agricultura


STAMPA | 13


TOEFL no CCAA

Escola de Ijuí passa a aplicar este ano o exame de proficiência internacional

A

partir desse ano, o CCAA Ijuí para a oferecer uma supernovidade: o TOEFL ( Test of English as a Foreign Language), um dos exames de proficiência em inglês mais respeitado do mundo, passará a ser aplicado na escola. O ITP TOEFL é uma certificação com autenticação internacional, que mede a capacidade de entendimento do idioma, garante o conhecimento da língua inglesa perante cursos de pós-graduação lato sensu (mestrado e doutorado) em universidades brasileiras, e também garante o conhecimento da língua inglesa perante instituições no exterior. O certificado é pré-requisito para aqueles que pretendem se candidatar a uma vaga no programa Ciência Sem Fronteiras do governo federal, e enriquece o currículo, abrindo portas no mercado de trabalho e em universidades. Os cursos do CCAA desenvolvem os quatro fundamentos do idioma: compreensão auditiva, pronúncia, leitura e escrita, usando exclusiva e inovadora metodologia. Sem uso de tradução, o aluno aprende a pensar no idioma estudado desde a primeira lição. De acordo com o diretor, Hussein Hatem, os alunos do CCAA costumam obter excelente desempenho nos exames de proficiência. “Temos um curso bem construído e as avaliações são alinhadas com o objetivo de tornar o estudante fluente no idioma estudado. Face a isso, a avaliação final do último nível do curso de inglês será o exame de proficiência do TOEFL, aplicado no CCAA e sem custo para os alunos matriculados no módulo. Alunos CCAA de outros módulos também podem prestar o exame de proficiência com desconto especial de 50%. A comunidade também poderá fazer o exame do TOEFL no CCAA não precisando se deslocar até outro município para prestar o exame que terá suas provas aplicadas na unidade a partir de junho deste ano”, informa. O próximo semestre do CCAA inicia-se no dia 9 de março, com turmas de inglês para alunos a partir de 5 anos de idade, turmas de adultos e adolescentes iniciantes e novas turmas de Espanhol. A direção do CCAA também está preparando seus alunos para viagem a Disney e Nova York e intercâmbio para a Califórnia, no mês de julho. Visite o CCAA e confira as novidades na Rua José Bonifácio, 638 - centro; telefone 3332-2884. Acesse o site da unidade: ijui@ccaa.com.br.

As profissões de 2015 ara quem está em um período de definição profissional, ou de desejo de mudança em busca de um sonho ou de P realizações, a questão é: quais são as áreas que oferecem melhores oportunidades no mercado de trabalho, suprindo os desejos que a grande maioria das pessoas têm? A resposta é geralmente complexa, tendo que se avaliar um cenário de longo prazo. Contudo, algumas tendências do mercado de trabalho podem ser pressentidas, como por exemplo, algumas das áreas e profissões que vão estar em destaque este ano. O Sebrae Nacional realizou um estudo com o objetivo de identificar os negócios mais promissores para o ano de 2015, e produziu um relatório demonstrando o conjunto das perspectivas, econômicas e sociais, para os próximos anos. Para realização desse relatório foi considerada uma discussão do cenário macroeconômico mais provável para os próximos cinco anos. Segundo o estudo do Sebrae, as atividades mais promissoras para 2015 estão relacionadas aos pequenos negócios, com uma característica importante: eles atendem necessidades básicas da população, que passou a ter novos hábitos nos últimos anos. São essas as áreas profissionais que devem ser mais valorizadas: •Preparo de alimentos para consumo familiar; •Engenharia Civil (pequenas empresas de edificações e obras de reparação); •Confecções e Instalações (elétrica, sanitária, hidráulica e gás); •Cabeleireiros; •Comércio de alimentos e vestuário; •Artesanato (bijuterias e artefatos semelhantes) •Mecânico de reparação de veículos automotores e motocicletas; •Atividades de estética/beleza; •Reparação de computadores e equipamentos de informática; •Profissionais da área de desenvolvimento de softwares; •Comércio na área de cosméticos; •Empresas de reparação e recarga de cartuchos para equipamento de informática; •Empreendedorismo; •Reciclagem


Jorge Luis Malheiros Quanto tempo depois do incêndio na boate Kiss, o Núcleo Missões - STV/Ijuí foi criado? O Núcleo foi fundado, com ata e regulamentado, no dia 22 de maio de 2013. Desde o primeiro dia da tragédia, quando me dirigi a Santa Maria, sempre tive um posicionamento muito claro e crítico sobre as responsabilidades que existiam em tudo aquilo. Inclusive, por um acaso durante o dia, enquanto estava procurando a Fernanda, porque cheguei em Santa Maria às 8h30 e encontrei ela as 20h, uma rádio de Ijuí entrou em contato comigo por meio do telefone de outro ijuiense, e acabei dando uma declaração ao vivo naquele momento, onde já fiz algumas críticas, porque eu estava vendo e vivenciando o que estava acontecendo. Por que criar o Núcleo Missões? Com o passar do tempo foi se criando uma necessidade de as famílias se ajudarem porque estamos há 200 km de Santa Maria, uma distância significativa para estar presente lá em qualquer situação, e também porque as pessoas sentiam necessidade de procurar alguém que estava vivenciando aquela mesma situação e dor, criando um elo de relacionamento entre as famílias.

Ele aceitou a responsabilidade F

oi com uma fé inabalável, mantida até hoje, que o empresário Jorge Luis Malheiros chegou em Santa Maria na manhã de 27 de janeiro de 2013. Por mais de 12 horas ele procurou pela filha Fernanda Malheiros, 18 anos, estudante do primeiro semestre de Agronomia na UFSM, que estava na boate Kiss naquela noite. Ela não sobreviveu ao incêndio. Jorge, 50 anos, casado com Tânia de Lima Malheiros e pai do João Malheiros Neto, encontrou o corpo da filha por volta das 20h30 daquele dia, e desde então guardou a dor e chamou à responsabilidade para si. Não apenas juntou forças para manter sua família em pé diante de tamanha tragédia, como criou o Núcleo Missões - STV/Ijuí, do qual é presidente, que reúne 900 famílias que buscam juntas, além do conforto umas às outras, a responsabilização pela tragédia na Kiss. Para entender o ocorrido, Jorge estudou toda a legislação de combate e prevenção a incêndio existente, e as que foram criadas, o que lhe permite questionar os caminhos que o Judiciário e o Legislativo tomam dentro desse tema, e afirma que o problema do País não são as leis, mas a falta de responsabilização para quem não as cumpre. Para ele, mais do que buscar culpados, a Kiss deve servir de exemplo para que o Brasil evolua no sentido de proteger os cidadãos, e a tragédia não deve ser esquecida, mas trazida para o debate de toda a sociedade, ampliando as responsabilidades. Por Deise Morais

Como o senhor se tornou o presidente do Núcleo Missões? Partiu das outras famílias a iniciativa de me procurar para que nos reuníssemos no sentido de nos organizar entre as famílias daqui. Foi então que sugeri criarmos um Núcleo, independente, com ações e diretoria, mas com o pessoal todo associado à Santa Maria. Começamos a nos articular primeiro com apoio uns aos outros e depois com questionamentos sobre o que há em Santa Maria, e que ao longo desses dois anos fomos vendo que na verdade existe em todos os municípios do Brasil, e que lá o santo estava de folga aquela noite e não conseguiu evitar a tragédia. Isso considerando que consta no inquérito policial que por várias vezes foram acesos fogos dentro daquela casa e por uma sorte imensa nada aconteceu, assim como poderia ter acontecido em muitos outros lugares. A partir da criação do Núcleo, e enquanto presidente e pai, o que mudou? A partir desse momento comecei a me aprofundar mais no assunto.Como eu assumi a liderança do grupo aqui, e entendo, particularmente, e o grupo passou a entender depois também, de tudo que está posto naquela tragédia não dá a dignidade que a minha filha merece. Há muitas coisas obscuras, mal explicadas, muitas responsabilidades não apontadas, e minha filha não merece isso, assim como não merecia padecer naquela situação, e nenhum desses jovens merecia o fim que tiveram. Fui identificando dentro disso tudo coisas que precisam mudar, e através dessa luta, de apontamentos de responsabilidade e a punição de responsáveis, seja da esfera civil ou do poder público, possamos criar uma atmosfera de mudança nesse País, porque a Kiss nada mais é do que um divisor de águas do Brasil que nós temos, infelizmente, do Brasil que quermos ter. Precisamos aproveitar >>> STAMPA | 15


rão que fazer novas adaptações. E eu faço mais um questionamento: quanto o governo do Estado já faturou, direta ou indiretamente, com as despesas que foram geradas a partir da Kiss? O governo continua arrecadando, para no final de tudo isso, termos uma lei inoperante e continuarmos na mesma.

Em busca de conforto e de justiça: Tânia e Jorge rezam e apoiam outras famílias

O próprio poder público que cria as leis é quem mais as descumpre, e acaba criando esse rol imenso de impunidade.

essa oportunidade, através desse choque terrível, para conseguir mudanças futuras. Qual legislação havia há dois anos? Fui a fundo atrás disso, porque queria entender como foi permitido que tudo acontecesse daquela forma. Não queria, e não quero ser injusto com ninguém, e nem responsabilizar quem não tenha responsabilidade com os fatos, mas para eu entender, nesse período fui atrás das legislações existentes, e me daperei com uma legislação de 1997. Frágil em termos de responsabilização, mas que se tivesse sido respeitada nas questões técnicas de segurança que ela trazia, não teria acontecido o que aconteceu na Kiss. Não respeitaram a lei. Então o problema não está na lei? Não está enquanto questões técnicas. Entendo que o grande problema que nós temos hoje no Brasil, e a Kiss é só uma referência em relação a tantos problemas, é que as nossas legislações não trazem explicitamente claras a responsabilidade do poder público. Ou seja, se o poder público cumpre ou não cumpre a lei, nada acontece. Duas novas leis foram criadas depois do incidente. Uma está engavetada e outra não é regulamentada. Por quê? A partir da Kiss, vários estabelecimentos públicos tiveram que fazer uma série de adaptações e ainda estão fazendo. Eu me pergunto, como que antes se permitia e a partir do momento que houve o acidente na Kiss, não se permitiu mais, se a legislação já existia e a fiscalização deveria ter sido feita? Em começo de 2013 foi dito aos empresários que estava cumprindo a nova lei, que não existia, porque a nova lei foi promulgada em início de 2014 e nem foi regulamentada, ou seja, nem está sendo usada como referência. Essas pessoas que estão realizando adaptações hoje, com a nova lei, te-

16 | STAMPA

De que forma é possível enfrentar essa realidade? Nós promovemos um seminário em outubro de 2013, em parceria com o Departamento de Ciências Jurídicas da Unijuí, porque havia a necessidade de debater esse assunto. Não podemos transformar o Caso Kiss em função das mortes em uma caixa-preta; pelo contrário, ela precisa ser aberta, devidamente esclarecida e entendida, no sentido de que possamos tirar dali, claramente, os erros e lições, e produzir legislações e uma postura do poder público para que realmente aconteçam mudanças futuras. O que podemos tirar do Caso Kiss? Eu vejo que tudo no Caso Kiss, e também nesse País, é tratado como uma forma de um circo. Faz-se de conta que está se aprofundando nessas questões e no fundo está se montando um circo político para enganar o povo e dizer que estamos nos aprofundando em debate e não estamos construindo nada de prático para a sociedade. Na verdade esses grupos, o poder público, acabam criando uma espécie de feudo onde ele se protege. Essa esculhambação das legislações serve para proteger os maus feitores, aqueles que não fazem o seu trabalho bem feito. Como nós vamos evoluir se não entendermos que precisamos discutir a lei antes de fazê-la? Precisamos aprofundar um debate sobre ela de forma clara com a sociedade, para que todos compreendam, participem e se sintam responsáveis em fazer com que seja cumprida depois. O problema é que alguns grupos fazem leis para defender seus interesses e para se proteger, sem convidar a sociedade. Quem é o maior descumpridor das legislações? É o próprio poder público. Quem cria as leis é quem mais as descumpre, e acaba criando esse rol imenso de impunidade. Precisamos evoluir nesse sentido. Ninguém está seguro. Iludem-se aqueles que pensam o contrário. Mais cedo ou mais tarde, vamos provocar nesse País situações gravissímas em que todos estarão expostos. Uma democracia para ser completa e equilibrada não pode fazer distinções, as leis devem ser para todos. Quem é o responsável pela tragédia na boate Kiss?

É preciso ter um certo cuidado porque no Brasil se tem muito a ideia, e muitas vezes se cometem injustiças, de apurar ou apontar a responsabilidade direta ou um culpado final. Entendo que existem muitas responsabilidades envolvidas, que começam pelo poder Executivo do município, do Estado, do Judiciário por meio do Ministério Público e vai indo para outras situações, como a questão dos donos da casa e o pessoal da banda. No início, cheguei a pensar que até aqueles jovens, como a minha filha, tivessem responsabilidade por estarem lá. Mas ao longo do tempo fui refletindo e vejo hoje com clareza que esses jovens foram vítimas, que confiaram, como nós confiaríamos. Que considerações o senhor faz sobre as investigações? Respeito, e acho que a polícia fez um ótimo trabalho dentro das investigações, e os delegados em Santa Maria estão desde o começo, ao longo desses dois anos, empenhados em tentar transformar o inquérito em algo verdadeiro. Só fiz um apontamento para eles em relação a tudo isso. Respeito as questões técnicas, mas eu apontaria a Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) como corresponsável em tudo isso, porque esses jovens foram aliciados dentro da Universidade para festas fora dela. Obviamente não posso imputar uma responsabilidade mais direta em relação ao que aconteceu, mas acho que as universidades depois disso se deram conta de que era algo comum no País. Esses jovens eram direcionados para essas casas que não têm vinculação com a universidade, que nunca foi saber se esses locais eram seguros. Como se sente hoje? O desgaste emocional e psicológico a que estão sendo expostas todas essas famílias, e principalmente aqueles que assumiram a frente, porque muitos pais não conseguem enfrentar isso, é muito grande. Tenho enfrentado desde o primeiro dia, sufocado a dor e não tenho me permitido certas coisas a nível pessoal, primeiro porque eu precisava desde o começo resgatar minha família, colocar eles de pé, e eu sabia que essa era uma tarefa minha. Depois, fui colocado nessa condição de liderar essas famílias em Ijuí e me senti na obrigação de superar de todas as formas e a vencer essa situação e o desgaste que eu sei que eles sentem, porque eu sei o que eu sinto. Minha fé segue inabalável, e toda essa bárbarie que é esse caso quero transformar na dignidade que a minha filha merece. Vou continuar persistindo, não tenho ambição de que vamos transformar o Brasil, mas acho que podemos trilhar um caminho de avanço.


Eickhoff Corretora de Seguros

15 anos com você

C

onstituída em janeiro de 2000, a Eickhoff Corretora de Seguros nasceu com o objetivo voltado a excelência de atendimento ao segurado, sua família e seu patrimônio. Focada no atendimento personalizado, tem buscado constantemente o aperfeiçoamento e desenvolvimento de soluções na administração e gerenciamento de riscos. Atuando com as principais e maiores seguradoras do país, apresenta um crescimento consolidado amparado por uma relação baseada na confiança, ética e profissionalismo. ‘’Este é um momento de muita alegria que quero compartilhar com todos os clientes que acreditaram em nosso projeto. Além disso, é preciso fazer um agradecimento especial a toda equipe de funcionários e colaboradores, que através de sua dedicação, fizeram da Eickhoff Corretora de Seguros a empresa mais lembrada do segmento de seguros na comunidade ijuiense pelas instituições de pesquisa”, destaca o corretor de seguros Luís Roberto Eickhoff. A Eickhoff Seguros está estabelecida à Rua Tiradentes, 544 – sala 01 – Ijuí. Atende todos os ramos de seguros e presta exclusiva assistência 24 horas com assessoria jurídica. Siga a Eickhoff Seguros pelo Facebook. Visite a home page www.eickhoff-seguros.com. br, ou ligue 3332-3880 que teremos imenso prazer em lhe atender com a melhor proposta. Luís Roberto Eickhoff

Empresa de seguros mais lembrada pela comunidade ijuiense

Equipe de profissionais qualificados

STAMPA | 17


VESTIBULAR

Com fé e com foco Cinco anos depois de Alexandre Bestetti, outro ijuiense conquista a glória do 1º lugar no mais disputado vestibular do Estado. Eduardo Amorim, 20 anos, ficou em primeiro lugar em Medicina na UFRGS, curso que teve 79 candidatos por vaga

O

ex-aluno do Colégio Sagrado Coração de Jesus é o primeiro colocado no curso de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Neste ano, a UFRGS teve o maior número de candidatos por vaga dos últimos anos, pois cedeu parte de suas vagas para o ingresso pelo Enem. Assim, foram apenas 58 vagas - uma para cada 79 inscritos. Nos anos anteriores, o número de candidato/vaga ficava em torno de 59. Eduardo Amorim é filho do advogado Allan Rogério Amorim e da professora Clenice Drews Amorim, e irmão de Fernanda Drews Amorim. Eufórico com o êxito, ele contou o que fez para alcançar esta estupenda conquista. “Fiz dois anos de curso preparatório, em 2012 e 2013, mas no ano passado iniciei o curso em outra universidade, fiz um semestre e tranquei. Foquei bastante nos estudos, mas sempre deixei um tempo para o lazer e o relaxamento.” Sua rotina: tinha aulas cinco horas por dia, estudava mais um pouco em casa e descansava. Alguns finais de semana vinha para Ijuí visitar os pais e parentes, e se distrair um pouco. “Não é tão difícil como todo mundo pensa”, diz, admitindo, entretanto, que o 1º lugar foi surpreendente. A escolha de um caminho profissional nunca foi uma dúvida pra ele. A Medicina surgiu ao mesmo tempo em que começou a criar consciência das coisas. “Eu sabia das dificuldades que encontraria, pois é um curso muito concorrido; entretanto, o sonho de uma vaga em uma federal falou mais alto, e me serviu como um impulso para correr atrás desse objetivo.” Ele concluiu o Ensino Médio em 2011, e nesse mesmo ano, mudou-se para Porto Alegre onde começou a frequentar os cursinhos - Fleming (2012), PorDisciplina (2013-2014) e Mottola (2014). Em dois anos de cursinho, conseguiu a aprovação em Medicina em uma universidade particular, mas ainda não era exatamente o que queria. “Eu não estava plenamente feliz, então resolvi trancar a faculdade em julho de 2014 para realizar no segundo semestre um estudo focado na UFRGS”. Eduardo já tinha criado uma boa base nos dois anos anteriores de cursinho e complementou com um intensivo de seis meses para a prova que aconteceu em janeiro deste ano. A rotina de estudos era tranquila, não fazia loucuras. “Só tentava me concentrar ao máximo para valorizar cada segundo de leitura e resolução de exercícios. Muitos finais de semana eu passei estudando, mas também

18 | STAMPA

Eduardo Amorim, ex-aluno do CSCJ: acreditou e conquistou ia ao cinema com minha namorada, vinha pra Ijuí visitar a família, sem muito estresse. Procurei também alimentar constantemente minha fé; Deus tem muita influência nesse feito. Meus pais me deram apoio total, assim como minha irmã e minha namorada. Fiquei muito surpreso com a colocação e não consigo identificar algum segredo para passar. Apenas foco e fé”. Sobre seus planos para o futuro, Eduardo diz: “Espero ter força para poder estudar muito e trabalhar em um grande hospital.” Dentro da Medicina, ele sempre se encantou pelas especializações relacionadas ao cérebro, como neurologia, neurocirurgia e psiquiatria. “Provavelmente seguirei um desses três caminhos. Ainda, tenho o sonho de fazer parte da ONG Médicos Sem Fronteiras, e me candidatar em trabalhos voluntários na África, mas isso são projetos para um futuro mais distante”. Para quem estuda hoje e quer entrar em uma universidade federal, Eduardo diz que o fundamental é ter um foco, um objetivo e seguir com ele. “Tem que saber o que quer, levar os momentos de estudo a sério, se concentrar ao máximo, mas sem esquecer os momentos de lazer.”


Implantes Dentários: uma opção na reabilitação oral

D

iversos são os fatores que levam a uma perda dentária, entre eles a da doença cárie, tratamento endodôntico inadequado, doença periodontal, fratura, entre outros. Além da estética, cada dente exerce uma função na cavidade oral, como a mastigação (corte e trituração do alimento), é auxiliar na fonação das palavras e principalmente no equilíbrio oclusal, evitando problemas articulares. Quando ocorre uma perda, o sistema mastigatório fica desequilibrado, gerando uma sobrecarga em outras regiões. Essa perda pode estar limitada a apenas um, ou a mais elementos, e, muitas vezes, o espaço que antes era ocupado pelos dentes acaba esquecido e, silenciosamente alguns problemas começam a ocorrer. A perda óssea ao redor da área onde existia o dente é um processo fisiológico, quando não existe mais a implantação do dente, o osso acaba perdendo altura e espessura pela falta de estímulo. Os dentes vizinhos ao problema também apresentam mudanças, como angulação (mudança na posição), pois não têm mais o “apoio” do elemento que foi perdido, consequentemente causando ainda mais desequilíbrio na mordida. Há algum tempo atrás, os tratamentos eram restritos às próteses removíveis, parciais ou totais, que não supriam todas as necessidades do paciente, por falta de retenção, estabilidade ou estética. Na falta de uma boa retenção, a mastigação fica prejudicada, pois os alimentos não são corretamente cortados e triturados; sem estabilidade, o paciente não sente segurança para sorrir, gerando uma queda na autoestima e até constrangimento.

No COI – Centro Odontológico Integrado, a partir de um diagnóstico preciso, uma equipe multidisciplinar avalia e trata cada paciente de acordo com suas individualidades, visando restabelecer a saúde oral e saúde geral. Contando com profissionais nas áreas de Endodontia, Implantodontia, Ortodontia e Ortopedia, além de Prótese, o Centro Odontológico Integrado oferece um tratamento completo à macrorregião Missioneira.

Com o aprimoramento da Implantodontia, pode-se hoje confeccionar próteses fixas sobre esses implantes, que podem ser unitárias (um elemento dental), parciais (mais de um elemento dental), ou próteses totais, que podem ser fixas ou removíveis (retidas nos implantes). Essas próteses totais fixas sobre implantes consistem na colocação de quatro ou mais implantes e confecção da prótese, dessa forma, tornaram-se a melhor opção na Odontologia para a reabilitação de um paciente desdentado total, pois se devolve da melhor forma a estética e a função estomatognática. Também podemos utilizar uma prótese total chamada Overdenture, que é encaixada nos implantes. O procedimento para a colocação de implantes é dividido em fase cirúrgica e fase protética, onde, na primeira é instalado o implante, aguardado o tempo de cicatrização (osseointegra-

ção), em torno de 3 a 6 meses, e na segunda, confeccionada a prótese. Dependendo do planejamento do caso, temos a opção da carga imediata, que segue o conceito básico de que no dia da cirurgia a prótese provisória já é instalada sobre um ou mais implantes. A realização da carga imediata tem um prognóstico favorável e muito bem apresentado na literatura. Os implantes consistem em uma excelente opção de tratamento, tanto funcional quanto estético, e já vêm sendo praticados há muitos anos com sucesso clínico comprovado. Cada paciente precisa passar por avaliação minuciosa, tanto da cavidade oral quanto da saúde geral, pois existem alguns limitantes que podem inviabilizar o tratamento. O planejamento adequado é imprescindível para o sucesso, tanto da fase cirúrgica quanto da fase protética, todo procedimento é realizado no consultório e com anestesia local.

STAMPA | 19


Tenha mais saúde com o

A dieta nada ortodoxa de internautas

Astrez

Arroz branco, pão francês, açúcar refinado, ovo frito... Estes são alguns dos itens entre os 50 alimentos mais consumidos por quem emagreceu nos últimos 12 meses com o progama online Dieta e Saúde

O Gilvani Alves

Formado em Farmacologia e Interação Medicamentosa, proprietário da marca Vida Natural

Q

uando nosso organismo sente falta de micronutrientes em função de nos alimentarmos de forma inadequada, de alguma maneira precisamos suprir essas carências para seu bom funcionamento. O Astrez supre com muita qualidade as deficiências que nosso corpo sente,como estresse,depressão,nervosismo, fadiga, cansaço físico e mental, falta de memória,dores nas pernas, insônia, esquecimento, sangue fraco e irritabilidade. De acordo com o proprietário da Vida Natural, Gilvani Alves Martins, o Astrez melhora a memória, aumenta a disposição, e reforça o organismo elevando a imunidade, além de auxiliar nos sintomas da fadiga, como desânimo sem explicação aparente, dores no corpo ou falta de motivação para continuar aquela atividade de que tanto gosta. “De origem emocional ou física, ela pode atingir crianças e adultos e compromete o desempenho na escola, no trabalho e na relação com as demais pessoas no dia a dia, tornando todas as atividades antes prazerosas, em obrigações desgastantes e chatas. A fadiga pode alterar todo o funcionamento do organismo, além de desencadear outras doenças como hipertensão, fobias e ansiedade, problemas cardíacos e gastrite. Se você ficar acumulando tensões e cansaço, vai virar uma panela de pressão e uma hora ela explode e faz um estrago maior”, destaca Gilvani. Astrez é um suplemento ideal para repor a falta de nutrientes no organismo, deixando-o resistente a essas doenças e aumentando a disposição e o vigor, e pode ser encontrado na Vida Natural, em Panambi, na Rua Colorado, 262, bairro Alvorada. Entre em contato através do (55) 3375-8888.

autodeclarado maior programa online de emagrecimento do país, Dieta e Saúde (www.dietaesaude.com.br) selecionou os 50 alimentos mais consumidos por quem emagreceu de 5 kg a 20 kg nos últimos 12 meses e, surpreendentemente, identificou itens nada ortodoxos para quem faz dieta, tais como arroz branco, pão francês – com e sem miolo – açúcar refinado, ovo frito, carne moída refogada... A explicação para o emagrecimento, conforme os responsáveis pelo site, é de que são usuários da dieta dos Pontos DS, que já ajudou mais de 350 mil pessoas a emagrecerem. Com o resultado do levantamento, que contemplou 134.984 assinantes do Dieta e Saúde, conclui-se que a mudança comportamental é gradativa e a adaptação à reeducação alimentar começa pela quantidade dos alimentos consumidos e, depois, pela qualidade deles. Assim, itens contemplados na lista, como açúcar refinado e refrigerantes, serão aos poucos substituídos por alimentos mais saudáveis conforme a evolução na reeducação alimentar. Outro ponto importante do estudo é que muitos dos produtos listados são alimentos comuns a toda população, mostrando que é possível emagrecer e ser mais saudável sem mudar totalmente a rotina ou a lista do supermercado. Ana Carolina Icó, nutricionista do Dieta e Saúde, explica o sucesso dessas pessoas no processo de emagrecimento sem uma dieta muito restritiva. “A maior diferença da reeducação alimentar para as demais dietas é a possibilidade de comer o que gosta, sem restrições de grupos de alimentos e nutrientes. Muitas pessoas não se acostumam com o sabor do adoçante e, com a reeducação alimentar, apreendem a consumir o açúcar de forma moderada”, avalia a nutricionista. O frango, item que aparece na lista, é destacado por Ana Carolina como exemplo de dietas da moda seguidas por pessoas que ainda acreditam que a carne branca seja mais saudável, e que a carne vermelha, mais gordurosa e prejudicial. “Para o brasileiro é difícil relacionar a carne com emagrecimento, já que a comilança dos rodízios normalmente são atreladas aos quilinhos a mais. Sem falar que hoje está em voga que comer frango grelhado e batata doce rende músculos e emagrece”. Ana Carolina observou que a lista dos 50 alimentos não traz preparos empanados, a milanesa ou gratinados, mas que o ovo frito resiste. “É uma questão cultural. Dentro da reeducação alimentar, nossos assinantes são desestimulados a optar por preparações que levam adição de gorduras e privilegiar as cozidas, assadas, grelhadas ou até cruas.”

Os 50 alimentos divididos em grupos alimentares: Carboidratos (arroz, pães, massa): arroz branco cozido; pão francês; arroz integral cozido; pão de forma integral; pão francês sem miolo; açúcar refinado; torrada integral; pão de forma integral light; batata inglesa cozida; pão de queijo; pão de forma tradicional baroa cozida Frutas: banana prata; maçã fuji; banana nanica; mamão papaia; laranja pera; abacaxi; melancia; melão; salada de frutas (banana, maçã, laranja,mamão) Proteínas (carnes, ovos): peito de frango sem pele grelhado; peito de frango sem pele cozido; presunto cozido sem capa de gordura; ovo de galinha cozido; carne moída refogada; peito de peru defumado light; peito de peru defumado; ovo de galinha frito Gorduras boas: azeite de oliva extra virgem Leite e derivados: leite desnatado; queijo mussarela; leite integral; margarina cremosa com sal; queijo minas frescal Legumes e verduras: tomate; alface lisa; cenoura crua; cenoura cozida; alface crespa; alface americana; pepino; abobrinha cozida; beterraba cozida Feijões e similares: feijão carioca cozido; feijão preto cozido Bebidas: café sem açúcar; café com leite integral sem açúcar; refrigerante; suco de laranja sem açúcar 20 | STAMPA


Mármore e granito, peças-chave na decoração C

ompromisso, requinte e confiabilidade você encontra na Granimar Marmoraria Coppetti. Com uma tradição que vem de família, Luciana Coppetti comanda a empresa desde 2007 reforçando cada vez mais os laços com seus clientes, tendo como resultado o bom atendimento e objetivando oferecer sempre o melhor com o mesmo entusiasmo e dinamismo. As rochas ornamentais, além da inquestionável beleza e requinte que imprimem ao ambiente, também são duráveis, de fácil manutenção, e valorizam qualquer empreendimento. De acordo com Luciana Coppetti, a utilização da rocha em um projeto traz exclusividade. “Sempre haverá espaço para a aplicação deste material, independente de modismos ou tendências. Sua versatilidade é incrível, podendo ser aplicada em revestimento de fachadas, confecção de mobiliários, revestimento de pisos e paredes, confecção de bancadas; sem contar a aplicação em projetos paisagísticos”, destaca. Faça uma visita a Granimar Marmoraria Coppetti e encante-se com os granitos e mármores nacionais e importados, exóticos, silestone, quartztone e ônix. A Granimar trabalha também em parceria com alguns engenheiros e arquitetos, além de moveleiros de Ijui e região, dentre eles estão Maurício Copetti Weber, Radons Móveis, Multi Móveis e LZ Móveis, de Ajuricaba. Vá até a Granimar Marmoria Coppetti e encontre o que há de melhor em atendimento e produtos para que suas necessidades transformem-se em conforto, beleza, requinte e bem-estar em seu ambiente. Granimar Marmoraria Coppetti está localizada na Rua Pernambuco, 848, no bairro Assis Brasil. Telefone 3333-0102 / 3333-8745 / 9123 5533 (Tim) e 9152 6909 (Claro). Conheça o site: www.granimarmarmorariacoppetti.com.br. Encontre a Granimar também no Facebook: marmcoppetti@yahoo.com.


COMUNIDADE

Voluntárias e solidárias Elas ajudam a Apae e se sentem muito recompensadas

P

ara integrar o grupo basta ter vontade de fazer o bem e disponibilidade de tempo. As reuniões acontecem às terças-feiras à tarde, e cada uma das voluntárias coloca em prática suas habilidades, seja no corte-costura, na fabricação de produtos de artesanato, com tricô, crochê, e até mesmo na produção de pães e cucas como forma de renda alternativa. A parcela de contribuição da professora aposentada Cecília Silveira D’ Avila poderia se resumir ao tempo dedicado ao magistério. Mas ela não ficou por aí. Depois de ter contato com mães e alunos da Apae, ela decidiu que precisava se envolver, fazer algo para contribuir. E foi por meio do trabalho voluntário que ela encontrou o meio para ajudar. “É extremamente gratificante”, diz. “Eu penso: que bom que eu estou fazendo isso. E acaba sendo um benefício para mim mesma.” Além de participar das ações do grupo, Cecília também é responsável por cuidar de três pessoas portadoras de necessidades especiais. “Eu me sinto realizada. Só participando para se ter uma idéia, de como é gratificante ser voluntário”, afirma ela, que é uma das fundadoras do projeto. “O que as crianças mais precisam é carinho e atenção, e recebemos o mesmo em troca. Fazemos atividades simples, mas que para elas são importantes, como por exemplo, confeccionar uma meia e entregar para um aluno carente.” O material produzido pelas voluntárias é doado para os alunos carentes da entidade, e poder também ser comercializado em bazar para arrecadar fundos, o qual é revertido em benefícios para da escola. Cecília ressalta que o grupo trabalha com o objetivo de colocar em prática três palavras para estimular a solidariedade: mobilização, participação e transformação.

22 | STAMPA

Cada voluntária contribui com o que sabe fazer, desde costura, bordados e crochê, até a produção de cucas e pães


GENTE

Em uma atuação com Ana Botafogo, no Teatro Municipal do Rio de Janeiro

Escolhido para a dança Ensinando a arte na Academia Movimento

Dançarino de primeira linha em formação e atuação, Douglas Dal Ross ensina sua arte na região e assume o sonho de educar, formar plateia e proporcionar às pessoas mais acesso à cultura

O

dançarino Douglas Ravadielli Dal Ross tem 25 anos, uma formação de primeiríssima linha, atuações em grandes palcos e com os expoentes da dança no País. Formado em dança clássica e contemporânea pela famosa escola do Teatro Bolshoi no Brasil, instalada em Joinville/SC, e Conservatório Brasileiro de Dança no Rio de Janeiro, atualmente mora em Santo Ângelo e dá aula para crianças e jovens na Academia Movimento em Ijuí. Douglas retornou do Rio de Janeiro há cerca de um ano, onde atuava como bailarino, na Cia Ballettarj, e também como professor. “A dança é um processo bem lento e exige muito de nós, são oito anos de estudo. Nos países de primeiro mundo a dança é uma profissão, tudo regularizado”. Segundo ele, no Brasil os dançarinos ficam muito limitados, pois existem apenas cinco companhias profissionais de dança. “O campo de trabalho é muito pequeno, às vezes me sinto sem espaço. Em cidades do interior então, nem se fala. A realidade é bem diferente dos grandes centros. Mas eu posso dizer que aproveitei todas as oportunidades que tive, me sinto feliz de estar retornando e de ver tantos talentos espalhados por aqui. Eu quero ensinar tudo que aprendi e trazer arte e dança de qualidade que chega nas capitais para o interior. Eu vejo isso como uma obrigação minha, sinto que estou no caminho certo”. Douglas começou a dar aulas na Academia Movimento em Ijuí na metade do ano passado, e neste ano irá assumir todas as turmas de ballet clássico e dança contemporânea. “O meio artístico é meio injusto. Muitas vezes se trabalha muito e nem sempre as coisas acontecem da maneira esperada, e então é preciso recomeçar tudo novamente. Perdi as contas de quantas vezes estive no palco e nada saiu como eu esperava. Já aconteceu até mesmo de estar na melhor forma e sofrer uma lesão um dia antes de entrar em cena, em momentos importantes, mas tudo isso torna -se um aprendizado”. Para o futuro, o professor de dança ressalta que sonha em possibilitar que as pessoas tenham mais acesso à arte, música, teatro e dança. “Ir ao teatro, formar plateia, e acima de tudo educar. Sonhos que estou realizando”. Há oito anos, Douglas faz a produção artística do evento Santo Ângelo em Dança. Para aqueles que querem ter a dança como profissão, ele sugere “procurar bons professores, fazer aulas todos os dias, pois a dança é feita nos pequenos detalhes. Repetir, repetir e repetir! Não se pode cansar, pois a carreira é curta. E antes de mais nada, a dança precisa te escolher”. STAMPA | 23


1

5

6

1. Luana, Carola e Clandio Suzano provando o cardápio da Glasnost 2. Tássia Cigana, Patrícia Goulart e Mariana Stragliotto no Paiol

9

10

3. Bruno, Guiomar e Maria Carolina Dischkaln no Réveillon da Sogi 4. Arlindo e Tatiane Queruz prestigiando a noite movimentada no Bahan Bakar Pub

24 | STAMPA

13

14


5. No Bahan Bakar Pub: Raquel, Guilherme, Maísa e Luis Otávio 6. Paulo Prediger e Renan Avila na festa da virada, na Sogi

2

3 4

7. Um time de belas: Alissa Stragliotto, Sabrina Ottonelli, Jessica Schirmer, Sara Corbeline, Catiusa e Carolina Kuchak 8. Juarêz e Rosane Piccoli brindaram a entrada de 2015 no Réveillon da Sogi 9. Ana, Daiana e Fabiana Noronha e Antonella Jung em noite de comemoração na Clínica Farias 10. Liziane e Flavio Gonçalves na Glasnost

7

8

11. Isabele Berwig e Arlan Berres no Restaurante Confraria 12. A criançada tem se divertido muito na programação de férias na escola de idiomas Yázigi

12

11

13. Paróquia Cristo Rei escolheu as soberanas de sua Festa do Milho, a realizar-se em abril: a soberana Djenifer Sagave (à frente), Maria Caroline Livinalli (1ª) e Luciana Tiecher (2ª) 14. Victor Toledo e Juliana Cossetin no Restaurante Confraria 15. Terezinha Tolotti e Clarice Hermanns na confraternização de fim de ano da BPW Ijuí 16. Miriam Garmatz, Luciane Buzanelo e João Atenagoras no Réveillon da Sogi

15

15

16 STAMPA | 25


Conversar sem censura, se divertir e comemorar são as motivações da união do grupo formado em 2007. Elas se encontram uma vez por mês e já fizeram festas temáticas e viagem

Quem se diverte junto... ... permanece junto. A afirmação vale para a Confraria das Mulheres, grupo fundado com base na amizade e na vontade de compartilhar vivências

26 | STAMPA

M

ulheres resolvidas, financeiramente independentes, reunidas para trocar idéias, dar risada, jogar conversa fora, descontrair. Na pauta, estão os assuntos mais diversos: dicas de beleza, receitas culinárias, livros interessantes, filmes, peças de teatro, shows, namoros, maridos, filhos, bichos de estimação, parentes, problemas, soluções. Às vezes é inevitável falar de trabalho, porém apenas o necessário para colher a impressão das demais e escapar logo para outro tópico. Esse grupo de mulheres encontra-se uma vez por mês, sempre na primeira quarta-feira. Cada encontro acontece na casa de uma das dez integrantes da Confraria, e a anfitriã é responsável por elaborar o cardápio da noite. A escolha desse dia da semana se deu para evitar concorrência com outros compromissos e garantir um quórum maior. A fundadora do grupo, a empresária Viviane Bronzatto Dutra, vê como positiva a falta de um objetivo específico. “Sei que existem confrarias com objetivos bem definidos, que curtem leitura, gastronomia, enologia e trocam experiências sobre o assunto. Não é esse o nosso caso. Nosso único propósito é conversar e dar risada, e sempre é muito bom.” Desde que foi formada, em 2007, a Confraria fez algumas programações especiais, como uma muito divertida festa à fantasia e uma viagem a Gramado. Assim como Viviane, Sandra Muller acredita que a Confraria atua como uma verdadeira terapia em grupo. “Trocamos ideias, posições, opiniões e nos momentos difíceis nós apoiamos uma a outra”, opina Sandra. O grupo traz amizade e apesar da empatia e afinidade, cada uma das integrantes aprendeu a respeitar a opinião das outras. Agora as reuniões estão mais espaçadas, em razão do período de férias, mas elas são unânimes em dizer que permanece essência firme. “No último encontro, ficamos tão felizes de nos revermos, de dividir as novas conquistas”, diz Viviane. A essência destacada por Viviane fica evidente na declaração de Sandra: “As mulheres são muito expansivas, abertas e rola uma conversa muito aberta. Essa falta de censura com as amigas permite que, ao deixar de fora marido, filhos, mães, irmãs, a nossa essência aflore. Só é amigo se tem afinidade, sem críticas. O jeito mais gostoso de ser você mesma é junto com as amigas”, define.


Movimente-se!

C

om o objetivo de levar saúde, qualidade de vida e incrementar a arte da dança, a Academia Movimento oferece um leque de modalidades: baby class, ballet clássico, jazz, contemporâneo, kangoo, zumba, mixturado, dança de salão, dança do ventre, pilates, musculação, alongamento e ginástica para a melhor idade. Disponibiliza trabalhos em pequenos grupos e individual, e também faz coreografias e animações para aniversários e casamentos. De acordo com a diretora-proprietária, doutora em Ciência da Cultura Física, Lorena Cossetin, a Academia Movimento atende a um público que vai desde crianças de dois anos até pessoas da terceira idade. “Contamos com uma estrutura de 700 metros quadrados, distribuídos em dois pavimentos. No primeiro andar, temos uma sala de 10m x 8m para aulas de dança e ginástica, uma sala de 10m x 8m, para aulas de musculação, além de sala para pilates, secretaria, vestiário e banheiros. No andar superior existem dois ambientes totalizando 14m x 10m, destinado à prática de dança de salão e festividades, vestiários, banheiros, cozinha e bar. Em nossa equipe, contamos com professores formados e estagiários de Educação Física”, explica Lorena. Desde sua fundação, a Academia Movimento desenvolve eventos sócioculturais, na perspectiva de contribuir com o aprimoramento técnico de dançarinos e profissionais da área, pela oferta de oficinas, espetáculos e cursos de capacitação, através de projetos aprovados pelas leis de incentivo do governo federal. Para este ano, uma nova grande atividade está sendo organizada, adianta Lorena. “Entre os dias 25 e 27 de setembro, realizaremos o 4º Encontro Estadual de Dança e o Open de Dança, com incentivo da Lei Rouanet. Esse projeto é inédito no país pelas suas características: a gratuidade em todas suas ações, e aulas com profissionais do Brasil e exterior, que ministrarão cursos e se apresentarão em shows, com o objetivo de levar a arte e a cultura a todos”. A Academia Movimento fica na Rua Mato Grosso, 75, centro, telefone (55) 3332-4378.

Ballet clássico

Pilates


Artur de Oliveira Paludo

Diploma e residência médica

O

Vibração e entusiasmo em meio aos formandos, na hora de receber o diploma; com os pais Alexandre e Eliane, e com a turma dos amigos de sempre na comemoração

Fotos: Daniel Scherer

casal de odontólogos Alexandre e Eliane Paludo está exultante com a recompensa em felicidade que seu único filho Artur tem proporcionado. Em dezembro, Artur recebeu o diploma de médico pela Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre. Vibrou muito pela conquista e comemorou com familiares e os amigos em uma festa linda, no Salão Panorâmico da Sogipa. E para referendar o desempenho irretocável, logo em seguida engatou outra conquista tão grande quanto: a residência em Cirurgia Geral no Hospital de Clínicas, em Porto Alegre, que começa em março.


Centro de Eventos Valle Verde realiza sua festa com qualidade e tranquilidade

C

om um bom atendimento e seriedade no trabalho, o Centro de Eventos Valle Verde conta com uma equipe altamente qualificada e treinada para personalizar cada evento. Atuando no ramo de festas e eventos em geral presta aos seus clientes os serviços de casamentos, churrascos, cafés da manhã, formaturas, bodas, aniversários, festas infantis, almoços, jantares, festas de 15 anos e reuniões empresariais. O Valle Verde oferece espaço ao ar livre para a realização da cerimônia religiosa de casamento e espaço para a festa, com capacidade para até 300 pessoas e estacionamento amplo. Para as reuniões empresariais oferece desde o Coffee Break até o almoço. Para os mais diversos eventos, o cardápio é diferenciado, entre eles, churrasco, costelão, boi no rolete, coquetel campeiro, entre outros. Oferece também campo de futebol 7 para locação, com espaço para churrasco com os amigos, antes e depois dos jogos. O Valle Verde proporciona muita diversão e conforto para a recepção da sua empresa, amigos e familiares. A estrutura permite a realização de reuniões, cursos, palestras e seminários, unindo o trabalho ao lazer em um espaço seguro e de fácil acesso. Informações podem ser obtidas pelos telefones 8428-0678 e 8118-5411. O Valle Verde está localizado na Linha 3 Leste. Informações também podem ser obtidas por e-mail: faleconosco@valleverdeijui.com.br.

STAMPA | 29


Gustavo Gobo & Rosana Zambra E

m 13 de dezembro subiram ao altar, na Igreja Nossa Senhora da Penha, o casal Gustavo Göelzer Gobo e Rosana Ferretti Gobo. Gustavo é proprietário da empresa Bogo Agrícola Ltda, e Rosana enfermeira no Hospital de Caridade de Ijuí. São filhos de Pedro Luiz Gobo e Tânia Regina Göelzer Gobo, e de Vilmar Zambra e Mercedes Ferretti Zambra. Após a cerimônia religiosa, familiares e convidados foram recepcionados no Centro de Eventos Valle Verde. Com tema “Espetáculo Circense”, idealizado e executado por Líbera Marin Festas e Eventos, a noite teve show circense, brindes regados de espumante, chopp com caldereta personalizada, e um delicioso buffet de sorvete. Na madrugada, lanches foram servidos nas barracas montadas especialmente para a festa, entre eles, crepes doces e salgados, algodão doce, maçã do amor e minichurros. O casal escolheu Cancún, no México, para a lua de mel.

Foto Eleonora

Os noivos e padrinhos no altar na Igreja Nossa Senhora da Penha Flagrantes da animação da festa no Valle Verde, com show circense

30 | STAMPA

Na festa, noivos e seus pais Vilmar e Mercedes Zambra e Pedro e Tânia Gobo


STAMPA | 31


Fernanda, Olair e Moana

Adriana e Tamara

Gabriela e Alexandre

Veridiana, Diego, Débora e Lucas

Felipe e Cintia Ana e Rodrigo

Eduardo e Gabriela Patrique, Débora, Cintia e Lucas

32 | STAMPA

Juliano e Camila Tássia e Kenin

Alan e Fernanda Yasmin e Emiguelton


Luísa e Mateus

Lucas e Fernanda

Maiara e Andrei Tiago e Mateus

Emilia, Maria e Amanda

Luciana e Lina Tiago, Aline, Mariana e Bruna

Maiara, Angélica e Marjorie

Leandro e Marluci

Rafael e Mauren Carina, Cleonte, Luísa e Katrine Mauricio e Suyan

STAMPA | 33


autorretrato Um lugar: Praia Uma conquista: A Boda Forma Academia Um sonho: Um mundo sem desigualdades Uma alegria: Minha família Uma tristeza: Perda de alguém Uma saudade: Da minha avó Quem é chato: Pessoas inconvenientes O que me tira do sério: A falsidade Uma mania: Pontualidade Marca pessoal: Comprometimento O melhor presente:

Maicon Rodrigues é o nome à frente da Boa Forma Academia, que está completando 13 anos de sucesso. Ijuiense, 30 anos, é filho de Maria Inês Rodrigues e Omero dos Anjos Rodrigues (in memoriam). Formado em Administração, agora está cursando Educação Física, o que vai qualificar ainda mais a sua bemsucedida atuação profissional.

Maicon Rodrigues Qualquer, desde que venha de alguém especial Quero ir para: Madrid - Espanha Adoraria aprender: Inglês Não vivo sem: Exercício físico Se pudesse, compraria: O tempo Gasto muito com: Roupa Melhor hora do dia: A de ir trabalhar Prazer à mesa: Churrasco Livro marcante: O Monge e o Executivo, de James C. Hunter Som preferido: Eclético Filme inesquecível:

O Lobo de Wall Street, de Martin Scorsese Lazer: Atividades junto à natureza É lixo: Vícios É luxo: Exercer a cidadania Mulher bonita: Minha mãe Homem bonito: Eu Se não fosse o que sou, seria: Dentista Ijuí é: Cidade hospitaleira, muito acolhedora, com um comércio forte, diversificado e uma industrialização crescente, repleta de belezas naturais e uma cultura superdiversificada. Adoro morar aqui.


SobreNomes

Garota Verão Este verão é de Julia Oling, a representante de Ijuí no concurso promovido anualmente pela RBS TV. Ela foi eleita na Estação da Mata, e dando tudo certo, vai estar na final em Capão da Canoa, dia 28 de fevereiro.

Brindes Lindas e faceiras, Larissa Farias da Rosa Pettenon e Vivian Farias Arenhardt na noite em que recepcionaram clientes e amigos em sua Clínica Farias, para festejar um ano de sucesso da esmalteria Rosa Glam.

Clube cinquentão Os 50 anos do Clube Aquático Tiarajú foram assinalados com uma variada programação, que teve culminância no último sábado de janeiro com o grande jantar e baile, no ginásio coberto. O momento especial da noite foi a escolha e coroação das soberanas, com a disputa dos títulos de rainha e princesas em três categorias - adulta, juvenil e infantil. Dezenas de garotas, filhas de associados, desfilaram. A eleita rainha na categoria adulta foi Pâmela Nascimento, coroada pelo presidente Paulo Felippin.

Novo mandato Na TV Vô Gringa, a nova designação da original IDR, começou com tudo a nova fase. A banda esteve no programa de Ronnie Von, na TV Gazeta, em janeiro, fazendo a divulgação no novo CD e receberam muitos elogios do anfitrião.

Em pé, o presidente Clovis de Jesus faz seu pronunciamento ao ser reeleito para mais um mandato na Sociedade Ginástica, em janeiro. Estão a seu lado os colaboradores imediatos, também empossados: o presidente do Conselho Deliberativo Alfonso Conrad, vice-presidente Edgar Gieseler, vice-presidente Administrativo Aido Dei Ricardi, vice-presidente Financeiro Jorge Klanovicz, vicepresidente Patrimonial Ricardo Miron, vice-presidente Esportivo, Recreativo e Cultural Rogerio Dürks. STAMPA | 35


CULTURA

D

Um jornalista empreendedor Formado em jornalismo pela Unijuí, o ijuiense Alexandre Acosta encontrou na cidade de Caçador, em Santa Catarina, oportunidades profissionais que não encontrou aqui. Se dedica à vida acadêmica e já lançou três livros

epois de formado em 2004 no curso de Jornalismo pela Unijuí, o ijuiense Alexandre Acosta continuou seus estudos até concluir o doutorado em Epistemologia e História da Ciência, quando, em 2011, foi convidado a coordenar o curso de Jornalismo da Universidade Alto Vale do Rio do Peixe (Uniarp), em Caçador-SC. Desde então, tem se dedicado exclusivamente à pesquisa e ao magistério, ministrando aulas na graduação e pós-graduações nos três Estados do Sul do País. No entanto, Alexandre acha tempo para fazer o que mais gosta escrever. Até o momento, ele já lançou três livros. O primeiro foi intitulado Empreendedorismo, teoria e prática, em que Alexandre aborda o tema utilizando uma pesquisa realizada com empreendedores e a relação dessa prática com o que autores registram sobre o tema. O segundo livro surgiu após um pedido por parte dos acadêmicos de jornalismo, que desejavam que o professor realizasse uma obra específica para este público. De olho no nicho de mercado, em 2012 ele lançou o livro Gestor: o novo perfil do profissional de comunicação. “Esta obra contempla o espaço que o jornalista precisou ocupar para se manter no mercado de trabalho depois da decisão do Supremo no ano de 2009 da não necessidade de diploma para o exercício da função”, acrescenta. No ano passado, Alexandre lançou mais um livro. Gestão do Conhecimento: a inteligência a serviço da empresa é direcionado a empresários e gestores de recursos humanos. “Vi a necessidade em abordar este tema após algumas aulas de pós-graduação que ministrei e senti a carência de livros especificamente sobre o tema”, conta. Em todos os lançamentos, Alexandre teve a participação de Adelcio Machado dos Santos, pós-Doutor renomado em Santa Catarina, com extenso currículo acadêmico e de pesquisa. Adelcio, além de parceiro nos livros, comanda Alexandre como reitor da Uniarp. Para 2015, a dupla já está preparando novos materiais nas áreas de pedagogia do Ensino Superior e ensino de jornalismo no Brasil. Morando em Caçador, Alexandre afirma que não teve dificuldades de adaptação, pois a cidade é muito parecida com Ijuí, no que diz respeito a estrutura e número de habitantes. “É uma cidade de interior, não temos tudo o que gostaríamos, mas recebi aqui oportunidades que não tive em Ijuí”, conclui.

Vi, li e recomendo Por Vera Fischer

Coordenadora do Setor de Vestibular da Unijuí

36 | STAMPA

A Culpa é das Estrelas Filme de Josh Boone

Baseado no livro de mesmo título, conta parte da vida de uma adolescente de 16 anos com câncer, que os pais querem forçar a participar de um grupo de apoio, mesmo grupo em que conhece e se apaixona por um garoto que também sofre com câncer. A adolescente se mantém viva graças a uma droga experimental. O filme desperta diferentes emoções. É possível chegar do choro ao riso ou vice-versa. Como já vivi uma experiência de câncer na família (minha mãe teve câncer de mama aos 83 anos e está curada) foi como uma retrospectiva, desde a descoberta até o desfecho final. O do filme, para muitos, deve ter sido triste, mas em minha opinião foi sereno. Recomendo o filme a todos(as) que convivem com essa doença e, mais ainda, aqueles que estão saudáveis. As lições do filme, com certeza, podem ajudar aos acometidos pela doença e aos que com eles convivem, fazendo tudo parecer mais leve, possível de ser vivido com amor, serenidade e esperança.

O Mundo de Sofia De Jostein Gaardner

Tive o prazer de ler a 1ª edição do livro traduzido para o português em 1995. As duas perguntas iniciais feitas à personagem Sofia no romance “Quem é você?” e “De onde vem o mundo?” no momento em que li o livro pareciam feitas a mim. Por quê? A primeira leitura que fiz foi no início de 1996, antes de iniciar o meu curso de Mestrado. Sem sombra de dúvidas, o romance de capítulo em capítulo, de lição em lição faz com que toda a história do conhecimento, da filosofia ocidental (dos pré-socráticos aos pós-modernos) seja visualizada pelo leitor. Por ser escrito como romance, a leitura “filosófica” é leve, fazendo com o que o leitor adquira conhecimentos importantes sem mesmo se dar conta. Aconteceu comigo. Quando comecei a estudar os pensadores, suas ideias e teorias, o Mundo de Sofia se abriu diante de mim. Recomendo a leitura da obra a todos aqueles que gostam de boa leitura e que têm interesse em responder às perguntas feitas à Sofia no início do romance.


Perto ou longe, onde vivem ijuienses

Tiago Fetter dos Santos

O

ijuiense Tiago Fetter dos Santos, 34 anos, é filho do contador e professor David Antonio dos Santos e da professora Vera Lucia Fetter dos Santos, residentes em Ijuí. Aqui também moram o seu avô Albino Fetter e seus sogros Ovídio e Sônia Bonfada. Os irmãos Anusca e Felipe moram em Porto Alegre. Em 2009, Tiago casou com Jalusa Tassinari Bonfada, com quem já está há 10 anos, e o primeiro filho, Theo, nasceu em janeiro. “Geralmente, os encontros com a família são em Porto Alegre, mas quando temos oportunidade, visitamos os amigos em Ijuí”. Formado em Sistemas de Informação pela Unijuí, em 2004, trabalhou por sete anos na universidade antes de se transferir para Porto Alegre, onde trabalhou como analista de sistemas e de negócios em uma empresa de cartões de crédito, e mais tarde no portal Terra. Na capital gaúcha ele fez MBA em Gestão Empresarial na Fundação Getúlio Vargas. Em 2009, passou no concurso do Serpro – Serviço Federal de Processamento de Dados, empresa que presta serviços de Tecnologia da Informação e Comunicação ao Governo Federal (Ministérios, Presidência da República, Receita Federal). Começou trabalhando na área de Desenvolvimento de Sistemas no Serpro em Porto Alegre, e em julho de 2011, aceitou o convite do superintendente para ir trabalhar na área de negócios na sede da empresa, em Brasília. Atualmente no Serpro, ele gerencia uma equipe de analistas de negócio, é responsável pela relação comercial do Serpro com o Ministério das Relações Exteriores, presta consultoria em Tecnologia da Informação e desenvolve os sistemas que funcionam em cerca de 200 embaixadas e postos consulares espalhados pelo mundo. São estes sistemas que dão todo suporte aos brasileiros que vivem no exterior, com serviços notariais, emissão de passaportes, além dos vistos para estrangeiros que queiram vir ao Brasil. A trabalho, teve oportunidade de integrar a delegação brasileira em No Congresso Nacional com os pais David e Vera

Durante a Copa do Mundo, no Estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasília

reuniões em Paris e em Abu Dhabi, participando de um grupo de mais de 20 nações que trabalha para aumentar a segurança dos passaportes. Em Brasília fez seu segundo MBA, em Gestão de Projetos, também na Fundação Getúlio Vargas. “Jalusa e eu adoramos Brasília. Fizemos muitas amizades e estamos muito contentes morando aqui”. Tiago lembra que na época da Copa de 2014, uma propaganda dizia que o Brasil se encontra em Brasília. “Isso é a mais pura verdade. Aqui tem gente de todos os Estados do País. É uma diversidade muito rica de música, sotaques, hábitos, comidas. Brasília tem muito restaurante, muito bar, muita opção cultural”. O clima também agradou ao ijuiense. De dia faz um calor seco, e à noite, uma temperatura agradável. A cena política, diz, é muito forte. “A cidade respira poder. Volta e meia participo de reuniões na Esplanada, prospectando negócios para o Serpro”, conta, comprovando que está muito bem estrosado na capital do País.

Com a esposa Jalusa em viagem aos EUA, quando ainda esperavam da chegada de Theo, que nasceu em janeiro


Perto ou longe, onde vivem ijuienses

Aline Dahleni Kraemer

Irlanda, nos Cliffs of Moher

A

line Dahleni morou em Ijuí até os 17 anos, com os pais Leila e Arnaldo e a irmã Taís Kraemer. No início de 2010, ela se mudou para Florianópolis, onde estudou Engenharia de Controle e Automação na UFSC. Aline sempre teve o sonho de conhecer a Europa, e foi em 2014 que teve a oportunidade de participar de um programa de intercâmbio. Desde agosto de 2014 ela mora em Roma, na Itália e lá está estudando na Università Degli Studi di Roma Tor Vergata. “As pessoas aqui se mostraram receptivas e dispostas a ajudar, desde questões simples sobre qual ônibus pegar, até ajuda para procurar moradia uma senhora chegou a oferecer um quarto na casa dela até que eu encontrasse um apartamento para alugar. Andando pelas ruas logo se percebe que os italianos são um povo alegre, estão sempre sorrindo e falando alto”, comenta. Uma das primeiras diferenças que a ijuiense notou no país italiano foi em relação às refeições. “Aqui na Itália, o café da manhã é basicamente um croissant doce e um café, é muito difícil encontrar salgados. O almoço ou jantar nunca é servido em um prato só, é dividido em pelo menos três: primo piatto (algum tipo de macarrão), secondo piatto (carne ou peixe), e contorno (salada, verdura e legumes). As pizzas são individuais, mas isso não quer dizer que são pequenas. Se você chega a um restaurante em duas pessoas e pede só uma pizza, eles acham estranho”.

Villa D’Este, na cidade de Tivoli, Itália. Palácio e jardins no estilo renascença, reconhecido como Patrimônio Mundial da Humanidade pela Unesco

Outra diferença, explica Aline, está nos meios de transporte. Lá o trem é muito utilizado para viajar entre uma cidade e outra. Há os trens noturnos, com cabines que têm camas. Além disso, é comum encontrar passagens aéreas muito baratas, o que lhe permitiu conhecer vários lugares. “Lugares incríveis, tanto aqui na Itália quanto em outros países europeus. Entre eles, as cidades que mais me impressionaram pela beleza e história foram Veneza, Paris, Londres, Edimburgo, Cracóvia, Budapeste e Berlim”. Aline irá retornar ao Brasil no final de fevereiro. “Estou com saudades e ansiosa para rever minha família e amigos. Mesmo assim, pretendo retornar para a Europa no futuro, para fazer um estágio em alguma empresa, ou até mesmo trabalhar aqui depois de formada.” Em Paris, no Museu do Louvre

Na Escócia, com a espécie de boi da região, que tem uma camada dupla de pelos para se proteger do frio 38 | STAMPA


Noivado em Paris A médica ijuiense Shana Segatto Vendruscolo foi surpreendida pelo pedido de casamento de Gabriel Machado, bacharel em Direito, na mais romântica cidade do mundo. Filha da advogada Ilhana e do empresário do ramo de calçados Naur Vendruscolo, Shana foi a Paris com a família do namorado, que é filho de Americo e Luci Machado, de Três Passos. A viagem teve como motivação festejar o aniversário de Luci. Em fotos lindas, como a que enfeita a capa desta edição, o noivado foi devidamente registrado. Mas a alegria do casal e de suas famílias têm mais duas razões: Shana acaba de concluir a residência em Pediatria na PUC/RS e vai qualificar ainda mais sua formação com a residência em Pneumologia Pediátrica, para a qual foi aprovada em 1º lugar, também na PUC/RS.

Giro europeu

No Coliseu, em Roma, e a nevasca em Champery

A dentista Ângela Montagner Zauk viajou em dezembro de 2014 acompanhada do irmão Milton e da cunhada Taisa Rigoli. O passeio começou em Roma onde encontraram o filho de Ângela, Henrique. Lá, assistiram a Missa do Galo, com o Papa Francisco. Seguiram para Assis, Veneza e Padua, Vale da Aosta e de lá para Suíça, cruzando os Alpes através do túnel Gran San Bernardo, com 6 Km, numa das poucas passagem entre o norte da Itália e os países vizinhos. Na Suíça conheceram a cidade de Monthey, residência do Henrique que trabalha no restaurante “Café du Theatro”. Para comemorar o Ano Novo, jantaram com o chef Antonio Monteleoni e sua esposa Isabel, amigos e colegas de Henrique, e foram à cidade do jazz, Montreux, Lausane, sede do Comitê Olímpico Internacional (COI), onde visitaram o museu Olímpico. Em Broc, foram à fábrica da Nestlé e no Chateau do Gruyer. “Os maiores presentes recebidos foram duas nevascas que deixaram tudo absolutamente branco, principalmente em Champery, famosa estação de esqui. No nosso itinerário francês, apenas Paris e Blanzy”. Ao retornar para Itália, estiveram em Turim para o jogo Inter de Milão e o time da casa, o Juventus. Conheceram um pouco da cidade com visitas a igreja que guarda o Santo Sudário e, no museu da cidade, uma exposição sobre Leonardo da Vinci. De passagem, estiveram ainda em Genova, Florença e Orvieto. Na França, chamaram a atenção a Saint Capelle e seus vitrais de 15 metros de altura, e a Notre Damme. “Mas da torre Eiffel guardamos a beleza e o susto de termos que descer desde o segundo andar pelas escadas devido um alerta de evacuação de emergência, enquanto o Milton e o Henrique permaneciam no alto da torre. Sem explicações, mas com a polícia isolando a área e, no dia seguinte, o atentado a bomba no jornal, fica a dúvida sobre o que aconteceu lá”, relata Ângela. STAMPA | 39


A jornalista Claudia Bohrer escolheu a praia de Garopaba para curtir as férias ao lado do esposo Ângelo Bohrer e das filhas Maria Luiza e Ana Carolina. Segundo Claudia, foram sete dias em família em um local supertranquilo e bem bacana pra ir com crianças. “Escolhemos essa praia por ter um mar maravilhoso e não ter muita agitação. Superindico pra quem quer sossego”. O casal Marlen e Rubem Härter escolheu Natal, no Rio Grande do Norte, para a viagem de férias. Eles saíram de Ijuí no dia 15 de janeiro e retornaram no dia 24. Depois de quase 20 anos, eles voltaram a Natal para usufruir de algumas das mais lindas praias do Brasil. “Deus nos abençoou com nove dias de muito sol, águas limpas e mornas”, diz Marlen. Eles se hospedaram na praia de Ponta Negra, com a vista do Morro do Careca. “Fizemos alguns passeios dos quais destacamos o imperdível passeio de buggy, o melhor de Natal que é usufruído com muita emoção nas dunas de Genipabu e lagoas de Pitangui e praias paradisíacas como a de Muriu, (opcional de aerobunda, kamicase e esquibunda). Muito legal”, diz Ruben. Eles estiveram também na praia de Maracajau com direito a mergulho com peixinhos e corais, fizeram o passeio a praia de Pirangi, visitaram o maior cajueiro do mundo. “Natal, com certeza, tem um ambiente apropriado e paradisíaco para passar as férias”.

Neste ano, a nutricionista Rosemari Schott escolheu Balneário Camboriú para passar as férias de verão. “Como já conhecia o lugar, a escolha não foi difícil”. Foram 15 dias regados de muito sol, muita praia, gente bonita e paisagens deslumbrantes. Em seu pacote turístico, ela aliou lazer e diversão ao visitar as praias do norte, como Praia Brava, Cabeçudas, Praia dos Amores e as praias do sul, como Itapema, Laranjeiras, Taquaras, Pinho e Bombas. “Vivi dias de paz e alegria, um bem-estar total e tudo que me envolveu de forma intensa e mágica deste lugar abençoado por Deus. Vivi momentos únicos e inesquecíveis, que, com certeza, vão me fazer voltar porque de lá e das pessoas é impossível não sentir saudades”, comenta.

40 | STAMPA

As praias do Nordeste foram escolhidas pela comerciante Marines Nunes da Silva para curtir sete dias de férias. Ela conta que ficou hospedada no Hotel resort Catussaba. Marinês conheceu a Praia do Forte, Ilha dos Frades e Ilha de Itaparica.


Laila Letícia Falcão Poppe, 26 anos, advogada, embarcou para Florianópolis no dia 9 de janeiro. Na companhia do namorado Gian Bonatto e mais um grupo de seis amigos, ela passou oito dias no que define de paraíso na terra. Mas, foi em Costão do Santinho que Laila se sentiu em casa. “Impossível descrever as belezas de todas as praias visitadas, lugares paradisíacos. Ficou o gostinho de quero mais. Voltaremos”, afirma. Mayara Oliveira, 20 anos, estudante, aproveitou a viagem com o namorado Vinicios Sperotto e um grupo de amigos para visitar Torres, no litoral gaúcho. O destino era uma cidade vizinha da badalada praia gaúcha, onde ficaram na casa de um amigo. A visita foi breve, teve duração de quatro dias, mas as impressões foram determinantes para que ela defina Torres como a mais bela praia do Sul. Camila Figur, 24 anos, auxiliar administrativa, entrou 2015 como a maioria dos brasileiros gostaria. Em férias e nas praias do Litoral catarinense. Lá ela ficou por 12 dias, na companhia de um casal de amigos e visitou o máximo de bares, praias e lugares turísticos que pôde. Além da Praia Brava (foto), que deixou Camila encantada, o passeio de bondinho de Balneário Caboriú até a Praia de Laranjeiras a conquistou pela linda vista.

João Pedro Van Der Sand, músico, e a namorada Fabiana do Prado, jornalista, também foi parar no Litoral Catarinense no dia 13 de janeiro. Chegando em Santa Catarina, o primeiro destino foi Florianópolis, onde locaram uma moto e seguiram até Guarda do Embaú, onde permaneceram a maior parte dos dias. Foi de moto que o casal conheceu as praias da região e visitou amigos. Aproveitando a viagem, que durou cerca de 15 dias, eles passaram um dia em Canto Grande, com os pais de João, onde estiveram no Morro do Macaco (foto).

Marco Aurélio Cardoso, 22 anos, técnico em informática, também não perdeu tempo nas férias. Pegou a bagagem e na companhia de um grupo de mais seis amigos partiu rumo a Santa Catarina em janeiro, e por lá permaneceu por nove dias. Andou pelas praias de Jurerê, Jurerê Internacional, Canasvieiras, Ingleses, Joaquina e Santinho, entre outras tantas que não lembra o nome. Mas é da Serra do Rastro que vem uma das recordações mais engraçadas da viagem. Divididos em dois carros, o grupo seguiu para Florianópolis. No caminho, enquanto o outro carro seguiu ao destino final, o grupo de Marco, composto por Uiliam Kumm (com ele na foto) e Edson Berchtold teve problemas com o GPS e andaram uns 300 quilômetros a mais, indo parar na Serra do Rastro. STAMPA | 41


Gostoso até no nome

E

m uma época em que a tecnologia e as facilidades são propícias para o encurtamento de distâncias, há quem prefira se alongar um pouco mais para chegar ao destino num período de férias. Foi a opção feita por Julio e Lorena Beal, quando decidiram visitar o filho, no Rio Grande do Norte. O destino foi São Miguel do Gostoso, a 120 quilômetros de Natal, na Pousada do Gostoso, de propriedade dos também ijuienses Elvio e Cristina Corso, e onde o filho do casal, Júlio Cézar Beal Júnior, é gerente. “O lugar é encantador, com simplicidade, onde são valorizados os fatores naturais da região, com rústicos chalés, principalmente para quem busca tranquilidade, descanso, longas caminhadas, passeios a cavalo e prática de esportes junto ao vento”, diz Lorena. Na Pousada do Gostoso funciona uma Escola de Kite Surf, onde também ocorre eventos de recreação, como Beach Vôlei e Beach Tennis. Lorena conta que São Miguel do Gostoso é muito procurado por turistas estrangeiros, oportunizando um convívio amistoso entre franceses, italianos, alemães e os brasileiros, com interessante intercâmbio de cultura. “Tivemos a oportunidade de conhecer outras praias vizinhas no litoral norte, como Tourinhos e Perobas, que com suas belezas naturais oferecem lindos passeios a recifes e corais com direito a mergulho”. O casal fez uma linda aventura através dessa viagem, ao percorrer em torno de 9.000 km de carro (ida e volta), atravessando o Brasil do Sul ao Nordeste. “Ao passar por onze Estados, tivemos uma ampla visão do nosso País em termos econômicos, culturais e sociais”.

Lorena e Julio no mirante da pousada

Mergulho em Perobas

A primeira vez

R

42 | STAMPA

osimeri e Paulo da Cruz tinham um motivo a mais para viajar nas férias: o nascimento do neto Lucas, em North Plainfield, estado de New Jersey, nos Estados Unidos. Há cerca de dois anos, a filha do casal Vanessa Gazio e seu marido Lucas Gazio vivem na pequena cidade americana. Rosimeri e Paulo estão desde dezembro na casa da filha e aproveitam para conhecer diversas cidades americanas até o dia 19 de fevereiro, quando retornam ao Brasil. “Como passageiros de primeira viagem internacional, foi muito interessante. Aqui, pude entender porquê tantas pessoas querem vir para cá. Notei que todas as pessoas que trabalham em qualquer área, recebem muito bem, vivem confortavelmente”. O casal aproveitou alguns dias em Nova Iorque e Washington, além de visitar várias outras pequenas cidades da região.

Lorena com o filho na festa de integração entre estrangeiros

Com a filha Vanessa, na cidade em que mora, e em Nova York, no Rockefeller Center e na Time Square


Em Natal

Pela estrada afora

A

Em Recife, bairro antigo

Reencontro nos EUA Times Square

Quincy Market, Boston

empresária Carmem Lucchese, proprietária de A Boa Compra, a irmã Márcia e o cunhado Vilson partiram para uma aventura de férias, pelo Nordeste do País. A irmã e o cunhado saíram de Brasília onde moram e Carmem de Ijuí, os encontrou em Maceió-AL. Seguiram estrada a fora, parando em Campings, praias, sempre na direção das capitais. Passaram por Maceió-AL, Recife-PE, João Pessoa- PB e Natal-RN, onde encerraram a aventura na estrada. “Nosso país é maravilhoso, eu amo de qualquer jeito e sinto muito orgulho de onde nasci. Encantador em belezas naturais. Como saímos da rota dos resorts e hotéis, pudemos ver coisas inusitadas, umas lindas outras nem tanto”, diz Carmem. Durante a viagem, eles degustaram desde lagosta na brasa até milho verde assado, além da carne de sol. “O povo nordestino, tem pra mim, um encanto nato, ingênuo, sofrido, maltratado pelo sol escaldante. Pobreza? Sim, muita. Mas uma pobreza rústica, simplória, sem malandragens”. Carmem explica que para conhecer o Nordeste há dois caminhos: Resorts e Hotéis, com seus pontos turísticos prédeterminados pelas agências de turismo ou sem destino pela estrada. Segundo ela, ao percorrer Maceió até Natal, pela BR-101, percebe-se uma via toda duplicada, sem buracos e sem nenhum pedágio.

O

médico Celso da Silva Mello e a esposa Sirlei de Mello viajaram para os Estados Unidos. Eles saíram de Ijuí no dia 21 de dezembro e retornaram no dia 4 de janeiro. Conheceram, pela primeira vez, duas grandes e belas cidades: Boston e Nova Iorque. Em Boston, o objetivo maior era visitar a filha Paola de Andrade Mello, que está morando lá e fazendo seu doutorado no Beth Israel Deacones Medical Center, hospital afilhado da Universidade de Havard. “Conhecer e passear no campus da Universidade de Harvard e da Massachusetts Institute of Technology, o MIT, duas das maiores e mais conceituadas universidades do mundo, é contagiante”. Depois, ficaram três dias em Nova Iorque, numa viagem opcional, tranquila e interessante, de trem por quatro horas. “Conhecer Nova Iorque é uma experiência marcante. Uma caminhada pela 5ª Avenida é inevitável, seguindo até a Times Square de Manhattan, iluminada 24 horas, com telas animadas, outdoors imensos e marquises de teatro, que é considerada o coração da cidade, com muitos turistas de todos os lugares do mundo”, diz Sirlei. O casal passeou pelo Central Park, visitou o Empire State Building, andou de barco para conhecer a Estátua da Liberdade. Também fizeram uma visita ao National September 11 Memorial & Museum, onde ficavam as torres gêmeas do World Trade Center, destruídas nos ataques de 11 de setembro de 2001. “Esta visita nos despertou uma sensação estranha de desconforto, curiosidade e inconformidade”, comentou o médico Celso.

Central Park

Public Garden, Boston

STAMPA | 43


Que fantasia você gostaria de usar?

“Usaria fantasia do personagem Tio Sam, porque eu gosto das cores que compõem a fantasia, por serem as mesmas da bandeira dos EUA, e também porque é diferente.” Deivd da Silva Oliveira, 18 anos estudante

“Adoro Carnaval e adoro ousar, então eu vestiria uma fantasia de funkeira, ou de médica, pois chama bastante atenção.” Dienifer Taís Kommers, 19 anos, estudante

“Usaria uma fantasia de Batman, porque eu gosto, já usei e acho que chama bastante a atenção das pessoas.” Ricardo Augusto, 17 anos, estudante

“Eu não gosto muito de carnaval, mas sempre animo festas e uso a fantasia de pirata, então se eu fosse no carnaval seria essa que iria usar.” Eduardo Bandeira, 20 anos, animador de festas 44 | STAMPA

“Acho que usaria a fantasia da pocahontas, porque adoro princesas, mas como sou morena combinaria mais comigo.” Franciele de Oliveira, 16 anos, estudante

“Eu usaria um short customizado, pulseiras e colares bem coloridos, porque adoro cores e o Carnaval pede muitas cores.” Joice Oliveira da Rocha, 19 anos, auxiliar de escritório

“Usaria uma fantasia de alemão, pois acho muito legal o traje da etnia, e também porque sou de origem alemã.” Nicolas Samrsla, 20 anos, estudante

“Eu já comprei a minha fantasia e é de joaninha. Decidi por essa fantasia porque é bem fofa e também feminina.” Ana Caroline Arnt, 17 anos, operadora de caixa


viDA NATuRAL energy Power - 4 cápsulas - R$ 65,00 BOuTique NiNAR Carrinho urban Chicco - R$ 2.615,45 GeMA iNfANTiL Tiara Roana - R$ 29,00; conjunto Anime - R$ 149,75

BOuTique NiNAR Carrinho uran Chicco - R$ 2.615,45

NADiNe DuBAL Sandália Carmim 4X R$ 94,50; bolsa Carmim 4X R$ 168,90

O BOTiCÁRiO Malbec Absoluto - de R$ 104,00 por R$ 88,40 (até 22 de fevereiro)

BeBiDAS 24 HORAS Cesta de café da manhã - R$ 148,90

MAB Sapatênis M. Officer - R$ 139,90

HiDROLuX Cuba madeira Lyptus vermelha - R$ 490,00 DeCORPORe Blusa rosa R$ 88,40; leg R$ 86,00

RADiOLAR Tela Cidade, com moldura preta e vidro 1,67m x 0,65m - R$ 1.420,00 DOCe LAR edredom Hedrons Plush Crocco casal R$ 258,00, em até 3x ou R$ 225,00 à vista ÓTiCA fOCAL Óculos de sol com 25% de desconto à vista ou 1+3x Ray Ban R$ 487,00, à vista; Mormai - R$ 165,00 à vista

fOR MeN Terno Raffer Cool - R$ 369,00

POCHMANN Relógio Technos troca pulseira masculino - 10x de R$ 134,40

Le MOND Biquini Lança Perfume - R$ fOR MeN 161,00, ou -em R$ 80,50 for Men - Camisa de algodão R$2x 86,00 STAMPA | 45


Humor & Cia

O sujeito vai para Israel visitar a familia e aproveita para visitar alguns lugares históricos: Jerusalém, Belém, o Rio Jordão... Quando chega no Mar da Galileia, ele resolve fazer um passeio de barco e pergunta o preço ao sujeito que alugava barcos: - Oitenta dólares a hora. - Oitenta dólares? O senhor está maluco? É muito caro! - Mas foi aqui que Jesus andou sobre as águas! - Também pudera! Com o barco por esse preço!!

Colabore com este espaço. Mande temas divertidos para: stampa@jornaldamanhaijui.com

Amigas no céu Duas amigas encontram-se no céu e uma pergunta para a outra: - Como você morreu? - Congelada. - Ai que horror!!! Deve ter sido horrível! Como é morrer congelada? - No começo é muito ruim: primeiro são os arrepios, depois as dores nos dedos das mãos e dos pés, tudo congelando... Mas, depois veio um sono muito forte e depois perdi a consciência. E você, como morreu? - Eu? De ataque cardíaco. Eu estava desconfiada que meu marido me traía. Um dia cheguei em casa mais cedo. Corri até ao quarto e ele estava na cama, calmamente assistindo televisão. Desconfiada, corro até o porão, para ver se encontrava alguma mulher escondida, mas não encontrei ninguém. Corri até o segundo andar, mas também não vi ninguém. Subi até o sótão e, ao subir as escadas, esbaforida, tive um ataque cardíaco e caí morta. - Oh, que pena... Se você tivesse procurado no freezer, nós duas estaríamos vivas...

Explicação Nasceu uma criança branca numa aldeia da áfrica. O chefe ficou uma fera e mandou chamar o missionário que era o único homem branco por ali: - Meu filho, pra tudo nesse mundo tem explicação... E o chefe: - Acho bom o senhor explicar mesmo, porque o chefe estar muito puto. E o missionário começou em sentido alegórico: - O chefe está vendo aquele rebanho de ovelhas ali? - Estou, e daí? - Me diga chefe, todas são brancas menos uma. Como o senhor explica isso? O chefe levou um susto, olhou prum lado, pro outro, e falou baixinho pro missionário: - Entendi. Chefe livra cara de missionário, missionário livra cara de chefe. Chega um freguês a alfaiataria do Moreira e pergunta quanto custa para fazer um terno. - Quinhentos Reais! - responde o alfaiate. - Isso é um roubo! - reclama o freguês. E o alfaiate procura justificar: - São sete dias de trabalho! - Oras, em sete dias, Deus fez o mundo! - Sim... mas não foi sob medida!

‘‘

ENTRE ASPAS

Loiras Como você afoga uma loira? - Coloca um espelho no fundo da piscina. A loira passou na padaria e perguntou: Tem pão? E o padeiro respondeu: - Sim! Acabou de sair! E ela disse: - Ahh... que pena!!

Fidel vai a um centro espírita e, na sessão, consegue conversar com a mãe e morta. Fidel pergunta-lhe: - Mãe, no próximo ano eu ainda vou estar no poder? - Sim, filho - responde a mãe. E Fidel continua a perguntar: - E o povo vai estar comigo? - Não, querido filho. Vai estar comigo..

O visitante vai passando pelo corredor do hospital, quando vê o amigo saindo disparado, cheio de tubos, da sala de cirurgia. - Onde é que você vai, rapaz? - Tá louco, cara. Eu vou é cair fora! - Mas qual é, rapaz! Uma simples operação de apendicite. Você tira isso de letra. - Era o que a enfermeira estava dizendo lá dentro: uma operaçãozinha de nada, rapaz! Você tira isso de letra! Vai fundo, cara!. - Então, por que você está fugindo? - Porque ela estava dizendo isso para o médico que ia me operar!

O garçom fala com o freguês: - O prato da casa hoje é língua ao molho madeira. - Não, língua não! Tenho nojo de qualquer coisa que sai da boca de um animal. E o garçom cínico: - Então que tal uma omelete?

Último pedido Dois homens condenados à cadeira elétrica no mesmo dia foram levados à sala de execução. O padre lhes deu a extrema unção, o carcereiro fez o discurso formal e uma prece final foi rezada pelos presentes. O carrasco, voltando-se para o primeiro homem, perguntou: - Você tem um último pedido? - Sim, eu tenho. Como eu adoro pagode, gostaria de ouvir SPC, Belo, é o Tchan e Molejo pela última vez! - Concedido - disse o carrasco, que virou-se para o segundo condenado: - E quanto a você, qual é o seu último pedido? - Por favor, posso morrer primeiro?

“Os verdadeiros analfabetos são os que aprenderam a ler e não lêem.” Mario Quintana (1906-1994), poeta gaúcho

46 | STAMPA


2Âş

PrĂŞmio STAMPA

Reserve a data: 13 Junho 2015 Garanta seu lugar no palco e na plateia. Fale com a Stampa: 3331-0300


Stampa fevereiro  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you