Page 1

PUB

Preço 0,80 € (IVA inc.)

Morada Estrada do Baçairo, 856 2440-234 GOLPILHEIRA

Caixa da Batalha

Tel. 965 022 333 910 280 820 Correio electrónico geral@jornaldagolpilheira.pt

O Banco da (nossa) terra.

Sítios na internet jgolpilheira.blogspot.pt facebook.com/jgolpilheira twitter.com/jgolpilheira

CA Seguros | CA Consult | CA Gest

www.jornaldagolpilheira.pt

Director: Luís Miguel Ferraz | Mensal | Ano XVII | Edição 188 | Fevereiro de 2013

R. Inf. D. Fernando, 2 • 2440-901 BATALHA Tel. 244 769 270 • Fax 244 769 279

P. 6 | Desfile cancelado

Chuva estragou Carnaval da Batalha P. 7 | IMI pode baixar para avaliados entre 2004 e 2011

Câmara da Batalha aconselha munícipes a pedirem reavaliação dos imóveis P. 8 | Promoção turística

Museu da Batalha “guiou” os guias

P. 9 | Ano de comemorações

Rosas do Lena assinala meio século

P. 3 a 5 | Teologia. História. Práticas.

Quaresma

que tempo é este? E o sentido da Cruz... aos quadradinhos.

P. 13 | Desporto

Mensagem de D. António Marto para a Quaresma de 2013

Reavivar o dom da fé e crescer na caridade

DR

PJ

• Futsal feminino do CRG na final da Taça • BTT nacional em maratona na Batalha

PUB

PetroFM

--------------------Das 07h30 às 22h00 ---------------------

nto Desco itro! Combustíveis l / --------------------4 ceenmttodsotsívoesis Lubrificantes u --------------------comb Produtos Auto ---------------------Gás (BP/REPSOL/GALP) --------------------Lavagem/Aspiração ---------------------e RAÇÕES Rua Forno da Telha, 1385 • Quinta do Retiro • Barreira • 2410-251 LEIRIA para animais Tlf. 244834445 • Tlm. 919701359 • Fax 244892250 • petro.fm@hotmail.com

Precisa de ajuda a preencher o IRS ou outra documentação? No dia 4 de Março vai ter na GOLPILHEIRA a solução!

Vejana P.20


2

Jornal da Golpilheira

. abertura .

Fevereiro de 2013

.editorial.

Nem só de pão...

Estamos mergulhados em preocupações, stress, problemas, dívidas, crises. Aos poucos, sobra em nós pouco tempo e menos disposição para algo mais do que a tentativa desesperada de sair desse buraco vicioso. Com demasiada frequência vemos, ouvimos e lemos as histórias dos que nele sucumbem. Depressões, desesperos, suicídios que levam a reboque assassínios de entes queridos, são o infeliz reflexo de quem não encontra portas de saída, ou, pelo menos, janelas para desabafar. É, por isso, cada vez mais importante parar, respirar fundo, olhar dentro de cada um a riqueza maior que vai além dos problemas e das dificuldades. Somos mais do que gente com fome e sem trabalho. Somos mais do que corpo dorido. Somos espírito que sonha, relação que se oferece, amor que brotou de outro amor e que no amor se realiza em plenitude. Ao propor Quaresma, é isso que a Igreja propõe. Ver dentro de nós. Ver além de nós. Ver acima de nós. Para quem acredita, ver um Deus que ama sem restrições e pede, apenas, amor. Para quem não acredita, o mesmo pedido de amor, puro e simples. Foi isso que quisemos destacar nesta edição. Porque nem só de pão vivemos e nunca são demais as oportunidades para podermos alimentar o espírito. Para que a próxima Páscoa seja, mesmo, uma ressurreição. divulgação

DR

Luís Miguel Ferraz Director

Recordar é viver …

Jogo “Casados / Solteiros” no Campo das Barrocas Estávamos nos meados dos anos 70, logo após a construção deste recinto desportivo. Era um jogo em que a amizade, boa disposição e alegria eram o mote de todos os intervenientes. No entanto, ninguém gostava de perder. Normalmente, eram os solteiros, desculpando-se estes com a equipa de arbitragem, que era quase sempre composta por casados. É de realçar que naquela altura já existiam duas bolas. Um luxo para a época. O massagista, com o garrafão, tinha um papel preponderante, pois o líquido que ele continha curava todas as lesões… e muitos eram os lesionados. No final, independentemente do resultado, não faltavam os tradicionais comes e bebes. Como já passaram muitos anos, é natural que ao passarmos pelos presentes nesta fotografia vejamos alguns que já não pertencem ao mundo dos vivos. Para eles, a nossa homenagem, que até pode acontecer num convívio a curto espaço de tempo. Manuel Carreira Rito

Carta ao director

Os TPC dos nossos filhos

Devemos preocupar-nos com a boa alimentação dos nossos filhos, mas também com o excesso de trabalhos de casa que eles trazem da escola. Dizemos que as crianças e jovens devem brincar e fazer desporto, ou até ler um bom livro, mas quem é que tem vontade de fazer isso, depois de muitos dias com SEIS horas de aulas e com trabalhos de casa em muitos dias a TRÊS ou QUATRO disciplinas, com trabalhos de grupo e a terem que estudar para os testes? Os miúdos, muitas vezes, não têm tempo para mais nada. Penso que qualquer pai que está atento e que acompanha os filhos percebe que, na escola, os TPC são um exagero e muitas vezes inúteis, tal e qual como alguns trabalhos de grupo que não servem para nada. Espero que este comentário seja visto como um contributo para melhorar esta situação e não como uma crítica a quem quer que seja. Carlos José Santos (enviado por email)


Jornal da Golpilheira

. destaque .

Fevereiro de 2013

3

Mensagem para a Quaresma de 2013

A Quaresma é uma data anual muito importante e significativa para os cristãos. É o tempo que mais nos interpela na vertente das opções relativas à renovação da nossa vida espiritual. No contexto do Ano da Fé, não podemos deixar de pôr em relevo este tempo propício e precioso para reavivar a nossa fé em Jesus Cristo e para fazer uma revisão sobre a vivência da fé no nosso quotidiano. O caminho da fé é um caminho de conversão A Quarta-Feira de Cinzas é o pórtico de entrada na Quaresma, a lembrar-nos, com o seu rito próprio, que não existe fé sem conversão. De facto, a imposição das cinzas é acompanhada pela primeira palavra de Jesus no início do seu ministério: “Convertei-vos e acreditai no Evangelho” (Mc 1, 14-15). O caminho da fé é, ao mesmo tempo, um caminho de conversão, isto é, de orientação da vida que leva a Deus, ao reconhecimento do seu primado, à sua escuta, ao seu acolhimento, para fazer face à tentação do esquecimento de Deus.

Isto supõe, por sua vez, uma profunda purificação de nós mesmos, uma cura interior, uma renovação da mente e do coração, do pensamento e dos sentimentos. Perceber, com sincera humildade, a necessidade que temos, pessoal e comunitariamente, de converternos é o primeiro passo a darmos, como discípulos e como Igreja de Cristo, para revitalizar a fé pessoal e das nossas comunidades e para reavivar o entusiasmo do testemunho. O verdadeiro défice da Igreja não é tanto de organização, mas sobretudo de fé e de espiritualidade. Fé e Caridade de mãos dadas O Santo Padre Bento XVI escreveu uma bela mensagem para a Quaresma, intitulada “Crer na caridade suscita caridade”. Retomando um símbolo antigo, mas sempre actual, típico da espiritualidade bíblica, indica o percurso cristão da Quaresma do seguinte modo: “A existência cristã consiste num contínuo subir ao monte do encontro com Deus e depois voltar a descê-lo, trazendo o amor e a força que daí derivam, para servir os nossos irmãos e irmãs com o próprio amor de Deus”. De seguida, o Papa aponta dois grandes objectivos concretos: “A Quaresma, com as indicações que tradicionalmente dá para a vida cristã, convida-nos a alimentar a fé com uma escuta mais atenta e prolongada da Palavra de Deus e

a participação nos sacramentos, e ao mesmo tempo a crescer na caridade, no amor a Deus e ao próximo”. A fé e a caridade são duas faces da mesma medalha, da nossa pertença a Cristo. Quem crê, aprende a dar-se ao outro; e a caridade suscita a fé e dá testemunho dela. “Só nos tornamos cristãos, se a fé se transforma em caridade, se é caridade” (Bento XVI). Reavivar o dom da Fé Assim, somos chamados a aproveitar este tempo da Quaresma de modo especial, para redescobrirmos a beleza e o encanto da fé, para renovarmos o nosso caminho de fé pessoal e comunitário, através dos exercícios espirituais de mais intensa escuta da Palavra, de mais fervorosa oração e de mais frequente participação na Eucaristia e no sacramento da Reconciliação. Como nos anos anteriores, incentivamos os fiéis a fazerem o “Retiro espiritual do Povo de Deus” na forma de leitura orante da Palavra de Deus, com o título “Partilhar o tesouro da fé”. Além disso, também está disponível uma catequese mistagógica sobre “O Credo dos Apóstolos: a beleza da profissão de fé cristã”, que eu próprio elaborei e que pode ser usada em várias ocasiões e de vários modos. Convido, ainda, a todos a porem no seu programa da Quares-

DR

PJ

Reavivar o dom da fé e crescer na caridade

ma a participação na peregrinação diocesana a Fátima, no dia 17 de Março, sob o lema “Com Maria, caminhamos pela fé”. Crescer na Caridade: a renúncia quaresmal e a partilha A conversão quaresmal propõe-nos gestos concretos de renúncia, tais como o jejum e a abstinência, que não se limitam apenas ao âmbito da alimentação e da bebida. A renúncia está em função da partilha. É bom recordar sempre a regra de ouro de toda a prática penitencial: nós renunciamos a algo, para dar espaço à Graça de Deus em nós e ao amor aos irmãos. Neste momento de dificuldade económica, torna-se ainda mais

evidente que é necessário partilhar. Compreende-o bem quem tem um coração bom e generoso: mesmo se não se tem muito, pode-se continuar a ajudar quem tem ainda menos. Nesta linha, a colecta da renúncia quaresmal na nossa diocese será destinada, em partes iguais, para a Cáritas Diocesana e para o Fundo Social Solidário instituído pela Conferência Episcopal Portuguesa. A todos os diocesanos desejo um caminho luminoso em direcção à Páscoa do “Ano da Fé”, acompanhados pela luz sempre presente da fé e da caridade de Maria, Mãe de Jesus e Mãe da Igreja. Leiria, 11 de Fevereiro de 2013 † António Marto, Bispo de Leiria-Fátima pub

R. Outeirinho, 20 • GOLPILHEIRA jcferraz.seguros@gmail.com Tel. 244 767 863 Tlm. 914 961 543

Opção

to n e m a pag al! mens

R. Leiria, 73 - Cividade 2440-231 GOLPILHEIRA Tel/Fax 244767839 Tlm. 919640326 reciklena@iol.pt

Joaquim Vieira Reciclagem e comercialização de consumíveis informáticos

Profissionais de Caixilharia

Rua do Depósito de Água Tojeira • 2460-619 ALJUBARROTA

Tel. 262 596 896 geral@caixifer.com www.caixifer.com


4

Jornal da Golpilheira

. destaque .

Fevereiro de 2013

Quaresma A Quaresma é o tempo litúrgico de conversão, que a Igreja marca para nos preparar para a grande festa da Páscoa. É tempo para nos arrependermos dos nossos pecados e de mudarmos algo de nós para sermos melhores e podermos viver mais próximos de Cristo. A Quaresma dura 40 dias; começa na Quartafeira de Cinzas e termina no Domingo de Ramos. Ao longo deste tempo, sobretudo na liturgia do domingo, fazemos um esforço para recuperar o ritmo e estilo de verdadeiros fiéis que devemos viver como filhos de Deus. A cor litúrgica deste tempo é o roxo, que significa luto e penitência. É um tempo de reflexão, de penitência, de conversão espiritual; tempo de preparação para o mistério pascal. Na Quaresma, Cristo

convida-nos a mudar de vida. A Igreja convida-nos a viver a Quaresma como um caminho para Jesus Cristo, escutando a Palavra de Deus, orando, compartilhando com o próximo e praticando boas obras. Convida-nos a vivermos uma série de atitudes cristãs que nos ajudam a parecer mais com Jesus Cristo, já que, por acção do pecado, nos afastamos mais de Deus. Por isso, a Quaresma é o tempo do perdão e da reconciliação fraterna. Cada dia, durante a vida, devemos retirar dos nossos corações o ódio, o rancor, a inveja, os zelos que se opõem ao nosso amor a Deus e aos irmãos. Na Quaresma, aprendemos a conhecer e apreciar a Cruz de Jesus. Com isto aprendemos também a tomar a nossa cruz com alegria, para alcançarmos a glória da ressurreição.

História da Quaresma A celebração da Páscoa, nos três primeiros séculos da Igreja, não tinha um período de preparação, limitandose a um jejum realizado nos dois dias anteriores. A Quaresma (Quadragesima em latim, Tessarakoste em grego) é mencionada pela primeira vez no cânone 5 do Concílio Ecuménico de Nicéia (ano 325). Parece ter sido a combinação de dois elementos, o longo jejum anterior à Páscoa e o período de preparação para o Baptismo, períodos que tinham uma duração diferente. Os primeiros sinais de um período de preparação espiritual para a celebração da Páscoa surgem, de facto, no início do século IV. No Oriente, Santo Atanásio, nas “cartas pascais”( entre os anos 330 e 347), e São Cirilo de Jerusalém, nas Proto-

Duração da Quaresma Na determinação da duração de quarenta dias, é mais do que certo que teve grande peso a tipologia bíblica dos quarenta dias, isto é: - Os quarenta dias de jejum de Jesus no deserto (Lc 4, 2) - Os quarenta anos transcorridos pelo povo de Deus no deserto (Ex 16, 35); - Os quarenta dias em que Moisés esteve no Monte Sinai (Ex 24, 12-18; Dt 9, 9); - Os quarenta dias em que Golias, o gigante filisteu, desafiou Israel, até que David avançou contra ele, o abateu e matou (1 Sm 17, 16ss); - Os quarenta dias durante os quais Elias, fortificado pelo pão cozido sob as cinzas e pela água, chegou ao monte de Deus, o Horeb (1 Rs 19, 3-8); - Os quarenta dias em que Jonas pregou a penitência em Nínive (Jn 3, 4). Com o Deuteronómio, surge uma interpretação dos quarenta dias como dias da prova a que Deus submete o povo (Dt 2, 7; 8, 2-4). São os dias de prova visando o crescimento na fé, conforme o salmo 94. Para o livro dos Actos dos Apóstolos, o número 40 é simbólico. Assim se vê a vida de Moisés dividida em três períodos de quarenta anos (Act 7, 23.30); os quarenta anos do reinado de Saul (Act 13, 21); os quarenta dias da ascensão (Act 1, 39). A narração dos quarenta dias de Moisés sem comer nem beber no Sinai, para receber a lei (Ex 24, 12-18.34), e os quarenta dias de Elias (1 Rs 19, 3-8), mais a narração dos dias de Jesus no deserto (Lc 4, 2), são as narrações de base para desvendar o sentido bíblico dos quarenta dias. Os quarenta dias bíblicos são, de modo especial, dias da graça ou das maravilhas que Deus opera em prol de seu povo (Ex 14, 31 e o cap. 15; Am 2, 10; Esd 9, 21; Jt 5, 15) No tempo dos Padres da Igreja, os quarenta dias da Quaresma eram contados do primeiro Domingo da Quaresma até a Quinta-feira “na Ceia do Senhor”, como se lê num sermão de São Leão Magno. O Missal romano conserva até agora a lembrança e o uso deste modo de contar os dias da Quaresma. Em 1962, o papa João XXIII definiu o término da Quaresma com a Hora Noa (15 horas) da Quinta-feira Santa, oração que se recita na Liturgia das Horas. Contudo, o costume de iniciar o jejum quaresmal na Quarta-Feira que antecede o primeiro domingo de Quaresma é muito antigo (séculos VI-VII) e o rito da imposição das cinzas, estabelecido nesse dia, até fez com que a Quarta-feira de Cinzas, na prática comum dos fiéis, se difundisse mais do que outros dias solenes.

DR

Que tempo é este?

catequeses e nas Catequeses Mistagógicas (347), falam desse período como coisa conhecida. No Ocidente, temos testemunhos directos somente no fim do século IV, como Etéria (385), Santo Agostinho para a África e Santo Ambrósio (396) para Milão. Não se sabe com certeza onde, por meio de quem e como surgiu a Quaresma, sobretudo em Roma. Apenas sabemos que ela se foi formando progressivamente e que tem uma pré-história, ligada a uma praxe penitencial preparatória para a Páscoa, que começou a afirmar-se desde a 1.ª metade do século II. O costume de inscrever os pecadores na penitência pública quarenta dias antes da Páscoa determinou a formação de uma “quadra-

gesima” (quaresma), que caía no VI domingo antes da Páscoa. Como não se celebrava rito penitencial em dia de domingo, fixou-se este acto para a quarta-feira anterior. Todas as quartasfeiras, de facto, eram dias de jejum. Assim nasceu a Quarta-Feira de Cinzas. Assim, para o desenvolvimento da Quaresma, contribuiu, antes de mais, a prática do jejum, como preparação para a Páscoa; depois, a disciplina penitencial e as exigências sempre mais crescentes do catecumenato para a preparação imediata para o Baptismo, celebrado na noite de Páscoa. A Quaresma renovada No dia 1 de Janeiro de 1970, começaram a vigorar as normas universais do ano litúrgico e do calendário ge-

ral romano, aprovados pelo moto-próprio Mysterii paschalis, de 14 de Fevereiro de 1969. O número 27 expressa-o assim: “O tempo da Quaresma ordena-se à preparação da celebração da Páscoa; a liturgia quaresmal prepara para a celebração do mistério pascal tanto os catecúmenos, fazendo-os passar pelos diversos graus da iniciação cristã, como os fiéis, que recordam o próprio Baptismo e fazem penitência”. O Concílio Vaticano II não cita a palavra “jejum” durante a Quaresma (SC 109-110). Na constituição apostólica Poenitemini (de 17 de Fevereiro de 1966) só se usa a palavra para a QuartaFeira de Cinzas. Fontes: www.acidigital.com; www.catholicum.wikia.com.

Práticas de vida cristã que acompanham a Quaresma O jejum

A palavra pode parecer em desuso, mas é de grande actualidade. Entre os valores da prática do jejum, está o domínio de si mesmo e o exercício da liberdade. Não se reduz à mera privação de alimentos, mas tem um sentido mais amplo, que é o de contenção interior das comodidades da vida. Deve expressar a íntima relação entre o sinal externo penitencial e a conversão interior. É para se criar uma total disponibilidade interior para o Deus vivo, que não nos pede coisas, mas a oferta das nossas pessoas em Cristo.

A oração

A Quaresma é tempo de uma mais assídua e intensa oração, entendida em sua autenticidade evangélica mais profunda, isto é, a participação na oração de Cristo. Pela oração mais intensa, voltamos nosso coração para Deus, pedindo o perdão e a correcção das nossas faltas e agradecendo a acção de sua misericórdia. A oração neste tempo, feita também em comunidade, significa que a Igreja é essencialmente comunidade orante e, por isso mesmo, penitente.

A esmola

A Quaresma é tempo de um mais forte empenho de caridade para com os irmãos. A esmola significa o exercício da caridade fraterna e deve ser capaz de assumir as formas de solidariedade que venham ao encontro das carências do próximo. Não há verdadeira conversão a Deus sem conversão ao amor fraterno (1 Jo 4, 20-21).


Jornal da Golpilheira

. entrevista destaque .

Fevereiro de 2013

Para reflectir na Quaresma...

O sentido

1

2

4

5

daCRUZ ...numa história aos quadradinhos

Retirado da internet, de autoria desconhecida

3 Senhor, é muito pesada! Deixa-me cortá-la um pouco...

6

7

9

10

Senhor, deixa-me cortar um pouco mais... Assim, levá-la-ei muito melhor!

8

11 E agora?!

Muito obrigado, Senhor!

12

13

14

Bolas... isto é muito curto. Não vou conseguir atravessar...!

5


6

Jornal da Golpilheira

. sociedade .

Fevereiro de 2013

Corso da Batalha foi cancelado

DR

Chuva estragou Carnaval

Conferência foi em Janeiro, na Grécia

Batalha presente no projecto EFFMIS

O Município da Batalha esteve representado na conferência final de encerramento do projecto EFFMIS – iniciativa suportada pelo programa comunitário INTERREG IVC, que decorreu de 16 a 18 de Janeiro, na cidade grega de Tessalónica. O EFFMIS - Projecto Europeu de Monitorização dos Incêndios Florestais usando Sistemas de Informação, decorreu de 1 de Novembro 2010 a 30 de Outubro de 2012 e foi criado com o objectivo de “estimular a troca de boas práticas entre diversas regiões europeias e desenvolver planos de acção regionais capazes de potenciar e tirar proveito dos diversos sistemas de informação para proteger os recursos naturais contra os incêndios florestais”. Na reunião de conclusão do projecto, que juntou municípios e universidades de Espanha, Grécia, Macedónia, Itália, Eslovénia, Reino Unido, Bulgária, Polónia, Lituânia e Portugal, procedeu-se à assinatura dos diversos planos de acção, tendo-se, em complemento, efectuado a análise global e a avaliação dos diversos projectos encetados ao abrigo deste programa. Segundo nota enviada pela autarquia batalhense, “as conclusões do grupo de trabalho apontam para que a utilização das novas tecnologias, em áreas tão distintas como a correcta utilização dos sistemas de informação geográfica, a simulação de propagação de incêndios através de uma aplicação alimentada com a informação da Carta de Ocupação do Solo e da Cartografia de Fogo de Copas, entre outras ferramentas, em muito contribuem para a defesa da floresta”. O Município salienta ainda que pretende “implementar algumas das boas práticas já adoptadas por espanhóis e gregos e que permitem elaborar cenários de propagação, bem como definir a marcação de intervenções estratégicas no território, como sejam a construção de estradas e a limpeza de faixas de gestão de combustíveis”.

Tal como aconteceu em diversos outros “carnavais” programados por todo o País, o corso que anualmente se realiza na Batalha foi travado, este ano, pela tarde chuvosa do domingo 10 de Fevereiro. As escolas e associações do concelho viram, assim, goradas as suas expectativas de proporcionar animação e divertimento aos vários milhares de foliões que anual-

mente visitam a vila heróica por esta ocasião. Inicialmente, ponderouse o adiamento para a terçafeira, mas para a maioria dos batalhenses esse seria um normal dia de trabalho. Agendou-se o corso para o domingo seguinte, mas as previsões meteorológicas foram avisando que o cenário chuvoso iria repetir-se. Além disso, segundo nota da autarquia, este será já

um domingo de Quaresma, já não muito propício a este tipo de divertimentos para a maioria da população, de tradição católica. Portanto, o Carnaval ficou-se por alguns bailes que, ainda assim, se realizaram em diversas colectividades pela região. Quanto ao trabalho e aos custos efectuados pelos vários grupos que se prepararam para participar, a

autarquia assumiu já o pagamento dos prémios de participação normalmente atribuídos e, além disso, irá reunir entretanto com as colectividades para analisar em conjunto alguma solução adicional. Quem sabe se não teremos um Carnaval lá mais para perto do Verão…

Ainda a propósito do temporal de Janeiro…

António Lucas acusa falta de investimento na rede eléctrica Tal como referimos na última edição, a violenta tempestade que se abateu em todo o território continental no dia 19 de Janeiro, com especial incidência no distrito de Leiria, traduziuse, devido à força do vento, na queda de milhares de árvores e de outras infraestruturas, nomeadamente, da rede eléctrica. Também o concelho da Batalha foi muito afectado pela intempérie, especialmente na freguesia de São Mamede, onde foi necessário intervir numa extensão com reposições significativas, quer de apoios, quer ao nível da própria linha. Segundo nota da autarquia, a interrupção do fornecimento de electricidade causou, sobretudo na semana seguinte ao aconteci-

mento, “enormes repercussões financeiras e logísticas, traduzindo-se em óbvios e complexos transtornos para as empresas e para as famílias”. A mesma nota adiantava que “depois de vários dias de trabalho árduo e contínuo, com o envolvimento de diversas equipas, o concelho da Batalha tinha o fornecimento de electricidade a habitações e a empresas completamente reposto no dia 25 de Janeiro”. Para António Lucas, presidente da Câmara Municipal da Batalha, “foi possível proceder à totalidade da regularização do fornecimento de electricidade no Concelho, devido ao esforço e ao empenho das diversas equipas mobilizadas para o local, sempre acompanhadas por pessoal da Câmara

da Batalha que, trabalhando sob condições atmosférica adversas, de dia e de noite, conseguiram resolver, a quase totalidade das situações problemáticas”. Ainda assim, pudemos constatar que houve locais onde a iluminação pública só foi reposta já a meados de Fevereiro, como aconteceu em algumas zonas de Bico Sacho e de Casal de Mil Homens. No entender de António Lucas, este episódio meteorológico extremo “vem demonstrar cabalmente a falta de investimento que se verifica na manutenção das redes eléctricas existentes no país”. O autarca defende ainda a “urgência imperativa em rever a legislação no que concerne à salvaguarda de perímetros de segurança,

especialmente em zonas florestais, capazes de atenuar, em larga medida, o que sucedeu com este fenómeno natural” e afirma que “mais uma vez se comprova que há muito que fazer em Portugal, em matéria de prevenção de catástrofes naturais”. Dada a gravidade e a extensão dos prejuízos verificados, alguns deles ainda em fase de levantamento, António Lucas manifestou na ocasião a sua “solidariedade” para com os munícipes da Batalha afectados de forma directa ou indirecta pela tempestade, bem como para “os autarcas dos concelhos vizinhos que têm estado no terreno e tentando com esforço atenuar as dificuldades que famílias e empresas vêm sentindo”.

pub

Filipa Silva

de Franclim Sousa

Solicitadora

Telf./Fax. 244 765 466 | Telm. 910 865 979 E-mail: 4830@solicitador.net Estrada de Fátima, n.º 16 - B, R/C Esq., 2440-100 Batalha (Junto à escola de condução Espírito Santo e Reis, Lda)

Aberto das 9h00 às 13h00 e das 15h00 às 19h30 Telefone 244 768 256 | Telemóvel 917 861 577

Gostas de cantar?

CONSTRUÇÕES

Sabes tocar um instrumento? Queres usar esses dons para louvar deus?

Junta-te a nós, no grupo coral da comunidade da Golpilheira! Telefona para o 965 022 333 / 910 280 820 ou manda um email para LMFerraz@iol.pt


Jornal da Golpilheira

. sociedade . economia .

Fevereiro de 2013

7

IMI pode baixar para edifícios avaliados entre 2004 e 2011

Como é do conhecimento público, o processo referente à avaliação geral do património encontra-se na fase final. Nesse contexto, o Município da Batalha tem insistido na informação aos munícipes proprietários de imóveis cujas avaliações ocorreram entre 2004 e 2011 de que “é possível obter a existência de uma correcção do Valor Patrimonial Tributário (VPT) dos prédios, o que resultará numa descida do valor do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI)”. Para o efeito, os interessados deverão efectuar

o pedido de reavaliação dos prédios através do portal das Finanças, ou pela apresentação de um novo Modelo 1 no serviço local de Finanças. Segundo nota do Município, “esta possibilidade acontece devido ao facto do valor médio da construção (VC) ter vindo a descer desde 2004, sendo nessa data de 615 euros e, actualmente, de 603 euros”. Por outro lado, refere a mesma informação, “o coeficiente de vetustez (CV), que classifica a idade dos prédios, vai reduzindo à medida que os prédios vão ficando com mais idade, possibilitando, desta forma, a descida do

respectivo valor”. Somadas estas duas condições, será provável, em muitos casos, uma descida do imposto. É de louvar esta iniciativa da Câmara Municipal, em defesa da justiça tributária e da poupança dos cidadãos, quando sabemos que a descida do IMI significará, à partida, uma quebra de receita para o próprio Município. A esse propósito, o presidente da autarquia, António Lucas, sublinha que “é importante maximizar a receita, mas com total legitimidade e transparência”. O que não se percebe

– ou talvez se perceba bem demais – é a razão pela qual os serviços tributários não procedem a uma actualização automática daqueles valores de referência, já que o VC é definido pelas próprias Finanças e que para o cálculo do CV basta adicionar anualmente mais um ano em cada prédio. António Lucas é um dos defensores dessa actualização automática e já fez saber que enviou ao ministro das Finanças um comunicado a solicitar essa aplicação, “facilitando, assim, a vida aos cidadãos e, não menos importante, reduzindo a burocracia”.

LMFerraz

>> Foto-reportagem em www.jgolpilheira.blogspot.pt

Comerciantes da Batalha organizaram

Feira de stocks somou mais um sucesso Como anunciámos na última edição, um grupo de cerca de três dezenas de comerciantes da Batalha organizaram, nos passados dias 1 a 3 de Fevereiro, uma feira de stocks de Inverno, com o principal objectivo de dinamizar o comércio local e conseguir um incremento de vendas em final de Estação. Assim, contando com o apoio do Município, voltaram a confessar, no final da iniciativa, a sua satisfação com o resultado obtido. “Para além de podermos es-

gotar alguns stocks acumulados, registámos uma maior movimentação de pessoas na vila neste fim-de-semana, pelo que todos ficámos a ganhar”, afirmaram vários comerciantes que ouvimos no local. Também alguns clientes com quem conversámos salientaram a importância da iniciativa, pelos benefícios que traz aos consumidores, de poderem adquirir os produtos a preços mais acessíveis, nalguns casos, com descontos na ordem

dos 70%. Foi também reconhecimento geral, de vendedores e clientes, que estas iniciativas passam uma imagem muito positiva do comércio tradicional batalhense, pela união que gera entre os comerciantes e a colaboração entre todos. Como tem sido habitual nestes eventos, houve também algumas iniciativas de animação, sobretudo destinada aos mais novos, o que constituiu também um factor apelativo à vinda do

público. Uma nota final que não podemos deixar de sublinhar é a presença de uma grande percentagem de empresários golpilheirenses entre os aderentes a esta iniciativa, desde as lojas representadas até às parcerias estabelecidas para animação do recinto. É um facto que nos deve orgulhar como freguesia dinâmica, empreendedora e solidária. LMF

LMFerraz / arquivo

Câmara da Batalha aconselha munícipes a pedirem reavaliação dos imóveis

Empresa de contabilidade volta “às origens”

EC – Consulting reabre na Golpilheira A empresa nasceu na Golpilheira em 1996 com a designação de POC 96 e, dez anos depois, mudou o nome para EC – Consulting e abriu um novo espaço na vila da Batalha. Nessa altura, as instalações da sede, na rua do Adrião, na Cividade, foram remodeladas e ampliadas para acolher os projectos de formação profissional que se juntavam aos serviços já existentes de contabilidade, fiscalidade, legislação laboral e consultoria financeira, entre outros. Aos poucos, a actividade foi-se concentrando na Batalha e os escritórios da sede perderam o dinamismo inicial. Mas a empresária Elisabete Cruz considera que “é importante não abandonarmos a terra onde nascemos e que queremos que continue sempre viva”, pelo que decidiu voltar às origens e “apoiar mais de perto os empresários da nossa terra nas várias áreas de actividade que desenvolvemos e também a toda a população em geral que necessite de apoio no preenchimento e envio de IRS, entre outros documentos”. Assim, no próximo dia 4 de Março de 2013, vai reabrir os escritórios da Golpilheira com os serviços de contabilidade e, também, para “dar seguimento ao projecto da formação profissional que já representou um nível bastante satisfatório em anos anteriores, nas várias áreas de actividade, favorecendo todas as pessoas que por aqui passaram no enriquecimento de conhecimentos para melhor desenvolverem as suas competências ao nível pessoal e profissional”. Esta técnica oficial de contas golpilheirense, com experiência no ramo há 25 anos, reconhece que “os dias que vivemos não ajudam muito ao investimento”, mas está decidida a “levantar os braços e nunca desistir”, vendo nesta aposta uma forma de “valorizar o desenvolvimento das pessoas e empresas da nossa terra”, um valor que considera ser importante “transmitir aos jovens”. A sua confiança no sucesso desta reabertura de instalações surge, também, da convicção de que “o trabalho que esta empresa tem desenvolvido conquistou o reconhecimento perante os clientes e outras instituições da área, mercê do rigor, competência e humildade que temos mantido ao longo dos anos”. Assim, o escritório da Golpilheira passará a estar aberto, de segunda a sexta-feira, das 14h30 às 18h00, enquanto o escritório da Batalha, por cima da ourivesaria Domus, funcionará a tempo inteiro, com atendimento ao público entre as 09h00 e as 13h00. Além disso, como refere Elisabete Cruz, “desde que tal nos seja previamente solicitado, estaremos disponíveis para atendimento fora destes horários, inclusivamente, aos sábados”.


8

Jornal da Golpilheira

. cultura .

Fevereiro de 2013

António José Teixeira Geólogo/Arqueólogo

Mosaico romano do Hipocampo

DR

O mosaico romano com o desenho de um hipocampo, datado do século I d.C. foi encontrado em terras colliponenses. O exemplar que está no museu é uma cópia do original que se encontra depositado no Museu Nacional de Arqueologia de Lisboa, mas que foi comprado no início do século XX pela então direcção do MNA, numa Livraria da Baixa Lisboeta. O hipocampo (Grego: hippos = cavalo, kampi = monstro) é uma criatura mitológica partilhada pela mitologia fenícia e grega. Tem tipicamente sido descrito como cavalo na parte anterior do seu corpo e como peixe na parte posterior, com a cauda de um peixe escamoso, como um cavalo-marinho. Na mitologia grega, o hipocampo servia de companhia e montaria às nereidas e de animal de tracção ao carro de Poseidon, deus do mar. Seres com características semelhantes aparecem na arte de outras culturas, inclusive a mesopotâmia e a índia. Também foi representado em bronzes, prataria e pinturas, da antiguidade romana ao período barroco. Criados por Poseidon a partir da espuma do mar, são animais com caudas de peixe brilhantes, semelhantes ao arcoíris, e a parte frontal de seus corpos são de corcel branco. Os hipocampos são as montarias do exército de Poseidon. Homero associa Poseidon aos tremores na terra e no mar, causados pelos cascos de bronze dos cavalos sobre a superfície do mar. E Apolónio de Rodes, sendo conscientemente arcaico em argonáutica, descreve o cavalo de Poseidon que emerge do mar e galopando para longe do outro lado das areias líbias. Em imagens helenísticas e romanas, no entanto, Poseidon (ou Neptuno) muitas vezes leva uma carruagem marítima puxada por hipocampos. Assim, hipocampos são associados com esse deus em ambas as representações antigas e as mais modernas, como nas águas do século XVIII na Fonte de Trevi, em Roma, ou na Civitas Colliponnensis – caso da peça/cópia hoje exposta no Museu da Comunidade Concelhia da Batalha. O aparecimento de hipocampos em água doce e água salgada é contra-intuitivo para uma audiência moderna, embora não a antiga. A imagem grega do natural ciclo hidrológico não tem em conta a condensação de água na atmosfera em forma de chuva para reabastecer o lençol freático, mas imaginou a água do mar sendo “reabastecida” através de cavernas e aquíferos.

Jornada de promoção turística

Museu da Batalha “guiou” os guias “No dia 2 de Fevereiro viveu-se o Turismo na Batalha”, lê-se na página do Museu da Comunidade Concelhia da Batalha (MCCB), em www.museubatalha.com. A instituição lançou o desafio aos profissionais de turismo, convidando-os a participar num circuito turístico pela vila da Batalha, com o objectivo de dar a conhecer a região. E a iniciativa gerou uma forte adesão entre guias interpretes, agentes hoteleiros e técnicos de turismo. Juntando cerca de meia centena de técnicos, oriundos de Norte a Sul do País. Partindo do próprio Museu, os participantes rumaram à Ponte da Boutaca, guiados pelo ilustre historiador batalhense José Travaços Santos, que entrevistámos na nossa última edição. O grupo foi depois conduzido à primeira posição portuguesa da Batalha de Aljubarrota, equipamento gerido pelo Centro de Interpretação da Batalha de Aljubarrota, numa visita a cargo de Rita Canavarro, técnica daquela instituição. O período da tarde re-

DR

. museu de todos.

Travaços Santos conduz o grupo rumo à Boutaca

servou aos participantes da actividade uma visita diferente ao Mosteiro da Batalha, sob a orientação do historiador Jorge Estrela, à descoberta de curiosos “grafitis” preservados em vários locais do monumento. A passagem pela igreja matriz da Exaltação da Santa Cruz e pela igreja da Misericórdia, devidamente apresentadas por José Travaços Santos, desembocou de novo no MCCB, onde foi proporcionada aos visitantes a degustação de produtos típicos desta região. “Cortesia resultante de uma parceria com a Associação de Desenvolvimento da Alta Estremadura e a Adega Cooperativa da

Concurso de escrita

“O Fio da Memória” Escrever um conto original relacionado com as dimensões históricas, culturais ou geográficas do concelho da Batalha constitui o desafio do concurso “O Fio da Memória – O Conto”, dirigido a alunos naturais e residentes deste concelho, matriculados nos 2.º e 3.º ciclos ou no ensino secundário. A iniciativa resulta de uma parceria entre o Município e a Biblioteca Municipal, a que se junta o apoio do Jornal da Batalha, do Instituto Politécnico de Leiria e do Agrupamento de Escolas da Batalha, sendo também chamados os docentes à participação, através do acompanhamento e da verificação de questões estilísticas dos trabalhos dos alunos. Com este concurso, que decorre de 3 de fevereiro a 28 de março de 2013, pretende-se promover o conto enquanto género literário e estimular os hábitos de leitura e de escrita criativa da população infanto-juvenil, divulgando autores portugueses. Os melhores trabalhos serão contemplados com IPod, Leitor MP4, Leitor MP3 e cheques-livro, com entrega a decorrer tradicionalmente na próxima Feira do Livro e do Jogo da Batalha.

Batalha”, adianta a orgnaização. Visitas guiadas Eleito o Melhor Museu Português 2012 pela Associação Portuguesa da Museologia (APOM) e integrando a lista de finalistas ao prémio de Melhor Museu da Europa (com os resultados a serem conhecidos a 18 de Maio, o Museu da Comunidade Concelhia da Batalha reforça o seu programa de visitas guiadas, sempre nos primeiros domingos do mês (11h30). Dirigidas ao público em geral, as visitas pretendem uma abordagem personalizada e dinâmica pelo percurso expositivo

deste equipamento cultural de excelência. Mais informações através do email: geral@museubatalha.com Páscoa no Museu O Serviço Educativo do MCCB propõe umas férias de Páscoa bem divertidas para os mais jovens. As actividades realizam-se durante as tardes dos dias 18 a 22 de Março e incluem oficinas de expressão plástica e de exploração e visitas temáticas, entre outras dinâmicas. O programa de actividades poderá ser consultado, a partir do mês de Março, no portal do Museu, em www.museubatalha.com.


Jornal da Golpilheira

. cultura . sociedade .

Fevereiro de 2013

9

Biblioteca Municipal da Batalha

“Hora do Conto” e oficina temática

Rosas do Lena na última Gala Internacional da Batalha

2013 vai ser ano de comemorações

Oficina de Origami

Rosas do Lena assinala meio século O rancho folclórico Rosas do Lena comemora em 2013 os 50 anos da sua fundação, efeméride que será assinalada com um recheado programa de iniciativas, a acompanhar no sítio www. rosasdolena.pt. Deixamos aos leitores um resumo do que o agrupamento já tem previsto na agenda. Fevereiro Dia 23, 17h00 - Inicio das comemorações, com a inauguração da exposição “Um Olhar sobre os 50 anos do Rosas do Lena”, na Galeria Municipal Mouzinho de Albuquerque, na Vila da Batalha, onde ficará até 17 de Março, e lançamento da 3.ª edição do desdobrável do agrupamento. - Partida para a Rebolaria, visita ao Museu Etnográfico da Alta Estremadura, à sede e à Casa da Cultura e inauguração, na sede, da exposição “Passo a Passo fez-se o Rosas do Lena”. - Descerramento duma lápide evocativa do Mestre António Pereira Marques, seguida do descerramento doutra lápide evocativa do Padre António dos Santos Rino, poeta e latinista do século XIX, na

casa onde viveu. - Partida para o Centro de Atracção Turística “A aldeia” de Santo Antão, jantar de confraternização e animação pelo Rosas do Lena, com a participação do presidente da Câmara Municipal de Batalha.

res e de Tocadores de Instrumentos Tradicionais, na sede. Dia 24, 13h00 - Almoço regional e jogos tradicionais, na sede.

Março Dia 3, 11h00 - Missa no Mosteiro de Santa Maria da Vitória. Às 15hh0 - “Museu ao Vivo”, no Museu Etnográfico da Alta Estremadura. Dia 9, 21h30 – 1.º colóquio na sede, com o engenheiro Adriano Luís Meneses Monteiro e o sociólogo Moisés Espírito Santo. Animação pelo grupo de música popular “O Penedo”, da Quinta do Sobrado. Dia 10, 15h00 – Encontro de coros populares que entoam os Cânticos da Quaresma, junto à porta lateral do Mosteiro de Santa Maria da Vitória.. Dia 16, 21h30 – 2.º colóquio na sede, com os etnógrafos Fernando Ferreira, presidente da Federação de Folclore Português, e Ludgero Mendes. Animação pelo Rosas do Lena. Dia 23, 21h30 – 14.º Encontro Nacional de Cantado-

Abril Dia 6, 21h00 – 3.º colóquio na sede, com a participação do etnomusicólogo José Alberto Sardinha e animação pelo grupo de música tradicional “Sons do Lena” e pelo GAITILENA (Gaiteiros da Batalha). Dia 21, 15h00 – Festival Regional de Folclore, na sede. Maio Dia 19, 14h00 – “Uma Tarde na Ponte da Boitaca”, com artesanato ao vivo, taberna típica, animação musical pelo Rosas do Lena e visita ao centro de interpretação da Batalha de Aljubarrota (1.ª posição do exército português). Dia 25 e 26 – Participação com três ofertas nas festas em honra da Santíssima Trindade. Julho Dia 14, 15h00-24h00 – 8.º FESTIBATALHA, na praça de D. João I e no

largo do Condestável, na vila da Batalha, que inclui mostra/venda de artesanato regional e nacional, animação musical, bailarico, Festival Nacional de Folclore e marchas populares. Agosto Dia 10, 21h30 – 28.ª Gala Internacional de Folclore, no largo de Contestável, na vila da Batalha. Setembro Dia 14, 21h30 – Teatro “Corre Mãe Corre”, com o grupo Leirena. Dia 28, 14h30 – 4.º colóquio, no Mosteiro de Santa Maria da Vitória, com Pedro Redol, director do monumento, e do historiador Saul António Gomes. Animação pelo Rosas do Lena.

No dia 9 de Março, decorre na Biblioteca da Batalha uma oficina temática de Origami, dirigida às crianças e adultos, com limite de 15 participantes. Esta arte milenar de dobragem de papel, transmitida de geração em geração entre os japoneses, assume-se de grande importância no desenvolvimento intelectual, dado o trabalho efectuado ao nível da capacidade criadora e da psicomotricidade. As inscrições para quaisquer destas iniciativas devem ser efectuadas através do email biblioteca@cm-batalha. pt ou telefone 244 769 871.

No pavilhão multiusos

II Festival de Sopas da Batalha A exemplo do ano transacto e devido ao enorme sucesso alcançado, a Junta de Freguesia da Batalha organiza, no dia 23 de Março, sábado, a partir das 20h00, o II Festival de Sopas no pavilhão multiusos da Vila. A confecção das sopas estará a cargo das colectividades da freguesia, revertendo as receitas para os Bombeiros Voluntários e a Santa Casa da Misericórdia da Batalha. O evento contará ainda com um programa de animação musical.

Outubro - Em data a fixar, na sede, às 21h30 – “Adiafa Cultural”, que inclui música tradicional, poesia e teatro. Novembro - Oficina de artesanato e culinária tradicional. Dezembro - Montagem de um presépio.

LMF

LMF

Iniciou a 16 de Fevereiro, na Biblioteca da Batalha, a iniciativa “Hora do Conto”, que pretende levar até aos mais as mais belas histórias de encantar. Este ano a iniciativa será complementada com a realização de uma oficina temática. Com o objectivo de promover hábitos de leitura nos mais novos, a “Hora do Conto” aposta na interacção do texto e do cenário, que decorre num barco adaptado para o efeito e onde é narrada uma história infantil, dirigida aos pais e filhos. As sessões decorrem às 16h00 e têm uma duração aproximada de 1h30, devendo cada criança estar acompanhada por um adulto.

I edição foi em 2012 pub

IC2 - Santo Antão 2440-053 BATALHA Tel. 244 765 523 / 244 767 754 Fax. 244 767 754 E-mail. cruzarte@gmail.com Comércio Grossista de Flores e Artigos de Decoração Fabrico de Artigos em Vime


10

. pub .

Jornal da Golpilheira Fevereiro de 2013 apoio / divulgação

• Oficina de reparações gerais • Testes computorizados a motores • Serviços de ar condicionado

Telas • Esculturas • Azulejos Móveis • Peças Decorativas Sempre exclusivo e original!

os! VisiOtLeP-I LnH E I RA na G

Um toque de arte na decoração da sua casa...

Rua do Choupico, 129 Casal de Mil Homens 244765498 / 965170426 nelson.c.gomes@hotmail.com

Adelino Bastos

Licença de Exploração Industrial N.º 50/2010

Quinta da Fonte Velha 2440-234 GOLPILHEIRA Tel. 244767375 • Tlm. 919854478

SEDE: TRV. DO AREEIRO, 225 • ZONA IND. JARDOEIRA • 2440-373BATALHA FILIAL: CASAL DE MIL HOMENS • 2440-231 GOLPILHEIRA TELS: 244 768 766 • 917 504 646

Hélio Videira

Representante das marcas

Rua D. Filipa de Lencastre, N.º 7 A • 2440 BATALHA • Tel. e Fax 244766569

Rua da Freiria – Lt 7 – r/c • 2440-046 BATALHA • Telm. 919 327 418

• Electricidade • Sistema de Alarmes • Telecomunicações • Canalização Água • Aspiração Central • Climatização • Ar Condicionado • Painéis Solares • Aquecimento Central


Jornal da Golpilheira Fevereiro de 2013

OlĂĄ a todos!

Neste mĂŞs, mostramos os nossos belos desenhos sobre o Carnaval, o Inverno e outros temas mais...

. infantil .

Jardim-de-Infância da Golpilheira

11


12

. eclesial .

Jornal da Golpilheira Fevereiro de 2013

Publicação do Compromisso e renovação

Relatório de contas Festa de S. Bento 2012

Irmandade de N.ª Senhora do Rosário

Quermesse Café D’avó Caipirinha Bar Restaurante Insuflável Rifas Corrida Frangos Peditório (Ruas) Patrocínios em dinheiro Andor Maria da Luz, Tina, Conceição e Gorette Andor Emanuel, Simão, Manuel e Victor Andor de Paula e Agostinho Resistência Motos Mês Maria 1º Festival Sopas Venda de Churrasqueira Leitão

2.071,54 € 1.903,38 € 2.760,00 € 2.156,19 € 10.842,88 € 167,00 € 500,00 € 70,00 € 1.960,00 € 1.991,00 € 335,00 € 555,00 € 227,00 € 662,71 € 198,00 € 600,00 € 230,00 € 73,00 €

Total de receitas

27.302,70 €

Despesas

Grupo 100 X€ta Grupo Fv Music Grupo Zé Café & Guida Gaiteiros Produções Pedro Pestana Rancho Folclórico Animação - Diversos Fogo de artificio Eletricidade Corrida de frangos Bebidas Mercearias Carnes e bacalhau Consumívies de cozinha Seguros, licenças e sinistros Pão Arraial e decoração Carvão e gás Jantar agradecimento Donativo Padre João

850,00 € 1.700,00 € 400,00 € 400,00 € 220,00 € 40,00 € 150,00 € 1.497,46 € 214,36 € 48,90 € 4.502,82 € 1.284,30 € 2.737,87 € 163,40 € 554,87 € 93,00 € 1.117,81 € 605,20 € 308,54 € 100,00 €

Total de despesas

16.988,53 €

Quadro Resumo Total das Receitas

27.302,70 €

Total das despesas

16.988,53 €

Saldo

10.314,17 €

Comissão agradece A comissão de festas de S. Bento de 2012, constituída pelos nascidos em 1977, esclarece que não estão reflectidos directamente nas contas apresentadas todos os patrocínios e ajudas em espécie, cuja quantificação não foi possível. Ainda assim, salientamos que os mesmos foram muito importantes e contribuíram para o resultado alcançado. Reconhecemos que a festa foi um sucesso e superou todas as nossas expectativas, mas esse sucesso foi alcançado com colaboração de muitos. Agradecemos a todos os que colaboraram nos preparativos da festa, aos que durante os 3 dias de festa trabalharam para que tudo corresse bem, aos patrocinadores e a todos aqueles que de qualquer outra forma colaboraram. Agradecemos também a todos os que ao longo dos 3 dias estiveram presentes. A todos o nosso muito obrigado! A Comissão

que existe nos arquivos da nossa paróquia. Este documento será entregue a cada um dos irmãos, não só pelo valor que tem, mas porque tem as normas orientadoras desta Irmandade. Estamos também já a diligenciar para que cada irmão passe a ter a sua capa e com ela participar nos actos oficiais desta Irmandade. De acordo com o referido “Compromisso”, devemos ter presente o seguinte: 1 – Esta Irmandade foi instituída para “dar honra e glória a Deus e aumento de nossa Sancta Fé Cathólica e Apostólica Romana, e que todas as nossas acções sejão encaminhadas a Seo Sancto Servisso, dando a todos os que servirem nesta

Ao celebrarmos, o ano passado, os 500 anos da paróquia da Batalha, havia o propósito de reorganizar a Irmandade de Nossa Senhora do Rosário, “erecta no Real Convento de N.ª Sr.ª da Victória da Villa da Batalha, no Anno de 1812”. Completou, portanto, 200 anos de existência. Como isso não foi possível, queremos fazê-lo este ano. Estamos a iniciar os trabalhos, de modo a podermos fazê-la reviver no próximo dia 12 de Maio de 2013, com a “Festa das Rosas” e o compromisso dos irmãos. Nesse sentido, mandámos reeditar o “Compromisso da Irmandade”, um valioso documento, manuscrito do ano 1812,

Sancta Confraria o zelo e fervor do maior agrado de Deos, e eficácia nos meios conduzentes para conseguirmos o fim para que fomos criados e remidos com o Sangue preciozo de N. S. : Christo”. (Introdução ao Compromisso) 2 – Poderão inscrever-se pessoas com mais de 16 anos de idade, sexo masculino ou feminino, tendo em conta que “todos os devotos, que por sua devoção quiserem entrar nesta S.ta Irmandade, farão petição à Meza para que esta as aceite, se assim o julgar conveniente. Ordenamos e determinamos que a dita Meza somente aceite pessoas de boa vida, costumes e por tais conhecidos”. (Cap. III)

3 – Também me parece .importante termos presente o que diz o Cap. IX: “Ordenamos e recomendamos que haja muita paz e concórdia entre todos os irmãos, por que todos somos filhos de Jezus Christo nosso Salvador, e ele no lo deixou tantas vezes recomendado, e avendo ódios. e desavenças entre alguns / o que Deus não permita / o Juiz e Irmãos da Meza, tomarão à sua conta fazerem as pazes; e não se querendo apaziguar, serão riscados de Irmãos”. Sempre que possível, iremos dando mais algumas orientações. Mas, desde já, fica o convite dirigido a todos os que desejam honrar a Senhora do Rosário. Ecos do Domingo, 27.01.2013

D. António Marto comentou renúncia de Bento XVI

“Surpresa” e “gesto histórico” Confessando que recebeu a notícia da resignação de Bento XVI com “surpresa” e “emoção”, até pelos laços que o ligam à pessoa do Santo Padre, D. António Marto afirmou que o anúncio não foi totalmente inesperado. “No livro-entrevista «Luz do Mundo», o Papa já tinha dado a entender que poderia vir a tomar esta decisão; só não esperava que fosse tão cedo, pensava que seria, talvez, no final do Ano da Fé”, no próximo mês de novembro. “Este é um gesto que merece todo o respeito e, até, admiração, porque é de muita lucidez, coragem e humildade, de grande alcance histórico e para o futuro da Igreja”, considerou D. António. “O Santo Padre explica muito bem os motivos que o levaram a esta decisão, por sentir que a idade avançada e o limite das forças o impedem de cumprir adequadamente a missão papal, que requer grande vigor para fazer face a todos os problemas da Igreja”. Referindo desconhecer as causas específicas para a

decisão de Bento XVI nesta data, o Bispo de Leiria-Fátima recordou que aquando da visita do Papa a Fátima, em 2010, não notou sinais de debilidade física e que “nessa altura julgo que ainda não pensava nisso”. Sobre o papado de Bento XVI, D. António considerou que “deixou a sua marca num período turbulento da história, de crise global de civilização e de cultura, que atinge os povos e não deixa imune a Igreja”. Sendo um “génio teológico”, com um “discurso simples, profundo e poético”, este Papa “chamou a Igreja ao essencial da fé, que é a grande questão hoje”, apontando “a beleza da fé” e “o encanto e a importância do cristianismo

DR

Receitas

para a cultura e para a história” da humanidade. Por outro lado, este Papa “será lembrado” pelo seu “grande empenho pela transparência na vida da Igreja e pela purificação dos pecados dos filhos da Igreja”, bem como a sua “capacidade de escuta e de diálogo” e a “relação de cordialidade profunda com todos”, apesar de “não ter um grande dote de ‘actor’ como tinha João Paulo II”. Essa é a imagem que guarda da sua própria relação com Joseph Ratzinger, que conheceu enquanto aluno, em Roma, aos 25 anos de idade. O futuro… D. António lembrou ainda que “a vida da Igreja

Enconto de D. António com Bento XVI em 2007

irá processar-se normalmente, pois quem a guia não é só o Papa, mas o Espírito Santo e os bispos que em cada diocese guiam o Povo de Deus”. E quanto ao novo Papa, não quis “fazer futurologia”, adiantando apenas que se espera para já uma reflexão sobre a própria vida da Igreja, “que não se reduz à Europa”, onde se regista uma “fase de cultura cansada, esgotada e que se reflecte na vivência do cristianismo”. Isso “não se nota nem na África nem na América Latina”, considerou o Bispo, concluindo que “talvez precisemos de um Papa que seja capaz de olhar mais para além da Europa e trazer uma certa vitalidade que existe nos outros continentes para toda a Igreja”. Tudo aponta para que haja “fumo branco” até à Páscoa, a 31 de Março, segundo declarações do padre Frederico Lombardi, portavoz do Vaticano, apontando a reunião do conclave para 15 a 20 dias após a data da resignação anunciada por Bento XVI para o dia 28 de Fevereiro. LMF


Jornal da Golpilheira

. desporto .

Fevereiro de 2013

Equipas do CRG

Futsal Sénior Feminino

Muito perto do Título e na final da Taça Distrital

Meia Final da Taça Distrital N. Sporting Leiria – 1 / Golpilheira – 3 Este encontro foi realizado no pavilhão da Escola Correia Mateus, em Leiria, no passado dia 9 de Fevereiro. Estava em discussão a presença na

final da taça distrital. Era o terceiro jogo desta época em que estas duas equipas se encontravam. Vencemos os dois primeiros e, como se diz na gíria, não há duas sem três. Começámos muito bem a partida, com Rita Gabriel a abrir o activo logo nos primeiros minutos. Jogo muito bem disputado e a boa velocidade, não surgindo mais qualquer golo até final da primeira parte. A equipa sabia que o resultado era escasso. Fomos à procura do segundo e conseguimo-lo por Jéssica. Depois criámos várias oportunidades para marcar o terceiro. Não foi conseguido e, inesperadamente, a equipa da casa reduz a vantagem. Competia-lhes ir à procura do empate, com os custos que esta ousadia lhes podia provocar. E foi o que aconteceu. Rita Gabriel obteve o nosso terceiro golo, bisando assim na partida. Com este resultado, conquistámos a presença na final deste troféu, a disputar no dia 16 de Março, em local e hora a designar. Portomosense – 0 / Golpilheira – 8 O desafio disputado no passado dia 16 de Fevereiro, em Porto de Mós, teve

Futebol 7 • Benjamins “A” • 2º. Torneio Distrital 02-02 – Nazarenos – 4 / Golpilheira – 1 16-02 – Golpilheira – 7 / Fantástico Crescer – 1 Próximos Jogos 23-02, 11h00 (Garcia-Mª Grande) Garcia “A” / Golpilheira 02-03, 11h00 (Barrocas) Golpilheira / Caranguejeira 09-03, 11h00 (Outeiro da Fonte) Costifoot / Golpilheira 16-03, 11h00 (Barrocas) Golpilheira / Monte Real 23-03, 11h00 Casal dos Claros) Unidos / Golpilheira

Futebol 11 • Iniciados Masculinos – Distrital 1.ª Divisão 03-02 – Marinhense – 3 / Golpilheira – 3 17-02 – Golpilheira – 1 / Lisboa e Marinha “B” – 2 Fim deste Torneio. Os próximos jogos ainda não estão definidos.

Futebol 11 • Veteranos

MCR

Golpilheira – 4 / Pocariça – 0 Este jogo foi disputado no pavilhão da Batalha, no dia 2 de Fevereiro. A maioria das equipas, quando defrontam a Golpilheira, tentam sofrer o menor número de golos possível. Se as coisas lhes correm bem e retardam a obtenção do primeiro golo, é normal que a equipa em ataque continuado comece a ficar intranquila. Esta foi a opção da Pocariça. No entanto, as nossas atletas nunca desistem e entregamse com a alma e coração ao jogo. Os golos vão surgir com normalidade. Foi o que aconteceu. Ainda na primeira parte, Licas obteve dois golos. No segundo tempo, o cariz do jogo não se alterou. Uma equipa a atacar e outra a defender como podia. Criaram-se inúmeras oportunidades de golo, mas apenas duas foram concretizadas, uma por Ana Carolina e outra por Jéssica.

pouca história, como o resultado espelha. O mais complicado foi a obtenção do primeiro golo, já que a equipa da casa abdicou do ataque, preocupando-se apenas em defender. Com este esquema de jogo, é muito difícil estas atletas evoluírem. No entanto, e apesar desta táctica, obtivemos quatro golos na primeira parte por Irina, Tita, Rita Gabriel e Jéssica. No segundo tempo, sempre com o objectivo de marcarmos mais golos, conseguimos mais quatro, três por Irina e um por Ana. O resultado ainda podia ter sido mais dilatado, tantas foram as oportunidades criadas. MCR

Continua a bom ritmo a execução da parte final desta infra-estrutura desportiva. Neste momento estão a colocar as placas de vidro na parte nascente do pavilhão. Com este trabalho executado, ficará totalmente vedado. Depois, será a colocação do piso sintético e dos acabamentos finais no interior e no exterior. MCR

Fotos: MCR

Depois do sucesso que foi esta prova em 2012, a Maratona do Centro, uma das principais provas de BTT do País, marca presença na vila da Batalha pelo segundo ano consecutivo, no domingo 17 de Março. Organizada pela Airbike – Associação de Ciclismo, com o apoio do Município da Batalha e da ADAE, esta será a prova de abertura da Taça de Portugal XCM, com 80 Km na prova de maratona e 40 Km na meia-maratona, em que se incluirá a prova para atletas com deficiência. No total, serão 4 provas distintas, com classificações independentes: 1#Taça de Portugal XCM Sport Zone 2013, para atletas federados; 1#Taça de Portugal XCM 2013 para atletas com deficiência; Maratona do Centro 2013, para atletas não federados; Meia Maratona do Centro2013, para atletas não federados. Já iniciaram as inscrições, através do site www.airbike. net, estando limitadas a 1000 participantes para o escalão de atletas não federados. Segundo contámos no site, a meados de Fevereiro estavam já cerca de 800 inscritos.

No domingo seguinte, dia 24 de Março, o Centro de BTT Batalha/ Pia do Urso celebra o primeiro ano de abertura ao público. Para assinalar esta data, o Município da Batalha, em conjunto com os patrulheiros do Centro, apresentam nesse dia um novo trilho a incluir na oferta de percursos do Centro de BTT. Será um percurso azul, de dificuldade moderada, na localidade de São Mamede, complementando, desta forma, a excelente oferta de trilhos cicláveis que esta infraestrutura, a primeira homologada pela Federação Portuguesa de Ciclismo, já apresenta.

02-02 – Alcobaça 1 / Golpilheira – 1 09-02 – Concha Azul – 5 / Golpilheira – 3 Próximos Jogos 23-02 (Tocha) Tocha / Golpilheira 02-03 (Gouveia) Gouveia / Golpilheira 23-03 (Batalha) Golpilheira / Cartaxo

Futsal Juniores Femininos •Campeonato Distrital

02-02 – N. Sporting Pombal – 0 / Golpilheira – 9 17-02 – Mirense – 3 / Golpilheira – 4 Próximos Jogos 23-02, 21h30 (Meirinhas) Ilha / Golpilheira 02-03, 15h00 (Batalha) Golpilheira / Academia Caranguejeira 09-03, 15h00 (Batalha) Golpilheira / Louriçal 17-03, 15h00 (Porto de Mós) Portomosense / Golpilheira

Futsal Seniores Femininos • Campeonato Distrital– Honra 02-02 – Golpilheira – 4 / Pocariça – 0 09-02 – N. Sporting Leiria – 1 / Golpilheira - 3 (Taça Distrital) 16-02 – Portomosense – 0 / Golpilheira – 8 Próximos Jogos 23-02, 20h30 (Batalha) Golpilheira / Academia da Caranguejeira 02-03, 20h00 (Caldas da Rainha) – Vidais / Golpilheira 09-03, 19h00 (Batalha) – Golpilheira / GARECUS 16-03 (hora e local a designar) Golpilheira / Vidais (Final da Taça)

Pavilhão Gimnodesportivo Municipal da Golpilheira

1.º aniversário do Centro de BTT da Batalha - Pia do Urso

Batalha no centro do BTT nacional

13


14

Jornal da Golpilheira

. temas .

Fevereiro de 2013

. combatentes .

. vinha .

José Jordão Cruz | Engenheiro Téc. Agrário

Casta Touriga Nacional

mais produtivos –, os seus vinhos apresentam uma estrutura encorpada, com muito tanino, sabores concentrados de frutas pretas. “Acredita-se que sua origem é da região de Tourigo, na região do Dão, onde por muito tempo foi uma casta que não agradava, pois lhe faltavam estrutura e elegância aos seus vinhos. Quando as videiras foram levadas para o Douro, mais produtores começaram a se dedicar a ela, dando mais qualidade aos seus vinhos, agradando o consumidor. Mais tarde, a uva chegou também a outras regiões e Portugal, como a Estremadura e o Alentejo”. É possível notar algumas diferenças notáveis entre as Touriga Nacional colhidas no Douro e no Dão. Na primeira região, mais quente, a uva costuma amadurecer mais, tendo um menor nível de acidez. Já no Dão, a maturação é mais lenta e o vinho apresenta uma acidez mais equilibrada, o que lhe dá mais frescor. Seus tintos desenvolvem-se muito bem ao envelhecimento em barris de carvalho e também beneficiam de envelhecimento nas garrafas. Além de ser usada nos vinhos do Porto, também tem um papel importante na fabricação de espumantes e vinhos rosados. Geralmente, os vinhos portugueses são de corte entre muitas uvas, mas nos últimos anos, muitos vinhos são produzidos usando apenas a Touriga Nacional,

DR

Esta é uma casta de uvas tintas que produzimos já em grande quantidade. Não somos só nós que a cultivamos, como é evidente, apenas realçamos a importância desta casta portuguesa, no panorama mundial da vitivinicultura, pois já se cultiva por todo o mundo, desde a Austrália aos EUA. Temos solicitações desta casta portuguesa também para os nossos vizinhos espanhóis É a casta mais nobre de Portugal, sendo a rainha das uvas portuguesas, que, pelas suas qualidades para a vinificação, começa a ocupar cada vez mais espaço nas produções europeias, australianas e californianas. Em Portugal, é plantada desde o Douro até ao Alentejo, mas é no planalto do Dão que se revela em toda a sua plenitude. O cacho, pequeno e alongado, possui bagos diminutos, arredondados, de tamanho não uniforme, com a epiderme negra-azul revestida de forte pruína. A polpa é rija, não corada, suculenta e de sabor peculiar. Os enólogos prontificam-se a divulgar a nossa “rainha” assim: “apresenta uma maturação média e a produção pode ser algo heterogénea. Normalmente, apresenta volumes algo inferiores aos da casta Tinta Roriz / Aragonês e bastante inferiores às castas Jaen e Alfrocheiro, sendo estas as três castas a que normalmente é associada para a produção de vinhos multivarietais. (…) Quando usada numa percentagem conveniente, obtêm-se vinhos com bom teor alcoólico, com aromas intensos de elevada complexidade, encorpados, com taninos nobres e susceptíveis de longo envelhecimento. Casa particularmente bem com pequenas quantidades de Alfrocheiro para obter um bouquet ainda mais fino e uma longevidade superior”. A nossa “rainha”, a mais fina do País, carrega a alma dos produtores portugueses, como o tempranilho para os espanhóis. Embora produza pouco – e estão a estudar-se clones que possam ser

Coluna da responsabilidade do Núcleo da Batalha da Liga dos Combatentes

principalmente para exportação para mercados mais jovens, que preferem vinhos com uma única uva no rótulo, como é o caso dos Estados Unidos. Intensos na cor e de personalidade forte, os vinhos têm aromas exuberantes, que por vezes podem ser até irritantemente excessivos. Carrega aromas frutados, florais, e têm uma excelente capacidade de envelhecimento. A uva é muito consistente na qualidade de seus vinhos. Apresentam um teor alcoólico médio a elevado, e uma acidez de média a alta, gerando um equilíbrio agradável ao paladar. Têm aromas intensos de amora e framboesa maduras e perfumes florais, como rosa e violeta. Possui grande potencial para um prolongado envelhecimento. O vinho tem uma agradável capacidade de harmonização com diversos pratos, como queijos ricos e maduros, carnes muito temperadas, cabrito assado, bife e legumes grelhados. No fim dos anos 1990, haviam 2.760 hectares plantados de Touriga Nacional em Portugal. Sua baixa produtividade faz com que ela represente apenas uma pequena parte da produção da região do Douro, mas não deixa de ter um papel fundamental nos vinhos do Porto. Nas regiões produtoras do Texas, os produtores usam a Touriga Nacional em seus vinhos feitos ao estilo dos portugueses.

Hepatite e solidariedade Para este mês de Fevereiro, vamos abordar dois temas actuais e de interesse, para os combatentes, em particular, e para todos os sócios da Liga, em geral. 1 – HEPATITE C Conforme divulgação já feita junto dos nossos associados, através da revista “Combatente” e da nossa 1.ª circular de 2013, está a decorrer um rastreio da temível doença que é a hepatite C, junto de diversos núcleos de combatentes, incluindo o nosso. A primeira fase de inscrições decorreu entre 30 de Janeiro e 6 de Fevereiro, mas, dependendo da aderência dos combatentes, é possível que venha a ocorrer uma 2.ª oportunidade para aqueles que, por uma ou outra razão, não se inscreveram nesta 1.ª fase. Quem tiver dúvidas, contacte-nos. 2 – LIGA SOLIDÁRIA Sem outros comentários, porque o conteúdo do documento fala por si (e porque nós próprios também já fizemos este apelo), passamos a transcrever uma carta do Sr. Presidente da Liga dos Combatentes, GEN Joaquim Chito Rodrigues, que nos pediu que a tentássemos fazer chegar a todos os nossos associados: Caro Sócio da Liga dos Combatentes, estimado amigo, Dirijo-me hoje pessoalmente a si, que integra a nossa grande família, primeiro para mais uma vez reiterar a minha solidariedade para com um sócio da Liga dos Combatentes, na linha do que normalmente faço através da revista Combatentes e dizer-lhe quanto me sinto honrado em presidir à nossa Instituição quase secular, com carácter totalmente voluntário. Mas hoje esta minha carta tem uma finalidade específica. Trata-se de obter de cada membro um apoio financeiro, sem que isso custe algo ao próprio sócio. Trata-se da possibilidade que a lei confere às Instituições Particulares de Solidariedade Social, como a Liga dos Combatentes, de virem a receber 0,5% do IRS a pagar pelo contribuinte, desde que na sua declaração que todos os anos preenche, coloque no quadro 9 uma cruz no espaço destinado a IPSS e escreva o NIF da Liga dos Combatentes – 500 816 905. Este acto só requer a sua parte de atenção no momento do preenchimento do IRS. Nada lhe custa, pois os 0,5% da verba que terá de pagar de IRS reverterão para a Liga dos Combatentes, indo ajudar os sócios mais carenciados e os programas humanitários da Liga. O seu acto será um acto de solidariedade que a Liga dos Combatentes e os combatentes e famílias mais carenciadas agradecem profundamente. Repito, não tem quaisquer custos para si. Esteja atento, cada ano, no preenchimento da declaração do IRS. Repita este acto solidário todos os anos. Aproveito esta oportunidade para lhe solicitar, caso ainda o não tenha feito, que mantenha actualizado o pagamento das quotas que, como sabe, são 18 euros por ano. Nos momentos difíceis que enfrentamos, o cumprimento dos seus deveres como sócios da Liga, seja qual for a sua categoria de sócio, é hoje fundamental para a Liga que o faça. Termino por lhe desejar… muita esperança em dias melhores neste nosso Portugal, neste ano de 2013 e seguintes. É uma honra tê-lo connosco e é um privilégio ser vosso Presidente. Com os melhores cumprimentos, peço-lhe que entoe comigo o nosso grito: Liga dos Combatentes / Valores Permanentes / Liga dos Combatentes / Em todas as frentes. O Presidente da Liga dos Combatentes, Joaquim Chito Rodrigues / General. Caros associados, vamos, mais uma vez, ser solidários com os companheiros que estão ainda pior do que nós. Relembramos que o que aqui nos é pedido nada nos custa. BEM HAJAM!


Jornal da Golpilheira

. temas .

Fevereiro de 2013

. saúde .

Ana Maria Henriques Enfermeira

15

Cruz Vermelha Portuguesa associa-se a campanha europeia

Desastres silenciosos em todo o mundo

Comprimidos

A via mais frequente de terapêutica é a via oral, isto é, a toma de comprimidos, cápsulas, xaropes ou outras soluções bebíveis. Os comprimidos são os medicamentos mais vendidos nas farmácias, sendo que a facilidade de acesso e comodidade gera um facilitismo na sua toma. Existem comprimidos para quase todas as doenças, desde Paracetamol (ben-u-ron) para as dores e febre até à quimioterapia para o cancro. Deste modo, a sua toma não pode ser banalizada e devem ser seguidas criteriosamente as indicações dadas pelo médico ou farmacêutico. Pela sua acessibilidade, os comprimidos são muito fáceis de adquirir. Em todas as casas existe um stock de medicação e muitos vizinhos e familiares oferecem um comprimidinho que o médico lhe prescreveu para os mesmos problemas. Cada comprimido é prescrito criteriosamente para um tipo de doente e doença. O vizinho pode ter, aparentemente, o mesmo problema, mas o comprimido que lhe foi prescrito pode-lhe ser muito prejudicial. O mesmo se aplica ao resto de antibiótico (ou outro medicamento) que sobrou, mas agora pode ser prejudicial para os mesmos sintomas. É importante termos alguns medicamentos em casa, mas a sua escolha e toma deve ser criteriosa. Pergunte ao seu médico que medicamento deve ter em casa para as dores e/ou febre, que deve ser útil para toda a família. Alergias recorrentes podem ser tratadas pelos mesmos medicamentos, mas a prescrição do médico é essencial. Tomar comprimidos/xaropes para a diarreia, obstipação, tosse, etc., deve ser sempre acompanhada. A diarreia pode ter uma causa que tem de ser resolvida com outro tratamento, a toma de comprimidos para a obstipação pode habituar o intestino a não trabalhar e a tosse pode ser importante para libertar a expectoração que está a causar problemas respiratórios. Nos comprimidos prescritos pelo médico, a sua toma deve ser efectuada até ao final do tratamento indicado e as horas e associações com a alimentação devem ser cumpridas. A toma incompleta de um antibiótico (após melhoria dos sintomas) pode causar um regresso da doença e com características piores. O não cumprimento dos intervalos de administração pode causar graves intoxicações, o paracetamol pode causar danos irreversíveis ao fígado. A toma de anti-inflamatórios em jejum pode causar graves danos no estômago e o abuso de comprimidos para dormir e acalmar pode causar dependência e habituação. Apesar da toma de comprimidos estar muito vulgarizada, pode ter graves consequências e é necessário especial atenção em crianças (impedir o seu acesso) e em idosos (o efeito dos medicamentos pode ser exagerado). Encarar cada comprimido da mesma maneira como se encara uma injecção pode ser suficiente para devolver aos comprimidos a sua verdadeira importância.

No dia 18 de Fevereiro, a Cruz Vermelha Portuguesa (CVP) associou-se a mais de 10 países europeus para lançar em Portugal uma campanha de sensibilização destinada a alertar a população mundial para as inúmeras catástrofes e situações de emergência humanitária que, apesar de ocorrer um pouco por todo o mundo, muitas vezes passam despercebidas à opinião pública. O lançamento oficial em Portugal da campanha “Desastres Silenciosos” teve lugar na Representação da Comissão Europeia em Portugal (RCEP), e foi assinalada com a realização de uma mesa redonda moderada pela jornalista Laurinda Alves e com a participação de Luiz Sá Pessoa, chefe da RCEP, de Luis Barbosa, presidente da CVP, de Hugo Costa, investigador da Universidade de Lisboa e da organização de cooperação e desenvolvi-

mento OIKOS. A campanha, liderada pela Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho (FICV) e pelo serviço de Ajuda Humanitária e da Protecção Civil da Comissão Europeia (ECHO) visa sensibilizar para as catástrofes naturais que constituem acontecimentos que são tudo menos silenciosos para os indivíduos e famílias por elas afectados. Assim sendo, no âmbito de uma campanha de sensibilização que decorrerá de 18 de Fevereiro a 15 de Março, a FICV e a ECHO, juntamente a inúmeras sociedades europeias da Cruz Vermelha, levarão a cabo uma acção concertada de sensibilização que procura destacar várias catástrofes pouco conhecidas em todo o mundo, tais como a fome generalizada na África Austral, um sismo devastador

no Tajiquistão e os vários surtos de doenças no Uganda. Mais do que chamar apenas a atenção da sociedade, esta é uma campanha que procura chegar a decisores políticos da UE, doadores e comunicação social de modo a mudar mentalidades no que diz respeito à sensibilização para o sofrimento humano. No Parlamento Europeu, em Bruxelas, teve lugar o lançamento internacional da campanha, com a participação de deputados europeus, representantes da Comissão Europeia, governos europeus, organizações humanitárias e jornalistas. Informações sobre a campanha estão disponíveis em www.cruzvermelha.pt/desastres-silenciosos e www. ifrc.org/silentdisasters.

divulgação

Golpilheira

Horário da farmácia O serviço de farmácia da Golpilheira, cujo nome técnico é ambulância de medicamentos, prestado pela Farmácia Moreira Padrão, sofreu algumas alterações de horários no início deste ano. Assim, para que os utentes saibam quando poderão deslocar-se àquele espaço, nas proximidades da desactivada extensão de saúde da freguesia, passamos a indicá-los: - De segunda a sexta-feira, das 09h30 às 13h00 e das 15h00h às 19h30. - Aos sábados, das 09h00 às 13h00. - Encerra aos domingos. Segundo a directora técnica da farmácia, Margarida Padrão, “o novo horário foi elaborado de forma a não prejudicar a qualidade do serviço prestado e a garantir um atendimento que respeitasse a disponibilidade dos utentes”. Recorda-se, ainda, que a sede da mesma farmácia, na vila da Batalha, disponibiliza um horário de atendimento mais alargado, todos os dias, das 09h00 às 20h00, excepto aos domingos, em que está também encerrada. Nas semanas em que está de serviço, o horário estende-se, nos dias úteis, até às 23h00h, e aos sábados e domingos funciona entre as 09h00 e as 22h00.

CLÍNICA DENTÁRIA E OSTEOPÁTICA DA BATALHA Direcção Clínica: Dr.ª ANA FREITAS • Medicina Dentária Geral • Psicoterapia e Hipnose Clinica • Osteopatia • Psicologia de Crianças e Adolescentes • Terapia da Fala • Aulas de Preparação para o Parto • Acunpuntura Médica, Estética e Tratamento da Dor Acordos: SSCGD, SAMS, Multicare, Advance Care, Associados do Montepio, WDA e outros

Contactos: 911 089 187 • 964 108 979 R. dos Bombeiros Voluntários, Loja D - BATALHA

Consultas de Segunda-Feira a Sábado

Olhos nos olhos com os idosos Casa de Repouso

Alvará n.º 17-LR 2006

pub

Rua do Carreirinho, 66 CASAL DOS CLAROS 2400-765 AMOR - Leiria • bengaladouro.atspace.com • bengaladouro@gmail.com • 244813071 • 962079196


16

Jornal da Golpilheira

. livros .

Fevereiro de 2013

Colecção BIS da Leya

Estes são mais quatro novos volumes da BIS, da Leya, a colecção de livros de pequeno formato que integra os grandes títulos clássicos e contemporâneos da literatura nacional e mundial, livros de leitura recomendada e best-sellers de autores portugueses e estrangeiros, disponíveis em livrarias, supermercados e outros pontos de venda por todo o país, com preços acessíveis a todas as bolsas. Uma colecção que é líder de mercado no seu segmento. Apresentamos aqui uma breve descrição de cada um, podendo os leitores conhecer toda a colecção no blog: www.bisleya.blogs.sapo.pt.

Marcas e Entretenimento Sofia Moura Guerra & Paz

Os três casamentos de Camilla S.

Rosa Lobato de Faria

A história de uma velha senhora que aos 90 anos decide contar a sua vida, incluindo o que ela possa ter de inconfessável. Desde os ambientes à narrativa (que atravessa quase um século de história) estamos perante um livro adequadamente romântico. Uma das obras incontornáveis da poeta e romancista Rosa Lobato de Faria (1932-2010), escrita em 1997. O terceiro livro dos doze que publicou.

Uma noite O amor é uma em Nova Iorque carta fechada

O animal moribundo

Uma complexa história de encontros e desencontros, promessas e desilusões. Mas é, também, uma história de descoberta e de esperança, que reflecte o dilema dos protagonistas divididos entre duas forças poderosas: a obrigação de perpetuar uma união que já não lhes traz alegria e a urgência de correr atrás de uma enorme paixão que mais não é do que uma carta fechada. Tiago Rebelo é um dos romancistas com maior sucesso das letras portuguesas.

David Kepesh tem mais de sessenta anos, é um eminente crítico cultural de TV e conferencista, quando conhece Consuela Castillo, uma estudante bem comportada, com 24 anos. A juventude e a beleza de Consuela transtornam-no por completo e uma enlouquecedora possessividade sexual transporta-o aos abismos do ciúme deformador. A aventura erótica evolui ao longo de oito anos para uma história de cruel perda. Philip Roth é um dos mais conceituados autores americanos.

Tiago Rebelo

Quintino Aires

A partir de casos reais, o autor aborda questões que nos são familiares. Trata-se de um livro valioso que ajudará o leitor a identificar os problemas e a questionar o que está a bloquear o amor na sua vida para assim perceber a vida amorosa tal como ela é e a libertar-se de ilusões e receios. O autor doutorouse em psicolinguística, é psicólogo clínico e professor universitário em Lisboa e São Paulo. Desde 1998, assina diversas rubricas em jornais e rádios.

Philip Roth

Nada se cria, nada se perde, tudo se transforma: a publicidade também. O product placement e o brandentertainment são formas dinâmicas que vieram mudar a comunicação das marcas em todo o mundo. Pela primeira vez em português, numa linguagem acessível e com exemplos concretos, este livro mostra-lhe como as marcas se integram nos filmes, novelas, reality e talentshows, na generalidade dos programas de televisão e noutros meios, surgindo aos olhos dos espectadores de uma forma que se pretende subtil e afectiva. Um livro que, a partir do presente, lhe revela já o futuro, um futuro onde as marcas e o entretenimento são indissociáveis.

Amor 14

Federico Moccia Bertrand Editora Carolina está quase a fazer 14 anos. É uma rapariga especial, a viver um momento cheio de magia, que partilha com as suas amigas: os sonhos; os primeiros beijos roubados; as músicas que parece que falam da sua própria experiência; as festas; a escola, os exames e os colegas; a sua querida avó, que a entende como ninguém; e o seu irmão, tão excepcional, que leva o coração de Carolina a sonhar. E o amor? Como será o verdadeiro amor? Serão os olhos de Maximiliano, que encontrou por acaso? Quem sabe… Sonhando, desliza despreocupada pela vida entre as aventuras do dia-a-dia, entusiasmandose sempre que os afectos lhe tocam o coração e olhando, esperançosa, o seu futuro.

Citações de Salazar

Paulo Neves Silva Casa das Letras António de Oliveira Salazar, personalidade que marcou a história portuguesa do século XX, liderando uma ditadura durante várias décadas, continua a ser, muitos anos passados sobre o seu falecimento, odiado ou idolatrado por grande parte dos portugueses, sendo raro quem não tenha uma opinião forte e emotiva sobre a sua doutrina. Não tendo deixado obra escrita, foram no entanto inúmeras as suas intervenções em termos de artigos de imprensa, participação em conferências, entrevistas e discursos, deixando as suas ideias expressas, antes e durante o seu governo, em milhares e milhares de páginas.

. sugestões para a Quaresma . Paulus Editora .

Porque jejuamos? Giulio Viviani

Um livro simples e objectivo que aborda elementos essenciais para a prática do jejum e da abstinência na Igreja hoje. Fundamenta a reflexão na Sagrada Escritura, no magistério e na tradição da Igreja.

O Segredo Meditação da Virgem Maria sobre o Credo

Quaresma e Páscoa

Livro clássico de devoção a Maria, escrito pelo fundador da Companhia de Maria, agora resgatado e re-apresentado aos devotos de Nossa Senhora.

Este livro condensa num único volume as catequeses e homilias do Papa Bento XVI referentes ao tempo litúrgico do ciclo da Páscoa: Quaresma, Semana Santa, tempo pascal. Escrito de uma forma dinâmica e atraente, é um óptimo contributo para melhor vivermos este período central do ano litúrgico e da fé cristã.

S. Luís Maria Montfort

Maria Stella Salvador Em sintonia com o Ano da Fé, e seguindo o seu estilo testemunhal devocional, a autora apresenta uma leitura espiritual do Credo Apostólico. Cada capítulo corresponde a uma das afirmações do Credo.

.CD.

Florinha da Eucaristia - Beata Alexandrina Coral Litúrgico de Santa Eulália de Balasar Lançado pela Fundação Alexandrina de Balasar, este CD contém 9 faixas musicais a cargo do Grupo Coral Litúrgico da Santa Eulália de Balasar, sob a direcção do maestro Pedro Malta, natural desta terra. Com este trabalho, os amigos e devotos da Beata Alexandrina poderão ouvir a qualquer momento cânticos a ela dedicados e, com ela, rezar através da música. A obra pretende ainda contribuir para maior divulgação do culto à Beata Alexandrina e, através dela, dar glória a Deus por tão grande dom para o mundo.

Bento XVI

A nossa Páscoa D. António Couto

Intitula-se este livrinho «A nossa Páscoa», no seguimento de 1 Coríntios 5,7, e compreende três partes: a primeira, intitulada «Tempo da Quaresma», oferece uma leitura do itinerário dos Domingos da Quaresma do Ano A, que pode sempre ser seguido também nos Anos B e C, e que deve mesmo ser seguido caso haja catecúmenos; a segunda, intitulada «Semana Santa, Semana Grande, Semana Autêntica», oferece o itinerário crente dos últimos dias de Jesus; a terceira, intitulada «Tempo da Páscoa», abre com dois textos de teor indicativo e exemplar, seguindo-se uma leitura do itinerário dos Domingos da Páscoa até ao Pentecostes, acrescida de alguns textos de João 20 e 21 não contemplados no percurso litúrgico.

Leccionário Comentado Quaresma - Páscoa Giuseppe Casarin

O Leccionário Comentado vem juntar-se a outras colecções que ajudam a ‘ler’ a Palavra para que se torne ‘oração’. Na sua inspiração profunda relaciona-se com a figura de Santo António de Lisboa, o intrépido e tenaz anunciador da Palavra de Deus no seu tempo. É significativa uma expressão sua: «São os pobres e os humildes que têm sede da Palavra de Deus, só eles estão em condições de a compreender». Também nós, mendigos da Palavra, podemos ser regenerados pela Palavra se não a lermos apenas, mas a celebrarmos juntos, reunidos em assembleia eucarística. A colecção está estruturada à maneira da lectio divina, acompanhando progressivamente todo o ano litúrgico nos seus tempos fortes, nas suas festas mas também nos dias feriais.

Paulus Editora

Crer: imagens de uma aventura D. Carlos Azevedo e APCD

Publicado em parceria com a Associação Portuguesa de Cultura e Desenvolvimento, este livro contém as 60 pinturas que fazem parte da exposição criada para o Átrio dos Gentios. Todas as pinturas são comentadas por D. Carlos Azevedo, delegado para o Conselho Pontifício para a Cultura. Pela primeira vez na arte portuguesa, o Credo é representado em imagens, num políptico de Isabel Nunes. Além deste políptico, o livro apresenta os Doze Apóstolos, Nossa Senhora, a Santíssima Trindade e os principais personagens da história portuguesa criados pela mesma artista. Os comentários histórico-teológicos traçam um caminho de descoberta da fé ao longo dos eventos vividos na história de Portugal.


Jornal da Golpilheira

. livros . ambiente . solidariedade .

Fevereiro de 2013

17

“Responsabilizar Portugal” é o lema

Operação “Limpar Portugal 2013” História Politicamente Incorrecta do Portugal Contemporâneo (De Salazar a Soares) Henrique Raposo Guerra & Paz

Num livro rigoroso, bem fundamentado e sem medo, Henrique Raposo confrontanos com factos e tira conclusões que nos fazem repensar Portugal. Esta obra promete abalar os alicerces da nossa memória colectiva, desfazendo mitos que giram em torno de Salazar, Cunhal e Soares. “Limitei-me a apontar o dedo para os elefantes que estão sentados no salão de chá da nossa memória colectiva”, afirma o autor Trata-se de um livro actualíssimo, que vai ajudar os leitores a compreender melhor e de forma mais substancial as raízes da situação em que o País se encontra. Ou, pelo menos, levar a discussão a outros níveis.

Inspetor Bolhas - Bolas de Berlim com Crime Alexandre Honrado Ilust. Rogério Taveira Bertrand Editora

O Inspector Bolhas, o mais divertido e incrível dos detectives da actualidade, viciado em “gomas”, não tem medo de nada, a não ser da avó Pantufinhas e de não chegar a tempo aos crimes que tem que resolver. É numa escola que a primeira missão do Bolhas decorre e mete mistério, horror, amor, trapalhadas risota, bolos envenenados e suspeitos aos magotes. Quem envenenou os bolos? Por que será que alguns professores têm comportamentos tão suspeitos? E o que faz o Inspetor Bolhas fugir à polícia, acusado de fazer pagamentos com notas falsas? As aventuras prosseguem e os mais pequenos entram na história como convidados principais.

Em 2010, Portugal foi limpo num só dia, a 20 de Março. Mobilizaram-se 100.000 voluntários, instituições, empresas e grupos diversos, que recolheram mais de 50.000 toneladas de resíduos que se tinham acumulado nos bosques, nos rios, nas praias… nos espaços públicos. Em 2011, muitos voluntários continuaram a limpar Portugal e, em 2012, a mobilização pretendeu ser mais pedagógica e abrangente, reunindo mais de 8.400 voluntários, que retiraram um pouco por todo o País cerca de 2.000 toneladas de resíduos colocados ilegalmente nos espaços públicos. Em 2013, a Associação Mãos à Obra Portugal (AMO Portugal), que nasceu a partir deste projecto, aposta no lema “Responsabilizar Portugal”, pedindo aos voluntários que assinalem, denunciem e debatam o problema da colocação de lixo em espaços públicos. No comunicado da cam-

panha, a associação lembra que “os resíduos não vão por si próprios para os espaços públicos” e dá exemplos: “a embalagem de iogurte vazia que entulha a berma da estrada; os resíduos de uma demolição depositados no pinhal; a carrada de restos de poda que estava na serventia isolada; o frigorífico avariado que foi atirado para a linha de água; o sofá fora de moda que foi posto ao lado do contentor; o saco do lixo esquecido no local do piquenique… todo esse lixo “tem um rosto humano camuflado no isolamento, na distância, na calada da noite”. Portanto, há que “georeferenciar e mapear todas as deposições ilegais de resíduos, para apresentar num grande debate público nacional”, naquela que será uma verdadeira “caça à deposição ilegal de resíduos”. Este será o encerramento de um ciclo pedagógico, que deverá culminar na “responsabilização dos praticantes destes ilícitos, dos

14 mil alunos de Leiria

O Crime da Poça das Feiticeiras Paulo Bruno Alves Edições Esgotadas

Este é um romance baseado num crime que abalou a alta sociedade de Viseu dos anos 20 do século XX. Na manhã de 17 de Julho de 1925, João Alves Trindade, um homem abastado, aparece morto na Poça das Feiticeiras, numa das suas propriedades. Sem uma efectiva investigação policial e pericial, a sua filha e o marido foram considerados culpados e presos. Ambos foram julgados em 1927 e condenados a 25 anos de prisão efectiva, apesar de nas várias audiências terem subsistido duas teses: uma que defendia a culpabilidade dos arguidos e outra que apontava uma cabala contra eles de alguém que se apoderou da fortuna do falecido.

5.ª edição da “Geração depositrão” Na 5.ª edição da “Geração Depositrão” da ERP Portugal estão presentes 35 escolas e cerca de 14.000 alunos do distrito de Leiria. Esta acção promove a recolha e entrega de resíduos de equipamentos eléctricos e electrónicos, baterias e pilhas, junto dos participantes e da comunidade local. Tendo as escolas e o corpo docente como agentes fundamentais na introdução e divulgação desta campanha, a “Geração Depositrão” conta com 625 instituições escolares de Norte a Sul do País a participar, somando cerca de 340.000 alunos. “Com esta campanha, a ERP Portugal pretende sensibilizar crianças, jovens e famílias para a importância da

recolha de resíduos de equipamentos eléctricos e electrónicos e promover uma maior consciencialização das populações para a reciclagem deste tipo de aparelhos”, afirma Filipa Moita, responsável de comunicação e sensibilização da instituição. Inserida no programa Eco-Escolas, a “Geração Depositrão” é uma campanha realizada anualmente e inclui actividades desenvolvidas entre alunos e professores. Tendo arrancado no ano lectivo de 2008/2009 com apenas 133 escolas, é actualmente a única campanha de recolha deste tipo de resíduos a decorrer nas escolas nacionais, englobando todos os níveis de escolaridade (Básico, Secundário e Superior).

proprietários dos terrenos, das autarquias, das entidades públicas”.

Para mais informações e inscrições, aceder a www. amoportugal.org.

Pão para as crianças do padre João Campanha de solidariedade O padre João Monteiro da Felícia, missionário da Consolata natural da Golpilheira, está em missão no Brasil, onde oferece o seu amor a Jesus Cristo no serviço aos mais desfavorecidos. Aqueles que, ainda antes da fé, precisam de pão para a boca. Desde 2006, o Jornal da Golpilheira tem uma campanha permanente para ajuda ao seu trabalho. Neste momento, será para as três casas de acolhimento a crianças e jovens com Sida na sua paróquia, em S. Paulo. Desde 2006, já enviámos um total de 7.927 euros! Este mês recebemos 150 euros: - Vitor Martins - 150 euros

Colabore! Seja solidário... Contacte:

• CRG - R. Baçairo, 856 - 2440-234 GOLPILHEIRA • Pe. José Gonçalves (Pároco da Batalha) • António Monteiro Rosa (Casal Mil Homens)

...e poupe nos impostos!

Os Missionários passam recibo da sua oferta, que poderá deduzir no IRS. Basta que junte ao donativo o seu nome, morada e o n.º de contribuinte.


18

Jornal da Golpilheira

. diversas .

Fevereiro de 2013

. política familiar .

. obituário .

Relatório do FMI: Estaremos a falar do mesmo?

Foto colocada no Facebook por Nelson Matos

. mãos namassa.

Este país não é para ter filhos?

Sofia Ferraz

Atum à Brás Ingredientes 3 latas de atum em conserva 1 lata de milho 3 dentes de alho 1 cebola 1 embalagem de batata palha ou batata cortada muito fininha e frita na hora 6 ovos azeite salsa sal e pimenta Preparação Num tacho, coloque um fio de azeite com a cebola e o alho cortados finamente até alourar. Junte o atum escorrido do óleo, o milho e tempere, caso ache necessário, com sal. Deixe refogar um pouco mais. Retire do lume e junte as batatas previamente fritas (palitos muitos finos). Batem-se os ovos, a salsa e a pimenta com um garfo. Leva-se o preparado do atum novamente ao lume e misturam-se os ovos mexendo sempre para não pegar. Retire do lume sem deixar enxugar muito os ovos. Sirva decorado com azeitonas e acompanhado de uma salada de alface. Sugestão: pode também acrescentar cogumelos laminados. Bom apetite!

O recentemente apresentado Relatório do FMI lança a seguinte pergunta: será que benefícios pecuniários às famílias promovem o aumento de nascimentos? Nas considerações apresentadas, são dados como exemplo a Suécia e a França, afirmando-se que o impacto dos benefícios pecuniários é pequeno e de duração temporária e concluem dizendo que, se Portugal se quer envolver em políticas para aumentar a fertilidade, seria bom que se virasse noutras direcções diferentes de benefícios em dinheiro para as famílias. De referir que, quer a Suécia, quer a França, tiveram há vários anos também um problema de fertilidade, que resolveram combater energicamente e com resultados, mantendo ainda activas muitas dessas medidas. Mais do que palavras, aqui ficam os dados actuais:

Faleceu o “Carcaça” Recebemos, via Facebook, a comunicação de que faleceu, já no passado mês de Setembro, José Caldas Ribeiro, uma figura “carismática” da vila batalhense, onde era popularmente conhecido por “Carcaça”. Segundo nos informou o batalhense José Manuel Barros, “esteve durante alguns anos num lar em Alvaiázere, tendo passado ultimamente para outro lar em S. Martinho do Porto, onde veio a falecer. Consta que o Núcleo da Batalha da Liga dos Combatentes está a tentar a trasladação dos seus restos mortais para o cemitério da Batalha. Deixamos a notícia aos muitos dos nossos leitores que o conheciam e a todos pedimos uma oração pelo seu eterno descanso. Agradecimento

* Só recebem as famílias com rendimento de referência mensal abaixo de 628,83 euros e o valor varia com a idade e o escalão – os valores do exemplo são os do 1.º escalão (rendimento inferior a 209,61 euros) para filhos com mais de três anos.

Joaquim Monteiro

Tendo em conta o contexto que todos conhecemos das condições das famílias com filhos em Portugal, propomos ao FMI que refaça a sua pergunta para: será que a penalização das famílias com filhos promove a redução dos nascimentos? Associação Portuguesa de Famílias Numerosas

N. 09-07-1926 F. 13-02-2013 Sua esposa: Júlia Monteiro, filhos: Joaquim, Jucelino e Paulo Monteiro, netos e restantes familiares, na impossibilidade de o fazerem pessoalmente, como era seu desejo, vêm de forma reconhecida agradecer a todos os que prestaram homenagem ao seu familiar, acompanhando-o até à sua última morada. A todos, muito obrigados.

No Museu de Arte Sacra e Etnologia - Consolata, em Fátima

Exposição fotográfica “Damas de Carvão” Abriu ao público, no passado dia 16 de Fevereiro, a exposição temporária de fotografia «Damas de Carvão». Patente no Museu de Arte Sacra e Etnologia, a exposição é composta por 23 trabalhos da fotojornalista Ana Paula Ribeiro, da revista Fátima Missionária, aquando a sua deslocação à Costa do Marfim em 2011. A autora, o padre Luís Maurício Guevara e o designer Daniel Ferreira estiveram 15 dias na Costa do Marfim, onde percorreram dois mil quilómetros, guiados por Pietro Villa, missionário da Consolata italiano. Visitaram as carvoarias de San Pedro onde dezenas de mulheres trabalham na produção de carvão vegetal. Com os desperdícios de uma serração, fazem montes de pedaços de madeira e serradura, calcam com as mãos e deixam arder durante uma semana. Separam depois o carvão da cinza, que embalam em sacos de plástico para vender. A cidade de San Pedro fica no sul da Costa do Marfim, onde desembarcou, na última metade do século XV, o explorador português Soeiro da Costa. À diocese de San Pedro chegaram, em 1996, os primeiros missionários da Consolata. Com uma área de 322.463 quilómetros quadrados, a Costa do Marfim, ex-colónia francesa, tem mais de 20 milhões de habitantes. Cerca de 40 por cento são estrangeiros, oriundos dos países vizinhos, a maioria do Burkina Faso e do Mali. Esta é uma homenagem a todos os homens e mulheres que, no seu dia-a-dia e em situações limite, não deixam de colorir a vida com um sorriso de esperança. Pode ser visitada diariamente, das 10h00 às 17h00, excepto à segunda-feira, até 31 de Março.

Agradecimento

José Frazão da Silva Bagagem N. 16-02-1938 F. 20-01-2013 Seus irmãos, sobrinhos e restantes familiares, na impossibilidade de o fazerem pessoalmente, como era seu desejo, vêm de forma reconhecida agradecer a todos os que prestaram homenagem ao seu familiar, acompanhando-o até à sua última morada. A todos, muito obrigados.

pub

Agência Funerária Santos & Matias, L.da SERVIÇOS

FÚNEBRES

Brancas (Residência e Armazém) –  244 765764 Batalha (Escritório) -  244 768685 fune_santosematias@sapo.pt • 96 702 7733


Jornal da Golpilheira

19

. a fechar .

. poesia .

Fevereiro de 2013

A vida é uma missão E é reservando no dia mundial Que essa missão de fé floresce Para que possamos unidos por igual Sentir a felicidade futura na criança que cresce. Que fortaleça em cada segundo A forca da fé e o contributo da esperança Será uma caminhada valiosa neste mundo E continua a perseverança. A vida é uma missão, Criada como semente E a fé é da vida a lição De quem é verdadeiramente crente. Eu sinto a forma de viver, Numa entrega familiar A minha doação é directa para dizer Estou aqui unido a semear. Dar com fé e amor E construir para muitos o bem E sentir que ajudou alguém na sua dor Sem olhar o que faz e a quem. A minha verdadeira missão É ajudar enquanto puder E sentir de verdade no coração A tristeza de quem no mundo está a sofrer. José António Carreira Santos

Bombeiros Voluntários da Batalha G.N.R. Batalha Junta de Freguesia Golpilheira Câmara Municipal Batalha Extensão de Saúde da Golpilheira Centro de Saúde da Batalha Centro Hospitalar N. S. C. - Brancas Hospital de Santo André Farmácia Padrão – Golpilheira Farmácia Padrão (Batalha) Farmácia Ferraz (Batalha) Escola Primária da Golpilheira Jardim-de-Infância da Golpilheira Agrupamento Escolas Batalha Segurança Social (Geral) Conservatória R. C. P. C. Batalha Finanças da Batalha Misericórdia da Batalha Correios (CTT) - Batalha Posto de Turismo da Batalha Biblioteca Municipal Batalha Cinema/Auditório Municipal Museu Comunidade Concelhia Batalha Mosteiro de Santa Maria da Vitória EDP - Avarias (24 horas) Águas do Lena (Piquete: 939 080 820) Rodoviária – Agência Batalha Táxis da Batalha Rádio Batalha Centro Recreativo da Golpilheira

Ora avia-me aí um traçadinho, rápido, antes que venha a troika rapar-me o resto do ordenado!

Por falar nisso, estive aqui a ver o livro dos calotes e tens já uma bela conta! Está na hora de começares a pagar, que isto de emitir dívida pública em teu nome já não dá mais...

Grândola, vila moreeena... terra daaaa fraternidáaadeee...

Cantiga da moda

. foto do mês. LMFerraz Stocks de boas leituras... A feira de stocks organizada pelos comerciantes da Batalha teve muitas coisas boas, algumas delas de borla, como foi o caso do Jornal da Golpilheira. É caso para dizer que também houve stock de boas leituras...

244 768 500 244 769 120 244 767 018 244 769 110 244 766 836 244 769 920 244 769 430 244 817 000 244 767 856 244 765 449 244 765 124 244 766 744 244 767 178 244 769 290 808 266 266 244 764 120 244 765 167 244 766 366 244 769 101 244 765 180 244 769 871 244 769 870 244 769 878 244 765 497 800 506 506 244 764 080 244 765 505 244 765 410 244 769 720 244 768 568

divulgação / apoio

divulgação / apoio

Ficha Técnica Registo ICS . 120 146 / Depósito Legal . 104.295/96 Contribuinte . 501 101 829 Director . Luís Miguel Ferraz (CP 5023) Director-adjunto . Manuel Carreira Rito (TE-395) Composição . Paginação . Luís Miguel Ferraz Colaboradores . Ana Maria Henriques, António Ferraz (assinaturas), Carina Pereira, Carolina Carvalho (secretária), Catarina Bagagem, Célia Capitão, Cremilde Monteiro, Filomena Meneses (assinaturas), Joaquim Santos, José António Santos, José Jordão Cruz, José Travaços Santos, Marco Ferraz (publicidade), Pedro Jerónimo, Rui Gouveia, Sofia Ferraz. Propriedade/Editor . Centro Recreativo da Golpilheira (Instituição Utilidade Pública - D.R. 239/92 de 16/10) Presidente: Belarmino Videira dos Santos Almeida Sede . Estrada do Baçairo, 856 - 2440-234 Golpilheira Tel. 965022333 / 244 768 568 . Fax 244 766 710 Composição. Est. do Vale, 100 - 2440-232 Golpilheira Impressão . Empresa Diário do Minho, Lda . Tel. 253303170 Tiragem desta edição . 1500 exemplares Sítio: www.jornaldagolpilheira.pt Blog: www.jgolpilheira.blogspot.pt Facebook: www.facebook.com/jgolpilheira Twitter: www.twitter.com/jgolpilheira Email: geral@jornaldagolpilheira.pt

Nome _____________________________________________

Assinatura anual PT : 8 euros Europa: 12 euros Resto Mundo: 15 euros

Rua _______________________________________________ Nº ___________ Localidade _______________________________________________________________ Código Postal __ __ __ __ - __ __ __

________________________________________

Tel. _____________ Email: _________________________ Data Nasc. ___ / ___ / _____ Entregar ou enviar para: Centro Recreativo - Est. Baçairo, 856 - 2440-234 GOLPILHEIRA

Ouça em 104.8 FM ou em www.radiobatalha.com


20

. pub .

Jornal da Golpilheira Fevereiro de 2013

EC - Consulting Escritório de Contabilidade Responsável | Técnica Oficial de Contas Elisabete de Almeida Cruz

a!13 r u rt e 20

e d abde Março e R 4

Com um cantin especiaho para a l pequen ada...

ESCRITÓRIO 1 (Sede) Rua Adrião, n.º 208 2440-234 Golpilheira info.ec.consulting@gmail.com

Gestão Empresarial Contabilidade Consultoria Fiscalidade Marketing

Horário Dias úteis das 14h30 às 18h00 (Mediante pedido, atendemos além deste horário, inclusivé aos sábados)

ESCRITÓRIO 2 Rua Infante D. Fernando, Lote 1 - 1.º B/C 2440-118 Batalha info@ec-consulting.pt

• Projectos de Investimento • Formação profissional • Apoio: preenchimento das declarações de IRS e outra documentação

Horário de atendimento Dias úteis das 09h00 às 13h00 (Mediante pedido, atendemos além deste horário, inclusivé aos sábados)

Contactos gerais: Telefone 244 766 718 Fax 244 768 812 Telemóvel 914 336 600

Mantém-se a excelência do serviço

... de resto, mudámos tudo! Venha (re)conhecer um espaço totalmente renovado a pensar no seu conforto! Rua Adrião, 247 • S. Bento Golpilheira • Tel. 244 765 342

• Queijadas conventuais • Pastelaria variada • Pão com chouriço • Pão com leitão • E doses de bom gosto...

Procura a casa dos seus sonhos? Quer reduzir a prestação do empréstimo?

A Solução na Habitação...

Pç. Município, Lt.5-r/c D. 2440-107 BATALHA Tel. 244766202 / 912230888 SOCIEDADE DE MEDIAÇÃO IMOBILIÁRIA, LDA. Licença AMI n.º 7416

! o id t n a r a g o t n e m ia Financ

Pesquise as promoções a nível nacional:

www.leninveste.pt

Urbanização Aldeia de Santa Marta Zona calma na Calvaria de Cima Vivendas individuais • 140.000 euros

Conheça os imóveis em promoção dos

BANCOS

Veja uma nova forma de construção super-económica... VIVENDAS MODELARES com 20 anos de garantia! Tempo de construção = 90 dias!

Visite a maior exposição da zona centro Junto à Exposalão Batalha

em todo o País!!!

Venha confirm ar os nos sos bon s negóci os de terreno s!

Figura ilustrativa

dar! s Temos para aenrtorsene Es critório m

Vivendas, Aparta

Fábrica e Escritório: Casal da Amieira Apartado 201 2440-901 BATALHA

PAVIMENTOS REVESTIMENTOS ARTE FUNERÁRIA Sócio Gerente Luís Filipe Miguel – 919 937 770 Telefones: 244 765 217 • 244 765 526 • 244 765 529 Fax: 244 765 529 • E-mail: granicentro@granicentro.pt Home page: www.granicentro.pt

1302 Jornal da Golpilheira Fevereiro 2013  

Edição de Fevereiro de 2013 do Jornal da Golpilheira - publicação mensal da freguesia da Golpilheira, concelho da Batalha, distrito de Leiri...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you