Page 1

Notícias

Dez. 14 Ano 11| Número 2

da Escola

E-mail: jornal.ebsis@gmail.com

Agrupamento de Escolas de Viana do Alentejo - Editorial

2

- CPCJVA

2

- Comissão de finalistas

3

- Associação de Pais

3

- Eco-Escolas

4

- Dia do Não Fumador

4

- Halloween

5

- Curso Vocacional de Alcáçovas

5

- Atividades dos Jardim de Infância

6

- Carta aos amigos grandes

7

- Feirinha de outono

8

- Dia Mundial da Cultura Científica

9

- Visitas de Estudo

Dia Nacional da Cultura

Científica Pág. 9

10 e 11

- Serviço de Psicologia e Orientação

12

- Bullying

13

- Entrevista a José Lacerda

14

- Biblioteca Escolar

15

- Gabinete de Saúde

16

- Autarquia e Educação

17

- Desporto Escolar

Comemoração do

18e 19

- Correio sentimental e espiritual

20

- Presépio

20

Pág. 8

Feira do Livro

Pág.15

IV Feirinha de Outono


2 CPCJ COMEMOROU 25 ANOS DA CONVENÇÃO

EDITORIAL O Natal é um tempo de solidariedade. São muitas as formas que a solidariedade assume nesta época especial, como a participação em campanhas de recolha de alimentos, a oferta de presentes a quem pouco ou nada tem, a colaboração na compra de objetos simbólicos com o fim de ajudar instituições de cariz humanitário, o voluntariado para ajudar os que mais precisam…Estas são ações práticas e efetivas de demonstração de solidariedade que exigem vontade, motivação e algum esforço. Sabemos, contudo, que a solidariedade se manifesta igualmente através de pequenos gestos de entreajuda, atenção e simpatia em relação aos que nos rodeiam, sem que isso nos exija grande esforço ou dispêndio de energia. Assim sendo, percebemos que ser solidário não dá trabalho nenhum, é só olhar em volta, sorrir, perguntar “se precisa de algo”, pedir “por favor”, dizer “obrigado”, ser atento e atencioso, dar e aceitar. Não custa nada.

SOBRE OS DIREITOS DAS CRIANÇAS No âmbito da comemoração dos 25 anos da Convenção sobre os Direitos das Crianças (20 de Novembro de 1989), a CPCJ de Viana do Alentejo em parceria com a C. M. de Viana do Alentejo, promoveu um conjunto de visitas de estudo ao “Road Park – Parque de cidadania rodoviária” e à “Aldeia da Terra”, ambos localizados em Arraiolos. As referidas visitas realizaram-se nos dias 17, 19, 20 e 21 de novembro e envolveram todos os alunos do 1º ciclo do concelho (Aguiar, Alcáçovas e Viana do Alentejo), num universo aproximado de 200 alunos. Da parte da manhã os alunos participaram no programa organizado pelo “Road Park”, composto por uma componente mais teórica, onde foram apresentadas situações de cidadania rodoviária, em laboratório, apresentação de histórias e respetiva ilustração, e apresentações em suporte informático. A culminar este programa, os alunos tiveram ainda oportunidade de percorrer a pista em carros movidos a pedal, sob a orientação de elementos da GNR.

Por ser fácil, apelo a todos para que deem expressão ao “ser solidário” que existe em cada um de vós e vivam, assim, um Natal em pleno, olhando atenta e atenciosamente em redor, agindo e surpreendendo os outros. Feliz Natal e Bom Ano Novo.

Profª Gertrudes Pinto

Notícias da Escola com o apoio de: Câmara Municipal de Viana do Alentejo

Seguia-se o período de almoço, num espaço dotado de excelentes condições, o Pavilhão Multi-Usos de Arraiolos, gentilmente cedido pela respetiva autarquia. Na parte da tarde, o programa prosseguia com uma visita à “Aldeia da Terra”, onde ninguém ficou indiferente às cerca de 1500 personagens de barro ali existentes, retratando muito da nossa cultura e da história contemporânea. Houve ainda oportunidade para os pequenos artistas porem à prova a sua habilidade no manuseamento do barro, sobressaindo, em alguns casos, talento e aptidão natural. Para além da componente lúdica, dos momentos de animação, alegria e convívio, que transformaram estes dias, em dias únicos e diferentes para cada uma das crianças participantes, houve também oportunidade de aprender e experimentar de forma descontraída. Sobra a convicção de que terá valido a pena!


3

Comissão de Finalistas

Este ano, na nossa escola, as turmas do 12º ano juntaram-se, mais uma vez, para a cooperação na comissão de finalistas. A comissão de finalistas, tem realizado, com o objectivo de angariar dinheiro para a viagem de finalistas, venda de crepes na escola, vendas de bolos e doces variados no mercado de Alvito e ainda na feira da ladra, distribuídas pelas três freguesias do concelho de Viana do Alentejo, com o apoio da câmara Municipal de Viana e das juntas da Freguesia de Viana, Alcáçovas, Aguiar e ainda com o apoio da associação de pais.

estaremos ainda, na Vila do Torrão, numa festa nas férias do Natal, sem esquecer a festa que ainda estamos a trabalhar no CineTeatro no início do próximo ano. Tencionamos continuar com o

Marcámos presença na Mostra trabalho feito até agora para que, no final, possamos desfrutar a nossa viagem de finalistas ao máximo.

de Doçaria das Alcáçovas, com uma mesa repleta dos mais diversos tipos de bolos, doces e crepes e

Por fim, realizaremos o nosso tão desejado baile de finalistas, que será para nós uma noite muito especial e, provavelmente, o nosso último protejo enquanto comissão de finalistas. Todo o nosso esforço ao longo deste primeiro e segundo períodos, ser-nos-á recompensado com aquela, que provavelmente, irá ser a semana das nossas vidas, a semana na “Calpe Festival Village 2015”, a nossa grande viagem de finalistas. A Comissão de Finalistas

Nossos educandos

Nosso maior tesouro, nossa maior preocupação, a sua educação, nossa missão maior. A participação dos pais na vida da escola é sobretudo um ato de amor. Por amarmos tanto, é nosso dever envolvermo-nos nessa vida e darmos o melhor de nós. Nós, vós, associação de pais temos um único objetivo, tornar a vida dos que tanto amamos, o mais justa, o mais adequada, o mais frutífera o mais feliz. Por isso apelamos mais uma vez a todos os pais e encarregados de educação: participem, opinem, envolvam-se, preocupem-se, lutem e defendam os interesses e o bemestar das nossas crianças. Juntos seremos mais fortes, juntos alcançaremos mais objetivos, juntos daremos mais de nós. Associem-se na associação de pais, participem nas reuniões mensais, deem o vosso contributo para fazermos mais e melhor. Desta forma sairemos todos a ganhar:

CRIANÇAS MAIS FELIZES, COM MAIS DIREITOS ASSISTIDOS, COM DIREITO A UMA ESCOLA E A UM FUTURO CADA VEZ MELHOR


4

Eco-Escolas

Embalagens Tetra Pak Afinal, em que contentor as colocar? As embalagens Tetra Pak oferecem uma das melhores soluções para armazenar alimentos, já que protegem o seu conteúdo de bactérias e outros microrganismos. O alimento dentro da embalagem Tetra Pak mantém-se 100% natural. De acordo com o seu fabricante, estas embalagens são formadas, em média, por: •73 % de papelão produzido a partir de madeira das florestas do norte da Europa; •20 a 23 % de polietileno (derivado do petróleo), que garante a selagem e atua como uma cola entre os diferentes materiais; 4 ou 5 % de alumínio, que constitui uma barreira para o ar, os odores e a luz. Meio século após a invenção das embalagens Tetra Pak, ainda exis-

tem muitas pessoas com dúvidas onde as colocar: no contentor azul, destinado às embalagens de cartão? Ou nocontentor amarelo, das embalagens de plástico e metal? Em Portugal, quando se iniciou a recolha destas embalagens, existiram divergências quanto ao contentor mais adequado para a sua deposição, variando até a sua recolha de município para município. Mas após análise da situação, a Sociedade Ponto Verde e o Ministério do Ambiente optaram pela solução do contentor amarelo, tal como acontece na maior parte dos países europeus. Para que as embalagens Tetra Pak possam ser recicladas: Despeje todo o seu conteúdo; Espalme-as para ocuparem menos espaço em casa, facilitar o seu transporte e diminuir o número de deslocações ao ecoponto; Deposite no ecoponto amarelo. A Equipa do Projeto Eco-Escolas

Notícias da Escola com o apoio de: Junta de Freguesia de Aguiar Viana do Alentejo

Dia Mundial do Não Fumador

Este dia foi criado pelos EstadosMembros da Organização Mundial da Saúde (OMS), em 1987, com o objetivo de chamar a atenção global para a epidemia do tabaco e para os malefícios que ele provoca na saúde. O fumo do tabaco contém cerca de 70 produtos químicos que podem causar cancro. E ao danificar o ADN pode causar cancro em quase todas as partes do corpo. Fumar é mau e causa muitas doenças graves. Apesar das inúmeras campanhas anti-tabaco que têm sido feitas e embora tenha havido um grande progresso na diminuição do consumo de tabaco, continua a ser preocupante a percentagem elevada de jovens que fuma. O tabaco contém nicotina, uma droga altamente viciante que faz com que muitos jovens progridam de uma situação em que fumam ocasionalmente para outra em que fumam todos os dias. Na nossa escola, como já é hábito, comemorou-se uma vez mais este dia tentando relembrar a comunidade escolar que o tabagismo e a saúde não se misturam! Alguns alunos do 9º ano realizaram trabalhos que pretendem alertar para os efeitos que o tabaco tem para a saúde quer dos fumadores ativos quer dos fumadores passivos.

Profª. Filomena Pereira


5

Halloween … com doçuras e sem travessuras! Na Escola Básica de Alcáçovas, os alunos do Curso Vocacional de Agricultura, Transformação e Comércio (ATC) dinamizaram o Dia do Halloween ou Dia das Bruxas. Nas aulas da disciplina de Transformação e Controlo Alimentar (TCA), os alunos prepararam o Dia do Halloween, no que respeita à decoração e às doçuras. Sob orientação da docente da disciplina, Floripe Abreu, os alunos começaram por construir as típicas lanternas de abóboras. Para tal, após lavarem muito bem as abóboras, deixaram-nas secar, cortaram-lhes a parte superior em forma circular (tampa), originando a abertura através da qual foi retirado todo o recheio, e rasparam muito bem as paredes até ficarem lisas. A seguir, usando a imaginação, foram feitos desenhos na abóbora, que foram, posteriormente, recortados. O recheio foi utilizado para a confeção de compotas (com e sem nozes).

As doçuras não ficaram pelas compotas... Seguindo uma receita, os alunos colocaram as “mãos na massa” e o resultado foram deliciosas bolachas de diferentes formas

(morcegos, aranhas, fantasmas, gatos e abóboras). No dia 31 de outubro, foi o momento de surpreender a Comunidade Educativa… com doçuras. Foram oferecidas bolachas e tos-

tas com compota. À entrada da escola, estava uma mesa enfeitada com as lanternas de abóboras, onde os visitantes podiam provar as bolachas acom-

Notícias da Escola com o apoio de:

panhadas por um chá “sangue de vampiro”. Os alunos mostraram-se bastante empenhados, quer na preparação, quer na dinamização do Dia do Halloween. Os comentários por parte da restante comunidade educativa foram bastante positivos. E assim se comemorou o Halloween, com doçuras e sem travessuras!

Profª Floripe Abreu


6

Atividades dos Jardins de Infância do Agrupamento

No dia de São Martinho fomos à Feirinha a Viana do Alentejo. E à tarde cantámos várias canções para as Famílias, terminando com um lanche. História: “O Menino Sabia Brincar”.

Que Não

“Ajudamos na causa e fomos uma família Pijama”.

Ação de Sensibilização “SER GNR”. Transmitiu-se que o Guarda é AMIGO.

Dia Nacional do Pijama

“ Visualização do Filme”

Direitos das Crianças Escolhemos – Ter uma Família Jardim de Infância de Aguiar

Agradecemos ao professor Nelson e ao Bruno, por nos terem ajudado a divertir, neste dia onde todos juntos ajudámos outras crianças.

Ai que susto? Jardim de Infância de Viana do Alentejo No dia 20 de novembro as crianças do Jardim de Infância de Viana do Alentejo comemoraram o dia Nacional do Pijama. Foi muito divertido, convidamos os alunos do 1º ciclo e todos juntos, vestidos de pijama, fizemos uma mega aula de

ginástica no pavilhão. Ao fim do dia, voltámos a fazer uma aula de ginástica, com os pais dos meninos do jardim de Infância, vestidos de pijama, cuja receita foi para ajudar a nossa amiga Ana.

No dia 11 de novembro as crianças do jardim de Infância de Viana do Alentejo, vestiram-se de bruxinhas e foram assustar os meninos do 1º ciclo e ainda os utentes do Lar. Foi um dia com muita magia e divertido. Jardim de Infância de Viana


7

Queridos amigos grandes Alcáçovas, 14 de novembro de 2014. Queridos amigos grandes. Ajudem-nos a tomar conta da nossa horta. A horta é para todos verem. Derrubar e atirar lixo para as plantas, digam que isso é muito feio. Quando estiverem a correr ou a jogar à bola, não derrubem os garrafões de água das plantas. As flores são para todos verem e cheirarem, mas não se podem arrancar. Se virem algum ladrão a roubar as alfaces ou outros legumes, chamem a Diretora que ela vai chamar o guarda Meneses e o pai do João Pedro, do Ricardo, do Gabriel e o pai da Constança e do João Gabriel. Adeus e obrigado! Meninos do Jardim de Infância de Alcáçovas

Horta do Sol

Meninos do Jardim de Infância de Alcáçovas

Convidámos a D. Celeste, que nos ofereceu as sementes, o pai da Leonor, que nos ofereceu a terra fofinha, a D. Quina, que deu as caixas da horta, e a D. Marisa (mãe do Salvador), que nos deu flores para a nossa horta ficar bonita. Depois comemos bolo de laranja,

A nossa “Horta do Sol” foi inaugurada, porque já estava pronta e teve uma fita verde que o professor Vítor cortou. Ele disse “A vossa horta está fixe!” e nós batemos muitas palmas. Convidámos as avós da Laura, da Diana e da Carmem, porque nos mostraram as hortas delas. Convidámos também o Sr. Bruno, que pôs o ferro na parede para pendurarmos as plantas e a tabuleta com o nome da horta.

que foi ideia do João Pedro, e o bolo de iogurte, que foi ideia da Laura Serra. Também comemos salame que os meninos da Paula fizeram. Estava tudo delicioso! Agradecemos aos nossos convidados que nos ajudaram, porque ajudar é uma coisa muito simpática.


8

Feirinha de Outono

No dia 11 de outubro de 2014 realizou-se a IV Feirinha de Outono. Os alunos do 4ºF escreveram textos sobre as suas experiências na feira. Eu fui à feirinha, à escola do São João, com os meus colegas, metade da turma foi da parte de manhã e o outro grupo foi da parte da tarde. Na feirinha havia: bolos, bolachas, doce de marmelada e doce de abóbora, chá, castanhas cruas e assadas, nozes, romã, frutos secos, gomas e salame… Eu comprei castanhas cruas, bolachas de manteiga, gomas, bolo de laranja, pastel de grão. Na feirinha, ofereceram-me castanhas assadas. Eu gostei muito de ir à feirinha de outono. Rita Pimpão Teixeira, aluna do 4º F

Às catorze horas fui à minha antiga escola do São João. Pelo caminho vi o meu primo Quim Miguel. Quando chegámos, fui ver a escola antiga e comi castanhas e bebi um chá. Eu vi um bolo grande feito de romã. A minha avó fez queques e umas bolas feitas de salame. Estava lá um senhor a assar castanhas, na parde de trás da escola. A Paula, mãe da Laura, deu-me um bocadinho de mel e noz. Gostei muito de ir à minha escola antiga recordar as minhas brincadeiras. Quando fui à minha escola vi a Elsa Maria e gostei muito da feirinha. David Martins, aluno do 4ºF

As tradições comemorativas do Dia de S. Martinho Na aula de Português falámos nas tradições comemorativas do Dia de S. Martinho. Falámos do que conhecíamos e daquilo que tínhamos ouvido falar. Na escola do 1º ciclo íamos à Feirinha do Outono, comíamos castanhas assadas e realizámos pequenos trabalhos manuais. Este ano, para além de algumas pesquisas que fizemos na sala de aula, também fizemos em grupos de pares, trabalhos alusivos ao S. Martinho e ao Verão de S. Martinho. Nestes trabalhos recordámos a lenda, recolhemos algumas orações e provérbios que invocam o santo. Construímos um caderninho com receitas de culinária, adivi-

nhas e canções tradicionais. Algumas mães colaboraram no arranjo destes trabalhos e quanto a nós, a sua ajuda foi preciosa. Alguns destes trabalhos permaneceram expostos na vitrina do polivalente

da nossa escola até ao advento, pois ficamos muito orgulhosos deles e quisemos partilhá-los com os restantes alunos da nossa escola. Os alunos do 5º B


9

Dia Nacional da Cultura Científica No dia 25 de novembro, a nossa Escola comemorou o Dia Nacional da Cultura Científica; este dia, assinalado a 24 de novembro foi oficialmente instituído em 1997, pelo então ministro da Ciência, em homenagem a Rómulo de Carvalho (nasceu neste dia), professor, investigador e autor de manuais escolares, de livros de investigação científica e de poesia, estes últimos sob o pseudónimo de António Gedeão. São da autoria de António Gedeão os poemas que ouvimos ler

por elementos das turmas A e B do 9.º ano e que foram por eles tão belissimamente ilustrados nas aulas de Educação Visual, tal como foi possível observar ao longo de toda a semana no mural que se encontrava no polivalente. Rómulo de Carvalho publicou cerca de cem obras; uma dessas obras (História de Portugal contada a crianças) foi apresentada pelo professor José Reis. Para finalizar, alguns alunos de Ciências e Tecnologias do Ensino

Secundário apresentaram um dos poemas de António Gedeão que se encontra musicado: “Pedra Filosofal”. O Dia Nacional da Cultura Científica está integrado na Semana da Ciência e da Tecnologia e foi neste âmbito que os alunos de Ciências e Tecnologias do 10.º ano, no dia 2 de dezembro, vestiram a pele de jovens cientistas e visitaram as turmas dos 3.º e 4.º anos para lhes mostrarem um pouco de ciência; fomos muito bem recebidos e, tal como já era esperado… os “Pega – monstros” foram os reis. Profª Maria Augusta Lizardo


10

Visitas de estudo ao Road Park e à Aldeia da Terra No passado dia 20 de novembro, as turmas do 1º ciclo da Escola Básica de Alcáçovas, participaram numa visita de estudo ao "Road Park" e à "Aldeia da Terra" na Vila

de Arraiolos, integrada na comemoração da Assinatura da Convenção dos Direitos da Criança e promovida pela CPCJ de Viana do Alentejo, com o apoio da Câmara Municipal.

A visita foi muito interessante e todos agradecem esta iniciativa. Profª Arminda Barrigoto

A nossa viagem começou bem cedinho… No dia 21 de novembro de 2014, partimos de Viana do Alentejo rumo a Arraiolos, num dia com um sol brilhante e muito quentinho, acompanhados pelas nossas professoras Célia Oliveira e Alda Carmo, pelo professor Manuel Rafael e a nossa querida auxiliar de educação, D. Rosa. Mas, não fomos sozinhos… À nossa espera estavam os colegas, as professoras e a auxiliar de educação da Escola Básica de Aguiar. E, todos juntos, lá continuámos o nosso itinerário da visita de estudo. Por volta das 10 horas, chegámos ao Road Park, em Arraiolos, que é um Circuito de Cidadania Rodoviária, onde aprendemos e relembramos a importância de respeitar e cumprir as regras e sinais de trânsito. Nós fizemos várias atividades: no Laboratório, na Sala de Formação, no Cantinho de Leitura, onde ouvimos a história do “Zé Pimpão, O Acelera”, do José Jorge Letria…mas, o que mais adorámos foi andar nos kart´s, seguindo as orientações do Cabo Menezes e do Sargento Barreto. Para nós foi uma experiência fantástica, sentimo-nos uns verdadeiros condutores! O nosso almoço foi muito diverti-

Notícias da Escola com o apoio de:

Zona Industrial

7090-222 Viana do Alentejo

do, pois fomos comer no Pavilhão Multiusos da bela vila de Arraiolos e, a seguir, brincámos todos juntos. Que boa refeição! À tarde, por volta das 14 horas, seguimos em direção às Ilhas onde fica a “Aldeia da Terra”, um lindo jardim de esculturas, que pertence ao artesão Tiago Cabeça. Nós fomos muito bem recebidos pelo artesão que nos explicou como funciona a sua oficina e o que poderíamos fazer e visitar. Quando nos deu autorização para iniciar a visita pelo jardim foi uma animação… Vimos muitas esculturas engraçadas, caricaturas de pessoas muito conhecidas, como a Amália, o Presidente da República, o Cristiano Ronaldo, o Jorge Jesus, … entre outros. Depois, começámos a nossa oficina de barro, onde cada um pode criar a sua peça e dar asas à sua imaginação. Ficámos um pouco sujos, mas foi muito giro e engraçado. Para terminar, tirámos mais algumas fotografias deste dia diferente e muito educativo que nos ajudou a conhecer novos locais e a saber muito mais! Até para a próxima… Texto coletivo da Turma 3º D EB Viana do Alentejo


11

Visita de estudo ao Museu da Ciência Viva e ao Paço Ducal de Vila Viçosa

No dia 5 de dezembro, os meninos do 4º ano, das turmas E e F, foram visitar o museu da Ciência Viva em Estremoz e o Paço Ducal de Vila Viçosa. A primeira coisa que nós fomos visitar foi o museu da Ciência Viva. No museu, alguns dos meninos da minha turma ficaram com o guia, o senhor Nuno Silva. Ele mostrou-nos que quando colocamos um objeto sem furos dentro de água, o objeto acaba por rebentar. Mostrou-nos também que os peixes conseguem viver debaixo de água, porque a medida de água que está dentro do peixe e fora, é a mesma. Depois, explicou-nos que quando temos algo que tem lá dentro ar e retiramos o ar todo, quando tentamos abrir, não abre, porque o ar o obriga a ficar fechado. Outra coisa de que eu tam-

bém gostei foi quando o meu colega Henrique subiu para uma bicicleta e pedalou, a água que estava lá em baixo, subiu entre os vidros, e chegou ao teto que estava por cima da bicicleta e quando a máquina fez sinal, ele parou e a água desceu, utilizando essa energia para bater num mp3 que estava lá em baixo, fazendo tocar uma música. O guia explicou-nos que quando a chuva bate num cristal, ao fim de muito tempo, o cristal transforma-se em terra. Todas estas experiências acontecem ao longo de muitos e muitos anos. Também gostei de sentir a simulação de um sismo e de um vulcão, ver a réplica de um “ Dinossauro Rex” e de fazer pequenos “fósseis”. À tarde, fomos ao palácio de Vila Viçosa. O guia que nos acompanhou disse-nos que o palácio tinha mais de duas mil portas e que não era nenhum palácio, era uma “casa de férias” dos reis e que o palácio era muito maior. O guia também explicou que a casa de férias foi criada no séc. XV. Tivemos a oportunidade de ver a cozinha, o salão de festas, salas de pinturas, pequenas salas de

passagem e os aposentos reais. O guia explicou-nos que os empregados dormiam por cima. Vimos os quartos dos reis e das rainhas que tinham camas pequenas, porque antigamente as pessoas dormiam meio inclinadas, porque deitadas era a posição dos mortos. Vimos a sala de jantar e o sítio por onde os empregados passavam para não entrarem na parte privada dos reis e das rainhas… Gostei muito desta visita de estudo, mas o sítio que mais gostei de visitar foi o Paço Ducal de Vila Viçosa, porque gostei imenso de ver onde a família real vivia antigamente e gostaria muito de repetir esta visita. Madalena Brito Pegado 4º F

Visita de estudo ao Palácio dos Henriques Na visita de estudo do dia 11 de novembro, durante a aula de História, conhecemos o local onde foi assinado o Tratado das Alcáçovas, o Palácio dos Henriques, em Alcáçovas. Devido às condições pouco seguras em que se encontra este monumento histórico, não pudemos subir ao 1ºandar, no seu interior. Também não foi possível ver as janelas de estilo Manuelino, que se encontram no piso inferior, mas iremos fazê-lo brevemente. A professora apresentou uma breve explicação da história deste monumento, realçando as figuras históricas que estiveram neste local. Sem dúvida que a presença dos reis de Castela, Isabel e Fernando, para assinarem, com o rei D. Afonso V, o

Tratado das Alcáçovas, foi o facto mais marcante. Esse Tratado consistia na divisão do Mundo através de um paralelo traçado a sul das Canárias que reconheceu a Portugal o poder exclusivo sobre as terras a sul desse arquipélago, ficando essas ilhas na posse de Castela. Em seguida, visitámos o Jardim das Conchas, onde observámos, na parede Este, um desenho presente num painel de conhas e azulejos que, curiosamente, é utilizado como símbolo da freguesia das Alcáçovas.

O término da visita foi na Capela das Conchas, local que se encontra em degradação e que, devido ao mesmo motivo, não pudemos visitar. A Capela e o Jardim das Conchas pertenciam ao Palácio dos Henriques. Estas conchas mostram a importância do estilo manuelino, estilo único em Portugal. Após a visita a todos os locais, uma funcionária da Junta de Freguesia, que nos acompanhou, conduziu-nos a uma sala desta Junta, onde está exposta uma cópia do Tratado das Alcáçovas (o original encontra-se na Torre do Tombo, em Lisboa). Fábio Lota 8ºA Alcáçovas


12

Serviço de Psicologia e Orientação O Agrupamento de Escolas de Viana do Alentejo tem disponível, desde final outubro de 2014, um Serviço de Psicologia que tem como objetivo apoiar a Comunidade Escolar a vencer um desafio comum a todos: a Promoção do Sucesso Académico. É um serviço especializado para acompanhar os alunos ao longo do seu percurso escolar, dando o seu contributo: na identificação dos seus interesses e vocações; na intervenção na área das dificuldades de aprendizagem; na promoção e desenvolvimento da sua identidade pessoal e na construção e solidificação do seu projeto de vida. Quem pode recorrer ao SPO? Este serviço destina-se aos alunos, docentes, não docentes, pais e encarregados de educação, que necessitem de algum esclarecimento ou acompanhamento numa das seguintes áreas: Avaliação psicológica– A psicóloga poderá colaborar na avaliação especializada de situações de alunos que apresentem alguma dificuldade de aprendizagem ou de adaptação às tarefas escolares, analisando e propondo estratégias educativas e fazendo um acompanhamento do processo de ensino aprendizagem. Acompanhamento psicológico – Os alunos com alguma dificuldade ao nível emocional, como dificuldades de integração social, dificuldade na resolução de problemas, baixa autoestima, apatia, estados depressivos, ansiedade e stress, entre outros, poderão também recorrer ao apoio da psicóloga da escola. Esta procederá à sua análise e acompanhamento ou encaminhamento para outro serviço, caso se justifique. Orientação escolar e profissional – Esta valência destina-se sobretudo aos alunos do 9º e 12ºanos de escolaridade, que se encontrem no momento de tomada

de decisão. A orientação escolar poderá consistir em sessões preparadas para as turmas, mas também caso se justifiqueem atendimento individual ou em pequeno grupo. Está ainda disponível para pedidos dos encarregados de educação e professores para qualquer esclarecimento sobre estas questões. Apoio ao desenvolvimento do sistema de relações da comunidade educativa: O SPO poderá ainda fazer a ponte com outros organismos da comunidade (saúde, ação social, organismos ligados à formação profissional, empresas, outras escolas, etc.), no sentido de promover uma integração e desenvolvimento plenos dos alunos da escola. Local: Gabinete de Psicologia, no Bloco 3, junto à sala 15. Psicóloga: Patrícia Marques Bom Horário de Funcionamento: Segunda-feira (8h30-13h30 / 14h30-17h30) Quarta- feira (13h30-17h30) Quinta-feira (8h30-13h30 / 14h3017h30)

Patrícia Marques Bom, Psicóloga Escolar

“Estudar…e agora?!” Com o intuito de proporcionar ferramentas aos alunos, ao nível dos métodos e técnicas de estudo e desta forma promover o seu sucesso escolar e evitar a desmotivação, a Psicóloga do Agrupamento dinamizou sessões de sensibilização dedicadas a esta temática, com as turmas do 5º ano de Viana do Alentejo e Alcáçovas, nos dias 17 e 20 de novembro. Esta ação de sensibilização reveste-se de extrema importância, dado que a mudança de escola e ciclo, a adaptação a um novo contexto, o aumento de disciplinas e de professores, da carga horária e das tarefas académicas que os alunos têm de realizar assumem-se como factos que, naturalmente, podem contribuir para que sintam dificuldade em gerir toda a situação e em particular, os seus momentos de estudo privado, principalmente nos alunos que apresentam dificuldades académicas. Como tal, esta mudança pode ter reflexos na sua motivação, empenho e aproveitamento.

O que faz um Psicólogo? O psicólogo ajuda as pessoas a conhecerem-se e a tornarem-se melhores como seres humanos. •Ouve... •Faz perguntas… •Diz

a

sua

opi-

nião… •Faz testes psicológicos… •Observa como a pessoa faz as coisas… •Ajuda a pessoa a compreender o que se passa... •Analisa como a pessoa raciocina, pensa… •Acompanha a pessoa na realização de tarefas para ajudá-la a conhecer e desenvolver capacidades...

Muitos professores, médicos e pais enviam uma criança ao psicólogo quando verificaram problemas na aprendizagem ou mudanças invulgar invulgares no comportamento.

Exemplos: isolarse, mostrar-se muito triste ou irritado, ter medos sem razão, andar sempre distraído, ter frequentemente pesadelos, etc.

Será importante pedir ajuda a um psicólogo? Sim, quando a situação que procupa o aluno está a causar sofrimento emocional e afetar outras áreas da vida, tais como a aprendizagem, a relação com os amigos, em casa, etc.


13

Bullying

5ºA na aula de Educação Cívica

Abecedário sem juízo do 5ºA A, é o Afonso que come o bife insonso. A, é o André que namora com a Salomé. A, é o Aníbal Barão que gosta de chupar o limão. C, é a Carolina que tem uma crina. C, é o Cristiano que ao almoço comeu um pano. D, é o David que se engasgou com uma pevide.

No dia 11 de novembro na aula de Educação Cívica tivemos a visita do Sr. Cabo Meneses, da Escola Segura que nos veio falar sobre o Bullying. Ficámos a saber muito sobre o tema e gostávamos de partilhar convosco. O que é o Bullying? É quando se praticam atos violentos repetidos e com intenção contra uma pessoa indefesa e que provocam danos físicos e psicológicos. Só há um tipo de Bullying? Não, há dois tipos de Bullying: “Bullying direto”, físico, o agressor agride a vítima e às vezes roubalhe coisas, ou verbal, os agressores usam as palavras, insultando a vítima e o “Bullying indireto”, acontece quando o agressor começa um boato sobre um colega e o boato se espalha pela escola. Como se chama o agressor? Chama-se Bully. Como se chama a vítima? Chama-se Bullied. Há vítimas ativas e passivas, as ativas reagem ao agressor de forma violenta e as passivas são indivíduos inseguros, introvertidos e sofrem em silêncio. Como se chamam as pessoas que assistem à agressão? Chamam-se Bystanders ou testemunhas. Na maioria dos casos as testemunhas permanecem caladas e não ajudam a vítima, mas às vezes também incentivam e encorajam o Bully (aplaudem, fil-

mam….). Outras vezes não intervêm, pois pensam que podem piorar a situação da vítima. Sinais de alerta que a vítima pode apresentar: - Isolamento, preferindo a companhia dos adultos; - Queixa-se que está doente, apresenta lesões e perda de apetite; - Insegurança, baixa auto-estima, mal humorada, nervosa, ansiosa, preocupada e recusa ir à escola. Consequências para a vítima: -Imediatas, são as mais marcantes e dolorosas para a vítima. A longo prazo: - Afeta o percurso escolar, - Torna a vítima mais vulnerável e com tendência para se tornar num adulto deprimido e com outros problemas - Medo de experimentar coisas novas - Dor física e psicológica - Depressão - Fúria - Suicídio - Drogas e álcool - Comportamentos antissociais.

MUITO IMPORTANTE Quando estamos perante uma situação de Bullying devemos falar com: pais, irmãos, professores, amigos, GNR. Eles podem ajudar-nos.

D, é o Diogo que com um pum apagou o fogo. H, é a Helena que se ri como uma hiena. I, é a Íris que tem medo do Arco-Íris. J, é o João que come ratos com pão. M, é a Margarida que bebe uma bebida. M, é a Maria que coze ovos ao meio dia. M, é o Miguel Banha que comeu um prato de picanha. M, é o Miguel Serra que toma banho na terra. M, é a Mónica que bebe água tónica. R, é o Rodrigo que levou com um figo. S, é a Sofia que só gosta de batata fria. T, é o Tiago que deu um pum amargo. T, é o Tomás que tem cabeça de ananás. V, é a Vera que só come bananas na primavera. Carolina e Sofia, 5ºA, Alcáçovas


14

Almoço convívio

No domingo dia 30 de novembro alguns funcionários auxiliares e professores estiveram num almoço convívio realizado num restaurante da Amieira. Pretendeu-se partilhar um momento de boa disposição com alguns funcionários recém aposentados da nossa escola, os senhores: António Azinheira, António Coelho e José Marcelino. A boa disposição reinou e o sol abrilhantou o resto da tarde proporcionando um passeio

ENTREVISTA A JOSÉ MANUEL TELES LACERDA José Lacerda nasceu em Évora em 1970, vive em Alcáçovas e é professor na Escola Básica do Torrão. Sempre gostou de dar aulas, de escrever e de ler. Para ele, a escrita é vista como uma forma de terapia. Porque é que quis ser professor? R: Gostava de trabalhar com rapaziadanova como vocês. Editou um livro. Porquê?

ensinar aos meus alunos segundo o novo acordo, achei que deveria escrever obedecendo às novas regras ortográficas. Tinha algum objetivo quando começou a escrever o livro? R: Tinha uma vaga ideia da história que queria contar. Ao longo da escrita do romance, a história começou a ficar mais definida. O livro fala essencialmente da imensidão do mar e do quanto é efémera a existência humana. Já pensou em lançar outro livro? R: Estou atualmente a escrever um livro. Quando será a sua publicação? R: Espero acabá-lo no início do próximo ano. De que livro se trata? R: Isso é surpresa! Alguns dos livros escritos:

à marina do maior lago artificial da europa. Recordamos estes funcionários com carinho pois para além do seu bom desempenho, estiveram sempre disponíveis perante as várias solicitações que

R: Inicialmente, a escrita era para mim uma forma de desabafar os meus sentimentos. Quando me sentia mais chateado e triste, eu escrevia durante algum tempo, e recuperava o meu bom humor. Com o acumular de material escrito, comecei a pensar em escrever um romance e foi o que aconteceu com o livro A Vingança das Vagas. O livro que escreveu é dirigido para que tipo de público? R: Ao início, não pensei no tipo de público a que se destinava o livro. Achei que toda a gente o conseguiria ler, depois as pessoas consideravam que ele não era de leitura fácil. Por isso, podemos dizer que é para um público mais adulto. Gosta de escrever? R: Sim, para mim a escrita é uma forma de terapia.

lhes foram feitas. Desejamos-lhes as maiores felicidades. Profª Antónia Albardeiro

Já se adaptou ao novo Acordo Ortográfico? R: Sim, no livro A Vingança das Vagas, uma vez que eu estava a

Entrevista realizada pelos alunos José Mira, Raquel Merca e Tiago Henriques, 8ºano, Alcáçovas


15

Biblioteca Escolar Coração do Computador Existe um provérbio africano que diz que para se educar uma criança é necessária toda a aldeia. Nos nossos dias, as dimensões da “aldeia” mudaram, transformando-se no planeta Terra. Esta alteração deve-se às comunicações que ligam todo o nosso planeta em rede: todos os continentes estão unidos pela rede informática. Por isso, é fundamental que crianças e jovens desenvolvam competências digitais, que lhes permitem participar deste mundo global, para que tenham acesso à informação, para que cada pessoa construa o seu próprio conhecimento. As Bibliotecas Escolares têm como prioridade a promoção das diversas literacias, de modo a contribuírem para o sucesso educativo, para o sucesso pessoal e social das nossas crianças e jovens. Nes-

te contexto, a partir de uma conversa informal com o Professor Alexandre Nunes da Escola Profissional de Alvito, as BE desenvolveram um projeto de partilha de conhecimentos, entre os alunos do 1.º ano do Curso Técnico de Informática e Gestão, com as crianças das turmas dos1.º e 2.ºanos de todas as escolas do 1.º ciclo do Agrupamento de Escolas de Viana do Alentejo. A 1.ª sessão foi realizada no passado dia 26 de novembro de 2014,

em Viana do Alentejo e as 2.ª e 3.ª sessões foram em Alcáçovas e Aguiar. Os principais objetivos deste projeto foram promover a literacia digital, contribuir para o desenvolvimento de competências no domínio da educação tecnológica, desenvolver a comunicação intergeracional, no sentido de se contribuir para a educação global.

É de salientar que o grupo de alunos do Curso incluía jovens de nacionalidade moçambicana e de nacionalidade brasileira, a par com jovens naturais de Viana do Alentejo, alguns familiares (irmãos) de crianças dos grupos com quem trabalharam. Também é interessante verificar que o Professor Alexandre Nunes é pai de uma das crianças de um dos grupos do 2.º ano. Os futuros técnicos de informática iniciaram a atividade com a apresentação de um filme, em que se visualizou o interior de um computador e as crianças puderam ver os seus componentes. Depois, os alunos mostraram os diversos componentes, os quais as crianças puderam manipular. Depois, os alunos do curso desenvolveram atividades lúdicas e recreativas, como um jogo de perguntas e respostas e ajudaram as crianças, em grupos, a montar computadores, com peças usadas. A BE endereça um grande agradecimento à Escola Profissional de Alvito, ao seu diretor, que autorizou a participação do curso na atividade, ao professor Alexandre Nunes e aos seus alunos!

A Profª Bibliotecária, Rosa Barros

Feira do livro

À semelhança do ano letivo anterior, realizou-se a tradicional Feira do Livro, na EBSIS, em Viana , na EB de Alcáçovas e na Junta de Freguesia de Aguiar. As três freguesias do concelho foram visitadas por livros, para que todas as nossas crianças e jovens, assim como a comunidade tivessem acesso a livros, a preços mais convidativos, nesta época que antecede o Natal. Os/as visitantes puderam folhear livros, contactar com algumas novidades editoriais: as crianças e jovens tiveram a possibilidade de se sentar , ler e ver os livros que lhes apeteceu. Apesar da crise que atravessámos, muitas crianças e jovens tiveram o prazer de levar para casa um livrinho, que, sem dúvida, é o melhor presente que alguém pode dar, ou receber.

Parabéns Biblioteca Escolar! Este ano letivo, as Bibliotecas Escolares do Agrupamento concorreram a projetos promovidos pelo PNL (plano Nacional de Leitura), nomeadamente, ao projeto “A Ler +”, “Ler + Jovem” e “Ler + Mar”! Felizmente, as nossas bibliotecas ganharam dois dos projetos a que concorreram, passando a integrar a Rede Nacional do Projeto “A Ler +”, com o projeto intitulado “ Pela Leitura é que vamos…” e o projeto “Ler + Mar”, com o projeto intitulado “Mar de Pão”. Ao integrarem estes dois projetos nacionais, as BE receberam verba que lhes permitirá atualizar o fundo documental e desenvolver algumas atividades de promoção da leitura, das literacias e de valorização da cultura portuguesa.


16

Os “amiantos” Devido ao seu baixo custo e às suas propriedades, tais como de resistência mecânica, de isolamento térmico, eléctrico, acústico e de protecção contra o fogo, o amianto teve diversas aplicações, nomeadamente na indústria da construção. No início do século XX foi estabelecida a relação entre o amianto e doenças respiratórias observadas em operários que lidavam com o amianto. As doenças associadas ao amianto são, em regra, resultantes da exposição profissional em que houve inalação das fibras respiráveis. A partir de 1980 a utilização do amianto começou a ser regulamentada. Em Portugal, foi proibida a partir de 1 de janeiro de 2005. Regra geral, a presença de amianto em materiais de construção representa um baixo risco para a saúde, desde que o material esteja em bom estado de conservação, não seja friável e não esteja sujeito a agressões diretas. No entanto, o estado português assumiu o compromisso de retirar os materiais contendo amianto eventualmente existentes em edifícios públicos. Neste caso se incluem as escolas como a Isidoro de Sou-

sa de Viana do Alentejo. A remoção de material contendo amianto tem regulamentação própria que visa essencialmente proteger a saúde dos trabalhadores implicados na operação e a deposição segura dos materiais retirados por forma a evitar contaminação ambiental. É opinião de técnicos conceituados que os materiais de cobertura contendo amianto não devem ser retirados a não ser que se apresentem danificados. Foi o que se passou com a cobertura do polivalente da escola Isidoro de Sousa – havia placas de cobertura partidas. E mais, toneladas de água da chuva estavam a acumular-se sobre o teto do polivalente pondo em risco a segurança dos seus utilizadores. Parece, pois, que com a operação de remoção efectuada está o problema resolvido. Mas há outros “amiantos” nesta escola e não estão nos telhados. Estou a referir-me a situações que diariamente colocam em risco a saúde e segurança de todos os que lá passam o dia, muito em especial os alunos. Destas destaco duas que me parecem passíveis de solução a curto prazo: - o trânsito em frente da escola, em especial nas horas de pon-

Notícias da Escola com o apoio de:

Dr. Augusto Brito

ta, é caótico. E, para além dos problemas relacionados com a segurança, aquilo que por lá se vê é péssimo para a formação cívica das crianças e jovens que frequentam a escola. É só maus exemplos… - as crianças andam a transportar às costas pesos que são muito superiores ao recomendado (10% do peso corporal). Em tempos ainda tinham acesso a armários mas estes foramse deteriorando e foram retirados. Estes são dois problemas que francamente me preocupam muito mais que o amianto das coberturas. E que podem ser facilmente resolvidos desde que nos empenhemos nisso.


17

Autarquia e Educação Conversas de Abril

Oficina Aberta – Pausa Letiva do Natal Em época natalícia, o Município de Viana do Alentejo em colaboração com a Associação de Pais de Viana do Alentejo e Aguiar, Agrupamento de Escolas de Viana do Alentejo e Junta de Freguesia de Alcáçovas concebeu para os mais novos um programa de férias educativas. O programa “ Oficina Aberta –Pausa Letiva de Natal “ para crianças dos 6 aos 13 anos, visa proporcionar às crianças locais a ocupação dos seus tempos livres em atividades promotoras do seu

desenvolvimento harmonioso, nomeadamente, ao nível do lazer, desporto e cultura, num ambiente de segurança e bemestar. Todos os participantes, ao longo de uma semana, terão a oportunidade de vivenciar novos estímulos e experiencias, promovendo a cooperação e o relacionamento social entre si. Na pausa letiva da Páscoa teremos a “Oficina Aberta – Pausa Letiva da Páscoa”, com muitas atividades e diversão!

Festa de Natal para 400 crianças do Concelho Como já é tradição o Município oferece um espetáculo de Natal para as crianças do préescolar e 1º ciclo. Cerca de 400 crianças dos jardins de infância e do 1º ciclo de Viana do Alente-

jo, Alcáçovas e Aguiar participam no dia 15 de dezembro, no cineteatro vianense, na Festa de Natal promovida pelo Município de Viana do Alentejo.

No âmbito do Encerramento dos 40 anos do 25 de abril, o Município de Viana do Alentejoem parceria com o Agrupamento de Escolas, organizou uma sessão com a presença de militares de Abril para os alunos do 9.ºano e ensino secundário, designada "Conversas de Abril". Esta sessão realizou-se na tarde de 11 de dezembro e teve como objetivo sensibilizar e esclarecer os alunos sobre um acontecimento distante no tempo e de grande marco na história do nosso país, a Revolução dos Cravos. Contou entre outros, com o ilustre convidado Prof. Dr. Rui M. Estanco Junqueira Lopes, que foi oficial da Marinha de Guerra e integrou o Movimento das Forças Armadas – MFA.


18

E B S I S

e m

M o v i m e n t o | O Coordenador do Desporto Escolar: Prof. João Horta

Ginástica Artística e No passado dia 26 de novembro realizou-se no castelo de Montemor-o-Novo, o I Encontro do Grupo/ Equipa de Multiatividades do Desporto Escolar. O Agrupamento de Escolas fez-se representar por sete magníficos atletas, que cumpriram bem o seu objetivo de prova, embora uns com mais sentido de orientação do que outros. Esta modalidade é constituída por diversas atividades em formato de competição e também de recreação, na qual se destacam as provas de orientação, raids de BTT, escalada, manobras de cordas (slide; rappel; etc.), canoagem e tiro com arco.

No passado dia 3 de dezembro realizou-se na Escola Básica S. João de Deus de Montemor-oNovo, o I Encontro do Grupo/ Equipa de Ginástica Artística do Desporto Escolar, na qual as ginastas do nosso Agrupamento de Escolas tiveram uma prestação bastante positiva. Tanto na prova de Ginástica de Solo como nas provas de Saltos e de Aparelhos, as nossas ginastas revelaram progressos e consolidaram as suas aprendizagens. Até ao final do ano letivo realizar-se-ão mais três encontros, nos quais ainda vais a tempo de participar, basta para isso, informareste junto do teu professor de Educação Física. Aparece e diverte-te. Prof. Carlos Machado

Futsal

O Futsal na EBSIS, é uma modalidade com tradição no Desporto Escolar. No decorrer do 1ºP, a equipa de Infantis Masculinos, realizou jogos com as escolas das Alcáçovas e da Malagueira. A equipa de Iniciados Femininos, realizou apenas um jogo com a escola de Vila Viçosa. Todas as partidas decorreram com enorme Fair-Play, onde o convívio e a boa disposição foram notas dominantes. Para o 2ºP é importante que todos os alunos envolvidos continuem a participar nos treinos à 4F de tarde para que o Futsal de Viana continue a ter boas prestações desportivas. Prof. João Horta

Arbitragem

Badminton

No dia 3 de dezembro realizou-se um encontro de Badminton em Alcácer do Sal na Escola Básica Pedro Nunes, participaram neste encontro as escolas de Vendas Novas, Montemor o Novo, Alcáçovas e Alcácer do Sal. Os alunos do núcleo do desporto escolar de Alcáçovas estão todos de parabéns, pois para além de terem participado activamente nos jogos ainda conseguiram arrecadar no escalão de iniciados masculinos o 1º e 3º lugares e no escalão infantis B masculinos o 1º lugar. Prof. Helder Malcata

Futsal e Ténis de Mesa Escola EBI/JI das Alcáçovas A equipa de Futsal (escalão de Iniciados B masculinos) já realizou dois jogos para o campeonato, continuando a treinar com empenho e dedicação para melhorar o seu desempenho! A equipa conta 15 praticantes, sendo a maioria do 5º e 7º ano. Os treinos decorrem à quarta-feira e sexta-feira à tarde, sob a responsabilidade do Prof. Pedro Silva, estando ainda aberta a época para novas contratações!

Através do jornal da EBSIS, eu e o grupo de alunos(as) que participam nos grupos de Futsal, deixamos aqui um agradecimento especial ao Rui Grilo e ao Kevin Latas pela disponibilidade de nos poderem ajudar com a sua experiência e sabedoria na sempre difícil tarefa da

tempo de te insceveres e de vires treinar e competir connosco!

Prof. João Horta

Prof. Pedro Silva

arbitragem!!!!

EBSIS O núcleo de Ténis de Mesa (composto por todos os escalões) tem funcionado com dois treinos semanais. O primeiro encontro vai-se realizar na escola de Portel já no próximo dia 10 de dezembro, onde também irão estar presentes alunos da escola de Reguengos de Monsaraz e de Redondo. Ainda vais a


19

E B S I S

e m

M o v i m e n t o | O Coordenador do Desporto Escolar: Prof. João Horta

Corta-Mato Escolar na EBSIS

CORTA MATO ESCOLAR NO NOSSO AGRUPAMENTO para a turma do 12ªC da Escola Básica e Secundária de Viana do Alentejo, pela preciosa colaboração na organização deste evento, às funcionárias do bar pela preparação dos lanches, Câmara Municipal, GNR, Bombeiros Voluntários e à Associação de Estudantes. No dia 5 de novembro realizou-se o corta-mato escolar 2014-2015 na Escola Básica e Secundária de Viana do Alentejo. Tratou-se de uma atividade que contou no total com a participação de 114 alunos de todos os níveis de ensino, na qual uns mais rápidos que os outros, todos desafiaram as suas capacidades e procuraram cumprir a respetiva distância do percurso o mais rápido possível. As classificações finais das provas podem ser consultadas no site do agrupamento de escolas. Os primeiros classificados de cada escalão, irão representar as respetivas escolas a nível distrital no dia 5 de fevereiro em Portel. Um obrigado muito especial

Grupo de Educação Física

Na sexta-feira, dia 7 de novembro, realizou-se o Corta-Mato Escolar da Escola Básica de Alcáçovas, no Lar-

Notícias da Escola com o apoio de: Junta de Freguesia de Viana do Alentejo

go da Gamita. A partida foi na escola, às 9:15h, sendo os alunos acompanhados pelos professores de Educação Física e a funcionária D. Xila, até ao recinto da prova. Os alunos estavam divididos por escalões: Infantis A; Infantis B; Iniciados e os Juvenis. Cada volta tinha a distância de 500 metros. Para prestar assistência médica, estiveram presentes dois elementos do corpo de Bombeiros de Viana do Alentejo, assim como representantes da Junta de Freguesia de Alcáçovas e um agente da Escola Segura. No fim da prova, os alunos tiveram direito ao merecido lanche. Agradecemos a participação da Junta de Freguesia de Alcáçovas pela cedência do espaço e das instalações onde se realizou a prova. Fábio Lota, Helena Merca, João Santos e Maria Grilo, alunos de Alcáçovas


20

Correio sentimental e espiritual Dr.ª Lizette Conselheira sentimental

Obesa em delírio Querida Dra. Lizette, tenho 16 anos, sou uma rapariga de estatura média, bonita, simpática e boa pessoa. O meu grande e único problema é o meu peso excessivo, que é de 84 quilos. Vivo em grande conflito comigo mesma, quero emagrecer e transformarme numa jovem elegante, mas só me apetece comer bolos, chocolates e outras guloseimas. Há quem diga que se estiver um dia

inteiro sem comer absolutamente nada, no dia seguinte poderei comer até 5 bolos e 7 chocolates, acompanhados de 4 ou 5 refrigerantes e, assim mesmo, não engordo e até vou emagrecer. Confesso que há três dias que estou a tentar esta dieta e acho que está a resultar, pois até já sinto as calças mais largas. O único “senão” é a minha falta de força, as tonturas e a má disposição nos dias em que não como. Diga-me como vou equilibrar este meu esforço. Anónima desesperada Minha filha, pressinto que a tua magnífica dieta já te afetou o cérebro. O que estás a fazer

não é uma dieta, mas uma tentativa mais ou menos lenta de suicídio, com tortura pelo meio. Não sendo uma especialista em regimes alimentares, sei, com toda a certeza, que a tua dieta te vai matar, mais tarde ou mais cedo. Se queres emagrecer, trata em primeiro lugar da cabeça, fala com os teus pais, professores, médico de família ou psicólogo, segue os conselhos de gente equilibrada e só depois deves tratar do corpo. Se queres os meus conselhos, não dês ouvidos a gente ignorante, tem juízo e, sobretudo, não sejas gulosa. Lizette de Vasconcellos e Sá

BOAS FESTAS! FELIZ NATAL! On-line http://www.aevianadoalentejo.edu.pt/

Escola Básica e Secundária Dr. Isidoro de Sousa Viana do Alentejo Estrada da Quinta de Santa Maria 7090 Viana do Alentejo Tel.: +351 266 930 070 E-mail: jornal.ebsis@gmail.com Coordenação das professoras Gertrudes Pinto e Florentina Catalão, produção gráfica do professor Francisco Fadista e impressão na EBSIS. Tiragem: 220 exemplares

A tradição da montagem do presépio surge em várias regiões do mundo e tem como objetivo tornar presente o nascimento do Salvador (Menino Jesus), esperado pelos cristãos. O presépio simboliza a simplicidade de Jesus que se quis fazer homem junto de todos, para como e com eles fazer uma caminhada Profª Elsa Ambrósio na fé.

Profile for Notícias da Escola

Notícias da Escola - edição dezembro 2014  

Jornal do Agrupamento de Escolas de Viana do Alentejo

Notícias da Escola - edição dezembro 2014  

Jornal do Agrupamento de Escolas de Viana do Alentejo

Advertisement