Page 12

12

Espaço da Poesia No mundo ao contrário:

Na aula de Língua Portuguesa do 8º ano, no âmbito do estudo do “Texto Poético”, os alunos foram desafiados a criar um poema intitulado “No mundo ao contrário”. Da junção das melhores passagens, resultaram estes dois poemas.

O estudo do texto poético despertou os corações mais apaixonados e a “veia poética”. Aqui estão dois poemas dedicados ao amor.

No mundo ao contrário O amor é fantasia Toda a gente é boa Ai! Já me está a dar azia.

Por vezes no amor Só encontramos desilusão, Pois o que vai na nossa cabeça Nem sempre é o que vai no nosso coração.

No mundo ao contrário Este verso não vai rimar A professora não vai gostar E nega vou tirar

Os olhos são cegos, O coração é mudo, E sem nos apercebemos Perdemos Tudo!

No mundo ao contrário Eu quero estar Vou ser milionário E vou ajudar

As pessoas mudam Sem sequer se aperceber E por vezes quem está de fora É que consegue entender.

No mundo ao contrário Os animais vão para o seminário Os alunos estão na jaula E as feras vão para a aula

Resumindo e concluindo, O amor é traiçoeiro Todos fomos suas vítimas, Mas, acredita, não foste o primeiro.

No mundo ao contrário O pobre é milionário As lágrimas sabem a limão E os homens têm coração

No mundo ao contrário O amor é um terror A beleza um horror E tudo é imaginário

As lágrimas caem, O rosto entristece, São estas as consequências do amor, Quando ele desaparece!

No mundo ao contrário O amor é dispensável No mundo ao contrário A amizade é inflamável

No mundo ao contrário O poeta é leitor O Verão é frio A Primavera não tem cor

Ana Rita Bonito, 8ºB

No mundo ao contrário As pessoas dormem no armário Com medo do colchão À espera do ladrão

No mundo ao contrário Não são todos diferentes Os espertos são burros Os burros inteligentes No mundo ao contrário Sou contra o revolucionário Na aula de Português não quero estar Este texto não vou acabar No mundo ao contrário Irei ceder Mas na vida real Isso não irá acontecer.

Um dia te conheci No outro te perdi Foi muito bom olhar-te Mas eu queria era beijar-te

No mundo ao contrário Tudo é imaginário Um pouco de fantasia Já nos diferencia

Eu sabia que a olhavas E também que a amavas Mesmo assim eu queria Mas eu também sofria

No mundo ao contrário A vida não é assim Parece apenas Uma simples flor de jardim

Um beijo eu te dei E uma lágrima eu deitei Cinco meses a lutar Sem o teu amor encontrar

No mundo ao contrário Só existe amor e paixão O mundo é extraordinário Todos ouvem o seu coração

Para mim eras tudo Mas a ela lhe deste o mundo Foi a mim que tu beijaste Mas foi por ela que choraste

No mundo ao contrário É tudo fantasia É pena que no nosso mundo Não exista felicidade e alegria.

Mas de ti eu não vou fugir Muito menos desistir. Tânia Gonçalves, 8ºA

8ºA

8ºB

Profile for Notícias da Escola

Notícias da Escola  

Notícias da escola dezembro 2011

Notícias da Escola  

Notícias da escola dezembro 2011

Advertisement