Issuu on Google+

02

Opinião

Editorial

Risco e Rabisco

Um Brasil de feriados Esta semana foi mais curta em razão do feriado de Tiradentes comemorado na quarta-feira, dia 21. No mesmo dia comemorou-se a fundação de Brasília, capital federal, mas não é feriado. Há tempo se pergunta a razão para tantos feriados e a justificativa para as datas malucas. Pare e pense: há razão para feriado de Tiradentes? Talvez só para Minas Gerais, até aí tudo bem. Mas parar o Brasil todo... Por que o Descobrimento do Brasil, no dia 22, não é feriado? Ah! 15 de Novembro, Proclamação da República, é feriado nacional. Qual o motivo de se fazer feriado em Corpus Christi e no Dia de Finados? Não há uma explicação lógica. E no dia Primeiro de Maio? Será que precisa tanto? Talvez essa regra maluca de feriados possa ser melhor analisada e mais bem justificada. Porque da forma como está é uma bagunça geral.

Por Roberto Rockembach

MUDANÇA Nesta edição, o Jornal da Cidade chama a atenção para um assunto polêmico. Algumas pessoas estão se mostrando favoráveis à criação de um calçadão na Travessa Arnaldo Busatto, no Centro Norte. O assunto é interessante e não deve cair no esquecimento. O debate tem que ser aberto e ver os prós e os contras desta medida. MUDANÇA 1 Em primeiro momento, a medida traria uma mudança drástica na movimentação dos estabelecimentos. Mas em contrapartida se criaria uma área de lazer de primeira. É hora de ouvir opiniões. MUDANÇA 2 O objetivo do Jornal da Cidade não é tomar partido de qual lado, contra ou a favor.

Imagem da Semana Flagrante às 9h da manhã mostra um grande número de clientes na fila do banco em Dois Vizinhos. O detalhe: a maioria procura ir sempre no mesmo horário.

A intenção é levantar assuntos interessantes e que possam rendem bons frutos à cidade e levar a sociedade a pensar. Desta forma, não ficamos alimentando picuinhas e sim levantamos assuntos de interesse local. ELEIÇÕES Dilma Roussef estará em Curitiba hoje e a única conversa política que manterá é com Orlando Pessuti. Não está previsto nenhum encontro com o ex-governador Roberto Requião ou com o senador Osmar Dias. A visita de Dilma a Pessuti é de cortesia, uma vez que ele assumiu o governo do Estado recentemente. Não há expectativa sobre conversas que levem a uma possível aliança.


PÁGINA 2