Page 1

MEIO AMBIENTE

CIC transforma os "bota-foras" de lixo em jardins

TRÂNSITO

2

Do Portão para a CIC: João Bettega ganha asfalto novo

2

SAÚDE

U.S Jardim Gabineto é renovada e reaberta para a população

3

Curitiba, junho de 2019

#22 CONTEÚDO / INOVAÇÃO / CIDADANIA WWW.JORNALDACIC.COM.BR

Página

5

GRUPO DE RAP J.A.C LEVA PRÊMIO EM FESTIVAL NACIONAL DE CINEMA MEIO AMBIENTE

Horta Vitória Régia beneficia 550 pessoas com alimentos saudáveis

4

GENTE DA CIC

Conheça a trajetória de Robinho do SupiraInk Tattoo

5

CULTURA

Casa da Leitura Paulo Leminski tem aulas de música nas férias

7


02

BOAS NOVAS

Jornal da CIC Junho de 2019

MEIO AMBIENTE

PREFEITURA E MORADORES TRANSFORMAM “BOTA-FORAS” DE LIXO EM JARDINS

Via SMCS

DO PORTÃO PARA A CIC, JOÃO BETTEGA GANHA ASFALTO NOVO O novo pavimento da João Bettega beneficiará o trânsito entre o Portão, a CIC, a Vila Nossa Senhora da Luz e toda a parte sul e oeste da cidade. A obra alcançará 1.630 metros da rua no Portão, partindo da esquina com a Francisco Frischmann até o encontro com a Carlos Klemtz.

NOVE ESCOLAS E CMEIS PASSAM POR MELHORIAS INTERNAS E NA FACHADA Nos últimos seis meses, nove escolas municipais e CMEIs da Regional CIC receberam melhorias. “Algumas unidades tiveram recuperação de forro do teto e outras precisaram ter telhados reformados por conta de vandalismo.

O

s chamados “bota-foras”, pontos de descarte irregular de resíduos, ainda são um problema na CIC, apesar da fiscalização permanente da Secretaria Municipal do Meio Ambiente (SMMA). Mas as parcerias entre a Prefeitura e moradores mostram que é possível reverter este problema e transformar áreas antes repletas de entulhos em jardins. Na Vila Luana, uma parte da área de lazer atrás da UPA CIC vivia cheia de resíduos depositados de forma irregular. Desde o início de junho, no entanto, o local passou por uma revitalização, graças a ação conjunta de vizinhos e da Regional. No lugar de restos de construções, o terreno conta agora com árvores frutíferas, bancos e um terreno limpinho, pronto para receber grama e uma nova ciclovia. “A Prefeitura fez a limpeza da área, instalou os bancos e forneceu as mudas de árvores, que foram plantadas pela população”, conta o administrador da Regional CIC, Raphael Keiji. Desde o início do ano, quatro locais passaram por esta renovação e mais ações estão programadas para os próximos meses. “É um trabalho contínuo e que precisa do apoio de toda a população, que precisa nos ajudar não fazendo descartes irregulares e denunciando quem os faz”, reforça. Ele destaca a atuação da Associação dos Moradores da Vila Luana na mobilização da comunidade. “Famílias inteiras da região usam esta área de lazer e muitos moradores participaram do plantio das árvores e se prontificaram a ajudar a manter o local limpo”, conta João Benedito de Carvalho, presidente da associação. Um dos moradores mais entusiasmados com a transformação da área na Vila Luana é José Justino da Silva, que diariamente cuida do novo jardim. “Ajudei a plantar e também venho todas as manhãs regar e ver se está tudo bem”, conta ele, que mora bem em frente ao local, na Rua Edith Ramos Righu.

Canal extravasor No Conjunto Vitória Régia, as margens do canal extravasor, junto às ruas José Laurindo de Souza e Major Vitor Feijó, também viraram jardinetes cuidados pelos moradores. “No local, equipes da Prefeitura fazem a limpeza permanente do canal e a vizinhança mantém a margem próxima à via bem cuidada”, explica Keiji. A aposentada Ana Maria Vosniak mora há três anos no Vitória Régia e pode ser encontrada todas as manhãs fazendo a poda de plantas e renovando o paisagismo. “A casa da gente não termina no portão. Se não mantermos limpos as calçadas e outros locais próximos, todos seremos prejudicados”, afirma Ana Vosniak. Este ano, além do apoio à revitalização de áreas na Vila Luana e no Conjunto Vitória Régia, a Regional CIC foi parceira de ações comunitárias de renovação em dois locais na Vila Verde. O trabalho conjunto do poder público e dos moradores foi realizado nas margens do canal extravasor, entre as ruas Francisco de Assis Correia e Rua Emílio Romani (junto ao Contorno Sul) e também em um pátio de estacionamento entre as ruas Emilio Romani e Jornalista Augusto Waldrigues. Quem descarta resíduos em locais proibidos comete crime ambiental e pode ser autuado. As multas vão de R$ 11 a R$ 115 mil.

CURSO DE AUXILIAR ADMINISTRATIVO Inscrições abertas para o curso de Auxiliar Administrativo - as aulas começam em 23 de Julho, o curso é gratuito e as vagas são limitadas. Inscrições on-line via Portal CIEE-PR: https:// www.cieepr.org.br a partir do dia 17/06/2019 + informações: (41) 3313-4300

CARTEIRA DE TRABALHO A Carteira de Trabalho e Previdência Social CTPS é o principal documento do trabalhador. O documento é gratuito e pode ser emitido para o cidadão a partir dos 14 anos de idade. Aqui na CIC, você pode agendar atendimento na Regional da Rua

Manoel Valdomiro

de

Macedo,

+ informações: (41) 3350-3500

EXPEDIENTE DIREÇÃO: Larissa Santin- 0011466/PR Razão Social: Larissa Bonilauri Santin CNPJ:28.650.673/0001-06 *distribuição gratuita

seu CIC: 2460


SAÚDE Via SMCS

UNIDADE DE SAÚDE JARDIM GABINETO É RENOVADA E REABRE PARA POPULAÇÃO

03

A

fachada exibindo a pintura novinha já dá pistas de que algo mudou para melhor na Unidade de Saúde Jardim Gabineto, na CIC. Fechado por 15 dias para reformas, o posto de saúde da Prefeitura acaba de reabrir e ganhou renovações internas que permitem oferecer um melhor serviço aos 220 usuários diários do local. “O atendimento dos médicos e enfermeiros já era ótimo. Agora, com a reforma, ficou bem melhor para a gente vir aqui”, garante a auxiliar de serviços gerais Jéssica Martins, 23 anos. A sala de coleta de exames onde Jéssica era atendida, na terça-feira (18/6), foi um dos ambientes que passou por renovação na US Jardim Gabineto. Assim como o local, também ganhou nova pintura e melhorias a sala de acolhimento, onde é feita a triagem para as consultas médicas e enfermagem, vacinas, curativos e retirada de medicação; e o espaço dedicado à esterilização de material contaminado (que teve ainda o piso e bancadas trocados). Outro espaço que recebeu pintura nova e melhorias, como relocação de tomadas que facilitam a circulação de pacientes, é a sala de atendimentos odontológicos. A farmácia, por outro lado, dobrou de tamanho. “Mudamos alguns atendimentos para que esta sala pudesse receber os medicamentos que distribuímos gratuitamente a cerca de 120 pessoas por dia”, conta Ana Curi, autoridade sanitária da US Jardim Gabineto. Com a renovação, a unidade básica da CIC ganhou ainda um consultório a mais. Agora são oito

salas, ao todo, o que deverá ajudar na agilização do atendimento. “Toda a parte administrativa e a coordenação agora estão reunidas em um único espaço. Com isso, o posto passou a ter mais um local para as consultas”, explica Ana. Acompanhada do filho Robert, de 7 anos, a operadora de caixa Lígia Maria dos Santos deixou a US Jardim Gabineto satisfeita com a consulta. “Os médios e enfermeiros são muitos bons e o postinho agora está muito bonito”, elogia ela, que mora desde fevereiro na região e já tinha ido ao local para outros atendimentos. Unidades básicas x UPAs Conhecidas popularmente como “postinhos”, a unidades básicas de saúde são responsáveis pelos cuidados contínuos; promoção de campanhas de prevenção e vacinas; atendimentos gerais para gestantes, crianças e adultos;

POLÍTICA

NOSSO PAPEL CONTRA A CORRUPÇÃO Por Pier Petruzzielo, vereador. Líder do governo na Câmara Municipal de Curitiba

N

os últimos anos, alavancado por questões políticas, temos vivido uma crescente luta contra a corrupção, mas sabemos que, infelizmente, a tendência do ser humano em quebrar regras para conseguir vantagens em benefício próprio é uma prática comum. Isso não é uma situação exclusiva do Brasil, mas nosso “jeitinho brasileiro” tende a contribuir para a banalização de situações que são extremamente graves. O lado positivo é que, recentemente, as pessoas estão mais atentas a esse tipo de atitude, seja na vida pessoal ou profissional. Esse ganho de consciência coletiva evolui o combate a esse costume enraizado e dá espaço para novos conceitos como o do “compliance”, onde técnicas para promover o cumprimento de regras institucionais são propostas. É através de processos bem estabelecidos e transparentes que nós somos estimulados a agir como agentes de mudança, prezando pelas relações éticas e seguras para todos os envolvidos. Nessa onda, temos visto ser aprovadas várias leis federais e estaduais, que incentivam ações de compliance no poder público e, nesse mês, foi a vez de Curitiba dar esse grande passo em busca

agendamentos de consultas com especialistas – tanto em ambulatórios especializados quanto em ambulatórios de hospitais credenciados da Prefeitura. A Secretaria Municipal de Saúde conta com 111 unidades básicas de saúde, que atendem moradores das regiões devidamente cadastrados. Já as Unidades de Pronto-Atendimento (UPAs) oferecem assistência 24 horas por dia para casos clínicos de urgência e emergência a toda a população – como pedras nos rins, dificuldades respiratórias, convulsões, dor abdominal e no peito, entre outros. Curitiba possui nove UPAs, nos bairros Fazendinha, Alto da Glória, CIC, Pinheirinho, Campo Comprido, Boa Vista, Cajuru, Boqueirão e Sítio Cercado.

RATINHO PROPÕE DIÁLOGO E POLICIAIS SUSPENDEM GREVE S

egundo a Adepol-PR, o governador Ratinho Junior (PSD) se comprometeu a apresentar uma proposta em audiência oficial com a classe dos policiais na semana que vem. Em razão disso, foram suspensas as paralisações e operações padrão até o fim do prazo pedido pelo Governo. “Este é o último prazo, a última prova de boavontade. Esperamos que o governo apresente boa fé e cumpra, desta vez, o combinado”, declarou o presidente da Adepol-PR, o delegado Daniel Fagundes.

Entrega de viaturas sucateadas

de transparência e eficiência administrativa. No início do mês, protocolei o projeto de lei que dispõe sobre a criação do Programa de Integridade e Compliance da Administração Pública Municipal. O projeto segue a tramitação da Câmara Municipal e em breve entrará para votação. Enquanto aguardamos a aprovação do projeto, proponho exercitamos nossas relações éticas no dia a dia, lutando contra as pequenas corrupções que somos expostos. pier.petruzziello@cmc.pr.gov.br 41 – 3350 4656

Nesta segunda-feira (24), a categoria se reuniu na sede da Adepol-PR para definir ações para pressionar o Governo. Estiveram presentes representantes das entidades dos Praças e Oficiais da Polícia Militar, dos Agentes Penitenciários, Investigadores, Escrivães, Papiloscopistas e Delegados de Polícia. Uma das ações foi a devolução simbólica de viaturas sucateadas. Uma carreata, com veículos da Polícia Civil e caminhões guinchos levando viaturas com problemas mecânicos saiu do Parque Barigui até o Palácio Iguaçu, sede do Governo. Os trabalhadores denunciam uma defasagem de até 17% nos salários. Eles pedem no mínimo a recomposição salarial da inflação oficial do último ano, calculada em 4,94% no mês da data-base, segundo o índice IPCA. Entre outras medidas que seriam adotadas, estaria a operação padrão das delegacias, com policiais atuando apenas na carga horário de 40 horas semanais, sem exceder esse tempo.


04

Jornal da CIC Junho de 2019

MEIO AMBIENTE Via SMCS

HORTA VITÓRIA RÉGIA BENEFICIA 550 PESSOAS COM ALIMENTOS SAUDÁVEIS

N

atural de Ivaiporã, no norte do Paraná, a aposentada Loide Pereira, 67 anos, mora há 7 anos em Curitiba. Apesar de ter deixado a rotina na lavoura, ela não abriu mão do prazer de cultivar. A simpática senhora é um dos 130 produtores urbanos do complexo de hortas comunitárias Vitória Régia (I, II e III), que integra a Regional CIC. “Em 2012, comecei a plantar aqui e nunca mais parei de colher meus pés de alface, couve, brócolis e repolho”, conta dona Loide. Ao todo, 130 famílias cultivam hortifrutigranjeiros nas três hortas comunitárias Vitória Régia que têm apoio da Prefeitura, através do Núcleo da Secretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento (Smab) na Regional CIC. “São, ao todo, cerca de 550 pessoas beneficiadas e que têm acesso a frutas e hortaliças sem agrotóxicos plantadas para consumo próprio, doadas a quem precisa e vendidas para moradores da região”, conta Simone Tomiazzi da Silveira, chefe do Núcleo da Smab na regional. Ela lembra que a Horta Comunitária Vitória Régia I foi a primeira a receber o apoio da Prefeitura, em 2001. “O local serviu de laboratório para a ampliação do programa de Agricultura Urbana do município para os atuais 27 espaços comunitários da capital que recebem assistência dos engenheiros

EDUCAÇÃO

agrônomos da Smab”, reforça Simone. Terapia De acordo com Luiz Carlos de Mattos, vice-presidente da Associação dos Moradores da Vitória Régia, as hortas comunitárias ligadas à associação têm, principalmente, uma finalidade terapêutica, de ser uma atividade aos moradores, muitos aposentados. “A horta também é uma forma de diminuir os custos em alimentação para os próprios agricultores e as famílias”,

complementa Luiz Carlos de Mattos. Há quatro anos, o aposentado Augustinho Honório, 70 anos, acorda cedinho e deixa sua casa, na Vila Verde, para conferir seus canteiros de alface, almeirão, repolho, couve, cebola, pimentão na Horta Comunitária Vitória Régia II. “Além de plantar para a gente, lá em casa, também vendo para vizinhos e quem me procura. Só com minha aposentadoria, eu não consigo sobreviver. Com a horta, a gente economiza e ainda ganha um dinheirinho”, conta ele.

CIC RECEBE TERCEIRO FAROL DO SABER E INOVAÇÃO A Cidade

Industrial de Curitiba ganhou, no começo do mês,, o 18º Farol do Saber e Inovação da capital do Paraná. É o Farol do Saber e Inovação Joaquim Nabuco, junto à Escola Municipal PróMorar Barigui. Reformada e equipada com uma impressora 3D, a unidade será entregue à comunidade às 15h. A regional já têm duas oficinas de criatividade, as unidades Vinícius de Moraes e Fernando Amaro. Os Faróis do Saber e Inovação são uma evolução dos Faróis do Saber, criados pelo prefeito Rafael Greca na década de 1990, em sua primeira gestão. O objetivo é criar espaços de inovação baseados no conceito da educação maker (mão na massa). Antes estruturas com livros e acesso à internet, agora os faróis oferecem também impressoras 3D para criação de protótipos, com a orientação de professores da rede municipal que passam por formação continuada. Até o final deste ano a cidade contará com 33 unidades no modelo inovação. O investimento da Prefeitura de Curitiba nas adequações é de R$ 2,1 milhões. Via SMCS

Prefeito Rafael Greca, inaugura com a secretária municipal da Educação, Maria Silvia Bacila, o Farol do Saber e Inovação Joaquim Nabuco.


GENTE DA CIC

Por Larissa santin

05

CÁRCERE, AGULHAS & YOUTUBE: CONHEÇA A TRAJETÓRIA DE ROBINHO DO SUPIRAINK TATTOO

R

obson Augusto, de 31 anos, morador da Cidade Industrial de Curitiba, teve uma história difícil. Em 2010 foi preso, podendo voltar para o convívio em sociedade três anos depois. Até aquele momento, Robson não imaginava que o período em cárcere lhe renderia uma profissão. O jovem afilado, bem-humorado, de sorriso aberto, conta que sempre gostou de desenhar, desde pequeno. Quando na cadeia, começou a ilustrar e decorar as cartas que os presos enviavam para suas famílias. Na sequência, observou como os companheiros de cela faziam para se tatuar. Num impulso de coragem afirmou a todos “Eu consigo fazer isso aí”. Robinho, como prefere ser chamado, conta que a primeira tatuagem foi um momento tenso, com muitas pessoas assistindo e que durou um período de 12 horas. Ao final do trabalho, recebeu elogios dos ali presentes, pela qualidade do traço. Em 2013, já em liberdade, Robinho

Por Larissa Santin

o intuito de ajudar os amigos, começou a receber aprendizes. “Eu falo pros meninos, você gosta de desenhar? Já pensou ganhar dinheiro com desenho? Não vai pra essa de crime não”. Hoje, são cinco aprendizes que Robinho treina e ensina em seu studio. No dia da entrevista estava presente Marcelo, de 25 anos, um dos aprendizes de Robson. O rapaz estava preparando um desenho para tatuar uma menina durante o período da tarde, sob a supervisão de Robson. ganhou um kit de tatuagem de sua mãe, que usou por algum tempo. Percebendo que poderia melhorar o trabalho, investiu em novo kit, mas jamais esquecendo o apoio que recebeu no primeiro momento, transformou o primeiro kit em um quadro, exposto na entrada do studio. Robson conta que aprendeu tudo sozinho. Observando outros e utilizando a internet para fazer pesquisas e assistir video-

aulas gratuitas no YouTube para aprender e aperfeiçoar técnicas. Com o dinheiro das tatuagens, Robson conseguiu ajudar no custeio da faculdade de direito da esposa, Cassiane Dybas, 26, agora formada. Há 4 meses que Robson abriu o “SupiraInk Tattoo”, um estúdio de tatuagem na CIC, próximo ao Parque dos Tropeiros. Com

Apesar de estar aberto há pouco tempo, o SupiraInk Tattoo faz sucesso. O motivo é claro: talento, dedicação ao trabalho e ajuda aos amigos. “É isso aí rapaziada, tem que largar mão dessa vida do crime. Se tu gosta de desenhar, pintar, cola aí. É nóis”, finaliza Robinho.

GRUPO DE RAP J.A.C GANHA PRÊMIO EM FESTIVAL NACIONAL DE CINEMA

Aqui na CIC não há quem não conheça o grupo de rap J.A.C, criando no início dos anos 2000. Para muitos moradores, a música "CIC", gravada em 2002, foi responsável por unir as vilas da Cidade Industrial numa só identidade, que antes era dividida pela violência e disputas de poder. Em abril deste ano lançaram o videoclipe "Novo e Diferente". Em 2019, o J.A.C completa 18 anos de caminhada na estrada no rap. E em grande estilo: levaram o prêmio de Melhor Concepção de Som no Festival Cine Jardim, em Pernambuco, pelo filme "Ainda Ontem" de Jessica Candal. "A Jessica me convidou pra ir pra Pernambuco representar o filme. Aí chegando lá ainda ganhamos um prêmio e era da trilha do filme!", conta Betinho, um os integrantes do grupo. O curta-metragem aborda questões da juventude, arte, periferia e é recheado de músicas do grupo. Esse não foi o primeiro contato do J.A.C com o cinema. Eles já participaram da série Nóis por Nóis, da produtora Grafo Audiovisual, exibido pela TV Brasil. Recentemente finalizaram um trabalho em uma série da Netflix, dessa vez atuando. "É um lado diferente né? até então a gente participava com as trilhas, com o rap, aí de repente você vem com esse lado mais de ator, eu até fiz aula de teatro pra me preprarar", comenta Menthor. "a gente tá muito ansioso pra ver o resultado desse trabalho!", afirma Hauly.

Grupo recebendo o prêmio de melhor concepção e som no Festival Cine Jardim. Foto: divulgação

Rodrigo Vicente (Hauly) Fotos: Larissa Santin

Rubens Eduardo Teodoro (Menthor)

Carlos Alberto Moura (Betinho)


06

Jornal da CIC Junho de 2019

DIREITO Por: Direito Familiar

CINCO ATITUDES QUE PODEM SER TOMADAS SE VOCÊ ESTÁ SENDO IMPEDIDO DE VER SEU FILHO

A

convivência entre pais e filhos – e até mesmo com outros familiares – é um direito previsto na Constituição Federal e que deve ser resguardado, já que a família é um dos pilares formadores da sociedade. Apesar disso, é comum nos depararmos, na prática, com muitas situações em que o casal se separa em meio a diversos conflitos. Nesses casos, o filho pode acabar sendo tratado como “moeda de troca” e aquele que continua convivendo com a prole passa a impedir os contatos do outro genitor, de maneira injustificada. Você saberia o que fazer caso fosse impedido de manter contato com seu filho? No artigo de hoje, falaremos sobre 5 atitudes que podem ser tomadas.

judicialmente e ainda assim o período de convivência está 4) Nos casos mais graves de impedimento de sendo descumprido, uma das medidas administrativas contato, pode até ocorrer a REVERSÃO DA GUARDA que pode ser adotada por aquele que está sendo impedido OU ALTERAÇÃO DO REGIME DE CONVIVÊNCIA de ver o filho é buscar o auxílio do conselho tutelar. O conselho tutelar é um órgão permanente e autônomo, encarregado de zelar pelo cumprimento dos direitos da criança e do adolescente. Um de seus objetivos é evitar a ruptura dos vínculos familiares e comunitários, possibilitando a superação de situações de fragilidade.

Importante dizer que o conselho tutelar não possui competência para decidir sobre as situações de conflitos familiares, como o Juiz, mas os conselheiros podem tentar entrar em contato com os envolvidos a fim de promover uma mediação entre eles. Além disso, o termo 1) Uma delas é a AÇÃO DE REGULAMENTAÇÃO de atendimento no conselho tutelar pode servir como DA CONVIVÊNCIA (popularmente chamada de prova em um eventual processo de cumprimento de regulamentação de visitas) sentença das visitas, sobre o qual falaremos em seguida. Quando os pais não moram juntos e não mantêm mais relação afetiva entre si, nem sempre estabelecem judicialmente as regras em relação à guarda e convivência de seus filhos e, assim, podem surgir conflitos dentro dessa informalidade, sendo necessário recorrer à Justiça para organizar a situação. Para isso, deverão os interessados recorrer à Defensoria Pública ou contratar advogados particulares, a fim de que seja proposta uma ação de “regulamentação de visitas”, visando regulamentar judicialmente a convivência entre a criança ou o adolescente e os seus familiares. Caso as partes não entrem em acordo, o Juiz poderá determinar a realização de um estudo social por psicólogos e assistentes sociais, com a intenção de verificar as condições daquela estrutura familiar, para então sugerir qual regime de convivência será o mais adequado ao filho e à sua rotina. Depois do estudo, de ouvidas as partes e de solicitada a opinião do Ministério Público, além da produção de outras eventuais provas, o Juiz regulamentará o período de convivência em sentença, o qual deverá ser respeitado pelos envolvidos, pois é uma decisão judicial sujeita a penalidades se for desrespeitada.

Como se sabe, a guarda e o regime de convivência com os filhos deve sempre atender às necessidades das crianças ou adolescentes envolvidos. Por isso, “tanto a guarda como as visitas não têm caráter definitivo, podendo ser modificadas a qualquer tempo, sempre sob o olhar do melhor interesse do menor, e podendo ser considerados como atos de abuso e fonte de reversão da guarda, supressão ou suspensão das visitas quaisquer atitudes dos pais tendentes a causar dano ao ex-cônjuge, sem se darem conta de estarem em realidade danificando, sim, a estrutura psíquica dos seus filhos”1. Assim, sempre que o regime de visitas não for o mais adequado ou sempre que houver indícios do impedimento dos contatos entre o filho e o genitor (o que pode indicar até mesmo a prática de alienação parental), há possibilidade de se ingressar com uma nova ação, de modificação de guarda ou do regime de convivência.

Ressalte-se que, caso haja um processo ainda em curso, o conselho tutelar não poderá ajudar muito, porque o ideal é que a parte informe no próprio processo o que está acontecendo, para que o juiz tome as medidas adequadas, no âmbito jurídico. O termo formulado no 5) A importância do DIÁLOGO conselho, porém, com a notícia sobre os atendimentos, pode ser um meio de prova a ser juntado no processo. Como sempre ressaltamos, o ideal e menos prejudicial aos filhos é que os pais consigam estabelecer diálogo, 3) Se houver decisão judicial, o meio mais adequado é o ainda que mediado porprofissionais da áreaterapêutica, CUMPRIMENTO DE SENTENÇA se assim for necessário, sempre percebendo com o sentimento de responsabilidade próprio dos pais, O cumprimento de sentença é um processo por meio que os filhos estão em fase de desenvolvimento e do qual se busca que seja efetivamente cumprido precisam que sejam respeitados seus interesses. aquilo que foi determinado pelo juiz em sentença. Já As medidas mencionadas acima estão disponíveis vimos que quando a pensão alimentícia não é paga, há no âmbito jurídico para ajudar a solucionar a possibilidade de cobrar judicialmente os valores. Da conflitos de convivência. No entanto, a melhor mesma forma, há possibilidade de cobrar judicialmente a solução sempre será aquela que for baseada realização das visitas regulamentadas pelo Juiz (ou seja, no diálogo sadio, através da correta orientação que foram fixadas por meio de um processo judicial). recebida pelos envolvidos, devendo prevalecer Nesses casos, uma medida possível é a aplicação o melhor interesse da criança e do adolescente. de multa diária, imposta ao genitor que não está Muitas vezes o processo judicial não solucionará permitindo as visitas, ou então a busca e apreensão do o problema por inteiro e, para esses casos, há a filho no dia em que a visita deve ocorrer. Importante possibilidade de tentar se resolver em ambiente dizer que essa medida da busca e apreensão é 2) Outra possibilidade é recorrer ao CONSELHO drástica e, muitas vezes, traumática para o filho. terapêutico, conforme já mencionamos acima, preferencialmente sem a necessidade de processos TUTELAR que podem acirrar ainda mais os conflitos. Nos casos em que já foram regulamentadas as visitas

EDUCAÇÃO Via SMCS

A

HAITIANOS ATENDIDOS POR CRAS CORBÉLIA TEM AULAS GRATUITAS DE PORTUGUÊS

dona de casa Anette Jean Baptiste, 44 anos, deixou o Haiti há três anos para buscar uma vida melhor no Brasil, ao lado do marido e dos três filhos. Curitiba os acolheu muito bem, garante ela, mas a barreira da língua diminui a chance de encontrar um emprego. “Falo pouco português ainda. Mas acho que, nos próximos meses, vou conseguir me comunicar melhor”, conta. Anette é um dos 24 haitianos moradores do bairro São Miguel que estão frequentando as aulas de português gratuitas graças a uma parceira do Centro de Referência de Assistência Social (Cras) Corbélia, da Prefeitura, com a Fundação Honorina Valente e o Centro de Integração Social Divina Misericórdia (Cisdimi). “O curso surgiu da necessidade da população haitiana atendida pela Prefeitura no São Miguel, formada por cerca de 78 famílias que não falam português e têm dificuldade de inserção no mercado formal de trabalho”, conta Simone Anciut Pires, coordenadora do Cras Corbélia, ligado ao Núcleo da Fundação de Ação Social (FAS) na Regional CIC. As aulas começaram no início de maio e ocorrem aos sábados, das 8h30 às 12h, no Centro de Integração Social Divina Misericórdia (Cisdimi). “Estamos priorizando a conversação para que eles consigam rapidamente se comunicar melhor, mas também vamos trabalhar com a gramática”,

explica a professora Márcia Mattos da Silva. Ela avalia que boa parte dos haitianos deve aprender rapidamente o novo idioma, pois a maioria domina mais de uma língua. Além do francês, língua oficial do Haiti, muitos falam crioulo, espanhol e inglês. A coordenadora do Cras Corbélia destaca também que o curso de português para os haitianos só foi possível graças ao trabalho conjunto da Prefeitura com as duas instituições parceiras. O Cras da Regional CIC foi responsável pela articulação junto aos imigrantes, a Fundação Honorina Valente contratou a professora e o intérprete e o Cisdimi cedeu o espaço para as aulas. A haitiana Francisca Dorceus, 22 anos, precisa dividir sua atenção entre as explicações da professora Márcia e os cuidados com Jonatan Oliver, de 6 meses. O bebê acompanha a mãe em todas as aulas de português. “Quero dar uma vida melhor para o Jonatan e, para isso, preciso estudar e trabalhar”, conta a jovem, que mora em Curitiba há um ano e sonha fazer faculdade no Brasil. Portuguesa. As aulas foram feitas nas escolas municipais que ofertam a Educação para Jovens e Adultos (EJA). O atendimento aos haitianos começou, há cerca de Apoio permanente A Prefeitura, através da Secretária Municipal de seis anos, com turmas pequenas que foram sendo Educação, também oferece aulas gratuitas de ampliadas ao longo dos anos, conforme a demanda. português em duas escolas da rede, a EM Irati, no Os haitianos interessados em ter aulas de Cajuru, e a EM Germano Paciornik, no Boqueirão. português devem procurar a escola municipal mais Em 2018, 64 haitianos receberam certificados próxima de casa, que entrará em contato para de conclusão do curso instrumental de Língua indicar qual das duas unidades poderá atendê-los.


CULTURA

CASA DA LEITURA PAULO LEMINSKI TEM AULAS DE VIOLÃO E VIOLA CAIPIRA NAS FÉRIAS

A

s férias de julho estão chegando com boas opções de lazer para adultos e crianças na Casa da Leitura Paulo Leminski, na CIC. Durante o período de recesso escolar, o espaço da Prefeitura terá aulas de violão e viola caipira, a preço social. Além disso, os moradores da região têm à disposição um acervo de mais de 6 mil livros para pesquisa e empréstimo, com destaque para as obras do escritor e poeta curitibano falecido em 1989 e que dá nome ao espaço. Localizada em um charmoso largo na esquina das ruas Pedro Gusso e Rua Padre Gaston, bem no coração da CIC, a Casa de Leitura da Prefeitura oferece três cursos continuados. Em julho há vagas para a prática de violão e viola, com custo de R$ 55 por mês e em agosto haverá atividades para turmas de Mangá (quadrinhos de origem japonesa), com o mesmo preço social mensal, e do projeto Nosso Canto, que é gratuito. “Todos os cursos têm vagas, inclusive as aulas de férias de violão e viola, que são boas oportunidades de acesso à cultura e ao lazer”, destaca Maria de Lourdes Borcz, chefe do Núcleo da FCC na CIC. As aulas de violão e viola são às sextas, pela manhã ou à tarde (a partir das 9h e 14h) e aos sábados, pela manhã, a partir das 9h. Já as atividades do Nosso Canto, projeto da Prefeitura que desenvolve técnicas do estilo musical lírico ao rock entre adolescentes e adultos, ocorrem as quintas-feiras, das 19h30 às 21h30, com reinício em agosto. Já os cursos de Mangá, que também voltarão em agosto, são ofertados às segundas-feiras, das 9h30 às 11h30. Acervo Nas estantes da Casa de Leitura Paulo Leminski, há títulos de livros de autores brasileiros e estrangeiros. O grande destaque são os trabalhos de Paulo Leminski, como Catatau (1975), seu primeiro livro de sucesso, além de obras como Distraídos Venceremos, Caprichos & Relaxos e Agora é que são elas.

CURTA NOSSA PÁGINA FACEBOOK/JORNALDACIC “Também temos críticas literárias, biografias e song books deste curitibano que até hoje é referência por sua trajetória marcada pela irreverência”, conta Maria de Lourdes. Na sala Catatau, anexa à biblioteca, ocorrem os cursos e também rodas de leitura e contação de história. De acordo com a chefe do Núcleo da Fundação Cultural na CIC, são atividades paralelas voltadas ao incentivo à leitura. “Sempre que posso dou uma passada aqui para emprestar um livro ou, se tenho tempo, paro para ler aqui mesmo”, conta o vendedor Júlio Cesar Skall, 26 anos. Serviço Casa da Leitura Paulo Leminski Endereço: Rua Padre Gaston, s/n, CIC Horário de funcionamento: de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 17h30 / (41) 3212-1402

CRIATURAS FANTÁTICAS

Criaturas Fantásticas é um projeto voltado à infância: um es-

paço livre, que permite que a criança seja protagonista de sua experiência cultural, por meio de dispositivos interativos (recursos lúdicos, sensoriais e participativos) e de um ateliê que abre os espaços do museu para que ela faça parte da exibição. Os ambientes da exposição foram projetados de forma que as crianças explorem os sentidos e as sensações, brincando e compartilhando dessa experiência com outras crianças. Não existem obras de arte para serem contempladas e compreendidas de maneira formal. O que existe são dispositivos que convidam à experimentação, ao convívio com o outro, à colaboração, ao toque e à reflexão. As peças que fazem parte dessa exposição têm como principal premissa a necessidade da ação do indivíduo e da participação do outro para gerar sentido: isto é, a obra só existe no encontro com as pessoas. Ingresso: gratuito Data(s): 01/06/2019 a 01/09/2019 - 3ª, 4ª, 5ª e 6ª feira, sábado e domingo Horário(s): 10h ~ 19h (TER ~ DOM) Público Dirigido: não Classificação: livre Espaço Cultural:Portão Cultural / Av. República Argentina, 3430, Terminal do Portão


REABERTURA DA UPA CIC

ENTREGA DO CENTRO OLÍMPICO NA PRAÇA UNIÃO

CONCLUSÃO DAS OBRAS DA RUA RAUL POMPÉIA

PARA A REGIONAL CIC?

Saúde de qualidade e economia de R$ 400 mil por mês com o novo modelo de gestão; bem-estar com atividades físicas e desenvolvimento de novos atletas; trânsito mais rápido entre o CIC e o Fazendinha. A PREFEITURA TRABALHA PARA FAZER BEM MAIS.

Profile for Jornal da CIC

Jornal da CIC #22  

Edição de junho de 2019

Jornal da CIC #22  

Edição de junho de 2019

Advertisement