Page 1

OPINIÃO

SAÚDE

"Precisamos de uma política mais feminina. Não porque somos mulheres, mas pelas mulheres que somos."

2

UPA da CIC volta a funcionar dia 31 de julho

3

SAÚDE

Unidades de Saúde da CIC têm oficina de pães fitness

3

Curitiba, Junho de 2018

JORNAL DA CI️C #10 CONTEÚDO/INOVAÇÃO/CIDADANIA

Página

Foto: Larissa Santin

4

Inaugurado o Farol do Saber e Inovação Fernando Amaro de Miranda ESPORTE

Vitória Régia ganha mini arena e academia ao ar livre

5

HABITAÇÃO

TETO realizará trabalho imersivo em comunidades da CIC

5

LAZER

Greca vistoria área do futuro Parque do Geossítio na CIC

6


02

Jornal da CIC

BOAS NOVAS

Junho 2018

Por: Natalie Unterstell

Sítio arqueológico na CIC vai virar parque

Vamos brilhar No mundo todo, a igual-

dade de oportunidades ainda é uma grande questão. No Japão, por exemplo, a presença do homem na vida pública é esmagadora. Mas os japoneses perceberam a oportunidade de dar um salto através do maior estímulo à participação feminina no mercado e na política. Por essa razão, o Primeiro Ministro Shinzo Abe assumiu como missão “fazer com que as mulheres brilhem”. Seu objetivo é aumentar a proporção delas em cargos de responsabilidade para 30% até 2020, tanto no setor público como no privado. Aqui, brasileiros e brasileiras têm oportunidades similares na educação e na saúde, segundo levantamento do Fórum Econômico Mundial. Mas existe um diferença grande em emprego e renda, e uma desigualdade brutal na área política. No nosso Congresso Nacional, são 45 deputadas e 468 deputados. Praticamente 1 a cada 10 deputados é uma mulher - uma diferença constrangedora. Engana-se quem pensa que esse quadro é natural: ele é resultado de barreiras criadas para deixar as mulheres fora do jogo político e para man-

DIREITO

ter o sistema desigual como está. Um exemplo recente ocorreu na mini-reforma política feita em 2017: foi proposto e aprovado um projeto determinando que as mulheres pudessem acessar até 15% - isto é, um máximo - do fundo eleitoral. Enquanto elas teriam esse "teto" dos recursos, os homens podiam ter tudo mais. Felizmente essa diretriz foi revertida, já que considerada inconstitucional. Adotou-se então, por decisão da Justiça, um piso: as mulheres devem obter pelo menos 30% dos recursos. E, nesta última semana, foi aprovada uma medida complementar: a de que 30% do horário eleitoral em televisão e rádio será das mulheres. A grita foi grande: vários parlamentares homens se mostraram descontentes com essa garantia e até o atual presidente do Congresso Nacional, Rodrigo Maia, se posicionou contrário. Disse ele que as mulheres não são competitivas, logo não precisam de tempo de mídia. Mas não é justamente pela falta de exposição que elas não são conhecidas e logo reconhecidas pelo eleitor? Colocando no contexto mais amplo, a Lei Eleitoral 9.100/1995 determinou que 20% dos postos políticos fossem ocupados por lideranças femininas. Em 2010, o TSE reformulou a lei e tornou obrigatória 30% de par-

ticipação das mulheres como candidatas. As candidaturas são, muitas vezes, apenas "decorativas", e reveladas na urna como tal quando a candidata não recebe nem mesmo o seu próprio voto. Mas isso é o efeito - o problema em si é a não aposta nas candidatas de igual para igual. Como o caso do "teto de 15% para mulheres" revela, defender a igualdade ainda é uma grande questão. A boa nova é que foram encontradas evidências interessantes do que acontece quando se reverte o desequilíbrio entre homens e mulheres na política. Quando uma mulher é eleita, por exemplo, há menos chances de que haja corrupção em seu governo do que em um chefiado por homem. Quando há mais mulheres na política, também já se notou que mais recursos são investidos em saúde e educação, dois dos pilares centrais de um país preocupado com sua gente. No Brasil, se aumentarmos a proporção de mulheres em cargos de responsabilidade teremos a chance reduzir a corrupção, aumentar o investimento em áreas prioritárias e também realizar reformas críticas. Precisamos de uma política mais feminina. Não porque somos mulheres, mas pelas mulheres que somos. Basta nos deixarem brilhar!

Violência contra a mulher Colaborou: Direito Familiar

Foto: Pixabay

Quando

falamos a palavra “violência”, a maior parte das pessoas pensa, primeiramente, em alguma agressão física. No entanto, ela pode ocorrer de diversas formas. VIOLÊNCIA FÍSICA: Entende-se como sendo aquela em que há o uso da força, mediante socos, tapas, pontapés, arremesso de objetos, empurrões, queimaduras, entre outras maneiras que venham a ofender a integridade física ou saúde corporal da vítima, sem que haja a necessidade de serem deixadas marcas aparentes(1). VIOLÊNCIAPSICOLÓGICA: Ela pode ser entendida,demaneiraampla,comosendoqualquer conduta que venha a causar danos emocionais, humilhações ou ridicularização(2). A agressão emocional é tão ou mais grave que a física, ao passo que a vítima sente-se amedrontada, inferiorizada, tendo em vista as ameaças do agente, a rejeição, humilhação e discriminação que lhe é direcionada VIOLÊNCIA SEXUAL: É entendida como qualquer comportamento que venha a constranger a mulher a presenciar, manter ou participar de relação sexual não desejada, mediante algum tipo de ameaça, intimidação, coação ou ainda o uso de força. Ainda é caracterizada pelo fato de a mulher ser induzida a comercializar ou a utilizar, independente do modo, a sua sexualidade, estando impedida de utilizar métodos contraceptivos ou forçada ao matrimônio, à gravidez, à prostituição, ao aborto, também mediante coação, chantagem; qualquer

A reserva de interesse geológico e paleontológico tem área de 160 mil m², e fica às margens da BR-277, próxima do Contorno Sul. A criação do parque é resultado de uma parceria entre a Prefeitura de Curitiba e a Universidade Federal do Paraná.

OAB-PR oferece palestras de noções básicas sobre Direito Previdenciário e Assistencial “Orientamos de maneira objetiva e clara, explicando a diferença entre previdência, saúde e assistência e informando sobre os benefícios. Para nós o importante é que ao final os estudantes saiam satisfeitos, sem dúvidas”, reforçou a advogada Luciane Soares Nascimento, coordenadora da ação na OAB-PR. Durante os encontros, os participantes também recebem uma cartilha produzida pela OAB com orientações básicas. Programação CIC: E. M. PROFª AMÉRICA DA COSTA SABÓIA (11/07) E. M. JOAQUIM TÁVORA (13/09) E. M. VILA SÃO JOSÉ (09/10) E.M. COLÔNIA AUGUSTA (13/11) E. M. TANCREDO NEVES (04/12)

Atleta da CIC é campeã brasileira A atleta Laryssa Fernanda Frois, de 17 anos, foi a campeã brasileira na marcha atlética de 10 mil metros, no fim de semana, no Campeonato Brasileiro Caixa de Atletismo Sub-20, disputado em Bragança Paulista, São Paulo.

Associação Itamaraty em pauta Depois de uma manifestação realizada no dia 23 de junho por grupos políticos e sociais, em prol da reabertura da antiga guarda mirim, os moradores agora promovem abaixo assinado para reivindicar ao poder público a utilização do espaço como um Centro Cultural e Popular para a região.

Prefeitura remove mais de 300 caminhões de areão do fundo do Rio Barigui

conduta que anule ou limite o exercício de seus direitos sexuais reprodutivos(3). VIOLÊNCIA PATRIMONIAL: Ela se enquadra como sendo qualquer conduta que caracterize retenção, subtração, destruição parcial ou total de objetos, instrumentos de trabalho, bens, documentos pessoais, valores e direitos ou recursos econômicos, incluindo aqueles necessários para a satisfação de suas necessidades. Quase nunca está separada das demais formas, pois serve como um meio de agredir, física ou psicologicamente, a vítima(4). VIOLÊNCIA MORAL: É aquela cuja conduta configura calúnia, injúria ou difamação, e que normalmente se dá simultaneamente à violência psicológica(5). Devemos frisar que todas as situações de-

vem ser analisadas e tratadas com muito cuidado, pois estão muito ligadas, de maneira geral, ao emocional das pessoas envolvidas. Mulheresquerealmentesofremousofreram algum tipo de violência, precisam procurar delegacias especializadas. Deve haver uma preocupação com o atendimento despendido pelos policiais e demais pessoas que atuarem nessa área, pois é preciso ter aptidão para o trato da mulher e sensibilidade para lidar com os problemas vividos por ela. A violência doméstica tem raízes históricas e ainda se faz presente nos dias de hoje, dando ensejo à criação da Lei 11.340 de 2006 (Lei Maria da Penha), que inovou o ordenamento jurídico brasileiro criando dispositivos específicos para proteger a mulher dentro do âmbito doméstico ou familiar.

Em cinco dias de trabalho com equipamento de grande porte (escavadeira hidráulica) está sendo retirado um volume equivalente a 300 caminhões de areão, que estava acumulado no fundo e impedia o fluxo da água do rio. Neste ponto, o Barigui passa sob a Rodovia do Xisto e tem 35 metros de largura A limpeza no Vitória Régia, onde vivem 15 mil pessoas, de acordo com a Associação de Moradores, dá continuidade ao que começou a ser feito há um mês no vizinho conjunto Vila Verde, também na CIC. Lá, foram feitas melhorias de duas valas de drenagem e o desassoreamento do canal acumulador, ou seja, a limpeza do fundo e o alargamento das margens, numa extensão de 1.000 metros.

EXPEDIENTE DIREÇÃO: Larissa Santin 0011466/PR CNPJ:28.650.673/0001-06


SAÚDE

03

UPA CIC começa a funcionar em 31 de julho C

onforme informa o Diário Oficial desta segunda-feira (25/6), a Prefeitura de Curitiba assinou o contrato de gestão com a organização social (OS) Instituto Nacional de Ciências da Saúde (INCS). A entidade será a responsável por gerenciar a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da CIC, em Curitiba. A data prevista para o início das atividades da unidade é 31 de julho. “Estamos fazendo todos os esforços para abrir a UPA CIC o mais cedo possível, cuidando de todos os aspectos legais que envolvem a questão e, ao mesmo tempo, garantindo a qualidade do serviço e menos custos”, afirma o prefeito Rafael Greca. A UPA CIC foi fechada pela gestão anterior para reformas em novembro de 2016, mas não havia previsão para RH e custeio da unidade, o que inviabilizou a reabertura. Diante da situação financeira do município, o prefeito Rafael Greca, após concluir a reforma da unidade, solicitou à Secretaria Municipal da Saúde que buscasse alternativas para viabilizar a reabertura em um modelo menos custoso. Se a UPA CIC fosse reaberta pelo modelo atual, utilizado nas outras UPAs da cidade, o custo seria de R$ 2.105.851,14 por mês. O custo mensal da OS selecionada para administrar a UPA CIC será de R$ 1.697.200, ou seja, 19,5% menor. Com isso, haverá uma economia de R$ 408.651 por mês aos cofres públicos. De acordo com a secretária municipal da Saúde, Márcia Huçulak, os dois modelos de UPA (o atual e com gerenciamento via OS) apresentam estruturas semelhantes, oferecendo os mesmos serviços necessários para uma unidade de urgência e emergência. “Do ponto de vista de atendimento para o usuário, nada vai mudar”, diz Márcia. Segundo a secretária, porém, o modelo administrado por OS traz mais celeridade na contração de funcionários, serviços e compra de materiais e insumos, o que permite adequar mais rapidamente a estrutura do serviço à demanda do momento por atendimento. “Por isso, o modelo de gerenciamento via OS é interessante para a urgência e emergência, porque é uma área da saúde em que é necessária a agilidade”, explica.

administra, no Estado de São Paulo, duas UPAs em São José dos Campos, o setor de diagnóstico da Santa Casa de Sorocaba e um hospital em Mogi Guaçu que conta com UTI e pronto-socorro. Esta foi a OS que apresentou o melhor plano de trabalho e a melhor proposta financeira. O contrato com a Prefeitura de Curitiba tem duração de um ano, podendo ser prorrogado por até cinco anos. O INCS foi escolhido após passar por um processo de qualificação e vencer a seleção que avaliou critérios técnicos e financeiros. A OS terá de cumprir obrigações definidas no Contrato de Gestão relativas a indicadores e metas de desempenho. Além das estruturas de controle, avaliação e auditoria já existentes, haverá uma Comissão de Avaliação do Contrato de Gestão da OS. Trata-se de uma comissão especial composta por membros da Secretaria Municipal da Saúde e do Conselho Municipal da Saúde para fiscalização específica da UPA CIC. Experiências

O modelo de gerenciamento de UPA via OS é utilizado em vários lugares do Brasil. No EstaControle do de São Paulo, há mais de 20 anos o formato é aplicado, com excelentes resultados. “O O INCS tem 11 anos de atuação na área de ger- modelo é promissor, mas deve ser aplicado da enciamento de serviços de saúde. Atualmente forma correta, ou seja, com controle e monito-

Demais UPAs Neste momento, apenas a UPA CIC será gerenciada via OS, uma vez que o processo seletivo foi específico para essa unidade. Segundo Márcia, porém, o novo modelo será uma ferramenta disponível para o gestor público no futuro. “A gestão municipal está inovando ao trazer um novo modelo de gestão de UPA. A ideia é analisar o desempenho desse modelo na UPA CIC, para que no futuro o gestor público tenha disponível mais essa ferramenta para a gerência das UPAs”, explica.

Unidades de saúde da CIC têm oficina de pão fitness

Via: SMCS

ramento pelo poder público. Em Curitiba, vamos reforçar o controle e fiscalização, com acompanhamento sistemático”, diz Márcia. Outro ponto importante, segundo a secretária, é que o novo modelo não significa terceirização dos serviços. “Esse é um assunto pacificado no Tribunal de Contas da União (TCU)”, diz. O município vai continuar como responsável constitucional pela garantia da prestação dos serviços de saúde. A UPA CIC continuará pública, com todo o patrimônio pertencente ao município. Somente o gerenciamento da unidade será feito pela OS selecionada, que é uma entidade privada sem fins lucrativos.

P

ara estimular a adoção de alimentos saudáveis entre os pacientes das unidades de saúde Campo Alegre, Vitória Régia, Vila Verde e Taiz Viviane Machado, na CIC, um grupo de profissionais promove oficinas que são um verdadeiro sucesso na comunidade. Neste mês, o tema são os pães fitness. Chás medicinais e sucos detox já foram pauta de encontros anteriores. Em julho, as oficinas serão de bolos fitness. As oficinas fazem parte do programa Escute o Seu Coração, da Secretaria Municipal da Saúde. O programa busca reduzir as mortes prematuras por doenças do coração e derrames cerebrais em Curitiba. A promoção à saúde é um dos principais eixos do programa, com ações para o combate de fatores de risco, como sedentarismo, estresse, tabagismo e a alimentação rica em calorias, açúcar, gordura e sal. De acordo com a diretora de Atenção Primária à Saúde, Ana Allegretti, dentro do programa Escute o Seu Coração cada unidade tem autonomia para buscar a melhor forma de trabalhar com a comunidade, diante das necessidades e demandas daquela população e também considerando as aptidões dos profissionais daquele território. “Trabalhamos com os recursos e talentos locais. Os profissionais da saúde dessas unidades

sabem qual o melhor planejamento e estratégia para o público das comunidades que atendem, seguindo os eixos do programa Escute o Seu Coração”, explica. A fisioterapeuta Raquel Silva dos Santos, uma das profissionais à frente das oficinas nas quatro unidades de saúde da CIC, conta que realizar um grupo com o tema “alimentação saudável” normalmente não atrairia tantas pessoas. “Então nós pensamos: precisamos usar o marketing a nosso favor. Ninguém quer participar de oficina de alimentação saudável, mas por pão fitness, suco detox, todo mundo se interessa”, diz ela. Além de Raquel, que é fisioterapeuta, o grupo de profissionais ainda é composto por nutricionista, educador físico, psicólogo e farmacêutico. Cada oficina conta com até 20 pacientes, todas às segundas-feiras, pela manhã. A cada segunda-feira é levada a uma das quatro unidades de saúde participantes. “Aqui aprendemos educação alimentar”, comemora a aposentada Geni Delmonds Segatimi, 62 anos. Geni faz atividade física na unidade de saúde três vezes por semana e busca seguir as orientações em relação à alimentação, Geni Delmondes Segantini. Foto: Lucilia Guimarães/SMCS para lutar contra o sobrepeso e colesterol alto. Na degustação dos pães fitness, elegeu o preferido: “O de coco.” A aposentada Jorgina Régis da Silva, 67 anos, partici- mais refrigerantes e fica de olho em todas as dicas de alimenpante assídua das oficinas, conta que mudou de vida: tação. “Estou mais leve e saudável. Minha saúde melhorou”, diz. anda de bicicleta, faz caminhada, natação, não toma


04

Jornal da CIC

Junho 2018

INOVAÇÃO

Farol do Saber e Inovação é Inaugurado na CIC O espaço, que ja contava comuma biblioteca e um laboratório de informática, agora genhou uma impressora 3D

Q

“ ueremos que vocês aproveitem e criem. Porque o homem é o que o homem conhece, e seremos tanto melhores quanto mais conhecermos e mais tivermos dentro dos nossos corações.” O recado foi do prefeito Rafael Greca para os estudantes que participaram da inauguração do Farol do Saber e Inovação Fernando Amaro de Miranda, da Escola Municipal CEI Heitor de Alencar Furtado, na CIC, nesta sexta-feira (15/6). Esse é o quinto equipamento que passa por revitalização para se tornar também Farol do Saber e Inovação, com impressora 3D. A revitalização que transformou o local em oficina de inovação custou R$ 92 mil. “Aqui vocês poderão mexer com tecnologias novas e que fazem parte do mundo de vocês”, disse a secretária municipal da Educação, Maria Sílvia Bacila. Além dos 570 estudantes da escola, a comunidade do bairro também utiliza o farol, totalizando mais de 13 mil usuários. Vídeo: Larissa Santin

Mascotes Para marcar a entrega do novo equipamento, estudantes do 4º e 5º ano das escolas Heitor Furtado e João Macedo Filho, do Jardim das Américas, realizaram um projeto em parceria. A unidade João Macedo tem como mascote um personagem fictício chamado João Curitibinha, que utiliza cadeiras de rodas após um acidente de trânsito. Como o mascote usava uma cadeirinha feita de material reciclável, sem rodinhas e, portanto, sem possibilidade de locomoção, a missão para a inauguração do farol era fazer uma nova cadeira, que rodasse. E os estudantes conseguiram, fizeram a modelagem no computador e imprimiram peças na nova impressora 3D. “Foi um lindo trabalho conjunto. E as crianças aproveitaram para recriar o mascote do Heitor, que se chamava Farolito. Agora ele é o Robô Fernandinho, pois é moderno e leva o nome do farol”, explicou a professora Viviane Cristina Maciel. “Aprendi muito para resolver esse problema da cadeira. É bom trabalhar em parceria”, disse a estudante Karoline Vitória de Lima, 10 anos. A colega Kauane Schneider, 9 anos, ficou encantada com a impressora 3D. “Foi uma experiência muito diferente”, contou a menina. Mas as crianças não pensaram só no mascote. Elas querem ajudar alguém que precise de uma cadeira de rodas de verdade. "E por isso estão arrecadando tampinhas de garrafa e lacres de latinhas para conseguir dar o equipamento a um cadeirante da comunidade”, explicou a professora Viviane. “É uma ideia com uma importante função social. As crianças estão de parabéns” destacou Maria Sílvia. O prefeito e a secretária foram presenteados com protótipos dos mascotes das duas escolas.

História

Praça dos Amigos

Os Faróis do Saber revolucionaram a educação quando foram implantados, há mais de 20 anos, durante a primeira gestão de Rafael Greca como prefeito. Eles descentralizaram a rede de bibliotecas e receberam a primeira internet pública do país, possibilitando o acesso da população à rede mundial de informações, o que naquela época era um privilégio. Agora, são oficinas de inovação e espaços de educação maker, valorizando a criação, o pensamento crítico e a colaboração tanto para estudantes quanto para a comunidade. “O conceito é baseado na aprendizagem criativa mão na massa, prática, unindo os quatro ‘Ps’, que são paixão, parceria, projeto, e pensar brincando. Aqui acrescentamos o quinto P, de propósito, que é dar significado para as criações”, explicou Thaís Eastwood, da Coordenadoria de Tecnologias Digitais e Inovação da secretaria. Além deste, já foram transformados em Faróis do Saber e Inovação as unidades Herbert José de Souza, da Escola Municipal Marumbi (bairro Cajuru); Manuel Bandeira, da Escola Municipal Herley Mehl (Pilarzinho); Rocha Pombo, da Escola Papa João XXIII (Portão); e José de Alencar, da Escola São Mateus do Sul(Pinheirinho). Até o fim do ano, outros cinco faróis serão entregues à população, um em cada regional da cidade. Também participaram da inauguração os superintendentes da Secretaria da Educação Elisangêla Mantagute (Gestão Educacional) e Oséias Santos de Oliveira (Executivo); o administrador da Regional CIC, Raphael Keiji; a chefe do Núcleo da Educação da CIC, Maristela Teodoro; a diretora do Departamento de Ensino Fundamental da Educação, Simone Zampier; a presidente do Instituto Municipal de Turismo, Tatiana Turra; a diretora da Escola Heitor de Alencar Furtado, Luciane Regina Gogola; e a vice-diretora Maria do Rosário Augusto Pereira.

Após a inauguração do Farol do Saber e Inovação, o prefeito visitou a Praça dos Amigos, na Rua Leandro Dacheux do Nascimento Júnior, também na CIC. O espaço, que antes recebia entulho indevidamente descartado pela população, foi revitalizado graças a uma parceria entre a Prefeitura e a comunidade local. “Este terreno público, fundo de vale, é um exemplo da zeladoria urbana e da cidadania curitibana. Fizeram aqui a Praça dos Amigos, um exemplo a ser copiado pela cidade inteira”, disse Greca. A limpeza do terreno foi realizada pelo poder público e a comunidade participa com a manutenção. Foi construído um parquinho e também há cadeiras e mesas. “Aqui os vizinhos se encontram e conversam. E como ficou bonito este espaço com tantos canteiros e flores”, comentou o presidente da Associação de Moradores das Moradias Augusta, José Nunes Filho.

“Aqui vocês poderão mexer com tecnologias novas e que fazem parte do mundo de vocês” Maria Sílvia Bacila, secretária municipal de educação

Paraná tem o melhor desempenho do país em captação/transplante de órgãos

A última edição do Registro Brasileiro de

Transplantes, divulgada nesta terça-feira (30), destacou o Paraná como o melhor Estado do país em captação de órgãos. No final do ano passado, na mesma publicação da Associação Brasileira de Transplantes de Órgãos (ABTO), o Paraná já ocupava o 1° lugar no indicador de desempenho no quesito “transplantes”. Segundo o ex-secretário estadual da Saúde, Michele Caputo Neto, os dados mostram a verdadeira revolução feita no setor durante nos últimos sete anos e que deu prioridade absoluta à área de transplantes. “Em 2011, pegamos o Estado no humilhante 9° lugar no ranking de doação de órgãos. Algo inadmissível para um Estado como o Paraná. Por isso, tínhamos a obrigação moral de reverter este quadro e colocar o Paraná na posição em que a gente merece”, comemora Michele Caputo.

Conforme o balanço divulgado nesta terça, o Paraná alcançou a taxa de 44,2 doações efetivas por milhão de habitantes. Um crescimento de 426% em relação ao índice de 2010, que foi de 8,4 doações/milhão de habitantes. Frente de todos - Com isso, o Paraná fica muito à frente do segundo colocado que é Santa Catarina (33,7). Em seguida vêm os estados do Ceará (29,7), Acre (24,1), Distrito Federal (23,7), Rio Grande do Sul (23), São Paulo (22,8), Mato Grosso do Sul (16,2), Goiás (15,3) e Roraima (15,3). “Nosso desempenho é comparável aos melhores países do mundo em captações de órgãos”, lembra Michele Caputo. No período, entre janeiro e março/2018, o Paraná registrou 214 transplantes de córneas, 148 de rim - taxa de 52,3, a maior entre os estados, 83 de fígado, um de coração e um de pâncreas. “Hoje, com a divulgação deste resultado, vemos que nossa missão foi exitosa. Tenho muito orgulho de ter deixado a Secretaria com o Paraná em primeiro lugar. Isso tudo salvou milhares de vidas”, ressalta Michele Caputo, que deixou o cargo em abril para ser pré-candidato à deputado estadual. Em sete anos, a fila de espera por um órgão caiu drasticamente no Paraná. Atualmente, 1.207 pessoas aguardam por um transplante no Estado. Em 2010, mais de 3,3 mil pacientes estavam cadastrados nesta lista. Sistema estadual Segundo Michele Caputo, o grande diferencial foi o processo

de reorganização do sistema estadual de transplantes, tendo em vista a solidariedade do paranaense. “Fizemos de tudo para transformar essa solidariedade das pessoas em vidas salvas. Por isso, investimos pesado na capacitação das equipes e na organização do serviço aeromédico, que agilizou muito o transporte de órgãos e equipes transplantadoras”, explicou. Ao todo, quatro bases de helicóptero foram implantadas em Cascavel, Londrina, Maringá e Ponta Grossa. A base de Curitiba também foi reforçada. Além disso, em uma das primeiras ações do então governador Beto Richa, a frota de aviões do Estado foi liberada para ficar à disposição das demandas da saúde. Já são mais de 8 mil missões aéreas, entre transporte de pacientes e órgãos para transplantes. Além dos órgãos, tecidos como a córnea, pele, ossos, valvas cardíacas e tendões também podem ser doados. Todas as doações são feitas por meio do Sistema Estadual de Transplantes, encarregado pela coordenação e gerenciamento da fila de quem espera por um órgão no Paraná. No Brasil, a doação de órgãos depende do consentimento da família, e é com isso que as comissões de doação de órgãos trabalham dentro dos hospitais. Após a detecção da morte encefálica no paciente, essas equipes são responsáveis pelo processo de acolhimento da família e também da oferta para a doação de órgãos do paciente.


05

HABITAÇÃO

TETO realizará trabalho imersivo nas comunidades 29 de Março e Nova Primavera

Via: TETO

Resumo do evento:

E

ntre os dias 21 e 26 de julho, o TETO realizará um ação onde mais de 200 voluntários e moradores estarão trabalhando lado a lado, na construção de 28 moradias mais dignas nestas comunidades. Um trabalho que começou em abril, através de levantamentos econômicos, reuniões e muita, mas muita dedicação. A ação faz parte da Campanha de Embaixadores do TETO, que conta com 7 embaixadores no Paraná com o objetivo de alcançar a meta de R$100.000,00 para financiar a construção destas moradias. No dia 30/06, no Couto Pereira, será realizado o Jogo Solidário do Time TETO, para arrecadar fundos para essa ação. Coritiba, Atlético-PR e Paraná Clube estão apoiando o evento! Diversas celebridades, atletas e ex-atletas estarão presentes. Entre os confirmados para o evento, temos: Alex, ídolo do Coxa, Lúcio Flávio, ídolo do Paraná, Tcheco e muito mais.

Jogo por um TETO Data: 30/06 Local: Estádio Couto Pereira Curitiba, Paraná Abertura dos portões: 12:30 Jogo Preliminar: 13:30 Jogo Principal: 15:30 Valor do ingresso: R$20,00 + 1kg de alimento não perecível Locais para compra de ingresso físico: Av. Manoel Ribas 2241 Mercês R. Benjamin Constant 138 Centro R. Brasílio Itiberê 3221 - Água verde R. Coronel Dulcídio 290 - Batel Link para compra de ingressos:

Sobre o TETO: Presente em vários países, a organização internacional TETO atua há mais de 10 anos para garantir o direito à moradia nas favelas mais precárias e invisíveis do país, através de programas sociais que geram soluções concretas de melhorias das condições de moradia e habitat. Atuando no Estado do Paraná desde 2015, o TETO conta com equipes fixas em seis comunidades: Caximba, Parolin, Portelinha, Vila Nova (Colombo), Favorita (Araucária) e Jardim Independência (São José dos Pinhais). No total, já foram construídas 236 casas. Além disso, a organização já realizou mais de 2 mil enquetes socioeconômicas e mobilizou mais de 3 mil voluntários.

ESPORTE

EDUCAÇÃO

CIC ganha mini arena e academia ao ar livre

CE Arlindo de Carvalho de Amorim é selecionado no programa Escola 1000 Por: Larissa Santin

O

Alunos do colégio Arlindo Carvalho de Amorim

O Programa Escola 1000 tem o objetivo de viabilizar e acelerar a realização de reformas em escolas da rede estadual. O investimento total do Programa é de R$100 milhões, dividos entre mil colégios estaduais no estado do Paraná. A comunidade escolaré quem deverá definira utilização dos recursos. O

Colégio

Estadual

Arlindo

Carvalho de Amorim foi selecionado para o programa e agora

a

gestão

da

diretora

Leila

Ribeiro

é

responsável pela aplicação de 100 mil reais em reformas do sistema hidráulico e elétrico do espaço. A empresa contratada

é

a

WHX

Construções,

de

Colombo, e o prazo para entrega da obra é de noventa dias contados a partir de 17 de maio de 2018.

prefeito Rafael Greca inaugurou neste sábado (23/6) duas obras solicitadas pela população da região Sul da cidade. A primeira foi a miniarena, uma moderna quadra de grama sintética para prática de futebol, no conjunto Vitória Régia, na CIC. A segunda foi academia ao ar livre na Rua Cecilia Iritani, no São Miguel. A inauguração da miniarena teve um jogo de futebol de crianças, que receberam dez kits com 200 bolas e camisetas. “A Copa em Curitiba é no Vitória Régia”, brincou o prefeito pouco depois de lembrar que o projeto recebeu o apoio da deputada Maria Victoria, presente no evento. Ela destinou R$ 300 mil do orçamento do Estado para a execução do equipamento com a Secretaria de Estado do Esporte e Turismo. Por parte da Prefeitura, foi feita a cessão do terreno e de toda a infraestrutura, com ter-

raplenagem e pavimentação pela Secretaria de Obras Públicas. Revitalizada, a Praça Antonio Sebastião da Cunha Gebran, onde fica a miniarena, ganhou alambrados, cancha, playground, pista de skate, grades e paisagismo. Segundo o administrador da Regional CIC, Raphael Keiji, no ano passado jovens moradores de região reclamaram da falta de um espaço para prática esportiva. São Miguel Greca também entregou uma academia ao ar livre na Rua Cecilia Iritani, no bairro São Miguel, orçada em R$ 40 mil, que também foi possível por meio de emenda da deputada Maria Victoria. O espaço tem 700 metros quadrados, com equipamentos para ginástica para a população. “Quero confiar à associação dos moradores e à regional essa pracinha. Que sejam muito felizes aqui e as famílias ocupem para não virar lugar de desocupados”, disse o prefeito.


06

Jornal da CIC

Junho 2018

Greca vistoria área do futuro Parque do Geossítio na CIC

Quero emagrecer, mas sou compulsivo Por:Roberto Ratzke, médico

Estar acima do peso não é apenas culpa sua.

É difícil contro-

lar a alimentação, com tantas tentações em cada prateleira do supermercado e com tantas estratégias de marketing voltadas para o consumo desenfreado.

Porém, é preciso diminuir a vergonha, enfrentar a desesperança de

não conseguir parar de comer e procurar ajuda. Procurar ajuda pode ser difícil, mas o tratamento é eficaz, pois é fundamental desenvolver uma relação mais saudável com a comida e o peso, lembrar que o tratamento demora em fazer efeito e não se desesperar, pois a vida é uma maratona e não uma corrida de cem metros. Mas por que será que tantas pessoas enfrentam problemas com a comida? O motivo é simples: os alimentos podem viciar e uns mais que outros. Doces e gorduras dão um prazer imediato, uma sensação de bem estar, assim como álcool e drogas. A explicação para esse fenômeno é química: a gordura é composta por grandes moléculas de ácidos graxos, agentes que revelam o sabor. A relação entre o consumo de açúcar e o comportamento tem explicações biológicas. A glicose estimula a produção de serotonina e endorfina, neurotransmissores que regulam as sensações de bem-estar e prazer. Ambos acabam se tornando uma solução imediata para problemas emocionais, como ansiedade e depressão. Esse vício é refletido

na

compulsão

alimentar.

Segundo

a

Organização

Mundi-

al da Saúde (OMS), o Transtorno da Compulsão Alimentar (TCA) atinge pertode2,6%dapopulação.OBrasiltemumadastaxasmaisaltasdomundo,4,7%. Associando aos casos de obesidade, uma parte dos obesos apresenta um comportamento compulsivo em relação à alimentação e dois terços que apresentam transtorno de compulsão alimentar são obesos. Nesse sentido, a compulsão pode ser entendida como uma necessidade interna, uma força, que leva a pessoa a repetir um determinado comportamento. Essas ações costumam vir seguidas de uma sensação de alívio ou bem-estar. Cientificamente, é definida como uma ingestão de grande quantidade de comida, maior do que a maioria das pessoas comeria, em um intervalo de tempo menor que duas horas. Porém, aliada à esta ingestão, vem o hábito de comer rápido e sozinho, até se sentir cheio e com vergonha da quantidade de comida que ingeriu. Outro aspecto é a sensação de culpa, desânimo e perda de controle sobre o que consome. É interessante entender que o transtorno de compulsão alimentar muitas vezes vem acompanhado de transtornos de ansiedade e do humor, podendo gerar a depressão e o transtorno bipolar. Nota-se, também, que ele pode aparecer associado a outros transtornos em que há a dificuldade de controlar comportamentos ou impulsos, como o alcoolismo e o uso de substâncias como a maconha e a cocaína. Mas existem diversos fatores que podem interferir e até mesmo causar a compulsão alimentar, como os culturais, psicológicos e biológicos. Esses últimos, provocam uma desregulação de hormônios de estresse, como o cortisol, além dos hormônios ligados ao comportamento alimentar - como a grelina e leptina -, neurotransmissores ligados ao humor e saciedade - como a serotonina - e ao sistema de recompensa cerebral - como a dopamina. Se falarmos sobre os obesos, de forma sintética, aqueles com transtorno de compulsão alimentar têm maior sofrimento, prejuízo funcional e menor qualidade de vida que obesos sem esse diagnóstico. Isso evidencia que, quando a compulsão alimentar está presente, a chance de sucesso de uma dieta ou reeducação alimentar é menor, principalmente a médio e longo prazo. Porém, vale lembrar que o tratamento do transtorno da compulsão alimentar deve ser tratado e acompanhado por psiquiatras e os psicólogos. Existe um estigma à obesidade de maneira geral, uma vergonha de estar obeso, de apresentar compulsão alimentar, o que afasta as pessoas do tratamento.

Rafael Greca, e o professor da UFPR Fernando Sedor. Foto:Cesar Brustolin/SMCS

O

prefeito Rafael Greca vistoriou, na tarde desta quinta-feira (28/6), o terreno destinado ao futuro Parque Paleontológico Formação Guabirotuba – Geossítio de Curitiba, na CIC, próximo ao Contorno Sul. Junto com os professores da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Fernando Sedor e Luiz Alberto Fernandes, tratou das áreas e das necessidades do projeto, que está em andamento e deve ser implantado até o final de 2019. Participaram da visita a secretária municipal do Meio Ambiente, Marilza Dias, o superintendente de Obras e Serviços da Secretaria, Reinaldo Pilotto, e o diretor de Parques e Praças, Jean Brasil. Os professores indicaram ao prefeito as áreas onde estão sendo feitas as descobertas dos fósseis da fauna que viveu em Curitiba há 40 milhões de anos. “Viemos aqui para assegurar o apoio ao projeto das universidades”, disse Greca. Os fósseis foram encontrados por pesquisa-

dores de universidades, entre elas a UFPR.

Área preservada Em março desde ano o prefeito assinou o decreto que garante a criação do parque na área da CIC. Com a destinação, já foram iniciados os trâmites para possibilitar a implantação do parque. A infraestrutura do centro de exposições, jardim educativo e apoio para os pesquisadores devem ser concluídas até o final do ano que vem. Área de Relevante Interesse Ecológico (Arie), o parque vai ocupar 160 mil metros quadrados e fica às margens da BR-277, próximo do Contorno Sul, na CIC. Nesta região está o último remanescente da chamada Formação Guabirotuba, onde foram encontrados fósseis de vertebrados e invertebrados que permitem o estudo da evolução da fauna da América do Sul. Entre os fósseis estão os ancestrais de tatus e preguiças.

Fim de semana em Curitiba terá festivais de música e gastronomia O

final de semana em Curitiba terá festivais de violino e culinária vegana. Além disso, os Jogos do Piá e outras atividades culturais e de lazer estão disponíveis para a população gratuitamente. Com palestras, concursos, recitais e concertos, a segunda edição do Violin Festspiele Brazil tem início na Capela Santa Maria, no sábado (30/6), com apresentações da Orquestra de Câmara da Cidade de Curitiba e do instrumentista Cristian Budu. Já o Teatro Universitário de Curitiba (TUC) recebe, nesta sexta-feira (29/6) e no sábado (30/6), a apresentação de final de semestre gratuita dos alunos do Conservatório de MPB de Curitiba. A ideia é mostrar para o público os resultados conquistados ao longo de todo o ano letivo. Os Jogos do Piá, coordenados pela Secretaria Municipal do Esporte, Lazer e Juventude (Smelj), acontecem no sábado (30/6) e no domingo (1/7). A segunda etapa do projeto promove a união entre adultos e crianças com atividades gratuitas de futebol, tênis de mesa e carrinho de rolimã em diversos espaços públicos da cidade. Aberto desde esta quinta-feira (28/6), o evento “Corpos Dissidentes - Mostra Nacional de Cinema LGBTQI”, na Cinemateca de Curitiba, segue até sábado (30/6).

A programação discute a pluralidade da comunidade LGBTQI com 19 obras e mais de 150 artistas. Outra oportunidade cultural são as atividades gratuitas de dança na Casa Hoffmann, que abre as portas para adultos e crianças da feirinha do Largo da Ordem no domingo (1/7). Para fechar, o Pavilhão Étnico, no Memorial de Curitiba, recebe um festival de culinária vegana brasileira no domingo (1/7). O evento também terá show da Banda Brasileira da Escola Popular, às 11h, com ritmos nacionais e arranjos luteranos adaptados.


Ippuc estuda meios para evitar alagamentos em escola da CIC via SMCS

FotoS: Pedro Ribas/SMCS

O

prefeito Rafael Greca encomendou um estudo do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc) para resolver os problemas de alagamentos na Escola Municipal Dario Veloso, na CIC. O local á atingido com inundações toda vez que chuvas fortes ocorrem na cidade e parte do problema foi provocado por prédios que foram construídos em terrenos vizinhos à escola. Não está descartada, inclusive, a construção de um prédio novo para abrigar a escola e livrar a comunidade escolar deste transtorno. A terraplenagem de prédios vizinhos construídos nos últimos anos, acabou deixando a escola num local mais baixo, suscetível a alagamentos. “O Ippuc está aí para isso, vamos entregar esta tarefa a eles”, disse o prefeito, ao cobrar uma solução definitiva para o problema. O tema foi debatido durante o encontro de Greca com os gestores de núcleos da Prefeitura da Regional Prefeito Rafael Greca, durante reunião com os chefes de núcleo da ReCIC, dentro do programa Prefeitura gional CIC, junto com o administrador da Regional, Rafael Keiji, a secretária municipal da Educação, Maria Silvia Bacila, o vereador Toninho da Farmácia nos Bairros. A reunião foi feita nesta sexta-feira (15/6). “Nós estamos povo também para que a administração ande aqui ouvindo os gestores dos núcle- numa direção só. Porque se cada um puxar de um os da Prefeitura e estamos ouvindo o lado, a Prefeitura não aguenta”, disse o prefeito.

INTERNET Facebook/Jornaldacic www.jornaldacic.com.br

Fale sobre o bairro com a gente! Precisamos de relatos, críticas, palpites, sugestões e até denúncias para que o poder público possa saber e tomar providências. Se preferir, mande sua mensagem por áudio ou vídeo. Também estamos no WhastApp (41) 99979-1177 Ajude a construir uma rede de boas informações!

ANUNCIE SUA MARCA AQUI

(41) 99979-1177 COMERCIAL@JORNALDACIC.COM.BR


GRANDES DESCOBERTAS PASSARAM PELA CURIOSIDADE DE UMA CRIANÇA.

FOGUETES, PROJETOS 3D, HORTAS ESCOLARES E MUITO MAIS. Para estimular a criatividade e o interesse das crianças e dos estudantes, encontramos um jeito lúdico e divertido para que eles coloquem em prática o que aprendem em sala: estimular a sua vontade de descobrir o mundo.

Profile for Jornal da CIC

Jornal da CIC #10  

Edição de Junho de 2018

Jornal da CIC #10  

Edição de Junho de 2018

Advertisement