Issuu on Google+

Abril 2013 nº 18

- www.portalabm.com.br

MOBILIDADE URBANA Será que o futuro do transporte está no sistema de ônibus?


Editorial

Balancete janeiro 2013

O objetivo da matéria de capa é fazer com que nossos leitores reflitam sobre mobilidade e o sistema de transporte no Rio. Automóveis, ônibus, pedestres, ciclistas e motociclistas competem pelo espaço limitado das vias da cidade. Não restam dúvidas de que as recentes medidas adotadas pelo poder público representam um avanço nos padrões do transporte na cidade. Mesmo assim, as propostas ainda podem ser vistas como um tanto tímidas, dada a magnitude dos desafios que a cidade enfrentará com os megaeventos que acontecerão. Vamos reduzir o uso do automóvel em nossos deslocamentos. O Rio agradece. Continuamos com reportagens sobre o Canal Marapendi, suas ilhas, transporte, fauna e flora. Tratamos de muitas outras notícias, como o Transporte Comunitário, Curtas e entrevistas. Apresentamos ainda o site “Sobra da Obra” criado pelo engenheiro Fábio do Amaral, que tem como objetivo aproximar quem tem materiais comprados, e não usados, e quem vai começar a fazer uma obra e quer economizar nas compras. Boa leitura!

Abril 2013

Participe “Ao pé do ouvido” e “ABM digital”, dois importantes canais de comunicação onde a informação chega a você em primeira mão. Semanalmente é informado aos moradores um resumo dos principais acontecimentos no âmbito da ABM. Cadastre-se em sociocultural@portalabm.com.br e receba informação no seu e-mail.

www.portalabm.com.br

175.408,79 19.289,35 2.043,00 3.143,60 7.170,64 1.964,00 8.223,70 1.104,96 27.397,20 4.600,00 266,00

R$

(I) TOTAL DOS RECEBIMENTOS .............................................................

250.611,24

DISCRIMINAÇÃO DOS PAGAMENTOS

DESPESA COM PESSOAL

Salários Férias Encargos Sociais RESCISÕES

VALE ALIMENT(dez. e jan.) + CESTA DE NATAL + CAFÉ DA MANHÃ FUNCIONÁRIOS

Vale Transporte

Seguro de Vida + Plano Saúde

TOTAL DE DESPESAS COM PESSOAL CONC. PREST. SERVIÇOS ( luz + água/esgoto + Telefone + gás) SERVIÇOS PRESTADOS MANUTENÇÃO & CONSERVAÇÃO + MAT. LIMPEZA + MAT. EXPEDIENTE DESPESAS BANCÁRIAS VIGILÂNCIA NO BOSQUE SERVIÇO DE LIMPEZA + MANUTENÇÃO DE ÁREAS VERDES CAIXA PEQUENO + DESP. DIVERSAS MANUTENÇÃO DA PISCINA + GÁS ESCOLA DE NATAÇÃO MF 08 PAGAMENTO À PREFEITURA MENSALIDADE + ATRASADOS (60/60) OUTRAS ENTIDADES ( CAM. COMUNITÁRIA + ACIBARRA + BOSQUE SOLIDÁRIO) HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS DESPESA COM COMUNICAÇÃO (JORNAL & SITE) BENS (móveis e utensílios/mat. Informática/outros) DESPESAS COM EVENTOS (Festa de Fim de Ano e Aniversário da ABM)

33.112,15 8.429,84 25.117,66 19.872,11 2.811,60 5.320,39 94.663,75

94.663,75 19.376,05 6.475,40 2.999,55 723,39 31.170,57 19.143,72 2.389,41 7.279,12 10.343,52 34.868,04 1.186,00 2.488,00 9.916,10 1.460,00 3.845,86

(II) TOTAL DOS PAGAMENTOS ............................................................. SALDO DO MÊS (I-II) R$

248.328,48 SALDO ATUAL - BANCO ITAÚ

2.282,76

CONTA-CORRENTE

APLICAÇÃO TOTAL

R$ 174.088,29

DISPONÍVEL FDO. RESERVA R$ 48.912,19 TOTAL GERAL R$ 250.817,03 APLICAÇÃO R$ 125.176,10 R$ 253.099,79 R$ 79.011,50 OBS: INCLUIDO NO VALOR DA APLICAÇÃO ACIMA, A VERBA DA CALÇADA, ATUALIZADA MONETARIAMENTE, NO TOTAL DE R$ 92.684,39

Diretoria

2

DISCRIMINAÇÃO DOS RECEBIMENTOS MENSALIDADE DOS CONDOMÍNIOS DOAÇÕES DE TERCEIROS (VIVO / CLARO) RECEBIMENTO DE PUBLICIDADE ( painés, site e Jornal) TRANSPORTE & BOSQUE (SEGUNDAS VIAS DE CARTEIRAS + PROTOCOLOS TRANSPORTE + ESPELHOS) CESSÃO DE ÁREAS ESPORTIVAS E SALÃO NELSON GALLO PARA AULAS E ATIVIDADES ALUGUEL DE CHURRASQUEIRA & ALUGUEL DO SALÃO & SALÃO HENRIQUE CORDEIRO REPASSE DAS CANTINAS E SALÃO DE BELEZA (LUZ, ÁGUA, GÁS E CONDOMÍNIO) RENDIMENTOS S/ APLICAÇÕES FINANCEIRAS + JUROS E MULTAS RECEBIDOS ARRECADAÇÃO DA PISCINA (ADMINISTRAÇÃO DA ABM) PATROCÍNIO DE EVENTOS ( Festa de Fim de Ano + Carros Antigos) BOSQUE SOLIDÁRIO - ABM

(III) SALDO DO MÊS ANTERIOR

Balancete fevereiro 2013

Presidente: Lélio A. Barbosa Assessor: Fernando V. Mello Alves Assessor: João Luiz Leite Rabello Vice-Presidente Administrativo: José Rodrigues Lopes Diretor Financeiro: Amaury Bruno Martins Coordenador de Patrimônio: Ítalo Giuseppe Pompeo Coordenador Financeiro: Carlos Afonso Teixeira Vice-Presidente de Esportes: George Khede Diretor de Vôlei/ Basquete: Luiz Júlio Zancopé Vice-Presidente Sociocultural: Ricardo Magalhães Diretora Cultural: Sonia Magalhães Diretora Social: Janete Martins Vice-Presidente de Transporte: Américo José de Araujo Netto Diretor de Fiscalização: Fernando Antônio Diretor Técnico: Paulo Bessa Diretor Relação Cond./Usuário: Hamilton da Silva Ramos Carvalho

Expediente Editor: Paulo Wagner Fotografia: Jorge Souto Arte: Ideiatrip Comunicação e Design - (21) 4101-2248 Projeto gráfico: Renan Pinto Diagramação: Carlos Pereira Revisão: Marilza Bigio Colaboradores: Américo Netto, Ilma Novaes, Sérgio Lima Nascimento, Luahine Mendes, Janete Martins, Fernando Melo Distribuição gratuita Tiragem: 7.000 exemplares

DISCRIMINAÇÃO DOS RECEBIMENTOS MENSALIDADE DOS CONDOMÍNIOS DOAÇÕES DE TERCEIROS (VIVO / CLARO) RECEBIMENTO DE PUBLICIDADE ( painés, site e Jornal) TRANSPORTE & BOSQUE (SEGUNDAS VIAS DE CARTEIRAS + PROTOCOLOS TRANSPORTE + ESPELHOS) CESSÃO DE ÁREAS ESPORTIVAS E SALÃO NELSON GALLO PARA AULAS E ATIVIDADES ALUGUEL DE CHURRASQUEIRA & ALUGUEL DO SALÃO & SALÃO HENRIQUE CORDEIRO REPASSE DAS CANTINAS E SALÃO DE BELEZA (LUZ, ÁGUA, GÁS E CONDOMÍNIO) RENDIMENTOS S/ APLICAÇÕES FINANCEIRAS + JUROS E MULTAS RECEBIDOS ARRECADAÇÃO DA PISCINA (ADMINISTRAÇÃO DA ABM) BOSQUE SOLIDÁRIO - ABM (I) TOTAL DOS RECEBIMENTOS .............................................................

R$

174.793,84 19.289,35 2.421,50 4.646,00 2.876,98 2.357,00 8.538,61 780,34 26.939,40 266,00

242.909,02

DISCRIMINAÇÃO DOS PAGAMENTOS

DESPESA COM PESSOAL

Salários Férias Encargos Sociais RESCISÕES

VALE ALIMENTAÇÃO + CAFÉ DA MANHÃ FUNCIONÁRIOS

Vale Transporte

Seguro de Vida + Plano Saúde

TOTAL DE DESPESAS COM PESSOAL CONC. PREST. SERVIÇOS ( luz + água/esgoto + Telefone + gás) SERVIÇOS PRESTADOS MANUTENÇÃO & CONSERVAÇÃO + MAT. LIMPEZA + MAT. EXPEDIENTE DESPESAS BANCÁRIAS VIGILÂNCIA NO BOSQUE SERVIÇO DE LIMPEZA + MANUTENÇÃO DE ÁREAS VERDES CAIXA PEQUENO + DESP. DIVERSAS MANUTENÇÃO DA PISCINA + GÁS ESCOLA DE NATAÇÃO MF 08 PAGAMENTO À PREFEITURA MENSALIDADE + ATRASADOS (01/04) OUTRAS ENTIDADES ( CAM. COMUNITÁRIA + ACIBARRA + BOSQUE SOLIDÁRIO) HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS DESPESA COM COMUNICAÇÃO (JORNAL & SITE) BENS (móveis e utensílios/mat. Informática/outros) DESPESAS COM EVENTOS (Carnaval da ABM)

37.381,65 2.340,86 21.187,90 8.742,92 2.814,00 5.320,39 77.787,72

77.787,72 20.944,61 9.018,60 2.961,45 550,41 31.331,21 19.378,66 1.614,72 11.547,64 12.955,81 34.553,80 1.036,00 2.712,00 5.705,10 1.010,00 1.500,00

(II) TOTAL DOS PAGAMENTOS ............................................................. SALDO DO MÊS (I-II) R$

8.301,29

(III) SALDO DO MÊS ANTERIOR

R$

253.099,79

234.607,73 SALDO ATUAL - BANCO ITAÚ

CONTA-CORRENTE DISPONÍVEL R$ 86.675,48

APLICAÇÃO TOTAL FDO. RESERVA APLICAÇÃO

R$ 174.725,60 R$

51.424,19 TOTAL GERAL R$ 123.301,41 R$ 261.401,08

OBS: INCLUIDO NO VALOR DA APLICAÇÃO ACIMA, A VERBA DA CALÇADA, ATUALIZADA MONETARIAMENTE, NO TOTAL DE R$ 93.476,09

Veja a edição completa na internet: www.jornaldaabm.tk Anuncie - Ilma: 8114-0354 - ABM: 2495-6911 *As opiniões expressas nos artigos são de responsabilidade dos autores eximindo-se a ABM de quaisquer responsabilidades técnicas.


dastrados; a restauração do Jornal da ABM há muitos anos abandonado e dos diversos eventos direcionadas a toda a Comunidade e não só a parcelas dela como no passado, além de: 1. Participação permanente e ativa em todas as reuniões do 31º Conselho Comunitário de Segurança, com efetiva atuação em todas as medidas tendentes à melhoria da segurança da população de nosso entorno; 2. A participação em todas as reuniões da Câmara Comunitária da Barra da Tijuca, com persistente pregação das falhas do poder público tanto na área de segurança como de construção, conservação e restauração de vias públicas; 3. Participação em frequentes reuniões com a Subprefeitura para tratar de interesses de nossa área, cuja atuação e persistência concedeu-nos, pelo menos, a ultimação das obras destinadas à melhoria do trânsito na confluência da Av. das Américas/ Av. Afonso Arinos de Melo Franco, destacando que o projeto final tem, no mínimo, 80% de participação de Diretores da ABM; 4. Significativa redução (ou quase estancamento) do grande número de ações judiciais ajuizadas por condôminos de alguns condomínios objetivando a isenção da parcela do Transporte Comunitário da cota condominial, em razão da comprovação, sempre que convocada a ABM para intervir ou orientar, de reiteradas decisões em 1ª, 2ª e até 3ª instâncias, concluindo que, somente através de nova deliberação de Assembleia Geral, anulando a que aprovou a adesão ao Sistema, é possí-

vel ao Condomínio ou ao Condômino ser dispensado da cobrança (matéria amplamente divulgada no Portal da ABM); 5. Participação em todos os movimentos oriundos de outras associações ou entidades visando o bem estar e a tranquilidade de nossa comunidade, tais como: o ato assinado por aproximadamente trinta representações de moradores e empresários, encabeçados pela OAB/Barra, ao Governador do Estado, objetivando o necessário e indispensável aumento do contingente do 31º BPM; 6. Participação efetiva junto à Secretaria Estadual do Meio Ambiente e órgãos municipais objetivando tornar realidade as obras projetadas para a restauração do complexo lagunar da Barra da Tijuca, sendo ainda a ABM autora de projeto com a participação de eméritos biólogos da região com vistas a atividades de defesa do meio ambiente; 7. Renovação do Termo de Adoção do Bosque por mais dois anos. Finalmente, o nosso sincero agradecimento a todos os diretores e colaboradores anônimos, ao crescente número de moradores/ usuários que têm reconhecido, publicamente, o nosso esforço para melhorar, cada vez mais, o direcionamento da ABM no caminho de seu verdadeiro destino – O BEM ESTAR, A COMODIDADE DE NOSSA COMUNIDADE, elevando a Deus os nossos votos de que nossos sucessores reflitam sobre tudo que fizemos e pregamos nos últimos 36 meses.

Abril 2013

Estamos no limiar do término de nossa terceira gestão na Presidência da ABM (1999/2000, 2011/2012 e 2012/2013). Isto sem contar os anos de participação no Conselho Fiscal e a participação no grupo de abnegados precursores, desde as tentativas e tratativas junto à Subprefeitura da Barra e Prefeitura do Rio de Janeiro, o que já é do conhecimento não só dos representantes dos Condomínios no Conselho Geral de Associados (CGA) da ABM, mas de grande parcela de moradores. Empenhamo-nos muito e com a inestimável colaboração de velhos guerreiros, os Companheiros de Administração dos últimos três mandatos, a começar em 2010, em que a Diretoria era encabeçada por João Luiz Rabello e participávamos da Assessoria, tendo a incansável colaboração de Fernando Mello, Amaury Martins, José Lopes Rodrigues, George Khede, Carlos Alberto de Oliveira, Américo José A. Netto, Ricardo Magalhães e Roberto Barbosa. Quebramos paradigmas que há anos maleficamente se perpetuavam na associação como a terceirização da piscina, os eventos fechados para grupos, a centralização de poder na diretoria, a anuência injustificada de cessão de áreas da ABM para terceiros para não falarmos de outros casuísmos. A reforma do estatuto trouxe importantes conquistas para a associação como a regulação da aplicação de receitas extraordinárias, a criação

do Fundo de Reserva e condições de seu uso, a normatização de cessão de áreas cuja competência passou a ser do Conselho Geral de Associados (CGA) e não de um pequeno grupo. Após a assinatura do Termo de Cessão dos Próprios Municipais - o grande passo ao final de anos do exercício da perseverança, conseguimos o Termo Aditivo via do qual reincorporamos ao lote a nós cedido (da Av. Afonso Arinos de Melo Franco) as 3 pequenas áreas cedidas, diretamente, não se sabe como, pelo Município, a três Concessionários de instalações nos fundos da Sede, dentre elas o que restava da cessão do parque aquático que tantos problemas e prejuízos causaram à administração da ABM e à Comunidade – fato exaustivamente esclarecido. A despeito de críticas e notícias infundadas, publicadas em Jornal local, hoje totalmente desacreditado pela maliciosa, delituosa e invariável deturpação de fatos e ações administrativas da atual Diretoria, medidas foram adotadas para evitar-se passarmos para futuros dirigentes a herança que recebemos de débitos à Prefeitura e déficit permanente de atividades, mormente do parque aquático, hoje com superávit capaz de ajudar o suporte de outros gastos. Trazendo no mesmo plano as três últimas gestões, revolucionárias em sua inquestionável transparência e sobriedade nas ações, não podemos deixar de relembrar aqui e de repetir a introdução do Boletim Semanal “ Ao Pé do Ouvido” enviado a Síndicos, Representantes e centenas de moradores/usuários ca-

3 www.portalabm.com.br

Voz da ABM

Lélio A. Barbosa Presidente da ABM


Transporte

Trânsito caótico

Abril 2013

Engarrafamentos constantes prejudicam a grade de horários

www.portalabm.com.br

4

A cruz diária de todo carioca é o trânsito. Não há quem não sofra com ele: motoristas, passageiros, motociclistas; pedestres e ciclistas. As avenidas e ruas tornaram-se pequenas diante da massa descontrolada de veículos que a cada dia transitam pelos quatro cantos da cidade. Entretanto, o número de veículos nas ruas não é o problema mais grave. A qualidade do trânsito, ou melhor, a falta dela, é o ponto que nos preocupa. Educação, compreensão, gentileza e até mesmo bom senso são máximas da vida em sociedade alheias aos protagonistas do asfalto. A ausência do senso de coletividade no trânsito é a causa de todo o caos. Uma autorreflexão sobre nosso cotidiano no trânsito demonstra-nos o quanto também somos responsáveis pela nossa indignação. Assumir isso já é um grande passo. A vida em sociedade exige condutas sociais reguladas

por uma exata medida ética de direitos e deveres. Quando olharmos pelo retrovisor o egoísmo como um ponto distante estaremos próximo da avenida da fraternidade. Não há progresso social que não se inicie na mudança de atitude de cada um. Durante décadas fora dito que o automóvel é o melhor meio de transporte para a população. Disso de fato temos certeza, mas hoje nos perguntamos: “Será que continua sendo?” Vemos todos os dias ou pelos jornais, ou pelos noticiários, que a cidade está parando por haver tantos automóveis nas ruas queimando combustíveis e motoristas se estressando por conta do fluxo de carros. Meios de transporte que deveriam ser o meio mais viável para desafogar a quantidade de veículos nas cidades parecem não dar certo. Falta estrutura e uma boa organização, tanto de medidas governamentais quanto da população.

Relação de frota, linhas e ano de fabricação LINHA

CARRO

ANO

MOTORISTA

1

2320 / 46

2011 / 2012

MENDES

2

2150 / 46

2009 / 2010

MACHADO

3

2160 / 46

2009 / 2010

VASQUES

4 - 1ºT

1920 / 48

2007

GABRIEL

4 - 2ºT

1920 / 48

2007

OLIVEIRA

5

2010 / 46

2008

ADEMIR

6

2040 / 46

2008

MARCIO

7

2100 / 46

2009

BAYER

8

2060 / 46

2008

BIANCHI

9 - 1ºT

1970 / 46

2008

JURANDI

9 - 2ºT

1970 / 46

2008

DANIEL

10

2350 / 46

2012

REGINALDO

11

2340 / 46

2011 / 2012

L.EDUARDO

12 - 1ºT

2080 / 46

2008

12 - 2ºT

2080 / 46

2008

DE PAULA

13

2120 / 46

2009

VALMIR

14

1940 / 46

2008

JULIO

É de obrigação da empresa contratada Vênus: 1 - Manter em disponibilidade, ônibus reservas, para substituição daqueles que, em razão de panes mecânicas e/ou acidentes, não possam dar continuidade ao serviço.

15 - 1ºT

1930 / 48

2007

BARBOSA

15 - 2ºT

1930 / 48

2007

R. MORAES

16

2020 / 46

2008

D´ALMEIDA

2 - Substituir os ônibus que se encontrarem em más condições de uso, em até 72 (setenta e duas) horas após a solicitação expressa dos contratantes ou pela gestora;

17

1950 / 48

2008

MESSIAS

18

2360 / 46

2011 / 2012

HERMINIO

19

2180 / 46

2009 / 2010

AMARILDO

20

2110 / 46

2009

CLODOALDO

21

2170 / 46

2009 / 2010

JORGE

22

1900 / 48

2007

DUARTE

4 - Providenciar, no menor tempo possível, a condução dos usuários até o seu destino final e regularizar a programação, nos casos de interrupção de viagens, por motivo de panes mecânicas ou de acidentes;

23

1960 / 46

2008

DAVI

24 - 1ºT

2030 / 46

2008

MONTEIRO

24 - 2ºT

2030 / 46

2008

RIBAMAR

5 - Entregar a condução dos veículos exclusivamente a motoristas de classe turística, devidamente, habilitados e registrados como empregados da contratada, devendo os mesmos portar crachás com as respectivas identificações;

25

2140 / 46

2009

EMERSON

26

2370 / 46

2011 / 2012

PEREIRA

27

2090 / 46

2009

GILMAR

6 - Realizar as viagens, cumprindo os horários, os itinerários e as paradas para embarque e desembarque fixados no quadro de horários e itinerários.

28

2130 / 46

2009

L. SANTOS

29 - 1ºT

2070 / 46

2008

LEONEL

29 - 2ºT

2070 / 46

2008

ISAIAS

Você sabia?

3 - Manter, na parte frontal e em lugar visível dos ônibus, a identificação “ABM” e o número sequencial dos veículos que servem aos contratantes, segundo modelo fornecido por estes ou pela gestora;

Obs: Idade média da frota 3,9 anos. Conforme contrato com a Venus os ônibus devem ter no máximo 7 anos de uso.


Em mais uma demonstração da forma democrática e transparente como a atual diretoria da ABM administra seus atos e procedimentos, objetivando melhor habilitar os que irão escolher os responsáveis para dirigir os destinos da Associação (síndicos e representantes dos condomínios), no próximo pleito, dia 15 de abril de 2013, apresentamos as duas chapas concorrentes:

CARGO

CANDIDATO

PRESIDENTE

ANTONIO CLAUDIO MENDES N.I.

N.I.

ASSESSOR

N.I.

N.I.

ASSESSOR

N.I.

N.I.

VICE-PRES. ADMINISTRATIVO

DOMINGOS MACHADO FILHO

ITAPOÃ-JATIÚCA

DIR. ECONOMICO FINANCEIRO

N.I.

N.I.

DIRETOR DE MARKETING

N.I.

N.I.

DIRETOR DE PATRIMÔNIO

N.I.

N.I.

DIRETOR DE SECRETARIA

N.I.

N.I.

VICE-PRES. TRANSPORTES

JOSÉ SANTANA DE MELO

BARRA SOL

DIRETOR TÉCNICO

N.I.

N.I.

DIRETOR FISCALIZAÇÃO

N.I.

N.I.

DIRETOR REL.c/COND.E USUÁRIOS

N.I.

N.I.

MARINARA COSTA

BARRA MARINA

DIRETORA CULTURAL

N.I.

N.I.

DIRETORA SOCIAL

N.I.

N.I.

DIRETOR MEIO AMBIENTE

N.I.

N.I.

VICE-PRES. ESPORTES

Antônio Cláudio Mendes

BARRA SOL

ASSESSOR

VICE-PRES. SOCIOCULTURAL

FOTO NÃO FORNECIDA

CONDOMÍNIO

CLAUDIO DA JUSTA MORAES

ROYAL BARRAVAÍ

DIRETOR FUTEBOL

N.I.

N.I.

DIRETOR DE TENIS

N.I.

N.I.

DIRETOR DE VOLEI/BASQUET

N.I.

N.I.

5

Obs: N.I. = não informado. Apesar de solicitado, não foi informado pelo responsável pela Chapa Mãos Dadas.

Chapa Dedicação e Transparência

Ricardo Magalhães

Abril 2013

Eleições na ABM

Chapa ABM de Mãos Dadas

CARGO

CANDIDATO

CONDOMÍNIO

PRESIDENTE

RICARDO MAGALHÃES

COSTA BLANCA

ASSESSOR JURÍDICO

LÉLIO A. BARBOSA

LAKE BUENA VISTA

ASSESSOR OPERACIONAL

JOÃO LUIZ RABELLO

LYON

ASSESSORA RELAÇÕES COMUNITÁRIAS GEOVANINA DA FONSECA

VILA DE GÊNOVA

VICE-PRES. ADMINISTRATIVO

FERNANDO MELLO

MARBELLA

DIR. ECONOMICO FINANCEIRO

AMAURY MARTINS

SAINT TROPEZ

DIRETOR DE MARKETING

MÔNICA SANTOS L. E SILVA

ITAPOÃ/JATIUCA

DIRETOR DE PATRIMÔNIO

CARLOS SOUZA

BARRA D’ORO

DIRETOR DE SECRETARIA

JOÃO L. CORREA

LYON

VICE-PRES. TRANSPORTES

AMÉRICO J. A. NETO

BARRA D’ORO

DIRETOR TÉCNICO

FERNANDO A. GONÇALVES

VIA CANCUN

DIRETOR FISCALIZAÇÃO

PAULO BESSA

VIA CANCUN

DIRETOR REL. c /COND. E USUÁRIOS

HAMILTON CARVALHO

BARRA D’ORO

VICE-PRES. SOCIOCULTURAL

CARLOS A. TEIXEIRA

LYON

DIRETORA CULTURAL

SONIA MAGALHÃES

COSTA BLANCA

DIRETORA SOCIAL

JANETE MARTINS

SAINT TROPEZ

DIRETOR MEIO AMBIENTE

MIGUEL ANGELO LOURENCI

SOL DE MARAPENDI

VICE-PRES. ESPORTES

GEORGE KHEDE

ALOHA

DIRETOR FUTEBOL

CARLOS ALBERTO DE OLIVEIRA

BARRA D’ORO

DIRETOR DE TENIS

MANOEL C. NETO

PALACE BARRAVAÍ

DIRETOR DE VOLEI/BASQUET

PAULO OLIVEIRA

BARRA D’ORO

www.portalabm.com.br

Nossa Associação


Esportes

Por Paulo Sergio Rodrigues Condomínio Costa Blanca

Abril 2013

Cresce a prática do tênis na ABM

www.portalabm.com.br

6

A ABM oferece aos seus usuários uma valiosa infraestrutura para a prática do tênis de quadra. São cinco quadras de excelente qualidade, sendo quatro de piso duro (cimento) e uma de saibro (terra batida). Com o aumento recente da frequência de uso dessas quadras, tornam-se necessários cuidados especiais por parte dos tenistas durante o uso desses aparelhos esportivos, que requerem procedimentos especiais de manutenção. A manutenção da quadra de saibro, por exemplo, é bastante trabalhosa, pois precisa receber tratamento especial pelo menos quatro vezes ao dia, principalmente em épocas de sol muito quente ou após chuvas muito fortes ou de longa duração. Nesses casos, a quadra precisa ser interditada para manutenção e somente deve ser liberada para uso após receber as ações necessárias, realizadas por profissionais treinados da ABM. Ainda em relação à quadra de saibro, além da necessidade frequente de reposição do pó de telha da superfície, é preciso molhá-la com frequência para mantê-la sempre úmida, garantindo a maciez do piso e a firmeza do solo, evitando assim o surgimento de rachaduras e também que o vento levante nuvens de pó, além da escovação, limpeza

Quadra de saibro requer uma manutemção cuidadosa.

das linhas e retirada de mato que tende a crescer neste tipo de piso. Já em relação às quadras de piso duro, elas precisam ser varridas pelo menos uma vez por dia para retirada da areia trazida pelo vento. Tendo em vista a fragilidade natural da quadra de saibro e também das quadras de piso duro, os usuários devem utilizar tênis apropriados para o esporte, isto é, sem

ranhuras laterais, sem travas e sem solados com sulcos profundos de aderência. É vedado o uso de sapatos, sandálias e chuteiras pois o uso de calçado inadequado provoca sulcos, depressões e ondulações no piso. Observando estes cuidados todos estarão contribuindo para manter os equipamentos, de uso coletivo, em bom estado para a prática esportiva.


Preços Especiais para Depilação Progressivas R$ 150 Qualquer tamanho

TERÇA e QUARTA-FEIRA Corte = R$ 40

Pé e Mão R$ 28 Grátis – Francesinha e Hidratação dos pés

Corte e Hidratação = R$ 55 Escova e Hidratação = R$ 55 Corte e Escova = R$ 55

Aplicação/Escova/Corte = R$ 100 Corte à máquina = R$ 25

2493-6449 / 3547-7549 na sede da ABM

Av. Afonso Arinos de Melo Franco, no. 393 – Loja B Barra da Tijuca/RJ CEP: 22631-455

Abril 2013

Wi-fi

Corte/Hidratação/Escova = R$ 70

7 www.portalabm.com.br

Temos: Maquiagem Definitiva

Promoção válida de 02/04/13 a 31/05/13

Coloração/Hidratação/Escova = R$ 130


Matéria de capa Por Paulo R. Wagner

Abril 2013

Mobilidade urbana: problemas e perspectivas

www.portalabm.com.br

8

Mobilidade é o grande desafio das cidades, em todas as partes do mundo. A opção pelo automóvel - que parecia ser a resposta eficiente do século 20 à necessidade de circulação - levou à paralisia do trânsito, com desperdício de tempo e combustível, além dos problemas ambientais de poluição atmosférica e de ocupação do espaço público. No Brasil, a frota de automóveis e motocicletas teve crescimento de até 400% nos últimos dez anos. O Rio de Janeiro se prepara para receber megaeventos, onde se destacam a Copa das Confederações da Fifa, em junho, o Encontro Mundial da Juventude, em julho, a Copa do Mundo em 2014 e os Jogos Olímpicos em 2016. O Rio é uma cidade com muitos e graves problemas sociais, ambientais e de mobilidade. Por isso, em todos os estudos que antecederam a escolha da cidade a preocupação dos organizadores com a mobilidade e o trânsito sempre esteve presente, mas na prática pouca solução se vê. Com a vinda destes eventos é inegável que a população espera obter um legado através de estruturas de empregos, turismo, saúde e, principalmente, melhoria no transporte. Entretanto, devemos ficar alerta para o perigo de ocorrer grandes investimentos públicos para realização de obras superficiais e soluções apenas para servir aos visitantes, turistas e torcedores durante o curto período de suas realizações. A preocupação com o legado para aos moradores depois de encerrados os Jogos Olímpicos é pertinente, já que este é o evento com maior poder de transformação na paisagem geográfica de uma cidade e os equipamentos es-

portivos afetam diretamente a dinâmica urbana. É importante o governo ofereça uma infraestrutura de transporte que seja eficiente, confiável e acessível para os moradores independente dos eventos. No âmbito dos transportes é de triste memória o legado dos Jogos Pan-Americanos realizado no Rio, em 2007. Ele se restringiu à reforma do terminal Alvorada, na Barra da Tijuca. Para melhorar o trânsito durante o evento foram criadas apenas restrições ao acesso de automóveis à área das ins-

talações de competições, implantadas faixas preferenciais nas principais vias da cidade e faixas seletivas nas Linhas Amarela e Vermelha, separando uma pista de rolamento onde circulavam os ônibus das delegações precedidos por batedores. Lembrando que de acordo com relatório do Ministério dos Esportes o custo total dos Jogos foi de R$ 3,58 bilhões, sendo o município do Rio de Janeiro responsável por R$ 1,21 bilhão, o equivalente a 33,8% do total investido.

Congestionamento A Barra da Tijuca, como quase todos os bairros, enfrenta hoje terríveis e intermináveis congestionamentos, onde suas principais vias de escoamento ficam totalmente entupidas nas horas de pico, prejudicando a circulação dos ônibus e dos próprios automóveis. À medida que as cidades vão crescendo, as velocidades das viagens tendem a diminuir e há razões para isso: em primeiro lugar o crescimento, tanto do número quanto da


Muito tem se falado da construção da Linha 4 do metrô. Considerando uma estimativa conservadora, a modalidade ônibus transporta atualmente entre 7 e 8 vezes mais passageiros do que o sistema metroviário. Embora esse fato em nada diminua a importância do metrô, é inegável que qualquer melhoria que se pretenda nas condições de transporte em benefício da população carioca incluirá, necessariamente, a melhoria no atendimento ao sistema de ônibus. Com a ineficiência mobilidade por coletivos do sistema de ônibus público e o crédito facilitado para aquisição de automóveis, o ânimo dos motoristas para dispensar o uso dos carros é pífio. Assim, a cidade assiste a um crescimento expressivo de carros com um único passageiro e o aumento diário de novos automóveis pelas ruas da cidade. É claro que isso gera uma disputa pelo uso do espaço urbano, que se manifesta, principalmente, no conflito entre automóveis, de um lado, e ônibus, de outro. Um exemplo disso é que antes os ônibus que serviam a ABM chegavam de uma viagem e ficavam aguardando o horário de iniciar uma nova. Atualmente eles já chegam à ABM com atraso por conta dos engarrafamentos.

Medidas operacionais Transporte é um dos itens que mais afetam a população, pelo seu impacto sobre qualidade de vida e meio ambiente urbano. Tanto o estado quanto o município preparam um conjunto de soluções para diferentes entraves ao bom funcionamento da cidade, que vêm apresentando a cada dia mais problemas no ordenamento urbano. Soluções são prometidas, mas efetivamente pouca coisa já saiu do papel. A demora nos deslocamentos,

os longos congestionamentos e a falta de acesso ao transporte público são problemas diretamente decorrentes do atual modelo de mobilidade adotado. De acordo com a Associação Nacional de Transporte Público (ANIP), o Rio adotou um modelo que privilegia o automóvel, que responde por apenas 30% das viagens urbanas, em detrimento do transporte coletivo ou não motorizado, como ônibus, barcas, metrô, bicicletas ou trânsito de pedestres. Os automóveis são os principais causadores de um conjunto de custos como perda de horas produtivas e gasto excessivo de combustíveis em congestionamentos, perdas pessoais e gastos médicos com acidentes de trânsito e destruição de equipamentos públicos. Os problemas apresentados no transporte não são somente de ordem operacional, mas, também, de sustentabilidade. A importância do sistema de ônibus decorre da elevada capacidade que a modalidade transporta. A melhoria das condições de circulação de ônibus é caminho obrigatório para a estratégia de reduzir a porcentagem dos deslocamentos feitos por automóvel. É necessário oferecer alternativas de boa qualidade para persuadir os atuais usuários de automóveis a utilizar o transporte coletivo. Esta constatação realça, sob outra ótica, a necessidade de facilitar a circulação e a segurança de ônibus, enquanto se procura restringir e disciplinar os fluxos de automóveis. Parece ser essa a única estratégia ao mesmo tempo financeiramente viável e capaz de melhorar significativamente as condições de mobilidade na cidade.

Perspectiva Utilizando uma estimativa conservadora, os ônibus transportam

mais de 2 milhões de passageiros por dia no Rio. E mesmo que se consiga dobrar o volume de passageiros transportados pelo metrô até 2016 o volume de pessoas transportadas por ônibus será cerca de três vezes maior. Portanto, qualquer esforço no sentido de melhorar as condições de circulação da população terá como ponto de partida o melhoramento das condições de circulação dos ônibus. E isso exige, em locais de demanda elevada, a criação ou ampliação do número de faixas ou pistas exclusivas e semi-exclusivas. O disciplinamento das condições de circulação e o estacionamento de veículos particulares são sempre necessários. Complementarmente, para assegurar características que favoreçam o uso dos ônibus, é preciso melhorar as condições de segurança e facilidade de circulação de pedestres. A qualquer deslocamento por ônibus correspondem duas caminhadas a pé. Isto requer programas que envolvam aspectos de engenharia de tráfego, como semáforos, faixas com condições adequadas de travessia, alargamento de calçadas e criação de canteiros centrais e outros refúgios para pedestres. Requer, também, modificações urbanísticas, como ampliação do número de calçadões e pequenas praças, instalação de abrigos e terminais mais adequados, e outras providências para a racionalização do uso do solo urbano. Diante da importância do setor de transportes urbanos para a qualidade da vida e do ambiente urbano, todos os níveis de governo (federal, estadual e municipal) têm sua parcela de contribuição a dar. Os problemas foram levantados, alternativas para solucioná-los existem. Então o que falta é disposição política.

9 www.portalabm.com.br

Ônibus x carro

Existem coisas curiosas no uso de certas palavras, não só no Brasil como em outras partes do mundo. Uma delas é a conhecida “ônibus”, tão comum para nós, principalmente para os que sofrem nas filas todos os dias. Esta palavra que deriva de outra de origem latina “omnibus”, que significa “para todos”, foi criada na França em 1826, quase por acaso. Segundo registros históricos nos arredores de Nantes um coronel da reserva de nome Stanislau Brandy havia construído um moinho a vapor. Para aproveitar o calor excedente gerado pela máquina, ele teve a ideia de construir em anexo um balneário público. Os fregueses esperados não apareciam. Atribuindo essa ausência de freguesia à distância entre a cidade e o balneário, Brandy resolveu então implantar uma linha regular de coches – carro comprido puxado a cavalo - ligando o centro da cidade ao seu empreendimento. Mas a medida não adiantou, pois o balneário continuava sem clientes. No entanto os coches circulavam sempre lotados. A conclusão era óbvia: a população não se interessava pelos banhos a vapor, mas pelo serviço regular de coches. Brandy fechou o balneário, mas manteve a linha de coches, que já eram conhecidos por ônibus pela população. A origem do nome é curiosa: acontece que os coches tinham ponto de partida em frente à loja de um comerciante de chapéus chamado Omnes, que utilizava como slogan de seu negócio a frase “Omnes Omnibus”, que, em latim, significa “tudo para todos”. Como o nome ônibus combinou bem com o tipo de serviço que oferecia à população, um transporte que realmente podia ser utilizado por todos, Brandy manteve a denominação. O termo ônibus acabou sendo perfeitamente assimilado e adotado para designar transporte coletivo. O termo se manteve ao longo dos anos, até depois da invenção do primeiro ônibus motorizado, criado por Benz em 1895. Países como a França e a Alemanha mantêm até sua grafia inalterada até hoje: escreve-se “omnibus”, como nos idos de 1928.

Abril 2013

Ônibus: do latim ao popular

extensão das viagens, de forma que a quantidade de viagens aumenta mais do que proporcionalmente às variações de crescimento populacional. Portanto, para que as velocidades permaneçam as mesmas, a capacidade da infraestrutura de transportes (vias, por exemplo) tem que aumentar mais do que proporcionalmente ao crescimento urbano. Como se tal problema já não bastasse, a intensificação do uso do transporte individual, estimulada pelo transporte público insatisfatório, faz com que o espaço viário em áreas urbanas fique cada vez mais escasso.


Nossa Associação

Realizações da diretoria 2012/2013

Uma imagem “fala” mais que mil palavras


Muitas imagens “falam” muito mais


Meio Ambiente

A hidrovia do Canal Marapendi

Abril 2013

Foto Jorge Souto

www.portalabm.com.br

12

O Canal de Marapendi possui uma importante rede de transporte, ainda que pareça pequena. Todos que moram na Av. Pref. Dulcídio Cardoso podem atravessar o Canal para ir à praia, fazer caminhadas na orla, ir ao Hortifruti, visitar amigos na Av. Lucio Costa, Jardim Oceânico e voltar em balsas confortáveis. Duas empresas operam nessa travessia dos moradores da região: Única Transnáutica e Ocean Rio. Em breve, a Única Transnáutica fará o primeiro circuito hidroviário até o Shopping Downtown, que vem contando desde o início com a participação da atual diretoria da ABM. Tudo começou em junho de 2012, quando a empresa tomou conhecimento do Projeto de Revitalização e Monitoramento do Canal Marapendi, idealizado pelo engenheiro Ricardo Magalhães, vice-presidente sociocultural da ABM, e com a elaboração técnica e assessoria do biólogo Marcello Mello. Segundo Newton Cunha Siqueira, diretor presidente da Única Transnáutica: “O que for para melhorar a limpeza, diminuir a poluição e cuidar deste canal tratando seu ecossistema, terá sempre

a minha aprovação e contará com minha colaboração, principalmente por saber que um dos objetivos do projeto do canal e que a ABM tem buscado fazer acontecer é tornar o Canal Marapendi em condições de navegabilidade. Com isso, ganha a comunidade e, consequentemente, os associados da ABM”. Nas extremidades do Canal, encontramos alguns barcos que saem de cinco em cinco minutos da Ilha dos Pescadores e do píer localizado atrás da Unimed (Jardim Oceânico) em direção às ilhas do perímetro. Com muita diversidade de flora e fauna, o Canal encanta quem navega em suas águas. Porém, não só de coisas bonitas se deparam nossos olhos durante os passeios. Há tamanha poluição a ponto de os pescadores não poderem mais exercer suas funções. Vivem então da coleta seletiva do lixo e da implantação de ecobarreiras nas lagoas. Inicialmente, esta foi a solução encontrada pelo Governo do Estado para que eles consigam sobreviver. A população e as associações da Barra da Tijuca devem-se unir com um

só lema: “Poluição não”. É necessária a conscientização de que a união faz realmente a força, mas é necessário empenho do poder público e da população

para que, logo, vejamos águas claras, margens limpas, flora recuperada e a diversidade animal salva, povoando melhor o Canal de Marapendi.


Cultura

ABM e SESI preparam Piquenique Cultural para o Dia do Trabalho

Como se deu a parceria entre o SESI Cultural e a ABM? Zecarlos: Conhecemos a ABM através do SESI no Bosque que realizamos no Bosque da Barra, em

outubro de 2012. Tinha um grupo que faz atividades na ABM passeando no Bosque da Barra e que participaram de nossas caminhadas e alongamento. Depois disso, fui contatado pelo Ricardo Magalhães, vice-presidente sociocultural da ABM, que nos convidou a fazermos parceria com a associação. O evento foi marcado para o dia 1º de maio propositalmente, em razão de ser comemorado o Dia do Trabalho? Zecarlos: Com certeza. Iremos todos celebrar juntos. De que maneira os moradores poderão participar deste piquenique? Zecarlos: Comemorando conosco o dia do trabalhador, trazendo sua canga, cadeira, cesta e guloseimas para o piquenique e com disposição para se divertir. A ideia de realizar um piquenique cultural na ABM é inédita. Sabemos que o SESI oferece muitas oficinas culturais, promovendo desenvolvimento no país. De que maneira essas oficinas são inseridas na indústria? Zecarlos: Agora o SESI Cultural está oferecendo as Oficinas Culturais nas empresas e condomínios. Ofici-

nas essas com modalidade de Teatro, Musicoterapia, Dança entre outros. Como o evento pode ajudar no crescimento sociocultural da Associação? Zecarlos: Toda ação cultural por si só já promove integração e crescimento. Com o SESI no Bosque sendo realizado nesta edição, no Bosque Marapendi, esperamos poder oferecer ao público uma parceria que poderá se repetir por mais vezes. Estaremos com a seguinte programação: 9h – Concentração – Alongamento e caminhada 11h – Cia. 2 Banquinhos com atrações para as crianças – Oficina de perna de pau – Oficina de malabares 12h – Show musical – Duo Marcel Powell e Dino Rangel. Imperdível!

Marcel Powell, filho do violinista Baden Powell, é atração do evento ao lado de Dino Rangel

13 www.portalabm.com.br

Bem diferente de tudo o que a comunidade da ABM já viu na Associação, está sendo planejado um Piquenique Cultural, parte do projeto SESI no Bosque, para o dia 1º de maio de 2013, no Bosque Marapendi. O piquenique é a possibilidade dos usuários da ABM passarem uma manhã com atividades esportivas e culturais em local aberto e bem próximo do artista. A não utilização de palco facilita a interação entre espetáculo e plateia, além de tornar possível o emprego de cangas e toalhas de piquenique por meio do público. Entre as atrações do evento estão Duo Marcel Powell e Dino Rangel, apresentando um show musical. O primeiro com formação fundamentada na escola de violão percussivo de seu pai, Baden Powell. O segundo, um músico de jazz que não perdeu a brasilidade de seu toque, como define Zecarlos Moreno, Administrador do Teatro SESI Jacarepaguá. O Jornal da ABM conversou com Zecarlos, que contou um pouco sobre o trabalho do Serviço Social da Indústria e como ele será implementado na Associação de Condomínios.

Abril 2013

por Luahine Mendes

Para Zecarlos Moreno, Dino Rangel é um músico de jazz com brasilidade no toque


Curtas

CORAL DA ABM

O Coral da ABM comemorou os aniversariantes dos meses de fevereiro e março com uma festinha na sede da Associação. E por falar neles, a turma da coordenação é muito bem resolvida. Desde o início de 2013, organizaram uma caixinha de dez reais por mês (para quem quiser e puder pagar) para seus lanches, festas e presentes durante todo o ano. Além disso, já agendaram várias apresentações para o Coral durante os próximos meses. Parabéns!

Abril 2013

 POSTE DE LUZ NA AV. AFONSO ARINOS

www.portalabm.com.br

14

O poste de luz em frente à sede da ABM está corroído e precisa ser trocado. A ABM já fez o pedido. Estamos de olho.

 DESCOBRINDO AS ÁRVORES DO BOSQUE Biólogos do CEA Marapendi (Centro de Referência em Educação Ambiental) - Secretaria do Meio Ambiente - estão trabalhando para catalogar todas as árvores do Bosque Marapendi. No mês de março, recebemos a visita de Tânia Mara Jochen, coordenadora do CEA.

ZIO PIZZA EM CASA

Foi inaugurada no mês de março uma ótima pizzaria na Av. Érico Veríssimo, a Zio Pizza em casa. O Jornal da ABM esteve lá. Provou e aprovou. A entrega a domicílio é prioridade da pizzaria.

SONHO VIÁVEL

Em breve, teremos boa parte do Canal de Marapendi como meio de transporte alternativo, não só para atravessar de um lado para outro, mas também para ir até as extremidades do Canal.

 BOLSA PARA O SEMINÁRIO EMPRETEC Anamaria Massa, do condomínio Royal Barravaí, ganhou da ABM uma bolsa de estudo para o curso EMPRETEC, no valor de R$1.750,00. O seminário EMPRETEC foi apresentado pelo SEBRAE durante palestras realizadas na ABM. A parceria entre a Associação Bosque Marapendi e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas, SEBRAE, tem inovado e levado aos moradores oportunidades de capacitação. A associada Anamaria Massa concluiu o curso, foi aprovada e já recebeu o seu certificado. Parabéns à Anamaria!.

 HOMENAGEM A UM GRANDE COLABORADOR João Luiz Rabello, assessor da presidência da ABM, recebeu uma placa de homenagem por todo o trabalho dedicado à Associação, especialmente de 2010 a 2011, quando esteve à frente da entidade como presidente. A iniciativa e entrega desta homenagem foi do diretor José Lopes que compareceu com sua esposa Srª Alta. João Luiz é uma pessoa fundamental na caminhada da ABM, tendo conquistado muitas vitórias em prol da comunidade.

TEMPO DE UNIÃO

Vêm aí as eleições da ABM. No final, quem perder e quem ganhar deve esquecer as diferenças pelo bem da comunidade. “A alegria está na luta, na tentativa, no sofrimento envolvido e não na vitória propriamente dita” (Mahatma Gandhi).

BODAS DE MALAQUITA

Fernando Mello, assessor da Presidência da ABM, e sua esposa Helena Mello completaram cinquenta e seis anos de casados. Uma união de muito amor e cumplicidade.

SOLIDARIEDADE

Solidariedade não tem hora nem lugar. O fiscal da ABM, Oswaldo Ribeiro, passou por fortes dores de dente e foi socorrido pelo Dr. José Terezan. O dentista, morador da Rua Jornalista Henrique Cordeiro, o convidou para ir a seu consultório na Praça Mahatma Gandhi nº 2, sala 619, Cinelândia. O Dr. José fez em Oswaldo uma pequena cirurgia e não lhe cobrou nada. Fica aqui o reconhecimento.

CLASSIFICADOS Aluga-se Rio 2 – Barra da Tijuca Rua Alfredo Cesehiatti nº 100, cond. residencial Gênova, 2 qtos mais 1 qto reversível, dependência empregada, ampla sala/ varanda vaga na garagem, infraestrutura total + ônibus R$ 1.800,00 + taxas Tel.: 2524-0368 / 9996-3567 / 9996-6387


Prova isso a publicação resumida e deturpada de nosso direito de resposta, quando maliciosamente atribuiu à atual diretoria a repactuação de dívida junto à prefeitura, alterando de forma dolosa os fatos e o teor de nossa carta de 28.02.13, entregue sob recibo ao editor. De forma aética, também, A Folha do Bosque acintosamente suprimiu nossas referências ao lamentável episódio de falsificação comprovada de carteira de transporte em que se envolveu o seu, não menos aético, articulista Marlon Brum, que motivou a sua promessa de “nos infernizar”.

Ao agir assim, escondendo fatos e fazendo campanha acintosa para determinado grupo, o jornal se afasta de vez de uma linha editorial séria e responsável. No mais, para termos o nosso direito de resposta publicado, na íntegra, estamos recorrendo ao poder judiciário. Rio de Janeiro, 20 de março de 2013 Diretoria da ABM

Direito de Resposta à edição de fevereiro do jornal A Folha do Bosque, publicado em nosso portal (www.portalabm.com.br) e no Jornal da ABM de março.

Em matéria veiculada em seu portal e encaminhada aos condomínios, o jornal A Folha do Bosque afirma que não deturpou a nossa carta que reivindicou direito de resposta à matéria assinada por seu colunista. Leia abaixo e tire a sua conclusão. O que a ABM escreveu: “Em julho de 2009 a diretoria da ABM à época repactuou o parcelamento da remuneração provisória (parte atrasada) de 60 parcelas” (destaque nosso); O que A Folha do Bosque escreveu: “Em julho de 2009, nossa diretoria repactuou o parcelamento de remuneração provisória (parte atrasada) de 60 parcelas” (destaque nosso). Ou seja, conseguiu de forma maldosa alterar a nossa redação e imputar o parcelamento a nossa diretoria e não a diretoria da época, atribuindo tal divergência a necessidade de extirpar pleonasmos e erros de português em suas matérias. Demonstra com esse procedimento o desrespeito com seus leitores. Diretoria da ABM

Abril 2013

A ABM repudia a forma desonesta como vem se portando o jornal “A Folha do Bosque”, sempre com inverdades e comentários desairosos a esta associação, atuando como um veículo a serviço de terceiros.

A Folha do Bosque muda o que está escrito

15 www.portalabm.com.br

Nota de Repúdio


Saúde Mental Por Sergio Lima Nascimento

PSICOPATAS

Abril 2013

Conviver com um psicopata é como estar o tempo todo à beira de um abismo, ouvindo como único som o eco de sua própria voz! Fuja deles, ou então reze para morar bem longe

www.portalabm.com.br

16

Eles representam 4% da população mundial (classificação americana DSM-IV-TR), estatisticamente divididos em 1% de mulheres e 3% de homens. Ou seja, em algum momento de sua vida você vai cruzar com um, seja no trabalho, nos estudos ou pior de tudo, nas relações pessoais. E se você conheceu então, uma mulher assim, parabéns você foi sorteado(a)! A imagem que se tem do psicopata é geralmente aquele de mais alto grau, representado por assassinos frios ou criminosos de alta periculosidade, mas existem gradações dentro desta escala de insensibilidade, mentira e manipulação. E nem todo criminoso é um psicopata, apesar de um percentual bem grande (20%) sê-lo. E nem todo psicopata pode virar criminoso. O difícil é reconhecê-lo a tempo, pois geralmente quando se dá conta daquele com quem está se lidando, já é tarde demais e o estrago, muitas vezes irreversível, já está feito. E então nós, pessoas normais, ficamos nos culpando por algum erro cometido, afinal nosso instinto de correção não vai imputar ao outro a ação responsável por um mau desfecho, mas trazer o mesmo para nós. Enquanto isso, o verdadeiro culpado ri de nossa autocrítica, e percebendo essa “fraqueza”, aproxima-se para tirar ainda mais proveito. O mais difícil de admitir é que psicopatas não têm cura, seja psiquiátrica ou psicanalítica. Só há uma coisa a fazer: evitá-los, fugir de sua convivência! Há de se diferenciar o psicopata do paranoico, que tem mania de perseguição e se volta contra aqueles que o incomodam (Stalin, ditador soviético); ou do esquizofrênico, que acredita em uma realidade criada por sua mente (Van Gogh, pintor; Syd Barrett, primeiro guitarrista do Pink Floyd; John Nash, economista retratado em “Uma Mente Brilhante”). Exemplos de assassinos esquizofrênicos seriam Carlos Sundfeld que matou o cartunista Glauco e seu filho, por não aceitarem que ele seria Jesus Cristo, ou o serial killer Wellington da escola de Realengo. Há casos que juntam a esquizofrenia com a paranoia, como no mandante dos assassinatos da modelo Sharon Tate e mais 6 pessoas, em 1969, Charles Manson. Ele criou a Família Manson, que acreditava que o mundo estava à beira de uma guerra apocalíptica racial, a qual ele

chamou de “Helter Skelter” (uma música dos Beatles), e decidiu precipitar essa “guerra” orquestrando uma onda de assassinatos que foram cometidos por seus seguidores. Pessoas assim, por incrível que pareça, têm tratamento. Psicopatas, não! O psicopata não tem empatia pelo semelhante, pois na verdade nem sabe o que essa palavra significa, devido ao seu egocentrismo além de qualquer limite, que o faz elaborar suas próprias regras de convivência. São pessoas insensíveis, calculistas, transgressoras no pior sentido e totalmente livres de qualquer julgamento moral interno, além de avessas a qualquer constrangimento. Nada as afeta! É difícil imaginar que alguém não tenha qualquer remorso em enganar, magoar, desapontar, mas eles sabem exatamente o que estão fazendo, não se importando com os efeitos danosos que outros possam sofrer. Nem todo psicopata “ascende” ao crime, mas seus atos matam sonhos, confiança e o amor que neles é depositado. Enganam e representam muito bem. São como predadores sociais apenas com uma “aparência humana”. São extremamente sedutores, aparentando-se melhores que outras pessoas comuns. Suas palavras são pensadas, seu tom de voz é macio ou incisivo dependendo do objetivo, e seus gestos calculados. Suas vítimas são os mais sensíveis, os puros de alma e de coração, que anestesiados como por um inseto venenoso, abrem-lhes as portas e só percebem o engodo de uma forma instantânea e inesperada. Transforma-se repentinamente então, a excitação em cansaço, a vitalidade em doença, a alegria em desespero, a suavidade em dureza, e a esperança em abismo, com a sensação de toda uma vida perdida em um engano incalculável. O individuo não se torna um psicopata. Ele não é fruto de um meio, mas tem como característica em sua formação cerebral uma resposta débil da amígdala e do lobo frontal, ou seja, ele nasce assim! Essa conclusão foi alcançada depois de várias experiências através de neuro-imagem, com pessoas normais e criminosos psicopatas, submetidas aos mesmos testes, analisando-se suas respostas a estímulos diversos. O histórico que corrobora essa idéia é de um operário em 1848,

que ao sofrer uma perfuração no lobo pré-frontal em um acidente, sobreviveu, mas teve sua personalidade completamente alterada, transformando-se de homem pacífico em desordeiro e desajustado. Assim como indivíduos nascem sem visão, audição ou partes do corpo, psicopatas têm uma deficiência mental que lhes impede de ter afeição, que diferentemente das características especiais citadas acima, representam enorme perigo àqueles que com ele convivem. O psicopata no trabalho primeiro faz uma imagem fantasiosa a seu respeito. Em seguida aproxima-se daqueles que podem lhe dar informações preciosas e que possam lhe permitir alguma influência benéfica. Estudado o terreno, começa a manipular pessoas, colocando uns contra os outros, e se aproveitando de quem pode lhe ajudar a subir mais degraus. Evita se posicionar em reuniões para ter sempre a opinião ao gosto do freguês. Posto alcançado, abandona quem lhe ajudou, humilha o mais fraco e pode até ascender ao cargo de quem o chefiou. Quando alguma falha sua é descoberta, não mostra remorso, apenas cria histórias inverossímeis, onde de forma canhestra, acumula as funções de redator, diretor e ator de seu roteiro improvável, abusando claro de linguagem verbal e corporal como num teatro dos horrores. Não se preocupa com os efeitos de seus atos, pois nada o incomoda. Não tem vergonha ou constrangimento em ser desmascarado como farsante. Por isso é comum ver esse tipo de profissional pulando de emprego em emprego, até porque a monotonia lhe irrita. O psicopata nas relações pessoais pode começar inspirando pena, mostrando-se o eterno coitadinho. Essa é a deixa para identificar o próximo pato, que vai lhe acolher e dar tudo para fazê-lo feliz. Entretanto o outro não é foco de seu amor, pois isso a ele inexiste, mas é apenas um mero objeto de seu bel-prazer. Ele não ama, apenas excita-se fisicamente. Talvez por isso muitos deles tenham uma performance sexual acima do normal. Mesmo seus outros laços familiares não existem por sentimento, mas por posse. Isso leva alguns a atos execráveis contra membros de sua própria família, pois lhes são apenas objetos a dispor. E ele não fica triste, apenas frustrado. E também não


Abril 2013 publicações pequenas e de pouca importância que desejam aparecer mais que o próprio foco do artigo, geralmente inventando histórias, ofendendo pessoas ou difamando quem não lhes pode responder. É a tentativa de sobrevivência de maus profissionais que nunca teriam bom espaço em empresas sérias por sua mediocridade cultural e emocional. Há na literatura policial inúmeros casos recentes de psicopatas extremos e perigosos, o Maníaco do Parque que seduzia, estuprava e matava; Champinha que matou o casal de adolescentes em Embu; os criminosos que arrastaram o menino João Hélio de 5 anos por quilômetros; Guilherme de Pádua e a mulher que mataram Daniela Perez; Suzanne Richthofen e irmãos Cravinhos que mataram o casal Richthofen a pauladas; Lindenbergue que encarcerou e matou a ex-namorada Eloá em SP; o policial condenado Mizael Bispo assassino de Mércia Nakashima, e tantos mais. Enquanto Charles Manson mencionado acima que foi apenas o mandante dos crimes em 1969, foi condenado a prisão perpétua nos EUA, o Brasil com suas leis frouxas e sua justiça lenta e inacreditável, mas muito bem remunerada, prescreve crimes, liberta criminosos e alivia penas de indivíduos extremamente perigosos. Psicopatas têm uma reincidência criminal 2 vezes superior aos outros criminosos “normais”, daí a atenção que se deve ter com o comportamento daqueles que nos rodeiam, já que não apenas assassinatos podem ser o resultado final dos atos frios e calculados de um psicopata. Para decidir se alguém é digno de confiança, deve-se obter o máximo de informação de sua vida

pregressa, e não se limitar a autopropaganda que faz. Apesar da sedução ser sua melhor arma, desconfiar da linearidade de suas emoções, ou da ausência delas. Perceber características como: impulsividade apenas pelo prazer imediato, irresponsabilidade consigo e com os outros, contradições de atos e idéias, insensibilidade, excesso usual de mentiras, crueldade com pessoas e animais, irritabilidade desproporcional pela contradição, egocentrismo exacerbado, falta de ética, parasitismo com pessoas de bom coração, frieza ou falsidade emocional, ausência eterna de qualquer culpa, e tantas outras que podem ajudar nesta identificação. Uma vez identificado esse tipo de comportamento psicopata, o melhor é se afastar, pois não há como modificar o sujeito que não é permeável à afeição e pouco sabe sobre os afetos em geral. A mídia tem bombardeado informações que levam muitos a um comportamento equivocado, onde se valoriza o ter, em detrimento do ser e do saber. Através da banalização da violência, da sexualidade e da ausência de caráter, a mídia vem tendenciando comportamentos danosos em jovens e adolescentes pouco conscientes, que hoje lotam e no futuro lotarão consultórios de análise discutindo a solidão, por não terem sido levados à cultura do amor, da amizade e do respeito ao próximo. É urgente uma discussão aberta não da liberdade de expressão, que não deve ser tolhida, mas da cultura do caráter, da sinceridade, da verdade, independente das escolhas, das opções e das tendências de cada um. É dever de todos discutir mais sobre que geração estamos preparando para o futuro de nossos descendentes.

17 www.portalabm.com.br

sente ódio, fica apenas irritado quando algo não segue por seus planos. O término em uma relação acaba se dando por desculpas esfarrapadas e, claro, colocando a culpa no outro, pois o psicopata nunca reconhece um erro. Outra técnica é simular uma discussão que possa gerar uma cisão, pois afinal para ele, relacionamentos são descartáveis e no caso da existência de filhos são apenas meios de obter vantagens e benefícios! O campo profissional ideal para a proliferação deste tipo de ser é a política. É o terreno perfeito para mentiras, manipulações, desmandos. Sua habilidade com palavras, sua inteligência acima da média e seu poder de convencimento o fazem líder. Não se importa com os malefícios que o desvio de sua conduta possa gerar para aqueles que o elegeram. Muitos chegam à hipocrisia de ter em seu currículo ligações diretas com a ditadura, ou mesmo a tortura, mas se aproveitam da democracia para enganar os menos informados. É o lugar ótimo para se unirem em bandos, articulando, manipulando, mentindo, pois se o grupo der errado, não importa, é só mudar de time, ou melhor, de partido e tentar novas conquistas. Nas últimas décadas, o jornalismo tem nos brindado com gente deste quilate. O excesso de cursos não proporcional ao mercado de trabalho gera uma rotatividade grande de profissionais, onde a falta de compromisso com a verdade é a única tônica para a tentativa de maior visibilidade e estabilidade. Gera-se polêmica pela polêmica, não importando quais meios serão usados para a fama de um articulista ou a venda de uma publicação. Aparecem bastante nas matérias sobre arte em geral, e principalmente em


Delícias

Culinárias

Receita de Sonia Serpa

Sopa cremosa de couve-flor Ingredientes:

Preparo:

2 alhos porós cortados em rodelinhas finas 2 colheres rasas de margarina 3 cebolas médias cortadas em rodelas 3 batatas médias cortadas em cubos 3 ramos de couve-flor ou 1 couve-flor pequena Sal a gosto Água para cozer

Refogar o alho-poró na margarina. Acrescentar os outros ingredientes e água suficiente para a sopa. Deixar cozinhar por aproximadamente 30 minutos em panela de pressão. Depois, bata tudo no liquidificador e, então, sirva. Se necessário, esquentar novamente.

Abril 2013

Envie sua receita para: deliciasculinarias.abm@gmail.com

18

Sustentabilidade Por Luahine Mendes

Sobra da Obra – um site consciente para cidadãos conscientes

www.portalabm.com.br

Engenheiro cria página na internet visando a destinação sustentável de entulhos Brasil afora Inconformado em ter que construir, reformar e, ainda assim, agredir o meio ambiente de diversas maneiras, o engenheiro civil Fábio do Amaral cursou uma pós-graduação em gestão ambiental para conhecer mais a fundo os problemas, soluções e a legislação sobre a destinação de detritos no Brasil. Pôde verificar que, além de grande parte do entulho não ser bem destinada, uma quantia significante continha materiais que sequer foram utilizados ou ainda estavam em boa condição para consumo. Surge então o Sobra da Obra na mente de Fábio, a inspiração que se tornou realidade. “O Sobra da Obra é a ideia de usar a internet para quebrar a barreira logística em relação ao baixo valor desses produtos, pois se os usuários forem informados sobre a localidade e características da sobra da obra, o material poderia esta ser negociado por alguém próximo ou, simplesmente, sendo doado, evitando um custo a mais no final da obra e gerando ainda um retorno financeiro para o proprietário”, explica. Acessando o website, www.sobradaobra.com.br, o internauta confere uma gama de mercadorias à venda por um preço justo e também encontra a possibilidade de se cadastrar e registrar seu produto para revendê-lo. Criado há pouco mais de um ano, o site apresenta também a preocupação de ter um conteúdo educativo, pois segundo o engenheiro a utilização incorreta de materiais de construção certamente gera resíduos.

Sempre com uma resposta positiva do público, o site contém um conteúdo explicativo passo a passo para que o anúncio seja produzido e administrado pelo próprio usuário. A responsabilidade do negócio é livre e direta entre vendedor e comprador, espalhados por todo o país. Especializado também em Perícias Judiciais pelo Crea-RJ e atuando como gerenciador e coordenador em muitas obras, Fábio lembra que nossos hábitos de consumo estão gerando sequelas ao

nosso ambiente e à nossa qualidade de vida cada vez mais. “Algum material que tenha sido adquirido para sua obra, antes de chegar a você já produziu interações negativas com o meio ambiente”, afirma. Quanto ao desdobramento dos produtos que sobram nessas operações, ele completa: “Se descartamos o material sem utilizá-lo, ele ainda continuará interagindo com o meio ambiente transformando-se em lixo, sem ao menos ter cumprido seu ciclo de vida ou ter uma utilidade”.

Fábio do Amaral cria website onde usuários revendem produtos usados e em bom estado de conservação


www.portalabm.com.br

19

Abril 2013


www.portalabm.com.br

20 Abril 2013


Jornal da ABM ano 2 ed. 18