Page 1


2

Jornal Cruzeiro do Vale Gaspar, 21 de junho de 2018

Expediente

Ilhota 60 anos Editorial

Diretor Gilberto Schmitt (Reg.Prof. 1557 - MTB/SC) Editora-chefe Indianara Schmitt Reportagens Indianara Schmitt Geraldo Genovez Raquel Tamara Bauer Anúncios João Guilherme Simon Depto. Comercial Gilberto Schmitt Maurício Rodrigues Edição Especial - 60 anos Ilhota 21 de junho de 2018 Produção: Jornal Cruzeiro do Vale CNPJ: 27.217.563/0001-92 Impressão: Gráfica ZF Tiragem: 3 mil exemplares (47) 3332.9060

(47) 3332.4259

www.cruzeirodovale.com.br Rua Cel. Aristiliano Ramos, 441, 1º andar, Centro - Gaspar - Santa Catarina

Ilhota do desenvolvimento: resgatando a história, analisando o presente, projetando o futuro D e s e nv o l v i m e n t o . Esta é a palavra de ordem na data em que Ilhota completa 60 anos de emancipação. Você já parou para pensar que, em 1842, quando um engenheiro belga veio para a cidade explorar os minérios, ninguém jamais imaginou tamanho progresso que estaria por vir? A história de Ilhota começa há 176 anos, quando Maximiliano Luiz Van Lede, natural da Bélgica e membro da Compagne Belge Brésiliense de Colonization, viu nas terras ilhotenses um grande potencial. Após voltar para sua cidade de origem, retornou ao Vale do Itajaí com os primeiros imigrantes belgas, que começaram a

fundar suas colônias. Mais tarde, após já ser denominada de distrito, Ilhota foi elevada à categoria de cidade e, agora, comemora 60

o Centro é a ‘menina dos olhos’. É onde está o maior crescimento e é o local que recebe cada vez mais compradores de todos os can-

“Nesta edição comemorativa, o Cruzeiro do Vale celebra com os ilhotenses os 60 anos de vitórias. Relatando o início e falando sobre a atualidade, a publicação mostra, através de entrevistas e dados oficiais, que Ilhota cresceu e ainda tem muito a prosperar” anos de muitas conquistas. Duas realidades muito distintas ainda fazem parte do dia a dia de Ilhota. De um lado,

tos do país, que vêm à cidade especialmente para ir às compras na Capital da Moda Íntima e Praia. O movimento do Centro, porém, se

contrasta com a calmaria do interior, onde são plantados arroz, banana, palmito e outras iguarias que ajudam a movimentar a economia da cidade. São duas realidades diferentes que, juntas, resultam no grande desenvolvimento de Ilhota. Nesta edição comemorativa, o Cruzeiro do Vale celebra com os ilhotenses os 60 anos de vitórias. Relatando o início e falando sobre a atualidade, a publicação mostra, através de entrevistas e dados oficiais, que Ilhota cresceu e ainda tem muito a prosperar. Aproveite a oportunidade para se orgulhar ainda mais de Ilhota. Boa leitura!


Ilhota 60 anos

Jornal Cruzeiro do Vale Gaspar, 21 de junho de 2018

3

Sem deixar de lado a histรณria, Ilhota caminha a passos largos rumo a um futuro ainda mais promissor


4

Jornal Cruzeiro do Vale Gaspar, 21 de junho de 2018

Ilhota 60 anos

O começo

Início do desenvolvimento de Ilhota é marcado pela colonização belga Com história marcada por datas importantes, Ilhota é elevada à categoria de município em 1958 A história de Ilhota é marcada por muitas datas importantes. A começar por março de 1842, quando o engenheiro e pesquisador Charles Maximiliano Luiz Van Lede, natural da Bélgica, veio à região para explorar minérios. Membro da Compagne Belge -Brésiliense de Colonization, viu no território grande potencial. Ele não tinha intenção de estabelecer uma colônia agrícola, que era o que pessoas de outras nacionalidades faziam com frequência nas proximidades. Porém, foi isso que acabou acontecendo. De acordo com o livro

‘Movidos pela Esperança: a história centenária de Ilhota’, escrito pelas historiadoras Viviane dos Santos e Elaine Cristina de Souza, Van Lede retornou ao seu país de origem para solucionar contratempos relacionados à firmação legal de sua empresa. Dois anos depois, no mês de novembro de 1844, voltou ao Brasil. Desta vez, ele veio acompanhado de 24 famílias, o que totalizava 114 imigrantes belgas. Eles passaram a viver nas terras de um latifundiário do Vale do Itajaí, que vendeu o espaço, e assim fundaram sua colônia.

Em meados de 1846, novos imigrantes chegaram à mesma região. Todos tinham o objetivo de encontrar trabalho, construir um lar e sustentar suas famílias. Porém, Van Lede, insatisfeito com o rumo que a história estava tomando, resolveu doar as terras ao hospital Bruges, da Bélgica. A instituição de saúde, porém, não conseguiu tomar posse da doação por conta da força das famílias já residentes no local. Portanto, a luta dos imigrantes prosseguiu baseada no trabalho praticado na agricultura e na pecuária.

Criação do Distrito de Ilhota Um requerimento apresentado pelo deputado estadual Marcos Konder deu início à emancipação do território e à criação do Distrito de Ilhota. O título foi efetivamente instalado em 14 de fevereiro de 1931, através do decreto número 53. Naquela época, o distrito pertencia à Itajaí. Por um curto período, Ilhota também pertenceu à freguesia de São Pedro Apóstolo, em Gaspar. Passados 28 anos, mais precisamente em 21 de junho de 1958, Ilhota foi elevada oficialmente à categoria de município.

Conforme registrado no livro ‘Ilhota: o encanto dos belgas no vale do grande rio’, de autoria das escritoras Ana Luiza Mette e Elaine Cristina de Souza, assim que se estabeleceu uma estrutura administrativa, alguns suportes para o desenvolvimento de Ilhota foram formados. “A sede da Intendência, o Cartório e a Delegacia são elementos primários e essenciais para dar assistência ao distrito ao qual podemos constatar sua introdução através de documentos”, diz trecho do livro.


Jornal Cruzeiro do Vale Gaspar, 21 de junho de 2018

Ilhota 60 anos

5

Resgate histórico

Casarão vai preservar a história Espaço será utilizado para fins culturais e não está descartada a criação de um museu no local

Utilização do espaço

Resgatar a cultura belga, reconhecer a história de uma cidade em visível crescimento e contribuir com a educação das novas gerações. Esses são os objetivos da revitalização do Casarão Belga, situado no Centro de Ilhota. As obras de reforma iniciaram no dia 18 de junho e a movimentação no local aguçou a curiosidade dos moradores, que há muito tempo pediam uma maior valorização do espaço. A obra é uma iniciativa do prefeito

Erico de Oliveira e está sendo executada com verbas de uma emenda parlamentar do deputado federal Peninha. O responsável por fiscalizar o andamento da reforma, porém, é o padre Idonizete Kruger. “Assim que o prefeito Dida foi eleito, pedi que ele desse uma atenção especial a esse patrimônio de Ilhota. Ele prometeu e agora está cumprindo”, afirma. Segundo o padre, serão investidos aproximadamente R$400 mil na refor-

ma do casarão e a previsão é de que a obra fique pronta em, no máximo, quatro meses. “Através de articulações políticas, foram garantidos R$300 mil. O restante vem de uma contrapartida do município. Todo o dinheiro já está na conta. Faço questão de fiscalizar os trabalhos e acompanhar tudo junto com a equipe de engenharia. Vou cuidar com carinho do Casarão Belga. Se preservamos, garantimos a continuidade da história”.

Ainda não está definido o que será feito com o Casarão Belga após o fim das obras. A princípio, o espaço será destinado para fins culturais. “São muitas ideias. Todas incríveis e que acrescentam muito à nossa querida Ilhota. Estamos planejando montar um museu. Já conversamos, inclusive, com alguns historiadores da cidade e eles estão contentes em poder resgatar a história da colonização belga”, conta o padre. Além disso, a prefeitura cogita reabrir a Fundação Cultural de Ilhota e instalar uma escola de música e artes manuais, paralelo às atividades do museu. Segundo Idonizete, essa é uma forma de oportunizar à população o desenvolvimento de habilidades nessas áreas. “Têm muitas crianças talentosas na cidade. Vejo que jovens, adultos e idosos também possuem aptidão para trabalhos artísticos”.


6

Jornal Cruzeiro do Vale Gaspar, 21 de junho de 2018

Ilhota 60 anos

Galeria dos ex-prefeitos

Galeria mostra a força do executivo Após nomeação do primeiro prefeito, demais chefes do executivo foram eleitos pelo voto do povo Autoridade máxima na esfera municipal, o prefeito é o responsável por administrar os interesses dos munícipes e fazer com que a cidade se desenvolva. Entre suas principais atribui-

ções estão: gerenciar os impostos e os orçamentos recebidos das esferas estadual e federal; reivindicar benefícios para a cidade; representar o município de forma legal; e ouvir os anseios da

Guilherme Alípio Nunes 1958 - 1959

Orlando Schneider 1969 - 1972

Henrique Schaadt 1983 - 1988

Ademar Felisky 2005 - 2008 2009 - 2012

comunidade e atender suas necessidades. Em Ilhota, o primeiro chefe do executivo foi nomeado pelo Governo do Estado. Nos anos de 1958 e 1959,

José Kohler 1959- 1964

Ricardo Koehler 1973 - 1976

Guilherme Alípio Nunes foi o responsável pelo início do desenvolvimento de Ilhota. Após sua saída, os prefeitos começaram a ser eleitos pelo voto do povo.

Osvaldo Teixeira de Melo 1965 - 1968

Hércules Geraldo de Oliveira 1977 - 1982 1993 - 1996

José Izidro Vieira 1989 - 1992

Roberto da Silva 1997 - 2000 2001 - 2004

Daniel Christian Bosi 2013 - 2016

Erico de Oliveira 2018 - 2021


Jornal Cruzeiro do Vale Gaspar, 21 de junho de 2018

Ilhota 60 anos

SJ Odontologia Especializada A população ilhotense está bem assistida quando o assunto é a saúde bucal. Pensando no melhor para seus pacientes, a SJ Odontologia Especializada desenvolve serviços que são referência em reabilitações oral e tratamentos dentários. Focada na qualidade, conforto, segurança e resultados de excelência, mostra seus valores e conquista cada vez mais seu espaço. Situada na rua Frei Jacinto, número

41, no centro de Ilhota, a clínica chama a atenção pela sofisticação e ótimo atendimento. A clínica conta com cinco cirurgiões experientes e capacitados em diversas especialidades, implantes, próteses, ortodontia, endodontia e odontopediatria. Todos treinados para planejar e executar os tratamentos de forma multidisciplinar. Para garantir a confiança do paciente, a SJ tam-

bém aposta em equipamentos modernos e na constante busca de conhecimento. O atendimento na SJ Odontologia Especializada acontece de segunda a sextafeira, das 8h às 12h e das 13h30 às 20h. Para agendar uma consulta, basta entrar em contato através do telefone 33437370 ou via WhatsApp para 98472-5894. Chamadas de urgência devem ser feitas no número 99213-0062.

Em boas mãos Responsável técnico e proprietário da SJ Odontologia Especializada, Dr. Staniel Oliveira Jaguszevski (CRO-11009 SC) tem uma grande trajetória. Ele está há 8 anos atuando no município. Formado em 2009 pela Universidade Regional de Blumenau (FURB), deu início, no ano seguinte, ao trabalho junto à prefeitura, passou por todas as unidades do município e, por onde esteve, deixou sua marca na qualidade do atendimento odontológico.

7


8

Jornal Cruzeiro do Vale Gaspar, 21 de junho de 2018

Ilhota 60 anos

No legislativo

Renovação e transparência na Câmara Transmissão online das sessões é um dos pontos que marcam a modernização em Ilhota “Hoje, a Câmara está mais dinâmica. Estamos modernizando nossa estrutura para oferecer suporte aos vereadores e, consequentemente, à comunidade”. Jonatas de Oliveira Jacó, vereador e presidente da Câmara de Ilhota

“Sempre tive compromisso com Ilhota. Faço questão de dizer que, antes de levantar a bandeira de um partido, levanto a bandeira da cidade. Que o melhor seja feito, independentemente da posição política de cada um”. A frase é do vereador e presidente da Câmara de Ilhota, Jonatas de Oliveira Jacó, e representa o seu posicionamento e a forma com que os trabalhos parlamentares vêm sendo colocados em prática no município. Eleito pelo Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) com 509 votos, Jonatas afirma que se candidatou com um propósito muito claro: renovar, palavra de ordem que é levada muito a sério. Assim que assumiu a presidência da Casa de Leis no início deste ano, o político fez questão de efetivar seus objetivos. “Hoje, a Câmara está mais dinâmica. Estamos modernizando nossa estrutura para oferecer suporte aos ve-

readores e, consequentemente, à comunidade”. Um dos pontos que marcam a modernização da política na cidade, segundo Jonatas, é a transmissão online das sessões ordinárias. “Todos podem acompanhar ao vivo as discussões realizadas pelos vereadores. Isso é de grande valia, tendo em vista que foi o povo que nos elegeu. Eles precisam dessa transparência. E, nós políticos precisamos respeitá-los. É um momento único na cidade”. Jonatas parabeniza Ilhota e enfatiza a importância de fazer jus àquilo que se comprometeu. “Feliz aniversário, minha cidade. Desejo a todos os munícipes muita felicidade. Que essa nova fase seja de sucesso ao nosso povo trabalhador, guerreiro e honesto. Além disso, que Ilhota permaneça se desenvolvendo e obtendo resultados positivos com políticos competentes”.

Vereadores do pleito 2017 - 2020 Almir Anibal de Souza Arnoldo Adriano (2º secretário) Cidney Carlos Tomé Francisco Domingos Jonatas de Oliveira Jacó (presidente) Juarez Antônio da Cunha (vice-presidente) Luiz Gustavo dos Santos Fidel (1º secretário) Rogério Flôr de Souza Sidnei Reinert


Jornal Cruzeiro do Vale Gaspar, 21 de junho de 2018

Ilhota 60 anos

9

Chefe do Executivo

Prefeito de Ilhota fala sobre obras em andamento e deixa mensagem ao povo Há pouco mais de um ano e meio no cargo, Erico de Oliveira, o Dida, está otimista com sua atuação Depois de um ano e meio à frente da administração de Ilhota, como o senhor avalia a situação da cidade? Hoje, Ilhota está em franco desenvolvimento, se revitalizando e se preparando para um futuro radiante. A tarefa não é e não será fácil. Mas, hoje,vejo Ilhota e seus moradores pensando em união. Em juntar forças. As questões políticas estão sendo deixadas de lado. Apesar de toda a crise, o comércio continua crescendo e as obras e melhorias estão por toda a parte. Então, se eu fosse descrever, diria que estamos vestindo uma nova roupa para um novo e promissor recomeço.

nicípio, a grande área que precia receber melhorias. Pavimentar uma área tão grande como Ilhota requer mais e mais recursos. Mas, graças a Deus temos o apoio dos líderes de governo e também da bancada dos deputados, que têm Ilhota no coração e sempre destinam emendas parlamentares para nossa cidade.

As comemorações dos aniversários de Ilhota sempre reuniram grande público e o município chega aos 60 anos sem uma programação festiva. O que levou a decisão de não organizar uma programação especial para a data? É verdade. Também acho que Ilhota merece uma grande festa. Afinal, são 60 anos. Foi difícil tomar a decisão de destinar os recursos disponíveis para revitalizar a área central e não para comemorar. O local onde seria realizada a festa está em obras e, no momento, fica inviável grande movimentação. Mas essa foi a maneira que encontrei de comemorar com Ilhota: melhorando a praça central, que é um dos nossos cartões de visita; e oferecendo à comunidade um local que sirva tanto para a prática de esportes quanto para lazer e recreação.

Há algum projeto para revitalizar a principal rua de Ilhota? A revitalização do Corredor da Moda em Ilhota é um compromisso assumido que estamos trabalhando. Já tivemos, por parte do Governo Estadual, um sinal positivo para realizar a obra. Agora, as questão entram no plano burocrático em função da região ser de domínio do município e não do estado. O trecho, por tanto, não entra diretamente na revitalização da SC-412, mas receberá também atenção.

Quais as maiores preocupações para administrar Ilhota? Como todo governo, o maior empecilho são os recursos escassos e, mais precisamente em nosso mu-

Como estão as finanças do município? Como na maioria dos municípios, estão escassas, mas administradas. Acreditamos que vamos passar pelo temporal que atingiu a economia do país com alguns arranhões, mas vamos sobreviver.

Como está a revitalização da praça? Esta é outra obra que consideramos fundamental para o município. Isso porque se trata de um cartão postal para nossa cidade e também pelo fato de que devemos investir em um espaço mais seguro para a comunidade, especialmente no que diz respeito ao lazer e a pratica esportiva. Como mencionei anteriormente, a obra está iniciada e é um dos motivos pelo qual não teremos comemorações em homenagem aos 60 anos de Ilhota.

É de extrema importância para um município que sua história seja resgatada. Como está a revitalização do Casarão Belga? Este é um espaço que considero fundamental, pois faz parte da história de Ilhota e é um local que serviu por muito tempo como sede da Prefeitura e da Câmara Municipal. A construção tem, em sua arquitetura, algumas referencias à cultura belga e, com a reforma, vamos recuperar e fazer dele não apenas o arquivo histórico municipal, mas também biblioteca e espaço para fomentar o turismo e a cultura em nosso município. Como está a construção da Capela Mortuária? Esta é uma das obras onde a união da Administração Pública e o Poder Legislativo foi fundamental. Ela está sendo finalizada graças às economias e aos recursos vindo da Câmara de Vereadores. Um esforço conjunto que vai entregar à comunidade um local adequado para que possamos homenagear os entes que partem. Deixe uma mensagem aos ilhotenses: Ilhota completa 60 anos e poder falar aos ilhotenses é motivo de muito orgulho. Quiçá pudesse abraçar fraternalmente a cada um e levar uma palavra de união. Acredito em Ilhota e no potencial do seu povo e sei que, com muito trabalho, vamos construir um futuro melhor e termos ainda mais motivos para sentir orgulho de nossa querida cidade. Ilhota despontará cada dia mais radiante, para orgulho de seu povo ordeiro e trabalhador. Um povo de fé, que acredita, como eu, em dias melhores. Parabéns a todos que trabalham por Ilhota. Parabéns, Ilhota, pelos 60 anos!

“Vejo Ilhota e seus moradores pensando em união. Em juntar forças. As questões políticas estão sendo deixadas de lado. Apesar de toda a crise, o comércio continua crescendo e as obras e melhorias estão por toda a parte. Então, se eu fosse descrever, diria que estamos vestindo uma nova roupa para um novo e promissor recomeço” Erico de Oliveira (DIda), Prefeito de Ilhota


10

Jornal Cruzeiro do Vale Gaspar, 21 de junho de 2018

Ilhota 60 anos

Bombeiros Voluntários

Missão: salvar vidas

Em atuação em Ilhota desde 2005, Bombeiros Voluntários já atenderam mais de 12 mil ocorrências

Dizer que os homens e mulheres que prestam serviço na Associação dos Bombeiros Voluntários de Ilhota são dedicados é pouco perante a grande missão que eles carregam: salvar vidas. Apenas em 2017,

foram 1.662 ocorrências atendidas. Uma média de mais de quatro por dia. A corporação foi fundada em 11 de janeiro de 2005 e tem em sua história muitos números: são 13 anos de atuação, mais

Atualmente, a luta dos voluntários de Ilhota gira em torno da aquisição de uma nova ambulância, que vai auxiliar muito os atendimentos às ocorrências. “Estamos em busca de recursos e analisando possíveis parcerias. Hoje, a manutenção de ambulâncias e do caminhão é o nosso maior gasto”, afirma o comandante. A falta de um hospital ou de uma Unidade de Pronto Atendimento em Ilhota é um ponto que pesa muito no momento em que os voluntários atendem a

de 12 mil ocorrências atendidas, inúmeros treinamentos e diversas histórias para contar. O esforço da equipe é destacado pelo comandante Carlos Rampelotti. “Trabalhamos 24 horas por dia, sete dias por semana,

uma ocorrência. Tendo como referência hospitais de Itajaí, Rampelotti afirma que, no momento em que a equipe se desloca para a cidade vizinha, Ilhota fica sem guarnição dos bombeiros. “Se acontece um outro acidente neste período, o atendimento fica complicado. Se tivéssemos um hospital ou um Pronto Atendimento seria ótimo. Mas, damos o nosso melhor dentro da realidade que temos”. Apesar de todos os obstáculos e da falta de recursos, o amor pela profissão

365 dias por ano. Desde que a parte operacional do quartel foi fundada, nós nunca fechamos as portas para os atendimentos”, garante. No início, a unidade atuava com 23 voluntários, um cami-

é evidente. “Muitas vezes, saio de casa às 7h, vou para o meu trabalho, que é de onde eu tiro o sustento, saio às 18h, vou para o quartel e fico de plantão a noite toda. No outro dia, vou pro trabalho de novo e, daí sim, volto para casa. É cansativo. Mas, a partir do momento que você ingressa nessa vida, cria uma paixão muito grande em ajudar o próximo. Não tem pagamento maior do que receber um agradecimento de uma vítima atendida em acidente”, diz Rampelotti. O presidente da Associação dos Bom-

nhão de combate a incêndio e uma ambulância. Hoje, são 50 bombeiros voluntários, duas ambulâncias, um caminhão de combate a incêndio e muito reconhecimento por parte da comunidade.

beiros Voluntários de Ilhota, Andrey Pereira Egídio, também fala sobre o amor pela profissão. “Disponibilizar um tempo pra ajudar outras pessoas é importantíssimo e eu me sinto muito feliz com isso. Acredito que ser voluntário é muito mais do que a deixar nossa família em casa para estar no quartel. Temos em nossas mãos, através do conhecimento adquirido, o poder de salvar a vida de alguém, cuidar do patrimônio das pessoas e receber o agradecimento de uma mãe ou de um pai”.


Jornal Cruzeiro do Vale Gaspar, 21 de junho de 2018

Ilhota 60 anos

11

Bombeiros Voluntários “Muitas vezes, saio de casa às 7h, vou para o meu trabalho, que é de onde eu tiro o sustento, saio 18h, vou para o quartel e fico de plantão a noite toda. No outro dia, vou pro trabalho de novo e, daí sim, volto para casa. É cansativo. Mas, a partir do momento que você ingressa nessa vida, cria uma paixão muito grande em ajudar o próximo. Não tem pagamento maior do que receber um agradecimento de uma vítima atendida em acidente” Carlos Rampelotti, Comandante do Corpo de Bombeiros Voluntários de Ilhota

Histórias marcantes Estar em contato com as famílias em um momento difícil marca qualquer profissional que trabalha com salvamento. Todo atendimento tem sua história. Porém, alguns ficam gravados na memória dos bombeiros de forma muito marcante. O comandante Carlos Rampelotti lembra de algumas histórias que a corporação já viveu. Para ele, a que está muito presente na memória é a tragédia de 2008, que destruiu o município e resultou em muitas mortes. “Foi um marco para nossa corporação. Nossa equipe foi a primeira de resgate especializado a chegar ao Morro do Baú. Chegamos em 14 pessoas e nos deparamos com uma cena de guerra”, recorda.

Novos bombeiros No final deste ano, a corporação forma a 11ª turma de novos bombeiros. São 18 novas pessoas que estão passando por 540 horas/aula e que estão participando de treinamentos de atendimento pré-hospitalar, combate a incêndio e resgate veicular, em altura e aquático. “Não é porque é voluntário que é amador.

Somos todos profissionais fazendo o mesmo serviço que um bombeiro militar. todos tem capacitação e recebem treinamentos para prestar um serviço de excelência à comunidade. Os formandos não assumem somente o compromisso de estar no quartel, mas também a missão de salvar vidas”, diz o comandante.

Apoio da comunidade Apesar de receber um repasse mensal da Prefeitura de Ilhota, o apoio da comunidade é imprescindível para que os Bombeiros Voluntários continuem atuando no município. Somando a contrapartida do município com a contribuição da população através da fatura de energia, a arrecadação mensal gira em torno de R$12 mil. Porém, para manter

a estrutura em pleno funcionamento, os gastos ficam em torno de R$15 mil. Para cobrir a diferença, os voluntários realizam eventos, pedágios, rifas e outras ações que auxiliam no fluxo do caixa. “A comunidade pegou confiança no atendimento dos bombeiros voluntários. Eles viram que o trabalho é sério e nos ajudam a manter o funcionamento”.

Para ser um voluntário Para ser bombeiro voluntário é preciso ser maior de idade, ter o ensino médio completo e disponibilidade para de fazer 24 horas voluntárias no mês, que podem ser intercaladas em 12 horas. Além disso, é feito um treinamento físico para confirmar se o candidato está apto para exercer as funções.


12

Jornal Cruzeiro do Vale Gaspar, 21 de junho de 2018

Ilhota 60 anos

História

Hino (refrão) Foi por ti, Ó Ilhota querida Que teu filho tombou Lá na guerra; Preferiu dar por ti (bis) Sua vida, Para dar vida A tua terra. És a terra que os belgas fundaram Foste o berço que embalou meus pais, És o vale que os santos acharam, Ficaram e não te esquecem jamais.

Nome em homenagem a ilha Se as enchentes de 1890 e 1911 não tivessem destruído, aos poucos, uma pequena ilha localizada no rio Itajaí-Açu, Ilhota teria hoje o símbolo que deu origem ao seu

nome. A ilha ficava no meio do rio, em frente à Igreja São Pio X e, segundo informações do livro ‘Movidos pela esperança - A história centenária de Ilhota’, o nome foi dado

muito antes dos Belgas chegarem ao Vale do Itajaí. Ao que tudo indica, Ilhota foi o nome escolhido no período em que os indígenas habitavam estas terras.

Bandeira e os símbolos Escudo: formado por uma coroa nas cores marrom e preta, representa a união do povo e a força do município Faixa azul clara: representa o rio Itajaí-Açu Faixas vermelha, amarela e preta: recordam a origem Belga Raio branco: representa a Sociedade Termo Elétrica de Capivari AS Montanha verde: representa o Morro do Baú Ramos: representam o arroz e a cana de açúcar, maiores produções agrícolas do município Faixa vermelha: contendo os dizeres ‘Ilhota o encanto do Vale’, tem abaixo a data de fundação e a data de instalação Retângulo: na cor branca, representa a paz entre munícipes e a administração Losango: na cor azul, simboliza as belezas do rio e do céu

Sempre fosses a nossa esperança, Lindo vale de encantos mil, És o sonho de nossas lembranças, És um pouco do nosso Brasil. (refrão) És Brasil e por isso tu vences, Nada deves no mundo temer, Pois teus filhos são catarinenses E por ti lutarão até morrer. Ficarás sempre em nossas lembranças E serás sempre o nosso torrão, Sorrirás para as nossas crianças, E terás sempre o nosso coração.


Jornal Cruzeiro do Vale Gaspar, 21 de junho de 2018

Ilhota 60 anos

13

Dados oficiais

Ilhota em números Extensão territorial: Número de habitantes: Ilhota possui uma população de quase 14 mil habitantes

Bairros:

Ilhota, o pequeno município pertencente à mesorregião do Vale do Itajaí, possui uma extensão territorial de pouco mais de 250 quilômetros quadrados, fazendo limite com as cidades de Luiz Alves, Navegantes, Itajaí e Gaspar. A cidade é cortada pelo Rio Itajaí Açu, pela BR-470 e pela SC-412, mais conhecida como Rodovia Jorge Lacerda.

Comércios associados à CDL e Associação Comercial: A nível nacional, Ilhota vem ganhando grande destaque por ser uma das grandes produtoras de moda praia e íntima do país. De acordo com levantamento da Câmara de Dirigentes Lojistas e da Associação Comercial Empresarial de Ilhota, o município possui cerca de 100 estabelecimentos associados às entidades. Ainda segundo levantamento, aproximadamente 80 desses lojistas atuam no ramo de moda praia, íntima e fitness.

ainda é um dos grandes desafios do município, Postos queAnãosaúdepossui hospital e conta com atendimento em seis Unidades de Saúde, que atendem das 8h às 16h. Os bairros possuem posto são o Centro, Minas, Boa Vista, Pedra de Saúde: que de Amolar, Baú Central, Braço do Baú e Alto Baú.

Os moradores são divididos em 19 bairros: Alto Baú; Alto Braço do Baú; Baú Baixo; Baú Central; Baú Seco; Boa Vista; Braço do Baú; Barra de Luis Alves; Tabuleiro; Centro; Ilhotinha; Minas; Missões; Pedra de Amolar; São João; Vila Nova; Barranco Alto; Pocinho e Laranjeiras.

Creches

Escolas:

Já na educação infantil, que contempla crianças entre zero e cinco anos, Ilhota possui seis Centros de Educação Infantil (CEI). São eles: Vovô Juca, localizado no Centro; Chapeuzinho Vermelho, no bairro Pocinho; Tia Loli, na Pedra de Amolar; Tia Flor, no Baú Baixo; Vó Rosa, em Ilhotinha; e Centro de Educação Infantil Maria Terezinha Hammes Schmitz, que fica no bairro Braço do Baú.

Quatro escolas municipais e duas estaduais são responsáveis pela formação dos alunos de Ilhota. Na rede municipal, os educandários são Domingos José Machado, no bairro Ilhotinha; José Elias de Oliveira; nas Minas; Alberto Schmitt, no Baú Central; e Pedro Teixeira de Melo, no Alto Baú. Já na rede estadual, a cidade possui a Escola Marcos Konder, no Centro; e a Valério Gomes, na Pedra de Amolar.

Quantidade de alunos:

Nas turmas de 0 a 3 anos, as creches possuem 625 crianças. No pré-escolar, são 393 alunos. Já no ensino fundamental são 679 estudantes e no ensino fundamental final são 525. Ilhota possui ainda uma unidade do Centro Integrado de Educação Especial Esperança, a Apae, que atualmente atende 70 alunos.


14

Jornal Cruzeiro do Vale Gaspar, 21 de junho de 2018

Ilhota 60 anos

Sustento da terra

Agricultura que move o município Segundo dados da Prefeitura de Ilhota, agricultura movimenta cerca de 45% da economia local

Quem passa pelo Centro de Ilhota e vê o grande movimento de turistas que vêm ao Vale do Itajaí especialmente para ir às compras nas inúmeras lojas de moda praia, intima e fitness não imagina a vida pacata dos ilhotenses que moram nos sítios e fazendas da cidade. Segundo dados da Prefeitura de Ilhota, quase 700 agricultores estão cadastrados no sistema do município e tiram

o sustento da família da terra. A cidade possui aproximadamente 250 quilômetros de extensão territorial e destina cerca de 8.500 hectares aos mais diversos tipos de plantação. A maior produção agrícola de Ilhota fica por conta do arroz irrigado, que ocupa uma área de 2.950 hectares de terra. O arroz produzido rende, anualmente, cerca de 22.200 toneladas do ce-

real, que são vendidas em toda a região. A segunda maior produção da cidade fica com a banana, que ocupa 680 hectares. As 22.400 toneladas colhidas anualmente são, em sua maioria, enviadas aos estados de São Paulo e Rio de Janeiro. Outro alimento que recebe destaque em Ilhota é o palmito. São cerca de 350 hectares de terra

cobertos por palmeiras, somando mais de duas toneladas da iguaria por ano. Além disso, o município também é bastante forte na bovinocultura. De acordo com dados do Instituto Catarinense de Sanidade Agropecuária (ICASA), Ilhota possui 12.687 cabeças de gado. Roberto Prebianca, secretário de Agricultura, destaca que o setor agropecuário movimenta em torno de 45% da economia da ci-

dade. Para ele, o ponto forte do setor são os próprio agricultores. “O ponto mais positivo é que os agricultores são guerreiros. Por exemplo: esse ano o arroz ficou com preço abaixo do custo. Foi uma questão de mercado, a gente sabe disso. Mas os plantadores não estavam preparados pra perder tanto. Mesmo assim, eles não desistem. Continuam batalhando e perseverando”.


Jornal Cruzeiro do Vale Gaspar, 21 de junho de 2018

Ilhota 60 anos

15

Igreja São Pio X

O templo da fé Localizada no Centro de Ilhota, igreja é um dos cartões postais da cidade O soar do sino pode ser ouvido de longe e expõe a força do catolicismo. A estrutura imponente manifesta, além de beleza, fatos históricos. Essas características remetem à Igreja São Pio X, um dos maiores atrativos turísticos de Ilhota, localizado no alto de uma colina, bem no Centro da cidade. Pintada nas cores branco e azul, a igreja chama a atenção pela simplicidade e também pelo capricho com que é mantida

Há quatro anos, o padre Idonizete Krueger é quem reza as missas no local e administra as sete comunidades que integram a paróquia. “Minha história no município começou em 2010, quando passei a cuidar da Igreja Nossa Senhora da Glória, no bairro Braço do Baú. Fui chamado para comandar o trabalho de recuperação junto dos atingidos pela tragédia de 2008. Em 2014, o bispo da diocese pediu que eu fosse para o

Centro”, conta. Ele afirma que suas prioridades enquanto representante da igreja matriz é a formação pastoral continuada. “Depois que assumi essa responsabilidade, consegui instalar 47 grupos de reflexão no município. É notória a vontade do cristão de se aproximar cada vez mais de Deus. Esse fato não pode ser ignorado, deve ser estimulado”, diz Idonizete, afirmando que a fé é e sempre será o principal pilar da igreja.

História da igreja Construída em 1939 pelo trabalho voluntário da comunidade ilhotense, a Igreja São Pio X possui uma arquitetura única e irreverente. Agora, os trabalhos são para mante-la cada vez mais bonita, preservado sua essência. “Toda a parte interna foi revitali-

zada de acordo com a obra original. Nós, além de mantermos o altar grande, também retornamos com a tradição do altar mais alto, no fundo da igreja, onde o padre rezava a missa de costas. Tudo isso para resgatar a história da cidade”.

“É notória a vontade do cristão de se aproximar cada vez mais de Deus. Esse fato não pode ser ignorado, deve ser estimulado” PadreIdonizete Krueger, responsável pela Igreja São Pio X

Ilhota é marcada pela diversidade religiosa e o respeito mútuo entre as crenças. A maior parte da população é cristã e, além do catolicismo, se vê grande número de evangélicos na cidade. A Assembleia de Deus, por exemplo, conta com aproximadamente 1.200 fiéis que

acompanham semanalmente aos cultos ministrados nas dez congregações espalhadas pela cidade. Conforme explica o vice-presidente da Assembleia de Deus de Ilhota, Paulo Alberto Moretti, a igreja possui projetos para todas as idades. “Trabalhamos

em grupos de crianças e adolescentes, jovens adultos, homens, mulheres e também casais. O objetivo é direcionar e tornar mais atrativos os conteúdos para cada público”. A nova diretoria da Assembleia de Deus de Ilhota tomou posse há apenas cinco meses.

Apesar do pouco tempo, Paulo diz que está feliz em trabalhar com pessoas comprometidas. “O pessoal é receptivo, procura pela palavra de Deus e gosta muito de interagir. Os grupos de oração estão sempre cheios. Isso é ótimo”. A sede da igreja Assembleia

de Deus em Ilhota fica na rua Joleto Vargas, no Centro. Além disso, as portas das demais igrejas da congregação estão abertas para receber a comunidade. Há cultos nas regiões da Ilha Bela, Baú Central, Baú Baixo, Baú Alto, Pedra de Amolar, Pocinho, Missões, Boa Vista e Laranjeira.


16

Jornal Cruzeiro do Vale Gaspar, 21 de junho de 2018

Ilhota 60 anos

Educação

Investimento direcionado à estrutura das unidades de ensino Trabalhos nas escolas e creches de Ilhota são desenvolvidos com foco no futuro dos alunos O segredo para manter uma cidade em pleno desenvolvimento é investir na educação. Se existe uma boa administração, é porque profissionais se especializaram na gestão pública. Se têm obras, é porque existem trabalhadores devidamente qualificados à construção de edificações. Se há um comércio fortalecido, é porque pessoas foram treinadas para as tendências do mercado. Por trás do sucesso de cada setor, seja ele da iniciativa privada ou pública, há professores, instituições de ensino e pessoas preocupadas com o intelecto das outras, desde a infância até a vida adulta. Com foco no futuro, a secretária de Educação de Ilhota, Andrea Cordeiro Quintino, já conseguiu diversos avanços em seu pleito. Entre eles se destaca a formação continuada dos servidores da pasta, a composição de atividades esportivas complementares no contra turno das unidades municipais, a aquisição de materiais pedagógicos e melhoria na qualidade da merenda escolar. “Agora, quando os estudantes não estão em sala de aula, é possível ter reforço do conteúdo ensina-

do. Nossos alunos também podem fazer dança, música, karatê e futsal no contra turno. Outro ponto positivo é a diversificação do cardápio da merenda com produtos da agricultura familiar”, detalha. Outras conquistas foram possíveis através de muito esforço. Andreia ressalta a aquisição de mobiliário e parques para todos os Centros de Educação Infantil (CEIs) e a instalação de arcondicionado, reposição de eletrodomésticos e computadores em todas as unidades de ensino municipais. “Posso citar ainda a conclusão da obra no CEI Tia Loli, no bairro Pedra de Amolar; a aquisição de um veículo de 16 lugares para a Secretaria de Educação; compra de quatro ônibus com 45 lugares e acessibilidade para o transporte de estudantes; e a reforma dos demais ônibus da nossa frota”. Atualmente, dois importantes projetos na área da educação estão em andamento: a reforma da Escola Domingos José Machado, no bairro Ilhotinha, que vai receber mobiliário novo e terá um laboratório de informática; e a ampliação do CEI Professora Gianna, no Centro.

Incentivo à formação superior através do transporte universitário Ilhota não possui uma universidade que garante a formação superior de seus munícipes. Porém, pensando em contribuir com

os estudantes que buscam por um diploma superior, a prefeitura oferece transporte gratuito para universidades da região. São

cerca de 140 pessoas que utilizam a frota da prefeitura para ir até a Uniasselvi e Furb, em Blumenau; e à Univali e Avantis, em Itajaí.


Jornal Cruzeiro do Vale Gaspar, 21 de junho de 2018

Ilhota 60 anos

Biblioteca

Três mil livros à disposição Espaço foi reaberto no início do ano e atendimento funciona de segunda a sexta Visitar cidades, estados e países. Desbravar planetas. Explorar lugares misteriosos. Conversar com animais e objetos. Conhecer outras culturas. Aprender, se emocionar e até mesmo viver histórias, sejam elas reais ou fictícias. Na Biblioteca Municipal Alice Francisco Bittencourt, situada na rua Joleto Valgas, no Centro de Ilhota, é possível viajar sem sair do lugar. Quem passa pela casa pequena e sem vizinhos não imagina o tamanho das experiências proporcionadas

em seu interior. Fundado em 2007, o local ficou fechado por aproximadamente um ano e se restabeleceu em março de 2018. Desde então, dirigido pela professora e mediadora de leitura Célia Regina Merlini, vem fazendo um importante trabalho no município. Por dentro, tudo está perfeitamente organizado e cumpre com o prometido: tem conforto e proporciona boas leituras. “Manter a biblioteca aberta é imprescindível. Por isso, sou bem exigente

Funcionamento Os serviços da biblioteca funcionam de segunda-feira a sexta-feira, das 8h ao meio dia e das 13h às 17h. Pessoas interessadas em doar livros e colaborar com o crescimento do local podem entrar em contato com a secretaria de Educação através do telefone 3343-1104.

quanto ao cuidado do material exposto nas estantes. Os livros são da nossa cidade e devem ser preservados com muito carinho”, afirma Célia. Ao todo, o acervo da biblioteca ultrapassa a marca de três mil obras. Há livros de todos os gêneros e destinados para todas as idades. De acordo com a bibliotecária, cerca de 200 pessoas visitam o local mensalmente. “A circulação é grande, mas pode aumentar, com certeza. Recebo muitos educandários, famílias e comu-

nidade em geral. Os alunos da Apae também estão sempre por aqui. É um prazer receber a todos e acompanhar de perto a evolução do gosto pela leitura”. A biblioteca municipal está ligada à secretaria de Educação e conta com o apoio da Associação dos Municípios da Região da Foz do Rio Itajaí (Amfri). No começo, integrava a Fundação Cultural de Ilhota, mas o órgão se mantem inativo até a construção de uma nova sede.

“Sou bem exigente quanto ao cuidado do material exposto nas estantes. Os livros são da nossa cidade e devem ser preservados com muito carinho” Célia Regina Merlini, responsável pela Biblioteca Municipal Alice Francisco Bittencourt.

17


18

Jornal Cruzeiro do Vale Gaspar, 21 de junho de 2018

Ilhota 60 anos

Economia

Do pioneirismo à tradição Dal Costa e Ilha´s Rio são as primeiras empresas do ramo abertas em Ilhota, no ano de 1986 Modernas construções às margens da Rodovia Jorge Lacerda mostram o crescimento e o desenvolvimento do setor têxtil em Ilhota. Com o título de Capital Catarinense de Moda Íntima e Praia, a cidade recebe todos os anos milhares de turistas que vem ao Vale do Itajaí especialmente para ir às compras. O aumento no setor começou a ser visível na cidade a partir da década de 1990, quando empresários visionários começaram a enxergar o grande potencial local. Foi então que em abril de 1992 um grupo de empresários se uniu e fundou a Associação Comercial e Industrial de Ilhota. A criação aconteceu com o objetivo de implantar o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC), tendo em vista o crescimento no número de estabelecimentos que não possuíam a garantia comercial de seus clientes.

As primeiras empresas 1986 Confecções Dal Costa Ilha´s Rio 1989 Mardu 1990 Ducel Biquinis 1991 Eloeth Rio Açu 1992 Confecções Crislaine D. Lucas Lingerie Confecções Ivana 1993 Estilo Lingerie 1994 Afro Latina Dula Confecções Nara New Line Du Pan Moda Íntima Luleca Moda Íntima 1995 Expresso Confecções Karis Confecções Walmarys

Além da moda íntima e praia Não são somente as lojas centrais que movimentam a economia de Ilhota. Dois grandes exemplos mostram o potencial da cidade para grandes negócios.

Responsável pelo fornecimento de óleo para a geração de energia de fábricas, a Combustíveis Gasoil está localizada às margens da BR-470, em Ilhota. Possui matriz em

Rolândia, no Paraná, e teve sua primeira filial no Vale do Itajaí em 1994. Alguns anos antes, em 1986, Ilhota já era tida como filial da Malharia Cristina, em-

presa do ramo têxtil fundada em Blumenau no ano de 1970. Gerando muitos empregos diretos em sua filial em Ilhota, a empresa investe na instrução de seus funcionários.

Organizações sindicais A busca por uma maior representação faz com que Ilhota seja sede de três sindicatos: o Patronal Rural e o dos Trabalhadores Rurais, ambos no Centro; e o dos Trabalhadores da Indústria do Alimento, localizado no bairro Pedra de Amolar. As demais categorias são representadas pelos sindicatos instalados nas cidades vizinhas, como é o caso do Sindicato dos Trabalhadores da Indústria do Vestuário, que tem sede em Gaspar.

Sindicato dos Trabalhadores Rurais Fundado em 18 de outubro de 1970, data em que aconteceu sua primeira assembleia, o Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Ilhota foi criado para assegurar os direitos dos trabalhadores rurais da cidade. Ele é composto por produtores, proprietários, empregados e funcionários de agroindústrias.

Sindicato dos Trabalhadores da Indústria do Alimento Fundado em 1942 em Itajaí, quando Ilhota ainda pertencia ao município vizinho, tinha inicialmente o nome de Sindicato dos Trabalhadores na Indústria de Açúcar de Itajaí. Em 1958, com a emancipação de Ilhota, teve sua sede transferida para a cidade e passou a ser chamado de Sindicato dos Trabalha-

dores na Indústria do Açúcar e do Álcool de Ilhota. Alguns anos mais tarde, em 1990, com a necessidade de expandir sua representação, passou a ser denominado de Sindicato dos Trabalhadores da Indústria do Alimento, tendo como área de atuação Ilhota, Penha, Piçarras, Luiz Alves e Barra Velha.

Sindicato Patronal Rural O Sindicato Patronal Rural de Ilhota foi fundado em 4 de julho de 1968 e oportuniza aos seus associados a participação em

cursos de formação profissional rural e de promoção social. Presta ainda serviços para aposentadoria dos agricultores; atua na

regularização de imóveis e licenças ambientais; e mantém convênios que garantem descontos especiais aos associados.


Jornal Cruzeiro do Vale Gaspar, 21 de junho de 2018

Ilhota 60 anos

19

Fotos antigas

Retratos de Ilhota

Relembrar o passado, comparar o presente e projetar o futuro. Fotos mostram o desenvolvimento de Ilhota:

Em 1980, Hotel e Restaurante Caseca foi destruído por incêndio

Antiga entrada da balsa, no Centro de Ilhota Rua principal, nas proximidades da Igreja Matriz São Pio X

Vista aérea do Centro de Ilhota nas décadas de 1980/1990

Primeira Câmara de Vereadores de Ilhota: Arnoldo Schmidt, Ervino Kretzer, Lauro Ignácio, Deobaldino de Oliveira, José Pedro Castellain, Augusto Bento, Felício Bittencourt, Arnoldo MJeirinho. No meio, prefeito José Koehler.

Crianças brincando no pátio da Escola Municipal José Elias de Oliveira


Profile for Revistas Cruzeiro do Vale

Ilhota 60 anos  

Ilhota 60 anos  

Advertisement