Page 1

Ano I . Edição nº 2 . Distribuição gratuita . Diretor: Donatilia Braço Forte

www.diariododistrito.pt 03.07.2018 Terça-feira

DESTAQUE

Farmácia de Lagameças pode abandonar aquela localidade O INFARMED já solicitou à Câmara Municipal de Palmela um parecer sobre a eventual deslocalização daquele serviço para a freguesia de Pinhal Novo (P.8)

@jornaldiariododistrito

DESPORTO

Próxima época ninguém pára o Palmelense FC O clube vermelho e branco reforçou a sua equipa sénior com novas contratações e renovações, entre elas a do técnico Jaime Margarido que continuará aos comandos da equipa de Palmela (P.14)

REGIÃO

Festas do Montijo com maior afluência Foram seis dias de grande animação popular que invadiu as ruas, ruelas e becos de uma cidade à beira rio plantada (P. 11)

ASSOCIATIVISMO

LOCAL

REGIÃO

“Rancho do Poceirão é genuíno e é daqui” Quem o afirma é Anabela Pagaime, presidente do grupo que se diz esquecido por parte dos organismos públicos locais (P.6)

Homenagem a Pedro Ferreira marcada por emoção e dor. Familiares e Amigos do jovem pinhalnovense relembraram o sonhador que era Pedro Ferreira, numa homenagem marcada pela emoção no dia em que comemoraria 32 anos (P.8)

Azeitão recebe programa “Aqui em Portugal” da RTP. A Arrábida e Azeitão vão ser os marcos importantes da edição das festas locais, mas o cartaz destaca Herman José, filho adotado por aquela freguesia (P. 10)


A SEMANA COMEÇA AQUI Editorial

Crónicas da Nicha

Donatilia Braço Forte Diretor do Jornal Concelho de Palmela

Fátima Brinca Munícipe do Concelho de Palmela

Errar é humano! Como diz o ditado que já é bem antigo, errar é humano, e só não erra quem não lida com as coisas, e é esse o nosso caso, pois muitos de vós que estão a ler o meu editorial de hoje estão a questionar-se do porquê desta minha introdução... Meus caros leitores, nós na edição anterior erramos em algumas questões redatoriais e como somos pessoas humildes e sabemos admitir os nossos erros, aqui estou eu a dar “o corpo ao manifesto” como diretora deste jornal. Na edição anterior e já com algumas horas de trabalho em cima, o relógio a marcar 4:20 da madrugada de segunda-feira, o stress, esse que nunca nos largou, nem a mim enquanto diretora nem aos editores que estiveram todo o dia a trabalhar e grande parte da noite a coordenar a equipa de paginação, claro não posso esquecer todo o esforço também do nosso design/paginador que no mesmo dia teria que estar pronto para o seu trabalho. Claro que para nós que somos uma equipa isso não será desculpa para os nossos erros, podem ser erros de simpatia, gralhas etc, mas não deixam de ser erros, e é por isso que eu neste meu editorial apresento publicamente as minhas sinceras desculpas por esses erros terem aparecido na primeira página, um pedido de desculpas à Cooperativa Agrícola de Santo Isidro de Pegões, pela frase que apareceu no inicio da real informação, frase essa que fazia parte integral do campo “Casos de Polícia”, desculpa aos leitores pelo erro ortográfico na palavra “Desastre” que apareceu sem o ‘r’ e por fim ao “dente de coelho” na noticia de destaque da GNR e Poceirão. Como estamos no início desta nova vida que em tempos já estivemos habituados mas com o tempo fomo-nos desabituando das situações menos boas como aquela que aconteceu, é por isso que estou aqui hoje a assumir a minha responsabilidade por toda a equipa e com a minha humildade apresentar as minhas mais sinceras desculpas pelos erros da edição 1. Agora quero-vos falar desta edição que espero que esteja do vosso agrado, é com muita dedicação que a fazemos para si que está neste momento. Agradeço-lhe por nos ter escolhido para as suas leituras, é por si que fazemos o Jornal Concelho de Palmela, espero que goste da edição desta semana. Um bem haja para todos vós!

Onde posso encontrar o senhor Fernando do Pó? Os alfacinhas não estão habituados a certas coisas do mundo rural e, por vezes ficam atarantados de tal maneira, que assumem atitudes muito caricatas. Se já nos deparámos com aquela alfacinha que queria saber onde estava a Lagoa do (senhor) Calvo e quem andava aflita à procura do zoológico das Passarinhas, também assistimos a uma jornalista da televisão que andava perdida por terras do Poceirão. Pois a nossa amiga tinha sido destacada para fazer uma reportagem sobre os prejuízos na agricultura. Na altura ainda não havia GPS e a solução era parar a viatura e perguntar a alguém que estivesse num café. A minha amiga vinha com um destino: perguntar ao senhor Fernando do Pó para lhe indicar alguns proprietários agrícolas que tivessem sido atingidos pela intempérie. O café localizado ali à saída de Águas de Moura foi escolhido para a jornalista entrar, pedir uma água e perguntar atenciosamente para os fregueses, que saboreavam uma mini: “Meus caros amigos, por acaso, sabem-me informar onde posso encontrar o senhor Fernando do Pó?” A risota foi geral perante o espanto da ‘nossa’ alfacinha. Depois da animação acalmar, o amigo Manel, ainda com o rosto avermelhado de tanto rir, olhou para a alfacinha com ar de gozo e explicou-lhe: “minha querida vai ser difícil ou quase impossível encontrar esse senhor, mas diga ao que vem e iremos tentar ajudá-la”. Ainda sem perceber muito bem o que lhe estava a acontecer, a alfacinha lá disse ao que vinha e foi o próprio Manel que a levou até aos agricultores, que estavam à sua espera em Fernando Pó. A jornalista da capital não irá esquecer com facilidade o episódio de que foi protagonista, mas não deixámos de ficar em meditação. Ora se um dia ela vem por aí fora para entrevistar o assobiador, desconhecendo que se trata do maior sobreiro do mundo… por certo terá dificuldades. Para já deixamos o aviso, para se informar com antecedência do que pretende, pois o senhor Fernando do Pó ela não irá encontrar, mas a aldeia vinhateira estará sempre à sua espera. Fátima Brinca Munícipe do Concelho de Palmela

RECORDAR PARA VIVER

Donatilia Braço Forte Diretor do Jornal Concelho de Palmela

Ficha Técnica Diretor: Donatilia Braço Forte Redação: Carmo Torres | Miguel Garcia | Isabel de Almeida | Pedro Carvalho | Júlio Duarte | João Aguiar Cadete | Elsa Peres Colaboradores: Professor Augusto Vinagre | Joaquim Gouveia | Luís Miguel Franco Direção de arte & design: Diário Design | Tiago Brás Serviços Administrativos: Paulo Martins Distribuição: DD DistNews Propriedade: PRESSWORLD MEIOS DE COMUNICAÇÃO & INFORMAÇÃO . NIPC 514 965 754 Redação: Rua do Anselmo Caixa Postal 6410, Vale da Vila, 2955-000 Pinhal Novo Email redação: informacao@jornalconcelhodepalmela.pt Email publicidade: comercial@jornalconcelhodepalmela.pt Email geral: geral@jornaconcelhodepalmela.pt Impressão: Gráfica Diário do Minho | Rua de S. Brás, n.º 1 – Gualtar | 4710-073 Braga Tiragem: 10 000 (média semanal) Registo ERC: 127135 Depósito Legal: 442609/18

2 | Jornal Concelho de Palmela . 3 de julho 2018

O Cinema S. Gonçalo já conheceu melhores dias O cinema S. Gonçalo, construído nos anos cinquenta, localiza-se, na antiga Estrada da Ponte do Sol, nas Cabanas, na freguesia de Quinta do Anjo. Os cabanenses mais antigos continuam presos às memórias do equipamento, onde viveram bons momentos com os filmes e espetáculos, que ali eram apresentados. O “velho” cinema vai sofrendo as vicissitudes dos tempos servindo de armazém, enquanto se vai degradando. Nos últimos 15 anos o cinema S. Gonçalo chegou a ser equacionado para receber uma

superfície comercial, mas as dificuldades de acesso terão inviabilizado o negócio. A adquisição do imóvel chegou a ser hipótese por parte da câmara, mas não passou de uma ligeira “luz ao fundo do túnel”. Todos já se mentalizaram que o espaço de recordações do passado terá conhecido melhores dias, mas estavam bem longe de acreditar que poderá ser vendido em leilão. O Grupo de Amigos do Concelho de Palmela ainda sonha que ali seja instalado um espaço cultural para servir a comunidade de Cabanas.


ALERTAS E DENÚNCIAS

A Voz aos munícipes….

POLÍTICA

Os moradores e munícipes do concelho de Palmela aceitaram o desafio e estão a enviar os seus alertas e denúncias para o JCP.

Uma lixeira a céu aberto

José Marques enviou-nos o alerta sobre uma situação, que se repete semana após semana, no cruzamento no aceiro José Camarinho, no caminho de acesso à Carregueira /Fonte da Vaca. A imagem é degradante com um monte de móveis velhos, latas, caixas de cartão, plásticos e até um colchão.

Feno ameaça casas de habitação

Carlos Vitorino é reconduzido a presidente da concelhia do PSD CARGO ● O PSD Palmela viu o seu atual presidente a ser reconduzido para comandar os destinos dos sociais-democratas por mais dois anos TRABALHO ● O trabalho autárquico que o PSD em Palmela tem realizado nos últimos mandatos tem ajudado a uma projeção relevante junto dos eleitores que votam no PSD

O

A limpeza dos terrenos perto de casas era uma obrigação legal até 31 de Maio, mas há quem faça orelhas moucas, continuando impune e a não cumprir a legislação. Em pleno centro urbano do Pinhal Novo, vive-se uma situação alarmante, no Bairro Joaquim Maria, junto à Escola José Maria dos Santos. O feno com dois metros de altura é uma ameaça para quem ali vive.

Um perigo para sair de casa

s sociais-democratas de Palmela elegeram uma vez mais Carlos Vitorino para presidir os destinos daquele partido no concelho que muito tem sido trabalhado pelo PSD nos últimos anos. Carlos Vitorino que agora vê o seu cargo de presidente a ser reconduzido por mais dois anos, é uma figura notória na comunidade local, entre 2001/2009 e 2013/2017 foi figura central do PSD e nos últimos mandatos pela Coligação Palmela Mais na Assembleia Municipal, tendo funções de membro daquele órgão, nas últimas autárquicas fez parte da lista do atual vereador da Coligação Palmela Mais, onde assegura o cargo de vereador em substituições de Paulo Ribeiro, nas sessões em que não possa estar. Carlos Vitorino tem um vasto leque de intervenções na vida política local, mas também regional, onde no Barreiro desempenhou funções de membro na Assembleia Municipal nos mandatos de 1989/1993 e 1993/1997, fez parte ainda da Assembleia de Freguesia de Pinhal Novo, em Palmela, no mandato de 2005/2009. Atualmente é vice-presidente do secretariado distrital dos Trabalhadores Social Democratas no distrito de Setúbal. Carlos Vitorino é reconduzido no cargo de presidente da Concelhia Política do PSD em Palmela e na sua equipa conta ainda com caras bem conhecidas na região como, Colin Marques (membro da AF de Quinta do Anjo); Roberto Cortegano (membro da AF de Pinhal Novo); Ana Cardoso (membro do executivo na JF de Palmela) e Teresa Marta (membro da AM de Palmela).

ANIMAIS

O alerta vem de um morador, que até colocou um espelho para se aperceber do trânsito, pois o monte de despejos não o deixa ter visibilidade. Mais lixo com restos de televisão, cabos, restos de árvores e palmeiras.

Casas abandonadas em Aires

Câmara de Palmela apoia associações protetoras dos animais PROTETORAS ● Três associações que trabalham no concelho de Palmela vão receber apoios autárquicos para fazer face a despesas de instalações e tratamentos dos animais

O morador Luís Tavares recorreu ao facebook para denunciar que “a bela vila de Palmela tem lacunas da responsabilidade da administração local ou privada. Os edifícios por acabar na urbanização Urbiaires estão devolutos e com falta de conservação(…). O munícipe deixa a sugestão: será que estes imóveis não podem ser adquiridos para ser arrendados a rendas controladas, a quem precisa de habitação?

C

ada dia que passa são mais os animais abandonados na via pública, que após serem recolhidos por autoridades ou particulares, são encaminhados para os Centros de Recolha Animal das autarquias locais. Em Palmela o cenário é igual e muitas das vezes a Câmara Municipal aciona as parcerias que têm com as associações locais de ajuda animal. Nesse âmbito, a Câmara Municipal de Palmela vai levar esta quarta-feira, 4 de julho, a reunião pública uma proposta de apoio financeiro a três associações de defesa dos animais do concelho. Os apoios totalizam 3 500 euros que vão ser divididos pelo “O Cantinho da Milu” que recebe 2 mil euros, a “Quintinha ABC” que recebe 1 mil euros e por último a “PRAVI” que recebe 500 euros.

3 de julho 2018 . Jornal Concelho de Palmela | 3


SOCIEDADE FEIRA COMERCIAL E AGRÍCOLA

HOMENAGEM

O mundo rural estará em destaque no Poceirão

David Martins foi ‘pupilo’ do médico do povo

AGRICULTURA ● O Poceirão vai ser a capital do mundo rural com a realização da Feira

SAÚDE ● Setúbal homenageou o oftalmologista David Martins pelos quarenta anos de carreira médica no Serviço Nacional de Saúde CARREIRA ● David Martins começou a sua carreira no antigo Hospital Concelhio de Palmela, onde trabalhou com o doutor Veríssimo da Silva, o médico do povo HOMENAGEM ● A homenagem foi promovida pelo Hospital de São Bernardo e contou com a adesão da Câmara de Setúbal, a que se juntaram duas centenas de pessoas, entre colegas, familiares, amigos e responsáveis de diferentes áreas da comunidade local

Comercial e Agrícola, que irá decorrer em pleno coração agrícola da Península de Setúbal RURALIDADE ● A Feira, quase a assinalar os trinta anos de existência, continua a apostar na promoção do mundo rural e nos produtos locais de qualidade

ELSA PERES

A

elsa.peres@jornalconcelhodepalmela.pt

aldeia do Poceirão, o coração agrícola da Península de Setúbal, vai receber a edição 29ª da Feira, durante os dias 6, 7 e 8 de Julho. A Feira aposta na promoção do mundo rural e nos produtos locais de qualidade, que se irão intercalar com animação, artesanato, gastronomia, atividades ligadas ao desporto e o desfile etnográfico. A Feira deste ano irá contar com a novidade dos drones, que irão promover simulações de voos e iniciativas para participar em soluções agrícolas para detetar pragas. A Câmara de Palmela aprovou um montante para a Feira de quatro mil euros e apoios técnicos e logísticos que atingem os sete mil euros. O programa apresentado pelos organizadores para os três dias da Feira é o seguinte: Sexta-Feira, dia 6 de Julho 19h00 - Bênção dos animais 20h00 - Inauguração oficial com a Fanfarra dos Bombeiros Voluntários de Pinhal Novo - Salão Nobre da Junta de Freguesia, seguida de visita aos stands de exposição 20h30 - Batismo de voo - Espaço Artesanato Simulador de voo - Espaço Artesanato 20h30 - Concurso de Matraquilhos 20h30 - Ateliê de Artesanato - Espaço Artesanato 21h00 - Atuação dos Grupo de Sevilhanas e Flamenco Pavilhão das Adegas 21h00 - Demonstrações de Jogos Tradicionais - Espaço Lúdico 21h15 - Baile com Contraponto - Palco Principal 21h30 - Demonstração Equestre (Dorso Lusitano) - Picadeiro | Batismos equestres 22h00 - Espetáculo equestre "Emoções Lusitanas" Team João Rafael – Picadeiro 22h15 - Atuação de José Miguel Zambujo Pavilhão das Adegas 00h00 – Vacada Sábado, dia 7 de Julho 9h30 - Poule de Equitação de trabalho – Picadeiro 10h00 - Batismos equestres para crianças, passeios de charrete - Picadeiro Poule de Saltos de Obstáculos – Picadeiro 15h00 - Concurso de Gastronomia - Pavilhão das Adegas 16h30 - Gincana de tratores - prova de condução e conhecimentos em trator agrícola - Parque de Exposições 17h00 - Poceirão Colorido - animação com DJ e lançamento de tinta colorida - Avenida de Palmela 18h00 - Ação de informação e sensibilização "Segurança na utilização de tratores, equipamentos e máquinas agrícolas" 19h15 - Ateliê de Artesanato - Espaço Artesanato Demonstração "O Drone e Agricultura" 19h30 - Demonstração de dança do 50+ Programa de Exercício 20h00 - Demonstrações de Jogos Tradicionais - Espaço Lúdico

21h00 - Atuação do Grupo Serenatas "Sinfonias ao Luar" - Pavilhão das Adegas 21h15 - Atuação do Teatro Estranhamente Louco e Absurdo - Pavilhão das Adegas 21h30 - Baile com Sérgio Pastor - Palco Principal 22h00 - Artes Taurinas – Picadeiro 23h00 - Espetáculo musical com Eduardo Santana - Palco Principal 00h00 - Continuação do Baile com Sérgio Pastor 00h00 - Vacada Domingo, dia 8 de Julho 9h15 - 3.ª Caminhada Solidária 9h30 - 1.ª Cãominhada Feira do Poceirão 2018 10h00 - Passeio Equestre 10h00 - 1.º Encontro Desportivo Infantil Feira Poceirão 2018 - Grupo Desportivo de Lagameças 13h00 - Almoço - Pavilhão das Adegas 14h00 - Saberes e Sabores - degustação de doces e salgados - Pavilhão das Adegas - Workshop de Sangria 14h00 - Demonstração de Karaté - Palco Principal 18h30 - Desfile Etnográfico pelas ruas de Poceirão, com a participação dos Bardoada, Rainha, Damas de Honor e Miss Fotogenia, Ranchos Folclóricos, Cavaleiros, Máquinas Agrícolas e Carros Alegóricos 19h15 - Demonstração "O Drone na Vigilância e Socorrismo" - Espaço Artesanato 19h30 - Atuação dos ranchos participantes do desfile - Palco Principal | Rancho Folclórico "Os Fazendeiros de Lagameças", Rancho Folclórico de Fernando Pó e Rancho Folclórico Danças e Cantares da Região do Forninho 20h00 - Ateliê de Artesanato - Espaço Artesanato 20h30 - Fado Humorístico com Emanuel Moura - Pavilhão das Adegas 21h00 - Espetáculo musical e baile com o Grupo Musical "Objetivo" - Palco Principal 21h30 - Entrega de Prémios dos concursos: Matraquilhos; Gincana de Tratores, 1.º Encontro Desportivo Sénior e 1.º Encontro Desportivo Infantil 22h00 - Glow Party (Festa da Luz) - Animação com DJ

4 | Jornal Concelho de Palmela . 3 de julho 2018

ELSA PERES

D

elsa.peres@jornalconcelhodepalmela.pt

avid Martins tem uma carreira de grande proximidade com os doentes para além de ser reconhecido a nível nacional e internacional enquanto investigador em oftalmologia. O conhecido e conceituado médico começou a sua carreira como voluntário em 1977, no antigo Hospital Concelhio de Palmela. David Martins faz questão de lembrar “licenciei-me em Agosto de 1977 e só iria fazer o estágio em Janeiro de 1978, mas não queria ficar quatro meses em casa, e comecei a telefonar para os hospitais da zona a oferecer-me para colaborar com um médico que tivesse experiência” e acrescenta “acabei por ir para o Hospital de Palmela a ajudar na urgência com o doutor Veríssimo da Silva e a dar consultas com ele”.

Quando iniciou o estágio continuou a colaborar no Hospital de Palmela, tendo em 1979 começado a dar aulas de saúde na Escola Secundária, para “ganhar uns dinheiritos” adiantou David Martins. Mas a sua ligação a Palmela continuou em 1980, quando “fui deslocado para vir trabalhar no serviço médico à periferia e em finais desse ano abri o meu primeiro consultório em Palmela, onde estive mais de quatro anos”. David Martins foi para Setúbal e esteve sete anos como diretor do Hospital de S. Bernardo e nos últimos dez, até à aposentação, foi diretor do Serviço de Oftalmologia do Centro Hospitalar de Setúbal. Apesar de estar aposentado continua ao serviço da medicina fazendo consultas e operações no Hospital da Luz, mantendo o seu consultório na Avenida 5 de Outubro, em Setúbal.

Distinções e méritos A par de muitas distinções, David Martins obteve em Dezembro, o primeiro prémio da edição inaugural do Prémio do Grupo de Investigação e Desenvolvimento do Centro Hospitalar de Setúbal. David Martins liderou com o colega Pedro Neves um estudo que abordava o tratamento menos invasivo para a cura de um tipo específico de lesão nos olhos.

PUB

Nas bancas todas as terças-feiras gratuitamente.


PUB


ATUALIDADE POCEIRÃO

Diário Imagem

QUINTA DO ANJO

GNR não dá tréguas aos moradores da freguesia

Rancho Folclórico do Poceirão celebra 47.º aniversário

CASO ● Depois de alguns moradores da vila de Pinhal Novo se queixarem das

FESTA ● O Rancho Folclórico do Poceirão vai celebrar o 47.º aniversário com o tradicional Festival de Folclore que vai decorrer no dia 7 de Julho HISTÓRIA ●

excessivas multas de estacionamento por parte das autoridades, uma onda de alertas continua a ‘invadir’ as redes sociais, agora feitos pelos moradores da freguesia de Quinta do Anjo MULTAS ● Há moradores que se queixam de multas sucessivas em dias seguidos MIGUEL GARCIA

N

miguel.garcia@jornalconcelhodepalmela.pt

os primeiros meses de 2018 um grupo de moradores da Rua 25 de Abril, em Pinhal Novo, começou por alertar nas redes sociais o ‘flagelo’ que estariam a passar naquela altura com as notificações de multas de estacionamento que lhes chegava em ‘massa’. Uma onda de alertas invadiu a rede social Facebook de outros relatos de outras partes do concelho de Palmela a darem conta do mesmo. Passado algum tempo os responsáveis autárquicos, nomeadamente o presidente da Câmara Municipal de Palmela, Álvaro Amaro, anunciava uma reunião urgente com o Comandante do Destacamento Territorial de Palmela, Tenente Taveira, para uma resolução do problema que preocupava o executivo. Outras reuniões foram feitas na altura com os moradores do Bairro Alentejano que também foram surpreendidos com notificações da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR) e com o presidente da Junta de Freguesia de Quinta do Anjo, António Mestre, ficando a promessa de uma resolução da situação junto da Câmara Municipal de Palmela com o apoio da autarquia na questão da organização dos estacionamentos e sentidos de via. A 27 de junho as redes sociais são novamente o canal diretos para os alertas e o Jornal Concelho de Palmela também é contactado por vários moradores a dar conta de mais uma situação de ‘caça à multa’ a viaturas mal-estacionadas. Segundo um morador das Colinas da Arrábida que pediu para não ser identificado, o mesmo

diz ser alvo de multas excessivas por parte das autoridades: “como é possível uma coisa destas, eu chego a casa já tarde, porque o meu trabalho assim me exige, e quando aqui chego tenho a praceta toda repleta de carros, qual é a minha opção? Ou deixo o carro a um quilómetro de casa ou então sujeito-me como fiz, estacionei em cima do passeio e agora levo com uma multa de maio”. O descontentamento é geral, fomos ver o que se dizem nas redes sociais e reparamos que os comentários são muitos e as queixas, essas, são todas na mesma direção, havendo mesmo relatos de pessoas que afirmam terem sido multadas três vezes e em dias seguidos. Contactamos com o presidente da Junta de Freguesia de Quinta do Anjo que adiantou “estivemos reunidos com os moradores dos Portais da Arrábida que nos solicitaram uma reunião para apresentarem as suas necessidades no âmbito do estacionamento. Nessa reunião foi apresentado um plano pela Câmara de Palmela onde vão ser construídas mais bolsas de estacionamento, marcação horizontal de novos espaços de estacionamento. Quanto aos moradores das Colinas da Arrábida, a Junta de Freguesia ainda não recebeu qualquer pedido de reunião para debater os problemas”, mas António Mestre afirmou ainda estar disponível para um falar com os moradores. O Jornal Concelho de Palmela tentou obter esclarecimentos junto da GNR mas até ao fecho desta edição não conseguiu ter qualquer reação daquela autoridade/ organismo.

PUB

Nas bancas todas as terças-feiras gratuitamente. 6 | Jornal Concelho de Palmela . 3 de julho 2018

Este é o mais antigo rancho do concelho de Palmela com actividade interrupta

A

nabela Pagaime é fundadora e actual presidente do Rancho Folclórico do Poceirão, que este ano comemora 47 anos de existência no dia 7 de Julho, e que conta com cerca de 60 elementos, “8 pares infantis e 12 adultos, além da tocata e somos o rancho mais antigo do concelho, sem nunca termos interrompido” conforme explica. A festa de aniversário vai decorrer no sábado, 7 de Julho, a partir das 21h00 no Polidesportivo do Poceirão e irá contar com as participações do aniversariante Rancho Folclórico do Poceirão, do Grupo Folclórico Etnográfico Lordelo, do Grupo de Danças e Cantares de Nossa Senhora da Assunção e do Rancho Folclórico Ceifeira e Campinos Samora Correia. “O Rancho representa de alma e coração esta freguesia e a da Marateca, onde foi criado há 47 anos, percurso que assisti desde o primeiro ensaio”, refere Anabela Pagaime, que faz um balanço muito positivo das celebrações de 2017, “onde tivemos muito público, e para este ano temos a expectativa de que virá mais gente, apesar de termos actuado sobre um estrado porque não conseguimos um palco, devido às várias iniciativas que decorriam pelo concelho.” E garante que “este Rancho é genuíno, é daqui. Ninguém vê elementos deste Rancho a dançar noutros ranchos. E é muito bom quando chegamos a outras terras e nos louvam por sermos da terra do bom vinho e termos também um bom folclore.” Apesar da força com que mantêm esta tradição viva, os tempos não têm sido fáceis, porque o Rancho não tem sido contemplado por apoios camarários “de há quatro anos para cá. Quando registámos o Rancho nas Finanças não havia cruzamento de dados com a Segurança Social e não foi feito o devido registo. Agora não conseguimos obter uma declaração de ‘não dívida’, que é exigida para podermos ter apoios, porque não estamos inscritos na Segurança Social, portanto somos ‘clandestinos’.” As despesas são suportadas pelos elementos do Rancho, “compramos os trajes, pomos as meias-solas nos sapatos e pagamos os autocarros. E vamos todos contentes a representar as freguesias do Poceirão e da Marateca, onde o Rancho nasceu, bem como o concelho de Palmela. Não é fácil nem barato. Já tive de recusar convites para actuarmos no

Algarve e em França, mas não é por isso que deixamos de representar as freguesias e o concelho.”

Ausência da Feira Comercial e Agrícola do Poceirão A 29.ª Feira Comercial e Agrícola do Poceirão vai ter lugar entre os dias 6 e 8 de Julho, e apesar de no programa de domingo constar o desfile Etnográfico pelas ruas de Poceirão e actuação de ranchos folclóricos, o Rancho Folclórico do Poceirão volta a não participar neste evento. Anabela Pagaime explica que “a organização do certame tem na sua posse um email que explica o porquê de a direcção do Rancho ter decidido que não participaríamos, o que vai acontecer enquanto lá estiver o actual presidente devido a mal-entendidos entre ele e elementos do Rancho. Claro que isto é mau, mas tudo seria evitado se a Feira decorresse na data dela, e não tivesse sido alterada para a data do aniversário do Rancho Folclórico do Poceirão, o que levou a que nos tivessem tirado tudo aquilo que já tínhamos para celebrar o aniversário com o Festival de Folclore”.


PODER LOCAL

Mara Rebelo “precisamos de melhores políticas sociais” Mara Rebelo “precisamos de melhores políticas sociais” ● Mara Rebelo fez a sua estreia como autarca e as suas intervenções têm dado nas vistas, nomeadamente na área social, onde se mostra profunda conhecedora das realidades e carências no concelho de Palmela. ELSA PERES

M

DR

elsa.peres@jornalconcelhodepalmela.pt

JCP – Que problemas gostaria já de ter visto resolvidos? MR – Posso referir que ainda há muito por fazer no nosso concelho. E acredito que haverá sempre trabalho para fazer. Agora o que não se entende é a postura deste executivo que não consegue olhar e estudar o concelho, perceber o que mudou, perceber as novas necessidades das populações. E é aqui que o Partido Socialista quer fazer diferente. Precisamos de melhores políticas sociais, politicas que efetivamente possam responder aos problemas das pessoas. Precisamos de políticas que promovam a economia local e que atraiam investimento e por conseguinte que criem empregos. Nós estamos inseridos numa área extremamente privilegiada em termos turísticos e culturais e no entanto continuamos completamente escondidos. Este executivo continua a fazer mais do mesmo, e assim não conseguimos criar estruturas sólidas para proporcionar um desenvolvimento sustentável do território. JCP – Sente-se ‘incomodada’ com o apoio que o PS dá ao executivo CDU? MR – Obviamente que não há incómodo nenhum! E o PS não dá apoio ao executivo da CDU. É importante que os munícipes entendam que a nossa posição não é, nem nunca será, fazer oposição, apenas por si só, como outros vereadores eventualmente farão. O que pretendemos é atuar através da sensibilização e sempre que o fazemos, fazemo-lo com conhecimento de causa e com estudos devidamente sustentados em prol da população. Estamos perante uma nova realidade a nível de autarquia e nós, os três vereadores eleitos pelo PS, temos procurado ir ao encontro daquilo que sempre defendemos aquando da campa-

PALMELA

nha eleitoral, centrando a nossa ação em novas políticas de governação autárquica, sempre numa atitude de oposição construtiva, pois esse é nosso propósito maior, defender a população. JCP – Acha que o PS tem contribuído para uma melhor gestão autárquica? MR – Claro que sim. A nossa visão estratégica vai no sentido de protagonizar uma alternativa democrática à CDU, ajudando a construir uma nova forma de fazer política e um novo projeto autárquico para o concelho. É necessário sensibilizar a população para a mudança, para novos desafios, para aquilo que realmente importa e afeta a população, desmaterializando o perpetuar de uma força política enraizada e presa ao poder, já com pouca capacidade de pensar diferente. E os munícipes já perceberam isso e por isso lhes retiraram a maioria absoluta. Queremos acima de tudo mudar mentalidades e daí o nosso slogan “Juntos vamos despertar Palmela” “Temos de desmaterializar a burocracia que existe dentro dos serviços desta Câmara” JCP – Que projetos gostava de ver concretizados nos próximos meses? MR – Infelizmente, ainda existem muitos problemas sem resolução no concelho. Uns vincados pelo clima de estagnação de quem está no poder, outros porque simplesmente não foram considerados prioritários. Existem um conjunto de projetos candidatos a fundos comunitários para o concelho, quer a nível de infraestruturas, de turismo, de desporto, mas depois na sua operacionalização, a população desconhece o que acontece e não se revê em nada. Temos de desmaterializar a burocracia que existe dentro dos serviços desta Camara Municipal, que são eles muitas das vezes os principais impulsionadores para a não estabili-

ara Rebelo aceitou participar nas listas do PS, assumindo o cargo de vereadora sem pelouros, e tem dado nas vistas com as suas intervenções. JCP – Como autarca pela primeira vez nestas andanças, qual o balanço que faz destes primeiros nove meses depois das eleições? Mara Rebelo - Têm sido nove meses de trabalho árduo, pois nem sempre é fácil fazer entender à força política em exercício, que as decisões que tomam, e insistem em manter, são as melhores para os munícipes. Acredito contudo que com perseverança os vereadores do PS conseguirão criar uma alternativa positiva e construtiva para o concelho. Mas isso só poderemos avaliar no final do mandato, ainda é muito cedo para fazer balanços. zação de novas empresas e pessoas neste concelho. E aqui não me refiro aos recursos humanos da autarquia, que como todos sabemos, são poucos e trabalham o melhor que podem. Refiro-me à flexibilização de serviços. Refiro-me a uma política que tende a não querer modernizar-se a adaptar-se às novas realidades. JCP – O que considera ser de mais positivo na gestão CDU? E negativo? MR – Penso que não poderei responder desta forma dicotómica à pergunta. Não vemos a atuação do executivo entre o bem e o mau, mas entre o que já foi feito e o que poderá e deverá ainda ser construído para o bem da população. É notório e público o investimento desta autarquia em termos de parque escolar, porventura investimento que já se torna supérfluo e que poderia ser canalizado para infraestruturas essenciais ao bem-estar das populações e que têm vindo a ser proteladas ano após ano. Não podemos continuar a ter uma visão redutora e filtrada apenas naquilo que é mais visível e que nos faz “ganhar votos”. JCP – A vertente social continua a estar muito desprotegida a nível da autarquia de Palmela? MR – É notório e visível que precisamos de melhores políticas sociais que deem novas respostas aos problemas das pessoas. E isso tem de passar obrigatoriamente por uma revitalização da Rede Social do Concelho. Aliás esta tem sido uma posição que tenho desde sempre defendido e que continuarei a defender. A vertente social de qualquer autarquia tem de ser encarada como o pilar social do concelho. Há efetivamente muitas fragilidades nesta matéria e a prova disso está nas contas anuais que nos são apresentadas, onde o

investimento que esta autarquia faz ano após ano nesta área, é praticamente nulo, se analisarmos o binómio necessidades/gastos. Continuaremos a defender que precisamos de reaprender a trabalhar com quem melhor conhece as fragilidades da população. Todos sabemos que o associativismo, no concelho de Palmela, está a passar por graves dificuldades e este tem de ser encarado como um problema de todos nós e principalmente deste executivo, pois uma autarquia que releva a vertente social sabe à partida que são as associações que compensam os desequilíbrios sociais, intervém no presente, e antecipam problemas de futuro. E por isso iremos sempre fomentar, junto da força política em exercício, a coexistência com este setor de forma refletida, estruturada e organizada. JCP – Uma frase que defina o concelho de Palmela? MR – Um concelho com uma localização geográfica extraordinária, com um sem número de potencialidades em termos de cultura, turismo, gastronomia e vitivinicultura, mas que precisa de despertar!

Currículo

Nome: Mara Rebelo Idade: 40 anos Atividade profissional? • Pós-graduada em Fiscalidade • Pós-graduada em Estratégias de Qualidade e Gestão das Organizações Sociais. • Licenciada em Organização e Gestão de Empresas • Vogal do Conselho de Administração da Fundação COI • Vereadora sem pelouros na Câmara Municipal de Palmela

Deputados alertam para problemas AUSÊNCIAS ● A última sessão da Assembleia contou um executivo desfalcado, onde a CDU esteve representada pelo presidente Álvaro Amaro, o vereador do PSD/CDS também esteve ausente, enquanto o PS contou com os três vereadores (Pedro Taleço, Mara Rebelo e António Braz) e o MIM esteve representado pela vereadora Palmira Hortense

O

s deputados municipais estiveram muito ativos tendo apresentado diversos problemas e várias questões ao presidente da autarquia. A deputada Patrícia Caixinha (PS) quis saber qual o destino do terreno na Rua Amândio Ribeiro, no Pinhal Novo, que está a “ser utilizado para estacionamento sem condições”. O presidente Álvaro Amaro informou que a parte do terreno, que era privada, “foi adquirida pelo município” e “vamos ali fazer um parque de estacionamento”. O presidente da Junta de Freguesia de Palmela, Jorge Mares, manifestou uma “grande preocupação com os assaltos que têm acontecido junto `escola do Largo de S. João”. O autarca também denunciou o vandalismo que está a acontecer nas antigas instalações da Pal, onde “já partiram uma janela e uma porta foi arrombada”. O presidente da autarquia palmelense confessou “partilho das suas preocupações e já pedimos uma maior ação de patrulhamento”. Álvaro Amaro prometeu “vamos tapar a janela partida e a porta”. O deputado do MIM, Mário Rui Baltazar quis saber “quando é abatida a árvore na fonte de Aires, que já alertei há seis meses”. O edil de Palmela esclareceu que “o corte pode ser contra producente, segundo os nossos técnicos. Estamos a estudar outras medidas e não sei se a árvore vai ser cortada ou não”. A deputada centrista Rosa Pinto quis saber o que se passa com a Palmela Village, nomeadamente no que se refere à falta de acessos e no pagamento da água. O presidente da Câmara de Palmela garantiu “vamos acionar as garantias bancárias da Pelicano. Temos todo o interesse em ter aquele reservatório a funcionar não só para a urbanização mas para os munícipes do concelho”. Também Teresa Marta, deputada do PSD, alertou para a segurança e a falta de sinalização na saída do viaduto António Sérgio. A deputada social democrata manifestou a sua preocupação “pela retirada de três pilaretes junto à lavagem de carros nesta zona”. Álvaro Amaro esclareceu que os “pilaretes foram derrubados e teremos que proceder à sua recolocação”.

3 de julho 2018 . Jornal Concelho de Palmela | 7


CONCELHO DE PALMELA PINHAL NOVO

LAGAMEÇAS

Grupo de amigos e familiares homenageou Pedro Ferreira este domingo

População pode ficar sem acesso a medicamentos

COMUNIDADE ● Pedro Ferreira era conhecido por ser um jovem de lutas e causas, um sonhador e sempre com um sorriso no rosto. Jovem pinhalnovense que passou também pela vida política ativa do concelho, fazendo parte de vários partidos políticos locais mas foi com o símbolo do Movimento Independente para a Mudança (MIM) que Pedro Ferreira lutou para que vencesse as eleições autárquicas em Palmela HOMENAGEM ● No passado domingo, amigos e familiares prestaram uma singela homenagem em memória do jovem irreverente e lutador por causas em que acreditava serem possíveis

SAÚDE ● Farmácia de Lagameças pode estar de malas feitas para a freguesia de Pinhal Novo SEM MEIOS ● As populações das zonas rurais do concelho de

MIGUEL GARCIA

miguel.garcia@jornalconcelhodepalmela.pt

O

Auditório dos Bombeiros Voluntários de Pinhal Novo recebeu no passado dia 1 de julho uma cerimónia de homenagem ao jovem Pedro Ferreira, uma figura marcante no quotidiano da vida da comunidade local e política do concelho. Lutador de causas quase impossíveis, o jovem deu a cara por vários partidos políticos da freguesia e do concelho, mas por último acreditou num movimento que em quatro meses deu que falar, e deu provas de conseguia chegar ao fim, era assim que Pedro Ferreira conseguia ver as coisas, aceitou o desafio que lhe foi lançado pelo líder do Movimento Independente para a Mudança (MIM) porque acreditava que juntos conseguiam atingir os objetivos propostos, mas o sonho do jovem pinhalnovense viria a

terminar a 20 de agosto de 2017 quando não conseguiu resistir a uma doença prolongada, mas nunca deixou perder o sorriso que sempre brindava a todos os seus familiares e amigos. Foi no passado domingo que familiares e amigos estiveram numa cerimónia de homenagem ao “menino sonhador”, dia em que Pedro Ferreira completava 32 anos, e foi ao som das cantigas de Zeca Afonso, que tanto adorava, que a homenagem foi feita na presença de mais de meia centena de pessoas que aceitaram o desafio em estar presentes nesse ato nobre. Antes do momento musical foi lido por Palmira Hortense um poema escrito pelos pais de Pedro Ferreira, onde as emoções e a saudade pairaram no Auditório dos Bombeiros de Pinhal Novo.

PALMELA

Palmela vivem no século XXI sem acessos a uma rede de transportes viável e sem meios a saúde, a desertificação das zonas rural está fazer com que as populações não permaneçam nessas regiões

O

s meios rurais estão a ficar “desertos” de populações e de serviços, e o concelho de Palmela não foge à regra. Mesmo aquando da procura de jovens para se estabelecerem na região, as regiões rurais são aquelas que ficam para uma ultima opção. O problema está na oferta de meios e serviços que as regiões mais rurais tem para oferecer aos novos habitantes. Amanhã a Câmara Municipal de Palmela vai <<discutir>> em reunião pública um <<parecer>> sobre uma eventual transferência da Farmácia que está situada na localidade de Lagameças, na União de Freguesias de Poceirão e Marateca para o Pinhal Novo. O Jornal Concelho de Palmela teve acesso ao pedido do parecer que o INFARMED – Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde, I.P, realizou junto da Câmara Municipal de Palmela. Este pedido salienta de que o proprietário da Farmácia das Lagameças demonstrou interesse de transferir aquele serviço para a Urbanização Val`Flores, em Pinhal Novo. Segundo uma fonte da Câmara Municipal de Palmela adiantou ao nosso jornal que a autarquia

autarquia palmelense prepara-se para emitir parecer negativo para a realização da transferência, o que poderá levar a uma possível rutura entre o órgão autárquico e o proprietário. Tivemos ainda conhecimento de que o documento que está a ser preparado pelo gabinete do vereador Adilo Costa menciona as distâncias que a população terá que realizar para comprar um medicamento, caso a Farmácia das Lagameças se deslocalize daquele lugar, mas também menciona a “falta de transportes públicos e de mobilidade” que atinge a maioria da população que é mais envelhecida. Uma fonte do INFARMED adiantou ao Jornal Concelho de Palmela que caso a Farmácia encerre naquela localidade, a autoridade dos medicamentos não irá certamente emitir um novo alvará de funcionamento para outro equipamento a ser instalado na região. Um equipamento de serviço ao público que serve cerca de 1 400 habitantes, segundo os estudos dos Censos 2011. Tentamos obter uma declaração por parte dos responsáveis da Farmácia de Lagameças mas sem êxito.

Junta de Freguesia apresenta site renovado e com nova dinâmica SITE ● Novo site da Junta de Freguesia de Palmela vai destacar também as adegas locais, e o seu valor para a economia PROXIMIDADE ● Jorge Mares destacou a interacção que pretende que este site vá criar entre o executivo e a população.

O

presidente da Junta de Freguesia de Palmela, Jorge Mares, apresentou na passada sexta-feira, o novo site desta entidade. Depois de agradecer à equipa que desenvolveu o layout do site “no que foi um excelente trabalho”, o edil destacou alguns dos aspectos “desta nova ferramenta que vai permitir uma maior interacção entre o executivo e a população, e que apresenta uma leitura também mais agradável. É um site fresco e dinâmico que pretendemos sirva tanto para divulgar o que a freguesia tem de melhor, como também para atrair mais gente e potenciar as energias das nossas gentes e da comunidade.” Segundo Jorge Mares, “o potencial que esta

8 | Jornal Concelho de Palmela . 3 de julho 2018

freguesia tem e que precisa de ser explorado de uma forma mais dinâmica, terá aqui um excelente guia. Consideramos que esta é uma boa representação da comunidade palmelense e que marca a diferença que também queremos fazer enquanto novo executivo, que tomou posse em Outubro.” O site, que já está em funcionamento, vai também contemplar um dos principais negócios da freguesia, “com um espaço definido para as nossas adegas, promovendo assim o desenvolvimento sociocultural e económico do concelho. Pretendemos também que seja uma ferramenta para nos ajudar, enquanto executivo, a valorizar a terra em todas as suas vertentes e a cumprir melhor as nossas obrigações.”


PUB

Onde nos pode encontrar às terças-feiras Freguesia de Pinhal Novo

Freguesia de Palmela

Freguesia de Sarilhos Grandes

Papelaria Pinha Verde Mercado Municipal Biblioteca Municipal Papelaria Nova Junta de Freguesia Clube Desportivo Pinhalnovense (Bar) Centro de Saúde – Zeca Afonso Papelaria Servialcaide Piscinas Municipais Associação de Reformados e Pensionistas Centro Comercial Dovari (Espaço Ferro) Posto de Abastecimento Repsol Olhos de Água Café Cancela (Vale da Vila) Posto de Abastecimento da Repsol (Lagoa da Palha) Grupo Desportivo de Valdera Papelaria Servialcaide (Palhota) Posto de Abastecimento Cepsa – Palhota Drogaria do Pinho

Estação Rodoviária TST Restaurante Seca Adegas Café Âncora (Algeruz) Posto de Abastecimento Repsol – Aires Sul Posto de Abastecimento Repsol – Aires Norte Grupo Desportivo Airense Papelaria do Intermarché Posto Médico Sociedade Filarmónica “Os Loureiros” Casa Mãe Rota de Vinhos da Península de Setúbal Cine-Teatro São João Posto de Abastecimentos dos Bombeiros Voluntários D. Xicara Café Papelaria A Turma Posto de Abastecimento BP – Lagoinha Quinta do Piloto Junta de Freguesia Mercado Municipal Drogaria Amilcar Biblioteca Municipal Departamento de Urbanismo Papelaria Camolas Retiro Azul Café

Papelaria Bomba – Lançada Junta de Freguesia Farmácia de Sarilhos Grandes

Freguesia de Marateca

Freguesia de Setúbal

Associação Cultural de Fernando Pó Supermercado Baêta Sede do Bairro Margaça Papelaria de Águas de Moura Supermercado Amanhecer Ourivesaria Santos Posto de Abastecimento Cepsa – Norte Posto de Abastecimento Cepsa – Sul Supercentro GI Posto de Abastecimento de Cajados AgroCajados

Freguesia de Azeitão

Freguesia de Quinta do Anjo Associação de Moradores da Quinta do Anjo Comunidade dos Olhos de Água Associação do Bairro Alentejano Associação de Moradores das Marquesas Posto de Abastecimento Cepsa (Vila Amélia) Posto de Abastecimento GALP (Estrada dos 4 Castelos) Papelaria de Cabanas Grupo Desportivo Cabanense O Forno Posto de Abastecimento da GALP em Cabanas Associação de Reformados de Cabanas Papelaria T-Qual (Portais da Arrábida) Churrasqueira da Quinta do Anjo (Frente ao CRJ) Café Serra Papelaria de Quinta do Anjo (Frente à Junta de Freguesia) Junta de Freguesia Sociedade S.I.M Restaurante Flavors (Espaço Fortuna)

Freguesia de Poceirão Associação Cultural da Lagoa do Calvo Centro Cultural do Poceirão Pronto a Comer Tachos & Panelas Papelaria do Poceirão Posto de Abastecimento Esperança Armazém do Ratão Armazém da Biona Grupo Desportivo Águias da Aroeira Restaurante Montealegre

Freguesia de Canha Bombeiros Voluntários (Café) Café Castelo Café Patarra Junta de Freguesia

Freguesia de Pegões Restaurante “ O Carlos” Junta de Freguesia Posto de Abastecimento Repsol – Faias Posto de Abastecimento Cepsa – Pegões

CONCELHO DE SETÚBAL Papelaria Praça do Brasil Junta de Freguesia Casa Baía Quiosque do Esperança Papelaria Avenida 5 de Outubro Biblioteca Municipal Casa da Cultura Papelaria Mil Folhas – Aranguês

Papelaria do Intermarché

CONCELHO DO MONTIJO Freguesia do Montijo Papelaria da Avenida Nova Papelaria da Praça da República Galeria Municipal Posto de Turismo Junta de Freguesia Estação Rodoviária dos TST Loja Florineve na Estação Fluvial da Transtejo


SETÚBAL AQUI TÃO PERTO HERMAN JOSÉ COMO CABEÇA DE CARTAZ

DR

Diário Imagem

SETÚBAL

Feira de Sant’iago é a soma de muitas coisas

RTP vai estar em Azeitão com o programa “Aqui em Portugal”

CERTAME ● A apresentação da Feira de Sant’iago decorreu no reabilitado Forte

ARRÁBIDA ● As Festas da Arrábida e Azeitão começam na próxima quinta-feira, dia 5 e irão decorrer até domingo, 8 de Julho, com um cartaz que terá como principal figura Herman José

de S. Filipe, com a presidente da Câmara de Setúbal a destacar que “a nossa feira é a soma de muitas coisas”, e é “uma das maiores festas populares a sul do país”, que recebe “mais de 400 mil visitantes por edição”

ELSA PERES

A

elsa.peres@jornalconcelhodepalmela.pt

Feira de Sant’Iago foi apresentada em clima de festa, com algumas novidades, como a entrada de animais de companhia, uma roda-gigante com vista para a cidade e um serviço de aluguer de transportes elétricos individuais para deslocações no recinto. Maria das Dores Meira, presidente sadina, lembrou que a feira “é a soma de muitas coisas” e irá receber “mais de 400 mil visitantes”. A edição deste ano conta com quatro dezenas de atividades diferentes, com o público infantil a ter iniciativas de referência, como um circuito de arborismo e uma quinta pedagógica. Este ano a Feira irá ter como mascote o Zé dos Gatos, figura muita conhecida em Setúbal, que ao longo da vida foi conhecido pelo carinho que dedicava aos felinos, chegando a ter mais de duas centenas. A Feira de Sant’iago, com o tema dedicado aos vinhos da Península de Setúbal, começa dia 21 de Julho, às 20h30, e prolonga-se até dia 5 de Agosto. O Palco Setúbal irá receber artistas nacionais (ver caixa), enquanto a Praça do Mundo será ocupada com tasquinhas gastronómicas, dinamizadas pelo movimento associativo de Setúbal, e o Palco Mundo terá diversos espectáculos com artistas locais.

No palco Setúbal irão realizar-se os seguintes espetáculos: Julho Dia 21 - Grande Filarmónica de Setúbal Dia 22 – Matias Damásio Dia 23 - Bonga Dia 24 – Ricardo Ribeiro Dia 25 – Richie Campbel Dia 26 – Mão Morta Dia 27 – Marta Ren Dia 28 – Aldo Lima Dia 29 - TÁXI Dia 30 - Emanuel Dia 31 – Gisela João Agosto Dia 01 - D.A.M.A Dia 02 – Fernando Daniel Dia 03 - FONZIE Dia 04 - VALAS Dia 05 - THE GIFT

10 | Jornal Concelho de Palmela . 3 de julho 2018

D

o programa destaca-se a presença da RTP com a programa “Aqui Portugal”, a ser transmitido no sábado, dia 7, às 14h00 e a partida do Círio da Nossa Senhora da Arrábida as 17h30. O evento começa com a atuação do Rancho Folclórico das Praias do Sado, na quinta-feira, às 21h00, seguindo-se nessa noite a participação da Orquestra Típica e Cantares de Azeitão, com Herman José a atuar às 23h00. Esta primeira noite do evento termina em ritmo de baile. A noite de sexta-feira começa com Danças de Salão do Centro Cultural de Brejos de Azeitão,

às 20h00, seguindo-se a atuação do “Solidó Big Band”, Tributo aos ABBA e acaba com baile. A RTP estará em Azeitão no sábado, a partir das 14h00, a missa antecede a partida do Círio de Nossa Senhora da Arrábida, às 17h30. A noite de sábado será de marchas populares com a atuação da Perpétua Azeitonense (infantil e adulta) e do Independente. No domingo, o último dia dos festejos, o destaque vai para a chegada do Círio, às 19h00, com a noite a ser dedicada à atuação da Banda “Big Up”.


MONTIJO MESMO AQUI AO LADO OPINIÃO

UMA REFERÊNCIA NA ÁREA METROPOLITANA DE LISBOA

Os (não) descartáveis Convivemos diariamente com eles, mas, apesar dessa aparente proximidade que resulta da mediatização crescentemente mitigada da tragédia, não lhes conhecemos o passado e o futuro. Aliás, o tempo presente que habitam não lhes permite a recordação e a ambição. Este tempo presente ter-lhes-á removido a capacidade de sonhar. São pessoas sem rosto. Ou, melhor, tendo rosto, os seus contornos são difusos, porquanto se repetem e se multiplicam na lamentável odisseia do êxodo e do desesperante, agonizante e fatal fado das travessias do Mediterrâneo e do Saara de Povos que, confrontados com a guerra e consequente desestruturação social e económica que os interesses geoestratégicos dos poderosos geraram, deambulam por entre os escombros de urbes devastadas e da degradação da condição humana e direcionam a sua existência para a submissão a redes de exploração que convivem e prosperam associadas ao desespero. No entanto, se reprimirmos esse estado psicológico da resignação e conformação perante uma realidade tristemente reiterada que se encontra na génese da indiferença, descortinamos-lhes a essência humana e sobressaltamo-nos na comodidade que nos turva o discernimento e nos tolhe os comportamentos. O ideário político dominante – com derivações doutrinárias contemporâneas resultantes do incremento dos nacionalismos e da xenofobia, em detrimento de valores civilizacionais que deveriam ser os pilares estruturantes da sociedade – baptizou-os eufemisticamente por migrantes e, no desconforto que as hordas do desespero provocava e num contexto de fragmentação de uma União de valores supostamente comuns, manteve a sua passividade condenatória, convertendo pessoas em realidades orgânicas descartáveis, assistindo a actos de genocídio revestidos de impunidade e, inclusivamente, promovendo a humilhação da rejeição do amparo aos indesejados. Dúvidas não subsistem que a superação e a resolução desta inconcebível tragédia humana encontram-se intimamente relacionadas com a conjugação de factores que, proporcionando a reconstrução das condições políticas, económicas e sociais, permitam o regresso destas pessoas aos estados de que são naturais e originárias, não sendo, contudo e lamentavelmente, expectável que essa realidade se apresente célere e risonha no horizonte do futuro próximo, constituindo-se, assim, como um verdadeiro imperativo ético que nos indignemos e que não nos resignemos perante esta realidade. Os rostos são, afinal, semelhantes aos nossos. São rostos de homens. São rostos de mulheres. São rostos de crianças. E estas últimas, apesar do sofrimento e da provação e da supressão da infância que lhes impuseram, mantêm um brilho vívido na impressiva expressão do olhar pueril, porquanto mantiveram intacta essa capacidade inata de sonhar. Não são descartáveis. Luís Miguel Franco Ex-presidente da Câmara de Alcochete

Festas do Montijo foram uma verdadeira loucura FESTIVIDADES ● As Festas de S. Pedro do Montijo terminaram esta madrugada ao ritmo da loucura SUCESSO ●

O presidente Nuno Canta deu o mote para o sucesso das festas, com que “celebramos sobretudo a fraternidade que existe em todos nós”, nestas “duas margens de um rio unido por séculos de história”, que marca “a ponte da identidade e a ponte do futuro para muitas gerações” ELSA PERES

E

elsa.peres@jornalconcelhodepalmela.pt

stas festas são diferentes porque marcam a enorme envolvência das autarquias, do movimento associativo e da população, que fazem do evento uma verdadeira loucura. A cidade do Montijo durante seis dias reviveu tradições marcadas pelos pátios enfeitados com milhares de flores de papel, onde as bandas e as charangas se ouviam pela noite dentro. Festas diferentes que juntam a componente religiosa à vertente da festa brava, onde os pescadores continuam a ser uma enorme referência aliada à modernidade, onde o aeroporto já faz parte de uma realidade a curto prazo. Mas a crença no santo padroeiro continua bem viva, quer através das procissões, que na arrematação das bandeiras, que envolvem a alegria de um povo, que salta e grita ao ritmo da charanga. Se este foi um dos momentos altos dos festejos, que dizer do tradicional almoço de caldeirada dos pescadores, nas instalações da SCUPA. O presidente da coletividade, Paulo Coelho, visivelmente emocionado, lançou um apelo às entidades, para “apoiarem a SCUPA que passa por momentos difíceis”, acreditando que “por muita turbulência que o mar tenha, chegaremos sãos e salvos”. O dirigente associativo lembrou José Aranha e João Feijão que “proporcionaram a caldeirada ao longo de muitos anos”, e que “nos fazem sentir muita emoção”. Nas paredes as quadras lembram: “Montijo cidade princesa De gente honesta e de valor Hoje tens mais beleza Com a Festa do Pescador” . Mas se os tempos são difíceis, as quadras são um incentivo, nas rimas que envolvem: “A crise é grande, é verdade Hão-de vir tempos melhores Vamos alegrar a cidade E honrar os pescadores” O presidente Nuno Canta fez questão de evocar “os pescadores desta terra, que ao longo dos séculos trabalharam para ganhar a vida contribuindo para o crescimento do Montijo”. O edil destacou que com as festas “celebramos sobretudo a fraternidade que existe em todos nós” com “as duas margens de um rio unidas por séculos de história” e a “ponte da identidade e do futuro para muitas gerações de montijenses”. E na parede a quadra parecia ouvi-lo: “É tempo de dificuldade Para nós é segredo Mas há festa na cidade Para honrar o S. Pedro”. O objetivo era atingir-se os 300 mil visitantes e nem a chuva afastou essa meta. Porque o Montijo é diferente e as festas são uma verdadeira loucura.

3 de julho 2018 . Jornal Concelho de Palmela | 11


ALERTA SOS MARATECA

PINHAL NOVO

Despiste de pesado faz um ferido

Incêndio rural aciona bombeiros locais

ACIDENTE ● Em menos de uma semana a mesma via rodoviária regista dois acidentes, desta vez um despiste de um pesado de mercadorias VÍTIMA ● As autoridades registaram um ferido, o motorista do pesado

A

O IC1 é uma das vias que têm registado alguma perigosidade na circulação rodoviária, e nas últimas semanas o aumento de acidentes ao longo daquela via que liga a Marateca a Alcácer do Sal têm preocupado as autoridades e a Infraestruturas de Portugal. No passado dia 30 de junho, os bombeiros de Águas de Moura deram conta de mais um acidente, desta vez junto ao cruzamento de Marateca, onde um pesado de mercadoria se despistou fazendo um ferido, o condutor.

A vítima foi assistida no local pelos operacionais destacados para o acidente, sendo posteriormente transportado para o Hospital de Setúbal. As causas do acidente estão a ser investigadas pela Núcleo de Investigação de acidentes da GNR, mas segundo fonte daquela força de segurança, a chuva que se fazia sentir na altura poderá ser uma das causas do despiste.

FOGOS ● Arrancou este domingo o Período Crítico de Incêndios Florestais que se prolonga até ao próximo dia 30 de setembro, onde é proibido fazer queimadas ou fogueiras INCÊNDIO ● Os Bombeiros de Pinhal Novo ocorreram a um incêndio no Terrim nesse primeiro dia de PCIF

A

Foi durante a tarde do passado domingo que os operacionais dos Bombeiros de Pinhal Novo foram acionados para um incêndio rural na zona do Terrim, em Pinhal Novo.

A rápida intervenção dos bombeiros fez com que as chamas não se propagassem aos terrenos vizinhos onde se iniciou o incêndio. Para o local foram acionados nove operacionais e três viaturas.

Nas bancas todas as terças-feiras gratuitamente.

12 | Jornal Concelho de Palmela . 3 de julho 2018


CULTURA MECENAS A TRABALHAR EM PROL DA CULTURA DE PALMELA

Cultura local recebe cerca de 5 mil euros em apoios de empresas APOIOS ● A Câmara Municipal de Palmela

desenvolveu um programa piloto denominado “Mecenas de Palmela” e que tem dado frutos ao Município e aos agentes culturais locais CULTURA ● Empresas do concelho de Palmela têm contribuído para a cultura local como é o caso da iniciativa Palmela Wine Jazz

A

Câmara Municipal tem cada vez mais desenvolvido junto dos agentes económicos do concelho o apelo à lógica da responsabilidade social, com o programa que criou “Mecenas de Palmela”. Através deste a autarquia tem apresentado vários eventos e iniciativas de cariz cultural a empresas locais onde explica a cada um desses agentes quais a importância que as iniciativas tem na comunidade local. O Jornal Concelho de Palmela sabe de que amanhã será apresentada uma proposta na reunião pública de <<Aceitação de doações>> por parte de quatro empresas, apoios esses que ascendem aos 5 mil euros e que se destinam à realização de espetáculos do Palmela Wine Jazz que decorre anualmente no Castelo de Palmela.

PUB


DESPORTO 2ª EDIÇÃO DECORRE DIA 7 DE JULHO

DESPORTO

Inscrições do Pinhal Novo Night Run terminam hoje

Equipa do Pinhalnovense conquista Troféu Fair Play

CORRIDA ● Depois de Palmela receber a iniciativa agora é a vez da vila de Pinhal Novo encher-se de cor e alegria associando o desporto a esses dois factores

DISTINÇÃO ● A Associação de Futebol de Setúbal distinguiu a equipa de futebol de Benjamins AA do Clube Desportivo Pinhalnovense com o prestigiado Troféu de Fair Play do Campeonato Distrital de Benjamins 2ºAno Sub.11

A

O

2.ª edição da Pinhal Novo Night Run irá decorrer no dia 7 de Julho, às 21h30, em Pinhal Novo. Os interessados em participar podem inscrever-se até hoje, dia 3 de Julho, através do site http://xistarca.pt/eventos/pinhal-novo-night-run-2018. Os atletas ao inscreverem-se terão direito ao kit participante, que inclui uma t-shirt técnica, saco/mochila, dorsal, chip (10 km) e medalha finisher. A Pinhal Novo Night Run terá partida e chegada, junto à Escola Básica Alberto Valente, na Urbanização Val´Flores e integra uma corrida com 8 quilómetros e uma caminhada de 4 quilómetros. A prova é organizada em parceria pela Câmara de Palmela, pela empresa municipal Palmela Desporto, pela Junta de Freguesia de Pinhal Novo e pela Associação Académica Pinhalnovense.

O embaixador da edição deste ano é o atleta Nelson Cruz, que foi campeão de corta mato, no ano 2016 e os padrinhos serão três atletas do concelho. António Branco, natural do Pinhal Novo, com vários títulos como Campeão Nacional Sub-23 3.000 metros Obstáculos e Campeão Nacional Escalão de Veteranos 50 nos 3.000 metros Obstáculos. Outro dos padrinhos será Paulo Gomes, também do Pinhal Novo, obteve os títulos de Campeão Nacional de 5.000 metros, no Escalão de Veteranos M35, e Campeão Regional de 5.000 e 10.000 metros, no Escalão de Seniores. Rui Baltazar, residente em Aires, será o terceiro padrinho e já conquistou os títulos de Campeão Nacional de Masters de 1.500 metros e 3.000 metros (Finais 3 Escalão de Veteranos 50) e o de Vice-Campeão Nacional nos 3.000 metros, na Classe V50. Para além das medalhas serão atribuídos troféus aos três primeiros classificados em masculinos e femininos de cada escalão.

s Benjamins AA do Pinhalnovense foram distinguidos com o prestigiado Troféu de Fair Play pela Associação de Futebol de Setúbal.

A equipa de Benjamins AA é ainda constituída pelos atletas Guilherme Santos e Rafael Salgueiro, treinador adjunto, Filipe Pinto e diretor auxiliar, Ivan Guimarães.

Os jogadores que constituem a equipa são: Gonçalo Pinto; Gonçalo Fernandes; Diogo Vitória; Rodrigo Gonçalves; Rafael Lemos; Diogo Piçarra; Tomás Guerreiro; João Pato e Manuel Coutinho (em cima da esquerda para a direita).

O presidente do Pinhalnovense, António Sousa, considera que o Troféu de Fair Play foi “fruto de trabalho e dedicação”, que “tem sido uma das ferramentas pela qual as coordenações do Pinhalnovense tem vindo a desenvolver”. O dirigente pinhalnovense destaca “o programa dinamizador que transformou a noção genérica do fair play em um código de conduta simples e fácil de entender e que deve, obrigatoriamente, ser conhecido e respeitado pelos atletas”. António Sousa frisa a importância do fair play “como elemento essencial do futebol, que representa os benefícios de cumprir as regras, ter bom senso e respeitar jogadores, árbitros e adversários”.

David Marques; André Pinto; Miguel Guimarães; Afonso André; Diogo Dias e Vasco Gonçalves (em baixo da esquerda para a direita). Treinador/Coordenador de futebol Escolas: Valter Romão e Diretor: Vítor Gouveia.

DESPORTO

Palmelense mantém Jaime Margarido APOSTA ● Palmelense reforça equipa sénior e renova com caras conhecidas dos adeptos TREINADOR ● Mantém-se Jaime Margarido aos comandos dos vermelhos e brancos

14 | Jornal Concelho de Palmela . 3 de julho 2018

O

treinador Jaime Margarido continua a ser a aposta na equipa do Palmelense, que irá começar a preparar a próxima época a 13 de Agosto. O Palmelense renovou com os defesas Correia e Rui Carreira, e conta com cinco reforços. O japonês Okamura, um médio que quer brilhar na equipa de Palmela, é um dos reforços, a que se juntam o defesa Fábio Delgado, ex-Barreirense, os avançados André Semedo, ex-FC Setúbal e Lagarto, ex-Águas de Moura. João Bombaça, ex-júnior do Olímpico do Montijo, passa também a integrar o plantel do Palmelense.


CLASSIFICADOS ESTE ESPAÇO PODE SER SEU

ESTE ESPAÇO PODE SER SEU

Na hora de decidir onde colocar aquele classificado, não hesite em contactar o seu Jornal Concelho de Palmela

Na hora de decidir onde colocar aquele classificado, não hesite em contactar o seu Jornal Concelho de Palmela

- Aceitamos anúncios de Necrologia;

- Aceitamos anúncios de Necrologia;

- Aceitamos anúncios de publicação de editais;

- Aceitamos anúncios de publicação de editais;

- Aceitamos anúncios de publicação de convocatórias;

- Aceitamos anúncios de publicação de convocatórias;

- Aceitamos anúncios de escrituras

- Aceitamos anúncios de escrituras

RECRUTA-SE

COMPRA-SE

COMPRA-SE

Comerciais para venda de publicidade no Jornal Concelho de Palmela

Máquina usada de cortar relva a preço acessível.

Portátil em boas condições.

Resposta a este jornal através do mail:

Resposta a este jornal através do mail:

Resposta a este jornal através do mail:

recrutamento@jornalconcelhodepalmela.pt

geral@jornalconcelhodepalmela.pt

geral@jornalconcelhodepalmela.pt

3 de julho 2018 . Jornal Concelho de Palmela | 15


PUB

Jornal Concelho de Palmela | Edição 2  

Edição do Jornal Concelho de Palmela de 03 de julho de 2018 | informacao@jornalconcelhodepalmela.pt - E-mail para envio de informação, marca...

Jornal Concelho de Palmela | Edição 2  

Edição do Jornal Concelho de Palmela de 03 de julho de 2018 | informacao@jornalconcelhodepalmela.pt - E-mail para envio de informação, marca...

Advertisement