Page 1

Ano I . Edição nº 3 . Distribuição gratuita . Diretor: Donatilia Braço Forte

www.diariododistrito.pt 10.07.2018 Terça-feira

DESTAQUE

Fim de Semana negro nas estradas da região As autoridades registaram vários acidentes durante o último fim de semana, totalizando três mortos nas estradas que cruzam o concelho de Palmela e a Península de Setúbal (P.12)

@jornaldiariododistrito

ESTA SEMANA

Carlos de Sousa tenta reerguer Centro Social de Palmela São já várias as reuniões de negociação que o novo presidente da IPSS de Palmela tem estado a realizar com a Segurança Social, e vislumbra-se uma luz ao fundo do túnel (P.3)

MONTIJO

Bombeiros do Montijo recebem nova viatura A prenda veio da Câmara Municipal do Montijo e foi entregue à corporação daquela cidade em dia de celebração de S. Pedro (P.11)

DESPORTO

CONCELHO DE PALMELA

SETÚBAL

Quintajense comemora aniversário na companhia dos sócios. Várias palavras de apoio foram deixadas na cerimónia dos 78 anos de existência do clube de Quinta do Anjo, com casa cheia de sócios que não perderam 'pitada' daquela que foi uma cerimónia que ficará na memória de quem lá esteve (P.14)

Festas das Vindimas já mexem. Cabeças de cartaz da 56ª edição das Festas das Vindimas já são conhecidas, uma das artistas já está a fazer ‘furor’ nas redes sociais (P.8)

Pescadores prestam homenagem a Nossa Senhora da Arrábida. Arrancam hoje as Festas do Novo Círio de Nossa Senhora da Arrábida com a comunidade piscatória de Setúbal a homenagear a sua padroeira (P.10)


A SEMANA COMEÇA AQUI Editorial

Crónicas da Nicha

Donatilia Braço Forte Diretor do Jornal Concelho de Palmela

Fátima Brinca Munícipe do Concelho de Palmela

A alcunhas do quotidiano!

O jipe desportista

Hoje partilho com os leitores do Jornal Concelho de Palmela alguns momentos da minha vida profissional que se iniciou a 28 de novembro de 2006, quando um projeto já extinto de seu nome “Jornal Zona Rural” surgia no canal de distribuição de media no distrito de Setúbal e com uma forte incidência neste concelho. Quando apresentámos o projeto no Aparthotel Amazónia, muitos foram aqueles que aceitaram o convite da direção que não era da minha responsabilidade.

A vida deixou-me sempre boas recordações dos carros que tive. O primeiro carro que comprei foi conseguido com as rectificações da portaria, que me trouxe uns dinheiritos quando trabalhava na Movauto. Quando o comprei ainda não tinha carta de condução. Um dia perdi o comboio e atrevi-me a levar o carrito, conduzindo com todo o cuidado. De repente, ali na zona da Volta da Pedra, vejo um jipe da GNR parado, enquanto um dos agentes fez-me sinal de paragem. Sem ter muita consciência do que fazia acenei-lhe com a mão em sinal de cumprimento e segui em frente.

No entanto, lembro-me como se fosse hoje, numa primeira impressão quase 90% das opiniões foram iguais às opiniões que recebemos no passado dia 19 de junho: que nós nunca “vingaríamos” neste mercado, e até a estrutura de paginação que na altura era realizada por um jovem recém-licenciado foi menosprezada, tal como aconteceu com o nosso número 0. Mas o patinho feio foi dando frutos e fez tremer a nossa dita concorrência, tal como hoje também faz tremer a nossa “concorrência”. Mas aqui tenho de dizer e ser sincera, o JCP não tem concorrência, somos um grupo livre e isento, sem partidos políticos, sem futebolismo e sem religião, somos um grupo de “carolas” que pega em projetos e os faz viver, pois acreditamos num mundo melhor e que em conjunto vamos conseguir vencer. Vencer à nossa conta, porque o nosso trabalho do dia-a-dia é quem nos alimenta, a nossa forma de estar é trabalharmos e ajudarmos quem precisa, não conseguimos virar as costas a ninguém, porque hoje pelos outros, amanhã por nós, sempre aprendi isso e o nosso maior prémio é ver, semana após semana, que o trabalho de uma equipa é valorizado pelas palavras de quem nos procura, de quem nos lê, é esse o nosso grande objetivo de vida.

Mas o episódio que recordo com mais saudade teve como protagonista o meu jipe vermelho. Quando ia para Setúbal passava sempre pela Estrada da Cobra para dar comer a alguns cães abandonados. Eu assobiava e lá vinham eles, quatro ou cinco, para comerem. Uma manhã não sei o que se passou, mas devo ter travado mal o jipe, que foi pela encosta abaixo, como se fosse conduzido pelo diabo. Sempre direitinho, desviou-se do poste da luz e só parou lá ao fundo onde corria um ribeiro, como que cansado, deitou-se pacatamente. Aflita telefonei para os bombeiros de Palmela e o meu amigo Manel lá veio com um reboque e uma grua. O pessoal acabou por juntar-se comentando a triste sorte do condutor, que devia estar morto, no interior do jipe. Os cães deixaram a comida e corriam pela encosta abaixo, regressando a ladrar desesperadamente. Os cães, ao contrário de muitas pessoas, manifestavam a sua solidariedade canina. O desastre acabou por atrair muitos populares, mas do João, que conheceu o jipe, veio o comentário mais engraçado “olha afinal estás viva.Só tu Brinca para nos pregares uma partida destas”.

Em 2011 outro jornal do grupo PRESSWORLD iniciou, também ele uma escalada da nova era digital, construído de uma forma simples mas que hoje em dia é uma referência no mercado dos media digitais regionais, e até serve como fonte de notícias para muitos meios de comunicação nacionais.

Várias horas depois, os bombeiros conseguiram retirar a viatura, que apenas sofrera mossas no lado em que tombara. Ainda hoje muitos amigos de Palmela me recordam o episódio “lembraste quando deixaste ir o jipe pela ribanceira abaixo e nós a pensarmos que tinhas morrido…”.

O nosso objetivo com o JCP, é fazer mais e melhor, porque aqui a noticia é feita para si e por si.

Eu responde-lhes o que na altura cometei “o jipe era um amante de desportos radicais!”

Podemos até ser os “Técnicos de Qualquer Coisa”, os “Pseudo-Jornalistas”, os “Carolas” e demais alcunhas que alguns por aí já nos colocaram, mas de uma coisa temos orgulho: somos uma equipa de pessoas humildes, esforçadas e que estão sempre de mangas arregaçadas para levar este e outros projetos mais longe e sempre a pensar em vós que estão desse lado a ler as noticias que editamos todas as terças-feiras. Boa semana para todos vós!

RECORDAR PARA VIVER

Ficha Técnica Diretor: Donatilia Braço Forte Redação: Carmo Torres | Miguel Garcia | Isabel de Almeida | Pedro Carvalho | Júlio Duarte | João Aguiar Cadete | Elsa Peres Colaboradores: Professor Augusto Vinagre | Joaquim Gouveia | Luís Miguel Franco Direção de arte & design: Diário Design | Tiago Brás Serviços Administrativos: Paulo Martins Distribuição: DD DistNews Propriedade: PRESSWORLD MEIOS DE COMUNICAÇÃO & INFORMAÇÃO . NIPC 514 965 754 Redação: Rua do Anselmo Caixa Postal 6410, Vale da Vila, 2955-000 Pinhal Novo Email redação: informacao@jornalconcelhodepalmela.pt Email publicidade: comercial@jornalconcelhodepalmela.pt Email geral: geral@jornaconcelhodepalmela.pt Impressão: Gráfica Diário do Minho | Rua de S. Brás, n.º 1 – Gualtar | 4710-073 Braga Tiragem: 10 000 (média semanal) Registo ERC: 127135 Depósito Legal: 442609/18

2 | Jornal Concelho de Palmela . 10 de julho 2018

Rio Frio: da crista da onda ao abandono A preservação da zona de montado, a recuperação do núcleo habitacional, a construção de aldeamentos turísticos, a implantação de um hotel, um polo equestre e a plantação de uma área de vinha superior a 110 hectares eram as vertentes contempladas no Programa de Ação Territorial para Rio Frio. Hoje agrava-se a degradação do património e as ervas daninhas crescem no polo equestre, que queria ser referência na Área Metropolitana de Lisboa.


DOÇARIA

CARLOS DE SOUSA O OTIMISTA

Nuno Gil fabrica doçaria com história e arte

Centro Social de Palmela começa a ressurgir das cinzas

TALENTO ● Se Quim Barreiros é o “mestre da culinária”, Nuno Gil é o rei da doçaria CRIATIVIDADE ● O presidente da Confraria Gastronómica de Palmela aposta na

CENÁRIOS ● Carlos de Sousa assumiu a presidência do Centro Social de Palmela

vertente da doçaria para criar arte na sua Confeitaria S. Julião. A criatividade aliada à história faz nascer verdadeiras relíquias, que começaram com o Pastel de Santiago até ao mais recente Pastel da Marateca

(CSP) há dois meses onde continua a lutar pelo equilíbrio financeiro da instituição. A esperança tem dominado as negociações com a Segurança Social para a obtenção do Fundo de Socorro Social

ELSA PIRES

O

elsa.peres@jornalconcelhodepalmela.pt

presidente do CSP assumiu as funções há dois meses e Carlos de Sousa garante “a nossa principal preocupação tem sido o equilíbrio financeiro”. O dirigente da instituição revelou “temos feito reuniões com a Segurança Social, que têm corrido muito bem” e “estamos a aguardar pelo Fundo de Socorro Social, que servirá para pagar as dívidas”.

ELSA PIRES

N

elsa.peres@jornalconcelhodepalmela.pt

uno Gil, presidente da Confraria Gastronómica de Palmela e fundador da Confeitaria S. Julião, aposta na doçaria como principal referência da sua arte com história. Mas o rei da doçaria não se limita a fazer as suas obras de arte, procede à recolha de receitas antigas para lhes dar a criatividade que merecem, aceitando os diversos desafios que lhe fazem.

gila. A Câmara de Setúbal lançou-lhe o desafio para criar em 2011 o Pastel D. Filipe, que é acondicionado numa atrativa imagem a imitar uma lata de conserva.

Com a simplicidade que lhe reconhece Nuno Gil garante “tento fazer o melhor que sei e que gosto tendo sempre em linha de conta as origens e os desafios” e garante “no pastel da Marateca, a última criação que lancei, fui às origens da zona, muitas ligadas ao montado de sobro, e apostei na farinha de bolota na sua confeção”. Uma das criações de maior sucesso é o Pastel de Moscatel, que “foi concebido com uma bebida de referência de Palmela e da região a que juntei amêndoa”. O Pastel de Santiago inclui amêndoa e

A autarquia sadina fez-lhe novo desafio e Nuno Gil prepara-se para lançar o Pastel de Choco, que “envolve um grande trabalho e será feito à base de batata doce e ferrado de choco”, explica Nuno Gil, que adianta “vou criar também o Pastel de Maça Riscadinha”.

O Pastel Caramelo é feito à base de feijão, revela, pois “fui buscar as origens da sopa caramela” e acrescenta em 2016 “lancei os bombons de moscatel e vou continuar a trabalhar com o chocolate”.

Carlos de Sousa adiantou também “estamos a renegociar com os bancos, nomeadamente com a Caixa Geral de Depósitos, para nos darem condições mais vantajosas e mais corretas em relação aos empréstimos com um aumento de meses para pagar o valor em dívida”.

O presidente da instituição destaca a envolvência dos pais que “estão a fazer um enorme esforço” e dá como exemplo a “festa de final do ano letivo onde conseguimos angariar mil euros”. A próxima etapa definida pelo CSP “é avançar com o recurso aos mecenas e depois das férias vamos promover espetáculos e jantares solidários”. Outra das apostas será a realização de obras para remodelar o espaço “A Árvore”, que “foi alvo de uma candidatura ao Portugal 2020, que envolve um montante de 329 mil euros com 50% de fundos europeus e a câmara já ajudou em 25%. O restante valor será da responsabilidade do Centro e já estamos a negociar um empréstimo com uma instituição bancária”. A instituição contempla 300 crianças e está a ressurgir das cinzas.

PUB

A fogaça de Palmela é também uma das criações de Nuno Gil, que “resulta numa receita antiga” e revela o sonho de “registar a fogaça de Palmela, que será uma luta de que não vou desistir”.

Nas bancas todas as terças-feiras gratuitamente. 10 de julho 2018 . Jornal Concelho de Palmela | 3


SOCIEDADE HOMENAGEM

PALMELA

SIVIPA ganha concurso internacional do Vinho da Casa do Ano

Festa das Vindimas começa a mexer

VINHOS ● A emblemática adega conquistou o prémio internacional do Vinho da Casa do Ano com o vinho Terras do Sado REGIÃO ● O enólogo Filipe Cardoso destaca “Palmela é um berço de ouro para o vinho” e com o reconhecimento do Terras do Sado “cada vinho demonstra-o com toda a elegância”, sublinha

As inscrições de candidatas a Rainha das Vindimas termina no próximo dia 15 de Julho. A Associação das Vindimas lança o desafio: “Se és natural ou residente no concelho de Palmela, gostas de Palmela e das suas Festas das Vindimas, tens conhecimentos gerais sobre a região e a sua cultura, do que estás espera?”

ELSA PERES

Inscreve-te já!

A

elsa.peres@jornalconcelhodepalmela.pt

SIVIPA nasceu em 1964, mas seria na década de 90, com a junção da família Cardoso, que começa em grande crescimento, sendo atualmente uma empresa de referência na Península de Setúbal. JCP - A SIVIPA atravessa um dos seus melhores momentos com a conquista de prémios em certames internacionais de referência. Quais os prémios de maior destaque que já receberam? Filipe Cardoso - Todos os prémios merecem destaque, mas de todos saliento o Trophy para melhor House Wine of the Year – Vinho da Casa do Ano - que acabamos de receber no concurso Sommellier Wine Awards. Trata-se de um prémio de grande importância, de 3000 vinhos só seis foram escolhidos, ainda por cima no vinho Terras do Sado, que é um vinho de entrada de gama, provando que é possível comprar um grande vinho por um preço acessível a todos os bolsos. JCP - A CVRPS iniciou este ano a deslocalização da entrega de prémios. Acha que essa iniciativa deve continuar a ser realizada em outros locais? FC - A ideia foi boa, pois temos que divulgar os nossos vinhos fora da região, mas penso que o impacto que teve o concurso este ano não foi o que poderia ter sido. JCP - A Festa das Vindimas está à porta. Que novidades tem a SIVIPA para este ano? FC - Este ano não teremos surpresas, mas sim a qualidade de sempre a qual já habituámos os nossos clientes. JCP - Quais os principais vinhos de excelência da SIVIPA? FC - Todos os nossos vinhos são de excelência e para diferentes ocasiões, mas saliento sem dúvida, o nosso Moscatel 1996 o nosso Serra Mãe Reserva o Ameias Syrah e o Terras do Sado tinto. JCP - As uvas com que fazem os vinhos são oriundas de onde? FC _ As nossas uvas são oriundas das propriedades que a minha família explora em Agualva e no Lau, uma zona com solos

de areia onde pontua a Castelão e Fernão Pires, incluído vários hectares de vinhas velhas e vinhas de castas internacionais como a Syrah. Temos também vinhas na serra do Louro, onde nascem moscatéis de grande frescura graças à exposição a Norte. JCP - A ‘família’ SIVIPA tem um historial de referência em Palmela. Faça um pequeno resumo dessa história. FC - A SIVIPA foi fundada em 1964 por 30 vitivinicultores de Palmela, nasceu da vontade de engarrafar os vinhos das suas produções, valorizando-os face à comercialização a granel. Na década de 90 juntou-se à sociedade a nossa família Cardoso, uma das famílias com mais tradição nos vinhos de Palmela. Com os vastos 400 hectares de vinhas veio reforçar a aposta na qualidade, dinamizando a produção de vinhos certificados. Hoje a SIVIPA é uma empresa de referência da Península de Setúbal, com vinhos e moscatéis reconhecidos pela sua qualidade em Portugal e no mundo. JCP - O Enoturismo passa por momentos de sucesso. As adegas devem apostar nessa vertente? FC - Penso que sim. O Enoturismo é muito importante para as adegas e para a região, pois podemos mostrar os produtos que nós produzimos explicando diretamente as suas características, e isso é muito valorizado pelos turistas. O Enoturismo também tem um papel importante nas exportações. Quando as pessoas conhecem a história ficam ligadas aos nossos vinhos e mais tarde procuram-nos nos seus países. JCP - Uma frase que defina Palmela como terra de vinhos… FC - Palmela é um berço de ouro para o vinho, sendo uma região com condições climáticas de exceção. E cada vinho demonstra-o com toda a elegância. Currículo: Nome: Filipe Cardoso Atividade: Enólogo e administrador Instituições de que faz parte: Sivipa e Quinta do Piloto

4 | Jornal Concelho de Palmela . 10 de julho 2018

A Rainha da Festa das Vindimas representará Palmela no Concurso Nacional da Rainha das Vindimas de Portugal! Vai a www.festadasvindimas.pt e consulta o Regulamento”. A Festa deste ano já tem cartaz da autoria de Pedro Regadas, de S. João da Madeira. A intérprete da Marcha das Vindimas será Celina da Piedade, que irá participar na Gala de Eleição da Rainha, que se realiza no dia 29 de Agosto. A Festa das Vindimas irá decorrer de 30 de Agosto a 04 de Setembro.

Pedro Sampaio Consultor Imobiliário

PUB

914 677 113

psantunes@remax.pt

Do seu lado, pelo melhor negócio! RE/MAX UP Colmeia de Talentos – AMI 9256 E.N. 379 Area comercial São Julião Loja H 2950-302 Palmela www.remax.pt


PUB


ATUALIDADE POCEIRÃO

Opinião João Estróia Vieira

Membro do PS na Assembleia de Freguesia de Pinhal Novo

O papel da comunicação social no desenvolvimento do território "Parece que a norma é não pensar, não reagir, não criticar", escreveu certa vez José Saramago, nosso Nobel da Literatura. Nos dias de hoje, em que a Comunicação Social enfrenta uma grave crise de valores, o pensamento crítico torna-se ainda mais valioso e, por isso, necessário. O acriticismo torna-se assim num dos grandes inimigos do progresso. Com a sua posição frágil, onde a "informação" nos chega com extrema facilidade e rapidez através da Internet, jornais históricos migram cada vez mais para o formato online sem também saber muito bem como sobreviver aí - a forma de autossustento na Internet é ainda uma incógnita, seja através de publicidade, Patreon's ou bolsas de financiamento atribuídas por fundos. A sistemática preocupação com a sobrevivência faz com que se descurem outros aspectos, nomeadamente na quantidade e - sobretudo - qualidade de conteúdo que a nós, leitores, é fornecido. É por isso imperial que nós cidadãos saibamos, queiramos e façamos por estar informados lendo mais e de diferentes fontes (factor importantíssimo). Muitos dos meios de comunicação social, maioritariamente os de carácter mais regionalista, vivem à luz de interesses de certas entidades, vivendo sob a alçada e influência destas por serem um meio necessário de "passa-palavra", sobretudo em localidades mais envelhecidas fazendo de jornais independentes e que não escondem interesses nem mantêm relações de proximidade censuráveis aos tais poderes, uma necessidade. Os jornais abdicam pois então do seu aspecto informativo tornando-se "pravdas" propagandistas, renunciando ao seu dever de perscrutação da verdade e da necessidade de investigação dos temas por si tratados. Um cidadão desinformado é um eleitor apetecível aos poderes já instalados enquanto um cidadão atento será sempre um eleitor "perigoso" para os mesmos. Este cidadão informado saberá mais e terá vários ângulos da mesma história, e não só o que lhe dizem ser "verdade". Estará capacitado a um comentário crítico (na sua dimensão construtiva - espera-se), a uma discussão saudável sobre temas de interesse local e poderá exigir aos respectivos órgãos autárquicos a correcta resolução dos problemas que passem pela acção destes e que se reverterá numa substancial melhoria de vida para uma ou mais pessoas. O acriticismo é o maior aliado da estagnação e o maior inimigo do desenvolvimento pessoal ou territorial. Um bem-haja ao JCP por fomentar esse pensamento crítico.

PUB

Nas bancas todas as terças-feiras gratuitamente. 6 | Jornal Concelho de Palmela . 10 de julho 2018

Cortejo etnográfico promove agricultura na freguesia ETNOGRAFIA ● A Feira Comercial e Agrícola do Poceirão chegou ao fim no passado domingo, numa montra agrícola exposta durante os três dias do certame que destacou todo o setor agrícola e pecuário da região CAVALO NO CENTRO DO CERTAME ● Para além da mostra de gado ovino e bovino, o cavalo foi quem mais se destacou na 29.ª edição MIGUEL GARCIA

A

miguel.garcia@jornalconcelhodepalmela.pt

aldeia de Poceirão recebeu durante três dias a habitual Feira Comercial e Agrícola. O certame destacou a agricultura de uma região que apostou nos últimos tempos na produção da vinha e do vinho, mas onde ainda predomina também as culturas de tomate e produtos hortícolas. Desde sexta-feira até ao passado domingo que milhares de visitantes estiveram no Poceirão para conhecer mais de perto todo o setor agrícola e pecuário.

No último dia foi chegada a hora de apresentar aos visitantes algumas das actividades desta região rural, com uma mostra exibida pelo Cortejo Etnográfico, que contou com a participação do movimento associativo da localidade. A organização fez um primeiro balanço positivo da edição de 2018 e espera que as novidades apresentadas este ano possam contribuir para o sucesso das próximas edições.


EU AUTARCA ME CONFESSO...

Presidente António Mestre defende futuro destino da Socar “Qualquer investimento deve ter impacto positivo na criação de emprego duradouro” ● O presidente da Junta de Freguesia de Quinta do Anjo, na primeira entrevista ao JCP, faz um balanço positivo destes primeiros nove meses de mandato onde destaca o relançamento da Comissão Social da Freguesia. António Mestre defende a necessidade de melhorar a zona do Museu do Ovilheiro e que as antigas instalações da Socar “devem ter em conta a simbologia e memória d este espaço emblemático”.

ELSA PERES

A

elsa.peres@jornalconcelhodepalmela.pt

ntónio Mestre, presidente da Junta de Freguesia de Quinta do Anjo faz o balanço dos primeiros nove meses de mandato, traça metas para o futuro e confessa que investimentos gostava de ver nas antigas instalações da Socar. JCP - Nove meses depois das eleições como tem sido o trabalho na Junta de Freguesia de Quinta do Anjo? António Mestre -Tem sido um trabalho bastante gratificante, cheio de desafios diários como não poderia deixar de ser numa freguesia com esta dimensão e diversidade, mas é esta característica que a torna singular. Felizmente temos um executivo coeso, comprometido com a comunidade e uma equipa de trabalhadores e trabalhadoras motivados e com vontade de trabalhar com e para as pessoas e isso tem permitido, cumprir de forma transparente o Plano de atividades aprovado e sempre que tem sido possível ir mais além na concretização de novos projetos e ações. O mais gratificante tem sido o acolhimento, compreensão e colaboração que tenho sentido por parte da população, seja do cidadão ou cidadã a título individual ou sejam das nossas diferentes associações culturais, recreativas e desportivas, ou dos empresários e empresárias que sendo exigentes são, ao mesmo tempo, de uma dedicação e disponibilidade inexcedíveis para contribuírem para a solução e superação de qualquer dificuldade e é isso que me faz sentir cada vez mais motivado em seguir este caminho. Só assim é possível compreender que neste curto espaço de tempo tenhamos já conseguido a realização de novas iniciativas, como o Ginásio para Tod@s que durante um trimestre permitiu a participação da população em diferentes modalidades de atividade física, ou no domínio da regulamentação e transparência, a alteração do Regulamento de Tabela de taxas, onde cumprimos o nosso propósito de redução de taxas ou a aprovação do regulamento de Apoio ao Associativismo da Freguesia de Quinta

do Anjo, garantindo um futuro de transparência e equidade no apoio ao nosso associativismo e não menos importante a aprovação de um regulamento para o projeto Quinta do Anjo Tu Decides, projeto que irá permitir à cidadania da freguesia a apresentação de projetos e cuja votação determinará a sua execução. De destacar, também, o relançamento da Comissão Social de Freguesia que considero um instrumento essencial na definição de estratégias de intervenção que podem contribuir de forma decisiva na antecipação de respostas sociais à população em situação de maior vulnerabilidade social. No afirmar da nossa aposta na transparência a junta de freguesia lançou no passado mês de junho o seu novo sítio da Internet http://www.jf-quintadoanjo.pt/ que pretendemos dotar de toda a informação necessária e de todas as funcionalidades de interatividade com a nossa comunidade. Um nota final para a nossa aposta na melhoria da qualidade das instalações para o nosso setor operacional, bem como para as suas condições de desempenho de atividade com a aquisição de novo vestuário para estes e estas trabalhadoras que diariamente são, também, responsáveis pela execução das diferentes ações públicas correspondentes, na sua maioria, à execução de competências delegadas, tais como limpeza de vias e espaços verdes, intervenção na rede viária ou toponímia. “Gostava de ver uma verdadeira e cuidada intervenção na EN 379”. JCP – Que problemas gostaria já de ter resolvido no território a que preside? AM - Sem duvida que gostaria de ter visto dois problemas resolvidos. Por um lado gostaria que fosse já possível implementar uma verdadeira solução para a mobilidade local, quer nos circuitos internos entre as localidades da freguesia, quer o digno e justo acesso das populações ao transporte ferroviário e mesmo às localidades vizinhas, mas infelizmente ainda continuamos a ter localidades e populações dependentes exclusivamente de deslocação em viatura própria ou de táxi, para

quem não a possui. Por outro lado, gostaria de ver respondida a nossa reivindicação junto das Infraestruturas de Portugal, para uma verdadeira e cuidada intervenção na Estrada Nacional 379, no troço entre Cabanas e Palmela, que está num estado que não dignifica a concessionária responsável pela sua manutenção e coloca automobilistas e peões em perigo diariamente devido ao mau estado da via, à ausência de sinalização horizontal e falta de limpeza das bermas que coloca em risco a nossa freguesia e o próprio Parque Natural da Arrábida onde uma parte da freguesia está inserida. Ao nível da junta de freguesia, gostaria já ter conseguido terminar com a proliferação de ervas em alguns locais e vias públicas mas as condições meteorológicas têm sido um forte adversário este ano, apesar das diversas e reforçadas intervenções que temos realizado, ainda não está terminada esta batalha. JCP – O executivo da Junta no último mandato passou por momentos difíceis. Essa situação está totalmente ultrapassada? AM - A situação do anterior mandato é um assunto do anterior mandato, o compromisso que assumi e que esta solução de executivo preconiza é o de trabalhar para e com a população com diálogo, transparência e uma atitude positiva. É este o nosso compromisso onde todos e todas são bem-vindos, o futuro do nosso território é fruto deste desafio de acreditar no nosso potencial coletivo, nas nossa capacidade de criar, melhorar e garantir futuro sustentável para todos. JCP – Como tem funcionado a coligação da CDU com o PS? AM - A solução que foi encontrada para gerir o futuro da freguesia foi uma solução responsável, feita com o respeito pela individualidade de cada um dos parceiros, criando soluções de consenso, que se materializaram na proposta e consequente aprovação dos instrumentos de gestão, Orçamento e Plano Plurianual de Investimentos e Atividades e na distribuição de responsabilidades, tarefas e competências pelos diferentes membros do executivo. Foi um consenso que revela a maturidade democrática dos atores políticos da nossa freguesia e que se fosse de outra maneira a nossa comunidade não iria compreender que existindo vontades e projetos sufragados que decisivamente concorrem para a melhoria da qualidade de vida da população eles não fossem implementados por meras estratégias ou táticas politicas. Estou confortável e confio nesta solução, assumimos, cada um dos parceiros, com frontalidade, verdade e honestidade democrática um compromisso que queremos honrar e estou convicto que estamos todos no lado positivo da solução. “As obras no Mercado da Quinta do Anjo permitirão a concretização de novos projetos comunitários”. JCP – Que projetos gostava de concretizar nos próximos meses? AM - Os próximos meses e os próximos anos serão o continuar deste desafio conjunto, nos próximos meses será concretizada a intervenção no parque escolar, destacando-se aqui a pintura interior do edifício da EB do Bairro Alentejano, a empreitada de recuperação e pintura do muro junto à Igreja de Quinta do Anjo que permitirá a reabertura dos sanitários públicos, as obras no edifício da Junta de Freguesia para a criação do espaço Ponto de

Contacto Social, que será um espaço de interação privilegiado no contexto social, associativo e de divulgação turística. Ainda durante este mês será lançada a campanha de sensibilização para a vacinação e registo de canídeos a par de uma campanha de incentivo à adoção animal, para a qual disponibilizaremos um voucher para vacinação e colocação de chip eletrónico, numa das clínicas da nossa freguesia, garantindo a Junta de freguesia a isenção de pagamento do registo desse animal no ano de adoção. Estamos expectantes sobre a concretização das obras no Mercado de Quinta do Anjo que permitirão a concretização de novos projetos comunitários e a valorização de um espaço central na Quinta do Anjo, Assim como a concretização do projeto de reabilitação do Jardim central de Cabanas. A Junta de Freguesia irá canalizar as suas energias na concretização das obras de melhoramento na zona do Museu do Ovelheiro, no espaço da Arcolsa para que no próximo ano tenhamos novidades para todos os visitantes do nosso Festival Queijo Pão e Vinho. Por último, destacar a preparação de uma iniciativa inovadora que procurará criar uma marca de destaque na nossa freguesia ligada à intervenção artística que conhecerá a sua edição zero no próximo mês de outubro. JCP – O presidente da Junta pode esclarecer-nos qual o futuro da antiga empresa Socar? AM - Decididamente não podemos esclarecer mais do que aquilo que foi noticiado na comunicação social, a junta de freguesia não foi informada oficialmente, nem teria de o ser, sobre qualquer desenvolvimento, de iniciativa privada para este espaço. Obviamente gostaríamos que qualquer intervenção neste espaço, tivesse em conta a simbologia e memória deste espaço emblemático da Quinta do Anjo e que possa contribuir para evitar a sua degradação física, que a acontecer se traduzirá numa má imagem para um eixo central da nossa freguesia, gostaria que qualquer investimento tivesse um impacto positivo na criação de emprego duradouro e um potencial de integração dos recursos endógenos da freguesia. JCP – Uma frase que defina a Freguesia de Quinta do Anjo. AM - Quinta do Anjo, Uma Freguesia pela Positiva! Currículo Nome: António Manuel Caeiro Mestre Idade: 49 anos Atividade profissional: Licenciado em Antropologia Desenvolve há 24 anos a sua atividade profissional na Câmara Municipal de Palmela como Técnico Superior. Cargos autárquicos que já ocupou: - Ao nível da implicação politica com o território da freguesia de Quinta do Anjo, integrei, sempre como eleito pela CDU o executivo da Junta de Freguesia nos mandatos de 2202/2005 e 2005/2009. - No mandado de 2009/2013 exerceu o cargo de Presidente da Assembleia de Freguesia de Quintado Anjo. - No mandato de 2014/2017 membro da Assembleia Municipal de Palmela. Mandato 2017/2021 Presidente da Junta de Freguesia de Quinta do Anjo

10 de julho 2018 . Jornal Concelho de Palmela | 7


CONCELHO DE PALMELA PALMELA

FESTA DAS VINDIMAS

Feira Medieval já trabalha edição de 2018

Festa das Vindimas já tem cabeças de cartaz

HISTÓRIA ● Em cada canto e recanto da vila de Palmela existe história para

FESTAS DO CONCELHO ● A nova direção já trabalha desde a sua tomada de

contar, numa vila que está aos pés do seu majestoso castelo que é o palco principal de todas as edições da Feira Medieval TRABALHO ● A organização já está a preparar a edição de 2018, que promete ser mais um quadro histórico que vai atrair milhares de visitantes a Palmela entre os dias 28 e 30 de setembro

posse para apresentar a edição 56ª das maiores festas do concelho

MIGUEL GARCIA

A

miguel.garcia@jornalconcelhodepalmela.pt

dois meses de mais uma edição da Feira Medieval de Palmela, a organização do evento já trabalha para mais um evento que promete ser um sucesso tal com as anteriores. Em comunicado enviado ao Jornal Concelho de Palmela a Câmara Municipal informa de que as candidaturas para que os feirantes possam estar presentes no evento com os seus produtos devem de ser apresentadas entre o dia 10 de julho e o dia 10 de agosto. Os interessados em participar no evento histórico podem consultar todo o Procedimento de Participação que está disponível

no site da autarquia, www.cm-palmela.pt e submeter a sua candidatura através do link https://www.cm-palmela.pt/pages/1739. O quadro histórico da edição de 2018 viverá o quotidiano de Palmela e o seu Castelo nos séculos XII-XIII, onde os três credos – cristãos, muçulmanos e judeus – conviviam entre si. O lema para este ano, encontrado pela Câmara Municipal e a ALIUS VETUS será “Cristãos, Muçulmanos e Judeus na Palmela Medieval”, numa festa que vai destacar os torneios medievais, a música, as danças entre outras sugestões para que passe um fim-de-semana agradável em terras de Palmela.

PALMELA

A

56ª edição da Festa das Vindimas já tem os cabeças de cartaz, do evento que começa com a Eleição da Rainha das Vindimas, no dia 29 de Agosto.

Nos três palcos da Festa vão atuar Maria Leal, Toy, Sara Tavares, Azeitonas, Blaya, Tiago Nacarato, The Black Mamba, Bossa & Morna, Clarabóia e Slow J, entre muitos outros. Este ano o Cortejo Alegórico às Vindimas é concebido por José Condeça com o tema Ano Europeu do Património Cultural.

JAZZ à solta no Castelo MÚSICA ● Palmela tem uma grande tradição no panorama musical, a vila conta com duas grandes associações musicais e delas tem saído grandes maestros e músicos para o mundo das pautas, mas também são realizados anualmente grandes espetáculos culturais onde se envolvem com os grandes mestres de Palmela O Vinho e o Jazz ● Os grandes eventos culturais que Palmela já habituou os seus visitantes são um marco histórico na cultura local, conjugando esses mesmos eventos com equipamentos de anos de história só poderia sair um Palmela Wine Jazz MIGUEL GARCIA

J

miguel.garcia@jornalconcelhodepalmela.pt

á faz parte do calendário de eventos locais mas também nacionais o Palmela Wine Jazz que chega no próximo fim de semana uma vez mais ao Castelo da vila. Anualmente a organização tenta manter um cartaz de “peso” que convença o público a sair de casa naquelas noites de mais calor para acompanhar o evento que envolve o Jazz e o Vinho num local só.

8 | Jornal Concelho de Palmela . 10 de julho 2018

Entre os dias 13 e 15 de julho a música, a prova e a venda dos melhores vinhos da região vão estar em destaque num dos mais belos castelos medievais de sempre. Nas edições anteriores a adesão do público tem superados as expetativas e este ano é mais um dos anos que a Câmara Municipal de Palmela espera ver o evento com muito público.


PUB


SETÚBAL AQUI TÃO PERTO LIGAÇÃO DO MOINHO DE MARÉ DA MOURISCA AO PUA

TRADIÇÃO PISCATÓRIA

Barcos a remos realizam passeio no Sado

Festas do Novo Círio da Arrábida começam hoje

REMO ● O passeio de embarcações a remos, com um percurso de 25 quilóme-

TRADIÇÕES ● As Festas do Novo Círio de Nossa Senhora da Arrábida começam hoje e prolongam-se até ao dia 15 de Julho, assinalando uma tradição popular da comunidade piscatória setubalense, que foi retomada nos últimos anos

ELSA PERES

evento é organizado pela comissão de festas em parceria com a União das Freguesias de Setúbal e começam com um tríduo em honra de Nossa Senhora da Arrábida, hoje, amanhã e quinta-feira, às 18h30, com missa seguida de recitação de Ofício de Vésperas, na Igreja da Anunciada.

segue, às 21h00, uma procissão de velas, com saída da Capela do Carmo.

No dia 13 realiza-se nova missa, de sufrágio, às 18h30, na Igreja da Anunciada, a que se

No domingo, dia 15 de Julho, às 15h30, o círio partirá da Praia do Creiro, na Serra da Arrábida para a Doca dos Pescadores, em Setúbal.

tros, insere-se no programa dos 15.os Jogos do Sado, é irá decorrer com a ligação do Moinho de Maré da Mourisca ao Parque Urbano da Albarquel (PUA)

O

elsa.peres@jornalconcelhodepalmela.pt

Sado vai encher-se de embarcações movidas a remos, no dia 22 de Julho, que irão fazer um percurso de vinte e cinco quilómetros, entre o Moinho de Maré da Mourisca e o Parque Urbano de Albarquel. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas até dia 17 através do endereço jogosdosado@mun-setubal.pt ou diretamente nas instalações da Divisão de Desporto da Câmara de Setúbal, no Parque Urbano de Albarquel.

O passeio aberto a todos os interessados insere-se no programa dos 15.os Jogos do Sado, é organizado em parceria com o Clube de Canoagem de Setúbal e a operadora de atividades náuticas Zarpa – Faz-te ao Mar, com os apoios do Blue Coast Hostel e da Federação Portuguesa de Canoagem. A concentração dos participantes no Moinho de Maré da Mourisca está marcada para as 10h00, e as embarcações devem ser colocadas na água entre as 10h00 e as 10h45. A partida está marcada para as 11h00.

O

O círio marítimo em honra de Nossa Senhora da Arrábida sairá à 9h30, de sábado, dia 14, da Igreja de Nossa Senhora da Anunciada, em procissão em direção à Doca dos Pescadores, para partida das embarcações.

AZEITÃO

FRENTE À CASA BAÍA

Assembleia Municipal promove sessões descentralizadas

Feira Flash Market continua até Setembro

A

s Feiras do Baía Flash Market vão decorrer até Setembro, no último fim de semana de cada mês, onde a doçaria, licores, cerveja, acessórios de moda e artesanato estarão em destaque.

Estas feiras apostam em dar a conhecer ao público a diversidade de produtos de qualidade existentes na região, quer nas áreas da gastronomia, dos vinhos e do artesanato.

10 | Jornal Concelho de Palmela . 10 de julho 2018

O Baía Flash Market volta a realizar-se de 27 a 29 de Julho, de 24 a 26 de Agosto e de 28 a 30 de Setembro, entre as 19h00 e as 23h00, na área em frente da entrada da Casa da Baía, localizada na Avenida Luísa Todi.

O

s deputados municipais de Setúbal deixam o salão nobre da cidade para irem ao encontro dos munícipes das zonas dos arredores do concelho. A primeira sessão descentralizada da Assembleia Municipal realizou-se no Faralhão, na freguesia do Sado. A descentralização continua em Setembro, na freguesia de Azeitão. O presidente da Assembleia Municipal, André Martins, explicou que o objetivo “é realizar sessões nas cinco freguesias do concelho de Setúbal”. As sessões descentralizadas irão

decorrer durante o atual mandato, duas vezes por ano, em Junho e em Setembro. André Martins garante “queremos aproximar mais dos munícipes e das localidades as decisões da Assembleia Municipal”. A primeira sessão descentralizada, que decorreu no Faralhão, lembra o autarca, “decorreu de uma forma muito positiva, onde as pessoas marcaram presença e deram importantes contributos”. A sessão de Setembro irá decorrer em Azeitão.


MONTIJO MESMO AQUI AO LADO

DR

CULTURA

DR

BOMBEIROS

Autarquia do Montijo entrega de nova viatura de socorro à AHBM

Musica da Academia Dance Fusion recorda ‘Aldeia Galega’

APOIO ● Autarquia montijense oferece nova viatura de socorro à Associação Humanitária dos Bombeiros do Montijo VIATURA ● A nova viatura de socorro permite o acesso às ruas mais estreitas da cidade

MUSICAL ● Um musica a recordar as actividades económicas e a história da Aldeia Galega que viria a ser a cidade do Montijo ENSINO ● A Dance Fusion é uma escola de artes de palco

CARMO TORRES

CARMO TORRES

A

carmotorres@jornalconcelhodepalmela.pt

A viatura foi benzida pelo padre Carlos Rosmaninho e será uma mais valia para a Associação Humanitária dos Bombeiros do Montijo, como explicou o presidente da Câmara Municipal do Montijo, Nuno Canta.

O

carmotorres@jornalconcelhodepalmela.pt

“Estamos a oferecer esta viatura, uma necessidade da corporação, porque este é um veículo capaz de entrar nas ruas mais estreitas da cidade. Um veículo que vai estar ao serviço da população para seu socorro e sua segurança.” Durante a iniciativa, o presidente homenageou os todos os soldados da paz do concelho e do país, sublinhando a importância da viatura ter sido abençoada num momento em que se “celebra com a paróquia a devoção do povo para com S. Pedro”.

musical ‘Montijo Aldeia Galega’ sobe ao palco do Cinema Teatro Joaquim de Almeida, no Montijo, de 13 a 15 de Julho, numa produção da Academia Dance Fusion. A Academia Dance Fusion, tendo em vista incrementar a qualidade e motivação das suas classes de dança, propõe produzir e levar a cena um espetáculo musical, protagonizado por todos os alunos e professores da mesma. A peça irá englobar diversas atividades económicas da época até a atualidade, mostrando também o que fez crescer e aparecer a Cidade do Montijo, outrora chamada Aldeia Galega do Ribatejo.

Sinopse: «Uma pequena peça de Cristo faz com que investigadores Lisboetas se desloquem à Cidade de Montijo para mais se informar. Ao chegar à cidade, os historiadores conhecem um senhor já com alguma idade, ao qual perguntam sobre a curiosa peça e esse fá-los fazer uma viagem inesquecível… No tempo do seu tetra avô… Onde Montijo era Aldeia Galega do Ribatejo. A peça aparece… Mas o valor sentimental vale muito mais que o material… Afinal… A parte mais difícil de ser tão pobre era ser tão rico, refere o velhinho…» Preço 7,50 euros. Bilheteira CTJA: terça a sábado das 16h30 às 21h30 | tel.: 21 232 78 82 E-mail: bilheteira1@mun-montijo.pt

PUB

Nas bancas todas as terças-feiras gratuitamente. DR

Câmara Municipal do Montijo doou à Associação Humanitária dos Bombeiros de Montijo uma viatura de socorro. A entrega do veículo teve lugar no dia 2 de julho, no desfile de Bombeiros e respetivas fanfarras do concelho, Montijo e Canha, junto à Igreja Matriz, marcando o último dia das Festas Populares de São Pedro.

10 de julho 2018 . Jornal Concelho de Palmela | 11


ALERTA SOS ACIDENTES

NATUREZA

Fábio Rivera salva coruja

Três mortos nas estradas da região

Jovem salva segunda ave no espaço de dois anos

ACIDENTES ● As autoridades registaram no passado fim-de-semana três mortos nas estradas que cruzam a região de Palmela

PROTEÇÃO ● A primeira ave surgiu perto da casa do jovem Fábio Rivera e pare-

CARMO TORRES

cia muito debilitada levando a que o jovem cuidasse da mesma e alertasse o Núcleo de Ambiente da GNR para a recolha de uma coruja, em dezembro de 2016 O GUARDIÃO DAS AVES ● Fábio pode-se considerar o guardião das aves, esta semana aconteceu algo idêntico a dezembro de 2016 mas desta feita com uma cegonha MIGUEL GARCIA

F

miguel.garcia@jornalconcelhodepalmela.pt

ábio Rivera é um autêntico salvador de aves. O primeiro salvamento ocorreu em dezembro de 2016 quando Fábio Rivera, residente na zona do Vale da Vila, teve um desafio de salvamento a uma coruja. O jovem cuidou da ave e pediu apoio ao Núcleo de Ambiente da GNR para que a ave voltasse ao seu quotidiano livre e natural. Os militares da SEPNA estiveram na casa de Fábio e recolheram a ave que já se encontrava reabilitada para ser devolvida ao seu habitat natural.

Passados quase dois anos do primeiro salvamento o jovem volta a ter como missão outro salvamento, mas desta vez de uma cegonha que também ela apresentava sinais de fadiga e um pouco desorientada. O coração do “guardião” das aves falou mais alto e Fábio voltou a salvar a ave, um símbolo da região caramela, pois no montado de sobro de Rio Frio existe uma das maiores colónias de cegonhas da região. Também este salvamento um fim feliz, com o Fábio a ajudar e os militares da SEPNA a recolherem a ave para ser entregue na proteção dos animais onde ficará a recuperar e depois ser devolvida ao seu habitat natural.

T

carmotorres@jornalconcelhodepalmela.pt

rês mortos é o balanço de três acidentes ocorridos na Marateca, na A2 e no IC20, segundo informação adiantada pela edição online do Diário do Distrito. A primeira vítima foi registada na colisão entre um ligeiro de mercadorias e um motociclo, na A2, na zona de Quinta do Anjo, perto da saída das portagens de Coina, sentido Norte-Sul, acidente ocorrido pelas 16h42 de domingo. No mesmo dia, mas pelas 17h17 os meios

de socorro eram acionados para um despiste de um ligeiro de passageiros na Nacional 10, na zona de Marateca, acidente que provocou um morto, no local estiveram os Bombeiros de Águas de Moura e a GNR. Minutos mais tarde, 17h25, nova ocorrência, desta vez no IC20, sentido Caparica-Almada, uma colisão entre três veículos ligeiros e um motociclo, causando um morto e três feridos. Os meios acionados para o local foram os Bombeiros da Trafaria, GNR e INEM.

MONTIJO

Ação de fiscalização rodoviária acaba em agressão a PSP CASO ● No decorrer de uma ação de fiscalização rodoviária um agente da esquadra de trânsito do Montijo foi agredido por uma condutora DETENÇÃO ● A mulher foi detida pelos agentes da PSP no local e está acusada de resistência e coação a elemento policial MIGUEL GARCIA

F

miguel.garcia@jornalconcelhodepalmela.pt

Segundo salvamento, desta vez de uma cegonha

12 | Jornal Concelho de Palmela . 10 de julho 2018

oi na passada quinta-feira (6) que numa ação de fiscalização rodoviária uma mulher de 47 anos foi detida e que está acusada de resistência e coação a elemento policial. Segundo nota enviada ao Jornal Concelho

de Palmela, o Comando Distrital de Setúbal da PSP informa de que a agressora agrediu um dos agentes com um estalo na cara. Segundo a mesma nota, a agressora agiu de uma forma que o agente não previu a agressão, acabando por ser detida.


PUB

Onde nos pode encontrar às terças-feiras Freguesia de Pinhal Novo

Freguesia de Palmela

Freguesia de Sarilhos Grandes

Papelaria Pinha Verde Mercado Municipal Biblioteca Municipal Papelaria Nova Junta de Freguesia Clube Desportivo Pinhalnovense (Bar) Centro de Saúde – Zeca Afonso Papelaria Servialcaide Piscinas Municipais Associação de Reformados e Pensionistas Centro Comercial Dovari (Espaço Ferro) Posto de Abastecimento Repsol Olhos de Água Café Cancela (Vale da Vila) Posto de Abastecimento da Repsol (Lagoa da Palha) Grupo Desportivo de Valdera Papelaria Servialcaide (Palhota) Posto de Abastecimento Cepsa – Palhota Drogaria do Pinho

Estação Rodoviária TST Restaurante Seca Adegas Café Âncora (Algeruz) Posto de Abastecimento Repsol – Aires Sul Posto de Abastecimento Repsol – Aires Norte Grupo Desportivo Airense Papelaria do Intermarché Posto Médico Sociedade Filarmónica “Os Loureiros” Casa Mãe Rota de Vinhos da Península de Setúbal Cine-Teatro São João Posto de Abastecimentos dos Bombeiros Voluntários D. Xicara Café Papelaria A Turma Posto de Abastecimento BP – Lagoinha Quinta do Piloto Junta de Freguesia Mercado Municipal Drogaria Amilcar Biblioteca Municipal Departamento de Urbanismo Papelaria Camolas Retiro Azul Café

Papelaria Bomba – Lançada Junta de Freguesia Farmácia de Sarilhos Grandes

Freguesia de Marateca

Freguesia de Setúbal

Associação Cultural de Fernando Pó Supermercado Baêta Sede do Bairro Margaça Papelaria de Águas de Moura Supermercado Amanhecer Ourivesaria Santos Posto de Abastecimento Cepsa – Norte Posto de Abastecimento Cepsa – Sul Supercentro GI Posto de Abastecimento de Cajados AgroCajados

Freguesia de Azeitão

Freguesia de Quinta do Anjo Associação de Moradores da Quinta do Anjo Comunidade dos Olhos de Água Associação do Bairro Alentejano Associação de Moradores das Marquesas Posto de Abastecimento Cepsa (Vila Amélia) Posto de Abastecimento GALP (Estrada dos 4 Castelos) Papelaria de Cabanas Grupo Desportivo Cabanense O Forno Posto de Abastecimento da GALP em Cabanas Associação de Reformados de Cabanas Papelaria T-Qual (Portais da Arrábida) Churrasqueira da Quinta do Anjo (Frente ao CRJ) Café Serra Papelaria de Quinta do Anjo (Frente à Junta de Freguesia) Junta de Freguesia Sociedade S.I.M Restaurante Flavors (Espaço Fortuna)

Freguesia de Poceirão Associação Cultural da Lagoa do Calvo Centro Cultural do Poceirão Pronto a Comer Tachos & Panelas Papelaria do Poceirão Posto de Abastecimento Esperança Armazém do Ratão Armazém da Biona Grupo Desportivo Águias da Aroeira Restaurante Montealegre

Freguesia de Canha Bombeiros Voluntários (Café) Café Castelo Café Patarra Junta de Freguesia

Freguesia de Pegões Restaurante “ O Carlos” Junta de Freguesia Posto de Abastecimento Repsol – Faias Posto de Abastecimento Cepsa – Pegões

CONCELHO DE SETÚBAL Papelaria Praça do Brasil Junta de Freguesia Casa Baía Quiosque do Esperança Papelaria Avenida 5 de Outubro Biblioteca Municipal Casa da Cultura Papelaria Mil Folhas – Aranguês

Papelaria do Intermarché

CONCELHO DO MONTIJO Freguesia do Montijo Papelaria da Avenida Nova Papelaria da Praça da República Galeria Municipal Posto de Turismo Junta de Freguesia Estação Rodoviária dos TST Loja Florineve na Estação Fluvial da Transtejo


DESPORTO ATLETISMO

QUINTA DO ANJO

Pinhal Novo Run junta centenas de atletas na zona sul

O Quintajense não é grande… é enorme

DESPORTO ● A moda pegou e os Run`s estão por toda a parte e cada vez com mais adeptos de corrida e caminhada. Palmela deu o pontapé de saída e o Pinhal Novo fechou o ciclo com o Pinhal Novo Run 2018 PARTICIPANTES ● Cada vez mais os eventos desportivos são procurados pelos fãs de corrida e caminhada. No concelho de Palmela a aposta nos eventos Run tem resultado, trazendo mais adeptos deste desporto a terras palmeloas e caramelas

COMUNIDADE ● Os 78 anos do Quintajense foram assinalados com uma Gala

que mobilizou dirigentes, atletas, instituições e associados, num clima de festa, que encheu o salão nobre da SIM. O presidente Francisco Xavier destacou “esta é a maior plateia que tivemos até hoje no aniversário do Quintajense”

ELSA PERES

O

elsa.peres@jornalconcelhodepalmela.pt

MIGUEL GARCIA

P

miguel.garcia@jornalconcelhodepalmela.pt

rimeiro em Palmela e depois em Pinhal Novo, este sábado já ao cair da tarde a rua da Escola Básica Alberto Valente enchia-se de cores e muita animação para mais um Pinhal Novo Run que conseguiu reunir cerca de 200 atletas na corrida de oito quilómetros e mais de 300 atletas na caminhada com quatro quilómetros que percorreram alguns pontos da vila caramela. Em prova estiveram caras bem conhecidas como Luís Macau mas também como padrinhos António Branco, Paulo Gomes e Rui Baltazar este com mais de 40 anos de prática desportiva em atletismo e com cerca de 1000 participações em eventos do género. O embaixador deste 2º Pinhal Novo Night Run foi o atleta Nelson Cruz. Outras caras bem conhecidas também marcaram presença neste evento como o deputado municipal do BE, Carlos Oliveira, e que provou estar em em forma para outras provas de futuro.

“Caminhada animada junta mais de 300 participantes”

Quintajense festejou os 78 anos com o presidente Francisco Xavier a destacar “o clube está cheio de vitalidade desportiva com mais de 200 atletas a praticarem desporto”. O presidente quintajense anunciou a “consolidação de novas estruturas com os campos perfeitamente legalizados depois de muitos anos, substituímos toda a iluminação no campo de futebol, apostámos em painéis solares para o aquecimento da água e temos um telhado novo de onde retirámos todas as telhas de fibrocimento”. O Quintajense, lembrou, “é um clube de aldeia com recursos escassos, mas tem 150 praticantes no futebol, vários campeões no atletismo, duas equipas de futebol feminino e uma escola de formação”. Para Francisco Cardoso, presidente da Associação de Futebol de Setúbal (AFS), o “Quintajense é um clube histórico no distrito de Setúbal, nomeadamente no futebol feminino e os atletas campeões da II divisão a pagarem para praticarem desporto”. Também o presidente da Associação de Atletismo de Setúbal, Manuel Aguiar, realçou o “esforço feito pelo clube em prol do atletismo, que continua a estar no bom

caminho” e lançou um apelo à câmara para “criar estruturas para acolher os jovens”. Já a presidente da Assembleia de Freguesia, Julieta Rodrigues realçou “o trabalho da direção e dos atletas”, sem esquecer que o “Quintajense e a SIM são dois pilares da comunidade”. Também o presidente da Junta de Freguesia, António Mestre considerou que o “Quintajense é o orgulho do que somos e daquilo que queremos ser” e os “78 anos não são uma terceira idade, mas uma nova idade”. O autarca revelou o “sonho de voltar a ter um espaço condigno para os lançamentos e um pavilhão desportivo”. O vereador do Desporto, Luís Miguel Calha sublinhou que “o Quintajense mais que um clube desportivo é um clube de valores com uma estratégia de futuro” e a atual direção “impulsionou o clube para um patamar na formação, atletismo e futebol feminino”. O autarca confessou “acredito no futuro do Quintajense com novas estruturas, desde pavilhões, relvados sintéticos, posta de atletismo” e concluiu “contem connosco, porque o vosso trabalho é um trabalho exemplar”. A Gala terminou com a distinção a atletas nas várias modalidades, desde o futebol feminino ao atletismo nos diversos escalões.

Num momento registado pela equipa do Jornal Concelho de Palmela, lá se deu a partida dos cerca de 300 caminhantes que sempre num percurso bem animado conseguiram todos chegar ao fim da meta.

14 | Jornal Concelho de Palmela . 10 de julho 2018

DR

Já os atletas de corrida tinham iniciado, e os cerca de 300 participantes da caminhada estavam ansiosos para começar os quatro quilómetros. Num momento animado e “caricato” um grupo de cinco senhoras de tanto entusiasmo que estavam para participar na prova, partiram da meta sem qualquer indicação de partida, tal não foi o entusiasmo de cortar a meta em primeiro lugar.


CULTURA CANTE ALENTEJANO

LAGAMEÇAS

Largo de São João recebe encontro de grupos corais alentejanos

Costumes e tradições de mãos dadas no XXXVI Festival de Folclore

PATRIMÓNIO ● Depois de ter sido considerado pela UNESCO como Património

TRADIÇÃO ● Lagameças é uma localidade de muita história e de tradição, onde

E

MIGUEL GARCIA

Mundial Imaterial da Humanidade, o cante alentejano tem sido um marco das gentes de Palmela. Prova disso são os encontros que anualmente o Grupo Coral Ausentes do Alentejo promove em terras de vinhos

u ouvi um passarinho, às quatro da madrugada”, quem já não ouviu cantar esta cantiga puramente alentejana e que orgulha o povo alentejano? O cante alentejano foi considerado Património Mundial Imaterial da Humanidade da UNESCO no final de 2014, e se o cante alentejano era um orgulho das gentes do Alentejo, a partir dessa data passou a ser um orgulho nacional e para fazer jus ao galardão. O Grupo Coral Ausentes do Alentejo realiza anualmente o encontro de grupos corais, em Palmela. Este ano já vão no 30.º encontro que se realiza no próximo sábado no Largo São João

João, na vila histórica de Palmela. O encontro inicia-se pelas 17h00 e ao palco vão subir os grupos: Grupo Coral “Os Reformados de Ferreira do Alentejo” Grupo Coral de “Baleizão” Grupo Coral “Estrelas do Guadiana” de Tires Grupo Coral “Os Trabalhadores de Montoito” Grupo Coral de “S. Luís” de Farro do Alentejo Grupo Coral Feminino “Brisas do Guadiana” de Moura Grupo de Cavaquinhos “Seara Nova” de Viana do Alentejo Uma tarde em que o calor intenso do Alentejo vai predominar na vila de Palmela.

os seus antepassados vão sendo relembrados nos quadros etnográficos realizados pelos grupos folclóricos da região, valorizando outros tempos que os mais jovens não conhecem FOLCLORE ● O Rancho Folclórico “Os Fazendeiros” das Lagameças vai demonstrar os seus usos e costumes ao lado de tradições de outros pontos do país, no XXXVI Festival de Folclore

Q

miguel.garcia@jornalconcelhodepalmela.pt

uando se fala de folclore surge-nos logo a ideia de outros tempos de outrora, de homens e mulheres que viviam no limiar da vida com a típica sopa caramela e de vez em quando acompanhada com as carnes que essas gentes criavam em casa de ano a ano. Para não deixar morrer a tradição nem os costumes, os Grupos Folclóricos da região têm tido um papel fundamental na defesa e promoção das suas tradições, como é o caso do Rancho Folclórico “Os Fazendeiros” das Lagameças que até hoje tem desenvolvido um trabalho de recolha etnográfica daquela região. Para mostrar aos mais novos, o Rancho de

Lagameças realiza anualmente o seu Festival de Folclore que decorre na sede daquele grupo, e que este ano volta a reunir no evento cultural cinco grupos folclóricos que vão estar em palco a representar cada um deles os usos e costumes da sua região. No próximo dia 14 de julho, pelas 21h00 o Rancho Folclórico “Os Fazendeiros” das Lagameças realiza o XXXVI Festival de Folclore. Em palco vão estar o rancho organizador, o Rancho Folclórico “As Lavadeiras” do Sabujo, o Rancho Folclórico Danças e Cantares de Vale de Paraíso, o Rancho Folclórico e Cantares Regionais do Orfeão da Feira e o Rancho Folclórico de Santo Estevão da zona de Tavira.

POCEIRÃO USOS E COSTUMES ● Foram bem demonstrados em cima do palco no polidesportivo da aldeia de Poceirão como são os usos e costumes de outras regiões do país MIGUEL GARCIA

O

miguel.garcia@jornalconcelhodepalmela.pt

Festival de Folclore no Poceirão reúne grupos de qualidade

Polidesportivo do Poceirão foi o local escolhido para receber no passado sábado à noite o Festival de Folclore comemorativo dos 47 anos de existência do Rancho Folclórico do Poceirão. A noite convidava a sair de casa para um momento etnográfico que exponha algumas regiões do nosso país, um Festival de Folclore que encheu o recinto daquele espaço desportivo e que em palco passaram cinco formações de folclore nacionais. Uma noite onde se reviveu memória que ainda não adormeceram na mente das gentes locais e muitas delas oriundas da região norte. O presidente da Câmara Municipal de Palmela, Álvaro Amaro, enalteceu as culturas locais mas também as visitantes que estiveram em terras de Poceirão, afirmando a importância da cultura do folclore em toda a região do seu

concelho. Também presente esteve a presidente da União de Freguesias de Poceirão e Marateca, Cecilia Sousa, que enalteceu e agradeceu a todos os presentes pela magnifica noite de folclore e cheia de tradições que fazem revivar memórias. Anabela Pagaime, presidente do Rancho Folclorico de Poceirão, também agradeceu a presença de todos naquela que é uma data importante no calendário de atuações do seu grupo, pois um grupo folclórico mais velho no concelho. A presidente do grupo anfitrião também deixou algumas mensagens durante o seu discurso e deu inicio a uma noite onde os usos e costumes andaram de mãos dadas.

10 de julho 2018 . Jornal Concelho de Palmela | 15


PUB

Jornal Concelho de Palmela | Edição 3  

Edição do Jornal Concelho de Palmela de 10 de julho de 2018 | informacao@jornalconcelhodepalmela.pt - E-mail para envio de informação, marca...

Jornal Concelho de Palmela | Edição 3  

Edição do Jornal Concelho de Palmela de 10 de julho de 2018 | informacao@jornalconcelhodepalmela.pt - E-mail para envio de informação, marca...

Advertisement