Issuu on Google+

Sobe a CAPITAL

22 a 28 de Setembro de 2010

1

projeção do crescimento PÁG. 4

Petrobras passa a ser a segunda maior no mundo

A PETROBRAS vai se tornar a segunda maior empresa petrolífera mundial após a conclusão da capitalização, que atingiu R$ 120 bilhões (US$ 70 bilhões). O valor de mercado da estatal vai saltar dos atuais US$ 213,10 bilhões para US$ 283,10 bilhões, superando o valor da PetroChina (US$ 265,92 bilhões). Com isso, passará a ficar atrás apenas da gigante americana Exxon Mobil, que somava US$ 314,93 bilhões em valor de mercado. A oferta de ações da Petrobras ocupou destaque na imprensa internacional. PÁGINA 3

Câmbio* Dolar Comercial Dólar Paralelo Dólar Turismo

Compra (R$) 1,708 1,830 1,650

Venda (R$) 1,710 1,930 1,830

Variação % 0,05 0,00 0,00

Coroa Dinamarca Dólar Austrália Dólar Canadá Euro Franco Suíça Iene Japão Libra Esterlina Inglaterra Peso Chile Peso Colômbia Peso Livre Argentina Peso MÉXICO Peso Uruguai

(U$) 5,540 0,961 1,029 1,344 0,985 84,310 1,582 485,300 1.803,000 3,940 12,577 20,150

(U$) 5,543 0,961 1,029 1,344 0,986 84,340 1,582 485,800 1.804,000 3,980 12,582 20,350

% 0,36 0,23 0,52 0,36 0,26 0,13 0,00 0,25 0,08 0,13 0,33 0,00

Moeda

Ibovespa Dow Jones Nasdaq IBX Merval

68.815,97 10.812,04 2.369,77 21.470,89 2.600,63

Variação % 0,91 0,44 0,48 1,01 0,89

Poupança Poupança

24/09 p/ 01 mês

0,606 0,585

ao ano

10,75 0,985 0,085

Indicadores*

Índice

Valor

Juros Selic meta Selic over TR Salário Mínimo (Federal) Salário Mínimo (RJ)

R$ 510,00 R$ 581,88

(*) FECHAMENTO: 27 DE SETEMBRO DE 2010

FMI monitora o Brasil e mais 24 países O FMI ANUNCIOU que está tornando obrigatório para 25 países (entre eles, o Brasil) um exame regular da saúde de seu sistema financeiro. Por regulamento, todos os seus 187 países membros passam por um “check-up da saúde

econômica anual”, já que, até o momento, era realizado apenas com o consentimento dos Estados. Agora, A escolha foi baseada “no tamanho de seus setores financeiros e suas conexões com outros países”. PÁGINA 7

CAPITAL terá edição especial sobre eleições NO PRÓXIMO DIA 1º (sexta-feira), circulará a edição especial do CAPITAL MERCADO & NEGÓCIOS sobre as eleições 2010 em Duque de Caxias. Nela o leitor vai dispor também de uma pesquisa exclusiva encomendada ao Instituto de Pesquisa Gerp, com as intenções de votos para deputados estaduais e federais no município.

Helicóptero híbrido finalmente revelado DIVULGAÇÃO/EUROCOPTER

vale mais que a Bolsa de São Paulo. Ele disse ainda que a bolsa paulistana vale 25% a mais que a soma das bolsas de Nova York, Nasdaq e de Londres. De 2003 a 2010, o valor anual das transações na bolsa passou de R$ 200 bilhões para R$ 2 trilhões, o sexto maior do mundo. PÁGINA 2

A BOLSA DE Valores de São Paulo tornou-se a segunda maior bolsa do mundo em valor de mercado. Com base nos preços das ações atingidos no pregão do dia 23, ela passou a valer R$ 30,4 bilhões, superando a Bolsa de Chicago, nos Estados Unidos. Segundo o seu presidente, Edemir Pinto, só a Bolsa de Hong Kong, na China,

AS TARIFAS de energia elétrica ficarão mais baratas. Isso deverá ocorrer a partir do momento em que o retorno financeiro das usinas hidrelétricas superar o valor investido, segundo informou o ministro de Minas e Energia, Márcio Zimmermann, durante um programa oficial de radio. Uma usina hidrelétrica, segundo o mistro, se paga em 20 anos e dura mais de 200, com poucos investimetos e custo baixíssimo. PÁGINA 4

ABR/ANTONIO CRUZ

Bovespa também alcança Custo da energia vai diminuir, segundo ministro a vice liderança mundial

MOEDAS COTADAS EM DOLAR (USA)

AG PETROBRAS/NELSON PEREZ

ANO 2  N° 25 | CAPITAL EMPRESA JORNALÍSTICA LTDA | 22 A 28 DE SETEMBRO DE 2010 | NAS BANCAS RS 1,00

A EUROCOPTER revelou um novo conceito de helicóptero híbrido X3 (foto) para competir com a concorrente Sikorsky, nos EUA. Ele apresenta as especificações de uma aeronave com decolagem vertical e com características de aeronave turboélice, permitindo que tenha um acréscimo de quase 50% a mais que o modelo da concorrente, chegando até 400km/h. O novo modelo possui duas hélices fixadas em dois motores turbohélices montados em duas pequenas asas fixas.


2 CAPITAL

22 a 28 de Setembro de 2010

Bolsa de São Paulo já é a segunda maior do mundo

BANCO DE IMAGENS

A BOLSA DE VALORES de São Paulo (Bovespa) tornou-se a segunda maior bolsa do mundo em valor de mercado. Com base nos preços das ações atingidos no pregão do dia 23, a bolsa passou a valer R$ 30,4 bilhões, superando a Bolsa de Chicago, nos Estados Unidos (EUA). Segundo o presidente da Bovespa, Edemir Pinto, só a Bolsa de Hong Kong, na China, vale mais que a Bolsa de São Paulo. Ele disse ainda que a bolsa paulistana vale 25% a mais que a soma das bolsas de Nova York, Nasdaq e de Londres. No discurso que fez durante o lançamento da oferta pública de ações da Petrobras, Pinto relacionou a valorização da bolsa ao crescimento do mercado de capitais no país. De 2003 a 2010, o

valor anual das transações na bolsa passou de R$ 200 bilhões para R$ 2 trilhões, o sexto maior do mundo. Ele disse, contudo, que ainda há espaço para avanços. Afirmou que, até 2014, o número de pessoas físicas que investem em ações deve

passar de 600 mil para 5 milhões. Mais 200 empresas devem abrir capital. - Vamos observar outras aberturas de capitais, principalmente no setor de petróleo e gás – disse. Edemir Pinto observou ainda que esse processo pode ser acelerado ainda

mais com novas medidas do governo. “Essa expansão pode ser acelerada com políticas públicas. Por exemplo, se reduzirmos os custos regulatórios e de tributos para empresas que vierem ao mercado de capitais para incentivar o investidor.”

Incentivo ao empreendedorismo nas comunidades pacificadas O SEBRAE/RJ apresentou dia 27, o Programa Sebrae nas Comunidades Pacificadas. O objetivo é desenvolver o empreendedorismo nas 12 comunidades que receberam UPPs (Unidades de Polícia Pacificadora), gerando emprego e renda para os moradores locais. A apresentação aconteceu no início da noite do dia 27, no Casa Cor, onde há espaços que foram decorados com objetos criados por artesãos de comunidades do estado do Rio de Janeiro. O programa inclui um diagnóstico em cada comunidade, para identificar as potencialidades - ou seja, os segmentos que podem ser trabalhados, a fim de gerar renda para a população; um levantamento do perfil dos empreendimentos já existentes; a realização de cursos e palestras sobre gestão empresarial, de acordo com o perfil e necessidades de cada comunidade, além de incentivo à formalização dos empreendedores locais. Todo o trabalho e a definição das ações a serem implementadas são realizados em parceria com as lideranças e associações presentes na comunidade.

Em algumas comunidades, a atuação do Sebrae/RJ já começou. No Santa Marta, por exemplo, primeira a receber uma UPP, a entidade está trabalhando, principalmente, com o turismo, que é a principal vocação local. Além de treinar 50 moradores para atuarem como monitores de turismo local, o Sebrae/RJ começará a desenvolver roteiros comerciais

para serem oferecidos pelas operadoras aos interessados. A entidade começou também o trabalho na Cidade de Deus, no Pavão-Pavãozinho e Cantagalo, no Chapéu Mangueira e Babilônia e no Borel. A entidade iniciará o projeto nos próximos meses na Formiga, no Andaraí, Providência, Salgueiro, Jardim Batan, Ladeira dos Tabajaras e Cabritos e Turano.

- O importante é incentivar o empreendedorismo com base nas vocações dessas comunidades. No Santa Marta, por exemplo, o turismo é focado na beleza natural e nos mirantes naturais, já na Providência o foco será o turismo histórico. Aproveitaremos essas potencialidades para criar oportunidades de geração de negócios e renda para os moradores desses locais – finalizou Malta.

Oportunidades e Desafios NESTA SEMANA, em que celebramos o Dia Mundial do Turismo, o Rio de Janeiro comemora também as perspectivas para o setor, que são animadoras. E vislumbra pela frente os desafios que se impõem. Nos próximos seis anos, seremos sede de eventos mundiais, que começam com os Jogos Mundiais Militares, em 2011, passam pelo Rio +20, pela Copa das Confederações, Copa do Mundo, Olimpíadas e Paraolimpíadas. Por conta de todos estes eventos, uma série de investimentos está programado e, na medida em que forem sendo concretizados, eles irão modificar por completo a configuração da cidade e, mais do que isso, do estado. Se por um lado vamos ter acesso a investimentos fundamentais para melhorar as cidades, vamos precisar de pessoas capacitadas para dar conta destas obras e atender aos turistas que virão nos visitar. É preciso, mais do que nunca, acrescentar qualidade a tudo o que oferecemos não só para quem chega, mas também para quem mora aqui. Este é o momento de aproveitar todas as nossas vocações, que serviram inclusive de garantias ao comitê olímpico internacional, e fazer com que elas se transformem em ação. Já começamos a olhar para isso por meio do trabalho da Câmara Setorial de Cultura Turismo e Esportes, quando fizemos o Caderno de Turismo do Estado, analisando a infraestrutura de cada uma das 92 cidades do estado para o Turismo. Estamos trabalhando, ainda, em um projeto denominado Rede de Formação Profissional Continuada, que se materializa num portal, em que serão oferecidos cursos de capacitação para que a população possa acessar gratuitamente. Se por um lado entramos de uma vez por todas no circuito mundial e retomamos a posição de porta de entrada do País e da América do Sul, por outro, precisamos investir pesadamente em áreas como Educação e qualificação profissional, Segurança e Meio Ambiente. Já demos alguns passos. Resta-nos não desanimar! GEIZA ROCHA é jornalista e secretária-geral do Fórum Permanente de Desenvolvimento Estratégico do Estado do Rio de Janeiro Jornalista Roberto Marinho. www.querodiscutiromeuestado.rj.gov.br

Filiado À ADJORI - Associação de Jornais do Interior

CAPITAL EMPRESA JORNALÍSTICA Ltda - CNPJ 11.244.751/0001-70 Av. Governador Leonel Brizola (antiga Presidente Kennedy) nº 1995, Sala 804 - Edifício Sul América - Centro, CEP 25.020-002 Duque de Caxias, Rio de Janeiro: Telefax: (21) 2671-6611 ENDEREÇOS ELETRÔNICOS: comercial.capitalmercado@gmail.com contato.capitalmercado@gmail.com redacao.capitalmercado@gmail.com TIRAGEM: 10.000 exemplares DEPARTAMENTO COMERCIAL: (21) 2671-6611 / 9287-1458 / 7854-7256 ID 8*21653 Diretor Geral: Marcelo Cunha (contato.capitalmercado@gmail.com) Diretor de Redação: Josué Cardoso (josuejornalista@gmail.com) Paginação e Arte: Alberto Ellobo (21 9320-1379) Colaboradores: Arthur Salomão, Karla Ferreira, Frederico Costa Ribeiro, Geiza Rocha, Jorge Cezar de Abreu, Leandro Feital, Patrícia Nascimento, Samuel Maia, Pedro Paulo B. Noyma e Roberto Daiub


CAPITAL

22 a 28 de Setembro de 2010

3

Com capitalização, Petrobras vira 2ª maior petrolífera do mundo A PETROBRAS vai se tornar a segunda maior empresa petrolífera mundial após a conclusão da capitalização, que atingiu R$ 120 bilhões (US$ 70 bilhões). O valor de mercado da estatal vai saltar dos atuais US$ 213,10 bilhões para US$ 283,10 bilhões, superando o valor da PetroChina (US$ 265,92 bilhões). Com isso, passará a ficar atrás apenas da gigante americana Exxon Mobil, que somava US$ 314,93 bilhões em valor de mercado. A oferta de ações da Petrobras, com a arrecadação de ao menos R$ 120 bilhões, ocupou destaque na imprensa internacional na sexta-feira (24), em especial nos jornais especializados na cobertura de economia. O aumento da participação do governo na petrolífera, que possui agora 48% das ações, também foi bastante citado. O preço definido para o lançamento da ação preferencial é menor que o registrado no fechamento dos negócios ontem na BM&FBovespa (Bolsa de Valores de São Paulo), de R$ 26,89. O valor da ordinária também é menor - ontem o papel encerrou o dia negociado a R$ 30,25 ARRECADAÇÃO - Na maior oferta pública de ações do mundo, a empresa

arrecadou perto de R$ 120 bilhões e subiu no ranking das empresas de petróleo. A Petrobras anunciou, no mesmo dia, na Bolsa de Valores de São Paulo, que conseguiu captar os recursos que serão usados na extração do petróleo do pré-sal. O presidente Lula comandou a cerimônia de encerramento da oferta de ações da Petrobras. “A Petrobras se transforma na segunda maior empresa a valores de mercado, atrás apenas da Exxon por enquanto”, destacou o ministro da Fazenda, Guido Mantega. Esta é a maior oferta pública de ações do mundo. Participaram pequenos e grandes investidores na Bolsa de São Paulo e investidores estrangeiros na Bolsa de Nova York. Mas quem mais comprou ações, cerca de dois terços do total, foi o próprio governo brasileiro. O governo pagou as ações com 5 bilhões de barris de petróleo que serão retirados das reservas do pré-sal e aumentou sua participação no capital da Petrobras de 40% para 48%. Com a capitalização, por meio da venda de ações, a Petrobras deve colocar em caixa US$ 25 bilhões para investimentos sem os custos de um empréstimo.

Capitalização pode acentuar alta do real A OPERAÇÃO de capitalização da Petrobras deverá trazer reflexos para o câmbio, na avaliação de analistas financeiros. Com a entrada de mais capital no país, o mercado poderá observar uma pressão para baixo, fazendo com que o real se valorize ainda mais diante do dólar. “Deveremos ver o fortalecimento do real com a chegada de

investimentos de fora”, diz o professor do Insper (ex-Ibmec), Otto Nogami. Com a oferta de ações, a empresa pode arrecadar até R$ 130 bilhões no mercado, que vão contribuir para fechar uma conta de R$ 220 bilhões de investimentos estimados nos próximos cinco anos. A tendência de apreciação do dólar deverá ser acentuada ao longo deste

Direito Empresarial

ARTHUR SALOMÕES

Capitalização da Petrobras faz Bovespa ser a segunda maior do mundo A OPERAÇÃO de capitalização da Petrobras, que foi comemorada sextafeira na Bolsa paulista, já teve impacto direto nas posições da empresa e da BM&F Bovespa no ranking mundial. A Bolsa tornou-se a segunda maior do mundo, ultrapassando concorrentes tradicionais, como Londres e Nova York, e a Petrobras passou a ser a segunda companhia global de petróleo e a quarta maior empresa do mundo em valor de mercado. Apesar de a oferta da estatal ter sido bemsucedida, somando R$ 120,3 bilhões, as ações da Petrobras encerraram em queda no pregão da última sexta-feira, dia que deu início à negociação

dos novos papéis. Apesar da queda, a operação da Petrobras fez com que o volume negociado na BM&F Bovespa na sexta-feira desse um salto, chegando a mais de R$ 11 bilhões, o maior desde junho. O giro cresceu principalmente porque investidores que aderiram à operação da estatal venderam outras ações para fazer caixa, de olho na liquidação da operação, que será quarta-feira. A capitalização fez com que a Petrobras fi casse atrás apenas da norte-americana Exxon no ranking global das empresas petrolíferas, por valor de mercado. Com a operação, a Petrobras passou a ter cerca de R$ 270 bilhões em valor de

mercado. Além disso, a Petrobras passou a ser a quarta maior empresa do mundo em valor de mercado, no ranking que inclui todos os setores da economia. Em primeiro nesse ranking geral também está a Exxon, seguida por PetroChina e Apple. A estatal brasileira ficou à frente, nesse ranking de companhias do porte de Microsoft, Walmart e General Electric. Na cerimônia de sextafeira, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva lembrou que a maior operação de lançamento de ações da história “não aconteceu na Bolsa de Londres, nem na de Nova York. Foi na Bolsa verdeamarela, graças ao trabalho da BM&F Bovespa e

(*)ARTHUR SALOMÃO É ESPECIALISTA EM DIREITO EMPRESARIAL E RECUPERAÇÃO JUDICIAL.

da Petrobras”. Também na cerimônia, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, lembrou que a capitalização da Petrobras permitiu ao governo elevar sua participação na empresa de 40% para 48%. O ministro destacou que a operação “foi um sucesso em todos os sentidos”, transformando a Petrobras na segunda maior petroleira do mundo. Segundo Mantega, a operação também serviu para mostrar que o Brasil está livre da “maldição do petróleo” (referindo-se aos países que viveram dificuldades econômicas por depender excessivamente desse produto). “No nosso caso, é a bênção do petróleo”, disse. (Fonte: DCI)

mês, segundo o economista da LCA Consultores Homero Guizzo. “Até o início de outubro, com a entrada de recursos no país, o movimento de valorização será mantido”, disse. Para os analistas, essa valorização da moeda nacional pode ser prejudicial para o mercado. “Certamente haverá uma pressão para baixo do dólar, o que pode

ser prejudicial para o mercado como um todo”, disse o professor de Mercado Financeiro e de Economia da Trevisan Escola de Negócios, Alcides Domingues Leite Junior. Segundo o especialista, a volatilidade de dólares é negativa para, por exemplo, empresas que importam ou exportam, afetando, inclusive, seu planejamento.


4 CAPITAL

22 a 28 de Setembro de 2010

Ministro anuncia que custo da energia no Brasil vai diminuir

Mercado eleva taxa de projeção do crescimento A ESTIMATIVA de analistas do mercado financeiro para o crescimento da economia neste ano oscilou de 7,47% para 7,53%, segundo o boletim Focus, divulgado dia 27 pelo Banco Central (BC). Para 2011, a projeção para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB), soma de todos os bens e serviços produzidos no país, permanece em 4,5%. O boletim Focus também traz a expectativa para a produção industrial, que continua em 11,37%, este ano, e em 5%, em 2011. A projeção para a relação entre a dívida líquida do setor público e o PIB passou de 40,60% para 40,70%, em 2010, e de 39,20% para 39,50%, em 2011. A expectativa para a cotação do dólar permaneceu em R$ 1,75, ao final deste ano, e em R$ 1,80, ao fim de 2011. A previsão para o superávit comercial (saldo positivo de exportações menos importações) permaneceu em US$ 15 bilhões, neste ano, e passou de US$ 9,90 bilhões para US$ 9,95 bilhões, em 2011. Para o défi cit em transações correntes (registro das transações de compra e venda de mercadorias e serviços do Brasil com o exterior), a projeção permanece em US$ 50 bilhões, neste ano, e em US$ 60 bilhões, em 2011. A expectativa para o investimento estrangeiro direto (recursos que vão para o setor produtivo do país) continua em US$ 30 bilhões, neste ano, e em US$ 38 bilhões, em 2011.

ABR/ANTÔNIO CRUZ

sociais - disse Zimmermann após participar do programa “Bom Dia, Ministro”, produzido pela Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, em parceria com a EBC Serviços. Ele acrescentou que isso acaba gerando uma carga tributária maior para que o Estado possa atuar na correção dessas distorções.

“Quando você soma todos esses fatores resulta em uma tarifação intermediária [para o padrão global]”, acrescenta. “Mas o modelo energético que adotamos é baseado na busca pela modicidade dos preços. Em um prazo maior, tenderá a favorecer a redução das tarifas”, disse. O ministro ressaltou que os investimentos em hidrelétricas permitem custos

menores de geração. “Uma usina como Belo Monte tem um custo de R$ 70 o megawatt-hora (MWh). É quase dez vezes mais barata do que uma usina a óleo, que produz energia a um custo entre R$ 600 e R$ 700 por MWh. Portanto, quando priorizamos fontes mais baratas, como as hidrelétricas, estamos exercendo uma política que visa a redução de preços, ainda que a médio prazo”, argumentou. Zimmermann destacou que o “Brasil está ancorado na hidreletricidade” e lembrou que uma usina hidrelétrica se paga em 20 anos. “Depois ela vai operar por mais de 200 anos, com poucos investimentos e a um custo baixíssimo. Essa é a realidade que o Brasil tem pela frente: uma perspectiva de custo baixo que é natural para quem trabalha com fontes renováveis.”

Colunista do Capital recebe prêmio PELA APOSTA nos novos negócios e pelo desempenho em prol do desenvolvimento econômico do estado, a secretária-geral do Fórum Permanente de Desenvolvimento Estratégico do Estado do Rio de Janeiro, Geiza Rocha, colunista do Capital, recebeu dia 23, o Prêmio INRIO 2010 - Personalidades do Ano, oferecido pela Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação Regional Rio de Janeiro (Assepro-RJ). Durante a cerimônia, no Centro de Convenções da Associação Comercial do Rio (ACRJ), foi entregue também o prêmio “Assespro Melhores Empresas 2010”, para nove empresários do ramo. - Fizemos um gol. Estou honrada e feliz porque o prêmio traduz o reconhecimento do trabalho realizado pelo Fórum voltado ao desen-

ALERJ/THAÍSA ARAUJO

AS TARIFAS de energia elétrica ficarão mais baratas. Isso deverá ficar mais perceptível para a população a partir do momento em que o retorno financeiro das usinas hidrelétricas superar o valor investido. A partir de então, a operação dessas usinas necessitará de poucos investimentos e isso refletirá nos preços cobrados do consumidor final. A previsão é do ministro de Minas e Energia, Márcio Zimmermann. Segundo ele, diferentemente do que muitos pensam, as tarifas de energia no Brasil não estão entre as mais caras do mundo. - O Brasil tem uma tarifa que está em condição intermediária em relação a outros países do mundo. Até porque países em desenvolvimento têm de implantar maior infraestrutura e, ao mesmo tempo, corrigir distorções econômicas e

volvimento econômico e social fluminense - disse Geiza, que recebeu o prêmio das mãos do diretor-superintendente do Sebrae/RJ, Sergio Malta. Porta-voz do Fórum de Desenvolvimento do Rio desde 2008, Geiza Rocha é responsável por coordenar o trabalho das nove câmaras setoriais do Fórum, formadas pela Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) e por mais 28 entidades e universidades. As câmaras reali-

zam debates sobre temas considerados estratégicos para o desenvolvimento do estado do Rio, com o objetivo de aproximar a sociedade civil organizada do Parlamento Fluminense. Dentre os temas já discutidos pelo Fórum estão a Lei de Inovação Tecnológica Estadual, a questão dos royalties do petróleo, o desenvolvimento da indústria pesqueira e da Zona Oeste da cidade do Rio, dentre outros.


CAPITAL

22 a 28 de Setembro de 2010

5

CVT Saracuruna tem curso certificado pelo CFQ O CONSELHO Federal de Química (CFQ), órgão máximo para a área no país - criado em 1956 pela Lei nº 2.800/56 -, emitiu parecer favorável, no dia 2, para o reconhecimento do curso de Técnico em Polímeros, na modalidade subsequente, para quem já é formado no ensino médio, oferecido pelo Centro Vocacional Tecnológico (CVT) de Saracuruna, escola ligada à Fundação de Apoio à Escola Técnica (Faetec). O processo para o reconhecimento do curso começou em janeiro deste ano e foi concluído na reunião plenária do CFQ, que

considerou que a estrutura curricular do curso oferecido em Saracuruna atende às disposições necessárias de resoluções normativas para o desempenho das atividades relativas aos Técnicos em Química ligados à instituição, autorizando todos os alunos que se formarem pelo CVT a realizar seu registro nos Conselhos Regionais de Química (CRQs). Essa certificação aumenta em muito a empregabilidade dos técnicos formados pela instituição em relação ao mercado, que agora passam a ter direito a um documento que reconhece sua

Estimativa de analistas de mercado para a inflação oficial chega a 5,05% A PROJEÇÃO de analistas do mercado financeiro para a inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) subiu de 5,01% para 5,05%, este ano, segundo o boletim Focus, elaborado pelo Banco Central (BC), com base nas expectativas para os

principais indicadores econômicos. Para 2011, a previsão para o IPCA oscilou de 4,95% para 4,94%. As projeções estão acima do centro da meta de inflação de 4,5%. Essa meta tem ainda limite inferior de 2,5% e superior de 6,5%, e cabe ao BC persegui-la.

capacidade técnica, válido em todo o Brasil. Para o professor Amauri Eugênio, coordenador do CVT, esse reconhecimento é muito bom para os alunos, mas também é muito importante para o próprio CVT. - Com essa aprovação pelo CFQ, nossa escola passa a ser reconhecida no meio empresarial como uma instituição de ensino de referência, capacitada a formar técnicos químicos profissionais para o mercado. Isso é muito bom - afirma. Além do curso de Técnico em Polímeros, que tem dura-

ção de um ano e meio, o CVT Saracuruna oferece mais sete cursos de formação na área. São eles: operador de máquinas termoplásticas, administração e gestão de micro e pequenos empreendimentos, técnico de estocagem e armazenamento, operador de telemarketing, auxiliar de escritório e informática básica e profissional. Mais informações podem ser solicitadas na própria escola, localizada na Rua Padre Marinho nº 23, na Praça do Rosário, em Saracuruna. Ou pelos telefones 2678-5130 e 2678-7115.

Caxias discute desafios e metas para o campo COM O TEMA “Agricultura Familiar e Sustentabilidade”, a Secretaria de Meio Ambiente, Agricultura e Abastecimento de Duque de Caxias está promovendo a 2ª Conferência Municipal de Política Agrícola e Desenvolvimento Rural. O encontro, aberto dia 27 e com término no dia seguinte, pretende sensibilizar e mobilizar a sociedade para o estabelecimento de agendas, metas e planos de ação para enfrentar os problemas existentes na área rural do município e indicar prioridades de atuação do governo. A

primeira foi realizada há mais de 10 anos. Os participantes vão eleger também os membros do Conselho Municipal de Agricultura, formado por 18 representantes da sociedade civil e do governo, e presidido pelo secretário Samuel Maia. A conferência é reaslizada na sede da Associação de Antigos Funcionários do Banco do Brasil, na Alameda Santa Alice, em Xerém. Ela conta com a participação de 100 delegados inscritos por entidades rurais, ONGs, associações e pelas Secretarias de Meio Ambiente, Agricultura e Abastecimento e de Habitação.

Câncer de Próstata (final) NEM SEMPRE a pessoa apresenta sintomas evidentes logo no início da doença, o que dificulta ainda mais o diagnóstico precoce. Alteração na micção, com dor e/ou sangue ou mesmo queimação na hora de urinar; Acordar várias vezes durante a noite para urinar; Dor constante na região pélvica, nas costas ou mesmo na parte superior da coxa; Dor ao ejacular. Que exames são feitos para detectar o câncer? PSA: Deve ser realizado anualmente, a partir dos 45 anos, através de um exame de sangue, onde será medida a quantidade de antígeno prostático. Quando muito elevada, de acordo com a idade, pode indicar anormalidade não órgão, como pode indicar anormalidade no órgão, como também câncer de próstata; Ultrassom transretal: Detecta tumores pequenos ou localizado em áreas da próstata não alcançadas pelo toque retal; Toque Retal: Deve ser feito uma vez por ano pelo médico. É indolor e rápido, podendo indicar a presença de alguma área área irregular ou anormalidade; Biópsia: Retirada de uma amostra de tecido de várias partes da próstata para confirmar a doença e saber em que estádio ela se encontra. Tratamento do câncer de próstata. Resseção transuretal da próstata: É feita quando o tumor está em estágios iniciais; Prostatectomia: Cirurgia para retirada total da glândula quando a doença já abrange uma área maior da próstata; Radioterapia: Utilizado em tumores avançados que não tenham condições de serem removidos pela cirurgia ou mesmo casos iniciais em que o paciente não tenha condições clínicas mínimas de ser operado; Terapia Hormonal: Utiliza medicamentos para bloquear a produção de hormônios masculinos e desacelerar o crescimento do câncer. É mais eficaz quando utilizada em combinação com a radioterapia, em casos já avançados. ROBERTO DAIUB ALEXANDRE é médico cardiologista concursado da Prefeitura de Duque de Caxias, médico-chefe do Centro de Terapia Intensiva do Hospital de Clínicas de Teresópolis (Unifeso) e médico plantonista da emergência do Hospital das Clínicas Mario Lioni, em Duque de Caxias


6 CAPITAL

22 a 28 de Setembro de 2010

País Produção industrial cresce em quase todos os setores

ABR/ELZA FIÚZA

O AUMENTO da produção industrial, em agosto, foi mais disseminado que nos meses anteriores e atingiu quase todos os setores da indústria de transformação, de acordo com a pesquisa Sondagem Industrial, divulgada dia 24 pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). O levantamento, realizado com 1.603 empresas e concluído no último dia 21, mostra que dos 26 segmentos pesquisados, só a indústria de borracha registrou queda em relação a julho, mês em que nove setores apresentaram declínio (na comparação com junho). Segundo a Sondagem

Industrial, a produção cresceu de 53,4 pontos, em julho, para 55,1 pontos no mês passado, e isso elevou a utilização da capacidade instalada (UCI) para 51 pontos, ligeiramente acima da UCI média para o mês analisado. Esse indicador é medido de zero a 100 e os valores acima de 50 indicam expectativa positiva. De acordo com a pesquisa, o nível de estoque ficou em 51,4 pontos, acima do planejamento das empresas, com destaque para os estoques maiores nas médias e grandes empresas, no total de 52,3 pontos. As reservas de produção nas pequenas empresas ficaram em 49 pontos.

O economista Renato Fonseca, da CNI, disse que a expectativa do empresariado para os próximos seis meses continua otimista, na marca de 61,5 pontos, um pouco acima da média histórica de 59,9 pontos. Ele explicou ainda que as perspectivas de elevação nas vendas puxaram as expectativas de compra de matéria-prima, cujo indicador marcou 59,1 pontos. Já as perspectivas sobre as exportações são positivas por parte das grandes empresas, que registraram 54,1 pontos. O indicador foi menor entre as médias (49 pontos) e as pequenas (49,7).

Lula diz que países ricos buscarão etanol brasileiro AO INAUGURAR dia 27, em Barra Bonita (SP), usinas termelétricas movidas a biomassa de cana-de-açúcar, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou que os países ricos vão acabar buscando o álcool brasileiro como alternativa de combustível menos poluente. “O Brasil passou a ser respeitado no mundo com a questão da cana-de-açúcar, porque o mundo rico, seja a Europa, o Japão, os

Estados Unidos, têm a obrigação de parar de usar combustível que gere gás que polua o Planeta. Então, eles vão ter que utilizar outra coisa, e vão ter que usar etanol, vão ter que utilizar nosso álcool”, disse. As usinas integram o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Lula lembrou que há uma resistência dos Estados Unidos ao etanol brasileiro já que o país cobra uma tarifa para

dificultar a entrada do álcool. Ele afirmou que, em algum momento, o país norte-americano precisará derrubar essa barreira. “Nos Estados Unidos o mesmo que fazemos de cana eles fazem de milho [sobre a produção de etanol], só que fazendo de milho eles encarecem a ração animal. E o álcool americano custa três vezes o preço do nosso, por isso que ficamos importantes, porque ago-

ra eles têm uma tarifa para impedir que nosso etanol chegue lá. Mas acho que a realidade vai obrigá-los, em qualquer momento, eles vão ter que abrir para importar o nosso álcool”, avaliou. Lula estimou ainda que o provável aumento de vendas de etanol para o exterior contribuirá para o surgimento de postos de trabalho para absorver os cortadores de cana nas áreas de serviço das usinas.

CGU e MPF firmam parceria para combater corrupção O MINISTÉRIO Público Federal (MPF) e a Controladoria-Geral da União (CGU) assinaram protocolo de cooperação técnica para ampliar a articulação e a integração de ações destinadas a combater os crimes de corrupção em todo o país envolvendo recursos federais. As ações decorrentes do protocolo envolverão principalmente a 2ª Câmara de

Coordenação e Revisão do MPF, que atua na área criminal, e a Diretoria de Informações Estratégicas da CGU, que corresponde às ações de inteligência. O novo protocolo, com prazo de vigência inicial de três anos, será assinado pelo procurador-geral da República, Roberto Gurgel, e pelo ministro-chefe da CGU, Jorge Hage.


CAPITAL

22 a 28 de Setembro de 2010

Atualidade O IMPASSE NO Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a aplicação da Lei da Ficha Limpa nas eleições deste ano, deixa a sociedade insegura, avalia o jurista e presidente do Instituto Brasiliense de Direito Público, Inocêncio Mártires Coelho. O julgamento no Supremo sobre o assunto, no dia 23, terminou empatado em 5 a 5. A sessão foi suspensa antes de ser proclamada a decisão final de como o impasse será resolvido. “A decisão jogou mais dúvidas sobre a sociedade, o que é um paradoxo porque a função do Tribunal é exatamente estabilizar as expectativas”, disse no dia seguinte o jurista, em entrevista à Rádio Nacional. Mártires Coelho ressaltou que a Lei da Ficha Limpa tem um apelo popular muito forte e que o impasse no Supremo complica o quadro político nas

ABR/RODRIGUES POZZEBOM

Indefinição do STF sobre Ficha Limpa deixa sociedade insegura

regiões onde há candidatos impugnados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e aguardam o julgamento na Suprema Corte. De acordo com a análise do jurista, já que houve um empate no julgamento, a decisão sobre a aplicação da Ficha Limpa em 2010 deve ficar nas mãos de um novo ministro do STF. O novo

ocupante do cargo ainda vai ser indicado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva para substituir Eros Grau, que se aposentou em agosto. O jurista lembrou que as campanhas dos candidatos condenados pelo TSE com base na Lei da Ficha Limpa vão continuar normalmente. Ele

destacou que o eleitor deve ficar atento, porque esses candidatos correm o risco de não assumir o cargo ou ter o mandato cassado. “Se um candidato impugnado chegar à vitória e mais adiante for declarada a aplicação imediata da Ficha Limpa, ele terá o mandato cassado”, afirmou.

Caixa já pagou R$ 4,8 bilhões de abono salarial e rendimentos do PIS A CAIXA Econômica Federal liberou até o dia 20 deste mês R$ 4,791 bilhões em pagamentos do abono salarial e de rendimentos do Programa de Integração Social (PIS) referentes ao exercício 2010/2011, iniciado em julho último e que vai até junho do ano que vem. Foram R$ 4,445 bilhões em abonos de um salário mínimo e R$ 346 milhões de rendimentos. De acordo com dados da Caixa, 18,4 milhões de trabalhadores têm direito ao abono salarial, no total de R$ 9,4 bilhões. Desses, 15,6 milhões são cadastrados no PIS e o restante faz parte do Programa de Formação do Patrimônio do Servidor (Pasep), que é gerenciado pelo

Banco do Brasil. Quanto aos rendimentos do PIS, 28,1 milhões de trabalhadores com rendimentos acima de dois salários mínimos fazem jus ao benefício, no total de R$ 1,45 bilhão. O pagamento do PIS pode ser liberado por crédito em contacorrente, pela empresa ou com o Cartão do Cidadão. Para os clientes da Caixa, os benefícios estão sendo creditados desde o dia 20 de julho. As empresas conveniadas com a Caixa também já incluíram o benefício nos contracheques de julho e de agosto, e com o Cartão do Cidadão o saque pode ser feito de acordo com o calendário de pagamentos por mês de nascimento.

Governo concede crédito adicional de até R$ 30 bilhões ao BNDES MEDIDA PROVISÓRIA publicada dia 27 no Diário Oficial da União concede crédito adicional ao Banco Nacional de Desenvolvimento

Econômico e Social (BNDES). Segundo a Medida Provisória 505, a União fica autorizada a conceder crédito ao banco no valor de

até R$ 30 bilhões em condições financeiras e contratuais a serem definidas pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega. Ainda de

acordo com a MP, para a cobertura do crédito, a União poderá emitir, sob a forma de colocação direta, em favor do BNDES, títulos do Tesouro

Internacional Governo brasileiro doa US$ 1 milhão para ações humanitárias da Cruz Vermelha O GOVERNO brasileiro doou US$ 1 milhão ao Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV), passando a integrar o grupo de países que apoiam financeiramente a entidade de assistência humanitária na proteção às vítimas dos conflitos armados e de outras situações de violência. Segundo o chefe da delegação do CICV para a Argentina, Brasil, Chile, Paraguai e Uruguai, Felipe Donoso, a doação foi feita durante o encontro do ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, com o presidente da enti-

dade, Jakob Kellenberg, no último dia 13, em Genebra, na Suíça. Por meio de sua assessoria, o Itamaraty confirmou a doação. Donoso atribuiu a “boa notícia” à maior projeção do país no cenário internacional. Recentemente, a revista britânica The Economist, uma das publicações de maior prestígio mundial, noticiou que o Brasil já se tornou um dos maiores doadores internacionais para projetos de caráter humanitário ou desenvolvimentista, seja por meio de programas como

os da Organização das Nações Unidas (ONU), para o Desenvolvimento (Pnud) ou de Alimentos e Agricultura (FAO), seja por meio da participação em iniciativas como a Missão de Paz no Haiti. O CICV já mantém no Brasil acordos de cooperação não-financeiros não só com o governo federal - que, entre outras ações, participou da operação de resgate de reféns das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) coordenado pela entidade - como também com diversos governos

estaduais, como os de São Paulo e o do Rio de Janeiro, a quem oferece, entre outras coisas, cursos de capacitação em direitos humanos a policiais. Com um orçamento anual estimado em cerca de US$ 1 bilhão, o CICV atua sobretudo em países onde haja conflitos armados deflagrados ou onde a dignidade humana esteja ameaçada. Em todo o mundo, a entidade conta com cerca de 100 milhões de colaboradores dispostos a atuar também em casos de catástrofes ambientais.

FMI monitora finanças do Brasil e mais 24 países O FMI-Fundo Monetário Internacional, anunciou dia 27 que está tornando obrigatório para 25 países - entre eles, o Brasil -, um exame regular da saúde de seu sistema financeiro. Segundo regulamento do FMI, todos os 187 países membros do fundo passam por um “check-up da

saúde econômica anual”, já que, até o momento, era realizado apenas com o consentimento dos Estados. Agora, a mais alta instância de decisão do FMI, seu conselho de administração, votou para tornar obrigatórios os “programas de avaliação do setor financeiro” para

os países considerados os mais importantes do sistema mundial, anunciou o fundo em comunicado. O FMI informou que a escolha das 25 economias foi baseada “no tamanho de seus setores financeiros e suas conexões com os setores financeiros em outros países”. Trata-se dos maiores países

desenvolvidos, entre eles o conjunto dos membros do G7 e os 12 países da Europa ocidental, assim como Austrália, economias asiáticas recentemente desenvolvidas (Coreia do Sul, Hong Kong, Cingapura) e emergentes (Brasil, China, Índia, México, Rússia e Turquia).

Nacional referentes à Dívida Pública Mobiliária Federal (DPMF) também sob critérios definidos pelo Ministério da Fazenda. O

Tesouro fará jus à remuneração equivalente a Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP), utilizada pelo BNDES ao financiar o setor produtivo.

7


8 CAPITAL

22 a 28 de Setembro de 2010

Mantega quer retomar reforma tributária este ano O MINISTRO da Fazenda, Guido Mantega, afirmou segunda-feira (27) que é possível retomar as discussões em torno da reforma tributária e pactuar com os estados, ainda este ano, mecanismos para acabar com a chamada guerra fiscal. Mantega lembrou que o governo já tem pronta uma proposta de reforma tributária que só não foi encaminhada ao Congresso Nacional por causa do processo eleitoral. De acordo com o ministro, mesmo que a iniciativa da reforma tributária fique para o próximo governo, é viável negociar até o fim do ano um acordo para acabar com a guerra fiscal. - Pretendo retomar esta questão logo após as eleições. É possível fazermos esta parte da reforma tributária até o final do governo Lula. Falta apenas conversarmos com os estados para definirmos

ABR/MARCELLO CASAL JR

uma alíquota única homogeneizando a legislação. E a União está disposta a fazer sua parte, compensando os estados que eventualmente tiverem algum prejuízo - disse o ministro. O ministro reafirmou, em São Paulo, que o governo federal tomará todas as medi-

das necessárias para impedir uma eventual sobrevalorização do real. Sem entrar em detalhes, ele garantiu que nem a política de câmbio flutuante será abolida, nem os investimentos estrangeiros serão taxados. “Se necessário, o governo pode tomar várias medidas. Não nos fal-

Cesta de compras sobe 0,74% no Rio APÓS QUEDA na primeira semana de setembro de 0,65%, a cesta de compras do carioca voltou a subir na segunda semana deste mês em 0,74%. Com essa alta, o valor da cesta chegou a R$ 397,97, de acordo com pesquisa divulgada dia 24 pela Federação do Comércio do Rio de Janeiro (FecomércioRJ). Os principais vilões da pesquisa são a alta da banana prata (6,72%), carne bovina de primeira (2,68), laranja-

pera (2,25%) e a carne bovina de segunda (2,12%). Já os produtos que registraram as maiores quedas foram cenoura (-5,83%) e batata-inglesa (-5,37%). Tanto as famílias com rendimento até oito salários mínimos, quanto as que ganham mais que isso, sentiram o aumento. Para o primeiro grupo, o aumento foi de 0,64%, para o segundo, os preços subiram 0,81%. Entre 17 de agosto e 16 de setembro, a cesta de compras

teve aumento de 0,55%. No ano, os preços acumularam alta de 1,74%. Porém, nos últimos 12 meses, os gastos foram reajustados em 2,45%. A pesquisa feita no Rio de Janeiro reflete as variações de 6.680 preços, coletados em 200 locais, referentes a 39 itens (32 de alimentação, quatro de higiene e três de limpeza), de maior peso no orçamento, consumidos por famílias de dez diferentes faixas de renda.

tam instrumentos para conter a sobrevalorização excessiva do real e o governo não deixará que isso aconteça”, disse o ministro ao participar do seminário “O Papel da Indústria no Crescimento do Brasil”, na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

Justiça fecha empresa e aprende bens na Figueira Dois oficiais de Justiça fizeram, na sexta-feira (24), a apreensão de bens da empresa Tetto Habitação S/A, no bairro Figueira, que ocupava um galpão alugado da massa falida da SITEC. A Tetto atua no ramo imobiliário e tem como sócio e fiador Eugênio Pacelli Marques de Almeida Hollanda. A empresa, segundo advogados da massa falida, está com uma dívida em torno de R$ 200 mil referente a aluguéis e de aproximadamente R$ 60 mil à concessionária Ampla. Eugênio Pacelli estava envolvido na compra do Dresdner Bank no Brasil, junto com o

banqueiro carioca Luiz Cezar Fernandes, anunciada em fevereiro, um negócio de cerca de US$ 100 milhões. A saída de Holanda da sociedade com Fernandes está relacionada com um inquérito ainda em andamento na Comissão de Valores Mobiliários sobre manipulação de preços de títulos de direitos creditórios que eram do Rio Previdência, fundo de pensão dos funcionários públicos do Estado do Rio de Janeiro e seus dependentes, em 2005, que teria trazido prejuízos estimados entre R$ 210 milhões e R$ 426 milhões aos cofres públicos.

GM do Brasil vai contratar 250 engenheiros A GM DO BRASIL anunciou que vai contratar 250 engenheiros para o centro tecnológico de São Caetano do Sul até março do ano que vem. O objetivo é reforçar o time de engenheiros para atender a meta traçada pela empresa

de renovar toda a frota de veículos nos próximos dois a três anos. Atualmente, o centro conta com 1.550 engenheiros. A informação foi dada por Pedro Manuchakian, vicepresidente de engenharia de produtos da América do Sul da

GM, durante a apresentação da nova picape Montana, lançada ontem, em Porto de Galinhas, em Pernambuco. O centro tecnológico de São Caetano é um dos cinco centros de desenvolvimento de carro da GM no mundo.


Edição Nº 25