Issuu on Google+

Indicadores / Câmbio

País

Compra

Filtros evitarão interferência do 4G na Televisão Digital

Venda %

Dolar Comercial

2,276

2,277

1,56

Dólar turismo

2,230

2,330

0,43

51.605,83

0,72

ibovespa

►PÁGINA 2 Fechamento: 02 de junho de 2014

Ano 6 ● nº 213 www.jornalcapital.jor.br Duque de Caxias, Baixada e Capital

MERCADO & NEGÓCIOS R$1

Capital EMpRESa JORNalÍStiCa ltDa ● ►03 a 09 de JUNHO de 2014

Desoneração será permanente Banco de Imagens

Balança comercial registra o menor superávit para maio desde 2002

A

O

ministro da Fazenda, Guido Mantega, anunciou, após se reunir com a presidenta Dilma Rousseff, que a desoneração da folha de pagamento dos 56 setores atualmente contemplados será permanente. A política de desoneração teria vigência até 31 de dezembro próximo. ►PÁGINA 3

A

Indústria apoia im da alta dos juros

balança comercial - diferença entre exportações e importações - registrou em maio o menor resultado para o mês em 12 anos. Segundo números divulgados nesta segunda-feira (2) pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, no mês passado, o país exportou US$ 712 milhões a mais do que importou. Para meses de maio, o superávit é o mais baixo desde 2002, quando tinha ficado em US$ 384 milhões. Em relação a maio do ano passado, o superávit recuou 6,7%. Apesar de a balança ter registrado superávit pelo terceiro mês seguido, o resultado foi insuficiente para cobrir o déficit da balança no acumulado do ano. De janeiro a maio, a balança acumula resultado negativo de US$ 4,854 bilhões. O déficit é 9,8% menor que no mesmo período do ano passado (US$ 5,381 bilhões). No mês passado, o país exportou US$ 20,752 bilhões, valor 4,9% menor que em maio do ano passado pela média diária. As importações somaram US$ 20,040 bilhões, recuo de 4,8% também pela média diária. No acumulado do ano, o resultado da balança comercial melhorou apenas porque as importações caíram mais que as exportações.

Transcarioca em experiência ABr/Tânia Rego

manutenção dos juros básicos da economia em 11% ao ano foi uma decisão acertada do Banco Central, avalia a Confederação Nacional da Indústria (CNI). ►PÁGINA 4

Greve de rodoviários do Rio é considerada ilegal pelo TRT e Sindicato é multado ►PÁGINA 5

Anulada a desapropriação da Reinaria de Manguinhos ►PÁGINA 7

A

presidenta Dilma Rousseff, o governador Luiz Fernando Pezão e o prefeito Eduardo Paes participaram da primeira viagem do BRT Transcarioca, ligando a Barra da Tijuca à Ilha do Governador, no Aeroporto do Galeão. A data da conclusão da obra ainda será anunciada. ►PÁGINA 5

Coleta de lixo eletrônico Banco de Imagens

A

Secretaria do Ambiente do Estado lançará a campanha de captação do lixo eletrônico com a instalação de um ponto de coleta na estação Central do Brasil. A iniciativa visa conscientizar a população sobre a importância do descarte do lixo eletrônico de maneira segura e sem agredir a natureza. ►PÁGINA 4

Alerj vai doar R$ 70 milhões para Segurança e Educação ►PÁGINA 7

Deinidas as regras para leilão de energia de reserva ►PÁGINA 2

Aeroporto Tom Jobim é ampliado

►PÁGINA87 ►PÁGINA


2

MERCADO & NEGÓCIOS

►03 a 09 de Junho de 2014

Duque de Caxias, Baixada e Capital

Balanço do setor naval e offshore será na Firjan O

s principais projetos, desaios e oportunidades da indústria naval luminense serão debatidos durante o III Balanço do Setor Naval e Offshore do Rio de Janeiro que acontecerá na próxima sexta-feira (6), das 9 às 13 horas, na Firjan, no centro do Rio. O evento é promovido pela Secretaria Estadual de Desenvolvimento e terá a participação das principais lideranças do setor, que tem investimento crescente no Estado. “O Rio de Janeiro tem vocação natural para a indústria naval. Com mais de 15 estaleiros e outros sendo construídos, ampliados e modernizados, o Rio se consolida cada vez mais como o berço da indústria

naval brasileira”, airmou o secretário Julio Bueno. Bueno integrará o primeiro painel, “As políticas públicas impulsionando o setor”, que também terá a participação do presidente do Sindicato Nacional da Indústria Naval, Ariovaldo Rocha, e representantes do BNDES e do Fundo da Marinha Mercante (FMM). O evento contará ainda com outros dois painéis que vão abordar temas sobre os trabalhadores e novos empreendimentos do setor. O III Balanço do Setor Naval é realizado em parceria com a Companhia de Desenvolvimento Industrial (Codin), os jornais O Dia e Brasil Econômico, o Sinaval, a Federação das

Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), a Organização Nacional da Indústria do Petróleo (Onip), a Companhia Docas do Rio e o Fórum dos Trabalhadores da Indústria Naval e Petróleo. INVESTIMENTOS - Levantamento feito pela Secretaria aponta que os investimentos em andamento no setor no Estado beiram cerca de R$ 10 bilhões. A indústria naval luminense tem 40 mil dos 66 mil empregados desse setor no País, com tradição em grandes empreendimentos navais e offshore e na cadeia de produção com pequenos, médios e grandes estaleiros. “O Estado conta com

mão de obra qualiicada, proximidade com fornecedores de matéria-prima e com o mercado consumidor, além de possuir o maior parque de tecnologia offshore do mundo”, ressaltou o secretário. A Secretaria oferece uma série de incentivos para o setor, como apoio na instalação, expansão e modernização dos estaleiros, adensamento da cadeia de fornecedores, exoneração do ICMS para a cadeia produtiva e para o aço importado, apoio na obtenção de licenças ambientais, orientação sobre melhor área para instalação do negócio, articulação para capacitação da mão de obra.

Governo deine regras para leilão de energia de reserva O

Ministério de Minas e Energia divulgou nesta segunda-feira (2) as regras para o Leilão de Energia de Reserva, marcado para acontecer em 10 de outubro. A portaria foi publicada no Diário Oicial da União. A energia reserva é contratada para suprir uma eventual falta de energia por parte das usinas hidrelétricas. Neste

leilão, serão negociados Contratos de Energia de Reserva de fontes consideradas limpas: solar, eólica e a partir de biomassa composta de resíduos sólidos urbanos, biogás de aterro sanitário ou biodigestores de resíduos vegetais ou animais, assim como lodos de estações de tratamento de esgoto. O início do suprimento

de energia elétrica será em outubro de 2017 com prazo de 20 anos. O preço da energia contratada será o valor do lance inal do vendedor, expresso em reais por megawatts-hora (R$/ MWh), reajustado anualmente pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Os empreendedores que pretendem participar do leilão

deverão acessar o Sistema AEGE, disponível no site da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), para fazer as inscrições e requerer o Cadastramento e a Habilitação Técnica dos seus empreendimentos. A fase de cadastramento para o Leilão de Reserva ocorrerá até as 12 horas (horário de Brasília) do dia 10 de julho de 2014.

Fórum Permanente de Desenvolvimento Estratégico do Estado Jornalista Roberto Marinho GeIZa Rocha é jornalista e secretária-geral do Fórum Permanente de desenvolvimento estratégico do estado do Rio de janeiro ornalista Roberto marinho. www querodiscutiromeuestado.rj.gov.br

A cidade nos pertence

A

s cidades precisam ser devolvidas aos seus cidadãos. Este movimento de criar espaços de encontro fortalecido por eventos esportivos e culturais, tem tomado força nos últimos anos e pode se conigurar numa saída para combater o mau humor que tomou conta do País. Hoje como cidadãos temos pouco espaço para nos encontrar e criar, debater os problemas do bairro, ajudar a promover as nossas vocações, conhecer iniciativas que dão certo. Quando olhamos em volta nos sentimos solitários, mesmo no meio da multidão. No 3º Seminário Serrano de Economia Criativa, realizado nos últimos dias 30 e 31 de maio em Nova Friburgo, especialistas em festivais de cinema e em cidades criativas falaram sobre a revitalização de espaços urbanos abandonados, e a possibilidade de promover o reencontro entre as cidades e as pessoas com ações simples, como convidar graiteiros e artistas de rua para intervir em locais degradados, criando novas funções para eles. Falou-se muito nas vocações e na valorização da cultura local e das identidades. E neste ponto, é possível comparar identidades locais e produto. "Sem diferenciação do produto a luta no mercado passa a ser pelo preço. Tudo vira pãozinho", defende a designer Angela Carvalho. Para atrair a atenção do público é preciso ser sexy. E pensar sobre o local onde vivemos e a possibilidade de outras pessoas o amarem tanto quanto nós é um ótimo desaio. O especialista holandês Evert Verhagen chamou atenção para isso em suas intervenções: "Nova Friburgo possui a possibilidade de criar um cluster, mas vocês tem que ser sexies. Precisam fazer eventos e colocar a cidade no mapa, comunicar isso. Problemas acontecem em todas os lugares. Mas é preciso usar a energia da urgência para criar algo para o futuro". Bom convite não só para Friburgo, não é mesmo?

Indicadores / Câmbio Cambio Moeda

(*) Fechamento: 02 de junho de 2014

Compra (R$) 2,276

2,277

Dólar turismo

2,230

2,330

Compra (U$)

Moeda

Venda (U$)

Variação % 1,56 0,43 Variação %

Coroa Dinamarca

5,487

5,489

0,27

Dólar austrália

0,924

0,924

0,73

Dólar Canadá

1,089

1,090

0,49

Euro

1,359

1,359

0,24

Franco Suíça

0,898

0,898

0,36

102,340

102,420

0,62

1,674

1,675

0,07

550,850

551,850

0,38

1.901,500

1.904,500

0,34

8,010

8,110

0,00

peso México

12,907

12,912

0,41

Peso Uruguai

22,930

23,030

0,17

iene Japão

Ponto de Observação

Venda (R$)

Dolar Comercial

libra Esterlina inglaterra peso Chile peso Colômbia peso livre argentina

Bolsa Valor

Falta de nutricionista para cuidar da merenda alberto marques

A

falta de nutricionistas é o principal empecilho para que as escolas ofereçam merenda adequada a estudantes com restrições alimentares, segundo dados do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Uma reportagem distribuía no im de semana pela Agência Brasil, do Governo Federal, lembra que tal exigência consta da lei publicada no Diário Oicial da União do último dia 29, que dá prazo de 90 dias para que todas as escolas passem a atender às demandas nutricionais diferenciadas. "A maior preocupação, o ponto crítico é: tem nutricionista? Todo município tem a quantidade adequada, conforme pede resolução que estipula a quantidade mínima por aluno? A

resposta é não", diz o coordenador substituto de Educação e Controle Social do Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae), Leomir Araujo. Segundo ele, pelo menos 20% do país não está preparado para receber "de forma mínima, quanto mais de forma ideal" a lei. Pelos dados do FNDE, até 2011, 79% dos municípios tinham nutricionistas cadastrados no Pnae, mas nem sempre em condições adequadas. Ribeirão Corrente (SP) é uma das cidades que têm nutricionista, mas apenas um proissional é responsável por atender às demandas de educação e de saúde. Por resolução do Conselho Federal de Nutricionistas, um proissional deve atender a até 500 alunos. Em Ribeirão Corrente, ele atende a mil estudantes, segundo o secretário de Educação do município, Rodrigo Oliveira. "Mesmo assim, como somos um

município pequeno, temos três ou quatro alunos com restrições alimentares. Eles recebem alimentação separada", diz o secretário. Em Breu Branco (PA), a situação é mais preocupante. Segundo a secretária de Educação do município, Melânia Mezzomo, um nutricionista dá conta de 13,2 mil estudantes. Ela diz que, na cidade, o Ministério Público pressiona para que não se ultrapasse os limites da Lei de Responsabilidade Fiscal, segundo a qual a despesa com pessoal não pode ser maior que 60% da receita corrente líquida nos estados e municípios. "Não podemos contratar, não temos concursados e na cidade há diiculdade de encontrar proissionais capacitados", diz Melânia. Leomir Araujo explica que a lei não prevê punições, mas ainda deve ser regulamentada e pode haver punição para quem não cumprir a adequação. A

alimentação deve atender aos alunos que necessitem de atenção nutricional individualizada em virtude de estado ou de condição de saúde especíica. Um cardápio especial deverá ser elaborado com base em recomendações médicas e nutricionais, avaliação nutricional e demandas nutricionais diferenciadas. Para quem tem ilhos nessas condições, a lei é garantia de que crianças e adolescentes terão acesso à alimentação adequada. Ao ixar o prazo de 90 dias para o cumprimento da Lei por parte dos dirigentes escolares, os congressistas esqueceram o fundamental: de onde virá o dinheiro para contratar o proissional responsável pela merenda? Há cidades gastando mais de 100% da verba do FUNDEB no pagamento de salários irrisórios aos professores.

Variação %

ibovespa

51.605,83

0,72

iBX

21.303,58

0,69

Dow Jones

16.743,63

0,16

7.678,23

0,44

Merval Commodities Unidade petróleo - Brent

Compra US$

barril

Venda US$

Variação %

110,130

110,150

0,12

Ouro

onça troy

1.243,700

1.244,600

0,01

prata

onça troy

18,740

18,810

0,16

platina

onça troy

1.432,500

1.436,900

0,13

paládio

onça troy

829,630

835,630

0,09

poupança

03/06

0,566

tR

02/06

0,04

ao ano

11,00

indicadores

Juros Selic meta

724,00

Salário Mínimo (Federal)

MERCADO & NEGÓCIOS Av. Governador Leonel de Moura Brizola (antiga Presidente Kennedy), 1995 - Sala 804 Edifício Sul América - Centro, CEP 25.020-002 - Duque de Caxias, Rio de Janeiro Telefax: (21) 2671-6611 - CNPJ 11.244.751/0001-70 Na internet:

www.jornalcapital.jor.br Endereços eletrônicos: comercial@jornalcapital.jor.br contato.capitalmercado@gmail.com comercial.capitalmercado@gmail.com redacao@jornalcapital.jor.br contato@jornalcapital.jor.br redacao.capitalmercado@gmail.com TIRAGEM: 10.000 exemplares (assine o Capital: 21 2671-6611) Filiado À ADJORI Associação de Jornais do Interior Capital Empresa Jornalística Ltda Departamento Comercial: (21) 2671-6611 / 8400-0441 / 7854-7256 ID 8*21653 Diretor Geral: Marcelo Cunha Diretor de Redação: Josué Cardoso Colaboradores: Alberto Marques, Arthur Salomão, Aureo Lídio, Carlos Erbs, Dilma Rousseff, Geiza Rocha, Moreira Franco, Roberto Daiub e Rodrigo de Castro. Os artigos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores.


Duque de Caxias, Baixada e Capital MERCADO & NEGÓCIOS

►03 a 09 de Junho de 2014

3

Desoneração será permanente para setores já beneiciados O

ministro da Fazenda, Guido Mantega, anunciou que a desoneração da folha de pagamento dos 56 setores atualmente contemplados será permanente. A medida foi anunciada após se reunir com a presidenta Dilma Rousseff e 31 empresários no Palácio do Planalto, na terça-feira última (27). A política de desoneração teria vigência até 31 de dezembro próximo. De acordo com o ministro, nos próximos anos a desoneração pode ser estendida a outros setores. “A desoneração da folha será permanente daqui pra frente para todos esses setores que são integrados a ela: uma boa parte da indústria, uma parte do serviço e uma parte do comércio varejista. Ao longo do tempo, não este ano, mas para os próximos anos, novos setores serão incorporados, dando mais competitividade a toda a estrutura produtiva brasileira”, disse Mantega. A forma pela qual a desoneração será ampliada ainda não foi deinida, segundo o ministro, mas ele avaliou que não será difícil aprovar a iniciativa no Congresso. A desoneração da folha

Banco de Imagens

N

é uma estratégia para aquecer a economia e ajudar a indústria diante da crise inanceira internacional. Com a medida, o governo reduz a alíquota do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) para que o empresário obtenha maior faturamento. Participaram da reunião no Palácio do Planalto presidentes e representantes de indústrias de máquinas, têxteis, de construção, empresas de transportes, tecnologia e comunicação,

fabricantes de produtos eletroeletrônicos, de cerâmica, entre outros. Dos 56 segmentos que recebem atualmente o benefício, apenas um setor considera que deveria sair do sistema, segundo dados apresentados pelo vice-presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Paulo Tigre. O ministro não soube, entretanto, citar o setor que não tem interesse na desoneração, mas disse que setores com

uma grande folha de pagamento costumam ter interesse na desoneração. “O setor mão de obra intensiva, capital intensivo, não tem interesse. E nós temos alguns setores limítrofes, digamos, que têm uma folha de pagamento não tão grande nem tão pequena. Provavelmente esse setor deve ter olhado, feito as contas e chegou à conclusão que ele não tem vantagem e poderá sair perfeitamente”, disse Mantega.

“Com essa renúncia, as empresas estão crescendo mais” S

encaminhe perguntas para a Presidenta dILma RouSSeFF: redacao@jornalcapital.jor.br ou redacao.capitalmercado@gmail.com

Muitas novidades para a Agricultura Familiar

egundo Mantega, a renúncia anual, estimada em R$ 21,6 bilhões em 2014, deve se manter nesse patamar nos próximos anos, até que, ao longo do tempo, haja um aumento da força de trabalho e o número se altere. “Com essa renúncia as empresas estão crescendo mais, vão faturar mais no conjunto de tributos. E com a for-

Conversa com a Presidenta

malização, nós vamos ter mais INSS sendo arrecadado, porque esse é um projeto que se autopaga em função do poder multiplicador que ele tem”, ponderou. Tigre airmou que os empresários estão satisfeitos com o “sucesso das medidas tomadas”, e avaliam que elas aumentam a competitividade dos pro-

dutos, o faturamento e as exportações. “Foram uma unanimidade as vantagens conseguidas por todos os setores de maneira diferentes”, relatou. Na semana passada, os empresários apresentaram a Dilma o pedido para que a desoneração fosse mantida e outras demandas, como a mudança no reinanciamento de dívidas com a União, o

retorno do programa que estimula as exportações de manufaturados, a permanência do Programa de Sustentação de Investimento e a criação de um programa de renovação de máquinas industriais. Segundo Mantega, essas outras medidas ainda estão sendo analisadas e serão discutidas com os setores nas próximas semanas.

Mantenha-se informado também pelo www.jornalcapital.jor.br

Supremo adia julgamento de planos econômicos Inlação do aluguel registra queda em maio

+ conteúdo no site

a semana passada, lançamos o Plano Safra 2014/2015 para a Agricultura Familiar que traz ótimas novidades. Para a safra que começa no dia 1º de julho, colocamos R$ 24,1 bilhões para inanciar a atividade de milhões de brasileiras e brasileiros que vivem da Agricultura Familiar. Nunca houve um volume tão grande de recursos para essa área na história do Brasil. Se compararmos com o aplicado na safra de 2002/2003, no início do governo Lula, o valor de hoje é dez vezes maior. Os recursos podem ser utilizados, por exemplo, para o custeio da safra, para comprar sementes e adubo, para pagar o combustível das máquinas; para investir em novas máquinas e novos equipamentos agrícolas, e, assim, modernizar as pequenas propriedades rurais e produzir alimentos de forma sustentável. Uma coisa importante é que as taxas de juros continuam as mesmas da safra passada, entre 0,5% e 3,5% ao ano para o agricultor, e, no máximo, 4% para as cooperativas. Além disso, os agricultores familiares contarão com um seguro, o Proagro, ainda mais eiciente, pois a cobertura do seguro vai ter como base a renda que o agricultor espera receber e não o custo da produção. Vamos garantir 80% da renda bruta esperada, com limite de cobertura de R$ 20 mil, além do valor inanciado. Outra novidade desse plano é o Pronaf Produção Orientada para o agricultor inanciar a produção sustentável de alimentos saudáveis nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste. Com essa nova linha de crédito, pode ser inanciada a produção agrolorestal, a baseada na agroecologia, como, por exemplo, hortaliças em cultivo protegido sem uso de agrotóxicos, a melhoria na criação de aves e suínos e automação na produção de leite, garantindo melhor controle sanitário. Os agricultores poderão tomar até R$ 40 mil de inanciamento nesta linha de crédito e, se estiverem em dia com o pagamento desse crédito, terão assistência técnica de graça. Outra novidade é que assinei o decreto que regulamenta a Agência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (Anater) para garantir aos agricultores familiares mais acesso a técnicas que aumentem a produtividade de seu trabalho, e, como consequência, sua renda. A Anater vai atuar em parceria com a Embrapa e com outras instituições de pesquisa para que todas as agricultoras e os agricultores tenham oportunidade de incorporar a melhor tecnologia existente, promovendo o desenvolvimento sustentável no campo. Na próxima safra, 800 mil agricultores familiares vão receber assistência da Anater e o nosso objetivo é que a metade dessa meta seja cumprida com o atendimento às nossas agricultoras familiares. Neste Plano Safra reservamos R$ 12 bilhões para inanciar a compra de máquinas e equipamentos. São tratores, colheitadeiras, sistema de resfriamento de leite, sistemas de irrigação, aquisição de animais e pequenas reformas nas propriedades. Com o apoio do governo, nos últimos doze anos o investimento em máquinas e equipamentos da nossa Agricultura Familiar saltou de R$ 80 milhões para R$ 4,5 bilhões. O Plano Safra 2014/2015 tem novidades também para os assentados da reforma agrária. Uma delas é que as dívidas de 945 mil famílias assentadas serão renegociadas, o que lhes permitirá tomar novos créditos e, assim, voltar a produzir. Outra novidade é um crédito de R$ 1,6 bilhão para os novos assentados da reforma agrária. Com esses recursos, eles terão acesso a crédito para se instalar, ao microcrédito para produção, e, a partir daí, o acesso às linhas normais de inanciamento. Criamos o Cartão do Assentado, que facilita o acesso desses agricultores ao crédito e à assistência técnica. Lançamos, pela segunda vez, um Plano Safra especíico para inanciar a produção no Semiárido. A população dessa região enfrenta o desaio da convivência com a seca, que, mais forte ou mais fraca em alguns anos, está sempre presente como uma possibilidade. Neste momento, estamos saindo de um das piores secas dos últimos 50 anos, cujos efeitos poderiam ter sido mais devastadores não fosse a rede de proteção social criada pelo governo, como o Bolsa Estiagem, e o Bolsa Família, e os demais programas federais. Implantamos cisternas em toda a região: no governo Lula foram 350 mil; no meu governo, mais 750 mil. Além disso, sob coordenação do Exército Brasileiro, distribuímos água utilizando caminhões pipa. No novo Plano Safra do Semiárido, reservamos R$ 4,6 bilhões para inanciar o custeio e os investimentos dos produtores da região. Aumentamos de R$ 3,5 mil para R$ 4 mil o AgroAmigo, microcrédito concedido pelo Banco do Nordeste. Ampliamos a cobertura do Garantia Safra, seguro que se mostrou muito efetivo durante a seca, para 1,35 milhão de famílias. Apoiar o agricultor familiar, darlhe assistência técnica e crédito signiica garantir que ele se transforme no verdadeiro protagonista do desenvolvimento do semiárido.


4

MERCADO & NEGÓCIOS

►03 a 09 de Junho de 2014

CNI considera acertada decisão pelo im da alta dos juros A

manutenção dos juros básicos da economia em 11% ao ano foi uma decisão acertada do Banco Central, avalia a Confederação Nacional da Indústria (CNI). Em nota, a entidade informou que a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) ajudará a aliviar as pressões sobre setor produtivo. A entidade defendeu a ampliação dos cortes iscais para conter a inlação. Reunido no último dia 28, o Comitê de Política Monetária (Copom), por unanimidade, manteve a taxa Selic - juros básicos da economia - em 11% ao ano. Segundo a confederação, o ciclo de alta dos juros, que começou em abril do ano passado e só terminou hoje, foi insuiciente para diminuir a inlação. “O Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) acumulado em 12 meses está em 6,28% e deve continuar próximo de 6,5%, teto da meta estabelecida pelo governo”, relembrou a nota. Para trazer a inlação para o centro da meta estabelecida pelo

governo, de 4,5%, a CNI defendeu o corte de gastos públicos para diminuir a demanda sem comprometer a indústria e o consumo. “O término do ciclo de alta dos juros é necessário para evitar que o custo da redução da inlação recaia preponderantemente sobre o setor produtivo”, destacou o comunicado. As taxas de juros não devem seguir em ritmo de aumento, como observado nos últimos meses, de acordo com a avaliação do chefe do Departamento Econômico do Banco Central (BC), Tulio Maciel. Essa expectativa é devido à interrupção do ciclo de alta da taxa básica Selic, que serve de referência para os juros cobrados pelos bancos. “Sempre que tem uma mudança no ciclo, tem reação nas taxas ativas. As vezes não exatamente no mesmo momento. A tendência é que essa elevação das taxas de juros no ritmo que foi observado nos últimos 12 ou 13 meses não se mantenha”, disse Maciel. CRÍTICAS - A Federação das Indústrias do Estado

de São Paulo (Fiesp) criticou a decisão do Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom) de manter a taxa básica de juros (Selic) em 11% ao ano. "A manutenção da taxa de juros em patamar tão elevado diante de uma economia em desaceleração e um crescimento anêmico mostra como a política monetária está descolada da realidade do Brasil”, ressaltou a nota assinada pelo presidente da federação, Paulo Skaf. Apesar de também se posicionar contra os juros elevados, a Associação Brasileira de Atacadistas e Distribuidores (Abad) disse em comunicado que “comemora o fato de não haver nova elevação”. E acrescentou: “O controle da inlação é importante, mas a manutenção de um patamar de juros mais civilizado é uma necessidade para que se consiga retomar a eiciência dos setores produtivos”. A Confederação dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf) avaliou que o Banco Central “deixou escapar uma boa

oportunidade” para estimular o crédito, o emprego e a distribuição de renda. “As altas taxas da Selic para controlar a inlação só têm beneiciado os bancos, os rentistas e grandes especuladores inanceiros. É preciso aproveitar esse momento, em que o Copom pelo menos interrompe a elevação da taxa, para fazer um debate público sobre a utilização desse instrumento de política monetária como única medida de controle de preços no país”, defendeu o presidente da confederação, Carlos Cordeiro. Em uma linha parecida, a Força Sindical também criticou a manutenção dos juros. “Essa nefasta medida, que mantém a taxa de juros em patamares proibitivos, prejudica a classe trabalhadora. Fica evidente a opção da equipe econômica do atual governo de continuar privilegiando os especuladores, deixando em segundo plano a produção e a geração de empregos”, destacou o presidente da central sindical, Miguel Torres. (Agência Brasil)

Estado terá campanha de coleta de lixo eletrônico

A

Secretaria do Ambiente do Estado lançará a campanha de captação do lixo eletrônico com a instalação de um ponto de coleta na estação Central do Brasil. No dia 5 de junho, serão recebidas peças de computadores para o descarte de maneira sustentável. A iniciativa visa conscientizar a população sobre a importância do descarte do lixo eletrônico de maneira segura e sem agredir a natureza. Em 2013, foi lançado pela ONU o mapa global de lixo eletrônico, que revelou uma situação alarmante.

Anuncie!

21

O Brasil é o segundo país que mais produz resíduo eletrônico na América Latina, ou seja, 1,4 milhão de toneladas deste tipo de lixo, que equivalente a média global de 7 quilos por habitante. Ainda conforme o mapeamento da ONU, se o descarte do lixo eletrônico não for controlado, em 2017 o planeta terá um volume 33% maior de resíduos. Comparativamente, daria para encher 200 edifícios como o Empire State, localizado nos Estados Unidos. As peças dos computadores que serão descartadas

2671-6611

vão seguir direto para a Fábrica Verde, projeto da Secretaria do Ambiente, que começou em junho de 2013 e já capacitou 290 jovens no trabalho de montagem e conserto de computadores. A cada quatro máquinas doadas por moradores e empresas públicas e privadas, os alunos da Fábrica Verde produzem um “novo” computador, que geralmente é doado para telecentros comunitários. Desde a criação do Fábrica Verde já foram reaproveitados 800 computadores. Os alunos da Fábri-

ca Verde colocaram em funcionamento 156 computadores, que formaram telecentros para uso das comunidades da Chacrinha, Complexo da Maré, Formiga, Batan, de Campo Grande, São Gonçalo e Cachoeiras de Macacu e estão disponíveis para o acesso à internet e para pesquisas e trabalhos escolares. A transformação dos equipamentos tem impacto direto na natureza, que deixa de ser contaminada por metais pesados, como chumbo, que fazem parte da composição do lixo eletrônico.

Duque de Caxias, Baixada e Capital


Duque de Caxias, Baixada e Capital MERCADO & NEGÓCIOS

►03 a 09 de Junho de 2014

BRT Transcarioca, mesmo não concluído, já está em operação ABr/Tânia Rego

O

BRT Transcarioca, ligando a Barra da Tijuca à Ilha do Governador, no Aeroporto do Galeão, será o primeiro corredor de alta capacidade no sentido transversal da cidade e reduzirá em 60% o tempo de viagem por ônibus no trecho. Com 39 quilômetros de extensão, essa é a única obra de mobilidade do Rio de Janeiro prevista na matriz de responsabilidades para a Copa do Mundo. A inauguração aconteceu domingo (1º), com a presença da presidenta Dilma Rousseff, do governador Luiz Fernando Pezão e do prefeito Eduardo Paes. A comitiva fez a viagem inaugural, seguindo do Aeroporto Antônio Carlos Jobim para a ponte estaiada a bordo do veículo articulado. No local, membros da bateria da escola de samba União da Ilha do Governador receberam a presidente. A data para que todo o sistema entre em operação

não foi divulgada. A Transcarioca vai transportar 320 mil passageiros por dia e fazer a integração com a Estação do Metrô Vicente de Carvalho, estações de trem de Madureira e Olaria, e com o BRT Transoeste no Terminal Alvorada. O corredor tem 10 viadutos, sendo um estaiado; nove pontes, com duas estaiadas; três mergulhões; 47 estações; e cinco terminais. Entre os 27 bairros por onde o BRT vai passar estão Curicica, Praça Seca, Campinho, Vaz Lobo, Vicente de Carvalho e Vila da Penha. A presidenta Dilma Rousseff enfatizou a importância do transporte de massa no estado. “A Transcarioca é um orgulho para o nosso país. Esse é um transporte público de massa que nosso povo merece. Com ela, mostramos que é possível fazer transporte público de massa de qualidade”.

O governador Luiz Fernando Pezão airmou que a Transcarioca é um empreendimento fundamental para o Rio de Janeiro. “A Transcarioca é uma obra que surpreende pela ousadia. Quando a gente inaugura uma obra desse porte, o coração parece que vai explodir”. Durante o evento de inauguração, foi assinada, entre a prefeitura e o governo federal, a liberação de R$ 3,017 bilhões com o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) para obras de infraestrutura no Rio. Os recursos serão usados para projetos que fazem parte do legado dos Jogos Olímpicos de 2016, como o corredor BRT Transolímpica, duplicação do Elevado do Joá, túnel da via expressa e urbanização dos acessos e do entorno do Parque Olímpico da Barra e do estádio do Engenhão.

5

TRT considera greve de rodoviários do Rio ilegal

O

Tribunal Regional do Trabalho do Rio de Janeiro (TRT-RJ) considerou ilegal a greve dos rodoviários do município do Rio e manteve multa ao Sindicato Municipal dos Empregados de Empresas de Transporte Urbano (Sintraturb) de R$ 50 mil por dia parado. Com a decisão, os trabalhadores poderão ter os dias de greve descontados do salário. A decisão foi tomada por maioria dos desembargadores da Seção Especializada em Dissídios Coletivos, presidida pela desembargadora Maria das Graças Paranhos. Durante três oportunidades, os rodoviários realizaram paralisações no transporte público da cida-

de à revelia do acordo fechado pelo Sintraturb com as empresas de ônibus, por não concordarem com os termos assinados, que garantem reajuste salarial de 10%. Mesmo com o sindicato contra a greve, a maioria dos desembargadores entendeu que a entidade deveria ter buscado maior proximidade com a categoria, conforme explicou a desembargadora Maria das Graças, que é vice-presidenta do TRT-RJ. - Que os sindicatos se aproximem mais das suas bases. Procurem conversar, saber o por que das insatisfações. Do contrário, você vai enfraquecer a entidade sindical. Nós temos uma lei de greve, e ela deve

ser respeitada. Estamos presenciando muitos fatos em que empregados estão se insurgindo [contra os sindicatos], mas isso deve ser resolvido internamente. Eles têm que, dentro do sindicato, procurar resolver essas questões - frisou. O sindicato das empresas de ônibus do Rio (Rio Ônibus) divulgou nota dizendo que está em vigor um acordo de reajuste salarial de 10% mais aumento de 40% na cesta básica, retroativos ao dia 1º de abril, que já foram pagos no mês de maio. "O índice de aumento concedido é o maior negociado este ano com rodoviários em todo o país”, destaca o comunicado da Rio Ônibus. (Agência Brasil)

Secretaria retira mais de mil faixas das ruas de Caxias

E

quipes da secretaria de Serviços Públicos de Duque de Caxias recolheram, no mês de abril, 1.413 faixas colocadas irregularmente em postes e locais públicos. As operações, segundo a prefeitura, são realizadas diariamente e atingem os quatro distritos. Nos primeiros três dias daquele mês, só no primeiro e segundo distritos, foram apreendidas 175 faixas.

Segundo o secretário Tarce Filho, esse tipo de publicidade é proibido e os infratores são multados. “Estamos combatendo diariamente este tipo de irregularidade das ruas de Caxias. Existem meios legais para divulgar eventos. Mensalmente retiramos das ruas cerca de mil faixas, a maioria de shows em clubes”, explicou. “Todos os clubes ou locais que recebem os

eventos são notiicados e multados. A prefeitura tem investido na limpeza da cidade, não podemos permitir este tipo de irregularidade. Vamos intensiicar as operações em todos os bairros da cidade”, garantiu. Saracuruna (28), Pantanal (23), Nova Campinas (23) e Pilar (21), foram os bairros onde as equipes da secretaria retiraram mais faixas.

Forças de segurança realizam simulado no Metrô para a Copa

A

pouco mais de uma semana do primeiro jogo da Copa no Maracanã, Forças de Segurança realizaram na estação do Metrô da Cidade Nova, no sábado (31), uma simulação para procedimentos contra atentado com explosivo radioativo. Coordenada pelo Comando Militar

do Leste, por meio do Centro de Coordenação de Defesa de Área (CCDA-RJ), a ação teve a participação do Corpo de Bombeiros, Coordenadoria de Recursos Especiais da Polícia Civil (Core), Comissão Nacional de Energia Nuclear e Metrô. Entre militares e civis, 270 pessoas atuaram no

exercício. A simulação incluiu duas fases: instalação de um gabinete de crise e atendimento, na estação, e o atendimento a vítimas de um explosivo com substância radio. Pertencente ao Corpo de Bombeiros, o Grupamento de Operações com Produtos Perigosos atuou dando assistência desde a plataforma da estação até a primeira barraca de socorro. Um helicóptero da Polícia Civil participou da operação, sobrevoando a área. Agentes do esquadrão antibombas da força também atuaram. O major Marco, do CCDA-RJ, avaliou como satisfatório o resultado da operação. “O nosso objetivo era essa integração. Estas estruturas estarão pré-posicionadas próximas ao Maracanã durante a Copa”, disse o comandante do grupamento, tenente-coronel Pereira.


6

MERCADO & NEGÓCIOS

►03 a 09 de Junho de 2014

Duque de Caxias, Baixada e Capital

Firjan: Cidades da Baixada Lançada mais uma edição da revista Pilares da História têm desenvolvimento moderado O O Instituto Histórico da Câmara de Duque de Caxias promoveu o lançamento, no último dia 27, da edição nº 14 da Revista Pilares da História, O evento, que contou com apresentação do Quarteto Bequadro, serviu para a abertura da exposição Arte e Cotidiano. O lançamento relembrou ainda o Dia da Baixada Fluminense, comemorado no dia 30 de abril, e a 12ª Semana de Museus O tema proposto pela 12ª Semana foi Museus: as coleções criam conexões. “Para nós, esse evento é empolgante, pois podemos constatar que a conexão com o cotidiano de nossa comunidade cultural é in-

tensa. Coleções são complexos legados da memória cultural, e é preciso que gerem todo tipo de conexão para que possamos ampliar sempre mais os seus efeitos em termos de comunicação, educação e, principalmente, participação da comunidade”, disse a diretora do Instituto Histórico, Tânia Amaro. Entre os articulistas da nova edição iguram Antonio Carlos Oscar Júnior; Gênesis Pereira Torres; Nilson Henrique de Araújo Filho; Gabriel Salles de Melo, Diego Thiele Canuto e Tânia Amaro; Artur Costa Lopes; Ercilia Coelho de Oliveira e Fábio Silva Gonçalves; Guilherme Peres; Elisangela Cortes Braga Rodriguez e

André Oliveira. O artista plástico Ozias Araújo foi um dos curadores da mostra Arte e Cotidiano. “Entramos em contato com os artistas do Município e procuramos reunir as obras de cada um para realizar a mostra, que tem esse nome por se tratar de tema livre de uma integração do nosso Município com os artistas. Estamos aqui hoje fazendo brilhar os artistas e elevando cada vez mais o nome do Instituto Histórico, que sempre abre suas portas a todos os artistas. São quadros de alta qualidade, surrealistas, impressionistas, acadêmicos, todos provando que o artista da Baixada Fluminense tem muito a mostrar.” Agência Art Vídeo/Luiz Alan

Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal (IFDM), criado para acompanhar a evolução dos 5.565 municípios brasileiros, revelou em sua 6ª edição que 13 dos 16 municípios da Baixada Fluminense alcançaram patamar moderado e três com desenvolvimento regular. De maneira geral, o resultado da região é melhor que o observado em 2010, quando dez municípios possuíam desenvolvimento moderado e seis possuíam classiicação regular. Vale destacar, no entanto, as três cidades da Baixada que recuaram em comparação com 2010: Japeri (-1,4%), Nova Iguaçu (-2,3%) e Itaguaí (-2,8%). Com recorte municipal

e abrangência nacional, o IFDM avalia as condições de Educação, Saúde, Emprego e Renda de todos os municípios brasileiros. O índice varia de 0 (mínimo) a 1 ponto (máximo) para classiicar o nível de cada cidade em quatro categorias: baixo (de 0 a 0,4), regular (0,4001 a 0,6), moderado (de 0,6001 a 0,8) e alto (0,8001 a 1) desenvolvimento. Os resultados obtidos têm base em informações oiciais dos ministérios da Educação, Saúde, Trabalho e Emprego. No ranking geral do estado do Rio, Resende ocupa a primeira posição, com 0,8349 ponto. Em seguida, está Volta Redonda, que se destacou por ser a única cidade a registrar alto nível

de desenvolvimento nas três vertentes analisadas pelo IFDM, status conquistado por conta do expressivo avanço no IFDM-Emprego e Renda e à melhora no IFDM-Educação. Já a terceira colocação no ranking estadual é ocupada por Nova Friburgo, seguida do município do Rio de Janeiro, que também ultrapassou a fronteira do alto desenvolvimento devido, principalmente, ao avanço da variável Educação. Entre as capitais brasileiras, o Rio é a 9ª melhor colocada. Japeri manteve-se na última colocação no ranking do estado. O site www.irjan.org.br/ ifdm disponibiliza a íntegra do estudo, tabelas, rankings e análise dos estados.

Violência na Baixada vira audiência pública

O

aumento da violência na Baixada Fluminense e os planos de segurança para a região foram tema de audiência pública na manhã nesta segunda-feira (2), na Câmara de Nova Iguaçu. A Comissão de Segurança Pública e Assuntos de Polícia da Alerj reuniu prefeitos, vereadores, autoridades policiais e a sociedade para debater

propostas de combate à criminalidade nos 12 municípios da região. Segundo o presidente da Comissão, Iranildo Campos (PSD), a situação dos moradores é preocupante devido ao déicit de policiais e à migração de bandidos provenientes de comunidades paciicadas. - Queremos buscar soluções concretas para o pro-

blema. A região tem desaios enormes nessa área. É preciso uma gestão integrada entre as forças policiais, prefeituras, Ministério Público e a Alerj para enfrentar a criminalidade. A solução passa pelo conjunto das autoridades, como forma de garantir a paz dos moradores e reforçar a segurança em toda a Baixada – airmou o parlamentar.

Atualidade Faetec promove simulado do Enem para estudantes do 3º ano

A

Fundação de Apoio à Escola Técnica (Faetec), instituição vinculada à Secretaria Estadual de Ciência e Tecnologia, realiza, em parceria com a Fundação Getúlio Vargas (FGV), o projeto “De Olho no Futuro”, que tem o objetivo de preparar e medir o conhecimen-

to dos alunos do 3º ano do Ensino Médio/Técnico, por meio de um simulado nos mesmos moldes do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). A prova é facultativa. Para realizá-la, o aluno deve se inscrever no site da Rede (www.faetec. rj.gov.br/deolhonofuturo), a partir desta segunda-feira (2), até 14 de junho. Tal como o Enem, ele

será aplicado em duas datas (6 e 7 de agosto), com duração de quatro horas e meia. Ao todo, serão 180 questões, divididas em 90 por dia. Os temas abordados serão: Linguagens, Códigos e suas Tecnologias (Literatura, Português, além de Espanhol ou Inglês), Matemática e suas Tecnologias, Ciências da Natureza e suas Tec-

nologias (Biologia, Física e Química), e por im, Ciências Humanas e suas Tecnologias (Filosoia, Geograia, História e Sociologia). Após o simulado, a ser aplicado na unidade de origem dos estudantes, eles terão acesso às respostas comentadas. Haverá um certiicado de participação. O gabarito está previsto

para 15 de agosto. Já o resultado inal será publicado no dia 3 de setembro, dois meses antes do Enem. De acordo com dados preliminares do Ministério da Educação (MEC), neste ano, o Enem registrou 9,519 milhões de inscritos em todo o país. Um crescimento de 21,8% em relação a 2013. A nota no exame pode ser usada em

programas como o Sistema de Seleção Uniicada (Sisu), o Programa Universidade para Todos (ProUni) e o Sistema de Seleção Uniicada do Ensino Técnico e Proissional (Sisutec), que destina a estudantes oportunidades gratuitas em cursos Técnicos.

País

Internacional

TV Digital: Filtros vão evitar interferências

Rei Juan Carlos vai deixar o trono espanhol

T

estes feitos pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) comprovaram que não há incompatibilidade de operação entre a faixa de transmissão destinada à tecnologia 4G e a radiodifusão na frequência 700 mega-hertz (MHz). Os resultados, que serão divulgados nos pró-

ximos dias, demonstram que haverá necessidade do uso de iltros para evitar interferências. De acordo com a gerente de Espectro, Órbita e Radiodifusão da Anatel, Regina Cunha Pereira, o uso dos iltros para evitar a interferência do 4G na TV digital vai variar de acordo com a topograia. Marcado para agosto, o leilão da faixa de frequência de 700 MHz, que será usada

para a tecnologia 4G, deverá oferecer três lotes nacionais e um lote dividido em áreas menores. O leilão terá duas rodadas, uma com os lotes maiores e outra com os lotes menores. Se na primeira rodada sobrar algum dos lotes nacionais, eles serão divididos em partes menores.

O

rei Juan Carlos anunciou a intenção de renunciar ao trono e abrir o processo de sucessão, informou hoje o presidente do Governo espanhol, Mariano Rajoy. O chefe do governo espanhol disse que encontrou o rei "convencido de que este é o melhor momento para produzir esta mudança (…) e ceder a coroa ao príncipe

das Astúrias”. Numa declaração institucional inesperada, Mariano Rajoy disse ter sido contactado pelo monarca espanhol, que o informou que quer abdicar para o seu ilho, Felipe de Borbón, que reinará como Felipe VI. - Este processo vai desenvolver-se com plena normalidade, num contexto de estabilidade institucional e como mais uma expressão da maturidade

da nossa democracia - airmou Rajoy. O chefe de Governo anunciou a realização de um encontro, nesta terça-feira (3), de um Conselho de Ministros extraordinário para cumprir os trâmites da Constituição, esperando que em breve as Cortes possam proceder à proclamação de Felipe de Borbon como rei de Espanha.


Duque de Caxias, Baixada e Capital MERCADO & NEGÓCIOS

►03 a 09 de Junho de 2014

Alerj vai doar R$ 70 milhões para Segurança e Educação A

Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) vai doar ao governo luminense R$ 70 milhões, oriundos do seu fundo especial, visando a reforçar o seu programa de segurança pública. Do total de R$ 70 milhões, uma parcela de R$ 29 milhões será utilizada para a construção e recuperação de UPPs. Como o custo de instalação de uma UPP gira em torno de R$ 5 milhões, o governo do estado poderá cumprir e até superar sua meta que é chegar a dezembro deste ano com 40 unidades. Até agora, foram implantadas 37 UPPs. A mais recente foi a da Mangueirinha, em Duque de Caxias, através de indicação da deputada Claise Maria. - Nós izemos uma grande economia nestes três anos e é uma maneira de cooperarmos com os esforços do governo do estado na questão da segurança pública. Este fundo poderia ser investido na melhoria

Banco de Imagens

A deputada Claise Maria fez a indicação para a implantação da UPP da Mangueirinha, em Duque de Caxias das condições de trabalho dos gabinetes da própria Alerj, mas a partir do momento em que defendemos a expansão das UPP´s para a Baixada Fluminense e Região Metropolitana, podemos fazer algo de efetivo para realizar este desejo que também é da população luminense e por isso, votei sim - revelou a deputada.

O fundo especial da Alerj foi criado em 2011 com a inalidade de administrar os recursos economizados pela Casa para gastos em modernização e reaparelhamento do Poder Legislativo, estando vedado por lei o seu uso para despesas com pessoal. O fundo banca a execução de programas, projetos, refor-

mas de prédios, compras e despesas de manutenção da Casa. Os recursos do fundo podem ser repassados também aos municípios em caso de calamidades. As verbas serão assim destinadas UPP’s (Investimentos de R$ 29 milhões), Viaturas (R$ 13 milhões para compra e manutenção de viaturas policiais - 320 Voyage e 50 Duster - e 370 rádios de comunicação), Delegacia (R$ 2,5 milhões na construção de uma nova delegacia no interior o Complexo da Maré), Câmeras (R$ 2,5 milhões para instalação de câmeras de monitoramento em 953 viaturas da Polícia Militar), Escola (R$ 13 milhões para construção de uma escola de Ensino Médio e de um Centro de Vocação Tecnológico-CVT no Complexo da Maré) e Reforma do CFAP (R$ 10 milhões para reforma do Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças -CFAP da Polícia Militar, em Sulacap).

7

Belford Roxo convoca 37 aprovados em concurso

A

Prefeitura de Belford Roxo publicou no Diário Oicial do último dia 28, a convocação de 37 aprovados no último concurso público da Secretaria de Assistência Social. Todos terão 30 dias para se apresentar, a contar do dia 27 de maio, data de publicação da Portaria n° 0804/2014 que regulamenta a convocação. As vagas destinam-se a diferentes áreas. Serão preenchidos cargos de Assistente Social (7 vagas), Psicólogo (8), Advogado (6), Pedagogo (3), Administrador (4), Contador (2), Professor de Educação Física (4) e Sociólogo (3). Antes de tomar posse do cargo, os aprovados deverão que realizar o exame médico admissional no Posto de Atendimento Médico da Prata , localizado

na Avenida José Mariano dos Passos, n° 948 – bairro Prata. O atendimento será por ordem de chegada às terças e quartas-feiras, das 8h às 11h, e às quintas-feiras, às 15h. É preciso chegar com uma hora de antecedência e levar os seguintes exames: Hemograma Completo, RX de Tórax (PA/Peril), Eletrocardiograma e Videolaringoscopia (este último, somente para docentes). Em seguida, cada convocado terá que comparecer com a devida documentação (vide Portaria n° 0804/2014) na sede da Prefeitura para dar prosseguimento ao processo de admissão. O atendimento será das 9h às 16h, na sala 107. A prefeitura ica na Avenida Floripes da Rocha, n° 378, centro.

Empresa acusada de despejar lixo ao lado de posto de Saúde Divulgação

Anulada a desapropriação da Reinaria de Manguinhos

O

ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), anulou nesta segunda-feira (2), o decreto de desapropriação da área ocupada pela Reinaria de Manguinhos, na zona norte do Rio de Janeiro. Mendes entendeu que o estado do Rio não tem poderes para desapropriar imóvel da União. A desocupação foi suspensa em setembro do ano passa-

Banco de Imagens

do, por meio de uma liminar concedida pelo ministro. O despacho revogou completamente o ato do

de 1954 durante a campanha "O petróleo é nosso". A empresa tinha como principais produtos gasolina, óleo diesel, gás liquefeito de petróleo e óleos combustíveis, além de comercialização e distribuição de derivados de petróleo. A produção está paralisada desde agosto de 2005 e a governo luminense. empresa Green Life, A Reinaria de Mangui- empresa opera apenas com uma das responsáveis compra e venda de derivanhos iniciou suas operapela coleta domiciliar de ções em 14 de dezembro dos. lixo em Duque de Caxias,

A

foi acusada de estar despejando lixo no entorno da Unidade Pré-Hospitalar Vereador Adilson Braga, em Saracuruna. A denúncia foi feita à imprensa na semana passada pela vereadora Fátima Pereira, a Fatinha. Segundo a parlamentar, a situação vem acontecendo há quase um mês. “Isso é crime contra a saúde da população”, disse. Segundo a vereadora, a empresa Green Life colocou caçambas no local e passou a usar a área para transbordo de lixo, utilizando até tratores, e provocando a proliferação de ratos e insetos, além de mau cheiro. “É um verdadeiro absurdo, não podemos aceitar essa situação. É muito descaso com a população”, desabafou Fatinha, que pediu “providências urgentes” à prefeitura. Procurada, a Prefeitura informou que proibiu a triagem de lixo no local e promoveu a limpeza da área. Porém, não informou se notiicou a Green Life pelo ocorrido. O órgão acrescentou que denúncias desse tipo podem ser feitas diretamente ao Departamento de Limpeza Urbana, através dos telefones 2674-9090 e 08000222515, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.


8

MERCADO & NEGÓCIOS

►03 a 09 de Junho de 2014

Duque de Caxias, Baixada e Capital

Infraero inaugura ampliação de terminal do Tom Jobim

A

Infraero inaugurou oicialmente, no domingo (1º), a obra de ampliação do terminal 2 do Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro/Galeão-Antônio Carlos Jobim. A presidenta Dilma Rousseff, acompanhada do governador Luiz Fernando Pezão e do prefeito Eduardo Paes, participou da cerimônia e vistoriou o novo espaço, já em funcionamento desde janeiro. A obra atenderá a movimentação de passageiros durante a Copa do Mundo. A intervenção foi realizada na área de embarque internacional e ampliou para 11.109 metros quadrados o local, o que aumentou a capacidade anual do aeroporto de 17,4 para 30,8 milhões de passageiros ao ano. O espaço passou a con-

SCERJ/Carlos Magno

tar ainda com nova entrada, além de duas novas ilhas de check in com 32 balcões de atendimento, equipados com um sistema de esteiras de bagagem com endereçamento automático dos pertences e a inspeção de 100% do material em cinco níveis de segurança. Para o controle de passaportes, foram instaladas 16 novas ca-

bines para operação da Polícia Federal. Seis pórticos com Raio-x também foram instalados para bagagem de mão, além de um aparelho exclusivo para mercadorias das lojas. Todos os sete equipamentos estão localizados dentro do embarque. Ainda entre as melhorias executadas no aeroporto, foi feita uma re-

forma no setor A, área do desembarque doméstico, com ampliação do espaço de circulação e quatro novas escadas rolantes. Também foram entregues cinco esteiras de restituição de bagagens com novos sistemas. As reformas dos terminais 1 e 2 têm investimento total de R$ 354,75 milhões.

Rodada de negócios movimenta economia em Petrópolis

O

programa Compra Rio, da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, realiza nesta terça-feira (3), uma rodada de negócios com empresas instaladas em Petrópolis, na Região Serrana. A previsão é de que o evento incluído na programação

do seminário Rio Interior, o Futuro em Nossas Mãos movimente R$ 15 milhões. Entre as demandas das empresas estão a confecção de roupas, serviço de manutenção predial, mobiliários e agência de viagens. “É muito importante valorizar o interior, que cada vez

mais tem se mostrado capacitado para abastecer grandes empresas com seus produtos. É a primeira vez que o Compra Rio é realizado em Petrópolis”, disse a subsecretária de Comércio e Serviços, Ângela Procópio. Lançado na sexta-feira (30) em Petrópolis, o pro-

jeto Rio Interior é uma ação itinerante que vai percorrer dez cidades, objetivando promover e alavancar a economia, por meio da realização de negócios, colocando em contato direto empresas fornecedoras com o departamento de compras de corporações.


Edição nº 213