Page 1

Indicadores / Câmbio

Internacional

Compra

Ucrânia admite que pode fazer referendo sobre estatuto

Dolar Comercial

2,213

Dólar turismo

2,130

ibovespa

Venda % 2,214

0,13

2,290

0,00

51.596,55

0,52

►PÁGINA 2 Fechamento: 14 de abril de 2014

Ano 6 ● nº 206 www.jornalcapital.jor.br Duque de Caxias, Baixada e Capital

MERCADO & NEGÓCIOS R$1

Capital EMpRESa JORNalÍStiCa ltDa ● ►15 A 21 de Abril de 2014

Excesso de documentos dificulta exportações Banco de Imagens

P

ara os empresários brasileiros, a quantidade de documentos exigida pelos órgãos de controle alfandegário é excessiva. Além disso, a agilidade dos serviços deixa a desejar. O quadro foi revelado por pesquisa feita pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). De acordo com o levantamento, o excesso de documentos foi considerado o principal entrave para exportar por 53,27% dos participantes.

►PÁGINA 3

Descaso prejudica moradores

Em defesa da educação tecnológica

Marcelo Cunha Marcelo Cunha

A

Câmara de Duque de Caxias vai realizar uma audiência pública para tentar resolver os problemas causados a algumas comunidades do 2º distrito pelas obras do Arco Metropolitano. O vereador Eduardo Moreira (foto) esteve mais uma vez no local e conversou com os moradores, acompanhado da reportagem do Capital.

►PÁGINA 5

O

navio, da Transpetro, partiu em viagem inaugural na tarde desta segunda-feira (14). A embarcação é a sétima encomendada a estaleiros nacionais pelo Programa de Modernização e Expansão da Frota (Promef) a entrar em operação. A presidenta Dilma Rousseff e a presidente da Petrobras, Graça Foster, participaram da cerimônia (foto). O Dragão do Mar é uma homenagem a Francisco José do Nascimento, que foi o líder dos jangadeiros de Fortaleza na luta contra a escravidão.

Agência Petrobras

Batismo do petroleiro Dragão do Mar

O

professor Celso Pansera (foto), que acaba de deixar a presidência da Faetec, disse em entrevista ao Capital que vai continuar atuando em defesa da educação tecnológica. Pansera está concluindo um livro para lançamento em breve, onde expõe idéias sobre gestão educacional, democracia e prática da cidadania, entre outras abordagens.

►PÁGINA 6

Ex-presidente Collor será julgado por crimes de peculato e corrupção passiva ►PÁGINA 2

Duque de Caxias sorteia 400 apartamentos ►PÁGINA 7 ►PÁGINA


2

MERCADO & NEGÓCIOS

►15 a 21 de Abril de 2014

Duque de Caxias, Baixada e Capital

Dilma diz que denúncias serão apuradas e punidas com rigor

STF marca julgamento da ação penal contra Collor

A

O

presidenta Dilma Rousseff defendeu nesta segunda-feira (14) a Petrobras e disse que as denúncias de irregularidades na empresa serão investigadas e que eventuais ilícitos e casos de corrupção serão punidos com rigor. Dilma destacou que está empenhada em investigar as denúncias e que não vai admitir o uso político-eleitoral de problemas da empresa. “Como presidenta, mas sobretudo como brasileira, defenderei, em quaisquer circunstâncias e com todas as minhas forças, a Petrobras. Não transigirei em combater todo tipo de malfeito, ação criminosa, tráico de inluência, corrupção ou ilícito de qualquer espécie, seja ele cometido por quem quer que seja, mas igualmente não ouvirei calada a campanha negativa dos que, com proveito político, não hesitam em ferir a imagem dessa empresa que nosso povo construiu com tanto suor e lágrimas, com as mãos encharcadinhas de óleo, mas também de muita esperança”, airmou. Dilma saiu em defesa da Petrobras durante cerimônia que marcou a viagem

inaugural do navio petroleiro Dragão do Mar, construído no Estaleiro Atlântico Sul, no Porto de Suape, em Pernambuco. A presidenta garantiu que haverá apuração e punição, “com máximo de rigor”, das denúncias envolvendo a Petrobras. A estatal é alvo de investigação da Polícia Federal, do Tribunal de Contas, da Controladoria-Geral da União e do Ministério Público, por supostas irregularidades e superfaturamento na compra de uma reinaria em Pasadena, no estado norte-americano do Texas. A denúncia também deu origem ao pedido de instalação de comissão parlamentar de inquérito (CPI) para investigar a empresa pública. - Mais que uma empresa, a Petrobras é um símbolo da luta do nosso povo, da airmação do nosso país e um dos maiores patrimônios de cada um dos 200 milhões de brasileiros, por isso jamais vai se confundir com qualquer malfeito, com qualquer corrupção ou qualquer ação indevida de quaisquer pessoa, das mais graduadas às menos graduadas. O que tiver de ser apurado vai ser apura-

do com o máximo de rigor e o que tiver que ser punido também vai ser punido com o máximo de rigor - airmou. Dilma criticou o que chamou de “manipulação de dados” que apontam a desvalorização da Petrobras nos últimos anos e comparou os números da estatal antes do primeiro governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e atualmente. “Manipulam dados, distorcem análises, desconhecem deliberadamente a realidade do mercado mundial de petróleo para transformar eventuais problemas em supostos fatos irreversíveis e deinitivos. Escondem que, em 2003, a Petrobras valia apenas US$ 15,5 bilhões e hoje, mesmo com toda a crise internacional, com problemas a ela ligados e a questões relativas e conjunturais da bolsa, o valor de mercado chega a US$ 98 bilhões”, comparou. PROTESTO - A Federação Única dos Petroleiros (FUP) fez pela manhã um protesto em frente à sede da Petrobras, no centro do Rio de Janeiro. Segundo o coordenador-geral da FUP, João Antônio de Moraes, um dos objetivos

da manifestação é impedir a instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) no Congresso Nacional, para investigar casos de corrupção na empresa. “Somos a favor da investigação, mas já há órgãos apropriados para isso, como a Procuradoria-Geral da República, a Polícia Federal e o Tribunal de Contas da União (TCU) que, inclusive, é um órgão do Legislativo. A CPI tende a virar um palco da disputa política presidencial. A disputa eleitoral é legítima, mas não deve envolver o principal agente da economia brasileira [a Petrobras]”, disse Moraes. Segundo ele, a ideia do protesto é mostrar à população e aos trabalhadores da estatal que a CPI pode ser nociva à imagem da empresa. “Isso pode prejudicar a Petrobras e o Brasil, porque paralisar a Petrobras não vai ser bom para o Brasil. A Petrobras é responsável hoje por 11% do PIB [Produto Interno Bruto, que é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país]”, airmou o sindicalista. (Agência Brasil)

Ponto de Observação As mudanças na lei Maria da Penha alberto marques

C

onsiderada pela Organização das Nações Unidas (ONU) como uma das três melhores leis de proteção à vida da mulher, a chamada Lei Maria da Penha foi alvo, na quinta-feira (10) de caloroso debate na Câmara dos Deputados, na Comissão de Seguridade Social e Família, em torno projeto nº 4501, de autoria da deputada Aline Corrêa (PP/SP) que, entre outros pontos, propõe a aplicação da suspensão condicional do processo de violência contra a mulher, para que seja feita uma negociação de acordo com o agressor. Para que o processo fosse suspenso, teria de haver prévia autorização da vítima. Atualmente, não é possível a suspensão do processo, em nenhuma hipótese. Representando na mesa de debates o ministro Joaquim Barbosa, presidente do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), a conselheira Ana Maria Amarante ponde-

rou ser necessário unir forças para que a lei seja, de fato, cumprida e sugeriu que introduzir tal modiicação, ao menos no atual momento, seria prematuro. “Com essa lei, cumprimos um compromisso de adequar nossa legislação a im de prevenir, punir e erradicar a violência contra a mulher, como estabelecido na Convenção Interamericana de Belém, de 1994. Ela tem apenas 7 anos e ainda está tentando ser implementada no País. A verdade é que a demanda de políticas públicas não é só no Judiciário. Não basta o juiz julgar; é preciso termos assistentes sociais, psicólogos. Do lado do Executivo, a criação de Casas Abrigo”, airmou Ana Maria. “Por isso, essa mudança seria temerária. Periga esvaziar a lei antes mesmo de seu fortalecimento. Vamos unir forças para fazê-la dar certo; fazê-la ser cumprida por todos e da melhor maneira possível”, completou. A sugestão de mudança na lei também foi criticada pela secretária nacional de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres, da

Secretaria de Políticas para Mulheres da Presidência da República, Aparecida Gonçalves, que vê na lexibilização da Lei Maria da Penha um caminho perigoso. “Há 47 projetos querendo alterar a Lei Maria da Penha, que tem 46 artigos. Até virar lei, esse texto foi amadurecido e aperfeiçoado durante anos. A ONU declarou essa lei a mais importante do mundo. É ela quem precisa mudar ou precisamos mudar outras estruturas para que ela funcione melhor?”, questionou. “Hoje, não contamos com sequer 600 DEAMs (Delegacias de Atendimento à Mulher); menos de 100 juizados especiais e menos de 40 defensorias públicas especializadas no atendimento à mulher. A própria CPMI da Violência contra a Mulher destacou que a lei não está sendo cumprida corretamente, por falta de estrutura. Precisamos levar isso em consideração”, airmou. Em defesa da mudança, o promotor de Justiça Thiago Pierobom, do Ministério Público do Distrito Federal (MPDFT), citou exemplos

de outros países e lembrou que a solução negociada evitaria acúmulo de processos e a demora na resolução dos casos menos graves. A promotora Lindinalva Rodrigues, do MP do Mato Grosso (MPMT), por sua vez, rebateu a sugestão. Para ela, a proposta seria “a morte” da Lei Maria da Penha. Citando dados de seu estado, a promotora airmou que nenhuma das mulheres assassinadas chega a sequer denunciar, anteriormente, seus agressores. “Por outro lado, quando as mulheres denunciam agressões, ainda que leves ou moderadas, interrompem essa sequência. É preciso que elas denunciem e que o Poder Público faça valer sua força e os direitos humanos da mulher”, completou. Também participou do debate o procurador da República e representante do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) Jefferson Aparecido Dias.(Com Agência CNJ de Notícias)

Supremo Tribunal Federal (STF) marcou para o próximo dia 24 o julgamento da ação penal que envolve o senador Fernando Collor (PTB-AL), acusado pelo Ministério Público Federal (MPF) dos crimes de peculato e corrupção passiva. As acusações referem-se ao período em que Collor foi presidente da República, entre 1991 e 1992, ano do impeachment que marcou o final do seu governo. A denúncia contra o ex-presidente foi recebida pela Justiça de primeira instância em 2000 e chegou ao STF, em 2007. O processo foi distribuído para o ministro Menezes Direito, mas com a morte do magistrado, em 2008, o processo passou para relatoria da ministra Cármen Lúcia. Em novembro do ano passado, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu ao STF rapidez no julgamento da ação penal. Devido à demora do Judiciário para julgar o caso, a acusação por falsidade ideológi-

ca já prescreveu. "Para os crimes de peculato e de corrupção passiva, o prazo prescricional pela pena mínima já foi superado, de modo que, no entender do Ministério Público, é preciso conferir prioridade ao caso em tela", afirmou Janot. De acordo com denúncia apresentada pelo MPF, foi instaurado no governo do ex-presidente Collor “um esquema de corrupção e distribuição de benesses com dinheiro público” em contratos de publicidade. Segundo o órgão, o esquema envolvia o ex-presidente, o secretário particular da Presidência e empresários. Os procuradores relatam que o esquema consistia no pagamento de propina de empresários aos agentes públicos para que eles saíssem vencedores em licitações de contratos de publicidade e propaganda com o governo. De acordo com o MPF, valores eram depositados em contas bancárias em nome de laranjas. (Agência Brasil)

Indicadores / Câmbio Moeda Dolar Comercial Dólar turismo Moeda Coroa Dinamarca Dólar austrália Dólar Canadá Euro Franco Suíça iene Japão libra Esterlina inglaterra peso Chile peso Colômbia peso livre argentina peso México peso Uruguai

ibovespa ibX Dow Jones Nasdaq Merval

Petróleo - brent Ouro prata platina paládio poupança tR Juros Selic meta Salário Mínimo (Federal)

(*) Fechamento: 14 de abril de 2014 Cambio Compra (R$) Venda (R$) Variação % 0,13 2,213 2,214 2,130 2,290 0,00 Compra (U$) Venda (U$) Variação % 0,48 5,400 5,404 0,941 0,942 0,19 1,096 1,097 0,14 1,381 1,382 0,48 0,879 0,880 0,45 101,840 101,880 0,24 1,672 1,672 0,04 549,950 550,250 0,18 1.925,230 1.926,450 0,05 7,940 8,040 0,00 13,014 13,034 0,08 22,700 22,800 0,09 bolsa Valor Variação % 51.596,55 0,52 21.379,04 0,53 16.173,24 0,91 4.317,07 0,87 6.398,31 1,09 Commodities Unidade Compra US$ Venda US$ Variação % barril 108,120 108,140 0,00 0,04 onça troy 1.327,030 1.327,750 onça troy 19,940 20,040 0,05 onça troy 1.461,000 1.471,000 0,05 onça troy 806,480 812,480 0,00 indicadores 15/04 0,583 14/04 0,00 ao ano 11,00 724,00

MERCADO & NEGÓCIOS Av. Governador Leonel de Moura Brizola (antiga Presidente Kennedy), 1995 - Sala 804 Edifício Sul América - Centro, CEP 25.020-002 - Duque de Caxias, Rio de Janeiro Telefax: (21) 2671-6611 - CNPJ 11.244.751/0001-70 Na internet:

www.jornalcapital.jor.br Endereços eletrônicos: comercial@jornalcapital.jor.br contato.capitalmercado@gmail.com comercial.capitalmercado@gmail.com redacao@jornalcapital.jor.br contato@jornalcapital.jor.br redacao.capitalmercado@gmail.com TIRAGEM: 10.000 exemplares (assine o Capital: 21 2671-6611) Filiado À ADJORI Associação de Jornais do Interior Capital Empresa Jornalística Ltda Departamento Comercial: (21) 2671-6611 / 8400-0441 / 7854-7256 ID 8*21653 Diretor Geral: Marcelo Cunha Diretor de Redação: Josué Cardoso Colaboradores: Alberto Marques, Arthur Salomão, Aureo Lídio, Carlos Erbs, Dilma Rousseff, Geiza Rocha, Moreira Franco, Roberto Daiub e Rodrigo de Castro. Os artigos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores.


Duque de Caxias, Baixada e Capital MERCADO & NEGÓCIOS

►15 a 21 de Abril de 2014

3

Excesso de documentos é principal entrave para exportar Banco de Imagens

Conversa com a Presidenta encaminhe perguntas para a Presidenta dilma roUSSeFF: redacao@jornalcapital.jor.br ou redacao.capitalmercado@gmail.com

Mais famílias recebem suas Chaves do Minha Casa Minha Vida omo presidenta da República, ico muito alegre em ver que o Brasil de hoje é bem diferente daquele Brasil do passado, em que a casa própria era privilégio de poucos. Hoje, a casa própria se torna, cada vez mais, direito de todos, graças ao Minha Casa Minha Vida. Tenho muito orgulho desse programa porque sei que a casa própria nos dá tranquilidade e é um alicerce sobre o qual cada família constrói sua vida e sua felicidade e que garante a cada um a base para trabalhar e planejar o futuro. No meu governo, 1,6 milhão de famílias já receberam suas casas. E muitas mais vão ser beneiciadas porque já temos outras 1,7 milhão de moradias contratadas em diferentes estágios de construção. Até o inal deste ano, vamos contratar a construção de mais 450 mil moradias. Isso mostra a grandeza de um programa que transforma a vida de milhões de famílias ao permitir que realizem o sonho da casa própria. Estou plenamente convencida que o nosso governo tem o dever de usar os impostos que arrecada para oferecer às pessoas do nosso país a oportunidade de viver cada vez melhor. O Minha Casa, Minha Vida é um sucesso porque tomamos a decisão de usar os recursos do orçamento federal para subsidiar as moradias, tornando prioritária a construção de casas para as pessoas que mais precisam delas. Todas as famílias com renda de até R$ 5.000,00 por mês podem se beneiciar do Minha Casa Minha Vida. As condições de inanciamento variam de acordo com a renda da família. Quem tem renda menor, recebe um apoio maior do governo. As famílias que ganham até R$ 1.600,00 por mês contam com um subsídio, que é a parte que o governo paga, que varia de 90% a 96% do valor da casa. E a prestação mensal não pode passar de 5% da sua renda, com um prazo de até dez anos para quitar a dívida. Já as famílias com renda de até R$ 3.275,00 recebem apoio inanceiro do governo que pode chegar a até R$ 25 mil. Além disso, os juros do inanciamento são ixados de forma a garantir prestações que as famílias consigam pagar. O Minha Casa Minha Vida atende também as famílias com renda entre R$ 3.275,00 e R$ 5.000,00. Para estas famílias, além do inanciamento com juros bem baixos, o governo paga uma parte do seguro, que varia de acordo com o valor inanciado. Todas as famílias que adquirem sua casa pelo Minha Casa Minha Vida têm direito também a um crédito de R$ 5 mil pelo Minha Casa Melhor. Este crédito permite que as famílias adquiram móveis, eletrodomésticos, computador e tablet, para pagar em até 48 meses, em uma rede de mais de 13 mil lojas credenciadas por todo o Brasil. A única exigência para usar o crédito é estar em dia com as prestações do imóvel. Eu queria lembrar que na semana passada surgiram denúncias de ação de criminosos em alguns conjuntos do Minha Casa Minha Vida. A segurança pública é, de fato, uma responsabilidade dos estados, mas o governo federal está pronto para atuar em parceria com as autoridades estaduais. Já foi irmada parceria com o estado do Rio de Janeiro para enfrentar essas ações e estamos prontos para estabelecer parcerias com outros estados para atuar no combate a desvios, fraudes ou invasões. Na última sexta-feira, o ministro da Justiça propôs parcerias para os estados de Minas Gerais, Maranhão e Bahia, que deverão ser concretizadas rapidamente. Até o momento, houve notícias de irregularidades apresentadas desde 2009, que representam menos de 1% do total de casas entregues. É preciso icar bem claro que a casa do Minha Casa Minha Vida é uma conquista das famílias. Não é do município, do estado ou do governo federal. A casa é das pessoas beneiciadas e é obrigação de toda a sociedade brasileira respeitar esse direito e a propriedade que essas famílias têm sobre sua própria casa. O meu governo vai utilizar de todos os meios legais para impedir que criminosos roubem estes sonhos e essas propriedades. Os que participam do Minha Casa Minha Vida e recebem subsídio do governo federal na aquisição da casa própria não podem vendê-la por dez anos. Assim, toda compra feita desses proprietários originais, ictícia ou não, é ilegal. E nós, do governo federal, apoiaremos sempre o proprietário original para assegurar o seu direito à moradia.

C

P

ara os empresários brasileiros, a quantidade de documentos exigida pelos órgãos de controle alfandegário é excessiva. Além disso, a agilidade dos serviços deixa a desejar. O quadro foi revelado por pesquisa feita pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). De acordo com o levantamento, o excesso de documentos foi considerado o principal entrave para exportar por 53,27% dos participantes. Em segundo lugar, icou a baixa agilidade para análise da documentação, mencionada em 41,89% das respostas. Em terceiro, a demora na vistoria e inspeção, mencionada por 37,77%. Os executivos

também reclamaram da falta de comunicação entre os órgãos, apontada como um problema em 25,42% das respostas. Uma das consequências dessa falha é que muitos solicitam dados e documentação repetidos, fator indicado como problemático em 12,83% das respostas. O número médio de órgãos pelos quais o processo para exportação deve passar é 4,3, e a grande maioria das empresas (94,5%) contrata os serviços de despachantes para lidar com a burocracia. O órgão mais citado como tendo impacto negativo nas exportações foi a Receita Federal, em 46,11% das vezes, seguido

pelo Ministério de Minas e Energia, com 40% das menções, e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), citada em 38,3% das respostas. - Pesquisas frequentemente colocam o Brasil como um dos países mais custosos para lidar com informações tributárias e outros tipos de burocracia - disse o economista Marcelo Azevedo, especialista em Políticas de Indústria da CNI. Segundo ele, em alguns setores da economia, a quantidade de órgãos pelos quais o produto deve passar a im de ser liberado para exportação chega a seis. “Já tem excesso [de documentos solicita-

dos] individualmente. Você ainda soma vários órgãos e ica pior”, comenta. O economista disse ainda que a solicitação de informações e documentos repetidos também é um desestímulo signiicativo. “[O empresário] preenche o mesmo dado para órgãos diferentes. Tem formulários em que você preenche o CNPJ dezenas de vezes. A comunicação entre os órgãos seria importantíssima. Mas se cada órgão simpliicar e reduzir a exigência, já melhora”, comenta. A pesquisa da CNI, divulgada este ano, ouviu 640 empresários entre 2012 e 2013. (Agência Brasil)

Rio vai receber investimentos de R$ 235 bilhões até 2016 Banco de Imagens

O

Estado do Rio de Janeiro vai receber pelo menos R$ 235 bilhões em investimentos públicos e privados entre 2014 e 2016, revelou o estudo Decisão Rio, realizado pela Firjan anualmente desde 1995, com previsões para os dois anos posteriores. Em comparação com o triênio 2010-2012, há um crescimento de 86,5% na perspectiva de novos investimentos. “O estudo vem fundamentar a revolução econômica que vem acontecendo no Estado do Rio desde 2007 e que tende a continuar pelo menos nos próximos cinco anos, na esteira dos projetos do pré-sal, do crescimento da indústria de transformação e das obras de infraestrutura originadas a partir da Olimpíada”, disse o secretário de Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e Serviços do Rio, Julio Bueno. Segundo o Decisão Rio, do total de R$ 235,6 bilhões em investimentos, a

Copa do Mundo e os Jogos Olímpicos somam R$ 22,6 bilhões, sendo R$ 9,9 bilhões em instalações Olímpicas, R$ 9,3 bilhões em mobilidade urbana e R$ 3,4 bilhões em hotéis. Embora expressivo, o valor corresponde a apenas 9,6% do total. Somados, os investimentos em Infraestrutura e Indústria da Transformação chegam a R$ 69,1 bilhões. Já a Indústria de Transformação é responsável por atrair R$ 40,5 bilhões de empreendimentos, liderados pelo setor petroquímico (R$ 20,9 bilhões), com a

reinaria do Comperj. Também merecem destaque os segmentos de Construção Naval (R$ 12,1 bilhões), Automotivo (R$ 3,9 bilhões), Farmacêutico (R$ 1,6 bilhão) e Siderurgia (R$ 1,3 bilhão). Na área de Infraestrutura serão aplicados R$ 37,9 bilhões, já incluídos os R$ 9,3 bilhões em mobilidade urbana relacionados aos eventos esportivos. O segmento de Transporte e Logística concentra o maior volume de recursos, R$ 17,6 bilhões. Os demais investimentos de Infraestrutura são destinados aos segmentos de

Energia Elétrica (R$ 8,9 bilhões), Desenvolvimento Urbano (R$ 6,9 bilhões) e Saneamento Básico (R$ 4,5 bilhões). O documento aponta ainda o desenvolvimento no interior do estado. Embora a capital continue sendo responsável pela atração do maior volume de recursos, R$ 37,8 bilhões, outras regiões do estado também se destacam. É o caso do Leste Fluminense, que soma R$ 25,6 bilhões em previsão de investimentos, seguido pelo Sul Fluminense (R$ 14 bilhões) e Baixada Fluminense (R$ 13,8 bilhões). Os empreendimentos estrangeiros na Indústria de Transformação totalizam R$ 5,9 bilhões para o triênio de 2014 a 2016, com destaque para a participação da França e da Inglaterra. Também integra o volume total de investimentos o segmento de Petróleo e Gás, tradicional carro-chefe do estado, com R$ 143 bilhões de investimentos.


4

MERCADO & NEGÓCIOS

►15 a 21 de Abril de 2014

Duque de Caxias, Baixada e Capital

Pezão e Dauttmam percorrem obras no bairro Nova Aurora PMBR/Philippe Lima

O

governador Luiz Fernando Pezão e o prefeito de Belford Roxo, Dennis Dauttmam, visitaram im de semana as obras de revitalização do bairro Nova Aurora. Juntos, eles caminharam pelas ruas, conversaram com moradores e iscalizaram os serviços que estão sendo realizados na localidade. As intervenções, iniciadas em agosto de 2013, são resultado da parceria irmada entre a prefeitura e o governo estadual, com objetivo de levar melhorias para 67 ruas de Nova Aurora. As obras, que contam com investimento de R$ 63,6 milhões, envolvem a reconstrução de vias e serviços de pavimentação, colocação de asfalto, meios-ios, drenagem e calçamento. As obras já avançaram em diversas ruas. Algumas estão asfaltadas, outras passando por drenagem, e isso sem contar, com a canalização de quase dois quilômetros de um curso de água que deságua no Rio Botas. O serviço visa por im as enchentes e inundações, que tanto atrapalhavam a vida dos moradores. No total, estão sendo implantados 8.929 metros quadrados de tubos e 1.351 metros quadrados de galerias pluviais, além da construção de 53 mil metros quadrados de calçadas, 27 mil metros quadrados de

D

meio-io e 10,6 mil metros quadrados de sinalização horizontal nas ruas. Durante a iscalização, moradores se aproximaram do prefeito e do governador para agradecer o andamento das obras. Para eles, esse é o início de uma nova vida com muito mais dignidade. Além de Nova Aurora, os acordos irmados entre a prefeitura municipal e o governo do estado, estão beneiciando diversos bairros de Belford Roxo. Por conta da parceria, a cidade está recebendo obras do Programa Bairro Novo, intervenções dos Programas Asfalto na Porta e Operação Tapa-Buraco, entre outras. CONVÊNIO FIRJAN - A Prefeitura e o Sistema Fir-

jan assinaram um convênio através do qual funcionários de Belford Roxo e seus dependentes poderão usufruir dos serviços disponíveis nas dependências do SESI. A iniciativa foi da Secretaria de Desenvolvimento Econômico. Com o acordo, os funcionários poderão ter acesso as 18 unidades do Clube SESI espalhadas pelo estado e tudo com uma mensalidade a preços bem acessíveis. As dependências do clube contam com parques aquáticos, sauna, churrasqueiras, quadras poliespotivas e de areia (para basquete, futsal e vôlei, por exemplo), campos de futebol society, pistas de corrida, dentre outras opções. Quem izer adesão ainda terá acesso

aos shows e peças de teatro promovidas pelo SESI Cultural. O prefeito Dennis Dauttmam agradeceu ao Firjan e ressaltou que este é um motivo de grande comemoração. “Temos mais um ponto positivo para nosso município, mas, espero que esta parceria seja porta de entrada para outros projetos em prol da nossa cidade, como a instalação um SENAI por exemplo”. O Gerente Regional da Firjan Baixada II, Jorge Migon, airmou que a população do município pode ter certeza que a cidade será contemplada com diversas ações não só na parte industrial, mas, também naquelas que levam até a população mais qualidade de vida.

Alerj/Iara Pinheiro

A

Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) aprovou nesta quinta-feira (10/04), em segunda discussão, o projeto de lei 1.253-A/12, que faz alterações na Lei 4.223/03. A norma a ser modiicada trata do atendimento nas agências bancárias. A proposta votada, da deputada Claise Maria (PSD), prevê a redução de 65 para 60 anos a idade dos idosos beneiciados com o atendimento preferencial. O projeto prevê que o controle de atendimento cas, emitidas pela institui- atendimento. As agências seja realizado através de ção bancária e devolvidas bancárias deverão inforemissão de senhas numéri- ao cliente após o devido mar, ainda, que a senha nu-

mérica deve conter a data e o horário de chegada e do efetivo atendimento rubricada pelo funcionário. O projeto é uma adequação da legislação estadual ao Estatuto do Idoso. “Buscávamos saber se o atendimento preferencial, com oferta de assentos, estava sendo seguido e notamos que os anúncios da lei estavam com a idade de 65 anos, contrariando o estatuto”, explicou a deputada. O texto segue agora para o governador Luiz Fernando Pezão, que terá 15 dias úteis para vetá-lo ou sancioná-lo.

IBGE diz que país criou mais de 1,5 milhão de empregos em um ano

D

roberto daiUb é médico do centro de tratamento intensivo do hospital das clínicas de teresópolis (UniFeSo), cardiologista da Unidade cardio intensiva do hospital mario lioni (duque de caxias) e coordenador médico da UPaParque lafaiete (duque de caxias)

O Dia Mundial da Saúde

Aprovada a redução de idade em atendimento preferencial

ados divulgados no último dia 10 pelo Instituto Brasileiro de Geograia e Estatística (IBGE) indicam que, entre o quarto trimestre de 2012 e o quarto trimestre de 2013, foram criados 1,575 milhão de empregos nas cinco grandes regiões do país. Os dados fazem parte da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio

Saúde

Continuada (Pnad Continuada) que constatou que o nível de ocupação do país no quarto trimestre de 2013 chegou a 57,3% da população ocupada, o equivalente a 91,881 milhões de trabalhadores. Percentualmente, a taxa da população ocupada cresceu em um ano 0,2 ponto percentual, ao passar de 57,1% para 57,3% entre

o quarto trimestre de 2012 e o quarto trimestre de 2013 (de 90,306 milhões para 91,881 milhões). Do terceiro para o quarto trimestres do ano passado este crescimento também foi 0,2 ponto percentual (de 91,175 milhões para 91,881 milhões). Os números da Pnad Continuada indicam, ainda, que os 6,2% da taxa

de desocupação veriicada no quarto trimestre do ano passado, ao reletir uma queda de 0,7 ponto percentual em relação ao indicador do quarto trimestre de 2012, indica também a queda no número da população desocupada (ou procurando trabalho) - de 6,653 milhões para 6,052 milhões. (Agência Brasil)

esde 7 de abril, Dia Mundial da Saúde, a categoria médica se mobiliza em todo o país, intensiicando sua luta em defesa da qualiicação da assistência aos pacientes e da valorização do trabalho dos proissionais. O movimento se desdobrará em atividades que protestam contra abusos e omissões que afetam tanto a rede pública quanto suplementar de atendimento. As ações estão sendo organizadas nos estados por comissões compostas por representantes dos conselhos de medicina, associações, sociedades de especialidades e sindicatos médicos. Pela primeira vez, outras duas categorias proissionais (isioterapeutas e cirurgiões-dentistas) comporão o protesto, reforçando a luta pelo acesso pleno à assistência para os pacientes e a valorização do trabalho dos prestadores de serviço. No Rio de Janeiro, a categoria promoveu suspensão relâmpago de atendimentos na passagem da data e um ato público no centro da capital por melhores condições de trabalho no Sistema Único de Saúde (SUS) e nos planos de saúde. Essas atividades integram a agenda nacional de mobilização - apoiada pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), Federação Nacional de Medicina (Fenam) e Associação Médica Brasileira (AMB). Os médicos entendem que este é o caminho para chamar a atenção da sociedade e das autoridades para os problemas que afetam a saúde, eleita pelos brasileiros como tema que deve ser tratado como prioridade em 2014. No caso da saúde suplementar, a reivindicação é de composição de honorários, im da intervenção antiética das operadoras na autonomia proissional e a readequação da rede credenciada, para que seja garantido o acesso pleno e digno dos pacientes à assistência contratada. No setor público, os protestos pedem mais recursos para o setor, com reajuste imediato da Tabela SUS e a aprovação do Projeto de Lei de Iniciativa Popular Saúde+10, que pede a vinculação de 10% da receita bruta da União à saúde (PLP 321/2013). Também é reivindicada a criação de uma carreira pública e a desprecarização do trabalho médico. Os proissionais exigem realização de concurso público com salário adequado; plano de cargos, carreira e vencimentos; maior inanciamento para a saúde; melhores condições de trabalho; e atendimento adequado para a população.

Governo vai combater ação de criminosos no Minha Casa, Minha Vida

A

presidenta Dilma Rousseff disse nesta segunda-feira (14) que o governo vai utilizar todos os meios legais para impedir que criminosos roubem as propriedades das famílias beneiciadas pelo Programa Minha Casa, Minha Vida. Por meio de parcerias, a Polícia Federal vai apoiar as polícias estaduais nas investigações para impedir e reprimir abusos e crimes. Dilma lembrou que quem recebe subsídio do governo não pode vender a casa por dez anos. “Assim, toda compra feita desses proprietários originais, ictícia ou não, é ilegal. E nós, do governo federal, apoiaremos sempre o proprietário original para assegurar o seu direito à moradia”, acrescentou. Dilma lembrou ainda,

em seu programa semanal Café com a Presidenta, que o governo federal já irmou parceria com o Rio de Janeiro para atuar no combate a desvios, fraudes e invasões. Ela informou que o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, propôs parcerias semelhantes a Minas Gerais, ao Maranhão e à Bahia. "A casa não é do município, não é do estado, nem do governo federal. Não é um presente, porque o dinheiro que investimos no Minha Casa, Minha Vida vem dos impostos pagos por todo o povo brasileiro. A casa é das pessoas beneiciadas pelo programa e é obrigação de toda a sociedade brasileira respeitar esse direito e a propriedade que essas famílias têm sobre sua própria casa”, ressaltou.


Duque de Caxias, Baixada e Capital MERCADO & NEGÓCIOS

►15 a 21 de Abril de 2014

5

BNDES capta US$ 1,5 bi Obras do Arco Metropolitano no mercado exterior prejudicam moradores do 2º Distrito O

Câmara de Caxias convoca audiência pública Marcelo Cunha

Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) anunciou nesta segunda-feira (14) a captação de US$ 1,5 bilhão em títulos no mercado internacional. A emissão compreendeu um novo título de US$ 1 bilhão, com vencimento em 2019, e o aumento do volume de um título já existente, no valor de US$ 500 milhões, com vencimento em 2023. De acordo com o BNDES, o custo médio da transação, de 4,48% ao ano, foi o menor já pago pela instituição em uma emissão em moeda norte-americana. A

demanda superou o valor ofertado e envolveu compradores dos Estados Unidos, da Europa, da Ásia e da América Latina. Mais de 200 investidores participaram do processo de formação de preço dos títulos, cujas ordens icaram acima de US$ 6 bilhões. Esta foi a segunda emissão de títulos feita este ano pelo BNDES no mercado externo. Em janeiro, foram captados 650 milhões de euros. Segundo o BNDES, nos últimos oito meses, foram captados mais de US$ 5,5 bilhões no exterior. (Agência Brasil)

Autuadas lojas que cobravam taxa para recarregar Bilhete Único PROCON/Divulgação

O vereador Eduardo Moreira (no centro), ao fazer nova visita ao bairro, anunciou ao Capital a convocação de uma audiência pública para discutir as reivindicações com o consórcio Odebrect e autoridades

O

s moradores da Vila Mariza, Vila Maria Helena e Figueira e Capivari estão mobilizados em busca de solução para vários problemas causados pela construção do Arco Metropolitano do Rio de Janeiro. Eles alegam que vem tentando uma solução para os problemas desde o início da construção, junto ao consórcio Odebrecht, responsável pelas obras, porém, sem resultados. O vereador Eduardo Moreira, presidente da Câmara de Duque de Caxias, esteve no local acompanhado do Capital, visitando mais uma vez os problemas causados pelo consórcio Odebrecht e conversando com a população. O vereador lembrou que acompanha essa luta dos moradores há muito tempo, juntamente com o deputado estadual Geraldo Moreira e a Associação de Moradores. ”Estamos lutando pela reestruturação dos bairros, de forma a reduzir esse impacto causado pela obra do Arco Metropolitano. Já tivemos reunião no canteiro

da empreiteira com o então vice governador Pezão, o secretário de obras do Estado, doutor Hudson e os engenheiros da empreiteira, quando foi prometida a reestruturação e revitalização dos bairros. Depois tivemos várias reuniões com os engenheiros da empreiteira, eles prometeram também executar as obras que a comunidade precisa. O tempo passa e com essas reuniões e essas discussões, nada avançou”, se indigna o parlamentar. - Por isso a Câmara vai realizar uma audiência pública, convocando todos os responsáveis do governo do Estado, da secretaria de Obras da Prefeitura, da empreiteira, para que possamos achar uma solução. Quem tinha as ruas pavimentadas, hoje tem ruas esburacadas, quem tinha acesso seguro e rápido ao transporte público, hoje tem que andar um quilômetro a mais para ter esse serviço. Não podemos deixar essa obra acabar e o povo icar para trás, sem solução desses problemas - prega

Eduardo Moreira. ABANDONO - “Tem dois anos que nós estamos lutando com isso. São muitos os problemas. Eles [construtora] passaram com mais de 2.000 caminhões de aterro em nosso bairro e deixaram as ruas cheias de buracos, as redes de drenagens assoreadas, diz o presidente da Associação de Moradores do bairro, Edenilson de Almeida, o Nena. “Acabaram com o nosso campo de futebol, deixaram um poste no meio da Estrada da Figueira, amarrado a uma árvore de eucalipto. Já pedimos várias vezes providências para esses e outros problemas mas eles não atendem a comunidade”, disse o morador, citando vários outros problemas: “O sistema de drenagem das pistas do Arco foi mal feito e muitos moradores sofrem com o risco de terem suas casas inundadas, pois ele não dá vazão. A rede, que tem manilhas de 1,20m de diâmetro, joga todo o volume de água para uma vala assoreada que, por sua vez,

desemboca em uma manilha de apenas 60cm de diâmetro. Um absurdo. Mas não acabou aí: Além de muitos buracos nas ruas, agora temos que andar um quilômetro a mais para pegar o ônibus. E o pior, não tem iluminação. Os riscos são maiores à noite, pois podemos cair numa dessas caixas de esgotos abertas ou ser vítimas de assaltos. Não podemos deixar de cobrar solução para tudo isso”, completou. Wanderley Rodrigues da Silva, que integra a diretoria da Associação e reside no local há 37 anos, também faz suas reivindicações: “Eles [construtora] vieram aqui e nos trouxeram muitos transtornos. Queremos que a obra seja terminada e que haja uma iscalização para veriicar se realmente está tudo dentro dos parâmetros que foi contratado. Sabemos que essa obra é muito cara, mas até aqui eles não deram conta do recado. A parte de estrutura de autopistas está tudo certo, mas em sua volta, está devendo tudo”, completou.

A

Secretaria Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor (Seprocon), através do Procon Estadual, realizou na última sexta-feira (11) a “Operação Bilhete Único” para veriicar se estabelecimentos credenciados para a recarga do cartão cobravam taxa extra e ilegal por este serviço. Os iscais estiveram em oito estabelecimentos do Rio e de Duque de Caxias, e três foram autuados e serão multados por cobrarem R$1 por recarga. Segundo a assessoria de comunicação do órgão, para identiicar os casos, os agentes do Procon Estadual se passaram por consumidores em busca de recarga para o Bilhete Único. Só na Avenida B de Nova Cam-

pina, Duque de Caxias, dois locais foram lagrados cometendo a irregularidade: a Loja de Acessórios e o HCP Salão de Cabeleireiro, onde também foram encontrados um litro de creme para escova marroquina e 240g de cera depilatória vencidos. A cobrança indevida foi constatada, ainda, na loja Princiarte da Rua Alcântara Machado, no Centro do Rio. Os estabelecimentos que passaram sem problemas pela vistoria foram a Loteria do Matheus, no Grajau; o Espaço da Beleza, no Engenho Novo; a Banca de Jornal da Av. Nelson Cardoso, na Taquara; a Farmácia Ponto Certo, em Bonsucesso; e a Lotérica do Jardim Botânico.


6

MERCADO & NEGÓCIOS

►15 a 21 de Abril de 2014

Duque de Caxias, Baixada e Capital

Celso Pansera diz que continuará na luta pela educação tecnológica

Educação tecnológica é o meu foco”. A airmação é do professor Celso Pansera, que acaba de deixar a presidência da Faetec “para encarar novos desaios”, segundo suas palavras. “Acho que já cumpri bem minha missão lá desde 2007. Primeiro desenvolvi o sistema de qualiicação, a pedido do então secretário de Ciência e Tecnologia, Alexandre Cardoso. Depois, pude organizar o sistema administrativo da rede (transparência, gestão, licitação e ouvidoria) e mais tarde cuidar do conjunto da rede”, lembrou Pansera. “Enfrentei alguns desaios, entre eles a montagem da rede de ensino superior, que é a Faeterj. Por im, a questão de cargos e salários, que sempre vi como estratégico para uma boa carreira. Posso airmar que temos hoje uma rede muito eiciente, provavelmente a melhor do Brasil”, disse orgulhoso. Ele explicou que lá deixou uma equipe “muito boa” e que a nova presidente, Maria Cristina Lacerda, foi sua indicação. “O ciclo se

fecha no inal do ano mas acredito que o planejamento e as principais decisões tomamos junto e é a própria equipe que vai tocá-la. É uma sensação de dever cumprido”, acrescentou. Sobre sua atuação na área política, ele comenta: “Gosto muito. Meu primeiro comício foi 1978, com 15 anos. De lá pra cá sempre convivi com a política e acho isso prazeroso. Saí do PSB por estratégia, me iliei ao PMDB e meu nome está sendo cotado pelo Partido para compor a chapa para concorrer a um cargo de deputado federal. Mas isso é uma decisão do Partido. Nunca fui candidato e nem planejei ser mas, diante de uma possibilidade muito grande de renovação do congresso, o fato do Alexandre [Cardoso] não concorrer a deputado federal, deixando um vácuo político na cidade e no estado e da possibilidade de ele apoiar minha candidatura... quem sabe dá certo?”. Ele diz que, no momento, sua decisão é voltar a lecionar. “No im de abril voltarei a dar aula de lite-

Marcelo Cunha

ratura na rede particular e em um pré vestibular social. Anunciou ainda o lançamento em breve do seu primeiro livro, ainda sem título “Ele trás idéias sobre gestão educacional, sobre o cuidado com a escola, o cuidado com a merenda, a democracia, a prática da cidadania. A eleição para diretor de escola, por exemplo, acho fundamental pela prática que trás, mas também pelo combate a interesses políticos. Defendo também a dedicação exclusiva, com o professor

se ocupando da escola o dia inteiro. Venho produzindo pequenos textos ao longo dos anos. São muitos assuntos, mas a grande maioria tem o foco da educação. Tem muita teoria boa sobre a educação no Brasil. Por isso, minha preocupação é a gestão da educação”, antecipou. Ao ser indagado sobre política, ele se disse um apaixonado pelo assunto e citou como referências líderes como Lula, Miguel Arraes, Leonel Brizola, Pedro Simon e Olívio Dutra.

Citou ainda Dilma Rousseff (“não é boa política mas está fazendo um bom governo”) e Sérgio Cabral (“é um bom líder para se trabalhar, discute idéias e dá autonomia para a equipe”). Defende uma ampla reforma política, mudando critérios e método de inanciamento. “Tem muitos políticos bons, não podemos generalizar. Pretendo fazer política séria. Taí o Alexandre, com dois mandatos de deputado estadual e cinco de federal. Não faz clientelismo e nunca foi

processado, sempre fazendo campanhas sobre idéias e propostas inovadoras”. - Minha idéia é trabalhar a reforma tributária, a reforma política, a defesa dos interesses nacionais, como o pré-sal, de se ter uma parte da reserva de produção de plataformas e de navios com tecnologia nacional - alinhou Pansera. Sobre Duque de Caxias, ele destaca que nela trabalha desde 1992 e reside há onze anos: “Meu ilho nasceu e estuda aqui, eu o levo todas as manhãs para a escolinha, conheço os pais de seus amiguinhos, vou na padaria, no supermercado, eu vivo na cidade e meu salário ica aqui. Tenho prazer em viver em Duque de Caxias”. Por esses vínculos fortes com a cidade, ele pretende também atuar em defesa dos interesses do município, dos investimentos na cidade, através do PAC, de ações de mobilidade urbana. Enim, trabalhar por projetos e na busca de recursos. São assuntos que considero importantes concluiu.

Atualidade Federais fazem marcha e podem parar durante a Copa E xatos 60 dias para o início da Copa do Mundo, policiais federais izeram um protesto na Praia de Copacabana na manhã do último domingo (13) e prometem fazer greve durante o evento esportivo. Cerca de 300 policiais e parentes marcharam pela Avenida Atlântica com cinco elefan-

tes brancos inláveis, para reivindicar melhores condições de trabalho, reajuste salarial e reestruturação da carreira. O presidente do Sindicato dos Servidores do Departamento de Polícia Federal do Estado do Rio de Janeiro, André Vaz de Mello, explica que a Marcha dos Elefantes, junto com uma paralisação de um dia, é para mostrar para a sociedade as condições

ABr/Tomaz Silva

"A gente pede a reestruprecárias de trabalho dos policias e a ineiciência do turação das carreiras, com atual modelo de segurança as atribuições dos cargos de papiloscopista, agenpública.

te e escrivão deinidas por lei, porque não tem isto até agora, e no mínimo uma reposição inlacionária para a gente poder sentar e conversar. O elefante branco é a ineiciência do nosso modelo de segurança pública, no qual 96% dos inquéritos não dão em nada, só 2% apontam realmente e punem os culpados. Em nenhum lugar do mundo isso existe”, disse.

De acordo com ele, a categoria está há sete anos sem aumento. Mello diz que os serviços essenciais serão mantidos em uma eventual greve, como foi mantido na paralisação de hoje. Mas, segundo ele, uma greve da Polícia Federal representa risco para a segurança do país. (Agência Brasil)

País

Internacional

Renan defende criação de CPI ampliada

Ucrânia pode fazer referendo sobre estatuto

O

presidente do Senado, Renan Calheiros, defendeu a criação de uma comissão parlamentar de inquérito (CPI) ampla, para investigar os contratos dos metrôs de São Paulo e do Distrito Federal, supostas irregularidades no Porto de Suape (PE) e suspeitas de fraudes em convênios com recursos da

União, além das denúncias de irregularidades na Petrobras. O manifestação de Renan foi enviada nesta segunda-feira (14) ao Supremo Tribunal Federal (STF) a pedido da ministra Rosa Weber, que deu prazo de 48 horas para o presidente se manifestar sobre os mandados de segurança impetrados pela oposição e por parlamentares governistas sobre a criação da CPI da Petrobras. Após receber as

informações, a ministra vai decidir os pedidos de liminares. O impasse sobre a comissão está em torno de dois requerimentos para a criação de CPIs apresentados ao Senado. O primeiro de partidos de oposição e o segundo apresentado por partidos da base governista. (Agência Brasil)

O

presidente interino da Ucrânia, Olexandre Turchinov, admitiu nesta segunda-feira (14) a possibilidade de fazer um referendo sobre o estatuto do país, juntamente com as eleições presidenciais previstas para 25 de maio. “Nos últimos tempos, tem-se falado muito de um referendo nacional. Nós

não somos contra a organização de um referendo em toda a Ucrânia que, se o Parlamento quiser, pode ser feito ao mesmo tempo que as eleições presidenciais”, declarou Turchinov no Parlamento, durante reunião dos líderes partidários. “Tenho a certeza de que a maioria da população se pronunciaria a favor de uma Ucrânia indivisível, independente, democrática e unida”, acrescentou. Tur-

chinov não adiantou que projeto poderia ser submetido a referendo. Os separatistas no Leste do país, entre os quais alguns grupos armados que tomaram edifícios oiciais, exigem, por sua vez, a realização de referendos locais sobre a anexação à Rússia ou uma federalização do país. (Com informações da Agência Lusa)


Duque de Caxias, Baixada e Capital MERCADO & NEGÓCIOS

►15 a 21 de Abril de 2014

7

Logística vai construir terminal Coronel reformado quer calar MRs logístico ferroviário em Queimados blog mais visitado por militares A

O

capitão da Polícia Militar Melquisedec Nascimento é alvo de uma ação cível indenizatória [danos morais] que tramita no Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, proposta por um coronel reformado da mesma corporação. Segundo o advogado Armando Junior, que defende o capitão, a ação é baseada em comentário feito por anônimo no blog Militar Legal, de responsabilidade de seu cliente. O advogado disse ao Capital que o processo movido contra seu cliente é oriundo de uma postagem que reproduziu uma notícia publicada por um grande órgão de imprensa em 2010, dando conta que um volumoso processo envolvendo 42 policiais com o jogo do bicho - a descoberta da fortaleza de Castor de Andrade, em 1994, a partir da Operação Mãos Limpas - perderia a validade em três meses. “O blog Militar Legal só procedeu e agiu como um ‘banco de dados’, não criando qualquer fato novo ou inverídico daquele já noticiado na imprensa”, explicou Armando Junior. - Entendo que, o autor da ação ‘atirou’ sobre o meu cliente para daí vir a

forçar uma defesa ou contestação conlitante entre o responsável pelo Blog primário e secundário. Achando o autor da ação que o secundário possa auxilia-lo na luta real com o primário assim buscando com o conlito se beneiciar sobre o primário. Além disso, todos da instituição castrense conhecem a trajetória do capitão Melquisedec no seu ambiente familiar, social e, especialmente funcional, sua vida simples e sua vocação militar e como um agente de estado, até mesmo o autor sabe, todos

sabemos, o Fluminense Football Club sabe - dissertou o advogado. Ao ser perguntado se a ação poderia ser uma nova tentativa de cercear seu cliente de exercer o direito à manifestação, visto que o blog é um dos mais inluentes junto ao corpo de policiais militares do Estado, o advogado airmou: “...obviamente essa é uma possibilidade e sempre existe a tentativa de calar a voz de qualquer cidadão que exerce seu direito de opinião, garantindo pela Constituição Federal, principalmen-

MRS Logística vai in- certeza que, cada vez que as vestir R$ 100 milhões pessoas observarem que o na montagem de um Polo Arco está saindo do papel, seReprodução Intermodal Ferroviário no rão mais investimentos, prinmunicípio de Queimados, cipalmente para a Baixada em parceria com a Prefei- Fluminense”. tura e o Governo do EstaA expectativa é que, em do. O lançamento da pedra uma primeira etapa, sejam fundamental do empreen- gerados 300 empregos didimento acontecerá nesta retos. O terreno adquirido terça-feira (15), às 17h, pela empresa possui 700 mil no bairro Quebra Coco. O metros quadrados e ica às governador Luiz Fernando margens da ferrovia, a oito Pezão airmou que o polo quilômetros da Rodovia de logística produzirá uma Presidente Dutra e a dois do revolução ao ampliar o de- Arco Metropolitano, A MRS senvolvimento do municí- Logística é uma concessiopio e da região da Baixada. nária que controla, opera e “Este centro logístico será monitora a Malha Sudeste da uma revolução. Acho que Rede Ferroviária Federal. A é uma mudança de para- empresa atua no mercado de digma no transporte de car- transporte ferroviário desde gas do Brasil. Não tenho 1996, quando foi constituía menor dúvida que este da, interligando os estados empreendimento será um do Rio de Janeiro, Minas Gete quando esse cidadão é grande sucesso. Ele é vital rais e São Paulo. São 1.643 porque une a ferrovia, vai Km de trilhos que facilitam o um policial militar”. A “fortaleza” do con- unir o Arco Metropolitano processo de transporte e distraventor Castor de Andra- e o porto de Itaguaí. Temos tribuição de cargas. de, que funcionava na Rua SiVDC Fonseca 1040, em Bangu, SiNDiCatO DOS ViGilaNtES E EMpREGaDOS E EMpRESaS DE foi estourada por uma opeSeGUrANÇA e ViGilÂNCiA, TrANSPOrTeS de VAlOreS dPreVeNÇÃO e ração do Ministério PúbliCOMbATe A iNCÊNdiO de CUrSO de FOrMAÇÃOe SiMilAreS OU CONeXOS de dUQUe de CAXiAS-rJ. co em 1994, quando proTELS. 2771-9281 / 3651-1906 / 3471- 6584 motores encontravam uma CNPJ: 36.554.434/0001-80 “lista do bicho” contendo ediTAl de CONVOCAÇÃO PArA A CATeGOriA ViGiAS e OUTrOS registros de pagamentos de SiMilAreS OU CONeXOS propina, da qual constavam O Presidente do sindicato dos Vigilantes e Empregados de Empresas de segurança e Vigilância, Transporte de Valores, de prevenção e Combate a Incêndio, de Curso de 42 policiais. No 'bunker' de Formação de Similares ou Conexo de Duque de Caxias-RJ: Rua Francisco Sabino n° Castor, foram apreendidos 12, Parque Fluminense, Duque de Caxias-RJ, Sr Carlos Gil de Souza, vem convocar US$ 3 milhões. A ação gaos funcionário da empresa L.A. Forte Comércio de Equipamentos de Controle de Portaria e Vigias Ltda. E sua diretoria, para formalizar ou realizar o Acordo Coletivo dos nhou grande destaque no Trabalhadores a pedido da mesma e dos funcionários com o Sindicato da Categoria, noticiário de grandes órconforme Art. 611 CLT, para uma Assembleia Geral Extraordinária, que irá se realizar gãos de imprensa. em 1º/05/2014, em sua sede social, situada na Rua Francisco Sabino n° 12, Parque

Duque de Caxias faz sorteio de 400 apartamentos

T

ensão, lágrimas e muita alegria, marcaram a manhã de sábado (12), na Vila Olímpica de Duque de Caxias, os momentos do sorteio de 400 apartamentos do condomínio Rotonta, no bairro Nossa Senhora do Carmo, que contemplou parte dos mais de 18 mil inscritos no programa ‘Minha Casa Minha Vida’ do governo federal. A lista com a relação dos ganhadores está disponibilizada no site da prefeitura junto com as datas para apresentação da documentação na secretaria municipal de Planejamento, Habitação e Urbanismo. Para os próximos sorteios, a partir do segundo semestre, não será necessária nova inscrição. O evento que reuniu cerca de mil moradores no ginásio de esportes, em sua maioria mulheres contou com a presença de várias

autoridades, entre elas os secretários Luiz Edmundo (Planejamento, Habitação e Urbanismo) e Claudia Peixoto (Assistência Social e Direitos Humanos), o deputado estadual Dica, o presidente da Câmara Municipal, vereador Eduardo Moreira, o superintendente Regional Rio de Janeiro Oeste da Caixa Econômica Federal, Gabriel Binder, que destacaram a importância do programa do Ministério das Cidades que já contemplou até agora cerca de 1.500 famílias do município. O sorteio eletrônico foi feito para quatro grupos estabelecidos pelo Ministério das Cidades. Entre os critérios estão três por cento das vagas destinadas portadores de necessidades especiais e idosos e o restante para mulheres chefe de família, residentes em

áreas de risco. Também foram sorteados suplentes que substituirão os que não comprovarem as informações declaradas junto à secretaria Municipal de Planejamento, Habitação e Urbanismo no ato da inscrição e nas datas estipuladas pelos grupos de sorteio. Mais seis empreendimentos já foram aprovados para construção de imóveis em Duque de Caxias. São eles: Parma, localizado na Vila Santo Antônio, em Campos Elíseos (que vai contemplar 496 famílias), Volterra (em construção), na mesma região, com 500 unidades habitacionais, Cangulo, no bairro Cangulo (em construção), com 2.440 unidades, Narcisa Amália, no Parque Rotsen (em construção) com 1.280 unidades, em Imbariê, Vale da Mata, em Xerém, que vai contemplar mais 215

famílias e Tenório Cavalcanti, também em Campos Elíseos com 460 imóveis. Os moradores inscritos continuam concorrendo aos imóveis. No ano passado foram entregues os residenciais Bolzano e Pádua, que contemplaram cerca de mil famílias. Representando o prefeito Alexandre Cardoso, o secretário de Planejamento, Habitação e Urbanismo, Luiz Edmundo informou que até o inal do ano deverão ser entregues mais 2.500 imóveis “Hoje é um dia alegre e de muita satisfação na vida da população de Duque de Caxias. O sonho da casa própria está se tonando realidade na vida de muitas pessoas do município”, desatacou o secretário, acrescentando que os que não foram contemplados nesse dia terão outras oportunidades.

Fluminense, Duque de Caxias-RJ, dando inicio na primeira chamada às 09:00 hs e a segunda chamada às 09:30 hs, com qualquer número de funcionários e diretores das partes presentes, para discutir as seguintes Ordens do Dia: 1 - Permissão para assinar Acordo Coletivo dos Trabalhadores, da empresa acima citada referente a data base dos Trabalhadores que e 1º de maio de 2014 a 30 abril de 2015. 2 - Permissão para descontar as contribuições Confederativa e Negocial (Assistencial) e Aux. Funeral. 3 - Permissão para ajuizar o Acordo Coletivo caso seja necessário. Duque de Caxias, 11 de Abril de 2014 CaRlOS Gil DE SOUZa - Presidente

SiVDC SiNDiCatO DOS ViGilaNtES E EMpREGaDOS E EMpRESaS DE SEGUrANÇA e ViGilÂNCiA, TrANSPOrTeS de VAlOreS dPreVeNÇÃO e COMbATe A iNCÊNdiO de CUrSO de FOrMAÇÃOe SiMilAreS OU CONeXOS de dUQUe de CAXiAS-rJ. TELS. 2771-9281 / 3651-1906 / 3471- 6584 CNPJ: 36.554.434/0001-80 ediTAl de CONVOCAÇÃO dOS TrAbAlHAdOreS dA eMPreSA rFb PreSTAÇÃO de SerViÇOS lTdA e SUA direTOriA O Presidente do sindicato dos Vigilantes e Empregados de Empresas de segurança e Vigilância,Transporte de Valores, de prevenção e Combate a Incêndio, de Curso de Formação de Similares ou Conexo de Duque de Caxias-RJ: Rua Francisco Sabino n° 12, Parque Fluminense, Duque de Caxias-RJ, Sr Carlos Gil de Souza, vem convocar os funcionário da empresa RFB Prestação de Serviços Ltda. E sua diretoria, para formalizar ou realizar o Acordo Coletivo dos Trabalhadores a pedido da mesma e dos funcionários com o Sindicato da Categoria, conforme Art. 611 CLT, para uma Assembleia Geral Extraordinária, que irá se realizar em 30/04/2014, em sua sede social, situada na Rua Francisco Sabino n° 12, Parque Fluminense, Duque de Caxias-RJ, dando inicio na primeira chamada às 09:00 hs e a segunda chamada às 09:30 hs, com qualquer número de funcionários e diretores das partes presentes, para discutir as seguintes Ordens do Dia: 1 - Permissão para assinar Acordo Coletivo dos Trabalhadores, da empresa acima citada referente a data base dos Trabalhadores que e 1º de maio de 2014 a 30 Abril de 2015. 2 - Permissão para descontar as contribuições Confederativa e Negocial (Assistencial) e Aux. Funeral. 3 - Permissão para ajuizar o Acordo Coletivo caso seja necessário. Duque de Caxias, 11 de Abril de 2014 CaRlOS Gil DE SOUZa - Presidente


8

MERCADO & NEGÓCIOS

►15 a 21 de Abril de 2014

Duque de Caxias, Baixada e Capital

Estado fará integração com prefeitos da região metropolitana SCERJ/Eny Miranda

P

ara fortalecer a integração entre as cidades da Região Metropolitana, o governador Luiz Fernando Pezão vai criar um órgão de assessoramento com as prefeituras. O objetivo é reunir os chefes da esfera municipal para discutir temas como Saúde, Saneamento e Mobilidade Urbana. O anúncio foi feito domingo (6), durante a abertura de uma reunião do prefeito Eduardo Paes com seu secretariado, no Hotel Windsor, na Barra da Tijuca. Após acertar a participação da capital, o governador airmou que vai convidar os demais prefeitos nos próximos dias para se reunir e 'desenhar' o órgão. “Vamos criar um órgão para fortalecer a Região Metropolitana. Não é possível discutir Saúde e Saneamento se a cidade do Rio não estiver junto com os demais 20 prefeitos da região. O segredo do sucesso é a integração e vai ajudar muito a governarmos o estado”, airmou Pezão. O Rio de Janeiro ganhou no último dia 5, dois projetos que vão ampliar a integração entre as regiões. Contando com emprésti-

O governador Luiz Fernando Pezão participa do lançamento do programa de politicas publicas para região metropolitana mo de US$ 50 milhões do Banco Mundial, o Governo do Estado executará o Programa de Fortalecimento da Gestão do Setor Público e do Desenvolvimento Territorial Integrado - Rio Metrópole (Progestão II). A proposta é melhorar a gestão articulada de políticas públicas territoriais por meio de três componentes: desenvolvimento urbano e sustentabilidade; desenvolvimento social; e sustentabilidade iscal. Em parceria com a

União, o Governo do Rio autorizou também o início das obras de complementação da Via Light. As intervenções permitirão a ligação do centro de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, à Avenida Brasil, na altura de Guadalupe, na Zona Norte do Rio. O novo corredor expresso vai melhorar a mobilidade entre várias cidades do Grande Rio. A previsão é de que as obras sejam entregues no primeiro semestre de 2016.

O trecho terá dois túneis, com uma faixa exclusiva para o BRT – projeto da Prefeitura do Rio de corredores expressos exclusivos para ônibus articulados – e 12 viadutos em pontos chaves do traçado, atendendo aos principais bairros de sua área de abrangência. A interseção com a Avenida Brasil será um viaduto com seis faixas de rolamento em estrutura metálica, com a utilização de metodologia de lançamento inovadora.

Nova ponte de Xerém será inaugurada em maio A

os poucos a vida dos moradores de Xerém, no quarto distrito de Duque de Caxias vai voltando ao normal. A prefeitura entregará à população no mês que vem a nova ponte sobre o Rio João Pinto - também chamado de Capivari -, na comunidade Café Torrado, abrindo o trânsito para veículos pesados como ônibus e caminhões. Hoje a travessia é feita pela ponte provisória e permitida apenas a veículos pequenos desde que a ponte antiga foi destruída pela enxurrada que atingiu a região em janeiro de 2013, e deixou cerca de mil moradores desabriga-

PMDC/Rafael Barreto

dos e desalojados. Desde o ano passado, a prefeitura, em parceria com o governo federal, vem realizando obras na região beneiciando milhares de moradores. A área do Café Torrado, uma das mais afetadas pelo temporal de janeiro do ano passado, está recebendo obras de drenagem, pavimentação e contenção, beneiciando as ruas Venâncio (trecho), José de Paula (trecho), João Pinto (trecho) e Alberto (trecho), Celina, Projetada, Venância de Andrade, Hilarino de S. Bastos e Pixinguinha. A secretaria municipal de Obras ins-

talou esta semana a nova passarela sobre o Rio João Pinto. Na mesma região outras duas passarelas serão instaladas para facilitar a travessia dos moradores de comunidades vizinhas. O secretário municipal de Obras, Luiz Felipe Leão, explicou que a nova ponte foi construída utilizando técnica de vigas pré-moldadas e irá evitar que em caso de novas cheias e a elevação do nível das águas do rio, a estrutura não seja afetada. O distrito já recebeu também melhorias com o recapeamento de ruas e a operação tapa-buracos.

Edição nº 206  

Jornal Capital - Edição nº 206