Page 1

Indicadores / Câmbio

Atualidade

Compra

Chegada de 60 trens chineses ao Rio vai ser antecipada

Venda %

Dolar Comercial

2,020

2,201

0,46

Dólar turismo

2,120

2,260

0,44

54.602,38

0,91

ibovespa

►PÁGINA 2

Fechamento: 23 de SetemBRo de 2013

Ano 5 ● nº 177 www.jornalcapital.jor.br Duque de Caxias, Baixada e Capital

MERCADO & NEGÓCIOS R$1

Capital EMpRESa JORNalÍStiCa ltDa ● ►24 a 30 de setembro de 2013

O

Arrecadação recorde Elza Fiuza-ABr

governo federal arrecadou R$ 83,956 bilhões em impostos e contribuições em agosto, recorde para o período. O resultado representa crescimento real de 2,68% em relação ao mesmo período de 2012, descontada a inflação pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). A lucratividade das empresas foi a grande responsável pelo crescimento da arrecadação em agosto, informou o secretário adjunto da Receita Federal, Luiz Fernando Teixeira Nunes (foto). Segundo Nunes, o resultado mostra um cenário de recuperação da economia. ►PÁGINA 3

Balança tem terceiro superávit em setembro A balança comercial brasileira voltou a registrar superávit (com exportações maiores do que as importações) na terceira semana de setembro. Houve saldo positivo de US$ 591 milhões. Com isso, o déficit acumulado no ano voltou a cair, de US$ 2,85 bilhões para US$ 2,26 bilhões. O superávit foi resultado de exportações de US$ 5 bilhões e importações de US$ 4,41 bilhões. Os dados foram divulgados nesta segunda-feira (23) pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Na terceira semana de setembro, houve inversão do quadro verificado até a segunda semana. As vendas de produtos de maior valor agregado (manufaturados e semimanufaturados) cresceram na comparação semanal e o comércio de produtos básicos, que vinha se mostrando aquecido, sofreu retração. As exportações de semimanufaturados cresceram 9,6%, segundo o critério da média diária, encabeçadas por açúcar, celulose, óleo de soja, ligas de ferro, alumínio e ferro fundido.

Banco Central mantém leilões diários de dólares

Tombini sinaliza continuidade do aumento da taxa Selic

O

Fabio Rodrigues Pozzebom-ABr

programa de oferta diária de dólares ao mercado, iniciado no dia 22 de agosto, está funcionando bem, e “não há notícia do nosso lado” sobre possível mudança na política monetária, disse nesta segunda-feira (23) o presidente do Banco Central (BC), Alexandre Tombini, durante teleconferência com a imprensa estrangeira, cujo áudio foi disponibilizado depois na internet. A pergunta foi motivada pela decisão adotada pelo Federal Reserve (Fed, o Banco Central dos Estados Unidos) na última quarta-feira (18), mantendo a política de compra de títulos no valor aproximado de US$ 85 bilhões por mês para estimular a economia americana. A medida ajudou a conter a cotação do dólar no Brasil e nas demais economias emergentes. A decisão do Fed abriu a perspectiva de possível alteração dos leilões diários do BC, e o ministro da Fazenda, Guido Mantega, chegou a admitir, na semana passada, a hipótese de o BC reduzir a intervenção no câmbio. Isso porque muita coisa mudou de 22 de agosto para cá, quando o dólar fechou a R$ 2,42 – atualmente a moeda americana está cotada a pouco mais de R$ 2,20.

Carga tributária de micro tem diferença absurda entre estados O ►PÁGINA 4

Construção civil continua desaquecida, diz pesquisa da CNI ►PÁGINA 4

Audi anuncia construção de fábrica no Brasil ►PÁGINA 7

presidente do Banco Central (BC), Alexandre Tombini (D), disse que as ações de controle da inlação, iniciadas em abril último com a retomada do processo de elevação da taxa básica de juros (Selic), serão mantidas por “um período de horizonte relevante”, porque a inlação ainda está "em um patamar desconfortável”. ►PÁGINA 5

Governo prevê licitação do Galeão para 22 de novembro ►PÁGINA 2

Licitação de ferrovias terá modelagem sólida, diz ministro ►PÁGINA 4

Sucata da VASP começa a ser vendida em leilão ►PÁGINA7 8 ►PÁGINA


2

MERCADO & NEGÓCIOS

►24 a 30 de Setembro de 2013

Governo não está preparado para im da multa do FGTS O

secretário executivo interino do Ministério da Fazenda, Dyogo de Oliveira, reairmou que se houver o im da cobrança da multa adicional de 10% do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), haverá redução da capacidade de pagamento de subsídios ao Programa Minha Casa, Minha Vida. “Se [o fundo] não tiver receita, vai encolher a capacidade de conceder subsídio. Com a redução no lucro, vai icar cada vez mais difícil de fazer face aos subsídios”, disse. O secretário disse ainda que o governo não se planejou para o im da multa, pelo fato de a Lei 110/2001 não estabelecer um prazo para o encerramento. Reportagem publicada no último dia 17 pelo jornal Folha de S. Paulo diz que o governo estaria retendo dinheiro devido ao FGTS nas

contas do Tesouro Nacional com o objetivo de suprir perdas de arrecadação em lugar de utilizá-lo integralmente no Minha Casa, Minha Vida. Oliveira rebateu a informação e disse que a "União está pagando sua parte". "A participação do governo até agosto seria R$ 1 bilhão, dos quais já repassamos R$ 800 milhões”, destacou. No total, levando-se em conta o período desde abril do ano passado, o governo deve R$ 4,4 bilhões ao FGTS referentes à arrecadação da multa de 10%, paga pelas empresas quando demitem sem justa causa. AJUSTES - De acordo com o secretário, as datas para o pagamento do débito ainda estão sendo ajustadas. “Essa é uma questão de luxo de caixa que ajustamos entre a gente [governo e gestores do FGTS]. Isso

não tem nada a ver com a capacidade de [o FGTS] pagar o s subsídios. A capacidade depende do resultado [lucro] e, se tirar a multa [de 10%], tira diretamente o resultado”, declarou. Segundo Dyogo Oliveira, o fundo tem R$ 116 bilhões em disponibilidade e não precisa imediatamente de luxo de caixa, mas será afetado a longo prazo, caso haja o im da arrecadação. No ano passado, o FGTS teve lucro de R$ 14 bilhões. O governo considera o volume um ponto fora da curva. Na média de anos anteriores, o resultado icou próximo de R$ 5 bilhões. A União defende que, com a retirada da multa de 10%, haveria impacto anual de mais de R$ 3 bilhões sobre esse valor. Em 2013, por exemplo, a expectativa é arrecadar R$ 3,6 bilhões com a multa. No ano passado,

o volume arrecadado icou em R$ 3,2 bilhões. O Congresso decidiu acabar com a cobrança da multa de 10% alegando que ela já cumpriu a função de corrigir um desequilíbrio existente entre a correção dos saldos das contas individuais do FGTS. Em julho, o Executivo vetou todo o projeto aprovado pelos parlamentares. O governo também enviou hoje ao Congresso Nacional a Mensagem 398, propondo a alteração da Lei 110/2001 para vinculação da multa exclusivamente ao Programa Minha Casa, Minha Vida. O projeto de lei do governo cria ainda uma boniicação no momento da aposentadoria para o trabalhador que em algum momento fez jus à multa, desde que não tenha sido beneiciado pelo programa habitacional. (Agência Brasil)

Governo prevê licitação de Conins e Galeão para 22 de novembro

O

governo prevê que será possível fazer o leilão dos aeroportos do Galeão, no Rio, e de Conins, em Belo Horizonte, no dia 22 de novembro, informou nesta segunda-feira (23) o ministro da Secreta-

ria de Aviação Civil, Moreira Franco. O ministro falou após reunião no Tribunal de Contas da União (TCU) da qual participaram os ministros Augusto Nardes, presidente do TCU, Gleisi

Hoffmann, da Casa Civil, César Borges, dos Transportes, e o advogado-geral da União, Luís Inácio Adams. Moreira Franco disse que o tribunal e o governo farão os ajustes técnicos

da licitação dos aeroportos o mais breve possível, de modo a que o edital possa ser divulgado no início de outubro. Com isso, o leilão marcado para 21 de outubro está previsto para o dia 22 de novembro.

Duque de Caxias, Baixada e Capital

VLI tem novos sócios e prevê uso de R$ 9 bilhões em logística

A

ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, disse que o governo recebeu com satisfação a notícia sobre a ampliação de capital estrangeiro na empresa de logística VLI, braço logístico de carga geral da mineradora brasileira Vale. Na avaliação da ministra, a nova composição acionária demonstra a capacidade do Brasil e suas empresas de atrair investimentos. A entrada de três novos sócios permitirá investimentos projetados em quase R$ 9 bilhões para os próximos cinco anos, disse o presidente da Vale, Murilo Ferreira, após encontro com a presidenta Dilma Rousseff, no Palácio do Planalto. No acordo feito pelas empresas, foi dada exclusividade ao consórcio canadense Brookield para a compra de 26% da VLI. Além disso, foi acertada a transferência de 20% para a japonesa Mitsui e de 15,9% ao Fundo de Investimento do FGTS (Fun-

Ligue: Anuncie! 21 2671-6611 Cambio Moeda

(*) Fechamento: 23 de SetemBRo de 2013

Compra (R$) 2,020

2,201

Dólar turismo

2,120

2,260

Compra (U$)

alberto marques

O

Hospital do Servidor Público Estadual de São Paulo acaba de concluir uma pesquisa, divulgada pela Agência Brasil, portanto, do Governo Federal, reveladora da tortuosa política pública no país em se tratando de Saúde. E os resultados são assustadores, para se dizer o mínimo. A proporção entre as mortes provocadas por câncer e aquelas provocadas por doenças de coração, como infarto e os acidentes vasculares cerebrais (AVC), popularmente chamados de “Derrame Cerebral”, vem aumentado nos últimos dez anos. De acordo com levantamento feito pelo Hospital do Servidor Público de São Paulo, 686 mortes por câncer foram registradas no ano passado naquele hospital, número 68% maior que as 408 mortes que ocorreram por problemas do coração. Segundo o médico Roberto Dantas Queiroz,

por exemplo, onde há muito mais pacientes idosos do que jovens. Vamos ter que ter uma política pública para se preparar nesse sentido”, falou. Ainda segundo o Dr. Queiroz, “As pessoas, vivendo mais, têm mais chance de ter câncer e de ter recidivas de câncer também”, acrescentou. Na opinião do especialista, o país precisa se preparar para esse cenário e investir em políticas públicas não só para o tratamento do câncer, mas para outras doenças comuns entre a população idosa, como as degenerativas. “O Brasil, como um todo, não sei se está preparado. Não há grandes centros oncológicos por aí e isso também vai, com certeza, elevar custos porque o tratamento do câncer não é um tratamento barato”, falou. Embora lide com números, a Estatística não é uma ciência exata, no sentido de que os resultados apresentados sejam indiscutíveis, como por exemplo: um copo com 50% de sua capacidade utilizada pode-se dizer que está meio cheio, ou meio vazio. Temos

também a situação dos bancários, que estão em greve por conta de uma pequena diferença percentual entre a oferta dos patrões e a reivindicação dos empregados, mas se compararmos o percentual de lucro dos bancos com o que pedem os empregados, veremos que, estatisticamente, os bancos podem pagar o que pedem seus empregados. Os problemas da Estatística começam a partir da interpretação da tabela. Há muitas variáveis para explicar o crescimento dos casos de câncer e de doenças coronarianas no País, mas culpar a longevidade atual do brasileiro é uma forma escapista ou simplista de ver o problema, pois a velhice, que muitos aguardam com ansiedade pois a consideram a Melhor Idade, passaria a ser uma punição divina, isto é, o homem e a mulher passariam a morrer de câncer simplesmente por conta do seu DNA: Data de Nascimento Antiga. Será, mesmo, Doutor Queiroz?

0,46 0,44 Variação %

Coroa Dinamarca

5,525

5,529

0,21

0,942

0,942

0,32

Dólar Canadá

1,028

1,028

0,11

Euro

1,349

1,349

0,26

0,910

0,911

0,07

98,760

98,770

0,63

1,604

1,604

0,22

495,710

496,270

0,10

1.890,880

1.891,700

0,23

5,740

5,780

0,17

peso México

12,812

12,816

0,36

peso Uruguai

21,300

21,550

0,23

Franco Suíça iene Japão peso Chile

diretor-geral do Hospital do Servidor de SP, esse percentual deve aumentar ainda mais nos próximos anos, já que pesquisas de novos medicamento e o tratamentos em cardiologia, inclusive com o avanço da tecnologia na produção de novos equipamentos de diagnósticos, tem avançado. “O que acontece hoje também é que a própria cardiologia avançou muito tanto na prevenção e na detecção da doença – com diagnóstico precoce – quanto nos tratamentos que estão mais avançados e que são menos agressivos e menos invasivos”, o que reduziu o número de cirurgias para implantes de ponte de safena e seus efeitos colaterais, falou o médico. Em entrevista à Agência Brasil, Queiroz relacionou, no entanto, o aumento das mortes por câncer com o aumento da população idosa no país. Seis em cada dez pacientes do hospital têm mais de 60 anos. Para ele, a pesquisa é importante, pois a realidade do Hospital do Servidor é a realidade que o Brasil vai viver em breve. “Seremos como a Europa,

Venda (U$)

Variação %

Dólar austrália

libra Esterlina inglaterra

A velhice que nos espera

Venda (R$)

Dolar Comercial Moeda

Ponto de Observação

do de Garantia do Tempo de Serviço). A Vale icará minoritária no negócio. A empresa movimenta carga de mais de 100 clientes, ligando armazém-rodovia-porto. Tem concessões ferroviárias de 10,7 mil quilômetros de extensão, 13 mil vagões e 600 locomotivas. Ferreira disse que o negócio é uma sinalização “inequívoca” do interesse de grandes investidores estrangeiros nas oportunidades de infraestrutura no Brasil e que, no futuro, a empresa deve fazer uma oferta pública para entrada de mais acionistas. “Pretendemos fazê-lo daqui a uns três anos e temos absoluta coniança de que a empresa será um sucesso tão grande que criará um valor muito grande para os acionistas, que ingressam neste estágio, e que mais para a frente poderá ser repartido por um número muito maior de pessoas”. (Agência Brasil)

peso Colômbia peso livre argentina

bolsa Valor

Variação %

ibovespa

54.602,38

0,91

IbX

21.694,92

0,75

Dow Jones

15.401,38

0,32

Nasdaq

3.765,29

0,25

Merval

4.892,65

2,90

Commodities Unidade Petróleo - brent

Compra US$

barril

Venda US$

110,400

110,420

Variação % 0,00

Ouro

onça troy

1.322,550

1.323,770

0,08

prata

onça troy

21,610

21,700

0,05

platina

onça troy

1.418,990

1.426,500

0,04

paládio

onça troy

712,220

717,770

0,04

poupança

24/09

0,500

tR

23/09

0,02

ao ano

9,00

indicadores

Juros Selic meta

r$ 678,00

Salário Mínimo (Federal)

MERCADO & NEGÓCIOS Av. Governador Leonel de Moura Brizola (antiga Presidente Kennedy), 1995 - Sala 804 Edifício Sul América - Centro, CEP 25.020-002 - Duque de Caxias, Rio de Janeiro Telefax: (21) 2671-6611 - CNPJ 11.244.751/0001-70 Na internet:

www.jornalcapital.jor.br Endereços eletrônicos: comercial@jornalcapital.jor.br contato.capitalmercado@gmail.com comercial.capitalmercado@gmail.com redacao@jornalcapital.jor.br contato@jornalcapital.jor.br redacao.capitalmercado@gmail.com TIRAGEM: 10.000 exemplares (assine o Capital: 21 2671-6611) Filiado À ADJORI Associação de Jornais do Interior Capital Empresa Jornalística Ltda Departamento Comercial: (21) 2671-6611 / 8400-0441 / 7854-7256 ID 8*21653 Diretor Geral: Marcelo Cunha Diretor de Redação: Josué Cardoso (josuejornalista@gmail.com) Colaboradores: Alberto Marques, Arthur Salomão, Aureo Lídio, Carlos Erbs, Dilma Rousseff, Geiza Rocha, Moreira Franco, Roberto Daiub e Rodrigo de Castro. Os artigos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores.


Duque de Caxias, Baixada e Capital MERCADO & NEGÓCIOS

►24 a 30 de Setembro de 2013

Agosto registrou arrecadação recorde para o período O

Elza Fiuza-ABr

governo federal arrecadou R$ 83,956 bilhões em impostos e contribuições em agosto, recorde para o período. O resultado representa crescimento real de 2,68% em relação ao mesmo período de 2012, descontada a inlação pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Os dados foram divulgados nesta segunda-feira (23) pela Receita Federal. No acumulado do ano, a arrecadação federal somou R$ 722,234 bilhões, O secretário adjunto da Receita Federal, alta de 0,79% na compaLuiz Fernando Teixeira Nunes, durante entrevista ração com o mesmo período do ano passado, tam- arrecadação aumentou R$ a correção, pela inlação, bém descontado o IPCA. 48,658 bilhões de janeiro dos valores arrecadados Em termos nominais, a a agosto deste ano, sem no mesmo período do ano

passado. De acordo com a Receita, entre os principais fatores que inluenciaram a arrecadação está o desempenho dos principais indicadores macroeconômicos, incluindo a produção industrial, com crescimento de 1,35% entre dezembro de 2012 e julho de 2013, e a venda de bens e serviços (3,96% na mesma comparação). Houve ainda, no período, aumento da massa salarial, de 11,65% e do valor em dólares das importações, com acréscimo de 4,63%. Todos os percentuais com fato gerador em julho e inluência na arrecadação de agosto. (Agência Brasil)

A

Receita atribui crescimento à lucratividade das empresas

lucratividade das empresas foi a grande responsável pelo crescimento da arrecadação em agosto, informou o secretário adjunto da Receita Federal, Luiz Fernando Teixeira Nunes. Segundo Nunes, o resultado mostra um cenário de recuperação da economia. Os tributos que mais reletem esse crescimento são o Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ) e a Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL). De acordo com o secretário adjunto, a estimativa mensal desses tributos, corrigida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), cresceu 18,81% entre janeiro e agosto de

2013 ante o mesmo período do ano passado. “Esse crescimento é forte e mostra um cenário de recuperação da economia. É o relexo da lucratividade da empresa no ano corrente”, destacou Nunes. O secretário adjunto lembrou ainda que, como os impostos de parte das empresas são pagos pelo lucro presumido, se elas não estão utilizando o balancete de suspensão – que dá direito a corrigir o pagamento acima do devido –, é porque não estão tendo lucro abaixo do esperado. “As estimativas são mensais e, evidentemente, elas avaliam que, se pagaram mais do que as demais,

podem fazer balancetes de suspensão. Mas a avaliação é que a estimativas vêm aumentando e os balancetes de suspensão não são reajustados, pois o resultado vem melhorando”, explicou. De acordo com a Receita, entre os principais fatores que inluenciaram a arrecadação está o desempenho dos principais indicadores macroeconômicos, incluindo a produção industrial, com crescimento de 1,35% entre dezembro de 2012 e julho de 2013, e a venda de bens e serviços (3,96% na mesma comparação). Houve ainda, no período, aumento da massa salarial, de 11,65%, e do

valor em dólares das importações, de 4,63%. Todos os percentuais têm fato gerador em julho e inluência na arrecadação de agosto. Diante desse cenário, a expectativa da Receita Federal é que a arrecadação registre no inal do ano crescimento de 3% em comparação ao mesmo período de 2012, mesma projeção anunciada no mês passado por Luiz Fernando Nunes. Ele informou que, para obter o resultado, o órgão não conta com a arrecadação extra em decorrência de programas de reinanciamento de tributos atrasados, que voltaram a ser estudados pelo governo e pelo Congresso Nacional.

Empresário industrial está mais coniante na economia, diz CNI

A

Confederação Nacional da Indústria (CNI) informou nesta segunda-feira (23) que o Índice de Coniança do Empresário Industrial (Icei) aumentou 1,7 ponto em setembro e alcançou 54,2 pontos. É o segundo mês seguido de alta do índice e, segundo a CNI, indica um “sinal importante para a recuperação da indústria". Em agosto, o valor icou em

52,5 pontos. Na comparação com setembro de 2012, o ICEI registra recuo de 3 pontos (57,4). Para calcular o índice, a CNI utiliza indicadores que variam de zero a cem pontos, sendo que resultados acima de 50 pontos indicam empresários coniantes. A CNI informou ainda que o aumento da coniança dos empresários foi mais intenso na indústria

extrativa, em que o ICEI cresceu 4,2 pontos e icou em 57,7 pontos em setembro. Na indústria de transformação o índice aumentou 1,7 ponto e na construção 0,6 ponto. Apesar do pessimismo em relação às condições atuais da economia e das empresas, cujo indicador icou em 46,2 pontos, os industriais estão mais otimistas com o futuro, acredita a confe-

deração de empresários. O índice de expectativas em relação às condições da empresa e da economia para os próximos seis meses subiu de 56,9 pontos em agosto para 58,2 pontos em setembro. A pesquisa foi feita entre 2 e 12 de setembro com 2.499 empresas. Dessas, 912 são pequenas, 967 são médias e 620 são de grande porte.

3

Conversa com a Presidenta encaminhe perguntas para a Presidenta dILma RoUSSeFF: redacao@jornalcapital.jor.br ou redacao.capitalmercado@gmail.com

Presidenta, no dia 21 de setembro foi comemorado o Dia Nacional de Luta das Pessoas com Deiciência. O governo tem políticas para melhorar a vida dessas pessoas? (*) Presidenta Dilma - Sim, desde novembro de 2011 nós temos o programa Viver sem Limite, no qual estamos investindo R$ 7,6 bilhões, até o ano que vem, para garantir direitos, autonomia e, principalmente, oportunidades às pessoas com algum tipo de deiciência. O programa mobiliza um amplo conjunto de ações, entre as quais a oferta de casas próprias adaptadas às necessidades das pessoas com deiciência. Já contratamos 630 mil casas adaptáveis e a meta é a de atingir 1,2 milhão até 2014. As casas adaptáveis têm portas mais largas, banheiros e corredores mais espaçosos, barras de apoio à locomoção. Quando são entregues a famílias que têm pessoas com deiciência, estas casas são adaptadas, recebendo campainhas luminosas ou sinalização Braille nos interruptores, ou barras nos banheiros, dependendo do tipo de deiciência. Na área da educação, o governo federal já entregou 830 ônibus adaptados para as prefeituras de mais de 600 cidades; outros 900 ônibus serão entregues até dezembro e vamos chegar a 2.600 ônibus até o ano que vem. São ônibus com corredores mais amplos e elevadores para cadeiras de rodas, que levam os alunos para escolas públicas e a outras escolas voltadas para o atendimento de pessoas com deiciência, como as Apaes. Lembro que o governo federal repassa recursos do Fundeb, o Fundo de Desenvolvimento da Educação Básica, diretamente para as escolas patrocinadas pelas Apaes, porque reconhecemos a importância do trabalho e da dedicação dessas instituições. Também apoiamos inanceiramente a adaptação das escolas públicas para receber alunos com deiciência. Já repassamos R$ 235 milhões para 26 mil escolas de todo o país fazerem obras como instalação de rampas ou adaptação das portas e dos banheiros. Faço um apelo às diretoras e aos diretores de escolas para que iquem atentos às necessidades desses alunos e façam as obras de acessibilidade. Criamos o Centro Nacional de Referência em Tecnologia Assistiva, em Campinas (SP), e outros 29 núcleos de pesquisa em universidades e institutos federais de educação tecnológica, para desenvolver produtos e serviços que melhorem o cotidiano das pessoas com deiciência, como vocalizador, que reproduz sons ou vozes; cadeiras ajustáveis; softwares que ajudam a alfabetizar as crianças com deiciência; e órteses e próteses com novos materiais. O governo criou ainda uma linha de crédito do Banco do Brasil, com juros baixos, que já inanciou R$ 66 milhões na compra de produtos de uma lista de 250 itens, como cadeiras de rodas motorizadas, andadores, notebooks, impressoras e teclados em Braille, leitores de tela, lupas eletrônicas, mobiliário acessível. E agora anuncio uma novidade: vamos liberar esse crédito também para que pessoas com deiciência façam obras de adaptação nas suas casas, como a construção de rampas ou a mudança das portas. Na área da prevenção, entre outras ações, estamos aumentando o número de testes em recémnascidos para detectar alguma deiciência ou doença genética. Em 2012, realizamos o teste completo do pezinho em 2,1 milhões de recém-nascidos, para detectar precocemente e prevenir doenças que podem provocar deiciências. Também estamos ampliando o número de maternidades que oferecem o teste da orelhinha, que aumenta as chances de tratamento de eventuais problemas auditivos, e ainda neste ano vamos começar a fazer o teste do olhinho, para prevenir doenças como a catarata congênita, a segunda causa de cegueira infantil. Criamos ainda 28 Centros Especializados em Reabilitação e até 2014 teremos 45 Centros implantados. Outra ação pela qual eu tenho muito carinho é a criação e o treinamento de cãesguia. Já inauguramos um centro de treinamento em Camboriú (SC) e estamos construindo outros três. Esse treinamento é longo, é trabalhoso, mas, quando os cães estão prontos, fazem uma diferença enorme na vida das pessoas com deiciência visual. Com o Viver sem Limite, queremos ajudar a reduzir obstáculos, facilitando a convivência e a vida proissional das pessoas com deiciência. São pessoas lutadoras, que superam diariamente barreiras e limites, para viver com cada vez mais autonomia e independência. E nós estaremos sempre ao lado delas, ajudando e apoiando.

(*) Esta pergunta, que precede a Mensagem, foi formulada pela Secretaria de Imprensa para melhor entendimento do conteúdo.


4

MERCADO & NEGÓCIOS

►24 a 30 de Setembro de 2013

Carga tributária de micro tem diferença absurda entre estados A

s diferentes fórmulas de cobrança de impostos e taxas incidentes sobre as micro e pequenas empresas provocam diferenças signiicativas entre os estados, apesar de serem protegidas pelo Simples Nacional, sistema tributário diferenciado, que beneicia pequenos empresários. Pesquisa feita pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), veriicou carga iscal média de 5,2% no país. Mas existem grandes distorções do Simples Nacional entre os 26 estados e o Distrito Fe-

deral. A maior tributação, de 8,62% no Mato Grosso, está 85% acima da menor tributação, de 4,66% no Paraná. A constatação das diferenças originou o estudo Tributação sobre Micro e Pequenas Empresas: Ranking dos Estados, lançado hoje (19), na sede da CNI, com o objetivo de identiicar práticas incomuns na aplicação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) nas empresas optantes pelo Simples Nacional. O ministro interino da Secretaria da Micro e Pequena Empresa, Nelson

Hervey, defendeu o monitoramento constante do Simples Nacional, para que os pequenos empreendedores não sejam prejudicados. “Não podemos permitir que mecanismos como sublimites, substituição tributária, antecipação ou qualquer outro diminuam o benefício que o Simples oferece. Temos que melhorar o diálogo” – disse ele. Para o presidente do Conselho Permanente da Micro e Empresa da CNI, Amaro Sales, as discrepâncias entre as cargas tributárias só serão equalizadas quando os governos estaduais se conscientizarem que a isonomia é decisi-

va para dar sustentação às empresas de menor porte – responsáveis por quase 60% dos empregos no país – e para favorecer a arrecadação. Nosso grande desaio, acrescentou, é fazer com que os governadores e secretários de Fazenda entendam as distorções no Simples Nacional, e o que elas provocam no desenvolvimento das micro e pequenas empresas. Segundo Amaro, os estados se preocupam somente em aumentar a arrecadação e não percebem que, no médio prazo, a arrecadação vai diminuir se as empresas não prosperarem.

Prefeituras e governo concluem esta semana proposta que atualiza ISS ntidades que representam os municípios fecharão na próxima semana, com a Secretaria de Relações Institucionais (SRI), o texto da proposta conjunta que atualiza o Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS), administrado pelos municípios. A ministra Ideli Salvatti, da SRI, informou no último dia 18 que foram selecionadas as questões de consenso entre governo e prefeituras. Segundo Ideli, é importante a negociação prévia sobre o assunto para que o projeto tenha apoio do governo quando de sua

E

tramitação no Congresso Nacional. “Hoje nós fechamos os assuntos em que é possível haver convergência. Dos nove pontos apresentados, podemos luir em uns seis”, disse a ministra, após encontro com os presidentes da Associação Brasileira de Municípios, Eduardo Tadeu Pereira, da Confederação Nacional de Municípios, Paulo Ziulkoski, e da Frente Nacional de Prefeitos (FNP), José Fortunati. Ideli disse que na possivelmente nesta semana o texto acordado deverá ser apresentado à presidenta

Licitação de ferrovias terá modelagem sólida, garante ministro

T

écnicos do governo e do Tribunal de Contas da União (TCU) vão trabalhar em conjunto nas próximas semanas para deinir a modelagem do processo de licitação no setor de ferrovias, que será apresentado por medida provisória ou projeto de lei, anunciou nesta segunda-feira (23) o ministro dos Transportes, César Borges. Segundo ele, será feita uma avaliação completa de todas as pendências estruturais, técnicas e legais, para que se obtenha um processo sólido de

concessões e modelagem de inanciamento com toda segurança. Borges disse que, até o inal de outubro, “o processo deve estar bem maduro”. O ministro fez as airmações depois de participar de reunião com o presidente do TCU, ministro Augusto Nardes, e com os ministros Gleise Hoffmann, chefe da Casa Civil da Presidência da República, Luís Inácio Adams, da Advocacia-Geral da União, e Wellington Moreira Franco, da Aviação Civil. A reunião foi dividida em duas etapas. (Agência Brasil)

Duque de Caxias, Baixada e Capital

Conexão Brasília aUReo, deputado Federal (PRtB/RJ), é vice-presidente da Frente Parlamentar em defesa da Vida, contra a Legalização do aborto e integra várias comissões.

Nossa intenção é a de proteger, esclarecer e dar transparência ao consumidor brasileiro

O

país e os consumidores do Brasil têm sido vítimas de constantes apagões no abastecimento de energia elétrica. Na razão desses apagões se encontram diversos fatores, dentre eles as dimensões continentais do país, gargalos na transmissão e nas subestações e redes de distribuição sucateadas e de baixa qualidade. A esses fatores se agrega o fato da geração de energia elétrica no país ser predominantemente hidroelétrica. Assim, a produção é sujeita a grande sazonalidade e fortemente dependente do regime de chuvas de cada região. Com o intuito de dar maior transparência às faturas, a Aneel decidiu desde 2013 incluir um sistema de avisos, chamado de bandeiras tarifárias. O sistema adotado pela Aneel possui três cores: verde, amarelo e vermelho. Na condição verde há condições favoráveis para a produção de energia e não há custos adicionais para os consumidores. Na bandeira amarela as condições são menos favoráveis e a tarifa sofre o acréscimo de R$ 1,50 para cada 100 quilowatt-hora consumido. E na tarifação vermelha, quando as termelétricas estão em funcionamento, o extra dobra para R$ 3,00. A agência reguladora espera com essa sistemática aumentar a conscientização dos consumidores e permitir o uso mais racional da energia elétrica. Ocorre, no entanto, que nem todos os consumidores conferem a conta de energia elétrica com cuidado ou a entendem satisfatoriamente e, para aqueles que a colocam em “débito automático” em conta corrente, muitas das vezes nem a conferem. Assim, a publicação da informação passa despercebida para a maioria dos consumidores. Assim apresentei Projeto de Lei que busca melhorar a visibilidade dessa salutar medida de se indicar ao consumidor as bandas tarifárias. Mediante a aprovação de nossa iniciativa, as emissoras da televisão aberta terão a obrigatoriedade de informar aos seus telespectadores a bandeira em vigência.

cidade onde está a sede da operadora do cartão, e não onde ele é usado. Fortunati ressaltou que também é preciso evitar a guerra iscal entre os municípios. Fortunati acrescentou que os prefeitos têm urgência para aprovar a medida, para que ela entre em vigor já no próximo ano. “Como há o princípio da anualidade no que diz respeito à cobrança de tributos, essa mudança, que é uma proposta abate de frango no Brade lei complementar, tem sil cresceu 8,3% no seque ser, obrigatoriamente, gundo trimestre de 2013 em votada e sancionada ainda em 2013 para ter vigência comparação com os três priem 2014”. (Agência Brasil) meiros meses do ano, divulgou no último dia 19 o Instituto Brasileiro de Geograia e Estatística (IBGE) na Pesquisa Trimestral do Abate de Animais e Aquisição de Leite, Couro e Produção de atividade da constru- lação ao usual no setor icou Ovos. No total, 1,4 bilhão ção civil manteve-se em 43,5 pontos (42,8 pon- de cabeças foram abatidas e praticamente estável em tos no mês anterior). Os reagosto, na comparação com sultados abaixo de 50 reveo mês de julho, mas o re- lam atividade desaquecida. O levantamento da CNI sultado indica que o setor continua desaquecido, de mostra que a retração da acordo com pesquisa divul- atividade foi maior entre as gada no último dia 19 pela pequenas empresas, com o Confederação Nacional da indicador de evolução da Indústria (CNI). A Sonda- atividade em 44,4 pontos. gem da Indústria da Cons- As empresas de porte médio trução ouviu 513 empresas tiveram indicador de 46,8 de diferentes portes, entre pontos e as grandes consos dias 2 e 12 deste mês, e trutoras icaram com 48 veriicou que a evolução pontos. Com a queda na atida atividade na indústria da vidade, o nível de utilização construção se situou em 47 da capacidade de operação pontos (46,5 pontos em ju- do setor recuou de 70%, em lho), enquanto o indicador julho, para 69%, em agosto. do nível de atividade em re- (Agência Brasil)

Dilma Rousseff. “Até no máximo quinta-feira da semana que vem, deveremos ter o texto para levar para a presidenta, pois, para pedir a urgência do projeto, precisamos do OK dela.” Após discussão na semana passada, o prefeito de Porto Alegre, José Fortunati, que preside a FNP, disse que a Lei Complementar 116, que regulamentou o ISS em 2003, está defasada. Segundo ele, além de adotar novas tecnologias, é preciso modernizar a lei, para corrigir distorções como a tributação do cartão de crédito, que atualmente é feita na

Construção civil continua desaquecida, segundo a CNI

A

Abate de frangos bate recorde no segundo trimestre

O

representa o novo recorde na série histórica. Em relação ao mesmo período de 2012, o crescimento registrado foi ainda maior: 13,2%. O peso total das carcaças abatidas também teve expansão nas duas bases de comparação, com alta de 10,9% em relação a janeiro, fevereiro e abril de 2013 e de 10,6% sobre abril, maio e junho de 2012.


Duque de Caxias, Baixada e Capital MERCADO & NEGÓCIOS

►24 a 30 de Setembro de 2013

5

Tombini sinaliza continuidade Economia dá sinais de melhora, do aumento da taxa Selic O

presidente do Banco Central (BC), Alexandre Tombini, disse que as ações de controle da inlação, iniciadas em abril último com a retomada do processo de elevação da taxa básica de juros (Selic), serão mantidas por “um período de horizonte relevante”, porque a inlação ainda está "em um patamar desconfortável”. Tombini lembrou que baixar a inlação é um compromisso do BC para dar mais coniança ao mercado. “Coniança é condição necessária para a consolidação do crescimento econômico do país”,

destacou Tombini, em audiência pública no Congresso Nacional, que reuniu deputados e senadores de seis comissões. Pelo Artigo 9º da Lei de Responsabilidade Fiscal, a autoridade monetária tem de apresentar aos parlamentares, uma vez por semestre, um relatório com a avaliação do cumprimento dos objetivos e metas das políticas monetária, creditícia e cambial. Ao falar sobre as diretrizes da política monetária, o presidente do BC considerou bem sucedida a política de leilões diários para irrigar o mercado com dólares,

Fabio Rodrigues Pozzebom-ABr

adotada no mês passado, porque baixou a cotação da moeda norte-americana em torno de 8% nas três últimas semanas. O dólar caiu de R$ 2,42 para R$ 2,26 no pregão de último dia 17. “O patamar de câmbio hoje é mais favorável à produção nacio-

nal”, ressaltou Tombini. Ele reairmou que os fundamentos da economia brasileira continuam sólidos, como mostra o saldo positivo de R$ 17,7 bilhões do BC no primeiro semestre e o crescimento de 1,5% do Produto Interno Bruto (PIB), soma das riquezas produzidas no país, no período de maio a junho. Tombini acredita, inclusive, que o PIB “certamente será de expansão também no terceiro trimestre”, em linha com o fortalecimento da coniança das famílias em relação ao emprego e ao consumo.

Abate de bovinos quebra recorde no segundo trimestre

O

abate de animais quebrou recorde histórico no segundo trimestre de 2013, com 8,5 milhões de cabeças, informou hoje (19) o Instituto Brasileiro de Geograia e Estatística (IBGE) na Pesquisa Trimestral do Abate de Animais e Aquisição de Leite, Couro e Produção de Ovos. O recorde anterior era do quarto trimestre de 2012, com 8,2 milhões de cabeças abatidas. No primeiro trimestre, o número caiu

para 8,1 milhões, e agora subiu 5,3%. O número de cabeças abatidas em abril, maio e junho é 11,7% maior do que o do segundo trimestre de 2012. Assim como o número de cabeças, o peso acumulado das carcaças também foi recorde, 2 milhões de toneladas. Houve crescimento de 6,1% em relação ao primeiro trimestre de 2012, e de 11,7% sobre o segundo trimestre do mesmo ano. O maior cresci-

mento relativo no abate de bovinos, em comparação com o mesmo trimestre do ano anterior, foi registrado no Sudeste (17%), seguido pelo do Centro-Oeste (14%), Norte (10%), Nordeste (6,2%) e Sul (2,3%). Dos 27 estados brasileiros, 20 tiveram aumento do abate, destacando-se Mato Grosso (16,3%), Goiás (26,3%) e Minas Gerais (29,6%). O Centro-Oeste ocupa as três primeiras posições no abate

de bovinos, com Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Goiás. A aquisição de leite no país cresceu 2% em relação ao mesmo período de 2012, mas caiu 6% na comparação com o primeiro trimestre de 2013. Ao todo, foram 5,3 bilhões de litros de leite e 40,9% foram adquirido por indústrias do Sudeste, sendo 26,6% do total nacional produzido por Minas Gerais.

aponta Iace O

Indicador Antecedente Composto da Economia (Iace) aumentou 0,9%, em agosto, ao alcançar 125,2 pontos. A alta ocorre após reduções de 2,2% em julho e de 0,3% em junho, segundo dados do Instituto Brasileiro de Economia (Ibre) da Fundação Getulio Vargas (FGV) que faz a medição em conjunto com The Conference Board, instituição internacional de pesquisas de negócios. Cinco dos oito componentes inluenciaram esse avanço do índice que mostra as tendências da economia no curto prazo. No entanto, para o economista da FGV-Ibre, Paulo Picchetti, “é improvável que o crescimento relativamente elevado do PIB [Produto Interno Bruto – soma das riquezas geradas no país] em 6% (anualizado) do segundo trimestre se sustente”. Com base nos resultados do Iace, o economista apontou que entre julho e setembro a economia brasileira deverá ter desempenho mais fraco. Essa

alta do indicador em agosto, porém, sinaliza para uma melhoria do quadro no último trimestre do ano. A recuperação, conforme destacou, vai depender do comportamento tanto do mercado doméstico quanto da evolução da demanda externa. Já para o economista Ataman Ozyildirim, do The Conference Board, diicilmente haverá recuperação no segundo semestre. Na avaliação dele, o resultado de agosto relete a melhora das expectativas de consumidores e do setor de Serviços. O Indicador Antecedente Composto da Economia é calculado desde 1996 com base em oito componentes econômicos de medição da atividade econômica do país. Por meio dele, é possível comparar a economia brasileira com a de 11 países estudados pelo The Conference Board: China, Estados Unidos, zona do Euro, Austrália, França, Alemanha, Japão, México, Coréia, Espanha e Reino Unido. (Agência Brasil)

NOS ÚLTIMOS 6 ANOS, O INVESTIMENTO EM SEGURANÇA NO ESTADO MAIS DO QUE TRIPLICOU: PASSOU DE 2 BILHÕES PARA 7 BILHÕES/ANO. A FROTA DA POLÍCIA FOI TODA RENOVADA E TAMBÉM FOI CRIADO O CENTRO INTEGRADO DE COMANDO E CONTROLE. ISSO FAZ PARTE DO ESFORÇO DO GOVERNO PRA GENTE VIVER NUM RIO DE JANEIRO MELHOR. E ESSE TRABALHO NÃO TERMINOU.


6

MERCADO & NEGÓCIOS

Atualidade Cresce o número de empregos formais no estado em agosto

O

Estado do Rio de Janeiro ganhou mais 10.104 postos de trabalho com carteira assinada no mês de agosto. Segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados pelo Ministério do Trabalho na sexta-feira (20). Isso representa um aumento de 0,27% em relação ao número de assalariados celetistas do mês anterior.

O crescimento deve-se ao saldo positivo conquistado pelos setores de Serviços (4.814 vagas), Comércio (3.426) e Indústria da Transformação (1.269). A capital luminense foi a que mais abriu vagas de trabalho no estado, respondendo por 5.242 oportunidades. Niterói e Macaé foram os outros dois municípios de maior destaque, oferecendo 988 e 795 postos, respectivamente.

País CNJ afasta juiz e vai apurar adoções irregulares na Bahia

O

Conselho Nacional de Justiça (CNJ) decidiu nesta segunda-feira (23) afastar das funções o juiz Vitor Manuel Sabino Xavier Bizerra, de Monte Santo, na Bahia, e instaurar Procedimento Administrativo Disciplinar (PAD) para apurar a atuação do magistrado em processos de adoção de cinco irmãos daquela cidade por quatro famílias de

Campinas e Indaiatuba, no interior de São Paulo, em que várias irregularidades foram cometidas, pois os pais das crianças não foram ouvidos no processo e tudo foi resolvido em uma única audiência. A decisão foi tomada por unanimidade pelo plenário do CNJ, acolhendo o parecer do corregedor nacional do órgão Francisco Falcão, que investigou o caso no interior da Bahia.

Internacional Comandante acusa timoneiro por naufrágio do Costa Concordia

O

capitão do navio Costa Concordia, naufragado em 2012 na costa da Itália, Francesco Schettino, acusou nesta segunda-feira (23), em tribunal, o timoneiro da embarcação - o indonésio Jacob Rusli Bin - de provocar o acidente que matou 32 pessoas. “Eu queria desacelerar o navio, mas o timoneiro não cumpriu as minhas

ordens corretamente”, disse Schettino, em um tribunal em Grosseto, onde hoje recomeçou o processo em que é acusado de homicídio por negligência e abandono do navio. “Ele navegou na direção errada e nos chocamos”, informou, segundo relatos da imprensa italiana, acusando Jacob Rusli Bin de ter cometido um erro que provocou um atraso fatal na alteração de rota do navio.

►24 a 30 de Setembro de 2013

Duque de Caxias, Baixada e Capital

Chegada de 60 trens chineses ao Rio será antecipada

O

s novos 60 trens chineses comprados pelo Governo do Estado para operar na SuperVia vão chegar mais cedo. A partir do mês de abril de 2014, a Secretaria de Transportes começa a entregar as primeiras composições, que, juntas, vão poder ampliar a

oferta diária em mais 576 mil de lugares para os passageiros. A negociação foi conduzida pela Companhia Central Logística, que antecipou em cinco meses a entrega dos trens sem gerar custos adicionais para o Estado. A antecipação corresponde a todo o lote de 60 trens com ar-condicionado.

Em setembro de 2014, mês em que seriam entregues os primeiros três trens, já deverão ter desembarcado no Rio 14 composições. Os trens seguirão o mesmo padrão dos outros 30 trens comprados e entregues pelo Governo do Estado. De última geração, as composições serão

equipadas com ar-condicionado, sistema de comunicação direta com o Centro de Controle Operacional, interiores mais amplos e confortáveis, com bagageiros, TVs de LED e trânsito livre entre carros.

Sesc-Meriti terá em cartaz Jardim do Brasil até o dia 28

A

exposição “Jardim do Brasil”, do artista plástico mineiro Gildásio Jardim, poderá ser assistida até o dia 28, com entrada franca, no Sesc São João de Meriti, na Av. Automóvel Clube nº 66. A mostra é um convite ao universo multicolorido presente no nosso calen-

dário Junino. Ela pode ser vista de terça a sábado das 9h30 às 17h30. A Curadoria é de Geraldo Soares. O artista Gildásio Jardim, consegue inserir os personagens simples e reais do interior do Brasil, em radiantes cenas cotidianas e festivas: Costureiras, Trabalhadores do campo,

Divulgação

Carroceiros, Caboclos e Cabrochas. Todos, simbioticamente vivos nas listras, lores e lorões do tecido Chita. A seleção de obras, também abrange releituras nos convidar a adende santos como a tela "São trar no seu mundo azul João no Azul", que parece e lorido.

Chuvas em Santa Catarina já atingem mais de 20 mil pessoas

A

s chuvas em Santa Catarina já afetam mais de 20 mil pessoas. Segundo a Defesa Civil, até a manhã desta segunda-feira (23), as enchentes atingiam 70 municípios, dos quais seis decretaram situação de emergência: Araquari, Bom Retiro, São

José do Cedro, Saltinho, Santa Terezinha do Progresso e Serra Alta. Mais de 4,6 mil casas foram daniicadas pelas inundações, por destelhamentos, queda de granizo ou deslizamento de terra. No Vale do Itajaí, um dos municípios mais atingidos é Blumenau, com

12,3 mil pessoas desabrigadas e 281 desalojadas, além de 3,1 mil residências e 1,3 mil estabelecimentos comerciais e industriais afetados pela inundação. A cidade havia se preparado para as enchentes, com 23 abrigos, desligamento preventivo de energia nas ruas pró-

ximas do leito do Rio Itajaí-Açu, que banha o município e uma força-tarefa formada por representantes das defesas civis municipal e estadual, do Corpo de Bombeiros, da prefeitura, de escolas e outras instituições. (Agência Brasil)

PF: Delegados reclamam da falta de equipe na área administrativa

A

maioria dos delegados da Polícia Federal (PF) sente-se segura, confortável e respeitada em seu ambiente de trabalho. No entanto, 64% não se sentem estimulados e 61% dizem que têm reconhecimento pela atividade exercida. Para 98,37% da categoria, o principal

problema é o número insuiciente de servidores administrativos do Departamento de Polícia Federal (DPF), informa pesquisa divulgada nesta segunda-feira (23) pela Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF). Para os delegados, não basta aumentar o efetivo de

servidores na área administrativa – 72,81% deles entendem que é preciso também melhorar os critérios de divisão das tarefas investigativas e administrativas. “Somos 11,5 mil policiais, enquanto há apenas 2,5 mil administrativos nos dando apoio. Isso é ilógico. Precisamos reorganizar a

atividade administrativa. Caso contrário, continuaremos tendo de desviar policiais da atividade de investigação. E isso, do nosso ponto de vista, não é o que a sociedade espera”, disse o presidente da ADPF, Marcos Leôncio Ribeiro.

Barak Obama pede mudança da legislação sobre armas de fogo

O

presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, defendeu novamente a alteração da legislação sobre posse de armas de fogo, durante cerimônia, neste domingo (22), em memória das vítimas do tiroteio de segunda-feira (16) num edifício da Marinha, em Washing-

ton. "Nenhuma outra nação desenvolvida sofre esse tipo de violência. Nenhuma", disse Obama, no Complexo Navy Yard, na zona sudeste da capital americana, onde 12 pessoas e o atacante morreram no tiroteio. O presidente acrescentou que este novo caso, no centro de Washington, a al-

gumas centenas de metros do Capitólio, sede do Congresso, devia ser visto como um sinal de alerta para todos os norte-americanos. "As nossas lágrimas não são suicientes. As nossas palavras e as nossas orações não são suicientes. Se realmente queremos honrar esses 12 homens e mulheres,

se realmente queremos ser um país onde podemos ir para o trabalho ou para a escola e andar nas nossas ruas, livres de violência sem sentido, sem que tantas vidas sejam roubadas por uma bala de uma arma, vamos ter de mudar", explicou Obama.

Brasil deve usar Portugal como plataforma para mercado externo

A

s empresas brasileiras com interesse no mercado externo devem olhar Portugal como plataforma logística e de negócios para atingir mais de um continente. A recomendação é do embaixador do Brasil em Portugal, Mário Vilalva, e do empresário Ricardo Lima, do Grupo Camar-

go Corrêa, responsável por um dos principais investimentos feitos recentemente por brasileiros em Portugal - a compra da fábrica de cimento Cimpor, em 2012. Segundo eles, Portugal interessa aos investidores brasileiros por causa da logística (portos, ferrovias e rodovias); da posição geográica (parte da Euro-

pa mais próxima do litoral brasileiro, do Canal do Panamá e da costa ocidental africana); e da força de trabalho (em média mais escolarizada que os brasileiros e com qualiicações especiais para o mercado corporativo). Algumas dessas vantagens comparativas são ignoradas pelos brasileiros.

Na opinião de Lima, Portugal tem valor singular por causa da África, com maior potencial de crescimento que o Velho Continente. “A Europa é uma economia madura com players estabelecidos há bastante tempo”, diz ao apontar a África em expansão.


Duque de Caxias, Baixada e Capital MERCADO & NEGÓCIOS

►24 a 30 de Setembro de 2013

7

Sem vagas, cariocas sofrem para sepultar parentes O

Rio de janeiro (capital) e Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, deverão ter cemitérios verticais para atender a demanda, pois estão sem vagas para sepultar. Famílias são obrigadas a aguardar pela vaga sem previsão de prazo e até a sepultar onde aparecer disponibilidade, tendo que levar seu ente querido para cemitério distante da residência da família para não continuar com o sofrimento da espera. No caso da capital luminense, onde a administração da Santa Casa,

depois de denúncias, está sob intensa iscalização, a prefeitura divulgou que a licitação prevista para este ano ainda, irá contemplar a construção de crematórios e cemitério vertical. Segundo a prefeitura do Rio, dos treze cemitérios da capital apenas dois tem espaço para possível expansão (Piabas em Vargem Grande e Guaratiba), e ainda vai depender da compra dos terrenos. E isso não é tudo, o que mais preocupa são as previsões do aumento da demanda, em 2020 deverão ser 90

mil sepultamentos. - A administração dos cemitérios pela Santa Casa entrou em colapso. Os novos investidores terão muito o que fazer para recuperar a infraestrutura. Nenhum dos 13 cemitérios, por exemplo, têm licença ambiental. A situação terá que ser regularizada, mas levando-se em conta que são cemitérios antigos, onde é impossível adotar soluções técnicas exigidas para novos projetos, como rebaixar o lençol freático do entorno - disse o secretário municipal da Casa Ci-

vil, Pedro Paulo Carvalho Teixeira, em entrevista a um veículo da capital, no último dia 21. Os três cemitérios públicos de Campo Grande estão lotados, e sem ter onde construir novos túmulos. Sem espaço para novas covas, só são possíveis vagas em caso de exumação, quando os restos mortais são retirados. No cemitério Santo Amaro a superlotação é tamanha que as ruas internas foram transformadas em locais para construção de novos jazigos.

Cemitérios de Duque de Caxias começam a superar seus problemas “Quando a AG-R assumiu a administração dos cemitérios de Duque de Caxias, em janeiro de 2012, o colapso que está acontecendo hoje na cidade do Rio de Janeiro, estava em iminência de explodir no município: não havia vagas em nenhum cemitério, e nem controle de nada.....” “Recebemos uma herança maldita! A situação era calamitosa; corpos sepultados nos caminhos, passeios e entre covas nos cemitérios de Caxias.......” “...... as ossadas exumadas eram enterradas em baixo das covas rasas...até uma piscina de ossos foi por nós encontrada!!!!! Quanto mais cavávamos para retirar as ossadas abandonadas e enviar ao devido destino inal (incineração), mais ossadas nós encontrávamos....era assustador!!!!! “Mas com o apoio da Prefeitura de Duque de Caxias e da Câmara dos Vereadoresiniciamos o processo de reversão desse descalabro e descaso com a população duquecaxiense! “Já conseguimos aumentar em aproximadamente 35% a oferta de vagas par aluguel, mas não está sendo fácil, pois foram muitos anos de má administração”.

Audi investirá R$ 500 milhões em construção de fábrica no Brasil C

A

montadora alemã Audi anunciou a construção de uma fábrica em São José dos Pinhais (PR), com investimento de R$ 500 milhões. O anúncio foi feito pelo presidente mundial da Audi, Rupert Stadler, após encontro com a presidenta Dilma Rousseff no Palácio do Planalto. Stadler e o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel, atribuíram ao Programa de Incentivo à Inovação Tecnológica e Adensamento da Cadeia Produtiva de Veículos Automotores (Inovar-Auto), a atração de grandes montadoras para o país. Os primeiros veículos produzidos na fábrica de São José dos Pinhais devem chegar ao mercado no inal de 2015. Em princípio, dois modelos serão montados no Brasil: o A3 sedã e o utilitário Q3. O programa incentiva a fabricação de automóveis, a partir incentivos, como a desoneração o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), em até 30%, para

Banco de Imagens

empresas que estimulem a inovação, pesquisa e desenvolvimento no país."O Inovar-Auto é uma grande alavanca do processo e proporciona toda a perspectiva de investimento no Brasil”, disse Stadler. “Para alegria nossa, é a nona fábrica de automóveis que vem para o Brasil desde que lançamos o regime automotivo, o Inovar-Auto. Isso mostra que o esforço que nós izemos foi bem-sucedido e as empresas estão, de fato, vindo e, as que estavam aqui, expandindo suas ati-

vidades”, disse o ministro. Pimentel destacou a vinda de montadoras de carros de luxo como novidade. “O Brasil nunca teve fábricas do segmento de automóveis de primeira linha. E temos três anunciadas: a BMW, a Audi e a Mercedes-Benz. E a Land Rover em vias de [anunciar]”, disse. Segundo ele, o segmento estimula o desenvolvimento tecnológico da indústria nacional. “É onde tem mais tecnologia embarcada e, portanto, vai atrair fornecedores de

maior capacidade tecnológica, exigir trabalhadores de maior qualiicação e tudo isso puxa nossa indústria na direção que nós queremos, que é uma indústria tecnologicamente bem equipada”, explicou. O presidente mundial da Audi disse que a situação econômica estável do país, com perspectivas de crescimento, além da melhora do poder aquisitivo da população, o levam a acreditar no retorno dos investimentos. “O mercado de veículos de luxo no Brasil é bastante pequeno, mas a Audi acredita que ele vai crescer enormemente nos próximos anos, com as mudanças sociais que vem acontecendo e a presidenta Dilma Rousseff também acredita nisso”. Stadler disse que, durante o encontro, a presidenta Dilma demonstrou conhecimento da área de tecnologia e se interessou em saber sobre a atuação da Audi nos países formadores do Brics, grupo das principais economias emergentes (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul). “Para Audi é importante voltar ao Brasil, e começar a fazer grandes investimentos, depois da China, Rússia, e da Índia, porque pretendemos aproveitar o grande crescimento do mercado brasileiro”, concluiu. (Agência Brasil)

om essas palavras o diretor e a gerente da AG-R, empresa concessionária que administra os cemitérios de Duque de Caxias, comemoram os resultados iniciais da boa administração aliada ao investimento. “Enquanto a capital carioca e muitos outros municípios sofrem, principalmente, com a falta de vagas para sepultamento, nós, em pouco tempo, estamos conseguindo superar esse problema. Recebemos uma herança maldita: cemitério sem total abandono, sem vagas para sepultamento, desrespeito aos usuários e inexistência de qualquer investimento da ultima administração! Por isso tivemos muitos problemas”, disse a gerente Auricéliada Silva. A empresa está investindo na modernização dos cemitérios mediante aplicação de recursos diretos em informática e maquinário. O treinamento de pessoal é ponto de honra para a nova administração, que está focada no aperfeiçoamento constante de processos. A destinação inal dos restos cemiteriais (resíduos de ossos das exumações e restos de roupas, luvas e caixões) são preocupação constante da nova administração com o meio ambiente. “Os resíduos cemiteriais são devidamente classiicados, ensacados e recolhidos por empresa especializada para realização do processo de incineração do material. Dos 100% de material enviado, após a incineração temos somente 5% de cinzas inertes e não prejudiciais ao meio ambiente”. O administrador Frederico Ribeiro, informou que somente no ano passado, a empresa envio para incineração 25,5 toneladas de restos cemiteriais com o gasto expressivo de mais de setenta e cinco mil reais. Segundo seu administrador Frederico Ribeiro, para acabar com a carência de vagas, além de moder-

nizar e melhor adequar os espaços nos cemitérios, a AG-R está realizando diversas obras de melhoria nos cemitérios. “Já conseguimos aumentar em aproximadamente 35% a oferta de vagas par aluguel, mas não está sendo fácil, pois foram muitos anos de má administração”. Além disso, lembra Fredericoa todos os usuários que “a AG-R não recebe e não recebeu nenhuma verba, a que título seja, do município, estado ou do governo federal, pois todas melhorias e obras são realizadas diretamente com o recursos advindos dos serviços cemiteriais e funerários prestados, pagamento da cota anual pelos cessionários de jazigos e ossuários e demais serviços postos à disposição da população em geral”. Hoje iniciamos uma tímida disponibilizaçãode cessão de novos jazigos nos cemitérios aim de atender a demanda reprimida, porém ainda limitada, haja vista, os referidos cemitérios possuírem, em média, mais de 50% das áreas ocupadas por jazigos perpétuos. Para aumentar essa disponibilização, a empresa faz uma campanha de recadastramento dos cessionários de jazigo e ossuários que irá até o dia 6 de novembro deste ano, o que irá possibilitar melhor administração e atendimento a esses usuários. O edital foi publicado em 6 de agosto e tem prazo de 90 dias para que os interessados procurem os cemitérios e se recadastrem. Para facilitar o usuário, foi colocado à disposição na internet, no endereço http://www.ag-r.net/contato/recadastramento.html, pré-recadastramento devendo o usuário comparecer no respectivo cemitério com identidade, CPF, comprovação da cessão anteriormente efetuada e atestado de óbito do último familiar sepultado.


8

MERCADO & NEGÓCIOS

►24 a 30 de Setembro de 2013

Começa leilão para venda de sucata de 17 aviões da Vasp

C

omeçou na sexta-feira (20), pela internet, o leilão para a venda da sucata de 17 aviões da antiga Viação Aérea São Paulo (Vasp). As propostas poderão ser apresentadas por pessoas físicas ou jurídicas até o dia 30, no site do leiloeiro Sérgio Freitas. Neste dia ocorrerá o fechamento do pregão, na Casa de Portugal, em São Paulo. Serão leiloadas 448 tonela-

das de sucata, provenientes do desmonte de 16 Boeings e um Airbus A300. O material se encontra nos aeroportos de Guarulhos (quatro aeronaves) e Campinas (uma), no estado de São Paulo; Salvador (três); Brasília (três); Recife e Manaus (dois aviões cada); Galeão e Conins (uma aeronave cada). A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) in-

forma que todos os aviões são considerados sucata. O lance mínimo varia de R$ 12 mil a R$ 42 mil. “Eles têm a forma de um avião, mas não são mais considerados como tal”, disse hoje (20) à Agência Brasil o juiz Daniel Carnio Costa, titular da 1ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais do Foro Central de São Paulo, responsável pelo processo de falência da Vasp. A ava-

liação dos bens para o leilão se baseou no custo do material reciclável. As empresas de material reciclável têm sido as maiores compradoras de bens de sucata da Vasp. O juiz acrescentou que a maioria das aeronaves não foi desmontada. Isso só ocorreu no Aeroporto de Recife, que abrigava dois aviões da antiga companhia aérea. Outros aviões serão leiloados inteiros. Terão prioridade no pagamento os trabalhadores que aguardam desde 2008 para receber, pelo menos, parte do que é devido. “Eles são os próximos da lista”. Costa disse que nessa etapa o pagamento é limitado a até 150 salários mínimos para cada trabalhador. No ano passado, com os leilões efetuados, a 1ª Vara de Falências e Recuperações da Comarca de São Paulo conseguiu pagar a todos os cerca de mil credores extraconcursais, que englobam funcionários e fornecedores que tiveram vínculo com a empresa durante o período em que ela esteve em recuperação judicial, entre 2005 e 2008. As mil famílias receberam cerca de R$ 30 milhões. (Agência Brasil)

Duque de Caxias, Baixada e Capital


Edição nº 177  

Jornal Capital - Edição nº 177

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you