Issuu on Google+

Indicadores / Câmbio

Atualidade

Compra

Detran abre inscrições de concurso para vagas de nível médio

Venda %

Dolar Comercial

2,056

2,057

0,22

Dólar turismo

1,960

2,180

0,46

56.395,94

0,02

ibovespa

►PÁGINA 2 Fechamento: 27 de maIo de 2013

Ano 5 ● nº 160 www.jornalcapital.jor.br

MERCADO & NEGÓCIOS R$1

Capital EMpRESa JORNalÍStiCa ltDa ● ►27 DE MAIO A 03 DE junhO DE 2013

Transpetro retoma contratos com Estaleiro Agência Petrobras - Debora Ghelman

A

Transpetro assinou os aditivos para a retomada dos Contratos de Compra e Venda de 12 navios encomendados ao Estaleiro Atlântico Sul (EAS), que estavam suspensos desde maio de 2012. ►PÁGINA 3

Prefeitura vai titular imóveis da Vila Operária

Analistas esperam que Selic suba para 7,75% ao ano

Marcelo Cunha

A A

indicação para a implantação do projeto "Morar Legal" foi do vereador Osvaldo Lima (PSC) e vai atender todo o município. Ele deve começar pela Vila Operária.

nalistas de instituições financeiras consultados pelo Banco Central esperam por elevação de 0,25 ponto percentual na taxa básica de juros. ►PÁGINA 4

►PÁGINA 5

Mantega conirma retirada de PIS e Coins das passagens de ônibus

Balança tem superávit de US$ 461 milhões na quarta semana de maio

A

balança comercial voltou a apresentar superávit na quarta semana de maio. Do dia 20 a 26, o saldo positivo foi US$ 461 milhões. Na semana anterior icou deicitária em US$ 47 milhões, após dois resultados semanais positivos. O superávit semanal é resultado de US$ 5,198 bilhões em exportações e US$ 4,737 bilhões em importações. No mês, o saldo acumulado segue positivo em US$ 1,518 bilhão. No ano, há resultado negativo acumulado de US$ 4,634 bilhões. Os números foram divulgados hoje (27) pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. A média diária das exportações na quarta semana icou em US$ 1,04 bilhão, 1,8% inferior à da terceira semana. As vendas de semimanufaturados como açúcar bruto, celulose, óleo de soja, apresentaram crescimento de 50,4%. As vendas externas de produtos básicos apresentaram recuo de 11,5%, em função, principalmente, da soja em grão, minério de ferro, farelo de soja, carne bovina e fumo em folhas.

Balança do agronegócio tem superávit de US$ 8,21 bilhões ►PÁGINA 2

Primeiro trimestre teve 428 mil novas empresas ais de 428,7 mil empresas foram criadas no Brasil no primeiro trimestre deste ano, apontou levantamento feito pela Serasa Experian. Das 428.741 empresas criadas, mais da metade (65% do total ou 277.391 empresas) são microempreendedores individuais. Do total de microempreendedores individuais surgidos no primeiro trimestre, a maior parte corresponde a empresas do ramo de comércio de confecções em geral.

M

►PÁGINA 3

►PÁGINA 2

Primeiro leilão do pré-sal será em outubro Banco de Imagens

O

edital do primeiro leilão do pré-sal, referente à área de Libra, na Bacia de Santos, a cerca de 183 quilômetros da costa do Rio de Janeiro, deverá ser publicado dentro de 15 dias. O prazo foi anunciado pela presidenta da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), Magda Chambriard (foto). ►PÁGINA 8

Ministro quer desoneração do ICMS para banda larga ixa

P

aulo Bernardo, disse na quarta-feira (22) que vai começar a conversar com os governadores para dar início à desoneração. Estudos preliminares já foram realizados. ►PÁGINA 4

Indústria quer dobrar produtividade ►PÁGINA 8

Tombini assegura que inflação vai cair ►PÁGINA 7


2

MERCADO & NEGÓCIOS

►27 de Maio a 03 de Junho de 2013

Balança do agronegócio tem superávit de US$ 8,21 bilhões A

balança comercial do agronegócio teve superávit de US$ 8,21 bilhões em abril, informou o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). O saldo positivo é resultado de exportações de US$ 9,65 bilhões e importações de US$ 1,44 bilhão. As vendas externas registraram crescimento de 37,3% na comparação com o mesmo período do ano passado, enquanto as compras brasileiras no exterior tiveram elevação de 12,2%. Nos últimos 12 meses, a balança agrícola acumula superávit de US$ 83,07 bilhões, com expor-

tações de US$ 99,5 bilhões e importações US$ 16,52 bilhões. Segundo o Mapa, as exportações são recordes. Os principais responsáveis pelo superávit de abril foram o complexo soja (farelo, grão e óleo), o açúcar e o álcool. As exportações do grupo soja somaram US$ 4,53 bilhões, superando em 56% os US$ 2,90 bilhões atingidos em abril de 2012. O principal país de destino foi a China, que concentrou 67% desses negócios. As vendas externas do complexo sucroalcooleiro subiram 142,3% para

O

Índice Nacional de ponentes, dois apresentaCusto da Construção - ram acréscimo em suas taM (INCC-M) registrou, em xas de variação: materiais maio, taxa de variação de para estrutura (0,51% para 1,24%, acima do resultado 0,98%) e materiais para do mês anterior, de 0,84%. instalação (0,13% para No ano, o índice acumula 0,15%). variação de 3,59% e, nos A parcela relativa a Serúltimos 12 meses, a taxa viços passou de uma taxa registrada é de 7,19%, se- de 0,67%, em abril, para gundo a Fundação Getulio 0,19%, em maio. Neste vargas. O índice relativo a grupo, vale destacar a deMateriais, Equipamentos e saceleração do subgrupo Serviços registrou variação serviços técnicos, cuja vaperu recuaram, respectiva- de 0,56%. No mês anterior, riação passou 1,37% para mente, 20,9% e 6,9% no a taxa havia sido de 0,50%. 0,30%. O grupo Mão de período. Também caíram O índice referente à Mão Obra registrou variação de as vendas externas de al- de Obra registrou variação 1,88%, em maio. No mês godão (-35,3%), pescados de 1,88%. No mês ante- passado, a taxa havia sido (-33,4%), lácteos (-15,7%) rior, a taxa foi de 1,15%. O de 1,15%. A aceleração e animais vivos. (Agência INCC-M é calculado com foi consequência da data base nos preços coletados base ocorrida em São PauBrasil) entre os dias 21 do mês an- lo, onde a taxa passou de terior e 20 do mês de refe- 0,00% para 3,45%. rência. Três capitais apresenNo grupo Materiais, taram aceleração em suas Equipamentos e Serviços, taxas de variação: Brasília, o índice correspondente a Recife e São Paulo. Em Materiais e Equipamen- contrapartida, Salvador, tos registrou variação de Rio de Janeiro e Porto Ale0,65%. No mês anterior, a gre registraram desacelerataxa havia sido de 0,46%. ção. Belo horizonte mantee decolagens por hora, ape- Dos quatro subgrupos com- ve estabilidade. nas 43% da média internacional. Por isso, para viabi(*) Fechamento: 27 de maIo de 2013 Cambio lizar os investimentos que Moeda Compra (R$) Venda (R$) Variação % preparem os terminais para 0,22 2,056 2,057 o tamanho da demanda, o Dolar Comercial estudo aponta para a ne- Dólar turismo 1,960 2,180 0,46 cessidade de um modelo de Moeda Compra (u$) Venda (u$) Variação % concessões de aeroportos Coroa Dinamarca 5,763 5,765 0,04 que garanta a concorrência Dólar austrália 0,962 0,963 0,18 no setor. Foram analisados Dólar Canadá 1,033 1,033 0,18 dois modelos de privatiza1,293 1,293 0,00 ção: o adotado pelo Rei- Euro 0,18 0,962 0,963 no Unido e pela Austrália. Franco Suíça iene Japão 101,090 101,180 0,13 (Agência Brasil) Banco de Imagens

o açúcar, atingindo US$ 775 milhões, e 51,4% para o álcool, atingindo US$ 72 milhões. As vendas de carnes subiram 15,4% em função da carne bovina e de frango, já que as exportações de carne suína e de

Custo da Construção registra alta em maio

Aeroportos precisarão de R$ 34 bilhões até 2030 E

m 2030 o Brasil terá uma demanda anual de 312 milhões de passagens aéreas por ano, segundo estudo da Fundação Getulio Vargas divulgado nesta segunda-feira (27). Para poder atender a esse luxo serão necessários investimentos entre R$ 25 bilhões e R$ 34 bilhões, de acordo com o trabalho elaborado pelo Grupo de Economia da Infraestrutura & Soluções Ambientais da instituição.

Atualmente a oferta dos 20 principais aeroportos do país é cerca de 130 milhões de passageiros por ano. O estudo leva em consideração o crescimento expressivo do setor, que a partir de 2004 começou a expandir o número de passageiros em taxas superiores a 10% ao ano. “O Brasil, pela primeira vez, teve um sinal de massiicação do transporte aéreo”, disse o coordenador do grupo,

Gesner Oliveira, ao indicar o aumento da renda, o aumento da oferta de crédito e a redução real dos preços das passagens como fatores responsáveis pelo fenômeno. O grande crescimento no número de usuários não foi acompanhado, no entanto, por uma expansão da infraestrutura aeroportuária. O levantamento cita, por exemplo, que no Brasil são feitos em média 38 pousos

1,510

1,510

0,13

489,850

490,050

0,19

1.888,000

1.889,560

0,57

5,235

5,275

0,00

peso México

12,459

12,463

0,63

Peso uruguai

19,330

19,580

2,30

libra Esterlina inglaterra peso Chile peso Colômbia

Ponto de Observação

peso livre argentina

Bolsa Valor

A tragédia da Vila Maria Helena alberto marques

N

uma trágica coincidência, no mesmo horário em que a Secretaria de Defesa Civil do município comemorava, na última quinta-feira (22) e em plena Praça do Paciicador, o “Dia Municipal para a Redução de Desastres”, os moradores da Vila Maira Helena, no segundo distrito e a poucos metros das rodovias Rio-Petrópolis e Rio-Teresópolis, eram sacudidos pelas explosões que destruíram um depósito de inlamáveis que funcionava na semiclandestinidade em meio a dezenas de residências. Em nota, a Agencia Nacional do Petróleo informou que a empresa Petrogold, dona do depósito em chamas, tinha registro naquele órgão e fora aprovada nas quatro últimas inspeções de rotina. O Instituto Estadual do Ambiente - INEA – por sua vez, informava, também em nota oicial, que a empresa não fora autorizada a funcionar,

pois não fornecera todos os papéis necessários para isso. Assim, por falta de papel, a empresa operava clandestinamente, embora protegida por uma Licença Ambiental emitida pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente em 2009. Paraíso da burocracia, o Brasil dá mais importância a um simples papel timbrado, que tem o poder de abrir portas inclusive dos bancos oiciais, que ao fator mais importante, para o funcionamento seguro de uma empresa que estocava mais de dois milhões de litros de gasolina, biodiesel e álcool: ter uma brigada contra-incêndio e dispor de equipamentos e reservatórios de água para prevenir e até combater um foco de incêndio. A abertura de um Inquérito, prometida pelo prefeito Alexandre Cardoso, para apurar responsabilidades pela tragédia, que destruiu dezenas de casas e causou a morte de um funcionário da empresa e de outras sete pessoas, não servirá de consolo ou eiciente reparação às famílias que perderam tudo, inclusive um ente querido.

De nada adianta mobilizar dezenas de voluntários, equipamentos e fazer um excelente teste de exercício simulado de um desastre ambiental se, na prática, o risco de um acidente é considerado apenas como um dado estatístico, com base na teoria da probabilidade, do tipo discutir se um copo está meio cheio ou meio vazio. A exemplo do refrão de uma rede de supermercados, o que a população de Duque de Caxias, que já correu o risco de ganhar de presente um depósito de lixo atômico durante a Ditadura, exige é que as autoridades ditas responsáveis ajam antes da tragédia. Até agora, as famílias que perderam tudo nos desmoronamentos de Angra do Reis, do Morro do Bumba, da Região Serrana do Rio de Janeiro e até de Xerém estão aguardando providências efetivas do Governo não só para reconstruir suas casas, mas também, e principalmente, que sejam adotadas Políticas de Prevenção de Desastres, como Centro de Monitoramento Climático, que pode evitar que famílias desapareçam

sob escombros ou sejam arrastadas pelas enxurradas. Mandar mensagens pelo celular avisando que uma tempestade está a caminho é muito pouco para um Governo que gasta mais de um bilhão de reais para reconstruir o Estádio do Maracanã, mas não consegue recuperar um trecho de estrada de apenas 15 Km, ou fornecer água tratada e canalizada aos moradores da Vila Maria Helena, garantir a segurança dos moradores da Baixada Fluminense, creches para as mães operárias, ou, o que seria mais simples, um transporte coletivo eiciente, seguro e barato. Os moradores de Vila Maria Helena merecem mais do que uma nota de pesar, ou a promessa de punir os culpados. Até hoje, ninguém foi punido pela tragédia do “Bateau Mouche”, cujas origens foram exatamente as mesmas da tragédia da Vila Maria Helena: a omissão das autoridades no cumprimento do dever.

Variação %

ibovespa

56.395,94

0,02

iBX

21.987,06

0,12

Dow Jones

15303,10

0,06

Nasdaq

3.459,14

0,00

Merval

3.530,91

0,60

Commodities unidade petróleo - Brent

barril

Compra uS$

Venda uS$

Variação %

101,630

101,650

0,00

Ouro

onça troy

1.393,540

1.394,790

0,03

prata

onça troy

22,590

22,690

0,04

platina

onça troy

1.448,750

1.453,750

0,09

paládio

onça troy

733,470

739,020

0,00

poupança

28/05

0,500

tR

27/05

0,000

ao ano

7,50

indicadores

Juros Selic meta

R$ 678,00

Salário Mínimo (Federal)

MERCADO & NEGÓCIOS Av. Governador Leonel Brizola (antiga Presidente Kennedy), 1995 - Sala 804 Edifício Sul América - Centro, CEP 25.020-002 - Duque de Caxias, Rio de Janeiro Telefax: (21) 2671-6611 - CNPJ 11.244.751/0001-70 Na internet:

www.jornalcapital.jor.br Endereços eletrônicos: comercial@jornalcapital.jor.br contato.capitalmercado@gmail.com comercial.capitalmercado@gmail.com redacao@jornalcapital.jor.br contato@jornalcapital.jor.br redacao.capitalmercado@gmail.com TIRAGEM: 10.000 exemplares (assine o Capital: 21 2671-6611) IMPRESSÃO: ARETÉ EDITORIAL S/A CNPJ 00.355.188/0001-90 Filiado À ADJORI Associação de Jornais do Interior Capital Empresa Jornalística Ltda Departamento Comercial: (21) 2671-6611 / 8400-0441 / 7854-7256 ID 8*21653 Diretor Geral: Marcelo Cunha Diretor de Redação: Josué Cardoso (josuejornalista@gmail.com) Colaboradores: Alberto Marques, Arthur Salomão, Aureo Lídio, Carlos Erbs, Dilma Rousseff, Geiza Rocha, Moreira Franco, Roberto Daiub e Rodrigo de Castro. Os artigos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores.


MERCADO & NEGÓCIOS

►27 de Maio a 03 de Junho de 2013

Transpetro retoma contratos com o Estaleiro Atlântico Sul A

Transpetro assinou na última quarta-feira (22) os aditivos para a retomada dos Contratos de Compra e Venda de 12 navios encomendados ao Estaleiro Atlântico Sul (EAS), que estavam suspensos desde maio de 2012. O estaleiro cumpriu todas as exigências da Companhia para prosseguir na construção das embarcações, que integram o Programa de Modernização e Expansão da Frota (Promef). A retomada dos contratos acontece dois dias após a cerimônia que marcou a primeira viagem, em Suape, Pernambuco, do navio Zumbi dos Palmares, entregue pelo EAS à Transpetro. O estaleiro pernambucano terá assistência técnica da japonesa IHI Marine United, que se comprometeu a fornecer os projetos dos 12 navios que estavam com contratos suspensos, de acordo com as especiicações estabelecidas nos Contratos de Compra e Venda. Os projetos da primeira série de 10 suezmax foram fornecidos pela coreana Samsung, que deixou de ser parceira tecnológica

Agência Petrobras

M

ministro da Fazenda, Guido Mantega, conirmou que o governo vai adotar medidas para desonerar do PIS e da Coins as passagens de ônibus, em mais uma das iniciativas para combater a inlação. “Está conirmada sim, a retirada do PIS/Coins das passagens de ônibus”, disse na última quinta-feira (23)

encaminhe perguntas para a Presidenta dILma RoUSSeFF: redacao@jornalcapital.jor.br ou redacao.capitalmercado@gmail.com

V

do estaleiro. Este fato levou a Transpetro a suspender as 12 encomendas, em maio de 2012, até que o EAS apresentasse um novo parceiro de padrão internacional. Concebido pela Transpetro, com o objetivo de revitalizar indústria naval brasileira, o Promef prevê a construção de 49 navios em estaleiros brasileiros. Desse total, cinco embarcações já entraram em operação num prazo de 18 meses: os suezmax João Cândido e Zumbi dos Palmares, construídos

pelo EAS, e os navios de produtos Celso Furtado, Sérgio Buarque de Holanda e Rômulo Almeida, encomendados ao Estaleiro Mauá, Niterói (RJ). O terceiro dos 22 navios que serão entregues pelo EAS, o Dragão do Mar, icará pronto até o im desse ano. - A indústria naval brasileira está ganhando tração, superando a curva de aprendizado de forma acelerada. Em menos de 18 meses, o Zumbi dos Palmares já é o quinto navio entregue. O Promef está no rumo certo,

dando uma contribuição fundamental para o processo de consolidação da indústria naval brasileira, um setor estratégico para o país e com grande capacidade de gerar empregos e desenvolvimento econômico. O Brasil tem hoje a terceira maior carteira de encomendas do mundo, e, portanto, já possui escala suiciente para elevar gradualmente seu grau de produtividade e ser internacionalmente competitivo - airma o presidente da Transpetro, Sergio Machado.

to pessoal e de reparação e manutenção de prédios e instalações elétricas. No ano passado, o número foi de 447.130 e em 2011, 373.010, contra 322.387 em 2010. Em comparação ao primeiro trimestre do ano passado, o número de empresas criadas apresentou recuo de 4,1%. Para os economistas da Serasa, uma das explicações para o recuo é o relexo do enfraquecimento da atividade econômica ao longo do ano de 2012. O Sudeste é a região onde foi aberto maior número de empresas no trimestre, responden-

do pela criação de 208.438 empreendimentos, ou 49% do total. Em seguida aparece a Região Nordeste, com 80.056 empresas criadas e a Região Sul, com 73.244. A maior concentração de empresas criadas foi no setor de serviços, com o surgimento de 252.118 empresas, o que representa 59% do total. Em seguida aparecem as comerciais (135.180 novas empresas) e na área industrial (34.100). O restante - 7.343 empresas, são de outros setores, tais como inanceiro. EMPREGOS - Em abril, foram criados 196.913 em-

pregos com carteira assinada no país, aumento de 0,49% em relação ao mês anterior, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho. O número é a diferença entre 1.938.169 de contratações e 1.741.256 de demissões. Nos últimos 12 meses, foram criados 1.087.410 de postos formais de trabalho, crescimento de 2,79% em comparação ao período anterior. De janeiro de 2011 a abril de 2013, a criação de empregos chega a 4.139.853. (Agência Brasil).

Mantega conirma retirada de PIS e Coins das passagens de ônibus

O

Conversa com a Presidenta Mensagem da Presidenta Dilma sobre os estádios da Copa das Confederações

País cria 428,7 mil empresas no primeiro trimestre do ano ais de 428,7 mil empresas foram criadas no Brasil no primeiro trimestre deste ano, apontou levantamento feito pela Serasa Experian sobre Nascimento de Empresas. Das 428.741 empresas criadas, mais da metade (65% do total ou 277.391 empresas) são microempreendedores individuais. Do total de microempreendedores individuais surgidos no primeiro trimestre, a maior parte corresponde a empresas do ramo de comércio de confecções em geral, seguido pelo ramo de serviços de higiene e embelezamen-

3

ao chegar ao Ministério da Fazenda. O ministro indicou que a redução tributária poderá ser feita por medida provisória, mas não deu detalhes se a decisão incluirá as tarifas de metrô. No mês passado, o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, já tinha anunciado um reajuste de tarifas para a cidade.

Mantenha-se informado também pelo www.jornalcapital.jor.br

Governo reorienta orçamentos de Portos Caxias emite contracheque de servidor pela internet

+ conteúdo no site

iajei pelo país para inaugurar os seis estádios que vão receber a Copa das Confederações e os jogos da Copa do Mundo do ano que vem. Fiquei impressionada com a beleza e a modernidade desses novos palcos do futebol: o Castelão, em Fortaleza, o Mineirão, em Belo Horizonte, o Maracanã, no Rio de Janeiro, a Arena Fonte Nova, em Salvador, o Mané Garrincha, em Brasília, e a Arena Pernambuco, na Grande Recife. A construção desses seis estádios mostra que o nosso povo tem determinação, capacidade e competência para fazer a melhor Copa de todos os tempos. Os trabalhadores que construíram esses estádios, os empresários contratados para fazer essas obras e todos os governos envolvidos provaram que o Brasil é capaz de aceitar desaios e cumprir pontualmente os compromissos que assume. Todos os seis estádios, belíssimos, são muito bem equipados e estão entre os melhores e os mais modernos do mundo. Na construção deles foram usadas tecnologias avançadas, muitas delas pela primeira vez no Brasil, o que mostra a capacidade da nossa indústria da construção civil. E há outra coisa importante: além das partidas de futebol, estão preparados para receber shows e grandes eventos. Todos foram construídos para funcionarem como arenas multiuso, e terão lojas, restaurantes, espaços culturais, como museus e aniteatros. Vão ser novos espaços de lazer para a população. Urbanização - O Castelão, em Fortaleza, que foi o primeiro a icar pronto, é a maior arena do Nordeste, com mais de 63 mil lugares, e funciona como arena multiuso. O estádio já recebeu show de um grande artista internacional, e abriga um moderno museu sobre a história do futebol do Ceará, além de um auditório que oferece sessões gratuitas de ilmes nacionais para a comunidade do bairro em que o estádio se localiza. O Nordeste ganhou outros dois novos estádios: a Arena Pernambuco e a Arena Fonte Nova, em Salvador. A Arena Pernambuco é um estádio novíssimo, que trará benefícios para toda a região em torno do estádio e também para a população da Grande Recife. Pois junto com a Arena está nascendo, em São Lourenço da Mata, uma das cidades mais pobres da Grande Recife, a Cidade da Copa, um novo bairro com conjunto habitacional, centro comercial, hotéis, museu, cinemas, teatro, centro de convenções e parques. Quanto à Arena Fonte Nova, sua reconstrução manteve o estádio no formato de uma ferradura, que se abre para o Dique do Tororó. Sustentabilidade - Desde o projeto original, todos esses novos estádios adotaram medidas para garantir a sua sustentabilidade. O Castelão, por exemplo, vai reaproveitar a água da chuva na irrigação do campo e nos banheiros. A Arena Pernambuco instalou placas solares para o aquecimento da água e montou um sistema de ventilação e iluminação natural. Já a Arena Fonte Nova reaproveitou parte do material do antigo estádio na sua reconstrução. Em Brasília, a cobertura do Mané Garrincha vai ter placas solares, para gerar energia e iluminar o campo e todas as suas instalações, o que vai torná-lo autossuiciente. Isso ajudará a diminuir o custo da manutenção do estádio. Emprego - Os seis estádios que vão receber os jogos da Copa das Confederações são a expressão da imensa capacidade dos trabalhadores e das trabalhadoras do nosso país. A construção e a reforma desses estádios geraram 24.500 empregos diretos e muitos outros indiretos, e vão estimular muito o setor de serviços. Pensando nisso, nós criamos o Pronatec Copa, com cursos especíicos do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e ao Emprego para quem vai trabalhar nos setores de serviços ligados à Copa do Mundo. Até agora, 86 mil alunos se matricularam nos cursos em diversas áreas do setor de turismo, e em cursos de inglês, de espanhol e da linguagem brasileira de sinais, Libras. Com tudo isso, tenho certeza que o Brasil vai brilhar dentro e fora do campo. Com os nossos estádios, mostramos a nossa competência para realizar projetos grandiosos, modernos e com tecnologia avançada. Vamos mostrar a todos os que vierem acompanhar os jogos da Copa das Confederações, turistas internacionais e nacionais, jogadores e equipes técnicas, que nós sabemos receber, que somos um país alegre e pacíico. Tenho certeza de que todos que vierem nos visitar vão se apaixonar e vão querer voltar para a Copa do ano que vem.


4

MERCADO & NEGÓCIOS

►27 de Maio a 03 de Junho de 2013

Duque de Caxias não adere a programa contra o uso de crack A

penas nove municípios do Estado do Rio de Janeiro assinaram adesão ao ”Programa Crack, é Possível Vencer”, do governo Federal. Com isso, Duque de Caxias deixa de ter ampliados os serviços de saúde e de receber uma base móvel do programa. Na região da Baixada Fluminense, as prefeituras que assinaram foram Belford Roxo e São João de Meriti. A entrega dos ônibus fez parte de ações do programa em São Paulo, em Brasília e no Rio de Janeiro. Neste último, além dos dois municípios citados, também assinaram Campos dos Goytacazes, Itaboraí, Macaé, Magé, Niterói, Petrópolis e Volta Redonda. As informações são da Agência Brasil. A operação dos ônibus promoverá o policiamento das regiões mais vulneráveis, além de coibir o tráico e oferecer serviços de saúde e assistência social aos usuários. “É, na verdade, uma ilosoia de integração entre segurança pública, saúde e assistência social, que nós estamos desenvolvendo neste programa [Crack, é Possível Vencer]”, explica o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, durante a cerimônia realizada em São Paulo.

O

Arquivo

Calçadas do centro do município são usadas por dependentes do crack. Segundo comerciantes, há registros de violência e até assalto a pedestres e lojas. A Prefeitura informou que a solução não vem a curto prazo e que é preciso investir em cidadania. “O uso do crack é uma das conseqüências de uma situação de vulnerabilidade social”, explicou Nilzete Costa Para monitorar locais onde dependentes fazem uso de crack e oferecer o primeiro atendimento em saúde, o programa fez a doação ao Rio de Janeiro de cinco ônibus equipados com câmeras, escritórios, cozinha e banheiros. Cada unidade custou R$ 2 milhões. Os ônibus têm 20 câmeras com capacidade de capturar imagens até 500 metros de distância e dispositivo infravermelho, para ser usado à noite. O objetivo é ler placas de carro e detectar a venda e o consumo da droga no entorno

da unidade. Um telescópio acoplado permite monitorar câmeras da prefeitura e se comunicar com o Centro de Operações. Na capital luminense, os veículos estarão na Lapa, Central do Brasil, Catete e Complexo da Maré. O quinto será itinerante. Todos funcionarão 24 hs e serão operados pela Guarda Municipal. Presente à solenidade de entregue, realizada na sexta-feira (24), a secretária executiva do Ministério da Saúde, Maria Amaral, destacou o impacto do uso da droga e ressaltou que não

existe uma única forma de resolver o problema. “A complexidade da dependência das drogas não aceita uma solução única. Por isso, é preciso articulação entre os entes da federação e integração entre diferentes políticas públicas”, airmou. EXPLICAÇÃO – A subcoordenadora municipal do plano no município, Nilzete Costa, da Secretaria de Saúde de Duque de Caxias, explicou ao Capítal que o plano está sendo analisado pelo governo Federal e que o município formou, em fevereiro, o seu Comitê Gestor, “que é a instância municipal de governança compartilhada do programa, responsável pelo planejamento, acompanhamento e monitoramento das ações relativas ao uso do crack, álcool e outras drogas”. Acrescentou que o CAPs AD II, após a implantação do novo programa, passará para tipo III. E concluiu informando que está para ser criado um Centro de Referência para abrigamento e tratamento de usuários de crack, álcool e outras drogas em Xerém, por uma instituição que atua na área da saúde e que pretende credenciar os leitos junto ao Estado.

Ministro quer desoneração do ICMS para banda larga ixa

ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, disse na quarta-feira (22) que vai começar a conversar com os governadores para dar início à desoneração do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) para a banda larga ixa. “Estudos preliminares mostram que cobrar taxas menores de ICMS leva a uma redução do preço dos serviços e ao consequente aumento do número de clientes dos estados. É esse aumento na base tributária que compensará em grande parte o que se deixar de arrecadar

com a redução da taxa”, disse, durante palestra no 57º Painel Telebrasil. Ele reconhece que esse tipo de discussão pode ser difícil, mas acredita que é possível construir um modelo de redução tributária que não implique em queda signiicativa da arrecadação estadual. O ministro também ressaltou que irá trabalhar para a regulamentação da desoneração da faixa de 450 mega-hertz, para a internet na área rural. O ministro disse esperar a aprovação, ainda neste semestre, na Câmara

Banco de Imagens

Analistas esperam que Selic suba para 7,75% ao ano

A

nalistas de instituições inanceiras consultados semanalmente pelo Banco Central (BC) esperam por elevação de 0,25 ponto percentual na taxa básica de juros, a Selic, na próxima quarta-feira (29). O BC usa a taxa Selic como instrumento para calibrar a inlação. Atualmente a taxa está em 7,50% ao ano, depois de ter subido 0,25 ponto percentual na reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do BC do mês passado. Neste mês, a reunião está marcada para esta terça-feira (28) e quarta-feira (29). Ao inal do ano, a expectativa das instituições inanceiras é que a Selic esteja em 8,25% ao ano – previsão que se mantém inalterada há cinco semanas. Para o inal de 2014, a projeção subiu de 8,25% para 8,50% ao ano. A expectativa de aumento da Selic acontece devido à alta da inlação. O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), indicador do governo para a meta de inlação, icou em 6,49% em 12 meses encerrados em abril. O resultado icou um pouco abaixo do teto da meta, que é 6,50% para o ano. O centro da meta, que deve ser perseguida pelo BC, é 4,50%. De acordo com as expectativas dos analistas, o

BNDES anuncia empresas habilitadas para disputar recursos do Inova Energia

U

dos Deputados, do projeto de lei que regulamenta a instalação de antenas de telecomunicações no país. Ele disse que as empresas já começaram a adotar o compartilhamento de antenas. “Espero que iniciativas desse tipo sejam cada vez mais comuns e se

tornem em breve o procedimento padrão em nosso mercado”. Segundo Paulo Bernardo, a estimativa é que 50% dos aparelhos de celular vendidos no mercado, em 2014, serão smartphones, ou seja, com acesso à internet. (Agência Brasil)

IPCA deve encerrar este ano em 5,81%, contra 5,80% previstos na semana passada. Para 2014, a mediana das expectativas (que desconsidera os extremos nas projeções) permanece em 5,80%. No último dia 21, o presidente do BC, Alexandre Tombini, ressaltou que a inlação, depois de atingir picos no primeiro trimestre, começou a desacelerar e tende a continuar em queda nos próximos meses. Em audiência pública na Câmara dos Deputados, Tombini assegurou que os preços estão sob controle e que não há risco de o índice oicial fechar o ano acima do teto da meta. A pesquisa do BC a instituições inanceiras também traz projeções para outros índices de inlação. A estimativa para o Índice de Preços ao Consumidor da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (IPC-Fipe) passou de 4,90% para 4,92%, neste ano e segue em 5%, em 2014. A projeção para o Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI) foi alterada de 4,39% para 4,36%, neste ano e permanece em 5,10%, em 2014. Para o Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M), a estimativa passou de 4,50% para 4,40%, este ano e de 5,30% para 5,28%, em 2014. (Agência Brasil)

m total de 117 empresas líderes está habilitado a concorrer aos recursos disponibilizados pelo Plano de Apoio à Inovação Tecnológica no Setor Elétrico (Inova Energia), do governo federal, lançado em abril deste ano. O programa é uma parceria do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), da Agência Brasileira da Inovação (Finep) e da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). O resultado preliminar foi anunciado sexta-feira

(24) pelo BNDES e representa uma seleção sobre as 373 empresas que se inscreveram para disputar os recursos do programa. O diretor de Inovação da Finep, João De Negri, comemorou o fato de a demanda ter atingido cerca de R$ 12 bilhões, superando o volume inicial de recursos disponibilizado para o programa, de R$ 3 bilhões. Esse modelo de apoio do governo é feito em diversos países, entre os quais os Estados Unidos e na Europa, informou. (Agência Brasil)


MERCADO & NEGÓCIOS

►27 de Maio a 03 de Junho de 2013

5

Vereador quer regularização de imóveis na Vila Operária O

vereador Osvaldo Lima, do PSC, autor da indicação para a implantação do projeto “Morar Legal” em todo o município de Duque de Caxias, feita em fevereiro último, disse em entrevista ao Capital que o mesmo deverá começar pela Vila Operária. Segundo o parlamentar, são cerca de 5.000 imóveis que estão aguardando regularização, medida que vai beneiciar aproximadamente 25 mil pessoas. A etapa seguinte do projeto deverá abranger o conjunto Nova Esperança, conhecido como Carandiru, constituído de sete blocos, totalizando 679 apartamentos. - Nossa proposta é solucionar de vez esse problema social, acabando ou reduzindo ao mínimo possível o número de propriedades informais, atribuindo um título dominial ao morador do terreno - explicou o vereador, que reside no local desde os três anos de idade. Ele lembrou que este é o maior sonho da população do bairro e que agora deverá

Marcelo Cunha

No conhecido "Carandiru", residem 679 famílias ser solucionada deinitivamente. “Conversei com o prefeito Alexandre Cardoso e ele prometeu tomar as medidas necessárias para que tudo se resolva, através da Secretaria Municipal Planejamento, Habitação e Urbanismo”. Osvaldo Lima explicou que o projeto Morar Legal, que dispõe sobre a Política Municipal de Regularização Fundiária, tem origem

no decreto-lei federal nº 271, de 28 de fevereiro de 1967, que considera loteamento urbano a subdivisão de área em lotes destinados à ediicação de qualquer natureza. - O artigo 7º da lei, reforçado pela Lei nº 11.481, de 2007, assegura a concessão de uso de terrenos públicos ou particulares, para ins especíicos de regularização fundiária

Idosos pedem apoio para derrubar proposta que limita meia-entrada

O

Projeto de Lei (PL) 4571/08 que restringe a 40% o número de ingressos vendidos como meia-entrada para estudantes, idosos, jovens de baixa renda e deicientes e seus acompanhantes em eventos culturais, artísticos e esportivos foi alvo de críticas por aposentados nesta segunda-feira (27). Os protestos ocorreram durante audiência pública na Comissão de Direitos Humanos (CDH) do Senado que debateu a luta da pessoa idosa pela cidadania. Em abril, a proposta foi aprovada na Comissão de

Constituição e Justiça da Casa e poderia ir direto para apreciação do Senado, mas por causa do descontentamento dos idosos, a expectativa é que seja apresentado recurso para que a matéria seja apreciada antes pelo plenário da Câmara. “Essa é uma porta que se abre escancarando a retirada de outros direitos dos idosos. […] Nós vamos trabalhar muito para que se retirem os idosos dessa proposta”, disse o representante do Fórum Permanente da Pessoa Idosa, José Araújo da Silva.

Com faixas e cartazes, idosos de várias regiões do país pediram apoio de parlamentares contra a proposta. “O projeto está na Câmara, mas quando chegar aqui vamos fazer o bom combate para derrubar essa proposta”, garantiu o senador Paulo Paim (PT-RS) que presidiu a audiência pública. A garantia de meia-entrada para maiores de 60 anos em eventos culturais e esportivos está prevista no artigo 23 do Estatuto do Idoso (Lei 10.741/2003). (Agência Brasil)

de interesse social, bem como urbanização, industrialização, ediicação e cultivo da terra - observou o vereador, que acrescentou: “Esse mesmo artigo fala também da preservação das comunidades tradicionais e seus meios de subsistência ou outras modalidades de interesse social em áreas urbana”. ORIGEM - O vereador, exibindo um exemplar da

edição número 13 da revista Pilares da História de Duque de Caxias e Baixada Fluminense, destaca o artigo intitulado “Origem da Favela Vila Operária em Duque de Caxias: Minha Terra”, fala com emoção do bairro onde vive desde criança e onde destacou-se como liderança comunitária ao longo dos anos, chegando a presidir a Associação de Moradores por três vezes. “Posso dizer que conheço nossos problemas de perto, pois vivencio isso todos os dias. Tivemos muitas promessas mas quase nada foi feito para os moradores. Agora a cidade vive um novo momento e nós vamos poder chegar a conquistas importantes”. A Vila Operária foi constituída sobre um morro que integra o bairro Parque Felicidade, no 1º Distrito. Essa ocupação urbana iniciou-se ainda na década de 50, quando a área pertencia a um judeu russo que morava no Rio de Janeiro e que negociava pedras preciosas, Genack Chandrycky, área essa que

abrange também o terreno onde está localizado o Cemitério Nossa Senhora das Graças, conhecido como Tanque do Anil. As famílias que ali se instalaram eram migrantes vindos do interior do Estado do Rio, do Espírito Santo e Minas Gerais. Outras eram oriundas da região nordeste, segundo relata a historiadora Denize Ramos Ferreira, autora do artigo destacado pelo vereador. A autora narra no trabalho, que parte da área começou a ser utilizada, ilegalmente, para enterro de moradores, ainda na década de 60. Ainda nos anos 60, Genack entrou com ação de desapropriação indireta contra o município sobre o cemitério e o morro, sendo feito depois um acordo para pagamento da indenização em parcelas. Assim, a área deixa de pertencer a Genack Chandrycky para ser da Prefeitura, hoje legítima proprietária. - Hoje podemos, tranquilamente, regularizar a situação dos moradores e garantir a paz social -concluiu Osvaldo Lima

Unidades de saúde dos municípios do RJ vão receber R$ 95,5 milhões

A

proximadamente 75 municípios garantiram recursos dos programas de apoio a unidades de saúde do interior fluminense para este ano. No total, serão repassados R$ 95,5 milhões (95.469.000) para serem aplicados na capacitação de profissionais, compra de equipamentos hospitalares, entre outras melhorias de atendimento à população. Na quinta-feira (16), no Palácio Guanabara, foi realizada a renovação da assinatura de acordo do repasse de

verba. “Vamos trabalhar com os municípios. Esta é uma área extremamente delicada, difícil, complexa”, disse o governador Sérgio Cabral, durante a cerimônia que contou com a presença de gestores de hospitais, secretários de Saúde e prefeitos. Para garantir a renovação dos contratos, as cidades contempladas precisam atender às metas estabelecidas pela Secretaria de Saúde. As quatro frentes de suporte às unidades interioranas são: Programa de Apoio

aos Hospitais de Interior (PAHI 1), Regional (PAHI Regional), de Terapia Intensiva e de Salas de Estabilização. De acordo com o secretário de Saúde do Estado, Sérgio Côrtes, nos últimos dois anos quase 98% dos municípios cumpriram as metas pactuadas, como capacitação de profissionais, programa de gerenciamento de resíduos, humanização de atendimento, boas práticas de utilização de antibióticos, entre outras exigências.


6

MERCADO & NEGÓCIOS

Atualidade Procon autua Supervia por problemas em estações

O

Procon do Rio de Janeiro autuou nesta segunda-feira (27) a Supervia, concessionária que administra os trens, por causa de problemas nas estações. A empresa terá prazo de 15 dias para apresentar um relatório de defesa, no qual deverá informar se resolveu ou não os problemas nas estações. Caso as irregularidades persistam, a empresa poderá ser multada. As multas, segundo o órgão, variam de 200 a 3 milhões de Uirs (R$ 481,32 a R$ 7,2 milhões, respectivamen-

te). A ação, chamada de Via Crúcis, teve a participação de 22 iscais que vistoriaram 24 estações, que integram o ramal Santa Cruz - Central do Brasil. A equipe iscalizou a quantidade de passageiros nos vagões, estado de conservação dos trens, ventilação das estações, elevadores para pessoas com deiciência e número de funcionários para atendimento. Segundo o diretor de iscalização do Procon, Fábio Domingos, há um grande número de reclamações sobre os serviços prestados pela empresa.

País Cavendish condenado por desvio de verbas

A

pós denúncia do Ministério Público Federal (MPF) em São Pedro Da Aldeia (RJ), a Justiça Federal condenou Fernando Antonio Cavendish, sócio gerente da Delta Construções, e o ex-prefeito do município de Iguaba Grande, Hugo Canellas Rodrigues Filho, a quatro anos e seis meses de reclusão por desvio de verbas públicas federais. De acordo com a sentença, o regime inicial de cumprimento da pena será o semi-aberto.

Cavendish e Canellas desviaram recursos públicos liberados pelo governo federal para as obras de despoluição da Lagoa de Araruama, na Região dos Lagos. De acordo com a denúncia do MPF, houve um superfaturamento dos valores contratados e malversação das verbas. Só pelo serviço de mobilização e desmobilização de equipamentos, a Delta recebeu R$ 191 mil do município, enquanto o valor de mercado pelo serviço era de apenas R$ 14 mil.

Internacional Vulcão: Argentina e Chile em alerta vermelho

A

utoridades chilenas e argentinas alertaram nesta segunda-feira (27) sobre o risco de erupção do Vulcão Copahue, na fronteira entre os dois países, e mandaram 3 mil pessoas desocupar a região. O ministro do Interior chileno, Andrés Chadwick, informou que a evacuação de 2,5 mil pessoas, que vivem a 25 quilômetros do vulcão, “é obrigatória”. Do lado argentino,

estão sendo removidas 600 pessoas da localidade de Caviahue. O vulcão chileno ica na fronteira com província argentina de Neuquén, a 370 quilômetros de Bariloche (conhecido destino turístico e estação de esqui). O governo decretou alerta vermelho depois que foram registradas emissões de gases e cinzas e aumento da atividade sísmica. A última erupção foi em dezembro passado.

►27 de Maio a 03 de Junho de 2013

Detran abre inscrições para vagas de nível médio

O

Detran abriu inscrições para o concurso que vai realizar, no dia 4 de agosto, para provimento de 800 cargos de nível médio, sendo 112 para assistente técnico administrativo; 222 para assistente técnico de identiicação civil; 36 para assistente

técnico de informática; e 430 para assistente técnico de trânsito. Vale salientar que, como determina a legislação vigente, 5% das vagas serão reservadas a candidatos portadores de deiciência e 20% a candidatos negros e índios. O edital do concurso, pu-

blicado na edição do Diário Oicial da sexta-feira (24/5), informa que a remuneração inicial será de R$1.550,01 e que o certame constará de uma prova objetiva e de uma prova de redação, que será realizada em endereços a ser deinidos nos municípios do Rio de Janeiro,

Niterói, Nova Iguaçu, Campos dos Goytacazes, Volta Redonda, Angra dos Reis, Teresópolis e Cabo Frio. As inscrições para o concurso serão feitas pela no site www. makiyama.com.br/concursos/detranrj.

Presidente da Caixa fala sobre saques do Bolsa Família

O

presidente da Caixa Econômica Federal, Jorge Hereda, em entrevista nesta segunda-feira (27) que o banco não informou antes a antecipação da data de saques devido a uma imprecisão de informações. No último dia 18, um boato sobre o im do Bolsa Família provocou uma correria de beneiciários às agências da Caixa

para sacar o dinheiro. Na segunda-feira (20), o banco informou que antecipou a liberação do pagamento para evitar tumultos devido aos boatos. No entanto, no último dia 25, a Caixa, em comunicado, disse ter liberado os saques antecipados do programa na véspera do início dos boatos, no dia 17, em função de melhorias no cadastro de informações so-

ciais. Hoje, Hereda argumentou que a informação equivocada ocorreu em uma situação de crise. “A Caixa não mentiu. Tivemos uma informação equivocada com relação à data em que se abriu o sistema [de pagamento]. Foi uma informação imprecisa da Caixa, mas essa imprecisão só se justiica pelo momento

que estávamos vivendo”, declarou Hereda. O presidente negou ter ocorrido erro no sistema de pagamento do banco e negou que as famílias tenham recebido duplo benefício. “Pagamos todo mundo na folha. Ninguém recebeu mais do que tinha previsto nem deixou de receber”, ressaltou.

OAB quer rigor na transparência de gastos nos municípios

A

dvogados, magistrados, membros do Ministério Público, jornalistas e cidadãos devem atuar juntos para iscalizar se os 4.958 municípios brasileiros que, a partir desta segunda-feira (27), são obrigados a disponibilizar seus gastos detalhados na Internet conforme

determina a Lei Complementar 131, de 2009, estão cumprindo a legislação. O alerta é do presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Marcus Vinicius, ao defender o cumprimento integral dessa lei e a de Acesso à Informação (nº 12.527/2011), que completa um ano.

- Essas leis constituem importante instrumento de democracia direta, por meio do qual o cidadão pode iscalizar e controlar os gastos públicos, garantindo a aplicação mais adequada do dinheiro que pertence ao povo em seu próprio benefício - diz Marcus Vinicius. Ele destacou a importância

de que todas as instituições se dêem as mãos na tarefa de monitorar os gastos públicos, e lembrou que a OAB, por estar isicamente presente em mais de mil municípios brasileiros por meio de suas Subseções, estará vigilante e atenta.

Norte Energia tomará “recursos legais” para retomar Belo Monte

R

esponsável pela instalação e operação da Hidrelétrica de Belo Monte, no Rio Xingu, no Pará, a empresa Norte Energia informou nesta segunda-feira (27), em nota, que usará todos os recursos legais para retomar a área ocupada por índios

em um dos canteiros de obras do empreendimento. O consórcio quer garantir a volta ao trabalho dos 4 mil funcionários do Sítio Belo Monte, a cerca de 55 quilômetros de Altamira (PA). Por razões de segurança, as operações foram suspensas assim que os índios conseguiram entrar

no local, por volta das 4h de ontem (27). O grupo de manifestantes é formado por cerca de 140 índios da etnia Munduruku. Moradores da região do Tapajós, a cerca de 800 quilômetros dos canteiros de Belo Monte, os munduruku pedem a imediata suspensão de

todos os empreendimentos hidrelétricos na Amazônia até que o processo de consulta prévia aos povos tradicionais, previsto na Convenção 169 da Organização Internacional do Trabalho (OIT) seja regulamentado. (Agência Brasil)

“Situação na Síria se encaminha para um pesadelo"

A

alta comissária da Organização das Nações Unidas (ONU) para os Direitos Humanos, Navi Pillay, advertiu nesta segunda-feira (27) que se antevê um "pesadelo" na Síria, cuja crise dura dois anos e dois meses, matando mais de 90 mil pessoas. “A Síria já vive

uma catástrofe humanitária, política e social, e o que nos espera é verdadeiramente um pesadelo", disse Pillay, na abertura da 23ª sessão do Conselho de Direitos Humanos da ONU. "Temo que a comunidade internacional não consiga cumprir as suas obrigações fundamentais em relação às vítimas",

ressaltou a comissária. “A comunidade internacional deve travar a escalada de sofrimento e o derramamento de sangue na Síria." Segundo Pillay, as forças aliadas do governo são responsáveis por ataques às escolas e aos hospitais. De acordo com ela, as forças de segurança ligadas

ao governo do presidente Bashar Al Assad usam armamentos de forma desproporcional. "Continuamos também a receber informações sobre atos horríveis praticados pelas forças governamentais, como torturas e execuções sumárias",disse Pillay.

ONU cobra dos EUA im das operações na prisão de Guantánamo

A

Organização das Nações Unidas (ONU) reiterou as críticas ao governo dos Estados Unidos por manter em funcionamento a prisão de Guantánamo, localizada em território cubano. A alta comissária das Nações Unidas para os Direitos

Humanos, Navi Pillay, cobrou a promessa do governo norte-americano de fechar o centro de detenção, no qual estão 166 presos. As autoridades norte-americanas enviam para Guantánamo condenados por crime de terrorismo. No local, a maioria dos detentos segue a

religião muçulmana. Segundo Navi Pillay, a lei internacional de segurança é violada na penitenciária. Em abril, a ONU manifestou-se sobre a greve de fome de vários dos detentos. Os presos reclamam de agressões e de desrespeito à religião

muçulmana pelos seguranças de Guantánamo. Há quatro anos, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, comprometeu-se a fechar a prisão, aberta pelo ex-presidente George W. Bush, em janeiro de 2002.


MERCADO & NEGÓCIOS

►27 de Maio a 03 de Junho de 2013

Claise Maria anuncia mais de 200 mil empregos até dezembro

A

té o inal do ano, serão gerados mais de 200 mil empregos com carteira assinada, conforme estimativa da Secretaria Estadual de Trabalho e Renda (Setrab). A marca deverá ser recorde para a média de postos de trabalho no Estado do Rio de Janeiro, nos últimos cinco anos. Na semana passada, a presidenta Dilma Rousseff anunciou que, de janeiro de 2011 até abril de 2013, foram criados 4,1 milhões de empregos em todo o país. No estado, no mesmo período, foram 506 mil oportunidades. Os dados da Setrab também indicam que o total de postos gerados no estado para 2013 representa um crescimento de 20% em relação ao ano passado. Secretária estadual de Trabalho e Renda, Claise Maria disse que, desde 2011, os setores de maior destaque no que diz respeito ao quantitativo de vagas gera-

Divulgação

das e demão de obra absorvida são serviços, construção civil e comércio. Somente na construção civil, a estimativa é de aproximadamente 40 mil novos postos de trabalho. A secretária destacou: “O Estado do Rio tem várias obras em andamento como Complexo Petroquímico

de Itaboraí e os projetos de infraestrutura para preparação da Copa do Mundo e Olimpíadas”. Claise assegurou que o mercado de trabalho no Rio tem se mantido aquecido nos últimos anos. Dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) mostram que o estado ge-

rou quase um milhão de novos postos de trabalho em cinco anos. Só em 2012, o setor de serviços teve 73 mil novos postos. Já construção civil, 37 mil, e comércio, 27.706 mil. QUALIFICAÇÃO - O proissional luminense pode aproveitar a boa maré de geração de empregos formais. Porém, é preciso ter em mente algumas palavras: qualiicação,empenho e coniança. Para Diogo Hudson, especialista em carreiras, o trabalho tem que fazer um sentido. “Busque uma chance que vá somar a sua vida como um todo e não só procure um salário para pagar suas contas”, orienta. Hudson também recomenda que o proissional estude sempre para potencializar os talentos e icar atualizado. Além disso, sugere:“Não ique ansioso para ocupar só a vaga disponível. Tente sempre mirar ainda mais alto!”

Cedae e Unigranrio assinam convênio sobre pesquisas e políticas educacionais

A

Unigranrio e a Cedae somaram forças e irmam sua primeira parceria público-privada, com objetivo de promover intercâmbio sobre pesquisas cientíicas e políticas educacionais. Para dar veracidade a bem-sucedida ideia, o presidente da Cedae, Wagner Victer, compareceu ao campus I, em Duque de Caxias, para assinar esse protocolo de intenções. Ele aproveitou para promover um bate-papo informal sobre sua

gestão, incluindo histórias sobre a proissão de engenheiro. Victer salientou que os estágios podem abrir a porta para uma série de atividades e serviços entre as duas instituições: “Acredito que estágio é uma porta que se abre, porque é tão importante quanto a própria faculdade, assim como a participação dos jovens em feiras, congressos, simpósios e demais eventos. O proissional deve buscar estagiar desde o primeiro pe-

ríodo, sempre o mais cedo possível”. Para o professor da Unigranrio Ricardo Marinho, que é assessor do presidente da Cedae e responsável por alinhar as propostas desse convênio, explicou: “A Cedae vai abrir suas portas para visita de acadêmicos às estações de tratamento Barra, Alegria, Guandu e Laranjal, todas inseridas em programas de saneamento. A Estação Alegria é a mais importante do programa

de Despoluição da Baía de Guanabara, sendo a maior das estações de esgotos operadas pela Cedae. O convênio é bem abrangente e, em breve, vamos deinir quais as prioridades que nortearão os trabalhos internos e de campo”. Wagner Victer, ao inal, foi entrevistado na Rádio Web Unigranrio, a convite da coordenadora Ana Condeixa, que conduziu o bate-papo com assuntos referentes ao convênio, entre outros assuntos.

Prefeitura de Japeri fecha mais uma parceria com o Governo do Estado O

Prefeito de Japeri, Ivaldo Barbosa dos Santos, o Timor, se reuniu na última quarta-feira (22), com o governador do Estado Sérgio Cabral. Em visita realizada ao Palácio Guanabara, Timor recebeu a conirmação de liberação de cerca de R$ 23 milhões para o projeto “Novo Núcleo de Desenvolvimento Urbano Bairro Centro”, além do apoio total para a

criação da Vila Olímpica de Japeri. O projeto “Novo Núcleo de Desenvolvimento Urbano Bairro Centro”, é uma iniciativa da Secretaria de Urbanismo de Japeri, que visa criar melhorias à acessibilidade ao município, no entorno do centro administrativo e na sua ligação com o Arco Metropolitano, sendo criado assim o Bairro Centro. Além disso, o governo estadual

dará total apoio na criação da primeira Vila Olímpica de Japeri, que visa atender a todos os moradores da região interessados na prática de esporte. O prefeito Timor comemorou mais uma parceria ixada entre Japeri e o governo do estado. “Essa é mais uma conquista para a população. Juntos vamos fazer Japeri crescer e se tornar uma cidade ainda

mais urbana, com maior mobilidade, acessibilidade, desenvolvimento e com infra-estrutura para atender aos nossos munícipes”, disse Timor. Presentes também no encontro, o Deputado Estadual Thiago Pampolha e o Secretário de Esportes de Japeri, Gutemberg Fonseca, participaram dos acordos que irão trazer ainda mais melhorias para a cidade da Baixada Fluminense.

7

Petrobras vai aumentar produção de petróleo no segundo semestre

A

Petrobras aumentará a produção de petróleo e o reino de derivados no segundo semestre do ano, disse a presidenta da companhia, Graça Foster, na última quarta-feira (22), à Agência Brasil. Em audiência pública na Câmara dos Deputados, ela destacou que o crescimento da produção e do reino fará com o que o país reduza a importação de combustível, até o inal do ano, sem comprometer a demanda interna. “Temos certeza do aumento da produção, e quem produz mais petróleo pode fazer mais reino. Quanto à importação, teremos aumento da demanda de diesel e gasolina, mas vamos fazer mais derivados e importar menos do que importamos no ano passado. Nossas reinarias estão muito melhores que no ano passado”, frisou a presidenta da Petrobras. Em audiência pública para falar sobre o de-

sempenho da companhia e prestar esclarecimentos sobre a aquisição da Reinaria de Pasadena, no Texas (Estados Unidos), a presidenta da Petrobras reairmou que a compra da reinaria norte-americana seguiu orientações positivas à época, em 2006, e que as perdas provenientes do negócio foram provocadas, principalmente, pela crise inanceira mundial ocorrida em 2009. Graça Foster admitiu que no atual cenário, a empresa não repetiria a operação. “O prejuízo em Pasadena decorreu dessas perdas de margens do reinador. Quando olho para trás, [com base] no que estamos construindo no Brasil, ica mais fácil dizer que não faria. Esse é um ponto que precisa ser colocado. Quando se tem no retrovisor tudo de bom e tudo de ruim, é fácil dizer que não faria. Mas não faz sentido dizer que faria Pasadena hoje”.

Presidente do BC assegura que inlação cairá nos próximos meses

D

epois de atingir picos no primeiro trimestre, a inlação começou a desacelerar e tende a continuar a cair nos próximos meses, disse o presidente do Banco Central (BC), Alexandre Tombini. Em audiência pública na Câmara dos Deputados, no último dia 21, ele assegurou que os preços estão sob controle e que não há risco de o índice oicial fechar o ano acima do teto da meta. De acordo com Tombini, o principal fator que manteve a inlação elevada no início de 2013 foi o choque nos preços dos alimentos, que dependem de fatores externos, não ligados à política monetária. Segundo ele, o início do ciclo de aumento da taxa Selic (juros básicos da economia) e o alívio nas pressões dos preços de determinados alimentos impedirão que a inlação fuja do controle. - O Banco Central tem se esforçado para colocar inlação em declínio a partir do segundo trimestre. Nos próximos três meses, inlação será menor que

no começo do ano. No início do segundo semestre, a inlação acumulada em 12 meses começará a icar abaixo do teto da meta [6,5%]”, declarou. Além do aumento dos juros básicos, Tombini ressaltou que continuará a fazer declarações à imprensa e ao mercado para reforçar o compromisso da autoridade monetária com o controle da inlação. “A comunicação é parte importante na consecução da política monetária. As informações repassadas pelo Banco Central contribuem para as decisões dos agentes econômicos”, declarou. Para Tombini, o novo ciclo de aumento na taxa Selic não interferirá no crescimento da economia em 2013 e negou que o Banco Central esteja trabalhando para que a inlação ique próxima do teto da meta. Ele reairmou que a autoridade monetária mira o centro da meta de inlação, que é de 4,5% com tolerância de dois pontos percentuais. (Agência Brasil)


8

MERCADO & NEGÓCIOS

►27 de Maio a 03 de Junho de 2013

Primeiro leilão do pré-sal será realizado em outubro O

edital do primeiro leilão do pré-sal, referente à área de Libra, na Bacia de Santos, a cerca de 183 quilômetros da costa do Rio de Janeiro, deverá ser publicado dentro de 15 dias. O leilão está previsto para outubro e será sob o regime de partilha, conforme foi publicado no último dia 23 no Diário Oicial da União. O prazo foi anunciado pela presidenta da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), Magda Chambriard.

Ela estimou o volume do campo entre 26 bilhões e 42 bilhões de barris de petróleo, mas ressaltou que as últimas pesquisas, feitas em maio, indicaram que o número icará mais próximo do teto. Em entrevista coletiva no escritório central da ANP, no Rio, Magda Chambriard disse que o volume de petróleo recuperável deverá oscilar entre 8 bilhões e 12 bilhões de barris, icando mais próximo dos 10 bilhões. De acordo com Magda,

a expectativa da ANP para esta rodada do pré-sal só pode ser a melhor possível. "Vamos licitar um prospecto sem precedentes. Nunca izemos isso no Brasil, e eu desconheço um país que tenha feito licitação deste porte. Até meados de junho, deveremos ter tudo isso publicado e pronto. Estamos falando de uma oportunidade que pode ser de 8 a 12 bilhões de barris [recuperáveis].” Magda não quis adiantar estimativas para valores

do leilão, mas ressaltou que será um marco no desenvolvimento do setor no país. A área de Libra tem 1.500 quilômetros quadrados, do total de 149 mil quilômetros quadrados de áreas do pré-sal. “Isso é para gente grande. O que nós estamos vivendo com o petróleo no Brasil é um momento grandioso, de muitas possibilidades, que vai gerar muito emprego e renda para a população, muito trabalho de bom nível e muita carreira bem sucedida.”(Agência Brasil)

CNI lança compromisso para dobrar produtividade da indústria até 2022 A

Confederação Nacional da Indústria (CNI) apresentou no último dia 21, em Brasília, o documento intitulado 'Mapa Estratégico da Indústria 2013-2022', que estabelece metas e objetivos visando à melhoria da indústria nacional e ao aumento da competitividade até 2022, ano em que o Brasil completa 200 anos de independência. O documento deine que, no período até 2022, a participação dos

produtos manufaturados brasileiros deve subir dos atuais 1,7% para 2,2% da produção mundial. O mapa estratégico também prevê que a produtividade média da indústria nacional dobre, no mesmo período. O índice alcançaria 4,5% ao ano, ante a média de 2,3%, alcançada nos últimos 20 anos. O documento é resultado de pesquisa de nove meses entre 500 representantes empresariais que, durante esse período, iden-

tiicaram os fatores-chave para aumentar a capacidade de produção da indústria e ampliar a participação do segmento na economia nacional. Segundo o presidente da CNI, Robson Andrade, o trabalho desenha a visão da indústria no país e destaca os principais obstáculos do segmento. “O grande desaio é elevar os níveis de produtividade e eiciência, atuando nos fatores-chave de competitividade. A indústria pode

ser maior e melhor”, disse. A seleção dos fatores impactantes levou em consideração o impacto relevante e direto na competitividade da indústria, e a abrangência e durabilidade do impacto do fator-chave, em termos de ganho de produtividade. Além disso, foram destacadas “as oportunidades e ameaças decorrentes das mudanças em curso no Brasil e no mundo com maior impacto na atividade industrial”.


Edição nº 160