Issuu on Google+

Indicadores / Câmbio

Internacional

Compra

Coreia do Norte nomeia novo ministro de Segurança

Dolar Comercial Dólar turismo ibovespa

2,022 1,990

Venda % 2,022 2,090 55.902,18

0,14 1,43 0,80

►PÁGINA 2 Fechamento: 01 de aBRIL de 2013

Ano 5 ● nº 152 www.jornalcapital.jor.br

MERCADO & NEGÓCIOS R$1

Capital EMpRESa JORNalÍStiCa ltDa ● ►02 a 08 de aBRIL de 2013

Indústria da construção ainda enfrenta desaquecimento Fabio Rodrigues Pozzebom-ABr

D

e acordo com a Sondagem Indústria da Construção, divulgada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), a indústria da construção manteve em fevereiro atividade abaixo do usual e completou dez meses consecutivos em desaquecimento. Apesar do índice do número de empregados ter aumentado de 45,8 pontos em janeiro para 46,8 pontos em fevereiro, ele ainda reflete queda no emprego, situando abaixo de 50 pontos. ►PÁGINA 7

Maternidade de Xerém poderá ser fechada deinitivamente ►PÁGINA 5

Município prioriza pagamento de clínica que foi do prefeito ►PÁGINA 5

Servidores da saúde de Caxias querem reposição de 187% ►PÁGINA 7

Parque Tecnológico do Rio poderá receber até R$ 3 bilhões

S

egundo o diretor executivo do Parque Tecnológico do Rio-UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro), Maurício Guedes, estão previstos investimentos de R$ 32,9 bilhões nos próximos dois anos para incentivar o desenvolvimento de pesquisas nos setores industrial, agrícola e de serviços. ►PÁGINA 4

Cresce o número de brasileiros que participam de consórcios ►PÁGINA 7

Balança tem superávit de US$ 164 milhões em março

A

balança comercial brasileira fechou março com superávit de US$ 164 milhões. O saldo foi consequência de exportações de US$ 19,323 bilhões e importações de US$ 19,159 bilhões. Apesar de superavitário, foi o resultado mais fraco para o mês desde março de 2001, quando houve déficit de US$ 274 milhões. Os números foram divulgados dia 1° pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Tanto as vendas externas quanto as compras cresceram ante março do ano passado.

Mercado mantém em 5,71%estimativa de inlação oicial

A

projeção de analistas de instituições financeiras pesquisadas pelo Banco Central (BC) para a inflação oficial, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), é 5,71%, este ano. Essa é a mesma estimativa divulgada na semana passada. Para 2014, a projeção subiu de 5,60% para 5,68%. As estimativas estão acima do centro da meta de inflação, 4,5%, mas abaixo do limite superior de 6,5%. O aumento da inflação pode levar o BC a subir a taxa básica de juros, a Selic para calibrar os preços. Mas a expectativa das instituições financeiras é que essa alta não ocorra já na reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do BC marcada para os dias 16 e 17 deste mês. A expectativa para essa reunião é que a Selic seja mantida no atual patamar (7,25% ao ano). Mas, ao final de 2013, a Selic deve estar a 8,5% ao ano, de acordo com as projeções dos analistas. Essa é a mesma projeção para o final do próximo ano. A pesquisa do BC também traz a mediana das expectativas para a inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (IPC-Fipe), mantida em 5,26%, este ano, e em 5%, em 2014. A projeção para o Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna (IGP-DI) foi alterada de 4,87% para 4,83%, este ano, e de 5,1% para 5,14%, em 2014.

►PÁGINA 3

RJ é o segundo maior produtor de flores ►PÁGINA 8


2

MERCADO & NEGÓCIOS

►02 a 08 de Abril de 2013

Desemprego mantém-se estável nos primeiros dois meses do ano O

desemprego no país manteve-se estável em fevereiro na comparação com janeiro, ao subir de 5,4% para 5,6% nas seis regiões metropolitanas investigadas. Os dados foram divulgados dia 28 pelo Instituto Brasileiro de Geograia e Estatística (IBGE) e mostram que a alta da taxa de desocupação em fevereiro também mostrou-se estável em relação ao mesmo período do ano passado (5,7%). Cerca de 1,4 milhão de pessoas nas regiões pesquisadas estavam desocupadas em fevereiro, segundo a pesquisa. A Pesquisa Mensal de Emprego é realizada nas

regiões metropolitanas do Recife, de Salvador, Belo Horizonte, do Rio de Janeiro, de São Paulo e Porto Alegre. Houve queda de desocupação nas regiões metropolitanas de Salvador e do Rio de Janeiro (19,3% e 19%, respectivamente) e alta em Recife (28,2%). Segundo o IBGE, a população ocupada em fevereiro é de aproximadamente 23 milhões de pessoas, o que representa queda frente a janeiro (-0,7%) e alta na comparação com o mesmo período do ano passado (1,6%), com incremento de 362 mil postos de trabalho em 12 meses. Regionalmente, a análise mostrou variação men-

sal signiicativa apenas no Recife (queda de 3,2% ou menos 51 mil pessoas ocupadas de janeiro para fevereiro). Na comparação com fevereiro do ano passado, houve variação somente em São Paulo (2,5%, ou mais 236 mil pessoas ocupadas). O número de trabalhadores com carteira de trabalho assinada no setor privado (11,5 milhões) icou estável em relação a janeiro e cresceu 2,3% em relação a fevereiro de 2012 – mais 254 mil postos de trabalho com carteira assinada em um ano. RENDIMENTO - O rendimento médio real habitual dos trabalhadores icou em R$ 1.849,50, com alta de

1,2% frente a janeiro e de 2,4% na comparação com fevereiro de 2012. A massa de rendimento médio real habitual dos ocupados (R$ 42,8 bilhões) também apresentou estabilidade em fevereiro ante janeiro último e cresceu 4,2% em relação a fevereiro de 2012. Regionalmente, na comparação com janeiro deste ano, o rendimento médio real habitual dos trabalhadores aumentou nas regiões metropolitanas do Recife (1,6%), Rio de Janeiro (1,7%), de São Paulo (1,3%) e Porto Alegre (2,2%); icou estável em Belo Horizonte e caiu em Salvador (-1,2%). (Agência Brasil)

Ponto de Observação

Brasileiros voltam a icar mais otimistas em relação à economia

O

s brasileiros voltaram a icar mais otimistas em relação à economia, revelou pesquisa divulgada nesta segunda-feira (1º) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Depois de três meses seguidos de queda, o Índice Nacional de Expectativa do Consumidor (Inec) subiu 0,6% em março. Em relação ao mesmo mês do ano passado, o indicador teve aumento de 1%. De acordo com a CNI, a alta foi puxada principalmente pela melhoria nas expectativas sobre a inlação. A percepção de que os preços estarão sob controle nos próximos meses fez a coniança sobre a expectativa de inlação subir 6,9% em relação a fevereiro e 4,7% na comparação com março de 2012. Os brasileiros também estão mais otimistas em relação ao orçamento doméstico e à capacidade de endividamento. Em março, o índice de expectativa com

Supremo vai discutir o financiamento das campanhas eleitorais alberto marques

O

Supremo Tribunal Federal (STF) convocou audiências públicas para discutir o inanciamento público de campanhas eleitorais. As apresentações ocorrerão nos dias 17 e 24 de junho e serão presididas pelo relator da ação de inconstitucionalidade sobre o tema, ministro Luiz Fux. Pessoas físicas e jurídicas, com ou sem ins lucrativos, devem apresentar requerimentos para o endereço inanciamentodecampanhas@stf.jus.br até as 20h do dia 10 de maio. As audiências públicas no STF são destinadas a oferecer subsídios aos ministros para decidirem sobre uma ação direta de inconstitucionalidade sobre o tema que chegou ao STF em 2011, por meio da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). A entidade questiona a Lei dos Partidos

Políticos, de 1995 e a Lei das Eleições, de 1997, argumentando que o modelo atual, que permite doações de pessoas físicas e jurídicas, resulta em inluência “excessiva e deletéria” do poder econômico. A entidade também questiona os limites de doações permitidos por lei, baseados em rendimentos obtidos no ano anterior. Para a OAB, o critério atual reforça a desigualdade representativa entre os partidos, pois as doações serão sempre direcionadas pelas empresas privadas em favor de partidos ou candidatos que se disponham a defender os interesses econômicos privados no Congresso Nacional, independente do programa doutrinário de cada sigla. Ao convocar as audiências públicas, Fux argumenta que ''a questão ultrapassa o caráter jurídico e exige uma abordagem interdisciplinar, atenta às nuances dos fatores econômicos na dinâmica do processo eleitoral”. Ainda segundo Fux,

chama a atenção o fato de as eleições municipais de 2012 terem movimentado mais de R$ 3,5 bilhões em doações para campanhas. Como forma de driblar o rastreamento das doações por parte da Policia Federal, do MP e da Justiça Eleitoral, empresas e cidadãos direcionaram as suas doações para os diretórios regionais ou nacional dos partidos beneiciários, embora mantendo o controle sobre os desembolsos, visando sustentar a campanha de candidatos comprometidos com os objetivos econômicos dos doadores. Esse truque simples diluiu a responsabilidade na prestação de contas entre as direções partidárias e os candidatos. No caso, as empresas usaram o velho truque de deixar as bolinhas no freezer antes dos sorteios. O encarregado de meter a mão na sacola, já sabe que deve retirar apenas as bolas que estiverem estupidamente geladas. No sistema atual, de doações privadas, as emisso-

ras de rádio e TVS deduzem dos tributos devidos os valores correspondentes ao tempo doado aos partidos. Assim, cada hora de propaganda dita gratuita, é paga pelo contribuinte, pois rádios e TVs não podem ser obrigadas a abrirem seus canais de transmissão sem a justa paga. E isso é feito através de incentivos iscais. Para alguns setores, o inanciamento público de campanhas eleitorais é uma maneira de barrar o poder econômico na formação das chapas e na eleição de candidatos previamente escolhidos por ainidades de interesses. Assim, essa alternativa será um dos principais temas articulados nas propostas sobre reforma política em discussão no Congresso. Parlamentares de vários setores indicaram que pretendem pôr o tema em discussão ainda neste semestre, para que possam valer nas eleições gerais de 2014.

a situação inanceira das famílias aumentou 0,5% e o indicador de endividamento cresceu 2,3%. Na avaliação da CNI, a melhoria nos índices de coniança pode ter efeito positivo no crescimento da economia em 2013. Isso porque consumidores coniantes tendem a comprar mais. Apesar de mais otimista, os brasileiros continuam mais cautelosos em relação a alguns aspectos da economia em 2013. O índice de consumidores que pretendem comprar bens de maior valor caiu 1,6% e a expectativa de que o desemprego vai cair apresentou recuo de 0,7% em relação a fevereiro. No mesmo período, o índice de expectativa em relação à renda pessoal teve queda de 0,6%. A pesquisa da CNI ouviu 2.002 pessoas em 141 municípios de todo o país, entre 8 e 11 de março. (Agência Brasil)

Cambio

(*) Fechamento: 01 de aBRIL de 2013

Moeda

Compra (R$)

Dolar Comercial

2,022

2,022

0,14

Dólar turismo

1,990

2,090

1,43

Moeda

Compra (U$)

Venda (R$)

Venda (U$)

Variação %

Variação %

Coroa Dinamarca

5,801

5,805

0,24

Dólar austrália

1,043

1,043

0,15

Dólar Canadá

1,016

1,017

0,00

Euro

1,284

1,284

0,20

Franco Suíça

0,946

0,946

0,28

93,160

93,210

1,09

1,522

1,522

0,24

472,200

473,700

0,17

1.821,060

1.823,060

0,43

5,095

5,135

0,10

peso México

12,350

12,360

0,31

peso Uruguai

18,800

18,900

0,00

iene Japão libra Esterlina inglaterra peso Chile peso Colômbia peso livre argentina

Bolsa Valor

Variação %

ibovespa

55.902,18

0,80

IBX

21.361,44

0,79

Dow Jones

14.572,85

0,04

Nasdaq

3.239,17

0,00

Merval

3.380,78

1,07

Commodities Unidade Petróleo - Brent

Compra US$

barril

Venda US$

Variação %

109,910

109,930

0,00

Ouro

onça troy

1.599,890

1.601,110

0,02

prata

onça troy

28,020

28,100

0,00

platina

onça troy

1.590,490

1.598,000

0,02

paládio

onça troy

779,500

784,500

0,09

poupança

02/04

0,500

tR

01/04

0,000

ao ano

7,25

indicadores

Juros Selic meta

R$ 678,00

Salário Mínimo (Federal)

MERCADO & NEGÓCIOS Av. Governador Leonel Brizola (antiga Presidente Kennedy), 1995 - Sala 804 Edifício Sul América - Centro, CEP 25.020-002 - Duque de Caxias, Rio de Janeiro Telefax: (21) 2671-6611 - CNPJ 11.244.751/0001-70 Na internet:

www.jornalcapital.jor.br Endereços eletrônicos: comercial@jornalcapital.jor.br contato.capitalmercado@gmail.com comercial.capitalmercado@gmail.com redacao@jornalcapital.jor.br contato@jornalcapital.jor.br redacao.capitalmercado@gmail.com TIRAGEM: 10.000 exemplares (assine o Capital: 21 2671-6611) IMPRESSÃO: ARETÉ EDITORIAL S/A CNPJ 00.355.188/0001-90 Filiado À aDJORi Associação de Jornais do Interior Capital Empresa Jornalística Ltda Departamento Comercial: (21) 2671-6611 / 8400-0441 / 7854-7256 ID 8*21653 Diretor Geral: Marcelo Cunha Diretor de Redação: Josué Cardoso (josuejornalista@gmail.com) Colaboradores: Alberto Marques, Arthur Salomão, Aureo Lídio, Carlos Erbs, Dilma Rousseff, Geiza Rocha, Moreira Franco, Roberto Daiub e Rodrigo de Castro.


MERCADO & NEGÓCIOS

►02 a 08 de Abril de 2013

Cresce o número de brasileiros que participam de consórcios O

número de brasileiros que optaram por consórcio para comprar veículos, imóveis, eletroeletrônicos ou serviços cresceu em fevereiro, informou a Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios (Abac). O total de participantes do sistema de consórcios chegou a 5,3 milhões em fevereiro, o que representou, segundo a Abac, um novo recorde histórico. O

número é 10,4% superior ao do mesmo mês do ano passado (4,8 milhões de participantes). “O crescimento do sistema nos últimos anos é uma prova de que o consórcio tem sido escolhido por parte expressiva de consumidores que planejam o seu futuro, da sua família e até mesmo da sua empresa. Os mais de 5 milhões de consorciados atestam o mecanismo como forma

de realização dos sonhos de consumo ou de formação patrimonial”, destacou em nota o presidente executivo da Abac, Paulo Roberto Rossi. Segundo a associação, também cresceram as vendas de novas cotas: em janeiro e fevereiro deste ano foram acumuladas 407 mil, valor 5,2% superior às 387 mil do mesmo período de 2012. Já as contemplações (consorciados que tiveram

a oportunidade de comprar bens) alcançaram 192 mil no primeiro bimestre, o que representou queda de 3,4% em comparação ao mesmo período anterior. - O volume de negócios começou o ano superando R$ 12,5 bilhões, [montante] cerca de 19% maior do que os R$ 10,5 bilhões do mesmo bimestre de 2012 -completou o presidente da associação. (Agência Brasil)

Mulheres promovem ação social em Duque de Caxias Fotos: Divulgação

O movimento Mulheres Respeitam Mulheres (MRM) promoveu o evento “1ª Ação Social” no último dia 26, dando continuidade às comemorações pela passagem do Dia Internacional da Mulher, comemorado em 8 de março. Muitas atividades foram realizadas, sob o comando da presidente-fundadora do MRM, a advogada Marta Dantas, que recebeu várias convidadas, entre elas a primeira dama e secretária de Comunicação da Prefeitura, Tatyane Lima, a advogada Marlene D’Almeida, vereadora Juliana do Taxi, a delegada Cristiane Honorato (DEAM), as professoras Marise Ribeiro e Vitória e Cristiane Moren, da Estética Lider, entre muitas outras personalidades. Entre os serviços prestados, destacaram-se a dis-

tribuição de cartilhas de apresentação da Lei Maria da Penha e registro de casos de mulheres vitimadas em um ônibus da Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (DEAM), palestras sobre enchentes e incêndios residenciais pela Defesa civil Municipal, mostra de condimentos naturais pela ONG Mulheres com Propósito e a presença de um ônibus ginecológico. A professora de balé Gracyelle Castro fez apresentações de dança, destacando-se a clássica “New York, New York”, sob muitos aplausos, O Coral de Seresteiros da Unigranrio também encantou o público. “Um dia perfeito para as mulheres de Duque de Caxias, um excelente trabalho realizado”, eram os comentários que davam o tom do brilhantismo do evento.

Direito Empresarial (*)aRthUR SaLomÃo É eSPecIaLISta em dIReIto emPReSaRIaL e RecUPeRaÇÃo JUdIcIaL.

Secretaria da Micro e Pequena Empresa é o 39º Ministério do Governo Dilma arthur Salomão*

F

oi publicado no "Diário Oicial da União", nesta segunda-feira (1º), a lei que cria a Secretaria da Micro e Pequena Empresa, que terá status de ministério, o 39º do governo Dilma Rousseff. A nova pasta, segundo prevê a lei, formulará políticas de apoio a microempresas e empresas de pequeno porte e de artesanato. Cuidará, por

exemplo, de promover a qualiicação, aumentar a competitividade e incentivar as exportações de bens e serviços. De acordo com assessoria da Presidência, o ministro que comandará a pasta ainda não foi deinido. O vice-governador de São Paulo, Guilherme Aif Domingos, do PSD, é um dos nomes mais cotados para assumir o posto. A nova secretaria terá 68 cargos, incluindo o ministro de Estado e o secretário-

-executivo, número dois na hierarquia dos ministérios. A estrutura será composta pelo gabinete, pela secretaria-executiva e por até mais duas secretarias, conforme determina a lei. A pasta será vinculada diretamente à Presidência da República, a exemplo da Secretaria de Direitos Humanos e da Secretaria de Políticas para as Mulheres. Atualmente, o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior é quem cuida da área de mi-

cro e pequenas empresas no governo. A lei prevê que o acervo patrimonial e o quadro dos servidores dos órgãos que tiveram suas competências absorvidas pela nova pasta serão transferidos para a secretaria. O Ministério do o Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior e do Planejamento terão até 90 dias a partir desta segunda para efetivar as transferências, inclusive as movimentações orçamentárias.

3

Conversa com a Presidenta encaminhe perguntas para a Presidenta dILma RoUSSeFF: redacao@jornalcapital.jor.br ou redacao.capitalmercado@gmail.com

JOSÉ AUGUSTO DA SILVA CORREIA, 42 anos, funcionário público em Seabra (BA) - Nosso País é feito das classes sociais A, B, C, D e E. Qual delas é a que mais combina com o coração da presidente ou a faz lutar por dias melhores? Presidenta - José Augusto, eu e meu governo trabalhamos em favor de todos os brasileiros, ricos e pobres. Mas temos a obrigação de cuidar prioritariamente dos mais necessitados. Por isso, escolhi como lema de meu governo a frase “País rico é país sem pobreza”. Logo no primeiro ano de meu governo, lançamos o Plano Brasil Sem Miséria, e em dois anos conseguimos tirar 22 milhões de pessoas da miséria. Fizemos isto ampliando o Bolsa Família, criando o Brasil Carinhoso, e garantindo que todas as famílias beneiciárias do programa tenham uma renda mensal de R$ 70 por pessoa. Temos trabalhado para garantir o acesso dessas pessoas à educação de qualidade, à formação proissional, ao Minha Casa Minha Vida, ao Bolsa Verde, à Tarifa Social de Energia Elétrica, à aposentadoria, entre outros direitos. E não descuidamos, em nenhum momento, do compromisso com a continuidade do crescimento do Brasil, para continuar gerando empregos e oportunidades para todos. Porque nosso país somente será verdadeiramente desenvolvido se todos os brasileiros e brasileiras, sem exceção, tiverem uma vida cada vez melhor. Mensagem da Presidenta sobre a chamada para a construção de mais 3.288 novas creches Hoje trago duas novidades para a população de nossas cidades: o governo federal está recebendo propostas dos municípios para a construção de mais 3.288 novas creches, que poderão ser feitas com recursos do Tesouro Nacional, usando um projeto fornecido pelo Ministério da Educação (MEC) e seguindo o Regime Diferenciado de Contratações (RDC). Com essas novidades, as novas creches poderão icar prontas em até sete meses, e com custo menor. É mais um passo que estamos dando para construir 6 mil creches até 2014. Queremos que toda criança tenha a oportunidade de receber os cuidados e os estímulos pedagógicos necessários à sua formação, especialmente as crianças das famílias mais pobres. E as creches são essenciais para atingirmos esse objetivo. Mais Creches - Desde o início do governo, em 2011, nós temos 3.180 creches em obras ou já concluídas. Desse total, 612 estão prontas e 2.568 estão em obras. E já estão contratadas, para serem iniciadas, outras 2.217 creches, o que totaliza 5.397 creches. Com as 3.288 creches que estão incluídas nessa nova chamada pública, poderemos chegar a 8.685 novas creches pagas e entregues entre 2011 e 2014, mais que o nosso compromisso original. As prefeituras têm até o dia 31 de maio para enviar seus projetos ao MEC, indicando o terreno onde a creche deve ser construída e mostrando as necessidades de vagas para sua população. Se o projeto for aprovado, a União repassará o recurso para a construção e ajudará na manutenção da creche até que a prefeitura comece a receber os recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Proissionais da Educação, o Fundeb. E se a creche estiver atendendo crianças beneiciárias do programa Bolsa Família, o governo federal repassará 50% mais recursos por cada um desses alunos, para a manutenção da unidade. Projeto Pronto - Se a prefeitura usar o projeto do MEC, com creches pré-moldadas, terá mais facilidades, principalmente no caso dos municípios que têm diiculdade em fazer projetos próprios. O projeto seguiu exigências do MEC para que essas creches tenham conforto térmico, boa acústica nas salas e durabilidade. O Regime Diferenciado de Contratações pode ser utilizado em obras da área de educação desde outubro de 2012, e já pode beneiciar essas obras. O RDC permite que sejam adotados processos mais ágeis nas licitações e nos contratos para obras de engenharia. Com essas novidades, em média, essas creches icam 20% mais baratas que as convencionais, e podem ser concluídas em menos de um ano. Ainda há um prazo de dois meses para que as prefeituras elaborem seus estudos e enviem seus projetos para o MEC, antes do encerramento das inscrições para a seleção dos projetos. É uma excelente oportunidade a ser aproveitada pelas prefeituras, em benefício das nossas crianças e do nosso futuro.


4

MERCADO & NEGÓCIOS

►02 a 08 de Abril de 2013

Parque Tecnológico do Rio poderá receber até R$ 3 bilhões L

ançado em meados de março deste ano, o Plano Inova Empresa evidencia a necessidade de criação de parques tecnológicos no país, disse o diretor executivo do Parque Tecnológico do Rio-UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro, Maurício Guedes. O plano prevê investimentos de R$ 32,9 bilhões nos próximos dois anos para incentivar o desenvolvimento de pesquisas nos setores industrial, agrícola e de serviços. Ao estruturar um programa para aumentar a capacidade de inovação da economia brasileira, o governo propiciará, indiretamente, a expansão do Parque Tecnológico do Rio, que poderá chegar a atrair investimentos adicionais de R$ 2

bilhões a R$ 3 bilhões nos próximos cinco anos, disse Guedes à Agência Brasil. Segundo ele, o tema "parques tecnológicos" está entrando com força total na agenda nacional. - É importante que o país tenha um programa estruturado para aumentar a capacidade de inovação de sua economia, e o aumento da capacidade de inovação se dá com investimentos, integração com as universidades e formação de mestres e doutores. E o Brasil vem tendo uma evolução importante nestes últimos anos - destacou. Para este ano, o investimento federal em inovação está em torno de R$ 100 milhões em parques tecnológicos. Para ele, ainda é pouco, até porque existem hoje propostas para criação

de mais de 100 parques tecnológicos em todo o país, embora seja um avanço. "A Universidade Federal do Rio de Janeiro faz sua parte, procurando expandir as áreas de atividade. Estamos caminhando para a expansão de nossas fronteiras, negociando a entrada de novas empresas, agregando novas áreas territoriais para esse crescimento.” De acordo com Guedes, o governo do estado está adquirindo uma área de propriedade do Exército, com 240 mil metros quadrados de extensão, na Ilha do Fundão, para atrair novas empresas para o Parque do Rio. Já existem companhias instalando-se na área e construindo centros globais de pesquisa, como a General Electric

Programa vai diminuir falhas em procedimentos de hospitais

O

Ministério da Saúde e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) lançaram nesta segunda-feira (1º) o Programa Nacional de Segurança do Paciente, que tem o objetivo de diminuir "eventos adversos" em pacientes internados, como quedas, administrações incorretas de medicamentos e erros em procedimentos cirúrgicos. Em coletiva à imprensa, a pasta divulgou estudo apontando que 7,6% dos paciente internados passam por esses incidentes e 66% deles são evitáveis. O programa determina a obrigatoriedade da implantação de Núcleos de Segurança do Paciente em todos os hospitais, públicos ou particulares, para aplicar e iscalizar regras sanitárias e protocolos de atendimento que previnam falhas. Segundo o Ministério da Saúde, os

núcleos devem entrar em funcionamento em 120 dias. O programa prevê ainda o estabelecimento de seis protocolos nacionais de prevenção de falhas no atendimento, que ainda vão passar por consulta pública. Eles vão trazer regras sobre higienização das mãos em hospitais, cirurgia segura, prevenção de úlcera por pressão, identiicação de pacientes, prevenção de quedas e prescrição, uso e administração de medicamentos. “É importante que os conceitos sejam consensos nacionais, até para que a cobrança sobre a responsabilidade dos proissionais sejam baseadas nesses consensos. [Os protocolos] vão desde coisas bastante simples como a forma e quantas vezes lavar a mão, a forma de identiicar um medicamento”, explicou o

Ministro da Saúde, Alexandre Padilha. Os hospitais serão obrigados a notiicar mensalmente a Anvisa sobre a ocorrência desses eventos adversos. Caso os hospitais não sigam as normas do programa, podem ser punidos até mesmo com a suspensão do alvará de funcionamento. Para Dirceu Barbano, diretor-presidente da Anvisa, o programa vem reposicionar e reairmar o que deve ser prática no cotidiano dos hospitais. “Achar que todo mundo faz é o primeiro passo para errar. Muitas vezes os protocolos falam o óbvio, mas ele vem chamar atenção para essas coisas do dia a dia que permitem uma troca de medicamento, que permitem que um paciente seja tratado no lugar do outro, que um membro seja operado no lugar do outro” disse Barbano.

(GE). A empresa, que tem pesquisas para indústrias de petróleo e construção de turbinas de aviões, na área médica e em biotecnologia, está aplicando R$ 500 milhões nas obras do centro, a ser inaugurado em março do próximo ano. Considerada uma das maiores empresas de cosméticos do mundo, a L´Oréal também vai se instalar no polo, informa Guedes. Com isso, ressaltou o diretor executivo do Parque Tecnológico do Rio, "chegaremos facilmente aos R$ 2 bilhões, R$ 3 bilhões em investimentos nos próximos quatro a cinco anos. Praticamente, dobraremos ou triplicaremos os investimentos que foram feitos de 2003 até hoje". (Agência Brasil)

Anuncie no Capital,

Mercado & Negócios

Ligue: 21

2671-6611 O Valor da Informação

Conexão Brasília aUReo, deputado Federal (PRtB/RJ), é vice-presidente da Frente Parlamentar em defesa da Vida, contra a Legalização do aborto e integra várias comissões.

N

Comissão Externa para visitar região Serrana

a semana passada, dia 27 de março, fui designado pelo presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves, para fazer parte da Comissão Externa objetivando visitar a região serrana do Rio de Janeiro para averiguar os danos sociais, ambientais e econômicos, decorrentes das enchentes, inundações e desmoronamentos. A Comissão Externa também acompanhará as providências que estão sendo tomadas no sentido de atender às populações afetadas e apresentará relatório até maio. Já escrevi para esta mesma coluna um texto referente à sequência de fatos que para nós é muito conhecida: chega o verão, que traz consigo as chuvas, e os desastres naturais se repetem em todo o Rio de Janeiro. Desmoronamentos, destruições e mortes, tragédias como a que ocorreu no começo do ano no distrito de Xerém, no município de Duque de Caxias e agora, novamente, na região serrana. E isso acontece há décadas e autoridades sempre dizem que irão resolver no ano seguinte. Do ano 2000 a 2011 foram gastos mais de 7 bilhões de reais em ações emergenciais. Mas, para ações preventivas foram gastos menos de 700 milhões de reais: obras de drenagem, contenção de encostas, reconstrução e etc. O Governo sabe quais intervenções precisam ser feitas, basta elaborar uma política de prevenção naqueles lugares. Não tenho dúvidas que todos desejam resolver esses problemas, mas precisamos intensiicar a Fiscalização sobre a utilização dos recursos liberados pela União. Não é possível que com tantos Ministérios envolvidos; pessoal e as três esferas governamentais trabalhando em conjunto, continuamos pecando na prevenção e mostrando para o mundo nossa desorganização e falta de comunicação entre os Governos. A União, através dos Ministérios da Integração e das Cidades, tem total capacidade técnica, e principalmente verbas para articular junto aos Estados e Municípios planos de ações integradas para extinguir esses problemas. Assim, além de protegermos vidas, bens materiais, economizaríamos dinheiro público. Estou focado nos trabalhos dessa Comissão. Eu e meus pares vamos nos concentrar nas investigações para que possamos contribuir com resultados concretos e assim dissipar esses desastres do nosso calendário.


MERCADO & NEGÓCIOS

►02 a 08 de Abril de 2013

5

Maternidade de Xerém poderá ser fechada deinitivamente A

Maternidade Municipal de Xerém, que concentra atendimento à população dos 3º e 4º distritos, devera fechar as portas deinitivamente pela Prefeitura. A informação, que circula entre funcionários e moradores, segundo o vereador Serginho Samuquinha, poderá se concretizar a qualquer momento. “A população não tem mais esperança de ver a maternidade voltar a funcionar, assim como não acredita que a mesma se transforme em um Hospital Geral, como anunciou o candidato Alexandre Cardoso durante a campanha à prefeitura”, disse o vereador, conirmando que há estudos na Secretaria de Saúde no sentido de fechar a maternidade deinitivamente. Serginho integra a comissão de vereadores que inspecionou na manhã desta segunda-feira (1º) aquela unidade. As inspeções tiveram início na semana passada, visitando hospitais e postos. Nesta terça-feira (2), os parlamentares farão visita à Casa da Mãe Caxiense, em Santa Cruz da Serra, Postos de Saúde

Parque Equitativa e Imbariê, e os PSFs. O vereador Marcelo do Seu Dino, que também faz parte da comissão, lembrou que a maternidade não realiza partos desde outubro último, quando foi interditada pela Vigilância Sanitária Estadual. “É uma coisa surreal, uma maternidade que não faz partos. Parece que a reforma é cara e não vemos disposição para realizá-la”, comentou o vereador, ao constatar várias irregularidades, como a falta de água nos bebedouros, equipamentos abandonados ou quebrados e iniltrações, entre outros problemas. O diretor administrativo da unidade, Paulo Roberto, que acompanhou a vistoria, informou que a maternidade efetivamente não tem condições de ser reativada “nas condições em que se encontram as instalações”. Segundo ele, somente depois de uma completa reforma, como exigiu o Estado, poderia voltar a realizar partos. Além de Serginho Samuquinha e Marcelo do Seu Dino, izeram parte da inspeção na Maternidade

de Xerém outros seis vereadores: Cláudio Thomaz, Marcos Tavares, Dr. Maurício, Moa, Osvaldo Lima e Thiago Barreto. Procurada para falar sobre as denúncias, a Secretaria de Saúde, a Assessoria de Imprensa da Prefeitura informou, sobre o funcionamento da Maternidade de Xerém, foi recomendado pela Vigilância Sanitária Estadual a suspensão de partos, internações, e os serviços de hemoterapia. Não existindo, no entanto, proibição do funcionamento dos ambulatórios. Quanto a reforma na unidade, disse que foram feitas adequações na área do ambulatório e laboratório para atender às recomendações da Vigilância do Estado. “Como existe uma maternidade no terceiro distrito, não se justiica o investimento em outra unidade, ainda mais se tratando de unidade alugada, bastante antiga e em não conformidade com a RDC 50”. Em relação as visitas da Comissão de Vereadores, disse que não houve um comunicado prévio mas que eles são acompanhados pelos diretores das unidades.

Marcelo Cunha

A comissão de vereadores vistoriou a maternidade na manhã de ontem (1º)

“O atendimento era uma maravilha” Marcelo Cunha

aria de Fátima Bensdork, de 59 anos, acompanhava as duas ilhas que fazem pré-netal na Maternidade de Xerém durante a visita surpresa da Comissão da Câmara. Ela disse que ainda não tem idéia de onde as mesmas farão os partos. “O atendimento aqui era uma maravilha, sempre atenderam bem e não precisávamos de ir para outro lugar”, lamentou a moradora de Jardim

M

Primavera que ainda se recupera de uma cirurgia intestinal. - Espero que a prefeitura reabra as cirurgias. Isso aqui não pode continuar desse jeito – torceu a doméstica. Ela fez questão de dizer que as bolsas de colostomia que necessita usar até a nova cirurgia, são obtidas apenas no centro do Rio. “Fiz de tudo e não consegui as bolsas em Caxias”, acrescentou.

A moradora Maria de Fátima espera que a maternidade seja reaberta

Muitas reclamações desencadearam as visitas S

egundo a vereadora Fatinha, “uma série de denúncias apresentadas pela população sobre a precariedade e o descaso no atendimento das unidades municipais de

saúde” levou à criação da Comissão da Câmara, que começou seus trabalhos com uma visita surpresa na noite de terça-feira (26), no Hospital Municipal Moacyr do Carmo,

“para constatar as condições dos serviços prestados”, segundo nota por ela distribuída à imprensa. “O Hospital Municipal Moacyr do Carmo, que é o maior centro de referên-

cia médica na cidade, é alvo das principais queixas”. Ali, segundo ela, os vereadores constataram a falta de médicos e medicamentos. “É preciso dar um basta nisso", desabafou a

vereadora. No dia seguinte (27), a Comissão vistoriou o Hospital Municipal Infantil Ismélia da Silveira e informou ter encontrado também uma série de precariedades, como equipa-

mentos sucateados, centro cirúrgico desativado por conta de iniltrações e aparelhos quebrados, extintores vazios e vencidos desde 2009, entre outras irregularidades.

Ignorando decreto, Município prioriza pagamento de clínica que foi do prefeito O

Capital recebeu denúncia informando que a Prefeitura de Duque de Caxias negociou o pagamento de uma dívida com a Segumed Ltda, conveniada com o Sistema Único de Saúde para a realização de hemodiálise, no valor total de R$ 1.677.594,75, quantia esta a ser paga em parcelas ao longo de 2013, medida que, segundo a denúncia, contrariava orientação do prefeito Alexandre Cardoso, que seria proprietário da mesma. Ao tomar conhecimento do fato, O Capital solicitou informações sobre o assunto. A Assessoria de Imprensa da Prefeitura, vinculada à Secretaria de Ações Institucionais e Comunicação, informou que a Procuradoria Geral do Município negou que tivesse lavrado termo de acordo

para o pagamento. Para que pudesse ser veiculada a denúncia, feita sob sigilo imposto pelo autor, Capital solicitou documentos que pudessem comprová-la, o que foi feito alguns dias depois. O Boletim Oicial do Município nº 6008, datado de 4 de janeiro, conirma o privilégio denunciado acima, publicando o Decreto nº 6260, assinado pelo prefeito um dia antes, cujo Art. 4º impõe, no ítem III do parágrafo 1º: “Os débitos superiores a R$ 100.000,00 (Cem mil reais) serão pagos em parcelas em até 8 (oito) parcelas semestrais vencendo a primeira em 2014”. Porém, uma semana depois, a mesma publicação (Boletim Oicial nº 6011), contrariando o decreto, publicou um Extrato

do Termo de Acordo para o Pagamento da Dívida, assinado pelo procurador geral do município, André Marques, que assumiu o cargo em 1º de janeiro último. Foi veriicado na publicação que os valores coincidem com os números encaminhados à nossa redação. E mais: esclarece que o pagamento seria feito “em 10 parcelas iguais e consecutivas no valor de R$ 167.759,47”, sendo a primeira ”imediata e as posteriores após 30 dias do pagamento da primeira”. A resposta da Assessoria de Imprensa encaminhada por email ao Capital no dia 25 de março, informou também que “vale destacar que a clínica Segumed não pertence mais ao prefeito Alexandre Cardoso desde dezembro de 2012”.


6

MERCADO & NEGÓCIOS

Atualidade Prêmio Gestão Escolar recebe inscrição até 31 de maio

A

té o dia 31 de maio, as escolas públicas estaduais e municipais da Educação Básica de todo o país já podem se inscrever na 14° edição do Prêmio Gestão Escolar (PGE). O objetivo da premiação é estimular o uso de boas práticas nos colégios e incentivar a melhoria da gestão escolar, buscando sempre o desenvolvimento educacional e a integração da comunidade. Os diretores deverão consultar

o regulamento no site www.premiogestaoescolar.com.br e efetuar o cadastro. O Prêmio é realizado pelo Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed) e neste ano tem inúmeros parceiros. Para participar, é preciso que a direção escolar faça um processo de autoavaliação, nos termos do regulamento. Os participantes serão avaliados em quatro dimensões de gestão: pedagógica, participativa, de pessoas e liderança e de infraestrutura.

País Baixada: Manifestação lembra vítimas de chacina

A

dor de perder um ilho assassinado não passa, mesmo depois de anos. Esse é o sentimento de parentes de vítimas da Chacina da Baixada, ocorrida em 2005 e que completou oito anos dia 31. Na ocasião, um grupo de policiais militares saiu matando indiscriminadamente moradores inocentes dos municípios de Nova Iguaçu e de Queimados, na Baixada Fluminense, deixando um rastro de 29 mortes. Para marcar

a data, um grupo de mães e parentes realizou uma caminhada, que começou na Rodovia Presidente Dutra e passou pela rua Gama, em Nova Iguaçu, principal palco da tragédia. - Queremos que pare o extermínio de jovens que acontece na Baixada Fluminense. Temos o exemplo do que aconteceu na Chatuba [em setembro de 2012, quando traicantes mataram oito jovens inocentes] e outros meninos que morrem aqui, não em grupo, mas a varejo.

Parceria gera 1.400 vagas de qualiicação para jovens do Rio e da Baixada Fluminense

A

Secretaria Estadual do Trabalho irmou uma parceria com o Sest-Serviço Social do Transporte e o Senat-Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte para gerir 1.400 vagas de qualiicação proissional oriundas do Pronatec (Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego) De acordo com a Secretária de Trabalho e Renda,

A

retirada das tropas norte-americanas do Afeganistão, onde há cerca de 68 mil militares estrangeiros, deve custar cerca de US$ 6 bilhões. A estimativa é do general Steven Shapiro, que comanda as tropas dos Estados Unidos. Ele disse que a retirada dos militares é uma “evolução natural da guerra”, mas reconheceu que a operação é de elevada complexidade. Segundo o comandante Shapiro, ainda estão no Afeganistão

mais de 100 mil veículos militares norte-americanos, depois dos 50 mil que foram retirados em 2012. O inal de 2014 é a data estimada para a retirada das tropas estrangeiras e dos equipamentos da Força Internacional de Assistência e Segurança (Isaf) - o braço armado da Organização das Nações Unidas (ONU) no Afeganistão, que é comandado pelos Estados Unidos. De acordo com Shapiro, o custo dessas operações é “constantemente reavaliado”.

Claise Maria, que tomou posse oicialmente no cargo no último dia 15, a parceria já é um relexo do foco na qualiicação proissional que a nova titular pretende imprimir em sua gestão à frente da pasta. As oportunidades oferecidas contemplarão jovens da cidade do Rio de Janeiro e da Baixada Fluminense, que receberão qualiicação na área de transportes e poderão atuar em diversas funções, tais

como Gerência de logística em transportes, Motorista de transporte escolar, Condutor de cargas perigosas e Mecânico de automóveis, entre outras. Além destas oportunidades, parte do curso será especialmente focado na formação de proissionais que irão atuar nos eventos que acontecerão na cidade do Rio de Janeiro. Serão geradas oportunidades de empregos para motoristas de

Divulgação

transportes turísticos, oferecendo os cursos de inglês e espanhol aos futuros proissionais.

Vestibular Cederj recebe pedidos de isenção

A

té 12 de abril, a Fundação Cecierj/Consórcio Cederj recebe inscrições para pedidos de isenção do pagamento da taxa de inscrição no Vestibular Cederj 2013.2 (segundo semestre de 2013)

e para pré-inscrição no Sistema de Cotas. Professores da rede pública que desejarem concorrer à reserva de vagas destinadas à categoria deverão se inscrever no mesmo período.

Para solicitar isenção da taxa de inscrição e/ou fazer pré-inscrição no sistema de cotas, é necessário acessar a página www.cederj.edu.br/ vestibular, entre os dias 25 de março e 12 de abril, preencher

e imprimir o requerimento e, por im, enviá-lo para a Coordenação de Educação a Distância da UFF, à Rua Lara Vilela, 197, São Domingos, Niterói, RJ, CEP 24.210–590.

Manifestação contra o golpe militar pede punição para os responsáveis pelos crimes da ditadura

U

ma manifestação contra o golpe militar de 1964, que completou 49 anos nesta segunda-feira (1º), reuniu um grupo de pessoas na Cinelândia, no centro da capital luminense. Integrantes da União Nacional dos Estudantes (UNE), Juventude Socialista do PSB, Levante Popular da Juventude, do Tortura Nunca Mais e de partidos políticos como o PCdoB, PT e PSTU e da sociedade civil organizada de uma maneira geral pediram punição para os responsáveis pelos crimes cometidos durante a ditadura. Lideranças estudantis, parentes de vítimas e políticos também co-

Internacional Afeganistão: Saída dos EUA custará US$ 6 bilhões

►02 a 08 de Abril de 2013

bravam mais empenho nas investigações que estão sendo conduzidas pela Comissão Nacional da Verdade. A jornalista Hildergard Angel, irmão de Stuart Angel e ilha de Zuzu Angel, vítimas da ditadura, disse que a Cinelândia, local da manifestação, é um marco da luta pela democracia no país. A Cinelândia, durante o regime militar, foi cenário de vários atos de protesto contra os militares. O presidente da UNE, Daniel Iliescu, em seu discurso, disse que a manifestação é “um contraponto aos atos de apoio realizados por aqueles que tentam comemorar o período sombrio da história do país, marcado pela ditadura

militar”. Ele ressaltou que foi em 1º de abril de 1964 que a ditadura incendiou a sede da UNE na Praia do Flamengo”. Iliescu também falou sobre as ideias defendidas pelo deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ) em favor do regime militar instalado no país em 1964. “A gente o conhece e sabe as ideias por ele [Bolsonaro] defendidas. A diferença é que hoje ele pode fazer isso sem ter que pagar com a própria vida. Felizmente, ele representa um pensamento minoritário no Parlamento”, ressaltou. Durante a manifestação desta segunda-feira, a Cinelândia também foi ocupada por um grupo de

pessoas que protestava contra a desocupação do antigo Museu do Índio, que será reformado para receber o Museu Olímpico. Os índios que ocupavam o prédio desde 2006 querem que o antigo museu seja transaformado em um centro cultura indígena. Houve uma confusão entre os integrantes dos dois atos com bate-boca dos dois lados, pois um protesto atrapalhava o outro. Os ânimos exaltados, no entanto, foram serenados pelos próprios participantes das duas manifestações. (Agência Brasil)

Coreia do Norte nomeia novo ministro de Segurança em meio a ameaças nucleares

E

m meio às ameaças de revides nucleares, que podem atingir os países vizinhos e chegar aos Estados Unidos, o governo da Coreia do Norte nomeou o novo ministro de Segurança, Choi Bu-il, que é considerado homem de coniança do presidente Kim Jong-un. A escolha ocorreu em fevereiro, mas apenas nesta segunda-feira (1º) houve o anúncio. A Coreia do Norte é considerada um dos países mais isolados do mundo. Choi Bu-il substitui o general Ri Myong-su. “A nomeação faz parte dos atuais esforços de Kim [Jong-un] de consolidar o seu poder ao designar pessoas de con-

iança para lugares-chave e substituir aqueles que serviram ao seu pai”, avaliou a agência oicial da Coreia do Sul, Yonhap. O novo ministro, de 69 anos, é oicial militar de carreira, graduado pela Universidade Kim Il-sung. Foi vice-chefe do Estado-Maior do Exército Popular norte-coreano. É general desde setembro de 2010, quando o regime Kim Jong-un assumiu o poder em substituição ao do pai, Kim Jong-il, que havia morrido. O anúncio do nome do novo ministro ocorre no mesmo dia em que o Parlamento promove uma reunião que discutirá uma série de decisões políti-

cas. Ontem (31), houve sessão plenária do Partido dos Trabalhadores, na qual Kim Jong-un conirmou a estratégia política baseada no progresso da economia e no desenvolvimento de armas nucleares. Do lado da Coreia do Sul, a presidenta sul-coreana, Park Geun-hye, disse hoje (1º) que pretende reagir às ameaças do país vizinho e que leva "muito a sério" as indicações do norte-coreano Kim Jong-un. "Se houver alguma provocação contra a Coreia do Sul e seu povo, deve haver uma resposta forte na forma de um combate, sem qualquer consideração política". Em meio à crescente

tensão na Península Coreana, o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, prometeu fortalecer o programa nuclear do país. O norte-coreano anunciou a intenção de desenvolver um reator de água leve, como parte de uma indústria de energia nuclear autossuiciente, para atenuar a escassez de eletricidade. Segundo Kim Jong-un, o desenvolvimento de tecnologia espacial será acelerado, com a previsão de lançamentos de satélites mais avançados. (Com informações da BBC Brasil e da agência pública de notícias de Portugal, Lusa)


MERCADO & NEGÓCIOS

►02 a 08 de Abril de 2013

7

Indústria da construção completa dez meses de desaquecimento A

indústria da construção manteve em fevereiro atividade abaixo do usual e completou dez meses consecutivos em desaquecimento. De acordo com a Sondagem Indústria da Construção, divulgada no dia 28 pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), o índice de atividade em relação ao usual icou em 46,2 pontos em fevereiro, considerado estável em relação ao de janeiro, que foi 46,4 pontos. O índice vai de 0 a 100 e, abaixo de 50, indica atividade desaquecida. A pesquisa mostra que a atividade icou abaixo do normal em empresas de todos os portes, mas foi mais acentuado nas pequenas empresas, que registraram índice de 40,9 pontos. Nas maiores, o índice icou em 48,9 pontos. Apesar do índice do número de empregados ter aumentado de 45,8 pontos em janeiro para 46,8 pontos em fevereiro, ele ainda relete queda no emprego,

Banco de Imagens

situando abaixo de 50 pontos. A utilização da capacidade de operação subiu de 68% para 70%, mas está abaixo da registrada em fevereiro de 2012, quando registrou 71%. Embora o desempenho seja considerado fraco, o estudo mostra que os empresários esperam crescimento para os próximos seis meses. O índice de expectativa sobre o nível de atividade icou em 59,2 pontos e o de novos empreendimentos e serviços, em 59 pontos, ambos estáveis em relação ao mês anterior. Os empresários também demonstraram expectativa em aumentar compras de insumos e matéria-prima e a contratação de empregados. A intenção foi reletida nos índices: 58,1 pontos, para as compras, e 58,5 pontos, para as contratações. A pesquisa foi feita entre 1º e 13 de março em 439 empresas, sendo 150 de pequeno porte, 195 médias e 94 grandes.

Fernanda Almeida/SCERJ

O

Servidores da saúde de Caxias querem reposição de perdas que somam 187%

P

roissionais da saúde participaram de uma assembléia na noite da última quarta-feira (27), realizada no Sindiquímica, convocada pelo Sindsprev-Sindicato dos Trabalhadores em Saúde e Previdência Social. São várias as reivindicações do setor, entre elas a melhoria das condições de trabalhos nas unidades, efetivação dos Agentes Comunitários de Saúde e Guardas de Endemias, retorno da alimentação nas unidades ou concessão de tíquete-refeição, instituição do Plano de Cargos e Salários e Remuneração (PCCR), im da privatização do se-

tor com a realização de concurso público ainda no primeiro semestre deste ano e instituição do mês de junho como data base, além de reposição salarial de 187%, extensiva aos demais servidores municipais, entre outras reivindicações. Segundo a diretora regional do Sindsprev em Duque de Caxias, Lenir Claudino de Souza, a Leninha, que é também membro do Conselho Municipal de Saúde, as reivindicações serão entregues ainda esta semana ao prefeito Alexandre Cardoso, através do Secretário de Assuntos Institucionais,

Estado anuncia entrega de obras na antiga Kennedy até setembro

Abdul Haikal, conforme acertado em reunião anterior da categoria com o Secretário de Governo, Luiz Fernando Silva Couto. Leninha disse que os servidores estão com os salários defasados há “pelo menos 20 anos, desde o governo Moacyr do Carmo” e que as perdas chegam a 187%, segundo levantou um estudo encomendado pelo Sindicato. Os servidores municipais também manifestaram grande preocupação com o que chamam de “desmonte” do Instituto de Previdência Municipal (IPMDC). O órgão, segundo eles, suspendeu re-

centemente a assistência médica que era oferecida aos funcionários desde sua criação. “Nos últimos dias fomos informados que o IPMDC está se mudando e não sabemos para onde. A informação que tínhamos é que o imóvel era próprio, porém, as notícias de agora dizem o contrário. Não sabemos ao certo o que está acontecendo”, assinalou a líder sindical, que transmitiu na assembléia a expectativa dos servidores diante do problema. “Não temos mais assistência médica. Agora temos que ir para a ila do SUS e rezar para ser atendido”, lamentou uma servidora.

José Avelar de Melo Curitiba-PR

TEMPO DE SAÚDE.

s transtornos causados por enchentes, quando chove forte, e o caos do trânsito se aproximam do im para quem vive ou trabalha no entorno da Avenida Presidente Kennedy (atual Governador Leonel Brizola), em Duque de Caxias. O Departamento de Estradas de Rodagem (DER), vinculado à Secretaria de Obras, deverá entregar a última etapa das obras de duplicação, drenagem e pavimentação na estrada em setembro deste ano. As intervenções incluem ainda calçamento e urbanização. As obras foram iniciadas em agosto de 2005. Os últimos três dos 15,7 quilômetros de extensão da via estão sendo concluídos e destes 1,7 quilômetro em Gramacho é o mais crítico. Cerca de 70 operários trabalham no trecho que receberá obras de pavimentação e de macrodrenagem. Está sendo construída uma galeria que vai multiplicar por dez a capacidade de

vazão da água de chuva que cai na região. A galeria existente, além de muita antiga, tinha um tubo de apenas 800 milímetros de diâmetro e a nova, que está sendo construída em concreto, mede 3,5 metros de largura por 1,5 metro de altura. - Toda vez que chove muito nessa região é um transtorno para a população. As ruas icam alagadas, a água inunda casas e lojas e muito lixo e lama se acumulam, causando doenças e danos materiais. Com a nova galeria isso vai acabar e, quando chover, as pessoas não terão mais de conviver com esses dramas - airmou o secretário de Obras, Hudson Braga. Também estão sendo duplicados, drenados e pavimentados 800 metros no bairro Centenário e alguns trechos no bairro Pilar, que ainda dependem de algumas desapropriações e da retirada de postes da rede elétrica pela Light.

RJ pode implantar centros de pesquisa em área do Exército

O

Governo do Estado e a Prefeitura do Rio estão negociando com o Exército Brasileiro a aquisição da Ilha de Bom Jesus, com cerca de 200.000 m2. O objetivo é usar o terreno para centros de pesquisa de dez empresas que aguardam na ila para instalação de seus empreendimentos em área próxima ao Parque Tecnológico do Fundão, na Zona Norte do Rio. Os grupos são: BG Brasil, Chemtech/ Siemens, Dow, Braskem, L’Oréal, Nalco, Technip, White Martins e Vallourec/ Mannesmann. A Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e Serviços integra o Conselho Diretor do Parque Tecnológico do Fundão e faz parte da comissão especial responsável pela análise prévia das propostas a serem submetidas ao Conselho Diretor por empresas

e entidades que pretendem se instalar no espaço da universidade. - Em pouco mais de um ano, sete empresas anunciaram a instalação de centros de pesquisa no Parque Tecnológico do Fundão, com o compromisso de investir cerca de R$ 760 milhões nos empreendimentos e empregar 1.420 trabalhadores, como mestres e doutores – explica o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Julio Bueno, referindo-se a Schlumberger – já inaugurado em novembro -, FMC Technologies, Confab/Tenares, Halliburton, Usiminas, Baker Hughes e GE. Como esses empreendimentos são destinados à exploração do pré-sal, o parque está se tornando o único espaço no mundo a reunir tantas instalações com o mesmo objetivo.

SAÚDE NÃO TEM PREÇO OFERECE REMÉDIOS DE GRAÇA E UMA VIDA MELHOR PARA OS BRASILEIROS. O programa Saúde Não Tem Preço do Governo Federal oferece remédios de graça para milhões de brasileiros com hipertensão, diabetes e asma. Ao mesmo tempo em que garante o acesso ao tratamento das doenças, também representa uma economia para esses brasileiros, que podem usar o dinheiro em outras necessidades.

• Mais de 26 mil farmácias credenciadas em todo o Brasil. • Mais de 13 milhões de beneiciados. • Descontos de até 90% em outros itens e medicamentos pelo programa Farmácia Popular. PROCURE UMA FARMÁCIA DA REDE AQUI TEM FARMÁCIA POPULAR E APRESENTE CPF, DOCUMENTO COM FOTO E RECEITA MÉDICA VÁLIDA. MELHORAR SUA VIDA, NOSSO COMPROMISSO.

G.R.B.C IMPÉRIO DO GRAMACHO - 41 anos de Glória Fundado em 09/03/1972 Sede própria: Rua Pedro Lessa nº 110, Gramacho, Duque de Caxias, RJ CEP 25035-800 - Utilidade Pública 1850 - CNPJ 30.227.730/0001-90 CONVOCAÇÃO GERAL O GRBC Império do Gramacho, de acordo com seu estatuto, convoca Srs Fundadores / Srs Beneméritos / Srs Contribuintes para eleição presidencial, triênio 2013/2016. A mesma será realizada no próximo dia 1º de maio, das 10:00 às 16:00 hs, em sua quadra de ensaios. EMÍLIO REIS DA SILVA ROMUALDO Presidente Administrativo em Exercício


8

MERCADO & NEGÓCIOS

►02 a 08 de Abril de 2013

RJ destaca-se como o segundo maior produtor de lores do Brasil O

Rio de Janeiro já desponta como segundo maior polo de produção e consumo de lores no país, atrás apenas de São Paulo. De acordo com o último levantamento do Ibralor (Instituto Brasileiro de Floricultura), com o peril do segmento em todos os estados do Brasil, os números do Rio de Janeiro demonstram o incremento e a proissionalização da loricultura no estado. Segundo o documento, 683 produtores produzem lores e plantas ornamentais em 950 hectares, com a geração de 17,6 mil empregos na cadeia produtiva. O setor foi responsável pela movimentação de R$ 470 milhões em 2012, valor 63% superior ao dado do ano anterior. Na avaliação da coordenadora do programa Florescer, da Secretaria de Agricultura, Nazaré Dias, este resultado é fruto de todo o investimento que tem sido feito para incentivar e modernizar a atividade, uma das vocações da agricultura luminense. “O crédito para investir concedido pelo Florescer permitiu a modernização da estrutura de produção, aquisição de novas variedades de cultivo e pa-

Nazaré Dias/SCERJ

dronização de embalagens. Além disso, a capacitação constante e o intercâmbio de produtores, com visitas técnicas a unidades de produção em outros estados, também contribuem para essa evolução”, explicou Nazaré. INJEÇÃO - O crescimento da contratação de inanciamentos para custeio e investimento na loricultura no Rio de Janeiro, através do crédito rural do Banco do Brasil, comprova a injeção de recursos no segmento. Em 2012, foram apli-

cados R$ 1,9 milhão em contratos que beneiciaram 70 produtores, registrando acréscimo de 200% em relação a 2011. – A partir dos incentivos com o programa Florescer, demos visibilidade à atividade no estado – airmou o secretário de Agricultura, Christino Áureo, ao destacar que a loricultura exige pequenas áreas e utiliza mão de obra familiar, características da agricultura do Rio de Janeiro. A produção de lores e plantas ornamentais é uma ativida-

de com elevada agregação de valor. A condição de segundo maior mercado consumidor dá ao estado vantagem em relação a outras unidades produtoras no Norte e Nordeste do país, que dependem de mercados exportadores para escoar suas lores. Outro ponto favorável é a diversidade de microclimas, que permite a produção de lores de clima temperado e de clima tropical, em que a produtividade luminense é superior a de outros estados.

Transportes apresenta projetos para 2013/2014

C

om a proximidade de megaeventos na cidade do Rio e as demandas de uma metrópole em expansão, há a necessidade de novas propostas para solucionar os gargalos existentes sobretudo na área de mobilidade e logística.Com foco nestes desaios o Fó-

rum de Desenvolvimento Estratégico do Estado promove nesta terça-feira (2), no Auditório Senador Nelson Carneiro, na Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro, a 2º Reunião da Câmara Setorial de Infraestrutura e Logística, às 10h, com a presença do

subsecretário estadual de Transportes, Delmo Pinho. Na ocasião, serão apresentados os projetos da Secretaria de Transportes para rodovias, ferrovias, portos e aeroportos do estado. "Precisamos saber o que está no radar do estado para os próximos anos e o que está

previsto de melhorias para dar conta dos desaios do crescimento econômico", explica a subdiretora-geral do Fórum, Geiza Rocha. O encontro é aberto ao público. O auditório Senador Nelson Carneiro ica na Rua Dom Manuel, s/nº, 6º andar.

Estudo mostra municípios com desenvolvimento em alta

D

oze cidades do Estado do Rio obtiveram alto índice de desenvolvimento no período entre 2000 e 2010, levando-se em conta estatísticas públicas oiciais, disponibilizadas pelos ministérios do Trabalho, Educação e Saúde. Esse foi o resultado do Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal, apresentado no último dia 27, durante audiência pública da Comissão de Assuntos Municipais e de Desenvolvimento Regional da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), presidida pela deputada Clarissa Garotinho (PR). “Os números do índice da Firjan mostram que os municípios do estado estão avançando. Essa avaliação é muito importante para determinar políticas públicas do estado para aquelas áreas que ainda precisam melhorar seu desenvolvimento. E também fortalecer as regiões que já conseguiram evoluir um pouco”, analisou Clarissa Garotinho. Os 12 municípios do Estado que atingiram o alto desenvolvimento foram Porto Real; Rio das Ostras; Resende; Niterói; Angra dos Reis; Rio de Janeiro; Volta Redonda; Macaé; Itaguaí; Teresópolis; Nova Friburgo; e Barra Mansa. As quatro primeiras cidades desse ranking iguram entre as 100 mais desenvolvidas

do Brasil. Enquanto isso, a capital luminense ocupa a posição de número 123, considerada boa pelos pesquisadores, já que o campo de observação conta com os mais de cinco mil municípios existentes no país. Na comparação nacional, o Rio de Janeiro ocupa a quarta posição entre os estados do Brasil, perdendo para São Paulo, Paraná e Santa Catarina. De acordo com a apresentação do Gerente de Estudos Econômicos da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), Guilherme Mercês, existem três eixos no estado que se destacam: a Capital; a Região Sul, pelas indústrias siderúrgicas, automotivas e navais; e a Região Norte, através das atividades do petróleo. “As disparidades socioeconômicas no Brasil são muito grandes e dentro do mesmo estado também não são diferentes. É por isso que podemos ver esses resultados, que apresentam municípios muito elevados e municípios com baixo desenvolvimento, como é o caso de Trajano de Morais, que icou na última colocação do ranking”, comentou Mercês, antes de destacar que “a maioria dos municípios do Rio de Janeiro (99%) obtiveram crescimentos moderado ou alto”.


Edição nº 152