Issuu on Google+

Indicadores / Câmbio

Atualidade

Compra

“Operação Lei Seca” é tema de livro lançado no Rio

Dolar Comercial Dólar turismo ibovespa

2,023 2,010

Venda % 2,024 2,130 58.700,30

0,17 1,91 0,38

►PÁGINA 2

Fechamento: 22 de oUtUBRo de 2012

Ano 4 ● nº 131 www.jornalcapital.jor.br

MERCADO & NEGÓCIOS R$1

Capital EMpRESa JORNalÍStiCa ltDa ● ►23 A 29 DE OUTUBRO DE 2012

Novas montadoras

Elza Fiúza-ABr

A

competitividade no setor automobilístico será ampliada com a chegada de cinco ou seis novas montadoras ao país nos próximos três anos, através do Programa de Incentivo à Inovação Tecnológica e Adensamento da Cadeia Produtiva de Veículos Automotores (Inovar-Auto). A informação é do o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel. ►PÁGINA 3

Geração de energia eólica poderá dobrar Banco de Imagens

A

avaliação é do presidente da Empresa de Pesquisa Energética, Maurício Tolmasquim. Temos geradores com 100 metros de altura. Com alturas maiores, o vento é melhor, pode ser que esse potencial seja o dobro, 300 mil megawatts, ou seja, o que equivale a geração de 20 [hidrelétricas] Itaipus”, acrescentou Tolmasquim.

Sites 'limpam' nome de devedor Se você tem o nome incluído em "listas negras" e quer ficar limpo sem sair de casa? Isso hoje é possível, graças a sites como o Limpa Nome, da Serasa Experian, e o Acordo Certo, que oferecem, gratuitamente, a orientação necessária para o consumidor que quer se ver livre das dívidas sem a necesidade de andar de um lado para o outro. ►PÁGINA 8

Divulgação

A

inflação medida pelo Índice Geral de Preços-10 (IGP10) foi 0,42% em outubro. A taxa é inferior à registrada em setembro (1,05%), segundo a Fundação Getúlio Vargas (FGV). A queda foi influenciada exclusivamente pelos preços no atacado. A taxa do subíndice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) caiu de 1,4% em setembro para 0,4% em outubro. O destaque foi o preço dos alimentos in natura, que apresentou deflação (queda de preços) de 1,92% em outubro.

Dívidas levam Passaredo a pedir recuperação judicial Banco de Imagens

egundo a companhia, um plano de pagamento será apresentado aos credores nos próximos 60 dias para mostrar como a empresa pretende equacionar as dívidas, garantindo empregos e atender aos credores. ►PÁGINA 7

S

Uma mulher a caminho da presidência da OAB-RJ O

IGP-10 tem queda

s160 mil advogados no Estado vão escolher o novo presidente da OAB-RJ em novembro. Carmen Fontenelle (foto), que já foi vice-presidente da entidade por duas vezes, é candidata de oposição e conquista a cada dia mais apoios da categoria ►PÁGINA 5

Horário de verão vai evitar gastos com construção de usinas térmicas

O

horário de verão poderá evitar gastos estimados em R$ 3 bilhões na construção de novas usinas térmicas a gás, que

seriam necessárias para garantir a segurança do suprimento de energia no horário de pico, se não houvesse a medida. ►PÁGINA 2

Centurion Cargo multada em R$ 2,8 milhões

►PÁGINA 3


2

MERCADO & NEGÓCIOS

►23 a 29 de Outubro de 2012

Horário de verão vai evitar gastos com construção de usinas térmicas O

horário de verão, que começou domingo (21), poderá evitar gastos estimados em R$ 3 bilhões na construção de novas usinas térmicas a gás, que seriam necessárias para garantir a segurança do suprimento de energia no horário de pico, se não houvesse a medida. “Se não houvesse redução da demanda, o país teria que instalar usinas para atender às necessidades. Então, não instalando usinas, os investimentos deixam de ser feitos”, disse o secretário de Energia Elétrica do Ministério de Minas e Energia, Ildo Grüdtner. Segundo ele, a mudança de horário proporciona um ganho considerável para a segurança do sistema elé-

trico brasileiro. “Menor demanda implica maior segurança para o sistema, que não ica tão 'estressado'. Há também maior lexibilidade operativa para

liberar instalações para manutenção e redução da geração de energia térmica para atender a esse consumo”, explicou o secretário. De acordo com expecBanco de Imagens

tativas do governo, com a adoção do horário de verão, será evitado um gasto de R$ 280 milhões com o acionamento de usinas térmicas neste ano para suprir a demanda no horário de pico. Segundo Grüdtner, a redução da demanda de energia no horário de pico neste ano deve ser de cerca de 4,5%, o que representa 2,2 mil megawatts. A redução total de consumo deverá ser de 0,5%. O horário de verão é adotado em todos os estados das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste. Neste ano, o estado do Tocantins adotou o horário de verão pela primeira vez. A Bahia, que aderiu ao sistema no ano passado, icou de fora.

Nova linha de crédito atenderá pequeno empresário com projetos para a Copa

O

Banco do Brasil lançou linha de crédito especíica para micro, pequenas e médias empresas que apresentem projetos relacionados à Copa das Confederações de 2013 e à Copa do Mundo de 2014. O dinheiro para o empréstimo sairá do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT). Os juros serão abaixo dos praticados no mercado em função do uso da Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP) acrescida de 4,5% ao ano. A nova linha de crédito, chamada FAT Turismo, permite tomar emprestados até R$ 2 milhões. Foram reservados R$ 500 milhões para atender aos empresários, mas o volume pode ser ampliado. Se for usar o dinheiro para investir, o empresário poderá parcelar o pagamento em até 84 vezes; capital de giro, em até 36 vezes. As operações

permitem um prazo para início do pagamento do empréstimo. Para investimentos, a carência é de até 24 meses e para capital de giro 12 meses. O acesso ao inanciamento exige que a empresa tenha faturamento bruto anual de até R$ 25 milhões. A relação de itens inanciáveis inclui capacitação de funcionários, compra de máquinas e equipamentos, aquisição de veículos e embarcações, desenvolvimento de sites, ampliação e reforma de espaços e licenças e royalties para utilização de logomarcas, entre outros. De acordo com Adilson Anísio, diretor de Micro e Pequenas Empresas do Banco do Brasil, o crédito deve beneiciar principalmente os empresários da área de comércio e serviços. “Um total de 87% das micro e pequenas empresas estão focadas nisso”, disse.

Banco de Imagens

Ponto de Observação Governo estuda renegociar dívidas com o INSS alberto marques

O

governo federal poderá repactuar as dívidas dos estados e municípios com o Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS). As conversas estão sob a condução do senador Romero Jucá (PMDB-RR), que justiica a necessidade de renegociar essas dívidas devido à desoneração iscal promovida pelo Executivo, como a redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para automóveis e a desaceleração da economia. O parlamentar disse que o assunto já foi conversado com autoridades do Ministério da Fazenda e com o vice-presidente, Michel Temer. Jucá acrescentou que a presidenta Dilma Rousseff também “foi sensível a essa questão”. Com o Ministério da Fazenda, segundo ele,

o tema está sob avaliação com o secretário executivo Nelson Barbosa. O senador ressaltou que a Receita Federal também estuda fórmulas sobre a questão. Com a queda nas arrecadações do Fundo de Participação dos Estados (FPE) e do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) decorrentes de perdas de receita e desonerações iscais, os valores das parcelas das dívidas dos estados e municípios com o INSS cresceram. “Esses parcelamentos, que representavam de 7% a 10% [da arrecadação], passam agora a representar até 30%, mas estão sendo bloqueados na boca do caixa do FPM e isso está inviabilizando diversos governos, principalmente os municípios”, justiicou Jucá. Essa crise inanceira de Estados e Municípios tem dois lados, igualmente relegados a um segundo plano. Por um lado, a queda de arrecadação, com o PIB atual em torno de pouco

mais de 1º. Por ouro lado, ao invés de reduzir a sua própria receita, através da redução ou eliminação de contribuições diversas, como a CIDE, o Ministério da Fazenda, de olho da repercussão na mídia [principal portavoz das chamadas classes produtoras], preferiu abrir mão do IPI, um dos principais contribuintes para os Fundos de Participação de Estados e Municípios. A opção por distribuir o peixe, o invés de ensinar o cidadão a pescar (redução do Imposto de Renda das pessoas físicas, por exemplo). O fato de 2012 ser um ano de eleições municipais , quando se começa a montar os palanques para as eleições gerais de 2014, levou o Governo a afrouxar a sua política iscal, aumentando o tento de endividamento de estados e municípios, socorrendo os candidatos à reeleição sem considerar, preliminarmente, os efeitos perniciosos de

tanta condescendência. Além do mais, o Brasil é o país que mais concede perdão aos maus pagadores, onde o próprio Estado entra como principal fator de desestabilização, como se veriica com a a”guerra dos precatórios”, que levou os Tribunais de Justiça a assumirem o papel de guardião do crédito de milhões de brasileiros, credores de Estados e Municípios em processos que, individualmente, são de pouca monta, mas tem peso importante na vida dos credores, quando o cidadão comum descobre que o melhor negócio é não pagar seus impostos. No inal das contas, sempre aparece um governante bonzinho que, numa penada, acaba não só com os juros, mas até com essas dívidas. E a “turma da cana” é um bom exemplo da “indústria da sonegação” em nosso País.

Cambio

(*) Fechamento: 22 de oUtUBRo de 2012

Moeda

Compra (R$)

Dolar Comercial

2,023

Venda (R$)

2,010

Dólar turismo

Compra (U$)

Moeda

Variação %

2,024

0,17

2,130 Venda (U$)

1,91 Variação %

Coroa Dinamarca

5,707

5,708

0,32

Dólar austrália

1,031

1,032

0,00

Dólar Canadá

0,992

0,992

0,07

Euro

1,306

1,306

0,33

Franco Suíça

0,926

0,926

0,18

79,940

79,970

0,79

1,601

1,601

0,04

476,490

477,390

0,49

1.807,900

1.809,200

0,55

iene Japão libra Esterlina inglaterra peso Chile peso Colômbia

4,715

4,755

0,00

12,850

12,865

0,17

19,650

49,850

0,50

peso livre argentina peso México Peso Uruguai Bolsa

Valor

Variação %

ibovespa

58.700,30

0,38

IBX

21.033,58

0,45

Dow Jones

13.345,89

0,02

3.016,96

0,38

2.457,16

1,20

Nasdaq Merval Commodities Unidade Petróleo - Brent

Compra US$

barril

Venda US$

Variação %

110,360

110,380

2,02

Ouro

onça troy

1.728,840

1.730,060

0,00

prata

onça troy

32,390

32,430

0,00

platina

onça troy

1.604,500

1.614,500

0,00

paládio

onça troy

621,000

626,000

0,00

poupança

23,10

0,500

tR

22/10

0,000

indicadores

Juros Selic meta

7,25

ao ano

R$ 622,00

Salário Mínimo (Federal)

MERCADO & NEGÓCIOS Na internet:

www.jornalcapital.jor.br Filiado À ADJORI - Associação de Jornais do Interior Capital Empresa Jornalística Ltda CNPJ 11.244.751/0001-70 Av. Governador Leonel Brizola (antiga Presidente Kennedy), 1995 - Sala 804 Edifício Sul América - Centro, CEP 25.020-002 - Duque de Caxias, Rio de Janeiro Telefax: (21) 2671-6611 Endereços eletrônicos: comercial@jornalcapital.jor.br comercial.capitalmercado@gmail.com contato@jornalcapital.jor.br contato.capitalmercado@gmail.com redacao@jornalcapital.jor.br redacao.capitalmercado@gmail.com TIRAGEM: 10.000 exemplares (assine o Capital: 21 2671-6611) IMPRESSÃO: ARETÉ EDITORIAL S/A CNPJ 00.355.188/0001-90 Departamento Comercial: (21) 2671-6611 / 8400-0441 / 7854-7256 ID 8*21653 Diretor Geral: Marcelo Cunha Diretor de Redação: Josué Cardoso (josuejornalista@gmail.com) Colaboradores: Alberto Marques, Arthur Salomão, Carlos Erbs, Dilma Rousseff, Geiza Rocha, Moreira Franco, Priscilla Ricarte,Roberto Daiub e Rodrigo de Castro. Os artigos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores.


MERCADO & NEGÓCIOS

►23 a 29 de Outubro de 2012

3

Brasil terá pelo menos cinco novas montadoras de automóveis

Conversa com a Presidenta

O

encaminhe perguntas para a Presidenta dILma RoUSSeFF: redacao@jornalcapital.jor.br ou redacao.capitalmercado@gmail.com

Programa de Incentivo à Inovação Tecnológica e Adensamento da Cadeia Produtiva de Veículos Automotores (Inovar-Auto) ajudará o Brasil a ampliar as exportações, em especial para mercados que prezam por tecnologia de ponta. Além disso, vai melhorar a qualidade e diminuir o preço dos veículos produzidos para o mercado interno. De acordo com o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel, a competitividade no setor será ampliada com a chegada de cinco ou seis novas montadoras ao país nos próximos três anos. O Inovar-Auto é um estímulo do governo à pesquisa, tecnologia e inovação no setor

automotivo por meio de incentivos às montadoras que investirem em inovação tecnológica. Contempla empresas que produzem ou comercializam veículos no país, além daquelas que tiverem projeto de investimento no Brasil. “A [montadora alemã] BMW vai anunciar a construção, no Brasil, de sua primeira fábrica fora do continente europeu. Semana que vem, o presidente mundial da empresa virá ao país para fazer o anúncio”, informou Pimentel após participar do programa de rádio “Bom Dia, Ministro”, produzido pela Secretaria de Comunicação da Presidência da República em parceria com a EBC Serviços. Pimentel disse que a

Elza Fiúza-ABr

BMW protocolou o pedido de adesão ao novo regime automotivo. “Depois, a habilitação será coisa rápida”. Pimentel disse que a montadora japonesa Nissan foi a primeira empresa a ser habilitada sob o novo regime automotivo. As empresas que se habilitarem devem se compro-

meter com redução de até 12,08% no combustível consumido pelos veículos comercializados a partir de 2017. Quem atingir a meta passa a ter como benefício adicional o abatimento de 1 ponto percentual no IPI. Quem superar a meta, recebe desconto de 2 pontos percentuais.

Anac multa Centurion Cargo em R$ 2,8 milhões

U

ma semana após o caos causado por um cargueiro da companhia estrangeira Centurion quebrado no meio da pista de Viracopos, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) decidiu autuar a empresa em R$ 2,8 milhões. Em nota, o órgão regulador citou artigo do Código Brasileiro de Aeronáutica (CBA) que prevê multa em casos de trans-

tornos causados à ordem pública. Além disso, a Secretaria de Aviação Civil (SAC), que coordena os órgãos do setor, informou que a Advocacia-Geral da União (AGU) e a Infraero vão entrar com ação de indenização contra a empresa. A estimativa do governo é que o fechamento do terminal, o segundo mais importante em movimentação de cargas, gerou um

prejuízo de R$ 3 milhões. As companhias aéreas alegam, por sua vez, que tiveram prejuízo de R$ 20 milhões com despesas de prestação de assistência aos passageiros. Com a interdição do aeroporto entre as 19h55m de sábado e 16h20m de segunda-feira - 512 voos foram cancelados, o que prejudicou 27 mil passageiros, principalmente da Azul.

O aeroporto só voltou a funcionar às 17h35m de segunda-feira. Em nota, a SAC alegou que o fechamento da pista ocorreu por questões de segurança. Informou ainda que o governo fará uma análise da situação de todos os aeroportos, bem como dos planos de emergência de cada um para evitar que o problema se repita.

Direito Empresarial (*)aRthUR SaLomÃo É eSPecIaLISta em dIReIto emPReSaRIaL e RecUPeRaÇÃo JUdIcIaL.

Estado confirma desapropriação de área da refinaria de Manguinhos arthur Salomão*

O

governo do estado do Rio de Janeiro conirmou que vai desapropriar toda a área ocupada atualmente pela Reinaria de Petróleos de Manguinhos. Em nota divulgada nesta segunda-feira (22), o Estado rechaça a possibilidade de negociação do ICMS devido pela empresa. "A Reinaria de Manguinhos deve pagar como pagam milhares de empresários no Estado", diz o texto. A desapropriação da área foi determinada em decreto publicado no último dia 16 como parte da recuperação econômica da área, após a ocupação das favelas de Manguinhos e Jacarezinho. A inten��ão do governo é uti-

lizar a área para construir um bairro planejado e um projeto habitacional para a população de baixa renda. Nesta segunda-feira, o presidente da Reinaria de Manguinhos, Paulo Henrique Menezes, conirmou a intenção de apresentar ao governo estadual uma proposta para tentar evitar a desapropriação total do terreno de cerca de 500 mil metros quadrados, no qual empresa mantém operações de reino e estocagem de combustíveis. A empresa propõe ceder uma área de 100 mil metros quadrados, equivalente a 20% do terreno, e avaliada pela Manguinhos em cerca de R$ 350 milhões, de forma que possa manter suas operações no local - considerado estratégico para os planos de expansão da capacidade de produção e

estocagem da empresa. Segundo Paulo, a proposta é "inicial" e visa abrir uma negociação com o governo do Rio e evitar uma disputa judicial. "O importante é estudar uma alternativa para manter as operações em andamento e, principalmente, dar segurança para os quase mil funcionários e 7 mil acionistas da empresa", airmou o executivo. O governo do Rio sustenta que Manguinhos há muito tempo não funciona de fato como reinaria, mas sim como distribuidora de combustíveis, e airma que a empresa se utiliza de um grande número de liminares obtidas na Justiça para não pagar impostos, em especial o ICMS. A empresa nega ter dívidas com o governo. Segundo o presidente da Manguinhos, o

que existe é um questionamento sobre um valor de R$ 247 milhões, referentes ao pagamento de impostos através de precatórios (dívidas do poder público determinadas pelo Judiciário). “O que estamos propondo é dar esse terreno como pagamento e contribuição para o projeto de reurbanização da área", acrescenta, destacando que o valor é inferior ao do valor de mercado do terreno de 100 mil metros quadrados. A área oferecida pela empresa é a da frente do terreno, às margens da Avenida Brasil. “É a parte mais nobre e mais valorizada, e nas nossas investigações não detectamos contaminação nessa parte do terreno”, diz Menezes.

Mantenha-se informado também pelo www.jornalcapital.jor.br

Central da Previdência tem horário alterado Conheça o primeiro caminhão elétrico do Brasil + conteúdo no site

ANA CAROLINA LINS, 22 anos, desempregada de São Paulo (SP) - Gostaria de perguntar para a presidenta Dilma se o governo dispõe de algum tipo de serviço para que as pessoas que icarem desempregadas saibam onde há vagas em sua região. Estou desempregada e seria interessante consultar, por exemplo, pela internet, se tem vaga em alguma empresa. Presidenta Dilma - Ana Carolina, nós já temos, desde setembro de 2011, um sistema assim, para que pessoas que estejam desempregadas possam encontrar uma oportunidade de emprego. Trata-se do Portal Mais Emprego, que apresenta pela internet informações de vagas disponíveis na rede do Sistema Nacional de Emprego (Sine) em todo o Brasil. Há mais de 1,2 milhão de empresas cadastradas, que oferecem uma média de 70 mil postos de trabalho por mês. Por intermédio do portal http://maisemprego.mte.gov. br o trabalhador pode cadastrar-se, atualizar suas informações, inclusive suas experiências e pretensões proissionais, e veriicar as vagas de emprego. De janeiro a setembro deste ano, 549.663 trabalhadores já conseguiram emprego por meio do sistema Mais Emprego em todo País. Em 2011, mais de um milhão de pessoas foram atendidas por este sistema. A idéia do governo federal, ao criar o Portal Mais Emprego, foi facilitar a busca de uma nova oportunidade. Mas quem preferir o atendimento pessoal, pode se dirigir à unidade do Sine mais próxima de sua casa. LENIR BOLDRIN, 47 anos, gestor cultural em Sorriso (MT) - Gostaria de saber se, tanto quanto a senhora acredita no im da pobreza e na luta democrática, a senhora desenvolve projetos que possibilitem a democratização da cultura e um melhor uso das leis de incentivo. Presidenta Dilma - Sim, Lenir, ao longo dos últimos anos, temos desenvolvido programas, projetos e ações para democratizar a produção e o usufruto de bens culturais, com respeito à diversidade cultural brasileira. Já contratamos a construção de 360 Praças dos Esportes e da Cultura, em todos os estados brasileiros, inclusive na sua cidade. Essas Praças fazem parte do Programa de Aceleração do Crescimento, o PAC, e integram, em um mesmo espaço físico, ações culturais, esportivas e de lazer, além de qualiicação para o mercado de trabalho, serviços sócio-assistenciais, políticas de prevenção à violência e inclusão digital. Também destaco os 3.703 Pontos de Cultura que já implantamos em todo o Brasil. Em relação à legislação de incentivo, ainda no governo do ex-presidente Lula, encaminhamos ao Congresso Nacional o Projeto de Lei nº 6.722/2010, que revisa a atual Lei Rouanet, com inovações para desconcentrar os recursos e beneiciar mais brasileiros e mais manifestações culturais. Enquanto a nova lei não é aprovada pelo Congresso, estamos aperfeiçoando a gestão da atual Lei Rouanet, implementando o Programa Nacional de Apoio à Cultura, o Pronac, de forma mais democrática. Trabalhamos continuamente, Lenir, para ampliar e democratizar tanto a produção cultural quanto o acesso dos brasileiros à cultura em todo país. ANTONIO SANTOS, 18 anos, estudante de Licínio de Almeida (BA) - Moro na Fazenda Serra do Salto, na comunidade de Riacho Fundo, no município de Licínio de Almeida, na Bahia. Eu queria saber se ainda posso ter a esperança de algum dia chegar energia elétrica na minha casa e na dos meus vizinhos. Presidenta Dilma - Pode sim, Antônio. O programa Luz para Todos já levou energia elétrica a 18 residências da sua comunidade e também chegará à sua família. No seu município, o Programa Luz para Todos já beneiciou 478 famílias, ou quase duas mil pessoas, com investimento de R$ 3,4 milhões. Em todo o estado da Bahia, estamos próximos de atingir a marca de 500 mil famílias beneiciadas com a chegada da luz: até setembro deste ano foram realizadas 494 mil ligações, envolvendo investimento do governo federal superior a R$ 2,2 bilhões. Em todo o Brasil, o Programa Luz para Todos já atendeu quase três milhões de famílias, o que signiica que estamos conseguindo realizar o sonho de universalizar o acesso à luz no Brasil. Ainda temos muitas ligações a fazer, como em sua comunidade, e perseguimos o desaio de levar energia elétrica para as pessoas que moram em lugares de acesso mais difícil e em áreas isoladas. Por isso prorrogamos o Programa até dezembro de 2014.


MERCADO & NEGÓCIOS

►23 a 29 de Outubro de 2012

Deputada Claise Maria defende mais verbas para a FIA em 2013 A

presidente da Comissão que cuida dos assuntos referentes a criança e adolescente na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), deputada Claise Maria (PSD), anunciou, semana passada, um compromisso irmado entre os líderes de todos os partidos com representação na Alerj para apresentar uma emenda conjunta que virá a garantir, na Lei Orçamentária Anual (LOA), mais recursos para a Fundação para a Infância e Adolescência (FIA). A parlamentar acrescentou que as verbas para a entidade, que, em 2011, eram de R$ 45 milhões, diminuíram 30% em 2012. - O deputado Márcio Pacheco, que preside a Comissão da Pessoa com Deiciência, me procurou após receber denúncias de que instituições estão prestes a fechar suas portas e deixar de atender centenas de crianças, adolescentes e portadores de deiciência devido a falta de recursos que antes eram provenientes da FIA. Realizamos uma audiência pública em conjunto e percebemos que a falta de repasses decorre da redução de verbas investidas na Fundação, por parte da Secretaria Estadual de Assistência Social e Direitos Humanos. Assim, iremos elaborar um relató-

Divulgação

4

Bastidores da ALERJ RodRIGo de caStRo é jornalista e pós-graduado em marketing e comunicação empresarial pela Universidade Federal de Juiz de Fora (mG)

P

rio com a Comissão de Orçamento, contendo dados sobre os ajustes que vêm sendo solicitados pela FIA. Faremos tudo o que estiver ao nosso alcance para que esses valores sejam aprovados na Alerj, pois sabemos que vidas podem estar em risco se algumas instituições fecharem por falta de repasse e ao mesmo tempo, o excelente trabalho realizado pela FIA for comprometido por falta de investimentos - alertou. A presidente da FIA, Teresa Cristina Consentino, falou, durante audiência pública, sobre o relexo da redução de verbas repassadas às instituições iliadas. Ao todo, a FIA possui 153 entidades conveniadas, mas, a partir do mês de outubro, 40 instituições não poderão mais

contar com recursos da entidade. “Com isso, cerca de três mil usuários, principalmente crianças e adolescentes, sofrerão com esse corte. Além disso, o suplemento orçamentário de R$ 11 milhões pedido pela instituição ainda não foi pago. Há uma previsão de que essa verba seja liberada em outubro ainda. A suplementação é a pior forma de pagamento, porque acaba chegando só no im do ano. Isso prejudica a administração”, explicou. PRIORIDADE - Presidente da Comissão da Pessoa Portadora de Deiciência da Alerj, o deputado Márcio Pacheco (PSC) reforçou o acordo feito com os líderes de partidos e disse que a emenda parlamentar terá o intuito de priorizar o repasse de recursos para

as instituições que prestam serviços continuados para a FIA. “Essas instituições não podem ter a interrupção dos seus pagamentos e icar na dependência da liberação de cotas orçamentárias. Essa emenda será para que os recursos destinados às crianças e aos adolescentes sejam prioridade na hora de o estado realizar o pagamento”, destacou. Também estiveram presentes no encontro o deputado Zaqueu Teixeira (PT); Luiz Gustavo Martins, representante da Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos; Patrick Ataliba, representante do Conselho Estadual da Juventude; e o presidente da Federação das Apaes do Estado do Rio (Feapaes), Dalton Bastos, dentre outros.

O futuro da política nacional passando por Duque de Caxias

assado o concorrido primeiro turno que marcou uma das eleições mais disputadas da história de Duque de Caxias, um segundo embate mais direto se conirmou, deixando de lado (ao menos por alguns anos) uma das iguras mais emblemáticas da política luminense nas últimas décadas, o Prefeito Zito. Neste embate a se deinir no próximo dia 28 de outubro, estão dois nomes que num primeiro momento poderiam representar (seja lá qual for o vencedor) uma vitória absoluta do governador do Rio, Sérgio Cabral. Ainal, Alexandre Cardoso (PSB) era Secretário de Estado de Ciência e Tecnologia e Washington Reis (PMDB), um iel aliado de Cabral. Mas, a frase do ex-governador de Minas Gerais, Magalhães Pinto, nunca foi e permanecerá tão pertinente: “A política é como uma nuvem. Você olha e ela está de um jeito e depois olha de novo e ela já mudou”. E essa mudança se deu logo no início do processo, com a entrada no cenário caxiense do senador Lindberg Farias (PT), como principal estrela da campanha de Alexandre Cardoso. Lindberg é a única “pedra no sapato” para os planos políticos de Cabral, que sonha eleger Pezão como seu sucessor e alinhar-se como vice na chapa da presidenta Dilma em 2014. O seu principal aliado no projeto e prefeito do Rio, Eduardo Paes, deixou “escapar de propósito” os planos de Cabral e antes disso, mostrou estar comprometido com o projeto que também é de seu interesse. Ainal, caso seja eleito, Pezão só governaria por um mandato e cederia o outro para Eduardo Paes ser o governador, após as Olímpiadas do Rio. Paes entregou de bandeja a vice-prefeitura para um petista, Adilson Pires, para garantir a aliança nacional PT - PMDB. Na última semana, um desencadear de fatos colocou este projeto político em risco. A presidenta Dilma e o maior cacique do PT, o ex-presidente Lula, colocaram panos quentes no mal estar interno do PMDB delagrado por Eduardo Paes, que ao indicar o nome de Cabral para ser o vice de Dilma em 2014, desagradou o atual vice do mesmo partido, Michel Temer. Na pior das hipóteses, deve sobrar um ministério de peso para o atual governador do Rio. Fala-se em Minas e Energia. Aproveitando-se do mal entendido, entrou em cena o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, que é presidente nacional do PSB de Alexandre Cardoso. Segundo palavras do próprio Campos, ganhar a prefeitura de Caxias é uma questão de honra para as pretenções nacionais do partido. Além disso, abriu as portas da legenda para Lindberg ser candidato ao governo do estado, caso o PT mantenha o apoio a Pezão. Apesar de ser aliado do governo Dilma, o PSB foi o partido que mais aumentou seu número de prefeitos em cidades espalhadas por todo o país e vislumbra um plano político que pode transformá-lo no principal partido de oposição no país, roubando o lugar que hoje é do PSDB, que por sua vez mostra-se cada vez mais fragilizado e se agarra a eleição de Serra para a prefeitura de São Paulo como última esperança de sobreviver quanto oposição. Cabral já deu resposta em comício ao lado de Washington Reis, na mesma Duque de Caxias que hoje também passou a ser questão de honra para seu projeto. Disse em alto e bom som que Eduardo Campos é inimigo “número um” do Rio na questão da redistribuição dos royaties do petróleo. Assim, o futuro da política nacional e estadual vai passando aos nossos olhos em Duque de Caxias.


MERCADO & NEGÓCIOS

►23 a 29 de Outubro de 2012

5

Prefeitáveis de Caxias participam Carmen Fontenelle vai concorrer de encontro com empresários à presidência da OAB-RJ

C

andidatos ao 2º turno das eleições para prefeito de Duque de Caxias, Alexandre Cardoso (PSB) e Washington Reis (PMDB) participaram de reunião com o Conselho Empresarial da FIRJAN na manhã do último dia 16, que abordou os desaios no desenvolvimento do município descritos no documento “Visões de Futuro da Baixada Fluminense – Área II”, um prognóstico do desenvolvimento da região nos próximos 5 a 15 anos. O conteúdo do documento foi apresentado por Cristiano Prado, gerente da Área de Competitividade Industrial do Sistema FIRJAN e pelo especialista em competitividade e desenvolvimento, Riley Rodrigues, que falou sobre os potenciais e problemas do município. - A região de Duque de Caxias vai concentrar grande parte dos investimentos do setor petroquímico e gás químico do estado, ativando vários setores da economia do município. Isso vai criar um crescimento populacional muito grande, mais empregos atraindo as pessoas, com isso são criados alguns desaios que tem que ser solucionados para que o crescimento econômico seja equilibrado com o desenvolvimento social. Duque de Caxias tem distritos industriais, mas que precisam ser qualiicadas com serviços de água, saneamento, tecnologia de informação, gás natural, acesso para empresas e trabalhadores”, disse Riley. Os candidatos tiveram uma hora. cada um, para apresentar suas propostas e discutir com os empresários as possíveis soluções para problemas crônicos que interferem no desenvolvimento industrial local, como diiculdade no relacionamento com o

governo, falhas no abastecimento de água, eletricidade, internet, gás natural, problemas na infraestrutura de transporte e habitação a criação, preservação e adequação de distritos industriais. Alexandre Cardoso foi o primeiro a se apresentar e propôs uma integração com as universidades instaladas na região e a criação de um escritório de projetos para pleitear recursos de agências de fomento. “Eu não conheço nenhuma empresa de Duque de Caxias que tenha alguma interação com as universidades daqui. Qual a empresa de Duque de Caxias que nos últimos 10 anos captaram recursos do BNDES ou de instituições de pesquisa? Uma cidade como a nossa tem que ter uma agência de captação de recursos, um escritório de projetos. Precisamos integrar a prefeitura com os cidadãos, empresas, universidades e instituições, como já é feito em Campinas e Curitiba, por exemplo”. Washington Reis, por sua vez, lembrou algumas de suas ações como prefeito e atualmente como deputado federal, ações estas voltados para resolver problemas dos empresários, como a diiculdade no fornecimento de gás e da obtenção de licenças ambientais. “Consegui autonomia no licenciamento ambiental, antes tínhamos que esperar quatro anos

para o licenciamento na FEEMA que era objeto de ódio de qualquer empreendedor. Nós criamos a lei ambiental do município que permitiu 90% dos licenciamentos. A questão do gás é importantíssima para a cidade. Como deputado federal trabalhei no projeto do novo gasoduto da Reduc que vai até a Avenida Brasil passando por Vila Kennedy e vai aumentar a capacidade da CEG em 50%, acabando com a falta de gás”. Elaborado entre julho de 2011 e agosto de 2012, o documento “Visões de Futuro” é o resultado da mobilização de mais de mil empresários, técnicos do Sistema FIRJAN e representantes do poder público e da sociedade organizada para deinir caminhos possíveis, ou prováveis, que o estado do Rio de Janeiro poderá seguir, conforme as particularidades regionais, estabelecendo os principais motores de crescimento, as oportunidades e desaios no horizonte de 5 a 15 anos à frente. Em resposta ás demandas dos empresários os candidatos apresentaram propostas em comum de municipalizar o abastecimento de água, apontado como o principal problema do município, aumentar o número de estações de trem metropolitano, e construir novos acessos e viadutos para a cidade. Firjan / Vinicius Tomaz

A

Subsecretário de Obras do Estado faz palestra na Firjan/Caxias

A

Representação Regional Baixada Fluminense Área II do Sistema FIRJAN promoveu sexta-feira (19), o seu Encontro Empresarial, tendo como

N

o mês de novembro se realizarão eleições para a presidência da Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Rio de Janeiro (OAB/RJ), para o triênio 2013-2016. A eleição mobiliza cerca de 160 mil advogados no Estado, num eleitorado que tende a chegar a 100 mil votantes. Carmen Fontenelle, que já foi vice-presidente da entidade por duas vezes, é candidata da oposição. Aumentar os investimentos em infraestrutura e serviços na Capital e nas subseções da Ordem por todo o Estado e direcionar a OAB/RJ para a advocacia, tornando-a novamente uma instituição representativa, em bases livres e independentes, é o que Carmen pretende realizar, caso seja eleita. Carmen tem como propostas resgatar serviços “destruídos pela atual gestão, como o Disque Prerrogativa 24 horas e a volta dos Centros Médicos CEPROS e o Programa OAB vai à Escola”. A candidata também quer ampliar os

serviços criados pelas gestões das quais participou como vice-presidente e que ainda são utilizados, como os escritórios compartilhados gratuitos para advogados que necessitem e o transporte gratuito que interliga os tribunais do Rio. Pretende também instalar salas privativas aos advogados nos plantões judiciários. Entre os projetos da advogada destaca-se ainda a redução do valor da anuidade da OAB para advogados em início de carreira e a luta por mais agilidade no Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ). - A morosidade da justiça é um problema grave que advogados enfrentam no dia a dia. Compromete a promoção da cidadania e o exercício da proissão. A OAB tem a obrigação de cobrar e colaborar para a promoção de uma justiça mais ágil e eicaz, valorizando o advogado - diz a advogada, que está ganhando apoio signiicativo da categoria. Fontenelle fala da insatisfação da classe

com a atual gestão, “Uma pesquisa realizada pelo instituto GPP em todo o Estado na segunda quinzena de setembro, demonstrou empate técnico com o candidato da situação, e essa é a primeira vez que um candidato de oposição aparece tão bem no início da corrida, eu acredito que essa eleição entrará para a história da OAB”. A candidata tem o apoio de advogados renomados, como Sylvio Capanema, Lauro Shuch, Paulo Lins e Silva, Custódio de Oliveira Neto, Helio Belo, Otávio Gomes, George Tavares e Nilo Batista. Filha de Celso Fontenelle, presidente ícone da OAB-RJ por dois mandatos, e neta de Jorge Dyott Fontenelle, que também ocupou a presidência da Casa, Carmen tem forte atuação no direito de família há mais de 30 anos. Para vice-presidente, Carmen escolheu Fernando Orotavo Neto, advogado militante há 21 anos com especialização em Mercado Financeiro e de Capitais.

Cooperativas poderão ter fundo garantidor de crédito

Divulgação / Firjan

Banco de Imagens

palestrante o Subsecretário de Urbanismo Regional e Metropolitano da Secretaria de Obras do Estado, Vicente de Paula Loureiro. O Subsecretário falou sobre o andamento das obras das vias expressas que vão passar pela região, o Arco Metropolitano e o “Arquinho”, anel viário de Campos Elíseos responsável pela ligação do Polo Gás-Químico com o Arco Metropolitano, e discutiu com os empresários a situação atual e melhorias possíveis para o Distrito Industrial de Capivari, o único a ser cortado pelo Arco Metropolitano, o que vai criar novas oportunidades de investimentos para a região. - A ideia é nos aproximar, realizar atividades em cooperação para melhorar a infraestrutura e acesso

da região, para que possamos consolidar e expandir o distrito, um conjunto de atividades empresariais importantes para Duque de Caxias e todo o estado - disse Loureiro. O Arco Metropolitano terá 145 quilômetros e, na Baixada, passará pelos municípios de Guapimirim, Magé, Duque de Caxias, Nova Iguaçu, Japeri, Seropédica e Itaguaí. Entre os presentes estava o Presidente da Associação das Indústrias do Distrito Industrial do Capivari, Francisco Gomes, que falou sobre as reivindicações das empresas instaladas no distrito. Encerrando o encontro o Subsecretario falou sobre o potencial dos investimentos futuros na Baixada Fluminense.

Organização das Cooperativas Brasileiras espera que o Conselho Monetário Nacional autorize neste mês a criação de um fundo garantidor de crédito. De acordo com o gerente do Ramo Crédito da OCB, Silvio Giusti, atualmente o setor conta com cerca de 1,2 mil cooperativas. Desse total, aproximadamente 550 já têm fundos garantidores. A ideia, discutida com o governo, é estabelecer um padrão e criar um fundo único. “A criação do fundo vai permitir que o cooperativismo tenha mais poder de competitividade”, disse Giusti. O setor bancá-

rio tem o Fundo Garantidor de Créditos (FGC) desde 1995. O FGC é uma entidade privada, sem ins lucrativos, que administra o mecanismo de proteção aos depositantes e investidores em caso de intervenção ou liquidação de instituições inanceiras. A garantia do FGC não abrange depósitos feitos em cooperativas. Segundo Giusti, o fundo das cooperativas, assim como o FGC, deve oferecer garantia até R$ 70 mil de depósitos por CPF (pessoa física) ou CNPJ (empresas), em caso de liquidação. No futuro, acredita o gerente,

o fundo das cooperativas também poderá funcionar como sistema de apoio inanceiro para as entidades do setor com problemas de liquidez (recursos disponíveis). De acordo com dados do Banco Central, os depósitos em cooperativas cresceram 21,2%, ao passar de R$ 38 bilhões, em dezembro de 2011, para R$ 46 bilhões, em junho deste ano. O patrimônio apresentou expansão de 10,6%, ao chegar a R$ 17,6 bilhões, e os empréstimos cresceram 9,9%, icando em R$ 41,6 bilhões em junho deste ano. Banco de Imagens


MERCADO & NEGÓCIOS

Atualidade Pagamento do 13º deve alcançar R$ 130 bilhões

A

soma do décimo terceiro salário dos trabalhadores na ativa, aposentados e pensionistas chegará a R$ 131 bilhões, 10,5% acima do montante pago em 2011 (R$ 118 bilhões). O benefício tem de ser quitado até 20 de dezembro. O valor representa 2,9% do Produto Interno Bruto (PIB), a soma das riquezas geradas no país, e beneicia 80 milhões de pessoas, segundo o cálculo do Departamento Inter-

sindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). Pelas projeções do instituto, 70% do décimo terceiro chegarão às mãos dos trabalhadores no inal do ano. Os 30% restantes referem-se às antecipaçõe-s feitas por meio de acordo coletivo de trabalho e ao valor pago aos beneiciários do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS). Aposentados pensionistas do INSS recebem R$ 26 bilhões. Empregados formais, R$ 93 bilhões.

País Oscar Niemeyer já se alimenta normalmente

É

estável o estado de saúde do arquiteto Oscar Niemeyer, de 104 anos, internado com desidratação, desde o último dia 13 no Hospital Samaritano, em Botafogo. De acordo com o médico Fernando Gjorup, Niemeyer “está lúcido, respira sem a ajuda de aparelhos e se alimenta normalmente”. Esta é a terceira internação de Oscar Niemeyer

no Hospital Samaritano desde o ano passado. Na primeira, em abril de 2011, ele passou 12 dias por causa de uma infecção urinária. Em maio deste ano, icou internado por 16 dias devido a uma pneumonia e uma desidratação. O mais importante arquiteto brasileiro continua em atividade, apesar da idade avançada. Em dezembro próximo ele completará 105 anos de idade.

Internacional Greve geral nas empresas de comunicação de Portugal

Q

uatro dos principais grupos de comunicação de Portugal - veículos públicos e privados - ameaçam entrar em greve, por período indeterminado, devido às medidas de austeridade determinadas pelo governo. As autoridades portuguesas adotaram as medidas na tentativa de conter os efeitos da crise econômica internacional que atingem o país, afetando a economia com aumento

da inlação e do desemprego. O movimento ocorre a menos de um mês de uma paralisação geral que atingirá não só Portugal, como a Grécia e a Espanha. Sindicatos de vários setores proissionais, que atuam na área de comunicação, marcaram para o dia 14 de novembro a data para uma greve ampla em protesto contra as medidas de austeridade adotadas como meio de reagir à pressão econômica.

O

►23 a 29 de Outubro de 2012

6

“Operação Lei Seca” é tema de livro lançado no Rio

passo a passo para entender e respeitar a Operação Lei Seca, que já salvou mais de seis mil vidas em três anos, agora está ao alcance de todos, com o lançamento do livro “Salvando vidas - Drama e esperança nas ruas do Rio de Janeiro”, de Carlos Alberto Lopes, lançado dia 18 no Salão Nobre do Palácio Tiradentes, sede da Alerj. O lançamento é parte das comemorações da Semana Nacional de Trânsito, ocorrida entre 18 e 25 de setembro na Alerj, cujo tema este ano foi “Não exceda a velocidade”. A obra está disponível no mercado. A cerimônia de lançamento contou com uma apresentação do coral do

Detran. Uma das agentes do órgão, Elaine Dutra, foi vítima de acidente de trânsito há nove anos e icou paraplégica depois de uma batida de carro envolvendo um jovem embriagado. “Por isso a campanha é importante. Fiquei dois anos sem ver meu ilho me recuperando do acidente”, lembra. - O objetivo desse trabalho é conscientizar a população. Pelo menos 62 mil pessoas morrem por ano no Brasil vítima de acidente de trânsito. O custo anual com despesas médicas, judiciais, de seguro e previdenciária é de R$ 40 bilhões. É o livro da minha vida”, dise Lopes, que foi coordenador geral da Operação e chefe de Gabinete

da Secretaria Estadual de Governo. Ele, junto com o secretário Wilson Carlos, foram os formuladores do programa. “A operação deixou de ser uma política de governo para ser um programa de estado, um programa da vida”, avaliou o presidente da Alerj, Paulo Melo. Com 300 páginas, o livro revela com dados e resultados detalhados a política pública da chamada “Operação Lei Seca”. A publicação também procura esclarecer dúvidas da população, como por exemplo o teste com o bafômetro. Editado pela Manticore e prefaciado pelo governador Sérgio Cabral, o livro inclui ainda depoimentos de cadeiran-

tes, de secretários do atual governo e de motoristas abordadas nas operações realizadas no Rio. A experiência da Operação Lei Seca já serviu de inspiração para 13 estados brasileiros e dez países. Na foto, o autor (direita) com o Secretário de Governo Wilson Carlos. Divulgação / ALERJ

Governo reconhece, por acordo, responsabilidade por morte de cadete na AMAN em 1990

P

ortaria assinada pela ministra Maria do Rosário, chefe da Secretaria de Direitos Humanos, publicada nesta segunda-feira (22) no Diário Oicial da União, reconhece a responsabilidade do governo brasileiro pela morte do cadete do Exército Márcio Laponte da Silveira em outubro de 1990. O jovem, de 18 anos, participava de curso de formação na Academia Militar das Agulhas Negras, em Resende (RJ), e passou mal durante um treinamento. Ao pedir para descansar, foi humilhado aos gritos pelo comandante do pelotão, recebeu chutes de coturno na cabeça e depois, inconsciente, foi ex-

posto ao sol por três horas. A portaria faz parte de um acordo, mediado pela Comissão Interamericana de Direitos Humanos, entre o governo brasileiro e a família de Lapoente. No texto, o Estado reconhece sua responsabilidade pela violação dos direitos à vida e à segurança do cadete. De acordo com a publicação, o governo se compromete a ampliar o ensino de direitos humanos no currículo de formação militar e a realizar estudo sobre a possibilidade de irmar convênio com o Instituto Interamericano de Direitos Humanos. A ideia é assegurar que a formação dos praças e oiciais das Forças Armadas Brasileiras atenda aos padrões interna-

cionais de proteção aos direitos humanos. Uma placa foi inaugurada no último dia 8 na AMAN em homenagem ao Cadete, um dia antes de sua morte completar 22 anos. Outros 30 cadetes falecidos em atividades de instrução também foram homenageados. Há vinte e dois anos, Sebastião (in memoriam) e Carmem Lúcia, seus pais, lutam sem cessar para fazer cumprir justiça. Inconformados, impetraram ações na justiça criminal para responsabilizar pessoalmente o Comandante, instrutores e médicos que acompanhavam o treinamento na data dos fatos. A família acionou ainda a

Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH/OEA), pedindo a condenação do Estado brasileiro. Decorreu dessa representação um Acordo de Solução Amistosa entre o governo brasileiro e a família, em que reconheceram - através do Ministério da Defesa, da Secretaria Especial de Direitos Humanos da Presidência da República, da Advocacia Geral da União, do Ministério das Relações Exteriores e do Exército brasileiro -, perante a sociedade brasileira, ter havido violações dos direitos humanos perpetrada contra o cadete.

Projeto que aprofunda integração educacional do Mercosul é aprovado na Câmara

A

Câmara aprovou no último dia 17 projeto de decreto legislativo que habilita os ministros da Educação dos países signatários a alterarem o Protocolo de Integração Educativa, principalmente na adequação curricular. A iniciativa é o primeiro passo para acelerar o processo de integração educacional dos países do Mercosul. A decisão foi aprovada pelo Conselho do Mercado Comum do Mercosul e depende agora, para ser ratiicada pelo Brasil, de aprovação no Senado. Além da adequação dos currículos, o protocolo prevê o reconhecimento, pelos países membros, de certiica-

dos, títulos e estudos de níveis fundamental e médio que não seja curso técnico. Na exposição de motivos encaminhada à Presidência da República tratando do acordo e enviada ao Congresso Nacional como parte da Mensagem Presidencial 436/2010, o então ministro interino das Relações Exteriores, Antonio Patriota, informa que as ações de integração educativa no Mercosul “exigem uma adequação permanente das disposições contidas no referido mecanismo”. No mesmo documento, Patriota registra a ocorrência de “aumento signiicativo da mobilidade estudantil no âmbito do Mercosul”, o que exigiu a implantação

do Protocolo de Integração Educativa entre os países que participam do bloco econômico. O Mercosul, como é conhecido o Mercado Comum do Sul, é a união aduaneira (livre comércio intrazona e política comercial comum) de cinco países da América do Sul. Em sua formação original, o bloco era composto por Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai. Em virtude da remoção de Fernando Lugo da presidência do Paraguai, o país foi temporariamente suspenso do bloco, fato esse que tornou possível a adesão da Venezuela como membro pleno do Mercosul a partir do dia 31 de julho de 2012 último, inclusão até então impossí-

vel em razão do veto paraguaio. Em dezembro de 2007, Israel assinou o primeiro Tratado de Livre Comércio (TLC) com o bloco e em agosto de 2010, foi a vez de o Egito assinar também um TLC. As discussões para a constituição de um mercado econômico regional para a América Latina remontam ao tratado que estabeleceu a Associação Latino-Americana de Livre Comércio (ALALC) desde a década de 1960. Esse organismo foi sucedido pela Associação Latino-Americana de Integração (ALADI) na década de 1980.


►23 a 29 de Outubro de 2012

7

“Eu não tenho dúvida de que quem está mais preparado é Alexandre”

Dívidas levam Passaredo a entrar com pedido de recuperação judicial

MERCADO & NEGÓCIOS

E

m entrevista exclusiva ao Capital, o deputado estadual Jorge Moreira Theodoro, o Dica (PSD), o quarto mais votado como prefeito no 1º turno em Duque de Caxias, airmou: "Eu não tenho dúvida de que quem está mais preparado é Alexandre", justiicou Dica. “Como médico que é, é o mais preparado não só para a área da saúde como também na educação. O ministro da saúde é amigo dele, o ministro da educação, o da justiça, o governador, o presidente do tribunal de justiça. Portanto, a cidade terá muitos amigos importantes que poderão ajudar a tirar essa cidade do caos que ela se transformou”, completou. Sobre o ex-prefeito Washington Reis, Dica ressaltou: “Política se faz com compromissos. Ajudamos o Washington a ser prefeito, apoiei sua reeleição mas na verdade as propostas que apresentamos no nosso programa como candidato a prefeito na época não foram implementadas, que foi o investimento nas famílias, na área social. E quando você apóia uma candidatura e os compromissos políticos não são assumi-

Marcelo Cunha

dos, ica muito difícil você acreditar de novo nessa mesma proposta”. Com relação ao governador Sérgio Cabral, Dica disse que o seu apoio ao candidato Alexandre Cardoso (PSB) no 2º turno não vai afetar sua relação com o governador. “Até porque a maioria dos candidatos era aliada a ele, o PSD é a maior bancada da Alerj e apóia o governo Sérgio Cabral. O PSB também é aliado do go-

vernador”. CONTRIBUIÇÃO - Dica frisou que o programa na área social será a maior contribuição do PSD para a população de Duque de Caxias. “O Alexandre, eleito, vai investir muito forte no social, nas famílias. Vamos participar ativamente no governo, integrando as instituições evangélicas e católicas a participarem. Elas não só ajudam a eleger a gente, podem também ajudar a

governar a cidade”. Sobre o 1º turno das eleições, Dica analisou: “Já esperávamos uma eleição muito difícil, ainal nos deparamos com três forças políticas muito consistentes. Nossa candidatura foi, na verdade, uma manifestação de amigos, contanto com o nosso mandato e a nossa atuação parlamentar. A nossa diiculdade maior foi a falta de recursos de campanha, tivemos diiculdade na captação de recursos devido ao não comprometimento do nosso programa de governo com empresas ou com pessoas que queriam se perpetuar em Duque de Caxias. Dissemos não e tivemos diiculdades. Foiisso, basicamente”. O deputado encerrou a entrevista com uma mensagem aos leitores e a população “Agradeço as pessoas que votaram na nossa proposta e digo que o sentimento de mudança ainda tem que prevalecer. A cidade não suporta mais as mesmices. Continuaremos ieis a todos que acreditaram em nossas propostas e no nosso programa de governo. A união com o Alexandre Cardoso foi uma continuidade do nosso plano de governo”, concluiu.

Cabral apóia criação da Cia de Água e BRT em Duque de Caxias O

governador Sergio Cabral, o vice-governador Luiz Fernando Pezão e o prefeito do Rio, Eduardo Paes, manifestaram apoio ao candidato do PMDB à Prefeitura de Duque de Caxias, Washington Reis, durante um grande comício realizado dia 17, na Praça do Relógio. Cerca de 5 mil eleitores marcaram presença no evento para apoiar a candidatura do peemedebista. Washington Reis chamou o palco do comício de “Palanque da União” por mostrar a sua parceria com o governo do estado e o Rio de Janeiro. O governador disse que o Estado é um dos que mais recebe recursos federais e a cidade de Duque de Caxias, com Washington Reis na Prefeitura, contará, sem

dúvidas, com o apoio da presidente Dilma Rousseff. “Todos já sabem da minha parceria de mais de 20 anos com Washington Reis. Já anunciei aqui, nessa mesma praça, a implantação de UPP’s para garantir a segurança da cidade, assim como dei minha palavra que Washington terá total apoio para criar a Companhia Municipal de Água e Esgoto. Além de tudo eu sei que muitas ações conjuntas, como a criação do Bilhete Único Intermunicipal, ajudaram o trabalhador caxiense. Agora eu garanto que também implantaremos o sistema BRT em Caxias. A Dilma está com a gente e com Washington na Prefeitura veremos Caxias voltar a crescer”. Eduardo Paes relembrou que o candidato pe-

Divulgação

A

Passaredo Linhas Aéreas anunciou sexta-feira (19) que entrou com pedido de recuperação judicial com objetivo de viabilizar o pagamento de dívidas. Segundo a companhia, um plano de pagamento será apresentado aos credores nos próximos 60 dias para mostrar como a empresa pretende equacionar as dívidas. De acordo com a companhia, esta medida visa preservar empregos, atender aos credores e manter a "função social" da companhia. A empresa, com sede em Ribeirão Preto e que atua no mercado há cerca de 17 anos, airmou que o pedido não altera seu funcionamento e que os voos programados serão mantidos. O alto preço do combustível, o atendimento das demandas regionais utilizando jatos e "uma concorrência especíica, momentânea e predatória" foram, segundo a Passaredo, alguns dos fatores que levaram a empresa, com base em Ribeirão Preto, Estado de São Paulo, a tomar a decisão. Em maio deste ano, a empresa anunciou a assinatura de contrato acertado no inal de 2011 para compra de aviões turboélice da franco-italiana ATR, com investimento estimado em US$ 450 milhões. O contrato previa a compra de 14 aeronaves ATR 72-600, das quais 10 junto à fabricante franco-italiana e quatro junto à americana

Copom mantém previsão de que gasolina não terá reajuste este ano

O

emedebista sempre brigou pela cidade. Washington Reis disse que o comício o fez relembrar do dia em que o ex-presidente Lula esteve em Caxias. “Nós sabemos que sozinho ninguém vai a lugar nenhum. Eu tenho muito orgulho de promover a união entre as três esferas. É com parceria que os recursos

inanceiros são liberados e as grandes obras, como o Mergulhão, que será reativado em breve, as universidades que já trouxemos e as melhorias no transporte são realizadas. Nós vamos colocar Duque de Caxias para crescer novamente. Vamos fazer dessa cidade uma das maiores do país”, concluiu.

Air Lease Corporation. Havia ainda outros dois turboélices 72-500 comprados da ATR, totalizando pedido de 16 aviões. O contrato ainda prevê que a empresa possui 10 opções de compra de modelos ATR 72-600. Segundo a Passaredo, o investimento em 10 unidades ATR 72-600 e nas opções é de US$ 450 milhões. As entregas estão previstas para até 2015. A Passaredo Linhas Aéreas foi inaugurada 1995 com uma frota de três Embraer Brasília. Operou também aeronaves modelo Airbus A310-300 com um pool de agências de viagem, que foram desativados na crise cambial de 1999, substituídos por modelos ATR-42-300, logo também devolvidos. Em 2002 suspendeu suas operações para retornar em 2004, experimentando uma rápida expansão. A partir de 2009 a empresa deu um salto ainda maior ao incorporar jatos da família Embraer ERJ-145. Após investir cerca de R$ 120 milhões na compra de quatro jatos ERJ-145, em 2010 a empresa adquiriu mais sete aeronaves do mesmo modelo para criar novas rotas. Em novembro do ano passado, foi anunciada a aquisição de 4 aeronaves ATR-72 600. Emprega cerca de 650 colaboradores, dos quais aproximadamente 400 estão em sua cidade natal. Opera vários destinos em todas as regiões do país.

Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) manteve a projeção de que não haverá reajuste no preço da gasolina este ano. O comitê também espera estabilidade no preço do botijão de gás, em 2012. A projeção para a queda no preço da tarifa de telefonia ixa icou em 1,3% ante 1% de retração previsto em agosto. Para o preço da eletricidade, foi mantida a estimativa de alta de 1,4%. A projeção para os preços administrados por contrato e monitorados para o acumulado de 2012 manteve-se em 3,6%. Para o próximo ano, a

estimativa para os preços administrados foi reduzida para 2,4%, ante 4,5%. “Cabe destacar que, em grande parte, o recuo na projeção para 2013 se deve à redução estimada nas tarifas de energia elétrica”, diz o Copom, na ata da última reunião do colegiado, divulgada hoje (18). Este ano, o governo adotou medidas para reduzir os custos da energia, o que deve ter efeito em 2013. Banco de Imagens


8

MERCADO & NEGÓCIOS

►23 a 29 de Outubro de 2012

Pesquisa mostra diferença de preços entre supermercados P

esquisar antes de comprar. Essa é a orientação da Associação de Consumidores ProTeste, que promoveu pesquisa em supermercados de 20 cidades de 14 estados, que respondem por 90% do faturamento de supermercados de todo o país. A pesquisa forma o Guia de Preços de Supermercados, elaborado pela entidade pelo oitavo ano consecutivo. São Paulo foi a cidade onde a associação encontrou a maior diferença entre o supermercado mais barato e o mais caro. Esse levantamento de preços foi feito com base em uma cesta composta por 104 produtos com marcas líderes de venda, encontrados nas categorias mercearia, higiene e limpeza, perecíveis, hortifruti, entre outras. A ProTeste também pesquisou cesta com 90 produtos, com as marcas mais baratas encontradas no estabelecimento. Nesse caso, foram excluídos carne, frutas, verduras e legumes. A pesquisa da ProTeste foi feita com ajuda de empresas juniores. O levantamento atingiu 1.196 pontos de venda, distribuídos entre hipermercados,

do dados da Associação Brasileira de Supermercados (Abras). “E, em virtude de possíveis deslocamentos do consumidor em busca de melhores preços, em alguns estados também pesquisamos, além das capitais, outras cidades em destaque. Foi o caso de Pernambuco, onde visitamos Olinda e Jaboatão dos Guararapes”, informou. A escolha dos estabelecimentos visitados foi feita com base em dados

P

lataformas auxiliam devedor a limpar nome em até cinco minutos por meio da Internet, endividados podem agora recorrer à internet para limpar o nome e negociar pendências inanceiras. Sites como o Limpa Nome (www.serasaconsumidor.com.br), da Serasa Experian, e o Acordo Certo, oferecem, gratuitamente, a orientação necessária para o consumidor que quer se ver livre das dívidas sem sair de casa. Nos sites, os processos levam até seis minutos. Por meio do sistema, é possível acessar a situação atual, propor uma negociação e, por im, gerar boleto digital. Consumidores com serviço de acesso à conta bancária do ranking de faturamento pela internet podem pagar Banco de Imagens do setor de autosserviço disponibilizado pela Abras em 2012. Segundo a ProTeste, nesse ranking estão as 500 maiores empresas do segmento que respondem atualmente por 75% do volume de vendas. “E por alguns mercados com forte presença nas regiões localizadas, retratados pela nossa equipe de pesquisadores, independentemente do seu faturamento anual”, acrescentou. Banco de Imagens

supermercados, hard discount, lojas de conveniência e mercados virtuais, totalizando cerca de 230 mil preços recolhidos e analisados. Segundo a associação, os pesquisadores agiram como consumidores comuns à procura dos menores preços. A ProTeste explicou que a escolha dos locais de abrangência da pesquisa respondem por 90% do faturamento de supermercados de todo o país, segun-

Site "limpa nome" ajuda a negociar as dívidas sem ter de sair de casa

Banco Central decreta intervenção no BVA

O

Banco Central (BC) decretou sexta-feira (19) a intervenção no Banco BVA S.A., com sede na cidade do Rio de Janeiro. Segundo o BC, a intervenção será feita “em decorrência do comprometimento da sua situação econômico-inanceira e do descumprimento de normas que disciplinam a atividade da instituição”. De acordo com

a autoridade monetária, o Banco BVA detém apenas 0,17% dos ativos do sistema inanceiro e 0,24% dos depósitos, com sete agências localizadas nos estados do Rio de Janeiro, de Minas Gerais e São Paulo. O BVA é o quarto banco a sofrer intervenção do BC no ano e o quinto desde 2011. Em 14 de setembro, foram anunciadas a liquidação dos ban-

cos Cruzeiro do Sul e Prosper, em 14 de setembro, que estavam sob administração do BC desde junho. De acordo com agência Reuters, uma fonte da equipe econômica informou que o BVA precisava de um aporte de R$1 bilhão para recompor seu patrimônio, mas controladores da instituição não conseguiram negociar a injeção de

o boleto pela rede. Logo, o processo inteiro é feito em alguns cliques. Para usar o Limpa Nome, do Serasa Experian, o devedor que está na lista vai receber, pelo correio, um código para entrar no sistema. Assim que receber o código, ele deve acessar www.serasaconsumidor.com.br. Na página inicial, clique em ‘Recebeu um aviso da Serasa Experian?Clique aqui’, que está no lado direito do site. Na página, o consumidor propõe a negociação e, em até cinco minutos, imprime ou visualiza um boleto bancário. “Queremos promover um ponto de encontro entre credores e consumidores com dívida em atraso”, destaca Vander Nagata, superintendente de Informações Sobre Consumidores da Serasa. Já no site Acordo Certo, após fazer cadastro, é preciso responder a um questionário para descobrir o motivo da dívida. Em seguida, o site submete a proposta de negociação à empresa. “Depois de pouco mais de cinco minutos, o usuário completa o processo. Dialogamos com a empresa que ele tem dívida e mediamos a relação até tudo ser quitado”, diz o diretor do site, Edgard Melo.

capital. Segundo a fonte, o banco e a equipe econômica do governo tentaram, sem sucesso, uma "solução de mercado" para o BVA. A intervenção foi decretada porque a instituição inanceira possuía "grande problema de subprovisionamento", com ativos com riscos maiores que os valores reservados para cobri-los.

Anuncie!

Ligue: 21 2671-6611


Edição Nº 131