Issuu on Google+

Indicadores / Câmbio

País

Compra Dolar Comercial Dólar Turismo Ibovespa

Médicos paralisam atividades em protesto contra a MP 568

2,055 1,950

Venda % 2,057 2,190 54.001,45

1,63 0,92 0,79

PÁGINA 2 FECHAMENTO: 11 DE JUNHO DE 2012

Ano 4 nº 112 www.jornalcapital.jor.br

MERCADO & NEGÓCIOS CAPITAL EMPRESA JORNALÍSTICA LTDA

R$1

12 a 18 de junho de 2012

Estado apresenta projetos para energia sustentável

Arte Capital

Carlos Magno-SCERJ

Rio+20: Cúpula discutirá empregos e carreiras verdes

O

cronograma dos 35 projetos, que serão desenvolvidos no Estado do Rio para promover a eficiência energética, a inovação tecnológica e a energia verde até 2015, foram apresentados pelo governo do Estado, no Palácio Guanabara, ao comitê estratégico do Programa Rio Capital da Energia. PÁGINA 3

Presidente da ANP quer multas mais altas para vazamento de petróleo

A

diretora-geral da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), Magda Chambriard, defendeu o aumento da multa para acidentes graves com mortes e vazamento de petróleo no mar. Ela conirmou ter encaminhado ao Ministério de Minas Energia uma proposta com elevação das penalidades, que podem chegar a R$ 150 milhões. PÁGINA 4

PSD-Caxias marca convenção para dia 24 PÁGINA 4

Claise Zito pede criação do Poupa Tempo em Caxias

PÁGINA 2

Ministro elogia as obras do Maracanã

Marcelo Horn-SCERJ

m visita às obras do Estádio Jornalista Mario Filho, o Maracanã, o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, elogiou o andamento na implantação dos equipamentos para Copa de 2014 no Rio de Janeiro. Rebelo, que já tinha visitado o estádio em março, destacou o empenho do estado em cumprir o cronograma dos trabalhos. PÁGINA 7

E

PÁGINA 4

Exportação do agronegócio bate recorde Banco de Imagens

O

agronegócio brasileiro conseguiu, em maio, seu melhor resultado em exportações, com vendas de US$ 10,26 bilhões. O valor é 21,2% maior que o resultado de maio do ano passado e supera o recorde anterior, que tinha sido conquistado em agosto de 2011. PÁGINA 8

Balança já registrou déicit de US$ 325 milhões em junho

A

s exportações comerciais brasileiras somaram US$ 5,011 bilhões nos cinco primeiros dias úteis de junho, com retração de 5% em relação ao mesmo período do mês passado, e as importações cresceram 15,9%, tendo alcançado US$ 5,336 bilhões. Com isso, o saldo comercial icou negativo em US$ 325 milhões. PÁGINA 5

Número de falências é o maior desde maio de 2009 PÁGINA 5


2

12 a 18 de Junho de 2012 MERCADO & NEGÓCIOS

Rio+20: Cúpula discutirá empregos e carreiras verdes A

Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH) coordenará a Cúpula Mundial Green Jobs (empregos verdes) da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20, que começa nesta terça-feira (13). O evento é integrado à Agenda Rio+20 e Você e prosseguirá no Planetário da Gávea na quarta (1)4 e quinta-feira (15). Para a realização da Cúpula Mundial Green Jobs, foi irmado memorando de cooperação com o Instituto Humanitare, responsável pela divulgação da agenda da ONU. Serão discutidos no encontro os conceitos de emprego verde e carreira verde, ligados a áreas voltadas para a sustentabilidade do planeta e das pessoas, informou à

Agência Brasil a presidenta da ABRH, Leyla Nascimento. “Não se trata mais de falar da engenharia ambiental, mas da engenharia que não só tem que se preocupar com a especialização do meio ambiente, mas também com que suas atividades não degradem o meio ambiente e tenham consciência em relação a isso”. Esses diferenciais, disse, terão de ser acrescentados a todas as carreiras onde as pessoas passarão a desenvolver a sua proissão com outro olhar, o olhar da economia verde. “O que posso fazer que diminua a interferência que estamos fazendo no planeta, que diminua os riscos que o homem e a humanidade estão trazendo com suas ações?”. A cúpula fará uma discussão sobre

os vários olhares, acrescentou. A preocupação da ONU é que cada país implante a chamada carreira verde, dentro de políticas normatizadas, de um plano de carreiras reconhecido, e que as ocupações sejam renomeadas com esses novos atributos, esclareceu. A diretora da Organização Internacional do Trabalho (OIT) no Brasil, Laís Abramo, falará sobre as ocupações verdes e seus impactos nos trabalhadores e no mercado de trabalho - como a economia verde vai proporcionar melhor ambiente e melhores condições para o trabalhador de maneira geral. A Associação Mundial de Recursos Humanos abordará o cenário internacional relacionado aos empregos verdes. Serão temas de debate também o

novo peril dos executivos e lideranças exigido pela economia verde, a transição para essa nova economia e sua relação com a educação e a qualiicação proissional. “Os currículos precisam receber um redimensionamento e uma mudança em cima disso”, disse Leyla. Ela destacou a necessidade de as lideranças empresariais e governamentais entenderem que ao tratar de economia verde e trazerem isso para si, eles estão contribuindo para o resultado da empresa, mas também do país e do planeta. “Então, não é uma mobilização do governo. É uma mobilização da sociedade”. No caso dos recursos humanos, as transformações que ocorrem nos ambientes corporativos estão nas mãos dos líderes, lembrou.

Ponto de Observação

Coluna do Moreira MOREIRA FRANCO é Ministro Chefe da Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República

Cuidado com os exploradores de sonhos!

É

assustador ler que o tráico de seres humanos igura como a terceira atividade ilegal mais lucrativa do mundo, perdendo apenas para o tráico de armas e drogas. São ações que movimentam bilhões de dólares e atingem mais de 2 milhões de vítimas no mundo. A indignação aumenta quando vemos que, no Brasil, cerca de 60 mil pessoas por ano são atingidas por esse problema. É a exploração cruel e desavergonhada dos sonhos dos pouco, ou nada, afortunados, que cedem às promessas de uma vida melhor e acabam nas mãos de indivíduos sem escrúpulo. No im, vítimas de engano e do abuso de poder, essas pessoas icam à mercê de aliciadores que recrutam homens e mulheres, especialmente jovens, para a prostituição, o trabalho escravo e até para a retirada de seus órgãos. Muitos dos nossos jovens são levados pelo sonho de se tornarem modelos ou jogadores de futebol, acreditando que conseguirão grandes contratos, por exemplo, em categorias de base. Porém, acabam alimentando a indústria do tráico de pessoas, que faz dos adolescentes brasileiros as vítimas principais. O pior é que o problema está virando uma via de mão dupla no país. O Brasil se tornou também receptor de pessoas traicadas, sem contar o tráico interno. O problema é tão preocupante que, ao lado do trabalho de órgãos do Governo, como a Polícia Federal, a Câmara dos Deputados e o Senado instauraram Comissões Parlamentares de Inquérito (CPIs) para investigar o tráico nacional e internacional de pessoas. Eles poderão recomendar, por exemplo, mudanças na lei penal brasileira, assim como sugerir legislação especíica sobre a questão, além do incentivo a programas de amparo aos cidadãos submetidos a esse tipo de exploração. Mas, todos nós, cidadãos brasileiros, também precisamos estar atentos a qualquer indício de tráico de seres humanos. Da mesma forma, precisamos alertar os pais ou responsáveis por jovens que possam representar as vítimas preferenciais desses aliciadores. Ou seja, não vamos vacilar e iquemos atentos para denunciar imediatamente qualquer investida.

Brasil mal na copa e na cozinha Alberto Marques

A

dois anos da Copa do Mundo, mas às vésperas de uma nova Olimpíada, o Brasil não tem uma seleção de futebol que o torcedor possa coniar. Com o amadorismo dos nossos cartolas, estamos exportamos garotos de 14 a 16 anos, que tenham "pinta de craque", enquanto os craques que icam por aqui estão nas mãos de empresários, que alugam esses jogadores para times que possam pagar ou tenham bastante visibilidade para exibilos pela TV ou em vídeos promocionais. Em termos de seleção, os treinadores, embora com cargo ixo na CBF, são manipulados pelos cartolas para promoverem jogosexibições nos quais o que menos interessa é promover o futebol brasileiro e formar uma Seleção digna de vestir a camisa "Canarinho", manto sagrado que já vestiu verdadeiros craques, como Garrincha, Didi, Zito, Sócrates, Falcão, Pelé, Nilton Santos, Leônidas, Gerson, Tostão e tantos outros. E quando aparecem jovens como

Oscar, Neymar e Ganso, sopradores de apito permitem que os adversários usem do ante futebol para acabar com as irulas dos craques, pois os pernas de pau adversários consideram essas irulas uma imperdoável ofensa! Pior ainda é a situação da Cozinha, onde o Brasil, grande produtor de feijão, vive o vexame de importar tal iguaria da China, assim como já importamos arroz da Argélia, que acabou jogado no lixão de Jardim Gramacho, pois estava contaminado por fungos mortais. Como a nossa política agrícola está voltada para o agronegócio, não temos uma política de estoques reguladores, que evitem a falência dos produtores nas grandes safras e prejuízos para os consumidores em caso da interferência climática negativa nas lavouras. Assim, a inlação no preço dos alimentos –que já teve personagens tão pitorescos como o chuchu e o frango – em decorrência da seca no Sul e Nordeste e o excesso de chuvas no Norte pegou o Governo no contrapé, pois a alta de preços dos alimentos é uma perversa transferência de renda do pequeno produ-

tor, quando ocorre a quebra da safra por falta ou excesso de chuva, como este ano ocorreu com o feijão e o milho – para as contas bancárias dos intermediários. Sem estoques reguladores, o Governo não consegue socorrer o produtor em diiculdades, muito menos regular o mercado em caso de queda da produção. Nesse mesmo diapasão, o consumidor paga caro pelo óleo de soja, que expulsou do mercado produtos similares de origem vegetal como o milho, o algodão, o amendoim, ou animal, os suínos. No caso do óleo de soja, a perversidade está em dois níveis: é um subproduto da gramínea, antes jogado no lixo e agora cotado como "commodities", isto é, o mercado internacional da soja está nas mãos dos grandes conglomerados e o consumidor brasileiro é obrigado a pagar o produto nacional como se fosse importado. No caso do açúcar, a coisa é mais dramática, pois o consumidor brasileiro, tanto do próprio açúcar, como do etanol-álcool, é cobrado pela cotação internacional do açúcar, pois os usineiros, sem qualquer pudor, decidem arbitrariamente se

a próxima safra de cana será utilizada na produção de açúcar ou de álcool, que virou etanol para seguir os ditamos do mercado internacional. Não é por outra razão que a produção dos veículos do tipo lex – com o uso de diversos tipos de combustível – provocou um estranho fenômeno: em alguns centros consumidores, o etanol-álcool chegou a custar igual ou mais caro que a gasolina. Como na comparação de consumo o etanol-álcool só é interessante se custar menos de 70% do preço da gasolina, quem tem carro lex se livrou da ditadura dos usineiros, cujo lobby é bastante podero$o. Assim, o consumidor vê o feijão e o arroz desaparecerem da sua mesa num piscar de olhos! Ainal, o consumidor continua sendo apenas um pequeno detalhe na nossa política econômica, mais preocupado com a sobrevivência de meia dúzia de montadoras de automóveis e das empresas da Zona Franca de Manaus, especializadas na montagem de peças oriundas da China, de Taiwan e até da Europa.

Cambio

(*) FECHAMENTO: 11 DE JUNHO DE 2012

Moeda

Compra (R$)

Dolar Comercial

2,055

Venda (R$)

1,950

Dólar Turismo

Compra (u$)

Moeda

Variação %

2,057

1,63

2,190 Venda (u$)

0,92 Variação %

Coroa Dinamarca

5,963

5,966

0,50

Dólar Austrália

0,984

0,985

0,69

Dólar Canadá

1,031

1,032

0,58

Euro

1,246

1,246

0,45

Franco Suíça

0,963

0,964

0,45

79,290

79,310

0,26

Iene Japão

1,546

1,547

0,04

503,300

504,200

0,38

1.763,000

1.773,000

0,17

4,465

4,515

0,00

Libra Esterlina Inglaterra Peso Chile Peso Colômbia Peso Livre Argentina Peso MÉXICO

14,100

14,114

1,36

Peso uruguai

21,600

21,800

0,00

Bolsa Valor

Variação %

Ibovespa

54.001,45

0,79

IBX

19.482,33

0,62

Dow Jones

12.411,23

1,14

2.809,73

1,70

2.179,53

0,86

Nasdaq Merval Commodities unidade

Compra uS$

Venda uS$

Variação %

99,350

99,370

0,00

Ouro

onça troy

1.593,040

1.594,260

0,03

Prata

onça troy

28,420

28,500

0,11

Platina

onça troy

1.440,740

1.448,250

0,12

Paládio

onça troy

619,220

624,770

0,12

Petróleo - Brent

barril

Indicadores Poupança

12/06

0,500

Poupança p/ 1 Mês

11/06

0,500

11/06

0,000

TR Juros Selic meta

8,50

ao ano

R$ 622,00

Salário Mínimo (Federal)

MERCADO & NEGÓCIOS Na internet:

www.jornalcapital.jor.br

Filiado À ADJORI - Associação de Jornais do Interior Capital Empresa Jornalística Ltda CNPJ 11.244.751/0001-70 Av. Governador Leonel Brizola (antiga Presidente Kennedy), 1995 - Sala 804 Edifício Sul América - Centro, CEP 25.020-002 - Duque de Caxias, Rio de Janeiro Telefax: (21) 2671-6611 Endereços eletrônicos: comercial@jornalcapital.jor.br comercial.capitalmercado@gmail.com contato@jornalcapital.jor.br contato.capitalmercado@gmail.com redacao@jornalcapital.jor.br redacao.capitalmercado@gmail.com TIRAGEM: 10.000 exemplares (assine o Capital: 21 2671-6611) IMPRESSÃO: ARETÉ EDITORIAL S/A CNPJ 00.355.188/0001-90 Departamento Comercial: (21) 2671-6611 / 8400-0441 / 7854-7256 ID 8*21653 Diretor Geral: Marcelo Cunha Diretor de Redação: Josué Cardoso (josuejornalista@gmail.com) Colaboradores: Alberto Marques, Arthur Salomão, Carlos Erbs, Dilma Rousseff, Geiza Rocha, Moreira Franco, Priscilla Ricarte,Roberto Daiub e Rodrigo de Castro. Os artigos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores.


MERCADO & NEGÓCIOS

Estado aprova 35 projetos para desenvolver energia sustentável O

detalhamento e o cronograma dos 35 projetos, que serão desenvolvidos no Estado do Rio para promover a eiciência energética, a inovação tecnológica e a energia verde até 2015, foram apresentados pelo governador Sérgio Cabral, na manhã desta segunda-feira (11) no Palácio Guanabara, ao comitê estratégico do Programa Rio Capital da Energia, composto por presidentes de empresas, entidades públicas e privadas e associações ligadas à área de energia. Além dos integrantes do comitê, esteve presente à reunião o ministro das Minas e Energia, Édison Lobão. O programa, que já assegurou investimentos de pelo menos R$ 500 milhões, foi criado em setembro do ano passado por decreto do governador, com o objetivo de mobilizar a sociedade e de concentrar recursos em torno da energia sustentável nos próximos anos, sob coordenação da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e Serviços. Após a reunião, o secretário Julio Bueno anunciou o lançamento de uma campanha de mobilização da população para viabilizar os projetos de energia eiciente e sustentável. O Estado assume o título de capital nacional da energia por concentrar 80% da produção do petróleo e 42% do gás natural do país, possuir as únicas usinas nucleares e a maioria das usinas térmicas a

Carlos Magno-SCERJ

gás brasileiras e ainda desenvolver uma série de novos projetos para geração e inovação tecnológica na área de energia. Mas quer ir adiante, tornando o estado um centro de referência mundial da energia do futuro, lançando soluções de ponta para a eiciência energética, atraindo recursos para pesquisa e desenvolvimento de inovações tecnológicas e promovendo a energia verde. - Lançamos um portal, com o endereço www.riocapitaldaenergia.rj.gov.br, que visa a massiicação do conceito. Vamos criar também um quiosque móvel na Zona Sul do Rio, onde as pessoas possam obter informações gerais sobre fontes alternativas de energia, veicular peças publicitárias e realizar eventos e conferências para promover a marca do programa. Já está prevista uma feira de tecnologia na área de energia, para novembro, no Píer Mauá - listou Bueno. Os 35 projetos foram

escolhidos em uma lista de propostas apresentadas nos últimos nove meses pelas instituições com sede no Estado do Rio que são parcerias do Governo do Estado na execução do Rio Capital da Energia. Os projetos foram divididos em quatro pilares que compõem a estrutura geral do programa: eiciência energética, inovação tecnológica, economia de baixo carbono e massiicação do conceito. A ideia é aplicar cada um desses pilares em quatro setores estratégicos: transporte, indústria, construção e comércio/serviços. A carteira de projetos será atualizada constantemente pelo comitê técnico do programa. Entre os projetos já existentes, que contam com recursos e cronograma deinidos, estão alguns emblemáticos para o estado, como a instalação de painéis fotovoltaicos no Maracanã e em bibliotecas públicas e a criação da primeira Zona Verde do país, uma parceria das secreta-

rias de Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e Serviços e do Ambiente, na Ilha de Bom Jesus, contígua à Ilha do Fundão. O comitê é formado pelas seguintes empresas e instituições: Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACRJ), Ampla, Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), CEG, Eletrobras, Eletronuclear, Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Fecomércio, Firjan, Furnas, Instituto Brasileiro do Petróleo (IBP), Light, MPX, Neoenergia, OGX, Organização Nacional da Insdústria do Petróleo (Onip), Operador Nacional do Sistema Elétrico (NOS), Petrobras, Petrobras Distribuidora, PUC-Rio, Rio Negócios, Secretaria de Estado do Ambiente, Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia, Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Uerj e UFRJ/ Coppe.

Direito Empresarial (*)ARTHUR SALOMÃO É ESPECIALISTA EM DIREITO EMPRESARIAL E RECUPERAÇÃO JUDICIAL.

Delta pede recuperação judicial Arthur Salomão*

A

lvo de investigação da “CPI do Cachoeira”, a construtora DELTA entrou na última segunda-feira (4) com o pedido de recuperação judicial. O processo tramita na 5ª Vara Empresarial do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. A recuperação judicial é um instrumento utilizado por empresas economicamente viáveis que, em face de diiculdades econômicas transitórias, não conseguem saldar suas dívidas e, para evitar um eventual estado falimentar, socorrem-se

de tal expediente, submetendo os credores a uma proposta para quitação de débitos (conhecido como plano de recuperação judicial), com desconto de valores e forma mais alongada de peril. O pedido de recuperação foi feito poucos dias após a holding J&F anunciar oicialmente a decisão de não consumar a compra da Delta, da qual é gestora. O presidente da J&F, Joesley Batista, airmou que a decisão foi baseada em uma série de fatores – não só pelas denúncias que envolvem a construtora. Em nota divulgada à imprensa, a construtora alega "que o envolvimento de al-

3

12 a 18 de Junho de 2012

guns de seus executivos em supostos atos ilícitos, que estão sendo investigados judicialmente, tem levado a empresa a sofrer uma espécie de bullying empresarial". Explica ainda que vários entes da administração pública estão deixando de honrar os pagamentos de obras já executadas em virtude do desgaste causado à imagem da empresa, que é investigada inclusive por envolvimento com o contraventor Carlinhos Cachoeira. A empresa também alega que pretende adquirir “fôlego inanceiro” para saldar todas as suas dívidas, já que se encontra numa situação “insustentável”. Apesar de tanto, des-

de o início do ano a Delta já recebeu dos cofres públicos aproximadamente R$ 240 milhões, segundo levantamento da ONG Contas Abertas e, além disso, é a empresa que mais recebeu verbas do Orçamento do Executivo Federal desde 2007. No que depender da União, pelo menos, a Delta não tem do que reclamar. Por im, a Delta informou à Justiça que todas as empresas do grupo são viáveis economicamente e possuem ativos relevantes, além de estarem aptas a efetuar as obras e serviços públicos e privados para os quais foram contratadas.

Mantenha-se informado também pelo www.jornalcapital.jor.br

Indústria leiteira luminense se consolida Cai projeção de inlação medida pelo IPCA

+ conteúdo no site

Conversa com a Presidenta Encaminhe perguntas para a Presidenta DILMA ROUSSEFF: redacao@jornalcapital.jor.br ou redacao.capitalmercado@gmail.com

TEREZA LINDOZZO, 52 anos, engenheira agrônoma em Teresópolis (RJ) - Há possibilidades do governo federal anistiar quem desmata a natureza? Presidenta Dilma - Não, Tereza. No novo Código Florestal, vetei qualquer possibilidade de anistia e enviei uma nova Medida Provisória, para completar as lacunas. Nenhuma legislação nova deve enfraquecer a proteção ao meio ambiente. Vamos continuar crescendo de forma sustentável, com a preservação e a recuperação das áreas desmatadas indevidamente – margens de rios, nascentes e topos dos morros. Também mantivemos as normas do antigo Código sobre a reserva legal - área mínima que cada propriedade tem que preservar, para a conservação da biodiversidade. Todos têm que respeitar o meio ambiente e produzir de maneira sustentável. Por isso, a vegetação desmatada em áreas de proteção permanente terá de ser recomposta. Mas isso será feito com justiça. Por exemplo, os produtores com mais de quatro módulos iscais de área - que somam apenas 10% das propriedades mas ocupam 74% das terras - terão que recompor toda a mata nas margens de rios das áreas de preservação permanente. Já os pequenos produtores, com menos de um módulo iscal, precisarão recompor até 10% de sua terra. Eles ocupam apenas 9% de todas as terras, mas totalizam 65% de todas as propriedades, com mais de 3,5 milhões de estabelecimentos. Tenho convicção, Tereza, de que todos trabalharão juntos para o Brasil continuar preservando o meio ambiente, incluindo socialmente e gerando empregos e oportunidades para todos. MÁRCIO CÂNDIDO, 39 anos, funcionário público em Teresópolis (RJ) - Quais são as ações do governo federal destinadas a acelerar o ritmo das obras até 2014, para a realização da Copa do Mundo? Presidenta Dilma - Márcio, há várias ações em curso para assegurar que as obras necessárias para a Copa estejam concluídas em 2014. São 25 órgãos federais envolvidos no planejamento e execução dos empreendimentos. Criamos o Regime Diferenciado de Contratações Públicas (RDC), que tornou mais ágil e seguro o processo licitatório. Uma Matriz de Responsabilidades, assinada em 2010, delimitou as atribuições da União, Estados, Distrito Federal e Municípios. Um Comitê Gestor acompanha em tempo real as ações em desenvolvimento. Os 12 estádios estão em obras e estarão prontos a tempo. Criamos a Secretaria de Aviação Civil (SAC) e realizamos a concessão dos aeroportos de Natal, Brasília, Guarulhos e Viracopos, para dar mais agilidade aos investimentos. Na mobilidade urbana, estão sendo investidos R$ 12 bilhões - sendo R$ 7,4 bilhões em inanciamento público federal – em 51 projetos nas cidades-sede, envolvendo BRTs (sigla, em inglês, para "Ônibus de Trânsito Rápido"), Veículos Leves sobre Trilhos (VLTs), corredores de ônibus, terminais e monotrilhos. Sete portos terão quase R$ 900 milhões em investimentos para receber navios de cruzeiro que ampliarão a oferta de hospedagem. Tudo isso, Márcio, para que o Brasil possa fazer bonito não apenas dentro dos campos, mas também fora deles. FRANCISCO PIRES DE SOUZA, 70 anos, aposentado em São Vicente (SP) - Ao invés de um imposto para a saúde, por que o governo não cria uma lei que tira de 5% a 10% do arrecadado com as loterias e destina para a saúde? Isso não seria possível? Presidenta Dilma - Francisco, as loterias da Caixa já repassam recursos para a Saúde e para diversos programas e fundos sociais. Para você ter uma ideia, R$ 3,6 bilhões, ou cerca de 37% dos R$ 9,7 bilhões arrecadados em 2011 tiveram essa destinação. Para o orçamento da Seguridade Social, que inancia gastos com Saúde, Previdência e a Assistência Social, foi repassado R$ 1,6 bilhão. O Fundo de Investimento do Estudante Superior (FIES) recebeu R$ 843,5 milhões. Sabemos que a Saúde realmente precisa, além de constante melhoria da gestão, de progressivo aumento de recursos. Por isso, o orçamento federal do setor subiu de R$ 28,3 bilhões, em 2002, para R$ 44,3 bilhões, em 2006, para R$ 67,4 bilhões, em 2010, e para R$ 91,7 bilhões, em 2012. No ano passado, a regulamentação da Emenda Constitucional 29 estabeleceu fontes permanentes e estáveis de receita para a Saúde e deiniu quais gastos podem ser incluídos na conta do setor. Isso trará maior transparência e controle sobre os recursos da saúde nos estados, municípios e no Governo Federal. Nossa prioridade é fazer mais e melhor com os recursos já disponíveis, antes de voltar a propor mudanças no inanciamento da saúde pública.


4

12 a 18 de Junho de 2012 MERCADO & NEGÓCIOS

Deputada Claise solicita criação Delta entra com pedido de recuperação judicial do Rio Poupa Tempo em Caxias A

itocentos mil. Este é o número de pessoas que poderão ser beneiciadas diretamente com mais uma indicação legislativa da deputada estadual Claise Maria Zito (PSD) feita ao Governador Sérgio Cabral, visando à implantação de uma unidade do programa “Rio Poupa Tempo” em Duque de Caxias. O programa reunirá 400 tipos de serviços para a população, que poderá abrir empresas, retirar carteira de identidade, CPF, habilitação e obter atestado de antecedentes criminais, além de segundas vias de contas e serviços de proteção ao crédito e ao consumidor, além de contar ainda com um Núcleo Empresarial, onde estarão presentes instituições como o SEBRAE-RJ, que orienta pequenos e microempresários a estruturar seus negócios, e a agência de fomento do Rio de Janeiro, Investe Rio. O programa ainda representa uma possibilidade de geração de empregos ao Município e facilitação a vida do cidadão, que ganhará tempo e terá toda comodidade em resolver seus problemas com relação à documentos perdidos, roubados etc; além de acesso a informações, dados e

Divulgação

O

respostas às suas dúvidas. “Com toda certeza, o Rio Poupa Tempo representa um avanço e modernidade ao Município e servirá de enorme benefício a nossa população, já que muitos não possuem condições inanceiras de se deslocar até o Centro do Rio ou outros locais, onde se encontram as sedes dos principais serviços referentes a obtenção e documentação”, comentou a parlamentar de Duque de Caxias. MAMOGRAFIA MÓVEL - Outra solicitação da deputada ao Governo do Estado visa a criação do serviço de

Mamograia Móvel no estado do Rio de Janeiro. Através da política de saúde já implementada pela Secretaria Estadual, no sentido de disponibilizar serviços móveis de atendimento à população para realização de determinados exames, como é o caso da Tomograia Computadorizada e da Ressonância Magnética. Do mesmo modo, o serviço de Mamograia móvel visa atender a demanda e diminuir a ila de espera da população feminina do estado para consultas médicas que visam prevenir o câncer de mama, através do exame de mamograia,

que é o mais indicado para o diagnóstico desta doença. “Através de uma solicitação minha, no ano passado recebemos o serviço de Tomógrafo Móvel da Secretaria de Saúde do Estado e possibilitamos a realização de mais de mil exames gratuitos. No entanto, percebi que muitas mulheres nos procuravam solicitando o exame de mamograia e devido as diiculdades de realizá-lo nos hospitais da rede, queremos levar a população dos 92 municípios do estado este benefício, através do serviço móvel”, justiicou a parlamentar.

PSD e PRTB prometem lotar Câmara de Caxias para escolher seus candidatos O

PSD (Partido Social Democrático) e o PRTB (Partido Renovador Trabalhista Brasileiro) vão realizar convenção no dia 24 de junho corrente, no Plenário da Câmara de Duque de Caxias, a partir das 9h. Foram convidados todos os parlamentares - Deputados Federais, Estaduais e vereadores das legendas, além do Diretório Regional, bem como políticos de outros partidos. O evento marcará a homologação da nominata à eleição das candidaturas de prefeito, vice-prefeito e vereadores.

Marcelo Cunha

O deputado estadual Dica, pré-candidato do PSD O deputado estadual Jorge Moreira Theodoro, o Dica, presidente do PSD em Duque de Caxias e pré-candidato do Partido à Prefeitura, recebe apoio

de companheiros, colaboradores e correligionários dessas e de outras siglas. Com isso, espera deinir coligações com vistas ao pleito de outubro próximo.

ANP quer multas mais altas para vazamento de petróleo

A

diretora-geral da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), Magda Chambriard, defendeu nesta segunda-feira (11) o aumento da multa para acidentes graves com mortes e vazamento de petróleo no mar. Ela conirmou ter encaminhado ao Ministério de Minas Energia uma proposta com elevação das penalidades, que podem chegar a R$ 150 milhões. A ideia da diretora da agência reguladora é aumentar as multas

de cerca de R$ 2 milhões para até R$ 30 milhões, com a possibilidade de a penalidade "ser agravada" em cinco vezes, o que elevaria o valor até o teto de R$ 150 milhões, explicou Magda. - Obviamente, seria aplicada em caso de acidente relevante. No caso de derramamento de até 8 metros cúbicos até o órgão ambiental avalia como acidente de pequeno porte", esclareceu. ”Estamos focando em acidentes como foi o da Che-

vron", airmou se referindo à empresa petrolífera responsável pelo vazamento no Rio, em 2011. A proposta da ANP pedindo aumento da multa para acidentes no mar deve constar na chamada Lei de Penalidades para o setor de combustíveis no país e precisa passar pelo Congresso Nacional Até o momento, a multa pelo impacto ambiental causado pela Chevron no Brasil não foi anunciada. A previsão da agência é que o valor seja divulgado no próximo mês.

“Sigo irme como précandidato pelo PSD, Partido que ajudei a fundar e que hoje é o maior de nosso Estado e o terceiro do País”, reairmou o parlamentar, lembrando que o PSD, apesar de ser um dos mais novos Partidos registrados no Brasil, possui a segunda maior bancada na Assembléia Legislativa do Estado do Rio. O Partido no momento aguarda que o TSE decida sobre o Fundo Partidário e o tempo de televisão, de modo a colocá-lo em igualdade de condições para disputar as próximas eleições.

Delta Construção ingressou na Justiça do Rio de Janeiro com pedido de recuperação judicial, no último dia 4, citando os fundamento nos dispositivos da Lei 11.101 de 2005, que é a Lei de Falências e Recuperação de Empresas (LFRE). A empresa foi envolvida em denúncias de irregularidades no esquema do bicheiro Carlinhos Cachoeira. Em nota divulgada à imprensa, a construtora alega “que o envolvimento de alguns de seus executivos em supostos atos ilícitos, que estão sendo investigados judicialmente, tem levado a empresa a sofrer uma espécie de bullying empresarial”. Na sexta-feira anterior (1º), a J&F, grupo que controla o JBS, rescindiu a opção de compra do controle acionário da Delta, além de rescindir o memorando que previa a gestão do Fundo de Investimento em Participações Soi, controlador da Delta Construções. A rescisão, segundo o comunicado, ocorreu porque as denúncias contra a construtora estariam prejudicando os negócios da empresa. O presidente da J&F, Jo-

esley Batista, airmou que a decisão foi baseada em uma série de fatores – não só pelas denúncias que envolvem a construtora. De acordo com o comunicado, por conta das notícias que estão sendo veiculadas sobre a construtora, várias administrações públicas estão deixando de honrar os pagamentos de obras já executadas. Além disso, a empresa frisa que o pedido de recuperação judicial ocorre após a saída da holding J&F da gestão da Delta. “A situação inanceira da Delta tornou-se insustentável, não restando outra alternativa senão a busca pela recuperação judicial”, diz o comunicado. “Tomamos esta medida como parte de nossos esforços para garantir sucesso na execução e entrega das obras em andamento que são de interesse público e garantir a sustentabilidade da empresa em longo prazo”, diz a empresa, em nota divulgada à imprensa. A construtora airma que, para representá-la, contratou a consultoria internacional de reestruturação Alvarez & Marsal.


MERCADO & NEGÓCIOS

5

12 a 18 de Junho de 2012

Rio de Janeiro ganha o seu primeiro BRT, a Transoeste

Balança registra déicit de US$ 325 milhões nos primeiros dias de junho

A

A

Prefeitura do Rio inaugurou na quartafeira (6) a Transoeste, primeiro corredor expresso de Bus Rapid Transit (BRT) da cidade. Além do prefeito Eduardo Paes, participaram da solenidade o governador Sérgio Cabral, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o vice-governador e coordenador de Infraestrutura, Luiz Fernando Pezão. A Transoeste liga a Barra da Tijuca a Santa Cruz e Campo Grande, numa extensão de 56 quilômetros. Segundo a Prefeitura, o percurso será feito de maneira ágil e confortável, reduzindo em uma hora, pelo menos, o tempo de viagem. Criado em Curitiba, o BRT consiste num sistema de transporte público com ônibus biarticulados que circulam em faixas segregadas e, portanto, em velocidade maior do que as linhas convencionais. A obra vai custar à prefeitura R$ 900 milhões. O projeto incluiu a construção de um túnel na Grota Funda, inaugurado na mesma data, com 1,1 mil metros de extensão em cada sentido, ligando o

Carlos Magno-SCERJ

Recreio dos Bandeirantes a Pedra de Guaratiba. Lula, Cabral, Paes e Pezão, além de outras autoridades e convidados, embarcaram em um ônibus na estação Magarça, em Guaratiba, e seguiram para o Centro Operacional da Transoeste, que ica na entrada do Túnel VicePresidente José de Alencar (Grota Funda) para a cerimônia. A inauguração do BRT é parcial. Até o dia 23, a implantação do serviço será de adaptação. Onze ônibus biarticulados, todos equipados com ar condicionado e televisores e com capacidade para transpor-

tar 140 passageiros, só vão percorrer nove estações (Pingo D´Água, Pontal, Recreio Shopping, Nova Barra, Gelson Fonseca, Pedra de Itaúna, Riomar, Novo Leblon e Alvorada), das 10h às 15h, portanto, fora dos horários de pico. A partir do dia 23, o sistema entra em operação em 31 estações e, a cada 15 dias, uma nova etapa será implantada até meados de agosto, quando a Transoeste chegará a Campo Grande e bairros próximos, completando um total de 64 estações. A linha irá desafogar o trânsito na Zona Oeste da

cidade. A prefeitura calcula que 120 mil pessoas serão beneiciadas por dia, quando o sistema estiver funcionamento plenamente. “As pessoas vão ter que se habituar ao novo modelo de transporte, que é completamente diferente do que elas estão acostumadas. Esta obra signiica o im deste apartheid entre as pessoas que moram de um lado e de outro do maciço da Pedra Branca. O BRT vai permitir que as pessoas mais humildes da cidade possam viajar num ônibus mais confortável e gastando um tempo muito menor”, airmou Paes.

Economia Verde: um novo conceito na busca do desenvolvimento P

romover o desenvolvimento econômico aliado à sustentabilidade. Esse conceito tão importante para a economia mundial está cada vez mais presente no Rio de Janeiro através de iniciativas inéditas do Governo do Estado, que serão apresentadas no Parque dos Atletas durante a Rio+20, Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável. Uma das novidades que serão lançadas é a Bolsa Verde, espaço dedicado à compra e venda de ativos ambientais com o objetivo de fomentar a economia verde. A BVRio vai atuar em duas frentes: criação e operação da plataforma eletrônica; e criação dos

ativos ambientais que serão negociados. A Bolsa já está operando com créditos lorestais, referentes a áreas com proteção ambiental e, a partir de 2013, será aberta para o mercado de carbono. Desta forma, empresas que não atingirem as metas de redução na emissão de gases de efeito estufa poderão comprar créditos de carbono, enquanto as que registrarem queda poderão colocar seus créditos à venda. Por convenção, uma tonelada de dióxido de carbono (CO2) corresponde a um crédito de carbono. - A Bolsa Verde é uma iniciativa pioneira do Rio de Janeiro para aumentar a proteção ambiental

utilizando ferramentas de mercado. É uma forma de aproximar esse setor poderoso da economia, que é o mercado inanceiro, do conceito de sustentabilidade. Assim, as empresas privadas vão utilizar a BVRio para cumprir suas metas airmou o superintendente de Economia Verde da Secretaria de Ambiente, Walter de Simoni. Durante a Rio+20, o Governo do Estado vai lançar também o primeiro parque tecnológico que visa integrar inovação e sustentabilidade: o Pólo Verde na Ilha de Bom Jesus, na Baía de Guanabara. O Pólo deverá ser a primeira região da América Latina a obter a certii-

cação internacional LEED ND, especíica para bairros construídos que visem à eiciência energética, minimizando os impactos ambientais. Um dos destaques será a instalação de uma central de utilidades para distribuir energia elétrica e vapor de forma centralizada e otimizada. Haverá ainda um sistema de reciclagem de lixo, iluminação com lâmpadas LED, pavimentação de ruas com asfalto borracha (que aproveita pneus usados reciclados), mobilidade através de ciclovias e vastas áreas verdes. Os prédios terão também sistema para utilizar energia solar e reaproveitar a água da chuva.

s exportações comerciais brasileiras somaram US$ 5,011 bilhões nos cinco primeiros dias úteis de junho, com retração de 5% em relação ao mesmo período do mês passado, e as importações cresceram 15,9% - tendo alcançado US$ 5,336 bilhões. Com isso, o saldo comercial icou negativo em US$ 325 milhões. Os números foram divulgados nesta segundafeira (11) pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior e mostram que o saldo comercial é superavitário em US$ 5,941 bilhões no acumulado do ano – 42,8% menor que os US$ 10,488 bilhões contabilizados em igual período do ano passado. De janeiro até agora, as exportações somam US$ 102,872 bilhões e as importações, US$ 96,931 bilhões. Na comparação com os cinco primeiros dias úteis

de junho de 2011, houve retrações de 9,1% nas vendas de produtos básicos (petróleo, farelo de soja, milho em grão, café em grão, carnes e outros) e de 2,8% nas vendas de produtos manufaturados (automóveis, veículos de carga, açúcar reinado, suco de laranja, etanol etc). O déicit só não foi maior porque as exportações de semimanufaturados (ligas de ferro e aço, ouro trabalhado, açúcar em bruto e óleo de soja) cresceram 10,5%. Considerando a média diária obtida nas exportações de junho de 2011, as exportações neste mês caíram 11,2% enquanto as importações aumentaram 16,4%. O país importou mais combustíveis e lubriicantes (87,2%), aeronaves e partes (36,6%), siderúrgicos (11,2%), equipamentos mecânicos (6,5%) e plásticos e obras (5,3%).

Número de pedidos de falência é o maior para o mês de maio desde 2009

O

número de pedidos de falência voltou a crescer em maio. Segundo a Serasa Experian, os pedidos passaram de 165 em abril para 203 em maio. Esse foi o maior número já registrado para o mês desde maio de 2009, quando foram efetuados 255 requerimentos. Segundo os dados, em maio do ano passado foram feitos 168 pedidos de falência. Dos 203 requerimentos de falência, 105 foram de micro e pequenas empresas, 67 de médias e 31 de grandes. De acordo com os economistas da Serasa, o baixo crescimento econômico, as incertezas globais e o impacto gradual das medidas de estímulo ao consumo estão ampliando

as pressões sobre a cobrança de débitos empresariais, gerando maior volume de falências requeridas. - Vale ressaltar que esse aumento das falências requeridas em relação às decretadas e às recuperações judiciais requeridas caracteriza a sua utilização como instrumento de cobrança - informa, em nota, a Serasa. Os dados mostram ainda que as recuperações judiciais requeridas também evoluíram chegando a 82. Esse foi o maior número para o mês de maio desde a edição da nova Lei de Falências, há sete anos. Em abril foram registrados 57 requerimentos e, em maio do ano passado, 51.

Caixa exige certiicação digital para recolhimento de FGTS

A

partir do próximo dia 30, todas as empresas com mais de dez funcionários terão de usar certiicação digital do Instituto Nacional de Tecnologia da Informação (ITI) para realizar operações com a Caixa Econômica Federal, via internet, relacionadas com o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e com o repasse de informações à Previdência Social. A Caixa informa que a alteração decorre da necessidade de adaptação do programa de Conectividade Social (CS) às determinações da Medida Provisória 2.200/2001, que rege a validade jurídica de documentos eletrônicos. Destaca também que o uso da Infraestrutura de Chaves Públicas (ICP-Brasil)

da ITI facilita a conectividade e a torna mais segura. De acordo com dados da Caixa, mais de 3 milhões de empresas usam o Conectividade Social todos os meses para informações relacionadas ao FGTS e à Previdência Social. Em torno de 1,6 milhão dessas empresas já está registrado pelo padrão ICP-Brasil. Atualmente, 35,5 milhões de trabalhadores recebem depósitos mensais em contas vinculadas ao FGTS, que conta com ativo de mais de R$ 300 bilhões. Essa movimentação possibilita saques de aproximadamente 2,5 milhões de empregados por mês, o que exige modernização do sistema e toda a segurança possível, nos termos da Circular nº 566 da CEF.


6

12 a 18 de Junho de 2012 MERCADO & NEGÓCIOS

Atualidade Caxias promove concerto para o Dia dos Namorados

A

Secretaria de Cultura e Turismo de Duque de Caxias vai promover uma grande apresentação para comemorar a passagem do “dia dos namorados”. O evento, que tem como atração a Banda Sinfônica Prata da Casa, será realizado no Centro Cultural Oscar Niemeyer, na Praça do Paciicador, nesta terça-feira (dia 12), a partir das 19h, com entrada franca. A apresentação será voltada para o público externo, uti-

lizando o palco reversível do Teatro Municipal Raul Cortez. A produção é do Instituto Libertas e o concerto tem apoio da Caixa Econômica Federal e da Academia Duquecaxiense de Letras e Artes (ADLA), que está completando 44 anos. A Prata da Casa é formada por 80 músicos - amadores e proissionais - da cidade, além de um coral. Esta é a primeira vez que a data é comemorada em Duque de Caxias com um grande concerto ao ar livre.

País RJ: Embarcações que afundaram já içadas

A

s duas embarcações que naufragaram na Baía da Guanabara na manhã de sábado (9) devido à forte ressaca que atingiu a orla do Rio já foram içadas, informou o Instituto Estadual do Ambiente (Inea) na manhã deste domingo (10). Não houve vítimas nem vazamento de óleo nos locais dos naufrágios, segundo o Inea. Duas equipes do Plano de Contingenciamento da Baía da Guanabara, compostas por técnicos

do Inea, da Capitania dos Portos e da Hidroclean, empresa para controle de acidentes ambientais, participaram das operações e monitoraram as áreas dos dois acidentes durante todo o sábado para evitar que vazamento de combustível dos tanques das duas embarcações. O primeiro a ser içado foi o empurrador Prudente, que afundou na altura do estaleiro Renave-Enavi, nas proximidades da Ilha de Mocanguê, e que dava apoio à plataforma da Odebrecht.

Internacional Hollande conquista nova vitória na França

N

o poder há menos de um mês, o presidente da França, François Hollande, obteve uma vitória política no im de semana. Pesquisa eleitorais apontam que seu partido, o Socialista, terá maioria no Parlamento. O primeiro turno da eleição parlamentar ocorreu domingo (10). O segundo turno será na próxima semana. Hollande precisa ter o controle da Câmara Baixa (dos deputados)

para implementar cortes de gastos e a criação de taxas para enfrentar a crise do euro. As pesquisas indicam ainda que houve aumento do apoio à antiimigrante Frente Nacional. O conjunto das legendas de esquerda, formado pelo Partido Socialista, Verdes e Frente de Esquerda, conseguiu 47% dos votos no primeiro turno. O PS conseguiu 29% dos votos, a União por um Movimento Popular obteve 27% e a extrema direita registrou 13,6%.

Ceperj divulga na internet resultado inal do concurso para especialista em inanças

J

á está disponível no portal da Fundação Ceperj (Centro Estadual de Estatísticas, Pesquisas e Formação de Servidores Públicos do Rio de Janeiro), o resultado inal do concurso para o cargo efetivo de analista da carreira de Especialista em Finanças Públicas da Secretaria de Fazenda. A classiicação dos candidatos foi determinada pelo somatório de pontos nas três etapas: provas de conhecimento geral, de conhecimento especíico e discursiva; avaliação de títulos e experiência proissional e curso de formação. Este concurso inscreveu 1.214 proissionais de nível superior interessados nas 50 va-

gas, com vencimentos até R$ 5.922. Concluídas as três etapas, em rigorosa obediência à ordem de classiicação inal e ao prazo de validade do concurso, que é de um ano, o candidato aprovado será nomeado sob o regime estatutário, devendo cumprir estágio probatório que terá duração de três anos, contados a partir da data de entrada do servidor em exercício. Os aprovados serão convocados pela Secretaria de Estado de Fazenda para apresentação dos documentos necessários à posse. Por isso, todos deverão manter seus endereços residenciais atualizados junto à Secretaria de Fazenda, pois a não atualização poderá ge-

rar prejuízos, sem nenhuma responsabilidade para a secretaria. A carreira de especialista em inanças públicas compreende o cargo de analista. Esse proissional é responsável pelo desenvolvimento, acompanhamento e avaliação na execução do orçamento do Estado, bem como a elaboração de sua programação inanceira, entre outras várias atribuições. A jornada de trabalho será de 40 horas semanais.

O vencimento-base é de R$ 4.200, acrescido de R$ 882 de gratiicação de desempenho de atividade (GDA), mais adicional de qualiicação. Isso signiica que o nomeado que tiver pós-graduação lato sensu somará ao salário mais R$ 210; quem tiver mestrado ganhará mais R$ 420; e com doutorado a remuneração terá mais R$ 840, totalizando R$ 5.922.

Banco de Imagens

Médicos do serviço público federal devem paralisar atividades em protesto contra MP 568

M

édicos servidores públicos federais pretendem paralisar as atividades nesta terça-feira (12) em protesto contra a Medida Provisória (MP) nº 568, de 2012, que trata da remuneração e da jornada de trabalho de proissionais de saúde. De acordo com a Federação Nacional dos Médicos (Fenam), o texto prevê que proissionais que atualmente mantêm jornada de 20 horas semanais no serviço público, ao ingressar na carreira, tenham que cumprir 40 horas semanais e receber o mesmo valor – uma redução de 50% na remuneração. - A medida é considerada pelo presidente da

entidade, Cid Carvalhaes, como um enorme retrocesso em um país já tão castigado pela carência do Sistema Único de Saúde [SUS] e pela desvalorização dos proissionais de medicina - informou a Fenam. Também na terça, a Comissão Mista do Congresso Nacional deve votar a admissibilidade da MP 568. O objetivo da categoria é, por meio da paralisação, pressionar o Parlamento e abrir caminho para a primeira greve geral de médicos servidores federais no país. - As entidades médicas compreendem que a MP traz a determinados setores do funcionalismo avanços importantes, que devem

ser mantidos e até ampliados. Entretanto, particularmente nos artigos 42 e 47, prejudica os atuais e futuros servidores médicos, dobrando jornadas sem acréscimo de vencimentos, reduzindo a remuneração em até metade e cortando valores de insalubridade e

periculosidade. As perdas atingem, inclusive, aposentados (e pensionistas), que tanto já se dedicaram ao serviço público, enfrentando baixos salários e condições de trabalho adversas”, concluiu a Fenam. Banco de Imagens

Processos contra senador boliviano continuarão, apesar de asilo concedido pelo Brasil s processos penais contra o senador Roger Pinto Molina, líder da oposição ao governo da Bolívia, continuarão, apesar de o governo brasileiro ter anunciado sexta-feira (8) que concederá asilo político ao parlamentar boliviano. A garantia foi dada pelo líder da bancada governista do Movimento ao Socialismo (MAS), da Câmara dos Deputados daquele país, Roberto Rojas. Molina está na embaixada brasileira desde o dia 28 de maio, onde fez o pedido de asilo político. Ele alega sofrer perseguição por parte do governo do presidente Evo Morales, por sua atuação em defesa

O

dos direitos humanos. Morales nega a acusação. Segundo a Agência Boliviana de Informação (ABI), o chefe da bancada do MAS disse que há 20 processos criminais contra Pinto Molina. Entre eles, crimes de desvio ilegal de verbas da Zona Franca de Cobija (Zofraco), em 2001, no departamento de Pando. Uma reportagem do jornal La Razón, de La Paz, diz que os processos contra o senador tramitam nos tribunais de La Paz, Santa Cruz, Sucre e Cobija, e se referem principalmente a acusações de desacato, venda de bens do Estado e corrupção. Esses processos, garantiu o líder da bancada do MAS, continuarão apesar

de o Brasil ter aceitado dar asilo político a ele. “Temos que devolver à população aquilo que dela foi levado. Ele [Pinto Molina] tem de responder [pelos crimes cometidos] perante as leis vigentes de nosso país”, acrescentou, Rojas. Após ter anunciado que concederá asilo político ao senador, o governo brasileiro aguarda a resposta da Bolívia, sobre a concessão de um salvo-conduto, para o senador da oposição possa deixar o país vizinho e ingressar no Brasil. Na nota em que o Itamaraty disse ter concedido o asilo a Molina, o governo brasileiro argumentou que a decisão tem, como justiicativa, o Artigo 4, Inciso

10, da Constituição Federal, além de normas e práticas do Direito Internacional LatinoAmericano. Porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, o embaixador Tovar Nunes disse à Agência Brasil que ainda não há data nem locais deinidos para a chegada do senador caso o pedido de salvo-conduto seja aceito. “Na quartafeira comunicamos a concessão do asilo e estamos esperando um posicionamento do governo boliviano. Desde de 28 de maio há comunicação cotidiana com a Chancelaria boliviana”.


MERCADO & NEGÓCIOS

Ministro visita Maracanã e elogia andamento das obras m visita às obras do Estádio Jornalista Mario Filho, o Maracanã, nesta segunda-feira (11), o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, elogiou o andamento na implantação dos equipamentos para Copa de 2014 no Rio de Janeiro. Rebelo, que já tinha visitado o estádio em março, destacou o empenho do estado em cumprir o cronograma dos trabalhos. “As obras evoluíram bastante nesses três meses, são visíveis os avanços. Hoje temos 54% de conclusão e, até o inal deste mês, é provável que nós nos aproximemos dos 60% de conclusão”, salientou o ministro. O vicegovernador do estado, Luiz Fernando Pezão, anunciou a liberação de mais R$ 200 milhões para a conclusão da reforma do estádio, que vai sediar a inal do mundial de futebol. De acordo com ele, o valor está inserido no orçamento de cerca de R$ 859 milhões para as obras de modernização do Maracanã. Aldo Rebelo disse ainda que a administração das obras no Rio de Janeiro “passa segurança” no cumprimento dos prazos e avaliou que a cidade estará pronta para receber a Copa das Confederações, levando-se em conta que

Marcelo Horn-SCERJ

E

7

12 a 18 de Junho de 2012

Fórum Permanente de Desenvolvimento Estratégico do Estado Jornalista Roberto Marinho GEIZA ROCHA é jornalista e secretária-geral do Fórum Permanente de Desenvolvimento Estratégico do Estado do Rio de Janeiro ornalista Roberto Marinho. www querodiscutiromeuestado.rj.gov.br

Ainda a sustentabilidade Esta semana começa a Rio + 20. Autoridades de todo o mundo estão no Rio de Janeiro para participar e debater nos eventos paralelos à cupula do Meio Ambiente como e o que deve mudar para minimizar os impactos das mudanças climáticas na vida das populações. Não é tarefa fácil, nem tampouco trivial. Ela requer ações de Estado, mas também a mobilização da sociedade e a cobrança para que metas sejam estabelecidas e possam servir como um caminho a ser trilhado. O Fórum de Desenvolvimento Estratégico do Estado do Rio não está indiferente a este desaio. E promove uma agenda de debates que tem como foco a Educação, a Inovação, o Legado esportivo e o papel do Poder Legislativo na promoção destas transformações. Seguem as matérias sobre os eventos, que tem início nesta terça-feira, 12 de junho, e vão até o dia 21, e agende-se. Participe! Venha dar a sua opinião! Mais informações no nosso portal www.querodiscutiromeuestado.rj.gov.br o estádio terá suas obras concluídas até o dia 28 de janeiro de 2013. “O acompanhamento do governo do estado nos dá a segurança de que, não só o Maracanã, mas as seis obras de mobilidade urbana, as obras do aeroporto, de tráfego e do porto, estarão prontas para Copa de 2014, e a do Maracanã [estará pronta] para a Copa das Confederações”, disse. Pezão ressaltou que os recursos liberados para as obras do Maracanã fazem

parte do empréstimo de R$ 3,6 bilhões que o estado vai consolidar com o Banco do Brasil na próxima semana. Os recursos serão usados, conforme adiantou, para várias frentes de obras, como a reestruturação das áreas do Norte do estado, que sofreram com tragédias climáticas, e o metrô, que vai ligar as cidades metropolitanas de Niterói e Itaboraí. “É um momento histórico no país, é a primeira vez que o Banco do Brasil faz em-

préstimo a um ente federativo. O importante é que todo o recurso necessário para reforma do Maracanã nós já garantimos”, declarou. Segundo ele, os últimos ajustes para a conclusão da reforma do Maracanã dependem das escolhas do gramado a ser empregado no estádio - o que ainda está sendo discutido com a Federação Internacional de Futebol (Fifa) -, do modelo de iluminação e das cadeiras que serão instaladas.


8

12 a 18 de Junho de 2012 MERCADO & NEGÓCIOS

Exportações do agronegócio bateram recorde em maio Banco de Imagens

O

agronegócio brasileiro conseguiu, em maio, seu melhor resultado em exportações, com vendas de US$ 10,26 bilhões. O valor é 21,2% maior que o resultado de maio ano passado e supera o recorde anterior, que tinha sido conquistado em agosto de 2011, de US$ 9,84 bilhões. Com a redução de 14,1% nas importações, que icaram em US$ 1,34 bilhão, o saldo comercial do setor fechou maio em US$ 8,92 bilhões. No acumulado dos últimos 12 meses, as exportações brasileiras do agronegócio cresceram 17,9%, chegando a US$

97,4 bilhões. As importações aumentaram 13,9% e fecharam em US$ 17,4 bilhões, resultando em saldo comercial, entre junho de 2011 e maio de 2012, de US$ 80 bilhões, de acordo com Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio, do Ministério da Agricultura. Segundo relatório produzido pela secretaria, “o recorde das exportações do agronegócio em maio foi obtido, principalmente, em função da ampliação das exportações do complexo soja”, que aumentou suas vendas em US$ 1,52 bilhão e respondeu

por cerca de 90% do incremento total das exportações do agronegócio, que foi US$ 1,79 bilhões. Sozinho, o complexo soja exportou US$ 4,9 bilhões, equivalente a 47,7% dos embarques feitos em maio. O segundo setor que mais vendeu para o exterior foi o de carnes, com US$ 1,45 bilhão; seguido pelo complexo sucroalcooleiro (açúcar e etanol), com US$ 1,08 bilhão; produtos lorestais, com US$ 771 milhões; e café, com US$ 495 milhões. Juntos, os cinco produtos mais vendidos tiveram participação de 84,7% no valor

total das vendas do agronegócio. Os dois últimos apresentaram redução nas vendas em relação a maio de 2011, de 8,6% e 30,6%, respectivamente. A China, maior comprador dos produtos do agronegócio brasileiro, aumentou suas compras em 57,8% na comparação de maio de 2011 com o mesmo mês deste ano, com US$ 3,4 bilhões em compras. Em seguida, mas com valores bem menores, aparecem os Países Baixos (US$ 537,6 milhões), Estados Unidos (US$ 530,8 milhões) e a Rússia (US$ 419,9 milhões).

Anuncie!

Ligue: 21 2671-6611


Edição Nº 112