Page 1

Indicadores / Câmbio

Internacional

Compra

ONU recomenda ao Brasil a extinção da Polícia Militar

2,050 1,950

Dolar Comercial Dólar Turismo Ibovespa

Venda % 2,052 2,190 53.416,75

0,19 0,45 0,03

PÁGINA 2 FECHAMENTO: 04 DE JUNHO DE 2012

Ano 4 nº 111 www.jornalcapital.jor.br

MERCADO & NEGÓCIOS CAPITAL EMPRESA JORNALÍSTICA LTDA

R$1

05 a 11 de junho de 2012

Mais importações Punição para empresas corruptas que vendas externas Antonio Cruz-ABr

A

responsabilidade penal de empresas em casos de corrupção será uma das principais inovações do novo Código Penal, de acordo com o ministro do Superior Tribunal de Justiça Gilson Dipp (foto), que preside a comissão de juristas instituída pelo Senado Federal para elaborar o anteprojeto que visa atualizar o Código. PÁGINA 5

O

desempenho das exportações e também das importações em maio foi recorde, segundo o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. O avanço do desempenho comercial em maio deveu-se, principalmente, ao aumento de 2,7% nas exportações de produtos manufaturados, segundo a secretária de Comércio Exterior, Tatiana Prazeres (foto). PÁGINA 3

Fechamento de lixão em Jardim Gramacho vira festa

PÁGINA 8

Valter Campanato/ABr

Rombo no Banco Cruzeiro do Sul é de R$ 1,3 bi

Brasileiros e espanhóis vão buscar mercados na Ásia e no Oriente Médio

PÁGINA 5

Marcio Leandro/PMDC

E

mpresários brasileiros e espanhóis criaram um comitê para viabilizar parcerias em busca de outros mercados. A decisão foi anunciada durante a visita do rei da Espanha, Juan Carlos I, ao Brasil, onde se reuniu com a presidenta Dilma Rousseff e vários ministros, no Palácio do Planalto. A Ásia e o Oriente Médio são o alvo inicial. Dessa forma, os dois países pretendem, por meio da exportação de produtos manufaturados, amenizar os efeitos da crise e estimular a troca de conhecimentos e experiência. “Precisamos de todos os mercados. Essa é uma saída muito importante da crise, em especial para as empresas médias, por meio desses acordos de colaboração. Isso envolverá a possibilidade, também, de trabalho e intercâmbio para jovens empresários e de estudantes universitários”, disse o presidente da Confederação Espanhola de Organizações Empresariais (Ceoe), Juan Rosell. Segundo o presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson de Andrade, essa parceria busca atingir os dois mercados, por meio da exportação de produtos manufaturados. “Queremos unir empresas dos dois países [Brasil e Espanha] para aproveitar a expertise dos espanhóis e o conhecimento dos brasileiros”, disse Andrade.

Baixada pode utilizar material reciclado em obras públicas C om a assinatura do protocolo de intenções por seis municípios da Baixada Fluminense (Belford Roxo, Duque de Caxias, Mesquita, Nilópolis, Nova Iguaçu e São João de Meriti), o Plano Regional de Gestão de Resíduos da Construção Civil sai deinitivamente do papel e os problemas enfrentados por essas cidades estão com os dias contados. Os municípios do consórcio, com cerca de 3 milhões de habitantes, geram quase 4.000 toneladas/dia de resíduos de construção civil. Pelo plano, os municípios assumirão a competência de gestão dos resíduos sólidos, inicialmente de construção civil e volumoso. Os materiais reciclados poderão ser usados pelos governos para o barateamento de obras públicas. Pelo projeto, a rede de captação terá 107 ecopontos que receberão madeira e podas, concreto e alvenaria e materiais volumosos e leves. Separados, os materiais serão transportados para as áreas de triagem e transbordo para reaproveitamento.

C

erca de 11 mil CDs e DVDs piratas, além de 600 frascos de perfumes falsificados, foram destruídos em Duque de Caxias.

O material é resultante de operações feitas nas últimas semanas, contra a pirataria deflagradas nas feiras livres da cidade pela Secretaria de Trans-

portes e Serviços Públicos. Elas fazem parte da Operação “Tolerância Zero”, deflagrada pela Prefeitura contra a desordem urbana.

Escritório de Niemeyer tem projeto para uma nova Caxias

PÁGINA 3

Projeto da deputada Claise Maria Zito será referência no País PÁGINA 4

Caixa registra recorde de captação na poupança

PÁGINA 4


2

05 a 11 de Junho de 2012 MERCADO & NEGÓCIOS

Bebidas frias pagarão mais impostos a partir de outubro A

partir de outubro, as bebidas frias - água, cerveja, refrigerante, energéticos e isotônicos – passarão a pagar mais impostos. Decreto publicado dia 31, no Diário Oicial da União, estabeleceu os novos preços que servirão de referência para o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), PIS/Pasep e Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Coins). De acordo com a Receita Federal, caso o aumento de impostos seja repassado integralmente aos preços inais, os consumidores pagarão 2,85% a mais, em média, pelos quatro tipos de bebidas. O órgão estima ainda que a medida provocará impacto de 0,02% na in-

lação oicial medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), em outubro. O decreto também estabeleceu um cronograma gradual de diminuição dos redutores aplicados na base de cálculo desses tributos. Até 2015, as alíquotas que, para alguns tipos de bebidas incidem apenas sobre 30% do preço no varejo, passarão a incidir sobre 52,5% do preço inal. Segundo o subsecretário de Tributação e Contencioso da Receita Federal, Sandro Serpa, o governo arrecadará R$ 408 milhões a mais em 2012 com a atualização da tabela de preços. A diminuição dos redutores renderá mais R$ 86,7 milhões. Em 2013, o caixa

do governo será reforçado em R$ 2,970 bilhões. O decreto também estabeleceu que as tabelas de preços das bebidas passarão a ser atualizadas todos os anos, sempre em outubro. Em vigor desde 2008, a lei que instituiu o novo regime tributário para as bebidas não deinia um período em que atualização deve ser feita. Até agora, a tabela de preços havia sido atualizada em apenas duas oportunidades: no início de 2009 e em março do ano passado. Pelo modelo antigo de tributação das bebidas, as alíquotas eram expressas por meio de valores ixos cobrados por litro. Dessa forma, um refrigerante de 2 litros, que custa R$ 4, representa o recolhimento

dos mesmos impostos que um de R$ 2. De acordo com a Receita, isso provocava distorção e punia os fabricantes que vendiam produtos mais baratos. O novo regime leva em consideração os preços nas prateleiras e o tipo de embalagem das bebidas, fazendo com que uma bebida mais cara pague mais IPI e PIS/Coins. Banco de Imagens

Ponto de Observação Empresas poluidoras só geram 8º dos empregos Alberto Marques

A

s indústrias responsáveis por cerca de 80% das emissões de dióxido de carbono empregam pouco mais de 8% da força de trabalho nos países industrializados, segundo o relatório Rumo ao Desenvolvimento Sustentável: Oportunidades de Trabalho Decente e Inclusão Social em uma Economia Verde. O levantamento, divulgado quinta-feira (31), mostra que o atual modelo de desenvolvimento não tem mais eiciência na geração de emprego e trabalho decente no mundo. Especialistas de quatro organismos internacionais ligados ao mercado de trabalho e à questão ambiental dizem que “uma parte dessas pessoas pode perder seus empregos se não forem adotadas políticas adequadas para promover os

empregos verdes”. É o que acontece, por exemplo, na derrubada de lorestas para a expansão do agronegócio, ou quando a agricultura utiliza agrotóxicos sem controle, poluindo o meio ambiente e prejudicando a qualidade de vida dos próprios agricultores. No caso da pesca, a situação do Brasil é mais grave, pois, apesar da extensão da nossa costa, o consumo de peixe, inclusive na merenda escolar em áreas mais pobres, é um percentual irrisório. A poluição da Baía de Guanabara, por exemplo, já conseguiu extinguir várias espécies, reduzindo a capacidade de produção na região, transformando os pescadores em párias, dependentes de ajuda do governo. Hoje, a maior parte do pescado consumido em hotéis e restaurantes chegam ao Rio de caminhão, por falta do produto na costa do Estado do Rio, em especial o camarão e a sardinha, produto que con-

centra algumas fábricas no entorno da baía. Segundo estimativas apresentadas no documento, se os países insistirem nos moldes de produção e consumo de hoje, em duas décadas o nível de produtividade dos países, em todo o mundo, cairá 2,4%. Outros estudos citados no documento mostram ainda que, associado ao impacto no mercado de trabalho, o atual modelo econômico vem produzindo perdas constantes dos ecossistemas que começam a afetar a produção. De acordo com o relatório, no setor de pesca, por exemplo, os trabalhadores vão sofrer, temporariamente, os efeitos com a sobrepesca, o que pode exigir a redução de capturas para permitir a recuperação dos estoques. Na atividade, 95% dos 45 milhões de trabalhadores empregados são pescadores artesanais em países em desenvolvimento. “O uso excessivo

dos recursos naturais já provocou grandes perdas, incluindo mais de 1 milhão de empregos para os trabalhadores lorestais, principalmente na Ásia, devido a práticas inadequadas de gestão sustentável das lorestas”, alertam os pesquisadores. Se, de um lado, a pesquisa aponta expectativas negativas sobre o mercado de trabalho, por outro indica que mudanças de padrões econômicos, com estímulos e políticas para a implantação de uma economia verde, permitem outro cenário. No setor da agricultura, que emprega mais de 1 bilhão de trabalhadores no mundo, inclusive produtores familiares, o estudo mostra que mudanças nas práticas podem garantir segurança alimentar, tirar milhões de pessoas da pobreza e reduzir a migração das zonas rurais para os centros urbanos.

Coluna do Moreira MOREIRA FRANCO é Ministro Chefe da Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República

O bom hábito de ler

V

i uma pesquisa, recentemente, mostrando que as crianças e os adolescentes brasileiros estão lendo menos livros. A queda no índice de leitura era apontada em todas as faixas etárias de cinco a 17 anos. Pode até não ser uma redução muito grande, mas causa preocupação ver, por exemplo, que a média de leitura entre os adolescentes de 14 a 17 anos caiu de 6,6 livros, em 2007, para 5,9 no ano passado. Na faixa de cinco a 10 anos, enquanto em 2007 a média era de 6,9 livros por criança, em 2011 caiu para 5,4. A verdade é que o brasileiro, em geral, está lendo menos. No caso dos mais jovens o fato chama mais atenção porque sabe-se da importância de o hábito da leitura ser desenvolvido logo cedo. Principalmente diante da forte concorrência dos celulares, dos tablets , dos iPhones e da internet. É fácil encontrar um jovem com uma dessas ferramentas, mas raramente o vemos com um livro nas mãos - não incluídos aí os livros didáticos. É certo que não podemos impedir nossas crianças, adolescentes e jovens de estarem integrados à era digital. Pelo contrário, são conquistas do mundo moderno que devem ser absorvidas por todos nós. Mas, como icam a busca do conhecimento e o prazer que a leitura proporciona? Ainda cabe mencionar o fato de que o hábito de ler melhora a capacidade e a velocidade de leitura, contribui para aumentar o vocabulário e aprimora a escrita, além de estimular a imaginação, a inovação e a capacidade empreendedora Ainda há os ganhos culturais, tão falados, de grande ajuda na vida proissional. Especialistas dizem que a pouca atração dos jovens pela leitura decorre da falta de incentivo da família e, muitas vezes, das escolas. Assim resta a esperança de que os resultados das pesquisas possam alertar os pais, assim como chamar a atenção das autoridades para a necessidade de políticas públicas que despertem nas crianças, desde cedo, o interesse pelos livros, a exemplo do que estamos desenvolvendo na SAE, com a Fundação Ecofuturo, para formulação de um programa de estímulo à leitura. Cambio

(*) FECHAMENTO: 04 DE JUNHO DE 2012

Moeda

Compra (R$)

Dolar Comercial

2,050

Venda (R$)

1,950

Dólar Turismo

Compra (u$)

Moeda

Variação %

2,052

0,19

2,190 Venda (u$)

0,45 Variação %

Coroa Dinamarca

5,946

5,949

0,47

Dólar Austrália

0,971

0,972

0,10

Dólar Canadá

1,039

1,040

0,09

Euro

1,249

1,249

0,47

Franco Suíça

0,961

0,961

0,51

78,340

78,380

0,42

Iene Japão

1,537

1,538

0,11

514,950

515,850

0,69

1.816,600

1.818,600

0,69

4,445

4,495

0,00

Libra Esterlina Inglaterra Peso Chile Peso Colômbia Peso Livre Argentina Peso MÉXICO

14,270

14,211

0,76

Peso uruguai

20,450

20,650

0,00

Bolsa Valor

Variação % 0,03

Ibovespa

53.416,75

IBX

19.295,78

0,07

Dow Jones

12.101,46

0,14

2.760,01

0,46

2.210,41

0,22

Nasdaq Merval Commodities unidade Petróleo - Brent

Compra uS$

Venda uS$

Variação %

98,390

98,410

0,89

1.619,200

1.620,200

0,01

barril

Ouro

onça troy

Prata

onça troy

28,270

28,340

0,07

Platina

onça troy

1.428,490

1.436,000

0,03

Paládio

onça troy

611,000

616,000

0,24

Poupança

05/06

0,514

Poupança p/ 1 Mês

04/06

0,500

TR

04/06

0,000

ao ano

8,50

Indicadores

Juros Selic meta

R$ 622,00

Salário Mínimo (Federal)

MERCADO & NEGÓCIOS Na internet:

www.jornalcapital.jor.br

Filiado À ADJORI - Associação de Jornais do Interior Capital Empresa Jornalística Ltda CNPJ 11.244.751/0001-70 Av. Governador Leonel Brizola (antiga Presidente Kennedy), 1995 - Sala 804 Edifício Sul América - Centro, CEP 25.020-002 - Duque de Caxias, Rio de Janeiro Telefax: (21) 2671-6611 Endereços eletrônicos: comercial@jornalcapital.jor.br comercial.capitalmercado@gmail.com contato@jornalcapital.jor.br contato.capitalmercado@gmail.com redacao@jornalcapital.jor.br redacao.capitalmercado@gmail.com TIRAGEM: 10.000 exemplares (assine o Capital: 21 2671-6611) IMPRESSÃO: ARETÉ EDITORIAL S/A CNPJ 00.355.188/0001-90 Departamento Comercial: (21) 2671-6611 / 8400-0441 / 7854-7256 ID 8*21653 Diretor Geral: Marcelo Cunha Diretor de Redação: Josué Cardoso (josuejornalista@gmail.com) Colaboradores: Alberto Marques, Arthur Salomão, Carlos Erbs, Dilma Rousseff, Geiza Rocha, Moreira Franco, Priscilla Ricarte,Roberto Daiub e Rodrigo de Castro. Os artigos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores.


MERCADO & NEGÓCIOS

Exportações e importações batem recorde em maio O

desempenho das exportações e também das importações em maio foi recorde, informou dia 1º o secretário executivo do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Alessandro Teixeira. “Foi o melhor mês de maio de todos os tempos na corrente de comércio [soma de exportações e importações]", disse. Em relação a maio do ano passado, as exportações icaram US$ 6 milhões maiores, tendo somado em maio deste ano US$ 23,215 bilhões. Já as importações tiveram um avanço de US$ 577 milhões, o equivalente a 2,9% de incremento. Com isso, as compras do exterior contabilizaram US$ 20,262 bilhões.

Mas o fato de as importações terem crescido mais que as vendas externas fez com que o saldo comercial de maio deste ano tenha icado 16,2% aquém do resultado de maio de 2011. Com saldo de US$ 2,953 bilhões, o resultado da balança comercial de maio contribuiu para que o saldo do acumulado do ano atingisse US$ 6,271 bilhões. Foi o melhor mês da balança comercial de 2012. O avanço do desempenho comercial em maio, em relação aos outros meses do ano, deveu-se, principalmente, ao aumento de 2,7% nas exportações de produtos manufaturados, segundo a secretária de Comércio Exterior, Tatiana Prazeres (foto). As ven-

das de óleos combustíveis cresceram 52% no mês, seguidas por automóveis (+22%), laminados planos (+19%), motores e geradores elétricos (+44%), máquinas e aparelhos para terraplanagem (+15%) e veículos de carga (+13%). No acumulado do ano, as vendas de produtos básicos somaram US$ 46,472 bilhões ou 47,5% dos US$ 97,861 bilhões exportados. As vendas de manufaturados totalizaram US$ 36,198 bilhões, com participação de 37%, e as exportações de produtos semimanufaturados alcançaram US$ 12,8 bilhões, o equivalente a 13,1% do total. Em termos de mercados, os principais compradores continuam sendo a China (US$ 17,213

Valter Campanato-ABr

bilhões) e os Estados Unidos (US$ 11,792 bilhões), que também são os maiores exportadores para o mercado brasileiro, com US$ 13,409 bilhões e US$ 13,387 bilhões, respectivamente. O Brasil tem superávit de US$ 3,804 bilhões no comércio com a China e déicit de US$ 1,595 bilhão com os Estados Unidos.

Zito anuncia a empresários o projeto ‘Nova Duque de Caxias’ O

9º Encontro de Negócios do Grande Rio, realizado no SESI Duque de Caxias pela Representação Regional da FIRJAN na cidade, encerrou os trabalhos na quinta-feira (31), superando sua expectativa de gerar negócios na ordem de R$ 30 milhões. Foram realizadas 219 reuniões entre empresas e os negócios resultantes alcançaram a soma de R$ 40,8 milhões. Embalado pelo sucesso dos negócios, foi anunciada a Duque de Caxias do futuro. A “Nova Cidade de Duque de Caxias” é um projeto do escritório Niemayer Arquitetos Associados que, com o fechamento do aterro sanitário de Jardim Gramacho, pretende transformar a quase desconhecida orla do município em um polo turístico, ecológico, esportivo e cultural, além de abrir novas opções para a cida-

de, ampliando a logística de transporte de massas na cidade. A novidade foi apresentada pelo arquiteto Paulo Niemeyer, com a presença do prefeito José Camilo Zito. “Queremos apresentar um sonho. Um sonho que vamos batalhar para transformar em realidade. Foi com o trabalho e dedicação que transformamos esta cidade, tirando os moradores da lama, oferecendo cidadania aos trabalhadores e levando cultura para o povo com o Teatro Raul Cortez e a Biblioteca Governador Leonel Brizola. Agora, estamos sonhando mais alto para que cada habitante deste município tenha ainda mais orgulho de ser duquecaxiense. A cidade do passado já era. Esta é a cidade do presente em busca de um futuro melhor”, airmou Zito.

Niemeyer falou do projeto que vai reconigurar uma região que está desvalorizada e que vai alcançar todo o trecho do município banhado pela Baía de Guanabara, da primeira saída da Linha Vermelha do município até a fronteira com Magé. “São 53 km² com praças cívicas, centro esportivo, museus, hotéis, shopping, estações rodoviária e marítima, edifícios institucionais e uma grande área de preservação natural. É um espaço maior que a Floresta da Tijuca, o Parque Ibirapuera e o Central Park”, explicou o arquiteto, ressaltando que o projeto seria desenvolvido em conjunto com diversas secretarias municipais e que contaria com investimentos da iniciativa privada para ser implantado. - Duque de Caxias tem um litoral que nunca foi

aproveitado em todo o seu potencial. Os moradores da cidade não conhecem a sua orla nem a grande área verde daquela região. Com esta obra a cidade será ainda maior do que é hoje. E queremos que parte disto já esteja implantada até a Copa de 2014”, disse Paulo, que completou: “Acompanhei a elaboração dos projetos do Teatro Municipal Raul Cortez e da Biblioteca Pública Governador Leonel Brizola feitos pelo meu avô. Ele não acreditou que eles sairiam do papel. Zito cumpriu sua promessa e eles estão aí. Por isso, meu avô admira tanto o prefeito. Não sou partidário de ninguém, nem político, mas foi Zito que transformou esta cidade. Quero que todos nós, daqui há 15 anos, olhemos para o que vamos construir e dizer que izemos parte desta história”, concluiu o arquiteto.

Secretário presta contas em Caxias O

secretário de Fazenda de Duque de Caxias, Raslan Abbas, participou de audiência pública na Câmara, dia 31, na qual fez a prestação de contas do 1º quadrimestre da Prefeitura. A audiência tem como objetivo dar transparência às contas do governo municipal, fazendo um balanço do que foi arrecadado e revelando os setores que recebem os investimentos. Raslan alertou para as conseqüências das ante-

cipações de receita, feita pela gestão passada e que, segundo observou, ainda causam problemas na administração da cidade. “Na antecipação, a verba e gasta agora, fazendo falta no futuro”, destacou o secretário, revelando que houve déicit na arrecadação do IPTU e dos royalties do petróleo. Segundo o Secretário, a prefeitura previa uma arrecadação de R$ 667,290milhões, porém, ao contrário

3

05 a 11 de Junho de 2012

do esperado, fechou com 554,267 milhões, o que corresponde a 83% do total. Em contrapartida, o valor foi superior ao apresentado no último quadrimestre de 2011, que fechou o ano com um montante de R$ 512,691milhões. Outra questão abordada foi a administração do Hospital Moacyr Rodrigues do Carmo, que consumiu R$ 350 milhões nestes três anos. Ele observou que a despesa com o hospital dei-

xou de ser investida em outros setores, como pavimentação iluminação e outras melhorias para a cidade. “O governante que estiver no comando de Duque de Caxias vai enfrentar problemas de orçamento devido ao comprometimento de receitas com o hospital”, destacou. A audiência, que durou pouco mais de duas horas, contou com a presença de vereadores, representantes de associações de moradores e sindicalistas.

Mantenha-se informado também pelo www.jornalcapital.jor.br

Anatel rejeita impugnação do leilão 4G Apesar do PIB fraco, economia pode crescer

+ conteúdo no site

Conversa com a Presidenta Encaminhe perguntas para a Presidenta DILMA ROUSSEFF: redacao@jornalcapital.jor.br ou redacao.capitalmercado@gmail.com

ALUÍZIO FERREIRA DE ARAUJO, 66 anos, artíice no bairro de Campo Grande, Rio de Janeiro (RJ) - O que a senhora pode fazer para tornar digno o atendimento médico-hospitalar da rede pública para a maioria dos brasileiros? Presidenta Dilma - Estamos trabalhando irme para isso, Aluizio, para garantir atendimento de qualidade a todos os usuários do Sistema Único de Saúde (SUS). Em novembro passado, por exemplo, iniciamos o programa de atendimento domiciliar, o Melhor em Casa, que reduz a lotação dos hospitais e dá atendimento mais humanizado, junto à família. No município do Rio de Janeiro já há 10 equipes, que atendem 600 pacientes por mês. E desde janeiro enviamos a Carta SUS aos pacientes, para saber como eles foram tratados durante a internação. Criamos também as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs 24 Horas), que podem resolver 97% dos casos que recebem. O seu Estado tem 53 UPAs, e está também no programa SOS Emergência, que vai melhorar os hospitais Miguel Couto e Albert Schweitzer. E ajudamos os Estados a aumentar o número de cirurgias eletivas, o que fez os mutirões crescerem 65%, passando de 209,6 mil cirurgias, em 2010, para 345,8 mil, em 2011. Só as cirurgias de catarata aumentaram 96,4% no período. Desde 2011 também distribuímos medicação gratuita para hipertensão e diabetes, que você pode retirar nas 20 farmácias do seu bairro credenciadas no Aqui Tem Farmácia Popular. Em todo o País, são 20 mil farmácias, que já atenderam 10 milhões de pessoas, sendo 1,5 milhão no seu Estado. São exemplos, Aluízio, do esforço permanente para melhorar a saúde no Brasil, e que terá continuidade. AFONSO MIRANDA DE ARAÚJO, 76 anos, lavrador em Oliveira dos Brejinhos (BA) - Todos os povoados ao redor de onde eu moro (Grama) já receberam o Luz para Todos. Será colocada luz no meu povoado? Será que ainda vou ver luz? Presidenta Dilma - Afonso, a luz está programada para chegar à sua casa em 2013. A ligação da localidade em que você mora está prevista no projeto da região de Mulungu, segundo informações da Coelba. O projeto já foi aprovado pelo Comitê Gestor Estadual do Programa Luz para Todos da Bahia e vai atender a 58 famílias, como parte das metas acordadas entre o governo federal e a Coelba, que realizará mais 104 mil novas ligações na Bahia, até 2014. Desde 2003, Afonso, o programa já beneiciou 2,9 milhões famílias em todo o Brasil, sendo 480 mil ligações somente na Bahia, que é o estado mais favorecido pelo programa. Ao garantir a chegada da energia à casa dessas famílias, estamos fazendo uma verdadeira revolução no Brasil. Com a energia, melhora a qualidade de vida das pessoas e aumenta a sua capacidade de produção. Para alcançar pontos isolados, como a região Amazônica, temos utilizado várias alternativas, aliando tecnologia e sustentabilidade, como sistemas de geração de miniusinas fotovoltaicas e distribuídas por minirredes. Utilizamos também materiais como cabos subaquáticos e postes de ibra de vidro, que podem ser transportados mais facilmente, até em canoas, para contemplar ilhas luviais e oceânicas. Nosso objetivo é levar energia a todos os brasileiros, como você, Afonso, que em breve terá luz em casa. RONALDO BOTELHO GOMES, 24 anos, advogado em Belo Horizonte (MG) - O programa Ciência sem Fronteiras oferece bolsas para pósgraduação lato sensu? Presidenta Dilma - Não, Ronaldo, o Ciência sem Fronteiras não oferece bolsas para pós-graduação lato sensu, que são programas de especialização que conferem ao aluno certiicados. O foco do programa é oferecer bolsas de graduação, doutorado sanduíche, doutorado pleno e pós-doutorado nas áreas de ciências exatas, médicas e tecnológicas. Esta opção deve-se à necessidade de nosso país investir em áreas que permitam acelerar o desenvolvimento de novas tecnologias e processos de inovação no Brasil. Até 2014, vamos enviar 101 mil estudantes ao exterior. Neste ano, haverá 20 mil bolsas para estudantes de física, química, matemática, biologia, ciências médicas e da computação e em todas as áreas de engenharia. Instituições de excelência, como a Universidade Harvard e o Instituto de Tecnologia de Massachusetts, nos Estados Unidos, oferecem vagas para nossos bolsistas. O critério de escolha do Ciência sem Fronteiras é o mérito, levando em conta o desempenho do estudante no Enem, o que dá oportunidade para todos, inclusive alunos de famílias pobres que jamais poderiam estudar no exterior. Os interessados devem fazer a inscrição na página do programa www.cienciasemfronteiras.gov.br.


4

05 a 11 de Junho de 2012 MERCADO & NEGÓCIOS

Projeto da deputada Claise Maria Zito será referência no País A

presidente da Comissão de Assuntos da Criança, do Adolescente e do Idoso da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), deputada Claise Maria Zito (PSD), apresentou o texto da Lei estadual 6.237/12, que cria a Semana de Doação de Leite Materno no Rio, no 2° Encontro Nacional de Presidentes de Comissões Legislativas Estaduais de Promoção Social e Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente, em Fortaleza (CE). O evento foi realizado na capital cearense e contou com a presença de todos os presidentes e representantes de comissões que tratam dos temas relacionados à criança e adolescente nos poderes legislativos do país.

- O objetivo do encontro é a troca de experiências e, hoje, tenho o orgulho em airmar que nosso estado tem muito a colaborar, sendo pioneiro na criação de uma semana de ações voltadas exclusivamente à doação do leite materno – ressaltou a parlamentar. Ela conirmou ainda que o projeto de sua autoria que cria a Semana Estadual de Doação de leite materno pode ser o ponto de partida para a construção de uma mobilização nacional. “Através de campanhas como essa, temos a oportunidade de

resgatar, junto à sociedade, a cultura da amamentação. O trabalho feito pelo IFF, por exemplo, é de extrema importância, mas, sem Divulgação as doadoras, nada seria possível. Dedicamos esta homenagem a elas”. O coordenador da Área Técnica de Saúde da Criança e Aleitamento Materno do Ministério da Saúde, Paulo Bonilha, airmou que as campanhas de doação são grandes aliadas no combate à mortalidade infantil. “Nossa área vem realizando cursos de formação de tutores, capacitando

proissionais de saúde no ensino e aprendizagem da amamentação. A diminuição do índice de mortalidade infantil em todo Brasil se dá por diversos fatores. E garantir que bebês prematuros tenham acesso ao leite materno, através das doações, também é um deles”, reforçou. Sete assembléias de diferentes estados já apresentaram o projeto de lei com base na iniciativa da deputada Claise Maria Zito, criando a Semana Estadual de Doação de leite materno e incluindo a semana de 19 a 25 de maio no calendário oicial de eventos de seus estados: Goiás, Rio Grande do Norte, Ceará, Pará, Pernambuco, Bahia e Roraima.

Caixa registra recorde de captação líquida na poupança em maio

A

poupança da Caixa Econômica Federal registrou captação líquida de R$ 2,6 bilhões em maio, equivalente a mais de três vezes o volume do mesmo mês do ano passado. O resultado é recorde em meses de maio, e no ano o saldo acumula R$ 5 bilhões, o que representa 62% do total absorvido pelo mercado,

segundo dados do Banco Central, relativos a 28 de maio. Para o vice-presidente de Pessoa Física da Caixa, Fábio Lenza, a captação líquida da poupança, registrada nos primeiros dias após as novas regras de remuneração, divulgadas no dia 3 de maio, pode ser atribuída, em parte, à forma positiva como a população

recebeu a mudança. “Houve rápida compreensão da população de que a nova regra da poupança mantém a atratividade do produto, é favorável ao poupador e necessária ao país”. Com a recente alteração da taxa Selic para 8,5% ao ano, a rentabilidade das novas cadernetas de poupança será 70% da Selic mais taxa

referencial (TR). Continua ganhando em rentabilidade, por exemplo, dos fundos de renda ixa DI, com taxa de administração acima de 1% para prazo de até 12 meses, e dos certiicados de depósitos bancários (CDBs) de varejo, que pagam abaixo de 91% do Certiicado de Depósito Interbancário (CDI) para aplicação até seis meses.

Bastidores da ALERJ RODRIGO DE CASTRO é jornalista e pós-graduado em Marketing e Comunicação Empresarial pela Universidade Federal de Juiz de Fora (MG)

Toma lá...

D

ias atrás, um político da Baixada Fluminense, velho companheiro do time do Governador, ligou para Sérgio Cabral e o convidou para a inauguração de uma unidade de ensino proissionalizante que seria inaugurada pelo Secretário da pasta que assim como ele, é pré-candidato a prefeito de sua cidade. Pelo alcance social do projeto, seria até um bom momento para Cabral refazer sua imagem, mas ele refutou. Respondeu dizendo que por enquanto, “quer icar quietinho”. A 10 dias das convenções que deinirão os candidatos a prefeito nos municípios luminenses, o gesto fortaleceu uma convicção entre os aliados: Cabral será um cabo eleitoral discreto até o im do primeiro turno e não subirá em palanques. Na capital, foi Eduardo Paes quem deu os primeiros sinais de que fugiria dos comícios de Cabral depois das fotos de Paris. Mas em cidades como Duque de Caxias e Nova Iguaçu, onde partidos da base disputam a cadeira de prefeito, a crise da Delta veio a calhar como desculpa para imparcialidade do Governador, alegando o desgaste de sua imagem para os candidatos.

...da cá

Para amenizar os danos da ausência, o lançamento de um pacote de obras orçado em R$ 10 bilhões é a aposta do Palácio Guanabara. Os empréstimos que viabilizarão os projetos vêm sendo negociados há tempos com os deputados na Alerj e ganharam mais importância depois que Cabral icou na berlinda. A ordem do governo é responder com obras em todo o Estado. O pacote inclui a construção de barragens, recuperação total de estradas através de um programa chamado Asfalto na Porta e a construção de 9 novos hospitais estaduais.


MERCADO & NEGÓCIOS

Empresas poderão responder penalmente por corrupção A

responsabilidade penal de empresas em casos de corrupção será uma das principais inovações do novo Código Penal, de acordo com o ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Gilson Dipp, que preside a comissão de juristas instituída pelo Senado Federal para elaborar o anteprojeto que visa atualizar o código. Ele participou quinta-feira (31) do Seminário Nacional de Probidade Administrativa, evento promovido pelo Conselho Nacional de Justiça na sede do STJ, em Brasília. Na ocasião, Dipp - que já comandou a Corregedoria Nacional de Justiça, órgão do CNJ -, destacou as principais medidas sugeridas pelo grupo de especialistas que coordena para fomentar o combate à fraude, principalmente no âmbito da administração pública. O ministro lembrou que

o Código Penal foi promulgado ainda nos anos de 1940, durante regime de exceção instituído pelo então presidente da República, Getúlio Vargas. De acordo com ele, a norma fora construída para uma sociedade muito diferente da atual. O trabalho de atualização do Código Penal, segundo avaliou, não é uma tarefa simples. Além de defasado em relação ao tempo e à conjuntura, a legislação encontra-se em desalinho com a Constituição Federal, promulgada posteriormente a sua edição, em 1988. Outra diiculdade são as inúmeras leis atualmente existentes para tratar de tipos penais especíicos. De acordo com Dipp, seriam pelo menos 120 normas concorrendo com o Código Penal. No que diz respeito ao combate à corrupção, uma das propostas mais signiicativas, segundo o minis-

Antônio Cruz-ABr

tro, é a que visa imputar responsabilidade penal à pessoa jurídica - ou seja, às empresas que corroboram para essa prática. De acordo com Dipp, a proposta tem por base a constatação de que as maiores transações geralmente envolvem empresas transnacionais. "Evidentemente as penas aplicadas às pessoas jurídicas serão compatíveis a

esse instituto. Serão penas privativas de direitos como, por exemplo, pagamento de multas, proibição de contratar com instituições inanceiras ou de participar de licitações com a administração direta ou indireta", explicou o ministro, ressaltando a responsabilidade penal da pessoa jurídica já existe para os crimes ambientais.

Expansão da indústria no primeiro trimestre surpreendeu, diz a CNI

O

crescimento no Produto Interno Bruto da indústria entre janeiro e março foi uma surpresa positiva, informou a Confederação Nacional da Indústria. A entidade ressaltou que outros índices do Instituto Brasileiro

de Geograia e Estatística (IBGE) indicavam queda do setor em 2012. Para a CNI, o resultado surpreende porque o próprio IBGE havia divulgado, em outra pesquisa, que a produção física da indústria havia recuado 0,3% na média

5

05 a 11 de Junho de 2012

do primeiro trimestre. Nos números apresentados agora, no entanto, a indústria cresceu 1,7% no período, liderada pela indústria de transformação, que registrou alta de 1,9%. “Não fosse o desempenho industrial, o PIB teria que-

da no primeiro trimestre”, ressaltou a entidade. Apesar do crescimento da indústria ante o trimestre anterior, a CNI destaca que a produção industrial continua estagnada em relação aos três primeiros meses de 2011.

Banco Central decreta intervenção no Banco Cruzeiro do Sul

O

Banco Central (BC) decretou nesta segunda-feira (4) Regime de Administração Especial Temporária (Raet), pelo prazo de 180 dias, no Banco Cruzeiro do Sul, com sede na cidade de São Paulo. Segundo BC, a medida foi tomada em decorrência do “descumprimento de normas aplicáveis ao sistema inanceiro e da veriicação de insubsistência em itens do ativo”. O Raet é um regime com prazo limitado, por meio do qual o BC substitui os dirigentes da instituição por um conselho de diretores ou por uma pessoa jurídica especializada. O objetivo é corrigir procedimentos operacionais ou eliminar deiciências que possam comprometer o seu funcionamento, explicou o Banco Central, que nomeou o Fundo Garantidor de Créditos (FGC) como administrador especial temporário. O rombo no banco, segundo informações divulgadas mas não conirmadas pelo BC, é de cerca de R$ 1,3 bilhão. O BC esclarece que o regime não afeta o andamento dos negócios da instituição, que continua funcionando normalmente e pode realizar todas as operações para as quais tem autorização. Segundo o

Banco Central, “em consequência, é preservada a relação dos credores e dos devedores com a instituição. Assim, tanto os compromissos de terceiros com a instituição quanto as suas dívidas continuam a vencer nos prazos originalmente contratados”. De acordo com o BC, o Banco Cruzeiro do Sul é uma instituição inanceira de pequeno porte que, em dezembro de 2011, detinha ativos que representavam apenas 0,22% do total dos ativos do sistema inanceiro e 0,35% dos depósitos. Está autorizado a operar com as carteiras comercial, de investimentos e de câmbio. Com operações concentradas nas duas agências de São Paulo e do Rio de Janeiro, o banco tem mais seis agências, em Campinas, Salvador, Recife, Belém, Macapá e Palmas. Também foi decretado o Raet nas empresas do grupo Cruzeiro do Sul, pelo mesmo prazo de 180 dias: Cruzeiro do Sul S.A Corretora de Valores e Mercadorias, Cruzeiro do Sul DTVM, e Cruzeiro do Sul S.A. Companhia Securitizadora de Créditos Financeiros.


6

05 a 11 de Junho de 2012 MERCADO & NEGÓCIOS

Atualidade Aterro ganha Canteiro Escola da Faetec

A

Fundação de Apoio à Escola Técnica (Faetec) inaugurou sábado (2), um espaço para o treinamento proissional dos catadores e ex-catadores, no entorno do Aterro Metropolitano de Jardim Gramacho. O projeto Canteiro Escola Jardim Gramacho conta também com o apoio da Secretaria de Estado do Ambiente (SEA) e da Associação Carioca de Catadores e Ex-catadores (Acex). O objetivo será capacitar mais de 1.300 pessoas, até

o im de 2012, em cursos proissionalizantes gratuitos com o objetivo de requaliicar os proissionais que dependiam das atividades econômicas da área do lixão, principalmente os catadores de materiais recicláveis. As inscrições foram abertas a comunidade nesta segunda-feira (4), podendo ser feitas no próprio local. Os catadores cadastrados na empresa Nova Gramacho terão prioridade. O prazo segue até 15 de junho. A seleção para as vagas acontecerá por sorteio, em 16 de junho, no próprio local.

País Telecomunicações terão investimento histórico s investimentos do setor privado em telecomunicações deverão atingir o recorde histórico de cerca de R$ 25 bilhões neste ano, R$ 1 bilhão a mais do que o total investido em 2001, logo após a privatização do setor. A informação foi dada pelo ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, que participou nesta segunda-feira (4) de entrevista coletiva de uma empresa do setor que oferecerá serviço na Conferência das Nações Unidas sobre

O

Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20. Paulo Bernardo lembrou que as empresas de telecomunicações vêm mantendo nos últimos dez anos uma média de investimento no setor da ordem de R$ 17 bilhões por ano. “Eu tenho dito de uma maneira geral que nós [governo federal] queremos aumentar ainda mais estes investimentos. Queremos ainda fazer uma intensiicação do uso das tecnologias da informação e da telecomunicação: celular, banda larga, TV por assinatura”.

Internacional Ditadura: Argentina quer capturar acusados de crimes

A

s autoridades da Argentina anunciaram o pagamento de recompensas, que variam de US$ 100 mil a US$ 300 mil, por informações que ajudem a capturar 33 pessoas acusadas de violações de direitos humanos durante a ditadura no país (1976 - 1983). Na semana passada, foi preso Miguel Angel Chiarello considerado

um dos principais fugitivos do regime ditatorial argentino. Na relação de chamados repressores, que colaboraram com a ditadura, estão Juan Miguel Wolk, que conseguiu escapar da prisão domiciliar, Juan Francisco Del Torchio, Daniel Eduardo Cardozo, Horacio Jorge Paez, Juan Carlos Coronel e Eduardo Daniel Vic. Todos são acusados de crimes contra a humanidade.

Secretaria de Cultura realiza nova edição do Concurso de Fotograias em Caxias

A

Superintendência de Turismo da Secretaria de Cultura e Turismo de Duque de Caxias está com inscrições abertas para o 2° Concurso de Fotograia - Um Olhar Sobre Duque de Caxias. Elas serão recebidas até 20 de junho e a solenidade de premiação acontecerá no dia 25 de agosto. Estão sendo oferecidos prêmios em dinheiro no valor de R$ 1.500 para o primeiro lugar, R$ 1.000 para o segundo e R$ 600 para o terceiro. O tema é livre e os trabalhos deverão abordar o município, obrigatoriamente. O concurso é aberto a fotógrafos amadores ou proissionais, morador ou não da cidade, e que seja maior de 18 anos, e

que poderão participar com até 5 trabalhos cada. Não haverá mais de uma premiação para cada participante. As inscrições serão recebidas na Superintendência de Turismo (Rua Ailton da Costa nº 115, sala 610, bairro 25 de Agosto), de segunda a sexta-feira, das 10h às 16h. Os trabalhos inscritos deverão retratar algo que esteja dentro dos limites do município de Duque de Caxias e mostrar, obrigatoriamente, alguma relação com o mesmo (o cotidiano ou a integração do homem com o meio ambiente e com os monumentos históricos e culturais na cidade, os rios, lagos,

árvores, praças, parques, jardins, plantas, animais, pessoas, áreas, etc.). A seleção das fotos obedecerá a critérios técnicos, estéticos e artísticos (a mensagem transmitida pelo fotógrafo, aspectos da composição, cores da fotograia, ineditismo, plástica, etc.). A seleção será feita por pessoas qualiicadas - proissionais da cidade ou convidados - indicadas pela Comissão Organizadora, esta formada por membros da Secretaria. Uma exposi-

ção, com 30 imagens, será montada na Biblioteca Pública Governador Leonel Brizola, de 25 de agosto a 30 de setembro. O 1º concurso, denominado “Caxias em Flash”, foi realizado em setembro de 2002, nas categorias Natureza, Cotidiano, Patrimônio Histórico-Cultural e Arquitetura, com premiaçao em dinheiro e menções honrosas. Cento e cinco trabalhos concorreram e seus autores receberam certiicados. Mais informações podem ser obtidas na Superintendência de Turismo, através do telefone (21) 2671-1120 ramal 8, no horário comercial.

ANP promete divulgar até julho valor da multa aplicada à petrolífera Chevron

A

diretora-geral da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), Magda Chambriard (foto), disse nesta segunda-feira (4) que o valor da multa à empresa petrolífera Chevron, referente ao vazamento de novembro de 2011 no Campo de Frade, na Bacia de Campos, será divulgado até julho. “Não existe hipótese de não haver pagamento em dinheiro. A conclusão desse processo vai determinar o valor pecuniário e a exigência de um procedimento diferente por parte da empresa em relação à sua atividade e ao governo brasileiro”, disse Magda, durante o lançamento da campanha Rio+20 e Você, que tem o objetivo de envolver o cidadão nos

debates sobre desenvolvimento sustentável. A diretora disse que o momento é de conversa entre a agência, o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e o Ministério Público Federal. A Chevron já re-

correu administrativamente do relatório elaborado pela agência e apresentou o contraditório, mas os argumentos da empresa, conforme Magda Chambriard, “acrescentaram muito pouco às conclusões inais”. De acordo com a diretora, “neste momento, não

há como a Chevron voltar a perfurar [novos poços] em Frade, pelo menos até que os condicionantes regulatórios estejam satisfeitos”. Ela disse ainda que a petrolífera pode voltar a produzir, posteriormente, caso tenha interesse. Valter Campanato-ABr

ONU recomenda im da Polícia Militar no Brasil

O

Conselho de Direitos Humanos da ONU pediu ao Brasil maiores esforços para combater a atividade dos "esquadrões da morte" e que trabalhe para suprimir a Polícia Militar, acusada de numerosas execuções extrajudiciais. Esta é uma de 170 recomendações que os membros do Conselho de Direitos Humanos aprovaram como parte do relatório elaborado pelo Grupo de Trabalho sobre o Exame Periódico Universal (EPU) do Brasil, uma avaliação à qual se submetem todos os países. A recomendação em

favor da supressão da PM foi obra da Dinamarca, que pede a abolição do "sistema separado de Polícia Militar, aplicando medidas mais eicazes (...) para reduzir a incidência de execuções extrajudiciais". A Coreia do Sul falou diretamente de "esquadrões da morte" e Austrália sugeriu a Brasília que outros governos estaduais "considerem aplicar programas similares aos da Unidade de Polícia Paciicadora (UPP) criada no Rio de Janeiro". Já a Espanha solicitou a "revisão dos programas de formação em direitos humanos para as forças de segurança, insistindo no uso da força de

acordo com os critérios de necessidade e de proporcionalidade, e pondo im às execuções extrajudiciais". O relatório destaca a importância de que o Brasil garanta que todos os crimes cometidos por agentes da ordem sejam investigados de maneira independente e que se combata a impunidade dos crimes cometidos contra juízes e ativistas de direitos humanos. O Paraguai recomendou ao país "seguir trabalhando no fortalecimento do processo de busca da verdade" e a Argentina quer novos "esforços para garantir o direito à verdade às vítimas de graves violações dos

direitos humanos e a suas famílias". A França, por sua parte, quer garantias para que "a Comissão da Verdade criada em novembro de 2011 seja provida dos recursos necessários para reconhecer o direito das vítimas à justiça". Olhando mais adiante, o Canadá pediu garantias para que a reestruturação urbana visando à Copa do Mundo de 2014 e aos Jogos Olímpicos de 2016 "seja devidamente regulada para prevenir deslocamentos e despejos".


MERCADO & NEGÓCIOS

7

05 a 11 de Junho de 2012

recebe grupo Representantes de cidades da deSecretário estudantes de turismo Baixada se unem para Rio+20 Q s seis municípios participantes do Consócio Público de Gestão de Resíduos Sólidos da Baixada Fluminense estarão participando da Conferência Rio+20 para apresentar sugestões e mostrar os projetos que estão dando certo na região. Nesta segundafeira (4), três secretários de Meio Ambiente se reuniram em Duque de Caxias para traçar estratégia para o Seminário Baixada a 1.000 na Rio + 20, marcada para o dia 11 no Mont Blanc Apart Hotel, no bairro 25 de Agosto. Do consórcio participam os municípios de Duque de Caxias, Belford Roxo, Mesquita, Nilópolis, Nova Iguaçu e São João de Meriti. Participaram da reunião os secretários de Meio Ambiente, Samuel Maia, de Duque de Caxias, Renato Rabelo, de Nilópolis, e Zilto Bernar-

PMDC/Marcio Leandro

O

O

complementar a parte técnica que eles aprendem com os professores na faculdade. - Vivenciar o dia a dia dos proissionais da SeturRJ e da TurisRio, conhecer as funções de cada diretoria, conversar com os proissionais, tirar dúvidas sobre a proissão e o mercado de trabalho são oportunidades únicas para esses estudantes - assinalou o secretário. Ele acrescentou que a atividade turística é hoje uma das mais importantes para o crescimento da economia do Estado. “O segmento turístico é um dos que mais cresce atualmente no Rio de Janeiro", concluiu. Divulgação

do, de São João de Meriti. O seminário contará com a participação de autoridades ligadas ao meio ambiente, da sociedade civil organizada e estudantes. Na pauta estão discussões e sugestões sobre o Plano

Regional de Gestão dos Resíduos da Construção Civil, coleta seletiva e relorestamento. Os organizadores esperam receber sugestões para programa e projetos ligados ao meio ambiente que poderão ser implan-

tados nas seis cidades. O fechamento do aterro sanitário de Jardim Gramacho e o despejo do lixo das cidades que serão vazados em Centros de Tratamento Resíduos, em Nova Iguaçu, também estarão na pauta.

Líderes mundiais vão discutir sustentabilidade Rio de Janeiro atrairá olhares de todo mundo com a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável que será realizada de 13 a 22 de junho. A Rio+20 marca os vinte anos de realização da Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento (Eco-92) e deverá deinir a agenda do desenvolvimento sustentável para as próximas décadas. O encontro

uarenta e sete alunos do curso de turismo da Universidade Veiga de Almeida de Cabo Frio izeram uma visita técnica à sede da Secretaria Estadual de Turismo (Setur-RJ) e sua vinculada TurisRio. O encontro foi no último dia 1º e na ocasião, o secretário Ronald Ázaro, que estava em reunião no seu gabinete com o prefeito de Arraial do Cabo, Wanderson Cardoso de Brito, e o secretário de Turismo, Marco Simas, recebeu os estudantes. Para Ázaro a visita dos acadêmicos para conhecer e se aprofundar nas atividades e ações do órgão são de extrema importância para

terá dois temas principais: a economia verde no contexto do desenvolvimento sustentável e da erradicação da pobreza; e a estrutura institucional para o desenvolvimento sustentável. Ao todo, estarão presentes 194 delegações. Os mais de 27 mil m2 quadrados dos cinco pavilhões do Riocentro estão preparados para receber 38 mil credenciados por dia. Para isso, a Conferência será dividida em três

momentos. De 13 a 15 de junho, está prevista a III Reunião do Comitê Preparatório, no qual se reunirão representantes governamentais para negociações dos documentos a serem adotados pelos países participantes. Entre 16 e 19 de junho, estão programados eventos com a sociedade civil. De 20 a 22 de junho, ocorrerá o Segmento de Alto Nível da Conferência, que envolverá governantes dos países membros das

Nações Unidas. Segundo o secretário do Comitê Nacional de Organização da Rio+20, ministro Laudemar Aguiar, já está conirmada a participação de 102 chefes de Estado e 176 países já reservaram hospedagem nos hotéis da cidade, o que mostra a importância e a dimensão da conferência. Toda a programação poderá ser conferida no site www.rio20.rj.gov.br/oestadonorio20.asp


8

05 a 11 de Junho de 2012 MERCADO & NEGÓCIOS

Aterro do Jardim Gramacho fecha depois de três décadas e meia O

Aterro Sanitário de Gramacho, - na verdade um lixão a céu aberto - foi fechado domingo (3). No local será construída uma usina de Biogás, que vai ajudar no desenvolvimento sustentável da região. O fechamento, em clima de festa, teve as presenças da ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, do prefeito do Rio, Eduardo Paes, e de centenas de catadores que durante décadas trabalharam na coleta do lixo no local. O aterro foi implantado no município em meados da década de 70, quando a cidade ainda era “área de segurança nacional” e, portanto, impedida de eleger prefeito, sendo este nomeado pelo governo do Estado. A partir de agora, o lixo que era levado para Gramacho será depositado na Central de Tratamento de Resíduos (CTR Rio) em Seropédica, na região metropolitana, considerado o mais moderno da América Latina. A ministra disse que o fechamento é mais um passo importante para acabar, até 2014, com todos os lixões, conforme a Política Nacional de Resíduos Sólidos. “Nós estamos trabalhando duro para isso. Agora, lembro que a responsabilidade é dos prefei-

tos. É um desaio imenso. Vocês devem ter observado que a Marcha dos Prefeitos este ano, em Brasília, trouxe os resíduos sólidos como tema central das prefeituras. Eu acho que durante o debate das eleições esse tema virá para a mesa [de negociação], e nós temos que buscar o compromisso de erradicarmos e solucionarmos a questão do lixo em relação aquilo que a lei estabelece”, disse. Eduardo Paes declarou que a prefeitura do Rio, ao fechar o Aterro Sanitário de Gramacho, encerrou hoje o crime ambiental que cometia contra a Baía de Guanabara e contra o

município de Duque de Caxias. “A prefeitura do Rio vem sendo criminosa há 30 anos depositando os resíduos sólidos da cidade em outro município e às margens da Baía de Guanabara. Para nós é uma vitória muito importante deixar de cometer esse crime ambiental na cidade”, destacou. O Secretário de Meio Ambiente do município, Samuel Maia, falou sobre o projeto que já existe desde 2011 para revitalizar o bairro. “A Prefeitura já está conversando com o INEA, que deverá inanciar a reforma, para a construção de ciclovias,

centros de esporte e lazer e do Parque Municipal da Cidade, uma grande área de interesse ecológico”, airmou, destacando ainda o polo tecnológico, as arenas esportivas, que deverão ser construídas em cada distrito e poderão ser utilizadas para eventos, e o Centro de Educação Ambiental, que será construído no Parque Equitativa para estudo e pesquisa. Os catadores que trabalhavam no aterro começaram a receber, desde sexta-feira (1º), o cartão da Caixa. Ele permitirá que cada catador retira os R$ 14 mil de indenização a que têm direito.

Anuncie!

Ligue: 21 2671-6611

Edição Nº 111  

Jornal Capital - Edição nº 111