Page 1

Indicadores / Câmbio

País

Compra

Transferências de recursos a ONGs passarão por maior controle

Venda %

Dolar Comercial

1,786

1,788

0,11

Dólar Turismo

1,720

1,910

1,03

59.956,46

1,37

Ibovespa

PÁGINA 2 FECHAMENTO: 16 DE JANEIRO DE 2012

Ano 4 nº 91 www.jornalcapital.jor.br

MERCADO & NEGÓCIOS CAPITAL EMPRESA JORNALÍSTICA LTDA

R$1

17 a 23 de Janeiro de 2012

Agronegócio vai exportar mais Banco de Imagens

O

ministro da Agricultura, Mendes Ribeiro Filho (foto), anunciou que o agronegócio brasileiro deve exportar mais de US$ 100 bilhões em produtos este ano. Para chegar a esse número, segundo ele, será necessário apenas de um crescimento de 5,7% das exportações. O resultado de 2011 (US$ 94,6 bilhões) é o melhor desde 1997, quando iniciou o registro da série histórica. PÁGINA 3

Analistas esperam nova redução da taxa básica de juros

A

nalistas do mercado financeiro consultados pelo Banco Central esperam por uma redução de 0,5 ponto percentual na taxa básica de juros, a Selic, na reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) esta semana. Atualmente, a taxa está em 11% ao ano. Para o fim de 2012, a expectativa é 9,5% ao ano. PÁGINA 2

Mazinho reafirma que passagem pode custar R$ 1

Empresa de navio naufragado prevê prejuízos superiores a US$ 85 milhões

Divulgação

evido à repercussão que provocou a entrevista que concedeu ao Capital, na qual anunciou que sendo eleito prefeito de Duque de Caxias vai fixar a passagem em apenas R$ 1, o presidente da Câmara Dalmar Lírio Mazinho (PDT) reafirmou sua proposta e disse que ela “é viável”. Para ele, o principal é ter “vontade política” e copiar de onde ela já existe. “Angra dos Reis, Cabo Frio, Campos, Paraty e Piraí são algumas das cidades que já implantaram as passagens a R$ 1. PÁGINA 5

A

empresa Carnival Corp., dona do navio de cruzeiro Costa Concordia que naufragou no fim de semana no litoral da Itália, matando pelo menos seis pessoas, disse que deve ter um prejuízo de ao menos US$ 85 milhões só pela não utilização da embarcação nos próximos meses. O grupo disse estar prestando essa informação por causa de regras relacionadas à transparência financeira, e que outros prejuízos ainda não podem ser estimados. "A embarcação deve ficar fora de serviço pelo restante do atual ano fiscal, se não mais", disse a empresa em comunicado. "Para o ano fiscal que termina em 30 de novembro, o impacto para os lucros de 2012 em decorrência da perda do uso é previsto em aproximadamente US$ 85 a US$ 95 milhões, ou US$ 0,11 a US$ 0,12 por ação" A empresa disse ainda que o seguro da embarcação deve cobrir cerca de US$ 30 milhões. "A esta altura, nossa prioridade é a segurança dos nossos passageiros e tripulantes", disse Mickey Arison, presidente e executivo-chefe da Carnival Corporation.

D

A

Itaú, Oi, Claro e Tim lideraram reclamações no Procon em 2011

maior parte das reclamações dos consumidores aos Procons no ano passado concentrou-se nos segmentos inanceiros e de telecomunicações. Dos 1,6 milhão de atendimentos registrados ao longo do ano, 81,9 mil foram relacionadas ao grupo Itaú, seguido pela Oi, Claro-Embratel e Tim-Intelig. PÁGINA 4

Secretário quer prorrogação da Lei da Moda CERJ-Salvador Scofano

O

secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e Serviços, Julio Bueno, defendeu a prorrogação, de dez para 25 anos, da Lei da Moda, cuja vigência vai até 2013. A questão será discutida em fevereiro próximo pela Assembleia Legislativa do Rio (Alerj). A reivindicação, segundo Bueno, será levada ao governador Sergio Cabral Filho. PÁGINA 3

Diesel menos poluente já está no mercado nacional PÁGINA 7


2

MERCADO & NEGÓCIOS

17 a 23 de Janeiro de 2012

Analistas esperam nova redução da taxa básica de juros

Coluna do Moreira

A

MOREIRA FRANCO é Ministro Chefe da Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República

nalistas do mercado inanceiro consultados pelo Banco Central (BC) esperam por uma redução de 0,5 ponto percentual na taxa básica de juros, a Selic, na reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), marcada para esta terça-feira (17) e quarta-feira. Atualmente, a taxa está em 11% ao ano. Para o im de 2012, a expectativa é 9,5% ao ano, há cinco semanas. No inal do próximo ano, a previsão é de 10,25% ao ano. Essas projeções estão no boletim

Focus, publicação semanal do BC elaborada com base em estimativas de analistas do mercado inanceiro para os principais indicadores da economia. Segundo analistas, o agravamento da crise externa e, por consequência, a perspectiva de menor crescimento econômico, são os fatores que devem levar o Copom a reduzir mais uma vez a taxa básica de juros em 0,5 ponto percentual. Nas reuniões de agosto, outubro e novembro do ano passado,

o BC reduziu a Selic nesse patamar. O Copom reduz a Selic para estimular a atividade econômica. No sentido oposto, a Selic é elevada quando a autoridade monetária avalia que a economia está muito aquecida, com elevação dos preços. Então, o Copom sobe a taxa para incentivar a poupança, desestimular o consumo e segurar a inlação. De acordo com as previsões do Focus, a expectativa para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Am-

plo (IPCA), em 2012, caiu pela sétima semana seguida, ao passar de 5,31% para 5,30%. Para 2013, a expectativa foi mantida em 5%. Essas projeções estão acima do centro da meta de 4,5%, mas abaixo do limite superior de 6,5%. A pesquisa do BC também traz estimativa para o Índice de Preços ao Consumidor da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (IPC-Fipe), que passou de 5,26% para 5,24%, neste ano, e icou em 4,70%, em 2013.

Atividade econômica volta a registrar expansão em novembro A

atividade econômica voltou a crescer em novembro do ano passado. É o que mostra o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) dessazonalizado (ajustado para o período) divulgado dia 16. No mês passado, o índice registrou 140,19 pontos, um crescimento de 1,15%, em relação ao mês

anterior. Em outubro, na comparação com setembro, o IBC-Br havia apresentado queda de 0,32%. Nesse tipo de comparação, o índice vinha registrando recuos consecutivos desde agosto. Na comparação com o mesmo mês de 2010, o IBC-Br teve alta de 1,23%. Nos 11 meses do ano, a expansão icou em 2,88% e em 12 meses

encerrados em novembro, chegou a 3,04%. Houve leve desaceleração em relação aos dados até outubro. No acumulado de 10 meses, a alta era de 3,04% e em 12 meses inalizados em outubro, de 3,47%. Sem ajustes sazonais, os dados mostram queda do IBC-Br de 0,16% em novembro, em relação ao mês anterior. No acumu-

lado de 11 meses, houve alta de 2,84% e em 12 meses, de 2,97%. O IBC-Br é uma forma de avaliar e antecipar como está a evolução da atividade econômica brasileira. O índice incorpora informações sobre o nível da atividade dos três setores da economia - a indústria, o comércio e serviços e a agropecuária.

Em duas semanas, Banco Postal abre 75 mil contas

O

vice-presidente de Varejo, Distribuição e Operações do Banco do Brasil (BB), Dan Conrado, disse nesta segunda-feira (16) que foram abertas 75 mil contas no Banco Postal nas duas primeiras semanas de parceria entre o BB e os Correios - 500 delas referentes a pessoas jurídicas. Durante inauguração

de uma agência dos Correios no edifício-sede do BB, o dirigente ressaltou a importância da parceria que respondeu, no período, por 65% de todas as contas abertas na rede BB. Ele estima que o banco ganhará aproximadamente 2,2 milhões de clientes este ano, com ênfase na atuação do Banco Postal, presente em

95% dos 5.565 municípios do país, e nos 9.972 pontos da rede Mais BB. O vice-presidente de Negócios dos Correios, José Furian Filho, lembrou que a aceitação de contas de empresas é um diferencial nos serviços prestados pelo Banco Postal a partir de agora. No convênio anterior, com o Bradesco, só eram per-

mitidas contas de pessoas físicas. Até a última sextafeira (13), o Banco Postal divulgou a realização de 3,5 milhões de transações como saques, depósitos e recebimento de contas de serviços, além de pagamentos de 42 mil benefícios do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). As operações somaram R$ 600 milhões.

Ponto de Observação Alemanha vai ajudar centros de inovação no Brasil Alberto Marques

O

instituto alemão Fraunhofer, dedicado à pesquisa aplicada, irá acompanhar, certiicar e avaliar o trabalho de instituições de pesquisa e inovação que atendem a demandas da indústria brasileira. Acordo nesse sentido foi assinado semana passada entre Brasília e Berlim. De acordo com o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Aloizio Mercadante, as pequenas e médias empresas nacionais precisam muito desse tipo de suporte. Pelo acordo, as empresas poderão apresentar suas demandas aos institutos que forem credenciados, que tratarão de resolvê-las e receberão remuneração parcial

do governo brasileiro pelo seu trabalho, por meio da Embrapi - Empresa Brasileira de Pesquisa Industria). No momento, já estão credenciadas para esse tipo de atividade instituições de São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia e Santa Catarina na área da pesquisa e inovação. O ministério alocou, 2011, R$ 60 milhões para custeio na área da inovação e, segundo Mercadante, o valor deverá aumentar este ano diante da previsão de admissão de novos centros de pesquisa. De acordo com o diretor de Educação e Tecnologia da Confederação Nacional da Indústria, Rafael Lucchesi, os governos dos países mais desenvolvidos "apóiam fortemente as iniciativas na área da inovação e o Brasil está lançando mão de instrumentos semelhantes". Segundo ele, o SE-

NAI – Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial – atende anualmente a 20 mil empresas do Sistema S na área de pesquisa laboratorial e vai investir, até 2014, cerca de R$ 1,6 bilhão na construção de novos centros de pesquisa. Mercadante destacou que o setor privado ainda inova pouco no país, por isso o Estado procura participar dos investimentos, levando em conta que eles envolvem riscos. As empresas que aderem a projetos de inovação, segundo enfatizou, são beneiciadas com incentivos iscais. O ministro também destacou que é preciso inverter a questão das patentes no Brasil, pois enquanto dois terços delas, no mundo, vêm do setor privado, aqui, dois terços vêm de pesquisas inanciadas pelo setor público, seja por empresas

estatais ou laboratórios públicos. Para ele, nesse sentido, a parceria com o Instituto Fraunhofer vai ajudar na convergência da inovação, facilitando a transferência do conhecimento entre as empresas. O Fraunhofer congrega 60 centros de pesquisa em todo o mundo e 32 deles já desenvolvem projetos especíicos no Brasil, na área de calçados, na indústria têxtil, automotiva, de alimentos e de eletroeletrônicos. Na Alemanha, o instituto trabalha com os setores mais importantes da indústria alemã na área da tecnologia. O Brasil está ameaçado de voltar a depender da agricultura para garantir a entrada de divisas e a inovação e automação serão a porta de entrada do Brasil no 1º Mundo!

Casa Própria, um sonho ainda distante

O

custo médio do aluguel de imóveis no Rio de Janeiro subiu mais de 20% no último ano. Alto, muito alto. Mas, os problemas de moradia no Brasil não se restringem aos valores dos imóveis, quer sejam para comprar, ou alugar. Eles são mais complexos e multifacetados. Por exemplo, ao mesmo tempo em que temos um grande número de pessoas morando em condições abaixo do mínimo necessário, nos deparamos, também, com a escassez de habitação. O Brasil precisaria hoje de pelo menos cinco milhões de novas habitações, para solucionar os problemas dos que moram mal e dos que não encontram o imóvel que precisam. Apenas no estado do Rio de Janeiro seriam necessárias, no mínimo, mais quatrocentas mil moradias. Felizmente, uma parcela do problema vem sendo reduzida com o programa Minha Casa Minha Vida. No im do ano passado, foi anunciada a marca de 1,3 milhões de moradias construídas pelo programa, que pretende chegar a três milhões de casas populares até 2014. Os números são expressivos e registram o compromisso com metas que, há alguns anos, pareciam impossíveis de ser atingidas. O Minha Casa Minha Vida é um programa para construir habitações destinadas à população com renda mais baixa. Não por acaso, esta é a faixa em que há maior demanda por habitação, como também é a parcela da população que paga os mais altos alugueis em comparação com a renda familiar. Uma família com renda de R$ 10 mil gasta cerca de 20% de seus recursos com habitação, enquanto uma família com renda de menos de R$ 1 mil chega a gastar cerca de 40% do seu rendimento com aluguel. Uma dinâmica perversa que o Minha Casa Minha Vida se propõe a reduzir. Além de produzir novas moradias para a população de baixa renda, o programa também estimula o mercado da construção civil, não só para os grandes empreendimentos como os de pequeno porte. Isso sem falar na geração de emprego. Apenas de janeiro a setembro do ano passado, quase 300 mil novas vagas de trabalho foram abertas no setor, em todo o país. Não desconhecemos que o problema do deicit habitacional ainda está longe de ser zerado. Muito ainda terá que ser feito no Brasil. Mas, não podemos deixar de reconhecer que estamos avançando nessa direção, especialmente em relação as populações com renda de até 6 salários mínimos. (*) FECHAMENTO: 16 DE JANEIRO DE 2012

Cambio Compra (R$) 1,786 1,720 Compra (U$) 5,870 1,030 1,017 1,266

Moeda Dolar Comercial Dólar Turismo Moeda Coroa Dinamarca Dólar Austrália Dólar Canadá Euro Franco Suíça Iene Japão Libra Esterlina Inglaterra Peso Chile Peso Colômbia Peso Livre Argentina Peso MÉXICO Peso Uruguai

Venda (R$) 1,788 1,910 Venda (U$) 5,872 1,030 1,018 1,266

Variação % 0,11 1,03 Variação % 0,12 0,10 0,51 0,17

0,954

0,954

0,19

76,740 1,532 499,400 1.842,000 4,290 13,540 19,450 Bolsa

76,820 1,532 499,800 1.846,000 4,340 13,555 19,650

0,18 0,00 0,79 0,22 0,00 0,38 0,51

Valor 59.956,46 20.520,64 12.422,06 2.710,67 2.754,57

Variação % 1,37 1,21 0,39 0,51 0,04

Venda US$ 111,160 1.643,900 30,000 1.502,180 643,350

Variação % 0,61 0,00 0,00 0,00 0,00

17/01 16/01 16/01 ao ano

0,568 0,582 0,080 11,00 R$ 622,00

Ibovespa IBX Dow Jones Nasdaq Merval

Petróleo - Brent Ouro Prata Platina Paládio

Unidade barril onça troy onça troy onça troy onça troy

Commodities Compra US$ 111,140 1.642,900 29,920 1.492,180 636,350 Indicadores

Poupança Poupança p/ 1 Mês TR Juros Selic meta Salário Mínimo (Federal)

MERCADO & NEGÓCIOS Na internet:

www.jornalcapital.jor.br

Filiado À ADJORI - Associação de Jornais do Interior Capital Empresa Jornalística Ltda CNPJ 11.244.751/0001-70 Av. Governador Leonel Brizola (antiga Presidente Kennedy), 1995 - Sala 804 Edifício Sul América - Centro, CEP 25.020-002 - Duque de Caxias, Rio de Janeiro Telefax: (21) 2671-6611 endereços eletrônicos: comercial@jornalcapital.jor.br comercial.capitalmercado@gmail.com contato@jornalcapital.jor.br contato.capitalmercado@gmail.com redacao@jornalcapital.jor.br redacao.capitalmercado@gmail.com TIRAGEM: 10.000 exemplares (assine o Capital: 21 2671-6611) IMPRESSÃO: ARETÉ EDITORIAL S/A CNPJ 00.355.188/0001-90 Departamento Comercial: (21) 2671-6611 / 8400-0441 / 7854-7256 ID 8*21653 Diretor Geral: Marcelo Cunha Diretor de Redação: Josué Cardoso (josuejornalista@gmail.com) Colaboradores: Alberto Marques, Arthur Salomão, Dilma Rousseff, Geiza Rocha, Moreira Franco, Priscilla Ricarte,Roberto Daiub e Rodrigo de Castro. Os artigos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores.


MERCADO & NEGÓCIOS

3

17 a 23 de Janeiro de 2012

Agronegócio deverá exportar mais de US$ 100 bilhões O

ministro da Agricultura, Mendes Ribeiro Filho, anunciou que o agronegócio brasileiro deve exportar, em 2012, mais de US$ 100 bilhões em produtos. “Para chegar a US$ 100 bilhões precisamos apenas de um crescimento de 5,7% das exportações, que é um número que temos como alcançar”, disse o ministro ao se referir aos US$ 94,6 bilhões vendidos para outros países no ano passado. O resultado de 2011 é o melhor desde 1997 - quando iniciou o registro da série histórica - e supera em 24% o alcançado em 2010, quando foram vendidos US$ 76,4 bilhões em produtos agropecuários. Os complexos soja, sucroalcooleiro e carnes izeram as maiores contribuições para o crescimento

das vendas. Os principais destinos foram a União Europeia, China, os Estados Unidos, a Rússia e o Japão. As importações de produtos do setor atingiram US$ 17,08 bilhões, crescimento de 28% em relação a 2010. Assim, o superávit da balança comercial do setor em 2011 icou em US$ 77,51 bilhões, quase três vezes maior que o resultado global da balança comercial brasileira, que foi US$ 29,8 bilhões. CAFÉ - O primeiro levantamento da safra 2012 de café, divulgado dia 10 pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), indica que serão beneiciadas entre 48,97 milhões e 52,27 milhões de sacas. O volume é no mínimo 12,6%, podendo chegar a 20,2%, superior ao da safra ante-

rior, quando foram colhidas 43,48 milhões de sacas de 60 quilos. A justiicativa para o crescimento expressivo é o ano de alta bienalidade. No entanto, se conirmada, esta será a maior safra da história, superando a safra 2002/2003, que atingiu 48,48 milhões de sacas. Em relação a 2009, último ciclo de alta, o crescimento chega a 5,22%. O café arábica deve ter produção entre 36,41 milhões e 39,02 milhões de sacas, representando 74,5% da safra nacional. Minas Gerais é o maior produtor dessa espécie, devendo produzir entre 25,25 milhões e 26,82 milhões de sacas. O café conilon, estimado entre 12,56 milhões e 13,25 milhões de sacas, representando cerca de 25,5% da produção cafeeira, tem o

Renato Araújo-ABr

Espírito Santo como maior produtor, devendo produzir entre 8,97 milhões e 9,53 milhões de sacas. A Conab realizou a pesquisa entre os dias 8 de novembro e 17 de dezembro e foram visitados os municípios de Minas gerais, Espírito Santo, São Paulo, Bahia, Paraná e Rondônia, responsáveis por 98% da produção nacional.

Secretário defende prorrogação da Lei da Moda no Rio

O

secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e Serviços, Julio Bueno, defendeu a prorrogação, de dez para 25 anos, da Lei da Moda, cuja vigência vai até 2013. A questão será discutida em fevereiro próximo pela Assembleia Legislativa do Rio (Alerj). A reivindicação será levada ao governador Sergio Cabral Filho, segundo Bueno. A Lei da Moda foi criada em 2003

e reduz para 2% o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) para o setor têxtil e de confecção no Rio. Em outros estados, a alíquota do ICMS para o setor varia entre 12% e 19%, disse o secretário durante visita aos polos de moda luminense, no Salão de Negócios de Moda e Design Rio-à-Porter. - Um aumento no prazo de vigência [da lei] garantiria continuidade para

quem trabalha no setor, que hoje é sinônimo de empregabilidade e carrega grande função social em todo o estado - destacou o secretário. Ele lembrou que o Rio apresenta a melhor remuneração mensal no segmento da moda, equivalente a R$ 1,66 mil. Esse salário supera em 42% a média nacional do setor. A subsecretária estadual de Comércio e Serviços, Dulce Ângela Procópio, destacou que “todos os dados

mostram que o setor de confecção é extremamente empregador. Ele não é gerador de tributos, porque a maioria das empresas é de micro e pequeno porte e está no regime Simples Nacional. Quem gera imposto são as grandes empresas. Mas, as indústrias de confecção são geradoras de riqueza para o estado, por meio da empregabilidade. Você tem mais gente empregada, com mais dinheiro rodando na economia”.

Direito Empresarial (*)ARTHUR SALOMÃO É ESPECIALISTA EM DIREITO EMPRESARIAL E RECUPERAÇÃO JUDICIAL.

Municípios poderão cobrar pedágio Arthur Salomão*

A

lei nº 12.587/12, sancionada no último dia 3, determina que os municípios brasileiros possam cobrar pedágio para diminuir o trânsito de automóveis. Um dos principais objetivos é estimular o transporte coletivo e reduzir a emissão de poluentes.

A norma institui as diretrizes da Política Nacional de Mobilidade Urbana, e autoriza a cobrança de tributos pelo uso da infraestrutura urbana, "visando a desestimular o uso de determinados modos e serviços de mobilidade". As novas regras de incentivo ao transporte coletivo podem não entrar em vigor antes da Copa do

Mundo de 2014, porque os municípios têm prazo até 2015 para se adequarem a elas. As 1.663 cidades brasileiras com mais de 20 mil habitantes terão de elaborar planos de mobilidade urbana. E as cidades que não cumprirem o prazo de três anos para os planos podem ser punidas com a suspensão dos repasses de recursos federais ao setor.

Hoje, apenas municípios com mais de 500 mil habitantes são obrigados a ter planos de mobilidade e nem todas as 38 cidades com esse peril têm políticas para o setor. A lei também determina que os municípios ixem a tarifa máxima cobrada pelos táxis. A medida estimularia a competição por meio de descontos.

Conversa com a Presidenta Encaminhe perguntas para a Presidenta DILMA ROUSSEFF: redacao@jornalcapital.jor.br ou redacao.capitalmercado@gmail.com

KÁTIA CILENE DE ALBUQUERQUE, 52 anos, dona de casa em Petrópolis (RJ) - Quais são as ações do governo para que as nossas lorestas não sejam tão desmatadas? Presidenta Dilma – O desmatamento ilegal da Amazônia, Kátia, que tinha chegado a 27,7 mil km², em 2004, vem caindo consistentemente, até icar em 6,2 mil km² no último ano, uma queda de nada menos que 77,6%. Foi a menor área desmatada nos últimos 22 anos. Isto é justamente o resultado das várias ações que temos implementado desde o governo Lula, entre as quais destaco o Plano de Ação para a Prevenção e Controle do Desmatamento da Amazônia. Lançado em 2004, o plano promove o monitoramento, o controle e a iscalização ambiental com ações integradas entre o Ibama, Polícia Federal, Forças Armadas e Força Nacional de Segurança Pública. Com a Operação Arco Verde, atuamos nos 43 municípios que respondiam por 55% de todo o desmatamento, promovendo regularização fundiária, ambiental, pactos pelo im da derrubada de matas, educação ambiental, etc. Temos também estimulado quem faz o aproveitamento sustentável da loresta. Cito, como exemplo, o Bolsa Verde, concedido a beneiciários do Bolsa Família que moram em lorestas nacionais, reservas extrativistas ou de desenvolvimento sustentável federais e assentamentos. Vamos continuar atuando com irmeza para impedir o desmatamento ilegal e para apoiar a regeneração das áreas já desmatadas e abandonadas. BERNARDO RODRIGUES DOS SANTOS, 44 anos, comerciante em Riachão das Neves (BA) - Por que os municípios baianos não têm aplicação de recursos do poder federal? Presidenta Dilma – Todos os municípios baianos recebem atenção e recursos do governo, assim como os municípios dos demais Estados da Federação. Você pode veriicar no site www.portaltransparencia.gov.br, onde estão discriminados todos os repasses do governo federal. Em 2011, repassamos para o seu município R$ 22,7 milhões. O PAC já investiu R$ 3,1 bilhões em obras de saneamento em diversos municípios da Bahia, sendo que R$ 2,7 bilhões correspondem a repasses do governo federal. Na primeira fase do Minha Casa Minha Vida, foram contratadas 101,3 mil moradias na Bahia, das quais 23,4 mil já foram entregues, e investimos R$ 4,2 bilhões. Na segunda fase do programa, que está apenas no início, já foram contratadas 20,9 mil unidades habitacionais, entregues 4,5 mil e investidos R$ 883 milhões. O programa Bolsa Família beneicia atualmente 1,75 milhão de pessoas em praticamente todos os municípios baianos. O Luz para Todos já realizou ligações para 2,3 milhões de baianos da zona rural. Para ampliar o acesso à educação, são 9 novos campi universitários e 11 novas unidades da Rede de Escolas Técnicas, sobretudo em cidades do interior. O governo federal tem investido muito nos municípios da Bahia, o que é fundamental para a redução das desigualdades regionais e para elevar a qualidade de vida de todos os baianos. JOÃO BATISTA RIBEIRO, 52 anos, empreiteiro em Divinópolis (MG) - O que o governo pode fazer para coibir abusos praticados por farmácias conveniadas com o programa Farmácia Popular que sonegam medicamentos de uso contínuo? Aqui em Divinópolis, quando tem um remédio, não tem o outro. Quando tem, o sistema está fora do ar. Presidenta Dilma – João Batista, é muito importante que a população ique atenta aos serviços de saúde e denuncie sempre que houver problemas. Para facilitar a participação de todos, o Ministério da Saúde criou o serviço de ouvidoria do SUS, pelo número 136, que é gratuito e funciona em todo o país. O Ministério da Saúde realiza iscalização periódica, para evitar fraudes, nas mais de 20 mil farmácias credenciadas em todo o país no programa Aqui Tem Farmácia Popular. Na sua cidade, por exemplo, das 41 farmácias privadas credenciadas no programa, 5 foram bloqueadas pelo Ministério da Saúde em 2011 por indícios de irregularidades. Até que as investigações sejam concluídas, procure uma das outras 36 farmácias conveniadas em Divinópolis. Você pode também recorrer a uma Unidade Básica de Saúde (UBS) do Sistema Único de Saúde (SUS). O programa Aqui Tem Farmácia Popular foi criado para ampliar os pontos de retirada de medicamentos para além das UBSs, que continuam ofertando medicamentos gratuitos à população. Para saber os endereços, ligue 136, ou consulte na internet www.saudenaotempreco. com.br. Mesmo com o bloqueio de algumas farmácias, o número de beneiciados pelo programa quase dobrou em Divinópolis de janeiro a dezembro de 2011, passando de 4,9 mil para 8 mil.


4

MERCADO & NEGÓCIOS

17 a 23 de Janeiro de 2012

Itaú, Oi, Claro e Tim lideraram reclamações no Procon em 2011 A

maior parte das reclamações dos consumidores aos Procons em 2011 concentrou-se nos segmentos inanceiros e de telecomunicações. Dos 1,6 milhão de atendimentos registrados ao longo do ano, 81,9 mil foram relacionadas ao grupo Itaú, seguido pela Oi (80,8 mil), Claro-Embratel (70,1 mil) e Tim-Intelig (27,1 mil). O boletim do Sistema Nacional de Defesa do Consumidor (Sindec), divulgado

sexta-feira (13) pelo Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor do Ministério da Justiça, mostrou que assuntos inanceiros, telecomunicações e alguns produtos como aparelho celular, computadores, dvds, móveis e eletrodomésticos de linha branca somam 57,75 % do total de atendimentos. Entre os problemas enfrentados pelos consumidores estão as cobranças (35,46%), ofertas

IBGE adapta cálculo da inlação a estilo de vida do brasileiro

A

partir deste ano, o chope, o bacalhau, o chuchu e a máquina de costura não pesam mais na inlação. O órgão do governo responsável pelo cálculo, o Instituto Brasileiro de Geograia e Estatística-IBGE, retirou da conta esses e mais 48 itens. Por outro lado, acrescentou 32, como o salmão, o morango, o chuveiro elétrico e o telefone com internet. As mudanças no Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), divulgado mensalmente pelo IBGE e referência para as metas de inlação estipuladas pelo governo, foram promovidas para adequar o cálculo aos hábitos de consumo dos brasileiros. Segundo a Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF) de 20082009, muita coisa mudou

desde 2006, quando o IPCA foi atualizado pela última vez. A revisão do cálculo passou a vigorar na quarta-feira (11) para adequar a importância de alguns produtos e serviços na fórmula, mas as alterações já haviam sido anunciadas pelo IBGE no ano passado. Com o anúncio, antes mesmo que o IPCA passasse a ser calculado pela nova fórmula, instituições inanceiras reduziram as projeções da inlação para 2012, como o Banco Itaú, que reajustou a previsão de 5,75% para 5,25%, e a consultora Sul América Investimentos, que cortou de 5,3% para 5%. Entre 2008 e 2009, o brasileiro passou a consumir mais salmão, DVDs e celulares com internet, por exemplo.

(19,99%), contratações (11,62%) e qualidade (11,19%). As mulheres representam 54,69% das pessoas que procuraram os Procons em 2011. A maioria dos consumidores tem entre 31 e 40 anos. Os jovens até 20 anos somam 2,12%, o menor percentual registrado. Porém, é um número importante, pois representa mais de 22 mil jovens consumidores que conscientes de seus direitos procuraram os Procons.

Saúde Roberto Daiub Alexandre é médico cardiologista concursado da Prefeitura de Duque de Caxias, médico-chefe do Centro de Terapia Intensiva do Hospital de Clínicas de Teresópolis (Unifeso) e médico plantonista da emergência do Hospital das Clínicas Mario Lioni, em Duque de Caxias

Queimaduras (Parte Final)

O

que não fazer diante de uma pessoa queimada - Nunca coloque sobre a área queimada alimentos como leite, manteiga, óleos, cebola, clara de ovo, etc; - Nunca aplique pomadas sobre a área queimada sem orientação médica; - Não tente tratar o paciente sem ter o conhecimento médico cientíico necessário para a cura da lesão. Como agir diante de uma pessoa queimada - Esfriar imediatamente a área queimada com água gelada (de preferência) ou água corrente com a inalidade de neutralizar a ação do calor; Nos casos de fogos de artifício, pode ocorrer lesão de estruturas ósseas e ligamentares,associado a hemorragias, sendo necessário encaminhamento a um serviço médico com urgência absoluta devido a gravidade das lesões. - Proteger a área queimada com um pano limpo; - Não alimentar o paciente; - Encaminhar imediatamente o paciente a um serviço de urgência para a devida avaliação pela equipe médica. Nas queimaduras que ocorrem em ambiente fechado, geralmente ocorre também inalação de gases tóxicos. Nesses casos, é fundamental o tratamento médico imediato, para cuidar de uma possível insuiciência respiratória (queimadura das vias aereas). Queimaduras são lesões graves que atingem a pele e que causam disfunções em múltiplos órgãos e sistemas, podendo levar a morte. Prevenir é sempre o melhor remédio. Banco de Imagens

Anuncie!

Ligue: 21 2671-6611


MERCADO & NEGÓCIOS

5

17 a 23 de Janeiro de 2012

Mazinho reairma que em sua gestão passagem custará R$ 1 evido à repercussão que provocou a entrevista que concedeu ao Capital, publicada dia 20 dezembro último, na qual anunciou que caso seja eleito prefeito de Duque de Caxias vai ixar a passagem em apenas R$ 1, o presidente da Câmara Dalmar Lírio Mazinho reairmou sua proposta e disse que ela “é viável”. Para ele, o principal é ter “vontade política” e copiar de onde ela já existe. “Angra dos Reis, Cabo Frio, Campos, Paraty e Piraí são algumas das cidades que já implantaram as passagens a R$ 1. É um programa de mobilidade urbana, através do qual os usuários residentes na cidade se cadastram e recebem um cartão. O município subsidia o restante, como acontece nos restaurantes populares, onde a comida é R$ 1 e o Estado paga a diferença”, assinalou o vereador, airmando que sua assessoria pesquisou o assunto em todo o território nacional. “Isso é uma forma de distribuição de renda”, completou. - A medida não prejudica ninguém, muito menos os empresários do setor, que receberão a diferença do Poder Público. O que nós queremos é que a população tenha um atendimento descente e que as empresas cumpram seus horários e ofereçam um serviço de alta qualidade -

Divulgação

D

Vereadores esclarecem que aumento das passagens não passou pelo Legislativo

P

Mazinho disse que várias cidades brasileiras já praticam tarifas no valor de R$ 1 disse o vereador. Segundo Mazinho, o prazo para implantação é relativamente curto, cerca de seis meses. “Primeiro se faz o estudo para levantar os preços das tarifas, através de uma entidade competente, como, por exemplo, o Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Gradução e Pesquisa de Engenharia (Coppe), da UFRJ. Com relação ao abaixo assinado com 25 mil assinaturas de usuários entregue ao prefeito, contra os aumentos e defendendo mais qualidade do serviço, Mazinho disse que “é uma prerrogativa nossa fazer uma audiência pública sobre as passagens de

ônibus, ouvir a população, como já estamos fazendo sobre vários assuntos, como segurança pública, por exemplo. A Câmara se tornou um poder independente, que vem dialogando com a população. Vamos fazer isso também com o transporte público, chamando os empresários e a Prefeitura. Sobre a notícia de que teria recebido ameaça por defender passagens mais baratas e um serviço de mais qualidade, Mazinho airmou: “Um rapaz disse no Facebook para eu comprar um AK para me defender porque os empresários poderiam fazer alguma coisa contra mim.

Historicamente temos que ter algum cuidado. É claro que agora mexendo nesses tabus, nesses assuntos polêmicos, o meu nome vai icar mais em evidência, as pessoas vão começar a jogar pedras em mim, inventar denúncias contra mim. Estou preparado. Já deixei claro que não sou contra as empresas de ônibus, contra os empresários, até porque também sou um deles e crio empregos na nossa cidade. Essas pessoas geram recursos para a cidade. Porém, não podemos esquecer do povo mais sofrido, o povo trabalhador que também contribui para construir essa riqueza”.

Anuncie!

ara justiicar o reajuste das tarifas, a prefeitura divulgou nota no último dia 9, informando que o aumento que passou a vigorar em Duque de Caxias a partir do dia 8, “é automático e autorizado pela Câmara Municipal para todo o início de ano”. A nota provocou polêmica no Legislativo e acabou gerando uma outra, distribuída na tarde de quinta-feira (12) pela Secretaria de Comuncação. Ela acrescenta que não houve aumento e sim “correção do IPCA do IPCA-Índice de Preço ao Consumidor Amplo, que foi de 6,64%, com base na inlação”. Ao tomar conhecimento da primeira nota, o vereador Evangivaldo Santos Soares, o Grande, questionou seu conteúdo. “Eu repudio a informação da Prefeitura.

Quem deu essa informação é totalmente desinformado e irresponsável, pois só o prefeito pode dar esse aumento, e através de decreto”, disse o parlamentar. O presidente Mazinho também se pronunciou sobre o assunto, dizendo que o aumento não teve o aval da Câmara, ao contrário do que foi divulgado. “Isso não é prerrogativa do Poder Legislativo. Isso já foi desmentido em alguns blogs e outros veículos. A Prefeitura inclusive reconheceu o erro”, frisou. “O que deveria ser feito é uma planilha de custos para deinir esse aumento. Como a prefeitura não faz essa planilha, ela acompanha o aumento do Rio de Janeiro. É uma maneira cômoda, foi sempre assim e isso tem que acabar”, concluiu. Arquivo

Evangivaldo Santos Soares, o Grande, relator da Comissão de Defesa do Consumidor, disse que só o chefe do Executivo pode autorizar os reajustes

Ligue: 21 2671-6611


6

17 a 23 de Janeiro de 2012

MERCADO & NEGÓCIOS

Atualidade Cursos da Faetec atraem milhares de candidatos

A

abertura das inscrições para vagas nos cursos proissionalizantes gratuitos oferecidos pela Fundação de Apoio à Escola Técnica (Faetec), no último dia 10, atraiu milhares de candidatos. As inscrições, que terminam no dia 30 janeiro, podem ser feitas no site da fundação (www.faetec.rj.gov. br) ou em qualquer das unidades da Faetec Digital. As inscrições terminam no dia 30 e o sorteio das vagas, aberto ao público,

ocorrerá no dia 31. A listagem será divulgada no site da Faetec no dia seguinte, 1º de fevereiro. A matrícula, para os candidatos sorteados, será realizada de 1º a 17 de fevereiro. O início das aulas está marcado para 27 de fevereiro. Até o dia 6 de março, haverá a reclassiicação das vagas remanescentes. A inscrição deve ser feita somente pela internet (www.faetec. rj.gov.br). Quem não tiver acesso à rede pode procurar qualquer unidade da Faetec Digital de segunda a sexta-feira, das 10h às 17h.

País Recursos a ONGs passarão por maior controle

O

governo federal estabeleceu novas normas para o repasse de recursos a organizações não governamentais (ONGs). A partir desta segunda-feira (16), todas as transferências de recursos federais realizadas pela União a entidades privadas sem ins lucrativos devem ser cadastradas no Sistema de Convênios do Governo Federal (Siconv). Pelas novas regras, as entidades precisam se cadastrar

no sistema e apresentar os documentos exigidos. É necessário comprovar funcionamento regular nos três anos anteriores ao credenciamento. As ações de liberação de recursos, iscalização, execução e prestação de contas serão realizados diretamente no Sincov. O Ministério do Planejamento defende que, por meio do Siconv, haverá maior transparência sobre a utilização dos recursos, aumento no controle do gasto público e agilidade na iscalização.

Internacional Brasil envia ajuda humanitária para Quênia, Etiópia e Honduras

O

Brasil vai mandar ajuda humanitária para países africanos e centro-americanos. Quênia e Etiópia vão receber pouco mais de 18 mil toneladas de arroz doados pelo governo federal. Os grãos saíram de estoques da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e deixaram o Brasil segunda-feira (16), pelo Porto de Rio Grande, no Rio Grande

do Sul, rumo aos dois países. Também foi enviado cerca de 700 toneladas de milho para Honduras, pelo Porto de São Francisco do Sul, em Santa Catarina. Na semana passada, 31 toneladas de milho foram enviadas pelo mesmo porto para a Somália. Os três países africanos para onde serão enviados os grãos são considerados pela Organização das Nações Unidas (ONU) com baixo desenvolvimento humano.

Garra e alegria são destaques no ensaio da Grande Rio A

chuva ameaçou marcar presença mais uma vez no segundo ensaio técnico da Escola de Samba Acadêmicos do Grande Rio, que ocorreu na noite de domingo (15). Mas, pouco antes dos ritmistas da bateria começarem a batucar seus instrumentos, ela parou e a alegria tomou conta dos milhares de componentes e foliões, que ocupavam a Avenida Brigadeiro Lima e Silva, no bairro 25 de Agosto, em Duque de Caxias. Comandada por Mestre Ciça, a bateria tocou sem cessar o samba da escola deste ano, cujo enredo - “Eu acredito em você. E você?” -, desenvolvi-

do pelo carnavalesco Cahê Rodrigues, remete a superação que a Grande Rio precisou passar em 2011 com o incêndio de seu barracão na Cidade do Samba pouco antes do carnaval. Os membros das quase 30 alas presentes desenvolveram suas coreograias e marcações, acompanhando a letra do samba cantado com vibração por Wantuir, o intérprete oicial da escola. O presidente de honra da escola de Duque de Caxias, Jaider Soares, acompanhou o ensaio, que também contou com a entusiasmada presença de sua Rainha de Bateria, a atriz e apresentadora Ana Furtado. Ela seguiu com animação e samba no pé, à frente da bateria du-

rante toda a sua caminhada na Avenida Brigadeiro Lima e Silva, entre a Rua Major Correia de Melo e a Rua Passo da Pátria. A pedido do prefeito José Camilo Zito, os ensaios de rua da Grande Rio fazem parte do calendário oicial da cidade. No domingo (22) e no dia 3 de fe-

vereiro, o ensaio técnico da escola ocorrerá no Sambódromo, na Rua Marquês de Sapucaí, no Rio de Janeiro. A Escola também faz ensaios na sua quadra em Duque de Caxias. Eles ocorrem às terças-feiras, a partir das 21h. SMCP/Paulo Martins

A Rainha da Bateria Ana Furtado encantou os foliões

Campanha de Desarmamento recebe apoio da PM do Rio A

Polícia Militar entrou oicialmente, quinta-feira (12), na Campanha Nacional de Desarmamento. A participação das forças de segurança estaduais faz parte da segunda fase da campanha, que já completou sete meses. Atualmente, o Rio de Janeiro está em terceiro lugar no ranking de recolhimento de armas no Brasil, com quatro mil. A expectativa é que, com o aumento do número de postos, a arrecadação de armamentos deve crescer. “Todos os batalhões estarão aptos a receber esses armamentos. Vamos lutar para que o estado alcance o

primeiro lugar”, airmou o comandante da Polícia Militar, coronel Erir Ribeiro Filho. Os policiais militares passarão por um curso de qualiicação nos dias 1, 2 e 3 de fevereiro visando à atuação na campanha. E, a partir de março, todos os batalhões do estado começarão receber armas. A Polícia Civil já estava participando da campanha com 136 delegacias, que foram preparadas para recolher armamentos. “Tivemos de modiicar a estrutura das delegacias para receber essas armas e é importante que as pessoas saibam da existência dos postos na Polícia Civil e, agora, na

Polícia Militar”, frisou o subchefe da Polícia Civil, Fernando Veloso. Desde a primeira fase da campanha, as polícias Federal e Rodoviária Federal também estão recolhendo armas. No Rio, os moradores têm ainda a opção de en-

tregar seus armamentos no Viva Rio, única ONG do país a participar da campanha. O cidadão que decidir entregar sua arma não precisa se identiicar e receberá uma quantia em dinheiro por isso. Banco de Imagens

Ministro Iraniano anuncia lançamento de satélite para fevereiro O ministro da Defesa do Irã, Ahmad Vahidi, anunciou segunda-feira (16) que o governo italiano se prepara para lançar um satélite ao espaço na primeira quinzena de fevereiro. Vahidi disse que a ideia é que o lançamento ocorra entre os dias 1º e 10 de fevereiro, durante as celebrações do 33º aniversário da vitória da Revolução Islâmica no país (1979). Também está nos planos do governo iraniano o lançamento de sua primeira missão tripulada ao espaço em 2019. As iniciativas ocorrem no momento em que o Irã

anunciou que pretende retomar as negociações com a comunidade internacional para encerrar o impasse em torno de seu programa nuclear. O programa nuclear iraniano é alvo de suspeitas porque parte da comunidade internacional desconia que há produção de armas. Porém, as autoridades iranianas negam as desconianças. O país, no entanto, sofre sanções econômicas, comerciais e inanceiras desde 2010. Em 12 de novembro do ano passado, Vahidi anunciou que o Irã estaria pronto para lançar ao espaço três satélites de fabricação nacional

chamados de Fajr, Navid e Tolou. Segundo ele, os satélites têm o objetivo de “sondar e desvendar os mistérios” do universo. O Irã lançou seu primeiro satélite nacional em 2009. Em 20 de junho do ano passado, o

presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, disse que o país ganhou acesso à tecnologia de desenvolvimento de vários satélites e anunciou o lançamento de satélites maiores. Banco de Imagens


MERCADO & NEGÓCIOS

17 a 23 de Janeiro de 2012

7

Três novos trens chineses já estão no Rio ais três trens comprados na China para reforçar o sistema ferroviário, operado pela concessionária Supervia, e que chegaram ao Porto do Rio quarta-feira (11), já estão em solo carioca. O desembarque do navio Lia Hua Song foi no Terminal MultiRio, no Caju. Os trens, cada um com quatro vagões, seguirão agora para a oicina da Supervia em Deodoro, na Zona Oeste, para um período de 45 dias de testes, entrando em operação provavelmente no começo de março. Cerca de 30 técnicos do consórcio chinês China National Machinery (CMC), responsável pela fabricação, estão no Rio para acompanhar as simulações.

M

Diesel menos poluente já está no mercado nacional

H

á duas semanas está no mercado nacional o novo diesel S-50 - com limite de 50 partes por milhão (ppm) de enxofre - menos poluente do que os demais combustíveis da mesma família. A utilização do diesel S-50 faz parte da implantação das fases P-7 e L6 do Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores – Proconve (que abrange veículos pesados e utilitários movidos a diesel produzidos a partir de 2012), previstas desde 2009. Segundo o diretor da Agência Nacional de Petróleo (ANP), Allan Kardec Duailibi, os veículos mais antigos também poderão utilizar o novo diesel. Já os novos serão fabricados para utilização somente dos combustíveis do tipo S-50. Para garantir o abastecimento do óleo diesel S50 em todo o país a partir deste ano, a ANP selecionou 3.100 postos que se juntarão aos mais de 1100 estabelecimentos que já vendem o produto nas regiões metropolitanas de Belém, Recife e Fortaleza. Os postos de revenda foram escolhidos supondo uma autonomia mínima de 100 km para os veículos pesados. O universo abrangeu os postos em que o número de bicos para abastecer motores a diesel fosse superior ao de bicos para veículos com motores do ciclo Otto (carros de passeio, comerciais leves, motocicletas). De acordo com o plano de abastecimento da ANP, a distribuição para as revendas será realizada por 14 pólos de suprimento da Petrobras (refinarias e terminais) e 49 bases de armazenagem e distribuição.

Cada composição tem capacidade para transportar 1.300 passageiros. Os trens, todos com ar condicionado, contam com tecnologia de ponta, interiores mais amplos, painéis de LED, circuito interno de TV, bagageiro e um moderno sistema de comunicação interativa entre passageiros e o Centro de Controle da SuperVia. Essas composições se juntam à primeira que chegou em setembro de 2011 e que está em fase inal de testes, devendo entrar em circulação no início de fevereiro. Até julho, a partir do próximo mês, vão chegar os demais trens comprados na China – quatro trens em cada um dos primeiros meses e seis em cada um dos dois últimos.

SCERJ / Marcelo Horn

marcelo horn


8

MERCADO & NEGÓCIOS

17 a 23 de Janeiro de 2012

Faturamento das pequenas e microempresas registrou aumento no ano passado O

faturamento real das micro e pequenas (MPEs) empresas aumentou 4,3% de janeiro a novembro de 2011, de acordo com a pesquisa Indicadores Sebrae-SP. Também em novembro do ano passado, houve aumento, em relação ao mesmo mês de 2010, de 6,1%. De acordo com a pesquisa, o setor de serviços teve alta de 13,5% no faturamento, na comparação com novembro de 2010. O comércio foi o setor que menos cresceu, embora tenha tido aumento de 2,3%. Outra conclusão foi que os micro e pequenos empresários paulistas es-

tão otimistas quanto ao ano de 2012. Dos proprietários de MPEs, 31% acreditam que terão aumento no faturamento em 2012, 50% acham que manterão a receita e apenas 7% esperam queda no faturamento real. De acordo com o diretor superintendente do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de São Paulo (SebraeSP), Bruno Caetano, as micro e pequenas empresas tendem a acompanhar o ritmo de crescimento na economia do país. “Considerando as características das MPEs, que vendem principalmente para

o consumidor, no mercado interno, a evolução da ocupação e da renda na economia deverão inluenciar, de maneira relevante, o desempenho das MPEs em 2012”, disse. A pesquisa é feita todos os meses pelo Sebrae-SP, com apoio da Fundação Seade. Em novembro, participaram do levantamento 2.716 micro e pequenas empresas dos setores de comércio (57% do universo das MPEs paulistas no setor), serviços (32%) e indústria de transformação (11%). Em todo o estado, são mais de 1,3 milhão de empresas nos três setores.

Anuncie!

Ligue: 21 2671-6611

Edição Nº 91  

Jornal Capital - Edição nº 91

Advertisement