Page 1

www.

Site jornalcapital

Indicadores / Câmbio

Internacional

.jor.br

Governo quer que Estados participem mais de exportações

Brasil e Uruguai preparam reunião da Cúpula do Mercosul

Dolar Comercial Dólar Turismo Ibovespa

Compra 1,811 1,740

Venda % 1,813 1,68 1,930 2,11 56.284,59 0,79 PÁGINA 5 FECHAMENTO: 21 DE NOVEMBRO DE 2011

Ano 3 nº 83 www.jornalcapital.jor.br

MERCADO & NEGÓCIOS CAPITAL EMPRESA JORNALÍSTICA LTDA

R$1

DE 22 A 28 DE NOVEMBRO DE 2011

SCERJ/Carlos Magno

Novo mínimo de R$ 622,73

O

governo anunciou ao Congresso Nacional a elevação do valor do salário mínimo para R$ 622,73 a partir de 1º de janeiro de 2012. A previsão era R$ 619,21, com a revisão aumentou R$ 3,52. O reajuste consta da atualização dos parâmetros econômicos utilizados na proposta orçamentária de 2012. O anúncio foi enviado em ofício do Ministério do Planejamento. A política de recuperação do salário mínimo prevê reajuste com base na inflação de 2011 mais a taxa de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 2010, que foi de 7,5%.

Banco de Imagens

Analistas mantêm projeção de crescimento

A

A

nova fábrica da Nestlé inaugurada em Três Rios promete alavancar o desenvolvimento econômico do estado, impulsionando a cadeia produtiva do leite. E os números não são modestos. Com investimento de R$ 163 milhões, a fábrica ocupa uma área de 20 mil m² às margens da Rodovia Washington Luís (BR-040). PÁGINA 3

Belo Monte: BNDES negou inanciamento de quase R$ 5 bilhões

nalistas do mercado financeiro consultados pelo Banco Central (BC) mantiveram a projeção para o crescimento da economia em 2011 e 2012. A estimativa para a expansão do Produto Interno Bruto (soma de todas as riquezas produzidas no país) continua em 3,16%, neste ano, e em 3,5%, em 2012. Essas projeções estão no boletim Focus, publicação semanal do Banco Central. PÁGINA 2

Greenpeace/Gilvan Barreto

PÁGINA 2

LLX, do grupo de Eike Batista, assina contrato para instalar unidade no Superporto do Açu

A

LLX, empresa de logística do Grupo EBX, assinou sexta-feira (18), contrato com a Technip Brasil para a instalação de uma unidade de produção de tubos flexíveis para apoio à indústria offshore no Porto do Açu, em construção em São João da

Barra. A previsão é de que sejam investidos R$ 650 milhões na construção da unidade, que deve gerar 600 empregos diretos e cerca de mil indiretos com a cadeia produtiva de suprimentos. Durante a assinatura do contrato, no Palácio Guanabara, o governador do

Rio, Sérgio Cabral, comemorou a geração de postos de trabalho viabilizada pela instalação de novos empreendimentos na região. Com inauguração prevista para setembro de 2013, a unidade da Technip ocupará uma área de 289.800 m². PÁGINA 8

R$ 150 milhões de multas O

Ibama determinou aplicação de multa no valor de R$ 50 milhões à petrolífera Chevron pelo vazamento de

petróleo no Campo de Frade, na Bacia de Campos. A empesa levou outra multa, desta vez da ANP, de R$ 100 milhões. Ativistas

do Greenpeace izeram protesto na porta da empresa, no centro do Rio (foto). PÁGINA 7

Baixada no plano de investimentos PMDC/Márcio Leandro

Ex-presidente Lula passa bem após segunda etapa da quimioterapia

A

pós passar por mais uma etapa do seu tratamento contra um câncer na laringe, o ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva está bem e o tratamento ocorreu “sem nenhuma intercorrência”,

diz o boletim divulgado pelo Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. Lula chegou ao Sírio-Libanês por volta das 8h30 de segunda-feira (21) para a segunda etapa da quimioterapia. A doença do ex-presidente foi diagnosti-

cada no dia 29 de outubro último. Ainda na tarde desta segunda-feira, o expresidente recebeu a visita do ministro Gilberto Carvalho, da SecretariaGeral da Presidência da República.

E

menda da deputada estadual Claise Maria Zito inseriu a Baixada Fluminense no programa de investimentos de R$ 100 milhões do governo do Estado, para obras de contenção e proteção de encostas, drenagem, recuperação ambiental e demolição de edificações localizadas em áreas de riscos PÁGINA 5

Emissão de gases do efeito estufa bate recorde em 2010 PÁGINA 7


2

MERCADO & NEGÓCIOS

22 a 28 de Novembro de 2011

Analistas mantêm projeções de crescimento da economia

A

nalistas do mercado inanceiro consultados pelo Banco Central (BC) mantiveram a projeção para o crescimento da economia em 2011 e no próximo ano. A estimativa para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB), soma de todas as riquezas produzidas no país continua em 3,16%, neste ano, e em 3,5%, em 2012. Essas projeções estão no boletim Focus, publicação semanal do Banco Central

(BC), elaborada com base em estimativas do mercado inanceiro para os principais indicadores da economia. A expectativa para o crescimento da produção industrial, neste ano, caiu novamente ao passar de 1,55% para 1,37%. A estimativa referente a 2012 passou de 3,74% para 3,68%. A projeção para a relação entre a dívida líquida do setor público e o PIB foi ajustada de 38,65%

para 38,60%, em 2011, e permanece em 38%, em 2012. A expectativa para a cotação do dólar continua em R$ 1,75, para o inal de 2011 e do próximo ano. A previsão para o superávit comercial (saldo positivo de exportações menos importações) continua em US$ 28 bilhões, neste ano, e passou de US$ 18,9 bilhões para US$ 18 bilhões, em 2012. Para o déicit em transações correntes (registro

das transações de compra e venda de mercadorias e serviços do Brasil com o exterior), a estimativa permanece em US$ 55 bilhões, em 2011, e em US$ 68,63 bilhões, no próximo ano. A expectativa para o investimento estrangeiro direto (recursos que vão para o setor produtivo do país) foi mantida em US$ 60 bilhões, neste ano, e ajustada de US$ 54 bilhões para US$ 55 bilhões, em 2012.

BNDES nega inanciamento de quase R$ 5 bilhões para Belo Monte Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) informou dia 18, por meio de sua assessoria, que o único valor liberado, até agora, para a Norte Energia S/A – consórcio formado por empresas públicas e privadas para construir e operar a Usina Hidrelétrica de Belo Monte, no Rio Xingu (PA) – foi um empréstimo-ponte no valor de R$ 1 bilhão. A informação contradiz denúncia de que o BNDES já teria celebrado dois contratos com a empresa no total de R$ 4,7 bilhões, como consta em pedido do Ministério Pú-

O

blico Federal (MPF) para que o Banco Central iscalize todas as operações de crédito do BNDES em favor da Norte Energia S/A. A requisição, feita no inal de outubro, estabelece prazo de 90 dias para que o BC conclua o relatório. Consultada a respeito, a assessoria do BC informou que ainda não dispõe de elementos que permitam avaliar o caso. Já a assessoria do BNDES antecipou que o projeto de inanciamento do empreendimento continua sob análise. O banco público de fomento não pretende se pronunciar, especiicamente, sobre a

Banco de Imagens

questão levantada pelo MPF. A requisição, assinada pelos procuradores Bruno Alexandre Gütschow e Cláudio Terre do Amaral, de Altamira (PA), determina que o relatório de iscalização do BC deve conter análise sobre o nível de ris-

co e apresentar conclusão sobre a viabilidade econômico-inanceira das operações de crédito do BNDES para a Norte Energia S/A, de acordo com normas do Conselho Monetário Nacional (CMN) e do próprio BC.

Ponto de Observação A classe média chegou ao paraíso? Alberto Marques e repente, Governo e Mídia criam uma nova classe na pirâmide social do Brasil, a nova Classe Média, formada por camadas da população que, graças à concorrência dos produtos importados, dos ganhos de renda e à redução do desemprego, ingressaram no chamado mercado de consumo. Para entender a Nova Classe Média, as empresas precisam se preparar melhor para atender às necessidades e aos desejos desses novos consumidores, que detém a maior parte do poder de compra no país. Segundo estudo divulgado pelo Data Popular, 53,9% da população brasileira está na chamada classe C, com renda per capita mensal entre R$ 324 e R$ 1,4 mil. Por isso, a classe C será responsável por 44,3% dos gastos das famílias este ano, com um poder de compra de R$ 2,3 trilhões. - É uma massa enorme de consumidores que vêm

D

de um passado de pobreza e que, agora, estão conseguindo consumir e já se tornaram maioria em vários segmentos - disse o pesquisador do Instituto Data Popular João Paulo de Resende. “As empresas têm que entender que agora elas estão lidando com um público que não é o mesmo que sustentava o negócio delas há dez anos”. Em 2001, a classe C representava apenas 38,6% da população e 25,8% do consumo. Para atender a essa demanda, o pesquisador sugere que as empresas não busquem apenas novos produtos e serviços para oferecer a esse novo público, mas que mudem, também, a forma de atendimento. “Para alguns mercados é muito importante ter uma clareza, uma simplicidade maior do que se tinha antes para se relacionar com esse cliente”. Resende lembra que muitas dessas pessoas têm origem humilde e nunca viajaram de avião, por exemplo. Além disso, a classe C tem aspirações próprias e não busca simplesmente repetir o padrão de compra das classes mais

altas. “As empresas precisam entender isso para conseguir criar estratégias eicientes para atrair esse público”, assinala o pesquisador. O problema é que há um descompasso entre o que pensam esses novos consumidores e as estratégias das empresas, que se revela nos dados da pesquisa do Data Popular. De acordo com o levantamento, 26% das empresas acreditam que o preço é o fator mais importante na escolha de um produto, um pensamento compartilhado por apenas 17% dos consumidores populares. No entanto, enquanto 44% dos entrevistados desse grupo de consumo disseram dar mais importância à qualidade do que ao preço, só 18% das empresas defenderam esse ponto de vista. O pesquisador destacou que o consumo da classe média ascendente deverá se expandir para serviços como alimentação fora de casa, lazer e viagens. De acordo com Resende, com a melhoria de vida, as famílias primeiro buscaram comprar itens básicos que

não tinham, como eletrodomésticos. Agora, além de buscar outros bens e serviços, também querem melhorar a qualidade dos itens que já consomem, "Elas não vão passar a comer mais, mas comer melhor”, explicou o pesquisador. É, parece que, inalmente, a Classe Média chegou ao paraíso do consumo, principalmente em itens antes distante das mãos e dos bolsos desse grupo de consumidores, como o automóvel, a motocicleta, o im de semana numa pousada e até uma viagem ao exterior, mesmo que em ônibus leito. Resta saber até quando essa nova Classe Média vai ser abrigada nesse paraíso diante da debacle de Países chamados de Primeiro Mundo, como Itália, França, Grécia, Irlanda e, principalmente, os EUA, cuja economia continua patinando com sua dívida trilhionária, enquanto os Republicanos fazem o possível e o impossível para travar os projetos sociais de Barack Obama.

Coluna do Moreira MOREIRA FRANCO é Ministro Chefe da Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República

O consumidor empreendedor Existe uma parcela signiicativa de brasileiros que olha para o futuro com otimismo, que está disposta a realizar seus sonhos e continuar enriquecendo e progredindo na vida. É o que revela cada nova pesquisa que se faz para entender os valores e aspirações dos integrantes da nova classe média, que hoje totaliza mais da metade da população. A mais recente delas, divulgada nesta semana, mostra, por exemplo, que 63% das pessoas matriculadas em faculdades no País já são desse extrato social. E o mais impressionante é que mais da metade dos seus indivíduos, ou 51% deles, aspira ter seu próprio negócio. Esse é um ativo que a sociedade brasileira conquistou com muito sacrifício para atingir o objetivo de criar uma sociedade que não precisa mais conviver com o autoritarismo e com a inlação elevada. A força de vontade desses milhões de brasileiros que se sacriicam em jornadas pesadas no trabalho e na faculdade é o que explica o aumento avassalador do empreendedorismo. Hoje, o Brasil possui 19 milhões de empreendedores, quantidade que representa um salto de 26,6% em relação ao ano passado, quando 15 milhões de pessoas estavam à frente do próprio negócio. Segundo os dados divulgados pelo Global Entrepreneurship Monitor (GEM) de 2010, o Brasil ocupa a segunda posição num ranking de 45 países - que exclui China e Índia – em número absoluto de empreendedores. O cenário de crescimento econômico com distribuição de renda dos últimos dez anos permitiu que o País chegasse a esse patamar. Esse legado, no entanto, precisa avançar ainda mais e incluir medidas destinadas a fomentar o empreendedorismo. Ainda é necessário criar no Brasil um ambiente institucional que estimule a qualiicação, o empreendedorismo, a criatividade. Há muito por fazer para reduzir a burocracia e facilitar o caminho para o sucesso daqueles que sonham em abrir um negócio próprio. As oportunidades para os empreendedores estão batendo à porta. Geralmente, são citados grandes eventos como a Copa do Mundo e as Olimpíadas, mas creio que estas, nem de longe, alcançam aquelas possibilidades abertas pela dinâmica de crescimento do consumo da nova classe média. Somente neste ano de 2011, esse segmento deverá consumir R$ 1,03 trilhão, segundo estimativas do Instituto Data Popular. Desse total, 65% serão gastos em serviços como acesso à banda larga, viagens de avião pela primeira vez e matrículas de ilho em escola particular. Trata-se de um consumo que supera a soma das riquezas geradas por Portugal, Argentina, Chile e Uruguai juntos. Cada novo negócio que se abre para aproveitar esse cenário de crescimento traz o consigo o sonho e os valores de milhões de brasileiros que deixaram a pobreza para trás. Mais do que um segmento de compradores atraídos pelo mercado de consumo, a nova classe média continua se revelando, em cada nova pesquisa, o construtor de nossa economia. Cambio Moeda Dolar Comercial Dólar Turismo Moeda Coroa Dinamarca Dólar Austrália Dólar Canadá Euro Franco Suíça Iene Japão Libra Esterlina Inglaterra Peso Chile Peso Colômbia Peso Livre Argentina Peso MÉXICO Peso Uruguai

(*) FECHAMENTO: 21 DE NOVEMBRO DE 2011

Compra (R$) 1,811 1,740 Compra (U$) 5,511 0,986 1,037 1,350 0,916 76,970 1,564 518,550 1.928,000 4,245 13,998 19,800 Bolsa

Venda (R$) 1,813 1,930 Venda (U$) 5,511 1,986 1,038 1,350 0,916 76,980 1,565 518,950 1.930,000 4,285 14,003 20,000

Variação % 1,68 2,11 Variação % 0,08 1,49 0,01 0,16 0,09 0,08 0,91 1,58 0,57 0,00 2,14 0,50

Valor 56.284,59 19.121,63 11.547,31 2.523,14 2.454,00

Variação % 0,79 0,68 2,11 1,92 2,93

Venda US$ 106,840 1.683,300 31,740 1.555,000 591,200

Variação % 1,69 0,05 0,13 0,03 0,00

22/11 21/11 21/11 ao ano

0,546 0,575 0,070 11,50 R$ 545,00 R$ 581,88

Ibovespa IBX Dow Jones Nasdaq Merval

Petróleo - Brent Ouro Prata Platina Paládio

Unidade barril onça troy onça troy onça troy onça troy

Commodities Compra US$ 106,820 1.682,100 31,660 1.543,990 584,200 Indicadores

Poupança Poupança p/ 1 Mês TR Juros Selic meta Salário Mínimo (Federal) Salário Mínimo (RJ)

MERCADO & NEGÓCIOS Na internet:

www.jornalcapital.jor.br Filiado À ADJORI - Associação de Jornais do Interior Capital Empresa Jornalística Ltda CNPJ 11.244.751/0001-70 Av. Governador Leonel Brizola (antiga Presidente Kennedy), 1995 - Sala 804 Edifício Sul América - Centro, CEP 25.020-002 - Duque de Caxias, Rio de Janeiro Telefax: (21) 2671-6611 Endereços eletrônicos: comercial@jornalcapital.jor.br comercial.capitalmercado@gmail.com contato@jornalcapital.jor.br contato.capitalmercado@gmail.com redacao@jornalcapital.jor.br redacao.capitalmercado@gmail.com TIRAGEM: 10.000 exemplares (assine o Capital: 21 2671-6611) IMPRESSÃO: ARETÉ EDITORIAL S/A CNPJ 00.355.188/0001-90 Departamento Comercial: (21) 2671-6611 / 8400-0441 / 7854-7256 ID 8*21653 Diretor Geral: Marcelo Cunha Diretor de Redação: Josué Cardoso (josuejornalista@gmail.com) Colaboradores: Alberto Marques, Arthur Salomão, Dilma Rousseff, Geiza Rocha, Luiz Linhares, Moreira Franco, Priscilla Ricarte,Roberto Daiub, Rodrigo de Castro, e Thais H. Linhares


MERCADO & NEGÓCIOS

Com incentivos iscais, Nestlé inaugura fábrica no RJ A

nova fábrica da Nestlé inaugurada sexta-feira (18), em Três Rios, na região Centro-Sul luminense, promete alavancar o desenvolvimento econômico do estado, impulsionando a cadeia produtiva do leite. E os números não são modestos. Com investimento de R$ 163 milhões, a fábrica ocupa uma área de 20 mil m² às margens da Rodovia Washington Luís (BR-040) e deve receber, inicialmente, 200 mil litros de leite por dia. A estimativa é de que sejam gerados mil empregos diretos e indiretos. Além disso, cerca de 400 pequenos produtores rurais da região devem ser beneiciados com a venda de leite para a multinacional. Com incentivos iscais oferecidos pelo estado, a Nestlé volta ao Rio de Janeiro após o fechamento, em 2007, da fábrica que mantinha em Barra Mansa, na região do Médio Paraíba, a 123 quilômetros de Três Rios. A empresa vai começar produzindo leite UHT (longa vida), achocolatados, e sucos à base de soja. Futuramente, a produção deve evoluir para outros produtos da linha. Segundo estimativas do Estado, a produção de leite deve

SCERJ/Carlos Magno

ser elevada de 460 milhões de litros por ano, em 2006, para um bilhão de litros em 2015. - Cada vez mais o Estado do Rio de Janeiro vem ganhando importância para os negócios da Nestlé Brasil e a inauguração desta fábrica nos permitirá abastecer de forma ainda mais eiciente o mercado carioca e os demais Estados da região Sudeste. Além disso, será um estímulo para fortalecer o potencial da bacia leiteira do Rio de Janeiro – disse o presidente da Nestlé no Brasil, Ivan Zurita. Em função da localização geográica, a produção da

nova fábrica abastecerá o estado do Rio, além de parte de Minas, Espírito Santo e São Paulo. Além da nova fábrica da Nestlé, tem a gaúcha Bom Gosto e a detentora da marca Parmalat. As três maiores indústrias brasileiras do setor estão no Rio. ‘Estamos ressurgindo das cinzas - diz o prefeito de Três Rios. Com capacidade inicial de processar 400 mil litros de leite por dia, a fábrica da Nestlé deve mudar os rumos da economia rural da região. O estado investiu, apenas neste ano, R$ 60 milhões na revitalização de cooperativas de produ-

tores de leite, que receberam a garantia de compra de 100% da produção pela Nestlé por um preço acima do valor de mercado. Para o prefeito de Três Rios, Vinícius Farah, a produção e o consumo de leite devem crescer. Esta é a terceira unidade industrial da Nestlé instalada no estado do Rio. Os sorvetes Nestlé são produzidos na unidade de Jacarepaguá, na capital luminense, de onde saem mais de 100 itens para todo o país. Já em Petrópolis, na região Serrana, está localizada a fábrica de água mineral da multinacional.

Direito Empresarial (*)ARTHUR SALOMÃO É ESPECIALISTA EM DIREITO EMPRESARIAL E RECUPERAÇÃO JUDICIAL.

Chega de Refis Arthur Salomão*

O

governo vai abandonar a política de parcelamento especial de débitos dos contribuintes com a Receita Federal. De acordo com o secretário da Receita Federal, Carlos Alberto Barreto, o chamado "Reis da Crise" foi o último. "Trata-se de um expediente que induz o comportamento do contribuinte, que deixa de pagar porque sabe que

será acolhido em um novo parcelamento especial". O "Reis da Crise", lançado em 2009, recebeu 577,9 mil inscrições. No entanto, somente 212,4 mil permanecem no programa. Barreto adiantou ainda o próximo passo do Fisco: avaliar, caso a caso, as empresas inscritas no programa. "A empresa pode pedir 60 meses, mas se analisarmos que ela tem condições de pagar em dez ou 20 meses, vamos cobrar", airmou. "Ve-

3

22 a 28 de Novembro de 2011

mos empresas que estão no parcelamento especial como objeto de notícias na imprensa anunciando a compra de concorrentes no exterior, e a divulgação de grandes investimentos. O Estado não pode inanciar uma coisa dessas". Segundo o Secretário, os esforços da Receita no ano que vem estarão direcionados a uma revisão da legislação de dois dos principais tributos brasileiros, PIS e COFINS, além da regulamentação

da norma geral antielisão. A idéia é de que os tributos sejam simpliicados pela Receita, que ainda levará o resultado dos seus estudos técnicos ao ministro da Fazenda e, em seguida, à presidente Dilma Rousseff. Já a norma geral antielisão, uma antiga demanda do setor privado e de advogados tributaristas, deve voltar a concentrar a atenção dos técnicos do Fisco no ano que vem.

Conversa com a Presidenta Encaminhe perguntas para a Presidenta: redacao@jornalcapital.jor.br ou redacao.capitalmercado@gmail.com

GILMAR SALES DOS SANTOS, 37 anos, assistente administrativo em Wanderley (BA) - Há como aumentar o número de casas com energia elétrica, especialmente na Bahia? Presidenta Dilma – Gilmar, só no seu estado, a Bahia, o programa Luz para Todos já levou energia elétrica para 458 mil moradias, desde sua implantação, em 2003. E vamos fazer mais: o governo federal assinou Termo de Compromisso com a concessionária Coelba para a ligação de mais 128 mil moradias até 2014. O Luz para Todos tinha o objetivo inicial de atender 2 milhões de famílias em todo o país, mas ultrapassou em muito essa meta, chegando a 2,9 milhões de lares. A nova fase do programa, iniciada em julho e que irá até 2014, vai priorizar ligações para pessoas atendidas pelo programa Territórios da Cidadania, pelo Plano Brasil Sem Miséria e para residentes em áreas de distribuidoras de energia elétrica cujo atendimento tenha impacto tarifário elevado. Continuarão sendo atendidos, entre outros, postos de saúde, escolas, comunidades indígenas, quilombolas, comunidades localizadas em reservas extrativistas e poços de água comunitários. O morador da zona rural da Bahia ainda sem energia elétrica deve procurar a agência de atendimento da Coelba para realizar o seu cadastro. Para mais informações, basta contatar a coordenação do Comitê Gestor Estadual do Programa, pelo telefone (71) 3281-2200 ou pelo e-mail slima@chesf.gov.br. LUCAS HENRYQUE DE S. MELO, 16 anos, estudante em Arcoverde (PE) - O que o governo tem feito para proteger as áreas de patrimônio cultural e arqueológico? Presidenta Dilma – A proteção ao patrimônio cultural, histórico e arqueológico é feita pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), vinculado ao Ministério da Cultura. Este ano o Instituto autorizou 1039 pesquisas arqueológicas no Brasil. O Estado de Pernambuco possui 474 sítios arqueológicos registrados, dois deles localizados na sua cidade, Arcoverde. O patrimônio arqueológico da região, principalmente no Parque Nacional do Vale do Catimbau, localizado em Buique, município vizinho a Arcoverde, é muito rico, com 29 sítios arqueológicos registrados no Centro Nacional de Arqueologia (CNA/Iphan). Eles abrigam pinturas rupestres com datação entre 4 mil e 6 mil anos. Atualmente, o Iphan em Pernambuco está irmando Termo de Parceria com o ICM-Bio visando a promoção desses sítios arqueológicos. Nestas e outras ações de identiicação e proteção em todo o estado de Pernambuco, os investimentos foram de R$ 6,5 milhões, em 2010, e de R$ 2,4 milhões, em 2011. O Iphan conta com 27 Superintendências e 25 Escritórios Técnicos espalhados pelo Brasil. O Instituto atua em parceria com os Estados e também com governos municipais na busca de proteção aos bens arqueológicos e culturais de maneira geral, procurando consolidar um sistema nacional de patrimônio cultural. MARIA DO NAZÁRIO ARRUDA, 64 anos, aposentada em Ponte Alta (TO) - O governo tem algum projeto para ajudar a equipar as regiões com grande potencial turístico, mas que são isoladas geograicamente? Presidenta Dilma - O Ministério do Turismo (MTur), tem apoiado investimentos em obras de acesso, sinalização e infraestrutura nos principais destinos turísticos e em municípios com potencial para atrair turistas. O estado de Tocantins, por exemplo, teve investimentos do MTur para um total de 81 projetos, no valor de R$ 10 milhões, em 2009, e de 14,7 milhões, em 2010. E o estado já teve aprovada a carta-consulta dentro do Prodetur - uma das principais ações inanciadas pelo MTur -, no valor de US$ 120 milhões, para projetos que serão articulados nos polos Palmas, Cantão e Jalapão. A sua cidade, Ponte Alta, que está na região do Jalapão, esta beleza natural que os brasileiros precisam conhecer, recebeu apoio para a pavimentação asfáltica. A obra, ainda em execução, visa facilitar o acesso à Praia do Tamburi, Pedra Furada, Talhado do Brejo Boi, entre outros destinos. Um dos programas do MTur é Turismo de Base Comunitária (TBC), segmento que atrai um tipo de turista que busca o contato direto com o modo de vida típico da região. Procura, por exemplo, estar ao lado das bordadeiras do Nordeste ou acompanhar o trabalho dos artesãos do Tocantins que produzem belíssimas peças - bolsas, pulseiras, cintos, bandejas, etc. - a partir do capim dourado. Com os investimentos e a expansão do TBC por todo o País, destinos antes isolados passam a se integrar com centros já conhecidos, gerando emprego e renda para a população local.


4

MERCADO & NEGÓCIOS

22 a 28 de Novembro de 2011

PSC discute candidatura de prefeito em Duque de Caxias Partido Social Cristão (PSC) vai reunir o seu diretório municipal de Duque de Caxias na noite desta terça-feira (dia 22), às 19h, para discutir o lançamento de uma candidatura própria à Prefeitura em 2012. O encontro será na sede do Partido, na Avenida Brigadeiro Lima e Silva nº 292, no bairro 25 de Agosto. Em entrevista ao Capital na edição número 78, de 18 de outubro, o presidente do Partido no Município, Wanderlei Moreira, disse que a orientação do Partido é lançar candidaturas próprias nas cidades com mais de 200 mil moradores, como é o caso de Duque de Caxias.

O

Banco de Imagens

O nome cogitado no Partido é o do ex-deputado Marcos Figueiredo que, ao longo dos últimos 20 anos, exerceu dois mandatos de vereador e três de deputado, tendo, na última eleição, obtido 37.714 votos. “Não sou candidato de mim mesmo. Se o meu Partido decidir pelo meu nome, estarei pronto para cumprir a determinação. Sou iel e se assim for decidido, irei para as ruas defender uma nova postura política, com mais transparência e fazer de Duque de Caxias um município com mais qualidade de vida para os moradores”, disse o ex-deputado ao Capital. Marcos Figueire-

Saúde Roberto Daiub Alexandre é médico cardiologista concursado da Prefeitura de Duque de Caxias, médico-chefe do Centro de Terapia Intensiva do Hospital de Clínicas de Teresópolis (Unifeso) e médico plantonista da emergência do Hospital das Clínicas Mario Lioni, em Duque de Caxias

Depressão pós-parto

A

do é 1º Secretário do Diretório Regional. Sobre as eleições ao Legislativo, Wanderlei informou que o PSC preparou uma nominata representativa para a Câmara, com

44 nomes, dos quais 14 são mulheres. “São lideranças de vários segmentos da cidade e nossa estimativa é que façamos um mínimo de cinco vereadores”, analisou o advogado.

depressão pós-parto é uma forma de depressão que afeta mulheres após terem dado a luz a um bebê. No Brasil cerca de 40% desenvolvem depressão, sendo que em mais ou menos 5% dos casos as mães apresentam a sua forma mais severa, com rejeição completa da criança e transtornos psicóticos associados. A depressão pós-parto, assim como a maioria dos transtornos psicológicos, tem como causa principal os fatores biológicos, psicológicos e sociais. Caso a mãe já apresente depressão antes do parto é provável que ocorra seu agravamento. As grandes alterações hormonais durante a gravidez e a sua diminuição após o parto é uma dos principais motivos do aparecimento do transtorno, associados a fatores psicossociais, afetivos e inanceiros. O tratamento consiste em acompanhamento psiquiátrico e/ou psicológico intenso e regular nos primeiros meses do puerpério, além de remédios especíicos caso haja necessidade de terapia medicamentosa. Banco de Imagens

Escola do PT faz curso sobre a história de Duque de Caxias

O

primeiro curso lançado pela Escola de Formação Política Edinha Maia, criada pelo diretório do PT de Duque de Caxias, está enfocando a História do Município e da própria Baixada Fluminense, sob os pontos de vista antropológicos, políticos, sociais e econômicos. A aula inau-

gural foi dada pelo cientista Ondemar Ferreira Dias Jr., presidente do Instituto Brasileiro de Arqueologia, que abordou a situação anterior à colonização portuguesa, quando a Baixada era uma imensa loresta da Mata Atlântica, habitada pelos índios das etnias Una, Tupimaré, Tamoio, Maracajá, Tupinambá e Jacutinga.

Estiveram presentes, entre outros, a historiadora Dalva Lazaroni, coordenadora da Escola, o historiador Gênesis Pereira Torres, presidente do Instituto de Pesquisas Históricas e Análises Sociais da Baixada Fluminense (IPAHB), o teólogo Antonio Lacerda e o historiador Cristiano Campos Azeredo.

Dilma diz que Brasil poderá ser a quinta economia do mundo A

presidenta Dilma Rousseff disse dia 18 que o Brasil poderá ser a quinta economia do mundo. Ao participar do lançamento de investimentos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) da Mobilidade Urbana, em Salvador, Dilma disse que essa boa fase da economia brasileira precisa se reletir na melhor qualidade de vida para as pessoas. De acordo com a presidenta, a meta é que todos tenham um padrão de vida pelo menos de classe média. “Nós pode-

mos e seremos a sexta economia do mundo. Podemos chegar a ser a quinta economia do mundo, nós podemos chegar ao lugar que for mais perto do primeiro, mas, o que nós devemos perseguir mesmo é um país que tenha uma qualidade de vida para a sua população, que lhe dê um padrão de classe média". Hoje o Brasil é a sétima maior economia do mundo, medida pelo Produto Interno Bruto (PIB), atrás dos Estados Unidos, da China, do Japão, da Alemanha, do Reino

Unido e da França. Ao analisar a crise internacional, Dilma traçou um cenário de falta de perspectivas para os países desenvolvidos. "Hoje nós estamos vivendo um momento em que percebemos que os países desenvolvidos passam por uma grave crise”. Ela disse que a preocupação do governo é manter no nível de investimentos na esfera federal e também dos estados e município - No nosso país, temos todas as condições de enfrentar essa situação e uma

das condições é ampliar o investimento em infraestrutura, na melhoria das condições de vida da população. São esses investimentos que formarão a maior blindagem contra a crise. É continuar o governo federal, o governo dos estados e dos municípios investindo. A presidenta disse também que terá condições de investir mais do que fez o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. “Terei maior capacidade ainda de investimento pelas condições que eu herdei”.

Arrecadação federal bate Inlação pelo IGP-10 diminui para 0,44% em novembro recorde em outubro

I

mpulsionada pelo desempenho da economia e pelo parcelamento especial de dívidas com a União (no programa de recuperação iscal chamado Reis da Crise), a arrecadação federal bateu recorde em outubro. De acordo com a Receita Federal, a União arrecadou R$ 88,741 bilhões em outubro, o melhor resultado registrado para o mês. Em relação a outubro do ano passado, o crescimento foi 9,05%, descontada a inlação oicial pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). No acumulado de 2011, a arrecadação somou R$

809,395 bilhões, com alta de 12,23%, também considerando a evolução do IPCA na comparação com os dez primeiros meses do ano passado. Apesar do crescimento, a taxa de expansão da arrecadação caiu pelo terceiro mês consecutivo. Até julho, o crescimento real acumulado era 13,98%.De acordo com a Receita Federal, os principais fatores que contribuíram para o aumento na arrecadação em outubro foram o crescimento das vendas de bens e serviços, da massa salarial e do valor em dólar das importações (que são tributadas).

A

inlação medida pelo Índice Geral de Preços - 10 (IGP-10) diminuiu em novembro para 0,44%, ante a taxa de 0,64% registrada em outubro. Em 12 meses, o índice variou 6,48%. A taxa acumulada no ano é 5,14%, informou o Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas, dia 18. Dos três subíndices que compõem o IGP-10, O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) caiu de 0,81%, em outubro, para 0,48%, em novembro. As maiores contribuições para essa redução partiram do grupo bens intermediários,

cuja taxa passou de 0,91% para 0,46% no período. Dois dos cinco subgrupos apresentaram índices menores, com destaque para materiais e componentes para a manufatura (de 1,06% para 0,17%). A taxa referente a matérias-primas brutas também recuou, de 1,86% para 0,55%, com destaque para soja em grão (de 1,47% para -2,63%), milho em grão (de 2,23% para -2,23%) e minério de ferro (de 5,23% para 3,03%).O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) registrou variação de 0,31%, em novembro, ante 0,37%, em outubro.

Bastidores da ALERJ RODRIGO DE CASTRO é jornalista e pós-graduado em Marketing e Comunicação Empresarial pela Universidade Federal de Juiz de Fora (MG)

Derrota do Rio pode ressuscitar a oposição

H

á um ano, o governador, Sérgio Cabral parecia destinado a navegar em eterna calmaria. Ostentava prestígio com o governo Lula e se reelegeu no primeiro turno, com apoio de 16 partidos e dois terços dos votos. Agora, enfrenta a ameaça da redivisão dos royalties do petróleo, que pode ressuscitar a oposição luminense e comprometer seu futuro político. Sem o trânsito que exibia no Planalto, ele teve que dividir os holofotes na passeata “em defesa do Rio” com três políticos que cobiçam sua cadeira em 2014: os senadores Lindbergh Farias (PT) e Marcelo Crivella (PRB) e o deputado federal Anthony Garotinho (PR). Antes do evento, como forma de se preservar, avisou que nenhum político iria discursar no ato. O veto irritou os adversários, que em público prometem apoio na luta pelo dinheiro do petróleo, mas estão preparados para apontar Cabral como o único culpado se a derrota do Estado se conirmar. “Cabral pode entrar para a história como o governador que entregou as riquezas do Rio”, airmou Garotinho. “Com uma derrota, seu governo icará inviabilizado. O Rio vai quebrar e embaralha tudo em 2014”, diz Crivella. Já Lindbergh faz juras de apoio, mas traça cenário sombrio no caso de Cabral não reverter a situação com Dilma. “O estrago será enorme. Vai fechar prefeitura, posto de saúde e tudo o que vocês possam imaginar”. Prá não dizer que não falei de Alerj Os deputados aprovaram por unanimidade um projeto de lei que permite o parcelamento do IPVA em até 6 vezes. Atualmente, o imposto só pode ser dividido em 3 parcelas

Anuncie! Ligue: 21 2671-6611


MERCADO & NEGÓCIOS

Seminário esclarece dúvidas sobre enchentes em Caxias 1º Seminário de Proteção Civil, realizado dia 17 de novembro, sob iniciativa da deputada estadual Claise Maria Zito, que reuniu cerca de 500 pessoas no Teatro Municipal Raul Cortez, serviu também, para esclarecer a população sobre o prognóstico da Defesa Civil local, sobre a possibilidade de enchentes e deslizamentos nos distritos e que estava preocupando a população. O encontro reuniu autoridades estaduais e municipais e destacou os levantamentos feitos pelos técnicos do município e do Estado que apontam áreas de riscos localizadas, principalmente, no segundo e quarto distritos. Na ocasião, os dois poderes irmaram parceria de integração dos órgãos de Defesa Civil e do Sistema de Meteorologia do Estado (SIMERJ). O Seminário, além da deputada Claise, contou com a participação do Secretário Estadual de Defesa Civil e comandante geral do Corpo de Bombeiros, Coronel Sérgio Simões, do Secretário municipal de Integração, Segurança Pública e Defesa Civil, Francisco Alves, e técnicos das áreas en-

Marcelo Cunha

O

volvidas, entre outras autoridades municipais e do Estado. O público formado por lideranças comunitárias, presidentes de associações de moradores, bombeiros civis, membros da Cruz Vermelha, do Processo Apell, clubes de serviço (Rotary Clubes), secretarias municipais e do Poder Legislativo, entre outros segmentos, ouviram com atenção as autoridades. Para a deputada Claise Maria Zito, o objetivo do seminário foi alcançado e reuniu forças importantes. “Conseguimos multiplicadores e o resultado foi positivo”, assinalou a par-

lamentar, que é autora de emenda, sancionada pelo governador Sérgio Cabral, que incluiu a Baixada Fluminense no programa de investimentos de R$ 100 milhões, para obras de contenção e proteção de encostas, drenagem, recuperação ambiental e demolição de ediicações localizadas em áreas de riscos. - Conheço esses problemas bem de perto - disse a deputada ao Capital, lembrando sua passagem pela Secretaria de Assistência Social do Município. “Um dos maiores desaios foi o de prestar assistência às famílias atingidas pela

fortes chuvas que assolaram a cidade nos anos de 2009 e 2010”, disse Claise Zito. “Agora, agregamos mais forças em torno dessa questão”, concluiu a parlamentar. O secretário estadual de Defesa Civil, Sergio Simões, destacou o trabalho do órgão municipal e as parcerias irmadas durante o encontro. “Hoje, a ameaça é o processo de mudanças climáticas e estamos lidando com chuvas mais intensas. O grande desaio é transformar o conhecimento técnico em ações práticas de defesa civil com o apoio das comunidades”, frisou o militar.

Dívida pública federal cai, mesmo com elevação da dívida interna

A

dívida pública mobiliária federal interna (em títulos) subiu 0,51% em outubro passando de R$ 1,723 trilhão para R$ 1,732 trilhão, informou dia 21 o Tesouro Nacional. Isso ocorreu porque o Tesouro incorporou à dívida R$ 15,37 bilhões em juros, com resgates líquidos de R$ 6,66 bilhões. Mesmo com a elevação da dívida mobiliária interna, a dívida pública federal (que inclui também a dívida externa), administrada pelo Tesouro Nacional, apresentou redução de 0,12% em outubro, em termos nominais, pas-

sando de R$ 1,808 trilhão para R$ 1,806 trilhão. A queda foi motivada pelo resgate líquido de R$ 11,82 bilhões em títulos. Por outro lado, informou o Tesouro, foram reconhecidos R$ 9,65 bilhões em juros. Esses juros são incorporados à dívida do Tesouro porque os investidores ao obter os títulos, na prática, emprestam dinheiro para o governo em troca de uma remuneração maior dos papéis. Com relação ao estoque da dívida externa, houve redução em outubro de 12,83% sobre a dívida de

5

22 a 28 de Novembro de 2011

Região Sudeste lidera geração de empregos formais em outubro

A

Região Sudeste foi a que registrou o maior número de empregos gerados no mês de outubro, 47.850. Em seguida, estão o Sul, com 41.244 novos postos de trabalho, e o Nordeste, com 29.884. O Norte registrou 10.152 vagas, segundo os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado hoje (18) pelo Ministério do Trabalho e Emprego. A Região CentroOeste teve mais demissões do que contratações, o que resultou em um saldo negativo 2.987 empregos.

Isso se deve ao fato de um número menor de contratações nos setores químico e de produtos alimentícios. Entre os estados, São Paulo foi responsável pelo maior número de novas vagas, 22.879; seguido do Rio Grande do Sul, com 16.522 e do Rio de Janeiro, com 13.253. Entre os estados que apresentaram saldos negativos estão Goiás (-4.661), Mato Grosso (-1.986), o Acre (-40) e Rondônia (-33). No total, foram criados 126.143 empregos em outubro e no acumulado do ano, 2,24 milhões.

Mercado reduz mais uma vez estimativa de inlação oicial em 2012

A

projeção de analistas do mercado inanceiro para a inlação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), em 2012, caiu pela quinta semana consecutiva. Desta vez, a estimativa passou de 5,56% para 5,55%. Para 2011, a projeção foi mantida em 6,48%, quase no limite superior da meta de inlação (6,5%). O centro da meta é 4,5%. Essas projeções estão no boletim Focus, publicação semanal do Banco Central, elaborada com base em estimativas do mercado

inanceiro para os principais indicadores da economia. O principal instrumento usado pelo BC para alcançar a meta de inlação são as alterações na taxa básica de juros, a Selic, que atualmente está em 11,5% ao ano. Os analistas continuam esperando por mais uma redução de 0,5 ponto percentual na última reunião de 2011 do Comitê de Política Monetária (Copom), marcada para os dias 29 e 30 deste mês. Para o inal de 2012, foi mantida a expectativa de que a Selic icará em 10% ao ano.

setembro, encerrando outubro com R$ 73,94 bilhões (US$ 43,78 bilhões), sendo R$ 63,50 bilhões (US$ 37,60 bilhões) referente à dívida em títulos e R$ 10,44 bilhões (US$ 6,18 bilhões) à dívida contratual. Em 2011, até outubro, a dívida pública federal apresentou variação positiva, em termos nominais, de 6,64%. No período, a variação foi resultado da apropriação de juros, no valor de R$ 170,13 bilhões. No mesmo período, o resgate líquido chegou a R$ 57,61 bilhões, informou o Tesouro Nacional.

Nesta terça-feira (22), a partir das 14h, os cinco primeiros cinema leitores que ligarem para o Capital no (21) 2671-6611 ganharão um par de convites para assistir os ilmes em cartaz de graça

Anuncie!

Ligue: 21 2671-6611


6

MERCADO & NEGÓCIOS

Atualidade Conferência de Cultura de Caxias ainda recebe inscrições

A

Secretaria de Cultura e Turismo de Duque de Caxias recebe até quinta-feira (24) as inscrições para a IV Conferência Municipal de Cultura, biênio 2012-2013, que será realizada na Escola Municipal Expedicionário Aquino de Araújo, na Rua General Manoel Rabelo nº 693, bairro Vila São Luiz. A abertura será no dia 25, às 19h. No dia 26, no mesmo local, haverá atividade a partir das 8h, com palestras e formação dos grupos de trabalho. As eleições ocorrerão logo após a discussão dos grupos, que serão formados na parte da tarde. Os novos Conselheiros ocuparão as cadeiras de Música; Artes Plásticas; Artes Cênicas (teatro, dança e artes circenses); Audiovisual; Artesanatos; Literatura, Bibliotecas e Salas de Leitura; História, Pa-

trimônio Arqueológico, Arquitetônico e Cultural; Cultura Popular (Assossiações Carnavalescas, Folclore e Manifestações de Cultura Étnica); Movimentos Populares; Produtores Culturais; e Empresariado. Poderão concorrer instituições com sede no município, com registro no CNPJ ou registro em cartório de pessoa jurídica com comprovação, através dos documentos abaixo relacionados: ata de fundação, estatuto social, contrato social, declarações, atestados, jornais ou publicações. As inscrições serão realizadas na sede da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo, na rua Ailton da Costa nº 115, 6º andar, na Assessoria de Projetos Especiais e Convênios, de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h. Mais informações pelo telefone 2671-1120.

Magé vai emitir nota iscal eletrônica a partir de janeiro

A

o valor da informação

MERCADO & NEGÓCIOS

jornal

Secretaria de Fazenda de Magé realiza esta semana uma nova reunião para tirar as dúvidas das empresas e contadores sobre a emissão da nota iscal eletrônica (NFS-e), que será adotada pelo município a partir de 1º de janeiro. O encontro, que vai abordar também a segurança e economia do sistema,

será realizado quartafeira (23), às 18 horas, na Igreja Batista, localizada na Rua Brasila, em Piabetá. Uma nova reunião será realizada no dia 1º de dezembro, também às 18h, deta vez na Casa do Empreendedor Barão de Mauá (na Rua Sebastião Reis, nº21), segundo informou a Secretaria Municipal de Fazenda.

22 a 28 de Novembro de 2011

Supervia abandona Mergulhão e prejudica milhares de usuários PMDC-Márcio Leandro

O

Mergulhão de Duque de Caxias, inaugurado no dia 8 de abril de 2009 pelo governo do Estado e entregue pela Secretaria Estadual de Transportes à administração da Supervia, está um completo abandono. São muitas as queixas de usuários, que aumentam a cada dia, dando conta dos inúmeros problemas: iniltrações, alagamentos, iluminação precária, escadas rolantes e elevadores parados, falta de segurança e um intenso comércio que vai de chips de operadoras de celulares até CDs e DVDs “piratas”, além de óculos e peças de roupa, entre outros itens. Há queixas inclusive da ação de “trombadinhas” em horários indeterminados. Além da circulação prejudicada por tudo isso, a população que procura o balcão do Sine que funciona no local também ica bastante prejudicada pela falta de condições de funcionamento daquele espaço. A obra custou cerca de R$ 40 milhões, com inanciamento do

Nas últimas semanas, o local passou a ser disputado por camelôs, especialmente de CDs e DVDs piratas estado do Rio de Janeiro e do Banco Mundial (Bird). Procuradas pelo Capital para falar sobre o assunto, a Supervia e a Secretaria de Transportes do Estado não se pronunciaram até o fechamento da edição. A Secretaria de Comunicação da Prefeitura, procurada, informou que o município recebe muitas denúncias sobre o assunto e negou que estaria assumindo a administração do local. “O governo do Estado tentou entregar o Mergulhão à Prefeitura, que não aceitou”, diz a nota en-

viada ao Capital. O órgão acrescentou, além do envio de fotos, que o prefeito José Camilo Zito acompanhou uma equipe de iscais da Secretaria de Serviços Públicos, juntamente com o secretário Ronaldo Amichi, no último dia 18, uma operação de apreensão de CDs e DVDs piratas que estavam sendo vendidos no vão subterrâneo que cruza a linha de trem sob a estação. De acordo com a Prefeitura, mais de 2 mil produtos foram recolhidos. “A manutenção daquele local é de responsabilidade do estado

e da SuperVia, mas não vamos nos furtar de cuidar da ordenação dos ambulantes, que é de nossa alçada”, airmou o Secretário. A obra, porém, nunca funcionou em sua totalidade, só em raras ocasiões. “Constantemente isso aqui está fechado, pois tudo ica inundado quando chove. Mesmo sem chuva, sempre há trechos da passagem cobertos de água”, disse o prefeito, que destacou a falta de conservação do local.


MERCADO & NEGÓCIOS

País ONU diz que Comissão da Verdade é ‘passo vital’ para lidar com abusos passados

A

alta comissária de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU), Navi Pillay, considerou "um passo vital para lidar com abusos passados" a criação da Comissão da Verdade no Brasil. Para ela, a formação desse grupo, que terá sete pessoas, é também "uma importante primeira medida para investigar violações" ocorridas entre 1946 e 1988. A lei que cria a Comissão da Verdade foi sancionada pela presidente Dilma Rousseff e prevê a apuração de atos de desrespeito aos direitos humanos em um período que abrange a ditadura militar. A iniciativa tem como objetivo esclarecer fatos, mas não terá caráter punitivo. Em comunicado, o Alto Comissariado de Direitos Humanos da ONU diz

"esperar que [a comissão] pavimente o caminho para futura prestação de contas por parte das pessoas responsáveis por mortes, torturas, desaparecimentos forçados e outras atrocidades". Para a comissária Navi Pillay, a comissão "mostra o comprometimento do Brasil em lidar com [questões relativas a] direitos humanos em casa e no mundo". VIOLAÇÕES - A presidenta Dilma Rousseff sancionou dia 18 a lei que cria a Comissão da Verdade para apurar violações aos direitos humanos ocorridas entre 1946 e 1988, período que inclui a ditadura militar. Dilma sancionou também a Lei de Acesso a Informações Públicas, que acaba com o sigilo eterno de documentos. Para o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, a informação não deve ser de poder de quem governa, mas de toda a sociedade.

Internacional Brasil e Uruguai preparam reunião da Cúpula do Mercosul

O

ministro das Relações Exteriores do Uruguai, Luis Almagro, está em Brasília para aprofundar as parcerias na área de integração regional. A visita ocorre a um mês da viagem da presidenta Dilma Rousseff a Montevidéu. O governo do presidente uruguaio, José Pepe Mujica, está na Presidência temporária do Mercosul. Em Brasília, Almagro se reúne com o ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, para revisar os temas da agen-

da bilateral e regional. Ambos também prepararão as reuniões para a Cúpula do Mercosul, em dezembro, na qual estarão Dilma, Mujica e os presidentes da Argentina, Cristina Kirchner, e do Paraguai, Fernando Lugo. Nas reuniões em Montevidéu, a previsão dos negociadores é que os impactos da crise econômica internacional e a retomada das negociações com a União Europeia dominem as discussões. Em maio deste ano, quando Dilma esteve no Uruguai, foram irmados 16 protocolos de parcerias.

7

22 a 28 de Novembro de 2011

Chevron multada em R$ 150 milhões por vazamento O

Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) determinou aplicação de multa no valor de R$ 50 milhões à petrolífera Chevron pelo vazamento de petróleo no Campo de Frade, na Bacia de Campos. A empesa recebeu outra multa, desta vez de R$ 100 milhões, da Agência Nacional do Petróleo (ANP). O secretário de Ambiente

do Estado, Carlos Minc, vai sugerir que metade do valor da primeira multa seja investida em parques costeiros do estado. Minc determinou que seja feita uma auditoria de padrão internacional na Chevron e na Transocean, que opera o poço, e também decidiu ingressar com uma ação civil pública em valor que pode chegar a R$ 100 milhões, por danos aos bens difusos, à biodiversidade marinha e ao ecossistema costeiro.

Também na segundafeira, o presidente da subsidiária brasileira da petrolífera Chevron, George Buck, calculou que o vazamento total de petróleo no Campo de Frade chegue a 381,6 mil litros. O acidente ambiental foi detectado no último dia 8, quando funcionários da Petrobras avisaram à Chevron sobre uma mancha de óleo na água. Buck reconheceu a responsabilidade da empresa pelo vazamento e ga-

rantiu que o óleo será retirado da superfície. Ele isentou de qualquer culpa, pelo acidente, os funcionários e equipamentos da empresa Transocean, responsável pela perfuração do poço. A empresa é a mesma envolvida no desastre do Golfo do México, em 2010, quando operava para a British Petroleum (BP).

Ativistas do Greenpeace derramam óleo na porta da empresa Greenpeace/Gilvan Barreto

T

ransparência e providência. Esses são os dois principais pedidos endereçados à petroleira Chevron sobre o vazamento de óleo que, há mais de uma semana, atinge a Bacia de Campos, no norte do Estado do Rio de Janeiro. Com banners que diziam “Chevron: sua sujeira, nosso problema”, os ativistas do Greenpeace realizaram, na manhã de sexta-feira (18), um protesto diante do prédio onde icam os escritórios da petrolei-

ra, no centro do Rio. despejaram barris de tróleo” - na verdade substância produzida

Eles “peuma com

tinta atóxica - para lembrar que as causas do vazamento e os planos da empresa para contê-lo e reduzir seu

impacto na biodiversidade da costa luminense continuam muito mal explicados.

Emissão de gases do efeito estufa bate recorde em 2010 O

ano de 2010 foi o recordista na emissão de gases de efeito estufa na atmosfera, segundo estudo divulgado dia 21 pela Organização Mundial de Meteorologia (OMM), vinculada às Nações Unidas. A organização concluiu ainda que o crescimento industrial elevou a concentração de óxido nitroso no ar. No período de 1990 a 2010, foi registrado aumento médio de 29% na emissão de gases de efeito estufa. Apenas o dióxido de carbono foi responsável por 80% dessa elevação. De acordo com pesquisadores, os fatores que contribuem para a emissão de gases do efeito estufa são a queima de combustíveis fósseis e produtos agrícolas, assim como o

vapor de água – que coopera para prolongar os efeitos do dióxido de carbono, de metano e de óxido nitroso. No relatório, os especialistas concluem ainda que alguns halocarbonos, como os cloroluorcarbonos que eram usados na fabricação de refrigerantes, em latas de spray e solventes, estão diminuindo lentamente como resultado de uma ação internacional para preservar a camada de ozônio. O secretário-geral da OMM, Michel Jarraud, alertou que se o nível atual de emissão for mantido, o equilíbrio do planeta será afetado. “Agora, mais do que nunca, precisamos entender o complexo e, às vezes inesperadas, as interações entre gases de efeito estufa na atmosfera, a biosfera da Terra e dos oceanos”, disse.

Jarraud disse ainda que a OMM vai manter a coleta de dados, envolvendo 50 países, para ampliar as pesquisas. Os dados se referem às estações climáticas no alto dos Andes e do Himalaia, nas áreas isoladas do Alasca e no extremo Sul do Pacíico. Essas regiões pouco habitadas servem para que o número de elementos inluenciando seja reduzido. A OMM, por intermédio do programa denominado Atmosphere Watch, coordena as pesquisas sobre a emissão de gases de efeito estufa na atmosfera com o apoio de uma rede que abrange mais de 50 países. Os dados de medição são de qualidade controlada, arquivados e distribuídos para a organização - sob coordenação da Agência Meteorológica do Japão.

Banco de Imagens


8

MERCADO & NEGÓCIOS

22 a 28 de Novembro de 2011

LLX assina contrato para unidade no Superporto do Açu A

Bruno Itan/SCERJ

LLX, empresa de logística do Grupo EBX, assinou sexta-feira (18), contrato com a Technip Brasil para a instalação de uma unidade de produção de tubos lexíveis para apoio à indústria offshore no Porto do Açu, em construção em São João da Barra. A previsão é de que sejam investidos R$ 650 milhões na construção da unidade, que deve gerar 600 empregos diretos e cerca de mil indiretos com a cadeia produtiva de suprimentos. Durante a assinatura do contrato, no Palácio Guanabara, o governador do Rio, Sérgio Cabral, comemorou a geração de postos de trabalho viabilizada pela instalação de novos empreendimentos na região. “Um conjunto de investimentos por parcerias

público-privadas foi destinado à região para atender às empresas que se instalarem no Porto do Açu, possibilitando o desenvolvimento da região”, ressaltou Cabral. Com inauguração prevista para setembro de 2013, a unidade da Technip será localizada na margem direita do TX2 (terminal

onshore do empreendimento) e ocupará uma área de 289.800 m². A previsão é que seja gerada receita para a LLX de aproximadamente R$ 22 milhões por ano em aluguel de área e utilização de infraestrutura. “Vamos criar, no Porto do Açu, no Rio de Janeiro, a maior e mais soisticada indústria de tubos lexíveis do

mundo. Vamos atender com qualidade o mercado, no caso, a Petrobras”, airmou o vice-presidente da Technip, Frédéric Delormel. O presidente do Grupo EBX, Eike Batista, destacou os esforços do Governo do Estado em possibilitar o desenvolvimento e consolidação do Porto do Açu. “Um projeto desse porte não icaria em pé sem o apoio do governo estadual”. O diretor-presidente da LLX, Otávio Lazcano, airmou que a instalação da unidade de produção da Technip vai favorecer a logística de empresas do setor. Com matriz na França, a Technip Brasil é um dos líderes mundiais em gerenciamento de projetos, engenharia e construção para a indústria de energia.

Etanol: Governo estuda desoneração de impostos para reduzir custo de produção

O

governo federal está estudando a desoneração de impostos federais para reduzir o custo de produção de etanol no país. Segundo o secretário executivo do Ministério da Fazenda, Nelson Barbosa, está sendo avaliada a possibilidade de redução do PIS/ Coins para o tratamento da

cana-de-açúcar que é processada para a produção do combustível. O tamanho da redução dos impostos ainda está sendo avaliado pela equipe econômica do governo. “A barreira de sempre é o espaço iscal para fazer isso, que é muito pequeno. E é isso que estamos equacionan-

do”, disse Barbosa dia 17, ao sair de reunião com o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão. O governo também deve anunciar nos próximos dias medidas para o inanciamento da produção de etanol. Barbosa comentou ainda a elevação da nota da dívida do Brasil pela agência de

classiicação de risco Standard & Poors, deinida hoje (17). “Relete a qualidade da política econômica brasileira, que é capaz de promover o crescimento, com melhor distribuição de renda e também robusto o suiciente para suportar choques que, eventualmente, venham do resto do mundo”, avaliou.

Anuncie!

Ligue: 21 2671-6611

Edição Nº 83  

Jornal Capital - Edição nº 83