Page 1

www.

Site jornalcapital

Indicadores / Câmbio

País

.jor.br

Consumidor paga mais caro pela cesta básica em 10 capitais

Compra

Brasil ocupa 14° entre países que pagam suborno, diz ONG

Dolar Comercial Dólar Turismo Ibovespa

Venda %

1,750 1,680

1,752 0,57 1,870 0,00 59.198,77 0,90 PÁGINA 5 FECHAMENTO: 07 DE NOVEMBRO DE 2011

Ano 3 nº 81 www.jornalcapital.jor.br

MERCADO & NEGÓCIOS CAPITAL EMPRESA JORNALÍSTICA LTDA

Segurança pública é alvo de críticas

A

audiência pública realizada em Duque de Caxias foi recheada de críticas e questionamentos. A iniciativa foi da Câmara e contou com autoridades e lideranças comunitárias e proissionais. PÁGINA 6

Meta de exportação mantida em US$ 257 bi PÁGINA 3

R$1

DE 08 A 14 DE NOVEMBRO DE 2011

Rio faz nova manifestação em defesa dos royalties Banco de Imagens

O

Rio de Janeiro vai realizar mais uma manifestação contra a distribuição dos royalties de campos já licitados, na próxima quinta-feira (10). A concentração, chamada “Contra a Injustiça - Em Defesa do Rio”, vai acontecer às 15h, na Candelária, no centro, e deve reunir representantes de todos os poderes constituídos no Estado, além de inúmeras entidades da sociedade civil. A caminhada seguirá pela avenida Rio Branco até a Cinelândia, onde inúmeros artistas vão se apresentar. PÁGINA 2

Mergulhão: prova de descaso e desrespeito aos usuários

Petróleo empregará mais

A

indústria do petróleo e gás deve contratar cerca de 200 mil trabalhadores nos próximos três anos. A estimativa é do consultor da coordenação do Programa de Mobilização da Indústria Nacional de Petróleo e Gás Natural (Prominp), Marco Antonio Ferreira. Ele participou de um debate sobre o pré-sal na sede da Fiesp. Segundo Marco, o Prominp fez no ano passado um estudo para saber qual a demanda de mão de obra da indústria do petróleo até 2014. PÁGINA 8

Pedidos de falência cresceram 21,3% no mês passado PÁGINA 3

Josué Cardoso

A

foto mostra o descaso com as milhares de pessoas que são obrigadas a utilizar o "mergulhão" sob a linha férrea no centro de Duque de Caxias. O local, que abriga uma agência de trabalho do Estado, está literalmente mergulhado em sujeira, com muita infiltração e detritos. Administrado pela Supervia, ele também está com algumas saídas interditadas. As escadas rolantes, assim como o elevador, estão parados. A passagem também está tomada por vários vendedores de CDs e DVDs piratas e outros tipos de mercadorias.

Emprego temporário no comércio deve crescer 10% Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) prevê a criação de 160 mil empregos temporários para o Natal deste ano. Essa previsão corresponde a uma alta de 10% nas contratações de temporários sobre 2010, quando o comércio gerou 144 mil postos de trabalho, e de 28% sobre 2009, com 125 mil contratações.

A

Banco do Brasil tem lucro de R$ 2,9 bi no 3º trimestre PÁGINA 4

Comissão de Ética da Presidência quer explicações de Lupi

A

Comissão de Ética Pública da Presidência da República decidiu pedir esclarecimentos ao ministro do Trabalho, Carlos Lupi, sobre as acusações de que assessores do Ministério do Trabalho teriam pedido propina a organizações não governamentais que possuem convênio com a pasta. A denúncia foi publicada pela revista Veja desta semana.

Cúpula do G20 teve sucesso relativo, diz Dilma Roberto Stuckert Filho/Presidência da República

A

pós dois dias de discussões na Cúpula do G20 (grupo das 20 maiores economias do mundo), na cidade francesa de Cannes, a presidenta Dilma Rousseff disse que a reunião teve “sucesso relativo”. Segundo a presidenta, a preocupação central do encontro foi a estabilidade global, e ficou claro que tal situação não será alcançada sem a busca do crescimento. PÁGINA 7

Pesquisa mede satisfação com serviços funerários

PÁGINA 5


2

MERCADO & NEGÓCIOS

08 a 14 de Novembro de 2011

Rio faz nova manifestação em defesa dos royalties O

Rio de Janeiro vai realizar mais uma manifestação contra a distribuição dos royalties de campos já licitados, na próxima quinta-feira (10). A concentração, chamada “Contra a Injustiça – Em Defesa do Rio”, vai acontecer às 15h, na Candelária, no centro, e deve reunir representantes de todos os poderes constituídos no Estado, além inúmeras entidades da sociedade civil. A caminhada seguirá pela avenida Rio Branco até a Cinelândia, onde artistas vão se apresentar e convocar a população a defender os direitos garantidos pela Constituição ao Rio de Janeiro no recebimento dos royalties. Os clubes de futebol do Rio também es-

tão engajados, assim como pensionistas e aposentados do Estado do Rio, que serão muito prejudicados caso a redivisão dos royalties entre em vigor. Por isso, eles terão um espaço especial para se manifestarem: 5 mil aposentados e pensionistas icarão bem em frente ao palco, segundo informou o governo do Estado, que participa da organização do evento e promoveu uma reunião preparatória na manhã de segunda-feira (6), no Palácio Guanabara, com a presença dos presidentes da Alerj, Paulo Melo, e do Tribunal de Justiça, Manoel Alberto Rebêlo dos Santos, além de parlamentares, como os senadores Francisco Dornelles e Lindberg

Farias, além de prefeitos e de presidentes de entidades da sociedade civil. O encontro acontece no Palácio Guanabara. Segundo parecer do Procurador do Estado do Rio de Janeiro, Luís Roberto Barroso, a proposta de modiicação da legislação relativa ao pagamento dos royalties e participações especiais decorrentes da produção de petróleo, é inconstitucional. Estima-se que a proposta legislativa, caso aprovada em deinitivo, cause uma perda anual de pelo menos R$ 7 bilhões por ano, além de provável aumento do desemprego no Estado, o que conferiu ao assunto atenção de toda a sociedade. O Governo do Estado

apresentou um estudo ao governo Federal, que mostra o prejuízo que o projeto aprovado no Senado causará às contas públicas do Estado. O documento foi entregue pelo governador Sérgio Cabral à presidenta Dilma Rousseff no último dia 21, em Brasília, onde os dois conversaram sobre o assunto. Segundo o estudo, já em 2012, o Rio de Janeiro vai perder cerca de R$ 3,3 bilhões, somados os prejuízos do estado e dos municípios. Os dados do documento são da Agência Nacional do Petróleo (ANP). O governador Sérgio Cabral disse, na ocasião, que a presidenta icou “impressionada” com as perdas e deu exemplos de onde os valores dos royalties são investidos.

Copa e Olimpíadas icarão comprometidas

S

egundo a proposta relatada pelo senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), a parte que cabe à União, aos estados e aos municípios produtores será reduzida e a dos entes federativos não produtores será, gradativamente, aumentada. A proposta está na Câmara dos Deputados, para discussão. Para o governador, o projeto de lei fere os princípios democráticos, pois altera uma legislação que já foi aprovada e está em vigor, referente aos campos de petróleo já licitados, além de afetar

gravemente o orçamento do estado. - Não foi apenas uma derrota dos estados do Rio e do Espírito Santo. É uma derrota de tudo o que conquistamos nesses 20 anos de democracia, é um desrespeito às regras, ao ato jurídico perfeito. Ninguém questiona a função do Congresso em mudar as leis. O que se questiona é ter uma legislação em vigor, que embasou licitações e leilões já realizados, e o Congresso retroceder e mudar tal legislação, que já produziu atos jurídi-

cos perfeitos - airmou o governador. Cabral lembrou que, ainda durante o mandato do presidente Lula, foram enviadas ao Congresso Nacional diversas mensagens de mudança do marco regulatório do pré-sal para o que vier a ser licitado, propondo uma nova regra. Houve, então, tentativas de alguns parlamentares de mudarem a legislação para o pré-sal já licitado, porém, o presidente se comprometeu a não permitir mudanças nesse sentido. - Eu coniei no presiden-

te Lula, ele se comprometeu comigo e teve coragem de dizer ao Congresso, quando da emenda Ibsen, que a vetaria. Por isso, eu custo a acreditar que a presidenta Dilma vá aprovar uma aberração jurídica dessa natureza. Ela é uma democrata e há, nesse caso, um ferimento grave no aspecto institucional, ao ato jurídico perfeito. Ela tem qualiicação para saber que esse projeto causa uma devassa nas contas do estado e de 87 dos 92 municípios luminense – disse o governador.

Ponto de Observação

Coluna do Moreira MOREIRA FRANCO é Ministro Chefe da Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República

Emprego temporário, oportunidade permanente O shopping centers e as lojas de rua em todo o país já começaram a se preparar para o Natal, a data comemorativa mais importante para o comércio e a indústria, cujas vendas serão impulsionadas por cerca de R$ 110 bilhões que serão acrescentados no mercado somente com o 13º salário. É o período em que se abrem também as melhores chances para a conquista de um emprego, sobretudo para os mais jovens, justamente a parcela da população que enfrenta maior diiculdade para obter uma colocação no mercado de trabalho. Atualmente, metade dos jovens brasileiros entre 18 e 20 anos está desempregada, indicador que dá a dimensão do desaio para quem, chegando à maioridade, pretende iniciar sua vida proissional. Paciência e persistência certamente serão exigidas dos candidatos a uma das 147 mil vagas de emprego temporário que deverão ser abertas no mês que vem de acordo com estimativas divulgadas pela Associação Brasileira das Empresas de Serviços Terceirizados e de Trabalho Temporário. No Estado do Rio de Janeiro, a expectativa é de que sejam abertos 12 mil empregos temporários em dezembro. Os jovens disputam a colocação com pessoas que, geralmente, acumulam alguma experiência e procuram se recolocar no mercado, levando vantagem. O importante, porém, é que eles estão na disputa e acabam conquistando 28% das vagas, que são ocupadas pelos candidatos em situação de primeiro emprego. De uma maneira geral, os quem têm entre 18 e 39 anos icam com 65% dos postos de trabalho. Os especialistas calculam que cerca de 29% dos contratos poderão ser efetivados, o que vai representar emprego ixo e formal para 42 mil brasileiros. O esforço em busca do trabalho no inal do ano é uma oportunidade para todos, mas também pode ser uma experiência propícia para que o jovem comece a reconhecer suas capacidades e seu talento, seja atuando como vendedor, embalador, estoquista, operador de telemarketing, algumas das funções mais oferecidas neste período. Em muitos casos, essas qualidades são reveladas de imediato e o emprego temporário acaba se transformando em carteira assinada e uma proissão segura no futuro. (*) FECHAMENTO: 07 DE NOVEMBRO DE 2011

Cambio Compra (R$) 1,750 1,680 Compra (U$) 5,402 1,036 1,012 1,377 0,900 78,050 1,605 500,200 1.912,000 4,240 13,423 19,600 Bolsa

Moeda Dolar Comercial Dólar Turismo Moeda Coroa Dinamarca Dólar Austrália Dólar Canadá Euro Franco Suíça Iene Japão Libra Esterlina Inglaterra Peso Chile Peso Colômbia Peso Livre Argentina Peso MÉXICO Peso Uruguai

Estamos mal em matéria de liberdade de imprensa Alberto Marques Brasil é o 47º colocado em uma lista de 112 países montada pelo Instituto Gallup a partir da resposta à seguinte pergunta: "Você acha que a imprensa do seu país é livre?" Com as repetidas críticas de Lula às críticas que vinha recebendo da imprensa, principalmente a partir das denúncias do ex deputado Roberto Jeferson da existência de um "mensalão" - uma mesada que o Palácio do Planalto estaria pagando aos parlamentares que fossem iéis aos interesses do governo - bem como a censura prévia ao jornal "O Estado de S. Paulo", imposta por uma liminar da Justiça de Brasília a pedido do senador José Sarney, proibindo o diário paulista de fazer qualquer menção a um dos ilhos do presidente do Senado, a pesquisa do Gallup revela que, para 72% dos brasileiros, há liberdade de imprensa suiciente no país, enquanto

O

para 21%, não (os demais não responderam). Na média, o levantamento conduzido entre fevereiro e dezembro de 2010 aponta que 67% dos entrevistados acreditam que a imprensa no Brasil tenha liberdade suiciente. Indagada se a percepção de falta de liberdade vem da censura oicial ou da falta de independência da própria mídia, uma portavoz do Gallup disse que isso varia: "O que podemos ter certeza é que quem respondeu 'não' acha que a mídia no Brasil não tem muita liberdade", disse Lauren Kanry. No alto do ranking está a Holanda, onde 95% dos cidadãos dizem que a imprensa é livre naquele País. Na ponta de baixo está o Chade, cuja imprensa só é livre para 27%. Na Síria, por exemplo, tal como ocorria na Líbia de Muamar Kadai, os jornalistas estrangeiros são diariamente ameaçados pelas tropas leais ao regime, o mesmo ocorrendo na Venezuela, no Equador e na Bolívia. Sem uma liberdade plena, não há Democracia. É

através da mídia que o próprio Governo controla seus subordinados. Nos casos de demissão de ministros no Governo Dilma Rousseff, as denúncias feitas pela Imprensa foram baseadas em documentos fornecidos por funcionários do governo, o que muitos atribuíram ao chamado "fogo amigo", isto é, gente de dentro do Governo querendo abrir espaço no Governo, sem levar em conta os interesses estratégicos do próprio governo. Ainal, a demissão de um Ministro de Estado não é o mesmo que a demissão do treinador de um clube de futebol que vá mal no campeonato, pois no caso de um Ministério, no sistema de "porteira fechada" adotado desde a posse de Lula, a demissão de um ministro signiica a reformulação e o remanejamento dos principais cargos do ministério, todos preenchidos por recomendação do ministro por serem considerados cargos de coniança. Ao contrário dos Países em que vigora o parlamentarismo e os cargos públicos são de provimento efetivo

mediante concurso, no caso do Brasil, na União, nos estados e nos municípios há milhares de cargos a serem preenchidos, isto é, a cada queda de um Ministro, ou Secretário, haverá uma enxurrada de demissões e nomeações, que emperram a administração até que os novos dirigentes consigam tomar pé da situação de cada pasta e de cada cargo. Por esses motivos, nossos governantes são tão sensíveis às críticas da Imprensa, consideradas um desserviço à Nação, como se cada jornalista não passasse de um inimigo iniltrado no Governo, disposto a desestabilizá-lo. Assim, as críticas aos desperdícios de recursos aplicados na Saúde, na Educação e na Infraestrutura deveriam servir de marcos para que os novos dirigentes desses setores se mantivessem atentos à normas legais e aos princípios da impessoabilidade e da transparência de suas decisões administrativas. Para o bem do próprio Governo.

Venda (R$) 1,752 1,870 Venda (U$) 5,403 1,037 1,013 1,378 0,901 78,090 1,605 500,600 1.918,000 4,280 13,427 19,800

Variação % 0,57 0,00 Variação % 0,12 0,00 0,53 0,14 1,82 0,24 0,17 0,76 0,45 0,12 0,69 1,02

Valor 59.198,77 19.997,32 12.068,39 2.695,25 2.747,55

Variação % 0,90 0,95 0,71 0,34 0,50

Venda US$ 115,310 1.795,300 34,940 1.661,450 664,600

Variação % 2,24 0,05 0,20 0,04 0,09

08/11 07/11 07/11 ao ano

0,537 0,553 0,050 11,50 R$ 545,00 R$ 581,88

Ibovespa IBX Dow Jones Nasdaq Merval

Petróleo - Brent Ouro Prata Platina Paládio

Unidade barril onça troy onça troy onça troy onça troy

Commodities Compra US$ 115,290 1.794,300 34,860 1.651,450 657,600 Indicadores

Poupança Poupança p/ 1 Mês TR Juros Selic meta Salário Mínimo (Federal) Salário Mínimo (RJ)

MERCADO & NEGÓCIOS Na internet:

www.jornalcapital.jor.br Filiado À ADJORI - Associação de Jornais do Interior Capital Empresa Jornalística Ltda CNPJ 11.244.751/0001-70 Av. Governador Leonel Brizola (antiga Presidente Kennedy), 1995 - Sala 804 Edifício Sul América - Centro, CEP 25.020-002 - Duque de Caxias, Rio de Janeiro Telefax: (21) 2671-6611 Endereços eletrônicos: comercial@jornalcapital.jor.br comercial.capitalmercado@gmail.com contato@jornalcapital.jor.br contato.capitalmercado@gmail.com redacao@jornalcapital.jor.br redacao.capitalmercado@gmail.com TIRAGEM: 10.000 exemplares (assine o Capital: 21 2671-6611) IMPRESSÃO: ARETÉ EDITORIAL S/A CNPJ 00.355.188/0001-90 Departamento Comercial: (21) 2671-6611 / 8400-0441 / 7854-7256 ID 8*21653 Diretor Geral: Marcelo Cunha Diretor de Redação: Josué Cardoso (josuejornalista@gmail.com) Colaboradores: Alberto Marques, Arthur Salomão, Dilma Rousseff, Geiza Rocha, Luiz Linhares, Moreira Franco, Priscilla Ricarte,Roberto Daiub, Rodrigo de Castro, e Thais H. Linhares


MERCADO & NEGÓCIOS

Meta de exportações para 2011 será mantida em US$ 257 bilhões A

meta de exportações do Brasil para este ano será mantida, declarou dia 1º a secretária de Comércio Exterior, do Ministério do Desenvolvimento e Comércio Exterior (MDIC), Tatiana Prazeres. “Está mantida oicialmente a meta de US$ 257 bilhões. É possível que o número seja superior, mas não faremos revisão da previsão”, disse Tatiana ao dar entrevista para detalhar o resultado da balança comercial divulgado na manhã desta

terça-feira. No mês passado, em viagem à África do Sul, o ministro da pasta, Fernando Pimentel, havia dito que a meta poderia ser revista pela terceira vez no ano, caso os números da balança comercial mantivessem o ritmo de crescimento do ano em relação a 2010. A projeção de embarques externos anunciada no início do ano era US$ 228 bilhões, mas já havia sido elevada para US$ 245 bilhões. Depois, em agosto, a meta foi revi-

sada para os atuais US$ 257 bilhões. No acumulado do ano, as exportações somaram US$ 212 bilhões. Segundo o MDIC, mesmo sem estar com o resultado fechado, o valor supera todas as vendas externas feitas entre janeiro e dezembro, desde o início da série histórica. No mês de outubro, o saldo comercial foi superavitário em US$ 2,355 bilhões, valor 28,9% superior ao registrado no mesmo mês de

2010, quando foi registrado o superávit de US$ 1,827 bilhão. “Se o ano tivesse sido encerrado ontem, teríamos superado os resultados de anos fechados de todos os anos da história”, observou Tatiana. De janeiro a outubro, o superávit comercial totalizou US$ 25,390 bilhões. O valor é 74,8% superior ao registrado em equivalente período do ano passado, quando icou em US$ 14,522 bilhões.

Pedidos de falência crescem 21,3% em outubro

O

s pedidos de falência cresceram 21,3% em outubro na comparação com setembro, de acordo com o levantamento divulgado segunda-feira (7) pela empresa de consultoria Serasa Experian. No período foram registradas 131 falências ante as 108 registradas no mês anterior. Na comparação o mesmo mês do ano passado

houve recuo de 24,3%, já que, em outubro de 2010, foram feitos 173 pedidos de falência. Dos 131 registrados no mês passado, 86 referem-se a micro e pequenas empresas, 28 a médias e 17 a grandes. Já em relação aos pedidos de recuperações judiciais, ocorreram 27 solicitações em outubro deste ano, enquanto no mês ante-

rior foram 34. Para os economistas da Serasa, a alta mensal dos pedidos de falência pode ser relexo do atual cenário de maior desaquecimento da economia. Entretanto, como já se iniciou um novo ciclo de redução dos juros, é pouco provável que presenciemos continuidade de crescimento dos indicado-

res de insolvência ao longo dos próximos meses. “O recuo nos pedidos de recuperações judiciais em outubro é um sinal de que, apesar das diiculdades inanceiras, não se vislumbra um quadro de expansão da insolvência das empresas brasileiras no médio prazo”, dizem os economistas da entidade.

Direito Empresarial (*)ARTHUR SALOMÃO É ESPECIALISTA EM DIREITO EMPRESARIAL E RECUPERAÇÃO JUDICIAL.

Salário mínimo pode ser reajustado através de decreto Arthur Salomão*

O

Supremo Tribunal Federal (STF) permitiu ao governo fazer a correção do salário mínimo por decreto a partir do ano que vem e até 2015. A decisão foi tomada por oito votos a dois e marcou uma vitória do governo, que não será mais obrigado a enviar projetos de lei, nos próximos quatro anos, para ixar os valores do mínimo. Os reajustes serão feitos pelos critérios da Lei 12.382, aprovada em fevereiro. Eles são: a variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) e a taxa de crescimento real do PIB de dois anos antes, apurada pelo IBGE. A Presidência da República vai veriicar esses

índices e publicar o novo valor do mínimo por decreto. Não será preciso fazer um projeto de lei e discutir o reajuste do piso com os parlamentares. O resultado do julgamento foi uma derrota para a oposição. O PPS, o PSDB e o DEM entraram no STF contra a correção por decreto e, no im, saíram derrotados. O grande ponto em debate foi a exigência, prevista na Constituição, de lei para a aprovação de reajustes no mínimo. A Lei 12.382 ixou o valor para esse ano, mas também determinou que o reajuste pode ser feito por decreto pelos próximos quatro anos. Apesar de ter votado a favor do reajuste por decreto, Gilmar Mendes fez uma ressalva: "Eu tenho medo que, amanhã, o Congresso passe a aprovar esse tipo

3

08 a 14 de Novembro de 2011

de delegação para 2020", advertiu Mendes. Já Carlos Ayres Britto e Marco Aurélio Mello contestaram o reajuste anual do mínimo, sem a aprovação prévia do Congresso. "Colocouse o salário mínimo numa camisa de força e isso é conlitante com a Constituição", protestou Marco Aurélio. Britto leu o artigo 7º da Constituição, que prevê a aprovação do mínimo por lei. "É competência do Congresso Nacional quantiicar o salário mínimo. A Constituição também estabelece a anualidade. Essa é uma matéria tão importante que sobre ela a presidente da República não tem sequer iniciativa reservada." No im do julgamento, Peluso tentou derrubar um dispositivo da lei que permite ao governo estimar o cálculo do INPC para fazer

os reajustes. "Esse dispositivo é desenganadamente inconstitucional", airmou. O presidente do STF determinou a votação dessa parte da lei pelos demais ministros, mas a maioria foi contrária à proposta. Ao todo, sete dos dez ministros do tribunal concluíram que, como os partidos de oposição não contestaram esse dispositivo perante a Corte, eles simplesmente não poderiam julgá-lo. Com isso, o governo da presidente Dilma Rousseff também poderá reajustar o mínimo por estimativa, como foi ixado pela lei. A compensação (pois a estimativa poderá icar abaixo ou acima do INPC divulgado pelo IBGE) será feita no reajuste subsequente, segundo determina a lei.

Conversa com a Presidenta Encaminhe perguntas para a Presidenta: redacao@jornalcapital.jor.br ou redacao.capitalmercado@gmail.com

PAULO CESAR DA SILVA, 31 anos, comerciante de Teresópolis (RJ) - Presidenta, em relação ao microempreendedor individual, existe algum projeto para beneiciar essas pequenas empresas? Presidenta Dilma: Sim, Paulo Cesar, nós já adotamos várias medidas em benefício do empreendedor individual. Desde abril, o empreendedor paga menos à Previdência Social, pois diminuímos a alíquota de 11% para 5% do salário mínimo, ou seja, de R$ 59,95 para R$ 27,25. Isto é muito importante porque contribuindo para a Previdência a pessoa ica protegida em casos de doença e acidentes, tem direito à licença-maternidade e à aposentadoria. A família dela também terá direito à pensão por morte e auxílioreclusão. E tem mais. Propusemos uma mudança na Lei do Simples, que o Congresso aprovou, aumentando de R$ 36 mil/ano para R$ 60 mil/ano o faturamento do negócio para que a pessoa possa se inscrever como empreendedor individual. E em agosto lançamos o Crescer, para oferecer crédito em condições mais adequadas aos empreendedores individuais. O empréstimo para melhorar seu negócio pode ser de até R$ 15 mil, com uma taxa de juros de apenas 8% ao ano. Antes, essa taxa chegava a 60%/ano. Baixamos também a tarifa de abertura do crédito, de 3% para 1% do valor emprestado. Todos os bancos públicos federais oferecem este crédito – Banco do Brasil, Caixa, Banco do Nordeste e Banco da Amazônia. Os empreendedores individuais são muito importantes para o desenvolvimento do nosso país. YAGO PIMENTEL, 21 anos, estudante de Teresópolis (RJ) - Existe algum site de controle para o cidadão iscalizar se seu município vem recebendo verbas federais? Presidenta Dilma: Existe sim, Yago. Você pode acessar o Portal da Transparência -www.transparencia.gov. br, no qual o governo federal divulga informações sobre transferências de recursos feitas pela União a estados, municípios, instituições privadas e aos cidadãos que recebem benefícios como o Bolsa Família e o Seguro-Defeso. O portal informa os gastos do Poder Executivo Federal, com a contratação de obras, compras governamentais, diárias pagas a servidores, dentre outros, além de permitir consultar os convênios que o governo federal assina com entidades municipais, estaduais ou privadas. E se você se cadastrar, gratuitamente, por meio do formulário eletrônico disponível no Portal da Transparência, icará sabendo por e-mail, automaticamente, sempre que forem feitos novos repasses federais para seu município. O Portal foi criado pelo ex-Presidente Lula em 2004 e é coordenado pela ControladoriaGeral da União, a CGU. E agora, com a aprovação da Lei de Acesso a Informações Públicas, todos os órgãos dos governos federal, estaduais e municipais, do Legislativo e do Judiciário deverão, em seis meses, colocar à disposição do cidadão informações completas sobre sua atuação, contratos, licitações, gastos com obras, repasses ou transferências de recursos na Internet, além de criar um Serviço de Atendimento ao Cidadão. Nós defendemos a transparência e o acesso à informação, Yago, pois são formas de controle da sociedade sobre as ações dos gestores públicos. CARLOS ALBERTO FERREIRA DA HORA, 31 anos, motorista de Feira de Santana (BA) - Em relação às nossas rodovias, não temos obras aqui na Bahia. Presidenta Dilma: Carlos, temos investido muito nas rodovias brasileiras, inclusive na Bahia. No seu estado, há obras como a pavimentação da BR-418, entre Caravelas e a ligação com a BR-101. Também estão em andamento obras na Via Expressa para o Porto de Salvador e para a pavimentação da BR 135 no trecho que inicia na divisa da Bahia com o Piauí e vai até a divisa com Minas Gerais, além da pavimentação da BR 235, em todo o trecho baiano. Outras cinco importantes obras estão em fase preparatória de licitação e elaboração de projetos, das quais a adequação de trecho da BR 116, entre a divisa de Pernambuco com a Bahia até a sua cidade. Também já começou o processo licitatório para a duplicação e modernização do trecho da BR 101, que vai da divisa de Sergipe com a Bahia, até Feira de Santana, uma antiga reivindicação dos baianos. Com a criação do PAC – Programa de Aceleração do Crescimento, retomamos os investimentos em infraestrutura. Desde 2003, início do Governo Lula, até setembro deste ano, foram investidos R$ 44,7 bilhões somente em rodovias federais em todo o país. No caso da Bahia, nos últimos nove anos foram destinados R$ 2,9 bilhões em obras de construção, recuperação e manutenção da malha rodoviária federal.


4

MERCADO & NEGÓCIOS

08 a 14 de Novembro de 2011

Deputada Claise Maria Zito leva serviços a moradores do Amapá Divulgação

O

bairro Amapá, no quarto distrito de Duque de Caxias, recebeu uma maratona de serviços em uma parceria que envolveu diferentes esferas governamentais no projeto “I Ação Integrada de Segurança e Incentivo à Qualidade de Vida”, promovido pelo Conselho Comunitário de Segurança Pública. O aconteceu na Praça do Amapá e a população conheceu o projeto piloto do “Gabinete Itinerante” da deputada Claise Maria Zito (PSD), presidente da Comissão de Assuntos da Criança, Adolescente e Idoso da Alerj. Claise apresentou as campanhas de combate ao Crack nos municípios da Baixada Fluminense e de respeito aos idosos nos transportes públicos, além de oferecer orientação gratuita a população para direcionamento de programas e ações da Secretaria Estadual de Assistência Social. Durante o evento, foi apresentado o novo comandante do 15º Batalhão de Polícia Militar, tenente-coronel Claudio de Lucas Lima. Para o presidente do AISP 15,

Banco do Brasil (BB) registrou lucro líquido de R$ 2,891 bilhões no terceiro trimestre deste ano, informou a instituição. No mesmo período do ano passado, o lucro icou em R$ 2,625 bilhões. De janeiro a setembro, o lucro do banco icou em R$ 9,154 bilhões, resultado 18,9% maior do que o apurado no mesmo período de 2010. Os ativos totais do BB chegaram a R$ 949,781 bilhões ao inal de setembro de 2011, montante 19,2% maior do que o registrado em setembro de 2010 e 5% superior ao resultado de junho deste ano.

Jailson Liberato dos Santos, a iniciativa foi um sucesso, já que contou com a ajuda efetiva de todos os segmentos governamentais e da população. - Recebemos com muito entusiasmo o convite do Conselho de Segurança de Duque de Caxias, que já é nosso parceiro, na divulgação da campanha de combate ao Crack. Mas às vésperas deste evento, o Tribunal Regional Eleitoral respondeu a uma solicitação que havíamos feito desde o mês de abril

quanto a possibilidade de levarmos aos bairros e praças de Duque de Caxias o Gabinete Itinerante para divulgar nossas ações e principalmente, levar os projetos e programas do governo estadual que não chegam a nossa população. Por isso, iz questão de estar aqui para ouvir e auxiliar os moradores do Amapá de forma a minimizar alguns problemas que este local enfrenta - declarou a parlamentar. Com a autorização do TRE, Claise Maria preten-

A carteira de crédito ampliada, que inclui prestações de garantias e valores mobiliários privados, alcançou R$ 442 bilhões, incremento de 21% em doze meses e de 4,5% na comparação trimestral. Segundo relatório do BB, o crédito para as pessoas jurídicas impulsionou esse resultado e a carteira alcançou R$ 199,085 bilhões em setem-

bro, o que representa 45,1% do total. O saldo da carteira de crédito às empresas representa crescimento de 4,1% na comparação com o resultado do segundo trimestre de 2011 e de 21,6% em doze meses. De acordo com o BB, o estímulo para esse segmento veio das grandes e médias empresas que, além de demandarem crédito por meio de

Novo espaço para eventos E

m noite badalada, foi inaugurada o mais moderno espaço para festas e eventos que vai servir a Baixada Fluminense. Ele funciona na Rua Deputado Sá Rego nº 1159, no bairro Vila São Luiz, em Duque de Caxias. Cerca de 300 pessoas foram prestigiar o evento e levar os cumprimentos ao empresário Fernando Rodrigues, idealizador do empreendimento. Conforto também faz diferença. O Salão Eclipse Festas e Eventos possui decoração invejável e comporta 250 convidados sentados em ambiente refrigerado. Os ambientes estão bem distribuídos em 540m². Tudo de muito bom gosto. Os telefones de contato são 78183023 id 23*37061.

RODRIGO DE CASTRO é jornalista e pós-graduado em Marketing e Comunicação Empresarial pela Universidade Federal de Juiz de Fora (MG)

Estado cria programas de distribuição de renda A Assembléia Legislativa do Rio (Alerj) aprovou na última semana e em discussão única, o projeto de lei que cria programas de distribuição de renda para famílias carentes e estudantes que tenham sucesso na escola. A proposta, do Governo do Estado, denomina de Programa Renda Melhor e Renda Melhor Jovem os programas que vão repassar dinheiro. Serão atendidas pelo Renda Melhor as famílias que vivem abaixo da “linha da pobreza”, ou seja, com menos de R$ 100 per capita e já são atendidas pelo Bolsa Família.

de visitar os quatro distritos de Duque de Caxias com o seu Gabinete Itinerante e levar ás demandas da população às comissões da Alerj e ao governador Sérgio Cabral. “Duque de Caxias é uma cidade muito grande. Ainda há muito a se fazer para melhorar a qualidade de vida e informar sobre os direitos da nossa população. Esses são os grande desaios do meu mandato e quero através deste projeto estar mais próxima do povo e de suas necessidades”

Banco do Brasil tem lucro de R$ 2,9 bi no terceiro trimestre O

Bastidores da ALERJ

linhas tradicionais (investimento e capital de giro), captam recursos através de subscrição de títulos privados. A carteira de crédito do agronegócio encerrou o trimestre com saldo de R$ 83,780 bilhões, o que corresponde a crescimento de 2,8% contra o segundo trimestre deste ano e de 12,3% em doze meses. O indicador que mede o atraso das operações há mais de 90 dias (inadimplência) do BB icou em 2,1% ao encerrar o terceiro trimestre, contra 3,5% do sistema inanceiro nacional.

Duque de Caxias sai na frente O Programa Renda Melhor foi testado este ano em três municípios (Japeri, Belford Roxo e São Gonçalo) mas é em 2012 que o projeto decola e Duque de Caxias será ao lado de Magé uma das primeiras beneiciadas pelo programa. 26 mil famílias serão contempladas pelo convênio assinado entre o Secretário Estadual de Assistência Social, Rodrigo Neves e a Secretaria Municipal de Assistência Social de Duque de Caxias, por intermédio da deputada Claise Maria Zito (PSD). Caxias ganha mais um representante na Alerj Um troca-troca na família Picciani beneiciou muito a família Reis. Com o retorno de Leonardo Picciani a sua cadeira de deputado federal em Brasília, Sérgio Cabral convocou para a Secretaria Estadual de Habitação o deputado estadual Rafael Picciani (PMDB). Assim, o suplente Rosenverg Reis assume a vaga ma Alerj. O moço andava ansioso pelo mandato pleiteado desde o início dos boatos de que Chiquinho da Mangueira (PMDB) assumiria a pasta de Esporte e Lazer o que até hoje não aconteceu.


MERCADO & NEGÓCIOS

Pesquisa revela satisfação de caxienses com novas funerárias P

esquisa realizada pelo Gerp Pesquisa Estratégica nos quatro cemitérios de Duque de Caxias, encomendada pelo Capital, demonstra clara satisfação da população com os serviços prestados pelas novas funerárias que atuam no município. Em média 76% dos entrevistados classiicam o serviço como “bom” ou “ótimo’. A SAF-Serviço de Atendimento Funerário, localizada na Taquara, é a primeira colocada no ranking da qualidade do serviço, com 57% “ótimo”, 29% “bom” e 14% “regular”, não recebendo nenhum ponto em “ruim”. Seguida pelas Funerárias Nossa Senhora da Anunciação, em Jardim Primavera, e a FNX (Funerária Nova de Xerém) em Xerém, com 80% entre ótimo

Saída para a crise econômica é combater o desemprego, diz Dilma

A

bom. Darlene Tavarez, gerente operacional da CAFCentral de Atendimento Funerário, localizada no primeiro distrito e que icou com 61% entre “ótimo” e “bom”, disse que alcançar esse nível de satisfação dos clientes nesse segmento de mercado, “demanda muita dedicação e que 61% entre “ótimo” e “bom” é um

índice muito bom. Agora, vamos analisar nossos processos e trabalhar para melhorar ainda mais e alcançarmos o primeiro lugar na qualidade do atendimento em nossa região”. A pesquisa também revela que, apesar das melhorias promovidas pela administração da Prefeitura, depois do im do monopólio dos serviços que durou

quase quatro décadas, a administração dos cemitérios ainda não consegue a aprovação da população. A falta de limpeza e manutenção são as líderes de reclamações. Realizada no dia 2 de novembro, dia de inados, a pesquisa ouviu quinhentas pessoas (63% de mulheres e 37% de homens). Do total, 48% possuem entre 51 e 70 anos.

cinema de graça

Anuncie!

5

08 a 14 de Novembro de 2011

Ligue: 21 2671-6611

presidenta Dilma Rousseff disse nesta segunda-feira (7) que a saída para crise econômica mundial é enfrentar o desemprego. Segundo ela, essa foi a resposta defendida pelo Brasil durante a reunião do G20, grupo das 20 maiores economias do mundo, na França, na semana passada. “A crise econômica mundial, que está abalando, principalmente, os países da Europa e os Estados Unidos, não pode ser resolvida com desemprego e muito menos com a redução dos direitos trabalhistas. A questão do desemprego é extremamente preocupante”, disse em seu programa de rádio semanal, Café com a Presidenta. A Organização Internacional do Trabalho (OIT) estima que existam 200 milhões de pessoas sem emprego no mundo, a maioria jovens. Para Dilma Rousseff, todos os países devem cooperar para encontrar uma solução à crise econômica. “O grande desaio para essa crise é o caminho para retomar o crescimento: o

caminho do investimento, do consumo e da geração de empregos. Todos concordaram que nós temos de ajudar, fazendo a nossa parte. Ninguém ganha com a crise. Até agora, os países emergentes vêm sustentando o crescimento da economia mundial, eles também reduziram um pouco o seu crescimento, porque foram atingidos por efeitos indiretos. Mas quem sustenta o crescimento mundial são esses países, somos nós”, disse. Na semana passada, a presidenta descartou uma contribuição direta do governo brasileiro para o Fundo Europeu de Estabilização. Wilson Dias-ABr

Nesta terça-feira (09), a partir das 14h, os cinco primeiros leitores que ligarem para o Capital no (21) 2671-6611 ganharão um par de convites para assistir os ilmes em cartaz


6

MERCADO & NEGÓCIOS

08 a 14 de Novembro de 2011

Críticas à política de segurança marcam audiência pública em Caxias

Atualidade

Audenir Damião/CMDC

A

audiência pública convocada pela Câmara de Duque de Caxias, na manhã de segunda-feira (7), foi recheada de críticas. A iniciativa do presidente da Casa, Dalmar Lírio Mazinho, foi para atender pedidos dos próprios moradores que, alarmados com o aumento da criminalidade urbana, principalmente, nos últimos meses, cobram um policiamento mais efetivo nas áreas que oferecem maior risco. Os cidadãos atribuem esse aumento a partir das instalações das Unidades Paciicadoras de Polícia (UPPs), no Rio de Janeiro. Várias lideranças e autoridades presentes se manifestaram. O secretário de Segurança do Rio, José Mariano Beltrame foi representado pelo presidente do Instituto de Segurança Pública do Estado do Rio de Janeiro, coronel Paulo Augusto Souza Teixeira; enquanto o delegado da 59ª DP (Duque de Caxias), Rodrigo Santoro, representou a chefe da Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro, Martha Rocha. Já o comandante geral da PM, coronel Erir Ribeiro Costa Filho, foi representado pelo comandante da 3ª Comando de Policiamento de Área (CPA),

Homenagem a cinegraista assassinado

L

Danilo Nascimento. O comandante do 15º BPM (Duque de Caxias), tenente-coronel, Cláudio Lucas Lima, também participou. ALERTA - Eu gostaria que comandantes da Polícia Militar e seus familiares morassem em Duque de Caxias para sentir na pele o que a população tem sofrido. Não vamos resolver todos os problemas aqui, mas vamos começar a discutir sobre segurança com rigor para alertar as autoridades. Essa ação é inédita em Duque de Caxias e já me sinto satisfeito por isso. Isso aqui é exercício da democracia”, disse Mazinho. A relatora da Comissão de Segurança da Câmara, vereadora Fátima Pereira, a Fatinha, aproveitou o momento e oicializou a entrega de um ofício ao Governo do Estado, cobrando um número maior de policiais no 15º BPM. “É um absurdo! Duque de Caxias possui 855 mil e 48

habitantes com um efetivo de 632 policiais militares. E, recentemente, foi inaugurada uma UPP, na Mangueira, no Rio, onde possui cerca de 20 mil habitantes, para onde foram enviados 450 policiais. O Governo do Estado tem que tomar uma providência. Duque de Caxias é segunda maior cidade do Estado em arrecadação e sofre com a carência de policiais”, enfatizou Fatinha. - Percebo no depoimento da população uma sensação de abandono. Realmente, os dados têm chamado nossa atenção. Houve um aumento da criminalidade tanto em relação à pessoa quanto ao patrimônio, mas criamos um programa para identiicar as áreas de maior necessidade de atendimento. O estudo já foi concluído e em dezembro será repassado para os policiais civis e militares atuarem mais nessas áreas - disse o coro-

nel Teixeira. O delegado da 59ª DP acrescentou que há uma necessidade urgente de construir mais uma delegacia no Centro de Caxias, pois a demanda tem sido grande. “Ao todo, são 20 mil registros anuais. Esse número é acima de quaisquer dados de delegacias do Rio de Janeiro”. Estiveram presentes ainda o delegado da 61ª DP, Mario Roberto Arruda; o comandante do 14º BPM, coronel Robson de Mello; os deputados estaduais Jorge Moreira Theodoro, o Dica, e Geraldo Moreira; o presidente do Conselho Comunitário de Segurança Pública, Jailson Liberato, presidente do Rotary Club de Duque de Caxias, Anselmo Suhet; o secretário municipal Francisco Alves da Fonseca (Integração, Segurança Pública e Defesa Civil) e vários vereadores.

ogo que abriu a audiência pública, o presidente Mazinho pediu um minuto de silêncio à memória do cinegraista Gelson Domingos da Silva, da TV Bandeirantes, morto domingo com um tiro de fuzil durante uma operação do Bope na Favela de Antares. O proissional usava um coleta a prova de balas e sua morte brutal foi repudiada pelo governador Sérgio Cabral e pela presidenta da República Dilma Rousseff, além de sindicatos de classe e outras entidades. Gelson ganhou o Prêmio Wladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos no ano passado, pela TV Brasil, onde também trabalhava, pelo documentário “Pistolagem: Tradição ou Impunidade?”, apresentado no programa “Caminhos da Reportagem”, trabalho do qual participaram também o repórter Paulo Garritano e o auxiliar Carlos Alexandrino. O programa foi exibido em novembro de 2009. Gelson Domingos, ao lado da repórter Eliane Benício, produziu algumas reportagens para a TV Brasil em Duque de Caxias de 2010 para cá, com enfoque no patrimônio cultural da cidade. “O Gelson era um proissional respeitado, dedicado e muito bem humorado. Tinha um projeto com a Eliane Benício, encaminhado à Secretaria de Cultura e Turismo para busca de patrocínio, para produzir uma série de entrevistas e documentários com personagens históricos como Tenório Cavalcanti e a professor Armanda Álvaro Alberto”, lembra a historiadora Isabel Cristina Pinto de Paula, do setor de Projetos Especiais da Secretaria. Isabel, assim como o jornalista Josué Cardoso, acompanhou a equipe nas reportagens que produziu na “Fortaleza” de Tenório Cavalcanti e na Vila São José, além da Escola Mate com Angu. Uma dessas reportagens pode ser vista no link www.youtube.com/watch?v=M2F80cjvwfw.

Morador elogia iniciativa do Poder Legislativo

O

morador do bairro 25 de Agosto, Thiago Martelão, 25 anos, nascido e criado em Duque de Caxias, elogiou a iniciativa da Câmara de Duque de Caxias reunindo autoridades e moradores. “Parabenizo a Câmara de Vereadores por estar debatendo com a sociedade, através de audiência publica, a segurança pública. O assunto tem sido ao longo dos anos um problema crescente em nossa cidade. Não podemos mais tampar o sol com a peneira, temos que tomar atitudes

eicientes e rápidas”, observou Martelão. “A família caxiense não pode icar refém de qualquer tipo de marginal. Temos que atuar tanto na prevenção quanto na punição de todo aquele que venha a desrespeitar a ordem pública. Nós, caxienses, queremos ordem e segurança”. Sobre o que deve ser feito para melhorar a situação no município, Thiago airmou: “Acredito que este cenário caótico que vivemos hoje só será resolvido quando atuarmos direto na causa do problema, isto é, o marginal de hoje foi aquela criança desamparada de

Washington

ontem. Temos que investir basicamente na formação de nosso cidadão, através da educação de qualidade aliada com o esporte”, sugeriu Martelão. O morador acrescenta: “Parte do problema envolve a formação de nossas crianças e adolescentes. Mas claro, também queremos solução imediata, a curto prazo. Eu, assim como todo caxiense, queremos a policia nas ruas, realizando patrulhamento ostensivo de forma atuante e nunca passiva”. E conclui: “Sempre juntado a ação com a inteligência. Temos também que cobrar do go-

A imagem acima é um registro do jornalista Josué Cardoso, de 5 de maio deste ano, na Escola Mate com Angu. Nela aparecem, além de alguns alunos, a historiadora Isabel Cristina, o cinegraista Gelson Domingos e a repórter Eliane Benício, e as professoras Frida Martins (diretora da escola) e Vilma Amâncio verno do Estado melhores condições de trabalho e valorização para aqueles que lutam para proteger nossas vidas, que é o policial”.

Anuncie! Ligue: 21 2671-6611


MERCADO & NEGÓCIOS

País Brasil ocupa 14° entre países que pagam suborno, diz ONG

O

Brasil está em 14° no Índice de Pagadores de Suborno de 2011 (tradução livre de Bribe Payers Index), que contou com 28 países e é realizado pela ONG Transparência Internacional (TI). A pontuação brasileira foi de 7.7. O ranking é elaborado a partir de questionários aplicados a mais de 3.000 executivos de empresas de todo o mundo. A nota máxima, 10, quer dizer que, para os entrevistados, as companhias do país nunca se envolveram em pagamento de propina quando estão em negociações no exterior. Tanto a posição quanto a nota brasileira melhoraram em relação ao

último índice datado de 2008. Naquela edição, o Brasil ficou em 17° entre 22 países, com 7.4 pontos. Os países campeões de 2011 foram a Holanda e a Suíça, com 8,8 pontos. Completando o top 5 estão Bélgica (8,7), Alemanha e Japão (8,6). As últimas posições são do México (7), China (6,5) e Rússia, (6,1). A média entre os países avaliados foi de 7,8. A TI ressalta que o resultado geral foi desapontador, pois não houve melhora significativa nos resultados entre 2008 e 2011. A entidade ressalta que o primeiro passo importante na luta contra a corrupção no exterior é o esforço efetivo por parte dos governos dentro de casa.

Internacional “Líderes mundiais devem agir rápido para evitar nova década perdida”

E

m visita à Rússia, a diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional, Christine Lagarde, disse segundafeira (7) que o mundo sofre “de uma crise coletiva de coniança”, referindo-se aos impactos da crise econômica internacional. Segundo ela, os líderes políticos devem agir rapidamente para evitar mais incerteza, instabilidade e um colapso global. A iniciativa deve partir da comunidade internacio-

nal como um todo, e não de ações isoladas, destacou Lagarde. “Se não agirmos em conjunto, poderemos entrar em uma espiral de incerteza, de instabilidade inanceira e de colapso na demanda global. Em última análise, poderemos enfrentar uma década perdida de baixo crescimento e alto desemprego”, disse Lagarde. Ela elogiou a decisão dos líderes da União Europeia de socorrer os países da zona do euro que enfrentam diiculdades para rolar as dívidas.

7

08 a 14 de Novembro de 2011

Copa e Olimpíadas entre as prioridades de inanciamento do BID no Brasil

N

este momento de desaceleração econômica, provocada pela instabilidade inanceira mundial, a prioridade do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) é proteger os setores de baixa renda e as regiões que são mais vulneráveis às diiculdades inanceiras. Para isso, a instituição acredita que é imprescindível fortalecer as redes sociais de segurança, “além de manter o inanciamento para micro, pequenas e médias em-

presas, que tendem a sofrer mais com uma crise de crédito”, disse à Agência Brasil o economista regional dos países do Cone Sul do BID, Eduardo Borensztein. Com a crise na economia internacional, o direcionamento dos investimentos do BID vai depender da situação de cada país. Segundo Borensztein, as economias menores são mais vulneráveis à escassez de inanciamento internacional e precisam de mais acesso a recursos, com empréstimos de desembolso

rápido. Já sobre as maiores economias da região, que em geral têm comparativamente menores necessidades de inanciamento e amplas reservas internacionais, Borensztein disse que a ênfase será sobre as operações, priorizando as que atendam às necessidades dos setores sociais e as regiões mais vulneráveis a uma recessão econômica. - O Brasil está em uma posição forte, graças à robustez das inanças públicas e a um sistema inanceiro sólido, bem como à

credibilidade das suas políticas macroeconômicas - comentou o economista Mesmo em momento de desaceleração econômica, o Brasil terá seus investimentos assegurados. Segundo dados do BID, neste momento existem 95 operações em andamento para o Brasil no valor de US$ 6,5 bilhões, dos quais US$ 2,035 bilhões já foram desembolsados até setembro deste ano.

Fabricantes vão reduzir nível de benzeno em refrigerante

A

s principais marcas de refrigerante light ou diet cítrico terão menos benzeno nos próximos anos, substância que pode provocar câncer. Responsáveis por quase 90% do mercado brasileiro, as empresas CocaCola, Schincariol e Ambev comprometeram-se a reduzir a quantidade de benzeno em suas bebidas ao máximo de 5 ppb (partes por bilhão) ou 5 microgramas por litro, o mesmo parâmetro usado

para a água potável. A meta foi acertada com o Ministério Público Federal (MPF) em Minas Gerais, deve ser atingida até 2017 e vale para todo o país. O acordo chega dois anos depois que a Associação de Consumidores Proteste apontou alta concentração de benzeno em refrigerantes de diferentes marcas. Em 2009, a associação analisou 24 amostras de diversos refrigerantes e detectou a presença de benzeno em sete delas.

Em duas amostras de bebidas cítricas - Fanta Laranja Light (da Coca-Cola) e Sukita Zero (Ambev) - o nível foi superior ao considerado tolerável para o consumo humano. Depois da pesquisa, o MPF começou a investigar o caso. Nos refrigerantes, o benzeno surge da mistura do ácido benzóico com a vitamina C. Nos refrigerantes normais, esse processo não ocorre por causa do açúcar, que inibe a reação química.

Estudos de mais de três décadas atrás apontam que a exposição ao benzeno eleva o potencial de câncer e doenças no sangue. “Ele é tóxico e causador de leucemia e outros tumores, dependendo da quantidade e do tempo de exposição”, disse o presidente da Associação Brasileira de Hemoterapia e Hematologia (ABHH), Cármino de Souza.

Cataratas do Iguaçu podem entrar na lista das novas Sete Maravilhas da Natureza Antonio Cruz-ABr

B

rasileiros e argentinos fazem campanha juntos para que as Cataratas do Iguaçu entrem na lista das novas Sete Maravilhas da Natureza. Com 275 quedas d'água, na fronteira entre o Brasil e a Argentina, as cataratas já estão entre as 28 inalistas de uma eleição mundial organizada pela fundação suiça New 7 Wonders. A eleição começou em 2007, com duas etapas: voto popular e seleção de especialistas. A New 7 Wonders é a mesma entidade que elegeu o Cristo Redentor como uma das novas Sete Maravilhas do Mundo. As Cataratas do Iguaçu foram selecionadas entre 440 atrações de 220 países. A campa-

nha para mobilizar os brasileiros começou na última quinta-feira (3) na capital paulista. As cataratas estão dentro do Parque Nacional do Iguaçu, que ica no extremo oeste do Paraná e foi tombado como Patrimônio Natural da Humani-

dade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) em 1986. De acordo com o superintendente de Comunicação Social da Itaipu e integrante do comitê local de apoio à campanha, Gilmar Piolla, apesar de

a atração já ser reconhecida mundialmente, a integração inédita entre a Argentina e o Brasil na busca pelo posto de uma das sete maravilhas naturais do mundo tem signiicado especial para as duas nações.

Cúpula do G20 teve sucesso relativo, diz presidenta Dilma

A

pós dois dias de discussões na Cúpula do G20 (grupo das 20 maiores economias do mundo), na cidade francesa de Cannes, a presidenta Dilma Rousseff disse que a reunião teve “sucesso relativo”. Segundo Dilma, a preocu-

pação central do encontro foi a estabilidade global, e icou claro que tal situação não será alcançada sem a busca do crescimento. “Foi uma reunião que teve o mérito de colocar na ordem do dia, mais uma vez, a força do G20 no que se refere ao apoio, ao auxílio e à sustentação de políticas anticrise ime-

diatas, de políticas que se dispõem a dar sustentação ao conjunto do sistema. É um sucesso relativo, na medida em que os países da zona do euro deram um passo à frente na forma de enfrentar a crise”, ressaltou Dilma, em entrevista coletiva concedida dia 4, ao inal do encontro. Dilma fez um breve re-

lato sobre os encontros bilaterais que teve ao longo dos dois dias da cúpula. Com a primeira-ministra da Alemanha, Angela Merkel, a presidenta falou sobre as relações comerciais com o país e se comprometeu a visitá-lo em março do ano que vem. As duas chefes de governo decidiram também enfa-

tizar a importância ds pequena e média empresas no Ano Brasil-Alemanha, que ocorrerá no período 2013-2014. No encontro com os líderes japoneses, um dos temas em pauta foi o trem-bala. Com representantes de movimentos sindicais, a presidenta conversou sobre o desemprego e a piora das condi-

ções de trabalho. A crise inanceira mundial, a dívida dos países europeus e o resgate da Grécia, cuja economia enfrenta um período de diiculdades, foram os assuntos dominantes nas discussões da cúpula, em Cannes.


8

MERCADO & NEGÓCIOS

08 a 14 de Novembro de 2011

Indústria do petróleo vai precisar de 212 mil trabalhadores até 2014 Banco de Imagens

A

indústria do petróleo e gás deve contratar, pelo menos, 212 mil trabalhadores nos próximos três anos. A estimativa é do consultor da coordenação do Programa de Mobilização da Indústria Nacional de Petróleo e Gás Natural (Prominp), Marco Antonio Ferreira. Ferreira participou dia 1º de um debate sobre o pré-sal na sede da Federação das Indústria do Estado de São Paulo (Fiesp). Segundo ele, o Prominp fez no ano passado um estudo para saber qual a demanda de mão de obra da indústria do petróleo até 2014. O estudo apontou que pelo menos 212 mil vagas de emprego serão abertas no setor. “Es-

sas são as lacunas que veriicamos em nosso plano de negócios”, disse. O Prominp é um programa do governo federal criado para treinar trabalhadores para atuar no setor de petróleo e gás natural. Ferreira explicou que a coordenação do progra-

ma levanta os investimentos programados e estima quantos trabalhadores serão necessários para que os projetos sejam executados. Quando a demanda é detectada, o Prominp promove cursos de qualiicação, que treinam os trabalhadores para que estejam aptos a

trabalhar nos projetos programados. De acordo com Ferreira, 78 mil trabalhadores já foram qualiicados desde 2006. Número que deve aumentar por causa do desenvolvimento da cadeia do petróleo. O consultor do Prominp disse, inclusive, que a própria estimativa do programa está sendo revisada devido aos investimentos previstos para exploração do pré-sal. Segundo ele, a demanda por trabalhadores “deve ser bem maior do que a que estava estimada.” De acordo com ele, os estaleiros brasileiros, que atualmente empregam 56 mil trabalhadores, devem empregar 100 mil até 2020.

Unica reduz em 12% estimativa da safra de cana

A

moagem de cana-deaçúcar este ano será 12,29% menor que a de 2010, segundo estimativa da União da Indústria da Cana-de-Açúcar (Unica), divulgada dia 1º. A entidade reduziu em 4,26% a previsão de produção feita em agosto e, agora, apresenta uma expectativa de safra de 488,5 milhões de toneladas para as usinas do Centro-Sul do país. A queda da moagem é, se-

gundo a Unica, causada, principalmente, por uma redução de 18,2% na produtividade das usinas em comparação com o desempenho do ano passado. O envelhecimento dos canaviais e as condições climáticas desfavoráveis foram apontadas pela entidade como as responsáveis pelo fato de o estado de São Paulo, maior produtor do país, ter registrado nesta safra a pior produtivida-

de dos últimos 20 anos. Na média, as unidades do Centro-Sul deverão produzir menos de 70 toneladas por hectare. De acordo com o diretor técnico da Unica, Antonio de Padua Rodrigues, o mau desempenho deve se repetir no próximo ano. “As variáveis mencionadas, somadas à expectativa de apenas quatro unidades produtoras iniciando moagem no próximo ano,

deverão resultar em um crescimento tímido da produção na safra 2012”, ressaltou. Para ele, o problema só será superado com investimentos na renovação dos canaviais. Em relação à produção de açúcar, a expectativa da entidade é que, com a destinação de 48,19% da cana moída, a produção atinja 30,8 milhões de toneladas, uma queda de 8,06% em relação à safra passada.

Anuncie!

Ligue: 21 2671-6611

Edição Nº 81  

Jornal Capital - Edição nº 81

Advertisement