Page 1

China já é a1 CAPITAL

15 a 21 de Fevereiro de 2011

2ª potência econômica PÁG. 7

www.jornalcapital.jor.br | ANO 3 - N° 44 | CAPITAL EMPRESA JORNALÍSTICA LTDA | 15 A 21 DE FEVEREIRO DE 2011 | NAS BANCAS - RS 1,00

AG. PETROBRAS

Comperj vai incorporar empresas

INSS suspende benefícios O NÚMERO chega a 10,3 mil benefícios excluídos da folha de pagamentos de janeiro. São pessoas que há mais de 60 dias não apareceram nas agências bancárias para sacar o dinheiro depositado. A medida tem o objetivo de evitar fraudes e pagamentos indevidos, como os feitos a segurados já falecidos. PÁGINA 7

Publicado o orçamento federal PÁGINA 7

Câmara vai votar novo mínimo

COM A DECISÃO, tomada em Assembleia Geral Extraordinária pelos acionistas da Petrobras, ficam incorporadas à Petrobras as empresas Comperj Petroquímicos Básicos (UPB) e Comperj Pet S.A. (PET), que integram a atual estrutura societária do Complexo Petroquímico do RJ. PÁGINA 5

Ex-deputado assume Habitação em Caxias à cerimônia de posse do novo Secretário, realizada na Praça Roberto Silveira na manhã de segunda-feira (14). Figueiredo disse que ficou surpreso com o convite feito pelo prefeito Zito e que abriu mão de dirigir um órgão do estado para trabalhar em Duque de Caxias. Ele disse que o déficit habitacional na cidade é de 20 mil unidades e pretende trabalhar duro para vencer esse desafio.

Exportação de carne bovina deverá aumentar pelo menos 25% este ano BANCO DE IMAGENS

A SECRETARIA DE Habitação de Duque de Caxias tem novo titular. É o exdeputado estadual Marco Figueiredo, que assumiu o cargo anunciando investimentos de R$ 26 milhões para a localidade de Nova Esperança, no segundo distrito. Segundo Figueiredo, a verba virá de uma parceria firmada entre ele e o secretário Estadual de Habitação, Leonardo Picciani, que esteve presente

O GOVERNO está confiante que vai conseguir aprovar esta semana o valor de R$ 545 para o salário mínimo este ano. Segundo o governo, não há “plano B” para isso. PÁGINA 7

Câmbio* Dolar Comercial Dólar Paralelo Dólar Turismo

Compra (R$) 1,667 1,590 1,610

Venda (R$) 1,669 1,730 1,780

Variação % 0,11 0,00 0,55

Coroa Dinamarca Dólar Austrália Dólar Canadá Euro Franco Suíça Iene Japão Libra Esterlina Inglaterra Peso Chile Peso Colômbia Peso Livre Argentina Peso MÉXICO Peso Uruguai

(U$) 5,528 1,002 0,988 1,348 0,970 83,280 1,60, 469,500 1.896,500 4,000 12,057 19,450

(U$) 5,531 1,003 0,988 1,348 0,970 83,330 1,604 469,800 1.898,500 4,040 12,061 19,650

% 0,53 0,13 0,00 0,47 0,32 0,20 0,18 0,57 0,56 0,00 0,24 0,00

Ibovespa Dow Jones Nasdaq IBX Merval

66.557,55 12.268,19 2.817,18 21.475,93 3.508,93

Variação % 1,22 0,04 0,28 1,20 1,41

Poupança Poupança

14/02 p/ 01 mês

0,578 0,508

ao ano 14/02

11,25 0,008

Índice

Indicadores*

MOEDAS COTADAS EM DOLAR (USA)

Moeda

Valor

Juros Selic meta TR Salário Mínimo (Federal) Salário Mínimo (RJ)

R$ 540,00 R$ 581,88

(*) FECHAMENTO: 14 DE FEVEREIRO DE 2011

2011 DEVERÁ ser muito bom para o setor de carne bovina do país. A previsão do Fórum Permanente de Pecuária de Corte é de que as exportações do produto somem dois milhões de toneladas neste ano, um aumento de 25%. A União Europeia vem retomando as compras de carne bovina in natura brasileira. PÁGINA 5

Grande Rio e David Brazil: uma paixão que virou caso de amor eterno PÁGINA 4

Câmara revoga homenagem após denúncia do Capital PÁGINA 2


2 CAPITAL

15 a 21 de Fevereiro de 2011

APÓS SESSÃO muito tensa, na qual o presidente da casa, Dalmar Lírio Mazinho, exibia em plenário a última edição do Capital, que publicou, com exclusividade, a promulgação da Resolução nº 2342, que presta homenagem, com um “Título de Benemérito da Comunidade”, ao vereador Jonas É Nós, preso no dia 21 de dezembro pela polícia, a Câmara, por iniciativa do próprio presidente, após pedir o esvaziamento das galerias, realizou uma reunião fechada, com o fim de revogar a referida resolução. A notícia da revogação, da qual o Capital não tomou conhecimento oficialmente por parte do Legislativo, foi publicada no blog do jornalista Alberto Marques no dia seguinte à sessão, realizada no dia 8. Essa parece ter sido a melhor solução encontrada para tentar minimizar a repercussão do assunto, que pegou a todos de surpresa, inclusive alguns vereadores. A explicação dada pelo vereador, reproduzida no blog, na verdade, não esclarece em nada a tal homenagem. O fato é que a notícia caiu como uma bomba nos meios políticos da Baixada Fluminense e não havia outro caminho a não ser sua cassação. A tentativa de

ALBERTO ELLOBO

Câmara volta atrás e cassa homenagem a vereador preso

explicar a homenagem a um vereador que está na cadeia - um acúmulo de projetos na última sessão do ano - não convenceu ninguém. Informações obtidas nos bastidores do Poder Legislativo dão conta de que é grande a insatisfação de alguns vereadores com a reação e as declarações feitas pelo presidente para tentar justificar a outorga do título ao vereador preso. E o pior, essas informações conduzem, ainda, a um questionamento da permanência de Mazinho na presidência da

Câmara, até mesmo por sua duvidosa reeleição, pois o desgaste da imagem do Legislativo junto aos eleitores não é pouca coisa. Há, inclusive, muitos defensores de sua substituição pelo 1º Secretário, Moacyr Rodrigues da Silva, o Moacyr da Ambulância, que teria a missão de separar o joio do trigo e promover, de fato, a transparência dos atos e ações do Poder Legislativo, para que a sociedade e os contribuintes venham a tomar conhecimento de suas atividades cotidianas. Essa

seria, ao que parece pelas conversas dos bastidores políticos, a melhor saída. E Moacyr, de imediato, como garante a Constituição Federal, retomaria a circulação de jornais nas dependências do Legislativo, mesmo os que estampam críticas ao Poder, acabando com o cerceamento da informação e permitindo que os servidores do Legislativo possam ter acesso a todos os veículos de comunicação, sem necessidade de “autorização prévia”, como determina Mazinho.

Ponto de Observação ALBERTO MARQUES

O Governo do Estado e a “Síndrome da Mariposa” JORNALISTA DE profissão e governador por desastrada e desavisada indicação do casal Garotinho, Sérgio Cabral tem uma obsessão pela mídia, o que poderíamos chamar de “Síndrome da Mariposa”. Na tragédia do Rèveillon de 2009 na Ilha Grande e no Morro da Carioca, em Angra dos Reis, o governador estava em sua luxuosa residência de Mangaratiba, a menos de 60 quilômetros de distância, mas levou dois dias para aparecer em Angra dos Reis para acompanhar os trabalhos de resgates dos corpos das vítimas dos desmoronamento. Em 2010, estava novamente ausente no momento em que a Defesa Civil chegava ao Morro do Bumba, em Niterói, para resgatar corpos e remover famílias que ainda estavam em casas em área de risco, um monturo de lixo de um desativado lixão da prefeitura local, comandada há décadas pelo PDT e o PT. O governador estava de férias na Europa quando houve os desmoronamentos na região serrana do Rio, na madrugada de terça (12 de janeiro), mas só chegou a Nova Fri-

burgo na sexta (14) para acompanhar a presidente Dilma Rousseff na visita as áreas afetadas pela chuva, pois Sérgio Cabral viajara no início daquela fatídica semana para a Europa, em gozo de merecidas férias depois de ser reeleito. Em todas as aparições do sorridente governador, lá estavam os refletores, câmeras e microfones de rádios e jornais, inclusive do exterior. Em momento algum ele foi solidário com as vítimas, embora esteja clara a responsabilidade do Governo em todas essas tragédias, pois eram tragédias anunciadas com antecedência, inclusive pelo INMET (Instituto Nacional de Meteorologia). Em todas essas ocasiões, o governador sempre deixou claro que a culpa das tragédias era dos governos anteriores, isto é, do próprio Sergio Cabral que está sem seu segundo mandato - e dos seus padrinhos políticos Anthony e Rosinha Garotinho, por não cumprirem, nem fazer cumprir as leis que proíbem construções em áreas de risco, inclusive nas margens de cursos d”água, com se vê por toda a região

metropolitana. Outra manifestação do governador foi prometer a liberação de recursos para socorro das vítimas, a reconstrução de casas e a revitalização da economia local, em especial nas áreas de turismo, como Angra dos Reis (Ilha Grande), Petrópolis (Itaipava), Teresópolis e Nova Friburgo, ou de agricultura familiar, como Vale de São José do Rio Preto e Sumidouro. Em todos os casos, as vítimas ainda não receberam sequer o aluguel social de R$ 400 por mês, como prometido. O maior parceiro político do governador, o prefeito Eduardo Paes, segue o mesmo figurino: só trabalhar diante dos holofotes da mídia. Até hoje, dezenas de famílias do morro do Urubu, em Quintino, cujas casas desmoronaram com as chuvas de abril de 2010, continuam sem ter onde morar. Já no caso da Cidade do Samba, destruída parcialmente por um incêndio criminoso - laudo do Corpo de Bombeiros de 2010 apontava falhas gravíssimas no sistema anti-incêndio - o prefeito Eduardo Paes anunciou um socorro imediato de

R$ 3 milhões para ajudar as escolas de samba Grande Rio (que perdeu tudo), União da Ilha e Portela a refazerem fantasias, adereços e carros alegóricos. Nenhuma restrição à ajuda ao Carnaval, que atrai milhares de turistas, inclusive do exterior, gerando empregos diretos (desde a confecção das fantasias até a movimentação no setor hoteleiro), além de gerar preciosas divisas para equilibrar as contas públicas e garantir à classe média alta a chance imperdível de comprar quinquilharias em Miami, Nova York ou Paris. Para nossos governantes que sofrem da “Síndrome da Mariposa”, que são atraídas pela luminárias, mesmo que morram queimadas - mais importante do que governar e garantir a segurança da população é aparecer nos telejornais, de preferência chorando, para demonstrar solidariedade, mas nunca para pedir desculpas por terem fracassado em suas administrações, como o povo sempre crédulo espera. Certamente, eles continuarão alheios ao sofrimento do povo até a próxima eleição!!

Criatividade: chave da economia O SÉCULO XXI já começou. Reconhecê-lo através de decisões políticas é um alento. A criação da Secretaria de Economia Criativa, pelo Ministério da Cultura, aponta para este sentido. Ao criar esta estrutura em nível federal, abrese uma janela para reconhecer e mapear a cadeia produtiva desta indústria, que movimenta mais de R$ 380 bilhões no País (16,4% do PIB). Outra expectativa é que se replique nos Executivos estaduais o debate sobre a importância de buscar a sustentabilidade econômica dos projetos culturais, a partir do reconhecimento do impacto econômico que geram. No estado do Rio, a Secretaria de Cultura lançou recentemente o edital Rio Criativo. Serão selecionados 28 projetos culturais para que sejam incubados por até 18 meses. Os dois núcleos, no Rio de Janeiro e em São João de Meriti, darão consultoria nas áreas jurídica, de elaboração de planos de negócios, planejamento estratégico, além de capacitação em empreendedorismo. Concorrem projetos de audiovisual, arquitetura e restauro, artesanato, artes cênicas, música, artes plásticas, cultura popular, TV, design, radio, gastronomia, jogos, moda, mercado editorial, educação, software aplicado à economia criativa, turismo, publicidade e eventos. Como reconhece a própria ministra, os incentivos fiscais na área da cultura acabaram por criar uma distorção e uma dependência dos artistas. Em entrevista ela afirmou que a lei não permite um trabalho permanente: “os artistas vivem de elaborar “n” projetos para ver em qual edital vai emplacar. Uma exposição que vai durar um mês, o artista fica três em pré-produção, depois em pós-produção, fazendo aquilo render o máximo. Isso não é vida”, exemplifica. Nosso País - e o Rio de Janeiro é a síntese disso - precisa aliar cultura e economia. Aqui, a chamada indústria criativa tem destaque na área do audiovisual, de artes visuais e software e emprega 2,4% dos trabalhadores formais do estado (82 mil pessoas). Além disso, somos os mais bem remunerados, com renda média 64% superior à média fluminense. A Economia Criativa pode crescer ainda mais se profissionalizada. Já estamos construindo caminhos para isso. GEIZA ROCHA é jornalista e secretária-geral do Fórum Permanente de Desenvolvimento Estratégico do Estado do Rio de Janeiro Jornalista Roberto Marinho. www.querodiscutiromeuestado.rj.gov.br

Moagem de cana-de-açúcar supera em 2,63% safra anterior COM A SAFRA praticamente encerrada, foram moídas nas usinas da Região Centro-Sul 556,19 milhões de toneladas de cana-de-açúcar até o dia 31 de janeiro, segundo balanço divulgado dia 10 pela União da Indústria da Cana-de-Açúcar (Unica). O volume é 2,63% maior do que o total processado na safra 2009/10. Já o crescimento da produção de açúcar foi de 16,86%, com a fabricação de 33,4

milhões de toneladas do produto. O etanol registrou um aumento de 7% na produção, com 25,34 bilhões de litros. Como apenas sete destilarias ainda estão trabalhando, esses números já são considerados como finais para a safra. O crescimento na produção foi possível devido à melhora da qualidade da matériaprima medida pela quantidade de açúcares totais recuperáveis (ATR) por tonelada de cana.

Na internet: www.jornalcapital.jor.br Filiado À ADJORI - Associação de Jornais do Interior CAPITAL EMPRESA JORNALÍSTICA Ltda - CNPJ 11.244.751/0001-70 Av. Governador Leonel Brizola (antiga Presidente Kennedy) nº 1995, Sala 804 - Edifício Sul América - Centro, CEP 25.020-002 Duque de Caxias, Rio de Janeiro: Telefax: (21) 2671-6611 ENDEREÇOS ELETRÔNICOS: comercial.capitalmercado@gmail.com contato.capitalmercado@gmail.com redacao.capitalmercado@gmail.com TIRAGEM: 10.000 exemplares ASSINE O CAPITAL: (21) 2671-6611 DEPARTAMENTO COMERCIAL: (21) 2671-6611 / 9287-1458 / 7854-7256 ID 8*21653 Diretor Geral: Marcelo Cunha (contato.capitalmercado@gmail.com) Diretor de Redação: Josué Cardoso (josuejornalista@gmail.com) Paginação e Arte: Alberto Ellobo (21 9320-1379) Colaboradores: Alberto Marques, Arthur Salomão, Karla Ferreira, Geiza Rocha, Samuel Maia e Roberto Daiub


CAPITAL

15 a 21 de Fevereiro de 2011

3

Claise Maria Zito preside Comissão da criança, do adolescente e do idoso A QUINTA-FEIRA PASSADA, 10 de fevereiro, se transformou na data da primeira conquista alcançada em prol da população da Baixada Fluminense na Assembléia Legislativa através da deputada Claise Maria Zito. Em seu primeiro mandato, a parlamentar de Duque de Caxias reforça o seu compromisso pela garantia dos direitos das famílias, ao assumir a presidência da Comissão de assuntos da criança, do adolescente e do idoso. Ela foi indicada pelo presidente da Alerj, deputado Paulo Melo, a presidir a Comissão, graças ao trabalho desenvolvido à frente da Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos de Duque de Caxias e, já em seu primeiro discurso no Plenário, reforçou a continuidade desse trabalho. - Os problemas sociais em nosso município foram desafios enormes, mas certamente os problemas a serem

DIVULGAÇÃO

A deputada Claise Maria Zito e o presidente da Alerj, Paulo Melo

encarados em nosso estado são ainda maiores. Estes problemas passam pela criança, pelos adolescentes e pelos idosos, afetando o pilar da sociedade, que é a família, enfim, atingem todos aqueles que, por algum motivo, estão excluídos do contexto social assinalou Claise. Sua atuação, porém, não ficará restrita a essa Comissão. A deputada foi escolhida ainda membro titular de outras três importantes

Comissões: Educação, Saúde e Defesa dos Direitos da Mulher, reforçando mais uma vez sua vocação em fortalecer a garantia dos direitos femininos perante a sociedade. - Como primeira-dama em Duque de Caxias, pude observar a necessidade em fortalecer este segmento na vida pública e liderei um movimento feminino incentivando as mulheres a inserirem-se na busca de

espaços na sociedade e no contexto político - disse a parlamentar, que completou: “Esta nova fase que floresce em minha vida certamente refletirá no futuro de grande parte da sociedade fluminense, já que pretendo representar os interesses de todos aqueles que me confiaram seu voto e cumprir o que me compete, buscando sempre surpreender com iniciativas inovadoras”.

Encontro discute recuperação da infraestrutura turística da região serrana O MINISTRO DO TURISMO, Pedro Novais, reuniu-se em Brasília, no dia 10, com os prefeitos de Nova Friburgo, Dermeval Barboza, Petrópolis, Paulo Mustrangi, e de Teresópolis, Jorge Mario Sedlacek, para definir ações voltadas à recuperação da infraestrutura turística dos três municípios da região serrana do Rio de Janeiro, devastada por fortes

chuvas e avalanches de terra no mês passado. De acordo com o ministro, a recuperação da infraestrutura turística da região serrana prevê obras de melhorias nos três municípios, realização de cursos de capacitação profissional para as vítimas das enxurradas e promoção dos atrativos da região. Segundo Novais, a enxurrada causou prejuízos de

cerca de R$ 30 milhões para Nova Friburgo, Petrópolis e Teresópolis. A tragédia que abalou os municípios serranos do Rio de Janeiro há um mês provocou uma queda de 90% na ocupação dos hotéis da região. Por meio de campanha iniciada pela Associação Brasileira da Indústria de Hotéis no Rio de Janeiro, esse processo começa

a ser revertido, informou à Agência Brasil o presidente da entidade, Alfredo Lopes de Souza Júnior. A campanha visa ao incremento do turismo na região. Durante todo o mês de fevereiro, são oferecidos descontos especiais de 50% nas diárias, para incentivar os visitantes a voltar a frequentar as cidades atingidas pelas chuvas de janeiro.

Confiança da indústria do Rio inicia 2011 em alta O MERCADO INTERNO aquecido e as perspectivas favoráveis ao Rio de Janeiro fizeram com que a confiança empresarial no estado iniciasse o ano em alta, com 62,3 pontos no indicador que vai de zero a 100, em que 50 pontos representam a estabilidade. Algumas regiões esti-

veram acima da média, como o Leste Fluminense (68,5) e a Baixada I (67,9), puxados pela construção civil e pelos investimentos no Comperj. Os dados estão na Nota Técnica Índice de Confiança do Empresário Industrial Fluminense (Icei-RJ), relativa ao quarto trimestre de 2010

e divulgada pelo Sistema Firjan (Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro). Para o gerente de Estudos Econômicos da Firjan, Guilherme Mercês, os resultados refletem o ambiente de grandes investimentos no estado e o ritmo forte do mercado de trabalho, que

tem gerado saldo positivo de empregos há 20 meses consecutivos. O Icei-RJ é formado pela avaliação das condições atuais e pelas expectativas dos empresários em relação à economia brasileira, à economia do Estado do Rio e à própria empresa.

Direito Empresarial ARTHUR SALOMÃO*

Goodyear e Pirelli são acusadas de fraude com ICMS O MINISTÉRIO PÚBLICO do Estado de São Paulo investigou empresas beneficiadoras de borracha natural da região de São José do Rio Preto e descobriu um esquema fraudulento em que a Goodyear e a Pirelli receberam mais de R$ 101 milhões de crédito indevido de ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços). Foram denunciadas 11 pessoas, dentre eles advogados, ex-funcionários da Goodyear, “laranjas”, funcionários das empresas do grupo criminoso e um médico que seria responsável pelas empresas. A audiência de instrução

foi marcada para o próximo mês e os acusados responderão pelos crimes de estelionato, falsidade ideológica, corrupção ativa, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha. Até o meio do ano de 2009, como forma de incentivo, o Estado de São Paulo concedia isenção de ICMS para o produtor rural que plantasse seringueiras, extraísse sua seiva e vendesse para indústria de beneficiamento de borracha, responsável por transformar a seiva em produto bruto - o chamado GEB. Depois, a indústria de beneficiamento de borracha vende o GEB para as indústrias

pneumáticas, que o utilizam como matéria-prima para fabricar pneus e outros produtos. Empresas beneficiadoras criaram um esquema, no qual adquiriam a borracha natural proveniente de produtores do Estado de São Paulo - ou seja, por operação na qual não havia a incidência de ICMS –, mas inseriam o imposto nas vendas de GEB que realizavam. O grupo criminoso inseria dados falsos nas notas fiscais de vendas de GEB para a Goodyear e para a Pirelli, criando falsamente tributo exigível que não existia, já que a borracha

(*)ARTHUR SALOMÃO É ESPECIALISTA EM DIREITO EMPRESARIAL E RECUPERAÇÃO JUDICIAL.

natural era proveniente do próprio Estado de São Paulo. Assim, as empresas recebiam 18% a mais na venda do seu produto. Até o momento não há prova do dolo da Goodyear e da Pirelli. Para os promotores, o esquema criminoso foi criado pelas empresas beneficiadoras de São José do Rio Preto, visando vantagem indevida com prejuízo aos cofres do Estado São Paulo. A Goodyear e a Pirelli afirmaram que, para elas, não havia importância comprar produto com ou sem ICMS, pois, no final do mês, todo o valor do ICMS que pagavam era creditado para elas.

Transtorno de Personalidade Boderline (TPB) - parte 1 TRANSTORNO CARACTERIZADO por desregulação emocional,e relações caóticas. Pessoas com personalidade boderline (TPB), podem possuir um humor instável e tendência a um comportamento briguento, também acompanhado por impulsividade sobretudo autodestrutiva, manipulação e chantagem emocional, bem como sentimentos crônicos de vazio e tédio.Indivíduos borderlines podem ser pessoas que cresceram com um grande sentimento de não ter recebido atenção suficiente. Eles geralmente agem como crianças revoltadas, e buscam caminhos para procurar essa falta de atenção em suas relações; porém, esses caminhos são essencialmente imaturos e anormais.Esses indivíduos são aparentemente vistos como “rebeldes”, “problemáticos” ou geniosos e temperamentais, no entanto, na realidade possuem um grave distúrbio. É frequentemente confundido com depressão, transtorno afetivo bipolar ou portador de psicopatia, sendo considerado um dos mais complicados transtornos de personalidade, com grande dificuldade de diagnóstico e de tratamento. O TPB é um grave distúrbio que afeta seriamente toda a vida da pessoa acometida causando prejuízos significativos tanto ao próprio indivíduo como as pessoas que se relacionam com ele. Os sintomas aparecem durante a adolescência e se concretizam nos primeiros anos da fase adulta (em torno dos 20 anos) e persistem geralmente por toda a vida, com tendência a diminuição dos sintomas com o decorrer dos anos. ROBERTO DAIUB ALEXANDRE é médico cardiologista concursado da Prefeitura de Duque de Caxias, médico-chefe do Centro de Terapia Intensiva do Hospital de Clínicas de Teresópolis (Unifeso) e médico plantonista da emergência do Hospital das Clínicas Mario Lioni, em Duque de Caxias

Crescimento impulsiona abertura de novas empresas no estado O TOTAL DE EMPRESAS abertas na Junta Comercial do Estado do Rio de Janeiro (Jucerja) no primeiro mês deste ano cresceu 13% em comparação a janeiro do ano passado, totalizando 2.871 novas companhias registradas. O presidente do órgão, vinculado à Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico (Sedeis), Carlos De La Rocque, atribuiu a expansão ao crescimento da economia fluminense. “É um número que está sempre surpreendendo a gente. Esse crescimento não para”, disse em entrevista à Agência Brasil. O comércio de roupas e acessórios seguiu liderando o número de estabelecimentos abertos em janeiro, com 262 novos negócios. De La Rocque avaliou que a tendência é de continuida-

de do processo de aumento de empresas abertas.”A tendência é aumentar, porque vem aí a Copa do Mundo, as Olimpíadas”. Ele acredita que em fevereiro, entretanto, por conta da tragédia ocorrida na região serrana fluminense, o número de empresas abertas deverá sofrer uma diminuição. No ano passado, informou que a abertura de companhias no estado evoluiu 8,7%, englobando 41.025 novos negócios. O presidente da Jucerja afirmou que a implantação do Registro Mercantil Integrado (Regin) em todos os municípios do Rio de Janeiro reduzirá o tempo de abertura de empresas, que hoje é de 72 horas, para cerca de 48 horas. “Nós estamos nos preparando para a informatização total da Jucerja”.

TRABALHE CONOSCO! Representante comercial, publicitário.

Tel: 21 2671-6611 contato.capitalmercado@gmail.com


4 CAPITAL

15 a 21 de Fevereiro de 2011

David Brazil, um grande “caso de amor” com a Grande Rio BANCO DE IMAGENS

PROMOTOR DE EVENTOS e repórter de programas de TV, o pernambucano David Brazil veio para o Rio de Janeiro em 1987, onde atua como promoter da Escola de Samba Acadêmicos do Grande Rio. Assim como os demais membros da Escola, na conversa com a reportagem do Capital ainda aparentando estar abatido pela tragédia que foi o incêndio que queimou todo o barracão da Escola. “Essa é com certeza uma das maiores tristezas da minha vida. Só quem ama e se envolve com uma escola o ano inteiro sabe do que estou falando”, disse logo no início da entrevista, garantindo que a grande “vinha para ser a campeã do carnaval de 2011”. Mas garante que, mesmo com tudo o que aconteceu, a Escola “virá com muita garra e alegria e vai contagiar até os que torcem contra a nossa tricolor”. E completa: “Pela força de vontade da comunidade e da diretoria, vamos abalar a Sapucaí”. Brazil prome-

te também ir “com tudo”. Ele confirmou que virá em cima de um carro alegórico menor, no formato de um boi, no enredo que fala sobre Florianópolis e suas lendas. “Eu viria em cima de um boi, que pegou fogo. Mas o Jayder e o Helio disseram que vão refazer tudo de novo. Que querem me ver trepado no boi de qualquer jeito. Minha fantasia ganhou até um nome especial: o domador de boiola-ta-tá”, brincou. David Brazil nunca passou por outra Escola, apesar de vários convites recebidos. Ele informou que desfilou apenas uma vez pelo Salgueiro e outra na Beija Flor. “Tenho um carinho enorme por elas e seus diretores sempre me trataram com o maior carinho e respeito”, lembrou, acrescentando que ingressou na Grande Rio há cerca de quatorze anos. “Fui convidado pelo advogado Silvio Guerra, que tinha a ala dos artistas. Aceitei e me apaixonei pela escola já no primeiro ano”, revelou. “Antes era uma grande paixão. Depois do incêndio, vi

“Depois do incêndio, vi que a paixão tinha se transformado em amor, e bota amor nisso”

que a paixão tinha se transformado em amor, e bota amor nisso”, completou o promoter, que trabalha na escola envolvido com assuntos relacionados a imprensa, divulgação e aos artistas e personalidades que nela desfilam.

Antes de encerrar a conversa, o Capital lembrou que muitos apaixonados pelo carnaval dizem que David Brazil “é a cara da Grande Rio”. E, como tal, pediu que ele deixasse uma mensagem para todos que

torcem pela Acadêmicos do Grande Rio. - Me sinto orgulhoso de ser visto como a cara da Grande Rio, assim como minha amada Susana Vieira, uma das fundadoras da Escola. Agradeço sempre o carinho de todos da comu-

nidade e da diretoria. Só tenho que agradecer o enorme carinho e respeito que eles tem por mim. Grande Rio, nós somos guerreiros, que venha 2012. Bbbeijos minhas coisas ricas que euzinho amo muito”, encerrou o promoter.

Conab prevê safra Região Serrana terá plano de qualificação profissional recorde de grãos

BANCO DE IMAGENS

O CRESCIMENTO das áreas cultivadas com algodão, feijão, soja e arroz, influenciado principalmente pela menor influência do fenômeno La Ninã sobre essas culturas, levou a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) a projetar uma colheita de 153 milhões de toneladas de grãos na safra 2010/2011. Segundo a estatal, a má distribuição das chuvas foi menos prejudicial do que o esperado. O valor estimado pela Conab no quinto levantamento para esta safra, divulgado hoje (9), consolida a possibilidade de um novo recorde de produção, com aumento de 2,6%, ou 3,8 milhões de toneladas em relação ao ciclo passado, de 149,2 milhões de toneladas. Na comparação com o levantamento ante-

rior, anunciado há um mês, o crescimento foi de 2,4%, ou 3,6 milhões de toneladas. A área plantada deve crescer 3,1%, abrangendo 48,8 milhões de hectares. Os principais destaques em aumento de área cultivada são as culturas de algodão (56,1%), feijão primeira e segunda safras (8,4%), soja (2,8%) e arroz (2,5%), contribuindo muito para o aumento da produção. O quinto levantamento da safra de grãos 2010/2011 foi realizado entre os dias 16 e 21 de janeiro por 58 técnicos da Conab. Eles colheram informações com representantes de cooperativas e sindicatos rurais, órgãos públicos e privados nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste, além de parte do Norte e Nordeste.

UM TERMO DE cooperação técnica para qualificação de mão de obra local na área de construção civil foi assinado segunda-feira (14), com o objetivo de reconstruir as moradias destruídas pelas chuvas na Região Serrana. O anúncio foi feito dia 11 pelo secretário de Trabalho e Renda, Brizola Neto, após acompanhar o ministro do Trabalho, Carlos Lupi, em visita às áreas atingidas pelas enchentes de janeiro na serra. Lupi e Brizola Neto foram recepcionados pelo prefeito de Petrópolis, Paulo Mustran-

gi. O encontro marcou a definição de um plano de ações do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), por intermédio da Secretaria Estadual de Trabalho e Renda, para a reconstrução das cidades atingidas. - Já tivemos contato com o Sindicato das Empresas da Construção Civil para conseguir nosso objetivo, que é absorver a mão de obra local. Enfatizamos a parceria com as prefeituras e o Ministério do Trabalho para trazer principalmente qualificação e requalifição profissional. Sabemos que vamos ter uma grande de-

manda por trabalho - afirmou o secretário Brizola Neto. Na ocasião, Lupi anunciou outras medidas, como a abertura de linha de crédito especial, através do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), que destinará R$ 500 milhões para as prefeituras. O objetivo é soerguer áreas públicas, como ruas, colégios, hospitais e praças. Os recursos serão financiados pelo Banco do Brasil. Para municípios de até 50 mil habitantes, o limite será de R$ 10 milhões; de 50 a 100 mil, a possibilidade será de sacar R$ 20 milhões; de 100 a

300 mil, o aporte será de 300 milhões; já a partir de 300 mil habitantes, o município poderá receber R$ 50 milhões de recursos do Governo. Outra ação anunciada por Lupi atende a área de qualificação profi ssional, com a execução de programas como o ProJovem, que deverá beneficiar 12 mil trabalhadores. Para Nova Friburgo, serão destinadas 1,5 mil vagas. Petrópolis deverá ter 2 mil vagas, e Teresópolis vai qualificar mil alunos na área de construção civil em aproximadamente 300 horas-aulas. Tudo deverá custar R$ 15 milhões.


CAPITAL

15 a 21 de Fevereiro de 2011

Aprovada incorporação das empresas do Comperj AG. PETROBRAS

EM ASSEMBLEIA Geral Extraordinária realizada dia 31, os acionistas da Petrobras aprovaram as propostas de incorporação à Petrobras das empresas Comperj Petroquímicos Básicos S.A. (UPB) e Comperj Pet S.A. (PET), que integram a atual estrutura societária do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), sob a forma de subsidiárias integrais da Petrobras. Foi também aprovada proposta de reforma do Estatuto Social, com alterações e exclusões de artigos, parágrafos e incisos tendo como objetivo, entre outros, a sua atualização após a operação de capitalização, quando a Companhia teve o seu capital social subscrito aumentado. Com a incorporação a UPB, cuja finalidade é a produção de insumos petroquímicos, em Itaboraí (RJ) passará a ser uma Unidade de Operação da Petrobras, alinhado-se à estratégia da Companhia, no segmento de refino, de aumentar a capacidade de processamento visando equilíbrio com o crescimento de sua produção de petróleo e o atendimento das demandas do mercado em volume e

qualidade de produtos. Já a incorporação da PET, cujo objetivo é a produção de resina de polietileno, vai proporcionar simplificação da estrutura societária do Comperj, redução de custos e realocação de investimentos no projeto. A incorporação é resultado de alterações nas perspectivas inicialmente previstas para o projeto, diante de eventos de natureza econômica, mercadológica e de custos, o que levou a uma nova configuração do empreendimento, transformando o complexo em um programa constituído de três etapas e com um novo cronograma.

O EMPREENDIMENTO O Comperj tem o início de operação da primeira fase da Refinaria previsto para o final de 2013, com capacidade de processamento de 165 mil barris de petróleo por dia. Na segunda fase da Refinaria, prevista para 2018, será atingida capacidade total de 330 mil barris de petróleo por dia. As Unidades Petroquímicas têm início de operação previsto para 2017 e produzirão produtos petroquímicos, tais como: eteno, propeno, benzeno, para-xileno, polietilenos e polipropileno. Serão produzidos pela Refinaria: diesel, GLP, querosene, nafta, coque e enxofre, a fim de suprir o

mercado nacional e fornecer matéria-prima para as Unidades Petroquímicas. Estima-se que o empreendimento vai gerar um total de mais de 200 mil empregos diretos, indiretos e por efeito renda. O Compert transformará o perfil socioeconômico da região de influência do empreendimento que inclui os municípios de Cachocieras de Macacu, Casimiro de Abreu, Guapimirim, Itaboraí, Magé, Maricá, Niterói, Nova Friburgo, Ri Bonito, Rio de aneiro, São Gonçalo, Saquarema, Silva Jardim, Tanguá e Teresópolis. Os investimentos previstos são de US$ 8,38 bilhões.

5

Ano deve ser bom para setor de carne bovina, avalia a CNA O ANO DE 2011 tem tudo para ser muito bom para o setor de carne bovina do país, de acordo com informações apresentadas pela Confederação de Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), no dia 10. A previsão do Fórum Permanente de Pecuária de Corte da instituição é de que as exportações de carne bovina somem 2 milhões de toneladas neste ano, um aumento de 25% em relação a 2010, quando foi embarcado 1,6 milhão de toneladas. Além disso, a arroba do boi gordo está em seu patamar mais elevado, com as cotações da BM&F Bovespa indicando preços acima de R$ 100 até o segundo semestre. A União Europeia vem retomando lentamente as compras de carne bovina in natura brasileira, produto que sofreu embargo, no início de 2008, por inadequações no sistema nacional de rastreabilidade do gado. A diminuição drástica das exportações para o bloco econômico, no entanto, está sendo compensada pelo crescimento de mercados que importam carnes menos nobres, a um preço menor, como Rússia, Hong Kong e países do Oriente Médio. Assim, o Brasil conseguiu, no ano passado, vender US$ 3,86

bilhões em carne bovina in natura, aumento de 27% sobre 2009. Embora os custos de produção tenham aumentado cerca de 21% durante 2010, o preço da arroba do boi sofreu valorização de 40%, recuperando a margem de lucro do produtor. Na comparação entre o mês de janeiro dos últimos anos, o valor da arroba passou de R$ 74,24 no início de 2008 para R$ 80,81 em 2009, R$ 75,09 no ano passado e R$ 101,85 em 2011. Mato Grosso do Sul, o estado, o segundo maior produtor nacional de gado, obteve, na semana passada, da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), o status de livre de aftosa com vacinação para a área na fronteira com o Paraguai e a Bolívia, a única de seu território que ainda não tinha o reconhecimento. Durante o congresso internacional, os participantes devem visitar propriedades pecuárias e conhecer melhor o sistema de criação de gado no país. “Queremos mostrar a realidade brasileira indo às propriedades, mostrando que estamos cumprindo a parte social e também ambiental”, afirmou o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado, Eduardo Riedel.

Estar bem informado é o que faz a diferença!

O Valor da Informação

Anuncie: 21 2671-6611


6 CAPITAL

15 a 21 de Fevereiro de 2011

Atualidade Biblioteca Leonel Brizola terá exposição de fotos do presidente Barack Obama

DIVULGAÇÃO/PETE SOUZA

A BIBLIOTECA Pública Governador Leonel Brizola, localizada no Centro Cultural Oscar Niemeyer, em Duque de Caxias, vai abrir sexta-feira (dia 18), às 10h, a exposição de fotografias “Obama: O cara que Poucos Conhecem”, composta de 20 fotos que mostram o presidente norte-americano em situações informais. A cerimônia de abertura é para convidados e autoridades. A exposição, além de mostrar o lado cidadão de Barack Obama, oferece àqueles que já o admiram a oportunidade de vê-lo descontraído ao lado da família e dos amigos. A exposição é uma iniciativa da Embaixada dos Estados Unidos e conta com o apoio da Prefeitura de Duque de Caxias, através da Secretaria de Cultura e Turismo. A exposição ficará aberta ao

público, gratuitamente, de 21 a 28 de fevereiro, de segunda a sexta-feira, das 9h à s18h À abertura estarão presentes, além do Prefeito José Camilo Zito e dos Secretários de Cultura e Turismo, Gutemberg Cardoso, e de Educação Roseli Duarte, o Cônsul e Diretor da Seção de Imprensa, Edu-

cação e Cultura, Mark Pannell, e o Vice Consul Quentin Barber. Um grupo de 20 alunos do Colégio Municipal Expedicionário Aquino de Araújo estará presente. Um dos alunos fará a leitura de um trecho do histórico discurso de Martin Luther King na escadaria do Monu-

mento a Lincoln, em Washington, no dia 28 de agosto de 1963, diante de mais de 250 mil pessoas, após a Marcha para Washington por Emprego e Liberdade. Aos alunos será permitido fazer perguntas ao Cônsul. A foto abaixo, de Pete Souza, é uma das que estarão presentes à mostra.

Crise na Polícia: Documentos podem comprometer Prefeituras A DEVASSE DETERMINADA pelo chefe da Polícia Civil, Alan Turnowski, na Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas, a Draco, que está acontecendo desde a manhã de segunda-feira (14), pode ter desdobramentos surpreendentes no meio político do Estado. Segundo Turnowski, foram encontrados alguns documentos que embasam a denúncia recebida de que policiais daquela unidade estariam recebendo dinheiro para arquivar inquéritos contra Prefeituras. Segundo o policial, agora, a denúncia passa a ter um “valor maior”, uma vez que foi encontrado um documento original com assinatura de autoridades da Draco autorizando o arquivamento

de uma investigação sobre fraude em licitações. “Vamos apurar tudo, inclusive com a quebra de sigilos telefônicos e fiscais para saber se de fato houve o pagamento de propina”, afirmou Turnowski em uma entrevista para uma grande rede de televisão. A Draco foi fechada na tarde de domingo (13), depois que Turnowski recebeu uma denúncia de que agentes ali lotados teriam participado de procedimentos ilícitos e arquivado alguns inquéritos sob o pretexto de receber alguma vantagem econômica de empresários e até de prefeituras. Na manhã do dia seguinte, policiais armados impediam a entrada e saída de pessoas não autorizadas para evitar a evasão de do-

cumentos da delegacia. O chefe de Polícia Civil disse que a devassa na Draco irá continuar até que se apurem todas as denúncias. De acordo com ele, até o momento foram encontrados inquéritos arquivados há dois anos na delegacia com investigação parada e armas sem numeração. “A Polícia Civil entra numa nova fase. Não adianta apresentar resultados à população, ela exige lisura dos agentes”, disse Turnowski. A Corregedoria de Polícia Civil vai apurar o fato de existirem dois documentos com o mesmo número e informações diferentes sobre um suposto esquema de corrupção envolvendo uma prefeitura da Região dos Lagos. O anúncio foi feito nesta segunda-feira pelo cor-

regedor Gilson Soares, que chegou a afirmar que a existência dos dois documentos é, no mínimo, estranha. O documento apontava que policiais da delegacia estariam recebendo dinheiro para não serem instaurados inquéritos contra a prefeitura, com data de 16 de agosto de 2008. Turnowski afirmou que vai pedir ao Tribunal de Contas a quebra dos sigilos fiscais e telefônicos de empresários e funcionários da prefeitura que podem ser os responsáveis pelo pagamento de propinas em função da fraude nas licitações. O corregedor já havia afirmado que Turnowski tinha recebido denúncias de que policiais da especializada participaram de procedimentos ilícitos não só com empresários, mas também com prefeituras.

Internet gratuita e sem fio chegará ao Complexo do Alemão O COMPLEXO do Alemão vai ganhar acesso gratuito à internet. O anúncio oficial foi feito segunda-feira (14) pelo secretário de Ciência e Tecnologia do Estado, Alexandre Cardoso. A iniciativa é do Programa Rio Estado Digital cujo objetivo não é apenas levar internet de graça e sem fio para a população, mas fazer da rede um instrumento educacional e de serviço para que os moradores possam consultar sites de pesquisas, de notícias, ou seja, ter acesso à informação. De acordo com o secretário, duas universidades estarão no comando da ação a Pontifícia Universidade Católica (PUC-RJ) e a Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj) que firmaram parceria com o Governo do Estado para a instalação de 257 antenas que cobrirão 14 favelas do conjunto. “A internet servirá para pesquisas escolares e cursos online no portal

do programa”, destaca o secretário. Com um custo estimado entre R$ 3 milhões e R$ 5 milhões, o programa Rio Estado Digital no Complexo do Alemão será dividido em cinco áreas que ainda serão definidas. A expectativa é de que o sinal seja liberado, na primeira área, em junho deste ano. O programa atende várias comunidades do rio e seis municípios da Baixada: São João de Meriti, Duque de Caxias (60% da população), Belford Roxo (60%), Nova Iguaçu (20%), Mesquita (20%), e Nilópolis (20%). Com investimentos de mais de R$ 20 milhões, o Rio Estado Digital já registra mais de 28 mil acessos por dia. A implantação do programa conta com apoio do IME , da UFF e da Coppe/ UFRJ (Coordenação dos Programas de Pós Graduação em Engenharia da Universidade Federal do Rio de Janeiro), além da PUC e da Uerj.

Governo libera R$ 71 milhões para agricultura familiar na região serrana O MINISTÉRIO do Desenvolvimento Agrário anunciou a liberação de R$ 71 milhões em crédito para a recuperação da agricultura familiar na região serrana fluminense, afetada pelas fortes chuvas de janeiro. Os produtores rurais receberão empréstimos diretos de R$ 63 milhões e as prefeituras dos municípios atingidos de R$ 8,3 milhões. O dinheiro estará disponível a partir desta semana no Banco do Brasil. A intenção é ajudar a 6,5 mil agri-

cultores familiares que tiveram prejuízos com as enxurradas. Segundo a Secretaria de Agricultura do Estado do Rio de Janeiro, a região serrana, onde 93% dos produtores são agricultores familiares, responde por quase 30% da economia agrícola fluminense. O repasse de R$ 8,3 milhões às prefeituras será feito a fundo perdido, para a recuperação de áreas produtivas e compra de equipamentos, como retroescavadeiras, para liberar as estradas da zona rural na região.


CAPITAL

15 a 21 de Fevereiro de 2011

País INSS exclui mais de 10 mil benefícios da folha de pagamentos de janeiro MAIS DE 10,3 MIL benefícios da Previdência Social foram excluídos da folha de pagamentos de janeiro. São pessoas que há mais de 60 dias não apareceram nas agências bancárias para sacar o dinheiro depositado. A medida tem o objetivo de evitar fraudes e pagamentos indevidos, como os feitos a segurados já

falecidos. O desbloqueio do cartão para saque é feito pelo próprio segurado nas agências da Previdência Social, que deve apresentar um documento de identificação com foto, como a carteira de identidade ou de motorista. Os bancos fazem o bloqueio dos depósitos que não são sacados no prazo de dois meses e devolvem os va-

lores ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). A Previdência divulgou um alerta sobre as normas de segurança que devem ser seguidas pelos beneficiários ao usarem o cartão. Um dos cuidados é que a senha não seja fornecida a outras pessoas. Assim como nos cartões bancários, a senha também não deve

conter sequências fáceis de serem descobertas, como datas de nascimento, de telefone ou números relacionados ao portador. Outro cuidado é que, em caso de difi culdade para retirar dinheiro, o usuário procure um funcionário do banco e nunca peça ajuda a estranhos que estejam no local.

Governo publica Lei Orçamentária de 2011 no Diário Oficial Dilma Rousseff. Com o corte, o governo esperar reduzir as despesas de R$ 769,9 bilhões para R$ 719,9 bilhões. Com isso, buscará cumprir a meta de superávit primário (receitas menos despesas excluindo pagamento de juros), reduzindo as despesas em R$ 81,8 bilhões ante os R$ 49,8 bilhões previstos anteriormente.

O corte deixou os servidores públicos insatisfeitos. De acordo com o diretor executivo da Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Federal (Condsef), Sérgio Ronaldo da Silva, a redução de gastos afeta diretamente a estrutura do serviço público. A categoria está preparando uma mobilização, prevista

para quarta-feira (16), na Esplanada dos Ministérios, em Brasília, para protestar contra a medida. “Será o primeiro recado. Conseguimos unir 23 entidades nacionais. Se o governo não recuar, haverá mais pressão na Esplanada, as mobilizações serão contínuas e até pode haver greve”, disse Silva.

O GOVERNO está confiante que vai conseguir aprovar esta semana na Câmara dos Deputados o valor de R$ 545 para o salário mínimo este ano, contrariando a oposição e as centrais sindicais que consideram baixo o valor. Na reunião da coordenação política com a presidenta Dilma Rousseff, no Palácio do Planalto, na segundafeira (14), o governo bateu o martelo e, de acordo com o ministro de Relações Institucionais, Luiz Sérgio, “não há plano B” para a questão do mínimo. A aprovação do novo valor do mínimo é o primeiro embate do governo da presidenta Dilma Rousseff com o Congresso, e a reunião da coordenação política serviu para traçar estratégias para vencer a queda de braço com a oposição. O assunto foi o único tratado na reunião. Para convencer os deputados e garantir que não haverá dissidências, ficou acertada uma reunião com os líderes da base na Câmara para amanhã, ao meio-dia. Além disso, já está marcada uma comissão geral com a presença do ministro da Fazenda,

Guido Mantega, para debater o assunto na Casa. Dos 513 deputados, 388 são de partidos da base aliada. - Não existe plano B. O que estamos votando não é somente um valor. Estamos votando uma política de valorização do mínimo que já se mostrou vitoriosa - disse o ministro, ao sair da reunião. “O valor de R$ 545 é o estabelecido, vinculado à política, não pode haver exceções”, enfatizou Luiz Sérgio. O acordo para reajustar o valor do salário mínimo prevê o cálculo da inflação do ano anterior, 2010 nesse caso, mais a variação do Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos antes, ou seja, referente à de 2009. O governo alega que está cumprindo o acordo, mas as centrais sindicais querem que neste ano, o governo trate com “excepcionalidade” o reajuste, pois o PIB de 2009 apresentou variação negativa, afetado pela crise econômica internacional. Ao sair da reunião, Luiz Sérgio disse que a correção da tabela do Imposto de Renda para Pessoa Física (IRPF) é possível, mas o governo quer tratar o assunto atrelado à votação do mínimo.

Internacional China supera Japão como 2ª potência econômica mundial O GOVERNO do Japão divulgou segunda-feira (14) o balanço econômico de 2010 e confirmou a perda do posto de segunda maior economia mundial para a China. De acordo com dados oficiais, o Produto Interno Bruto (PIB) do Japão em 2010 ficou em US$ 5,474 trilhões. Já a China fechou o ano com um acumulado de US$ 5,8786 trilhões. A queda nas exportações e no consumo interno, desencadeada pela recessão de 2008/2009, prejudicou o desempenho do Japão. Já a China teve excelente desempenho no setor manufatureiro. Segundo os dados divulgados pelo governo, a economia japonesa teve uma retração de 1,1% na taxa anualizada nos três últimos meses de 2010. O crescimento recuou 0,3% em relação ao trimestre anterior. Foi a primeira vez, em quatro trimestres,

BANCO DE IMAGENS

A LEI ORÇAMENTÁRIA de 2011 foi publicada no Diário Oficial da União do dia 10. O governo anunciou, no dia anterior, um corte recorde de R$ 50 bilhões no Orçamento para ajustar a economia, com redução do déficit nominal e manutenção da inflação sob controle. É o primeiro contingenciamento do governo

Ministro afirma: “Não há plano B para o salário mínimo”

que a economia registrou uma contração. Assim, o PIB anual teve expansão de 3,9%. O ritmo de recuperação do Japão foi lento demais para segurar a posição de segunda maior economia mundial, posto que o país ocupou por mais de 40 anos.

Mas o governo diz que o fato não abala a confiança dos japoneses. “Não estamos competindo por rankings, mas trabalhando para melhorar a vida dos cidadãos”, disse o ministro de Política Econômica do Japão, Kaoru Yosano. Yosano afirmou

ainda que o crescimento chinês é uma boa notícia não só para o Japão, mas para os vizinhos asiáticos. “Isso [o crescimento da China] pode ser a base de um desenvolvimento da economia regional, ou seja, da Ásia Oriental e do Sudeste”, sugeriu.

Reservas internacionais do Brasil ultrapassam US$ 300 bilhões AS RESERVAS internacionais do Brasil ultrapassaram a marca simbólica de US$ 300 bilhões, de acordo com o Banco Central (BC). É a primeira vez na história

do país que o volume de divisas internacionais alcança esse patamar. O valor exato, divulgado pelo BC, é de US$ 300,271 bilhões, mais de meio trilhão de reais. As

reservas no encerramento de 2010 estavam em US$ 288,57 bilhões. De lá para cá a autoridade monetária foi induzida a comprar mais dólares no mercado à vista e a con-

tratar operações de compra no mercado futuro (swap cambial reverso) com o objetivo de conter a desvalorização da moeda norte-americana ante o real.

7


8 CAPITAL

15 a 21 de Fevereiro de 2011

Dilma Rousseff instala Fórum de Desenvolvimento Econômico FABIO RODRIGUES POZZEBOM

A REUNIÃO DE instalação do Fórum de Desenvolvimento Econômico, realizada dia 10, no Palácio do Planalto, durou cerca de duas horas sob o comando da presidenta Dilma Rousseff, mas nada foi divulgado pelo Palácio do Planalto sobre o encontro em si. Coordenado pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, a reunião contou com a participação de toda a equipe econômi-

ca do governo, além dos ministros da Agricultura, da Ciência e Tecnologia, da Educação, da Previdência e do Trabalho e Emprego, além de representantes dos bancos oficiais. Aguardado com expectativa, o Fórum de Desenvolvimento Econômico foi aberto às 15h30 e terminou por volta de 17h30. A assessoria de imprensa do Palácio do Planalto informou que o mi-

nistro Mantega falaria sobre a reunião e os objetivos do Fórum, mas isso não aconteceu. Um segundo aviso da assessoria de imprensa, às 19h30, informou que o ministro da Fazenda despachou demortadamente com a presidenta da República e, por uma questão de agenda, deixou o palácio sem dar a entrevista prometida. Na primeira reunião ministerial do governo Dilma,

dia 14 de janeiro, foram criados os fóruns de Infraestrutura, de Erradicação da Pobreza, de Direito e Cidadania e do Desenvolvimento Econômico. Todos com o objetivo de monitorar o andamento de projetos do governo e de melhorar a gestão dos gastos públicos. Os fóruns agrupam os 37 ministérios e secretarias especiais por afinidade de áreas.

Governo isenta de IPI produtos doados para o Rio de Janeiro O GOVERNO DECIDIU isentar do pagamento do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) as doações feitas aos municípios do Rio de Janeiro

em estado de calamidade pública. O decreto foi publicado dia 11 no Diário Oficial da União. A redução é válida por s e i s m e s e s . D e a c o r-

do com o decreto, nas notas fiscais de saída com a redução de alíquotas deverá constar a expressão “saída com alíquota zero do IPI”,

o número do CNPJ referente ao município favorecido e referência a esse decreto, que entrou em vigor em 11 de fevereiro.

Edição Nº 44  

Jornal Capital - Edição nº 44