Page 1

www.bsbcapital.com.br

DISTRIBUIÇÃO GRATUITA

Chico Sant’Anna mostra que o Brasil pouco avançou na proteção à mulher no aniversário de 12 anos da Lei Maria da Penha. Rayssa Tomaz pede socorro. Ano VIII - 375

Páginas 6, 7 e 10

Brasília, 11 a 17 de agosto de 2018

O senador de Lula Entrevista Marcelo Neves

Professor da UnB disputa a eleição literalmente com uma carta na mão: uma correspondência (veja fac-simile ao lado) escrita de próprio punho por Lula, que agradece por ele ter aceitado ser candidato ao Senado pelo PT: “caráter e dignidade não se compra”, escreve. E Marcelo parte para o ataque contra Cristovam Buarque: “traidor do povo brasileiro. Um Judas”. Páginas 8 e 9

Na carta, Lula revela sua gratidão a Marcelo

Estamos de olho nos presidenciáveis

Um fiscal na Câmara Legislativa

Lupa nos gastos públicos

Debate entre candidatos ao Planalto revela ingratidão de ex-aliados de Lula e estratégia de “bonzinho” de Bolsonaro

Ex-administrador de Sobradinho, Alexandre Yanez quer usar experiência para se eleger deputado distrital

Pré-candidata a deputada federal, Paula Belmonte (PPS/Foto) defende fiscalização minuciosa do dinheiro do contribuinte

Opinião - Página 2

Página 4

Página 5


Brasília Capital n Opinião n 2 n Brasília, 11 a 17 de agosto de 2018 - bsbcapital.com.br

E

x p e d i e n t e

Diretor de Redação Orlando Pontes ojpontes@gmail.com Diretor Comercial Júlio Pontes comercial.bsbcapital@gmail.com Pedro Fernandes (61) 98406-7869 Diagramação / Arte Thiago Oliveira artefinal.mapadamidia@gmail.com (61) 9 9117-4707 Diretor de Arte Gabriel Pontes redação.bsbcapital@gmail.com Tiragem 20.000 exemplares Distribuição Plano Piloto (sede dos poderes Legislativo e Executivo, empresas estatais e privadas), Cruzeiro, Sudoeste, Octogonal, Taguatinga, Ceilândia, Samambaia, Riacho Fundo, Vicente Pires, Águas Claras, Sobradinho, SIA, Núcleo Bandeirante, Candangolândia, Lago Oeste, Colorado/Taquari, Gama, Santa Maria, Alexânia / Olhos D’Água (GO), Abadiânia (GO), Águas lindas (GO), Valparaíso (GO), Jardim Ingá (GO), Luziânia (GO), Itajubá (MG), Piranguinho (MG), Piranguçu (MG), Wenceslau Braz (MG), Delfim Moreira (MG), Marmelópolis (MG), Pedralva (MG), São José do Alegre, Brazópolis (MG), Maria da Fé (MG) e Pouso Alegre (MG). C-8 LOTE 27 SALA 4B, TAGUATINGA-DF - CEP 72010-080 - Tel: (61) 3961-7550 - bsbcapital50@gmail.com - www.bsbcapital.com.br - www. brasiliacapital.net.br

Os textos assinados são de responsabilidade dos autores

Siga o Brasília Capital no facebook.com/jornal.brasiliacapital

ARTIGO

Fiquemos de Olho! Orlando Pontes

D

os oito candidatos a presidente da República que participaram do primeiro debate eleitoral deste ano, quinta-feira (9), pela rede Bandeirantes de rádio, internet e TV, três foram auxiliares do primeiro escalão dos governos de Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Henrique Meirelles (MDB), foi presidente do Banco Central durante oito anos; Marina Silva (Rede) comandou o Ministério do Meio Ambiente de 2003 a 2008; e Ciro Gomes (PDT) ficou à frente do Ministério da Integração Nacional de 2003 a 2006. O petista está preso em Curitiba, lidera as pesquisas de intenção de votos e terá sua candidatura registrada quarta-feira (15) em meio a uma grande manifestação programada por correligionários para ocorrer em frente ao Tribunal Superior Eleitoral. São esperadas cerca de 30 mil pessoas. Em comum, durante o debate, Meirelles, Marina e Ciro falaram de realizações de suas respectivas pastas. Mas se esqueceram de dizer que ocupavam cargos de confiança e que executaram políticas definidas por um chefe: Lula. Meirelles se gaba de ter reduzi-

C

Debate da Band revela ingratidão de ex-aliados de Lula e estratégia de Bolsonaro para parecer bonzinho do os juros bancários e aumentado a oferta de empregos; Marina fala da diminuição do desmatamento na Amazônia; Ciro elenca inúmeras obras por todo o País, com destaque para a transposição do Rio São Francisco – ainda inconclusa. Talvez por isso, mesmo encarcerado, o petista ainda seja o preferido da maioria dos brasileiros, segundo os institutos de pesquisa. Se tanta gente fez tanta coisa boa e ele comandava a todos, por que eleger intermediários? Melhor devolver o posto a quem os chefiava... Mesmo não tendo participado das gestões de Lula, Guilherme Boulos (PSol) foi o único a se manifestar em defesa do petista, tratando sua prisão como injusta. Credencia-se a herdar alguns votos lulistas, caso a Justiça o impeça definitivamente de

a r t a s

nCristovam Buarque

Sousa, via Facebook

nLegislativo sem poder

Grande Cristovam! O senhor fez o certo ao sair da organização criminosa que é seu antigo partido, o PT. Leonardo Oliveira, via Facebook

Ele não é petista, ele é golpista! Daisy Paz, via Facebook

Matéria oportuna! Se eu estiver equivocado me corrijam: pelo que se apresenta, o descrédito fica explícito já na primeira votação da gestão legislativa. Se elege o presidente da Câmara visando a assegurar a maioria no Legislativo! Há de se convir que essa “preferência” é retribuída com “mimos”

Pode não ser omisso, mas é um traidor oportunista. Pula de galho em galho sempre em busca do poder! Jean

Sobre nota no Pelaí em que o senador Cristovam Buarque afirmou não ser omisso. Durante a convenção do PPS ele citou motivos que o levam a tentar se reeleger.

concorrer. Mas a tendência é de que esse espólio fique mesmo para a chapa Fernando Haddad (PT)-Manuella D’Ávila (PCdoB), que provavelmente substituirá Lula. Álvaro Dias (Podemos) e Geraldo Alckmin (PSDB) se engalfinharam. O senador do Paraná alerta os brasileiros a abrirem o olho para observar o tucano. Segundo ele, o ex-governador de São Paulo fala em combate à corrupção, mas preside um partido enroscado em inúmeros escândalos. E está à frente de uma coligação de nove legendas que abrigam centenas de investigados pela Lava Jato. Cabo Daciolo (Patriotas) é mais uma prova viva da Lei Murphy: nada é tão ruim que não possa piorar. A expectativa de ouvir Jair Bolsonaro (PSL) repetir seu discurso homofóbico, de preconceito contra as minorias e de ataque contra tudo e contra todos até se confirmou em alguns momentos. Mas Bolsonaro foi menos Bolsonaro do que Daciolo. Diante das intervenções do Cabo dos bombeiros, o Capitão do Exército parecia até moderado. Quem entende do riscado – táticas eleitorais – percebe na hora tratar-se de uma estratégia. Os dois são farinha do mesmo saco. E estarão juntos no segundo turno. Daciolo é apenas um batedor de Bolsonaro.

proporcionais aos respectivos “Palácios”. E assim sendo, e considerando que a finalidade precípua, que seria legislar e fiscalizar em prol do povo, perde a finalidade já na inauguração por conta de atrelamentos. A maioria vendida e a minoria impotente. Quais os motivos justificáveis em mantê-los a nos onerar? E o pior: nos oneram mais ainda pelo

fato desses elementos serem alvos constantes de “visitas” do Ministério Público. Pois que se fechem os Palácios! Eudes Gonçalves, via Facebook Sobre a coluna Brasília por Chico Sant’Anna, revelando a incapacidade de resolutividade de deputados distritais, federais e até de vereadores.


Brasilia Capital n Política n 3 n Brasília, 11 a 17 de agosto de 2018 - bsbcapital.com.br

Quem pode, pode! - O Conselho Superior do Ministério Público Federal aprovou sexta-feira (10), por unanimidade, o orçamento do MPF para 2019 incluindo reajuste de 16,38% para os procuradores da República, a exemplo do que fizeram os ministros do Supremo em relação aos próprios vencimentos. O orçamento do MPF para 2019 é de R$ 4,067 bilhões, incluindo os R$ 101 milhões que devem passar a ser gastos com os salários dos procuradores. Caso o reajuste seja confirmado pelo Congresso, o salário de um procurador da República deve superar os R$ 33 mil.

Pegou mal

Pinga-fogo / Egmar Tavares

Um apoiador do candidato Washington Mesquita (PTB) marcou gol contra o ex-distrital. Na terça-feira (7), um morador de Águas Claras fotografou um carro estacionado, sem autorização, ocupando duas vagas de idosos. É OU NÃO É SEM NOÇÃO?– A imagem viralizou após ser publicada no grupo da associação de moradores da cidade (AMAAC), no Facebook. “Tô com pena do Washington Mesquita! Esse cabo eleitoral queimou o filme do cara”, disse um dos internautas. REPÚDIO – Em nota, o ex-deputado disse que repudia qualquer tipo de infração, “principalmente contra crianças, jovens e idosos”. E aproveitou o post para enumerar as propostas que tem para esses públicos. REPRODUÇÃO FACEBOOK

Cabo eleitoral: com um aliado desse, quem é que precisa de inimigo?

Protesto Na terça-feira (7), 220 ex-funcionários do grupo Fiança Vipasa protestaram em frente à Câmara Legislativa e bloquearam o trânsito no Eixo Monumental. Reivindicavam direitos trabalhistas não pagos a 1.400 trabalhadores desde 2011 pela empresa da família do deputado Cristiano Araújo (PSD). E pediam a mediação do presidente da Casa, Joe Valle (PDT). CHANTAGEM – O deputado reconhece que os ex-funcionários têm direito de reivindicar, mas se manifestaram contra a pessoa errada. Cristiano alega que saiu do corpo diretivo das empresas em 2006, que foram assumidas pelo seu pai, falecido em 2016. Depois, o espólio foi assumido pela mãe, como inventariante. “Isto é chantagem”, finalizou.

Cinco perguntas para o vice de Rogério Rosso REPRODUÇÃO

O senhor está preparado para ser vice-governador da Capital da República? – Como gestor, não tenho dúvida de que posso somar na gestão do futuro governador Rogério Rosso para o crescimento de Brasília na geração de emprego, educação, saúde, segurança pública. Lutarei pela criação do Polo Tecnológico, pelos valores cristãos e da família, pela criação de escolas profissionalizantes para os jovens, investindo no esporte e na cultura para tirarmos os jovens das ruas e das drogas. Como avalia o mandato tampão de nove meses do Rosso? – Foi um momento difícil quando o Rogério assumiu o GDF. O cenário era de desmando, governador preso, tensão política. Eleito por voto indireto da Câmara, ele mostrou experiência e competência, e fez o máximo para que a situação do DF não se tornasse um caos. O que acha da oposição que Renato Santana, atual vice, faz a Rollemberg? Faria o mesmo? – Existe uma diferença muito grande entre Rollemberg e Rosso. Conheço Rogério e ao longo dos anos ele nunca mudou. É muito educado, perseverante, visionário. Ele vê o ser humano em primeiro lugar. Essa é a diferença. O que fez o Renato tomar a decisão de ser oposição foi o tratamento que o Rodrigo deu a ele. Ele

Rollemberg não conseguiu enxergar o diamante que tinha ao lado

foi estigmatizado, humilhado, e sem chance para mostrar quem ele era, um homem digno e que tem todo o meu respeito. Rollemberg não conseguiu enxergar o diamante que tinha ao lado. Por isso que eu acredito que não farei oposição ao Rogério, um homem cristão, de palavra, que honra as pessoas é que respeita a todos. Quantos fieis a igreja Universal tem no DF? Qual o peso disso no processo eleitoral? – O segmento evangélico é muito importante e tem somado com o DF em todas as áreas. Nós estamos deixando de lado placas de igrejas, títulos, e cremos que o segmento vai marchar unido na campanha do Rogério. Porém, entendo que o nosso compromisso é com toda a sociedade, respeitando a todos e administrando com muita responsabilidade. Por isso o nome da nossa coligação é Unidos pelo DF. Queremos os

cristãos católicos e evangélicos juntos pela família, que é a base da sociedade. Como o senhor se tornou líder evangélico? – Fui criado na igreja evangélica desde 1974, onde formei a dupla de cantores Egmar e Valdirene. Logo recebi o meu chamado para o sacerdócio. Fui para o Seminário em São Paulo durante dois anos. Voltei e comecei a fazer o social na igreja, atendendo às pessoas mais carentes, trabalhando com quase 30 mil jovens. Logo assumi a Presidência da Assembleia de Deus do Gama em 2003. Em 2010 assumi a presidência da Convenção das Assembleias de Deus do DF, que atualmente é presidida pelo bispo-primaz Manoel Ferreira, também presidente da Convenção Nacional das Assembleias de Deus, primeiro suplente do senador Cristovam Buarque (PPS). Sou empresário da área de comunicação.


Brasília Capital n Política n 4 n Brasília,11 a 17 de agosto de 2018 - bsbcapital.com.br

Experiência para fiscalizar JÚLIO PONTES

Alexandre Yanez é candidato a deputado distrital para valorizar o uso do dinheiro público

trital pelo PP, ele também pretende defender os interesses da região norte do DF - Fercal, condomínios e Sobradinho, onde mora. Conciliador, Yanez aproveitou a convenção do Progressistas que o consagrou candidato para pregar a união entre os filiados à legenda. “Somos uma família. Ninguém vai sozinho a lugar nenhum, pois um depende do outro. Tenho certeza de que daqui sairão grandes representantes do povo”, discursou, dirigindo-se ao presidente local do PP, deputado federal Rôney Nêmer.

Júlio Pontes

E

x-administrador de Sobradinho e da Fercal, Alexandre Yanez quer usar sua experiência para fiscalizar a aplicação dos recursos públicos em ações que verdadeiramente beneficiem a população do Distrito Federal. Candidato a deputado dis-

Yanez: ex-administrador de Sobradinho

Arte Urbana GRÁFICA E EDITORA

RENOVAÇÃO - Yanez ressaltou que é a primeira vez que disputa uma eleição. “É um momento em que os

brasilienses clamam por renovação política. Por onde ando tenho visto pessoas insatisfeitas com os atuais representantes. Elas querem ver algo novo, com práticas verdadeiras. Eu não prometo nada que eu não posso cumprir. A população está cansada de falsas promessas. Eu quero ser o mais transparente possível”, discursou. Reconhecido como um bom gestor público por conta do trabalho como administrador das duas regionais, Alexandre Yanez quer continuar atuando com foco nas necessidades do cidadão e na transparência. Para ele, esse é o caminho para a correta aplicação dos recursos públicos.

Produção e criação para campanhas políticas www.arteurbanagrafica.com

98193-8164 +55 61 98333.0959

ADESIVOS EM GERAL | SANTINHOS / COLINHA

C8 Lote 27 - 1º andar Taguatinga Centro

BANDEIRA | CARTÃO DE VISITA

+55 61

FAIXAS E BANNERS | PANFLETO / FOLDER


Brasília Capital n Política n 5 n Brasília, 11 a 17 de agosto de 2018 - bsbcapital.com.br

Olhar minucioso para a gestão pública MARCELO VERAS

Pré-candidata a deputada federal, Paula Belmonte defende ética e bom senso na administração de recursos públicos Da Redação O foco nos detalhes, habilidade frequentemente atribuída às mulheres, poderia beneficiar a fiscalização das contas públicas. Apesar disso, a representatividade feminina na política é tímida: há apenas 51 mulheres nos 513 assentos da Câmara dos Deputados. Um novo rosto se revela aos brasilienses e batalha para virar esse jogo. Chama-se Paula Belmonte, principal nome do Partido Popular Socialista (PPS) na chapa de deputados federais. A empresária e pré-candidata quer aplicar a experiência de

Dois pesos, uma medida De fevereiro de 2015 até 30 de junho, Câmara e Senado gastaram R$ 824,3 milhões com pagamentos dessas despesas. Só passagens aéreas abocanharam R$ 258,5 milhões, enquanto o resto foi repassado aos políticos via apresentação de nota fiscal ou recibo. “O cidadão comum não desfruta de mordomias. Então por que os políticos têm esse direito?”, questiona

“O eleitor deve pesquisar o passado dos candidatos. Muitos políticos ficaram inelegíveis e passaram o bastão para filhos e netos. Isso não é renovação. A mudança só virá quando novos representantes forem eleitos”

gestora, adquirida no setor privado, para fiscalizar os gastos estatais. “Como administradora de empresas, noto que falta gestão. Não existe dinheiro público, mas dinheiro do

contribuinte. Em uma empresa, os recursos devem ser bem investidos, e no governo ainda mais, pois é um dinheiro de impostos. Estou na política para fazer um verdadeiro tra-

Paula Belmonte, que estreia a sua primeira eleição em grande estilo — a ficha é limpa e o apoio vem de uma referência íntegra no Distrito Federal: o senador Cristovam Buarque. “Chega a ser imoral tantos gastos com o Congresso Nacional, assembleias estaduais e câmaras municipais”, classifica a pré-candidata. “A cada dia, o Congresso Nacional consome R$ 28 milhões, dinheiro que poderia ser usado para construir mais de dez creches. É preciso que os políticos estejam mais sintonizados com o que a população quer”, completa. No Distrito Federal, a Câmara

Legislativa também é cara: gasta R$ 1,3 milhão por dia e possui um valor mensal de verba indenizatória de R$ 25.322,25 para cada distrital. FALSAS PROMESSAS - A poucos dias de 16 de agosto, data em que se inicia a propaganda eleitoral, Paula Belmonte alerta para candidatos que fazem promessas demais e que, por vezes, são feitas para iludir em vez de cumprir. “Antes de prometer, é preciso se comprometer. O eleitor deve pesquisar o passado dos candidatos. Muitos políticos ficaram inelegíveis e passaram o bastão para filhos, netos, maridos e esposas. Isso

balho de fiscalização das ações do Poder Executivo”, garante. É o dinheiro do contribuinte que sustenta, por exemplo, a cota para o exercícios da atividade parlamentar (Ceap), conhecida como “cotão”. Então, quem paga imposto é também quem banca a propaganda de mandato, passagens aéreas, aluguel de escritórios (além do gabinete), combustível, papelaria e telefone de senadores e deputados (veja box). Um dos primeiros passos rumo à responsabilidade financeira que Paula Belmonte defende — mãe de seis filhos, ela chama a nova conduta de “renovação com ética” — é abrir mão dos excessivos benefícios dos parlamentares. Dentre vários benefícios, deputados federais recebem duas ajudas de custo por mandato no mesmo valor do salário que, hoje, computa R$ 33,7 mil. “Para mim, fazer política não tem nada a ver com isso. É preciso trabalhar com coerência”, reforça.

não é renovação. A mudança só virá quando novos representantes forem eleitos”, acredita a pré-candidata. Ela critica também a redução do tempo da campanha eleitoral. Até 2014, os candidatos tinham 90 dias para divulgar as propostas, mas esse tempo foi cortado pela metade na última reforma eleitoral. “Na minha opinião, essa reforma foi feita sob medida para beneficiar quem já tem mandato. Só ajuda quem quer se reeleger, porque novos nomes terão mais dificuldade para sobressair. Muitos políticos temem a renovação, mas nós vamos dar a resposta nas urnas”, conclui.


Brasília Capital n Política n 6 n Brasília, 11 a 17 de agosto de 2018 - bsbcapital.com.br

Acompanhe também na internet o blog Brasília, por Chico Sant’Anna, em https://chicosantanna.wordpress. com Contatos: blogdochicosantanna@gmail.com

Por Chico Sant’Anna

Maria da Penha: triste aniversário

A

o se comemorar o 12º aniversário da edição da Lei Maria da Penha, o Distrito Federal, quase que de uma só vez, registra três novos casos de feminicídio: um na Asa Sul, outro no Riacho Fundo II e o terceiro no Recanto das Emas. A violência contra as mulheres na Capital Federal não tem endereço fixo nem é uma questão de padrão de renda. Ela é cultural. “A sociedade brasileira é violenta contra as populações marginalizadas, e as mulheres compõem essa população”, alerta a socióloga Nina Madsen, integrante do Centro Feminista de Estudos e Assessoria (Cfemea). No Brasil, uma mulher é assassinada a cada duas horas. O país ocupa a 5ª posição entre as nações mais violentas contra as mulheres de um total de 83 países. Com esses três casos, já são 18 feminicídios registrados este ano no Distrito Federal. Uma média de quase três assassinatos de mulheres por mês. Ao longo de todo o ano de 2017, foram 11 casos, o que de-

REPRODUÇÃO

O corpo de Adriana Santos, assassinada pelo marido Epaminondas, ficou estendido na calçada da casa da família no Riacho Fundo II: covardia

monstra um crescimento na violência. Desde 2015, já são 67. COMPANHEIROS – Nesta contabilidade não estão incluídos os casos de transfeminicídios, quando mulheres transexuais e travestis são igualmente alvos da ação machista. De 2017 até julho deste ano, segun-

do informa a Associação Nacional de Travestis e Transexuais, foram três casos em Brasília e mais dois no Entorno Sul (Valparaiso e Luziânia). Facadas e tiros são o modus operandis mais presente. O pior de tudo isso é que esse padrão de agressão acontece na maior parte dos casos dentro de casa ou a

partir de uma pessoa muita próxima. Em 79% dos casos, as vítimas estavam em suas residências, que deveriam ser um local de segurança e de conforto. Em 85% dos casos solucionados, os autores eram namorados ou companheiros das vítimas. Metade delas são mulheres com idade entre 30 a 50 anos.

Pífios resultados e novas leis Criada em 2006 e reforçada em 2015 pela Lei do Feminicídio, a lei Maria da Penha visava mudar esse triste quadro de um país cujas raízes machistas ainda se fazem fortemente presentes. Mas o resultado esperado ainda não se fez presente. Para tentar fechar ainda mais o cerco contra as violências às mulheres, o Congresso Nacional aprovou na terça-feira (7/8) novos projetos de leis. Eles aumentam a pena para o estupro coletivo e tornam crime a importu-

nação sexual, a chamada vingança pornográfica e a divulgação de cenas de estupro. A ideia é fechar o cerco contra qualquer prática de violência. O projeto, agora, segue para a sanção presidencial. EDUCAÇÃO – Todas essas iniciativas, contudo, visam reparar os danos depois das ocorrências. Até agora, o medo da punição mais severa não foi suficiente para evitar que mais mulheres venham ser agredidas e mor-

tas. A solução, entendem os especialistas, passa pela educação. Esse deveria ser o melhor caminho, mas em muitos casos ela atua na retroalimentação de maus valores. Para a psicóloga Raquel Baldo, o machismo é um comportamento cultural e histórico social ainda muito presente em nossa sociedade, e também na educação. Em muitos casos, o cotidiano de nossos colégios reforça os estereótipos de gênero no sentido de que mulheres são seres inferiores aos homens.

“O machismo é passado de pai para filho, da escola para o aluno, pois se trata de um ensinamento cultural. E não acontece em livros, técnicas ou cartilhas, mas sim por meio de atos e palavras ligadas aos valores morais e sociais. São informações absorvidas psíquica e emocionalmente e que farão parte do ser humano (masculino ou feminino) ao longo de sua vida, ditando inconscientemente suas atitudes, pensamentos, sentimentos e escolhas”, diz a especialista.


Brasília Capital n Política n 7 n Brasília, 11 a 17 de agosto de 2018- bsbcapital.com.br

Estamos morrendo

DIVULGAÇÃO

ASSASSINADAS Brasil é o quinto colocado no ranking mundial de feminicídio Rayssa Tomaz (*)

O medo é companheiro constante das vítimas da covardia de “companheiros”

Machismo cultural O conceito do machismo se faz presente em nossas vidas. O hábito do desrespeito para com as mulheres está impregnado na cultura brasileira. Ele se materializa no comportamento individual e se reflete na insensibilidade jurídica e na indiferença social de muitos de nós. ENSINO – Tal indiferença se materializa no velho adágio popular que “em briga de marido e mulher não se mete a colher”. Em pelo menos um dos casos de feminicídios registrados este mês em Brasília, uma morte poderia ter sido evitada se os vizinhos não tivessem ficado indiferentes. Para mudar esse quadro se faz necessário dar um novo enfoque educacional. Começando em casa, na família, já que as crianças copiam os adultos. Esse en-

foque requer um novo modelo de ensino. “A escola é espaço estratégico porque tem centralidade na vida dos jovens. É um espaço de proteção e que aciona o Estado. Por isso, precisa ser um lugar que se estruture em torno dos princípios da igualdade de gênero, dos direitos das mulheres e das crianças e adolescentes”, destaca Nina Madsen. Mas, para algumas lideranças políticas, que defendem a escola sem partido, tratar de temas como esse na escola é ideologizar o ensino. O momento eleitoral requer uma reflexão da sociedade e dos políticos sobre a violência contra as mulheres. Entretanto, alguns dos candidatos ao posto máximo da República não trazem em suas bagagens bons exemplos. Precisamos mudar!

O Brasil é o quinto país no ranking mundial de feminicídio. Trocando em miúdos, nós mulheres podemos dizer que estamos sendo assassinadas covardemente. E o pior: muitas vezes, por nossos próprios companheiros. Somos treze vítimas diárias desse tipo de crime, que deveria ser classificado como hediondo. Apenas na Delegacia da Mulher do Distrito Federal existem mais de 4 mil processos. Em plena Capital da República, 1,2 mil mulheres são violentadas todos os meses. O Distrito Federal é um dos recordistas no registro deste tipo de crime em todo o país. Estes dados podem parecer repetitivos, entoados dia a dia, como um mantra. Eles são o nosso sofrimento em roupagem numérica. Pelos cálculos estatísticos, a cada 7 minutos registramos ocorrências de violência contra a mulher. Só durante o tempo que gastei escrevendo o primeiro enunciado deste texto, duas mulheres foram agredidas. São desconhecidas. Em sua maioria, vivem em situações de vulnerabilidade. Mas isso me parece muito mais um disfarce social. A violência está em todas as camadas da sociedade, muito embora algumas se esforcem mais para jogar a sujeira para debaixo do tapete. Parecem estar distantes da realidade. Quase 90% das usuárias de transportes públicos afirmam já terem sido abusadas ou sofrido situações de constrangimento. Não temos direito de ir e vir, consagrado na Constituição

Cidadã. Nossos trajetos são mais perigosos; podemos não voltar. Temos medo de andar pelas ruas. Que Estado de direito é esse? Meu pesar é saber que existe uma tendência a menosprezar nosso pleito. Embora sejam visíveis os esforços dos governos em instituições para frear os casos de violência, ainda não chegamos ao ponto primordial: precisamos ser combativos contra o machismo. Precisamos de uma cultura de paz, de convivência harmoniosa, de discurso propositivo. Precisamos combater a impunidade, precisamos de políticas positivas e estruturantes. Precisamos de tecnologia aliada à segurança. Precisamos dos homens caminhando junto com a gente, lado a lado, contra o machismo que mata. Necessitamos de mais representação. Precisamos de um novo pacto social em que seja um pesar para todos enterrar mais uma filha ou mais uma mãe. Abracemos a ideia de que o Brasil não tolera violência contra a mulher. É cruel conviver com o medo de virar mais um número nessa estatística funesta. Quando lemos dados, não conseguimos assimilar as realidades. Para a maioria de nós, estatística. Para os familiares e amigos, histórias de vida abruptamente encerradas. Elas devem sempre ganhar um nome e um rosto. Poderia ter sido eu ou você, mas foram Anne Mikaelly, Palloma Lima, Clésia Andrade, Ieda Rizzo Adriana Castro Rosa, Louise Ribeiro, Janaina Romão, Jessyka Laynara, Carla Grazyele, Marilia Jane e tantas outras.

(*) Jornalista, ativista feminista e précandidata a deputada federal


Brasília Capital n Política n 8 n Brasília, 11 a 17 de agosto de 2018 - bsbcapital.com.br

Entrevista Marcelo Neves Qual a sua bandeira como candidato ao Senado? – Um dos pontos básicos é a retomada de uma política de inclusão social e defesa dos direitos das pessoas, porque o Brasil é historicamente caracterizado pela grande exclusão e desigualdade. Mesmo as políticas desenvolvidas por Lula não foram suficientes, embora elas tenham redu-

O senado

Candidato do PT vai rivalizar com Cristo os pobres e para as políticas sociais. Não se trata de algo que prejudique assuntos banais, mas sim a Educação e a Saúde. Se nós mantivermos a emenda 95, acabaremos com a universidade e a saúde públicas no Brasil. Após o afastamento de

Com Lula, a exclusão social caiu de 41 para 5 milhões. Temer subiu para 12 milhões zido essa exclusão social em 36 milhões - de 41 milhões para 5 milhões - de brasileiros que se encontravam em pobreza extrema. Mas, com dois anos de governo Temer houve uma retomada desses números. Houve uma crescente de 5 milhões para 12 milhões. Para mudar esse cenário, pretendo lutar contra a exclusão através de uma reforma tributária radical que possibilite a retomada dos programas sociais, bem como revogar a emenda 95, que é tão prejudicial à educação. Explique melhor a emenda 95. – Ela cria um modelo de austeridade para

Dilma, Temer fala muito em reformas. Quais reformas o senhor considera necessárias para Brasil? – Temer não está reformando. Ele está retrocedendo e reforçando a tradição brasileira de exclusão das grandes massas. O Brasil precisa de reformas básicas no âmbito social e tributário. É preciso proteger especialmente os direitos sociais que estão sendo destruídos com a reforma trabalhista avalizada por ele. Somente com tais reformas poderemos qualificar nosso país como democrático e social, conforme exige nossa Constituição. Da bancada do DF, o

senador Cristovam Buarque tem o seu perfil. Qual a sua visão quanto à postura dele? – Cristovam não só traiu o PT quando votou pelo impeachment de Dilma como apoiou o processo contra Lula e votou a favor da emenda 95, que destrói a educação pública. E ainda votou a favor da reforma trabalhista. Fez o contrário de tudo que “defendia”. Foi contra todos os interesses dos trabalhadores e estudantes. Mostrou-se traidor não só do PT, mas do povo brasileiro. Cristovam é a maior representação de Judas para o povo brasileiro. Como o senhor vai combate esse Judas? Apontando para as suas contradições; contradições aos ideais que ele afirmou durante a campanha eleitoral. Ele se posiciona contra a saúde pública e gratuita e defende a privatização do Sistema de Saúde. Apoia Temer e Rollemberg e procura destruir a saúde pública e o SUS quando defende a emenda 95. São vários aspectos que podem ser apontados nos quais ele trai os ideais de uma saúde pública digna, de uma educação pública digna e dos direitos dos trabalhadores. Talvez para compensar a perda dos votos da esquerda, hoje ele busca apoio dos evangélicos. Como evitar que ele cresça nesse eleitorado? – Eu não posso admitir que a comunidade evangélica

Marcelo: “dignidade e caráter não se compra. Ou você tem ou não tem. E você tem as duas coisas, fundamentais para um político”, diz Lula na carta

Orlando Pontes

M

arcelo Neves nasceu no Recife em 1957, onde estudou Direito. Fez doutorado e pós-doutorado na Alemanha e na Inglaterra e livre-docência na Suíça. Foi professor da Universidade Federal de Pernambuco e da Universidade Católica de São Paulo. Atualmente, é professor de Direito Público da UnB. Ele também passou um período no Conselho Nacio-

apoie um traidor com as mesmas características de Judas. Nós, religiosos ou não, somos seres humanos e temos que ter lealdade e fidelidade aos próprios ideiais. Na religião,

são valores fundamentais. É absurdo que a comunidade evangélica esteja a favor de Cristovam, porque todo traidor é mal-visto pela tradição Cristã.


Brasília Capital n Política n 9 n Brasília, 11 a 17 de agosto de 2018 - bsbcapital.com.br

or de Lula

ovam Buarque, a quem chama de Judas FOTOS: JÚLIO PONTES

nal de Justiça, por indicação do PT. Sua militância política começou em 1974, na campanha do ex-senador Marcos Freire (PE), com o lema “Sem ódio e sem medo”. Nesta entrevista ao Brasília Capital, conta que se envolveu na defesa de Dilma Rousseff e de Lula, sempre reiterando que não havia crime de responsabilidade e que não há nem prova nem crime cometido pelo ex-presidente. Nesse contexto surgiu o convite do conterrâneo ser o seu candidato ao Senado pelo PT do DF.

E quanto ao Reguffe? Eu discordo dele em vários aspectos, mas reconheço que ele tem coerência. Foi um equívoco o voto pelo impeachment. Mas foi coerente o

voto contra a reforma trabalhista. Também é importante a luta dele contra os privilégios dos políticos. Então, eu o respeito como uma pessoa coerente na política do DF.

O senhor foi do CNJ quando o PT era acusado de corrupção em escândalos como o Mensalão e o Petrolão. Como apagar essa má impressão deixada pelo PT? – Nós não tivemos um presidencialismo de coalizão como dizem os professores da USP. Tivemos um presidencialismo de extorsão. Setores do PMDB e do PP exigiam certos benefícios, às vezes ilícitos, às vezes lícitos, para aprovar medidas sociais importantes, deixando o governo nesse paradoxo. O governo teve que ceder cargos para pessoas de pouca confiança. Então, houve erro do PT, mas todos os partidos têm falhas no elemento da corrupção. Isso não contamina todo o partido. O presidente Lula não praticou crime. Houve falhas no PT nesse quesito, e isso chocou a todos, porque o PT se apresentou com o discurso da ética. Nós precisamos e iremos superar essas falhas. Eu serei um daqueles representantes do PT que dão enfase na tradição do partido na ética e não nos desvios ocorridos com alguns aliados e membros internos do partido. A prisão do Lula é justa e corresponde efetivamente a crimes que ele tenha cometido? – Eu estudei o processo de Lula, pois participei voluntariamente de sua defesa. Lula não praticou crime e não há provas quanto a isso. O que existe é uma delação do Léo Pi-

nheiro, que se trata de uma colaboração definida por lei como um meio para alcançar uma prova, e não a prova em si. Além do mais, há falhas quanto à classificação do crime. O crime de corrupção passiva exige que você possua um ato de ofício. Está na jurisprudência

Entrevista Marcelo Neves o candidato dele ao Senado. Isso é fundamental no meio das populações carentes e nos setores mais de esquerda. Nos setores de centro e simpatizantes do PT eu sou respeitado porque sempre fui um professor e jurista reconhecido, pautando minha conduta na comunidade acadêmica com muita coerência e honestidade. Vou montar uma boa equipe de

“Cristovam mostrou-se um traidor não só do PT, mas do povo brasileiro” do STF desde o período do presidente Fernando Collor. Porém, ela foi modificada no Tribunal Regional Federal com a participação do juiz Sérgio Moro. Lula não praticou crime. Não há provas. É o segundo golpe para afastá-lo da disputa eleitoral. O senhor é da academia, morou no exterior tem serviços prestados à Nação, mas é desconhecido da população do DF. Como espera que as pessoas votem para tê-lo como representante no Senado? – Nos setores de esquerda eu diria que um ponto fundamental é que eu tenho uma carta de Lula apontando que eu sou

comunicação para que meu nome alcance os diversos setores da população. Qual o conteúdo da carta do Lula? – O Lula diz, de próprio punho, que agradecia a mim por me filiar ao PT e aceitar concorrer ao Senado. Ele diz: “o Brasil precisa de politicos como você, pois dignidade e caráter não se compra; ou você tem ou não. E você tem essas duas coisas que a política brasileira mais precisa no momento: dignidade e caráter. Abraços, Lula”. É uma carta muito bonita, e já é um quadro na minha casa. Fiz uma moldura e deixei lá para os meus netos e bisnetos poderem ler.


Brasília Capital n Cidades n 10 n Brasília, 11 a 17 de agosto de 2018 - bsbcapital.com.br

A Secretaria do Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos-SEDESTMIDH divulgou nota na quinta-feira (9) lamentando a violência e a covardia que levaram à morte Marília Jane de Sousa Silva, do Recanto das Emas; Carla Rodrigues Zandoná; da Asa Sul; e Adriana Castro Santos, do Riacho Fundo II nos dias 5, 6 e 7 deste mês. O documento lista os 17 equipamentos disponibilizados pelo GDF às mulheres vítimas de violência. Os endereços estão no site www.mulher.df.gov.br . Denúncias anônimas podem ser feitas pelo 156, opção 6.

POR ELIANE ARAÚJO

Entre em contato com a Coluna Via Satélites. Este espaço é aberto para as demandas da comunidade. Críticas, sugestões ou sugestões de pautas, envie para o e-mal elianegaa@gmail.com

VICENTE PIRES

DISTRITO FEDERAL

Agefis e PM em ação

Bicicletários em terminais rodoviários

N

a manhã de quarta-feira (8), um movimento intenso chamou a atenção das pessoas na Administração da Vicente Pires. Carros da PM e da Agefis saíram do local para cumprir mandado de desobstrução em duas chácaras na Rua 4. A alegação é que os proprietários não acataram a ordem para deixar as máquinas entrarem na propriedade, onde estão sendo construídas lagoas de contenção e captação das águas, dentro das obras de galerias pluviais que estão sendo feitas na cidade. Os terrenos são usados

DIVULGAÇÃO

Cruzeiro, Recanto das Emas e Núcleo Bandeirante são as primeiras cidades a receber bicicletários. A iniciativa visa incentivar o uso de bicicletas e disponibilizar espaços para as pessoas deixarem as bikes. O horário de funcionamento será das 5h às 22h. O Programa Mais Bike pretende levar o projeto, que visa melhorar a integração do transporte público, para Taguatinga, Águas Claras e Guará, entre outras localidades.

TRE divulga perfil do eleitor

PMs e agentes da Agefis desobstruíram duas chácaras na Rua 4

para o plantio de hortaliças. Segundo o administrador de Vicente Pires, Charles Guerreiro, ninguém sairá pre-

judicado. “Pedimos tempo para que os donos das chácaras possam colher as hortaliças”, disse.

GUARÁ

Ampliado espaço da APAE

TAGUATINGA DIVULGAÇÃO

A Associação dos Pais e Amigos dos Excepecionais (APAE-DF) reinaugurou sua Unidade no Guará. O espaço, localizado na Colônia Agrícola Águas Claras, passou por obras de adaptação que custaram R$ 90 mil. Os recursos foram doados pela comunidade a partir do Capital de Prêmios e por colaborações diretas de familiares, associados e voluntários. A APAE conta agora com cozinha,

Nova unidade da APAE no Guará vai atender 100 alunos, inclusive idosos

refeitório e novas salas de atendimento. Está pronto para receber 100 alunos,

As mulheres são maioria entre os eleitores do Distrito Federal, de acordo com pesquisa realizada pelo Tribunal Regional Eleitoral. O levantamento aponta, ainda, que Ceilândia é o maior colégio eleitoral, seguido por Taguatinga e Águas Claras. Juntas, a três cidades somam mais de 670 mil votos. As mulheres representam 53,8% dos eleitorado e, de acordo com a faixa etária, a maior parte tem de 30 a 39 anos.

inclusive idosos, que terão atividades esportivas, artesanato e artes.

Obras paradas no viaduto Apesar de o prazo inicial de entrega ter vencido há um ano (a previsão era agosto de 2017), as obras continuam paradas e atrapalhando a vida das pessoas no viaduto da entrada de Taguatinga. São cerca de 135 mil veículos que passam pelo local por dia e os engarrafamentos viraram rotina. A Secretaria de Infraestrutura informa que a empresa responsável pela execução das obras encontrou falhas no projeto. A obra faz parte do conjunto de promessas para aliviar o trânsito intenso no chamado Corredor Oeste, na Estrada Parque Taguatinga (EPTG).


Brasília Capital n Cidades n 11 n Brasília, 11 a 17 de agosto de 2018 - bsbcapital.com.br

Pequena vazão de esgoto causa fedor Desodorizadores liberam gases que provocam reclamações da população de Taguatinga ANTÔNIO SABINO

Poder Judiciário da União TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO DISTRITO FEDERAL E DOS TERRITÓRIOS Vara de Família e de Órfãos e Sucessões do Guará QE 25 Área Especial 1, sala 2.25, 2 andar, Guará II, BRASÍLIA - DF - CEP: 71025-015 Telefone: (61) 3103-4107/4117 email: vfos.gua@tjdft.jus.br Horário de atendimento: 12:00 às 19:00 EDITAL DE INTIMAÇÃO PARA CONHECIMENTO DE TERCEIROS.

Defensores de Taguatinga cobram esclarecimentos sobre o mau cheiro aos técnicos da Caesb

Da Redação Três desodorizadores instalados pela Caesb no Setor Hoteleiro espalham mau cheiro pelo centro de Taguatinga e são alvos de reclamações da população. Os equipamentos servem para liberar gases da rede que leva o esgoto de Águas Claras para a Estação de Tratamento (ETE) do Melchior, em Samambaia. Empresários do centro da cidade pediram ajuda ao grupo Defensores de Taguatinga, que levou o problema à Caesb. Na manhã de terça-feira (7), o superintendente de operação e tratamento de esgotos da empresa, Carlos Eduardo Pereira, foi até o local prestar esclarecimentos à comunidade. DIVISOR DE ÁGUAS – Segundo ele, o ponto onde foram instalados os desodorizadores é o ideal, por ser o mais alto – o “divisor de águas” – entre Águas Claras e Samambaia. Os dejetos captados são bombeados por uma elevatória até ali, de onde seguem mais 18 quilômetros, por gravitação, até a ETE do Melchior. O mau cheiro ocorre porque a vazão de 150 litros de esgotos por segundo está muito abaixo da capacidade do sistema, que é de 550 litros por segundo. Com isso, o escoamento fica parado

em determinados horários, formando gases que precisam ser liberados por meio dos desodorizadores. Diariamente, das 11h30 às 14h o bombeamento da elevatória é desligado. Mas, quando retorna, o mau cheiro aumenta e torna-se insuportável em várias localidades. O problema vem sendo minimizado com o uso de cal para reduzir o PH do esgoto. Mas isto não tem sido suficiente. Carlos Eduardo Pereira explicou que o produto passará a ser usado as 24 horas do dia. FALTA ESGOTO – Além disso, dentro de 60 dias será feita a ligação da captação de Vicente Pires à Elevatória da Churrascaria do Júlio. A entrada de mais 120 litros por segundo na rede diminuirá a retenção dos dejetos e, consequentemente, a formação de gases. Isto também reduzirá a emissão de odor. A complementação da capacidade de escoamento do sistema ocorrerá com a ligação do restante da rede de Águas Claras e Arniqueira. Ao responder à preocupação dos empresários sobre a possibilidade de agravamento do problema com o aumento da vazão, o engenheiro da Caesb disse que é justamente ao contrário. E resumiu: “está faltando esgoto na rede”.

Processo: 0704168-97.2017.8.07.0014. Ação: Família (5626). Autor: REGINALDO AFONSO DE OLIVEIRA e outros. Ré: MARINA SILVA DE OLIVEIRA. A Doutora MARIA LEONOR LEIKO AGUENA, Juíza de Direito da Vara de Família e de Órfãos e Sucessões do Guará, na forma da lei etc., FAZ SABER a todos quantos o presente edital virem ou dele tiverem conhecimento que por meio deste, leva ao conhecimento público a INTERDIÇÃO TOTAL de MARINA SILVA DE OLIVEIRA (CPF 041.364.751-01); filha de REGINALDO AFONSO DE OLIVEIRA e DENISE OLIVEIRA DA SILVA. No laudo consta que o interditado é portador de CID: G03.8/ 82.4. e que foram nomeados como seus CURADORES REGINALDO AFONSO DE OLIVEIRA (CPF: 317.208.891-04) E DENISE OLIVEIRA DA SILVA (CPF: 358.372.091-15); conforme os autos supramencionados e sentença proferida, no seguinte teor: “Posto isto, forte nas razões acima aduzidas, nos termos do artigo 487, inciso I, do Código de Processo Civil, julgo procedente o pedido, e com fundamento no artigo 1.767, inciso I, c/c artigo 4º, inciso III, ambos do Código Civil Brasileiro, e artigo 747, inciso II, do Código de Processo Civil, c/c §§1º, 2º e 3º do artigo 84, da Lei 13.146/2015, decreto a INTERDIÇÃO e a INCAPACIDADE de MARINA SILVA DE OLIVEIRA, nascida em 18/07/1995, em Brasília/DF, filha de Reginaldo Afonso de Oliveira e Denise Oliveira da Silva, declarando-a TOTALMENTE INCAPAZ para gerir os próprios atos da vida civil, concernentes à administração de proventos/pensões/aposentadoria, de contas bancárias, de bens móveis e imóveis e de decisões a respeito de melhor tratamento médico a que deva se submeter, bem ainda, à eventual alienação e aquisição de bens móveis ou imóveis. Confirmando a decisão de ID 10463827, nos termos do inciso I, do artigo 755 do CPC, nomeio REGINALDO AFONSO DE OLIVEIRA e DENISE OLIVEIRA DA SILVA, como Curadores da Interditada”. Sede do Juízo: QE 25 CONJ. 2 LOTE 2/3 - ÁREA ESPECIAL CAVE - 2º ANDAR, GUARÁ, Telefone: 31034117 31034107, Fax: 31030391, CEP: 71025010, GUARÁ-DF, vfos.gua@tjdft. jus.br. Horário de Funcionamento: 12h00 às 19h00. Guará/ DF, Terça-feira, 17 de Julho de 2018. Eu, Janete Lopes Ricken Lopes de Barros. Diretora de Secretaria, subscrevo e assino por determinação da MMª Juíza de Direito.


Brasília Capital n Cidades n 12 n Brasília, 11 a 17 de agosto de 2018 - bsbcapital.com.br

Gustavo Dourado lança Cordelos no Carpe Diem

ÁGUAS CLARAS 1 E 2 QUARTOS

DIVULGAÇÃO

Da Redação

*Conforme avaliação do agente financeiro.

3O OFÍCIO R 09/143589

Financiamento direto com a construtora | Flexibilidade de negociação Belos projetos | Excelentes endereços | Entrega garantida Corretores capacitados | Qualidade construtiva | 43 anos de mercado

Perspectiva ilustrada da suíte

ENTREGA EM SETEMBRO DE 2018

Residencial Marcílio Bione

2 Quartos com suíte 3° OFÍCIO R07/143497

PRONTO PARA MORAR Perspectiva ilustrada da fachada

1 e 2 Quartos 1 quarto 42 a 44 m 2 | 2 quartos com suíte 57 m 2 Lazer completo, varanda gourmet, vaga de garagem UTILIZE SEU FGTS | FINANCIAMENTO BANCÁRIO GARANTIDO*

W W W. PA U L O O C TA V I O . C O M . B R

61

3562 1111

Á g u a s C l a r a s ( A v. A r a u c á r i a s )

61

3340 1111

208/209 Norte (Eixinho, ao lado do McDonald’s)

CJ1700

CENTRAIS DE VENDAS C O R R E TO R E S D E P L A N TÃ O

Poeta homenageia 57 grandes nomes das literaturas portuguesa e brasileira

Hilda Hilst, Cecília Meireles, Cora Coralina, Oswald de Andrade, Ariano Suassuna entre outros. Trata-se de uma obra para conhecer a vida dos autores. Serve também como material de pesquisa para escolas e aos amantes da literatura.

Pátio comemora o Dia dos Pais

2 quartos com suíte 53 a 60 m 2 Lazer completo, varanda gourmet, vaga de garagem

Residencial Henrique Baeta

O poeta Gustavo Dourado (foto) lança, sábado (11), às 19h, no Carpe Diem da 104 Sul, o livro Cordelos, um apanhado de 57 cordéis dedicados a grandes nomes da literatura. Cordelos é mais um livro da abundante safra literária do poeta, agora com selo próprio, a Dourados Editores, criado pelo autor para ancorar sua obra. O livro foi aprovado pelo Fundo de Apoio à Cultura (FAC), com capa do artista plástico Toninho de Souza e xilogravuras do poeta Goári. Entre os laureados em Cordelos estão os portugueses Camões, Fernando Pessoa e José Saramago; e os brasileiros Leandro Gomes de Barros, Patativa do Assaré, Gonçalo Ferreira da Silva (cordelistas), Machado de Assis, Clarice Lispector, Guimarães Rosa,

Domingo (12) é o Dia dos Pais e tem comemoração em todo o comércio da cidade. No shopping Pátio Brasil, além de várias lojas em promoção, ocorrerão ações interativas e uma programação infantil especial para os pais curtirem junto com os filhos. Tem a peça “Um pai em apuros”, com a Caixa Cênica, receita delícia de brigadeiro no Gourmetzinho, oficina de argila e muito mais. A peça “Um pai em apuros” conta a história de um pai que sempre lê uma história para a filha antes de dormir. Só que, durante uma noite, os personagens ganham vida e aprontam uma grande confusão. As crianças na plateia precisam ajudar a resolver isso! O espetáculo acontecerá em dois horários: 14h30 e 16h30. Depois de cada apresentação, os atores receberão as crianças no palco, para interação e fotos. A

peça é gratuita, no 3º piso do shopping, com classificação livre. Já no domingo, a programação infantil do Pátio traz oficinas de argila, para pais e filhos colocarem a criatividade para jogo. Monitores conduzirão a aula e vão ajudar os pequenos a fazerem um molde da mãozinha para entregar de presente para o papai. Mas a oficina é livre e a argila pode se transformar no que a criança preferir. As aulas vão de 14h30 às 18h30, com duração de meia hora e capacidade de 25 crianças cada. GOURMETZINHO – E para quem gosta de colocar a mão na massa, sábado e domingo sempre tem receita no Gourmetzinho do Pátio. No fim de semana do Dia dos Pais, dias 11 e 12 de agosto, pais e filhos farão juntos um delicioso brigadeiro. Há aulas gratuitas às 15h e 16h para crianças de 3 a 12 anos.


Brasília Capital n Cidades n 13 n Brasília, 11 a 17 de agosto de 2018 - bsbcapital.com.br

O legado de caos de Rollemberg

O

próximo governador do Distrito Federal terá de lidar com um legado nada animador: o DF vive, hoje, uma crise administrativa, financeira e política. Basta conversar com a população do DF para ter uma ideia. Nunca houve, antes, um grau de insatisfação tão grande com a gestão do Buriti. No que diz respeito à Saúde, por exemplo, na última semana, a “remodelação” da Atenção Primária foi, novamente, criticada por aqueles que mais necessitam: os usuários do Sistema Único de Saúde (SUS-DF). Para a maioria deles, a “estratégia” (sem rumo), apenas agravou os problemas no atendimento. Lembro-me que, lá no início, as alterações no mo-

delo da Atenção Primária foram questionadas pelo SindMédico-DF. Em fevereiro do ano passado, o presidente licenciado da instituição, Dr. Marcos Gutemberg Fialho da Costa, afirmava: “O projeto precisa ser discutido. E, no entanto, foi colocado de forma imposta, precipitada e sem levar em consideração as necessidades e peculiaridades da Atenção Primária”. Ou seja, trata-se de outra tragédia anunciada. Uma bagunça que o próximo governador terá de arrumar. E, isso, sem contar com a terceirização do Hospital de Base: outro projeto tão sem rumo quanto Rollemberg e sua equipe. No campo econômico, o cenário também não é na-

da positivo. Hoje o Distrito Federal possui uma média de 320 mil desempregados. Número que equivale a 19,5% da população economicamente ativa. Os dados são da própria Secretaria de Trabalho. Mas isso é apenas parte do problema. Até hoje, as 32 categorias de servidores do DF aguardam a terceira parcela do reajuste salarial aprovado em 2013: mais um problema que terá de ser sanado pelo governo seguinte. E o Iprev? Primeiro, o GDF saqueou nada menos do que R$ 1,7 bilhão do instituto. Depois, no ano passado, insistiu na aprovação, feita às pressas, de uma nebulosa reforma previdenciária local, que unificou os

fundos do Iprev. E, agora, o Certificado de Regularidade Previdenciária (CRP) está na corda bamba, o que coloca em risco para o DF, entre outras coisas, contratos, empréstimos e convênios. Mais um legado de Rollemberg para dar muita dor de cabeça ao próximo governador que, tenho fé no bom senso, não há de ser o mesmo que hoje leva o DF às ruínas. O atual governador tenta a reeleição. E anda dizendo por aí até que “tem transformado a vida das pessoas”. Concordo. Acho que, talvez, essa seja a única frase incontestável de suas propagandas. De fato, houve uma

Dr. Carlos Fernando, presidente do Sindicato dos Médicos do DF

ampla transformação na vida da população nos últimos quase quatro anos. Só que para pior. Chega logo outubro.


Brasília Capital n Geral n 14 n Brasília, 11 a 17 de agosto de 2018 - bsbcapital.com.br

De trás ou detrás? Dúvidas acerca dessas expressões são mais comuns do que se imagina Recentemente, um amigo me contou que, ao sair para passear com a namorada, notou que uma das portas traseiras do carro estava aberta. Ele foi comunicá-la sobre isso, mas ficou com uma dúvida: o correto é a porta de trás ou a porta detrás? Dúvidas acerca dessas expressões são mais comuns do que se imagina.

Isso ocorre porque todas são formadas por palavras que, a depender do contexto, aparecem completamente sozinhas. Mas este artigo tem a finalidade de resolver esse problema! De trás é uma locução prepositiva. Como, nesse caso, “de” fica sozinho, você deve perceber a necessidade de usar essa preposição. Vou

Minha inesquecível aventura na China Depois de deixar Gervásio dormindo no hotel, dei uma escapada até um dos dois cassinos flutuantes a fim de atender meu vício de jogo de azar Tudo começou naquela viagem a Hong Kong, pela revista carioca Manchete, em 1997, em companhia do fotógrafo Gervásio Baptista, ano em que a famosa ilha de arranha-céus ficou livre do domínio secular da Inglaterra, voltando a fazer parte da China continental, porém com a mesma ideologia democrática que sempre teve, herdada dos britânicos. À noite, depois de deixar Gervásio dormindo no hotel, a fim de atender meu vício de jogo de azar, dei

uma escapada até um dos dois cassinos flutuantes, onde perdi uma sempre quantia chorada, desta vez em dólares. Observado de perto por um jovem chinês que se identificou como jornalista, ele ouviu, surpreso, que eu era seu colega de profissão. E ficou espantado ao ouvir a mentirinha de que eu iria publicar que tinha sido roubado pelas roletas chinesas. Após ponderar que isso prejudicaria o conceito de honestidade comunista, implantada por

MARCELO RAMOS O REPÓRTER DO POVÃO

Programa O Povo e o Poder das 8h às 10h de segunda a sábado Notícias, Esportes e Músicas

Rádio JK - AM 1.410 Ligue e participe: (61) 9 9881-3086 www.opovoeopoder.com.br

demonstrar: - Esse som alto vem de onde? - Vem de trás daquela porta. Você viu que, na própria pergunta, a preposição “de” veio explícita antes do pronome “onde”? Isso significa que, na resposta, “de” deve vir separado de “trás”. Veja mais um exemplo: - De qual lugar saiu o rato? - Ele saiu de trás do armário. Todavia, existem circunstâncias em que a preposição “de” não é necessária, não aparece isoladamente. Nesses casos, devemos usar detrás. Note: - Onde ele vive? - Ele vive detrás da construção. Entende-se, portanto, que, no caso inicialmente apresentado, a situação é a seguinte: - Qual porta está aberta?

Mao Tsé-Tung desde 1949, ele então me propôs que omitisse a “denúncia” em troca de uma visita à China, onde até, à época, nenhum repórter do lado ocidental tinha tido acesso. Mas adiantou que somente nos levaria até a província de Cantão, que fica a 120 quilômetros de HK. Óbvio que aceitei, até porque valia como um “furo” internacional. No dia seguinte, pouco antes do meio-dia, atravessamos a fronteira de jipe. Meia hora depois, fomos apresentados ao governante de uma vila. Como já era hora do almoço, gentilmente ele nos perguntou qual a refeição de nossa preferência. Sem vacilar, respondi que era Caranguejo, com a concordância do Gervásio. Chamado à nossa presença, o Chef da cozinha recebeu as ordens. Não demorou muito, retornou, acompanhado de um auxiliar, portando uma enorme bandeja com carangue-

- A porta detrás está aberta! Sabe quais outras formas seguem o mesmo raciocínio? De baixo e debaixo! A ideia é exatamente a mesma! Faça você uma simulação com os exemplos que acima apresentei. Ah, os testes que fiz acima não são macetes! Uma das formas mais usadas para analisar morfossintaticamente sentenças é a criação de perguntas! É por isso que costumo dizer que boa parte das nossas relações gramaticais podem ser entendidas, e não meramente decoradas!

Elias Santana Professor de Língua Portuguesa e mestre em Linguística pela Universidade de Brasília (UnB)

jos, catados! Fiz uma cara de decepção e os meus lábios traduziram a voz de meu coração: eu amo caranguejo, porém quebrando-o ao som musical do toc-toc, de preferência com um martelinho de plástico branco, igual ao do restaurante Nosso Mar, da 115 Norte. O anfitrião renovou a ordem ao serviçal. Com certeza, à guisa de bronca sem palavras, o Chef demorou bastante tempo para trazer o segundo pedido, mas antes de sair, ele me fuzilou com um olhar atravessado, de fácil tradução: - Filho da pxxx! Como se fosse a faísca de um raio, esse xingamento me atingiu em cheio. E, até hoje, faz parte de meus frequentes e indesejáveis pesadelos!

Fernando Pinto Jornalista e escritor


Brasília Capital n Geral n 15 n Brasília, 11 a 17 de agosto de 2018 - bsbcapital.com.br

Presos após a morte Muitas pessoas ficam presas nos seus consultórios, escritórios, comércios, moradas, instituições, principalmente pela culpa, se os tiverem usado em prejuízo dos seus semelhantes Você, certamente, conhece a parábola que Jesus contou do rico - que se banqueteava todos os dias - e do mendigo Lázaro que ia lá disputar os restos de comida com os cachorros sem nunca ganhar uma migalha do rico. Ficou sabendo do trágico desfecho dessa conduta para o rico após a morte, indo parar numa prisão – abismo

no além –, e Lázaro ser levado para as regiões celestiais. Mercê de você conhecer este fato, talvez continue se comportando como o rico: indiferente aos seus semelhantes. Omissão também é crime até no nosso Direito Penal. Erra-se por ação e omissão. Seres gregários, estamos juntos

Vegetarianismo: o futuro da alimentação? É possível ter uma dieta equilibrada e saudável sem carne. Porém, é preciso haver um planejamento e acompanhamento nutricional Existem muitos adeptos da dieta vegetariana pelo mundo. E cada vez mais este grupo está aumentando. Na Índia, um terço da população não come carne. Muitos estudos apon-

tam o vegetarianismo como uma das soluções para a sustentabilidade do meio ambiente, visto que o impacto ambiental do padrão dietético atual, que preconiza o consumo de carne

para a colaboração mútua. Ao isolar-se ou, apenas, lembrar-se do outro para explorá-lo, você está indo contra o fluxo da vida. Isolando-se, você se apega a coisas e se manterá aprisionado a elas e aos lugares após a morte. Não é sem razão que todos os Mestres, além da solidariedade, pregam também o desapego. Você vive sem sentido. Isolando-se, sente carência e, então, apega-se, porque, além de tentar preencher a carência com coisas, sente-se importante por possuí-las. Assim, além de estar contra o fluxo da vida, está também contra o seu ser real que é luz, bondade, colaboração, evolução. Muitas pessoas, após a morte, ficam presas nos seus consultórios, escritórios, comércios, moradas, instituições, principalmente pela culpa, se os tiverem usado em prejuízo dos seus semelhantes. Não somos donos de nada. Somos

diariamente, polui e desmata em larga escala. Muitos têm dúvidas se esse pode ser um padrão alimentar equilibrado. E já temos a resposta para isso: ela é positiva. É possível ter uma dieta equilibrada e saudável sem carne. Porém, é preciso haver um planejamento e acompanhamento nutricional, especialmente para equilibrar o teor protéico da dieta, os aminoácidos essenciais e algumas vitaminas, como a vitamina B12, além do ácido graxo essencial, ômega 3. Fazer uso de suplementação para ajustes é possível e viável, mas nem sempre necessário. Uma dieta baseada em vegetais é a base desse padrão, e traz diversos benefícios protetores

apenas mordomos temporários das coisas de Deus. Pelo seu mau exemplo, seus familiares também poderão repetir sua conduta perniciosa e, assim, cria-se uma reação em cadeia de miséria. Acorde! E reflita com Sri Prem Baba: “a jornada da alma é um movimento do falso para o real. Passamos de uma falsa ideia de identidade, que é fragmentada, separada e limitada, onde acreditamos que somos o nosso nome, história, gênero, religião, partido político, ou até mesmo a nossa equipe de futebol, rumo à nossa verdadeira identidade, que é inteira, unificada e ilimitada - uma manifestação de amor divino. A nossa verdadeira natureza serve e ama a todos, até os que, na superfície, parecem diferentes”.

José Matos Professor e palestrante

à saúde cardiovascular. Além disso, estudos populacionais mostram que os indivíduos adeptos ao vegetarianismo são mais magros. Que tal começar a incluir pelo menos as porções de vegetais e frutas recomendadas pelos especialistas? Atualmente, são recomendados ao menos 400g de alimentos desses grupos ao dia. Na dúvida, procure um nutricionista!

Caroline Romeiro Nutricionista e professora na Universidade Católica de Brasília (UCB)


Brasília Capital n Geral n 16 n Brasília, 11 a 17 de agosto de 2018 - bsbcapital.com.br REPRODUÇÃO

13ª Parada LGBTS de Taguatinga discute eleições Com o tema “Tire seu voto do armário, vote LGBTS”, a manifestação de domingo (12) quer provocar o manifestante contra o voto em branco

gunda maior manifestação social de direitos humanos e de cultura LGBT da Capital Federal. Em 2017, reuniu cerca de 40 mil pessoas. O voto consciente é a proposta dos organizadores para lembrar aos simpatizantes de votar nas pessoas que os representam, e que não esqueçam de que o voto em branco influencia sim, e muito, nas contagens finais.

Da Redação

D

omingo (12), a partir das 13h, acontece a 13ª Parada Orgulho LGBTS de Taguatinga, na Praça do Relógio. O evento é a se-

ESCRITORES - A programação inclui a Oficina de Comédia Stand-up do grupo Mino Ria, que oferece a oportunidade das minorias de serem in-

Resultados pelo telefone (61) 3532.5004 (horário comercial), pelo site: www.capitaldepremios.com.br e toda Terça feira no JORNAL HORA H

Em 2017, a Parada LGBTS de Taguatinga reuniu mais de 40 mil pessoas na Praça do Relógio

seridas na comédia, além de alertar aos humoristas da atuação com responsabilidade social no cenário do humor atual. Na sexta-feira (10) à noite, aconteceu o Encontro de Escritoras e Escritores LGBTs do DF, no Teatro da Praça. A 13ª Parada do Orgulho LGBTS de Taguatinga é realizada por meio

Acompanhe os Sorteios AO VIVO, nos domingos às 9 horas - Canal Digital na Região do Entorno & RETRANSMISSÃO PELA

Autorização Processos SUSEP nº 15414.900372/2018-81 e 15414.901233/2016-11 Federação Nacional das Apaes

6.1. HD BRASÍLIA Realização do Sorteio no Edi cio Record - SRTVS, Quadra 701, Bloco H, Lote 10, Asa Sul - Brasília/DF

PROIBIDA A VENDA PARA MENORES DE 16 ANOS.

Edição 008 Sorteio Dia 12/08/2018

de um Termo de Fomento (MROSC) celebrado com a Secretaria de Cultura do DF e a Cooperativa Central Base de Apoio do Sistema ECOSOL Base Brasília Ltda. O evento contribui para buscar proposições alternativas de superações no combate à discriminação e ao preconceito da população LGBTS no DF.

DUPLA CHANCE

* OS BENS OFERECIDOS COMO PRÊMIOS SÃO MERAMENTE ILUSTRATIVOS

20

ADQUIRA O CAPITAL DE PRÊMIOS NO DÉBITO E NO CRÉDITO CHEVROLET

S10 PICK-UP

P RÊ M IO

0 00,0 0 . 5 R$ o Líquid Valor

2 CD 0KM 0KM Advantage 2.5 Flex 4x

P RÊ MIO

R$10.000,00

P RÊ MIO

Valor Líquido

P RÊ MIO

R$10.000,00

Rodada Especial

FELIZ DAIIAS DOS P

Valor Líquido

10

Sugestão de Uso do Prêmio no Valor Líquido de

R$ 85.000,00

Prêmios Renault de KWID LIFE 1.0 Flex 12V 5p Mec. 0KM Sugestão de Uso do Prêmio Valor Líquido de R$ 29.000,00 (Cada)

PARA ADQUIRIR AS MÁQUINAS ORBES:(61) 98278.9166

/ 98312.0698 / 98323.1128

Ao Adquirir este Certificado de Contribuição, você está colaborando com a APAE BRASIL ajudando na prestação de serviços de assistência à saúde, assistência social, acolhimento educacional e na integração social das pessoas com deficiência intelectual e múltipla, com a finalidade de promover a melhoria da qualidade de vida dessas pessoas, e ainda, concorre a valiosos prêmios. SorteioslastreadosporTítulosdeCapitalização,daModalidadeIncentivo,emitidospelaInvestCapitalizaçãoS.A,inscritanoCNPJsobno93.202.448/0001-79,eaprovadospelaSUSEPatravésdosProcessosSUSEPn° 15414.900372/2018-81e15414.901233/2016-11.AaprovaçãodesteTítulopelaSUSEPnãoimplica, porpartedaAutarquia,emincentivoourecomendaçãoasuaaquisição,representandoexclusivamente,suaadequaçãoàsnormasemvigor.Consulteoregulamentocompletonositewww.capitaldepremios.com.br.PROIBIDAAVENDAPARAMENORESDE16ANOS.

Profile for Jornal Brasília Capital

Jornal Brasília Capital 375  

Jornal Brasília Capital 375  

Advertisement