__MAIN_TEXT__

Page 1

Página 5

Entrevista general Santos Cruz: “Não vai ter golpe” Página 4

Ano IX - 460

www.bsbcapital.com.br

DISTRIBUIÇÃO GRATUITA

Mandetta cai com empurrão do Gabinete do Ódio

Brasília, 18 a 24 de abril de 2020

DF unido em corrente de solidariedade contra a covid-19 Páginas 8 e 9

Clássicos solidários socorrem clubes e ajudam luta contra o novo coronavírus Gustavo Pontes - Página 16

Covarde corona Conheço Brasília desde O primeiro dia de minha vida. Vejo com medo e apreensão a Investida desse vírus cruel e Devastador. Mas não permitirei

Corona, novo ou renovado Obra do acaso ou do Criador Vieste para ajustar As contas com teu devedor. Refém de ti todos estamos

| tamanho vazio neste 21 de abril, | mas não há castigo que

quando a cidade que

para sempre dure;

tanto amo, nascida em

tenho certeza de que

1 960, tem sua festa invadida

por tão indesejado penetra.

Daqui a muito pouco Estaremos livres de ti

Parabéns, sexagenária Brasília! Brasília Capital

WILSON DIAS AGÊNCIA BRASIL


Brasília Capital n Opinião n 2 n Brasília, 18 a 24 de abril de 2020 - bsbcapital.com.br

E

x p e d i e n t e

Diretor de Redação Orlando Pontes ojpontes@gmail.com Diretor Comercial Júlio Pontes comercial.bsbcapital@gmail.com Pedro Fernandes (61) 98406-7869 Diagramação / Arte final Giza Dairell (61) 9 8451-7565 Diretor de Arte Gabriel Pontes redação.bsbcapital@gmail.com

Tiragem 10.000 exemplares. Distribuição: Plano Piloto (sede dos poderes Legislativo e Executivo, empresas estatais e privadas), Cruzeiro, Sudoeste, Octogonal, Taguatinga, Ceilândia, Samambaia, Riacho Fundo, Vicente Pires, Águas Claras, Sobradinho, SIA, Núcleo Bandeirante, Candangolândia, Lago Oeste, Colorado/Taquari, Gama, Santa Maria, Alexânia / Olhos D’Água (GO), Abadiânia (GO), Águas lindas (GO), Valparaíso (GO), Jardim Ingá (GO), Luziânia (GO), Itajubá (MG), Piranguinho (MG), Piranguçu (MG), Wenceslau Braz (MG), Delfim Moreira (MG), Marmelópolis (MG), Pedralva (MG), São José do Alegre, Brazópolis (MG), Maria da Fé (MG) e Pouso Alegre (MG).

C-8 LOTE 27 SALA 4B TAGUATINGA/DF - CEP 72010-080 TEL: (61) 3961-7550 BSBCAPITAL50@GMAIL.COM WWW.BSBCAPITAL.COM.BR

Os textos assinados são de responsabilidade dos autores

Siga o Brasília Capital no facebook.com/jornal.brasiliacapital

O efeito Lúcifer Johann Homonnai Júnior (*)

DIVULGAÇÃO

A pretexto de desonerar a Folha de Pagamento das empresas, foi editada a Medida Provisória 932, reduzindo pela metade as contribuições destinadas ao “Sistema S” (Sesi, Senai, Sesc, Senac, Senar, Sest, Senat e Sescoop). Embora sejam privadas e administradas por entidades patronais, essas entidades são mantidas por uma espécie de tributo que incide sobre as Folhas de Pagamento. Esses recursos são destinados ao aperfeiçoamento profissional e ao bem-estar social dos trabalhadores. A inconstitucionalidade da Medida Provisória não está no que ela expressamente faz, mas no que, clandestinamente, pretende alcançar. Antes de ser nomeado ministro da economia, Paulo Guedes avisava que ia “meter uma faca no Sistema S”. As manifestações foram registradas pela imprensa durante uma palestra proferida, em dezembro de 2018, na sede da Federação das Indústrias do Rio – Firjan. Sem que o governo federal dispusesse de dados objetivos, sem poder avaliar o verdadeiro impacto da medida e sem estruturar um sis-

tema alternativo, será responsável, segundo a Federação do Comércio do Distrito Federal (Fecomércio-DF), pelo fechamento de três unidades do Senac e cinco do Sesc, além da demissão de 1.150 empregados. As entidades deixarão de atender cerca de 10 mil pessoas por mês. A MP foi editada com desvio de finalidade porque, a pretexto de reduzir tributo, destrói um sistema de assistência social e de ensino profissional.

A inconstitucionalidade da MP 932 não está no que ela expressamente faz, mas no que, clandestinamente, pretende alcançar É provável que a opção pela Medida Provisória e não pelo pedido de urgência a um projeto de lei decorra do fato de existir em tramitação, na Câmara dos Deputados, um com finalidade semelhante e bem menos drástica do que a da Medida Provisória. Mas o parecer do deputado federal Daniel Almeida pela re-

jeição da matéria revela o que está em jogo: [...] a proposta sob análise parece apostar no corte de recursos e na diminuição correspondente da capacidade do sistema de continuar atuando. Embora o projeto, de fato, promova pequenas reduções nas alíquotas, o sentido em que aponta é muito claro: O desmanche, por meio do corte de financiamento. A diminuição das fontes de recursos impactaria os programas em andamento e inviabilizaria o atendimento em algumas áreas já deficitárias. Esse seria um dano terrível para a sociedade, que afetaria a vida de milhões de cidadãos que dependem desses entes paraestatais para serviços sociais importantes e necessários. A medida traz um evidente retrocesso social porque extinguirá um sistema de amparo especialmente protegido pela Constituição sem a instituição de outros esquemas alternativos ou compensatórios. O que foi prometido ainda no ano de 2018 e nunca discutido de maneira objetiva e aprofundada pelo governo federal, concretizou-se em momento de grave crise social e sem que a sociedade tivesse condição de avaliar e criar alternativas a um sistema que definhará até se extinguir. (*) Advogado em Brasília, sócio da Ibaneis Advocacia

Frente Parlamentar rechaça discriminação contra autistas Em pleno mês em que se comemora o Dia Mundial de Conscientização do Autismo, veio à tona uma apresentação dos humoristas Dihh Lopes e Abner Henrique com teor discriminatório e ofensivo. Não há nada de engraçado nas piadas envolvendo pessoas com deficiência e a banda TimeOut, formada por meninos autistas de Brasília. A Frente Parlamentar em Defesa das Pessoas com Transtorno do Espectro Autista manifesta seu repúdio e indignação, pois o conteúdo ataca não somente os músicos,

CÂMARA DOS DEPUTADOS

mas também os cerca de dois milhões de brasileiros com TEA e suas famílias. “Não defendemos qualquer tipo de censura às manifestações artísticas, mas pedimos mais empatia e sensibilidade. As pessoas com autismo precisam de mais respeito e de inclusão em nossa sociedade e não de serem objeto de piadas de mau gosto.

“Com muito orgulho, contamos com a participação dos músicos da banda TimeOut na cerimônia de lançamento da Frente Parlamentar, ocorrida em março de 2019, na Câmara dos Deputados. Na ocasião, eles emocionaram o público com uma belíssima apresentação, sensação que se repete na plateia a cada show. Eles merecem nosso aplauso e reconhecimento. “Deputado Célio Studart (PV-CE - Foto) – Presidente da Frente Parlamentar em Defesa das Pessoas com Transtorno do Espectro Autista”


Brasília Capital n Política n 3 n Brasília, 18 a 24 de abril de 2020 - bsbcapital.com.br

Coração em festa Procuradores soltam nota contra Aras

WEINTRAUB – Sobrou para Abraham Weintraub. Tentando

se autoblindar do estigma de bolsonarista, Aras decidiu enviar ao STF pedido de abertura de inquérito para investigação da Polícia Federal de possível crime de racismo cometido pelo ministro da Educação. Ele postou em suas redes sociais ironias ao povo chinês

Exército quer saber capacidade de sepulturas O blog Jornalistas pela Democracia publicou matéria do repórter Marcelo Auler reproduzindo levantamento que vem sendo feito pelo Exército para identificar quantas sepulturas o Brasil dispõe e qual a disponibilidade de sepultamentos diários em cada município. FÚNEBRE – O prefeito de Três Rios

(RJ), Josimar Salles (PDT), publicou vídeo em que, “demonstra que o Exército teme a possibilidade de um caos na Saúde Pública”. Prova disso, diz ele, é um ofício assinado pelo coronel Luís Mauro Rodrigues Moura, chefe da Seção de Serviço Militar, solicitando que os postos de Recrutamento e Mobilização busquem essas informações junto às Prefeituras.

Braga Netto demite assessor olavista O chefe da Casa Civil, general Braga Netto, demitiu, quarta-feira (15), o assessor Felipe Cruz Pedri, Ele era da “ala ideológica do governo” e seguidor do guru

bolsonarista, o astrólogo Olavo de Carvalho. Pedri é um dos autores do manifesto de fundação do novo partido do Presidente, o Aliança pelo Brasil.

Quinta-feira (16), horas antes de ser demitido, o ex-ministro Luiz Henrique Mandetta (foto), numa videoconferência, voltou a criticar indiretamente Jair Bolsonaro ao falar que o uso da cloroquina para tratamento da covid-19 “se prestou muito para discurso político”. As informações científicas se resumem, segundo ele, “a estudos iniciais, que não têm aplicabilidade imediata”. NÃO PODIA ANDAR – A esposa do ator Tom Hanks, Rita Wilson, contou que, após ser diagnosticada com a covid-19, juntamente com seu companheiro, fez uso da cloroquina. “Eu me sentia muito cansada, dolorida, desconfortável, não queria que ninguém me tocasse”, relatou.

fato aconteceu. Porém, o remédio causou efeitos colaterais extremos. Senti muita náusea, tonturas e meus músculos ficaram tão fracos que eu não podia andar”, disse Rita. TESTES – Quando a febre atingiu 39 graus, a atriz e produtora foi tratada com a substância que, apesar de ainda estar em fase de testes, vem sendo administrada em pacientes com covid-19 e amplamente divulgada por Jair Bolsonaro e pelo presidente norte-americano Donald Trump como remédio contra o novo coronavírus. AGÊNCIA BRASIL

BLINDAGEM – Na prática, a medida é uma blindagem ao governo de Jair Bolsonaro e reduz a independência dos procuradores do MPF. A PGR divulgou nota reafirmando que o objetivo de Aras era preservar as competências do procurador-geral, autoridade responsável por se dirigir a ministros de Estado.

Cloroquina é discurso político AGÊNCIA BRASIL

Vinte e quarto procuradores assinaram nota contra o PGR. Augusto Aras (foto) enviou ofícios para os ministérios do governo federal solicitando que demandas de outras instâncias do MPF fossem enviadas diretamente a ele em vez de serem respondidas.

Não vai ter programação oficial Aglomeração só se for virtual Mas meu coração está em festa Pelos 60 anos de nossa capital.

FRAQUEZA – “Deram-me a cloroquina para diminuir a febre, o que de

Cada vez mais rico Com os consumidores presos em casa, a Amazon.com Inc. aumentou o faturamento. As ações do varejista subiram 5,3%, um recorde na terça-feira (14), elevando o patrimônio líquido do fundador Jeff Bezos para US $ 138,5 bilhões. Ele foi na contramão das 500 pessoas mais ricas do mundo, cujo patrimônio caiu US$ 553 bilhões este ano. O de Bezos subiu 20% em relação à baixa de 23 de março, segundo o Bloomberg Billionaires Index.

“A lacuna de riqueza só vai aumentar com o que está acontecendo”, disse Matt Maley, estrategista-chefe de mercado da Miller Tabak + Co. Além dos bilionários, os membros das empresas têm sido compradores significativos das ações de suas empresas. Uma demonstração de confiança de que a crise passará, mesmo quando os líderes do país debatem exatamente quando os americanos podem voltar ao trabalho com segurança.

Na própria pele A deputada Paula Belmonte (Cidadania-DF) apresentou duas propostas que pretendem cortar na própria pele os recebíveis dos parlamentares. A primeira reduz em 20% os salários de deputados

e senadores. O outro permite que a cota parlamentar seja utilizada exclusivamente para pagar passagens aéreas. A intenção é usar os recursos economizados no combate ao novo coronavírus.


Brasília Capital n Política n 4 n Brasília, 11 a 17 de abril de 2020 - bsbcapital.com.br

As informações vindas do Brasil geram confusão. No exterior não se entende, por exemplo, como o presidente pode entrar em atrito com o seu ministro da Saúde em meio a uma pandemia. Como o senhor vê esta situação? – A crise do coronavírus trouxe consequências políticas. No início faltou coordenação, e isso não foi bom. O ministro da Saúde, que é do governo, recomendou o isolamento social para que o Brasil tivesse tempo de se preparar. Porém, nesse momento surgiram três componentes muito fortes da crise: A necessidade de cuidar da vida dos brasileiros, a questão econômica e, em terceiro lugar, a politização. O Ministério da Saúde recomendou o isolamento, mas o Presidente aparece saudando as pessoas pelas ruas... – Claro, surgiu uma discrepância que gerou insegurança, tanto aos cidadãos brasileiros como nos observadores externos. O senhor conhece o presidente. O surpreendeu que ele tenha desafiado seu próprio ministro da Saúde? – É que nesses momentos entraram em ação os grupos mais radicais. O “Gabinete do Ódio”? – Sim. Mas não são apenas pessoas que estão dentro do governo; também existe gente de fora. Esse grupo, que não é tão grande, mas que faz muito barulho, manipula informações, faz circular informações falsas, são fanáticos extremistas. Em vez de ajudar, agravam o conflito. Muitos se perguntam como convivem as Forças Armadas do Brasil com este grupo que o senhor define como extremista. – Em primeiro lugar, é necessário separar os militares da ativa, a instituição militar, dos militares que estão no governo. Esses que estão no governo não representam a instituição militar. São ministros do governo e não estão atuando como militares. As Forças Armadas têm uma posição institucional. São coisas diferentes. É preciso entender isso. E as Forças Armadas, como instituição, não se envolvem neste tipo de situação. É impensável uma intervenção das Forças Armadas nesta

AGÊNCIA BRASIL

Entrevista Carlos Alberto Santos

Santos Cruz: “Perturbação democrática não vem dos militares” Janaína Figueiredo (*)

O

ex-ministro da Secretaria de Governo da Presidência da República, Carlos Alberto Santos Cruz, atribuiu, em entrevista ao jornal argentino La Nación, a “grupos radicais e extremistas”

os erros cometidos pelo presidente Jair Bolsonaro. Um dos militares de maior prestígio nas Forças Armadas, o general deixou o cargo em junho do ano passado em meio a rumores de choques com o chamado “Gabinete do Ódio” de Bolsonaro, instalado no Palácio do Planalto, comandado pelo deputado Eduardo Bolsonaro, filho do presidente. Para Santos Cruz, os erros cometidos por Bolsonaro geram insegurança e até versões de que nas últimas semanas houve uma espécie de intervenção militar no Poder Executivo brasileiro. “A perturbação democrática vem do lado dos extremistas, não dos militares”, assegurou o general, que comandou tropas das Nações Unidas no Congo e no Haiti.

crise? – Absolutamente. O Brasil tem um presidente eleito, seus Podres funcionam corretamente. Isso não tem nenhum sentido. Bem ou mal, as medidas estão sendo adotadas.

presidente assim, deve-se buscar atenuar as consequências, não agravá-las. E eles fazem o contrário. Geram conflitos com os governadores. Existem ministros que geram conflitos absurdos.

O tema da personalidade de Bolsonaro é complicado? – Sim. E isso é estimulado por esses grupos radicais. Quando se tem um

De fora, a impressão é de que o Brasil tem dois governos: Um moderado, que está atuando, e outro radical. – Claro. O

Ministério da Saúde está funcionando bem. Está adotando medidas. O Ministério da Economia, também. Porém, o outro grupo, os extremistas, gera uma situação que complica todo o processo. São eles que estão dificultando as ações do governo. O deputado Eduardo Bolsonaro, filho do Presidente, e o ministro da Educação criaram um conflito com a China... – Para que nos interessa um conflito com a China neste momento? Não interessa mais resolver o problema do coronavírus? É completamente descabido. Fruto de falta de objetividade e ignorância. São pessoas irresponsáveis. O que lhe pareceram comentários sobre uma eventual renúncia do Presidente, inclusive pedidos para que ele seja destituído? – Não tem nenhum sentido. Isso não vai ocorrer. O que teria de ser feito é silenciar os que se comportam como uma milícia digital e perturbam o ambiente. A sociedade sabe que são e que eles afetam o equilíbrio. Creio que o Presidente chegará a essa conclusão. A democracia brasileira está forte neste momento? – A democracia brasileira está muito forte. As disputas entre os Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário são parte da democracia. E dizer que militares são parte do governo não tem nada que ver com uma suposta fragilidade da democracia. Podem criticar a preferência do governo por militares, porém, daí a dizer que a democracia está em risco, é um equívoco. A perturbação democrática vem do lado dos extremistas, não dos militares. São os que geram a divisão social, disputas, teorias da conspiração permanentes, ataques pessoais de baixo nível. Os que geram riscos são estes inconsequentes, não os militares. Que conselho o senhor daria a Bolsonaro neste momento? – Seria honesto, como sempre. Lhe diria que isole este grupo de radicais, que não tenham influência direta no governo. Eles o estão prejudicando. Existem bons ministros. São eles que devem assessorar o Presidente.


Brasília Capital n Política n 5 n Brasília, 18 a 24 de abril de 2020 - bsbcapital.com.br

Gabinete do Ódio ajudou a derrubar Mandetta Antes da demissão, perfis falsos nas redes sociais pediram para o ministro da Saúde sair do cargo Ficou entre os assuntos mais falados do Twitter no Brasil, na tarde de segunda-feira (13), a hashtag #PedePraSairMandetta. As manifestações digitais induziam a que o ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, pedisse demissão do cargo. Era muito estranho cogitar tamanho apelo popular em meio ao trabalho reconhecidamente bem executado pelo ex-titular da Pasta. Tanto, que foram registrados panelaços em todas as capitais do Brasil quando a demissão de Mandeta foi anunciada, quinta-feira (16), pelo Presidente da República. No dia 6 de abril, a Folha de S. Paulo divulgou pesquisa sobre os trabalhos diante da pandemia do coronavírus. Os dados apontaram que 82% das pessoas que declaradamente votaram em Jair Bolsonaro no segundo turno das eleições de 2018 classificavam como ótimo ou bom o trabalho do Ministério da Saúde sob o médico e ex-deputado federal Luiz Henrique Mandetta (DEM-MS).

REPRODUÇÃO

Na segunda-feira (13), o perfil identificado como Priscila Nunes, retuitou 20 publicações com a #PedePraSairMandetta.

com o Presidente e são responsáveis por disseminar na rede mundial de computadores notícias falsas contra adversários e o que é considerado, por eles, positivo para Bolsonaro – foi acionado para pressionar Mandetta a sair do cargo. A mesma estratégia já derrubou outros ministros, como o general Santos Cruz, ex-titular da Secretaria de Governo.

FANTÁSTICO – Desde o começo da crise do coronavírus, o ministro da Saúde confrontou o Presidente. Baseado em dados científicos, Mandetta defendia medidas de precaução, como o isolamento social e a volta gradual e controlada da retomada da rotina nas cidades brasileiras. Bolsonaro, contrariando as recomendações de todas as autoridades sanitárias e de saúde do mundo, defende a volta à normalidade. Até as 12h de sexta-feiraa (17), após consumada No domingo (12), a demissão e alfinetadas públicas de Bolsonaro Mandetta concedeu enno presidente da Câmara, Rodrigo Maia, o mesmo trevista ao Fantástico, perfil compartilhou 10 vezes a nova ação do da Rede Globo, um dos Gabinete do Ódio, com a #ForaMaia. veículos de comunicação mais atacados pelo GABINETE DO ÓDIO – Enatual titular do Palácio tão, quem seriam as do Planalto. O agora expessoas que pediam de forma tão pouco expõem sua vida pessoal, -ministro pediu unificação no disorganizada a renúncia de Man- o que seria o real intuito da rede curso e voltou a defender o isoladetta? Os perfis que usaram a social. Outro indicativo é a recente mento como forma de evitar mais tal hashtag no Twitter são facil- data de criação dos perfis (veja a mortes no Brasil. E criticou, sem mente identificados como fakes. reprodução das imagens). citar nomes, diversas atitudes de Costumam reproduzir (retuitar), Bolsonaro. No dia seguinte, à saída em sequência, muitos posts que O “GABINETE DO ÓDIO” – expressão do Alvorada, o Presidente não cooutras contas, normalmente de utilizada para nominar assesso- mentou a entrevista, alegando que aliados do Presidente, publicam e res que trabalham diretamente “não assiste a Globo”.

Luís Miranda dá tiro no pé Na sexta-feira (17), dia seguinte à demissão de Mandetta, deputados bolsonaristas beneficiados pela estrutura digital que alavanca polêmicas provocadas pelo Presidente começaram uma campanha para desmoralizar o ex-ministro. Hildo Rocha (MDB-MA) levantou suspeita sobre um suposto desvio de recursos do Ministério da Saúde. Segundo o parlamentar, os valores chegariam a R$ 43 milhões para beneficiar um prefeito do DEM. A deputada Carla Zambelli (sem partido) foi ao Planalto momentos antes da demissão portando um dossiê contra Mandetta. Com isso, o deputado Luís Miranda (DEM-DF), correligionário de Mandetta, pode ter mirado em Bolsonaro e acertado em seu próprio partido. Ele protocolou pedido de abertura da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Coronavírus.

Teich tem padrinhos poderosos O responsável pela indicação do novo titular da Saúde, Nelson Teich, foi o dono da construtora Tecnisa, Meyer Nigri. O nome de Teich foi respaldado pela Associação Médica Brasileira (AMB) e pelo senador e filho do presidente, Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ). O médico, que é especialista em oncologia e empresário do ramo da saúde, também teve influência nas nomeações de Ricardo Salles (ministro do Meio Ambiente) e de seu amigo de infância, Fábio Wajngarten (secretário Especial de Comunicação da Presidência da República).


Brasília Capital n Política n 6 n Brasília, 18 a 24 de abril de 2020 - bsbcapital.com.br

Covid-19: não existe solução fácil

O

desenvolvimento de um tratamento para uma doença depende de estudos conduzidos de forma controlada, com número de pacientes expressivo, dividido em grupos de controle – uns recebendo determinada medicação, outros não. A Cloroquina e a Hidroxicloroquina, apontadas para uso no tratamento da covid-19 estão em estágio de avaliação. Nada justifica o uso delas ter virado motivo de disputa política e de comoção pública. Lutando contra o relógio, a Organização Mundial da Saúde (OMS) está promovendo estudos clínicos para definir a melhor terapia a ser adotada, num esforço global coordenado. De início, quatro medicamentos estão sendo estudados: Além de Cloroquina e da Hidroxicloroquina, estão na lista o Remdesivir, a combinação Liponavir e Ritonavir e a Interferon Beta.

Pouco se fala dessas três últimas possíveis terapias ou de outras, como o uso do plasma sanguíneo de pacientes já recuperados (pesquisado na USP, aqui no Brasil), o antiviral Atazanavir (pesquisado pela Fiocruz) ou o Favipiravir (desenvolvido no Japão). Não é de hoje que situações como a que estamos vivendo promovem discórdia e disputas, além do medo e dos problemas em saúde em si. Na época da gripe espanhola, um século atrás, a medicina científica, que então ganhava força, defendia a aplicação do quinino, usado contra a malária. A medicina popular recomendava um preparado de limão macerado, mel, alho e um tanto de cachaça, que mais tarde ficou conhecido como caipirinha. Nenhum dos dois foi a cura. No futuro, pode ser que venhamos a achar a defesa feita hoje de uma ou outra terapia contra a co-

vid-19 algo tão esdrúxulo quanto soa termos lutado contra a gripe espanhola com caipirinha. Tenhamos em mente uma verdade científica: “Para todo problema complexo, existe sempre uma solução simples, elegante e completamente errada”. O desenvolvimento da terapia é feito em fases, desde a escolha da droga a ser testada, definição de dosagem, a interação com outros medicamentos e a resposta de pessoas com diferentes perfis. Além disso, essa terapia tem de ser economicamente viável. Não há garantias de que algum dos medicamentos sendo estudados seja validado. A cura pode vir de uma pesquisa distante dos holofotes, sem pressão dos interesses político-partidário-ideológicos, alheia às opiniões e crenças populares. Não existe um elixir mágico que vá cair do céu para nos salvar. E se

Dr. Gutemberg Fialho Médico e advogado Presidente da Federação Nacional dos Médicos e do Sindicato dos Médicos do Distrito Federal

for esse o pensamento que nos conduz na busca da terapia, estamos fadados a continuar lutando contra as pandemias fazendo caipirinha. A paciência e o bom senso devem ser nossos escudos neste momento.

Câmara Legislativa: Semente que gera bons frutos É nos momentos de dificuldade que se descobre quem tem um algo a mais a oferecer. Assim ocorre nos meios familiares, entre amigos e na sociedade em geral. Intempéries, não raro, apresentam-se como problemas de saúde, apertos financeiros ou até carência afetiva. E, às vezes, uma palavra de apoio, um abraço, um ombro amigo significam mais do que milhões de reais. Nos últimos 30 dias, com o agravamento da crise do novo coronavírus no Brasil, e especialmente em Brasília, a população local não se viu desamparada. Coube ao governador Ibaneis Rocha ser o pioneiro a adotar medidas – duras, é verdade – de restrição à circulação de pessoas. Embora alguns reclamem, os dados apontam que foram certas: A curva de crescimento da covid-19 na capital da República ainda está sob controle. Correta, também, tem sido a participação da Câmara Legislativa nesta crise. O Parlamento local atua dentro de suas prerrogativas, e che-

ga a extrapolar em suas atribuições. Mas, até nisso, é compreensível que o faça. Exemplo foi a proposição de reduzir as mensalidades das escolas particulares. Legalistas alegavam ser esta uma competência exclusiva da esfera federal. E é. No entanto, mesmo incorrendo em possível inconstitucionalidade, a CLDF aprovou em primeiro turno projeto de lei de autoria de seu presidente, Rafael Prudente, em coautoria com o colega Daniel Donizet. O debate avançou entre as partes envolvidas – de donos de colégios a estudantes, além de pais e até a Ordem dos Advogados do Brasil. Acabou por ser aprovado um texto substitutivo, contemplando a todos. Até aumentou de 30% para 50% a possibilidade de descontos durante o período de suspensão das aulas presenciais em razão do isolamento social. E se a lei vier a ser considerada inconstitucional, não há como deixar de reconhecer que ela teve o condão de sensibilizar parlamen-

tares federais que apresentaram iniciativas semelhantes no Congresso Nacional, a partir da repercussão positiva observada nos meios de comunicação locais. Foi o caso de projetos com o mesmo teor propostos na Câmara dos Deputados pela representante do DF Celina Leão (Progressistas). Passaram pela Câmara Legislativa – que vem fazendo reuniões remotas às terças e quartas-feiras durante a quarentena – outras medidas igualmente fundamentais para garantir o mínimo de segurança à sociedade brasiliense, em especial as camadas mais desvalidas. Exemplos: O estado de calamidade pública acatado em regime de urgência; o programa de renda mínima temporária, que assegura R$ 408 durante dois meses para 28 famílias carentes do DF; a proposta do deputado Rodrigo Delmasso (Podemos), que cria benefício emergencial de preservação da renda para os trabalhadores demitidos por causa da crise financeira causada pela covid-19.

Outra proposta aprovada pelo Legislativo local em dois turnos, de autoria de Fernando Fernandes (Pros), é a gratuidade nas refeições dos restaurantes comunitários para os beneficiários do coronavoucher, concedido pelo governo federal. Ambos os textos aguardam sanção do governador. Enfim, a CLDF tem funcionado, nos últimos dias, como uma usina de ideias, viáveis ou não, mas quase todas com o objetivo de buscar soluções para minorar o sofrimento dos brasilienses neste momento de dor e de medo do porvir. E é isto que justifica a sua existência e o aplauso de toda a sociedade. Ela é, como dito neste mesmo portal Brasília Capital no dia 9 de abril, a caixa de ressonância das demandas da sociedade brasiliense. E, sem dúvida, tem cumprido o seu papel, inclusive o de fiscalizar as ações do Governo do Distrito Federal para não permitir exacerbações em meio à crise.


/govdf

gov_df

99532-1873

df.gov.br

Veja o que o GDF está fazendo: O GDF está indo de casa em casa instalando armadilhas e checando os possíveis focos do mosquito; O GDF recebeu 40 veículos do Ministério da Saúde e aumentou a frota de fumacês; O GDF está limpando terrenos e recolhendo entulhos; O GDF capacitou 320 servidores para reforçar as equipes de combate à dengue; O GDF comprou produtos e insumos para combater o mosquito.

DENGUE Elimine os focos antes que o mosquito da morte elimine você.

Ele ficou conhecido como o mosquito da dengue. Só que, de uns anos para cá, ele também passou a ser o mosquito da zika, da chikungunya e da febre amarela. Um inseto mortal, capaz de infectar até 300 pessoas durante o seu curto ciclo de vida. O mosquito da dengue se transformou no mosquito da morte. É preciso eliminar os focos para que ele não elimine você.

Veja o que você precisa fazer: Não juntar lixo. Com as chuvas, ele se torna o principal criadouro do mosquito; Impedir que a água fique acumulada em qualquer tipo de recipiente capaz de abrigá-la, tais como: garrafas, tampas, vasos, pneus, baldes, calhas etc.; Manter as lixeiras e caixas-d’água tampadas; Denunciar pelo 160 a existência de casas e terrenos abandonados que possam servir de criadouro para o mosquito.


Brasília Capital n Cidades n 8 n Brasília, 18 a 24 de abril de 2020 - bsbcapital.com.br

DF se une numa corrente

Coletivos se mobilizam para socorrer pessoas necessitadas durante a qu Se alguém lhe disse que o novo coronavírus era uma “gripezinha”, lhe chamou para voltar às ruas e engrenar a economia, lhe enganou. A tragédia chegou silenciosa, em março, mas, na segunda semana de abril, pôs seu motor em alta velocidade. Ninguém estava desprevenido. Cientistas e médicos do mundo inteiro avisaram que o contágio, no Brasil, seria entre março e abril e que o número de mortes seria assustador a partir de maio e junho para quem não respeitasse o isolamento. Quinze dias antes de maio chegar, a covid-19 escancara o nível de sua letalidade. As UTI de Manaus, São Paulo e Ceará já estão com 100% de sua capacidade esgotada. Os casos graves aumentam em velocidade apavorante. Em São Paulo, o governador João Dória foi a público, na quinta-feira (16), pedir ajuda para levar pacientes graves aos hospitais de outros municípios. Sem registros reais e com sub-

FOTOS: DIVULGAÇÃO

notificação, porque o Presidente da República não tomou e nem quer tomar as providências necessárias, a covid-19 ganha livre as terras do Brasil. A pandemia mal engatou a terceira marcha e o País já se ajoelha. Todavia, à medida que a velocidade dela aumenta e Jair Bolsonaro se ocupa de politizar o proble-

Planaltina UNB – Campus de Planaltina – Estudantes de biologia inscritos no Programa de Educação Tutorial criaram um grupo no WhatsApp para responder dúvidas e desmistificar notícias falsas acerca da pandemia do novo coronavírus. As questões devem ser enviadas das 8h às 12h para o chat https://chat.whatsapp.com/LcwEzpTfFLGAVHHF4vgJeo

Park Way MÁSCARAS DAS BORDADEIRAS – Dois coletivos de bordadeiras, o Park Way Borda e Vargem Bonita Borda, estão ajudando o Lar dos Velhinhos Santa Madalena, produzindo 300 máscaras para proteger hóspedes do abrigo. CORRENTE DE SOLIDARIEDADE – Grupo criado por militantes de várias causas sociais. Angariaram R$ 36.111 em doações, 9,7 toneladas de alimentos e material de limpeza, transformadas 817 cestas básicas distribuídas a 3.300 pessoas de 38 comunidades carentes do DF e Entorno. De refugiados haitianos a morado-

ma sanitário, pessoas e entidades se unem para colaborar com a população mais vulnerável. No Distrito Federal, organizados em coletivos, muitos grupos estão arrecadando, recebendo e distribuindo alimentos, remédios, vestuário, dinheiro e outros donativos. Também procuram ajudar trabalhadores pobres, de-

sempregados, ambulantes, moradores de rua, apenas para que essas pessoas não precisem de sair de casa. Enquanto a covid-19 apressa o passo para ceifar vidas, a corrente do bem amplifica sua ajuda humanitária para quem perdeu renda com a quarentena. Confira. E, se puder, associe-se a ela.

res de rua. Quem puder contribuir, as doações são na Agência do Banco do Brasil 3598-X, Conta Corrente 8622-3. Pede-se que o comprovante de depósito seja enviado para o zap (61)981186296. A prestação de contas ocorre no Instagram.com/correntedesolidariedadedf FAZENDA ÁGUA LIMPA – É da UnB. Localizada no Park Way, está apoiando famílias carentes. Tem distribuído maracujá, banana, uva e hortaliças produzidas nas atividades de ensino e pesquisa. Já foram beneficiadas 35 famílias. O próximo grupo a ser atendido são portadores de deficiência visual vinculado à Associação Deficiente Visual na Trilha, o Projeto DV na Trilha.

Guará e Taguatinga REDE DE SOLIDARIEDADE – Recolhe dinheiro e compra alimentos, material de limpeza e higiene para famílias pobres em isolamento social. Cerca de 120 famílias já foram atendidas. O dinheiro deve ser depositado na Conta Corrente 40.777-1, Agência 3599-8, do Banco do Brasil, em nome de Centro de Estudos e Assessoria (CEA).


Brasília Capital n Cidades n 9 n Brasília, 18 a 24 de abril de 2020 - bsbcapital.com.br

e do bem contra a covid-19

uarentena. Você também pode ajudar!

Recanto das Emas A Associação Viva Vida Kardec arrecada alimentos, produtos de limpeza e doações em dinheiro. Monta cestas básicas nos mercados da cidade para facilitar a distribuição. Contato: (61) 981181087. Rede social: @Vivavidakardec

Lar de Velhinhos Com filiais em várias cidades, acolhe pessoas de terceira idade. Está recebendo doações de alimentos, materiais de limpeza e dinheiro. Por causa do cancelamento das visitas, as doações caíram, mas a necessidade continua alta. Contatos: UNIDADE DE ACOLHIMENTO PARA IDOSOS (UNAI) – Endereço: QNF 24 Área Especial, Taguatinga Norte. E-mail: casaviva@sedestmidh. df.gov.br. Telefones: 3245-5825 e 3346-7960 Bordadeiras do Park Way Borda e Vargem Bonita Borda fazem máscaras para visitantes Lar dos Velhinhos Santa Madalena

Doações em alimentos, materiais de limpeza e higiene podem ser entregues na QE 13, Conjunto J, Casa 13, Guará II. Telefone: (61) 992729011. E na QNM 36 – Conj. T Casa 44 – M Norte – Taguatinga.

Asa Sul LAR BEZERRA DE MENEZES – Abriga crianças de 0 a 10 anos encaminhadas pela Vara da Infância e da Juventude. Arrecada dinheiro para comprar alimentos, itens de higiene e limpeza para as famílias atendidas pela instituição e alimentos não perecíveis e itens de higiene para famílias que perderam a renda devido à quarentena. Doações podem ser feitas presencialmente no Cartório JK (W3 Sul – Quadra 505) ou por depósito bancário ao Lar Bezerra de Menezes, CNPJ: 13.898.819/0001-60, Banco do Brasil, Agência 3598-0, Conta corrente: 38867-0

UNIDADE DE ACOLHIMENTO PARA ADULTOS E FAMÍLIAS (UNAF) – QS 9, lotes 1/7, Águas Claras. unaf-areal@sedestmidh.df.gov.br. Telefones: 3356-4390 e 3356-4872 CASA DO CANDANGO – Quadra 14, AE 17/18, Módulo 1, Sobradinho. E-mail: larsaojose@casadocandango.org.br. Telefone: 3591-1051. CENTRO ESPÍRITA FRATERNIDADE ALLAN KARDEC (CEFAK)– Programa de aquisição de alimentos, remédios, material para enxovais de bebês e curso profissionalizante, gás e material de copa, material médico e odontológico, aquisição de móveis, aparelhos e utensílios, etc. Taguatinga Sul, Avenida Samdu, em frente à Igreja Nossa Senhora de Fátima. Contato: (61) 3563-2495.

LBV – Arrecada doações para famílias afetadas pelo novo coronavírus. A entidade recebe alimentos não perecíveis, cestas básicas e kits de limpeza. Doações podem ser entregues no Centro Comunitário de Assistência Social da LBV, no SGAS 915 – Lote 15. A entidade se oferece para buscar as doações. Informações no site lbv.org VEM VENCER – O cursinho Vem Vencer criou uma frente de produção de sabão líquido na Cidade Estrutural para doar a comunidades carentes. Está precisando de óleo de cozinha usado, soda cáustica e garrafas pets. Falar com a professora Deusinha, telefone (61) 98409-0464. INSTITUTO MIGRAÇÕES E DIREITOS HUMANOS – Está recebendo doações financeiras para montar cestas básicas para migrantes e refugiados que perderam seus ganhos em trabalhos informais ou atividades suspensas. Depósitos podem ser feitos no Banco do Brasil, Agência 1419-2, Conta Corrente 121.578-7. CNPJ 03.591.517/0001-90

FAL, da UnB, distribui alimentos produzidos para carentes da Vargem Bonita


Brasília Capital n Cidades n 10 n Brasília, 18 a 24 de abril de 2020 - bsbcapital.com.br

Brasília Por Chico Sant’Anna

Audiência pública virtual acelera privatização do VLT AGÊNCIA BRASÍLIA

Trem da Semob não para nem durante o isolamento social da covid-19 Mesmo com o isolamento social vivido no Distrito Federal nas últimas semanas, em razão da pandemia do novo coronavírus, a Secretaria de Mobilidade não interrompeu o processo de concessão à iniciativa privada da instalação e gestão do VLT e da privatização do Metrô de Brasília. Conforme esta coluna antecipou, em novembro do ano passado, o transporte sobre trilhos na capital deve ficar mesmo a cargo de empresas que já operam linhas de ônibus coletivos. O projeto técnico e de negócio escolhido foi elaborado pelo consórcio formado pela Viação Piracicabana – empresa de ônibus em nome de quatro filhos de Nenê Constantino, dono da Gol, e irmãos das fundadoras da Viação Pioneira – associada à empreiteira Serveng Civilsan, citada na Lava-Jato – e mais outras três empresas. A Piracicabana já tem o monopólio do transporte de 146 mil passageiros que moram ou trabalham na parte Norte do

Semob promove audiência pública virtual com a participação da comunidade pela Internet: Privatização ainda em 2020

DF (Bacia 1), compreendendo, o Parque Nacional de Brasília, Sobradinho, Sobradinho II, Varjão, Lago Norte, Planaltina, Plano Piloto, Cruzeiro, Sudoeste e Octogonal. O projeto por ela elaborado prevê uma estação no Noroeste, às margens da Via Epia, permitindo a integração do VLT às linhas de ônibus que ela opera. METRÔ – Embora o modelo de negócio da privatização do Me-

trô ainda não tenha sido divulgado, já é conhecido o grupo empresarial que foi escolhido para elaborá-lo. Ele tem a coautoria de outra empresa de ônibus, a Urbi, de propriedade do consórcio goiano HP-Ita, em parceria com a Companhia do Metropolitano de São Paulo – empresa de economia mista, cujos principais sócios são o Estado e a cidade de São Paulo e o Governo Federal. A Urbi já opera a bacia 3

(Núcleo Bandeirante, Riacho Fundo, Riacho Fundo II, Recanto das Emas, Samambaia) do transporte por ônibus, com 50 mil passageiros/dia. Tanto para o Metrô quanto para o VLT, o GDF tinha expectativa de que grupos estrangeiros se habilitassem. Empresas chinesas e portuguesas chegaram a pedir para participar nos editais, mas os projetos ficaram mesmo a cargo de empresas tupiniquins e, porque não dizer, candangas.


Brasília Capital n Cidades n 11 n Brasília, 18 a 24 de abril de 2020 - bsbcapital.com.br

Antes do TCDF, audiências públicas

Acompanhe também na Internet o blog Brasília, por Chico Sant’Anna, em https://chicosantanna.wordpress.com Contatos: blogdochicosantanna@gmail.com

Proposta para o Metrô em análise A Semob informa que não pode tornar pública a proposta referente ao Metrô porque “os técnicos ainda estão analisando o material que irá passar por alguns ajustes” e que só será divulgado por ocasião da consulta pública. Mas afirma que se destacam no projeto a reforma dos trens em operação no DF e a aquisição de dez novos trens, a partir do décimo ano de concessão. A meta é ampliar, em 30 anos de concessão, o volume de passageiros, de 178 mil, para 300 mil em dias úteis, e reduzir o intervalo das viagens no período de maior demanda em, aproximadamente, 40% (de 215 para 130 segundos).

BALANÇO – Em março, o Metrô publicou um balanço financeiro em que afirma ter transportado 3,572 milhões de passageiros em 2019 (1,8 milhão de gratuidades), que deixaram nas bilheterias R$ 189,6 milhões. Arrecadou R$ 5,2 milhões com a cessão de espaços físicos e R$ 1,7 milhão de “outras receitas”. Isso não cobre as despesas operacionais de R$ 380 milhões. A diferença é coberta pelo GDF. Em janeiro, a tarifa aumentou para R$ 5,50. Esses 10% permitem estimar uma receita superior a R$ 208 milhões em 2020. O Metrô tem 1.228 empregados. DIVULGAÇÃO

Expansão do transporte sobre trilhos terá integração com linhas de ônibus

os m a t s E andoy n o i c fun Deliver ta com na por ! s a g e nte ntr e

taura do res

! vocês s o m da Aguar

Antes de serem submetidos ao crivo do Tribunal de Contas do DF, os projetos de negócios devem passar por audiências públicas. A do Metrô ainda não tem data marcada. A do VLT deveria ter ocorrido no dia 27 de março. Foi adiada em decorrência do isolamento social, mas aconteceu de forma virtual, transmitida pela plataforma Skype, dia 14. Cerca de 550 pessoas acessaram o perfil no dia da audiência e outras 200 no dia seguinte. Até o fim do mês poderão ser enviadas sugestões via correio eletrônico. A participação popular é, exclusivamente, em termos de sugestão. Não há obrigação de que as propostas sejam acatadas. Os projetos também não serão submetidos ao crivo da Câmara Legislativa. VALORES – O projeto do VLT, orçado em R$ 2,4 bilhões, demandará, segundo a proposta em exame, de participação de recursos do GDF da ordem de R$ 1,470 bilhão na fase de implantação e repasses mensais de R$ 20 milhões para a operacionalização do sistema. Os valores do Metrô ainda não são conhecidos, mas, mantidos os repasses que o GDF realiza atualmente, o subsídio anual seria de R$ 180 milhões. Na pro-

posta de negócio, diz a Semob que haverá uma redução média de, aproximadamente, R$ 100 milhões nas subvenções para manter a operação do serviço. A grandeza desses valores leva vários especialistas em transportes a questionar porque privatizar os serviços, se o Poder Público continuará subsidiando o sistema com altas somas, a exemplo do que já ocorre com o transporte coletivo em ônibus. Dizem eles que o melhor seria a execução direta, pois se elimina a parcela de lucro empresarial e se permite uma futura integração dos três sistemas: ônibus, Metrô e VLT. Outra dúvida se refere à fiscalização do sistema. O projeto do VLT prevê que o ente fiscalizador será a Companhia do Metrô. Se o Metrô será privatizado, quem vai fiscalizar o VLT, o próprio Metrô e, é claro, os ônibus, já que o DFTrans foi extinto? OPERADORES – Os grupos selecionados para elaborar os projetos de negócio não serão, necessariamente, aqueles que irão implantar e operacionalizar os dois sistemas. Novas licitações, uma para cada modal, serão realizadas. A expectativa do GDF é que elas ocorram ainda este ano. Com ou sem pandemia.


Brasília Capital n Cidades n 12 n Brasília, 18 a 24 de abril de 2020 - bsbcapital.com.br

VIA

Satélites Por Lorrane Oliveira

Aulas pela Internet – As aulas online para estudantes de escolas públicas do DF começam na quarta-feira (22). Elas são opcionais e uma forma de os alunos preservarem os vínculos com os estudos durante o isolamento social provocado pela pandemia do novo coronavírus. Não substituem as horas-aula necessárias para a conclusão do ano letivo. No DF, as redes pública e privada não podem retomar as atividades pelo menos até o dia 30 de maio.

Saúde nomeia 413 profissionais O governador Ibaneis Rocha (foto) nomeou 413 novos profissionais de saúde para reforçar os serviços médicos e ajudar no enfrentamento do coronavírus. Foram designados 314 médicos, 73 especialistas em Saúde e 26 enfermeiros da família/ comunidade. Dentre as especialidades médicas estão: medicina de emergência (121 profissionais); ginecologia/obstetrícia 30); pediatria (28); cardiologia (25);

PAULO H. CARVALHO/AGÊNCIA BRASÍLIA.

BRB amplia Supera-DF para R$ 1,5 bilhão O programa Supera-DF foi ampliado e agora disponibiliza R$ 1,5 bilhão. A iniciativa é do Banco de Brasília e oferece linhas de crédito especiais para minimizar os impactos econômicos pela crise do novo coronaví-

rus para clientes pessoa física e jurídica. O BRB incluiu a suspensão, por 3 meses, do pagamento das parcelas do crédito consignado. Também foram contemplados a repactuação de crédito imobiliário e outros produtos. PAULO H. CARVALHO/AGÊNCIA BRASÍLIA

infectologia (14). Nas carreiras de especialistas es-

tão farmacêuticos, físicos e fonoaudiólogos.

AGÊNCIA SENADO

Papuda terá hospital de campanha O GDF vai construir um hospital de campanha na Papuda (foto). O objetivo é o tratamento dos internos do Complexo Penitenciário contaminados com o novo coronavírus. A Secretaria de Seguran-

GDF autoriza reabertura de óticas A autorização para a reabertura das óticas foi publicada no Diário Oficial na terça-feira (14). Na última quinta (9), o Poder Executivo local havia liberado o funcionamento das lojas de móveis e eletrodomésticos da capital.

Além dessas lojas, foi autorizada a volta das atividades do Sistema S – os Serviços Nacionais de Aprendizagem Industrial (Senai); do Comércio (Sesc); da Indústria (Sesi); de Aprendizagem do Comércio (Senac);

de Aprendizagem Rural (Senar); de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop); de Transporte (Sest); de Aprendizagem do Transporte (Senat); e do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

ça Pública indicou, no último levantamento, 38 casos da doença na unidade. De acordo com o texto publicado no DODF, o hospital terá 40 leitos, sendo 10 de suporte avançado e 30 de enfermaria.

Pagode de Brasília adere à moda das lives O grupo brasiliense Menos É Mais aderiu ao projeto dos shows virtuais e promoverá, sábado (25), às 18h, a live Churrasquinho do Menos É Mais, em

comemoração aos 60 anos de Brasília. O pagode será transmitido no canal oficial do grupo no YouTube. O objetivo é arrecadar alimentos e produtos de higiene.


Brasília Capital n Cidades n 13 n Brasília, 18 a 24 de abril de 2020 - bsbcapital.com.br

Ibaneis anuncia 7 novas UPA até o fim do ano Governo investirá R$ 28,1 milhões na reestruturação da Saúde do DF e contará com emendas parlamentares O governador Ibaneis Rocha (MDB) assinou, segunda-feira (13), a ordem de serviço para a construção de sete Unidades de Pronto Atendimento no DF. As novas UPA deverão estar prontas até o fim do ano, totalizando 13 em todo o DF. Ibaneis informou que as

obras serão concluídas em tempo recorde, que o GDF investirá R$ 28,1 milhões e contará com o apoio de emendas parlamentares para isso. Destacou que as UPA fazem parte da reestruturação da Saúde local. As novas unidades serão construídas em Brazlândia, Paranoá, Gama, Ceilândia, Vicente Pires, Riacho Fundo II, Planaltina. Outra informação é que as UPA que atendem, atualmente, pacientes com suspeita de coronavírus 2 continuarão administradas pelo Instituto de Gestão Estratégica de Saúde (Iges-DF). As unidades têm recebido pacientes com suspeita de covid-19. Os enfermos atendidos nelas, passam pela coleta de amostras de secreção nasal e de garganta para a realização dos testes. Se o caso for grave, irá para um

REPRODUÇÃO TV

Em cerimônia, Ibaneis assina ordem de serviço para construção das UPA

dos hospitais de referência; se for leve, volta para casa. Fortalecimento – Para o secretário de Saúde, Francisco Araújo, as sete UPA “significam o fortalecimento muito rápido da atenção

Caesb produz máscaras contra o coronavírus Por iniciativa dos engenheiros mecânicos Marcos Barboza, gerente de Engenharia e Desenvolvimento, e Eduardo Burgos, coordenador de Desenvolvimento e Manutenção, a Caesb está produzindo máscaras para distribuir entre seus empregados. Os Equipamentos de Proteção Individual (EPI) passaram a ser produzidos na oficina “Face Shields”, da Caesb, utilizando materiais do próprio estoque da empresa e com uma impressora 3D. A prioridade é fornecer as máscaras para o pessoal da linha de frente afim de não interromper os serviços essenciais de fornecimento de água e tratamento de esgotos. ROSTOS MARCADOS – “Fiquei sensibilizado com as notícias de médicos de outros países com os rostos marcados pelas máscaras e pensei

DIVULGAÇÃO

A Caesb está produzindo esse tipo de equipamento em sua própria oficina “Face Shields”

que poderíamos fazer algo para amenizar esses efeitos. A minha motivação foi o conforto e a proteção de todos que estão nesta guerra contra a covid-19”, disse Burgos. Após pesquisas na Internet, avaliação de modelos criados em outros locais, consultas ao Hospital Universitário de Brasília (HUB), e muitos testes, o projeto inicial foi desenvolvido no com-

putador. Com resultados positivos, o objetivo da companhia é expandir a produção e, com ajuda de doações, fazer máscaras para outros profissionais. O custo de cada item é de R$ 15. Interessados em ajudar podem entrar em contato pelo telefone 3312-2062, ou pelos e-mails eduardoburgos@ caesb.df.gov.br ou marcosbarboza@caesb.df.gov.br.

secundária à saúde. Estamos ampliando a atenção básica, compondo as equipes e fortalecendo a atenção terciária. O Iges-DF e a Secretaria de Saúde reforçam, assim, o compromisso de fortalecer a Saúde do DF”.

DF pode antecipar fim da quarentena Apesar de ter publicado um decreto que abriu vários ramos do comércio no início da semana, o governador Ibaneis Rocha disse, segunda-feira (13), que no DF está “tudo sob controle” e que a capital federal tem tudo para sair da crise da pandemia do novo coronavírus antes das demais unidades da Federação. “Espero que todos os estados possam sair rápido, mas tenho certeza de que a nossa condução e o apoio de todos fazem com que Brasília tenha determinado conforto”, disse. “Vamos trabalhar com responsabilidade para que as coisas voltem à normalidade”, afirmou.


Brasília Capital n Cidades n 14 n Brasília, 18 a 24 de abril de 2020 - bsbcapital.com.br

DIVULGAÇÃO

Festa do aniversário de Brasília não tem data

Comemoração marcará o fim da pandemia na capital da República Lorrane Oliveira As festividades programadas para o 60º aniversário de Brasília, na terça-feira (21 de abril), foram suspensas em virtude da pandemia da covid-19. No comunicado feito no dia 26 de março, o GDF afirmou ainda que a data será co-

memorada quando a cidade retomar a normalidade, até como um marco pela superação da crise causada pelo novo coronavírus. Entre os planos deixados de lado está o convite à Orquestra Sinfônica do Rio de Janeiro para se juntar a Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional, unindo a antiga e a atual capital da República na interpretação da Sinfonia da Alvorada, de Tom Jobim e Vinícius de Moraes. No entanto, algumas comemorações se adaptaram ao momento de crise e a data não passará em branco. Artistas locais se organizam para realizar shows e

workshops virtuais para homenagear a cidade. O Festival No Seu Quadrado fará um evento totalmente digital. Começando na sexta-feira (17) e indo até o dia 27 de abril, a celebração trará, além das apresentações de mais de 200 artistas, oficinas para todo os públicos. A transmissão será ao vivo no perfil No Seu Quadrado, no Instagram, e pelo site do evento. Nomes como Ellen Oléria, Moara, Banda Ellefante, Vera Verônica, Carol Nogueira, MC Nenzin, Omik e DJ A vão agitar e garantir a festa do brasiliense em casa. Já as oficinas terão 1 hora de dura-

ção e vão oferecer workshops de música, audiovisual, gastronomia e maquiagem. Veja as opções e horários no site. Outro evento que inova na maneira de celebrar é o Festival 40 Minutos. Durante todo o mês, shows serão transmitidos on-line, ao vivo, no Instagram. Das sextas aos domingos, quatro artistas e DJs brasilienses farão apresentações de 40 minutos para comemorar o aniversário da cidade e incentivar a quarentena. Na página oficial @festival40minutos é possível encontrar todos os artistas confirmados e o horário das apresentações.

Comércio vai reabrir com uso obrigatório de máscaras O Governo do Distrito Federal anunciou, sexta-feira (17), que distribuirá um milhão de máscaras descartáveis à população. A oferta será feita em locais de grande circulação e deverá ter início nos próximos 15 dias, data definida pelo governador Ibaneis Rocha (MDB) para a reabertura do comércio. A fabricação das máscaras é uma parceria do GDF com o Sistema Fibra e o uso delas será obrigatório a

partir da data prevista para ocorrer a reabertura, no dia 3 de maio. Dentre os critérios definidos pelo governador para o retorno da normalidade, destaque para a situação dos idosos e crianças, que deverão ficar em casa; os shoppings, que terão de manter uma porta de entrada e outra de saída abertas; bares, restaurantes, cinemas e academias, que permanecerão em quarentena. Agências bancárias e

cooperativas de crédito, públicas e privadas, só a partir de 7 de maio. “Estamos adotando essa medida para tentar reabrir parte do comércio a partir de 3 de maio. Se possível, a grande maioria do comércio. Faremos a aquisição das máscaras junto ao sistema Fibra. Elas serão distribuídas gratuitamente à população para garantirmos mais segurança no momento da reabertura da economia. Esse

é o primeiro passo para a reabertura”, explicou Ibaneis. A reabertura também vai depender da avaliação do acompanhamento sistemático da curva de crescimento da covid-19. “Vamos reabrir, mas, com segurança. Em junho, se a crise não se agravar, teremos um mês de melhora, com restabelecimento de 50% a 60% da atividade econômica”, assinalou o governador.


Brasília Capital n Geral n 15 n Brasília, 18 a 24 de abril de 2020 - bsbcapital.com.br

ESPÍRITA

José Matos Cresça na crise Reflita: O que a vida quer me ensinar? Como posso resolver isso de forma digna? Se sua vida não tiver abalos, dificilmente você parará para refletir sobre sua conduta, sua maneira de viver e de se relacionar. Nas crises, reflita: O que a vida quer me ensinar? Como posso resolver isso de forma digna? Não culpe os outros. Aprenda. Mude. Ou então a vida repetirá os abalos com mais intensidade.

Algumas crises se repetem porque você não amadureceu, permaneceu infantil. A sua reação de birra, de querer todas as suas vontades atendidas pelos outros é a infância que continua em você. Amadureça, respeite os outros, saia do eu, interesse-se pelos outros, escute-os sobre o passado deles para

entender por que são como são. O entendimento deles será o seu entendimento. A compreensão deles será a sua compreensão, mas não se interesse apenas por curiosidade. Faça-o para compreendê-los, viver melhor com eles e ajudá-los, embora, mesmo compreendendo-os, não seja possível uma relação harmoniosa com alguns. Então, neste caso, o melhor é afastar-se. De alguns você deve se afastar porque são psiquicamente doentes, traumatizados, agressivos, desconfiados. Respeite, mas mantenha distância sem alimentar mágoa. Você não gosta de alguém e vive falando mal da pessoa? Ela te aborreceu? Ok. Você é uma pessoa perfeita que nunca aborreceu ninguém? Você já se interessou em conhecer a história dela? É o conhecimento que dá compreensão e anula a antipatia. Se ela lhe fez sofrer e você

está arrastando isso até hoje, isso denota que você é apenas uma pessoa carente, querendo chamar a atenção dos outros para que se compadeçam de você ou lhes deem razão. Acorde! Ninguém resolve carência com a piedade dos outros. Você acha que a pessoa não vale nada? Se for força de expressão, tudo bem. Mas todo ser, até o diabo, tem qualidades. Observe com isenção e verá. Ver qualidades em quem você não gosta é grandeza, sinal de que você chegou a um bom nível de entendimento e desenvolvimento. Somos todos companheiros de viagem no mesmo barco. Viver é aprender, amadurecer, crescer e compartilhar, se for possível, e quando for possível. José Matos Professor e palestrante

DIVULGAÇÃO

NUTRIÇÃO

Caroline Romeiro Dia Internacional do Café – O glorioso Para termos todos os benefícios da bebida, o ideal é que seu consumo seja puro, sem adição de açúcar ou adoçante No dia 14 de abril, foi comemorado o Dia Internacional do Café, e especialmente no nosso País, que é um grande produtor, consumidor e exportador de café, a data precisa ser lembrada e comemorada!

TV Comunitária lIGADA EM BRASÍLIA

O café chegou ao Brasil em 1727, quando o português Francisco de Mello Palheta trouxe as primeiras mudas para cá. Nesse período de quarentena, em que parece que o trabalho em home of-

fice triplicou, o café tem feito parte da rotina de muitas pessoas. Até os que não são apreciadores da bebida acabam se rendendo aos efeitos estimulantes do café. Alias, essa é uma das suas principais pro-

priedades e, por isso, é muito usado para aumentar nosso estado de alerta nos estudos, no trabalho e na prática de esportes e exercícios. Além disso, ele favorece a mobilização de gordura corporal pela presença da cafeína. Os ácidos clorogênicos, outra substância presente no café, são importantes para nossa saúde, pois têm efeitos antioxidante em nosso organismo. Claro que, para termos todos os benefícios do café, o ideal é que seu consumo seja puro, sem adição de açúcar nem de adoçante. Como diz Jefferson Bittencourt, um conhecido nutricionista de Brasília, o “Glorioso” merece homenagem! Caroline Romeiro Nutricionista e professora na Universidade Católica de Brasília (UCB)

CANAL 12 NA NET WWW.TVCOMUNITARIADF.COM @TVComDF

TV Comunitária de Brasília DF


Brasília Capital n Esportes n 16 n Brasília, 18 a 24 de abril de 2020 - bsbcapital.com.br

Gama e Brasiliense contra o coronavírus Clubes farão “clássico solidário”, ação idealizada pela DataClick que também ocorre em outros estados Gustavo Pontes A pandemia do coronavírus está impactando toda a economia do planeta e um dos setores afetados é o futebol, principalmente os pequenos clubes. Pensando nisso, a DataClick, empresa especializada em gestão de programas de sócio-torcedor, venda de ingressos e marketing esportivo, desenvolveu a ideia do clássico solidário. O objetivo é angariar recursos financeiros para entidades de apoio a pessoas mais necessitadas e para os clubes que estão sofrendo com a paralisação das competições. Os clubes irão vender ingressos para o jogo fictício por meio do site ingressodevantagens.com.br O valor do ingresso será de R$ 5. Quando uma das equi-

pes chegar ao valor de R$ 150, será anotado um gol para a agremiação. Metade do valor arrecadado será destinado às instituições que estão trabalhando com doações de cestas básicas e a outra parte será destinada aos clubes, que vivem dias difíceis sem jogos. As vendas se encerram na quarta-feira (22 de abril). PARCEIRA – A DataClick é parceira do Gama na gestão do programa sócio-torcedor e não tinha nenhuma ligação com o Brasiliense. Mas, segundo o CEO da empresa, Mauro César Pereira, isso não tem sido um problema. “Uma coisa que está sendo muito satisfatória e a gente tem muito orgulho, até porque a gente não esperava que acontecesse, outros clubes que não são parceiros ou clientes da DataClick estão nos procurando para realizar o clássico solidário”, diz Pereira. “Um exemplo muito legal foi Gama x Brasiliense. A diretoria do Brasiliense nos procurou e logo eu coloquei a situação do Gama porque acredito que Gama x Brasiliense é o maior clássico local. Convoquei o Weber (Magalhães), presiden-

te do Gama, e a Luiza Estévão, e eles aprovaram a ideia. É uma satisfação enorme a gente

vê dois rivais dentro de campo sendo solidários fora de campo neste momento”.

porque nossa empresa também está sendo atingida pela crise”, afirma Mauro César Pereira. Os torcedores que quiserem colaborar com a ação podem acessar o site www.ingressodevantagens.com.br. Para acompanhar o resultado dos clássicos solidários basta acompanhar

pelas redes sociais dos clubes.

Bom para todo mundo A DataClick atua em quase 40 clubes de 22 estados e a ação do clássico solidário será realizada em outros lugares. Dessa forma, a empresa, mesmo diante da crise, está conseguindo se manter ativa e ao mesmo tempo ajudando pessoas e clubes. “A gente conseguiu amar-

rar uma campanha muito legal para ajudar o próximo porque cada clube irá escolher a entidade à qual quer doar as cestas básicas. A gente conseguiu sustentabilidade também para os clubes e, logicamente, trazer parte dessa receita para a DataClick, o que eu acho justo

SORTEIO – Para motivar mais o torcedor do Jacaré a participar da campanha, o Brasiliense divulgou nas redes sociais que realizará sorteio de três kits com camisas oficiais e bonés do clube para quem comprar ingresso para o jogo virtual.

Profile for Jornal Brasília Capital

Jornal Brasília Capital 460  

Jornal Brasília Capital 460  

Advertisement