Page 1

Ano X - número 522

Pág. 9

Brasília, 10 a 16 de julho de 2021

O BOOM DAS ARMAS Desde a posse de Bolsonaro, ações de fabricantes nas bolsas de valores e quadro de associados a clubes de tiro explodem no Brasil. Na mesma proporção, cresce o acesso de criminosos como Lázaro Barbosa a armamentos e munições, pondo em risco a vida de inocentes. Ary Filgueira – Páginas 6 e 7 ANTÔNIO SABINO

E MAIS

Freio de arrumação: CPI pede explicações a Bolsonaro Pelaí – Pág. 3

Ibaneis cria novo bairro no Plano Piloto Via Satélites – Pág 8

ANNA RIBEIR O – A pólvora ea chama – Pág. 10

JOSÉ MATOS – Realize-se seja feliz – Pág e . 10

DEDÉ RORIZ – Galete chega à Asa N ria Gaúcha orte – Pág. 11

Sindicatos SINDMÉDICO – Reforma Tributária aumenta impostos e onera saúde da população – Pág. 4

JÚLIO MIRAG AYA – Mitos e mentiras: o A gro é Pop? – Pág. 2

SINPRO – Governo federal não investe na estrutura necessária para volta às aulas presenciais Pág. 4 –

BANCÁRIOS – Projeto Arte/ Fato chega à 7ª edição – Pág. 9

DISTRIBUIÇÃO GRATUITA

www.bsbcapital.com.br

Ricardo Ferrer fecha trilogia “A Saga de Júlia” –


Brasília Capital n Opinião n 2 n Brasília, 10 a 16 de julho de 2021 - bsbcapital.com.br

Ex pedien te

Mitos e mentiras: o Agro é Pop? Júlio Miragaya (*)

Diretor de Redação Orlando Pontes ojpontes@gmail.com Diretor Comercial Júlio Pontes comercial.bsbcapital@gmail.com Pedro Fernandes (61) 98406-7869 Diagramação / Arte final Giza Dairell Diretor de Arte Gabriel Pontes redação.bsbcapital@gmail.com

Tiragem 10.000 exemplares. Distribuição: Plano Piloto (sede dos poderes Legislativo e Executivo, empresas estatais e privadas), Cruzeiro, Sudoeste, Octogonal, Taguatinga, Ceilândia, Samambaia, Riacho Fundo, Vicente Pires, Águas Claras, Sobradinho, SIA, Núcleo Bandeirante, Candangolândia, Lago Oeste, Colorado/Taquari, Gama, Santa Maria, Alexânia / Olhos D’Água (GO), Abadiânia (GO), Águas lindas (GO), Valparaíso (GO), Jardim Ingá (GO), Luziânia (GO), Itajubá (MG), Piranguinho (MG), Piranguçu (MG), Wenceslau Braz (MG), Delfim Moreira (MG), Marmelópolis (MG), Pedralva (MG), São José do Alegre, Brazópolis (MG), Maria da Fé (MG) e Pouso Alegre (MG).

C-8 LOTE 27 SALA 4B TAGUATINGA/DF - CEP 72010-080 TEL: (61) 3961-7550 BSBCAPITAL50@GMAIL.COM WWW.BSBCAPITAL.COM.BR

Os textos assinados são de responsabilidade dos autores

Siga o Brasília Capital no facebook.com/jornal.brasiliacapital

AGÊNCIA BRASIL

Parece que o desgoverno Bolsonaro entrou definitivamente em “modo corrupção”. Mal explodiu o caso Covaxin/Precisa - envolvendo Bolsonaro e diversos coronéis levados ao Ministério da Saúde pelo general Pançuello – surge a denúncia de Andrea Valle, sua ex-cunhada, de que o obscuro deputado Bolsonaro já praticava a “rachadinha” dos salários de seus assessores muito antes de seu filho Flávio. O deputado “Mamãe Falei”, do Patriota-SP, ironizou, dizendo que o dinheiro arrecadado por Bolsonaro era para “combater o comunismo”. Mas deixarei de lado, por ora, a corrupção bolsonarista, e abordarei nas próximas edições temas que recebem destaque da grande mídia e são apresentados como mitos, mas que não passam de descaradas mentiras. Começo com o agronegócio. E qual é o mito? O de que, além de alimentar o brasileiro, o Agro nacional é responsável pela alimentação de grande parte da população mundial. A primeira mentira é de que alimentam os brasileiros. No artigo “O Agro não tem pátria”, publicado neste Brasília Capital em janeiro deste ano, mostrei que os latifundiários

brasileiros se dedicaram nos últimos anos a expandir o cultivo de produtos destinados à exportação (soja, milho, açúcar, além de carne bovina e frango), deixando de lado os principais produtos que tradicionalmente vão pra mesa do povo, como feijão, arroz, mandioca e banana. De 1980 a 2020, a área cultivada com soja, milho e cana de açúcar cresceu 187,4% - de 22,37 para 64,3 milhões de hectares (85% do total da área cultivada no Brasil), enquanto a área cultivada com feijão, arroz e mandioca caiu 56,1% - de 12,86 para 5,65 milhões de hectares. Não obstante o aumento da produtividade, ele foi insuficiente para que a produção acompanhasse o aumento populacional, resultando em escassez dos produtos e escalada dos preços em 2020: arroz (76%); feijão (45%); banana (40%); e mandioca (22%). A outra mentira, sustentada por especialistas graduados, como Celso Moretti, presidente da Embrapa, é de que produtos exportados pelo Brasil alimentam 1,5 bilhão de pessoas. Mentira aumentada por Ladislau Martin Neto, doutor da Embrapa, que diz que é 1,6 bilhão. Outro doutor da Embrapa, Evaristo Miranda, é mais comedido, falando em 1 bilhão, mas que logo atingirá 2 bilhões. Vejamos os números: no caso de cereais, a produção e o consumo mundial em 2019, segundo a FAO, foi de 3,1 bilhões de tonela-

das, o que resulta num consumo médio per capita de 397 kg/hab. A produção brasileira foi de 242 milhões de toneladas, sendo 120 milhões absorvidas pelo mercado interno e 122 milhões exportadas. Ora, considerando 397 Kg/hab, 122 milhões seriam suficientes para alimentar 307 milhões de pessoas, e não 1,5 bilhão. No caso das carnes (bovina, suína, de frangos e outras), a produção e o consumo mundial em 2019 foi de 315 milhões de toneladas (consumo per capita de 40,5 kg/hab). Da produção brasileira, de 29 milhões de toneladas, 21,5 milhões foram para o consumo interno e 7,5 milhões exportadas, suficientes para alimentar 180 milhões de pessoas, muito aquém do 1,5 bilhão. É inacreditável que técnicos qualificados divulguem tais mentiras e que a grande mídia os repercuta. É óbvio que ambos não desconhecem os números verdadeiros, mas o objetivo é laurear a reacionária burguesia agrária brasileira, marcada pela degradação ambiental, calotes no Banco do Brasil, uso de trabalho escravo etc, setor cujos males causados ao país só cessarão quando por aqui for realizada uma verdadeira Reforma Agrária. (*) Doutor em Desenvolvimento Econômico Sustentável, ex-presidente da Codeplan e do Conselho Federal de Economia

Zélio Maia reitera combate à corrupção no Detran Vai ao ar neste sábado (9), às 9h, uma entrevista que o diretor-geral do Detran gravou no início da semana para o programa Estúdio Livre, da TV Bandeirantes. Zélio Maia aprofunda as explicações sobre seus projetos anticorrupção na autarquia, dos quais tratou, em primeira mão, em entrevista ao Brasília Capital (edição 520) publicada no dia 26 de junho. O diretor do Detran reitera que não se curvará aos ataques

(velados ou não) que tem recebido de grupos que passaram a ter seus interesses contrariados dentro do Detran desde o início de sua gestão, em março do ano passado. São pessoas que, segundo ele, participavam de esquemas de superfaturamento de contratos para os mais diversos serviços no órgão, desde a manutenção da frota até a vistoria veicular. Zélio Maia também ressalta a boa relação que mantém com o governador Ibaneis Rocha, com

quem convive desde a época que participaram da direção da Ordem dos Advogados do Brasil no Distrito Federal. E lembra de sua carreira profissional em Brasília, como advogado, professor e procurador. Vale conferir.

Diretor-geral do Detran-DF, Zélio Maia da Rocha


Brasília Capital n Política n 3 n Brasília, 10 a 16 de julho de 2021 - bsbcapital.com.br

Perfil – Desonesto, falso, incompetente, despreparado, indeciso, autoritário. Favorece os ricos e mostra pouca inteligência. Este o perfil de Jair Bolsonaro traçado pelos brasileiros segundo pesquisa DataFolha publicada na quinta-feira (8). Já um levantamento da XP/Ipespe, no mesmo dia, mostra rejeição recorde ao presidente: 52% consideram sua gestão ruim ou péssima.

Freio de arrumação A CPI da Pandemia tomou, nesta semana, duas atitudes enérgicas que podem ter sido essenciais para a manutenção da credibilidade da investigação dos senadores e para moralizar os depoimentos prestados por testemunhas ou investigados. CARTA – Na quarta-feira (7), o presidente da comissão, Omar Aziz (PSD-AM - foto), determinou a prisão de Roberto Dias, ex-diretor do Departamento de Logística do Ministério da Saúde. Na quinta (8), os senadores enviaram carta ao Planalto cobrando posicionamento do presidente Jair Bolsonaro sobre as acusações do deputado Luís Miranda (DEM-DF).

AGÊNCIA SENADO

RECADO – Detido pela Polícia Legislativa, Dias pagou fiança de R$ 1.100 e foi liberado. O recado aos demais depoentes, no entanto, foi dado. Para o relator da CPI, Renan Calheiros (MDB-AL), a prisão foi “pedagógica”. O vice-presidente Randolfe Rodrigues (Rede-RO) espera que a prisão sirva para que todos os futuros depoentes repensem suas falas e possíveis mentiras. AGÊNCIA SENADO

CONFIANÇA – Dias foi acusado de mentir em relação à acusação de pedir propina no episódio da oferta de 400 milhões de doses da vacina da AstraZeneca pela empresa americana Davati. A prisão foi confirmada pelo presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG - foto), que

DIVULGAÇÃO

afirmou ter confiança nos trabalhos da CPI.

CAGÃO – Na carta, a CPI cobrou explicações de Bolsonaro sobre a acusação de que o governo teria pedido US$ 1 de propina por dose da vacina Covaxin. “Solicitamos, em caráter de urgência, diante da gravidade das imputações feitas a uma figura central desta administração, que Vossa Excelência desminta ou confirme o teor das declarações do deputado Luís Miranda”. Horas depois, numa live, o presidente, mais uma vez, perdeu a compostura: “Caguei para a CPI”, disse, em alusão à carta.

Prazo para o Desenvolve-DF Depois de matéria publicada na edição 521 do Brasília Capital, o presidente da Câmara Legislativa, Rafael Prudente (MDB), indicou, quarta-feira (7), que o prazo para que os empresários se adequem ao programa Desenvolve-DF pode ser estendido. “Se for preciso, vamos encurtar o recesso parlamentar para que dê tempo de votar as alterações, de forma a garantir que todos os empresários consigam aderir aos novos termos”, disse.

MOBILIZAÇÃO – A reportagem mostrou que um grupo de empresários reivindica a flexibilização das exigências para regularizar os empreendimentos nas Áreas de Desenvolvimento Econômico (ADEs). Carlos Santos, um dos líderes do movimento, disponibilizou o WhatsApp 61-99129-5858 para mobilizar os empresários interessados em buscar soluções para seus problemas de escrituração dos lotes.

Aprovada LDO 2022 A Câmara Legislativa concluiu, terça-feira (6), a apreciação do projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2022. O GDF prevê receita de R$ 43,2 bilhões, correspondente à soma dos recursos próprios (R$ 28,9 bi) e do Fundo Constitucional do DF (R$ 14,2 bi). Com a aprovação, os deputados distritais encerram as votações em plenário no semestre. AGÊNCIA SENADO

Ofensas viram cestas básicas A ex-diretora de Regularização Fundiária da Terracap, Fabiana Torquato, comprou as primeiras 350 cestas básicas (foto) com o dinheiro que recebeu das indenizações que moveu contra os blogueiros José Seabra Neto (Notibrás), Mino Pedrosa (Quidi Novi) e Antônio Duarte (Radar Condomínio) por divulgação de matérias ofensivas. TOCANTINS – “Este é o resultado de apenas R$ 17.500 dos mais de R$ 100 mil que receberemos”, diz ela, que espera o cumprimento de outras execuções. “Fizemos doações até para cidades de Tocantins”, afirma a diretora que integrava a equipe do ex-presidente da estatal, Alexandre Navarro.


Brasília Capital n Política 4 n Brasília, 10 a 16 de julho de 2021 - bsbcapital.com.br

Reforma Tributária aumenta impostos e onera saúde da população Para profissionais liberais, médicos, advogados, empresas de diversos setores, agricultores, pequenos e microempreendedores e hospitais, a Reforma Tributária não terá impacto positivo. Depois da Reforma Administrativa, que não corta custos, agora é a vez a Tributária, que aumenta impostos. Ainda assim, a proposta segue em debate no Congresso Nacional. Agora, três projetos (que tratam do mesmo tema) são analisados: um do Senado, um da Câmara dos Deputados e um do Ministério da Economia, dividido em várias partes. Como uma espécie de Frankenstein, incluindo, claro, as anomalias. Nesta semana, o programa semanal do SindMédico-DF entrevistou o advogado especialista em Direito Tributário Yuri Assen, que esclareceu diversos pontos sobre como a Reforma Tributária afeta a vida dos cidadãos. E as perspectivas do Frankestein não são nada boas. Por exemplo, a ideia do Executivo, capitaneado por Paulo Guedes, é criar a “Contribuição sobre Bens e Serviços” (CBS) em substitui-

ção ao PIS e a Cofins – impostos vinculados ao setor de saúde – cujas alíquotas, juntas, chegam a 3,65%. Caso a CBS seja efetivamente criada, a nova alíquota será de 12%. E não para por aí. Além de aumentar os impostos para a área de saúde, o ministro da Economia, Paulo Guedes, pretende ainda a taxação de 20% de lucros e dividendos — que hoje são isentos. “Ah, mas as empresas têm mesmo que pagar mais”. Calma! Não estamos falando de grandes empresas (e mesmo que estivéssemos). É preciso pensar no todo. Efeito dominó, lembra? A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) chamou de “brutal” o aumento da carga de impostos do projeto e propôs mudança no texto para que profissionais liberais continuem isentos da tributação dos dividendos. Importante ressaltar que a proposta legislativa soma as já altas alíquotas de IRPJ (15% + 10%) e CSLL (9%) à tributação dos dividendos (20%). Ou seja, somando-se tudo, são 49%, o que comprometerá metade da receita do prestador de serviço.

E como toda essa conta esbarra em você? Aumento de tributos em serviços acarreta em duas coisas: acréscimo direto de valores para o usuário. No caso da saúde, para os pacientes, que pagarão mais caro em planos de saúde ou, em muitos casos, até terão de deixá-los para recorrer ao SUS, já sobrecarregado pela pandemia e pela negligência de sucessivos governos. É preciso que os rumos econômicos do Brasil cheguem, sim, à justiça tributária. Isso é claro e expressivo: tanto para as contas da Administração Pública quanto para a população, que espera retorno desses impostos. No entanto, a exemplo da Reforma Administrativa, minha análise sobre a Reforma Tributária em debate é apenas que, mais uma vez, quem sai prejudicado é o cidadão. Justiça tributária? Sim. Mas, para isso, é preciso a justiça social. Essa história de “liberalismo” com “o de cima sobe e o de baixo desce” não dá mais. O Brasil precisa de medidas efetivas, equilibradas, planejadas e estudadas para, aí sim, implementar

Dr. Gutemberg Fialho Médico e advogado Presidente da Federação Nacional dos Médicos e do Sindicato dos Médicos do Distrito Federal

mudanças. Por hora, diante, inclusive, da crise econômica causada pela pandemia, acredito que reformas como essas em curso no Congresso não agregam ao debate sobre o futuro que queremos. Pelo contrário. São medidas temerárias, empurradas a todo o custo e que, lá na frente, nos renderão enorme arrependimento.

Governo quer volta às aulas presenciais, mas não investe na estrutura necessária para isto O ministro da Educação, Milton Ribeiro, a exemplo do presidente Jair Bolsonaro, tem defendido a volta às aulas presenciais nas escolas públicas em todo o País. O curioso, para não dizer outra coisa, é que o governo federal exige a volta de estudantes e profissionais da educação às escolas sem investir na estrutura necessária para isto. O contrassenso do governo é ainda mais gritante, uma vez que Bolsonaro protocolou uma ADIN junto ao Supremo Tribunal Federal questionando a Lei 14.172/21, que destina R$ 3,5 bilhões para a conectividade nas escolas. Resumindo: Bolsonaro

retira verba que seria destinada à educação, não investe nada nos mecanismos de segurança e de estrutura necessários para receber milhares de estudantes e professores(as) nas escolas públicas, e ainda exige a volta às aulas presenciais em um momento que vivemos uma grave pandemia, com mais de meio milhão de mortos e a esmagadora maioria da população ainda sem ter sido vacinada. Presidente da Comissão de Educação, a deputada Professora Dorinha Seabra Rezende diz que a volta às aulas, nesta conjuntura, assusta. “A nossa preocupação é que o volume de recursos investidos é muito distante do

necessário. Não é para entregar um computador, não é para entregar um chip, mas precisa vir com arcabouço pedagógico para que possa ter efeito na aprendizagem”, salienta. Durante audiência pública realizada na quinta-feira (8), o ministro da Educação foi cobrado sobre recursos orçamentários para a área. Milton Ribeiro ressaltou que houve aumento nas despesas de custeio e manutenção, e classificou o momento atual como “economia de guerra”, no qual os recursos devem ser distribuídos com prioridade. Diante desta fala, fica mais que claro que, infelizmente, a Edu-

cação nunca foi uma prioridade para o governo federal. O Sinpro defende a volta às aulas presenciais no Distrito Federal e está em processo de negociação com a Secretaria de Educação para vacinação de todos(as) os(as) profissionais da educação, condições seguras nas escolas e, também, continuaremos na campanha pela imunização de toda a população.


+ Benefícios + Melhorias + Avanços

E todos juntos cuidamos do DF. As melhorias que o Governo do Distrito Federal promove também vêm da contribuição do IPTU. Fique atento ao vencimento da terceira parcela. FINAL DA INSCRIÇÃO

TERCEIRA PARCELA

QUARTA PARCELA

1e2

19/07

23/08

3e4

20/07

24/08

5e6

21/07

25/08

7e8

22/07

26/08

9, 0 e X

23/07

27/08

Boletos disponíveis no Portal da Receita. Acesse www.receita.fazenda.df.gov.br ou baixe o app Economia DF.

Acesse com a câmera do celular:


Brasília Capital n Cidades 6 n Brasília, 10 a 16 de julho de 2021 - bsbcapital.com.br

Armas liberadas, cri

Bandidos como Lázaro Barbosa passaram a ter mais aces Ary Filgueira (*) Ao ser preso e acabar morto no dia 28 de junho, depois de ter o corpo crivado por 39 tiros, encerrando uma saga de crimes, o assassino em série Lázaro Barbosa de Sousa, 32 anos, foi encontrado com dois revólveres e várias munições. Com esse arsenal, aterrorizou a população de Ceilândia, Águas Lindas e Cocalzinho, e ameaçou as forças de segurança do Distrito Federal e de Goiás durante 20 dias de caçada. Isto reforça a desconfiança da polícia de que o criminoso estaria sendo apoiado por alguém com acesso a armas. Mas, para entender como uma população de origem pobre tem tanta facilidade em adquirir armas de fogo, a ponto de municiar até os dentes um criminoso do quilate de Lázaro, basta revisitar o passado. Mais precisamente, voltar a 2019. No primeiro dia daquele ano, ao assumir a cadeira de presidente da República, Jair Bolsonaro cumpriu uma promessa de campanha eleitoral, editando em seus primeiros atos um decreto que flexibilizava a aquisição, o cadastro, o registro, a posse, o porte e a comercialização de armas de fogo e de munição. AÇÕES SOBEM – Embora tenha sido derrubado pelo Senado Federal, decisão que rendeu até post do autor nas redes sociais, a disposição do mandachuva brasileiro em armar a população atiçou a lei da oferta e da procura. Tanto que, que após o decreto de Bolsonaro as ações da Taurus (TASA4) tiveram uma forte alta que variou de 14,83% a R$ 21,76. A Taurus, aliás, já vinha acumulando dividendos com o fenômeno Bolsonaro mesmo antes de ele ser empossado. O gesto do presidente imitando

Decretos facilitam acesso

uma arma com o polegar e dedo indicador era simbólico e tinha várias conotações. Uma delas foi bombar a indústria bélica, prometendo liberar geral as armas. E a Taurus se aproveitou

disso. As ações da única fábrica de armamentos listada na B3 acumulam valorização de mais de 270% em apenas seis meses. Desde 2018, o papel registra ganho de mais de 700%.

Nem o veto do Senado ao decreto foi suficiente para desmotivar os amantes das armas e defensores da distribuição indiscriminada delas na sociedade e os fornecedores de produtos e serviços. Isso porque o incansável defensor das armas resolveu dar mais trabalho ao Parlamento. Bolsonaro (que flerta com o Patriota) não se entregou na guerra e editou mais quatro decretos. As principais medidas nesses novos textos são: alterações na lista de produtos controlados pelo Comando do Exército, excluindo, por exemplo, projéteis de munição para armas de porte ou portáteis até ao calibre 12,7 mm e a ampliação de quatro para seis o número de armas que um cidadão brasileiro pode possuir. Com uma peculiaridade: às categorias como juízes e policiais também é permitida a compra de mais duas armas de uso restrito. Além disso, foi ampliada a quantidade de munição para colecionadores, atiradores e caçadores.


Brasília Capital n Cidades n 7 n Brasília, 10 a 16 de julho de 2021 - bsbcapital.com.br

iminalidade em alta

sso a armamentos e munições desde a posse de Bolsonaro FOTOS: DIVULGAÇÃO

Clubes de tiro crescem Na mesma esteira das fabricantes de armas, as casas de prática de tiros pulverizaram nos quatro cantos do Brasil

Na mesma esteira das fabricantes de armas, outro segmento do ramo bélico também se locupletou da militância do maior cabo eleitoral do País à legalização das armas: as casas de prática de tiros, que pulverizaram nos quatro cantos do Brasil. A procura é tanta que esses estabelecimentos se transformaram num dos maiores compradores de armas de fogo do País. O número de armas registradas nos chamados clubes de tiro esportivo, de caçadores e colecionadores teve um aumento de 120% em um ano e meio, revela o

Anuário Brasileiro de Segurança Pública de 2020. Esses lugares são um palco perfeito para o “esportista” aperfeiçoar sua mira, que nem sempre visa usá-la em animais ou em competição. Ao preço de R$ 1,2 mil, o sócio do Clube de Tiro Atacc, na QNM 3 de Ceilândia, pode passar o dia treinando. Basta ser maior de idade e pagar a taxa. O clube tem hoje 350 associados com acesso a todo tipo de calibre de armas, desde revólveres até espingardas e escopetas. O responsável pelo estabelecimento identificado

apenas como Alan está otimista quanto aos decretos editados recentemente pelo presidente Jair Bolsonaro com a flexibilização das regras para porte e posse de armas. Para ele, mais pessoas irão adquirir armas e a procura ao seu clube, para treinar, será maior. Não à toa, a casa ostenta uma foto de Bolsonaro na parede. Ironicamente, sob a mira de um fuzil, parecido com um que ele empunha em viagem oficial a Israel, onde deveria tratar de assuntos mais relevantes para a população, como a compra de vacinas para a covid-19.

O pastor Antônio Jorgiano Soares, 51 anos, decidiu fazer o registro de tiro após edição dos decretos do presidente Jair Bolsonaro

Pastor atirador: Bíblia e bala Quando não está com uma Bíblia nas mãos Antônio Jorgiano Soares, 51 anos, conhecido como pastor Jorge, costuma empunhar uma arma num clube de tiros na Asa Norte. “Eu decidi fazer o registro das minhas após a edição dos decretos (do presidente). E ser CAC (Colecionador, Atirador e Caçador). A finalidade é só para prática esportiva e caça”, afirma.

Justificativa do pastor parece pró-forma. Já que a maioria possui arma em casa justamente para se proteger da eventual visita de um estranho. Mas arma não é um equipamento de defesa, e sim de ataque. Se o primeiro intuito fosse realmente verdadeiro, Bolsonaro incentivaria as pessoas a reforçarem a segurança das suas casas, propriedades rurais ou

estabelecimentos comerciais. Ou, quem sabe, até mesmo adquirir um escudo. E não um artefato que só serve para atacar. Principalmente, quando cai em mãos erradas, como as de Lázaro, que usou armas roubadas em casas de vítimas para cometer crimes contra elas mesmas e outras pessoas inocentes. (*) Especial para o Brasília Capital


Brasília Capital n Cidades n 8 n Brasília, 10 a 16 de julho de 2021 - bsbcapital.com.br

VIA

Satélites

{

Por Lorrane Oliveira

Cartão Gás – O governador Ibaneis Rocha anunciou, terça-feira (6), que lançará, ainda neste mês, o Cartão Gás. A ideia é auxiliar 40 mil famílias na compra do gás de cozinha durante a pandemia. O benefício será concedido para famílias em situação de vulnerabilidade. O valor ainda não foi confirmado, mas o preço médio do produto no DF é de R$ 84,42.

ANDRE BORGES/AGÊNCIA BRASÍLIA.

DISTRITO FEDERAL

Novo bairro para 63 mil pessoas A União e o GDF assinaram um protocolo de intenções para construção de um novo bairro no Plano Piloto, no Pátio Ferroviário de Brasília (PFB), localizada no extremo Oeste do Eixo Monumental. O terreno, pertencente ao Exército e à União, pode ganhar 21 mil imó-

veis para abrigar 63 mil pessoas numa área de mais de 4,2 milhões de metros quadrados. O Plano de Ocupação foi elaborado pela Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Seduh), em parceria com os militares e com a Secretaria de Patrimônio da União (SPU).

Regularização fundiária de clubes e igrejas Clubes esportivos, templos religiosos e entidades sem fins lucrativos que ocupam área pública poderão regularizar os terrenos que ocupam irregularmente há décadas mediante a prestação de serviços gratuitos à comunidade. O governador Ibaneis Rocha sancionou, na quarta-feira (7), o

Projeto de Lei que cria a política pública de regularização fundiária de unidades imobiliárias ocupadas por essas entidades. Serão beneficiados 58 clubes, muitos deles às margens do Lago Paranoá, e milhares de igrejas que ocupam terrenos públicos sem documentos com validade jurídica. PAULO H. CARVALHO/AGÊNCIA BRASÍLIA

Setor de eventos isento de IPTU e IPVA O GDF vai isentar o pagamento do IPTU e do IPVA de cabeleireiros, manicures e pedicures, estabelecimentos de estética e outros serviços de beleza. O projeto de lei também contempla empresas de outras 14 ativida-

des econômicas, ligadas ao setor de eventos, como as de filmagem e de organização de feiras, congressos, exposições e festas. A isenção do IPVA vale apenas para os veículos utilizados em atividades empresariais.

Vacinação da H1N1 aberta para toda a população A Secretaria de Saúde abriu a campanha de vacinação contra a gripe para toda a população do DF. Pessoas com seis meses de idade ou mais poderão receber imunizantes em qualquer uma das 100 Unidades Básicas de Saú-

de (UBS) da rede. A pasta alerta que, durante os dias frios, ocorre maior disseminação de doenças respiratórias, que podem se complicar com doenças bacterianas, como amigdalites, sinusites, pneumonias, entre outras.

Ampliado horário de academias e salões de festa O GDF liberou, por decreto, a realização de eventos corporativos e estendeu o horário de funcionamento das academias de ginástica e das casas de festas. Academias e

salões onde ocorrem eventos sociais, como casamentos e festas de aniversário, podem permanecer abertos até meia-noite, mesmo horário para bares e restaurantes.

Detran vai instalar 148 novos pardais O Tribunal de Contas do DF liberou, na quarta-feira (7), o Pregão Eletrônico do Departamento de Trânsito (Detran-DF) destinado à contratação de empresa especializada para instalar equipamentos de fiscalização, conhecidos como pardais, nas vias

urbanas do Distrito Federal. O valor estimado para licitação é de R$ 22,4 milhões. Os 148 locais serão definidos pela autarquia, perfazendo um total de 326 faixas monitoradas. O contrato com a empresa será de 30 meses, com opção de renovação.


Brasília Capital n Cultura n 9 n Brasília, 10 a 16 de julho de 2021 - bsbcapital.com.br

LIVRO

Ricardo Ferrer fecha trilogia “A Saga de Júlia” DIVULGAÇÃO

Após o sucesso do lançamento experimental em Brasília do primeiro livro da trilogia “A Saga de Júlia”, intitulado “O Casarão Verde – paixão sem limites”, a obra foi adquirida pela portuguesa Chiado Editora, que o lançou em Portugal e em outros países, incluindo o Brasil. O livro pode ser comprado pelos sites da editora: Chiado Books (PT): https:// www.chiadobooks.com/livraria/o-casarao-verde-paixao-sem-limites Livraria Atlântico (BR): https:// www.livrariaatlantico.com.br/ pd-86ccb5-o-casarao-verde-paixao-sem-limites-ricardo-ferrer.html?ct=&p=1&s=1 Os outros dois livros da trilogia “O Dossiê de Umbrícola – a organização”, e “A Herdeira – resgate de valores”, serão lançados em breve. No entanto, a edição brasileira pode ser adquirida com o autor, pelo

e-mail: ricardotoffer@gmail.com ou pelo celular (55) (61) 99987-3777. SINOPSES – O Casarão Verde – paixão sem limites. Ao longo dos noventa anos em que a história se desenrola, costumes, cultura, política e fatos ligados aos personagens constituem o cerne do romance. Sentimentos dos mais diversos são uma constante, fazendo aflorar emoções fortes no leitor, que é envolvido pelo clima de suspense que perpassa toda a narrativa. Os anos dourados representados pela década de 1960 na pequena Itajubá, no sul de Minas Gerais, trazem os romances próprios da época regados pelos costumes e músicas que levaram os jovens ao experimento de uma liberdade que mudou seu comportamento. No entanto, o clima romântico levado por uma paixão sem limites muda radicalmente a história, le-

vando a ações policiais de alto significado. Uma organização criminosa, uma fuga espetacular, uma busca frenética ao redor do mundo, suspenses intensos, um final surpreendente, de prender o fôlego do leitor. O DOSSIÊ DE UMBRÍCOLA – A Organização. Uma história envolvendo o segredo de uma organização que se sobrepõe no tempo e no espaço, movendo-se nas sombras e se perpetuando. Caminhos diversos são percorridos, onde o lúdico, os mistérios e a luta se entremeiam. A história é narrada numa linguagem clara e transparente. A conquista, os encontros e a magia dos esconderijos para guardar informações precisas percorrem trilhas, driblando quem atravessa seu caminho. O final é surpreendente, pelas relações estabelecidas com fatos históricos reais de povos

e de nações que anseiam por verdades e pelas ligações que projetam a vida para o imprevisível. A HERDEIRA – Resgate de Valores. Este romance encerra com detalhes a narrativa de uma história intrigante, cheia de encantamentos, mistérios e suspenses, no formato de uma trilogia. A busca pela verdade e a superação de traumas se encerram na paz e na tranquilidade do vir a ser, que exala, em cada palavra, numa contextualização de aprendizagens intensas e consistentes com a perspectiva do acerto. É a busca frenética e desesperada do encontro do próprio eu, dentro de uma trama maliciosa e pertinente, rica em pormenores, que desencadeia a luta e a persistência pela conquista de uma possibilidade de ser feliz um dia, com o maior ideal de viver plenamente.

Projeto Arte/Fato chega à 7ª edição O Projeto Arte/Fato é, desde a sua primeira edição, um convite ao público a assistir, de casa, apresentações artísticas de diferentes vertentes realizadas por gente dos quatro cantos do DF. Das artes cênicas à música, passando pela literatura, o Arte/Fato nasceu da vontade da entidade sindical de homenagear e prestar apoio aos trabalhadores/as da cultura local prejudicados pela pandemia do novo coronavírus. A iniciativa consiste em uma ação objetiva de geração de renda para o setor cultural do DF em toda a sua amplitude, envolvendo, além dos artistas, técnicos, produtores, assistentes e comunicadores. Para a 7ª edição, que vai ar às 20h de terça-feira (13), o palco do Teatro dos Bancários, onde acontecem as gravações, recebe a banda de pop-rock nacional e internacional Radiobox, o cantor, compositor e violonista Leandro Morais (foto), e dançarina e

DIVULGAÇÃO

fotógrafa Irina Buss. A apresentação será do ator Murilo Grossi, com a participação da médica e PhD em Ciências da Saúde pela UnB, Ana Costa, que comentará o papel do SUS na pandemia da covid-19. Para a reestreia, o projeto foi reformulado para um formato mais dinâmico, com apresentações curtas e mais interação entre o mestre de cerimônias e os artistas, além de abordar temas atuais a partir da

fala de especialistas. ANIVERSÁRIO – Em comemoração aos 60 anos do Sindicato, talentos artísticos de bancários e bancárias e a histórica relação da entidade com a cena cultural do DF também irão compor a programação. Com a promoção desta série cultural, o Sindicato dos Bancários de Brasília atenta em reverenciar estes profissionais que, por meio de sua arte, atenuam

os níveis de estresse emocional causado pelo confinamento, além de estimular o pensamento crítico. O projeto também convida a comunidade a se engajar, com doações, na campanha “Quem tem Fome, Tem Pressa!”, do Comitê de Solidariedade Bancária de Combate ao Coronavírus. Criada em maio do ano passado, a iniciativa presta solidariedade e socorro emergencial que possibilite a enfrentar a insegurança alimentar por meio de auxílio a catadores de materiais recicláveis, pessoas em situação de rua, mulheres vítimas de violência, quilombolas, pessoas LGBTQIAP+, bem como abrigos para a terceira idade, creches e categorias profissionais impactadas pela covid-19, como é a situação da classe artística.


Brasília Capital n Geral n 10 n Brasília, 10 a 16 de julho de 2021 - bsbcapital.com.br

QUESTÕES DA ALMA

Anna Ribeiro A pólvora e a chama O sorriso é a chave, prenúncio do ataque. O flerte. O encontro é a morte da busca A pólvora e a chama. O mar e o mergulho. Café com leite. Queijos e vinhos. Romeu e Julieta. Ele e Ela. Algumas combinações são clássicas. Algumas, pelo estrago que podem causar ao se encontrarem; outras, porque parecem ter sido feitas uma para a outra. Complementares. Essas partes parecem procurar pela parte complementar durante a vida. Um é o cálice, o outro o vinho. Separados são bons. Mas juntos são festa, química, sabores, sensações. Sozinhos são pontos. Juntos reticências. Ela tão solta. Ele tão sóbrio. Eles tão perigosos juntos. Não se conheciam, ainda. Ainda não se sabiam tão seus. Antes da morte, o tiro; antes do tiro, a bala; antes da bala, a pólvora, o estalo. Foram atingidos.

Abatidos. E o interessante é que essa morte é melhor que a vida. Explico. Ele já havia saltado todos os muros, viajado por muitos países e mulheres. Já havia corrido riscos calculados. Todos os crimes já prescritos, outros perdoados. Ele passeava pelas ruas com uma quase arrogância de quem conhece cada beco escuro, cada ponto luminoso das cidades. Um caçador. Um pobre caçador que ainda não se sabia caça. Desfilava sem medo entre conquistas e abandonos. Uma força da natureza não sabe o poder que tem, o estrago que pode causar, o espetáculo. Era um tenor que ainda não havia cantado. Não se conhecia. Não se sabia. Apenas se supunha. Ela tinha garras afiadas. Sabia voar. Enxergava no escuro. Desen-

ESPÍRITA

José Matos Realize-se e seja feliz! Ligue-se! você está na escola-terra e todos somos alunos! Auto realização é o segredo da felicidade. Mas ela só é possível com empenho, perseverança, cooperação com o próximo e gratidão com quem lhe ajuda ou lhe ajudou. Na sua programação existencial, pessoas são escaladas para você encontrá-las e ser ajudado, mas depende de você ser receptivo e manter-se em-

penhado até o fim. Se se acomodar, perde. Perdendo, você entra em depressão ou insatisfação crônica. É a sua programação que lhe dá a vocação e o sonho. É preciso realizar seu sonho, não importando a idade, mesmo que seja, apenas, para satisfação pessoal. O velho Lenin ensinou: é preciso sonhar, mas com a

volveu habilidades na guerra. Pernas e braços fortes. Ambivalente. Mais frágil que seda. Uma armadura impenetrável foi criada nas suas batalhas internas. Por dentro, sofisticadamente suave, delicada. Naquele fim de tarde estava cansada do peso. Deixou a armadura e saiu com a pele exposta. Pernas de fora, decote, desceu do salto. Saiu para se molhar. Inteira. Por fora molhada, por dentro úmida. Perigosa. Um risco sem aquela armadura. Ela ainda não sabia, mas a armadura não a protegia, protegia os outros. Não se conhecia. Não se sabia, ainda. Encontraram-se. Primeiro ele com ele. Decidiu apenas aproveitar o encontro quase que às cegas consigo. Sentou-se à mesa só, como não era costume. Enfim, pela primeira vez não estava solitário. Descobriu-se na própria companhia. Ela com ela. Sem salto. Distraída, saiu sem pressa, na chuva. A água escorrendo pelo corpo parecia tirar qualquer suposta proteção. Cabelos molhados. Sorriu distraída, de verdade; sorriu de si, para si. Sorriu por dentro. Encontrou-se. Sentou-se para um café. Queria algo quente. Ele também, algo quente. Queria ela. Olharam-se. Estavam desnudos. O restaurante movimentado e eles ali completamente nus um de frente para o

outro. Os olhares são sempre denunciadores. Com a calma necessária que se avalia uma presa, os dois se estudaram por instantes. O sorriso é a chave, prenúncio do ataque. O flerte. Encontraram-se. A conversa fluía como se fossem dois antigos parceiros, não amigos. Era maior que isso. Era como se um soubesse do crime do outro e planejassem uma grande operação juntos. Mas em silêncio. As partes. As pessoas buscam suas complementações perfeitas. Buscam tanto que se habituam a procurar, mas nem sempre estão prontas para encontrar. O encontro é a morte da busca. Eles estão queimando. Ardendo em chamas. Ele quente, teso; ela quente e úmida de amor. Segredos compartilhados. O beijo. O tiro. Arrebatados. Silêncio, o mundo todo parado e eles em outra dimensão. Devassa, ela; lascivo, ele. A voz dele no ouvido dela anunciando um beijo, a voz dela perguntando seus segredos. Não há mais lugar seguro no mundo para eles. Foram descobertos. Encontraram-se. Arrebatados nessa pequena morte que é melhor que a vida.

condição de crer em nosso sonho; de confrontar a observação com nosso sonho; de realizar escrupulosamente nossas fantasias. Um tipo de depressão acontece a quem age sem ética, está desviado do seu propósito ou parou de crescer. Acorde! é preciso coragem para ser você e coragem para realizar seus sonhos. Mas, se você se dispuser, descobrirá meios e pessoas para realizar-se. Um enfermeiro, confessou-me: “Eu era escriturário e infeliz; meu sonho era ser enfermeiro; sou enfermeiro há 20 anos e cada vez mais feliz”. Deus abre portas? Abre. Desde que você cresça honestamente e ajude seu semelhante a crescer e realizar-se. O sentido da vida está na cruz: na haste vertical, você; na horizontal, o outro; no encontro, nós. Viver é nós: todos se ajudando. No passado, você foi ajudado por

colegas, e hoje ignora-os, e não ajuda ninguém porque acha que se fez sozinho? Você foi ajudado por pais pobres e os abandonou? Que tipo de gente você é? Você, além de cego, é ingrato. “Sem o azeite da cooperação, a máquina da vida não funciona”. Ricos e intelectuais da Terra! Ao voltar para o Além, ninguém vai perguntar quem vocês foram; vão perguntar que bem vocês fizeram! Viva atento! Se você não andar atento para aprender, quase nada vai aproveitar. Você alguma vez já pensou quantas pessoas de bem passaram em sua vida e você nada aproveitou? Ligue-se! você está na escola-terra e todos somos alunos!

Anna Ribeiro Escritora

José Matos

Professor e palestrante


Brasília Capital n Gastronomia n 11 n Brasília, 10 a 16 de julho de 2021 - bsbcapital.com.br

Gastronomia

Empresário e radialista divulgando a boa gastronomia e eventos de Brasília Instagram: @dederoriz

Dedé Roriz

FOTOS: DIVULGAÇÃO

MAYER SABORES DO BRASIL

GALETERIA SERRANA

Festival de Inverno todas as quartas-feiras de julho, no jantar

Tradição do rodízio gaúcho chega à Asa Norte

O Mayer Sabores do Brasil está promovendo o Festival de Inverno do mês de julho. Todas as quartas-feiras, no jantar, além de pratos de grande sucesso ao preço promocional de R$ 48,90, a casa ainda oferece, a partir das 17h, desconto de 20% em todos os rótulos de vinho. A programação musical, com o violinista Bruno Arsky, também acalenta os corações, deixando a atmosfera do local ainda mais agradável. O couvert artístico é cortesia. Entre as opções dos pratos promocionais estão o Nhoque de banana da terra (opção vegana) ao pesto de manjericão e pepita de girassol; o Arroz caldoso de rabada e agrião; o Risoto da horta (opção vegana), com legumes em manteiga ghee; o Pappardelle com ragu de cordeiro ao vinho tinto e alecrim; o Ravioli da canastra com raspas de limão siciliano ao molho de tomates frescos, azeite de ervas e crocante de queijo Canastra; e a Flor de Pera, massa recheada com pera, castanha de baru e grana padano, ao creme de queijo e figo em calMAIS INFORMAÇÕES: da de melaço Endereço: Quadra 116 sul com crocante Instagram: @mayersaboresdobrasil de bacon.

Uma das mais tradicionais de Brasília, a Galeteria Serrana agora chega à Asa Norte. O empresário Luziano e seu filho Maninho acabam de inaugurar a nova unidade, na 716 Norte, mantendo a mesma qualidade dos pratos que servem nos rodízios na Asa Sul, no Noroeste, MAIS INFORMAÇÕES: Instagram: @galeteriaserranadf Lago Norte, Taquari e Sobradinho. Mas a Galeteria Serrana é muito mais que rodízio de galeto servido com polenta, arroz, farofa, vinagrete e talharim à bolonhesa. Lá você também encontra as opções de picanha e linguiça. Para fechar a refeição, tem pudim e ragu, uma típica sobremesa do Sul do Brasil.

BIO MUNDO

Alimentação saudável com produtos naturais Conhecida em todo o Distrito Federal, a Bio Mundo é aquela loja que tem de tudo para uma alimentação saudável. Lá você encontra produtos naturais a granel e uma grande variedade de suplementos alimentares. Agora, a Bio Mundo abriu uma unidade no Noroeste, sob o comando do empresário Filipe Pataro. Além de amendoins e frutas desidratadas, tem comidas congeladas fits. Entre os produtos mais vendidos está a Chlorella, de fabricação própria, que tem

entre suas funções prevenir doenças como câncer e diabetes, além de possuir várias vitaminas e proteínas que ajudam na prevenção de outras doenças. Para quem tem como foco a malhação, na Bio Mundo oferece uma linha de produtos Whey Protein, energéticos e suplementos. MAIS INFORMAÇÕES Instagram: @biomundodfnoroeste


Brasília Capital n Esportes n 12 n Brasília, 10 a 16 de julho de 2021 - bsbcapital.com.br

Brasil e Argentina decidem Copa América ARTE: REPRODUÇÃO INSTAGRAM

Final, neste sábado (10), às 21h, no Maracanã, marca mais um duelo entre Neymar e Messi Gustavo Pontes Após quase ser cancelada e vir para o Brasil de última hora, com críticas de grande parte da população, a Copa América chega ao fim neste sábado (10) com o jogo mais esperado: Brasil x Argentina. A competição foi ofuscada pela Eurocopa, mas acabou premiada com uma final, no Maracanã, que pode fazer as pessoas esquecerem do que passou. Independentemente de qualquer coisa, o duelo de maior rivalidade entre Seleções da América do Sul sempre será um jogo aguardado, e esta final reúne

Neymar e Messi já se enfrentaram quatro vezes pelas seleções, com duas vitórias para cada

ingredientes que aumentam as expectativas pelo confronto. A Argentina terá mais uma chance

EUROCOPA

SÉRIE D

Itália e Inglaterra fazem final inédita Inglaterra e Itália fazem a final da Eurocopa no domingo (11), às 16h, no estádio de Wembley, que pela primeira vez terá capacidade máxima de público desde o início da pandemia. A edição 2021 ficou marcada pela volta de público aos estádios europeus. Outra linda história vinha sendo escrita pela Dinamarca, que no início da competição viu o craque Christiam Ericksen sofrer uma parada cardíaca em campo e fazia ótima campanha até ser derrotada pela Inglaterra na semifinal.

de levantar um troféu no estádio onde perdeu a final da Copa do Mundo de 2014 para a Alemanha.

Os hermanos não vencem um torneio internacional desde 1993, quando ganhou a Copa América. O Brasil joga para confirmar o bom trabalho de Tite e aumentar as esperanças de uma boa Copa do Mundo no próximo ano. Também está em jogo a possibilidade de aumentar o jejum dos argentinos e impedir que os vizinhos levantem um troféu no Maracanã. Os dois craques das seleções vivem grande fase e foram os protagonistas da Copa América. Em seis jogos, Messi marcou quatro gols e deu cinco assistências, participando, em média, de um gol a cada 65 minutos. Neymar disputou um jogo a menos, fez dois gols e deu três passes para gols, participando de um gol a cada 99 minutos. Neymar e Messi já se enfrentaram quatro vezes pelas seleções, com duas vitórias para cada. O argentino busca o seu primeiro título com a seleção, enquanto o craque brasileiro tentará mais um título no Maracanã, onde foi campeão olímpico.

Já os ingleses chegam pela primeira vez à final da competição. Campeões do mundo em 1966, eles voltam a decidir um título em Londres 55 anos depois. Mas terão pela frente a Itália, que surpreendeu com um futebol ofensivo, tem na força do conjunto a sua maior arma, e um retrospecto positivo contra a Inglaterra. A Azurra conta com os ítalo-brasileiros Jorginho, Emerson e Rafael Tolói. A Inglaterra aposta no talento de Sterling, de origem Jamaicana, um dos melhores jogadores da Eurocopa. (GP)

Gama e Brasiliense buscam a reabilitação Os dois representantes do Distrito Federal na Série D do Brasileirão voltam a campo neste sábado (10), após empatarem o clássico do último fim de semana em 0 a 0. O Brasiliense recebe o Aparecidense às 15h e o do Gama entra em campo, fora de casa, às 16h30, para encarrar o Porto Velho. Ambos os jogos serão transmitidos pela Eleven Sports e CBFTV. O resultado do clássico local foi ruim para o Jacaré, que chegou ao segundo jogo sem vitória, mas foi pior para o Periquito, que ainda não venceu na

Série D e está fora do G-4 após cinco rodadas. Agora, o Brasiliense recebe a Aparecidense, apontada como uma das favoritas do grupo no início da competição e que possui os mesmos 8 pontos do Jacaré. O Gama viaja para encarar o Porto Velho, que tem 5 pontos, assim como o alviverde, e vem de vitória fora de casa na última rodada. Apesar dos resultados ruins nos últimos jogos, o Gama ganhou confiança sob o comando do novo treinador, Marcelo Caranhato. (GP)

Profile for Jornal Brasília Capital

Jornal Brasília Capital 522  

Advertisement

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded