Page 1

www.bsbcapital.com.br

Página 4 Ano VIII - 358

DISTRIBUIÇÃO GRATUITA

É a acusação da Procuradoria-Geral da República contra o presidenciável Jair Bolsonaro (foto). Seu filho, Eduardo, é denunciado por ameaça Brasília, 14 a 20 de abril de 2018

QUEIMOU A LARGADA A Secretaria de Fazenda do DF adiou a licitação para contratação de uma Parceria Público Privada (PPP) para o Kartódromo Ayrton Senna, no Guará. Não foi cumprido o prazo de 45 dias previsto por lei entre o chamamento público e a publicação. Agora, a abertura dos envelopes com as propostas dos interessados está marcada para o dia 22 de maio. A medida é polêmica e divide opiniões dos moradores da cidade / Página 7 FOTOS: DIVULGAÇÃO

Corrida de kart atrai moradores de várias regiões do Distrito Federal

FOI RORIZ QUE FEZ Principal compromisso de campanha do candidato em 1990, o projeto do metrô, foi lançado no Japão Página 6

Cristovam vira alvo de tiroteio no Twiter Senador é acusado de ser corresponsável pela crise financeira nas universidades Chico Sant’Anna – Páginas 10 e 11

Hélio Doyle é a carta na manga do PDT para debater com Rollemberg Pelaí – Página 3


Brasília Capital n Opinião n 2 n Brasília, 14 a 20 de abril de 2018 - bsbcapital.com.br

E

A R T I G O

x p e d i e n t e

Ficha Limpa não é perfumaria Diretor de Redação Orlando Pontes ojpontes@gmail.com Diretor Comercial Júlio Pontes comercial.bsbcapital@gmail.com Pedro Fernandes (61) 98406-7869 Diretor-Executivo Daniel Olival danielolival7@gmail.com (61) 9 8356 1491 Diretor de Arte Gabriel Pontes redação.bsbcapital@gmail.com

Tiragem 10.000 exemplares Distribuição Plano Piloto (sede dos poderes Legislativo e Executivo, empresas estatais e privadas), Cruzeiro, Sudoeste, Octogonal, Taguatinga, Ceilândia, Samambaia, Riacho Fundo, Vicente Pires, Águas Claras, Sobradinho, SIA, Núcleo Bandeirante, Candangolândia, Lago Oeste, Colorado/Taquari, Gama, Santa Maria, Alexânia / Olhos D’Água (GO), Abadiânia (GO), Águas lindas (GO), Valparaíso (GO), Jardim Ingá (GO), Luziânia (GO), Itajubá (MG), Piranguinho (MG), Piranguçu (MG), Wenceslau Braz (MG), Delfim Moreira (MG), Marmelópolis (MG), Pedralva (MG), São José do Alegre, Brazópolis (MG), Maria da Fé (MG) e Pouso Alegre (MG). C-8 LOTE 27 SALA 4B, TAGUATINGA-DF - CEP 72010-080 - Tel: (61) 3961-7550 - bsbcapital50@gmail.com - www.bsbcapital.com.br - www. brasiliacapital.net.br

Os textos assinados são de responsabilidade dos autores

Siga o Brasília Capital no facebook.com/jornal.brasiliacapital

Cláudio Sampaio (*) A Lei Complementar nº 135, assinada pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva em 4 de junho de 2010, hoje conhecida como Lei da Ficha Limpa, prevê claramente as condições nas quais um candidato pode ser considerado inelegível e proibido de concorrer a cargos eletivos, notadamente quando houver sido condenado por crimes comuns ou eleitorais. A referida lei já demonstrou sua força nas eleições de 2014, mesmo que ainda não de modo ideal, redundando na não participação de figuras conhecidas da política, e tende a ter aplicação mais abrangente no pleito de 2018, quando os brasileiros elegerão os chefes dos Poderes Executivo estaduais e federal,

Desta forma, enquanto não se altera o privilégio de foro, pela via legislativa, e não se reduz sua amplitude com a conclusão do julgamento da Ação Penal 937, que aguarda ser pautada pela ministra Carmen Lúcia, é nosso dever, como cidadãos, pesquisarmos com afinco, sobretudo pela internet, a vida pregressa, o histórico e a coerência daqueles que se apresentam como opção para as eleições de 7 de outubro. Afigura-se urgente e salutar uma renovação política, para melhor, pois não é possível que, em um país no qual pagamos tantos impostos, tenhamos saúde, segurança, educação e meios de transporte tão ruins, ineficientes e atrasados.

(*) Advogado e escritor

Pobre País, Pobre Povo J. B. Pontes (*) Estou ciente de que de nada adiantam os argumentos sensatos que analisam a situação crítica pela qual passa o nosso País. A insensatez e o ódio inexplicável ou justificável continuarão a prevalecer. Pobre País, que não enxerga o que realmente é preocupante e que está a caminho de uma divisão social quase irreversível, com graves riscos. Enquanto isso, nosso patrimônio natural – a exemplo dos ricos minérios da Serra dos Carajás e da Serra Leste,

C

nClã Roriz Essas múmias velhas não querem largar o osso. Geziel Pereira Lisboa, via Facebook Depois dizem que política não dá dinheiro.Olha aí a família toda correndo atrás.Geny Gomes, via Facebook Eu não voto na família Roriz! Mas adoraria ver a Weslian de novo nos debates.Silvana Alves, via Facebook Sobre nota no Pelaí mostrando a união de Eliana Pedrosa, pré-candidata ao GDF, com a mulher do ex-governador, Wes-

bem como seus representantes no Parlamento (senadores e deputados). Indubitavelmente, a Lei da Ficha Limpa representa um avanço no sistema político, considerando que a maioria dos responsáveis pelos desvios bilionários de recursos públicos, amplamente noticiados na mídia, permanece no cenário eleitoral há décadas, protegidos pela impunidade. A impunidade, por sua vez, é fruto principalmente do famigerado foro privilegiado, diante do qual os magistrados do STF, escolhidos politicamente, costumam proteger, escancaradamente, seus padrinhos e os correligionários destes.

lian, como senadora; a filha Liliane, como vice; o neto Joaquim, como deputado federal; e o sobrinho Dedé, distrital. nSinpol Esperar o que de um sindicato que é controlado por um gaúcho analfabeto e por um deputado que era da turma do Cunha? O governador já deveria ter tomado providência em relação a esse sindicato que prejudica a população tentando culpar o governo por suas ambições.Cleber Mello, via Facebook

as maiores e mais ricas reservas minerais do Planeta e, talvez as últimas – é exportado para outros países, in natura (sem nenhum processamento) como se minério de ferro fosse. Quer dizer, “a preço de banana roubada”, pois, na realidade, contém ouro, prata e outros minerais valiosos. E é lá, no exterior que esse patrimônio vai gerar emprego, renda e alimentar uma cadeia industrial. E tudo isso ocorre sob a complacência, ou melhor, a conivência, de nossas autoridades. Será que me faço entender?

Essas riquezas, se tivéssemos uma classe política comprometida com os interesses do País e do nosso povo, poderiam ser a base de nosso desenvolvimento econômico e social, ao desencadear uma série de atividades geradoras de emprego, renda e desenvolvimento industrial - beneficiamento, indústrias etc. Nenhum outro país do mundo perderia essa oportunidade que a natureza (Deus?) nos deu. (*)Consultor legislativo aposentado do Senado Federal e advogado

a r t a s

Com uma vírgula (ou falta dela) você consegue caluniar alguém. Os professores de português deveriam ser marcados aqui para um posterior eventual estudo de caso.Tiago Gomes, via Facebook É só colocar uma vírgula que resolve! “Brasília, capital do crime”. Junior Brito, via Facebook Sobre nota de esclarecimento do jornal Brasília Capital, que não tem ligações com o informativo do Sindicato dos Policiais Civis do DF chamado

Brasília Capital do Crime. N.R.: O Brasília Capital está processando o Sinpol-DF pelo uso indevido de sua marca. nSaúde Ainda bem que está acabando o desgoverno de Rollemberg.Andre Luiz Fernandes, via Facebook Esse é o jeito PSDB e neoliberal de agir. Mandala Costa, via Facebook Não aprovo a administração dele, mas o Agnelo conseguiu ser pior.Douglas Rodri-

gues, via Facebook Brasília está gritando por urgência na gestão de saúde. Realmente não temos governador para a saúde pública. Eliana Castro, via Facebook Hospital do Paranoá: um dos melhores prédios de hospital de Brasília jogado às traças. Uma vergonha. Rogério Corsino, via Facebook Sobre coluna do Dr. Gutemberg: Sucatear para privatizar – o jeito Rollemberg de governar.


Brasilia Capital n Política n 3 n Brasília, 14 a 20 de abril de 2018 - bsbcapital.com.br

O

presidente do DEM no Distrito Federal, deputado Alberto Fraga, viajou cinco vezes, de 2015 a 2018, para Aracaju (SE), sua cidade natal, com passagens pagas pela Câmara dos Deputados. A assessoria do parlamentar respondeu ao portal Metrópoles, autor da denúncia, que Fraga concilia férias com trabalho.

Hélio Doyle quer debater com Rollemberg Coordenador da campanha vitoriosa de Rodrigo Rollemberg (PSB) em 2014 e tido como supersecretário do GDF nos primeiros seis meses da gestão do socialista em 2015, o jornalista Hélio Doyle (foto) está disposto a ficar frente a frente com o ex-chefe como seu adversário na disputa pelo palácio do Buriti este ano. RESERVA – No limite do prazo de filiação, sábado (7), Doyle assinou a ficha do PDT, abonada pelo presidente regional George Michel, e com as bênçãos dos deputados distritais Joe Valle e Reginaldo Veras. Doyle pode assumir a condição de candidato a governador para montar palanque para o presidenciável Ciro Gomes, caso Joe Valle não aceite o desafio. DEBATE – O marqueteiro, que esteve filiado ao PSD, já tinha passado pelo PDT nos anos 1980/90. Em 86 foi candidato a deputado federal com o número 1234. Ele pode até disputar outro cargo agora. Mas seu interesse mesmo é debater com Rollemerg, que não teria implementado o programa de governo que o elegeu há quatro anos. A conferir...

PRB sai da base O PRB dos deputados distritais Júlio César e Rodrigo Delmasso (recém-filiado), ambos ligados a igrejas evangélicas, comunicou sexta-feira (13) ao governador Rodrigo Rollemberg (PSB) sua saída da base de apoio ao governo.

Carneiro sim; cordeirinho não! FOTOS: DIVULGAÇÃO

Figura conhecida da política local, o ex-administrador de Águas Claras Manoel Carneiro (foto) ajudou a eleger políticos ao longo de sua trajetória na vida pública. No entanto, seu comportamento heterodoxo o fez acumular desafetos ao longo dos anos. Por onde passou, Carneiro deixou uma trilha de ex-aliados descontentes e de observadores desconfiados. Um deles chega a brincar: “Ele só não pode ser chamado de cordeirinho”.

Troca-troca Fechada na sexta-feira (6) a janela para mudança de partido para políticos com mandatos que pretendem disputar as eleições de outubro, a Câmara Legislativa passou a ter uma nova configuração. PR, PDT, MDB e o PT passaram a ter três deputados cada. Outros quatro partidos ficaram com dois parlamentares e quatro agremiações anteriormente representadas ficaram sem cadeira na Casa: PPS, PSDB, PTB e Podemos.

GIBIS – Na lista de oponentes estão os ex-distritais Olair Francisco e Eurides Brito. Indicado por Olair para a administração de Águas Claras, Carneiro perdeu o cargo após se envolver em um esquema de compra de 250 mil cartilhas por R$ 1 milhão. O escândalo dos gibis, como ficou conhecido o episódio, causou prejuízos políticos ao seu então padrinho político. CPI DA EDUCAÇÃO – No caso de Eurides Brito, Carneiro testemunhou contra a ex-distrital na CPI da Educação. Ele havia ocupado o cargo de chefe de gabinete dela. VÍTIMA – A mais recente vítima do professor de Educação Física aposentado por problemas psicológicos foi a deputada distrital Sandra Faraj (PR), absolvida nesta semana pelo Conselho Especial do Tribunal de Justiça do DF e Territórios (TJDFT) das denúncias de peculato por um suposto caso de desvio de verbas indenizatórias.

INDEPENDENTE – A decisão, segundo o secretário nacional Evandro Garla, tem caráter definitivo e irreversível. A nota oficial diz que o PRB “não se posicionará como oposição, mas será independente, sem se negar ao diálogo e à colaboração”. Então tá...

CURRÍCULO VITAE – Mesmo com esse “currículo vitae”, Carneiro não se afastou da cena política. Agora trabalha para eleger Alírio Neto (PTB) governador do DF. É um dos articuladores da campanha do pré-candidato ao Buriti e responsável pela minuta do plano de governo do petebista.

COLIGAÇÃO – A legenda deve integrar a coligação que unirá PTB, PSDB, PPS e PSD, além dos nanincos PSDC, PSC, PPL e PMN.

SEM MEDO DE SER FELIZ – Parece que os episódios do passado não assustaram o experiente delegado aposentado Alírio Neto...

Claúdio Abrantes é agora do PDT

COMO FICOU O CENÁRIO:PDT: Cláudio Abrantes, Joe Valle e Reginaldo Veras; PR: Agaciel Maia, Bispo Renato Andrade e Sandra Faraj; MDB: Rafael Prudente, Raimundo Ribeiro e Wellington Luiz; PT: Chico Vigilante, Ricardo Vale e Wasny de Roure; PSD: Cristiano Araújo e Robério Negreiros; PRB: Júlio César e Rodrigo Delmasso; Pros: Liliane Roriz e Telma Rufino; PSB: Juarezão e Luzia de Paula; PP: Celina Leão; Rede: Chico Leite; PHS: Lira; PV: Professor Israel.


Brasília Capital n Política n 4 n Brasília, 14 a 20 de abril de 2018 - bsbcapital.com.br

PGR denuncia Jair Bolsonaro por racismo A Procuradoria-Geral da República denunciou ao Supremo Tribunal Federal, sexta-feira (13), o deputado federal Jair Bolsonaro (PSL-RJ) por racismo praticado contra quilombolas, indígenas, refugiados, mulheres e LGBTs. Seu filho, o também deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), foi denunciado por ameaçar uma jornalista. Se condenado, Bolsonaro pai poderá cumprir pena de reclusão de um a três anos. A PGR pede o pagamento mínimo de R$ 400 mil por danos morais coletivos. Já no caso de Eduardo, a pena prevista – de um a seis meses de detenção – pode ser convertida em medidas alternativas, desde que sejam preenchidos os requisitos legais. Durante palestra no Clube Hebraica do Rio de Janeiro, em abril do ano passado, Jair Bolsonaro usou expressões de cunho discriminatório, incitando o ódio e atingindo diretamente vários grupos sociais. “Não vai ter dinheiro pra ONG, esses inúteis vão ter que trabalhar. […] Não vai ter um centímetro demarcado pra reserva indígena ou pra quilombola”, discursou o deputado. Logo no início do pronunciamento, o presidenciável faz um paralelo da formação de sua família para destilar preconceito contra as mulheres: “Eu tenho cinco filhos. Foram quatro homens, a quinta eu dei uma fraquejada e veio uma mulher”. Bolsonaro filho enviou várias mensagens à jornalista Patrícia Lélis dizendo que acabaria com a vida dela. Questionado se o diálogo era uma ameaça, respondeu: “Entenda como quiser”.

E L E I Ç Õ E S

N O

P A R A G U A I

Apesar de escândalos de corrupção com o Judiciário, Colorados podem conquistar presidência e maioria no Congresso

H

á muitos brasileiros que enxergam no Paraguai, conhecido país vizinho do Brasil, com cerca de 7 milhões de habitantes, apenas um local para compras de produtos falsificados, de má qualidade e com boa margem de lucro, que compensam os riscos de longas viagens e perigosos dribles nas polícias de fronteira e aduanas. O que poucos sabem é que hoje o Paraguai – por conta de seu crescimento econômico contínuo, seus atrativos para investimentos externos da Europa, Ásia e Oceania, sua modernização e firmeza no cenário econômico internacional – desponta como o novo líder emergente da América do Sul. Graças a políticas econômicas e sociais adequadas e, desafortunadamente, por desastradas políticas econômicas no Brasil e na Argentina, entre outros países, hoje o Paraguai nos supera em relação à confiança dos investidores internacionais. Ao que tudo indica o país deve atingir o grau de investimento ainda neste ano, enquanto o Brasil está 3 degraus abaixo dele, com rating “BB-”, menor patamar desde 2005. Entre parâmetros comparativos econômicos e a derrubada de antigos estereótipos, o que aproxima o Brasil do Paraguai neste ano, além do processo eleitoral, são os escândalos de corrupção. Lá, no entanto,eles não são entre políticos e empreiteiras como a Odebrecht, mas entre políticos e o Poder Judiciário, a fim de favorecer amigos e prejudicar inimigos. Que coisa, não?

Adriano Mariano, consultor especialista em marketing político eleitoral adriano@viesmarketing.com.br

Talvez esta constatação seja estranha para o brasileiro que acredita na isenção dos operadores da lei, mas o PoderJudiciário, que é composto por seres humanos comuns, também possui corrupção e ligações espúrias com o poder político, assim como no Brasil. Lá, diferentemente daqui, este tipo de corrupção ganhou a mídia, envolvendo, entre outros, o ex-senador González Daher, um dos políticos mais poderosos do governista Partido Colorado. Apesar da forte reação popular paraguaia contra este caso de corrupção no final de 2017, tendo como ponto central o tradicional partido governista, a poucos dias das eleições o Partido Colorado está na frente.

Uma das últimas pesquisas, encomendada pelo jornal Última Hora e realizada pelo instituto Grau & Associados, aponta que o candidato do Colorado, Mario Abdo Benítez, conhecido como Marito, tem 55,7% das intenções de voto para as eleições do próximo dia 22 de abril, enquanto o candidato Efrain Alegre, do Partido Liberal, atinge apenas 31,4%. Caso as pesquisas não estejam enviesadas, como as do fim do mês passado nas eleições da Costa Rica, tudo leva a crer que no Paraguai, que possui apenas um turno eleitoral e não permite reeleição, os colorados conquistarão a presidência da República e também serão maioria no Congresso. A centro-direita conservadora colorada poderá permanecer no poder e manter a tendência latinoamericana de guinada à direita nas Américas. COBERTURA –Mas quais são as estratégias coloradas para vencer a crise de imagem e seguir na dianteira da disputa eleitoral? Para responder esta e outras perguntas, no próximo sábado, dia 21, o projeto Tour Eleições das Américas embarca para a Assumpción, capital do Paraguai, para analisar as estratégias de marketing eleitoral, mobilização e comunicação, e a reta final da campanha presidencial paraguaia. Acompanhe esta cobertura nas redes sociais da Consultoria Viés Marketing Estratégico e exclusivamente no site www. bsbcapital.com.br e no jornal Brasília Capital.


Brasília Capital n Política n 5 n Brasília, 14 a 20 de abril de 2018 - bsbcapital.com.br

Chega de Lulas, Cunhas, Rollembergs e Aécios

L

ula na cadeia é um emblema. Um momento histórico no nosso país, que veio, justamente, para reforçar nossos alicerces democráticos e dar ainda mais sentido à palavra cuja definição é “o poder exercido pelo povo”. E a prisão de um ex-presidente, acusado dos crimes de corrupção e de lavagem de dinheiro, é, certamente, um divisor de águas para o Brasil e mostra a força das nossas instituições, como o Ministério Público, os tribunais superiores, o Tribunal de Contas da União e a Polícia Federal. Um divisor que precisa ter continuidade para dar fim à corrupção: esse câncer que se alastra além

da esfera Federal e que, aliado à incompetência de alguns gestores, prejudica toda a população, de várias maneiras. Agora, chegamos em 2018 e, apesar de existir uma ampla força-tarefa que tenta desmembrar os vários esquemas de corrupção no país, ainda convivemos com antigos problemas. Por isso, neste ano, com as eleições em menos de seis meses, é preciso ir além das críticas e eleger candidatos Fichas Limpas. É necessário que nós, cidadãos, assumamos a responsabilidade que nos cabe e sermos parte da solução. Isso pode e deve ser feito nas urnas. Problemas e soluções obrigatoriamen-

te passam pelo campo da política. Por isso, precisamos retirar dela os problemas, e colocarmos dentro dela as soluções que se apresentam. É urgente e gritante a necessidade de, neste ano, eleger as soluções e não reeleger os problemas. Devemos avaliar o histórico dos nossos candidatos, conhecer o trajeto de cada um, debater suas propostas, saber se são viáveis e, principalmente, cobrar que sejam colocadas em prática. Esse é o único caminho para um país que pretende um futuro mais democrático, com cidadãos, de fato, exercendo sua cidadania em todos os aspectos: com direitos, deveres e metas.

Somente a renovação de nossos representantes, com políticos Fichas Limpas, poderá contribuir para o futuro do Brasil e do DF. O caos que vivemos por aqui, por exemplo, não pode se repetir nos próximos quatro anos. Somos, hoje, reféns de um governador incompetente, sem projetos e que, além de não fazer nada em prol da população de Brasília, ainda apoia movimentos que dão suporte à corrupção, cedendo espaço, por exemplo, para o Acampamento Lula Livre no estacionamento do Estádio Nacional, com direito a banheiros e chuveiros. O mesmo governador que, anos atrás, tentou impedir os protestos em frente ao Buriti após dar o calote nos servidores públicos, agora justifica o suporte ao Acampamento Lula Livre com a seguinte frase: “Te-

Dr. Gutemberg, presidente do Sindicato dos Médicos do DF e advogado

mos garantido sempre o direito de manifestação”. E esse mesmo “gestor”, Rodrigo Rollemberg, quer tentar se reeleger. Só que, neste ano, a palavra de ordem é “mudança”. E, acredito, em outubro, a democracia dará espaço para a renovação, com seriedade e compromisso com o futuro do Brasil e do DF. Chega de Lulas, Cunhas, Rollembergs e Aécios.


Brasília Capital n Política n 6 n Brasília, 14 a 20 de abril de 2018 - bsbcapital.com.br

FOI RORIZ QUE FEZ

Metrô à moda Japão REPRODUÇÃO / TWITTER

Projeto foi lançado durante viagem para conhecer o sistema de transporte sobre trilhos do país asiático Orlando Pontes (*)

O

principal compromisso de Joaquim Roriz em sua primeira campanha como candidato a governador de Brasília pelo voto direto, em 1990, foi a implantação do transporte sobre trilhos na capital da República. A decisão de construir o metrô foi tomada durante um almoço que durou quatro horas no Hotel Aracoara. Participaram o jornalista Renato Riella, o engenheiro José Roberto Arruda, que havia sido secretário de Transportes de José Aparecido de Oliveira, e Fábio Simão, que trabalhava como secretário particular de Roriz. No entanto, por uma estratégia de marketing, o anúncio do compromisso foi feito numa viagem de sete dias que Roriz fez ao país asiático acompanhado apenas da esposa, Weslian, e do próprio Riella. Arruda, que mais tarde viria a coordenar a obra do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) do Distrito Federal, não integrou a comitiva, embora sua participação tenha sido importante. Foi dele a sugestão, durante aquele almoço, de adotar o Japão como modelo para Brasília. “Foi uma conversa histórica. Da-

Riella: “Joaquim Roriz era um líder absurdo, não só em Samambaia”

li saiu a decisão de se fazer um metrô. Um mês depois, acompanhei Roriz e Dona Weslian numa viagem de uma semana ao Japão, onde estudamos profundamente a rede de trens e metrôs daquele país, ouvindo depoimentos técnicos e recolhendo material para pesquisa”. Direto de Tóquio, Riella escrevia os textos e enviava as fotos da agenda do candidato com os quais abastecia o noticiário dos jornais da época e fortalecia a imagem empreendedora de Roriz. MARCA – Joaquim Roriz começou a marcar a história do DF já em sua primeira administração (1988 a 1990) como governador indicado pelo então presidente José Sarney. Foi esse sucesso administrativo que o permitiu candidatar-se e vencer a primeira eleição

direta para o GDF logo em seguida. Na campanha, o PT tentou impugnar a candidatura de Roriz. A alegação era de que a lei não permitia reeleição. Na Justiça, seu advogado conseguiu fazer valer o raciocínio de que não teria existido primeiro mandato porque houve nomeação. “A gente fez a metade da campanha com ele impugnado”, conta Riella. Antes de se desincompatibilizar para concorrer ao pleito, Roriz negociou com Sarney a indicação de seu secretário de Obras, Wanderley Vallim, para substituí-lo. Durante a campanha, um vendaval destelhou milhares de casas em Samambaia, então um assentamento formado basicamente por barracos. Roriz telefonou para o radialista Walter Lima, que dera a notícia em primeira mão no iní-

cio da manhã e, mesmo sem consultar Vallim, comunicou que toda a estrutura do GDF estava sendo transferida naquele dia para Samambaia. “Ele era um líder absurdo, não só em Samambaia”, diz Riella. O primeiro governo de Roriz pelo voto direto foi manchado por denúncias contra o então diretor do Senado, José Carlos Alves dos Santos, envolvido com os Anões do Orçamento. Para se livrar da acusação de ter mandado assassinar a mulher, Elizabeth Lofrano, José Carlos lançou suspeitas de que o ex-governador teria se envolvido em corrupção.“Ele estava preso pela corrupção na Papuda e tentou despistar sobre a morte da mulher. Roriz levou quase um ano para se livrar disso”, lembra Riella. “Roriz não tinha nenhuma relação com a apresentação de emendas ao orçamento da União que serviam para desvio de recursos públicos”, garante Riella. SUCESSOR – Em 1994, como não havia possibilidade de reeleição, Roriz precisava indicar um aliado para sucedê-lo. Apoiou o então senador Valmir Campelo. Mas o político não tinha o carisma do líder, tampouco trato na relação com o eleitorado mais humilde e as lideranças comunitárias. Assim, a transferência de votos não ocorreu, e o ex-reitor da Universidade de Brasília (UnB), lançado pelo Partido dos Trabalhadores (PT), venceu as eleições. Mas Roriz derrotou-o na disputa seguinte, em 2002 e reelegeu-se em 2006. *(Continua na próxima edição)


Brasília Capital n Política n 7 n Brasília, 14 a 20 de abril de 2018 - bsbcapital.com.br

Pressa atrasa a privatização Licitação do kartódromo do Guará teve alteração no prazo de 45 dias inicialmente previsto REPRODUÇÃO

Wyl Villas Bôas

A

licitação para contratação de uma Parceria Público-Privada (PPP) para administrar o Kartódromo Ayrton Senna, do Guará, que deveria ter ocorrido na quinta-feira (12), foi adiada por irregularidades no edital. O prazo de 45 dias previsto por lei entre o chamamento público e a publicação não foi obedecido. A impugnação do edital foi publicada no Diário Oficial do DF dia 11 de abril. A retificação do Edital de Concorrência, da Secretaria de Fazenda, publicado no Diário Oficial do Distrito Federal, enfatiza: “Por implicar alterações ou reformulação da proposta, ou o cumprimento de novas exigências, haverá reabertura do prazo para entrega dos envelopes”. O novo prazo dado pela pasta para entrega dos envelopes é 22 de maio, quando haverá a abertura das propostas. O edital e seus anexos estarão disponíveis no site da Parceria Público-Pri-

Disputa na pista. O edital de ocncorrência traz agora o dia 22 de maio como nova data para abertura de envelopes com propostas

vada (PPP). MEDIDA É POLÊMICA – A medida de privatização do projeto do Centro Administrativo Vivencial e Esportivo (Cave) tem a resistência dos profis-

sionais que trabalham no local. Pelo edital da PPP, serão criados 164 boxes de 3m x 2m (6m²). Atualmente, são dois boxes com dois pavimentos de 4m x 8m cada (64m² ao todo), onde funcionam as oficinas e os depósi-

tos das equipes. Procurado pelo Brasília Capital, o subsecretário de Parcerias Público-Privadas da Secretaria de Fazenda do GDF, Rossini Dias, não atendeu as ligações da reportagem.

Sinpol torra dinheiro de policiais com jornal sensacionalista

JÚLIO PONTES

Informativo do sindicato dos policiais é usado para atacar o governo Rollemberg e desgasta a imagem de Brasília Ao contrário de seus seis mil associados, que há nove anos não têm os salários reajustados, o Sindicato dos Policiais Civis do Distrito Federal (Sinpol-DF) parece estar nadando em dinheiro. A entidade, que publica regularmente o informativo Revista do Sinpol, desde fevereiro passou a editar o jornal sensacionalista “Brasília Capital do Crime”. O título é um plágio do nome do Brasília Capital. A em-

presa processou o sindicato exigindo a suspensão do uso de sua marca. O informativo do Sinpol não presta qualquer tipo de serviço aos associados. Em formato tabloide, com oito páginas em papel AP-115, a publicação, sob o título “Brasília Capital do Crime”, adotou o slogan “Um jornal que demonstra o descaso do Governo Rollemberg com a Segurança Pública”. Ou seja, a diretoria do Sinpol usa o

dinheiro dos policiais apenas para denegrir o governo, atingindo em cheio, também, a imagem da Capital da República, sem qualquer vantagem para os associados da entidade. O expediente do informativo diz que são impressos 40 mil exemplares. Numa pesquisa no mercado local, a reportagem do Brasília Capital apurou que o gasto apenas com a gráfica não ficaria abaixo de R$ 13 mil. Na manhã de terça-feira (10), uma equipe distribuía o impresso em vários pontos do DF, inclusive na rodoviária do Plano Piloto. No centro de Taguatinga, um pacote do informativo estava no lixo, ao lado de um poste na quadra C-8 (veja foto ao lado).

Dezenas de exemplares no lixo: desperdício


INFORME PUBLICITÁRIO

Brasília Capital n 8 n Brasília, 14 a 20 de abril de 2018 - bsbcapital.com.br

Bom para você Bom para Corretor e usuário valorizados pela melhor operadora de plano de saúde do Distrito Federal

O

BBB Saúde – Bom pra você; Bom para Brasília; Bom para todos – lançou quinta-feira (12), no auditório Jornalista Clóvis Senna do Sindicato dos Jornalistas de Brasília (edifício City Office, no Setor Gráfico), a campanha “Boas Novas”, com o intuito de valorizar os corretores. A fim de dar segurança financeira aos corretores, o IBCPP, que é um cartão de benefícios, irá repassar aos profissionais o valor de R$ 10 mensais nas mensalidades recebidas dos associados servidores públicos; e R$ 6 dos associados privados. Enquanto o usuário estiver pagando suas mensalidades em dia, o valor pago por contrato vendido acontecerá inicialmente por semestre e reunidos todos os valores. Para o corretor ter direito ao benefício, terá que realizar, no mínimo, 20 propostas/filiações no período equivalente de 16 de abril a 16 de junho de 2018. Mais de 400 pessoas compareceram ao evento de quinta-feira, entre corretores e individuais e representantes de empresas. Eles receberam orientações de como obter novos clientes para o Plano, que tem mensalidades mensais a partir de R$ 134,90. Foram sorteados cinco cheques de R$ 300 e cinco títulos do Clube Acqua Cerrado, de Planaltina, que custam R$ 2,1 mil cada. Os profissionais também estão inscritos para a

premiação de R$ 70 mil no dia 10 de dezembro de 2018, caso o BBB Saúde atinja a meta de três mil vidas, nas condições de débito automático e boleto bancário, tanto para Plano Coletivo por Adesão, quanto para PME: R$ 40 mil para o corretor de melhor desempenho no período, R$ 20 mil para o segundo colocado e R$ 10 mil para o terceiro. Durante o lançamento da Campanha, o diretor do BBB Saúde, Renato de Paula, trouxe as novidades do plano aos corretores e garantiu que a adesão à novidade será super positiva.“Estamos aliando o útil ao agradável. Vamos remunerar muito bem o corretor, pagar essa linha de comissão e, com esses resultados, eles vão pensar como empreendedor”, disse. Em relação aos novos clientes que ainda estão indecisos quanto ao plano escolher, Renato de Paula garante que o BBB Saúde não perde em nada em relação aos concorrentes.“Surgimos em 2013 e lançamos o plano em junho de 2017. Passamos esse tempo avaliando o mercado e vendo o que as pessoas mais precisavam”, disse. De acordo com o executivo do BBB Saúde, o plano tem uma rede credenciada muito grande e os clientes contam com os melhores hospitais do Distrito Federal. “Estamos aliando qualidade, atendimento e os representantes sendo bem remunerados. Quem fechar conosco será muito bem tratado por todos, e contar com ótima tecnologia, em um sistema super avançado”. Renato de Paula destaca a capacidade de sua equipe. “Nossos funcionários estão prontos e treinados para atender bem o usuário. Nós não perdemos em nada, comparado aos líderes de mercado”, aposta. O BBB Saúde proporcionou aos corretoresuma palestra de coaching, uma confraternização de boas-vindas, com o DJ Carlos, considerado uns dos melhores do DF, e um coquetel com direito a bebidas, petiscos e várias outras iguarias. Renato de Paula agradeceu ao público presente e disse que o evento foi “nota 1000”.

Mais de 400 convidados lotaram o auditório Jornalista Clovis Senna na abertu

O presidente do BBB Saúde, Renato de Paula (dir.), entrega um dos cheques


Brasília Capital n 9 n Brasília, 14 a 20 de abril de 2018 - bsbcapital.com.br

INFORME PUBLICITÁRIO

a Brasília Bom para todos FOTOS: MARCELO VILLELA

Evento teve comercialização do livro “Aprenda a ter sucesso”

Renato de Paula comemora com a família o sucesso do evento JÚLIO PONTES

ura da campanha Boas Novas do BBB Saúde

s de R$ 300 sorteados entre os corretores

Coaching contratado para a noite de “Boas Novas” incendiou a plateia

Corretores e vendedores dão depoimentos sobre suas experiências na profissão

Vencedor (meio) de título do clube Acqua Cerrado no valor de R$ 2,1 mil

Renato de Paula ressaltou a importância do material de divulgação do BBB Saúde


Brasília Capital n Cidades n 10 n Brasília, 14 a 20 de abril de 2018 - bsbcapital.com.br

CHICO SANT’ANNA

Acompanhe também na internet o blog Brasília, por Chico Sant’Anna, em https://chicosantanna.wordpress.com Contatos: blogdochicosantanna@gmail.com

Por Chico Sant’Anna

Cadê as vagas dos idosos?

O

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informa que, em 2015, 332 mil pessoas tinham 60 anos ou mais (14% da população do DF). Mais da metade dessa população, 183.926 pessoas, segundo o Detran, possuía carteira de motorista e, por consequência, com direito a estacionar em vagas especiais. A Lei Distrital 2.477/1999 é antiga e clara. Nos estacionamentos públicos e privados com até 50 vagas serão reservadas, no mínimo, 3 vagas para idosos. Para estacionamentos públicos e privados com mais de 50 vagas serão reservadas, no mínimo, 5% do total de vagas para idosos. Mas não é o que acontece no Distrito Federal. Cada vez mais, são menos as vagas especiais demarcadas

pelas autoridades de trânsito. E muitas que foram demarcadas no passado perderam suas indicações. Um bom exemplo é a recém-recuperada plataforma superior da Rodoviária, entre o Conic e o Touring Club. Ali existe mais de uma centena de vagas e não há uma sequer para idosos. Duas para deficientes foram demarcadas, mas numa distância desumana para quem precisa ir até o Setor de Diversões Sul. Complicam a acessibilidade dos que têm problemas de locomoção. Há situações piores. Na Quadra 2 do Setor Comercial Sul, as duas vagas existentes para idosos foram tomadas, de forma permanente, por contêineres de lixo, que deveriam ter local adequado. Muitas quadras comerciais do Plano Piloto também estão desprovidas de vagas especiais ou as possuem em

quantidade inferior ao que a lei estipula. Uma dissertação de Mestrado em Transportes da UnB, de autoria de Neftali Saúl Sáez Cerna, aponta que em outros casos, como na CLN 311, as vagas de idosos, e também as de deficientes, estão localizadas no mesmo espaço destinado a carga e descarga para o abastecimento do comércio local. Quando um caminhão para, obstaculiza o acesso à vaga de idoso. Para o doutor em Mobilidade Intraurbana e Organização Espacial professor Aldo Paviani, embora haja um avanço na população de idosos na Capital Federal, a cidade não está evoluindo de forma a ter uma relação amistosa com esta população. E a situação ainda é mais precária nas regiões administrativas que circundam o Pla-

Caberia multa contra o Detran? Segundo Neftali Cerna, a escassez de vagas de idosos decorre da falta de fiscalização. Mas a quem caberia esta fiscalização, já que é a autoridade fiscalizadora que não está cumprindo a lei? A obrigação de reservar as vagas para idosos também tem proteção federal, Lei nº 10.741/2003 e a Resolução do Contran nº 30335/2008, que exi-

ge a sinalização vertical (placa) e sinalização horizontal (pintura no asfalto). Mas na maioria dos estacionamentos públicos nenhum desses dispositivos legais é obedecido pelo Detran-DF. Caberia multa contra o Detran? Um servidor do Detran, que pediu anonimato, informa que o órgão só demarca vagas quando há solicitação, em especial,

oriunda do comércio existente na localidade. E segundo ele, muitos comerciantes preferem não ter vagas exclusivas, já que o perfil de seus consumidores tradicionais não seria beneficiado. Pelo contrário, teriam uma vaga a menos para usufruir. “Falta muito para Brasília ser amiga dos idosos” – conclui Aldo Paviani.

Contêineres de lixo usados para barrar um direito conquistado como indicam as placas (abaixo)


Brasília Capital n Cidades n 11 n Brasília, 14 a 20 de abril de 2018 - bsbcapital.com.br

Cristovam é alvo de tiroteio no Twitter

Educação sempre foi a marca do senador Cristovam Buarque. Mas ultimamente o tema vem lhe rendendo dor de cabeça e prejuízos à sua imagem pública. Diante da crise financeira por que passa a Universidade de Brasília, Cristovam, que é ex-reitor da UnB, vem sendo acusado de ser corresponsável pela situação, que pode levar ao fechamento da universidade no próximo mês. Tudo pelo fato de ele ter votado favoravelmente à PEC 95 – a PEC do Teto, que limitou os gastos públicos em educação. A aprovação da PEC seria a causa de perdas orçamentárias de 45% na verba de custeio, utilizada, por exemplo, para despesas com água, energia elétrica e limpeza. O orçamento curto fez a UnB reduzir em 28% o valor do contrato de limpeza, resultando na dispensa de 132 funcionários terceirizados. O déficit anual é estimado em R$ 92 milhões, para este ano. E a culpa desta conta tem sido remetida nas redes sociais a Cristovam Buarque. Também nas redes sociais Cristovam abriu um tiroteio com jovens universitários de baixa renda. Ele classificou de “demagogia” a ampliação do acesso à universidade, protagonizada pelos governos Lula e Dilma, sem supostamente ter melhorado o ensino médio. “Não há demagogia mais explícita do que prometer diploma universitário para quem não concluiu um bom ensino médio. Foi isso que Lula fez em seu governo e mais uma vez no seu discurso, iludindo o povo”, tuitou Cristovam.

Golpe concentrou riqueza e derrubou a renda dos brasileiros, mostra IBGE Em 2017, um ano após o golpe que destituiu uma presidenta honesta e legitimamente eleita e colocou no lugar o grupo de investigados por corrupção comandado pelo ilegítimo Michel Temer (MDB-SP), uma minoria rica formada por apenas 10% dos brasileiros concentrava 43,3% da renda total do país. Já para os 10% mais pobres sobraram apenas 0,7% da renda total. Se forem considerados apenas os 1% dos brasileiros que estão no topo, a renda média foi de R$ 27.213 por mês (36,1 vezes a mais do que a média recebida pela metade mais pobre da população, que ganhava R$ 754 por mês). A desigualdade é maior na região Nordeste, onde onde os mais ricos em-

bolsaram 44,9 vezes a mais do que os mais pobres. Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua) – Rendimento de todas as fontes de 2017, divulgada na última quarta-feira (11), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Com Temer, constata a pesquisa, a renda média da metade mais pobre da população caiu 2,5% de 2016 para 2017. O rendimento médio mensal real domiciliar per capita (por pessoa) foi de R$ 1.271 em 2017 e de R$ 1.285 em 2016. Nas regiões Norte (R$ 810) e Nordeste (R$ 808) foram registrados os menores valores. Na Região Sul, o maior (R$ 1.567).

Discurso preconceituoso

Menos brasileiros recebem Bolsa Família

O resultado foi um tiroteio de críticas ao senador. Do Norte ao Sul do país, 3, 6 mil comentários. Universitários e recém-formados, beneficiados pelo acesso às universidades via Enem e Prouni, viraram suas metralhadoras contra Cristovam. São pessoas de famílias humildes, filhos de pedreiros, de lavadeiras, arrimos de família, muitos beneficiados pelas cotas, que testemunharam a transformação social por que passaram após conseguir o nível universitário. Hoje, são advogados, dentistas, comunicólogos, economistas, alguns já com diploma de doutor. As declarações de Cristovam ecoaram como um discurso preconceituoso, elitista e desconectado com aqueles que defendem a educação como o melhor caminho para superar as desigualdades sociais. No Twitter, houve quem dissesse que essas políticas sociais só viraram realidade após Cristovam ter sido demitido, por Lula, do Ministério da Educação. Em vídeo, Cristovam tentou contornar o estrago, afirmando que o que colocou os jovens nas universidades foi o talento de cada estudante. Mas já era tarde.

A Central Única dos Trabalhadores (CUT) também alertou que os golpistas iriam reduzir ou até mesmo acabar com os programas sociais. Entre 2016 e 2017, caiu de 14,3% para 13,7% o percentual de domicílios brasileiros que recebiam dinheiro do Programa Bolsa Família. As regiões Norte (25,8%) e Nordeste (28,4%) foram as que apresentaram os maiores percentuais. O rendimento médio mensal real domiciliar per capita nos domicílios que recebiam o Bolsa Família foi de R$ 324 e naqueles que não recebiam foi de R$ 1.489. ÍNDICE DE GINI – O índice de Gini mede a concentração de uma distribuição e varia de zero (perfeita

igualdade) até um (desigualdade máxima). No Brasil, o Índice de Gini do rendimento médio mensal real efetivamente recebido de todos os trabalhos foi de 0,525 em 2016 para 0,524 em 2017. O Sudeste passou do segundo maior índice em 2016 (0,520) para o segundo menor em 2017 (0,510). Nesses dois anos, o Sul apresentou as menores desigualdades (0,465 em 2016 e 0,469 em 2017) e a região Nordeste, as maiores (0,545 em 2016 e 0,559 em 2017).


Brasília Capital n Cidades n 12 n Brasília, 14 a 20 de abril de 2018 - bsbcapital.com.br

SORTEIO DO NOTA LEGAL – O segundo sorteio do programa Nota Legal ocorrerá em 21 de maio e oferecerá prêmios de R$ 100 a R$ 500 mil. Para participar, é preciso ser pessoa física, estar cadastrado no programa e não ter dívida com o Governo de Brasília. A Secretaria de Fazenda dividirá o dinheiro entre 12,6 mil bilhetes a serem contemplados.

VICENTE PIRES

DISTRITO FEDERAL REPRODUÇÃO

Sabotagem no metrô A Polícia Civil investiga se houve sabotagem no rompimento do cabo de fibra óptica que interrompeu a operação do Metrô/DF por 5 horas na manhã de segunda-feira (9). O problema ocorreu entre as estações Arniqueiras e Guará.

Aniversário comemorado em 10 cidades O 58° aniversário de Brasília (21 de abril) será comemorado em dez regiões administrativas do DF: Sudoeste, Taguatinga, Ceilândia, Gama, Santa Maria, Recanto das Emas, Plano Piloto, Brazlândia, Planaltina e Sobradinho. As atividades contemplam teatro, dança, cinema e música, com especial destaque para crianças e jovens.

Estágio no GDF O GDF abriu 3.507 vagas de estágio para os níveis médio, técnico, educação de jovens e adultos e superior, com salários entre R$ 460 e R$ 600, além de auxílio transporte. Os interessados devem se inscrever gratuitamente até 22 de abril no site do CIEE. Os estudantes devem ter idade mínima de 16 anos e não ter estagiado no governo por período superior a 18 meses.

Regularização para metade dos lotes A Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap) tem agora a responsabilidade pela regulamentação e venda direta de 10 mil lotes em Vicente Pires (foto), que eram da União. O Trecho 2, que abriga aproximadamente a metade da população da cidade, estava sob a jurisdição da Secretaria do Pa-

REPRODUÇÃO

trimônio da União (SPU) até quinta-feira (12). Com a medida, segundo o governador Rodrigo Rollemberg, os processos de regularização e de venda direta desse trecho serão acelerados, como já ocorre com os Trechos 1 e 3. “Quem ganha com isso é a população, com a sua regularização”, afirmou o Rollemberg.

TAGUATINGA/CEILÂNDIA

Abritta (esq.), Talal Abul Allan, Edson de Castro e Antônio Matias: posse

Mudança em linhas de ônibus

Vices tomam posse no Sindivarejista

O DFTrans desativou três linhas de ônibus, aumentou a oferta de veículos de outras quatro e alterou o trajeto de três, no trecho entre Ceilândia e Taguatinga. As linhas extintas são: 0.046, 044.2 e 353.3. O atendimento dessas rotas será feito pelas linhas 0.044, 0.344, 928.1, 928.3, 0.928, 0.929 e 0.357. Todos os horários e itinerários podem ser consultados no site do DFTtrans.

Os novos diretores e conselheiros do Sindicato do Comércio Varejista do DF foram apresentados durante reunião na Federação do Comércio. O presidente reeleito do Sindivarejista, Edson de Castro, empossou os novos vice-presidentes: Talal Abul Allan (1º vice), Sebastião Abritta (2º vice) e Antonio Matias de Sousa (3º vice).


Brasília Capital n Cidades n 13 n Brasília, 14 a 20 de abril de 2018 - bsbcapital.com.br

Com palavra, os moradores Pesquisa dos Defensores de Taguatinga aponta que a maioria da população pede melhorias na infraestrutura REPRODUÇÃO

Da Redação

A

maior reclamação dos moradores de Taguatinga é a falta de atenção com a infraestrutura da cidade. Em seguida, aparecem as preocupações com educação, segurança e saúde. Esporte, lazer, cultura e mobilidade urbana fecham a lista do levantamento feito durante 40 dias pelo grupo Defensores de Taguatinga. Entre mais de 1,3 mil sugestões e reclamações colhidas em 100 urnas distribuídas por toda a cidade, 27% consideram que é necessário melhorar a infraestrutura, que tem relação direta com o bem-estar da população. Na área de educação, 25% pedem melhorias nas escolas, considera-

Praça do Relógio, no centro. Questionários foram depositados em cem urnas

das antigas e sucateadas. Na segurança, 23% apontaram deficiências, como mau atendimento em delegacias. Na saúde, com 11% de reclamações, moradores lem-

Usuários do Olhos d’Água reclamam de ação do Detran Da Redação Frequentadores que fazem caminhada no Parque Olhos D’água na Asa Norte têm reclamado da falta de estacionamento e do que consideram “indústria de multas de trânsito”. Donos de carros que são estacionados próxi-

mo ao balão da SCLN 213/214 são multados. O advogado J. B. Pontes, por exemplo, acha que só colocaram placa de proibido estacionar no local para arrancar dinheiro dos que vão à “academia dos velhinhos”. “Pasmem! Um pouco mais à frente, no sentido norte, também contíguo ao parque, exis-

braram que a última obra de porte no Hospital Regional (HRT) foi em 1974. Com 7% ficaram esporte, lazer e cultura, junto com mobilidade urbana. “Para que serve uma

delegacia sem policiais”, reclamou uma moradora que não quis ser identificada. Agora, esse resultado será organizado por área pelos Defensores.

“A cidade está abandonada. A partir de agora, iremos montar grupos de trabalho com profissionais de todas as áreas para transformar as reclamações em propostas”, explica José Luiz Lopes, um dos coordenadores do grupo, que tem o apoio do Brasília Capital. Ele contou que, no geral, muitos moradores consideram que há muita politicagem e menos trabalho para cuidar de Taguatinga. A pesquisa resultará numa carta aberta a todos os pré-candidatos ao Governo do Distrito Federal, que será entregue em 5 de junho, dia do aniversário da cidade. Antes do texto que será encaminhado ao GDF, os Defensores de Taguatinga divulgarão o teor das reivindicações dos moradores e as respectivas propostas formuladas pelos especialistas nas áreas pesquisadas.

AGÊNCIA BRASÍLIA

Olhos D’Água: frequentadores sem estacionamento

te outro espaço exatamente igual. Mas lá, sem qualquer explicação lógica, não colocaram placa proibindo o estacionamento. Difícil de entender...”, reclama Pontes. Traduzindo o que sempre ouve entre os frequentadores, ele diz que “enquanto a bandidagem age leve, livre e solta em todo o Distrito Federal e tantas outras infrações e crimes gravíssimos estão sendo cometidos, eles preferem ficar multando cidadãos de bem que, sem outra opção, resolvem deixar seus veículos em local que não oferece nenhum problema para o trânsito”.


Brasília Capital n Geral n 14 n Brasília, 14 a 20 de abril de 2018 - bsbcapital.com.br

Como ficam os concursos públicos em ano eleitoral? De dois em dois anos, em anos pares, temos eleições no Brasil. Eu prefiro gravar assim: em anos de Copa do Mundo, eleições para mandatos federais, estaduais e distritais; em ano de Olimpíadas, eleições para prefeitos e vereadores. Mas será mesmo que há motivos para preocupação daquele que se prepara para um concurso público? Ao longo de minha “carreira de concurseiro” – e também como professor em preparatórios –, sempre vi a preocupação e a

apreensão por parte dos estudantes. Vi também matérias jornalísticas diversas, dando ênfase a manchetes com frases de efeito que fazem murchar até o mais confiante dos candidatos! Com a serenidade de quem está há mais de duas décadas lidando com o mundo dos concursos públicos, posso garantir que não há nenhum motivo para desesperança, desassossego ou preocupação! De antemão, em todos os meses des-

Ary Barroso, o carioca que nasceu em Minas Gerais Usava gaita para assinalar os gols do Flamengo, porque era rubro-negro doente – aliás, como são doentes da cuca todos os flamenguistas! Filho da cidade mineira de Ubá, onde nasceram outros brasileiros de renome, Ary Evangelista Barroso, mais conhecido como Ary Barroso, ou o homem que tocava os 7 instrumentos, inclusive piano, modalidade musical que aprendeu ainda menino com sua tia Rita, quando ficou órfão de pai e mãe. Precoce, aos 12 anos começou a trabalhar como pianista auxiliar, no Cine Ideal, de Ubá.Podia iniciar esta crônica chamando-o de gênio.

Transferindo-se para o Rio de Janeiro, em pouco tempo ficou conhecido e famoso por compor sambas para o teatro musical carioca, inclusive atravessando a fronteira do Brasil, quando recebeu o diploma da Academia de Ciências e Arte Cinematográfica de Hollywood, pela trilha sonora do longa-metragem “Você já foi à Bahia?”, em 1944. Magrelo, com o comprido nariz pendurado em enormes óculos de lentes

MARCELO RAMOS O REPÓRTER DO POVÃO

Programa O Povo e o Poder das 8h às 10h de segunda a sábado Notícias, Esportes e Músicas

Rádio JK - AM 1.410 Ligue e participe: (61) 9 9881-3086 www.opovoeopoder.com.br

te ano pode ser aberto concurso público para qualquer órgão ou entidade, de todas as esferas de governo (federal, estadual, distrital e municipal), de todos os Poderes. Ou seja, se você ainda está se preparando, siga firme, amigo concurseiro! Os editais continuarão pipocando pelos quatro cantos do País! Está bem, mas como fica a situação de quem já fez ou irá fazer provas em breve? Se você estuda para concursos do Judiciário, do MP e dos Tribunais de Contas, saiba que não existe nenhuma repercussão em sua caminhada rumo à posse. Também não haverá qualquer modificação no cenário daqueles que já foram aprovados, com concurso homologado até o mês de julho deste ano, e estão à espera da nomeação. Se o concurso for para um órgão ligado à Presidência da República, mais uma vez informo que não existirá qualquer problema. A essa altura você

deve estar pensando “isso só pode ser conversa de cursinho preparatório”... É não, querido! A razão de ser do dispositivo legal é evitar que o chefe do Poder Executivo ou os mandatários do Legislativo se utilizem dos cargos para desequilibrar o jogo eleitoral. Então, nos três meses que antecedem ao pleito, não se pode nomear, contratar ou de qualquer forma admitir servidores para o Legislativo e para o Executivo. Repare que a restrição é muito menor do que se fala e, ainda assim, permeada de um amplo leque de exceções. Dito isso, não sei para você, mas para mim fica claro que nada impedirá de você se dedicar para os concursos que, felizmente, voltaram com tudo nos últimos tempos!

grossas, muito embora míope de nascença, Ary enxergava longe a beleza física do gênero feminino. Embora bem casado com a carioca Yvone Belfort, filha da dona da pensão onde morava, Ary nunca escondeu que na letra de seu inesquecível samba “Na Baixa do Sapateiro”, ele se apaixonou pela morena mais charmosa da Bahia, a quem pediu apenas um beijo mas ela não deu, o que não impediu que lhe dedicasse este verso de amor: “morena, eu ando louco de saudades. Por isso vou pedir ao senhor do Bonfim, que faça uma baiana igualzinha pra mim!”. Se essa baiana existiu de verdade, isso não importa: O coração de poeta é volúvel assim mesmo, basta conferir em todos os seus versos musicais, a exemplo de “O que é que a Baiana Tem?”, que virou filme em Hollywood e foi imortalizado nos Estados Unidos pela canto-

ra “Bomb-Shell” Carmen Miranda. Outras músicas e letras marcaram o talento do autor, como a exaltação de um país, “Aquarela do Brasil”! Devido ao talento eclético, brilhou em promoções absolutamente pessoais, como político; animador de rádio e tevê - como vereador eleito com maioria de votos; criador da Hora do Calouro e radialista esportivo que usava gaita para assinalar os gols, os do Flamengo com entusiasmo contagiante porque era rubro-negro doente – aliás, como são doentes da cuca todos os flamenguistas! Enfim: Ary foi o único carioca nascido em Minas Gerais, mais precisamente em Ubá, como já foi dito.

Texto de autoria de Aragonê Nunes Fernandes – Professor de Direito Constitucional do Gran Cursos Online.

Fernando Pinto Jornalista e escritor


Brasília Capital n Geral n 15 n Brasília, 14 a 20 de abril de 2018 - bsbcapital.com.br

Médiuns e crises econômicas As crises fazem parte da vida das pessoas, das famílias, das instituições e dos países. E todos devem tirar proveitos para seus progressos Em tempos de crises econômicas, os médiuns, especialmente aqueles com sensibilidades aguçadas e ainda não evangelizados, são as pessoas que mais sofrem, porque se deixam envolver pela onda de pessimismo que se espalha pelo país. Esses médiuns precisam saber que tudo funciona pulsando como o coração. As diástoles simbolizam os momentos de fartura e as sístoles, os momentos de dificuldades ou de aferição de valores. E tudo deve contri-

buir para o crescimento. Não se deixe abater. Acredite que as crises fazem parte da vida das pessoas, das famílias, das instituições e dos países. E todos devem tirar proveitos para seus progressos. Sobre isso, Jesus já tinha advertido: “No mundo tereis tribulações (problemas, dificuldades), mas tendes bom ânimo”. Quando Chico Xavier se abatia por causa de problemas, Emmanuel pedia que ele visitasse asilos, orfa-

O Chile já está fazendo algo... A nova lei de rotulagem de lá proíbe a venda de sorvetes, chocolates e salgadinhos em escolas para não seduzir, especialmente, as crianças Desde 2016, o governo chileno vem impondo fortes restrições à comercialização e ações de marketing sobre alimentos industrializados, especialmente aqueles ricos em açúcar, sal e gordura.

No Chile, os personagens usados em produtos para seduzir especialmente o público infantil estão proibidos. As embalagens trazem advertências como “Pare”, quando os teores de nutrientes ou substâncias considera-

natos, presídios, lares de pessoas carentes. E Chico sempre saía fortalecido após essas visitas. Você também pode ajudar a manter o clima elevado no seu trabalho, nas instituições, no lar e com amigos. Se você ainda não é capaz disso, lembre-se que precisa caminhar mais. Os médiuns, espiritualistas e religiosos de uma maneira geral, devem ser luzes onde estiverem. Não entre na onda negativa do mundo. “ O certo é o certo mesmo que ninguém esteja fazendo. O errado é o errado mesmo que todos estejam fazendo”. Não obstante as crises que afetam a todos, existem as dificuldades particulares, cármicas, que cada um terá que enfrentar. Uns terão problemas com família, outros com saúde, relacionamentos, empregos etc. E tudo dentro da necessidade de educação da alma.

das nocivas à saúde estão em excesso. A nova lei de rotulagem de lá proíbe a venda de sorvetes, chocolates e salgadinhos em escolas. Além disso, uma medida muito efetiva, e que foi recomendada pela Organização Mundial de Saúde, que é a taxação em 18% de bebidas com alto teor de açúcar (na verdade a OMS recomendou a taxação em 20%) tem sido adotada. Essas são algumas ações realizadas no Chile para tentar conter a epidemia da obesidade e de doenças relacionadas a ela no país. No Brasil como já falamos aqui neste espaço em outras oportunidades, também teremos uma

Não comparar sua situação com as dos demais é sabedoria. Quanto mais facilidade você desequilibrar-se, mais lembrança deve ter de si mesmo, da sua fraqueza. A fortaleza vem da sabedoria conquistada ou a conquistar, e do sentimento de dignidade resultante da forma solidária e inteligente de se viver. Aprenda com Osho: “Eu afirmo a você que a vida não é uma prisão, não é um castigo. É uma recompensa que só é dada aos que a ganharam, aos que a mereceram. Será contrário à existência não tornar sua vida bonita. Torne sua vida mais feliz, mais bonita e um pouco mais perfumada”.

José Matos Professor e palestrante

reformulação de rotulagem nutricional. Mas será que ela ocorrerá de forma tão impactante quanto a do Chile? Visto os “nossos” interesses econômicos, duvido muito. Mas vamos aguardar para ver o que acontecerá. De todo modo, a sociedade precisa ter participação no processo, e a conscientização já faz parte dele.

Caroline Romeiro Nutricionista e professora na Universidade Católica de Brasília (UCB)


Jornal Brasília Capital 358  
Jornal Brasília Capital 358  
Advertisement