Page 1

Outorgas de TV suspeitas serão investigadas

Pelo menos três disparos atingiram dois ônibus. Ninguém ficou ferido. O ex-presidente da República viajava num terceiro veículo

Senado cobra explicações do secretário de Radiodifusão do MCTIC, Moisés Queiroz, e de sua antecessora, Vanda Jugurtha

Página 4

Ano VII - 356

Brasília, 31 de março a 6 de abril de 2018

Página 5

FOTOS: REPRODUÇÃO

Coronel Lima, Temer e Yunes: uma antiga amizade investigada como elo de crimes de corrupção e lavagem de dinheiro praticados em nome do próprio presidente

Idosos são expulsos do Cave, no Guará Privatização começa pelo Centro de Convivência Páginas 8 e 9

Crivella impede doação de livro Mario Pontes - Página 15

Dietas da moda? Não se engane Caroline Romeiro - Página 13

Diga-me com quem andas... ...e te direi quem és. Ditado popular conhecidíssimo deixa Michel Temer em maus lençóis. O advogado José Yunes, amigo e ex-assessor, e o coronel aposentado da PM paulista João Baptista Lima Filho, apontado como laranja do presidente da República há muitos anos, são presos pela Polícia Federal em processo que envolve o próprio Temer e apura corrupção e lavagem de dinheiro / Página 4

PELAÍ

Temer será denunciado mais uma vez pela PGR Raquel Dodge prepara terceira denúncia contra o presidente da República Página 3

Ronaldinho quer driblar o eleitor Chico Sant’Anna - Página 10

DISTRIBUIÇÃO GRATUITA

www.bsbcapital.com.br

Caravana de Lula sofre atentato no Paraná


Brasília Capital n Opinião n 2 n Brasília, 31 de março a 6 de abril de 2018 - bsbcapital.com.br

E

A R T I G O

x p e d i e n t e

A lição de JK Cláudio Sampaio (*) Diretor de Redação Orlando Pontes ojpontes@gmail.com Diretor Comercial Júlio Pontes comercial.bsbcapital@gmail.com Pedro Fernandes (61) 98406-7869 Diretor-Executivo Daniel Olival danielolival7@gmail.com (61) 9 8356 1491 Diretor de Arte Gabriel Pontes redação.bsbcapital@gmail.com

Tiragem 10.000 exemplares Distribuição Plano Piloto (sede dos poderes Legislativo e Executivo, empresas estatais e privadas), Cruzeiro, Sudoeste, Octogonal, Taguatinga, Ceilândia, Samambaia, Riacho Fundo, Vicente Pires, Águas Claras, Sobradinho, SIA, Núcleo Bandeirante, Candangolândia, Lago Oeste, Colorado/Taquari, Gama, Santa Maria, Alexânia / Olhos D’Água (GO), Abadiânia (GO), Águas lindas (GO), Valparaíso (GO), Jardim Ingá (GO), Luziânia (GO), Itajubá (MG), Piranguinho (MG), Piranguçu (MG), Wenceslau Braz (MG), Delfim Moreira (MG), Marmelópolis (MG), Pedralva (MG), São José do Alegre, Brazópolis (MG), Maria da Fé (MG) e Pouso Alegre (MG). C-8 LOTE 27 SALA 4B, TAGUATINGA-DF - CEP 72010-080 - Tel: (61) 3961-7550 - bsbcapital50@gmail.com - www.bsbcapital.com.br - www. brasiliacapital.net.br

Os textos assinados são de responsabilidade dos autores

Siga o Brasília Capital no facebook.com/jornal.brasiliacapital

L

amentavelmente, estão se agigantando, em nosso País, as mais nefastas práticas de intolerância ideológica, que envolvem bravatas irresponsáveis de algumas lideranças, incitando a violência ou justificando-a, além da propagação de notícias falsas, vias de fato entre militantes, tiros e até ameaças a magistrados responsáveis por julgamento de processos envolvendo famosos políticos. O fato, todavia, é que a violência não se justifica e não pode se justificar contra quem quer que seja, pois isso fere os mais básicos princípios civilizatórios e destoa largamente de comportamentos aceitáveis dentro de uma democracia, que o povo lutou tanto para reconquistar, com ênfase

Em entrevista concedida ao Jornal O POVO, em 25 de outubro de 1963, o sapiente Juscelino Kubitschek afirmou: “É necessário que o povo esqueça essas ideais de direita e esquerda para que se possa criar um clima de paz e confiança imprescindível ao trabalho, ao desenvolvimento econômico e, ainda, à consolidação do regime democrático.” Passados 55 anos, nenhuma lição pode ser mais atual que a deixada pelo Fundador da Nova Capital. O debate ideológico é salutar, desde que envolva respeito incondicional entre os cidadãos e, em um momento de tantas dificuldades na Nação, a busca de ideias progressistas e de soluções efetivas para o caos moral vigente, sob a dialética da complementariedade que defendeu, com veemência, o saudoso jurista Miguel Reale. (*) Advogado e Escritor

Brasília, capital mundial da água Hélio José (*) Brasília acaba de sediar o 8º Fórum Mundial da Água e o Fórum Alternativo Mundial da Água. Os eventos atraíram mais de 7 mil estrangeiros e mais de 100 mil pessoas interessadas nas palestras, plenárias e exposições nas três sedes: Centro de Convenções Ulysses Guimarães, Pavilhão de Exposição no Parque da Cidade e Praça do Cidadão, ao lado do Estádio Nacional de Brasília. Dediquei uma manhã da minha agenda para participar da Assembleia Parlamentar pelo Direito à Água, na qual estiveram presentes 136 parlamentares de 20 países. Fui o único parlamentar a distribuir documento sobre

C

nKartódromo Privatizar é mais fácil, pois tem interesses e interessados. No Brasil temos esse pensamento de destruir, largar, omitir tudo que é público para valorizar o que é privado. Feliz da pessoa que tem interesse naquela área, pois é um belo espaço. O ideal seria fazer um movimento e pedir providência, porque dinheiro sabemos que o governo sempre tem. Lúcio, via Facebook Não é privatização e sim

na década de 80, por meio de amplo movimento por eleições diretas, o qual culminou na Constituição Federal de 1988 e nas históricas Eleições Presidenciais de 1989. Tenho amigos de direita e de esquerda, muitos de cultura e intelecto avançados e costumo, sempre que a abordagem é racional e saudável, ouvi-los com máxima atenção e discernimento, salvo se a conversa descambar para o radicalismo, dissociando-se do espírito democrático e republicano, pois o momento é de construir pontes e de achar soluções para o Brasil, que se encontra mergulhado na mais séria crise moral da história de seus Poderes Executivo e Legislativo, com o povo sendo explorado, esquecido e usado por tantos políticos inescrupulosos.

concessão. E outra coisa: há pelo menos cinco anos o complexo esportivo está abandonado. Que diferença faz permanecer com o governo e fechado para população?PC Ferreira, via Facebook Sobre a matéria da Parceria Público-Privada que está em curso para o kartódromo, ginásio e estádio do Cave, no Guará. nPadre Moacir Esse padre tem ligação com a Câmara. Não é só essa as-

o inestimável valor da água, intitulado “Preservar para não faltar”. Quanto vale a água? Esta é uma pergunta que causa dúvidas, mas todos sabem que sem este bem valioso ninguém pode viver. Embora a água cubra 70% da superfície terrestre, apenas uma pequena fração dela serve para consumo. Por isso, é um bem tão valioso. Além de ser vida, a água é essencial para nossos sistemas de saneamento, geração de energia, produção de alimentos e funcionamento de parques industriais. Em Brasília, nós vivemos a experiência do que é faltar água, com o racionamento. Porém, no Dia Mundial da Água – 22 de março – nossos reservatórios estavam sem escassez hídrica. Passamos dos

70% da capacidade do Descoberto, chegamos aos 50% do Santa Maria, podemos captar água do Bananal, do lago Paranoá e o Corumbá está em construção. Além disso, está em andamento a revitalização de canais, métodos melhores de irrigação e recuperação de nascentes. A crise hídrica nos acordou para a necessidade de mudança de hábitos, de evitar o desperdício e de adotar novos métodos econômicos para o uso racional da água. Mas este trabalho tem que ser permanente no governo, no parlamento e na sociedade. E tem que ser em todo o planeta, a partir de um pacto global em defesa da água.

(*) Senador pelo PROS-DF

a r t a s

sessora não, tem deputado lá dentro que é braço direito dele. Geziel Pereira Lisboa, via Facebook Estou desanimada com as atuações das igrejas. Qualquer delas! Virou um comércio lucrativo! Ver um Papa, que era o que esperávamos, e a volta desse lamaçal. Triste!Não é julgamento! É constatação!Viviane Maria das Dores, via Facebook Fazem tudo pra derrubar o

Padre Moacir e a festa dos católicos, mas não vão conseguir nunca. Viva Pentecostes! DandaMorata, via Facebook Sobre o Pelaí que revelou que coordenadores do evento religioso de Pentecostes ocupam cargos por indicação do deputado Robério Negreiros (PSDB). nFraga Esse cara mente para os eleitores dele e ainda espalha notícias falsas. Fraga, respeita o povo!Eduardo Von Schnei-

der, via Facebook Deputado Fraga, defende o porte para o cidadão. Respeita o povo! Francisco Rodrigues, via Facebook Esse só sabe fazer média. Os projetos são só para tapar buraco e nada com efeito definitivo! Joana Dourado, via Facebook. Sobre a coluna Brasília por Chico Sant’Anna a respeito das fake news espalhadas pelo deputado Alberto Fraga (DEM) no caso Marielle.


Brasilia Capital n Política n 3 n Brasília, 31 de março a 6 de abril de 2018 - bsbcapital.com.br

A

Operação Skala, deflagrada quinta-feira (29) e que deve chegar ao presidente da República, tem o objetivo de coletar provas “referentes ao possível cometimento de crimes como corrupção, lavagem de dinheiro e associação criminosa/organização criminosa e ilícitos a eles correlatos”. Segundo alguns procuradores, a operação fica incompleta sem chegar ao presidente.

PGR prepara terceira denúncia contra Temer Está prestes a sair do forno da Procuradoria-Geral da República (PGR) a terceira denúncia contra o presidente Michel Temer (Foto/MDB). Desta vez, o Ministério Público Federal (MPF) pedirá para investigar se, em troca de propina, o presidente beneficiou com um decreto a empresa Rodrimar, do setor portuário. SIGILOS – Com autorização do Supremo Tribunal Federal, a procuradora-geral Raquel Dodge enviou 50 perguntas para Temer sobre a investigação. Para concluir a apuração, no entanto, são necessárias outras medidas, como a quebra dos sigilos bancário e telefônico dos envolvidos. DESGASTE – Mas elas (as medidas) precisam de autorização da Câmara para serem executadas contra o chefe do Executivo. A tendência é que a denúncia seja encaminhada para aprovação do Congresso em meio ao período eleitoral - o que pode pressionar os parlamentares a não arriscar desgastes de imagem junto aos eleitores. ESCLARECIMENTOS – No pedido que encaminhou solicitando ao ministro Roberto Barroso para enviar perguntas a Temer, Raquel Dodge afirmou que é necessário esclarecer os fatos envolvendo o presidente. “Instauração de investigação para melhor elucidar os fatos, de maneira não apenas a confirma a identidade das pessoas mencionadas, como também esclarecer se e em quais circunstâncias atuaram para repassar dinheiro ilícito aos agentes públicos Michel Temer e Rodrigo Rocha Loures”, escreveu a PGR.

Celina Leão filia-se ao PP

Pinga-fogo

A distrital Celina Leão (foto), pré-candidata a deputada federal, assinará a ficha de filiação ao PP na quarta-feira, dia 4 de abril. A troca de partido foi antecipada pelo Brasília Capital na edição 355. O convite foi feito pelo deputado federal Rôney Nemer. Celina demorou a tomar a decisão porque não queria abandonar seu padrinho político, senador Cristovam Buarque, que permaneceu no antigo partido dela, o PPS.

Sandra Faraj

Rejeição a Arruda O presidente nacional do PR, Valdemar Costa Neto, apresentou na última semana ao ex-governador José Roberto Arruda o resultado de uma pesquisa, para consumo interno, apontando reais possibilidades de vitória de Jofran Frejat, pré-candidato do partido ao Buriti. A surpresa, no entanto, foi o índice de rejeição ao nome de Arruda – superior a 50%. PERIFERIA – Costa Neto tentou aconselhar o correligionário a se manter distante da campanha de Frejat nas áreas mais centrais, atuando apenas na periferia. A reação do interlocutor foi de indignação, com ameaça de não ajudar na campanha majoritária. LIDERANÇA – Arruda não quis comentar a notícia. Mas disse ao Brasília Capital que a referida pesquisa lhe dá a liderança nas intenções de voto, com 8,5%.

Festa para Frejat Mais de duas mil pessoas compareceram no sábado (24) à inauguração do diretório regional do PR no Gama, incluindo dirigentes e pré-candidatos dos principais partidos que apoiarão o ex-secretário de Saúde Jofran Frejat na disputa pelo Palácio do Buriti em outubro. ALIADOS – Pelo PR, estavam no palanque o presidente regional, Salvador Bispo; o deputado Laerte Bessa; a ex-primeira-dama Flávia Arruda; e o presidente do SindMédico, Gutemberg Fialho, que concorrerá à Câmara Legislativa. Juntaram-se a eles o ex-vice-governador Tadeu Filippelli (MDB) e o empresário Paulo Octávio (PP). Não compareceu, mas justificou a ausência por motivo de viagem, o presidente do DEM, Alberto Fraga.

Distrital confirma filiação ao PR e diz que legenda fará uma grande bancada no Congresso e na Câmara Legislativa Como foi construída a aproximação com o PR? –Há alguns meses, conversávamos com as lideranças do partido. Portanto, não foi algo decidido de supetão. Foi bem natural. Juntou minha insatisfação com meu antigo partido com a oportunidade de ir para uma agremiação forte, que tem uma linha de atuação muito mais próxima da minha. Quem foram seus interlocutores? - Estivemos várias vezes com lideranças fortes do partido, como o Jofran Frejat. Mas todos me incentivaram. Até que recebi o telefonema do Valdemar Costa Neto, um dos mais influentes dentro do partido, para assinar a ficha de filiação. Para mim foi uma honra. Estou muito feliz porque sei que no PR poderemos fazer um trabalho ainda melhor para Brasília. Como foi a receptividade de seus novos correligionários? – Muito boa. Sei que o PR trabalha com união, determinação e objetivos bem definidos. Isto é fundamental para conquistarmos mais espaço político e assim poder fazer mais pela nossa cidade. A senhora será candidata a deputada federal ou à reeleição para distrital? – Distrital.Ter uma bancada forte no DF é objetivo da diretoria regional e também da nacional. Agora a senhora está na oposição ao Governo Rollemberg? –Não. Meu posicionamento sempre foi em favor da cidade, não importa de onde vem o projeto. Tem que ser bom para Brasília. Estou aqui para servir e honrar a confiança dos mais de 20 mil votos que tive. Meu posicionamento sempre foi e continuará sendo por Brasília.


Brasília Capital n Política n 4 n Brasília, 31 de março a 6 de abril de 2018 - bsbcapital.com.br

Justiça fecha o cerco a Temer Polícia Federal prende dois amigos do presidente da República por suspeita de corrupção

A

Polícia Federal prendeu o advogado José Yunes, ex-assessor do presidente Michel Temer, e o coronel aposentado da Polícia Militar paulista João Baptista Lima Filho quinta-feira (29), em São Paulo. Ambos são amigos pessoais do presidente da República, e Lima é apontado como laranja de Temer. A decisão foi do ministro do Supremo Tribunal Federal, Luís Roberto Barroso. De acordo com o STF, a PF não poderá se pronunciar sobre o caso. Em nota, o advogado de Yunes, José Luis Oliveira Lima, classificou a prisão de seu cliente como “inaceitável”. Segundo Lima, Yunes vinha colaborando com as investigações sobre a suspeita de que agentes públicos beneficiaram empresas do setor portuário com a publicação de

DIVULGAÇÃO

José Yunes (esq.) e Temer. Ele é investigado em processo que atinge o presidente

uma medida provisória. Ele é investigado no âmbito de supostas propinas para beneficiar empresários no Porto de Santos (SP).

“É inaceitável a prisão de um advogado com mais de 50 anos de advocacia, que sempre que intimado ou mesmo espontaneamente compa-

receu a todos os atos para colaborar. Essa prisão ilegal é uma violência contra José Yunes e contra a cidadania”, afirma o advogado na nota. Uma das empresas investigadas, a Rodrimar, foi alvo de busca e apreensão na quinta em Santos. A Polícia Federal prendeu o dono da empresa, Antônio Celso Greco; o ex-ministro da Agricultura, Wagner Rossi; um assessor, Milton Ortolan; e uma empresária do grupo Libra, do Rio de Janeiro. A investigação apura se Temer praticou os crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Editado em maio do ano passado, o decreto suspeito ampliou de 25 para 35 anos os prazos dos contratos de concessão e arrendamento de empresas que atuam em portos e permitiu que eles possam ser prorrogados até o limite de 70 anos.

Caravana de Lula sofre atentado MPF investiga ataque a tiros contra ônibus que levavam comitiva do PT DIVULGAÇÃO

O Ministério Público Federal (MPF), a Secretaria de Segurança Pública (SPP) e a Polícia Civil abriram um inquérito policial para investigar o ataque a tiros contra dois ônibus que levavam a caravana do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), no Paraná. De acordo com a SSP do estado, duas equipes do Centro de Operações Policiais Especiais foram enviadas à cidade de Laranjeiras do Sul para apurar o caso. Não há previsão de data para que o laudo fique pronto. Pelo menos três tiros atingiram os veículos, na rodovia PR 473, entre Laranjeiras do Sul e Quedas do Iguaçu. O ex-presidente não estava nos ônibus que foram alvejados. “A nossa caravana está sendo perseguida por grupos fascistas. Já atiraram ovos, pedras. Ho-

Mão marca furo de bala. Pelo menos três acertaram dois ônibus

je deram até um tiro no ônibus”, informou o Twitter oficial de Lula. A presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), disse ter pedido policiamento às autoridades do Paraná, mas não foi atendida. Ela classificou o episódio como “emboscada”. Lula concluiu na quarta-feira (28) sua caravana pelo sul do País. Por onde passou, foi recebido por protestos de grupos de direita e saudado por militantes de esquerda, especialmente do PT. Além dos tiros disparados contra os dois ônibus, houve protestos em que adversários atiraram ovos e pedras contra o ex-presidente. Isto ocorreu no domingo (25), no palanque em que o petista estava em São Miguel do Oeste (SC).Na quarta (28), rojões e panelaços voltaram a in-

terromper o discurso de Lula na Praça Santos Andrade, em Curitiba, sob forte vigilância policial. Houve confronto entre manifestantes a favor e contra o petista. No discurso de encerramento, Lula criticou os protestos. “Eu nunca vi tanto ódio na minha trajetória política. Começaram trancando estrada e jogando ovo e terminaram dando tiro”, disse. Quarta-feira (4), o STF poderá livrá-lo da prisão se mudar o entendimento de que prisões podem ser decretadas depois de condenação em segunda instância, como é o seu caso. Lula está livre da decisão do Tribunal Regional Federal da 4ª Região. Com esperado, o TRF4 negou, segunda (26), os embargos de declaração à decisão tomada por eles próprios em janeiro.


Brasília Capital n Política n 5 n Brasília, 31 de março a 6 de abril de 2018 - bsbcapital.com.br

Outorgas de TV sob suspeita Requerimento de convocação de secretário do MCTIC deve levar o caso para o Senado Federal

A

Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática (CCT) do Senado Federal vai marcar, após o feriado da Páscoa, audiência pública para esclarecer denúncias sobre suspeitas de irregulares nas concessões de autorização da Secretaria de Radiodifusão, do Ministério das Comunicações (MCTIC). O requerimento da audiência foi apresentado pelo senador Magno Malta (PR-ES), mas precisa ser votado, primeiro, no colegiado. O senador usa prerrogativa facultada aos parlamentares pela Constituição e pelo regimento interno do Senado para apresentar o documento. O requerimento lista seis pessoas, começando pelo atual secretário de Radiodifusão do MCTIC, Moisés Queiroz Moreira, e sua antecessora, Vanda Jugurtha Bonna Nogueira. Os outros quatro são ligados a empresas suspeitas de beneficiarem-se de concessões irregulares. São eles: Juliana Zanetti de Souza Zampini (representante da Fundação Guilherme Muller); João Lucas Alvarenga Zampini (da Guilherme Muller e da TV Topázio Comunicações Ltda.; Leopoldo Dias da Silva (representante legal da empresa Emmanuel Telecomunicações Ltda. – EPP); e Mário César Degrázia Barbosa (representante legal da empresa Quadrante – Consultores em Radiodifusão e Telecomunicações). No requerimento, Magno Malta escreve, em seguida, que eles devem prestar “esclarecimentos acerca das circunstâncias em que foram concedidas todas as Autorizações de Retransmissão de Televisão (RTV) às entidades acima mencionadas”. Na justificação para o requerimento, o senador inicia o texto afirmando que “é público e notório aos integrantes desta Comissão a existência de várias denúncias, em trâ-

DIVULGAÇÃO

Vanda e Moisés. Ela teria começado o esquema que ele mantém até hoje, prejudicando muitos empresários de comunicação mite nesta Casa, em face aos atos de concessão outorgados às empresas e entidades ligadas às pessoas acima declinadas entre o período de 2016 e 2017, sendo que, na gestão atual, ainda vêm ocorrendo outorgas de concessões de canais às denunciadas”. Em seguida, acrescenta: “Assim, como dito, a maioria das concessões, alvos das referidas denúncias, foram tratadas na gestão da Sra. Vanda Jugurtha Bonna Nogueira, no período em que ela chefiava a Secretaria de Radiodifusão do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações (MCTIC), do Governo Federal”. Então, ele relaciona os nomes dos empresários, e faz uma importante observação: a de que mesmo depois das denúncias e na atual gestão de

Moisés Queiroz Moreira, as suspeitas de irregularidades para beneficiar as empresas citadas continuaram. “Saltam aos olhos que as denúncias mencionam a suposta utilização de fundações e demais entidades para o favorecimento das empresas e pessoas acima declinadas, com a participação, inclusive, de engenheiros supostamente ligados a Sra. Vanda Jugurtha Bonna Nogueira, para a aquisição ilegal de canais”, argumentou Magno Malta no documento. E acentua que a presença de todos eles na comissão tem a finalidade de “resguardar o patrimônio público”. O senador também acentua que é preciso apurar “as circunstâncias que envolveram as concessões das outorgas ora denunciadas, bem como o mo-

tivo, caso exista, do favorecimento a estas empresas e entidades”. Um grupo de empresários, que não querem se identificar por temer retaliações, chega a questionar se “alguém dentro do ministério é sócio das empresas beneficiadas ou se procede as denúncias de corrupção passiva?”. Os empresários dizem que recebem denúncias “todos os dias” e destacam que o grupo de fundações administradas pela família Zampini agora inclui no seu conglomerado a Fundação Antônio Bárbara, juntamente com a TV Topázio, e tiveram nos últimos meses 80 novas outorgas, como o canal 40 (Curitiba) e o canal 14 (Florianópolis). Eles querem também a entrada no Ministério Público nas investigações.


Brasília Capital n Política n 6 n Brasília, 31 de março a 6 de abril de 2018 - bsbcapital.com.br

População reclama do governo Rollemberg e Secretaria de Saúde comemora

“O

relatório de atividades do Sistema de Gestão de Ouvidoria do Governo do Distrito Federal (SIGO-DF) referente ao ano de 2017 mostra o registro de 157.573 reclamações, solicitações, elogios, denúncias, informações, sugestões ao governo – 23.029 a mais do que em 2016. As queixas contra o governo Rollemberg dispararam de 63.354 para 90.757, um aumento de 43,2%. Do montante de manifestações registradas, 58% correspondem a reclamações e 23% de solicitações de serviços. Em 2016, tais percentuais correspondiam a 47% e 35%, respectivamente”, registraram os autores.

A Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal (SES-DF) perdeu o posto de maior foco de reclamações. Não porque tenha melhorado, mas porque as queixas contra o transporte público pularam de 8.550 para 26.621. Só o sistema de bilhetagem (SBA), é alvo de 22.532 descontentes – um reflexo claro do efeito da corrupção no governo, que é investigado na Operação Trickster. A queda da Saúde do topo do ranking se deve a outro fator que foi largamente noticiado pela imprensa: falta de pagamento das contas de telefone. O relatório da Ouvidoria registra que, em 2016, havia “aproximadamente 100 unidades descen-

tralizadas colaborando com o processo de atendimento”. No último relatório foram “17 unidades de atendimento presenciais”. O governo Rollemberg dificulta até a reclamação do cidadão! Com telefones fora de serviço, houve uma queda de 12,2% no número de registros referentes à Secretaria de Saúde. De 28.939 manifestações diversas em 2016, paramos em 25.401 no ano passado. No último dia 16 chegaram até a publicar uma nota comemorativa na página da SES no Facebook. O que se manteve estável (e a SES se vangloria indevidamente) é o número de elogios, que passou de 2.661 para 2.645, sem varia-

ção percentual relevante. O relatório destaca os cinco principais temas para registro da aprovação da população: servidor público, atendimento em unidade de saúde pública, serviço prestado por órgão/entidade do governo, atendimento médico e atendimento para doação de sangue. Os elogios se dirigem às pessoas, não à instituição. Enquanto os servidores são aplaudidos pelos usuários, o atendimento nas unidades públicas de saúde é o terceiro maior motivo de queixa contra o governo Rollemberg.Os servidores da Saúde se desdobram para desempenhar suas funções, apesar das condições adversas,

Dr. Gutemberg, presidente do Sindicato dos Médicos do DF e advogado

do assédio moral e da perseguição que se tornaram corriqueiros. Isso foi reconhecido e registrado em 2.645 elogios. O desempenho do governo Rollemberg, no entanto, vai na direção oposta: 43,2% mais queixas. E são estatísticas oficiais(www.ouvidoria. df.gov.br/ouvidoria-geral/ relatorios.html)


Brasília Capital n Política n 7 n Brasília, 31 de março a 6 de abril de 2018 - bsbcapital.com.br

DIVULGAÇÃO

Telma Rufino (centro) diz que o agente não deve se preocupar com maçanetas

Novo Código de Obras pode sair neste mês

O

projeto de lei, do Executivo, que institui o novo Código de Obras e Edificações do Distrito Federal, poderá ser apreciado pela Câmara Legislativa em abril. Na quarta-feira (28), durante reunião do colegiado, a deputada Telma Rufino (Pros) anunciou que apresentará na próxima semana um substitutivo ao texto original. O objetivo é desburocratizar a emissão de habite-se e alvarás. A proposta vem sendo discutida nos últimos meses por técnicos da Câmara Legislativa, setor produtivo e GDF, que enviou o projeto em junho do ano passado ao Legislativo. A deputada acredita que não cabe ao Estado verificar detalhes, como tamanho de janela e medição de escadas, degrau por degrau e, sim, se ater às normas gerais. “A fiscalização será simplificada, tendo em vista que o agente público não terá mais que se preocupar com o tipo de maçaneta utilizada na construção, voltando seu olhar para as regras gerais da construção e acessibilidade, pre-

zando sempre pela segurança”, afirmou Telma. O projeto de lei nº 1.621/2017 foi distribuído para três comissões permanentes da Câmara: Comissão de Desenvolvimento Econômico Sustentável, Ciência, Tecnologia, Meio Ambiente e Turismo (CDESCTMAT), Comissão de Assuntos Fundiários (CAF) e Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). Segundo o projeto, o Código de Obras é “um instrumento fundamental e básico que regula obras e edificações públicas e particulares em macrozona urbana e rural”. Outra proposta também muito aguardada pelo setor produtivo, a Lei de Uso e Ocupação do Solo (Luos), também vem sendo analisa pela CAF. De acordo com Telma Rufino, um estudo técnico sobre a matéria deverá ser concluído até maio. A CAF aprovou na quarta-feira o seu calendário de reuniões ordinárias e se reunirá quinzenalmente, sempre às quartas-feiras, às 14h. Participaram da reunião, além da presidente, os deputados Rafael Prudente (PMDB) e Sandra Faraj (PR).

Inscrições para o Concurso de Redação e Desenho do Sinpro se encerram na sexta (6) O Sindicato dos Professores no Distrito Federal lança o IX Concurso de Redação e Desenho, que neste ano trabalhará com o tema “Água: sede de viver, sede de sobreviver”. As inscrições já estão abertas no site do sindicato (www.sinprodf.org.br) para os estudantes da rede pública de ensino do Distrito Federal, que poderão debater a temática na forma de redação ou desenho. As redações e os desenhos deverão ser entregues até sexta-feira (6), na sede ou nas subsedes do Sinpro-DF. As inscrições estão abertas para estudantes da Educação Infantil, de 4 e 5 anos de idade, até o Ensino Médio. Cada participante deverá fazer sua inscrição no site do sindicato, porque será gerado um código de identificação, o qual deverá ser usado para preencher a Folha da Redação ou a Folha de Desenho. Essas folhas também serão disponibilizadas pelo Sinpro. Importante lembrar que nem a redação nem o desenho serão aceitos em outro tipo de folha. Os prêmios serão distribuídos para estudantes vencedores e professores ou orientadores educacionais indicados pelos participantes. É importante observar que os professores que fazem parte da Comissão Julgadora não podem ser indicados pelos estudantes. Formada por professores e orientadores educacionais da rede pública de ensino, a Comissão receberá os trabalhos sem identifica-

ção da escola, do nome do estudante ou do professor que orientou o trabalho para garantir a transparência do processo. Os estudantes da Educação Infantil, do CEE e classes especiais, bem como os matriculados do 1º ao 3º ano do ensino fundamental/EJA 1° e 2° semestres expressarão sua opinião por meio de desenho. Os estudantes do 4º e 5º ano do Ensino Fundamental/EJA 3º e 4º semestre, por sua vez, discutirão a temática na forma de redação. Já os estudantes do 6º ao Ensino Médio/EJA– 2º e 3º Segmento, expressarão sua opinião por meio de desenho ou redação (devem escolher apenas uma categoria para participar). O Concurso de Redação do Sinpro-DF faz parte da Campanha contra a Violência nas Escolas, uma iniciativa do sindicato adotada em 2008 para ensejar, entre os estudantes da rede pública de ensino, a reflexão sobre as causas, as consequências e as soluções para a violência – um problema que afeta toda a sociedade. O regulamento, formulário de inscrição e as folhas para desenho e redação estão disponíveis no site www. sinprodf.org.br .


Brasília Capital n Cidades n 8 n Brasília, 31 de março a 6 de abril de 2018 - bsbcapital.com.br

Primeiro, os Privatização do Cave, no Guará, começa pelo remanejamento do Centro de Convivência dos Idosos Gustavo Goes

O

líder comunitário Wilmar Luís protocolou, quarta-feira (21), denúncia no Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) contra o remanejamento do Centro de Convivência dos Idosos (CCI) que funcionava no Centro Administrativo e Vivencial (Cave), no Guará. Por decisão da Administração Regional da cidade, as atividades do grupo foram transferidas para o Salão de Múltiplas Funções, no mesmo complexo. “Queremos que os idosos permaneçam no Centro de Convivência até que o novo espaço seja entregue. O CCI foi construído há mais de 30 anos com recursos da própria comunidade e agora os usuários tiveram que ir para outro espaço, que não atende às suas necessidades”, argumenta Wilmar Luís. A denúncia está sendo investigada pela Procuradoria do Patrimônio Público e Promotoria de Justiça da Pessoa Idosa do MP. PRIVATIZAÇÃO – Líderes comunitários e frequentadores do Cave apoiam a iniciativa do líder comuni-

FOTOS: ANTÔNIO SABINO

tário por entenderem que a retirada do CCI é o primeiro passo do processo de privatização de todo os sistema, que inclui, ainda, o estádio Antônio Ottoni Filho, o ginásio de esportes e o Kartódromo Ayrton Senna. Eles se mobilizam para barrar a licitação do complexo, marcada para o dia 12 de abril. O edital de concessão de uso do kartódromo do Guará, que abrange a revitalização do CCI, foi publicado no Diário Oficial do DF no dia 7 de março. O futuro concessionário terá que investir R$ 13,9 milhões para realizar a reforma do espaço. Mas a movimentação do GDF para desocupar o espaço, segundo os líderes comunitários, já começou. MANUTENÇÃO – A Administração do Guará informou que o CCI foi interditado após a identificação de riscos provenientes da falta de manutenção nas instalações elétricas e estruturais do local. “A administração cedeu o espaço do Salão de Múltiplas Funções, localizado próximo ao centro, e reitera o seu compromisso com a comunidade e, sobretudo, com a preservação da vida dos frequentadores do CCI”, disse a regional em nota.

Os boxes atuais (acima) têm espaço para oficinas e depósitos. O CCI já está interditado. Adão Carvalho: “querem nos colocar num contêiner”


Brasília Capital n Cidades n 9 n Brasília, 31 de março a 6 de abril de 2018 - bsbcapital.com.br

mais velhos Arrancada será no kartódromo

“O CCI foi construído há mais de 30 anos com recursos da comunidade. O outro espaço não atende às necessidades dos idosos” Rodrigo Rollemberg

Líder comunitário DIVULGAÇÃO

“Os karts ficaram maiores e mais rápidos. A pista que está lá não acompanhou essa evolução” Vitor Meira Ex-piloto de Fórmula Indy

A arrancada do processo de concessão de uso do Cave será dada pelo kartódromo. O edital prevê investimento de R$ 13,9 milhões para ampliação da pista, que hoje tem 840 metros, para 1,2 mil metros (tamanho exigido pela Confederação Brasileira de Automobilismo para receber competições), aumento no número de boxes dos atuais 40 para 189 e arquibancada com capacidade para 1,4 mil pessoas. O atual cessionário do kartódromo, José Argenta, reclama da forma com que está sendo feita a licitação. “Marcaram uma audiência pública no ano passado em dia de jogo da Seleção Brasileira e houve pouca participação. Temos autorização do GDF e não somos invasores. Não existe outro lugar adequado em Brasília para receber os mecânicos que trabalham aqui”, disse. Há 32 anos trabalhando no kartódromo, o mecânico Adão Carvalho, da LB Competições, critica o provável remanejamento dos mecânicos para o Autódromo Internacional Nelson Piquet, no Plano Piloto. “Querem colocar a gente num contêiner de 3 por 6 metros. Hoje, ocupamos um espaço no box de 4 por 8 metros”, reclama. O vizinho de box, Adão Francisco, conhecido como Todinho, quer a manutenção do seu espaço para continuar prestando serviço aos pilotos. PILOTOS – O piloto da categoria sênior Amarildo Xavier, de 59 anos, é contra a concessão do Kartódromo. Ele argumenta que “teriam que indenizar quem já contribuiu para a reconstrução do espaço antes de entregarem para empresários”. Para Xavier, “esse papo de que a reconstrução do kartódromo vai beneficiar a população é bobagem. Não é um esporte popular. Mesmo melhorando, a quantidade de pilotos não vai aumentar”, aposta. O ex-piloto de kart e da Fórmula Indy Vitor Meira conta que passou a infância dirigindo no Kartódromo, que ao longo desse tempo não se modernizou e está defasado. “Os karts ficaram maiores e mais rápidos. A pista que está lá não acompanhou essa evolução. Lá não tem licenças para provas regionais. Se tiver, é bem frágil”, avalia.


Brasília Capital n Cidades n 10 n Brasília, 31 de março a 6 de abril de 2018 - bsbcapital.com.br

Aparências enganosas Por Chico Sant’Anna

Ronaldinho quer driblar o eleitor candango

N

a sua curta história da autonomia política, o Distrito Federal não teve muita sorte com grande parte de seus senadores: um foi cassado, dois renunciaram para fugir da cassação, três passaram pelas barras da cadeia, sendo que dois ainda veem o sol nascer quadrado. Agora, num momento em que a comunidade candanga busca não repetir os erros do passado e eleger senadores que dignifiquem o mandato senatorial, o PRB, partido integrante da Frente Cristã e ligado à Igreja Universal do Reino de Deus, do Bispo Edir Macedo, anuncia a candidatura do ex-jogador Ronaldinho Gaúcho. Famoso pelos seus dribles desconcertantes e mais ainda por suas festas mundo a fora, onde a abundância feminina é sempre destaque, Ronaldinho parece ter poucas afinidades com os mandamentos que os pastores da Universal pregam a seus seguidores. O PRB deve desconhecer a passagem bíblica de Sodoma, em Gênesis 19. Chega a ser uma afronta àqueles que são cotidianamente catequisados a respeitar os mandamentos bíblicos. Independentemente de religião, afronta maior é para com o cidadão de

DIVULGAÇÃO

Durante o Carnaval, um container de coleta exclusiva de vidros foi colocado no Parque da Cidade. No final da folia, recolhida a caçamba, surpresa: nenhum resíduo que não fosse de vidro foi ali colocado. O folião pensou na reciclagem. Mesma iniciativa ocorreu durante o Fórum Mundial da Água, no Mané Garrincha. No FMA, focado na preservação ambiental, o resultado foi outro. Ao abrir o contâiner, junto com os vidros, foram encontrados papeis, plásticos, latas, restos de comida. Os ambientalistas lá presentes ignoraram a necessidade de selecionar os resíduos.

Na conta do consumidor

Ronaldinho e a pouca afinidade com pregação dos pastores da Universal do Reino de Deus Brasília, cansado de ter sua imagem envolvida com os escândalos que acontecem na Esplanada dos Ministérios. O brasiliense, mais do que nunca, busca para lhe representar no Congresso Nacional quem possua vínculos com a cidade, conheça os problemas e viva o cotidiano do Distrito Federal. O que sabe Ronaldinho sobre os problemas de racionamento d’água, da crise na Saúde Pública, da expansão urbana desenfreada, da carência à proteção do meio-ambiente, da insegurança pública ou do transporte coletivo? Se deixarem Ronaldi-

nho na W3 Sul, ele terá dificuldades para chegar, por si, à Praça dos Três Poderes. A transferência de seu domicílio eleitoral para Brasília, a sete meses das eleições, pode ser até legal, mas está longe de demonstrar a moralidade política que se espera de um parlamentar. Qual o endereço de Ronaldinho em Brasília? Em que zona eleitoral ele vota? Quem aqui já viu Ronaldinho numa padaria, tomando um café na esquina ou passeando pelo Parque da Cidade? No máximo, Ronaldinho conhece o caminho do Aeroporto ao Congresso Nacional. Se bobear,

nem o Bezerrão ele sabe onde fica. A artimanha eleitoral construída pelo PRB para conquistar uma vaga no Senado é uma afronta à cidadania brasiliense. É considerar que o cidadão da Capital Federal é eleitoralmente ignorante, que aceita qualquer tipo de armação eleitoral construída por caciques que, muitas vezes, aparecem mais nos escândalos policiais. Esse tipo de político Brasília já teve muitos e não deseja mais tê-lo. Que Ronaldinho vá tentar driblar o eleitor em outros campos, não no Planalto Central.

Com um rombo de R$ 430 milhões, a CEB deseja um aumento antecipado da conta de luz paga pelo brasiliense. A dívida é três vezes maior do que sua receita. O pedido de reajuste na tarifa já está sob análise na Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Os novos valores devem chegar ao bolso dos consumidores até outubro, pouco antes de eles escolherem seus futuros governantes.

Praça incompleta Comerciantes do Conic cobram do GDF a reativação do funcionamento das pontes existentes próximos à Praça Zumbi dos Palmares, na plataforma superior da Rodoviária. A área entre o Conic e o Touring Clube foi toda vitalizada, mas as fontes estão desligadas. Com isso passaram a abrigar moradores de rua. Também não foram demarcadas, após a revitalização, as vagas destinadas aos motoristas idosos. A lei 2.477/1999 estabelece que nos estacionamentos públicos e privados com até 50 vagas serão reservadas, no mínimo, 3 vagas para idosos.

Acompanhe também na internet o blog Brasília, por Chico Sant’Anna, em https://chicosantanna.wordpress.com Contatos: blogdochicosantanna@gmail.com


Brasília Capital n Cidades n 11 n Brasília, 31 de março a 6 de abril de 2018 - bsbcapital.com.br

Wi-Fi grátis na Praça do Relógio Governo inaugura primeira árvore digital no centro de Taguatinga

T

aguatinga ganhou a primeira árvore digital do Distrito Federal. O equipamento disponibiliza wi-fi grátis para até 500 pessoas, na Praça do Relógio, no centro da satélite. A rede conecta internautas num raio de até 200 metros no entorno da praça. A inauguração aconteceu terça-feira (27), feita pelo Governo de Brasília. A instalação e manutenção são responsabilidade da empresa paulista Suntree. O serviço não onera os cofres do governo. Em troca do fornecimento do sinal gratuito, a Suntree poderá explorar espaços publicitários na plataforma. DIFICULDADES – Durante a inauguração da árvore digital, os presentes tiveram dificuldades para acessar a internet

O

título acima se refere à Quadra C-10, localizada no centro de Taguatinga, cenário de coisas inacreditáveis. Ali, há uma parada de ônibus onde se reúnem centenas de usuários do transporte coletivo, principalmente após as 17 horas. Em meio a eles, circulam usuários e traficantes de drogas, ladrões e prostitutas. Para compor o quadro sombrio, existe uma pequena feira irregular, com a venda de bebidas, comidas e outros produtos. Há um problema muito sério na citada parada. Os ônibus da empresa Taguatur, que fazem a linha Taguatinga/Águas Lindas,

DIVULGAÇÃO

pelo wi-fi do Governo. Para melhorar a conectividade, o secretário adjunto de Ciência, Tecnologia e Inovação, Thiago Jarjour, estuda diminuir o raio de alcance e otimizar os acessos somente na Praça, e não nos comércios da região. “Toda inovação requer ajustes”, constatou.

O equipamento permite a conexão de até 500 pessoas ao mesmo tempo, num raio de 200 metros em torno da área de descanso e lazer. O serviço é pago por empresa privada em troca de publicidade na plataforma

PROMESSAS – O governo pretende inaugurar 20 árvores semelhantes ainda no primeiro semestre. “Até o final do ano, serão 50 pontos”, prevê o secretário do Desenvolvimento Econômico, Valdir Oliveira. Já a administradora Karolyne Guimarães, apadrinhada do deputado federal Ronaldo Fonseca (Pros), também presentes na inauguração, afirmou que essa conquista retrata a “era da modernidade em Taguatinga”.

Onde não há o que não haja Eurípedes Alves Barbosa (*)

para apanhar passageiros ocupam todo o espaço, impedindo que coletivos de outras linhas estacionem. Aí, os prejudicados são os passageiros que se dirigem a outros locais que não Águas Lindas. Tais pessoas ficam por muito tempo na parada. Impotentes, não conseguem embarcar. Os ônibus da sua linha passam ao largo. Esses usuários (do transporte público, claro) irritam-se, blasfemam, numa inútil e comovedora reação.

Por outro lado, o embarque dos passageiros de Águas Lindas se dá de maneira morosa. As pessoas, sem nenhum controle, amontoam-se na porta dos coletivos, não respeitando idosos, grávidas e senhoras com crianças pequenas. Uma balbúrdia. Completa falta de fiscalização. Nada contra os moradores de Águas Lindas, que também merecem um transporte coletivo de qualidade. Eles, igualmente, são vítimas

do descaso das autoridades públicas. Entendo que deveria haver um terminal para os ônibus que demandam àquela localidade. Afinal, não se trata de transporte urbano. Águas Lindas, como se sabe, fica em Goiás. Por que o DFTrans não resolve esse problema? Seus técnicos não têm competência para encontrar uma solução? Ou seria má-vontade? Uma dica: não permitir que mais de um ônibus da Taguatur estacione, ao

mesmo tempo,na parada mencionada. Isso permitiria que os moradores de outros locais pegassem seu ônibus sem tanta demora e que não ficassem expostos por mais tempo à atuação de drogados, traficantes e ladrões que agem de forma desembaraçada na C-10, verdadeiro território livre, embora se situe perto da Administração Regional, do Segundo Batalhão da Polícia Militar e da 12ª Delegacia de Polícia. De fato, na C-10 não há o que não haja.

(*) Delegado aposentado, ex-diretor da Polícia Civil/DF


Brasília Capital n Cidades n 12 n Brasília, 31 de março a 6 de abril de 2018 - bsbcapital.com.br

PULGA NA UnB – Cartazes na Universidade de Brasília alertam para uma proliferação de pulgas no subsolo da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU). O problema seria ocasionado por ratos e pulgas. A UnB atravessa uma crise financeira

ÁGUAS CLARAS

DISTRITO FEDERAL FELICITTÁ SHOPPING

MUDANÇA DE CIRCULAÇÃO RUA 36 - SUL E NORTE RUA 37 - SUL E NORTE

M

concessionárias

Praça do Skate

LEGENDA VIA SEM MUDANÇA VIA COM MUDANÇA CICLOFAIXA SENTIDO DA VIA

Mudança no trânsito Em menos de uma semana, o Detran anunciou duas alterações na mesma via, em Águas Claras. Após o transtorno causado pela inversão do sentido nas Ruas 36 e 37 na quarta-feira (27), a autarquia anunciou que toda a Rua 36 terá sentido único. A simulação

será feita após o feriado. Antes, na Rua 36, o sentido que antes era da Avenida Castanheiras-Araucárias, ficou inverso, passando a ser Araucárias-Castanheiras. Na Rua 37, que operava no sentido Araucárias-Castanheiras, passou a ser Castanheiras-Araucárias.

Imóveis em área de cerrado Chácaras e condomínios construídos sem o respaldo da lei em áreas de preservação do cerrado, nos setores habitacionais Arniqueiras e Bernardo Sayão, em Águas Claras, estão próximos da regularização. A expectativa é que ao menos 9,5 mil imóveis, sendo 7,6 mil em Arniqueiras e 1,9 mil no Bernardo Sayão, tenham as escrituras definitivas. Com a liberação do documento, o processo pode tramitar mais rápido no Executivo local.

VICENTE PIRES

Ocupação do solo em setor habitacional A Associação Comunitária de Vicente Pires (Arvips) entregou quinta-feira (29) à Companhia Imobiliária de Brasília (Terracap) o plano de uso e ocupação do solo dos trechos 2 e 4 do Setor Habitacional Vicente Pires.

Cabe ao governo enviar o projeto para o Conselho de Planejamento Territorial (Conplan), responsável pela aprovação da proposta. A regularização da região administrativa é discutida desde 1998.

Professores de araque Seis professores da rede pública de ensino, nomeados no último concurso, e cinco servidores da pasta foram presos temporariamente na quarta-feira (28) por policiais da Coordenação de Combate ao Crime Organizado, ao Crime contra a Administração Pública e contra a Ordem Tributária (Ceco). Eles foram alvo da Operação Magister contra fraudes no concurso público da Secretaria de Educação. O grupo é suspeito de comprar a aprovação nas provas realizadas em 2016. Entre os presos está Hélio Ortiz, considerado o líder da máfia dos concursos. De acordo com as investigações, a organização criminosa utilizava quatro formas de fraudes: uso de pontos eletrônicos por onde os candidatos recebiam as respostas; uso de aparelhos celulares deixados em locais da prova, como nos banheiros; utilização de iden-

tidades falsas, para que uma pessoa se passasse pelo candidato; e participação de integrantes das bancas examinadoras na organização criminosa. A Magister é a terceira fase da Operação Panoptes, que investiga a máfia dos concursos públicos e os grupos criminosos que se dedicam a essas fraudes no DF. De acordo com a Polícia Civil, os candidatos que compraram as vagas nos concursos também são alvo das investigações. O valor da vaga variava de acordo com o concurso e era, em média, até 20 vezes o salário do cargo. Nas duas primeiras fases, 12 pessoas foram presas, suspeitas de aliciar os candidatos para a realização da fraude. Em nota, a Secretaria de Educação do DF informou que “vai acompanhar os desdobramentos da investigação policial”.

Alta no desemprego O desemprego no DF registrou aumento em janeiro e fevereiro deste ano, segundo a pesquisa divulgada pela Companhia de Planejamento (Codeplan) na quarta-feira (28). O levantamento aponta que a população economicamente ativa cresceu em 5 mil pessoas e o número de postos de trabalho diminuiu em 3 mil.

Conta de luz vai ficar mais cara A Companhia Energética de Brasília (CEB) entrou com pedido de Revisão Tarifária Extraordinária (RTE) para reequilibrar as contas. A estatal afirma que os os custos com compra de energia e encargos não foram cobertos com o último reajuste (8,46%),

em outubro do ano passado. O valor a ser liquidado está em torno de R$ 200 milhões, mas pode ser mais do que o dobro, projeta o mercado. Os aumentos de tarifas dependem de autorização da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Demolição do viaduto O bloco do trecho que desabou do viaduto da Galeria dos Estados, no Setor Bancário Sul (SBS), em 6 de fevereiro, será demolido e reconstruído. As demais estruturas terão fundações e colunas reforçadas, formando uma laje de consolidação. O anúncio foi feito na quarta-feira (28), durante entrevista coletiva no Palácio do Buriti.


Brasília Capital n Geral n 13 n Brasília, 31 de março a 6 de abril de 2018 - bsbcapital.com.br

Jovens derrotados É a primeira vez, em tempos de paz, que se nota uma juventude tão sem espírito de luta quanto esta atual É a primeira vez, em tempos de paz, que se nota uma juventude tão sem espírito de luta quanto esta atual. A causa disso é a superproteção e a falta de incentivo dadas pelos pais, e a falta de religião prática, com sua visão transcendental de vida e de irmandade. O resultado disso são jovens áridos, materialistas, individualistas, com uma visão descartável nos relacionamentos e consigo mesmos. Com isso, o sui-

cídio é a quarta causa de morte entre pessoas até 29 anos. Pergunta-se: todas as vezes que as coisas não dão certo na sua vida, você pensa em suicídio? Alguma vez já parou pra pensar no sofrimento que se abaterá sobre a família, ou, inconscientemente, é isso que deseja? Você nunca parou para descobrir as razões dessa tentação? Nunca parou para pensar que focar nas solu-

Dieta flexível Tudo que vende milagre faz sucesso! Não se engane com regimes da moda como o que prevê emagrecimento sem nenhuma restrição Engraçado perceber como tudo que vende milagre faz sucesso! A “dieta flexível” está sendo muito comentada em redes sociais, especialmente porque, segundo seus “autores”, você consegue emagrecer comendo tudo que gosta.

Mas não se engane! Não é bem assim. IIFYM na língua inglesa significa “If It Fits Your Macros”, que, traduzindo, fica “Se Isso se Encaixa em Seus Macros”. A Dieta IIFYM é muito popular nos EUA e vem se espalhando por todo o mundo.

ções é que seria sensato? Por que essa má-vontade de viver? Por que você é fraco e aflige-se porque não quer desenvolver o elemento primordial da vida, que é vontade de viver.Você quer desistir sem lutar. Vontade é virtude e é preciso aumentá-la durante toda a nossa vida. Com a vontade fraca qualquer problema é calamidade. Não se compare com quem tem a vida mais fácil que a sua, com aquelas pessoas para quem, aparentemente, tudo é fácil. É por ser fraco que encontrará dificuldades para enfrentar, resolver, superar ou administrar problemas quando não for possível resolvê-los para tornar-se forte. Há todo um processo de sabedoria envolvendo sua vida. O exemplo dos seus pais, dos seus familiares e amigos com quem convive ou conviveu. Talvez você esteja chateado devido à repetição de situ-

ações desagradáveis ou de objetivos não alcançados. Mas confie que o que for programado, se você empenhar-se, conseguirá na hora certa. Então viva! Acredite que a vida continua, mesmo se você não acreditar e ela continuar, você arrumou uma encrenca dos diabos, e no além, não há para onde fugir. Do lado de lá, “a cada um segundo as suas obras”, ensinou Jesus. O escritor Gonçalves Dias, com sua Canção do Tamoio, exaltou a luta que se deve ter externa e internamente. “Não chores, meu filho; Não chores, que a vida é luta renhida: Viver é lutar. A vida é combate, Que os fracos abate, Que os fortes, os bravos Só pode exaltar”.

Sua utilização básica passa pelo controle de todas as calorias consumidas, independentemente da sua origem. De modo geral, é como falar que não importa a qualidade dos alimentos, mas sim e somente a quantidade previamente estipulada de macronutrientes da dieta. Visão muito reducionista na minha opinião. E me fez lembrar muito da dieta dos pontos, que somente contava calorias, independentemente de onde elas vinham. Apesar desse marketing enganoso, as recomendações são as mesmas de uma dieta saudável: evitar alimentos ultraprocessados, bebidas alcoólicas e bebidas açucaradas, como os refrigerantes. Aumentar o consumo de vegetais, frutas

e hortaliças... Ou seja, parece que a dieta flexível também leva em consideração a qualidade dos alimentos e seu nível de processamento. Minha conclusão sobre mais essa “dieta da moda” é que a verdade é simples, mas ninguém quer fazer: comer comida de verdade, ter uma boa relação com os alimentos e se exercitar. Simples assim! Antes de seguir qualquer receita milagrosa, procure um bom nutricionista!

José Matos Professor e palestrante

Caroline Romeiro Nutricionista e professora na Universidade Católica de Brasília (UCB)


Brasília Capital n Geral n 14 n Brasília, 31 de março a 6 de abril de 2018 - bsbcapital.com.br

O primeiro imparável Imparável: palavra formada por 9 letras, mas 8 fonemas (em função do dígrafo vocálico“im”); polissílaba; paroxítona (acentuada, por ser terminada em L); neologismo, estruturado pelo acréscimo do prefixo -in (negação) e do sufixo -el (responsável por formar adjetivos a partir de verbos) ao radical “parar”; morfologicamente, pode funcionar como adjetivo ou substantivo: (1) O homem imparável realiza grandes obras. (Adjetivo) (2) O imparável merece o nosso reconhecimento. (Substantivo) Enquanto adjetivo, pode, sintatica-

mente, funcionar como adjunto adnominal (como ocorre em 1) ou predicativo do sujeito; (3) Eu sou imparável! Enquanto substantivo, pode ser núcleo de diversas estruturas sintáticas – sujeito (como em 2), objetos, aposto, vocativo, agente da passiva. (4) Eu conheço o imparável. (Objeto direto) (5) Eu convivo com o imparável! (objeto indireto) (6) Jesus, o imparável, deixou o seu exemplo para a humanidade. (aposto) Para fazer a análise semântica, vou

Estão querendo penhorar o Vale do Amanhecer Somados às centenas de políticos larápios envolvidos na Lava Jato, já se pode afirmar que, além de Brasília, também Goiás centraliza a corrupção no mais alto escalão da Igreja Católica Apostólica Romana, com a prisão do bispo da Diocese de Formosa, que comandava 33 paróquias de 20 municípios goianos, cujo conseguiu comprar inúmeros imóveis com o dinheiro roubado, tendo como cúmplices sacerdotes, seus subordinados.

O escândalo eclodiu na segunda-feira (19), ocasião em que Sua Iminência o bispo Dom José Ronaldo foi transportado em camburão para a penitenciária estadual de Formosa, juntamente com o monsenhor Epitácio Cardozo Pereira, vigário-geral da Diocese local, número dois na hierarquia da Igreja; e o padre Thiago Wenceslau, juiz eclesiástico. Foram interrogados durante quatro horas e em seguida indiciados como réus. No que se refere à Justiça Eclesiástica,

MARCELO RAMOS O REPÓRTER DO POVÃO

Programa O Povo e o Poder das 8h às 10h de segunda a sábado Notícias, Esportes e Músicas

Rádio JK - AM 1.410 Ligue e participe: (61) 9 9881-3086 www.opovoeopoder.com.br

me apoiar em um trecho de Pe. Antônio Vieira, retirado de Sermão da Terceira Dominga do Advento: “Quando lhe perguntavam quem era, respondeu o que fazia; porque cada um é o que faz, e não é outra cousa. As cousas definem-se pela essência: o Batista definiu-se pelas ações; porque as ações de cada um são a sua essência. Definiu-se pelo que fazia para declarar o que era.” Segundo Vieira, uma pessoa se define por seus atos. Como “imparável” é um atributo advindo de um verbo, ele só pode fazer referências aos que, por meio de ações, revelam tal comportamento. É como definiu Gabriel Granjeiro: referente ao que não para; diz-se do que não é possível parar ou suspender. Note: o imparável é o que não para e não permite que alguém o pare. Ainda não é um vocábulo dicionarizado, mas não há impedimentos para que um dia o seja. Por trás de tanta complexidade linguística, há algo socialmente mais brilhante:

querer ser, todos os dias, imparável. A data nos faz lembrar que, muito antes da concepção informal do verbete, alguém já reunia todas essas características: Jesus. Para alguns, o Salvador; para todos, um exemplo. Jesus nos mostra que ser imparável está além de lutar incansavelmente por si e pelos seus, mas, sobretudo, garantir que todos possam também alcançar a imparabilidade. Ele, no mistério da cruz, revelou que, para os imparáveis, a vitória é uma consequência. Tê-lo como referência (uma das ou a referência) significa estar comprometido com a composição de um testemunho capaz de edificar a nossa sociedade! Feliz Páscoa!

os três sacerdotes indiciados também foram enquadrados pelo colegiado de cardeais do Vaticano, por ordem expressa do incansável Papa Francisco, que já colocou na cadeia inúmeros padres pedófilos. E tudo leva a crer que os de Goiás também serão julgados e expulsos da Igreja Católica, que já não é mais aquela potência ao ser desvinculada do Estado pela Constituição Brasileira de 1891. Por outro lado, com a previsão aritmética do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de que a população muçulmana está crescendo célere no Brasil e que será igualada à religião Católica Apostólica Romana por volta dos anos 2.050 (daqui a 32 anos), é o caso de se perguntar: se na lei muçulmana a pena tradicional para quem rouba é decepar a mão, a situação dos corruptos

brasileiros ficará insustentável, não só na área legislativa e até mesmo na Igreja Católica (leia-se o caso de Formosa), com o Brasil se tornando o país dos manetas. Será? Mas, diga-se de passagem, esse título vergonhoso para nosotros não afetará a moral dos ditos cujos atingidos, já que eles terão ao seu alcance um providencial disfarce: graças à corrida de atentos industriais na abertura de fábricas de engenhosas mãos de plástico, será fácil comprar esses artefatos pelos larápios de colarinho branco. É isso aí: quem tem dinheiro (mesmo roubado) não dorme de touca!

Elias Santana Professor de Língua Portuguesa e mestre em Linguística pela Universidade de Brasília (UnB)

Fernando Pinto Jornalista e escritor


Brasília Capital n Cultura n 15 n Brasília, 31 de março a 6 de abril de 2018 - bsbcapital.com.br

Livro de graça. Pecado? REPRODUÇÃO

O Sr. Marcelo Crivella, bispo da Igreja Universal do Reino de Deus, volta e meia deixa escapar um tiquinho de suas predisposições bem pouco democráticas Mario Pontes (*)

RIO – Moro há mais de meio século no Rio de Janeiro. E entre os dois ou três principais motivos que pesaram na decisão de mudar-me para cá, destacava-se a necessidade de livrar-me até da lembrança dos sulfurosos ares que havia respirado na infância, adolescência e primeiros anos de juventude. Realista, sabia que os daqui – como nada no mundo – não podiam ser cem por cento puros, mas decerto eram mais leves que os por mim inalados em anos anteriores, especialmente os mais remotos. Nasci em 1932 numa pequenina cidade do interior cearense. E foi como se tivesse nascido em um pobre vilarejo da Europa medieval, assombrado pelo Anjo da Inquisição e sua espada de fogo. Noventa e nove por cento do que podiam pensar e fazer aqueles milhões de oprimidos da época encaixava-se na categoria dos pecados mortais, que impunham o sem-fim das chamas do Inferno. E mortais podiam ser tanto as fantasias eróticas de umgarotinho de dez anos quanto os peque-

Crivella: o religioso utiliza a prefeitura para impor vontades antidemocráticas

ninos porém inaceitáveis desejos de algum desvalido pé de chinelo. O Rio certamente não era o paraíso da liberdade; e como sempre fui realista, não esperava encontrá-la – na sua completude– em qualquer agrupamento humano. Mas, apesar das deficiências, era um lugar em que o grau de civilização não estava abaixo da média aceitável. O que para a maioria dos integrantes da minha geração implicava – e ainda implica – antes de tudo em não viver envolvido pela sombra do medo; não ter de perguntar cada manhã qual a nova proibição

engendrada e validada enquanto dormia; sentir-se livre, viver sem medo de perder a liberdade de ser o que é e não o que outros querem que seja. É verdade, leitor, que de vez em quando – como sempre aconteceu neste Planeta –apareciam cacos de vidro nas ruas e acabávamos arranhando os pés. Tivemos, por exemplo, de engolir a truculência do governador Carlos Lacerda, que se afastara anos-luz das ideias progressistas de sua juventude e passara a falar e agir como um senhor de senzala. Sabia-se, porém, que o eleitorado não iria perpetuá-lo no poder.

Tivemos também um jornalista chamado Gustavo Corção, que costumava ameaçar sair da redação de chicote em punho a fim de punir quem discordasse de seus desvarios inquisitoriais. Eram exceções, no entanto. Hoje temos um prefeito – o Sr. Marcelo Crivella, bispo da Igreja Universal do Reino de Deus – que volta e meia deixa escapar um tiquinho de suas predisposições bem pouco democráticas. Na semana passada, um cidadão de boa vontade retirou de suas estantes algumas dezenas de livros usados, ergueu uma barraquinha tamanho guarda-chuva em certa praia da Zona Sul, e se pôs a distribuí-los gratuitamente. Logo apareceram agentes da Prefeitura com ordens para desmontar a barraca e mandar seu dono para casa. À semelhança daqueles que testemunharam o fato, ou tomaram conhecimento dele pelos meios de comunicação, até agora me sinto perplexo e continuo a indagar-me: a que ou a quem aquele homem ofendia por distribuir livros de graça? À higiene da praia? À pureza azul do céu? Ou estaria ele ameaçando a salvação das almas pelo simples fato de que o conteúdo dos seus livros não era sagrado, mas profano?

(*)Mario Pontes, ex-editor do Caderno Livro, do Jornal do Brasil, ficcionista e tradutor de obras de ficção e ensaio. Mora no Rio.


Profile for Jornal Brasília Capital

Jornal Brasília Capital 356  

Jornal Brasília Capital 356  

Advertisement