Page 21

18 POLÍCIA SANTA MARIA

POLÍCIA PRENDE AUTOR DE ASSASSINATO Na manhã de ontem, os policiais civis da Delegacia de Polícia Especializada em Homicídios e Desaparecidos de Santa Maria prenderam preventivamente um homem de 22 anos investigado pela prática de um homicídio consumado e outro tentado na noite de 21 de abril, no Alto da Boa Vista, em Santa Maria. Quando foi preso, no Distrito de Santo Antão, o indivíduo portava na cintura um revólver calibre 22 (furtado), o qual, segundo ele, teria sido usado nos crimes. O jovem alegou ter agido em legítima defesa. O preso, que possui antecedentes policiais por roubo tentado, também foi autuado em flagrante por porte ilegal de arma de fogo e receptação. Ele foi encaminhado à Penitenciária Estadual de Santa Maria.

JAGUARI

IDOSO MORRE ATINGIDO POR ÁRVORE Um idoso de 69 anos morreu de forma trágica nesta segunda-feira, 30, na localidade de Linha 11, em Jaguari. Segundo a Brigada Militar (BM), Belmiro José Cattelan foi atingido por uma árvore que caiu sobre seu corpo. Quando os policiais chegaram ao local, o agricultor já estava sem vida. Belmiro estava cortando a árvore com uma motossera quando aconteceu o acidente. O local foi isolado até a chegada da Polícia Civil. O agricultor deixa esposa e três filhas. O sepultamento ocorreu na tarde de ontem.

QUARTA-FEIRA, 1° DE JUNHO DE 2016

Ex-vereador João Carlos Maciel está preso desde segunda-feira DEIVID DUTRA / A RAZÃO

EX-RADIALISTA DE 66 ANOS CUMPRE PENA NO REGIME SEMIABERTO NO INSTITUTO PENAL DE SANTA MARIA

RAUL PUJOL

O

ex-vereador e radialista, João Carlos Maciel da Silva, 66 anos, está preso no regime semiaberto no Instituto Penal de Santa Maria, desde o final da tarde de segunda-feira. O ex-peemedebista foi condenado por peculato em 2ª instância pelo Tribunal de Justiça. A pena é de seis anos e oito meses de prisão. Enquanto recorre em terceira instância no Superior Tribunal de Justiça, Maciel terá que ficar recolhido até uma decisão final. Peculato é o crime que consiste na subtração ou desvio, por abuso de confiança, de dinheiro público, para proveito próprio ou alheio, por funcionário público que os administra ou guarda; abuso de confiança pública. Ele exigiu parte dos salários de três assessores em 2009, quando era presidente da Câmara de Vereadores de Santa Maria. De acordo com Sandro Luiz Araújo Paiva, responsável pela administração do Instituto Penal, o ex-político, possui carta

de emprego, e pode ficar fora do estabelecimento prisional das 6h às 19h, de segunda a sexta-feira. Porém, aos finais de semana, ele não pode sair do local. O Instituto Penal tem 130 apenados, dos regimes aberto e semiaberto, distribuídos em alojamentos e não possui celas. A reportagem do jornal A Razão entrou em contato por telefone com a secretária do advogado Mário Cipriani, responsável pela defesa de Maciel, mas ele não deu retorno. O ex-vereador também não foi localizado para comentar o caso.

“O HOMEM ALEGRIA DO RÁDIO” Este era o bordão usado por João Carlos Maciel em seu programa na Rádio Medianeira. Ele era o comunicador mais escutado da emissora, até ser demitido em fevereiro deste ano por justa causa. Em dezembro de 2015, Maciel já havia sofrido outra dura derrota quando teve seu mandato de vereador cassado. Antes disto, em março, ele foi preso, em flagrante, pela Polícia Federal (PF), por pose de medicamentos de uso

restrito e vencidos, que estavam guardados na sede do seu programa de rádio. Maciel também mantinha um programa social em que ajudava a comunidade mais carente de Santa Maria por meio de doações. Além disto, promovia o Natal do Amor Maior, ação que distribuía presentes para crianças das periferias. Natural de São Luiz Gonzaga, o ex-político foi eleito por três vezes vereador no “Coração do Rio Grande”. Na última eleição em 2012, ele teve 5.521 votos nas urnas.

Ex- secretário é condenado por crime ambiental ARQQUIVO / A RAZÃO

FASE

ENCONTRO DE GESTORES A Fundação de Atendimento Sócio-Educativo (Fase) promove, hoje e amanhã, o primeiro encontro de gestores de 2016. A reunião tem como objetivo reunir diretores e assistentes de direção de unidades de internação e semiliberdade de todo o Rio Grande do Sul. Na oportunidade, os diretores assinarão o Acordo de Resultados da Fase que consiste na pactuação de metas e objetivos de gestão a serem aplicados em todas as unidades da Fundação. Durante o encontro de gestores serão debatidos assuntos técnicos relativos à gestão dos Centros de Atendimento Socioeducativo (Cases) e à socioeducação.

Maciel, eleito por três vezes em Santa Maria, foi em condenado em segunda instância pelo Tribunal de Justiça

Luiz Alberto de Carvalho Jr foi secretário de Meio-Ambiente

O ex-secretário do Meio Ambiente de Santa Maria Luiz Alberto de Carvalho Júnior e o subprefeito do distrito de Passo do Verde José Valdir Lopes da Rosa foram condenados pela Justiça Federal de Santa Maria em um processo por crime ambiental ocorrido entre 2011 e 2012. A sentença, de 23 de maio, é assinada pelo juiz Jorge Ledur Britto, da 2ª Vara Federal. Carvalho Jr foi condenado

por emitir licença ambiental indevida e Lopes da Rosa por extração ilegal de areia. Os dois foram condenados a um ano e nove meses de detenção, além de multa. A pena privativa de liberdade foi substituída por prestação de serviços à comunidade e prestação pecuniária. Eles podem recorrer. Segundo o Ministério Público Federal (MPF), a Patrulha Ambiental da Brigada Militar teria constatado a extração de oito hectares de areia pelo maquinário da Prefeitura de Santa Maria nas margens do Rio Vacacaí, mas do lado do município de São Sepé. Conforme o MPF, a retirada do recurso mineral foi feita em área de preservação permanente com prejuízo da vegetação nativa. Os advogados do ex-secretário e do subprefeito alegaram que eles não agiram de má fé, pois não haveria extração predatória de areia, já que o obje-

tivo era evitar o assoreamento do rio. E afirmaram ainda que o material seria utilizado em obras públicas. O juiz, no entanto, entendeu que ficou comprovada a emissão de documento de forma ilegal pelo então secretário, que teria extrapolado “os poderes que lhe foram outorgados por meio do convênio firmado entre o Município de Santa Maria e a Fepam, que não autorizava a emissão de licença ambiental

destinada à extração de areia, especialmente de minério localizado no recurso hídrico e, ainda, em área pertencente a município diverso”. Em relação ao subprefeito, o juiz concluiu que ele sabia que a retirada de areia seria na margem do rio pertencente a outra cidade. A Razão procurou o exsecretário, mas ele não atendeu as ligações. O ex-subprefeito também não foi localizado.

Profile for Jornal A Razão

Jornal A Razão 01/06/2016  

Jornal A Razão 01/06/2016  

Advertisement